__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

MÃE, PROFISSIONAL E AVENTUREIRA Páginas 12 e 13

Páginas 12, 13 e 14 TOC, TOC... COMO UM TRANSTORNO ENTRA EM NOSSAS VIDAS Páginas 10 e 11

TODOS SABEM O QUE É O CIGARRO. E O NARGUILÉ? Página 15

O BOM RESULTADO DA FISIOTERAPIA QUE VEM DO ESPORTE Páginas 20 e 21

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


colaboradores da edição’

JORNAL LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL – JORNALISMO (FCSAC) – TURMA 2015 REITOR Prof. Dr. Jair Cândido de Melo DIRETOR DA FCSAC Prof. Dr. Manoel Otelino da C. Peixoto COORD. DE COMUNICAÇÃO SOCIAL – JORNALISMO Prof. Msc. Vânia Braz de Oliveira EDITOR-CHEFE PROF. ESP. Fredy Cunha (Mtb 47292) PROJETO GRÁFICO Prof. Esp. Lucaz Mathias e Alunos do 5º período de Jornalismo CONSELHO EDITORIAL Prof. Msc. Vânia Braz de Oliveira, Prof. Esp. Fredy Cunha e Prof. Esp. Lucaz Mathias Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP Av. Shishima Hifumi, 2.911, Urbanova, São José dos Campos – SP 12.244-000 / Tel.: (12) 3947h-1083, www.univap.br Dúvidas e sugestões pelo e-mail: focaemfoco@univap.br. CAPA: Foto - Leandro Korolkovas.

|2|

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


NESTA 7 EDIÇÃO 8 4 10 12 5 6 14 Queimando calorias com o squash

ARTIGO

É proibido pensar negativo

BONS FLUÍDOS

O poder das mãos

REIKI

Yoga: estilo e filosofia de vida

CORPO E MENTE A cura pela fé

ESPIRITUALIDADE Toc, toc... Quando um transtorno bate à porta

MENTE HUMANA A vida de quem é movida pela adrenalina

CAPA

“Silêncio” urbano

DEFICIÊNCIA

EDITORIAL

O QUE QUEREMOS DA VIDA?! PROF.º FREDY CUNHA

15 16 18 20 22

O cigarro do século XXI

ALERTA

Santo remédio ou droga perigosa

CANNABIS

Muay Thai: sinônimo de disciplina e autocontrole

ARTES MARCIAIS Tratamentos não convencionais

ALTERNATIVAS

Comer bem para pensar melhor

BOA MESA

de nós mesmos. Cada um de si e uns dos outros... E não falamos de status social ou vida financeira. Falamos de saúde! O que você tem comido e bebido, qual tem sido sua frequência de atividades físicas, por quais tratamentos tem passado...? Essas e outras perguntas que podem ser resumidas numa só: você tem cuidado do que realmente tem importância?

Numa revista feita por estudantes

Em meio a rotinas caóticas, traba-

Não ofereceremos soluções mi-

universitários, temos algumas liberda-

lhos cada vez mais estressantes, pro-

lagrosas nem sete passos pra isso ou

des nem sempre possíveis em jornais

blemas de saúde agravados por este dia

aquilo. Apenas queremos, com essa

‘comerciais’. Uma destas liberdades

a dia insano que temos vivido, entre

abordagem jornalística, despertar o

é dedicar uma edição inteira de nosso

tantos outros potencializadores de uma

pensamento crítico de nosso leitor, a

material a assuntos que gravitam em

vida um tanto complicada, vamos falar

começar por nós, sobre o que temos fei-

torno de temas específicos, definidos a

de ações e situações que causam efeitos

to com nossas vidas. Nosso desejo é que

partir da reunião de pauta. Nesta edi-

positivos em nossa saúde física e mental.

consigamos, todos, destinar um olhar

ção, por exemplo, você vai ler uma série

Nosso convite a você, a partir da lei-

mais cuidadoso e mais criterioso para

de reportagens que abordam ‘saúde e

tura desta revista Foca em Foco, é para

nossa saúde e para nosso bem-estar.

bem-estar’.

uma reflexão sobre como temos cuidado

Uma ótima e saudável leitura!

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

|3|


ARTIGO Saiba mais sobre este esporte que queima tantas calorias ERICK SPROVIERI, FELIPE KYOSHY E LUCAS DE ABREU

QUEIMANDO CALORIAS COM SQUASH

Pense num instante em uma maneira

paredes que os encarceravam. No Brasil,

A prática do esporte, porém, não é

de queimar calorias. Você, provavelmen-

a modalidade desembarcou no início da

tão acessível. Na região de São José dos

te, pensou em correr distâncias quilomé-

década de 1920, trazida pelos ingleses,

Campos, o interessado precisará desem-

tricas, dietas mirabolantes, pedaladas

que a introduziram nos locais onde ga-

bolsar, mensalmente, de R$ 80,00 a R$

exaustivas, competições esportivas de

rimpavam, à procura de ouro. Há docu-

180,00 para praticar o squash. A cidade

grupo, praticadas sob um ‘sol escaldante’

mentos que comprovam que uma das

conta com diversos locais para a realiza-

ou até mesmo em hábitos como subir es-

primeiras quadras de squash existentes

ção da atividade. Com uma simples pes-

cadas em vez de usar elevadores.

no Brasil, foi nas minas de ouro da cidade

quisa, você encontra as opções de locali-

de São João Del Rey, localizada em Mi-

dade.

Sim, isso pode atingir o objetivo de quem tem como meta perder alguns qui-

Diversos benefícios podem ser ob-

nas Gerais.

los. Mas poucos sabem qual é o esporte

O squash não tem apenas o rótulo de

servados com a prática do squash. Den-

que mais queima calorias. Futebol? Vô-

esporte que queima calorias. Há algum

tre eles, o aumento do condicionamento

lei? Lutas? Esqueça! É o squash. Sim, este

tempo, os praticantes desta modalidade

cardiorrespiratório, desenvolvimento da

é um esporte pouco conhecido e é uma

estão tentando convencer que este es-

coordenação motora, equilíbrio, flexibili-

variação do tênis, no qual dois ou quatro

porte merece tornar-se uma modalidade

dade, força, além da capacidade de con-

jogadores rebatem velozmente uma boli-

olímpica. Apesar do squash ainda não ser

centração e da capacidade de resposta a

nha de borracha em um paredão. Squash

um esporte de Olimpíadas, ele está pre-

estímulos.

é um esporte praticado em quadra fecha-

sente em diversos eventos subordinados

A atividade ainda fortalece toda a

da, num espaço aproximado de 9,75 m de

ao Comitê Olímpico Internacional (COI),

musculatura do corpo, como braços, cos-

comprimento e 6,4 m de largura.

como os Jogos Pan-Americanos, Jogos

tas, peito, ombro, abdome e pernas. Mas

Em média, um jogador pode queimar

Centro Americanos, Jogos da Comunida-

é bom sempre lembrar que toda prática

de 800 a 1.500 calorias em uma hora de

de Britânica, Jogos Asiáticos, Jogos Afri-

de atividades físicas exige uma orienta-

prática do esporte. O squash tem sido

canos, Jogos Universitários Mundiais,

ção médica ou de algum profissional es-

mais frequentemente apreciado nos paí-

entre outros.

pecializado na área, como um professor

ses europeus, como Inglaterra, por exem-

O esporte é gerido por uma federação

de Educação Física. Então, não faça lou-

plo, onde o esporte foi criado no século

internacional (WSF, sigla em inglês para

curas. Pense bem antes de pegar a raque-

XIX, além de ser bem popular, também,

Federação Mundial de Squash), que tem

te e partir para o ataque. O cuidado com

em países como Malásia, Austrália e Egito.

diversos campeonatos mundiais. No Pan,

a saúde é essencial.

