Issuu on Google+

Calma, deixem Neto Guerrieri trabalhar!

Otto Alencar ironiza pesquisa do Ibope

Pg. 2

Pg. 9

Eunápolis, Porto Seguro e região

-

Maio 2014

-

Ano 5

-

Numero 060

trabalhadores da veracel expostos a contaminação por agrotóxicos A Justiça do Trabalho determinou, liminarmente, no dia 21 de maio, que a Veracel Celulose cumpra imediatamente normas de saúde e segurança do trabalho em suas atividades de plantio de eucalipto, no viveiro e no campo, na aplicação e guarda de agrotóxicos. A decisão atende pedido do Ministério

Público do Trabalho (MPT), que ajuizou ação civil pública na Vara do Trabalho de Eunápolis, extremo sul da Bahia, no último dia 7 de maio, pedindo o cumprimento das normas e ainda uma indenização por danos morais coletivos de R$ 5 milhões. Página 3


Maio 2014

2

editorial

Calma, deixem Neto Guerrieri trabalhar!

O

bordão usado pelo ex-prefeito Robério agora serve como uma luva à gestão do sucessor Neto Guerrieri: deixem o homem trabalhar! O desabafo do prefeito de Eunápolis, Neto Guerrieri, no dia 23 de maio, durante a implantação da casa de apoio ao morador de rua, mostra que ele não está preocupado com a avaliação que fazem de sua personalidade, mas em cumprir as metas a que se propôs atingir ao assumir o comando da cidade e em promover as transformações vistas como necessárias. Eunápolis tem hoje um governo municipal voltado para ações e políticas públicas de longo prazo, que pensa em deixar um legado para as futuras gerações e não fazer o espetáculo midiático da “galinha botando o ovo”, como a população se acostumou ter. Neto não é um prefeito populista, nem um inconsequente disposto a se perpetuar no poder a qualquer custo. Vem demonstrando isso no dia a dia, muitas vezes desagradando os próprios correligionários, muitos deles acostumados ao pão e circo da política convencional. É claro que as ações pontuais de infraestrutura modelam a cidade e agradam

a população, pois valoriza os imóveis, levantam a autoestima e fazem parte do desenvolvimento natural do município, mas elas devem vir acompanhadas de saneamento básico; drenagem eficiente; trânsito controlado e sinalizado; ordenamento e uso do solo racional que leve em conta o pedestre e a segurança de todos; normas ambientais justas; iluminação, limpeza, mobilidade... Enfim, a presença efetiva do poder público deve ser notada e respeitada. As intenções do prefeito Neto, expressas em quase todos os discursos feitos por ele desde quando ainda estava em campanha em 2012, esbarram de frente com a cultura política vigente. Em outras palavras, o sistema é bruto. Neto enfrenta fantasmas, mas também inimigos reais, que devem lhe tirar o sono e a paciência. Quem sabe, ele vem descobrindo, aos poucos, que o vilão não é este ou aquele rival político, como parecia ser no começo da gestão, mas o próprio sistema político que obriga a qualquer um que se sente na cadeira de prefeito a agir com determinação para equilibrar o intenso jogo de interesses que rege a política em qualquer lugar do país. Como a gente sabe que não foi encenação a reação emocional do prefeito naquele

23 de maio, é hora de a sociedade civil organizada de Eunápolis, dos empresários, dos clubes de serviço, dos conselhos municipais e do time escolhido por ele para trabalhar nesse projeto de “educar para transformar” construir uma corrente de apoio poderosa. Neto Guerrieri, com pouco tempo de governo, já fez muito pelo município e por isso mesmo precisa de muito mais tempo – no mínimo oito anos – para que as políticas públicas implantadas surtam efeito, as obras essenciais sejam concluídas e as transformações sociais e econômicas sejam consolidadas. É irônico, mas o governo Neto Guerrieri chegou ao momento de bradar aos adversários: deixem o homem trabalhar!

