Issuu on Google+

pub

17 JAN a 06 FEV

2014 Ano XIV | Nº 337 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar

apenas 0,70 € IVA incluído

\\

PUB

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

política Vereador Mário Nuno Neves faz análise dos resultados eleitorais, o mandato e o futuro político do concelho.

«Não podemos estar dependentes do aparelhismo e sindicatos de voto» Eng. Tiago é a melhor solução para a Câmara. «Em política é sempre conveniente pensar com frieza e a médio prazo. Julgo que houve alguma precipitação e decisões “a quente”» no processo freguesias. p. 04 e 05

\\

\\ política

iniciativa Peça museológica cedida pela REN ornamenta rotunda em Vermoim

Marco Martins toma posse como novo líder do PS Maiato com vista a 2017 p. 03 \\ política

Assembleia “chumba” orçamento da nova Junta de Freguesia Cidade da Maia. Nova cooperativa gestora do Zoo envolta em polémica. Comissão da Assembleia de Freguesia vai apresentar conclusões em 45 dias.

p. 06

p.07 pub

\\ btt

Campeonato OPEN BTT XCO MAIA 2014 arranca a 9 de Fevereiro em p. 13 Folgosa.


02

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Página dois editorial \\ artur bace|ar director

Treta Treta. Uma boa dose de Treta é o que eu penso de cada vez que ouço falar em “Redução da Despesa Pública”, principalmente pelos partidos fora do chamado “arco da governação”. Tretas e política demagógica. Qualquer pessoa que tenha, no mínimo um orçamento familiar, sabe que é preciso “cortar” onde se gasta mais. Embora os “Juros”, a par do “Consumo Intermédio”, “só” representem 9% cada do total, a “Despesa Corrente” 7% e a Despesa do Capital cerca de 4%, a “Despesa com Pessoal e Prestações Sociais” chegam

aos 70% do total da “Despesa Pública. O que quer isto dizer? Simplesmente que além dos cortes nas despesas mais pequenas é fundamental cortar ao Pessoal e às Pensões. A pergunta é esta: Não é isso que o governo está a fazer? Na Irlanda, país com que teimam em nos comparar, os partidos do “arco governativo” e os sindicatos, face a esta mais que lógica necessidade, efectuaram um pacto a 8 anos com redução efectiva dos salários e pensões públicas… e ninguém chorou, simplesmente era preciso. Por cá a oposição e sindicatos, para já, só pensam em manifestações e desinformação. No meio desta enxurrada de Tretas, muita coisa grave e errada está

maiahoje

a passar em claro porque “é mais uma” no meio de tanta asneira da oposição que ninguém liga. As grandes manifestações fizeram-se enquanto não houve bandeiras políticas, nem políticos à frente. No dia em que vir os políticos e pseudo-sindicalistas serem corridos de uma qualquer manifestação com a qual me identifique, sem dar entrevistas e remeterem-se ao silêncio, estarei lá. No dia em que o povo acordará para meter os políticos, TODOS, na ordem. Nota: Agradeço todos os comentários que me foram endereçados às “minhas escolhas 2013” publicadas na edição anterior. Para 2014 prometo mais categorias e mais novidades. Estejam atentos.

PUB

ligue-se na nossa versão mobile

m.maiahoje.pt à medida do seu telefone /smartphone/ tablet

MAIA CENTRO • ALUGA-SE

SALA

DE FORMAÇÃO TOTALMENTE EQUIPADA

regime de arrendamento: Mensal / Diário / Hora

Sala de 90m2 e WC. Equipada com mobiliário escolar. Quadro branco. Tela de projeção. Projector multimédia 20 computadores portáteis Acesso Internet.

Rua Augusto Simões, 1060 Tel. 927 811 911 info@castelmaia.com

x

por apenas 16,80 10 euros /ano Sim, desejo ser assinante do jornal MaiaHoje pelo período de ___anos, automaticamente renováveis por igual periodo. assinatura

%

Recorte e envie para: Jornal MaiaHoje - Rua dos Altos, 18 • 4470-235 Maia

NOME_____________________________________________ MORADA__________________________________________ COD POSTAL_______-____ LOCALIDADE_________________ TELEFONE______________ TELEMÓVEL_________________ EMAIL_____________________________________________

%

pub


maiahoje POLÍTICA

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Sociedade \\ Opinião

Comissão Política Concelhia tomou posse

Unidos e de rumo traçado a 2017 No passado dia 9 de janeiro, realizou-se a tomada de posse da Comissão Política Concelhia do PS Maia. O ato coincidiu com o início da primeira reunião deste órgão e contou com a presença do Presidente da Federação Distrital do Porto, José Luís Carneiro. Marco Martins, presidente da CPC do PS Maia, começou por agradecer a presença dos militantes a quem dedicou as suas primeiras palavras sendo que «O PS Maia necessita de um grande trabalho ao nível da militância, do seu reforço e da sua valorização» pelo que será esta será «uma preocupação central», referiu. Agradeceu seguidamente a presença do Presidente da Federação Distrital do Porto, José Luís Carneiro cuja presença serve para «reforçar o compromisso que assumimos na nossa Moção de Estratégia e que passa pela necessidade do PS Maia abrir um novo ciclo nas relações institucionais com a Federação Distrital do Porto e de ser um dos motores de novas formas de partilha e de execução de políticas mais abrangentes na Área Metropolitana do Porto», defendeu. Seguidamente felicitou os membros da CPC que tomavam posse prometendo «um mandato que passará pela valorização deste órgão, com uma discussão mais abrangente dos temas e uma participação mais efetiva dos membros da CPC nas decisões concelhias do partido. É enquadrado neste espírito que ainda durante este mês iremos realizar uma reunião da CPC, centrada em questões específicas de organização, partilha e responsabilização de todos no trabalho que temos pela frente», disse. Apresentou um «cumprimento especial» aos novos secretárioscoordenadores e às suas equipas «como sabem para mim serão elementos indispensáveis à definição da estratégia política e ao trabalho de adaptação do partido que temos que desenvolver», apresentando a reorganização como «fundamental para o efetivo relacionamento do PS com o território e a sociedade maiata, sendo, por isso, urgente o seu debate e reflexão que quero iniciar ainda este mês», disse. Marco Martins dedicou também «uma palavra especial» aos eleitos locais «as relações entre a

pub

direção política do partido e os seus eleitos locais são fundamentais num quadro de uma estratégia de afirmação de uma alternativa política para o concelho», diz acrescentando que «as relações entre o partido, os vereadores, o grupo da assembleia municipal e os eleitos nas freguesias são decisivas para o sucesso da nossa estratégia. Neste sentido, serão promovidas, com caráter regular «a realização de Jornadas Autárquicas que terão como objetivo promover em conjunto a discussão de temas específicos, sendo as mesmas complementadas com a realização de ações de contacto com a sociedade civil, utilizando este mecanismo para reforçar a presença sistemática do PS no exterior, promovendo o diálogo e a partilha, através de um meio que nos permitirá fazer diagnósticos mais precisos e, assim, adequar as nossas propostas», disse. A terminar os cumprimentos, dedicou uma palavra para a Juventude Socialista «organização imprescindível no trabalho de afirmação do projeto do PS junto dos jovens», dado que é «preocupante o afastamento dos jovens dos partidos políticos, facto que tem sido notório nos resultados eleitorais, nomeadamente ao nível da taxa de abstenção neste grupo etário», acrescentando que «conto também convosco para a construção da alternativa política para o concelho», terminou. Alternativa para a Maia Para Marco Martins, o desígnio central deste novo projecto passa pela «afirmação de uma alternativa política para o concelho da Maia. Uma alternativa assente em políticas solidárias, ideológicas e que centrem no Partido Socialista um projeto de governação abrangente, que permita à Maia poder iniciar um novo ciclo autárquico, mais inovador e potenciador das qualidades e das valências do nosso concelho». O novo presidente da CPC aposta «numa clara abertura à sociedade civil, virando o partido para o exterior, interagindo regularmente com os maiatos, reentrando nos núcleos “fazedores de opinião”, afirmando uma linha de pensamento para a Maia e afirmando um conjunto de protagonistas que

03

sejam identificados com o projeto alternativo de valor acrescentado, liderado pelo Partido Socialista», transmitiu.

Novo Fórum na calha Marco Martins além de outras iniciativas corporiza já na criação de um fórum cívico – “Fórum Maia 4G” – que terá como objetivo «promover e organizar eventos que mobilizem a sociedade civil maiata em torno da discussão de uma Maia na vanguarda das políticas de quarta geração», diz. A Maia é um concelho que, pelas suas potencialidades geográficas e infraestruturais, possui um capital estratégico enorme no contexto da Área Metropolitana do Porto e do Norte do país. Uma gestão autárquica de futuro, ambiciosa e estratégica deve ser capaz de reconhecer esse potencial e utilizá-lo para criar uma marca distintiva e diferenciadora que torne a Maia num concelho inovador. Investimentos hipotecaram acção do município. Para o líder socialista «A Maia apostou, até ao início da primeira década deste século, numa modernização das suas diversas infraestruturas o que permitiu elevar os padrões de qualidade de vida e dotar o concelho de equipamentos importantes no contexto atual. No entanto, paralelamente a este investimento estrutural foram efetuados outros, de eficácia duvidosa e irracionais do ponto de vista de investimento público, que hipotecaram a ação do município», acrescentando que «A Maia tem ainda dinâmicas por descobrir e setores económicos que devem ser impulsionados, como é o exemplo do turismo, podendo a este nível destacar-se por uma oferta inovadora, que não se centre na Maia, mas que faça do nosso concelho um ponto de partida para uma oferta distintiva», acrescentando que «a aposta numa Maia inovadora e estratégica, em setores chaves da economia, reforçará positivamente outros setores onde o concelho assume algumas marcas distintivas, como o são, por exemplo, o desporto e a cultura», diz. Oposição credível Para o PS «o momento social

atual deve também merecer uma atenção especial», pelo que «o poder local deve ser corresponsável na procura das respostas que as sociedades modernas exigem», com especial relevo para a economia social, sendo «urgente que o município da Maia promova políticas que procurem dar resposta aos problemas que se generalizam nas famílias e nas empresas», devdno «continuar a defender a revisão do pacote fiscal municipal e a aplicação de impostos com uma base mais justa no contexto da região», sendo que para isso «é imprescindível que o PS mantenha, ao longo destes próximos quatro anos, uma postura de oposição credível e independente, não assumindo atos de gestão partilhada que comprometam a atuação futura do partido no concelho», dizem. A terminar Marco Martins diz ter «um projeto ambicioso, porque tem como objetivo afirmar uma alternativa política para a Maia. Um projeto que vai trabalhar para a Maia, mas que pensa e apresenta já um olhar estratégico para o concelho, o que nos permite encarar, desde já, o exterior com uma mensagem de forte união, de um PS estruturado e com capacidades agregadoras que assumam um papel catalisador na sociedade e afirmem o contexto de mudança que a Maia irá viver», terminou. Na reunião da CPC foram eleitos a Mesa da Comissão Política e o Secretariado Concelhio para o mandato 2014/2017. A composição destes órgãos é a seguinte: Mesa da CPC Presid.: M.Manuela Oliveira 1.º Secretário: Vítor Mota 2.º Sec.: Cristiana Carvalho Secretariado Concelhio Marco Martins Jorge Ferreira Catarino Sandra Lameiras Pedro Martins António Oliveira Carla Dias António Teixeira Rui Magalhães Soraia Teixeira João Monteiro Pedro Soares João Magalhães Torres

Orlando Leal

Adeus a um português extraordinário… Há dias recebi pela comunicação social a notícia do falecimento de um português extraordinário, alguém que se destacou como nenhum outro na sua área de atividade, respeitado pelos seus pares e com um reconhecimento público a nível nacional. Não lhe reconhecia talento extraordinário na prática do futebol ou de outra prática desportiva mas na sua área específica da medicina era absolutamente extraordinário e estava, indo buscar a sua costela maiata, à frente do seu tempo… Falo pois do Professor Albino Aroso, considerado o pai do Planeamento Familiar, desde que em 1967 participou para a fundação da Associação para o Planeamento Familiar e em 1969 ter mesmo aberto a primeira consulta pública gratuita desse mesmo planeamento tendo mais tarde, em 1976, enquanto secretário de Estado da Saúde do VI Governo Provisório (a sua primeira passagem por um governo, tendo incluído ainda o XI governo) o autor da Lei do Planeamento Familiar. Nos tempos que precederam o 25 de Abril de 1974 já receitava a pílula quando a contracepção era ainda proibida e depois dessa data responsável ainda pela aplicação dos primeiros dispositivos intrauterinos no país. Por toda esta atividade e determinação foi incluído em 2005 pela Associação médica Mundial como um dos clínicos mais dedicados do Mundo, para além de ter ajudado a passar a taxa de mortalidade infantil portuguesa de uma das mais elevadas de há 30 anos para uma das mais baixas na atualidade. Médico do Hospital Geral de Santo António, onde chegou a ser Presidente do Concelho de Administração e Professor Jubilado do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar só deixou de ver doentes aos 82 anos. Tive o prazer de conhecer este nome ímpar na história da saúde em Portugal aquando da organização de um debate sobre a despenalização do Aborto há cerca de 10 anos. Decidimos convidar um conjunto de oradores que considerávamos serem os melhores para a realização de uma sessão esclarecedora. O Nome de Albino Aroso surgiu logo como alguém a convidar, sendo que poucos na altura acreditariam que ele se disponibilizasse a estar presente, pois era um pequeno debate organizado por um grupo de jovens numa pequena freguesia. Mas independentemente disso decidimos avançar com o convite e de uma forma simples fomos à lista telefónica, procuramos o nome e ligamos para a sua casa. Depois de uma primeira conversa fomos lá pessoalmente para lhe fazer o convite que tinha já sido aceite. A sessão foi um verdadeiro sucesso, nos dias anteriores, e mesmo durante a tarde da conferência recebemos chamadas a perguntar se se confirmaria mesmo a presença do convidado principal, quase como se desconfiassem que tal personalidade se dispusesse a estar presente num evento de dimensão tão pequena, mas obviamente que esteve presente e contribuiu de forma decisiva para uma sessão esclarecedora e bem participada, onde me pude aperceber da dimensão humana do Homem acima da média que nunca perdeu a sua simplicidade, o que o faz ainda maior… Fica aqui a minha respeitosa lembrança e sentida homenagem a alguém que apesar de não ter tido tanto destaque mediático quanto outros na hora de partir deu certamente um contributo mais importante para a transformação do país que éramos na década de 60 do século passado para o país que somos hoje…