Diz a lenda que esta prática esportiva

o Brasil já medalhou. O feito aconteceu

Dessa forma, deixamos essa dica pra

nasceu em uma prisão londrina, conhe-

nos jogos do Rio, em 2007, quando a

você: queimar calorias pode ser mais fácil

cida como “Fleet”, onde detentos raque-

equipe masculina ficou com o bronze no

e prazeroso do que você imagina. ‘Bora’

tavam bolinhas de tênis contra as quatro

torneio.

raquetar?!

|4|

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


Essas situações, nas quais o homem

BONS FLUIDOS Como o entusiasmo, a autoconfiança e o otimismo influenciam na qualidade de vida GABRIELLE PRADO E PATRÍCIA STAFFA

É PROIBIDO PENSAR NEGATIVO

vive uma sensação real causada por uma ação subjetiva, são chamadas por muitos pesquisadores de ‘Efeito Placebo’. Diversos estudos afirmam que o poder da sugestão é grande, podendo causar inúmeros efeitos aos pacientes, tanto psicológicos, como físicos. Acreditando ou não, fato é que a adoção de atitudes positivas na vida resulta em uma melhora do corpo e da mente para você, seus familiares e ami-

Nos últimos anos, muito tem se falado

Macedo, não acredita na teoria. “Eu sou

gos. Torne-se um repelente de pessoas

sobre o impacto do pensamento, seja em

uma pessoa muito realista. Não acredito

negativas!

pequenas ações da rotina ou em tratamen-

que o pensamento possa levar uma pes-

tos médicos. O assunto se popularizou

soa à cura. Se o médico diz que algo vai

COMPROVAÇÃO DO EFEITO

após o lançamento de livros que focam o

acontecer, o que você pensa não ajuda

PLACEBO - Um cientista de Phoenix,

tema, como ‘O Segredo’, de Rhonda Byr-

em nada”.

Arizona, nos Estados Unidos, comprovou

ne, e ‘O Poder do Pensamento Positivo’,

sua teoria de efeito placebo, após propor PÍLULAS DA FÉ - A fé existente nas

uma experiência a um condenado à mor-

pílulas de Frei Galvão é um exemplo do

te: foi feito um corte superficial no pulso

Alguns especialistas associam o po-

impacto da crença para algo positivo. Elas

do preso, mas que não atingiu artéria nem

sitivismo à cura de doenças. “Eu digo

são confeccionadas a partir de um papel

veia, porém fez com que ele sentisse a sen-

para meus pacientes que o pensamento

higienizado, que é enrolado e depois dis-

sação de ser cortado.

positivo é o primeiro passo para o tra-

tribuído aos fieis.

de Norman Vincent Peale. Hoje, a questão gera discussões entre leigos e técnicos.

Depois, de dez em dez minutos, uma

tamento. Mesmo que eu te dê o melhor

Muitos deles dão testemunhos de mi-

gota de soro caia na vasilha de alumínio

remédio para dor de cabeça, se você não

lagres após o uso, como Suzy Moraes, 31

que estava debaixo de sua cama, fazendo

acreditar, pode ser que não resolva”,

anos, de São José, mãe da pequena Alícia,

com que o preso acreditasse que era seu

afirma a ginecologista Elaine Yokota, de

3 anos. “Tomei a pílula por nove dias, pois

sangue. Com o passar do tempo, as gotas

São José dos Campos.

é uma novena que se faz. Depois disso, re-

começaram a diminuir e fizeram com que

cebi a graça de ficar grávida”, conta ela.

o condenado acreditasse que estava com

Já a estudante de gastronomia Sara

pouquíssimo tempo de vida. O preso sofreu uma parada cardíaca e morreu. Isso sem ter perdido uma gota de sangue. Muitos acreditam que esta história seja falsa, outros alegam que seja verídica. Verdade ou não, a narrativa ficou

ILUSTRAÇÃO: MÁRCIO AUGUSTO

conhecida pelo mundo como um exemplo do Efeito Placebo. #FICAADICA - Escolha a trilha sonora da sua vida e faça uma playlist com músicas que levantem o seu astral! Isso vai melhorar o seu dia. Sorria e seja feliz!

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

|5|


ENERGIA Até tem explicação (e nós daremos). Mas a melhor maneira de entender o reiki é marcando uma sessão ELISA VEECK

REIKI: O PODER NAS MÃOS

Antes de qualquer coisa, reiki não

é dado aos pontos de energia em nosso

dormi profundamente”, conta, pasma-

é religião. Você pode ser evangélico ou

corpo. Os sete principais vão do topo da

da com as sensações que teve. “Senti

budista e praticar reiki. Ele é uma tera-

cabeça ao fim da coluna vertebral.

meu estômago roncar muito enquanto

pia alternativa que nasceu no Japão há

Para explicar de modo bem didáti-

a mestre apro-ximava a mão dele. E

muitos e muitos anos, e é feita por meio

co, imagine a fluidez de um córrego. Ele

quando tirava a mão, isso parava. Im-

da energia das mãos.

segue um caminho, segue um ritmo. Se

pressionante!”

Dentre os inúmeros benefícios do rei-

você puser obstáculos, vai atrapalhar

Na cabeça, Amanda conta que sen-

ki, está o fato de alguns hospitais, como

imagine a fluidez de um córrego. Ele

tiu um efeito de ondas. Priscila explicou

o de Clínicas de São Paulo e o Boldrini

segue um caminho, segue um ritmo. Se

que foi apenas uma reação energética.

de Campinas, terem incluído a prática

você puser obstáculos, vai atrapalhar o

“Eu senti minha mão esquentar bastan-

no processo de tratamento de seus pa-

curso da água, certo? O mesmo acontece

te, mesmo sem encostar na cabeça dela.

cientes. Os efeitos vão desde diminuição

com esses pontos de energia. Se esta-

Havia muita energia acumulada ali.

do uso de analgésicos, redução de tempo

mos ansiosos, por exemplo, obstruímos

Muito agito, muita ansiedade”.

de pós-operatório até a cura de doenças

o chakra responsável por este sintoma.

A novata consentiu o agito e, na

como depressão e ansiedade.

O ideal é que todos fluam na mesma ca-

despedida, garantiu, ainda sonolenta:

dência, resultando em bem-estar, har-

“Voltarei, com certeza! Estou impres-

monia, felicidade...

sionada. Amei!”.

A olho nu, o processo é simples: um mestre impõe as mãos em cima do corpo de outra pessoa, a fim de reequilibrar os chakras. Esse nome diferente, o chakra,

A

PRIMEIRA

SESSÃO

DE

AMANDA - “Ki é energia, Rei é universal. Portanto, reiki é energia univer-

ALTERNATIVA A OMS (Organização Mundial de

sou apenas a condutora dessa energia

Saúde) indica o reiki como uma terapia

para ajudar a te dar equilíbrio”, diz a

alternativa, mas, em contrapartida, o

mestre Priscila Donola, de São José dos

método não é reconhecido pela medi-

Campos, durante sessão de reiki na es-

cina brasileira – apenas a acupuntura

tudante Amanda de Souza, 24, também

e a homeopatia. O dicionário brasilei-

joseense.

ro, por exemplo, apresenta definições

Após 40 minutos, Amanda conta

para acupuntura e homeopatia, mas

que dormiu profundamente e que sen-

ainda não para o reiki.

tia a mestre tocá-la, apesar de isso não ter acontecido. “Foi maravilhoso, eu

|6|

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

FOTO: SHUTTERSTOCK.COM

sal. Nós somos corpos energéticos e eu


CORPO E MENTE Conheça mais sobre essa prática milenar, que faz bem física e mentalmente ERICK SPROVIERI, FELIPE KYOSHY E LUCAS DE ABREU

YOGA: ESTILO E FILOSOFIA DE VIDA

União, controle e comunhão. Essas

o único estilo brasileiro que usa o yoga

práticos com técnicas corporais e exercí-

são as palavras que definem o yoga, que

como a principal composição. O instru-

cios respiratórios”, completa.

inicialmente era relacionado ao budismo

tor Sérgio Ferreira, 44, que é da cidade,

e ao hinduísmo e é constituído por um

trabalha há 17 anos no ramo e explica o

conjunto de exercícios que associa corpo

objetivo da prática.

BENEFÍCIOS – O yoga aparenta não exigir um grande esforço físico, po-

e mente, buscando um equilíbrio físico e

“A nossa ideia é transmitir toda a

rém, esta é uma ilusão, uma vez que os

emocional, melhorando a qualidade de

filosofia e a parte técnica do yoga, que

praticantes se desgastam muito durante

vida e a autoestima do ser humano. A

são os exercícios que fazemos em sala

a aula. A prática permite outros benefí-

prática foi criada na Índia, cerca de 3 mil

de aula e consistem em técnicas cor-

cios, como relaxamento dos músculos,

anos a.C. e também há indícios de sua

porais e respiratórias. Também temos

maior capacidade respiratória, além de

realização na Europa, mais precisamente

outra série de atividades culturais que

reduzir o estresse.

na Itália, bem antes do que na Ásia (apro-

dão auxílio aos alunos para enfren-

“Quando a pessoa vem praticar,

ximadamente de 15 a 10 mil anos a.C.).

tarem os desafios do dia a dia”, dis-

talvez ela esteja querendo ter mais de-

No Brasil, oficialmente, iniciou-se

se. “As pessoas nos procuram porque

safios. Após a prática do yoga, elas vão

em 1936, com a vinda do francês Swami

querem desenvolver na vida profis-

sentir que recarregaram suas energias.