Geraldinho Alves, jornalista

Jornal Imprensa Livre Bahia CNPJ 12.961.473/0001-34 Maio de 2014 - Nº 060 Ano V

As matérias e colunas assinadas são de responsabilidade de seus autores. Diretor/Editor: Carlos Geraldo Alves (Geraldinho) DRT/BA 4162 Projeto gráfico, diagramação e artes: Juha Vasku

Distribuição gratuita e dirigida na Costa do Descobrimento, região extremo sul da Bahia

CONTATO Redação (73) 3261-6908 / 8148-9300


Maio 2014

3

Cidade

AGROTÓXICOS

Liminar obriga Veracel a seguir normas de segurança Depois de flagrada expondo trabalhadores e familiares ao risco de contaminação por agrotóxicos, empresa teria se negado a fazer um ajuste de conduta proposto pelo Ministério Público do Trabalho.

EUNÁPOLIS - A Justiça do Trabalho determinou, em decisão liminar, no dia 21 de maio, que a Veracel Celulose cumpra imediatamente normas de saúde e segurança do trabalho em suas atividades de plantio de eucalipto, no viveiro e no campo, na aplicação e guarda de agrotóxicos. A decisão atende pedido do Ministério Público do Trabalho (MPT), que ajuizou ação civil pública na Vara do Trabalho de Eunápolis, extremo sul da Bahia, no dia 7 de maio, pedindo o cumprimento das normas e ainda uma indenização por danos morais coletivos de R$ 5 milhões. A liminar determina o imediato atendimento das medidas e estabelece multa de R$ 50 mil em caso de descumprimento, podendo dobrar esse valor em caso de reincidência. As infrações foram identificadas em inspeção conjunta realizada por um engenheiro de segurança do MPT, procuradores e auditores do trabalho em março de 2012. De lá

para cá, o MPT buscou a empresa para propor um termo de ajustamento de conduta, mas as negativas da Veracel forçaram o órgão a buscar a Justiça. Irresponsabilidade com vidas alheias - Segundo o procurador Marcelo Travassos, autor da ação, “a inspeção constatou diversas

violações às normas que regem o meio ambiente de trabalho, demonstrando enorme irresponsabilidade da empresa na condução de vidas alheias. Isso demonstra o total desprezo do empregador não apenas com a saúde e segurança de seus empregados e das terceirizadas, mas com a

própria vida e dignidade desses trabalhadores.” Para o procurador, é justamente essa negativa em se adequar ao que rege a lei que faz com que ações desta natureza tenham importância fundamental para toda a sociedade. Por isso, o pedido de indenização por

danos morais coletivos foi estipulado em R$ 5 milhões, valor calculado em função do amplo impacto das irregularidades. “Só com o pagamento de indenização pelos danos morais coletivo e difusos causados é que os maus empregadores passarão a respeitar a ordem jurídica vigente e os direitos dos trabalhadores. Caso contrário, continuará a ser vantajoso descumprir a lei e, só após ser acionado judicialmente, providenciar a regularização”, afirma Travassos. A partir dos fatos apresentados na ação, onde consta o relatório da inspeção e todo o histórico de tentativas de negociar um ajustamento de conduta, o juiz substituto da Vara do Trabalho de Eunápolis, Jeferson de Castro Almeida, acatou integralmente o pedido de liminar, determinando o imediato cumprimento das normas descumpridas. Para ele, “há fundado receio de dano irreparável”, visto que a ação trata da “proteção das vidas de milhares de trabalhadores que diuturnamente manejam produtos insalubres e perigosos”. Ele destaca ainda que os riscos se estendem “à saúde não só dos próprios envolvidos, mas de suas famílias, pois existe a lavagem de roupas em residências, com a provável contaminação de outras vestimentas e de outras pessoas.”

pessoais, o que reforça o risco de contaminação. Na mesma terceirizada, a Bonella Florestal, havia claros indícios da falta de treinamento dos trabalhadores, que seguravam luvas contaminadas e não se incomodavam em levar qa mão à boca antes de fazer a remoção de resíduos dos produtos. Também ficou constatado que a aplicação dos agrotóxicos

ocorria inclusive entre as 11h e as 15h, horário em que o forte calor promove maior evaporação dos agrotóxico, expondo ainda mais os empregados. Outras irregularidades também foram encontradas no depósito de agrotóxicos e no viveiro de mudas da própria Veracel, onde havia riscos ergonômicos por falta de adaptação das bancadas para a atividade, exigindo grandes esforços dos trabalhadores.

