Page 1

Dia dos Pais

Concurso da Rainha do Rodeio 2018 é sucesso em Silveiras Página 06

“Já fui jovem e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado nem seus filhos mendigando o pão” - Salmo 37:25

o uiv Arq l soa Pes

Não jogue este impresso em vias públicas / Compartilhe com seus amigos

Gente que FAz

Sr. Percilio José Batagini Nesse clima de Dia dos Pais, homenagearemos um homem muito querido por todos que o conhecem. Exemplo de pai e trabalhador, contaremos um pouco da história do Sr. Percilio José Batagini, o fundador da tradicional e popularmente conhecida “Granja Santa Teresinha”, e da Pizzaria Battagini. Natural de Poço Fundo, Minas Gerais, vindo de uma família humilde de imigrantes italianos que chegaram ao Brasil em 1903, ele é o sétimo filho de um total de treze irmãos. Já foi recenseador em 1950, sapateiro, vendedor de cigarro, de ração, entre outras profissões. Nasceu em 7 de Maio de 1931, no mesmo dia de sua falecida esposa, D. Francisca Batagini. Por força do destino, eles se conheceram nesta mesma data quando começaram a namorar, ficaram noivos dois anos depois e se casaram no ano seguinte, tudo em 7 de Maio. Comemoraram esta data juntos por 65 anos. Formaram uma grande família com 5 filhos, 10 netos e até o momento 6 bisnetos. Em 1980 chegaram em Lorena, ele ainda trabalhando como vendedor de ração pela empresa Purina. Com a vasta experiência adquirida de anos nessa profissão, logo resolveu montar sua própria granja. Surgiu então a Granja Santa Terezinha na Cidade Industrial, em 1981. Começou a criar frangos, cultivar uma horta, para atender e vender na região. A freguesia foi crescendo e a Granja se tornava ao longo dos anos referência no Vale do Paraíba, pela excelência na qualidade. Com a ajuda de três de seus filhos (Elder, Ernani e Elizete) e de D. Francisca (sua esposa), começou a ampliar os negócios, sempre no ramo alimentício. Sr. Percílio não se deixou abater pelos anos que se passaram. No auge de seus 88 anos continua trabalhando arduamente todas as semanas. Homem de muita educação, comedido em suas falas, competente e muito esforçado. Há 07 anos tenho o prazer de conviver com ele no trabalho, e há mais de 10 anos em seu ceio familiar. Por isso, neste espaço, quero singelamente compartilhar de sua história, entendendo que bons exemplos servem de inspiração. Ele já passou por muitas dificuldades, inclusive com empresas em que investiu tudo mas faliram. Ainda assim acreditou, não desistiu, e encontrou na perseverança e no trabalho, as chaves para vencer. Lorena se tornou sua cidade do coração. Foi aqui que viveu boa parte de sua vida com sua família e prosperou nos negócios. É por isso que hoje me alegro em homenagear este ilustre Trabalhador Lorenense, Gente que FAZ, Sr. Percílio José Batagini. A TODOS os PAIS, desejar um FELIZ DIA DOS PAIS. Nunca lhes falte o amor e a saúde para serem os exemplos de seus filhos! E de maneira muito especial, gostaria de agradecer e citar aqui também o meu Pai, Washington L. Rodrigues Alves, mais conhecido como Tom. Obrigado pai por toda educação, e apoio de sempre. Gustavo Rodrigues Alves, Membro da Academia Lorenense de Letras e Artes (ALLARTE) Homenagem do Jornal Vale Vivo

10º Festival Gastronômico do Arroz na Colônia do Piagui surpreendeu mais uma vez Ricardo Mendes/Jornal Vale Vivo

Página 04 e 05

Vereador Careca consegue junto ao executivo a prorrogação do prazo de anistia para multas e juros de débitos de contribuintes Página 03

Ex-prefeito de Pinda se reúne com lideranças políticas e população em Lorena Página 03 Ricardo Mendes/Jornal Vale Vivo

Secretaria de Esportes de Guaratinguetá lança projeto “Esporte Especial” Página 06

Casa da Acolhida de Lorena ganha nova sede para atender os moradores de rua A antiga casa teve que ser fechada em dezembro do ano passado por problemas de prestação de contas com a antiga Organização da Sociedade Civil Assembleia de Deus Belém do Pará - ADBPAR.

