Page 1

d i g i t a l s i nt r a O JORNAL COM NOTÍCIA S • DIRECTOR: LUÍS GALRÃO • ANO 3 • QUINZENAL • 6 D E M A R Ç O D E 2 0 0 9 •

Sintra reduz taxas municipais devido à crise

N.º 43

DESEMPREGADOS VÃO TER ÁGUA GRATUITA A Câmara de Sintra aprovou a criação da tarifa “Sintra Solidária” para a água, uma forma de ajudar as famílias em maiores dificuldades económicas. “Vamos atribuir gratuitamente os primeiros cinco metros cúbicos de água às pessoas que mais necessitam, que são os desempregados”, explicou na última reunião de Câmara o presidente do conselho de administração dos Serviços Municipalizados.

Notícia

pág. 2

JÁ ABRIU A EXTENSÃO DE SAÚDE DE SÃO MARCOS Mais de cem pessoas esgotaram na última terçafeira as senhas de atendimento na nova extensão de saúde de São Marcos. Apesar de já estar a funcionar, a nova unidade só será inaugurada no próximo dia 10 de Março, na presença da Ministra da Saúde.

Notícia

pág. 3

CÂMARA DEVE ESCLARECER POPULAÇÃO SOBRE PARQUÍMETROS A Assembleia Municipal aprovou por unanimidade uma recomendação da autarca Fátima Campos para que a Câmara “esclareça e informe a população sobre os projectos de colocação de parquímetros nas freguesias”. Em resposta, o vereador Luís Duque garantiu que a Câmara está disponível para continuar a discutir o assunto.

Notícia

Pág. 4

pág. 4


digital

PÁG

2

O JORNAL COM NOTÍCIAS

notícias

6 DE MARÇO DE 2009

Sintra ajuda desempregados a pagar a conta da água A Câmara de Sintra aprovou a criação da tarifa “Sintra Solidária” para a água, uma forma de ajudar as famílias em maiores dificuldades económicas. “Devido à crise, vamos atribuir gratuitamente os primeiros cinco metros cúbicos de água às pessoas que mais necessitam, que são os desempregados”, explicou na última reunião de Câmara o vereador Baptista Alves. A proposta, aprovada por maioria, deve-se sobretudo à poupança de água atingida nos últimos anos. “Entre 2002 e 2008, Sintra poupou mais de 23 milhões de metros cúbicos através do combate às perdas, contabilizados em 10 milhões de euros. Por isso, entendemos que deveríamos devolver alguma dessa água aos munícipes, porque foi com o apoio deles que conseguimos este objectivo”, explica o vereador da CDU e presidente do conselho de administração

concelho

NA BLOGOSFERA DE SINTRA Viver Sintra, 3 de Março “Sem pompa nem circunstância, a Extensão de Saúde de São Marcos entrou hoje em funcionamento. Construído pela Câmara Municipal de Sintra, ao abrigo de um protocolo com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, o novo equipamento prestará apoio a cerca de 20 mil utentes e contribuirá de forma decisiva para a melhoria da prestação de cuidados de saúde na cidade de Agualva Cacém. Em matéria de saúde, como noutras, o município de Sintra tem assumido responsabilidades para além das suas competências. A colaboração que tem prestado, na resolução de problemas que são de inteira obrigação da Administração Central, contribui naturalmente para o enfraquecimento das respostas em áreas de responsabilidade municipal. Aliás, para se ter a noção do que representa este esforço da Câmara, vale a pena recordar que nos últimos três anos o município despendeu para cima de 5 milhões de euros na construção das unidades de saúde de Massamá e São Marcos. À luz da actual conjuntura económica e social que atravessa o país, é obrigatório repensar as prioridades e as respostas ao conjunto das necessidades dos munícipes e das instituições de Sintra.” http://viver-sintra.blogspot.com Sintra do Avesso, 2 de Março

dos Serviços Municipalizados (SMAS). Segundo os números do SMAS, a medida poderá abranger mais de metade dos 12 mil desempregados do concelho, registados em Sintra e na Amadora. “A partir de Abril, pode candidatar-se o titular do contrato que esteja registado num destes centros de emprego”, avança. A nova tarifa pode acu-

mular com as tarifas social, familiar e cartão de ouro e irá vigorar durante o ano de 2009, representando uma quebra de receitas estimada de 220 mil euros. “Os cinco mil litros representam uma poupança mensal de cerca de 2,5 euros, um valor modesto mas que é dinheiro para quem está desempregado”, considera Baptista Alves. A pro-

posta contou com a abstenção dos vereadores socialistas, coerentes com a recusa que mantêm em reconhecer legitimidade ao actual conselho de administração dos SMAS. “Não discordamos da medida, que consideramos positiva, mas está em causa a origem da proposta”, explicou o vereador Eduardo Quinta Nova. Luís Galrão

PS pede mais controlo nas empresas municipais O executivo da Câmara aprovou por unanimidade uma proposta socialista que pede mais mecanismos de controlo nas empresas municipais. “A notícia da eventual aquisição de bens patrimoniais em nome de uma empresa municipal usados em proveito próprio por um funcionário parece indiciar que não existem ou não funcionaram os sistemas de gestão”, justificou o vereador Domingos Quintas. A iniciativa socialista surge na sequência da suspensão do director financeiro da Sintra Quorum, a empresa municipal que gere os equipamentos culturais do município. A proposta pede que “a sociedade de revisores informe a Câmara e os vereadores do PS sobre se existem sistemas de gestão e de controlo interno que permitam verificar com se-

do

gurança todos os bens materiais adquiridos por estas empresas”. Em resposta, o presidente Fernando Seara garantiu que a Câmara “agiu no próprio dia em que se teve conhecimento, desencadeando um processo de averiguações”. O autarca assegurou ainda que “ao primeiro sinal de desrespeito foi desencadeada a norma suspensiva imediata do funcionário, utilizando o mecanismo

excepcional previsto no código de trabalho”, bem como “mecanismos de salvaguarda do património municipal”. “Eu próprio chamei o funcionário e dei nota expressa de proibição de entrada no conjunto de edifícios municipais”, explicou Seara. Já Luís Patrício, vereador da cultura, manifestou “estupefacção” pela situação, dado “tratar-se de um funcionário antigo da Câmara”. Para o

autarca, a Sintra Quórum tem “mecanismos de controlo interno”, excepto contra “certos expedientes”, pelo que a situação poderia acontecer “em qualquer serviço, sob qualquer mandato”. “Se um documento tiver uma assinatura de um responsável pela autorização da despesa ele é pago, mas a assinatura pode ser autêntica ou falsificada”, exemplificou. José Carlos Pinheiro, o funcionário em causa, é suspeito da prática de burla e falsificação de documentos, incluindo a aquisição em nome da empresa de “objectos extravagantes”, como roupa e equipamentos de som e vídeo, alguns de marcas de luxo, para uso pessoal. Apesar de já ter recebido a sua demissão, a autarquia garante que encetará todos os mecanismos legais.

FICHA TÉCNICA

L.G.