Higiene e primeiros socorros Dentre as obrigações pedidas pelo MPT e determinadas pela Justiça estão: 1 - A sinalização de advertência das áreas tratadas com agrotóxicos; 2 - Fornecimento de equipamentos de proteção individual; 3 - Responsabilização pela descontaminação e pela guarda de equipamentos e vestimentas ao fim de cada jornada;

4 - Intesificar o treinamento para o manejo adequado de agrotóxicos; 5 - Garantia de meios de higienização dos trabalhadores antes das refeições; 6 - Locais adequados para a alimentação/ 7 - Disponibilizar materiais de primeiros socorros nas frentes de trabalho; Terceirizadas - Esses e os outros itens devem

ser cumpridos tanto pela Veracel quanto por todas as empresas terceirizadas contratadas por ela para esses serviços, que deverão ser fiscalizadas pela contratante quanto ao atendimento dessas normas. Riscos - Na inspeção, foram encontrados trabalhadores usando vestimenta de proteção sobre suas roupas


4

justiça

Maio 2014

Promotor de Eunápolis diz que Ministério Público não tem “estrutura mínima” Entrevistado pelo repórter da rádio Ativa FM, Fávero Moraes, o promotor de Justiça, João Alves Neto, disse o Ministério Público não tem “estrutura mínima” para funcionar em Eunápolis e que muitos promotores atuam como substitutos de outras cidades da região e em Eunápolis, tendo que se deslocarem constantemente, fazer audiências, despachar processos, perdendo tempo com atividades que impedem o órgão de produzir mais resultados práticos na mediação de conflitos que a sociedade demanda. Como sempre faz em entrevistas à imprensa, o promotor João Alves Neto foi claro e objetivo em suas declarações na defesa de um Ministério Público mais forte e mais resolutivo, que solucione casos sem a predominância da via judicial (mais morosa e burocrática), que cria uma burocracia peculiar, tomando o tempo dos promotores. “Transferir um problema do Ministério Público para o Judiciário e deixar a população frustrada a espera de um processo moroso, que só vai ter fim daqui a alguns anos, é uma coisa que se mostra uma falta de bom senso”, desabafou João Alves Neto. A entrevista foi veiculada no programa Sociedade Anônima de terça-feira, 27 de maio.

Promotor João Alves Neto

DEMANDAS DE EUNÁPOLIS O procurador-geral de Justiça da Bahia, Márcio Fahel, ouviu no dia 22 de maio, em Eunápolis, as demandas da sociedade relacionadas ao Ministério Público estadual:

1 - Dificuldades da adoção; 2 - Necessidade de fortalecimento dos conselhos comunitários; 3 - Poluição sonora;

4 - Violência sexual contra crianças e adolescentes; 5 - Falta de empregos; 6 – Crescimento da criminalidade.


