Page 1

Semanário da Arquidiocese de São Paulo ano 61 | Edição 3101 | 13 a 17 de maio de 2016

R$ 1,50

www.arquisp.org.br Roberto Stuckert Filho/Presidência da República

Marcos Corrêa - flickr.com/micheltemer

Senado aprova abertura do processo de impeachment e Dilma é afastada da Presidência

Cardeal Odilo Scherer: A fé já permite experimentar na terra as realidades do céu

O Senado decidiu, em sessão concluída na quinta-feira, 12, por 55 votos a favor e 22 contrários, abrir o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT). Ela está afastada do cargo por até 180 dias. Agora, Michel Temer (PMDB) é o presidente em exercício.

Página 3

Editorial

Páginas 14 e 15

Dom Luiz Carlos Dias é ordenado em Caconde (SP) Pela imposição das mãos do Cardeal Scherer, o Monsenhor Luiz Carlos Dias, 51, foi ordenado bispo, em Caconde (SP), no sábado, 7. Ele afirmou que deseja se entregar sem reservas ao anúncio do Evangelho e à santificação do povo de Deus. Dom Luiz Carlos tomará posse como bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo na solenidade de Corpus Christi, no dia 26, na Catedral da Sé. Página 13

Luciney Martins/O SÃO PAULO

Na primeira das reportagens sobre os atletas brasileiros que estarão nos Jogos Rio 2016, O SÃO PAULO fala de Verônica Hipólito, 19, campeã mundial e Parapanamericana de atletismo, que com persistência e fé superou adversidades. Página 11

Política como técnica é igual ao monstro de Frankenstein Página 2

Espiritualidade Dom Sergio: O sinal de fé na aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida Página 5

Fé e Cidadania Frei Patrício Sciadini: Por um futuro feito de pessoas boas Página 5

Comportamento Cardeal Odilo Scherer durante ordenação episcopal de Dom Luiz Carlos Dias, no sábado, 7

Márcio Rodrigues/MPIX/CPB

Após AVC e tumores, atleta paralímpica Verônica Hipólito irá aos Jogos Rio 2016

Encontro com o Pastor

Morre Waldemar Rossi, fundador da Pastoral Operária Aos 82 anos, Waldemar Rossi faleceu no dia 4. Missas de corpo presente e de 7º Dia foram celebradas na Catedral da Sé. Página 20

Simone Cabral Fuzaro: Cultivar a sinceridade na educação é fundamental Página 6

Opinião Francisco Borba Ribeiro Neto: ‘Alegria no amor é possível?’ Página 2

Chega o frio: época de doar roupas e cobertores, uma atitude de misericórdia cristã Página 12


2 | Ponto de Vista |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Editorial

Frankenstein e a política

H

á exatos 200 anos, um grupo de amigos, reunido na casa do poeta britânico Lord Byron, passou boa parte do verão lendo em voz alta estórias de terror até tarde da noite. Entre os convidados estava Mary Shelley, com apenas 18 anos. Alguém propôs que cada um dos presentes criasse e escrevesse sua própria estória de terror. Foi assim que, após um sonho impressionante, a autora de “Frankenstein” teve a ideia que deu origem ao livro. Frankenstein foi um cientista brilhante que descobriu o segredo da vida. Foi o que lhe permitiu criar sua criatura – um verdadeiro monstro –, com pedaços de cadáveres. Mas quando viu o que tinha feito, fugiu horrorizado. O monstro, confuso ao se ver abandonado por seu próprio criador, revoltou-se contra ele e destruiu-lhe a vida. Mary Shelley entitulou seu livro de

“Frankenstein; ou, o Prometeu moderno”, em referência ao mito grego. Na versão contada por Platão, Prometeu, vendo a fragilidade natural do homem em relação aos animais, decidiu dar-lhe o fogo e a técnica, roubados de Hefaísto e Atena. Assim, “o homem obteve o conhecimento útil à vida, mas a política escapou-lhe: esta estava com Zeus”. Platão distingue entre técnica e política. É perfeitamente possível – e a história da humanidade tem confirmado isso desde então – que coexistam lado a lado um grande avanço tecnológico e a deterioração ética e política da sociedade. Talvez o maior mal da humanidade nos últimos séculos seja a prática da política como técnica. A política é uma prudência, não uma técnica. Para ser prudente, é preciso possuir as virtudes morais, mas para ter técnica, não. Uma técnica – ou, como se diz hoje, uma tecnologia – é um conhecimen-

to produtivo, pelo qual o homem cria alguma coisa, como uma casa ou uma pasta de dente. A técnica consiste em construir algo, conforme um projeto, como uma casa é construída seguindo o plano do arquiteto. O arquiteto – desde que respeite certas regras para que a casa fique em pé – pode desenhar a casa do jeito que quiser. Na técnica, a finalidade é livre, é o que estiver na cabeça do artista. Já na política, como na ética, o fim não é livre, o fim é o bem comum. Mas não é possível buscar verdadeiramente esse fim sem virtude. No século passado, o projeto da sociedade perfeita foi a causa do maior sofrimento que a história humana jamais conhecera até então. Comunismo e nazismo foram responsáveis por dezenas de milhões de mortos. Como o monstro de Frankenstein, essas criaturas se voltaram contra a humanidade que as criou. Mas a política como técnica continua

em prática ainda hoje. É o que fazem as grandes organizações que promovem o aborto e os ataques à família, que fomentam o que São João Paulo II chamou de “cultura da morte”. A ideia da política como técnica é também o que está por trás das críticas ao “sistema”. Quando se defende, por exemplo, que o problema do Brasil é um certo “sistema”, que o caminho a seguir é o de alguma reforma estrutural mirabolante, o que se está buscando é, no fundo, uma solução técnica para um problema moral. Platão reconheceu que a política, a verdadeira sabedoria política, não se confunde com a técnica, mas está junto à divindade. Para que a política seja praticada como prudência, é preciso políticos melhores e mais sábios. E como os políticos refletem a sociedade, é preciso que nos tornemos nós mesmos melhores e mais sábios, com esforço e uma educação voltada para a virtude.

Opinião

A alegria no amor é possível? Arte: Sergio Ricciuto Conte

Francisco Borba Ribeiro Neto A recepção de Amoris laetitia, do Papa Francisco, vem se concentrando nas reflexões e nos debates sobre as chamadas “situações irregulares”, valorizando o trinômio “acompanhar, discernir e integrar a fragilidade”, e quais são as indicações de Francisco nesses casos. Contudo, podemos estar querendo construir a casa pelo telhado. Na apresentação dessa Exortação, no Vaticano, o Cardeal Lorenzo Baldisseri fez um apanhado numérico das citações contidas no documento. O trabalho, de certa forma, indicava onde estão as bases da reflexão de Francisco. Salta à vista, nesse levantamento, que as catequeses de São João Paulo II sobre o amor humano sejam citadas diretamente mais vezes que a Familiaris consortio (23 contra 21 vezes), assim como as muitas citações das catequeses sobre a família do Papa Francisco (50 vezes). Papa Francisco, em suas catequeses sobre a família, antes de se preocupar com as “situações irregulares”, reflete justamente sobre as “situações regulares”. Qual é o papel de pais, mães, filhos, avós numa família estável e madura? Como um amor sadio se manifesta entre um homem e uma mulher, ajudando a construir sua realização humana? Não se trata de “idealizar” a família

perfeita, mas de renovar duas mensagens aparentemente esquecidas ou até negadas hoje em dia: (1) uma família feliz, ainda que imperfeita, é possível; (2) o amor de Deus, apresentado a nós por Cristo e sua Igreja, é uma luz que pode orientar a construção dessa família. Quem convive com universitários e outros jovens sabe que a “relativização moral” e a busca por um “prazer sem responsabilidade” nascem muito mais de uma descrença na possibilidade de um amor gratuito, fiel e permanente entre duas pessoas do que de uma leviandade. O amor verdadeiro entre um homem e uma mulher é visto como romantismo

ingênuo, hipocrisia machista, falsidade moralista. A “alegria do amor” só seria possível como emoção fugaz de um momento. Por isso, a Exortação não é “sobre a família”, mas sim sobre “o amor na família”. Não se trata de uma construção estilística, é preciso falar no amor para poder entender a família, porque nossas gerações desaprenderam a amar. A reflexão de Francisco nos leva ainda às catequeses sobre o amor humano de São João Paulo II, publicadas no Brasil em “Homem e mulher o criou” (Bauru: EDUSC, 2005) e “Teologia do corpo” (Campinas: Ecclesiae, 2014). O primeiro título pode

parecer, nos dias de hoje, uma contraposição à ideologia de gênero – mas não é esse o caso. São João Paulo II renovou a mensagem cristã, lembrando que a sexualidade não era um atributo “secundário” da natureza humana, mas essencial, pois não existe ser humano desprovido de sexualidade O caráter unitivo do amor humano, assumido inclusive em seu aspecto sexual, é importante para se compreender a natureza do próprio amor de Deus por nós. São João Paulo II não fez uma reflexão dogmática e dedutiva, partindo das verdades da fé para normatizar a vida humana. Pelo contrário, sua reflexão procurou entender a natureza das experiências afetivas e eróticas das pessoas para, a partir delas, compreender a natureza do ensinamento cristão sobre os temas do amor, da sexualidade e da família. Essa linha de trabalho, pouco conhecida entre nós, tem gerado projetos educacionais muito bem-sucedidos em vários países. Amoris laetitia nos dá a possibilidade de retomar as reflexões dos dois pontífices, buscando suas implicações na vida concreta de cada um. Lida em conjunto com as catequeses de São João Paulo II, pode ajudar o Cristianismo a realmente ajudar as pessoas a viverem a alegria do amor, sem moralismos. Francisco Borba Ribeiro Neto, coordenador do Núcleo Fé e Cultura da PUC-SP.

As opiniões expressas na seção “Opinião” são de responsabilidade do autor e não refletem, necessariamente, os posicionamentos editorais do jornal O SÃO PAULO.

Semanário da Arquidiocese de São Paulo

Mantido pela Fundação Metropolitana Paulista • Publicação Semanal • www.osaopaulo.org.br • Diretor Responsável e Editor: Padre Michelino Roberto • Redator chefe: Daniel Gomes • Reportagem: Cônego Antônio Aparecido Pereira, Edcarlos Bispo, Filipe David, Nayá Fernandes e Renata Moraes • Institucional: Rafael Alberto e Fernando Geronazzo • Fotografia: Luciney Martins • Administração: Maria das Graças Silva (Cássia) • Secretaria de Redação: Djeny Amanda • Assinaturas: Ariane Vital • Diagramação: Jovenal Alves Pereira • Edição Gráfica: Ana Lúcia Comolatti • Revisão: Maria Aparecida Ferreira • Impressão: S.A. O ESTADO DE S. PAULO • Redação e Administração: Av. Higienópolis, 890 - Higienópolis - 01238-000 • São Paulo - SP - Brasil • Fones: (11) 3660-3700 e 3760-3723 - Telefax: (11) 3666-9660 • Internet: www.osaopaulo.org.br • Correio eletrônico: redacao@osaopaulo.org.br • adm@osaopaulo.org.br (administração) • assinaturas@osaopaulo.org.br (assinaturas) • Números atrasados: R$ 1,50 • Assinaturas: R$ 45 (semestral) • R$ 78 (anual) • As cartas devem ser enviadas para a avenida Higienópolis, 890 - sala 19. Ou por e-mail • A Redação se reserva o direito de condensar e de não publicar as cartas sem assinatura • O conteúdo das reportagens, artigos e agendas publicados nas páginas das regiões episcopais é de responsabilidade de seus autores e das equipes de comunicação regionais.


cardeal odilo pedro scherer Arcebispo metropolitano de São Paulo

A

s festas litúrgicas desta época do ano nos levam ao coração do mistério da fé cristã. Entendamos por “mistério” um tesouro imensamente rico e inexaurível de verdade, beleza e vida. Nele, podemos entrar e nos deixar encantar; dele, podemos nutrir-nos espiritualmente e haurir forças à vontade para nossa existência, sem nunca esgotar nem diminuir sua riqueza. Dizemos mistério, não porque ele é totalmente incompreensível, mas porque é maior que nós e nunca conseguiremos abraçá-lo inteiramente, nem colocá-lo por completo em nossa humana e limitada cabeça. O mistério da fé refere-se ao próprio Deus vivo. Celebramos a Páscoa da ressurreição: o Filho de Deus, que se tornou humano entre nós, sofreu a morte humanamente e redimiu a própria morte, vencendo-a; abriunos, assim, a esperança na superação também da nossa morte: “se morremos com Cristo, também viveremos com ele” (cf. Rm 6,8). A ressurreição de Jesus representa um divisor de águas na compreensão da existência humana: não estamos voltados para a morte eterna e esta não tem a última palavra sobre nossa existência. Não é realização e mérito nosso, mas obra da misericórdia de Deus e da solidariedade do Salvador com nossa raça humana. A Ascensão de Jesus ao céu é mais um mistério da fé, que nos encanta e enche de esperança. Jesus ressuscitado elevou-se ao céu, não para se afastar de nossa humilde condição terrena, mas para ser,

Conviver na terra com as realidades do céu junto de Deus Pai, nosso representante, intercessor e mediador perene entre o céu e a terra. A Liturgia proclama com júbilo: “a Ascensão de Jesus já é nossa vitória (...) pois, membros do seu corpo, somos chamados na esperança a participar da sua glória”. O Filho de Deus não retornou ao céu do mesmo modo como veio ao mundo, quando se encarnou no seio da Virgem Maria: voltou, unido à nossa humanidade, já glorificado pela ressurreição. Com razão, podemos proclamar que a Ascensão realiza a perfeita “comunhão de dons entre o céu e a terra”: Em Jesus Cristo glorificado, o céu e a terra estão unidos para sempre. Deus não rejeitou a humanidade, mas assumiu-a e a redimiu no Filho, enviado a este mundo. Esse “mistério da fé” nos enche de alegria e esperança, por sabermos que não estamos sós e desamparados neste mundo, sem rumo e sem futuro. O rumo nos é dado por Jesus, “caminho, verdade e vida”; o futuro é o Senhor glorificado no céu; lá, ele foi “preparar-nos um lugar”. Não nascemos para morrer, mas para viver e para sermos reunidos à família de Deus “na casa do Pai”. Desde agora, já podemos conviver com as realidades do céu; nossos corações podem voltar-se para o alto, cheios de fé e certeza, uma vez que lá já está, junto de Deus, a nossa humanidade (cf. oração da Missa da Ascensão). Talvez isso seja motivo para alienar-nos das realidades da terra? Será que a fé cristã torna a pessoa alienada das realidades da família, do trabalho, do gozo das alegrias deste mundo? Impede-nos de as-

sumir nossas responsabilidades pessoais e sociais? A Igreja ensina que não é assim que deve ser; apenas uma interpretação errônea da fé cristã afastaria as pessoas de suas responsabilidades terrenas. A fé e a esperança cristã oferecem motivos consistentes para o testemunho dos valores do bem e da justiça e nos fazem lutar contra todas as formas de “império da morte” que ainda possam oprimir a existência humana. A esperança cristã faz trabalhar com alegria por um mundo melhor para todos. Ao mesmo tempo, evita que se fixem os objetivos últimos da existência nos bens deste mundo; e isso favorece a partilha generosa, a justiça e a solidariedade. Em Pentecostes, a Igreja comemora o mistério da contínua presença e ação de Deus no mundo e, especialmente, na Igreja de Cristo. Jesus prometeu enviar o Espírito Santo como consolador, advogado, conselheiro e força divina, que continua a agir no mundo até o final dos tempos. Deus não abandona a Igreja e a humanidade, mas é nossa companhia e faz frutificar toda obra boa do homem neste mundo. Com a solenidade da Santíssima Trindade, contemplamos, extasiados, o mistério da fé por excelência: o mistério santo e insondável do nosso Deus, Pai, Filho e Espírito Santo. “Ninguém jamais viu a Deus: o Filho único, que é Deus e está na intimidade do Pai, foi quem o deu a conhecer” (Jo 1,18). Em Jesus Cristo, filho de Deus feito homem, crucificado e glorificado, vemos o rosto misericordioso e glorioso de Deus. Sim, nossa fé, celebrada na Liturgia, já nos permite experimentar na terra as realidades do céu.

| Encontro com o Pastor | 3

Padroeiro dos Bombeiros

Luciney Martins/O SÃO PAULO

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano, presidiu na quinta-feira, 5, na Capela Militar de Santo Expedito, no bairro da Luz, missa em comemoração ao Dia de São Floriano, padroeiro dos Bombeiros.

Visita à Paróquia Nossa Senhora Aparecida Lídia de Fátima

No domingo, 8, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo, realizou visita pastoral à Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Vila Souza, na Região Brasilândia. Ele presidiu a missa, concelebrada pelo Padre Aldo Alves de Lima, pároco.

Peregrinação dos Comunicadores No sábado, 14, às 15h, o Cardeal Scherer presidirá missa na Catedral da Sé, por ocasião da peregrinação dos comunicadores à Porta Santa, no contexto das comemorações do 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais e do Ano Santo extraordinário da Misericórdia.

Dedicação de altar e de igreja O Cardeal Scherer realizará no sábado, 14, às 17h, a dedicação do altar e da igreja matriz da Paróquia Nossa Senhora dos Prazeres, na Região Santana (avenida General Ataliba Leonel, 3.013, Parada Inglesa).

agenciaeya.com.br

www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

PENSOU EM SOM PARA IGREJAS, PENSOU EM LANDO. O SiStema de SOm adOtadO pela CATEDRAL DA SÉ, MOSTEIRO DE SÃO BENTO e váriaS OutraS igrejaS. LIGUE (19) 4062-0120 E AGENDE UMA vISITA TÉCNICA GRATUITA.

www.lando.com.br contato@lando.com.br


4 | Fé e Vida |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Liturgia e Vida PENTECOSTES 15 DE MAIO DE 2016

A luz do Espírito Santo

Você Pergunta Por que não estou mais me sentindo bem como acólita? padre Cido Pereira osaopaulo@uol.com.br

ANA FLORA ANDERSON Nesta grande festa, a “Oração do dia” pede a Deus a santificação de todos os povos e nações. Suplicamos que o Espírito de Deus realize em nós as mesmas maravilhas que operou no nascimento da Igreja. A primeira leitura (Atos dos Apóstolos 2, 1-11) narra que foi na festa judaica de Pentecostes que os discípulos de Jesus foram surpreendidos por um vento forte e línguas de fogo. A Escritura sempre usa elementos como a nuvem, o fogo e o vento para descrever a presença de Deus. O primeiro grande dom do Espírito Santo foi que os discípulos perderam o medo das autoridades e saíram para pregar. O segundo dom foi que a população heterogênea reunida em Jerusalém para a festa de Pentecostes ouvia a pregação, cada uma na sua língua. A segunda leitura (1Coríntios 12, 3-7.12-13) é uma síntese da vida que nasce do dom do Espírito Santo. É por meio desse dom que chegamos a ter fé em Jesus Cristo. Nessa comunidade que crê em Jesus há muitos dons, muitos ministérios e diversas atividades. No meio da diversidade, há uma profunda unidade que nasce do Espírito Santo. O Evangelho de São João (20, 19-23) revela que na noite de sua Ressurreição, Jesus foi ao encontro dos discípulos para abençoá-los com dois dons: a paz e o Espírito Santo. Com esses dons, o perdão e a reconciliação tornam-se a base da vida na comunidade cristã.

