Issuu on Google+

adeipero.com.br Janeiro de 2017

Iperó | 13 de Janeiro de 2017 | Nº 38 - Ano 1 www.folhadeipero.com.br - Distribuição GRATUITA

2017 - 2020

Empossados demonstram motivação após assumirem cargos

Pág. 04

Vereadores prometem fiscalizar o Executivo

Pág. 05


www.folhadeipero.com.br Iperó, 13 de Janeiro de 2017

Editorial

Doa a quem doer P

olíticos experientes sabem como tratar de situações embaraçosas nas quais eles são citados, incluindo processos judiciais ou mesmo em órgãos de fiscalização como o Tribunal de Contas. Essas situações são inerentes ao processo, à atividade de pessoas que ocupam algum cargo em instituições públicas. Um dos políticos que sabem se sobressair das situações de maneira respeitosa é o deputado federal Vitor Lippi (PSDB). Frequentemente ele é citado em ações do MP, em processos do TCE e mesmo em críticas ao seu governo na Prefeitura de Sorocaba. Mesmo assim, seu trato com as instituições que tornam a situação pública, no caso a imprensa, é sóbrio, fino e educado. Faz parte do trabalho da imprensa e ele sabe disso, mais do que isso, ele também respeita. Em Iperó, a Folha publicou diversas reportagens que, em tese, não agradariam a municipalidade. Um exemplo foi o caso em que animais foram vistos e fotografados em uma unidade de saúde da cidade em construção. O fato gerou repercussão regional e nem por isso o prefeito deixou de tratar a reportagem de maneira cordial e amistosa, como deveria ser. Como em Sorocaba, onde o Grupo Z edita os jornais Z Norte e Z Oeste, numa área de mais de quatrocentos mil habitantes, a Folha continuará com seu trabalho, sendo a voz da população de Iperó, doa a quem doer. Folha de Iperó

EXPEDIENTE www.folhadeipero.com.br Muito mais Jornal

EDIÇÃO QUINZENAL Iperó Comunicação Ltda ME CNPJ: 22.989.691/0001-30 Rua João Domingues dos Santos, 136 - Sala 02 Centro - Cep: 18560-000 - Iperó/SP

Jornalista Responsável Marcel Scinocca - MTB 62046SP marcel@folhadeipero.com.br

Diretoria Fernando de Araujo Silva fernando@folhadeipero.com.br cel (15) 98128.7921 Angela Aparecida Alves angela@folhadeipero.com.br cel (15) 98144.9091 As matérias e artigos assinados não representam necessariamente a opinião desse jornal, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores

(15) 3266.2331

comercial@folhadeipero.com.br redacao@folhadeipero.com.br Tiragem: 5 mil exemplares

Vereador é citado em ação popular por suposto trabalho fantasma na Assembleia Legislativa Marcel Scinocca marcel@folhadeipero.com.br

O

vereador Luis Fernando Daki (PMDB) está sendo acusado de ter sido funcionário fantasma da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). O processo que corre no Fórum de Boituva é uma ação popular. “Conforme consta no site da ALESP, o réu ocupou cargo em comissão de agente de segurança parlamentar, e que, para o exercício do cargo, deveria cumprir uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. Ocorre que por todo o período em que ocupou o mencionado cargo, não exerceu as atividades inerentes ao cargo para o qual fora nomeado, ou seja, de acordo com os fatos e documentos juntados afirma que o réu, de fato, era funcionário fantasma”, afirma despacho judicial. “Desta forma, alega a existência de improbidade administrativa, bem como enriquecimento ilícito do réu. No mais, alega que tal conduta, prevista no art. 11 da Lei no. 9429/92, viola os princípios da moralidade administrativa e da legalidade”, acrescenta O denunciante solicitou no final do documento que fosse intimado os sites Google e Facebook para que fornecessem informações relativas as atividades do acusado, o que, a priori, foi negado. Houve o pedido para que fosse incluído na ação o deputado estadual Gil Lancaster, cujo gabinete Daki estava lotado, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e na Fazenda do Estado de São Paulo, em razão do risco de perecimento da prova, o processo passou a correr em segredo de justiça. O Ministério Público se manifestou defendendo a continuidade da ação e que a Assembleia Legislativa do Estado fornecesse documentos. O magistrado deixou de designar audiência de conciliação. “Analisando a questão, acolho o parecer do Ministério Público e indefiro o requerimento de oficio ao Google e ao Facebook, pois evidencio a violação da intimidade e privacidade do réu, na medida em que embora especificado período certo no qual o réu popular exerceu cargo na Assembleia Legislativa, não delimita em quais postagens feitas pelo corréu na internet pretende obter aqueles dados. Caso entenda ser imprescindível tal prova, o juízo desde logo admite que seja trazido pelo autor prints do perfil, o que o autor parece ter acesso suficiente, conforme ilustra sua própria peça inicial. Ademais, não vejo com isso dificuldade para produção da prova. A comprovação da ausência pode ser feita de outra forma, seja através de eventuais documentos de ausências/ presenças administrativas, testemunhas da ALESP ou mesmo de Iperó, atos sobre saída e entrada de veículo de motoristas de parlamentares, notícias da Casa ou de Iperó sobre a pessoa que o autor aduz ser conhecida, ou em ultimo caso, ainda indiretamente pela comprovação de que o réu estava em local

