Issuu on Google+

pub

3 JAN a 16 JAN

2014 Ano XIV | Nº 336 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar

apenas 0,70 € IVA incluído

\\

PUB

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

política Assembleia Municipal delibera por unanimidade constituir grupo de trabalho para estudar bem-estar animal

Concelho poderá ser líder nos direitos dos animais Recolha de animais passa a abrigo. Abolição da Eutanásia. Condicionamento de espectáculos. Criação da figura de animal comunitário. Formação cívica e muitas outras iniciativas em debate. p. 3

\\

\\ evento

desporto Águas Santas-Milaneza vence torneio na Holanda

Musical “Hairspray” amanhã, às 21h30, no Fórum da Maia p. 10

\\ ambiente

LIPOR distinguida por Projecto “R+ - reciclar” na IV Gala da Inclusão p. 7 \\ festa

Centro Comunitário de Vila Nova da Telha organizou festa de Natal para p. 7 os seus utentes p.12

pub


editorial \\ artur bace|ar director

especial \\ artur bace|ar director

Chegados a 2014, e pela primeira vez nesta publicação, vou tentar fazer um apanhado daqueles que me parecem ser as personalidades que mais se destacaram num ano, neste caso, 2013. É uma escolha pessoal e que em nada vincula o jornal. Se podia ter efectuado outras escolhas? Podia e posso até concordar com outras opiniões diferentes, mesmo dos colegas da minha redacção, mas por esse motivo é que as considero pessoais e… originais, sem qualquer aditivo ou interesse. 2013 “annus horribilis” já lá vai e que 2014 seja o “annus mirabilis”. PERSONALIDADE DO ANO Dra. Emília Santos, Deputada à Ass. da República. A deputada maiata na Assembleia da República, eleita pelo PSD, saiu do “anonimato” e tornou-se numa das mais populares figuras maiatas. A sua actividade política, quer seja ao vivo, quer seja virtualmente nas redes sociais, foi uma autêntica surpresa pela positiva. Ninguém tem ficado indiferente à simpatia que vai espalhando por onde passa, sentimento que já lhe era nato. Quem a conhece sabe que além da simpatia também exala exemplarmente a capacidade de Gestão. AUTARCA DO ANO Eng. Bragança Fernandes, Presidente da Câmara Municipal Num ano particularmente difícil, com contestação às políticas governamentais do seu partido e natural desgaste, Bragança Fernandes “fintou” a crise política e ganhou novamente o município para aquele que será o seu último mandato. Ser dos primeiros a chegar à autarquia e dos últimos a sair indica bem o nível de empenho deste autarca. Os maiatos, apesar de tudo, sabem separar as suas “cores” políticas em eleições autárquicas e Bragança Fernandes tira bom partido disso. Na Maia é, mesmo entre os seus opositores, tido como um “homem bom, boa pessoa” o que é difícil num político dos dias de hoje. POLÍTICO DO ANO Dr. Mário Nuno Neves, Vereador Independente

pub

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Página dois As prioridades As prioridades das Juntas de Freguesia medem-se pelos seus actos. Assim parece-me miserável que algumas juntas de freguesia, questionadas sobre se estariam interessadas em fazer um pequeno anúncio publicitário pelo Natal na nossa publicação, o tenham recu-

sado, ou por alegada falta de verba, ou por outro qualquer motivo que na altura tenha saído. Bem sei que são apenas 40 euros, mas que fazem falta à publicação e dignificam a autarquia. Não é moeda de pagamento, mas seria bom que os maus gestores políticos da nossa praça soubessem que, contas feitas, sem salários,

feito falta no alegado envio de comitivas a viajar pela europa a acompanhar equipas desportivas já subsidiadas em milhares de euros. Hoje ficamo-nos por aqui. Obrigado a todos os que se lembraram de nós. Bem hajam. Feliz 2014!

As minhas escolhas do ano 2013 No meio de tantos licenciados e pseudo doutores, um doutor à séria. Um “bombeiro” para apagar todos os fogos. Já aqui o escrevi que o executivo de Bragança Fernandes não seria o mesmo se não houvesse este “enfant terrible” (pessoa que geralmente tem sucesso e que é fortemente não ortodoxo, inovador ou de vanguarda). Normalmente marca o ritmo político local. Conhece e domina a informação política, onde e quando a deve soltar ou plantar. Políticos já não se fazem assim. Por outro lado, o humanitário, o do Homem, Mário Neves é idolatrado pelos seus subordinados. Ou se adora ou se detesta. PARTIDO DO ANO CDU, PAN e Movimentos independentes Em abono da verdade não poderia esta categoria ser atribuída a apenas um. A haver claramente vencedores nas últimas eleições autárquicas eu diria que CDU e PAN seriam os escolhidos. A CDU volta ao executivo camarário pela mão da Dra. Ana Virgínia Pereira, uma novidade face à bipolarização dos últimos anos. Ganha o executivo que terá certamente uma voz privilegiada sobre uma cada vez mais importante franja da população. Cansados de alguma monotonia, os eleitores, elegeram o PAN para passar a forte mensagem de defesa dos animais na Maia. Uma aposta conseguida do Dr. Hélder Ribeiro, ex-socialista que abraçou “de corpo e alma” a ideologia daquele pequeno partido. Ainda antes do final do ano já, com o apoio da maioria, fez constituir uma comissão parlamentar para estudo de legislação em defesa dos animais. Apenas num trimestre cumpre os objectivos de quase um mandato. Os movimentos independentes foram uma lufada de ar fresco no panorama eleitoral autárquico confirmando o que se suspeitava. Por uns motivos ou por outros apareceram e foram a votos. Nalguns casos chegaram a incomodar e levaram às freguesias uma nova voz. Os mandatos obtidos são claros e apartidários. A tendência é para crescer. Um caso a ter em conta no

futuro. CLUBE DO ANO Ass. Atlética de Águas Santas Ora aqui está um tema muito disputado. Quase a terminar o ano, a Associação Atlética de Águas Santas, venceu o prestigiado torneio internacional “Limburgse Handball Dagen” na Holanda, onde pontificam as principais equipas europeias da modalidade que disputam de forma regular as competições europeias. Feito importante a que se vem juntar as constantes chamadas dos jogadores maiatos a representar as cores nacionais. DIRIGENTE DESPORTIVO DO ANO Moreira Valente (Clube Karaté da Maia) “Sensei” (professor) Moreira, como é conhecido, é uma figura incontornável do panorama desportivo maiato. Apesar de já não exercer funções de presidente do seu clube, continua o trabalho de dirigente do clube que acumula com o de dirigente da Federação Nacional e Associação Regional. São milhares os atletas que na Maia praticam ou praticaram esta modalidade, tornando o CKMaia num clube de prestígio internacional e tudo graças ao empenho deste dirigente que um dia sonhou e a obra nasceu. DESPORTISTA DO ANO Armando Teixeira (Ultra Runner) A modalidade já em si é um desafio, mas o ultra maratonista maiato, aos 37 anos, consegue brilhar a nível nacional e internacional fazendo-o de forma amadora e quase sem patrocínios. Vários pódios e vitórias nacionais e internacionais marcaram o ano “acima dos 100 km”. Para o atleta falta-lhe tempo e dinheiro para treinar e sonhar com um pódio na “Meca” mundial, o desafio do Mont Blanc na Suiça onde já esteve perto do feito. ACTIVIDADE CULTURAL DO ANO FITC (Festival Internacional de Teatro Cómico) Depois de interregno de um ano de-

x

por apenas 16,80 10 euros /ano Sim, desejo ser assinante do jornal MaiaHoje pelo período de ___anos, automaticamente renováveis por igual periodo. assinatura

Recorte e envie para: Jornal MaiaHoje - Rua dos Altos, 18 • 4470-235 Maia

%

cada reportagem custa-nos um valor superior a 50 euros, ou seja o valor que era solicitado não daria sequer para uma reportagem. Se multiplicarem esse valor pelo número de vezes que num ano são beneficiados, então seria caso para orçamento. Mas o Maiahoje sabe perdoar. Perdoamos porque sabemos bem o quanto os 40 miseráveis euros terão

maiahoje

vido à “Lei governamental dos Compromissos”, o FITC esteve de volta e na sua melhor forma para atingir a maioridade. 29 espectáculos, por 22 companhias, fizeram da Maia, numa semana, Capital Mundial do Riso. COLECTIV./ASSOCIAÇÃO DO ANO Corpo de Volunt. Protecção Civil Como o próprio nome indica, todos os seus membros são voluntários e não auferem qualquer tipo de remuneração. O que destacou esta de outras foi o número impressionante de horas, muitas vezes consecutivas, na ajuda ao próximo. Desde o simples escoar de água de um bueiro, ao apagar fogos com ramos, passando pela ajuda em acidentes, em todo o lado estiveram. Este ano perderam um dos seus lideres, o Dr. António Lopes, que profissionalmente deixa saudade. INICIATIVA SOCIAL DO ANO Cãominhada A pequena “Câoviver”, Associação de Protecção Animal, tem angariado mais simpatias do que associados. Prova disso é a “Cãominhada” que junta mais de meio milhar de pessoas unidas por uma causa. Esta Associação tudo tem para brilhar, mesmo a nível camarário, no entanto falta-lhe corpo e maturidade para ultrapassar a barreira das pequenas mas importantes acções de voluntariado.

sonalidade do ano. Julgo ser de inteira justiça e corro o “perigo” de ter de o nomear novamente para o ano. Este ano conseguiu unir os portugueses e a comunidade futebolística internacional contra uma pseudo brincadeira de mau gosto de um dirigente. O troféu é dele. REVELAÇÃO DO ANO Papa Francisco A inaugurar, uma personalidade internacional. Quando Jorge Mário Bergoglio, nascido em 1936, em Buenos Aires, Argentina se tornou o primeiro papa jesuíta da história e o primeiro não europeu em mais de 1.200 anos, algo de novo se vislumbrava na igreja católica. Francisco de seu nome adoptivo, tem mudado as mentalidades da igreja e falado de encontro aos pedidos dos crentes. Com apenas 9 meses de papado, a sua “alegria” contagiante faz dele a minha revelação e ao mesmo tempo a minha aposta para 2014.

DESTAQUE DO ANO RATA (Reorganização Administrativa Territorial Autárquica) Há quem diga que se podia ter ido um pouco mais longe e há ainda quem julgue um disparate algumas escolhas feitas, mas a reorganização territorial maiata fez-se sem grandes protestos. Marca o destaque do ano porque “mexe” com cerca de 2/3 da população e trouxe uma nova dinâmica às eleições autárquicas reflectindo-se no futuro do concelho. PERSONALIDADE NACIONAL DO ANO Cristiano Ronaldo Por ser a primeira vez que faço este exercício, não podia deixar de nomear o português vivo mais conhecido em todo o mundo para per-

maiahoje.pt

NOME_____________________________________________ MORADA__________________________________________ COD POSTAL_______-____ LOCALIDADE_________________ TELEFONE______________ TELEMÓVEL_________________ EMAIL_____________________________________________

