Page 1

30 ECONOMIA A GAZETA QUARTA-FEIRA, 8 DE JANEIRO DE 2014

RUMO À ÁSIA

Jurong Aracruz: uma nova turma parte para Singapura DIVULGAÇÃO

Grupo de 27 ex-alunos do Ifes embarca hoje para treinamento em tecnologia naval

SELECIONADOS

1 é. de Linhares . 2 são de Guarapari . 3 são de Serra . 3 são de Aracruz . 8 são de São Mateus . 10 são de Vitória

RITA BRIDI rbridi@redegazeta.com.br

Uma nova turma de 27 ex-alunos do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) embarca na manhã de hoje com destino a Singapura, onde ficará estudando até o início de 2015. Os jovens foram selecionados pelo Estaleiro Jurong Aracruz (EJA) para o programa de treinamento em tecnologia naval e oceânica. O treinamento, que tem duração de 12 a 15 meses, será realizado no Instituto Ngee Ann, que é referência na área. Foram selecionados estudantes dos cursos de Mecânica, Automação, Eletromecânica, Eletrotécnica e Civil dos campi de Aracruz, Vitória, São Mateus, Colatina, Linhares, Serra e Guarapari. Três professores – a indicação dos nomes ficará a cargo do Ifes – embarcarão em março. Eles acompanharão parte do treinamento dos ex-alunos em Singapura. O grupo que embarca hoje sai do país com contratodetrabalhoassinadocom o EJA. O mesmo aconteceu com a primeira equipe. Osintegrantesdaprimeira turma, formada por 23 ex-alunosdocursodemecânicadoIfes,queviajaramno iníciodejaneirode2013,es-

Grupo de ex-alunos do Ifes vai fazer curso de 12 a 15 meses em instituto que é referência para a área

VOO PARA CAPACITAÇÃO Selecionados Os integrantes da segunda turma foram selecionados entre os alunos do Ifes dos cursos de Mecânica, Automação, Eletromecânica, Eletrotécnica e Civil, dos campi de Aracruz, Vitória, São Mateus, Colatina, Linhares, Serra e Guarapari.

tecnologia naval e oceânica. Eles embarcam para Singapura na manhã de hoje.

Embarque Os 27 estudantes foram selecionados pelo Estaleiro Jurong Aracruz (EJA) para participarem de programa de treinamento em

Investimento Ao retornarem ao Brasil, os jovens trabalharão no Estaleiro Jurong Aracruz (EJA). O investimento no programa é de US$ 2

Treinamento O treinamento, que tem duração de 12 a 15 meses, será realizado no Instituto Ngee Ann Polytechnic de Singapura, que é referência na área.

milhões, com duração de cinco anos e previsão de envio de 30 pessoas – 27 estudantes e três professores do Ifes – para Singapura anualmente. Retorno Os integrantes da primeira turma que foram para Singapura no ano passado retornarão ao Estado no dia 28 de fevereiro próximo. Eles passarão o mês de março em férias e retornarão ao trabalho em abril. Eles já são funcionários do EJA.

tão concluindo o treinamento em Singapura e retornarão ao Estado no dia 28 do próximo mês. Eles ficarão em férias em março e em abril começam a trabalhar no EJA. Segundo a gerente de Recursos Humanos do EJA, Lucila Lopes, os selecionados que já foram a Singapura retornam como técnicos. Estudaramtecnologianaval e oceânica e adquiriram conhecimento prático de estrutura, mecânica, elétrica, montagem de estruturas metálicas e casco de embarcações. O programa oferecido pelo EJA objetiva preparar

mão de obra especializada na indústria naval e oceânica para atuar no Estaleiro JurongAracruz,comtreinamento nos padrões internacionais. Além disso, proporciona a transferência de tecnologia e apoio na capacitação dos estudantes e de docentes, com treinamento, informação e imersão nas culturas e práticas de trabalho de Singapura. Antes de iniciar o curso em Singapura, o grupo passará por um curso intensivo de inglês técnico de três meses também ministradopelaequipetécnica do Instituto Ngee Ann Polytechnic.

INCÊNDIO NA REDUC

LITORAL SUL

Refinaria vai voltar a operar

Acidente em plataforma mata operário no Estado

Unidade de coque afetada por acidente deve retomar produção na sexta

Um trabalhador morreu na noite da última segunda-feira, em um acidente na plataforma SS 86 Sevan Brasil, a serviço da Petrobras, localizada a cerca de 34 km do município de Marataízes, Litoral Sul do Estado. O operário estava realizando uma manutenção no elevador da unidade, por volta das 20h30, quando se aci-

DA REDAÇÃO MULTIMÍDIA

RIO

A Petrobras prevê que a unidade de coque da Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense, retome produção até sexta-feira. A unidade, responsável por 10% da produção nacional de combustíveis, está

paralisada desde o início da noite de sábado por conta de um incêndio. O restante da refinaria opera normalmente e o abastecimento ao mercado não foi afetado em função do incidente. Sindicalistas e especialistas da área apontam a sobrecarga das unidades de coque como a principal causa dos recentes acidentes nas refinarias do Brasil. Em menos de 40 dias, fo-

ram cinco casos em diferentes unidades do país, todas na área de coque. Só na Reduc foram dois incidentes além desse último incêndio. A estrutura processa 240 mil barris por dia. Na noite de segunda-feira, a comissão da Petrobras que investiga as causas do acidente se reuniu na refinaria. Simão Zanardi, presidente do Sindpetro de Caxias e integrante da comis-

são, afirmou na ocasião que, apesar de as equipes de manutenção estarem trabalhando em ritmo acelerado, será difícil cumprir o prazo. O grupo deverá apresentar relatório preliminarem15dias.Análiseinicial indica vazamento em uma das bombas da unidade. O incêndio pode resultar em uma despesa adicional de R$ 28,9 milhões por dia à Petrobras.

dentou fatalmente. Uma equipe de peritos da Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES) foi enviada até a plataforma a fim de investigar o que aconteceu. Segundo a assessoria da CPES, será aberto um Inquérito Administrativo sobre Fatos da Navegação (IAFN) com um prazo de 90 dias para identificar a causa do acidente. A Petrobras ainda não se manifestou oficialmente.

A gazeta jan 2014  

http://www.jurong.com.br/images/clipping/a-gazeta-jan-2014.pdf