Asuri Kapila, no Rio Grande do Sul. Ele

sional, ter uma qualidade ou um es-

Isso amplia a capacidade mental, per-

pertencia ao Remana Ashram – Escola

tilo de vida que te dê mais prazer e satis-

mitindo uma visão melhor de resolver

Internacional de Yoga. Hoje é uma prá-

fação. São

os problemas do cotidiano”, afirmou

tica comum em todo país.

exercícios

Ferreira.

No Vale do Paraíba e região, o cenário é de constante crescimento. São várias as

DE ROSE – O método DeRose é

academias e escolas que oferecem aulas

focado na essência original do yoga, li-

de yoga, e cada uma delas tem métodos e

gada à natureza, sem muita influência

atividades diferentes para

ocidental. A prática

trabalhar com os pratican-

não tem ligação com

tes. Muitas pessoas buscam

alguma religião.

essa filosofia de vida que traz

“A ideia principal do nosso

inúmeros benefícios para a saúde

trabalho é transformar o indiví-

corporal e mental. Em uma dessas escolas, localizada na região central de São José dos Campos, é utilizado o método DeRose –

duo, para que ele possa interferir na sociedade de forma positiva, realizando ações efetivas, se solidarizando com o próximo”, completou.

|7|


ESPIRITUALIDADE A procura por alternativas de tratamentos que vão muito além da medicina convencional

FOTO: SHUTTERSTOCK.COM

FERNANDA NASCIMENTO, MARIA THERESA FERREIRA E RICARDO MIGUEL

A CURA PELA FÉ

“Quando você se coloca diante dos médicos espirituais, acredita que, por meio da caridade e da fraternidade deles, você será socorrida”, relata Heloisa Ismael dos Santos Barbosa, que há dez anos buscou a cura de uma arritmia cardíaca nas sessões de cirurgia espiritual ministradas no ‘Espaço Assistencial Dr. Camilo Salgado’, em São José dos Campos. Localizado no bairro de Santana, zona norte da cidade, o Espaço é uma casa espírita que presta assistência a pessoas que estão à procura de alguma forma de cura, tanto para tratar de enfermidades físicas quanto de espirituais. À frente da casa, que é guiada pelo espírito do Dr. Camilo Salgado, está a psiquiatra Rosy Nascimento. Vestida de jaleco branco e com voz terna, Rosy recebeu a reportagem do Foca em uma sala onde crianças são instruídas na doutrina espírita em outros horários.  Desconfiada, apesar de sempre manter o semblante gentil, pede que a entrevista não seja gravada até ter conhecimento de todas as perguntas e nos contar um pouco de sua trajetória. A médica nasceu e cresceu em Belém, no estado do Pará. Sua primeira visão mediúnica foi aos 6 anos de idade. Seus pais, católicos fervorosos, não lidaram muito bem com a situação. “Eles não entendiam, me levaram para ver padres e pastores, tentaram de tudo para eu não ter mais essas visões”, conta ela. Durante toda sua vida, a psiquiatra teve oscilações nas visões e foi nos anos 80, depois de um acidente de carro que a deixou gravemente ferida, que

|8|

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


a médium começou a receber visitas

so médium que faz cirurgias espirituais

espirituais somente são investigadas

constantes do espírito do Dr. Camilo

e atrai pessoas de todo o mundo para

quando é feita uma denúncia. Em ou-

Salgado. Nessa época, ela já visitava um

o interior de Goiás, Rosy não materia-

tros casos, elas acontecem deliberada-

centro espírita por influência de sua so-

liza seus instrumentos de operação.

mente devido à Constituição de 1988,

gra e recebeu o conselho, inclusive de

Ou seja, não há nenhum tipo de inter-

que assegura a liberdade religiosa. Po-

Chico Xavier, de que deveria usar seu

venção física no corpo do enfermo. O

rém, o Código Penal Brasileiro possui

“dom” para outros fins, como ajudar

trabalho é totalmente invisível para os

dois artigos contra este tipo de prática,

pessoas. No entanto, Rosy foi resisten-

olhos leigos. “Se eu tivesse que materia-

os artigos 282 e 284,  que condenam

te. “Eu não queria assumir as respon-

lizar as cirurgias, não sei se seria capaz

práticas ilegais de medicina e ‘curan-

sabilidades que viriam junto com isso

de seguir com esse trabalho”, diz ela.

deirismo’.

tudo”, explica.

Na opinião do advogado André Luís

Já em São José, para onde veio

Testemunho de fé - Espírita pra-

Sonnemaker, de São José dos Campos,

quando o marido foi transferido de

ticante há mais de 30 anos, Heloísa Is-

a prática é perigosa por apresentar uma

emprego, ela fez cursos de preparação

mael, de São José, procurou o ‘Espaço

suposta alternativa às instituições de

e intermediou algumas curas no centro

Assistencial Dr. Camilo Salgado’ com a

saúde regularizadas e cientificamente

espírita Divino Mestre. Em 2000, de-

intenção de curar uma arritmia cardía-

reconhecidas, como hospitais, clínicas

vido ao grande número de pessoas que

ca. Às portas de fazer uma cirurgia para

e farmácias. “A verdade é que este tipo

buscavam sua ajuda, Rosy foi incenti-

dar fim à doença, ela buscou ajuda além

de prática nada soma à sociedade como

vada a abrir o ‘Espaço Assistencial Dr.

da medicina convencional.

um todo, podendo ainda representar

Camilo Salgado’.

Heloísa conta que, durante o acom-

riscos graves se feitas como as cirurgias

É neste espaço onde a médica, que

panhamento no centro espírita, desco-

de João de Deus”, afirma André, que

se formou em psiquiatria para tentar

briu também outras enfermidades que

complementa dizendo que, para ele,

entender um pouco da mente humana,

foram tratadas durante a cirurgia. “Eu

talvez o único benefício dessa prática

recebe o espírito do Dr. Camilo Salgado

me senti muito bem, senti muita paz e

seja o efeito placebo.

e faz cirurgias espirituais em quem pro-

uma sensação de ser cuidado simples-

cura seu auxílio.

mente por amor”, conta.

Rosalvo Batista, formado em Teologia e pastor da Igreja Evangélica As-

CIRURGIA ESPIRITUAL, SEM INTERVENÇÃO FÍSICA

Mesmo com a cirurgia espiritual,

sembleia de Deus, de São José, afirma

Heloísa não abandonou os tratamentos

que em sua igreja não é feita a cirurgia

convencionais de medicina. Inclusive,

espiritual, pois foge dos ensinamentos

Para os espíritas, a cirurgia espiritu-

essa é uma das instruções da médi-

bíblicos. “Não enxergo com bons olhos

al nada mais é do que um tratamento

ca Rosy Nascimento a quem faz o tra-

a incorporação de espíritos em um cor-

no “corpo espiritual” de cada indivíduo.

tamento em seu espaço. “Nós pedimos

po para a realização de cirurgias físicas

As pessoas têm o costume de achar

que os pacientes não deixem de se tratar

sem os devidos cuidados medicinais,

que o espírito, literalmente, entra no

com seus médicos, pois tudo tem que

acredito que somente o que estiver es-

corpo do médium, mas Rosy explica

continuar normalmente. O tratamento

crito na Bíblia é aceitável, o resto disso

que o processo não deve ser levado tão

aqui no espaço é pela fé”, explica.

é de procedência maligna.”

ao pé da letra. “O espírito se conecta por

No entanto, o pastor não vê as cirur-

uma sintonia vibracional nas camadas

DO OUTRO LADO

gias espirituais como algo totalmente

energéticas dos chakras e é como se ele

Em entrevista cedida à revista IstoÉ,

negativo. “Eu acho que todas as formas

estivesse ao meu lado, aconselhando-

em 2008, o então  vice-presidente do

de cura são válidas desde que estas não

-me e dizendo como eu devo proceder”.