04

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Sociedade

\\ Ângulo Recto António Neto

O Discurso e a vida!... Acordamos no novo ano e ficamos, imediatamente, estarrecidos com discursos obsoletos, a cheirar aos tempos das verdades e ordens absolutas… Quem teve paciência para escutar aquele que não respeitou Salgueiro Maia, ignorou o Prémio Nobel da Literatura Saramago, “pagou” para liquidar as pescas, destruir a agricultura e desmantelar a indústria, mas que não esqueceu de atribuir uma medalha a quem dá uns chutos na bola, pagos com muitos milhares que escasseiam a outros tantos milhares, só pode interrogar-se como é possível ignorar a realidade e tratar os portugueses como seres menores. O perigo está neste poder esgotado de ideias, que se baseia numa realidade que não existe e numa concepção totalitária de que não há alternativas e nem sequer alternância, mas um único caminho e uma única saída! Que triste e perigosa tentativa de começar o ano novo com um discurso bafiento de imposição a todo o País de receitas falhadas e soluções que apenas o empobrecem. Foi um vazio, típico das conhecidas “conversas em família”, natural a quem não tem uma única ideia para Portugal a não ser sustentar uma política condenada nas ruas no ano de 2013. Quem tinha expectativas naqueles que representam uma parte contra uma maioria mais uma vez caiu em si e desfez a sua ténue ilusão. É nestes momentos que nos vêm à memória acontecimentos históricos e realidades que nos estimulam… A evocação da fuga de Peniche, de 3 de Janeiro de 1960, de Álvaro Cunhal e de outros resistentes das tenebrosas cadeias fascistas só nos dá alento e coragem para continuar a luta. A coragem e a resistência, em tempos difíceis da nossa história, devem ser fonte de esperança, mas também locomotiva para defendermos a liberdade e a democracia contra o pensamento único, que essa figurinha abstrata que se dá pelo nome de “mercado”, mas cujos rostos conhecemos, pretende sujeitar Portugal, empurrando os portugueses para a pobreza e caridadezinha, tão ao seu jeito. Uma realidade que pretende, inclusive, colocar pessoas a receber RSI e subsídio de desemprego a prestar trabalho gratuito, trabalho a ser pago por todos nós, em muitas Instituições. Se há trabalho coloquem-nos com um contrato de trabalho, devidamente remunerado e deixem de usar o designado “trabalho socialmente necessário” como uma forma encapotada de terem colaboradores de graça e sujeitos a muitas humilhações. Neste turbilhão de mentiras não deixo de ter presente uma citação de Fidel de Castro referida por Ignácio Ramonet “O problema não está nas mentiras que os meios dominantes dizem. Isto não podemos impedir. O que devemos pensar hoje é como nós dizemos e difundimos a verdade.” ANTÓNIO NETO Técnico Superior Acção Jurídica/Formador (Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico)

ENTREVISTA

maiahoje

Mário Nuno Neves, vereador independente faz análise da situação política actual

«A Maia e o seu futuro não podem estar dependentes do aparelhismo partidário nem de sindicatos de voto» Neste início de ano entrevistamos o Vereador Mário Nuno Neves, com o objectivo de recolhermos as suas impressões sobre os últimos resultados autárquicos, o presente mandato e o futuro político da Maia, numa análise generalista da situação política actual.

mitiram ao PS, que foi estrondosamente derrotado nas urnas, obter posições de poder que não correspondem à vontade popular. Penso que esse facto foi um erro político que esta maioria, muito provavelmente, vai pagar caro lá para fim do presente mandato.

gados independentes – muitos deles oriundos do PSD, que foi partido que mais “independentes” municiou – e nunca com o PS. Em política é sempre conveniente pensar com frieza e pelo menos a médio prazo. Espero, sinceramente, estar enganado.

«eleitores penalizaram a candidatura sem sentido do Partido Socialista»

MH - Mas porque pensa que isso aconteceu? MNN - Julgo que houve alguma precipitação e muita decisão a quente. Eu teria optado por acordos com os ale-

MH - Como perspectiva o presente mandato, sobretudo para a Câmara Municipal e para a Maioria PSD/CDS/PP? MNN - Perspectivo que vai ser um mandato interessantíssimo por várias razões. É um mandato de fim de ciclo, atendendo ao facto do Eng. Bragança Fernandes não poder, por força da Lei da Limitação dos Mandatos – um aborto jurídico, diga-se – recandidatar-se a Presidente da Câmara Municipal. Ao ser um mandato de fim de ciclo tem que ser, em simultâneo, um mandato de equação e de formatação do próximo ciclo, facto que esta Maioria, se pretender continuar a ser “poder” no Concelho, n ã o

MaiaHoje - Que leitura faz dos últimos resultados eleitorais? Mário Nuno Neves Faço uma leitura muito positiva. Os Munícipes Maiatos souberam, mais uma vez, fazer a escolha mais acertada, renovando a maioria absoluta do Eng. Bragança Fernandes que, note-se, venceu em todas as mesas de voto do Concelho da Maia e penalizaram a candidatura sem sentido do Partido Socialista. Uma análise cuidada desses mesmos resultados faz-nos concluir a todos que se abstenção penalizou um pouco a actual maioria, a rejeição inequívoca e objectiva foi para o PS que perdeu muitos e muitos votos totalmente capitalizados pela CDU que conseguiu, assim, eleger uma Vereadora para o Executivo Municipal. No entanto considero que esses mesmos resultados acabaram por ser desvirtuados em alguns casos, ao nível das Freguesias, já que muitas das negociações pós-eleitorais per-

«muitas das negociações póseleitorais permitiram ao PS, que foi estrondosamente derrotado nas urnas, obter posições que não correspondem à vontade popular». pode perder de vista e não se perder na discussão do acessório e descurando o essencial que é a criação de condições objectivas para a manutenção do Poder nas Eleições Autárquicas de 2017. MH - Numa entrevista que lhe fizemos há dois anos, aproximadamente, afirmou que dos actuais protagonistas políticos só reconhecia ao Eng. Domingos Tiago legitimidade para suceder ao Eng. Bragança Fernandes na presidência da Câmara Municipal. Continua a ter a mesma opinião? MNN - Claro que sim e por razões objectivas. O Eng. Domingos Tiago tem uma enorme experiência autárquica, conhece muito bem a instituição Câmara Municipal e o Concelho, tem obra feita no âmbito d a s


maiahoje

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

responsabilidades que lhe foram atribuídas e julgo que é portador de uma visão que eu considero adequada para o futuro da Maia, que tem que assentar na continuidade mas também em algumas rupturas. MH - Tendo em conta essa sua opinião que leitura faz do facto do Eng. Domingos Tiago ter sido eleito Presidente da Comissão Política do PSD? MNN - Julgo que o Eng. Tiago fez muito bem em se ter candidatado a essas funções, já que lhe permite ter uma vivência partidária muito mais activa. MH - Olhando para a composição da actual Comissão Política do PSD dá sensação de ser uma espécie de plataforma para várias tendências sociais-democratas, uma espécie de ”pole position” para o próximo “ciclo”. Que leitura é que faz desse facto? MNN - Eu não vejo as coisas assim. Penso que os actuais membros da Comissão Política do PSD quiseram, antes de tudo o mais, manifestar a sua solidariedade com o Eng. Tiago e ajudá-lo a construir as bases políticas em que assentará o próximo ciclo político que se iniciará, do ponto de vista autárquico, em 2017. Se assim não for, se a solidariedade dos ditos membros com

\\ Opinião Armindo Moutinho

Porque a covardia, a mentira e a hipocrisia não têm rosto:

À DESCOBERTA DE UM ROSTO Por vezes surgem boatos tão estranhos que deixam muita gente a pensar e a questionar-se, porquê. É do conhecimento público que corre por aí uma tentativa de difamação, tendo como alvo uma Instituição ou os seus anteriores representantes, talvez seja esta a principal razão, o que me deixa surpreendido e boquiaberto até. Porquê? Com a agregação das freguesias houve os naturais procedimentos, da passagem de testemunho, de entrega do espólio documental e financeiro, ao executivo do Castêlo, exclusivamente, às cinco pessoas do executivo. Portanto só eles conhecem toda a verdade, verdade essa, que pode ser publicamente divulgada e que agora, mais do que nunca, deve ser divulgada e confirmada, por aqueles que a conhecem. Agora vou fazê-lo eu e depois, pode e deve ser, confirmada ou contes-

o actual Presidente da Comissão Política do PSD não for real e apenas resultar de uma vulgar táctica isso além de ser pouco ético é um perigo enorme para o próprio PSD que não se pode dar o luxo de lutas intestinas, bem pelo contrário, tem que perceber que esta é hora de cerrar fileiras e preparar o futuro. Mas julgo, no entanto, que ainda é muito cedo e que muita água vai passar sob as pontes. Por outro lado, o Eng. Bragança Fernandes, atendendo não só ao facto de ser o Presidente da Câmara Municipal mas também aos prestígio que tem, será – tenho a certeza – um elemento essencial de apoio ao Eng. Tiago, facto absolutamente natural e c0om todo o sentido. MH - E quanto a si, que expectativas tem para o presente mandato e para o futuro? MNN - Eu para o presente mandato não tenho expectativas, tenho certezas: desempenhar o melhor que souber e puder as responsabilidades, que em sede de Executivo, me estão atribuídas, ou seja, fazer mais do mesmo: trabalhar. Para o futuro estarei muito atento porque não gostaria nada de ver, a partir de 2017, a Câmara Municipal da Maia entregue a pessoas que eu não reconheço nem mérito nem competência. Quero ir para casa descansado, tada, por aqueles, os únicos, que conhecem e têm os documentos na sua posse. Mas então, qual é o boato que corre? Diz-se por aí que a junta de freguesia de Barca, organizava muitas actividades, o pior foi o buraco financeiro que deixou e que até com os funcionários estava em dívida. Mas porque é que isto acontece? Se estivesse a decorrer alguma campanha eleitoral, período em que, para muitos, vale tudo e por isso não olham a meios para atingir os fins, até poderia ter o atrevimento de tentar deduzir, de onde poderia vir esta difamação, como aconteceu durante a campanha, quando constou que o presidente da junta de Barca não deixava as pessoas acender cera no cemitério, mas agora, como não estamos em período eleitoral, não me parece que haja aqui razão para tal. Também não acredito que esta calúnia, sirva para estimular ou minimizar, uma ou outra frustração, individual ou colectiva, que possam ainda existir por aí, que por qualquer razão ainda não tenha sido digerida, também não parece que haja aqui razão que justifique esta difamação. É lamentável que estas mentiras andem por aí, de onde vêm? e porquê? eu não sei, mas alguém sabe. Já levei esta informação à primeira Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia do Castêlo, mas porque esta assembleia, embora bastante participada, serve para comunicar basicamente na freguesia, decidi trazer a in-

Sociedade consciente do serviço que prestei e com o facto de a Câmara Municipal não ficar nas mãos de quem não deve. É por isso que fiquei muito satisfeito com esta candidatura do Eng. Tiago à Comissão Política do PSD e com o amplo apoio que recebeu por parte dos seus companheiros que nele votaram e que com ele integram a lista e do reconhecimento político que efectivamente corporiza a melhor solução para o futuro da Maia e para suceder ao actual Presidente da Câmara, o que não será fácil já que o Eng. Bragança Fernandes é um grande autarca. MH - Mas se o futuro ditar uma solução que não seja do seu agrado? MNN - O meu agrado ou desagrado não é centrado em pessoas. Ou seja não é o facto de eu gostar ou não gostar de fulano ou sicrano que conta para alguma coisa. O que eu preciso é de sentir que quem se apresentar a votos tem condições objectivas não só de ganhar as eleições mas também de ser portador de um projecto político consistente para a Maia. Se tal não acontecer – e eu sinceramente quero que aconteça – terei que tomar, no tempo certo, algumas decisões. MH - E que decisões serão essas? formação para a comunicação social local, para que todos conheçam a verdade porque o boato já está a correr todo o concelho. A passagem de testemunho da freguesia de Barca foi feita sem um único cêntimo de compromisso para a nova freguesia, com os salários do mês de Outubro pagos aos funcionários, com os proporcionais do 13º mês, pagos até ao fim de Outubro e entregou, sem um único cêntimo de compromisso, o saldo de 1.375,56 euros. Fica a informação de que a freguesia de Barca era representada, no executivo, por três pessoas idóneas, responsáveis e sérias, que jamais admitiriam representar uma Instituição, sem proceder para que ela fosse uma pessoa de bem, cumpridora dos seus deveres e obrigações. São pessoas de carácter inatacável que andam nestas lides para cumprir as suas obrigações responsavelmente, e não para aceitar ou concordar com tudo aquilo que ouvem ou lhes dizem, dizendo AMEN com um aceno de cabeça. Para provar a sua integridade de carácter, estas pessoas estão disponíveis para saldar todas as dívidas a Instituições ou funcionários, e que a freguesia de Barca não cumpriu, se for pública e documentalmente provado, claro que à data da passagem de testemunho, sem que estas liquidações tragam qualquer encargo para a nova freguesia. Tudo o que estiver relacionado com a freguesia de Barca pode ser publicamente divulgado e com toda a transparência, porque aí nada é opaco, assim

