Page 1

JORNAL ano 10  nº 85  fev/ mar 2013

www.sindloces.com.br sindicato das empresas locadoras de veículos automotores no estado do espírito santo

Governador Renato Casagrande anuncia corte imediato de R$ 400 milhões Perdas impostas pelo Congresso Nacional aos Estados produtores de petróleo ocasionaram a medida.

página 03

entrevista

em ação

perfil

Entrevistamos o prefeito de Vitória, Luciano Rezende

Empresas e órgãos públicos economizam até 25% com a terceirização da frota

Conheça melhor Rogério da Silva Rocha, proprietário da Rogério Transportes

páginas 04 e 05

página 07

página 08


2

editorial E x ped i en t e

Jogo bruto Em recente entrevista, o governador Renato Casagrande disse que perde um terço do seu tempo para se defender dos ataques (velados ou não) dos outros entes da federação. Como se não bastasse o desaquecimento da economia externa, agora temos que lidar com inimigos internos. Além da guerra dos royalties do petróleo, que vai combalir muito os cofres do Estado e dos municípios, presenciamos neste último mês uma tentativa de retirar de Aracruz o estaleiro da Jurong, uma obra estimada em R$ 500 milhões e que já estava com 15% de seu andamento concluído. Também é público e notório que o Espírito Santo arrecada cinco vezes mais impostos federais do que retorna em forma de investimento. Muitos dizem que se o Espírito Santo fosse um país e toda receita de imposto fosse aplicada aqui, teríamos um crescimento muito maior. Não, não estou fazendo nenhuma sugestão de que o Espírito Santo comece um movimento de independência, mas já passou da hora de im-

Diretoria Marcio Castelo Branco Gonçalves Presidente Edson Ganho Vice-presidente Paulo Fernando Azevedo Gottardi 1º Diretor Secretário Eduardo Corrêa da Silva 2º Diretor Secretário Luiz Carlos Armini Gottardi 1º Diretor Financeiro Carlos Chieppe Netto 2º Diretor Financeiro Jacqueline Moraes de Mello Diretora de Comunicação e Eventos Paulo Roberto do Val Nemer Diretor de RP e Institucionais

plementarmos políticas que privilegiam os fornecedores locais em detrimento às empresas de outros estados. Ora, porque não investir na economia local, que gera emprego aqui e paga seus impostos dentro do estado, ao invés de contratar empresas de fora que acabam por levar o ICMS da compra dos veículos para outros entes da federação? O Estado e os municípios têm que implementar medidas mais fortes para se protegerem. Porque se formos depender da boa vontade dos outros entes federados e do Governo Federal, continuaremos sofrendo. E não adianta reclamar. Esse é o jogo que temos que jogar.

Vinícius Ávila de Carvalho Diretor Jurídico Conselho Fiscal Edson Cézar Armini Gottardi 1º Conselheiro Fiscal Antônio Carlos Vieira da Silva Filho 2º Conselheiro Fiscal Marcos Armini Gottardi 3º Conselheiro Fiscal Rafael de Araújo Pimentel 1º Suplente Conselheiro Fiscal Carolina Emery dos Santos 2º Suplente Conselheiro Fiscal Joedes Ganho 3º Suplente Conselheiro Fiscal Juliana Arthidoro Kummel Gerente Executiva Produção Editorial Luz Estratégias em Comunicação Jornalista Responsável Fernanda de Albuquerque Textos Fernanda de Albuquerque e Mariana Melo Projeto Gráfico e Diagramação Link Editoração Av. Nossa Senhora da Penha, 356, Boulevard da Praia, 3º piso, lj. 22, Praia do Canto, CEP 29055-131, Vitória, ES, Tel 27 3315.5051 www.sindloces.com.br atendimento@sindloces.com.br


