Issuu on Google+


“EU SOU NEGÃO

MEU CORAÇÃO

É A LIBERDADE...” gerônimo


Catálogo Carnaval Ouro Negro

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner

Publicação editada pela Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

Secretário de Cultura Márcio Meirelles

Assessor de Comunicação Marcelo de Trói

Chefia de Gabinete Neuza Britto

Edição de texto e revisão Marcelo de Trói e Wladimir Cazé (2009)

Diretor Geral Rômulo Cravo

Textos de apresentação e abertura dos capítulos André Luís Santana

Superintendente de Promoção Cultural Carlos Paiva

Reportagem Ingrid Maria Machado, Lucas de Barbosa, George Sami (2009)

Coordenador do Núcleo de Ações do Carnaval Edivaldo Bolagi

Programação visual Taiane Oliveira

Governor of the Bahia State Jaques Wagner

Logo e tipografia Carnaval Ouro Negro Tempo Propaganda

Culture Secretary Márcio Meirelles Governor´s Office Chief Neuza Britto

Fotos Robson Mendes, Manu Dias e Adenilson Nunes (AGECOM) ,Taiane Oliveira e arquivos dos blocos

Director General Rômulo Cravo

Folha de Rosto Trecho retirado da Música “Eu Sou Negão” de Gerônimo

Superintendent of Cultural Promotion Carlos Paiva

________________________________________ S452

Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Assessoria de Comunicação.

Coordinator of the Carnival Actions Nucleus Edivaldo Bolagi

Catálogo Carnaval Ouro Negro./ Assessoria de Comunicação. – Salvador : FPC, 2010. 220p. : il. . ISBN: 978-85-61458-25-6

1.Carnaval – Bahia. 2.Carnaval – Blocos Afro. 3.BahiaFesta Popular. I.Título.

Apoio administrativo Denise Alves, Aline Farias (estagiária) e Aldalice Cruz (estagiária), Amanda Nunes, Milena e Natã Vieira Agradecimentos Aos dirigentes dos blocos À Casa dos Instrumentos da Coleção Emilia Biancardi A Débora Souza, da loja Planeta Bahia, por ter gentilmente cedido a modelo Leiliane Davi A Vera Sales e equipe da Fundação Pedro Calmon A Maisa Menezes

CDD 394.25 981 42 _______________________________________________________

Salvador, fevereiro de 2010

Catalogue of Ouro Negro Carnival Publication edited by the Communications Advisors of the Culture Secretariat, Bahia State Communications Advisor Marcelo de Trói Text edition and review Marcelo de Trói and Wladimir Cazé (2009). Presentation texts and opening remarks of the chapters André Luis Santana Newspaper reporting Ingrid Maria Machado, Lucas Barbosa and George Sami (2009) Visual Programming Taiane Oliveira Logotype and typography of Ouro Negro Carnival Tempo Propaganda Photos: Robson Mendes, Manu Dias and Adenilson Nunes (AGECOM [General Advisory Team of Social Communication of the Bahia

State]), Taiane Oliveira and Files of the Blocks Administrative support Denise Alves, Aline Farias (probationer employee) and Adalice Cruz (probationer employee), Amanda Nunes, Milena and Natã VIeira Acknowledgements: to the leaders of the blocks To the Casa dos Instrumentos [House of the Instruments] of the Emília Biancardi Collection To Débora Souza, of the Planeta Bahia shop, because of having kindly offered the services of the model Leiliane Davi To Vera Sales and the team of the Pedro Calmon Foundation To Maisa Menezes Salvador February 2010


Evoé, Ouro Negro!

Evoé, Ouro Negro!

Através do Carnaval Ouro Negro, em sua terceira edição, a Bahia cumpre o papel de mapear, fomentar, apoiar a estruturação da nossa sociedade e de suas expressões culturais mais genuínas e, ainda, perceber que elos a cultura mantém com a sua economia, com a natureza, com a política e com outros setores da sociedade. Em 2009, foram 117 grupos organizados. Em 2010, 120. Se antes eles exerciam seus processos de produção da maior festa pública do mundo de forma “intuitiva”, hoje qualificam sua gestão e capacidade de dialogar com as fontes de financiamento de suas atividades, em cursos de capacitação com o apoio do SEBRAE. Se antes sabíamos da água como elemento de fé, equilíbrio e necessidade nos terreiros e nos afoxés, hoje o INGÁ não só passa a conhecer a cultura religiosa de nossa nação negra e sua relação profunda com o meio ambiente, mas também conta com essas entidades como aliadas e parceiras na educação ambiental. O ouro brilha, cresce, se multiplica e se organiza, fundindo o caráter agregador dessas instituições na construção da Liga das Entidades do Carnaval Ouro Negro; uma cooperativa real para administrar seus sonhos. Este catálogo bilíngue - já em segunda edição documenta a existência e o percurso de cada bloco e se transforma em ferramenta de visibilidade, tirando esses coletivos, sua música e demais expressões da condição de matéria prima da indústria cultural e os transforma em sujeitos de um novo mercado, em construção, no Carnaval da Bahia. Mais um Carnaval. E este traz ao lado da festa a memória de três nomes que deixam saudade: Mãe Hilda, Jônatas Conceição da Silva e Neguinho do Samba. É na força desses espíritos de luz e liberdade, hoje assentados no Orun, que queremos ver bradar os tambores contra a injustiça e a invisibilidade. Viva o Ouro Negro da Bahia!

By means of the Ouro Negro Carnival, in its third issue, the Bahia region performs its role of mapping, fomenting, supporting the structuring of our society and its most genuine, cultural expressions and, even, perceiving what linkages the culture keeps with the Bahia region economy, with its nature, with its politics, with other sectors of the society. In 2009, there were 117 organized groups. In 2010, there are 120. If they previously performed their production processes, of the largest public festival of the world, in an “intuitive” way, they currently qualify their management and ability to have dialogues with the financing sources of their activities, through capacitation courses that have the support of the SEBRAE [Brazilian Micro and Small Business Support Service]. If, in the past, we knew about the water as an element of faith, equilibrium and need at the terreiros [Brazilian-African religions temples] and at the afoxés [groups of foretellers], nowadays, the INGÁ {Institute of Water and Weather Management] not only is starting to know the religious culture of our black nation and its deep relationship with the environment, but also it counts with those entities as allies and partners for the environmental education. The gold brightens, grows, multiplies and organizes itself, melting the aggregating character of those institutions for the construction of the Entities League of the Ouro Negro Carnival; a real cooperative entity to manage their dreams. This bilingual catalogue - already in its second edition - documents the existence and the trajectory of each block and it transforms itself in a tool of visibility, taking those groups, their music and other expressions, out of the raw material condition of the cultural industry and it transforms them in individuals of a new market, under construction, the Bahia Carnival. Another Carnival. And this one brings, on the side of the feast, the remembrance of three names who leave nostalgia: Mother Hilda, Jônatas Conceição da Silva and Neguinho do Samba. It is based on the strength of those spirits of light and freedom, presently staying in the Orun [Haven], that we want to yell with our drums against the injustice and the invisibility. Hurrah for the Ouro Negro of the Bahia region!

Márcio Meirelles Secretário de Cultura do Estado da Bahia

Márcio Meirelles Culture Secretary of Bahia State

Voo crescente no Turismo Étnico-Afro O Carnaval Ouro Negro constitui-se numa importantíssima fonte de inspiração da cultura afrobaiana, que nos possibilita consolidar a Bahia como berço do turismo étnico-afro no Brasil. O Ouro Negro e o Turismo Étnico são propostas inovadoras que vão muito além do desenvolvimento dos atrativos turísticos como os nossos tradicionais cartões-postais. A ideia é desenvolver a atividade de forma sustentável, através de políticas públicas que proporcionem a geração de emprego, renda com inclusão social e promoção da igualdade. Um dos frutos do Turismo Étnico-afro colhido nos últimos anos foi proporcionado pela implantação, em 2008, de um voo direto ligando Salvador a Miami, nos Estados Unidos. A nova rota já nos trouxe importantes resultados. Em 2008, o número de desembarques dos Estados Unidos na capital baiana cresceu 334% em relação ao ano anterior. Isso representa um fluxo de mais de 15 mil pessoas vindas de solo norte-americano para a Bahia, quando a média dos três anos anteriores era de apenas 2,6 mil. Ademais, o trabalho realizado pela Setur e pela Bahiatursa também prioriza a promoção do Estado como destino turístico nos locais onde se concentra o público afroamericano. As participações em feiras, seminários e a capacitação de agentes de viagem em Miami, na Filadélfia e em Los Angeles visam promover o encontro da população afrodescendente dos Estados Unidos com a Bahia. Para tanto, garantimos o apoio a manifestações culturais que ocorrem em Salvador e, nos últimos três anos, apoiamos a realização da Festa da Irmandade da Boa Morte, em Cachoeira. Assim, consideramos bastante natural e importante atuar em conjunto com a Secretaria de Cultura do Estado para a promoção dos blocos de matriz africana que desenvolvem ações sociais e contribuem para a divulgação da cultura afrobaiana em todo o mundo. Domingos Leonelli Secretário de Turismo do Estado da Bahia

Growing flight in the Ethnic-Afro Tourism The Ouro Negro Carnival composes an extremely important inspiration source of the Afro-Bahia region culture, which makes possible for us to consolidate the Bahia region as the cradle of the ethnical-afro tourism in Brazil. The Ouro Negro and the Ethnical Tourism are innovative proposals that go very much beyond the development of the touristic attractions as our traditional postal cards. The idea is to develop the activity in a sustainable way by means of public policies that provide the generation of jobs, income with social inclusion, and promotion of equality. One of the fruits from the Ethnical-Afro Tourism, got in the last years, was provided by the implementation, in 2008, of a direct flight linking Salvador to Miami, in the United States of America. The new route already brought us important results. In 2008, the number of arriving flights at the Bahia State capital city, coming from the United States, grew 334% as compared with the prior year. That represents a flow of more than 15,000 people coming from the North American country to the Bahia region, when the average of the three prior years was just 2,600 travelers. In addition to that, the work performed by the Tourism Secretariat and the Bahiatursa [Tourism Company of the Bahia Region] also gives priority to the promotion of the State as touristic destination at the regions where the Afro-American people is concentrated. The participations in fairs, seminars and the capacitation of travel agents in Miami, in Philadelphia and Los Angeles aim at promoting the encounter of the afrodescendant population of the United States with the Bahia region. For such purpose, we assure the support to cultural manifestations that occur in Salvador and, in the last three years, we supported the performance of the Festa da Irmandade da Boa Morte [Feast of the Good Death Fraternity], in Cachoeira. Consequently, we consider that it is fairly natural and important to work in conjunction with the Culture Secretariat of the State for the promotion of the blocks of African roots who develop social actions and contribute for the divulgation of the Afro-Bahia culture in the whole world.

Domingos Leoneli Tourism Secretary of the Bahia State


Carnaval no Feminino

Carnival for Women

Blocos afros, afoxés, blocos de percussão, de samba e de reggae, para além do Carnaval, são porta-vozes privilegiados de um povo, cujo repertório tanto se alimenta das matrizes culturais africanas, como das lutas forjadas para superar a discriminação contra estas mesmas influências. Assim, as agremiações apresentadas neste catálogo associam a tradição à permanente recriação e atualização estéticas; a beleza ao protesto e à reivindicação; o trabalho comunitário cotidiano ao entre parênteses do Carnaval; a autoridade no espaço da cultura e das artes à subordinação no acesso a seus benefícios. O Carnaval Ouro Negro vem buscando se aperfeiçoar como uma resposta do Governo do Estado aos descompassos que marcam esta complexa teia de relações. Por isso, em sua terceira edição, é também importante dar visibilidade à participação das mulheres, cuja energia criativa tem sido fundamental para assegurar o Carnaval de matriz africana, permitindo que neste período toda uma comunidade ocupe a arena pública como em nenhum outro momento ao longo do ano. Na história de cada bloco ou afoxé, encontramos mulheres como as guardiãs de tradições religiosas ancestrais. Na condição de fundadoras e diretoras elas existem em maior número do que a representação pública dos blocos, geralmente masculina, permite ver. As mulheres são imprescindíveis nas alas de dança, nas alas de baianas ou como símbolos da beleza negra. Em número crescente, destacam-se na condição de pesquisadoras de temas, cantoras, percussionistas e compositoras. Como estilistas criam os figurinos e adereços que se materializam pelo trabalho das costureiras, turbanteiras e artesãs. Nestas e em outras funções, são as mulheres que fazem dos desfiles verdadeiros espetáculos. Que a leitura deste catálogo, mais do que conhecer os blocos e afoxés, nos estimule a reconhecer a presença e a liderança das mulheres no Carnaval, expressões do papel cotidiano que desempenham na reprodução político-cultural e na sobrevivência material das comunidades negras na Bahia.

Afro blocks, afoxés, blocks of percussion, samba and reggae, beyond the Carnival, they are privileged spokemen/women of a population which repertory feeds both from the African cultural roots and the fights performed in order to overcome the discrimination against those self influences. Consequently, the assemblages, as shown on this catalogue, associate the tradition to the on-going, esthetic recreation and updating; the beauty to the protest and the revindication; the daily, communitarian work to the temporary interval of the Carnival; the authority in the space of the culture and the arts to the subordination in the access to its benefits. The Ouro Negro Carnival is attempting to enhance itself as a response from the State Government to the commotions that are shown by this complex network of relationships. Because of that, in its third edition, it is also important to give visibility to the participation of the women, whose creative energy has been of the essence in order to assure the Carnival of African roots, allowing that, during this period, the whole community occupies the public scene of action more than at any other time along the year. In the history of each block or afoxé, we find women as the guardians of the ancestral, religious traditions. Being founders and directors, they work as per a higher number than the public presentation of the blocks, generally composed of men, allows to see. The women are indispensable in the dance rows, in the Bahia women rows or as symbols of the negro beauty. In a growing number, they stand out as researchers of themes, singers, percussionists and composers. As stylists, they create the fops and decorations that become real by the work of the sewing women, the headdress makers and the artisans. Regarding these and other jobs, the women are the ones that make the parades to become true spectacles. I hope that the reading of this catalogue, more than knowing the blocks and afoxés, stimulates us to recognize the presence and the leadership of the women in the Carnival, which are expressions of the daily role that they play in the political-cultural reproduction and in the

Luiza Bairros Secretária de Promoção da Igualdade do Estado da Bahia

material survival of the negro communities in the Bahia region. Luiza Bairros Secretary of Equality Promotion of the Bahia State

O Ouro Negro e a relação com a água Pensar em entidades religiosas de matriz africana é pensar no significado das águas para as comunidades de terreiro, tanto como elemento sagrado, como valor cultural presente em todos os rituais. Como bem essencial a todos os seres humanos e à vida, é de grande importância o cuidado e o estímulo à proteção dos rios, nascentes e lagoas, para que as futuras gerações não sofram com a escassez e encontrem os recursos hídricos de boa qualidade. Esta é uma das principais preocupações do INGÁ. Para atingir os objetivos de democratização da cultura afro no Carnaval e estimular a consciência ambiental na sociedade, o INGÁ, em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado, propõe que a água, como elemento presente em nosso cotidiano, faça parte de manifestações culturais como o Carnaval. Nossa participação no Carnaval se insere na perspectiva de uma temática sustentável, em que o cuidado com a água precisa ser difundido no cotidiano da população. Diversas comunidades religiosas de matriz africana têm a água como principal elemento sagrado e uma relação especial em seus rituais. E é por isso que o INGÁ apóia os afoxés e blocos afros. O Ouro Negro deste ano conta com o apoio do INGÁ também na atuação dos catadores de material reciclado, que contribuem com a destinação correta e sustentável dos resíduos sólidos que são descartados em áreas públicas e que poderiam entupir bueiros, gerar chorume nos lixões, poluir os rios urbanos e praias. No âmbito da participação dos povos e comunidades tradicionais e da educação ambiental, promovemos em 2009 mais um Encontro Pelas Águas no Estado, que teve como principal objetivo a promoção da escuta da sociedade sobre as necessidades de atuação do Estado em relação às águas dos locais onde vivem; um curso de capacitação em educação ambiental pelas águas com os povos de santo e afoxés; o monitoramento da qualidade das águas das fontes sagradas e a recuperação destas fontes e nascentes.

Essas ações contribuirão para a formação de futuros multiplicadores ambientais, comprometidos com a preservação do uso da água e o cuidado com os recursos hídricos e ambientais. Por tudo isto, a parceria entre o INGÁ e a Secult vem dando certo, por entender que as águas, consideradas elemento sagrado e que perpassam todas as tradições e manifestações culturais, devem ser cuidadas e respeitadas, sem contaminação de qualquer espécie. Julio César de Sá da Rocha - Diretor Geral do Instituto de Gestão das Águas e Clima (INGÁ)

The Ouro Negro and the relationship with the water Thinking about religious entities of African patterns refers to thinking about the meaning of the waters for the communities of the terreiros, both as sacred element and as cultural value that is present at all of the rituals. As an essential asset for all of the human beings and the life, it is of big importance the care of the rivers, riverheads and lagoons, in order that the future generations do not suffer as a result from the shortage and they find hydric resources of good quality. This is one of the INGÁ main concerns. In order to meet the democratization goals of the afro culture in the Carnival and to stimulate the environmental awareness in the society, the INGÁ, in partnership with the State Culture Secretariat, proposes that the water, as an element that is present in our daily life, becomes a part of cultural manifestations as the Carnival. Our participation in the Carnival inserts in the perspective of sustainability themes, in which the care of the water needs to be divulged for the daily life of the population. Diverse religious communities, of African patterns, have the water as the main sacred element and for a special relationship in their rituals. And it is for that reason that the INGÁ supports the afoxés and the afro blocks. The Ouro Negro also has the INGÁ support regarding the performance of the recycled materials collectors, who help for the correct and sustainable destination of the solid waste that is


discarded at public areas and that could obstruct drainpipes, generate grease at the trash deposits, and pollute urban rivers and beaches. Within the reach of the participation regarding the traditional people and communities, and the environmental education, in 2009, we organized another State Encounter about the Waters, which had, as the main purpose, the promotion of listening the society about the State performance needs as regards to the waters at the areas where they live; a capacitation course, with the povos de santo [people of the Afro-Brazilian religion temples] and afoxés, on environmental education by means of the waters; the monitoring of the quality regarding the waters of the sacred fountains and the recovery of those fountains and riverheads. Those actions will contribute for the education of the future environmental multipliers, committed with the preservation of the water use and the care of the hydric and environmental resources. Because of all these issues, the partnership, between the INGÁ and the Culture Secretariat, is working very fine as it is understood that the waters, as sacred element and that pass over all of the cultural traditions and manifestations, must be taken care of and respected, without contamination of any kind.

Julio César de Sá da Rocha Director General of the Water and Weather Management Institute (INGÁ [sigla in Portuguese])


SUMÁRIO SUMMARY

O Ouro Negro do Carnaval de Salvador The Ouro Negro Carnival of Salvador 12 A FESTA DOS RITMOS ............................ Por goli guerreiro THE FESTIVAL OF THE RHYTHMS............................ By goli guerreiro 15

Mestres populares

NATIVE Indian 66

afro 74 samba 166

Popular Masters

MÃE HILDA JITOLU - POR VALÉRIA LIMA Mother Hilda Jitolu............by valéria lima 19 NEGUINHO DO SAMBA - POR VÍVIAM CAROLINE Neguinho do Samba – The Lord of the Drums.............by víviam caroline 21 Jônatas E SUA RELAÇÃO COM A CULTURA AFRO - por Angélica Maria da Silva JÔNATAS AND HIS RELATIONSHIP WITH THE AFRO CULTURE.................by Angélica Maria da Silva 24

14

AfoxÉ 28 índio

percussão Percussion 200

reggae 218

15


O Ouro Negro do Carnaval de Salvador

A

s conquistas para a cidadania da população negra brasileira e a ampliação em larga escala do debate sobre políticas afirmativas e reparação aos afrodescendentes, perceptíveis no cenário nacional contemporâneo, somente foram possíveis graças a uma precedente revolução cultural promovida pelo movimento negro brasileiro. A força da imprensa negra nos anos 30, do Teatro Experimental do Negro nos anos 40 e 50, e a criação dos blocos afros na Bahia a partir da década de 70, dando continuidade à ação dos afoxés que surgiram no Carnaval baiano a partir de 1930, foram fundamentais para a afirmação cultural dos valores africanos e a elevação da autoestima dos afrodescendentes. A cultura passa a ser então uma poderosa ferramenta na consolidação simbólica da presença negra na formação da identidade brasileira. Um dos momentos de maior expressão dessa força cultural é o Carnaval de Salvador, que sempre se fez sob o signo da diversidade. Desde que o Momo passou a reinar nos dias de fevereiro que a população negra garantiu seu espaço nas ruas festivas. A Embaixada da África foi a primeira a desfilar nas ruas de Salvador, em 1885. Na sua primeira aparição, seus

16

integrantes utilizaram roupas vindas diretamente da África. Um ano depois, outra entidade negra já surgia na folia. Eram os Pândegos da África. Ali se reuniu uma população negra que exibia as suas memórias dos reinos africanos, suas crenças e formas de ver o mundo. São as agremiações referenciadas pelas heranças de matriz africana que garantem à folia o título de maior festa popular do planeta. Cordões, clubes Carnavalescos africanos, afoxés, blocos afros, blocos de percussão, de índio, de reggae e de samba, historicamente, põem a público a criatividade do povo negro da Bahia. A diversidade expressa por essas agremiações, além da beleza e da preservação da história, contribui para a garantia do aspecto cultural e mercadológico do Carnaval, uma das mais fortes indústrias criativas do Estado. Com responsabilidade nestes dois aspectos (da economia e da cultura, ou seja, da economia da cultura), a Secretaria de Cultura elaborou o Programa de Fomento Carnaval Ouro Negro, destinado a estas agremiações, tanto no suporte financeiro para gerir seus desfiles e ações comunitárias, quanto na visibilidade da sua importância para a consolidação da identidade cultural da Bahia.

17


The Ouro Negro Carnival of Salvador

The achievements for the citizenship of the Brazilian black population and the enlargement, up to a significant extent, of the discussion about affirmative policies and the reparations to the afro-descendants, being perceptible in the contemporanean, national scenery, they were possible only thanks to a preceding cultural revolution pushed by the Brazilian black movement. The force of the black press in the years of the thirties, of the Black People Experimental Theater in the years 1940 and 1950, and the creation of the afro blocks in the Bahia region as from the decade of 1970, giving continuity to the action of the afoxés who showed up in the Bahia Carnival as from 1930, were of the essence for the cultural affirmation of the African values and the increase of the afro-descendants´ self-esteem. Consequently, the culture starts being a powerful tool for the symbolic consolidation of the black people presence in the composition of the Brazilian identity. One of the times of highest expression of that cultural force is the Salvador Carnival that was always performed under the sign of the diversity. As from the time that Momus started reigning in the days of February, the black population assured its room in the festive streets. The Africa Embassy was the first group who marched along the Salvador streets, in 1885. In their first appearance, its members used clothing directly brought from Africa. One year later on, another black entity already showed up at the noisy festival. They were the Pândegos da África [Merrymakers of the Africa]. A black

population met there, exhibiting their memories of the African kingdoms, their beliefs and their ways to view the world. The associations, that have the references of the inheritances of African patterns, assure to the noisy street festival the title of the largest popular feast in the planet. Groups of revellers, African Carnival clubs, afoxés, afro blocks, percussion blocks, blocks of Indians, reggae and samba, historically expose in public the creativity of the Bahia black people. The diversity shown by those associations, in addition to the beauty and the preservation of the history, contribute to the assurance of the cultural and marketability aspects of the Carnival, one of the strongest, creative activities of the State. Being responsible for these two aspects (the economy and the culture, that is to say, the economy of the culture), the Culture Secretariat prepared the Ouro Negro Carnival Foment Program, focused on these associations, both regarding the financial support, in order to manage their parades and communitarian actions, and the visibility of their importance for the consolidation of the Bahia cultural identity.

A festa dos ritmos Goli Guerreiro* O mundo da percussão é tão vasto quanto a variedade de ritmos, melodias e sonoridade dos seus instrumentos. Inventivo e dinâmico vem exercendo seu fascínio e anunciando a diversidade deste universo musical, típico de camadas populares espalhadas pelos quatro cantos da Terra. Um desses cantos é o Carnaval de Salvador. A musicalidade afrobaiana é um eixo do debate cultural da cidade e um dos polos mais atraentes de sua produção artística. A variedade de estilos como afoxé, samba, pagode, samba-reggae, afro-pop compõe a alquimia sonora que faz de Salvador uma importante referência musical da diáspora atlântica. Combinando informações africanas, européias, norteamericanas e caribenhas, a Bahia modelou estilos particulares e inaugurou um novo lugar para o músico percussionista, reconhecido como criador. Na música negrobaiana, os grupos se formam em torno dos tambores. O percussionista é o maestro, o articulador de uma complexa linguagem musical. Criada nas ruas longe do brilho dos grandes teatros, espaços antes dominados pela música harmônica e erudita, a percussão baiana move-se num espaço sem fronteiras. O Carnaval Ouro Negro é o momento privilegiado para conhecer/perceber a riqueza estética da festa dos ritmos.

THE FESTIVAL OF THE RYTHMS By Goli Guerreiro*

The world of the percussion is so much vast as the variety of rhythms, melodies and sonorities of its instruments. Being inventive and dynamic, the percussion world is exerting its fascination and announcing the diversity of this musical universe, being typical of low-income populations, being spread out over the four corners of the Earth. One of those corners is the Salvador Carnival of the Bahia region. The afro-Bahia regional musicality is the axle of the cultural debate of the city and one of the most attractive poles of its artistic production. The variety of styles such as afoxé, samba, pagode, samba-reggae, afro-pop, composes the sonorous alchemy that makes of Salvador an important, musical reference of the Atlantic diaspore. Combining African, European, North American and Caribbean information, the Bahia region modeled particular styles and it inaugurated a new place for the percussionist musician, being acknowledged as creator. In the black-Bahia regional music, the groups are organized around the drums. The percussionist is the master, the articulator of a complex musical language. Having been created far from the brightness of the large theaters, spaces previously dominated by the harmonic and erudite music, the Bahia region percussion moves itself in a space without frontiers. The Ouro Negro Carnival is the privileged time to know/ to perceive the esthetic richness of the rythms festival.

*Goli Guerreiro é baiana de Salvador, doutora em antropologia, autora do livro A Trama dos Tambores e atualmente desenvolve no pós-doutorado a ideia original de terceira diáspora – culturas negras no mundo atlântico. Confira textos, sons e imagens no blog www.terceiradiaspora.blogspot.com.

18

*Goli Guerreiro was born in Salvador, Bahia region; she is Doctor in Anthropology, author of the book titled The Plot of the Drums [original title in Portuguese: A Trama dos Tambores] and she is currently developing, in the postdoctorate, the original idea of the third diaspore – black cultures in the Atlantic world. Check texts, sounds and images at the blog www.terceiradiaspora.blogspot.com.

19


MÃE HILDA JITOLU

POPULAR MASTERS

A tranquilidade de Oxum, orixá do amor, da prosperidade e da beleza e a sabedoria de Obaluê se unem para formar a forte personalidade dessa mulher negra, que gerou apenas seis filhos biológicos, o primogênito Vovô, a artista plástica Dete Lima, Vivaldo, Hildemaria (in memória), Hildelita e a caçula Hildelice, porém, centenas de filhos espirituais, espalhados pelo mundo e unidos pela fé.

Foto - Divulgação

MESTRES populares

A

os 6 de janeiro de 1923, apenas 35 anos após a abolição da escravatura no Brasil, nasce Hilda Dias dos Santos. Neta de africanos, Hilda é filha de negros nascidos no Brasil, seus pais são Benta Maria do Sacramento e Aniceto Manoel Dias. Assim como boa parte da população negra do país, a única filha do casal é mais uma criança pobre e sem perspectivas para o futuro, porém, provou que tudo é possível quando há fé e determinação. Talvez tenha sido a força e a rigidez da terra que tenham tornado Mãe Hilda uma mulher de tanta fibra e coragem, e seus segredos possam ser explicados pelos mistérios e dogmas indevassáveis de seu pai Obaluaê, o orixá das pestes e das doenças contagiosas.

Por Valéria Lima*

Foi sob as bênçãos de Obaluê que surgiu a primeira instituição cultural e racial do Brasil, o Ilê Aiyê, em 1º de novembro de 1974. Desde sua concepção, Mãe Hilda abençoou e colaborou com o trabalho dos seus filhos, que venceram todas as barreiras e expandiram os seus ideais para toda a comunidade. Hoje com 36 anos, o Ilê é conhecido em todo o mundo por seu trabalho cultural, e, principalmente, o social que desenvolve na comunidade do Curuzu. A Escola Mãe Hilda é um deles, idealizada e criada por ela, nasceu e funcionou por muitos anos no barracão do seu terreiro, hoje localizada na Senzala do Barro


Valéria Lima é jornalista e neta biológica de Mãe Hilda

MOthER hILDA JItOLU By valéria Lima* On January 6th, 1923, just 35 years after the abolition of the slavery in Brazil, Hilda Dias dos Santos was born. She was granddaughter of Africans; Hilda was daughter of negroes born in Brazil, her parents were Benta Maria do Sacramento and Aniceto Manoel Dias. In the same way as most of the black population of the country, the sole daughter of the couple was another poor child, without perspectives for the future, however, she proved that everything is possible when there is faith and determination. Perhaps, the force and the rigidity of the land caused that Mother Hilda became a woman of so much energy and courage, and her secrets may be explained by the inaccessible mysteries and dogmas of her father Obaluaê, the orixá [God] of the pests and contagious diseases.

It was under the blessings of Obaluê that the first cultural and racial institution of Brazil, the Ilê Aiyê [The Earth of the Life], was organized on November 1st, 1974. As from its conception, Mother Hilda blessed and contributed to the work of her sons, who won over all of the barriers and expanded her ideals for the whole community. Nowadays, with 36 years of activities, the Ilê is known all over the world by its cultural work and, mainly, the social one, that performs at the Curuzu community. The Mother Hilda School is one of the works, having been idealized and created by her; it started and it had activities for many years at the large barrack of her terreiro and it is presently located at the Senzala do Barro Preto district [Slave House of the Black Mud]. The School is currently the seat of the block, where there are also other projects such as the pedagogic extension, the professionalizing courses and the Band’Erê [Band of the intermediary person between the individual and God] . Mother Hilda expanded the religiousness of the African patterns, not just in the Bahia region, but in Brazil and the world. She taught us to be proud of our race and the inheritance that was left to us by our ancestors, mainly, the religion. She worshiped the orixás, she bestowed many charities, inclusively to unknown people, she faced the prejudice and she won the war against the discrimination, she scattered seeds and she reaped all of the good fruits that the life allowed her to have. With the mission completed, Mother Hilda went to the Orum [she died] on September 19th, 2009. She is resting after 86 years of devotion and fights for the racial and social equality in the country.

Valéria Lima is a journalist and the biological granddaughter of Mother Hilda

MÃE HILDA JITOLU

Foto - Divulgação

Mãe Hilda expandiu a religiosidade de matriz africana, não só na Bahia, mas no Brasil e no mundo. Nos ensinou a ter orgulho da nossa raça e da herança que nos foi deixada pelos nossos antepassados, principalmente a religião. Cultuou os orixás, fez muita caridade, inclusive a desconhecidos, enfrentou o preconceito e venceu a guerra da discriminação, plantou sementes e colheu todos os bons frutos que a vida lhe permitiu. Com a missão cumprida, Mãe Hilda foi para o Orum em 19 de setembro de 2009. Descansou após 86 anos de dedicação e luta pela igualdade racial e social no país.

The serenity of Oxum, the orixá of the love, the prosperity and the beauty, and the wisdom of Obaluê joined to compose the strong personality of this black woman who generated just six biological descendants, the first-born son Vovô, the fine arts artist Dete Lima, Vivaldo, Hildemaria (in memoriam), Hildelita and the youngest daughter Hildelice, however, she had hundreds of spiritual descendants, spread out all over the world and united by the faith.

NEguiNHO dO SAMBA - O SENHOR dOS TAMBORES

Preto. Atualmente é a sede do bloco, onde também estão outros projetos como o de extensão pedagógica, os cursos profissionalizantes e a Band’Erê.

Por víviam Caroline*

C

onta a lenda que num lugar muito distante Deus precisava de um regente de tambores, precisava de um maestro para equilibrar e harmonizar os sons do universo. Olhou para a terra e identificou um de seus filhos para aquela missão única. Neguinho do Samba foi o rei escolhido para a missão de reger a melhor e maior banda de percussão do bom mundo. Agora Neguinho é energia, habita, alimenta e inspira o coração de seus seguidores. Neguinho está vivo em nossa memória, no nosso amor incondicional e se fará vivo também no Carnaval da Didá, pois ele é a essência que alimenta essa festa. Foi Neguinho do Samba quem inventou o samba reggae. Também foi ele quem inventou o samba reggae para inclusão social. Foi Neguinho do Samba quem colocou crianças do Pelourinho para tocar tambores e assim ocupar as mentes com os sagrados sons da transformação. Também foi Neguinho do Samba quem colocou tambores nas mãos das mulheres, conferindo a essas o poder de definir a trilha sonora de suas vidas. As realizações do mestre são inúmeras e, principalmente, seus significados são infinitos. Infinitos porque, para cada um de seus alunos, o samba reggae bate diferente. O impacto do samba reggae provoca muitas reações. uns encontraram o prazer e a alegria perdidos, outros encontraram profissão e independência econômica, outros ainda encontraram suas próprias identidade e estima. Não fosse o samba reggae, a Axé Music e toda a poderosa indústria fonográfica da Bahia não seriam as mesmas. Foi a batuta de Neguinho do Samba que influenciou e influencia canções que conduzem multidões; que exporta a Bahia para o mundo, que atrai pessoas de todos os continentes. Consequentemente o samba reggae é também protagonista do impulso que a economia baiana ganhou desde seu surgimento no começo dos anos oitenta, nos dias de hoje e certamente num longo futuro.


O samba reggae influencia o jeito de dançar, tocar, pensar, vestir e viver. Passaram-se anos, passarão pessoas e o samba reggae não passará. Soprem os ventos, cantem os mares, a energia da natureza que confirma o infinito da vida comprova que nosso mestre se faz presente nas batidas do samba reggae. Pelo longo futuro que infalivelmente chegará, Neguinho se fará presente e se revelará no mágico aprendizado das crianças dando seus primeiros toques em latas de leite, como ele fez.

Passarão-se anos, passarão pessoas e o samba reggae do mestre Neguinho do Samba não passará.

Neguinho do Samba, homem de voz forte e pensamento poético, fez brotar amor e esperança onde só havia rancor e dor. A maior herança que ele deixou para seus seguidores foi a entrega abnegada pelo outro. “Não existe tempo ruim”, a qualquer hora do dia ou da noite Neguinho do Samba estava disponível para consolar, apoiar e principalmente ensinar. Outra herança importante é o orgulho de ter aprendido e convivido com um dos principais heróis negros de seu tempo.

NEGUINhO DO SAMBA – thE LORD Of thE DRUMS By víviam Caroline*

A saudade é gigante e muitas vezes a tristeza pela falta do amigo é incontrolável. A paisagem não é a mesma, e em cada canto da cidade a memória acusa um momento, uma história, um fato engraçado. Por onde quer que eu olhe encontro meu mestre. Nas salas de aula, dentro dos computadores e em suas infinitas gravações no garage band. Fotografia na parede, filme no DVD, e dentro do coração, dentro da pele, a memória abstrata que nos faz sonhar. uma das frases que mais gosto do mestre é “Obrigado por nos dar a esperança de um novo tempo, de um novo mundo e de novos pensamentos. Por você o povo da Didá se levanta...”. Não consigo me lembrar do final, mas gostaria de completar e sei que ele me autoriza a fazer: Por você, Neguinho do Samba, o povo da Didá se levanta - buscando a coragem materna que só o útero reserva – para garantir a paz, o amor, a solidariedade, a dignidade e a valorização das mulheres.

Viva o REI Neguinho do Samba! Obrigada, mestre! Saudade. víviam Caroline é diretora de projetos da Associação Educativa e Cultural Didá

The legend tells us that, in a very distant place, God needed the services of a conductor of drums; God was in need of a master to equilibrate and harmonize the sounds of the universe. God looked at the Earth and he identified one of his sons for that unique mission. Neguinho do Samba was the king that was selected for the mission of conducting the best and largest percussion band of the good world. At the present time, Neguinho is energy, he inhabits, feeds and inspires the hearts of his followers. Neguinho is alive in our memory, in our unconditional love and he will also become alive in the Carnival of the Didá [Creator of the World] as he is the essence that feeds that festival.

