Razão e sustentabilidade/Sense and Sustainability

Page 1

R A DA R LITERATURA

&

RAZÃO

SUSTENTABILIDADE

Setembro é mês de celebrar duas inglesas incrivelmente valentes: Vivienne Westwood enaltece a literatura, enquanto Jane Austen ganha homenagem em nota de 10 libras por Juliana Resende PENSE EM UMA ESTILISTA cujas influências extrapolaram – e muito – as passarelas de moda.Vivienne Westwood, musa punk e ícone da contracultura nos anos 1970, sem dúvida, lhe virá à mente. Do casamento com Malcolm McLaren, que ajudou a fazer a fama do grupo britânico Sex Pistols, nasceu a primeira boutique de moda punk do mundo, a lendária Sex, na King’s Road. Com camisetas rasgadas, alfinetes, correntes e muito látex, o visual Do It Yourself se tornou um símbolo do inconformismo da época. Questionadora e irreverente, Vivienne jamais deixou de provocar. Recentemente, resolveu aconselhar seguidores a não consumirem moda desenfreadamente: “Comprem menos, escolham melhor e façam durar”, anunciou, em um apelo sustentável – e polêmico, vindo de alguém que vive de vender roupas. Fato é que, durante toda a sua carreira, ninguém se envolveu tanto com arte, cultura, política e meio ambiente quanto a estilista que ostentou cabelos laranjas boa parte da vida. Se ela não se esquiva de um bom debate, o tema da vez é literatura: tendo o livro Get a Life como ponto de partida (lançado no ano passado, ele surgiu de pensamentos da estilista publicados online), ela usará seus diários para discutir o amor por literatura no Southbank Centre, em Londres, no próximo dia 24. Em sua palestra, pretende ressaltar a importância da leitura, revelando quais livros e autores tiveram o maior impacto em sua vida e trabalho – na moda, na política e no ativismo. “A cultura é necessária para os seres humanos se tornarem criaturas melhores”, acredita Westwood. “Ler é a experiência mais concentrada que temos de nos colocar na pele de outra pessoa – e isso expande nosso universo.” A estilista define livros e personagens como uma “caixa de ferramentas” – “use-a para descobrir o mundo!”, ordena. “Somos personagens com diversos interesses e, explorando-os, temos uma vida. Você é por fora aquilo que coloca para dentro.” Para Westwood, “a forma só é importante se acompanhada de conteúdo” e “felicidade é poder preencher seu potencial para tornar-se quem você é” (ou aspira ser). Em outras palavras, o que Westwood propõe é buscar referências, conhecimento e inspiração nas artes – “de preferência, as clássicas”. Coincidentemente, no mês em que a estilista defende a literatura, um de seus maiores expoentes, a conterrânea Jane Austen (1775-1817), ganha evidência: notas de 10 libras com o rosto da escritora estampado começam a circular na Inglaterra, em homenagem aos 200 anos de sua morte. Há mais

conexões entre as duas britânicas do que o lacônico Mr. Darcy poderia imaginar. Mrs.Westwood e Mrs. Austen transcendem suas áreas de atuação. Se a primeira arriscou-se na literatura, a segunda ditou e citou moda em sua grande obra literária (as tendências da chamada Regency Era). Assim como Vivienne, outras estilistas seguem inspiradas pelo rico período de Austen, como a coleção de Inverno 2017 de Vera Wang. Vivienne e Jane são como estrelas do rock, despertando paixões em hordas de fãs sempre prontos a defendê-las – de preferência usando chapéu e vestindo looks com ares imperiais, como os de suas heroínas, nunca comportadas ou conformadas com o establishment. São mulheres que dizem e fazem exatamente o que acreditam. Estas feministas de diferentes épocas têm em seu mote criativo o questionamento do poder e dos estereótipos, bem como a luta de classes na sociedade britânica. God Save the Queen. Salve também a cultura, e o planeta. Mas nem Austen escapou da militância de Westwood pelas causas ambientais. Além de controvérsias geradas pela nova nota de 10 libras, em que a autora de Razão e Sensibilidade teria sido “photoshopada” para parecer mais bonita do que realmente era, o material do qual são produzidas as notas, considerado mais durável, contém gordura animal – o que enfureceu ambientalistas e, claro, Mrs. Westwood. Polêmicas à parte, Austen passa a ser a única mulher (além da rainha Elizabeth) a circular em notas de libras esterlinas.

104 HARPER’S BAZAAR | SETEMBRO 2017

RADAR_VIVIENNE.indd 104

20/08/17 21:07


FOTOS: BANK OF ENGLAND E DIVULGAÇÃO

A estilista Vivienne Westwood. Abaixo, nota de 10 libras em homenagem a Jane Austen

RADAR_VIVIENNE.indd 105

20/08/17 21:07