6

economia

Maio 2014

Bahia lidera geração de empregos no Nordeste A Bahia acumula um saldo de 15.089 novos postos de trabalho com carteira assinada no ano, de janeiro a abril, segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged/MTE), sistematizadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI/Seplan). Com este resultado, a Bahia se consolida na liderança de geração de empregos no Nordeste, seguida pelo Ceará (+6.654 postos), Piauí (+5.433), Rio Grande do Norte (+1.444) e Sergipe (+1.439). Os demais estados do Nordeste tiveram saldos negativos no ano: Alagoas (-26.646 postos), Pernambuco (-21.933), Maranhão (-7.077) e Paraíba (-2.090). No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, dos oito setores de atividade, cinco registram saldos positivos no estado. O setor com maior saldo acumulado foi Serviços (+10.495 postos), seguido pela Agropecuária (+3.798), pela Indústria da Transformação (+2.332 postos), Administração Pública (+689 postos) e Extrativa Mineral (+62 postos). Em abril, a Bahia contabilizou um saldo de 882 postos de trabalho com carteira assinada. Setorialmente, em abril, na Bahia o setor com maior saldo positivo foi o de Agropecuária (+2.428 postos), seguido por Serviços (+1.279) e pela Indústria de transformação (+182). Em quarto lugar ficou o setor de Administração pública (+76). Em abril de 2014, Itamaraju, Medeiros Neto e Eunápolis se destacaram na criação de novas oportunidades de trabalho formal na Bahia. Itamaraju registrou 705 novos postos de trabalho, Medeiros Neto gerou 642 postos e Eunápolis gerou 470 postos.

Estado terá primeiro complexo de energia solar-eólica do Brasil A Bahia será o primeiro estado do país a receber um complexo híbrido de geração de energia eólica e solar, que será construído pela Renova Energia em Caetité, no Sudoeste baiano. Com investimentos de R$ 130 milhões, o empreendimento terá capacidade instalada de 26,4 megawatts (MW), sendo 21,6 MW de eólicas e 4,8 MWpico de energia solar. A Renova já recebeu a primeira parcela de R$ 6 milhões do financiamento de R$ 108 milhões firmado com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para iniciar a construção da usina, que está prevista para entrar em operação no início de 2016. O complexo prevê a

instalação de cerca de 20 mil placas fotovoltaicas, que serão ligadas a quatro inversores e, em seguida, a uma subestação. A estação também receberá a energia que será produzida pelos parques eólicos. Segundo o presidente da Renova Energia, Mathias Becker, o objetivo é encontrar uma forma economicamente viável de explorar a energia solar no Brasil. “Na região de Caetité, as duas fontes são complementares. Na prática, a produção de energia eólica é maior no período noturno, quando a geração de energia solar é praticamente nula. A combinação das duas fontes garante o fornecimento contínuo

de energia do projeto e reduz o custo da fonte solar, que separadamente ainda é elevado”, afirmou Becker. O secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correia, comemora o pioneirismo. “Nossas jazidas de vento do semiárido baiano, agora serão também solares. A Bahia é o único estado a ter comercializado energia em todos os leilões com contratações realizadas para a fonte eólica, com investimentos de R$ 12 bilhões”. Correia lembra ainda que o projeto híbrido da Renova além de usar as fontes naturais de forma sustentável, faz com que elas se tornem competitivas em termos de custo.


Maio 2014

7

economia

COSTA DO DESCOBRIMENTO

Empresários destacam oportunidades da Copa Com o treinamento das seleções da alemanha e suíça na região, empreendedores investiram em seus negócios e já comemoram os resultados Por Cybtia Farabotti Além do legado de infraestrutura que será deixado pela Copa do Mundo na Costa do Descobrimento, com a passagem das seleções da Alemanha e da Suiça, que escolheram a região para se hospedarem e treinar, na primeira fase do torneio mundial, muitos empresários estão aproveitando o momento para fornecer serviços para a demanda gerada pelo evento. Quando soube em 2012 que a região da Costa do Descobrimento, na Bahia, poderia receber seleções de futebol para treinamento durante a Copa do Mundo, o empreendedor Sérgio Augusto de Moraes não teve

dúvidas e decidiu aproveitar essa oportunidade. Desde então, ele se qualificou e investiu na Congregabahia, sua empresa de solução em eventos. “Resolvi investir na compra de estruturas físicas temporárias de alta qualidade, como tendas e estandes, e geradores de energia. Estudei o mercado, participei de qualificações com o Sebrae, recebi

orientação dos técnicos e chegamos à conclusão de que o setor de eventos poderia se desenvolver ainda mais na região”, explicou o empresário. Hoje ele presta serviço para a seleção da Alemanha, que treinará em Santa Cruz Cabrália, com a locação dos geradores para um Centro de Mídia que receberá cerca de 250 jornalistas internacionais. Além disso, ele também

está montando a estrutura temporária do campo de treinamento dos jogadores alemães, que contará com vestiários, academia, arquibancada e banheiros. Para Moraes, a participação em um grande evento como este é fundamental para sua empresa. Quem divide da mesma opinião de Moraes é a empreendedora Walkyria Coelho, proprietária do hotel

