Page 1

CAS UAL IDA DES

Lucas Vieira


Uberaba/MG - Marรงo/2018


cemitério de cadernos

1

a cabeça e o alfinete

2

palavra

3

pessoas, merdas e o meu erro

4

mais um dia

5

flores e aquarelas

6

e o poeta?

7

oito horas de palavras

8


cemitério de cadernos

no silêncio naqueles corpos a música parou dois segundos um silêncio eterno recordações perdidas entre páginas esquecidas de um cemitério de cadernos.

1


a cabeça e o alfinete

cabeça vazia tarde nublada papel e caneta virou madrugada.

2


palavra

ecoei vi nascer da palavra que se revelou echa fez-se echa o viver.

3


pessoas, merdas e o meu erro

pessoas elas fazem merdas e jamais se perdoam é difícil mas tente entender o seu erro não me torna melhor que você e o meu erro me força a crescer.

4


mais um dia

dois copos de cafĂŠ todos vazios estavam quentes mas eu os sentia frio da frieza ao alĂ­vio apenas mais um dia sombrio.

5


ores e aquarelas

era a janela a tela e a atmosfera desenhos imaginários ores, aquarelas era sua a voz a repetir meu nome.

6


e o poeta?

o poeta ĂŠ um universo a unir versos

7


oito horas de palavras

tranquei a porta soltei o verbo oito horas de palavras poucos tĂŞm coragem

8


POE ZIN E-SE

Casualidades  

Entre tardes de trabalhos, leituras e afazeres a poesia invade os pensamentos e alimenta a inspiração. Casualidades nos mostra a casualidade...

Casualidades  

Entre tardes de trabalhos, leituras e afazeres a poesia invade os pensamentos e alimenta a inspiração. Casualidades nos mostra a casualidade...

Advertisement