Page 1

Summer Nights “Você me ligou naquela tarde vazia, e me valeu o dia”.

Galeria de Arte Perfil de 5 artistas contemporâneos, 5 estilos diferentes de ver arte.

Som som som... 2 sites de música on line.

N3 PR / SC / SP www.schooner.com.br

Listen_ Playlist 3 discos para você conhecer.

E muito mais!


REDACAO Já se passaram alguns meses desde o começo desse projeto, conhecemos pessoas maravilhosas desde então e as expectativas sempre são positivas, ainda mais agora que começou o horário de verão. Nessa edição vamos conferir uma galeria de arte original, com artistas inusitados para inspirar o nosso dia a dia urbano. Ler histórias de mulheres que marcaram época fazendo coisas que hoje em dia é normal para todas nós no verão. Entrevistamos artistas, escrevemos sobre bandas revelações e recheamos a agenda cultural da Revista com os melhores eventos do próximo mês, e não para por aí. Essa edição promete trazer experiências únicas para aqueles que gostam de arte, moda, música, fotografia e todas as suas vertentes. Enjoy!!! Jaqueline Carvalho

EXPEDIENTE Quer participar do projeto com matérias, dicas ou enviar sua sugestão/opinião? Envie um email para: umas.palavras@gmail.com Coordenação do Projeto: Henrique Cabral dos Santos Edição e Diagramação: Jaqueline Carvalho Projeto Schooner For Everyone

Revista Mariners_by Schooner Outubro 2011 #3 ED.


terceira edição_

COLABORADORES

a na Lim a i r a M

Mariana Lima, prestes a enfrentar a loucura do TCC e concluir o curso de Design Visual fez da sua paixão por fotografia sua profissão. Sempre no meio das idéias, lentes e livros de fotografia, gasta boa parte de seu tempo no empenho de preencher seu flickr com fotos interessantes e a vida dos amigos com risadas e sorrisos.

Tuyra Rosa, 22, formada em Design de Moda, atua na área como produtora. Apaixonada por acessórios, está participando pela segunda vez da Revista Mariners.

Tuyr a Ro sa

Fernanda Barp é da equipe de vendas da Loja Schooner Palladium. Formada em Design de Moda, ama o que faz e procura estar sempre atualizada participando de palestras, oficinas e cursos relacionados a sua área de atuação.

p a Bar d n a n Fer

Yasmin Taketani tem vinte anos e é jornalista. Lê HQs desde criança e pretende continuar lendo até quando estiver velhinha, já que não nasceu com dom para fazer quadrinhos. Vive em Curitiba.

Yasm

in Ta ket

ani


INDICE

10 16 15 MARINERS EDITION SCHOONER FOR EVERYONE

8 Fashion :: Eterno curinga

21

Camisão: dicas para usar

9 Fashion :: Cantinho da leitura 3 livros essenciais para quem gosta de Moda.

10 Fashion:: Inverno na dose certa

12

Consultoria de moda

12 Fashion :: História da Moda III 1970/1980

14 Fashion:: Editorial_Summer Nights Para curtir a balada no verão!!

38

22 Arte:: Galeria de Arte 5 artistas, 5 visões..

33 Music :: Som som som.. Conheça os sites Soundcloud e Virb

35 Music :: Listen_playlist

36

3 cds, 3 bandas curitibanas.

36 Literatura :: Resenha_Três Sombras Uma história em quadrinho.

37 Fotografia :: Câmera Mamute A maior câmera do mundo.

38 Deco :: Celebração da Luz Vamos falar de cortina!!

41 Stuff :: Agenda Cultural Shows, eventos, e muito mais.

37


Fashion ::