capa 3

Perda dos royalties Governo do Espírito Santo anuncia um corte imediato de R$ 400 milhões em custeios e investimentos no Estado após perdas impostas pelo Congresso Nacional aos estados produtores de petróleo. Numa sessão tumultuada, o Congresso Nacional derrubou os vetos da presidente Dilma Rousseff sobre a nova lei de distribuição dos royalties e participações sobre a renda da exploração de petróleo e gás. O veto aconteceu no último dia 6 de março e afetou diretamente os Estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro. Com a decisão, o Espírito Santo deixa de arrecadar cerca de R$ 10,5 bilhões, até 2020. Derrotados nesta batalha no Congresso, o Rio de Janeiro e Espírito Santo, os dois maiores produtores e principais prejudicados com a lei, se preparam para enfrentar uma briga judicial pela manutenção dos contratos já estabelecidos, como já havia informado o governador Renato Casagrande quando a lei foi aprovada em novembro do ano passado. A perda imposta pelo Congresso Nacional ao Espírito Santo, por exemplo, levou o governador Renato Casagrande (PSB) a anunciar um corte imediato de R$ 400 milhões em custeios e investimentos no Estado. Metade dos cortes será no custeio da máquina pública. A outra parte sairá dos R$ 700 milhões em recursos próprios que o governo do Estado dispõe para investi-

mentos em obras até o final do ano, ou seja, este montante cairá para R$ 500 milhões. Renato Casagrande ainda não revelou quais áreas passarão pela tesoura. Segundo ele, uma equipe técnica está estudando onde os cortes serão aplicados. “Se a decisão não for revertida, anunciaremos qual tipo de cortes serão feitos. Faremos de tudo para reverter essa decisão que desrespeita Rio de Janeiro, Espírito Santo e nossos municípios”, completou Casagrande. S e g u n d o o p re s i d e n t e d o Sindloc-ES, Marcio Gonçalves: “A nova divisão dos Royalties vai afetar principalmente o investimento dos municípios. Com um orçamento menor, a tendência é que as prefeituras apertem os cintos e diminuam as contratações, o que automaticamente diminuirá a atividade comercial e industrial. O turismo, principalmente o de negócios, também tenderá a queda, pois cada vez menos negócios serão realizados no Espírito Santo. E isso afetará diretamente o movimento de aluguel de veículos. Precisamos achar uma forma de compensar essa perda, voltando a movimentar a máquina e retomando o crescimento do Estado”, frisou Marcio.

Ministra A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu nesta segunda-feira (18/3) diversos artigos da nova Lei dos Royalties do Petróleo (Lei 12.734/12), promulgada na sexta-feira (15/3). A ministra deferiu liminar em Ação Direta de Inconstitucionalidade 4.917, de autoria do estado do Rio de Janeiro. O argumento é que existe “urgência qualificada comprovada no caso”, além de “riscos objetivamente demonstrados da eficácia dos dispositivos e dos seus efeitos, de difícil desfazimento”. A decisão é válida enquanto não houver apreciação pelo plenário do STF. Ao deferir a medida cautelar, a ministra Cármen Lúcia afirmou que seriam resguardados os direitos dos cidadãos dos estados e municípios produtores. Para justificar a urgência da decisão, ela argumentou que o pagamento dos royalties é feito mensalmente, o que inviabiliza os cálculos e pagamentos de valores até o julgamento da ação, que deve acontecer apenas em abril.


4

entrevista

Luciano Rezende Prefeito de Vitória Luciano Rezende tem 50 anos, é médico formado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), pós-graduado em Medicina Esportiva pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, casado, tem dois filhos e morador de Vitória. Foi vereador na capital por quatro mandatos, secretário de Saúde e de Educação do município, secretário Estadual de Esportes e Lazer e deputado estadual.

» Após três meses de gestão, o senhor já tem algum plano para a mobilidade da cidade e segurança? Essas são duas áreas que têm total atenção e prioridade do nosso governo. Na mobilidade estamos trabalhando intensamente para transformar Vitória numa cidade referência em uso de bicicletas. Vamos fazer o projeto de recuperação da ciclovia da Serafim Derenzi, que virou estacionamento e depósito de lixo. As pessoas que vão trabalhar de bicicleta e passam por aquela região não têm segurança nem conforto. Vamos também estabelecer ciclofaixas na cidade começando pelos finais de semana. Estamos também estudando um modelo de bicicletário público onde a pessoa possa pegar a bicicleta num ponto da cidade e deixa-la em outro e o sistema se encarrega de redistribuí-las. Vamos ajudar o governador Renato Casagrande no Plano Metropolitano de Mobilidade Urbana, que já está na sua fase executiva. O modelo adotado é o mesmo que defendemos desde 2008, quando fui candidato pela primeira vez: o BRT, chamado de corredor exclusivo de ônibus. É o mais viável e terá todo o nosso apoio. Já estamos com um novo modelo de atuação dos agentes municipais de trânsito para fazer o tráfego fluir nos horários de pico. Esses agentes também têm o dever