MNN - Isso dependerá muito das circunstâncias e da avaliação que eu fizer das mesmas. Posso não ter condições objectivas – e não tenho – para me candidatar à Câmara Municipal mas se a solução que esta actual Maioria apresentar for por mim considerada como um suicídio político capaz de por em causa o bom trabalho de anos e anos, obra que eu próprio participei activamente (no final do próximo mandato contarei vinte anos de serviço público, no exercício das presentes funções), então todas as minhas capacidades e conhecimentos que eventualmente tenha serão, por mim, usados para que isso não aconteça. Ao longo da minha carreira política construi mais pontes do que fechei portas, facto que poderá ser muito útil para a consolidação de uma solução credível, sustentada e abrangente para o futuro da nossa Terra. A Maia e o seu futuro não podem estar dependentes do aparelhismo partidário nem de sindicatos de votos. Mas como já disse é ainda cedo para pensar nisso e na verdade eu deposito muitas esperanças nas capacidades do Eng. Tiago e acredito seriamente que todo o PSD da Maia comigo concorda e isso significará que a actual Maioria tem à sua disposição uma solução sólida para a manutenção do poder. como, desafio o mentiroso e hipócrita, ou no plural, a vir publicamente, mostrar essa mancha enorme de mentira que, seguramente, deve estar estampada no rosto. Considero mentiroso aquele que não diz a verdade e hipócrita aquele que atira a pedra e esconde a mão. Todos sabemos que a covardia, a mentira e a hipocrisia não têm rosto, mas seria bom que este personagem, se não tiver coragem de mostrar a cara, mostre pelo menos a mão, pode ser que lá esteja a marca da pedra, pelo menos ficamos a saber quem a atirou. Pode até ser um corpo com braços e sem rosto. Não sabemos. Depois de tudo isto dito, qualquer pessoa tem autoridade moral para chamar mentiroso, com todas as letras, a quem lhe disser que a freguesia de Barca deixou um buraco financeiro e devia dinheiro aos funcionários. Aguardo alguma reacção, informação ou denúncia, esperando sinceramente, não vir a ser informado, e surpreendido, de que se trata de um qualquer personagem, que faça parte de algum processo de governação local, isso seria, escandalosamente vergonhoso, qualquer pessoa saber que está a ser governado por um qualquer mentiroso. Armindo Moutinho Ex-presidente da Junta de Barca Membro da assembleia de freguesia do Castêlo da Maia

05

\\ Opinião Ricardo Oliveira

SOS estatístico!!! Portugal tem-se destacado nos números estatísticos na saúde por uma excelência que tem sido reconhecida em organizações importantes como a Organização Mundial de Saúde (O.M.S.). Muitos destes números foram conseguidos à custa de verdadeiros visionários da Saúde Pública Nacional como o Sr. Professor Doutor Constantino Sakellarides, ou entre uma vasta equipa de médicos com enorme competência. Mas também à custa de outras personalidades igualmente distintas como o “nosso” maiato Dr. Albino Aroso, que vimos partir recentemente. Devido ao aproveitamento do seu conhecimento, da sua capacidade visionária, do seu amor à profissão e sobretudo por um patriotismo que lhes permitiu investir nos portugueses acreditando que eles mereciam esse investimento, e, mais, acreditando que era possível ter dignidade na saúde, mas também na doença, foi-lhes conseguido revolucionar completamente os cuidados primários, secundários, mas sobretudo em áreas até então desprezadas como a prevenção primordial e a prevenção primária. Com as suas intervenções foi possível a Portugal alcançar lugares de luxo nos países da OCDE quanto à mortalidade infantil, que por si só revela o estado de desenvolvimento (sobretudo social, mas não só) de um país. Esta semana foi disponibilizado um documento pela Direcção Geral de Saúde com dados verdadeiramente preocupantes. Se em 2009 tínhamos dados orgulhosamente na “linha da frente” do desenvolvimento, a verdade é que tudo se inverteu rapidamente. Se não vejamos, a taxa de natalidade caiu de 9.4 para uns preocupantes 8.5. Em contrapartida, apesar de em linha com o verificado em 2009, a verdade é que depois de um bom desempenho estatístico em 2010, desde então as taxas de Mortalidade infantil, a taxa de moralidade Perinatal e a taxa de Mortalidade Fetal Tardia tem vindo a aumentar, estando já ao nível do que já verificava em 2009. Ora tendo sido o pais submetido a um resgate, pode haver muitas e diversas conclusões. No entanto, pessoalmente, a conclusão é simples: por mais habilidosa que seja a politica, por melhor que seja o argumento que se encontre, por mais engenharia que se invente, a verdade é que os números não mentem,,, e estes em particular denotam que neste capitulo, sem investimento, sem os cuidados necessários, a qualidade diminui efectivamente. A prova está que actualmente nasce menos gente, e morrem mais crianças. Adicionalmente, com estes dados de natalidade, associada a uma taxa de emigração jovem (quase toda muito diferenciada) muito elevada, estamos a assistir uma inversão perigosamente consistente da pirâmide etária. Ou seja, o país está a desaparecer… Já que a nossa classe politica utiliza estatísticas externas para tanta coisa, esperemos que consigam usar o seu próprio trabalho de casa para acudir a este verdadeiro SOS estatístico. Ricardo Filipe Oliveira Médico Mestre Eng. Biomédica (FEUP) Lic. Neurofisiologia (UP) Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.


06

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Sociedade \\ Opinião Joaquim Jorge

PS

Freguesia Cidade da Maia

Zoo suscita «dúvidas operacionais e jurídicas»

O Panteão e Eusébio O Panteão Nacional abriga os heróis da História de Portugal, tais como D. Nuno Álvares Pereira, Infante D. Henrique, Pedro Álvares Cabral ou Afonso de Albuquerque. As personalidades que estão sepultadas actualmente são os escritores: Almeida Garrett, Aquilino Ribeiro, Guerra Junqueiro, João de Deus. Os presidentes da República: Manuel de Arriaga, Óscar Carmona, Sidónio Pais e Teófilo Braga. Excepcionalmente encontra-se Humberto Delgado, o general sem medo e opositor ao Estado Novo e a fadista Amália Rodrigues. O Panteão Nacional acolhe os túmulos de grandes vultos da história portuguesa. Porém eu gostava de saber qual o critério de escolha? Por exemplo, Aquilino Ribeiro era acusado de terrorista por alegado envolvimento no regicídio de 1908. Por outro lado estou de acordo com Filomena Mónica, não compreendo porque Eça de Queiroz não está no Panteão. Seria importante definir-se um fio condutor na forma como se acolhe grandes vultos e heróis da nossa História. Eusébio foi um enorme jogador e um grande homem mas acho um exagero colocá-lo no Panteão Nacional. Se o fizerem, outras figuras também merecem estar lá e porventura outras deveriam sair. Não se pode ir para o Panteão só porque se foi presidente da República. O critério de escolha não pode ser feito só porque alguém se lembrou e o disse e, depois de forma emocional e por impulso faze-lo. Eusébio é um vulto do desporto nacional e internacional, o seu Panteão é a sua imortalidade pelas suas arrancadas estonteantes, os seus livres, as suas jogadas de partir os rins aos adversários, a sua arte e magia no jogo. O resto acho um exagero. Que me desculpe o Eusébio que tanto gostava e o admirava. Do mesmo modo acho que a Amália Rodrigues não deveria estar lá. Há tantos portugueses que não gostam de fado e é a nossa má sina. Joaquim Jorge Biólogo, fundador do Clube dos Pensadores

maiahoje

A Comissão Política Concelhia do PS Maia, através do seu presidente, Marco Martins, sabendo que com os votos contra de toda a oposição foram reprovadas as propostas de Grandes Opções de Plano e Orçamento do Executivo da Junta de Fre-

BE

guesia da Maia, considera que «tal decisão é suportada pelo facto das propostas apresentarem uma ausência total de ideias e projetos para o futuro e no facto do executivo da Junta de Freguesia descurar a necessidade e continuidade de projetos

estruturantes para o exercício do mandato». O PS considera ainda que «o atual quadro político da freguesia exigia da parte do executivo um trabalho acrescido de diálogo e de entendimento na elaboração deste documento», acrescentando que «a inserção neste Orçamento das Receitas e Despesas do Zoo, sem que a Cooperativa criada para autonomização da gestão do mesmo tenha sido dissolvida, parece-nos precipitada, suscitando-nos dúvidas operacionais e jurídicas», alegam. Por outro lado, o grupo do PS na Assembleia de Freguesia da Cidade

da Maia apresentou uma proposta para a criação de uma Comissão Multipartidária com a finalidade de fiscalizar e apurar os contornos da intervenção da Junta de Freguesia na COOPERZOO considerando que «as consequências políticas e/ou jurídicas do atual contexto de interceção institucional entre a Junta de Freguesia da Cidade da Maia e da COOPERZOO devem ser esclarecidos a bem da transparência e da responsabilização dos executores, sendo que esta Comissão apresentará as conclusões do seu trabalho no prazo de 45 dias», dizem.

Cidade da Maia

Maioria não cumpre promessas eleitorais

O Bloco de Esquerda (BE) da freguesia Cidade da Maia, sobre o Plano e Orçamento 2014 da Junta de freguesia diz que este é «o espelho da vontade e das

opções estratégicas do executivo para a (agora) freguesia da Cidade da Maia que, em seu entender, pela sua dimensão, deveria ser muito mais audacioso e estruturado, pensando o futuro, e não um documento reduzido a pouco mais que a gestão das despesas correntes», acusam. Para os esquerdistas «a maioria PSD/CDS assumiu a responsabilidade política de apresentar o seu orçamento, sem que, previamente, tivesse esboçado qualquer vontade de o debater com as outras forças políticas, sendo assim responsável pelo resultado da votação», justificam. Sobre o orçamento em si para o

BE «não se justifica que não contemple, de modo significativo, fatores e aspetos que, para nós, são fundamentais e prioritários como por exemplo os apoios sociais», reforçando que «a junta fala da “requalificação da habitação social do sobreiro” onde não tem responsabilidade financeira, referindo as obras de ampliação do cemitério de Gueifães, e o aproveitamento do espaço da antiga extensão de saúde de Vermoim, para ampliar a capela mortuária de Vermoim». Por outro lado, não sendo propriamente uma questão orçamental, a alusão ao 14 de outubro de 2014, comemoração dos 1000 anos sobre a outorga do “Testamento Sunillanes”, que segundo dizem contém a 1ª referência escrita à Vila Vermudi e, por consequência, à Freguesia de Vermoim, para os bloquistas dá-lhes aso

CASOS DE POLÍCIA

Detidos por roubos em residências A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, identificou e deteve três homens, fortemente indiciados pela prática de, pelo menos, três crimes de roubo em residências com utilização de armas de fogo, designadamente espingardas caçadeiras e pistolas. Os factos ocorreram entre Abril e Setembro deste ano, em casas situadas nas áreas de Barcelos, Maia e Aveiro, onde os arguidos se apoder-

aram de dinheiro, obras de arte e objectos em ouro e prata, no valor de centenas de milhares de euros. Os detidos, dois dos quais com antecedentes criminais por delitos da mesma natureza, faziam parte de uma associação criminosa que começou a ser desmantelada em Setembro do ano passado, quando foram detidos outros três membros deste grupo de assaltantes à mão armada.

Os detidos, com idades compreendidas entre os 30 e os 34 anos, operários da construção civil, vão ser presentes à autoridade judiciária competente para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

a uma pergunta «sendo tão importante como referem, marco de uma identidade milenar, porque votaram favoravelmente a extinção da freguesia de Vermoim as forças políticas representadas no executivo», questionam. O BE diz ser ainda «mais estranho o orçamento não conter, nem ter em conta, promessas eleitorais da coligação durante a campanha», acrescentando que «outro pormenor, relevante, é a verba irrisória atribuída pela câmara à freguesia, que não corresponde à importância e dimensão da mesma». Francisco Silva, deputado do BE e autor desta intervenção justificou assim que «seria possível fazer diferente e melhor. Por isso, não podemos dar o nosso acordo a este orçamento», terminou.


maiahoje

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

\\ Opinião Nélson Ferraz

HISTÓRIA

Sociedade Um dos primeiros transformadores eléctricos em Portugal

\\ No fio da Pena

Antigo transformador é Monumento

o caquinhas

talvez ninguém passe incólume por este esterco social onde não há absolutamente nada que nos garanta que depois destas experiências destrutivas sobre as classes mais expostas e mais fáceis de assaltar alguma coisa venha a mudar nestas paragens desgovernadas. [o caquinhas. esta criatura movimenta-se a seu belo prazer por entre as enxurradas de banditismo as tempestades de corrupção e os atropelos à dignidade sem sofrer um único arranhão. o caquinhas sabe perfeitamente que não sabe rigorosamente nada sobre todos os sacrifícios que uma grande parte deste povo continua a carregar à custa das machadadas indiscriminadas que estes políticos analfabrutos continuam a desferir sem qualquer pudor ou projecto sério. o caquinhas é ministro o caquinhas é economista o caquinhas é comentador o caquinhas é o máximo para todos os anormais que por aqui pululam de vaidade ignorante.]