Eterno curinga por Fernanda Barp O camisão nasceu nos anos 50 e foi inspirada no vestuário masculino e transformada numa 'camisa feminina em forma de vestido'. O camisão ou chemise (do francês, camisa) é um eterno curinga e está sempre na moda. É uma peça versátil e pode ser usada por todas, desde que tomem alguns cuidados simples. Para esconder as gordurinhas indesejáveis, use-o solto, sem marcar a cintura ou escolha um cinto mais grosso, frouxo, na altura do quadril. Caso contrário, marque a cintura com um belo cinto ou uma faixa de tecido. Ele vai do trabalho para a balada e à praia nos fins de semana. Para o trabalho, use apenas ele e um scarpin, ou se preferir use com uma calça reta. Abuse de echarpes e lenços para deixar o look bem elegante. Na balada vá só com ele e use um sapato bem interessante, sandália, peep toe, ankle boot... acessórios estilosos de acordo com o gosto. Na praia coloque-o sobre o biquini e pronto, você tem uma ótima saída de praia. O camisão ainda pode ser usado com legging ou skinny, e nos pés o que estiver de acordo com a estação, tudo é permitido. Fuja também das calças flare ou pantalonas.

{

{

Última dica: se você é baixinha, use o camisão como vestido, short ou se quiser usar calça, escolha um corte reto ou skinny e nunca esqueça o salto alto para alongar a silhueta.

8

Fotos: Divulgação


Fashion ::

Cantinho da leitura!!! não pode faltar na sua prateleira.

O espírito das Roupas Editora: Companhia das Letras O livro é um ensaio sobre a moda no século 19. A obra nos faz dar um passeio pela época através da pintura, literatura, gravura e fotografia. É uma obra fundamental para quem quer estudar moda e o valor é acessível, custa em torno de 29 reais.

O império do Efêmero Editora: Companhia das Letras Livro essencial para o entendimento do que a moda representa em nossa sociedade, o autor procura analisar a moda como fenômeno social, suas metamorfoses e conceitos. Aborda a emergência da moda no final da Idade Média e a evolução da moda a longo prazo, o livro custa em torno de 29 reais.

A moda do século Editora: Cosac & Naify O livro traz muitas fotos, dentre estilistas e personalidades importantes, pessoas que marcaram as décadas e influenciaram o nosso jeito de vestir e o nosso comportamento. A obra também é fundamental na prateleira de estudantes e apaixonados por moda.

9


Inverno NA DOSE CERTA por Tuyra Rosa O frio está indo embora, mas algumas peças chaves da estação prometem ficar no armário. Misturar elementos de inverno e verão no mesmo look está em alta e nos deixa preparados para enfrentar as variações de clima no mesmo dia. Escolhemos algumas peças da Schooner de inverno para compor com os novos itens da coleção. A dica é trabalhar com sobreposições e mesclar cores quentes e frias para criar contraste. Camisas de manga longa, principalmente as jeans, podem ser utilizadas como casacos para proteger do friozinho noturno, além de trazer um ar vintage. Outra opção é escolher casaquetos mais leves para usar com vestidos casuais. Os vestidos de manga longa ou 3/ 4 ficam ótimos em dias cinza e detalhes como coletes e chapéus quebram o ar gelado. O mesmo vale para os acessórios. Compor botinhas de couro, febre do inverno, com óculos de sol e chapéu de palha, traz ousadia ao look e roupas na temperatura certa.

cinto de laço

moletom

dica 1

10


Fashion ::

dica 2

camisa jeans

chapéu de palha

sandália Fotos: Mariana Zarpelão

11


Fashion ::