Porto Geraes. Pensando na Copa do Mundo, ela também buscou qualificação empresarial. “Participamos de treinamentos e cursos do Sebrae, e sentimos que era uma boa hora para crescer, aproveitando o movimento do evento esportivo”, avaliou. Dos 45 apartamentos do hotel, 20 foram totalmente reformados e 16 são novos. A taxa média de ocupação anual já chegou a 60% em 2014, acima dos 40% de todo o ano passado. “No mês de maio praticamente fechávamos o hotel. Hoje, estou com 25% de ocupação e as reservas para a época da Copa estão aumentando”, comemorou. O gestor do Sebrae na Bahia, Enivaldo Piloto, explica que os empresários são orientados quando decidem investir e ampliar o seu negócio. “A Copa do Mundo gerou um interesse maior, especialmente nesta região, que servirá como local de treinamento de dois times”, explicou. Além da Alemanha, que treinará em Santa Cruz de Cabrália, a seleção da Suíça ficará no município de Porto Seguro.


Maio 2014

8

especial

Foto: Jornal O Clarim

Um pouco da história de Eunápolis Por Mário Bittencourt – Especial Eunápolis foi criado há 25 anos, pela Lei Estadual 4770/1988, após a realização de dois plebiscitos que determinaram a aprovação de um Projeto de Lei pela Assembleia Legislativa da Bahia, propondo a criação.

Muito antes de se emancipar, em 12 de maio de 1988, Eunápolis era apenas um entreposto de operários que construíam estradas e chegou a ser o maior povoado do mundo. Hoje, tem mais de 110 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Não foi a toa que o engenheiro Eunápio Peltier de Queiroz, na época secretário de Viação e Obras Públicas, decidiu comprar uma fazenda de 100 hectares para fazer o povoado no entreposto das construções das hoje rodovias BR-101 e BR-367, entre 1946 e 1948. Daqui dava para seguir a BR101 e ir para o litoral, num leva e traz constante de mercadorias. Um dos que primeiros desbravadores de Eunápolis

foi o topógrafo Moisés Reis, que em 1944 esteve na região a serviço do Derba (Departamento de Estradas e Rodagem da Bahia) para fazer estudo preliminar que antecederia à locação de um trecho da estrada BA-02 (Bahia-Vitória), atual BR101. Moisés Reis encontrou por aqui na época o mateiro Joaquim Quatro abrindo uma clareira e construindo um rancho. Ao retornar à região alguns meses depois, para o serviço de locação da estrada, já encontrou Joaquim com casa pronta, roça, casa de farinha e criação de animais. Em 1949, quando aqui esteve pela terceira vez, a serviço da Delegacia de Terras, Moisés já encontrou um pequeno acampamento criado pelos “garimpeiros”, designação que deram aos picareteiros que trabalhavam na construção da BA 02. Data dessa época a primeira pensão, de Januário. E nesse leva e traz e no avanço da construção das estradas que aos poucos foram chegando pessoas e ocupando o que hoje é o distrito de Gabiarra, naquela época chamado de “Km 64”, extensão daquele ponto até Porto Seguro. Como eram de trabalhadores das estradas e pequenos comerciantes as casas

