Issuu on Google+

100$ € 0,5

Porte

Pago

IVA Incluído

Director Artur Bacelar Ano II • Nº 42 • Quinzenal • Sai às Sextas DE 26 DE OUTUBRO A 8 DE NOVEMBRO 2001

Stª. Maria de Avioso apresenta símbolos

Maia já tem “Provedor do Munícipe”

Uma iniciativa exclusiva do Maia Hoje A maior

Horário de Inverno entra este fim-de-semana

Bolsa o de Empreg aia !

pág. 9

pág. 10

o da M do Concelh

pág. 24

pág. 2


02

MAIA HOJE

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Juventudes de costas voltadas

Propriedade: MAIAPRESS Editores, Lda.

Artur Bacelar Director

REGISTADA NA CONS. REG. COM. DO PORTO COM O NÚMERO 1313 CONTRIBUINTE NÚMERO 504 786 954

Atenção ao relógio, despertadores e companhia. Na madrugada do próximo domingo, quando for 1 hora, o relógio atrasa 60 minutos sendo 0 horas. Portanto tem mais uma hora para dormir ou passar a noite com a namorada(o). Quem lucra com isto são os donos dos bares, que passam a estar abertos mais uma hora...

Foto REPORTER

A Equipa do Jornal Maia Hoje trabalha em Exclusivo com produtos

Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos editores bem como do director do Jornal. A direcção do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se a direcção a não publicar artigos de opinião que prejudiquem a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados.

TÍTULO:

Impressão: Indústria Gráfica do Norte, SA • EN 14 (km 7,05)

Miguel Ângelo Machado

DEPÓSITO LEGAL 147209/00 DGCS NºO 123524 TIRAGEM 3.000 EXEMPLARES

Horário de Inverno

FOTO:

Redacção / D.Comercial / Distribuição Rua dos Altos, Edifício Arcada, loja 10 4470 - 235 Maia Telefones 22 947 62 62/64 Telefax. 22 947 62 63 Departamento Comercial. 22 944 00 03 Email: maiahoje@mail.telepac.pt Sede : Rua Duarte Pacheco, 623 - 4470 Maia

Como já se adivinhava este processo autárquico ia ser algo complicado e até mesmo conturbado. Nada de novo em partidos que se afirmam democráticos e onde existe liberdade de expressão. Uma das coisas que em análise política sinceramente não estava à espera foi o facto de ambas as formações políticas dos dois maiores partidos, ou seja a Juventude Social Democrata e a Juventude Socialista, estarem de costas voltadas para os cabeças de lista dos seus partidos. É minha forte convicção que na altura do voto, muito provavelmente, “o coração” falará mais alto e não resistirão em colocar a “cruzinha” frente a sigla dos seus partidos. Mas interessante de saber nas próximas semanas, irá ser a política de Juventude que cada candidatura irá

Audiências, Court, Restaurante

Director da Publicação: Artur Bacelar Chefe de Redacção: Manuela Sá Bacelar Editor Local: António Armindo Soares (jornalista) Editor Desporto: Carlos Barrigana Directora Comercial: Manuela Sá Bacelar Design / Paginação: Susana Patrícia Padr\ão Paulo Borges Colaboradores: Andreia Martins André Leão Silva André Leonhartsberger Cristina Costa Diana Batista Francisco Alves Guilherme Costa Júlio Sá Ornelas Laura Nogueira dos Santos Miguel Ângelo Machado Nelson Maia Rui Alexandre Ribeiro Sofia Vales Pinto Sónia Pinto Williams James Marinho Cronistas: Mário Duarte Nelson Azevedo Ferraz Vítor Maia Distribuição: António Maia Padrão

apresentar, bem como a reacção que cada organização de juventude irá ter. O Maia Hoje, tem hoje uma versão “politicamente musculada”, o que se justifica face à informação que conseguimos compilar nos últimos dias. Destaque especial para as listas de todos os candidatos do Concelho, um trabalho que durou longas horas de consulta às listas entregues no Tribunal de Comarca e que só foi possível graças à maravilhosa equipa que tenho o prazer de dirigir. Para eles o meu muito obrigado e a minha homenagem.

Maia Hoje errou...

Na capa da última edição, por lapso publicámos a moeda de 5 cêntimos em vez da moeda de 50 cêntimos que corresponde ao valor aproximado de 100escudos, o novo preço deste jornal. Muitos foram os leitores atentos que nos telefonaram a

dar conta da situação. A todos eles e aos restantes leitores pedimos sinceras desculpas. Na página 3 da mesma edição, na legenda da fotografia onde se lia fontanário do Viso dever-se-ia ler fontanário de Godim.


03

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Com a presença de Vieira de Carvalho

Entregues candidaturas PSD/CDS-PP Na passada 2º feira, Vieira de Carvalho, acompanhado de alguns notáveis da coligação, entregou, no Tribunal da Comarca, os processos de candidatura para as eleições autárquicas de 16 de Dezembro. Muito notada a ausência do líder da concelhia social-democrata, Bernardino da Costa Pereira. Sofia Vales Pinto

Foi com um ar bem disposto, apesar da Maia sentir os primeiros rigores de um Inverno que se avizinha, que Vieira de Carvalho, acompanhado de Moreira de Sá, Presidente da Concelhia da Maia do CDSPP; Bragança Fernandes, Vice-Presidente da Câmara Municipal; Luciano Gomes, Presidente da Assembleia Municipal; Isabel Lopes, Chefe de Gabinete; Mário Nuno Neves, Vereador da Cultura; Costa Lima, Vereador dos Serviços Administrativos; entre outras personalidades e apoiantes, entregou os processos das candidaturas. Na ocasião, Vieira de Carvalho, visivelmente satisfeito, trocou algumas palavras com os jornalistas presentes, saciando assim a sua curiosidade. A primeira questão colocada foi relativamente à freguesia de Vermoim. Confrontado com a existência de uma lista independente naquela freguesia, na qual se incluiriam membros do PSD e cujo líder é António Augusto Mandim, o Presidente da Câmara Municipal da Maia afirmou não saber se este movimento independente teria levado por diante os seus intentos, deixando no ar apenas a ideia de que é amigo de António Augusto Mandim e que entenderia as suas posições. Paulo Ramalho à margem da lista da Assembleia Municipal A polémica instalou-se em torno dos nomes que iam compor a lista da Assembleia Municipal. Um dos nomes que surgiu como parte integrante dessa lista, mas que não se veio a concretizar, foi o de Paulo Ramalho. Quanto ao nome de Paulo Ramalho para a lista da Assembleia Municipal, Vieira de Carvalho diz que «altura era difícil ser considerado porque a lista estava organizada e é sempre difícil introduzir elementos de premeio como os

houve espaço para um almoço que decorreu no melhor entendimento (...) não há nenhum problema entre nós». «Não faço nenhum comentário» Na conferência de imprensa promovida pela JSD Maia, no passado dia 16, João Telmo, presidente do mesmo partido, mostrou claramente o seu desagrado face à falta de coerência de Vieira de Carvalho. A decisão da JSD Maia retirar o apoio ao actual Presidente da Câmara Municipal nas próximas eleições autárquicas, contou com o aval incondicional da JSD Maia e de Hélder Santos. Vieira de Carvalho quando confrontado com esta situação afirmou que «o máximo que eu poderei dizer é que esse assunto já pertence ao passado».

Domingos Tiago, Isabel Lopes, Vieira de Carvalho e Bragança Fernandes

que lá estão fixados», acrescentando: «Paulo Ramalho é um jovem que muito aprecio». Firmou, uma vez mais, que «Paulo Ramalho não fará parte da lista à Assembleia Municipal». Hélder Santos, Presidente Distrital da JSD, na berlinda Hélder Santos, Presidente da Comissão Distrital da JSD, numa conferência de imprensa no passado dia 16, discursou, realçando a sua desilusão para com a atitude de Vieira de Carvalho quanto à JSD

Maia, afirmando que o Presidente da Câmara Municipal não era um homem de palavra. Por sua vez, Vieira de Carvalho, sem meias palavras, à saída do Tribunal da Comarca, contra argumentou referindo que «é rigorosamente falso que ele tivesse dito isso, essa afirmação pertencia ao jovem que é Presidente da JSD do concelho da Maia». Ironias e contradições à parte, o Presidente da Câmara Municipal revelou que «o Presidente da Comissão Distrital da JSD teve um encontro comigo no final da semana passada, no qual

Luciano “despede” por carta da Assembleia Municipal Nos últimos dias, foram vários os deputados municipais do PSD que receberam cartas do actual Presidente da Assembleia Municipal, Luciano Gomes, dando conta que este não contava com tais personagens para um novo mandato. Em carta que nos foi enviada ao jornal, João Telmo, líder da JSD e um dos destinatários, tornou pública a missiva que considera <abusiva do poder do cargo que ocupa, quanto à legalidade da mesma não me pronuncio, deixo para quem de direito>, disse, pelo facto da carta ter sido emitida em papel timbrado da Assembleia Municipal da Maia, com referência desta entidade e assinada em nome do Presidente da Assembleia Municipal. O deputado em causa ironiza e disse ao MAIA HOJE que <não fui eleito por nenhum partido municipal, como tal, a carta que deveria receber deveria ser do meu partido>. Já quanto ao seu conteúdo disse ser <deselegante, já para não dizer outra coisa. Estas coisas não são feitas por carta, deve-se um mínimo de respeito pelas pessoas e pelo trabalho desenvolvido nos últimos anos>. O

MAIA HOJE soube que outras cartas com igual teor foram enviadas, tendo inclusive, alguns deputados respondido a essa missiva. Quanto ao teor da mesma, Luciano Gomes, escreve que <como é do seu conhecimento, está a decorrer o processo eleitoral com a organização das listas para os vários órgãos do município. Foi público que, sendo eu candidato a Presidente da Assembleia Municipal, pretendia efectuar renovação da lista que agora se candidata. Por isso, sendo essa a razão, pensei incluir gente nova, facto que deixa de fora algumas pessoas, nomeadamente o meu amigo que comigo brilhantemente colaborou e deu o seu melhor em prol da nossa terra. Se a razão é a renovação, não havendo quaisquer outros motivos, não podia, em consciência, deixar de agradecer a atenção, a lealdade e a compreensão que comigo sempre teve. Estou certo que continuará a manter a mesma preocupação com as coisas da Maia, estando pronto para outros desafios que a sociedade, concerteza, lhe vai solicitar. Grato por tudo, o meu bem haja>, assinando, o Presidente da Assembleia Municipal.

Presidente da Comissão Política Concelhia do PSD ausente Perante a incontestável presença do Presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP, foi notória a ausência de Bernardino Costa Pereira. Questionado sobre um eventual descontentamento que possa ter motivado a ausência de Bernardino Costa Pereira, Vieira de Carvalho justificou-se afirmando que «o senhor Presidente da Comissão Política do PSD foi convidado; certamente apareceu-lhe algo para fazer na hora, que não lhe terá permitido vir». Os próximos tempos políticos no concelho da Maia prevêem-se confusos e, porque não, conflituosos. Numa novela, que a cada dia que passa, conhece novos capítulos e novos protagonistas, resta aguardar pelo dia das eleições autárquicas para que cessem os remoinhos políticos... O desfecho, esse, fica nas mãos dos eleitores.


04

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

PS entrega listas para as autárquicas

«muito satisfeitos»

Artur Bacelar e Miguel Ângelo Machado

Foi um Jorge Catarino bem disposto, rodeado do número dois, Miguel Ângelo Rodrigues e de mais de uma dezena de personalidades do seu partido, bem como vários apoiantes, que procedeu ao acto de entrega das listas e mostrou-se confiante quanto a um bom resultado. Questionado sobre se estava satisfeito, disse-nos que estava «muito satisfeito, conseguimos concorrer às freguesias todas, o que é curioso porque o PSD que é o partido que tem estado na Câmara nos últimos anos não apresentou as listas todas. Ao que sabemos só apresentou em 15, houve duas em que não conseguiu lista e teve que apoiar listas de independentes». Na Maia não existe PSD Jorge Catarino continuou, em tom algo jocoso «isto vai de encontro à nossa perspectiva que na Maia não existe PSD. Na Maia existe há muitos anos uma só pessoa que centraliza todos os poderes e naturalmente que os efeitos perversos dessa situação que é antidemocrática. Só para ver a diferença, as nossas listas foram votadas nas Assembleias de militantes onde há secções, foram votadas pela Comissão Política por esmagadora maioria, mais de 70% e foram feitas naturalmente da base para o topo. Digamos que é uma forma progressista e democrática de fazer as listas». Vila Nova da Telha uma freguesia descaracterizada Em Vila Nova da Telha foi apresentada uma lista de Pinho Gonçalves, neste sentido perguntamos ao líder do PS Maia, que perspectivas tem o candidato Jorge Catarino em Vila Nova da Telha, tendonos respondido que «o Jorge Catarino vai ter os votos de todos os Socialistas e vai ter os votos de todos aqueles que querem para Vila Nova da Telha por exemplo um Parque Verde. Há uma zona que está no PDM (Plano Director Municipal) há 15

anos que nunca foi desenvolvida porque a freguesia nunca o exigiu ao executivo camarário. Vila Nova da Telha está transformada numa selva de betão armado, não tem parques verdes, não tem zonas de lazer, é uma freguesia que está completamente descaracterizada e na parte velha, V.N.T. vive ao ritmo do terceiro mundo. Temos ruas principais na zona tradicional que a 300 metros da estação de tratamento de esgotos de cambados ainda não tem saneamento. Isto acontece na Maia no sec. 21, no tal Concelho que pretende ser modelo. A nossa candidatura que é interpretada pelo meu filho, que foi a estrutura que escolheu, quer em primeiro lugar criar condições, pugnar e construir o saneamento nessa parte velha que está esquecida, ao contrário do centro da Maia e quer transformar a zona verde do PDM que está ao abandono, onde a Câmara da Maia deixa cortar árvores, deixa que os incêndios grassem sem protecção nenhuma, quer transformar essa zona verde num parque de fruição para a freguesia de Moreira e sobretudo para a de V.N. da Telha». A lisura de pedir a demissão Perguntamos a Jorge Catarino se achava que será difícil a Pinho Gonçalves voltar a ganhar as eleições e este respondeu que «em eleições há ganhar e perder, nós em eleições estamos para ganhar. Temos todas as condições em VN Telha, sobretudo porque há alguém que é conotado com um determinado partido e quando depois aceita ser apoiado pelo outro partido nem sequer tem o carácter e a lisura de processos de pedir previamente a demissão ao partido a que estava ligado, alguém cujo percurso político é conhecido, veio do MDP ou da FEC-ML, ou qualquer coisa parecida, para o PRD, depois para o PS e agora vai desaguar no PSD, está tudo dito».

Jorge Catarino entregou listas PS da Maia

“Tininho” vai ganhar em Vermoim Questionado sobre o caso da freguesia de Vermoim, Jorge Catarino foi peremptório «não temos dúvidas nenhumas de que vamos ganhar em Vermoim. Eu concretamente penso que nós também temos um projecto para Vermoim. Um projecto englobado no projecto da Câmara Municipal, um projecto que vai privilegiar sobretudo as questões da segurança, as ques es do acesso à saúde, das zonas verdes...portanto nós temos um projecto alternativo que tem uma representatividade em Vermoim e portanto Albertino Silva, o “tininho” como é carinhosamente conhecido em Vermoim, tem todas as possibilidades de integrado neste projecto desta vez ganhar as eleições». Prescindimos do apoio do PSD Nas outras freguesias onde o PS já é presidência de junta pretendem continuar? «por exemplo nós temos a situação de S. Pedro de Avioso, como sabe o PSD não conseguiu lista e à última da hora depois de o Jaime Pinho se ter negado a encabeçar a lista do PSD, o PSD teve que escolher entre apoiar a nossa lista e a do Jaime Pinho. Como a nossa lista nós prescindíamos do apoio do PSD, o PSD decidiu apoiar o

Jaime Pinho, foi a reboque do Jaime Pinho, o que é manifestamente interessante, diz em das dificuldades que a estrutura do PSD tem a nível da Maia. Nas outras freguesias vamos recandidatar os nossos cabeças de lista, portanto temos condições para reeditar as suas vitórias». Quando os jovens pensam mais em lugares... Instado a comentar a actual conjuntura política onde a JSD está contra Vieira de Carvalho, Jorge Catarino, quiçá lembrandose que também tem uma organização de juventude disse que «isso são questões internas, todos os partidos tem essas questões. Sabe que isto quando os jovens pensam mais em lugares do que em projectos políticos essas coisas acontecem a todos os partidos e nós também não estamos isentos nem imunes a essas situações. Eu penso que uma coisa é existir a promessa e outra é não cumprir a promessa e portanto essa situação só será valorizável na medida em que algo que foi prometido não foi cumprido». No caso concreto do Partido Socialista e da Juventude Socialista Jorge Catarino disse laconicamente que «a JS tem apoiado a nível de freguesias...».

Quem o diz é Sandra Lameiras

“JS não se sente representada nas listas do PS para a Câmara e Assembleia Municipal da Maia”. Sandra Lameiras, presidente da Concelhia da Juventude Socialista da Maia, contactada pelo MAIA HOJE, no sentido de comentar a ausência de elementos da sua organização nas listas do Partido Socialista à Câmara e Assembleia da Maia, referiu que “como se pode analisar, nas listas entregues para a Assembleia Municipal e Câmara Municipal a Juventude Socialista não está representada. Há um nome de uma jovem, mas que em termos de processo de candidatura, assumiu perante mim que não estaria na qualidade de membro da Juventude Socialista, mas sim representativa da secção local do PS. A JS não se considera representada nas listas para o executivo e para a Assembleia Municipal.” Águas “pouco” Santas Quanto às freguesias, as coisas mudam de figura “ A outra coisa que também é importante vocês saberem é que por exemplo em Águas Santas, que tem lá um núcleo extremamente forte, que aliás tem condições para isso porque

tem uma sede física, a única do partido no Concelho em termos reais, os membros da Juventude Socialista de Águas Santas, foram pura e simplesmente banidos das listas, era uma freguesia onde estávamos fortemente representados em termos de JS Maia e neste momento vamos ser o que formos completamente banidos desse projecto. Vitor Silva não integra a lista nem ninguém, tínhamos 4 ou 5 jovens. As razões para o sucedido é por um lado a falta de abertura para a juventude e o projecto em si, não termos conhecimento da lista, e como as pessoas não mostraram abertura e refiro que estou a falar no caso particular de Águas Santas, portanto não houve abertura principalmente do coordenador da secção de Águas Santas para que a lista fosse elaborada nos moldes de há quatro anos em termos de representação da JS”, disse Sandra Lameiras. Restantes freguesias em pleno Quanto às outras freguesias, segundo

a líder socialista “as listas foram entregues na segunda-feira passada, a directiva discutida em plenário foi no sentido dos jovens apostarem nas juntas de freguesias, porque consideramos que é um patamar extremamente importante para os mais novos começarem, nós na JS não nos podemos empoleirar e dizer que queremos “ser Vereador disto ou daquilo”, porque eu sou completamente contra essa filosofia e achamos que essas atitudes não levam a nada e só denigrem a imagem de uma estrutura partidária de juventude, aliás um caso caricato é o que temos na Maia com o João Telmo. Semelhança JSD/JS O jornalista não poderia deixar de encontrar semelhanças face ao que acontece com as relações entre as juventudes e as organizações partidárias “seniores” do PS e PSD “existe uma semelhança entre os nossos casos, uma vez que não estamos sintonizados com quem neste momento lidera os partidos a quem nós pertencemos dentro do

concelho, agora as razões pela qual nós não estamos no projecto e na qual o João Telmo e a JSD não está, são perfeitamente opostos. Nós denotamos no nosso partido uma falta de abertura e de estratégia, porque consideramos que a estratégia do Partido Socialista na Maia é uma estratégia completamente ultrapassada. Estou a sofrer algumas pressões de alguns núcleos da JS no sentido de lançarmos um comunicado, situação que estamos a ponderar. Eu jamais estaria em qualquer cargo político ou projecto no sentido de boicotar o meu partido, agora há momentos em que mesmo internamente nós temos que divergir e foi isso que eu assumi de uma forma frontal desde o início, agora, prova irrefutável da minha conduta é que realmente fui eu que arranjei o candidato à junta a S. Pedro de Fins, fui eu que o contactei e considero ser um dos melhores candidatos que temos às juntas de freguesia na Maia.”, disse a terminar Sandra Lameiras.


05

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Bernardino da Costa Pereira em exclusivo ao MAIA HOJE

“Estas são as listas (do PSD) de um processo que acabou mal” Bernardino da Costa Pereira, líder da Concelhia do PSD da Maia, comentou ao MAIA HOJE a sua ausência na entrega das listas do seu partido no Tribunal da Comarca como uma tomada de posição “a Comissão Política e eu próprio em particular, não estamos de acordo com estas listas, portanto não são as listas da Comissão Política, são as listas de um processo eleitoral que acabou mal”, disse Costa Pereira. Falta de diálogo Questionado sobre o que correu mal no processo, Costa Pereira afirma peremptório que “o processo, todo ele enferma da vontade da Comissão Política, enferma de dialogo, e nós assim não queríamos que assim tivesse acontecido. O processo já vinha sendo difícil, já vinha sendo objecto de negociações, de entendimentos, como foi sempre nosso apanágio até 17, 18 ou 19 de Setembro, altura em que foi feita a apresentação pública dos primeiros elementos do executivo da Câmara Municipal. Nós e eu em particular, porque isso não chegou a ir à Comissão Política, chegamos a acordo com o Dr. Vieira de Carvalho nos primeiros 6 nomes, nós embora contrariados nos nomes em que o Dr. Vieira de Carvalho não estava de acordo, mas pronto como diziam sempre que era a vontade dele, acordamos em aceitar e somos surpreendidos quando as pessoas foram convidadas para a apresentação pública e é anunciado de que além dos 6 primeiros nomes iria ser apresentado o candidato à Assembleia Municipal”. Auto proclamado candidato à Assembleia Municipal “Ora, primeiro não foi combinado isso com a Comissão Política e penso que esse é um acto político que compete à Comissão Política, era essa comissão que deveria tratar disso. Ninguém perguntou à Comissão Política como é que deveria ser feito, nem em que dia ou hora e depois mais grave ainda há uma pessoa que se intitula candidato a presidente à Assembleia Municipal e que não sabemos se ele se auto-propõe, se o Dr. Vieira de Carvalho o proclamou, ou se a própria Comissão Política Distrital da qual eu faço parte. Eu penso que se auto-proclamou, porque a Comissão Política Distrital da qual eu faço parte não foi e que quando muito teria sido o senhor Presidente e a ser assim põe em causa todo este processo eleitoral, e ele enferma de infringimento de regras estatutárias do partido”. Não se respeitou o plenário “Depois ainda, eu penso que é do conhecimento público, a Comissão Política procurou digamos assim normalizar essa situação, isto é tornar não normal, mas estatutariamente aceitável o processo eleitoral e para tal convocamos um plenário, onde os militantes entregaram a condução e o ultimar do processo eleitoral ao Dr. Vieira de Carvalho, a Luciano Gomes, auto-proclamado cabeça de lista da Assembleia Municipal e ao Presidente

era assim como que um “lavar-de-mãos”, como quem diz o António Augusto é mais popular e como vêem nós fizemos a escolha certa. A sondagem seria mais para isso do que propriamente para fazer uma escolha. Como se deu essa ruptura, eu não cheguei a fazer nenhuma sondagem”.

Costa Pereira “faltou” à entrega das listas propositadamente

da Comissão Política Concelhia. Os militantes aprovaram esse acordo, a constituição desse grupo de trabalho, convencidos que na realidade iam trabalhar em conjunto para um bom terminar das listas, um bom terminar do processo autárquico eleitoral, mas o que aconteceu foi que durante essa fase até ao dia da entrega das listas, só houve uma ou duas reuniões com o Presidente da Comissão Política Concelhia e essas reuniões foram solicitadas pelo presidente da Comissão Política Concelhia porque ainda não tinha sido solicitado para isso e mais, nenhuma das sugestões do Presidente da comissão Política Concelhia foi aceite, portanto acho que não se respeitou inicialmente os estatutos e em segundo lugar não se respeitou a vontade do plenário”. Reunião a “seco” O MAIA HOJE soube entretanto que a reunião da Comissão Política Concelhia foi marcada especialmente para o passado Domingo, dia anterior à entrega das listas, com o intuito de as rectificar. Sobre o assunto, Costa Pereira disse que “é verdade, nós não costumamos reunir nesse dia, não é normal, mas eu marquei a reunião para esse dia no sentido de conversarmos sobre o assunto, transmiti isso ao Dr. Vieira de Carvalho e as listas não apareceram”. As freguesias “Nós na Comissão Política Concelhia (CPC) e a chamada Comissão Coordenadora Autárquica (CCA), criada pela Comissão Política e pelos Núcleos, tinha vindo a tratar todo um processo eleitoral em relação às freguesias que nós achavamos na realidade muito importante. Esse processo veio a ser tratado por nós, mas sempre em consonância com o Dr. Vieira de Carvalho, nunca houve nenhuma tomada de posição, isto é, tanto a CPC como a CCA, nunca tomaram a decisão de convidar fosse quem fosse, sem que o Dr. Vieira de Carvalho estivesse de acordo com o processo. Houve em determinada altura do processo freguesias que ainda não estavam completas, não era por exemplo o

caso de Vermoim” O caso de Vermoim Muito complicado e algo ainda inexplicável é o caso de Vermoim, sobre este assunto Costa Pereira comenta da seguinte forma o sucedido “O caso de Vermoim já estava completo. Ficou praticamente completo, julgo que em fins de Julho, princípios de Agosto, quando numa conversa, entre mim e o Dr. Vieira de Carvalho ficou assente que o candidato seria o António Augusto Mandim, haveria só que tentar dissuadir o outro candidato e refiro-me a um outro que não foi apresentado, na medida em que as restantes questões já estariam resolvidas, isso foi comunicado ao próprio candidato e penso que se iniciou os contactos. Foi com muito espanto, digamos assim, que este candidato à posteriori veio a ser preterido em relação ao actual candidato, do qual nós pessoalmente não temos nada contra. Não se trata aqui de uma questão pessoal, nem mesmo de uma questão política, porque não foi isso que esteve em jogo. O que esteve em jogo foi o nós escolhermos aquele que poderia ter sido eventualmente o melhor candidato e aí chegamos à conclusão que seria o António Augusto Mandim e portanto nesse aspecto estivemos de acordo a Comissão Política Concelhia, a Comissão de Coordenação Autárquica e o Doutor Vieira de Carvalho. Acontece que à posteriori as coisas vieram a ser adulteradas, alteradas, não por nós, mas porque alguém que conduziu o processo depois que o tomou à Comissão Política Concelhia”. Ainda a sondagem de Vermoim Sobre uma sondagem que correu em Vermoim, questionamos sobre se tinha tido conhecimento, tendo-nos respondido que desconhecia “sei que em determinada altura o Dr. Vieira de Carvalho falou comigo a ver se podia fazer uma sondagem e essa não era exactamente para sabermos qual o candidato mais bem colocado, mas era para fazer ver aos outros candidatos que eventualmente o António Augusto Mandim era o candidato mais bem posicionado e

Paulo Ramalho teria sido uma mais valia da Assembleia Municipal Em relação ao afastamento de Paulo Ramalho das listas, Costa Pereira dissenos que “este era um caso muito especial, como há outros casos, como o caso do António Augusto, ainda não sabemos porque razão é que ele não é cabeça de lista a Vermoim. Em relação ao Dr. Paulo Ramalho, não entendemos porque é que não é elemento da Assembleia Municipal. Primeiro chegou a ser vontade desta Comissão Política que ele fosse um dos membros do executivo da Câmara Municipal da Maia, ou melhor chegou a ser comunicado ao Dr. Vieira de Carvalho que veríamos com bons olhos a sua inclusão num eventual executivo, acontece que em determinada altura foi excluída essa hipótese, e depois admitimos que ele seria claramente um membro da Assembleia Municipal, até pelo elogio que lhe era feito pelo próprio Dr. Vieira e Carvalho, seria um elemento da Assembleia Municipal. Foi na última conversa que tive com o Dr. Vieira de Carvalho que me foi dito que ele não faria parte da lista para a Assembleia Municipal e não vi nem da parte de Vieira de Carvalho, nem da parte de Luciano Gomes, que se dizia que estava mandatado para fazer a lista para a Assembleia Municipal, não vi nenhuma vontade deles para ser incluído o nome do Dr. Paulo Ramalho, o que lamentamos bastante, porque devido ao seu prestigio, presidente de um núcleo importante, o núcleo Maia-leste, o mais recente núcleo do PSD, membro da direcção da Ordem dos Advogados, um advogado de prestigio, penso que só traria uma manifesta mais valia à lista da Assembleia Municipal, ou a qualquer lista”. A anedota da carta de Luciano Gomes Sobre a carta de “despedimento” que Luciano Gomes enviou, disse pensar que “é ridículo. Esse é mais um dos capítulos, digamos assim, surrealistas que existem neste processo eleitoral. E porquê?, porque digamos em primeiro que o Presidente da Assembleia Municipal não pode dizer a ninguém que vai fazer parte de lista nenhuma, isto como presidente da Assembleia Municipal e segundo o que conheço dessa carta, é uma carta de papel da Assembleia Municipal e assinada pelo senhor presidente da Assembleia Municipal, quando muito poderia ter sido com um papel de carta pessoal, porque ele não estava a representar o partido, poderia ser ele próprio a despedir as pessoas e as pessoas aceitavam ou não essa demissão, de modo a que eu chamaria a isso uma anedota, no meio das várias anedotas deste processo.

