Issuu on Google+

TribunaViP http://jornaltribunavip.blogspot.com - Vicente Pires/Águas Claras - Ano II - Número 26 - março e abril de 2011

Vicente Pires em fase de recuperação total Conforme a administradora de Vicente Pires, Maria Celeste Liporoni, a cidade saiu na frente das demais regiões administrativas do DF e hoje já conta com boa parcela dos serviços de melhorias já executados. Entre estes ítens destacam-se a recuperação asfáltica e o serviço de tapa buracos, seguido pela limpeza das ruas. - Calculamos perto de 80% dos serviços já prontos na cidade, observa a administradora, lembrando que no máximo em dois meses o serviço de sinalização seja realizado por completo. Uma

outra boa notícia vem da Agência Reguladora de Águas (Adasa) que concedeu a outorga prévia à Novacap, transferindo direito de uso das águas pluviais no Córrego Vicente Pires e em seu afluente, córrego Samambaia, por meio do sistema de drenagem pluvial que atenderá as quadras de Vicente Pires. A administradora Observou também que o governador Agnelo Queiroz tem acompanhado de perto as questões relativas a Vicente Pires e defende a ampla recuperação da estrutura da cidade. - Páginas 3 e 7

Na Esplanada RA XXX marca presença

Detran e DER fecham via Página 3

Feira do Produtor refaz história

Investimentos em alta

Página 4

Grandes empresas se instalam em Vicente Pires, acreditando no futuro promissor da cidade. Consumidor local começa a descobrir opções.

Vem aí o 2º Torneio de Truco de Vicente Pires


2

Tribuna Vip

política

Brasília, meu amor! Cheguei a Brasília em 1970, vindo do interior do Rio Grande do Norte. Essa viagem ao encontro do futuro foi uma experiência extraordinária, da qual eu tiraria as primeiras lições de vida. A jornada durou nada menos do que sete intermináveis e sofridos dias pelas estradas difíceis do interior nordestino, dentro de um ônibus que abusava do direito de quebrar e de retardar a chegada. Não é exagero dizer que foi uma verdadeira odisséia para aquela família que deixara a pobreza do sertão com a esperança de encontrar aqui nova perspectiva de vida. Esperança, sim, era a palavra certa para definir nosso sentimento naqueles dias. Esperança que se renovava a cada parada, a cada minuto de atraso. Esperança e fé em nosso futuro e no futuro da nova sede administrativa do país, tão apropriadamente chamada por seu criador, o inesquecível Presidente Juscelino Kubitschek, de Capital da Esperança, que nasceu, segundo registra a história, da cobrança de um humilde morador do interior de Goiás, conhecido apenas como Toniquinho. Sei que muitos já leram ou ouviram esse relato, mas vale a pena relembrar o episódio, neste momento em que me sinto mais envolvido do que nunca pela forte magia brasiliense, essa Majestosa Capital. Durante comício na cidade goiana de Jataí, caiu um temporal e todos tiveram de se abrigar em um galpão. JK subiu em um caminhão para discursar (aqui se faz presente a força do destino) e, mal começara a falar, foi interrompido por Toniquinho, que perguntou: - Se for eleito Presidente, o Senhor mudará a capital para o Planalto Central como está previsto nas disposições transitórias da Constituição de 1891? Pego de surpresa, JK respondeu que sim, faria valer a Constituição. A partir daquele momento, sentiu-se na obrigação de cumprir a promessa. O resto da história todos nós conhecemos, e graças a ela estamos aqui, no Distrito Federal, em pleno Planalto Central, como queria Toniquinho. Terra generosa, que premia o talento, o trabalho e a conduta ética, abrigaria a família Granjeiro com a generosidade que também é característica dos brasilienses ao receberem aqueles que vêm de longe para aqui construir o novo lar. Ainda guardo vivas na mente as imagens daquele tempo, quando esta Brasília grandiosa ainda era uma urbi em construção, e não a fantástica e complexa metrópole de hoje. Era uma cidade-criança, com apenas nove anos de idade em 1970, somente dois a mais que eu. Por isso posso dizer, com muito orgulho, que crescemos juntos, a cidade e eu, tendo passado pela infância e pela adolescência e atingido a idade adulta, fase a que chegamos fortes, confiantes e prontos para enfrentar quaisquer desafios. Naquele já distante ano de 1970, éramos apenas 538 mil habitantes, igualmente divididos entre homens e mulheres e espalhados por oito cidades-satélites, que corresponde hoje às unidades administrativas. Carro, televisão e outros eletrodomésticos, banais nos dias de hoje, não estavam ao alcance de famílias pobres como a minha. Era preciso suar muito a camisa para adquirir esses bens, a que agora quase toda