Página 07


Jornal Vale Vivo

02

11 a 24 de agosto de 2018

Opinião Editorial

Homenagem ao Dia dos Pais com um belo poema Ser Lembrado

Quero ser lembrado pelo tempo que fui pela tentativa de tantos fatos que não vingaram a criança que brotou travesso na nossa rua pela cama de mola que quebrei na peraltice o jogo de peladas disputadas no morrão no campo do padre após a missa de domingo no poção da curva que banhou minhas descobertas Quero ser lembrado por cada momento que me resta a reunião em casa ao pé da fogueira em bacia velha, que aquecia nossa imaginação de crianças ouvindo histórias contadas pelo pai e mãe, que sendo pobres, tornaram-se ricos de ensinamentos e horizontes Lá se vão os anos que retornarão saudades Lá se vão o tempo que retornarão memórias fatias de tantas eternidades que incrustei na carne remodelando sorrateiramente as linhas de minha figura Os olhos manterão o brilho para alimentar a alma nada se perderá no acaso de nossas trilhas que ficarão presas no orvalho de manhãs que me acompanharam O peito suspira e abraça o passado, que cresce, e transborda as margens de nossa razão, que grita, além do poder dos pulmões que se faz o mistério, que caminha, pelos campos perfumados do inverno que promove a vida Poema do livro IMPRESSÕES... PELO TEMPO QUE ME CABE do escritor Dimas Barbosa

TORRADA NO TRECHO Essa semana o pré-candidato a deputado federal, João Bosco, o Torrada de Cachoeira Paulista, esteve visitando o prefeito da cidade de Roseira, Jonas Polydoro e também o vereador Joel Polydoro. A visita acompanhada do amigo Fernando foi para falar das necessidades do médio Vale e Vale Histórico. AH TIRADENTES!!! Se fosse ao mês de abril, poderiam relacionar o episódio com o mártir da inconfidência mineira, mas na realidade o fato tem sido um martírio para alguns políticos da região, incluindo vereadores e prefeito. Após a polêmica matéria a nível nacional exibida pelo Fantástico sobre o comércio de diplomas de mérito para vereadores e prefeitos (quem não assistiu pode copiar e colar no navegador o link da matéria: encurtador.com.br/vwEMS), tem político na região que está perdendo o sono para justificar a premiação, ou pelo menos tentando explicar. Tem presidente de Câmara,

ex-presidente, vereador mais votado, enfim, parece que alguns até pagaram com dinheiro público para participar do “seminário”, que segundo a reportagem, seria só fachada para disfarçar a entrega da tal medalha. Enfim, parece que o Ministério Público vai investigar alguns casos para saber se houve pagamento com dinheiro público ou não. Agora é esperar o desfecho. E OS REGIONAIS SE FORAM Mesmo após o término dos Jogos Regionais, a polêmica ainda continua em algumas cidades, cujos atletas não puderam participar esse ano e em Lorena não é diferente. Muitos pais, atletas e técnicos de várias modalidades ainda estão revoltados com o “corte” às vésperas do evento, esperado por muitos de um ano para outro e com investimento em treinamento, equipamento e muito mais, que foi simplesmente descartado, não conseguindo ao menos, se inscreverem por outra cidade. Será que em uma cidade como Lorena, tida como a mais violenta do estado, o investimento não valeria a pena? Será que o custo unitário por cada atleta nos Regionais não traria mais glórias que despesa para o município? Em modalidades de alto rendimento, com atletas de alto desempenho, com resultados magníficos a nível estadual e nacional, não seria o suficiente para justificar? Perguntar não ofende. Faro Fino

Então tá Regina Paula da Rocha Faria

Praça Arnolfo Realmente a Praça Arnolfo está abandonada. Além das pedras quebradas e arrancadas, elas foram mal assentadas e formando quinas em ponta. As quinas teriam que ser arredondadas. Uma prima machucou a perna ao passar distraída. Mas não é só isso. A cada reforma, diminui o número de bancos. Quando chove forte, várias passagens ficam alagadas, pois não há escoamento. A arborização é muito pobre, não há flores. As poucas que foram plantadas ao redor da estátua do Arnolfo eram impróprias para o local e já morreram. As plantinhas que colocaram contornando os canteiros também já estão em extinção. A grama está morrendo. Colocaram o chafariz e

Expediente

Jornal Vale Vivo CNPJ: 13.463.982/0001-08 Lorena - SP

Jornalista Responsável: Maria A.F.B. Matias MTB:68.138

Departamento Comercial: Ricardo Mendes:(12)98895-1500

Diagramação: Rafael Gomes de Andrade (12) 99186-3127 / 98140-1119

acham que é a beleza da praça. Não tem jardineiro para fazer a manutenção e dar o cuidado que as plantas necessitam. E não posso deixar de reclamar dos contêineres de lixo que foram colocados numa das principais passagens e ao pé das bandeiras. Ali não é o local para colocação de lixo que exala forte mal cheiro. É como colocar a lixeira na sala. O trânsito de bicicleta continua. A presença do veículo da polícia e de policiais que ficam inoperantes não adianta. E o que dizer sobre a Guarda Municipal? Eles disseram que não têm a atribuição de abordar os ciclistas que passeiam pela praça. Se não compete aos Guardas Municipais, então para que eles ficam desfilando seus belos uniformes azuis marinhos?

Registro Civil de Pessoas Jurídicas. Comarca de Lorena, n° 25, página 028, Livro B-1

Distribuição quinzenal nas cidades: Lorena, Aparecida, Cachoeira Paulista, Canas, Cruzeiro, Guaratinguetá, Piquete, Potim, Roseira, Silveiras, Pindamonhangaba.

