Page 1

Portfรณlio

Kathelyn Gandra


Kathelyn da S. Gandra de Souza. Rua Taborári 146, Brás de Pina. Rio de Janeiro

e-mail: kathelyngandra@gmail.com tel : 21 99856 5781 Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro. (FAU/UFRJ).

Idiomas

Portug.

Español

English

Informática AutoCAD Revit Sketchup Photoshop Illustrator

Histórico Outubro 2018 a Dezembro 2018 Estágio: Astorga Arquitetura e Restauração - Botafogo Auxilio em levantamento e desenho de projetos de concervação e restauro de bens tombados Dezembro 2017 a Junho 2018 Estágio: CDB Arquitetura - Barcelona Auxilio em produção de projetos para Concursos, Projetos Básicos e Executivos. Desenhos técnicos e pós produção de imagem e render cdbarquitectura.com Novembro 2017 XVII NOCMAT 2017 - MÉRIDA, YUCATÁN, MÉXICO Non-Conventional Materials and Technologies Participação do Congresso e publicação de Artigp: Reinterpretation of Vernacular Construtive Process with the Use of Soil-Cement-Sisal Mortar and Bamboo Framewoork.

Indesign Kerkythea View ray Archicad Micr. Office

Setembro a Novembro 2017 Estágio JAPA Architectes - Barcelona Auxilio em produção de Projetos básicos e Masterplan. Desenhos técnicos e pós produção de imagem www.japaarchitects.com


Setembro de 2017 a Junho 2018 Intercâmbio Acadêmico (2017/2018) em Escola Tècnica Superior d’Arquitectura de Barcelona, Universitat Politècnica de Catalunya (ETSAB/UPC) http://etsab.upc.edu Setembro de 2017 6º lugar no concurso CBCA - Berçário e Jardim de Infância Competição nacional de estudantes de arquitetura. Brasil Construção em aço http://www.cbca-acobrasil.org.br/arquitetura/index.php Fevereiro 2017 a agosto 2017 Iniciação Científica: Bio Coonstução Em Núcleo de Materiais e Tecnologia Sustentável (NUMATS) COPPEUFRJ Investigação e produção de unidades modulares de paineis pré-fabricados de solo-cimento auto-adensável reforçados com fibras vegetais e armação de bambu. Outubro 2016: 1º Lugar no concurso 018 Projetar.org - Abrigo de emergência Competição nacional de estudantes de arquitetura. Brasil https://projetar.org/vencedores/36/Abrigo+de+Emerg%EAncia-018 Publicado em Revista.aU http://www.au.pini.com.br/arquitetura-urbanismo/agenda/estudantes-da-ufrj-projetam-abrigo-de-emergencia-para-vitimas-de-375435-1. aspx

Setembro 2016 a Agosto 2017 Estágio: Escritório Técnico Universitário (ETU) - UFRJ Auxilio na produção de projetos base e executivos de edificações , compatibilização de projetos. Setembro 2015 a Agosto 2016 Iniciação Científica: Self-healing Concrete Em Núcleo de Materiais e Tecnologia Sustentável (NUMATS) COPPEUFRJ Avaliação de concreto de ultra-alta-performance, reforçado com fibras de aço e fibras vegetais. Concreto com potencial de auto cicatrização de fissuras. Outubro 2015 a Fevereiro 2016 Monitoria Academica - FAU/UFRJ Projeto Paisagistico Outubro 2014 a Agosto 2015 Iniciação artistica cutural : preservação e difusão do acervo de projetos do arquiteto Sergio Bernades. Em Núcleo de Pesquisa e Documentação (NPD) UFRJ.


Sumário

Can Ricart - Habitatge i Ciutat Intercâmbio ETSAB - Universit Politècnica da Catalunya Projeto IV - Cohabitatge - Residencial de idosos Concurso para Estudantedes de Arquitetura de Construção com Aço - CBCA Projeto finalista Berçário e Jardim de infância Concurso Projetar.org para Estudantes de Arquitetura 1º Lugar Abrigo de Emergência Alojamento Estudantil Atelier Integrado I Projeto de Aquitetura II FAU UFRJ Escola da Guanabara Projeto de Aquitetura III FAU UFRJ Outros trabalhos Colagens


Habitatge i ciutat Can Ricart Habitação para idosos

O projeto habitacional localizado em Poblenou, Barcelona. Inserido em um contexto heterogêneo marcado por superposição de camadas históricas da cidade. O distrito de Poblenou é caracterizado por seu passado industrial e pela contemporaneidade dos centros executivos e habitacionais, misturando diferentes tipologias e implantações, um bairro com edificações anteriores ao plano de Cerdá, e que se adaptaram a ele segundo sua história. A quadra onde está situado o projeto tem um dos grandes símbolos do passado industrial de Barcelona. Can Ricard foi uma das principais indústrias têxteis de Barcelona, e com dificuldade permanece até hoje. Entendendo as peculiaridades do lugar foi possível construir um novo edifício para área.