%

02


maiahoje POLÍTICA

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Sociedade

03

Assembleia Municipal delibera constituir grupo de trabalho para estudar

Regulamento Municipal de Bem-Estar Animal para o concelho da Maia A Assembleia Municipal da Maia, na sua reunião de 26 de Dezembro passado aprovou por unanimidade a proposta apresentada pelo PAN e subscrita pela Coligação Sempre pela Maia PSD/CDS-PP, pelo BE e pelo Presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova da Telha, de constituição de um Grupo de Trabalho para Estudar, Conceber e Definir o “Regulamento Municipal de Bem-Estar Animal para o concelho da Maia”. Héder Ribeiro, deputado municipal pelo PAN e um dos subscritores disse ao Maiahoje que «os defensores da causa animal não poderiam almejar melhor prenda de Natal que abre, ao mesmo tempo, fundadas expectativas para o Novo Ano. Tudo se conjuga para que a Maia também esteja na linha da frente, não só a nível nacional mas também internacional, no que concerne às melhores práticas na proteção e respeito pelos animais, considerando-os como seres sencientes, com capacidade para sentir dor, frustração, prazer ou felicidade, com direito à vida e não como objetos subalternos ou “coisas”, pela definição de um quadro normativo que o Grupo de Trabalho se propõe desenvolver em articulação com o Executivo e os Serviços da Edilidade», defendeu. Na integra a proposta unanime diz o seguinte: «Sabemos hoje, por comprovação científica o que muitos já constatavam empiricamente, que todos os animais são sencientes, isto é, são seres capazes de experienciar a frustração ou a satisfação, que têm interesses, preferências, desejos ou vontade, ou seja, têm capacidade de sofrer, de sentir prazer e felicidade. Cabe agora por maioria de razão aos humanos, dada a sua maior capacidade de intervenção, de livre arbítrio, memória, previsão e opção ética, a responsabilidade de zelar pelo bemestar dos animais e pelo seu direito à vida, aliás como determinam alguns normativos nacionais e internacionais, tais como a Declaração Universal dos Direitos dos Animais, pub

da UNESCO, o Protocolo Anexo ao Tratado de Amsterdão, que institui a Comunidade Europeia, ao dispor que é um objetivo comum aos países da Comunidade Europeia “garantir uma proteção reforçada e um maior respeito pelo bem-estar dos animais, enquanto seres dotados de sensibilidade”, a Resolução 69/2011, da Assembleia da República (AR), e o Projeto-Lei “Lei de Proteção dos Animais”, recentemente aprovado também pela AR. Por sua vez, a Assembleia Municipal da Maia reconhecendo a importância do que está em causa e para que esteja assegurado o quadro institucional que garanta que a intervenção em matéria de bem-estar animal e o apoio às ações neste domínio sejam presididos pelos princípios enunciados, por proposta dos signatários decide constituir um Grupo de Traba-

lho que, em articulação com o Executivo e os Serviços da Câmara Municipal, estude, conceba e defina um “Regulamento Municipal de BemEstar Animal para o concelho da Maia”. Como ideias força para a estruturação do referido regulamento, com vista a otimizar as condições de promoção e salvaguarda dos direitos de proteção de todos os animais no concelho, deverão considerar-se as seguintes linhas orientadoras: - O Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia da Maia: . Perspetivado como centro de abrigo e bem-estar animal . Gerido em parceria com cidadãos, grupos de voluntários ou associações ligadas à causa animal ou outras de carácter altruísta e benemérito . Substituir a eutanásia de animais

saudáveis pela promoção da esterilização e adoção responsável bem como a implementação de programas RED (recolha, esterilização e devolução) em colónias de animais de rua - Salvaguarda dos direitos de proteção de todos os animais (domésticos, silvestres e os de quinta) - Condicione a realização de espetáculos com animais pela não existência de atos que lhes inflijam sofrimento físico ou psíquico - Preveja a figura do animal comunitário, isto é, animais sem um detentor individual mas que se encontram protegidos num espaço público (por ex: escolas, empresas, etc.) - Incentive a esterilização de todos os animais de companhia - Preveja o estabelecimento de parcerias com clínicas/hospitais veterinários de modo a assegurar

cobertura tendencialmente gratuita a animais errantes e de companhia - Institucionalize a cooperação com as várias organizações e centenas de cidadãos que voluntariamente contribuem para o bem-estar dos animais errantes e de companhia: - Implemente um plano de sensibilização e de formação cívica junto dos cidadãos e dos alunos das escolas da Maia que visem a mudança de comportamentos e atitudes dos cidadãos face aos animais - Apoio técnico e logístico do município às campanhas que venham a ser implementadas, seja de recolha de alimentos ou de adoção, de forma a valorizar o empenhamento cívico de centenas de maiatos unidos em torno da causa animal - Criação do número verde SOS animal.».

pub


04

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Sociedade

\\ Ângulo Recto António Neto

O Ano do desencontro!... Este artigo será publicado quando 2014 der os primeiros passos, depois de um ano pautado pelo prosseguimento das políticas de austeridade que tem conduzido o País a um evidente e acentuado empobrecimento. Por muitas “lavagens”ao cérebro que a generalidade da comunicação, dita livre e plural, produza através de uma bem escolhida teia de comentadores e politólogos – com raras excepções - todos eles fazedores daformatação de ideias, do discurso único e das inevitabilidades que nos conduzem a uma concepção “moderna” de ditadura. Não há só pensamento único, mas uma única via política e económica! Espero que este seja o ano do desencontro com este rumo ultraliberal de pensamento único e que Portugal e os portugueses possam finalmente libertarse do garrote da dívida e das políticas desastrosas da Troika. Alguns “donos da verdade absoluta” escondem que a receita do FMI tornou os Países onde foi aplicada mais doentes (mais pobres) e ingovernáveis. Nada há de novo na receita e no seu falhanço. O que é mais caricato é que os responsáveis da doença sejam os mesmos a preconizar e até aplicar a receita. Ninguém quer discutir os cálculos desajustados e não consentâneos do impacto das medidas de austeridade que conduziram a erros nas previsões de crescimento nos Países ditos sob assistência. O crescimento em Portugal ficou muito aquém das previsões e o que acontece é que a dívida aumentou e Portugal está mais pobre. Que seja o ano do fim agiotagem dos juros que não nos deixa sem respirar. Não se trata de assistir Portugal mas de impor uma agenda ideológica executada com toda a força pelo actual governo sem qualquer pingo de sensibilidade pelas pessoas e de respeito pelos direitos de soberania. A última decisão do Tribunal Constitucional sobre as pensões é a demonstração inequívoca do isolamento do Governo e da sua intencionalidade em violar os mais elementares princípios Constitucionais (confiança e proporcionalidade, entre outros) comuns às Constituições dos Países democráticos. O ano tem de ser de desencontro com este rumo e de encontro em torno de alternativas credíveis que existem à esquerda – por muito que custe aos senhores do pensamento e da ordem única – mas que necessitam de respostas de entendimento e de uma construção que mobilize as pessoas. As Europeias podem ser uma das oportunidades de mudança ainda que não sejam impeditivas da apresentação de projectos próprios. Que seja o ano do definitivo desencontro com as políticas da Troika e os seus “cegos”seguidores. ANTÓNIO NETO Técnico Superior Acção Jurídica/Formador (Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico)

maiahoje

CASOS DE POLÍCIA

Operações no Porto e Maia resultam em 15 detenções A PSP, através do efetivo da Divisão de Trânsito e da Divisão da Maia, realizou, na madrugada do passado dia 21 de Dezembro de 2013, mais duas operações policiais rodoviárias, tendo como objetivo a conjugação de uma vertente de prevenção e a dissuasão de comportamentos de risco.

POLÍTICA

A operação realizou-se nos principais eixos rodoviários das cidades do Porto e da Maia, tendo sido dada especial atenção à condução sob influência de álcool e em excesso de velocidade. Das referidas operações resultaram: 15 detenções por condução sob o efeito de álcool, 563 indivíduos e respectivas viaturas identi-

ficados, sendo que todos os condutores foram submetidos ao teste de álcool no sangue. Das viaturas controladas 93 encontravam-se a circular em excesso de velocidade. Foram verificadas 132 infrações ao Código da Estrada e demais legislação rodoviária de que se destacam 93 infrações por condução

em excesso de velocidade. As autoridades procederam ainda à apreensão de 31 documentos de viaturas. Os detidos foram notificados para comparecerem junto da Autoridade Judiciária.

Plano e Orçamento para 2014 do Município da Maia

Vereadores do PS da CM Maia votaram contra Os Vereadores do PS na Câmara Municipal da Maia votaram contra as Grandes Opções do Plano e o Orçamento para 2014 do Município da Maia. A posição assumida pelos Vereadores do PS fundamenta-se em quatro pontos essenciais, a saber «Pela inaceitável e descabida politização do seu conteúdo»; «Pela falta de clareza nas opções de gestão e nas prioridades assumidas pela maioria PSD que suporta o executivo municipal»; «Pelo incumprimento das promessas eleitorais apresentadas pelo PSD nas recentes eleições autárquicas»; «Pelo fato do PS defender diferentes prioridades para a gestão do município, considerando os graves problemas das famílias e dos agentes económicos, que justificariam uma forte aposta na criação de emprego e no desenvolvimento económico do concelho», dizem. Para os socialistas «as Grandes Opções do Plano devem ter subjacentes um diagnóstico dos principais problemas do concelho e as grandes linhas estratégicas para construir as melhores soluções para a sua resolução. Gerir é definir prioridades, sobretudo em tempos de escassez que obrigam a assumir opções claras para apoiar aqueles

que mais sofrem com a crise económica do país», dizem, acrescentando que «as GOP 2014 optam por conter um enquadramento político/partidário descabido, assente na análise de resultados eleitorais e no apoio às políticas do Governo do PSD, mostrando uma total incapacidade para definir linhas estratégicas e prioridades de gestão para o futuro do município, pelo que esse enquadramento merece uma firme censura e repúdio dos vereadores do PS, que defendem uma gestão autárquica alternativa, exercida num quadro de absoluta imparcialidade e apenas interessada na resolução dos problemas das pessoas e do concelho», dizem. Para o PS «não é verdade que o orçamento municipal consagre uma redução do IMI. O executivo municipal mantém em 2014 as taxas anteriormente em vigor no concelho, recusando-se a discriminar positivamente aqueles que mais precisam e continuando a colocar sobre as famílias o ónus de financiarem a crise que o país atravessa», dizem, acrescentando que «a prometida redução do pacote fiscal autárquico é absolutamente ignorada neste Orçamento, o que merece um veemente voto de protesto dos vereadores do PS».

Os socialistas acusam a maioria de «ficção política junto da opinião pública, ao fazer constar que a prioridade do executivo municipal é o apoio à intervenção na área social», justificando que «as “Funções Sociais” do município, que têm um peso de 55% na despesa, são afinal as verbas gastas com áreas tão diversas como o ambiente urbano; os resíduos sólidos; a cultura e o desporto», concluindo que há «uma falsa prioridade na intervenção social que, verdadeiramente, apenas representa 7% do valor total registado na rubrica orçamental “Funções Sociais”», alegam. Os socialistas denunciam que «as GOP e o Orçamento 2014, comparados com o Programa “Sempre pela Maia”, que serviu de base à eleição da maioria do executivo municipal, grande parte do que ali é prometido é agora esquecido nos documentos que vão orientar a gestão autárquica», alegando que «são assim defraudados os cidadãos que acreditaram no Programa Eleitoral apresentado pela maioria política que suporta o executivo municipal. São defraudadas as expetativas daqueles que acreditaram que havia um novo projeto de desenvolvimento para a Maia», dizem. Os socialistas lembram que as

suas prioridades são o emprego e o desenvolvimento económico, pelo que «devem ser criados incentivos fiscais e apoios económicos que atraiam mais empresas criadoras de emprego para o concelho. Devem ser desde já previstos planos de investimento para aproveitar o novo ciclo de fundos comunitários do Quadro Estratégico Europeu, resultante da Estratégia “Europa 2020”, que se inicia já em 2014. Devem ser apoiados os agentes económicos da Maia, para valorizar os recursos locais, criando um programa de apoio à economia local, a valorização do setor agrícola e a requalificação das áreas de comércio local. Deve ser feita uma forte aposta numa rede municipal de formação e qualificação profissional, iniciativas locais de emprego e ações de dinamização do emprego social apoiado, especialmente para os desempregados de longa duração», entre outras iniciativas. Para os socialistas «o Fundo de Emergência Social Municipal devia ser reforçado para fazer face às crescentes dificuldades económicas das famílias», dizem, justificando o facto de não apoiarem a proposta de Grandes Opções do Plano e o Orçamento para 2014.


maiahoje PEDROUÇOS

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Sociedade

BE na Assembleia de Freguesia

Debates em locais emblemáticos da freguesia Realizou-se, no passado dia 28 de Dezembro, a Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia de Pedrouços. Recebemos do deputado do BE, António Neto, um resumo da sua actividade que aqui deixamos. O deputado questionou o Presidente da Assembleia pela realização da Sessão a um sábado o que segundo alega «contraria a prática, o bom e regular funcionamento do Órgão dado que a sua marcação se deve conjugar com o normal funcionamento da Autarquia, ou seja, deve ser marcada entre segunda e sextafeira», diz. No período de “Antes da Ordem do Dia” apresentou duas Moções sobre o falecimento de Nelson Mandela e sobre a defesa e valorização do Património Local, nomeadamente, do “Torreão” «que em traços gerais propõe mandatar o Executivo para promover um debate num dos locais emblemáticos da Freguesia sobre o Património, sua natureza, realidade e perspectivas com a presença de figuras da Universidade e o lançamento de uma campanha de sensibilização, de divulgação, promoção e defesa do Património da Freguesia», que foi aprovada por unanimidade. Debruçou-se, ainda, entre outros temas, sobre a necessidade da valorizar o Órgão Assembleia aplicando-se os princípios da consulta prévia, informação e participação. Referiu a necessidade de melhoria do site da Freguesia e da introdução da actividade da Assembleia. Não deixou de expressar preocupações sobre a forma como foi implementada a reco-