“Olá padre, eu gosto muito de ir à santa missa, participo no presbitério como acólita. Sempre foi tranquilo e maravilhoso, mas ultimamente na missa eu sinto uma tristeza que nem sei da onde vem, algo estranho e quero estar em casa ‘tipo’ fugir. Não me sinto bem. Por que isso, padre? Obrigada”. A mensagem é da Anabela, que não me disse seu sobrenome. Ela mora em Porangaba (SP). Ó minha querida Anabela. Eu estou aqui pensando que você deve ser uma jovem com o coração cheio de coisas bonitas. Estou aqui imaginando que você, sendo acólita na sua paróquia, presta um serviço muito bonito à sua comunidade. Mas, de repente, você anda meio em dúvida se vale a pena tudo isso, não é mesmo? Isso é normal, minha querida. Com tantas possibilidades de diversão, com tanta

coisa legal que o mundo oferece a você, com tantas amigas fazendo coisas diferentes das coisas que você faz, é natural que você se questione. O que fazer? Como se livrar dessa tristeza? A primeira coisa é você se perguntar e se analisar. “O que não está bem comigo?” “O que não está bem lá em casa?” “O que não está bem na escola?” “O que me falta para ser feliz?” E olhe, perto de Jesus, fica mais fácil descobrir o que não está bem e corrigir. E como ficar perto de Jesus? Fisicamente você já está quando fica no altar ajudando nas celebrações. Espiritualmente você ficará melhor ainda quando conversar com Ele. O Papa Francisco disse uma vez que é melhor conversar com Jesus do que ficar repetindo rezas que alguém escreveu. Então, converse com Jesus sobre as coisas que passam no seu coração, sobre sua vida pessoal em casa, na escola, na convivência com os amigos. Garanto que isso vai dar a você

uma paz linda e vai devolver a você a alegria. Outra coisa que eu vou dizer a você, Anabela: é que você não jogue fora a sua juventude. Curta todas as coisas bonitas da sua idade. Colecione amigos bons, e aproveite o tempo presente para preparar o seu futuro. Tudo se pode fazer quando se é jovem e se tem a cabeça no lugar: viver a vida, enturmar-se com gente boa, divertir-se, ajudar quem precisa, rezar, estudar muito. Não se preocupe tanto com a tristeza que de repente vai bater no seu coração, principalmente quando você está sendo acólita. Sirva a Jesus no altar, dê a ele um bom dia, peça a ele que cuide de você e “vamos que vamos”, pois você tem um mundo lindo pela frente, uma vida imensa para viver. E não se esqueça de testemunhar a alegria da fé aos seus amigos, sem se perturbar com a gozação que eles fizerem sobre o serviço que você presta à comunidade. Um beijo, linda! Deus abençoe você.

Atos da Cúria NOMEAÇÃO E PROVISÃO DE PÁROCO Em 15 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Pároco da Paróquia São João Gualberto, na Região Episcopal Lapa, Setor Pastoral Pirituba, o Revmo. Pe. Geraldo Raimundo Pereira, pelo período de 15.04.2016 a 01.01.2022. Em 15 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Pároco da Paróquia Santa Mônica, na Região Episcopal Lapa, Setor Pastoral Pirituba, o Revmo. Pe. Jaidan Gomes Freire, pelo período de 15.04.2016 a 01.01.2022.

NOMEAÇÃO E PROVISÃO DE VIGÁRIO PAROQUIAL

Episcopal Sant´Ana, Setor Pastoral Vila Maria, o Diácono Permanente Rogério Ruiz Soler.

Setor Pastoral Medeiros, o Diácono Permanente Jorge Fernandes Albuquerque Vides.

NOMEAÇÃO E PROVISÃO DE DIÁCONO PERMANENTE COMO ASSISTENTE PASTORAL

Em 29 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Assistente Pastoral “ ad nutum episcopi ” na Paróquia Nossa Senhora das Neves, na Região Episcopal Sant´Ana, Setor Pastoral Tucuruvi, o Diácono Permanente José Nilton Alfredo Oliveira.

Em 29 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Assistente Pastoral “ad nutum episcopi” na Paróquia Santa Zita, na Região Episcopal Sant´Ana, Setor Pastoral Medeiros, o Diácono Permanente Gilson Crema.

Em 29 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Assistente Pastoral “ ad nutum episcopi ” na Paróquia Nossa Senhora da Anunciação, na Região

Em 29 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Assistente Pastoral “ad nutum episcopi” na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Região Episcopal Sant´Ana,

Em 15 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Vigário Paroquial da Paróquia Santa Mônica, na Região Episcopal Lapa, Setor Pastoral Pirituba, o Revmo. Pe. José Pedro Batista.

Em 29 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Assistente Pastoral “ad nutum episcopi” na Paróquia Nossa Senhora das Dores, na Região Episcopal Sant´Ana, Setor Pastoral Casa Verde, o Diácono Perma-

nente Francisco Donizete Machado. Em 29 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Assistente Pastoral “ad nutum episcopi” na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Região Episcopal Sant´Ana, Setor Pastoral Medeiros, o Diácono Permanente Felipe Ribeiro Neto. Em 29 de abril de 2016, foi nomeado e provisionado Assistente Pastoral na Capela do Hospital e Maternidade Vila Nova Cachoeirinha, na Região Episcopal Sant´Ana, Setor Pastoral Casa Verde, o Diácono Permanente Ailton Machado Mendes.


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

Espiritualidade

Fé e Cidadania

Um pequeno sinal Dom Sergio de Deus Borges

C

Bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Santana

om estas palavras, o Beato Paulo VI iniciava a Exortação Apostólica consagrada ao culto da Virgem Maria, Mãe da Igreja e modelo de todas a virtudes: “O ‘sinal grandioso’ que o Apóstolo São João viu no Céu: ‘uma Mulher revestida com o sol’ (cf. Ap 12,1), não sem fundamento o interpreta a Sagrada Liturgia como referindo-se à Santíssima Virgem Maria, Mãe de todos os homens pela graça de Cristo Redentor” (Paulo VI. Exortação Signum Magnum). Signum Magnum. Um grande sinal apareceu no céu e um pequeno sinal três pescadores encontraram e viram nas águas do rio Paraíba do Sul, no ano de 1717, ao recolherem na rede de pesca o corpo de uma imagem quebrada na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes, viu-se que se tratava da Senhora da Conceição. Depois do encontro da imagem, outros sinais viram aqueles três pescadores, a começar pela pesca abundante. E as graças, como a torrente do rio, nunca mais pararam.

O que era um pequeno sinal tornou-se, pelo poder de Deus, um grande sinal de fé, de presença do Senhor, de bênçãos e de encontro entre o céu e a terra, pois por meio da pequena imagem de Nossa Senhora, graças abundantes foram derramadas sobre todos os fiéis que passaram por Aparecida e que em todo o imenso Brasil recorrem à sua proteção. Recorrer à Mãe de Deus e Mãe da Igreja é uma atitude de maturidade na fé, de quem conhece a Palavra de Deus e o caminho da Igreja nestes dois mil anos, porque a Virgem Maria coopera ativamente no crescimento dos membros da Igreja na vida da graça. O Beato Paulo VI nos diz que a Virgem Maria coopera, “em primeiro lugar, mediante a sua incessante súplica, inspirada por uma ardente caridade. A Virgem Santa, embora feliz pela visão da augusta Trindade, não esquece os seus filhos que caminham como Ela outrora na ‘peregrinação da fé’ (LG 58). Contemplando-os em Deus e vendo bem as suas necessidades, em comunhão com Jesus Cristo que está ‘sempre vivo a interceder por eles’ (Hb 7,25), deles se constitui Advogada, Auxiliadora, Amparo e Medianeira (cfr. LG 62)” (Paulo VI. Exortação Signum Magnum, 2). O sinal grandioso da fé percorre, agora, por meio da pequena imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, todas as dioceses do Brasil para celebrar os 300 anos de bênçãos e gra-

| Fé e Vida | 5

ças concedidas pela intercessão da Mãe Aparecida. Em nossa Arquidiocese, a imagem peregrina está percorrendo as paróquias e comunidades, fortalecendo nossa fé, nossa alegria como membros da Igreja, peregrinos que acolhem Aquela que fez uma excepcional peregrinação da fé e representa um ponto de referência constante para a Igreja (cf. EG 287). Essa peregrinação está em profunda unidade com a celebração do Ano Santo extraordinário da Misericórdia, porque a Virgem Maria é a Mãe da Misericórdia, e a peregrinação da imagem é um convite muito especial a todos nós para refugiarmo-nos sob o manto da Mãe da Misericórdia. Com os olhos da alma, vamos fixar o olhar na Mãe Aparecida para encontrar na profundidade deste sinal a Misericórdia viva de Deus que se compadece de cada um de nós. Que a Virgem Maria, grande sinal que apareceu no céu, brilhe sempre qual estrela no nosso caminho de peregrinos, de discípulos-missionários de seu amado Filho. Vamos fixar n’Ela o olhar para que nos ajude a ser um pequeno “sinal”, a anunciar a todos a mensagem da salvação, para que assim, nos tornemos anunciadores da alegria do Evangelho vivente, Jesus Cristo, o Senhor, porque sempre que olhamos para a Mãe e Rainha do Brasil, voltamos a acreditar na força revolucionária da fé, da Palavra, da ternura e do afeto (cf. EG 288).

‘Patrício, o que você vê no futuro?’ Frei Patrício Sciadini, OCD Já ultrapassei o limite dos 70 anos e é normal que nessa idade tenhamos três olhares que devem ser penetrantes, lúcidos e não sentimentais, para não cairmos num vitimismo, nem no pessimismo e nem num otimismo que não leva a nada. Eis os três olhares que me sustentam nessa parada no deserto da vida. O primeiro olhar é para o passado. Agradeço a Deus por ter nascido num país católico, numa família que tinha uma fé firme, sem fundamentações teológicas, mas muito concreta. Uma Igreja que falava latim e sem entender também era feliz. Conheci um carmelo austero, silencioso, penitente. Não tenho saudade e nem amaldiçoo esse tempo. Foi bom para mim. Mas um dia vi que tudo mudava e me convenci que devia mudar, e que era necessário que eu também pegasse o martelo e ajudasse a destruir para reconstruir; e foi ótimo. Aí encontrei a liberdade, o desejo de mudar para estar no passo do mundo. Corri o mundo por vários continentes e me senti bem. Agradeço a Deus e vejo que foi bom, mas que agora tudo isso foi e é sonho, é memoria e nada mais. O olhar no presente. Gosto do presente que vivo a cada dia. Vejo que há os que o chamam de desafios, quer dizer obstáculos, lutas, e que é preciso não ter medo, enfrentar, ir à luta. De manhã, não se sabe o que irá acontecer à noite e à noite não se sabe o que irá acontecer de manhã. Vivemos o imediatismo em tudo e gosto disso, na Igreja, na Teologia, na vida religiosa. Ter medo do presente é não viver. Olhar no futuro. Amo o futuro e sinto-me livre de imaginá-lo, de sonhá-lo sempre mais aberto, novo. Sonho com uma sociedade livre, aberta, capaz de assumir suas responsabilidades; numa sociedade que um dia não terá nem prisões nem armas, porque todos quererão a paz. Um mundo onde não haverá mais fronteiras, mas tudo será liberdade. Sonho com uma Igreja na qual haverá misericórdia, amor, em que os livros de Teologia terão somente uma página: “amai-vos uns aos outros!” Sonho com um carmelo de místicos, estilo João da Cruz, Teresa de Ávila e Teresinha, que não se preocupam com que os outros dizem, mas que vivem o amor e são amor para todos. Sonho um papa que pega seu carro e vai visitar quem quer, como quer... Sonho... Amo José, o sonhador, Jesus, o sonhador, Maria, a sonhadora e todos os profetas que sonham. O que vê, Patrício? Vejo um mundo feito de pessoas boas e um deserto florido de paz e amor. As opiniões da seção “Fé e Cidadania” são de responsabilidade do autor e não refletem, necessariamente, os posicionamentos editoriais do O SÃO PAULO.


6 | Viver Bem |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Comportamento

Cultivar a sinceridade na educação Simone Fuzaro res ainda vivem uma confusão apareçam como realidades - sobastante grande entre realidade zinhos, ainda não conseguem Ainda falando sobre as vir- e imaginação (fantasias). Além discernir entre elas. As crianças tudes relativas à justiça, encon- disso, ainda não conseguem fa- têm uma imaginação bastante tramos a sinceridade. Para pen- zer um uso pleno da linguagem, ativa e não se trata de inibi-la, ao sarmos em como ensiná-la aos manifestando-se, muitas vezes, contrário: com cuidado, podepequenos, precisamos primeiro de modo confuso e inconstante mos ajudás-la a distinguir entre compreendê-la melhor. (respondem à mesma pergunta um fato verídico e uma história A beleza da sinceridade, de modos diferentes), repetem o criada. 3) Ajudar os pequenos a percomo das demais virtudes, está que ouviram alguém dizer, atriexatamente no fruto: trata-se de buindo um sentido diferente etc. ceberem suas possibilidades e viver de acordo com a realida- Mesmo assim, é fundamental es- dificuldades - só poderemos ser de e de dizer amorosamente aos timulá-los à sinceridade. sinceros com os outros se fordemais o que se pensa, abrindo a Seguem algumas atitudes im- mos conosco mesmos. Diante das dificuldades, é importante possibilidade de mudança e me- portantes para isso: lhora, tanto pessoal quanto dos 1) Dar exemplo da sinceri- adotarmos posturas positivas, outros. Para isso, é preciso ma- dade no ambiente familiar, nun- estimulando a superação. nifestar o que se pensa, se sente ca mentindo, nem ou o que foi feito para a pessoa mesmo para os bem certa e no momento adequado. pequenos: “diga que Para alcançarmos essa A sinceridade deve ser gover- não estou”; “vou fivirtude, é necessário nada pela caridade e prudência. car na porta da esÉ comum ser confundida com cola te esperando; um longo caminho de uma “incontinência verbal”, ou “não vou trabalhar, determinação. É preciso seja, dizer o que se pensa a qual- só vou até o carro”... coragem para nos quer hora e de qualquer modo - Dizer a verdade, conhecermos (como somos grande equívoco! muitas vezes, presEducar os filhos na sinceri- supõe um trabalho e não como gostaríamos dade é um grande bem: compre- maior com as con- de ser) e para vivermos enderão o valor da confiança nas sequências (choro, a verdade em nossas relações com amigos, familiares descontentamento, relações mesmo que custe e de trabalho; assumirão postu- birra), porém, dá à ras e atitudes com responsabili- criança o confordade, sabendo que trazem con- to de que pode confiar nos pais 4) Criar situações em que sequências; experimentarão a sempre. as crianças coloquem suas catranquilidade e a alegria que são 2) Ajudar as crianças a dis- pacidades a serviço dos outros tinguirem entre realidade e fan- (guardar brinquedos, colocar a frutos dela. Para alcançarmos essa virtu- tasia. Para isso, diante de acon- mesa, organizar um espaço, code, é necessário um longo cami- tecimentos cotidianos é bom locar um enfeite). Essas atitudes nho de determinação. É preciso sermos assertivos, evitando per- fomentam o desejo de melhorar coragem para nos conhecermos guntas excessivas. É comum, por como pessoas, a alegria de con(como somos e não como gosta- exemplo, ao levar um esbarrão tribuir para o bem comum e a ríamos de ser) e para vivermos de um colega, a criança recla- percepção de suas possibilidaa verdade em nossas relações, mar: “Ele me bateu”. Com sim- des, passos importantes para a plicidade e clareza, podemos di- sinceridade. mesmo que custe. Somente aos 7 anos de ida- zer que se tratou de um acidente. Simone Ribeiro Cabral Fuzaro é de, a criança é capaz de um uso Quando perguntamos muito, Fonoaudióloga e Educadora, e mantém o blog http://educandonacao.com.br mais pleno da razão. Os meno- favorecemos que imaginações

Cuidar da Saúde

Amamentar não é fácil, mas é um ato de amor Cássia Regina Toda mãe, por natureza, produz leite para amamentar seu filho após o nascimento. Porém, muitas mães não o fazem por sentirem muita dor, pois existem fatores que provocam rachaduras e sangramento nos mamilos, dificultando a amamentação. Desde o terceiro mês de gravidez, já é possível iniciar a preparação do seio para facilitar a amamentação. O que se deve fazer: usar esponjas para lavar

o mamilo, pois assim a pele ficará mais grossa; ter banhos de sol ou de luz (usar um abajur com lâmpada de 60 volts, sem a capa, em uma distância de um metrô) de cinco minutos em cada mama todos os dias; fazer com que o bebê tenha uma pega adequada, para que abocanhe toda a aréola; usar concha de amamentação. Deve se evitar: cremes hidratantes no mamilo, absorventes para seios, pega inadequada do bebê. Ao sentir que o seio está ficando endurecido e/ou com au-

mento de temperatura, faça compressa de água fria. Sangramento pelo mamilo não é impedimento para a amamentação. No entanto, caso você tenha secreção purulenta ou febre, deve procurar o obstetra para descartar uma infecção. Amamentar no início não é fácil, mas além de ser o melhor alimento que você pode oferecer ao seu filho, é um ato de amor. Dra. Cássia Regina é medica atuante na Estratégia de Saúde da Família (PSF) E-mail: dracassiaregina@gmail.com


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

| Geral/Pastorais | 7

Diálogo Inscrições abertas para a Inter-religioso Medalha São Paulo Apóstolo 2016 REDAÇÃO

osaopaulo@uol.com.br

A Arquidiocese de São Paulo publicou, no dia 2, o edital para a inscrição (ver íntegra abaixo) de candidatos à 2ª edição da Medalha São Paulo Apóstolo, prêmio de reconhecimento que tem os objetivos de valorizar, estimular e dinamizar a vida eclesial e pastoral na Arquidiocese. Instituída em 2015 pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano, por conta das come-

morações dos 270 anos de criação da Diocese de São Paulo, a Medalha traz, numa face, a efígie do apóstolo São Paulo, Patrono da Arquidiocese; na outra face, traz a vista frontal da catedral metropolitana de São Paulo. Sua entrega será acompanhada de um diploma correspondente. As inscrições podem ser feitas até 30 de junho. Os nomes dos comtemplados pela Medalha serão divulgados no dia 5 de agosto e a entrega do prêmio será em 1º de setembro. Serão concedidas medalhas

às pessoas que se destacaram nas seguintes dimensões da vida eclesial e pastoral: testemunho laical; serviço sacerdotal; ação caritativa e de promoção humana; ação missionária; inovação na metodologia pastoral; educação cristã; defesa e promoção da vida e da dignidade humana. Serão ainda concedidas medalhas às entidades e instituições que se destacaram pelo testemunho cristão nas áreas de cultura, comunicação e serviço social.

