Issuu on Google+


A

idéia de rede, nas relações sociais, não é nova. Mas a “Era da comunicação” transformou aquela tradicional conversa, entre amigas, em publicações de acesso mundial, despertando os olhares e os investimentos de um dos mercados com maior ascensão no país, o feminino. Segundo dados publicados pela Agência SEBRAE, somente no segmento de cosméticos, o Brasil possuí o terceiro maior mercado consumidor do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e do Japão. Isso sem contar os mercados de moda, jóias, serviços, etc. Na mesma proporção que crescem os números deste nicho de mercado, proliferam-se as páginas de internet criadas, na sua maioria por mulheres, sobre temas relacionados ao seu universo, os chamados blogs.

O termo, “weblog” foi criado por Jorn Barger, em 17 de dezembro de 1997, já sua abreviação “blog”, hoje mais usada, foi uma criação de Peter Merholz, que, de brincadeira, desmembrou a palavra weblog para formar a frase “we blog” (nós blogamos). Porém, foi em 1999 que os blogs, ganharam maior destaque, com a criação da plataforma Blogger, que possibilitou, de forma gratuita, a criação de páginas por qualquer usuário, sem nenhum conhecimento prévio de linguagem de programação, gerando uma maior popularidade. As home pages blogs rapidmente ganharam destaque por possibilitarem atualizações frequentes, visualizadas de forma cronológicamente inversa, ou seja, as postagens mais atuais aparecem primeiro, além da inserção de links e hiperlinks.

A gênese da blogosfera As poucas informações sobre o surgimento dos primeiros weblogs resultam em diversas teorias a cerca do marco inicial, o que impossibilita datar, de forma precisa, quando a ferramenta foi utilizada pela primeira vez. Entretanto, algumas pesquisas apontam o ano de 1997 como sendo o ano do surgimento destas home pages pessoais.

De diário a formador de opiniões Doze anos após o “boom” das páginas de blogs, percebe-se uma evolução gradativa em seu uso. De fichamento - no inicío eram usados como espaço de filtragem e divulgação de informações relevantes- a diários de adolescentes,


“As empresas estão começando a enxergar os blogs como mídia, mas ainda a passos lentos.” Ana Luiza Fragoso - Jornalista e Blogueira

com a evolução, sofreram segmentações, até assumirem o formato de publicações voltadas à nichos específicos. Seguindo essa tendência, os blogs dedicados ao público feminino registraram um crescimento acentuado, e logo despertou a atenção das empresas, que perceberam uma vantajosa oportunidade de publicidade alcançando seu foco principal de mercado.

Atingindo o ponto fraco Certamente, pouquíssimas mulheres não se sentiriam lisongeadas ao receber, em sua casa, os mais novos lançamentos de cosméticos da marca X, provar antes de todo mundo as novas coleções da grife Y, ganhar um convite para um badalado evento, ou ainda receber brindes para presentear as fieis leitoras de seus blogs. Por isso, é compreensivo que sejam justamente esses, e outros tantos, os “agrados” oferecidos pela maioria das empresas, que mantém parcerias com blogueiras. Em alguns casos, dependendo da influência na rede, as parcerias vão além. Algumas blogueiras chegam, inclusive, a receber pagamentos em dinheiro, por suas publicações.

Tais parcerias e patrocínios acontecem, na maioria das vezes, através de divulgação de banners, sorteios de brindes e publicações pré-determinadas pela empresa, promovendo novos lançamentos e produtos em destaque, com audiência segmentada em nichos específicos. Para os blogueiros esse “reconhecimento” tem sido conquistado aos poucos, “As empresas estão começando a enxergar os blogs como mídia, mas ainda a passos lentos. Não acho que o mercado esteja preparado para tantas opiniões, mas acredito que o caminho esteja sendo trilhado aos poucos, e vai chegar uma hora que os blogs serão, sim, reconhecidos”, declarou a jornalista Ana Luiza Fragoso. Entretanto, para ela o simples recebimento de um produto, não assegura uma publicação, seja ela positiva ou negativa. O que, na sua opinião, tem ocorrido com frequência é que várias blogueiras estão criando seus blogs apenas para esse fim. “Acabam trazendo essa péssima imagem para o segmento”, diz. Ana Luiza Fragoso, é autora do blog “Oxente Menina” onde escreve sobre maquiagem, moda, comportamento e demais temas relacionados ao universo feminino, para mais de 3 mil e 500 seguidoras, que interagem através de comentários. Segundo a jornalista-blogueira para as leitoras fica fácil distinguir quando as publicações são feitas por simples “jabá”, “elas acabam percebendo e cabe somente a elas escolherem os blogs que têm credibilidade”, acrescenta.