1970

1980

HISTÓRIA DA MODA EM CAPÍTULOS

Aqui estamos com a penúltima parte da história da moda brasileira, muitas linhas e paetês já rolaram desde então. Dessa vez falaremos dos hippies, punks e yuppies, diretamente do túnel do tempo de Zuzu Angel, Sônia Braga, Leila Diniz e outras peças raras. O estilo Hippie dominou a moda jovem nos anos 70 com batas indianas e calças boca-de-sino. Esse período também foi conhecido como a época da discoteca, meias lurex usadas por Sônia Braga em Dancing days viraram febre entre as mulheres, assim como sandálias plásticas, brilho e exagero. E como diz Rita Lee, “Toda mulher é um pouco Leia Diniz”. Símbolo do feminismo da época, Leila Diniz apareceu aos 7 meses de gravidez usando biquíni, em 1971, numa época em que as grávidas não mostravam a barriga. Época em que a estilista Zuzu Angel demonstrava de forma poética suas criações com um trabalho rico de cores da cultura brasileira. Zuzu também usou a sua moda para protestar a morte de seu filho, Stuart, violentamente torturado pela ditadura militar. Em 2006, o diretor Sergio Rezende transformou essa história em um filme emocionante, vale a pena ser visto. O final dessa década foi marcado pelo movimento punk da Inglaterra, com cabelos moicano, tachas, botas em estilo militar, roupas pretas com um visual a la gótico. Madonna fazia sucesso ditando a moda entre as garotas e as meias coloridas continuaram fazendo sucesso. Os anos 80 foi conhecido como a década do exagero das formas, do glamour, poder e consumo. Os ombros eram largos e as peças folgadas, foi a época dos yuppies (Young urban professional), ou o que diríamos hoje.. os jovens workaholics! Muitas marcas apareceram, estilistas novos foram surgindo e a moda começou a criar outra proporção. Estava começando a ser levada mais a sério pelos brasileiros, em 1987 surgia a primeira escola de moda em São Paulo.

12


Summer 2012 Summer Nights/ 2012

“Você me ligou naquela tarde vazia, e me valeu o dia... (Tarde Vazia - IRA! - 1989)

As vezes tudo que você precisa é passar a mão no telefone e ligar para algum amigo convidando pra sair, conhecer um lugar novo, andar pelas ruas, ou cair na balada!

Não precisa saber o rumo certo, ou a roupa certa, o que vale é descobrir juntos tudo que a cidade oferece!

14


15


Fotos: Modelos: Make up: Produção: Equipe: Locações:

Ravi Pimentel Sandra Kanayama Camilo Cezar (Ford Models) Mari Romaniv Schooner Ana Paula Luz Eleutério, Tassy Del Negro Anelise Fylyk, Oriana Dupont Saaz Bier Bar Barba Hamburgueria VIBE Club


Arte ::

GALERIA DE ARTE «Em todas as suas manifestações, a arte é uma expressão do sentir humano transformado em símbolos, não convencionais, que necessariamente não precisarão levar o observador a significados conceituais, pois antes de mais nada, a arte deve ser sentida e não pensada." E o que se passa na cabeça de quem cria? Fomos em busca da resposta e encontramos 4 curitibanos dispostos a falar um pouco sobre como funciona o processo criativo de cada um.

Além de descobrir o que fez com que eles começassem a c ri a r, t ra t a - se dos a rt i st a s Anthony Nathan, Thiago Syen, Olho Woddzynski, Jonah Emilião e J o r g e G a l v ã o . Aproveitem as entrevistas.

Onda de sensações, serigrafia, 2011_ por Anthony Nathan

Foto: Fernando Zanoni (*Foto Extra na página 40)

22

-


------------------------------------------------------------------------------PERFIL ANTHONY NATHAN O que fez você começar a criar? Humn, o que me faz criar é uma necessidade dentro de mim. Instintivamente, intuitivamente, criar sem uma obrigação, para me satisfazer, acho que começo a criar sentindo isso.

Quais são os instrumentos do seu trabalho? Dentro do meu trabalho utilizo diversos matérias. Na pintura de rua gosto de usar látex, spray, rolinha, fita crepe e superfícies corroídas e com deformações em sua arquitetura. Trabalho também com madeira, serigrafia e xilogravura. Além de materiais de uso comum na área gráfica e digital.