Intolerância religiosa: um mal combatido por judeus, cristãos e muçulmanos Diego Monteiro

(Com informações do Portal da Arquidiocese de São Paulo)

EDITAL PARA A INSCRIÇÃO DE CANDIDATOS À MEDALHA SÃO PAULO APÓSTOLO, EM 2016 1. Por este Edital, ficam estabelecidas as normas e orientações para a inscrição de candidatos à Medalha “São Paulo Apóstolo”, da Arquidiocese de São Paulo, em 2016. 2. Poderão ser inscritos candidatos à Medalha para 10 categorias diversas: 7 categorias de pessoas e 3 categorias de instituições ou entidades, conforme definido no Ato de instituição da Medalha e no seu Regulamento (cfr. portal da Arquidiocese de São Paulo: www.arquisp.org.br). 3. Neste Ano Jubilar da Misericórdia, consideram-se prioritárias as pessoas ou instituições que realizam obras de misericórdia, tais como as propostas pelo Papa Francisco: “É meu desejo sincero que o povo cristão reflita, durante o Jubileu, sobre as obras de misericórdia corporais e espirituais... Redescubramos as obras de misericórdia corporais: dar de comer aos famintos, dar de beber aos sedentos, vestir os nus, acolher os peregrinos, dar assistência aos enfermos, visitar os presos, enterrar os mortos. E não esqueçamos as obras de misericórdia espirituais: aconselhar os indecisos, ensinar os ignorantes, admoestar os pecadores, consolar os aflitos, perdoar as ofensas, suportar com paciência as pessoas molestas, rezar a Deus pelos vivos e defuntos”. (Bula Misericordiae Vultus, n. 15) 4. Os candidatos a receber a Medalha devem exercer suas atividades no âmbito da Arquidiocese de São Paulo. 5. A inscrição de candidatos poderá ser feita por pessoas, individualmente, ou por entidades e instituições (cfr. Regulamento nº 9). 6. O mesmo proponente poderá inscrever apenas um candidato para cada uma das 10 categorias da Medalha (cfr. Regulamento nº 4 e 5). 7. Na inscrição deverão ser fornecidos os dados pessoais do candidato, conforme formulário de inscrição (cfr. modelo anexo), com destaque para os motivos (verificáveis) que recomendariam a concessão da Medalha. No ato da inscrição, também devem ser fornecidos os dados de identificação do próprio proponente (cfr. ficha anexa). 8. Os formulários preenchidos, para a inscrição de candidatos à Medalha, deverão ser enviados para a cúria metropolitana de São Paulo, em envelope fechado, para o seguinte endereço: Medalha São Paulo Apóstolo Cúria Metropolitana de São Paulo Avenida Higienópolis, 890 01238-000 – SÃO PAULO – SP 9. A inscrição também pode ser feita por meio eletrônico, enviando a ficha devidamente preenchida para o seguinte e-mail: medalhasaopaulo@arquisp.org.br, junto com os demais formulários preenchidos. 10. O prazo final para fazer a inscrição de candidatos à Medalha é 30.06.2016. 11. As inscrições de candidatos para a Medalha, para não serem desqualificadas, devem estar em conformidade com o Regulamento da Medalha e com as indicações deste Edital. 12. O anúncio dos 10 contemplados com a Medalha em 2016 será feito no dia 5 de agosto de 2016, às 18h, no portal da Arquidiocese de São Paulo (www.arquisp.org.br.). Os contemplados com a Medalha receberão uma comunicação pessoal da Comissão Organizadora. 13. A cerimônia de entrega da Medalha será realizada no dia 1º de setembro de 2016, às 20h, no auditório do Mosteiro de São Bento, Largo de São Bento s/n, junto à Estação São Bento do Metrô - Linha Azul. 14. A Medalha deverá ser recebida pessoalmente pelos agraciados; em casos justificados, poderá ser recebida por pessoa legitimamente delegada para tal, com antecedência e por escrito. 15. Todas as informações sobre a Medalha “São Paulo Apóstolo” podem ser encontradas no portal da Arquidiocese: www.arquisp.org.br. São Paulo, 2 de maio de 2016 A Comissão Organizadora da Medalha “São Paulo Apóstolo” Dom Carlos Lema Garcia Pe. Luis Eduardo Baronto Pe. Juarez Pedro de Castro

Participantes do evento ‘Dialogando pela Paz’, no dia 2

Com a meta de refletir sobre o fundamentalismo religioso, aproximadamente 80 jovens e adultos participaram, no dia 2, na Paróquia São Luís Gonzaga, na Região Sé, do encontro “Dialogando pela Paz”, promovido pelo grupo Jovens pela Paz, composto por judeus, cristãos e islâmicos, em parceria com os Jovens por Mundo Unido, do Movimento dos Focolares, como parte da atividade da Semana Mundo Unido. Raul Meyer, da Federação Israelita do Estado de São Paulo, afirmou que o fundamentalismo e o radicalismo baseiam-se nas pessoas que não querem que o outro pense de forma abrangente. “O Brasil é um país democrático, que dá chance a todos se conhecerem. Nós devemos ter cuidado para que o radicalismo e o fundamentalismo daqueles que querem fazer paredes, que impossibilitam o diálogo, venha para o nosso País. Para isso, é preciso conhecer outras religiões, outras pessoas, outras línguas”. Cônego José Bizon, diretor da Casa da Reconciliação, enfatizou que, por trás de um projeto fundamentalista, estão os interesses daqueles que defendem uma verdade absoluta em detrimento do respeito, da tolerância e da diversidade. “O fundamentalismo religioso caracteriza-se pela atitude dogmática, incapaz de abrir-se à alteridade e ao diálogo, como forte tendência a impor a sua crença ou as suas crenças, além da sua visão de mundo mediante o recurso da violência física ou simbólica”, disse. Representando a comunidade muçulmana, o Sheikh Houssam El Boustani, do Instituto Futuro, sintetizou o conceito de fundamentalismo, afirmando que é uma crença ou prática na forma estritamente ortodoxa, não admitindo ideias reformistas. Ele pontuou que “a religião islâmica proíbe e combate qualquer ideia ou prática que se baseie em fanatismo”. O Sheikh mesclou suas palavras com trechos do Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos. “No Alcorão, Deus diz que não há concussão na religião, e que a verdade emana de nosso Senhor”. Os jovens que estiveram no encontro aprovaram a iniciativa. “Foi um momento muito construtivo de diálogo, onde estávamos motivados por aquilo que nos une”, afirmou José Lucas, estudante de Engenharia. “O fundamentalismo é usado de maneira equivocada, de forma radical, absoluta e sem fundamento ou razão. E para mudarmos esse conceito, é necessário que pensemos no bem comum e que possamos amar, sermos misericordiosos”, comentou Jaqueline Manuel, secretária executiva do Setor Juventude da Arquidiocese de São Paulo. (Por Diego Monteiro)


8 | Pelo Mundo |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Destaques das Agências Internacionais

Filipe David

Correspondente do O SÃO PAULO na Europa

Venezuela

Governo contesta assinaturas contra Nicolás Maduro O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, é alvo de um processo popular para promover um referendo que poderia revogar o seu mandato. Foram recolhidas 1,85 milhão de assinaturas – bem mais do que as 196 mil exigidas por lei – e entregues ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE), órgão res-

ponsável, pelas eleições na Venezuela. Nicolás Maduro indicou uma comissão para “acompanhar” o trabalho de verificação das assinaturas pelo CNE. Antes mesmo do início do processo, o coordenador dessa comissão, Jorge Rodríguez, afirmara que “em poucos dias, vamos saber que inflaram em um milhão todas es-

World Watch Monitor

Colômbia ‘Famílias fogem devido à violência’ O bispo da Diocese de Tibù, Dom Omar Alberto Sanchez, denuncia que diversas famílias de camponeses têm fugido por causa do aumento dos homicídios e da presença de grupos armados que ameaçam e extorquem as populações locais. Segundo o Bispo, o problema está se agravando desde que as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e o ELN (Exército de Libertação Nacional), grupos comunistas guerrilheiros em maior ou menor grau envolvidos com o narcotráfico, sequestro e outros crimes), se aproximaram do governo nacional para negociar a paz.

Igreja Católica Nyarwele é incendiada na Tanzânia

Fonte: Fides

de atrasar o processo. Se o referendo for realizado, antes da metade do mandato de Nicolás Maduro, no dia 10 de janeiro de 2017, e ele for derrotado, serão convocadas novas eleições. Se isso ocorrer após essa data, o vice-presidente, Aristobulo Isturiz, é quem assumirá o poder.

sas assinaturas que eles dizem que entregaram”. Na segunda-feira, 9, Rodríguez declarou que boa parte dos formulários utilizados para recolher as assinaturas estão “incompletos”, faltam impressões digitais e documentos, e parte das assinaturas são de pessoas mortas. A oposição acusa o governo e o CNE

Fontes: Le Figaro/ G1

Tanzânia Igreja é incendiada Um templo da Igreja Católica foi incendiado no noroeste da Tanzânia, próximo à fronteira com Uganda, Burundi e Ruanda. As chamas destruíram documentos da paróquia, bem como documentos, móveis, livros litúrgicos e um gerador. Trata-se do terceiro local de culto cristão incendiado no ano, junto com um templo da Assembleia de Deus e uma outra igreja pentecostal. No ano passado, foram incendiadas seis igrejas em um só mês. O Padre Fortunatus Bijura, que trabalhava na igreja destruída, afirmou: “Aqueles que pensam que se destruírem nossas igrejas não rezaremos mais, se enganam... há uma grande árvore perto da igreja e continuaremos a nos reunir lá para rezar”. Fonte: Fides

República Dominicana

Paquistão

Bispo denuncia imperialismo LGBT

Vocações florescem em meio à perseguição

Um bispo auxiliar de Santo Domingo, Dom Victor Messales, recentemente acusou o embaixador norte-americano para a República Dominicana, James Brewster, de trabalhar agressivamente pelo avanço da agenda LGBT. Brewster, que é “casado” com um outro homem, tem distribuído dinheiro para grupos LGBT como parte

Apesar dos muitos casos de violência e perseguição contra a comunidade cristã no Paquistão, a Igreja tem sido “fervorosa nas vocações sacerdotais e na vida consagrada”, disse o Padre Inayat Bernard. Em um país com 95% da população muçulmana, a Igreja já ordenou, entre o ano passado e este ano, 23 novos

da “iniciativa do Departamento de Estado para promover os direitos dos gays e transgêneros no exterior”. Para o Bispo, essa ingerência norte-americana na República Dominicana é exatamente o que o Sínodo da Família e o Papa Francisco chamaram de “colonização ideológica”. Fonte: Church Militant

sacerdotes. No Instituto Nacional de Teologia de Karachi, estudam 79 seminaristas, e no seminário maior dedicado a São Francisco Xavier, em Lahore, mais 96. Segundo o Padre Inayat, “são números que preanunciam um futuro próspero para a Igreja Católica no Paquistão”. Fonte: Fides

MARIA DE NAZARÉ Breve tratado de mariologia

184 páginas

PAULUS, dá gosto de ler!

144 páginas

72 páginas

244 páginas

Daniela del Gaudio

Nos passos de Maria

Maria

Luiz Alexandre Solano Rossi

Tão plena de Deus e tão nossa Kathleen Coyle

No mês de Maria, cabe a nós refletir: em meu lugar, o que Nossa Senhora faria? Entre os muitos sons que escutamos no decorrer do dia, é preciso reservar um tempo para ouvir a voz de Maria. Este livro será o seu companheiro diário nesse processo. Você poderá lê-lo antes de iniciar suas atividades e, assim, sentirse revigorado para mais um dia de vida.

A história não tem registro de Maria de Nazaré, exceto pelos documentos de fé, e o relato a seu respeito nesses documentos é breve. Como essa lacuna coexiste com o crescimento do culto a Maria no decorrer dos séculos? Para descobrir, a autora Kathleen Coyle resolveu pesquisar a fundo a história dessa mulher, cujo culto acalenta milhares de cristãos.

paulus.com.br 11 3789-4000 | 0800-164011 vendas@paulus.com.br

Caminhar com Maria para seguir Jesus José Adriano Gonçalves Maria viveu como a maioria de nós: no anonimato. Pertencia ao universo dos pobres e excluídos. O livro Caminhar com Maria para seguir Jesus propõe reflexões acerca da vida e da missão dessa mulher, que foi gente como a gente. Maria é o caminho e o modelo a se seguir para encontrar Jesus e andar lado a lado com Ele.


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

| Papa Francisco | 9

Papa ao Brasil: harmonia, paz, oração e diálogo Ao final da audiência geral da quarta-feira, 11, o Papa Francisco fez uma saudação especial ao povo brasileiro, que vive um momento político conturbado pelas inúmeras denúncias de corrupção envolvendo políticos e empresários e pelo processo de impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff, que tramita no Senado. “Ao saudar vocês, peregrinos brasileiros, o meu pensamento vai à sua

amada nação. Nesses dias em que nos preparamos para Pentecostes, peço ao Senhor que derrame abundantemente os dons do Espírito Santo para que, nestes momentos de dificuldade, o País caminhe pelas sendas da harmonia e da paz com a ajuda da oração e do diálogo. Que a proximidade de Nossa Senhora Aparecida – que como uma boa mãe jamais abandona seus filhos – seja defesa e guia no caminho”, disse o Pontífice.

Preocupação com ‘clima de ódio’

O Santo Padre tem acompanhado a situação política brasileira por meio dos bispos do Brasil. Ao final da 54ª Assembleia Geral da CNBB, realizada em abril, a entidade emitiu uma declaração sobre o momento nacional. Na audiência geral da semana passada, o arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, teve a oportunidade de falar

Francisco é Cidadão Paulistano O Papa Francisco recebeu o título de Cidadão Paulistano e a Medalha José de Anchieta na quarta-feira, 4, no Vaticano (foto). A homenagem foi entregue ao Pontífice pelo vereador Gilberto Natalini (PV) ao final da audiência geral, na praça de São Pedro. De acordo com Natalini, o Papa disse “Que belo” ao receber as homenagens. “Para mim, a emoção foi grande: pegar na mão do Papa, conversar e entregar a maior comenda da Cidade de São Paulo que é o título de Cidadão Paulistano e a Medalha José de Anchieta que é outro título para os amigos de São Paulo”, afirmou o Vereador.

com o Pontífice sobre o tema. Francisco reiterou que reza sempre pelo País. A crise também esteve na pauta da audiência privada que o Papa concedeu na terça-feira, 10, à atriz Letícia Sabatella e à juíza substituta do Tribunal de Justiça de São Paulo, Kenarik Boujikian. “O Papa Francisco foi extremamente acolhedor, gentil, demonstrou-se preocupado com esse clima de ódio e de polarização no País”, relatou a Atriz à rádio Vaticano. Fotos: L’Osservatore Romano

O parlamentar destacou a importância e a humanidade de Francisco. “Esse Papa merece todas as homenagens. Ele é uma pessoa muito especial; o mundo cristão, e não só o cristão, mas o mundo das pessoas que gostam de gente, tem grande identificação com o Papa Francisco. Está estampando no rosto dele o amor que tem pelo semelhante e a pregação que faz de fraternidade, de convivência pacífica, de ajuda mútua, o combate à ganância, à injustiça, à corrupção e a pregação que São Paulo tem que ouvir... Francisco, para nosso orgulho e nossa honra, é paulistano”, finalizou o Vereador.

Sumo Pontífice dedica Prêmio Carlos Magno à Europa “O que te aconteceu, Europa humanista, paladina dos direitos humanos, da democracia e da liberdade? O que te aconteceu, Europa, terra de poetas, filósofos, artistas, músicos, escritores? O que te aconteceu, Europa, mãe de povos e nações, mãe de grandes homens e mulheres que souberam defender e dar a vida pela dignidade dos seus irmãos?”, perguntou o Papa Francisco, durante seu discurso na cerimônia de entrega do Prêmio Carlos Magno, recebido por ele na sexta-feira, 6, no Vaticano. Diante de autoridades europeias, o Pontífice reiterou que esse reconhecimento é dedicado a toda a Europa. “Europa que, no século passado, deu testemunho à humanidade de que um novo começo era possível: depois de anos de trágicos confrontos, culminados na guerra mais terrível de que se tem memória, reencontrou-se a si mesma e começou a edificar a sua casa”, disse.

Papa é fotografado com filhos dos membros do Círculo de São Pedro, recebidos em audiência na segunda-feira, 9. Francisco definiu o grupo, que realiza ações caritativas em Roma desde 1869, como “expressão de uma Igreja em saída”. AnuncioPadre_v2.pdf 1 10/09/2015 13:10:03

Fonte das Notícias: rádio Vaticano (Redação: Fernando Geronazzo)

Destinação de fundos a refugiados na Jordânia

APRECIE COM MODERAÇÃO

Por desejo expresso do Papa Francisco, os fundos recolhidos no estande da Santa Sé na Expo Milão 2015 foram destinados a um projeto da Caritas da Jordânia. O montante destinado à iniciativa é de US$ 150 mil, oferecidos livremente pelos inúmeros visitantes do estande. O projeto servirá para assegurar trabalho regular, formação profissional em carpintaria, agricultura e indústria alimentar a refugiados iraquianos.


10 | Pelo Brasil |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Daniel Gomes e Igor de Andrade

Destaques das Agências Nacionais

osaopaulo@uol.com.br

Governadores discutem dívidas dos estados com a União Os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin, de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e de Santa Catarina, Raimundo Colombo, e o governador em exercício do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, participaram, na terça-feira, 10, na Capital fluminense, de uma reunião para tratar das dívidas dos estados com a União. “Esta é uma questão federativa, que envolve os estados e os municípios, e que está no Supremo Tribunal Federal (STF). Estamos aguardando os próximos dias. Temos de esperar essa transição, para

depois conversarmos com a nova área financeira. Aguardar virar essa página, o processo do afastamento”, disse Alckmin. “Temos três itens graves. O primeiro é a folha, que, com a recessão, aumenta o seu peso. O segundo é a previdência, que é uma bomba-relógio em todo serviço público do Brasil. O terceiro é a dívida. Se não houver redução nesses três itens, não se sobrevive à crise, pois há vários meses estamos tendo queda de arrecadação”, afirmou Colombo. Para o governador de Minas Gerais, é

preciso haver entendimento com a União, a fim de evitar que os estados entrem em colapso. “Estamos esperando a definição do novo governo para começarmos o processo de negociação e encontrarmos um caminho que permita aos estados um conforto. No momento atual, os estados brasileiros estão na iminência de um colapso financeiro seríssimo e um dos motivos que nos leva a conversar com a União é a possibilidade de algum alívio na dívida”, declarou Pimentel. Para Dorneles, é necessário que os

estados tenham uma moratória de dois ou três anos para equilibrar as finanças. “Esse é um caminho que tem de ser seguido, porque todos os estados estão com fluxo de caixa ‘muito violento’. As receitas caíram, com o estado recessivo, e as despesas indexadas subiram, de modo que há um descontrole financeiro a curto prazo e as despesas de juros são muito altas. Precisávamos de uma moratória de juros para negociarmos a dívida dos estados com a União.” Fonte: Agência Brasil (Redação: Daniel Gomes)

Prorrogadas as inscrições para concurso da Cáritas Divulgação

A Cáritas Brasileira prorrogou para até 30 de junho o período de inscrições de trabalhos no “Concurso Comemorativo – Imagem, ritmo e história da Cáritas Brasileira”. Os autores das obras vencedoras em cada modalidade serão convidados pela Cáritas a participar do V Congresso Nacional da entidade, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida (SP), em novembro, com despesas de viagem, hospedagem e alimentação pagas. Podem participar todas as pessoas, independentemente de terem ou não relação com a Rede Cáritas. O concurso vai reunir textos - contos, crônicas, artigos, poemas e

cordéis - com conteúdo relacionado à história da Cáritas ou sobre temas aos quais a entidade se dedica. Ao final, serão selecionados 60 textos. Já as músicas precisam ser escritas em pauta, apresentando os acordes (cifras) para o acompanhamento instrumental. Os interessados em participar devem encaminhar os textos e músicas com as especificações estabelecidas no regulamento do concurso para o e-mail concurso60anos@ caritas.org.br. Os trabalhos finalistas serão publicados no livro “Pintando, cantando e contando os 60 anos da Cáritas Brasileira”. Fonte: Cáritas Brasileira (Redação: Igor de Andrade)

Uso do Uber é regulamentado em São Paulo

Regional Norte 2 fará Vigília por Mortos de Aids

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, anunciou na terça-feira, 10, a edição de decreto do Poder Executivo Municipal que regulariza a situação do transporte individual de passageiros na cidade de São Paulo, incluindo a regulamentação de aplicativos para tais transportes, como o Uber. O decreto incentiva o desenvolvimento de novas tecnologias que aperfeiçoem o uso do sistema viário e da

No sábado, 14, com o tema “Envolver, informar e empoderar”, o Regional Norte 2 da CNBB realizará a “Vigília pelos Mortos de Aids”, a partir das 18h, no Portal da Amazônia, em Belém (PA). O objetivo é fazer memória das pessoas falecidas em decorrência da doença. A iniciativa visa, ainda, fortalecer o compromisso na garantia de uma vida digna, sobretudo das pessoas que vivem com HIV/Aids.

mobilidade urbana na Cidade, e deve estimular o uso do transporte individual por aplicativo fora do centro expandido da Capital paulista, a partir de viagens mais baratas ao usuário. Em protesto ao decreto, taxistas fecharam as vias da região central da Cidade, por considerarem que a medida prejudica a categoria. Fonte: Prefeitura de São Paulo, Terra e G1 (Redação: Daniel Gomes)

A Vigília foi criada em 2 de maio de 1983, na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, por um grupo de jovens que viviam com HIV. Eles decidiram realizar uma marcha à luz de velas para chamar a atenção sobre a situação das pessoas que estavam morrendo por Aids. A frase da bandeira, “Lutando Por Nossas Vidas”, tornou-se o lema do movimento. Fonte: CNBB (Redação: Igor de Andrade)

Conheça as soluções pedagógicas pensadas para atender exclusivamente às necessidades das escolas católicas. Um jeito de ajudar a ampliar as possibilidades de trabalho de professores, facilitar a atuação do gestor e contribuir positivamente com toda a comunidade escolar.

Para conhecer as soluções do Integra Confessionais, solicite a visita de um consultor comercial: 0800 729 3232.

/FTDSistemaDeEnsino www.ftdse.com.br


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

| Esporte | 11

Márcio Rodrigues/MPIX/CPB

Verônica Hipólito Vencedora nas pistas, campeã na vida nomatosa familiar e precisei retirar o intestino grosso para não ter câncer”, lembrou Verônica, que naquele ano, por conta da cirurgia, não pôde participar do Mundial.

