Page 1

Director Artur Bacelar Ano II • Nº 29 • 13 de Abril de 2001 • Quinzenal • http://maiahoje.cplp.net

SAI À 2A E 4A SEXTA FEIRA DO MÊS

150$ 0,75 €

CONSULTORIA E

CONTABILIDADE A

E

PEQUENAS

MÉDIAS EMPRESAS

Neves, Ferreira & Mesquita, Lda. Rua Augusto Simões, 505 - 1.º Sala E 4470-147 MAIA (Junto à Rotunda do Lavrador) Tel. 22 947 65 55 - Fax 22 947 65 56 E-mail: nfm@centurysmallbiz.com •

Oficina e Peças: Via Central de Milheiros, 942 4475-330 Milheiros Tel: 22 961 94 90 • Fax: 22 961 94 99 Stand: Rua Simão Bolivar, 256 4479-214 Maia • Tel: 22 941 48 11 Afonso@ carmaia.com www.carmaia.com

despor to

PSD apresentou candidato a Gueifães

pág. 5

Ass. Comercial e Industrial da Maia

Águas Santas: Feira da Saúde

pág. 8

Art’Imagem animou as noites da Maia

pág. 16

pág. 19


02

MAIA HOJE

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

O Segredo Propriedade: MAIAPRESS Editores, Lda. REGISTADA NA CONS. REG. COM. DO PORTO COM O NÚMERO 1313 CONTRIBUINTE NÚMERO 504 786 954

Sócios com mais de 10% de capital e Administração: António Augusto Mandim Paula Rita Oliveira Manuela Sá Bacelar Director da Publicação: Artur Bacelar Chefe de Redacção: Manuela Sá Bacelar Editor Local: António Armindo Soares (jornalista) Editor Desporto: Carlos Barrigana Directora Comercial: Manuela Sá Bacelar Design / Paginação: Susana Patrícia Padr\ão Paulo Borges Colaboradores: Ana Paula Bon Andreia Martins André Leão Silva André Leonhartsberger Cristina Costa Diana Batista Francisco Alves Guilherme Costa Júlio Sá Ornelas Mário Duarte Miguel Ângelo Machado Sónia Pinto Williams James Marinho Distribuição: António Maia Padrão Redacção / D.Comercial / Distribuição Rua dos Altos, Edifício Arcada, loja 10 4470 - 235 Maia Telefone geral. 22 947 62 62 Telefax. 22 947 62 63 Redacção Directo. 22 947 62 64 Email: maiahoje@mail.telepac.pt

Artur Bacelar Director

Na política maiata, o segredo parece ser a alma do negócio. Sabido que está, que as negociações entre PSD e PP, só irão ser retomadas no próximo dia 21 de Abril (ao que sabemos por indisponibilidade do Líder do PP, ausente em trabalho), os SociaisDemocratas, à revelia de um futuro acordo, lá foram apresentando uma candidatura, desta feita a Gueifães, com a anuência do Professor Vieira de Carvalho, desautorizando assim o PP. Resta saber se “com a porta aberta”, as outras freguesias não vão aproveitar e deixar cair por terra um possível entendimento com os Populares. Esta semana circularam “rumores” de que o Vereador do PP, estaria zangado com o Líder da sua Concelhia, mas estes foram prontamente desmentidos pelo próprio Vereador. Nestes dois partidos o segredo das listas continua muito bem guardado, embora quem quiser fazer um bom exercício de “adivinho”, possa ficar a saber muita coisa. Outro dos segredos estará no “desejado” Eurodeputado Arlindo Cunha, nas listas do PSD à Câmara da Maia, mas será que o deputado, que goza de bastante prestigio internacional, acederá em concorrer na Maia? No Partido Socialista, também o segredo é a alma do “negócio”, sabendo-se que as listas deverão ser totalmente apresentadas após o Congresso do Partido, mas os nomes que nos tem chegado aos ouvidos, fazem antever uma forte aposta na Maia e nas suas freguesias, com caras bem conhecidas e que o Maia Hoje irá confirmar e desvendar a seu tempo. O nome de Francisco Assis é bastante falado, mas também o é para outros Concelhos, pelo que não será de descartar a hipótese de ter de novo Jorge Catarino a candidato, até porque ganhou as eleições para o secretariado Concelhio com uma boa vantagem, demonstrando “estar em forma”. O PS Maia, tem também na pessoa da deputada Paula Cristina Duarte, uma opção, dado que se trata de uma pessoa da terra e conhecedora dos “dossiers” maiatos. O PCP, parece também alinhar no “segredo” que envolve a política maiata, mas fala-se que no próximo mês já estará tudo decidido. Mas o verdadeiro “segredo”, estará naqueles que irão trocar de “clube”, bem como nos que, não concordando com as listas do seu partido, irão concorrer, usando a sigla de independentes.

Sede Rua Duarte Pacheco, 623 - 4470 Maia DEPÓSITO LEGAL 147209/00 DGCS Nº O 123524 TIRAGEM 3.000 EXEMPLARES A Equipa do Jornal Maia Hoje trabalha em Exclusivo com produtos

Impressã0

Indústria Gráfica do Norte, SA • EN 14 (km 7,05) Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos editores bem como do director do Jornal. A direcção do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se a direcção a não publicar artigos de opinião que prejudiquem a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados.

Segundo um estudo do Diário de Notícias

Maivex melhor empresa da Indústria e Comércio automóvel A Maivex, empresa do grupo Mário Silva, sediada na Maia e representante local da marca Mitsubishi entre outras, viu premiado o trabalho que tem vindo a desenvolver neste campo, com a obtenção do 1º lugar no estudo elaborado pelo Diário de Notícias sobre as 1500 maiores PME’s (Pequenas e Médias Empresas). O prestigiado resultado final obtido neste estudo, foi elaborado segundo os indicadores de crescimento, produtividade, autonomia financeira, rentabilidade dos rendimentos e dos capitais próprios, e rotação do activo. Na avaliação global de todos os sectores de actividade, a Maivex obteve o segundo lugar. Segundo Susana Silva, do departamento de Markting da empresa “este reconhecimento, vem fortalecer a vontade de continuar a crescer no mundo automóvel e reforçar a satisfação de todos os nossos clientes. Numa altura como esta não podemos deixar de partilhar com todos os nossos clientes e colaboradores esta distinção. São eles a razão da nossa existência”, comentou Susana Silva.

DITOS & FEITOS “Aos Sábados e Domingos o aeródromo (Vilar de Luz)parece um local de romaria.” Bragança Fernandes, Vereador do desporto, sobre o sucesso do aeródromo in “O jogo” 2001.03.13 “o facto de uma equipa ser apoiada pela Câmara da cidade dá, naturalmente, uma estrutura diferente” Melchor Mauri, Ciclista do Maia, sobre os apoios das autarquias in “O jogo” 2001.03.13 “Em quatro anos, a modalidade vai crescer tanto que não teremos mãos a medir” Lourenço França, Gestor do Pavilhão Municipal de Ginástica, falando sobre o futuro in “O jogo” 2001.03.13 “Acidente às três tabelas incendeia três carros” João Miguel Ribeiro, título in “Concelho Maia - O Primeiro de Janeiro” 2001.04.03 “é só para disfarçar mais uma rotunda” António Santos, munícipe entrevistado, sobre o Sobreiro colocado no Centro da Maia, in “Concelho Maia - O Primeiro de Janeiro” 2001.04.03 “nós não andamos a oferecer as coisas porque não temos dinheiro nem riqueza para isso” Domingos Tiago, Vereador do Urbanismo, sobre o Centro de Saúde de Pedrouços in “Primeira Mão 2001.04.06 “O PS da Maia não soube passar a mensagem” Paula Cristina Duarte, Deputada, entrevista in “Primeira Mão 2001.04.06 “não é fundamental que haja um hospital na Maia” idem,ibidem


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

GRANDEMAIA

03

O significado da Páscoa ao longo dos tempos

“Jesus é o verdadeiro cordeiro Pascal...” Os cristãos comemoram no próximo Domingo a Ressurreição de Jesus Cristo, a mais importante celebração religiosa do ano. As portas das casas abrem-se de manhã cedo, para receber o Compasso num ambiente de grande alegria e, sobretudo, de muita paz. Mas o que está por detrás destas cerimónias? O que significa o nome próprio “Páscoa”? Como foi a Última Ceia? A estas e a mais algumas questões, respondeu ao “Maia Hoje” o padre Orlando Santos, pároco da freguesia de Gueifães numa amena e interessante conversa. Miguel Ângelo Machado

“Páscoa” tem a sua primeira origem na linguagem hebraica “Pesah”, tendo sido mais tarde traduzida para o grego “Pascá”. O significado da palavra é, tão simplesmente, “passagem; passo adiante”. Uma correspondente desta palavra aparece em egípcio, mas com um significado diferente, o de “golpe; ferida”. Também em fenício surge uma variante da primitiva palavra hebraica, a qual significa “canto de alegria”. «É possível já nesta última encontrar o tom jubiloso que caracteriza a Páscoa», referiu o pároco Orlando Santos. A “passagem” hebraica de que se falou consistia na passagem dos gados, em tempo primaveril, de uma terra para outra, na procura de prados verdejantes. «Não nos podemos esquecer que o hebreus eram um povo que viviam da pastorícia e sendo assim, os gados eram a riqueza deles». No entanto, existiam alguns hebreus com hábitos mais sedentários, que já trabalhavam a terra: «Estes também tinham uma outra festa, igualmente por esta altura do ano, a festa dos Ázimos». Os pastores, antes de partir com os animais «evocavam os seus deuses e matavam um cordeiro ou cabrito, nascido ainda nesse ano, tiravam-lhe o sangue e comiam-no de pé porque nessa noite teriam que fazer uma longa jornada, ou seja, passar para o outro lado. Isto que começou por ser uma coisa natural, passou a ser ritual. O sangue era aproveitado para pintarem as portas das casas e, desta forma, afugentarem os maus espíritos (hoje encontramos um gesto parecido no primeiro dia de Maio). Como era uma carne muito gorda, juntavam-lhe ervas amargas e bebiam vinho». Os lavradores (estes não se dedicavam à pastorícia) aproveitavam ainda as premissas das searas e faziam um pão com as primeiras espigas, pão este que não levava fermento, o “pão ázimo”. «Podemos dizer que a Páscoa era a festa da Primavera. É possível que os judeus, a partir destes rituais tenham marcado o dia 14 do mês de “habibe”, o mês da lua cheia de Março, para celebrarem a Páscoa. Curiosamente, verificamos que o povo judeu, orientado por Moisés e com o poder de Deus, sai da escravidão do Egipto, por esta altura. Da passagem dos gados dos hebreus dá-se agora a passagem do povo judeu para a liberdade, para o deserto, para uma outra terra. Neste ano, e diz-nos o livro do Êxodo, que o sangue dos animais, devia ser agora aproveitado para besuntar as portas para que o Anjo Exterminador quando passasse, poupasse as casas dos judeus, não matando nem os homens nem os animais. As ervas amargas começaram

também a ter outro significado, a de exprimir a amargura e angustia que o povo judeu sentiu no Egipto. Os judeus celebrariam a Páscoa, de forma sempre igual e ritual, durante cerca de 1500 anos até Jesus Cristo» explicou Orlando Santos. Jesus Cristo e a Páscoa com um novo sentido Jesus, judeu como era, celebrava também a Páscoa e foi precisamente no seu terceiro ano de vida pública, quando a celebrava com os discípulos que lhe dá um outro sentido, «o de despedida deles e deste mundo. A passagem para o Pai». Um aspecto curioso é que os judeus só podiam realizar esta celebração caso estivessem dez pessoas juntas e era o pai da família que presidia à cerimónia. Ora, Jesus mais os discípulos eram mais de dez, «daí que, como Chefe de grupo, tivesse toda a possibilidade para presidir a celebração. É possível até que durante esses três anos o tenha feito.» Segundo S. João, Cristo morreu na Cruz, entre as 2h30 e as cinco horas da tarde, hora em que os cordeiros eram mortos nos templos pelos sacerdotes, isto quer dizer, e segundo o nosso entrevistado que «Jesus é o verdadeiro cordeiro pascal, cuja Vida serve como resgate para a nossa Salvação. A Páscoa com Jesus mantém o sentido de libertação e sacrifício», sentido esse, já referido anteriormente, com milhares de anos de existência. A cerimónia de lavar os pés aos discípulos, levada a efeito por Jesus na Última Ceia justifica-se como «sendo Ele o servo. Ele veio para servir a vontade do Pai ao ponto, inclusive de dar a própria vida. Deu o exemplo e disse aos apóstolos para eles fazerem o “mesmo a vós outros”. Hoje todos os discípulos, a começar pelo Papa, fazem o mesmo, ou seja, servir. O poder de todos os sacerdotes é servir, um poder de amor.» Os discípulos e todos os crentes, a partir da Última Ceia, dão um outro significado à Páscoa: «a passagem da humanidade deste mundo para junto de Deus, o paraíso. Ele próprio disse “Vou à vossa frente preparar-vos um lugar”». Desde o início da Quaresma (40 dias que antecedem a Ressurreição de Cristo) que «todos os cristãos tentam mudar as suas próprias vidas para que se aproximem, em mais harmonia, da vontade de Deus. Não pode haver Páscoa sem esta mudança. Se a Páscoa é passagem, ela não pode existir na vida da Igreja se os seus membros não fizerem todo um esforço de transformação e mudança de maneira que o Homem velho e de pecado seja vencido pela força e poder do Homem novo que é fruto da graça de Deus», concluiu o padre Orlando Santos.

