Page 1

OUTUBRO 2018

nossas possibilidades de crescimento SISTEMA DE QUALIDADE NA GESTÃO ESCOLAR

AVALIAÇÃO E MELHORIA CONTÍNUA DA FORMAÇÃO INTEGRAL OFERECIDA AOS ESTUDANTES


Estratégia em rede para avaliação e melhoria das práticas institucionais de um centro educativo jesuíta O Sistema de Qualidade na Gestão Escolar (SQGE) é uma estratégia em rede para avaliação e melhoria das práticas institucionais de um centro educativo jesuíta, desenvolvido pela Federação Latino-Americana de Colégios da Companhia de Jesus (FLACSI). Por meio dele, a escola se insere em um ciclo contínuo de reflexão sobre seus resultados, definindo metas e ações que impactem positivamente a aprendizagem dos estudantes. O principal objetivo do SQGE é organizar os processos de avaliação e melhoria dos centros de aprendizagem, certificando seus resultados por critérios compartilhados como referência válida para o desenvolvimento da qualidade de uma escola jesuíta.

Etapas de Implementação No Colégio Loyola, o Sistema de Qualidade da Gestão Escolar será aplicado em duas grandes etapas: autoavaliação e melhoria. Veja o cronograma de aplicação: 1ª etapa (4 meses) Autoavaliação Reflexão. Compreensão do Sistema. Aplicação do Guia de Autoavaliação. 2ª etapa (20 meses) Melhoria Desenhos de Plano de Melhoria. Determinação de metas de aprendizagem. Implementação da melhoria. Avaliação da melhoria (avanços qualitativos e quantitativos).

FLACSI é a Federação Latino-Americana de Colégios da Companhia de Jesus, uma rede regional que conecta 13 redes nacionais, incluindo a RJE (Rede Jesuíta de Educação Básica do Brasil). Seu principal objetivo é fortalecer os colégios por meio de ações comuns para a transformação educacional e social dos países de origem.


eNTENDA MELHOR O SQGE Âmbitos: dimensões nas quais se organiza a vida da escola. Resultados: êxitos esperados, determinados a partir da investigação educativa e dos estudos sobre melhoria, eficácia e qualidade em educação. Indicador: dado quantitativo e qualitativo, coletado de forma sistemática e aprovado pela maioria com um determinado objetivos para avaliar os esforços e a melhoria de algum aspecto da escola. Evidências: dados e informações disponíveis no estabelecimento educativo, nos quais se apoia a avaliação de determinado indicador. Rubrica: descrição de cada um dos valores da escala de avaliação. O indicador tem diversos graus de verificação.

Linha de base A implantação da metodologia do SQGE envolve um intenso trabalho de preparação. No período que antecede a Jornada Comunitária, uma equipe de profissionais da escola reúne e organiza um conjunto de informações sobre resultados da aprendizagem dos estudantes com o objetivo de estabelecer referências para a posterior criação de metas e planos de melhorias. Esse conjunto de informações, chamada linha de base, aborda as dimensões acadêmica, socioemocional e espiritual - religiosa, e tem como linha de corte a última série de cada segmento, ou seja, 5º e 9º Anos do Ensino Fundamental e 3ª Série do Ensino Médio). No Loyola, ela foi composta por dados de avaliações internas (resultado global, atividade diagnóstica, avaliação integrada, DDF’s, catequese e voluntariado educativo) e avaliações externas (Prova Brasil e Enem), considerando-se resultados dos anos 2015, 2016 e 2017. Participaram dessa etapa, além do diretor acadêmico, Roberto Tristão, a assessora pedagógica Alexandra Gazzinelli, os coordenadores de série Alexsandra Vasconcelos Nonaka e José Henrique da Silva Júnior e o coordenador de Formação Humana e Cristã, Agripa da Silva Mairink.


SISTEMA DE  QUALIDADE NA  GESTÃO  ESCOLAR Nos últimos anos, o Colégio Loyola tem experimentado, por meio de diversos ciclos de planejamento, uma qualificação contínua de seus processos administrativos e acadêmico-pedagógicos. Diante da experiência adquirida pelos caminhos percorridos, a Escola chegou à conclusão de ser o momento de dar mais um passo na caminhada rumo à melhoria constante da qualidade escolar. Começou, no dia 23 de junho, no Colégio Loyola, a 1ª Jornada Comunitária do Sistema de Qualidade na Gestão Escolar (SQGE). O primeiro momento, de três dias de trabalho, caracterizou-se pela apresentação e aproximação da equipe diretiva e de lideranças estratégicas da metodologia desenvolvida e proposta pela Federação Latino-Americana de Colégios da Companhia de Jesus (FLACSI). A segunda jornada continua neste sábado com envolvimento de todos os colaboradores e representantes de famílias e estudantes. O primeiro momento da Jornada SQGE aconteceu no Espaço Pe. Kolvenbach, conduzido pelo profissional de apoio Gustavo Cuadra, com as facilitadoras da FLACSI Juliana Heleno e Isabel Tremarin, que trabalharão com as equipes internas responsáveis pela avaliação de cada um dos âmbitos do SQGE: Pedagógico-curricular; Clima escolar; Organização, estrutura e recursos; e Família e comunidade. O diretor geral, Juliano Oliveira, fez a abertura destacando ser a entrada no Sistema de Qualidade na Gestão Escolar um passo a mais no histórico da caminhada do Loyola em busca da melhoria escolar, tendo em vista os processos múltiplos vivenciados pelo Colégio nos últimos anos. “Decidimos entrar agora no SQGE por acreditar que a escola está mais madura em seu senso de pertença e reconhecimento como rede, e, por isso, mais alinhada aos movimentos dos demais colégios da Rede Jesuíta de Educação e da FLACSI”, explicou. Ele acredita