Aprendizados e fé

Daniel Gomes

danielgomes.jornalista@gmail.com

Para uma esportista de 19 anos, o currículo de Verônica Hipólito no atletismo paralímpico impressiona: ela conquistou ouro nos 200m e prata nos 100m no mundial da modalidade, em 2013; venceu essas duas provas e também o salto em distância nos Jogos Parasul-americanos, em 2014; e no Parapan de Toronto, em 2015, voltou a ganhar essas três categorias e também foi campeã nos 200m. No entanto, as maiores vitórias dessa jovem paulista, nascida em São Bernardo do Campo e criada em Santo André, estão fora das pistas. Verônica pratica esporte desde criança, mas em 2009 se viu impedida de realizar atividades de maior contato físico após ser diagnosticada com um tumor na cabeça. Operada, encontrou no atletismo a chance para continuar a ser esportista, mas um novo obstáculo apareceu em 2011: um acidente vascular cerebral (AVC). “Eu fiquei com toda a parte direita do corpo paralisada. Não conseguia fa-

AGENDA ESPORTIVA Brasileirão de Futebol SÁBADO (14) 16h – Palmeiras x Atlético PR (Allianz Parque) DOMINGO (15) 16h – Corinthians x Grêmio (Arena Corinthians)

lar, não andava, não conseguia pegar as coisas com a mão, fiquei de cama por um bom tempo, mas fazendo fisioterapia e fonoaudiologia, fui melhorando e decidi voltar ao atletismo. Fiz o teste no Sesi de Santo André. Lá estava o Daniel Biscola, que era treinador da equipe olímpica e paralímpica de atletismo. Foi ele quem disse que eu tinha chance de ingressar no movimento paralímpico”, recordou Verônica ao O SÃO PAULO. Biscola foi um visionário. Em 2013, na primeira competição de Verônica na classificação funcional T38 (atletas com paralisia cerebral), ela estabeleceu os recordes brasileiros dos 100m, 200m e do salto em distância, e no Mundial, aos 17 anos, se tornou a mais jovem campeã da história da modalidade. Aquele tinha tudo para ser um ano perfeito, mas não foi. “Em 2013, tive outro tumor na cabeça. Muita gente ficou com medo que eu tivesse que parar tudo para ter que operar de novo, mas continuei treinando, com acompanhamento médico. Quando tudo parecia bem, em 2015, descobri que tinha uma síndrome rara chamada polipose ade-

Preparada para disputar sua primeira paralímpiada, no Rio de Janeiro, em setembro, Verônica garante que se tornou uma pessoa melhor após superar as doenças. “Se essas coisas não tivessem acontecido, eu poderia ter continuado menosprezando um monte de gente, porque antes do AVC e do tumor, eu queria sempre contradizer alguém, ser a melhor para que as pessoas até tivessem medo de mim. Ainda hoje, quero ser a melhor no que faço, mas não para ‘pisar’ nos outros, e sim para fazer o melhor pelos outros”, comentou. Católica, Verônica diz que não vai muito a missas, mas que tem o hábito ler a Bíblia e rezar sozinha ou na companhia de alguns colegas de atletismo. Ela não tem dúvidas de que Deus a ajudou a superar as adversidades. “Tudo que aconteceu comigo foi muito estranho, pois tive o AVC e os médicos disseram que se eu demorasse mais um pouco teria morrido. Tive um tumor e ninguém sabia dizer como aguentei aquela situação. Deus está me dando uma chance para algo maior e não considero que tenha sido para vencer um campeonato mundial ou para se classificar para os Jogos Rio 2016. Essa chance é para que eu faça algo por alguém”. Agir pelo bem do próximo, especialmente na área esportiva, é uma das metas de Verônica para o futuro, assim como se formar em Economia ou Administração. “Quero muito estudar para ter um projeto em que eu possa subir os morros e ir a comunidades carentes, porque há muito talento escondido nesses lugares, não somente para

o atletismo. Quero muito estudar para elevar o esporte e divulgar o movimento paralímpico”, revelou.

Paralimpíada: ‘Vai ser muito divertido’

Verônica Hipólito é uma das favoritas ao ouro na categoria T38 nas provas de 100m, 400m e no salto em distância da Paralimpíada, e também competirá no revezamento 4 por 100m. “Quero conquistar duas ou três medalhas de ouro nos Jogos, o que é absurdamente difícil, considerando que as minhas adversárias estão se especializando em só uma prova e eu competirei em quatro provas. Quero o máximo de medalhas de ouro possíveis”, enfatizou. Para alcançar a meta, Verônica intensificará nos próximos meses os treinos que realiza de segunda-feira a sábado. Ela sabe que competir no Brasil trará a vantagem de ter a torcida próxima, mas uma maior responsabilidade. “Houve uma época que considerei isso como pressão, mas, certa vez, assisti um documentário em que um nadador falava que existe uma coisa chamada expectativa. Se você levar de forma negativa, isso vira pressão, se você levar de forma positiva, isso vira incentivo. Prefiro pensar que as pessoas estão me incentivando muito e que quando chegar nos Jogos, vai ser uma festa. Quando for dado o tiro de largada, vai ser uma brincadeira de corrida, como uma brincadeira de corrida de criança. Acho que vai ser muito divertido. As minhas adversárias querem uma medalha tanto quanto eu, mas só eu sei o quanto estou me esforçando para isso”, comentou. Acostumada a vencer desafios dentro e fora das pistas, Verônica já “agendou” o primeiro compromisso tão logo acabe a Paralimpíada. “Se eu ganhar as quatro medalhas ou pelo menos duas de ouro, a primeira coisa que vou fazer é um churrasco aqui em casa e você [repórter] já está convidado”, disse, sorrindo.

Ivan Storti/Santos F.C.

‘AGORA QUEM DA BOLA’ O Santos conquistou no domingo, 8, o bicampeonato do Paulistão de Futebol, ao derrotar na final, na Vila Belmiro, o Grêmio Osasco Audax por 1x0, com gol de Ricardo Oliveira. Esse foi o 22º título estadual do clube.


12 | Reportagem |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

‘Um cobertor numa noite fria pode salvar uma vida’ Arte: Sergio Ricciuto Conte

‘Pois eu estava com fome, e vocês me deram de comer, eu estava com sede, e me deram de beber; eu era estrangeiro, e me receberam em sua casa, eu estava sem roupa, e me vestiram...’

Renata Moraes

Integrante pastoral da Casa de Oração do Povo da Rua, Jair Magalhães contou à reportagem que na noite da quinta-feira, 5, eles receberam uma ligação de Dom Odilo Scherer, arcebispo metropolitano, advertindo que próximo à estação Paraíso

Casa de Oração do Povo de Rua As doações devem ser encaminhadas para a rua Djalma Dutra, 3, no Bom Retiro/Luz. Outras informações em (11) 3228-6223.

doadas para os missionários e para as pessoas em situação de rua atendidos pelas pastorais. O Diácono Gilson Frank dos Reis, da Missão Belém, recordou que tudo que eles possuem na Comunidade é fruto de doação, sejam agasalhos, alimentos ou chinelos. “Tudo vem pela providência divina e pela misericórdia de Deus. Muitas paróquias são solidárias e nos ajudam. Vivemos da bondade do povo de Deus, daqueles que querem ajudar os pobres”. Segundo o Diácono, eles atendem toda semana cem irmãos acolhidos na Casa Guadalupe. Ele reforça que por mês são necessários de 400 a 500 pares de chinelos para atender a todos.

jornalismorenata@gmail.com

Casa de Oração Povo do Povo da Rua

Fraternidade O Caminho As doações devem ser encaminhadas para a rua Djalma Dutra, 69, no Bom Retiro/Luz. Outras informações pelo telefone (11) 3661-1049.

Comunidade Missão Belém As doações devem ser encaminhadas para a rua Doutor Clementino, 608, ao lado da estação do Metrô Belém. Telefone (11) 2694-2746.

(cf Mt 25,36)

O inverno ainda não chegou, mas as baixas temperaturas do Outono já atingem quem não possui um teto, uma cama e um cobertor para se aquecer. Para enfrentar o período de baixas temperaturas, diversas campanhas de arrecadação de agasalhos são promovidas por igrejas, entidades civis, associações e órgãos públicos, a fim de arrecadar doações que serão encaminhadas às comunidades carentes e às pessoas em situação de rua. A Igreja Católica, por meio de seus distintos grupos, pastorais e comunidades, forma uma imensa rede de solidariedade e misericórdia. “Para àqueles que estão em situação de rua, é muito mais difícil. Às vezes, um cobertor numa noite fria pode salvar uma vida”, disse o Frei Tarcísio, da Fraternidade O Caminho, em entrevista ao O SÃO PAULO. Para o Frei, o ato de vestir os nus é mais que uma obra de misericórdia. “O que nos move para ir ao encontro do irmão é o próprio Evangelho, é olhar as pessoas com misericórdia e enxergar o Cristo que há em cada uma delas”, disse, complementando que é durante o inverno que eles acolhem muitas pessoas em situação de rua com doenças respiratórias, como pneumonia e tuberculose. Frei Tarcísio falou sobre a dificuldade de conseguir doações de agasalhos e cobertores. Até o dia 6, a Fraternidade não havia recebido sequer um único cobertor para doar aos necessitados. A maior demanda é de agasalhos masculinos, pois, segundo ele, a maioria da população em situação de rua é composta de homens. Devido à proximidade da casa, eles também auxiliam o trabalho da Casa de Oração do Povo de Rua.

ONDE FAZER DOAÇÕES

Setor Juventude promove campanha do agasalho em Pentecostes

do metrô havia um grupo de pessoas passando frio. “Fomos até lá e encontramos uma família nordestina, recém-chegada a São Paulo. Eram aproximadamente 15 adultos e 12 crianças. Distribuímos 30 cobertores”. Segundo Jair, em 2015 foram registradas seis mortes de pessoas em situação de rua. Em 2016, ainda não houve registro de mortes, “e esperamos que não tenha nenhum caso”, informou o Padre Julio Lancellotti, vigário epis-

copal para a Pastoral do Povo de Rua. Até o momento, a Casa de Oração do Povo da Rua recebeu a doação de somente 260 cobertores, e segue a campanha para arrecadar também agasalhos e roupas de frio para todas as idades.

Missão Belém e Aliança de Misericórdia

As comunidades Aliança de Misericórdia e Missão Belém também aceitam doações de agasalhos e roupas que serão

Uma história que inspira Intimamente ligada à prática desta obra de misericórdia é a história de São Martinho. Nascido na Hungria (antiga Panônia), em 316, em uma família pagã, por exigência do pai (oficial do exército romano), o jovem tornou-se militar. Em um árduo inverno do ano de 337, Martinho encontrou perto da porta da cidade um mendigo que tremia de frio. O cavaleiro cortou seu próprio manto com uma espada, dando metade ao pedinte. “Na noite seguinte, Jesus apareceu-lhe vestido com a metade da capa dada, para lhe agradecer pelo gesto. Martinho não sabia que no homem pobre se encontrava o próprio Cristo. Tratava-se ali da realização concreta da obra de misericórdia louvada em Mt 25,36”, consta no livro “As obras de misericórdia corporais e espirituais”, do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização. Depois deste dia, Martinho abandonou a vida militar, foi batizado e passou a viver intensamente a vida religiosa. Foi bispo na Diocese de Tours durante 25 anos e fundou o primeiro mosteiro da França, sempre dedicado à formação dos sacerdotes e à evangelização de todos.

Atentos ao apelo do Papa Francisco, os jovens de diversos movimentos juvenis que compõem o Setor Juventude da Arquidiocese de São Paulo também estão promovendo seu gesto concreto de misericórdia. No domingo, 15, os jovens participarão da Solenidade de Pentecostes da Arquidiocese, que acontecerá a partir das 12h na Paróquia Nossa Senhora da Consolação, e seguirão em caminhada até a Catedral da Sé. Os jovens são motivados nessa peregrinação a doarem agasalhos, que poderão ser trocados por um kit lanche no dia do evento. Essa obra de misericórdia será registrada no projeto “Floresta que cresce”, do Arsenal da Esperança, a ser lançado nesta data. Também na Solenidade de Corpus Christi, que será celebrada no dia 26, o Secretariado Arquidiocesano de Pastoral faz o apelo para que sejam doados agasalhos nessa celebração. Haverá postos de coleta na Catedral da Sé. Todas as doações serão destinadas para o Vicariato Episcopal para o Povo de Rua, que fará a distribuição entre as entidades que atendem essa população.

Carreata da Solidariedade

A Paróquia Nossa Senhora da Esperança, em Moema, na Região Episcopal Ipiranga, realizará no dia 12 de junho, das 9h às 13h30, a 15ª edição da Carreata da Solidariedade de Moema. O evento já é tradicional pelas ruas do bairro, onde carros antigos vão recolher agasalhos, cobertores, e também alimentos não perecíveis e fraldas de tamanho adulto e infantil durante o percurso. A Paróquia fica na alameda Javaperi com a avenida Eucaliptos. Outras informações em (11) 5531-9519.


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

| Reportagem | 13

Dom Luiz Carlos Dias é ordenado em Caconde (SP) Nomeado pelo Papa Francisco em 16 de março, Bispo tomará posse como auxiliar de São Paulo na solenidade de Corpus Christi, na quinta-feira, 26 Edcarlos Bispo

Enviado especial a Caconde (SP) edbsant@gmail.com

O pequeno município de Caconde (SP), a quase 300km da Capital paulista, estava em festa na manhã do sábado, 7. O ginásio municipal da Cidade ficou pequeno para receber as centenas de famílias, idosos, jovens e crianças que participaram da celebração de ordenação episcopal do Monsenhor Luiz Carlos Dias, 51. Cleonice Aparecida Marques de Freitas é participante da 2ª Comunidade do Neocatecumenato em Caconde, onde viu o então jovem Luiz Carlos começar a participar dos encontros do movimento. A comunidade, segundo ela, dá muito apoio e reza pelos jovens. Cleonice era próxima da família dele. Os dois participavam semanalmente da Eucaristia. Ela viu o jovem se tornar um “padre alegre, atencioso e muito feliz”. Elogios também não faltam por parte de Regina Maria de Ávila Marcondes, que integra o Caminho Neocatecumenal. Para ela, o carisma do Bispo será a marca registrada do episcopado dele. Regina conta que no dia anterior à ordenação, Monsenhor Luiz andou por Caconde, indo a todos os estabelecimentos comerciais e administrações públicas, agradecendo o envolvimento e a colaboração de toda a Cidade para a realização do almoço e dos detalhes da sua ordenação. Onofre Ferreira Dias e Maria José Dias, pais do novo Bispo, não se continham de tanta emoção. Para eles “é uma bênção de Deus na nossa família escolher nosso filho para ser Bispo. Já nos sentíamos felizes por ele ser padre e nos sentimos gratos a Deus por escolhê-lo para ser bispo”, contaram. Participantes do Caminho Neocatecumenal, os pais do Monsenhor destacaram que sempre foram católicos, e que se tornaram mais perseverantes ao entrarem no Caminho. Eles lembraram que o novo Bispo “nasceu no movimento, era jovem ainda e dali partiu para o seminário, e agora é bispo”.

A celebração

Dom Luiz foi ordenado bispo pelas mãos do Cardeal arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer; pelo bispo diocesano de São João da Boa Vista, Dom David Pimentel, e pelo bispo auxiliar de Brasília, Dom Leonardo Ulrich Steiner. O Cardeal, na homilia, agradeceu o

Papa Francisco pela acolhida do pedido de um bispo auxiliar para São Paulo “onde sua ajuda é muito necessária”, disse, dirigindo-se ao Monsenhor, e recordou que “o bispo é chamado a seguir o exemplo de Cristo, que não veio para ser servido, mas para servir e entregar sua vida pela salvação de todos”. Dom Odilo recordou que o bispo deve testemunhar a alegria do Evangelho e entregar a sua vida para que as ovelhas do rebanho do Senhor tenham vida em abundância. “Lembra-te que foste tirado do meio dos homens e colocado a serviço deles nas coisas de Deus”. O Cardeal recordou, ainda, que a primeira e mais urgente missão do bispo é ensinar a Palavra de Deus a todos, como semeadores que espalham a boa semente, orando e oferecendo sacrifício pelo povo. “O episcopado não é uma honra. O bispo deve distinguir-se mais pelo serviço prestado do que pelas honrarias recebidas”, observou. Ao fazer uma saudação ao recém-ordenado, Dom Leonardo agradeceu o trabalho de Dom Luiz na CNBB, à frente da Campanha da Fraternidade e da Campanha da Evangelização. “Muito obrigado. Você saberá ser um grande pastor. O povo necessita de homens próximos, simples; Homens que saibam ouvir, e você sabe. Bom ministério episcopal e agora contaremos ainda mais com sua ajuda na Conferência Episcopal”, afirmou. Ao agradecer, Dom Luiz se disse profundamente emocionado e alegre, “tomado por um sentimento de profunda gratidão”. O Bispo agradeceu a Deus, pelo seu chamado vocacional, e ao presbitério da Diocese de São João da Boa Vista, que segundo ele, o fez crescer no sacerdócio. Dom Luiz contou que em visita à Arquidiocese de São Paulo, em especial à Região Episcopal Belém, para onde será designado pelo Cardeal Scherer, já pode “ver os sinais da solicitude que deve pulsar no coração do pastor”. O Bispo recordou que mesmo diante dos desafios da grande metrópole, sabe que contará com o apoio do Cardeal e do demais bispos auxiliares. Recordando seu lema episcopal, “Vim para servir” (Mc 10,45), Dom Luiz afirmou que deseja se entregar sem reservas ao anúncio do Evangelho e à santificação do povo de Deus, em comunhão com o episcopado e com o Papa Francisco para anunciar a eterna misericórdia. A posse de Dom Luiz como bispo auxiliar de São Paulo será na solenidade de Corpus Christi, na quinta-feira, 26, na Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Assunção (Catedral da Sé), às 9h. Já a acolhida de Dom Luiz como vigário episcopal para a Região Belém será no dia 28, às 15h, na Paróquiasantuário Nossa Senhora do Sagrado Coração (avenida Renata, 1), na Vila Formosa.

Fotos: Luciney Martins/O SÃO PAULO

Ginásio Municipal de Caconde (SP) lotado para ordenação episcopal de Dom Luiz Carlos Dias, no sábado, 7; A liturgia de ordenaçao episcopal é composta por momentos simbolicos que expressam a relação do bispo, sucessor dos apóstolos, com a Igreja, corpo místico de Cristo; Na última foto, Dom Luiz abençoa seus pais.


14 | Entrevista |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Com a Palavra: Humberto Dantas

‘As instituições de Justiça estão se consolidando para além dos desejos governamentais’ Arquivo pessoal

Edcarlos Bispo edbsant@gmail.com

Quais os rumos que, se consumado o impeachment, a política brasileira irá tomar? O que esperar de um eventual governo de Michel Temer? Essas são algumas das questões que estão na cabeça dos brasileiros, mas que serão respondidas com o tempo. No entanto, Humberto Dantas, cientista social, doutor em Ciência Política e professor do Insper e da Fesp-SP, em entrevista ao O SÃO PAULO, apresenta alguns pontos a serem observados nas possíveis transições que o País viverá.

Nesse período afastada, o que acontece com Dilma e seus ministros, em relação a salários e cargos?

Os ministros de Dilma ou são mantidos por Temer ou estão demitidos. Voltam pra suas funções no mercado ou no mundo público. Ministros são agentes de responsabilidade do chefe de governo, e o chefe de governo, mesmo que interinamente, é Michel Temer, confirmado o afastamento de Dilma para defesa. Assim, estão fora da Esplanada, se Temer desejar. Já Dilma pode continuar morando no Palácio da Alvorada durante o processo, mas de acordo com a Lei de 1950, seus vencimentos se reduzem pela metade [o Senado, porém, deliberou que a Presidente afastada receberá vencimentos integrais].

O SÃO PAULO – Quais as perspec-

tivas dos 180 dias do governo Michel Temer?

Humberto Dantas – Difícil afirmar com clareza, mas certamente será um período com intensa movimentação do PT e da esquerda na oposição; com possível alívio do mercado, com posterior pressão por resultados breves. Temer terá que ser cirúrgico, e muito do que disse não será feito. A máquina vai continuar inchada, o impeachment custou caro demais em termos de negociação. Ademais, teremos Olimpíadas e eleições. Um período atribulado.

O senhor acredita em chances concretas de um possível retorno de Dilma Rousseff?

Acho improvável, mas na política nada é impossível. Porém, é pouco provável apostar numa volta de Dilma Rousseff. O processo está muito desenhado. O diálogo não é mais técnico, nunca foi. É extremamente político todo esse processo. Isso não é defeito ou qualidade, é característica.

Uma das muitas criticas ao governo Dilma é o alto número de ministérios. Ao que parece, com Temer não será diferente. Isso pode desagradar à população e à opinião pública?

Pode, mas certamente agradará aqueles que se venderam para sustentar Temer no poder. A articulação política arruinou o governo Dilma. Temer deve ter um pouco mais de tato: primeiro, porque viu o desastre ocorrer; segundo, porque participou dele; e terceiro, porque tem longa vivência no Legislativo e

a pauta da Câmara? O preço do PP, tão negociado durante o impeachment, pode ter se valorizado demais.