Implantação 1/4000


Planta tĂŠrreo 1/200


Planta 3ª e 4º 1:200


Planta 1ª e 2ª 1:400

Planta 5º 1:400


Corte transversal 1:200


Corte Longitudinal Espaรงos comuns 1:400

Corte Longitudinal Apartamentos 1:400


Fachada Interior Pรกtio 1:200


Detalhe

Fachada Pรกtio


Fachada Exterior Rua 1:200


Detalhe

Fachada Rua


Interior Apartamentos Sala de estar e jantar

Espaรงo Comuns Estar e corredor


Espaรงo Comuns Piscina

Espaรงo Comuns Refeitรณrio


Concurso CBCA

Berçário e Jardin de infância Finalista do concurso

Ao pensarmos no desenvolvimento intelectual do ser humano, percebemos que existem estágios necessários a ser percorridos para alcançar um determinado nível de conhecimento: creche, jardim de infância, escola, faculdade, são algumas das instituições que abrigam estes estágios do saber. O primeiro se dá ainda quando bebê, ode instintivamente aprendemos a comer, andar e falar. Uma síntese deste estágio é a interiorização, um nível no qual o ser humano lida consigo mesmo e sua experiência de existir, por conseguinte, um abrigo propicio deve sugerir algo mais intimista, sem grandes variações e obstáculos para que o existir não complexifique seu desenvolvimento interior. Por outro lado, a etapa seguinte, agora quando criança, nos inclina a uma interação na qual a descoberta sobre o mundo a nossa volta seja incisiva. Segundo o educador Jean Pieget, as crianças no segundo estágio tem por necessidade o confronto com a realidade, uma vontade intrínseca de testa a todo o momento seus limites. Logo, um abrigo adequado deste estagio deve estimular a todo instante o usuário, provocar uma sensação de estranheza, incômodo, desafia o preenchimento da lacuna de seu entendimento, afim de instigar a necessidade do equilíbrio progressivo, através da exploração física, visual e mental do espaço.

Portanto, o projeto busca alinhar estes conceitos sobre conhecimento vés da produção de espaços arquitetônicos propícios ao desenvolvimento dos essa finalidade utilizamos o máximo potencial da estrutura em aço, no que con espaços livres, leves, convidativos e instigadores. A partir da construção de instiguem no observador uma certa tensão e incite a busca pelo seu equilíbrio m estrutura metálica arrojada. A tridimensionalidade da estrutura metálica também é explorada no s físico, uma vez que as estruturas em aço não produzem estritamente componen como concreto por exemplo, mas sim sugere-o através de elementos atuando co sam ser integradas para compor um objeto. Ou sejam a estrutura é formada po ser combinadas para formação de um modo, ela é tridimensional, trabalha com que precisam ser preenchidas por camadas, assim como a construção do con que necessita destas lacunas para instigar seu preenchimento.


e aprendizagem, atras seus usuários. Com ncerne a produção de vãos e balanços que mental, provocado pela

seu nível conceitual e ntes sólidos e opacos, omo partes que precior peças que precisem m vazios, com lacunas nhecimento abordado

O projeto de Berçário e Jardim de Infância, localizado no Município de Nova Iguaçu, foi pensado como edifício marco, servindo como um referencial para mudanças sociais na região, agregando ao programa estudantil equipamentos culturais de apoio à comunidade. O terreno para implantação do edifício teve como primeiro critério de escolha estar localizado na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, devido a sua densidade urbana. Após uma longa pesquisa em órgãos de levantamento de dados estatísticos, a Baixada Fluminense mostrou ser a região mais necessitada para implantação do projeto, com índices socioeconômicos baixos, tendo Nova Iguaçu as piores taxas no tange a educação infantil. O município também se mostrou extremamente carente de espaços públicos, que levou a proposição de tais equipamentos e espaços para população.


