Issuu on Google+

pub

01NOV a 14 NOV

2013 Ano XIV | Nº 332 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar

apenas 0,70 € IVA incluído

\\

PUB

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

entrevista Vice-presidente da Câmara Municipal da Maia à MHtv

Silva Tiago candidata-se à concelhia do PSD «com naturalidade» Vice-presidente da Câmara não esconde que pretende preparar as autárquicas de 2017 «com naturalidade, sem cortes, sem rupturas». Eleições são a 23 de Novembro. p. 5

\\

\\ novo

energia REN amplia instalações e capacidade em Vermoim com tecnologia de ponta

serviço

CTT lançam campanha “O meu selo” na loja da Maia p. 2

\\ acrobática

Acro Clube traz dos europeus uma medalha de prata e p. 13 três de bronze.

\\ karaté

p.4

pub

Luís Vandermuren (cadetes) vence e convence em Espanha. p. 12

\\ solidariedade

“Amigos da Rua” prepara o Inverno na ajuda aos sem-abrigo, idosos e crianças p. 9


02

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Página dois editorial \\ artur bace|ar director

Uma boa solução Uma das coisas que eu mais gostava, era de, num curto zapping, ver as aberturas dos telejornais. Há meses seguidos que eu já não suporto tal exercício. É um desfilar de choradeiras, mentiras, meias-mentiras e meninos de coro que até enoja. Se a situação do país é realmente dramática (ninguém colocou isso em causa); se não tínhamos dinheiro para pagar aos funcionários e tivemos de urgentemente pedir emprestado (incontestável); se temos que pagar a quem emprestou (pelos vistos alguns acham que não), então toda a gente sabe que temos que fazer sacrifícios. Então porque é que minorias, lamechas, sem ideias, que nunca olham

POLÍTICA

para os dois lados, estão constantemente a pedir a demissão de um governo democraticamente eleito? Pior! Como é possível fazê-lo, alegando que quem neles votou mudou de ideias? Quem lhe garante democraticamente isso? Ou estão a chamar burros aos portugueses que, enganados ou não, sabem que o bem ou mal que fizeram é para quatro anos. Como é possível também dar longuíssimos tempos de antena a esta gente? Tribunal Constitucional A Constituição diz no seu artigo 38º que «É garantida a liberdade de imprensa» e que esta implica «O direito dos jornalistas, nos termos da lei, ao acesso às fontes de informação e à protecção da independência e do sigilo profissionais». Pergunto: Onde está garantido o acesso às fontes de informação? E a protecção da independência? É para levar a sério ou não?

No artigo 5º diz «Portugal abrange o território historicamente definido no continente europeu», então porque é que o Tribunal não decreta português o território de Olivença? E já agora o que lhe adianta? Vai fazer guerra com Espanha? A constituição, felizmente não é só para algumas coisas e muito menos para ser usada ao sabor do “porque-me-dá-jeito” mas é o que parece. Em democracia há uma boa solução para estes problemas de discordância: Candidatem-se ou façam-se eleger, tão simples como isto, até lá “gramem” o que a maioria, bem ou mal, por muito que nos custe, decidiu.

o primeiro orçamento de Passos Coelho. Onde estão os responsáveis? Na cadeia? Provavelmente dizem que nalgum programa televisivo e ainda por cima público. Não há vergonha! PSD Maia prepara nova etapa O PSD Maia terá nos próximos quatro anos que acautelar um novo presidente de Câmara e como nunca

maiahoje

é cedo de mais para se começar, António Tiago, actual vice-presidente, declarou esta semana em exclusivo ao MHtv (pode ler nesta edição) que será candidato à Câmara Municipal. Uma coisa de cada vez, para já lança a candidatura à Concelhia, que espera tenha um amplo consenso, o resto o tempo o dirá, mas politicamente interessante de seguir.

A verdade da Dívida Pública No passado dia 28, a TVI24 emitiu um programa onde Medina Carreira, tendo como fonte o Eurostat, construiu um gráfico sobre a Dívida Pública onde claramente se vê uma subida a pique que só terminou com

Nova entidade vem substituir a Junta Metropolitana

Bragança Fernandes é Vice no Conselho Metropolitano Na passada terça-feira, convocada pelo presidente de Câmara com mais eleitores (VN Gaia), reuniu pela primeira vez em acto eleitoral, o Conselho Metropolitano do Porto (COMP), órgão que vem substituir a antiga Junta Metropolitana do Porto. Nesta primeira reunião estiveram presentes e/ou representados os 17 autarcas da Área Metropolitana do Porto (AMP) que elegeram, para presidente do COMP, o socialdemocrata Hermínio Loureiro, vicepresidente da Federação

CTT

Portuguesa de Futebol, ex-deputado e antigo secretário de Estado do Desporto de Durão Barroso e Santana Lopes, foi eleito hoje, por 16 votos a favor e um branco. Vices Bragança Fernandes, do PSD, presidente da Câmara Municipal da Maia e decano dos autarcas da Área Metropolitana do Porto e o socialista Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, assumiram as duas vice-presidências disponíveis.

Fora da liderança esteve o novo presidente da CM Porto (que já tinha dito não ser prioritário o cargo) e Guilherme Pinto, o único dos 17 autarcas da AMP que não esteve presente na reunião, tendo-se feito representar. O presidente do COMP deu início ao processo de formação da comissão executiva metropolitana (constituída por um primeiro secretário e 4 secretários metropolitanos).

Executivo em Novembro A lista de candidatos a membros da Comissão Executiva Metropolitana é aprovada, na primeira reunião do COMP, e tem que ser depois submetida a votação nas assembleias municipais, a decorrer entre 20 a 45 dias, votação que tem que decorrer em simultâneo em todas as assembleias municipais e realiza-se por sufrágio secreto, sob pena de nulidade, diz a Lei. A próxima reunião está agendada para 20 de Novembro, data em que serão anunciados oficial-

mente os nomes dos três secretários da Comissão Executiva do Conselho Metropolitano. O novo mapa A Área Metropolitana do Porto sofreu algumas alterações a nível de gestão partidária, sendo o caso mais conhecido o da autarquia portuense que passou de social-democrata, a independente. O PSD continua no entanto a dominar, com 8 câmaras, seguindo-se o PS com 6, um do CDS e dois independentes, em Porto e Matosinhos.

Impressão de selos únicos e personalizavéis

Projecto “Meu Selo” dos CTT chega à Maia

pub

derá também ser personalizado e ambos usados para além do envio de correio comum, para ser oferecido em épocas festivas como aniversários, casamentos e Natal. Nesta apresentação na Maia estiveram presentes, o presidente da Câmara Municipal da Maia, António Bragança Fernandes, o vereador do Desporto do município da Maia, Hernâni Ribeiro, a presidente da Junta de Freguesia da Maia, Olga Freire, o director Comercial Norte dos CTT, Nuno Marques Neves, da loja dos CCT Maia, a gestora Alexandra Rodrigues , o funcionário Guilherme Soares, o pároco da Igreja de Vermoim Padre José Silva e administrador da empresa Tintas 2000, António Ambrósio, entre outros convidados.

x

por apenas 16,80 10 euros /ano Sim, desejo ser assinante do jornal MaiaHoje pelo período de ___anos, automaticamente renováveis por igual periodo. assinatura

%

Recorte e envie para: Jornal MaiaHoje - Rua dos Altos, 18 • 4470-235 Maia

NOME_____________________________________________ MORADA__________________________________________ COD POSTAL_______-____ LOCALIDADE_________________ TELEFONE______________ TELEMÓVEL_________________ EMAIL_____________________________________________

%

Foi inaugurado no passado dia 22 de Outubro nos CTT da Maia o equipamento de gestão e impressão “Meu Selo”. Este equipamento e produto “Meu Selo” existe há já alguns anos e proporciona ao cliente singular ou colectivo a impressão de selos únicos com imagens e texto personalizáveis. Este projecto está a ser agora mais massificado por parte dos CTT, cumprindo todas as exigências de qualidade e garantias de segurança. Este serviço pode ser efectuado a partir da internet com a respectiva encomenda para os CTT, em folhas com 25 e 12 selos. À semelhança de o “Meu Selo” existe também o projecto “Meu Postal”, que po-


maiahoje

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

\\ Câmara e Assembleia tomaram posse

03

\\ No fio da Pena

Na manhã do passado sábado, 19 de Outubro, no edifício da Câmara Municipal da Maia, teve lugar a tomada de posse da Câmara e Assembleia Municipal. O Ministro Aguir Branco foi convidado de honra. Freguesias: Dado que em practicamente 3 dias houve a tomada de posse nas diversas freguesias e não seria humanamente possível estar presente em todas, optamos, por uma questão de igualdade, mas com todo o respeito pelos eleitos e instituições, por não publicar nenhum desses órgãos.

Pedro Ferreira*

Nos dias que correm, qualquer pessoa que assista a um noticiário ou leia um jornal é literalmente assaltada pela noção de que não há alternativa à política governamental vigente. Esta ideia, diariamente sublinhada pelo governo e seu séquito de comentadores, na absoluta dimensão de uma certeza que recusa qualquer contraditório e eleva essa mesma recusa a um patamar de completa irredutibilidade, representa em si mesma um movimento revanchista contra o princípio democrático que norteia a nossa ideia colectiva de sociedade. Para a ideologia dominante, a ideia de alternativa é substituida pela noção de alternância. A vigência da alternância, entre nós corporizada pelo PSD, PS e CDS, tem-se orientado por um afunilamento ideológico destes partidos, cada vez mais iguais entre si, e traduz-se na desvalorização do voto enquanto instrumento de poder e de participação e no enfraquecimento da democracia, pois como amiúde se ouve, “eles são todos iguais”. A desvalorização da democracia não é um fenómeno novo na história e deveria merecer de todos nós profunda reflexão. No livro Formas de Legitimação do Poder no Salazarismo, uma adaptação da tese de doutoramento de J. Rebelo publicada pela Livros e Leituras em 1998, o autor refere como a legitimidade do poder do ditador é transcendente na medida em que “não resulta das vontades expressas pelos portugueses mas de algo (...) exterior a essas vontades. Um poder total (...) imposto pela própria lógica da história em cuja sequência se insere naturalmente.” Salvas as devidas distâncias históricas, importa salientar como a vontade das pessoas é ultrapassada pelo devir da própria história, isto é, pela ideia de inevitabilidade. Hoje vivemos sob a égide da dívida, assumida pelos agentes políticos democraticamente eleitos como o princípio e o fim de toda a política, e também como legitimação para a execução de uma agenda ideológica evidente, que se apresenta como liberal, mas que na prática reproduz princípios corporativistas: protecção das principais fortunas, desmantelamento das funções sociais do Estado e diminuição do valor do trabalho, num processo de empobrecimento generalizado de todos os que vivem do seu trabalho. As alternativas são publicamente desvalorizadas ou simplesmente silenciadas. Vale a pena pensar nisto, para que não nos surpreendamos todos com o que, afinal, já sabiamos. Escritor Deputado Municipal da CDU Fotos CM Maia

pub


04

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

\\ Ângulo Recto António Neto

“ A refrega autárquicas 2013?!... Os resultados das eleições autárquicas suscitam opiniões e interpretações diversas. De todo modo, a análise deve partir do rigor dos dados eleitorais. Já li muitos textos informativos, de opinião e reflexão sobre as autárquicas 2013 que, na minha opinião, representam um claro cartão vermelho à maioria PSD/PP, um reforço do PS em número de Câmaras ainda que não em votos, um crescimento objectivo da CDU, o aumento da importância das listas de independentes, ainda que com natureza e conteúdos diferentes, e, um fraco resultado do BE a nível nacional. Na Maia há quem à direita apenas contabilize as Juntas, mas se esqueça de mencionar os muitos votos que perdeu no Concelho e que a CDU e o BE cresceram. Factos são factos. Na Maia as forças políticas de esquerda, CDU e BE, foram as únicas que subiram, percentualmente, para todos os órgãos autárquicos (Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleia de Freguesia). A CDU conseguiu um vereador (ainda bem para a esquerda que passa a ter um voz na edilidade executiva da Maia), aumentou o número de eleitos na Assembleia Municipal e nas Assembleias de Freguesia, que no caso de Águas Santas há que o reconhecer, devido ao trabalho persistente do seu eleito, de ligação às populações e de firmeza perante uma maioria que paralisou a Junta durante todo o mandato. O BE manteve o número de eleitos na Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia. A maioria PSD/PP e o PS baixaram percentualmente e em votos para a Câmara, Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia. Registe-se a eleição de um deputado municipal pelo PAN e o aumento substancial com significado político dos votos nulos que deve merecer uma devida reflexão por parte de todos os Partidos políticos. No entanto, há que dizê-lo, a direita reduziu o seu espaço na Maia, mas não perdeu o essencial! A esquerda tem de o perceber ao valorizar e bem os resultados alcançados através das portas e pontes que abrem. Se viverem à sombra dos resultados poderão ter no futuro os dissabores que já tiveram no passado. A Maia precisa de uma esquerda plural reforçada e forte no Concelho. Os resultados são a semente dessa esperança que precisa de ser regada com vontades, espírito aberto e uma intervenção activa em todos os órgãos devidamente conjugada com os interesses das populações locais. ANTÓNIO NETO Técnico Superior Acção Jurídica/Formador (Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico)

ENERGIA

maiahoje

Rede Eléctrica Nacional aposta na subestação de Vermoim

«Iniciamos um novo ciclo que permite que esta estação dure, pelo menos, mais 50 anos» Foi no passado dia 10 de Outubro, pelas 10h, que a REN visitou as instalações de Vermoim para marcar a conclusão da 1ª fase de ampliação para 400KV, num projecto que exigiu um investimento de 20 milhões de euros e quer melhorar a fiabilidade da rede na região do Grande Porto. Na visita estiveram presentes o Director de Investimento da REN, Albino Marques, o Vice-Presidente da Câmara Municipal da Maia, António Domingos da Silva Tiago e o Director de Exploração da REN, Albertino Meneses. O projecto A REN atua em duas grandes áreas de negócio: o transporte e gestão do sistema de electricidade em muito alta tensão; e ainda o transporte e gestão do sistema de gás natural em alta pressão. Ao ser a distribuidora de energia do Grande Porto, a subestação de Vermoim tem especial importância porque «é a principal na região do Grande Porto em termos de entrega de energia aos consumidores, portanto era o sítio ideal para fazer este investimento.» diz Albino Marques, Director de Investimento da REN. Previsto no Plano de Investimento da Rede de Transporte de Electricidade, este projecto criou uma alternativa à subestação de Recarei, Paredes, como nó de 400KV, o que permitiu melhorar a fiabilidade e «reforçar toda a rede do Grande Porto, garantindo uma capacidade e qualidade de serviço superior aquela que existia» acrescenta o Director. Mais fiabilidade, maior resistência às avarias internas, maior continuidade, mais disponibilidade e mais tensão, são as premissas deste projecto, que a única coisa que promete a menos, são as linhas. Para além de ser a primeira vez em Portugal que se instala uma subestação deste tipo em tecnologia compacta no interior de um edifício, é também a primeira vez que se reforçam as linhas existentes ao inverso de construir novas linhas. Albino Marques explica que «O que fizemos foi utilizar e reforçar as linhas que já existiam para as utilizar numa capacidade superior. Isto, mais o facto de usarmos este tipo de tecnologia, permitiu reduzir o impacto sobre o território, factor que a Câmara da Maia apreciou.». A tecnologia, só utilizada, até agora, por 3 empresas europeias, foi comprada à empresa Siemens,

sendo a engenharia totalmente portuguesa. A visita serviu de mostra para uma primeira fase do projecto, que agora se coloca em serviço, contendo equipamento de corte, seccionamento e medição necessário para ligar duas linhas de 400 KV, bem como três novos transformadores encapsulados para redução do ruído ambiente. Segundo a REN, a segunda linha de 400KV será posta em serviço ainda este ano. Albertino Meneses, Director de Exploração da REN confessou que a subestação de Vermoim «necessitava de ser reforçada para poder suportar esta injecção nova de potência», como acrescento, o Director de Investimento referiu ainda que « a subestação nasceu em 1958 e até agora nunca tinha tido uma transformação profunda como esta que fizemos. Iniciamos um novo ciclo que permite que esta estação dure, pelo menos, mais 50 anos». Balanço do projecto No final de contas, a satisfação com o resultado final era óbvia. Albino Marques declara que este «é um projecto que estava pensado há mais de dez anos, que se desenvolveu por fases e que, finalmente, com muito gosto concluímos. É a concretização daquilo que vários engenheiros da casa sonharam», e também Albertino Meneses, Director de Exploração, afirmou que as melhorias na subestação foram «a realização de um objectivo

que estava desenhado há bastante tempo e finalmente se concretiza, constituindo uma passo decisivo para esta zona». Não só a Rede de Energia Nacional se mostrou satisfeita, mas também o Vice-presidente da Câmara, António Domingos da Silva Tiago que, como comentário final confessou que «o balanço final deste projecto, não é um balanço pesado. O investimento é considerável mas fiquei bastante satisfeito da forma como ele foi realizado, pelo profissionalismo, pela eficiência e pelo resultado que tudo isto vai permitir à metrópole do Porto». Acrescentou ainda que «A Maia fica a ganhar porque as empresas que cá se instalam poderão ter condições de fornecimento de energia eléctrica mais fiável, mais eficiente». No futuro No que diz respeito a planos futuros o Director de Investimento afirmou que «a REN tem planos de projectos deste tipo para outras zonas do país apesar de termos um nível de investimento inferior àquele que tivemos no passado. Mantemos no nosso plano um conjunto grande de investimentos para continuar o esforço de melhorar e reforçar a rede, seja por expansão ou por melhoria das condições existentes». António Domingos da Silva Tiago, questionado acerca da remoção dos postes e fios de electricidade na cidade da Maia, um projecto prometido à 10 anos atrás, conta que

«esse projecto está em evolução. Nos próximos meses vão sair dos ares da Maia três linhas de 150 KV, que partem destas intervenções da REN. Vai também ser criada uma linha enterrada com ligação à Prelada e há já um compromisso assumido de mais linhas subterrâneas. Obviamente isto é um projecto que será feito a médio prazo, num espaço entre 8 a 10 anos». A relação da Rede Eléctrica com a Câmara Municipal da Maia, que permite projectos deste tipo, tem sido, segundo os mesmos, uma «parceria profícua, o que é de enaltecer» diz o Vice-Presidente, que acrescenta «nós estamos muito agradados pela forma como a REN tem dialogado connosco. A Câmara da Maia tem prestado bem a sua parte e estamos muito orgulhosos de ter a REN no concelho». O Director de Investimento Albino Marques confirma esta boa relação confessando que a REN tem sempre a preocupação de submeter e apresentar à Câmara todos os projectos para a zona da Maia, aceitando as sugestões da mesma, e segundo o mesmo, «tem sido assim desde 1958, numa parceria que informa, debate e aceita opiniões». O director confessou ainda que, em honra a esta parceria, será exposta numa das rotundas que dá acesso às instalações da REN, por sugestão da Câmara Municipal, um transformador com 55 anos. Ana Luisa Azevedo (texto) Manuel Jorge Costa (fotos)


maiahoje

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

ENTREVISTA António Tiago, vice-presidente da Câmara Municipal da Maia, é candidato à concelhia do PSD

«As coisas (sucessão) devem acontecer com alguma naturalidade» A cerca de um mês das eleições para a Comissão Política Concelhia do PSD Maia, António Silva Tiago, actual vice-presidente do executivo camarário apresenta-se como candidato numa lista que pretende seja de consenso e que visa o futuro do concelho «amizade, lealdade, sem atropelos, são valores em que acho se deve acreditar», diz. Maia Hoje - Vai apresentar a sua candidatura à Concelhia PSD Maia. Porquê a escolha desta altura exacta? Domingos Tiago - Porque senti essa vontade, porque nunca o tinha feito antes e acho que é uma experiência que eu gostava de abraçar. À vontade de me candidatar e em função da receptividade dos meus amigos e militantes do partido, se me derem essa confiança, humildemente irei tentar responder da mesma forma. MH- Sentiu esse apelo das bases uma vez que o ciclo do Eng.º Bragança Fernandes na Câmara irá terminar dentro de 4 anos e que será necessário alguém preparar a nova etapa do PSD da Maia? DT- Também. Acho que as coisas devem acontecer com alguma naturalidade, devem acontecer sem cortes, sem ruturas, cortes temos nós na nossa vida enquanto país. Estamos a viver um momento menos positivo, menos agradável mas se calhar necessário, vivemos desmandos noutros momentos e portanto agora estamos a corrigir esses desmandos, mas estamos a sofrer. Também por isso sendo o momento de dificuldade, eu, conversando com o presidente actual da Comissão Politica e actual presidente da Câmara, delineei um caminho bem trilhado, bem assumido, com respeito entre ambos, com amizade, com lealdade , sem atropelos, algo que pode ser testemunhado e até repetido porque não noutras geografias. Estragar isso seria perder essa identidade, essa marca, enquanto partido, enquanto pessoas, enquanto realidade social e comunitária, acho

que vale a pena acreditar nestes valores. MH- Quando tomou esta iniciativa, falou então com o Eng.º Bragança Fernandes? DT- É obvio que falei, falou ele comigo e eu com ele. Ele aliás está recetivo a esta candidatura e está empenhado. Ele próprio também se disponibilizou para ser candidato à Mesa do Plenário conjuntamente comigo. MH- Vai dar continuidade a essa comissão política ou vai fazer remodelação? DT- Ainda não tenho a lista arrumada. Vou fazer agora contactos. As eleições são só a 23 de Novembro, ainda temos quase um mês. Achei para já que devia dar uma nota mais pública, para que as coisas sejam comunicadas e do conhecimento geral, para que não hajam discussões, para que as pessoas vejam com objectividade, com verdade e com clareza. MH- Acha que poderá ter alguma oposição dentro do próprio partido, ou haverá lista única? DT- Não sei, sinceramente não sei. MH- Como vê o PSD actualmente na cidade da maia? DT- Vejo um partido unido, coeso e solidário. Apresento-me como uma lista agregadora, não tenho animosidades, filiações, grupos, sou igual para todas as pessoas, acho que fui sempre assim. Foi algo que nunca abracei como agora pretendo. Se me derem essa oportunidade e essa confiança, sem grandes sofismas ou ilusões, as coisas tornam-se objectivas e reais. Tive sempre um alinhamento com toda a gente da m e s m a forma, ocupeime com outras coisas, ao serviço da Maia e da Câmara Municipal.

Tive outras responsabilidades, mas também posso agora abraçar outras experiencias, outros serviços de missão que, sem falsas modéstias, poderei também fazer. MH- Quais são os grandes traços da sua candidatura? Aumentar número de militantes, criar novos núcleos, dinamizalos? DT- Acho que o mais importante é criar um espaço de pluralismo, de pensamento, de criatividade, de inovação, de juventude, de reflexão sobre as novas realidades que estão a acontecer no mundo, a nível dos partidos, como é que os partidos se colocam hoje na sociedade moderna, se são um meio para atingir algum tipo de objectivos para o bem das pessoas, para melhor qualidade de vida, das comunidades, ou se são entraves. Assiste-se a indícios de movimentos de independentes que surgem de um modo genuíno, pois as pessoas não se revêem nos partidos tradicionais, por isso essa reflexão é importante, é boa, e deve ser feita. MH- Em termos distritais, vai ter que ter essa ligação, assim como a nível nacional, irá representar os maiatos sociais-democratas em congressos, quem são as grandes figuras a nível distrital e a nível nacional com que a Maia poderá contar a nível de coligação, de linha política? DT- Eu acho que é prematuro estarmos a falar em geografias, acho que o momento não é esse, acho que há órgãos,

05

\\ Opinião Ricardo Oliveira

as pessoas devem-se respeitar. MH- Gostaria de contar com Passos Coelho? DT- Ele é o presidente do nosso partido, é o nosso primeiro-ministro, tenho noção do que é governar a Câmara e então o país… A dificuldade que há em governar, em momentos como este de enorme constrangimento, de pré-ruptura financeira, é extremamente difícil gerir, portanto as pessoas podem não gostar de muitas coisas que se façam, decisões que se tomam, o modelo decisório que se implantou mas temos de alguma forma temporizar, de analisar melhor as coisas, de não criticar por criticar. A crítica é fácil e imediata mas é preciso pensar bem no que se critica e na forma como se critica. Portanto estar hoje já a fazer projecções a esse nível nacional, acho que é um bocadinho prematuro… MH- Quer deixar alguma mensagem especial para os social-democratas? DT - A mensagem principal é que podem contar comigo, se me derem confiança nesta experiência, neste propósito a que me disponibilizo, eu farei tudo para lhes responder ao mesmo nível, com a mesma confiança, com o mesmo sentimento, de amizade, de responsabilidade. Isso posso transmitir-lhes que o farei até ao limite do meu saber e das minhas responsabilidades .