Clínica Veterinária D. Manuel II `orw^jbkql=a^=ro_^kfw^†Íl=alp=^iqlp=`lj=^=^sbkfa^=aK=j^krbi=ff RUA DOS JACINTOS, Nº. 9 * 4470-235 VERMOIM-MAIA * TELEFONE 22 944 22 54 * TODOS OS DIAS DA SEMANA DAS 15 ÀS 21, SÁBADOS DAS 11 ÁS 13


06

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Líder da JSD/Maia em conferência de imprensa,

“Vieira de Carvalho não merece o apoio desta força política” A Juventude Social Democrata da Maia não apoiará o PSD local no processo autárquico em curso, quer ao nível da Vereação, quer da Assembleia Municipal. Quem o afirmou foi João Telmo Dias, líder daquela força política de juventude, insatisfeito com a escolha do nome Jorge Rebelo para ocupar a sétima posição nas listas “laranjas” à CM da Maia. Miguel Ângelo Machado

Com a presença de Hélder Santos, presidente da Comissão Política da JSD Distrital, a JSD/Maia levou a efeito uma conferência de imprensa no passado dia 16, com o intuito de manifestar o seu descontentamento para com o autarca Vieira de Carvalho. A gota de água dos “laranjinhas” reside no facto de João Telmo não ter sido o nome escolhido por Vieira de Carvalho na lista candidata à CM da Maia. Para o seu lugar, o edil maiato escolheu Jorge Rebelo, membro honorário da JSD/Maia. João Telmo fez questão de frisar na referida conferência de imprensa que a JSD «definiu desde o início do seu mandato os objectivos para estas eleições autárquicas, que passam pela indicação de vários nomes a inserir nas listas do PSD». Desta forma, o líder “laranja” refere um primeiro contacto com Vieira de Carvalho no qual foram apontados os objectivos da JSD/Maia, que passavam pela inclusão de um militante em lugar elegível (seis primeiros lugares) na lista social-democrata à CM da Maia e quatro deputados à Assembleia Municipal, nos 16 primeiros lugares. João Telmo afirmou que na altura, Vieira de Carvalho «acedeu à proposta, dizendo que eram justas as nossas pretensões e dizendo claramente que os nomes teriam que surgir da estrutura da JSD/Maia». Segundo o líder da JSD, os nomes escolhidos pela Comissão Política daquela estrutura política - entre os quais, João Telmo foi o nome apontado para candidato a vereador -, terão tido o aval por parte de Vieira de Carvalho, nomes esses divulgados publicamente em Julho passado num jantar onde marcaram presença os líderes da JSD Nacional e Distrital, vereadores do executivo camarário e o próprio Vieira de Carvalho. Mais tarde, o presidente da CM da Maia contactou a referida estrutura juvenil e transmitiu uma outra proposta que consistia que caso «não houvesse inconveniente, por questões de manutenção da lista anterior, João Telmo ocuparia o 7º lugar em vez do 6º previsto. Após estudarmos a situação, decidimos aceitar a nova situação». Este facto levou a que três elementos da Comissão Política suspendessem «provisoriamente os seus mandatos como forma de protesto», apontou João Telmo. JSD não legitima o nome de Jorge Rebelo Mesmo na sétima posição, João Telmo acabaria por não ser integrado na lista do PSD, tendo para esse lugar sido convidado um militante honorário da JSD/Maia, de seu nome Jorge Rebelo. No entanto, João Telmo retira «publicamente a confiança a quem se queira fazer passar por militante da JSD», argumento este sustentado no facto de Jorge Rebelo «pela idade que tem, não ser militante». O líder “laranja” afirmou mesmo que Jorge Rebelo «esteve presente no plenário e votou favoravelmente aos nomes apresentados pela JSD».

Hélder Santos mostrou-se contra a teoria do eucalipto

João Telmo afirmou mesmo que Vieira de Carvalho «não é um homem de palavra e como tal não merece o apoio desta força política de juventude», anunciando de seguida que a JSD/Maia afasta-se «por completo de todo o processo autárquico, quer ao nível da Vereação, quer da Assembleia Municipal». O mesmo responsável garantiu porém que a JSD trabalhará na campanha política de algumas juntas de freguesia, onde aquela estrutura possui também militantes. Como foi transmitido na conferência de imprensa, o sentido de apelo ao voto da JSD/Maia decidir-se-á num plenário a realizar em breve. A teoria do eucalipto Hélder Santos, para além de presidente da JSD Distrital, apresentouse na Maia como coordenador nacional para as autárquicas daquela estrutura trazendo, desta forma, uma mensagem de solidariedade para com a posição assumida pela JSD/Maia, veiculada por Pedro Duarte, presidente da JSD nacional. Hélder Santos, tal como João Telmo, não reconhece o nome indicado para ocupar o sétimo lugar, como militante da JSD/Maia:

«Estes nomes que a JSD/Maia retira são os únicos que têm legitimidade para serem candidatos pela JSD, o que significa que qualquer outro nome que apareça em substituição destes nas listas à Câmara da Maia, podem ser tudo menos candidatos pela Juventude Social Democrata já que não cumprem os preceitos estatutários previstos». Em relação a todo este processo, o jovem laranja referiu ter ficado «negativamente surpreendido com as atitudes assumidas pelo professor Vieira de Carvalho nos últimos tempos» considerando-as de «estranhas, já que não é normal que se incentive esta estrutura, com trabalho e provas dadas no terreno, que apresente publicamente os seus candidatos previamente combinado com aquele que seria à partida o candidato à CM da Maia e que à posteriori haja um conjunto de atitudes que afastam aquelas que eram as regras estabelecidas pela JSD da Maia e acordadas com o presidente da autarquia, Vieira de Carvalho». Hélder Santos afirmou ainda que «eu próprio me sinto lesado como este processo decorreu porque também a mim me foram dadas garantias e certezas que cairiam, mais tarde, no esquecimento. A

JSD é uma estrutura madura, não é um grupo de canalha que se lembra em subir a postes em altura de campanha eleitoral e que se lembra de andar de altifalante nos carros a distribuir propaganda eleitoral. A JSD tem um projecto político claramente definido, com um conjunto de quadros que são verdadeiras mais valias no distrito do Porto e no país para o PSD, sendo ainda uma autêntica escola de formação de futuros quadros políticos do PSD». Reportando-se ao caso concreto da Maia, Hélder Santos enunciou que o que se passa no panorama social-democrata maiato denomina-se de “teoria do eucalipto”: «Infelizmente na Maia parece que o quer vingar é a teoria do eucalipto que consiste em secar tudo o que existe à volta e tudo o que são pessoas com ideias e que representem uma mais valia, procurar rapidamente secá-las e afastálas do tronco do eucalipto. Preocupa-me o futuro porque amanhã quando o eucalipto secar e cair de velho, não sei quem é que vai ficar na segunda linha a segurar aquele que é o PSD da Maia e uma das esperanças desta terra e deste partido na Maia é obrigatoriamente os quadros formados pela JSD/Maia», finalizou.


07

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

José Torres, António Soares e Armindo Oliveira garantem:

“Silva Escura connosco vai mudar” Com fortes críticas ao actual executivo da Junta de Freguesia de Silva Escura, os membros da lista do PSD/CDS-PP candidata àquela freguesia referiram ao “Maia Hoje” que há muito a fazer na freguesia e que a vitória nas próximas eleições autárquicas é «garantida e com maioria absoluta». Miguel Ângelo Machado

José Torres, António Soares e Armindo Oliveira encabeçam o projecto do PSD/CDS-PP para as autárquicas de Dezembro. Os três são militantes do PSD, mas na lista de candidatura existem igualmente nomes ligados ao CDS-PP, o que levou António Soares a afirmar que o «CDS está bem representado nesta lista». José Torres, agricultor, empresário de construção civil, morador há 28 anos em Silva Escura é o cabeça de lista. Segundo ele, estão reunidas todas as condições para que a sua lista saia vencedora deste processo eleitoral: «Tenho toda a confiança que vamos ganhar a freguesia de Silva Escura e vamos conseguir fazer com que a freguesia saia da cauda do desenvolvimento do concelho. O povo de Silva Escura merece ter um nível de vida igual ao que existe em outras freguesias». Para tal, o candidato “laranja” conta com o apoio do Executivo camarário no que diz respeito às diversas intervenções que pretende efectuar no seio da freguesia: «Temos garantias tanto do presidente que conheço há muitos anos, como da vereação, que se irá recandidatar, que irão apoiar o nosso projecto. Silva Escura connosco vai mudar para melhor e vamos nestes quatro anos conseguir fazer alguma coisa de significativo. Queremos fazer com que Silva Escura seja uma terra onde as pessoas gostem de viver e não sintam a necessidade de imigrar para outras freguesias à procura de melhores condições». Parar com a fuga da população para outras freguesias «Fala-se que Silva Escura perdeu população nos últimos anos. A taxa de natalidade desceu muito na freguesia, o que é preocupante. A razão para tal estará na falta de habitação própria para dar apoio jovens casais. Estes, não tendo habitação na terra, claro que terão de ir para outras paragens», apontou António Soares, 41 anos de idade, jornalista e funcionário da Segurança Social, número dois da lista social-democrata. O incentivo à construção de habitação com qualidade, tanto da parte da CM da Maia como da parte de investidores privados, constitui um dos grandes anseios da equipa denominada de “Silva Escura - Connosco vai Mudar”. Esse género de construção «é um investimento bem-vindo e já vem aparecendo em Frejufe. É preciso incentivar os proprietários da freguesia para que colaborem com o desenvolvimento da freguesia. Assim, a Câmara poderá ter um papel importante na perspectivas de novos loteamentos», explicou António Soares. Com a construção de blocos habitacionais, o pequeno comércio, uma das lacunas da freguesia, surgirá «naturalmente. Caso exista mais habitação de qualidade, os investidores

Crescimento sustentado António Soares defende que com a «capacidade, a seriedade, a razão e força de querer dar um novo impulso à freguesia e lutar para o benefício da terra, será possível mudar a face de Silva Escura». Para isso, segundo o mesmo interlocutor, será necessário «falar junto da CM da Maia, a entidade máxima e aquela que nos poderá ajudar a instalar infra-estruturas de que a freguesia carece. Uma vez que já fez obras em outras áreas do concelho, julgo ser a vez de mudar a face de Silva Escura. Estou convicto que o professor Vieira de Carvalho vai responder aos nossos anseios». Apesar dos projectos que a lista do PSD/CDS-PP apresenta, os mesmos responsáveis defendem um crescimento para a freguesia que não coloque de lado a face rural daquela zona do concelho. «A freguesia nos próximos dez anos vai ter um crescimento muito grande, mas julgo que se deve manter o carácter rural, já que em área florestada é das maiores do concelho. É preciso um crescimento sustentado».

António Soares, José Torres e Armindo Oliveira

aparecerão abrindo mais espaços comerciais, desde padarias, peixarias e talhos que não existem na freguesia». Armindo Oliveira, 56 anos de idade, reformado da EDP, já lançou a ideia da construção de uma farmácia em Silva Escura: «Gostava de montar uma farmácia em Silva Escura e não vai muito tempo em que falei com o presidente da autarquia que me garantiu que no próximo ano já estará em concurso a abertura de uma farmácia que se situará entre Frejufe e Gondim». Os projectos da lista António Sores apontou os cinco pontos principais em que a sua equipa irá, caso seja eleita, trabalhar nos próximos quatro anos. Com a rede de saneamento básico praticamente concluída, a aposta desta lista passa por melhorar as vias de comunicação, implementar a formação profissional de jovens e educação de jovens e adultos, incentivar a construção de habitação para os jovens e humanizar a freguesia, ou seja, «saber o que as pessoas precisam. Temos de ter uma interacção com a população». Para a concretização de grande parte destes projectos é necessário proceder a uma alteração do Plano Director Municipal (PDM). «É preciso mexer no PDM e temos, de facto, uma promessa feita da parte de

Vieira de Carvalho para o desenvolver. Temos que puxar para lá investidores para que a freguesia se desenvolva», acrescentou José Torres. Como referiu António Soares, dinamizar áreas como o desporto e cultura surge igualmente como uma das cinco prioridades ««Esta é uma das grandes batalhas que vamos enfrentar. Os jovens cada vez mais vêm ter connosco dizerem-nos que estão desalentados pela forma como a freguesia os têm tratado. É preciso um local desportivo adequado e há a promessa que existirá um palco desportivo de grande nível surgirá em Silva Escura no próximo ano». O mesmo acontece com as questões relacionadas com a saúde. Com a transferência do Posto Médico para a freguesia de Nogueira, a população de Silva Escura e mesmo de S. Mamede do Coronado deixaram de ter os cuidados necessários: «O Posto Médico foi infelizmente transferido para Nogueira o que motivou a que as pessoas deixassem de ter uma assistência adequada. Vão de manhã cedo para o Posto Médico e muitas vezes vêm embora sem consulta. Não vamos pensar numa coisa grande mas gostávamos de ter uma pequena extensão de Saúde para colmatar algumas carências», afirmou António Soares.

“Armando Dias esteve em coma político” Os três candidatos em causa não pouparam críticas ao trabalho do socialista Armando Dias, actual presidente da Junta de Freguesia de Silva Escura que também se irá recandidatar em Dezembro próximo. «Armando Dias não vai ser reeleito. As pessoas já viram que ele estar lá ou não estar é a mesma coisa. Nestes quatro anos, não tivemos presidente de junta. Foi uma pessoa que praticamente esteve em coma político, não governou, não fez nada e esteve sempre em conflito constante com os seus colaboradores. Eles próprios dizem que não há clima para trabalhar na Junta de Freguesia de Silva Escura. Que junta pode funcionar, quando as pessoas não se entendem? E porque ele não fez nada visível, as pessoas de Silva Escura não são burras, são inteligentes. Sendo assim, sabem ver que na lista do PSD há pessoas mais inteligentes, mais capazes e mais sérias para gerir os destinos da freguesia. O senhor Armando Dias está esgotado, está fora do prazo de validade, não tem ideias e projectos e não se preocupa com as pessoas» argumenta António Soares. A confiança num resultado positivo é de tal forma que António Soares chega a afirmar que uma derrota era não obter a maioria absoluta: «A vitória está garantida e com maioria absoluta. Perder alguma coisa era não conseguir a maioria absoluta, mas nem penso na questão da derrota, porque estou convicto que a vitória está assegurada. Nós os três somos uns vencedores e esta é uma boa equipa», considerou o número dois da lista.


08

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Raúl Silva, candidato socialista a S. Pedro de Fins:

“Defendemos um trabalho construtivo” A resolução da questão viária, a necessidade de uma secção de bombeiros e melhorar a segurança da freguesia de S. Pedro de Fins. São estes algumas das áreas que Raúl Silva, o candidato socialista àquela freguesia, pretende intervir caso seja eleito nas próximas eleições autárquicas. Miguel Ângelo Machado

Arquitecto há três anos, Raúl Silva tem 30 anos e vive há 29 em S. Pedro de Fins. Ainda que algo principiante nestes questões de política, o jovem arquitecto não hesitou quando lhe foi dirigido o convite da parte de Sandra Lameiras, líder da JS/Maia, para encabeçar a lista socialista a S. Pedro de Fins: «Quando o convite me foi feito, aceitei porque penso que os jovens neste país estão um pouco retirados da política. S. Pedro de Fins precisa de uma maneira de estar e de actuar diferente e daí que encabeço uma lista de gente jovem, responsável, que gosta daquela terra e que sente os problemas daquela terra». Não sendo filiado em nenhum partido político, Raúl Silva sente-se «por uma questão de formação, uma pessoa de esquerda» e adianta estar de acordo «com o programa de Jorge Catarino proposto ao Município. Identifico-me com ele, e desta forma, dei a cara por S. Pedro de Fins». Resolução da estrutura viária é fundamental Insistindo num «trabalho construtivo», Raúl Silva entende que a questão da estrutura viária tem que «ser repensada de uma vez por todas». O candidato rosa refere mesmo que esta questão constitui a «base fundamental de praticamente todos os projectos que se queiram lançar na freguesia». Com fortes unidades industriais como a Cimpor e a Siderurgia Nacional implantadas na ou nos arredores da freguesia, a população de S. Pedro de Fins depara-se com vários problemas, como o intenso tráfego de veículos pesados. A via estruturante, já projectada e contemplada no Plano Director Municipal (PDM) de 1984, «vai de certa forma aliviar aquela população que vive diariamente com as dezenas de camiões carregados que vão para a Siderurgia e para a Cimpor. Não podemos estar sempre a culpar os camiões, se realmente não fizermos algo para que eles tenham melhores condições para aceder aos seus postos de trabalho». Sem querer igualmente culpar as empresas ali existentes, até porque estas são «importantes porque trazem emprego e precisamos uns dos outros», Raúl Silva considera que apesar da existência do IC24 e da A3 ali perto, é difícil andar de automóvel dentro da freguesia: «A partir do momento que saímos desses nós e queremos entrar em qualquer uma das freguesias, temos inúmeras dificuldades. É também necessário dar condições para que se chegue e saia rapidamente daquela zona. Caso se resolva a questão da estrutura viária, viver naquela freguesia como em outras circundantes, tornar-se-á mais saudável a todos os níveis. Não precisamos mais de operações de cosmética, mas sim que resolvam este problema o mais rápido possível». Esta melhoria da qualidade de vida

medida necessária». Para isso, o candidato socialista anunciou a cedência da parte de um proprietário local de um terreno em S. Miguel o Anjo para a edificação do referido prédio afirmando ainda que «este projecto já foi lançado pelos próprios bombeiros, mas ainda não tiveram qualquer resposta por parte das autoridades».

Raúl Silva diz que a via estruturante de S. Pedro de Fins é fundamental

que Raúl Silva defende para S. Pedro de Fins passa igualmente pela questão ambiental. Se a referida via estruturante diminuiria, na sua opinião, a poluição sonora e atmosférica resultante dos veículos pesados, existe ainda a «questão da poluição dos solos e das águas, para as quais temos que chamar a atenção. Se a Siderurgia, a Cimpor não poluem o ar, poluem de outra forma. Temos que fazer estudos, porque os lavradores se queixam que várias plantações são prejudicadas durante o ano». Raúl Silva referiu ainda o Ribeiro de Leandro que «está completamente esquecido e que mais parece um esgoto e que urge ser recuperado». Uma secção dos bombeiros e mais segurança nas ruas Mesmo referindo que «a partir do momento que consigamos resolver o problema da estrutura viária, tudo o que vier é bom», Raúl Silva enunciou ainda outros áreas de intervenção. O candidato entende que é necessária

mais segurança nas ruas da freguesia: «Sendo uma freguesia um pouco deslocada do centro, é necessário um maior e um melhor patrulhamento da parte da GNR. Há assaltos e insegurança na rua. Eu próprio já a senti na pele esta situação». Na área da Educação, Raúl Silva referiu que a Escola de Arcos, espaço que alberga cerca de 130 alunos, merece uma maior atenção da parte dos responsáveis: «Foi lá construído um pavilhão desportivo que é bem-vindo mas tem que se fazer mais pela escola em si. Estudei lá há mais de 20 anos e o edifício está praticamente na mesma, sofrendo apenas algumas intervenções pontuais. São necessárias mais condições, desde salas e melhoramento do funcionamento das cantinas». Dada a existência de grandes indústrias como a «Siderurgia, uma área florestal bastante grande e a proximidade do aeródromo, a construção de uma secção dos Bombeiros Voluntários de Moreira na freguesia é também uma

Pavilhão sim, mas também para os jovens da terra Na casa onde nasceu o Bispo de Leiria, D. Correia da Silva, património classificado de interesse municipal, Raúl Silva idealiza recuperar o edifício que se encontra bastante degradado e aí «colocar a sede para o clube, implementar um centro cultural e religioso, apoiar a 3ª Idade, disponibilizar salas de apoio ao coro e escuteiros e reactivar o teatro e a modalidade de ténis de mesa, actividades estas que já existiram na freguesia. Sei que está previsto para a freguesia um Centro Cívico, mas seria muito interessante recuperar esse espaço». Em relação à questão do Desporto, Raúl Silva afirmou que é preciso dar oportunidades para a prática desportiva aos jovens da terra: «S. Pedro de Fins dispõe do Pavilhão das Cardosas, feito pela Câmara, espectacular e com boas condições. Está prevista uma série de colectividades de outras freguesias fazerem aí os seus treinos, estamos receptivos a isto e não há problema nenhum mas é preciso não esquecer os jovens desta freguesia que praticam futebol, futsal e outro tipo de desportos. É necessário que o pavilhão disponibilize horas necessárias para a prática desportiva dessa gente. O pavilhão tem que ser usado, rentabilizado mas nunca esquecendo as gentes da terra». “Vitória é possível” Para levar a efeito estes projectos, Raúl Silva terá que vencer nas próximas autárquicas aquele que deverá ser o seu principal opositor, o candidato e actual presidente social-democrata Marques Gonçalves. O candidato socialista faz questão de salientar que «eu próprio disponibilizei, em tempos, a minha colaboração ao actual executivo da junta, mas nunca obtive uma resposta. O trabalho de defesa da tese da minha licenciatura foi feito sobre S. Pedro de Fins no qual apontei várias questões sobre a freguesia entre urbanismo, ambiente e estruturas viárias mas nunca me disseram nada». Considerando como derrota «obter menos votos para o PS do que nas autárquicas passadas», Raúl Silva caracteriza este seu projecto de candidatura como «um trabalho construtivo» e que «nunca acabará no fim, será sempre um início de uma luta. É preciso trabalhar para o futuro. Mesmo sabendo que é difícil, acho que é possível ganhar».


GRANDE MAIA

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

09

Sta. Maria de Avioso: Apresentados símbolos da freguesia e Centro Cívico

Uma obra exemplar No passado Domingo, dia 14 de Outubro, a freguesia de Santa Maria de Avioso, uma das cinco da Vila do Castêlo da Maia, apresentou publicamente os seus símbolos heráldicos e inaugurou o Centro Cívico. Este complexo conta com equipamentos que vão desde o edifício sede da Junta de Freguesia, ao ginásio, passando pelo infantário, jardim de infância, centro de dia da terceira idade e biblioteca. Sofia Vales Pinto

A freguesia de Santa Maria de Avioso é uma das cinco freguesias da Vila do Castêlo da Maia. Actualmente, tem aproximadamente 5.000 habitantes e no passado dia 14, inaugurou mais um importante capítulo da sua história. Pelas 11 horas da manhã, procedeu-se à apresentação dos símbolos heráldicos e bandeira da freguesia, tendo estes sido hasteados lado-a-lado, com a bandeira do Concelho, de Portugal e da Europa. O Centro Cívico de Sta. Maria do Avioso é um arrojado projecto do arquitecto João campos, que envolveu um orçamento na ordem dos 1 496 396 euros, algo como 300 mil contos. Este espaço, que demorou cerca de quatro anos a ficar concluído, localizado mesmo ao lado da Igreja de Santa Maria do Avioso, contempla uma creche e um jardim de infância destinados a 120 crianças (que será dirigido pela Santa Casa da Misericórdia da Maia), um ginásio, um espaço de Actividades de Tempos Livres e um Centro de dia, com

capacidade para 40 idosos. O Centro Cívico dispõe ainda de uma biblioteca e integra o edifício da sede da junta. O Centro Cívico caracterizase também pelas suas amplas dimensões: 1300 m2 de área coberta e 1700 m2 de área descoberta, num total de 3000 m2. O espaço exterior, ou seja, a ligação entre o Centro Cívico e a Igreja, que deverá estar pronto dentro de dois anos, irá proporcionar a realização de variados espectáculos. Hamilton Martins Prata, presidente da Junta de Freguesia, apesar de bastante satisfeito com a inauguração do Centro Cívico, não esqueceu a existência de uma praça já projectada, que dará o toque final a este espaço que «já há muito tempo fazia falta». O presidente da Câmara Municipal, Vieira de Carvalho marcou presença na inauguração do Centro Cívico tendo tecido largos elogios ao arquitecto João Campos, comentando inclusive que o Centro Cívico «conseguiu aliar a funcionalidade à beleza».

Descerramento da placa que perpectua o dia

Justificação dos símbolos heráldicos Escudo de Vermelho Representa a força, a pujança e a energia vital da vida, simbolizando assim este povo defensor dos injustiçados, dos desprotegidos, dos pobres e dos oprimidos. Bandeira Branca Representa a paz e a humildade da população de Avioso (Santa Maria). Alvião, Picareta e Camartelo Em chefe, um alvião de prata, posto em pala e, sobrepostos, uma picareta e um camartelo, com ferros de prata e encabados de ouro, passados em aspa. Representam a arte de

“santeiros”, praticadana freguesia, desde tempos imemoriais. Aveia Nos flancos, duas espigas de aveia de ouro. Representam o topónimo “Avioso”, que deriva deste cereal, assim como também é símbolo representativo da agricultura, como actividade económica privilegiada da freguesia, desde tempos imemoriais. Monte Movente da ponta, monte de prata, realçado de negro. Representam os chamados “Castros da Maia” e o Monte de Santo Ovídio, no qual se construíram os citados “habitats”.

Benção dos símbolos heráldicos


10

GRANDE MAIA

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Uma das autarquias pioneiras

Maia já tem Provedor do Munícipe Prevista já há algum tempo na legislação Portuguesa, a Câmara Municipal da Maia criou o cargo de “Provedor do Munícipe”. A partir de agora, protestar com os serviços municipais será mais fácil e terá como “mediador” José de Sousa e Silva, nomeado no passado dia 23 de Outubro. Miguel Ângelo Machado e Artur Bacelar

A figura do provedor do munícipe, está já consagrada na lei Portuguesa e servirá como garante da defesa dos direitos e dos interesses dos cidadãos na sua relação com o município. O homem escolhido por Vieira de Carvalho para este cargo, foi o jurista José Dias de Sousa e Silva, personalidade ligada aos serviços jurídicos da Câmara Municipal da Maia há quase meio século, primeiro como consultor e mais recentemente como Coordenador do Gabinete Jurídico. Vieira de Carvalho na sua alocução, disse que Sousa e Silva «é de uma grande competência e expressiva dedicação, graças à sua pundonorosa, denodada, avisada e proficiente acção, todos os pleitos, que atingiram o município, e foram por si patrocinados, se saldaram sempre na melhor defesa dos interesses da Câmara». Segundo o Presidente da Câmara Municipal da Maia, esta figura já estaria criada desde 1997 no programa da sua lista concorrente ao município, tendo tal ideia lhe sido sugerida por Nogueira da Costa. Ao concretizar tal propósito, Vieira de Carvalho afirma que a Maia é a primeira a avançar com a iniciativa, que segundo disse «apenas um ou dois municípios, a nível de todo o país, têm, como nós próprios falado sobre o assunto». Defendeu a escolha de Sousa e Silva com a necessidade de dever «ser preferencialmente exercida, quanto possível, por um jurista experiente e conhecedor da realidade humana e física do nosso Concelho», afirmando seguidamente que «nenhumas dúvidas me restam de que o melhor perfil que poderemos encontrar ao nível de todo o nosso Concelho será indubitavelmente aquele que nos é oferecido pelo Exmo. Snr. Dr. José Dias de Sousa e Silva». Quanto à decisão de instituir o Provedor do Munícipe, o edil maiato afirmou que «aparentemente, configura o reconhecimento

de que nem tudo funciona perfeitamente bem numa Câmara Municipal. No nosso caso, assumimos que assim é. Nenhuma instituição é perfeita e a Câmara Municipal da Maia, por maior que seja a sua capacidade e a competência dos seus quadros, não escapa, naturalmente, a essa regra». Sobre os objectivos, o autarca considerou que «queremos ter, na Maia, uma Administração autárquica ainda melhor, ainda mais eficaz e ainda mais operacional. Temos vindo a percorrer um caminho que conduziu a Maia à liderança do nível de qualidade de vida na AMP e no País. O Provedor do Munícipe da Maia é mais um contributo e mais um acréscimo de excelência na qualidade do serviço que prestamos. Não tenho dúvidas de que é este o caminho a prosseguir», disse a terminar Vieira de Carvalho. “O Provedor tem de tentar resolver os problemas amigavelmente” Sousa e Silva, visivelmente comovido pelas palavras de Vieira de Carvalho e Luciano Gomes, presidente da Assembleia Municipal, considerou que a posição de um Provedor do Munícipe «é muito agradável e simpática. Não é um cargo de questões, mas sim um cargo destinado a tentar evitá-las. Trata-se de um cargo de conciliação. O Provedor tem que tentar resolver tudo amigavelmente e quando não o conseguir dessa forma os problemas dos munícipes, indica-lhes o caminho do tribunal». Sousa e Silva referiu que tem a seu favor «mais de meio século de exercício como de advogado e nesta profissão a conciliação é um ponto, para mim, fulcral. Nunca pus uma acção antes de chamar a parte contrária e com esta prática sinto-me preparado para um cargo destes». Sensibilizar a população que a partir de agora tem alguém que lhe defenda os direitos nas suas relações com a autarquia é o passo a tomar, até porque Sousa e Silva não acredita «que a população de um modo geral esteja

preparada, de momento, para isto. Mas a população também tem os seus advogados e estes prepará-los-ão para isto. Caso assim não aconteça, os munícipes dirigir-se-ão à Provedoria e aí serão informados como devem proceder. Temos que preparar a população até porque esta é a primeira Provedoria que é criada no País». O Provedor fez ainda questão de relembrar a «total independência deste cargo com a Câmara e que em muitos casos o munícipe deve sempre tentar resolver o problema junto da entidade respectiva e se esta não der resposta, então dirigi-se à Provedoria». Sousa e Silva contará com o auxílio de um advogado e de um funcionário para resolver todo o género de queixas, reclamações e informações dos munícipes e espera a curtoprazo que a Provedoria comece a trabalhar.

José Dias de Sousa e Silva

CDU discorda como o Provedor foi nomeado Manuel Basto Cunha, deputado da Assembleia Municipal pela CDU, presente na cerimónia, afirmou aos jornalistas que «a figura do Provedor do Munícipe constitui uma proposta programática da CDU para o último mandato», referindo que a tal como a proposta da Coligação Democrática Unitária «a designação desta figura, de forma até a garantir o maior consenso possível e uma garantia de isenção, que vai naturalmente necessitar, deveria ser sujeita a uma aprovação de uma maioria qualificada de dois terços por parte da Assembleia Municipal. Infelizmente, como se pode constatar esta não foi a solução encontrada, mas sim uma solução do “escolho, nomeio e emposso” tão ao jeito do “quero, posso e mando”, característico do presidente do município». Fazendo questão de relembrar o período eleitoral que se atravessa, Basto Cunha afirmou que a presença da CDU na cerimónia «deve ser entendida como um benefício de dúvida relativamente à figura que acaba de ser empossada, à qual queríamos transmitir um voto de confiança e que exerça por longa data possível a sua função num ambiente quer de isenção, de justiça e imparcialidade. São estes os votos que queremos aqui deixar».