PARTIDO ESTRUTURAL Todo o projeto foi pensado dentro do módulo de 2,5x2,5 módulo este equivalente a junção de três chapas metálicas de lajes steel deck. Escolhidas devido a sua facilidade de execução e sua independência de formas. Partindo desse módulo foi possível posicionar os pilares a cada 7,5m no malha modular em alguns casos 10m, tais vãos foram necessários devido a amplitude espacial requerida nos ambientes da praça e pátio e salas de aula do jardim de infância. Entre cada pilar foram posicionadas as vigas principais que transfere as cargas das lajes e das vigas auxiliares para estes. As vigas auxiliares foram dispostas equidistantes dentro da malha, a cada 2,5m , no sentido transversal aos blocos. O que auxilia na rigidez do conjunto. Os grandes balanços da estrutura são suportados por treliças Warren. O uso da treliças se explica devido a suas principais vantagens: seus elemento são solicitados somente por cargas axiais, compressão e tração; além de permitir maior altura e pé direito e menor deformação do sistema. Tais vantagens trazem a estrutura um caráter tênue porém rígido.


Abrigo de emergência Concurso 018 Projetar.org Projeto Premiado - 1º Lugar

Chuvas torrenciais, ventos extremos, deslizamentos, queimadas: tais situações formam uma rede de eventos conectados a uma só origem causadora: as mudanças climáticas globais. Tais eventos têm forçado os residentes das áreas afetadas a ter de viver em abrigos temporários, que até o presente momento, têm se mostrados ineficientes em prover qualidade de vida para as vítimas: seguindo o formato de tenda e barraca, os mesmos têm criado áreas degradadas e favelas. Além disso, 50% das pessoas permanecem em tais abrigos durante um período de até 5 anos antes de serem realocadas.

O cuidado que o arquiteto contemporâneo deve ter na criação de abrigos temporários deve ser proporcional ao sentimento de perda das vítimas que deles farão uso. Um abrigo mais eficiente, portanto, deve ser projetado segundo diretrizes que respondam as complexas questões que se apresentam: o atendimento as necessidades de abrigo e proteção, que leve em conta o tempo de demora do governo em prover a realocação das vítimas e que não deixe de atentar para as características climáticas do local onde será implantado, (no caso, a região sudeste).


Diante deste quadro o projeto de abrigo se utiliza de materiais leves (facilitando o transporte), resistentes estruturalmente, duráveis, sustentáveis, e “acústica-termicamente” eficientes. Outras soluções de design passivo também foram incorporadas: ventilação cruzada e colchão de ar na cobertura garantem o conforto térmico dos residentes. A distribuição espacial interna e as aberturas independentes contribuem para a privacidade. O sistema de articulação permite que todo o volume seja dobrado e compactado para que possa ser facilmente transportado. A lona que serve ao mesmo tempo de fechamento e proteção para a cobertura pode proporcionar diversas formas de combinação quando diversos abrigos são dispostos no lugar, rompendo com a monotonia visual do espaço; sua tridimensionalidade, devido seu sistema de dobras, confere beleza à unidade. A flexibilidade do módulo permite que sejam combinados para comporem os diferentes equipamentos necessários ao atendimento da população vitimada de forma digna e humana


Residência Estudantil Projeto de Atelier integrado 01 4ºPeriodo - FAU UFRJ

5.60

4.20

5.60

4.20

O contexto em que se encontra a proposta de intervenção é caracterizado pelo intenso tráfego de veículos e pessoas, principalmente na Rua da Carioca, onde predomina a atividade comercial, além dos edificios empresáriais próximos a Avenida República do Paraguai. Em meio a essa região de agitação encontrasse a Praça João Calvino , que diferente do entorno , possui um caráter intimista e recluso, porém seu potencial é pouco utilizado, a densa vegetação e as grades a seu redor impedem que os pedestres vejam seu interior, o que não a torna convidativa. Partindo dessa análise, propõe-se a criação de um ambiente que possui uma relação de contraste com seu entorno. Um espaço que transmita uma atmosfera diferente da existente no local, um ambiente de desaceleração do intenso ritmo da cidade. Grande parte das pessoas que circulam pelo local estão só de passagem para outro lugar, por isso o Projeto busca criar um ambiente voltado para permanência e lazer, que as retenha espacialmente. Que se comunique com o observador, habitante ou usuários do local, criando uma relação de permeabilidade entre o Edifício e as áreas públicas.