Com a palavra: as empresas

Do outro lado da moeda, as empresas classificam os blogs como novas plataformas de interação com o consumidor. O que faz de seus autores formadores de opinião, já que os leitores acessam seus blogs interessados no conteúdo e não na mídia que é veinculada. Nesse caso as agencias e as empresas promovem conteúdo significativo, para atingir os consumidores através da interação. Em entrevista, Ana Paula Passarelli, assessora de conteúdo social media da agência


“ Existem blogs que trabalham com parcerias pouco selecionadas, simplesmente como se tratasse de uma competição para ver quem tem mais banners na página do blog” Ana Carolina - Analista Judiciária e Blogueira

CASE DE PARCERIA O blog “Oxente Menina” mantém, há quase um ano, uma única parceria. Trata-se da marca Couro & Cia, especializada em bolsas e sapatos. O primeiro contato surgiu quando a blogueira foi convidada a participar de uma campanha com outras oito blogueiras. Elas criaram uma bolsa para a nova coleção da marca e foram modelo para a campanha e receberam uma quantia em dinheiro. Atualmente, a marca a oferece uma cota de produtos. E segundo Ana Luiza, como ela Já usava os produtos da C& não foi uma grande adaptação, apenas passou a ter

algumas vantagens.

F.Biz – A WPP Company, com sede em São Paulo e responsável pelas ações de grandes marcas como SEDA, Netshoes, Itaú e outras, declarou: “O foco das marcas não deve estar em anunciar e sim promover conteúdo relevante para que o canal não perca credibilidade. Marcas que simplesmente anunciam em blog não sabem o que estão fazendo nas mídias sociais”. Entretanto, tais publicidades “subliminares” têm gerado alguns questionamentos quanto à imparcialidade das publicações feitas pelas blogueiras. Alguns destes blogs são escritos por profissionais, mas grande parte deles é de autoria amadora, que se espelha em outras blogueiras bem sucedidas, que conquistaram notoriedade e status de autoridade no assunto, muitas vezes com tratamento de celebridade. Talvez seja essa a explicação para a vunerabilidade das blogueiras diante da publicidade, mimos e convites oferecidos pelas marcas. Para Ana Carolina, autora do blog “Carolina Chique Chique”, não há dúvida de que as parcerias, entre blogueiras e empresas, comprometem a credibilidade, quanto às opiniões expressas acerca dos produtos. “Existem blogs que trabalham com parcerias pouco


selecionadas, simplesmente como se tratasse de uma competição para ver quem tem mais banners na página do blog” diz a analista judiciária, que é formada em Direito pela UNICAP, e se declara apaixonada por arte, moda e música. Ana Carolina adverte que a maior preoculpação das blogueiras deveria ser com as informações publicadas, não exclusivamente em garimpar parcerias. “Acredito que o sucesso de um blog não depende de parcerias e sorteios, mas sim de seu conteúdo”, alerta. Alias, o unico consenso soberano entre blogueiras e empresas é , de fato, a importância com o conteúdo, como também destacou a assessora da F.Biz “Se o autor (dos blog) não tiver discernimento de conteúdo x propaganda pode ser um grande perigo anunciar. Sempre lembrando que o que é de fato relevante nos blogs é o conteúdo.” Porém, o que parece é que a grande polêmica está justamente nessa linha tênue que separa a espontaneidade e a ética, dos interesses pessoais. Questão esta, que não é privilegio da blogosfera, muito menos atual.

SERVIÇO Blog “Oxente Menina” www.oxentemenina.com analuiza@oxentemenina.com Blog “Carolina Chique Chique” www.carolinachiquechique.blogspot.com anacarol@yahoo.com.br

Fotos: Google Ilustração: Juliny Barreto

OS NÚMEROS DA BLOGOSFERA

Em 2010 esse valor pulou para

US$ 3,3 bilhões 26% dos consumidores mundiais

buscam informações nas mídias sociais, na hora de comprar roupas e acessório

29% do total dos usuários de BLOGS no mundo tem de 35 a 44 anos 25% tem de 25 a 34 anos 21% estão na faixa dos 45 a 54 anos 14% tem de 55 a 64 anos e apenas 7% tem de 18 a 24 anos


Blogs Femininos - Por Juliny Barreto