eram bem simples. O acampamento fora formado nas imediações de onde são hoje a Rua Pedro Álvares Cabral e praça Dr. Eunápio Peltier de Queiroz. Surgiu o “Km 64” e depois outra denominação, “Nova Floresta”, nome que durou alguns meses, mudado logo para Ibiapina, palavra Tupi Guarani que significa “Terra Corrida”, uma alusão à parte da topografia da localidade, muito plana. Como se diz no popular, Moisés Reis “fez o terreno” para Eunápio, que pode tomara decisão de fazer daqui o entreposto e comprar as terras de Ivan Moura, em setembro de 1954, quando na inauguração da estrada que liga Mundo Novo a “Ibiapina”. Capital do extremo sul Eunápolis, hoje, é o centro de desenvolvimento do extremo sul da Bahia. “A capital” da região, como dizem os moradores. Devido a sua localização aqui se concentram diversas sedes regionais de órgãos estaduais e federais. Eunápolis, hoje, tem crescido com relação à prestação de serviços diversos do comércio, atraindo lojas de calçados e alimentos. No último

levantamento do IBGE sobre a indústria local, em 2009, a cidade possuía 2.309 empresas atuantes, gerando 21.845 empregos diretos. A frota do município em 2010, segundo o IBGE, era de 25.865 veículos. No mesmo ano, a cidade contabilizava sete agências bancárias, sendo a primeira delas instalada em 1967: o Banco de Crédito da Bahia, comprado depois pelo Bradesco. O início das atividades da cidade - Com o passar do tempo, porém, pessoas interessadas no que a natureza tinha a oferecer passaram a explorar a extração de todo tipo de madeira e a fazer grandes construções de casas, hotéis, comércios diversos etc. Foi quando já tinham mais de 60 mil pessoas em Eunápolis, ficando conhecido como o maior povoado do mundo. Na época Eunápolis era dividido entre Porto Seguro (20%) e Santa Cruz Cabrália (80%). Pela sua pujança econômica e com forte base no processo madeireiro extrativista, o povoado prosperou mais que os municípios a que pertencia, a ponto de sediar a administração de ambas as cidades. O município tem área total de 1.197 km2, PIB

per capita (produto interno bruto, que é a soma da riqueza, dividido pelo número de habitantes) de R$ 10.991 (IBGE 2007) e IDH (índice de Desenvolvimento Econômico) de 0,60, segundo PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) de 2010. O primeiro prefeito da cidade foi o médico Geddiel Sepúlveda Pereira (19891993), Depois vieram Feruck Abraão (1993-1996), Paulo Ernesto Ribeiro da Silva, o Dapé (1997-2000), Geddiel de novo entre 2001 e 2004, seguido de José Robério Batista de Oliveira (2005 a 2012) e do atual Neto Guerrieri, que começou a gestão em 2013. Pioneiros Foram destaques no processo histórico desencadeado pelos que lutavam pela emancipação centenas de pioneiros oriundos de cidades do Espírito Santo, norte de Minas Gerais, do Sertão da Bahia e de outras regiões do país. O município está situado na região sul da Bahia, sub-região extremo sul, a 643 km de Salvador. Integra o conjunto de municípios denominado “Costa do Descobrimento”.


Maio 2014

9

política

Robério entre os nomes ‘garantidos’ na Assembleia Embora ainda morna, a corrida eleitoral deve esquentar com as festas juninas e os pré-candidatos a deputado – estadual e federal – vão gastar sola de sapato, saliva e gasolina pelo interior em busca do eleitor disposto a ouvir o velho pedido de voto. Os currais continuam existindo, o abuso de poder econômico será usado, mas poucas surpresas devem surgir nas eleições deste ano para o Legislativo. Dos novos nomes vistos como ‘garantidos’, três exprefeitos estão praticamente garantidos: Robério Oliveira, PSD (Eunápolis), Carlos Robson – Robinho, PP (Nova Viçosa) e Luciano Mendes, DEM, (Caculé). Robério e Robson vêm em dobradinha com Ronaldo Carletto, PP, que sai para federal. Luciano é vinculado há tempos ao prefeito de Salvador, ACM Neto. Fábio Souto, DEM, deve voltar à Assembleia, surfando na esperada performance do pai, Paulo Souto, cabeça de chapa da majoritária da Oposição. Eduardo Salles, PP, ex-secretário estadual de Agricultura, tenta novamente a vaga, apoiado pelo agronegócio, contando com a colheita do bom trabalho feito na Seagri. Dois radialistas devem estrear no Legislativo estadual, Lucas Bocão, PTC, de Teixeira de Freitas (extremo sul), e Herzen Gusmão, PMDB, de Vitória da Conquista (sudoeste). A família do senador João Durval deve emplacar o advogado Paulo Henrique, PSL, filho do exprefeito de Salvador João Henrique. O ex-prefeito de Porto Seguro, Jânio Natal, PRP, deve encontrar muitas dificuldades para se eleger estadual, mas faz contas de que chega arrastado.