Qual é a sua fonte de inspiração? Acho que minha inspiração vem da vida, dos meus pensamentos, o que observo e sinto, o que me chama atenção no momento, seja isso em forma de texto, imagem, som, forma…

Como funciona seu processo criativo? Geralmente já tenho uma ideia na cabeça do que fazer, mas eu não tenho regra e nem ordem para um processo criativo. Quando pinto na rua, gosto de colocar a arquitetura do lugar a meu favor, pra mim este é o primeiro passo. Gosto de desenhar alguns detalhes em larga escala, que possa me proporcionar um conceito. É uma pergunta difícil, logo que meu processo criativo esta sempre mudando, porque sempre vou conhecendo coisas novas, e assim novas formas de criar.

Qual é o artista/ilustrador/pintor que você gostaria de conhecer pessoalmente e por quê? Ao passar dos dias, com a velocidade da comunicação, você acaba conhecendo o trampo de muita gente. Mas tem muita gente que eu não conheço e que gostaria de conhecer, agora aqui não tenho na cabeça um nome em específico. Esses dias conheci um cartazista polonês em um workshop de cartazes chamado Piotr Kunce, que eu não conhecia o trabalho direito e acabei me identificando bastante com as ideias desse cara. Acho que o dia a dia vai encaminhando encontros e desencontros nesses sentidos.

Como você define sua arte, e o que quer transmitir através dela? Minha arte não tem uma definição do que é, ela é minha expressão naquele momento. Quero transmitir meu pensamento, o que sinto naquela hora que estou fazendo, uma mistura do que eu gosto. Acredito que minha arte é um ciclo, mais para frente ela vai se transformar.

Lugar que considera perfeito para criar? Gosto de criar na cidade, quando posso observo as coisas com outros olhos, conversando com as outras pessoas.


Arte ::

PERFIL THIAGO SYEN---------------------------------------------------------------------------------O que fez você começar a criar? Comecei a criar depois que criei gosto pela arte, depois que conheci o Graffiti, em meados de 1997. Na escola não gostava de arte, não me atraía o que era ensinado, eu queria escrever meu nome nas paredes, aquilo era arte!!! Engraçado que hoje sou professor de arte e tento sempre fazer uma aula legal, respeitando os conhecimentos adquiridos dos alunos fora da escola.

Quais são os instrumentos do seu trabalho? Depende da técnica que trabalho: Basicamente eu mexo com gravura, desenho, graffiti e às vezes faço alguns experimentos (escultura, instalação), então sempre tenho a mão goivas, bicicletas, sprays, canetas, bicos de pena e algumas ideias perigosas.

Qual é a sua fonte de inspiração? Não acredito muito em inspiração e sim em pensamentos, ideias, esboço, estudo, cotidiano, cidade, esboço, questionamentos, estudo, escrever sobre o meu trabalho e finalmente chegar à conclusão de que vou fazer para sempre esse processo (que com certeza vai mudar).

Como funciona seu processo criativo? Geralmente inicia a partir de alguma ideia, alguma coisa que me chama a atenção na cidade, na escola, no mundo, depende se eu estou pedalando, bebendo no bar, da música que estou escutando. A técnica também é algo relevante para meu processo criativo, por vezes desenvolvo trabalhos especificadamente para a gravura e que não funcionariam no desenho ou no Graffiti.

Qual é o artista/ilustrador/pintor que você gostaria de conhecer pessoalmente e por quê? Gostaria de ter conhecido o grupo Provos, da Holanda, principalmente pelo motivo de eles terem desenvolvido o Plano das Bicicletas Brancas. Agora, alguém na ativa... o J. Borges parece ser um cara bacana!

Como você define sua arte, e o que quer transmitir através dela? Prefiro não criar rótulos para o que faço, ela é mutável e por vezes se adequa a situações e assim continuará. Sobre o quero transmitir, acho que acima de tudo é uma troca entre eu e a pessoa que a observa, cada pessoa tem sua opinião.

Lugar que considera perfeito para criar? Depende, minhas gravuras e desenhos eu crio em casa e me sinto feliz, agora o Graffiti tem que estar na rua.