Dream on Baby Chegou o momento da verdade nas hostes nacionais: a apresentação do orçamento de estado para 2014. Quando se achava que finalmente se poderia começar a desanuviar eis, que uma onda negra se apodera da desinspiração nacional… Agora nem o politico/ministro dos taxistas recem promovido os salva. Para além de negro, este orçamento é irreal e inspirado por politicas “troikianas” desajustadas à nossa realidade macroeconómica. Inspira-se numa projecção demasiado optimista do crescimento do PIB nacional para se cumpra um défice de 4% que obviamente não será cumprido. Lembro que foi desde inicio o objectivo da troika que ajustamento fosse estrutural e à base de cortes da despesa (cerca de 2/3 pelo menos). O problema é que esta tentativa de ajustamentot em sido sobretudo feita pelo lado da recita(mais de 80%) obtida em impostos e taxas extraordinárias. É minha forte convicção que “a malta até aguenta” como disse um dos nossos banqueiros, mas quanto mais aguenta mais perto está da cisão social… Será que é isto que realmente queremos? A nossa ministra das finanças, coitada, até nos tenta enganar, mas em cada número que revela, em cada documento que tropeça, vê muito pouco crescimento para aquilo que é necessário… Conselho? Porque não experimentar algo de diferente? Por exemplo dizer a verdade? Parece-me que a hipocrisia é tanta, e tão global que chega ao ponto de o governo fingir que acredita é o valor é atingível, de a troika fingir que acredita que nós somos capazes, e até dos próprios mercados fingirem que estarão sempre do nosso lado. Estamos cada dia que passa a pisar campo minado socialmente, algumas reformas tem sido feitas, mas que realmente são necessárias esbarram em alguns interesses que parecem de corporativismo partidário, será? Caso para dizer que na célebre série que se tornou em filme: “dream on Baby, dream on..!” Termino pelo menos com uma boa noticia para o nosso município. O departamento da vereação das relações internacionais liderado pelo Dr. Paulo Ramalho em sintonia com o presidente da câmara municipal Eng. Bragança Fernandes, conseguiu um projecto que se denominou "oportunidades de negócio na UE", sem custos para o município que promove uma ajuda importante ao nosso tecido empresarial num contexto internacional. Este projecto está interligado ao Centro de Informação Europeia Jacques Delores, tendo acções formativas e informativas para incremento da qualidade dos nossos agentes económicos. Para além de útil, tem-se manifestado muito bem sucedido, e suscitado interesse ao nível nacional, pelo que não me estranharia que qualquer o dia o víssemos copiado num qualquer município perto de nós (e ainda bem!!). Mais uma vez, a Maia à frente do seu tempo… Parabéns a todos os intervenientes. Ricardo Filipe Oliveira Médico Mestre Eng. Biomédica (FEUP) Lic. Neurofisiologia (UP) Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.

pub


06

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

\\ Opinião Joaquim Jorge

maiahoje

\\Serafina Vale festejou 0 101º aniversário Serafina Vale nasceu em 1912 e comemorou, no passado dia 21 de Outubro, o 101º Aniversário. Um dia especial para esta habitante de Pedrouços. O Presidente da Câmara Municipal da Maia, António Bragança Fernandes fez questão de dar pessoalmente os parabéns à centenária munícipe.

Assim não vamos lá... O governo não cumpre promessas de cortes nos consumos intermédios. O governo prometeu reduzir a despesa nos ministérios, no que diz respeito ao seu funcionamento, não incluindo gastos com salários e pensões dos seus funcionários. O governo anunciou cortes de 854 milhões, mas a despesa continua a crescer. Assim não vamos lá...Quando não há exemplo de quem pede cortes aos outros é muito difícil chegar-se a algum lado. É necessário eficiência e optimização de custos e a sua racionalização, acompanhada de outras medidas sectoriais. A incapacidade para cortar nos consumos intermédios é confrangedora e o défice não pode só baixar à custa de cortes nos salários e aumento de impostos. Por outro lado, a aquisição de bens e serviços é um sorvedouro do Estado e tem que se pôr fim. Poupase na despesa com o pessoal mas o funcionamento com a máquina do estado, as quais incluem despesas com pessoal na Administração Central (ministérios), despesa com aquisições de bens e serviços e despesas de investimento (obras públicas, etc.), em vez de diminuir, ainda aumentou.0 A política faz-se de exemplos. Gasta-se imenso palavreado que não funciona. Assim não vamos lá. Quem manda e governa deve dar o exemplo, de preferência, superior ou igual ao que é pedido. Agora pedir aos outros cortes e não o fazer, cai por terra tudo que se diz e ninguém leva a sério.

http://m.maiahoje.pt

no telemóvel ligue-se em

Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

FESTA

Muitas pessoas marcaram presença

Tradicional desfolhada em Moreira da Maia Decorreu na casa agrícola de António Caroço mais uma desfolhada organizada pelo Rancho Folclórico de Moreira da Maia. Tudo começou por volta das 20h com as pessoas a fazerem fila para ir buscar o jantar cuja ementa era muito variada, como arroz de feijão com iscas, petinga e caldo de nabos. A sobremesa era

composta por bolos caseiros e alguns licores e bebidas mais fortes. Alguns convidados animaram a noite com cantares ao desafio, conjunto típico e no final uma boa surpresa que fez os mais idosos abrirem bem os olhos. Tratava-se da silhueta da bela jovem promissora cantora Renata vinda de Gondomar. Tudo aca-

bou em boa animação e ficou a promessa de se fazer mais uma festa para o ano que vem. No fim cantaram os Parabéns à anfitriã D.Lucília que completou mais um aniversário. Rogério Gonçalves

\\ Desfolhada & Petiscos Esta gente é bem animada Comeram pouco ao almoço Para virem à desfolhada Na casa do Sr.Albino Caroço É tanta malta que é Amiga Aproveitem e provem os rojões Assim enchem bem a barriga E esqueçam o corte das pensões Temos muita variedade Podem comer, à fartura Repitam estão á vontade Mas não peçam a fatura Na minha cadeira de rodas Oiço coisas engraçadas A médica me consultou Quer que eu faça caminhadas Isto até é engraçado Nada abala a minha fé Com dois copos estou orado Não me posso por de pé Somos todos uma família Cada ano temos mais gente Batam palmas à D.Lucilia E ao Bragança o Presidente. Rogério Gonçalves

pub


maiahoje POLÍTICA

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Desporto

BE questiona governo sobre instalações da Maia

Detectadas irregularidades nos contratos do Centro de Conferência de Faturas A Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) é a entidade responsável pelo Centro de Conferência de Faturas (CCF), instituição que, como o próprio nome indica, tem como função conferir as faturas do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Em funcionamento desde 2010, o CCF, situado na Maia, conta com mais de 200 trabalhadores. Todavia, a entidade empregadora da esmagadora maioria destes trabalhadores não é o Ministério da Saúde, mas sim uma entidade privada à qual o Ministério da saúde concessionou a explo-

INICIATIVA

ração do CCF. Com apenas três anos de funcionamento, para os bloquistas «as irregularidades laborais no CCF não têm parado de se suceder», situação que motivou já diversas perguntas do Bloco de Esquerda ao Governo. Na sequência destas perguntas, a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), segundo o BE, «afirma que tem vindo a desenvolver “ações inspetivas junto deste empregador desde 2011, promovendo a regularização de algumas situações irregulares detetadas, nomeada-

mente, relacionadas com questões de retribuição e de subsídios de férias e de Natal, bem como, com a cessação de contratos a termo” (Resposta a Pergunta nº 1494/XII/2ª). A ACT refere igualmente que o CCF foi alvo de uma “ação inspetiva visando a verificação da regularidade da não renovação de contrato a termo com trabalhadoras grávidas, puérperas e lactantes” (Resposta à Pergunta 3604/XII/1ª)». Não obstante as ações inspetivas que segundo dizem a ACT tem vindo a implementar «as irregularidades

laborais no CCF continuam a suceder-se, verificando-se a não atualização da categoria profissional e respetivos reposicionamentos salariais», diz o BE. Perante as alegadas infrações do CCF, o Bloco de Esquerda considera premente que a ACT intervenha, no âmbito das suas competências, de modo a verificar as condições laborais a que estão sistematicamente sujeitos os trabalhadores do CCF.

Clube UNESCO da Maia entrega prémios escolares

Alunos da Escola Secundária da Maia condecorados No passado dia 11 de Outubro, o Clube UNESCO da Maia procedeu à cerimónia solene de entrega dos Prémios Escolares relativos ao Concurso Literário realizado na Escola Secundária da Maia. Foram entregues três prémios na categoria literária e dois nas categorias de filme e desenho. Segundo a organização, os trabalhos literários evidenciaram valores da toponímia local, escritos com beleza e rigor, quanto os plásticos surpreenderam por serem sob a forma de documentário, elaborado por uma

POLÍTICA

equipa, em alternativa ao trabalho individual das disciplinas de Desenho ou Pintura. O 1º. Prémio foi atribuído ao documentário sobre os moinhos onde se evidenciava a qualidade, a capacidade de integração na atividade desenvolvida pelo CUMA e o trabalho de equipa. O 2º. Lugar foi para uma composição a grafite sobre papel, que se destacou pelo grafismo, pela diversidade de intensidade da linha e gradação da mancha. Os prémios consistiram em cheques

FNAC de 70€ para cada um os dois primeiros, 60€ para os segundos e 40€ para o terceiro. Os restantes participantes receberam um diploma de participação e o livro “Moinhos do Leça”. A cerimónia, bastante participada por alunos concorrentes e colegas, contou com a presença da Direcção da Escola, Presidente e membros do Clube Unesco da Maia e ainda o Presidente do Clube Unesco da Cidade do Porto. A Associação de Pais do Agrupamento de Escolas da

Maia também marcou presença. O Presidente do Clube UNESCO Maia, Raúl da Cunha e Silva, encerrou a cerimónia com uma intervenção que resume o espírito deste tipo de iniciativas: «A escola é um lugar de cultura, educação e ciência e o acrónimo Unesco significa educação, cultura e ciência para a paz. É daqui que resulta esta parceria que conta já com três anos.»

Clube dos Pensadores recomeça temporada de debates

Joaquim Jorge convida a debate a Ministra da Justiça que foi interrompida pelo Movimento «Que se lixe a troika» \\

Paula Teixeira da Cruz foi a convidada de Joaquim Jorge no debate do Clube dos Pensadores do passado dia 14 de Outubro. Foi a segunda vez que a Ministra da Justiça esteve presente, numa altura em que vai entrar em vigor do Novo Código de Processo Civil.

Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, vê Paula Teixeira da Cruz como uma mulher «brava, com denodo e mover montanhas para alterar a imagem da Justiça em Portugal», considerando-a também a melhor ministra do actual governo «que procura mudar radicalmente a inércia da justiça e condenar inabalavelmente os prevaricadores e quem comete crimes. Ataca a burocracia e luta por uma maior celeridade na justiça». Paula Teixeira da Cruz fez uma alteração ao Código do Processo Penal que passou a permitir os julgamentos sumários em casos de flagrante delito pela prática de crimes reservado para pequena e média criminalidade (apenas até cinco anos) por um tribunal singular (um só juiz).

Mas, Paula Teixeira da Cruz queria ir mais longe e procurou alargar estes julgamentos sumários a crimes mais graves com moldura penal superior a cinco anos (homicídio). A ministra da justiça tinha começado a discursar quando uma dezena de pessoas começou a gritar palavras de ordem, empunhando cartazes onde se podia ler "Que se lixe a troika". Os protestos não chegaram a durar cinco minutos e os manifestantes acabaram por abandonar a sala, apesar de a ministra se ter aproximado dos mesmos e dito «têm todo o direito de estar aqui» e «são muito bem-vindos». Depois dos protestos o debate decorreu normalmente e como sempre controverso, aceso e com alguma tensão própria do formato do Clube.

07

\\ Opinião Mário Lopes

SEM JUSTIÇA! Fui esta semana confrontado com o caso do guarda da G. N. R. Hugo Ernano, condenado por uma juíza a 9 anos de prisão e ao pagamento de uma indemnização de 80.000€ porque CUMPRIU O SEU DEVER. Desse acto resultou, infelizmente, a morte de um jovem de 13 anos. Entendeu a magistrada que julgou este caso que o guarda Ernano cometeu homicídio, na mesma forma número e grau aos normalmente efectuados por aqueles de quem nos jurou defender. Ou seja, o guarda Ernano foi considerado um assassino, em linguagem popular. Só que, contrariamente à sentença proferida pela douta juíza, milhares de portugueses – nos quais me incluo discordam dela, como pode ser comprovado pela consulta às redes sociais, não porque as pessoas entendam que a justiça não deva ser exercida, mas porque ela está ausente, neste caso. Pessoalmente, causa-me alguma confusão a existência de julgamentos de elementos policiais por actos praticados no exercício do dever, como aconteceu com o guarda Hugo Hermano. Não discuto se a Lei a tal obriga. Mas não faz qualquer sentido equiparar a acção policial com a resultante de actos criminosos perpetrados contra pessoas e património, pois as forças policiais são a única forma do Estado exercer a sua força internamente, de maneira coerciva, visto que os militares estão mais vocacionados para esse exercício mas no contexto externo. Incidentes destes já ocorreram e acontecerão novamente, enquanto for necessário impor a Lei e a ordem de forma controlada e sistemática pelo Estado. Não pode nem deve ser de outra maneira, sob pena de anarquização da nossa sociedade. Certamente todos lamentamos a morte de um jovem de 13 anos. Entendo que foi uma vítima dos adultos, onde se inclui o seu progenitor, que o conduziu para o fatídico assalto, razão porque interveio o guarda Ernano, em serviço. Defendo, estimado leitor, que às policias sejam disponibilizados todos os melhores meios materiais e humanos (formação) para que acidentes destes sejam uma raridade ou inexistentes. Mas recuso-me a aceitar que seja o guarda Ernano a pagar esta factura em nome do Estado, quando é apenas um seu servidor. Mário Lopes, Lic. Ciências Sociais UAb, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.


08

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

maiahoje pub

\\ Opinião Joaquim Armindo

GASTRONOMIA

“Pratos Que Falam”

Cabrito d’Aguardente \\ Preparação

AS LUZES DE LEONOR Maria Tereza Horta brinda-nos com o livro “As luzes de Leonor”, um romance, com rica densidade histórica, sobre D. Leonor de Almeida, neta dos marqueses de Távora, condenados à morte, pelo rei D. José, a mando do Marquês do Pombal. O livro, com mais de mil páginas, lê-se com prazer acrescido pelo domínio completo da autora do que pretende transmitir. Na riqueza da linguagem, do facto histórico ou do romance vive-se com profundidade toda a trama das cortes, desde o rei D. José, com Sebastião José de Carvalho e Melo, rainha D. Maria, a louca ou o Príncipe Regente D. João, repressor pela mão de Pina Manique. O que impressiona é mais verificar que em fins do século XVIII e início do XIX, a luta, mesmo no interior da monarquia, é bastante significativa no que concerne à libertação da mulher, passando de adereço a uma vontade própria de liberdade. Prémio D. Dinis, o livro distingue-se em três grandes partes: o sabor das palavras, o perfume da situação temporal e a arquitetura sintática, tornando-se doce na perpetuação das situações em Portugal e na Europa, e, fortemente, incendiado pela poesia de Bocage e de outros escritores, entre os quais a própria Leonor de Almeida, com a sua “Sociedade Rosa”. Digerimos as palavras, saboreando a tradução das flores e das cores em todo o livro, o que enriquece de forma dourada o romance. Centra-se a cada personagem os seus vestidos e a tonalidade das cores, transformando a história a uma incalculável geração de jardins floridos. Esta é uma constante que dá prazer no minucioso da definição de cada planta e cor, colorindo o livro de uma vertente aceleradora da vontade do leitor, porque as saboreia com inteira predisposição, como, um exemplo: “o seu vestido cor de pêssego” ou “grande laço de seda, cor de pétala de rosa damascena”. Mas se este sabor cega de prazer o leitor, o livro apresenta as situações temporais e sítios descrevendo-os com uma visível realidade que nos permite desfrutar dos benefícios e dos horrores da época, situanos num mar imaginativo, ora adverso, ora libertador, onde os ondas imergem bem nas areias das praias. Por fim a arquitetura sintática, onde a loucura da escrita nos leva aos céus sedentos da língua portuguesa, as palavras falam, por mudanças de linhas, sem artefactos gramaticais, imbuídos dos seus zelos, mas das expressões límpidas desafiantes da leitura. Vale a pena ganhar tempo, lendo este livro! Joaquim Armindo

pub

1. Corte o cabrito em pedaços e coloque-os num recipiente grande. 2. Junte os alhos picados e a cebola cortada em rodelas, as folhas de louro, o vinho branco, a aguardente e tempere com sal, pimenta, o colorau e os grãos de mostarda. Deixe repousar cerca de 8 horas. 3. Numa assadeira de barro, coloque a carne, a marinada e por cima da carne coloque nozes de banha.

Pergunta do Dia:

Resposta

Olá Ricardo. Quando estou a fazer alguma receita, surgem-me várias dúvidas e quase sempre associadas a quantidades. Em muitas receitas que procuro as medidas aparecem em copos, xícaras e colheres. Como os copos, as xícaras e as colheres não são todos iguais, fico com receio de não estar a colocar as quantidades certas. Quando faço algum bolo e ele não fica como eu gostaria, fico a pensar se serão as quantidades que não estão corretas. Pode ajudar-me?

Olá Sónia. Muitas das receitas são baseadas em medidas, como afirmou, em copos, xícaras, colheres, cálices, etc. As suas dúvidas são inteiramente plausíveis e por isso deixo-lhe aqui algumas medidas de conversão para as receitas que possa encontrar.

Sónia Araújo 4. Leve o cabrito a assar, juntamente com as batatas cortadas em gomos, a 200ºC até ficar douradinho. Sirva decorado com salsa e acompanhado com grelos salteados e arroz de forno.

Medidas em Decilítros e Centilitros: 1 xícara = 2 dl = 13 colheres de sopa 1 copo de vinho=1 dl=6 colheres de sopa 1 cálice = 0,5 dl = 3 colheres de sopa 1 colher de sopa = 15 cc 1 colher de sobremesa = 10 cc 1 colher de chá= 3 cc

Medidas em Peso: 1 colher de sopa de açúcar = 10 g 1 colher de sopa de água / leite = 15 g 1 colher de sopa de arroz = 15 g 1 colher de sopa de farinha = 7 g Espero ter ajudado. Cumprimentos Ricardo Tiago Blog "Pratos Que Falam" http://pratosquefalam.blogspot.pt

Envie as suas questões culinárias para: pratosquefalam@gmail.com Blog “Pratos Que Falam” www.pratosquefalam.blogspot.pt

\\ Ingredientes (4 pessoas)

1 kg de Cabrito limpo 1 kg de Batatas 1 Cebola 2 folhas de Louro 4 dentes de Alho 1/2 copo de Vinho Branco 1/2 copo de Aguardente 1 colher de sobremesa de grãos de Mostarda Colorau q.b. Sal e Pimenta Preta Banha de Porco q.b.


maiahoje

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

09 pub

SOLIDARIEDADE

\\ Opinião

Com o apoio de associados e voluntários

“Amigos da Rua” ajuda os mais desfavorecidos

Frederico Branco

“ Urinei sangue!!! E agora o que devo fazer??? ”

A “Amigos da Rua - Associação de Solidariedade”, é uma associação que visa a ajuda ao próximo, focada numa tentativa de apoio à resolução de situações mais vulneráveis. Legalmente constituída em 24 de Fevereiro de 2011 e sediada na Cidade do Porto, a Amigos da Rua tem vindo a apoiar pessoas mais desfavorecidas como os “semabrigo”, dando também apoio a crianças e idosos. A Associação conta com o apoio de 150 associados e 50 voluntários formados nas mais diversas áreas, que vão colaborando e prestando auxilio sempre que necessário e solicitado. O apoio prestado é possível, através de toda a ajuda dos voluntários e de pessoas anónimas que vão doando vestuário e calçado, entre outros bens primários, como por exemplo mantas e cobertores.

Alguns restaurantes, cafés e outras instituições doam comida, nomeadamente pão e sopa que é distribuído todas as segundasfeiras por algumas ruas centrais da

Cidade do Porto. Aos interessados em se tornarem associados, ou a colaborarem, poderão faze-lo a partir do sítio na internet da Associação:

http://www.amigosdarua.pt, onde encontram a ficha de inscrição para novos associados, assim como outras informações e contactos.

Existem muitas razões pelas quais um doente poderá urinar sangue. Constitui um sinal muito frequente responsável pela ida de inúmeros doentes ao Serviço de Urgência. Esta condição, conhecida como hematúria, pode ser uma indicação de um problema grave ou, inversamente, não ter nenhuma tradução grave. Hematúria é definida como a presença de células glóbulos vermelhos do sangue na urina, podendo esta ser microscópica (visíveis apenas ao microscópio) ou macroscópica (visível a olho nu). No que diz respeito à origem, a hematúria pode ter origem em qualquer local ao longo do trato urinário, incluindo os rins, ureteres, bexiga, próstata e uretra. Os fatores de risco para doença subjacente significativa incluem: tabagismo, antecedentes de radioterapia, o uso excessivo de alguns medicamentos para a dor e exposição a certos produtos químicos. Deverá contudo procurar sempre um Médico Especialista que o aconselhe e oriente, uma vez que a presença de sangue na urina, poder ser consequência tanto de patologias oncológicas como são o cancro de bexiga, cancro do rim, cancro de próstata, cancro ureteral, cancro uretral mas também de patologia benigna como é a infeção urinária, hipertrofia benigna prostática entre muitas outras, sendo por isso fundamental um correto diagnóstico diferencial. O tratamento será sempre baseado na avaliação do médico sobre o estado do paciente, dos sintomas e da história clínica médica, juntamente com a causa da hematúria. “A maioria de nós prefere olhar para fora e não para dentro de si próprio.” Albert Einstein Frederico Branco Médico Especialista em Urologista no Centro de Urologia do X- Maia www.fredericobranco.pt Email: fredericobrancomd@hotmail.com Xmaiaconsultadeurologia@gmail.com pub


10

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

\\ Opinião Henrique Carvalho

Des/informados!? Da esquerda à direita, das cúpulas da igreja ao mais laico, do mais bem formado ao mais analfabeto, todos se queixam de que o governo não explica as medidas nem a situação do país. Deu-me para perguntar a uma série de pessoas, se já tinham entendido a razão por que o país está nesta crise e os motivos porque estamos nesta recessão económica, sujeitos a cortes salariais e aumentos desmesurados de impostos? A resposta foi. Só não sabe quem não quer. Ou, quem se faz desentendido por conveniência política!... Espantei. Na verdade, experimentados comentadores, empresários, sindicalistas e outras figuras cimeiras e de estatuto senador, têm levantado essa questão, mas, parece-me que a maioria “silenciosa”, sabe bem o que o governo preconiza e quer e, entende a razão por que é preciso alterar a nossa forma de governar, alterar a constituição, criar novas leis laborais, incentivar a economia e outras… Para que, quando terminar a ditadura “troicana” tenhamos alguma independência económica e sejamos senhores dos nossos destinos. Não sei se o resultado das eleições autárquicas foi exatamente este tipo recado, dizer aos políticos e sábios comentadores, que estão atentos e por isso que tenham juízo e se deixem de insinuações. Na prática, todos os portugueses sabem como esta crise começou, os seus desenvolvimentos e o que temos de passar para a resolver. No comum dos mortais ouve-se muitas vezes laivos de crítica ao TC por inconstitucionalizar determinadas normas orçamentais, argumentando que, se o país está em estado de emergência, então o puder máximo devia estar na Assembleia da República e nos outros órgãos eleitos diretamente pelo povo!? Vem aí a reforma do estado. Será que o PS vai envolverse nessa tarefa, embrenhando-se num trabalho intenso e árduo de aperfeiçoamento de um estatuto de governação que se prolongue por uma ou duas décadas? Não adianta resmungar… Aquilo que agora for feito vai perdurar por alguns anos, e, dizer como Seguro já disse de algumas regras: -Que quando for governo as retorna ao passado, é de uma desacreditação atroz. Ninguém acreditará num futuro 1º ministro com estas propostas. Ou o PS elege uma pessoa que já tenha dado mostras de mais entendimento sobre a situação em que vivemos! Nunca ouve orçamento bom, nem governo capaz… Dizem os críticos. Mais tarde a maioria deles fica para a história por boas razões. Palpita-me que vai ser o caso do governo atual. Lá diz o ditado. (A razão está sempre do lado da verdade.) E o povo não deixa a sua sabedoria por mãos alheias!... Henrique A. Carvalho Outubro 2013 Escreve ao abrigo do AO

CULTURA

maiahoje

Proporcionar aos jovens o conhecimento do património do concelho

“Ver, tocar e sentir a Maia” Promovido pelo Museu Municipal da Maia, em parceria com o Gabinete de Arqueologia e colaboração do Maia Welcome Center (Posto de Turismo da Maia), este programa tem por base proporcionar aos jovens da Maia o conhecimento do património do concelho em consonância com os conteúdos programáticos do 3º, 4º, 5º e 7º ano. Este programa encontra-se divi-

CULTURA

dido em três fases com diferentes atividades. Na primeira, iniciação ao estudo do passado do meio local (Outubro 2013 a Junho 2014) e visitas à exposição temporária “Arqueologia na Maia: ver, tocar e sentir a Maia” e participação na visita "Maia 360º". Na segunda fase será o desenvolvimento do estudo do passado do meio local (Janeiro a Abril de 2014) e

Oficina “O Museu vai à escola com a Arqueologia”, com utilização dos seguintes kits pedagógicos: Kit pedagógico nº 1-Os caçadoresrecoletores: o Paleolítico; Kit pedagógico nº2 - As primeiras comunidades produtoras: o Neolítico; Kit pedagógico nº3-As primeiras civilizações: Proto-história; Kit pedagógico nº 4 - O mundo romano: Romanização.