de orientar os pais na hora de deixar os filhos na escola, facilitando o trânsito nesses locais de entrada e saída dos alunos. » E  com relação à segurança, o que o senhor pode adiantar para nós? Já a segurança pública foi colocada em destaque no nosso plano de governo e estamos trabalhando todos os dias para reverter o seguinte quadro: Vitória tem dois índices que são absolutamente inaceitáveis. É a cidade que mais mata mulher no Brasil e também a segunda cidade (vice-campeã) em assassinatos de jovens. Para melhorar isso, a Guarda Municipal mudou completamente sua visão. Agora, ela não cuida somente do patrimônio público, mas também trabalha em consonância e harmonia com a Polícia Militar. No início de março, a Guarda Municipal de Vitória prendeu uma gangue armada usando crack na praia de Camburi. Isso nunca tinha sido visto na cidade. Ou seja, estamos cumprindo compromisso de campanha com a Guarda fazendo o seu papel de proteger a população junto com a PM. A Guarda está tomando conta de delitos como, assaltos, roubos e ações preventivas e a Polícia Militar está trabalhando como sempre trabalhou nos homicídios, tráfico de drogas e questões mais pesadas. Esse é um trabalho que demora a dar um resultado geral. Mas já começou

a dar um resultado pontual. Nós também já começamos a atuar na questão do morador de rua e usuários de crack. Entendemos que o morador de rua é uma pessoa que precisa ser acolhida pela prefeitura. Nós achamos que rua não é lugar de ninguém morar. Isso não é digno, então estamos trabalhando, identificando os cerca de 200 moradores de rua da cidade de Vitória, por nome, qual é o problema, se ele usa álcool, crack, ou outras drogas, se tem trabalho, etc.

» Existe um projeto chamado Escola da Vida. Como é isso? A Escola da Vida, que começa a funcionar agora, no primeiro semestre de 2013, e que também é um compromisso de campanha, dará curso profissionalizante a essas pessoas para que elas possam, além do curso, ter uma oportunidade de emprego, como prestador de serviço da prefeitura e também em alguns setores da prefeitura. Ainda este ano ela será implantada na região de São Pedro e depois instalada em outros bairros. O aquaviário, em frente ao Terminal Dom Bosco, quando nós chegamos ao governo, tinham 18 pessoas morando lá, uma espécie de vila montada naquele local. Tiramos mais de 1,5 mil quilos de lixo daquele local. Conversamos com os moradores que ali estavam e eles já foram en-


entrevista 5 caminhados para abrigos e aluguel social recebendo orientação. Por fim, a última moradora, que era usuária de crack também deixou o local por vontade própria e está em tratamento recebendo orientação do nosso pessoal do Consultório de Rua e Abordagem de Rua. A segurança pública é responsabilidade da Prefeitura e estamos, pela primeira vez na cidade, nos movendo na direção de ocupar esses espaços. Na Praça Costa Pereira, por exemplo, estamos fazendo um trabalho de ocupação constante, inclusive, com atividades culturais e esportivas, abordando os moradores de rua de forma digna, acolhendo as suas necessidades e já diminuímos muito o número ali e na Praça Ubaldo Ramalhete. Vale ressaltar que estamos fazendo tudo isso sem nenhuma ação truculenta ou desumana.

» Prefeito, na sua gestão existe algum projeto que possa melhorar os pontos críticos de engarrafamento nas ruas de Vitória? Já estamos conversando com o gover-

nador Renato Casagrande para que façamos o mais rápido possível o “Portal Sul”, facilitando o acesso à cidade de Vitória das pessoas que chegam por Cariacica e Vila Velha usando a Segunda Ponte e as Cinco Pontes. Este ano ainda já começará a obra da construção de uma entrada digna eliminando o gargalo e a dificuldade de trânsito. Vamos recuperar e organizar a sinalização de trânsito, em especial as faixas de pedestres. Realizar permanentemente campanhas educativas destinadas à segurança de trânsito e implantar o ensino para o trânsito seguro na rede municipal, por meio da Educação Ampliada. Vamos promover intervenções de alargamento, revitalização, retificação e outras, visando reduzir as retenções no trânsito e vias da cidade.