Tiragem: 6.000 exemplares

www.jornalvalevivo.com.br contato@jornalvalevivo.com.br

As opiniões e conceitos emitidos nos artigos assinados, não representam a opinião do Jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores.


11 a 24 de agosto de 2018

Jornal Vale Vivo

03

Política

Aumento do Judiciário deve respeitar o teto de gastos, afirma Eunício https://t.co/228kFhaI1n

Frase Eleições 2018

Fotos: Ricardo Mendes/Jornal Vale Vivo

“Vote no currículo da pessoa. Quem é a pessoa? O que ela já fez na vida? Não importa a idade, a experiência faz a diferença. Do falar ou fazer tem um caminho muito grande.” Vito Artito Lerário

“Você sabia que o vice de Marina Silva é a favor do aborto, legalização da maconha e criminalização da ‘homofobia’”? Jair Bolsonaro em sua página oficial no Twitter

Ex-prefeito de Pindamonhangaba se reúne com lideranças políticas e população em Lorena Da Redação

contato@jornalvalevivo.com.br

N

essa última quinta feira, 09, esteve presente em Lorena o Senhor Vito Ardito Lerário, homem público da cidade vizinha de Pindamonhangaba que está em busca de uma cadeira na Câmara dos Deputados em São Paulo, ALESP.

O evento teve a presença de várias lideranças políticas da cidade de Lorena, além da parti-

cipação dos moradores e líderes de bairros que foram ouvir as palavras do pré-candidato, e seus

feitos ao longo de sua extensa carreira como prefeito na cidade de Pindamonhangaba.

Ex-prefeito Vito Ardito conta um pouco da sua história de vida pública aos presentes

Vereador Careca consegue junto ao executivo a prorrogação do prazo de anistia para multas e juros de débitos de contribuintes Da Redação

contato@jornalvalevivo.com.br

Preocupado com o término do prazo para concessão de anistia de juros e multas aos munícipes em débito com a prefeitura municipal de Lorena, principalmente com o IPTU de anos anteriores, que finalizou no dia de ontem, 31 de julho, o vereador Careca Locadora protocolou ofício na segunda-feira, 30, ao chefe do executivo

solicitando prorrogação. Após ouvir vários munícipes; principalmente aposentados e pensionistas do INSS que deverão receber antecipação da 1ª parcela do 13º salário neste mês de agosto; o edil Careca Locadora obteve êxito junto ao prefeito Fábio Marcondes, que concedeu praticamente mais dois meses de prazo para os contribuintes em atraso com IPTU, ISSQN e outras taxas, terem o benefício da Lei Complementar nº

276/2018. Para o vereador Careca Locadora, a vitória foi da população. “Agradeço ao prefeito Fábio Marcondes por ter atendido nosso pedido que será muito bem aceito, principalmente por muitos aposentados, que sabemos que querem regularizar suas dívidas, mas não tinham condiçõe s até o momento”, destacou Careca. Para os munícipes que queiram regularizar os débitos de acordo com

ATENÇÃO! De 6 a 31 de agosto, leve as crianças de 1 a menores de 5 anos de idade à unidade de saúde para que sejam vacinadas contra a poliomielite e o sarampo. Não se esqueça da caderneta. Saiba mais... https://t.co/f5qO6JExOg

a referida Lei Complementar, podem procurar o setor de tributação no paço municipal das 09h às 16h30min, de segunda a sexta-feira, até o dia 28 de setembro. Os descontos variam de 100% para pagamento a vista, 90% em 12 x, 80% para 24 x e 70% em até 36 x.

Vereador Careca Locadora

Câmara Municipal de Lorena


Jornal Vale Vivo

04

11 a 24 de agosto de 2018

10º Festival Gastronômico do Arro

Este festival é para promover gastronomicamente e culturalmente o arroz com suas variadas espécies e diversos modos de preparo. Essa idéia originariamente surgiu há 11 anos na “Festa Italiana da Colônia Italiana do Piagui” em 2008, pois a Colônia do Piagui, é conhecida como a maior região de cultivo de arroz no Estado de São Paulo. Nos primeiros preparativos deste festival ficou definido que ele aconteceria de 17 a 21 de junho de 2009 na Colônia Italiana do Piagui, em Guaratinguetá, e que refletiu positivamente nos anos posteriores surpreendendo a cada ano, tanto que este já é 10º festival. Sua proposta desde o início é levar o produto “arroz” do território onde ele é plantado, valorizando-o do ponto de vista das produções agrícolas, até o prato do consumidor. A partir de 2015 passou a fazer parte do calendário oficial do município de Guaratinguetá, e devido a valorização do arroz cultivado em larga escala ele está contribuindo também para o crescimento do turismo rural e gastronômico em Guaratinguetá.

Hasteamento das bandeiras, do estado de São Paulo, pelo secretário de Turismo, Felício Murad; do Brasil pelo prefeito municipal, Marcus Soliva; da Itália, pelo Comendador Giampaolo Bonora e de Guaratinguetá pelo Padre Marcelo

Comendador Giampaolo Bonora “Boa tarde! Em primeiro lugar quero me reportar ao que o Padre falou na hora da Missa qual é a principal razão que estarmos aqui hoje? É para celebrar o dia de domingo, Dominus, dia do Senhor, mas também estamos celebrando a festa para lembrar os nossos antepassados, é uma obrigação que nós temos, não podemos esquecer-nos dos nossos antepassados que se dedicaram a agricultura. Eu vou contar uma história que realmente aconteceu na China.Chegou um navio irlandês numa tempestade, estava todo quebrado e conseguiu entrar em um porto na China e os marinheiros foram comer na cidade, daí a pouco chegou mais um navio irlandês e aportou em péssimas condições, com homens feridos que também foram procurar um lugar para comer . Quando chegaram lá escutaram falar em irlandês, a língua irlandesa e com sotaque deu ma cidadezinha que era perto da deles, aí um subiu na mesa e perguntou o que é que houve na nossa querida Irlanda quando vocês comeram o almoço de São Patrício? Fechou o tempo,foi a polícia não adiantou mandaram o Exército e acabou a festa.Aí foram logo para o mandarim e contaram o que aconteceu tiverem que contar o que aconteceu. Aconteceu o seguinte, 500 anos antes, São Patrício que é o santo da Irlanda famoso até hoje, que converteu a Irlanda ao catolicismo e eles aportaram no porto lá e desceram e fizeram a sopa no caldeirão, pegaram água lá que estavam sem água e fizeram a sopa. Aí os habitantes da aldeia com pedaços de pau afugentaram São Patrício e eles tiveram que voltarem cima do navioe viraram a enseada, chegaram em outra aldeia e onde eles foram bem recebidos.E até hoje se alguém não tem, encontra alguém da cidade vizinha,sobe no barco e fala,quem foi que comeu a sopa de São Patrício? E fecha tempo, risos. Quando o mandarim escutou Isso, ele declarou : “Não, vocês não vão ser punidos, vocês vão levar uns presentes e vão embora, porque se vocês se lembram disto depois de 500 anos dos seus antepassados vocês merecem muitos elogios.E agora como a China está

na moda eu estou falando isso sobre a China porque realmente aconteceu. Agora os antepassados de vocês saíram da Itália porque a Itália estava em crise, assim como nós estamos agora e chegaram aqui, longe, naquele tempo demorava três meses e meio para chegar aqui no Brasil e eles vieram aqui num lugar completamente desconhecido, era uma mata fechada que eles não conheciam e aqui eles foram melhor tratados que outros lugares, aqui tinha uma família muito esclarecida que era do Dr. Rodrigues Alves que conseguiu inclusive médico para eles.Uma vez por semana vinha médico aqui, algo que ninguém tinha. Mas apesar de terem sido bem tratados, sofreram muito, um local desconhecido, animais desconhecidos, doenças desconhecidas e vieram aqui para plantar cana, mas quando a cana foi mal numa das nossas crises costumeiras, eles resolveram plantar arroz e foram inteligente com isso, porque o arroz está precisando sempre, eu posso deixar de tomar caipirinha, risos, mas não posso deixar de comer arroz então é uma coisa contínua, que deu possibilidades de vocês estudarem, crescerem, fazer tremendos silos, comprarem máquinas novas, isso ao longo dos séculos porque já fazem 200 anos isso. E não é só por isso, vocês tem que lembrar também por outra razão que se estuda principalmente nos Estados Unidos,Alemanha e Europa em geral,se estuda muito DNA, e estão começando a saber coisas que não se sabia, então provavelmente nós vamos conseguir saber coisas particulares de nossas famíliase todos vocês vão poder fazer isso quando ficar mais barato e é uma coisa muito boa. Então vocês vão lembrar-se dos seus antepassados por aquilo que fizeram,pelo fato deles terem princípios religiosos firmes, construíram duas Igrejas, uma aqui e outra lá em cima , quase do mesmo tamanho, então eles tinham princípios sadios de família e de respeito às autoridades, respeito ao país, nunca serviram ao exército, quer dizer, tinham princípios muito bons e esses princípios tem que ser mantidos é por isso que nós

estamos sempre aqui fazendo essas festas e mantendo esses princípios nós vamos prolongar por muito tempo todas essas coisas. Nós esperamos que vocês continuem muito bem e progridam sempre. Muito obrigado !” Comendador Giampaolo Bonora , pouco depois, declarou ao jornalista “que todos os anos me sinto muito bem em ver que o “Festival Gastronômico do Arroz” completando 10 anos demonstra que tomou uma proporção muito boa tanto para a difusão do cultivo do arroz aqui na Colônia do Piagui, destaque de produção no Estado de São Paulo, como bem falou a pouco o Prefeito Marco Soliva, como um fator de desenvolvimento de turismo local. O secretário de Turismo me parece estar muito entusiasmado também com o crescimento do Turismo em Guaratinguetá. Fico satisfeito em ver como o número de visitantes aumenta a cada ano, isto demonstra que o culinaristas estão cozinhando cada vez mais pratos com arroz que tem chamado a atenção pelo cuidado com que eles preparam, sempre com muito esmero. Os rizicultores acredito também devem ficar muito orgulhosos de ver que o produto que eles trabalham o ano todo, debaixo de sol e de chuva, esteja na mesa do brasileiro, e em uma festa como esta ele seja o alimento principal ou acompanhamento nos pratos salgados, doces, sorvetes. Sempre deixo um cumprimento a Profa. Fabiola Ferretti, que durante todos estes anos tem trabalhado bastante para a realização das festas aqui na Colônia do Piagui, bem como a Prefeitura Municipal e as Secretarias Municipais, a Paróquia Nª Srª Fatima , Igreja São João Batista, Policia Militar e também a presença constante da Banda do 5º BIL de Lorena.”