Depois de 48 anos de bons serviços, este Transformador Monofásico, um dos primeiros transformadores elétricos em funcionamento em Portugal, foi colocado num espaço público e está agora em exposição na rotunda da rua do Santo Condestável, na Maia. A história desta verdadeira máquina com 91 toneladas de peso

e cerca de seis metros e meio de altura é simples: depois da Câmara Municipal da Maia ter sugerido uma melhoria da integração da Subestação de Vermoim no espaço urbano, a REN aceitou a sugestão e concebeu o agora “monumento” baseado numa primeira proposta elaborada pelo serviço de arquitetura da Câmara.

Quem por ali passa tem agora um espaço urbano mais rico e pode saber mais sobre este Transformador produzido pela “Compagnia Generale di Elettricità” na década de cinquenta do séc. XX, desativado em 2007. Fotos Luís Filipe Azevedo

ninguém passará incólume por este amontoado de experiências feitas por dementes autorizados. uns (uma grande parte) ficarão irremediavelmente perdidos entre gerações desfeitas outros navegarão as suas esperanças pela luta inesperada por uma sobrevivência tornada urgente. [o caquinhas. a excepção. ninguém lhe liga puto mas ele lá continua a debitar postas de robalo nas faladuras e atitudes engravatadas de programas que não levam a nenhum lado positivo mas que procuram amedrontar a plebe ao mesmo tempo que a encorajam a sacrificar-se de peito aberto em nome de deuses habituados a ganhar com o mal dos outros. o caquinhas. barra nas contas a seu favor e avaliador em baixa da nossa possibilidade de alegria. fuinha improvável deste nosso tempo de baixezas. personagem hermafrodita com milhares de mãos um coração entre as pernas e de pés cimentados em tachos pagos por todos nós. o caquinhas é um sujeito esperto sem inteligência é inútil e está bizarramente na moda.] ninguém passará incólume por esta feira de políticas e de políticos miseráveis. espera-se que ao caquinhas o destino lhe reserve algo de suficientemente negativo e que faça justiça ao seu nome.

A Delegação da Ordem dos Advogados da Comarca da Maia e a Associação Jurídica da Maia, convidam V. Exa. a estar presente na Conferência sobre o tema -"O Novo Regime das Execuções", na próxima quinta-feira, dia 23 de Janeiro de 2014, com início às 18,30 horas, no Auditório do ISMAI. Orador: Dr. Orlando Rebelo (Juiz de Direito)

A entrada é livre e não requer inscrição. A Presidente da Delegação da Maia. Regina Serra, Dra.

07

Pedro Ferreira*

Nos últimos números tenho vindo a tratar sobre a informação e como a entronização de determinados registos, usados sobretudo pelo poder político e tornados linguagem comum pela comunicação social, age paulatinamente sobre a nossa percepção da realidade política e social. Esta dimensão da criação do discurso público acontece pela “facilidade com que a comunicação social absorve a linguagem do poder e a reproduz como sendo sua, assim legitimando-a porque lhe dá um sujeito neutro, tornando-a uma verdade universal”, como ainda recentemente escreveu Pacheco Pereira. Acrescente-se um aspecto, em minha opinião central para a dinâmica deste fenómeno, que se prende com a presença de inúmeros comentadores políticos nos principais órgãos de comunicação social, quase todos antigos políticos ligados aos partidos do poder, aos quais é concedido tempo de antena para justificarem opções políticas, perorarem sobre falta de alternativas e, como referi há duas semanas, embrulharem o discurso político para melhor o servirem. Referi diversos exemplos e poderia ainda acrescentar dois: o modo como a extinção das freguesias foi realizado pelo Governo – ainda hoje usam palavras como agregação ou junção quando, em termos práticos, se tratou efectivamente de um processo de extinção, bastando consultar a Constituição da República, nomeadamente os artigos 244.º a 247.º para percebermos que não é possível falar em freguesias quando estas deixaram pura e simplesmente de deter os seus órgãos representativos – e os libelos lançados contra o Tribunal Constitucional, acusado de ser uma força de bloqueio precisamente por cumprir com as suas obrigações, isto é, fazer cumprir a lei. A História está repleta de tentativas de manipulação da opinião pública por parte do poder político, alguns tristemente célebres como a Guerra Hispano-Americana em 1898 ou, mais recentemente, as Armas de Destruição Maciça do Iraque. Mas creio que é possível olhar isto pelo lado positivo: a simples necessidade do poder em fazer uso destas estratégias é consequência da vivermos numa sociedade democrática, com liberdade de expressão, sindicatos independentes, eleições livres e oposições organizadas e interventivas. Digamos que é no problema que está também a raíz da solução. E a solução está em nós todos, na nossa capacidade de não nos alhearmos da realidade, sobretudo quando a vontade é maior, ora porque as notícias são todas más, ora porque não há solução, ora por qualquer outro dos argumentos que muitas vezes ouvimos e dizemos, argumentos esses tão úteis para o poder político. A democracia está nas nossas mãos.


08

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Sociedade

maiahoje pub

\\ Opinião Joaquim Armindo

GASTRONOMIA

“Pratos Que Falam”

Ensopado de Raia com Tomate e Hortelã \\ Preparação

TEMPO E ESPAÇO O “tempo” e o “espaço” são duas grandezas físicas consumíveis nas nossas inteligências, das quais não sabemos sair, marcantes da nossa caminhada por estes vales, serras e rios. Tudo gira nas nossas soberanas cabeças à volta do “tempo” e “espaço”, que descobrimos, e até os factos mais imprescindíveis das nossas vidas são totalmente preenchidos pelos conceitos que percorrem as nossas veias, de possuir “tempo” e “espaço”. Se alguém um dia nos viesse perguntar porque estávamos agarrados a estas grandezas, e descobríssemos uma forma de evasão a elas poderíamos conceber essa situação evasiva? Certamente que os nossos conceitos de vida estão estruturados por este “ter-espaço-tempo” e não se enquadram num outro bem diferente: o ontológico Ser, ou melhor “Ser-Ser”, o verbo substantivado na sua forma infinita. Enquadramos o nosso viver, portanto, adentro das características, óbvias!, do verbo “Ter”, enfeudado a uma cultura sufocante e traumatizante, porque não nos deixará olhar o infinito, o Absoluto, o Interminável, a loucura da Liberdade, assente na sincronia entre o Viver- Amando. Quando observamos um tempo ou um espaço, colocamos balizas ao nosso entendimento sobre uma história e uma geografia, subjugadas a uma física louca por balizar o entendimento pela ciência e razão, sem vislumbre de que não existem razões absorventes e que a ciência não explica tudo. Assim, quando exteriorizamos pela razão o “espaço” pretendemos saber onde ele começa e acaba, o que é este planeta Terra, as suas galáxias e tudo aquilo que não sabemos mas está a acontecer. Da mesma forma, existe “tempo” que não sabemos onde começa e acaba. A menor partícula até hoje comprovada é milhões de vezes mais pequena que os protões, eletrões e neutrões que conhecemos – a partícula chamada de Deus -, mas esta é num tempo, porque virá aí outro tempo em que será composta por milhões de outras partículas ainda mais pequenas. A ciência ou a razão não explicam tudo o que queremos saber sobre nós próprios e, por isso, deambulamos na expressão infinita do TER, a um tempo preciso até uma morte irrecuperável. Se conseguíssemos guindar o nosso pensamento e, por minutos, tirássemos dos nossos conceitos o tempo e o espaço, porque fomos nós os seus inventores, talvez nos aparecessem caraterizadas, que não balizadas, um não-tempo e um não-espaço onde a ontologia dará vida à Vida, e ser ao Ser; então a morte seria recuperável, porque só existe, porque existe vida, não existe possibilidade do conceito da morte, sem vida. Joaquim Armindo Mestre em Gestão da Qualidade Diácono da Diocese do Porto pub

1. Num tacho, leve ao lume o azeite, a cebola, os alhos e o louro e deixe cozinhar bem, mexendo sempre e não deixando fritar. 2. Junte o tomate aos pedaços e tempere com flor de sal e pimenta. 3. Deixe apurar e aos poucos vá juntando o vinho. 4. Quando o tomate estiver meio desfeito junte a raia e a salsa picada. Retifique os temperos e adicione um pouco de água. Deixe apurar bem. 5. Polvilhe o ensopado com a restante salsa e com as folhas secas de hortelã, esmagadas grosseiramente. Sirva acompanhado de arroz branco.

\\ Ingredientes 1kg de Raia às postas 1 Cebola grande cortadas às Rodelas 3 Dentes de Alho laminados 1 Folha de louro Salsa picada q.b 2 Folhas secas de Hortelã 4 Tomates maduros Vinho Branco q.b. Flor de Sal Pimenta

PERGUNTA DO DIA Olá Ricardo. Gosto muito de legumes e cá em casa não há refeição que se faça sem eles. Contudo, sempre que vejo programas de culinária na TV fico com inveja dos legumes apresentados, sempre muito verdes e com as cores bem vivas. Quais são as dícas que me pode dar para que os legumes fiquem bem bonitos depois de cozidos? Susana Maia

Envie as suas questões culinárias para: pratosquefalam@gmail.com Blog “Pratos Que Falam” www.pratosquefalam.blogspot.pt

RESPOSTA: Olá Susana, Quanto ao uso dos legumes nas refeições quotidianas só a posso congratular, pois este grupo alimen-

tar é muito colocado de parte na alimentação dos portugueses. Quanto a dicas para manter os legumes com as cores vibrantes posso dizer-lhe o seguinte: 1. Para cozinhar folhas e verduras da cor verde, pode adicionar uma pitada de bicarbonato de sódio na água da cozedura, para manter a cor natural. 2. Assim que os legumes estiverem cozidos, transfira para uma tigela com água e gelo (esse choque térmico ajuda a manter a cor natural dos legumes). Espero ter ajudado. Cumprimentos e bons cozinhados Ricardo Tiago www.pratosquefalam.blogspot.pt


maiahoje

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Sociedade

09 pub

SOLIDARIEDADE Evento solidário não teve a adesão esperada

\\ Opinião

Musical «Hairspray» no Fórum da Maia

Mário Lopes

RADICALISMO

Na noite de 4 de Janeiro, as Expressões Artísticas da Escola Dramática e Musical de Milheirós Maia (EDMMM) subiram ao palco do Grande Auditório do Fórum da Maia para apresentar o musical Hairspray. A receita deste espectáculo reverteu para três instituições que a Escola quis desta forma homenagear: o IPO do Porto, a Raríssimas e a Criança Diferente. Apesar da causa, a adesão do público não atingiu os níveis esperados. Depois de ter conquistado Broadway e do sucesso nas salas de cinema em todo o mundo, o musical Hairspray chegou a Portugal numa versão, adaptada e encenada por Daniela Costa. As Expressões Artísticas da EDMMM, um conjunto de 24 jovens atores amadores, dão corpo a uma história que por mais que se assista não cansa o espectador. Este musical teve a sua estreia no dia 5 de julho do ano passado e por oito vezes subiu ao palco da Escola Dramática e Musical de Milheirós Maia. Esta comédia musical teve nos principais papéis Sara Ferreira, como Tracy Turnblad, e Ivo Salgado, como Link Larkin. Este par romântico dá pano de fundo a um famoso programa televisivo, marcado pelo racismo e pela luta a favor da integração social, e a uma sociedade fragmentada por padrões de corpo, comportamento e aspeto.

pub

Em épocas de crise como a que actualmente vivemos, torna-se comum proliferarem pensamentos extremistas por parte de algumas elites, cavalgando o descontentamento social, potenciando a revolta. Recorrendo a narrativas apocalípticas, usam todo o género de tácticas que visam, sobretudo, a utilização amplificada de um sentimento poderoso e inato no ser humano: o medo. Torna-se pertinente questionar quais os objectivos desta conduta, designadamente se se prendem com a pretensão da conquista do poder ou, por outro lado, se apelam à existência de um contexto de terra queimada que legitime o recurso a discursos radicais, mais quanto à forma do que quanto à substância, apenas para justificar a existência de quem os pratica. O sucesso da proliferação do radicalismo depende, em grande medida, do grau de aceitação que a sociedade lhe confere. No caso português, o grau é baixo e assim se tem mantido, mesmo em alturas mais agudas nas quais o desalento social é maior, contribuindo deste modo para a não concretização de previsões catastróficas no que ao nosso país diz respeito. Existem várias formas de radicalismo, umas mais inofensivas que outras. No entanto algumas não se enquadram nesta classificação nem têm a sua génese em movimentos de cariz radical, mas nas elites sociais ideologicamente mais ao centro no espectro político, sendo igualmente nocivas à estruturação social. Nelas enquadra-se o Sebastianismo, cujo enfoque se centra numa pessoa com poderes messiânicos que conseguirá - como por magia - alcançar metas dantes inatingíveis, mantendo a mesma forma organizacional, o que por si só torna a tarefa de concretização impossível, na minha opinião. Simultaneamente, a narrativa sebastiânica pressupõe a existência de uma inteligência superior às demais. Esta é uma das características de egocentrismos que, regra geral, conduzem à criação de regimes ditatoriais. Este texto constitui um alerta para todos aqueles que estão convencidos que a Democracia está totalmente imune a perigos e ensejos, designadamente de lobos disfarçados com pele de cordeiro. Mário Lopes Licenciado em Ciências Sociais (não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico).

pub


10

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Sociedade \\ Opinião Jorge Brandão