CDU

lha de resíduos na freguesia que não teve em consideração a tipologia habitacional e tipo de arruamentos e passeios que torna em alguns dias perigosa a circulação de pessoas com deficiência e crianças, considerando que é preciso aprofundar o debate desta problemática. Sugeriu que os eleitos possam «elencar por escrito os problemas que sejam detectados na Freguesia e envia-los atempadamente para o Executivo sem prejuízo de análise na Assembleia no caso de não serem regularizados». No que respeita ao ponto de Informações do Presidente espera no futuro uma informação mais rigorosa e fundamentada. No ponto sobre as Opções do Plano e Proposta de Orçamento para o Ano de 2014 considerou que «não foi respeitado o Estatuto da Oposição no que concerne à consulta prévia para a sua elaboração e sendo este um elemento essencial de participação da oposição não poderia deixar de votar contra», este foi aprovado com os votos favoráveis do PSD/PP, PS e abstenção da CDU. No entanto não deixou, quer na intervenção, quer na declaração de voto de tecer a opinião do BE sobre alguns aspectos do Plano e Orçamento. No debate sobre as alterações ao Regulamento e Tabela Geral de Taxas e Licenças o eleito do BE apresentou duas propostas, nomeadamente «que as alterações das tabelas apenas pudessem ser objecto de eventual proposta de revisão apenas anualmente e não sempre que a Junta entenda conveniente». Dado que as propostas foram recusadas o BE absteve tendo a

proposta merecido a votação favorável das restantes bancadas. Discutiu–se, de seguida, as Tabelas de Taxas de Secretaria, Cemitério, Canídeos, Salas e Outros Espaços da Junta que motivaram algumas perguntas e propostas do eleito que requereu a votação em separado das referidas tabelas. Absteve-se na Tabela das taxas de secretaria por discordar da introdução de uma taxa de 2.50 euros para os atestados de Residência e ao familiar (CRSS) «por penalizar quem já tem parcos ou nenhuns recursos», alega. No que concerne às alterações ao Regimento da Assembleia de Freguesia considerou importante uma discussão aprofundada das propostas das várias forças políticas com assento na Assembleia de Freguesia de modo a futuro Regimento ser aprovado com o maior consenso possível. Assim o eleito do BE propôs que se mantivesse em vigor o actual Regimento e que fosse constituída uma Comissão com um representante de cada força politica com assento na Assembleia e presidida pelo Presidente da Mesa com o sentido de apresentar uma proposta a ser discutida e votada na próxima sessão da Assembleia. A proposta foi aprovada com os votos favoráveis do BE/CDU/PS e abstenção do PSD/PP.

Assembleia Municipal da Maia

CDU “chumba” orçamento e plano No âmbito da aprovação das Grandes Opções do Plano – Orçamento da Receita e Despesa e Documentos previsionais do Município Para o Ano Financeiro de 2014, a Coligação democrática Unitária (CDU) observa «desde logo uma diminuição global do montante disponível, reflectida nos diversos pontos do plano. Esta diminuição não é de hoje e deve-se, por um lado, à situação de crise permanente vivida em Portugal há vários anos, e por outro às directizes políticas dos últimos governos que irresponsavelmente têm diminuído as transferências para as autarquias e ao mesmo tempo aumentado as suas responsabilidades», dizem apesar de «haver aspectos com os quais não concordamos e que não se coadunam com as necessidades da Maia», alegam. Em termos discriminativos, no ponto da Segurança e Ordem Pública, comparativamente com o ano anterior, a diminuição de verbas afectas segundo a CDU «cifra-se em 1.600.000 euros. Os valores destinados aos Bombeiros e à Cruz Vermelha mantêm-se, sendo a fatia destinada à Protecção Civil e Luta Contra Incêndios substancialmente inferior. Como se justifica uma diminuição tão vasta? Bastaria termos saído à rua nestes dias e observar as consequências das últimas chuvas, nomeadamente os estragos em arruamentos ou condutas a lançar água para o exterior e o modo como estas ocorrências afectam a vida das pessoas, para sermos confrontados com a necessidade de uma Protecção Civil bem apetrechada de meios», referem. Outro aspecto a ter em atenção será o da Segurança e Acção Social que segundo dizem «é verdade haver um aumento de verbas em cerca de 400.000 euros, mas tendo em

conta a situação social decorrente não só da crise como também de políticas nacionais altamente prejudiciais para as camadas mais desfavorecidas da sociedade, entendemos que deveria ser este o ponto central das opções da autárquia no próximo ano», alegam e justificam a titulo de exemplo que «a Terceira Idade não tem qualquer alteração de verbas relativamente ao ano que agora termina. No entanto o Governo entendeu por bem diminuir valores nas pensões ou reformas, directa ou indirectamente, tornando a vida de muitos dos idosos portugueses ainda um pouco pior. O mesmo Governo que decidiu impor uma nova lei de arrendamento, tornando a situação de muita gente ainda mais frágil em termos habitacionais, muitos dos quais idosos, que também por aqui vêm a sua qualidade de vida diminuída», mas também no apoio à infância «um aumento inferior a 50.000 euros não chega para sequer disfarçar as necessidades que se verificam», dizem, acrescentando que «curiosamente, se avançarmos um pouco no documento, verificamos como o aumento efectivo no apoio à infância é, grosso modo, a diminuição efectiva nas verbas para a juventude. Há na Maia Associações de Pais a fazer recolha de alimentos para famílias de crianças que têm na escola a única refeição quente do dia». Questionam também o executivo pela falta do «famigerado Fundo de Apoio Social» anunciado na última Assembleia que alegadamente estará diluído nas diversas. Uma nota ainda para o ponto da Habitação onde a CDU diz ser claro que «a situação geral da habitação social da Maia, salvo raras excepções,

não é a melhor, havendo inclusivamente alguns locais onde as condições de salubridade são chocantes. Se não for a CDU a levantar esta questão, mais ninguém o faz». A CDU denuncia a «falta de um plano político para a Maia» e de «um modo de gestão que não está preparado para enfrentar as dificuldades presentes». Quanto ao Plano Plurianual de Investimentos que prevê que o financiamento para o ano em curso será próximo dos 60.700.000 euros «para além do aspecto preocupante de perto de 75% deste financiamento não estar definido, há outro dado relevante que importa referir. No Plano Plurianual de Investimentos anterior, o valor previsto para 2014 era de 69.700.000 euros, cerca de 9.000.000 euros superior ao que agora é apresentado. Na altura a CDU aludiu ao que parecia ser uma estratégia de atirar para adiante as despesas necessárias, logo se vendo como seria. Disseramnos que não era assim, que estávamos enganados, mas quer-nos parecer que, afinal, estávamos certos», dizem acrescentando que «a Maia não pode simplesmente ficar à espera. Precisa de uma Câmara Municipal dinâmica, com ideias novas, rigorosa e capaz de combater o marasmo a que parece estarmos condenados», disseram a terminar. A CDU votou contra os documentos.

05

\\ Opinião Ricardo Oliveira

Os médicos também se desiludem… Provavelmente o nome de Danielle Ofri não lhe diz nada. Trata-se, contudo, de uma médica com obra publicada no domínio das emoções relativas ao médico no seu contexto profissional, pessoal e na sua interacção com o doente. Um dos seus últimos livros “What Doctors Feel: How Emotions Affect the Practice of Medicine.” relata bem alguns dos aspectos desta cumplicidade. Podendo ser lido por qualquer um, pode tornar-se numa ferramenta importante para que doentes e clínicos possam mutuamente descobrir os seus anseios, frustrações, comportamentos e, desta forma, melhorar a qualidade de prestação de serviços clínicos. No entanto, o que me faz recorrer a Danielle Ofri na crónica desta semana, prende-se com o seu artigo na revista “The Times” também ele publicado nesta semana intitulado “The Epidemic of Disillusioned Doctors”. São assombrosamente assustadoras as parecenças nas peripécias nesse artigo contadas e o que vivemos actualmente no nosso Serviço nacional de Saúde ou até noutras prestadoras de serviços de saúde. É descrito num texto com um ritmo quase aflitivo um episódio em que a médica se apresenta perante um doente que não fala a língua materna da médica, simultaneamente o sistema informático não funciona, tendo que recorrer simultaneamente ao telefone para o informático do hospital, assim como a um tradutor que lhe possibilite a tradução das queixas da doente, e ainda pressionada por uma norma da sua instituição que lhe diz que deve atender cada paciente até um período máximo de 15 minutos, caso contrário não estará a ter os níveis mínimos de qualidade que lhe são exigidos. Entre traduzir, ligar e desligar computadores que não funcionam, dar atenção ao paciente queixoso que nem fala a língua materna do país, não é possível manter os 15 minutos considerados essenciais, para manutenção do padrão de qualidade. Quer dizer, se calhar até era, mas pergunto ao leitor se gostaria de estar no lugar do paciente? Pois bem, seguramente que não… Este episódio nos seus contornos gerais é tão assustadoramente familiar que facilmente como doente já reparou que quando vai a alguma consulta seja onde for, ou algum serviço de urgência, quantas das vezes não encontra alguém a suspirar e a insultar um qualquer computador ou impressora por perto... Mais, é aterrador perceber que, segundo os cálculos de Danielle, os médicos passam cerca de 22% do seu tempo a tratar de papelada não clínica!!! Isto equivale a cerca de 165 000 (!!!) médicos em marcha lenta com trabalho burocrático em vez de ver doentes. Tudo isto, aliado a uma não compreensão por parte do paciente do que se passa (nem tem de compreender), com uma não correspondência salarial à responsabilidade a que estão sujeitos, pela prática cada vez mais defensiva da profissão (fruto, por exemplo, do “endeusamento” da informação colhida online em detrimento do conhecimento clínico do médico), a uma pressão para ter resultados numéricos em detrimento de resultados em pessoas, tem levado a um aumento exponencial da frustração na medicina, levando, em países mais desenvolvidos, a que a profissão esteja a ser preterida em função de outras… (lá terão os nossos jovens médicos de emigrar para esses países). Mas haja esperança, afinal segundo o seu artigo, os clínicos escolhem medicina para contactar e ajudar as pessoas em primeiro lugar. Por outro lado, enquanto jovens, e se do sexo masculino conseguem ser mais resilientes a todas estas intempéries que tentam atrapalhar a boa prática médica. Formas de resolver? É simples. Liberte-se o trabalho burocrático e transfira-se para quem estudou esses assuntos… tão simples, tão barato, tão gerador de emprego e de eficiência clínica… Por isso, e bem vendo as coisas, ainda há muitos samaritanos dispostos a ajudar quem realmente precisa… mas isso não se vê nos números do INE, vê-se isso sim na luta diária que cada médico faz para resolver o problema individual de cada um dos seus doentes. Mas atente, porque os médicos também se desiludem! Ricardo Filipe Oliveira Médico Mestre Eng. Biomédica (FEUP) Lic. Neurofisiologia (UP) Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.