Padre Orlando Santos, explicou o significado da Páscoa

Os passos da Ceia Pascal judaica A Última Ceia foi, antes de mais, a celebração da Páscoa. Segundo o padre Orlando Santos «Jesus cumpriu, rigorosamente, o que as Sagradas Escrituras diziam sobre esta celebração. Ele introduziu o rito novo da Eucaristia e o “lava-pés”, o qual permitiu aos discípulos e a nós hoje, por antecipação, viver o que aconteceria no dia seguinte: a doação da Sua própria vida. Por isso Ele diz: “O Meu corpo entregue por vós, o Meu sangue derramado por vós”». No tempo de Jesus, a Ceia Pascal judaica dividia-se em quatro momentos fundamentais, tendo sido estes os passos (resumidos) que Ele seguiu sentado à mesa com os apóstolos: 1º “quiddush” (santificação) Uma vez servido o vinho, pela 1ª vez o pai de família (neste caso, Jesus) pronuncia a primeira benção, dizendo: “Bendito sejas Tu, Senhor nosso Deus, rei do universo, criador do fruto da videira”... Todos bebem da taça, lavam as mãos e trazem a comida para a mesa. Comem aipo (planta herbácea) ou outra verdura “Karpas” molhando-a em molho especial “haroset”. Um rito importante deste “prólogo” da ceia pascal é quando o pai da família parte o pão ázimo “matza” em duas metades. Esconde-se uma para ser aproveitada no fim da refeição e a outra é distribuída pelos comensais através de pedacinhos que o pai parte e entrega. Também se abre a porta, convidando simbolicamente os transeuntes que precisem de ser acolhidos. 2º “haggadah” (relato ou homilia) Uma vez cheia a taça de vinho, pela 2ª vez, há todo um ritual que começa pelas perguntas do filho mais novo sobre o motivo da reunião da família naquele dia e o que estão ali a fazer. O pai responde, falando sobre o Senhor que libertou o povo da escravidão. Há cantos de louvor a Deus. Bebem da taça pela 2ª vez e é nesta altura que começa a ceia pascal, propriamente dita comendo o cordeiro assado com ervas amargas, pão ázimo e bebendo vinho. Come-se de pé com vestes cintadas e bordão na mão (símbolos de partida). A ceia termina, repartindo por todos a parte do pão “afikoman” escondida no início. 3º “Birkat ha mazon” (benção, acção de graças, depois da ceia) Serve-se a taça de vinho pela 3ª vez. O pai pronuncia uma oração de benção de acção de graças e de petição na qual se agradecia ao Senhor a bondade d’Este, a libertação do Egipto, pelos mandamentos. Era-Lhe pedido piedade para o povo de Israel, de Jerusalém e de fora da cidade. No final da oração todos bebem da taça. 4º “hallel” (conjunto de salmos de louvor) Antes de se beber pela 4ª vez, a assembleia recita os chamados salmos de “Hallel” de louvor e de benção (sls 114-117, 135). As últimas palavras da ceia projectavam os convivas para o futuro, pedindo ao Senhor que o banquete se repetisse no próximo ano.


04

POLÍTICA LOCAL

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

Núcleo do PSD Maia Leste

“Um PSD aberto à sociedade...” Na passada semana, recebemos nas nossas instalações, os líderes da comissão instaladora do núcleo do PSD Maia Leste, António Soares (Silva Escura), Joaquim Marques Gonçalves (S. Pedro de Fins) e Paulo Ramalho (Folgosa), que nos vieram dar a conhecer as intenções do futuro núcleo. As Eleições para a Comissão Política, deverão ter lugar entre Maio e Junho deste ano. Artur Bacelar

António Soares (Silva Escura), Joaquim Marques Gonçalves (S. Pedro de Fins) e Paulo Ramalho (Folgosa), são os militantes que lideram o processo da criação do núcleo, tendo ficado estabelecido que a comissão instaladora teria seis elementos, sendo dois de cada Freguesia. Por unanimidade estabeleceram o advogado Paulo Ramalho e actual Presidente da Assembleia de Freguesia de Folgosa, como Presidente da referida comissão. Segundo nos adiantou Paulo Ramalho, o objectivo principal da criação do núcleo é promover o debate e a reflexão política, enquadrando-se numa óptica de crescimento do partido e formação de quadros, referindo ainda que “não vai ser um “contra-poder”, mas vai ajudar a compreender as necessidades do meio”. Politicamente este núcleo irá apoiar a política concelhia, liderada por Costa Pereira. Marques Gonçalves a propósito disse que “As três freguesias têm problemas e interesses comuns, sendo assim que nasce o núcleo”. António Soares, referiu ainda sobre a criação do núcleo que “a união faz a força, sendo que é com vontade de trabalhar, que os militantes de Silva Escura participam neste projecto, até porque a nossa freguesia é a mais apagada do Concelho e a que tem menor desenvolvimento, pelo que urge dar a volta a esta situação”. Outro dos objectivos, segundo Paulo

Ramalho, será a “captação de elementos da sociedade civil para orientar e desenvolver o projecto”, sendo que este núcleo irá traçar e sugerir estratégias de desenvolvimento, estando o partido ao serviço das populações. Eleições de Dezembro na “calha” A curto prazo, o Presidente da comissão instaladora disse-nos que irão “de alguma forma dar a sua opinião sobre as eventuais candidaturas às eleições autárquicas nas três freguesias” de modo a que as pessoas se enquadrem neste perfil e estratégia de desenvolvimento, sendo necessário “corrigir e fazer o que ficou por fazer”, criando o debate interno, até porque “o núcleo tem ideias claras sobre as personalidades que vai apresentar”, disse Paulo Ramalho, que fez questão de salientar que o núcleo fala por um todo. Actividades “Debates com figuras do partido e não só”, será outra das actividades previstas, “pessoas que pela sua experiência pessoal possam tornar enriquecedor o debate, serão também convidadas”, disse-nos Marques Gonçalves. Para António Soares, “é necessário ter um PSD aberto à sociedade”. Paulo Ramalho é de opinião que “o PSD terá que ter uma voz reivindicativa”, dando como exemplo o caso da Siderurgia Nacional, que afectou seriamente Folgosa e

S. Pedro de Fins e que só voltou à “baila”, porque houve quem se interessasse pela defesa dos interesses da população, não tendo dúvidas que se o núcleo já existisse estaria na vanguarda da “luta”. Outra das funções será “redistribuir melhor as coisas, até porque repare, concerteza não vai ser possível à Câmara Municipal criar um pavilhão em cada freguesia, pelo que as pessoas têm que agir em conformidade com este facto”.

senhor Alvarinho Sampaio, aumentaram substancialmente o número de militantes. O Presidente da Concelhia, Dr. Costa Pereira, foi também uma peça fundamental porque acarinhou e abraçou de imediato a ideia, enquadrando-se esta iniciativa no âmbito do processo de crescimento do partido no Concelho”. Para Marques Gonçalves, a forma como a população recebeu o projecto, “tratou-se de uma experiência enriquecedora”.

O nascimento da ideia Segundo o actual Presidente da Assembleia de Freguesia de Folgosa “ A Maia precisa de mais reflexão política e dai adveio a ideia do núcleo. Nasce à cerca de dois ou três anos, perante a derrota do PSD nas eleições legislativas, altura essa, em que o partido perde pela primeira vez em algumas freguesias. Quando se começa a ouvir falar, primeiramente no núcleo de Silva Escura(de que António Soares foi o grande impulsionador), e depois no de Folgosa, acontece um fenómeno curioso, apareceu um homem já com 20 anos de partido, o senhor Manuel Martins, que se aliou a este projecto, e começou a percorrer os caminhos de Folgosa, aumentando em mais de 300% o número de militantes, sendo que em Silva Escura, passou-se um fenómeno idêntico, mas na pessoa do senhor José Pinheiro. Já em S. Pedro de Fins, o processo estava mais atrasado e Marques Gonçalves em conjunto com o

Não haverá Sede Fixa “Não queremos para já Sedes Fixas Existe um problema muito sério com a constituição de uma Sede fixa, que é o facto de se tornar muito dispendioso a manutenção de um espaço. Temos alguns casos bem conhecidos no Concelho e por esse motivo decidimos não ter uma Sede física, reunindo nas várias freguesias em locais a designar”, disse Paulo Ramalho. “Acompanho-me sempre com um representante de cada Freguesia” Paulo Ramalho, a terminar agradecia “a confiança dos colegas das outras Freguesias” e justificava a “união” dizendo que “para qualquer assunto relacionado com o PSD, faço-me sempre acompanhar por um elemento da comissão de cada Freguesia. O facto de ser Presidente do núcleo, não vai alterar o meu discurso, defendendo na mesma os meus ideais e a minha consciência”.

Social-Democratas do “MaiaLeste” unidos em convívio Um considerável número de social-democratas das três freguesias- Silva Escura, Folgosa e S. Pedro Finsque fazem parte do núcleo “Maia -Leste” estiveram presentes durante um jantar realizado no passado sábado, dia 7, num restaurante em Folgosa. Este encontro serviu para promover o convívio entre militantes e para ficarem a conhecer as principais figuras do partido, entre elas, o euro-deputado Arlindo Cunha, que esteve na qualidade de presidente da Mesa do Plenário do PSD/Maia, e o presidente da Comissão Política, Bernardino Costa Pereira. Miguel Ângelo Machado

Foi o primeiro encontro de uma série de três que o núcleo “Maia-Leste” pretende realizar em cada uma das três freguesias com o propósito de promover o convívio entre militantes de Silva Escura, Folgosa e S. Pedro Fins. Presentes no jantar estiveram os três principais impulsionadores do novo projecto do PSD, António Soares, Joaquim Marques Gonçalves e Paulo Ramalho. Coube ao anfitrião, Paulo Ramalho, agradecer as presenças de Arlindo Cunha, Costa Pereira, Luciano Gomes e ao autarca de Folgosa, Altino Marques, e deixou claro

ao líder do PSD/Maia que “quando nós não estivermos de acordo com aquilo que o PSD concelhio fizer, não teremos uma perspectiva de crítica pela negativa mas sempre numa perspectiva de contribuir para que o PSD/Maia esteja, não só para o serviço do partido mas ao serviço das populações, da comunidade, isso é que é o nosso ideal. Não pretendemos ser um novo partido dentro do próprio partido”. O presidente da comissão instaladora do núcleo teceu elogios a Arlindo Cunha e, em jeito de desafio, pediu que o mesmo aceitasse assumir responsabilidades no

próximo executivo da Câmara Municipal da Maia. Por seu lado, Arlindo Cunha, não respondeu à “provocação” feita, mas deixou outra a Paulo Ramalho dizendo que este, “é uma figura que tem muito para dar à Maia e, estou convencido, que também ao país”. A concluir, disse que augura “um futuro grande para o novo núcleo”, porque tem na sua liderança “representantes de luxo, com personalidades muito fortes e dinâmicas”. Luciano Gomes disse estar “solidário para com este projecto. Nós, nesta área do

concelho já há muito precisávamos de um projecto assim”. O líder do PSD/Maia, Costa Pereira, salientou que o partido “está mais visível na Maia porque a isso se deve o trabalho dos núcleos”. Apresentou, na sua intervenção, que o principal objectivo do PSD maiato será o de preparar o futuro, “o que significará renovar ideias e pessoas e dar lugar aos jovens. Este tem sido o nosso lema”. Costa Pereira quer, também, “tudo fazer com que Silva Escura volte a ser do PSD”, para isso pediu a todos ajuda para o combate das autárquicas de Dezembro.