Conselho Federal de Medicina, Ema-

coloquem em risco a integridade física

Ao contrário de João de Deus, famo-

nuel Cavalcanti, afirmou que cirurgias

e moral de uma pessoa.”

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

|9|


MENTE HUMANA Saiba diferenciar as manias do cotidiano do Transtorno Obsessivo Compulsivo GABRIEL NASCIMENTO E PEDRO LUVIZOTTO

TOC, TOC... QUANDO UM TRANSTORNO BATE À PORTA

Cada um de nós tem um pouco de

como forma de evitar que algo de terrível

comprometimento das atividades de vida

manias e esquisitices, mas elas não che-

aconteça com ela ou com alguém queri-

diária, afetando relacionamentos, traba-

gam a atrapalhar o dia a dia. No entanto,

do. São os rituais.

lho, escola, etc. Há uma desorganização

há pessoas que passam horas pensando e tendo que conviver com as ordens da

Foca: Como diferenciar o TOC das manias diárias?

interna, pavor, medo da morte, ou seja, há um grande sofrimento emocional, em

mente. Há, por exemplo, quem lave as

Márcia: Quando uma pessoa tem

que a pessoa percebe que aquilo está afe-

mãos mais de trinta vezes em uma única

uma mania, pode-se caracterizá-la como

tando sua vida, porém não consegue se

ida ao banheiro, ou faça diversos movi-

sendo metódica, organizada, disciplina-

desvencilhar. Muitas vezes, sentem-se

mentos para se sentir bem. Estes são os

da, vindo a ser considerada como uma

ridículos ou envergonhados diante da re-

portadores de TOC, o Transtorno Obses-

característica positiva, pois há um sen-

ação de outras pessoas, mas nada podem

sivo Compulsivo.

tido naquilo, há qualidade de vida. Traz

fazer, pois são vítimas de pensamentos

Entenda mais sobre o transtorno que

sensações agradáveis. No caso do TOC,

repetitivos contra a própria vontade, com

afeta cerca 3% da população mundial. A

a pessoa sente desconforto, ansiedade e

ideias que invadem constantemente a

entrevista é com a psicóloga Márcia Ser-

se vê como “escrava” daquele comporta-

sua consciência e que são perturbadoras.

marini, de São Jose dos Campos.

mento. Um exemplo é quando o “medo

Foca: Quais são os sintomas

Foca: O que é o TOC?

de sujeira ou contaminação” traz um

Márcia: Transtorno é um problema

comportamento repetitivo, como o de la-

Márcia: Lavar as mãos, contar vá-

que causa um incômodo, um desconforto

var as mãos, tomar banho, não tocar nas

rias vezes, repetir, não pisar na linha, pi-

a alguém. Obsessivo é relativo aos pensa-

pessoas. O indivíduo sabe que não faz

sar com o pé direito, esquerdo, verificar

mentos e ideias incontroláveis que geram

sentido aquela reação de lavar as mãos

se a luz está acesa ou apagada e se a porta

ansiedade, medo, pavor... Compulsivo é

repetidas vezes, ou algo assim, mas ela

está trancada, entre outros. Serão sem-

relativo a comportamentos repetitivos,

tem de fazer até se sentir bem. Esse tipo

pre comportamentos que podem trazer

que se realizam de forma consciente,

de comportamento leva a pessoa a um

um alívio aos pensamentos repetitivos

| 10 |

mais comuns?

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


FOTO: RAFAEL FREITAS

FOTO: ACERVO PESSOAL

NÃO É FRESCURA. É TOC! O Transtorno Obsessivo Compulsivo é o segundo distúrbio psíquico mais comum no planeta, perdendo apenas para a depressão. Segundo estimativas médicas, a doença atinge entre 2,5% e 3% da catastróficos, caso a pessoa não cumpra

se perceba que há graduações na insta-

população mundial. No Brasil, estima-se

aquele ritual.

lação das manias. Esse é um fator que

que 4,5 milhões de pessoas sofram com

leva, muitas vezes, a haver um diagnós-

este transtorno.

Foca: É possível determinar um tempo para que uma pessoa seja

tico tardio. Foca: Por que os pacientes de-

diagnosticada com TOC? Márcia: É importante observar o

moram tanto para buscar ajuda?

TEM TOC? PROCURE AJUDA!

período em que a pessoa se vê envolvida

Márcia: O diagnóstico torna-se difí-

As pessoas que têm dúvidas sobre

com sua mania, já que esse é um fator de

cil, visto que, normalmente o comporta-

seu comportamento ou que queiram sa-

alerta para quem acredita que possa ter o

mento inicia-se em casa e acaba haven-

ber mais detalhes sobre o TOC podem

transtorno. Caso as manias tomem mais

do uma adaptação da família quanto às

procurar a Astoc (Associação de Porta-

de uma hora por dia do tempo, interfe-

manias. O diagnóstico acaba sendo feito

dores de Síndrome de Tourette, Tiques

rindo na rotina e trazendo sofrimento

quando a o transtorno se instalou de for-

e Transtorno Obsessivo Compulsivo). A

subjetivo, necessitam ser atentamente

ma efetiva.

entidade presta um serviço de orienta-

Foca: Como deve ser o trata-

analisadas. Foca: Quais as características mais marcantes das pessoas que sofrem com a doença?

mento? Márcia: Pela causa biológica (um desajuste na produção de serotonina,

ção e encaminhamento dos portadores do transtorno, assim como de seus familiares. O site da associação é: www. astoc.org.br

Márcia: Há uma tendência de que

substância responsável pela transmissão

se encontre mais em pessoas metódicas,

de dados entre os neurônios), o TOC pode

conviver bem com ele. O importante é

extremamente organizadas, que neces-

ser desencadeado por traumas, estresses

diagnosticar o transtorno o quanto antes.

sitam que haja uma organização externa

e até mesmo por algumas bactérias. Já

Os tratamentos mais comuns envolvem a

exacerbada para que possa haver uma

que é ocasionado por um fator biológico,

administração de remédios e a psicotera-

organização interna. É importante que

o distúrbio não tem cura, mas é possível

pia comportamental.

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

| 11 |


CAPA ‘Enquanto pessoas frequentam terapia, eu faço esporte. Minha mente e meu corpo agradecem’ AMANDA PIMENTEL E GUILHERME PRUDENTE

Alinhar a rotina de ritmo frenético,

A VIDA DE QUEM É MOVIDA PELA ADRENALINA tempo em uma academia.

vida, de forma ‘religiosa’.

trabalho, tarefas domésticas e trânsito,

A primeira experiência unindo es-

E para dar conta de tudo, é preciso

com hábitos saudáveis, para manter o

porte e natureza foi quando se mudou

manter o autocontrole em todas essas

equilíbrio e uma mente sã, é quase im-

para São Luís do Paraitinga (SP), tendo a

atividades. Fabiana afirma que essas

possível. A sociedade evoluiu e com ela

oportunidade de praticar o rafting e tor-

modalidades se completam e ajudam

o modo de agir do ser humano, que cada

nando-se a primeira guia do Rio Paraibu-

a controlar o seu modo de viver. “En-

vez mais assume uma característica mul-

na. A partir de então, o esporte outdoor

quanto pessoas frequentam terapia, eu

tifuncional.

(esporte radical) passou de lazer a hábito.

faço esporte. Minha mente e meu corpo

A jornalista Fabiana Ferreira, 40 anos,

Corrida de aventura e mountain bike

– orgulhosa de sua idade – é um exemplo

começaram a tomar conta da sua vida.

claro dessa evolução. Em seu cotidiano,

“Estar em contato com a natureza, prati-

DURA MISSÃO – Contudo, para

ela montou um verdadeiro cronograma

cando esporte, é uma das sete maravilhas

que o seu corpo não sofresse desgaste

de atividades, passando de mãe à produ-

do mundo”, expressa a jornalista sobre o

durante essa maratona de exercícios

tora de vídeos, atleta de canoagem, corri-

prazer em sentir adrenalina. Mas foi nas

praticados, a multiatleta buscou uma

da, bike e até locutora de corridas. E haja

águas de rios, represas e no mar que ela

saída. O personal trainer e também

fôlego para citar todas as funções desta

se sentiu em casa e modalidades como

colega de canoagem, Rafael Leão, foi

mulher, que desde a infância, marcada

a canoa havaiana e “Stand Up Paddle”

quem a ajudou nesta missão.

pelo balé e pelo jazz, passava quase todo o

(SUP) começaram a fazer parte de sua

agradecem”, ressalta.