Were it not due to the reggae samba, the Axé Music and the whole, powerful phonographic industry of the Bahia region would not be the same one. It was the conductor´s baton of Neguinho do Samba that influenced and influences songs that conduct multitudes; that export the Bahia region culture to the World, that attract people from all of the continents. Consequently, the reggae samba is also the protagonist of the impulse that the economy of the Bahia region won as from its appearance in the beginning of the years eighty, at the present time and, certainly, in a long future. The Reggae Samba influences the way to dance, play, think, dress and live. Years have elapsed, people will pass by and the reggae samba will not be forgotten. The winds must blow, the seas must sing, the energy of the nature, which confirms the infinite of the life, proves that our master becomes present in the beats of the reggae samba. During the long future that infallibly will come, Neguinho will become present and he will reveal himself in the magic learning of the children who are playing their first beats on milk cans as he did. Neguinho do Samba, a man of loud voice and poetic thinking, made that love and hope grew where there was only rancor and pain. The largest inheritance, that he left for his followers, was the unselfish devotion to the other one. “There is not bad weather”, he said, at any time of the day and the night, Neguinho do Samba was available for consoling, giving support and, mainly, for teaching. Another important heritage is the pride of having learned and been in touch with one of the main, black heroes of our age.

The nostalgia is gigantic and, many times, the sadness, due to the absence of the friend, is uncontrollable. The view is not the same one and, at each corner of the city, the remembrance points out a moment, a story, an amusing fact. Wherever I look at, I find the master. At the classrooms, within the computers, in his infinite recordings in the garage band. A photo on the wall, a film in the DVD and within the heart, within the skin, I find the abstract remembrance that makes us dream. One of the phrases of the master that I like most is “Thank you for having given us the hope of a new time, of a new world and of our thoughts. The Didá people stands up due to you...”. I cannot remember the final words, but I would like to complete the phrase and I know that he authorizes me to do it: The Didá people stands up due to you - looking for the maternal courage that only the womb preserves – in order to assure the peace, the love, the solidarity, the dignity and the valorization of the women. Years have elapsed, people will pass by and the reggae samba of the Master Neguinho do Samba will not be forgotten. Hurrah for the KING Neguinho do Samba! Thank you Master! Nostalgia.

víviam Caroline is director of projects at the Didá Educational and Cultural Association

Neguinho do Samba was the person who invented the Reggae Samba. He was also the individual who invented the Reggae Samba for social inclusion. Neguinho do Samba was the fellow who taught children of the Salvador, Pelourinho [Whipping-Post] district to play drums and, in this way, to occupy the minds with the sacred sounds of the transformation. Neguinho do Samba was also the person who put drums in the hands of the women, granting them the power of defining the sonorous paths of their lives. The achievements of the master are countless and, mainly, their meanings are infinite. They are infinite because the reggae samba beats differently for each one of his students. The impact of the reggae samba causes many reactions. Some people will discover the lost pleasure and happiness, other people will discover a profession and an economic independence, other ones will also find their own identity and esteem.

NEGUINHO DO SAMBA


26

J

Jônatas Conceição da Silva era o último dos oito filhos de Maria Isabel da Silva e Tertulino Sales da Silva. O “Conceição” era por ter nascido no dia 8 de dezembro, dia da padroeira da cidade de Salvador, Nossa Senhora da Conceição. Nasceu no bairro do Engenho Velho de Brotas, conhecido por seus terreiros de candomblé, dentre os quais o do senhor Rodrigo da Costa Alves, que segundo o pesquisador Tuiuti Tavares era filho de africano do Congo, pai-de-santo desde 1905 e falecido em 1932 (Revista O Cruzeiro; década de 50).

Foto - Divulgação

JÔNATAS E SUA RELAÇÃO COM A CULTURA AFRO

18

Por Angélica Maria da Silva*

Jônatas não teve a oportunidade de conhecer bem o famoso afoxé que saiu deste terreiro na década de quarenta, o afoxé Congo d’África, organizado pelo filho do senhor Rodrigo, Salvador Reis Alves, conhecido por todos como Dodô, pois este afoxé teve seus últimos dias no Carnaval de 1962, quando ele tinha apenas nove anos de idade. Apesar do pouco contato com este afoxé, a evidência de que o mesmo ficara em sua memória está no seu último conto, “Nossas Mães”, publicação póstuma no Cadernos Negros nº 32, dezembro/2009, quando ele o cita. No seu retorno de Campinas, ao concluir o Mestrado de Linguística, em 1979, integrou-se imediatamente ao bloco afro BADAUÊ, do Engenho Velho de Brotas, no qual permaneceu até 1980. Em 1981/82 integrou-se ao Bloco OLODUM, e a partir de 1983 permaneceu definitivamente no ILÊ AIYÊ. Participou do MNU de São Paulo: “Fiz-me presente ao primeiro ato público para o lançamento do MNU, no dia 7 de julho de 1978, nas escadarias do Teatro Municipal de São Paulo”(Silva, 2004, pág. 16) e ainda em 1979 integrouse ao MNU – Movimento Negro Unificado de Salvador, quando então as reuniões eram no subsolo do Jardim da Praça Municipal, conhecido popularmente por “Sucupira”. Coordenou o jornal NÊGO, do MNU, de 1980 a 1990. Em

1991 o jornal passa a ter edição nacional, passando a sua coordenação para Edson Cardoso, em Brasília. Criou em 1981 o primeiro Grupo de Trabalho de Educação do MNU, o GT Silveira da Luz, juntamente com os militantes Ana Célia da Silva, Gildália Anjos e Carlos Alberto Menezes. Em fins da década de oitenta, no governo de Waldir Pires, então radialista do IRDEB – Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia, Jônatas se integrou ao programa TV Pirata, com o segmento de sua criação FALA CRIOULO. Este programa constituiu-se de entrevistas com representantes do Movimento Negro, no que foi auxiliado por sua irmã Ana Célia. Em março de 1991, com a saída do governador Nilo Coelho e o retorno de ACM, o programa saiu do ar. Em sua trajetória no Ilê Aiyê, entregou-se totalmente à causa do combate ao racismo e ao desafio de conquistar oportunidades para uma educação de qualidade para a população negra, até mesmo após a sua cirurgia em fevereiro/2008, quando se sentiu restabelecido. Neste bloco atuou, principalmente, como coordenador do Projeto de Extensão Pedagógica, atuando inicialmente nos colégios do bairro da Liberdade, a exemplo do Colégio Duque de Caxias e Escola Abrigo dos Filhos do Povo. Posteriormente com a parceria Ilê Aiyê/SMEC atuou em algumas escolas municipais da periferia de Salvador com os temas abordados nos cadernos de Extensão Pedagógica, de sua criação. Este Projeto de Extensão Pedagógica, em 1997, concorreu ao “Prêmio Itaú-UNICEF Educação e Participação”, um concurso nacional onde recebeu Menção Honrosa. A coordenação dos festivais de músicas do Ilê Aiyê resultou em investigação para a sua dissertação de mestrado no Instituto de Letras da UFBA – VOZES QUILOMBOLAS – uma poética brasileira. “Trouxe para meus estudos literários

atuais, uma contribuição que julgo da maior relevância no contexto da literatura brasileira: as letras das músicas de compositores de Carnaval e a literatura negra dos autores afrodescendentes que começaram a publicar, e a fazer um quilombo literário, a partir da década de setenta” (Silva, 2004, p. 17). Em 2005 seria aprovado na seleção para o curso de doutorado no Instituto de Letras da UFBA, voltando à Academia. Em 2001, volta à sua atuação como radialista ao criar o programa TAMBORES DA LIBERDADE, em uma parceria entre o Ilê Aiyê e a Rádio Salvador FM. Em 2002, o programa é transferido para a Rádio Metrópole e, finalmente, em 24 de novembro de 2007, volta às suas origens com o programa indo ao ar na Rádio Educadora. Este programa, mesmo após o falecimento de Jônatas em 3 de abril de 2009, continua indo ao ar todos os sábados às dezoito horas. Assim como as suas poesias não podem ser esquecidas, a comunidade negra não pode deixar morrer os Tambores da Liberdade, pois, como em tudo que Jônatas se obstinava a fazer, na coordenação deste programa ele também entregava a sua alma.

*Angélica Maria da Silva é irmã biológica de Jônatas, licenciada em Desenho e Plástica pela Escola de Belas Artes da UFBA; Mestra em Educação pela UNEB com o projeto Chegança dos Mouros - A Barca Nova, atuando na rede municipal de ensino de Salvador.


JôNAtAS AND hIS RELAtIONShIP wIth thE AfRO CULtURE By Angélica Maria da Silva* Jônatas Conceição da Silva was the youngest son of the eight descendants of Maria Isabel da Silva and Tertulino Sales da Silva. The “Conceição” name was given due to having been born on the 8th day of December, the patron day of the Salvador city, Our Lady of the Conception. He was born in the district of the Engenho Velho de Brotas [Old Mill of the Fountains], known by its terreiros of candomblé [voodooistic religion] ,among which the one headed by Mr. Rodrigo da Costa Alves who, according to the researcher Tuiuti Tavares, was son of an African of Congo, pai-de-santo [witchdoctor] as from 1905, who died in 1932. (“O Cruzeiro” Review; decade of the fifties). Jônatas had not the opportunity to know well the famous afoxé [foretellers´ group], that started at this terreiro in the decade of the forties, the Congo d’África afoxé, organized by the son of Mr. Rodrigo, Salvador Reis Alves, known by everyone as Dodô, as this afoxé had its last days in the Carnival of 1962 when he was just nine years old. In spite of his limited contact with this afoxé, the evidence, that was kept in this memory, is on his last story titled “Our Mothers”, posthumous publication on the Negroes Cahiers nº 32, December 2009, where he mentions the afoxé. Upon his return from Campinas, after finishing the Master of Linguistics in 1979, he immediately joined the BADAUÊ afro block of the Engenho Velho de Brotas district, where he stayed up to 1980.

In 1981/82, he joined the OLODUM Block and, as from 1983, he definitively stayed at the ILÊ AIYÊ. He participated in the Unified Negro Movement of Sao Paulo: “I was present at the first public event for the launching of the UNM, on July 7th, 1978, at the front stairs of the Sao Paulo Municipal Theater”. (Silva, 2004, page 16) and also, in 1979, he joined the Salvador Unified Negro Movement; at that time, the meetings were held at the basement of the Municipal Square Garden, popularly known as “Sucupira”. He coordinated the NÊGO Journal of the UNM from 1980 to 1990. In 1991, the journal started having a national issue, he transferred the coordination to Edson Cardoso in Brasília. In 1981, he created the first Work Group on Education of the UNM, the Silveira da Luz [Light Bramble] Work Group, together with the militants, Ana Célia da Silva, Gildália Anjos and Carlos Alberto Menezes. At the end of the decade of eighties, during the government of Waldir Pires, being at that time radio broadcaster of the IRDEB – Bahia State Institute of Educational Radio Broadcasting, Jônatas joined to TV Pirate Program, with the segment of his creation titled FALA CRIOULO [Speak up Creole]. This program was composed of interviews with representatives of the Negro Movement; he was helped for that by his sister Ana Célia. In March 1991, when Governor Nilo Coelho left his office and Antônio Carlos Magalhães came back, the program was no longer broadcast. In his trajectory at the Ilê Aiyê, he fully devoted to the cause of the fight against the racism and to the challenge of achieving opportunities regarding a quality education for the black population, even after his surgery, in February 2008, when he felt healthy again. At this block, he mainly performed as Coordinator of the Pedagogic

Extension Project, initially working at the schools of the Liberdade [Freedom] district, patterned after the example of the Duque de Caxias School and Shelter School of the People´s Sons. Later on, with the partnership of Ilê Aiyê/SMEC [Municipal Secretariat of Education and Culture], he worked at some municipal schools at the Salvador outskirts by using the themes analyzed on the Pedagogic Extension Cahiers that were created by him. In 1997, this Projection of Pedagogic Extension, competed at the “Itaú-UNICEF Prize on Education and Participation”, a national competition where it received a Praiseworthy Commendation. The coordination of the music festivals of the Ilê Aiyê resulted in research for his master dissertation at the Literature Institute of Bahia Federal University titled – QUILOMBOLAS VOICES [Fugitive Negro Slaves] – a Brazilian poetics. “I brought, for my current literary studies, a contribution that I think that it has the highest relevance within the context of the Brazilian literature: the lyrics of the songs of Carnival composers and the negro literature of the afro-descendant authors, who started publishing and developing a literary quilombo [black people dwellings] as from the decade of seventies”. (Silva, 2004, p. 17). In 2005, he was approved at the selection for the doctorate course at the Literature Institute of the Bahia Federal Universty and he went back to the University.

FM Radio. In 2002, the program was transferred to the Metrópole Radio and, finally, on November 24th, 2007, he came back to his roots with the program going to the air through the Educadora Radio. This program, even after Jônatas´ death on April 3rd, 2009, continues being broadcast every Saturday at 6:00 p.m. In the same way as his poems cannot be forgotten, the black community must not let die the Drums of the Freedom as in everything that Jônatas became obstinate to do, in the coordination of that program, he also devoted his soul.

* Angélica Maria da Silva is Jônatas´ biological sister, graduated in Design and Plastics Art from the Fine Arts School of Bahia Federal University; Master in Education from the UNEB-Bahia State University with the project titled Arrival of the Moors - The New Boat; she works at the Salvador municipal teaching network.

In 2001, he came back to his performances as radio broadcaster when he created the DRUMS OF THE FREEDOM program, by means of a partnership between the Ilê Aiyê and the Salvador

JÔNATAS DA SILVA


A

religiosidade e a musicalidade dos atabaques, agogôs e xequerês. Essas são as duas características principais dos afoxés, também chamados de “candomblés de rua”. Estas entidades carnavalescas são manifestações artístico-culturais que têm origem nos espaços sagrados da religiosidade negra, os terreiros de candomblé, com sua música ritualística, seus instrumentos próprios e suas vestimentas e danças. Com roupas coloridas fazendo referências aos orixás, cantigas em iorubá, instrumentos de percussão e danças no ritmo do ijexá, os afoxés são considerados as primeiras entidades negras a desfilarem no Carnaval. Assim como ocorre em rituais do candomblé, o ritmo é marcado por uma figura de destaque que incita o grupo puxando uma canção, com os demais respondendo prontamente. Na primeira metade do século XIX, existia uma divisão espacial no Carnaval de Salvador, determinada pela posição econômica dos foliões. Enquanto que Baixa dos Sapateiros, Taboão, Barroquinha e Pelourinho eram dominadas por afoxés e seus temas negros, as áreas consideradas nobres eram destinadas aos grandes clubes. Formado exclusivamente por homens, o afoxé Filhos de Ghandy encontrou inspiração nos princípios do pacifista hindu Mahatma Ganhdhi (1869-1948) que pregava a paz e a não-violência. Formado em 1949 por estivadores do Porto de Salvador, a entidade, que completa 61 anos, tornou-se um dos afoxés mais famosos. Quando desfilam nas ruas, os Filhos de Gandhy formam, com seus 10 mil foliões e trajes feitos com toalhas e lençóis brancos, uma das mais belas imagens carnavalescas: o tapete branco da paz. A garantia de inovação dentro da tradição vem de entidades como o afoxé Bankoma, que mesmo tendo sido criado há apenas 13 anos, na Associação São Jorge Filhos da Goméia (tradicional Terreiro do município de Lauro de Freitas), contribuiu para o fortalecimento do espaço dos afoxés na folia momesca.

30

AFOXÉ The religiosity and musicality of the atabaques, agogôs and xe querês. These are the two main characteristics of the afoxés, which are also called “street Candomblés”. The carnival groups are artistic-cultural displays whose origins are in the sacred spaces of AfroBrazilian religiosity, the Candomblé terreiros, with their ritualistic music, instruments, clothes and dances. With coloured clothes, making references to the orixás, songs in Yoruba, percussion instruments and dances in the ijexá rhythm, the afoxés are considered the first black groups to parade in Carnival. This is how the Candomblé rituals take place, the rhythm is marked by a central figure who incites the group leading a song, with the others responding. There was a spatial division in the Salvador Carnival in the first half of the 19th century, determined by the party-goers’ economic situation. While the districts of Baixa dos Sapateiros, Taboão, Barroquinha and Pelourinho were dominated by afoxés and their Afro-Brazilian themes, the areas considered noble were allocated to large clubs. Formed exclusively by men, the afoxé Filhos de Ghandy found inspiration in the principles of Hindu pacifist Mahatma Ganhdhi (1869-1948) who advocated peace and non-violence. Created in 1949 by dockers at the Salvador port, the association is now 61 years old and has become one of the most famous afoxés. When the Filhos de Gandhy parade in the streets with ten thousand participants and costumes made with towels and white sheets, they form one of the most beautiful carnival images: a white carpet of peace. A guarantee of innovation within the tradition comes from organizations like the afoxé Bankoma, which although only created 13 years ago at the São Jorge Children of Goméia Association (a traditional terreiro in the local authority of Lauro de Freitas), which has contributed to strengthening the afoxés space in the Carnival party.

31


Foto - Robson Mendes - AGECOM

FILHOS DE GANDHY ANO DE FUNDAÇÃO 18/02/1949 HISTÓRICO Em 1949, com a queda na renda dos trabalhadores associados ao sindicato dos estivadores de Salvador, o bloco Comendo Coentro não pôde sair às ruas. Como os estivadores não queriam que o Comendo Coentro desfilasse em condições inferiores às do ano anterior, surgiu então a idéia de criar um outro “cordão”, ou bloco de Carnaval, concebido por Durval Marques da Silva, o Vavá Madeira, com o apoio dos demais estivadores. O nome do bloco foi sugerido por Vavá, inspirado no líder pacifista indiano Mohandas Gandhi (1869-1948), trocando-se a letra “i” por “y” para evitar possíveis problema pelo uso do nome. Batizou-se então o bloco como “Filhos de Gandhy”. Eles arrecadaram dinheiro e compraram lençóis para utilizar na confecção dos trajes e barris de mate e couro para construir os tambores utilizados no acompanhamento do cortejo. CURIOSIDADES Homenageados oficiais do Carnaval 2009, os Filhos de Gandhy são mais antigos que o trio elétrico (1950). O bloco participou de filmes que foram gravados na Bahia, como “O pagador de promessas” (1962) e “Dona flor e seus dois maridos” (1976). Também foi tema de um documentário exibido em Nova Délhi, na Índia.

32

AÇÕES SOCIAIS Oficina de percussão, aulas de informática e curso de guia de turístico mirim, voltados para crianças do bairro. LOJA Rua Gregório de Matos, nº 53, Pelourinho. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Agnaldo Antonio Oliveira Ribeiro da Silva RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa e Carnavalesca Filhos de Gandhy ENDEREÇO Rua Gregório de Matos, nº 53, Pelourinho. CONTATOS (71) 3321-7073 / (71) 8761-1357 filhosdegandhy@yahoo.com.br http://www.filhosdegandhy.com.br

33


FILHOS DE GANDHY SOCIAL ACTIVITIES: Percussion workshops, IT lessons and a junior tour guide course, aimed at children in the neighbourhood. / OF INTEREST: Officially honoured in Carnival 2009, the Filhos de Gandhy are older than the trio elétrico sound trucks (1950). The group took part in films that were shot in Bahia, such as “O pagador de promessas” (1962) and “Dona flor e seus dois maridos” (1976). They were also the subject of a documentary shown in New Delhi, India. / HISTORY: The group, Comendo Coentro, could no longer go out into the streets in 1949, following a fall in income from workers associated to the Salvador Dockers’

Union. As the dockers did not want Comendo Coentro to parade in conditions inferior to those of the previous year, the idea then arose of creating another Carnival group, thought up by Durval Marques da Silva, Vavá Madeira, with support from other port workers. The group’s name was suggested by Vavá, inspired by the Indian pacifist leader Mohandas Gandhi (1869-1948), changing the letter “i” for a “y” to avoid possible problems when using the name. The group was then baptized with the name “Filhos de Gandhy”. They collected money and bought sheets to make the costumes and barrels of tea and leather to build the drums used to accompany the procession.

35

34 Foto - Robson Mendes - AGECOM


FILHOS DE MARÉ ANO DE FUNDAÇÃO 02/02/1950 HISTÓRICO Em 1950 o Povoado de Santana, na Praia Grande em Ilha de Maré, resolveu unificar todas as manifestações culturais da Ilha (Esmola Cantada, Afoxé de Cassimiro e as Caretas), surgindo assim os Filhos de Maré. O bloco ficou parado cerca de 20 anos, quando em 2009 a neta de um dos fundadores resolveu resgatar a manifestação cultural. A cantora Margareth Menezes e o historiador Cid Teixeira estão entre os filhos ilustres do grupo. CURIOSIDADES Durante um desfile de domingo, o afoxé se deparou com um ser estranho, que julgavam ser um carneiro. A euforia ficou estabelecida entre os moradores do local, que nunca tinham visto tal animal. Alguns acreditavam que o tal bicho poderia ser um cachorro. A dúvida entre carneiro e cachorro ficou estabelecida, até que o animal deu a resposta com um latido. “É um cachorro, é um cachorro”, saíram gritando os participantes do grupo. Até a década de 50, a raça Poodle era desconhecida pelos moradores da região. PRESIDENTE Robério Almeida dos Santos ENDEREÇO Rua Laurindo Cerqueira, nº 113 A. Plataforma. CONTATOS (71) 3322-4491/ vidahominira@yahoo.com.br

36

NETOS DE GANDHY FILHOS DE MARÉ [Sons of the Tide] – CURIOSITIES: During a Sunday parade, the Afoxé [Group of Foretellers] suddently saw a strange being that they thought to be a mutton. The euphoria started among the dwellers of the district who had never seen a mutton. Some of them believed that such animal could be a dog. The doubt, between mutton and dog, went on up to the time when the animal gave a response with a bark. “It is a dog, it is a dog”, the participants of the group started yelling. Up to the decade of the fifties, the Poodle race was unknown for the dwellers of the region. / HISTORICAL DATA: In 1950, the Village of Santana [Saint Anne], at the Praia Grande [Large Beach] in the Ilha de Maré [Island of the Tide], decided to unify all of the cultural manifestations of the Island (Esmola Cantada [Sung Money Tip], Afoxé de Cassimiro and the Caretas [Grimaces]) thus starting the Filhos de Maré. The block had no activities along 20 years; in 2009, the granddaughter of one of the founders decided to recover the cultural manifestation. The singer Margareth Menezes and the historian Cid Teixeira are among the illustrious descendants of the group.

ANO DE FUNDAÇÃO Janeiro de 1975 HISTÓRICO O grupo foi criado no bairro da Liberdade, quando pessoas de lá queriam participar do tradicional bloco Flihos de Gandy, mas não tinham dinheiro para pagar as fantasias que dão acesso ao bloco. Assim, alguém deu a ideia de montar um bloco semelhante, que usasse uma roupa parecida. A partir daí eles foram para casa na busca de lençóis e panos brancos para compor a fantasia. Atualmente 500 pessoas brincam no bloco durante o Carnaval, que já possui um abadá personalizado. CURIOSIDADES Para não ficarem muito parecidos com os Filhos de Gandhy, eles optaram por utilizar a cor verde, que simboliza Oxóssi, o orixá das matas. Antes do Carnaval, os abadás são doados (e muito concorridos) para a comunidade da Liberdade. Diferente dos Filhos de Gandhy, os Netos de Gandhy permitem a presença de mulheres. AÇÕES SOCIAIS Aulas de violão e percussão para 100 alunos, na Escola Municipal Manoel Florêncio, no Largo do Tanque. Aulas de capoeira e futebol para cerca de 300 alunos na Vila Canária, no bairro de Pau da Lima. PRESIDENTE Cristiane Vivas Oliveira RAZÃO SOCIAL Instituto de Cultura e Empreendedorismo Social

ENDEREÇO Rua das Vassouras, nº 21, 1º andar (sala 101 e 102), Centro Histórico. CONTATOS (71) 3322-4491 / (71) 9983-5165

NETOS DE GANDY [Gandy´s Grandsons] - SOCIAL ACTIONS: Lessons of guitar and percussion for 100 students at the Manoel Florêncio Municipal School at the Largo do Tanque [Small Square of the Tank]. Lessons of Capoeira [Brazilian Fighting Dance] and Soccer, for around 300 students, at the Vila Canária [Canary Village], at the district of Pau da Lima [Stick of Sweet Lime Tree]. / CURIOSITIES: In order not to resemble as being too similar to the Filhos de Gandhy, they opted for utilizing the green color that symbolizes Oxóssi, the Orixá [Head/Light Lord] of the forest. Before the Carnival, the abadás [chemisettes with customized drawings] are donated (and there is a high demand for them) to the community of the Liberdade [Freedom] district. Differently from the Filhos de Gandhy, the Netos de Gandhy allow the participation of women. / HISTORICAL DATA: The group was organized in the Liberdade district when the people of the area wanted to participate in the traditional Filhos de Gandy block, but they had no money to pay for their fantasy dresses, what give the access to the block. Consequently, someone presented the idea of organizing a similar block where the people used a similar dress. As from that time, they went home looking for white bed sheets and cloths in order to confection the fantasy dress. At the present time, 500 people amuse themselves in the block during the Carnival; the block already has a customized chemisette.

37


ilê oyÁ ANO DE FUNDAÇÃO 10/05/1978

PRESIDENTE Estelita Alves Silva

HISTÓRICO O Afoxé Ilê Oyá foi fundado com o intuito de levar as tradições do candomblé para o Carnaval. O primeiro desfile aconteceu em 1979, com o tema “As Águas de Nanã”, cuja música foi composta por um garoto de 10 anos e levou o bloco a se ser campeão do Carnaval.

RAZÃO SOCIAL

CURIOSIDADES A Associação Beneficente Cultural Carnavalesca Ilê Oyá, fundada por representantes do candomblé, tem Iansã como sua orixá protetora. “Ilê Oyá” significa Casa de Iansã. O Ilê Oyá desenvolve atividades artísticas, culturais e educativas na comunidade de Barros Reis e Vida Nova, no município de Lauro de Freitas.

CONTATOS (71) 8826-8089 / (71) 3234-3955 / ileoya@bol.com.br

AÇÕES SOCIAIS Cursos profissionalizantes de dança, artesanato, corte e costura. LOCAL DE ENSAIOS Rua Caminho, nº2, Bairro do Cají, Vida Nova.

Associação Beneficente Carnavalesca Ilê Oyá ENDEREÇO Rua Benjamim Franklin, nº 75, Pau Miúdo.

ILÊ OYÁ SOCIAL ACTIVITIES: Vocational courses in dance, crafts, pattern cutting and sewing. / OF INTEREST: The Ilê Oyá Carnival Cultural Beneficiary Association, founded by Candomblé representatives, has Iansã as its protective orixá. “Ilê Oyá” means “Iansã’s house”. Ilê Oyá develops artistic, cultural and educational activities in the communities of Barros Reis and Vida Nova in Lauro de Freitas. / HISTORY: The afoxé Ilê Oyá was founded with the purpose of taking Candomblé traditions to Carnival. The first parade took place in 1979, with the theme “Nanã’s water”, whose music was composed by a ten year old boy and led the group to be acclaimed Carnival champions.

39

38 Foto -Taiane Oliveira


FiLHOS dO CONgO PRESidENTE Nadinho do Congo RAZãO SOCiAL Associação Comunitária e Recrativa Afoxé Filhos do Congo ENdEREÇO Fazenda Grande IV, Setor 7, Caminho 48, nº 3 A, Cajazeiras.

Foto -Divulgação

CONTATOS (71) 9977-1756 / 8747-0655 / (71) 9937-5731 (71) 3219-5944 n.congo@yahoo.com.br www.filhosdocongo.com.br

ANO dE FuNdAÇãO 07/01/1979 HiSTÓRiCO O Filhos do Congo de hoje é herdeiro de outras duas entidades que abrilhantaram os carnavais de Salvador. Em sua formação mais antiga era o Congos d’África, um dos afoxés pioneiros da República. O Congos d’Africa, criado no início dos anos 1920, era um “colossal candomblé a perambular pelas ruas”, que se originou com o Velho Rodrigo (Dodô), nas imediações do Dique do Tororó, lugar sagrado em cujas cercanias havia muitos candomblés. Os afoxés possuem íntimas relações místicas com os terreiros de candomblé e, assim, foi Nadinho quem recebeu de seus guias a missão de levar às ruas o afoxé

40

que presta homenagem à contribuição sociocultural dos africanos e seus descendentes, vindos da região africana do Reino do Congo. CuRiOSidAdES O terreiro de Dodô, dedicado a Omolu, já trazia uma marca dos afoxés dedicados ao Congo: tocava em ijexá, ao invés de congo, como seria esperado. O Congos d‘África foi sucedido pelo Filhos do Congo no final dos anos 40, liderado pelo filho de Dodô, tendo desfilado durante alguns anos.

fILhOS DO CONGO [CONGO SONS] – Historical data - The Filhos do Congo block of the present time is the heir of other two entities that embellished the Carnivals of Salvador. As per its older formation, it was the Congos d’África, one of the pioneer afoxés of the Republic. The Congos d’Africa, created in the beginning of the 1920 decade, was a “colossal candomblé to perambulete along the streets” that was organized by the Old Rodrigo (Dodô), in the vicinity of the Dique do Tororó [Idle Talk Dam], a holy place where there were many candomblés in the nearabouts. The afoxés have intimate, mystical relationships with the terreiros of candonblé and, consequently, Nadinho was the person who received from their advisors the mission of carrying the afoxé to the streets, which renders a homage to the sociocultural contribution of the Africans and their descendants, who came from the African region of the Congo Kingdom . CURIOSITIES: The terreiro of Dodô, devoted to Omolu, already had an impact of the afoxés devoted to the Congo: they played in ijexá [candomblé nation of slaves from Ilesa, Nigeria], instead of the congo as it would be expected. The Congos d‘África was followed after by the Filhos do Congo at the end of the years forties, headed by the son of Dodô, having participated in the parade along some years.

AÇÕES SOCiAiS Oficina de artesanato e de produção de sacolas e roupas. LOCAL dE ENSAiOS Na sede do bloco. 41


Filhas de Gandhy

OLORUM BABA MI ANO DE FUNDAÇÃO 28/04/1979 HISTÓRICO Um grupo de amigos da comunidade se reuniu com o objetivo de fundar um bloco para levar os moradores da comunidade para participar do Carnaval. Inicialmente, o intuito era de ser apenas um meio de diversão para os moradores, mas a partir de 1981 os diretores começaram a desenvolver projetos sociais no bairro, como oficinas de dança, artes plásticas e música. Os temas para os desfiles eram escolhidos através de concursos abertos à comunidade. CURIOSIDADES O bloco foi campeão no Carnaval de 1984. No Carnaval de 1995, o bloco homenageou o ator negro Mario Gusmão (1928-1996). AÇÕES SOCIAIS Oficinas de dança, capoeira, informática, artesanato e música. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Ademir de Oliveira Santos

RAZÃO SOCIAL Grêmio Cultura e Comunitário Olorum Baba Mi ENDEREÇO Rua Guaíba, nº 18 E, Caixa d’Água. CONTATOS (71) 8731-7111 / (71) 9936-5046 projetoolorum@gmail.com

OLORUM BABA MI SOCIAL ACTIVITIES: Dance, capoeira, IT, crafts and music workshops. / OF INTEREST: The group was champion in the 1984 Carnival. The group’s theme paid homage to the first Bahian black actor, Mario Gusmão (1928-1996) during the 1995 Carnival. HISTORY: A group of friends from the community met up with the objective of founding a group to lead residents to take part in the Carnival. The initial purpose was just to be a form of amusement for residents but the directors started to develop social projects in the neighbourhood in 1981, with dance, art and music workshops. The parade themes were chosen through competitions that were open to the community.

ANO DE FUNDAÇÃO 02/07/1979

RAZÃO SOCIAL Sociedade Recreativa e Cultural Filhas de Gandhy

HISTÓRICO O bloco foi criado após uma discussão de muitos anos, sobre a vontade de desfilar no Carnaval das mulheres e filhas dos integrantes do bloco Filhos de Gandhy, exclusivamente masculino. Essa possibilidade só se tornou um fato no final da década de 1970, quando o então presidente do Filhos de Gandhy, Djalma Passos, convocou Gilberto Nonato e Glicéria Vasconcelos para criar a agremiação feminina.

ENDEREÇO Rua Gregório de Matos, nº 51, Pelourinho.

CURIOSIDADES Com o falecimento de Gilberto Nonato, um dos principais fundadores do bloco, as Filhas de Gandhy ficaram de 1993 até 2000 sem desfilar no Carnaval. Personalidades brasileiras e estrangeiras já acompanharam o desfile da agremiação, como a atriz Zezé Mota e a ex-reitora da Universidade Estadual da Bahia, Ivete Sacramento. Em 2008, mais de 1.000 mulheres desfilaram no bloco. AÇÕES SOCIAIS Oferece cursos de turismo, voltados para jovens residentes no Pelourinho. Também oferece aulas de percussão e capacitação em informática para crianças e adultos. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Glicéria Vasconcelos

42

CONTATOS (71) 3362-3356 / (71) 3321-3541 / (71) 3481-4148 (71) 9127-6436 / filhasdegandhy@aol.com

FILHAS DE GANDHY SOCIAL ACTIVITIES: The group offers tourism courses aimed at young residents in Pelourinho. It also offers percussion classes and IT training for children and adults. / OF INTEREST: With the death of Gilberto Nonato, one of the group’s main founders, Filhas de Gandhy did not participate in the Carnival between 1993 and 2000. Brazilian and foreign personalities have already accompanied the group’s parade, such as actress Zezé Mota and the exvice chancellor of the Federal University of Bahia, Ivete Sacramento. More than 1,000 women paraded in the group in 2008. / HISTORY: The group was created following a discussion that lasted for several years regarding the desire of wives and daughters of Filhos de Gandhy group members, which is exclusively male, to parade in Carnival. This possibility only became a fact at the end of the 1970s when the then Filhos de Gandhy president, Djalma Passos, invited Gilberto Nonato and Glicéria Vasconcelos to create a female group.

43


Filhas d’Oxum ANO DE FUNDAÇÃO 23/08/1991

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Afoxé Filhas d’Oxum

HISTÓRICO A idéia de criação do bloco surgiu a partir de uma promessa feita pelo casal de fundadores. A mulher fez uma promessa a Oxum: se tudo corresse bem com o parto de sua filha, ela iria prestar uma homenagem à orixá. O pai, na época presidente do Filhos de Gandhy, decidiu chamá-la de Stela, em homenagem à estrela d’alva, que tinha um brilho especial na noite de nascimento da criança. No ano seguinte, os pais de Stela homenagearam Oxum com a criação do bloco Filhas D’Oxum.

ENDEREÇO Rua Padre Luís Filgueira, nº 171, Condomínio Caravelas, Bloco M, nº 201, Engenho Velho de Brotas.

CURIOSIDADES Todos os anos, o bloco realiza no mês de janeiro o concurso da Rainha do Ouro, em homenagem a Oxum. AÇÕES SOCIAIS Cursos de artesanato, culinária, silk screeen, percussão e dança. LOJA Loja Pérola Negra , R. Marechal Floriano, nº 28, loja 01, Canela. PRESIDENTE Dalvadísio Fonseca de Melo

CONTATOS (71) 9121-0641 / (71) 3247-4901 / (71) 3328-3204 dal_tigremelo@hotmail.com / filhasdoxum@hotmail.com

FILHAS D’OXUM SOCIAL ACTIVITIES: Crafts, cookery, silk screen, percussion and dance workshops. / OF INTEREST: The group holds a competition for the Golden Queen every year during January, in tribute to Oxum. / HISTORY: The idea to create the group arose following a promise made by a founding couple. The woman made a promise to Oxum: if everything went well with the birth of her daughter, she would pay homage to the orixá. The father, who was the Filhos de Gandhy president at the time, promised to call her Stela, in tribute to Venus, which had a special shine during the night that the child was born. Stela’s parents paid tribute to Oxum the following year by creating the group Filhas D’Oxum.

45

44 Foto - Divulgação


GANGAZUMBA ANO DE FUNDAÇÃO 01/05/1992

ENDEREÇO Rua do Jenipapeiro, nº 49 E, Quilombo da Mata Escura.

HISTÓRICO O Ganga Zumba iniciou suas atividades como bloco afro e mais tarde se tornou um afoxé, por sua forte ligação com os terreiros de candomblé. Com o passar dos anos a instituição passou a realizar atividades sócio-educativas na comunidade do bairro da Mata Escura.