Clínica Veterinária D. Manuel II `orw^jbkql=a^=ro_^kfw^†Íl=alp=^iqlp=`lj=^=^sbkfa^=aK=j^krbi=ff RUA DOS JACINTOS, Nº. 9 * 4470-235 VERMOIM-MAIA * TELEFONE 22 944 22 54 * TODOS OS DIAS DA SEMANA DAS 15 ÀS 21, SÁBADOS DAS 11 ÁS 13


POLÍTICALOCAL

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

05

PSD já apresentou candidato a Gueifães

Manuel Viseu é o homem escolhido A Concelhia do Partido Social Democrata da Maia já definiu a estratégia política para Gueifães. O primeiro objectivo passa por vencer as próximas eleições autárquicas em Dezembro com o militante Manuel Viseu de 48 anos. Texto: Miguel Ângelo Machado; Foto: António Armindo Soares

Ser presidente da Junta de Freguesia de Gueifães, ocupando o lugar do socialista Alberto Monteiro que há três mandatos orienta os destinos daquela localidade, é o objectivo a que se propõe Manuel Peixoto da Silva Viseu, 48 anos, casado com Maria de Fátima Viseu há 25 anos e pai de dois filhos. Industrial da Construção Civil, aos 17 anos emigrou para França. Regressou 20 anos depois, fixando residência em Gueifães. É vice-presidente da Comissão Política de Gueifães, delegado do PSD Maia à Assembleia Distrital e membro da Assembleia Geral do Grupo Desportivo e Cultural de Gueifães. No jantar de apresentação da sua candidatura, realizado na Casa das Tílias, em Gueifães, no passado dia 27 de Março e que contou com as presenças do autarca maiato Vieira de Carvalho, o vice-presidente da CM da Maia, Bragança Fernandes, Luciano Gomes, presidente da Assembleia Municipal, Fernando Moreira, presidente do Núcleo de Gueifães, vereadores, alguns dos presidentes de juntas de freguesias sociais democratas e representantes da Comissão Política, foi a JSD Maia que abriu a série de discursos. João Telmo, ausente por doença, remeteu em Emanuel Martins a apresentação do seu voto de confiança em Manuel Viseu. O candidato, visivelmente satisfeito com o apoio das cerca de 200 pessoas presentes no jantar e com as palavras de apreço e encorajamento que foi recebendo durante a noite, referiu que este seu passo político «acarreta uma responsabilidade imensa». “É chegada a altura de Gueifães deixar de ser o parente pobre da cidade da Maia” «Agora que me encontro no auge das minhas forças, penso ser este o momento para trabalhar em prol da minha terra e das suas gentes. Garanto que me irei empenhar com todo afinco e entusiasmo para fazer mais e melhor por Gueifães», afirmou Manuel Viseu que considerou inaceitável que «as pessoas, muitas vezes, se esquecem que Gueifães também pertence à cidade da Maia. O facto de estarmos mais longe do centro, não pode significar um esquecimento. É chegada a altura de Gueifães deixar de ser o parente pobre da cidade da Maia». O candidato social democrata deixou já no ar algumas das propostas que poderão vir a fazer parte do programa eleitoral, entre as quais um novo Centro de Saúde, sedes para a Banda Marcial e para o Grupo Desportivo e Cultural de Gueifães, um parque de lazer, apoios à infância e à terceira idade, aproveitando o momento para convidar todas as pessoas, independentemente da simpatia e filiação partidária, para «dar o seu contributo ao nosso programa. A nossa candidatura é despida de preconceitos partidários. Não é uma candidatura de direita, nem de esquerda, mas sim por Gueifães», finalizou Manuel Viseu, arrancando fortes aplausos dos convidados. “Manuel Viseu é o homem capaz de conduzir esta importante freguesia do concelho” «Vamos aqui hoje dar o primeiro

Manuel Viseu e Vieira de Carvalho

passo para a vitória, não só para o PSD, mas para a vitória da normalização e progresso. Estamos perante uma pessoa que vai dar a este lugar uma força diferente. Não pretendo, desta forma, tirar capacidade às outras pessoas que o antecederam em outras campanhas, mas é minha convicção pessoal que Manuel Viseu é a pessoa certa para este lugar. Estou certo que nos vai dar uma grande alegria», afirmou Luciano Gomes. O presidente da Assembleia Municipal alertou ainda os presentes que «os tempos são cada vez mais difíceis, ou seja, o PSD e as pessoas não podem usar a táctica de quinze dias antes fazer campanha. Temos que começar com muito tempo e direi que em alguns sítios do concelho já é tarde não termos começado». Vieira de Carvalho mostrou-se agradado com a afluência de apoiantes ao candidato Manuel Viseu referindo-se a este último como um «homem que com a sua equipa, é capaz de conduzir esta importante freguesia do concelho. Temos aqui, entre nós, um desafio para ganhar». O presidente da CM da Maia considerou esta candidatura a Gueifães como «um passo importante e decisivo. Gueifães precisa de uma mudança e o Sr. Manuel Viseu, com o apoio de todos nós e com o apoio maioritário desta freguesia, pode encarnar essa mesma mudança». No contexto municipal, o autarca referiu que o apetite dos adversários políticos «é grande em conquistar a Maia, a jóia da coroa da Área Metropolitana», sendo necessário «estarmos atentos e sermos seguros e lúcidos para que em Dezembro, tanto em Gueifães como na Maia, possamos ter uma grande alegria».

CONFERÊNCIA “O Contexto Legal e o Papel das Instituições Públicas e Privadas no âmbito da Medicina, Higiene e Segurança no Trabalho.” Auditório do Fórum da Maia. 17 de Abril de 2001 16:30 horas Temas a desenvolver • • • • • • • • • •

Organização de Serviços Privados de Medicina, Higiene e Segurança Aspectos Técnicos Relevantes na Regulamentação das Empresas Prevenção de riscos Profissionais Aspectos Legais de Medicina, Higiene e Segurança no Trabalho A Iniciativa Privada nos Serviços de Medicina, Higiene e Segurança Campanhas de Sensibilização Regulamentação das Empresas e Incentivos Públicos Certificação das Empresas O Associativismo no âmbito da Medicina, Higiene e Segurança A Intervenção Autárquica

Evento dirigido a empresas prestadoras de serviços de consultoria e gestão, empresários e dirigentes associativos (Entrada Livre) Informações e Inscrições pelos telefs: 229 476 698 - 229 476 699 Fax 229 476 700

Organização: IMEL, INSPECÇÃO MÉDICA LABORAL, LDA. Rua Simão Bolívar, 183 - salas 1/2 4470 - Maia


06

POLÍTICA LOCAL

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

Comunicado da JS Águas Santas A Juventude Socialista de Águas Santas, atenta às carências e necessidades da população, assistiu perplexa na última Assembleia Municipal, a um triste espectáculo protagonizado pelos deputados municipais do P.S.D (excepção e aplauso para a atitude do Dr. Rui Maia). Espectáculo? Sim só podemos considerar isto um espectáculo, embora protagonizado por actores que, infelizmente, não parecem vocacionados para assumirem o papel para o qual foram mandatados: Servir a população Maiata. Lembraram-se, então, os Srs. deputados do P.S.D, numa atitude que considerámos moralmente inaceitável e vergonhosa, de aprovar a doação de um imóvel à fundação Maia - Vieira de Carvalho cuja importância e a utilidade, obviamente, não a questionamos. Tão só,..........porque ela não existe. Pensemos agora num aspecto tão simples como: o bom senso. Ora, aqui está um factor que nos parece não ter sido contemplado pelo P.S.D - Maia (mesmo sendo um dos princípios básicos da natureza humana) e exigido a todos

aqueles que possuem responsabilidades políticas. Pensemos então, nós, com......bom senso: Será lógico que uma Câmara doe património a uma instituição privada sendo o seu “patrono” o representante máximo da edilidade? Haverá lógica alguma num processo de doação quando aquele que recebe é o mesmo que dá? Será isto possível? Como? Questionamo-nos com todo o direito. A resposta parece-nos simples mas atroz: é possível quando se trata de lidar com o que é dos outros. E os outros.....somos todos nós, os Maiatos. Será que isto é servir os cidadãos? Ou será servir interesses pessoais e partidários? Em Águas Santas apregoa-se, há muitos anos, a construção de uma nova Junta de Freguesia, um equipamento que será munido de um centro cívico. Desde então já foram construídas imensas esculturas, arcos de triunfo, espelhos d’água, etc., entretanto os pregões continuam... Era bom que as preocupações dos

responsáveis políticos se centrassem nas valências que podem melhorar as vidas dos cidadãos. Até lá...continuamos à espera. Outras dúvidas se levantam, para nós, quando vemos a Câmara Municipal a “alienar” património sem quaisquer contrapartidas financeiras: Será que a C.M.Maia possui uma situação financeira que lhe permite dar-se ao luxo de tais atitudes? Se não pode, que motivações poderão levar um executivo e uma assembleia municipal a aprovar uma proposta destas? Segundo o veiculado pela comunicação social, há vereadores que argumentam que o Dr. Vieira de Carvalho “merecia muito mais”. Muito mais?!! Quanto? Mais uma lápide num qualquer centro de saúde? Mais uma lápide numa qualquer ponte? Mais uma lápide num qualquer estádio? Felizmente já passaram quase 27 anos desde que alguns nomes começaram a ser substituídos por 25 de

Abril e que se reformaram os “lápis azuis”. Na nossa freguesia (Águas Santas) existe um Largo que está (finalmente) a sofrer uma reformulação urbanística. O Largo 25 de Abril. Esperemos que numa atitude desenfreada de tributo não queiram, também, baptizar os sanitários públicos que aí serão construídos, já que nos parece que alterar o topónimo do Largo seria demais. Embora... já alguém se tenha lembrado disso! Srs. Deputados do P.S.D - Maia, não há que ter medo da democracia. O mínimo que esperam aqueles que lhes confiaram o voto é que votem em consciência; e votar em consciência, não é dar “palmadinhas nas costas” daqueles que votam contra (como no caso desta doação) e dizer “baixinho” que se pudessem também o fariam. Isso, meus senhores, é zelar por interesses que não os da população Maiata. Haja coragem, haja moral,......haja vergonha! (O Secretariado do Núcleo da J.S. Águas Santas)

%

^`†Îbp ab cloj^†Íl abW=NSJOM= ab ^_ofiK= a^pW=VIPM= e J=NNIPM= e lr NTIPM= e J=NVIPM= e “FUTUREKIDS”! E NA PARTICIPAÇÃO DE QUALQUER UMA DAS 4 ACÇÕES DE FORMAÇÃO, GANHE UMA ACÇÃO “WINDOWS FOR KIDS” (GRATUITA). VENHA COM O SEU FILHO CONHECER O MUNDO

`ropl

k⁄= ab

Acção I Projecto.da.empresa AMBIENTE

elo^p

8 horas

`rpql

al

`ropl

20.000$00

ACTIVIDADE PRINCIPAL: Criação de uma Empresa SOFTWARE: Windows / Publisher OPERATIVO: Hardware / Processamento de Texto / Grafismo / Edição Electrónica

Acção II gestão.da.empresa AMBIENTE

18 horas

45.000$00

ACTIVIDADE PRINCIPAL: Org. e Gestão de Empresas SOFTWARE: Office / Publisher OPERATIVO: Processamento de Texto / Folha de Cálculo / Base de Dados

Acção III divulgação.da.empresa

12 horas

30.000$00

ACTIVIDADE PRINCIPAL: Marketing SOFTWARE: Office / Publisher AMBIENTE OPERATIVO: Grafismo / Edição Electrónica / Multimedia

Acção IV internacionalização.da.empresa AMBIENTE

10 horas

`ropl

ab rj

`roplW

k⁄= ab

Windows For Kids (dos 6 aos 15 anos)

elo^p

8 horas

BOLETIM DE ASSINATURAS

SIM, desejo ser assinante do JORNAL MAIA HOJE por um período de: 6 meses ou 12 números - 1.650$

1 ano ou 24 números- 3000$

APROVEITE A CAMPANHA DA ASSINATURA ANUAL MAIS DE 15% DE DESCONTO Envio Cheque ou V. Postal Nºº º. no valor de Nome Data de Nascimento Morada Profissão Telefone

$00, do Banco Naturalidade Código Postal Telemóvel

Recorte e envie o cupão para a seguinte morada: JORNAL MAIA HOJE -Rua dos Altos, Ed. Arcada, 10 4470 - 235

MOINHO DE PEDRA

25.000$00

ACTIVIDADE PRINCIPAL: Globalização do Negócio SOFTWARE: Explorer - Netscape / office / Corel Draw OPERATIVO: Telecomunicações / Processamento de Texto / Grafismo / Edição Electrónica / Programação

lcboq^

"

ì É ë = l ~ä å ê ç g

`rpql

al

`ropl

Padaria, Confeitaria e Cafetaria, Lda.

15.000$00

a^alp mbppl^fp kljbW jlo^a^W

qbibclkbW

RECORTE ESTE CUPÃO E ENVIE PARA: AV. ANTÓNIO SANTOS LEITE, 452 - 4470-142 MAIA TEL. 22 948 86 69 - FAX 22 948 86 70 • futurekids.maia@mail.telepac.pt

Rua da Ponte Pedra, 2 • Gueifães 4470 Maia • Telefone 229027596


GRANDE MAIA

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

07

Na Maia,

Construção de prédio “levanta” problemas Na Av. Santos Leite, mesmo em frente à “Futurekids”, a construção de um prédio tem causado alguns inconvenientes aos moradores do prédio adjacente. Tudo porque a empresa responsável retirou umas chapas que protegiam uma das fachadas das humidades. Texto: Miguel Ângelo Machado; Fotos: Júlio Ornelas

Desde que as chapas de protecção de uma das faces do prédio com o número 461 foram retiradas pela empresa de construção EDIMAIA, responsável pela edificação de um novo imóvel mesmo ao lado, as queixas de entradas de água dentro das habitações tem sido uma constante nos últimos meses. O que acontece é que essas mesmas chapas encontravam-se a ocupar, em cerca de 8 cm, o terreno anexo, propriedade da empresa construtora. Quando a EDIMAIA decidiu construir naquele local um imóvel, idêntico em termos de estrutura ao seu “vizinho”, viuse na necessidade de as retirar. Nesse momento, reparou-se que a parede, anteriormente protegida, não era mais do que uma “fachada cega”, ou seja, «completamente despida, sem qualquer

tipo de material de impermeabilização», explicou ao “Maia Hoje” Arnaldo Ferreira da Costa, um dos gerentes da EDIMAIA. «Aqueles moradores compraram um prédio inacabado», referiu. De momento, o problema parece estar resolvido, na medida em que, os construtores isolaram o coroamento no topo do edifício. Mas os estragos causados pela humidade dentro das habitações, enquanto esse trabalho não foi feito, são consideráveis. «Chovia na cozinha como na rua», afirmou ao nosso jornal, Maria Manuela Jesus, moradora no 1º Dto que referiu como prejuízos tectos e paredes danificadas pela humidade e alguns móveis estragados. «Cheguei a ter que cozinhar de guarda-chuva. O meu filho com bronquite asmática também sofreu muito com esta situação. Alguém tem

que ser responsabilizado», declarou a moradora. Maria Jesus denunciou o problema à Protecção Civil, PSP e ao construtor em causa. Arnaldo Ferreira da Costa acusou a recepção da carta da moradora, «à qual respondemos a explicar que não tínhamos culpa». O gerente daquela empresa referiu ainda que foi enviada uma carta ao condomínio a requisitar autorização do terraço para que «os homens pudessem trabalhar no coroamento. Até termos essa autorização as infiltrações são da responsabilidade deles» e foi mais longe: «Estruturalmente, aquele edifício é uma miséria. Naquela parede via-se o tijolo. Esta situação de falta de impermeabilização pode mesmo vir a dar problemas ao nosso prédio. Isto não acontecia se o responsável daquele imóvel o construísse segundo as mais

elementares regras de construção». O coroamento dos edifícios é um dever dos dois proprietários, como explicou o construtor: «É uma obrigação comum. Fizemos aquilo e agora vamos enviar a factura para o condomínio». No entanto, foram incluídas mais intervenientes na história. A moradora já enviou à Câmara Municipal da Maia um documento assinado por todos os moradores afectados pelo problema. «Pergunto-lhes se o prédio não estava pronto, como foi possível concederam licenças de habitabilidade», afirmou. O prédio novo já está edificado, ainda que em fase de construção e os moradores procuram quem se responsabilize pelos estragos. «Vou até ao fim», afirmou Maria Manuela Jesus, na esperança de ver resolvidos os seus problemas.

C O N S U LTA S M É D I C A S

Cardiologia • Cirurgia • Cirurgia Vascular • Clínica Geral • Ginecologia • Medicina Dentária • Medicina Interna • Nutrição • Obstetrícia • Oftalmologia • Ortopedia • Otorrinolaringologia • Pediatria • Pneumologia • Psicologia • Psiquiatria • Urologia

ANÁLISES CLÍNICAS Laboratório Fleming Torrinha

A NATO M I A PATO L Ó G I C A • E N F E R M AG E M • E L E C T R O C A R D I O G R A M A S • AU D I O G R A M A S

ACORDOS COM: ARS - Ministério da Saúde • SAMS • PT - Portugal Telecom Ministério da Justiça • ADSE • CGD • CTT • SAD - PSP Petrogal • Anjos da Noite • Advance Care

APOIO ÀS EMPRESAS

Medicina do Trabalho (temos unidade móvel) • Higiene e Segurança do Trabalho (Medição e avaliação de ruído nos locais de trabalho, ambiental e das condições de trabalho nas empresas como factores de luminosidade, poeiras, gazes, etc...) • Medicina Curativa • Assistência a acidentes de trabalho (Todas as companhias de seguros)

oì~=båÖK⁄=cêÉÇÉêáÅç=räêáÅÜI=OSSR=J=jçêÉáê~=J=QQTM=j~á~=√=qÉäK=OO=VQM=SN=OM=√=c~ñ=OO=VQM=SN=NU


08

GRANDE MAIA

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

Associação Comercial e Industrial da Maia

Nova Direcção toma posse A Lista A, liderada por José Ferreira Torres, venceu de forma inquestionável as eleições relativas à direcção da Associação Comercial e Industrial da Maia (ACIM): 123 votos contra 13 da Lista B, encabeçada pelo anterior presidente, António Rebelo. No dia 23 de Março os novos corpos gerentes tomaram posse para o próximo triénio. O primeiro trabalho a realizar passa por uma “operação de limpeza”... Miguel Ângelo Machado

Numa cerimónia simples que contou com a presença de todos os associados pertencentes à nova direcção, foi notória a ausência de António Rebelo, antigo presidente da ACIM, na respectiva “passagem de testemunho”. Apenas Manuel Gomes Dias, antigo presidente da Assembleia Geral compareceu, sendo ele também membro da nova direcção. «Tenho muito prazer em passar o meu cargo ao Sr. António Ambrósio. Quero também felicitar toda esta equipa que com ele vai trabalhar, onde me incluo, e dar os parabéns a todos, pelo empenho que tiveram em querer renovar e unificar esta Associação. Isto é bom para todos os associados e maiatos em geral. Desejo que daqui para o futuro a ACIM seja uma Associação credível para bem servir o povo maiato. Os pequenos comerciantes também contam com esta Associação e esta será, de igual modo, para servir todos os associados», afirmou Manuel Gomes Dias. António Ambrósio revelou-se satisfeito com o cargo que irá ocupar na ACIM: «aceitei este lugar com prazer e responsabilidade. Fui convidado pelo meu amigo José Francisco Vieira de Carvalho e naturalmente não podia rejeitar, de modo nenhum, esse mesmo convite. Sou empresário na Maia há 20 anos, gosto da cidade, muitas vezes considero-me maiato e realmente, pelo pouco que sei desta Associação, foi-me dito que as coisas não estavam a correr bem.» Classificando a Maia como o «concelho mais industrial do país e dos mais fortes a nível comercial», António Ambrósio referiu, igualmente, que «esta Direcção tem muitas coisas a fazer, passando por ter instalações próprias, com boa localização geográfica que apoie as pequenas, médias e grandes empresas», apontando, desta forma um dos próximos objectivos a levar a efeito pela ACIM. «Há aqui pessoas com provas dadas, com valor e que poderão fazer muito. Precisamos do apoio de todos nós e também da Câmara Municipal. Como presidente da Assembleia Geral tenho a dizer que podem contar comigo e desejo felicidades à Direcção para que a ACIM se torne num importante organismo no país. Vamos trabalhar nesse sentido.», finalizou o empresário da Fábrica de Tintas 2000. “Vamos limpar os vidros...” Nas eleições do passado dia 21 contabilizaram-se 123 votos a favor da Lista A, 13 a apoiar a Lista B, três votos brancos e dois nulos. O discurso do novo presidente da Direcção, José Ferreira Torres, para além das naturais palavras de satisfação pela vitória no mesmo acto eleitoral, passou também por algumas “indirectas” ao anterior corpo directivo. «Todos nós trabalhamos bem para chegarmos aqui hoje. Uns entenderam, outros não. Mas o que interessa é que a grande maioria percebeu que este grupo merece confiança. Aqui não vai haver um chefe, mas sim um grupo de comerciantes e industriais que vão fazer para que esta Associação seja digna e merecedora de um concelho como este, já que esta estava a dormir. Vamos limpar os vidros e já na próxima segunda-feira [dia 26], vem cá uma empresa de limpeza, situada na

José Torres e António Ambrósio, Presidentes da Direcção e Assembleia Geral

cidade do Porto, limpar esta casa. Daqui a um tempo, quando tivermos noção exacta da situação da Associação, vamos torná-la pública numa reunião onde iremos convidar os industriais, comerciantes e autoridades concelhias. Nessa reunião será também lançada uma nova campanha de angariação de sócios e outros projectos que nessa altura possamos apresentar. Vamos ser os responsáveis por esta casa com toda a dignidade, respeito e seriedade e disto não abdicamos», discursou, desta forma, José Ferreira Torres, agradecendo ainda a toda a comunicação social local «que desde o início da campanha ouviram as posições das duas partes.» Terminadas as intervenções e toda a sessão protocolar, o presidente da ACIM, disse ao “Maia Hoje” que para além da análise financeira pela ACIM o «lançar uma nova campanha de sócios será também um passo a ser tomado brevemente. Esta associação já teve três mil sócios e agora temos só cerca de 700 e se isto não levar uma volta, um dia destes, não tínhamos nenhum». José Ferreira Torres que classificou a situação económica da ACIM como «muito mal, para não dizer péssima», justificou ainda a “operação de limpeza”, que havia proferido no seu discurso: «Julgo que houve abusos de poder e utilização de bens da Associação em proveito próprio. Houve grandes anomalias, mas primeiro vamos analisar», concluiu.

CDI Clínica Dentária Integrada Centro de Implantes Dentários

Dr. Raúl Vaz de Carvalho Sendo a 1ª Clínica Dentária Integrada do País, a CDI põe à sua disposição as mais avançadas tecnologias e um vasto leque de serviços, tendo como objectivo primordial melhorar a qualidade de vida dos seus doentes. Assim pode usufruir: - Elevada competência nos diagnósticos e tratamentos. - Consultórios de Medicina Dentária, com exclusividade nas áreas de: - Implantologia Oral e Extra-oral; - Próteses Fixa e Removível; - Oclusão e Dor Orofacial; - Dentisteria Operatória - Endodontia - Odontopediatria - Ortodontia Fixa e Removível - Bloco Operatório - Gabinete de Higiene Oral: Prevenção e Análises Salivares - Gabinete de Radiologia - Laboratórios de Próteses Fixa, Removível e Ortodontia. A CDI dispõem ainda de depósito de água tratada e gerador de energia eléctrica. Está ligada via Internet, a Centros Clínicos estrangeiros, permitindo acompanhar as mais recentes evoluções quer no campo tecnológico como no campo científico. Alvará n.º 1817/97

Rua de S. Romão, 422 - Vermoim - 4470 MAIA Tel. 22 948 54 14 - Fax 22 941 64 71 - cdivazdeCarvalho@mail.telepac.pt


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

PUBLICIDADE

09


10

PUBLICIDADE

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001


Gente

11

SOCIEDADE

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

da nossa terra

por Williams James Marinho

O quinzenário MAIA HOJE, jornal sem alarde de notícias bombásticas, vai direccionar a partir de agora, a sua bússola jornalística para as gentes da nossa terra,- sem escolher profissões ou posições sociais. Outrossim:- homens e mulheres ou até crianças que, pelo seu aprumo e dignidade, no meio onde vivem, neste caso no Concelho da Maia, possam despertar ao escriba para a inserção nesta secção com fotografias do momento ou de arquivo pessoal. Serão benvindos, todos aqueles que, através das suas profissões, pintura, música, escultura, invenções ou outros, possam mostrar ao nosso mundo nacional que, a Maia City, não está no lugar de “top” por favores de ninguém. È ao meio rural, citadino e, aos clarividentes autarcas, que se deve a evolução desta moderna cidade, mesmo em comparação com outras a nível internacional.