25


Arte ::

-


Arte ::

----------------------------------------------------------------------------PERFIL OLHO WODDZYNSKI O que fez você começar a criar? O começo veio primeiramente pela vontade de aprender, em algum momento me deparei na frente de alguma pintura e não a compreendia, ao mesmo tempo já tinha alguns amigos que trabalhavam ou estudavam artes visuais, e indiretamente eles me influenciaram nesse época, e achei necessário correr atrás e aprender mais, então resolvi fazer faculdade de artes visuais.

Quais são os instrumentos do seu trabalho? No meu trabalho uso um pouco de tudo, fotografia, computador, desenho, leituras.

Qual é a sua fonte de inspiração? Não sei se existe uma inspiração mágica como uma musa ou algo mágico. Mas aquelas coisas simples que fazemos todos os dias, seja andando de bicicleta, caminhando, andando de skate, escutando uma música, lendo um livro, batendo um papo com os amigos. Todas elas somam-se e servem de inspiração.

Como funciona seu processo criativo? O processo criativo é bem variado, depende muito do momento e do trabalho, no geral, leio muito, procuro diversas informações, e faço rabiscos das ideias, e aos poucos as ideias dos trabalhos vão surgindo. Dentro desse processo uso todos os recursos possíveis, fotografia, desenhos, observação do cotidiano, leituras. Acabo pensando isoladamente em cada imagem em muitos dos meus trabalhos, depois vou recombinando eles, conforme a necessidade, criando novos valores e simbologia quando associados.

Qual é o artista/ilustrador/pintor que você gostaria de conhecer pessoalmente e por quê? Acho que todos são curiosos pra saber quem é o Banksy, seria legal saber o que o cara pensa, como é o dia a dia de trabalho dele, ateliê etc.

Como você define sua arte, e o que quer transmitir através dela? Acho minha arte caótica, pois gosto de mudar e experimentar outro suportes, linguagens, é claro que acabo indo muito pra aquela que domino mais, o stencil. Uma das coisas que gosto de pensar sobre meu trabalho é como posso provocar e questionar o expectador, gosto da ideia de deixar as pessoas pensarem e entenderem o trabalho, tanto pra uma pessoa que seja mais leiga em artes ou uma pessoa mais esclarecida, que ambas consigam compreender o trabalho cada um da sua maneira, que não seja algo forçado. Outro ponto que também penso no meu trabalho é um lado mais político e mais crítico a sociedade, que questione as situações do cotidiano, o comportamento das pessoas, etc.

Lugar que considera perfeito para criar? Não acho que exista um lugar perfeito para a criação, às vezes as melhores ideias surgem quando menos esperamos. Mas um espaço/ateliê favorece muito na hora da criação, pois o espaço por si só já é um ambiente destinado a esse fim.

27


Arte ::

PERFIL JONAH EMILIÃO------------------------------------------------------------------------------O que fez você começar a criar? Creio que tudo começou na época da escola, com minhas dificuldades de aprendizagem, frequentava psicopedagogas que me auxiliavam com os estudos e despertavam meu lado criativo com pinturas, recortes e xadrez. Quais são os instrumentos do seu trabalho? Trabalho com papel, cola e tesoura nas artes ao ar livre. Computador e câmera fotográfica dslr em vídeos. Dínamos, bicicletas e cata-ventos em instalações. Qual é a sua fonte de inspiração? A cidade, o caos, a natureza e a paz. Como funciona seu processo criativo? Sem muitas cerimonias, minha cabeça quem manda, tento não reprimi-la. Qual é o artista/ilustrador/pintor que você gostaria de conhecer pessoalmente e por quê? Gostaria de conhecer bob dylan e o convidar para fazer um filme comigo! Como você define sua arte, e o que quer transmitir através dela? Não sei como definir, mas sei aonde quero chegar. Basicamente, os temas que trabalho são sempre urbano x natureza. Lugar que considera perfeito para criar? Na bike, em uma montanha, na estrada.. em movimento. Basta eu me sentir a vontade que as ideias fluem.. Uma viagem? Amsterdam, pela arquitetura, história, contracultura e as ótimas politicas públicas! Uma música? Uma não, varias... no momento nas caixinhas Clutchy Hopkins, Charles Bradley e Beck.