que a simultânea consolidação do planejamento estratégico da RJE subsidiará o Loyola na construção dos projetos de melhoria internos. Usando uma dinâmica de questionamento para provocar a reflexão, o profissional de apoio da FLACSI introduziu os fundamentos, etapas e papéis dos diferentes atores do processo, bem como o método e resultados a alcançar. Ele deixou claro que a proposta do SQGE não é a avaliação de pessoas, mas de processos. “Trata-se de olhar a prática e ver coisas que não se veem no dia a dia”, esclareceu. Gustavo Cuadra ressaltou que “tudo que fizermos nos deve levar a melhorar a qualidade do nosso trabalho. A reflexão crítica deve levar a uma ação. E o nosso trabalho deve fazer com que nossos alunos aprendam mais e melhor, em coerência com um projeto inaciano”. Ele afirmou que essa melhoria na aprendizagem não é propriedade apenas do professor, nem dos gestores, mas de todos. Nesse primeiro momento, foi feito um levantamento e compartilhamento do que cada participante espera e de seus principais temores diante da decisão da escola de entrar no SQGE. Para o diretor geral, a principal expectativa é de uma construção dialógica e de que a comunidade se aproprie e se envolva, de fato, na aplicação do SQGE.


jornada comunitária ESPAÇO DE DIÁLOGO E REFLEXÃO PARA CONSTRUÇÃO CONJUNTA DE AÇÕES TRANSFORMADORAS

O Colégio Loyola entrou, definitivamente, no Sistema de Qualidade da Gestão Escolar com a realização, no dia 23 de junho, da 1ª Jornada Comunitária de Autoavaliação. No encontro, que reuniu colaboradores e representantes de pais e estudantes, a comunidade escolar deu início ao exercício de reflexão sobre os processos e práticas internos e ao desenvolvimento de um entendimento comum sobre o que seja qualidade para a Escola. O ponto alto do encontro foi o trabalho em grupos, momento em que foi possível dar voz à comunidade. Cada participante teve a oportunidade de expressar suas percepções e expectativas em relação à educação oferecida pelo Loyola, compartilhando seus sonhos para uma aprendizagem realmente de qualidade para os estudantes.

Depoimentos “Participei como moderador de um grupo, e é nítido como os desejos falam muito de nós, como pessoas, como profissionais e como membros de uma comunidade”. Humberto Mendes Chefe do Setor de Revisão “Foi um momento raro e bonito de se ver, com profissionais de diferentes setores, pais e estudantes reunidos para pensar e compartilhar, com liberdade e de modo amplo, o que acreditam sobre Formação Integral, fazendo sugestões para o crescimento da Escola” . Amanda Lopes Professora e Assessora de Arte “Decidimos entrar agora no SQGE por acreditar que a escola está mais madura em seu senso de pertença e reconhecimento como rede, e, por isso, mais alinhada aos movimentos dos demais colégios, da Rede Jesuíta de Educação e da FLACSI”. Juliano Oliveira Diretor Geral


Em busca de evidências SOBRE A QUALIDADE DE NOSSAS  PRÁTICAS

Nos meses de junho, julho, agosto e setembro, as comissões responsáveis por cada âmbito (Pedagógico-curricular, Clima Organizacional, Família e Comunidade e Organização, Estrutura e Recursos) trabalharam intensamente no processo de autoavaliação do colégio. É possível que você tenha sido procurado por um dos integrantes dessas comissões em busca de documentos ou algum tipo de registro para identificar e dimensionar a influência da escola no rendimento escolar dos estudantes. As comissões se reuniram semanalmente para avaliar esses achados como evidência do papel da escola no desempenho dos alunos. Após aprovação da equipe diretiva, o trabalho de autoavaliação foi complementado com a inserção das informações e documentos correspondentes na plataforma on-line de acompanhamento do SQGE. Os resultados foram complementados com comentários dos facilitadores e profissionais de apoio e serão conhecidos durante a Segunda Jornada Comunitária, junto com o conceito de QUALIDADE elaborado para o Colégio Loyola a partir das contribuições da comunidade na 1ª Jornada.

--


Âmbito Clima Escolar

Âmbito Família e Comunidade

Âmbito Pedagógico - Curricular

Âmbito Organização, Estrutura e Recursos


Marque na agenda! 19, 20 e 22 outubro - Segunda Jornada Comunitária Out, nov, dez de 2018 e fev de 2019 - Desenho dos projetos de melhoria Março de 2019 - Início dos projetos de melhoria Março de 2021 - Segunda Avaliação

Rumo à etapa de melhoria A partir de agora, começa uma nova etapa. Vamos elaborar o plano de melhoria (projetos e ações) com foco na Aprendizagem Integral de todos os estudantes.

Informativo SQGE Edição 1  
Informativo SQGE Edição 1  
Advertisement