Prefeito Marcus Soliva Boa tarde a todos, quero aqui cumprimentar a nossa orquestra do 5º BIL, Batalhão de Infantaria de Lorena, o regente Aguinaldo, parabéns pela apresentação musical, obrigado pela presença em nosso tradicional Festival do Arroz de Guaratinguetá, saudar o nosso secretário de Turismo, Felício Murad, grande parceiro na organização do evento, ao nosso padre Marcelo, pela realização da nossa Missa solene, saudar ao nosso

vice-prefeito Régis Yasumura, aqui presente, grande parceiro na administração pública, saudar ao nosso Comendador Giampaolo Bonora, por mais um Festival do Arroz em conjunto com a Fabíola e o Círculo Italiano de Guaratinguetá, grande parceiro na organização do Festival do Arroz de Guaratinguetá. E falar o que desta festividade? Falar da realização da colheita, do sucesso e da mola propulsora que é esse setor da Colônia do Piaguí. Mola propulsora do agronegócio, onde nós temos aqui uma grande plantação de arroz, com sistema de plantio que trás essa qualidade do arroz de Guaratinguetá, como o maior produtor de arroz do estado de são Paulo. Para ter uma ideia, nessa estrada que a gente conhece como Estrada dos Lemes, são 11 km de estrada que você vai de ambos os lados acom-

panhando a plantação de arroz. É uma grandiosidade essa área e graças ao empenho da comunidade italiana, aqui enraizada na Colônia do Piaguí, que nós temos essa pujança, esse desenvolvimento do nosso município que é o plantio do arroz, que gera emprego e renda para a nossa comunidade. Em nome da administração pública de Guaratinguetá quero agradecer a toda a comunidade da Colônia do Piaguí, a comunidade italiana que contribui muito para a realização dessa festa e agradecer a presença da nossa população, dos cidadãos de Guaratinguetá e cidades vizinhas que vem prestigiar mais uma vez esse Festival do Arroz tão tradicional aqui em Guaratinguetá. Quero desejar uma boa refeição a todos, uma boa tarde e um ótimo final de domingo. Um abraço.


11 a 24 de agosto de 2018

Jornal Vale Vivo

05

oz na Colônia do Piagui surpreendeu mais uma vez Padre Marcelo

Caríssimos irmãos e irmãs, estamos aqui porque cremos em Deus, e amamos a Deus, somos cristãos, católicos e não podemos deixar de participar principalmente do domingo da comunhão. Sim, viver o domingo é o dia em que a comunidade se reúne para celebrar a ressurreição, ouvir a palavra, se alimentar da palavra de Deus e se alimentar também da mesa da Eucaristia. E assim sairemos dessa Missa fortalecidos, revigorados pelo Cristo que é, e que se faz nosso alimento. Estamos numa festa que é o Festival do Arroz. A Missa é o banquete dos filhos e filhas de Deus, por isso a Igreja tem uma mesa, a mesa do altar, a mesa da palavra, é uma única mesa porque nela está o Cristo. O Evangelho de hoje, a Primeira Leitura e o salmo nos trazem a figura da pessoa do pastor. Jesus vendo aquela numerosa multidão diz que eram como ovelhas sem pastor. Jesus é o bom pastor, que dá a sua vida pelas ovelhas, que se entrega para que nós tenhamos vida, e assim nós somos chamados a tomarmos cuidado no mundo de hoje com os falsos pastores. É o que nos fala a primeira leitura, os falsos pastores, aqueles que ao invés de pacificar as ovelhas apascentam a si mesmo, aqueles que ao invés de cuidar das pessoas se preocupam somente em cuidar de si mesmos, aqueles que ao invés de protegerem as ovelhas, estão preocupados somente consigo. Pode ser que haja hoje no mundo, falsos pastores, estejamos alertas com os falsos pastores. Estes no momento do perigo fogem, abandonam as ovelhas, ao contrário de Jesus que é aquele que cuida. O Salmo 22 é uma belíssima descrição de Jesus, diz que o Senhor nos encaminha pelos Prados e Campinas verdejantes, o bom pastor que dá segurança, que leva as ovelhas para repousar nas águas tranquilas é esse Jesus que nos transmite segurança, paz, e renova nossas forças, e por águas repousantes me encaminha e restaura as minhas forças. Quantas vezes nós nos cansamos dessa vida, em momentos difíceis de tribulações e parece que o ânimo está indo embora, a fé parece que está se diluindo, e vão desistindo da vida, de si mesma, das pessoas, da Fé, da Igreja, de Deus, de tudo. Irmãos e irmãs, Jesus que é o único e eterno Supremo pastor, nos chama a sermos pastores. Falar de pastoreiro é falar de cuidar de pessoas. Essa é a missão que Deus nos confiou, de cuidarmos uns dos outros. Na sua casa você tem a missão de ser pastor. O pai e a mãe são os pastores na sua casa, cuidam como pastor dos filhos, educa, instrui, aponta o caminho certo. A palavra de Deus diz que o pastor tem na mão, o bastão, o cajado, que significa a proteção e a segurança. O pai e a mãe são os pastores com cajado nas mãos que afugentam todos os perigos na vida dos seus filhos, perigos diversos que o mundo hoje podem atacar os nossos filhos e filhas, perigos de costumes, de ideias, de coisas erradas, de lugares errados, enfim. No evangelho diz que Jesus viu e sentiu compaixão daquela numerosa multidão, viu o sofrimento, a miséria e mesmo cansado com os discípulos, fatigados, com fome, se voltou para aquela multidão, pois o Evangelista Marcos diz no fim do evangelho que Jesus ensinou muitas coisas a eles e Jesus viu. Às vezes nós sentimos “pena ou dó”, eu posso até ver o outro, mas eu sinto dó. O cristão não pode ter uma alma pobre, o Cristão é chamado pelo próprio Cristo a ter sen-