2.80

2.80

Planta 1º pavimento

1.40

2.80

1.40

2.80

Planta 2º e 3º pavimento


Praça João Calvino O edifício e as áreas públicas próximas a ele (a Praça João Calvino e o calçadão da Av. República do Paraguai) são projetados de forma conjunta de modo que suas atividades sem interliguem em vários momentos. A proposta de revitalização da Praça traz a mesma uma nova relação com rua por ter parte do solo rebaixado, criando uma relação visual entre os níveis criados e a calçada. Cada nível da Praça concentra uma atividade que se liga a outra no seu exterior. O nível -1,50, o miolo da praça, possui um teatro de arena utilizado para apresentações e também eventos da Catedral Presbiteriana. O Palco do teatro é conformado junto ao espelho d’agua, principal área de permanência. Este está próximo a cafeteria, que também possui dois níveis, da calça (0,00) e da praça (-1,50). A Cafeteria por sua vez se associa, no nível 0,00, aos quiosques da calçada oposta na Av. República do Paraguai, consolidando um pequeno polo gastronômico, tornando as esquinas da Avenida mais atraentes aos pedestres convidando-o a entrar nessa Atmosfera do Edifício e da Praça. O segundo Nível da praça (- 1,00 m) é uma continuação da exposição presente no edifício, um patamar dedicado a exposição de esculturas e instalações artísticas. O terceiro possui também quiosques de alimentação. O último patamar da praça, no nível da calçada possui um pequeno Largo destinado a Igreja. Na Calçada oposta da Av. República do Paraguai propõe-se a implantação de estantes públicas, um mobiliário associado a Biblioteca pertencente ao edifício, conformando dois espaços dedicados as leitura.


Escola da Guanabara Projeto de Arquitetura III 5ºPeriodo - FAU UFRJ

O Projeto da escola foi pensado a partir do caminhar da criança pelo lugar e apropriação do deste espaço por ela. As relações visuais entre os ambientes e circulações trazem as crianças maior proximidade umas das outras em diferentes espaços da escola, atendendo a necessidade educacional de convivência e interação coletiva. O conceito de apropriação do espaço escolar parte da concepção de que o aluno deve se sentir pertencente ao lugar, deve ser mais do que um usuário e sim um habitante. Para isso a escola estaria além do dever educador e se tornaria um local de estar, convivência, aprendizado e lazer. Um lugar onde a personalidade individual da criança seja reconhecida como uma parte ativa de uma comunidade.Sendo assim para atender essa necessidade optou-se por uma diferente configuração de sala de aula, em vez de planta retangular ou quadrada as salas foram projetadas em L de modo a ampliar o espaço e criar um pequeno hall de entrada na mesma, conformando um espaço que seria dedicado a uso exclusivo das crianças onde haveriam armários e prateleiras para guardar o material de cada uma. Essas salas contendo também varandas que poderiam se tornar um espaço de extensão da sala de aula, com pequeno jardim e vista para praia da Guanabara. Além disso, essas salas se ajustam ao corredor de circulação de modo a criar pequenos nichos, criando um espaço de apropriação dos alunos, podendo se tornar uma pequena “vitrine” de exposição de trabalho dos alunos ou pequenos espaços de estudo com mesas ou apenas lugares de estar. A criação de espaços de recreação para além do pátio central garante que a criança interaja com todos os ambientes da escola. Um pequeno pátio no 1º andar configura a ambiência de um diminuto teatro, com arquibancada e pátio, com potencial de lugar de estar durante o recreio o para pequenas apresentações, sendo ele localizado entre a sala de música e sala de dança. No térreo encontram o refeitório com varada e vista para o pátio possibilitando uma conexão visual entre as crianças que estão dentro e fora do lugar. Também no térreo encontram-se os principais equipamentos públicos da escola: a Biblioteca e o Cine teatro, com entradas independentes para atender a necessidade da comunidade local. Mantendo o conceito de permeabilidade visual a biblioteca possui uma conexão com o atelier de artes do primeiro pavimento através do mezanino. Quanto as propriedades construtivas a escola foi projeta com base em módulo que garantem uma maior facilidade de execução estrutural. Além disso a malha também estrutura o plano de piso e paisagístico do pátio central, subdividindo-se em módulos menores foi possível criar também um mobiliário característico para escola. Quanto a estrutura optou-se pelo aço em vigas, que garantiriam maiores vãos, com lajes e pilares de concreto.Além disso foi projetada de modo que todas as salas de aula seguiriam a orientação sudeste, direção predominante do vento e melhor orientação solar para o terreno, seguindo o alinhamento da rua, adicionando-se as varandas que também tem um papel importantíssimo quanto a proteção solar das salas. Quanto a fachada, foram utilizados brises que são utilizados tanto para proteção solar quanto para fechamento da escola, alternando seus espaçamentos criando uma relação visual com rua.


Planta tĂŠrreo


Planta 1ยบ pavimento


Colagens


Portfólio  

Portfólio de trabalhos de Arquitetura e Urbanismo

Portfólio  

Portfólio de trabalhos de Arquitetura e Urbanismo

Advertisement