Ele explica sobre o treino específico

FOTOS: LEANDRO KOROLKOVAS

que a sua aluna exerce e também destaca os treinos funcionais e até mesmo os exercícios incluídos nas próprias modalidades, como corrida, pedal e remo. “Este tipo de treino tem como objetivo principal fazer o corpo trabalhar de uma forma mais eficiente, treinando a integração entre músculos e articulações. O integrado tem a ideia de fazer com que os músculos envolvidos no movimento se ajudem. Alguns trabalham com a estabilização (fundamental neste tipo de treino) e outros de forma dinâmica”.

| 12 |

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


mir sem ajuda de remédios.”

ditado, outro bom motivo para Fabiana

A lesão não fez com que Fabiana de-

sentir mais prazer em praticar todos es-

sistisse do esporte. Após se recuperar,

ses esportes é a companhia dos filhos:

ela voltou para a rotina de antes.

FOTOS: ARQUIVO PESSOAL/ DIVULGAÇÃO

FILHO DE PEIXE... – Como diz o

Maite Ferreira, 19 anos, e Kaike Ferreira, 12, que acompanham a mãe em

HORMÔNIO DA FELICIDADE -

três modalidades: corrida, corrida de

Existe explicação científica para esse

aventura e “Stand Up Paddle”. Juntos,

amor e vício pelo esporte. Bastam alguns

competem fazendo da natureza o seu

minutos de atividade física para nosso

habitat natural.

corpo ser inundado pela endorfina, um hormônio que provoca a sensação de bem-estar, euforia e relaxamento.

VÁLVULA DE ESCAPE - Alinhado ao treino funcional, a atleta recorre também ao “Gyrotronic”, um sistema

“As endorfinas promovem uma sen-

vão se matar na academia só por cau-

sação de relaxamento tanto físico quan-

sa dos benefícios da endorfina. Para o

to psicológico. A atividade esportiva faz

especialista, a relação entre a endorfina

aumentar a produção deste hormônio

e a atividade física deve ser leve e mo-

no corpo”, explica o médico Jomar Sou-

derada. “Esta sensação de bem-estar

za, de São Paulo, especialista em Medi-

relacionada ao exercício pode levar al-

cina do Exercício e do Esporte e Presi-

gumas pessoas a exagerar na ‘dose’ de

dente da SBMEE (Sociedade Brasileira

atividade física, evoluindo para uma

de Medicina do Exercício e do Esporte).

condição chamada ‘vício no exercício’.

Outros benefícios que a endorfina pro-

Esta condição aumenta o número de

porciona são: analgésico, calmante, re-

lesões e leva seu portador a abandonar

gulador do sono, controlador dos ‘ata-

outras atividades da sua vida como a

ques à geladeira’, inibidor do estresse e

convivência familiar e tarefas do tra-

da ansiedade.

balho, para se exercitar mais e mais”,

Mas muita atenção para aqueles que

alerta o médico.

de exercícios utilizado para condicionamento físico e, também, para a reabilitação que estimula em sua prática um

OUTRAS FONTES

fluxo de movimentos circulares e har-

E o bem-estar provocado pela endorfina não vem apenas por meio dos espor-

mônicos, trabalhados em concordância

tes. As guloseimas podem ser uma boa fonte deste hormônio, como o chocolate,

com a saúde biomecânica e sistêmica.

que é uma das opções mais queridinhas das mulheres nos dias de tristeza e ‘TPM’.

Tudo isso por que a “Supermulher”

Outra forma de liberação do hormônio é a prática do sexo, que faz o cérebro

teve que ficar fora da cena esportiva, já

liberar endorfina, proporcionando prazer e leveza. E para os amantes de uma boa

que se lesionou há dois anos. “Eu lesio-

praia, recentemente, cientistas americanos, liderados pelo dermatologista Steven

nei minha lombar fazendo o que mais

Feldman, realizaram um estudo que sugere que a exposição ao Sol possa ser outro

amo: remar. Não liguei na hora, pensei

fator desencadeante da liberação de endorfina.

que fosse mais um dia de dor muscular

Por enquanto, o estudo não passa de uma suposição, mas não faltam amantes

devido ao esforço físico”, conta Fabia-

da praia para provar a teoria. Para Fabiana, o bem-estar faz parte de todo um con-

na. “Quando dei por mim, a lesão e a

junto. “A meu ver, é formado por diversas partes da nossa vida: trabalho, filhos,

dor tomavam conta do meu corpo e se

família, amigos, vida social, saúde, esporte e competições. Todas elas, em equi-

refletiam nas minhas pernas. Era uma

líbrio, nem mais e nem menos, mas juntas em sintonia. Essa felicidade em cada

dor insuportável. Já não conseguia dor-

uma dessas áreas é o que eu chamo de bem-estar”.

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

| 13 |


FOTO: SHUTTERSTOCK.COM

DEFICIÊNCIA AUDITIVA Atenção! Aumento da perda da audição tem afetado muitos brasileiros

“SILÊNCIO” URBANO

DANIELLE DOMICIANO, IZADORA RIBEIRO E SUELI NASCIMENTO

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de nove milhões de brasileiros têm deficiência auditiva, o que representa cerca de 5% da população. O Censo também revelou que o maior número de deficientes auditivos está concentrado nas áreas pessoas, tinha que aumentar a televisão

urbanas. O instituto também aponta que entre

e rádio, foi quando decidi procurar um

e à exposição ao ruído. O impacto do

30% e 35% das perdas de audição são

otorrinolaringologista, para ver o que es-

uso de dispositivos eletrônicos no dia a

creditadas à exposição a sons intensos,

tava acontecendo comigo”, conta Maria

dia ainda é muito recente na sociedade

sejam eles em ambiente profissional ou

Antônia.

e depende de estudos específicos para

em momentos de lazer (como shows ou

O médico da dona de casa constatou

comprovar essa tese, mas ao que tudo

exposição a aparelhos eletrônicos), bem

a culpa dela, pois desde nova, Maria sen-

indica, eis mais uma causa de problemas

como ao aumento do nível de ruído nas

tia o problema, mas nunca buscou tra-

nos ouvidos.

grandes cidades.

tamento adequado. “Sempre abusava,

O aumento do número de pessoas

Maria Antônia, 45 anos, dona de casa,

ficando perto de sons altos. Hoje eu faço

com perda de audição também ocorre

acabou perdendo 90% da audição. Ela co-

o uso do aparelho auditivo, o que foi bem

em função do envelhecimento popula-

meçou a sentir um leve ruído no ouvido,

difícil, para eu me adaptar, mas agora já

cional e pela maior sobrevida de crian-

aos 28 anos, porém achou que não fosse

estou me acostumando”, disse.

ças com fatores de riscos relacionados à prematuridade.

tão grave o problema. Ela não procurou um médico, até que certo dia começou a

CAUSAS – Para o otorrinolaringo-

“Cabe dizer, no entanto, que nos dias

sentir uma dor muito forte de ouvido e, aí

logista Erico Moreira, de São José dos

atuais a medicina permite tratar a sur-

sim, foi para o hospital. Constataram que

Campos, o motivo maior das pessoas

dez nas suas diversas formas, tanto com

havia cera acumulada, que poderia ser o

perderem a audição depende da fai-

o uso de aparelhos auditivos convencio-

que estava bloqueando o canal auditivo,

xa etária. Ele destaca que a tendência

nais, como por meio de cirurgias com

evitando a construção das ondas sonoras.