Arte ::

29


-


Arte ::

----------------------------------------------------------------------------PERFIL JORGE GALVÃO O que fez você começar a criar? Puxa vida, boa pergunta. Não me lembro ao certo, mas acho que isso deve vir da minha infância. Do meu tio Antonio tocando violão, das capas de discos do meu pai e as histórias que lia quando pequeno. Sei la, mas é uma coisa que me acompanha a muito tempo. Não dizer ao certo o que fez essa faísca surgir. Quais são os instrumentos do seu trabalho? Spray, tinta, caneta, papel, programas da adobe, metal, telas, madeira, serra tico-tico e a minha velha amiga imaginação. Qual é a sua fonte de inspiração? A vida e meus sonhos... Como funciona seu processo criativo? Ele não existe, funciona assim... =)

Qual é o artista/ilustrador/pintor que você gostaria de conhecer pessoalmente e por quê? Pode ser um falecido? Seria o Kustav Klimt... Simplesmente porque pra mim ele é o melhor do mundo.

Como você define sua arte, e o que quer transmitir através dela? Eu a defino como graffiti em diversas plataformas. Quero transmitir através dela que nem tudo é o que parece ser... Lugar que considera perfeito para criar? Todo lugar, mas eu prefiro uma boa praia..

Uma viagem? Austria.

31


Soundcloud

SOM SOM SOM... Uma das principais plataformas online de áudio e interação a respeito do assunto, o SoundCloud, lançou recentemente um mini documentário sobre “Qual a importância do som” com diversas opiniões, inclusive a de especialistas.

O site foi fundado em 2007 por Alexander Ljung e Eric Wahlforss, originalmente o objetivo dos dois era um espaço para que profissionais da música trocassem informações, permitindo uma fácil colaboração e comunicação antes de um lançamento público. Mas, hoje em dia ele é utilizado por ouvintes e usuários de toda a web, sem restrição. É uma nuvem cheia de som, aguardando um novo upload e a sua visualização. O site disponibiliza os arquivos de áudio enviados em widgets, que exibem uma forma de onda para cada faixa onde os ouvintes podem inserir comentários em forma de tags em pontos específicos, assim todo mundo se entende. O mini documentário tem duração de 3:28min e é disponibilizado pelo vimeo.

Virb decreta independencia musical

A idéia geral do site é oferecer os aspectos sociais do Facebook junto dos recursos de compartilhamento de mídias, como: música, fotos e vídeos disponibilizadas no MySpace. O site já teve sua versão privada antes do lançamento em março de 2007. Virb pertence ao mesmo pessoal que criou o site de publicidade de bandas indie PureVolume.

O site é simples, interativo e de fácil entendimento. Mas, caso tenha Carvalho problemas.. eles Foto: Jaqueline oferecem um guia de uso já na home, para não se perder. Para acessar: http://virb.com/

33


Music ::

LISTEN_playlist Uh La La_ “Volume Dez” A banda curitibana Uh La La está prestes a lançar seu novo CD “Volume Dez”, as referências musicais vão “de Stones a James brown, de Beatles a Blur.. dando uma passada pelo rock nacional dos anos 80 com Ultraje a Rigor, Blitz, etc.” O álbum será lançado dia 4 de Novembro, no Jokers Pub. Ouça - http://www.myspace.com/bandauhlala Siga - @bandauhlala

Crocodilla_ “Crocodilla” A banda Crocodilla lançou seu primeiro álbum em Agosto desse ano, as influências da são inúmeras, “vão do Surf music, soul, R&B dos anos 60 até as bandas mais atuais de rock, como Supergrass, Raconteurs, Kinks e Small faces”. O Álbum é resultado da premiação do Kaiser Sound 2010 e foi produzido pelo André Abujamra. Ouça - www.soundcloud.com/crocodilla Siga - @bandacrocodilla