timentos nobres, sentimentos elevados, e “compaixão” é um sentimento nobre, elevado, “não dó, pena”, isso não resolve nada na vida do outro, o cristão deve ter, como Jesus, compaixão, compadecer, assim vamos deixar de criticar, de fofocar, de menosprezar as pessoas, de ridicularizar o outro, vamos deixar de apontar o dedo e julgar o outro. Compaixão. Diante de um mundo muitas vezes frio e insensível, que nós cristãos possamos fazer a diferença. Pastor, cuida e apascenta como Jesus Cristo. E saindo agora irmãos irmãs da meditação da palavra, terminemos voltando para o momento do dia de hoje. Estamos encerrando nesse dia o Festival do Arroz com a graça de Deus mais um ano está acontecendo. Então é claro que essa Missa em Ação de Graças por essa festa que participamos, pelo seus organizadores, colaboradores, repito, essa Ação de Graças, por todos os trabalhadores do campo, pelo homem e a mulher do campo, por todos os produtores rurais, por todos os que produzem o arroz que favorecem assim o trabalho a muitos, oferecem o alimento em nossa mesa e queremos também resgatar em Ação de Graças celebrar essa Missa como dizia no início, por aqueles que aqui chegaram primeiro, aqueles que aqui plantaram primeiro. Nós somos também chamados a plantar, plantar o reino de Deus na terra. Mas voltando novamente a plantação do solo propriamente dito, queremos também nessa Missa pedir a Deus a benção para a nossa terra. Brasil uma terra abençoada, uma terra fértil, onde plantou colheu. Peçamos nessa Missa em oração que Deus continue abençoando nosso solo, abençoando nossa terra, abençoando nosso povo brasileiro, abençoando o trabalho de todos aqueles que aram, que colocam a mão na terra e tiram seu sustento, fruto do trabalho humano, mas também do trabalho da terra, que é benção de Deus. Festival do Arroz. Queremos lembrar aqui daqueles que não têm alimento em sua mesa, que a fartura que temos aqui hoje e com a graça de Deus todos os dias em nossa mesa nos torne sensíveis para lembrar que somos responsáveis pelo alimento na mesa daqueles que não tem, porque de repente aquilo que sobra na minha mesa é o que está faltando na mesa do meu irmão. Que Deus abençoe a todos nós, que Deus abençoe todos os agricultores de nossa cidade de Guaratinguetá e é claro, aqui em especial os agricultores da Colônia do Piauí, fundada pelos nossos irmãos e irmãs italianos que aqui chegaram, residiram e viveram nessa terra, nesse solo abençoado. Portanto nós resgatamos a memória desse povo de Deus, desses nossos irmãos italianos, que lá no passado, aqui chegaram, não é essa, mas aqui construíram uma Capelinha e com toda devoção a São João Batista que trouxeram lá da Itália, nós continuamos essa devoção, essa tradição, a nossa vida em comunidade, a nossa vida cristã. Que deus derrame a sua graça e a sua benção sobre nosso solo, sobre nosso povo e sobre todos nós que aqui estamos.