Como presidente em exercício, Temer tem autonomia total para nomear e destituir ministros e demais cargos do executivo?

na presidência do partido que simboliza o que existe de mais governista no País.

time que está formando, para controlar alguns pontos, sobretudo aqueles relacionados a certa efervescência social.

Sim. Ele está no comando do Governo. Se por ventura Dilma voltar, ela também poderá reorganizar tudo.

Pelo que se apresenta, o governo Temer abarcará a oposição e possíveis ex-aliados do PT. Isso pode, de fato, controlar a crise política e econômica?

O Congresso – Câmara dos Deputados e Senado – será mais dócil a Temer do que foi a Dilma? Como ficarão as “pautas-bombas”?

Há chances de que o governo Temer bloqueie e reduza as investigações da Lava Jato?

Num primeiro momento sim, mesmo porque o mercado está ávido por certas mudanças e caminhos. Dilma perdeu a capacidade de dialogar e formar maiorias para aprovar planos. O problema é que Temer terá que fazer um batalhão de alterações passar por uma porta muito estreita. Temos que ver o tempo que será dado a ele pela sociedade em geral. Eu acredito que a paciência não será muito longa.

Há muita conversa de bastidores sobre possíveis cortes em direitos sociais e trabalhistas. O senhor acredita que isso, de fato, irá acontecer?

Acredito em alguns ajustes em políticas sociais, mas cortes violentos em pleno ano eleitoral, numa eleição absolutamente chave para o PMDB, que é o pleito municipal, acho improvável. Ademais, as maiorias não serão tão facilmente controláveis. Vai ser um período de muita negociação e absoluta necessidade de demonstração de habilidade política. Política é a palavra de ordem. É ela quem vai dar o tom dos ajustes. E tenho sérias dúvidas se Temer terá habilidade, com o

Consideremos que Temer tinha a pauta das duas casas, da Câmara e do Senado, sob o controle de seu partido. Nesse caso, seria necessário entender as disputas internas do PMDB, mais do que tudo, além da habilidade para segurar os aliados. Mas tudo indicava que seria uma relação mais dócil... A questão é que Cunha [Eduardo Cunha, PMDB-RJ] foi afastado, o PP assume a presidência da Casa enquanto assistirmos ao desenrolar das medidas do STF contra o deputado do Rio de Janeiro. A partir daqui, devemos lembrar que o PP é a terceira maior bancada da Câmara, e que ganhou muitos deputados na janela de transferência constitucional entre fevereiro e março. E aqui há um problema: abre-se a rodada de negociação de novo. Por quê? Porque Maranhão [deputado Waldir Maranhão, PP-MA] é o dono da pauta da Câmara. O PP, por sinal, antes disso, criou conflito com Temer quando soube que teria um ministério da Saúde, mas com ministro indicado que inicialmente não havia agradado o Partido. A Saúde é uma pasta que gerou conflito entre PMDB e PP. Será que agora o PMDB poderá falar grosso com quem controla

Essa é a grande questão, mas temos o sentimento de que as instituições de Justiça estão se consolidando para além dos desejos governamentais, dos partidos de plantão no Planalto. Isso é bom para o País, desde que obviamente tais instituições amadureçam e se consolidem sob o estrito rigor da lei. Sabemos que existem exageros, ineficiência e uma série de problemas nessas organizações, mas precisamos amadurecer a ideia de justiça no Brasil. Esperamos que seja esse o nosso destino, e, a partir disso, teremos a oportunidade de crescer pautado em instituições formais decentes. É aqui, se for dessa maneira, que teremos o maior ponto de interrogação do futuro próximo. Dilma e o PT, saindo dos holofotes, arrefecerão o ímpeto de justiça? Se sim, teremos sentimento de golpe. Mas se a justiça se mantiver ativa, com o PMDB sob os holofotes, não duvidemos um segundo sequer de probabilidade imensa de encontrarmos muitos problemas com os principais políticos logo. Temer, Calheiros, Jucá, e mesmo Cunha têm muito o que explicar ao País, e, sobretudo, à Justiça. Seus nomes estão envolvidos em processos e investigações. O desafio é entender se isso, de fato, vai prosperar.

As opiniões expressas na seção “Com a Palavra” são de responsabilidade do entrevistado e não refletem, necessariamente, os posicionamentos editoriais do jornal O SÃO PAULO.


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

Dilma Rousseff é afastada da Presidência da República Jonas Pereira/Agência Senado

Edcarlos Bispo

Roberto Stuckert Filho/Presidência da República

edbsant@gmail.com

O Senado Federal decidiu, por 55 votos favoráveis e 22 contrários, abrir o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT), por entender que há indícios suficientes de que ela cometeu crime de responsabilidade, infringindo a Constituição Federal e a lei nº 1.079/50. A sessão iniciada na manhã de quarta-feira, 11, se estendeu até as 6h34 da quinta-feira, 12, quando o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL) proclamou o resultado. Dilma está afastada do cargo por um período de até 180 dias, prazo máximo para a finalização do processo. Michel Temer agora é o presidente da República em exercício. O número de votos a favor, 55, sinaliza que Dilma tem chances remotas de reverter o resultado do impeachment após o afastamento, já que o impedimento definitivo da Presidente depende do voto favorável de 54 (dois terços) dos 81 senadores, em julgamento que ainda não tem data para ocorrer.

E agora?

Com o afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República, muitas dúvidas pairam sobre quais são os seus direitos. De acordo com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - São Paulo, Marcos da Costa, a Lei nº 1.079/1950 prevê, apenas, que o presidente afastado tenha direito a metade do salário, o que hoje equivaleria a R$ 15,4 mil. Porém, logo após garantir a admissibilidade do pedido de impeachment, o Senado indicou que Dilma seguirá recebendo seu salário integralmente, hoje no valor de R$ 30,9 mil. Muitas outras coisas são passíveis de discussão e interpretação jurídica. Essas incertezas são causadas pelas brechas da lei, mas também pelo ineditismo da situação, que diverge da experiência do ex-presidente Fernando Collor de Mello. Em entrevista ao site do jornal Zero Hora, o ex-ministro do STF, Sydney Sanches, que presidiu o impeachment de Collor no Senado, afirmou que discussões sobre

| Política | 15

A que Dilma tem direito durante o afastamento? SALÁRIO

A Lei de Impeachment, de 1950 determina a suspensão da metade do subsídio ou do vencimento (do acusado), até sentença final. Porém, logo após garantir a admissibilidade de pedido de impeachment, o Senado indicou que Dilma seguirá recebendo seu salário integralmente, hoje no valor de R$ 30,9 mil.

MORADIA

Marcos Corrêa - flickr.com/micheltemer

Dilma continuará morando no Palácio da Alvorada enquanto estiver no cargo, embora a lei não trate do assunto. No local, seguirá contando com a equipe da residência oficial, que inclui cozinheiros, jardineiros, funcionários de limpeza e de segurança, telefonistas, garçons etc. Se desejar, também poderá usar a Granja do Torto, casa de campo oficial da Presidência.

VIAGENS AÉREAS

Afastada pelo Senado, Dilma discursa antes de deixar o Planalto; Temer é presidente interino

direitos do ex-Presidente nem foram levantadas e que agora “o cenário é completamente diferente e, como a lei não aborda essas questões, acredito que alguém vai ter que interpretar isso”. Marcos acredita que o Senado provavelmente aprovará uma resolução para esclarecer essas dúvidas sobre o que a Presidente afastada terá direito (veja detalhes ao lado). No meio jurídico, predomina o entendimento de que Dilma poderá usufruir dos mesmos benefícios concedidos aos ex-presidentes da República. Sobre a equipe ministerial, Marcos afirma que o vice-presidente Michel Temer, no exercício do mandato, terá total autonomia para fazer as mudanças que julgar necessárias. Aliás, acrescenta, “não apenas aos ministros, mas também aos demais cargos de confiança de outros escalões. Isso porque, ele terá que montar a sua própria equipe de governo, para comandar o País, no período de afastamento ou depois do impedimento definitivo, caso confirmado ao final do processo”.

E o que acontece durante estes 180 dias?

Basicamente, começa o processo

propriamente dito. Até o momento, as votações na Câmara dos Deputados e no Senado foram apenas de autorizações para início do processo. Embora tramite no Senado, o processo passa a ser dirigido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal. Terá a Presidente afastada direito à ampla defesa, ao contraditório, à produção de provas. “O processo não tem prazo para finalizar, sendo que se ultrapassar 180 dias, a presidente Dilma volta a comandar o País”, afirma o presidente da OAB-SP.

Convocação de novas eleições

Para Marcos, a possibilidade de possível convocação de novas eleições deve ser analisada de duas formas. A primeira, diz respeito a propostas de antecipação de eleições, em contraponto ao processo de impeachment, apresentado por meio da proposta de emenda constitucional. “Tenho para mim que essa proposta padece de inconstitucionalidade por violar a cláusula pétrea da independência dos poderes, pois o Poder Legislativo estaria afrontando diretamente o mandato do chefe do Poder Executivo”, afirmou.

O transporte de autoridades por aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) é regrado por decreto presidencial. A norma em vigência não faz menção a presidentes afastados. Por isso, a FAB diz que aguardará orientações da Presidência da República para definir se Dilma poderá continuar usando as aeronaves.

EQUIPE

A exemplo do que ocorre com expresidentes, Dilma deverá ter direito a seis funcionários, além de dois carros oficiais com motoristas e verba para gastos com os veículos. Com informações do jornal Zero Hora

Já na hipótese de afastamento da Presidente e do Vice-Presidente, quer por processos de impeachment diferentes, quer por cassação da chapa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), será realizada eleição 90 dias depois de aberta a última vacância. Se isso ocorrer nos últimos dois anos do período presidencial, a eleição para ambos os cargos será feita 30 dias depois da última vacância, pelo Congresso Nacional, ou seja, eleição indireta. Em qualquer dos casos, os eleitos deverão completar o período de seus antecessores.

Pontos de vista – votação no Senado Fonte: Agência Senado

“Desafio a qualquer um a ler o relatório de Anastasia [PSDB-MG], e ver onde está demonstrada relação de causa e efeito entre decretos de suplementação e rompimento de meta fiscal. A queda da receita é que sinalizou que a meta fiscal não seria atendida. Não houve, portanto, ilícito. E mesmo assim, a meta fiscal não foi ferida, pois o Congresso a alterou; aliás, como todos os governos fazem”. (José Eduardo Cardozo, até então Advogado-geral da União)

“Parece-me que estão presentes, de maneira cristalina, os elementos necessários, os indícios suficientes, não para condenação, que ainda não se cogita isso, mas para abrirmos o processo e, ao longo dos próximos meses, para que possamos discutir, com calma e com base nas provas, a ocorrência ou não dos crimes de responsabilidade”. (Senador Antonio Anastasia, do PSDB-MG, autor relatório da Comissão Especial do Impeachment)

“É evidente que esse crime de responsabilidade não ocorreu. E se tivesse ocorrido, teria ocorrido também em 16 estados, inclusive em Minas Gerais, estado do relator do processo”. (Senador Roberto Requião, PMDB-PR)

“São os fatos. A dura realidade dos fatos, e não a astúcia de seus opositores, que provocaram a atual situação de estarmos às vésperas de um impedimento dramático”. (Senador José Serra, PSDB-SP)

“Não se troca um projeto de país por outro como se estivesse negociando uma mercadoria. O Palácio do Jaburu é a sede da conspiração, o balcão de feira da República”. (Senador Humberto Costa, PT-PE, líder do governo no Senado)

“Está cada vez mais nítido que foram os crimes de responsabilidade, que foi a irresponsabilidade da Presidente, que empurrou o Brasil para a gravidade do quadro atual” (Senador Cássio Cunha Lima, PSDB-PB)


16 | Reportagem |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Após mobilização de estudantes, CPI da ‘Máfia da Merenda’ deve ser instaurada Luciney Martins/O SÃO PAULO

Estudantes secundaristas ocupam Assembleia Legislativa de São Paulo para exigir dos deputados a instauração da CPI da ‘Máfia da Merenda’

Alunos secundaristas ocuparam plenário da Alesp, entre os dias 3 e 6, e ainda estão em escolas técnicas no Estado Renata Moraes

jornalismorenata@gmail.com

Após pressão e muitas manifestações, especialmente de estudantes secundaristas, na tarde da terça-feira, 10, as bancadas do PSDB e de partidos aliados protocolaram na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) um novo requerimento para a criação da CPI da “Máfia da Merenda”, para que se investigue o suposto desvio de verbas de merenda escolar no Estado. Com o objetivo de esclarecer se houve prejuízo aos cofres públicos, o ofício pede a instauração de uma comissão parlamentar de inquérito com nove deputados, para um prazo de investigação de 120 dias. Diferentemente do pedido anterior apresentado pelo PT, em janeiro, que era focado somente nas acusações contra a Secretaria Estadual de Educação, o pedido atual também investigará desvios de recursos de merenda em 22 cidades paulistas. Segundo informou o Portal G1, em reportagem publicada na quarta-feira, 11, o deputado estadual Orlando Morando (PSDB) afirmou que o pedido tem mais de 70 assinaturas (são exigidas 32), ampliando a atuação da comissão.

“Não adianta investigar só o Estado. As prefeituras também recebem recursos públicos e devem ser investigadas”, disse Morando. Atualmente, existem cinco CPIs em andamento na Alesp (número máximo permitido). Para que a CPI da “Máfia da Merenda” seja instaurada, é necessária a aprovação de um recurso regimental. Morando afirmou que o PSDB defenderá um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) para já abrir a sessão da CPI na próxima semana. Até o fechamento da edição, a CPI não havia sido instaurada.

Pressão dos estudantes

O plenário da Alesp, na zona sul da Capital paulista, foi ocupado entre os dias 3 e 6 por aproximadamente 70 estudantes secundaristas, que reivindicam a instauração da CPI da “Máfia da Merenda”. O presidente da Casa, Fernando Capez (PSDB), é um dos principais investigados na operação Alba Branca, que, conduzida pela Polícia Civil e o Ministério Público, apura fraudes e o suposto superfaturamento na compra de merenda pelo Governo do Estado (veja no box abaixo).

A ‘Máfia da Merenda’

O Ministério Público paulista e a Polícia Civil de São Paulo iniciaram em 19 de janeiro a operação Alba Branca, que investiga um esquema de corrupção em que a Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf), localizada em Bebedouro (SP), pagava propina a funcionários públicos em troca de superfaturamento de contratos. Segundo a Polícia, o superfaturamento chegava a 25% em cada contrato. A Polícia Civil prendeu dirigentes da Cooperativa, que apontaram como supostos recebedores da propina o deputado estadual Fernando Capez (PSDB), presidente da Alesp; o ex-chefe de gabinete da Casa Civil do governo Alckmin e braço-direito do secretário Edson Aparecido, Luiz Roberto dos Santos, conhecido como “Moita”; o presidente do PMDB paulista, deputado federal Baleia Rossi; o deputado federal Nelson Marquezelli (PTB); e o deputado estadual Luiz Carlos Gondim (SD). Todos os citados negam envolvimento no esquema. Também há indícios da participação no esquema de prefeitos e vereadores de municípios paulistas. O suposto escândalo da merenda ganhou a agenda pública e tem mobilizado diversos setores da sociedade, inclusive dos estudantes secundaristas, que pedem a instauração da CPI da “Máfia da Merenda” para averiguar todas as fraudes. Eles ocuparam a Alesp entre os dias 3 e 6 e ainda ocupavam, até à noite da quarta-feira, 11, um total de 13 ETECs no Estado.

Em entrevista coletiva na quarta-feira, 4, Capez afirmou que é a favor da CPI da “Máfia da Merenda”, mas considerou que a ocupação da Alesp teve motivação política. “O movimento feito pelos estudantes, a meu ver, tem natureza político-partidária, e isso como reação ao que está ocorrendo em Brasília, como reação ao possível acolhimento da denúncia do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff ”, disse. “Isso levou a uma radicalização aqui, e faz parte de uma sequência de ações”, afirmou. Na tarde da quinta-feira, 5, quando os estudantes ainda ocupavam o plenário, a reportagem do O SÃO PAULO esteve na Assembleia. Foram mais de cinco horas tentando entrar para conversar com os jovens. A assessoria de imprensa da Alesp selecionava quais os veículos de comunicação acessavam o plenário, sob a alegação de que isso era exigência dos alunos. Assim, só foi possível fazer fotos à distância. Durante os três dias em que os manifestantes permaneceram ocupando a Alesp, tiveram o apoio de artistas e deputados da oposição, favoráveis à abertura da CPI. Destes últimos, os manifestantes receberam água, alimentos e apoio jurídico. À reportagem, Ricardo Yamazaki, assessor jurídico da deputada estadual Leci Brandão (PCdoB) falou sobre a legitimidade do movimento. “Toda a ocupação está acontecendo de forma pacífica, não há um cenário de destruição e nem de desarmonia, pelo contrário, é um fato histórico. Independentemente da saída dos estudantes por uma medida judicial, eles já conquistaram a atenção das pessoas, da sociedade, a atenção dos funcionários da Casa e dos próprios parlamentares, por uma causa é muito rica, muito cara”. Também estiveram na Alesp conselheiros tutelares que integram o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e integrante da Pastoral do Menor da Arquidiocese de São Paulo. Sueli Camargo, coordenadora da Pastoral, pediu diretamente ao deputado Capez que a desocupação fosse feita de maneira pacífica e sem o uso de violência pela Polícia Militar. Capez teria dito que negociou com os alunos e concordou com a realização de uma audiência pública para tratar da questão, porém não definiu a data. Com rosas brancas nas mãos, os estudantes deixaram pacificamente o plenário da Alesp, na tarde da sexta-feira, 6. “Nós, que não temos dinheiro nem para a merenda, não poderíamos deixar que nossos pais pagassem pela corrupção”, expressaram. Até a noite da quarta-feira, 11, estudantes secundaristas seguiam ocupando 13 escolas técnicas estaduais, ETECs, conforme informações da assessoria de imprensa do Centro Paula Souza, pedindo melhorias na qualidade da merenda, a abertura da CPI e refeições para os alunos que estudam em tempo integral.


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

| Reportagem | 17

‘Igreja e mídia’ é tema da 1ª edição de ‘Diálogos com a Cidade’ Luciney Martins/O SÃO PAULO

Cardeal Scherer e Roberto Kovalick participaram de evento realizado no Teatro da PUC-SP, no dia 4 Fernando Geronazzo

Especial para O SÃO PAULO

Um colóquio entre o Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, e Roberto Kovalick, jornalista da Rede Globo de Televisão, inaugurou a iniciativa “Diálogos com a Cidade”, promovida pela Arquidiocese de São Paulo. O evento realizado no Teatro da PUC-SP (Tuca), no dia 4, teve como tema “Igreja e mídia – expectativas, conflitos e perspectivas”, no contexto do 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais, celebrado no domingo, 8. A iniciativa foi inspirada no projeto “Pátio do Gentios”, promovido pelo Pontifício Conselho para a Cultura, da Santa Sé. Além de compartilharem suas reflexões, os expositores também responderam a questões de jornalistas convidados. “Trata-se de uma oportunidade de a Igreja dialogar com as diversas realidades presentes na sociedade. A Igreja que se abre para ouvir, mas também para dar a sua resposta, falando a verdade com amor”, explicou Dom Devair Araújo da Fonseca, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo e vigário episcopal para a Pastoral da Comunicação.

Informação e valores

Dom Odilo afirmou que a Igreja por si é um fato de comunicação. “A Igreja existe para comunicar desde as suas origens. A razão de ser fundamental da sua existência é comunicar a Boa-Nova”, afirmou. O Cardeal também manifestou que a Igreja espera que a comunicação se realize a serviço do ser humano, da verdade, do bem, da Justiça, da paz, do respeito, da dignidade da pessoa humana. Kovalick destacou que vê uma grande ligação entre a missão da Igreja e a da

Cardeal Odilo Scherer, arcebispo metropolitano, participa do colóquio ‘Diálogos com a Cidade’, no Tuca, com o jornalista Roberto Kovalick

mídia, pelo fato de essas duas instituições estarem em busca da verdade. “O nosso objetivo é a verdade”, disse. Ao se referir ao momento político do Brasil, o Jornalista chamou a atenção para a responsabilidade das duas instituições. “Se temos uma política de qualidade tão baixa, é porque falta informação, faltam valores para que as pessoas saibam fazer uma escolha melhor”, afirmou. “Nisso há um grande casamento possível e desejável no trabalho entre a mídia e a Igreja”, acrescentou.