06

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Sociedade \\ Opinião Joaquim Jorge

Os nomes dos deputados eleitos nas últimas eleições legislativas, de 2011, pelo círculo de Viana. CDS - Abel Lima Baptista PS - Fernando Medina Maciel Almeida Correia Jorge Manuel Capela Gonçalves Fão PSD - Carlos Eduardo Almeida de Abreu Amorim Eduardo Alexandre Ribeiro Gonçalves Teixeira Rosa Maria Pereira Araújo Arezes O paradoxo do nosso sistema eleitoral. Os vianenses elegeram 6 deputados para os representarem na Assembleia da República. O mais conhecido pela força da televisão, como comentador e depois como candidato à CM Gaia - Carlos Abreu Amorim. Por onde tem andado os deputados? Porque não defendem os interesses e a população de Viana, neste caso, dos trabalhadores dos Estaleiros de Viana. Como é possível alguém ser cabeça-de-lista em Viana e depois candidato em Gaia, sendo do Porto!? E os outros deputados porque não dão, também a cara em defesa de Viana? Deveriam todos demitir-se perante a figura triste que estão a fazer... Em Viana vem ao de cima as contradições do sistema eleitoral vigente e fica demonstrado uma das razões paradigmáticas que a lei eleitoral deveria ser alterada. Os deputados são eleitos para representar as populações que os elegem, e logo de seguida, quando são eleitos passam a defender e a representar o seu partido. Errado! Nesta caso para que se elege deputados? Nesta questão em Viana sobressai a tenacidade, a luta, o procurar ajudar do presidente da CM Viana, José Maria Costa. Constituição da República Portuguesa Artigo 151.º Candidaturas 1. As candidaturas são apresentadas, nos termos da lei, pelos partidos políticos, isoladamente ou em coligação, podendo as listas integrar cidadãos não inscritos nos respectivos partidos. 2. Ninguém pode ser candidato por mais de um círculo eleitoral da mesma natureza, exceptuando o círculo nacional quando exista, ou figurar em mais de uma lista. Artigo 152.º Representação política 1. A lei não pode estabelecer limites à conversão dos votos em mandatos por exigência de uma percentagem de votos nacional mínima. 2. Os Deputados representam todo o país e não os círculos por que são eleitos. nota: reparem que os deputados, perante a lei são eleitos por Viana e depois representam todo o país. Então porque são eleitos por Viana? Qual o interesse dos cidadãos de Viana elegerem deputados? Eu respondo: nenhuma. O sistema está desenhado para em última instância defender sempre os partidos e não quem os elege - cidadãos.

DANÇA

maiahoje

Grupo composto por atletas portadores de deficiência

Projecto “A_ju_dança” O Projecto “A_ju_dança” realizase desde 2006 e propõe-se apresentar experiências coreográficas em que a dança dá as mãos com a vida. Trata-se de um grupo de atletas portadores de deficiência com visões e paixões que se afastam e aproximam. Corpos diferentes que se entrelaçam, se tocam, se empurram se sentem, se entendem, se amam. O grupo pretende que o público seja tocado pela sua paixão, oferecendo a sua dança e partilhando um pouco da sua alma. No passado dia 12 de Dezembro realizou-se mais um espetáculo no Complexo Municipal da Casa do Alto que contou com o apoio da Norsecur e do Pelouro da Juventude da Maia que cedeu o auditório.

SOLIDARIEDADE

Nas instalações da Cruz Vermelha da Maia

Jantar de Natal para os utentes No passado dia 22 de dezembro decorreu a 2ª edição do evento solidário nas instalações da Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação da Maia. O objetivo, proporcionar um jantar de Natal aos utentes e seus familiares integrados na Equipa de Rua da Maia – Projeto Despertar, unidade móvel. Esta equipa atua no âmbito da Redução de Riscos e Minimização de Danos junto de indivíduos toxicodependentes, no bairro do Sobreiro e em Nogueira (Maia). A organização deste evento contou com os membros: Cláudia Ribeiro, João Teixeira, Gisela Lopes, Luís Salazar Reis, Marta Garcia, e Tânia Rodrigues. O jantar contou também com a participação voluntária de uma equipa de sete cozinheiras/os que se disponibilizaram na preparação de uma refeição para cerca de 50 pessoas (utentes e membros da Equipa e membros da Direção da Cruz Vermelha da Maia). O menu do jantar foi constituído por entradas variadas, sopa, prato principal, sobremesa, café e chocolate quente. Esta refeição não seria possível sem a contribuição voluntária de várias pastelarias, talhos e minimercados locais bem como de pessoas que colaboraram simbólicamente para proporcionar alguns bens alimentares. Este evento permitiu reunir um conjunto de pessoas que vivenciam problemas que estão presentes na

sociedade, como toxicodependência, alcoolismo, sem-abrigo e famílias com carências sociais, assim como os membros da Equipa de Rua e membros da Direção da Cruz Vermelha da Maia, Manuel Nogueira dos Santos e José Manuel Araújo. Esta proximidade entre utentes e

os membros da Cruz Vermelha, proporcionou a partilha de experiências de quem vive na rua, de quem sofre as consequências do consumo de drogas lícitas e ilícitas aditivas e para quem vive em carências sociais. De acordo com a organização, «é necessário começar a dar mais ên-

fase a estas realidades sociais na medida em que a sociedade constitui um veículo de mudança para estes fenómenos pelos quais também somos responsáveis. É urgente mudar mentalidades e eliminar os estigmas associados a esta população».


maiahoje NATAL

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Sociedade

Organizada pelo Centro Comunitário

\\ No fio da Pena

Festa de Natal em Vila Nova da Telha

Realizou-se no passado dia 21 de Dezembro de 2013 a Festa de Natal do Centro Comunitário de Vila Nova da Telha. A organização esteve a cargo do Centro Comunitário. Contou com o apoio da Junta de Freguesia que cedeu o auditório para a realização da festa. O evento começou por volta das 15h e o auditório encheu com a presença dos utentes do Centro, numa tarde de muita animação. Lurdes Maia, provedora da

AMBIENTE

Santa Casa da Misericórdia da Maia, marcou presença e salientou que, sendo Natal, «é tempo de nós mostrarmos um pouco de solidariedade e de reconhecimento por aqueles que durante o ano nos ajudam e que nós de alguma forma também podemos ajudar». A provedora agradeceu ainda às entidades que ajudaram à realização da festa, principalmente à Junta de Freguesia, não só pela cedência do espaço mas também pelo apoio, principalmente financeiro e logís-

Pedro Ferreira*

tico, dado ao longo de muitos anos. Lembrou ainda todos os colaboradores e toda a equipa do Centro Comunitário de Vila Nova da Telha, que considera «de qualidade», baseando-se no «exemplo que todos os dias nos dão e acho que também vocês, naquilo que têm beneficiado nos mais variados aspectos, com esta equipa, conseguem reconhecer a qualidade do serviço prestado». Joaquim Azevedo, presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova

da Telha, disse que a Junta «continua e continuará sempre disponível para colaborar com o Centro Comunitário». O presidente elogiou igualmente o trabalho levado a cabo pelo Centro, salientando a importância que tem «a palavra, o carinho e o amor que dá a muitos de vocês».

bilidade de equipamentos de deposição seletiva de resíduos para pessoas com deficiência ou incapacidade, associar dois temas: a separação de resíduos (e a reciclagem) e pessoas com deficiência ou incapacidade, projetar o equipamento ideal para este público-alvo tão específico, testar a produção do equipamento de acordo com as es-

pecificidades definidas, realizar experiência(s) piloto para testar o equipamento, colocar o equipamento na via pública, em pontoschave, a definir e verificar a adesão da população alvo à iniciativa.

Luís Filipe Azevedo

LIPOR distinguida

IV Gala da Inclusão A LIPOR foi distinguida com o Galardão “Acessibilidades” na IV Gala da Inclusão, pelo projeto “R+ Reciclar +, reabilitar mais” que dinamiza, onde está bem explícito o conceito “R+ - Equipamentos Amigos das Pessoas”. Este Galardão distinguiu a LIPOR por ser uma entidade inclusiva, que defende a igualdade de oportunidades para todos, independentemente da condição física das pessoas, que promove e busca soluções inclusivas e que quer, acima de tudo, ser Amiga das Pessoas. A IV Gala da Inclusão, uma iniciativa do Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) e da Câmara Municipal de Leiria tem como objetivo homenagear entidades e individualidades que se distinguiram na inclusão de pessoas com deficiência, distinguindo as boas práticas inclusivas nas áreas de “Media”, “Investigação aplicada”, “Cultura, desporto e lazer”, “Boas práticas de inclusão no mundo do trabalho”, “Acessibilidades” e “Mérito regional”.

Projeto R+ O objetivo é permitir a participação de pessoas com deficiência/incapacidade na deposição seletiva de resíduos urbanos. A LIPOR, enquanto promotora da iniciativa, convidou os seguintes Parceiros a integrar o Projeto: LIPOR – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, INR, I.P. – Instituto Nacional para a Reabilitação, OVO Solutions, APA – Agência Portuguesa do Ambiente, Provedoria Metropolitana dos Cidadãos com Deficiência - Junta Metropolitana do Porto, Ordem dos Arquitectos – Secção Regional Norte, ACAPO – Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal e SPV – Sociedade Ponto Verde, S.A. Os objectivos do projecto são: combater a exclusão social, permitindo que cidadãos com deficiências tenham as mesmas oportunidades de aderir à reciclagem multimaterial, debater o tema das acessibilidades/disponi-

07

No número anterior abordei o modo como o discurso é moldado para se adequar à prática, precisamente em situações para as quais, segundo os parâmetros de quem detém o poder, a mudança dos termos ajuda a mudar os conceitos ou, pelo menos, a paulatinamente alterar a visão global que a comunidade tem desses mesmos conceitos. O espaço desta coluna é necessariamente curto para tratar convenientemente um assunto tão complexo quanto este, e bem sei que corro o risco de passar uma visão demasiado simplista, o que não é de todo minha intenção. Naturalmente não se trata de um processo linear nem automático. As pessoas não são meros recipientes de informação, filtram-na de acordo com os seus valores e cultura, aspectos de ordem emocional, afectiva e intelectual. Mas, não obstante esta dimensão, a massificação do acesso à informação e a uniformização da oferta que parece cada vez mais afunilada em termos ideológicos, potencia a rapidez e o modo como estas mudanças ocorrem e, sobretudo, como são orientadas no sentido da entronização de um determinado modo de pensar, logo, de interpretar a realidade, em detrimento de um ou vários outros. Não é por acaso que este fenómeno se expressa abundantemente na linguagem política quotidiana, no politiquês como depreciamente se diz, sobretudo numa altura em que a comunicação social repete à saciedade que não há alternativas. Creio que isto merece reflexão. Reparemos como a palavra “mentira” parece ter sido extirpada do discurso político corrente, substituída por “inverdade”, ou pela impagável “falha de comunicação”. Esta expressão, por si só, vale um tratado sobre demagogia, isto é, a política como forma de manipulação das massas. Qualquer aluno do ensino secundário que estude comunicação conhecerá os 5 Axiomas da Comunicação de Watzlawick, mas nem é preciso saber os 5 para compreender a natureza da “falha”, basta determo-nos no primeiro – É Impossível Não Comunicar. Portanto, quando nos falam em falhas na comunicação, o que efectivamente nos querem dizer é que houve uma falha no modo como a informação foi embrulhada antes de nos ser entregue. Outro exemplo muito actual é a utilização da palavra “reforma” sempre que se faz referência à extinção de serviços. Por exemplo, o Governo não “encerra” centros de saúde, estações de correios, ou repartições de finanças, o Governo “reforma” tudo isso, dando-se assim ares de executivo quando não passa de uma mera comissão liquidatária do país. Concluirei este assunto no próximo número.