A terceira fase é a consolidação do estudo do passado do meio local (Abril a Junho de 2014). Para mais informações ou inscrição na actividade (gratuita) deve contactar o Museu de História e Etnologia da Terra da Maia através do telefone nº 229 871 144 ou por email museu@cm-maia.pt

Exposição «As Aventuras de Júpiter»

Exposição Itinerante no Museu de História e Etnologia da Terra da Maia \\

Mitologia Romana em exposição que começou a 14 de Outubro e termina a 31 de Março de 2014.

A exposição itinerante pertence ao Museu da Lucerna, Castro Verde, e é constituída por painéis explicativos da mitologia romana, e um conjunto de 12 de lucernas (lamparinas de azeite ). Constitui uma exposição

INICIATIVA

pedagógica que proporciona a toda a comunidade um contacto próximo com a mitologia romana e com os mecanismos que, na época, permitiam a transmissão dos mitos e da história de Roma, como é o caso das

lucernas. Para além do contacto com a época, a exposição contextualiza-a com os bens culturais expostos no Museu de História e Etnologia da Terra da Maia, nomeadamente a ara de S. Pedro de Avioso, exemplar do

culto romano privado, familiar. Pode visitar esta exposição de Terça a Domingo das 09:30h às 13:00h e das 14:30h às 18:00h. Às segundas e feriados a mostra encontrase encerrada.

Renovação na Biblioteca

Biblioteca Municipal tem nova sala para contar histórias Promovido pelo Museu Municipal da Maia, em parceria com o Gabinete de Arqueologia e colaboração do Maia Welcome Center (Posto de Turismo da Maia), tem por base proporcionar aos jovens da Maia o conhecimento do património do concelho em consonância com os conteúdos programáticos do 3º, 4º, 5º e 7º ano. O programa encontra-se dividido em três fases com diferentes ativi-

TECNOLOGIA

dades: Na primeira, iniciação ao estudo do passado do meio local (Outubro 2013 a Junho 2014) e visitas à exposição temporária “Arqueologia na Maia: ver, tocar e sentir a Maia” e participação na visita "Maia 360º". Na segunda fase será o desenvolvimento do estudo do passado do meio local (Janeiro a Abril de 2014) e Oficina “O Museu vai à escola com a Arqueologia”, com utilização dos seguintes kits pedagógicos:

Kit pedagógico Nº 1 Os caçadores-recoletores: o Paleolítico; Kit pedagógico Nº2 As primeiras comunidades produtoras: o Neolítico; Kit pedagógico Nº3 As primeiras civilizações: Protohistória; Kit pedagógico Nº 4 O mundo romano: Romanização. A terceira fase é a consolidação

do estudo do passado do meio local (Abril a junho de 2014). Para mais informações ou inscrição na actividade (gratuita) deve contactar o Museu de História e Etnologia da Terra da Maia através do telefone nº 229 871 144 ou por email museu@cm-maia.pt

Acesso mais rápido à Internet

4G da Optimus cobre concelho da Maia A Optimus anuncou a chegada da sua rede de internet móvel ultra rápida ao Concelho da Maia. Os mais de 135.000 habitantes do Município vão agora poder usufruir das potencialidades da rede 4G, a qual já cobre 80% da população. A nova tecnologia 4G representa um salto tecnológico que veio revolucionar o acesso móvel à Internet, permitindo atingir velocidades até 10 vezes superiores às permiti-

das pela tecnologia 3G e tempos de resposta até 4 vezes inferiores. A velocidade de resposta, que é, por exemplo, o tempo de carregar uma página de Internet, é impulsionada pelo 4G, melhorando exponencialmente a experiência de utilização de serviços, como as vídeo chamadas e os jogos online. Ao mesmo tempo, assume uma enorme importância na aplicação da tecnologia a áreas como a

telemedicina, entretenimento, segurança e ensino à distância. Disponibilizando a mais completa oferta de Smartphones, Tablets e Pen 4G, a Optimus inclui no seu portefólio o modelo de marca própria, Optimus Boston 4G; os modelos da Apple iPhone 5, iPad 4 e iPad Mini; o Samsung Galaxy SIV; o HTC One; as Pen Optimus Kanguru 4G; ou ainda o router wi-fi Hotspot 4G que permite a partilha

do acesso 4G entre 10 equipamentos diferentes. Qualquer pessoa pode experimentar as possibilidades da nova tecnologia 4G, bastando para isso dirigir-se à loja Optimus mais próxima. Ali estão disponíveis equipamentos 4G selecionados da gama Optimus para experimentação e demonstração prática das potencialidades da nova geração de comunicações móveis em Portugal.

C O N V O C A T Ó R I A

INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA CONTRIBUINTE 502 412 453

De acordo com os estatutos da Associação Juvemaia, artº 11º nº 4, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral, convoca todos os associados a comparecerem na ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, a realizar na Sede da Associação, Rua João Maia s/n, (Quinta da Gruta), Vila do Castelo da Maia, pelas 21.30 horas, no próximo dia 11 DE NOVEMBRO de 2013, em primeira convocação, com a seguinte: ORDEM DE TRABALHOS 1. Leitura da correspondência e outros; 2. Eleição dos corpos gerentes; 3. Outros assuntos. Se passados 30 minutos da hora marcada não tiver comparecido o número legal de sócios, a ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA funcionará em segunda convocação, às 22.00

horas do mesmo dia, com o número de sócios presentes. NOTA: De acordo com os Estatutos da Juvemaia Artº 11º, nº 3, cito, “ Só serão admitidas a sufrágio as listas que sejam apresentadas ao Presidente da Assembleia Geral até cinco dias antes da realização da Assembleia”. O Presidente da Assembleia Geral estará pessoalmente na Sede da Juvemaia entre as 21.00 horas e as 24.00 horas do dia 7 de Novembro do corrente ano, disponibilizando o seu contacto para eventuais esclarecimentos: Tel. 96 409 44 06 Castêlo da Maia, 28 de Outubro de 2013 O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA GERAL Dr. Arménio Teixeira Lopes


maiahoje KICKBOXING

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Desporto

Objectivo é igual ou superar êxitos da época passada

\\ Opinião

Lifecombat inicia nova época desportiva A Escola de Kickboxing Life Combat iniciou a nova época desportiva com a ambição de igualar ou superar os êxitos alcançados na época anterior: vários atletas campeões regionais e nacionais, cinco taças no pódio por equipas e diploma de mérito desportivo relativamente à escola e treinador. Neste início de época a Escola conta já com novos reforços, estando sempre em crescimento. Com atletas/praticantes dos 4 aos 50 anos e de ambos os sexos a Lifecombat continua a ensinar diversas modalidades de combate: kickboxing, full-contact, k-1, muaythai, defesa pessoal e boxe mas conta também com uma modalidade para os aficionados da dança e do fitness: o aerokickboxing. Esta variante combina golpes das diversas artes de combate e da aeróbica e dança ao som da música e pode igualmente ser disputada em competição, sendo que na época passada atletas da Life Combat se sagraram campeãs nacionais de Aerokickboxing.

KARATE

Com a competição à porta a Life Combat espera lançar novos atletas. Até ao final do ano a escola irá participar no Torneio de Natal de Kickboxing, no Ladies Open e no Torneio Jovem Promessa do Futuro com cerca de 25 atletas. Para o treinador Luís Ferreira, «o objetivo é rodar os atletas menos experientes para os campeonatos que se aproximam». Com escolas em vários con-

Virgílio do Vale

celhos a Lifecombat possui um proje to especial na Trofa. O projeto Cross Stars, permite a todas as crianças e jovens carenciados do concelho treinar de forma gratuita e a todos os restantes a um preço simbólico e acessível. Com treinos na APPACDM, em São Martinho de Bougado (segunda e quarta das 18h45 às 20h45) e no Pavilhão Desportivo de S. Romão do Coronado (terça e quinta das 19h às 20h30 e

AUTOMOBILISMO

Evento arranca hoje

sábados das 15h às 17h) o projeto possui dezenas de jovens a treinar kickboxing. Nádia Barbosa, treinadora na Life Combat, salienta a importância deste projeto na vida destes jovens «adquirem regras, disciplina, hábitos de vida saudável e acima de tudo aumentam a sua auto-estima ao mostrarem que são excelentes atletas, tendo alcançado títulos regionais e nacionais».

11ª edição do Motorshow

2º Seminário da International Maiato Ricardo Oliveira Shitoryu Karatedo Kenshikai participou no evento Promover o Karaté em geral e o Karaté Shitoryu em particular, de uma forma credível e conforme os fundamentos do fundador, Kenwa Mabuni, é o lema e missão da International Shitoryu Karatedo Kenshikai (ISKK). A organização deste seminário, que decorre nos próximos dias 1, 2 e 3 de Novembro, está a cargo da escola de Karaté do Centro Cultural e Desportivo dos trabalhadores da câmara, serviços municipalizados e empresas municipais da Maia, em conjunto com a Associação Mabuni Shitoryu Karatedo Portugal (MSK Portugal), e com o apoio institucional da Câmara Municipal da Maia. A ISKK tem como presidente honorário, um dos mais reconhecidos nomes do Karaté mundial, Shihan Mizuguchi Hirofumi que, por sua vez tem como seu aluno, Sensei John Rakoto, presidente desta organização.

pub

O seminário será orientado pelo Sensei John Rakoto e coadjuvado pelo Sensei Carlos Pereira, director técnico nacional da MSK Portugal. Programa Dia 1 – Sexta Feira Dojo do Castelo da Maia 19h - 20h30: Castanhos e Negros Dia 2 – Sábado Pavilhão Municipal da Maia 9h - 9h30: Recepção 9h30 – 11h: Castanhos e Negros 11h - 12h: Todos 16h30 – 17h: Todos 17h – 18h: Todos 18h – 19h30 Castanhos e Negros Dia 3 – Domingo Pavilhão Municipal da Maia 9h30 – 10h: Recepção 10h – 11h: Todos 11h – 12h30: Castanhos e Negros

11

Decorreu nos dias 4,5 e 6 de Outubro, na Exponor, a 11ª edição do Porto MotorShow, evento que se assume como um dos maiores certames do sector a nível nacional. Com uma evolução constante ao longo dos anos, a pista do Motorshow Porto 2013 foi implantada este ano no pavilhão 5 e respectivo parque, que conjuga, tal como nas últimas edições, o piso escorregadio do interior do recinto de feiras com o asfalto abrasivo do exterior. Ricardo Oliveira, jovem piloto de Milheirós marcou presença. Um dos eventos do fimde-semana foi a super especial em que o piloto maiato conseguiu estar com tempos na média de 1:22:450, muito próximo de

pilotos como Ivo Nogueira, Pedro Leal, Miguel Jorge Barbosa, entre outros bem conhecidos do automobilismo. Para Ricardo Oliveira o Motorshow «foi essencialmente uma boa oportunidade de promoção dos patrocinadores que nos acompanham e de apresentação a potenciais novos parceiros. Para quem nos acompanha nas provas, este fim-de-semana serviu também para juntar amigos, colaboradores e parceiros num convívio onde podem viver de perto as emoções dos ralis».

QUE EUROPA? Um dos assuntos mais ouvidos nos média portugueses tem sido a tragédia ocorrida nos arredores da ilha italiana de Lampedusa. Têm sido às centenas os náufragos de origem africana que, em busca do el-dorado prometido por indivíduos sem escrúpulos, arriscam perder a vida para fazerem uma viagem de travessia do Maditerrâneo. As imagens que nos chegam são brutais e não há dúvida quanto à exploração por todos os agentes irresponsáveis que, a troco de uns milhares de euros, não hesitam em meter aquela gente em barcaças sem o mínimo de condições para chegarem a bom porto. Uns autênticos criminosos. Até porque nenhuma garantia oferecem a todos os expatriados que demandam a Europa na esperança de trabalho e vida melhor. Acontece que as portas dos países mais ricos não se abrem para receber esses imigrantes clandestinos que, na sua maioria, aportam a Lampedusa sem documentos pessoais, mal se sabendo a sua origem. E ficam ali em acampamentos improvisados, à espera do socorro de alguém que lhes mate a fome e ofereça um pouco de esperança em dias melhores. Mas os europeus, envolvidos nas suas querelas de auto-defesa, não vêem aquela gente com bons olhos e, em consequência, evitam tomar atitudes de solidariedade material e anímica em ordem a minorar ou pôr fim ao sofrimento desses milhares de africanos. De facto, são já muitos os problemas que a Europa enfrenta com essas comunidades vindas de África, ao longo dos últimos trinta ou quarenta anos, quase todas elas seguidoras do maometismo. Na Alemanha vivem mais de dois milhões de muçulmanos, na Espanha outros tantos, na França já ultrapassam os seis milhões e na Inglaterra também vivem cerca de dois milhões. E não é uma questão de fobia doutrinária, mas sim a constatação de que essas populações têm comportamentos agressivos e nada condizentes com as leis vigentes nos países onde estão inseridas. Basta lembrar o que aconteceu na estação de La Tocha, em Madrid, ou os ataques havidos em Londres, ou os problemas sociais verificados em França com os islamitas a oporemse a determinadas normas legais na sociedade francesa, principalmente nas Escolas… Não respeitam as leis vigentes e forçam a imposição das normas do Corão. Na verdade, a Europa está a ser invadida, lenta e progressivamente, por essa gente que, na sua irracionalidade, não olha a meios para atingir os seus fins e não tenhamos dúvida de que, daqui a umas dezenas de anos, o continente europeu vai ser a terra dos seguidores de Maomé. Os europeus passarão, então, a servos dessas comunidades invasoras e terão de se conformar às vicissitudes da subjugação cultural e social relativamente a esse povo. Acresce ainda que a natalidade europeia é diminuta, enquanto esses imigrantes se reproduzem livremente, sem tabus nem receios do futuro, o que faz com que o seu número se multiplique exponencialmente, ao contrário dos europeus que têm uma sociedade cada vez mais envelhecida e decrépita. Por outro lado, estão a desaparecer os princípios tradicionais que informaram a nossa educação religiosos, morais e sociais - que levavam as nossas comunidades a serem solidárias entre si e respeitadoras das liberdades e bens dos outros. Bem vistas as coisas, podemos concluir que a civilização ocidental caminha a passos largos para a transumância desaparecimento na Europa e seu fortalecimento na América e em muitos países da África. Definhamos a olhos vistos, sem perspectivas de alteração na vida quotidiana dos povos europeus. Será uma Europa sem indígenas europeus, mormente o centro e o sul do Continente Europeu… Talvez esteja a ser demasiado pessimista nas minhas previsões, mas também direi que gostaria que assim não fosse. Virgílio do Vale


12 \\ Opinião

Rogério Gonçalves

O povo em Portugal não tem perfil nem garra para fazer manifestações, pois somos um povo pacífico demais. Hoje a CGTP organizou mais uma grande excursão com muitos autocarros que passaram na ponte em Lisboa, mas apenas para passear, pois não vi ninguém com ar de revoltado, apenas alguns sorrisos e os do costume à espera de aproveitarem tempo de antena nas televisões. Infelizmente temos muitos trabalhadores no desemprego e se esta organização sindical pensar em fazer mais passeios a Lisboa não faltarão "passageiros", mas eu continuo a pensar que as manifestações tem que ter outro conteúdo e ter alguma garra e força e não as imagens do costume do garrafão e o pessoal a mostrar felicidade nos rostos. Em tom irónico apetece-me sugerir que as universidades criem uma cadeira para manifestantes leccionarem, caso contrário vamos assistir a que cada manifestação seja mais uma festa em vez de ser um protesto. Decepção. O preço que você paga por acreditar demais nas pessoas Deus sonha o homem pensa a obra nasce e foi assim que aconteceu na edição deste livro "Os Leitores Também Escrevem". Tudo começou há um ano com um encontro na Casa da Música e onde estiveram presentes 13 autores que escrevem artigos para jornais e o sonho começou a tomar forma e hoje é uma realidade. A mentora desta ideia magnifica é a professora de piano Céu Mota que teve a iniciativa de juntar toda esta gente. Somos agora 12 autores que fazem parte deste livro com 360 páginas cheias de vida e muita emoção, cada um teve direito a 15 páginas de textos já publicados. Vai ser apresentado em Lisboa e aguardamos que o mesmo seja feito no Porto. Convido a todos que gostarem de ler artigos variados com perspectivas e sensibilidades diferentes a comprarem um exemplar. Pela minha parte fico muito orgulhoso por ter participado neste projeto pois foi mais um sonho que concretizei. Rogério Gonçalves

pub

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Desporto KARATE

maiahoje

Nuno Moreira abre portas para Mundial em Espanha

Luís Vandermuren alcança 1º lugar pela seleção nacional em Valladolid Decorreu no passado dia 19 de Novembro o Troféu Junta das Comunidades em Valladolid. Organizado pela Federação de Castilla y Leon contou com a presença de alguns atletas da seleção nacional, servindo assim de preparação para o Campeonato do Mundo de Cadetes e Juniores e sub-21 que se realizará de 7 a 10 de Novembro. O clube maiato esteve representado por Luís Vandermuren que competiu na categoria cadetes open e António Moreira que desempenhou funções arbitrais. O jovem maiato realizou assim cinco encontros vencendo toda a concorrência sem sofrer um único ponto. No próximo fim-de-semana estarão em estágio de seleção seis atletas maiatos que procuram alcançar o passaporte para o campeonato do mundo. Serão três dias de treinos intensos para saber quem representará a equipa das quinas. Os atletas estarão assim em Pombal onde pernoitam e fazem os últimos testes na conquista de um objectivo. Os atletas convocados são Ana Almeida, Cátia Saraiva, Fábio Barbosa, Alexandre Costa, Luís Vandermuren e Ricardo Coelho. 11 pódios no Torneio das Vindimas Decorreu no passado dia 13 de Outubro a 2ª edição do Torneio das vindimas. Sendo a primeira prova da época, serviu de preparação para provas regionais que se avizinham e também para análise dos atletas que se encontram em fase de pré-seleção Nacional para representar o país no próximo campeonato do mundo de cadetes, Juniores e Sub-21 em Madrid, Espanha. O evento teve uma participação de 500 competidores que se deslocaram de Espanha, da região Sul, centro Sul, Centro Norte e ilhas até Castelo de Paiva onde lutaram ainda pelo prémio João Salgado, homenagem ao presidente que faleceu este ano. O CKMaia apresentou-se em grande destaque alcançando 11 pódios entre eles 3 primeiros lugares, três segundos lugares e cinco terceiros e que lhe daria a conquista do premio João Salgado por arrecadar mais eliminatórias ganhas em todos os escalões deste evento. Um grande prémio que nos deixa muito contentes visto que este

presidente sempre foi um grande amigo deste clube. Os atletas em destaque deste evento foram Pedro Almeida, Campeão nos Juvenis, Luís Vandermuren campeão nos Cadetes e Ana Almeida campeã do Sub-21. Com excelentes prestações estiveram os vice-campeões Diogo Biscaia e Mariana Semblano em Kata e Rafael Cruz em Kumite, no 3ºlugar acabaria Daniela Ferreira a bisar em Kata e Kumite, Bruno Pinto, Cátia Saraiva e Fábio Barbosa. A restante comitiva infelizmente não conseguiu arrecadar o pódio ficando às portas das medalhas, mas marcaram presença com excelentes prestações na prova. Nove atletas em trabalhos de seleção à conquista de um lugar no mundial O CKMaia recebeu a convocatória de nove atletas chamados a apresentar provas nos trabalhos de seleção no passado dia 12 de outubro. A federação nacional de karaté continua focada em selecionar os atletas que representarão Portugal no campeonato do mundo de cadetes no próximo mês de Novembro nas categorias de juniores e Sub-21 Assim o CKMaia viu os seus atletas Ana Almeida, Cátia Saraiva, Luís Vandermuren, Alexandre Costa, Ricardo Coelho, Fábio Barbosa, Sofia Almeida, Maria Guedes e Fábio Fernandes a trabalhar de forma afincada para um sonho que estará próximo de ser uma realidade. Com um excelente trabalho técnico tácito, os maiatos têm dado

nas vistas e mais uma vez não faltaram à chamada do selecionador, agora fica apenas a ansiedade de saber se estarão presentes no campeonato mais importante destes escalões em Guadalajara, Madrid. Nuno Moreira abre portas para Mundial em Espanha Decorreu nos dias 26 e 27 de Outubro a XIV edição da Copa de Espanha Internacional, onde marcaram presença campeões europeus e mundiais. O pavilhão de Los Realejos em Tenerife contou com uma presença de 100 atletas oriundos das regiões autonómicas de Espanha, seleção espanhola, Portugal, Turquia, França, México, Marrocos, USA e Republica Dominicana, para uma luta de titãs e arrecadar o tão desejado pódio, nesta prova que nunca viu um português medalhado. Este evento que contou com dois maiatos selecionados, Nuno Moreira em combate Masculino e Inês Rodrigues combate feminino, que enfrentaram assim uma dura concorrência que acabaria por ser batida pelo maiato e capitão da seleção Nacional. Inês Rodrigues realizaria três encontros onde acabaria por perder 2 combates por 1-0 e venceria um terceiro pela mesma margem. Com uma estratégia conseguida e uma grande concentração, Nuno Moreira realizou grandes combates arrecadando no fim o bronze. No 1º encontro o maiato venceu por 4-1 Ricardo Barbero, medalhado europeu de +84kg. No 2º confronto 2-

0 ao atleta da seleção espanhola Luís Garcia dos -84kg. Na passagem à final encontraria o Turco eliminando o português por 4-0. Na repescagem Moreira não deixou fugir o bronze frente a Fernando Moreno o recém medalhado dos jogos do Mediterrâneo com uma vitória por 4-0. O maiato revela que «foi um evento muito difícil, desgastante mas muito positivo, excelentes atletas que nos criam inúmeras dificuldades de forma constante, mas uma boa estratégia e concentração fizeram sair das canarias com este grande resultado». No mesmo fim-de-semana realizou-se em Pombal o último estágio de seleção para cadetes, juniores e sub-21onde o clube maiato viu quatro dos seus atletas serem convocados para o Campeonato do Mundo que se realiza no próximo mês de 7 a 10 de Novembro em Guadalajara – Madrid. Os convocados da maia são Fábio Barbosa Cadete -52Kg, Ricardo Coelho Cadete -57Kg, Luís Vandermuren Cadete +70Kg e Ana Almeida Sub-21 +60Kg. No mesmo fim-de-semana também decorreu o Gasshuku anual da GKI que levou alguns atletas e treinadores à cidade da Figueira da Foz. Este estágio serviu para continuar a formar e avaliar os atletas maiatos através do seu instrutor chefe James Rosseau. Alguns maiatos acabariam mesmo por realizar as suas graduações para cinto negro onde finalizariam com distinção e sucesso, aumentando assim o leque de graduados do CKMaia.


sexta-feira 1 de Novembro de 2013

maiahoje FUTEBOL

Desporto \\ Opinião

Qualificação para o Mundial 2015 no Canadá

Selecção Nacional Feminina perde 7-0 na Maia O Estádio Prof. Doutor José Vieira de Carvalho foi palco para o encontro que colocou frente a frente a Selecção Nacional Feminina portuguesa e a sua congénere da Holanda. A equipa portuguesa sofreu uma pesada derrota por 7-0,num jogo a contar para a segunda jornada do Grupo 5 de qualificação para o Mundial 2015. Assim, depois de na primeira jornada ter vencido a Grécia, Portugal ocupa a 4ºa posição do Grupo

BASQUETEBOL

que é composto por seis equipas. Relativamente ao jogo, a Holanda foi sempre mais forte, dominando o jogo, garantindo a liderança do grupo com igual número de pontos (seis) com Noruega e Bélgica, esta com menos um jogo. O Mundial será em 2015, no Canadá, e apuram-se as selecções vencedoras de cada grupo. As quatro melhores segundas classificadas disputam a presença na competição num play-off.