» Como o Sindloc-ES pode contribuir para que Vitória tenha uma melhor mobilidade urbana? O Sindicato pode contribuir participando efetivamente do nosso governo, dentro do modelo de gestão com-

partilhada, apresentando suas sugestões e críticas, ajudando-nos a avançar em qualidade de vida para a população de Vitória. Temos diversos canais de comunicação e interação que podem ser utilizados. Um deles é o Gabinete Itinerante, no qual o prefeito vai com todos os secretários, uma vez por mês, nas oito regiões da cidade ouvir a população por meio de audiências públicas.

» Deixe uma mensagem para os associados do Sindloc-ES? Quero agradecer a oportunidade de liderar essa cidade. Liderar não é mandar, não é bater e nem destratar ou ofender ninguém, liderar é tocar o coração do morador da cidade e administrar junto com ele as suas necessidades. Quero pedir que cada morador se sinta prefeito de Vitória, um co-gestor, e nos ajude a melhorar a qualidade de vida da cidade. Estamos trabalhando intensamente para deixar Vitória mais organizada, mais segura e mais humana, conforme pregamos durante toda a campanha.

coluna jurídica

Acidentes de trânsito Podem gerar mais despesas em desfavor às locadoras de automóveis: ação regressiva da Previdência Social É de erudição cotidiana que em casos de acidente de trabalho ou acometimento de doenças ocupacionais, sendo este fruto do labor desenvolvido, podem levar o trabalhador a se afastar temporariamente ou até se aposentar por invalidez. Caso seja detectada a culpa do empregador, pela legislação vigente, a Previdência Social pode ajuizar ações regressivas para garantir o ressarcimento de despesas com os benefícios pagos nos casos supramencionados. Ato contínuo, o Senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE) apresentou proposta para acrescentar também a possibilidade

de o INSS ajuizar ação regressiva em razão de acidente de trânsito decorrentes de infrações gravíssimas e em caso de violência doméstica e familiar contra a mulher. Segundo o Senador, tal proposta visa à redução de acidentes de trânsito e da violência contra a mulher, em razão da sua dimensão “punitiva e pedagógica”. Contudo, caso o referido projeto de lei seja convertido em Lei, as locadoras de automóveis poderão responder as eventuais ações regressivas ajuizadas pelo INSS. Destarte, o referido projeto é assaz prejudicial ao ramo de locação de veículos,

ao passo que o setor, além de responder de forma solidária perante terceiros em razão de acidente de trânsito, poderá ter que ressarcir a Previdência Social o valor do benefício concedido ao acidentado caso o acidente de trânsito tenha ocorrido por culpa ou dolo do locatário. Por fim, entendo que a aplicação ao setor de locação seria inadequada, ao passo que o viés da legislação que permite a ação regressiva é inerente à culpa ou dolo do empregador, neste caso, podendo inclusive o ato ter sido praticado por seu preposto e/ou outros empregados que estão sob a sua subordinação. No caso da locadora de automóvel, o locatário não está submetido a nenhum tipo de subordinação, pelo contrário.

Alberto Nemer Neto Advogado especialista em direito do trabalho e sócio do escritório de advocacia Da Luz Rizk Nemer Advogados


6

cobertura

Vendas de veículos sentem impacto o IPI e despencam 24,5% em fevereiro comparado ao mês de janeiro

Depois de começar o ano com o me-

Na comparação com janeiro, quan-

vendas de veículos subiram 5,6% em re-

lhor janeiro da história, as vendas de

do 311,4 mil veículos tinham sido vendi-

lação a igual período de 2012, chegando

veículos em fevereiro caíram para 235,1

dos, houve um recuo de 24,5% nos em-

a 546,5 mil unidades.

mil unidades, informou a Federação Na-

placamentos. Em relação ao fevereiro de

cional da Distribuição de Veículos Au-

2012, a redução foi de 5,8%.

O mercado perdeu fôlego com o início da retirada gradual dos descontos no

tomotores (Fenabrave) logo no início

Os números consideram os licen-

Imposto sobre Produtos Industrializados

do mês de março, mais precisamen-

ciamentos de automóveis, comerciais le-

(IPI), benefício que estimulou as vendas

te no dia 5.

ves, caminhões e ônibus. No bimestre, as

de carros no ano passado.