Tribuna Vip

NOS BASTIDORES Regularização fundiária rural

O GDF está regularizando as terras rurais públicas e, para orientar e informar os produtores rurais sobre o processo foi inaugurada no último dia 7 de abril, uma sala de atendimento na sede da Secretaria de Agricultura. Com a regularização, o produtor tem a possibilidade de gerenciar seus negócios de forma legal com acesso ao crédito, à regularização ambiental e outros benefícios, além de possibilitar que o Governo desenvolva políticas públicas que incentivem o desenvolvimento rural. Serviço: A Sala de Atendimento para a Regularização Fundiária fica na sede da Secretaria de Agricultura, sala nº 12, SAIN - Parque Rural S/N, no final da Asa Norte, ao lado da sede da EMATER-DF. Telefone: 3274-9067 Email: sarf.seapa@gmail.com

Alerta para barragem

a população tem acesso. Sem falar em telefone, ainda um luxo muito caro naquela época. E me refiro ao telefone fixo, pois ninguém sequer imaginava o que viria a ser telefone celular ou internet. Brasília, em 1970, era muito diferente da cidade que vemos hoje: o barro vermelho predominava na paisagem da Nova Capital, onde até mesmo o Plano Piloto ainda estava em construção. Passados 39 anos, o crescimento urbano fez explodir os índices populacionais. No censo demográfico realizado pelo IBGE em2010, sua população é de 2 562 963 de habitantes, cinco vezes mais do que no ano de minha chegada. Somos atualmente uma comunidade em que a ascensão feminina é uma realidade: 60% da população é formada por mulheres, contra 40% de homens. Para administrar essa coletividade, o número de regiões administrativas aumentou, de 8, existentes em 1970, para 30, em 2011. Brasília oferece a melhor qualidade de vida entre os mais de cinco mil municípios do país. Em minha humilde avaliação, esta ainda é a melhor cidade do mundo para se viver. Uma capital majestosa em sua arquitetura deslumbrante, de tão singular formosura, em pleno coração tupiniquim. O centro político de onde emanam as decisões que controlam toda a nação. Uma jovem histórica prestes a completar singelos cinqüenta anos de existência. A cidade modelo dos olhos de JK é hoje um prodígio encantador. Minha esposa nasceu em Brasília; meus filhos nasceram em Brasília; eu estou em Brasília há 41 anos e aqui espero ficar até meus últimos dias de vida. Aqui exerço minhas atividades e meu principal hobby: correr pelo Parque da Cidade e pelas ruas e pistas brasilienses, treinando para maratonas. Aqui pretendo continuar a exercer meu talento de empreendedor, gerando empregos, ganhando prêmios como maior contribuinte e ajudando milhares de pessoas a ocupar cargos públicos e a iniciar carreiras de sucesso. A essa Amada e Majestosa Capital Federal, os meus parabéns e muito obrigado! J. W. GRANJEIRO Diretor-Presidente do Gran Cursos Coordenador do Movimento pela Moralização dos Concursos-MMC. www.professorgranjeiro.com http:www.twitter.com/JWGranjeiro

Jornal do Setor Habitacional Vicente Pires e Região Ano IV Nº26 - março/abril/2011 Publicação dirigida - Vicente Pires/Águas Claras

O Secretário de Assuntos estratégicos, Newton Lins, se juntou ao grupo do Governo Federal que está cuidando da segurança institucional do país. Em Brasília, as condições de segurança da barragem de Santo Antônio do Descoberto, estão sendo analisadas. O grupo, que conta com a parceria da Caesb, é composto por representantes do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Agência Nacional das Águas, Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído, Ministérios da Saúde, Cidades e Meio Ambiente. Inicialmente, cinco áreas serão avaliadas: Energia, Água, Comunicação, Transporte e finanças. A ação é de caráter preventivo.

Mudança em Águas Claras

Com a perda de apoio do deputado Chico Leite, administrador indicado pela comunidade é substituído. Segundo o GDF, a alteração decorre de uma acomodação natural em início de gestão A exoneração do representante de Águas Claras, José Júlio Oliveira, foi publicada no Diário Oficial do DF. A vaga foi preenchida pelo então chefe de gabinete, Rubens Ferreira da Costa.

Dia do Tabalhador com festa

Para comemorar o Dia do Trabalhador em grande estilo, a população de Vicente Pires está convidada a participar do Dia do Bem. Promovida pela Associação Comunitária de Vicente Pires, em parceria com a Administração Regional da Cidade, a comemoração será palco da formalização do convênio entre Arvips, Administração e o Senac-DF.

PL oficializa executiva

O Partido Liberal (PL) está de volta e vem com muito gás para fortalecer a política nacional. A sigla retorna contando com apoio de pastores evangélicos e de diversos outros setores, identificados com o ideário político do partido.