R ESTAURANTE C ANTINHO R EGIONAL

R ÚBEN A LEXANDRE

DA

C RUZ P EREIRA

U MA

CRIANÇA QUE CHAMOU A NOSSA ATENÇÃO

Rúben Alexandre

Serafim Pereira da Silva ladeado, à direita pela filha Carina, e a esquerda pela sobrinha Sandra Maria

A cidade da Maia, tem restaurantes para todos os preços e paladares, com uma vasta gama de bom serviço à lista e acolhimento caseiro. Poderíamos começar pelos de primeira (lá chegaremos), mas optamos por aquele que normalmente comemos, não só pelo seu preço, como pela velocidade com que a comida é posta na mesa. Muitas centenas de trabalhadores, que estão a erigir o nosso burgo, precisam de comer no seu tempo limitado de uma hora para almoço. Dado ao grande fluxo, não seria possível dar de comer a tanta gente num tempo tão restrito. O preço também é convidativo. No RESTAURANTE CANTINHO REGIONAL, de segunda a sextafeira, um prato de carne ou peixe custa somente 550$00, sendo posto na mesa num minuto! Aos sábados

e domingos, como na construção pára para descanso, há mais tempo para confeccionar pratos regionais como cozido à portuguesa, rojões à moda do Minho, tripas à moda do Porto, arroz de sarrabulho, cabrito à padeiro, leitão à Bairrada, bacalhau à cantinho e à Zé do pipo e outros inseridos no menu. Uma família que actua em bloco O seu proprietário Serafim Pereira da Silva de 53 anos, nasceu em S. Mamede de Infesta, começando a trabalhar como ajudante na indústria hotelaria. Vive nesta cidade há 35 anos, montando negócio em 1988 no 1113 da Avenida D. Manuel II em Vermoim Maia. É casado com Maria Otília, maiata, seu braço de ouro na cozinha. Do casal, nasceram três

filhos. Manuel, conhecido como” Marinho”, Álvaro e Carina. Como auxiliar da equipa, a sobrinha Sandra Maria, nas horas de ponta, mais parece um jogador de basquete! Tal é a sua movimentação. O período de funcionamento é das 6:30 às 20:30 com descanso semanal à segunda de tarde. Interpelado pelo repórter, o conhecido Serafim desabafou;-” Sinto-me como se estivesse em New York ! Tenho muitos amigos e, dedicados clientes. Gostava de ter melhores instalações, só que tenho de me contentar com o que tenho”. Assume-se como católico e, não esconde a sua paixão exagerada pelas cores benfiquistas. Rematando sem molestar ninguém, consideramos os pratos económicos desta casa, um dos lugares cimeiros em “fast-food” (comida rápida), mas caseira.

Quando o repórter tirava fotografias ao Cantinho Regional (ver reportagem nesta página), um miúdo que mora ao lado, pediu-nos que lhe tirasse-mos a fotografia. Como prestamos toda a atenção às crianças, não hesitamos! Bem falante, o menino disse, se fosse preciso que pagava, começando por nos dizer que gostava de praticar Karaté. Ainda insistimos no futebol. Resposta pronta: - isso é para o meu irmão Fábio! Parecia que estava à frente de um homem, tal era a sua desenvoltura num português correcto para um menino de oito anos. Sabemos que o Rúben frequenta o 2ºano na escola de Barca, gostando muito da professora D. Cândida, da cidade e de todos os meninos. Este jovem tem três irmãos, Fábio, Tatiana e Sara. Exemplos de crianças para o homem aprender A talho de foice, aproveitamos o espaço para contar uma estória curta, verídica e, passada no Condado de Bronx - New York. Num recinto, onde existem quatro campos de futebol, várias crianças de origem portuguesa brincavam com meninos de cor. A comer sardinhas assadas, seus pais, dado que não havia perigo, deixaram de se preocupar com os seus filhos. Até que de repente ouviu-se alto e a bom som. “Jack! ... não brinques à beira dos pretos!” Resposta pronta. “ó mãe, eles não são pretos! -São meninos!”


12

PUBLICIDADE

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

GRANDE MAIA

13

Na sequência das últimas cheias,

Protecção Civil janta com realojados Aproveitando o facto de uma das residenciais onde foram realojadas algumas famílias afectadas pelas intempéries do mês de Março, não servir jantares ao Domingo, a Protecção Civil Municipal (PCM) juntou todos os realojados num restaurante da Maia no passado dia 25 para se inteirar da sua situação e, igualmente, com o objectivo de «lhes tentar minorar o sofrimento», afirmou António Lopes, responsável substituto da PCM. Miguel Ângelo Machado

Na sequência das chuvas torrenciais que se abateram em todo o território nacional no passado dia 21 de Março, e neste caso, no concelho da Maia, a Protecção Civil desta cidade viu-se obrigada a realojar um total de 15 pessoas, entre adultos, idosos e crianças. As águas dos rios Leça e Almorode galgaram as margens, colocando em perigo cinco famílias. Os estragos são muitos e difíceis de contabilizar. Duas pessoas, moradoras na Rua do Pisão (Águas Santas) e uma família de Gueifães ficaram mesmo sem nada. A viverem provisoriamente em duas unidades hoteleiras da Maia [de onde já saíram no dia 27 de Março], estes realojados, numa iniciativa da PCM, reuniram-se à mesma mesa e com um olhar incerto relativamente ao futuro, relataram ao “Maia Hoje” a verdadeira dimensão das desgraças. “Ficamos sem muita coisa” Paulo Alexandre, mora na Rua do Arco, na freguesia de Gueifães, com a sua mãe e mais dois irmãos. Neste Inverno foi já realojado por quatro vezes num total de sete cheias. As águas do Rio Almorode transbordam facilmente as margens, inundando logo a sua habitação. «Este Inverno tem sido impossível. Ninguém tem culpa que chova muito, mas tem que ser feito alguma coisa», afirmou o morador, apontando soluções para o seu problema, «ou se limpa o rio ou dão-nos uma casa camarária». Paulo Alexandre afirma ter já concorrido por duas vezes a uma casa da Câmara, «mas até agora nada. Tive conhecimento que esse processo não existe. Tenho as cópias do mesmo, mas na Câmara não há lá nada. Não sei o que poderá ter acontecido a tais documentos». Quanto a prejuízos, Paulo Alexandre afirmou, peremptório, «não temos nada. Com a excepção das camas com estruturas de ferro, tudo o que é móveis, está destruído. Perdemos também muita roupa. Desta última vez fomos apanhados um pouco desprevenidos», apontando para 500 contos o valor dos estragos. Para já foram elaborados relatórios dos materiais danificados, tendo sido entregues à PCM,

Esclarecimento Face a notícias publicadas no dia 3 de Abril, num jornal diário sobre o encerramento da Ponte de Parada, em Águas santas, a Câmara Municipal da Maia entende ser sua obrigação esclarecer o seguinte: 1. A Ponte de Parada fica situada na Estrada Nacional 318-1. è uma estrada que se encontra sob tutela do Instituto de Estradas de Portugal (IEP) mas que, no entanto, está em processo de transferência para o domínio municipal. Esta estrada, mesmo sendo nacional, não deixa de estar na jurisdição dos serviços de Protecção Civil da Câmara Municipal da Maia. 2. O auto de entrega e respectivo acordo para o financiamento da requalificação desta estrada encontra-se no Instituto das Estradas de Portugal há vários meses, para ser subscrito. Só concretizada a subscrição deste acordo por parte do IEP, a estrada passará a

que por sua vez os encaminhou para a delegação Distrital. «Ainda não sabemos se vamos receber alguma coisa. Temos que ver são muitos por este país fora na mesma situação. Preferia é que me dessem uma habitação, para termos uma vida digna, do que o próprio dinheiro, porque com o tempo íamos tendo as coisas outra vez», desabafou Paulo Alexandre que aproveitou ainda a ocasião para a todos os que o têm ajudado: «Nem sei como é que posso agradecer à PCM. Eles têm sido incansáveis. Tudo o que eu diga a favor deles é pouco. Espero que mantenham esta equipa e sigam em frente porque isto é um trabalho notável. Tive também a ajuda das pessoas da Junta de Gueifães e dos Bombeiros de Pedrouços que também foram impecáveis». Álvaro Oliveira, 34 anos, empregado de limpeza, vive com os seus dois filhos e esposa na Rua do Pisão, em Águas Santas. «No dia 21 quando ia para trabalhar às seis da manhã, a água do Rio Leça já estava a subir e veio até a meio das escadas. Tive que chamar os bombeiros para tirar os meus filhos cá para fora porque retirá-los pela parte da frente já era impossível. Os senhores que moram da parte de baixo foram muito mais prejudicados» contou Álvaro Oliveira. Em relação a prejuízos o morador referiu que «não foi muito atingido desta vez. As humidades que se vão fazendo sentir durante o ano é que estão a apodrecer os móveis e já me danificaram duas televisões. Os ratos que, com as cheias fogem da água e vêm para dentro das casas, já me estragaram também comida e pacotes de leite». Se no caso da família de Paulo Alexandre estar realojado, ainda que com as condições necessárias para viver de forma condigna, que não teria na sua habitação, lhes traz alguns inconvenientes em termos de deslocação para os locais de trabalho, Álvaro Oliveira afirmou que «esta solução foi a mais adequada, principalmente por causa dos filhos». “Quando cheguei do trabalho nem chão tinha” O caso mais dramático é o de Maria integrar a rede viária municipal. Apesar da falta de subscrição do referido acordo, a Câmara Municipal da Maia vem realizando, desde alguns meses, obras de requalificação da via em causa, que decorrem em cerca de oito quilómetros e se iniciaram trezentos metros a norte da ponte em questão. Nesta obra, a Câmara Municipal da Maia já investiu um milhão de contos. 3. A intempérie que assola todo o País há praticamente seis meses provocou pequenos danos na estrutura da Ponte de Parada. Estudada a situação e analisadas as condições de circulação na Ponte, verificou-se que a mesma não reúne os requisitos mínimos de segurança. Várias lajes de pedra que se encontram debaixo do piso estão partidas e impõe-se, assim, a sua substituição. 4. Por este motivo e na defesa dos interesses e da segurança das populações, os Serviços de Protecção Civil da Câmara Municipal da Maia entenderam, no dia 23 de Março de

Nogueira, vizinha de Álvaro Oliveira, de 34 anos de idade. Vive com o marido doente, tendo as duas filhas ido viver para junto de familiares. Já habituada a este tipo de situações, no dia 21 por volta das seis horas, a água já entrava em grandes quantidades pela casa dentro. «Só tive tempo de salvar o meu gato e cão. Não consegui tirar mais nada. Fui trabalhar porque não conseguia ver a minha casa naquele estado e quando cheguei às 17 horas já nem chão tinha. Tenho o meu marido doente e nem sequer tenho uma cama para o deitar», desabafou a moradora. Quanto a apoios, Maria Nogueira afirma necessitar «de uma casa, nem que seja provisória, por causa do meu marido». A família de António Manuel Correia, 39 anos, vive com a mulher e o filho na Rua dos Moinhos d’Alvura, em Milheirós. Ali a água subiu cerca de dois metros e meio. Os prejuízos, neste caso, também são avultados. «Tenho muitos estragos, fogões e móveis ficaram destruídos. Esta foi a pior cheia de todas». “Estamos aqui para que eles percebam que são munícipes com dignidade como nós” António Lopes é, no terreno, o responsável conjuntamente com o seu assessor Eugénio Vieira, pela Protecção Civil Municipal, organismo sob a tutela do vereador Manuel Ferreira. Em conversa com o “Maia Hoje”, António Lopes explicou a importância desta “reunião”. «Trata-se, sobretudo, de mostrar às pessoas que o nosso empenhamento não é só técnico. Temos a obrigação de realojar as pessoas e podíamos descarregá-las como se corrente, proceder ao encerramento provisório e temporário da Ponte de Parada. 5. Simultaneamente, a Câmara Municipal da Maia procedeu aos estudos técnicos adequados à resolução do problema e à consequente reposição das condições de segurança na Ponte de Parada. Os trabalhos de reparação da Ponte iniciaram-se há cerca de uma semana e o impedimento à circulação será levantado, obviamente, logo que estejam concluídos. A normal circulação na Ponte deverá ser retomada, prevê-se, dentro de menos de dez dias. 6. A Câmara Municipal da Maia compreende e lamenta os incómodos que o encerramento temporário da Ponte de Parada tem provocado às populações. No entanto, em matéria de segurança, a Câmara Municipal da Maia não transige e, como tal, tomou as medidas exactamente adequadas à dimensão do problema. A Câmara Municipal da Maia não pode ser acusada de excesso de zelo em matéria

