Page 1

outubro :: ano 6 :: nº 70 :: www.revistawebdesign.com.br R$ 11,90

Realidade Aumentada Aprenda a explorar esse novo recurso de interatividade na web

Quer conferir como funciona esta tecnologia? Siga as instruções abaixo: 1. Acesse www.revistawebdesign.com.br/realidadeaumentada 2. Direcione o ícone acima para sua webcam (aprox. 30 cm de distância) 3. Veja o demonstrativo que preparamos para você! Apoio

E D I T O R A


4 :: Webdesign

Luis Rocha

Editorial

luis.rocha@arteccom.com.br

Tecnologia boa é aquela que mexe com as nossas emoções Semana de fechamento de mais uma edição da Webdesign. Toca o celular. Penso eu, lá vem algum imprevisto de última hora! Do outro lado da linha, é a minha grande amiga (e diretora de criação) Camila Oliveira. O papo se inicia com algumas trocas de ideias para acertarmos os detalhes de fechamento da revista. A conversa se estende e confesso a ela que o tema do especial

Direção Geral Adriana Melo Direção de Redação Luis Rocha Direção de Criação Camila Oliveira Publicidade Luanna Chacon Thiago Nabuco Atendimento Rebeca Emerick

deste mês acabou trazendo boas recordações sobre o início

Tecnologia Neilton Silva

do cinema 3D e os clássicos óculos ornamentados com papel

Rafael Zuma

celofane vermelho e azul. Neste momento, ela me “intima” a assistir o filme “UP - Altas Aventuras”, um dos mais recentes projetos produzidos pela Disney/Pixar com tecnologia tridimensional para películas cinematográficas. Segundo ela, a mistura do moderno aparato tecnológico com uma bela história e um roteiro bem trabalhado torna a obra numa ótima opção de lazer, fazendo com que você participe realmente daquela história. Para se ter uma ideia, o processo de imersão e realismo foi tão grande que lágrimas fizeram parte das emoções vividas por

Financeiro Cristiane Dalmati Eventos Taianá Andrade

Atendimento aos assinantes atendimento@arteccom.com.br Redação redacao@revistawebdesign.com.br Anuncie publicidade@arteccom.com.br

Camila durante o filme! Depois de tamanha revelação, terminamos nossa conversa concluindo que esse é o papel que uma tecnologia deve assumir nos projetos, ou seja, ajudar o usuário a se sentir parte daquele ambiente que ele deseja experimentar em determinado momento de sua vida. Assim, esperamos que a reportagem de capa possa ajudá-los a encontrar este diferencial na aplicação da Realidade Aumentada em ambientes digitais. PS: Vocês devem estar estranhando o porquê de Adriana não nos brindar com mais um de seus interessantes depoimentos por aqui. Diante dos novos projetos lançados pela Arteccom, como o curso Design de Interfaces e o Workshop Magento, ela pediu para

Revista Webdesign www.revistawebdesign.com.br Revista TIdigital www.revistatidigital.com.br Encontro de Design e Tecnologia Digital www.edted.com.br Fórum Internacional de Design e Tecnologia Digital www.foruminternacional.com.br Concurso Peixe Grande www.peixegrande.com.br Curso Web para Designers www.webparadesigners.com.br Curso Design de Interfaces www.designdeinterfaces.com.br

que eu cobrisse sua ausência neste momento. No mês em que completo quatro anos de Arteccom, agradeço a minha querida chefinha por esta oportunidade de abrir a edição e também fechá-la (pág.74) com a publicação de meu conto, premiado recentemente em concurso literário. Grande abraço e uma ótima leitura!

Produção gráfica www.ediouro.com.br

Distribuição www.chinaglia.com.br

Luis Rocha. :: A Arteccom não se responsabiliza por informações e opiniões contidas nos artigos assinados, bem como pelo teor dos anúncios publicitários. :: Não é permitida a reprodução de textos ou imagens sem autorização da editora.


74 :: Webdesign

Luis Rocha é carioca, flamenguista e jornalista. Atualmente, trabalha como diretor de redação da Revista Webdesign. Além de escrever mensalmente todas as reportagens da revista, também procura exercitar sua veia criativa com a produção de poesias e contos no blog Meu Lírico-Eu (http://meuliricoeu.blogspot.com). Contato: lrocha@gmail.com

A vida .com ela é... Ou uma tragédia à la Nelson Rodrigues “Sou um menino que vê o amor pelo buraco da fechadura. Nunca fui outra coisa. Nasci menino, hei de morrer menino. E o buraco da fechadura é, realmente, a minha ótica de ficcionista. Sou (e sempre fui) um anjo pornográfico.” (Nelson Rodrigues) Sou Francisco, arquiteto e sociólogo. Filho de José com Maria. Divorciado de Teresa, pai outrora orgulhoso de Iracema. Quarenta e sete anos de vida real. Hoje, completo

conhecer o mundo - do MSN, dos blogs, do Twitter, do Orkut -, sem estar debaixo de minhas asas protetoras. No entanto, essa caminhada virtual implicava na idolatria

treze de experiências virtuais. Até ontem, existiam mil

de figuras midiáticas pra lá de duvidosas, como a tal da Bruna

motivos para celebrar esta data, mas...