é aumentar o número de pessoas com

colocação de próteses implantáveis na

Para solucionar, foi feita uma limpeza.

problemas auditivos.

orelha média, ou até mesmo possibili-

“Depois disso, me senti melhor e aca-

Em adultos as causas mais comuns

tando a reabilitação de um paciente com

bei relaxando de novo, mas conforme

da perda de audição são relacionadas à

surdez profunda por meio da cirurgia de

os anos foram passando, minha audi-

idade avançada (presbiacusia), às do-

implante coclear (ouvido biônico)”, con-

ção foi piorando, não escutava direito as

enças infecciosas crônicas dos ouvidos

clui o otorrino.

| 14 |

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


xia”, explica o cardiologista Wilfredo Fin-

ALERTA Conheça mitos e verdades sobre a nova moda adolescente. EDUARDA TOLEDO E TOMÁS LOURENÇO

NARGUILÉ:O CIGARRO DO SÉCULO XXI?

ck Junior, de São José dos Campos. SÓ UMA TRAGADA – As comparações do cigarro e do narguilé não param por aí. Uma única tragada de narguilé (450 ml) é praticamente igual ao volume de fumaça inalada de um cigarro inteiro (500 ml). Além disso, pesquisa aponta que mais de 55% dos que declararam ser fumantes de produtos de tabaco, além do cigarro comum, admitiram usar o nargui-

O ser humano sempre foi, de certa for-

uma hora de uso de narguilé é equivalente

lé. O número sobe para 80% se for consi-

ma, um ‘apaixonado por fumaça’ – desde

a 100 cigarros tragados, uma vez que sua

derada só a cidade de São Paulo, segundo

os primórdios, quando descobriu o fogo,

fumaça contém quantidades superiores

o estudo.

até a descoberta de trens movidos a car-

de nicotina, monóxido de carbono e subs-

vão, indústrias petroleiras de grande por-

tâncias cancerígenas.

Esses dados mostram a força da publicidade. Mídias e filmes, muitas vezes,

te, carros cantando pneus, chegando à fu-

relacionam o uso de tabaco com o suces-

macinha dos cigarros. Mas, ultimamente,

FILTRO? – Mesmo com diversos

so e atraem cada vez mais os jovens. Um

algo diferente tem ‘encantado’ os pulmões

estudos publicados, muitos jovens acre-

exemplo disso é o mercado de cigarros

dos jovens. Trata-se do narguilé. Vindo da

ditam que o narguilé não vicia porque,

(um dos mais poderosos dos Estados

cultura indiana, o objeto se popularizou

diferentemente do cigarro, não é algo

Unidos), que gastou, no período entre

no Brasil nos últimos anos e tem causado

que se utiliza todos os dias. Acredita-se,

1940 e 2005, mais de US$ 250 bilhões na

algumas discussões acerca do assunto.

ainda, que a fumaça “filtrada” não trará

publicidade e promoção de cigarros.

O narguilé, diferente do cigarro, requer

nenhum malefício ao usuário, o que já se

Em contrapartida, inúmeras propa-

maior cuidado na preparação. Não bas-

mostrou ser um mito, já que a fumaça,

gandas que lutam contra o cigarro, o ta-

ta simplesmente acendê-lo. É preciso ter

quando passa pela água, apenas resfria,

baco e seus derivados têm ganhado força

carvão, papel alumínio, água (ou vodca,

o que torna mais fácil a absorção de subs-

e gerado resultados, assim como mostra

em alguns casos) e, na maioria das vezes,

tâncias tóxicas, como o carbono, pelo

a pesquisa do INCA (Instituto Nacional

amigos para compartilhar a experiência.

pulmão.

de Câncer), na qual 20% dos fumantes

Mas o que poucos sabem é que esse

“O dióxido de carbono se liga à he-

brasileiros largaram o vício nos últimos

aparato indiano apresenta ainda mais

moglobina, prejudicando o transporte de

cinco anos. Resta saber se você vai dar

riscos à saúde que o cigarro. Segundo a

oxigênio para as células do organismo,

ouvidos a quem te quer bem ou a quem

OMS (Organização Mundial de Saúde),

levando muitas pessoas à morte por asfi-

só quer te fazer parecer bom.

MONÓXIDO DE CARBONO

10,1% 6,5%

RISCO DE LEUCEMINA

NICOTINA

3%

4%

7%

Fonte: Instituto Nacional do Câncer (INCA) e Conselho Federal de Medicina (CFM)

12%


SANTO REMÉDIO OU DROGA PERIGOSA? CANNABIS Há quem seja contra, há quem seja a favor. Mas será que o uso medicinal da maconha pode fazer diferença na luta contra algumas doenças? GUSTAVO MELLO E PEDRO JUNQUEIRA

| 16 |

A utilização da maconha é tema de

MEDICINAL? – O médico disse

discussão entre usuários e aqueles que

não poder prescrever o uso da maconha,

alegam que a cannabis faz mal à saúde.

mas alegou ter conhecimento de que

Mas será que realmente faz? Estudos

países de primeiro mundo estariam uti-

e depoimentos de pacientes mostram

lizando a cannabis como um atenuador

que a erva pode ser uma grande alia-

destes sintomas. De cara, Alexandre,

da no enfrentamento de doenças como

que já tinha fumado maconha quan-

câncer, esclerose múltipla e mal de

do era mais jovem, surpreendeu-se

Parkinson.

com os benefícios que o uso medicinal

Alguns dos pacientes, ao passarem

da erva oferecia.

por efeitos colaterais do tratamento,

Começou o tratamento paralelo à

procuram os médicos para relatar as

quimioterapia e logo viu o impacto de

dificuldades. Quanto ao uso da erva, os

melhora em sua vida. “A cannabis trou-

médicos entram num dilema. Como re-

xe uma série de coisas positivas. Logo

ceitar um ‘remédio’ ilícito?

de cara, percebi as mudanças na minha

Fato é que ainda há uma série de

rotina e comecei a me alimentar melhor.

dificuldades para iniciar pesquisas re-

Troquei as noites rolando de dor na cama,

ferentes à erva. Por ser ilícita, há uma

com enjoo, por noites de sono. Até minha

inegável resistência de comitês de éti-

autoestima melhorou”, disse Alexandre.

ca de universidades e órgãos públicos.

Para o publicitário, o uso medicinal da

Mas isso não impede que médicos ‘in-

maconha foi um grande aliado. Ele acre-

diquem’ a cannabis para pacientes em

dita que este tipo de tratamento poderia

tratamento contra o câncer.

ajudar e beneficiar ainda mais pessoas,

Foi o caso do publicitário de Cano-

se não houvesse a criminalização da erva

as (RS), Alexandre Tomas, 44 anos.

no Brasil. “A gente vê que lá fora, no ex-

Diagnosticado com tumor maligno

terior, a coisa está andando muito bem.

no pescoço, iniciou os tratamentos

Acho que a ciência está cada vez mais

de quimioterapia e radioterapia, e, ao

superando os dogmas de conservadores

sentir de perto os efeitos colaterais que

que são contra a legalização. Todo brasi-

a quimio trazia, relatou ao seu médico

leiro tem direito à saúde e ao bem-estar,

as dificuldades que o tratamento esta-

por isso sou a favor que autorizem a can-

va criando.

nabis de forma medicinal”, finalizou.

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


Cigarro de maconha pronto para o consumo

PRINCÍPIO ATIVO – Segundo o

ção, nota-se a negação de que a erva seja

HORIZONTES – Segundo ele,

farmacêutico Paulo Eduardo Orlandi-

considerada uma droga, por ser natural e

tanto o uso medicinal quanto o uso re-

-Mattos, mestre em Saúde e Ambiente

não sintética. Mesmo que os efeitos alu-

creativo da cannabis deveriam ser vis-

com concentração em Farmacologia e

cinógenos sejam conhecidos, existe certa

tos pela sociedade de outra forma, com

pesquisador do Núcleo Comunitário de

dificuldade em comprovar que a droga

menos preconceito e marginalização.

Diadema do Centro Brasileiro de In-

realmente cause problemas de saúde mais

“Comecei a fumar por curiosidade, jun-

formações sobre Drogas Psicotrópicas

sérios, como causam o cigarro e o álcool.

to com meus amigos de banda e depois

(CEBRID), a cannabis e seus princípios

Para os que são contra a liberação, há a de-

percebi que o uso da maconha me fazia

ativos majoritários, como o tetraidro-

fesa de que a maconha seja uma porta de

expandir os horizontes, e ter mais cria-

canabinol (THC) e canabidiol (CBD) já

entrada para drogas mais pesadas, como

tividade para compor minhas músicas”.

têm vários usos medicinais consagra-

cocaína e crack, e existe ainda o fator de

Perguntado se se considera viciado,

dos e aceitos na medicina convencional,

que a substância causa lesão dos neurô-

Marcelo diz: “Não, porque isso não afe-

sendo que o THC é comercializado na

nios, podendo levar a sequelas crônicas.

ta em nada minha vida pessoal ou profissional e, muito menos, minha vida

sua forma sintética (DRONABINOL), USO RECREATIVO – Para Marcelo

financeira. Quando posso, eu compro,

(o restante de sua identidade será omiti-

quando não posso fico sem numa boa,

Além disso, o uso medicinal da canna-

da), de 23 anos, a cannabis não deveria

não sinto aquela necessidade de fu-

bis já é reconhecido em países como Ca-

ser considerada uma droga, já que não

mar”.

nadá, Estados Unidos, Israel e Espanha.

tem efeitos severos à saúde, e causa muito

A discussão vem se tornando cada

menos mal do que outras drogas conside-

dia mais presente no país, por conta

radas lícitas.

da legalização em outros países e até

com o nome comercial de MARINOL, e seu uso é permitido no Brasil.