fossem fardos de bacalhau numa residencial e esquecer. Mas não é isso. Somos seres humanos e para além da nossa actividade normal, compreendemos as emoções das pessoas. Como eles dizem a residencial é boa, mas não deixa de ser uma prisão, porque não há nada como a nossa casa. Daí que, darmos algum apoio e carinho também é necessário». António Lopes não deixa de referir que existem casos graves, «uma das famílias da Rua do Pisão ficou mesmo sem nada. As roupas que trazem foram fornecidas pela Cruz Vermelha. Nós que estamos por fora, ficamos chorosos com esta situação, imaginemos as pessoas que vivem por isso. Estamos aqui para que eles percebam que são munícipes com dignidade como nós e para lhes tentar minorar o sofrimento». A Acção Social já elaborou trabalhos de reconhecimento das situações com o apoio da PCM. Em relação ao futuro, António Lopes, «embora não seja da nossa responsabilidade, estamos a realizar essas acções conjuntas com a Acção Social. Há sempre soluções para estes casos, passando por exemplo, por casas camarárias. Estas pessoas merecem». O mesmo entrevistado revelou confiança quanto à atribuição dos Fundos de Emergência pelo Governo à população atingida pelas intempéries. «Temos recebido os relatórios dos estragos da população e encaminhamo-los para a Protecção Civil distrital. Espero que as ajudas venham, porque se o Governo português, e solidariamente muito bem, auxiliou as populações da Venezuela, da Índia e de Moçambique, tem a obrigação de ajudar os portugueses», concluiu António Lopes. de segurança, como parece ser o caso. Até porque é certo e seguro, que caso a Ponte de Parada não tivesse sido provisoriamente encerrada, as mesmas pessoas que agora protestam contra esse enceramento, certamente acusariam - e, nesse caso, com razão -, a câmara Municipal da Maia de incúria e de irresponsabilidade. 7. A Câmara Municipal da Maia estranha que, ao contrário do que é publicamente afirmado, não tenha sido recebido nos seus serviços qualquer pedido de informação ou esclarecimento quanto à situação da Ponte de Parada. Aliás, toda a informação relativa a este encerramento foi prontamente prestada, quer pelos Serviços de Protecção Civil, quer pelas autoridades policiais, pelo que não se justificam notícias alarmistas como a que naquela data foi publicada. O Gabinete de Protecção Civil da Câmara Municipal da Maia


14

GRANDEMAIA

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

Markmaia - Anuário da Maia 2001

Os classificados da Maia Já se encontra em distribuição o anuário da “markmaia”. Esta publicação anual, já vai na sua 5ª edição e é de distribuição gratuita a empresários, hotéis, câmaras municipais e em feiras industriais. Com 116 páginas é impresso na sua totalidade a cores, em papel “couché” brilhante. A sua concepção gráfica, está a cargo de uma

empresa de Matosinhos e nesta edição contou com a colaboração do jornal MAIA HOJE, nomeadamente na criação da capa, as publicidades da Protecção Civil da Maia, da Cruz Vermelha da Maia, da ARDACM e da Juvedance. Neste momento afigura-se como a publicação mais completa do seu género no Concelho.

Aquis Sanctis

Um olhar sobre Águas Santas Recebemos na nossa redacção, o n.º 24 do Boletim Informativo “Aquis Sanctis”, da responsabilidade da Junta de Freguesia de Águas Santas. Elaborado pela “Wehdorn & Mateus”, tem uma edição de 2500 exemplares e distribuição gratuita. Com 12 páginas elaboradas em papel reciclado, acartonado, tem um design simples, que cumpre de forma exemplar a sua função de informar. Este número, relactivo aos 3º e 4º trimestres do ano transacto, tem como tema principal o Natal, onde o actual Presidente da Junta, Manuel Correia, no seu editorial, dava conta aos seus leitores do

trabalho desenvolvido pelo MAIA HOJE, na sua edição especial de Natal e o seu pensamento sobre o Natal dos nossos dias. Nas páginas interiores, os destaques vão para a assembleia de Freguesia, o 14º aniversário da elevação de Águas Santas a Vila, o primeiro Colóquio Nacional sobre o Romance Histórico, a Agenda das actividades, a comemoração do nonagésimo aniversário da proclamação da república de 5 de Outubro de 1910 e o destaque toponímico da Rua Dr. António de Sousa Oliveira. Gostamos e ficamos a aguardar o próximo número.

FutureKids News

Formar os cidadãos do mundo Já está em distribuição a “News letter” do FutureKids relactivo ao trimestre de Março a Maio de 2001. Com 12 páginas a cores este boletim informativo, serve para noticiar as actividades daquele Centro Informático de Educação. Os destaques desta edição, vão para as notícias dos cerca

de 75 centros em Portugal, bem como para os diversos cursos que levam a efeito, nomeadamente o novo curso de professores, cursos para adultos, cursos de férias, o curso sénior e “Universo da Comunicação” que faz parte do curriculum anual.

Olhares - Newsletter do MaiaShopping

Feira das flores é no Maia Shopping Nesta edição do MAIA HOJE, o leitor irá encontrar em encarte, a newsletter do MaiaShopping “Olhares”. Como habitualmente elaborada em quatro páginas a cores, já vai no seu segundo ano e tem distribuição gratuita. O destaque desta edição, vai para a Feira das Flores a realizar de 1 a 22 de Abril, a par do concurso de arranjos florais que termina no próximo amanhã dia 14, onde ao primeiro classificado é atribuída

uma viagem à Madeira. No interior, encontramos várias reportagens da animação constante do centro comercial, com destaque para a fabulosa exposição de Leonardo Da Vinci relizada no passado mês de Março. A fechar encontramos o “TOP Ten” da Valentim de Carvalho e o “Top Livro” da Bertrand, assim como o destaque para Abril, Maio e Junho dos cinemas Warner LusoMundo.

MaisMaia - Revista Municipal

A Maia em revista Já se encontra em distribuição o número três da revista municipal da Maia “Mais Maia”. De periodicidade trimestral, esta revista tem uma tiragem de 35.000 exemplares e concepção gráfica da McCann Erickson - Canal 1 - Porto. Tem 40 páginas a cores e é impressa num papel “couché”, mate, que lhe confere um aspecto muito agradável. Em termos gráficos denota-se uma evolução positiva, o que tornou este número, muito atraente.

Os destaques neste número vão para as medidas reguladoras do estacionamento e parqueamento no Concelho da Maia; o ambiente, com a passagem pela cidade da exposição itenerante da Lipor - Conhecer o lixo; e o sucesso empresarial de António Ambrósio - as tintas 2000, onde o industrial, maiato de adopção, fala que a chave do seu sucesso está na constante inovação e qualidade dos seus produtos.


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

FREGUESIAS

15 ÁGUAS SANTAS

Feira do Livro e da Flor

O incentivo à leitura, com flores pelo meio Integradas no Projecto Educativo do Agrupamento Escolar de Águas Santas, as Feiras do Livro e da Flor tiveram como objectivo a apresentação de trabalhos realizados pelos alunos, a partir da leitura de livros, e dá-los a conhecer aos pais. A venda de plantas e livros insere-se como uma forma de angariação de fundos para aumentar o acervo das bibliotecas. A responsável, a docente Alberta Carvalho, classificou a iniciativa como «um enorme sucesso». Miguel Ângelo Machado

Organizadas, à semelhança do que vem acontecendo nos últimos anos, pelo Agrupamento Escolar de Águas Santas (AEAS) que engloba três escolas do 1º Ciclo e um Jardim de Infância daquela freguesia, a Feira do Livro e da Flor decorreu durante a última semana de Março, na Escola Primária de Moutidos, tendo estado aberta aos pais no fim-desemana. A iniciativa, ainda que no mesmo espaço escolar, decorreu sempre em dois palcos distintos. Num encontrava-se a Feira do Livro e no outro a Feira da Flor. No primeiro, os pais tiveram a oportunidade de ver os trabalhos realizados pelos filhos, todos eles relacionados com a temática do livro, entre os quais, cartazes, pequenos livros, peças de teatro e trabalhos em suporte de Cd-Rom. Os alunos tiveram ainda a possibilidade de contactar com uma escritora para que «não tenham a ideia que o escritor é alguém muito distante do quotidiano deles», afirmou Alberta Rocha, presidente do Conselho Executivo do AEAS, a principal responsável pela iniciativa. Na Feira da Flor, várias plantas encontravam-se expostas, sendo possível aos visitantes adquiri-las. A adesão dos pais foi «enorme.

Ontem à noite [sexta-feira, dia 30] isto esteve repleto de gente. Tivemos a representação de duas peças de teatro, a apresentação do Cd-Rom e a afluência foi imensa. Os próprios garotos trazem os pais e as pessoas aderem muito bem a estas iniciativas». Em relação aos alunos e no que diz respeito à sua participação nestas actividades, Alberta Rocha, afirmou que «se divertiram imenso, tanto ao ler os livros como na preparação dos trabalhos resultantes da leitura dos mesmos e isto entusiasma-os verdadeiramente para a leitura. Queremos que eles façam do livro um amigo e da leitura o seu quotidiano. Nós, como escola, temos essa obrigação». O dinheiro, resultante das vendas, tanto das flores como dos livros, reverte a favor das bibliotecas das escolas. Do lucro dos livros, a organização retira uma percentagem de 10%, dado pelas editoras que colocaram ali à venda os seus produtos, o mesmo acontecendo com o horto, no caso da Feira da Flor. «Vamos fazer agora no final o apuro das vendas e, posteriormente, iremos comprar livros para as bibliotecas. É esse o nosso objectivo», finalizou a responsável.

Em Águas Santas

Desporto para todos, sem excepção Texto: Miguel Ângelo Machado; Fotos: Andrea Martins

Decorreu no passado Sábado, na freguesia de Águas Santas os 1ºs Jogos de Família e o 4º Convívio Lúdico Desportivo da 3ª Idade, iniciativas do Pelouro do Desporto da Câmara Municipal da Maia e realizadas no Pavilhão Municipal de Corim e na Escola Secundária de Águas Santas, respectivamente. A novidade, os “1ºs Jogos de Família” consistiu na participação de equipas formadas unicamente por familiares. Um dos requisitos para a formação de uma equipa era a presença obrigatória de diferentes gerações (avós, pais, filhos, tios, primos). Nesta

iniciativa inscreveram-se 14 equipas de cinco elementos cada, que disputaram entre si Jogos Tradicionais e Populares. O mesmo aconteceu pela parte da tarde, logo após um almoço convívio entre todos os participantes, com o “Convívio Lúdico” que registou cerca de 300 inscrições de onze centros e lares do concelho da Maia. A satisfação e alegria, nomeadamente da parte dos idosos, foi uma constante durante todo o dia, mesmo quando não se encontravam a participar em qualquer prova o que augura a continuação do sucesso desta iniciativa em anos seguintes.

A animação familiar nas bancadas foi constante


16

FREGUESIAS

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

ÁGUAS SANTAS

II Mostra da Feira da Saúde em Águas Santas

Tornar a juventude saudável

Foi na Escola Secundária de Águas Santas que se realizou, no passado dia 31de Março, a segunda edição da Feira da Saúde que teve como objectivos, proporcionar a discussão sobre uma juventude mais saudável. Esteve evento, foi possível, graças à organização conjunta do Centro de Saúde de Águas Santas e da Escola Secundária. Como objectivo secundário, e não menos importante, o evento serviu para lançar pistas no sentido da resolução dos variados problemas de saúde que afectam o nosso concelho.