Santa Casa da Misericórdia da Maia

Lar Vieira de Carvalho recebe delegação da Eslovénia Na passada segunda-feira, o Lar Prof. Doutor José Vieira de Carvalho, situado no Lugar da Pinta, recebeu uma visita algo invulgar. Cerca de meia centena de responsáveis da área da assistência social provenientes da República da Eslovénia, deslocaram-se à Maia, para ver “in loco” como se trabalha em Portugal neste sector, mais concretamente naqueles espaços que são da responsabilidade de entidades privadas. Miguel Ângelo Machado

A República da Eslovénia faz parte de um lote de países que preparam a sua entrada na União Europeia. Naquele país, os serviços de assistência social, são ainda da responsabilidade exclusiva do Governo, situação que os responsáveis políticos daquele país querem inverter, abrindo esta área ao investimento privado. Nesse sentido, organizou-se a visita de quase 50 funcionários do Estado esloveno ao Lar Vieira de Carvalho que tem na Santa Casa da Misericórdia da Maia, o organismo que gere e administra aquele espaço. Com vários protocolos de cooperação instituídos quer com o Serviço Nacional de Segurança Social, quer com a Comunidade Europeia, a Misericórdia da Maia tem em funcionamento um Lar para idosos, com capacidade para 50 utentes, cinco Centros de Dia destinados e dois

Centros de Apoio Domiciliário igualmente para idosos. Dispõe ainda de dez CrecheInfantários, um Serviço de Transporte para Diminuídos, um Programa de Luta contra o Abandono Prematuro da Escola, um Programa Integrado de Desenvolvimento Comunitário e em fase final de construção, um Centro Comunitário. Os presentes tiverem a oportunidade de se inteirarem da realidade da Santa Casa através da exibição de diagramas, auxiliados na tradução pela cônsul da Eslovénia na Madeira, Urska Siclherl. Posteriormente, a comitiva, chefiada por um deputado municipal da cidade de Petrje, realizou uma visita atenta pelas instalações do Lar, questionando constantemente os responsáveis. No final, houve ainda lugar para a tradicional troca de presentes.

Foi Aloísio Maia Nogueira, secretário da Mesa Regedora da Santa Casa da Misericórdia da Maia, quem recebeu e acompanhou os visitantes. Em conversa com os jornalistas, Aloísio Nogueira explicou que a «Eslovénia é um país com uma economia centralizada, na qual todas as necessidades do cidadão são supridas pelo Estado. Com a adesão à União Europeia terão que mudar esse sistema para aceder a fundos comunitários, já que a EU não fornece a fundos a Estados». O responsável justificou ainda a escolha do Lar Vieira de Carvalho por parte dos eslovenos: «Eles não têm experiência nenhuma neste campo da assistência social privada e como somos, no Norte do país, a Misericórdia que tem um lar mais moderno e com melhores condições,

sendo o melhor exemplo do sistema português, solicitaram-nos a autorização para uma visita para poderem aprender e virem a aplicar no seu país». Urska Siclherl disse ano final da visita que toda a comitiva se «encontrava contente com a visita. É um lar muito bonito e espaçoso, onde os utentes parecem estar satisfeitos». A cônsul referiu ainda que o mercado esloveno constitui uma possibilidade de investimento por parte de empresários portugueses, «tanto nesta como em outras áreas. São países que são muito parecidos na gastronomia e nas pessoas que também são gentis e simpáticas». Após a visita no Lar Vieira de Carvalho, a comitiva seguiu para a Câmara Municipal da Maia, onde foi recebida pelo presidente da autarquia.


GRANDE MAIA

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

11

Ainda que com elevadas dívidas financeiras,

Associação Comercial e Industrial da Maia aprovou as contas do ano 2000 Apesar das contas desfavoráveis provenientes da anterior direcção, a Associação Comercial e Industrial da Maia decidiu no passado dia 18 aprová-las em assembleia ordinária. Agora, segundo os responsáveis, a prioridade passa por mudar a imagem da Associação que começou já por mudar o nome daquele organismo. Desta forma, a associação que defende os interesses dos empresários maiatos, denominar-se-á daqui para a frente de Associação Empresarial da Maia. Miguel Ângelo Machado

Uma dívida ao Fundo Social Europeu/Ministério das Finanças que ronda os 25 mil contos e duas hipotecas sobre a sede da Associação Comercial e Industrial da Maia (ACIM) é a “herança” que a nova direcção da ACIM (tomou posse em Março passado) recebeu da anterior direcção, na altura liderada por António Rebelo. As hipotecas dizem respeito à referida dívida e ao empréstimo bancário que havia sido efectuado para a compra do referido imóvel, tratando-se desta maneira de duas dívidas sobre o mesmo prédio. Apesar de existirem nos cofres da Associação valores que rondarão os nove mil contos, «devemos cerca de 40 mil, relativos à dívida das Finanças e dos empréstimos bancários da compra desta sede», afirmou José Torres, presidente da ACIM. Os cerca de 25 mil contos irão a ser pagos ao Estado a 60 meses, tendo já sido efectuados 16 pagamentos mensais. Esta forma de pagamento foi o resultado das negociações entre a ACIM e os organismos estatais em 1999. Estes pagamentos tiverem início em Junho de 2000, ainda na anterior direcção. Estas dívidas às Finanças têm origens há mais de dez anos, altura em que a Associação “disponibilizava” cursos de formação profissional: «Foram declaradas empresas fictícias, empregados que não existiam, quilómetros e almoços em cidades do Sul, quando a formação profissional era cá», contou o presidente do conselho fiscal, Celestino Silva. Mas as novidades apresentadas aos sócios não ficaram por aqui, como explicou José Torres: «A Formação Profissional nunca constou na contabilidade oficial da Associação. Foram criadas, pelos responsáveis na altura, contas paralelas para gerir esses dinheiros». As verbas destinadas à Formação Profissional chegaram a atingir as centenas de milhares de contos. Ou seja, os 25 mil contos que se encontram a ser pagos ao Estado, constituem uma devolução,

A mesa que presidiu à sessão ordinária

porque não foram apresentadas despesas suficientes para o dinheiro atribuído, como algumas das que foram declaradas, não foram consideradas válidas. Foi ainda comunicado aos sócios que António Rebelo usou 1300 contos dos cofres da Associação para proveito próprio, valor que o antigo presidente se encontra a devolver, pagando 50 contos/mês. Contas aprovadas Todo o processo de contabilidade e estudo do estado da ACIM demorou alguns meses, tal era a confusão que ali reinava: «Este processo prolongou-se por algum tempo porque havia de facto algumas situações menos esclarecidas e faltavam alguns documentos. Mesmo assim, tivemos que ultrapassar algumas dessas situações porque aproximava-se a data da Assembleia e houve a necessidade do Conselho Fiscal dar a sua aprovação. Fê-lo conscientemente porque não tínhamos outra alternativa, senão nunca acabaríamos

por chegar a vias de facto. No entanto, confiámos que esta direcção se propõe a fazer um trabalho honesto, daí que o Conselho Fiscal tenha aprovado sem qualquer abstenção ou reticências, as contas», apontou Celestino Silva. O principal responsável pelas contas da ACIM refere mesmo que é «preciso por uma pedra em cima senão nunca sairíamos deste impasse». No entanto, está completamente afastada a hipótese de se avançar com um processo judicial sobre os presumíveis responsáveis pelas situações referidas: «Dado que o prazo para esse processo entrar em tribunal foi ultrapassado de longe. É-nos completamente impossível agora imputar qualquer responsabilidade». As contas foram aprovadas pelos sócios por unanimidade. Associação Empresarial da Maia e António Rebelo destituído como sócio Na mesma assembleia foi ainda

aprovada a mudança de designação da Associação Comercial e Industrial da Maia para Associação Empresarial da Maia (AEM). Esta resolução, aprovada por unanimidade, foi tomada para que aquele organismo possa abranger todos os empresários, incluindo os que exercem profissões liberais. Esta medida tem ainda cabimento, segundo José Torres, «no projecto que temos, que passa por mudar a imagem da Associação. A Maia merece uma Associação grande, com uma imagem renovada». Está também previsto uma campanha de angariação de sócios, que para além de aumentar a representatividade da AEM, irá permitir um melhoramento das contas: «Apesar de existir um saldo que transita para esta direcção bastante desfavorável, contamos com a entrada de muitos mais sócios e é nesse sentido que vamos trabalhar, mudando a imagem e o nome. Certamente que vamos conseguir a entrada de umas boas centenas de sócios, para não dizer milhares, e essas mesmas quotas ajudarão a equilibrar a balança», garantiu Celestino Silva. Na ordem de trabalhos constava ainda a proposta de destituição como sócio de António Rebelo, presidente da ACIM durante 18n anos. A medida, aprovada com uma abstenção e sem votos contra, foi lançada pelos «graves prejuízos que esse senhor causou à Associação», transmitiu José Torres aos sócios. Na mesma sessão, os estatutos foram alterados, «adequando-os a uma nova realidade», afirmou José Torres. Esta proposta foi aprovada com 19 votos a favor e uma abstenção. A finalizar, os sócios presentes transmitiram à mesa, presidida por António Ambrósio, a necessidade de pressionar a autarquia para que as obras na Rua Dr. Carlos Felgeuiras, na zona da Venepor e em outros locais de Águas Santas e Castelo da Maia, sejam concluídas o mais rápido possível, visto que os seus negócios encontram-se a ser prejudicados.

"

MOINHO DE PEDRA

BOLETIM DE ASSINATURAS

SIM, desejo ser assinante do JORNAL MAIA HOJE por um período de: 1 ano ou 24 números - 10 Euros (2000$)

Padaria, Confeitaria e Cafetaria, Lda. Rua da Ponte Pedra, 2 • Gueifães 4470 Maia Telefone 22 902 75 96

O seu Jornal Faça já a sua assinatura!

2 anos ou 48 números - 20 Euros (4000$)

APROVEITE A CAMPANHA DA ASSINATURA ANUAL 15% DE DESCONTO NO PREÇO DE CAPA Envio Cheque ou V. Postal Nºº º. no valor de Nome Data de Nascimento Morada Profissão Telefone

$00, do Banco Naturalidade Código Postal Telemóvel

Recorte e envie o cupão para a seguinte morada: JORNAL MAIA HOJE - Rua dos Altos, Ed. Arcada, 10 4470 - 235


12

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Pinho Gonçalves recandidata-se como independente em Vila Nova da Telha

Independentes com apoio laranja Floriano Pinho Gonçalves apresentou no passado Sábado a sua recandidatura à presidência da Junta de Freguesia de Vila Nova da Telha. Consumado que está o seu divórcio com o PS/Maia, Pinho Gonçalves surge na corrida eleitoral para as autárquicas de Dezembro próximo apoiado pela coligação maiata PSD/CDS-PP. Miguel Ângelo Machado

O apoio social-democrata à candidatura de Pinho Gonçalves foi demonstrado “às claras” no jantar de apresentação da lista independente denominada de “Vila Nova da Telha Primeiro”. A comprovar tal facto constituíram as presenças de Vieira de Carvalho, Bragança Fernandes, vicepresidente da CM da Maia e Albino Maia, presidente social-democrata da Junta de Freguesia de Moreira, tendo mesmo o edil maiato afirmado no seu discurso «que nunca poderia faltar a este jantar». Também o dissidente rosa, o vereador Manuel Ferreira, marcou presença. Relembre-se que a razão apontada por Pinho Gonçalves pelo seu afastamento da estrutura socialista residiu na forma como o seu partido candidatando-se como independente, Pinho Gonçalves será afastado do PS, embora isso ainda não tenha acontecido - agiu aquando da discussão do Orçamento Anual da CM da Maia. O PS/Maia deliberou na altura que todos os seus deputados da Assembleia Municipal (onde se incluem os presidentes da junta) deveriam votar contra o documento em causa. Pinho Gonçalves assim não procedeu, já que entendeu que «a minha freguesia seria favorecida e por isso votei a favor», surgindo desta forma o “divórcio”. Sousa e Silva, presidente do “vizinho” FC Pedras Rubras, é o mandatário escolhido por Pinho Gonçalves. «Pinho Gonçalves tem os atributos necessários para continuar a ser um bom presidente da junta. Conheço-o há 30 anos e é um homem sério, empenhado, trabalhador, humilde e paciente», afirmou Sousa e Silva. O mandatário referiu ainda ter aceite o convite «por uma questão de solidariedade pela maneira como foi tratado pelo presidente da concelhia do PS/Maia. Aprecio as pessoas que sabem dizer que não e que são verticais. Penso que o Pinho Gonçalves tomou a posição correcta, já que fazer oposição não é dizer sistematicamente

ver pelas costas. Não digo toda a gente do PS, mas uma boa dúzia de pessoas tudo fizeram para que saísse fora. Não abdico de por os interesses da minha freguesia à frente dos interesses partidários», concluiu.

Pinho Gonçalves contou com o apoio de Vieira de Carvalho e Bragança Fernandes

que sim nem que não, mas sim contribuir para que as coisas melhorem. Vila Nova da Telha tem aqui uma boa oportunidade de um homem e uma equipa certa para a freguesia e o partido socialista sai prejudicado porque perde uma das poucas freguesias que tinha». “Avizinha-se uma campanha agressiva” Pinho Gonçalves revelou-se confiante num resultado eleitoral vitorioso: «O trabalho realizado até a este momento foi positivo e certamente com as pessoas que me apoiam e a lucidez das pessoas que vão votar, mesmo sabendo que não há vitórias antecipadas, estou confiante que esta campanha vai ser vitoriosa». O candidato independente afirmou aos jornalistas que tem indicações «de

que vai ocorrer uma campanha muito agressiva, principalmente a mim, dizendo que nada fiz nas obras que foram por mim solicitadas à Câmara. Eles estão a fazer apanhados das carências da freguesia que nós também conhecemos, para desvirtuar o trabalho positivo que referi. Desde que a campanha seja feita só em termos políticos, eu não me importo. A partir da altura que a campanha seja em termos pessoais, aí será grave e tentarei agir da melhor forma. Tenho uma equipa que me acompanha, pronta a travar essas iniciativas que saiam fora da boa ética». Pinho Gonçalves considerou que o Partido Socialista «teve um desespero de que venho falando, em não saber apoiar uma pessoa ganhadora que eu penso que era. Nem tentou negociar. Fê-lo apenas uma vez e desistiu à primeira querendo-me logo

“Uma forma de vencermos em favor da Maia” Vieira de Carvalho caracterizou a lista em causa como «uma candidatura eminentemente vencedora, encabeçada por um homem interessado no serviço e progresso da sua freguesia. Apoiei desde o início esta candidatura. Terá sempre a minha atenção e dedicação porque sinto a responsabilidade da sua candidatura», fazendo questão de revelar que «a confiança nesta lista é tão grande que devo dizer com muito prazer que o meu filho José Francisco de Carvalho não se importava, sem qualquer interesse, de ocupar nem que fosse o último lugar da lista de suplentes como prova do seu apoio». O autarca divulgou ainda as intervenções que pretende iniciar ou concluir naquela freguesia, o pavilhão gimnodesportivo, o estádio que servirá o FC Pedras Rubras, um parque urbano, o programa de habitação (já concluído, faltando apenas definir a data da entrega das chaves das 48 habitações), entre outras. Questionado se o apoio da coligação PSD/CDS-PP à lista encabeçada por Pinho Gonçalves será uma forma de tentar vencer uma freguesia para a qual a mesma coligação não apresentou qualquer lista, Viera de Carvalho respondeu que «esta é uma forma de vencermos em favor da Maia, pelo menos é isso que tenho na minha consciência. Estão menos em causa os interesses partidários, do que o interesse na terra. É isto que conta, os partidos são meios para apresentar candidaturas. Não se trata de “virar” uma freguesia, mas sim apoiar uma pessoa que mereceu sempre o meu apoio e o continuará a merecer».

Vieira de Carvalho fala da escolha de Jorge Rebelo Após o jantar de apresentação de Pinho Gonçalves, Vieira Carvalho respondeu a várias questões formuladas pelos jornalistas ali presentes, nomeadamente sobre a recente polémica que “estourou” na Maia, envolvendo o autarca e a JSD da Maia. Desta forma, o sétimo nome escolhido para integrar a lista à Câmara Municipal da Maia será ocupado por Jorge Rebelo, membro honorário da

JSD/Maia. «Recebi dezenas de mensagens de jovens sociaisdemocratas relativamente à escolha deste candidato», apontou Vieira de Carvalho. O mesmo autarca justificou da seguinte forma a escolha de Jorge Rebelo em detrimento de João Telmo, como inicialmente estava previsto: «Houve circunstâncias e atitudes ocorridas depois da apresentação da lista de candidatura que não permitiam de modo nenhum que João Telmo

pudesse integrar a lista, com muita mágoa da minha parte. Tem que haver um comportamento correcto e exemplar e não se pode transversar e caminhar em “zig-zags”, mas é um problema que está ultrapassado e faz parte do passado». Vieira de Carvalho fez questão de salientar que a escolha de Jorge Rebelo é «também uma escolha minha. Foi um elemento apontado por dezenas de jovens sociais-democratas como o mais capaz

de ocupar essa posição, pela sua preparação intelectual e pelo seu comportamento e postura cívica. O convite foi-lhe feito pelos próprios jovens sociais-democratas» e sublinhou: «Considero o sétimo lugar elegível. Não tenho outra ideia que não seja essa. Nunca falei a ninguém em ser quarto, quinto ou sexto. Disse apenas que o elemento da JSD que iria integrar a minha lista, altura em que ainda não estava definida, seria o sétimo lugar».


13

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

PSD Vermoim “explica” razões de candidatura independente. Após serem contactados pelo MAIA HOJE para esclarecimento da sua posição quanto às próximas eleições autárquicas, o presidente do núcleo do PSD de Vermoim, remeteu-nos para o seguinte comunicado onde fala do nascimento do núcleo, dos seus propósitos, das negociações com Vieira de Carvalho, enfim do processo autárquico naquela freguesia do seu ponto de vista. Comunicado do “Viver em Vermoim” - Grupo de cidadãos candidatos à Assembleia de Freguesia de Vermoim «O “VEV - Viver em Vermoim”, vem por este meio esclarecer a população sobre as razões da sua candidatura. Em primeiro lugar, quero, em meu nome e em nome dos elementos que integram a lista de candidatura sob a sigla em epígrafe, agradecer a todas as pessoas que em nós depositaram total confiança ao subscreverem esta candidatura, assim como a todos os que não puderam, em tempo útil, subscrevêla, mas nos transmitem total apoio e solidariedade». Candidatura do PSD Vermoim Gostaríamos de dizer claramente que esta candidatura nasce no seio da actual comissão política do Partido Social Democrata de Vermoim. Historiando um pouco, o núcleo do PSD de Vermoim, nasceu em Maio de 1999, após o desafio da primeira comissão política do Dr. Bernardino da Costa Pereira. Nessa altura, reunimos uma comissão instaladora, de onde, após convite endereçado por mim a cada membro, sairia a primeira comissão política do núcleo, democraticamente sufragada. Com um balanço francamente positivo, mantemos uma sede aberta, pagamos as suas despesas, criamos condições para o debate político e organizamos inúmeros eventos, sendo hoje, um dos maiores núcleos do concelho e o mais activo. É isto que o PSD Maia nos deve. Lamentamos, neste ponto, o facto de desde a sua inauguração, nunca termos recebido nesta sede a visita de algum membro da actual Junta de Freguesia». O processo autárquico «No âmbito do processo eleitoral autárquico, cedo começamos a debruçar-nos sobre as eventuais soluções para a freguesia. Ouvimos, aqui nesta sede, a opinião de várias pessoas sobre o comportamento do actual executivo e sobre uma eventual candidatura social-democrata em Vermoim. Uma das pessoas que ouvimos, por duas vezes, foi o actual presidente do executivo, Aloisio Nogueira, que nos confirmou primeiramente que não tinha opinião sobre o assunto, uma vez que não lhe tinha sido formulado nenhum convite, necessitando assim de algum tempo para reflectir; e uma segunda vez em que claramente nos disse que não fazia intenções de se recandidatar e que apoiaria a decisão da comissão política de Vermoim, uma vez que não sabia da sua disponibilidade, tendo outros planos para o futuro. Esta mesma conversa foi confirmada numa outra reunião entre o Dr. Aloísio Nogueira e a Comissão Política Concelhia do PSD Maia. Depois de termos dialogado e auscultado várias partes, encetamos vários contactos afim de reunirmos uma lista consensual e demos início ao verdadeiro processo autárquico em Vermoim. Desta situação demos conhecimento, como é nosso dever, à Comissão Política Concelhia que passou

a liderar o processo em consonância com o Núcleo».

perfeita

O convite de Vieira de Carvalho «Um desses dias, recebi no meu local de trabalho, a visita do senhor presidente da Câmara Municipal da Maia, que justificou a sua visita com o seu apoio e incentivo claro à minha candidatura autárquica. No início de Agosto, quando me encontrava ausente do concelho para umas merecidas férias, recebi um telefonema do Dr. Costa Pereira, para me encontrar com a Comissão Política Concelhia e com a eleita comissão autárquica para conversarmos sobre o assunto. Desloquei-me então propositadamente à Maia, para ouvir o que me tinham a comunicar. Foi-me dito que eu seria o candidato à Junta de Freguesia de Vermoim, tendo-me sido nessa altura entregue toda a documentação que seria necessário preencher, e que devolvi preenchida uns dias mais tarde. Nessa altura encetei os convites para formar a nossa lista, empenhando a minha palavra. Palavra essa que será sempre apenas uma. Gostaria de salientar neste ponto que o núcleo de Vermoim é formado por gente séria, com uma só palavra e que vive a política de uma forma simples.Há cerca de duas, três semanas, e confiantes que estávamos no bom andamento do processo autárquico, da nossa candidatura, recebi um telefonema do Sr. Luciano Gomes, a convidar-me para um excelente lugar, de destaque, e claramente elegível, na lista por si liderada para a Assembleia Municipal. Nessa altura, agradeci e declinei o convite, uma vez que não era essa a resposta de que estaria à espera. Apresentei várias razões para isso: em primeiro lugar, o contacto com o presidente Vieira de Carvalho, que claramente me apoiou; em segundo lugar, o convite que me foi formulado pela minha comissão política, e depois pela concelhia e pela comissão autárquica; e finalmente, o compromisso que assumi perante aqueles que convidei para formar uma lista. Todas estas razões não me permitiam voltar atrás. Ao jeito de telenovela, os capítulos iam-se seguindo, havendo rumores de que um golpe palaciano se preparava nos bastidores. Conversei então com o Dr. Costa Pereira, que me comunicou formalmente estar definitivamente afastado do processo, sendo este então liderado pelo presidente Vieira de Carvalho. Após este episódio, e a convite do presidente Vieira de Carvalho, tive com ele uma longa conversa sobre este assunto, tendo sido informado que quem conduzia o processo era o senhor Luciano Gomes, que já há quatro anos atrás tinha conduzido o Dr. Aloisio à presidência da Junta. Nesse dia e nessa conversa, deixei claro que necessitava de uma resposta e que gostaria de saber quem é que andava a brincar com o núcleo de Vermoim, com pessoas sérias e honestas. Uns dias mais tarde tive nova conversa com o presidente Vieira de Carvalho, mais uma vez

inconclusiva. Apelei então ao bom senso, para que ninguém mais brincasse com as gentes de Vermoim e exigi uma resposta célere, se possível ainda nesse dia». «algo de mais forte se movia» «No dia seguinte, o presidente Vieira de Carvalho, foi ter comigo ao meu local de trabalho e disse-me que mais nada poderia fazer e que, por vontade dele, conforme já teria referido, eu seria o candidato, mas que algo de mais forte se movia, confirmando-me o nome do Dr. Aloísio Nogueira como candidato do PSD para Vermoim. Pediu-me nessa altura, para rever a minha situação e que, em nome da nossa amizade, aceitasse o lugar que me tinha sido proposto para a Assembleia Municipal. Recusei. Recusei por quatro motivos: por ser um homem de palavra, por não andar atrás de lugares, por achar que alguém se tinha portado mal com os sociais-democratas de Vermoim e por último, mas não menos importante, por amar esta terra e lutar contra aquilo que representam as palavras que o Dr. Aloísio Nogueira escreveu no Jornal Primeira Mão, ou seja que, e cito, “em bom abono da verdade nada mudou este ano em Vermoim”». O nascer da lista «Finda esta pequena resenha histórica, penso que seguimos o caminho certo. À excepção de três casos - um por apoiar a lista do presidente Vieira de Carvalho, outro por demissão devido a incompatibilidades com as suas funções profissionais e o outro caso devido a estar numa outra lista para a Assembleia Municipal - são comigo candidatos e mandatário, toda a comissão política do PSD de Vermoim, partido do qual transitam bem mais de metade dos restantes membros. A necessidade de uma lista coesa, jovem e com vontade de trabalhar, levanos a que nos 5 primeiros lugares, os do executivo, estejam 3 jovens militantes da JSD; que nos 13 lugares d e

candidatos efectivos, a média de idades ronde os 34 anos e que a média final da lista fique nos 37 anos de idade. É seguramente uma lista vencedora. Dentro em breve teremos o prazer de informar a população e a comunicação social do que pretendemos para esta nossa terra. Iremos para tal, sem autismos, auscultar a população. Iremos também tomar decisões importantes quanto ao nosso sentido de voto nas listas para a Câmara Municipal e para a Assembleia Municipal. Contudo, é vontade desta lista, face a todo este processo autárquico pouco claro, onde as listas não foram sufragadas, repensar o sentido de voto na lista do presidente Vieira de Carvalho - de quem sou amigo, sentindo-me, no entanto, muito magoado com a situação criada . Relativamente à lista para Assembleia Municipal, encabeçada pelo senhor Luciano Gomes, a decisão de voto já está tomada». A JSD «Uma palavra final de apreço à JSD que, com a sua atitude, expressada pelo seu presidente merece o nosso respeito e a confiança da comissão política do núcleo de Vermoim do PSD e da esmagadora maioria dos jovens sociaisdemocratas deste núcleo». A simbologia «A terminar, uma palavra sobre o nome que adoptamos. “Viver em Vermoim”, significa que esta é a nossa terra, a nossa casa, onde vivemos e como tal para a qual queremos o melhor, queremos também Viver Vermoim, usufruir das condições ímpares de vida que aqui temos e que pretendemos melhorar. O nosso símbolo, o conhecido Freixo de Vermoim, árvore centenária que representa as mais fortes tradições da terra, as raízes que cá criaram os que de fora vieram, o verde da esperança num Vermoim melhor. Vermoim, 24 de Outubro de 2001, pelo VEV, António Augusto Mandim»


14

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Elementos do PSD/CDS-PP de Folgosa debateram ideias

Continuar a dar qualidade de vida à população Para um primeiro encontro, os elementos que preenchem a lista do PSD/CDS-PP às próximas eleições autáquicas em Folgosa reuniram-se durante um jantar e traçaram ideias para o programa de quatro anos, caso sejam reeleitos. Presentes, estiveram os actuais presidentes da assembleia e junta de freguesia e recandidatos, Paulo Ramalho e Altino Marques. João Guedes Godinho

«Este foi o primeiro contacto das pessoas que compõem a lista de candidatura do PSD/CDS-PP à Assembleia de Freguesia de Folgosa. Ao fim e ao cabo falamos um pouco do que irão ser os próximos quatro anos, isto se tornarmos a ser reeleitos», refere ao MAIA HOJE, o coordenador do núcleo do PSD Maia Leste e recandidato à presidência da assembleia de freguesia, Paulo Ramalho. Este advogado sustenta como principais propósitos e preocupações para o próximo mandato, fundamentalmente «dar continuidade ao trabalho que o PSD tem feito em Folgosa, sermos mais exigentes nas nossas funções e tentar dotar a nossa freguesia de infraestruturas que entendemos que temos direito, no fundo continuar a contribuir para a qualidade de vida do nosso povo». A lista do PSD/CDS-PP de Folgosa tem várias caras novas, apenas têm como repetentes os quatro primeiro candidatos e alguns elementos que fizeram parte da ainda actual assembleia. As próximas eleições autárquicas nesta freguesia vão contar com uma lista do Partido Socialista, algo que não aconteceu há quatro anos. Paulo Ramalho disse «não estar preocupado com os adversários. Estamos preocupados em conseguir convencer a população de Folgosa que o nosso

FOTO ARQUIVO

Paulo Ramalho e Altino Marques

projecto é aquele que melhor defende os seus interesses». Na qualidade de coordenador do núcleo PSD Maia Leste refere defender

para as três freguesias, Silva Escura, Folgosa e S. Pedro Fins, «uma atitude consertada», porque «é de lembrar que Silva Escura é aquela freguesia que está

OPINIÃO

Banco Atlântico cobra 200 escudos por depósito! O final do mês é, porventura, aquela altura que qualquer trabalhador aguarda ansiosamente, para efectuar o depósito do ordenado. Pois bem, no início do mês de Outubro dirigi-me à agência da Maia do Banco Atlântico, como vem sendo habitual, para depositar o cheque do meu salário. Habituado a ser recebido simpaticamente pelo funcionário do balcão, desta vez, foi tal o meu espanto, quando este me mandou dirigir à Caixa Multibanco para proceder à referida operação. O funcionário alegou que caso não

efectuasse o depósito na Caixa, seria cobrada uma taxa de 200 escudos pelo serviço. Como sabemos, a caixa não é simpática como um funcionário, mas sim sisuda, fria e não comunicativa. Eu sei que as máquinas vieram contribuir em muitas coisas para simplificar a vida ao Homem mas há situações que não devem, nem podem substituir o relacionamento humano. Se hoje em dia o relacionamento interpessoal está por baixo, com este tipo de iniciativas fica de rastos. Rui Ribeiro

em termos de desenvolvimento, estratégico, e de qualidade de vida dos cidadãos, mais atrasada. Por isso, é importante tudo fazer para que o PSD vença a junta de Silva Escura para lhe dar um desenvolvimento mais harmonizado». Por seu lado, o presidente da junta de Folgosa e recandidato a novo mandato, Altino Marques, traça os quatro anos de mandato «de positivo». «Nem tudo aquilo que desejaríamos concretizar foi feito, mas esta é uma freguesia bastante extensa e qualquer acção que se faça num determinado lugar é sempre julgado como esquecer um outro. Temos obras marcantes neste mandato, a habitação social, a piscina municipal - que brevemente será inaugurada-, a sede do nosso Rancho Regional, conseguimos melhoramentos no domínio do urbanismo. Conseguimos que a Câmara adquirisse os terrenos onde futuramente projectamos construir a capela mortuária, e temos o arranjo urbanístico do largo da igreja e onde vai ser o centro cívico; breve iremos concluir mais um parque infantil, em Vilar de Luz e os respectivos arruamentos. Promovemos as acções de cultura, como ainda apoiamos o rancho e o clube de Folgosa, entre outras coisas». Caso seja reeleito, Altino Marques irá ter como principais prioridades, construir a capela mortuária e o alargamento do cemitério, como também dotar a terra com melhor qualidade de vida.