Sei que ninguém quer ser velho Mas não olhes p’ró espelho Pois já não precisas dele, Não adianta chorar Porque não há volta a dar, É p’ra mim, p’ra ti e p’ra ele! A velhice só tem piada Se por bem, bem encarada Como lei da natureza, Por incrível que pareça Para quem tiver cabeça Pode até conter beleza Como a vida está bem feita Tudo por bem se ajeita Haja amor, fé e vontade, Ninguém é velho de mais, Com pensamentos legais Pode ensinar a verdade

D’André Brown é reforço do Maia Basket

GINÁSTICA

Pinto), a equipa que este ano vai disputar a Liga Portuguesa de Basquetebol fica agora completa com a chegada de D’Andre Brown, um extremo norte-americano de 2,01 metros que aos 28 anos vem jogar pela primeira vez na Europa. Formado no Indian River State

College, D’Andre já jogou em diversos países como México, República Dominicana, Costa Rica e Mongólia, tendo obtido no último ano médias de 23,4 pontos, 12 ressaltos, 6,3 assistências, 3,2 desarmes de lançamento e 2,1 roubos de bola. Brown é um jogador que vem

reforçar as posições 2 e 3 e que tem como características o seu lançamento exterior e a sua capacidade atlética, prometendo ser influente tanto na defesa como no ataque.

Prata e Bronze nos Campeonatos da Europa de ginástica acrobática

pub

hadas pelos seus Treinadores Úrsula Martins e João Maia. Campeonato da Europa Júnior & Sénior (23 a 27 de outubro): Grupo Feminino Júnior – Íris Mendes / Marta Carneiro / Jéssica Correia Grupo feminino Sénior – Leonor Piqueiro / Bárbara Sequeira /

Daniela Leal. Estas ginastas foram acompanhadas pelos seus Treinadores João Ferreira e Lourenço França, também Diretor Técnico do ACM. Ginastas e medalhas conquistadas: Francisca Maia, Muriel Ferro,

Um velho com coração Tem sabida uma lição Para ajudar os mais novos, Toda a vida foi assim Jamais irá ter fim P’ra o bem de todos os povos Deus nos dá filhos e netos Temos mimos e afectos P’ra viver com lealdade, Ele quis deixar escrito Este exemplo tão bonito P’ra nossa felicidade

Acro Clube da Maia

Terminou o Campeonato da Europa de Ginástica Acrobática (CEGA), que teve lugar de 23 a 27 de outubro, e o Campeonato da Europa para Grupos de Idades (CEGI), de 18 a 20 de outubro. O Acro Clube da Maia (ACM), esteve presente (desde a sua criação nunca falhou nenhum campeonato do mundo e/ou da europa), com 12 ginastas, integrados na Seleção Nacional. Foi a maior delegação nacional. Dos 12 ginastas, 6 saíram destes campeonatos medalhados, 3 medalhas de bronze e uma de prata. Das 10 medalhas ganhas por Portugal, 4 foram obtidas pelo Acro Clube da Maia. A comitiva do ACM foi composta pelos seguintes ginastas e treinadores: Campeonato da Europa Grupo de Idades (18 a 20 de outubro),escalão 11-16 anos: Grupo Feminino – Susana Pinto / Joana Patrocínio / Beatriz Costa Grupo Feminino – Muriel Ferro / Francisca Maia / Maria Curto Estas ginastas foram acompan-

Fernando Pedroso

A VELHICE

Terceiro reforço para a nova temporada

Depois dos reforços Erik Quintela e Michel Diouf e da continuidade de grande parte do plantel da época transacta (André Dara, Carlos Gonçalves, João Albano, João Diamantino, Nuno Marçal, Paulo Diamantino, Pedro Catarino, Pedro Tavares e Ricardo

13

Maria Pia Curto - Trio Feminino - Juvenis - Medalha de Bronze Leonor Piqueiro, Bárbara Sequeira, Daniela Leal - Trio Feminino – Seniores: Medalha de Bronze Allaround, Medalha de Prata Especialidade de Equilíbrio e Medalha de Bronze Especialidade de Dinâmico.

Felicidade que se encara Como coisa muito rara Para quem não cumpre a lei, Ela quer educação Alma, fé e coração, Por ser velho, sei que sei Não se pode ser queixinhas Tinhoso ou picuinhas Para não aborrecer, Os novos não gostam disso É nosso dever por isso Agradar e agradecer Velhice é sabedoria Pode até ser alegria Se queridos pelos novos, Foi assim, assim será Ontem, hoje e amanhã Na tal sucessão dos povos Tenho ainda profissão Desempenho um papelão E já fiz setenta e um, Pinto, escrevo, sou artesão, Não conheço a solidão Nem sobra tempo nenhum Sou feliz graças a Deus Sou querido pelos meus Admirado p’los de fora, Eu já sou um gajo antigo Sei que corro o tal perigo Que aos velhos já não demora Até isso se remedeia Traz sempre a mula bem cheia Canta e dança “até poder”, Passeia como um vagabundo Sem pensar no outro mundo Verás que vais esquecer! 10 de Setembro de 2013 Abílio Fernando Dias Pedroso, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico


14

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Magazine

\\ Opinião José Paiva Netto

Uma boa solução O problema do mundo não é primordialmente o pecado, mas a carência de Amor que o gera. "Deus é Amor", definiu João, Evangelista e Profeta, o Discípulo Amado do Divino Mestre, em sua Primeira Epístola, 4:16: "E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é Amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele." No filme "Irmão Sol, Irmã Lua" (1972), de Franco Zeffirelli, há uma cena antológica: na ocasião em que recebeu, em Roma, Francisco de Assis (1181-1226), o Papa Inocêncio III (1160-1216), profundamente comovido pela presença e pelas palavras de "Il Poverello", quase que em êxtase exclamou: "Erros podem ser perdoados. Nossa obsessão com o pecado original nos faz muitas vezes esquecer nossa inocência original!" Jesus trouxe aos povos a correta visão do Pai Celeste: Caridade, Fraternidade, Compaixão, Solidariedade e também a perfeita Justiça, porque, sem ela, vigora a impunidade, fomentadora da corrupção que estabelece o caos. No livro "Os Mensageiros", do Espírito André Luiz, na psicografia de Francisco Cândido Xavier (1910-2002), lemos explicação de Alfredo, administrador de um Posto de Socorro no Plano Espiritual, que diz: "Enquanto não imperar a lei universal do amor, é indispensável persevere o reinado da justiça". É evidente que, quando me refiro à Justiça, não estou tratando de oportunismo nem de vingança, porquanto esses são a mais completa negação daquela. Nesse sentido, o famoso escritor e libretista italiano Pietro Metastasio (1698-1782) declarou: "Sem piedade, a justiça é crueldade. E é fraqueza a piedade sem justiça". De minha parte, também, tantas vezes tenho ponderado que — premiar quem não merece é crime. A mensagem do Cristo Ecuménico é eterna, mesmo quando demore a tornar-se realidade. "Passará o Céu, passará a Terra, mas as minhas palavras não passarão" (Evangelho de Jesus segundo Lucas, 21:33), pois Ele divinamente apregoa o Amor do Novo Mandamento como a definitiva solução para os males que afligem a Humanidade: "Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos. Não há maior Amor do que doar a própria Vida pelos seus amigos" (Evangelho segundo João, 13:34 e 35 e 15:13). CONJUNTO EDUCACIONAL DA LBV Com muito prazer, estive na sextafeira, 18/10, na Supercreche Jesus e no Instituto de Educação da LBV, em São Paulo, no Brasil. Visitei as novas instalações da biblioteca Bruno Simões de Paiva, onde o Grupo de Instrumentistas e o Coral Ecuménico Infantojuvenil Boa Vontade interpretaram músicas de seu repertório, incluída uma composição na Língua Brasileira de Sinais (Libras). Agradeço às crianças, jovens e educadores pelo carinho com que me receberam. A alegria estampada em cada rosto é uma demonstração de que vale a pena lutar por um Mundo melhor e uma Humanidade mais feliz. José de Paiva Netto, jornalista, radialista, escritor e Presidente da Legião da Boa Vontade, escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico, www.lbv.pt

VIAGENS

maiahoje

Hong Kong

Timor I: Díli. Uma capital adormecida Chegamos de Singapura e aterramos na capital timorense num aeroporto de trazer no bolso. Pequenino mas sem a confusão dos aeroportos de pequenas cidades africanas. Ao mostrar o passaporte português, o funcionário acena-me e diz-me para seguir, pois não preciso de visto. Os portadores de outros passaportes, mesmo da União Europeia, têm de ir ao guichet e pagar os 30 dólares do visto. Rapidamente chegam as nossas malas e saímos ao terminal. Estamos em Timor! O aluguer do carro correu sobre rodas e a meio da tarde já estávamos bem instalados. Foi tomar um duche e ir dar um pequeno passeio pela Marginal (Av. de Portugal). Apercebemos logo que aquele troço da Marginal se transforma à noite num restaurante ao ar livre. De todas as ruelas perpendiculares, saíam rapazes com cadeiras de plástico à cabeça que montam na areia. Entretanto, já havia muitas fogueiras acesas sobre as quais se grelhavam peixes, sassate (espetadas de carne), milho. As vendedeiras agitavam sacos de plásticos presos a um pau para afastar as moscas. Nós escolhemos o restaurante Nautilus, do outro lado da rua, para o nosso primeiro jantar em Timor. No dia seguinte fomos então à descoberta de Díli. De mapa na mão seguimos para o Palácio do Governo, no antigo palácio do governador da época colonial. A opção por uma ampla colunata resulta da influência das construções da Praça do Comércio de Lisboa. Ali perto, virados para o mar, estão três grandes canhões antigos portugueses. À frente do palácio, o Monumento ao Infante D. Henrique com mais de 2 metros de altura. Foi construído em 1960 e integrado nas comemorações do 5º centenário da morte do Infante D. Henrique. Lembra um padrão, encimado com o escudo das cinco quinas e a cruz de Cristo e com um alto-relevo relativo às descobertas com a rosa dos ventos e o sextante e a inscrição: «Por Mares Nunca Dantes Navegados». Ali bem perto, logo no quarteirão seguinte, está o fantástico Arquivo e Museu da Resistência Timorense (AMRT), criado em 2005, para a preservação da memória e do património histórico nacional e para a divulgação dos valores da Luta de Resistência do Povo de Timor-Leste. A exposição permanente está muito bem feita, explicando claramente a saga do povo timorense. Também ali perto, está a Sala de leitura Xanana Gusmão, uma biblioteca púbica inaugurada em junho de 2000 por Kirsty Sword Gusmão. Estamos agora na Marginal, o

centro nevrálgico dos habitantes de Dili. Ali se passeia, se brinca, se descansa debaixo das grandes figueiras de bengala ou debaixo do telhado ondulado onde até há internet, se compram frutas no mercado de rua ou somente se bebe uma água de coco. Ali perto, o Monumento a Nossa Senhora, construído durante o ano mariano de 1954, com o brasão simplificado de Timor Português e, no cimo, a imagem de Nossa senhora rodeada de anjos. Continuando o nosso passeio junto ao mar, chegamos à Praia da Areia Branca onde, um pouco mais adiante, no topo do Cabo de Fatucama, se ergue a grande estátua do Cristo Rei sobre um globo gigante. Os seus 27 metros de altura são uma alusão clara à anexação de Timor-Leste em 1976 como a 27ª província da Indonésia. A estátua, inaugurada em 1996, foi construída com apoios financeiros do governo central indonésio, do governo da província de Timor Timur e de várias empresas. A construção da estátua do Cristo-Rei gerou muita polémica entre a população, sendo vista por muitos timorenses como um símbolo político imposto por Jacarta, e não como uma imagem meramente religiosa Para lá chegarmos temos de subir mais de 500 degraus. A escadaria é ladeada por pequenos santuários com os 14 passos da Via Sacra. Durante os anos da ocupação indonésia, vários foram os monumentos simbólicos que foram construídos. Entre eles, o Monumento à Integração, no Taman Integrasi (Parque da Integração) no centro de Díli, para comemorar a integração de Timor Leste. Trata-se duma estátua de um liurai nas vestes tradicionais e a libertar-se das grilhetas que o prendiam de pés e mãos. Diversos «monumentos à integração» similares foram construídos um pouco por todo o território. No centro de Díli, ainda dois marcos importantes: o farol, que nos indica o início do porto. Mesmo ao lado, num jardim e enfrentando o mar temos o monumento ao Engenheiro Artur de Canto Rezende. É o único que em Díli apresenta um busto em bronze da figura homenageada sobre um pedestal encimado por um escudo com as armas de Portugal e a legenda: «Engenheiro Artur do Canto Rezende, morto na prisão em Calabai em 1945, vítima do seu patriotismo e heroica abnegação». Antes de irmos para Tassitolu para vermos os três mares (Tassi= mar, tolu=três) e a gigante estátua de João Paulo II, paramos primeiro no mercado de tais para apreciar a arte das tecedeiras de

tais (e onde pudemos também observar a grande paixão pelo jogo do Bingo) e depois na Catedral de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Em Tassitolu, teve lugar a missa ao ar livre celebrada pelo Papa e anos mais tarde a cerimónia da independência. No caminho para as portas de Dili, ouvimos um muezzin a chamar para a oração e fomos até a mesquita, a única em Dili. No tempo indonésio, muitas eram as mesquitas em Díli, mas com a saída dos indonésios, a população muçulmana ficou reduzida a uma comunidade muito pequena. Os timorenses usaram também a religião católica como um instrumento de resistência contra a ocupação. Nos censos realizados pelos indonésios era obrigatório dizer a que religião se pertencia — não escolher nenhuma poderia significar ser-se comunista. Os timorenses punham então a cruzinha na religião católica. Apesar de muito crentes, os Timorenses não puseram de parte as suas crenças animistas, bem visíveis na parte leste da ilha, onde por exemplo, as campas têm cabeças de animais por cima das cruzes. Do cemitério de Santa Cruz todos nós ouvimos falar em Portugal. O massacre no Cemitério de Santa Cruz a 12 de novembro de

1991 durante o funeral do estudante Sebastião Gomes filmado por um jornalista australiano marcou o ponto de viragem na luta dos timorenses. No ano seguinte, Xanana Gusmão, o líder da resistência, foi preso. Em 1996, o bispo D. Ximenes Belo e o ativista José Ramos Horta recebem o Prémio Nobel da Paz. Com a resignação de Suharto, chegou-se a um acordo sob os auspícios das Nações Unidas para a realização dum referendo para saber a vontade dos Timorenses: província autónoma da Indonésia ou independência. A 30 de agosto, o povo timorense declarou sem margens para dúvida (78%) que queria a independência, uma resposta que provocou uma reação extraordinariamente brutal e violenta por parte das milícias pró-indonésias que mataram, destruíram e saquearam indiscriminadamente, deixando o país praticamente sem infraestruturas. Uma força multinacional das UNO foi enviada para Timor para restabelecer a paz e a segurança. A 20 de maio de 2002, nasce uma nova nação: Timor Leste. Começa então o longo caminho de formação dum país. Dili é a sua capital. Por M.Margarida Müller (fotos e textos)

Pereira-


maiahoje

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

\\ EMERGÊNCIAS NACIONAIS • SOS Número Nacional de Socorro............................................112 • Incêndios Florestais .......................................................................117 • Emergência Social (crianças, idosos, vitimas, s/abrigo)....144 • Intoxicações ...............................................................808 250 143 • Emergência Gás (EDP)............................................800 215 215

\\ EMERGÊNCIAS LOCAIS • Bombeiros Voluntários de Moreira...................22 942 10 02 • A. H. Bombeiros de Pedrouços...........................22 901 27 44 • PSP Maia (Esquadra Cidade)...............................22 947 96 90 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Segurança)22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Trânsito).....22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Es.Intervenção) 22 948 26 93 • PSP Águas Santas (Esquadra Vila).....................22 977 42 80 • PSP Maia (Divisão Policial)...................................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Trânsito) .............................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Interv. e Fiscalização) ....22 978 51 90 • GNR Maia (Posto Territorial da Maia) ...............22 986 74 30 • GNR Maia (Posto Fiscal de Pedras Rubras).....22 944 91 00 • GNR Maia (Posto Trânsito da Maia) ..................22 968 84 70 • Polícia Municipal Maia ..........................................22 940 86 00 • Protecção Civil (CM Maia) ....................................22 940 87 22 • Protecção Civil (CM Maia) Linha verde.............800 205 169 • Protecção Civil (Com. Distrital Op. Socorro)..22 619 76 50 • Cruz Vermelha Portuguesa (Núcleo Maia).....22 941 12 21

\\ LINHAS

SAÚDE NACIONAIS

• Saúde 24......................................................................808 242 424 • Saúde 24 (orientação pediátrica) .......................808 242 400 • Linha Saúde Cancro ................................................808 255 255 • Linha Saúde Sexualidade......................................808 222 003 • Linha Saúde SIDA.....................................................808 266 266 • Linha Saúde SOS Criança ......................................808 202 651 • Linha Saúde SOS Medicamento .........................800 222 444 • Linha Saúde SOS Grávida......................................808 201 139 • Linha Saúde SOS Droga ............................................................1414 • Linha Saúde Deixar de Fumar .............................808 208 888 • Informação a Vitimas Violência Doméstica.....800 202 148 • Linha APAV (Apoio à Vítima)..................................707200 077

\\ SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE LOCAIS • USF Alto da Maia (Águas Santas) ......................22 977 42 50 • USF Viver Mais (Castêlo Maia) ............................22 986 51 70 • USF Saúde em Família (Pedrouços)..................22 977 47 10 • USF Pirâmides (Maia).............................................22 947 85 90 • USF Odisseia (Vermoim).......................................22 947 09 50 • USF Íris (Águas Santas)..........................................22 986 70 35 • USF Lidador (Gueifães) .........................................22 943 84 40 • USF Pedras Rubras (Moreira) ..............................22 943 14 70 • Extensão Saúde Nogueira (Nogueira).............22 961 77 10 • Extensão Saúde Milheirós (Milheirós) .............22 972 33 22 • Extensão Saúde Moreira (Moreira) ...................22 943 14 70 • Hospital S. João (Porto) ........................................22 551 21 00 • Hospital Pedro Hispano (Matosinhos) ............22 939 10 00 • Hospital Sto. Tirso (Sto.Tirso)................................252 830 700 • Hospital Joaquim Urbano (Porto).....................22 589 95 50 • Hospital N. Sra. Conceição (Valongo)..............22 422 00 19 • Hospital Sto. António (Porto) .............................22 207 75 00 • Hospital Maria Pia (Porto)....................................22 608 99 00 • Hospital Póvoa Varzim/V.Conde (P. Varzim)....252 690 600 • Hospital Magalhães Lemos (Porto) ..................22 619 24 00 • Inst.Port. Oncologia Francisco Gentil (Porto)22 508 40 00 • Unidade Alcoologia do Norte (Matosinhos) .22 004 50 60 • Centro Regional de Sangue (Porto) .................22 004 52 40

mh jornal regional de grande informação

EDITADO POR

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

Depósito legal 147209/00 DGCS nº 123524 Tiragem 3.000 exemplares

Úteis \\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA NACIONAIS • Serviço Informações telefónicas PT . . . . . . . . . . . . . . . . . .1820 • Serviço Apoio a Clientes Optimus . . . . . . . . . . . . . . . . . .16103 • Serviço Apoio a Clientes TMN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1696 • Serviço Apoio a Clientes Vodafone . . . . . . . . . . . . . . . . .16912 • Aut.omóvel Clube ACP (assistência) . . . . . . . .707 509 510 • Brisa Auto-estradas de Portugal . . . . . . . . . . . .808 508 508 • CP Combóios de Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 208 208 • TAP Air Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 205 700 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede fixa) . . . .808 202 653 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede móvel) .808 962 690 • Cartões Crédito American Express . . . . . . . . . .707 504 050 • Cartões Crédito Mastercard . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 272 • Cartões Crédito Visa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 107 • EDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 506 506 • EDP (Comunicação de Avarias) . . . . . . . . . . . . .800 246 246

\\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA LOCAL • Loja do Cidadão (Porto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 241 107 • Posto de Atendimento ao Cidadão (Maia) . .22 948 24 62 • Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 98 10 • Cartório Notarial de Cláudia Barbas . . . . . . . .22 940 67 22 • Conservatória do Registo Civil (Maia) . . . . . .22 943 98 00 • Conservatória do Registo Predial . . . . . . . . . .22 943 62 80 • Conservatória do Registo Comercial . . . . . . .22 947 76 50 • Serviços de Finanças da Maia . . . . . . . . . . . . . .22 947 06 40 • Tribunal Judicial da Comarca da Maia . . . . . .22 941 90 73 • Tribunal do Trabalho da Comarca da Maia . .22 941 41 52 • Inst. Info. Apoio Form. Profissional (IAFE) . . .22 977 39 10 • Inst. Fomento Desenvolv. Económico . . . . . .22 942 70 26 • Centro de Emprego da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 943 27 00 • Segurança Social da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 10 90 • Com. Protecção Crianças e Jovens da Maia .22 949 03 33 • CTT Correios de Portugal (Gueifães) . . . . . . .22 960 83 27 • CTT Correios de Portugal (Moreira) . . . . . . . .22 943 76 10 • CTT Correios de Portugal (Vermoim) . . . . . . .22 943 95 30 • CTT Correios de Portugal (Águas Santas) . . .22 974 33 50 • CTT Correios de Portugal (Castêlo) . . . . . . . . .22 986 66 00 • CTT Correios de Portugal (Aeroporto) . . . . . .22 940 00 11 • Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 24 00 • Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 34 72 • Consulado de Chipre (Maia) . . . . . . . . . . . . . . .22 902 38 68 • Consulado do Paquistão (Maia) . . . . . . . . . . . .22 947 93 21 • Lipor II (Central de Valorização Energética) 22 947 73 40 • Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 26 60

\\ MUNICIPIO DA

• Câmara Municipal da Maia (Central) . . . . . . .22 940 86 00 • Serviços Águas e Saneamento da Maia . . . . .22 943 08 00 • Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . . . . . .22 968 73 22 • Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 20 • Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . . . . .22 944 24 62 • E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . . . . . . .22 940 87 21 • Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 30 • Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 • Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 905 95 20 • Canil Municipal da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 982 36 87 • Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 986 71 80 • Espaço Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 80 30 • Loja da Juventude S. Pedro Fins . . . . . . . . . . .22 968 91 69 • TURISMO Maia Welcome Center . . . . . . . . . . .22 944 47 32 nota: Informação actualizada em 2011/10/01 Ana Luisa Azevedo, TPJ analuisa@maiahoje.pt

COLABORADORES REDACTORES: Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt Luís Filipe Azevedo, TPJ luis@maiahoje.pt Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos, TPJ rita@maiahoje.pt

COLABORADORES FOTOGRAFIA: Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710

CORRESPONDENTES: João Diogo (Brasil) Williams James Marinho (EUA) Ainhoa Carrasco Robles (Espanha) Catarina Almendra (Lisboa)

\\ FARMÁCIAS Dia

01

PERM T REF

02 03 04 05 06 07 08

09 10

11

12

13

14 15

U

F

H

I

J

K

V

A

B

C

D

E

G

L

-------------------------------------------------------------------------------------------

TURNO A AGRA - MILHEIRÓS TURNO B AEROPORTO - PEDRAS RUBRAS TURNO C LIMA COUTINHO - GUEIFÃES TURNO D SILVA ESCURA - FREJUFE TURNO E BASTOS - GUEIFÃES TURNO F GEMUNDE - CAMPA DO PRETO TURNO G ÁLVARO AGANTE - VERMOIM TURNO H CENTRAL - CATASSOL TURNO I MOREIRA BARROS - PARADA TURNO J ALIANÇA - VERMOIM TURNO K VILA NOVA DA TELHA - QUIRES TURNO L SOUSA BEIRÃO - MAIA TURNO M MARTINS DA COSTA - ÁGUAS SANTAS TURNO N BOM DESPACHO - MAIA TURNO O CASTÊLO - CASTÊLO DA MAIA TURNO P GRAMAXO- MOREIRA DA MAIA TURNO Q EUGÉNIA - PEDROUÇOS TURNO R NOVA DE ARDEGÃES - ARDEGÃES TURNO S LIDADOR - ARDEGÃES TURNO T ARAÚJO - NOGUEIRA TURNO U GUARDEIRAS - GUARDEIRAS TURNO V MAIA - ÁGUAS SANTAS

esta informação é patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SERVIÇO PERMANENTE

MAIA

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar artur@maiahoje.pt

15

CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Form. e Docentes) Mário Lopes (sociedade) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Pedro Ferreira (política) Ricardo Filipe Oliveira (sociedade) Rogério Gonçalves (sociedade) DESIGN / PAGINAÇÃO: Luís Filipe Azevedo Maxim Bukharov

13 Novembro Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

DEPARTAMENTO COMERCIAL: Pedro Martins pedro@maiahoje.pt António F Silva silva@maiahoje.pt SEDE/ REDACÇÃO / D.COMERCIAL

Rua dos Altos, 18 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25

IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados. MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007


As suas campanhas e montras garantidas ao melhor preço

até ao Natal!