Banda Gentileza_ “Banda Gentileza” A banda gentileza é formada por Heitor, Diego, Diogo, Tetê, Lucas e Artur. “Uma das coisas bacanas de ter uma banda com seis integrantes é a pluralidade de referências.”, afirmam. As referências vão desde Mutantes e Novos Baianos a Cake e Queens of The Stone Age. Gravado em 2009 na capital paranaense, foi produzido por Plínio Profeta. Ouça - http://www.bandagentileza.com.br/ Siga - @bandagentileza

35


Stuff ::

Foto: Divulgação

Há algo de leve e alegre nas primeiras páginas de Três Sombras. No traço de Cyril Pedrosa, toda a paisagem campestre que compõe o entorno da casa de Joachim proporciona uma sensação de tranquilidade e liberdade que rapidamente toma conta do leitor. Nesse ambiente de felicidade pura e simples é que vivem o pequeno Joachim, seu pai, Louis, e sua mãe, Lise. Ali, as manhãs são de pão com geleia para o pequeno herói, e as tardes passadas sob a sombra de uma árvore imensa, um deitado ao lado do outro. Com a mesma rapidez que a narrativa introduz esse ambiente leve, o curso da história muda: a aparição de três sombras trazem medo e preocupação ao cotidiano tranquilo desta família. Pois as estranhas criaturas não são meros andarilhos: vieram buscar Joachim. Junto à constatação da proximidade da morte do menino, vem a desolação dos pais e a sensação de impotência contra o Destino, até mesmo por parte do grande e forte Louis. Porém, a força real de Louis não está em sua qualidade de homem grande e forte, mas justamente no fato de ser pai. E como tal, a presença das sombras não é o suficiente para imobilizá-lo, fazendo com que parta imediatamente com seu filho para fugir do Destino, enfrentando novos perigos - e aí as possibilidades gráficas e narrativas nos arrebatam, mas agora em situações de tensão. O traço maravilhoso do autor francês poderia acabar tomando conta e desequilibrando a HQ, como acontece com tantas outras que possuem desenhos maravilhosos mas uma história ou roteiro que não acompanham o aspecto visual da obra. Porém, Cyril não desperdiça nenhum quadro e cria uma HQ em que roteiro, arte e diálogos trabalham juntos, em equilíbrio. Técnica sozinha não basta para um livro assim, em que, ao invés de nos dar bons personagens, o autor cria bons seres humanos. Assim, duas palavras me vêm à mente quando penso no trabalho de Cyril Pedrosa: delicadeza e força. Agora é esperar a hora de aumentar o vocabulário com Portugal, álbum do francês lançado recentemente e ainda inédito no Brasil. Por enquanto, ficamos com Três Sombras e com a companhia do autor, que vem ao Brasil em novembro para o Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte (FIQ).

Título: Três sombras Autor: Cyril Pedrosa Trad.: Carol Bensimon Editora: Cia. das Letras 268 págs.

por Yasmin Taketani


Fotografia ::

por Mariana Lima

CAMERA MAMUTE

A fotografia é provavelmente uma das atividades mais interessantes já inventadas pelo homem. Não apenas pelo simples fato de se “desenhar com a luz” ou pela “magia” de ver a imagem aparecer no papel (quando revelada à moda antiga), mas também por todas as coisas que vem sendo possíveis de se fazer de alguns anos pra cá, como fotografar na agua, tirar fotos panorâmicas de 360º, fotos digitais, editáveis e etc.