CDI Clínica Dentária Integrada Centro de Implantes Dentários

Dr. Raúl Vaz de Carvalho Sendo a 1ª Clínica Dentária Integrada do País, a CDI põe à sua disposição as mais avançadas tecnologias e um vasto leque de serviços, tendo como objectivo primordial melhorar a qualidade de vida dos seus doentes. Assim pode usufruir: - Elevada competência nos diagnósticos e tratamentos. - Consultórios de Medicina Dentária, com exclusividade nas áreas de: - Implantologia Oral e Extra-oral; - Próteses Fixa e Removível; - Oclusão e Dor Orofacial; - Dentisteria Operatória - Endodontia - Odontopediatria - Ortodontia Fixa e Removível - Bloco Operatório - Gabinete de Higiene Oral: Prevenção e Análises Salivares - Gabinete de Radiologia - Laboratórios de Próteses Fixa, Removível e Ortodontia. A CDI dispõem ainda de depósito de água tratada e gerador de energia eléctrica. Está ligada via Internet, a Centros Clínicos estrangeiros, permitindo acompanhar as mais recentes evoluções quer no campo tecnológico como no campo científico. Alvará n.º 1817/97

Rua de S. Romão, 422 - Vermoim - 4470 MAIA Tel. 22 948 54 14 - Fax 22 941 64 71 - cdivazdeCarvalho@mail.telepac.pt


15

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Candidatos do Concelho da Maia

Lista Provisória, passível de erros ortográficos, dado que algumas das listas estavam manuscritas

LISTA DE CANDIDATOS PARA A CAMARA MUNICIPAL DA MAIA PPD/PSD-CDS-PP 1º José Vieira de Carvalho 2º António Gonçalves Bragança Fernandes 3ºAntónio Domingos da Silva Tiago 4º Maria da Graça Andrade Gomes de Araújo Barros 5ºMário Nuno Alves de Sousa Neves 6ºJoão Afonso Nogueira da Costa Lima 7ºJorge Manuel Rebelo Oliveira Alves da Silva 8ºManuel Marques Nogueira dos Santos 9ºMaria Manuela Duarte Moreira Leitão 10ºZita Manuela Formoso Rebelo 11ºJoão Pedro Ramalho Andrade de Sousa Barbeiro 12ºPaula Cristina de Oliveira Mendes 13º José Filipe Moreira Pedrosa Simões 14ºFlorindo António de Oliveira Ramalho 15ºIsabel Maria Freitas Gonçalves 16ºGil Manuel Gomes Oliveira Maia 17º João Miguel Cruz Costa 18ºLuís Miguel Valente da Rocha PS-LISTA DOS EFECTIVOS 1º Jorge Luís da Costa Catarino 2ºMiguel Ângelo Santos Esteves Rodrigues 3º Rogério Duarte da Rocha 4ºMaria Cecília de Carvalho Barros de Sousa Mendes 5ºAntónio Moreira de Sousa 6ºAmérico Quelhas Moutinho Barbosa 7ºDomingos José Capas Peneda Barbosa Pereira 8ºFrancelina da Silva Moreira Mota Maia 9ºFrancisco Rodrigues Cunha CDU 1ºJoão Fernado de Freitas Torres 2ºDomingos Cerqueira Alves 3ºAntónio Cerqueira Ribeiro Carvalho 4ºSofia do Carmo de Oliveira Gomes 5ºManuel Marques Barreiros 6ºMaria Amélia da Silva Gilberto 7ºCarlos Alberto Coutinho Conceição 8ºCarla Susana Fernandes Ribeiro 9º Casimiro Alberto Carvalho Alves Lopes BE 1º Luís António de Sousa Sequeira 2º José António da Silva Sales 3ºSilvia Alexandra Oliveira da Fonseca 4ºPedro Queirós Amorim 5ºPaulo Francisco Teixeira de Figueiredo Melo 6ºAdemar Manuel Pereira Cardoso 7ºMaria Teresa Alves da Silva 8ºElisa Maria Matos Ferreira 9ºLuz Celeste Vieira Queirós Santos Baptista PCTP/MRPP 1º João Manuel Valente Pinto 2ºHernani Amorim Martins 3ºMaria Alice Barros de Amorim 4ºJosé Henrique Sousa Dias

5ºMaria de Fátima Amorim Martins 6ºMaria Rosa Ferreira Gouveia 7ºJoaquim Amorim Martins 8ºAlfredo Amorim Silva 9ºManuel Amorim Martins LISTAS DE CANDIDATOS PARA A ASSEMBLEIA MUNICIPAL DA MAIA PPD/PSD-CDS-PP 1º Luciano da Silva Gomes 2ºMaria de Lurdes da Costa Almeida Rebelo Maia 3ºDomingos de Jesus e Sousa 4ºAntónio Fernando Gomes de Oliveira e Silva 5ºLuis Miguel Machado Dias 6ºAntónio Nelson Moutinho Ferraz 7ºFernando Augusto do Couto Moreira de Sá 8ºPaula Rita Brito da Costa Oliveira 9ºCandido Joaquim Lima da Silva Graça 10ºJosé Ferreira da Silva Torres 11ºManuel Moreira Azenha 12ºManuel António Dias Moutinho 13ºManuel Carlos Moreira de Carvalho 14ºVirgílio Manuel Noversa da Silva Gomes 15º Manuel Luís da Silva Carvalho 16º Joaquim Alberto Ferreira 17ºJosé Eduardo Pereira Vieira Azevedo 18ºJoaquim Ferreira Reis 19ºAvelino Armando Quelhas da Costa 20ºAntónio Jorge Oliveira Gomes da Costa 21ºEugénio José Vieira Teixeira 22ºMaria Teresa Saraiva Coutinho Ferreira 23ºAntónio Augusto do Couto Ambrósio 24ºJosé Maria Vinhas Pinheiro 25ºOlga Cunha Teixeira da Mota 26º António Joaquim Ferreira de Sá 27ºJoaquim Augusto da Silva Dias 28ºLaura Ferreira Gonçalves 29ºSónia Maria Malheiro da Silva Gomes 30ºManuel de Sousa Martins 31ºDomingos Pereira de Vasconcelos 32ºJosé Manuel de Oliveira Maia 33ºJosé Maria da Silva Alves 34ºAdriano Ferreira da Rocha 35ºMafalda Rola Fernandes Moutinho Maia 36ºJoana Martins dos Santos Ascensão 37ºFerando Azevedo Moreira Dias 38ºIlídio da Silva Costa 39ºPaula Isabel da Silva Fonseca da Lima 40ºManuel Ferreira Moutinho 41ºAnabela Monteiro Silva Moreira 42ºMaria da Conceição Gomes de Amorim 43ºVictor Rui da Costa Senra Laranjeira PS- LISTA DOS EFECTIVOS 1ºAugusto Xavier Rebelo Pinto 2ºJoaquim António Santos Ribeiro 3ºJoaquim Armindo Pinto de Almeida 4ºMaria Emília Gomes Neves Souto 5ºJoaquim Soares da Silva 6ºAntónio Martins Carvalho 7ºMaria Luísa Dias Barreto 8ºJosé Joaquim Martins Novo 9ºAna Maria Rocha Esteves Rodrigues

10ºAndreia Sofia Pereira Andrade 11ºHugo Filipe Ramalho Campos 12ºAntónio Moisés Matias 13ºClarinda Maria Martins Silva 14ºJoão Lima Monteiro 15ºJosé Manuel de Pinho Cardoso 16ºVera Mónica Cruz Andrade 17ºManuel Domingos Marques Lino 18ºAntónio Matos de Oliveira 19ºFlávia Augusta da Silva Teixeira 20ºFrancisco Manuel Pinto Seixas Azevedo 21ºFrancisco José Peixoto Cardoso 22ºFernando Ricardo da Costa Moreira 23ºAntónio da Silva Duarte 24ºManuel Cardoso 25ºCristina Isabel de Oliveira Gomes Ferreira 26ºAntónio Mário Silva Ferreira 27ºManuel Martins da Cunha CDU-LISTA DOS EFECTIVOS 1ºManuel Basto Cunha 2ºJúlio Manuel Martins Gomes 3ºAntónio da Costa Pereira 4ºOdete Lima Gouveia Alvarim Sousa 5ºEtelvino Manuel Morais dos Reis 6ºCarla Susana Teixeira Martins 7ºJosé Marques Sousa Pinto 8ºAugusto Pereira Teixeira 9ºGaspar Alberto Ribeiro Gonçalves Pereira 10ºMaria Cecília Rocha Lima 11ºJosé Silva Maia 12ºMaria do Céu Gonçalves Calheiros 13ºAntónio José Gonçalves Brun da Silveira 14ºPatrícia da Conceição Oliveira Alves Lopes 15ºJosé Joaquim Alves Fernandes Silva 16ºAntónio Alvares Martins 17ºHelder Gaspar Azevedo Moreira Gonçalves Pereira 18ºJosé Maria Ferreira da Silva 19ºJoaquim Ribeiro Gonçalves 20º Italino Duarte Soares 21ºJoão Batista Bento 22ºJosé Silva Teixeira 23ºManuel Alberto Silva Ribeiro 24ºFernando Serafim da Silva 25ºAltino Santos Rocha 26ºFilipe Manuel Marques Pereira 27ºManuel Francisco Borges Correia BE-LISTA DOS EFECTIVOS 1ºFrancisco Amorim dos Santos Baptista 2ºLuís António de Sousa Sequeira 3ºJosé António da Silva Sales 4ºMaria de Fátima Gomes de Sousa 5ºSílvia Alexandra Oliveira da Fonseca 6ºPedro Queirós Amorim 7ºOrlando Deolindo Gonçalves Carvalho 8ºAndré Queirós Amorim 9ºMaria do Céu Moreira de Paiva e Silva 10ºAdemar Manuel Pereira Cardoso 11ºJulieta da Conceição Ferreira Braga Pereira 12ºMaria Teresa Alves da Silva 13ºJosé Luís Ferreira Violante Pereira 14ºJoaquim Carneiro Costa 15ºJosé Guedes da Silva 16ºLuz Celeste Vieira Queirós Santos Baptista

17ºAntónio Moreira Dantas 18ºOlívia Ventura Teixeira Dantas 19ºCarla Marina Teixeira Barros 20ºMaria Rosa de Sousa Moreira Pereira 21ºManuel Fernando da Silva Pereira 22ºGeorge Alves e Silva 23ºMaria Emília Pacheco Soares Magalhães Carvalho 24ºAntónio Mendes Miguel 25ºJosé Campos Faria 26ºElísa Maria Matos Ferreira 27ºPaulo Francisco Teixeira de Figueiredo Melo LISTA DE CANDIDATOS PARA AS ASSEMBLEIAS DE FREGUESIA DE: ÁGUAS SANTAS PPD/PSD-CDS-PP 1ºJoão Mendes 2ºArmando Araújo 3ºSerafim Carneiro 4ºJosé Sampaio 5ºArnaldo Marques 6ºFilomena da Silva 7ºArmando Gonçalves 8ºJosé Monteiro 9ºDomingos Vasconcelos 10ºCândido Graça 11ºAdriano Freire 12ºEmília Machado 13ºAlexandre Nogueira 14ºMário Araújo 15ºMaria Casal 16ºSérgio da Rocha 17ºManuel Bela 18ºRui Bandeira 19ºManuel Fernandes 20ºSónia Marques 21ºFrancisco Basto 22ºÁlvaroAmorim 23ºRui Pinto 24ºMaria da Conceição Carneiro 25ºManuel Espinheira 26ºAntónio da Mota PS 1ºManuel Correia 2ºJoão Martins 3ºAlvarinho Rodrigues 4ºAntónio Valente 5ºMaria Luisa Barreto 6ºJoaquim Ribeiro 7ºPaulo da Costa 8ºOctávio Silva 9ºManuel Lino 10ºSílvia Viera 11ºWalter da Silva 12ºManuel Aguiar 13ºJoão Silva 14ºSerafim Moutinho 15ºAugusto Peneda 16ºNorberto Teixeira 17ºLuís Branco 18ºManuel Pinto 19ºManuel Marques 20ºFernando Lima 21ºAgostinho Faria 22ºArtur Ribeiro 23ºMário Silva CDU 1ºJosé Maria da Silva 2ºAntónio Carvalho 3ºAntónio Pereira 4ºIlda Carvalho 5ºJoaquim da Silva 6ºJosé Frutuoso 7ºJosé Ferreira da Silva 8ºMaria Alice Duarte 9ºTeresa Neto 10ºJoão Bento 11ºCarlos Conceição 12ºDomingos Brandão

13ºArminda Moreira BARCA PPD/PSD - CDS-PP 1ºArmindo Moutinho 2ºOrlando Duarte 3ºMaria Manuela Leitão 4ºAntónio de Sá 5ºMaria Teresa Ferreira 6ºOrlando Leal 7ºJosé Miguel Lopes 8ºJoaquim Coutinho 9ºJoaquim de Sá 10ºGuilherme Paiva 11ºJoaquim Moutinho 12ºArlindo Moreira 13ºNuno Novais 14ºJoaquim Rodrigues 15ºAntónio da Silva 16ºAntónio Moutinho 17ºAntónio da Costa 18ºArmindo Costa PS 1ºAdérito dos Santos 2ºMaria Emília Souto 3ºVirgílio da Silva 4ºAntónio Matias 5ºAltino da Silva 6ºAntónio Magalhães 7ºLiliana Marques 8ºAugusto de Sá 9ºRogério Rocha 10ºFernando da Silva 11ºAntónio da Silva 12ºMário Marques 13ºFélix Pereira 14ºJoaquim Lopes 15ºOrlando da Costa 16ºJoaquim Ferreira CDU 1ºAntónio Figueiredo 2ºAlfredo Martins 3ºEduardo Nunes 4ºLuís Pinto 5ºLina Rodrigues 6ºRosalina Martins 7ºJosé Nunes 8ºAdriano dos Santos 9ºBenjamim Vieira FOLGOSA PPD/PSD-CDS-PP 1ºAltino Marques 2ºVirgílio Ramos 3ºJosé Luís Ramos 4ºPaulo Ramalho 5ºLuís de Sousa 6ºFloreano Coelho 7ºJoaquim Vales 8ºSérgio Pinto 9ºMário Ramos 10ºCarlos Reis 11ºAlbertino Gonçalves 12ºCarlos Correia 13ºJoão Amorim 14ºVirgílio Neto 15ºJosé da Rocha 16ºManuel Martins 17ºAntónio Barbosa 18ºMatinho Moutinho PS 1ºAntónio Silva 2ºHugo Campos 3ºLuís Sousa 4ºAntónio de Sousa 5ºAntónio Duarte 6ºAntónio Dias 7ºGaspar Ferreira 8ºManuel de Almeida 9ºLiliana Ferreira 10ºManuel Alves 11ºSandra Moreira 12ºVictor Moreira 13ºLígia Monteiro


16 14ºJoaquim Martins 15ºFernando Ferraria 16ºPatrícia Silva 17ºCláudia da Silva CDU 1ºCarla Martins 2ºItalino Soares 3ºMaria Adelaide Pinto 4ºAdérito Moreira 5ºMaria Adelinda Teixeira 6ºAníbal Silva 7ºBenardino Teixeira 8ºAna Pinto 9ºAdriano Soares GEMUNDE PPD/PSD - CDS-PP 1ºJoaquim da Costa 2ºCarlos Azevedo 3ºManuel Codeço 4ºArménio Lopes 5ºArtur Silva 6ºRui dos Santos 7ºCarlos da Rocha 8ºJosé Silva 9ºJoaquim Lima 10ºEugénio Teixeira 11ºJoaquim Ribeiro 12ºJosé Martins 13ºAugusto Flor 14ºJoaquim da Silva 15ºDavid Santos 16ºJosé de Miguel 17ºAgostinho Ferreira 18ºFrancisco da Costa PS 1ºFrancisco Cardoso 2ºJosé Moreira 3ºAntónio Maia 4ºClarinda da Silva 5ºFilipe Fernandes 6ºEliana Claro 7ºJosé Monteiro 8ºMário Fernandes 9ºBernardino Gomes 10ºMaria Elvira Sousa 11ºJosé de Freitas Moreira 12ºMaria Amália Alves 13ºAnabela Cardoso CDU 1ºGaspar Pereira 2ºRicardo Inácio 3ºDomingos Silva 4ºCristiana Ferreira 5ºCesár Alves 6ºJosé da Silva 7ºPaulo de Sousa 8ºJosé Rodrigues 9ºSérgio Coelho GONDIM PPD/PSD - CDS-PP 1ºAfonso Azenha 2ºJosé Carneiro 3ºAnabela Duarte 4ºFernando Oliveira 5ºAlmerindo Santos 6ºMaria Elisa Santos 7ºMaria Cândida Guimarães 8ºEmanuel Oliveira 9ºRui Miguel Sousa 10ºAristides Neves 11ºManuel da Costa 12ºIsaltina Maia 13ºMaria da Purificação Boalhosa 14ºSérgio Boalhosa 15ºJosé Boalhosa 16ºJoaquim dos Santos 17ºManuel Duarte 18ºAntónio Chaves 19ºLuís Leitão PS 1ºBelmiro Prata 2ºFernando Ferreira 3ºManuel da Costa 4ºCristina Ferreira 5ºArmando Pacheco 6ºArmindo Silva 7ºJoaquim da Costa 8ºAntónio Gonçalves 9ºJuliana Salgado 10ºSusana Prata 11ºArmando Oliveira 12ºSandra Pacheco 13ºJosé Alves 14ºMaria do Rosário Vieira 15ºManuel Arada 16ºAntónio Pereira

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001 CDU 1ºCasimiro Lopes 2ºPatrícia Lopes 3ºJoão Neves 4ºMaria Fátima Lopes 5ºJoaquim Lopes 6ºJosé Lopes 7ºJoaquim Malheiro Lopes 8ºMaria Graça Carvalho 9ºMaria Alice Lopes MOVIMENTO INDEPENDENTE PARA RENOVAR GONDIM-III 1ºJosé Maria Ferreira 2ºVirgílio Ferreira 3ºAngélica Torres 4ºSerafim Moutinho 5ºÂngelo Oliveira 6ºCláudia Adrião 7ºAntónio Fernandes 8ºFernando Lagoa 9ºVitor Maia 10ºJosé Silva 11ºMaria Fátima Adrião 12ºMário Freitas 13ºPaula Oliveira 14ºCândida Rodrigues 15ºRicardo Silva 16ºAlberto Cardoso 17ºManuel dos Santos 18ºJoaquim Santos GUEIFÃES PPD/PSD - CDS-PP 1ºAmérico Costa e Silva 2ºElsa Moutinho 3ºVirgílo Gomes 4ºMário Lessa 5ºTeresa Fonseca 6ºAntónio Ferreira 7ºMaria Elisabete Ferreira 8ºFernando da Cunha 9ºAlice Ventura 10ºJosé Ferreira 11ºMário Araújo 12ºJosé Mendes 13ºJoaquim da Silva 14ºCristina Martins 15ºFernando Pereira 16ºManuel Marques 17ºArtur Carvalho 18º Mário Araújo 19ºVitor Torres 20ºDomingos e Sousa PS 1ºAntónio Monteiro 2ºFrancisco Monteiro 3ºFrancisco Cunha 4ºManuel Pinho 5ºAndreia Silva 6ºAníbal Silva 7ºAntónio Ramalho 8ºAntónio Gonçalves 9ºSusana Sampaio 10ºHelder Ribeiro 11ºFernando Silva 12ºJoão Monteiro 13ºAlbina Ribeiro 14ºManuel Canhão 15ºJosé Novo 16ºJosé Ramos 17ºMário Moura 18ºAurora Ribeiro 19ºAvelino Alves 20ºJosé carvalho 21ºFernando dos Santos 22ºAntónio dos Santos 23ºMaria José Nogueira 24ºJosé da Silva CDU 1ºCarlos Tedim 2ºJosé Silva 3ºAntónio Castro 4ºAntónio Moreira 5ºJoaquim da Silva 6ºFernando Barros 7ºMaria Lurdes Sousa 8ºÁlvaro Silva 9ºJoaquim Barbosa 10ºFilipe da Silva 11ºÂngelo Mira do Foro 12ºManuel Magalhães 13ºManuel Silva MAIA PPD-PSD-CDS-PP 1ºCarlos Teixeira 2ºRaul Silva 3ºMário Ramos 4ºJoaquim Ferreira 5ºLurdes Silva

6ºJoaquim da Costa 7ºAndré Sobral 8ºFernando Dias 9ºAvelino da Costa 10ºRui Leandro Maia 11ºJosé Gonçalves 12º Manuel Lopes 13ºPaulo Leite 14ºÁlvaro Ricardo 15ºFrancisco Vilaça 16ºAlexandra de Castro 17ºÂngelo Fernandes 18ºAntónio Araújo 19ºPaula Ferreira 20ºSerafim da Silva 21ºPedro de Melo 22ºJoaquim Leite 23ºEduardo Pinto 24ºLuís Dias PS 1º António Espojeira 2ºSaul Souto 3ºAntónio Oliveira 4ºRui Bastos 5ºPedro Loureiro 6ºMaria Teresa Topa 7ºValdemar Silva 8ºMaria Zulmira Ramos 9ºJosé Reis 10ºSerafim Correia 11ºAltino dos Santos 12ºJosé Moutinho 13ºJosé Santana 14º Vasco Pereira 15ºAlírio Pereira 16ºManuel Pereira 17ºJosé Soares 18ºRui Costa CDU 1º Domingos Alves 2ºJosé Teixeira 3ºMarai Cecília Lima 4º Maria do Céu Calheiros 5ºMaria de Fátima Silva MILHEIRÓS PPD/PSD-CDS-PP 1ºAlfredo Teixeira 2ºManuel Carvalho 3ºÁlvaro da Silva Maia 4ºEdmundo Sousa 5ºMário Dias 6ºManuel dos Santos 7ºJoaquim Teixeira 8ºJorge da Silva 9ºÁlvaro Ferreira Maia 10ºArnaldo Ferreira 11ºPaulo Costa 12ºDavid da Rocha 13ºManuel Rua 14ºPaulo Carneiro 15ºJosé Teixeira 16ºAntónio Ribeiro 17ºVitor Dias 18ºRicardo Miranda PS 1ºBranca Brandão 2ºAntónio Pinheiro 3ºAntónio Carvalho 4ºDiamantino Oliveira 5ºAmérico Barbosa 6ºAntónio Furriel 7ºRaquel Vieira 8ºJosé cardoso 9ºLuís Ribeiro 10ºRuia Viana 11ºRicardo Martins 12ºJoaquim Maia 13ºVitor Pimemta 14ºMário Carvalho 15ºDomingos Torres 16ºJoaquim da Silva 17ºJoaquim Ferreira 18ºMaximiano Freitas CDU 1º Filipe Pereira 2ºCarlos Ferreira 3ºAlbino Ferreira 4ºCarla Santos 5ºAntónio Martins 6ºErnesto Pereira 7ºCarlos Pereira 8ºCamilo de Sousa 9ºMaria Luísa Sousa MOREIRA PPD/PSD-CDS-PP 1º Albino Maia 2ºAntónio Freitas

3ºJúlio da Silva 4ºJoaquim Dias 5ºAlbino Azevedo 6ºJoão da Rocha 7ºÁlvaro da Silva 8ºAntónio Matos 9ºJosé Marques 10ºJoaquim Maia 11ºErnesto Silva 12ºJoaquim Gomes 13ºJosé Carvalho 14ºJoaquim da Silva 15ºDiamantino Coelho 16ºMaria Conceição Lopes 17ºCarlos Tedim 18ºAntónio Ferreira 19ºManuel Rodrigues 20ºSónia dos Santops 21º Jorge Carvalho 22ºDaniel Teixeira 23ºManuel da Silva 24ºJoaquin Bastos 25ºFernando de Sá 26ºDavid Branco PS 1º Jorge Andrade 2ºJoaquim Almeida 3ºRogério Azevedo 4ºPedro Rodrigues 5ºHermínio Capitão 6ºJosé Guimarães 7ºFernando Ferreira 8ºManuel Azevedo 9ºAndreia Andrade 10ºIsmael Dias 11ºAntónio Teixeira 12ºAna Paula Tavares 13ºPedro Tavares 14º Márcia Ferreira 15ºLuís Fernandes 16ºCarla Quintas 17ºJorge Gomes 18ºÀlvaro Cunha 19ºPedro Antunes CDU 1ºJosé Pinto 2ºAntónio Silveira 3ºOlinda Almeida 4ºAntónio Almeida 5ºAntónio Pinto 6ºManuel Cerqueira 7ºLeopoldina Caridade 8ºAntónio Carvalho 9ºLuís Pereira 10ºAntónio Faria 11ºManuel Silva 12ºAmérico Oliveira 13ºManuel Sousa NOGUEIRA PPD/PSD-CDS-PP 1º Ilídio Carneiro 2ºManuel Nogueira dos Santos 3ºAntónio Ferraz 4ºJosé de Babo 5ºMaria da Conceição Carneiro 6ºJoão Miguel Costa 7ºHélder Torres 8ºHelder Ferreira da Sousa 9ºNorberto Pinheiro 10ºMaria Lisete Marques 11ºAntónio Costa Gadelho 12ºAlbino Gomes 13ºMaria Elisabete Moutinho 14ºLuís Miguel da Costa 15ºAbílio Cruz 16ºJosé Maria Duarte 17ºMaria de Fátima Rodrigues PS 1º António Ferreira 2ºPaulo Marques 3ºMaria doCéu Costa 4ºJosé Teixeira 5ºDomingos Duarte 6ºIlídio Correia 7ºJosé de Sousa 8ºJustino Sousa 9ºSilvestre Duarte 10ºAntónio da Silva 11ºAvelino Maia 12ºArmindo Pereira 13ºDiana Ferreira 14ºManuel de Cunha CDU 1ºMaria de Fátima Tavares 2ºAntónio Adão 3ºJoaquim Sousa 4ºMário Marques 5ºPaula Teixeira

6ºJoão Correia 7ºManuel Adão 8ºMário Barbosa 9ºManuel Barbosa PEDROUÇOS PPD/PSD-CDS-PP 1ºAbílio de Sousa 2ºJorge Ferreira 3ºMaria José Rebelo 4ºRui Navarro 5ºJosé Peixoto 6ºDomingos Cavadas 7ºPalmira dos Santos 8ºJosé de Azevedo 9ºJosé Teixeira 10ºIsabel Gonçalves 11ºAntónio Monteiro 12ºNuno Ranhada 13ºJosé Gonçalves 14ºAntónio Teixeira 15ºSerafim Ramos 16ºJosé Alves 17ºAlexandrina Araújo 18ºAgostinho de Sousa 19ºElmano Cunha 20ºAntónio Gomes da Costa 21ºDiamantino Martins 22ºDomingos Polónia 23ºAntónio Polónia 24ºMário dos Santos 25ºArmando Gonçalves PS 1ºMário Vinhas 2º Augusto Pinto 3ºFlávia Teixeira 4ºFrancisco Azevedo 5ºNuno da Silva 6ºMário Ferreira 7ºFernando Correia 8ºDomingosCoelho 9ºEduardo Carvalho 10ºAngélica da Silva 11ºManuel Sousa 12ºAníbal Ferreira 13ºIlídio Polónia 14ºCarlos da Costa 15ºAdelaide Azevedo 16ºJoão Pacheco CDU 1ºFernando da Silva 2ºEtelvino dos Reis 3ºManuel Correia 4ºMaria Goreti Lopes 5ºFernando de Sousa 6º Manuel Ribeiro 7ºFrancisco Soares 8ºAugusto Teixeira 9ºMaria Conceição Sá 10ºFernando Santos 11ºMaria Eva Pinto 12ºJosé Carvalho 13ºVirgílio Correia SANTA MARIA AVIOSO PPD/PSD-CDS-PP 1ºHamilton Prata 2ºJosé Moreira 3ºAdriano Correia 4ºBernardino da Cruz 5ºDavid Fernandes 6ºMaria José de Azevedo 7ºManuel Duarte 8ºTomás Brás 9ºRegina Serra 10ºManuel Torres 11ºJorge Mota 12ºLuís Costa 13ºAdelina Rodrigues 14ºAugusto Miranda 15ºAntónio Azevedo 16ºHomero Coelho 17ºDomingos de Sousa PS 1ºManuel Cardoso 2ºFernando Faria 3ºAlcino dos Santos 4ºPaula Cardoso 5ºAdélio Fonseca 6ºLuís Pereira 7ºMaria Helena Pereira 8ºClaudino de Melo 9ºJosé Braga 10ºLinado Cardoso 11ºMaria José Borges 12ºGlória Cardoso CDU 1ºCarla Ribeiro 2ºJoão Batista