CONTATOS (71) 3239-3458 / (71) 9907-7231 / (71) 9204-5988 afoxegangazumba@bol.com.br / http://br.geocities.com afoxe.gangazumba/index.html

CURIOSIDADES Ganga Zumba foi o primeiro líder do Quilombo dos Palmares, em Alagoas. O nome tem origem banto e significa “Grande Senhor”. O bloco já fez um intercâmbio cultural com Angola (2007) e uma turnê na Argentina (2004). AÇÕES SOCIAIS Oficinas de dança, música, percussão, corte e costura afro e teatro; seminários sobre a história dos povos negros. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Maria Rosa Santos Silva

GANGAZUMBA SOCIAL ACTIVITIES: Dance, music, percussion, pattern cutting and sewing and theatre workshops; seminars on the history of black peoples. / OF INTEREST: Ganga Zumba was the first Quilombo dos Palmares leader (a community organized by runaway slaves) in Alagoas. The name is of Bantu origin and means “Great Lord”. The group has already carried out a cultural exchange with Angola (2007) and toured Argentina (2004). / HISTORY: Ganga Zumba began their activities as an Afro group but later became an afoxé due to its strong connection with Candomblé terreiros. The institutions started to carry out socio-educational activities in the community of the Mata Escura neighbourhood as time passed.

RAZÃO SOCIAL Associaçao Cultural e Carnavalesca Afoxé Gangazumba

47

46 Foto - Taiane Oliveira


Foto - Divulgação

KORIN-EFAN ANO DE FUNDAÇÃO 09/09/1992

PRESIDENTE Balguete Crisóstomo dos Santos

HISTÓRICO O bloco surgiu no Terreiro do Bogum, em 1985. Com o falecimento de sua fundadora, ficou seis anos sem desfilar. Em 1991, sua sede foi transferida para o Centro Histórico.

RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa Cultural e Carnavalesca Afoxé Korin-Efan

CURIOSIDADES O abadá do bloco é trocado por quatro latas de leite, posteriormente doadas ao Abrigo Dom Pedro II, que cuida de idosos.

CONTATO (71) 8831-4620

AÇÕES SOCIAIS Cursos de capoeira e dança afro. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco.

48

ENDEREÇO Rua do Passo, nº 26, Centro Histórico.

KORIN-EFAN SOCIAL ACTIVITIES: Capoeira and Afro dance courses. / OF INTEREST: The group’s carnival costume is exchanged for four tins of powdered milk, which is later given to the Dom Pedro II Shelter that looks after the elderly. / HISTORY: The group arose in the Bogum terreiro in 1985. Following the death of its founder, the group did not participate in Carnival for six years. Its head office was transferred to the Historic Centre in 1991.

49


FILHOS DE OGUN DE RONDA

ARCA DE ZAMBI ANO DE FUNDAÇÃO 04/01/1994

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural e Carnavalesca Arca de Zambi

ANO DE FUNDAÇÃO 07/03/2001

HISTÓRICO Inicialmente já existia na comunidade o Grupo Cultural Arca de Zambi, então os dirigentes do grupo resolveram levar as pessoas da comunidade para brincar o Carnaval, por isso eles registraram a entidade como uma associação carnavalesca. Para o desfile são distribuídas gratuitamente 700 fantasias para a comunidade.

ENDEREÇO Vila Antônio Balbino, quadra 03, nº 50. IAPI.

HISTÓRICO O afoxé só desfilou no Carnaval após dois anos de fundado. O primeiro desfile apresentou o tema “Parque São Bartolomeu”, escolhido com o objetivo de valorizar a cultura negra, que tem no parque um local de grande importância histórica.

CURIOSIDADES Durante um festival de música, um samba cantado pelo bloco tinha um refrão que dizia: “Cadê a pamonha? Tá na mão de Guará! Cadê a pamonha? Tá na mão de Guará!”. A polícia entendeu que o tal do Guará estava portando maconha e foi em busca dele para prendê-lo. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de dança, capoeira, informática, artesanato e música. LOCAL DE ENSAIOS Mercado de Santa Bárbara. PRESIDENTE Degalde Ciriaco da Silva

50

CONTATO (71) 9237-1850

arca de zambi [Arc of Zambi] – CURIOSITIES: During a music festival, a samba, sung by the group, had a saying as follows: “Where is the pamonha [green corn past/husks concoction]? It is in the hands of Guará! Where is the pamonha? It is in the hands of Guará!”. The police understood that such fellow called Guará was carrying marijuana and looked for him in order to arrest him. / HISTORICAL DATA: Initially, the Arca de Zambi Cultural Group already existed in the community, later on, the leaders of the group decided to carry the people of the community to amuse themselves at the Carnival and because of that they registered the entity as a carnivalesque association. 700 fantasy dresses are distributed, free-ofcharge, to be used at the parade.

CURIOSIDADES O grêmio comunitário Cultural e Carnavalesco Afoxé Filhos de Ogun de Ronda é ligado as tradições banto (Angola) e desenvolve trabalhos com crianças e idosos. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de percussão e dança afro. LOCAL DE ENSAIOS Rua do Passo e Praça Jubiabá, Centro Histórico. PRESIDENTE Valdeci Teixeira Barbosa

RAZÃO SOCIAL Grêmio Comunitário Cultural e Carnavalesco Afoxé Filhos de Ogun de Ronda ENDEREÇO Av. Carvalho, 42, São João do Cabrito (matriz), Rua Muniz Travasso, nº 298, Alto de Coutos (filial). CONTATOS (71) 9923-7949 / (71) 9613-7760 / (71) 9614-8220 afoxeforv@yahoo.com.br

FILHOS DE OGUN DE RONDA SOCIAL ACTIVITIES: Percussion and Afro dance workshops. OF INTEREST: The Cultural and Carnival Filhos de Ogun de Ronda Afoxé Community Association is connected to Bantu traditions (Angola) and develops work with children and the elderly. / HISTORY: The afoxé only took part in Carnival two years after it was founded. The first parade presented the theme “The São Bartolomeu Park”, chosen with the objective of giving value to black culture and is also a location of great historic importance.

51


PRESidENTE Jorge Rocha Ribeira (Bob Baiano)

HiSTÓRiCO A idéia de fundar o bloco surgiu a partir das experiências do fundador, Bob Baiano, com os movimentos de luta pelos direitos da mulher em países como França, Estados unidos e Alemanha. Marcado pelo falecimento prematuro da sua mãe, que criou oito filhos e foi vítima de uma doença por falta de acesso à informação, ele decidiu apoiar a causa dos direitos da mulher em Salvador.

RAZãO SOCiAL Grêmio Comunitário Cultural e Carnavalesco Filhas de Olorum

CuRiOSidAdES Em 2005, o afoxé participou do Carnaval da cidade de Nice, na França. No ano seguinte, as Filhas de Olorum foram convidadas para participar do Carnaval de Notting Hill, em Londres, apresentando-se com grupos de Trindade (África). A escolha da data de fundação foi para homenagear o Dia da Consciência Negra. AÇÕES SOCiAiS Promove o incentivo à leitura através do Movimento de Ocupação Cultural dos Poetas e Poetisas, que realiza, às terças-feiras, um recital na Praça da Piedade aberto à população. Também oferece aulas de francês e inglês à comunidade do Pelourinho. LOCAL dE ENSAiOS Praça Jubiabá (Pelourinho)

52

ENdEREÇO Rua do Passo, nº 12, Edf. Orion, térreo, Pelourinho. CONTATOS (71) 3326-7143 / (71) 8152-0726 bob.baiano@yahoo.com.br

fILhAS DE OLORUM SOCIAL ACTIVITIES: The group promotes people’s interest in reading through the Cultural Occupation of Poets and Poetesses Movement, which holds a recital in Piedade Square on Tuesdays, open to the public. It also offers French and English classes to the community in Pelourinho. OF INTEREST: The afoxé took part in Carnival in the city of Nice, France in 2005. Filhas de Olorum were invited to take part in the Notting Hill Carnival in London the following year, playing with groups from Trinidad (Caribbean). The choice of foundation date was to pay tribute to Black Consciousness Day. / HISTORY: The idea of founding the group arose from the experiences of founder, Bob Baiano, with movements that fight for women’s rights in countries such as France, the United States and Germany. Marked by his mother’s premature death, who had brought up eight children and was victim of an illness due to lack of access to information, he decided to support the cause of women’s rights in Salvador.

Foto - Divulgação

ANO dE FuNdAÇãO 20/11/1998

FiLHA

FiLHAS dE OLORuM

dE OLORu 53


BLOCO IJEXÁ DA BAHIA ANO DE FUNDAÇÃO 28/08/2001

RAZÃO SOCIAL Bloco Ijexá da Bahia

HISTÓRICO Na década de 80, o cantor e compositor Germano Cruz criou o Afoxé Rum Py Lé, que desfilou durante alguns anos no Carnaval e foi extinto em 1984. Mas os fundadores não desistiram do afoxé e continuaram com as apresentações da Banda Ijexá durante a década de 1990, apresentando ritmos como o samba chula, o samba da roça, a puxada de rede, a dança dos orixás e os atabaques sagrados. Em 2000, a banda lançou o CD “Ijexá da Bahia”, fazendo apresentações em diversos lugares, como Praia do Forte, Sauípe e Candeal. Após participar dos desfiles carnavalescos de outros blocos, em 2007 o bloco Ijexá da Bahia fez seu primeiro desfile no Carnaval.

ENDEREÇO Rua Manoel Bonfim, nº 33, Engenho Velho da Federação.

CURIOSIDADES Ijexá é uma tribo africana cujos membros se marcam com três cortes no rosto. Na comunidade do candomblé de Salvador, o ijexá é um ritmo musical executado durante os cultos, sendo possivelmente a matriz rítmica do próprio samba. O bloco apresentou no Carnaval de 2008 um novo instrumento chamado “agogô rum-py-lê”, que já foi introduzido em shows de artistas como Carlinhos Brown. AÇÕES SOCIAIS Aula de percussão. LOJA Mercado das Artes, Piatã. PRESIDENTE Antônia Genaildes de Jesus

54

CONTATOS (71) 3334-4466 / (71) 8759-7444 / (71) 8800-5993 / ijexadabahia@gmail.com

BLOCO IJEXÁ DA BAHIA SOCIAL ACTIVITIES: Percussion classes. / OF INTEREST: Ijexá is an African tribe whose members are marked by three cuts on the face. Ijexá is a musical rhythm carried out during worship at the Salvador Candomblé community, possibly being the rhythmic origin to samba. The group presented a new instrument called the “agogô rum-py-lê” during the 2008 Carnival, which had already been introduced at shows by artists such as Carlinhos Brown. / HISTORY: Singer and composer Germano Cruz created the Rum Py Lé Afoxé in the 1980s, which paraded in Carnival for several years and closed down in 1984. However the founders did not give up on afoxé and continued with presentations by the Ijexá Band during the 1990s, playing rhythms such as samba chula, samba da roça, puxada de rede, orixás’ dance and the sacred atabaques. The band launched the “Ijexá da Bahia” CD in 2000, giving presentations at various locations such as Praia do Forte, Sauípe and Candeal. After taking part in Carnival parades of other groups, the Ijexá da Bahia group had its first parade in the 2007 Carnival.

55


LUAÊ

FILHOS DO KORIN EFAN

ANO DE FUNDAÇÃO 15/02/2002

RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa Cultural e Carnavalesca Afoxé Luaê

ANO DE FUNDAÇÃO 25/05/2002

RAZÃO SOCIAL Sociedade Carnavalesca e Cultural Filhos do Korin Efan

HISTÓRICO O bloco surgiu a partir da iniciativa de ex-integrantes do Afoxé Monte Negro, que decidiram montar uma nova entidade carnavalesca.

ENDEREÇO Travessa Rodrigues, Castro Alves, nº 18, Engenho Velho de Brotas.

HISTÓRICO Com origem no antigo Afoxé Korin Efan, o bloco surgiu com a idéia de representar a cultura africana e desenvolver atividades que possibilitem à comunidade do candomblé um momento de lazer e diversão.

ENDEREÇO Ladeira do Passo, nº 26, Centro Histórico.

CURIOSIDADES O nome é uma “contração” do nome do orixá Obaluaê. Em 2003, o Luaê desfilou com o tema “Bahia das Baianas” e ganhou o terceiro lugar como melhor afoxé. AÇÕES SOCIAIS Aulas de capoeira e dança gratuitas para a comunidade. LOCAL DE ENSAIOS Na Sede e no Parque Solar Boa Vista (Brotas). PRESIDENTE Helenildo Pires Gomes

CONTATOS (71) 8828-4158 / (71) 9159-2034.

LUAÊ SOCIAL ACTIVITIES: Free capoeira and dance classes for the community. OF INTEREST: The name is an abbreviation of the name of the orixá Obaluaiê. Luaê paraded with the theme “Bahia of the Bahians” in 2003 and won third place for the best afoxé. HISTORY: The group arose from an initiative from ex-members of the Monte Negro Afoxé, who decided to set up a new Carnival organization.

CURIOSIDADES No seu primeiro desfile, em 2003, o bloco foi campeão do Carnaval. AÇÕES SOCIAIS O bloco oferece aulas de dança, percussão e canto para jovens, promove festivais de poesia e música e também acolhe as atividades do Núcleo de Direitos Humanos do Instituto Cultural Steve Biko. Participa do Movimento de Intercâmbio Artístico Cultural pela Cidadania. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Erenilton Bispo dos Santos

56

CONTATOS (71) 3242-8147 / (71) 8773-7529 / (71) 8775-8183 (71) 3321-1023 / sociedadecarnavalesca@gmail.com

FILHOS DO KORIN EFAN SOCIAL ACTIVITIES: The group offers dance, percussion and singing classes to young people, promotes poetry and music festivals and also is home to the Steve Biko Cultural Institute Human Rights Centre’s activities. It also participates in the Cultural Artistic Exchange for Citizenship Movement. / OF INTEREST: The group was nominated Carnival champion in their first parade in 2003. / HISTORY: Originating from the old Afoxé Korin Efan, the group appeared with the idea of representing African culture and developing activities that allows the Candomblé community a time for leisure and enjoyment.

57


KAMBALAGWANZE ANO DE FUNDAÇÃO 25/02/2002

ENDEREÇO Rua Aristides Ático, nº 68, 1º andar, Barbalho.

HISTÓRICO Um grupo de parentes e amigos identificados com os mesmos interesses culturais se reuniu para representar a população negra do bairro do Barbalho no Carnaval.

CONTATOS (71) 3382-8266 / (71) 8112-7287 / (71) 8849-9082

CURIOSIDADES Promove todos os anos o Amalá de Kambalagwze, evento sem data fixa, ligado à religiosidade de matriz africana.

KAMBALAGWANZE

PRESIDENTE Iracema Neves RAZÃO SOCIAL Associação Cultural e Carnavalesca Afoxé Kambalagwanze

OF INTEREST: Promotes the Amalá of Kambalagwze every year, an event which does not have a fixed date and is connected to religiosity of African origins. / HISTORY: A group of relatives and friends brought together by the same cultural interests to represent the black population in the neighbourhood of Barbalho during Carnival.

59

58 Foto - Divulgação


OS SACERDOTES ANO DE FUNDAÇÃO 13/01/2003

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Os Sacerdotes

ANO DE FUNDAÇÃO 20/03/2003

RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa e Cultural Afoxé Dança Bahia

HISTÓRICO O bloco foi fundado por membros de diversos terreiros da cidade de Salvador, com o intuito de preservar os símbolos sagrados do candomblé (como roupas e adereços que representam os orixás) e divulgar a religião afro-brasileira. O bloco tem uma ala de dança afro, outra de ogans e ekedes (auxiliares dos pais e mães-de-santo) e outra ala de sacerdotes (pais e mães de santo).

ENDEREÇO Rua Porta do Carmo, nº 39, 1º andar, Pelourinho.

HISTÓRICO O Grupo Cultural Dança Bahia surgiu com o objetivo de desenvolver um trabalho sócio-cultural e educacional em parceria com associações comunitárias. Após 19 anos de existência do grupo, seus diretores resolveram resgatar e valorizar a cultura afoxé e as heranças africanas no Carnaval, surgindo então a Associação Recreativa e Cultural Afoxé Dança Bahia.

ENDEREÇO Rua Santo Antônio, nº 31, 2º andar, Macaúbas.

CURIOSIDADES O bloco reúne cerca de 800 sacerdotes do candomblé. O primeiro desfile do bloco, em 2003, teve a participação da comunidade dos adevotos afrobrasileiros de Salvador. Já no segundo ano de desfile, houve a participação de adevotos de outros estados, como Amazonas, São Paulo e Rio de Janeiro. AÇÕES SOCIAIS Cursos de percussão, capoeira, dança e informática. LOJA Na sede do bloco. LOCAL DE ENSAIOS Salão Cultural (Areia Branca). PRESIDENTE Aristides Mascarenhas

60

DANÇA BAHIA

CONTATOS (71) 9908-5618 / 3321-1548 / (71) 3492-5070 (71) 3316-3303 / paiaristides@hotmail.com

OS SACERDOTES SOCIAL ACTIVITIES: Courses in percussion, capoeira, dance and IT. / OF INTEREST: The group brings together about 800 Candomblé devotees. In 2003 the group’s first parade included participants from the Salvador Candomblé community. Candomblé devotees from a variety of other states, such as Amazonas, São Paulo and Rio de Janeiro took part in its second year. / HISTORY: The group was founded by Candomblé devotees from a variety of terreiros in the city of Salvador with the aim of preserving the sacred symbols of Candomblé (such as clothes and figures which represent the orixás or gods) and to promote this Afro-Brazilian religion. The group has a section for Afro dance, another for ogans and ekedes (assistants to the priests and priestesses) and another for the priests and priestesses themselves.

CURIOSIDADES Todo ano, turistas de diversos países da Europa e de outros continentes vêm participar do desfile do Dança Bahia no Carnaval de Salvador. A maioria das pessoas que participam do desfile do Dança Bahia também fazem parte das ações desenvolvidas pelo bloco nas comunidades. Em 2008, promoveu a 2ª Lavagem Cultural do bairro da Palestina, com várias atrações, como o grupo Raízes do Partido e a banda Tambores e Cores. AÇÕES SOCIAIS O afoxé realiza aulas de dança, capoeira, percussão, música, penteado afro e teatro, em comunidades como Macaúbas e Pelourinho. PRESIDENTE Nilton Mário de Souza Silva

CONTATOS (71) 3243-9960 / (71) 9151-9576 / (71) 8708-0849 mastremacumba@hotmail.com

DANÇA BAHIA SOCIAL ACTIVITIES: The afoxé carries out dance, capoeira, percussion, music, Afro hairstyles and theatre classes in communities like Macaúbas and Pelourinho. / OF INTEREST: Tourists from various European countries and other continents come to take part in Dança Bahia’s parade at the Salvador Carnival each year. The majority of people that participate in the parade also join community activities developed by the group. It promoted the 2nd Cultural Lavagem (ritual cleaning) of the Palestina district in 2008, with various attractions such as the group Raízes do Partido and band Tambores e Cores. / HISTORY: The Dança Bahia Cultural Group arose with the objective of developing socio-cultural work in partnership with community associations. Nineteen years after the group formed, its directors decided to rescue and give value to afoxé culture and African heritage in Carnival and so the Dança Bahia Recreational and Cultural Afoxé Association was created.

61


BAHIA EM CENA ANO DE FUNDAÇÃO 01/09/2003

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural, Beneficente e Carnavalesca Bahia em Cena

HISTÓRICO Desde que foi idealizado, em 1999, o bloco foca suas iniciativas em projetos de arte-educação. Aldo Sá, fundador e presidente da associação Carnavalesca, teve a ideia de fundar o bloco após passar uma temporada na Alemanha com o projeto Orixás do Brasil, que apresentava shows folclóricos sobre a cultura afrobrasileira. Ao retornar ao Brasil, Sá contou com apoio de diversas associações comunitárias para fundar o Bahia em Cena.

ENDEREÇO Rua José Gonçalves, nº 46, Sala 301, Viaduto da Sé, Centro Histórico.

AÇÕES SOCIAIS Oficinas de Capoeira, Dança, Teatro, Grafite e Pintura, Figurinos e Adereços, Habilidades Manuais e Cidadania. LOCAL DE ENSAIOS Rua Gregório de Mattos, nº 38, Pelourinho. PRESIDENTE Aderaldo da Cunha Sá

62

BAHIA EM CENA [Bahia region at the stage] - SOCIAL ACTIONS: Workshops on Capoiera [Brazilian fighting dance] , Dancing, Theater, Graphite Drawing and Painting, Fops and Decorations, Manual Abilities and Citizenship. / CURIOSITIES: The block performs activities of artistic inclusion at public schools as a way of pushing the young people to express themselves in the arts. / HISTORICAL DATA: As from the time when it was idealized, in 1999, the group focuses its initiatives on art-education projects. Aldo Sá, founder and president of the carnivalesque association, had the initiative of organizing the block after staying for a season in Germany with the Orixás do Brasil [Head/Light Lords of Brazil] project that presented folkloric shows about the Afro-Brazilian culture. Upon returning to Brazil, Sá had the support of diverse communitarian associations in order to organize the Bahia em Cena block.

Foto - Divulgação

CURIOSIDADES O bloco desenvolve atividades de inclusão artística em escolas públicas tendo a arte como expressão artística dos jovens.

CONTATOS (71) 8809-9543 / aldosa@bol.com.br afoxebahiaemcena@bol.com.br

63


FiLHOS dE OMOLÚ ANO dE FuNdAÇãO 23/04/2007

RAZãO SOCiAL Grêmio Comunitário Cultural Carnavalesco Filhos de Omolú

HiSTÓRiCO As iabás e babalorixás do terreiro Ilê Axé Filho de Ogum da comunidade do Lobato se reuniram com a comunidade e decidiram levar o candomblé para desfilar no Carnaval. O bloco se volta para políticas afirmativas, de resgate e valorização da cultura afro-baiana.

ENdEREÇO Rua Afrânio Peixoto, nº 460, Lobato.

CuRiOSidAdES O ano de 2008 foi o primeiro de desfile do bloco, que começou a ser organizado em 2007. AÇÕES SOCiAiS Aulas de reforço escolar para crianças e adolescentes. LOCAL dE ENSAiOS Mercado Santa Bárbara (Cabula VI).

CONTATOS (71) 8772-8684 / (71) 8740-2242 / (71) 9172-6521 afoxefilhosdeomolu@yahoo.com.br

fILhOS DE OMOLÚ SOCIAL ACTIVITIES: Extra school assistance classes for children and teenagers. OF INTEREST: The group’s first parade was in 2008, which first started to be organized in 2007. / HISTORY: Iabás and babalorixás from the Ilê Axé Filho de Ogum terreiro in the Lobato community met up with the community and decided to take Candomblé to parade during Carnival. The group’s interest is in affirmative policies to rescue and give value to AfroBahian culture.

Foto - Divulgação

PRESidENTE Francisco Cruz

FiLHOS dE OMOLÚ

64

FiLHOS dE OMOL 65


TEMPLO DOS ORIXÁS

FILHOS DE NANÃ ANO DE FUNDAÇÃO 26/04/2007

RAZÃO SOCIAL Grêmio Comunitário Cultural e Carnavalesco Filhos de Nanã

ANO DE FUNDAÇÃO 20/11/2008

RAZÃO SOCIAL Associação Comunitária e Carnavalesca Templo dos Orixás

HISTÓRICO O Filhos de Nanã surgiu como uma forma de homenagear a mais antiga das orixás, Nanã, a única que ainda não era homenageada pelos blocos de afoxé do Carnaval de Salvador. O bloco é fruto da união de grupos de dança, filhos de santo, produtores culturais, professores, artistas e agentes da cultura, com o objetivo de valorizar todas as formas de expressão cultural e estimular a auto-estima e cidadania do povo negro. Desfilou pela primeira vez em 2008.

ENDEREÇO Rua da Mangueira, nº 23, Alto do Coqueirinho, Itapuã.

HISTÓRICO O bloco surgiu de uma associação comunitária que se chamava “As Yabás”, que foi criado por um grupo de líderes comunitárias que tinham o objetivo de amparar as crianças da comunidade que se encontravam em situação de risco. Em 2007, foi decidido trocar o nome da entidade e por votação o nome escolhido foi “Templo dos Orixás”, porém, só conseguiram efetivar a mudança juridicamente no final de 2009.

ENDEREÇO Rua Sacramentina, n.º 80, Dom Avelar.

CURIOSIDADES O nome do bloco se deve a Nanã, considerada a avó de todos os orixás do candomblé. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de capoeira e dança afro. PRESIDENTE Maria de Lourdes Melo Barbosa

CONTATOS (71) 8888-1645 / afoxefilhosdenana@yahoo.com.br

FILHOS DE NANÃ SOCIAL ACTIVITIES: Capoeira and Afro dance workshops. / OF INTEREST: The group’s name is due to Nanã, considered the grandmother of all the Candomblé orixás. / HISTORY: Filhos de Nanã appeared as a way of paying tribute to the oldest of the orixás, Nanã, the only one that had still not received a tribute from the Salvador Carnival afoxé groups. The association is a result of a union of dance groups, filhos de santo, cultural producers, teachers, artists and cultural agents, with the objective of giving value to all forms of cultural expression and encouraging self-esteem and citizenship among the AfroBrazilian population. It paraded for the first time in 2008.

CURIOSIDADES Em 2010, será a primeira participação do bloco no Carnaval de Salvador, o tema do desfile será “Dique do Tororó - Morada dos Orixás”. AÇÕES SOCIAIS Há sete anos a associação oferece cursos de música, costura, percussão, inglês e dança para os jovens da comunidade. LOCAL DE ENSAIOS Sede do bloco. PRESIDENTE Ederilda Almeida Santos

66

CONTATOS (71) 3246-8826 / (71) 8868-9278

TEMPLO DOS ORIXÁS [Temple of the Orixás] [Temple of the Head/ Light Lords] - SOCIAL ACTIONS: Since seven years ago, the Association offers courses on music, sewing, percussion, English and dance for the young people of the community. / CURIOSITIES: The year 2010 will be the first participation of the block in the Salvador Carnival, the theme of the parade will be “Dique do Tororó - Morada dos Orixás” [Idle Talk Dam - Dwelling of the Light/Head Lords] / HISTORICAL DATA: The block started on the basis of a communitarian association that was called “As Yabás” [Goddesses of the Candomblé], which was created by a team of lady, communitarian leaders who had the purpose of providing shelter to the children of the community who were homeless. In 2007, it was decided to change the name of the entity and, by voting, the selected name was “Templo dos Orixás” [Temple of the Head/Light Lords], however, the juridical amendment was made effective just at the end of 2009.

67


I

nspirados nos índios norte-americanos e com forte influência na cultura cinematográfica ianque e seus filmes de faroeste, os Blocos de Índio surgiram por volta da década de 1960 e costumavam sair às ruas durante o Carnaval ao som da bateria de percussão e com figurino repleto de referências indígenas. Essas entidades receberam nomes inspirados em povos indígenas da América do Norte, como Apaches do Tororó e Commanches do Pelô, e do Brasil, como os Tupis e Guaranis. Além do figurino indígena, outra característica destes blocos é a musicalidade, fortemente marcada por ex-integrantes das baterias das escolas de samba de Salvador que migraram para os Blocos de Índio. Apesar do desaparecimento de muitos blocos frente às dificuldades financeiras e da perda de parte da identidade original, os blocos de índio têm passado, atualmente por um processo de modernização, incluindo elementos como os abadás e os trios elétricos em seus desfiles.

68

NATIVE INDIAN Inspired by the North-American indians and with a strong influence from Yankee cinematographic culture with its far-west films, the Native Indian groups appeared in the 1960s and used to go out in the streets during Carnival to the sound of drumming and with costumes replete with indigenous references. These organizations acquired names inspired by the indigenous people of North America, with the Apaches do Tororó and Commanches do Pelô and from Brazil with the Tupis and Guaranis. Apart from the indigenous costumes, another of their characteristics is the musicality, which is strongly marked by ex-members of Salvador samba schools that migrated to the Native Indian groups. Despite the disappearance of many organizations after facing financial difficulties and partial loss of their original identity, the Native Indian groups are currently going through a modernization process, including items such as carnival shirts and trios elétricos (sound trucks) in their parades.

69


APACHES DO TORORÓ ANO DE FUNDAÇÃO 28/10/1968

RAZÃO SOCIAL Clube Carnavalesco Apaches do Tororó

HISTÓRICO O bloco Apaches nasceu de uma brincadeira de amigos do bairro do Tororó e se firmou como uma organização popular na defesa dos valores afro-indígenas. Após sua fundação, outros blocos de índio apareceram no Carnaval de Salvador.

ENDEREÇO Av. Presidente Costa e Silva, nº 14, Praça do Folclore (Dique do Tororó).

CURIOSIDADES O Apaches do Tororó foi o primeiro bloco do Carnaval baiano a homenagear os índios. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Adelmo Costa

CONTATOS (71) 8172-9125 / adelmoapaxes@hotmail.com

APACHES DO TORORÓ OF INTEREST: The Apaches do Tororó was the first Bahian Carnival group to pay tribute to Native Indians. / HISTORY: The Apaches group was created from a joke between friends in the Tororó neighbourhood and was established as a popular organizations in defense of Afroindigenous values. Other Native Indian groups appeared in the Salvador Carnival following their foundation.

Foto - Taiane Oliveira

70

71


COMMANCHE ANO DE FUNDAÇÃO 26/05/1974 HISTÓRICO Apesar de não ser o mais antigo dos Blocos de Índio, o Commanche do Pelô é símbolo de perseverança do gênero. Desde o ano de sua fundação, o Commanche tem como objetivo principal homenagear o índio brasileiro, com suas crenças, costumes e lendas. O Commanche do Pelô conquistou sete títulos no Carnaval, sendo o mais recente com o tema “Pelô de todas as tribos”, que contou a história do Pelourinho. CURIOSIDADES O músico Gilberto Gil, (então Ministro da Cultura), prestou ao bloco em 2007. No Carnaval de 2009, foram completados 35 anos de desfiles do Commanche no Carnaval baiano. Os “commancheiros” são embalados pelo som de uma banda de percussão. AÇÕES SOCIAIS Cursos de artesanato, dança, percussão e canto. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Jorge Rodrigues da Silva

RAZÃO SOCIAL Grupo Cultural Recreativo e Beneficente Commanche do Pelô ENDEREÇO Praça José de Alencar, nº 7, subsolo, Pelourinho. CONTATOS (71) 3326-6418 / (71) 3323-0864 / (71) 8147-7233 (71) 9132-6154 / grupocommanche@gmail.com

COMMANCHE SOCIAL ACTIVITIES - Craft, dance, percussion and singing courses. / OF INTEREST: The tribute that musician Gilberto Gil (the then Minister of Culture) paid to the group in 2007. The Commanche group will parade for the 35th time during the Bahian Carnival in 2009. The “commancheiros” are driven along by the rhythms of a percussion band. / HISTORY: Despite not being the oldest Native Indian group, the Commanche do Pelô are a symbol perseverance by this genre. The Commanche’s main objective since their foundation in 1974, is to pay tribute to the Brazilian Indians, with their beliefs, customs and legends. The Commanche do Pelô have won seven Carnival titles, with the most recent theme being “Pelô de todas as tribos” (Pelô for all tribes), which told the history of Pelourinho.

73

72 Foto - Divulgação


uNivERSO vERdE Foto - Divulgação

RAZãO SOCiAL Associação Nacional universo Verde ENdEREÇO Rua General Andrea, nº 45, Calçada. CONTATOS ((71) 8781-1042 / (71) 8193-8585 / (71) 3256-2386 gagodasplantas@ibest.com.br

ANO dE FuNdAÇãO 17/02/2004 HiSTÓRiCO O bloco surgiu a partir de uma atividade anual desenvolvida pela Associação universo Verde, fundada em 2003, com foco na preservação do meio ambiente. Todos os anos, a Caminhada Ecológica, que sai do bairro de Mares em direção à Igreja do Bomfim, era animada pela banda universo Verde, que acabou dando nome ao bloco carnavalesco. CuRiOSidAdES Em 2005, foi realizado o primeiro evento do projeto Praia Linda, na praia de Cantagalo, na Península de Itapagipe, onde foram coletados mais de 800 kg de lixo na areia. Em

74

UNIvERSO vERDE SOCIAL ACTIVITIES: The group develops the Praia Linda (Beautiful Beach) project, which carries out collective rubbish collection activities on Salvador beaches and on Itaparica island. / OF INTEREST: The first project event was carried out in 2005 at Cantagalo beach on the Itapagipe Peninsula where more than 800kg of rubbish was collected in the sand. The project went to Mar Grande, on Itaparica island in 2008, where two dustcarts of rubbish were collected on the beaches. The group’s founder is a pajé (medicine man) from the kiriri tribe. / HISTORY: The group appeared from an annual activity developed by the Universo Verde Association, founded in 2003, with their focus on preserving the environment. An Ecological Walk which leaves from the Mares neighbourhood towards the Bomfim church was livened up by the Universo Verde band every year, which finally gave the Carnival group its name.

2008, o projeto foi para Mar Grande, na Ilha de Itaparica, onde foram recolhidos dois caminhões de lixo nas praias. O fundador do bloco é pajé da tribo kiriri. AÇÕES SOCiAiS O bloco desenvolve o projeto Praia Linda, que realiza mutirões de coleta de lixo das praias de Salvador e da Ilha de Itaparica. LOCAL dE ENSAiOS Na sede do bloco. PRESidENTE José Jorge Gomes do Santos

75


S

76

e por um lado as elites baianas desfrutavam o Carnaval em clubes reservados como o Fantoches da Euterpe e o Clube Carnavalesco Cruz Vermelha, as classes populares sempre encontraram formas de participação na festa. Os blocos afro são responsáveis pelo resgate da cultura africana e exibem, através da dança, da música e da indumentária, as contribuições das heranças negras para a formação da identidade brasileira. E trazem consigo um forte viés político: a luta contra o preconceito e o racismo. No ano de 1974, em plena ditadura militar, cria-se, no Curuzu, no bairro da Liberdade, maior contingente de afrodescendentes fora do continente africano, o Ilê Aiyê. A entidade nasce dando continuidade a uma tradição de formações populares, mas dessa vez com acentuado teor político. Desde a sua primeira apresentação, o bloco sentiu na pele a crueldade do preconceito. Setores da sociedade e até mesmo a imprensa local chegaram a tachar o Ilê de “bloco do racismo”. Em meio a um cenário de censura e repressões, o Ilê Aiyê teve a coragem de se auto-afirmar negro: “Somos crioulo doido, somos bem legal./ Temos cabelo duro, somos Black Power”. E, assim, abrir as portas para que outras entidades fossem formadas com objetivos semelhantes, ganhando reconhecimento internacional, como o Olodum. Hoje, as dezenas de blocos afro, oriundos de bairros populares como Liberdade, Engenho Velho da Federação, Itapuã, Engenho Velho de Brotas, Pirajá e Pelourinho, entre outros, enfrentam ainda dificuldades para desfilar no Carnaval soteropolitano e concorrer com as grandes estrelas do Axé Music. Entretanto, o próprio estilo musical que predomina no Carnaval é herdeiro do samba-reggae, ritmo que se tornou popular através do Mestre Neguinho do Samba e que possui origem nas músicas afro. Além do Carnaval, essas entidades atuam o ano inteiro, nas muitas atividades educativas e de formação profissional oferecidas para a população de bairros periféricos e a realização de atos como a Marcha da Liberdade, que acontece todos os anos, no Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro, em protesto contra a discriminação e o preconceito racial.

AFRO

If on one hand the Bahian elite enjoyed Carnival in

reserved spaces such as Fantoches da Euterpe and the Cruz Vermelha Carnival Clubs, comprising those from high society, the other classes always found ways of taking part in the festivities. The Afro groups are responsible for recovering African culture and display its contributions in forming a Brazilian identity, through dance, music and costumes. The Afro groups bring strong political ties with them: the fight against prejudice and racism in all of its forms, as well as affirming a black identity.

The Afro group Ilê Aiyê was created in Curuzu in the

Liberdade neighbourhood during the military dictatorship in 1974 and the largest percentage of Afro-descendants outside of the African continent is concentrated in this district. The organization was born to continue a tradition of popular formation but this time with a clear political content. Ilê Aiyê felt the cruelty of prejudice at first hand since their first presentation. Segments of society and even the local press came to brand Ilê as the “racism group”.

Amid a setting of censorship and repression, Ilê Aiyê had

the courage of black self-affirmation, going out into the streets singing songs that preached assertion of African identity and an anti-racial struggle (“Somos crioulo doido, somos bem legal./ Temos cabelo duro, somos Black Power” (literally “We are crazy Afro-Brazilians and are really cool/We have Afro hair and are Black Power”) and opening the doors so that other associations with similar objectives were formed. Organizations appeared that earned international recognition following Ilê, as is the case of Olodum.