PROIBIÇÃO – No Brasil, o uso recreativo é proibido por lei e o cultivo da

“Faço o uso recreativo há três anos e a

mesmo no vizinho Uruguai. É fato que

planta e comercialização da droga tam-

frequência varia. Às vezes, fumo dia sim

o uso da droga ainda é mal visto pela

bém são crimes previstos no Código Pe-

dia não, às vezes passo mais de uma sema-

sociedade, que automaticamente asso-

nal. Se a discussão sobre o uso medicinal

na sem fumar. Eu pratico esportes, ando

cia a maconha à marginalização e à cri-

da cannabis ainda é nebulosa no país, a

de skate, faço surfe e, até hoje, não senti

minalidade.

discussão sobre a legalização total do uso,

nenhum efeito negativo na minha saúde.

Sendo contra ou a favor da liberação,

cultivo e comercialização da maconha é,

Pelo contrário”, afirma ele. “Tenho rinite

o momento pede reflexão sobre o assun-

sem dúvidas, um tabu.

alérgica e, quando fumo, sinto mais facili-

to e, acima de tudo, mais pesquisas cien-

dade em respirar, me sinto melhor”.

tíficas a respeito do uso medicinal.

Entre aqueles que defendem a libera-

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

| 17 |


ARTES MARCIAIS O lutador Marinho Raduki, de S. José, compartilha sua trajetória e o que fez para chegar a ser instrutor NATÁLIA RIBEIRO

MUAY THAI: SIN DISCIPLINA E A agressiva. De acordo com estudos reali-

termos de trocação de golpes.

zados pela Universidade da Califórnia,

Foca: Como é a sua rotina de treino?

em Los Angeles (UCLA - EUA), a prática

Marinho: Ao longo da semana, eu

das artes marciais funciona melhor que

tenho que acordar às 5h da manhã para

uma terapia convencional, pois esta não

fazer treino físico, em seguida trabalho

diminui as emoções negativas.

das 8h às 17h, ministro aulas de Muay

A seguir, confira a entrevista com o

thai em duas academias em São José e

instrutor de Muay Thai,

faço o meu treino técnico à noite. É uma

Mário Luiz Ramos,

rotina bem puxada e, ao mesmo tempo,

o Marinho Raduki,

muito prazerosa.

29 anos, de São

Foca: Como funciona a sua dieta?

José dos Campos.

Marinho: Eu tenho a altura de 1,69m

Foca: Onde você

e peso 65kg. Luto na categoria 55kg e,

começou a praticar o

muitas vezes, tenho que eliminar gordura

Muay Thai?

do corpo para chegar ao peso ideal para

Marinho: Comecei a

lutas. Tenho que comer de 3 em 3 horas

treinar em 2005, com o mes-

de forma regrada, para não ingerir mais

tre Sandro Silva, que trouxe essa

energia do que eu gasto. Busco o equilí-

modalidade para São José. Eu já co-

brio entre carboidratos e proteínas. Foca: Qual é a situação do Muay Thai

nhecia a arte pelos filmes e desenhos e sempre achei algo fora do sério. E certa

hoje na região?

A arte marcial tailandesa sempre foi

vez, andando pelo meu bairro, eu vi um

Marinho: Temos novas equipes,

muito presente na vida do ser humano.

banner que dizia: “Muay Thai – Boxe Tai-

professores que buscam sempre se atua-

O corpo pode ficar marcado por roxos e

landês – Equipe Liga Paulista de Muay

lizar e sinto que nossa região está no ca-

ter até algumas fraturas por conta dos

Thai”. No mesmo dia eu me matriculei e

minho certo. Infelizmente ainda existem

chutes, socos, joelhadas e cotoveladas,

em poucos meses já estava competindo.

os falsos treinadores, que nunca fizeram

mas o Muay Thai vem ganhando noto-

Foca: O que é o Muay Thai?

uma luta de Muay Thai, nunca fizeram

riedade mundial dentre outras modali-

Marinho: É uma arte criada para a

um exame de graduação, não sabem o

dades de luta, por trazer benefícios para

guerra e sobrevivência do povo tailandês

que é Muay Thai, mas aplicam exames

a saúde e para o bem-estar.

em épocas de crise e tem um aspecto fi-

de graduação e ainda emitem certificados

Porem há muitos que ainda conside-

losófico proveniente do Budismo. Muitos

que não são válidos ou reconhecidos por

ram esta arte marcial uma modalidade

consideram a arte marcial mais eficaz em

nenhuma entidade competente. Mas eles

| 18 |

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


NÔNIMO DE AUTOCONTROLE melhor possível no dia ‘D’. São três me-

sempre se afundam em suas mentiras. Foca: Como surgiu a oportunidade

ses de preparação para ter o resultado em poucos minutos. Temos que estar

de dar aulas? Marinho: Em 2011, meu Mestre San-

bem e não deixar o nervosismo tomar o

dro Silva me indicou para dar aula em

controle da situação. Uma forma de su-

uma academia que o procurou. Como

perar o medo é subir no ringue sabendo

ele não podia, eu fui. No começo, fiquei

que está pronto para dar o melhor.

com medo de assumir uma turma, mas agora, a cada aula que eu dou, tudo é especial. Aprendo e ensino, e essa troca

Foca: Quais são os benefícios dessa luta para as pessoas que praticam? Marinho: Melhora o condicionamento físico, trabalha o autocontrole,

Foca: Essa modalidade, de alguma

a disciplina, diminui a agressividade,

forma, tem possibilidades pedagógicas?

melhora a flexibilidade e gasta muita

Marinho: Nas artes marciais, em

caloria, além de induzir ao respeito ao

geral, ensina valores que aplicamos em nossa vida. No dia a dia, vou conhecendo melhor o aluno, sua personalidade,

próximo e ao trabalho em equipe. Foca: Quais são seus planos para o futuro?

seus problemas, seu caráter e, com es-

Marinho: Por hora, ser campeão

sas informações, faço uma adaptação

sul-americano, vencendo todas as lutas

nas aulas. O principal motivo disso é

por nocaute. No futuro, conhecer a Tai-

para que ele não aprenda somente a

lândia e fazer pelo menos uma luta lá.

lutar, mas sim a se conhecer melhor,

Foca: Qual é o recado que você dei-

conhecer seus limites e desenvolver a

xa para a galera que pretende praticar o

capacidade de estar disposto a enfren-

Muay Thai depois dessa entrevista?

tar seus problemas, sentindo-se forte o

Marinho: Aprender Muay Thai não é simplesmente aprender a dar so-

bastante para superá-los. Foca: E aquele frio na barriga na

cos ou cultivar um corpo bonito. Aprender Muay Thai é adotar um novo estilo

hora da luta, bate mesmo? Marinho: Claro. Existe muita pre-

de vida, é aprender a respeitar o pró-

paração por trás de cada luta, são ho-

ximo, ajudar os que precisam, abraçar

ras e horas de treino, dietas rigorosas

as dificuldades e superar os limites do

e um esforço imensurável para estar o

corpo e da alma.

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

FOTOS: NATÁLIA RIBEIRO

é muito gratificante.

| 19 |


CORPO EM MOVIMENTO Fisioterapia realizada por meio do esporte obtém mais resultados que opções terapêuticas tradicionais RAFAEL FREITAS

TRATAMENTOS NÃO CONVENCI Podemos dizer que, hoje, a fisiote-

cativo nos últimos anos.

rapia ocupa um importante lugar entre

Existem várias técnicas que são ca-

as inúmeras profissões da área da saú-

pazes de auxiliar na hora do tratamen-

de. A função vem se aprimorando cada

to, podendo-se utilizar de métodos por

vez mais, o que tem levado profissio-

meio de movimento, eletricidade, calor

nais a buscar formas alter-

(termoterapia), do frio (crioterapia) e

nativas e eficientes de

até da massagem (massoterapia).