Dilma diz a militares que país “corrigiu seus caminhos”

É possível que seu navegador não suporte a exibição desta imagem. Um país cujas Forças Armadas atêm-se às obrigações constitucionais é um país que corrigiu seus caminhos e alcançou elevado nível de maturidade institucional, disse a presidenta.

EBC- Empresa Brasiliense de Comunicação - CNPJ: 38039285/0001- 47 Produção - EBC Comunicação - Jurídico: Nathalia F. Toledo Editor - Carlos Alberto de Toledo - Reg.Prof. 1200/84 DRT-DF - Contatos: 8498-1673 Coordenação - Élide Ferreira - 8443-4975 Publicidade e distribuição - jornaltribunavip@gmail.com.br Editoração - Jorge Ribeiro - 9952-6839

Conteúdo publicitário de responsabilidade dos anunciantes. Matérias assinadas dividem responsabilidade com o jornal Tribuna ViP - Sugestões e críticas : ebccom@gmail.com

Tribuna Vip

administração

Legalização de condomínios reúne governador Agnelo em Vicente Pires

3

Nesta coluna a presidenta Dilma Rousseff responde semanalmente às perguntas dos cidadãos brasileiros. As questões são sugeridas por leitores de todo o país. Encaminhe sua pergunta para jornaltribunavip@gmail.com

Conversa com a Presidenta

Processo de regularização de Vicente Pires exige empenho e determinação das autoridades locais.

Diante de um enorme desafio, o governador Agnelo Queiroz conseguiu, nos primeiros cem dias, imprimir a marca da mudança que quer para o Distrito Federal. Foram anunciadas 70 medidas pelo governador, além das demais realizadas pelos diversos setores do GDF. Ainda há muito a ser alcançado, e as vitórias já obtidas para a população dão a dimensão da reestruturação e reforma que este governo quer realizar na capital federal, imprimindo um novo caminho para o Distrito Federal. Em Vicente Pires Contando com a presença do governador Agnelo Queiroz, a administradora de Vicente Pires Maria Celeste Liporoni recebeu em sua

residência, para uma reunião de serviço, secretários do governo que vem trabalhando na questão que trata da legalização dos condomínios do DF. Geraldo Magela da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Dirsomar Chaves Secretario da Micro e Pequena Empresa e Economia Solidária, Lucia Carvalho do Patrimônio da União e Lenie Santiago do Grupo de Regularização de Condomínios (Grupar) do GDF, trataram de um tema que há muito mobiliza governo e representantes de milhares de habitantes que hoje habitam nas regiões de condomínios da capital brasileira. Apesar da persistência do atual governo em tornar o tema uma questão prioritária

e de grande importância para a sociedade que habita nas regiões de condomínios, existe ainda uma série de exigências que precisam ser cumpridas para que o processo de legalização das terras que acolhem os condomínios sejam definitivamente legalizadas. No encontro, que não estipulou datas para concluir a questão, a administradora de Vicente Pires constatou que “existe uma determinação do governador Agnelo quanto a legalização dos condomínios e isto será realizado o mais breve possível”, salientou, lembrando que as reuniões vão continuar em ritmo acelerado e com a firme intenção de resolver a questão que se arrasta há muitos anos.

100 dias de trabalho de Maria Celeste à frente da Administração de Vicente Pires Conforme a administradora de Vicente Pires, Maria Celeste Liporoni, a cidade saiu na frente das demais regiões administrativas do DF e hoje já conta com boa parcela dos serviços de recuperação da cidade já executados. Entre estes ítens destacam-se a recuperação asfáltica e o serviço de tapa buracos, seguido pela limpeza das ruas. Calculamos perto de 80% dos serviços já prontos na cidade”, observa a administradora, lembrando que no máximo em dois meses o serviço de sinalização seja realizado por completo na cidade. Observou também que o governador Agnelo Queiroz tem mostrado interesse em saber das questões relativas a Vicente Pires e a ampla recuperação da estrutura da cidade. O go-

vernador do DF está sempre em contato conosco e quer saber sempre sobre as melhorias que a cidade recebeu e quanto as perspectivas para o futuro da região”, destacou a administradora, que considera os 100 dias da gestão de Agnelo um excelente indicativo das futuras mudanças e melhorias previstas para a região e todo o Distrito Federal. E tem mais... A Administradora se reuniu com o presidente do DER- Departamento de Estradas e Rodagem solicitando a troca de posição de um semáforo na EPTG próximo a uma das entradas para Vicente Pires. A solicitação espera parecer técnico. Também foi fechada durante 15 dias, uma das entradas para Vicente Pires. O

local está sendo monitorado neste período pelo Detran e DER. Esteve em pauta durante o mês de março as questões relativas a revitalização de Feira do Produtor que já vem recebendo melhorias e cuidados para que o local sustente e amplie sua condição de ponto de encontro dos brasilienses com serviços e produtos de atrativo para a população. A administradora destacou o serviço de pavimentação completa do estacionamento que está sendo executado na área.Também serão implantados segundo a administradora dois pontos de encontro comunitário na região de Vicente Pires, tornando mais acessível os eventos que se desenvolverem na cidade entre outros benefícios sociais.