Avanço das Festas Italianas nas cidades com grande descendência de italianos O Com. Giampaolo Bonora, com grande entusiasmo e competência é Presidente da FECIBESP - Federação das Entidades Culturais Ítalo Brasileiras do Estado de São Paulo e durante uma longa caminhada que já dura mais de 20 anos pelos municípios do Vale do Paraìba, Serra da Mantiqueira e Litoral Norte ampliou o número de novos “Cursos de Formação de Professores na Língua Italiana” para a rede municipal de ensino destes municípios, que passaram a ministrar aulas de italiano para os alunos da rede municipal. Este projeto foi lançado em 1998, pelo Consulado Geral da Itália e através da Fecibesp. Também não podemos deixar de registrar o empenho do Com. Giampaolo Bonora em participar das “Festas Italianas” tanto em Guaratinguetá, como nestas cidades vizinhas, enfatizando aspectos “folclóricos, religiosos e gastronômicos” da cultura e língua italiana. Hoje muitas destas festas italianas fazem parte de um roteiro turístico de diversas cidades, como é a “Festa Italiana de Canas” em sua 14ª edição, que ocorreu de 26 a 29 de julho de 2018. Com. Giampaolo Bonora esteve presente em Canas a convite do Prefeito Municipal, Lucemir do Amaral, e pelo Presidente da Câmara de Vereadores de Canas, Ricely Isalino, e os elogiou pela organização e a valorização da culinária, e a cultura italiana através das Tarantellas e músicas italianas. Aproveitou também para cumprimentar todos os presentes, e fez questão de registrar o momento com os professores da rede municipal de Caraguatatuba que fazem o “Curso de Formação de Professores em Língua Italiana” que estavam visitando a Festa Italiana de Canas naquele momento. Isto demonstra mais uma vez que este empenho do Com. Bonora em levar a Cultura e a Língua Italiana por vários municípios fez com que cursistas e familiares dos cursistas em prol do estudo da língua italiana nas escolas municipais criassem laços nunca imaginados.

Ricely Isalino, Presidente da Câmara de Canas recebendo Comendador Bonora e os professores municipais de Caraguatatuba

Fiéis aguardando o início da celebração

Momento aguardado por todos, a distribuição de cobertores pelo Comendador Giampaolo Bonora, auxiliado pelo gerente da Fiação Guaratinguetá, José Roberto, acompanhados pelo secretário de Turismo, Felício Murad e o assessor de Comunicação, Ricardo Abissi

Banda do 5º BIL de Lorena, sempre presente nas festas da Colônia do Piaguí, a pedido do Comendador Giampaolo Bonora

Comendador Giampaolo Bonora ladeado pelo prefeito de Canas, Lucemir do Amaral e do Presidente da Câmara Ricelly Isalino, participa novamente da Festa italiana de Canas


Jornal Vale Vivo

06

Cidades

11 a 24 de agosto de 2018

Não é normal sentir dor na hora de amamentar. Saiba sobre a mastite no Blog da Saúde - https://t.co/PbbQnJyWoX

Secretaria de Esportes de Guaratinguetá lança projeto “Esporte Especial” O projeto terá apoio de entidades especializadas em pessoas com deficiência Carla Moura Freelancer

carlamoura@jornalvalevivo.com.br

A

A Secretaria Municipal de Esportes de Guaratinguetá lançou neste mês de A g o s t o o p r o j e t o “E s porte Especial” destinado a pessoas com deficiências. De acordo com o Secretário de Esportes, Joel Pinho de Oliveira, a iniciativa do projeto aconteceu durante uma conversa com a equipe da Secreta-

ria de Esportes e também pelo fato de não haver no município um “Projeto de Inclusão Pública”, para as pessoas portadoras de deficiência. O projeto também contará com o apoio de entidades especializadas como a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), o CMPD (Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência) e o ILA (Instituto Lucas Amoroso). “O objetivo do ‘Esporte Especial’ é trazer os deficientes novamente ao

convívio social, oferecer para eles mais qualidade de vida, tanto na sua mobilidade física e mental. Proporcionar a essas pessoas através do esporte uma nova esperança social, dignidade e direito a vida social normal a todos”, afirmou o Secretário de Esportes, Joel Pinho. A princípio serão oferecidos aulas de Ginástica Rítmica Adaptada, Atletismo, Capoeira e Esportes Radicais (skate e patins). Segundo o SecretáDivulgação

rio de Esportes, as aulas serão ministradas por professores da rede municipal e professores voluntários, sendo que cada turma terá no máximo 10 alunos e as aulas acontecerão duas vezes por semana no período da manhã e a tarde. Para se inscrever a pessoa interessada deve comparecer na Secretaria de Esportes, que fica situada na Rua Luiz Pasteur, s/nº, no bairro do Pedregulho, para preencher uma ficha cadastral com todos os dados

Da Redação

Na noite de sexta-feira, 03, ocorreu mais uma disputada escolha da Rainha

Vice-prefeito João Loló, presidente da Câmara Pedro Paulo, ganhadoras do concurso e outras participantes

Natal Solidário de Lorena Peças a partir de R$ 1,00 Venha conferir! Sua ajuda é muito importante para que possamos realizar o SONHO DAS CRIANÇAS! Praça Conde Moreira Lima, nº 10 (em frente à Biblioteca Municipal de Lorena). Segunda à sexta - 13h às 17h Sábado - 09h às 11h

contratar mais professores e aumentar também os espaços físicos para inserir mais modalidades”, disse o Secretário de Esportes. Mais informações pelo telefone da Secretaria de Esportes (12) 3122-4010.