Otto Alencar ironiza pesquisa do Ibope

O vice-governador Otto Alencar (PSD), pré-candidato a senador pela chapa governista, ironizou a pesquisa do Ibope, encomendada pelo jornal Correio e divulgada no dia 27 de maio, dando Geddel (PMDB) com 34% e Otto com 14% na corrida para o Senado, além de Paulo Souto (DEM) com 42% e Rui Costa (PT) com 9%, atrás de Lídice da Mata (PSB), na disputa pelo governo. Otto questiona o fato de o estado ter mais de 10 milhões de eleitores e o Ibope ter entrevistado apenas 1.008 eleitores. E disse que tem pesquisas feitas com mais de 2 mil eleitores que apresentam resultados bem diferentes. O vice-governador ironizou o fato de o jornal Correio ter divulgado a pesquisa como “notícia requentada”, quando todos os blogs já sabiam dos números uma semana antes. Para Otto falta “credibilidade” ao Ibope, que “na Bahia, nos últimos anos tem permanentemente errado. Em 2006 e 2010, quem chegou na frente e ganhou a eleição, o Ibope dava como derrotado. Aqui na Bahia, quem normalmente o Ibope coloca na frente, só chega atrás“, ironiza. As declarações de Otto Alencar foram postadas no Bahia Notícias.

Robério Oliveira

Lucas Bocão

Herzen Gusmão

34% geddel pmdb

14% Otto alencar psd

5%

eliana calmon psb


10

eleições

Maio 2014

Ibope: Paulo Souto venceria no 1º turno Divulgada oficialmente nesta terça-feira, 27 de maio, a pesquisa eleitoral do Ibope revela que a Oposição tem mais votos no interior do que na capital: 43% x 36%. De acordo com os 1.008 entrevistados pelo Ibope, se a eleição para governador da Bahia fosse hoje, Paulo Souto seria o escolhido no primeiro turno com 42% dos votos, mais do que a soma das intenções dos outros quatro candidatos (23%), revela a primeira pesquisa Ibope/Correio para o pleito de outubro, divulgada nesta terça-feira, 27 de maio. A pesquisa vazou antes de ser divulgada oficialmente e no fim de semana os números já eram conhecidos de boa parte dos jornalistas políticos.

ESTIMULADA Paulo Souto (DEM) – 42%

Lídice da Mata (PSB) – 11% Rui Costa (PT) – 9%

Rogério Tadeu da Luz (PRTB) – 2% Marcos Mendes (PSOL) – 1% Brancos e Nulos – 19% Lídice e Costa estão tecnicamente empatados. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Os demais pré-candidatos são Rogério da Luz (PRTB), com 2%, e Marcos Mendes (PSOL), com 1% das intenções de votos.

ESPONTÂNEA Paulo Souto (DEM) – 13% Jaques Wagner (PT) – 6% Rui Costa (PT) – 3% Geddel (PMDB) – 3% Lídice da Mata (PSB) – 1% A pesquisa espontânea revela que 49% do universo pesquisado não sabe em quem votar ou não quis responder quando provocado a citar espontaneamente um nome. Homens x mulheres - Quando a pesquisa é segmentada, Paulo Souto tem um desempenho melhor entre os homens (48%) do que no público feminino (37%). As intenções de voto na senadora socialista são invertidas: 13% de mulheres contra 9% dos homens. O petista faz mais sucesso no público masculino (11%) do que no feminino, onde crava 8%. Faixa de renda - Se o corte for feito por faixa de renda, Paulo Souto consegue melhor desempenho entre os que ganham acima de