08

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Sociedade

maiahoje pub

\\ Opinião Joaquim Armindo

ANO 2013 O ano de 2013 acabou, fomos confrontados com inúmeras medidas e acontecimentos de uma loucura esfuziante; neste fim de ano lembramo-nos do que passamos, dos nossos medos e das nossas alegrias. Porque existem medos: nos trabalhos, sociedade, dos amigos e inimigos, dos vizinhos e até das nossas sombras, ou não estivéssemos no meio de um lodaçal. No meio dele não esquecemos, agora, do envio das “boas festas”, “santo natal” e “bom ano de 2014”, a forma de comunicação para todos a todos afirmarmos a nossa amizade a uns tantos que fizeram o favor de ser nossos amigos. A amizade como St. Agostinho de Hipona, entendia, que era “Amar o Amor”, ou St. Anselmo de Cantuária na sua oração dizia: “Rogo-te pois, benévolo e bom Deus, por aqueles que me amam por causa de Ti; mais fervorosamente rogo por aqueles cuja amizade para comigo e a minha para com eles Tu sabes ser sincera”. A amizade como forma de amor de amizade, que transcende qualquer outra que deterministicamente se quer encontrar em minúsculos subterfúgios, e não como unidade de um todo, na sua multiplicidade. “Amar o Amor”, esta amizade, ou melhor o “amor da amizade”, aquela que não é pólvora destruidora das relações entre os seres vivos, foi em nosso entendimento o ano de 2013 pródigo. Dois acontecimentos, talvez o primeiro com mais sentido que o segundo, porque sem ele não existiria este: a renúncia de Bento XVI e o aparecimento de Francisco. O Papa nascido na cúria romana passava o seu testemunho de homem culto e teológico, àquele que poderá vir a ser o “presente” mais vivo deste século XXI. A renúncia, não abandono, daquele, foi uma atitude de coragem e de colocar no centro da ação do Evangelho, Jesus. Renunciou como homem sujeito às suas inferioridades e não temendo a ferocidade duma estrutura que fica bem sentada no Vaticano, não caminhando “nas periferias” e “para as periferias”. Francisco apareceu como “dom”, cremos que não vem destruir a lei, mas oferecer a misericórdia e “Amar o Amor”, como este Amor é Deus, e só lhe daremos Amor se os outros forem amados, amar o amor, amor de amizade, dar Glória a Deus, é amar o outro. Amizade é superior ao “amor corpóreo”, embora o possa conter, porque é gratuidade, oferta de cada um ao serviço de todos. Talvez seja isso que esperamos do Papa Francisco, teimosamente querendo ser o bispo de Roma só, o que constitui uma abertura ecuménica sem qualquer precedente. Francisco mexe, dá o exemplo, o resto tem de ser com cada um de nós, sem isso a Igreja continuará a ser feudal e estará fora do mundo. Joaquim Armindo pub

MÚSICA

Concurso Mundial Global Rockstar lança maiatos

E o vencedor é: Kandia

A Global Rockstar foi fundada em Outubro de 2012 pelo compositor e produtor musical Christof Straub e Ronny Steibl, produtor e especialista em marketing «apenas

porque adoramos música e achamos que há tanta música que passa despercebida e que vale a pena ouvir», dizem os fundadores, que referem como objectivo «que os artistas re-

cebam o máximo de visibilidade e que também tenham proveito monetário», dizem justificando que «com a Global Rockstar conseguem as duas coisas.


maiahoje

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Sociedade

09 pub

Com um programa de patrocínio único, as grandes marcas têm a oportunidade de apoiar financeiramente músicas e com isso, artistas da sua escolha. Para que neste processo haja justiça, o júri do concurso é formado pelas próprias bandas de todo o mundo a concurso», garantem. Versão experimental em 2012 O sucesso do concurso experimental, o primeiro concurso mundial online, realizado em 2012, que acolheu mais de 2 milhões de votos online no “Arena Global Rockstar”, ditou como vencedor os “Watcha Clan”, banda de Marselha, França, que combina ritmos mundiais com a electrónica e levou para casa cerca de 10.000 euros e o “pack banda” da famosa marcaYamaha. Maiatos ganham 2013 Na edição 2013 participaram mais de 400 artistas de 120 países tendo os maiatos “Kandia” ganho o primeiro lugar, seguidos dos “Saraha” de Kibaha na Tanzânia e dos “The Red X Project”, de Aberdeen no Reino Unido. Quem são os “Kandia” Os jovens Nya Cruz e André Cruz, decidiram, em Novembro de 2007, unir forças criativas para dar origem a “Kandia”. O projecto nasceu na forma de uma música chamada “Grown Up” que mais tarde faria parte do primeiro EP da banda. Com um gosto algo eclético, os fundadores , misturando as suas influências musicais, criaram uma sonoridade específica que deu origem ao primeiro EP chamado “Light”, gravado em Julho de 2008 pelo produtor Daniel Cardoso. Em Agosto o trabalho foi divulgado pela internet e lançado oficialmente em Outubro. O EP “Light” teve excelentes críticas e comentários que encheram por completo a página da banda no “Myspace”. Nya e André ainda tinham um bom punhado de novas canções e já pensavam em entrar em estúdio de novo. O que veio a suceder em Maio de 2009 com o seu álbum de estreia “Inward Beauty|Outward Reflection”, também produzido por Daniel Cardoso. Em Janeiro de 2011 é gravado o primeiro videoclip de “Into Your Hands” que teve alguma exposição no canal televisivo MTV e tem actualmente mais de 50.000 visualizações no Youtube. "Inward Beauty|Outward Reflection" chamou à atenção de Masa Kishimoto que as-

sinou contrato para a edição Japonesa do álbum. Ainda em 2011, foram convidados a participar no “Latvia’s SummerSound Festival “, Festival de Verão da Letónia, partilhando o palco com os “Guano Apes”. Em Outubro a banda holandesa “Within Temptation” visitou Portugal e deu-lhes a chance de abrirem os seus dois concertos, tendo instantaneamente crescido a sua base de fãs. Continuando a relação com o teclista dos “Anathema”, Daniel Cardoso, passam de novo ao processo criativo e assinam contrato com a pub

BMG Chrysalis Benelux. Tirando proveito da sua legião de fãs e percorrendo o mesmo caminho, lançaram uma campanha de recolha de fundos para a edição do novo álbum “Al lis gone” e filmagem do single “Scars” que é lançado em Maio de 2013 e tem já cerca de 50.000 visualizações no Youtube. Nunca satisfeitos Nya e André levaram “Kandia” para além das fronteiras nacionais vencendo o Global Rockstar 2013, oficialmente o primeiro concurso mundial online.

\\ Opinião Mário Lopes

RADICALISMO Em épocas de crise como a que actualmente vivemos, torna-se comum proliferarem pensamentos extremistas por parte de algumas elites, cavalgando o descontentamento social, potenciando a revolta. Recorrendo a narrativas apocalípticas, usam todo o género de tácticas que visam, sobretudo, a utilização amplificada de um sentimento poderoso e inato no ser humano: o medo. Torna-se pertinente questionar quais os objectivos desta conduta, designadamente se se prendem com a pretensão da conquista do poder ou, por outro lado, se apelam à existência de um contexto de terra queimada que legitime o recurso a discursos radicais, mais quanto à forma do que quanto à substância, apenas para justificar a existência de quem os pratica. O sucesso da proliferação do radicalismo depende, em grande medida, do grau de aceitação que a sociedade lhe confere. No caso português, o grau é baixo e assim se tem mantido, mesmo em alturas mais agudas nas quais o desalento social é maior, contribuindo deste modo para a não concretização de previsões catastróficas no que ao nosso país diz respeito. Existem várias formas de radicalismo, umas mais inofensivas que outras. No entanto algumas não se enquadram nesta classificação nem têm a sua génese em movimentos de cariz radical, mas nas elites sociais ideologicamente mais ao centro no espectro político, sendo igualmente nocivas à estruturação social. Nelas enquadra-se o Sebastianismo, cujo enfoque se centra numa pessoa com poderes messiânicos que conseguirá - como por magia - alcançar metas dantes inatingíveis, mantendo a mesma forma organizacional, o que por si só torna a tarefa de concretização impossível, na minha opinião. Simultaneamente, a narrativa sebastiânica pressupõe a existência de uma inteligência superior às demais. Esta é uma das características de egocentrismos que, regra geral, conduzem à criação de regimes ditatoriais. Este texto constitui um alerta para todos aqueles que estão convencidos que a Democracia está totalmente imune a perigos e ensejos, designadamente de lobos disfarçados com pele de cordeiro. Mário Lopes Licenciado em Ciências Sociais (não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico).

pub


10

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Sociedade \\ Opinião

maiahoje

SOLIDARIEDADE Apoiar IPO Porto, Raríssimas e Criança Diferente

Musical “Hairspray” amanhã no Fórum da Maia Frederico Branco

Enurese Nocturna – Um drama da criança, dos Pais, ou de toda a Família! “O meu filho ainda urina na cama! Devo castiga-lo?” Infelizmente ou felizmente, esta é uma das perguntas frequentes que tantos Pais e Mães que procuram um Urologista nos colocam sobre os seus filhos! Curioso, ou não, é que muitos destes Pais também urinaram na cama até muito tarde enquanto miúdos! Aí só a preciosa memória dos Avós, essa entidade Familiar importantíssima, na pirâmide Familiar dos nossos dias, pode auxiliar os Pais! Muitos são os Pais que não percebem o porquê do seu filho(a) fazer o xixi na cama! Será por má-educação? Preguiça? A verdade é que tal transtorno muitas vezes envolve um desequilíbrio social enorme, comprometendo inclusive toda a estrutura Familiar. A enurese noturna, vulgo fazer xixi na cama, consiste na micção ativa, completa e involuntária num momento ou num local inapropriado, socialmente inaceitável. Apesar da maioria dos Pais julgarem que só os seus Filhos padecem deste problema, aos 5 anos de idade, entre 15% e 20% das crianças molham a cama durante a noite. Felizmente aos 15 anos, este problema persiste em apenas 1 % da população. É fundamental uma abordagem pedagógica tanto à criança como aos Pais. A criança não deve ser punida, mas sim responsabilizada, não sendo aconselhável o uso de fraldas. Em casos específicos, nomeadamente em casos de famílias disfuncionais, crianças hiperactivas ou com distúrbios do sono poderá ser necessário o recurso a terapêutica farmacológica, sendo aí importante o esclarecimento médico especializado! “Se queres que seus filhos tenham os pés assentes no chão, coloque-lhes algumas responsabilidades nos ombros.”

Abigail Van Buren Frederico Branco Médico Especialista em Urologista no Centro de Urologia do X- Maia www.fredericobranco.pt Email: fredericobrancomd@hotmail.com Xmaiaconsultadeurologia@gmail.com

Após ter conquistado Broadway e do sucesso nas salas de cinema em todo o mundo, este espetáculo musical continua a conquistar cada vez mais público. A versão portuguesa do Musical Hairspray, adaptada e encenada por Daniela Costa, teve a sua estreia no passado 5 de julho. As Expressões Artísticas da EDMMM deixam agora o seu palco e levam à cena, mais uma vez, este espetáculo amanhã, dia 4 de

Janeiro às 21h30 no palco do Grande Auditório do Fórum da Maia. A Escola Dramática e Musical de Milheirós Maia associaram a este espetáculo três instituições e a receita deste espetáculo reverterá a favor do “IPO do Porto”, “Raríssimas” e da “Criança Diferente”. Esta comédia musical tem nos principais papéis Sara Ferreira, como Tracy Turnblad, e Ivo Salgado, como Link Larkin. Este par

romântico dá pano de fundo a um famoso programa televisivo, marcado pelo racismo e pela luta a favor da integração social, e a uma sociedade fraturada por padrões de corpo, comportamento e aspecto. Dirigida a um público heterogéneo em termos de idades, apropriada a crianças (maiores de seis anos) e seniores, esta comédia musical promete melodias inesquecíveis, um cenário brilhante, um guarda-roupa apropriado e vozes

imperdíveis. Um espetáculo aliado a causas nobres que nos interpelam todos os dias. Um espetáculo que não deve perder. Bilhetes estão à venda na EDMMM até 2h antes do início do espetáculo e no local, até uma hora antes de o espetáculo começar e têm o custo de 5Euros. Aceitam-se reservas de bilhetes por mail e que terão de ser levantadas até 30 minutos antes do início do espetáculo.