- VINIL AUTOCOLANTE solvente (exteriores) €

6,90/m2

- LONAS solvente (de 440 grs., c/acabamentos)

7,40/m2

PREÇOS VÁLIDOS PARA COMPRAS SUPERIORES A 100Eur. • APENAS IMPRESSÃO, DESIGN NÃO INCLUIDO • IVA NÃO INCLUIDO

RUA DOS ALTOS, 18 • 4470-235 MAIA • TELEFONE 22 406 21 26 • comercial@maiahoje.pt


pub

01NOV a 14 NOV

2013 Ano XIV | Nº 332 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar

apenas 0,70 € IVA incluído

\\

PUB

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

entrevista Vice-presidente da Câmara Municipal da Maia à MHtv

Silva Tiago candidata-se à concelhia do PSD «com naturalidade» Vice-presidente da Câmara não esconde que pretende preparar as autárquicas de 2017 «com naturalidade, sem cortes, sem rupturas». Eleições são a 23 de Novembro. p. 5

\\

\\ novo

energia REN amplia instalações e capacidade em Vermoim com tecnologia de ponta

serviço

CTT lançam campanha “O meu selo” na loja da Maia p. 2

\\ acrobática

Acro Clube traz dos europeus uma medalha de prata e p. 13 três de bronze.

\\ karaté

p.4

pub

Luís Vandermuren (cadetes) vence e convence em Espanha. p. 12

\\ solidariedade

“Amigos da Rua” prepara o Inverno na ajuda aos sem-abrigo, idosos e crianças p. 9


02

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Página dois editorial \\ artur bace|ar director

Uma boa solução Uma das coisas que eu mais gostava, era de, num curto zapping, ver as aberturas dos telejornais. Há meses seguidos que eu já não suporto tal exercício. É um desfilar de choradeiras, mentiras, meias-mentiras e meninos de coro que até enoja. Se a situação do país é realmente dramática (ninguém colocou isso em causa); se não tínhamos dinheiro para pagar aos funcionários e tivemos de urgentemente pedir emprestado (incontestável); se temos que pagar a quem emprestou (pelos vistos alguns acham que não), então toda a gente sabe que temos que fazer sacrifícios. Então porque é que minorias, lamechas, sem ideias, que nunca olham

POLÍTICA

para os dois lados, estão constantemente a pedir a demissão de um governo democraticamente eleito? Pior! Como é possível fazê-lo, alegando que quem neles votou mudou de ideias? Quem lhe garante democraticamente isso? Ou estão a chamar burros aos portugueses que, enganados ou não, sabem que o bem ou mal que fizeram é para quatro anos. Como é possível também dar longuíssimos tempos de antena a esta gente? Tribunal Constitucional A Constituição diz no seu artigo 38º que «É garantida a liberdade de imprensa» e que esta implica «O direito dos jornalistas, nos termos da lei, ao acesso às fontes de informação e à protecção da independência e do sigilo profissionais». Pergunto: Onde está garantido o acesso às fontes de informação? E a protecção da independência? É para levar a sério ou não?

No artigo 5º diz «Portugal abrange o território historicamente definido no continente europeu», então porque é que o Tribunal não decreta português o território de Olivença? E já agora o que lhe adianta? Vai fazer guerra com Espanha? A constituição, felizmente não é só para algumas coisas e muito menos para ser usada ao sabor do “porque-me-dá-jeito” mas é o que parece. Em democracia há uma boa solução para estes problemas de discordância: Candidatem-se ou façam-se eleger, tão simples como isto, até lá “gramem” o que a maioria, bem ou mal, por muito que nos custe, decidiu.

o primeiro orçamento de Passos Coelho. Onde estão os responsáveis? Na cadeia? Provavelmente dizem que nalgum programa televisivo e ainda por cima público. Não há vergonha! PSD Maia prepara nova etapa O PSD Maia terá nos próximos quatro anos que acautelar um novo presidente de Câmara e como nunca

maiahoje

é cedo de mais para se começar, António Tiago, actual vice-presidente, declarou esta semana em exclusivo ao MHtv (pode ler nesta edição) que será candidato à Câmara Municipal. Uma coisa de cada vez, para já lança a candidatura à Concelhia, que espera tenha um amplo consenso, o resto o tempo o dirá, mas politicamente interessante de seguir.

A verdade da Dívida Pública No passado dia 28, a TVI24 emitiu um programa onde Medina Carreira, tendo como fonte o Eurostat, construiu um gráfico sobre a Dívida Pública onde claramente se vê uma subida a pique que só terminou com

Nova entidade vem substituir a Junta Metropolitana

Bragança Fernandes é Vice no Conselho Metropolitano Na passada terça-feira, convocada pelo presidente de Câmara com mais eleitores (VN Gaia), reuniu pela primeira vez em acto eleitoral, o Conselho Metropolitano do Porto (COMP), órgão que vem substituir a antiga Junta Metropolitana do Porto. Nesta primeira reunião estiveram presentes e/ou representados os 17 autarcas da Área Metropolitana do Porto (AMP) que elegeram, para presidente do COMP, o socialdemocrata Hermínio Loureiro, vicepresidente da Federação

CTT

Portuguesa de Futebol, ex-deputado e antigo secretário de Estado do Desporto de Durão Barroso e Santana Lopes, foi eleito hoje, por 16 votos a favor e um branco. Vices Bragança Fernandes, do PSD, presidente da Câmara Municipal da Maia e decano dos autarcas da Área Metropolitana do Porto e o socialista Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, assumiram as duas vice-presidências disponíveis.

Fora da liderança esteve o novo presidente da CM Porto (que já tinha dito não ser prioritário o cargo) e Guilherme Pinto, o único dos 17 autarcas da AMP que não esteve presente na reunião, tendo-se feito representar. O presidente do COMP deu início ao processo de formação da comissão executiva metropolitana (constituída por um primeiro secretário e 4 secretários metropolitanos).

Executivo em Novembro A lista de candidatos a membros da Comissão Executiva Metropolitana é aprovada, na primeira reunião do COMP, e tem que ser depois submetida a votação nas assembleias municipais, a decorrer entre 20 a 45 dias, votação que tem que decorrer em simultâneo em todas as assembleias municipais e realiza-se por sufrágio secreto, sob pena de nulidade, diz a Lei. A próxima reunião está agendada para 20 de Novembro, data em que serão anunciados oficial-

mente os nomes dos três secretários da Comissão Executiva do Conselho Metropolitano. O novo mapa A Área Metropolitana do Porto sofreu algumas alterações a nível de gestão partidária, sendo o caso mais conhecido o da autarquia portuense que passou de social-democrata, a independente. O PSD continua no entanto a dominar, com 8 câmaras, seguindo-se o PS com 6, um do CDS e dois independentes, em Porto e Matosinhos.

Impressão de selos únicos e personalizavéis

Projecto “Meu Selo” dos CTT chega à Maia

pub

derá também ser personalizado e ambos usados para além do envio de correio comum, para ser oferecido em épocas festivas como aniversários, casamentos e Natal. Nesta apresentação na Maia estiveram presentes, o presidente da Câmara Municipal da Maia, António Bragança Fernandes, o vereador do Desporto do município da Maia, Hernâni Ribeiro, a presidente da Junta de Freguesia da Maia, Olga Freire, o director Comercial Norte dos CTT, Nuno Marques Neves, da loja dos CCT Maia, a gestora Alexandra Rodrigues , o funcionário Guilherme Soares, o pároco da Igreja de Vermoim Padre José Silva e administrador da empresa Tintas 2000, António Ambrósio, entre outros convidados.

x

por apenas 16,80 10 euros /ano Sim, desejo ser assinante do jornal MaiaHoje pelo período de ___anos, automaticamente renováveis por igual periodo. assinatura

%

Recorte e envie para: Jornal MaiaHoje - Rua dos Altos, 18 • 4470-235 Maia

NOME_____________________________________________ MORADA__________________________________________ COD POSTAL_______-____ LOCALIDADE_________________ TELEFONE______________ TELEMÓVEL_________________ EMAIL_____________________________________________

%

Foi inaugurado no passado dia 22 de Outubro nos CTT da Maia o equipamento de gestão e impressão “Meu Selo”. Este equipamento e produto “Meu Selo” existe há já alguns anos e proporciona ao cliente singular ou colectivo a impressão de selos únicos com imagens e texto personalizáveis. Este projecto está a ser agora mais massificado por parte dos CTT, cumprindo todas as exigências de qualidade e garantias de segurança. Este serviço pode ser efectuado a partir da internet com a respectiva encomenda para os CTT, em folhas com 25 e 12 selos. À semelhança de o “Meu Selo” existe também o projecto “Meu Postal”, que po-


maiahoje

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

\\ Câmara e Assembleia tomaram posse

03

\\ No fio da Pena

Na manhã do passado sábado, 19 de Outubro, no edifício da Câmara Municipal da Maia, teve lugar a tomada de posse da Câmara e Assembleia Municipal. O Ministro Aguir Branco foi convidado de honra. Freguesias: Dado que em practicamente 3 dias houve a tomada de posse nas diversas freguesias e não seria humanamente possível estar presente em todas, optamos, por uma questão de igualdade, mas com todo o respeito pelos eleitos e instituições, por não publicar nenhum desses órgãos.

Pedro Ferreira*

Nos dias que correm, qualquer pessoa que assista a um noticiário ou leia um jornal é literalmente assaltada pela noção de que não há alternativa à política governamental vigente. Esta ideia, diariamente sublinhada pelo governo e seu séquito de comentadores, na absoluta dimensão de uma certeza que recusa qualquer contraditório e eleva essa mesma recusa a um patamar de completa irredutibilidade, representa em si mesma um movimento revanchista contra o princípio democrático que norteia a nossa ideia colectiva de sociedade. Para a ideologia dominante, a ideia de alternativa é substituida pela noção de alternância. A vigência da alternância, entre nós corporizada pelo PSD, PS e CDS, tem-se orientado por um afunilamento ideológico destes partidos, cada vez mais iguais entre si, e traduz-se na desvalorização do voto enquanto instrumento de poder e de participação e no enfraquecimento da democracia, pois como amiúde se ouve, “eles são todos iguais”. A desvalorização da democracia não é um fenómeno novo na história e deveria merecer de todos nós profunda reflexão. No livro Formas de Legitimação do Poder no Salazarismo, uma adaptação da tese de doutoramento de J. Rebelo publicada pela Livros e Leituras em 1998, o autor refere como a legitimidade do poder do ditador é transcendente na medida em que “não resulta das vontades expressas pelos portugueses mas de algo (...) exterior a essas vontades. Um poder total (...) imposto pela própria lógica da história em cuja sequência se insere naturalmente.” Salvas as devidas distâncias históricas, importa salientar como a vontade das pessoas é ultrapassada pelo devir da própria história, isto é, pela ideia de inevitabilidade. Hoje vivemos sob a égide da dívida, assumida pelos agentes políticos democraticamente eleitos como o princípio e o fim de toda a política, e também como legitimação para a execução de uma agenda ideológica evidente, que se apresenta como liberal, mas que na prática reproduz princípios corporativistas: protecção das principais fortunas, desmantelamento das funções sociais do Estado e diminuição do valor do trabalho, num processo de empobrecimento generalizado de todos os que vivem do seu trabalho. As alternativas são publicamente desvalorizadas ou simplesmente silenciadas. Vale a pena pensar nisto, para que não nos surpreendamos todos com o que, afinal, já sabiamos. Escritor Deputado Municipal da CDU Fotos CM Maia

pub


04

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

\\ Ângulo Recto António Neto

“ A refrega autárquicas 2013?!... Os resultados das eleições autárquicas suscitam opiniões e interpretações diversas. De todo modo, a análise deve partir do rigor dos dados eleitorais. Já li muitos textos informativos, de opinião e reflexão sobre as autárquicas 2013 que, na minha opinião, representam um claro cartão vermelho à maioria PSD/PP, um reforço do PS em número de Câmaras ainda que não em votos, um crescimento objectivo da CDU, o aumento da importância das listas de independentes, ainda que com natureza e conteúdos diferentes, e, um fraco resultado do BE a nível nacional. Na Maia há quem à direita apenas contabilize as Juntas, mas se esqueça de mencionar os muitos votos que perdeu no Concelho e que a CDU e o BE cresceram. Factos são factos. Na Maia as forças políticas de esquerda, CDU e BE, foram as únicas que subiram, percentualmente, para todos os órgãos autárquicos (Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleia de Freguesia). A CDU conseguiu um vereador (ainda bem para a esquerda que passa a ter um voz na edilidade executiva da Maia), aumentou o número de eleitos na Assembleia Municipal e nas Assembleias de Freguesia, que no caso de Águas Santas há que o reconhecer, devido ao trabalho persistente do seu eleito, de ligação às populações e de firmeza perante uma maioria que paralisou a Junta durante todo o mandato. O BE manteve o número de eleitos na Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia. A maioria PSD/PP e o PS baixaram percentualmente e em votos para a Câmara, Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia. Registe-se a eleição de um deputado municipal pelo PAN e o aumento substancial com significado político dos votos nulos que deve merecer uma devida reflexão por parte de todos os Partidos políticos. No entanto, há que dizê-lo, a direita reduziu o seu espaço na Maia, mas não perdeu o essencial! A esquerda tem de o perceber ao valorizar e bem os resultados alcançados através das portas e pontes que abrem. Se viverem à sombra dos resultados poderão ter no futuro os dissabores que já tiveram no passado. A Maia precisa de uma esquerda plural reforçada e forte no Concelho. Os resultados são a semente dessa esperança que precisa de ser regada com vontades, espírito aberto e uma intervenção activa em todos os órgãos devidamente conjugada com os interesses das populações locais. ANTÓNIO NETO Técnico Superior Acção Jurídica/Formador (Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico)

ENERGIA

maiahoje

Rede Eléctrica Nacional aposta na subestação de Vermoim

«Iniciamos um novo ciclo que permite que esta estação dure, pelo menos, mais 50 anos» Foi no passado dia 10 de Outubro, pelas 10h, que a REN visitou as instalações de Vermoim para marcar a conclusão da 1ª fase de ampliação para 400KV, num projecto que exigiu um investimento de 20 milhões de euros e quer melhorar a fiabilidade da rede na região do Grande Porto. Na visita estiveram presentes o Director de Investimento da REN, Albino Marques, o Vice-Presidente da Câmara Municipal da Maia, António Domingos da Silva Tiago e o Director de Exploração da REN, Albertino Meneses. O projecto A REN atua em duas grandes áreas de negócio: o transporte e gestão do sistema de electricidade em muito alta tensão; e ainda o transporte e gestão do sistema de gás natural em alta pressão. Ao ser a distribuidora de energia do Grande Porto, a subestação de Vermoim tem especial importância porque «é a principal na região do Grande Porto em termos de entrega de energia aos consumidores, portanto era o sítio ideal para fazer este investimento.» diz Albino Marques, Director de Investimento da REN. Previsto no Plano de Investimento da Rede de Transporte de Electricidade, este projecto criou uma alternativa à subestação de Recarei, Paredes, como nó de 400KV, o que permitiu melhorar a fiabilidade e «reforçar toda a rede do Grande Porto, garantindo uma capacidade e qualidade de serviço superior aquela que existia» acrescenta o Director. Mais fiabilidade, maior resistência às avarias internas, maior continuidade, mais disponibilidade e mais tensão, são as premissas deste projecto, que a única coisa que promete a menos, são as linhas. Para além de ser a primeira vez em Portugal que se instala uma subestação deste tipo em tecnologia compacta no interior de um edifício, é também a primeira vez que se reforçam as linhas existentes ao inverso de construir novas linhas. Albino Marques explica que «O que fizemos foi utilizar e reforçar as linhas que já existiam para as utilizar numa capacidade superior. Isto, mais o facto de usarmos este tipo de tecnologia, permitiu reduzir o impacto sobre o território, factor que a Câmara da Maia apreciou.». A tecnologia, só utilizada, até agora, por 3 empresas europeias, foi comprada à empresa Siemens,

sendo a engenharia totalmente portuguesa. A visita serviu de mostra para uma primeira fase do projecto, que agora se coloca em serviço, contendo equipamento de corte, seccionamento e medição necessário para ligar duas linhas de 400 KV, bem como três novos transformadores encapsulados para redução do ruído ambiente. Segundo a REN, a segunda linha de 400KV será posta em serviço ainda este ano. Albertino Meneses, Director de Exploração da REN confessou que a subestação de Vermoim «necessitava de ser reforçada para poder suportar esta injecção nova de potência», como acrescento, o Director de Investimento referiu ainda que « a subestação nasceu em 1958 e até agora nunca tinha tido uma transformação profunda como esta que fizemos. Iniciamos um novo ciclo que permite que esta estação dure, pelo menos, mais 50 anos». Balanço do projecto No final de contas, a satisfação com o resultado final era óbvia. Albino Marques declara que este «é um projecto que estava pensado há mais de dez anos, que se desenvolveu por fases e que, finalmente, com muito gosto concluímos. É a concretização daquilo que vários engenheiros da casa sonharam», e também Albertino Meneses, Director de Exploração, afirmou que as melhorias na subestação foram «a realização de um objectivo

que estava desenhado há bastante tempo e finalmente se concretiza, constituindo uma passo decisivo para esta zona». Não só a Rede de Energia Nacional se mostrou satisfeita, mas também o Vice-presidente da Câmara, António Domingos da Silva Tiago que, como comentário final confessou que «o balanço final deste projecto, não é um balanço pesado. O investimento é considerável mas fiquei bastante satisfeito da forma como ele foi realizado, pelo profissionalismo, pela eficiência e pelo resultado que tudo isto vai permitir à metrópole do Porto». Acrescentou ainda que «A Maia fica a ganhar porque as empresas que cá se instalam poderão ter condições de fornecimento de energia eléctrica mais fiável, mais eficiente». No futuro No que diz respeito a planos futuros o Director de Investimento afirmou que «a REN tem planos de projectos deste tipo para outras zonas do país apesar de termos um nível de investimento inferior àquele que tivemos no passado. Mantemos no nosso plano um conjunto grande de investimentos para continuar o esforço de melhorar e reforçar a rede, seja por expansão ou por melhoria das condições existentes». António Domingos da Silva Tiago, questionado acerca da remoção dos postes e fios de electricidade na cidade da Maia, um projecto prometido à 10 anos atrás, conta que

«esse projecto está em evolução. Nos próximos meses vão sair dos ares da Maia três linhas de 150 KV, que partem destas intervenções da REN. Vai também ser criada uma linha enterrada com ligação à Prelada e há já um compromisso assumido de mais linhas subterrâneas. Obviamente isto é um projecto que será feito a médio prazo, num espaço entre 8 a 10 anos». A relação da Rede Eléctrica com a Câmara Municipal da Maia, que permite projectos deste tipo, tem sido, segundo os mesmos, uma «parceria profícua, o que é de enaltecer» diz o Vice-Presidente, que acrescenta «nós estamos muito agradados pela forma como a REN tem dialogado connosco. A Câmara da Maia tem prestado bem a sua parte e estamos muito orgulhosos de ter a REN no concelho». O Director de Investimento Albino Marques confirma esta boa relação confessando que a REN tem sempre a preocupação de submeter e apresentar à Câmara todos os projectos para a zona da Maia, aceitando as sugestões da mesma, e segundo o mesmo, «tem sido assim desde 1958, numa parceria que informa, debate e aceita opiniões». O director confessou ainda que, em honra a esta parceria, será exposta numa das rotundas que dá acesso às instalações da REN, por sugestão da Câmara Municipal, um transformador com 55 anos. Ana Luisa Azevedo (texto) Manuel Jorge Costa (fotos)


maiahoje

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

ENTREVISTA António Tiago, vice-presidente da Câmara Municipal da Maia, é candidato à concelhia do PSD

«As coisas (sucessão) devem acontecer com alguma naturalidade» A cerca de um mês das eleições para a Comissão Política Concelhia do PSD Maia, António Silva Tiago, actual vice-presidente do executivo camarário apresenta-se como candidato numa lista que pretende seja de consenso e que visa o futuro do concelho «amizade, lealdade, sem atropelos, são valores em que acho se deve acreditar», diz. Maia Hoje - Vai apresentar a sua candidatura à Concelhia PSD Maia. Porquê a escolha desta altura exacta? Domingos Tiago - Porque senti essa vontade, porque nunca o tinha feito antes e acho que é uma experiência que eu gostava de abraçar. À vontade de me candidatar e em função da receptividade dos meus amigos e militantes do partido, se me derem essa confiança, humildemente irei tentar responder da mesma forma. MH- Sentiu esse apelo das bases uma vez que o ciclo do Eng.º Bragança Fernandes na Câmara irá terminar dentro de 4 anos e que será necessário alguém preparar a nova etapa do PSD da Maia? DT- Também. Acho que as coisas devem acontecer com alguma naturalidade, devem acontecer sem cortes, sem ruturas, cortes temos nós na nossa vida enquanto país. Estamos a viver um momento menos positivo, menos agradável mas se calhar necessário, vivemos desmandos noutros momentos e portanto agora estamos a corrigir esses desmandos, mas estamos a sofrer. Também por isso sendo o momento de dificuldade, eu, conversando com o presidente actual da Comissão Politica e actual presidente da Câmara, delineei um caminho bem trilhado, bem assumido, com respeito entre ambos, com amizade, com lealdade , sem atropelos, algo que pode ser testemunhado e até repetido porque não noutras geografias. Estragar isso seria perder essa identidade, essa marca, enquanto partido, enquanto pessoas, enquanto realidade social e comunitária, acho

que vale a pena acreditar nestes valores. MH- Quando tomou esta iniciativa, falou então com o Eng.º Bragança Fernandes? DT- É obvio que falei, falou ele comigo e eu com ele. Ele aliás está recetivo a esta candidatura e está empenhado. Ele próprio também se disponibilizou para ser candidato à Mesa do Plenário conjuntamente comigo. MH- Vai dar continuidade a essa comissão política ou vai fazer remodelação? DT- Ainda não tenho a lista arrumada. Vou fazer agora contactos. As eleições são só a 23 de Novembro, ainda temos quase um mês. Achei para já que devia dar uma nota mais pública, para que as coisas sejam comunicadas e do conhecimento geral, para que não hajam discussões, para que as pessoas vejam com objectividade, com verdade e com clareza. MH- Acha que poderá ter alguma oposição dentro do próprio partido, ou haverá lista única? DT- Não sei, sinceramente não sei. MH- Como vê o PSD actualmente na cidade da maia? DT- Vejo um partido unido, coeso e solidário. Apresento-me como uma lista agregadora, não tenho animosidades, filiações, grupos, sou igual para todas as pessoas, acho que fui sempre assim. Foi algo que nunca abracei como agora pretendo. Se me derem essa oportunidade e essa confiança, sem grandes sofismas ou ilusões, as coisas tornam-se objectivas e reais. Tive sempre um alinhamento com toda a gente da m e s m a forma, ocupeime com outras coisas, ao serviço da Maia e da Câmara Municipal.

Tive outras responsabilidades, mas também posso agora abraçar outras experiencias, outros serviços de missão que, sem falsas modéstias, poderei também fazer. MH- Quais são os grandes traços da sua candidatura? Aumentar número de militantes, criar novos núcleos, dinamizalos? DT- Acho que o mais importante é criar um espaço de pluralismo, de pensamento, de criatividade, de inovação, de juventude, de reflexão sobre as novas realidades que estão a acontecer no mundo, a nível dos partidos, como é que os partidos se colocam hoje na sociedade moderna, se são um meio para atingir algum tipo de objectivos para o bem das pessoas, para melhor qualidade de vida, das comunidades, ou se são entraves. Assiste-se a indícios de movimentos de independentes que surgem de um modo genuíno, pois as pessoas não se revêem nos partidos tradicionais, por isso essa reflexão é importante, é boa, e deve ser feita. MH- Em termos distritais, vai ter que ter essa ligação, assim como a nível nacional, irá representar os maiatos sociais-democratas em congressos, quem são as grandes figuras a nível distrital e a nível nacional com que a Maia poderá contar a nível de coligação, de linha política? DT- Eu acho que é prematuro estarmos a falar em geografias, acho que o momento não é esse, acho que há órgãos,

05

\\ Opinião Ricardo Oliveira

as pessoas devem-se respeitar. MH- Gostaria de contar com Passos Coelho? DT- Ele é o presidente do nosso partido, é o nosso primeiro-ministro, tenho noção do que é governar a Câmara e então o país… A dificuldade que há em governar, em momentos como este de enorme constrangimento, de pré-ruptura financeira, é extremamente difícil gerir, portanto as pessoas podem não gostar de muitas coisas que se façam, decisões que se tomam, o modelo decisório que se implantou mas temos de alguma forma temporizar, de analisar melhor as coisas, de não criticar por criticar. A crítica é fácil e imediata mas é preciso pensar bem no que se critica e na forma como se critica. Portanto estar hoje já a fazer projecções a esse nível nacional, acho que é um bocadinho prematuro… MH- Quer deixar alguma mensagem especial para os social-democratas? DT - A mensagem principal é que podem contar comigo, se me derem confiança nesta experiência, neste propósito a que me disponibilizo, eu farei tudo para lhes responder ao mesmo nível, com a mesma confiança, com o mesmo sentimento, de amizade, de responsabilidade. Isso posso transmitir-lhes que o farei até ao limite do meu saber e das minhas responsabilidades .