“Passa amanhã um ano sobre a data da morte de Maria Gabriela Lansol que ficará para sempre ligada a Sintra, também por ter lançado uma das mais violentas acusações contra eleitos locais que não se mostram à altura dos desafios. Na altura, perante a vontade do executivo camarário, de construir um parque subterrâneo de estacionamento na Volta do Duche, a escritora insurgiu-se, através de artigo que subscreveu no jornal Público, em 8 de Dezembro de 2001 [citado]. Só se tiverem perspectivas muito curtas é que interpretarão aquelas como palavras que, tão somente, visariam Edite Estrela e os restantes edis, os eleitos autárquicos do momento. Considerando os casos mais recentes de Seteais, Quinta do Vale dos Anjos, bem como, a título de mero exemplo, as tentativas de Monte Santos ou da Cinelândia, entenderão a abrangência de tal discurso, tão certeiro.” http://sintradoavesso.blogspot.com Vivo-em-Sintra, 1 de Março “Relativamente à intervenção do Senhor Presidente, confesso que por vezes fico um pouco confuso! Que o Senhor seja um orador brilhante por vezes, sobretudo quando usa aquela expressão – que hoje não usou – do Ballet Bolshoi! Não sei se vai usar mais daqui a pouco, não? Mas fico confuso porque, quando a obra surge, como é o caso do IC19, do IC30, do IC16, quando há obra que é visível, aí o Senhor reivindica os louros de ter andado a pressionar o Governo, os Ministros e aquilo apareceu porque o Senhor insistiu; mas quando as coisas não aparecem feitas, a culpa é de toda a gente menos do Senhor! (…)” http://www.vivo-em-sintra.blogspot.com Colares – Entre o mar e a serra, 24 de Fevereiro “Já se percebeu que o eléctrico em Colares acabou. O trajecto não é rentável para uma empresa que o queira explorar. A atracção parece não ser assim tão grande para o turista, e, ainda por cima, a zona tem tendência a ter um Verão mais curto, dado o clima especial de Sintra, com alguns dias sem sol e com muita humidade. A Câmara, não tem orçamento para suportar a existência do eléctrico entre Sintra e Praia das Maçãs, o que é aceitável, há tanta coisa mais importante onde aplicar as verbas. Assim sendo, o que é que lá estão os carris a fazer? Ocupar espaço e à espera de cair no abandono, esperando que as ervas tapem a linha. É tempo de desistir do eléctrico, e aproveitar o espaço para fazer uma via pedonal/ciclovia. Numa época em que o sedentarismo é uma das doenças da população, e que são precisos mais espaços que levem as pessoas a ter actividades físicas, o trajecto da linha do eléctrico era perfeito e grande o suficiente para fazer uma via pedonal e ciclovia. O que temos hoje é ferro e madeira sem qualquer utilidade.” http://colares.blogs.sapo.pt/ JS Concelhia de Sintra, 28 de Fevereiro “Agora já podes visualizar no Youtube os vídeos do PS de Agualva-Cacém a denunciar algumas das situações mais gritantes e exemplificativas da DESGOVERNAÇÃO por parte da Câmara Municipal de Sintra e das Juntas de Freguesia da Cidade de Agualva-Cacém. Vê aqui: http://www.youtube.com/user/PSAgualvaCacem.” http://www.jsconcelhiasintra.blogspot.com CDU Sintra, 17 de Fevereiro “(…) Foi salientado que o projecto autárquico da CDU continua a afirmar-se, em particular pelos resultados que tem conseguido ao nível dos SMAS (defesa da água pública e serviços de qualidade ao nível da distribuição de água e saneamento), da EDUCA (responsabilidade dos refeitórios) e da HPEM (melhoria das condições de trabalho dos trabalhadores). A CDU representa assim, pelas provas dadas, uma verdadeira alternativa de gestão autárquica aos 33 anos de gestão PS-PSD/CDS em Sintra.” http://www.cdusintra.blogspot.com

Cidade Viva é uma marca registada, propriedade da empresa Ideia Prima, Lda.

Director: Luís Galrão – director@cidadeviva.pt | Redacção: Andreia Fernandes, Filipa Galrão, Luís Galrão, Sara Lajas, Ricardo Nascimento – redaccao@cidadeviva.pt | Fotografia: Luís Galrão | Concepção Gráfica: Carla Serra | Página Web: Jorge Pinto – webmaster@cidadeviva.pt | Direcção Comercial: Avelino Barbosa – publicidade@cidadeviva.pt | Propriedade: Ideia Prima, Lda. – Contribuinte n.º 506 047 903 | Redacção: Rua João Maria Magalhães Ferraz, Lote 3, Loja 3 – 2725-338 Mem Martins | Telefone: 21 922 59 43 | Fax: 21 922 59 44 | email: geral@cidadeviva.pt | Periodicidade: Quinzenal | Registo INPI: 405089 K | Registo ERC: 125138 | Depósito Legal: 236 659 105 Os artigos de opinião são da responsabilidade dos seus autores.


notícias

do

concelho

O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009

PÁG

3

Retirada de confiança política provoca demissão no PS de Agualva O ex-líder de bancada do Partido Socialista na Assembleia de Freguesia de Agualva, Luís Roberto, anunciou esta quarta-feira à noite a demissão de militante do partido. A decisão deve-se à retirada de confiança do PS a dois vogais socialistas na sequência de votações contrárias à da restante bancada. “Não tenho o mínimo de condições para exercer a actividade política, pelo que apresentei a minha demissão de militante do PS a partir de 5 de Março, mas manterei o meu lugar na qualidade de vogal independente”, revela. Segundo o autarca, “é uma decisão tomada com muita pena, porque são 26 anos passados na Freguesia”. Luís Roberto, que já foi presidente desta Junta e diz ser “o autarca mais antigo em exercício” afirma que não pode “aceitar ser penalizado politicamente sem ser ouvido” e considera ter sido “condenado na própria Assembleia” e vítima de “atitudes menos dignas de um camarada”. Na sessão de dia 18 de Dezembro, Luís Roberto e Fátima Feliciano abstiveram-se na votação de vários documentos do Executivo da Junta, como as Grandes Opções do Plano e o Orçamento para 2009, e votaram favoravelmente uma moção da CDU contra o código do trabalho. Em resultado, na reunião de 22 de Dezembro do secretariado do PS, foi-lhes retirada a confiança política. “Votámos em consciência porque não podemos ser contra a precariedade no emprego e depois concordarmos com o código do trabalho”, esclarece o autarca, que garante ter experiência como sindicalista. “Tenho a consciência de que este código em algumas áreas não serve os interesses dos trabalhadores”, diz. Também Fátima Feliciano não esconde porque alinhou com a CDU. “Vo-

B R E V E S Escola Gama Barros ajuda alunos carenciados Os professores da Escola Gama Barros criaram um fundo de emergência para ajudar alunos carenciados de Agualva-Cacém. “Há situações difíceis em algumas famílias e temos um fundo para ajudar, feito através de donativos, a maior parte de professores que são extremamente solidários, para acudir essas famílias”, disse à agência Lusa o professor Adérito Cunha. Os “três D” (divórcio, doença e desemprego, potenciam, segundo o professor, as situações difíceis que algumas famílias de alunos da Gama Barros enfrentam em 2009. “Estes três factores são uma mistura explosiva e são insustentáveis para as famílias”, garantiu. Dos 1500 estudantes da escola, um terço já recebe apoio do Serviço de Acção Social Escolar (SASE).