Surfistinha, que a deixara com um ar de Capitu, clássica

Apesar de utilizar e usufruir de todos os benefícios das

personagem de um dos clássicos de Machado de Assis,

novas tecnologias de comunicação, de telefones celulares

comumente reconhecida pelos seus “olhos de ressaca, como os

à internet, salve o e-mail, o Skype e o MSN, ainda assim

de uma cigana oblíqua e dissimulada”.

mantive a minha paixão juvenil pela escrita e leitura dos meios impressos e dos grandes clássicos da literatura brasileira.

Nesse ínterim de mudanças em tempo real, Iracema se apaixonou por um sujeito popular e de alcunha Evilásio69,

Para se ter uma ideia desta idolatria, vocês devem ter

mancebo bom de papo eletrônico e que prometera honrá-la

percebido, logo de início, que o nome de minha filha, Iracema,

virtual e presencialmente. Mas, como pressentimento de pai

é uma singela homenagem ao belo romance homônimo de José

“tarda, mas não falha”, uma tragédia era questão de bits e

de Alencar (Não conhece? Uma pena, quem sabe o Wikipedia

bytes para se consumar...

possa iluminar seus pensamentos... Por favor, entenda-me:

Na última semana, alertado por alguns conhecidos

quero ser breve e compartilhar de uma vez por todas esse meu

“pornonautas”, investigadores desse submundo virtual

sofrimento digital!).

masturbatório, descubro - através do senhor de todas as

No exato momento que digito esse desabafo via Google

buscas, Google - que meu pequeno querubim (que, segundo o

Docs, as lágrimas inundam meu teclado cada vez que releio

definitivo e palpável Aurélio, significa “criança muito linda”) foi

uma das passagens do livro, que repousa religiosamente

pervertido... E o pior: tudo registrado via webcam!

ao lado do meu notebook, lembrando a tragédia ocorrida

Agora, Iracema é mais idolatrada do que “Eu sou

com Iracema (e que certamente poucos terão o prazer e a

Stephany (no meu Cross Fox)”, é trending topic semanal dos

paciência de descobrir nos próximos parágrafos):

tuiteiros mundiais, além - é claro - de ser a estrela preferida

“...Além, muito além daquela serra, que ainda azula

e milimetricamente exibida, nos máximos pixels e posições

no horizonte, nasceu Iracema... a virgem dos lábios de mel,

possíveis, pelos sites eróticos que se multiplicam como gripe

que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna e mais

suína pela grande rede.

longos que seu talhe de palmeira... O pé grácil e nu, mal roçando, alisava apenas a verde pelúcia que vestia a terra com as primeiras águas...” Parece que foi ontem que a vi entrando toda de branco

Afinal, onde errei? Minha dedicação para que fosse uma boa moça foi total. Paguei balé. Curso de inglês. Faculdade. Dei-lhe as roupas da moda... Eu até briguei com os meus melhores amigos para não admitir que Brás

na Igreja, durante sua primeira comunhão. Ou ainda, das

Cubas, protagonista de outro clássico de Machado de Assis,

travessuras com suas amigas, brincando inocentemente na

descobrira o sentido da vida.

cama de seu quarto - preparado especialmente para ela, diga-se de passagem! Porém, o tempo (talvez, hoje, a internet seja) é senhor da razão e Iracema cresceu rapidamente. Como sempre, fiz

Porém, depois da perversão digital, virtual e interativa de Iracema, repetirei eternamente - via Twitter - a célebre frase “brás-cubiana”, perfeita para os 140 caracteres permitidos, como se fosse meu mantra da eterna libertação (on-line):

o possível e o impossível para atender a mais um de seus

"Não tive filhos, não transmiti a

desejos: ser a primeira menina do colégio a ter um poderoso

nenhuma criatura o legado

computador portátil. Sabia que chegara a hora de Iracema

da nossa miséria".

Observação: este conto foi o vencedor do III Concurso Literário | Dia do Escritor - Scritta Online (http://migre.me/6Fi2).

Editorial e conto literário  

Texto do editorial da edição de outubro de 2009 e do conto literário "A vida .com ela é... ", vencedor de concurso nacional

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you