Issuu on Google+

Psicografia realizada na

Casa Francisco de Assis Dia 13/04/2011 Pelo mĂŠdium

Kleber Torres


Que a luz do mestre invada nossos corações, como o sol que ilumina nossas manhãs. Bendito seja Senhor que nos une em torno da graça de teu evangelho, buscamos a ti, como o filho pródigo que reconhece seus erros e precisa do amparo do Pai. Estejamos convictos que podemos viver contigo em nossas mentes e almas. Pai amado permeia nossas vidas Senhor, para que a luz do sol nunca se apague em nossos corações. Paz a todos os filhos de Francisco. Albino Luciani

Tarefas da manhã Quando na luz Parece nos devolver As bênçãos do porvir Luz da ribalta Na outrora alvorada De nossas existências Em que podemos trafegar Hoje nos meandros do ontem e do amanhã Parte de nós quer Parte de nós ainda não acredita Mas como somos os imortais! Como existiremos para sempre Devassa melancólica que invade nossas almas frescas de conhecimento Lucubras das verdades Mas tens medo de reconhecer as certezas que sua alma já reconhece Então não podes abandonar a jornada de luz que entrastes


Por quanto podes apenas aceitar Que sim a vida continua Para sempre Almeida Junior

Horizontes de felicidade De amor E de companheirismo A bela moça Que encanta em seu gingar Passa a nos encantar Mas esconde o seu quinhão De lutas e desesperos Oh! Beleza externa de vida Sem luz interna Homens fracos que apenas tens olhos para o exterior Encontras na face de alegria Quando o coração está apertado de lamento Quase em uníssono com a mesma intensidade podes apenas ter a ciência quando envolvido pela luz do eterno Carece de mais paz e reflexão e menos de luxuria e retenção A mulata passa e com ela as mesmas chances de luz e trevas Todos podem ter Segue nesta vida em que a paz lhe eleva os caminhos e esconde as obstruções Fuga deste amanhã que hoje descortina para os olhos do espírito


Quando conseguires viver em harmonia terás os olhos da alvorada Não se furtes das verdades eternas Pois são delas que verá o horizonte de evolução e readmissão Carlos Drummond de Andrade

Esqueces de teu amanhã Pois o hoje já te basta Acordas para a vida Enquanto tens ainda para crescer Não te furtes na alvorada da existência A dar-te o ultimo suspiro de caridade Pois pode ser dela o último Lamento de tua amarga existência Carlos Drummond de Andrade

As luzes dos letreiros E das noites Mal dormidas Hoje reconheço que foram As demasias de homens Ou se faz na paz que ainda te ilumina Ou a luz se apaga no mudar de tua existência Não persegues pelo amanhã Quando o hoje te sustenta Melhoras sempre, pois te compete como aprendiz


Teus ouvidos são mais importantes Do que teus olhos, pois são Deles que as lições virão Partas hoje para a morada Do equilíbrio em teu coração E terás guarida da paz que precisas Olvidas de que muitos tem Em você a chance bendita De trazer pequenos lembretes Que somos portadores Somos os escritores que Não nos esquecemos de viver Para escrever Mas na morte Somos os mesmos escreventes De nossas aventuras e De nossos conhecimentos como Dantes necessitamo-nos Corresponder para que vida Continue seu curso como Jornada do amanhã e do mais além. Silveira Sampaio


Psicografia Kleber 13-04-2011