Dor neuropática VS dor nociceptiva Calcula-se que entre 1,5% a 7,7% da população sofra de dor neuropática, um tipo de dor crónica causada por uma lesão ou doença do sistema nervoso que, frequentemente, é descrita como uma sensações dolorosas tipo queimadura, formigueiro ou choque elétrico. A dor neuropática resulta de lesão das fibras nervosas, em que os impulsos dolorosos provêm das próprias estruturas neuronais e não das terminações nervosas estimuladas. Todavia, a dor é projetada para a região abrangida pelo referido nervo. A dor neuropática pode subdividir-se de acordo com a estrutura nervosa envolvida, por ex., um nervo periférico, raiz nervosa ou sistema nervoso central (espinal medula, cérebro). Não parece desempenhar qualquer função útil, sendo uma condição anómala, e é frequentemente difícil de diagnosticar e tratar. Existem vários tipos de dor crónica de origem neuropática, como a neuropatia diabética, a dor do membro fantasma, a nevralgia do trigémio ou a nevralgia pós-herpética. Uma percentagem significativa de doentes que sofre de lombalgia crónica ou dor oncológica apresenta, para além de uma componente nociceptiva, uma dor com uma componente neuropática. A dor causada pela presença de um estímulo doloroso em nociceptores denomina-se dor nociceptiva. A dor nociceptiva, na sua forma aguda, desempenha geralmente uma função biológica importante (preventiva), uma vez que alerta o organismo para o perigo iminente e informa-o da ocorrência da lesão ou dano tecidular. A dor somática subdivide-se em dor superficial (dor cutânea) que ocorre ao nível da pele ou membranas mucosas (por ex., pequenas feridas, queimaduras de primeiro grau) ou dor profunda, que tem origem ao nível dos músculos, ossos, articulações, ligamentos, tendões, vasos sanguíneos. A dor visceral provém das vísceras ou órgãos. Um exemplo deste tipo de dor é a dor abdominal ou torácica. Caracteriza-se por ser uma dor surda, difícil de localizar, que é frequentemente acompanhada de reações nervosas autonómicas. A dor visceral pode irradiar para as correspondentes regiões cutâneas de referência, sendo assim designada como “dor referida”. O tratamento atual da dor é em grande parte baseado na intensidade da dor. A fim de permitir uma abordagem mais orientada para a escolha do tratamento farmacológico, idealmente, os médicos deveriam identificar os mecanismos causais subjacentes aos sintomas específicos de cada paciente. No entanto, identificar esses mecanismos na prática é difícil, porque um mecanismo pode produzir sintomas diferentes e um sintoma pode ser produzido por diferentes mecanismos. Se sente uma dor persistente há mais de 3 meses, procure o seu médico de família ou especialista para o ajudar a controla-la. Se a dor não for adequadamente tratada pode afetar gravemente a sua qualidade de vida. Para mais informações pode consultar: http://www.pain-cme.net ou www.change-pain.com.pt Dr. Jorge Brandão Médico de Medicina Geral e Familiar Membro do Conselho de Administração da Fundação Grünenthal

maiahoje

FORMAÇÃO S. Pedro Fins

Curso Gratuito de Primeiros Socorros A Junta de Freguesia de S. Pedro Fins abriu o período de inscrições para a Unidade de Formação de Curta Duração em Técnicas de Socorrismo, formação gratuita de 25 horas, creditada pelo Catálogo Nacional de Qualificações.

A formação em causa conta com os seguintes conteúdos: Socorrismo, técnicas de socorrismo, Exame geral da vítima (sintomatologia), Plano de acção do socorrista, Choque, Asfixia, respiração artificial, Intoxicações, Traumatismos, Lesões (articulares,

musculares e ósseas), Queimaduras, Feridas e Hemorragias (pulsação, garrote). Promovido pela Junta de Freguesia de S. Pedro Fins, em colaboração com o Cindor - Centro de Formação, o curso tem início em Fevereiro e

decorrerá em horário laboral, duas vezes por semana, com sessões de três horas. A inscrição, presencial, é feita na Junta de Freguesia de S. Pedro Fins ou no Centro de Dia de S. Pedro Fins.

INFORMAÇÃO Queixas de consumidores

DECO desaconselha compras à empresa Luxo24 O portal na Internet continua ativo, mas a empresa Luxo24 foi, de acordo com a DECO, declarada insolvente. Nos últimos meses, recebeu um elevado número de reclamações sobre a empresa que vende produtos de relojoaria online, tendo denunciado o caso à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica. Incumprimento de prazos de entrega, bem como atrasos e irre-

gularidades nos reembolsos são as situações que mais afetam os consumidores que procuraram ajuda na DECO. A Luxo24 não cumpre a lei que determina o prazo máximo de 30 dias para reembolso em caso de indisponibilidade dos produtos e pressiona os consumidores a aceitarem créditos para futuras compras naquela empresa. A situação tenderá a agravar-se com o de-

senrolar do processo de insolvência, no qual a Luxo24 foi declarada insolvente. Apesar disso, o portal na Net da Luxo24 mantém-se operacional. Nos termos e condições do portal, consta agora uma outra empresa com sede na Alemanha como entidade vendedora. Dadas as condições contratuais abusivas em clara desconformidade com a lei e a conduta da empresa lesiva para

os interesses dos consumidores, a DECO desaconselha a celebração de qualquer contrato com a mesma. Para qualquer esclarecimento adicional pode dirigir-se à DECO, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - Delegação Regional do Norte, sita na Rua da Torrinha nº 228, H, 5º andar, 4050610 Porto, ou através do endereço: deco.norte@deco.pt.

EXPOSIÇÃO Sensibilizar os mais novos para os modos de vida das crianças de outros países

«Todos iguais na diferença» Começou no passado dia 7 de janeiro e irá decorrer até ao próximo dia 25 de janeiro, na Biblioteca Municipal Doutor José Vieira de Carvalho, a Exposição/Projecto

\\ Opinião Paulo Pinheiro

Fibromialgia “doença mascarada” e Hipnose Clínica Existe realmente uma dificuldade da comunidade médica em diagnosticar a Fibromialgia, e mesmo em alguns técnicos em acreditar nestas dores acentuadas percecionadas pelos pacientes uma vez que esta é caracterizada como uma “doença Mascarada”, sendo típico também de alguma parte médica a procura de outras doenças, uma vez que esta não é visível nos exames laboratoriais e de imagem, daí gerar dificuldade de compreensão das queixas relatadas pelo paciente. Esta incompreensão do doente nas suas queixas a agravam o seu sofrimento, sentimentos de frustração e revolta interior. Daí nos meus pacientes constatar que a maior dor, é realmente a dor da incompreensão, que muitas das vezes é extensível aos amigos e familiares. Sorte dos doentes fibromialgicos que contam com o suporte familiar, e eu tenho assistido a alguns casos, em que este suporte é preditor de melhorias na qualidade de vida desta população clínica com um acompanhamento Psicoterapêutico permanente. A fibromialgia é uma síndrome caracterizada por queixas permanentes de dor neuromuscular difusas e pela presença de pontos dolorosos em regiões anatomicamente determinadas, sendo mais comuns em mulheres mas pode

«Todos iguais na diferença», uma acção direccionada para as crianças. Esta acção tem como objetivo sensibilizar e consciencializar os mais novos para os modos de

vida das crianças de outros países, principalmente dos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).Através da fotografia e da leitura infanto-juvenil procura-se

mostrar a realidade da vida das crianças dos PALOP bem como a sua cultura e tradições. A entrada é livre.

afetar qualquer faixa etária e é cada vez diagnosticada em idades mais precoces (10, 12 anos) e pode variar na intensidade dos sintomas e nos casos mais acentuados pode mesmo provocar grande limitações psicomotoras e na marcha levando em doentes com sintomas mais severos a terem de utilizar cadeira de rodas, sendo a afetação no indivíduo maior consoante o nível de gravidade dos sintomas (fadiga, dores musculares, falta de prazer em tarefas que anteriormente provocavam satisfação, sensação de frustração, sentimentos de culpa “porquê a mim?”, alteração do humor, insónias, isolamento, etc.), que em 70% dos casos desenvolvem depressão profunda, assim como a depressão pode anteceder a Fibromialgia. Apesar de ainda não haver uma causa definida para a doença, ela está associada a um desequilíbrio dos níveis de neurotransmissores do cérebro de serotonina e endorfinas, estando a parte do cérebro responsável pela perceção da dor (o tálamo) em constante ativação, como se um alarme de uma casa estivesse sempre a disparar mesmo sem a presença de nenhum intruso. Estudos realizados, demonstram que crianças em países que estão constantemente em guerra, desenvolvem a síndrome de fibromialgia cada vez em idades mais precoces o que vem dar ainda mais relevância aos fatores emocionais na afetação desta enfermidade, assim como perfis de personalidade com tendência para a internalização do sofrimento. Estes fatores são muito visíveis quando analiso a história de vida dos pacientes, que é muito útil para perceber os traumas emocionais em idades anteriores e que por efeito cumulativo irão ter repercussões em idades futuras. Outras manifestações que acompanham também as dores são a fadiga cronica constante, sendo que os sintomas variam em relação à hora e ao dia, podendo ter maior incidência matinal, agravam com as mu-

danças climáticas, com a falta de sono e o stress, etc… Outros sintomas de fibromialgia podem incluir: Síndrome do colon irritável, problemas gástricos, problemas de memória e de concentração, Dormência e formigamento nas mãos e nos pés, Palpitações, Redução na capacidade de se exercitar, Cefaleia tensional ou enxaqueca, etc.. A Hipnose Clínica na intervenção na fibromialgia, atua no campo emocional (mente subconsciente) que se revela ser o desencadear de todos os outros sintomas mencionados no quadro clínico da fibromialgia que pode variar na sua intensidade, leve, moderada e profunda, Por ser considerada uma perturbação do foro psicossomático (afetação das emoções no organismo), e está relacionada com o sistema nervoso central, que sendo ativado por tensão nervosa, vai afetar o organismo em vários pontos do corpo humano, ou seja as emoções reprimidas e recalcadas, não geridas de forma eficaz, vão originar tensão nervosa no organismo, rigidez nos músculos órgãos, artérias e fibras musculares, que estão na origem da dor sentida pelos pacientes. A Hipnose Clínica é uma intervenção Psicoterapêutica que atua ao nível do sub-consciente, sendo esta a parte da mente responsável pela gestão da emoções/sentimentos, e funcionamento orgânico, ao induzir um estado de relaxamento profundo (TRANSE), a mente subconsciente fica mais sugestionável, às indicações terapêuticas, e em estado de Hipnose ao acalmar agitação mental/ emocional, vamos promover sensações de analgesia e libertação dos sintomas, uma vez que estando o paciente em estado de relaxamento profundo, o sistema nervoso central e periférico vão consecutivamente relaxar e libertar-se da rigidez muscular e sensação de dor através da libertação de serotonina e endorfinas em estado de

hipnose, promovendo desta forma um registo mental mais adaptativo com a promoção de emoções positivas, que começam a ser processadas e enraizadas no subconsciente, substituindo as emoções negativas e perceção da dor intensa sentida anteriormente. Este processo vai ter influencia direta no reforço da auto-estima, e consecutivamente em maior autonomia e qualidade de vida, assim como nos sintomas da depressão, que começam a ser visíveis nas primeiras sessões se Hipnose clinica. Um dos centros de pesquisa Norte Americanos mais conceituados na área da saúde, o National Institutes of Health (NIH), recomendou o uso da HIPNOSE CLÍNICA como tendo efeitos muito positivos no tratamento da FIBROMIALGIA. Num estudo realizado pelo NIH os pacientes submetidas a HIPNOSE CLÍNICA relataram menos 80 % de sintomas de DOR do que aqueles que não receberam Tratamento através de Hipnose. Outros benefícios da hipnose, segundo este estudo incluem; diminuição da dor e rigidez muscular; diminuição da fadiga matinal; melhoria na qualidade do sono; benefícios na síndrome do cólon irritável; maior relaxamento. Em suma, a parte médica e científica não pode descurar a peça mais importante deste puzzle, que são as emoções e o impacto que estas têm no indivíduo e na sua saúde, assim como a atuação da Hipnose clinica que inserida dentro de um processo terapêutico empático e permanente, trará uma nova esperança e qualidade de vida nos pacientes com fibromialgia. Dr. Paulo Pinheiro Psicólogo Clinico/ Desporto Especialista em Hipnose Clínica Happy & Health Emotions Clinic 220963698/ 910444968


maiahoje EMPRESAS

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Sociedade \\ Opinião

Primeiro franchising de marca portuense

Padaria Ribeiro abre na Maia No centro, junto à Câmara Municipal, abriu portas um novo espaço de especialidades de padaria e pastelaria, a Padaria Ribeiro, a quinta unidade a ostentar a marca, sendo quatro espaços comerciais e um de fabrico. Segundo “reza” a sua história, tudo começou na actual Praça Guilherme Gomes Fernandes, no Porto, nos finais do século XIX pelas mãos de dois empreendedores que “herdavam” a tradição biscoiteira de Valongo. O negócio cresceu, mudou de mãos e desde 1 de Julho de 1987 é propriedade de uma sociedade familiar de emigrantes brasileiros, de origem em Arouca e Castêlo de Paiva. Em Janeiro de 2002 abre a primeira sucursal e desde ontem, 16 de Janeiro, o primeiro franchising, estrategicamente colocado na Maia. Esta loja pretende disponibilizar os mesmos produtos à venda nas outras casas da marca, uma aposta dos irmãos Marta e Francisco Cunha. Francisco diz que esta parceria com a Padaria Ribeiro, é uma boa aposta na esperança de «ir ao encontro dos clientes e tornar numa das melhores casas da Maia». Para Francisco Cunha a principal diferença em relação a outros estabelecimentos comerciais do género, é o “slogan” da Padaria Ribeiro “ A tradição ainda é o que era”. A escolha da Maia deve-se ao facto de tanto Francisco como Marta Cunha serem da Maia e conhecerem muito bem o município, principalmente a zona centro do concelho. Bragança Fernandes, Presidente da CM Maia, diz haver sempre espaço na Maia para o

Henrique Carvalho

As exéquias de Eusébio

investimento e se for de qualidade ainda melhor «não me parece que a concorrência não seja salutar, pelo contrário quanto mais restaurantes ou confeitarias estiverem concentradas num só local, mais trazem pessoas, geram procura. Os exemplos são conhecidos noutras paragens. Em termos de investimento são cerca de 500.000 euros que vêm para a Maia e que criaram mais 16 empregos», disse o presidente. Para Silva Tiago, Vice-Presidente da CM Maia, a abertura de mais um espaço comercial na Maia é «de muita importância, e uma mais-valia, num momento de certa desconfiança por parte dos investidores. Mas é sempre com satisfação que vejo dois jovens maiatos a disponibilizar-se para investir na Maia, trazendo uma marca já perfeitamente assumida na área tradicional da Pastelaria e Padaria, enriquecendo a oferta».