LIVRO Um retrato da adolescência em verso

“Meia-Asa” de André Santos Oliveira

Decorre amanhã, no auditório da Escola Secundária da Maia, às 17h, a sessão de apresentação do livro “Meia-Asa” da autoria de André Santos Oliveira. O autor «um orgulhoso jovem maiato» pretende, com esta obra, «partilhar com os seus conterrâneos e habitantes da Área Metropolitana do Porto esta minha primeira investida na arte de versejar». “Meia-Asa” reúne poemas que abordam, de uma forma íntima e in-

\\ Opinião Paulo Pinheiro

Hipnose e Desintoxicação tabágica A OMS considera o consumo de tabáco a principal causa de morte evitável no mundo e a previsão de mortes para os próximos anos é alarmante. A entidade calcula que pelo menos 10 milhões de pessoas irão morrer em 2020 por causa do cigarro. “Para tentar evitar ou pelo menos amenizar todas essas questões causadas pelo vício no tabaco, já foram criadas diversos tratamentos e terapias para ajudar o indivíduo a livrar-se desse problema preocupante. Dos vários tratamentos disponíveis, na qual se encaixa a Hipnose Clínica, que tem como objetivo intervir ao nível do subconsciente (parte da mente responsável, pela gestão dos impulsos) equilibrar o organismo como um todo, intervindo ao nível emocional (stresse e ansiedade), parte fisiológica, (abrandando a atividade cerebral e ritmo fisiológico) e o automatismo Comportamental (ato que é repetido dezenas de vezes pelos fuma-

tensa, descobertas, dúvidas, medos, experiências e vontades que são comuns a todos os adolescentes. O próprio título é uma metáfora da adolescência enquanto a fase etária em que «recriámos internamente o mundo face à necessidade de refletirmos sobre tudo isto que nos envolve e que nos silenciará um dia», disse o autor. Um livro que rebenta da interioridade de todos nós, porque a inquietação, o espanto e o dores) e por isso faz com que o individuo, desde as primeiras sessões comece a reduzir o ato compensatório no cigarro sem compensar na alimentação, o que ocorre na maioria das vezes quando a paragem do consumo é abrupta e sem acompanhamento técnico especializado. Uma pequena proporção de fumadores é capaz de manter níveis baixos de consumo e consecutivamente deixar de fumar. Contudo a grande maioria encontra grandes dificuldades em deixar de fumar, e se o tenta fazer, na maioria dos casos não são bem sucedidos, voltando muitas das vezes a aumentar o consumo anterior à tentativa realizada. Para tal será preciso um acompanhamento técnico para o início do processo de desintoxicação tabágica. Vários são os tratamentos disponíveis quer ao nível farmacológico, quer de algumas terapias ditas terapias naturais, mas este campo de atuação é limitativo, e muita das vezes quem experimenta estes processo, sente que se voltar a “tocar” no cigarro, surgira novamente o consumo em escalada e na verdade a dependência psicológica e o automatismo comportamental associado ao consumo do tabaco não são contabilizados nestas intervenções e isso se comprova pelo fato de muitos fumadores, que já conseguiram parar de fumar por um período superior a 12 dias, acabam por voltar a fumar, ou seja, já tinham superado o vício químico, mas ainda não tinham superado o vício psi-

deslumbramento são os motores da racionalidade humana. Um livro que se estende ao leitor como um testemunho, como um lembrete que recorda a importância da poesia no amor à vida. André Santos Oliveira nasceu na Maia em 1998 e, desde muito cedo, revelou um profundo interesse pela leitura e pela escrita, particularmente pela poesia, tendo escrito os seus primeiros poemas com apenas 10 anos. Incentivado por familiares, amigos e professores, empenhou-se em desenvolver a sua propensão para as letras e em tentar transformar o que pensa, sente e vê em versos. Assim, tem vindo a participar em vários concursos e encontros literários que lhe têm permitido partilhar a sua escrita e adquirir alguma experiência. Atualmente frequenta o Ensino Secundário na área de Línguas e Humanidades.

cológico e o condicionamento comportamental. É neste ponto que entra a Hipnose Clínica, que vai intervir ao nível da reprogramação mental e na motivação para parar de fumar, no descondicionamento do ato de fumar e na substituição por outros comportamentos mais saudáveis, promovendo a gestão emocional. Aliviando o stresse a ansiedade que estão na base do comportamento compensatório, e dando indicações à mente subconsciente, que em estado de transe (relaxamento profundo), fica mais sugestionável às indicações do Psicoterapeuta, contribuindo desta forma para um padrão mental/comportamental saudável e adaptativo. A Hipnose Clínica, com as modernas técnicas de Condicionamento Mental Positivo, é sem dúvida, a solução mais rápida para quem deseja parar de fumar, sem contra-indicações, de forma natural, breve e não invasiva e com a vantagem do individuo não sofrer do síndrome de abstinência, (típico nos outros tratamentos). Um das questões levantadas pelos indivíduos em início de consulta, está relacionada com o número de sessões necessárias para deixar de fumar. Este processo, será sempre único, e “cada caso, é um caso”, influenciando diversas variáveis (anos de consumo, quantidade de cigarros consumidos por dia, que fatores potenciam esse Hábito, existência de psicopatologia associado). Mas em geral o individuo vai diminuindo o número de cigarros desde as primeiras

sessões de hipnose Clínica até parar totalmente (12, 15, 20 sessões aproximadamente). Após parar de fumar, são necessárias mais algumas sessões de reforço, para solidificar este novo padrão saudável. Este processo de libertação do vício é muito mais amplo para a saúde do que se possa pensar. Outros ganhos secundários e não menos importante tornamse visíveis, tais como: melhoria da tez da pele, expressão facial mais leve, melhoria da respiração e aumento da resistência física, melhoria do hálito, melhoria do paladar e olfato, redução da “voz rouca”, típica nos fumadores e ganho financeiro… Estes benefícios permitem ainda reforçar a auto-estima pelo ex-fumador ao conseguir atingir os seus objetivos, por mais que no início do processo relatem que não acreditam que seja possível deixarem de fumar, como é habitual ouvir nas minhas consultas iniciais de desintoxicação tabágica. Em suma, tomar a decisão é o passo mais importante e difícil, porque o desenrolar do processo de desintoxicação tabágica é relativamente simples e acessível a todos os fumadores. Dr. Paulo Pinheiro Psicólogo Clinico/ Desporto Especialista em Hipnose clinica Happy & Health Emotions Clinic T. 220 963 698 / 910 444 968


maiahoje

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Desporto

11

\\ Opinião

KARATE Clube de Karate da Maia

30 atletas no nacional de Cadetes, Juniores e Sub-21

Henrique Carvalho

Balanço

Decorreu no passado dia 9 de Dezembro, no Marco de Canaveses, a fase regional norte do Campeonato nacional da FNK-P. O CK Maia levou 22 competidores, juntandose ainda os atletas de sub-21 que têm entrada direta na prova nacional. Os atletas têm treinado mais com o objectivo de subir a forma física, técnica e psicológica, focando-se no objetivo geral que é o título nacional, que se realiza no próximo dia 14 de Janeiro no Pavilhão Municipal da Maia e é organizado pelo CK Maia. Para marcar presença neste evento tiveram que dar o seu melhor na prova regional onde saíram com o título de Campeões da Zona norte, Fábio Barbosa, João Alves, Miguel Gil, Vítor Costa e Rafael Cruz. Os vice-Campeões foram Maria Guedes, Mariana Moreira,

Fábio Fernandes e Diogo Biscaia. No pódio, com medalha de bronze, estiveram Patrícia Ascensão, Maria Guedes em kata, Dora Brandão com dupla medalha, Luiz Vandermuren, Diogo Almeida e Sofia Almeida. Para além dos medalhados alguns atletas conseguiram ainda o passaporte para o nacional, passando várias eliminatórias mas perderam no acesso à medalha de bronze, Diogo Sousa, Beatriz Guedes, André Vila Chã, Diana Barros, Diogo Ferreira e Ruben Silva. Depois da presença de quatro maiatos no Campeonato do Mundo, os atletas medem forças nesta prova nacional procurando ainda uma oportunidade de representar a seleção no Campeonato da Europa, que se realiza em Portugal, no Meo Arena em Lisboa .

11 pódios no Campeonato Nacional A Maia, capital do Desporto, acolheu no passado mês de Dezembro, o Campeonato Nacional de Cadetes, Juniores e Sub-21. O Clube de Karate da Maia teve a difícil tarefa de organizar esta prova a três semanas da mesma. O Pavilhão Municipal da Maia foi pequeno para receber tantos atletas e interessados da modalidade, que preencheram por completo o espaço com um total de 70 clubes e mais de 700 competidores. Os atletas maiatos estiveram em bom nível acabando por disputar cinco finais perdendo apenas uma, arrecadando assim um total de 11 pódios e em algumas situações muito perto das medalhas. O grande destaque vai para Rafael Cruz que venceu o escalão júnior +76kg eliminando os cinco

adversários e por duas vezes viu um dedo deslocado e na final o sobrolho aberto. No entanto isso não impediu que saísse com a medalha de ouro. Os outros vencedores foram Luis Vandermuren, cadete 70Kg e as irmãs Ana Almeida sub21 +60kg e Sofia Almeida júnior +59kg. Miguel Gil foi o único vicecampeão. O atleta +70kg cadete não conseguiu superar o seu adversário na final. Com boas prestações e apenas parados na passagem à final estiveram, Alexandre Costa, Fábio Barbosa, Inês Almeida, Patrícia Ascensão e Dora brandão nas vertentes de Kata e Combate. Diogo Sousa, Maria Guedes, Beatriz Guedes, Diana Barros e Ricardo Azevedo não conseguiram chegar às medalhas.

ATLETISMO 250 metros pista coberta

Ricardo Reis recordista regional iniciados Ricardo Reis é o novo recordista regional iniciados na prova de 250m em pista coberta. No passado dia 21 de Dezembro de 2013, em Pombal, o atleta, treinado por Nuno Gonçalves, bateu o record com o tempo de 30,5 segundos, em cronometragem manual. Uma semana depois, no dia 29,

pub

em Braga, Ricardo Reis fixou um novo record desta feita em cronometragem electrónica com 31,18 segundos. Para a história ficam, para a mesma prova, dois records, um com registo manual e outro eletrónico pertencentes ao atleta Ricardo Reis.

Sou dos que gosta de ter alguma memória. Para tal tento guardar no meu subconsciente algumas frases, números e ideias, para mais tarde fazer o balanço e verificar se quem falou deve ser considerado sensato ou não. Lembro bem que há um ano os nossos governantes tinham na proposta de orçamento para 2013 objetivos bem concretos. E que a oposição desdenhou forte e feio no sentido de que nada que o governo propunha ia ser conseguido. Lembro certos artigos serem enviados para o Tribunal Constitucional, alguns serem aprovados outros não e, o governo recriar outras formas de conseguir os mesmos resultados, de os opositores dizerem cobras e lagartos disso e, verifico que hoje, dizem o mesmo das propostas para o orçamento de 2014. Como resultado final vemos vários sinais positivos, embora ténues ainda, confirmando o que o governo propunha, e, verifico que as negas da oposição não se justificavam. A pesar disso, tenho o balanço deste ano como razoavelmente positivo. Mas os “contras” nunca aprendem a lição. Já rebatem as mesmas frases debatidas desde há décadas a propósito do orçamento para 2014, preparam o envio do dito para o TC, tentam desacreditar os votantes, procuram oficializar a crise. Espero bem que não tenham razão e que daqui a um ano, no próximo balanço, todos os portugueses tenham a noção de que os sacrifícios valeram a pena e que o nosso país merece o respeito e consideração internacional porque tanto tem lutado. Estou convicto de que isso vai acontecer, e que, ou a oposição muda o discurso e ajuda a consolidar o encerramento do programa de ajuda internacional, ou os votantes reconhecerão quem realmente trabalhou seriamente para que isso se conseguisse e dirigirão o seu voto para quem conseguiu livrarnos desta crise. Aí, o resultado eleitoral pode ser negativo para quem só disse mal, esqueceu o interesse nacional, e não foi capaz de ajudar, pouco que fosse, a vencer esta batalha e, naturalmente, o balanço que farão trará dor e ranger de dentes. Retenho também outros tempos, em que depois de governos vindos de resultados eleitorais periclitantes, os portugueses brindaram com maiorias absolutas e os opositores maldizentes tiveram de se cingir à sua dimensão. No balanço do próximo ano, quero analisar o interesse de todos os portugueses na consolidação desta crise e ver todos a lutar na mesma batalha à procura da mesma vitória. Só assim, unidos e dedicados, poderemos convencer todos os portugueses a ir às urnas e a votar conscientemente para escolher os mais competentes para consolidar o nosso país na cena internacional. Unamo-nos para o bem nacional e o balanço será positivo. Henrique António Carvalho Janeiro 2014 Escreve ao abrigo do AO