incompatível com sua função”, destaca outro trecho de despacho. A Assembleia do Estado foi oficiada para prestar informações referentes ao caso. “Defiro, pois, apenas ofício a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo a apresentação dos prontuários do requerido Luis Fernando Paula Leite, nos moldes do item b da petição inicial, porquanto pertinente a elucidação dos fatos e intromissão razoável na intimidade do correu, ja que se trata de informações relativas ao exercício de cargo publico e, portanto, de interesse coletivo. Caso não cumpra a decisão, a Alesp poderá pagar multa de R$ 1 mil por dia de descumprimento. Luis Fernando foi intimado para prestar informações e terá prazo de vinte dias para apresentar defesa. O juízo também pediu para que se dê ciência do despacho ao Ministério Público e à Procuradoria Geral de Justiça do Estado. Daki foi procurado no dia 1º de dezembro para comentar a situação. “Não tenho conhecimento e nunca fui informado sobre essa possível ação. Estou surpreso, mas tranquilo já que sempre fiz tudo dentro das normas legais e morais. Talvez seja mais uma das ações encabeçadas por aqueles que estavam preocupados com o período eleitoral, querendo imputar fatos inexistentes a minha pessoa”, desabafou. Fernando Daki também sustentou que, de fato, atuou na Alesp, conforme nomeação. Na quinta-feira (12), o vereador foi novamente questionado se gostaria de acrescentar algo sobre a situação. Daki, entre outras coisas, afirmou que só poderia comentar a situação na segunda-feira (15). A reportagem ainda deu a opção de ele se pronunciar através do advogado, o que ele não aceitou. Mais tarde, Fernando Daki enviou ao jornal uma nota de esclarecimento. A Folha de Iperó publicará o ter do documento na integra. “Eu Luis Fernando Paula Leite, natural de Iperó há mais de 35 anos, filho de família tradicional do comércio, pai de família e pela segunda vez eleito para o ocupar o cargo de vereador na nossa querida cidade. Uma das razões que motivou minha decisão de participar do pleito eleitoral em nossa cidade foi a convicção de que precisamos colaborar para a construção de um Brasil mais justo, próspero, democrático e sustentável. Recebi com indignação a absurda notícia que seria beneficiário de um cargo público e que me utilizaria do mesmo em benefício próprio sem trabalhar, sendo acusado de ser “fantasma”, o que nunca fui. Fui nomeado como Agente de Segurança Parlamentar em 03 de junho de 2015 e exonerado (pedido feito muito antes do prazo legal para as eleições ) em 29 de março de 2016, portanto exerci o cargo por menos de um ano. De forma estritamente legal e transparente fui designado pela Secretaria que detém o cargo na Assembleia legislativa para assessorar o deputado