SAÚDE Ciclo de Conferências

Maia fomenta hábitos saudáveis entre os mais jovens A Câmara Municipal da Maia lançou um ciclo de conferências destinado aos alunos do 2º e 3º ciclos com o intuito de fomentar hábitos saudáveis entre os mais jovens. Nesse contexto, vão realizar-se durante o mês de janeiro duas palestras. Hoje, nos horários 10h/11h30 e pub

11

15h/16h30, na área da Educação Alimentar, os alunos da EB2/3 de Pedrouços vão assistir à palestra “Sabes o que comes?” onde o principal objetivo é alertar os jovens para os níveis de açúcar, gordura e sal “escondidos” em muitos dos alimentos processados, com a apresentação de alternativas

saudáveis bem como os seus benefícios. No dia 28 de Janeiro, nos horários 10h15/11h45 e 13h30/15h, no âmbito das Adições, os alunos da EB2/3 da Maia vão assistir a uma palestra “Põe-te a milhas das pastilhas”, a ser proferida pela investigadora Teresa Summavielle do

Instituto de Biologia Molecular e Celular da Universidade do Porto, que dará a conhecer os efeitos neurotóxicos do consumo de ecstasy na adolescência a médio e longo prazo. Na sequência deste ciclo de palestras, a Prevenção Solar e os Afetos também serão temas a abor-

Os benfiquistas, o país e o mundo, prestaram o tributo merecido ao nosso “rei” do futebol, conhecido por Pantera Negra, considerado mundialmente um dos maiores futebolistas de sempre. Emocionantes, a homenagem junto à sua estátua e o momento vivido no estádio. Curvo-me respeitosamente perante personalidade tão elevada e considerada, que espalhou condignamente por todo o planeta o nome de Portugal. Obrigado Senhor Eusébio. Mas daí até ao exagero foi um passo… Ver todos os canais de Tv abertos e pagos, em transmissão contínua das cerimónias fúnebres, esquecidos de que, para lá do funeral do nosso ilustre jogador, o país tem mais vida! Bem impressionante foi o Adeus a Mandela e a organização reservou os últimos momentos para a intimidade da família. Sinceramente, achei degradantes, além de outras, as imagens do enterramento em direto. Não houve momento de recolhimento para familiares e amigos mais próximos e íntimos, mas, foi assim que decidiram… tudo bem. Louvável foi a atitude dos jogadores vindos doutros costumes, culturas e religiões, por vontade própria, ou alheia, participarem com todo o respeito e dignidade nas cerimónias religiosas. No entanto, foi bem visível que naquele meio, pouco se conhece do que se passa dentro da igreja, especialmente na celebração eucarística, alguns participavam, muitos não sabiam o que fazer e dizer, outros tantos estavam completamente abstraídos. Curioso, também, foi ser motivo para reunião política. Governo e oposição encontraram razão válida para se sentarem lado a lado com o presidente da república. O motivo justificava-o, mas também, vem aí eleições!? Pareceu-me também, que foi sedativo para o país não ouvir falar em crise, aumentos, cortes, etc… durante estes dias. Mas, como “não há duas sem três” e oxalá eu me engane, depois de Mandela e Eusébio, será que vai surgir mais algum “analgésico” durante este ano, para ajudar a esquecer a dor do resgate? Quanto ao Panteão!? Qualquer dia temos de construir outro, tamanha é a fila dos “panteonáveis” que se vislumbra. Para que conste, registo também a declaração extremamente pejorativa do Sr. Dr. Mário Soares. As suas últimas declarações fizeram-me lembrar as asneiras que minha mãe dizia há uns dez anos quando começou a ficar debilitada cerebralmente com a doença de alzheimer. Deus queira que o Senhor esteja livre de tal! Senhor Eusébio, na minha intimidade de crente, oro para que; -Esteja em paz. Henrique António Carvalho Janeiro 2014 Escreve ao abrigo do AO


12 \\ Opinião

Rogério Gonçalves

Hoje vou focar um tema que nunca vi tratado nem falado na imprensa escrita ou falada, que é sobre o apoio psicológico de um técnico nas finanças e nos bancos! Sim muitos podem até achar uma ideia muito visionária e até com pouco sentido, mas pensem comigo: Quando há uma familiar que perde um filho num acidente ou num tiroteio é vulgar chamarem um psicólogo para dar apoio às famílias da vítima, o que eu acho correto. Mas já pensaram que essa medida podia ser alargada aos bancos e às finanças, pois são duas instituições que podem roubar o lar às famílias que lutaram uma vida para terem um lar. E num ápice por motivos de vária ordem não podem pagar as prestações da casa essas duas instituições que de humanas, nada têm, podiam recorrer ao serviço desses técnicos. Pensem nessa medida e tratem as pessoas com humanidade e não como números!!!

Começamos mais um ano e com os habituais aumentos, com as greves das habituais empresas públicas que dão sempre prejuízo, e também já todos sabem quem foi o vencedor da casa dos segredos. Pois a cultura neste País resume-se a pequenos programas de qualidade duvidosa mas que no fundo é o que o povo prefere para se distrair. Morreu mais uma lenda do futebol Nacional o Eusébio, mas meus senhores é muita hora de tv, rádio e jornais a falar do mesmo: -Mas será que as lendas não podem morrer? O meu Pai para mim foi mais importante, é claro que não tem a mesma dimensão, mas tenham bom censo. Mas o que me cansa é que muitos daqueles que “roubaram" e ajudaram a afundar o nosso País no dia em que falecerem vão ter o mesmo tempo de antena e as lameches do costume...isso para mim é INCONSTITUCIONAL. Rogério Gonçalves

pub

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Sociedade

\\ Opinião

INICIATIVA Hora do Conto

Espectáculo de Animação da Leitura Vai decorrer, durante os próximos sábados dias 18 e 25 de Janeiro pelas 11h30, na Biblioteca Municipal Doutor José Vieira de Carvalho, o “Espectáculo de Animação da Leitura”. Este projecto que se insere na

CULTURA

iniciativa “Hora do Conto” tem como objetivo fortificar os elos familiares bem como fomentar e consolidar hábitos de leitura, proporcionando assim uma actividade cultural inter-geracional. Dinamizado por Filipe Gaspar e

Miguel Azevedo, este projecto consiste na seleção e apresentação de actividades que podem ser, histórias, filmes, oficinas ou ainda outras propostas pela comunidade.

Os Reis Magos e as Janeiras

Os Reis Magos e as Janeiras \\

Segundo S. Mateus (2.1-6), os magos vindos do Oriente, guiados por uma estrela foram à casa onde estava o menino, sua mãe e S. José, oferecendo-lhe ouro (realeza), incenso (divindade) e mirra (humanidade).

Os Reis Magos e as Janeiras são tema de debate do Clube Unesco da Maia. Assim fica-se a saber que «só S. Mateus fala nos Magos» e que «o seu evangelho foi escrito em aramaico e difundido em grego entre os anos 60 e 100 depois da morte de Cristo. Isto significa que já não eram vivos os apóstolos do tempo de Cristo». As questões colocam-se «porque será que só S. Mateus fala dos Magos vindos do Oriente e os outros evangelhos ignoram o facto? Além disso, Mateus não diz se eram 3,4,2 ou 12... apetece-me dizer, nenhum. Com efeito, não era possível vir do oriente (Média e Pérsia) sem gastar muito tempo, mesmo anos. O menino certamente já não estaria onde tinha nascido. Mas quem eram os magos? Magoi em grego eram sacerdotes que na Média e na Pérsia interpretavam os sonhos. Constituíam, segundo Heródoto, uma das seis tribos que formavam a Média. A raiz de Mago é “mag” que significa intermediário da divindade. Por isso os magos eram intermediários entre o céu e a terra auscultando atentamente as estrelas para ler as suas mensagens. Da palavra mago deriva magia. Isto significa que os magos faziam magia. O exemplo do Êxodo (cap.8) na questão das 7 pragas do Egito é muito claro. Para cada praga vinham os magos fazer uma igual ou anulá-la. O faraó consultava os magos que tinham existência legal. Mas podemos recuar aos tempos primordiais em que magia se

maiahoje

confundia com feitiçaria: Magiamito-rito–religião. Vivemos sob a cultura da luz: a luz do dia e a luz da noite. Preside ao dia a luz do sol; e preside à noite a luz, diferida, da lua, acompanhada de miríades de estrelas cravadas na infinidade dos espaços celestes. O nascente aponta o sentido da plenitude; e o poente faz-nos entrar no mistério da noite. O nascente sempre foi – e sempre será – mensageiro da esperança. No nascente arcádico e caldaico nasceu a cultura e o seu veículo mais consistente – a escrita. A escrita tornou-se um poder, e um poder perigoso. Todas as revoluções se apressam em escrever as suas constituições, para cristalizar a própria revolução, para a conservar em documento inviolável. Com o triunfo de uma revolução, o próprio revolucionário se converte num conservador radical. Mas há um dia em que a luz do dia inverte o domínio da luz da noite. Nesse dia acontece o solstício do inverno. Intervém nesse dia uma divindade que olha para trás e olha para

a frente, ao mesmo tempo. Para olhar para trás e para a frente ao mesmo tempo, precisa de duas caras, já que os olhos humanos só podem ver para a frente. Por isso, a divindade, tendo duas caras, olha em duas frentes: o futuro e o passado. Esta entidade divina – romana – chama-se Jano. Jano é o deus das portas, das entradas e das saídas, o Deus de todos os começos, o Deus de todas as esperanças. Um povo, imbuído de todas as esperanças, exprime esse sentimento profundo e coletivo, cantando. É o cântico de Jano: são as janeiras. Os cantares das janeiras expressam alegria. São sucedâneos dos cantares das festas saturnais dos romanos: «Haja alegria / hoje aqui neste lar / que já nasceu o Deus Menino / em Belém para nos salvar.» Um novo sol, uma nova estrela brilha no oriente. À alegria cósmica dos anjos alia-se a alegria dos homens e todos os tempos, sempre carregados de todas as esperanças. «Vamos cantar as janeiras…» Raúl Cunha e Silva

Virgílio Vale

A TIA CAROCEDA A tia Caroceda era uma mulher já entrada na idade e viúva, mas que conservava ainda uma certa vitalidade e calores demasiados para viver tão sozinha. Vai daí, apaixonou-se pelo Ti Zé Pedro. A princípio, ele de nada sabia e, além disso, já não se preocupava com essa coisa de mulheres que, segundo ele, só servem para dar cabo da cabeça a um home. Mas ela é que não desistia e passou a mandar-lhe recados pelo sardinheiro, o Ti Quintela, home biajado, atilado e atiradiço comó caraças? -Bossemecê bai a dizer ó Ti Zé Pedro qu’ou gosto munto dele, p’ra ber se impeça a olhar mais p’ra mim pediu ela ao sardinheiro. -Tá bem, ou bou falar co ele, logo que poissa. No dia seguinte, passando à porta da Caroceda, o Quintela parou a burra com as cangalhas da sardinha e chamou-a para lhe vender algumas e sempre lhe foi dizendo, em voz baixa: -Falei co home e ele dixo-me que tamém gosta munto de si e que quer bir a dormir com bossemecê logo à noite. Os olhos da Tia Caroceda criaram novo brilho e até as orelhas se riam de felicidade. -Que benha? que benha? Qu’ou espero por ele! -Mas tem de ter munto cuidado avisou o Quintela o Ti Zé Pedro diz que vem pela surrelfa e num quer luzes nim barulhos, à conta dos seus filhos. -Diga-le que num se preocupe garantiu a mulher com os “gargumilos” já meio inflamados, imaginando a noitada que iria passar. Veio a noite e, à hora prevista, entrou pela janela um vulto que caminhou direitinho e silenciosamente para a cama da Caroceda. Estendeu-se ao lado da velha mas, passado pouco tempo, saltava de novo pela janela, descalço e com as calças na mão, enquanto a voz dela barafustava lá de dentro: -Ah! Seu sacana, aldrabão? que num te compro mais sardinhas!... No dia seguinte, desabafava ela, no lavadeiro, com uma amiga de toda a confiança: -Ó mulher, apalpei-la barriga e era igual à do Ti Zé Pedro? Era careca cmó Ti Zé Pedro? a diferença estaba no bigode. Aí é qu’ou bi qu’estaba a ser aldrabada E bati-le a sério! A outra comentou apenas: -Que pouca sorte tibeste! Dali a uns dias, o Quintela teve de passar à porta da Caroceda e esta, avistandoo, fez-lhe a espera e escorraçou-o à pedrada, enquanto ele ia puxando pela burra ronceira que se obstinava em manter o passo e a calma. A verdade é que, em toda aquela aventura, só o Ti Zé Pedro não soubera de nada. O tempo foi passando e as zangas foram esquecidas. O sardinheiro voltou a vender sardinhas à Caroceda e esta a enviar recados ao Ti Zé Pedro que, desta feita, os recebia com menor ou maior indiferença. E o Quintela, num belo dia, informou-a: -O home disse-me que gosta de si e que pode casar com bossemecê, mas só com a separação de bens, por causa dos filhos. A velha ficou emocionada ao ouvir tão boa notícia e apenas comentou, num largo sorriso: -E a mim que se m’importa isso? Desde que num seja co’a separação da tchitcha!... Virgílio do Vale


maiahoje BTT

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Desporto

As cinco provas realizam-se em várias freguesias maiatas

\\ Opinião

Campeonato BTT arranca em Fevereiro O Campeonato Open BTT XCO Maia 2014 está integrado no projecto desportivo da Câmara Municipal da Maia, Maia Cidade Europeia do Desporto. Esta competição será composta por cinco provas que decorrerão em datas distintas nas freguesias de Folgosa, Gemunde, Milheirós, Nogueira/Silva Escura e São Pedro de Avioso, organizado pela Câmara Municipal da Maia e coorganização do

MODALIDADE

Grupo Desportivo Os Maiatos. Neste campeonato pode participar qualquer pessoa seja ou não “Federado” e de qualquer parte do país, disputando-se ao abrigo do Regulamento das Provas Abertas da União Velocipédica Portuguesa/Federação Portuguesa de Ciclismo. A prova Aberta está inscrita no calendário regional e será supervisionada pela Associação de Ciclismo do Porto.