12

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Desporto

\\ Opinião Rogério Gonçalves

ANDEBOL

maiahoje

Um macro na história do clube

Águas Santas-Milaneza vence torneio na Holanda

Vamos entrar em 2014 com os mesmos sonhos e problemas, mas conscientes que podemos fazer um pouco mais em prol do próximo. Vamos deixar de fazer em cada mensagem um muro de lamentações e aproveitar o que temos de melhor para ajudar o vizinho do lado, e por vezes não é preciso dinheiro. Quantos velhinhos nesta época são abandonados pelas famílias e outros que davam tudo para comer uma migalha de bolo-rei. Temos de apelar ao nosso lado solidário e voluntário e vamos com a nossa força fazer um País novo onde possamos dar mais de nós e não estarmos sempre à espera que os outros nos resolvam os nossos problemas. Desejo a todos os leitores desta rubrica o melhor de 2014 e pensem que há sempre alguém que está muito pior do que nós. Votos de BOAS FESTAS Rogério Gonçalves

pub

http://m.maiahoje.pt

no telemóvel ligue-se em

pub

O Águas Santas-Milaneza conquistou o 26º Torneio "Limburgse Handball Dagen" ao bater na final a equipa Holandesa OCI NitrogenLions por 27-23 sendo que ao intervalo o resultado já era favorável à equipa maiata por 15-08. No ano de estreia, a equipa deixou uma imagem positiva junto da organização, surpreendendo o comité organizativo pela organização, postura, fair-play e pela qualidade do jogo e dos atletas que cativou o público presente ao longo dos três dias de competição. A equipa da casa entrou muito forte no jogo e rapidamente fizeram dois golos sem resposta. Mas a equipa orientada por Paulo Faria respondeu e assumiu o comando do marcador para nunca mais o largar. Com uma defesa forte e coesa, ajudada por mais excelente exibição do guarda-redes Telmo Ferreira, a equipa do Águas Santas-Milaneza

provocou erros no ataque do adversário aproveitando efectuar rápidos contra-ataques e materializar em golos a superioridade demonstrada em campo. Ao intervalo o marcador marcava uma diferença de sete golos com Pedro Cruz a marcar 10 golos na primeira parte. A equipa da Maia limitou-se a controlar os acontecimentos no segundo tempo e baixar o ritmo do encontro já que o desgaste era grande perante o esforço feito ao disputar quatro encontros em menos de 48 horas. Mesmo assim, a 10 minutos do fim, a diferença no marcador era de 10 golos, deixando a equipa a salvo de qualquer imprevisto. Paulo Faria rodou toda a equipa, dando mais minutos de jogo aos jovens atletas. Para o clube trata-se um feito que «entra nos anéis da história da Associação Atlética de Águas San-

tas», num torneio em que a equipa maiata mostrou superioridade, viu ainda dois atletas serem distinguidos: Pedro Cruz, com 60 golos marcados, foi o melhor marcador do torneio e o guarda-redes Telmo Ferreira, distinguido como melhor GR. Joaquim Carvalho, presidente da Associação Atlética de Águas Santas disse ser «uma enorme alegria», sendo este um torneio de grande prestígio e enorme tradição na Europa. «Não íamos com a expectativa de vencer, uma vez que estão envolvidas equipas muito fortes, mas fomos vencendo jogo a jogo e chegar à final e vencer o torneio foi uma alegria muito grande e é uma das páginas brilhantes da Associação Atlética de Águas Santas». Os objectivos futuros continuam a ser os mesmos, «tentar chegar à “final four” da taça de Portugal e fazer o melhor possível no campeonato português». Bragança Fernandes, Presidente

da Câmara Municipal da Maia, que acompanhou a comitiva, disse, acerca do torneio, que este foi «fantástico», e que participaram oito equipas que jogam na primeira liga, com um pavilhão cheio, com muitos adeptos. A AA Águas Santas-Milaneza acaba por ser «um dos embaixadores do conselho, à semelhança de todos os clubes que levam o nome da Maia ao estrangeiro, sendo muito importante no caso da equipa Maiata os patrocinadores, nomeadamente a Milaneza que ajuda na situação do clube, assim como outras empresas patrocinadoras». Bragança Fernandes diz ainda que este feito já faz parte de 2014, embora seja nas vésperas do novo ano, o arranque da Cidade Europeia do Desporto com uma vitória, dá ainda mais força para que o evento seja um sucesso. Manuel Jorge Costa


maiahoje KARATE

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Desporto

Campeonato Nacional decorreu na Maia

\\ Opinião

Teresa Silva Campeã Nacional

Fernando Pedroso

A jovem maiata, Teresa Silva, sagrou-se, no passado dia 14 de Dezembro, na Maia, Campeã Nacional de Karate na vertente Kumite (combate) no escalão cadetes feminino 47kg, no Campeonato Nacional que decorreu na Maia. A atleta pratica Karaté desde os 6 anos. Há três anos mudou-se para o Clube de Karate Shotokan do Porto, onde tem vindo a realizar diversas conquistas. Em 2013, Teresa Silva foi convocada para integrar a Selecção Portuguesa de Karate, na comitiva para o Campeonato do Mundo tendo ficado nos primeiros 16 de nível mundial. Perdeu o segundo combate pela diferença de 1-0. No passado dia 14 de Dezembro, ganhou às suas adversárias por 7-0, 4-0, 10-0 e a final por 6-0. Entre os dias 6 e 9 de Fevereiro vai representar Portugal no Campeonato da Europa.

EVENTO

13

DIA MUNDIAL DA PAZ É dia de ano novo Da esperança do povo Dessa paz tão prometida, Paz sonhada e luzidia Da renovada alegria Para dar mais alma à vida

Dia mundial da paz Dia de Santa Maria Dia das almas sãs Dia santo, santo dia

Paz e amor escasseiam Porque os loucos se odeiam Amam dinheiro e guerra, Mais os bandidos que exploram Os políticos ignoram E eis os males da terra…

Loja maiata organiza mega passeio

Pai Natal de duas rodas

Onde estás pomba da paz? Que eu não vejo aonde estejas Anda o mundo para traz Só progridem coisas más, Sempre o vil e as invejas…

Anda o mundo sem controlo Somando só prejuízo Tão sombrio, já sem sol Com a paz fora do rol Por via do pouco juízo Paz que és tão necessária Como o ar que se respira Como o trigo da seara Como a água que o regara Como a musa que me inspira

Ó paz, tu és tão querida Salutar, coisa dos céus Sem ti é pobre esta vida É nada, é fé perdida; Dá-nos paz meu Santo Deus

Realizou-se no passado dia 21 de Dezembro o “Passeio de Natal dos Amigos da Pedalar”. No evento participaram cerca de 230 atletas que se inscreveram gratuitamente e o objectivo foi promover a modalidade e o espírito natalício. Num misto de estrada e fora dela, o passeio teve uma distância de 27km com “560D+” o que quer dizer que, feita a média do percurso, existe um saldo positivo de 560 metros de subida. A iniciativa partiu de cinco pessoas, Nuno Torres, Luís Amaral, Nuno Cunha, Nuno frinchas e Manuel Soares e teve o apoio da loja que lhe dá o nome, além da Protecção civil,

Policia Municipal e dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços que acompanharam a prova. A prova, previamente sinalizada, contou ainda com vários “guias” que marcaram o ritmo de passeio até à primeira paragem no “Monte de S. Pantaleão, na Trofa, onde se procedeu ao reabastecimento com Bolorei, refrigerantes e bebidas energéticas. Segundo a organização, este terá sido o primeiro grande em que se aventura numa organização desta dimensão. Para o ano, por vontade destes haverá mais «mas logo se vê», dizem. Os prémios desta “competição”

foram como será lógico... sorteados. Assim, no final e perante aparente boa disposição, à porta da loja, foram sorteadas três apetecíveis prendas de Natal, um capacete da marca Spiuk, uma camisola BH e um par de óculos Shimano, dos quais não ficou registo dado que no calor da iniciativa o Pai Natal não tomou nota. Outras prendinhas sorteadas foram vales de 50, 25 e 10 euros em produtos da Pedalar que couberam respectivamente ao nº 237 Luís Dinis, do grupo Abelha Maia da Maia; nº 121 Manuel César Faneco, do BTT Maisfit de Águas Santas; e nº 9 Anita do Gangue da Fitinha Rosa, de Águeda. Foram ainda sorteados

vários vouchers de lavagem, lubrificação e afinação aos nºs 007 André Costa; 023 António Santos; 024 António Santos Migueis; 036 António Costa "Militar"; 061 Gregory, da Guia-bike; 072 João Barbosa, 52BTT Team; 089 Joaquim Ferreira, Caça Mouros; 092 Jorge Leite Maia, BTT Team; 148 Nelson Ferreira, CBK Confraria BTT; 152 Nuno Miguel Varela, Caide Bike; 187 Ricardo Cunha; 188 Ricardo Daniel Pinto; 194 Rui Campos, Caça Mouros; 205 Sérgio Lopes, CBK Confraria BTT; 210 Vanessa Bem, Secai Adventure Team; 217 Vítor Manuel Almeida Cardoso e 234 António Viana.

Tenho dó de quem não tem Tenho dó de quem perdeu Paz é o mais nobre bem Dádiva de Deus também, É sem preço, Deus a deu… De que serve o ouro e prata De que serve o vil metal Eles só fazem gente ingrata Só servem quem tão mal trata Sem paz isso nada vale Traz, p’ró mundo pomba branca Paz e gente limpa e franca Traz políticos honestos, Menos pobres cada ano, Faz humano o ser humano E faz trutas, mais modestos. 21 de Outubro de 2013 Abílio Fernando Dias Pedroso


14

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

Magazine

maiahoje

VIAGENS

Timor IV: Suai Mesmo cansados da subida ao Ramelau, pusemo-nos a caminho. A primeira cidade por onde passámos foi Ainaro, localizada num vale. Do alto ainda da montanha, já se avista “ai naru” ou seja, a árvore alta, um gondoeiro. Foi esta árvore que os katuas (anciãos) locais indicaram, em 1904, ao oficial expediente português, quando aqui chegou para estabelecer um posto do comando local. Chegámos à noite ao Suai, cansados, mas fomos calorosamente recebidos por três professores portugueses, o Tiago, a Xana e Jovita. Rapidamente nos esquecemos do cansaço e integrámo-nos nas suas atividades. Depois de jantar levaram-nos até à Catedral, onde tinha chegado a Cruz Jovem, uma cruz coberta de tais e que anda por todas as paróquias de Timor. Por onde passa, há grandes demonstrações de fé. Durante a noite, os jovens revessam-se para a vigília. Aqui no Suai, a presença do Cruz Jovem suscitou a realização dum Encontro Nacional de Jovens. A missa de abertura do Encontro foi solene, tendo sido celebrada pelo bispo de Maliana. Alguns acólitos estavam vestidos com fatos tradicionais. Foi aqui que, a 6 de setembro de 1999, foram assassinados pelas milícias pró-indonésias centenas de civis, entre elas, três padres timorenses e um padre jesuíta da Ilha de Java, cujos bustos se encontram no adro. Esta igreja demorou mais de 20 anos a ser construída, tendo sido oficialmente inaugurada a 15 de agosto de 2012. No dia seguinte, à tarde fomos com os três professores para Suai Loro, uma aldeia ainda muito intacta

nas suas tradições e onde o Tiago está a desenvolver um projeto de criação duma biblioteca escolar para promover a aprendizagem e o desenvolvimento da língua portuguesa. O chefe do suco (aldeia) toma todas as decisões em relação ao seu suco. As mulheres dedicam-se à tecelagem (esteiras e tais) e à seca do peixe, os homens à pesca. Ambos cultivam as suas hortas. A grande paixão é jogar Bingo, enquanto mascam bua malos, uma mistura explosiva de noz de areca, folhas de bétele, tabaco e um pó branco feito a partir dos corais. O processo de preparação deste pó branco é algo demorado: primeiro o coral é torrado e depois colocado num cesto onde salpicado com água, sal, piripiri e ervas. O cesto é fechado e o coral é

deixado a descansar durante algumas semanas até se transformar num pó muito fino que se mistura com a areca e o tabaco e se masca. Atualmente, muita gente, substitui este pó de coral, pura e simplesmente por cal, que corrói as gengivas (e possivelmente o esófago e o estômago), mas que abranda a sensação de fome, sendo igualmente estimulante e relaxante. É altamente aditivo. Provoca um fluxo abundante de saliva vermelha, que mancha os lábios e os dentes. A noz de areca provoca danos muitas vezes irreversíveis, deixando as pessoas sem dentes muito cedo. Além disso, esta mistura é altamente cancerígena. Nos arredores de Suai Loro, mesmo perto da praia temos uma

das primeiras “torneiras” de petróleo, ainda do tempo dos Portugueses e um antigo forte português já tomado pelas raízes das sequoias. A marca do tempo e da presença portuguesa.