José Raimundo, 38 anos, pequeno empresário de Samambaia (DF) - Quando o governo vai mudar a maioridade penal para 16 anos? Estamos cansados de ser assaltados por jovens de 16, 17, 17,5 anos. Impunes, esses infratores continuam agindo contra pessoas de bem. Presidenta Dilma – A redução da maioridade penal aparenta ser uma solução rápida e eficiente. Mas em nenhum país que promoveu essa redução, houve queda da criminalidade. O jovem em situação de carência e de violência, com a prisão, ainda seria cooptado pelo crime organizado. Nossos programas e ações buscam principalmente a prevenção e a recuperação. É o caso do Projovem, programa para os que estão na faixa de 18 a 29 anos e têm baixa escolaridade – eles recebem bolsas de R$ 100,00 para concluírem o ensino fundamental e fazerem cursos de qualificação profissional. O Projeto de Proteção dos Jovens em Território Vulnerável (Protejo), do Ministério da Justiça, também fornece bolsas de R$ 100,00 e envolve os jovens em atividades de esportes e lazer e oferece cursos profissionalizantes. No mês passado, iniciamos a implementação dos Centros Regionais de Referência (CRR) em Crack e Outras Drogas. No total, serão 49 centros para a qualificação de 14 mil profissionais, como psicólogos, médicos, enfermeiros e assistentes sociais. Estamos investindo também em um novo modelo de unidades de internação, que atendem no máximo 90 adolescentes cada uma, com espaços para escola, unidades de saúde, quadras esportivas e oficinas culturais e de profissionalização. O problema é muito complexo, desafia a sociedade e o poder público, e exige múltiplas iniciativas para o seu enfrentamento. Wellington Ribeiro da Silva, 34 anos, agente comercial de Recife (PE) – Existem possibilidades para o salário mínimo aumentar para 600 reais ainda em 2011? Presidenta Dilma – Wellington, como nós estamos respeitando a fórmula usada desde 2007, no início de 2012 o salário mínimo poderá chegar a R$ 616,00. Isto porque o reajuste deverá ser de cerca de 13%. Este ano, de acordo com a mesma fórmula, o reajuste elevou o salário mínimo para R$ 545,00. E o que diz a fórmula, que é resultado de acordo firmado com as centrais sindicais? Que o reajuste será feito pelo índice da inflação do ano anterior mais o índice de variação do PIB de dois anos anteriores. Com a aprovação de lei pelo Congresso, nós garantimos também que os reajustes até 2015 respeitarão essa fórmula consagrada. Foi graças a ela que no governo passado o salário mínimo teve aumentos reais, ou seja, acima da inflação, de cerca de 55%. Esta regra assegura que o aumento real seja efetivo, pois não pressiona a inflação, que poderia anular os ganhos. Este ano o reajuste foi menor – ainda que acima da inflação – porque o índice do PIB de 2009 foi negativo em função da crise. Se nós ignorássemos a fórmula este ano, aumentando acima do previsto, nos anos seguintes, poderia surgir a proposta de tornar a ignorar, mas para reduzir os reajustes. E eu asseguro que isso não vai acontecer. Douglas Nery Neto, 27 anos, professor de Palmas (TO) – O que fazer com as obras que contam com recursos do governo federal e que, no entanto, estão paradas porque a prefeitura não cumpriu com a sua contrapartida? Há risco de as verbas retornarem aos cofres públicos da União? Presidenta Dilma – Douglas, o risco que existe é de os recursos disponibilizados pelo governo federal serem remanejados para outras obras do PAC. No entanto, o governo tem se empenhado em tomar medidas para evitar que se chegue a esse ponto e que a população seja prejudicada. Uma delas foi aumentar os recursos federais para empreendimentos de Habitação e Saneamento e com isso possibilitar a redução de 40% das contrapartidas das prefeituras. Tivemos que tomar essa medida porque boa parte dos municípios – que são os executores das obras – teve uma redução grande de receitas devido à crise financeira internacional. Decidimos também eliminar as contrapartidas para os empreendimentos de Habitação e Saneamento selecionados pelo PAC 2. O objetivo é evitar que o problema continue e se agrave em relação à execução das novas obras. Reconhecemos que mesmo com essas providências, o problema persiste em algumas obras. Para a superação, o Ministério das Cidades e a Caixa Econômica estão atuando diretamente junto às prefeituras executoras. Quando há a necessidade, os prazos e compromissos para a execução dos projetos são refeitos, levando-se em conta a realidade dos municípios.