17

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001 3ºJoaquim Ribeiro 4ºSilvia da Silva 5ºLaurinda Ribeiro 6ºMaria Amparo Correia 7ºMaria Conceição Lopes 8ºMaria Conceição Silva 9ºMaria Delfina Neto S.PEDRO AVIOSO PS 1ºCarlos Correia 2ºJoão Nogueira 3ºJoaquim Gonçalves 4ºManuel de Sousa 5ºBenardino Maia 6ºOlga Barbosa 7ºAgostinho Barbosa 8ºFernando Moreira 9ºManuel Pereira 10ºArmando Correia 11ºÁlvaro Dias 12ºJoaquim Faria 13ºEliseta Correia 14ºJosé Tedim 15ºMartinho Mendes 16ºAurélio da Costa 17ºAdriano Azevedo CDU 1ºJoaquim Gonçalves 2ºJosé Peixoto 3ºFernando Gomes 4ºJosé Silva 5ºJoaquim Barroso 6ºMaria Manuela Pereira 7ºAlfredo Inácio 8ºSandra Gonçalves 9ºAlmerindo Duarte JSP-JUNTOS POR S.PEDRO DE AVIOSO - VIII 1ºJaime Pinho 2ºJoaquim Maia 3ºAdílio Ascensão 4ºCarlos Assunção 5ºMário Brandão 6ºHugo Maia 7ºManuel Lage 8ºArmando Maia 9ºSusana Cunha 10ºManuel Miranda 11ºJoaquim Robalinho 12ºJosé Santos 13ºMaria Rosa Pinho 14ºJoaquim Pinho 15ºMaurício Ramos 16ºIbraim Ferreira 17ºMaria Leonor Barros 18ºFernando Santos 19ºMário Duarte 20ºLuís Moreira 21ºHélder Maia 22ºZélia Viana 23ºFrancisca Ramalho 24ºIsabel Lagos 25ºDaniela Rodrigues

MOVIMENTO INDEPENDENTE DE AVIOSO S.PEDRO (MIASP) XIX 1º Mário Marques 2ºJoaquim Carvalho 3ºManuel da Cruz 4ºPedro Campos 5ºQuintino Campos 6ºAlípio Guedes 7ºJosé Pinho 8ºLicinio Moreira 9ºManuel Oliveira 10ºIvone Guedes 11º Manuel de Sousa 12ºCristina Sá 13º Rubem Oliveira 14ºJorge Tavares 15ºMaria Isabel Abreu 16ºManuel Gomes 17ºCosme Azevedo 18ºJorge Silva 19ºJosé Costa 20ºCândido Silva 21ºJosé Silva 22ºMário Moreira 23ºAgostinho Costa 24ºAgostinho Miguel Costa 25ºManuel Dias 26ºAntónio Pereira S.PEDRO FINS PPD/PSD-CDS-PP 1ºJoaquim Gonçalves 2ºArmando Pereira 3ºManuel da Silva 4ºAugusto Monteiro 5ºAlvarinho Sampaio 6ºManuel Rocha 7ºLina de Ascensão 8ºNuno da Silva 9ºAmérico Soares 10ºFernando da Silva 11ºAvelino Soares 12ºPedro Moreira 13ºLaurentino Azevedo 14ºElizabete Marques 15ºJosé Moreira 16ºJosé Campos 17ºSílvia Pereira 18ºManuel Pereira PS 1ºRaul da Silva 2ºSandra Lameiras 3ºJoaquim Martins 4ºLuciano de Ascenção 5ºJoaquim e Silva 6ºManuel Costa 7ºPaulo Carvalho 8ºDavid Ferreira 9ºFilipe Manuel Sousa 10ºJosé da Silva 11ºGabriel Pereira 12ºEdgard da Silva 13ºJosé Barros 14ºAndreia Oliveira 15ºAmérico Martins 16ºAntónio Ferreira

17ºCarlos Martins 18ºBruno Vasconcelos 19ºIsabel Martins 20ºNuno Lameiras CDU 1ºNuno Lourenço 2ºAlexandre Silva 3ºBenilde Silva 4ºJosé Teixeira 5ºIsabel Ferreira 6ºManuel Torres 7ºRosa Silva 8ºVitor Torres 9ºRosa Batista SILVA ESCURA PPD/PSD-CDS-PP 1ºJosé Dias 2ºAntónio Soares 3ºArmindo Oliveira 4ºFernandino Teixeira 5ºJosé Gomes 6ºPaulino Prata 7ºÂngelo Gomes 8ºAmérico da Sila 9ºFerdinando Soares 10ºAgostinho dos Santos 11ºFernando Ferreira 12ºJosé Dias 13ºDavid Braga 14ºHernani Maia 15ºFernando Leitão 16ºSara e Sá 17ºMaria Adélia Santos 18ºJoaquim Ferreira PS 1ºArmando Dias 2ºAmérico Mandim 3ºAbílio Araújo 4ºDelfim da Silva 5ºVera Andrade 6ºJoaquim Marinho 7ºCarla Ramos 8ºManuel da Silva 9ºLuís Martins 10ºJosé Pereira 11ºCarla Dias 12ºAvelino Marinho 13ºJosé Moutinho 14ºAntónio Ribeiro 15ºArmindo Martins 16ºJoaquim Martins CDU 1º Alberto Neto 2ºManuel Vieira 3ºAdão Monteiro 4ºAna Sousa 5ºVitor Simões 6ºJoão Oliveira 7ºMaria Fernanda Ribeiro 8ºVitor Fernandes 9ºMaria Manuela Moreira VERMOIM PPD/PSD-CDS-PP

1ºAloísio Nogueira 2ºMaria de Lurdes Maia 3ºMário Martins 4ºÀlvaro Costa 5ºCarlos Pedro 6ºJosé Carneiro 7ºPedro Marques 8ºMarta Moreira 9ºJustino Pereira 10ºMário Aguiar 11ºJoaquim Ferreira 12ºAntónio Fernandes 13º Fernanda Machado 14ºRui Rodrigues 15ºNelson Oliveira 16ºJorge de Barros 17ºLaurentino Pereira 18ºMário Araújo 19ºMaria Sameira Rocha 20ºSílvia Ferreira 21ºErmindo da Silva 22ºFernando Pereira 23ºCarlos Leiróz 24ºAntónio Gomes 25ºAntónio Miranda 26ºJoão Soares PS 1ºAlbertino da Silva 2ºÀlvaro Barreiro 3ºMário Martins 4ºMoisés Teixeira 5ºPaulo Nunes 6ºAdemar Leite 7ºArtur Dias 8ºRui Branco 9ºManuel Lima 10ºMaria Isabel de Sá 11ºCarlos Primavera 12ºFernando Rebelo 13ºPaula Duarte 14ºArmando Moreira 15ºAntónio Martins 16ºJosé Lopes 17ºJoaquim de Matos 18ºManuel Rebelo 19ºEugénio Neto 20ºVera Teixeira 21ºCelestino Magalhães CDU 1ºJúlio Gomes 2ºJosé Mai 3ºHelena Abreu 5ºSerafim Silva 6ºSofia Gomes 7ºPaulo Pereira 8ºCarlos Coutinho 9ºRosa Dias 10ºJosé Abreu 11ºTomáz da Cunha 12ºSérgio Abreu 13ºTorcato Couto 14ºAntónio Costa VIVER EM VERMOIM - IX 1ºAntónio Costa 2ºCecília Rebelo

3ºAntónio Silva 4ºFernando Moreira 5ºAntónio Fonseca 6ºManuel Coutinho 7ºPedro Martins 8ºSusana Padrão 9ºPaulo Santos 10ºJoão Gonçalves 11ºRicardo Rodrigues 12ºCarlos Barrigana 13ºJosé Teixeira 14ºJoaquim Ferreira 15ºMaria Manuela Santos 16ºHelder Rebelo 17ºCarlos Lopes 18ºMarta Coutinho 19ºPedro Coelho 20ºMaria do Sameiro Silva 21ºMaria Elisa Moura 22ºAntónio Seabra 23ºFlorindo Moreira 24ºMaria da Graça Silva 25ºAntónio Delgado 26ºRui Costa V.N.TELHA PS 1ºJorge Catarino 2ºAna Maria Rodrigues 3ºReinaldo Pereira 4ºJosé Oliveira 5ºAntónio Marinho 6ºHenrique da Silva 7ºLúis Mesquita 8ºAntónio Tavares 9ºFernando Mendes 10ºPedro Silva 11ºAntónio Matos 12ºIsabel Quelhas 13ºFernando Veleda 14ºManuel Araujo 15ºJosé Tavares 16ºÀlvaro Silva 17ºMiguel Rodrigues 18ºJosé Ferreira CDU 1ºJosé da Costa 2ºJoaquim Gonçalves 3ºOdete Sousa 4ºAltino Rocha 5ºManuel Torrão 6ºAgostinho Gonçalves 7ºMigel Carvalho 8ºJoaquim Silva 9ºCarlos Moreira INDEPENDENTES POR VILA NOVA DA TELHA - II 1ºFloriano Gonçalves 2ºVitor Soares 3ºConstância Sardinha 4ºMárcia Resende 5ºRui Pereira 6ºClarinda Costa 7ºJoão Figueiredo 8ºAlbina Figueiredo 9ºEduardo Moreira

Listas já foram sorteadas No passado dia 23 de Outubro e de acordo com o estipulado na lei, foram sorteadas as posições nos boletins de voto para as próximas eleições autárquicas. Ao acto presidiu o meritíssimo Juiz Dr. Nuno Miguel Jesus L. Matos, coadjuvado pelo oficial de justiça João Alexandre Paula da Silva. Presentes os mandatários das listas do PPD/PSDCDS/PP, PS, CDU, VIVER EM VERMOIM, RENOVAR GONDIM, MIASP e JSP. Além de algum público. No sorteio das siglas em numeração romana para os grupos de cidadãos independentes, a “sorte”, destinou o seguinte: Renovar Gondim - III Viver em Vermoim - IX JSP- Juntos por São Pedro de Avioso VIII Movimento Independente Avioso São Pedro - MIASP - XIX Independentes por Vila Nova da Telha - II

Seguidamente e após o sorteio da numeração de todas as listas concorrentes no Concelho, ficou deliberado que a ordem das listas de boletim de voto serão as seguintes: CÂMARA MUNICIPAL DA MAIA 1º Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) 2º Partido Socialista 3º Coligação Eleitoral (PPD/PSDCDS/PP) 4º Bloco de Esquerda 5º CDU - Coligação Democrática Unitária, PCP-PEV ASSEMBLEIA MUNICIPAL DA MAIA 1º Partido Socialista 2º Coligação Eleitoral (PPD/PSDCDS/PP) 3º Bloco de Esquerda 4º CDU - Coligação Democrática Unitária, PCP-PEV

ASSEMBLEIAS DE FREGUESIA DE ÁGUAS SANTAS; BARCA; FOLGOSA; GEMUNDE; GUEIFÃES; MAIA; MILHEIRÓS; MOREIRA DA MAIA; NOGUEIRA; PEDROUÇOS; SANTA MARIA DE AVIOSO; SÃO PEDRO DE FINS e SILVA ESCURA 1º Partido Socialista 2º Coligação Eleitoral (PPD/PSDCDS/PP) 3º CDU - Coligação Democrática Unitária, PCP-PEV ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE GONDIM 1º Partido Socialista 2º Coligação Eleitoral (PPD/PSDCDS/PP) 3º Movimento Independente Para Renovar Gondim 4º CDU - Coligação Democrática Unitária, PCP-PEV ASSEMBLEIA DE FREGUESIA

DE S. PEDRO DE AVIOSO 1º Partido Socialista 2º JSP - Juntos Por São Pedro 3º CDU - Coligação Democrática Unitária, PCP-PEV 4º MIASP - Movimento Independente De Avioso São Pedro ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE VERMOIM 1º Partido Socialista 2º Coligação Eleitoral (PPD/PSDCDS/PP) 3º CDU - Coligação Democrática Unitária, PCP-PEV 4º VEV - Viver em Vermoim ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE VILA NOVA DA TELHA 1º Partido Socialista 2º IVNT- Independentes Por Vila Nova da Telha 3º CDU - Coligação Democrática Unitária, PCP-PEV


18

FREGUESIAS

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Grupo Regional de Moreira realizou desfolhada tradicional

Espigas ‘exigiram’ mangas arregaçadas Três grupos de folclore arregaçaram as mangas na desfolhada maiata que o grupo Regional de Moreira da Maia organizou em colaboração com a junta de freguesia de Moreira. Tratou-se de uma iniciativa que teve como objectivos repor uma velha tradição, tal como era feita pelos antepassados. A noite do dia 13 foi animada na casa rural de António Pereira, onde não faltou um jantar à moda antiga e muita música popular, em especial o cantar ao desafio. António Armindo Soares

Esta tradição que quase estava perdida no tempo, o Grupo Regional de Moreira da Maia, no espaço de dois anos recuperou-a, deu-lhe vida, e tornou-a numa iniciativa que se mostra pela originalidade, tal como faziam os nossos antepassados. Foram três grupos de folclore que participaram, entre eles o anfitrião, Grupo Regional de Moreira da Maia, Rancho Folclórico de Varziela - Felgueiras, e o Rancho das Sargaceiras e Marítimos de Angeiras. Lucília Santos refere que esta desfolhada que o seu agrupamento organiza particulariza-se das outras que vão acontecendo um pouco por todo o lado, «no início da mesma». «Nós gostamos de receber as pessoas com as comidas que antigamente se faziam, coisa que agora ninguém faz. Hoje, quando vamos a uma desfolhada, só oferecem pão e azeitonas. Nós tentamos recriar uma iniciativa bem original, oferecendo as pataniscas, a brôa, as

sardinhas fritas e o arroz e feijão, tal como os meus avós o faziam», destacou. A directora do Grupo Regional de Moreira da Maia admite que «é necessário ultrapassar muitas dificuldades e várias canseiras», mas com vontade e empenho «dos nossos componentes, que demonstram capacidade, e embora não sendo cozinheiros conseguem recriar os usos e costumes que os nossos antepassados nos deixaram». Esta foi a segunda desfolhada que se realizou, com uma direcção «bastante aventureira», o grupo foi em frente e realizou esta velha tradição, «porque entendemos que era digno de todas as pessoas, não só da freguesia mas de todo o concelho de ainda poderem ver e participar. Que os mais jovens possam aprender com os menos jovens aquilo que é quase impossível reviver no dia-adia de hoje», frisa Lucília Santos. Quanto a apoios esta iniciativa

contou com a Câmara da Maia e da população local. A comparticipação da Junta de Freguesia de Moreira, foi no apoio logístico. O presidente, Albino Maia, visivelmente satisfeito com o desenrolar dos acontecimentos, considerou que esta desfolhada «enriquece a freguesia em termos culturais». O pessoal da autarquia tem também um papel preponderante, «porque ajudou o Grupo Regional a preparar toda a área disponível, para que tudo corresse bem, nomeadamente na recolha do milho», conta Albino Maia. O autarca sublinha também a importância deste evento, «ser um instrumento que serve para explicar aos mais novos, os que são de cá ou não, não tiveram o prazer de viver num meio rural passem a ter um conhecimento, embora muito restrito, desses tempos». O vice-presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, marcou presença nesta bela noite de

tradições. «Esta é uma excelente ideia da directora do Grupo Regional, D. Lucília, e penso que devia ser igualmente realizada noutras freguesias, isto para que não se perca esta grande riqueza cultural, porque cada vez mais se nota que há quase um desaparecimento. Estão todos de parabéns, em particular os grupos de folclore que hoje aqui participaram», refere o autarca. Salienta também como «importante no contexto cultural do concelho e até do país» esta realização, e «foi uma acção muito bonita, porque também conseguiu congregar muita gente e muita animação. Foi algo que me deixou orgulhoso e animado. Espero que se repita cada vez mais», sugeriu a concluir. A desfolhada e todo o programa da noite duraram algumas horas, onde ‘reinaram’ as espigas e...apareceu a tão desejada vermelha, o milho ‘rei’. Por isso, não faltaram os habituais beijinhos.

Em Gueifães,

Funcionário da junta morre em serviço Miguel Ângelo Machado

Aníbal Carvalho, de 69 anos de idade, faleceu no passado dia 20 por volta das 10 horas quando se encontrava a trabalhar na Rua Sá e Melo acompanhado por um outro colega. Ao que tudo indica, o funcionário terá sofrido um ataque cardíaco. Aníbal Carvalho trabalhava há cerca de um ano na Junta Freguesia de Gueifães e segundo considerou o presidente daquela autarquia, Alberto Monteiro, «era um empregado exemplar, para além de ser uma pessoa fantástica. A sua morte deixou-nos a todos traumatizados e

abalados». A Junta de Freguesia acabaria por encerrar o resto do dia e colocou a bandeira a meia haste. Luís Castro, o funcionário que acompanhava Aníbal Carvalho contou ao “Maia Hoje” que o seu colega «caiu subitamente para o lado e não teve mais nenhuma reacção». O INEM ainda ocorreu ao local, mas a quando a equipa médica chegou já não conseguiu reanimar o paciente. Á família e amigos do falecido, o “Maia Hoje” presta aqui sentidos pêsames.


Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

FREGUESIAS

19

Reconhecidos 50 anos de serviço à comunidade

Paróquia de Milheirós homenageou Palmira Moutinho A paróquia de Milheirós prestou homenagem a Palmira Moutinho Silva pelos 50 anos de serviço à comunidade. Foi num almoço convívio, realizado no passado dia 14, na Quinta das Tílias, em Gueifães, em que estiveram presentes inúmeros convidados, entre eles, o vereador António Silva Tiago, o presidente da junta de freguesia, Alfredo Santos Teixeira, e o pároco Luis Gonzaga Queirós. António Armindo Soares

Palmira Moutinho Silva durante a sua vida esteve particularmente ligada às questões da paróquia, em especial ao ensino da catequese das crianças. Foram 50 anos que marcaram elos de amizade e de profundo carinho para com a comunidade de Milheirós, sempre com empenho, dedicação, amor. A fim de reconhecer todo o trabalho desenvolvido por esta filha de Milheirós, a Comissão Fabriqueira, presidida pelo Padre Luis Gonzaga Queirós realizou o convívio e reuniu muitos amigos da homenageada, onde se associaram, António Domingos Tiago e Alfredo Santos Teixeira. Na ocasião, o presidente da junta de freguesia realçou o espírito de missão de

Palmira Moutinho.«Estes 50 anos em que a D. Palmira dedicou de alma e coração à nossa paróquia. Foram anos que marcaram e fizeram muitas, muitas histórias, muitas gravadas para sempre no coração de todos aqueles que consigo cruzaram, principalmente na catequese e no grupo coral. A sua vida, para nós, constitui um modelo. Quero, neste contexto, também reverenciar todos aqueles que lhe são mais queridos», salientou Alfredo Santos Teixeira. Comovida, Palmira Moutinho agradeceu a homenagem e a presença de «tantos e tantos rostos amigos. É muito bom partilhar estes momentos de alegria e amizade com a vossa companhia».

Alfredo Teixeira distingue Palmira Moutinho

Pó branco assusta população

Três caixas multibanco repletas de pó Miguel Ângelo Machado

No passado dia 19 foram encontradas doses consideráveis de um pó branco nas caixas multibanco da CGD, no Castelo da Maia e do BCN e do BPI, no centro da Maia. Com a suspeita de que o referido material pudesse ser Antrax, uma composição química que tem vindo a assustar a população mundial, a Protecção Civil activou os meios necessários, vedando as zonas afectadas. Foram retiradas ainda algumas amostras para análise. Cinco dias depois ainda não eram conhecidos os resultados das análises. Contactado pelo “Maia Hoje”, António Lopes, responsável pela Protecção Civil Municipal no terreno, referiu que «lamentavelmente, e sem saber bem porquê, só ontem [dia 23] é que a PSP da Maia entregou as amostras retiradas

na Polícia Judiciária». António Lopes chegou a contactar de perto com o referido pó e afirma confiante que «com quase toda a certeza vai-se chegar à conclusão que aquilo era ou farinha ou pó de talco, até porque todos as amostras analisadas a nível nacional deram negativo». Ontem, os resultados deverão ter sido analisados no Instituto Ricardo Jorge e ou hoje, ou nos próximos dias, aquele instituto deverá divulgar os resultados. Uma fonte ligada à segurança das agências da Caixa Geral de Depósitos revelou a este órgão de comunicação o seu descontentamento com o atraso da divulgação dos resultados: «Se, ao que sei, o período de incubação do Antrax demora oito dias e com os resultados a serem só divulgados na sexta-feira, o

que adianta às pessoas que tiveram contacto com o pó, se o tempo de incubação já está concluído. Claro que tenho praticamente a certeza que aquilo não será nada, mas algo está a funcionar mal neste sistema. As pessoas das agências andam preocupadas com o ocorrido e esta é uma situação que não se admite», afirmou a fonte. Entretanto, as referidas caixas multibanco continuam encerradas. No mesmo dia do ocorrido, a Protecção Civil da Maia emitiu um comunicado à população intitulado “Normas e procedimentos para incidentes com produtos nucleares, biológicos e químicos” que citamos de seguida: Se receber uma carta ou encomenda: - Sem remetente

- Com origem em país estrangeiro - Com demasiados selos - Palavras mal escritas - Pedaços de metal fora do envelope - Envelope desigual, rígido ou grosso - Encomenda ou envelope com um cheiro estranho - Envelope gorduroso, descolorado, com cristais - Com excesso de fita cola ou fios à volta, Proceda da seguinte forma: 1- Trate o objecto com cuidado - não o agite 2- Isole o objecto num ou vários sacos de plástico e feche-os bem 3- Não o abra, cheire ou prove 4- Trate-o como um objecto suspeito 5- Ligue 112 e/ou entregue o objecto isolado na PSP ou GNR da sua zona.


20

FREGUESIAS

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Iniciativa da Junta de S. Pedro Fins

‘Juventude mais velha’ foi a Fátima Pelo quarto ano consecutivo, a Junta de Freguesia de S. Pedro Fins promoveu o seu passeio convívio a Fátima. Trata-se de uma iniciativa, realizada no passado domingo, dia 14, que se destina a proporcionar à “juventude mais velha” um carinho muito especial. António Armindo Soares

Terminou com um almoço convívio, realizado nas proximidades da Batalha, o passeio que a autarquia de S. Pedro Fins realizou, e que durou a tarde inteira, com os idosos a envolverem-se em grande animação e a matarem saudades de outros bons velhos tempos, tal como um pé de dança e a conversa amiga entre conterrâneos. No entanto, a viagem começara logo pela manhãzinha com a saída de quatro autocarros. O presidente da Junta de Freguesia, Joaquim Marques Gonçalves, dirigia a comitiva e tudo fazia para que tudo estivesse regular e terminasse em bem. Em Fátima, os cerca de 150 idosos tiveram a oportunidade de se dirigirem ao grande altar e concretizar as suas promessas, perante uma grande moldura humana. É bom viver a ‘nova’ juventude O bom exemplo de que este evento agradou aos seus destinatários foi constatado nas palavras de Isolina Areais, de 67 anos de idade: “Foi bom que tivessemos este passeio. Acho importante preocuparem-se connosco, esta acção é salutar, pois fez com que todos nos divertissemos e temos também a oportunidade de rever o santuário de Fátima. Este é um acto muito positivo, pois fiquei muito feliz por ter vindo a este local de paz e oração. Para mim já se tornou num hábito vir a estes passeios que a nossa junta organiza e espero puder vir mais nos próximos anos”. Quanto a António Mota, que é igualmente um repetente nos passeios da autarquia, disse sentir-se “muito feliz, porque é um convívio do que melhor pode existir para a nossa idade. Gosto de

entendemos que a nossa ‘juventude mais velha’ merece isto e muito mais da nossa parte”. Sobre a presença do vice-presidente da Câmara da Maia, neste evento, o autarca de S. Pedro Fins mostra-se reconhecido: “O Engº Bragança Fernandes como pessoa disponível, que sempre está para as freguesias, acedeu a um convite que nós lhe formulamos, foi com muita honra que nós aqui o tivemos, e estamos muitos contentes por se ter associado a esta acção”.

Marques Gonçalves levou os idosos da sua freguesia a Fátima

sentir este gesto do nosso presidente da junta, que é uma pessoa sensível e atenta aos nossos desejos. Nós, pessoas da 3ª idade, devemos merecer uma atenção frequente e que sejamos sempre atendidos nos pedidos que façamos. Eu cá estou não é pelo almoço ou pelo passeio, não; vim aqui pelo convívio e pela alegria com que todos nós nos envolvemos e não é todas as semanas que acontece uma coisa deste tipo. Neste dia, todos convivemos, falamos e mostramos que vale apena viver a nossa ‘nova’ juventude”.

Porque a nossa ‘juventude mais velha’ merece O principal responsável pela deslocação a Fátima, o presidente da junta, Joaquim Marques Gonçalves, disse que a iniciativa é uma repetição do que vem sendo feito pela sua autarquia ao longos dos últimos quatro anos. “De ano para ano esta acção tem vindo, a adquirir um maior entusiasmo e uma maior participação. No ano passado tivemos a participação de 100 pessoas, e este ano chegámos às 150. Esta é uma iniciativa que pretendemos repetir, porque

Iniciativa demonstra preocupação social O vice-presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, associou-se a esta iniciativa e salientou a acção da autarquia: “O que o senhor presidente da Junta de S. Pedro Fins fez e que outros autarcas do concelho fizeram igualmente, foi um gesto notável, porque tudo isto premeia muitos idosos, todos eles com mais de 65 anos de idade, e torna-se muito importante realizar estas acções num tempo muito conturbado e carregado de incertezas. Por isso, deslocarem-se a Fátima, neste convívio, além de um acto de Fé em Nossa Senhora, é uma atitude que mostra uma grande preocupação social e um particular carinho para com os nossos idosos. Está de parabéns esta autarquia por ter organizado esta peregrinação e que, com muita satisfação, notei que correu muito bem”. As condições atmosféricas não permitiram que a comitiva se deslocasse ao Mosteiro da Batalha. No entanto, Marques Gonçalves deixa a promessa que a junta, para o próximo ano, realizará essa visita.

Passeio Convívio da Junta de Freguesia de Nogueira

Menos jovens, mais convívio No passado dia 14, decorreu mais um convívio de idosos da freguesia de Nogueira da Maia. Desta feita, Vila Real era o destino. O evento foi, uma vez mais, organizado pela Junta de Freguesia, contando com a já indispensável colaboração de algumas senhoras da freguesia. Sofia Vales Pinto

Logo pela manhãzinha, partiu do largo do Barroso uma caravana composta por mais de trezentas pessoas que, prontamente, foram distribuídas pelos seis autocarros contratados pela referida Junta de Freguesia. O tempo não era famoso, mas a satisfação era geral. Amarante foi a primeira cidade a acolher este grupo de jovens na idade do ouro: esticaram-se as pernas, retemperaram-se os estômagos mais exigentes e aliviaram-se os “excessos de carga” (para bom entendedor meia palavra basta). A paragem seguinte efectuou-se na freguesia de Mateus, onde o padre local celebrou missa, tendo elogiado a freguesia e os presentes pela elevada participação. Na igreja, enquanto uns falavam, outros aproveitavam para pôr em dia a conversa do ano anterior. Chegados ao local de repasto, na Quinta do Paço, os convivas foram presenteados com um aperitivo, seguindo depois para a sala onde decorreu o almoço con-

vívio, oferecido pela Junta de Freguesia. A sala era confortável e a decoração luxuosa quanto baste. Iniciado o repasto, a azáfama foi grande à volta dos empregados e do lombo assado, entretanto servido. Já com a digestão meia feita, deu-se início ao segundo campeonato de tiro à lata, que contou com a participação de excelentes atiradores e atiradoras de fazer inveja aos que se dizem craques... Mal ouviram-se os primeiros acordes do músico presente, os jovens de Nogueira não se fizeram rogados e deram corda aos sapatinhos, revelando tratarem-se de verdadeiros dançarinos! Após um dia de intensa actividade, no qual houve tempo também para ouvir os poemas sempre bairristas da D.ª Zulmira, estes jovens de muita idade ouviram ainda os representantes da autarquia fazer votos para que este evento se repita por muitos mais anos. Afinal, nem só de obras vive o homem! Antes do regresso , quase todos

aconchegaram o estômago com uma boa fatia do enorme bolo que todos fitavam desde o início da tarde. Com muita chuva (sim, porque S. Pedro

não brinca quando está de serviço) lá partiu a comitiva em direcção a Nogueira, porque “para lá do Marão, mandam os que lá estão”.