M.Margarida Pereira-Müller (texto) M.Margarida Pereira-Müller e Hans-Jürgen Müller (fotos)

pub

CENTRO DE EMPREGO DA MAIA Rua Dr. Carlos Pires Felgueiras, 418 4470-157 Maia • Tel.:22 943 2700 e-mail: cte.maia@iefp.pt

PROFISSÃO ......................................Nº OFERTA.....REGIME DE TRABALHO ...........................................................................................................................................................................................................................FREGUESIA Estofador( m/f) ....................................588224375 .....A tempo completo, com conhecimentos de moldes de costura (trabalho em estofos). .......................................................................................................................................Moreira Empregada de limpeza(m/f)................588228857 .....A tempo completo, oferta ao abrigo das medidas de apoio á contratação estimulo 2013+reembolso da TSU .......................................................................................................Maia Professor de inglês para AEC'S(m/f)...588264102 .....A tempo parcial, para ministrar inglês nas escolas do 1º ciclo do municipio de Gondomar. ...........................................................................................................................Gondomar Modelista (m/f) ....................................588247919 .....A tempo completo, experiencia minima de 3 anos,conhecimentos de ingles, e de programas informáticos inerentes á função. .....................................................................Vermoim Optometrista (m/f) ...............................588250458 .....A tempo completo, realizar exames visuais e aconselhar os meios de compensação óptica adequados, experiencia minima de 1 anos nas funções, horário por turnos.........Barca Agente Comercial (m/f) .......................588208334 .....A tempo completo, para prospeção do mercado, elaboração do plano de marketing, aoa abrigo da medida estimulo 2013 ................................................................S. Pedro avioso Operador de call center (m/f).................ver nota........Multinacional Francesa, a ARMATIS LC, opta por continuar a sua expansão internacional, abrindo um novo centro no Porto onde pretende oferecer um excelente ....................................................................................ambiente de trbalho internacional , em conjunto com estabilidade a nível profissional e possibilidade de progressão..........................................................................................Porto Técnico de capoto e cerãmicos (m/f) ..588240241 .....A tempo completo, com bastante experiencia profissional na aplicação de ceramicas e capoto - contartao de trabalho de 2 meses. ............................................................Nogueira Vendedor comercial (m/f) ....................588226888 .....A tempo completo, preferencialmente com experiencia em vendas - carta de condução de ligeiros fator obrigatório. ....................................................................................Nogueira Costureira (m/f) ...................................588194798 .....A tempo completo, costureira com experiencia em máquinas de ponto corrido e corte e cose - malhas - desempregados de longa duração, com mais de 45 anos ou 1º empregos. Vermoim

NOTA: enviar CV para filipa.fragoso@iefpt

As ofertas de emprego divulgadas fazem parte da Base de Dados do Instituto do Emprego e Formação, IP. Para obter mais informações ou candidatar-se dirija-se ao Centro de Emprego indicado ou pesquise no portal http://www.netemprego.gov.pt/ utilizando a referência (Ref.) associada a cada oferta de emprego. Alerta-se para a possibilidade de ocorrência de situações em que a oferta de emprego publicada já foi preenchida devido ao tempo que medeia a sua disponibilização e a sua publicação.


maiahoje

sexta-feira 3 de Janeiro de 2014

\\ EMERGÊNCIAS NACIONAIS • SOS Número Nacional de Socorro............................................112 • Incêndios Florestais .......................................................................117 • Emergência Social (crianças, idosos, vitimas, s/abrigo)....144 • Intoxicações ...............................................................808 250 143 • Emergência Gás (EDP)............................................800 215 215

\\ EMERGÊNCIAS LOCAIS • Bombeiros Voluntários de Moreira...................22 942 10 02 • A. H. Bombeiros de Pedrouços...........................22 901 27 44 • PSP Maia (Esquadra Cidade)...............................22 947 96 90 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Segurança)22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Trânsito).....22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Es.Intervenção) 22 948 26 93 • PSP Águas Santas (Esquadra Vila).....................22 977 42 80 • PSP Maia (Divisão Policial)...................................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Trânsito) .............................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Interv. e Fiscalização) ....22 978 51 90 • GNR Maia (Posto Territorial da Maia) ...............22 986 74 30 • GNR Maia (Posto Fiscal de Pedras Rubras).....22 944 91 00 • GNR Maia (Posto Trânsito da Maia) ..................22 968 84 70 • Polícia Municipal Maia ..........................................22 940 86 00 • Protecção Civil (CM Maia) ....................................22 940 87 22 • Protecção Civil (CM Maia) Linha verde.............800 205 169 • Protecção Civil (Com. Distrital Op. Socorro)..22 619 76 50 • Cruz Vermelha Portuguesa (Núcleo Maia).....22 941 12 21

\\ LINHAS

SAÚDE NACIONAIS

• Saúde 24......................................................................808 242 424 • Saúde 24 (orientação pediátrica) .......................808 242 400 • Linha Saúde Cancro ................................................808 255 255 • Linha Saúde Sexualidade......................................808 222 003 • Linha Saúde SIDA.....................................................808 266 266 • Linha Saúde SOS Criança ......................................808 202 651 • Linha Saúde SOS Medicamento .........................800 222 444 • Linha Saúde SOS Grávida......................................808 201 139 • Linha Saúde SOS Droga ............................................................1414 • Linha Saúde Deixar de Fumar .............................808 208 888 • Informação a Vitimas Violência Doméstica.....800 202 148 • Linha APAV (Apoio à Vítima)..................................707200 077

\\ SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE LOCAIS • USF Alto da Maia (Águas Santas) ......................22 977 42 50 • USF Viver Mais (Castêlo Maia) ............................22 986 51 70 PUB • USF Saúde em Família (Pedrouços)..................22 977 47 10 • USF Pirâmides (Maia).............................................22 947 85 90 • USF Odisseia (Vermoim).......................................22 947 09 50 • USF Íris (Águas Santas)..........................................22 986 70 35 • USF Lidador (Gueifães) .........................................22 943 84 40 • USF Pedras Rubras (Moreira) ..............................22 943 14 70 • Extensão Saúde Nogueira (Nogueira).............22 961 77 10 • Extensão Saúde Milheirós (Milheirós) .............22 972 33 22 • Extensão Saúde Moreira (Moreira) ...................22 943 14 70 • Hospital S. João (Porto) ........................................22 551 21 00 • Hospital Pedro Hispano (Matosinhos) ............22 939 10 00 • Hospital Sto. Tirso (Sto.Tirso)................................252 830 700 • Hospital Joaquim Urbano (Porto).....................22 589 95 50 • Hospital N. Sra. Conceição (Valongo)..............22 422 00 19 • Hospital Sto. António (Porto) .............................22 207 75 00 • Hospital Maria Pia (Porto)....................................22 608 99 00 • Hospital Póvoa Varzim/V.Conde (P. Varzim)....252 690 600 • Hospital Magalhães Lemos (Porto) ..................22 619 24 00 • Inst.Port. Oncologia Francisco Gentil (Porto)22 508 40 00 • Unidade Alcoologia do Norte (Matosinhos) .22 004 50 60 • Centro Regional de Sangue (Porto) .................22 004 52 40

mh jornal regional de grande informação

EDITADO POR

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

Depósito legal 147209/00 DGCS nº 123524 Tiragem 3.000 exemplares

Úteis \\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA NACIONAIS • Serviço Informações telefónicas PT . . . . . . . . . . . . . . . . . .1820 • Serviço Apoio a Clientes Optimus . . . . . . . . . . . . . . . . . .16103 • Serviço Apoio a Clientes TMN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1696 • Serviço Apoio a Clientes Vodafone . . . . . . . . . . . . . . . . .16912 • Aut.omóvel Clube ACP (assistência) . . . . . . . .707 509 510 • Brisa Auto-estradas de Portugal . . . . . . . . . . . .808 508 508 • CP Combóios de Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 208 208 • TAP Air Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 205 700 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede fixa) . . . .808 202 653 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede móvel) .808 962 690 • Cartões Crédito American Express . . . . . . . . . .707 504 050 • Cartões Crédito Mastercard . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 272 • Cartões Crédito Visa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 107 • EDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 506 506 • EDP (Comunicação de Avarias) . . . . . . . . . . . . .800 246 246

\\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA LOCAL • Loja do Cidadão (Porto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 241 107 • Posto de Atendimento ao Cidadão (Maia) . .22 948 24 62 • Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 98 10 • Cartório Notarial de Cláudia Barbas . . . . . . . .22 940 67 22 • Conservatória do Registo Civil (Maia) . . . . . .22 943 98 00 • Conservatória do Registo Predial . . . . . . . . . .22 943 62 80 • Conservatória do Registo Comercial . . . . . . .22 947 76 50 • Serviços de Finanças da Maia . . . . . . . . . . . . . .22 947 06 40 • Tribunal Judicial da Comarca da Maia . . . . . .22 941 90 73 • Tribunal do Trabalho da Comarca da Maia . .22 941 41 52 • Inst. Info. Apoio Form. Profissional (IAFE) . . .22 977 39 10 • Inst. Fomento Desenvolv. Económico . . . . . .22 942 70 26 • Centro de Emprego da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 943 27 00 • Segurança Social da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 10 90 • Com. Protecção Crianças e Jovens da Maia .22 949 03 33 • CTT Correios de Portugal (Gueifães) . . . . . . .22 960 83 27 • CTT Correios de Portugal (Moreira) . . . . . . . .22 943 76 10 • CTT Correios de Portugal (Vermoim) . . . . . . .22 943 95 30 • CTT Correios de Portugal (Águas Santas) . . .22 974 33 50 • CTT Correios de Portugal (Castêlo) . . . . . . . . .22 986 66 00 • CTT Correios de Portugal (Aeroporto) . . . . . .22 940 00 11 • Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 24 00 • Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 34 72 • Consulado de Chipre (Maia) . . . . . . . . . . . . . . .22 902 38 68 • Consulado do Paquistão (Maia) . . . . . . . . . . . .22 947 93 21 • Lipor II (Central de Valorização Energética) 22 947 73 40 • Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 26 60

\\ MUNICIPIO DA

• Câmara Municipal da Maia (Central) . . . . . . .22 940 86 00 • Serviços Águas e Saneamento da Maia . . . . .22 943 08 00 • Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . . . . . .22 968 73 22 • Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 20 • Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . . . . .22 944 24 62 • E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . . . . . . .22 940 87 21 • Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 30 • Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 • Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 905 95 20 • Canil Municipal da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 982 36 87 • Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 986 71 80 • Espaço Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 80 30 • Loja da Juventude S. Pedro Fins . . . . . . . . . . .22 968 91 69 • TURISMO Maia Welcome Center . . . . . . . . . . .22 944 47 32 nota: Informação actualizada em 2011/10/01 Ana Luisa Azevedo, TPJ analuisa@maiahoje.pt

COLABORADORES REDACTORES: Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt Luís Filipe Azevedo, TPJ luis@maiahoje.pt Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos, TPJ rita@maiahoje.pt

COLABORADORES FOTOGRAFIA: Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710

CORRESPONDENTES: João Diogo (Brasil) Williams James Marinho (EUA) Ainhoa Carrasco Robles (Espanha) Catarina Almendra (Lisboa)

\\ FARMÁCIAS Dia

03 04 05 06 07 08

PERM Q REF

R

S

T

U

V

09 10

11

12

13

14 15

16

17

A

C

D

E

F

H

I

B

G

-------------------------------------------------------------------------------------------

TURNO A AGRA - MILHEIRÓS TURNO B AEROPORTO - PEDRAS RUBRAS TURNO C LIMA COUTINHO - GUEIFÃES TURNO D SILVA ESCURA - FREJUFE TURNO E BASTOS - GUEIFÃES TURNO F GEMUNDE - CAMPA DO PRETO TURNO G ÁLVARO AGANTE - VERMOIM TURNO H CENTRAL - CATASSOL TURNO I MOREIRA BARROS - PARADA TURNO J ALIANÇA - VERMOIM TURNO K VILA NOVA DA TELHA - QUIRES TURNO L SOUSA BEIRÃO - MAIA TURNO M MARTINS DA COSTA - ÁGUAS SANTAS TURNO N BOM DESPACHO - MAIA TURNO O CASTÊLO - CASTÊLO DA MAIA TURNO P GRAMAXO- MOREIRA DA MAIA TURNO Q EUGÉNIA - PEDROUÇOS TURNO R NOVA DE ARDEGÃES - ARDEGÃES TURNO S LIDADOR - ARDEGÃES TURNO T ARAÚJO - NOGUEIRA TURNO U GUARDEIRAS - GUARDEIRAS TURNO V MAIA - ÁGUAS SANTAS

esta informação é patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SERVIÇO PERMANENTE

MAIA

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar artur@maiahoje.pt

15

CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Form. e Docentes) Mário Lopes (sociedade) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Pedro Ferreira (política) Ricardo Filipe Oliveira (sociedade) Rogério Gonçalves (sociedade) DESIGN / PAGINAÇÃO: Luís Filipe Azevedo Maxim Bukharov

18 Janeiro Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

DEPARTAMENTO COMERCIAL: Pedro Martins pedro@maiahoje.pt António F Silva silva@maiahoje.pt SEDE/ REDACÇÃO / D.COMERCIAL

Rua dos Altos, 18 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25

IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados. MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007



336