Today the dozens of Afro groups originating in low-

income neighbourhoods such as Liberdade, Engenho Velho da Federação, Itapuã, Engenho Velho de Brotas, Pirajá and Pelourinho, among others, still face difficulties to participate in the Salvador Carnival and compete with the big stars of axé music. However, the musical style that prevails in Carnival inherits the samba-reggae rhythm that became popular through Master Neguinho do Samba and that has its origins in Afro-music. 77


Foto - Divulgação

ILÊ AIYÊ ANO DE FUNDAÇÃO 1/11/1974

PRESIDENTE Antonio Carlos dos Santos (Vovô)

HISTÓRICO Primeiro bloco afro fundado na Bahia, o Ilê Aiyê nasceu no Curuzu, Liberdade, e já foi premiado diversas vezes como o melhor bloco afro do Carnaval baiano. A discografia do Ilê Aiyê, batizada com o nome de “Canto Negro”, é composta por quatro discos. No CD “IV Canto Negro”, lançado em 1998 e produzido por Arto Lindsay, foram gravadas músicas que fizeram sucesso ao longo dos primeiros 25 anos do bloco. Pela Band’Aiyê já passaram grandes mestres da percussão baiana, como Mestre Bafo, Mestre Carneiro, Mestre Eron, Mestre Muçulmano, Mestre Valter, Neguinho do Samba, Mestre Senac, Mestre Prego, Ninha, Robertinho Alazarrô, Carlinhos Brown e Ademir. O Ilê Aiyê já se apresentou em inúmeros países, a exemplo de Angola, Benin, Estados Unidos, França, Itália, Alemanha, Dinamarca, Equador, Colômbia e Argentina.

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Bloco Carnavalesco Ilê Aiyê

CURIOSIDADES Ilê Aiyê significa “Casa dos Negros”. A Liberdade é o bairro de maior população negra do país: mais de 600 mil habitantes. AÇÕES SOCIAIS O bloco mantém um projeto de inserção pedagógica que contempla a escola de educação formal Mãe Hilda e a de educação infantil Banda Erê. Também oferece cursos profissionalizantes de assistente de cozinha, estética afro, informática, confecção de instrumentos e telemarkenting. LOCAL DE ENSAIOS Senzala do Barro Preto, Curuzu (Liberdade).

78

ENDEREÇO Rua Curuzu, nº 228, Liberdade. CONTATOS (71) 2103-3400 / (71) 9984-4969 / (71) 9988-0702 ileaiye@ileaiye.org.br / sandrotelles@hotmail.com

ILÊ AIYÊ SOCIAL ACTIVITIES: The group supports an educational insertion project that complements formal education at the Mãe Hilda school and children’s education group Banda Erê. It also offers professional courses for kitchen assistants, Afro aesthetics, IT, instrument making and telemarketing. / OF INTEREST: Ilê Aiyê means “House of Black people”. Liberdade is the neighbourhood with the highest black population in the country: more than 600,000 inhabitants. / HISTORY: The first Afro group founded in Bahia, Ilê Aiyê was created in Curuzu, Liberdade and has already received awards on numerous occasions as the best Bahian Carnival Afro group. Ilê Aiyê’s discography, baptized with the name “Canto Negro” comprises four discs. On the “IV Canto Negro” disc, launched in 1998 and produced by Arto Lindsay, songs that had been successful during the group’s first 25 years were recorded. Great percussion Masters have passed through Band’Aiyê such as Masters Bafo, Carneiro, Eron, Muçulmano, Valter, Senac and Prego, Neguinho do Samba, Ninha, Robertinho Alazarrô, Carlinhos Brown and Ademir. Ilê Aiyê have performed in numerous countries, including Angola, Benin, the United States, France, Italy, Germany, Denmark, Ecuador, Colombia and Argentina.

79


MUTUÊ ANO DE FUNDAÇÃO 20/07/1975

PRESIDENTE Maria José (Zezé) Barbosa.

HISTÓRICO Fundado em 20 de julho de 1975, o Bloco Afro Mutuê teve sua base inicial no bairro de Caixa D’Água, transferindose em 2007 para o bairro de Engenho Velho de Botas, onde passou a desenvolver atividades com crianças da comunidade.

RAZÃO SOCIAL Bloco Afro Mutuê

CURIOSIDADES “Mutuê” significa “cabeça” na língua africana banto. No Carnaval 2008, o bloco desfilou com o tema “Tempo de afoxé”, introduzindo em sua estrutura as alas mirins e proporcionando às crianças da comunidade a participação no Carnaval. AÇÕES SOCIAIS Oficina de percussão, dança afro e capoeira infanto-juvenil. LOCAL DE ENSAIOS Engenho Velho de Brotas e Arena do Solar Boa Vista.

80

ENDEREÇO Rua do Trovador, nº 13, Engenho Velho de Brotas. CONTATOS (71) 8798-1559 / (71) 8752-5406 / (71) 3364-0056 (71) 3492-5012 / blocoafromutue@bol.com.br

MUTUÊ SOCIAL ACTIVITIES - Percussion, Afro dance and capoeira workshops for young people. OF INTEREST: “Mutuê” means “head” in the Bantu African language. The group paraded with the theme “Tempo de afoxé” (Afoxé Time) in the 2008 Carnival, introducing children’s sections to its structure and giving young people from the community the opportunity to take part in Carnival. / HISTORY: Founded on 20th July, 1975, the Mutuê Afro Group’s initial base was in the Caixa D’Água neighbourhood, transferring to the Engenho Velho de Brotas district in 2007, where it started to develop activities with children in the area.

Foto - Divulgação

81


Foto - AGECOM

MALÊ DE BALÊ ANO DE FUNDAÇÃO 23/03/1979

PRESIDENTE Cláudio Souza de Araújo

HISTÓRICO Os fundadores do Malê participavam do bloco afro Melo do Banzu, no Engenho Velho da Federação, e quando se mudaram para Itapuã resolveram fundar o bloco, que se tornou também uma associação de moradores da comunidade, dedicada a valorizar a cultura negra e promover o desenvolvimento da bairro.

RAZÃO SOCIAL Sociedade Cultural Recreativa e Carnavalesca Malê de Balê

CURIOSIDADES O bloco é considerado o maior balé afro do mundo. Realiza apresentações com 2.000 dançarinos atuando conjuntamente. O nome do bloco é uma homenagem à Revolta dos Malês, levante de negros mulçumanos que ocorreu em 1835, em Salvador. O termo “malê” deriva do iorubá “imale”, designando o muçulmano. O Malê foi o primeiro bloco a ser campeão, no Carnaval de 1980, na categoria de bloco afro de Salvador. AÇÕES SOCIAIS O bloco mantém uma escola que atende a cerca de 300 alunos, do pré-escolar até a segunda série, oferecendo também aulas de dança, teatro e música. LOJA Na sede do bloco. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco.

82

ENDEREÇO Parque Metropolitano do Abaeté, s/n. CONTATOS (71) 3375-7176 / (71) 3375-3481/ (71) 9167-7721 / (71) 8854-0048 / maledebale@terra.com.br / negroarcanjo@ig.com.br

MALÊ DE BALÊ SOCIAL ACTIVITIES: The group supports a schools that assists approximately 300 students, from pre-school to the 2nd year of primary school, also offering dance, theatre and music classes. OF INTEREST: The group is considered the largest Afro ballet group in the world. Their presentations have 2,000 dancers performing together. The group’s name is a tribute to the Malê Revolt, a Black Moslem uprising that took place in Salvador in 1835. The term “malê” derives from the Yoruba “imale”, which means Moslem. Malê was the first group to be Salvador Carnival champion in the Afro group category in 1980. / HISTORY Malê’s founders took part in the Afro Group Melo do Banzu, in the Engenho Velho da Federação district and decided to found the group when they moved to Itapuã. They also formed a community residents’ association, dedicated to giving value to Afro-Brazilian culture and promoting neighbourhood development.

83


Foto - AGECOM

OLODUM ANO DE FUNDAÇÃO 25/04/1979 HISTÓRICO O Bloco Afro Olodum foi fundado em 1979, como opção de lazer para os moradores do bairro do Maciel, hoje conhecido como Pelourinho. É uma organização nãogovernamental reconhecida como de utilidade pública e desenvolve atividades que visam valorizar e fortalecer a cultura de matriz africana e aprimorar o processo de formação cultural dos afro-baianos através de ações educativas e culturais. Depois da estréia no Carnaval de 1980, o grupo conquistou 2.000 associados e passou a abordar temas históricos relativos à cultura afro-brasileira. O primeiro LP, “Egito, Madagascar” (1987), estourou na Bahia com a música “Faraó”. O Olodum tornou-se conhecido internacionalmente como grupo de percussão afro-brasileira e excursionou pela Europa, Japão e América do Sul. Um dos momentos de maior exposição foi em 1990, quando o grupo participou do disco “The Rhythm of the Saints”, do cantor Paul Simon. O Olodum já gravou também com outros músicos consagrados, como Wayne Shorter, Michael Jackson, Jimmy Cliff, Herbie Hancock e Caetano Veloso. CURIOSIDADES A música do Olodum é fruto de uma fusão de ritmos de origem africana, como o ijexá, o samba, o alujá e o reggae.

84

AÇÕES SOCIAIS O Olodum teve a iniciativa de, além do bloco de Carnaval, criar uma escola, uma banda de shows e um grupo de teatro, como alternativas para estimular a presença afrobrasileira em áreas que, até então, ofereciam pouca visibilidade à população negra. LOJA Na sede do bloco. LOCAL DE ENSAIOS Praça Pedro Arcanjo, Pelourinho. PRESIDENTE João Jorge Santos Rodrigues RAZÃO SOCIAL Associação Carnavalesca Bloco Afro Olodum ENDEREÇO Rua das Laranjeiras, nº 30, térreo, Pelourinho. CONTATOS (71) 3321-5010 / (71) 3321-4154 / jjr.olodum@uol.com. br / bloco.olodum@uol.com.br / nm.olodum@uol.com.br http://olodum.uol.com.br

85


ALABÊ OLODUM SOCIAL ACTIVITIES: Olodum took the initiative of creating a school, live-performance band, theatre and Carnival groups, as alternatives to encourage an AfroBrazilian presence in areas that offered little visibility to the black population until that time. OF INTEREST: Olodum’s music is the result of a fusion of rhythms that originated in Africa, such as ijexá, samba, alujá and reggae. / HISTORY: The Olodum Afro Group was founded in 1979, as a leisure option for residents in the Maciel district, today known as Pelourinho. It is an established non-governmental organization and develops projects that aim to give value to and strengthen culture with African origins and improve

the cultural formation process of Afro-Bahians through educational and cultural activities. The group attracted 2,000 members following their debut in the 1980 Carnival and started to approach historic themes related to AfroBrazilian culture. Their first LP, “Egito, Madagascar” (Egypt, Madagascar, 1987), achieved immediate success in Bahia with the song “Faraó” (Pharaoh). Olodum has become international recognized as an Afro-Brazilian percussion group and toured Europe, Japan and South America. One of the moment of greatest exposure was in 1990, when the group took part in singer Paul Simon’s disc “The Rhythm of the Saints”. Olodum has also recorded with other acclaimed musicians such as Wayne Shorter, Michael Jackson, Jimmy Cliff, Herbie Hancock and Caetano Veloso.

ANO DE FUNDAÇÃO 03/03/1981

PRESIDENTE Alírio Macêdo Pitta

HISTÓRICO O fundador Alírio Macêdo Pitta já participava de outros blocos, mas nenhum deles tinha sede na comunidade de Vasco da Gama. O primeiro desfile do Alabê ocorreu em 1982 e contou com a participação de 600 foliões. Em 1985, o bloco se transferiu para o Curuzú.

RAZÃO SOCIAL Sociedade Recreativa e Cultural Alabê

CURIOSIDADES O primeiro desfile do bloco teve todo o material de estrutura emprestado de outros blocos, a exemplo do gerador de energia elétrica, cedido pelo extinto bloco Ensopado de Tatu. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de corte e costura, percussão e capoeira. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco.

86

ENDEREÇO Rua do Curuzu, 282, Liberdade. CONTATOS (71) 3236-2279 / (71) 8861-3095 alabecuruzu@gmail.com

ALABÊ SOCIAL ACTIVITIES: Pattern cutting and sewing, percussion and capoeira workshops. / OF INTEREST: The group borrowed all of their structural material from other associations for their first parade, with the electrical energy generator coming from the defunct Ensopado de Tatu. / HISTORY: Founder Alírio Macêdo Pitta had already taken part in other groups but none of them were based in the Vasco da Gama community. The Alabê’s first parade took place in 1982 with 600 party-goers taking part. The group transferred to the Curuzú district in 1985.

87


Foto - Divulgação

MUZENZA ANO DE FUNDAÇÃO 05/05/1981

PRESIDENTE Jorge dos Santos

HISTÓRICO O Muzenza surgiu no bairro da Liberdade, como um tributo ao músico jamaicano Bob Marley (1945-1981), responsável pela difusão internacional do reggae. A inspiração na cultura afro-jamaicana veio da popularidade do ritmo nos anos 1980. O Muzenza era adorado pelos jovens foliões na década de 80, ficando conhecido como o “bloco do reggae” ou Muzenza do Reggae. No primeiro Carnaval do bloco, em 1982, cerca de 4.000 foliões desfilaram. Aos poucos, o Muzenza consolidou-se como um dos blocos que desenvolvem o maior número de variações rítmicas no Carnaval de Salvador. Em 1988, o grupo lançou o seu primeiro disco, “Muzenza do Reggae”, pela Continental.

RAZÃO SOCIAL Grêmio Recreativo e Cultural Muzenza

CURIOSIDADES Algumas músicas dos compositores do bloco foram regravadas por artistas de renome nacional, como Margareth Menezes (“Povo vem ver”), Carlinhos Brown (“Rumpillé”), Maria Bethânia (“A terra tremeu”), Gal Costa (“Brilho beleza”) e Daniela Mercury (“Swing da cor”). “Muzenza” é um termo de origem banto-kikongo, que significa “yaô dos nagôs”, nome dados aos iniciados no candomblé da linha de Angola. Em sua categoria, o bloco ganhou 12 vezes o título de campeão do Carnaval. AÇÕES SOCIAIS Aulas de dança, percussão e confecção de instrumentos. LOJA Na sede do bloco. LOCAL DE ENSAIOS Praça Tereza Batista, Pelourinho. 88

ENDEREÇO Rua das Laranjeiras, nº 22, Pelourinho. CONTATOS (71) 3256-1620 / (71) 8811-8981 / (71) 8894-6201 afromuzenza@ig.com.br

MUZENZA

SOCIAL ACTIVITIES: Dance, percussion and instrument making classes. OF INTEREST: Some songs by the group’s composers were re-recorded by artists of national acclaim such as Margareth Menezes (“Povo vem ver”), Carlinhos Brown (“Rumpillé”), Maria Bethânia (“A terra tremeu”), Gal Costa (“Brilho beleza”) and Daniela Mercury (“Swing da cor”). “Muzenza” is a term of Bantu-kikongo origin, which means “yaô dos nagôs”, the name given to those initiated in the Angolan line of Candomblé. The group has won the Carnival champion title in its category twelve times. / HISTORY: Muzenza arose in the Liberdade neighbourhood as a tribute to the Jamaican musician Bob Marley (1945-1981), responsible for spreading reggae internationally. Inspiration from Afro-Jamaican culture comes from the rhythm’s popularity during the 1980s. Muzenza was adored by young party-goers during this period, becoming known as the “reggae group” or Reggae Muzenza. Approximately 4,000 party-goers took part in the group for their first Carnival in 1982. Muzenza gradually consolidated as one of the groups that develops the largest number of rhythmical variations in the Salvador Carnival. The group launched its first disc “Muzenza do Reggae” through Continental in 1988. 89


OS NEgÕES LOCAL dE ENSAiOS Largo do Monte Belém, Vasco da Gama. PRESidENTE Paulo Roberto Pereira do Nascimento RAZãO SOCiAL Associação Cultural Os Negões ENdEREÇO Av. Vasco da Gama, nº 400, 1º/2º andar.

Foto - AGECOM

CONTATOS (71) 3261-2895 / (71) 9943-4140 / (71) 8765-2682 (71) 9603-8521 / osnegoes@terra.com.br franca1@terra.com.br

ANO dE FuNdAÇãO 11/02/1982 HiSTÓRiCO O bloco afro Os Negões foi criado por um grupo de militantes, artistas e esportistas que frequentavam juntos as festas de largo de Salvador, mas no Carnaval sempre se dividiam entre os diversos blocos afro da cidade. Para não continuarem separados durante a folia, decidiram criar o bloco Os Negões de 1,80m. Em 1995, passaram a permitir o ingresso de mulheres e homens com menos de 1,80m de altura. Em 2000, o bloco criou o Fórum das Entidades Negras, juntamente com Ilê Aiyê, Muzenza e Malê de Balê.

90

CuRiOSidAdES Foi tema de reportagem da TV KBS, da Coréia do Sul, sobre a questão racial no Brasil. O nome inicial do bloco era Os Negões de 1,80m, porque todos os fundadores do bloco tinham mais de 1,80m de altura e só podiam participar homens com essa altura mínima. A Poderosa Banda Afro Os Negões, que puxa o desfile do bloco no Carnaval, tem mais de 200 músicos cadastrados.

OS NEGÕES SOCIAL ACTIVITIES: Offers a University preparation course in partnership with the State University of Bahia (UNEB). It also carries out a training project for those in prison. It supports the Capoeira and Citizenship Project that involves teaching literacy to young people and adults and giving dance and percussion workshops. OF INTEREST: It was the subject of a report by TV KBS from South Korea on the racial question in Brazil. The group’s first name was Os Negões de 1.80m because all of the founders were more than 1,80m in height and only men with this minimum height could take part. A Poderosa Banda Afro Os Negões, which leads the group’s parade during Carnival, has more than 200 registered songs. / HISTORY: O Bloco Afro Os Negões was created by a group of militants, artists and sportsmen that attended Salvador street festivals together but were always divided among the city’s various Afro groups in Carnival. They decided to create the Os Negões de 1.80m group so as not to keep being separated during the party. They started to allow women and men who were less than 1.8m in height in 1995. The group created the Black Organization Forum in 2000, together with Ilê Aiyê, Muzenza and Malê de Balê.

AÇÕES SOCiAiS Oferece curso pré-vestibular em parceria com a universidade Estadual da Bahia. Realiza um projeto de qualificação de presidiárias. Mantém o projeto Capoeira e Cidadania, que envolve alfabetização de jovens e adultos, oficinas de dança e percussão.

91


TOMALIRA

Foto - Divulgação

ANO DE FUNDAÇÃO 03/05/1982

RAZÃO SOCIAL Grêmio Recreativo e Cultural Tomalira

HISTÓRICO Os componentes da banda Tomalira resolveram criar um bloco com o mesmo nome para desfilar no Carnaval. Durante os ensaios da banda, muitas crianças e jovens se aglomeravam na porta e pediam que os músicos os ensinassem a tocar os instrumentos. Assim, os componentes da banda pensaram em fundar uma ONG para oferecer aulas de música, surgindo então o Grêmio Recreativo e Cultural Tomalira.

ENDEREÇO Ladeira do Carmo, nº 25, Santo Antônio, Centro Histórico.

CURIOSIDADES Já se apresentou no exterior, em festivais latino-americanos realizados em diversos países da Europa. AÇÕES SOCIAIS Aulas de percussão e reforço escolar gratuitas para a comunidade. LOCAL DE ENSAIOS Escadaria do Carmo (às sextas-feiras). PRESIDENTE Renato Kalile

92

CONTATOS (71) 3322-0335 / (71) 9933-1711 / (71) 8758-1551 tomalira1@yahoo.com.br

TOMALIRA SOCIAL ACTIVITIES - Free percussion and extra school assistance classes for the community. / OF INTEREST: They have already performed abroad at LatinAmerican festivals in various countries throughout Europe. / HISTORY: Tomalira band members decided to create a group of the same name to parade in Carnival. Many children and young people gathered at the door during band rehearsals and asked the musicians to teach them how to play the instruments. This is how the band members thought about founding a NGO to offer music classes, creating the Tomalira Cultural and Recreational Club.

93


ÓKÁNBí PRESidENTE Jorjão Bafafé RAZãO SOCiAL Grupo Cultural Recreativo e Carnavalesco Bloco Afro Ókánbí ENdEREÇO Rua do Trovador, nº 13, loja 2, Engenho Velho de Brota.

Fotos - Divulgação

CONTATOS (71) 3492-5012 / (71) 8752--5406 / (71) 8148-9059 okanbi2@yahoo.com.br

94

ANO dE FuNdAÇãO 23/07/1982

Corações, com oficinas de percussão e dança afro para crianças de escolas municipais do bairro.

HiSTÓRiCO Após Jorjão Bafafé sair do bloco Badauê, ele se juntou aos integrantes da Associação Cultural Grupo união, do Engenho Velho de Brotas, para fundar o Afoxé Okanbí, com o intuito de apresentar as referências culturais afro-baianas da comunidade no Carnaval. O primeiro desfile do Okanbí foi em 1983, com o tema “Ômo Obá Okanbi”, expressão iorubá que significa “Filho do Rei Okanbí”. De 1984 até 1996, o bloco parou de desfilar, retornando em 1997 aos desfiles na Lavagem do Porto da Barra. Em 1998, o Okanbí se tornou um bloco afro e passou a desfilar no Campo Grande. Em 2004, o bloco iniciou o projeto Tocando os

CuRiOSidAdES Okanbí foi um rei da cidade africana de Ilé Isé, seu nome significa “nascido do coração”. Em 1983, o Okanbí ganhou o troféu Momo 83, com “Barca Ijexá”, melhor música do Carnaval daquele ano e que até hoje é conhecida como o hino do bloco. O diretor musical do Okanbi, Jorjão Bafafé, já tocou com o cantor de reggae jamaicano Jimmy Cliff.

ÓKáNBÍ SOCIAL ACTIVITIES: Percussion and dance workshops for children. / OF INTEREST: Okanbí was a king in the African city of Ilé Isé, its name meaning “born from the heart”. Okanbí won the Momo 83 trophy in 1983, with “Barca Ijexá”, the best Carnival song in that year and known as the group’s hymn until today. Okanbí’s musical director, Jorjão Bafafé, has also played with the Jamaican reggae singer Jimmy Cliff. / HISTORY: After Jorjão Bafafé left the group Badauê, he joined together with Union Group Cultural Association members from Engenho Velho de Brotas and found the Afoxé Okanbí, with the aim of presenting Afro-Bahian cultural references from the community in Carnival. Okanbí’s first parade was in 1983, with the theme “Ômo Obá Okanbí”, a Yoruba expression that means “King Okanbí’s child”. The group stopped parading between 1984 and 1996, returning to parades at the Barra Port Lavagem in 1997. Okanbí became an Afro group in 1998 and started to parade in Campo Grande. The group started the Tocando os Corações project in 2004, with percussion and Afro dance workshops for children from the district’s municipal schools.

AÇÕES SOCiAiS Oficina de percussão e dança para crianças. LOCAL dE ENSAiOS Praça do Reggae (Pelourinho) 95


ALAFIN

ARCA DE OLORUM

ANO DE FUNDAÇÃO 21/03/1983

PRESIDENTE Adilton Costa Souza

ANO DE FUNDAÇÃO 29/04/1985

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Bloco Carnavalesco Arca de Olorum

HISTÓRICO Um grupo de amigos da comunidade de Cosme de Farias decidiu formar um bloco para desfilar no Carnaval. No início, os instrumentos eram emprestados de outros blocos. Com o passar do tempo, as pessoas da comunidade começaram a fazer doações para que o bloco comprasse e pudesse ensaiar com instrumentos próprios.

RAZÃO SOCIAL Grupo Cultural Recreativo e Carnavalesco Alafin

HISTÓRICO O bloco surgiu a partir do antigo grupo de capoeira Dandara, no Pelourinho. Os fundadores começaram a desenvolver um trabalho de capoeira e percussão com jovens do Rio Sena. O nome do bloco é inspirado numa pintura que pertencia ao fotógrafo e etnólogo Pierre Verger (1902-1996), que viveu 50 anos na Bahia e pesquisou a história, os costumes e a religião dos povos iorubá e seus descendentes na África Ocidental e na Bahia. O bloco Arca de Olorum foi às ruas pela primeira vez em 1986, participando do Carnaval de bairro do Uruguai, Macaúbas e Cosme de Farias, sendo campeão no Uruguai e em Macaúbas.

ENDEREÇO Segunda Travessa da Paz, nº 36 E, Rio Sena.

CURIOSIDADES Os abadás são doados para a comunidade e são muito concorridos. AÇÕES SOCIAIS Aulas de dança e de percussão para crianças e adolescentes. LOCAL DE ENSAIOS Largo do Alto do Cruzeiro.

ENDEREÇO Rua 12 de Setembro, nº 39, Alto do Cruzeiro, Cosme de Farias. CONTATOS (71) 3382-4732 / (71) 8154-6464

ALAFIN SOCIAL ACTIVITIES - Dance and percussion classes for children and teenagers. OF INTEREST: The carnival shirts are given to the community and are highly sought after. HISTORY: A group of friends in the community of Cosme de Farias decided to form a group to parade in Carnival. They borrowed instruments from other groups in the beginning. As time progressed, people from the community started to make donations so that the group could buy and practice with their own instruments.

CURIOSIDADES O Arca de Olorum realiza ações de promoção da cultura da paz. Além de defender, fortalecer e divulgar a cultura afro, o bloco se propõe a representar o Subúrbio Ferroviário no Carnaval de Salvador. Os cursos de capacitação promovidos durante o ano todo geram a renda que cobre os custos das ações realizadas pelo bloco. AÇÕES SOCIAIS Através do projeto Cidadania Cultural, o bloco realiza oficinas de instrumentos e confecção de bonecos para a comunidade. As aulas – de costura, artesanato em sandálias, corte e costura, teatro, percussão e estilismo – ocorrem na sede do bloco, em escolas e em espaços culturais. Há ainda aulas de futebol para crianças. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Carlos Alberto Alves Almeida

96

CONTATOS (71) 9205-5339 / (71) 3218-5125 / (71) 3218-6450 arcaolorum@yahoo.com.br

ARCA DE OLORUM SOCIAL ACTIVITIES: The group runs instrument and doll-making workshops for the community through the Cultural Citizenship project. The sewing, sandal decoration, pattern making, theatre, percussion and fashion design classes take place at the group’s headquarters, schools and cultural centres. They also have football classes for children. / OF INTEREST: Arca de Olorum carry out activities to promote the culture of peace. As well as defending, strengthening and spreading Afro culture, the group aims to represent the Subúrbio Ferroviário area in the Salvador Carnival. Training courses held throughout the year create an income to cover the cost of activities carried out by the group. / HISTORY: The group appeared from the old capoeira group, Dandara, in Pelourinho. The founders started to develop work with capoeira and percussion with young people in Rio Sena. The group’s name was inspired by a painting that belonged to the photographer and ethnologist Pierre Verger (1902-1996) who lived in Bahia for 50 years and researched history, customs and religion of the Yoruba people and their descendants in West Africa and Bahia. The group Arca de Olorum took to the streets for the first time in 1986, taking part in Carnival in the districts of Uruguai, Macaúbas and Cosme de Farias, being champions in Uruguai and Macaúbas.

97


ABi Si AiYê

HiSTÓRiCO O presidente-fundador Benedito Cerqueira, que já havia sido dirigente do extinto bloco Os Blacks, na época em que residia na região da Avenida Vasco da Gama, resolveu, ao mudar-se para o bairro de Vista Alegre, criar um bloco para a comunidade local. Com a ajuda de outros moradores, ele teve a idéia de propiciar à comunidade uma forma de participar dos desfiles do Carnaval. A Associação Cultural Bloco Afro Abi-Si-Aiyê desfilou pela primeira vez em 1986. CuRiOSidAdES No início dos anos 90, o bloco ganhou o título de segundo melhor bloco afro do Carnaval. Em 2005, o bloco ficou na terceira colocação. O bloco também participa de outras festas de largo de Salvador, como a Lavagem do Bonfim e a Festa de Yemanjá, e promove lavagens, gincanas e festivais no bairro. AÇÕES SOCiAiS Aulas de artesanato, reforço escolar e futebol. Cursos de capacitação em plantação de hortas, gratuitos para comunidade. Gincanas, aulas de dança afro e percussão LOCAL dE ENSAiOS Na sede do bloco. PRESidENTE Benedito Cerqueira Santos

98

RAZãO SOCiAL Bloco Afro Abi Si Aiyê ENdEREÇO Rua do Sabiá, nº 18 E, Vista Alegre / Conj. Vista Alegre, Bl. 144 G, Ap. 01 CONTATOS (71) 3408-6008 / (71) 9924-9374 / (71) 8231-6468 (71) 8180-3472 / abisi_cultura@yahoo.com.br

ABI SI AIYÊ SOCIAL ACTIVITIES: [House of the Negroes] – Gymkhanas, lessons of afro dance and percussion. Craft, extra school assistance and football classes. Training courses in planting vegetables, which are free for the community. / OF INTEREST: The group won the title of second best Afro group in Carnival at the beginning of the 1990s. The group came in third place in 2005. They also take part in other Salvador street festivals such as the Lavagem do Bomfim and Yemanjá and promote lavagens, gymkhanas and festivals in the neighbourhood. HISTORY: The founder-president, Benedito Cerqueira, who had already been a director of the ex-group Os Blacks while he lived in the Avenida Vasco da Gama area, decided to move to the Vista Alegre neighbourhood and create a group for the local community. He had the idea of providing the community with a way of taking part in Carnival parades with help from other residents,. The Abi-Si-Aiyê Afro Group Cultural Association paraded for the first time in 1986.

Foto - Divulgação

ANO dE FuNdAÇãO 20/11/1985

99


FURACÃO 2001

ALERTA MENTE NEGRA

ANO DE FUNDAÇÃO 14/04/1987

ENDEREÇO Rua Benjamim Franklin, nº 75, Barros Reis

ANO DE FUNDAÇÃO 20/11/1988

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural e Comunitária Alerta Mente Negra

HISTÓRICO O fundador Antonio Carlos Teixeira (Carlinhos Badá) morava no bairro do Nordeste de Amaralina e era um dos diretores do grupo de samba junino Boqueirão. Junto com alguns amigos, resolveu criar o grupo cultural carnavalesco Furacão 2001, que desfilou pela primeira vez em 1987. Em 1988, foi campeão pela primeira vez no Carnaval.

CONTATOS) (71) 8721-0702 / (71) 9105-0458 blocofuracao2001@bol.com.br antoniocarlos-ssa@hotmail.com

HISTÓRICO Alguns diretores do Afoxé Olorum Baba Mi queriam que ele se tornasse um bloco afro. Houve então uma separação entre os diretores e aqueles que queriam a mudança fundaram o bloco Afro Alerta Mente Negra.

ENDEREÇO Rua Guaíba, nº 18, 3º andar, Caixa d’Água.

CURIOSIDADES Todas as fantasias são confeccionadas pelos próprios integrantes das alas. Os músicos da banda são todos exalunos das oficinas do bloco. AÇÕES SOCIAIS Cursos profissionalizantes de corte e costura, artesanato, pintura, dança afro, reforma de sapatos, confecção de instrumentos e reforço escolar. A entidade também oferece assistência para jovens em situação de risco. PRESIDENTE Antonio Carlos Teixeira (Carlinhos Badá)

FURACÃO 2001 SOCIAL ACTIVITIES: Professional pattern cutting and sewing courses, crafts, painting, Afro dance, shoe repairs, instrument making and extra school assistance. The organization also offers advice to young people at risk. / OF INTEREST: All of the costumes are made by group members. The group’s musicians are all ex-students from these workshops. / HISTORY: Founder Antonio Carlos Teixeira (Carlinhos Badá) lived in the Nordeste de Amaralina district and was one of the samba junino Boqueirão group directors. He decided to create the Furacão 2001 Carnival Cultural Group together with some friends, which paraded for the first time in 1987. It was Carnival champion for the first time in 1988.

CURIOSIDADES Vencedor do primeiro lugar no Carnaval de 1990, segundo lugar em 1991 e 1992, e terceiro lugar em 1993 e 1994. AÇÕES SOCIAIS Aulas de capoeira e artesanato. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. DIAS E HORÁRIOS NO CARNAVAL Sábado (20h)

CONTATOS (71) 9957-9999 / (71) 8742-8306 / (71) 8735-8303 (71) 3241-2290 / alertamentenegra20anos@bol.com.br

ALERTA MENTE NEGRA SOCIAL ACTIVITIES: Capoeira and craft classes. OF INTEREST: First place winner in the 1990 Carnival, second in 1991 and 1992 and third in 1993 and 1994. / HISTORY: Some of the Afoxé Olorum Baba Mi directors wanted it to become an Afro group so there was a split between the directors and those that wanted to change to found the Afro Alerta Mente Negra group.

RAZÃO SOCIAL Grêmio Recreativo Educativo Esportivo e Carnavalesco Furacão 2001

100

101


Foto - Divulgação

100 CENSURA ANO DE FUNDAÇÃO 01/11/1989 HISTÓRICO O bloco surgiu no final dos anos 80, entre estudantes da Faculdade de História da Universidade Católica, que lutavam pelo direito da liberdade de expressão e contra a discriminação racial. CURIOSIDADES Em 2009, o 100 Censura comemorou 20 anos com uma homenagem ao Senegal, trazendo artistas do país africano para se apresentarem no Carnaval. No Carnaval 2008, o bloco promoveu uma homenagem ao hip-hop, com a participação de artistas nacionais do gênero, como MV Bill. AÇÕES SOCIAIS O bloco realiza aulas de instrumentos de cordas e percussão para comunidade do Engenho Velho de Brotas e apóia o Núcleo de Assistência as Pessoas com Câncer (NAPEC), localizado na comunidade. PRESIDENTE Gilvan Francisco Gomes dos Santos

102

RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa, Cultural e Carnavalesca Afro Pop 100 Censura ENDEREÇO Rua d’Ajuda, nº 9, Ed. Barreiro, 3º andar, sala 12, Centro. CONTATOS (71) 3495-2255 / (71) 8844--9467 afropopbahia@hotmail.com

100 CENSURA SOCIAL ACTIVITIES: The group holds string instrument and percussion classes for the Engenho Velho de Brotas community and supports the Assistance Centre for People with Cancer (NAPEC), located in the area. / OF INTEREST: 100 Censura celebrate 20 years in 2009 with a tribute to Senegal, bringing artists from Africa to participate in Carnival. The group paid tribute to hip hop in 2008, with participation by national artists within the genre, such as MV Bill. / HISTORY: The group appeared at the end of the 1980s, with students from the Faculty of History at the Catholic University which fought for the right for freedom of expression and against racial discrimination.

103


MuNdO NEgRO MUNDO NEGRO

Fotos - Divulgação

SOCIAL ACTIVITIES: Manicure, crafts, percussion and dance courses. OF INTEREST: The Mundo Negro Carnival and Cultural Community Association published a book entitled “Beiru” (2007), which tells the history of the neighbourhood and its historic famous people. / HISTORY:

The Mundo Negro Carnival and Cultural Community Association was founded at a time when Beiru residents fought to keep the neighbourhood’s name, which had been substituted by Tancredo Neves. The name “Beiru” pays tribute to Preto Beiru, a Nigerian who arrived in the region as a slave in 1820 and inherited land from the Silva Garcia family. Beiru is the only district in Salvador that has the name of an African.

ANO dE FuNdAÇãO 21/04/1990

AÇÕES SOCiAiS Cursos de manicure, artesanato, percussão e dança.

HiSTÓRiCO A Associação Cultural Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro foi fundada numa época em que os moradores do Beiru lutavam para manter o nome do bairro, que tinha sido substituído por Tancredo Neves. O nome Beiru homenageia Preto Beiru, um nigeriano que chegou à região, como escravo, nos idos de 1820 e herdou as terras da família Silva Garcia. Beiru é o único bairro de Salvador que tem o nome de um africano.

PRESidENTE Roberto dos Santos Freitas

CuRiOSidAdES A Associação Cultural Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro publicou o livro “Beiru” (2007), que conta a história do bairro e de seus personagens históricos. 104

RAZãO SOCiAL Associação Cultural Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro ENdEREÇO Rua Manuel Rufino, nº 22 E, Beiru. CONTATOS (71) 3230-1727 / (71) 9127-9224 beirumundonegro@gmail.com

105


TEMPERO DE NEGRO ANO DE FUNDAÇÃO 21/06/1990

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural e Carnavalesca Tempero de Negro

ANO DE FUNDAÇÃO 03/07/1991

HISTÓRICO A Associação Tempero de Negro foi criado pelo pagodeiro Rui da Cuíca em 1994, com o intuito de desenvolver o contato das crianças com a música e representar a comunidade no Carnaval.

ENDEREÇO Rua Cambira, nº 12, Cosme De Farias.