FREGUESIAS

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

21

Vieira de Carvalho inaugura empreendimentos em Milheirós

“Mais palavras para quê?” “Mais palavras para quê?”. Foi deste modo que Vieira de Carvalho concluiu a sua intervenção depois de ter inaugurado, no passado dia 13, várias iniciativas levadas a cabo pelo seu executivo, tais como, o loteamento do Monte Penedo, o lançamento da primeira pedra do futuro Centro Sócio-Desportivo e da sede social do Inter de Milheirós, o espaço da Criança Diferente/Associação de Amigos, entre outras. António Armindo Soares

Crianças e educadoras do mais recente colégio da Maia

Crianças agradecidas a Vieira de Carvalho

Vieira de Carvalho recebe placa alusiva ao evento

Lançamento da primeira pedra da sede do Inter de Milheirós

Infantil de Milheirós emprestava ao acto, Vieira de Carvalho, acompanhado de destacadas personalidades do concelho, começou por dizer estar “muito feliz, porque foi possível fazer o que fizemos, que creio é uma marca a vários propósitos. Uma marca, que é a resposta a grandes preocupações”. Sobre o empreendimento do Monte Penedo, disse ainda que “marca com sentido de excelência do nosso urbanismo, e a grande preocupação fundamental traduzida no nosso empenho, total, na habitação social”. A concluir, o autarca sublinhou as iniciativas inauguradas com uma simples expressão: “Meus caros amigos, eu queria terminar com uma quase interrogação, porque não chega

ACORDOS COM:

O loteamento municipal do Monte Penedo, em Milheirós, composto de 162 habitações, foi inaugurado, após de há um ano ter sido ocupado pelos seus inquilinos, por Vieira de Carvalho, num dia dedicado a inaugurações, quase todas elas junto a esta urbanização. A segunda iniciativa que o presidente da Câmara da Maia ‘estreou’ foi o Colégio Novo da Maia. depois foi a vez da primeira pedra da sede social do Inter de Milheirós; a Loja da Juventude; a extensão da Junta de Freguesia - Pólo 2; e o Centro de Actividades Ocupacionais da “Criança Diferente/ Associação de Amigos”. Num palco instalado junto às modelares habitações, e ‘engalanado’ com o colorido que o Rancho Folclórico

oì~=båÖK⁄=cêÉÇÉêáÅç=räêáÅÜI=OSSR=√=jçêÉáê~=J=QQTM=j~á~ qÉäK=OO=VQM=SN=OM=√=c~ñ=OO=VQM=SN=NU

• ARS - Ministério da Saúde • PT - Portugal Telecom • Ministério da Justiça • Anjos da Noite • Advance Care • ADSE • CGD • CTT • SAD - PSP • Petrogal • SAMS

bem a sê-lo: mais palavras para quê?”. Antes de Vieira de Carvalho, tinha usado da palavra o vereador António Domingos Tiago que em relação ao loteamento social, disse tratar-se de um empreendimento “de referência, onde a qualidade urbana e ambiental, o rigor estéctico e o bom gosto são uma marca dominante neste bocado de território maiato”. Continuando, o autarca é da opinião de que uma obra pública “deve ser sempre e assumidamente uma intervenção exemplar, que sirva de espelho, de modelo para outras atitudes sejam elas públicas ou privadas. Julgo que aqui isso foi conseguido”. Algo feliz estava o presidente da Junta de Freguesia de Milheirós, Alfredo

CONSULTAS MÉDICAS Cardiologia • Cirurgia • Cirurgia Vascular • Clínica Geral • Ginecologia • Medicina Dentária • Medicina Interna • Nutrição • Obstetrícia • Oftalmologia • Ortopedia • Otorrinolaringologia • Pediatria • Pneumologia • Psicologia • Psiquiatria • Urologia ANÁLISES CLÍNICAS Laboratório Fleming Torrinha

Santos Teixeira, por estas novas realidades na sua localidade. “Milheirós a partir de agora, é muito mais rica. Este empreendimento dotou a freguesia de infraestruturas tão importantes de que estava carenciada, destacando a habitação social, que permitiu o alojamento de cerca de duas centenas de famílias”. O autarca mostrou também agrado pela fixação das outras realizações também inauguradas. Mas ao MAIA HOJE, Alfredo Teixeira, frisou que o Pólo 2 “vai dar um contributo às pessoas deste local, porque vai permitir que possam resolver aqui assuntos sem se deslocar à sede da junta, tal como o recenseamento eleitoral”. APOIO ÀS EMPRESAS Medicina do Trabalho (temos unidade móvel) • Higiene e Segurança do Trabalho (Medição e avaliação de ruído nos locais de trabalho, ambiental e das condições de trabalho nas empresas como factores de luminosidade, poeiras, gazes, etc...) • Medicina Curativa • Assistência a acidentes de trabalho (Todas as companhias de seguros)

ANATOMIA PATOLÓGICA • ENFERMAGEM • ELECTROCARDIOGRAMAS • AUDIOGRAMAS


22

SOCIEDADE

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Um novo projecto único e pioneiro em Portugal

Maia tem loja de charutos! Os amantes do charuto têm agora um novo espaço, único e pioneiro no país, situado na loja da Newscenter, instalada no Jumbo Maia. Esta iniciativa vem responder aos anseios dos amantes do fumo, e tem também um lugar próprio de discussão, apreciação e contemplação. Na abertura esteve presente um fiel apreciador, Vieira de Carvalho, que classificou o estabelecimento de «um ponto de referência de todo o Norte do país». António Armindo Soares

«Após uma análise realizada, denotamos que existia uma carência não só num espaço onde houvesse toda a diversidade de charutos, mas principalmente o seu complemento. Aqui nesta loja os apreciadores podem desfrutar de uma forma íntima e recatada, porque têm ao seu dispor uma sala de fumo, onde conjuntamente com o prazer do charuto, tem também o prazer de saborear uma bebida devidamente seleccionada que se enquadra perfeitamente com a arte do charuto», explicou o proprietário da Newscenter, Jorge Oliveira. Como fumador especial, o apreciador do charuto, «exigente e elitista» e que exige qualidade, «por isso, a nossa loja está aqui para lhe proporcionar qualidade», garante Jorge Oliveira, e sublinha a genuínidade do projecto de que «é único em Portugal, com um humidificador, que é um espaço hermeticamente fechado, onde temos um dispositivo mecânico e informatizado que mantém uma

temperatura e grau de humidade estáveis. Estamos perante tecnologia de ponta». Jorge Oliveira tem também a perspectiva de criar um Clube Vip, destinado a propiciar relações de proximidade com os fumadores desta arte. Vieira de Carvalho associou-se à abertura do novo espaço e confessa ser «um apreciador de charutos há muitos anos. Actualmente fumo dois charutos por dia». «Sou de facto um apreciador e sou esquisito na qualidade e no gosto», afirma. E disse que que vê «com muita alegria a abertura desta loja aqui neste local», referindo que marca «um ponto de referência de todo o Norte do país para quem tem o hábito de fumar charutos e que até agora não tinha, no Porto, uma loja com qualidade e com a diversidade que lhe permitisse uma escolha capaz dos charutos». Este espaço, no plano futuro, vai ter a realização de prova de vinhos, com etnólogos.

A arte de enrolar charutos

Vieira em conversa com proprietário Jorge Oliveira

Uma nova pastelaria e pão quente

‘Doçura da Maia’ um espaço modelar A ‘Doçura da Maia’ é um espaço comercial destinado à pastelaria e pão quente. Recentemente foi inaugurado e está dotado de instalações modelares, equipado com maquinaria totalmente nova. As suas instalações são adequadas ao convívio, sempre previlegiando o encontro de famílias e amigos. António Armindo Soares

«A área onde o meu estabelecimento está situado estava a necessitar de um estabelecimento deste género, pois o fabrico de pastelaria e pão quente fica agora prenchido e é o garante de boa qualidade e um atendimento personalizado», salientou ao MAIA HOJE, o proprietário da ‘Doçura da Maia’, Rui Nogueira. Uma presença atenta na inauguração deste estabelecimento foi a de Vieira de Carvalho, que elogiou o investimento, e disse que este «é mais um espaço de lazer, destinado também ao tempo livre» e um óptimo local para se tomar um café. Também esteve o vereador Bragança Fernandes que apreciou a elegância das instalações. «Para nós, comerciantes, é importante este estímulo e a presença dos nosso

presidente da Câmara Municipal na inauguração, pois tem grande importância para que sintamos o seu apoio e carinho», confessa Rui Nogueira. Para corresponder à refeição rápida, há almoços económicos, como também uma das especialidades, a ‘Francesinha’ «que será uma das apostas fortes da casa». «Essencialmente vamos apostar na qualidade e no bom atendimento, sempre com uma palavra amiga para cada cliente. Somos gente da Maia, gente hospitaleira que tem o bom gosto de receber. Assim, quem cá entrar sairá mais contente», garante o proprietário da ‘Doçura da Maia’. Este acolhedor estabelecimento está situado no nº 428 da Rua da Lage, em Vermoim, quase esquina com a Rua Augusto Simões.

Rui Nogueira ao centro com a sua equipa

Carta de apelo chega à redacção do “Maia Hoje”

Doente de Caldas de S. Jorge pede ajuda Sofia Vales Pinto

António Óscar Ferreira Lopes conta já 50 anos de idade. Com problemas na coluna e no estômago, tem ainda complicações a nível pulmonar (bronquite) e a nível cardíaco.

Inválido e na miséria (usufrui mensalmente de apenas 36.000$00), recorreu ao nosso jornal para divulgar a dura realidade em que vive, lançando assim um pedido de ajuda.

Na carta que nos enviou anexa um atestado da Junta de Freguesia de S. Jorge que comprova a premente necessidade deste em obter próteses dentárias.

Os donativos devem ser enviados para António Óscar Ferreira Lopes, para a seguinte morada: Rua Nova nº159, Lugar da Sé, 4505-689 Caldas de S. Jorge.


BOLSA DE EMPREGO

24

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

A mais completa Bolsa de Emprego do Concelho está neste jornal. Toda a oferta Concelhia de emprego pode ser consultada e inserida de forma gratuita nesta página especial. Um exclusivo local “Maia Hoje”.

BOLSA Empresa de Construção Civil com sede na Mai admite:

de

EMPREGO

Empresa multinacional na prestação de serviços necessita para a Delegação da Maia

VENDAS POR CATÁLOGO

MOTORISTA

Consultora Comercial

PRETENDESE PESSOAS PARA DESENVOLVER E LIDERAR REDE VENDAS COSMÉTICOS POR

PRECISA-SE DE COSTUREIRAS E FERRO

Contactar para: 22 944 41 78 • 22 944 41 59

Contactar através do telef.: 96 294 45 83

Contactar: 22 948 85 05 • 91 47843 50

UNIFARDAS

VENDEDORES DE PUBLICIDADE

VENDAS POR CATÁLOGO

COM CARTA PESADOS Exige-se: • Experiência em manobrar retroescavadoras • Idade entre 25 e 40 anos

VENDEDOR/A Requisitos:

Oferece-se

4 Experiência em vendas 4 Responsável e dinâmico 4 Idade até 35 anos 4 Viatura própria

4 Bom ambiente de Trabalho 4 Formação e apoio constante 4 Base de 120 000 Esc. + Comissões + prémios por objectivos 4 Integração nos quadros da

(Part-time / Full-Time) Excelentes condições, trabalho em equipa altamente motivada, possibilidade de ganhos elevados.

Pretendemos Senhoras para desenvolver e liderar rede de vendas por catálogo.

Contactar pelo telefone: 22 944 22 81

Contactar Telef. 22 947 62 62

Contacto: 96 273 73 84

SERRALHARIA NOVA VIDA

MAIA - Empresa sediada na Maia admite para diversos departamentos

VENDEDOR COMISSIONISTA

SERRALHEIROS E APRENDIZES P/ALUMÍNIO Rua Prof. António Marques, nº 290 4425-364 Folgosa Maia Tel. 22 982 48 80

12 PESSOAS 6 COMERCIAIS

• • • • •

Boa Apresentação Disponibilidade Com ou Sem Ecxperiência Com ou Sem Viatura Mínimo garantido 100.000$00

(para quem cumpra as condições Contacte: 22 943 28 07

PARA TRABALHAR COLECÇÃO DE MALHAS EXTERIORES PRONTO MODA VIATURA PRÓPRIA ZONA GRANDE PORTO Contactar: Tel. 22 955 25 11

ELECTROFUNCIONAL Jovem dinâmico, com carta, para reparações de

CONDIÇÕES PREFERENCIAIS 4 Boa apresentação 4 Idade entre 24/35 anos 4 Formação académica 9º a 12º 4 Fluência em inglês (falado e escrito) 4 Carta de Condução 4 Forte sentido de responsabilidade 4 Capacidade de comunicação

OFERECEMOS: 4 Estabilidade de Emprego. 4 Vencimento base+prémios+comissões. 4 Integração em empresa sólida. 4 Perspectivas de progressão na carreira. 4 Viatura de serviço

Respostas acompanhadas por «Curriculum Vitae» e fotografia actualizada para: Rentokil Initial Portugal - Zona Industrial da Maia 1 Sector II, Lote 116 Gemunde • 4470 Moreira da Maia • Tel. 229 481 371 - Fax 229 481 381

AJUDANTE DE COZINHA (M/F) Com experiência, para restaurante na Maia, ordenado acima da média. Contacto: 22 948 08 63 • 93 248 08 63

Estamos a recrutar para entrada imediata

Técnicos/as de Redes Estagiários/as Perfil: - Formação Superior (Nível IV/V - Engenharia de Sistemas, Informática e afins...); - Domínio de Inglês e Informática; - Disponibilidade; - Boa apresentação e facilidade de relacionamento inter-pessoal Oferece-se: - Estágio profissional e entrada posterior para os quadros da empresa; - Projectos aliciantes de implementação das mais recentes tecnologias em empresas de média e grande dimensão; - Formação contínua e certificações profissionais; - Gradual aumento de responsabilidades na administração de redes. Envie o seu C.V. e razões de candidatura para recrutamento@redman.pt

Telefone: 22 949 05 90 Nogueira - MAIA

Contacto: Drª. Isabel Lobo Famalicão | tel: +351 252 301 705 | fax: +351 252 301 708

UNIVA - SERVIÇO GRATUITO

UNIVA - SERVIÇO GRATUITO

Se é Jovem e Procura:

Se é Empresário e precisa:

Emprego, Curso de Formação Profissional, elaboração de curriculum, preparação para entrevista de emprego ou orientação profissional. Complexo Municipal Casa do Alto Rua António Simões - 4425-619 Pedrouços - Maia Telef. 22 905 95 20 • Fax 22 906 08 02 St. Casa da Misericórdia da Maia - Intervenção

Empregados para trabalhar Contacte-nos Complexo Municipal Casa do Alto Rua António Simões - 4425-619 Pedrouços - Maia Telef. 22 905 95 20 • Fax 22 906 08 02 St. Casa da Misericórdia da Maia - Intervenção

GESTÃO E TURISMO Tenho o meu Bacharelato em Gestão de Empresas Turísticas. Procuro a oportunidade de desempenhar uma função na minha área. Sou motivada, responsável e consigo trabalhar tanto em grupo como individualmente.

Contacto: 22 952 50 19


CLASSIFICADOS

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Ensino

25

Jornal Maia Hoje • 26 de Outubro de 2001

TRIBUNAL JUDICIAL DA MAIA 4º Juízo Praça do Município 4470-202 Maia • Telef. 22 943 89 00 Fax 22 944 44 73

ANÚNCIO Processo: 436/2001 Carta Precatória (Distribuída) Extraída dos autos de Execução Ordinária, Processo nº 4122/01 Do Porto - 9ª Vara Cível - 1ª Secção Exequente: Banco BPI, SA Executado: FELIX DA COSTA

CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL, LDA. ACÇÕES DE FORMAÇÃO (PÓLO da MAIA) FORMAÇÃO INICIAL DE FORMADORES (96 Horas) - 70.000$00 (em duas vezes) 08 Novembro a 29 de Janeiro (Terças e Quintas das 19H00 às 22H00 e Sábados das 10H00 às 13H00) O EURO E A ACTIVIDADE COMERCIAL (15 Horas) - 45.000$00 15 Dezembro a 4 de Janeiro (Sábados das 10H00 às 13H00) ORG. SERVIÇOS DE SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO (30 Horas) - 50.000$00 15 Dezembro a 4 de Janeiro (Sábados das 10H00 às 13H00) INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES: Rua Dr. Germano Torres, 98 - Gueifães - 4470-049 MAIA Telefone 229 481 259 • Fax: 229 436 989 • Drª Sílvia Coelho URL: htto://www.cenfes.pt • E-mail: cenfes@cenfes.pt

Imobiliária

É fiel depositário, LUCIANO SEABRA FERNANDES, residente na Rua Professor Andrade nº. 488 -

vende-se

jlo^af^=Q=cobkqbp j^f^

sbkal=bu`bibkqb jlo^af^=bj=drbfcÍbp

rë~Ç~K=aÉ=êLÅ=É=N⁄=~åÇ~êI=R=èì~êíçëI=N ë~ä~=ÅL=QMãO=É=ä~êÉáê~K=žêÉ~ë à~êÇáå~Ç~ëK=mÉä~=ìêÖÆåÅá~= € OPNKVQNIMO=J=QSKRMMÅKK=mêçÅW=ORT

`L=P=ÑêÉåíÉë=êLÅÜ©çI=N⁄=~åÇ~ê=H Éëí∫ÇáçI=Åçã=Ö~ê~ÖÉã=É=~êêìãçëK þéíáãç=Éëí~Çç=ÅçåëÉêî~´©çK _çã=éêÉ´ç>

mobaf^iqfkl===

Nos autos acima identificados foi designado o dia 19-11-20001, pelas 14:00 horas, neste Tribunal, para abertura de propostas, que sejam entregues até esse momento, na Secretaria deste Tribunal, pelos interessados na compra do(s) seguinte(s) bem/bens: Fracção autónoma, designada pela letra “B”, correspondente a um estabelecimento comercial, composto por um salão amplo, com instalações sanitárias, e logradouro no fundo, no rés-do-chão, lado poente, com entrada pelos nºs. 138 e 144, do prédio urbano sito na Rua Campos Verdes, Freguesia de Moreira, Concelho da Maia, descrita na Competente Conservatória do Registo Predial da Maia, sob a ficha nº. 00333/080488-B, da freguesia de Moreira, e inscrita na respectiva matriz predial urbana sob o artigo 1.671-B, e penhorados ao Executado FELIX DA COSTA, residente na Rua Campos Verdes, 132, Moreira da Maia, 4470 MAIA,

Maia, 09-10-2001 N/Referência3: 287002 O Juiz de Direito, Nuno Miguel Jesus L. O Oficial de Justiça Manuela Lemos 3

Solicita-se que na resposta seja indicada a referência deste documento.

if`K=UL^jf

qÉäK=OO=VQN=PN=VT

`çåí~Åí~êW=VN=QOR=SR=SR

sbkal ^m^oq^jbkql=qP

qO=J=mo^f^=ab i^_ordb

`L=O=ÑêÉåíÉë=Eå~ëÅÉåíÉ=É=éçÉåíÉFI ãçÇÉêåçK O=î~ê~åÇ~ëI=ÅçòáåÜ~=Éèìáé~Ç~=É=Åçã Ö~ê~ÖÉã=áåÇáîáÇì~ä=é~ê~=O=Å~êêçëI=åç ÅÉåíêç=ÇÉ=dìÉáÑ©ÉëJj~á~K `çåí~Åí~êW=VN=QOR=SR=SR

sáëí~ë=é~ê~=ç=ã~êI=~ãéä~ë=•êÉ~ëI=OïÅI ä~êÉáê~I=î~ê~åÇ~=É=Ö~ê~ÖÉãK

`çåí~ÅíçW=OO=VOU=QR=VV=L=VP=VON=PM=UR

Vende-se obk^riq=OR=quf=ifjlrpfkb NVVNI=bëí~Çç=ê~òç•îÉäK=^ê=ÅçåÇáÅáçå~ÇçI=îáÇêçë=Éä¨ÅíêáÅçëI=ÑÉÅÜç ÅÉåíê~äáò~ÇçI=~ä~êãÉI=ÉëíçÑçë=Éã=ÅçìêçI=Ä~åÅçë=Éä¨ÅíêáÅçëI ëáåíÉíáò~Ççê=ÇÉ=îçòI==ÉëéÉäÜçë=êÉíêçîáëçêÉë=Éä¨ÅíêáÅçëI=ÉëéÉäÜçë ÅçêíÉëá~=áäìãáå~ÇçëI=Åçãéìí~Ççê=ÇÉ=ÄçêÇç=É=äìò=ÇÉ=äÉáíìê~=~íê•ëK NOMM=ÅíëK

Diversos % TÍTULO

S O UIT

TEXTO

T A GR VEÍCULOS

`çåí~ÅíçW=VN=QRM=VM=TT

Diversos

CARTAS DA MAIA

e de etiquetas rande Variedad

“EIFA”

G

diferentes is de 300 séries

Loja de coleccionismo

Ma

Solicite catálogo grátis

Centro Comercial Visconde de Barreiros: Trav. Dr. Carlos Felgueiras, 12, 1º - Loja 33 - 4470-158 Maia Telef/Fax 22 948 56 81 • Telm. 93 662 00 39

RECEPÇÃO DE PUBLICIDADE ^ k²k`fl

NOME MORADA LOCAL TELEF.

ENSINO

IMOBILIÁRIA

EMPREGO

DIVERSOS

Alugueres Vendas Outro

Ofertas Procuras

Compras Vendas Outros

C.P.

• Preencha o quadriculado com o texto que pretende ver publicado. Cada letra deve ocupar um espaço e entre palavras deverá ser deixado um espaço livre. • Depois de devidamente preenchido deverá ser enviado por fax ou via e-mail para:

JORNAL MAIA HOJE Rua dos Altos, Edifício Arcada, loja 10 - 4470-235 Maia Telefone 22 947 62 62 • Telefax 22 947 62 63 E-mail: maiahoje@mail.telepac.pt IMPORTANTE: O Jornal Maia Hoje, reserva-se o direito da não publicação do anúncio caso exista violação do Código da Publicidade ou caso falte a indicação do nome, morada e telefone do anunciante.

Diversos

RM= `^o^`qbobp do^qrfql ` i^ppfcf`^alp L=` ljmo^ b s bka^ b jmobdl L ^ rqljþsbfp L=f jl_fifžofl L= bq` K

mol`bpp^jbkql=ab=qbuql=`lj=nr^ifa^ab

oì~=Ççë=^äíçëI=bÇáÑ∞Åáç=^êÅ~Ç~I=äçà~=NM=J=QQTM=J=OPR=j~á~ qÉäÉÑçåÉ=OO=VQT=SO=SOLQ=√=qÉäÉÑ~ñ=OO=VQT=SO=SP=√=bã~áäW=ã~á~ÜçàÉ]ã~áäKíÉäÉé~ÅKéí

`çåí~ÅíçëW=VS=SMS=MS=VP=√=OO=VQN=MO=NN

^q°

båîá~ê=éçê=ÉJã~áä=çì=Ñ~ñK=mê~òç=äáãáíÉI=íÉê´~ëJÑÉáê~ëK

`~Ç~=ÑçäÜ~=^Q=ëμ=PMMAMM


ÚTEIS/PASSATEMPOS PLANETÁRIOS PARA O NOVO

MILÉNIO

por Professor KHARDAN (USA)

CARNEIRO 21

DE

MARÇO

A

21

DE

ABRIL

Os deste Signo, ou são tudo ou nada ! Não são de meias palavras! Ninguém os consegue mover, quando trazem qualquer projecto na cabeça - mesmo que aparentemente seja de alto risco. O seu radar intuitivo, parece protegê-los nas horas das grandes decisões. Eles, não esperam que o sucesso venha ao seu encontro! Lutam, lutam até o encontrar. Boa ligação com Capricórnio.

TOURO 21

DE

ABRIL

21

DE

MAIO

MAIO

A

21

DE

JUNHO

As mulheres deste Signo, mesmo em férias ou passeio, costumam levar o seu trabalho do emprego às costas. E, agora muito mais com as novas tecnologias. Elas, sempre ocuparam um lugar de destaque, tanto na família como na sua profissão. Quanto aos homens, são muito impulsivos interiormente, não estando por vezes em conecção com as pernas e braços, chegando a atingir a saturação por fazer sempre a mesma coisa.

CARANGUEJO 22

DE

JUNHO

22

A

DE

JULHO

Parte dos que pertencem a este Signo, abandonam a comodidade da sua casa para se dedicarem a ideologias e práticas religiosas, contando sempre com a ajuda da mão Divina e promoção social. Sobretudo os homens, e que gostam de futebol, chegam ao ponto de estragarem as suas carreiras, convencidos (...) que um dia ganharão no “soccer” tanto dinheiro como o Figo. Boa ligação com o Capricórnio.

LEÃO 23

DE

JULHO

A

22

DE

AGOSTO

Nem sempre a liderança é sinónimo de triunfo. Este é o aviso para os deste Signo. Nunca tentes atropelar os outros, só porque te sentes superior a eles. A tua insatisfação de teres prejudicado alguém, que te era muito fiel e amigo, tira-te alguma energia de Leão, que te virá a fazer muita falta para os normais embates e dificuldades da vida. Aprende a graduar os teus impulsos! Ajudar os outros, é estarmos de bem com a nossa consciência, sendo salutar e prolonga-nos a vida.

VIRGEM 23 AGOSTO

22 NOVEMBRO

A

As pessoas (homens mulheres e crianças) que pertencem a este Signo, são de uma extraordinária vitalidade e imaginação. O seu mundo interior, é tão forte, que passa despercebido pela maioria. Por um lado até será bom. O facto do seu sucesso chegar tarde, é sintoma de que não soube aproveitar todas as suas potencialidades no devido tempo. Só que, esse desconhecimento veio por bem. O sucesso tardio veio para durar anos! Boa relação com Escorpião e Gémeos.

SAGITÁRIO

GÉMEOS DE

ESCORPIÃO 24 OUTUBRO

A

Não te podes queixar até ao começo deste inverno de 2001.Muitas coisas emperradas conseguiste levá-las a bom caminho. Os nativos deste Signo, que lidam com dinheiro palpável, têm uma rara intuição de fazer parir. É de admirar, como o Carneiro, consegue disfarçar quando o infortúnio lhe bate à porta. Pode ter o coração “despedaçado”, que a sua cara mostra que tudo corre às mil maravilhas. Ligação óptima com Leão. 22

deste ano de 2001.Óptimos resultados o esperam até Dezembro. Mas, cuidado! Todo esse bem estar recebido neste inverno, tem de ser acompanhado com muita disciplina. Não fujas do esquema das boas acções. Lembra-te que a mente é o motor do teu corpo! Evita meter na cabeça, assuntos passados. O que passou , passou. Não desperdices as lágrimas! Elas existem nos olhos também para os momentos de alegria.

A

23 SETEMBRO

Todos sabem, que os Virgianos são pessoas dadas à boa paz. Para eles, esta guerra cirúrgica do Afeganistão já tinha acabado. Eles sofrem com o sofrer dos outros. De realçar que todos deste Signo, desde o passado 11 de Setembro, (data monstruosa para os americanos) parte, sente-se deprimida, recorrendo alguns à assistência de psicólogos. O Virgem, refugia-se no seu recanto, depois de ter cometido uma boa acção. Gosta pouco de fazer alarde do bem que fez. Óptima ligação com Aquário.

BALANÇA 24 SETEMBRO

A

23 OUTUBRO

Os nativos deste Signo, deixaram de lado todos os problemas até ao meio

23 NOVEMBRO

21 DEZEMBRO

A

Tudo te correu bem conforme os teus desejos até este mês de Outubro de 2001.Este Signo regido por Júpiter, consegue quase sempre realizar aquilo que imaginou. No seu quotidiano, raramente, se, se esforçar conforme as regras, és sempre bem sucedido. Mas, não te esqueças, que, o que é bom é de pouca dura. Sabe aproveitar a onda. Pensa que o Natal está à porta. Põe algum dinheiro de lado, para na altura não deitares as mãos à cabeça .Uma recomendação às senhoras. Pelo facto de serem mais quentes, evitem roupas interiores de Nylon neste inverno.

CAPRICÓRNIO 22 DEZEMBRO

A

20 JANEIRO

Se, tens mais de 50 primaveras, o que foi de mau para ti, já passou. Se estás a acabar a formatura, agora é que a guerra vai começar. Falo em guerra, porque a vida é mesmo isso que escrevo. Só que nos diversos combates, não há sangue. Mas, há palavras que ferem mais que uma bala. Tens de lutar muito! Isso podes fazê-lo sem desfalecimento, porque tens imaginação e energia para levantar montanhas. Evita o grande defeito dos Capricornianos. Não sejas tão desconfiado!

AQUÁRIO 21 JANEIRO

A

19

DE

FEVEREIRO

Não tenhas medo de dares o primeiro passo, numa nova iniciativa. Lembra-te que os medrosos ficaram estagnados na vida. Leva para a cama, o que de difícil se apresenta para ti. Escreve uns apontamentos para não esqueceres o que de bom poderás fazer. Nunca te deixes levar pelos falsos astrólogos e cartomantes. Até hoje, (e já lá vão 68 ) me deram provas reais de adivinhação. É tudo uma maneira de ir aos bolsos dos incautos.

PEIXES 20 FEVEREIRO

A

20 MARÇO

No que concerne à invenção e criação, os deste Signo, são extremamente fortes. No entanto, rodeiam os que estão dentro dessas mesmas invenções ou realizações, com medo de atingirem a liderança, mesmo assim são uns óptimos colaboradores. Eles utilizam a sua linha intuitiva quase paranormal para conseguir os objectivos arquitectados - o que sempre conseguem. Têm uma consciência tranquila, porque sabem, que mais dia ou menos dia, passam de alunos a professores.

Palavras Cruzadas 1

mol_ibj^=k⁄=QN

2

3

Palavras Cruzadas 4

5

6

7

8

9 10 11

1 2 3 4

Colaboração de: Francisco Assis Assunção Alves

5 6 7 8 9 10 11

eçêáòçåí~áëW 1- Pedaço de bacalhau ou figado. Acampamento onde existe o issencial ao fim a que se destina. 2- Ave pernalta africana. 3- Espécie de albufeira. Qualquer quadrúpede que serve para a alimentação do homem. 4- Larva do carapanã, “eosquito”, que penetra na pelo do homem e dos outros animais. Preposição designativa de posse. 5- Doçura (Fig.). Moeda única da União Europeia. 6- Rio Italiano que banha Turim. Rádon (s.q.). 7- Vestimenta usada, sobre a armadura, pelos cavaleiros medievais. Particula que, no antigo dialecto do Norte de França, significava “Sim”. 8- Prefixo designativo de negação. Espécie de tecido acinzentado. 9- Prólogo duma composição dramática, destinada a captar a benevolência dos espectadores. Pequena argola. 10 Barrete moirisco. 11- Deusa grega, rainha do Olímpo, mulher de Zeus. Relativo ao eixo duma planta.

1- Lavram. Rosto. 2- Eternidade. 3Lista. Sinal ortográfico que anasala a vogal a que se sobrepõe. 4- Quinta letra do alfabeto Sânscrito, da lingua sagrada dos Brâmanes do Indostão. Nódoas que aparecem no rosto, em certos estados patológicos ou fisiológicos. 5- Apertar com nós. Trabalho. 6- Nesse lugar. Prata (s.q.). 7- Unidade de pressão atmosférica. Solicita à Divindade. 8Paraíso terreal. Quarenta e nove romanos. 9- Redução popular, em próclise, de senhor. Prefixo designativo de opolência. 10- Rata. 11- Repouso causado pelo adormecimento dos sentidos. Esponja vegetal.

SOLUÇÕES: HORIZONTAIS: 1- Isca. Base. 2- Tua. 3- Ria. Rês. 4- Oura. De. 5- Mel. Euro. 6- Pó. Rn. 7- Cota. Oil. 8- In. Gris. 9- Loa. Elo. 10- Fez. 11- Hera. Áxil. VERTICAIS: 1- Aram. Cara. 2- Evo. 3- Rol. Til. 4- Iu. Pano. 5- Atar. Afã. 6- Aí. Ag. 7- Bar. Reza. 8- Édem. Il. 9- Seu. Oso. 10- Rói. 11- Sono. Lufa.