Dream on Baby Chegou o momento da verdade nas hostes nacionais: a apresentação do orçamento de estado para 2014. Quando se achava que finalmente se poderia começar a desanuviar eis, que uma onda negra se apodera da desinspiração nacional… Agora nem o politico/ministro dos taxistas recem promovido os salva. Para além de negro, este orçamento é irreal e inspirado por politicas “troikianas” desajustadas à nossa realidade macroeconómica. Inspira-se numa projecção demasiado optimista do crescimento do PIB nacional para se cumpra um défice de 4% que obviamente não será cumprido. Lembro que foi desde inicio o objectivo da troika que ajustamento fosse estrutural e à base de cortes da despesa (cerca de 2/3 pelo menos). O problema é que esta tentativa de ajustamentot em sido sobretudo feita pelo lado da recita(mais de 80%) obtida em impostos e taxas extraordinárias. É minha forte convicção que “a malta até aguenta” como disse um dos nossos banqueiros, mas quanto mais aguenta mais perto está da cisão social… Será que é isto que realmente queremos? A nossa ministra das finanças, coitada, até nos tenta enganar, mas em cada número que revela, em cada documento que tropeça, vê muito pouco crescimento para aquilo que é necessário… Conselho? Porque não experimentar algo de diferente? Por exemplo dizer a verdade? Parece-me que a hipocrisia é tanta, e tão global que chega ao ponto de o governo fingir que acredita é o valor é atingível, de a troika fingir que acredita que nós somos capazes, e até dos próprios mercados fingirem que estarão sempre do nosso lado. Estamos cada dia que passa a pisar campo minado socialmente, algumas reformas tem sido feitas, mas que realmente são necessárias esbarram em alguns interesses que parecem de corporativismo partidário, será? Caso para dizer que na célebre série que se tornou em filme: “dream on Baby, dream on..!” Termino pelo menos com uma boa noticia para o nosso município. O departamento da vereação das relações internacionais liderado pelo Dr. Paulo Ramalho em sintonia com o presidente da câmara municipal Eng. Bragança Fernandes, conseguiu um projecto que se denominou "oportunidades de negócio na UE", sem custos para o município que promove uma ajuda importante ao nosso tecido empresarial num contexto internacional. Este projecto está interligado ao Centro de Informação Europeia Jacques Delores, tendo acções formativas e informativas para incremento da qualidade dos nossos agentes económicos. Para além de útil, tem-se manifestado muito bem sucedido, e suscitado interesse ao nível nacional, pelo que não me estranharia que qualquer o dia o víssemos copiado num qualquer município perto de nós (e ainda bem!!). Mais uma vez, a Maia à frente do seu tempo… Parabéns a todos os intervenientes. Ricardo Filipe Oliveira Médico Mestre Eng. Biomédica (FEUP) Lic. Neurofisiologia (UP) Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.

pub


06

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

\\ Opinião Joaquim Jorge

maiahoje

\\Serafina Vale festejou 0 101º aniversário Serafina Vale nasceu em 1912 e comemorou, no passado dia 21 de Outubro, o 101º Aniversário. Um dia especial para esta habitante de Pedrouços. O Presidente da Câmara Municipal da Maia, António Bragança Fernandes fez questão de dar pessoalmente os parabéns à centenária munícipe.

Assim não vamos lá... O governo não cumpre promessas de cortes nos consumos intermédios. O governo prometeu reduzir a despesa nos ministérios, no que diz respeito ao seu funcionamento, não incluindo gastos com salários e pensões dos seus funcionários. O governo anunciou cortes de 854 milhões, mas a despesa continua a crescer. Assim não vamos lá...Quando não há exemplo de quem pede cortes aos outros é muito difícil chegar-se a algum lado. É necessário eficiência e optimização de custos e a sua racionalização, acompanhada de outras medidas sectoriais. A incapacidade para cortar nos consumos intermédios é confrangedora e o défice não pode só baixar à custa de cortes nos salários e aumento de impostos. Por outro lado, a aquisição de bens e serviços é um sorvedouro do Estado e tem que se pôr fim. Poupase na despesa com o pessoal mas o funcionamento com a máquina do estado, as quais incluem despesas com pessoal na Administração Central (ministérios), despesa com aquisições de bens e serviços e despesas de investimento (obras públicas, etc.), em vez de diminuir, ainda aumentou.0 A política faz-se de exemplos. Gasta-se imenso palavreado que não funciona. Assim não vamos lá. Quem manda e governa deve dar o exemplo, de preferência, superior ou igual ao que é pedido. Agora pedir aos outros cortes e não o fazer, cai por terra tudo que se diz e ninguém leva a sério.

http://m.maiahoje.pt

no telemóvel ligue-se em

Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores

FESTA

Muitas pessoas marcaram presença

Tradicional desfolhada em Moreira da Maia Decorreu na casa agrícola de António Caroço mais uma desfolhada organizada pelo Rancho Folclórico de Moreira da Maia. Tudo começou por volta das 20h com as pessoas a fazerem fila para ir buscar o jantar cuja ementa era muito variada, como arroz de feijão com iscas, petinga e caldo de nabos. A sobremesa era

composta por bolos caseiros e alguns licores e bebidas mais fortes. Alguns convidados animaram a noite com cantares ao desafio, conjunto típico e no final uma boa surpresa que fez os mais idosos abrirem bem os olhos. Tratava-se da silhueta da bela jovem promissora cantora Renata vinda de Gondomar. Tudo aca-

bou em boa animação e ficou a promessa de se fazer mais uma festa para o ano que vem. No fim cantaram os Parabéns à anfitriã D.Lucília que completou mais um aniversário. Rogério Gonçalves

\\ Desfolhada & Petiscos Esta gente é bem animada Comeram pouco ao almoço Para virem à desfolhada Na casa do Sr.Albino Caroço É tanta malta que é Amiga Aproveitem e provem os rojões Assim enchem bem a barriga E esqueçam o corte das pensões Temos muita variedade Podem comer, à fartura Repitam estão á vontade Mas não peçam a fatura Na minha cadeira de rodas Oiço coisas engraçadas A médica me consultou Quer que eu faça caminhadas Isto até é engraçado Nada abala a minha fé Com dois copos estou orado Não me posso por de pé Somos todos uma família Cada ano temos mais gente Batam palmas à D.Lucilia E ao Bragança o Presidente. Rogério Gonçalves

pub


maiahoje POLÍTICA

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Desporto

BE questiona governo sobre instalações da Maia

Detectadas irregularidades nos contratos do Centro de Conferência de Faturas A Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) é a entidade responsável pelo Centro de Conferência de Faturas (CCF), instituição que, como o próprio nome indica, tem como função conferir as faturas do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Em funcionamento desde 2010, o CCF, situado na Maia, conta com mais de 200 trabalhadores. Todavia, a entidade empregadora da esmagadora maioria destes trabalhadores não é o Ministério da Saúde, mas sim uma entidade privada à qual o Ministério da saúde concessionou a explo-

INICIATIVA

ração do CCF. Com apenas três anos de funcionamento, para os bloquistas «as irregularidades laborais no CCF não têm parado de se suceder», situação que motivou já diversas perguntas do Bloco de Esquerda ao Governo. Na sequência destas perguntas, a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), segundo o BE, «afirma que tem vindo a desenvolver “ações inspetivas junto deste empregador desde 2011, promovendo a regularização de algumas situações irregulares detetadas, nomeada-

mente, relacionadas com questões de retribuição e de subsídios de férias e de Natal, bem como, com a cessação de contratos a termo” (Resposta a Pergunta nº 1494/XII/2ª). A ACT refere igualmente que o CCF foi alvo de uma “ação inspetiva visando a verificação da regularidade da não renovação de contrato a termo com trabalhadoras grávidas, puérperas e lactantes” (Resposta à Pergunta 3604/XII/1ª)». Não obstante as ações inspetivas que segundo dizem a ACT tem vindo a implementar «as irregularidades

laborais no CCF continuam a suceder-se, verificando-se a não atualização da categoria profissional e respetivos reposicionamentos salariais», diz o BE. Perante as alegadas infrações do CCF, o Bloco de Esquerda considera premente que a ACT intervenha, no âmbito das suas competências, de modo a verificar as condições laborais a que estão sistematicamente sujeitos os trabalhadores do CCF.

Clube UNESCO da Maia entrega prémios escolares

Alunos da Escola Secundária da Maia condecorados No passado dia 11 de Outubro, o Clube UNESCO da Maia procedeu à cerimónia solene de entrega dos Prémios Escolares relativos ao Concurso Literário realizado na Escola Secundária da Maia. Foram entregues três prémios na categoria literária e dois nas categorias de filme e desenho. Segundo a organização, os trabalhos literários evidenciaram valores da toponímia local, escritos com beleza e rigor, quanto os plásticos surpreenderam por serem sob a forma de documentário, elaborado por uma

POLÍTICA

equipa, em alternativa ao trabalho individual das disciplinas de Desenho ou Pintura. O 1º. Prémio foi atribuído ao documentário sobre os moinhos onde se evidenciava a qualidade, a capacidade de integração na atividade desenvolvida pelo CUMA e o trabalho de equipa. O 2º. Lugar foi para uma composição a grafite sobre papel, que se destacou pelo grafismo, pela diversidade de intensidade da linha e gradação da mancha. Os prémios consistiram em cheques

FNAC de 70€ para cada um os dois primeiros, 60€ para os segundos e 40€ para o terceiro. Os restantes participantes receberam um diploma de participação e o livro “Moinhos do Leça”. A cerimónia, bastante participada por alunos concorrentes e colegas, contou com a presença da Direcção da Escola, Presidente e membros do Clube Unesco da Maia e ainda o Presidente do Clube Unesco da Cidade do Porto. A Associação de Pais do Agrupamento de Escolas da

Maia também marcou presença. O Presidente do Clube UNESCO Maia, Raúl da Cunha e Silva, encerrou a cerimónia com uma intervenção que resume o espírito deste tipo de iniciativas: «A escola é um lugar de cultura, educação e ciência e o acrónimo Unesco significa educação, cultura e ciência para a paz. É daqui que resulta esta parceria que conta já com três anos.»

Clube dos Pensadores recomeça temporada de debates

Joaquim Jorge convida a debate a Ministra da Justiça que foi interrompida pelo Movimento «Que se lixe a troika» \\

Paula Teixeira da Cruz foi a convidada de Joaquim Jorge no debate do Clube dos Pensadores do passado dia 14 de Outubro. Foi a segunda vez que a Ministra da Justiça esteve presente, numa altura em que vai entrar em vigor do Novo Código de Processo Civil.

Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, vê Paula Teixeira da Cruz como uma mulher «brava, com denodo e mover montanhas para alterar a imagem da Justiça em Portugal», considerando-a também a melhor ministra do actual governo «que procura mudar radicalmente a inércia da justiça e condenar inabalavelmente os prevaricadores e quem comete crimes. Ataca a burocracia e luta por uma maior celeridade na justiça». Paula Teixeira da Cruz fez uma alteração ao Código do Processo Penal que passou a permitir os julgamentos sumários em casos de flagrante delito pela prática de crimes reservado para pequena e média criminalidade (apenas até cinco anos) por um tribunal singular (um só juiz).

Mas, Paula Teixeira da Cruz queria ir mais longe e procurou alargar estes julgamentos sumários a crimes mais graves com moldura penal superior a cinco anos (homicídio). A ministra da justiça tinha começado a discursar quando uma dezena de pessoas começou a gritar palavras de ordem, empunhando cartazes onde se podia ler "Que se lixe a troika". Os protestos não chegaram a durar cinco minutos e os manifestantes acabaram por abandonar a sala, apesar de a ministra se ter aproximado dos mesmos e dito «têm todo o direito de estar aqui» e «são muito bem-vindos». Depois dos protestos o debate decorreu normalmente e como sempre controverso, aceso e com alguma tensão própria do formato do Clube.

07

\\ Opinião Mário Lopes

SEM JUSTIÇA! Fui esta semana confrontado com o caso do guarda da G. N. R. Hugo Ernano, condenado por uma juíza a 9 anos de prisão e ao pagamento de uma indemnização de 80.000€ porque CUMPRIU O SEU DEVER. Desse acto resultou, infelizmente, a morte de um jovem de 13 anos. Entendeu a magistrada que julgou este caso que o guarda Ernano cometeu homicídio, na mesma forma número e grau aos normalmente efectuados por aqueles de quem nos jurou defender. Ou seja, o guarda Ernano foi considerado um assassino, em linguagem popular. Só que, contrariamente à sentença proferida pela douta juíza, milhares de portugueses – nos quais me incluo discordam dela, como pode ser comprovado pela consulta às redes sociais, não porque as pessoas entendam que a justiça não deva ser exercida, mas porque ela está ausente, neste caso. Pessoalmente, causa-me alguma confusão a existência de julgamentos de elementos policiais por actos praticados no exercício do dever, como aconteceu com o guarda Hugo Hermano. Não discuto se a Lei a tal obriga. Mas não faz qualquer sentido equiparar a acção policial com a resultante de actos criminosos perpetrados contra pessoas e património, pois as forças policiais são a única forma do Estado exercer a sua força internamente, de maneira coerciva, visto que os militares estão mais vocacionados para esse exercício mas no contexto externo. Incidentes destes já ocorreram e acontecerão novamente, enquanto for necessário impor a Lei e a ordem de forma controlada e sistemática pelo Estado. Não pode nem deve ser de outra maneira, sob pena de anarquização da nossa sociedade. Certamente todos lamentamos a morte de um jovem de 13 anos. Entendo que foi uma vítima dos adultos, onde se inclui o seu progenitor, que o conduziu para o fatídico assalto, razão porque interveio o guarda Ernano, em serviço. Defendo, estimado leitor, que às policias sejam disponibilizados todos os melhores meios materiais e humanos (formação) para que acidentes destes sejam uma raridade ou inexistentes. Mas recuso-me a aceitar que seja o guarda Ernano a pagar esta factura em nome do Estado, quando é apenas um seu servidor. Mário Lopes, Lic. Ciências Sociais UAb, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.


08

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

maiahoje pub

\\ Opinião Joaquim Armindo

GASTRONOMIA

“Pratos Que Falam”

Cabrito d’Aguardente \\ Preparação

AS LUZES DE LEONOR Maria Tereza Horta brinda-nos com o livro “As luzes de Leonor”, um romance, com rica densidade histórica, sobre D. Leonor de Almeida, neta dos marqueses de Távora, condenados à morte, pelo rei D. José, a mando do Marquês do Pombal. O livro, com mais de mil páginas, lê-se com prazer acrescido pelo domínio completo da autora do que pretende transmitir. Na riqueza da linguagem, do facto histórico ou do romance vive-se com profundidade toda a trama das cortes, desde o rei D. José, com Sebastião José de Carvalho e Melo, rainha D. Maria, a louca ou o Príncipe Regente D. João, repressor pela mão de Pina Manique. O que impressiona é mais verificar que em fins do século XVIII e início do XIX, a luta, mesmo no interior da monarquia, é bastante significativa no que concerne à libertação da mulher, passando de adereço a uma vontade própria de liberdade. Prémio D. Dinis, o livro distingue-se em três grandes partes: o sabor das palavras, o perfume da situação temporal e a arquitetura sintática, tornando-se doce na perpetuação das situações em Portugal e na Europa, e, fortemente, incendiado pela poesia de Bocage e de outros escritores, entre os quais a própria Leonor de Almeida, com a sua “Sociedade Rosa”. Digerimos as palavras, saboreando a tradução das flores e das cores em todo o livro, o que enriquece de forma dourada o romance. Centra-se a cada personagem os seus vestidos e a tonalidade das cores, transformando a história a uma incalculável geração de jardins floridos. Esta é uma constante que dá prazer no minucioso da definição de cada planta e cor, colorindo o livro de uma vertente aceleradora da vontade do leitor, porque as saboreia com inteira predisposição, como, um exemplo: “o seu vestido cor de pêssego” ou “grande laço de seda, cor de pétala de rosa damascena”. Mas se este sabor cega de prazer o leitor, o livro apresenta as situações temporais e sítios descrevendo-os com uma visível realidade que nos permite desfrutar dos benefícios e dos horrores da época, situanos num mar imaginativo, ora adverso, ora libertador, onde os ondas imergem bem nas areias das praias. Por fim a arquitetura sintática, onde a loucura da escrita nos leva aos céus sedentos da língua portuguesa, as palavras falam, por mudanças de linhas, sem artefactos gramaticais, imbuídos dos seus zelos, mas das expressões límpidas desafiantes da leitura. Vale a pena ganhar tempo, lendo este livro! Joaquim Armindo

pub

1. Corte o cabrito em pedaços e coloque-os num recipiente grande. 2. Junte os alhos picados e a cebola cortada em rodelas, as folhas de louro, o vinho branco, a aguardente e tempere com sal, pimenta, o colorau e os grãos de mostarda. Deixe repousar cerca de 8 horas. 3. Numa assadeira de barro, coloque a carne, a marinada e por cima da carne coloque nozes de banha.

Pergunta do Dia:

Resposta

Olá Ricardo. Quando estou a fazer alguma receita, surgem-me várias dúvidas e quase sempre associadas a quantidades. Em muitas receitas que procuro as medidas aparecem em copos, xícaras e colheres. Como os copos, as xícaras e as colheres não são todos iguais, fico com receio de não estar a colocar as quantidades certas. Quando faço algum bolo e ele não fica como eu gostaria, fico a pensar se serão as quantidades que não estão corretas. Pode ajudar-me?

Olá Sónia. Muitas das receitas são baseadas em medidas, como afirmou, em copos, xícaras, colheres, cálices, etc. As suas dúvidas são inteiramente plausíveis e por isso deixo-lhe aqui algumas medidas de conversão para as receitas que possa encontrar.

Sónia Araújo 4. Leve o cabrito a assar, juntamente com as batatas cortadas em gomos, a 200ºC até ficar douradinho. Sirva decorado com salsa e acompanhado com grelos salteados e arroz de forno.

Medidas em Decilítros e Centilitros: 1 xícara = 2 dl = 13 colheres de sopa 1 copo de vinho=1 dl=6 colheres de sopa 1 cálice = 0,5 dl = 3 colheres de sopa 1 colher de sopa = 15 cc 1 colher de sobremesa = 10 cc 1 colher de chá= 3 cc

Medidas em Peso: 1 colher de sopa de açúcar = 10 g 1 colher de sopa de água / leite = 15 g 1 colher de sopa de arroz = 15 g 1 colher de sopa de farinha = 7 g Espero ter ajudado. Cumprimentos Ricardo Tiago Blog "Pratos Que Falam" http://pratosquefalam.blogspot.pt

Envie as suas questões culinárias para: pratosquefalam@gmail.com Blog “Pratos Que Falam” www.pratosquefalam.blogspot.pt

\\ Ingredientes (4 pessoas)

1 kg de Cabrito limpo 1 kg de Batatas 1 Cebola 2 folhas de Louro 4 dentes de Alho 1/2 copo de Vinho Branco 1/2 copo de Aguardente 1 colher de sobremesa de grãos de Mostarda Colorau q.b. Sal e Pimenta Preta Banha de Porco q.b.


maiahoje

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

09 pub

SOLIDARIEDADE

\\ Opinião

Com o apoio de associados e voluntários

“Amigos da Rua” ajuda os mais desfavorecidos

Frederico Branco

“ Urinei sangue!!! E agora o que devo fazer??? ”

A “Amigos da Rua - Associação de Solidariedade”, é uma associação que visa a ajuda ao próximo, focada numa tentativa de apoio à resolução de situações mais vulneráveis. Legalmente constituída em 24 de Fevereiro de 2011 e sediada na Cidade do Porto, a Amigos da Rua tem vindo a apoiar pessoas mais desfavorecidas como os “semabrigo”, dando também apoio a crianças e idosos. A Associação conta com o apoio de 150 associados e 50 voluntários formados nas mais diversas áreas, que vão colaborando e prestando auxilio sempre que necessário e solicitado. O apoio prestado é possível, através de toda a ajuda dos voluntários e de pessoas anónimas que vão doando vestuário e calçado, entre outros bens primários, como por exemplo mantas e cobertores.

Alguns restaurantes, cafés e outras instituições doam comida, nomeadamente pão e sopa que é distribuído todas as segundasfeiras por algumas ruas centrais da

Cidade do Porto. Aos interessados em se tornarem associados, ou a colaborarem, poderão faze-lo a partir do sítio na internet da Associação:

http://www.amigosdarua.pt, onde encontram a ficha de inscrição para novos associados, assim como outras informações e contactos.

Existem muitas razões pelas quais um doente poderá urinar sangue. Constitui um sinal muito frequente responsável pela ida de inúmeros doentes ao Serviço de Urgência. Esta condição, conhecida como hematúria, pode ser uma indicação de um problema grave ou, inversamente, não ter nenhuma tradução grave. Hematúria é definida como a presença de células glóbulos vermelhos do sangue na urina, podendo esta ser microscópica (visíveis apenas ao microscópio) ou macroscópica (visível a olho nu). No que diz respeito à origem, a hematúria pode ter origem em qualquer local ao longo do trato urinário, incluindo os rins, ureteres, bexiga, próstata e uretra. Os fatores de risco para doença subjacente significativa incluem: tabagismo, antecedentes de radioterapia, o uso excessivo de alguns medicamentos para a dor e exposição a certos produtos químicos. Deverá contudo procurar sempre um Médico Especialista que o aconselhe e oriente, uma vez que a presença de sangue na urina, poder ser consequência tanto de patologias oncológicas como são o cancro de bexiga, cancro do rim, cancro de próstata, cancro ureteral, cancro uretral mas também de patologia benigna como é a infeção urinária, hipertrofia benigna prostática entre muitas outras, sendo por isso fundamental um correto diagnóstico diferencial. O tratamento será sempre baseado na avaliação do médico sobre o estado do paciente, dos sintomas e da história clínica médica, juntamente com a causa da hematúria. “A maioria de nós prefere olhar para fora e não para dentro de si próprio.” Albert Einstein Frederico Branco Médico Especialista em Urologista no Centro de Urologia do X- Maia www.fredericobranco.pt Email: fredericobrancomd@hotmail.com Xmaiaconsultadeurologia@gmail.com pub


10

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Sociedade

\\ Opinião Henrique Carvalho

Des/informados!? Da esquerda à direita, das cúpulas da igreja ao mais laico, do mais bem formado ao mais analfabeto, todos se queixam de que o governo não explica as medidas nem a situação do país. Deu-me para perguntar a uma série de pessoas, se já tinham entendido a razão por que o país está nesta crise e os motivos porque estamos nesta recessão económica, sujeitos a cortes salariais e aumentos desmesurados de impostos? A resposta foi. Só não sabe quem não quer. Ou, quem se faz desentendido por conveniência política!... Espantei. Na verdade, experimentados comentadores, empresários, sindicalistas e outras figuras cimeiras e de estatuto senador, têm levantado essa questão, mas, parece-me que a maioria “silenciosa”, sabe bem o que o governo preconiza e quer e, entende a razão por que é preciso alterar a nossa forma de governar, alterar a constituição, criar novas leis laborais, incentivar a economia e outras… Para que, quando terminar a ditadura “troicana” tenhamos alguma independência económica e sejamos senhores dos nossos destinos. Não sei se o resultado das eleições autárquicas foi exatamente este tipo recado, dizer aos políticos e sábios comentadores, que estão atentos e por isso que tenham juízo e se deixem de insinuações. Na prática, todos os portugueses sabem como esta crise começou, os seus desenvolvimentos e o que temos de passar para a resolver. No comum dos mortais ouve-se muitas vezes laivos de crítica ao TC por inconstitucionalizar determinadas normas orçamentais, argumentando que, se o país está em estado de emergência, então o puder máximo devia estar na Assembleia da República e nos outros órgãos eleitos diretamente pelo povo!? Vem aí a reforma do estado. Será que o PS vai envolverse nessa tarefa, embrenhando-se num trabalho intenso e árduo de aperfeiçoamento de um estatuto de governação que se prolongue por uma ou duas décadas? Não adianta resmungar… Aquilo que agora for feito vai perdurar por alguns anos, e, dizer como Seguro já disse de algumas regras: -Que quando for governo as retorna ao passado, é de uma desacreditação atroz. Ninguém acreditará num futuro 1º ministro com estas propostas. Ou o PS elege uma pessoa que já tenha dado mostras de mais entendimento sobre a situação em que vivemos! Nunca ouve orçamento bom, nem governo capaz… Dizem os críticos. Mais tarde a maioria deles fica para a história por boas razões. Palpita-me que vai ser o caso do governo atual. Lá diz o ditado. (A razão está sempre do lado da verdade.) E o povo não deixa a sua sabedoria por mãos alheias!... Henrique A. Carvalho Outubro 2013 Escreve ao abrigo do AO

CULTURA

maiahoje

Proporcionar aos jovens o conhecimento do património do concelho

“Ver, tocar e sentir a Maia” Promovido pelo Museu Municipal da Maia, em parceria com o Gabinete de Arqueologia e colaboração do Maia Welcome Center (Posto de Turismo da Maia), este programa tem por base proporcionar aos jovens da Maia o conhecimento do património do concelho em consonância com os conteúdos programáticos do 3º, 4º, 5º e 7º ano. Este programa encontra-se divi-

CULTURA

dido em três fases com diferentes atividades. Na primeira, iniciação ao estudo do passado do meio local (Outubro 2013 a Junho 2014) e visitas à exposição temporária “Arqueologia na Maia: ver, tocar e sentir a Maia” e participação na visita "Maia 360º". Na segunda fase será o desenvolvimento do estudo do passado do meio local (Janeiro a Abril de 2014) e

Oficina “O Museu vai à escola com a Arqueologia”, com utilização dos seguintes kits pedagógicos: Kit pedagógico nº 1-Os caçadoresrecoletores: o Paleolítico; Kit pedagógico nº2 - As primeiras comunidades produtoras: o Neolítico; Kit pedagógico nº3-As primeiras civilizações: Proto-história; Kit pedagógico nº 4 - O mundo romano: Romanização.