HISTÓRICO A Associação Comunitária Recreativa Beneficente Cultural Dengo Baiano é uma entidade sem fins lucrativos, criada com o objetivo de proporcionar um espaço cultural e de lazer para crianças, jovens e idosos do bairro de Paripe. O bloco já teve diversos nomes, como Estrela Solar e Filhos de Periperi.

CURIOSIDADES É o único bloco de Carnaval que tem a cuíca como instrumento na banda. Essa particularidade tem atraído músicos de várias origens, inclusive estrangeiros, às aulas de cuíca, na sede do bloco. AÇÕES SOCIAIS Aulas de percussão, capoeira, dança afro, futebol de salão e reforço escolar. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Ruimar Nascimento Santana

106

DENGO BAIANO

CONTATOS (71) 3244-4910 / (71) 9949-9899 / (71) 9134-5603

TEMPERO DE NEGRO SOCIAL ACTIVITIES: Percussion, capoeira, Afro dance, five-a-side football and extra school assistance classes. / OF INTEREST: It is the only Carnival group that has a cuíca as an instrument in the band. This peculiarity has attracted musicians of various origins, including foreigners, to the cuíca classes at the group’s head office. / HISTORY: The Tempero de Negro Association was created by pagode player Rui da Cuíca in 1994, with the aim of developing children’s contact with music and representing the community in Carnival.

AÇÕES SOCIAIS Oficinas de dança afro, percussão e teatro (aos sábados). LOCAL DE ENSAIOS Esporte Clube Flameguinho (Periperi). PRESIDENTE Venobaldo Ferreira da Hora

ENDEREÇO Av. Beira Mar, nº 02, lote 16, casa 48, Escada Rua das Virgens, nº 35, Periperi. CONTATOS (71) 8837-1348 / (71) 3308-2574 / (71) 3398-2133 asssociacaodengobaiano@hotmail.com

DENGO BAIANO SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in Afro dance, percussion and theatre (Saturdays). / HISTORY: The Cultural Charitable Recreational Community Association Dengo Baiano is a non profit organization, set up with the objective of providing a cultural and leisure space for children, young people and the elderly in the Paripe neighbourhood. The group previously had a variety of names, such as Estrela Solar and Filhos de Periperi.

RAZÃO SOCIAL Associação Comunitária Recreativa Beneficente Cultural e Carnavalesca Dengo Baiano

107


ORIOBÁ ANO DE FUNDAÇÃO 26/07/1991 HISTÓRICO Antes de criar o Oriobá, o fundador do bloco, Reginaldo Teles da Cruz, passou pelo Ilê Aiyê e pelos extintos blocos Orumilá e Ojuobá. O Oriobá surgiu a pedido da comunidade do Curuzú, que queria participar do Carnaval. Em 1992, o bloco, então recém-fundado, não conseguiu desfilar. Em 1993, o Oriobá realizou seu primeiro desfile, com o tema “Oranian, Fundador do Reino de Oió”, contando com diversas alas e cerca de 400 foliões. CURIOSIDADES A palavra “oriobá” significa “cabeça de rei” no idioma africano iorubá. Os abadás do bloco são oferecidos pelo valor simbólico de R$ 10,00, mais 2 kg de alimentos nãoperecíveis. O dinheiro é revertido nas despesas alimentares dos componentes da banda durante o desfile e o alimento é doado para entidades beneficentes. AÇÕES SOCIAIS O bloco oferece aulas de dança e capoeira e cursos de penteado afro, gratuitos para comunidade. LOCAIS DE ENSAIOS Colégio Celina Pinho, Curuzú, Liberdade. PRESIDENTE Reginaldo Teles da Cruz

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco e Cultural Oriobá ENDEREÇO Av. Leocádio, nº 27, Curuzú, Liberdade. CONTATOS (71) 3386-3434 / (71) 8820-6857 / (71) 3322-2604

ORIOBÁ SOCIAL ACTIVITIES - The group offers dance and capoeira classes and Afro hair-dressing courses free to the community. / OF INTEREST: The word “oriobá” means “the king’s head” in the African language of Yoruba. The group’s Carnival shirts are sold for a symbolic R$10.00 plus 2 kg of non-perishable food items. The money is used to cover the band members’ food expenses during the parade and nonperishable items are donated to charitable organizations. / HISTORY: Before creating Oriobá, Reginaldo Teles da Cruz, the group’s founder, was a member of Ilê Aiyê and the now defunct groups Orumilá and Ojuobá. Oriobá emerged at the request of the community of Curuzú, who wanted to participate in Carnival. In 1992 the then recently formed group was unable to take part in the parade. In 1993, Oriobá took part in its first procession, with the theme “Oranian, Founder of the Kingdom of Oió”; the parade had several different sections and included approximately 400 carnival party-goers.

109

108 Foto - Divulgação


AMIGOS DO BABÁ

IMPACTO SONORO ANO DE FUNDAÇÃO 31/12/1991 HISTÓRICO Na década de 80, surgiu na comunidade o Bloco Afro Mali (nascido por influência dos Diplomatas de Amaralina, bloco mais antigo do bairro). Em 1991, a comunidade se reuniu para reestruturar o bloco e continuar a organizar festividades (lavagens, queima-de-judas, quebra-pote, paude-sebo, corrida de ovo-na-colher) e o desfile do Carnaval. A banda Impacto Sonoro passou a puxar os ensaios e acabou dando o nome ao bloco. CURIOSIDADES O bloco viajou para a Espanha, em 1992, para participar do projeto Afroamérica, evento comemorativo dos 500 anos da descoberta da América. No mesmo ano, o bloco fez seu primeiro desfile com a banda Impacto Sonoro, com o tema “Mali” (homenagem à República de Mali, país do noroeste africano). AÇÕES SOCIAIS O bloco desenvolve o projeto Percussão em Ação, que visa tirar os jovens da situação de risco e oferece um curso de telefonia e aulas de dança afro. LOCAL DE ENSAIOS Beco da Cultura (Rua Bomboché, Nordeste de Amaralina). PRESIDENTE José Araújo de Santana (Zeca Maly)

110

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Comunitária e Carnavalesca Impacto Sonoro ENDEREÇO Rua Tenente José Cardoso, nº 73 F, Nordeste de Amaralina. CONTATOS (71) 3240-4718 / (71) 8761-0474

IMPACTO SONORO SOCIAL ACTIVITIES: The group has set up the Percussion in Action project, which aims to take young people at risk off the streets and offers a telephone course and Afro dance classes. / OF INTEREST: The groups travelled to Spain in 1992 to participate in the Afro-America project commemorating 500 years since the discovery of America. The group undertook its first parade with the band Impacto Sonoro in the same year with the theme “Mali” (in homage to the Republic of Mali, a North West African country). / HISTORY: The Afro Mali Group emerged in the 1980s (set up under the influence of the Diplomatas de Amaralina, the oldest group in the neighbourhood). In 1991 the community came together to restructure the group and continued to organize festivities (ablutions, Judas burnings, pot-breakings, climbing-a-pole, egg and spoon races) and the Carnival parade. The band Impacto Sonoro began to lead rehearsals and ended up giving the group its name.

ANO DE FUNDAÇÃO 1º/01/1992

ENDEREÇO Rua Santa Luzia, nº 44, Pau Miúdo.

HISTÓRICO A entidade carnavalesca foi criada por um grupo de compositores – incluindo nomes como Josué do Babá, Walter Garrincha e Beto Jamaica – que participavam de outros blocos e resolveram criar um novo bloco afro voltado para as comunidades dos bairros da Liberdade e Pero Vaz. O primeiro desfile ocorreu em 1992, com o tema “Girassol” e animado pelo som da banda Berimbau. A partir de 1998, o bloco começou a homenagear artistas locais.

CONTATOS (71) 3256-9455 / (71) 8216-9452

CURIOSIDADES A palavra “Babá” significa “pai” no idioma africano iorubá. Em seus desfiles no Carnaval, o bloco já homenageou personalidades como Vovô do Ilê, Gilberto Gil, Margareth Menezes, Jorge Amado e Zélia Gatai. Os abadás são trocados por 2 kg de alimento, que são doados para uma creche localizada na comunidade. AÇÕES SOCIAIS Desenvolve trabalhos com crianças em situação de risco. PRESIDENTE Josué Almeida Santos

AMIGOS DO BABÁ SOCIAL ACTIVITIES: Undertakes work with children at risk. / OF INTEREST: The word “Babá” means “father” in the African language Yoruba. The group has paid homage to personalities such as Vovô of Ilê, Gilberto Gil, Margareth Menezes, Jorge Amado and Zélia Gatai in its carnival parades. Carnival shirts are exchanged for 2 kg of food which is donated to a community crèche. / HISTORY: The carnival organization was created by a group of composers – including names such as Josué do Babá, Walter Garrincha and Beto Jamaica – who used to participate in other carnival groups but decided to create a new Afro group for the communities in the Liberdade and Pero Vaz neighbourhoods. The first parade took place in 1992, with the theme “Girassol” (Sunflower) with sound accompaniment from the band Berimbau. The group has paid homage to local artists since 1998.

RAZÃO SOCIAL Bloco Afro Cultural Amigos do Babá

111


IBEJI

ZAMBIÃ ANO DE FUNDAÇÃO 02/07/1992

RAZÃO SOCIAL Grupo Cultural Afro Contemporâneo Zambiã

ANO DE FUNDAÇÃO 27/08/1993

ENDEREÇO Av. Sete de Setembro, nº 62, sala 104, Edf. Sulacap.

HISTÓRICO O grupo surgiu com apenas cinco integrantes e realizou sua primeira apresentação durante o 1º Encontro de Mestres de Capoeira da Bahia. O primeiro nome, Cia. De Dança Negra, foi substituído por Zambiã, em referência à divindade suprema de algumas religiões africanas. O objetivo da agremiação é promover a cultura afro-brasileira e disseminar a história de lutas, conquistas e resistência dos negros no Brasil.

ENDEREÇO Loteamento Jardim Independência, Quadra F, Lote 26, Itinga, Lauro de Freitas.

HISTÓRICO O Ibeji foi fundado com o objetivo de propiciar diversão e lazer para crianças de famílias de baixa renda durante o Carnaval. A idéia do bloco surgiu a partir de uma pesquisa realizada em bairros populares, que detectou o desejo das crianças dessas comunidades de sair nos blocos de trio. No primeiro desfile, o bloco saiu com mais de 1.000 crianças de diversos bairros de Salvador.

CONTATOS (71) 3377-2674 / (71) 3249-1664 / (71) 8705-2981 lumafra57@hotmail.com

CURIOSIDADES Outros blocos do Carnaval costumam convidar a companhia a participar de seus desfiles nos dias de folia. AÇÕES SOCIAIS Aula de dança afro, percussão, artesanato, capoeira e estética afro. CIRCUITO Batatinha PRESIDENTE Rafaela Anunciação dos Santos

112

CONTATOS (71) 3252-8021 / (71) 9906-3317 / (71) 8725-3937 / zambiazinha@hotmail.com

ZAMBIÃ SOCIAL ACTIVITIES: Afro dance, percussion, handicraft, capoeira and Afro beauty classes. OF INTEREST: Other carnival groups usually invite the company to participate in their parades on Carnival days. / HISTORY: The group started with only five members and undertook its first presentation during the 1st Meeting of the Capoeira Masters of Bahia. Its first name, Cia. De Dança Negra (Black Dance Company) was later replaced with Zambiã in reference to the supreme divinity in certain African religions. The association’s objective is to promote Afro-Brazilian culture and disseminate the history of the black people of Brazil’s struggle, conquest and resistance.

CURIOSIDADES Foi indicado como melhor bloco infantil pelo jornal “A Tarde”. “Ibeji”, palavra do idioma africano iorubá, é o nome de uma divindade-criança. PRESIDENTE Lúcia Maria da França de Santana RAZÃO SOCIAL Associação de Cultura e Entretenimento Ibeji

IBEJI OF INTEREST: Was nominated the best children’s group by the newspaper “A Tarde”. The word “Ibeji” comes from the African language Yoruba and is the name of a childdivinity. / HISTORY: Ibeji was founded in order to promote fun and leisure for children from low income families during Carnival. The idea for the group grew from a research study undertaken in low-income neighbourhoods, which demonstrated the wish of children in these communities to take part in the carnival floats. More than 1,000 children from a variety of Salvador neighbourhoods took part in its first parade.

113


BLOCãO dA LiBERdAdE ENdEREÇO Rua Lauro Vilas Boas, nº 3, Liberdade.

Foto - Divulgação

CONTATOS (71) 3241-1862 / (71) 9616-5223 ibasoreiya@yahoo.com.br / www.ibasoreiya.com.br

ANO dE FuNdAÇãO 15/09/1993 HiSTÓRiCO O primeiro nome do bloco, Vulcão da Liberdade, era também título de uma música composta por Tonho Matéria e gravada por Daniela Mercury. O primeiro desfile do bloco ocorreu em 1994 e teve a participação da madrinha Daniela nos ensaios e no desfile. A sede foi implantada no Curuzú, onde o bloco recebeu grande apoio da comunidade. CuRiOSidAdES A banda foi uma das primeiras a mesclar instrumentos de percussão com baixo, teclado e guitarra. Daniela Mercury foi madrinha do bloco.

114

BLOCÃO DA LIBERDADE SOCIAL ACTIVITIES: The group has a Study Centre and Professional Development in the Beauty and Aesthetics of Afro-descendents which offers classes to the community on hygiene and health, healthy hair, posture and ethics, hair-dressing, amongst others. OF INTEREST: The band was one of the first to combine percussion instruments with bass, keyboard and guitar. Daniela Mercury was the group’s patron. / HISTORY: The first name of the group, Vulcão da Liberdade, was also the title of a song composed by Tonho Matéria and recorded by Daniela Mercury. The group’s first parade took place in 1994 and included the participation of its patron Daniela both in rehearsals and in the parade. Its headquarters was set up in Curuzú, where the group receives strong support from the community.

AÇÕES SOCiAiS O bloco possui um Núcleo de Estudos e Desenvolvimento Profissional da Beleza e Estética do Afro-descendente que oferece aulas, para a comunidade, de higiene e saúde, saúde capilar, postura e ética, elaboração de penteados, entre outros assuntos. PRESidENTE Paulo Augusto dos Santos Lima RAZãO SOCiAL Instituto Sócio-cultural e Carnavalesco Ibasoré Iya Blocão da Liberdade

115


Foto - Aderilson Nunes - AGECOM

didÁ AÇÕES SOCiAiS Oficinas, voltadas para mulheres e crianças, de canto, percussão, jazz, capoeira, teatro, fotografia digital, fabricação de instrumentos musicais e corte e costura, entre outras. PRESidENTE Viviam Caroline de Jesus Queirós RAZãO SOCiAL Bloco Afro Didá ENdEREÇO Rua João de Deus, nº 19, Pelourinho. CONTATOS (71) 9206-8409 / (71) 8804-4807 viviam_dida@hotmail.com

ANO dE FuNdAÇãO 13/12/1993 HiSTÓRiCO A instituição Didá nasceu com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de mulheres e crianças através da arteeducação. Surgiu de um pequeno grupo de mulheres que dava suas primeiras batidas em tambores na sede do projeto. Em janeiro de 1994, o percussionista Neguinho do Samba estimulou o grupo a tocar na Lavagem do Bonfim, numa apresentação em frente ao Mercado Modelo. Essa primeira aparição pública da Didá causou sensação entre o público, pois mulheres fazendo samba-reggae era uma novidade. um mês depois, quando a cantora Mariazinha convidou a recém-criada Didá Banda Feminina para abrir o Carnaval de Salvador, o grupo realizou um cortejo até 116

sua sede no Pelourinho. Em 1995, a Didá organizouse enquanto um pequeno bloco afro. Dele participaram familiares, amigas, alunas e mulheres da comunidade do Centro Histórico. Entre os temas já abordados pelo bloco em seus desfiles de Carnaval, estão o tropicalismo (1997), a infância (1999 e 2000) e a baiana do acarajé (2001). CuRiOSidAdES O bloco é dirigido exclusivamente para mulheres e crianças e conta com o apoio de artistas como Caetano Veloso e Elba Ramalho. O primeiro carro alegórico do bloco desfilou em 1997; era uma “Fobica” com bonecos de papel machê, em tamanho real, representando os artistas Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e Maria Bethânia.

DIDá SOCIAL ACTIVITIES: Workshops for women and children, in song, percussion, jazz, capoeira, theatre, digital photography, making musical instruments and pattern cutting and sewing, amongst others. / OF INTEREST: The group is run exclusively by women and children and has received support from artists such as Caetano Veloso and Elba Ramalho. The group paraded with its first allegoric float in 1997; the theme was “Phobic” and consisted of life-size papier-mâché figures representing the artists Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil and Maria Bethânia. / HISTORY: The institution Didá was set up to improve women and children’s quality of life through art-education. It grew from a small group of women who played their first tambourines in the project’s headquarters. In January 1994 percussionist Neguinho do Samba encouraged the group to play at the Lavagem do Bonfim popular festival in a show in front of the Mercado Modelo. Didá’s first public appearance was a public sensation as women playing samba-reggae was such a novelty. One month later, when the singer Mariazinha invited the recently created Didá Banda Feminina to open the Salvador Carnival, the group paraded to its headquarters in Pelourinho. In 1995, Didá was organized as a small Afro group. Families, friends, students and women from the Historic Centre community took part. Amongst the themes already performed by the group in its Carnival parades are Tropicalism (1997), childhood (1999 and 2000) and the Baianas of acarajé (2001).

117


AFRO QUILOMBO ANO DE FUNDAÇÃO 14/04/1995

RAZÃO SOCIAL Entidade Cultural Afro Quilombo

ANO DE FUNDAÇÃO 05/03/1996

RAZÃO SOCIAL Grupo Cultural Agbara

HISTÓRICO O Afro Quilombo foi fundado por músicos que vieram de outros blocos (Olodum, Ilê Aiyê, Filhos de Gandhy e Muzenza). Eles decidiram resgatar a riqueza cultural do bairro criando um bloco afro, já que existiam blocos de outros gêneros na região. O primeiro desfile do bloco aconteceu no mesmo ano de fundação, com o tema “Oxóssi, caçador de uma só flecha”, e reuniu cerca de 1.200 pessoas.

ENDEREÇO Avenida Presidente Costa e Silva, nº 15, Dique do Tororó.

HISTÓRICO No início, o bloco era um grupo junino formado na Liberdade. Em 1999, o Agbara ficou em terceiro lugar como melhor bloco de Carnaval.

ENDEREÇO Fazenda Grande IV, bloco 54, Ap. 202, Setor V, Cajazeiras, Boca da Mata.

CURIOSIDADES Foi a primeira entidade carnavalesca afro do Tororó. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de artes plásticas, confecção, capoeira, dança e teatro. CIRCUITO Batatinha / Osmar PRESIDENTE Sandro Cavalcante Silva

118

AGBARA

CONTATOS (71) 8236-2256 / (71) 3384-7156 / (71) 8812-4106

AFRO QUILOMBO SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in fine art, production, capoeira, dance and theatre. / OF INTEREST: The first Carnival Afro organization from Tororó. / HISTORY: Afro Quilombo was founded by musicians from other Carnival groups (Olodum, Ilê Aiyê, Filhos de Gandhy and Muzenza). They decided to reclaim the cultural richness of the neighbourhood by creating an Afro group; other associations already existed in the area. The group’s first parade took place in the year of its foundation with the theme “Oxossi, the hunter with a single arrow” bringing together about 1,200 people.

CURIOSIDADES As fantasias são trocadas por alimentos que são doados para instituições beneficentes. A palavra “Agbara” significa “força”, “poder”, no idioma africano iorubá. AÇÕES SOCIAIS Cursos de dicção, capoeira, percussão, serigrafia e futebol. LOCAL DE ENSAIOS Largo do Setor V (Boca da Mata). PRESIDENTE Osmar de Oliveira

CONTATOS (71) 8817-7045 / (71) 3219-5927 / (71) 8782-6501 agbarabr@yahoo.com.br

AGBARA SOCIAL ACTIVITIES - Courses in diction, capoeira, percussion, silk-screen and football. OF INTEREST: Costumes are exchanged for food which is donated to charitable institutions. The word “Agbara” means “strength” or “power” in the African language Yoruba. HISTORY: Initially the group was set up in Liberdade to celebrate the June festivities. In 1999 Agbara reached third place in the best Carnival group competition.

119


MALCOLM X ANO DE FUNDAÇÃO 03/01/1997 HISTÓRICO O bloco, criado por um grupo de jovens, surgiu para expressar, durante o Carnaval, os problemas vividos pela comunidade negra da periferia de Salvador. CURIOSIDADES Em 2002, um grupo de turistas norte-americanos, impressionado com nome do bloco (que homenageia o grande líder da luta contra o racismo nos Estados Unidos), resolveu, em pleno desfile, comprar 200 camisas dos foliões do bloco. AÇÕES SOCIAIS Cursos profissionalizantes e cursos preparatórios para concurso, voltados para jovens do Subúrbio Ferroviário. LOCAL DE ENSAIOS Praça da Massaranduba (Cidade Baixa) e Clube Flamenguinho (Periperi). PRESIDENTE Luís Dias

OGUN XOROKÊ RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa Educacional Malcolm X ENDEREÇO Rua dos Bandeirantes, nº 49, 1º andar, Matatu de Brotas. CONTATOS (71) 9957-6684 / (71) 9986-0233 / (71) 9906-0685

MALCOLM X SOCIAL ACTIVITIES: Professional training courses and preparatory courses for public examinations for young people in Subúrbio Ferroviário. / OF INTEREST: In 2002 a group of north American tourists, impressed by the name of the group (which pays homage to the great leader of the struggle against racism in the United States) decided to buy 200 T-shirts from the groups’ participants in the middle of the Carnival parade. / HISTORY: The group, founded by young people, was set up to give expression to the problems experienced by the black community from Salvador’s poor suburbs during Carnival.

ANO DE FUNDAÇÃO 30/09/1997

RAZÃO SOCIAL Movimento Cultural Ogun Xorokê

HISTÓRICO O bloco surgiu com a idéia de Antônio Marcos Araújo de dar aulas de percussão e conscientização a crianças do município baiano de Vitória da Conquista (BA). O grupo de percussionistas-mirins logo começou a se apresentar nas festas de cidade. Em 2000, o bloco trouxe as crianças a Salvador para se apresentar na Lavagem do Bonfim e fez parcerias com diversos grupos comunitários, que geraram visitas constantes do grupo à capital. Em maio de 2008, o bloco se transferiu para Salvador. O primeiro desfile do Ogun Xorokê na micareta de Vitória da Conquista foi em 1997, e no Carnaval de Salvador foi em 2004.

ENDEREÇO Caminho 39, casa 16, Fazenda Grande IV, setor 4, Cajazeiras.

CURIOSIDADES Em 2008, o bloco fez uma apresentação dentro de uma igreja de Vitória da Conquista (BA). AÇÕES SOCIAIS Aula de percussão, capoeira e dança. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Maria das Graças Alves de Souza

120

CONTATOS (71) 3305-2157 / (71) 3305-2413 / (71) 8623-9128 xorokesim@yahoo.com.br

OGUN XOROKÊ SOCIAL ACTIVITIES: Percussion, capoeira and dance classes. / OF INTEREST: In 2008 the group gave a performance inside a church in Vitória da Conquista (BA). HISTORY: The group arose from Antônio Marcos Araújo’s idea of providing percussion and aware-raising for children from the Bahian municipality of Vitória da Conquista (BA). The child-percussionists immediately began to perform in that city’s festivities. In 2000, the group brought the children to Salvador to perform in the Lavagem do Bonfim popular festival and set up partnerships with various community groups which led to the group constantly visiting the state capital. In May 2008 the group was transferred to Salvador. Ogun Xorokê’s first parade in Vitória da Conquista’s micareta (a form of carnival festival which occurs outside the carnival period) was in 1997 and Salvador Carnival in 2004.

121


Foto - Robson Mendes - AGECOM

CORTEJO AFRO ANO DE FUNDAÇÃO 02/07/1998

RAZÃO SOCIAL Entidade Carnavalesca e Cultural Cortejo Afro

HISTÓRICO O Cortejo Afro nasceu dentro do terreiro Ilê Axé Oyá, no bairro de Pirajá, e surgiu da necessidade de reafirmação dos valores e aspectos da cultura negra na Bahia.

ENDEREÇO Rua Inácio Acioly, nº 27, Pelourinho.

CURIOSIDADES O bloco participou do projeto “Lama A Lâmina”, com o artista e performer Matthew Barney. AÇÕES SOCIAIS Cursos de dança, música, percussão, serigrafia e informática para a comunidade de Pirajá. LOJA Rua Inácio Acioly, 27, Pelourinho. LOCAL DE ENSAIOS Praça da Cruz Caída (Centro Histórico).

CONTATOS (71) 9134-2751 / (71) 8812-5012 / contato@cortejoafro. com.br / apitta73@hotmail.com / www.cortejoafro.com.br

CORTEJO AFRO SOCIAL ACTIVITIES: Courses in dance, music, percussion, silk-screen and IT for the community of Pirajá. / OF INTEREST: The group participated in the project “Lama A Lâmina” with the artist and performer Matthew Barney. / HISTORY: Cortejo Afro was founded within the Candomblé terreiro of Ilê Axé Oyá, in the Pirajá neighbourhood and emerged from the need to reaffirm values and aspects of black culture in Bahia.

PRESIDENTE Alberto Pita e Silva

122

123


ARCA DO AXÉ ANO DE FUNDAÇÃO 18/03/1999

RAZÃO SOCIAL Bloco Afro Arca do Axé

HISTÓRICO A Associação Cultural, Comunitária e Carnavalesca Arca do Axé e o Projeto Cultural Engenho dos Negros, nasceu em 20 de novembro de 1996, a partir de um grupo folclórico formado por artistas, professores e pessoas das comunidades de Beiru, Engomadeira e Cabula. Entre maio e julho de 2007, a Banda Arca do Axé gravou seu primeiro CD.

ENDEREÇO Travessa São Francisco, nº 214, Engomadeira.

AÇÕES SOCIAIS A escola comunitária, fundada há 14 anos, desenvolve educação infantil, alfabetização e cursos profissionalizantes para jovens e adultos. Conta também com horta comunitária, biblioteca e oficinas de dança afro, percussão, artesanato, máscaras, música, informática, audiovisual, idiomas e calçados. A associação também mantém grupos de manifestações folclóricas (capoeira, maculelê, bumbameu-boi, ala de baianas e banda de percussão), com a participação de adolescentes, jovens, adultos e idosos. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Domingos Sérgio Freitas Silva 124

ARCA DO AXÉ SOCIAL ACTIVITIES: The community school was founded 14 years ago and offers education for children, literacy and professional training courses for young people and adults. It also provides a community garden, library and workshops in Afro dance, percussion, handicrafts, mask-making, music, IT, audio-visual skills, language and footwear. The association also maintains groups who give folklore presentations (capoeira, maculelê, bumba-meu-boi, ala de baianas and a percussion band) with the participation of adolescents, young people, adults and the elderly. / OF INTEREST: In 2008 the group won the prize for best costume. The Banda Arca do Axé was previously called Lata de Manteiga, Arca do Saber and Igô Unlá. On 21st July, 2007 the group recorded the samba-reggae piece “Agosto de 1798” (written by Domingos Sérgio) on a bus, with tambourine, half-moon tambourine and agogô, playing percussion using the bus benches, window frames and floor. / HISTORY: The Cultural Community and Carnival Association Arca do Axé and the Cultural Project Engenho dos Negros were founded on 20th November, 1996 from a folkloric group made up of artists, teachers and members of the community from Beiru, Engomadeira and Cabula. The Banda Arca do Axé recorded its first CD between May and July 2007.

Foto - Divulgação

CURIOSIDADES Em 2008, o bloco ganhou o prêmio de melhor fantasia. A Banda Arca do Axé já se chamou Lata de Manteiga, Arca do Saber e Igô Unlá. No dia 21 de julho de 2007, o grupo gravou o samba-reggae “Agosto de 1798” (de autoria de Domingos Sérgio) dentro de um ônibus, com pandeiro, meia-lua e agogô, e fazendo percussão com os bancos, o aro das janelas e o piso de chapa do ônibus.

CONTATOS (71) 3383-3901 / (71) 8153-5527 / sergioicaro@bol.com.br arcadoaxe.axe@gmail.com www.arcaxe.gigafoto.com.br

125


KAYALA DA BAHIA ANO DE FUNDAÇÃO 24/12/1999

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural de Difusão Bloco Kayala da Bahia

HISTÓRICO Surgiu depois de um movimento cultural na comunidade Fazenda Coutos. Jovens da comunidade de Fazenda Coutos que desenvolviam trabalhos sócio-culturais em outras comunidades resolveram focar essas atividades em sua comunidade de origem.

ENDEREÇO Rua Deodoro da Fonseca, nº 52 E, Fazenda Coutos (1ª etapa).

AÇÕES SOCIAIS Cursos de percussão, dança e capoeira. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Jose Gilberto Santos Oliveira

126

CONTATOS (71) 8708-2691 / (71) 3217-1838 / (71) 3397-2131 tambores2005@bol.com.br / blocokayala@hotmail.com

KAYALA SOCIAL ACTIVITIES: Courses in percussion, dance and capoeira. / HISTORY: Emerged from a cultural movement in the community of Fazenda Coutos. Young people of the community of Fazenda Coutos who undertake socio-cultural work in other communities decided to focus their activities in their community of origin.

127


AFRO SOWETO ANO DE FUNDAÇÃO 10/03/2000

ENDEREÇO Rua José Geraldo Veloso Gordilho, nº 140, Uruguai.

ANO DE FUNDAÇÃO 06/05/2000

RAZÃO SOCIAL Grêmio Cultural Comunitário Carnavalesco Furacão Alegria

HISTÓRICO O fundador do bloco, Janílson Rodrigues Santos, também participou da fundação do Muzenza e percebeu que a comunidade do Uruguai precisava de uma entidade carnavalesca de matriz africana para preservar a cultura negra, maioria da população no local. A comunidade apoiou inteiramente a idéia do bloco, que teve seu primeiro desfile em 2003, com cerca de 2.000 abadás, sendo puxado pelo grupo de samba Viola de Doze.

CONTATOS (71) 3312-0452 / (71) 9935-2806 blocosoweto@hotmail.com / mundaoileaiye@hotmail.com

HISTÓRICO O Furacão Alegria teve início quando um grupo de amigos da comunidade de Portão, no município de Lauro de Freitas, decidiu contribuir para o desenvolvimento da qualidade de vida, oferecendo cursos profissionalizantes e aulas de percussão e artesanato. Com o passar do tempo, o campo de atuação do Furacão Alegria se ampliou e hoje abrange os bairros de Portão, Vale dos Lagos, Arenoso e Tancredo Neves.

ENDEREÇO Rua Carlos Fraga, nº 9, Arenoso, Tancredo Neves.

CURIOSIDADES O bloco tem alas especiais para portadores de deficiência em locomoção e para o grupo da terceira idade do Hospital Irmã Dulce, entre outras. A cada ano, o bloco homenageia uma pessoa de destaque no Carnaval de Salvador. Soweto é um bairro da África do Sul cujos moradores realizaram, em 1976, uma manifestação contra a morte de um garoto. PRESIDENTE Janílson Rodrigues Santos RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa Cultural e Carnavalesca Afro Soweto

128

FURACÃO ALEGRIA

AFRO SOWETO OF INTEREST: The group has special sections for the physically disabled and over 60s group from the Irmã Dulce Hospital, amongst others. Each year the group pays homage to a person of note in the Salvador Carnival. Soweto is a neighbourhood in South Africa whose residents took part in a demonstration against the death of a boy in 1976. HISTORY: The founder of the group, Janílson Rodrigues Santos, also participated in the foundation of Muzenza and noticed that the community of Uruguai needed a carnival organization with African roots to preserve black culture, which is the culture of the majority of the population in the area. The community wholly supported the idea of the group which had its first parade in 2003 with about 2,000 participants in carnival shirts, led by the samba group Viola de Doze.

CURIOSIDADES A maior parte da atual diretoria do bloco é formada por ex-alunos dos cursos e oficinas. AÇÕES SOCIAIS Cursos profissionalizantes e oficinas de percussão. LOCAL DE ENSAIOS Rua São Jorge, 15, Arenoso. PRESIDENTE Florenice Santos

CONTATOS (71) 3461-4794 / (71) 8112-4929 / (71) 9928-4581 luciasantana-ba@hotmail.com / santanalucia@uol.com.br

FURACÃO ALEGRIA SOCIAL ACTIVITIES: Professional training courses and percussion workshops. OF INTEREST: Most of the current board are ex-students from the courses and workshops. / HISTORY: Furacão Alegria began when a group of friends from the community of Portão in the municipality of Lauro de Freitas decided to contribute to improving the quality of life of their neighbours by offering professional training courses and percussion and handicraft classes. Over time, Furacão Alegria’s operational area has broadened and today encompasses the neighbourhoods of Portão, Vale dos Lagos, Arenoso and Tancredo Neves.

129


BANKOMA RAZãO SOCiAL Bloco Afro Bankoma ENdEREÇO Rua Queira Deus, nº 78, Portão, Lauro de Freitas, BA.

Foto -AGECOM

CONTATOS (71) 9226-4311 / (71) 3369-2085 bankomaportao@gmail.com

ANO dE FuNdAÇãO 15/05/2000 HiSTÓRiCO O bloco afro Bankoma surgiu a partir das oficinas de arte-educação desenvolvidas no Terreiro São Jorge Filho da Goméia, voltadas para os jovens e comunidade local. O bloco surgiu como uma forma de apresentar para a população o que era produzido dentro do terreiro. CuRiOSidAdES O bloco tem relações com 350 terreiros de candomblé, que participam do desfile no Carnaval. Em 2008, cerca de 80 quilombolas participaram pela primeira vez do Carnaval de Salvador. O primeiro desfile do bloco ocorreu na Lavagem de Portão, em Lauro de Freitas. “Bankoma” é uma palavra de origem banto que significa reunião de pessoas. 130

AÇÕES SOCiAiS Desde 2000, o bloco realiza oficinas de tecelagem, confecção de instrumentos musicais, dança afro, capoeira e percepção musical. Em 2005, a sede do bloco foi certificada como Ponto de Cultura e atualmente também oferece oficina de audiovisual. Todas as ações são abertas à comunidade.

BANKOMA SOCIAL ACTIVITIES: Since 2000 the group has undertaken workshops in weaving, production of musical instruments, Afro dance, capoeira and musical appreciation. In 2005 the headquarters of the group was designated a Ponto de Cultura (recognized place of cultural interest) and it also currently offers workshops in audiovisual skills. All these activities are open to the community. OF INTEREST: The group has ties with 350 Candomblé terreiros which participate in the Carnival parade. In 2008 about 80 quilombolas (members of quilombos - communities organized by runaway slaves) participated for the first time in the Salvador Carnival. The group’s first parade took place in the Lavagem de Portão popular festival in Lauro de Freitas. “Bankoma” is a word of Bantu origin which means a meeting of people. / HISTORY: The group Afro Bankoma came about from art-education workshops developed in the São Jorge Filho da Goméia Terreiro for the benefit of young people and the local community, which always focused on the question of cultural identity. The block began as a means of presenting what was produced in the terreiro to the population.

LOJA Kibantu, Pelourinho. LOCAL dE ENSAiOS Na sede do bloco. PRESidENTE Raimundo Nonato das Neves 131


CONEXÃO TRIBAL ANO DE FUNDAÇÃO 08/12/2000

ENDEREÇO Rua do Passo, nº 48, 2º andar, Centro Histórico.

HISTÓRICO Nascido em dezembro de 2000, o Conexão Tribal surgiu como consequência do projeto de Intercâmbio Étnico Cultural: Conexão Tribal. Após algumas parcerias com outros blocos de Salvador, tornou-se o Instituto Conexão Tribal. No Carnaval de 2010, o Conexão Tribal desfila com a participação de vários artistas e grupos de diferentes regiões e países, como baianos e amazonenses, além de africanos e caribenhos.

CONTATOS (71) 9615-7061 / conexaotribal@gmail.com

AÇÕES SOCIAIS Projeto Calourafro 2008, UFBA, MOJUBA & Instituto Conexão Tribal. Projeto: Bike Em Movimento - Setembro de 2009, Curso de Aux. Design e Produção de Carnaval, ICT, APAD, MEC - 2008 a 2009. PRESIDENTE Cícero Antônio da Silva RAZÃO SOCIAL Instituto Conexão Tribal ENDEREÇO Rua José Geraldo Veloso Gordilho, nº 140, Uruguai.