Novos ambientes

Quanto às novas mídias digitais, o Cardeal reforçou que a Igreja não as compreende apenas como meios ou instrumentos a serem utilizados, mas ambientes a serem habitados. “São as novas ágoras, praças, areópagos, nos quais as pessoas se encontram, dialogam, expõem seu produto, discutem, divergem, planejam... A Igreja quer estar nesses novos espaços onde não pode faltar o Evangelho como contribuição para a edificação desses novos espaços não só de comunicação, mas de convivência”.

Para Kovalick, as mídias digitais são enriquecedoras para a imprensa, pois dão um “gigantesco retorno para os jornalistas”, afirmou. “Estamos sob uma constante fiscalização dos nossos expectadores... Hoje, se cometemos um erro, chovem e-mails”, pontuou. O Jornalista comentou, ainda, que com o desenvolvimento tecnológico, mudam também o comportamento humano e a maneira como se acessa a informação.

Ser referência

Questionado sobre o desafio de a grande mídia continuar a ser relevante quando a informação é instantânea em tempos de rede, Kovalick afirmou que é preciso ir mais longe, aprofundar a informação que muitas vezes é apresentada com superficialidade. “Existe um grande número de fontes de informação e as pessoas, ao mesmo tempo, estão perdidas. Nosso desafio não é trazer a novidade que já é dada em tempo real, mas servir de referência para indicar às pessoas qual é a verdade em meio a todas as informações”. Complementando, Dom Odilo

salientou a necessidade de ir mais a fundo na mensagem correta em meio à multiplicidade de “desinformação”. Ele também apontou para o fato de a comunicação atual estar muito mercantilizada e muito orientada pela “lógica do descarte”, na qual o que é notícia em um dia já não vale mais para o dia seguinte. “Na comunicação da Igreja, vale uma compreensão muito antiga e eficaz: ‘água mole em pedra dura tanto bate até que fura’”, completou. Dom Odilo também manifestou que um dos focos de preocupação da Igreja é que a comunicação promova o bem comum, os valores do convívio coletivo e social e, sobretudo, a superação do individualismo. “Esta é uma constante preocupação da Igreja: que a comunicação tire as pessoas do isolamento e cada vez mais as aproxime”, disse, referindo-se ao constante apelo do Papa Francisco para a proximidade e o encontro. O diálogo sobre a comunicação também foi expresso pela arte, com o show da cantora Elba Ramalho, que encerrou o evento.

“Implante um novo sorriso”

Se você deseja substituir suas próteses ou repor a falta de dentes, a forma mais eficaz é o IMPLANTE DENTÁRIO.

Diferenciais: INSTITUTO FACE A FACE RUA DOS CHANÉS, 259 MOEMA - São Paulo - SP TELefones: 11-38957572 11- 38951185

Laboratório de prótese próprio Centro cirúrgico clínico Exames laboratoriais pré cirurgicos Exames radiograficos ( RX panorâmico) Profissionais especializados também na 3ª idade

SOMOS ESPECIALIZADOS EM:

IMPLANTES ODONTOLÓGICOS PRÓTESE SOBRE IMPLANTE CIRURGIA DE ENXERTO ÓSSEO IMPLANTES ZIGOMÁTICOS

Responsável técnica: Dra Márcia Ferraz de Mendonça CRO: 63029


18 | Geral |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Nova sede do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano é inaugurada Luciney Martins/O SÃO PAULO

REDAÇÃO

osaopaulo@uol.com.br

O Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de São Paulo está em nova sede. No dia 5, com a bênção do Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano e presidente da Província Eclesiástica de São Paulo, o espaço foi inaugurado nas dependências da cúria da Região Ipiranga (avenida Nazaré, 993, Ipiranga). Dom Odilo enfatizou que o Tribunal muda de endereço (antes localizava-se no Colégio Nossa Senhora de Sion, na avenida Higienópolis), mas mantém a finalidade de ser provincial e interdiocesano. Ele projetou que as demandas aumentarão por conta do motu proprio Mitis Iudex Dominus Iesus, do Papa Francisco, que indica maior agilidade nos trâmites dos processos de nulidade matrimonial. O Arcebispo pediu que haja sabedoria para o atendimento das demandas que forem recebidas, sempre numa postura de caridade e solicitude. Participante da inauguração da nova sede, o Cônego Martin Segú Girona, vigário judicial do Tribunal Eclesiástico, agradeceu a Dom José Roberto Fortes

Cardeal Odilo Pedro Scherer abençoa nova sede do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de São Paulo, inaugurada no dia 5, no bairro do Ipiranga

Palau, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Ipiranga, ao Cardeal Scherer e à PUC-SP pela cessão do espaço. Dom Sergio de Deus Borges, bispo auxiliar da Arquidiocese e moderador do Tribunal Eclesiástico de Primeira Instância de São Paulo, enfatizou que, além de se adaptar ao novo espaço, o Tribunal também precisará se adequar ao que indica o Papa Francisco no motu proprio. Em entrevista ao O SÃO PAULO, o Padre Edson Chagas Pacondes, vigário

judicial adjunto de primeira instância, comentou que o Tribunal está mais bem localizado que na sede anterior. “Como o próprio Arcebispo fez menção na bênção, há facilidade viária dentro da própria cidade. Também estamos perto da Faculdade de Direito Canônico, a primeira faculdade de Direito Canônico do Brasil. Outra vantagem, que o próprio Cônego citou, é a proximidade com o Arquivo Metropolitano, e isso ajuda, porque muitos poderão fazer uso do ar-

quivo para o próprio processo de nulidade matrimonial”, explicou. Ainda segundo Padre Edson, o atendimento será feito de terça-feira a sextafeira, das 13h às 17h, duas horas diárias a mais do que antes. “Não mudará muito em termos de estrutura de funcionamento. O que acontecerá é um aumento na demanda por conta do motu proprio, que começou a valer em 9 de dezembro do ano passado”, concluiu. (Colaborou Caroline Dupim)


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

| Fé e Cultura | 19

Filipe David

osaopaulo@uol.com.br

Divulgação

Dica de Leitura Dom Bosco Místico “Dom Bosco não foi um ‘santo social’, porque os ‘santos sociais’ não existem, como nunca existiram em Turim, na Itália, nos anos 1800. Essa é uma acepção modernista, na falsa convicção de que a relevância, mesmo religiosa, de uma pessoa e/ou ação dependa em particular dos benefícios materiais e socioeconômicos que tal relevância pode trazer à coletividade, sobretudo às classes sociais mais necessitadas. É desse caldo de cultura que nasce o conceito de ‘opção preferencial pelos pobres’, quando a Igreja sempre tem feito uma ‘opção preferencial em favor de cada um’, independentemente de qualquer consideração socioeconômica, consideração, aliás, que sempre teve valor unicamente instrumental para a salvação da alma de cada pessoa.

Como todos os santos, Dom Bosco era animado por um fogo de caridade, quer dizer, pelo amor de adoração para com Deus, e pela amorosa obediência ao Onipotente, pelo fogo de amor para com o próximo. Tudo o que ele fez pelos outros foi unicamente reflexo do seu amor à Trindade. É preciso, no entanto, fazer um esclarecimento: o amor de Dom Bosco para com o próximo sempre teve como intenção única salvar as almas; para tanto, o restante não passava de instrumento”. FICHA TÉCNICA Autor: Cristina Siccardi Páginas: 292 Editora: Ecclesiae

Evento

Encontro Cinematographos – Frankenstein 200 anos Para recordar os 200 anos decorridos desde a concepção de Frankenstein pela escritora Mary Shelley, esta sessão especial trará três filmes baseados na criatura do Dr. Victor Frankenstein. No sábado, 21, às 17h, “Franke-

nstein” (1910), de J. Searle Dawley: primeira adaptação do clássico de Mary Shelley, esse curta-metragem foi produzido pelos estúdios de Thomas Edison. Em seguida, “Frankenstein” (1931), de James Whale: essa é a

mais famosa adaptação da obra literária para o cinema, tendo como protagonista Boris Karloff, no papel da criatura. E às 19h, “Deuses e monstros” (1998), de Bill Condon: filme baseado na vida conturbada de James

Whale, diretor de Frankenstein (1931).” A atividade será na Casa Guilherme de Almeida (rua Macapá, 187, Perdizes). Outras informações podem ser obtidas em www.casaguilhermedealmeida.org.br ou (11) 3673-1883.


20 | Reportagem |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Descanso eterno ao líder operário Luciney Martins/O SÃO PAULO - jul.2009

Waldemar Rossi, fundador da Pastoral Operária, morreu no dia 4, aos 82 anos Daniel Gomes e Renata Moraes osaopaulo@uol.com.br

“Vem vamos embora que esperar não é saber; Quem sabe faz a hora não espera acontecer”. Ao som de “Pra não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré, entoado a plenos pulmões, familiares e amigos de Waldemar Rossi conduziram, na tarde da quinta-feira, 5, pelas escadarias da Catedral da Sé, o caixão com o corpo do fundador da Pastoral Operária, morto no dia 4, aos 82 anos. Ele sofria de insuficiência cardíaca irreversível e esteve internado por 25 dias no Hospital do Servidor Público Estadual. Sérgio André Rossi, o quarto dos cinco filhos de Waldemar com Célia Rossi, recordou, ao O SÃO PAULO, umas das últimas conversas de seu pai com um amigo, lembrando a própria trajetória de vida. “Ele dizia: ‘Nós semeamos muito e continuamos semeando a vida, só que hoje meu coração está fraco, eu estou partindo, mas o importante é o que eu semeei’. Tudo que meu pai semeou continua nascendo e renascendo e é isso que nos anima e nos permite viver. A partida do meu pai deixa uma lacuna”, comentou.

‘Um apóstolo e discípulo missionário de Jesus’

A missa de exéquias, no dia 5, foi presidida por Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC), e amigo pessoal de Waldemar Rossi. “Em plena época do Páscoa, nosso querido irmão, Waldemar Rossi, partiu do nosso convívio para a Casa do Pai. Ele não está aqui, mas sim os seus restos mortais, pois no mesmo instante em que fechou os Luciney Martins/O SÃO PAULO - abr.2011

Nascido em Sertãozinho (SP), Waldemar Rossi tem biografia marcada pela atuação na Pastoral Operária desde a fundação nos anos 1970

olhos para este momento aqui na terra, Jesus tomou-lhe a fronte e o ressuscitou para a vida eterna”, afirmou o Bispo, na homilia, proferida ao lado do caixão. Dom Angélico recordou que conheceu Waldemar ainda na juventude, em Sertãozinho (SP), cidade natal do líder operário. “Jovem ardoroso da Juventude Operária Católica. Foi um pai de família apaixonado por sua esposa, filhos, netos, genros e noras. Ele viveu como pede o Papa Francisco: ‘Na alegria do amor na família’”, afirmou. “Waldemar foi um apóstolo, um discípulo missionário de Jesus. Com uma coragem e simpatia contagiante”. O Bispo relembrou que mesmo diante das torturas e intimidações sofridas durante o período da ditadura militar, Waldemar Rossi não desistiu. “Quanta luta, quanta oração, quanto contemplarnos àquele que dava inspiração e con-

‘Líder cristão voltado às ações sociais’

Na terça-feira, 10, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo, presidiu a missa de 7º Dia de Waldemar Rossi na Catedral da Sé. Dom Odilo, na homilia, lembrou que Waldemar Rossi “passou a vida como líder cristão formado nas orientações da Ação Católica e, portanto, voltado às ações

sociais, querendo colaborar, contribuir, a partir das motivações da sua fé, para um mundo melhor, mais justo para todos, sobretudo para os trabalhadores e aqueles que muitas vezes são desfavorecidos numa sociedade que nem sempre está orientada pelos mesmos valores humanos, cristãos, que nós professamos”, afirmou. Ainda de acordo com o Arcebispo, a dedicação e o idealismo de Waldemar devem servir de inspiração a outras pessoas. Dom Odilo apontou que todos os cristãos são convidados, a partir da sua fé, a contribuir para a vida social e pública do País. Na sexta-feira, 13, às 19h30, outra missa de 7º Dia de Waldemar Rossi será celebrada na Paróquia São Benedito das Vitórias, (praça Nossa Senhora das Vitórias, 137, Vila Formosa), na Região Belém. (Colaborou Igor de Andrade)

Vivência pastoral junto aos trabalhadores marca biografia de Waldemar Rossi Daniel Gomes

danielgomes.jornalista@gmail.com

Waldemar exibe foto com o Papa João Paulo II

tinua dando para a nossa caminhada, Jesus, o filho de Deus, o filho do carpinteiro, o trabalhador Jesus de Nazaré”. A oração das exéquias em favor da alma de Waldemar Rossi foi proferida por Dom Eduardo Vieira dos Santos, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Sé, que concelebrou a missa. Após a celebração, o corpo foi cremado no Crematório Vila Alpina.

Nascido em Sertãozinho (SP), em 17 de agosto de 1933, Waldemar Rossi ingressou na Cruzada Eucarística, aos 12 anos, e depois na Congregação Mariana, aos 14, mas foi nos movimentos operários ligados à Igreja Católica que ele marcou sua biografia, conforme recordou em entrevista ao O SÃO PAULO, em 2013, por ocasião de seus 80 anos de vida. “Em 1955, aos 22 anos, conheci a JOC [Juventude Operária Católica] e comecei a descobrir o Cristo nos meus irmãos de trabalho. Minha espiritualidade mudou radicalmente, pois passei a perceber que a vivência dos valores evangélicos deveria se dar de forma mais profunda, na busca do conhecimento dos meus irmãos de trabalho, em suas condições de trabalho, de vida familiar,

de moradia, de lazer, de educação”, recordou à época. Em 1960, Waldemar assumiu a coordenação da JOC e mudou-se para a Capital paulista, onde deixou o ofício de pedreiro para trabalhar em fábricas metalúrgicas. Em 1964, casou-se com Maria Célia Viera Rossi, com quem teve cinco filhos. Eles foram morar no bairro da Vila Rica, na zona Leste, onde, a partir de conversas sobre as condições de vida e trabalho da população pobre, lançaram as bases para a criação da Pastoral Operária Metropolitana, em 1970, e da Pastoral Operária Nacional, em 1976. Em 3 de julho de 1980, diante de um estádio do Morumbi lotado com 130 mil pessoas, denunciou o assassinato, pelo regime militar, de Santo Dias da Silva (metalúrgico da pastoral) e de Raimundo Ferreira Lima, o Gringo, dirigente sindical rural do Pará. “O es-

tádio inteiro passou a gritar por ‘liberdade.., liberdade... liberdade...’, o que chamou a atenção de João Paulo II”, recordou na entrevista. Nos últimos anos de vida, além de se manter ativo nas ações da Pastoral Operária, Waldemar Rossi colaborou para criação e ampliação das Escolas de Fé e Política na Arquidiocese de São Paulo. Segundo Márcia Mathias de Castro, coordenadora da Escola de Fé e Política Waldemar Rossi, da Região Belém, ele era “uma presença alegre, participativa, semeando consciência com seus comentários a cada aula. Sempre com humildade, acompanhava nossa caminhada. Jamais quis assumir o comando. Ministrou várias aulas, com tamanha propriedade. Um operário autodidata que se formou ao longo da caminhada de militante e discípulo-missionário”, afirmou. (Colaborou Renata Moraes)


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

| Regiões Episcopais | 21

Pedro Ricardo Pieroni, assessor eclesiástico regional da Pastoral do Dízimo, aproximadamente 600 pessoas participaram da formação que aconteceu simultâneamente em quatro paróquias. Padre Reinaldo Torres, coordenador de Pastoral da Região Brasilândia e também do Setor Pereira Barreto, falou sobre a necessidade de expansão da Pastoral do Curso dos Noivos. Nesse sentido, em 18 de junho, às 15h, haverá na Paróquia São Luís Gonzaga uma reunião para a estruturação dessa Pastoral em âmbito setorial. Na reunião também foram dados alguns informes. No dia 22, às 15h, acontecerá o 2º Encontro Regional do Terço dos Homens, com a peregrinação à Porta Santa da Igreja Nossa Senhora da Expectação, na Freguesia do Ó, e a participação na missa que será presidida por Dom Devair Araújo da Fonseca, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia. Em 9 de julho, às 15h30, o Setor Pereira Barreto peregrinará à Porta da Misericórdia e participará da missa, cujos detalhes da liturgia foram acertados na reunião do último sábado.

No Setor Pastoral Freguesia do Ó, a temática sobre a família esteve em destaque. Padre Márcio Campos da Silva, CSCh, pároco da Paróquia São José da Vila Palmeiras, falou que com a criação do Setor Vida e Família da CNBB foi possível ter um novo olhar para a Pastoral Familiar, com uma nova imagem e uma visão mais aberta. Ele ressaltou que é preciso ir ao encontro também dos casais que estão fora da Igreja e motivar a realização dos Encontros de Casais com Cristo (ECC). Sobre a Exortação Apostólica Amoris laetitia, do Papa Francisco, Padre Márcio lembrou que o texto congrega, em “uma linguagem fácil e cativante”, as discussões dos Sínodos dos Bispos sobre a família, de 2014 e 2015. Por fim, Padre Márcio fez o convite para a participação na 8ª Peregrinação e 6º Simpósio Nacional da Família, entre os dias 21 e 22, em Aparecida (SP), com o tema “Família e Misericórdia se encontram no coração da Mãe”; e lembrou que a próxima reunião da Pastoral Familiar regional será no dia 19, às 20h, na Paróquia Santo Antônio (rua Parapuã, 1.903, Vila Brasilândia).

Brasilândia Setores pastorais pretendem reforçar atenção a famílias e noivos Ana Lúcia Contarelli e Renata Moraes Colaboradoras de comunicação da Região

Os setores pastorais Pereira Barreto e Freguesia do Ó realizaram no sábado, 7, suas reuniões mensais, respectivamente nas paróquias Nossa Senhora Aparecida, na Vila Zatt, e Santa Cruz

de Itaberaba, no bairro de Itaberaba. No Setor Pereira Barreto, os participantes avaliaram positivamente a Semana de Formação sobre o Dízimo, realizada em abril. Segundo o Padre Alex Mota

A Paróquia Bom Pastor, no Setor Pastoral Cântaros, recebeu no domingo, 8, a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, que permanecerá na igreja até o próximo domingo, 15, quando será enviada à Paróquia Santa Terezinha, na Vila Terezinha. Juçara Terezinha Zottis

arquisp-corpus-christi-2016-rev4.pdf 1 02/05/2016 13:01:28

CORPUS CHRISTI 2016 Eucaristia - “Eterna é a sua misericórdia” (Salmo 117)

No sábado, 7, lideranças pastorais do Setor Cântaros participaram da reunião mensal do Setor, realizada na Comunidade Frei Galvão, que pertence à Paróquia São Francisco de Assis, no Jardim Guarani. Almir Mattos

26 de Maio • 9h Missa na Praça da Sé

Seguida de procissão pelas ruas do centro histórico

No domingo, 8, na Paróquia Nossa Senhora da Expectação, na Freguesia do Ó, aconteceu o assentamento e elevação do mastro da 195º Festa do Divino Espírito Santo.

Na missa, doe um agasalho ou um cobertor


22 | Regiões Episcopais |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Ipiranga Núcleo regional da Pascom amplia articulações de comunicação

Caroline Dupim, Matheus Pereira e Nei Márcio Oliveira de Sá

Colaboradores de comunicação da Região

Em sua mensagem para o 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais, celebrado no domingo, 8, o Papa Francisco exorta os comunicadores na Igreja a comunicar sem exclusão. “Particularmente próprio da linguagem e das ações da Igreja é transmitir misericórdia, para tocar o coração das pessoas”, expressa o Pontífice na mensagem “Comunicação e Misericórdia: um encontro fecundo”. Inspirados pela temática, alguns membros das paróquias da Região Ipiranga se reuniram e formaram o núcleo regional da Pastoral da Comunicação (Pascom), que é assessorado pelo Padre José Ronaldo de Castro Gouvêa, SCJ, a convite de Dom José Roberto Fortes Palau, bispo

Divulgação

auxiliar da Arquidiocese na Região. O Núcleo vem sendo estruturado com vistas à melhor articulação da comunicação com as paróquias e comunidades da Região, por meio de um trabalho integrado com o departamento de comunicação regional. A principal meta do Núcleo é promover a comunhão entre os setores pastorais, favorecendo a comunicação entre as paróquias e a formação para constituir novos integrantes da Pascom em cada paróquia. Para isso, serão realizadas capacitações e formações a fim de atualizar os integrantes da Pastoral, de modo que a Pascom promova o diálogo entre as pastorais, e integre todos em uma rede de evangelização.