Faça sua pergunta a presidenta Dilma Rousseff envie para o e-mail: jornaltribunavip@gmail.com


4

Tribuna Vip

cidade

Tribuna Vip

Feira do Produtor resgata sua história

Pioneiros da Feira do Produtor de Vicente Pires reunidos para registrar histórico do empreendimento

e serviços para milhares de consumidores, tanto de Vicente Pires quanto de toda a região da capital brasileira. O começo - E para sacramentar a história de uma iniciativa que deu certo, a atual direção de Feira do Produtor realizou a primeira reunião para resgatar e documentar seu histórico. Os feirantes de ontem que já não atuam mais na atividade e os demais que continuam seus trabalhos se reuniram na residência de Edson Bezerra Cabral, que além de também ter feito parte do projeto da Feira do Produtor sempre colaborou em fortalecer e incentivar a iniciativa que agora ganha atenção especial. No início, a Feira recebeu incentivo por conta de Arvips, a associação que cuida dos interesses sociais dos moradores de Vicente Pires e nos últimos anos ganhou independência administrativa com a criação da Afeivips, a Associação dos Feirantes. Conforme o gerente da

Feira Mauro Regis, “a iniciativa é uma forma dos fundadores montar um arquivo que define a origem, a batalha, os registros, fatos e demais acontecimentos que fizeram parte da história da Feira e tornar o tema, sempre atualizado, inclusive com uma página na Internet dedicada ao assunto”, explica. História da Feira - Ouvimos alguns participantes da reunião a exemplo de Sebastiana Alves, uma das pioneiras no projeto das Feira do Produtor. Moradora de Vicente Pires há 26 anos, ela relembra quando o pessoal da EmaterEmpresa de Assistência Técnica e Extensão Rural, foi até sua casa e ofereceu um galpão da Zoobotânica para montar a feira. “Foi o começo de tudo, vendíamos e até trocavamos mercadorias, valia tudo para incentivar quem freqüentava o espaço. Minha primeira banca foi uma tampa de fogão sobre uma caixote para expor

meus produtos”, recorda. Sebastiana salienta que, “com incentivo da Emater e do SENAC organizamos cursos para os feirantes e a Associação- Arvips, incentivou a iniciativa. Várias reuniões, festas, almoços e eventos passaram a acontecer para que todos tivessem motivação e interesse em manter a atividade que passou a ser fonte de renda de muitas pessoas”, observa. Ela viu a Feira do Produtor crescer e progredir e hoje, com satisfação, acompanha o seu desenvolvimento. Atualmente, tem novos projetos, tornou-se artista plástica e pretende incrementar um espaço cultural na Feira do Produtor, que já teve oportunidade de divulgar em várias ocasiões inúmeros trabalhos de artistas da cidade. Qualidade na feira - Dona Cleuza Siqueira é outra feirante que faz parte da breve mas promissora história de Feira do Produtor. Hoje com-

põe a diretoria da Afeivips, mas enfrentou muitas dificuldades até se estabilizar na iniciativa, sempre apoiando os projetos em favor da feira. - Temos muito ainda a melhorar, destaca dona Cleuza que avalia ser um trabalho de “formiguinha” o que foi desenvolvido por todos que hoje fazem parte da Feira do Produtor. Ela acredita que muito ainda pode ser feito, considerando a clientela exigente que freqüenta e utiliza dos produtos e serviços da feira e que o objetivo é trazer qualidade para os usuários, salienta. Criação de Porcos - A criação da Feira do Produtor de Vicente Pires, há quinze anos atrás, aconteceu de uma iniciativa ímpar que na oportunidade reuniu pessoas com muitos ideais e iniciativas. São inumeros os relatos que marcaram a época, a exemplo de Rui de Deus proprietário de um antigo galpão que estava abandonado e que serviu de ponto de partida para tocar seu negócio. O incentivo veio por parte de outros idealizadores da Feira como Edson Cabral, Luis Pereira e Dirsomar Chaves. Rui, criava porcos e foi incentivado a vender seu produto na feira que estava nascendo. A procura foi intensa e o negócio prosperou de forma surpreendente, relembra Rui , destacando que a Feira do Produtor teve muita repercussão, cresceu, incorporou muitos produtos e serviços e atraiu consumidores. O ex-feirante considera que o ponto foi e continua sendo um empreendimento da área rural de muito sucesso, pois com sua origem humilde conseguiu surpreender graças a iniciativa dos feirantes que acreditaram na proposta.