cinco salários mínimos (ou R$ 3.620): 53%, mesma faixa onde Rui Costa é mais bem avaliado por 14% dos eleitores. Os que optaram por Lídice se situam, na maioria (14%) entre os que recebem de dois a cinco salários mínimos por mês (entre R$ 1.448 e R$ 3.620). Capital x interior - O candidato da Oposição, hoje, teria mais votos no interior da Bahia do que na capital: 43% x 36% do eleitorado, respectivamente. O candidato governista também (10% x 9%).

Já a candidata do PSB teria um eleitorado proporcionalmente maior em Salvador, 14%, do que no interior, 10%.

2º turno Num eventual segundo turno, Paulo Souto venceria, hoje, tanto Lídice da Mata (46% x 18%) quanto Rui Costa (48% x 15%). A senadora do PSB bateria o deputado federal petista por 36% contra 16% se a disputa fosse entre eles. Neste caso, a soma dos que anulariam ou votariam

em branco é de um terço do eleitorado: 33%. Rejeição - Em matéria de rejeição, ninguém bate Da Luz; 28% não votariam nele de jeito algum. Souto e Costa têm o mesmo índice neste quesito: 14% e o desempenho de Lídice é um pouco melhor (11%). Favoritos - Para 47% da pesquisa, Paulo Souto será o próximo governador da Bahia. Lídice e Rui Costa aparecem empatados no percentual dos que os apontam como favoritos com 8%. A pesquisa Ibope/Correio

custou cerca de R$ 67 mil, foi realizada entre os dias 15 e 19 de maio de 2014 com 1.008 entrevistados. O nível de confiança utilizado é de 95% e o levantamento foi registrado no TRE sob o protocolo BA-00004/2014 e no TSE, BR-00130/2014 encomendada pela Empresa Baiana de Jornalismo, que edita o Correio. O jornal faz parte do grupo da Rede Bahia, que pertence à família saudoso Antônio Carlos Magalhães, cujo maior expoente político hoje é o prefeito de Salvador, ACM Neto.


Maio 2014

11

geral

Alertas para não repetir a tragédia do Parque do Gravatá

radar64.com

A morte por afogamento de um taxista na lagoa do Parque ‘Ecológico’ do Gravatá, no dia 26 de maio, serve de alerta às autoridades de Eunápolis: 1 – Falta vigiar o Parque 24 horas, principalmente a lagoa;

Zezéu passa apertado para o TCE

2 – É preciso dar finalidade ao local, incrementar, investir, como uma área de lazer da cidade; 3 – Eunápolis precisa urgente do Corpo de Bombeiros instalado no município;

4 – Teve secretário municipal se esquivando do caso, preferindo cuidar de assunto pessoal, quando o caso exigia responsabilidade por se tratar da vida de um cidadão eunapolitano; 5 – Qual será o destino do parque?

O inferno astral do governo Wagner é tamanho que até a “fácil” eleição do deputado Zezéu Ribeiro (PT) para conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) se tornou uma batalha campal na Assembleia Legislativa, com a oposição levando a votação para segundo turno, tendo como candidato de última hora o deputado Carlos Gaban (DEM). Depois do susto e de troca de insultos, o placar do segundo turno ficou 35 x 23 para Zezéu, que não esperava tanto barulho. A guerra aconteceu no dia 28 de maio e virou a madrugada.

Rádio não pode ter partido nem candidato Em ano eleitoral é sempre oportuno lembrar que emissora de rádio, por ser uma concessão pública, não pode ter lado, partido, nem candidato nas eleições. O mesmo vale para emissora de Televisão. A Procuradoria Regional Eleitoral da Bahia (PRE-BA) já definiu como uma das prioridades do órgão fiscalizar as emissoras de rádio em todo o estado para coibir os crimes porventura cometidos a favor de partidos ou candidatos.



Ilmaio