Quando se considera apenas o seg-

mando 519,3 mil unidades, entre carros

ordem. A Fiat lidera o mercado

mento de carros de passeio e utili-

e comerciais leves.

com 23,1% das vendas, seguida

Carros de passeio tários leves, os licenciamentos caí-

O ranking das marcas mais vendidas

ram 5,6% em fevereiro, comparati-

do País trouxe nos dois primeiros meses

vamente ao mesmo mês em 2012 -

do ano uma mudança na quinta posição,

O balanço da Fenabrave mostra

que por ser ano bissexto, teve um

que passou a ser ocupada pela Hyundai.

ainda vendas de dez mil caminhões

dia útil a mais. Em relação a janeiro,

A Renault perdeu o posto após parar por

em fevereiro, com queda de 8,4%

os emplacamentos caíram 25% em

dois meses a produção de sua fábrica no

em relação a igual mês de 2012 e

fevereiro. No total, 222,5 mil carros

Paraná para obras de ampliação.

18,1% abaixo de janeiro.

foram vendidos em fevereiro, o pior resultado em três anos. Graças ao bom resultado de janeiro, o mercado terminou o pri-

por Volkswagen (20,1%), General Motors (17,7%) e Ford (9%).

No embalo do sucesso do compac-

Na comparação com o mes-

to HB20, a Hyundai teve 5,6% das ven-

mo período de 2012, as vendas

das de carros no primeiro bimestre, en-

de ônibus caíram 4,7% em feve-

quanto a fatia da Renault foi de 5,5%.

reiro, para 2,6 mil unidades. Em

meiro bimestre com crescimento

Já na lista das quatro maiores mon-

de 6,3% na comparação anual, so-

tadoras do País não houve mudança na

relação a janeiro, houve alta de 8,7% no segmento.


em ação

Empresas e órgãos públicos economizam até 25% com a terceirização da frota A cada ano que passa, uma tendência ga-

so de recuperação dos veículos acidenta-

nha mais força no País: a terceirização de

dos, que fica a cargo da locadora, e tem o

frota de veículos. E não é para menos, afinal

pronto fornecimento de carro-reserva em

uma empresa ou órgão público que tercei-

caso de desfalque na frota, que é renovada

riza o serviço automotivo pode conseguir,

periodicamente”, ressalta a gerente comer-

em dois anos, uma economia de 25% em

cial da Thrifty Locadora, Valeska Gobbi.

22% 48%

26%

gastos referentes ao automóvel, segundo

De acordo com dados da ABLA, a

a ABLA (Associação Brasileira de Locado-

terceirização de frota para empresas já

ras de Automóveis). A previsão é de que a

é responsável por 52% dos negócios

frota de 400 mil veículos no segmento de

do setor de locação. Tendência segui-

Outros dados

aluguel de carros do Brasil dobre até 2016.

da pela Thrifty, onde 50% dos serviços

Ainda segundo a ABLA, os ou-

Ao terceirizar o serviço, as empre-

prestados estão voltados para essa de-

tros 48% dos negócios das lo-

sas eliminam gastos como licenciamento,

manda. A maioria dos clientes da loca-

cadoras de veículos estão divi-

IPVA, seguro, manutenção, depreciação

dora são prefeituras, seguidas por em-

didos entre aluguéis esporádicos

do auto, entre outros, que são transferi-

presas privadas.

(26%) e veículos locados para tu-

dos para a locadora. Dessa forma, o lo-

Valeska afirma que o importante para

rismo de lazer (22%). De acor-

catário pode concentrar sua atenção na

as locadoras é entender as necessidades

do com a associação, a frota do

atividade principal de seu negócio.

do cliente e planejar as frotas de acordo

setor de locação cresceu 7,51%

“Após um estudo de custo-benefício,

com cada empresa. “A Thrifty Locadora

em 2011, e o faturamento cres-

a maioria das empresas e instituições pú-

procura desenvolver os projetos de ter-

ceu 11%, sendo que a maior par-

blicas concluiu que a locação de veículos

ceirização de frota pensando sempre no

te dos locatários está no setor

é mais vantajosa. Além da redução de gas-

perfil do empreendimento, fazendo com

de serviços e na indústria.

tos, o cliente ganha praticidade no proces-

que seja vantajoso para o cliente”.

7


8

perfil do associado

Conheça melhor... Diretor geral da Rogério Transportes, localizada em Bairro de Fátima, na Serra, Rogério Rocha tem 42 anos, é casado e tem três filhas. Sua empresa está no ramo de locação há 16 anos e ele adora o que faz. Rogério também gosta de viajar com a família e de assistir alguns jogos de futebol. Saiba mais sobre ele na entrevista abaixo.