António Armindo Soares

A música dos ‘2001 Flautistas’ - que estiveram na abertura de Porto 2001deram o mote para o início da segunda mostra da Feira da Saúde que teve a participação de vários profissionais do sector. O presidente do Conselho Executivo da Escola Secundária de Águas Santas, Manuel Ferreira, começou por agradecer os apoios que esta iniciativa recebeu, tais como os da Câmara Municipal da Maia, de Junta de Freguesia de Águas Santas, da Lipor, da PSP local e da Administração Regional de Saúde do Norte. Este responsável destacou que a sua escola “é aberta a projectos inovadores, tal como esta feira, que promove a saúde e em boa hora se insere”. Os objectivos desta iniciativa, segundo garantiu o director do Centro de Saúde de Águas Santas, Mário Carmo Pinto, “não são diferentes da primeira”, acrescentando que “tentamos promover a saúde e os centros de saúde e os seus serviços que prestam às populações, sempre um serviço disponível. Queremos também mostrar as nossas insuficiências no sentido de a população entender que às vezes a qualidade de serviços pode ser diminuída por falta de profissionais. Queremos, igualmente, promover o bemestar, e diminuir os risco de saúde, que podem prejudicar a qualidade de vida das pessoas”. Por seu lado, Vieira de Carvalho que esteve presente neste evento durante a abertura, disse que a Feira visa “sensibilizar os cidadãos para questões que têm a maior importância, porque se prendem com a saúde de cada um”. O presidente da Câmara Municipal da Maia fez referência às relações entre a Maia e o poder central no domínio da Saúde: “O poder central tem dado um apoio muito pequeno à nossa população. A verdade é que os centros de saúde do nosso

Carmo Pinto discursa na cerimónia de abertura

concelho, e que são dignos desse nome, são apenas dois, o de Águas Santas e o da Maia - que se acolhe nas instalações da Santa Casa de Misericórdia da Maia. Esta é uma problemática muito difícil, todos os dias nos damos conta das dificuldades que sentimos, sobretudo daqueles que necessitam de recorrer aos hospitais sabem do calvário que é, por vezes, para obter atendimento em tempo útil. Por isso sabemos que a questão da saúde se arrasta há anos no país, cheia de feridas, cheia de mazelas”. O autarca reforçou a reivindicação da necessidade de que a Maia deve ter um hospital próprio, dizendo não

compreender “como é que um concelho de 150 mil habitantes tem uma hostilidade permanente do poder central à construção de um hospital, e que nós insistentemente temos pedido e para o qual oferecemos um terreno e permanece não com falta de resposta, mas com hostilidade a esta ideia. Com este sensibilizar das pessoas, saibamos, todos juntos, exigir dos responsáveis o cumprimento das tarefas e das obrigações que têm para connosco”. A representante da Secretaria de Estado da Saúde esteve a cargo de Isabel Loureiro que realçou a

importância da parceria existente entre o centro de saúde e a Escola Secundária, em que esta última “tem uma longa tradição no trabalho de promoção e educação para a saúde, em verdadeira parceria com o Centro de Saúde. Isto é um processo que cada vez mais existe ao longo do nosso país, mas que exige esforço e empenhamento, uma dádiva de todos nós”. Para abrilhantar esta Feira, os alunos da Secundária de Águas Santas participaram activamente, quer em trabalhos coreográficos, quer em atlieres. Uma participação que deixaram os responsáveis desta iniciativa satisfeitos.

Hospital na Maia tem sentido para doentes em fase terminal Sobre a construção de um hospital na Maia, Mário Carmo Pinto afirma que este “é um problema mais político do que de saúde”, sublinhando que o hospital que se tenta promover aqui na Maia será sempre um hospital temático, de retaguarda, com características muito próprias”, lembrando que a Maia já tem um Centro de Saúde com serviço de urgência. “O hospital da Maia tem de

ser pensado de uma forma muito particular, se não, corre-se o risco de se fazer o hospital e este não ter doentes e, fundamentalmente, de não ter médicos. A minha preocupação é que podemos criar mais um espaço que irá ter uma utilidade interrogada. A nível da economia da saúde é preciso saber se a população quer mesmo um hospital (e isto está a ser feito), e saber qual é a

utilidade, eficácia e eficiência que ele pode vir a ter”. O director do Centro de Saúde defende, portanto um hospital temático para Maia e para isso “é preciso que a população responda se é necessário ou não um hospital. Na minha opinião, o hospital da Maia, se vier a ser criado, terá que ser temático, que vise um sector específico da medicina, porque por exemplo, o

acompanhamento de doente em fase terminal não temos. Muitas doenças terminais que se tratam no domicílio precisam de um internamento, mas nas urgências dos hospitais mandam os doentes para trás, sofrendo nós e os doentes. Se calhar, só assim, faz sentido um hospital desse tipo, de retaguarda, que acompanhe os doentes terminais”.


17

FREGUESIAS

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

SILVA ESCURA

Feira de Gado ou da Loiça de Silva Escura já não é o que era

Folclore contribuiu para colorir tradição A popular romaria a Santo António, como antigamente se designava de ‘Feira de Gado’ ou ‘Feira da Loiça’ já não é como era, o gado não apareceu com os belos enfeites, nem os vendedores de loiça apareceram. No entanto, no principal dia festivo, 25 de Março, o colorido esteve bem presente através do folclore e da sua melodia, para dar um contributo para que a tradição fosse quase cumprida. António Armindo Soares

Segundo o que nos adiantou José Sousa Dias, presidente da Comissão de Festas a Santo António, o programa festivo correspondeu “dentro das perspectivas esperadas. Só as condições climatéricas é que perturbaram um pouco as coisas. A nossa intenção foi de que muito povo viesse até à freguesia, em particular a este local de festa e de Fé”. Contudo, com chuva ou sem chuva “o que é popular é bom e recomenda-se. E pelo que vimos, o folclore deu uma animação muito forte e provocou uma certa consistência à festa”. O lado negativo deste dia algo ‘cinzento’, ficou marcado pelas mãos de malfeitores, que cortaram os fios da aparelhagem sonora e colocaram um líquido nas fechaduras do local onde está situada a “Tasquinha”, na antiga Casa da Junta. “Foram duas situações bem delicadas, que alguém tem interesses de que não se façam as festas a Santo António. Quando fomos para abrir as portas da “Tasquinha”deparamos que as fechaduras tinham um produto que foi colocado através de maçarico e, não só ficamos espantados com este facto, como ainda mais quando vimos que a aparelhagem de som estava com fios cortados”, contou-nos Sousa Dias. E ainda, outra circunstância um pouco “incómoda” para a Comissão de Festas foi a presença dos agentes da GNR da Maia que abordaram Sousa Dias “de que a aparelhagem fazia muito barulho e que alguém estava incomodado com a música”. Naturalmente questionamos se os responsáveis pela “empreitada astuciosa” era da freguesia ou não: “Porventura não é pessoa natural de Silva Escura, mas é pessoa que

escolheu o monte de Santo António para viver mais sossegado e esqueceu-se que neste local há uma tradição, uma capela e uma festa a realizar, uma festa secular, e que o povo de Silva Escura muito aprecia. E festa sem música perde quase todo o sentido... e essas pessoas ao solicitar a GNR para que não provocássemos a animação sonora estão a dar um contributo pouco positivo para a concretização do cumprimento das tradições”, respondeu ao MAIA HOJE, Sousa Dias. A directora do Grupo Regional de Moreira da Maia, Lucília Santos, no final do festival de folclore, algo animada e com o seu sorriso característico, referiu-nos que “para um grupo de folclore é bom sentir que este tipo de romarias antigas ainda se fazem sentir e que não deixam esquecer o folclore, porque também é das culturas mais antigas. Por isso, foi que o Grupo Regional de Moreira fez o “sacrifício” de convidar um grupo que está no início da sua actividade - o Rancho Folclórico de Guilhabreu-, mas é assim que se começa, e foi assim para estar presente nesta tarde para dar um certo colorido e alegria a este povo que nos foi acolhedor”. A “alma mater” do Grupo Regional disse estar “satisfeita pelo contributo que deram para a valorização da festa e que “as actuações de Inverno são boas para preparar o grupo, para ver como está a forma de todos os componentes, no sentido de limar arestas para as muitas deslocações que vamos ter pelo país”. O final da manhã de domingo foi dedicado à Fé, com a celebração de uma missa solene.

BARCA

Procissão dos Passos em Barca Como sempre é hábito em Barca, nos dias em que as ruas principais da freguesia se engalanam para passar o desfile do Senhor dos Passos, o povo adere massivamente e assiste à

imponente procissão. Este ano, no passado domingo dia 1de Abril, contou com um número elevadíssimo de participantes, digamos que foram muitas centenas de figurantes que mostraram

RESUMO DAS PRÓXIMAS DATAS IMPORTANTES: > ÚLTIMO TRIMESTRE

DE

2001 - Estão disponíveis as notas e

moedas nos bancos; > JANEIRO DE 2002 - Pode começar a pagar em Euros; > ATÉ 28 DE FEVEREIRO 2002 - Pode ainda pagar em Escudos; > A PARTIR DE 1 DE MARÇO DE 2002 - Só pode pagar em Euros; > ATÉ 31

DE

DEZEMBRO

moedas no banco.

DE

2002, pode trocar as notas e

os personagens próprios ao percurso de Cristo. Junto ao pálio iam as individualidades convidadas, entre elas, o presidente da Assembleia Municipal da Maia, Luciano

Gomes, e o presidente da Junta de Barca, Adérito Santos, e ainda o presidente da Comissão da Paróquia, António Sá. A.A.S.

1 euro = 200 escudos


18

FREGUESIAS

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

ÁGUAS SANTAS

Restauradores Brás-Oleiro inauguraram pavilhão

Uma obra lindíssima! Os dirigentes dos Restauradores Brás-Oleiro numa data, a de 25 de Março, que ficará marcada no já longo historial da Associação, comemoraram o 62º aniversário e inauguraram o pavilhão desportivo. Esta obra, pelo que vincou Vieira de Carvalho, “foi bem executada e dotada de todas as condições para a prática desportiva”. Sobre o sonho do presidente da Associação, Alberto Barbosa de querer que a obra fique completa com a construção de uma piscina, o autarca admite que poderá “contribuir para a concretização desse sonho”. António Armindo Soares

“Esta é uma obra que tem por trás muito trabalho, dedicação, sacrifício, esperança e também muita generosidade, de todos aqueles que ao longo de 26 anos alimentaram a esperança e o sonho de verem um dia aumentado o equipamento desta associação”, assim classificou no acto de abertura da sessão solene do 62º aniversário da Associação, o presidente da assembleia geral dos Restauradores do Brás-Oleiro, Paulo Ramos, sobre o pavilhão que está concluído e em condições de ser utilizado pelos jovens. Foi uma ocasião que teve a companhia da chuva, algo desagradável, mas que mesmo assim, não impediu que o edifício sede estivesse repleto de convidados, entre eles, Vieira de Carvalho, o presidente da Assembleia Municipal, Luciano Gomes, o presidente da Junta de Freguesia de Águas Santas, Manuel Correia, o Comandante da PSP de Águas Santas, Manuel Fernandes, entre outros. Para o presidente dos Restauradores, Alberto Barbosa, em declarações ao MAIA HOJE, disse que estes momentos “são um marco histórico na vida da nossa Associação, que nos 62 anos já possui alguma coisa e, agora juntar a ela, aquilo a que eu chamo a ‘pérola’ dos Restauradores, um pavilhão muito bonito que a todos nós nos orgulha. Vi a obra nascer e a ser realizada e agora está aberta aos nossos jovens, de toda a Maia, para praticarem o andebol, o voleibol, o basquetebol, o futsal, entre outras modalidades”.

Aspecto do novissímo Pavilhão do Restauradores Brás-Oleiro

Para que o ‘sonho’ fique completo, segundo o que nos relembrou Alberto Barbosa, só falta, segundo os projectos que têm, incluir uma piscina. “Já estão criadas as infraestruturas para ela. Nós em boa hora conseguimos separar a piscina do projecto, porque senão a obra seria

gigantesca e o dinheiro não chegava. A piscina é uma obra que terá de ir a concurso e demorará uns tempos a ser concretizada”, assegurou, dizendo que tudo fará para que um dia seja realidade. “Este aniversário junta com ele a inauguração do lindíssimo pavilhão

gimnodesportivo, bem concebido, bem dotado e com todas as condições para a prática de desporto constituindo um exlibris, sem dúvida, desta Associação” declarou Vieira de Carvalho. O presidente da Câmara da Maia enalteceu a capacidade demonstrada por todos os que se empenharam na construção da obra, “que merecem o reconhecimento de todos nós, a começar por mim próprio, porque conseguiram dotar esta colectividade e esta comunidade de uma infraestrutura que a todos deixa elevados, felizes, alegres e contentes”. Quanto ao projecto da piscina, Vieira de Carvalho disse aos jornalistas presentes que não irá contrariar a Associação neste propósito, mas lembrou que as piscinas são um equipamento “muito difícil de gerir”. “A gestão de um equipamento deste tipo traz questões muito complexas. A gestão que precisa uma colectividade é uma tarefa muito difícil e é por isso que não sei se esta será a melhor opção. Se a Associação o entender, o meu apoio é total a essa iniciativa, ou outra qualquer que decidam implementar neste terreno que a Câmara Municipal deu à colectividade”. Uma presença muito notada e que Alberto Barbosa salientou foi a do hóquista internacional do F.C. do Porto, Tó Neves, que recebeu das mãos do presidente dos Restauradores uma placa a título póstumo dirigida a seu pai, Francisco Neves, pelos serviços prestados, enquanto empresário.