Porém, é fácil pensar que a fotografia evoluiu somente nos últimos anos e que antigamente eram tiradas apenas fotos comuns em tamanhos padrões. Mas ao contrário do que pensamos, por volta de 1900 foi criada a Câmera Mamute com o intuito singular de fotografar em grande plano o comboio estrela da companhia Chicago & Alton Railway. Esta câmera foi criada por George Raymond Lawrence, que é um nome muito importante na história da fotografia, pois é responsável por coisas como a criação de aparatos para a fotografia aérea, o aperfeiçoamento do uso do flash e grandes avanços na fotografia panorâmica, dando origem na criação da Câmera Mamute; a maior câmera do mundo. A câmera, que custava perto de $5,000, pesava uns 640 kg e media mais de quatro metros de comprimento, foi construída por J. A. Anderson e usava negativos de 1.35m x 2.40m. Esta era tão grande que a sua limpeza podia ser feita por um funcionário no seu interior, eram necessários 15 homens para mover e operar-la e era transportada num vagão especial. Devido ao seu tamanho foi construída apenas uma placa de negativo, o inventivo fotógrafo teve apenas uma única oportunidade para fotografar e foi muito bem sucedido. A revelação da cópia gigantesca necessitava além de papel especialmente feito para o efeito e 45 litros de soluções químicas. Por essa única fotografia, que chegou a ser considerada falsa por certos juízes da Exposição Universal de Paris de 1900, Lawrence recebeu o Grande Prémio MunFoto: Divulgação dial para a Excelência Fotográfica.

34

37


34


Deco ::

CELEBRACAO DA LUZ

por Jô Martins

Quando o assunto é luz poucos sabem que, além dela ser essencial para a vida, é também responsável por alterações de humor e pela sensação de bem-estar. Por isso, na hora de decorar um espaço é essencial que a escolha das cortinas seja criteriosa. As cortinas e persianas não são meramente artefatos decorativos, também ajudam no bloqueio de raios UV. Elas filtram os raios solares e dessa forma deixam o ambiente protegido. Alguns modelos de cortinas fornecem também um conforto acústico do ambiente, responsável por abafar o som externo. A escolha de uma cortina traz vários benefícios para o ambiente. Cortinas e persianas influenciam na temperatura e visibilidade do espaço. A busca pelo equilíbrio perfeito entre a luminosidade e a temperatura aconchegante é constante. As inovações mais recentes, baseadas em pesquisas por novos materiais, facilitaram muito o encontro desse equilíbrio. O conforto visual e térmico deve ser uma das prioridades na hora da decisão, seja cortina ou persiana, a variedade de materiais disponíveis é imensa. Tecidos translúcidos ou opacos. Madeira ou alumínio. Brincar com diferentes tecidos permite que cada ambiente tenha sua luminosidade ideal. Porém, a combinação de cortinas e persianas deve ser manejada com cautela, sempre privilegiando a comodidade e a proteção.

Foto: Divulgação

39


Arte ::

Cont. Matéria Galeria de arte Pág 22

Arte ::

Exposiçao Inquietações e Contradições na Caixa Cultual, dezembro de 2010. Triptico, letra U_ por Anthony Nathan


Stuff ::

AGENDA CULTURAL

SP/SC/PR

Festival Swu 2011 Quando? 12, 13 e 14 de Novembro Onde? Paulínia - SP Entre as atrações estão Hole, Duran Duran, Ultraje a Rigor, Sonic Youth e muito mais. + informações - www.swu.com.br

Corente Cultural Ctba 11 Quando? 5 a 6 de Novembro Onde? Em vários lugares pela cidade. Entre as atrações estão a segunda edição da Semana de Moda de Curitiba, vários espetáculos e exposições pela cidade e muito mais. + informações: www.correntecultural.com.br

Yelle Quando? 25 de Novembro Onde? Moinho Eventos, Curiitba-PR. O show faz parte das comemorações de aniversário do bar James, que irá completar 13 anos de existência. O show de abertura fica por conta da banda curitibana Copacabana Club. + informações pelo telefone: 41 3013- 3374

Snoop Dogg Quando? 11 de Novembro Onde? Stage Music Park, Jurerê Internacional-SC Sete anos após sua última passagem pelo Brasil, o rapper volta para apresentar seu álbum novo Doggumentary, que foi bem recebido pela crítica. + informações: (48) 3282-1669 ou no musicpark.com.br

Quer mandar a sua festa pra gente divulgar? mande: umas.palavras@gmail.com


Mariners #3 Edition  

Revista Digital Mariners by Schooner

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you