132

CONEXÃO TRIBAL [Tribal Connection] - SOCIAL ACTIONS: Calourafro 2008 Project [New Afro Artists], UFBA [Bahia Federal University], MOJUBA [Bahia Youth Movement] & Tribal Connection Institute. Project: Bike In Movement - September 2009, Course to Helpers for Design and Production of Carnival, ICT [Tribal Connection Institute], APAD [Association for Protection of Animals without Shelter], MEC [Ministry of Education and Science] - 2008 to 2009 / HISTORICAL DATA: Organized in December 2000, the Tribal Connection started as a consequence from the Ethnical-Cultural Interchange Project: Conexão Tribal. Upon some partnerships, with other blocks of Salvador, it became the Tribal Connection Institute. As from 2010, in the Carnival, the Tribal Connection joins the parade with the participation of several artists and groups of various regions and countries, such as groups belonging to the Bahia region and the Amazon, in addition to African and Caribbean groups.

Foto - Taiane Oliveira

133


MARACATU NAÇÃO ACASA ANO DE FUNDAÇÃO 05/04/2001

RAZÃO SOCIAL Bloco Afro de Maracatu Nação Acasa

HISTÓRICO O bloco surgiu a partir da ONG Associação Criança na Arte Sara Jane, que promove palestras e oficinas para as crianças e jovens. Em 2001, começaram as oficinas de percussão de maracatu de baque virado. O primeiro desfile do bloco foi realizado na Festa de Santa Bárbara, em 2002, com a participação dos alunos das oficinas acompanhados de seus pais.

ENDEREÇO Rua Direita do Santo Antônio, nº 60, Centro Histórico.

CURIOSIDADES As crianças e jovens atendidas pelo projeto têm idades entre quatro e 18 anos. AÇÕES SOCIAIS O bloco trabalha com as crianças da ONG Acasa, oferecendo desenvolvimento da arte através da musicalidade do maracatu. PRESIDENTE Sarajane Mendonça

CONTATOS (71) 3492-7331 / (71) 9125-2010 sarajane_sara@hotmail.com

MARACATU NAÇÃO ACASA SOCIAL ACTIVITIES: The group works with children from the NGO Acasa and offers development of art skills through the musicality of maracatu. OF INTEREST: The children and young people involved in the project are aged between 4 and 18 years old. HISTORY: The group grew from the NGO Associação Criança na Arte Sara Jane which provides lectures and workshops for children and young people. In 2001 workshops started in percussion for Maracatu de Baque Virado. The first parade took place in the popular festival of Santa Barbara in 2002 with the participation of pupils from the workshops accompanied by their parents.

Foto - Taiane Oliveira 134

135


A MuLHERAdA A MULhERADA SOCIAL ACTIVITIES: English classes and sociodigital inclusion. OF INTEREST: Rio de Janeiro singer, Sandra de Sá, has participated in this carnival group’s parade. Members of the group travelled to the United States in 2004. / HISTORY: The Mulherada Cultural and Carnival Community Association was formed in 1994 under the name Espaço Cultural Kallundu and is a non-profit, nongovernmental organization with municipal Public Utility Status and has the defence of the rights of Afro-descendant women and implementation of activities to combat racial and gender discrimination as its goal.

Foto - Divulgação

CONTATOS (71) 3321-5523 / (71) 3011-9529 / (71) 3481-2029 (71) 9925-9529 / (71) 9158-3853 mokalile@terra.com.br racanegritude@hotmail.com www.amulherada.com.br

136

ANO dE FuNdAÇãO 01/07/2001

AÇÕES SOCiAiS Aulas de inglês e de inclusão sócio-digital.

HiSTÓRiCO O Grêmio Comunitário Cultural e Carnavalesco A Mulherada, criado em 1994 sob a denominação de Espaço Cultural Kallundu, é uma entidade não governamental sem fins lucrativos, de utilidade pública municipal, que tem como finalidade a defesa dos direitos da mulher afro-descendente e desenvolve ações de combate à discriminação racial e de gênero.

LOCAL dE ENSAiOS Na sede do bloco.

CuRiOSidAdES A cantora carioca Sandra de Sá já participou do desfile do bloco. Integrantes do bloco viajaram em 2004 para os Estados unidos.

ENdEREÇO Rua do Tesouro, nº 39, 1º andar, Centro.

PRESidENTE Ana Paula Santos Cruz RAZãO SOCiAL Grêmio Comunitário Cultural Carnavalesco A Mulherada

137


MANGANGÁ ANO DE FUNDAÇÃO 10/11/2001

ENDEREÇO Rua Professor Soeiro, nº 18, Pau Miúdo.

ANO DE FUNDAÇÃO 04/03/2002

PRESIDENTE Roque Carvalho dos Santos

HISTÓRICO A idéia do bloco surgiu do fundador-presidente Tonho Matéria, que é mestre de capoeira e resolveu criar um bloco para que capoeiristas e não-capoeiristas participassem do Carnaval. O nome surgiu por causa do mestre Besouro Mangangá (1897-1924), um capoeirista que viveu em Santo Amaro.

CONTATOS (71) 3256-9806 / (71) 3351-7333 tmmanganga@hotmail.com blocoafromanganga@hotmail.com

HISTÓRICO No início, a idéia dos músicos era formar uma banda com integrantes jovens de diversos lugares da cidade. O projeto acabou se transformando em um bloco infantil, que surgiu da necessidade das crianças carentes poderem participar do Carnaval.

RAZÃO SOCIAL Bloco Infantil Rhataplan

CURIOSIDADES Mais de 3.000 pessoas participaram do primeiro desfile do bloco, em 2008. As fantasias são trocadas por alimentos, que são doados para associações beneficentes da cidade. AÇÕES SOCIAIS Aulas de capoeira, artesanato e de reforço escolar e prévestibular. PRESIDENTE Antonio Carlos Gomes Conceição RAZÃO SOCIAL Associação Sócio-cultural e de Capoeira Bloco Carnavalesco Afro Mangangá

138

RHATAPLAN

MANGANGÁ SOCIAL ACTIVITIES: Classes in capoeira and handicrafts, supplementary school lessons and university preparation courses. / OF INTEREST: More than 3,000 people participated in this carnival group’s first parade in 2008. Costumes are exchanged for food which is donated to charitable associations across the city. / HISTORY: The idea of the group came from its founder-president Tonho Matéria who is a capoeira master and decided to create a group so that capoeiristas and non-capoeiristas could participate in Carnival. The name comes from Master Besouro Mangangá (1897-1924), a capoeirista who lived in Santo Amaro.

CURIOSIDADES De acordo com os dirigentes do bloco, a palavra “rataplã” tem a ver com a parte mais sensível dos tambores, e é usada como nome do bloco em alusão ao bater do coração das crianças. AÇÕES SOCIAIS O bloco leva crianças em situação de risco para participar do Carnaval.

ENDEREÇO Rua da Glória, nº 334, Capelinha de S. Caetano. CONTATOS (71) 3303-5197 / (71) 8746-1574 / rhataplan@bol.com.br

RHATAPLAN SOCIAL ACTIVITIES: The group enables children at risk to participate in Carnival. / OF INTEREST: According to the group’s directors the word “rataplã” refers to the most sensitive part of the tambour drum and is used by the group as an allusion to children’s heartbeats. / HISTORY: At the beginning the musicians had the idea of forming a band of young people from various parts of the city. The project was transformed into a children’s group due to the need for deprived children to be able to participate in Carnival.

139


JOGO DE IFÁ ANO DE FUNDAÇÃO 20/05/2002

PRESIDENTE Valter José Santos Cruz

ANO DE FUNDAÇÃO 22/05/2002

RAZÃO SOCIAL Bloco Afro e Recreativo Relíquias Africanas

HISTÓRICO O bloco surgiu a partir do grupo de teatro Frutos do Amanhã, com o objetivo de lutar contra o racismo e valorizar a cultura dos antepassados.

RAZÃO SOCIAL Grupo Afro e Carnavalesco Jogo de Ifá

HISTÓRICO A idéia de fundar o bloco partiu de uma baiana de acarajé, que compartilhou seu sonho com alguns amigos. Pouco tempo depois, nascia o bloco Relíquias Africanas.

ENDEREÇO Conjunto Habitacional Metrô I, nº 31, Campina de Pirajá.

CURIOSIDADES O bloco foi campeão na categoria afro em dois Carnavais consecutivos (2004 e 2005). “Jogo de Ifá” significa “jogo de búzios”. AÇÕES SOCIAIS Cursos pré-vestibular e de informática. Aulas de dança afro e dança contemporânea, de percussão e de estética afro. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco.

140

RELIQUIAS AFRICANAS

ENDEREÇO Travessa Cambira, nº 43, 1º andar, Cosme de Farias. CONTATOS (71) 8781-2423 / (71) 8125-0942

CURIOSIDADES A primeira lavagem da comunidade de Campinas de Pirajá foi organizada pelo bloco.

JOGO DE IFÁ

AÇÕES SOCIAIS Escola de futebol e oficinas de capoeira, teatro e serigrafia.

SOCIAL ACTIVITIES: University preparation and IT courses. Classes in Afro and contemporary dance, percussion and Afro beauty. / OF INTEREST: The group was the Afro category champion in two consecutive Carnivals (2004 and 2005). “Jogo de Ifá” means jogo de búzios (conch-shell divination). / HISTORY: The group originated from the theatre group Frutos do Amanhã with the objective of fighting racism and valuing ancestral culture.

LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Lélia Maria dos Santos.

CONTATOS (71) 8831-2528 / (71) 3293-4377 relíquias_africanas@hotmail.com jssjgomes@hotmail.com

RELÍQUIAS AFRICANAS SOCIAL ACTIVITIES: Football school and workshops in capoeira, theatre and silk-screen. / OF INTEREST: The group organized the first lavagem (popular festival) of the Campinas de Pirajá community. / HISTORY: The idea of founding the group came from a Baiana of acarajé who told some friends about her dream. Sometime later the Relíquias Africanas group was born.

141


BLOCO OFICINA ANO DE FUNDAÇÃO 2/02/2003 HISTÓRICO A preocupação com o desenvolvimento educacional das crianças da comunidade do Centro Antigo foi o fator principal que levou à fundação do Grupo Oficina, que trabalha com o resgate de cantigas de roda e antigas brincadeiras infantis. O bloco surgiu com o objetivo de expor o trabalho desenvolvido pela comunidade durante o Carnaval. CURIOSIDADES O desfile do bloco conta com a participação da banda mirim do Cortejo Afro. Os abadás são distribuídos gratuitamente para mais de 200 crianças de vários bairros da cidade. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de pintura e de catavento. LOCAL DE ENSAIOS Praça do Reggae (Pelourinho). PRESIDENTE Altamira Pita e Silva

142

CORISCO RAZÃO SOCIAL Grupo Sócio-cultural e Carnavalesco Oficina Cultural da Brincadeira & Bloco Oficina ENDEREÇO Largo do Pelourinho, nº 16, 2º andar, Ap. 202, Centro Histórico. CONTATOS (71) 3481-8383 / (71) 9612-4499 icsorapaf@hotmail.com

BLOCO OFICINA SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in painting and making wind-mills. / OF INTEREST: The group’s carnival parade includes participation by Cortejo Afro’s children’s band. Carnival shirts are distributed free of charge to more than 200 children in various neighbourhoods across the city. / HISTORY: A preoccupation with the educational development of children from the Historic Centre was the principle factor leading to the foundation of the Grupo Oficina which works for the reclamation of circle songs and old children’s games. The group was set up with the objective of exhibiting work developed by the community during Carnival.

ANO DE FUNDAÇÃO 08/03/2003

ENDEREÇO Rua Meireles, nº 81, Pero Vaz.

HISTÓRICO Um ano após o sucesso de sua música, o compositor José Ossilan criou a banda Corisco. Doze anos após a criação da banda, Ossilan resolveu fundar um bloco com o mesmo nome para disseminar a cultura afro. Em 2004, o bloco realizou seu primeiro desfile que contou a participação de diversas bandas de outros blocos.

CONTATOS (71) 9916-1276 / (71) 3385-1723 blococorisco@bol.com.br

CURIOSIDADES A criação do bloco foi inspirada por uma composição de José Olissan e Domingos Sérgio gravada pelo Olodum, “Revolta Olodum”, a música mais tocada no Carnaval de 1990, que diz: “Ô corisco, / Maria Bonita mandou te chamar”. Leci Brandão e Gal Costa estão entre as personalidades que já desfilaram no bloco. PRESIDENTE Manoel Cardoso Nascimento RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Comunitária e Carnavalesca Corisco

CORISCO OF INTEREST: The creation of the group was inspired by a composition by José Olissan and Domingos Sérgio which was recorded by Olodum, “Revolta Olodum”, the music played most frequently in the 1990 Carnival and which includes the words: “Oh corisco (spark), / Maria Bonita asked [me] to call you”. Amongst the celebrities that have joined the group’s Carnival parade are Leci Brandão and Gal Costa. / HISTORY: One year after the success of his song, composer José Ossilan created the band Corisco. Twelve years after the band’s creation Ossilan decided to found a carnival group with the same name in order to disseminate Afro culture. In 2004 the group undertook its first Carnival parade which included participants from various other bands and Carnival groups.

143


MONAS ODARA ANO DE FUNDAÇÃO 18/05/2003

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco e Cultural Monas Odara

HISTÓRICO O núcleo inicial do bloco existe desde 1985, com um grupo de pessoas da comunidade que se reuniram com o objetivo de promover a valorização da mulher. Antes, o nome do bloco era As Taludas e realizava o desfile na Lavagem do Coroado (festa da comunidade do bairro de São Marcos). Em 2003, o bloco ganhou o nome atual e passou a desfilar na festa da Mudança do Garcia.

ENDEREÇO Rua dos Nambus, nº 33, Canabrava.

Foto - Divulgação

CURIOSIDADES Desde a década de 80, as funções das dirigentes do bloco são passadas de mães para filhas. “Monas Odaras” é uma expressão iorubá que significa algo como “mulheres belas”. O bloco enfrentou dificuldades econômicas nos primeiros anos: apesar de ter sido fundado em 2003, só realizou o primeiro desfile no Carnaval de 2008.

144

AÇÕES SOCIAIS Oficinas de hip-hop, dança afro, percussão, produção cultural, entre outras. PRESIDENTE Luanda Fonseca Barbosa

CONTATOS (71) 3360-6460 / (71) 8703-8965 / lulih.tona@bol.com.br veraodara@bol.com.br

MONAS ODARA SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in hip-hop, Afro dance, percussion, cultural productions, amongst others. / OF INTEREST: Since the 1980s the role of director has passed from mother to daughter. “Monas Odaras” is a Yoruban expression meaning something similar to “beautiful women”. The group experienced economic difficulties in its first years: despite having been founded in 2003, it only undertook its first Carnival parade in 2008. / HISTORY: The initial nucleus of the group has existed since 1985 and was made up of a group of people from the community who came together to promote respect for women. The previous name of the group was As Taludas and used to parade in the Lavagem do Coroado (a community festival in the neighbourhood of São Marcos). In 2003 the group took on its current name and started to parade in the Mudança do Garcia festival.

145


CHABISC ANO DE FUNDAÇÃO 10/06/2003

RAZÃO SOCIAL Grupo Cultural e Carnavalesco Chabisc

HISTÓRICO O fundador do Chabisc, Valdivino Brito, desenvolvia na comunidade de São Cristovão atividades como capoeira, samba de roda e percussão. Reunido com alguns amigos, surgiu a idéia de um bloco que pudesse desenvolver ações de cunho social para a comunidade, focando suas ações na inclusão dos jovens no mundo musical.

ENDEREÇO Rua Bela Vista, n º 88, São Cristovão.

CURIOSIDADES “Chabisc” é sigla de Centro Habitacional Sócio-Cultural. Ao longo dos anos, o bloco proporcionou uma ocupação a diversos jovens da comunidade de São Cristóvão, através da música e da dança afro. AÇÕES SOCIAS Escola de percussão, dança e canto. LOCAL DE ENSAIOS Praça do São Cristovão (em frente à igreja). PRESIDENTE Valdivino Clemente Brito

146

CONTATOS (71) 3251-1246 / (71) 9254-2277 / (71) 3275-3674 grupoculturalchabisc@hotmail.com

CHABISC SOCIAL ACTIVITIES: School of percussion, dance and singing. / OF INTEREST: “Chabisc” is an acronym for Socio-Cultural Housing. Over the years the group has provided an occupation for various young people from the community of São Cristóvão through music and Afro dance. / HISTORY: The founder of Chabisc, Valdivino Brito, developed activities such as capoeira, samba de roda and percussion within the São Cristóvão community. Reunited with some friends, he came up with the idea of a group which could develop activities of a social nature for the community, focusing on projects for the inclusion of young people in the world of music.

Foto - Divulgação

147


ÁFRICA BAHIA ANO DE FUNDAÇÃO 30/08/2003

RAZÃO SOCIAL Associação Comunitária e Carnavalesa África Bahia

ANO DE FUNDAÇÃO 05/01/2004

ENDEREÇO Travessa da paz, nº 42 E, 1º andar, Rio Sena.

HISTÓRICO A Associação Comunitária e Carnavalesca África Bahia foi fundada por um grupo de amigos da comunidade da Rua das Palmeiras, no Bairro do Beirú, com o nome fantasia Bloco Afro África Bahia. Ao longo de sua existência, a entidade vem desenvolvendo a cultura e combatendo a desigualdade e o racismo através da promoção de trabalhos culturais.

ENDEREÇO Rua das Palmeiras, nº 102 E, Beirú.

HISTÓRICO O bloco foi criado por um grupo de amigos visando suprir a falta de um bloco carnavalesco voltado para a causa ambiental.

CONTATOS (71) 3218-2299 / (71) 9991-9908 blocoambiental@yahoo.com.br

CURIOSIDADES O primeiro desfile do bloco ocorreu em 2006, com o tema “Filhos de Ogun com Iansã”. Em 2007 e 2008, o tema foi “Filhos de Odé com Oxum”. Em 2009, o tema foi “Oloroni Soró”, termo iorubá que significa “todos estão em festa”. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de artesanato, percussão, dança afro, manutenção de instrumento e penteado afro. LOCAL DE ENSAIOS Rua Pernambuco (ao lado do centro de saúde do Beirú) PRESIDENTE Jairo Augusto Jesus de Oliveira

148

AMBIENTAL E ECOSISTEMA

CONTATOS (71) 3461-2933 / (71) 8159-2321 africanabahiajajomaravilhoso@yahoo.com.br

ÁFRICA BAHIA SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in handicrafts, percussion, Afro dance, instrument maintenance and Afro hair-dressing. / OF INTEREST: The group’s first Carnival parade was in 2006 with the theme “Filhos de Ogun com Iansã” (Sons of Ogun with Iansã – Candomblé gods). In 2009 the theme is “Oloroni Soró”, a Yoruban term meaning “everyone’s at the festival”. / HISTORY: The Carnival and Community Association África Bahia was founded by a group of friends from the community of Rua das Palmeiras, in the neighbourhood of Beiru, with the stage name Bloco Afro África Bahia. Throughout its existence the organization has developed cultural activities and fought against inequality and racism by promoting cultural works.

AÇÕES SOCIAIS O bloco promove a Caminhada do Povo de Santo, em defesa das religiões de matriz africana e a Caminhada do Dia do Meio Ambiente. PRESIDENTE Jaise dos Santos Dias RAZÃO SOCIAL Bloco Ambiental Ecossistema

AMBIENTAL E ECOSISTEMA SOCIAL ACTIVITIES: The group promotes the Caminhada do Povo de Santo (a people’s demonstration) in defence of religions with African roots and the Caminhada do Dia do Meio Ambiente (a parade for Environment Day). / HISTORY: The group was set up by a group of friends in order to make up for the lack of a Carnival group which focuses on the environmental cause.

149


KiZuMBA

KiZuMBA ANO dE FuNdAÇãO 06/01/2004

RAZãO SOCiAL Associação Cultural e Carnavalesca Bloco Afro Kizumba

HiSTÓRiCO O Bloco Carnavalesco Kizumba realiza pesquisas no campo da arte, da educação e do entretenimento. Criada em 1982 pelo mestre de percussão e sopros Bira Reis, a banda IlúBatá, que deu origem ao bloco, desenvolve um repertório calcado na cultura afro-brasileira, fundindo ritmos como maracatu, funk, hip-hop e fazendo releituras de temas de sambas de roda, chulas, baião e do candomblé jeje-nagô.

ENdEREÇO Rua Portas do Carmo, nº 24, Pelourinho.

CuRiOSidAdES O bloco se diferencia por tocar música instrumental e pesquisar novos ritmos, timbres e instrumentos musicais. No Carnaval, costuma apresentar músicos convidados de outros países e estados do Brasil. AÇÕES SOCiAiS Cursos de percussão, dança e fabricação de instrumentos musicais, alegorias e fantasias. As crianças e jovens em situação de risco passam, após um tempo nos cursos, a compor o Bloco Kizumba.

Foto - Divulgação

LOJA Oficina de Investigação Musical (Rua Portas do Carmo, 24, Pelourinho. LOCAL dE ENSAiOS Ruas do Centro Histórico e sede.

KiZuMBA

KiZuMBA

CONTATOS (71) 3322-2386 / (71) 3326-6458 / (71) 9154-3317 birareis@hotmail.com

KIZUMBA SOCIAL ACTIVITIES: Courses in percussion, dance and the manufacture of musical instruments, allegories and costumes. After a certain amount of time attending courses, children and young people at risk join the Carnival Group Kizumba. / OF INTEREST: The group is unusual for playing instrumental music and for researching new rhythms, tones and musical instruments. In Carnival the group usually presents musicians from other countries and states of Brazil. / HISTORY: The Carnival Group Kizumba undertakes research in the field of art, education and entertainment. Set up in 1982 by the Master of percussion and wind instruments, Bira Reis, the Ilú-Batá band, which has its origin in the group, has developed a repertoire rooted in Afro-Brazilian culture, incorporating rhythms such as maracatu, funk and hip-hop and re-examining the themes of samba de roda, chulas, baião and Jeje-Nagô Candomblé

PRESidENTE Bira Reis

151

150

Foto - Taiane Oliveira


OS GUERREIROS DA PAZ ANO DE FUNDAÇÃO 31/01/2004 HISTÓRICO A idéia da agremiação nasceu na cidade de Alagoinhas e como seu idealizador não conseguiu fundá-lo no interior, veio para a capital no início da década de 1990, com o objetivo de fundar um bloco que pregasse a paz e a preservação da natureza. Durante 10 anos, o bloco só realizou atividades dentro da comunidade. Em 2004, realizou seu primeiro desfile no Carnaval, com o tema “Rio São Francisco”. CURIOSIDADES No seu primeiro Carnaval, o bloco ainda não tinha nome, fantasias nem estrutura, mas desfilou mesmo assim. AÇÕES SOCIAS Oficinas de artesanato e de esporte. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE José dos Santos

152

RAZÃO SOCIAL Bloco Cultural Recreativo e Carnavalesco Afro Os Guerreiros da Paz ENDEREÇO Rua São Paulo, nº 45 E, Nova Constituinte, Periperi. CONTATOS (71) 8194-6534

OS GUERREIROS DA PAZ SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in handicrafts and sport. / OF INTEREST: In their first Carnival the group had neither a name, costume or structure but entered the parade nevertheless. / HISTORY: The idea of the association came from the city of Alagoinhas but as its creator was not able to found the group in the interior and came to the capital at the beginning of the 1990s to found a group which advocated peace and nature conservation. For 10 years the group undertook activities within the community. In 2004 it made its first Carnival parade with the theme “Rio São Francisco”.

153


AFRO BOGUN ANO DE FUNDAÇÃO 13/10/2004

RAZÃO SOCIAL Centro Cultural e Recreativo Bombocado

HISTÓRICO Os fundadores já desenvolviam um trabalho com uma banda de pagode quando decidiram fundar o bloco. Em 2006, aconteceu o primeiro desfile do bloco, com cerca de 500 pessoas e abadás distribuídos gratuitamente para pessoas da comunidade.

ENDEREÇO Rua das Palmeiras, nº79, Engenho Velho da Federação.

CURIOSIDADES O nome do bloco foi inspirado no Terreiro Afro Bogun. A comunidade onde o bloco surgiu, o Engenho Velho da Federação, era um antigo engenho de cana-de-açúcar que se tornou um quilombo. Conta-se que Joaquim Jêje, herói do movimento da insurreição popular conhecida como Revolta dos Malês (1835), teria enterrado na região um baú (chamado de “bogum”), no qual estariam todas as suas riquezas. AÇÕES SOCIAIS Aula de percussão, dança, artesanato e iniciação musical. LOCAL DE ENSAIOS Engenho Velho da Federação (final de linha).

AFRO BOGUN SOCIAL ACTIVITIES: Classes in percussion, dance, handicrafts and beginner music classes. / OF INTEREST: The name of the group was inspired by the Afro Bogun Candomblé Terreiro. The community where the group was set up, Engenho Velho da Federação, was an old sugar-cane mill which became a quilombo (a community organized by runaway slaves). It is said that Joaquim Jêje, a hero of the popular insurrection known as the Malês Revolt (1835), buried a trunk (called a bogun) filled with all his riches in the locale. / HISTORY: The founders were already working with a pagode band when they decided to found the group. In 2006 the group made its first parade with approximately 500 party-goers and carnival shirts were distributed free of charge to people from the community.

Foto - Divulgação

PRESIDENTE Hernandes Chaves Neri

CONTATOS (71) 8807-3279 / (71) 3484-6762 afrobogum@hotmail.com

154

155


AMULETO ANO DE FUNDAÇÃO 20/10/2004

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Carnavalesca Amuleto

ANO DE FUNDAÇÃO 20/11/2004

PRESIDENTE Jandira Silva de Jesus

HISTÓRICO O bloco surgiu a partir da ONG Amuleto, que desde 2000 desenvolve trabalhos com jovens, adolescentes e mulheres da comunidade. Os moradores da região sempre pediam aos diretores da entidade que criassem um bloco para que eles pudessem desfilar no Carnaval. Como a ONG já desenvolvia oficinas de percussão e dança com os jovens, em 2005 os dirigentes começaram a buscar parcerias com outras entidades carnavalescas para estruturar o bloco. No ano seguinte, o bloco Amuleto realizou seu primeiro desfile, com cerca de 70 jovens músicos e 600 foliões da comunidade.

ENDEREÇO Avenida Gomes Brandão, nº 73, Garcia.

HISTÓRICO A iniciativa de fundar o bloco partiu da líder comunitária Jandira Silva, que reuniu as mulheres da comunidade com o intuito de atender aos anseios sociais e culturais da população. O bloco desfilou pela primeira vez em 2007, com o tema “Mulher Negra, resistência e força na preservação da raça” e cerca de 600 pessoas, em sua maioria mulheres.

RAZÃO SOCIAL Associação Beneficente e Cultural e Carnavalesca Bloco Dandara

CURIOSIDADES A associação já atendeu mais de 1000 jovens da comunidade. AÇÕES SOCIAIS Realiza oficinas de dança, percussão e informática, além de realizar seminários semanais sobre uso de drogas, violência doméstica e doenças sexualmente transmissíveis. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Ana Verena Cerqueira Bach

156

DANDARA

CONTATOS (71) 3326-5944 / (71) 3242-3070 / (71) 3242-9794

AMULETO SOCIAL ACTIVITIES: Undertakes workshops in dance, percussion and IT, as well as weekly seminars about drugs, domestic violence and sexually transmitted diseases. / OF INTEREST: The association has already worked with more than 1,000 young people from the community. / HISTORY: The group came about through the NGO Amuleto which has worked with young people, adolescents and women from the community since 2000. Local residents were always asking the directors of the organization to set up a Carnival group so that they could parade in Carnival. As the NGO was already giving percussion and dance classes to young people. In 2005 the directors began to seek partnerships with other carnival organizations to help structure the group. In the following year the Amuleto group held its first parade with about 70 young musicians and 600 party-goers from the community.

CURIOSIDADES Para homenagear a liderança feminina na comunidade e na história do povo africano, as fundadoras do bloco decidiram batizá-lo com o nome de Dandara, que foi uma das mulheres do líder negro Zumbi dos Palmares (1955-1695). AÇÕES SOCIAIS Palestras, seminários, festivais de dança, aulas de dança afro e capoeira. LOCAL DE ENSAIOS Sede ou na Praça do Reggae (Pelourinho).

ENDEREÇO Rua Marechal Dutra, 273 E, São Caetano. CONTATOS (71) 8807-1907 / (71) 9171-8534 blocodandara@ig.com.br

DANDARA SOCIAL ACTIVITIES: Lectures, seminars, dance festivals, classes in Afro dance and capoeira. / OF INTEREST: In order to pay homage to the female leadership of the community and history of African peoples, the group’s founders decided to baptise it Dandara, who was one of the wives of black leader Zumbi dos Palmares (1655-1695). / HISTORY: The initiative for founding the group came from the community leader Jandira Silva, who brought together women from the area in order to consider the population’s social and cultural anxieties. The group’s first parade was in 2007 with the theme “Black Woman, resistance and strength in the preservation of the race”; about 600 people took part, mostly women.

157


GINGA DO NEGRO ANO DE FUNDAÇÃO 01/12/2004

ENDEREÇO Av. Heitor Dias , nº 118, casa 16, Cidade Nova.

HISTÓRICO O Bloco Afro Ginga do Negro nasceu de um grupo de teatro que representava comédias folclóricas e espetáculos de dança.

CONTATOS (71) 8121-0399 / culturaafoxe@bol.com.br

CURIOSIDADES O bloco teve influência do Carnaval carioca em sua criação. PRESIDENTE Rosenéia Mafalda do Espírito Santo Cruz

GINGA DO NEGRO OF INTEREST: The group’s creation was influenced by the Rio de Janeiro Carnival. / HISTORY: The Afro Ginga do Negro group grew from a theatre group which staged folklore comedies and dance shows.

158

Foto - Divulgação

RAZÃO SOCIAL Associação Carnavalesca Bloco Afro Ginga do Negro

159 Foto - Divulgação


Foto - Divulgação

BIG BLOCO DO GUETO ANO DE FUNDAÇÃO 20/08/2005

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural e Carnavalesca Big Bloco do Gueto

HISTÓRICO A Associação Cultural e Carnavalesca Big Bloco do Gueto foi criada visando oferecer aos jovens da comunidade de baixa renda do Bairro de Pernambués a oportunidade de desfilar em um bloco no Carnaval de Salvador.

ENDEREÇO Rua Manuel Pedrão, nº 7, Pernambués.

CURIOSIDADES Participou das edições 2007 e 2008 da Parada Gay de Salvador. AÇÕES SOCIAIS Mantém o projeto Ouvindo e Aprendendo, realizado com alunos do ensino médio da comunidade de Pernambués. LOJA Pernambués Center (Rua Tomás Gonzaga, Pernambués). PRESIDENTE Tiago Santos Conceição

160

CONTATOS (71) 3460-4069 / (71) 9609-1741 bbgbigbloco@hotmail.com / www.bbg.org.br

BIG BLOCO DO GUETO SOCIAL ACTIVITIES: They support the Listening and Learning project which takes place with the participation of secondary school students from the community of Pernambués. / OF INTEREST: They took part in the 2007 and 2008 Gay Parades of Salvador. / HISTORY: The Cultural and Carnival Association Big Bloco do Gueto was set up in order to offer young people from the low income community in the neighbourhood of Pernambués the opportunity to parade in a group in the Salvador Carnival.

161


MAMULENGO DA BAHIA

SWING DO PELÔ ANO DE FUNDAÇÃO 16/11/2005

RAZÃO SOCIAL Associação Carnavalesca Swing do Pelô

ANO DE FUNDAÇÃO 19/09/2005

RAZÃO SOCIAL Grupo de Cultura e Entretenimento Mamulengo da Bahia

HISTÓRICO Na década de 1980, os fundadores do bloco desenvolviam oficinas de música com crianças do Pelourinho, que tocavam percussão em instrumentos improvisados com latas. Em 1985, eles tiveram a idéia de criar a banda Swing do Pelô com os alunos das oficinas. A iniciativa despertou o interesse de jovens de outros bairros da cidade e o projeto contabilizou 150 crianças participantes. No Carnaval de 2000, Ivan Santana decidiu criar o bloco Swing dos Tambores com os jovens que participavam do projeto.

ENDEREÇO Rua Frei Vicente, nº 15, Pelourinho.

HISTÓRICO O grupo foi fundado na Escola de Teatro da UFBA e existe desde 1975. No início, desenvolvia atividades apenas com bonecos pequenos. Em 1986, o idealizador do bloco trouxe um bonequeiro de Pernambuco para dar aulas ao grupo sobre a confecção dos bonecos de Olinda. A partir de 1987, o grupo desfilou em diversos blocos do Carnaval com seus bonecões, sempre homenageando personalidades, até que em 2005 os dirigentes resolveram fundar um bloco próprio para o grupo desfilar com os bonecões.

ENDEREÇO Largo do Pelourinho, nº 9.

CURIOSIDADES Muitas das crianças que começaram a aprender percussão no projeto estão tocando no exterior, hoje já adultas e alguns com formação em música. AÇÕES SOCIAIS Oferece aulas de percussão e oficinas profissionalizantes para jovens de 16 a 21 anos. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Ivan Santana de Souza

CONTATOS (71) 9998-4382 / (71) 8773-3396 swingdopelo@hotmail.com

SWING DO PELÔ SOCIAL ACTIVITIES: Offers classes in percussion and professional training workshops for young people aged 16 to 21 years old. / OF INTEREST: Many of the children who began learning percussion in the project are now adults and some have graduated in music and performed abroad. / HISTORY: In the 1980s the founders of the group held music workshops for children from Pelourinho who used to play percussion on improvised instruments using tin cans. In 1985 they had the idea of setting up the band Swing do Pelô with students from the workshops. The initiative caught the interest of young people from other neighbourhoods and the project grew to 150 participants. In the 2000 Carnival Ivan Santana decided to create the Swing dos Tambores Carnival group with young people who had participated in the project.

CURIOSIDADES É o único bloco da Bahia composto apenas de bonecões. São 100 bonecões que desfilam pelas ruas de Salvador, do Campo Grande à Praça da Sé, com a participação de uma banda de sopro. Os bonecões representam figuras ilustres da história e da cultura, como Chaplin, Mandela, Gandhi, Caetano Veloso, Jorge Amado e Dona Canô. Já se apresentaram em diversos estados do país. AÇÕES SOCIAIS Em 2008, o bloco começou o Projeto Mamulengo na Favela, que visa realizar oficinas de bonecos nas comunidade de São Tomé e do Quilombo do Tubarão. LOCAL DE ENSAIOS Terreiro de Jesus. PRESIDENTE Elias Bonfim dos Santos

162

CONTATOS (71) 8802-4657 / (71) 8802-1899 / (71) 8811-6207 mamulengodabahia@ig.com.br

MAMULENGO DA BAHIA SOCIAL ACTIVITIES: In 2008, the group began the Project Mamulengo na Favela, which holds workshops in puppet making in the communities of São Tomé and Quilombo do Tubarão. / OF INTEREST: It is the only Carnival group in Bahia solely made up of puppets. There are 100 puppets which parade in the streets of Salvador, from Campo Grande to Praça da Sé, accompanied by a band of wind instruments. The puppets represent illustrious figures from history and culture, such as Chaplin, Mandela, Gandhi, Caetano Veloso, Jorge Amado and Dona Canô. They have performed in various other states across the country. / HISTORY: The group was founded from the UFBA School of Theatre and has existed since 1975. In the beginning they only undertook activities with small puppets. In 1986 the group’s creator brought a giant puppet from Pernambuco to use in classes on how to make the puppets of Olinda. Since 1987, the group has paraded in various Carnival groups with their puppets, always paying homage to celebrities. In 2005 the directors decided to found their own group to parade with the giant puppets.

163


AFRO LIBERDADE

EXPRESSÃO NEGRA

ANO DE FUNDAÇÃO 3/12/2006

PRESIDENTE Osvaldo Francisco Aquino Ventura (Osvaldo Bailado)

ANO DE FUNDAÇÃO 04/12/2006

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Expressão Negra

HISTÓRICO O fundador do bloco participou do Ilê Aiye, do Muzenza, do Araketu e do Olodum, e resolveu fundar um outro bloco. O bloco fez sua primeira apresentação numa festa de Santa Bárbara (4 de dezembro), no Mercado de São Miguel.

RAZÃO SOCIAL Instituto Sócio-cultural Bloco Afro Liberdade

ENDEREÇO Rua Santo Antonio de Pádua, nº 52, Samarandaia.

CURIOSIDADES O nome do bloco homenageia o bairro da Liberdade. Durante o ano são realizados apenas três apresentações no local de ensaio, as outras ocorrem nas comunidades.