Para mais informações acerca da participação, valores de inscrição, equipamento e prémios deve aceder ao sítio na internet da competição em:

http://campeonatobttmaia201.w ix.com/pt

1ª prova - 9 Fevereiro Folgosa

4ª prova - 1 Junho Nogueira/Silva Escura

2ª prova - 2 Março em Gemunde 3ª prova - 13 Abril em Milheirós

5ª prova - 22 Junho Sº Pedro de Avioso

podem ser feitas durante o mês de Janeiro nas instalações do Complexo Municipal de Ginástica ou através do telefone 229436680. Os objectivos destas aulas são o equilíbrio, o sucesso pessoal, o de-

senvolvimento, a segurança e a autoconfiança dos mais novos. Esta modalidade combina diversas técnicas de artes marciais. Com duas turmas disponíveis, a Turma A destina-se as crianças dos 6

até aos 12 anos de idade e a Turma B para crianças com mais de 12 anos de idade. Esta modalidade terá a mensalidade desde 8.65Euros.

Liga Portuguesa 2014

Maia Mustangs estrearam-se Teve início, no passado dia 11 de Janeiro, o campeonato português de Futebol Americano. A adesão de cada vez mais praticantes a esta modalidade faz aumentar o número de equipas em competição. A APDFA (Associação Promotora do Desporto de Futebol Americano) espera uma liga competitiva e as 10 equipas em competição, uma delas espanhola, vão procurar acabar com a supremacia dos lisboetas "Lisboa Navigators" que são tetra campeões nacionais. Da Maia, vão disputar o campeonato os "Maia Mustangs", um conjunto de 18 amigos que no ano passado fundaram a equipa.

COLECTIVIDADE

A vontade de jogar futebol americano levou-os ao FC Maia Lidador que apoia desde então a modalidade. Em ano de estreia na liga, os "Maia Mustangs" têm como objectivo disputar os jogos de igual para igual, com o melhor desempenho possível, possibilitando o crescimento do clube e da modalidade. No passado fim-de-semana realizou-se a primeira jornada com o conjunto do Maia Mustangs a defrontar o Porto Renegades e a perder por 13-0.

Triste e um dos mais bonitos Mas sem as crianças nem gritos Perdeu vida é moribundo, Perdeu alegria e garra Nem formiga nem cigarra, Tudo acaba neste mundo…

Nascidos e aqui criados Grandes homens e honrados Mais dos que de terras ricas, Povo meu maravilhoso Que me fazem orgulhoso Que ainda nos dignificas…

ADC Teibas organiza várias iniciativas nização entre associados e público em geral. Os visitantes poderão apreciar algumas iguarias, para além da Francesinha, os Bolinhos de Bacalhau, Rissóis de Leitão, Bifanas, Moelas entre outros. Para um futuro muito breve, entre as iniciativas já descritas, estão em mente outras mais, como uma novi-

Esse povo envelhecera Muito desse já morrera, Desse tempo pouco existe, É lugar quase deserto Com futuro muito inserto E por isso um lugar triste

Tudo no mundo tem fim Tal qual como esta história Melancólico para mim Por recordar tanta glória

Convívio

Noites de Karaoke, Torneios de Bilhar ou Noite da Francesinha, são algumas das acções levadas a cabo pelo bar da Associação Desportiva e Cultural de Teibas. Segundo José Sousa, gerente deste espaço, têm sido organizadas várias actividades com vista a uma maior dinamização do espaço, assim como a confrater-

A MINHA TERRA O lugar aonde eu vivo Outrora de muita gente Gente decente e contente Povo duro e sempre activo

Aulas Defesa Pessoal

FUTEBOL AMERICANO

Fernando Pedroso

\\ Datas das provas

No Complexo Municipal de Ginástica

A Câmara Municipal da Maia vai disponibilizar no Complexo Municipal de Ginástica, uma nova modalidade desportiva – a Defesa Pessoal. As aulas são direccionadas para os mais jovens e as pré-inscrições

13

dade que passa pelo jogo de setas, que permitirá jogar com outros jogadores em qualquer parte do mundo, através de uma ligação do nosso equipamento à Internet. Para breve haverá um novo Torneio de Bilhar, com prémios monetários.

Santo António, a capelinha… Lugar lindo sem igual Ò Guarda, tu és rainha A que os teus chamam minha, Rainha de Portugal!

07 de Janeiro de 2014 Abílio Fernando Dias Pedroso

pub

Associação de Solidariedade Social “Arca de Vida” CENTRO GRATUITO DE ACOLHIMENTO Sede: Rua Vilar de luz nº114- 4425-403 Folgosa-Maia Telf.: 229687923 • Fax.22969l420 • Telm.:9636l0565

A Associação vem por este meio agradecer a toda a população do território nacional a boavontade e a colaboração prestada para com o peditório realizado, fazendo saber que a verba apurada foi de 4.682,50 Euros. A todos o nosso muito obrigado. Folgosa, 14 de Janeiro de 2014 A Direcção Carlos Rodrigues Mira: Rua Teófilio Braga Nº 154 Telm.: 968726578 • Correio electrónico: arcadavida@Sapo.pt


14

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

Magazine

VIAGENS

Timor V: Suai-Maliana-Batugadé-Maubara-Dili

Para fazermos estes 250 km entre Suai e Díli, demorámos 11h30 por causa do estado das estradas! No caminho fomos parando para ver a paisagem e para comprar fruta que fomos comendo pelo caminho. Poucos quilómetros depois de Maliana, bem perto da fronteira com a Indonésia, parámos em Balibó para ver o forte português do século XVIII que está a ser recuperado e onde irá ser instalado um restaurante. Mesmo em frente, está o Monumento da libertação e a famosa casa onde os cinco jornalistas australianos forma mortos em outubro de 1975 durante a invasão indonésia, apesar de terem pintado a bandeira australiana e a palavra Austrália na parede da casa para serem poupados. A casa foi comprada pela Austrália e é atualmente um centro comunitário.

Seguimos para Batugadé, diretamente na fronteira. Fomos até lá. É um posto fronteiriço moderno, mas adormecido. Chegáramos finalmente de novo à costa norte. A estrada estava a ser arranjada. Na “bomba“ de gasolina, que só vendia o combustível a partir de bisões de 10 l, a funcionária era multifunções: tanto atestava os carros como se sentava a fazer cestos. Seguimos para Maubara, onde o forte holandês do século XVII foi restaurado pela Cooperação Portuguesa. No mercado em frente da fortaleza podem comprar-se muitos artigos regionais, como cestos e tais. Terminámos o nosso passeio por Díli com a ida a duas praias famosas: a praia do Dólar e a praia dos Portugueses. Ambas têm uma história engraçada. A praia do dólar recebeu o nome

por ter tido durante alguns anos, uma cancela de acesso à praia para qual se tinha de pagar 1 dólar para se poder estacionar. Agora a praia está aberta e qualquer pessoa pode lá ir. A praia dos Portugueses foi assim batizada pelo facto de os GNR irem sempre para lá. Os nossos soldados da GNR eram muito populares em Díli por serem muito atenciosos para com as raparigas. Todas queriam ter um namorado da GNR. Com tantas ocupações bélicas são poucos os monumentos históricos de Timor. A grande riqueza de Timor são as pessoas. M.Margarida Pereira-Müller (textos) M.Margarida Pereira-Müller e Hans-Jürgen Müller (fotos)

maiahoje

\\ Opinião DECO

Pretendo adquirir um automóvel usado. Que cuidados devo ter e/ou que informações posso exigir ao stand sobre a viatura? Antes de adquirir um carro usado certifique-se se o preço praticado corresponde ao que vem anunciado, confira a data da matrícula, a quilometragem à data de inspeção, com a atual, a declaração de garantia (sendo certo que uma parte significativa dos stands introduz cláusulas ilegais que limitam ou excluem o prazo legal de garantia e os componentes que estão cobertos pela mesma). Exija ainda o livrete e respetivo título de registo de propriedade, o registo das revisões e informese se o veículo vai ser reparado antes da formalização do negócio, sendo que neste último caso, aconselhamos que vá acompanhado por um mecânico ou perito, na área, para que este o ajude a identificar alguma desconformidade. Ressalve-se que, segundo a lei, os veículos usados têm uma garantia de 2 anos, embora possa ser reduzida para 1 ano, desde que haja acordo, por escrito, por parte do vendedor e do consumidor. Contudo, se o negócio for celebrado entre particulares não se aplica o prazo legal de garantia dos 2 anos. Se a viatura avariar dentro do período legal de garantia, o consumidor deverá comunicar os defeitos ao stand num prazo de 60 dias a contar da data do conhecimento dos mesmos. Caso o stand não se responsabilize pelas anomalias, o consumidor deverá escrever uma carta registada com aviso de receção e/ou registar a reclamação no livro de reclamações, exigindo a reparação, a substituição ou a devolução do dinheiro, podendo ainda, no prazo de 2 anos a contar da data de denúncia dos defeitos, acionar os procedimentos judiciais para fazer valer os seus direitos. Cláudia Sousa, Jurista da DECO Para qualquer esclarecimento adicional pode dirigir-se à DECO, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - Delegação Regional do Norte, sita na Rua da Torrinha nº 228, H, 5º andar, 4050-610 Porto, ou através do endereço: deco.norte@deco.pt .

pub

CENTRO DE EMPREGO DA MAIA Rua Dr. Carlos Pires Felgueiras, 418 4470-157 Maia • Tel.:22 943 2700 e-mail: cte.maia@iefp.pt

PROFISSÃO ......................................Nº OFERTA.....REGIME DE TRABALHO ...........................................................................................................................................................................................................................FREGUESIA Estofador( m/f) ....................................588224375 .....A tempo completo, com conhecimentos de moldes de costura (trabalho em estofos). .......................................................................................................................................Moreira Empregada de limpeza(m/f)................588228857 .....A tempo completo, oferta ao abrigo das medidas de apoio á contratação estimulo 2013+reembolso da TSU .......................................................................................................Maia Professor de inglês para AEC'S(m/f)...588264102 .....A tempo parcial, para ministrar inglês nas escolas do 1º ciclo do municipio de Gondomar. ...........................................................................................................................Gondomar Modelista (m/f) ....................................588247919 .....A tempo completo, experiencia minima de 3 anos,conhecimentos de ingles, e de programas informáticos inerentes á função. .....................................................................Vermoim Optometrista (m/f) ...............................588250458 .....A tempo completo, realizar exames visuais e aconselhar os meios de compensação óptica adequados, experiencia minima de 1 anos nas funções, horário por turnos.........Barca Agente Comercial (m/f) .......................588208334 .....A tempo completo, para prospeção do mercado, elaboração do plano de marketing, aoa abrigo da medida estimulo 2013 ................................................................S. Pedro avioso Operador de call center (m/f).................ver nota........Multinacional Francesa, a ARMATIS LC, opta por continuar a sua expansão internacional, abrindo um novo centro no Porto onde pretende oferecer um excelente ....................................................................................ambiente de trbalho internacional , em conjunto com estabilidade a nível profissional e possibilidade de progressão..........................................................................................Porto Técnico de capoto e cerãmicos (m/f) ..588240241 .....A tempo completo, com bastante experiencia profissional na aplicação de ceramicas e capoto - contartao de trabalho de 2 meses. ............................................................Nogueira Vendedor comercial (m/f) ....................588226888 .....A tempo completo, preferencialmente com experiencia em vendas - carta de condução de ligeiros fator obrigatório. ....................................................................................Nogueira Costureira (m/f) ...................................588194798 .....A tempo completo, costureira com experiencia em máquinas de ponto corrido e corte e cose - malhas - desempregados de longa duração, com mais de 45 anos ou 1º empregos. Vermoim