A terceira fase é a consolidação do estudo do passado do meio local (Abril a Junho de 2014). Para mais informações ou inscrição na actividade (gratuita) deve contactar o Museu de História e Etnologia da Terra da Maia através do telefone nº 229 871 144 ou por email museu@cm-maia.pt

Exposição «As Aventuras de Júpiter»

Exposição Itinerante no Museu de História e Etnologia da Terra da Maia \\

Mitologia Romana em exposição que começou a 14 de Outubro e termina a 31 de Março de 2014.

A exposição itinerante pertence ao Museu da Lucerna, Castro Verde, e é constituída por painéis explicativos da mitologia romana, e um conjunto de 12 de lucernas (lamparinas de azeite ). Constitui uma exposição

INICIATIVA

pedagógica que proporciona a toda a comunidade um contacto próximo com a mitologia romana e com os mecanismos que, na época, permitiam a transmissão dos mitos e da história de Roma, como é o caso das

lucernas. Para além do contacto com a época, a exposição contextualiza-a com os bens culturais expostos no Museu de História e Etnologia da Terra da Maia, nomeadamente a ara de S. Pedro de Avioso, exemplar do

culto romano privado, familiar. Pode visitar esta exposição de Terça a Domingo das 09:30h às 13:00h e das 14:30h às 18:00h. Às segundas e feriados a mostra encontrase encerrada.

Renovação na Biblioteca

Biblioteca Municipal tem nova sala para contar histórias Promovido pelo Museu Municipal da Maia, em parceria com o Gabinete de Arqueologia e colaboração do Maia Welcome Center (Posto de Turismo da Maia), tem por base proporcionar aos jovens da Maia o conhecimento do património do concelho em consonância com os conteúdos programáticos do 3º, 4º, 5º e 7º ano. O programa encontra-se dividido em três fases com diferentes ativi-

TECNOLOGIA

dades: Na primeira, iniciação ao estudo do passado do meio local (Outubro 2013 a Junho 2014) e visitas à exposição temporária “Arqueologia na Maia: ver, tocar e sentir a Maia” e participação na visita "Maia 360º". Na segunda fase será o desenvolvimento do estudo do passado do meio local (Janeiro a Abril de 2014) e Oficina “O Museu vai à escola com a Arqueologia”, com utilização dos seguintes kits pedagógicos:

Kit pedagógico Nº 1 Os caçadores-recoletores: o Paleolítico; Kit pedagógico Nº2 As primeiras comunidades produtoras: o Neolítico; Kit pedagógico Nº3 As primeiras civilizações: Protohistória; Kit pedagógico Nº 4 O mundo romano: Romanização. A terceira fase é a consolidação

do estudo do passado do meio local (Abril a junho de 2014). Para mais informações ou inscrição na actividade (gratuita) deve contactar o Museu de História e Etnologia da Terra da Maia através do telefone nº 229 871 144 ou por email museu@cm-maia.pt

Acesso mais rápido à Internet

4G da Optimus cobre concelho da Maia A Optimus anuncou a chegada da sua rede de internet móvel ultra rápida ao Concelho da Maia. Os mais de 135.000 habitantes do Município vão agora poder usufruir das potencialidades da rede 4G, a qual já cobre 80% da população. A nova tecnologia 4G representa um salto tecnológico que veio revolucionar o acesso móvel à Internet, permitindo atingir velocidades até 10 vezes superiores às permiti-

das pela tecnologia 3G e tempos de resposta até 4 vezes inferiores. A velocidade de resposta, que é, por exemplo, o tempo de carregar uma página de Internet, é impulsionada pelo 4G, melhorando exponencialmente a experiência de utilização de serviços, como as vídeo chamadas e os jogos online. Ao mesmo tempo, assume uma enorme importância na aplicação da tecnologia a áreas como a

telemedicina, entretenimento, segurança e ensino à distância. Disponibilizando a mais completa oferta de Smartphones, Tablets e Pen 4G, a Optimus inclui no seu portefólio o modelo de marca própria, Optimus Boston 4G; os modelos da Apple iPhone 5, iPad 4 e iPad Mini; o Samsung Galaxy SIV; o HTC One; as Pen Optimus Kanguru 4G; ou ainda o router wi-fi Hotspot 4G que permite a partilha

do acesso 4G entre 10 equipamentos diferentes. Qualquer pessoa pode experimentar as possibilidades da nova tecnologia 4G, bastando para isso dirigir-se à loja Optimus mais próxima. Ali estão disponíveis equipamentos 4G selecionados da gama Optimus para experimentação e demonstração prática das potencialidades da nova geração de comunicações móveis em Portugal.

C O N V O C A T Ó R I A

INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA CONTRIBUINTE 502 412 453

De acordo com os estatutos da Associação Juvemaia, artº 11º nº 4, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral, convoca todos os associados a comparecerem na ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, a realizar na Sede da Associação, Rua João Maia s/n, (Quinta da Gruta), Vila do Castelo da Maia, pelas 21.30 horas, no próximo dia 11 DE NOVEMBRO de 2013, em primeira convocação, com a seguinte: ORDEM DE TRABALHOS 1. Leitura da correspondência e outros; 2. Eleição dos corpos gerentes; 3. Outros assuntos. Se passados 30 minutos da hora marcada não tiver comparecido o número legal de sócios, a ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA funcionará em segunda convocação, às 22.00

horas do mesmo dia, com o número de sócios presentes. NOTA: De acordo com os Estatutos da Juvemaia Artº 11º, nº 3, cito, “ Só serão admitidas a sufrágio as listas que sejam apresentadas ao Presidente da Assembleia Geral até cinco dias antes da realização da Assembleia”. O Presidente da Assembleia Geral estará pessoalmente na Sede da Juvemaia entre as 21.00 horas e as 24.00 horas do dia 7 de Novembro do corrente ano, disponibilizando o seu contacto para eventuais esclarecimentos: Tel. 96 409 44 06 Castêlo da Maia, 28 de Outubro de 2013 O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA GERAL Dr. Arménio Teixeira Lopes


maiahoje KICKBOXING

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Desporto

Objectivo é igual ou superar êxitos da época passada

\\ Opinião

Lifecombat inicia nova época desportiva A Escola de Kickboxing Life Combat iniciou a nova época desportiva com a ambição de igualar ou superar os êxitos alcançados na época anterior: vários atletas campeões regionais e nacionais, cinco taças no pódio por equipas e diploma de mérito desportivo relativamente à escola e treinador. Neste início de época a Escola conta já com novos reforços, estando sempre em crescimento. Com atletas/praticantes dos 4 aos 50 anos e de ambos os sexos a Lifecombat continua a ensinar diversas modalidades de combate: kickboxing, full-contact, k-1, muaythai, defesa pessoal e boxe mas conta também com uma modalidade para os aficionados da dança e do fitness: o aerokickboxing. Esta variante combina golpes das diversas artes de combate e da aeróbica e dança ao som da música e pode igualmente ser disputada em competição, sendo que na época passada atletas da Life Combat se sagraram campeãs nacionais de Aerokickboxing.

KARATE

Com a competição à porta a Life Combat espera lançar novos atletas. Até ao final do ano a escola irá participar no Torneio de Natal de Kickboxing, no Ladies Open e no Torneio Jovem Promessa do Futuro com cerca de 25 atletas. Para o treinador Luís Ferreira, «o objetivo é rodar os atletas menos experientes para os campeonatos que se aproximam». Com escolas em vários con-

Virgílio do Vale

celhos a Lifecombat possui um proje to especial na Trofa. O projeto Cross Stars, permite a todas as crianças e jovens carenciados do concelho treinar de forma gratuita e a todos os restantes a um preço simbólico e acessível. Com treinos na APPACDM, em São Martinho de Bougado (segunda e quarta das 18h45 às 20h45) e no Pavilhão Desportivo de S. Romão do Coronado (terça e quinta das 19h às 20h30 e

AUTOMOBILISMO

Evento arranca hoje

sábados das 15h às 17h) o projeto possui dezenas de jovens a treinar kickboxing. Nádia Barbosa, treinadora na Life Combat, salienta a importância deste projeto na vida destes jovens «adquirem regras, disciplina, hábitos de vida saudável e acima de tudo aumentam a sua auto-estima ao mostrarem que são excelentes atletas, tendo alcançado títulos regionais e nacionais».

11ª edição do Motorshow

2º Seminário da International Maiato Ricardo Oliveira Shitoryu Karatedo Kenshikai participou no evento Promover o Karaté em geral e o Karaté Shitoryu em particular, de uma forma credível e conforme os fundamentos do fundador, Kenwa Mabuni, é o lema e missão da International Shitoryu Karatedo Kenshikai (ISKK). A organização deste seminário, que decorre nos próximos dias 1, 2 e 3 de Novembro, está a cargo da escola de Karaté do Centro Cultural e Desportivo dos trabalhadores da câmara, serviços municipalizados e empresas municipais da Maia, em conjunto com a Associação Mabuni Shitoryu Karatedo Portugal (MSK Portugal), e com o apoio institucional da Câmara Municipal da Maia. A ISKK tem como presidente honorário, um dos mais reconhecidos nomes do Karaté mundial, Shihan Mizuguchi Hirofumi que, por sua vez tem como seu aluno, Sensei John Rakoto, presidente desta organização.

pub

O seminário será orientado pelo Sensei John Rakoto e coadjuvado pelo Sensei Carlos Pereira, director técnico nacional da MSK Portugal. Programa Dia 1 – Sexta Feira Dojo do Castelo da Maia 19h - 20h30: Castanhos e Negros Dia 2 – Sábado Pavilhão Municipal da Maia 9h - 9h30: Recepção 9h30 – 11h: Castanhos e Negros 11h - 12h: Todos 16h30 – 17h: Todos 17h – 18h: Todos 18h – 19h30 Castanhos e Negros Dia 3 – Domingo Pavilhão Municipal da Maia 9h30 – 10h: Recepção 10h – 11h: Todos 11h – 12h30: Castanhos e Negros

11

Decorreu nos dias 4,5 e 6 de Outubro, na Exponor, a 11ª edição do Porto MotorShow, evento que se assume como um dos maiores certames do sector a nível nacional. Com uma evolução constante ao longo dos anos, a pista do Motorshow Porto 2013 foi implantada este ano no pavilhão 5 e respectivo parque, que conjuga, tal como nas últimas edições, o piso escorregadio do interior do recinto de feiras com o asfalto abrasivo do exterior. Ricardo Oliveira, jovem piloto de Milheirós marcou presença. Um dos eventos do fimde-semana foi a super especial em que o piloto maiato conseguiu estar com tempos na média de 1:22:450, muito próximo de

pilotos como Ivo Nogueira, Pedro Leal, Miguel Jorge Barbosa, entre outros bem conhecidos do automobilismo. Para Ricardo Oliveira o Motorshow «foi essencialmente uma boa oportunidade de promoção dos patrocinadores que nos acompanham e de apresentação a potenciais novos parceiros. Para quem nos acompanha nas provas, este fim-de-semana serviu também para juntar amigos, colaboradores e parceiros num convívio onde podem viver de perto as emoções dos ralis».

QUE EUROPA? Um dos assuntos mais ouvidos nos média portugueses tem sido a tragédia ocorrida nos arredores da ilha italiana de Lampedusa. Têm sido às centenas os náufragos de origem africana que, em busca do el-dorado prometido por indivíduos sem escrúpulos, arriscam perder a vida para fazerem uma viagem de travessia do Maditerrâneo. As imagens que nos chegam são brutais e não há dúvida quanto à exploração por todos os agentes irresponsáveis que, a troco de uns milhares de euros, não hesitam em meter aquela gente em barcaças sem o mínimo de condições para chegarem a bom porto. Uns autênticos criminosos. Até porque nenhuma garantia oferecem a todos os expatriados que demandam a Europa na esperança de trabalho e vida melhor. Acontece que as portas dos países mais ricos não se abrem para receber esses imigrantes clandestinos que, na sua maioria, aportam a Lampedusa sem documentos pessoais, mal se sabendo a sua origem. E ficam ali em acampamentos improvisados, à espera do socorro de alguém que lhes mate a fome e ofereça um pouco de esperança em dias melhores. Mas os europeus, envolvidos nas suas querelas de auto-defesa, não vêem aquela gente com bons olhos e, em consequência, evitam tomar atitudes de solidariedade material e anímica em ordem a minorar ou pôr fim ao sofrimento desses milhares de africanos. De facto, são já muitos os problemas que a Europa enfrenta com essas comunidades vindas de África, ao longo dos últimos trinta ou quarenta anos, quase todas elas seguidoras do maometismo. Na Alemanha vivem mais de dois milhões de muçulmanos, na Espanha outros tantos, na França já ultrapassam os seis milhões e na Inglaterra também vivem cerca de dois milhões. E não é uma questão de fobia doutrinária, mas sim a constatação de que essas populações têm comportamentos agressivos e nada condizentes com as leis vigentes nos países onde estão inseridas. Basta lembrar o que aconteceu na estação de La Tocha, em Madrid, ou os ataques havidos em Londres, ou os problemas sociais verificados em França com os islamitas a oporemse a determinadas normas legais na sociedade francesa, principalmente nas Escolas… Não respeitam as leis vigentes e forçam a imposição das normas do Corão. Na verdade, a Europa está a ser invadida, lenta e progressivamente, por essa gente que, na sua irracionalidade, não olha a meios para atingir os seus fins e não tenhamos dúvida de que, daqui a umas dezenas de anos, o continente europeu vai ser a terra dos seguidores de Maomé. Os europeus passarão, então, a servos dessas comunidades invasoras e terão de se conformar às vicissitudes da subjugação cultural e social relativamente a esse povo. Acresce ainda que a natalidade europeia é diminuta, enquanto esses imigrantes se reproduzem livremente, sem tabus nem receios do futuro, o que faz com que o seu número se multiplique exponencialmente, ao contrário dos europeus que têm uma sociedade cada vez mais envelhecida e decrépita. Por outro lado, estão a desaparecer os princípios tradicionais que informaram a nossa educação religiosos, morais e sociais - que levavam as nossas comunidades a serem solidárias entre si e respeitadoras das liberdades e bens dos outros. Bem vistas as coisas, podemos concluir que a civilização ocidental caminha a passos largos para a transumância desaparecimento na Europa e seu fortalecimento na América e em muitos países da África. Definhamos a olhos vistos, sem perspectivas de alteração na vida quotidiana dos povos europeus. Será uma Europa sem indígenas europeus, mormente o centro e o sul do Continente Europeu… Talvez esteja a ser demasiado pessimista nas minhas previsões, mas também direi que gostaria que assim não fosse. Virgílio do Vale


12 \\ Opinião

Rogério Gonçalves

O povo em Portugal não tem perfil nem garra para fazer manifestações, pois somos um povo pacífico demais. Hoje a CGTP organizou mais uma grande excursão com muitos autocarros que passaram na ponte em Lisboa, mas apenas para passear, pois não vi ninguém com ar de revoltado, apenas alguns sorrisos e os do costume à espera de aproveitarem tempo de antena nas televisões. Infelizmente temos muitos trabalhadores no desemprego e se esta organização sindical pensar em fazer mais passeios a Lisboa não faltarão "passageiros", mas eu continuo a pensar que as manifestações tem que ter outro conteúdo e ter alguma garra e força e não as imagens do costume do garrafão e o pessoal a mostrar felicidade nos rostos. Em tom irónico apetece-me sugerir que as universidades criem uma cadeira para manifestantes leccionarem, caso contrário vamos assistir a que cada manifestação seja mais uma festa em vez de ser um protesto. Decepção. O preço que você paga por acreditar demais nas pessoas Deus sonha o homem pensa a obra nasce e foi assim que aconteceu na edição deste livro "Os Leitores Também Escrevem". Tudo começou há um ano com um encontro na Casa da Música e onde estiveram presentes 13 autores que escrevem artigos para jornais e o sonho começou a tomar forma e hoje é uma realidade. A mentora desta ideia magnifica é a professora de piano Céu Mota que teve a iniciativa de juntar toda esta gente. Somos agora 12 autores que fazem parte deste livro com 360 páginas cheias de vida e muita emoção, cada um teve direito a 15 páginas de textos já publicados. Vai ser apresentado em Lisboa e aguardamos que o mesmo seja feito no Porto. Convido a todos que gostarem de ler artigos variados com perspectivas e sensibilidades diferentes a comprarem um exemplar. Pela minha parte fico muito orgulhoso por ter participado neste projeto pois foi mais um sonho que concretizei. Rogério Gonçalves

pub

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Desporto KARATE

maiahoje

Nuno Moreira abre portas para Mundial em Espanha

Luís Vandermuren alcança 1º lugar pela seleção nacional em Valladolid Decorreu no passado dia 19 de Novembro o Troféu Junta das Comunidades em Valladolid. Organizado pela Federação de Castilla y Leon contou com a presença de alguns atletas da seleção nacional, servindo assim de preparação para o Campeonato do Mundo de Cadetes e Juniores e sub-21 que se realizará de 7 a 10 de Novembro. O clube maiato esteve representado por Luís Vandermuren que competiu na categoria cadetes open e António Moreira que desempenhou funções arbitrais. O jovem maiato realizou assim cinco encontros vencendo toda a concorrência sem sofrer um único ponto. No próximo fim-de-semana estarão em estágio de seleção seis atletas maiatos que procuram alcançar o passaporte para o campeonato do mundo. Serão três dias de treinos intensos para saber quem representará a equipa das quinas. Os atletas estarão assim em Pombal onde pernoitam e fazem os últimos testes na conquista de um objectivo. Os atletas convocados são Ana Almeida, Cátia Saraiva, Fábio Barbosa, Alexandre Costa, Luís Vandermuren e Ricardo Coelho. 11 pódios no Torneio das Vindimas Decorreu no passado dia 13 de Outubro a 2ª edição do Torneio das vindimas. Sendo a primeira prova da época, serviu de preparação para provas regionais que se avizinham e também para análise dos atletas que se encontram em fase de pré-seleção Nacional para representar o país no próximo campeonato do mundo de cadetes, Juniores e Sub-21 em Madrid, Espanha. O evento teve uma participação de 500 competidores que se deslocaram de Espanha, da região Sul, centro Sul, Centro Norte e ilhas até Castelo de Paiva onde lutaram ainda pelo prémio João Salgado, homenagem ao presidente que faleceu este ano. O CKMaia apresentou-se em grande destaque alcançando 11 pódios entre eles 3 primeiros lugares, três segundos lugares e cinco terceiros e que lhe daria a conquista do premio João Salgado por arrecadar mais eliminatórias ganhas em todos os escalões deste evento. Um grande prémio que nos deixa muito contentes visto que este

presidente sempre foi um grande amigo deste clube. Os atletas em destaque deste evento foram Pedro Almeida, Campeão nos Juvenis, Luís Vandermuren campeão nos Cadetes e Ana Almeida campeã do Sub-21. Com excelentes prestações estiveram os vice-campeões Diogo Biscaia e Mariana Semblano em Kata e Rafael Cruz em Kumite, no 3ºlugar acabaria Daniela Ferreira a bisar em Kata e Kumite, Bruno Pinto, Cátia Saraiva e Fábio Barbosa. A restante comitiva infelizmente não conseguiu arrecadar o pódio ficando às portas das medalhas, mas marcaram presença com excelentes prestações na prova. Nove atletas em trabalhos de seleção à conquista de um lugar no mundial O CKMaia recebeu a convocatória de nove atletas chamados a apresentar provas nos trabalhos de seleção no passado dia 12 de outubro. A federação nacional de karaté continua focada em selecionar os atletas que representarão Portugal no campeonato do mundo de cadetes no próximo mês de Novembro nas categorias de juniores e Sub-21 Assim o CKMaia viu os seus atletas Ana Almeida, Cátia Saraiva, Luís Vandermuren, Alexandre Costa, Ricardo Coelho, Fábio Barbosa, Sofia Almeida, Maria Guedes e Fábio Fernandes a trabalhar de forma afincada para um sonho que estará próximo de ser uma realidade. Com um excelente trabalho técnico tácito, os maiatos têm dado

nas vistas e mais uma vez não faltaram à chamada do selecionador, agora fica apenas a ansiedade de saber se estarão presentes no campeonato mais importante destes escalões em Guadalajara, Madrid. Nuno Moreira abre portas para Mundial em Espanha Decorreu nos dias 26 e 27 de Outubro a XIV edição da Copa de Espanha Internacional, onde marcaram presença campeões europeus e mundiais. O pavilhão de Los Realejos em Tenerife contou com uma presença de 100 atletas oriundos das regiões autonómicas de Espanha, seleção espanhola, Portugal, Turquia, França, México, Marrocos, USA e Republica Dominicana, para uma luta de titãs e arrecadar o tão desejado pódio, nesta prova que nunca viu um português medalhado. Este evento que contou com dois maiatos selecionados, Nuno Moreira em combate Masculino e Inês Rodrigues combate feminino, que enfrentaram assim uma dura concorrência que acabaria por ser batida pelo maiato e capitão da seleção Nacional. Inês Rodrigues realizaria três encontros onde acabaria por perder 2 combates por 1-0 e venceria um terceiro pela mesma margem. Com uma estratégia conseguida e uma grande concentração, Nuno Moreira realizou grandes combates arrecadando no fim o bronze. No 1º encontro o maiato venceu por 4-1 Ricardo Barbero, medalhado europeu de +84kg. No 2º confronto 2-

0 ao atleta da seleção espanhola Luís Garcia dos -84kg. Na passagem à final encontraria o Turco eliminando o português por 4-0. Na repescagem Moreira não deixou fugir o bronze frente a Fernando Moreno o recém medalhado dos jogos do Mediterrâneo com uma vitória por 4-0. O maiato revela que «foi um evento muito difícil, desgastante mas muito positivo, excelentes atletas que nos criam inúmeras dificuldades de forma constante, mas uma boa estratégia e concentração fizeram sair das canarias com este grande resultado». No mesmo fim-de-semana realizou-se em Pombal o último estágio de seleção para cadetes, juniores e sub-21onde o clube maiato viu quatro dos seus atletas serem convocados para o Campeonato do Mundo que se realiza no próximo mês de 7 a 10 de Novembro em Guadalajara – Madrid. Os convocados da maia são Fábio Barbosa Cadete -52Kg, Ricardo Coelho Cadete -57Kg, Luís Vandermuren Cadete +70Kg e Ana Almeida Sub-21 +60Kg. No mesmo fim-de-semana também decorreu o Gasshuku anual da GKI que levou alguns atletas e treinadores à cidade da Figueira da Foz. Este estágio serviu para continuar a formar e avaliar os atletas maiatos através do seu instrutor chefe James Rosseau. Alguns maiatos acabariam mesmo por realizar as suas graduações para cinto negro onde finalizariam com distinção e sucesso, aumentando assim o leque de graduados do CKMaia.


sexta-feira 1 de Novembro de 2013

maiahoje FUTEBOL

Desporto \\ Opinião

Qualificação para o Mundial 2015 no Canadá

Selecção Nacional Feminina perde 7-0 na Maia O Estádio Prof. Doutor José Vieira de Carvalho foi palco para o encontro que colocou frente a frente a Selecção Nacional Feminina portuguesa e a sua congénere da Holanda. A equipa portuguesa sofreu uma pesada derrota por 7-0,num jogo a contar para a segunda jornada do Grupo 5 de qualificação para o Mundial 2015. Assim, depois de na primeira jornada ter vencido a Grécia, Portugal ocupa a 4ºa posição do Grupo

BASQUETEBOL

que é composto por seis equipas. Relativamente ao jogo, a Holanda foi sempre mais forte, dominando o jogo, garantindo a liderança do grupo com igual número de pontos (seis) com Noruega e Bélgica, esta com menos um jogo. O Mundial será em 2015, no Canadá, e apuram-se as selecções vencedoras de cada grupo. As quatro melhores segundas classificadas disputam a presença na competição num play-off.