Self-Service com churrasco diariamente Funcionamento do Bar: de quarta a segunda com churrasquinho na brasa Seg. a sex. - 8 às 18hs - Sáb. e dom. de 7 às 14hs

Vicente Pires - Feira do Produtor - Loja 1- 3397-2474

Um espaço democrático

Variedades

Novidades

Aqui você tem muitas opções

Moda - Cultura

Um descontraído encontro no último dia 08 de abril reuniu inúmeros integrantes e ex-componentes de um dos mais importantes pontos de referência de Vicente Pires: a Feira do Produtor. A reunião marcou a iniciativa de um grupo entusiasmado em recuperar as passagens mais importantes do modesto empreendimento que teve lugar a partir de 1995, época em que a feira foi instituída. “Não todos os convidados puderam comparecer nesta primeira reunião, mas a intenção é promover outros encontros para resgatar a história desta que se tornou uma referência de compras no DF”, observou Walter Rocha, atual presidente da Afeivips, a associação que administra a Feira do Produtor, empolgado em recompor as bases e a história do espaço que hoje alavanca emprego e desenvolvimento para a cidade de Vicente Pires. Nesta edição começamos a registrar o relato de vários feirantes responsáveis pela árdua missão de tornar realidade uma idéia nascida de um objetivo comum: criar e tornar sustentável um ponto de encontro que reunisse vendedores e compradores em um modelo básico e econômico de comércio com vários produtos entre hortifrutigranjeiros, hortaliças, flores entre outros produzidos na região. Assim, foi lançado o desafio: atender produtores e consumidores, sustentando um dos primeiros projetos comerciais da cidade. A Feira do Produtor tornou-se uma idéia fértil e promissora e conseguiu ao longo destes quinze anos de existência se estabelecer como um referencial de ofertas de produtos

5

Artesanato Artes Açougues Bares Butiques Correspondentes Bancários Doceria Embalagens Festas Farmácias Floricultura Loteria Mercados Panificadora Pet Shops Roupas Restaurantes Salões de Beleza Sorveteria e muito mais.

A Feira do Produtor de Vicente Pires espera você


6

Tribuna Vip

iniciativas

concursos PÚBLICOS

A

ministra do Planejamento, Miriam Belchior, deixou claro que os cortes nos concursos públicos e nas nomeações de servidores valem apenas para 2011. Em audiência na Comissão Mista de Orçamento do Congresso, ela garantiu que as suspensões não ocorrerão durante todo o mandato da presidente Dilma Rousseff. “Estamos fazendo um ajuste dos concursos públicos. Ele é para o ano de 2011, não é uma perspectiva para quatro anos”

C

oncursos podem ter reserva de vagas para deficiente, negro e índio. Algumas regras de concursos públicos podem variar conforme a unidade da federação, União, estado ou município, desde que estejam amparadas em lei, e de acordo com os ditames constitucionais e normas gerais estabelecidas pela União.

E

quipes de atletas do Gran Cursos ocuparam posições de destaque na quinta edição da Maratona Brasília de Revezamento. Competição reuniu cinco mil corredores no último dia 21 de abril em comemoração ao aniversário da Capital brasileira .

P

elo menos 85 concursos públicos em todo o país estão com inscrições abertas) e reúnem 26.158 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Salários chegam a R$ 22 mil na Procuradoria Geral da República (PGR) .

http://jornaltribunavip.blogspot.com www.grancursos.com.br

7

dicas para O síndico

RA XXX ganha valor com obras de infra estrutura

O

Gran Cursos recebe no dia 12/5 (domingo), no Campus da unidade do SIG a peça de teatro ‘Pais e Filhos’, que remonta uma comovente narrativa, baseada em uma história verídica sobre a trajetória de uma família cujo filho se aventura no sombrio mundo das drogas

Tribuna Vip

desenvolvimento

A função de síndico requer muitas habilidades diferentes, e é bastante complexa, descreve Walter Rocha (foto) da Riwer Contabilidade. Portanto, é preciso ter os procedimentos e ferramentas adequados. Para ajudar nesta tarefa, segue aqui um resumo de observações colhidas ao longo dos últimos anos, a partir dos acertos e dos erros relatados por síndicos, condôminos e profissionais da área.

Administração transparente exige compromisso e responsabilidade de todos Serviços básicos são cobrados permanentemente pelos moradores

Uma importante decisão favorável ao desenvolvimento da região de Vicente Pires foi anunciada neste primeiro período de trabalho do governo do Distrito Federal. Trata-se de uma questão que há muito tempo vem sendo pleiteada pela população local e pelos dirigentes locais e seus representantes, que trata da instalação da rede de águas pluviais, essencial para sanar sérios problemas de escoa-