Setor Juventude organiza participação em eventos Matheus Pereira

Participantes da reunião do Setor Juventude da Região Episcopal Ipiranga, no campus da PUC-SP, na zona Sul, posam para foto, no sábado, dia 7

Jovens, assessores adultos, religiosas e padres que atuam na evangelização da juventude nas paróquias da Região Ipiranga participaram no sábado, 7, no campus Ipiranga da PUC-SP, da reunião do Setor Juventude regional. Irmã Silvânia Perin, franciscana an-

gelina, conduziu o momento de formação inicial com o tema “Leitura Orante da Bíblia”. Na sequência, Nei Márcio Oliveira de Sá, coordenador regional do Setor Juventude, falou sobre a Viasacra da Juventude, em 12 de março, no bairro periférico do Heliópolis, cuja Caroline Dupim

No sábado, 7, no Centro de Formação Pastoral da Região Ipiranga, aconteceu a primeira formação regional de coroinhas, acólitos e cerimoniários, com assessoria do Padre Anderson Banzato, que ressaltou a importância do trabalho exercido pelas crianças e jovens no serviço ao altar. O Sacerdote estimulou que eles realizem suas funções com ânimo, zelo e amor.

realização foi avaliada positivamente. Na oportunidade, também se mencionou que no domingo, 15, haverá a celebração arquidiocesana de Pentecostes, com reunião dos jovens às 12h, na Paróquia Nossa Senhora da Consolação, caminhada até a Catedral da Sé, e participação

na missa das 15h, que será presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo. Na missa também haverá o lançamento do Projeto “Floresta que Cresce”, que catalogará as ações de misericórdia feita por jovens de todo o Brasil, as quais serão acessíveis pelo Papa Francisco. Nei Márcio também falou sobre a realização do Curso de Dinâmica Cristã para Lideranças Jovens, que acontecerá nos dias 2 e 3 de julho, na Casa dos Padres Salvatorianos, e apresentou a programação da Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá em Cracóvia, na Polônia, de 26 a 31 de julho. A parte final da reunião foi destinada à troca de experiências entre os participantes. Na Região Ipiranga, o Setor Juventude tem como assessor eclesiástico o Padre Ricardo Pinto, pároco da Paróquia São João Batista, do Setor Imigrantes. Também há assessores adultos nos setores e uma equipe de articuladores jovens em nível regional.

Leigos têm formação teológica e pastoral permanente Todos os sábados, na sede da Região Episcopal Ipiranga (rua Xavier de Almeida, 818, Ipiranga), acontece o Curso de Formação Teológico-Pastoral, com a participação de 72 pessoas, entre leigos e religiosas que atuam nos cinco setores pastorais da Região. Aberto em 27 de fevereiro, com missa presidida por Dom José Roberto Fortes Palau, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Ipiranga, o 1º módulo do curso tem como tema “O Mistério da Aliança Divina, uma introdução às Sagradas Escrituras”. Os participantes têm assistido às aulas e subsídios dos dois professores, o Padre Luís Fabiano Barbosa dos Santos, salesia-

no, com a disciplina “Teologia da Revelação”, e o Padre Mauro Negro, josefino, com a disciplina “Teologia Bíblica”, com enfoque na aliança entre Deus e a humanidade. O curso foi idealizado por Dom José Roberto e pela Comissão Pastoral da Região, e é coordenado pelos teólogos Nei Márcio Oliveira de Sá e Gilberto Chimenti. Neste mês, haverá um processo de avaliação da primeira etapa e os encaminhamentos para a realização do 2º módulo, que será iniciado em agosto. Outras informações podem ser obtidas no Secretariado de Pastoral da Região Ipiranga, por meio do telefone (11) 2274-8500.


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

Padre Antonio Francisco Ribeiro e Benigno Naveira Colaboradores de comunicação da Região

| Regiões Episcopais | 23

Lapa

Crisma: confirmação da fé para testemunhar o Cristo Em missa na Paróquia Santo Alberto Magno, no Setor Pastoral Butantã, no domingo, 8, Dom Julio Endi Akamine, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Lapa, conferiu o sacramento da Crisma a 16 jovens. Em seu pronunciamento inicial, Dom Julio suplicou a Deus que enviasse sobre os crismandos o dom do Espírito Santo e fez menção à comemoração do Dia das Mães. Após a proclamação do Evangelho, Padre Antonio Francisco Ribeiro, pároco, apresentou ao Bispo os crismandos, “jovens que fizeram uma caminhada na Catequese e na formação e descoberta no caminho de Jesus. Hoje estão preparados para dar mais um pas-

so no caminho da fé, por meio do sacramento da Crisma, pelo qual o fiel é fortalecido com o dom do Espírito Santo, para que, por palavras e obras, seja testemunha de Cristo no anúncio do Evangelho”, afirmou o Sacerdote. Recordando o evangelho do dia, sobre a Ascenção do Senhor, Dom Julio, na homilia, lembrou que Jesus ressuscitado e glorificado sobe ao céu para garantir a ascensão de todos. O Bispo ressaltou, ainda, que as mães fazem todos tomarem consciência da natureza humana. Segundo ele, “o amor de entranhas” revela o mistério de Deus e assim todos devem seguir “Maria, que nos ensina a amar Jesus, a escutá-lo e a viver plenamente no amor. Ela é a Mãe da Misericórdia”.

Benigno Naveira

Dom Julio confere o sacramento da Crisma a jovem na Paróquia Santo Alberto Magno, no domingo, 8

Dei Verbum é estudada em formação bíblico-catequética Angela Santos

Padre Antonio Ribeiro durante formação sobre a Constituição Dogmática Dei Verbum, dia 7

A Pastoral Missionária e da Animação Bíblico-Catequética da Região Lapa realizou no sábado, 7, na Paróquia Nos-

sa Senhora da Lapa, um encontro de formação permanente, orientado pelo Padre Antonio Francisco Ribeiro, co-

ordenador regional de pastoral, e assessorado pelo Padre Geraldo Raimundo. Na atividade, foi estudada a Constituição Dogmática Dei Verbum, publicada pelo Beato Paulo VI, em 1965, e que trata da revelação divina. O estudo é parte de um projeto idealizado pelo Conselho Regional de Pastoral, em resposta a uma das urgências de ação pastoral para o ano de 2016: Igreja lugar da animação bíblica da vida e da pastoral, cujo objetivo é possibilitar o contato pessoal, profundo e vivencial com a Palavra de Deus. Padre Antonio lembrou que a meta principal do Concílio está explicada no início desse documento: propor a genuína doutrina sobre a revelação divina e a sua transmissão, para que o mundo

inteiro, ouvindo, acredite na mensagem da salvação, e acreditando, espere, e esperando, ame. (DV 1). O conjunto do documento é bastante simples, mas seu conteúdo é de grande profundidade. O documento é chamado de “constituição dogmática” por tratar de temas ligados à fé. Especificamente, aborda a relação entre a Sagrada Escritura e a Sagrada Tradição, bem como a interpretação desta, confiada ao Magistério da Igreja. Padre Antonio explicou que a Dei Verbum ressalta a importância da Sagrada Escritura e da Sagrada Tradição, porque são modos de transmissão da revelação divina, e mantêm a estreita comunicação entre si, tendo Deus como o mesmo fundamento e o mesmo autor.

Toni Donomay

Benigno Naveira

No domingo, 8, Dom Julio Endi Akamine, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Lapa, deu posse ao Padre Jaidan Gomes Freire como administrador da Paróquia São José- Monte Alegre, no Setor Pastoral Pirituba.

Mães que foram à missa do domingo, 8, na Paróquia Santo Antonio de Pádua, no Setor Rio Pequeno, receberam de presente uma rosa por ocasião do Dia das Mães. A iniciativa foi da comunidade paroquial e do Padre João Carlos Deschamps, pároco.


24 | Regiões Episcopais |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

Santana

Diácono Francisco Gonçalves

Colaborador de comunicação da Região

Matrimônio católico só pode ser vivido na graça de Deus A Pastoral Familiar da Região Santana promoveu, em 23 de abril, na Cúria regional, uma manhã de formação, com o tema “Preparação para o Matrimônio e para a vida familiar”. Dom Sergio de Deus Borges, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região, fez a abertura do encontro, evidenciando que o Matrimônio católico só pode ser vivido na graça de Deus, pois pela razão natural o casal não viveria. Segundo ele, hoje, mais do que nunca, é necessário a preparação dos noivos para o Matrimônio, pois antes os laços familiares eram mais sólidos e ajuda-

vam o jovem casal a manter os valores cristãos. O evento teve como palestrantes os padres Bolívar Hauck, da Paróquia Nossa Senhora da Salette; Marcos Polonio, da Paróquia Santo Antônio do Limão; o seminarista Ismael Almeida, da Diocese de Guarulhos; e o Dr. Pedro Souza. Segundo o casal coordenador da Pastoral Familiar na Região, Antonio e Silvana Ribeiro, o assessor eclesiástico regional da Pastoral, Padre Eduardo Higashi, e religiosos e leigos das regiões Santana, Sé e Brasilândia participaram da atividade.

Pascom/Paróquia Menino Jesus

Em 24 de abril, Dom Sergio de Deus Borges, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Santana, presidiu a missa de abertura das comemorações dos 90 anos da Paróquia Menino Jesus, no Setor Pastoral Tucuruvi, concelebrada pelo Padre Paulo Cesar Gil, pároco. Mensalmente, ocorrerão celebrações festivas. A última está marcada para 4 de dezembro, a ser presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano. Fotografia Elias

Diácono Francisco Gonçalves

Padre Vicente Paulo Moreira Borges, MSJ, pároco da Paróquia São José Esposo da Virgem Maria, acolheu, em 30 de abril, Dom Sergio de Deus Borges, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Santana, para ministrar o sacramento da Confirmação a 35 jovens. Diácono Francisco Gonçalves

Dom Sergio de Deus Borges, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Santana, recebeu a visita, na Cúria de Santana, no dia 3, dos diáconos José Getúlio do Nascimento, da Diocese de Lorena, presidente da Comissão Regional dos Diáconos do Regional Sul 1 da CNBB; José Silva, de São José dos Campos (SP), vice-presidente; e João Lázaro da Silva, de Santo André (SP), tesoureiro.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Assembleia Geral Ordinária

A ASAAC – Associação de Apoio e Acompanhamento, de acordo com os artigos 12 e 15 inciso I de seu Estatuto, convoca os associados para sua Assembleia Geral Ordinária, que se realizará no dia 30 de maio de 2016, na sede da Entidade, localizada na Praça Clovis Bevilacqua, nº 351, 5º andar, conj. 501 - Centro, São Paulo, com a primeira chamada às 14h00, com cinquenta por cento mais um dos associados, e segunda chamada às 14h30 com qualquer número, de associados, quando estarão em pauta os seguintes assuntos: 1. Prestação de Contas 2. Relatório de Auditoria da Misereor 3. Apresentação do Balanço Geral de 2015 4. Assuntos gerais São Paulo, 12 de maio de 2016 Maria Enedina Nogueira de Mello Viola Vice - Presidente da ASAAC

Padre José Roberto Abreu de Mattos, pároco da Paróquia Santa Joana D’Arc, acolheu na segunda-feira, 9, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, para presidir missa na abertura do tríduo em honra à padroeira, cuja festa ocorre no dia 30. As próximas solenidades do tríduo serão nos dias 16 e 23. A tradicional quermesse se inicia dia 21 e se estenderá até o dia 12 de junho. Arquivo pessoal

Vítima de infarto, faleceu no dia 4 o Diácono Josmar Rodrigues Cassemiro, que atuava na Paróquia Santa Joana D’Arc, no Setor Tremembé, onde aconteceu o velório e a missa de corpo presente, presidida por Dom Sergio de Deus Borges, e concelebrada por Dom Eduardo Vieira dos Santos, bispo auxiliar da Arquidiocese na Região Sé, e pelos padres Jose Roberto (Beto) Abreu de Mattos, Elisandro Isehard, Eduardo Higashi e Adailton Costa.


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

Alex Bastos

Colaboração especial para a Região

Frei Alvaci Mendes assume a Paróquia São Francisco de Assis A comunidade de fiéis da Paróquia São Francisco de Assis, no Setor Pastoral Catedral, participou em 24 de abril da missa solene de posse do Frei Alvaci Mendes da Luz, como pároco da igreja que também é um dos santuários dedicados a São Francisco de Assis. Na presença do Padre Aparecido Silva, vigário geral da Região Sé, e do Frei Evaristo Spengler, vigário provincial dos franciscanos, Frei Alvaci renovou os votos sacerdotais e recebeu a chave da igreja, a chave do sacrário eucarístico, os óleos batismais e a estola de confissão. O novo Pároco, durante a celebração, agradeceu a presença de todos e ressal-

tou a importância de seus confrades nesta nova etapa missionária. “É esta fraternidade franciscana que toma posse. Ou melhor, a comunidade toma posse desta fraternidade, pois são vocês que irão se servir da gente”, explicou Frei Alvaci. Padre Aparecido enalteceu a união da comunidade franciscana, que enfrenta os desafios da evangelização no centro histórico da grande metrópole. “É esse amor verdadeiro, esse amor ágape que dá sentido à vida de uma comunidade religiosa, que a fortalece e traz entusiasmo e alegria para continuar a missão que Deus confiou de viver o carisma franciscano”, disse. Leandro Silva

Na segunda-feira, 9, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano, presidiu a missa de corpo presente do Diácono Carlos Galeão Camacho, na Paróquia São Luís Gonzaga, na Região Sé, onde atuava pastoralmente. Ele morreu na madrugada do mesmo dia, aos 74 anos de idade.

| Regiões Episcopais | 25

Pascom/Paróquia São Francisco de Assis

Padre Aparecido Silva entrega óleos batismais ao Frei Alvaci Mendes da Luz, novo pároco Divulgação


26 | Balanço |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL CNPJ/MF 62.340.203/0001-84 Rua Borges Lagoa, 1209 - Vila Clementino - CEP 04038-033 - São Paulo/SP.

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO - (Em Reais 1) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE ....................................... Caixa e equivalentes de caixa ........... 4 DIREITOS REALIZÁVEIS .................... Aplicações financeiras de liquidez não imediata ..................................... Valores a receber ............................... 5 Adiantamentos a fornecedores .......... Adiantamentos diversos ..................... Outros direitos realizáveis .................. DESPESAS ANTECIPADAS................ NÃO CIRCULANTE .............................. REALIZÁVEL A LONGO PRAZO ......... Depósitos judiciais ............................. Direitos realizáveis ............................. INVESTIMENTOS............................... 6 IMOBILIZADO..................................... 7 INTANGÍVEL ....................................... 8 TOTAL DO ATIVO .................................

2015 32.969.363 31.081.230 1.852.602

2014 25.644.251 23.791.854 1.817.552

269.121 1.106.400 168.713 73.025 235.343 35.531 288.003.721 4.002.201 322.201 3.680.000 141.443.553 142.430.843 127.124 320.973.084

202.770 1.049.282 278.112 60.443 226.945 34.845 286.716.092 264.510 264.510 140.630.272 145.694.186 127.124 312.360.343

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO PERÍODO - (Em Reais 1)

PASSIVO Nota Explicativa CIRCULANTE ....................................... Fornecedores....................................... Obrigações sociais e trabalhistas ........ 9 Tributos, impostos e encargos a recolher .............................................. Direito de férias adquirido e encargos sociais ................................................ 3-g Adiantamentos de clientes................... 10 Outras obrigações ............................... NÃO CIRCULANTE .............................. Doações para investimentos ............... 11 Provisão para contingências................ 12 PATRIMÔNIO LÍQUIDO ........................ 13 Patrimônio social ................................. Superávit/(Déficit) do Período..............

657.115 7.593.710 373.355 45.267.045 27.400.045 17.867.000 266.487.622 263.117.983 3.369.639

621.708 1.706.633 374.192 45.730.058 27.402.058 18.328.000 263.117.983 279.514.239 (16.396.256)

TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO ......................

320.973.084

312.360.343

2015 9.218.417 233.552 328.734

2014 3.512.302 460.811 312.898

31.951

36.060

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - PERÍODO DE 01/JAN./2014 A 31/DEZ./2015 - (Em reais 1) PATRIMÔNIO SOCIAL 283.938.766

DOAÇÕES PATRIMONIAIS -

DÉFICIT DO PERÍODO (4.424.527)

PERÍODO 01/JAN./2015 01/JAN./2014 A A 31/DEZ./2015 31/DEZ./2014 RECEITA BRUTA ........................................... 28.998.390 27.956.933 Contribuições e donativos ............................ 15.436.429 16.137.490 Receitas patrimoniais ................................... 12.521.532 10.552.829 Espórtulas recebidas .................................... 852.455 1.102.161 Receitas educacionais .................................. 187.974 164.453 DEDUÇÕES ................................................. (435.360) (734.039) Descontos concedidos................................. (435.360) (734.039) RECEITA LÍQUIDA ........................................ 28.563.030 27.222.894 CUSTOS......................................................... (2.545.854) (1.810.034) Custo com projetos sociais e assistenciais .. 14 (2.545.854) (1.810.034) SUPERÁVIT BRUTO ..................................... 26.017.176 25.412.860 RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS .. (23.627.694) (43.828.766) Despesas gerais e administrativas ............... (26.402.326) (45.725.436) Despesas financeiras ................................... (414.062) (286.871) Receitas financeiras ..................................... 3.188.694 2.183.541 RESULTADO OPERACIONAL ..................... 2.389.482 (18.415.906) Outras receitas ............................................. 1.532.552 2.352.196 Outras despesas........................................... (552.395) (332.546) SUPERÁVIT/(DÉFICIT) DO PERÍODO.......... 3.369.639 (16.396.256) (As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis) Nota Explicativa

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA - (Em reais 1) PERÍODO 01/JAN./ 01/JAN./ 2015 A 2014 A 31/DEZ./ 31/DEZ./ 2015 2014 3.369.639 (16.396.256)