»A  presente quem é Rogério?

veículos completos, inclusive com toale-

Meu nome é Rogério da Silva Rocha, te-

tes onde atendemos empresas, pesso-

nho 42 anos, sou casado com Angelita e

as físicas e também agências de turismo.

tenho três filhas: Juliana , Izadora e Izabella. Ocupo o cargo de diretor geral na Rogério Transportes, localizada em Bairro de Fátima, na Serra.

»C  omo você entrou no

» Qual o seu lugar preferido no Estado? Meu lugar preferido no Espírito Santo é

city tour. Percebemos isso, com passeios

Pedra Azul, em Domingos Martins.

para Guarapari, litoral sul, litoral norte e para a Região Serrana, com o agroturis-

» Na sua opinião, você

mercado de locação? Apesar do pouco tempo de associado ao Sindloc-ES nossa empresa está no mercado desde 1997. O nosso carro-chefe no

mo. Acho que estamos no caminho cer-

acha que o Espírito Santo poderia fazer mais pelo turismo?

to, que é procurar investir e qualificar a mão de obra e divulgar mais o nosso estado nos grandes centros do País.

início das atividades era locação de vans,

Na minha opinião sim, mas já evoluímos

mas atualmente nosso mercado vem exi-

bastante. Atualmente melhorou nossa

gindo mais conforto e segurança, então

parte de hotelaria, as agências de turis-

a partir de 2003 começamos a investir

mo já estão mais preparadas com serviços

Gosto de assistir partidas de futebol e tam-

em micro-ônibus. Disponibilizamos três

de transfer, além de guias turísticos e até

bém de poder viajar com a minha família.

»O  que mais gosta de fazer nas horas vagas?

Parabéns! fevereiro 2013

março 2013

Dia

Associado

Empresa

Dia

Associado

Empresa

4 4 5 6 10 15 15 16 18 22 23 27 28

Luciana Monteiro Sório Nilton Carlos Chieppe Cintia Barbosa Feiertag Isabel Cristina Lopes Orlandi Igor Moraes de Mello Francisco de Assis Medeiros Lucimere Lyra Vieira Marcos Antonio Farias Denize Santana Nascimento Bello André Assef Pretti Haddad Jacqueline Moraes de Mello Anna Aparecida de A. Pimentel Mirian Randow Rasera

Sório Locadora de Automóveis Ltda Vix Locadora e Transportes Ltda Ciacar Comércio de Veículos Ltda Loca Express Locações Ltda Locavix Aluguel de Veículos e Turismo Ltda ME Real Turismo Ltda Servel Serviços e Veículos Ltda / América Marcos Antonio Farias - Marcão Auto Serviço ME DSN Locações Ltda André Assef Pretti Haddad - ME / Linhares Locavix Aluguel de Veículos e Turismo Ltda ME Lube Car Veículos Ltda Kokinhos Auto Locadora Ltda ME

1 6 8 8 9 9 10 11 15 18 23 23 25 28 30

Kleber Luiz de Oliveira Aylmer Chieppe Arnande Luis Cao José Augusto C. Nogueira da Gama Angelita Nunes dos Santos Maria José Emery dos Santos Mário Orlandi Júnior Plinio Brioschi Júnior Vilma de Souza Scherrer Luis Carlos Roque Rubiano Maria José Pimentel Araujo Silva Tarcisio Coslop Junior Berenice Mazzei Ferreira Correa Joedes Ganho Eduardo Correa da Silva

GK Locadora de Véiculos Ltda Vix Locadora e Transportes Ltda Locau-Car Locadora de Veículos e Serviços Ltda Calmons Locação e Transporte Ltda ME Angelita Nunes dos Santos Locadora de Veículos ME Vetran Transportes Leves e Locação de Veiculos Ltda Loca Express Locações Ltda Calibri Locadora Ltda Scherrer Locadora de Veiculos Ltda ME NTC Serviços Ltda Araujo Veiculos Ltda Ouro Negro Rent a Car Ltda ME Servel Serviços e Veículos Ltda / América Carro Zero Veículos Ltda Ranking Comercio e Locação de Veiculos Ltda ME

Jornal SindlocES | Fev e Mar/ 2013  

Jornal Sindloc