CONTATOS (71) 9115-2235 / (71) 8757-8492

HISTÓRICO A fundadora do bloco, Nildes Vieira, formada em Interpretação pela Escola de Teatro da Bahia, sempre se engajou socialmente no bairro de Saramandaia, onde mora. Desde 1986 ela realizava oficinas com jovens e crianças da região. Em 2006 ela e Antonio Rasta, da banda Chamego Afro, se uniram para dar início ao bloco Expressão Negra, que atualmente conta com a participação de 200 foliões, entre crianças, jovens e adultos, homens e mulheres que recebem gratuitamente a fantasia para curtir o Carnaval.

AÇÕES SOCIAIS O bloco apóia as reivindicações da comunidade através da rádio comunitária Afro FM. LOCAL DE ENSAIOS Estacionamento do Mercado São Miguel, Baixa dos Sapateiros

ENDEREÇO Av. Natal, nº 26 E, São Caetano.

AFRO LIBERDADE SOCIAL ACTIVITIES: The group supports the reinvigoration of the community via a community radio, Afro FM. / OF INTEREST: The group’s name pays homage to the neighbourhood of Liberdade. During the year only three shows are given in the rehearsal space, the others take place within the communities. / HISTORY: The group’s founder participated in Ilê Aiyê, Muzenza, Araketu and Olodum and then decided to found another association. Their first performance was held in the popular Santa Barbara festival (4th December), in the São Miguel Market.

CURIOSIDADES No Carnaval de 2009, o grupo de dança do bloco foi contratado por um outro bloco da cidade para se apresentar durante todo o percurso no Carnaval. Prontos, fantasiados e maquiados, eles esperavam arduamente o motorista que tinha ficado de levar o grupo até a saída do bloco. Atrasado mais de três horas, o grupo chegou no final do desfile. Depois da Quarta-feira de Cinzas tudo foi resolvido em uma conversa franca entre contratantes e contratados. AÇÕES SOCIAIS Curso de Dança, Percussão e Trançado Afro para cerca de 90 alunos. PRESIDENTE Nildes Vieira

164

CONTATOS (71) 3460-3155 / (71) 9144-6053 nildesnegrart@yahoo.com.br

EXPRESSÃO NEGRA [Black Expression] - SOCIAL ACTIONS: Course on Dance, Percussion and Afro Twisting for around 90 students. / CURIOSITIES: In the Carnival of 2009, the dance group of the block was hired by another block of the city in order to participate in the parade during the whole period of the Carnival. Everything ready, using the fantasy dresses and the make-up, they patiently waited for the driver who had promised to carry the group up to the starting point of the parade. With a three-hour delay, the group arrived at the end of the parade,. After the Ash Wednesday, everything was solved during an open talk among the contractors and the contracted people. / HISTORICAL DATA: The founder of the Block, Nildes Vieria, graduated in Interpretation from the Bahia Theater School, was always socially involved in the district of Saramandia, where she lives. As from 1986, she organized workshops with young fellows and children of the region. In 2006, she and Antonio Rasta, of the band Chamego Afro [Afro Close Attraction], joined efforts in order to start Expressão Negra block, which currently counts with the participation of 200 Carnival revellers, amoung children, youngsters and adults, men and women, who receive for free the fantasy dresses to enjoy the Carnival.

165


CHAMEGO AFRO ANO DE FUNDAÇÃO 15/03/2007

ENDEREÇO Travessa Vila Horta, 131, Saramandaia.

HISTÓRICO O bloco surgiu pela necessidade da comunidade local de ter uma representação no campo da cultura.

CONTATOS (71) 9148-5213 / (71) 8745-8265 chamegoafro@gmail.com

CURIOSIDADES As oficinas de percussão, aos finais de semana, reúnem em média 70 pessoas. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de dança, capoeira e música. LOCAL DE ENSAIOS Colégio Cleber Pacheco (Jardim Brasília).

CHAMEGO AFRO SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in dance, capoeira and music. OF INTEREST: The weekend percussion workshops bring together 70 people on average. / HISTORY: The group came about through the need for the local community to have representation in the area of culture.

PRESIDENTE Antônio Carlos RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Chamego Afro

Fo

to

166

-D

ivu

lga

çã

o

167


J

uventude do Garcia, Filhos do Tororó, Bafo da Onça, Ritmistas do Samba e Diplomatas de Amaralina. Estes eram os nomes de algumas das muitas escolas de samba que costumavam desfilar no Carnaval soteropolitano, transformando a folia em um espetáculo de beleza e exuberância. As décadas de 60 e 70 foram um dos períodos mais importantes, quando as escolas brilhavam na avenida. Eram mais de 14 escolas, integrando as comunidades e entretendo a população. Foi nesse período que surgiram alguns dos mais destacados compositores, como Nelson Rufino, Walmir Lima, Edil Pacheco, João Dondoco, entre muitos outros. Após um enfraquecimento nos anos 80, os blocos de samba retomaram o brilho e o prestígio na década seguinte. A efervescência do desfile da quinta-feira de Carnaval no circuito Barra-Ondina, com a atração das grandes estrelas do axé e seus camarotes concorridos, esvaziou a quinta-feira do Rei Momo no Circuito Campo Grande, dia tradicional da abertura oficial da festa. A partir da década de 90, com a profissionalização dos blocos de samba, houve uma nova conquista para o gênero no Carnaval: a consolidação da quinta-feira como o Dia do Samba na Avenida, demonstrando a força do samba. Além disso, o intercâmbio dos blocos baianos com bandas e artistas do eixo Rio-São Paulo serviu para atrair muitos foliões para os blocos, incluindo os jovens, que passaram a se interessar mais pelo samba. Com seus tradicionais chapéus brancos e a cadência dos tamborins, pandeiros e cavaquinhos, o samba desfila na Avenida com entidades que enchem de colorido e animação a quinta e a sexta-feira de Carnaval.

168

SAMBA Juventude do Garcia, Filhos do Tororó, Bafo da Onça, Ritmistas do Samba and Diplomatas de Amaralina. These were the names of some of the many samba schools that used to parade in the Salvador Carnival, transforming the festival into a show of beauty and exuberance. The 1960s and 70s were one of the most important periods, when the schools shone on the streets. There were more than 14 schools, integrating communities and entertaining people. Some of the most prominent composers such as Nelson Rufino, Walmir Lima, Edil Pacheco, João Dondoco, among many others appeared during this period. After losing their strength in the 1980s, the samba groups got back their shine and prestige in the following decade. The effervescence of the Thursday Carnival parade on the Barra-Ondina circuit, with the attraction of the big axé stars and their popular stands, emptied the Rei Momo (Carnival king) Thursday on the Campo Grande circuit, which is the traditional day for the festival’s official opening. Since the 1990s with the samba groups becoming more professional, there was a new conquest for the genre in Carnival: consolidation of Thursday as Samba Day on the streets, showing the force of samba. Apart from this, the exchange of Bahian groups with bands and artists from the Rio-São Paulo axis had the purpose of attracting a great number of party-goers to the groups, including young people who started to gain interest in samba. With their traditional white hats and rhythm of the tambourines, pandeiros and cavaquinhos, samba parades in the streets with organizations that fill the Thursday and Friday of Carnival with colour and liveliness.

169


BLOCO ALVORADA ANO DE FUNDAÇÃO 01/01/1975

RAZÃO SOCIAL Sociedade Recreativa e Cultural Bloco Alvorada

HISTÓRICO O bloco Alvorada foi criado por ex-alunos do Colégio Estadual Severino Vieira. Os estudantes promoviam eventos de samba no colégio e decidiram fundar um bloco para desfilar na sexta-feira de Carnaval, dia em que as ruas ficavam mais livres.

ENDEREÇO Rua da Independência, 68, Nazaré.

CURIOSIDADES É o mais antigo bloco de samba do Carnaval de Salvador. Foi a primeiro bloco a sair na sexta-feira de Carnaval. AÇÕES SOCIAIS Curso de culinária. LOCAL DE ENSAIOS Praça Tereza Batista (Pelourinho). PRESIDENTE Vadinho França

CONTATOS (71) 3322-3684 / (71) 3321-3675 / (71) 3384-9011 (71) 8858-5996 / blocoalvorada@hotmail.com www.blocoalvorada.org.br

BLOCO ALVORADA SOCIAL ACTIVITIES: Cookery courses. / OF INTEREST: This is the oldest samba group in the Salvador Carnival. It was the first group to parade on the Friday of Carnival. / HISTORY: The Alvorada group was set up by ex-students from the Severino Vieira State College. The students used to promote samba events in the college and decided to set up a group to parade on the Friday of Carnival, when the streets are emptier.

171

170 Foto - Divulgação


SAUDADE É FOLIA ANO DE FUNDAÇÃO 04/02/1984

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco Saudade na Avenida é Folia

HISTÓRICO O bloco foi fundado por operadores da Refinaria Landufo Alves e inicialmente era chamado de Saudade na Avenida é Folia e só tinha instrumentos de sopro e percussão. A idéia de criar o bloco partiu de uma necessidade dos trabalhadores de se confraternizarem no período de Carnaval. O primeiro desfile ocorreu duas semanas após a fundação. No primeiro desfile, o bloco foi pra avenida com 66 pessoas. Atualmente, o bloco sai com 2.200 foliões, todos familiares e amigos dos trabalhadores dos ramos petroleiro e químico.

ENDEREÇO Avenida Vasco da Gama, 370, 1 andar, Engenho Velho de Brotas.

CURIOSIDADES Sambistas de renome nacional já participaram do desfile do bloco, como Dudu Nobre, Arlindo Cruz e Leci Brandão. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Juliene Ferreira

CONTATOS (71) 8834-0017 / (71) 9987-1224 / (71) 3444-1334 tadilton@ig.com.br

SAUDADE É FOLIA OF INTEREST: Samba players of national renown, such as Dudu Nobre, Arlindo Cruz and Leci Brandão, have participated in this group’s parade. / HISTORY: The group was founded by operators from the Landufo Alves Refinery, was initially called Saudade na Avenida é Folia and only used wind and percussion instruments. The idea of setting up the group came from the workers’ need to fraternise during the Carnival period. The first parade took place two weeks after the group’s foundation. During the first procession, the group went out onto the streets with 66 people. The group currently has 2,200 party-goers in its parade, all of them family and friends of workers in the petroleum and chemical sectors.

173

172 Foto - AGECOM


ALERTA GERAL ANO DE FUNDAÇÃO 18/01/1993

ENDEREÇO Rua Direita da Piedade, nº 14, Barris.

HISTÓRICO Os sambistas e aficcionados pelo samba de Salvador tinham o anseio de que fosse criado um bloco de samba para resgatar a participação desse gênero musical no Carnaval da Bahia. Faltando apenas 18 dias para o Carnaval, o compositor Nelson Rufino fez uma visita à casa do velho parceiro Guilherme Simões, e, em pouco tempo, tudo foi decidido. Na quinta-feira de Carnaval, o Alerta Geral fazia sua estréia na avenida.

CONTATOS (71) 9918-1245 / arere10@ig.com.br alerta_geral@terra.com.br

CURIOSIDADES Diversos sambistas do país como Alindo Cruz e Dudu Nobre, desfilaram no bloco há mais de dez anos. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE José Luis Lopes

ALERTA GERAL OF INTEREST: t was one the first samba Carnival groups in Salvador to bring great composers and singers of this genre such as Dudu Nobre, Arlindo Cruz, Beth Carvalho, Leci Brandão, Diogo Nogueira and Fundo de Quintal to Carnival. / HISTORY: Salvador samba players and enthusiasts were anxious to create a samba group to reinstate this music genre in the Bahian Carnival. Only 18 days before Carnival, composer Nelson Rufino visited the house of his old partner Guilherme Simões and decided everything very quickly. Alerta Geral entered the streets on the Thursday of that same Carnival.

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco Alerta Geral Ltda

174

Foto - Manu Dias - AGECOM

175


Pagodão ANO DE FUNDAÇÃO 08/05/1995

PRESIDENTE Eduardo da Silva Barros

ANO DE FUNDAÇÃO 06/02/1996

HISTÓRICO Surgiu com um grupo de amigos que resolveu montar um bloco de samba de roda para desfilar no Carnaval. O primeiro desfile foi em 1995, ainda como o nome de Remandiola do Garcia. Em 1996, o nome foi mudado para Pagodão.

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco Pagodão

CURIOSIDADES O Pagodão se consagrou na tradicional Festa Mudança do Garcia, que, há mais de 40 anos, na segunda-feira de Carnaval, desfila desde o bairro popular do Garcia até o Campo Grande. O bloco realiza ações de limpeza e manutenção das ruas da comunidade.

CONTATOS (71) 8815-9829 / (71) 3245-6886 grupopagodao@pop.com

HISTÓRICO O Pagodão do Caçote foi fundado no bairro do Garcia, por remanescentes do antigo bloco Secos e Molhados, quando este acabou. No primeiro Carnaval, 60 componentes participaram do desfile. Atualmente, 800 participantes acompanham o bloco. Os primeiros ensaios foram realizados no bairro Engenho Velho da Federação, no quintal do Candomblé Jeje.

AÇÕES SOCIAIS Aulas de capoeira e dança.

SOCIAL ACTIVITIES: Classes in capoeira and dance. / OF INTEREST: Pagodão was created in homage to the traditional Mudança do Garcia festival, which has paraded on the Monday of Carnival for more than 40 years, moving from the low income neighbourhood of Garcia to Campo Grande. The group undertakes cleaning and road maintenance in the community. / HISTORY: It started with a group of friends who decided to set up a samba de roda group to parade in Carnival. The first procession was in 1995 under the name of Remandiola do Garcia. In 1996 the name was changed to Pagodão.

DIAS E HORÁRIOS NO CARNAVAL Quinta (21h) e segunda-feira(18h).

176

PAGODÃO DO CAÇOTE

ENDEREÇO Avenida Garibaldi, nº 131, Garcia.

PAGODÃO

CURIOSIDADES Artistas consagrados no cenário baiano já desfilaram com o bloco, como o sambista Nelson Rufino, o cantor Ninha (ex-Timbalada) e o grupo K Entre Nós. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de confecções de roupa (gratuitas para a comunidade). LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Celso Amando Mello

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco Pagodão do Caçote ENDEREÇO Ladeira Manoel, nº 35, Engenho Velho da Federação CONTATOS (71) 3395-3633 / (71) 8841-9993

PAGODÃO DO CAÇOTE SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in clothing production (free to the community). / OF INTEREST: Artists devoted to the Bahian scene, such as the samba player Nelson Rufino, singer Ninha (ex-Timbalada) and group K Entre Nós have paraded with this group. / HISTORY: Pagodão do Caçote was founded in the Garcia neighbourhood by the remaining members of the old group Secos e Molhados when it closed down. In its first Carnival 60 people took part in the parade. Currently 800 participants accompany the group. The first rehearsals took place in the Engenho Velho da Federação neighbourhood in the garden of Jeje Candomblé.

177


LEVADA DO JEGUE

COM TODO O GÁS ANO DE FUNDAÇÃO 08/05/1995 HISTÓRICO A ideia de fundar o bloco surgiu de um grupo de amigos que integravam a associação comunitária do bairro. Eles desenvolviam diversas atividades na comunidade, como eventos no Dia das Mães e Dia das Crianças. Como muitos deles são músicos, resolveram levar a comunidade para participar do Carnaval criando um bloco de samba. CURIOSIDADES No Dia das Mães, em 2006, o bloco conseguiu autorização da INFRAERO e levou cerca de 150 mães para conhecer o interior de um avião no aeroporto de Salvador. AÇÕES SOCIAIS Campanhas de arrecadação de notas fiscais para doação ao Hospital Martagão Gesteira. LOJA Clube Fantoches LOCAL DE ENSAIOS Garcia, Pernambués e Camaçari. PRESIDENTE Vivaldo Assunção Barbosa da Paixão

RAZÃO SOCIAL Grupo Cultural Recreativo, Benficente e Carnavalesco com Todo Gás ENDEREÇO Rua Darcy Vargas, 15. Liberdade. CONTATOS (71) 8782-1333

COM TODO O GÁS [With Full Gas] - SOCIAL ACTIONS: Campaigns for gathering invoices to be donated to the Martagão Gesteira Hospital. CURIOSITIES: On the Mothers´ Day, in 2006, the block got authorization from the INFRAERO [Brazilian, Governmental Company of Airport Infrastructure] and carried around 150 mothers to know the inside area of an aircraft at the Salvador Airport. HISTORICAL DATA: The idea of organizing the block was started by a group of friends who were members of the communitarian association at the district. They were developing various activities in the community such us the events on the Mothers´ Day and the Children´s Day. As many of them are musicians, they decided to carry the community in order to participate in the Carnival by organizing a samba block.

ANO DE FUNDAÇÃO 02/02/1980

ENDEREÇO Rua Copertino Lacerda, 13, Ribeira.

HISTÓRICO O bloco surgiu de uma antiga tradição da Penísula de Itapagipe (região de Salvador situada na Cidade Baixa): o Encontro do Jegue de Cueca com a “Jega” de Calçola. A “jega” (na verdade, jumenta) saía do bairro do Uruguai e o jegue, da Massaranduba, acompanhados por foliões, e se encontravam no Largo do Papagaio. Em seguida, saíam todos em desfile pelo bairro da Ribeira. De 1960 até 1973, a festa deixou de ocorrer, mas em 1974 o morador Moisés Cafazeiro quis resgatar essa tradição e organizou o bloco Levada do Jegue, que desfilou pela primeira vez saindo do Terreiro de Jesus até o Campo Grande.

CONTATOS (71) 8884-6652 / (71) 3233-2352 mcafezeirotur@hotmail.com

CURIOSIDADES O bloco já desfilou na cidade de Barcelona (Espanha), durante o Carnabalona, e na Lavagem de Santa Madalena, em Paris (França). Um jegue de verdade acompanha todos os desfiles do bloco. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Moisés Cafezeiro

LEVADA DO JEGUE OF INTEREST: The group has paraded in Barcelona (Spain) during Carnabalona and in the popular festival Lavagem de Santa Madalena in Paris, (France). A real jegue, or donkey, accompanies all of the group’s parades. / HISTORY: The group arose from an old tradition from the Penísula de Itapagipe (an area of Salvador situated in the Lower City): the Encontro do Jegue de Cueca com a “Jega” de Calçola (the Meeting of the Donkey Wearing Underpants and the Ass Wearing Knickers). The “jega” (female ass) sets out from the neighbourhood of Uruguai and donkey from Massaranduba accompanied by party-goers and they meet in the Largo do Papagaio. They all then parade through the Ribeira neighbourhood. The festival did not take place from 1960 to 1973 but in 1974 a resident, Moisés Cafazeiro, wanted to reinstate this tradition and organized the Carnival group Levada do Jegue which paraded for the first time from Terreiro de Jesus to Campo Grande.

RAZÃO SOCIAL Associação Beneficente Molinari Amigos do Lobato

178

179


PAgOdE TOTAL Foto - Divulgação

ENdEREÇO Rua J.J Seabra, 120, 1º andar, Baixa do Sapateiro. CONTATOS (71) 3491-3512 / (71) 8815-2829 pagodetotal@hotmail.com

ANO dE FuNdAÇãO 14/01/2001

Gera Samba e É o Tchan, que fizeram sucesso nacional no começo dos anos 1990.

HiSTÓRiCO Os fundadores do bloco participavam de outros blocos de samba, como Alvorada e Alerta Geral. No ano 2000, eles resolveram criar o Pagode Total para dar espaço para que as pessoas da comunidade saíssem em um bloco de samba na quinta-feira de Carnaval. No primeiro ano, cerca de 2.000 pessoas participaram do desfile do bloco.

AÇÕES SOCiAiS Aulas de informática, percussão e costura.

PAGODE tOtAL SOCIAL ACTIVITIES: Classes in IT, percussion and sewing. / OF INTEREST: The founders of Pagode Total (Branca de Neve and Cumpadre Washington) combined the pagode groups Gera Samba and É o Tchan, who had been successful at a national level at the beginning of the 1990s. / HISTORY: The group’s founders participated in other samba groups such as Alvorada and Alerta Geral. In 2000 they decided to create Pagode Total to create a space for people from the community to parade with a samba group on the Thursday of Carnival. In the first year about 2,000 people participated in their parade.

PRESidENTE Reinaldo Silva Santos RAZãO SOCiAL Bloco Carnavalesco Pagode Total

CuRiOSidAdES Os fundadores do Pagode Total (Branca de Neve e Cumpadre Washigton) integraram os grupos de pagode

180

181


PROIBIDO PROIBIR & REVELAÇÃO O BLOCO ANO DE FUNDAÇÃO 02/02/2001 HISTÓRICO Na década de 1980, o bloco era um grupo de amigos que se reuniam para desfilar na quinta-feira, após a abertura do Carnaval pelo Rei Momo, aproveitando o fato de que os trios elétricos não tocavam nesse dia de festa e as ruas ficavam com bastante espaço livre para o folião. Com a passagem do tempo, o bloco acompanhou as mudanças do Carnaval e começou a realizar seu desfile com trio elétrico. A partir de 2001, o grupo de samba se tornou um bloco e passou a realizar eventos semanais na comunidade do Engenho Velho da Federação. CURIOSIDADES O grupo que fundou o Proibido Proibir deixou de se encontrar para desfilar. No Carnaval em 1985, 16 anos depois, quando se reencontraram, resolveram fundar um novo bloco. LOJA Na sede do bloco. LOCAL DE ENSAIOS Engenho Velho da Federação. PRESIDENTE Waldir Pinto

182

RAZÃO SOCIAL Associação Carnavalesca Proibido Proibir & Revelação O Bloco ENDEREÇO Avenida Vasco da Gama, 444, loja 217, Engenho Velho de Brotas. CONTATOS (71) 3261-4089 / (71) 3261-1612 / (71) 8777-6190 proibidorevelacaoubloco@hotmail.com Foto - Taiane Oliveira

PROIBIDO PROIBIR OF INTEREST: The group that founded Proibido Proibir had stopped meeting to parade in Carnival. Sixteen years later, in the Carnival of 1985, when they re-met, they decided to found a new group. / HISTORY: In the 1980s the Carnival group was made up of a group of friends who used to meet to parade on Thursday after the opening of Carnival by King Momo, taking advantage of the fact that the sound trucks didn’t play on this day of the festival and there was a reasonable amount of space on the streets to party. Over time the group has kept up with changes in Carnival and has started to make its parade using a sound truck. Since 2001 the samba group has become a Carnival group and has started to perform in weekly events in the community of Engenho Velho da Federação.

183


FILHOS DE MARUJO ANO DE FUNDAÇÃO 21/09/2001 HISTÓRICO A Associação Cultural Recreativa e Carnavalesca Filhos de Marujo nasceu com o intuito de preservar a cultura de matriz afro-brasileira. CURIOSIDADES Marujo é uma entidade da religião afro-brasileira, filho de Iemanjá com Oxalá. AÇÕES SOCIAIS Aulas de dança, percussão e artesanato para crianças e idosos. LOCAL DE ENSAIOS Na sede e no Engenho Velho de Brotas (Praça dos Artistas)

ENDEREÇO Rua Pastor Rodrigues Santana, 141-E, Pau da Lima. CONTATOS (71) 3392-5384 / (71) 9139-7432 / (71) 9949-6047 (71) 9953-3242 / filhosdemarujo@hotmail.com

FILHOS DO MARUJO SOCIAL ACTIVITIES: Classes in dance, percussion and handicrafts for children and the elderly. / OF INTEREST: Marujo is an entity in the Afro-Brazilian religions, the son of Iemanjá and Oxalá. / HISTORY: The Carnival and Cultural Recreational Association Filhos de Marujo was set up with the aim of preserving culture with Afro-Brazilian roots.

Foto - Divulgação

PRESIDENTE Valdete Cardoso Teles

RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa Cultural e Carnavalesca Filhos de Marujo

184

185


SAMBA MILENAR

USINA DO SAMBA

ANO DE FUNDAÇÃO 01/05/2002

RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa e Carnavalesca Samba Milenar

ANO DE FUNDAÇÃO 26/06/2002

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural- e Carnavalesca Usina do Samba

HISTÓRICO Um grupo de samba que participava de eventos na comunidade do Engenho Velho de Brotas e do Matatu originou o bloco.

ENDEREÇO Rua da Ajuda, 9, Edifício Barreiros, Centro.

HISTÓRICO A Escola de música Usina do Samba existe há 35 anos, mas só há seis se constituiu formalmente em uma entidade carnavalesca. O bloco foi criado para oferecer aos jovens da comunidade do Centro Histórico uma formação musical que pudesse lhes proporcionar uma fonte de renda.

ENDEREÇO Rua do Gravatá, 43, Centro Histórico.

CURIOSIDADES Em 2008, o bloco trouxe o cantor Belo para o desfile no Carnaval. AÇÕES SOCIAIS Aulas de música. PRESIDENTE George Francisco Gomes dos Santos

CONTATOS (71) 8839-7908 / (71) 3495-2255

SAMBA MILENAR SOCIAL ACTIVITIES: Music classes. / OF INTEREST: In 2008 the group brought the singer Belo to parade with them in Carnival. HISTORY: Its origins are in a samba group which used to participate in events in the communities of Engenho Velho de Brotas and Matatu.

CURIOSIDADES A idade dos alunos da escola varia de seis a 80 anos. AÇÕES SOCIAIS Aulas de iniciação musical. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Jackson Araújo Moreira (Mestre Jacó)

186

CONTATOS (71) 3321-3159 / usinadesamba@bol.com.br mestrejaco@hotmail.com

USINA DO SAMBA SOCIAL ACTIVITIES: Classes for beginners of music. / OF INTEREST: The pupils’ ages range from 6 – 80 years old. / HISTORY: The music school Usina do Samba has existed for 35 years but has only been formally constituted as a Carnival organization for six years. The group was created in order to offer young people from the Historic Centre community a musical education which can provide a source of income.

187


NãO dEixE O SAMBA ACABAR ANO dE FuNdAÇãO 02/02/2003

RAZãO SOCiAL Bloco Não Deixe o Samba Acabar

HiSTÓRiCO O bloco surgiu a partir de um grupo de amigos, sambistas e simpatizantes do samba, que vem desenvolvendo um trabalho sócio-cultural na Feira de São Joaquim.

ENdEREÇO Rua do Passo, 43, Santo Antonio.

AÇÕES SOCiAiS Projeto de inclusão digital, em parceria com a Associação de Feirantes de São Joaquim. LOCAL dE ENSAiOS Clube Fantoche (Largo 2 de Julho), Feira de São Joaquim. PRESidENTE Jairo Pessoa Mata

188

CONTATOS (71) 9141-5191 / (71) 9904-0298 / (71) 9173-1998 jairopessoa@yahoo.com.br

NÃO DEIXE O SAMBA ACABAR

SOCIAL ACTIVITIES: A project of digital inclusion in partnership with the Association of the Marketers of São Joaquim. / OF INTEREST: Many great stars from the national and local samba scenes have passed through Não Deixe O Samba Acabar. Some examples are the Rio de Janeiro composer and singer Délcio Luis, singer-poet Nelson Rufino, Bahian samba player Melodia Costa, singer Mariene de Castro and bands Viola de Doze, Bambeia, Movimento and Samba de Cozinha. / HISTORY: The Carnival group came about from a group of friends, samba players and samba enthusiasts who had been undertaking sociocultural work in the São Joaquim Market.

Foto - Divulgação

CuRiOSidAdES Pelo Bloco Vem Sambar já passaram grandes estrelas do samba nacional e local, a exemplo do compositor e cantor carioca Délcio Luis, do cantor-poeta Nelson Rufino, do sambista baiano Melodia Costa, da cantora Mariene de Castro e dos grupos Viola de Doze, Bambeia, Movimento e Samba de Cozinha.

ã R A E N S A d B O O CA xEã A i N S A dE AO

B C O M A ã R A N S A 189


Só Samba de Roda ANO DE FUNDAÇÃO 01/02/2003 HISTÓRICO O bloco foi criado para agregar e promover grupos de samba de Salvador e da Bahia e resgatar a história e o valor do samba no estado. Em 2007, o bloco contou com a participação de grupos de samba junino de diversas comunidades de Salvador. CURIOSIDADES Desde 2006, o bloco mantém um projeto que leva o grupo Samba de Roda Urbano a um teatro, para uma apresentação com músicos convidados e relatos sobre a história do samba na Bahia. Outra atividade promovida pelo bloco é a realização de intercâmbios entre grupos de samba de diversos municípios do estado. Em 2006, o músico Tote Gira se apresentou com a banda. LOCAL DE ENSAIOS Mercado Modelo, Cidade Baixa. PRESIDENTE Osvaldo Guimarães da Silva

190

REDUTO DO SAMBA RAZÃO SOCIAL Associação do samba junino e samba de roda da Bahia ENDEREÇO Rua Brígida do Vale, nº11, Engenho Velho de Brotas. CONTATOS (71) 3321-6373 / (71) 8823-4710 / (71) 9924-3507 sosambaderoda@hotmail.com / lobomal.perc@bol.com.br

SÓ SAMBA DE RODA OF INTEREST: Since 2006 the group has supported a project which brings an Urban Samba de Roda group to the theatre to perform with invited musicians and tell stories about the history of samba in Bahia. Another activity promoted by the group is that of exchange amongst samba groups from a variety of municipalities across the state. In 2006 the musician Tote Gira performed with the band. / HISTORY: the group was created to bring together and promote groups of samba from Salvador and from Bahia and to reclaim the history of samba and respect for this genre across the State. In 2007 the group enjoyed the participation of samba groups that celebrate the June festivities from a variety of communities in Salvador.

ANO DE FUNDAÇÃO 13/06/2003

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco Reduto do Samba

HISTÓRICO Foi à rua no seu primeiro desfile com 2000 associados e com atrações como os sambistas Arlindo Cruz e Gal do Beco e os grupos Pedaço de Cada Um e Nosso Ritmo.

ENDEREÇO Rua Amparo do Tororó, 101

CURIOSIDADES Artistas de renome já participaram do desfile da entidade, como o cantor carioca Dudu Nobre. O bloco mantém um grupo de samba próprio denominado Reduto do Samba. AÇÕES SOCIAIS Curso de percussão e cavaquinho. LOCAL DE ENSAIOS Praça Amparo do Tororó. PRESIDENTE Marcos Vinícius de Oliveira Filho

CONTATOS (71) 3321-4739 / (71) 9126-2879 / (71) 9215-5654 (71) 9102-8471

REDUTO DO SAMBA SOCIAL ACTIVITIES: Classes in percussion and cavaquinho. / OF INTEREST: Renowned artists, such as Rio de Janeiro singer Dudu Nobre, have participated in the group’s parade. The group supports a samba band, which is also called Reduto do Samba. / HISTORY: In their first parade 2,000 members went onto the streets, including attractions such as samba players Arlindo Cruz and Gal do Beco and the group Pedaço de Cada Um and Nosso Ritmo.

191


Amor e Paixão ANO DE FUNDAÇÃO 30/09/2003

RAZÃO SOCIAL Amor e Paixão

HISTÓRICO O bloco surgiu de uma iniciativa do sambista Nelson Rufino, com o objetivo de promover o samba no Carnaval de Salvador.

ENDEREÇO Rua Democrata, nº 10, Clube dos Fantoches, Largo 2 de Julho.

CURIOSIDADES O Amor e Paixão defende a hipótese de que o samba nasceu na Bahia. O bloco já trouxe destaques do cenário nacional para desfilar no Carnaval de Salvador, como o sambista Jorge Aragão e o grupo Revelação. LOJA Na sede do bloco. LOCAIS DE ENSAIOS Clube dos Fantoches PRESIDENTE Nelson Rufino

192

Foto - AGECOM

CONTATOS (71) 9906-9986 / (71) 9613-0606 / (71) 3494-1359 fernandorufino_batifun@hotmail.com

AMOR E PAIXÃO OF INTEREST: Amor e Paixão support the hypothesis that samba was born in Bahia. The group has brought stars from the national scene, such as samba player Jorge Aragão and the Revelação band to parade in the Salvador Carnival. / HISTORY: The group came about from an initiative of the samba player Nelson Rufino, with the aim of promoting samba in the Salvador Carnival.

193


SEGURE O SAMBA NÃO DEIXE CAIR ANO DE FUNDAÇÃO 2/12/2004

RAZÃO SOCIAL Associação Segure O Samba Não Deixe Cair

HISTÓRICO Um grupo de moradores do Pelourinho, envolvendo sambistas, passistas e músicos amantes do samba, queria fundar uma escola de samba. Eles resolveram, por fim, que cada um criaria uma entidade carnavalesca para resgatar a presença do samba no Carnaval de Salvador.

ENDEREÇO Santo Antônio, nº 43, Centro Histórico

CURIOSIDADES Os abadás são trocados por alimentos, que são doados para entidades beneficentes. PRESIDENTE Hélio Carvalho Santa Cecília

CONTATOS (71) 3234-1588 / (71) 8124-3973 / (71) 8820-5139 segureosamba@yahoo.com.br

SEGURE O SAMBA NÃO DEIXE CAIR OF INTEREST: Carnival shirts are exchanged for food which is donated to charitable organizations. / HISTORY: A group of Pelourinho residents, including samba players, dancers and musicians who all love samba, wanted to found a samba school. They finally decided that each one would create a Carnival entity to reinstate the presence of samba in the Salvador Carnival.

195

194 Foto - Taiane Oliveira


Q FELiCidAdE Q fELICIDADE

Foto - Divulgação

HISTORY: The group was founded by radio broadcaster and communicator Paulo Sérgio Pito dos Santos, known as Paulinho Kaká, with the aim of preserving and valuing samba de roda, a musical genre that came out of the quilombos in the Bahian Recôncavo region.

ANO dE FuNdAÇãO 14/01/2005

RAZãO SOCiAL Bloco Carnavalesco Q Felicidade

HiSTÓRiCO O bloco foi fundado pelo radialista e comunicador Paulo Sérgio Pito dos Santos, conhecido com Paulinho Kaká, com o objetivo de preservar e valorizar o samba de roda, gênero musical nascido nos quilombos do Recôncavo baiano.

ENdEREÇO Rua das Vassouras, nº 23, Ed. Fleming, sala 802, Centro. CONTATOS (71) 3321-3207 / (71) 8875-0688 blocoqfelicidade@hotmail.com

LOCAL dE ENSAiOS Clube Fantoche, Largo 2 de Julho. PRESidENTE Paulo Célio Pinto dos Santos

196

197


É COM ESSE QUE EU VOU

SAMBA POPULAR ANO DE FUNDAÇÃO 07/07/2005

ENDEREÇO Avenida Sete de Setembro, 1420, Campo Grande.

ANO DE FUNDAÇÃO 07/09/2006

HISTÓRICO O Bloco Samba Popular é uma entidade civil sem fins lucrativos que surgiu da idéia de três amigos para atender às comunidades do Pau Miúdo e Garcia.

CONTATOS (71) 9947-4849 / (71) 8117-8021 luizfranca07@hotmail.com

HISTÓRICO O bloco nasceu por decisão de ex-diretores do Bloco da Saudade e é voltado para foliões de todas as idades, buscando manter viva a tradição dos grandes bailes e blocos dos carnavais antigos.

PRESIDENTE Luiz Antônio de França

SAMBA POPULAR

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Bloco Carnavalesco Samba Popular

HISTORY: The group Samba Popular is a non profit civil organization which grew out of the desire of three friends to serve the communities of Pau Miúdo and Garcia.

CURIOSIDADES Por não desfilar com trio elétrico, é chamado de “bloco de chão”. Em 2007, o bloco homenageou o sambista baiano Batatinha (1924-1997). Em 2008, o homenageado foi o cantor Valmir Lima. LOCAL DE ENSAIOS Largo da Saúde. PRESIDENTE Carlos Alberto Baraúna

198

RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa Bloco Carnavalesco É Com Esse Que Eu Vou ENDEREÇO Rua Jogo do Lourenço, nº 15, Saúde, Nazaré. CONTATOS (71) 3321-3375 / (71) 8806-6954 / (71) 8804-4493 (71) 3625-7628 / baraunacarlos@bol.com.br

É COM ESSE QUE EU VOU OF INTEREST: It is called a “street group” because it does not parade with a sound truck. In 2007 the group paid homage to the Bahian samba player Batatinha (19241997). In 2008 homage was paid to the singer Valmir Lima. / HISTORY: The group came about from a decision taken by the ex-directors of the Saudade group and is interested in party-goers of all ages as it seeks to keep alive the traditions of the great formal balls and Carnival groups of old Carnivals.