NOTA: enviar CV para filipa.fragoso@iefp.pt

As ofertas de emprego divulgadas fazem parte da Base de Dados do Instituto do Emprego e Formação, IP. Para obter mais informações ou candidatar-se dirija-se ao Centro de Emprego indicado ou pesquise no portal http://www.netemprego.gov.pt/ utilizando a referência (Ref.) associada a cada oferta de emprego. Alerta-se para a possibilidade de ocorrência de situações em que a oferta de emprego publicada já foi preenchida devido ao tempo que medeia a sua disponibilização e a sua publicação.


maiahoje

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

\\ EMERGÊNCIAS NACIONAIS • SOS Número Nacional de Socorro............................................112 • Incêndios Florestais .......................................................................117 • Emergência Social (crianças, idosos, vitimas, s/abrigo)....144 • Intoxicações ...............................................................808 250 143 • Emergência Gás (EDP)............................................800 215 215

\\ EMERGÊNCIAS LOCAIS • Bombeiros Voluntários de Moreira...................22 942 10 02 • A. H. Bombeiros de Pedrouços...........................22 901 27 44 • PSP Maia (Esquadra Cidade)...............................22 947 96 90 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Segurança)22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Trânsito).....22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Es.Intervenção) 22 948 26 93 • PSP Águas Santas (Esquadra Vila).....................22 977 42 80 • PSP Maia (Divisão Policial)...................................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Trânsito) .............................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Interv. e Fiscalização) ....22 978 51 90 • GNR Maia (Posto Territorial da Maia) ...............22 986 74 30 • GNR Maia (Posto Fiscal de Pedras Rubras).....22 944 91 00 • GNR Maia (Posto Trânsito da Maia) ..................22 968 84 70 • Polícia Municipal Maia ..........................................22 940 86 00 • Protecção Civil (CM Maia) ....................................22 940 87 22 • Protecção Civil (CM Maia) Linha verde.............800 205 169 • Protecção Civil (Com. Distrital Op. Socorro)..22 619 76 50 • Cruz Vermelha Portuguesa (Núcleo Maia).....22 941 12 21

\\ LINHAS

SAÚDE NACIONAIS

• Saúde 24......................................................................808 242 424 • Saúde 24 (orientação pediátrica) .......................808 242 400 • Linha Saúde Cancro ................................................808 255 255 • Linha Saúde Sexualidade......................................808 222 003 • Linha Saúde SIDA.....................................................808 266 266 • Linha Saúde SOS Criança ......................................808 202 651 • Linha Saúde SOS Medicamento .........................800 222 444 • Linha Saúde SOS Grávida......................................808 201 139 • Linha Saúde SOS Droga ............................................................1414 • Linha Saúde Deixar de Fumar .............................808 208 888 • Informação a Vitimas Violência Doméstica.....800 202 148 • Linha APAV (Apoio à Vítima)..................................707200 077

\\ SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE LOCAIS • USF Alto da Maia (Águas Santas) ......................22 977 42 50 • USF Viver Mais (Castêlo Maia) ............................22 986 51 70 PUB • USF Saúde em Família (Pedrouços)..................22 977 47 10 • USF Pirâmides (Maia).............................................22 947 85 90 • USF Odisseia (Vermoim).......................................22 947 09 50 • USF Íris (Águas Santas)..........................................22 986 70 35 • USF Lidador (Gueifães) .........................................22 943 84 40 • USF Pedras Rubras (Moreira) ..............................22 943 14 70 • Extensão Saúde Nogueira (Nogueira).............22 961 77 10 • Extensão Saúde Milheirós (Milheirós) .............22 972 33 22 • Extensão Saúde Moreira (Moreira) ...................22 943 14 70 • Hospital S. João (Porto) ........................................22 551 21 00 • Hospital Pedro Hispano (Matosinhos) ............22 939 10 00 • Hospital Sto. Tirso (Sto.Tirso)................................252 830 700 • Hospital Joaquim Urbano (Porto).....................22 589 95 50 • Hospital N. Sra. Conceição (Valongo)..............22 422 00 19 • Hospital Sto. António (Porto) .............................22 207 75 00 • Hospital Maria Pia (Porto)....................................22 608 99 00 • Hospital Póvoa Varzim/V.Conde (P. Varzim)....252 690 600 • Hospital Magalhães Lemos (Porto) ..................22 619 24 00 • Inst.Port. Oncologia Francisco Gentil (Porto)22 508 40 00 • Unidade Alcoologia do Norte (Matosinhos) .22 004 50 60 • Centro Regional de Sangue (Porto) .................22 004 52 40

mh jornal regional de grande informação

EDITADO POR

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

Depósito legal 147209/00 DGCS nº 123524 Tiragem 3.000 exemplares

Úteis \\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA NACIONAIS • Serviço Informações telefónicas PT . . . . . . . . . . . . . . . . . .1820 • Serviço Apoio a Clientes Optimus . . . . . . . . . . . . . . . . . .16103 • Serviço Apoio a Clientes TMN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1696 • Serviço Apoio a Clientes Vodafone . . . . . . . . . . . . . . . . .16912 • Aut.omóvel Clube ACP (assistência) . . . . . . . .707 509 510 • Brisa Auto-estradas de Portugal . . . . . . . . . . . .808 508 508 • CP Combóios de Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 208 208 • TAP Air Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 205 700 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede fixa) . . . .808 202 653 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede móvel) .808 962 690 • Cartões Crédito American Express . . . . . . . . . .707 504 050 • Cartões Crédito Mastercard . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 272 • Cartões Crédito Visa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 107 • EDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 506 506 • EDP (Comunicação de Avarias) . . . . . . . . . . . . .800 246 246

\\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA LOCAL • Loja do Cidadão (Porto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 241 107 • Posto de Atendimento ao Cidadão (Maia) . .22 948 24 62 • Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 98 10 • Cartório Notarial de Cláudia Barbas . . . . . . . .22 940 67 22 • Conservatória do Registo Civil (Maia) . . . . . .22 943 98 00 • Conservatória do Registo Predial . . . . . . . . . .22 943 62 80 • Conservatória do Registo Comercial . . . . . . .22 947 76 50 • Serviços de Finanças da Maia . . . . . . . . . . . . . .22 947 06 40 • Tribunal Judicial da Comarca da Maia . . . . . .22 941 90 73 • Tribunal do Trabalho da Comarca da Maia . .22 941 41 52 • Inst. Info. Apoio Form. Profissional (IAFE) . . .22 977 39 10 • Inst. Fomento Desenvolv. Económico . . . . . .22 942 70 26 • Centro de Emprego da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 943 27 00 • Segurança Social da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 10 90 • Com. Protecção Crianças e Jovens da Maia .22 949 03 33 • CTT Correios de Portugal (Gueifães) . . . . . . .22 960 83 27 • CTT Correios de Portugal (Moreira) . . . . . . . .22 943 76 10 • CTT Correios de Portugal (Vermoim) . . . . . . .22 943 95 30 • CTT Correios de Portugal (Águas Santas) . . .22 974 33 50 • CTT Correios de Portugal (Castêlo) . . . . . . . . .22 986 66 00 • CTT Correios de Portugal (Aeroporto) . . . . . .22 940 00 11 • Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 24 00 • Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 34 72 • Consulado de Chipre (Maia) . . . . . . . . . . . . . . .22 902 38 68 • Consulado do Paquistão (Maia) . . . . . . . . . . . .22 947 93 21 • Lipor II (Central de Valorização Energética) 22 947 73 40 • Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 26 60

\\ MUNICIPIO DA

• Câmara Municipal da Maia (Central) . . . . . . .22 940 86 00 • Serviços Águas e Saneamento da Maia . . . . .22 943 08 00 • Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . . . . . .22 968 73 22 • Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 20 • Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . . . . .22 944 24 62 • E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . . . . . . .22 940 87 21 • Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 30 • Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 • Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 905 95 20 • Canil Municipal da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 982 36 87 • Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 986 71 80 • Espaço Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 80 30 • Loja da Juventude S. Pedro Fins . . . . . . . . . . .22 968 91 69 • TURISMO Maia Welcome Center . . . . . . . . . . .22 944 47 32 nota: Informação actualizada em 2011/10/01 Ana Luisa Azevedo, TPJ analuisa@maiahoje.pt

COLABORADORES REDACTORES: Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt Luís Filipe Azevedo, TPJ luis@maiahoje.pt Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos, TPJ rita@maiahoje.pt

COLABORADORES FOTOGRAFIA: Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710

CORRESPONDENTES: João Diogo (Brasil) Williams James Marinho (EUA) Ainhoa Carrasco Robles (Espanha) Catarina Almendra (Lisboa)

\\ FARMÁCIAS Dia

17

18 19 20 21

22 23 24 25 26 27 28 29 30

31

PERM

I

J

N

A

REF

-------------------------------------------------------------------------------------------

K

L

M

O

P

Q

R

S

T

U

V

TURNO A AGRA - MILHEIRÓS TURNO B AEROPORTO - PEDRAS RUBRAS TURNO C LIMA COUTINHO - GUEIFÃES TURNO D SILVA ESCURA - FREJUFE TURNO E BASTOS - GUEIFÃES TURNO F GEMUNDE - CAMPA DO PRETO TURNO G ÁLVARO AGANTE - VERMOIM TURNO H CENTRAL - CATASSOL TURNO I MOREIRA BARROS - PARADA TURNO J ALIANÇA - VERMOIM TURNO K VILA NOVA DA TELHA - QUIRES TURNO L SOUSA BEIRÃO - MAIA TURNO M MARTINS DA COSTA - ÁGUAS SANTAS TURNO N BOM DESPACHO - MAIA TURNO O CASTÊLO - CASTÊLO DA MAIA TURNO P GRAMAXO- MOREIRA DA MAIA TURNO Q EUGÉNIA - PEDROUÇOS TURNO R NOVA DE ARDEGÃES - ARDEGÃES TURNO S LIDADOR - ARDEGÃES TURNO T ARAÚJO - NOGUEIRA TURNO U GUARDEIRAS - GUARDEIRAS TURNO V MAIA - ÁGUAS SANTAS

esta informação é patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SERVIÇO PERMANENTE

MAIA

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar artur@maiahoje.pt

15

CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Form. e Docentes) Mário Lopes (sociedade) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Pedro Ferreira (política) Ricardo Filipe Oliveira (sociedade) Rogério Gonçalves (sociedade) DESIGN / PAGINAÇÃO: Luís Filipe Azevedo Maxim Bukharov

18 Janeiro Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

DEPARTAMENTO COMERCIAL: Pedro Martins pedro@maiahoje.pt António F Silva silva@maiahoje.pt SEDE/ REDACÇÃO / D.COMERCIAL

Rua dos Altos, 18 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25

IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados. MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007


maiahoje HOMENAGEM

sexta-feira 17 de Janeiro de 2014

A fechar

16

Curso de 1958-1962 em Gueifães

Professora Sílvia Gomes homenageada por antigas alunas Um grupo de antigas alunas do curso de 1958-1962, da Escola Primária feminina de Gueifães, homenageou a professora primária D. Sílvia Gomes, actualmente com 97 anos de idade, na sua residência, sita à Rua da Amieira, em Gueifães, Maia. A iniciativa das antigas alunas foi levada a cabo no passado dia 1 de Dezembro de 2013 e constitui o reconhecimento unânime, de verdadeiro profissionalismo e dedicação ao ensino e aos alunos, nas suas diversas vertentes formativas, com resultados de excelência, exemplo para a comunidade local, do amor à causa pública. Adelaide Paiva, Leonor Alemão, Elisabete Ferreira, M.José Mendes, M.Fernanda Pereira, Maria dos Santos e Sílvia Campos Gomes

ATLETISMO

A homenageada, Professoa Sílvia Gomes

MAIA AC/GOSAÚDE

MAIA AC/GOSAÚDE vice-campeões nacionais de estrada

Decorreu em Elvas, no passado dia 12 de Janeiro, mais uma edição do Campeonato Nacional de Estrada, que correu muito bem ao MAIA AC/GOSAÚDE ao ser vice-campeão nacional coletivamente. Hélder Santos esteve em bom plano ao alcançar o 3º lugar, pódio individual inédito, assim como Daniel Pinheiro, Pedro Ribeiro e Vítor Oliveira que terminaram na 5ª, 8ª e 13ª posição, respectivamente, permi-

tindo assim a revalidação do vice-título nacional de estrada conquistado na época transata. Bruno Silva, o último elemento da equipa, esteve muito abaixo do que pode fazer, ao terminar na 33ª posição. Hélder Santos e MAIA AC/GOSAÚDE campeões regionais Realizou-se no dia 4 de janeiro, no parque da cidade de Paredes, o

Campeonato Regional de Corta Mato Curto e Jovem. Hélder Santos, em séniores masculinos foi 1º sagrando-se campeão regional. Pedro Ribeiro e Daniel Pinheiro foram 2º e 3º classificados respectivamente, dominando a corrida e contribuindo de forma decisiva para a renovação do título regional coletivo. Vítor Oliveira alcançou o 4º lugar e Bruno Silva foi 5ºclassificado.

Daniela França bicampeã zona norte e MAIA AC/GOSAÚDE vice campeã coletivamente A cidade de Braga recebeu, nos passados dias 11 e 12 de Janeiro, os campeonatos da zona norte/regional em pista coberta. No parque de exposições, Daniela França, com dois títulos da zona norte, 60 e 200m, e outros tantos para o regional, destacou-se entre os atletas maiatos. Ana Ri-

beiro, nos 3000m, esteve também em plano de evidência ao ser vice campeã zona norte e campeã regional. Também Inês Aires brilhou ao ser vice campeã da zona norte e regional, nos 200m, perdendo para a sua colega de treino Daniela França. Já em termos coletivos, a equipa feminina do MAIA AC/GOSAÚDE sagrou-se vice-campeã da Zona Norte e campeã regional.


337