FLUXO DE CAIXA NAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Superávit/Déficit do Período .............................................. Ajustes: Depreciação e amortização ............................................ 4.092.906 4.025.223 Baixa de bens do ativo imobilizado, intangível e (4.424.527) 4.424.527 investimentos ................................................................ 552.395 621.331 (16.396.256) (16.396.256) Receita na alienação de bens do ativo imobilizado ........ (1.417.660) (2.295.185) 279.514.239 (16.396.256) 263.117.983 Provisão para contingências ........................................... (461.000) 17.595.000 Resultado líquido ajustado ............................................. 6.136.280 3.550.113 Variação nas aplicações financeiras de liquidez não (16.396.256) 16.396.256 imediata............................................................................ (66.351) (19.779) 3.369.639 3.369.639 Variação nos valores a receber ......................................... (57.118) (388.996) 263.117.983 3.369.639 266.487.622 Variação nos adiantamentos a fornecedores .................... 109.399 1.490.130 Variação nos estoques....................................................... 24.670 (As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis) Variação nos direitos realizáveis pela venda de NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 imobilizado ....................................................................... (3.680.000) PERÍODO DE 01 DE JANEIRO A 31 DE DEZEMBRO DE 2015 - (VALORES EXPRESSOS EM R$ 1) Outras variações ativas ..................................................... (66.775) (123.769) NOTA 1. CONTEXTO OPERACIONAL NOTA 7. IMOBILIZADO Variação nas contas a pagar com fornecedores ............... (227.259) (1.773.887) A Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, constituída em Está representado pelos valores originais. Quando cabível, deduzidos da depreciação Variação nas obrigações sociais e trabalhistas ................. 15.836 (27.530) 15 de julho de 1675, estabelecida na cidade de São Paulo-SP, é uma organização acumulada, conforme demonstrado no quadro seguinte: Variação nos tributos, impostos e encargos a recolher ..... (4.109) (1.359) religiosa, com personalidade jurídica de direito privado e sem fins lucrativos, composta Descrição 2015 2014 Variação nas obrigações com férias e encargos ............... 35.407 44.458 de pessoas físicas do sexo masculino e com duração por tempo indeterminado. Imóveis ............................................................................. 158.921.687 159.021.518 Variação nos adiantamentos recebidos de clientes ........... 5.887.077 362.091 As atividades da Província estendem-se pelos Estados do Espírito Santo, Rio de Móveis e utensílios ........................................................... 3.469.113 5.013.293 Outras variações passivas................................................. (837) 128.963 Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina, tendo por finalidade: Instalações ....................................................................... 960.183 1.619.808 Caixa líquido proveniente das atividades operacionais 8.081.550 3.265.105 a) Viver o Evangelho de Jesus Cristo segundo a forma revelada por Deus a Máquinas e equipamentos ............................................... 3.162.035 4.438.744 FLUXO DE CAIXA NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO São Francisco de Assis; Veículos ............................................................................ 5.114.614 5.064.307 Aplicações no ativo imobilizado e intangível ..................... (1.081.605) (1.467.181) b) Evangelizar pela forma de vida e ação segundo o carisma da Ordem dos Frades Imobilizações em andamento ........................................... 29.379.410 29.421.559 Aplicações em investimentos permanentes ...................... (1.128.229) (2.060.049) Menores, como fraternidade de menores em missão; Outras imobilizações ........................................................ 293.830 438.090 Recursos provenientes das doações para investimento ... 800 c) Exercer a espiritualidade cristã por intermédio de atividades religiosas, formação (-) Depreciação acumulada .............................................. (58.870.029) (59.323.133) Recursos recebidos da venda de bens do ativo teológica, filosófica e humana, propagando os valores propostos pelo fundador Totais ............................................................................... 142.430.843 145.694.186 imobilizado ....................................................................... 1.417.660 2.295.185 da Ordem Franciscana, a saber, a misericórdia, a compaixão, a simplicidade, o NOTA 8. INTANGÍVEL (792.174) (1.231.245) acolhimento, o cuidado, a cortesia, a cordialidade, a paciência, a fraternidade, a Está representado pelos valores originais, deduzidos da amortização acumulada, Caixa líquido usado nas atividades de investimento... alteridade, a qualidade das relações; a integração entre feminino e masculino, a conforme demonstrado no quadro seguinte: VARIAÇÃO NO CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA ..... 7.289.376 2.033.860 criatividade, a beleza e a bondade, a sabedoria, a ternura, a alegria e a consciência Descrição 2015 2014 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA ............................... 7.289.376 2.033.860 ecológica; Sistemas aplicativos ......................................................... 12.712 191.281 No início do exercício ........................................................ 23.791.854 21.757.994 d) Ser uma fraternidade com qualidade de vida evangélico-evangelizadora, atuando Direitos de uso e patentes ................................................ 127.124 127.124 No fim do exercício ............................................................ 31.081.230 23.791.854 em rede, solidária para com os pobres e excluídos, e comprometida com os valores (-) Amortização acumulada............................................... (12.712) (191.281) (As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis) da Reconciliação, Justiça, Paz e Integridade da Criação. Totais ............................................................................... 127.124 127.124 NOTA 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NOTA 9. OBRIGAÇÕES SOCIAIS E TRABALHISTAS NOTA 10. ADIANTAMENTOS DE CLIENTES As demonstrações contábeis foram elaboradas segundo as práticas contábeis Estão representados pelos valores originais, conforme demonstrado no quadro Os adiantamentos de clientes correspondem, preponderantemente, a recebimentos adotadas no Brasil, que abrangem, além das disposições da legislação societária seguinte: oriundos de compromissos de venda de imóveis da entidade, os quais permanecem brasileira, os Pronunciamentos, Orientações e Interpretações emitidas pelo Comitê Descrição 2015 2014 em aberto aguardando a respectiva escritura pública de compra e venda. de Pronunciamentos Contábeis - CPC. Salários a pagar ............................................................... 89.557 81.437 NOTA 11. DOAÇÕES PARA INVESTIMENTOS As alterações trazidas pela Lei número 11.638/07, pela Lei número 11.941/09 à Lei Contribuição previdenciária .............................................. 155.272 151.370 Trata-se de recursos obtidos para obras de restauração de imóveis da Província que número 6.404/76 estão sendo observadas integralmente e adotadas quando aplicável. FGTS - Fundo de Garantia do Tempo de Serviço ............ 43.392 41.900 foram tombados pelo Patrimônio Histórico Nacional. A partir do exercício de 2008, Foi adotada, também, a Resolução do Conselho Federal de Contabilidade PIS - Programa de Integração Social ............................... 8.016 7.110 os valores recebidos passaram a ser registrados no Passivo Não-Circulante, como 1.409/2.012, que se refere à ITG 2002 – Entidade sem finalidade de Lucros, a qual IRRF - Imposto de Renda Retido na Fonte ...................... 13.679 11.804 Doações para Investimento, e os valores estão sendo aplicados nos respectivos trata em específico dos aspectos contábeis das entidades sem fins lucrativos. Autônomos a pagar .......................................................... 9.983 11.761 projetos. Os valores recebidos em 2007 foram contabilizados como Receita Não NOTA 3. PRINCIPAIS POLÍTICAS CONTÁBEIS IRRF s/ autônomos........................................................... 569 266 Operacional e somam R$ 1.650.000. Dentre as principais políticas contábeis adotadas para a preparação das Outros valores e contribuições ......................................... 8.266 7.250 No quadro a seguir estão demonstrados os valores recebidos durante o exercício de demonstrações contábeis ressaltamos: Totais ............................................................................... 328.734 312.898 2015 e os respectivos Projetos de Restauração: a) Apuração do resultado 11.a) Valores lançados no Passivo Não Circulante: As receitas contratuais e financeiras estão reconhecidas pelo regime de competência. Inscrição Saldo Recebido Baixado Saldo As doações e contribuições para custeio são contabilizadas em contas de receita pela Projeto Cidade Estado no PRONAC em 2014 em 2015 em 2015 em 2015 sua realização financeira. Os custos e as despesas estão registrados pelos seus valores originais, e de acordo Restauração e revitalização do Complexo Arquitetônico com a sua competência, e referem-se a gastos necessários à manutenção das do Convento Santo Antônio - Largo da Carioca Rio de Janeiro RJ 067408 27.402.058 104.481 (106.494) 27.400.045 atividades mantidas pela entidade. Total 27.402.058 104.481 (106.494) 27.400.045 b) Caixa e equivalentes de caixa 11.b) Valores lançados em Receita Não Operacional no ano de 2007: O caixa e equivalentes de caixa incluem os saldos em caixa e bancos contas Descrição Valor movimento e aplicações financeiras, acrescidas dos rendimentos auferidos até a data BNDES - 27/11/2007 ............................................................................................................................................................................................................................. 600.000 do balanço, as quais não superam os respectivos valores de mercado. Petróleo Brasileiro S/A - 13/08/2007 ..................................................................................................................................................................................................... 600.000 c) Aplicações de liquidez não imediata 450.000 Estão demonstradas pelos valores aplicados, atualizadas com os respectivos Petróleo Brasileiro S/A - 22/11/2007...................................................................................................................................................................................................... rendimentos até a data de encerramento do balanço patrimonial. Total ...................................................................................................................................................................................................................................................... 1.650.000 d) Investimentos NOTA 12. PROVISÃO PARA CONTINGÊNCIAS São imóveis definidos formalmente pela administração da entidade como propriedades A Entidade possui ações trabalhistas, cíveis e administrativas tramitando em juízo, na qualidade de requerida, cujos valores e riscos associados foram determinados mediante para investimentos, cujo objetivo final é a obtenção de renda por meio de locação. a análise dos processos por parte do departamento jurídico. e) Imobilizado Descrição 2015 2014 Está demonstrado pelo custo de aquisição, acrescido de reavaliação espontânea, Contingências trabalhistas .................................................................................................................................................................................... 716.000 1.096.025 deduzido das suas depreciações e amortizações correspondentes. Contingências cíveis.............................................................................................................................................................................................. 141.000 211.975 f) Intangível Está demonstrado pelo custo de aquisição, deduzido das amortizações acumuladas, Contingências administrativas ............................................................................................................................................................................... 17.010.000 17.020.000 calculadas pela expectativa de vida útil ou o prazo contratual do direito de uso. Totais .................................................................................................................................................................................................................... 17.867.000 18.328.000 g) Direito de férias adquirido e encargos sociais Foram constituídas com base no regime de competência, observando as férias A contingência administrativa de R$ 17.010.000 refere-se à discussão em âmbito administrativo (processo PRONAC 01400.007485/2006-16 - 067408), da prestação de transcorridas e ainda não gozadas, apropriadas até a data de encerramento do contas ao Ministério da Cultura, relativa a obras para restauro e revitalização do Convento de Santo Antônio, localizado na Cidade do Rio de Janeiro/RJ. A empresa contratada responsável pelo gerenciamento, fiscalização e prestação de contas deste projeto (PRONAC 067408), já foi citada através do processo judicial balanço. Foram calculadas partindo do número de dias de férias, convertidos para valor em N° 0478137-35.2014.8.19.0001 - 13° Vara Cível do Rio de Janeiro - RJ - a prestar esclarecimentos e responder judicialmente sobre o descumprimento contratual. Cabe ainda moeda pelo salário atual de cada funcionário, acrescidas de um terço constitucional e ressaltar que está em andamento o processo de produção antecipada de provas onde será realizada a perícia física no imóvel a fim de apurar o que de fato foi executado no os respectivos encargos sociais, conforme legislação trabalhista em vigor. local, processo judicial Nº 0125661-93.2014.8.19.0001 - 15º Vara Cível do Rio de Janeiro - RJ. NOTA 4. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA NOTA 13. PATRIMÔNIO LÍQUIDO Correspondem ao caixa, depósitos bancários e investimentos de curto prazo O Patrimônio Social está composto pelos superávits acumulados ao longo dos períodos anteriores, cujos valores foram reinvestidos na ampliação e manutenção dos objetivos compostos por títulos de renda fixa com liquidez imediata. sociais da entidade, seja na ampliação e manutenção de suas instalações ou na prestação de seus serviços. Descrição 2015 2014 A Entidade não remunera os membros componentes de sua diretoria, conselheiros, associados ou equivalentes e não distribui ou concede vantagens sob nenhuma forma. Caixa ................................................................................ 174.197 204.715 Bancos.............................................................................. 725.161 548.431 NOTA 14. CUSTO COM PROJETOS SOCIAIS E ASSISTENCIAIS Aplicações de liquidez imediata ....................................... 30.181.872 23.038.708 As aplicações de recursos em programas sociais resumem-se da seguinte forma: Totais ............................................................................... 31.081.230 23.791.854 2015 NOTA 5. VALORES A RECEBER Recursos aplicados Estão apresentados pelos valores originais e correspondem ao informado no quadro Investimento a seguir: Serviços Unidades Cidade / Estado com recursos Convênios Total Descrição 2015 2014 Nome do Centro de Custo próprios Investido Clientes de aluguel ........................................................... 829.748 751.663 Títulos a receber............................................................... 321.042 294.489 Apoio à Projetos Sociais da Associação Franciscana Associação Outros valores a receber .................................................. 5.610 3.130 de Solidariedade Franciscana de Solidariedade São Paulo, SP 2.545.854 2.545.854 Perdas Estimadas para Créditos de Liquidação SEFRAS Duvidosa (a) ................................................................... (50.000) Total do Projeto SEFRAS 2.545.854 2.545.854 Totais ............................................................................... 1.106.400 1.049.282 2014 (a) Movimentação das Perdas Estimadas para Créditos de Liquidação Duvidosa: Recursos aplicados Descrição 2015 2014 Investimento Saldo anterior ................................................................... Constituição de provisão .................................................. (50.000) Serviços Unidades Cidade / Estado com recursos Convênios Total Saldo final ....................................................................... (50.000) Nome do Centro de Custo próprios Investido NOTA 6. INVESTIMENTOS Apoio à Projetos Sociais da Associação Franciscana Associação A administração da entidade definiu como propriedades para investimentos, os de Solidariedade Franciscana de Solidariedade São Paulo, SP 1.810.034 1.810.034 imóveis que serão utilizados para a obtenção de renda por meio de locação. SEFRAS Descrição 2015 2014 Total do Projeto SEFRAS 1.810.034 1.810.034 Imóveis ............................................................................. 141.236.539 140.440.226 Outros investimentos ........................................................ 207.014 190.046 O Apoio a Projetos Sociais é uma iniciativa fundamentada nos princípios estatutários da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, e se dá através de Termo Totais ............................................................................... 141.443.553 140.630.272 de Parceria com a Associação Franciscana de Solidariedade - SEFRAS, assinado em 17 de março de 2010 e aditivado semestralmente.

ESPECIFICAÇÕES CONTAS SALDOS EM 01 DE JANEIRO DE 2014 .................................................. Incorporação do resultado do exercício Anterior - 2013 ........................................................................................... Déficit do período ...................................................................................... SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014.............................................. Incorporação do resultado do exercício Anterior - 2014 ........................................................................................... Superávit do período ................................................................................. SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015..............................................

TOTAL 279.514.239

continua...


www.arquisp.org.br | 13 a 17 de maio de 2016

continuação

| Balanço/Regiões Episcopais | 27

PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL CNPJ/MF 62.340.203/0001-84 Rua Borges Lagoa, 1209 - Vila Clementino - CEP 04038-033 - São Paulo/SP.

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 PERÍODO DE 01 DE JANEIRO A 31 DE DEZEMBRO DE 2015 - (VALORES EXPRESSOS EM R$ 1) NOTA 15. RECOLHIMENTO DA COTA PATRONAL A partir de 01 de janeiro de 2010, a Entidade passou a recolher a cota patronal do INSS juntamente com as contribuições para com terceiros, bem como o seguro de acidentes de trabalho. No decorrer do ano de 2015 seus recolhimentos somaram R$ 1.071.033. NOTA 16. COBERTURA DE SEGUROS A administração da Entidade adota a política de contratar cobertura de seguros, para bens sujeitos a riscos, por montantes considerados suficientes para cobrir eventuais perdas.

NOTA 17. BENEFÍCIOS FISCAIS A Instituição na condição de entidade sem fins lucrativos, nos termos da legislação vigente, se beneficiou do não recolhimento de tributos e contribuições. A seguir, estão estimados os principais benefícios: Valores estimados Descrição 2015 2014 Imposto de Renda - IRPJ ................................................. 842.386 Contribuição Social - CSLL .............................................. 303.268 Contribuição Social sobre o faturamento - COFINS......... 915.928 909.274 Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN . 9.399 8.223

NOTA 18. TRANSFORMAÇÃO DE ASSOCIAÇÃO PARA ORGANIZAÇÃO RELIGIOSA No dia 28 de setembro de 2015, a Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil alterou seu Estatuto Social, especificamente quanto à sua natureza, ou seja, de “Associação” para “Organização Religiosa”, onde, a partir daí, se enquadra e se tipifica essencialmente à sua condição de instituto religioso e ao conteúdo do acordo havido entre a Santa Sé e a República Federativa do Brasil, em 13 de novembro de 2008. NOTA 19. AUTORIZAÇÃO PARA EMISSÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS A diretoria da Entidade, autorizou a emissão das presentes demonstrações contábeis em 28/mar./2015.

DIRETORIA FIDÊNCIO VANBOEMMEL Diretor Presidente CPF/MF 521.424.777-04

CONTADOR MÁRIO LUIZ TAGLIARI Ecônomo CPF/MF 167.911.859-53

ADRIEL DE MOURA CABRAL CRC/SP 219.179/O-0 CPF/MF 855.179.336-53

PARECER DO CONSELHO FISCAL DA PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL Aos 19 dias do mês de abril, do ano de dois mil e dezesseis, reuniu-se na sede da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - PFICB, na Rua Borges Lagoa n.° 1.209, Bairro de Vila Clementino, cidade de São Paulo/SP, o Conselho Fiscal da PFICB, para analisar as Demonstrações Contábeis, encerradas em 31 de dezembro de 2015, complementadas por Notas Explicativas. Após verificação e exame dos relatórios e dos documentos contábeis apresentados pelo Responsável Técnico, Contador Adriel de Moura Cabral (CRC-SP n.° 1SP 219.179/O-0), no exercício da competência que lhe é atribuída, o Conselho Fiscal é de Parecer que estas peças sejam aprovadas pela Assembléia Geral. São Paulo, 19 de abril de 2016.

Frei Volney José Berkenbrock CPF 005.465.907-80 Presidente do Conselho Fiscal

Frei Luiz Colossi CPF 445.532.349-04 Conselheiro - Suplente Frei Karl Josef Körber CPF 929.360.598-87 Conselheiro

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Ilmos. Srs. Associados e Diretores da PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL São Paulo - SP Examinamos as demonstrações contábeis da PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL, que compreendem o balanço patrimonial levantado em 31 de dezembro de 2.015 e as respectivas demonstrações do resultado do período, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração da PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL sobre as demonstrações contábeis A administração da Entidade é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do

auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Entidade. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL em 31 de dezembro de 2.015, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o período findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Curitiba, 31 de março de 2.016.

SANDRO GABRIEL DA SILVA KAIBER CONTADOR CRC - PR - 045891/O-1

AUDIACTO AUDITORES INDEPENDENTES SS CRC-PR - 04.618/0-9-S-SP CVM 12.181

CNAI 3603

Belém

Peterson Prates

Colaborador de comunicação da Região

Paróquias do Setor Tatuapé acolhem imagem de Nossa Senhora Aparecida A imagem peregrina de Nossa Senhora da Conceição Aparecida está peregrinando pelas paróquias do Setor Tatuapé, por ocasião das comemorações dos 300 anos da aparição da imagem no rio Paraíba do Sul, em 1717. No dia 1º, a imagem vinda do Santuário Nacional de Aparecida foi recepcionada com missa e a bênção aos trabalhadores na Paróquia Cristo Rei. Ao longo de quatro dias, a imagem peregrinou na área de abrangência da Paróquia,

incluindo a realização de uma carreata e de uma missa no Hospital Municipal do Tatuapé. A segunda paróquia a receber a imagem foi a São José do Maranhão, onde houve um momento especial em uma missa com a participação de crianças. Na paróquia seguinte, a São Judas Tadeu, houve oração das Laudes, Vésperas e o Ângelus. Até o dia 22, a imagem irá peregrinar pelas demais paróquias do Setor Tatuapé.

“ Mãe d e Mi s e

Divulgação

rd r icó

i a”

77ª Festa de Nossa Senhora do Sagrado Coração 21 a 29 de Maio de 2016

Pascom/Paróquia Nossa Senhora da Esperança

NOVENA • 21/05/16 - 1º dia - Sábado Missa: 07h30 - Pe. Michel dos Santos, MSC • 22/05/16 - 2º dia - Domingo Missa: 18h - Pe. Lucemir Alves Ribeiro, MSC • 23/05/16 - 3º dia - Segunda-Feira Missa: 19h30 - Pe. Air José de Mendonça, MSC • 24/05/16 - 4º dia - Terça-Feira Missa: 19h30 - Pe. Alex Sandro Sudré, MSC

• 29/05/16 - DIA DA FESTA 05h30 - Café dos Romeiros 06h30 - Momento Mariano 07h30 - Missa - Pe. Manoel Ferreira dos Santos Jr., MSC 09h00 - Procissão 10h00 - Missa Solene - Dom Antonio Carlos, MSC 12h00 - Almoço 14h00 - Coroação de Nossa Senhora 18h00 - Missa e Encerramento da Novena

• 27/05/16 - 7º dia - Sexta-Feira Missa: 19h30 - Pe. Reuberson Ferreira, MSC • 28/05/16 - 8º dia - Sábado Missa: 07h30 - Pe. Milton Tassoni, MSC • 29/05/16 – 9º dia - Domingo Missa: 18h - Pe. Valdecir Soares Santos, MSC

Os fiéis das sete paróquias do Setor Pastoral Sapopemba realizaram no sábado, 7, a peregrinação setorial à Porta Santa do Santuário Nossa Senhora do Sagrado Coração, por ocasião do Ano Santo extraordinário da Misericórdia. Após a passagem pela Porta da Misericórdia, os quase 600 peregrinos participaram da missa presidida pelo Padre Carlos Mariano, CSSp, coordenador do Setor Pastoral, e concelebrada por outros oito padres do Setor Sapopemba e pelo Padre Valdecir Soares, MSC, pároco.

SOCIAL

• 26/05/16 - 6º dia - Quinta-Feira Missa: 19h30 - Pe. Ribamar Rodrigues

PROGRAMAÇÃO

• 25/05/16 - 5º dia - Quarta-Feira Missa: 19h30 - Pe. Rodrigo Domingues, MSC

QUERMESSE 2016 Todos os sábados e domingos a partir de 30 de abril a 12 de junho de 2016

Horário da Quermesse: • Sábado: das 18h às 23h • Domingo: das 18h às 22h

DIA 29/05 (domingo)

Dia da Festa, haverá barracas até às 17h.

Santuário de Nossa Senhora do Sagrado Coração Av. Renata, nº 01 - Vila Formosa - tel: (11) 2211-0448 cartaz - A#.indd 1

3/17/2016 11:00:49 AM


28 | Publicidade |

13 a 17 de maio de 2016 | www.arquisp.org.br

O SÃO PAULO - 3101  

Jornal O SÃO PAULO semanário da Arquidiocese de São Paulo, há 60 anos levando informação e formação para os católicos de SP

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you