199


CLUBE DO SAMBA DA BAHIA ANO DE FUNDAÇÃO 27/11/2006 HISTÓRICO A ideia de fundar a entidade surgiu quando um grupo de amigos percebeu que o samba estava desaparecendo em Salvador. O ritmo estava sumindo da mídia devido ao surgimento de novos estilos, como o arrocha. Inicialmente a ideia do grupo era formar o Clube do Samba. O objetivo irá valorizar a música, os sambistas e compositores da Bahia. Após grande repercussão do trabalho de valorização da musicalidade feita pelo grupo, o clube cresceu e atrai muitos interessados. CURIOSIDADES O bloco realiza o projeto Samba Todo Dia, que acontece todos os dias do ano com apresentações que reúnem 35 músicos. Todos os anos no mês de janeiro é realizado o concurso Musa do Samba, onde o público elege a melhor sambista. AÇÕES SOCIAIS Projeto Orquestra Sambônica oferece aulas de música para os jovens, com sambistas da velha guarda. LOCAL DE ENSAIOS Fundo do Cravinho, Pelourinho. PRESIDENTE Wilson José de Freitas Santos

Toalha da Saudade ENDEREÇO Rua Orlando Moscoso, nº 199, Boca do Rio. CONTATOS (71) 9233-5438 / (71) 3231-8050 contato@clubedosamba.com.br

CLUBE DO SAMBA DA BAHIA SOCIAL ACTIONS: The Sambônica Orchestra Project offers music lessons for the young people, with samba dancers of the Old Guard. / CURIOSITIES: The block performs the Samba Todo Dia [Samba Dancing Everyday] project that takes place every day along the year, with shows that get together 35 musicians. Every year, in the month of January, the Musa [Muse] do Samba competition is held, where the attendants select the best samba dancer. / HISTORICAL DATA: The idea of organizing the entity started when a group of friends perceived that the samba was disappearing in Salvador. The rhythm was vanishing from the broadcast media, due to the appearance of new styles such as the arrocha. Initially, the idea of the group was to organize the Samba Club. With the purpose of increasing the value of the music, the samba dancers and the composers of the Bahia region, after a great repercussion of the work of musicality valorization performed by the group, the Club grew and it attracts many interested people.

ANO DE FUNDAÇÃO 19/08/2007

RAZÃO SOCIAL Casa de Batatinha

HISTÓRICO O bloco surgiu como uma homenagem a outro bloco, o Vai Levando. Antes de ser criado, já existia no bairro o espaço cultural Toalha da Saudade.

ENDEREÇO Rua Gabriel Soares, nº 68, Aflitos.

CURIOSIDADES No desfile do bloco, um grupo de palhaços abre a passagem do bloco na avenida. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Artur Emílio dos Santos Penha

CONTATOS (71) 3329-7773 / (71) 8228-9365 / (71) 3329-7773 casabatatinha@hotmail.com / artubatata@hotmail.com

TOALHA DA SAUDADE OF INTEREST: During the festival a group of clowns clear the way for the group to parade through the streets. / HISTORY: The group came about in homage to another group; Vai Levando. The cultural space Toalha da Saudade already existed in the neighbourhood before the group was set up.

RAZÃO SOCIAL Sociedade dos Amigos do Samba Brasileiro

200

201


S

urgidos por volta da década de 30, quando da criação das primeiras batucadas e escolas de samba, essas entidades costumam desfilar ao som de instrumentos de percussão. Grande parte desses blocos nasceu da reunião de amigos que desejavam ver suas comunidades representadas no Carnaval, desfilando pela avenida. Os figurinos dos integrantes dos blocos de percussão são compostos geralmente por camisas, chapéus de palha e bandanas. Algumas dessas entidades acrescentam ainda instrumentos de sopro ao ritmo contagiante da percussão, formando um subgrupo, denominado de blocos de percussão e sopro. Os blocos Amigos do Cajá, Jakê, Bloco da Saudade, Povo de Santo, Swing do Pelô, Canção é Amor e Bola Cheia são alguns dos principais representantes deste segmento do Carnaval baiano, que, além de participar da folia, realizam diversas oficinas voltadas para a própria comunidade.

202

PERCUSSION Appearing during the 1930s when the first sacred singing and dancing groups and samba schools were created, these organizations used to parade to the sound of percussion instruments. A large part of these groups were born from a meeting of friends that wanted to see their communities represented in Carnival, parading in the streets. The percussion group members’ costumes are generally comprised of shirts, straw hats and bandanas. The groups Amigos do Cajá, Jakê, Bloco da Saudade, Povo de Santo, Swing do Pelô, Canção é Amor and Bola Cheia are some of the main representatives from this segment of Bahian Carnival, hold various workshops in their communities, as well as participating in the party.

203


JAKÉ

Amigos do Cajá ANO DE FUNDAÇÃO 28/08/1980

RAZÃO SOCIAL Sociedade Recreativa Amigos do Cajá

ANO DE FUNDAÇÃO 21/05/1982

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco e Cultural Jaké

HISTÓRICO O bloco surgiu a partir de uma reunião de amigos que queriam promover um desfile de Carnaval para a comunidade do bairro. O nome veio de um cajazeiro que o presidente do bloco tinha em casa e gerou seu apelido, que acabou sendo passado para o bloco.

ENDEREÇO Rua Ferreira Santos, nº 85, Federação.

HISTÓRICO O bloco começou como um grupo junino que, além de fazer música, prestava serviços culturais na comunidade e começou a desfilar no Carnaval do bairro. No final dos anos 1990, o bloco passou a desfilar no Carnaval do centro da cidade.

ENDEREÇO Rua Dr. Frederico Silvane, 13, Engenho Velho de Brotas.

CURIOSIDADES Os abadás do bloco são doados para a comunidade. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Lourival Reis dos Santos

204

CONTATOS (71) 3235-0416 / (71) 8783-3430 / (71) 8724-1724 osilvasanto@hotmail.com)

CONTATOS (71) 9925-5155 / (71) 8841-1888 tchacoproducoes@hotmail.com

AÇÕES SOCIAIS Aulas de música. AMIGOS DO CAJÁ OF INTEREST: The group’s Carnival shirts are donated to the community. / HISTORY: The group arose from a meeting of friends who wanted to promote a Carnival parade for the neighbourhood’s community. The name came from a caja plum tree in the group president’s home which became his nickname and was then passed to the association.

LOCAL DE ENSAIOS Rua 25 de dezembro, Engenho Velho de Brotas (aos sábados, às 21h). PRESIDENTE Luciene da Silva Santana

JAKÊ HISTORY: The group started out as a group which celebrated the June festivities and which, apart from making music, offered cultural services to the community and then began to parade in the neighbourhood Carnival. At the end of the 1990s the group started to parade during Carnival in the centre of the city.

205


BLOCO DA SAUDADE ANO DE FUNDAÇÃO 06/02/1986

ENDEREÇO Rua da Poeira, nº 23, Nazaré.

HISTÓRICO A Banda da Saudade tem um repertório com músicas de Carnavais passados. O nome se deve à vontade dos fundadores de reviver os Carnavais líricos dos anos 1950. Inicialmente só homens podiam desfilar no bloco, mas a partir de 1995 as mulheres começaram a participar.

CONTATOS (71) 3326-5537 / (71) 8117-8965 blocodasaudade@terra.com.br

CURIOSIDADES A presença do sambista Batatinha (1924-1997) no desfile do bloco, no Carnaval de 1994, foi um momento memorável na história da agremiação. Em 2002, o Bloco Carnavalesco da Saudade foi premiado com o 1º lugar na categoria sopro e percussão. Em 2009 participou do Carnaval do abrigo de idosos de Salvador. PRESIDENTE Aniz Palma Cabral RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco da Saudade

206

Foto - Taiane Oliveira

BLOCO DA SAUDADE CURIOSITIES: In 2009, they participated in the Carnival feast at the Salvador Aged People Shelter Home. OF INTEREST The presence of the samba player Batatinha (1924-1997) in their parade during the 1994 Carnival was a memorable moment in the history of the association. In 2002 the Carnival group Bloco da Saudade was awarded first prize in the wind and percussion category. / HISTORY: The Banda da Saudade has a repertory of music from past Carnivals. It owes its name to its founders’ wish to revive 1950s Carnival lyrics. Initially only men were able to join its parade but women have participated since 1995.

207


K ENTRE AMIGOS

Canção é amor ANO DE FUNDAÇÃO 22/04/1990

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco Canção é Amor

ANO DE FUNDAÇÃO 18/06/1995

RAZÃO SOCIAL Bloco Cultural K Entre Amigos

HISTÓRICO O Canção de Amor começou como bloco junino, que desfilava pela comunidade com músicas de samba, animando as festividades do bairro. Em 2002, começou a sair no Carnaval.

ENDEREÇO Rua Nova Divinéia, nº 8, IAPI.

HISTÓRICO O bloco surgiu com um grupo de jovens que faziam ritmos de percussão com latinhas e começou a atrair o interesse de outras pessoas da comunidade. Eles começaram a se apresentar na festa de São João do bairro como um bloco junino, com 50 meninos e meninas caracterizados como quadrilha, tocando o chamado “samba duro”. Como todos os integrantes se conheciam ou eram vizinhos, decidiram batizar o grupo de K Entre Amigos. Em 1997, o bloco realizou o primeiro desfile no Carnaval.

ENDEREÇO Conj. Parque Santa Rita, Caminho 2, casa 21, Itinga.

AÇÕES SOCIAIS Em 2003, o bloco fundou a Creche Comunitária Canção de Amor, que atende 72 crianças da comunidade, com idades de três a seis anos. A creche oferece aulas do maternal até a alfabetização. CURIOSIDADES Os abadás são trocados por alimentos para a creche. PRESIDENTE Djalma Álvares dos santos

CONTATOS (71) 3386-5804 / (71) 9919-4359 / (71) 8798-7242

CANÇÃO É AMOR SOCIAL ACTIVITIES: In 2003 the group founded the Canção de Amor Community Nursery, which provides services for 72 children aged three to six years old from the area. The nursery offers a range of classes from parenting to literacy. / OF INTEREST: Carnival shirts are exchanged for food for the crèche. / HISTORY: Canção de Amor started as a group which celebrated the June festivities and used to parade through the community to samba music, enlivening neighbourhood festivities. In 2002 they started to parade in Carnival.

CURIOSIDADES Em 2003, o bloco desfilou com mais 70 músicos e com alas de baianas e dançarinas. Com uma homenagem aos índios, o desfile rendeu ao bloco o título de terceiro melhor desfile do Carnaval daquele ano. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Maria Madalena Marques de Assis

208

CONTATOS (71) 8862-0286 / (71) 3252-6474 / (71) 9942-7867

K ENTRE AMIGOS OF INTEREST: In 2003 the group paraded with more than 70 musicians, with special sections of the parade for Baianas and dancers. Paying homage to the Native Indians, the parade won the title of third best Carnival parade that year. / HISTORY: The group started with a group of young people who played percussion on tin cans and started to attract interest from others in the community. They began as a festival group for the June festivities giving shows in the neighbourhood during the Saint John Festival, with 50 boys and girls performing square dances and playing what is known as “samba duro”. Since all the members knew each other or were neighbours they decided to name the group K Entre Amigos (which means Who is Amongst Friends). In 1997 the group had its first Carnival parade.

209


ABUSE E USE

BOLA CHEIA ANO DE FUNDAÇÃO 12/ 10/1995

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural, Beneficente e Carnavalesca Bola Cheia

ANO DE FUNDAÇÃO 30/04/1996

RAZÃO SOCIAL Associação Recreativa Carnavalesca e Cultural Abuse e Use

HISTÓRICO Um grupo de seis amigos da Península Itapagipana, na Ribeira, resolveu fundar um bloco para participar da Lavagem do Bonfim em 1996. Esse primeiro desfile teve a participação de 120 pessoas e uma grande repercussão entre o público. Com o sucesso, os fundadores resolveram levar o bloco Bola Cheia para desfilar também no Carnaval daquele ano.

ENDEREÇO Praça General Justo, 5, Largo da Ribeira.

HISTÓRICO O bloco nasceu no bairro do Candeal de Brotas, com o objetivo de promover o desenvolvimento de afrodescendentes e mestiços e difundir a cultura afro-baiana

ENDEREÇO Rua do Tesouro, s/nº, Edifício Bahia, 1º andar, Centro.

CURIOSIDADES Foi cinco vezes campeão, entre 1998 e 2001, na categoria percussão. O nome Bola Cheia surgiu porque todos os fundadores gostam de jogar futebol. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Jurandir Tadeu Alves dos Santos

210

CONTATOS (71) 9907-3629 / (71) 9902-7505 / (71) 3208-2344 (71) 9975-2348 / bbolacheia@gmail.com

BOLA CHEIA – OF INTEREST OF INTEREST: Five times percussion champion between 1998 and 2001. The name Bola Cheia came about because all the founders like playing football. / HISTORY: In 1996, a group of six friends from Península Itapagipana in Ribeira decided to found a group to participate in the popular festival Lavagem do Bomfim. This first parade included 120 people and generated strong public interest. With its success the founders decided to take the Bola Cheia group to parade in that year’s Carnival.

CURIOSIDADES Foi nove vezes campeão do Carnaval, na categoria percussão. AÇÕES SOCIAIS Oferece a crianças e adolescentes da comunidade aulas de informática, reforço escolar, dança, percussão, artesanato, corte e costura e serigrafia. LOCAIS DE ENSAIOS Praça Alcebíades Damasceno (Largo do Tamarineiro), Candeal. PRESIDENTE Emanuel Ademilson Arcanjo dos Santos

CONTATOS (71) 3356-4415 / (71) 3356-0787 / (71) 9935-0382 negromimisso@hotmail.com

ABUSE E USE SOCIAL ACTIVITIES: Offers classes in IT, extra school assistance, dance, percussion, handicrafts, pattern cutting and sewing and silk screen to children and adolescents from the community. / OF INTEREST: Nine times Carnival champion in percussion. / HISTORY: The group started in Candeal de Brotas with the objectives of promoting the development of people of mixed race and Afro-descendency and disseminating Afro-Bahian culture.

211


AXÉ DADÁ ANO DE FUNDAÇÃO 16/02/1997

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco e Cultural Axé Dadá

ANO DE FUNDAÇÃO 25/03/1997

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural, Comunitária e Carnavalesca Mutantes

HISTÓRICO O bloco Axé Dadá foi fundado em Mussurunga, a partir de uma “lavagem” que costumava acontecer no bar Cantinho da Dadá. No Carnaval de 1998, os associados foram desfilar na avenida. O primeiro presidente do bloco foi Antônio Sampaio Correa.

ENDEREÇO Conj. Mussurunga III, bloco 24, Ap. 102, Rua Amparo do Tororó, 141, Tororó.

HISTÓRICO O bloco de percussão Mutantes foi criado pelos integrantes da Associação de Moradores do Dique Pequeno, com o objetivo de levar a comunidade para participar do Carnaval de Salvador.

ENDEREÇO Rua do Tesouro, n.º 83, sala 103, Centro.

CURIOSIDADES O bloco levou o prêmio de terceiro lugar nos Carnavais de 2004, 2005 e 2006, na categoria percussão e sopro. LOCAL DE ENSAIOS Rua Amparo do Tororó, 98. PRESIDENTE Vilmário Gomes da Silva

212

mutantes

CONTATOS (71) 8751-0636 / (71) 3376-2509

AXÉ DADÁ OF INTEREST: The group came third in the percussion and wind category of the Carnival competition in 2004, 2005 and 2006. / HISTORY: The Axé Dadá group was founded in Mussurunga from a “lavagem” or popular festival which used to take place in the Cantinho da Dadá bar. In the 1998 Carnival the members paraded on the streets. The first president of the group was Antônio Sampaio Correa.

CURIOSIDADES O nome Mutantes foi escolhido pelos fundadores porque representa algo versátil, em constante mudança, assim como a proposta que foi definida para o bloco. AÇÕES SOCIAIS Promoção de cursos de alfabetização para a comunidade. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Cloves Carneiro Ramos

CONTATOS (71) 9142-8650 / mutantes.obloco@yahoo.com.br

MUTANTES [Mutation Fellows] - SOCIAL ACTIONS: Organization of alphabetization courses for the community. / CURIOSITIES: The name Mutantes was selected by the founders as it represents something versatile, in an on-going change, as well as the proposal that was defined for the block. / HISTORICAL DATA: The Mutantes percussion block was created by the members of the Association of Dwellers of the Dique Pequeno [Small Dam] district with the purpose of carrying the community to participate in the Salvador Carnival.

213


RENASCER 2000 ANO DE FUNDAÇÃO 10/ 04/ 1999

PRESIDENTE Dulce Magalhães Negrão

ANO DE FUNDAÇÃO 25/08/2001

ENDEREÇO Rua das Vassouras, 8, Edifício Flaming, sala 802, Centro.

HISTÓRICO O bloco surgiu a partir do Clube da Maior Idade Renascer, que reúne pessoas com mais de 50 anos de idade, para que seus associados pudessem participar do Carnaval. Como o primeiro desfile ocorreu no ano 2000, os diretores resolveram associar a data ao nome do bloco.

ENDEREÇO Rua do Bangalá, 171, Mouraria.

HISTÓRICO Surgiu a partir de um grupo de pessoas do terreiro Ygom Mi Sé do Alafin, com o objetivo de preservar a cultura do Quilombo do Urubu e de dar vez aos moradores do Subúrbio Ferroviário no Carnaval.

CONTATOS (71) 8774-6110 / (71) 8156-1332 / (71) 3398-0730 carlaocaos@yahoo.com.br

CURIOSIDADES Foi primeiro lugar em seis anos consecutivos: 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007. A porta-estandarte do Renascer 2000 tem 70 anos de idade. Em 2008, uma das foliãs do bloco tinha 86 anos de idade. AÇÕES SOCIAIS Dança de salão. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco.

214

SÓ GERA DOIS

CONTATOS (71) 3322-2968 / (71) 3322-7081 / (71) 9916- 0220

RENASCER 2000 SOCIAL ACTIVITIES: Ballroom dance. / OF INTEREST: Came first in six consecutive years: 2002 to 2007. Renascer 2000’s standard bearer is 70 years old. In 2008 one of their party-goers was 86 years old. / HISTORY: The group originated from the Clube da Maior Idade Renascer, which brings together people aged over 50 so that they can participate in Carnival. As the first parade took place in the year 2000 the directors decided to link the group’s name to the date.

CURIOSIDADES O bloco originou-se na área do Quilombo do Urubu, localizado no Parque São Bartolomeu (Plataforma). AÇÕES SOCIAIS Oficinas de percussão, dança, informática e eletricidade. PRESIDENTE Carlos Alberto Oliveira Santos

SÓ GERA DOIS SOCIAL ACTIVITIES: Classes in percussion, dance, IT and electricity. / OF INTEREST: The group originated from the area Quilombo do Urubu, located in Parque São Bartolomeu (Plataforma). / HISTORY: The group came together from a group of people from the Ygom Mi Sé do Alafin terreiro with the object of preserving the culture of Quilombo do Urubu and of giving the residents of Subúrbio Ferroviário a chance to participate in Carnival.

RAZÃO SOCIAL Associação Cultura Beneficente Carnavalesca Só Gera Dois

215


DANADOS DE COUTOS ANO DE FUNDAÇÃO 31/05/2002 HISTÓRICO Um grupo de adolescentes que fazia apresentações na comunidade com instrumentos artesanais recebeu um convite do bloco Afro Abi Si Aiyê para tocar no Carnaval de 1997. O compositor Sílvio Poesia chamava esses meninos de “meninos danados”, devido à qualidade do som que eles faziam com instrumentos improvisados (tonéis, descargas de banheiro, latas, etc.). Daí o nome Danados de Coutos, que se refere ao bairro de Alto de Coutos. Em 2002, foi fundado o bloco e, em 2006, aconteceu seu primeiro desfile no Carnaval. CURIOSIDADES O bloco conquistou o 2º lugar no Carnaval de 2007 na categoria percussão. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de percussão, dança, teatro de bonecos, flauta, artesanato em papel e bijuteria, além de aulas de capoeira e confecção de instrumentos. LOCAL DE ENSAIOS Rua do Zaire, 5, Alto de Coutos. PRESIDENTE Ademar Conceição Leal

216

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural, e Beneficente Bloco Carnavalesco Danados de Coutos ENDEREÇO Rua 3, Travessa Joaquim Nabuco, s/nº, Fazenda Coutos. CONTATOS (71) 8877-5968 / (71) 8797-5039 ademarbdc@hotmail.com

DANADOS DE COUTOS SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in percussion, dance, puppet theatre, flute, paper and jewellery handicrafts, as well as capoeira and instrument-making classes. / OF INTEREST: The group reached second place in percussion in the 2007 Carnival. / HISTORY: A group of adolescents who gave shows in the community using handcrafted instruments received an invitation to play in the 1997 Carnival from the group Afro Abi Si Aiyê. The composer Sílvio Poesia called these young people “meninos danados” or resourceful kids because of the quality of the sound they made with improvised instruments (old tubs, toilet flushes, tin cans etc.) The name Danados de Coutos, referring to the Alto de Coutos neighbourhood, grew from there. The group was founded in 2002 and they held their first Carnival parade in 2006.

Foto - Taiane Oliveira

217


BOKA LOUCA ANO DE FUNDAÇÃO 29/06/2005 HISTÓRICO A ideia de criar um bloco Carnavalesco surgiu de uma brincadeira entre um grupo de amigos do bairro da Massaranduba, que sempre se travestiam de mulher durante o Carnaval. CURIOSIDADES Há quatro anos o bloco desenvolve, durante as festas natalinas, o Café das Crianças na Praça, com distribuição de brinquedos e brincadeiras para as crianças do bairro de Tancredo Neves. LOCAL DE ENSAIOS O bloco promove ensaios abertos ao público em trios ou palcos nos bairros de Sussuarana, Massaranduba e Tancredo Neves. PRESIDENTE Raimundo Nonato Moreno

218

POVO DE SANTO RAZÃO SOCIAL Associação Cultura e Beneficente Bloco Carnavalesco Danados de Coutos

ANO DE FUNDAÇÃO 15/09/2005

RAZÃO SOCIAL Cooperativa Casa das Artes

ENDEREÇO Av. Sete de Setembro, nº 62, Ed. Sulacap, Centro Histórico.

HISTÓRICO O bloco nasceu como um projeto de integração do povo de candomblé, sendo uma forma de filhos e filhas de santo participarem do Carnaval de Salvador.

ENDEREÇO Rua F, Quadra D, bloco 66, Ap. 101, Cajazeira.

CONTATOS (71) 8788-7497 / (71) 3498-9207

CURIOSIDADES O bloco faz parte do Consórcio Social de Terreiros.

BOKA LOUCA [Crazy Mouth] – CURIOSITIES: Since four years ago, the block organizes, during the Christmas time, the Children´s Coffee at the Plaza, with distribution of toys and performance of games for the children of the Tancredo Neves district. / HISTORICAL DATA: The idea of creating a carnivalesque block started from a joke among a group of friends of the Massaranduba district, who always masked themselves as women during the Carnival.

AÇÕES SOCIAIS Oficinas de música e dança. LOCAL DE ENSAIOS Na sede do bloco. PRESIDENTE Jorge Luiz dos Reis Santos

CONTATOS (71) 8713-6668 / (71) 8712-8605 / casadasartes@yahoo.com.br /jorgeluizcomz2@gmail.com POVO DE SANTO SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in music and dance. / OF INTEREST: The group is a member of the Consórcio Social de Terreiros (a Candomblé related consortium). / HISTORY: The group grew from a project which aimed to enable a diverse group of Candomblé devotees to participate in the Salvador Carnival.

219


D

emonstrando que o Carnaval é uma festa musicalmente eclética, os blocos de reggae trazem a força da sonoridade do próprio ritmo, associada à filosofia Rastafari que defende, entre outras causas, a justiça social e a equiparação de direitos através da música, arte e cultura. Foi através do reggae que a filosofia Rastafari chegou a Salvador, em especial ao Pelourinho. E aqui o ritmo ganhou um parceiro forte, o samba, gerando o principal ritmo da folia: o samba-reggae. Desde o início da década de 80, a Bahia tem contribuído para fortificar o reggae brasileiro, a partir de organizações e movimentos, e influenciado o comportamento de jovens negros de Salvador, o que pode ser percebido nas roupas utilizadas e nos cabelos, os dreadlocks. O ritmo pode ser ouvido, o ano inteiro, nos bares do Pelourinho e, principalmente, nas Terças da Benção. Mas é no Carnaval que os admiradores do som da Jamaica ganham as ruas. A filosofia Rastafari atingiu em cheio muitos jovens negros da periferia, contribuindo para a elevação da auto-estima e fomentando o desejo de lutar contra as opressões. Boa parte das canções de reggae apresentam como tema as desigualdades sociais e a vontade de mudar a realidade. Nesse sentido, a emblemática figura de Bob Marley e suas letras com conotação política e pacifista estão sempre presentes. Graças a esse viés político do reggae, o ritmo tem importante presença no desfile de blocos afro, como o Olodum e Muzenza. Dentre os principais representantes do reggae baiano estão Lazzo Matumbi, com o seu Coração Rastafari, Edson Gomes, Dionorina e Sine Calmon. Durante o Carnaval, muitos desses blocos costumam arrastar centenas de pessoas sem cordas, com canções em prol da paz, da liberdade de expressão e da igualdade de direitos.

220

REGGAE Showing that Carnival is a musically eclectic festival, the reggae groups bring the force of the rhythm’s sound, associated with the Rastafari philosophy that defends social justice and equal rights, among other causes, through music, art and culture. Rastafarianism arrived in Salvador through reggae, especially in Pelourinho. It is here that the rhythm gained a strong partner, samba, generating the festival’s main rhythm: samba-reggae. Bahia has contributed to strengthening Brazilian reggae through organizations and movements since the beginning of the 1980s and influenced the behaviour of young Afro-Brazilians in Salvador, which can be noted in the clothes they wear and dreadlock hair. The rhythm can be heard the whole year round in the bars of Pelourinho, mainly at the Tuesday parties (Terças da Benção) but it is in Carnival that admirers of the Jamaican sound turn to the streets. Rastafari philosophy has fully grasped many young people in the poor suburbs, contributing to raising self-esteem and promoting the desire to fight against oppression. A large majority of the reggae songs present social inequalities and a wish to change reality as their theme. The emblematic figure of Bob Marley and his lyrics with a political and pacifist connotation are always present in this sense. Thanks to reggae’s political ties, the rhythm has an important presence in the Afro group parades, such as Olodum and Muzenza. Among the main Bahian reggae representatives are Lazzo Matumbi, with Coração Rastafari, Edson Gomes, Dionorina and Sine Calmon. Many of these groups lead hundreds of people without security ropes during Carnival, with songs on behalf of peace, freedom and equal rights.

221


Foto - Taiane Oliveira

FILHOS DE JHÁ

222

ANO DE FUNDAÇÃO 20/09/1992

RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco Filhos de Jhá

HISTÓRICO O Bloco Afro Filhos de Jhá surgiu a partir do Grupo Cultural Filhos de Jhá e da banda percussiva Filhos de Jhá. Desfilou pela primeira vez no Carnaval de 1994.

ENDEREÇO Rua Artur Orrico, 13, Campina de Pirajá. CONTATOS (71) 9931-6418 / (71) 8700-2327

AÇÕES SOCIAIS Oficina de percussão, dança e capoeira. PRESIDENTE Milton Souza dos Santos

FILHOS DE JHÁ SOCIAL ACTIVITIES: Percussion, dance and capoeira workshops. / HISTORY: The Afro Group Filhos de Jhá was created from the Cultural Group Filhos de Jhá and the percussion band Filhos de Jhá. It first took part in the Carnival parade in 1994.

223


BANANA REGGAE ANO DE FUNDAÇÃO 10/01/1995

ENDEREÇO Avenida Glicério, 38, Pernambués.

HISTÓRICO Fundado por quatro amigos, o Banana Reggae foi o primeiro bloco de Pernambués, onde teve grande aceitação pelos moradores.

CONTATOS (71) 9129-7329 / (71) 3460-6013 blococarnavalescobananareggae@yahoo.com.br / thomevianna@hotmail.com

CURIOSIDADES Entidade cultural civil sem fins lucrativos, reconhecida como de utilidade pública por lei estadual e municipal. A banda Tribo de Jhá e os cantores Lazo Fin (Canadá) e Rick Husband (Guiana Inglesa) já participaram dos desfiles. PRESIDENTE Thomé Nery Viana RAZÃO SOCIAL Bloco Carnavalesco Banana Reggae

BANANA REGGAE OF INTEREST: A non profit civil and cultural organization with Public Utility Status at municipal and state level. The band Tribo de Jhá and the singers Lazo Finjá (Canada) and Rick Husband (British Guyana) have taken part in its parades. / HISTORY: Founded by four friends, Banana Reggae was the first Carnival group from Pernambués, where it is strongly supported by residents.

225

224 Foto - Divulgação


SKA REGGAE ANO DE FUNDAÇÃO 21/09/1995

ENDEREÇO Praça José de Alencar, nº 16, Anexo 5, Centro Histórico.

HISTÓRICO Em 1991, um grupo de pessoas organizou uma festa no Pelourinho, com o intuito de arrecadar fundos para a creche Casa da Criança com Câncer. Daí nasceu o Grupo Cultural Ska Reggae.

CONTATOS (71) 3243-0508 / (71) 9616-6856 / (71) 8779-3472 2mundos@gmail.com

CURIOSIDADES Todas as atividades promovidas pelo bloco arrecadam donativos para a Casa da Criança com Câncer.

SKA REGGAE

AÇÕES SOCIAIS Oficinas de capoeira e artesanato. O bloco mantém uma creche que atende 60 crianças e já promoveu eventos como a 4º Caminhada do Povo Pela Vida e Liberdade Religiosa e o Campeonato de Arraia e Pipa do Centro Histórico. LOCAL DE ENSAIOS Praça do Reggae, Pelourinho. PRESIDENTE Valmir de Araújo Castro

SOCIAL ACTIVITIES: Workshops in capoeira and handicrafts. The group maintains a nursery for 60 children and has promoted events such as the 4th Caminhada do Povo Pela Vida e Liberdade Religiosa (a street procession) and the Campeonato de Arraia e Pipa (a popular festival) in the Historic Centre. / OF INTEREST: All the activities promoted by the group gather donations for the Casa da Criança com Câncer (a charity supporting children with cancer). / HISTORY: In 1991 a group of people organized a festival in Pelourinho with the aim of raising funds for the Casa da Criança com Câncer nursery. The Ska Reggae Cultural Group grew from this.

RAZÃO SOCIAL Grupo Cultural Ska Reggae

226

227


CORAÇãO RASTAFARi RAZãO SOCiAL Centro Afro Cultural Coração Rastafari ENdEREÇO Praça Conselheiro Almeida Couto, nº 622, Nazaré.

OF INTEREST: Coração Rastafari mixes reggae with MPB. The group parades in the street without ropes that block off party-goers. The Carnival shirt is exchanged for 3kg of food. / HISTORY: The group was set up by singer and composer Lazzo Matumbi with the objective of creating a reggae space in the Bahia Carnival. Despite not being linked to Rastafarianism, Coração Rastafari follows the precepts of peace, social equality and respect which that movement promotes.

Foto - Divulgação

CONTATOS (71) 3243-9097 / (71) 8850-1519 / (71) 8878-3623 / lzz@lazzo.com.br

CORAÇÃO RAStAfARI

ANO dE FuNdAÇãO 01/07/1998 HiSTÓRiCO O bloco foi idealizado pelo cantor e compositor Lazzo Matumbi, com o objetivo de criar um espaço para o reggae no Carnaval da Bahia. Apesar de não estar ligado ao rastafarianismo, o Coração Rastafari segue os conceitos de paz, igualdade social e respeito defendidos pela ordem.

228

CuRiOSidAdES O Coração Rastafari mescla reggae e MPB. O bloco sai às ruas sem cordas. O abadá é trocado por 3 kg de alimento. LOCAL dE ENSAiOS Largo Quincas Berro D’água, Pelourinho. PRESidENTE Lázaro Gerônimo Ferreira

229


Reggae - O Bloco ANO DE FUNDAÇÃO 19/11/1998

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Alzira do Conforto

ANO DE FUNDAÇÃO 13/01/2004

HISTÓRICO O bloco surgiu com o objetivo de dar continuidade aos eventos de reggae na Praça do Reggae, no Pelourinho. Assim, a Banda Papoula e o bloco Reggae O Bloco fizeram uma parceria para levar o ritmo jamaicano ao Carnaval, vindo a desfilar todos os anos desde 2005.

ENDEREÇO Rua das Laranjeiras, nº 14, Pelourinho.

HISTÓRICO O Diamante Negro é fruto da união de grupos de dança, produtores, professores, artistas e músicos, que participavam de outros blocos, como o Filhos de Gandhy. O bloco é voltado para políticas afirmativas e para a valorização das comunidades de baixa renda.

CURIOSIDADES Em 2006, o músico Dionorina tocou no desfile do bloco. LOCAL DE ENSAIOS Praça do Reggae, Pelourinho. PRESIDENTE Nilton Oliveira Leão

230

DIAMANTE NEGRO

CONTATOS (71) 8802-3837 / alziradoconforto@hotmail.com

REGGAE O BLOCO OF INTEREST: In 2006 musician Dionorina played in the group’s Carnival parade. / HISTORY: The group grew from an aim to provide continuity to the reggae events held in the Praça do Reggae in Pelourinho. Thus the Banda Papoula and the Reggae O Bloco created a partnership in order to take Jamaican rhythms to Carnival and has paraded every year since 2005.

AÇÕES SOCIAIS Oficinas de capoeira. LOCAL DE ENSAIOS Praça do Reggae, Pelourinho. PRESIDENTE Anderson Santana Cunha

RAZÃO SOCIAL Associação Beneficente Cultural e Carnavalesca Diamante Negro ENDEREÇO Rua Antonico Carvalhal, 156, Alto do Cabrito. CONTATOS (71) 8117-4517 / (71) 3263-0818 diamantenegroobloco@hotmail.com blocodiamantenegro@ig.com.br

DIAMANTE NEGRO SOCIAL ACTIVITIES: Capoeira workshops. HISTORY: Diamante Negro is the result of a union of dance groups, producers, teachers, artists and musicians who used to parade with other groups, such as Filhos de Gandhy. The group is interested in affirmative policies and promoting respect for low income communities.

231


Foto - Divulgação

ASPIRAL DO Reggae ANO DE FUNDAÇÃO 01/05/2004

ENDEREÇO Rua do Passo, nº 48. Pelourinho.

HISTÓRICO O bloco surgiu a partir de uma associação integrante do movimento negro, com objetivo de combater o preconceito racial e difundir a cultura rastafári como movimento de transformação sociocultural. O bloco Aspiral do Reggae tem o objetivo de difundir a filosofia do reggae na sociedade, apresentando a cultura que existe nesta musicalidade.

CONTATOS (71) 3241-6210/ ( 71) 8776-4388 acareggae@yahoo.com.br

CURIOSIDADES Durante três anos (de 2003 a 2006) a associação realizou a Sessão Especial do Reggae na Câmara dos Vereadores de Salvador. Em 2007 e 2008 esta iniciativa foi realizada nas Câmaras dos Vereadores de Belém e de Brasília. A entidade fomentou o processo que levou ao reconhecimento do valor cultural do reggae pelos vereadores de Salvador, que resultou na instituição do Dia Municipal do Reggae, comemorado em 11 de maio. AÇÕES SOCIAIS Oficinas de cidadania para jovens, curso sobre ecologia e primeiros socorros. LOCAL DE ENSAIOS Praças do Pelourinho. PRESIDENTE Jussara Santana e Kamaphew Tawa

ASPIRAL DO REGGAE [Reggae aspirator] - SOCIAL ACTIONS: Workshops on citizenship for young people, course on ecology and first medical aid./ CURIOSITIES: During three years (from 2003 thru 2006), the Association performed the Special Reggae Session at the City Representatives Chamber of Salvador. In 2007 and 2008, this initiative event was performed at the City Representatives Chambers of Belem and Brazilia. The entity fomented the process, which led to the acknowledgement of the reggae cultural value by the City Representatives of Salvador, which resulted in the creation of the Reggae Municipal Day, being commemorated on May 11th. / HISTORICAL DATA: The block started as from an association that composed the negro movement, having the purpose of fighting against the racial prejudice and to divulge the rastafari [a group that considers the Ethiopia emperor as being God] culture as a movement of sociocultural transformation. The Aspiral do Reggae block has the purpose of divulging the reggae philosophy in the society, presenting the culture that exists in this musicality.

RAZÃO SOCIAL Associação Cultural Aspiral do Reggae

232

233


Este Catálogo foi impresso pela .Empresa Gráfica da Bahia, utilizando a fonte News Gothic, nos tamnhos 9, 10, 14 e 18, nas variações medium, oblique, bold e oblique bold, sobre papel couché fosco 120g/m².

Confira a programação e saída dos blocos no Carnaval 2010:

www.carnavalouronegro.com.br www.cultura.ba.gov.br www.portaldocarnaval.ba.gov.br



Catálogo Carnaval Ouro Negro