PROGNÓSTICOS

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

sboqf`^fp

26

Cinemas Cinemas Cinemas Cinemas Cinemas Cinemas j^f^pelmmfkd= Tel. 22 977 04 50 • Fax 22 972 45 37 >Semana de 24 de Agosto a 30 de Agosto >Todos os filmes têm inicio 10 minutos após a hora marcada SALA 1 ........Cap. Corellis Mandolin (M/12) 13:15; 15:50; 18:40; 0:00; 21:25; 00:15 SALA 2 ....................American Pie 2 (M/16) 14:10; 16:40; 0:00; 19:00; 21:30; 23:50 SALA 3 ..................Hora de Ponta 2 (M/12) 13:20; 15:20; 17:25; 19:30; 21:35; 23:55

SALA 4 ............Operação Swordfish (M/12) 13:55; 16:00; 18:05; 20:10; 22:15; 00:25 SALA 5 ............Inteligência Artificial (M/12) 0; 15:00; 18:15; 0:00; 21:40; 00:35 SALA 6 ..............Velocidade Furiosa (M/12) 14:45; 0:00; 17:10; 19:40; 22:20; 00:45 SALA 7 ..................Moulin Rouge (M/12Q) 13:45; 16:25; 0:00; 19:05; 21:50; 00:30 SALA 8 ..........Coração de Cavaleiro (M/12) 0; 16:20; 0:00; 19:10; 21:55; 00:40 SALA 9 ................................Taxi -2 (M/12) 13:30; 15:40; 18:00; 20:05; 22:10; 00:20

SALA 10............O Diário da Princesa (M/6) 13:40; 16:10; 18:50; 0:00; 21:20; 00:00 SALA 11 ....Mistérios do sexo oposto (M/12) 14:20; 0; 17:00; 19:20; 21:45; 00:05

`bkqo^i=mi^w^ Tel. 22 940 64 86 SALA 1 ................Profissão de Risco (M/16) SALA 2 ............Coração de Cavaleiro (M/2)

Descubras as 7 diferenças!


Maia Atlético Clube

pág. 28

O regresso do Treinador de Bancada

pág. 29

Ducatti no Maiashopping

pág. 33

Mattssons Cup Kart

pág. 34

Hyundai Matrix

pág. 35


28

DESPORTO

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Maia Atlético Clube

Um clube para o futuro Fundado em Junho de 1984 e com um 4º lugar obtido no Campeonato Nacional da I Divisão, o Maia Atlético Clube sofreu nos anos seguintes uma paragem no tempo. Agora, relançado o projecto os responsáveis só querem pensar em vitórias e em êxitos nas provas futuras. Miguel Ângelo Machado

Na presença do vice-presidente da CM da Maia e vereador do Pelouro do Desporto, Bragança Fernandes, José Pedrosa, chefe de divisão do Fomento Desportivo, José Regalo, presidente da Direcção do Maia Atlético Clube (MAC), Sousa Magalhães, vice-presidente da Associação de Atletismo do Porto e de cerca de três dezenas de atletas, foi apresentado na passada quarta-feira o Maia Atlético Clube. Depois de nos últimos anos, o MAC ter estagnado no tempo, com a passagem por uma fase de remodelação, de definição dos objectivos e da escolha dos elementos directivos mais capazes para levar avante o projecto, o referido clube de atletismo surge agora com uma imagem renovada, com objectivos ambiciosos e com o credenciado José Regalo, Jorge Silvério Gonçalves, homem ligado há muitos anos ao atletismo e João Campos, treinador de Fernanda Ribeiro, envolvidos no projecto. Segundo o principal responsável pelo projecto, José Regalo, ex-atleta internacional, as metas a atingir pelo MAC passam por «cimentar a posição do clube no atletismo nacional e internacional, através de uma equipa de competição, a criação de uma escola de atletismo, a organização de eventos desportivos de qualidade superior e a promoção nacional e internacional da cidade da Maia». Em termos competitivos o MAC pretende participar em todas as provas do calendário nacional de Estrada, Corta Mato e Pista «com o objectivo de subida ao pódio em todos os campeonatos», bem como, inscrever atletas em várias provas do calendário internacional. A criação de um clube de veteranos também consta dos projectos do MAC, bem como a promoção de uma corrida de estrada de nível superior que se denominará de “10 Km da Maia Cidade Olímpica”. Os propósitos mais ambiciosos dizem respeito à prestação que o MAC pretende efectuar nos Campeonatos Nacionais. Desta forma, a classificação por equipas nos três primeiros lugares no Campeonato de Portugal de Atletismo da 1ª Divisão e nos três primeiros lugares do Campeonato Nacional de Juniores de Corta Mato, constituem os anseios desportivos do MAC já para esta temporada. «É muito importante relançar o clube para que este esteja sempre na primeira linha competitiva», adiantou o presidente da direcção do MAC. José Regalo fez questão de

salientar que nem todos os objectivos passam pela competição. «Temos objectivos ligados à formação de jovens, mas também na parte lúdica, dando apoio técnico a todos os que correm sem interesse competitivo na pista da Maia». Bragança Fernandes ouviu atentamente as palavras de José Regalo e gracejou que «a Maia sendo uma terra de vencedores, não pretendemos ficar em terceiro lugar, mas sim na primeira posição». O vereador mostrou-se ainda «muito satisfeito» com o facto de grande parte dos atletas do MAC serem do concelho da Maia, assim como com os directores e responsáveis do clube: «Este clube tem à sua frente pessoas muito capazes e veio para vencer. Penso que devem lutar pelo primeiro lugar e seria bom que fossem buscar a Fernanda Ribeiro para que o grupo de atletas que já é bom, esse objectivo tenha de facto cabeça, tronco e membros. Com esta direcção, este grupo de atletas, com os patrocinadores e com o apoio

significativo da Câmara Municipal e com as instalações de que dispõem, este clube tem todas as condições para que consiga ser um clube de êxito, de progresso e que muito rapidamente venha a ser falado nível de Portugal». Atletas de qualidade Luís Novo, atleta olímpico, 4º no Mundial de Maratona e vencedor da Maratona de Viena 2001, Leandro Lobato, campeão nacional de sub-23 de 100 e 200 metros, Pedro Silva, atleta internacional júnior e campeão nacional de 100 e 200 metros e Pedro Sampaio, igualmente atleta internacional e vencedor este ano dos cinco mil metros no Nacional da 1ª Divisão, são alguns dos atletas de renome que figuram nas equipas de competição do MAC, onde ainda se pode encontrar outros nomes não menos conhecidos do panorama do atletismo português como são: Luís Pinto, José Costa, Cândido Maia, Bruno Miguel, William Loque, Ricardo Nobre, entre outros.

«Temos um lote de atletas que nos dão boas garantias e foi nesse sentido que convidamos as pessoas a abraçar este projecto. Temos ainda alguns jovens que convidamos, que têm um grande potencial à sua frente em várias áreas o que nos leva a ter algumas esperanças de fazermos algumas coisas já neste primeiro ano nas categorias de juniores e sub-23. Estes serão os atletas de futuro e se conseguirmos trabalhar com eles e levá-los o mais longe possível, creio que podemos vir a ter algumas surpresas», apontou José Regalo. Além das instalações, que inclui a cedência da pista do Estádio, dos serviços médicos, transportes, Bragança Fernandes revelou que a autarquia disponibilizará um apoio financeiro anual que rondará os 12 mil contos. A finalizar, todos os oradores lamentaram a ausência de mais órgãos de comunicação social na referida apresentação, que apenas contou com a presença dos jornalistas do Jornal Maia Hoje e da Rádio Lidador.


Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

SEMANA MALDITA Não podia reiniciar da pior forma esta coluna. Logo na semana em que o meu Futebol Clube do Porto perdeu em casa para o campeonato e foi derrotado em Turim, é que o Digníssimo Director deste Prestigiado Jornal se haveria de lembrar de me voltar a convidar a escrever sobre as peripécias do nosso futebol, em particular do meu querido Futebol Clube do Porto. Ora bolas, Bacelar! Mas nem tudo foi mau no final da tarde do passado Sábado. Apesar do resultado desfavorável em casa, coisa que já não acontecia há mais de três anos (aqui é que a surpresa é maior, uma vez que derrotas caseiras são o pão nosso de cada dia para os nossos adversários), eu, que estive, mais uma vez presente, a apanhar toda aquela chuva, não desgostei da exibição da equipa. A equipa teve dinâmica, procurou sempre a baliza do adversário, só que, e a exemplo do que tem vindo a acontecer diversas vezes esta época, não acertou na baliza, uma vezes por azar outras por azelhice. E como se não bastasse uma tarde má para os nossos avançados, eis que até o nosso guarda-redes, que tão bem se tem portado esta época, teve, também ele, grandes culpas no cartório. Já em Itália, e quando tudo indicava que a falta de sorte que nos tem acompanhado em mais uma presença da Liga dos Campeões, estava a virar a nosso favor, eis que em dois lances de bola parada, a recheada equipa de estrelas da “velha senhora” dá a volta ao marcador e resolve o jogo. Mas nada está perdido. Nem no campeonato nem na Liga dos Campeões. Em ambas as competições continuamos a depender apenas e só de nós próprios. E estou convicto que se a equipa continuar a jogar com a vontade que tem demonstrado, os resultados positivos vão aparecer. Relativamente aos outros dois grandes do campeonato. O Boavista começou a época da forma que acabou a anterior, sempre com uma entrega total ao jogo, grande sentido de baliza, duros a defender e com as ajudas dos árbitros quando as coisas não correm melhor. Assim foi, com o Beira Mar, Belenenses, Alverca e agora com o Sporting de Braga. O Sporting, que para mim tem o melhor plantel do campeonato, ainda não conseguiu encontrar um padrão de jogo para tantos bons jogadores com características ofensivas. Espero que demorem muito. Pelo menos entre muros. Graves as últimas declarações do Dr. António Dias da Cunha, presidente do Sporting, que afirmou que os “resultados são fabricados na secretaria”. Seria bom que dessem oportunidade ao Dr. Dias da Cunha de fundamentar as suas palavras. Para bem do futebol português. Pergunta da semana: Será que o fiscal de linha que acompanhou o ataque do Benfica na 2ª parte do jogo Benfica-Gil Vicente é adepto do mesmo clube que o famoso “benfiquista de Valongo”? É que este último também não conseguiu ver o que toda a gente viu num SalgueirosBenfica. ADRIANO FREIRE

REALIZAÇÃO

DE UM

SONHO Contra algumas teorias dos que prognosticavam a queda do Boavista F.C., após a excelente vitória do ano passado, mantém-se a tendência do ano passado, uma equipa coesa, ambiciosa, agressiva e com um espirito de sacrifício do tamanho do mundo, lidera sem mácula a 1ª Liga sem acenos ao treinador e contestações a jogadores, sem pedidos ridículos aos adversários em relação à forma como deverão deixar jogar os seus atletas, uma Direcção com uma organização extremamente profissional, sem dívidas, enfim sem casos e isto como todos sabemos não vende, daí não se poder considerar um dos “ grandes “ do futebol português. O objectivo claro do Boavista F.C. para esta época é o de fazer crescer o seu

TREINADOR

apoio social uma vez que ainda é manifestamente pequeno comparativamente aos outros três. Este crescimento a acontecer não o tornará necessariamente num “grande”, uma vez que se a política que o clube tem vindo a desenvolver em paz e harmonia se mantiver não aguçará o apetite daqueles que procuram os casos, os podres, as vigarices e isto em Portugal ainda é fundamental para se vender e ser “grande”. Afinal cá o crime ainda vai compensando e dando notoriedade. Se ser “grande” é isto então que o Boavista F.C. seja sempre pequeno, ganhando naquilo que os outros na sua enormidade nunca conseguirão, em prol do nosso futebol. JOSÉ BESSA

EDITORIAL

Ele ai está o treinador de bancada 2001/2002. O sucesso da iniciativa que transitou do ano anterior vai continuar, desta feita com maior destaque na página 3 deste “caderno”. Como moderador desta rubrica, antes de mais venho dar as boas vindas ao leitor Sérgio Pinto, um defensor acérrimo do Sporting. Aproveito também a ocasião para enviar a todos os comentaristas deste painel, as nossas saudações de boas vindas para mais uma nova época, desejando que o nível de ideias aqui debatidas sejam elevadas e profundamente desportivas, mantendo o mesmo nível interessante com que finalizamos a época passada. Mas... não deixem de esgrimir ideias e argumentos porque estes são salutares.

TREINADOR DE BANCADA

O FRENESIM PRE-ÉPOCA

29

DA

Num destes dias chuvosos, estava eu à conversa com um amigo Portista, sim, eu tenho muitos amigos Portistas, aliás, a maioria dos meus amigos é Portista, dizia eu que estava à conversa com esse amigo, sobre a bola, o que havia de ser? Como a última vez que nos encontrámos foi nas férias, em Agosto, pusemo-nos a fazer um balanço do que tem sido esta época, quando de repente o meu amigo desata a fazer perguntas, aos berros: - Onde está o Rafael? A estrela do Paços de Ferreira? - Onde está essa estrela Argentina que dá pelo nome de Esnaider? Até aqui foi num tom, digamos de média indignação. O maior grito veio quando se lembrou que o Secretário, o Paulinho Santos, o Vitor Baía e outros fazem parte do plantel do FCP para esta época. O homem estava furioso com a memória dele próprio, porque sendo Portista, já se tinha esquecido que esses jogadores ainda estavam no FCP. Quanto ao Peixe, o Feher e outros foi na serenidade que se lembrou que esses não podem jogar porque o Presidente não se dá bem com o Agente deles, pronto, tem que ser, mas os outros? Perguntava o homem: mas se o Pena não atina com a baliza, porque é que não vai para o banco? Mas afinal para que serve o tal plantel de vinte e tal jogadores? Bom, eu lá tentei acalmar o meu amigo, mas de facto como a última conversa tinha sido no dia da apresentação da equipa, veio-lhe essa noite à memória, e não havia maneira de se calar: -Afinal, se o Deco não está nos seus dias, a equipa vai toda abaixo, -Ponta de lança, temos apenas o Pena. Quando chegou aqui é que tive que lhe dar um copo de água e um calmante, porque o homem caía redondo à minha frente com um ataque de nervos: o Jardel!! Mas afinal o salário de dois ou três dos encostados, chegava para pagar ao Homem, que veio de malas aviadas para o Porto e que marca golos que se farta!!! Perante tal desespero, eu virei-me para o meu amigo e disse: olha pá, esta coisa da bola é muito complicada, se quiseres perceber as estratégias e opções da tua equipa, vai primeiro tirar um curso comercial, porque é disso que se trata. O FUTEBOL É UM NEGÓCIO, ONDE OS GOLOS QUE INTERESSAM, NÃO ENTRAM NAS BALIZAS............. E lá se foi embora o meu amigo, estou certo, com o fervor clubista mais aceso do que nunca, porque senão for este ano, para o próximo é que vai ser.......e assim vai andando o Zé Pagode entretido pelos malabaristas da bola. FERNANDO SOUSA

SPORTING SEMPRE Não podia iniciar esta rubrica, sem antes agradecer ao meu amigo, Artur Bacelar a oportunidade que me dá, de aqui quinzenalmente, escrever algo sobre o nosso futebol e mais concretamente o meu clube, o grande Sporting Clube de Portugal. Para iniciar vamos falar de um desastre acontecido no passado fim de semana, ali para o lado das Antas, que teve como intervenientes o F. C. Porto e o Belenenses, os tais que logo na segunda jornada e após a grande vitória do meu clube sobre o F. C. Porto, nos venceram, o que levou os adeptos e não só do F. C. Porto a virem para cima de nós sportinguistas com frases do tipo: “Nem um pénalti sabem marcar” e “Com esta equipa não vão a lado nenhum”, agora tiveram a nossa resposta em silêncio dada pelos mesmos Belenenses dentro das quatro linhas. Viremo-nos agora aqui para o lado da 2ª circular no passado sábado mais uma vez o homem de preto (agora também de outras cores) voltou a ser vermelho, validou o 1º golo do Benfica, depois de a nova coqueluche do “Dream Team” (quem marca um ou dois golos no Benfica tem esse estatuto de imediato) ter agarrado o defesa do Gil Vicente para cabecear para o golo e de no 2º golo ter feito vista grossa a um fora de logo que só não viu quem não quer. Gostaria agora de fazer um apelo a todos os benfiquistas para na próxima 5ª feira se deslocarem ao Estádio de Alvalade para apoiarem a nossa equipa em mais este jogo da Taça Uefa, pois quanto mais longe chegarmos maiores serão as possibilidades de na próxima época o 6º classificado da 1ª Liga poder estar também presente nas competições da Uefa. E agora o meu Sporting, o grande Sporting, que mais uma vez não consegui ganhar em casa e desta vez com Super Mário em destaque, mas pelos golos que falhou, alguns deles por “não deixarem jogar Jardel”, como alguém disse de um jogador do clube aqui ao lado, que a partir desse momento não mais voltou a marcar, por isso continuem a não deixar jogar Jardel (Ex.: F. C. Porto, Ex.: Manuel Vilarinho) pois ele com maior ou menor dificuldade vai continuar a marcar. Parabéns ao nosso Manel e ao seu clube o Santa Clara, por ter vindo jogar a Alvalade de uma maneira que nem o F. C. Porto jogou (sem medo) e por isso apesar de alguma felicidade mereceu o ponto que conquistou. A finalizar um grande “obrigado” à nossa Selecção Nacional (mais uma vez composta pela maioria dos nossos jogadores e ainda pelo melhor jogador do mundo, também ele sportinguista) por tudo aquilo que tem feito e pelo facto de fazer com que todos nós nos sintamos orgulhosos de ser portugueses em qualquer parte do mundo, uma palavra também de força para o F. C. Porto e para o Boavista na “Champions League” porque também sentimos orgulho por aquilo que têm feito, com os votos que ambos se qualifiquem para a 2ª Fase. Nota: Sportinguistas, vamos todos amanhã a Paço de Ferreira, apoiar a nossa equipa e mostrar que não há massa associativa como a nossa. SÉRGIO PINTO


30 F.C. Maia - 2

DESPORTO

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Moreirense F.C. - 2

Sorte do jogo fugiu ao Maia com golo ao cair do pano Ainda não foi desta que o F.C. Maia conseguiu a primeira vitória no campeonato. Ao consentir o empate por duas vezes , na primeira através de uma grande penalidade desnecessária, e a segunda já em tempo de compensações o Maia pode-se queixar um pouco da sorte que não teve e que precisava. Tivessem sido concretizadas algumas oportunidades de que dispôs e a primeira vitória seria uma realidade para as cores maiatas.

FICHA TÉCNICA Estádio Prof. Dr. José Vieira de Carvalho, na Maia Árbitro: Luís Lameira (Beja) Árbitros assistentes: Bernardino Silva e Alexandre Torres (Substituído por lesão aos 23’, por Pedro Vieira) Ao intervalo: 1-0 Marcadores: Wesley (29’ e 69’), Lim (51’ g.p.) e Altino (90’).

FOTO ARQUIVO

O Maia entrou no jogo com algumas mexidas na sua linha defensiva, as quais resultaram, principalmente na primeira parte, na qual foi a equipa mais dominadora e a que tentou por mais vezes o caminho do golo. Os primeiros quinze minutos foram jogados em toada de equilíbrio. O F.C. Maia tentou o domínio do meio campo mas o terreno, no qual a bola teimava em ganhar muita velocidade, e algum nervosismo dos seus jogadores eram entraves para tal desiderato. Mas seria aos 25’ e para o Moreirense a primeira jogada com perigo da partida, através de Lim, que se isolou dentro da área valendo Debenest que com uma sapatada evita o golo. O Maia acordou e passados 4 minutos Wesley correspondeu da melhor forma a um cruzamento, dominando com o peito e rematando sem hipótese para o g.r. João. A partir daí até ao intervalo o Maia dominou o jogo a meio campo e produziu algumas jogadas em que o golo poderia ter surgido. Nomeadamente aos 34’ em que Major remata contra o pé de Armando e

aos 40’ João tem uma defesa apertada com os punhos após remate de Rodrigo. O segundo tempo, começou com uma perdida do Maia logo aos 4’, em que Edilson não consegue chegar por pouco a um cruzamento de Major. Mas equipa de Moreira de Cónegos transfigurou-se para melhor e logo aos 6’ beneficiou de uma grande penalidade escusada cometida sobre Primo, estava feito o empate. Até ao segundo golo do Maia o jogo foi equilibrado numa toada de jogo bem movimentada. Aos 69’ Major numa jogada pelo lado esquerdo cruza para Igor que consegue dominar a dar para Wesley que à meia volta remata para golo. Estavam passados 6’ e seria novamente Wesley numa tentativa de chapéu , a falhar o que seria o terceiro golo, a que se opôs João com uma sapatada para fora. A partir desta altura o Moreirense ficou senhor do jogo e teve algumas oportunidades para conseguir o empate, com uma bola à trave pelo meio. E seria já no período de compensações que Altino com um

remate de fora da área conseguiu empatar a partida. Pode-se dizer que o empate premeia o Moreirense e penaliza o Maia que poderia com alguma facilidade ter alcançado a vitória. Mário Reis (treinador do Maia): “Mais uma vez a equipa do Maia criou oportunidades suficientes, duas delas sem o g. redes na baliza, para ganhar e poderia ter feito o resultado na primeira parte. A primeira vez que o Moreirense foi à nossa baliza marcou golo de pénalti. Na segunda parte, depois do empate, fizemos algumas alterações e conseguimos o 2-1 e podíamos ter conseguido o terceiro golo. Não o conseguimos e o Moreirense sem nada a perder, tentou o golo. O Hélio, que estava a fazer uma boa exibição, saiu magoado entrando para o seu lugar o Dirceu que não conseguiu fechar tão bem a faixa central, e aconteceu o golo ao terceiro remate de Altino sem qualquer tipo de oposição. A equipa do Maia justificou mais uma vez a vitória, mas não

F.C. MAIA: DEBENEST; RICA; SANDRO; HELDER ROSÁRIO; RODRIGO; HUGO REIS; HÉLIO; SERGIO PINTO; MAJOR (c); EDILSON; WESLEY Treinador: Mário Reis Suplentes: Miguel Angelo, Cabral, Cuco, Igor, Kika, João Carlos, Dirceu. Substituições: Edilson por Igor aos 59’, Rica por Cuco aos 68’, Hélio por Dirceu aos 82’. Acção disciplinar: Cartão amarelo a Rica (46’). MOREIRENSE F.C.: JOÃO; PRIMO; ARMANDO; JOÃO DUARTE; SERAFIM; ALTINO (c); FLÁVIO; IDO; LIM; ROBERTO; ALEX Treinador: Manuel Machado Suplentes: Miguel, Orlando, Kipulo, César Marques, Zacarias, Miguel Simão, Artur Jorge. Substituições: Armando por César Marques aos 41’, Ido por Artur Jorge aos 45’ e Roberto por Orlando aos 61’. Acção disciplinar: Cartão amarelo a Primo (8’) e César Marques (78’). aconteceu. Vamos agora pensar no próximo jogo.” Manuel Machado (treinador do Moreirense): “Temos que aceitar o empate, por aquilo que foi desenvolvido pelas duas equipas, nomeadamente no segundo tempo, em que entramos muito bem e tivemos um ascendente claro e com muitas situações de golo. Mas não conseguimos ser tão eficazes como desejaríamos e isso penalizou-nos.”


DESPORTO

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

31

Na sexta jornada do calendário do Campeonato de Espanha de Fórmula 3

Desacerto técnico da equipa condiciona Miguel Ramos Com um 10º e um 12º lugar nas duas corridas que, no fim-de-semana, tiveram como palco a pista de Cheste (arredores de Valência), Miguel Ramos manteve a nona posição no Campeonato de Espanha de Fórmula 3. Uma jornada que o português tão cedo não quererá recordar, devido às dificuldades sentidas pela equipa no acerto do monolugar, um problema extensivo aos colegas de formação. Apesar de em termos de resultados, o balanço da jornada de Valência ficar aquém das expectativas e das ambições de Miguel Ramos, a verdade é que as pontuações obtidas nas duas corridas permitiram ao piloto-empresário nacional a manutenção do nono lugar do Campeonato de Espanha de Fórmula 3, com 73 pontos. Ao longo do fim-de-semana, os três pilotos da E.V.Motorsport não conseguiram disfarçar as inúmeras dificuldades sentidas pela equipa na procura da melhor afinação dos monolugares, daí que as atenções de Miguel Ramos já só estejam centradas para a derradeira jornada do calendário, a disputar no Circuito de Montmeló (arredores de Barcelona), nos dias 10 e 11 de Novembro. Infelizmente para o piloto nacional, o 14º tempo obtido nas duas qualificações não era propriamente um sinal de bom augúrio para as duas corridas, com Miguel Ramos a confessar que “a equipa andou completamente perdida na definição dos ´set-ups´. A luta que travei não foi contra o cronómetro, mas sim contra o

monolugar, que se revelou verdadeiramente inguiável”. Na primeira corrida e apesar das dificuldades nunca terem sido ultrapassadas, o português ainda logrou efectuar uma positiva recuperação, ao encerrar o grupo dos dez primeiros. “Não é que alguma coisa tenha mudado”, confessou com humildade, “a verdade é que apesar de ter rodado nos limites, acabei por beneficiar de alguns azares alheios”. Com a determinação habitual para contrariar o rumo dos acontecimentos, Miguel Ramos encarou a segunda corrida do fim-de-semana “ao ataque, mas depois de tanta improvisação para manter o fórmula em pista, houve uma altura em que não consegui evitar um pião”. Relegado para o 12º lugar, o piloto-empresário lamenta “os problemas e as limitações sentidas pela equipa e só espero que, em Barcelona, as coisas melhorem, de modo a podermos lutar pelos primeiros lugares. Não vai ser fácil, uma vez que o campeonato está mais competitivo do que nunca, mas não podemos desistir”.

No Rali Casino de Espinho

Segunda vitória consecutiva de Pedro Rocha O jovem Pedro Rocha não estranhou a transição da velocidade para as provas de estrada e com uma actuação irrepreensível no Rali Casino de Espinho, conquistou a segunda vitória consecutiva da temporada. Com o derradeiro lugar do pódio, Emanuel Ribeiro manteve a liderança da iniciativa que tem como base os Toyota Yaris, beneficiando do abandono de alguns dos favoritos, vítimas dos pisos escorregadios em que decorreu o rali. Depois de quatro provas de velocidade, o Yaris Cup regressou ao convívio do Nacional de Ralis, com os jovens concorrentes à iniciativa e os pequenos mas competitivos Toyota Yaris a terem de enfrentar aquela que foi uma das provas mais difíceis da temporada, face à instabilidade das condições atmosféricas que se fizeram sentir. E se muitos pilotos não conseguiram resistir às inúmeras “armadilhas” com que se foram deparando ao longo das 12 classificativas que compuseram o Rali Casino de Espinho, ainda assim os modelos nipónicos não deixaram de impressionar pela competitividade, nomeadamente quando as condições foram mais adversas. Na realidade, no primeiro dia e quando ainda estavam em prova a generalidade dos participantes, José Mário Ruivo cometeu a proeza de efectuar tempos entre os 20 primeiros, o que não deixa de ser notável, se tiver-se em conta que os motores de 1.300cc de cilindrada dos Toyota Yaris do troféu são de série, debitando pouco mais de 100 cavalos! Mas se José Mário Ruivo começou por ser a grande figura da prova, como que justificando a extraordinária rapidez revelada na época passada, o domínio terminou sensivelmente a meio da prova... Na classificativa de Função, o jovem piloto não conseguiu evitar uma saída de estrada, que o obrigou a abandonar pela segunda vez consecutiva, depois da

desistência no Circuito do Estoril. Grande beneficiado com o acidente foi Pedro Rocha, “que depois de uma etapa inicial sem querer correr riscos desnecessários, começava a aumentar o ritmo”, ainda que reconhecendo que “dificilmente poderia contrariar o andamento do José Mário Ruivo”. Depois de ascender à liderança, precisamente na sexta classificativa, o vencedor da prova do Estoril limitou-se “a gerir uma vantagem de quase dois minutos sobre os adversários. Como o Toyota Yaris esteve sempre impecável, essa tarefa não foi difícil”, daí que o piloto tenha sido o justo vencedor do Rali Casino de Espinho. Um resultado que lhe permitiu ascender à terceira posição do Yaris Cup, bem como assumir a candidatura à vitória na iniciativa. Depois de alguns sustos no primeiro

dia, Tiago Raposo Magalhães logrou efectuar uma brilhante recuperação desde o sexto até ao segundo lugar durante o dia de hoje, naquele que passou a ser o melhor resultado da sua ainda curta carreira. No derradeiro lugar do pódio terminou Emanuel Ribeiro, com o líder do Yaris Cup a confessar que “depois da desistência do José Mário Ruivo, apenas pensei em terminar a prova, com o objectivo de amealhar mais alguns pontos para o troféu. Na primeira etapa não andei mais depressa, pois não parti com a rampa de faróis afinada, o que me provocou grandes problemas de visibilidade, mas hoje correu tudo bem, andando a cerca de 70 por cento das minhas possibilidades”. Apesar de uma saída de estrada na segunda etapa que afectou o eixo traseiro

do Toyota Yaris, Carlos Oliveira terminou numa positiva quarta posição, precedendo Filipe Mota (também ele prejudicado por um toque), Luís Prazeres e Hugo Peixoto, com estes dois últimos a serem vítimas de alguns problemas técnicos que, no entanto, não os impediram de terminar a prova. Classificação final: 1º Pedro Rocha, 2h05m51,43s; 2º Tiago Raposo Magalhães, 2h07m42,63s; 3º Emanuel Ribeiro, 2h08m23,59s; 4º Carlos Oliveira, 2h10m57,46s; 5º Filipe Mota, 2h12m51,58s; 6º Luís Prazeres, 2h14m14,48s; 7º Hugo Peixoto, 2h14m24,53s. O Yaris Cup: 1º Emanuel Ribeiro, 84 pontos; 2º Hugo Peixoto, 72; 3º Pedro Rocha, 70; 4º Tiago Raposo Magalhães, 61; 5º Filipe Mota, 58.