Foto: Fernando Araujo / Folha de Iperó

2

estadual Gil Lancaster (DEM) o que o fiz pontualmente até a data da exoneração. Na assessoria do deputado Gil Lancaster compareci a dezenas de compromissos na capital, na cidade de Iperó e em cidades vizinhas. Representei o deputado em solenidades do governo do Estado e tenho dezenas de documentos que comprovam tal representação na função autorizada e designada pela Secretaria da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Acredito que devemos agir pensando no todo e não somente nos próprios interesses, desta forma agi em toda minha vida e não poderia ser diferente exatamente em um momento muito importante da minha vida, quando estava prestes a me candidatar ao cargo para o qual fui eleito novamente. Infelizmente, no Brasil de hoje há uma clara tentativa de alguns em colocar todos na vala comum. Querem afirmar que todos são iguais, todos são corruptos, e não há o que fazer além de se conformar e, consequentemente, buscar um grande acordo para que todos se salvem. Para se safar, ou sabe-se lá com quais outros objetivos, querem sequestrar minha reputação dizendo que cometi tal ilegalidade, esta que sempre combati e vou combater fiscalizando as ações do poder público. Indignado, quero registrar aqui meu repúdio à mentira e à covardia deste tipo de ataque à minha honra. Refuto, surpreso com a ousadia e a desfaçatez, as supostas alegações que, pela conveniência, foram lançadas exatamente no período pré-eleitoral no ano de 2016, não surtindo efeito diante do resultado das urnas e da vontade da população de Iperó. Cumprindo o papel constitucional, o Ministério Público do Estado de São Paulo, após recebimento de denúncia, impetrou ação para investigar a existência de eventual ilegalidade no desempenho da função em que fui nomeado o que, meus advogados já estão trabalhando para demonstrar a fragilidade da denúncia e de forma cristalina provar minha inocência, sem se esquecer de ao final, propor ação de danos morais contra o denunciante, pois no Brasil de hoje a sociedade não tolera mais os “denuncismos” irresponsáveis praticados por aqueles que não querem abandonar a velha política. Estes são os fatos. Confio e espero que tudo seja devidamente apurado pela Justiça. Iperó, dia 12 de Janeiro de 2017. Luis Fernando Paula Leite”


www.folhadeipero.com.br Iperó, 13 de Janeiro de 2017

3

Iperó tem time de futsal representando a cidade na Copa Votorantim 2017 Marcel Scinocca marcel@folhadeipero.com.br

I

peró também está em atividade no esporte. A cidade ganhou recentemente um novo time de futsal: o Clube Atlético de Iperó Vileta (C.A.I.V), e em pouco tempo, o time conquistou seu espaço. Com uma equipe já conhecida em Sorocaba, os jogadores estão treinando para conquistar mais títulos, agora pela cidade de Iperó. Marcelo Vieira é professor de educação física e é o responsável por essa conquista da cidade. Ele começou com o Sport Sorocaba, um time formado a partir do “Programa Escola da Família”. O time ganhou todos os jogos que disputou. Quando Marcelo mudou para o bairro Vileta, sentiu a necessidade de um time ali, já que não havia nenhum. Mantendo a base do time Sport Sorocaba, ele fundou o time Atlético de Iperó Vileta, que continua com alguns jogadores de peso de Sorocaba e incluiu mais alguns jogadores da cidade de Iperó. Dessa forma, o C.A.I.V

é o primeiro time de futsal que representa a cidade de Iperó e o bairro Vileta. O primeiro jogo aconteceu há dois meses contra Piazzo di Roma e já estreou ganhando de 3x1. O último jogo foi nesse domingo (8). Ao todo, o time já participou de quatro jogos. O clube participará do Cruzeirão, que começa em 6 de março, e da Copa Cidade Votorantim com jogos

em breve. O próximo plano é que o time se torne uma associação e ganhe também os campos. Tudo já está legalizado, já possuem escudo, mascote e uniforme, mas para que esse desejo se torne realidade, Marcelo conta que precisará de ajuda e patrocinadores. “O time é forte”, garante Marcelo.


4

www.folhadeipero.com.br Iperó, 13 de Janeiro de 2017

Empossados demonstram motivação após assumirem cargos Guilherme Maganhato redacao@folhadeipero.com.br

Foto: Fernando Araujo / Folha de Iperó

Esperança – este foi o sentimento que os eleitos para o mandato 2017-2020 expressaram durante a cerimônia de posse, que ocorreu em 1º de janeiro, no plenário da Câmara Municipal de Iperó. Cada um teve dez minutos para discursar a pedido do presidente da sessão, vereador Sérgio Poli – e a maioria expôs que, mesmo que o ano de 2016 tenha sido difícil, vão se esforçar para trazer progresso ao município. O prefeito reeleito Vanderlei Polizeli (PSB) afirmou que vai continuar “segurando novos compromissos financeiros”, como fez em 2016. “Já vamos entrar fazendo o que deve ser feito, segurando novamente. Chegamos no final do ano fazendo os pagamentos que eram necessários. Vamos rever contratos, rever o pessoal. É o momento de enxugar”, destacou o chefe do Executivo. No entanto, a expectativa do prefeito é grande, já que, segundo ele, convênios e emendas importantes estão em andamento. Asfaltamentos devem acontecer nos próximos meses, além de continuidade na finalização da UBS de Campos Vileta, obra iniciada em 2015 e que ainda não foi entregue. “Nós precisamos conversar coma empresa para entender o que falta. A gente sabe que a empresa sozinha não vai conseguir finalizar, como aconteceu com a outra – tivemos problemas e foi

preciso relicitar a obra e isso demorou. E o mais importante, não é só entregar a obra, mas o funcionamento dela, com médicos e equipamentos”. De acordo com o prefeito, ainda, R$ 300 mil já foram depositados, via emenda, para reforma do Pronto Socorro da cidade, além de uma parte (não divulgada) de R$ 100 mil para a compra de equipamentos médicos para o posto de saúde de Bacaetava. Polizeli ainda ponderou sobre algumas contratações para o funcionamento da UBS em Campos Vileta, que inicialmente poderão ser feitas de modo emergencial e com remanejamento de funcionários, mas prevê o chamamento de concurso público para completar o quadro. Renovação O mandato que começa neste ano é marcado pela renovação, mesmo com a reeleição de Vanderlei Polizeli. Isto porque quem assume como vice-prefeito é Leonardo Folim, que tinha mandato de vereador no ano passado. “Vocês podem ter a certeza que o mesmo garoto que estava, há quatro anos, assumindo suas funções, cheio de vontade, sonhos, desejos, é o mesmo garoto que deixou na data de ontem (31 de dezembro de 2016) o seu cargo de vereador, para assumir o de vice -prefeito. Estou com as mesmas vontades, os mesmos desejos, os mesmos ideais. Vontade

de fazer essa cidade crescer, entregar à população um trabalho digno. Tenham a certeza que estamos preparados e muito motivados para honrar cada voto recebido na última eleição”, destacou Leonardo, em discurso no plenário. A reestruturação no governo da cidade também se destaca pela posse de seis novos vereadores frente a onze cadeiras disponíveis no Legislativo. Foram eleitos Luis Fernando Daki (PMDB), Valtinho (PV), Benildo (PV), Nenão Valário (PTB), Lucinho (PSB) e Edvani Zardeto (PR) – a única mulher representante na Câmara. Já os reeleitos foram Sérgio Poli (PV), Dr. Eli (SDD), Alysson (PSL), Fabinho (PSB) e Joel Careca (PSDB). Contudo, a presidência da Casa se man-

teve nas mãos de Sérgio Poli. A vice-presidência ficou com Fabinho, e os vereadores Alysson e Joel vão ocupar, respectivamente, os cargos de 1º e 2º secretários. Ainda estiveram presentes na cerimônia pessoas ilustres, como o tenente coronel da Polícia Militar, Vitor Samuel Caldas, o ex vice-prefeito Josué da Costa Guimarães Filho, a primeira dama Valdenis Ribera Mira, a presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Heloísa Helena, a secretária de planejamento, Joyce Helen Simão e a cantora evangélica Damares, moradora de George Oeterer. A próxima sessão na Câmara está marcada para 17 de janeiro, às 19h, e os trabalhos da Casa continuarão a acontecer todas as terças-feiras.


www.folhadeipero.com.br Iperó, 13 de Janeiro de 2017

Guilherme Maganhato

E

m 2016, a Câmara de Iperó foi criticada pelo cientista político Humberto Dantas, no blog Legis Ativo, do jornal Estado de S. Paulo. Uma das principais reprovações foi a atuação da Câmara em fiscalizar a Prefeitura, já que, de acordo com o blog, não houve convocações feitas pelos vereadores. Esta situação, porém, deve mudar, principalmente com a eleição de Fernando Daki, que prometeu intensificar a vigilância ao Poder Executivo. “Pretendo mostrar qual o real papel do Poder Legislativo. Muitos pensam que a função do vereador é construir escola, e não é somente isso, mas também verificar o andamento da Prefeitura”, afirmou o vereador. “É preciso mostrar à população a diferenciação entre os poderes Executivo e Legislativo, quais são as suas funções, qual o real papel desses poderes em relação à sociedade. E acredito eu que isso já ficaria bem claro se nós, vereadores eleitos pela população, tivéssemos uma atuação independente, como é consagrado na Constituição Federal. Se a Constituição diz que os Poderes precisam

Foto: Fernando Araujo / Folha de Iperó

redacao@folhadeipero.com.br

ser independentes entre si, eu não vejo porque a Câmara Municipal sofrer essa espécie de submissão aos demais poderes. Eu acredito, sim, que independência não significa contrariedade, ou apartar os interesses comuns da população, então eu acredito sim que, com respeito e trabalho em conjunto, nós vamos conseguir levar mais qualidade de vida à nossa população”. Daki frisou que o poder é do povo e, portanto, não se deveria “curvar a mais

ninguém”. “Infelizmente ainda existe quem trata empresa pública como se fosse sua, como coisa privada, mas aos poucos isso vai mudando, como a exemplo da Operação Lava-Jato”. Em seu discurso, Daki ressaltou que tanto os colegas reeleitos como os eleitos terão de atender às expectativas dos eleitores. “Somos cientes de todos esses desafios que aceitamos e agora temos o dever de corresponder as esperanças e anseios do povo iperoense. Precisamos que as melhorias cheguem de fato a todas as pessoas, principalmente àquelas pessoas que mais precisam, seja na área da saúde, da educação, da segurança pública, com o trabalho dessa Casa de Leis juntamente com a Prefeitura Municipal no sentido de buscar políticas públicas para a atração de novas indústrias, novos empregos, para a geração de renda da nossa cidade”. O vereador Sérgio Poli, afirmou que “o maior dever do agente político é ter a transparência e respeito com a população. Nós sempre cobramos e fiscalizamos (o Executivo), mas o diálogo sempre foi mais forte que as intrigas na Câmara.

Foto: Fernando Araujo / Folha de Iperó

Vereadores prometem fiscalizar o Executivo

5

Nós não fizemos intrigas, mas cobramos o prefeito através do diálogo. Esperamos que isso permaneça para os próximos anos”. Já o prefeito Vanderlei Polizeli comentou que esta é a obrigação dos vereadores. “Ele (Fernando Daki) foi eleito para isso. Ele tem que cumprir com as obrigações dele e nós vamos cumprir com as nossas. A minha função é trabalhar para a população, se a dele é fiscalizar e encontrar qualquer coisa, fique à vontade”, disse.


6

www.folhadeipero.com.br Iperó, 13 de Janeiro de 2017

Iperó recebe ambulância nova do SAMU

N

a última terça (10), o prefeito de Iperó, Vanderlei Polizeli, e o vice -prefeito, Leonardo Folim, estiveram em São Paulo, onde participaram da cerimônia de entrega das novas ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). A entrega ocorreu na Prefeitura de São Paulo e foi feita pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. O evento contou ainda com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e representantes de outros 56 municípios paulistas também contemplados com os novos veículos. Ao todo, o Estado de São Paulo recebeu 81 novas ambulâncias para a renovação da frota. Dessas, 51 integram os 204 veículos novos adquiridos para todo o país. As outras 30 foram remanejadas do Rio de Janei-

ro após o apoio nas Olimpíadas e Paralimpíadas de 2016. O SAMU paulista atende 81,29% da população e está presente em 377 municípios. “As 81 ambulâncias já estão entregues aos municípios paulistas. Algumas repassamos aqui e outras os gestores buscaram na fábrica em Cajamar, onde estavam os veículos”, disse o ministro. Para as substituições foi utilizado o critério do tempo de uso dos veículos, visando trocar as ambulâncias com até cinco anos de circulação. No Estado de São Paulo existem 594 ambulâncias atualmente, sendo 495 unidades de suporte básico e 99 unidades de suporte avançado, além de 58 motolâncias e 51 centrais de regulação.

Em Iperó o SAMU conta com uma ambulância e a unidade fica no pronto atendimento. “A presença do SAMU no município é essencial, pois amplia a nossa capacidade de atendimento. A renovação da frota, com essa ambulância nova que recebemos agora, demonstra o compromisso do SAMU em disponibilizar à população equipamentos

modernos para a realização dos atendimentos”, comentou o prefeito. O SAMU funciona 24 horas, diariamente, e tem o objetivo de socorrer rapidamente pacientes com necessidade de atendimentos de urgência ou emergência. O acionamento do SAMU é feito através de ligação gratuita à central pelo número 192.


www.folhadeipero.com.br Iperรณ, 13 de Janeiro de 2017

7


8

www.folhadeipero.com.br Iperรณ, 13 de Janeiro de 2017


Folha de Iperó - 38ª Edição (13/01/2017)