Montelavar abre Loja Social

tei contra este código laboral, porque entendo que traz muitos prejuízos para os trabalhadores e como sindicalista não poderia ficar alheia a esta situação”, afirma. Para a militante e autarca socialista há mais de 20 anos, “não há justificação” para atitude do partido. “Estou muito surpreendida porque os meus camaradas do Cacém também se abstiveram na votação do orçamento e nada lhes aconteceu”, conta. A autarca assegura que pretende manter-se como militante socialista até ao final do mandato, mas lamenta a situação. “É tudo muito estranho, porque fomos julgados e condenados sem sequer sermos ouvidos”. Luís Roberto lamenta também “a falta de vontade política” para resolver as divergências internamente. “Tentei tudo dentro do partido, mas o secretariado devolveu-me uma carta onde pedia uma reunião e chamou-me um mês e meio depois para eu me retractar”, conta. O autarca considera que tem “provas

dadas”, mas recusa ser “enxovalhado” ou sofrer “uma perseguição política”. “Não posso militar num partido que não me respeita”, acrescenta Luís Roberto, que recorda um episódio recente em que o PS o impediu de votar em eleições internas para escolha do candidato a Agualva. “Concorri e perdi, mas aceitei democraticamente os resultados. O que não aceitei foi uma violação dos estatutos do PS, quando me impediram de votar, argumentando de forma deselegante que morava em Rio de Mouro. Esqueceram-se que é aqui que estou recenseado e exerço a minha actividade política, e que fui presidente no mandato anterior e as condições eram as mesmas”. Já o novo líder da bancada socialista entende que “é uma questão interna que não deve ser discutida em público” e garante que o assunto “foi tratado com diálogo e audição das pessoas, democraticamente”. No entanto, Manuel Rocha avança que o caso “tem a ver com lealdade, rigor político e decisões preparatórias para a Assembleia”. Quanto à decisão de Luís Roberto, o socialista diz estar “sentido”. “Ele esteve connosco em muitas lutas, mas é uma decisão pessoal”, remata. Luís Galrão

Extensão de saúde São Marcos abre com enchente

Mais de cem pessoas esgotaram esta terçafeira as senhas de atendimento na nova extensão de saúde de São Marcos, para se inscreverem nas listas dos seis médicos de família

digital

disponíveis. Apesar de já estar a funcionar, a nova unidade só será inaugurada no próximo dia 10 de Março, na presença da Ministra da Saúde. As instalações acolhem uma Unidade de

Saúde Familiar (USF) com capacidade para atender cerca de 11 mil utentes, quando, segundo o coordenador, Jorge Caixinhas, “atingir o limite máximo de recursos humanos com oito médicos, oito enfermeiros e sete administrativos”. Para já, a USF começa a funcionar com seis médicos, sete enfermeiros e cinco administrativos. “O preenchimento das listas começou às 8h, e muito rapidamente iremos ter de uma forma activa o preenchimento das vagas que a unidade disponibiliza”, referiu o responsável à agência Lusa. Segundo o presidente da Junta de Freguesia de São Marcos, Nuno Anselmo, a obra chega “atrasada, mas o que importa é que abriu e está a servir a população”. A autarquia acredita que a extensão será suficiente para cobrir a população do bairro, sobretudo porque “muitos têm médicos de família noutros centros de saúde aqui ao redor e não pretendem mudar”, referiu.

A Junta de Freguesia de Montelavar abriu uma “Loja Social” para facilitar o acesso de utentes carenciados a bens de primeira necessidade como alimentação, vestuário, calçado, utensílios domésticos, roupas de cama, brinquedos e mobiliário. O projecto pretende promover uma maior equidade, igualdade de oportunidades, coesão e inclusão social e conta com o apoio do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados da Segurança Social. “A autarquia considera uma prioridade a implementação de projectos que visem o combate a problemas e factores estruturais que afectam grupos e categorias sociais mais vulneráveis. Por isso, desenvolveu uma resposta adequada às necessidades mais elementares dos utentes sinalizados e acompanhados ao nível psicossocial”, refere a autarquia. A Junta já apoia 44 famílias, que englobam 125 utentes, e acredita que “a tendência será para aumentar”. A Loja está localizada nos Lavadouros da Freguesia, que foram devidamente reestruturados e adaptados para esse fim.

Câmara processa munícipes que não pagam rendas A Câmara de Sintra está a intensificar o número de acções judiciais contra os munícipes que não pagam as rendas de habitação social para reaver os 3,4 milhões de euros de dívidas. Segundo o vereador da autarquia com o pelouro da Habitação, Marco Almeida, o incumprimento corresponde actualmente a 35 por cento dos valores a receber pela Câmara, um número inferior ao de 2002, que se centrava nos 50 por cento. “A autarquia tinha que penalizar quem não cumpria o pagamento de rendas, incrementando o número de acções judiciais contra os devedores”, disse à Lusa este responsável. A medida, diz, deve-se à necessidade de acabar com a injustiça em relação a quem paga rendas. Estão em curso 301 processos e foram concretizados 20 despejos, número limitado, segundo Marco Almeida, devido “à morosidade das acções judiciais”.

52 casos de indisciplina na Escola Ruy Belo A Equipa de Missão para a Segurança Escolar detectou 52 ocorrências na EB 2.3 Ruy Belo, maioritariamente relativas a actos contra a liberdade e integridade física das pessoas, que resultaram em 48 processos disciplinares. Esta Escola de Monte Abraão proibiu recentemente a utilização de telemóveis e de leitores de mp3 dentro do recinto escolar para atenuar o clima de insegurança, tendo a direcção pedido aos professores uma maior atenção a situações de furtos entre alunos nomeadamente nos intervalos escolares. Segundo o relatório da Equipa de Missão a que a agência Lusa teve acesso, no primeiro período do ano lectivo foram detectadas 52 ocorrências tendo 48 delas resultado em processos disciplinares. As vítimas são maioritariamente alunos (35), com idades entre os onze e os doze, ao passo que 10 professores e 4 funcionários também sofreram actos de indisciplina. Os agressores são por norma reincidentes (38 vezes), actuaram 23 vezes no recreio e 17 nas salas de aula, são maioritariamente rapazes (41) e as idades que mais praticaram estes actos de indisciplina são os treze (18), onze (11) doze (9), e quinze anos (5).


digital

B R E V E S Paulo Portas visitou esquadra do Cacém

PÁG

4

O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009

notícias

do

concelho

Assembleia isenta e reduz para metade as taxas municipais

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, visitou recentemente a esquadra da PSP do Cacém, onde alertou para a necessidade de reforçar os efectivos nas esquadras das áreas metropolitanas. Para o político, é preciso admitir “o triplo” do número de agentes previsto pelo Governo, e esse aumento deve ser feito de acordo com o princípio de que as “admissões têm de ser largamente superiores às aposentações”. O líder do CDS-PP relatou o que encontrou na esquadra do Cacém: 39 efectivos com a responsabilidade de assegurar a segurança de mais de 80 mil pessoas. “É o exemplo do esforço do efectivo policial para garantir a segurança. Infelizmente, um exemplo do que é a falta de uma política de segurança em Portugal”, declarou, acusando o Governo de deixar “as populações vulnerabilizadas e desguarnecidas da protecção da sua segurança” com o cancelamento de admissões para as forças de segurança.

PSP investiga esfaqueamento no Cacém A Polícia de Segurança Pública de Sintra continua a investigar as circunstâncias em que ocorreu o esfaqueamento de um jovem de 23 anos, há quase uma semana, no Cacém. A vítima teve alta na segundafeira, depois de ter estado internada no hospital de São José, mas ainda não apresentou queixa. “A situação ocorreu numa zona de cafés a cerca de dois quarteirões da esquadra, ou seja, a mais de 500 metros”, disse ao Cidade VIVA fonte da Polícia, em resposta a relatos que colocam a ocorrência junto à esquadra local. Aliás, segundo a mesma fonte, o alerta foi dado pelo Centro de Saúde de Agualva, na freguesia vizinha, onde alegadamente outro indivíduo deixou a vítima a sangrar abundantemente, colocando-se em fuga. O jovem apresentava várias feridas de arma branca na face no peito, mas estava consciente. No entanto, devido ao estado grave em que se encontrava, seguiu de imediato para o hospital Amadora-Sintra, mas acabou por ser transferido para São José.

Polícia Municipal realiza operação “noite tranquila” A operação “Noite Tranquila” realizada na noite de 27 de Fevereiro, no concelho de Sintra, resultou em mais de 100 pessoas identificadas, nove notificações para abandono do país, várias apreensões de material diverso e equipamento informático e infracções fiscais. Ao todo, estiveram envolvidos 36 elementos policiais nesta operação promovida pela Polícia Municipal de Sintra em estreita coordenação com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Inspecçãogeral das Actividades Culturais, Inspecção Tributária e Direcção Geral das Alfândegas e Impostos Especiais sobre o Consumo, que incidiu sobre vários estabelecimentos de diversão nocturna e estabelecimentos de restauração e bebidas do Município.

JSD Cacém promove sessões sobre Ensino Superior Para dar resposta à dificuldade sentida pelos alunos do secundário na escolha do curso universitário, a JSD Cacém propôs à Associação de Estudantes da Escola Secundária Ferreira Dias a organização conjunta de jornadas de esclarecimento para os alunos do 12.º Ano. As sessões decorrem dias 11 e 18 de Março entre as 11h30 e as 13h. As iniciativas “pretendem proporcionar a estes alunos um primeiro contacto com a realidade do Ensino Superior, assim como proporcionar elementos que os ajudem a escolher o curso académico. Nestes dias os alunos poderão apresentar as suas dúvidas aos oradores dos cursos representados, uma vez que todos eles são estudantes ou antigos estudantes do Ensino Superior”. A JSD Cacém “considera que a escolha do curso é um passo muito importante na vida de cada aluno devendo ser feita com ponderação e prudência. Com esta iniciativa, a JSD espera auxiliar neste processo que é, mais do que um desafio, a porta para uma nova fase na vida dos jovens.”

A Assembleia Municipal de Sintra decidiu isentar e diminuir para metade algumas das taxas municipais para 2009. A proposta partiu da Coligação Mais Sintra (PSD e CDSPP) e destina-se a fazer face à crise financeira e económica que também atinge o concelho. A moção acabou aprovada por unanimidade, apesar das críticas do PS, que a acusou de “demagógica”. O documento recomenda a não aprovação do Regulamento de Taxas e outras Receitas do Município de Sintra para o ano de 2009, mantendo em vigor o regulamento de 2008. A moção aponta também a isenção e redução de natureza transitória de um conjunto de taxas. “São medidas específicas de apoio a comerciantes, estudantes e pessoas que têm dificuldades”, explicou António Rodrigues, líder da bancada da coligação.

“Sem prejuízo das isenções e reduções previstas no regulamento, durante o ano de 2009, são reduzidas em 50% do respectivo valor as taxas, no reforço e manutenção das infra-estruturas urbanas, as devidas pela construção de edifícios comerciais ou industriais; as respeitantes à licença de alteração ou ampliação de edifícios em área não sujeitadas a operação de loteamento; a licença de construção, ampliação ou demolição dos imóveis; a comunicação prévia de alteração ou ampliação de edifícios em área abrangida por operação de loteamento, ou plano de pormenor; as respeitantes à inspecção e reinspecção de ascensores.” É igualmente reduzida em 20% a taxa referente às vistorias no domínio da conservação dos edifícios. Por outro lado ficam isentas de taxa, a ocupação do solo com

esplanadas abertas; a autenticação dos horários de funcionamento; as referentes aos Trens de Sintra e ainda ficam isentos os sujeitos passivos da taxa municipal de protecção civil. Esras decisões “têm natureza automática e transitória, vigorando apenas durante o ano de 2009, com vista à concretização da política de natureza anticíclica adoptada pelo município.” A medida havia sido solicitada à Câmara pela Associação Empresarial do Concelho de Sintra (AESINTRA), que a registou “com muito agrado”. “Julgamos que estas medidas pontuais, vão certamente contribuir para aliviar a carga fiscal das empresas mas sobretudo dos pequenos empresários, numa altura em que a situação económica e financeira se agudiza cada vez mais”, afirma Manuel do Cabo, presidente da Associação.

Assembleia recomenda à Câmara esclarecimentos sobre parquímetros A Assembleia Municipal de Sintra aprovou por unanimidade uma recomendação da autarca Fátima Campos para que a Câmara “esclareça e informe a população sobre os projectos de colocação de parquímetros nas freguesias”. Na última reunião, a presidente da Junta de Freguesia de Monte Abraão pediu mais informação contra os “cartazes de contra-informação que estão a ser colados na freguesia”. A postura da Câmara, diz Fátima Campos, “não tem sido esclarecedora para a população que desconhece por completo o que se vai passar, situação que é aproveitada por alguns partidos para fazer contra-informação”. A autarca refere-se a uma iniciativa da CDU, que à mesma hora da Assembleia estava a promover uma reunião pública em Monte Abraão, para discutir esta questão.

Fátima Campos garante ser favorável ao estacionamento pago, à semelhança de quem vive junto à estação ferroviária. “Quem mora junto à estação é penalizado por quem vem de outras zonas e estaciona naquelas ruas desde as 7h da manhã às 22h, ocupando todos os lugares necessários aos moradores e serviços da zona”, acusa. Segundo a autarca, a população não está contra o estacionamento pago porque vai regular o estacionamento na freguesia. No entanto, defende, “deve ser esclarecida devidamente sobre quais as ruas abrangidas, o que iriam pagar, etc.” Em resposta, o vereador Luís Duque garantiu que a Câmara está disponível para continuar a discutir o assunto com Juntas e população. “Se há questão que tem sido debatida é esta, sempre no pressuposto de que o parquímetro pode ajudar a regular o

estacionamento, pelo que não estamos preocupados com o prazo da consulta e vamos continuar a ouvir e a distribuir os elementos que forem necessários”, assegurou. O autarca admite que Sintra tem “males estruturais, porque se construiu sem cuidar do estacionamento e agora é preciso resolver o problema”. No entanto, lembra que os projectos em causa resultam de “regulamentos já aprovados e dos estudos de tráfego realizados”. A Câmara, diz, “admite condicionar a entrada de funcionamento dos parquímetros à adopção de outras medidas, como estacionamento regulamentado, negociações com os operadores de transportes para melhorar os acessos às estações da CP, negociação com a própria Refer por causa dos parques da estações”. “Vamos recolher tudo o que resultou da consulta pública, continuaremos a ouvir as Juntas e quem quiser e só depois o processo irá à Câmara e depois a esta Assembleia. Ninguém vai instalar parquímetros já amanhã. É preferível gastar mais tempo do que ter uma má solução”, assegura.


notícias

do

concelho

O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009

PÁG

5

Autarca critica “mentiras” da Câmara sobre acidente no Jamor A presidente da Junta de Freguesia de Monte Abraão acusa a Câmara de Sintra de “mentira e deturpação dos factos relativamente à autoria da assistência dada aos familiares da vítimas” das inundações de Belas, em 2008. Na última Assembleia Municipal, Fátima Campos disse-se “forçada a denunciar algumas falsidades” e relembrou o apoio prestado pela sua Junta. O acidente em causa vitimou duas irmãs, Sara Gomes e Zíbia Coimbra, arrastadas pelas águas do Rio Jamor na EN 117. As críticas de Fátima Campos vão sobretudo para a informação dada pela autarquia à agência Lusa, na qual assegura ter prestado assistência às duas famílias. “A Câmara de Sintra esteve muito aquém daquilo que poderia fazer no apoio moral e material às famílias das vítimas e não teve, sequer, a delicadeza de enviar qualquer mensagem ou ramo de flores para o funeral”, afirma. Ao contrário do divulgado, diz, “quem intermediou o processo de colocação do filho de uma das vítimas num infantário foi a Junta de Monte Abraão. Tudo o que se lhe seguiu a vaga criada e a gratuitidade da mesma – é obra da generosidade da sua proprietária e directora”, afirma. Além disso, foi a Junta que custeou o funeral da única vítima encontrada (o corpo de uma das irmãs nunca apareceu) e que prestou apoio psicossocial aos familiares. Noutro ponto de discórdia, a Câmara alega ter recebido uma carta de agradecimento do viúvo de uma das irmãs, pelo apoio prestado por uma técnica do departamento de acção social. Mas Fátima Campos assegura que o documento foi “forjado, o que constitui um acto de inacreditável desonestidade (política e não só)”.

“Em conversa tida com o porta-voz da família das vítimas, confirmei isso mesmo”, avança. Fátima Campos sugere à Câmara “que em vez de deturpar o que aconteceu nos últimos 12 meses e fantasiar o que (não) fez, deite mãos ao trabalho a realizar no futuro, já amanhã. E ainda pode ajudar muito as famílias Gomes e Coimbra, porque a situação é complexa e as exigências decorrentes da crise que já todos sentimos são cada vez maiores. Assim queira o executivo”, apela. Sobre esta matéria, e na ausência de resposta por parte do presidente da Câmara, o vereador Luís Duque esclareceu que a estrada onde se deu o acidente não é não é da responsabilidade municipal, dado tratar-se de uma estrada nacional. “Para questões sobre o mau estado da estrada e as causas do acidente, definitivamente, não vale a pena bater à porta da Câmara”, afirmou.

O autarca explicou que o caso “foi muito falado na data em que se assinalou um ano sobre o acidente, mas não quis entrar no ‘folclore’ das comemorações e prestar declarações sobre isso”. No entanto, informou que a autarquia oficiou várias vezes a Estradas de Portugal (EP) para a necessidade de reparação da estrada e para criar uma barreira de protecção junto à ribeira. “Passado tanto tempo sem uma resposta adequada, nós próprios tomámos a iniciativa de montar as guardas de segurança para evitar acidentes”, explicou. Luís Duque acrescentou ainda que “a Câmara tem estudada uma estrada alternativa para o local, com um perfil diferente da EN117, que quando puder avançará, o que não desobriga a EP a manter a estrada actual”. Luís Galrão

Bairro Cerrado Novo reclama por água

Os moradores do Bairro do Cerrado Novo, em Belas, continuam a abastecer-se diariamente num chafariz a cerca de 500 metros do bairro. Garrafas, garrafões e carros de mão são utensílios imprescindíveis para Maria Borges. “É a única forma que temos de ter água”, lamenta a moradora. Apesar de se tratar de um bairro de génese ilegal, os moradores reclamam o direito à água

e à rápida conclusão do processo de legalização. Segundo Adolfo Aguiar, presidente da comissão de moradores, este é um bairro classificado como Área Urbana de Génese Ilegal (AUGI) que aguarda desde 1999 pela segunda fase de legalização que permitirá a colocação de alcatrão, água canalizada e esgotos no local. “Falta-nos apenas um parecer da Divisão de Urbanismo da Câmara de Sintra para

que os Serviços de Água e Saneamento [SMAS] avancem com as obras. Mas tem havido um entrave qualquer que não deixa com que tenhamos água”, queixa-se. Segundo explicou ao Cidade VIVA, o bairro aguarda desde Outubro de 2008 por este parecer que tornará a vida destas pessoas menos “desumana”. “Pertencemos à freguesia de Belas e a um concelho que é património mundial da Humanidade, mas este bairro parece o fim do mundo”, exclamou o morador, enquanto mostrava o local a elementos do Bloco de Esquerda (BE). Após visitar o bairro, o bloquista André Beja, afirmou que “é importante que a câmara dê uma resposta célere à população”. O deputado municipal do BE lembra que a autarquia aprovou “há um ano medidas especiais para que este tipo de situações em AUGI sejam resolvidas”. “Este caso está emperrado por alguma questão burocrática, mas é desumano que as pessoas tenham que viver nestas situações”, refere. O BE prometeu questionar a Câmara de Sintra e a Junta de Freguesia de Belas sobre esta matéria e “empenhar-se para que o problema seja rapidamente ultrapassado”. L. G.

digital

B R E V E S Obras na Linha de Sintra “vão cumprir” prazos A Comissão de Utentes da Linha de Sintra (CULS) reuniu no dia 20 de Novembro com os responsáveis da REFER pelas obras de modernização da Linha de Sintra, tendo obtido a garantia de que não haveria atrasos e que o prazo estabelecido de 42 meses seria respeitado. “Sobre a construção da passagem inferior da Av. dos Missionários, “a REFER afirmou que iria ter um papel fiscalizador pelo facto da circulação da via-férrea ter de ser concretizada com toda a segurança”, revela a CULS, para quem “a passagem inferior terá de ser executada o mais rapidamente possível, pois se assim não acontecer poderá colidir com a própria execução da construção da estação de Agualva-Cacém e prejudicar os prazos estabelecidos”. Na reunião, a REFER avançou que “as passagens desniveladas, sem barreiras arquitectónicas na estação de Agualva-Cacém ficariam prontas já no final de Janeiro” e que iria estar atenta às questões de segurança durante as empreitadas. A Comissão colocou ainda a questão dos abrigos da estação poderem ser colocados de forma a proporcionar maior protecção aos utentes em dias de intempérie. “Foi-nos dito que esta questão iria ser devidamente equacionada”, revelou o porta-voz Rui Ramos.

Termina prazo para candidaturas de associações juvenis Termina dia 9 de Dezembro o prazo de entrega das candidaturas ao Programa de Apoio a associações juvenis, associações de estudantes e grupo de jovens do concelho de Sintra, referente a 2009. O programa pretende reforçar a participação e promover uma melhor inserção dos jovens na vida do Município. Poderão ainda candidatar-se todas as associações de jovens, de estudantes e grupos informais. As candidaturas deverão ser entregues no Gabinete de Juventude com antecedência mínima de 30 dias úteis antes da realização do projecto e poderão ser realizadas em duas vertentes: Plano de Desenvolvimento Anual, mediante apresentação do Plano de Actividades de 2009, ou Apoio Pontual, para a realização de actividades pontuais. Após a entrega, estas serão avaliadas e, se aprovadas, receberão um subsídio municipal. Esta medida da autarquia tem em conta o papel fundamental que as associações de jovens e de estudantes desempenham na formação de gerações de jovens cidadãos. No concelho existem 43 associações juvenis e de estudantes que realizam um trabalho regular, dividindo-se por áreas tão diversas como o ambiente, o desporto, o escutismo, a acção social e a cultura, entre outras. Para mais informações ou esclarecimentos, contactar o Gabinete de Juventude através do número de telefone 219 267 080 ou do e-mail gjuv@cm-sintra.pt.

Simulacro de Sismo revela “algumas fragilidades” O comandante operacional nacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil, Gil Martins, admite que o simulacro de sismo efectuado no final de Novembro permitiu detectar algumas “fragilidades”, como falhas de comunicação e de gestão de informação. “Em três dias apreendemos e foram detectadas algumas insuficiências”, afirmou. Lisboa, Vila Franca de Xira, Benavente, Seixal, Samora Correia, Porto Alto, centro histórico de Almada, Sintra e Barreiro foram as localidades onde decorreu o simulacro, que teve como cenários edifícios em colapso e soterrados, deslizamento de terras, vias de acesso bloqueadas e incêndios urbanos e florestais. No final do exercício, o sismo fictício provocou 281 mortos, 895 feridos e 808 desaparecidos em 16 cenários que envolveram 2835 operacionais de 68 entidades, 854 veículos e 1798 figurantes


digital

PÁG

6

O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009

notícias

do

concelho

Imagens laser dão nova vida ao Palácio de Monserrate Uma nuv em de milhões de pont os nuvem pontos O laser utilizado pela Artescan tem um alcance de 200 metros e a capacidade de registar até 12 mil pontos por segundo, com uma precisão de 12 milímetros e resolução de 5. Apesar disso, é inócuo para o património e para a vista humana. O equipamento, que custa mais de 100 mil euros, lê 360º na horizontal e 90º na horizontal e transforma automaticamente os dados em coordenadas cartesianas (x, y e z). O software associado cria depois nuvens tridimensionais de milhões de pontos, que com o complemento de uma máquina fotográfica, podem ser coloridas com a cor real. As aplicações são diversas e incluem áreas como o património, o urbanismo, a avaliação de barragens e de túneis. Em Portugal, a empresa já utilizou a técnica no Mosteiro da Batalha e na zona histórica do Porto. A Parques de Sintra vai disponibilizar parte dos 38 desenhos vectoriais, entre plantas, alçados e cortes do Palácio, assim como alguns vídeos com os modelos tridimensionais obtidos. Os resultados podem ser vistos em www.parquesdesintra.pt ou no espaço da Artescan no Youtube.

O Palácio de Monserrate pode agora ser visitado de forma inédita na internet. A Parques de Sintra – Monte da Lua (PSML) colocou online as imagens obtidas através de um equipamento laser durante as obras de restauro que estão em curso neste ex-líbris de Sintra. “Optámos por uma tecnologia pouco utilizada mas com grande potencial, porque era preciso fazer um levantamento muito rigoroso para apoiar as nossas intervenções”, explica António Lamas, presidente do conselho de administração desta sociedade de capitais públicos. A empresa Artescan, “a primeira a utilizar este tipo de tecnologia na Península Ibérica”, garante João Boavida, foi a escolhida para a tarefa. Segundo este geógrafo, “o varrimento laser tridimensional permite obter uma grande quantidade de informação em tempo real.” A técnica custou cerca de 49

mil euros, um valor que ambas as entidades consideram razoável, dada a dimensão do projecto. “Foi necessário fazer o levantamento integral do Palácio, incluindo exterior, interior e envolvência com uma cobertura de precisões subcentimétricas”, refere outro técnico. O laser utilizado (ver caixa) foi colocado em 164 posições e necessitou da ajuda de 289 retro reflectores identificados automaticamente e que permitiram juntar as nuvens de pontos. “A estação demora 10 a 20 minutos por posição e consegue adquirir em média 1 milhão de pontos coordenadas”, explica Adriano Oliveira. O equipamento obteve ainda mais de 11 mil fotografias que permitiram dar cor a cada ponto. “É uma técnica inovadora na medida em que todas as peças foram produzidas a partir desta informação, nomeadamente as ortofotos (ima-

gens corrigidas para arquitectura) e a modelação a três e a duas dimensões. O desenho assistido por computador (CAD), por exemplo, foi modelado em cima dos pontos e da imagem, permitindo um modelo fotorrealista e mais rigoroso”. O restauro do Palácio de Monserrate, adquirido pelo Estado em 1949, começou apenas em 2001, após mais de meio século de abandono. “Esta fase de recuperação das infra-estruturas e do interior, que estava bastante danificado, custou 750 mil euros, um valor suportado pelo Fundo do Espaço Económico Europeu, uma linha de apoio da Islândia, Liechtenstein e Noruega.”, refere António Lamas. De fora, fica o restauro da maioria das salas interiores, dependente de mais verbas, excepto a biblioteca, cuja recuperação está concluída. Enquanto as obras não terminam, o Palácio pode continu-

ar a ser visitado não apenas na internet. Aliás, a adaptação do espaço para receber visitantes foi um dos factores decisivos para obter apoios. “É uma característica inovadora que foi apreciada pelo Fundo, porque o trabalho em curso também é interessante e útil para os visitantes. Podemos dizer que ‘abrimos para obras’, porque é im-

portante que as pessoas percebam a morosidade e a importância do restauro”, reforça António Lamas. A Parques de Sintra é uma empresa de capitais públicos, que integra os Institutos de Conservação da Natureza e dos Museus, o Turismo de Portugal e a Câmara de Sintra. Luís Galrão

Novo museu recebe espólio sobre psiquiatria É inaugurado no dia 8 de Março, dia de São João de Deus, o Museu S. João de Deus – Psiquiatria e História. A estrutura irá funcionar na Casa de Saúde do Telhal e contará com cerca de 900 peças que dão a conhecer não apenas a história da Ordem Hospitaleira em Portugal, como retratam também a evolução da Psiquiatria, da Farmacologia e da Enfermagem no nosso país. Trata-se do primeiro Museu português de uma Ordem religiosa histórica a ser organizado posteriormente a 1834 e o também o primeiro dedicado à história da Psiquiatria em Portugal. A inauguração será precedida de uma missa solene presidida pelo Cardeal Patri-

arca, com a presença da primeira dama, Maria Cavaco Silva, que irá depois descerrar uma placa comemorativa da inauguração do Museu. O Irmão José Augusto Louro, explica na apresentação do catálogo comemorativo que “a ideia deste museu partiu do desejo de preservar o património artístico e museológico da Província Portuguesa da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus, espalhado pelos mais díspares lugares, e ao mesmo tempo dar a conhecer a história e a evolução da assistência médica-hospitalar, em geral, e da psiquiatria em Portugal, em particular”. O Museu está integrado na Casa de Saúde do Telhal, Centro Assistencial na área da Psiquiatria, Saúde Men-

tal e Reabilitação Psicossocial, situado no Concelho de Sintra e fundado pelo P. Bento Menni em 1893. O Prof. Egas Moniz, Prémio Nobel da Medicina, foi um dos médicos ilustres que trabalharam neste Centro. A estrutura ocupa um edifício construído em 1937, originalmente destinado à formação de Irmãos e que chegou a albergar uma unidade de internamento. Com coordenação museográfica e documental de Carmina Correia Guedes e de Estela Rodrigues, o Museu tem um espólio diversificado, oferecendo aos seus visitantes, por exemplo, os trabalhos criativos realizados pelos próprios utentes das Casas de Saúde ao longo do século XX.


O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009

PÁG

7

digital

O município de Cascais inaugurou em Fevereiro a primeira eco-cabana portuguesa, uma pequena casa sustentável com gestão de consumos de água e electricidade onde vai funcionar o primeiro Centro de Informação de Turismo de Natureza do Parque Natural. O projecto foi idealizado pela agência municipal Cascais Natura e está instalado no Parque Marechal Carmona. O equipamento inclui materiais recicláveis/reciclados e objectos amigos do ambiente (como lâmpadas fluorescentes compactas), funciona a partir de energias alternativas, evita a impermeabilização do solo por se apoiar apenas em alguns pontos, tem isolamento térmico e é revestida com cortiça. Além disso, todo o consumo de água e energia é controlado por um sistema de eco-créditos que define limites de utilização por determinados períodos. De acordo com o vereador do Ambiente e presidente da agência, Carlos Carreiras, a estrutura pode destinar-se a

Cascais Natura

Cascais recebe a primeira eco-cabana portuguesa

alojamento, escritórios ou a casas-de-banho de utilização pública, podendo custar entre 60 mil euros (60 metros quadrados, como a que foi inaugurada) e 100 mil euros, se integrar vários módulos.

O actual projecto não prevê a construção de ecocabanas de alojamento turístico, mas o executivo aguarda já a aprovação, pelo conselho que gere o Parque Natural Sintra-Cascais, de

O Diário do Ambiente é um manual de conselhos práticos sobre as inúmeras contribuições que cada pessoa pode dar para melhorar o ambiente. A publicação resulta de uma parceria entre o Continente e a Quercus e é um convite à participação da população, porque um Ambiente sustentável exige o empenho pessoal de cada um de nós. O manual insere-se no programa Hipernatura Continente, uma iniciativa de responsabilidade social que propõe a requalificação de 20 espaços verdes em 20 cidades portuguesas. O Diário do Ambiente é um convite à mudança de atitudes e comportamentos, ajudando a construir Cidades saudáveis, ecológicas e criativas.

duas construções do género - sanitários e recepção - no campo escutista Pedra Amarela. “O objectivo é abrir esse espaço à população, levar os jovens do secundário a acam-

diário do

CERTIFICAÇÃO DOS EDIFÍCIOS Sabia que

O que posso fazer?

-

-

Os edifícios são responsáveis por 30% do total de energia consumida 3 nível nacional [62% se considerarmos apenas a energia eléctrica]? Já se encontra em vigor um sistema de Certificação Energética para os Edifícios, que classifica as construções a partir do seu consumo energético anual e da quantidade de emissões poluentes que produzem? A avaliação dos edifícios abrange vários parâmetros energéticos: comportamento térmico, sistemas de climatizaçâo e qualidade do ar interior? A gestão de resíduos de construção e demolição [RCD] já se encontra também prevista na legislação portuguesa, no sentido de promover a sua reutilização e reciclagem? Na União Europeia, 50% dos recursos materiais retirados da natureza e 50% dos resíduos produzidos em cada país estão relacionados com o sector da construção, estimando-se uma produção anual de 100 milhões de toneladas de RCD?

Se vai comprar casa, consulte a ficha técnica da habitação para estar a par das suas características. Para saber se a mesma será muito ou pouco exigente do ponto de vista energético, consulte também o Certificado de Eficiência Energética e Qualidade do Ar. Se vai construir ou fazer obras em casa. certifiquese que a empresa responsável cumpre a lei quanto à gestão adequada dos RCD, desde o local de produção, promovendo a reutilização dos mesmos na própria obra. até ao seu encaminhamento para outros fins, através da reciclagem. Pondere bem as suas necessidades. Remodelar é quase sempre preferível a construir uma casa de raiz, pois poupam-se muitos recursos naturais.

Fonte:

Conselhos práticos para viver o seu dia a dia em equilíbrio com a natureza.

par lá duas noites, por exemplo. Se todos os jovens do concelho passarem por lá, acreditamos que com isso formaremos um exército de cidadania, com preocupações ambientais, quanto mais não

seja para perceberem como pode ser uma eco-casa e quererem torná-la algo real”, explicou à Lusa Carlos Carreiras. Enquanto o projecto não chega ao meio florestal, o “Greenhotspot” agora apresentado no jardim da vila de Cascais vai disponibilizar todo o tipo de informação sobre o Parque Natural, que ocupa um terço do território do concelho, permitindo também ao público simular como se pode recuperar a energia consumida convencionalmente através da luz eléctrica ou dos electrodomésticos e conhecer o efeito distinto dos eco-equipamentos. “O Centro de Informação foi uma forma de mostrar a grande riqueza natural e histórica do Parque, que a maioria dos munícipes e das pessoas de fora de Cascais não conhece, num ambiente urbano, para que sejam atraídas”, referiu o vereador do Ambiente. Fonte: Lusa

Workshop sobre Eficiência e Certificação Energética Sintra recebe dia 24 de Março um Workshop com o tema “Eficiência e Certificação Energética”. A iniciativa resulta de uma parceria da Agência Municipal de Energia de Sintra (AMES) com a AERLIS e outras entidades. A certificação energética de edifícios novos é obrigatória desde 2007. No que respeita a edifícios existentes, desde 1 de Janeiro de 2009, a legislação obriga também à certificação de qualquer imóvel que venha a ser alvo de transacção (independentemente de se tratar de arrendamento ou venda), de modo a que quem venha a habitar esse imóvel tenha um conhecimento prévio dos consumos energéticos que irá ter. O prazo de validade do certificado é de 10 anos para os edifícios de habitação e entre 2 e 10 para os edifícios de serviços, estando dependente da necessidade de auditoria e da sua periodicidade e o pedido é da responsabilidade dos promotores ou proprietários do imóvel

O Certificado de Desempenho Energético tem como objectivos para os edifícios residenciais, informar os proprietários, compradores e arrendatários sobre a eficiência energética e os consumos de energia esperados numa utilização normal do edifício, bem como das medidas de melhoria de desempenho, com viabilidade económica, que o proprietário pode implementar para reduzir as suas despesas energéticas. Para os edifícios de serviços, o Certificado destina-se a informar sobre o desempenho energético do edifício e a assegurar aos utentes que o edifício reúne condições para garantir uma adequada qualidade do ar interior. O workshop realiza-se nas instalações da AERLIS e custa 40 euros para o público e 32 para associados. Mais informações através do telefone 219 242 454 ou da página: http://ames.linkare.pt. Fonte: AMES


digital

PÁG

8

O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009


O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009

PÁG

9

digital


digital

PÁG

10

O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009


O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009

PÁG

11

digital


digital

Casas de

Sintra

PÁG

12

O JORNAL COM NOTÍCIAS

COMPRA

MODERNO MASSAMÁ NORTE REF.3229

|

6 DE MARÇO DE 2009

VENDA

ESCRITÓRIO / ARMAZÉM R.99.2

TO | ARRENDAMEN BOM NEGÓCIO R.3235

| PE RMUTA

T 2 MASSAMÁ MOBILADA

Ref. CS00276 | Preço: 214.840€ | Telef.214 377 513 / | Apartamento T4 Localidade: Massamá Norte - Massamá

Ref. CS00304 | Preço: 1.200€ | Telef.214 377 513 / | Armazém T0 Localidade: Casal do Cotão - Cacém

Ref. CS00303 | Preço: 340.600€ | Telef.214 377 513 / | Moradia Isolada T4 Localidade: Paiões - Cacém

Ref. CS00302 | Preço: 600€ | Telef.214 377 513 / | Apartamento T2 Localidade: MOBILADA/ESTAÇÃO - Massamá

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

T2 ARRENDA MOBILADO

CENTRO DE AGUALVA - BOA OPORTUNIDADE

VENDE-SE T2 EM SÃO MARCOS

Ref. CS00301 | Preço: 500€€ | Telef.214 377 513 / | Apartamento T2 Localidade: Massamá/Estação - Massamá

Ref. CS00294 | Preço: 55.000€ | Telef.962999000 / 915616184 | Apartamento T1 Localidade: - Agualva

Ref. CS00292 | Preço: 88.000€ | Telef.9184846100 / 914376440 | Apartamento T2 Localidade: Em frente ao Taguspark - São Marcos

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

MORADIA CONTEMPORÂNEA NOVA

, ar r p is? m e , co ó v r de r im n ve u t a r e rm Qu pe ou

MORADIA ISOLADA

T1 APARTAMENTO

Ref. CS00290 | Preço: 750.000€ | Telef.966101897 | Moradia T4+1 Localidade: sintra - Santa Maria

Ref. CS00285 | Preço: 380.000€ | Telef. | Moradia Isolada T3 Localidade: Algueirão - Algueirão-Mem Martins

Ref. CS00288 | Preço: 85.000€ | Telef.914146879 | Apartamento T1 Localidade: rio de mouro - Rio de Mouro

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

MORADIA T4 NOVA

APARTAMENTO T2 PARA VENDA

BELAS (Q. SAMARITANA) - OPORTUNIDADE

Ref. CS00274 | Preço: 111.000€ | Telef.964851069 - 964889552 | Apartamento T2 Localidade: urbanização das campinas - Belas

Ref. CS00306 | Preço: 85.000€ | Telef.965235429 | Apartamento T2 Localidade: Rua 25 de Abril - Belas

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

LOJA/ ESCRITÓRIO PARA ALUGAR

VENDO T3 CACÉM URGENTE

Ref. CS00280 | Preço: 310.000 | Telef.962424900 | Moradia T4 Localidade: Albarraque - S. Pedro de Penaferrim

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Ref. CS00310 | Preço: 500€ | Telef.219261862 | Escritório T0 Localidade: Casais de Mem Martins - Algueirão-Mem Martins

Ref. CS00305 | Preço: 97.500€ | Telef.938419717 | Apartamento T3 Localidade: Perto estação - Cacém

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt

Para mais informações sobre este imóvel veja em http://casasdesintra.pt


ital digveículo lazer Faça deste meio 13o seu para divulgação dos seus produtos e marcas.

O JORNAL COM NOTÍCIAS

cidade

O

J O R N A L

C O M

®

N O T Í C I A S

A G E N D A

6 DE MARÇO DE 2009

PÁG

Basta ligar telf.21 922 59 43, fax 21 922 59 44 ou remeter um email para publicidade@cidadeviva.pt

M A R Ç O

IV Aniversário da Alagamares Dia 7 de Março, Caves de S. Martinho

2 0 0 9

Consumo de álcool nos jovens tema de exposição Até 22 de Março, Casa da Cultura de Mira Sintra

Foi em 9 de Março de 2005 que surgiu a Alagamares. 4 anos depois, esta Associação Cultural realizou mais de 65 eventos, mobilizou algumas centenas de participantes e juntou 280 associados. A festa de aniversário terá lugar dia 7, a partir das 20h30, nas Caves de S. Martinho, em Galamares. “Vamos festejar e convosco, a nossa razão de existir. Compareçam e tragam amigos”, convida a Associação. A direcção promete “música ao vivo, com os Aganju, conjunto que associa sonoridades populares e ritmos da Terra. Música para dançar, pois festa é celebração e delírio dos sentidos. E incluído no preço, está um prato quente, dois copos de vinho ou uma bebida de cápsula e pão. Tudo por 8 euros". A Alagamares agradece a confirmação da presença através do email: info@alagamares.net. A redução do consumo de álcool nos jovens é tema para a exposição de fotografia do Programa Sintra-se Seguro. António Gamito, Inês Valle e Luís Galrão são os artistas desta exposição de fotografia que pretende perpetuar, um trabalho, aparentemente invisível, assente no diálogo sem preconceitos e moralismos, que visa, essencialmente, a redução do risco e a minimização dos danos associados ao consumo de álcool e droga. Esta exposição retrata, de forma exímia, os instantes, os olhares e as cumplicidades entre os Educadores da Conversas de Rua, que integram este projecto e os jovens do Concelho de Sintra, que procuram a diversão, na noite. Horário: terça a sexta, 10h/20h; Sábado e domingo, 14h/20h. Encerra à segunda.

Rio de Mouro assinala Dia Internacional da Mulher

3ª Oficina de Teatro da Alagamares

“As Aventuras de Puck o Duende”

Nesta Páscoa aprende Ciência de forma divertida

Dia 8 de Março, Escola Leal da Câmara

Março e Abril, Caves de S.Martinho, Galamares

Até 26 de Abril, Quinta da Regaleira, Sintra

De 30 de Março a 9 de Abril, Centro de Ciência Viva de Sintra

Como comemoração do Dia Mundial da Mulher, assinalado a 8 de Março, a Junta de Freguesia de Rio de Mouro e o Grupo de Estágio do Curso Tecnológico de Desporto da Escola Secundária Leal da Câmara realizam uma aula de Step Aeróbico no Pavilhão Gimnodesportivo da escola, destinada a todas as pessoas do sexo feminino da Freguesia. Esta actividade terá início pelas 10h30. A efeméride celebra os feitos económicos, políticos e sociais alcançados pela mulher. As mulheres empregadas em fábricas de vestuário e indústria têxtil foram protagonistas de um dos maiores protestos vistos por Nova Iorque, que se realizou dia 8 de Março de 1857, em que protestavam sobre as más condições de trabalho e reduzidos salários. “Pretendemos chamar a atenção para o papel e dignidade das mulheres e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa e da importância do seu papel na sociedade”, revela a autarquia. Mais informações em www.jfriodemouro.pt.

A Alagamares - Associação cultural leva a efeito a sua III Oficina de Teatro, curso de iniciação ao teatro ministrado pelo respeitado encenador da companhia Tapafuros Rui Mário, encenador de peças como "O Alquimista" "Hamlet" ou "Folia!". As oito sessões terão lugar nas Caves de S.Martinho, em Galamares, Sintra (estrada Sintra-Colares) nos dias 10,12,17,19,24,26 e 31 de Março e 2 de Abril das 19h às 22h.O valor global é de 50 euros e será distribuído um diploma no final com a possibilidade de apresentação pública de uma peça ensaiada pelos formandos do dito curso. Idade mínima de inscrição: 12 anos. Inscrições para o info@alagamares.net até 8 de Março com indicação de nome, idade, e-mail ou telefone. Será fornecido um NIB para pagamento da inscrição. Mais informações em www.alagamares.net.

A CulturSintra e o Teatro TapaFuros mantêm em cena a peça “As Aventuras de Puck o Duende”, uma adaptação livre da versão infantil de Hélia Correia de Sonho de Uma Noite de Verão de William Shakespeare. A peça é exibida na Quinta da Regaleira, aos Sábados às 16h e aos Domingos às 11h30, já a partir de 29 de Novembro. O espectáculo é aconselhado para maiores de 4 anos e está disponível de segunda a sexta para escolas e grupos com pré-marcação. O bilhete custará sete euros e pode ser adquirido na Quinta da Regaleira e nos locais habituais: Lojas Fnac, Bliss, Lojas Viagens ABREU, Livraria Bulhosa Oeiras Parque. Reservas: 219 106 650 ou 707 234 234. Mais informações através do e-mail geral@tapafuros.com ou na internet em www.tapafuros.com e www.cultursintra.pt.

Nestas férias da Páscoa, o Centro Ciência Viva de Sintra propõe aos visitantes mais novos um conjunto de actividades que lhes permitem adquirir conhecimentos científicos de uma forma recreativa. São dois em um: brincar e aprender. Observação ao microscópio de células vegetais, jogo do corpo humano, jogo do paladar e olfacto, caça ao ovo, modelar massa, observação de filmes no planetário, realização e lançamento de foguetões de água são algumas das actividades que o Centro de Ciência Viva de Sintra propõe para estas férias, às crianças dos 5 aos 12 anos. O ATL das férias da Páscoa do Ciência Viva realiza-se de 30 de Março a 9 de Abril, das 9h às 18h30, com um preço de 20€/dia ou 95€/semana, já incluindo almoço e lanche. Inscrições pelo tel: 219 247 730 ou reservas@cienciavivasintra.pt.


digital

PÁG

14

O JORNAL COM NOTÍCIAS

6 DE MARÇO DE 2009

/43  

http://www.cidadeviva.pt/downloads/43.pdf

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you