32

DESPORTO

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Na Baja Porta da Ravessa 500/Portalegre

Magistral demonstração de superioridade da Toyota Magistral actuação da equipa oficial da Toyota na Baja Porta da Ravessa 500/Portalegre. A dupla Filipe Campos/Pedro Figueiredo deu um verdadeiro recital de condução nos pisos enlameados do Alto Alentejo e venceu, pela terceira vez, aquela que é a mais antiga e mítica prova do todo-o-terreno nacional, enquanto os colegas Carlos Rolla/Ângelo Machado arrebataram a vitória no Agrupamento T2. Mais uma inequívoca e extraordinária demonstração de competitividade dos Toyota Land Cruiser Turbo Diesel do Segafredo Zanetti/CIN/BP Visco Racing, que para além de não terem adversários na Classe Diesel, continuam a demonstrar que, em relação aos motores a gasolina, a tradição já não é o que era. Longe vão os tempos em que era colocada em questão a utilização e a competitividade dos motores diesel no desporto automóvel. A equipa oficial da Toyota e os Land Cruiser Turbo Diesel preparados no departamento de competição da Salvador Caetano vieram mudar mentalidades, ainda para mais numa modalidade tão difícil e exigente como o todo-o-terreno. Na Baja Porta da Ravessa 500/Portalegre, a mais dura e mítica prova da modalidade, a dupla Filipe Campos/Pedro Figueiredo esteve irrepreensível, superiorizando-se a uma concorrência composta pelas melhores equipas nacionais. A tradicional dureza da prova e o estado escorregadio dos pisos foram factores que reforçam o brilhantismo da actuação, bem como a fiabilidade e o nível competitivo do Toyota Land Cruiser Turbo Diesel, afinal, o mesmo modelo que permitiu a Carlos Rolla/Ângelo Machado dominar por completo o Agrupamento T2, encerrando ainda o quinteto da frente. No final da Baja Porta da Ravessa

500/Portalegre, a dupla FILIPE CAMPOS/PEDRO FIGUEIREDO não conseguia disfarçar uma evidente satisfação pela conquista da terceira vitória na prova, ainda que com a humildade que lhe é reconhecida salientasse: “Correu bem, mas a verdade é que para vencer em Portalegre também é preciso ter sorte. A prova foi muito dura e difícil. A chuva e a lama só tornaram as coisas piores, mas como o Toyota resistiu ao esforço que lhe foi exigido, conseguimos vencer”. O tempo perdido “cerca de sete minutos”, com um furo logo no início do dia ainda poderia ter comprometido as ambições dos pilotos do Segafredo Zanetti/CIN/BP Visco Racing, já que chegaram a ser relegados para o quinto lugar. “Mas acho que esse percalço

ainda nos fez aumentar a determinação e, a partir daí andámos sempre a fundo, sempre nos limites”. Como confessa Filipe Campos, “vivi momentos de imenso gozo de condução e, para ser sincero, nem sei como não saí de estrada em muitas ocasiões. Nem quando fui informado que tinha mais de três minutos de vantagem para o segundo classificado abrandei o ritmo”. Uma actuação a todos os títulos brilhante, sem dúvida uma das melhores da carreira dos pilotos do Toyota Land Cruiser Turbo Diesel, coroada com a vitória absoluta, bem como com os triunfos no Agrupamento T3 e Classe Diesel. Excelente também foi o desempenho da dupla CARLOS ROLLA/ÂNGELO MACHADO, com os pilotos do Toyota

Land Cruiser Turbo Diesel a terminarem classificados numa brilhante quinta posição, mas mais importante do que isso, como vencedores do Agrupamento T2, com cerca de dez minutos de vantagem sobre os mais directos adversários. Uma diferença que é bem o reflexo da superioridade exercida pela formação do Segafredo Zanetti/CIN/BP Visco Racing, que assim repetiu o triunfo conquistado recentemente na Guarda. “Estamos muito satisfeitos”, começaram por sublinhar os pilotos. “Para além do que representa vencer a Baja de Portalegre, este sucesso tem um sabor muito especial por ter sido conquistado em condições muito difíceis. A chuva tornou os pisos quase impraticáveis, tal a quantidade de lama, mas apesar de uns sustos e de dois furos, correu tudo dentro da normalidade. O Toyota não nos deu o mínimo problema, pelo que nos limitámos a impor o nosso ritmo, fazendo os possíveis para evitar as “armadilhas” do percurso”. Em grande plano também estiveram MADALENA ANTAS/JOANA SOTTOMAYOR, mas um semi-eixo partido, já no derradeiro sector da prova, pôs cobro a uma exibição que estava a ser coroada com um lugar nos 20 primeiros. CLASSIFICAÇÃO: 1º Segafredo Zanetti/CIN/BP Visco Racing-Filipe Campos/Pedro Figueiredo (Toyota Land Cruiser Turbo Diesel - 1º T3 e 1º Diesel), a 7h58m35,0s; 2º Carlos Sousa/Vítor Jesus (Mitsubishi Strakar), 1h51m45s; 2º Luís Dias/Mário Feio (Nissan Navarra), a 9m20s; 3º Nuno Fontes/João Glória (Nissan terrano II), a 32m43s; ...5º Segafredo Zanetti/CIN/BP Visco Racing-Carlos Rolla/Ângelo Machado (Toyota Land Cruiser Turbo Diesel - 1º T2 e 2º Diesel), a 1h03m17s.

E as perspectivas para o Rali Casinos do Algarve

Andar a fundo e apostar na fiabilidade A escassos dias do início do Rali Casinos do Algarve, a dupla Pedro Matos Chaves/Sérgio Paiva mantém intactas as esperanças de se sagrar Tri-Campeã Nacional. Contudo, é com humildade que os pilotos do Vodafone/Castrol Team admitem que, este ano, as hipóteses são mais reduzidas, embora em nada isso afecte a sua motivação: “Vamos tirar o máximo partido do Toyota, na expectativa de que possamos beneficiar da sua tradicional fiabilidade”. Há sensivelmente um ano atrás, Pedro Matos Chaves e Sérgio Paiva deram um importante passo rumo ao “bicampeonato”, ao conquistarem o segundo de três triunfos consecutivos. Esta época, a frieza dos números ainda lhes permite sonhar com o ceptro, mas a realidade é que “as nossas hipóteses são bem mais reduzidas”, confessam os pilotos do Vodafone/Castrol Team. “Não nos podemos esquecer que as viaturas dos nossos adversários têm sido alvo de desenvolvimentos técnicos, o que não tem acontecido connosco, já que há há dois anos que a marca só trabalha para o projecto de Fórmula 1”. Daí que a estratégia para o Rali Casinos do Algarve assente “em tirar o máximo partido do Toyota Corolla WRC, tentando tirar dividendos da sua

tradicional fiabilidade. Vamos andar a fundo e estamos motivados para o fazer, mas dificilmente vamos poder contrariar o favoritismo do Adruzilo Lopes e do Miguel Campos, uma vez que dispõem de uma das mais competitivas viaturas de

asfalto dos ralis e veja-se o que a equipa oficial tem feito no Mundial”. O BiCampeão Nacional é mesmo de opinião que na prova algarvia “as diferenças ainda vão ser mais acentuadas, uma vez que as classificativas são bastante

rápidas (excessivamente até!), tornando mais notórias as diferenças de competitividade dos chassis”. Aliás, Pedro Matos Chaves não se coíbe mesmo de demonstrar o seu profundo descontentamento em relação à estrutura do Rali Casinos do Algarve: “Acho que é um bocado absurdo um rali do Campeonato Nacional assentar em três passagens por outras tantas classificativas. Parece que se trata de uma prova de Promoção! O que é que os navegadores vão lá fazer? Os pilotos vão decorar as classificativas, que ainda por cima são extraordinariamente rápidas, uma vez que são percorridas em estradas nacionais. Mais uma vez vamos ter de montar no Toyota Corolla WRC o ´rapport´ de caixa de velocidades do Rali Safari, que permite atingir uma velocidade de ponta de 212 km/h e não vão ser raras as vezes em que o motor vai cortar. Acho que são características que contrariam o espírito dos ralis, mas não temos alternativa”. Os reconhecimentos estiveram marcados para meados desta semana, enquanto que o rali tem início já hoje, dia reservado à Super-Especial de Faro. No sábado disputam-se as três passagens pelas classificativas de Serra de Tavira, Terra de Loulé e Tavira.


DESPORTO

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

33

HD Porto

Em Festa! Rui Ribeiro

Foi no passado dia 13 de Outubro que as ruas do Porto se encheram de um cantar sinfónico produzido pelos escapes das Harley`s. Por volta das 11.00h cheguei ao Stand da HDPorto e para meu espanto estava vestida de preto e laranja.Uma nova imagem para um stand que se quer europeu, uniforme com todos os outros stand`s da Marca, isto é,universalista. Uma decoração com mais luz e côr, com um toque de contemporâneo mas não esquecendo as suas origens, adaptado aos novos desafios do milênio. Toda esta concepção tem como finalidade prestar um melhor serviço ao cliente, na vertente do atendimento, para que o cliente se sinta em casa. Para me receber estava o simpático Rui Marinho, acompanhado pela não menos simpática Elsa.Também lá estavam os responsáveis pela Harley- Davidson Portugal o sr. Manuel Olaio e o sr. Manuel João, sempre dispostos a responder Às duvidas dos muitos amigos e clientes desta mítica marca Americana. Festa que é festa tem que ter sempre os seus aperitivos, o café, a boa música e até sorteios e lembranças para as senhoras presentes. Por último, mas não o menos interessante da festa os “test drive ” com os mais variados modelos Harley. Todos se deliciaram com as voltinhas que deram.

Exposição Ducatiporto

Ducati no Maiashopping Rui Ribeiro

Tendo a Ducati conquistado este ano o 10º Título Mundial de construtores, o 9º Título de Mundial de pilotos e ainda a primeira marca a atingir as 100 pole positions, a DucatiPorto resolveu comemorar todos estes feitos com uma exposição que teve patente até ao dia 21 deste mês no Maiashopping. Os amantes destas bicilíndricas

italianas poderam apreciar os mais variados modelos, desde 851 Superbike, preparada como manda a regra, as monster`s, bem do agrado do público jovem, passando pela referência a 916 SPS, não faltando a MH 900, modelo único na Península Ibérica e só comercializada pela internet. Mais uma boa iniciativa da DucatiPorto.

`çã¨êÅáç=É=pÉêîá´çë=^ìíçãμîÉäI=iÇ~

^îK=aK=j~åìÉä=ffI=UPR=√=^é~êí~Çç=NNUO=√=QQTNJVMV=j~á~ qÉäÉÑëK=OO=VQN=OO=QQLRLSLT=√=qÉäÉÑ~ñ=OO=VQN=OO=QP= mÉ´~ë=qÉäÉÑK=OO=VQN=MR=RT=√=c~ñ=OO=VQN=UR=SM


34

DESPORTO

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

Mattssons Cup Karting Race

CUP

Clientes Mattssons sempre a acelerar!

Nada melhor do que reunir em ameno convívio, como se de uma pequena família se tratasse, todos os clientes de um grande grupo internacional. É o caso da Mattssons parafusos, uma empresa Sueca, sediada na Maia há 3 anos, que este ano lançou pela primeira vez a “Mattssons Cup Karting Race”. O sucesso está garantido e ficou a promessa de que para o ano há mais. Miguel Ângelo Machado e Artur Bacelar

O Karting é uma modalidade muito importante na formação de pilotos de competição automóvel. Nomes como Pedro Lamy, Matos Chaves e muitos outros, começaram nestes pequenos “Bólides”. Muitas pessoas não conhecem verdadeiramente a potencialidade destes carros. Algumas delas têm um pequeno conhecimento, dado que uma vez ou outra andaram nos “Go Karts” que por essa Europa fora pululam, como convém a qualquer negócio prospero, bem junto a estancias balneares da moda. Em termos comparativos, esses “Go Karts” europeus, são autênticos “caracóis”, comparados com as “lebres” que este desporto tem em Portugal. Um desses bons exemplos é o Kartódromo do Cabo do Mundo, pista de referência a nível nacional e ponto de partida para uma reportagem ao evento denominado “Mattssons Cup”, que esta empresa maiata, levou a efeito no passado dia 20 de Outubro.

A empresa A vasta selecção e serviços especializados fazem do Grupo Mattssons um parceiro único no que diz respeito a artigos de fixação. Em Portugal estão implantados na Maia há 3 anos, contando no entanto com a experiência de 50 anos de existência deste grupo sueco. Actualmente contam com uma variedade de cerca de 130.000 artigos disponíveis na Internet, possuindo em stock mais de 3000 toneladas de artigos, em 8.000 paletes instaladas em 3700 m2 de prateleiras com 65.000 artigos diferentes em stock prontamente disponíveis. A este respeito, Elsa Silva, disse ao MAIA HOJE que “Trabalhamos como um fornecedor completo tendo a capacidade para armazenar, embalar, controlar qualidade e entregas, com um serviço optimizado, com qualidade e custos controlados”. A actividade da empresa pode ser resumida em cinco pontos fortes, são eles a selecção; serviços, logística, comunicação e por

último, mas não menos relevante a qualidade. A Mattssons Cup Questionada sobre o porquê da iniciativa, Elsa Silva disse que “acreditamos poder aliar aos negócios uma parceria salutar de convívio com os nossos clientes e neste sentido, decidimos realizar a 1ª Mattssons Cup”, uma prova de Karting com a duração aproximada de 2horas e aproximadamente 20 minutos destinados à captação de tempos para qualificação. De acordo com os tempos de qualificação, saíram à frente na grelha de partida as Equipas da CentralSug (Protecção Mais) - que conseguiu também a volta mais rápida da prova, a MattssonsI e a equipa da António Meireles. Previstas 20 equipas, alinharam à partida apenas 14, dado que o tempo chuvoso afastou alguns potenciais “fangios” ou “Schumackers” deste evento. A organização esteve a bom nível e mesmo com as condições meteorológicas já referidas, conseguiu

reunir 55 participantes, o que é de louvar. Além das equipas já mencionadas, correram também as equipas A Brito, A Silva Matos, Amandio Carvalho empresa de construções, Basreboques, Grupo BCP, Efacec Sist. Elect, J.L. Alumínios, Mecanidraulica, MattssonsII, Sonae e Zinferaço(Kind Perfis). Nesta primeira Mattssons cup, o pódio foi ocupado pelas equipas da CentralSug (Protecção Mais), vencedores; Grupo BCP, segundos classificados e MattssonsI, em terceiro lugar. Balanço muito positivo Em jeito de balanço, no final, Elsa Silva dizia ao MAIA HOJE que considerava extremamente importante este tipo de iniciativas e que o balanço final foi muito positivo e aos participantes deixou no ar uma promessa... “concerteza este evento será de repetir no próximo ano”. A festa terminou com a distribuição de medalhas de participação e a entrega das taças aos três primeiros vencedores “regadas” a boa maneira desportiva com o tradicional banho de champanhe.


Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

TEST DRIVE

35

Novo Hyundai Matrix 1.6 16V

Matrix - O filme coreano Com o mesmo nome do popular filme de Hollywood que se celebrizou pelos seus avançados efeitos especiais e elevada tecnologia, a marca coreana Hyundai lançou agora no mercado nacional o primeiro produto a ser concebido e desenvolvido para o cliente europeu. Trata-se de um MPV (Multi Porposal Vehicle Veiculo multifunções), de design de Pininfarina. Na Maia, a comercialização é da Auto-Mirandas e fica na rua Engenheiro Duarte Pacheco, 371/387. Artur Bacelar

Pininfarina, o homem, que criou vários modelos de sucesso como o Porsche 911, ou belíssimos cabrios como os da Peugeot, criou também um gabinete de Design de onde saíram os “traços” deste automóvel que a marca garante serem 100% europeus e de tecnologia coreana. Actualmente com uma gama de veículos bastante abrangente com nome “feito”, entre os comerciais, como a H100, H1, Jobs ou mesmo Plaza e que conta com veículos ligeiros como o Accent, Elantra, Sonata, Xg; ou o desportivo Coupé; passando pelo todoo-terreno Santa Fé e o monovolume Trajet, esta marca encontra-se em profunda evolução. Assim sendo, assente na plataforma do Elantra, este novo veiculo vem preencher uma lacuna num segmento cada vez mais apetecível ao grande público, o dos MPV (Multi Porposal Vehicle Veiculo multifunções), designação dada a veículos que servem vários desígnios. O Maia Hoje, com a colaboração da Auto Mirandas, foi para a estrada experimentar a versão 1.6 gasolina de 16 válvulas e conta-lhe os pormenores. Motorização, Performances e Consumo Duas motorizações uma a Diesel e outra a gasolina. O Diesel apesar de ainda não disponível no mercado nacional é o novíssimo motor 1.5 CRDI 12 válvulas, de 82 cavalos, capaz de atingir uma velocidade máxima de 157 Km/h e consumindo 5,0/7,6/6,0 litros aos 100 respectivamente em estrada/circuito urbano/circuito misto e o gasolina que tivemos a oportunidade de ensaiar é o conhecido “Alfa II” 1.6 16 válvulas, de 103 cavalos, com uma velocidade máxima de 170 Km/h e consumindo 6,6/10,3/7,9 para estrada/circuito urbano/circuito misto. Equipamento Três níveis de equipamento, a que correspondem três versões (GL, GLS E GLS PLUS). Consoante as disponibilidades de importação, existem à escolha 7 cores, duas metalizadas, uma envernizada e 3 sólidas. A versão menos equipada, a GL, trás de série a direcção assistida, vidros eléctricos frente e trás, fecho centralizado, retrovisores de comando eléctrico, coluna regulável em altura,

tomada dupla de corrente auxiliar entre muitos outros. A acrescentar a esta versão, estão na GLS e GLS PLUS, os 6 altifalantes do pré-equipamento de rádio, o ar condicionado, as jantes de liga leve de 15 polegadas, banco de condutor com regulação em altura, faróis de nevoeiro, alarme com comando à distância, entre muitos outros. Consoante a versão também existe uma panóplia muito completa de acessórios. Segurança Neste capitulo o Matrix, recebeu as “4 estrelas” na conceituada avaliação EURO-NCAP, graças ao comportamento da sua carroçaria nos “crash-test” bem

como aos equipamentos de série que incluem os airbags duplos, arras nas portas, cintos de segurança com prétensores e limitadores de carga, zonas de absorção de energia no impacto, apoios de cabeça bem posicionados à frente e atrás, airbags laterais e ABS com EBD. Preços Enquanto não chega ao mercado comercial a versão Diesel, os preços deste 1.6, começam na versão GL nos 3.350 contos (16.709 Euros), passam pelos 3.725 contos (18.580 Euros) da GLS e terminam nos 4.000 contos (19.952 Euros) pedidos pela versão GLS PLUS.

Conclusão Gostamos muito deste pequeno veiculo. Tem múltiplos espaços de arrumação com 11 compartimentos fechados, 8 compartimentos de arrumação diversos, consolas interior e superior sendo esta última iluminada, 12 espaços específicos para acomodar copos, latas ou garrafas, etc. Muito útil também e difícil de encontrar num veiculo com este preço é a tomada de corrente espelhos retrovisores aquecidos e outros “mimos” com que a marca coreana equipou este veiculo. Nota final muito positiva e um veiculo a ponderar na aquisição de um veiculo que sirva quase todas as funções (é claro que não é um desportivo...).


Nº 010 - Outubro 2001

Este suplemento faz parte integrante da edição nº 042 do Jornal Maia Hoje e não pode ser vendido separadamente

2001: Odisseia da


II Cultura

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

7º Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia

Fórum da Maia foi palco de grandes emoções entre 12 e 21 de Outubro «(...) A arma mais poderosa do Homem é o riso. O riso questiona, desconcerta, revoluciona e une(...).» Dr. Mário Nuno Neves, Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia Sofia Vales Pinto

Organizado pelo Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia e produzido e dirigido pelo Teatro Art’Imagem, o 7º Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia arrancou no passado dia 12, às 21.30, com a estreia da peça “Robinson-Crusoé à beira do espelho de água” (Teatro Art’Imagem, em parceria com os alunos da Oficina de Teatro da Maia). Outra estreia que marcou também esta noite inaugural foi “Provoca (c) ções”, um espectáculo italo-americano, de Leo Bassi , que teve lugar no Grande Auditório do Fórum da Maia, às 23.30. Como seria de esperar, a primeira noite de Teatro Cómico atraiu centenas de pessoas que não quiseram deixar escapar a oportunidade de seguirem esta 7ª edição passo a passo. Mário Nuno Neves, Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia, concedeu-nos uma entrevista na qual abordou, com o à vontade de quem já está habituado a estas lides, a 7ª edição do Teatro Cómico. No seu discurso de abertura visou o momento difícil pelo qual a humanidade está a passar e que é caracterizado por um terrível conflito, transversal a todas as raças, credos, países e continentes. Passo a palavra.

O balanço do 7º Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia Maia Capital da Cultura: Qual é o balanço deste 7º Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia? Mário Nuno Neves: O balanço é positivo! Julgo que à semelhança das edições anteriores teve uma grande afluência de público. Os espectáculos de uma forma geral foram de grande qualidade, o que me leva a afirmar que todos os objectivos a que nos propusemos atingir foram alcançados. Estou bastante satisfeito da forma como decorreu o festival.

FICHA TÉCNICA

Maia

terra de cultura

N.º 010 - Mensal - Outubro 2001 Depósito Legal nº. 147209/00 DGCS nº. 123524

Pr opriedade: Câmara Municipal da Maia

Editor MaiaPress - Jornal Maia Hoje

Pa g i n a ç ã o Jornal Maia Hoje

Dir ecção Pelouro da Cultura

Impr essão Naveprinter

Design Gráfico Millennium Press

Dir ector Executivo Mário Nuno Neves

Redacção Pelouro da Cultura C.M.Maia

Tir a gem 3.000 exemplares

Fotog r afia Arquivo C.M.Maia Álvaro Magalhães Suplemento integrante do Jornal Maia Hoje n.º 42 de 26 de Outubro de 2001. Não pode ser vendido separadamente.


Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001

A única diferença que notei neste festival em relação a edições anteriores, sobretudo a partir da 4ª, 5ª e 6ª altura em que este festival começou verdadeiramente a ganhar dimensão e constância anual - foi um crescendo de afluência. Creio que estamos muito perto de atingir os limites de capacidade de recepção do público... Aquilo que tivemos para disponibilizar a todos os quanto nos visitaram, tornou-se num bem escasso, a preservar a todo o custo, sendo também uma das principais manifestações de inteligência da nossa espécie: a gargalhada! MCC: O festival deste ano foi um pouco diferente de anos passados: foi mais musical, incluiu marionetas, números de circo... MNN: Quem prepara este festival, em termos de programação, é a Art’Imagem que assiste a dezenas e dezenas de festivais de teatro um pouco por todo o mundo - Europa, Canadá, EUA, Brasil, etc. - para poder seleccionar cerca de 30 espectáculos. Essa selecção é feita mediante as disponibilidades do momento. Dos vários festivais que eles percorrem escolhem um (ou às vezes até nenhum) espectáculo que depois vai aparecer aqui. Se o mesmo incluir marionetas ou números de circo e for seleccionado, é evidente que vai fazer parte do nosso cartaz. Não é deliberado se este ano ou naquele ano vamos ter mais marionetas ou se no ano seguinte vamos ter mais mímica! MCC: Este festival de teatro cómico foi melhor do que as edições anteriores? MNN: Não...Creio que o nível de qualidade manteve-se e a única diferença é que acabou por ter ainda mais público.

Aspectos positivos e negativos MCC: Quais os aspectos positivos e negativos deste festival? MNN: Os aspectos positivos julgo que são essencialmente dois: correspondência do público à iniciativa e a qualidade dos espectáculos proporcionados. Como aspecto negativo , e é algo que se manifesta há já dois, três anos, é a escassez de teatro cómico feito por portugueses. É muito difícil e raro encontrar espectáculos que abordem o humor desta forma feito por portugueses... E isso é lamentável! Se calhar, existe algum complexo por parte dos criadores de artes cénicas em relação ao teatro cómico... Este aspecto negativo, infelizmente, tem tendência para acentuar-se.

Os números MCC: Em média, quantas pessoas assistiram aos espectáculos, por dia/noite? MNN: Não lhe posso dizer em rigor. Apenas lhe posso

dizer em rigor as lotações do Grande Auditório e do Café-Teatro. O Grande Auditório tem 740 lugares, que correspondem a lotação esgotada, enquanto o CaféTeatro tem cerca de 200 lugares. Assim sendo, e contabilizando desde já o público que assistiu aos espectáculos gratuitos no exterior, os números diários situam-se entre os 900 e 1000 espectadores. Se podemos ser rigorosos quanto ao Grande Auditório e ao Café-Teatro, de modo algum o podemos ser quanto aos espectáculos gratuitos...É completamente impossível. MCC: Qual a noite e a peça que tiveram lotação esgotada? MNN: Não há uma só lotação esgotada! Yllana, Leo Bassi, Rock & Clown... Há várias lotações esgotadas. E a regra é mesmo essa: lotação esgotada após lotação esgotada. MCC: No total, e em média, quantas pessoas passaram pelo festival? MNN: O festival tem dez dias. Se nos visitaram 1000 pessoas por dia/noite temos um total de 10 mil pessoas. Porém, creio que este ano tenhamos chegado às 12 mil pessoas. MCC: O Grande Auditório torna-se então pequeno para albergar tantos visitantes...

Cultura III MNN: É verdade. Em relação ao Grande Auditório, perante as lotações esgotadas, só podemos concluir que o espaço é escasso. Mas é o que temos...É preferível ter um auditório de 740 lugares esgotado do que um auditório maior quase vazio! Quanto a este festival, creio que se o Grande Auditório tivesse mais 200 ou 300 lugares esgotaria na mesma. Porém, o espaço físico é uma questão com a qual, neste momento, já nos deparamos. Por isso mesmo, digo que estamos a atingir um patamar de estabilidade, em termos de frequência, que dificilmente poderemos aumentar exactamente por já não termos sítio para pôr as pessoas. MCC: O investimento, de cerca de 20 mil contos, realizado no 7º Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia foi feito na sua globalidade pela Câmara Municipal da Maia. Não houve qualquer tipo de patrocínios? MNN: Os únicos patrocínios que temos são os dos órgãos de comunicação social que fazem descontos, alguns deles bastante substanciais, na divulgação do festival. Quanto ao resto, é tudo suportado pela Câmara Municipal da Maia. MCC: A módica quantia praticada para a sessão das 21.30 (500$00) e para a sessão das 23.30 (350$00) foi e é um método eficaz para chegar a toda a população... MNN: Julgo que nem se trata disso. Creio que se os bilhetes para a sessão das 21.30, no Grande Auditório, não fossem os tais 500$00 mas sim 750$00, não afectaria a afluência aos espectáculos. O facto das pessoas pagarem um bilhete para o Grande Auditório e para o Café-Teatro, é a única forma que existe para controlar lotações. Temos que ter algum cuidado com questões relacionadas não só com a segurança, mas essencialmente com a lotação de lugares. Seria muito complicado aparecerem mil pessoas para assistirem a um espectáculo no Grande Auditório quando só existem 740 lugares! Também queremos assegurar condições de comodidade a quem vem assistir ao espectáculo, tendo que criar forçosamente um mecanismo de controlo de lotação. E o melhor mecanismo de controlo de actividades é precisamente a comercialização do bilhete, a um preço perfeitamente acessível. É um método que tem funcionado: preços baratos que nos ajudam do ponto de vista organizativo e que, simultaneamente, atraem todas as pessoas, de todas as classes sociais. São preços sociais que, de modo algum, correspondem ao investimento aplicado nesta iniciativa.

O público MCC: Acha que o público foi tão receptivo à


IV Cultura programação apresentada este ano pelo 7º Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia como em anos transactos? MNN: Sim. Notei um aumento de afluência do público, mas não me parece que isso esteja directamente relacionado com a programação, porque as pessoas não sabem exactamente e com rigor o que vão encontrar. Creio que o festival está absolutamente lançado e institucionalizado o que correspondeu e irá corresponder sempre (esperamos nós) a uma óptima receptividade por parte do público. Temos aqui gente de todo o país que vem propositadamente para assistir ao Festival Internacional de Teatro Cómico. MCC: O Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia tem um público alvo? MNN: Não! O público, sendo cada vez mais exigente é muito heterogéneo. Tivemos gente de todas as idades; um público bastante distinto entre ele mesmo. Dentro do género cómico procuramos também encontrar espectáculos diferentes para, de alguma forma, podermos chegar a todas as pessoas. O público que mais nos interessa é o maiato. No entanto, as nossas portas estão abertas a todas as pessoas, de qualquer zona do país.

Uma das referências culturais maiatas MCC: O Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia é já um marco da panorama cultural actual... MNN: Sem dúvida! Julgo que, neste momento, é o melhor festival de teatro do país. MCC: Como se justifica então que não faça parte da agenda cultural do “Porto 2001, Capital Europeia da Cultura”? MNN: Não sei. Não encontro nenhuma explicação lógica para isso. Só para ver ao ponto que isto chegou: estamos em vias de assinar um protocolo de cooperação cultural com “Salamanca 2002, Capital Europeia da Cultura”. A cidade de Salamanca percebeu que a vida cultural da Maia lhes ia interessar enquanto parceira. E, portanto, vamos celebrar um contrato com “Salamanca 2002”. Com o Porto isso não aconteceu... mas não faço mais comentários. De qualquer maneira, e independentemente da “Porto 2001, Capital Europeia da Cultura, S.A” não ter considerado esta iniciativa a incluir na programação oficial, o que é facto é que muito do público que vem assistir ao Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia é um público oriundo da própria cidade do Porto. Não vale a pena dizer mais nada, porque acho que este facto basta para explicar o inexplicável provincianismo de certas pessoas e de certas organizações, em relação à vida cultural.

Parceria com a Art’Imagem MCC: A parceria com a Art’Imagem no Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia reflecte-se há quanto tempo? MNN: Desde a 1ª edição. Julgo que é uma parceria que resulta bastante bem, não só a nível do próprio festival. Grande parte do êxito do Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia deve-se ao Teatro Art’Imagem... Cabe-lhes a maior fatia do mérito, já que são eles os produtores do festival. É uma parceria alargada a outras áreas, nomeadamente à Oficina de Teatro da Maia , já que é o Teatro Art’Imagem a entidade com responsabilidades a nível pedagógico. Esta parceria tem funcionado e tem obtido bons resultados a nível da vivência cultural da Maia. Acho que em equipa que ganha não se deve mexer.... Foram dez dias ao rubro, dez noites para mais tarde recordar. Resta dizer que depois de assistir a espectáculos de tão grande prestígio não há nada a fazer...a não ser esperar pelo 8º Festival Internacional da Teatro Cómico da Maia! Até lá!

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2001


42