Concurso da Rainha do Rodeio 2018 é sucesso! contato@jornalvalevivo.com.br

BAZAR

necessários entre eles o tipo de deficiência, mobilidade e grau de independência. O projeto “Esporte Especial” não terá restrições, serão atendidas todos os tipos de deficiência. Podem participar dessa ação pessoas a partir de 7 anos, sendo que não tem idade máxima para se matricular. “No primeiro momento vamos atender o limite da capacidade técnica, mas nosso objetivo é conforme for aumentando a procura pelo projeto

do Rodeio 2018 na cidade de Silveiras. Com uma participação grande de munícipes, um clima muito descontraído e uma organização perfeita, o evento foi coroado de sucesso. “Gostaria de agradecer ao presidente da Câmara Municipal, vereador Pedro Paulo pela participação, à Clarine pela organização, Aline Vaz pelo apoio, aos jurados,

o amigo Cássius Araújo pela dedicação, o DJ Giovani pelo som, a todos os envolvidos e principalmente às participantes, responsáveis pela beleza do concurso”, destacou o vice-prefeito João Loló, um dos organizadores. As ganhadoras: Rainha - Maysa Oliveira; Princesa - Raíssa Prado; Madrinha - Indianara ; Miss simpatia - Dani Reis e Miss tropeiro Hengel.

Restaurante da Dona Dita Ricardo Mendes/Jornal Vale Vivo

Ali em Cunha, bem no centro da cidade, ao lado da Igreja Matriz. Vá saborear uma deliciosa comida caseira. Funciona de quinta a domingo, a partir das 11h30. A “Dona Dita” tem uma equipe excelente e todos muito simpáticos, prontos para atendê-lo. O preço? É baratinho, por pessoa a vontade ou por quilo, você escolhe.


11 a 24 de agosto de 2018

Jornal Vale Vivo

Sexóloga do Altas Horas Afirma: É a forma mais rápida e segura de acabar com a disfunção masculina - encurtador.com.br/bktAG

07

Geral

Casa da Acolhida de Lorena ganha nova sede para atender os moradores de rua Bianca Vargas Freelancer

A

nova sede da Casa da Acolhida de Lorena foi inaugurada no dia 2 de agosto. Em novo endereço, agora no Bairro Vila Hepacaré, a residência oferece atendimentos aos moradores de rua ou aquelas pessoas que estão de passagem pela cidade. Dentre os serviços oferecidos estão: comida, cama, banho, corte de cabelo e barba. Segundo a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social de Lorena, Zeila Pozzatti, essa nova sede tem inúmeros benefícios, como a estrutura e localização. “Aqui nós temos três quartos, três banheiros, uma cozinha ótima, uma varanda, uma

sala grande, uma entrada independente e acessibilidade. E a localização que é perto da rodoviária e da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social”. Essa troca da sede foi necessária devido à mudança da administração. A antiga casa teve que ser fechada em dezembro do ano passado por problemas de prestação de contas com a antiga Organização da Sociedade Civil Assembléia de Deus Belém do Pará - ADBPAR. Desde então, a prefeitura iniciou a busca por outra instituição que pudesse assumir os serviços. No começo desse ano, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social firmou a parceria com a Associação Aldeias de Vida, que já presta um

trabalho com os jovens na cidade. Para o presidente da Associação, Pedro Alkimin, nessa administração os atendimentos às pessoas em situação de rua serão ampliados. “Um trabalho que não vai ser somente dar acolhida, comida, roupa lavada, nós pretendemos ser uma coisa maior, que remete ao espiritual, entender o motivo da pessoa estar nessa situação e o que a gente pode fazer para que ela possa se reintegrar na sociedade, com a família e o trabalho.” A nova sede da Casa da Acolhida de Lorena fica na Rua Virgulino Pinto Cabral, no bairro Vila Hepacaré e tem capacidade para atender 16 pessoas, sendo 12 camas para os homens e quatro para as

mulheres. Ao todo serão cinco funcionários que vão trabalhar no local, além da equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social que realiza o trabalho de abordagem nas ruas convidando e passando o novo endereço a essas pessoas. Apesar da casa já estar inaugurada, ainda faltam alguns utensílios para compl etar a estru tu ra dessa nova sede. “A gente precisa de louça para a cozinha, um fogão, por qu e o qu e temos a qu i está muito velho, lençol, travesseiro e produtos de higiene”, explicou a coordenadora da casa Renata Schalembergue. Quem puder colaborar pode levar as doações até a Casa da Acolhida entre às 7h e 22h.


08

Jornal Vale Vivo

11 a 24 de agosto de 2018

Jornal Vale Vivo  

Edição 196 do Jornal Vale Vivo.

Jornal Vale Vivo  

Edição 196 do Jornal Vale Vivo.

Advertisement