FOTO: RAFAEL FREITAS

tratamentos. Com isso,

A cada dia, novas técnicas surgem

muitas áreas tiveram

e outras vêm ganhando destaque entre

um desenvolvimento

os profissionais, tornando-se desejo

rápido e signifi-

entre os pacientes. Uma entre tantas técnicas é do tratamento com o auxílio da handbike, bicicleta pedalada com as mãos, adequada a pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida. HANDBIKE – A Univap está desenvolvendo a primeira handbike de ligas leves para competição. O primeiro

protóti-

po foi lançado em junho do

| 20 |

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


IONAIS

EXOESQUELETO Há também exercícios para aqueles que preferem os jogos virtuais, mas para essa atividade, a Univap adquiriu um exoesqueleto, estrutura metálica móvel que serve como ferramenta de mobilidade para deficientes físicos, tornado assim a primeira universidade brasileira a adquirir este tipo de equipamento.

ano passado, em parceria com as em-

“Muitos pacientes foram acometidos por doenças neurológicas, traumatismo

presas Shimano Latin America e PSS

craniano ou medular, traumas ortopédicos, acidentes vasculares cerebrais, entre

Indústria e Comércio Ltda, fabricante

outras. O uso do exoesqueleto tem o propósito de acelerar o processo de recu-

dos produtos Proshock e Vemex. Entre

peração destes pacientes, tendo como auxílio jogos virtuais que são transmitidos

a equipe de competidores escolhidos

por meio de um televisor, onde o paciente tem que interagir com o mesmo, tendo

para testar o produto, estão os atletas

como suporte o exoesqueleto”, afirma o professor Mário Oliveira Lima.

Josimar Sena e a tetracampeã nacional Jady Malavazzi, de Jandaia do Sul, pe-

para Jady Malavazzi o esporte não ser-

CAIAQUE – Além do tratamento

quena cidade no interior do Paraná.

viu apenas como profissão, ajudando-a

fisioterápico por meio da handbike, o

em diversas atividades do dia a dia.

caiaque tem sido uma das ferramentas

Após um acidente de carro ter tirado dela o movimento das pernas quan-

“Andar de hand não me fez uma

mais utilizadas para o tratamento tam-

do tinha apenas 13 anos, Jady começou

atleta melhor, mas sim um ser humano

bém de pessoas com limitações moto-

a praticar basquete em cadeira de ro-

menos dependente dos outros. As ses-

ras. Realizado numa piscina indoor ou

das, logo após sua recuperação. Mas se

sões de fisioterapia e preparação para

em lagos, a atividade tornou-se “mági-

encontrou verdadeiramente no ciclis-

os campeonatos fizeram-me obter mais

ca” para quem a pratica.

mo. Em 2011, participou dos Jogos Pa-

força nos braços, para assim poder fa-

“O caiaque me dá mais força, auxi-

rapan-Americanos em Guadalajara (no

zer atividades simples, como levantar

lia na respiração e até mudou a minha

México) e surpreendeu ao conquistar

da cama ou até me sentar na cadeira de

vida, pois descobri que sou capaz de fa-

uma medalha de prata. Além disso, foi

rodas sem o auxílio de outra pessoa”,

zer algo a mais”, afirma William da Sil-

uma das primeiras classificadas para os

destaca a atleta.

va, que perdeu o movimento das pernas

Segundo o coordenador do curso de

Jogos Paralímpicos ‘Rio 2016’.

quando tinha apenas 18 anos.

Fisioterapia da Univap, Prof. Dr. Mário

De acordo com o coordenador do

MAIS QUE UM ESPORTE – Aos

Oliveira Lima, o suporte tecnológico está

projeto de caiaque, Leandro Pereira, os

olhos de muitos, o handbike serve ape-

fazendo a diferença tanto no pódio como

estímulos e os resultados obtidos por

nas como distração ou até passatempo

no cotidiano dos atletas, possibilitando

meio da fisioterapia alternativa trou-

para aqueles que sofrem de alguma

entender os parâmetros fisiológicos do

xeram muito mais resultado do que os

atleta e da handbike em tempo real.

formatos tradicionais de tratamento.

deficiência motora, mas

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

| 21 |


AGDA OLIVEIRA E LARISSDA AMADO

COMER BEM PARA PENSAR MELHOR

FOTO: SHUTTERSTOCK.COM

BOA MESA Mudar hábitos não é tarefa fácil, mas é possível; depende de você!

Quando o assunto é saúde e bem-estar, a alimentação torna-se uma grande aliada. Alvo de estudiosos, ela nos ajuda a alcançar não só a estética desejada, como também a inteligência, trazendo benefícios à memória e ao raciocínio quando feita corretamente. “A importância da saúde mental está intrinsecamente ligada ao combustível que damos ao nosso corpo, ou seja, o alimento”, afirma a psicóloga Rosana Almeida, de São José dos Campos, que trabalha com o desenvolvimento de crianças entre

e químicos. Um

exemplo

Procure ir às feiras orgânicas e opte por

3 e 7 anos. Diferenciar-se por adotar hábi-

do que podemos

fazer para

reeducação alimentar. Diga não às dietas

tos saudáveis é uma prática cada vez mais

fugir dos industrializados é aumentar o

restritas e que prometem resultados rápi-

almejada, diante de uma sociedade na

consumo dos orgânicos, cada vez mais

dos! Leia sempre os rótulos dos produtos

qual quase tudo que consumimos é gene-

consumidos e que estão abrindo novos

e evite alimentos produzidos artificial-

ticamente modificado. Mas há controvér-

mercados pelo mundo todo.

mente, pois são eles os responsáveis pelo

sias quanto às dicas e ditaduras que essa nova “era da saúde” impõe.

Janaína Coelho, 42, jornalista, optou por mudar seus hábitos, não só por uma

consumo da química exagerada, tornando nossa alimentação prejudicial à saúde.

Com o excesso de informações e di-

questão estética, mas por que acredita que

cas consideradas saudáveis, deixamos de

alimentos naturais são mais saborosos,

MENTAL – Nesse contexto, enten-

lado a realidade por trás da ideologia da

além de saudáveis. “Há algum tempo te-

demos que a preocupação deva ir além

alimentação. Esta ideologia é complexa

nho uma preocupação maior com minha

da questão estética. Até porque nem tudo

e prega que os benefícios ou malefícios

saúde e estética. Além de mais saudáveis e

que é bonito, é saudável! Ser magra de-

trazidos pelo que comemos não são ime-

livres de produtos químicos, os orgânicos

mais ou gordinha demais pode ser um in-

diatos, muito menos baseados em dicas

são muito mais saborosos. Sempre que

dicador de que você precisa procurar um

simples que parecem resolver alguns pro-

tenho opção entre o orgânico e o tradicio-

especialista e cuidar para repor ou dimi-

blemas de forma milagrosa.

nal, prefiro o orgânico”, afirma.

nuir o consumo de algo que está desequi-

O argumento defendido pela ideolo-

A primeira regra é simples, se você

librado em seu organismo. É fundamen-

gia é a real importância do consumo de

quer se alimentar melhor, pergunte-se:

tal que as pessoas comecem a reconhecer

alimentos naturais, livres de agrotóxicos

a comida veio da horta ou da indústria?

que comer bem nos faz pensar bem!

| 22 |

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015


Rafa: Alguém pelo centro?

Jé: Posso ir também? Tô aqui no centro.

Rafa: Cara, acabei de perder o busão. Alguém tá sabendo de carona pelo centro?

Lívia: Putz... Acabei de passar por aí... :(

PERDEU O ÔNIBUS? SAIU ATRASADO DO TRAMPO? QUER DIVIDIR O COMBUSTÍVEL?

Gu: Blz, já já pego vocês.


Carona Solidária é mais importante do que parece. Além de ajudar o trânsito e reduzir gastos, você pode ajudar seus colegas de faculdade e contribuir com o meio ambiente.

CARONA SOLIDÁRIA, QUEM COMPARTILHA, CURTE!

>ACESSE O LINK >SOLICITE ACESSO AO GRUPO >AGUARDE O ACEITE E PARTICIPE

http://bit.ly/csunivap

Profile for Lucaz Mathias

Foca#02  

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

Foca#02  

REVISTA LABORATÓRIO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (JORNALISMO) FCSAC/UNIVAP - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ANO 16, EDIÇÃO 2 - 2015

Profile for lucaz
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded