Issuu on Google+

Edição Nº 1 - Novembro, 2013 EDITORA

B

BOOK

evah

SELBAT

REVEWOH

pu tes

tcurtsnoc

TENRETNI

SEGAP

SEROIRETNI

rengised RESWORB

NOITACINUMOC

EKYL

ETIS

ECIVED

EVAH

M EVON REB

Linguagem Visual

E LY T S

ETISBEW EGAP

ECNEIDUA

ecudorp

GNINNALP

MUITO MAIS DO QUE VOCÊ IMAGINA

YALPSI PUKRAM

DESIGNERS

etautceffe

ENO

TIDE

O MUNDO DOS

NOITAMROFNI

eraperp etarobale

SETIS

t ceffe

ETAIRC

EVIT CEJBO

NGISED

PU MROFREP

FORM

OCIFARG

descubra o que DESU fascina nessa arte

NIART

Tipografia TUOYAL DLROW

ESOPRUP

ERUTCURTS TXET dne TEGRAT

R$14,90

ECAPS

OC

NCET

LE

LMTH

tuoyal

ITPO

T CEJORP

GNIHSILBUP

O que significa?

SSECORP cihparg


Para você que gosta de impressionar. CONFIRA nossa nova edição!

JÁ NAS BANCAS.


A

revista UPDESING vem trazendo em sua primeira edição lançada em novembro de 2013, informações exclusivas, opiniões e análises aprofudandas que valorizam os padrões de imagens e gráficos das apresentaçãos que ajudam a entender os efeitos dos acontecimentos no seu dia a dia. A revista UPDESIGN nasce, ainda, com a missão de premiar “os melhores” do nordeste, como forma de incentivar a criatividade e a inovação do mercado, chamando ainda, dessa forma, a atenção de outros centros para os talentos regionais. Com a UPDESIGN, você adquire uma base sólida de conhecimentos e se mantém atualizado sobre os mais diferentes assuntos de desingn no Brasil e no mundo. Assine UPDESIGN impressa ou digital (disponível para tablets e computadores) e receba, toda semana, a maior e mais importante revista de design do Brasil.

Editor: Laylson Souza


Sumário Portifólio

Trabalhos Acadêmicos

Tipografia

Conceitos de Tipografia

Linguagem Visual O que significa?

Processo de Impressão Gráfica Pouchain Ramos

5

8

12

14

Espediente A revista UP DESIGN é uma publicação voltada a trabalhos acadêmicos, onde visa mostrar a criatividade dos estudantes de designer’s dando a oprtunidade de mostrar seu trabalho por todo nordeste.. Autor/Editor: Laylson Souza Cadeira: Editoração Eletronica contato: Laylson Souza (85)9876.6789 laylsonsouza@gmail.com facebook.com/laylsonsouza issuu.com/laylsonsouza


Pintura a cegas experimente e sinta esta sensação. TEORIA DA COR Trabalho de sensações, desenvolvido de olhos vendados, esquisito e muito interesante. Pintura feita com tinta guache.

IMAGEM VETORIAL Desenvolvimento de uma logo para uma agência e toda papelaria. Aqui você encontra algumas peças.Trabalho todo vetorizado. Software: Adobe Illustrator

UPDESIGN

5


LINGUAGEM VISUAL Painel desenvolvido sobre o rock dos anos 70 e principal gênero musical da época, foi para exposição e impresso em lona. software: Adobe Photoshop

TIPOGRAFIA Cartaz tipográfico. Estudo feito sobre a fonte Josefin Slab para a criação do cartaz. software: Adobe Illustrator

6

UPDESIGN


DESENHO ARTÍTISCO Desenhos desenvolvidos a mão livre com lapis 6b, e lápis grafite 12b.

IMAGEM DIGITAL Ilustração Pin Up no estilo Pop Art com cores chapadas, retículas, contorno, imagens e textura. software: Adobe Illustrator Adobe Photoshop

UPDESIGN

7


O QUE É TIPOGRAFIA?

TEXT STRUCTURE TARGET end

SITES USED

WORLD

tipografia (do gregos typos — “forma” — e graphein — “escrita”) é a arte e o processo de criação na composição de um texto, física ou digitalmente. Assim como no design gráfico em geral, o objetivo principal da tipografia é dar ordem estrutural e forma à comunicação impressa. Por analogia, tipografia também passou a ser um modo de se referir à gráfica que usa uma prensa de tipos móveis.

PERFORM

A

LAYOUT

TIPOGRAFIA

C

e

DE

PURPOSE

TRAIN prepare elaborate

FORM

OBJECTIVE

INFORMAT effectuate

TABLES have

8

UPDESIGN

A


PUBLISHING sing

MARKUP

PLANNING

DEVICE

COMUNICATION

layout

WELL

STATE MUTIPLE

PROJECT

HTML

OPTION

FRAMEWORK

COMUNICATION STANDARDS

produce

EDIT

SITE

HOWEVER

INTERNET

set up

construct

AUDIENCE

DISPLAY

TION

ONE

INTERIORES

GRAFICO

TECNO

SPACE

ESIGN LYKE

ELECTRONIC LOGY graphic PROCESS

STYLE

HAVE

designer BROWSER

effect

EMBER

PAGES

CRIATE

NOV

PAGE

UP

WEBSITE

Você faz , Você cria.

MANY MAKE

UPDESIGN

9


TIPOG ESCRITAS NACIONAIS

10

UPDESIGN

Uncial

Gótica

A partir do século lll d.C. começa a desenvolver-se um novo estilo de escrita maiúscula, que foi usada nos códices tanto pelos romanos quanto pelos cristões primitivos. Tornou-se a escrita propria dos textos cristões, em oposição aos caracteres romanos dos textos pagões.

É o nome pelo qual é chamada o tipo de letra angulosa e com linhas quebradas, originada entre os séculos XII e XIII, foi usada na Europa ocidental desde 1150 até 1500. Este estilo caligráfico e tipográfico continuou a ser utilizado em países de lingua alemã até o século XX.

Carolíngia

Humanística

No intuito de unificar a Europa central foi criado um novo estiro de escrita, por volta do ano 800 d.C. As letras foram modeladas para forma um alfabeto uniforme e ordenado, hoje conhecido como minúscula carolíngia. Isso tornou a escrita mais consistente para a leitura.

Desenvolveu-se no século XV d.C., durante o período renascentista. Baseado no antigo alfabeto romano, com certas características da minuscúla carolíngia. Foi o tipo de escrita percusora da imprensa, substituindo os tipos de imprensa das letras góticas.


RAFIA N

a maioria dos casos, uma composição tipográfica deve ser especialmente legível e visualmente envolvente, sem desconsiderar o contexto em que é lido e os objetivos da sua publicação. Em trabalhos de design gráfico experimental (ou de vanguarda) os objetivos formais extrapolam a funcionalidade do texto, portanto questões como legibilidade, nesses casos, podem acabar sendo relativas. No uso da tipografia o interesse visual é realizado através da escolha adequada de fontes tipográficas, composição (ou layout) de texto, a sensibilidade para o tom do texto e a relação entre texto e os elementos gráficos na página. Todos esses fatores são combinados para que o layout final tenha uma “atmosfera” ou “ressonância” apropriada ao conteúdo abordado. No caso da mídia impressa, designers gráficos (ou seja, os tipógrafos) costumam se preocupar com a escolha do papel adequado, da tinta e dos métodos de impressão. Por muito tempo o trabalho com a tipografia, como atividade projetual e industrial gráfica, era limitado aos tipógrafos (técnicos ou designers especializados). O design de tipos, no entanto, atividade altamente especializada que requeria o conhecimento das técnicas de gravar punções para fazer as matrizes usadas para fabricar tipos, foi desenvolvida desde o início por especialistas, os gravadores de tipo ou puncionistas, verdadeiros designers de tipo antes que a denominação entrasse no vocabulário profissional. Foram designers de tipo e puncionistas Claude Garamond e Giambattista Bodoni, criando fontes clássicas que até hoje são apreciadas.

A composição manual, ou seja, a colocação dos tipos lado a lado para formar os textos, foi mecanizada em fins do século XIX com a criação das máquinas que compunham e fundiam tipos ao toque de um teclado como o linotipo, inventado por Ottmar Merghenthaler (1886) e o monotipo, por Tolbert Lanston (1887). A partir dos anos 1940, começa a se impor a fotocomposição, sistema que usa matrizes fotográficas dos tipos que são reduzidos ou ampliados por lentes, mas apenas com a popularização do “offset” nas décadas de 1960/70 passa a ser largamente usada. Combinada com ela temos as letras transferíveis, em especial a Letraset que formam largamente usadas, permitindo aos designers o acesso a uma quantidade maior de fontes e interferência nos espaços tipográficos. O advento da computação gráfica nos anos 1990 tornou a tipografia disponível para designers gráficos em geral e leigos. Hoje qualquer um pode escolher uma fonte (tipo de letra) e compor um texto simples em um processador de texto. Mas essa democratização tem um preço, pois a falta de conhecimento e formação adequada criou uma proliferação de textos mal diagramados e fontes tipográficas mal desenhadas. Talvez os melhores exemplos desse fenômeno possam ser encontrados na internet. O conhecimento adequado do uso da tipografia é essencial aos designers que trabalham com diagramação, ou seja, na relação de texto e imagem. Logo a tipografia é um dos pilares do design gráfico e uma matéria necessária aos cursos de design. Para o designer que se especializa nessa área, a tipografia costuma se revelar um dos aspectos mais complexos e sofisticados do design gráfico.

UPDESIGN

11


Linguagem Visual? você sabe o que é

A

criação de uma imagem para comunicar uma ideia pressupõe o uso de uma linguagem visual. Acredita-se que, assim como as pessoas podem “verbalizar” o seu pensamento, elas podem “visualizar” o mesmo. Na análise da “linguagem visual”, os elementos da linguagem são delineados através dos elementos de arte e princípios de design. Um diagrama, um mapa e uma pintura são exemplos de usos da linguagem visual. Suas unidades estruturais costumam incluir linha, forma, cor, movimento, textura, padrão, direção, orientação, escala, ângulo, espaço e proporção. A teoria da arte e do design são usadas para construir composições visuais. Acredita-se que os elementos de uma imagem representam conceitos em um contexto espacial, ao invés da forma linear usado para palavras. Acredita-se também que a fala e a comunicação visual são meios paralelos e geralmente interdependentes pelos quais seres humanos trocam informações. Elementos da Linguagem Visual • Cor é um elemento fundamental na linguagem visual: influencia o nosso comportamento, transmite mensagens e sensações. • Textura é o elemento visual que com frequência serve de substituto para as qualidades de outro sentido, o tato. Na verdade, porém, podemos apreciar e reconhecer a textura tanto através do tato quanto da visão, ou ainda mediante uma combinação de ambos. • Ponto é uma forma visual que também serve para definir outras formas bidimensionais ou tridimensionais que pode dar sensação de proximidade ou ilusão de cor ou tom. • Linha, nada mais é do que uma cadeia de pontos. Os pontos possuem grande poder de atração visual sobre o olho. Na natureza, as formas arredondadas são mais comuns, pois, em estado natural, a reta e o quadrado são verdadeiras raridades.

12

UPDESIGN


As melhores trilogias

EM UM SÓ CD

COLECIONE JÁ O SEU!

UPDESIGN

13


Processo Impressão Gráficde a Pouchai n Ramos

P

rimeiramente eles fazem o teste de impressão em uma impressora Sharp, é a única que consegue chegar mais próximo das impressoras OFF SET, é uma pré impressão para evitar prejuízo. Eles usam o CTP – Computer-to-Plate É um processo computadorizado de gravação das chapas usadas nas impressoras offset, é gravada através de laser, que é controlado por um computador, de forma similar às impressoras laser, aumentando a qualidade final da miagem gravada e passa por três etapas: separação de cores, pulverização/exposição da matriz e revelação, cada chapa pode fazer 100 mil cópias e dependendo da máquina roda 16 mil folhas por hora. Após a impressão as folhas vão para uma dobradeira que já deixam automaticamente as páginas em seqüência, logo depois vão para uma alceadeira de grampo se for poucas páginas como encartes ou revistas, se tiver muitas páginas como livros passa pelo processo de lombada quadrada. Por final as páginas já coladas ou grampeadas vão para a guilhotina onde faz o refilamento do excesso deixando o material pronto para exportação.

14

UPDESIGN


BREVE NOS CINEMAS 29/ 12

CONSULTE AS CLASIFICAÇÕES


Editoração Eletrônica - Revista