Orçamento participativo é desafio da comunidade No último dia 30, os moradores de Vicente Pires tiveram a oportunidade de colocar em prática o direito de ser cidadão, por meio da 1° Plenária do Orçamento Participativo. O encontro foi promovido pela administração de Vicente Pires, em parceria com a Arvips. O objetivo foi direcionar as prioridades de trabalho da cidade. Nesse primeiro momento, foi apresentado o funcionamento do orçamento participativo e a forma como a comunidade poderá sugerir ações. Com as sugestões em mãos, ocorrerá votação popular para que seja definida a metodologia do trabalho. Estiveram presentes na Plenária, a administradora de Vicente Pires, Celeste Liporoni, o coordenador adjunto da Coordenadoria das Cidades, Luis Franklin de Moura, o presidente da Arvips, Dirsomar Chaves, e a coordenadora do Orçamento Participativo, Lauren Miller. Além do presidente da Feira do Produtor, Walter Rocha, e do represen-

tante das paróquias da Cidade, Francisco Canindé. Segundo Luis Franklin, a Plenária foi promovida para tornar transparente o trabalho do governo direcionado às cidades. “Aceitamos o desafio de realizar esse orçamento participativo porque acreditamos que Brasília pode mudar. Por meio da plenária, o morador pode sugerir propostas e acompanhar o andamento do trabalho”, explica o Coordenador Adjunto. Ideia compartilhada por Lauren Miller. “Equipes estão sendo estruturadas para esclarecer dúvidas da comunidade. Precisamos construir uma nova cultura de política pública, com a participação popular”, completa a coordenadora do Orçamento Participativo. Todas as plenárias setoriais serão realizadas às 19h. Para outras informações, entre em contato com a administração da Cidade pelo telefone 33837500. Sua participação pode influenciar no futuro da Cidade, participe!

Cronograma de Plenárias: Dia 28/4 - Vila São José - Escola Classe 2 Dia 5/5 - Colônia Agrícola Samambaia Dia 18/5 - Vicente Pires - Capital Park - EPTG

Nova opção em comunicação Com sede na C-1 lotes 1/12 Sala 528 Edifício Trade Center em Taguatinga Centro e atuando de forma integrada oferecendo a seus contratantes uma prestação de serviços de excelente qualidade, a Novo Millenium conta com a participação de vários profissionais de rádio, jornal e

televisão, objetivando alavancar trabalhos especializados reduzindo custos e valorizando o profissional. A missão é apresentar soluções para o complexo de comunicação, integrando o meio com os processos produtivos, bem como alternativas para o mercado comunicativo.

Inscrição As inscrições deverão ser feitas em duplas e devem ser realizadas na Sede da Asssociação dos Feirantes da Feira do Produtor de Vicente Pires - AFEIVIPS, localizada no SHVP - Centro Comunitário - Feira do Produtor - Vicente Pires - DF, telefone (61) 3397-3249 de segunda a sexta das 8h20min as 12h00min e 14h00min as 18h00min e aos sábados e domingos de 08h00min as 14h00min. O valor da inscrição é de R$ 200,00 (duzentos reais) para as primeiras 50 duplas inscritas, a partir da 51ª dupla inscrita o valor da inscrição será de R$ 300,00 (trezentos reais). As inscrições encerram no dia 22 de maio de 2011 ou quando atingir o número de 100 (cem) duplas inscritas.

mento verificados na região. No período chuvoso, Vicente Pires sofre com a situação com ruas e demais espaços prejudicados pela falta deste dispositivo. No mes de março a administradora de Vicente Pires Celeste Liporini e sua equipe se reuniu no Instituto Brasília Ambiental (IBRAM) onde tratou de obras emergenciais para a cidade. Presentes os representantes da Novacap,

Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e Agência Reguladora de Águas(Adasa) que concedeu no último dia 18 de março a outorga prévia à Novacap, transferindo direito de uso das águas pluviais no Córrego Vicente Pires e em seu afluente, córrego Samambaia por meio do sistema de drenagem pluvial que atenderá as quadras de Vicente Pires. A iniciativa é de grande importância para a cidade.

Governador inaugura dois Centros de Assistência Social na Estrutural O governador do DF, Agnelo Queiroz, inaugurou duas unidades de atendimento à população em situação de vulnerabilidade na Estrutural. Os Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) oferecem serviços e programas para melhorar a condição de vida das pessoas, e com isso, promover a inclusão social, garantir o efetivo exercício da cidadania e reduzir as desigualdades.Os centros são compostos por assistentes sociais e psicólogos, que acolhem, orien-

tam e encaminham as pessoas para os programas sociais. Com as novas unidades, o DF passa a contar com 26 Centros de Referência em Assistência Social (CRAS). São oferecidos serviços como: Programa de Atendimento Integral à Família; Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Crianças e Adolescentes (de 6 a 14 anos); Serviço de Convivência Geracional e Intergeracional, Família Acolhedora, Promotoras da Paz, Mestre do Saber, entre outros.

Micro e pequena empresa vivem expectativa A Câmara Legislativa discutiu, em audiência pública o projeto de lei 155/2011, que regulamenta no Distrito Federal “o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para microempresas, empresas de pequeno porte, cooperativas e microempreendedor individual”. A proposta, de autoria do Executivo, regulamenta a lei complementar federal (123/2006) e foi debatida

por iniciativa da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) e da Comissão de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Turismo (CDESCTMAT). A apresentação da proposta do governo ficou a cargo do secretário de Micro e Pequena Empresa, Dirsomar Chaves, que elencou os benefícios previstos na nova

legislação, como a desburocratização, o acesso a novos mercados, incentivos fiscais, inovação tecnológica e facilidades para concessão de alvarás. Segundo ele, “o Distrito Federal é a única unidade da Federação que ainda não regulamentou a lei”. O secretário disse ainda que o GDF tem como meta atingir 25% de seus contratos com micro e pequenas empresas.

Inadimplência zero garantida Há mais de 10 anos prestando serviços de qualidade

Alguma vez você duvidou da honestidade do seu síndico? Pois bem: se a resposta for afirmativa, não deixe de ler este breve artigo, que traz algumas dicas para prevenir e, se for o caso, identificar as fraudes mais comuns. Antes de abordar os problemas, não é excesso lembrar que a existência e as obrigações do síndico estão previstas no artigo 22, da Lei 4.591/64. Se o leitor é um condômino informado, não pode deixar de atentar para as letras “f ” e “g”, que impõem ao síndico a obrigação de “prestar contas à assembléia dos condôminos” e “manter guardada durante o prazo de cinco anos, para eventuais necessidades de verificação contábil, toda a documentação relativa ao condomínio”. Aqui é necessário comentar estas duas alíneas da lei. Na letra “f ”, prestar contas é submeter todos os balancetes, livros e demais documentos relacionados à entrada e saída de valores a uma análise minuciosa. Contudo, na maioria das vezes, ocorre o inverso, pois o conselho consultivo limita-se a dar uma “passada de olhos” nos documentos e, logo em seguida, aprova as contas sem qualquer cerimônia durante a assembléia. Se esta conduta é resultante de mera preguiça ou decorre de outras razões, vale dizer que na maioria das vezes é justamente esta atitude que provoca a ação de síndicos mal intencionados. Ao conselho fiscal da mencionada “passada de olhos” vai um aviso: a sua responsabilidade é solidária à do Síndico. Para deixar claro, segue um exemplo. O síndico que desvia valores durante a sua gestão comete o crime de apropriação indébita, conforme determina o artigo 168, em seu inciso II, do Código Penal Brasileiro. O conselho fiscal que deixa de fiscalizar os atos praticados pelo administrador responde solidariamente por crime de omissão, mesmo que não tenha auferido qualquer tipo de proveito. A alínea “g” responsabiliza síndico pela guarda de todos os documentos para uma eventual perícia contábil na documentação. A responsabilidade de guardião dos documentos atribuída pela lei não dá ao administrador a propriedade sobre a documentação. Muito pelo contrário: a lei diz que os comprovantes e livros pertencem a todos os moradores, e é obrigação do síndico garantir à coletividade o livre acesso a estes. Qualquer obstáculo pelo síndico ao acesso das informações atinentes ao condomínio não deve ser visto com bons olhos. DELITOS MAIS COMUNS Com relação às fraudes na administração do condomínio, é possível observar que as mais comuns decorrem por mera distração dos condôminos, como nos casos onde: a) o síndico deixa de recolher os impostos (INSS): b) a arrecadação de valores para a manutenção dos elevadores não é repassada á empresa que está prestando os serviços: c) o síndico superfatura as obras, aparecendo com os falsos orçamentos: d) o síndico atrasa o pagamento de luz e água do prédio e vai rolando a dívida sem o conhecimento dos moradores: e) o síndico faz vistas grossas no recolhimento de cotas condominiais de alguns condôminos em troca de favores: f ) o síndico executa obras sem a devida aprovação da coletividade e sem assembléia própria: g)o síndico manipula as garagens para auferir lucros: h) o síndico desvia material adquirido para a limpeza, pintura, manutenção, etc. Se o leitor é um dos infelizes condôminos que está tendo problemas com a má administração, tem que proceder da seguinte forma: 1) solicitar uma cópia integral de todos os documentos para submeter a um perito autorizado pelo CRC, visando apurar irregularidades nas contas. Caso o síndico não entregue todos os documentos, faz-se necessária a propositura de uma medida cautelar de exibição judicial: 2) verificadas as irregularidades por meio do laudo pericial, cabe ressarcimento dos valores na esfera cível e a apuração da responsabilidade dos envolvidos na esfera criminal. Os procedimentos básicos são estes, mas é importante tomar cuidado com fofocas e acusações infundadas, pois imputar fato criminoso a terceiro sem provas também se caracteriza crime. Por Alexandre José Zakovicz


8

Tribuna Vip

formação


Jornal Tribuna ViP