Sei que ninguém quer ser velho Mas não olhes p’ró espelho Pois já não precisas dele, Não adianta chorar Porque não há volta a dar, É p’ra mim, p’ra ti e p’ra ele! A velhice só tem piada Se por bem, bem encarada Como lei da natureza, Por incrível que pareça Para quem tiver cabeça Pode até conter beleza Como a vida está bem feita Tudo por bem se ajeita Haja amor, fé e vontade, Ninguém é velho de mais, Com pensamentos legais Pode ensinar a verdade

D’André Brown é reforço do Maia Basket

GINÁSTICA

Pinto), a equipa que este ano vai disputar a Liga Portuguesa de Basquetebol fica agora completa com a chegada de D’Andre Brown, um extremo norte-americano de 2,01 metros que aos 28 anos vem jogar pela primeira vez na Europa. Formado no Indian River State

College, D’Andre já jogou em diversos países como México, República Dominicana, Costa Rica e Mongólia, tendo obtido no último ano médias de 23,4 pontos, 12 ressaltos, 6,3 assistências, 3,2 desarmes de lançamento e 2,1 roubos de bola. Brown é um jogador que vem

reforçar as posições 2 e 3 e que tem como características o seu lançamento exterior e a sua capacidade atlética, prometendo ser influente tanto na defesa como no ataque.

Prata e Bronze nos Campeonatos da Europa de ginástica acrobática

pub

hadas pelos seus Treinadores Úrsula Martins e João Maia. Campeonato da Europa Júnior & Sénior (23 a 27 de outubro): Grupo Feminino Júnior – Íris Mendes / Marta Carneiro / Jéssica Correia Grupo feminino Sénior – Leonor Piqueiro / Bárbara Sequeira /

Daniela Leal. Estas ginastas foram acompanhadas pelos seus Treinadores João Ferreira e Lourenço França, também Diretor Técnico do ACM. Ginastas e medalhas conquistadas: Francisca Maia, Muriel Ferro,

Um velho com coração Tem sabida uma lição Para ajudar os mais novos, Toda a vida foi assim Jamais irá ter fim P’ra o bem de todos os povos Deus nos dá filhos e netos Temos mimos e afectos P’ra viver com lealdade, Ele quis deixar escrito Este exemplo tão bonito P’ra nossa felicidade

Acro Clube da Maia

Terminou o Campeonato da Europa de Ginástica Acrobática (CEGA), que teve lugar de 23 a 27 de outubro, e o Campeonato da Europa para Grupos de Idades (CEGI), de 18 a 20 de outubro. O Acro Clube da Maia (ACM), esteve presente (desde a sua criação nunca falhou nenhum campeonato do mundo e/ou da europa), com 12 ginastas, integrados na Seleção Nacional. Foi a maior delegação nacional. Dos 12 ginastas, 6 saíram destes campeonatos medalhados, 3 medalhas de bronze e uma de prata. Das 10 medalhas ganhas por Portugal, 4 foram obtidas pelo Acro Clube da Maia. A comitiva do ACM foi composta pelos seguintes ginastas e treinadores: Campeonato da Europa Grupo de Idades (18 a 20 de outubro),escalão 11-16 anos: Grupo Feminino – Susana Pinto / Joana Patrocínio / Beatriz Costa Grupo Feminino – Muriel Ferro / Francisca Maia / Maria Curto Estas ginastas foram acompan-

Fernando Pedroso

A VELHICE

Terceiro reforço para a nova temporada

Depois dos reforços Erik Quintela e Michel Diouf e da continuidade de grande parte do plantel da época transacta (André Dara, Carlos Gonçalves, João Albano, João Diamantino, Nuno Marçal, Paulo Diamantino, Pedro Catarino, Pedro Tavares e Ricardo

13

Maria Pia Curto - Trio Feminino - Juvenis - Medalha de Bronze Leonor Piqueiro, Bárbara Sequeira, Daniela Leal - Trio Feminino – Seniores: Medalha de Bronze Allaround, Medalha de Prata Especialidade de Equilíbrio e Medalha de Bronze Especialidade de Dinâmico.

Felicidade que se encara Como coisa muito rara Para quem não cumpre a lei, Ela quer educação Alma, fé e coração, Por ser velho, sei que sei Não se pode ser queixinhas Tinhoso ou picuinhas Para não aborrecer, Os novos não gostam disso É nosso dever por isso Agradar e agradecer Velhice é sabedoria Pode até ser alegria Se queridos pelos novos, Foi assim, assim será Ontem, hoje e amanhã Na tal sucessão dos povos Tenho ainda profissão Desempenho um papelão E já fiz setenta e um, Pinto, escrevo, sou artesão, Não conheço a solidão Nem sobra tempo nenhum Sou feliz graças a Deus Sou querido pelos meus Admirado p’los de fora, Eu já sou um gajo antigo Sei que corro o tal perigo Que aos velhos já não demora Até isso se remedeia Traz sempre a mula bem cheia Canta e dança “até poder”, Passeia como um vagabundo Sem pensar no outro mundo Verás que vais esquecer! 10 de Setembro de 2013 Abílio Fernando Dias Pedroso, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico


14

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

Magazine

\\ Opinião José Paiva Netto

Uma boa solução O problema do mundo não é primordialmente o pecado, mas a carência de Amor que o gera. "Deus é Amor", definiu João, Evangelista e Profeta, o Discípulo Amado do Divino Mestre, em sua Primeira Epístola, 4:16: "E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é Amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele." No filme "Irmão Sol, Irmã Lua" (1972), de Franco Zeffirelli, há uma cena antológica: na ocasião em que recebeu, em Roma, Francisco de Assis (1181-1226), o Papa Inocêncio III (1160-1216), profundamente comovido pela presença e pelas palavras de "Il Poverello", quase que em êxtase exclamou: "Erros podem ser perdoados. Nossa obsessão com o pecado original nos faz muitas vezes esquecer nossa inocência original!" Jesus trouxe aos povos a correta visão do Pai Celeste: Caridade, Fraternidade, Compaixão, Solidariedade e também a perfeita Justiça, porque, sem ela, vigora a impunidade, fomentadora da corrupção que estabelece o caos. No livro "Os Mensageiros", do Espírito André Luiz, na psicografia de Francisco Cândido Xavier (1910-2002), lemos explicação de Alfredo, administrador de um Posto de Socorro no Plano Espiritual, que diz: "Enquanto não imperar a lei universal do amor, é indispensável persevere o reinado da justiça". É evidente que, quando me refiro à Justiça, não estou tratando de oportunismo nem de vingança, porquanto esses são a mais completa negação daquela. Nesse sentido, o famoso escritor e libretista italiano Pietro Metastasio (1698-1782) declarou: "Sem piedade, a justiça é crueldade. E é fraqueza a piedade sem justiça". De minha parte, também, tantas vezes tenho ponderado que — premiar quem não merece é crime. A mensagem do Cristo Ecuménico é eterna, mesmo quando demore a tornar-se realidade. "Passará o Céu, passará a Terra, mas as minhas palavras não passarão" (Evangelho de Jesus segundo Lucas, 21:33), pois Ele divinamente apregoa o Amor do Novo Mandamento como a definitiva solução para os males que afligem a Humanidade: "Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos. Não há maior Amor do que doar a própria Vida pelos seus amigos" (Evangelho segundo João, 13:34 e 35 e 15:13). CONJUNTO EDUCACIONAL DA LBV Com muito prazer, estive na sextafeira, 18/10, na Supercreche Jesus e no Instituto de Educação da LBV, em São Paulo, no Brasil. Visitei as novas instalações da biblioteca Bruno Simões de Paiva, onde o Grupo de Instrumentistas e o Coral Ecuménico Infantojuvenil Boa Vontade interpretaram músicas de seu repertório, incluída uma composição na Língua Brasileira de Sinais (Libras). Agradeço às crianças, jovens e educadores pelo carinho com que me receberam. A alegria estampada em cada rosto é uma demonstração de que vale a pena lutar por um Mundo melhor e uma Humanidade mais feliz. José de Paiva Netto, jornalista, radialista, escritor e Presidente da Legião da Boa Vontade, escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico, www.lbv.pt

VIAGENS

maiahoje

Hong Kong

Timor I: Díli. Uma capital adormecida Chegamos de Singapura e aterramos na capital timorense num aeroporto de trazer no bolso. Pequenino mas sem a confusão dos aeroportos de pequenas cidades africanas. Ao mostrar o passaporte português, o funcionário acena-me e diz-me para seguir, pois não preciso de visto. Os portadores de outros passaportes, mesmo da União Europeia, têm de ir ao guichet e pagar os 30 dólares do visto. Rapidamente chegam as nossas malas e saímos ao terminal. Estamos em Timor! O aluguer do carro correu sobre rodas e a meio da tarde já estávamos bem instalados. Foi tomar um duche e ir dar um pequeno passeio pela Marginal (Av. de Portugal). Apercebemos logo que aquele troço da Marginal se transforma à noite num restaurante ao ar livre. De todas as ruelas perpendiculares, saíam rapazes com cadeiras de plástico à cabeça que montam na areia. Entretanto, já havia muitas fogueiras acesas sobre as quais se grelhavam peixes, sassate (espetadas de carne), milho. As vendedeiras agitavam sacos de plásticos presos a um pau para afastar as moscas. Nós escolhemos o restaurante Nautilus, do outro lado da rua, para o nosso primeiro jantar em Timor. No dia seguinte fomos então à descoberta de Díli. De mapa na mão seguimos para o Palácio do Governo, no antigo palácio do governador da época colonial. A opção por uma ampla colunata resulta da influência das construções da Praça do Comércio de Lisboa. Ali perto, virados para o mar, estão três grandes canhões antigos portugueses. À frente do palácio, o Monumento ao Infante D. Henrique com mais de 2 metros de altura. Foi construído em 1960 e integrado nas comemorações do 5º centenário da morte do Infante D. Henrique. Lembra um padrão, encimado com o escudo das cinco quinas e a cruz de Cristo e com um alto-relevo relativo às descobertas com a rosa dos ventos e o sextante e a inscrição: «Por Mares Nunca Dantes Navegados». Ali bem perto, logo no quarteirão seguinte, está o fantástico Arquivo e Museu da Resistência Timorense (AMRT), criado em 2005, para a preservação da memória e do património histórico nacional e para a divulgação dos valores da Luta de Resistência do Povo de Timor-Leste. A exposição permanente está muito bem feita, explicando claramente a saga do povo timorense. Também ali perto, está a Sala de leitura Xanana Gusmão, uma biblioteca púbica inaugurada em junho de 2000 por Kirsty Sword Gusmão. Estamos agora na Marginal, o

centro nevrálgico dos habitantes de Dili. Ali se passeia, se brinca, se descansa debaixo das grandes figueiras de bengala ou debaixo do telhado ondulado onde até há internet, se compram frutas no mercado de rua ou somente se bebe uma água de coco. Ali perto, o Monumento a Nossa Senhora, construído durante o ano mariano de 1954, com o brasão simplificado de Timor Português e, no cimo, a imagem de Nossa senhora rodeada de anjos. Continuando o nosso passeio junto ao mar, chegamos à Praia da Areia Branca onde, um pouco mais adiante, no topo do Cabo de Fatucama, se ergue a grande estátua do Cristo Rei sobre um globo gigante. Os seus 27 metros de altura são uma alusão clara à anexação de Timor-Leste em 1976 como a 27ª província da Indonésia. A estátua, inaugurada em 1996, foi construída com apoios financeiros do governo central indonésio, do governo da província de Timor Timur e de várias empresas. A construção da estátua do Cristo-Rei gerou muita polémica entre a população, sendo vista por muitos timorenses como um símbolo político imposto por Jacarta, e não como uma imagem meramente religiosa Para lá chegarmos temos de subir mais de 500 degraus. A escadaria é ladeada por pequenos santuários com os 14 passos da Via Sacra. Durante os anos da ocupação indonésia, vários foram os monumentos simbólicos que foram construídos. Entre eles, o Monumento à Integração, no Taman Integrasi (Parque da Integração) no centro de Díli, para comemorar a integração de Timor Leste. Trata-se duma estátua de um liurai nas vestes tradicionais e a libertar-se das grilhetas que o prendiam de pés e mãos. Diversos «monumentos à integração» similares foram construídos um pouco por todo o território. No centro de Díli, ainda dois marcos importantes: o farol, que nos indica o início do porto. Mesmo ao lado, num jardim e enfrentando o mar temos o monumento ao Engenheiro Artur de Canto Rezende. É o único que em Díli apresenta um busto em bronze da figura homenageada sobre um pedestal encimado por um escudo com as armas de Portugal e a legenda: «Engenheiro Artur do Canto Rezende, morto na prisão em Calabai em 1945, vítima do seu patriotismo e heroica abnegação». Antes de irmos para Tassitolu para vermos os três mares (Tassi= mar, tolu=três) e a gigante estátua de João Paulo II, paramos primeiro no mercado de tais para apreciar a arte das tecedeiras de

tais (e onde pudemos também observar a grande paixão pelo jogo do Bingo) e depois na Catedral de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Em Tassitolu, teve lugar a missa ao ar livre celebrada pelo Papa e anos mais tarde a cerimónia da independência. No caminho para as portas de Dili, ouvimos um muezzin a chamar para a oração e fomos até a mesquita, a única em Dili. No tempo indonésio, muitas eram as mesquitas em Díli, mas com a saída dos indonésios, a população muçulmana ficou reduzida a uma comunidade muito pequena. Os timorenses usaram também a religião católica como um instrumento de resistência contra a ocupação. Nos censos realizados pelos indonésios era obrigatório dizer a que religião se pertencia — não escolher nenhuma poderia significar ser-se comunista. Os timorenses punham então a cruzinha na religião católica. Apesar de muito crentes, os Timorenses não puseram de parte as suas crenças animistas, bem visíveis na parte leste da ilha, onde por exemplo, as campas têm cabeças de animais por cima das cruzes. Do cemitério de Santa Cruz todos nós ouvimos falar em Portugal. O massacre no Cemitério de Santa Cruz a 12 de novembro de

1991 durante o funeral do estudante Sebastião Gomes filmado por um jornalista australiano marcou o ponto de viragem na luta dos timorenses. No ano seguinte, Xanana Gusmão, o líder da resistência, foi preso. Em 1996, o bispo D. Ximenes Belo e o ativista José Ramos Horta recebem o Prémio Nobel da Paz. Com a resignação de Suharto, chegou-se a um acordo sob os auspícios das Nações Unidas para a realização dum referendo para saber a vontade dos Timorenses: província autónoma da Indonésia ou independência. A 30 de agosto, o povo timorense declarou sem margens para dúvida (78%) que queria a independência, uma resposta que provocou uma reação extraordinariamente brutal e violenta por parte das milícias pró-indonésias que mataram, destruíram e saquearam indiscriminadamente, deixando o país praticamente sem infraestruturas. Uma força multinacional das UNO foi enviada para Timor para restabelecer a paz e a segurança. A 20 de maio de 2002, nasce uma nova nação: Timor Leste. Começa então o longo caminho de formação dum país. Dili é a sua capital. Por M.Margarida Müller (fotos e textos)

Pereira-


maiahoje

sexta-feira 1 de Novembro de 2013

\\ EMERGÊNCIAS NACIONAIS • SOS Número Nacional de Socorro............................................112 • Incêndios Florestais .......................................................................117 • Emergência Social (crianças, idosos, vitimas, s/abrigo)....144 • Intoxicações ...............................................................808 250 143 • Emergência Gás (EDP)............................................800 215 215

\\ EMERGÊNCIAS LOCAIS • Bombeiros Voluntários de Moreira...................22 942 10 02 • A. H. Bombeiros de Pedrouços...........................22 901 27 44 • PSP Maia (Esquadra Cidade)...............................22 947 96 90 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Segurança)22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Trânsito).....22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Es.Intervenção) 22 948 26 93 • PSP Águas Santas (Esquadra Vila).....................22 977 42 80 • PSP Maia (Divisão Policial)...................................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Trânsito) .............................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Interv. e Fiscalização) ....22 978 51 90 • GNR Maia (Posto Territorial da Maia) ...............22 986 74 30 • GNR Maia (Posto Fiscal de Pedras Rubras).....22 944 91 00 • GNR Maia (Posto Trânsito da Maia) ..................22 968 84 70 • Polícia Municipal Maia ..........................................22 940 86 00 • Protecção Civil (CM Maia) ....................................22 940 87 22 • Protecção Civil (CM Maia) Linha verde.............800 205 169 • Protecção Civil (Com. Distrital Op. Socorro)..22 619 76 50 • Cruz Vermelha Portuguesa (Núcleo Maia).....22 941 12 21

\\ LINHAS

SAÚDE NACIONAIS

• Saúde 24......................................................................808 242 424 • Saúde 24 (orientação pediátrica) .......................808 242 400 • Linha Saúde Cancro ................................................808 255 255 • Linha Saúde Sexualidade......................................808 222 003 • Linha Saúde SIDA.....................................................808 266 266 • Linha Saúde SOS Criança ......................................808 202 651 • Linha Saúde SOS Medicamento .........................800 222 444 • Linha Saúde SOS Grávida......................................808 201 139 • Linha Saúde SOS Droga ............................................................1414 • Linha Saúde Deixar de Fumar .............................808 208 888 • Informação a Vitimas Violência Doméstica.....800 202 148 • Linha APAV (Apoio à Vítima)..................................707200 077

\\ SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE LOCAIS • USF Alto da Maia (Águas Santas) ......................22 977 42 50 • USF Viver Mais (Castêlo Maia) ............................22 986 51 70 • USF Saúde em Família (Pedrouços)..................22 977 47 10 • USF Pirâmides (Maia).............................................22 947 85 90 • USF Odisseia (Vermoim).......................................22 947 09 50 • USF Íris (Águas Santas)..........................................22 986 70 35 • USF Lidador (Gueifães) .........................................22 943 84 40 • USF Pedras Rubras (Moreira) ..............................22 943 14 70 • Extensão Saúde Nogueira (Nogueira).............22 961 77 10 • Extensão Saúde Milheirós (Milheirós) .............22 972 33 22 • Extensão Saúde Moreira (Moreira) ...................22 943 14 70 • Hospital S. João (Porto) ........................................22 551 21 00 • Hospital Pedro Hispano (Matosinhos) ............22 939 10 00 • Hospital Sto. Tirso (Sto.Tirso)................................252 830 700 • Hospital Joaquim Urbano (Porto).....................22 589 95 50 • Hospital N. Sra. Conceição (Valongo)..............22 422 00 19 • Hospital Sto. António (Porto) .............................22 207 75 00 • Hospital Maria Pia (Porto)....................................22 608 99 00 • Hospital Póvoa Varzim/V.Conde (P. Varzim)....252 690 600 • Hospital Magalhães Lemos (Porto) ..................22 619 24 00 • Inst.Port. Oncologia Francisco Gentil (Porto)22 508 40 00 • Unidade Alcoologia do Norte (Matosinhos) .22 004 50 60 • Centro Regional de Sangue (Porto) .................22 004 52 40

mh jornal regional de grande informação

EDITADO POR

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

Depósito legal 147209/00 DGCS nº 123524 Tiragem 3.000 exemplares

Úteis \\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA NACIONAIS • Serviço Informações telefónicas PT . . . . . . . . . . . . . . . . . .1820 • Serviço Apoio a Clientes Optimus . . . . . . . . . . . . . . . . . .16103 • Serviço Apoio a Clientes TMN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1696 • Serviço Apoio a Clientes Vodafone . . . . . . . . . . . . . . . . .16912 • Aut.omóvel Clube ACP (assistência) . . . . . . . .707 509 510 • Brisa Auto-estradas de Portugal . . . . . . . . . . . .808 508 508 • CP Combóios de Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 208 208 • TAP Air Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 205 700 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede fixa) . . . .808 202 653 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede móvel) .808 962 690 • Cartões Crédito American Express . . . . . . . . . .707 504 050 • Cartões Crédito Mastercard . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 272 • Cartões Crédito Visa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 107 • EDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 506 506 • EDP (Comunicação de Avarias) . . . . . . . . . . . . .800 246 246

\\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA LOCAL • Loja do Cidadão (Porto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 241 107 • Posto de Atendimento ao Cidadão (Maia) . .22 948 24 62 • Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 98 10 • Cartório Notarial de Cláudia Barbas . . . . . . . .22 940 67 22 • Conservatória do Registo Civil (Maia) . . . . . .22 943 98 00 • Conservatória do Registo Predial . . . . . . . . . .22 943 62 80 • Conservatória do Registo Comercial . . . . . . .22 947 76 50 • Serviços de Finanças da Maia . . . . . . . . . . . . . .22 947 06 40 • Tribunal Judicial da Comarca da Maia . . . . . .22 941 90 73 • Tribunal do Trabalho da Comarca da Maia . .22 941 41 52 • Inst. Info. Apoio Form. Profissional (IAFE) . . .22 977 39 10 • Inst. Fomento Desenvolv. Económico . . . . . .22 942 70 26 • Centro de Emprego da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 943 27 00 • Segurança Social da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 10 90 • Com. Protecção Crianças e Jovens da Maia .22 949 03 33 • CTT Correios de Portugal (Gueifães) . . . . . . .22 960 83 27 • CTT Correios de Portugal (Moreira) . . . . . . . .22 943 76 10 • CTT Correios de Portugal (Vermoim) . . . . . . .22 943 95 30 • CTT Correios de Portugal (Águas Santas) . . .22 974 33 50 • CTT Correios de Portugal (Castêlo) . . . . . . . . .22 986 66 00 • CTT Correios de Portugal (Aeroporto) . . . . . .22 940 00 11 • Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 24 00 • Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 34 72 • Consulado de Chipre (Maia) . . . . . . . . . . . . . . .22 902 38 68 • Consulado do Paquistão (Maia) . . . . . . . . . . . .22 947 93 21 • Lipor II (Central de Valorização Energética) 22 947 73 40 • Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 26 60

\\ MUNICIPIO DA

• Câmara Municipal da Maia (Central) . . . . . . .22 940 86 00 • Serviços Águas e Saneamento da Maia . . . . .22 943 08 00 • Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . . . . . .22 968 73 22 • Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 20 • Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . . . . .22 944 24 62 • E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . . . . . . .22 940 87 21 • Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 30 • Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 • Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 905 95 20 • Canil Municipal da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 982 36 87 • Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 986 71 80 • Espaço Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 80 30 • Loja da Juventude S. Pedro Fins . . . . . . . . . . .22 968 91 69 • TURISMO Maia Welcome Center . . . . . . . . . . .22 944 47 32 nota: Informação actualizada em 2011/10/01 Ana Luisa Azevedo, TPJ analuisa@maiahoje.pt

COLABORADORES REDACTORES: Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt Luís Filipe Azevedo, TPJ luis@maiahoje.pt Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos, TPJ rita@maiahoje.pt

COLABORADORES FOTOGRAFIA: Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710

CORRESPONDENTES: João Diogo (Brasil) Williams James Marinho (EUA) Ainhoa Carrasco Robles (Espanha) Catarina Almendra (Lisboa)

\\ FARMÁCIAS Dia

01

PERM T REF

02 03 04 05 06 07 08

09 10

11

12

13

14 15

U

F

H

I

J

K

V

A

B

C

D

E

G

L

-------------------------------------------------------------------------------------------

TURNO A AGRA - MILHEIRÓS TURNO B AEROPORTO - PEDRAS RUBRAS TURNO C LIMA COUTINHO - GUEIFÃES TURNO D SILVA ESCURA - FREJUFE TURNO E BASTOS - GUEIFÃES TURNO F GEMUNDE - CAMPA DO PRETO TURNO G ÁLVARO AGANTE - VERMOIM TURNO H CENTRAL - CATASSOL TURNO I MOREIRA BARROS - PARADA TURNO J ALIANÇA - VERMOIM TURNO K VILA NOVA DA TELHA - QUIRES TURNO L SOUSA BEIRÃO - MAIA TURNO M MARTINS DA COSTA - ÁGUAS SANTAS TURNO N BOM DESPACHO - MAIA TURNO O CASTÊLO - CASTÊLO DA MAIA TURNO P GRAMAXO- MOREIRA DA MAIA TURNO Q EUGÉNIA - PEDROUÇOS TURNO R NOVA DE ARDEGÃES - ARDEGÃES TURNO S LIDADOR - ARDEGÃES TURNO T ARAÚJO - NOGUEIRA TURNO U GUARDEIRAS - GUARDEIRAS TURNO V MAIA - ÁGUAS SANTAS

esta informação é patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SERVIÇO PERMANENTE

MAIA

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar artur@maiahoje.pt

15

CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Form. e Docentes) Mário Lopes (sociedade) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Pedro Ferreira (política) Ricardo Filipe Oliveira (sociedade) Rogério Gonçalves (sociedade) DESIGN / PAGINAÇÃO: Luís Filipe Azevedo Maxim Bukharov

13 Novembro Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

DEPARTAMENTO COMERCIAL: Pedro Martins pedro@maiahoje.pt António F Silva silva@maiahoje.pt SEDE/ REDACÇÃO / D.COMERCIAL

Rua dos Altos, 18 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25

IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados. MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007


As suas campanhas e montras garantidas ao melhor preço

até ao Natal!

- VINIL AUTOCOLANTE solvente (exteriores) €

6,90/m2

- LONAS solvente (de 440 grs., c/acabamentos)

7,40/m2

PREÇOS VÁLIDOS PARA COMPRAS SUPERIORES A 100Eur. • APENAS IMPRESSÃO, DESIGN NÃO INCLUIDO • IVA NÃO INCLUIDO

RUA DOS ALTOS, 18 • 4470-235 MAIA • TELEFONE 22 406 21 26 • comercial@maiahoje.pt


332