PEDROUÇOS

Associação Desportiva e Cultural de Teibas

11 anos de existência

A carrinha nova acabou por ser a prenda do 11º aniversário da Associação Desportiva e Cultural de Teibas, um aniversário comemorado no passado dia 25 de Março, na Casa do Alto, em Pedrouços.

Texto: António Armindo Soares; Foto: José Luis Faria

O presidente da Assembleia Geral do “Teibas”, Orlando Campo Grande, fez uma alusão ao percurso e à história da colectividade, bem como ao trabalho e serviço prestado à comunidade de Teibas e da freguesia, “através do acompanhamento de ocupação sadia das crianças e jovens nas actividades desportivas, culturais e recreativas”, reforçando que é essa “a razão de existir do cultural de “Teibas””. Campo Grande aproveitou ainda para agradecer a Vieira de Carvalho e a Bragança Fernandes todo apoio prestado a colectividade de Pedrouços. Referindo-se ao espírito de sacrifício que os dirigentes e associados têm oferecido em prol da colectividade, o presidente do “Teibas”, Paulo Rocha, lembrando que esse espírito de sacrifício “é bem visível pela falta de sede e pela falta de transportes, “por isso, a aquisição da carrinha vem efectivamente dar-nos mais ânimo no desempenho das

nossas funções, e que agradecemos à Câmara Municipal o grande contributo dado na compra da viatura”. O presidente da Junta de Freguesia de Pedrouços, Abílio Sousa, mostrou-se disponível para ajudar sempre a colectividade, lembrando que a autarquia “embora não tenha grande capacidade e dada a situação especial”, sugere que os dirigentes do “Teibas” o solicitem, porque podem conseguir mais alguma coisa”. Vieira de Carvalho atento a tudo o que se passou, viria a realçar o trabalho desenvolvido e destinado às crianças e jovens. Mostrou-se contente e feliz por estar na comemoração do 11º aniversário. A propósito da habitação social, em adiantada fase de construção em Teibas, o presidente da Câmara da Maia adiantou que num desses espaços vai surgir o local da futura sede social “e que o próximo aniversário já possa ser festejado lá”.

Cerimónia do Baptismo da nova viatura


19

FREGUESIAS

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

MILHEIRÓS

Teatro foi à Escola Dramática de Milheirós

“Falar verdade a mentir”...

A companhia de Teatro Art´Imagem levou à cena, na noite do passado dia seis, na Escola Dramática e Musical de Milheirós, a peça “Falar verdade a mentir”, de Almeida Garrett. Foi um bom espectáculo que contou com uma assistência a encher quase por completo o belo e renovado auditório.

António Armindo Soares e Miguel Ângelo Machado

O grupo de teatro Art’Imagem, liderado por José Leitão, na apresentação efectuada na Escola Drámatica e Recreativa de Milheirós

Esta peça integra-se no ‘Ciclo de Teatro para as Escolas e Colectividades Culturais do Concelho, uma iniciativa do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia, que visa, «não só proporcionar um bom momento de lazer, mas também traduzir, na prática, uma política de descentralização cultural. A cultura, nas suas variadas expressões, deve estar próxima dos cidadãos. Todos dizem isso. Nós não só o dizemos, como fazemos», assim referia a comunicação que o vereador Mário Neves forneceu ao público que assistiu ao evento. No final do espectáculo José Leitão recebeu das mãos dos responsáveis da Escola Dramática uma placa alusiva a esta noite, com os agradecimentos da colectividade. Igualmente, o presidente da Junta de Freguesia de Milheirós, Alfredo Teixeira, agradeceu a vinda da companhia de teatro a esta freguesia.

José Leitão elogiou as «magníficas instalações da Escola, que proporcionam a boa realização de iniciativas do género». «Pode ser que este seja o primeiro de muitos espectáculos que poderemos vir a fazer nesta bela casa», assegurou. A mesma peça subiu também ao palco do Fórum da Maia no passado dia três com duas sessões, uma da parte da manhã e uma outra pela parte da tarde. Estas representações foram destinadas a cerca de 650 crianças das escolas EB2 e 3 do concelho da Maia e também aos idosos da Santa Casa da Misericórdia da Maia. A peça A obra “Falar Verdade a Mentir” foi escrita em 1844 pelo reformador do moderno teatro português, Almeida Garrett. Nesta peça teatral notam-se a modernidade das personagens cridas pelo autor e o seu agudíssimo sentido crítico e

senso irónico. Duarte, uma das personagens da peça, constrói várias teias e por elas se deixa apanhar, já que, as suas mentiras consecutivas ultrapassam-no e acaba por perder o controle sobre elas. José Félix e General Lemos são outras personagens envolvidas na acção. Com uma linguagem simplista é-nos traçado o ambiente de Lisboa e do país da época. A Encenação e Cenografia esteve a cargo de Roberto Merino, os Figurinos são da responsabilidade de Manuela Bronze, a Sonoplastia é de Vladimiro Alcindo e o Desenho de Luz de Pedro Carvalho. Os actores são Afonso Guerreiro, Amilcar Mendes, Célia Ramos, Hugo Sousa, Júlio Ribeiro e Margarida Videira. Ainda sem estarem calendarizadas, estão previstas outras apresentações de “Falar Verdade a Mentir” em outras salas e associações do concelho da Maia.


20

FREGUESIAS

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

Ao ritmo de música de tuna e “gospel”

GUEIFÃES

Vitae anima Gueifães Miguel Ângelo Machado

O Grupo Vitae, grupo de jovens de Gueifães, levou a efeito no passado dia 30 mais uma iniciativa cultural na cripta da Paróquia de Gueifães. Desta vez, foram convidados a Tuna Feminina da Escola Superior de Enfermagem de S. João e o coro de “gospel” White Soul, dirigido pelo maestro Nuno Ribeiro. Com cerca de 200 pessoas na plateia, o academismo sempre alegre e bemdisposto, típico de uma tuna, foi o primeiro a subir ao palco. A Tuna Feminina de Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem, ainda que algo desfalcada de elementos, interpretou temas populares e originais. Como é habitual numa tuna, as futuras enfermeiras conseguiram criar um excelente ambiente, preparando os presentes para uma sessão de “gospels”. Com 35 elementos, os White Soul, com um bom ritmo musical, recriaram de forma original temas de grupos conhecidos do grande público, como por

exemplo, dos irlandeses U2, arrancando constantemente fortes aplausos dos presentes. Jorge Sousa, principal responsável do Grupo Vitae que comemora em Julho próximo, seis anos de existência, justificou este tipo de iniciativas como «uma forma de aproveitar a área de Cultura e Recreio existente dentro do Grupo, dinamizando o ambiente cultural da freguesia». Satisfeito pela adesão dos gueifanenses ao espectáculo referido, Jorge Sousa revelou ao “Maia Hoje” que já em Maio próximo, o Grupo levará à cena mais uma peça teatral. Uma das frases da noite pertenceu a Orlando Santos, pároco da freguesia de Gueifães que afirmou: «Se o Grupo Vitae não existisse, Gueifães estaria mais pobre». Depois dos espectáculos, seguiu-se um lanche convívio entre os membros do Grupo Vitae e os dos grupos convidados.

Tuna Feminina de Enfermagem do S. João

Cicloturismo

400 ciclistas pedalaram pela Maia A Junta de Freguesia de Gueifães em colaboração com o Clube de Cicloturismo de Gueifães levou a efeito, no passado Domingo, o habitual convívio de Cicloturismo, uma prova integrada no calendário oficial da Associação de Cicloturismo do Norte. Perto de 400 atletas de 32 equipas pedalaram por várias freguesias do Concelho num ambiente de descontracção e muito desportivismo. Miguel Ângelo Machado

A prova de Cicloturismo em Gueifães já faz parte do programa anual da Junta de Freguesia local e com a excepção do ano transacto, é uma iniciativa que conta já com quatro edições. Os objectivos desta iniciativa passam por «dar a conhecer às pessoas de fora a freguesia de Gueifães e outras do concelho da Maia, para além do convívio que se estabelece. Penso que é importante e gratificante para nós quando são os próprios ciclistas que dizem que querem ir com calma para ficar a conhecerem os sítios por onde passam», referiu ao “Maia Hoje”, o presidente da Junta de Freguesia de Gueifães, Alberto Monteiro. Os atletas saíram do centro de Gueifães pelas 9h30 e passaram por freguesias como Barca, Maia, Vermoim e Nogueira e chegariam ao mesmo local de onde haviam partido por volta do meio dia.

Satisfeito pela grande maioria das equipas que já participaram nesta iniciativa em anos anteriores, mostrarem sempre vontade em voltar a Gueifães, Alberto Monteiro afirmou que «existem sempre equipas novas que vêm cá». «A prova decorreu segundo regras estabelecidas pela Associação de Cicloturismo do Norte incluindo escolta policial e ambulância que integraram também a comitiva», como fez questão de frisar o presidente. O Executivo gueifanense prendou todos os participantes com medalhas alusivas ao evento, assim como, as equipas com trofeus. A aposta na cultura e recreio continua a ser uma das prioridades da Junta de Gueifães. «Temos também outros convívios, organizações e realizações marcadas, sempre para dar a conhecer esta terra e esta gente», afirmou Alberto Monteiro.

Ciclistas preparam-se para a partida


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

SOCIEDADE

21

O maior prémio nacional

Entregues os Prémios Bial de Medicina Na passada quarta-feira, dia 10 de Abril, nas instalações do ICBAS (Instituto de Ciências Bio-médicas Abel Salazar), foram entregues os Prémios Bial de Medicina relativos a 2000. Numa cerimónia que contou com a presença do Presidente da República, vários ministros, muitas entidades e personalidades ligadas à saúde, foi declarada vencedora a obra de Maria Ruiz Ortega, de nacionalidade Espanhola, Cientista, licenciada em Ciências Químicas, com especialidade de Bioquímica, pela “Universidade Complutense de Madrid” e doutorada pela mesma instituição em Química na especialidade de Bioquímica e Biologia Molecular. Reportagem Júlio Ornelas; Texto: Artur Bacelar

Presidente da República “emprestou” o seu alto patrocínio à iniciativa

A Fundação Bial foi fundada em 1994 e tem como objectivo principal incentivar o estudo científico do Homem, tanto do ponto de vista físico, como do espiritual. Esta entidade, passou a administrar o prémio Bial, para além disso, criou e mantém um sistema de bolsas de investigação científica a que chama “Bolsa de Investigação Bial”, destinadas a incentivar a investigação em áreas da saúde de grande potencial de desenvolvimento. Actualmente, o Concelho de Administração é formado por Luís Portela, Nuno Grande e Manuel Baganha. O prémio Bial é inserido no principio orientador de BIAL, de apoio à investigação científica na procura incessante de novas soluções terapêuticas, que possibilitem a promoção do bem estar e saúde do Homem sendo instituído pela primeira vez em 1984. Em 1992 e com o intuito de alargar o âmbito deste galardão, é instituído o “Grande Prémio Bial de Medicina” e o “Prémio Bial de Medicina Clínica”. Conforme foi referido é administrado desde 1994 pela Fundação Bial e este ano atribuiu cerca de 30.000 contos em prémios. A Edição de 2000, de que aqui

falamos tem no Presidente da República o seu alto patrocinador, bem como o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas e a Ordem dos Médicos. O Júri que presidiu este ano foi constituído pelos Professores, Maria de Sousa, Armando Porto, Hipólito Reis, João Lobo Antunes, João Martins Correia e Nuno Grande. A iniciar a cerimónia, a Fundação Bial, homenageou e perpetuou com dois belos bustos, descerrados pelo Presidente da República e colocados no átrio da entrada do Instituto Bio-médico, as memórias dos professores Abel Salazar e Corino de Andrade. Cerca de 200 convidados, enchiam por completo o salão principal do referido Instituto, onde teve lugar a solenidade da entrega do “Prémio Bial 2000”. O Grande Prémio Bial de Medicina 2000, no valor de 100.000 Euros (aproximadamente 20.000 contos),foi atribuído a cientista Maria Ruiz Ortega, de nacionalidade Espanhola com o trabalho “Angiotensin II activates the nuclear factor - kb in vascular and renal cells. Implication for the pathogenessis of hypertension, atherosclerosis and kidney diseases”.

O Prémio Bial de Medicina Clínica, no valor de 30.000 Euros (cerca de 6.000 contos), foi atribuído ao trabalho “Neurotelemedicina”, da autoria da equipa liderada pela Dra. Teresa Paiva. As Menções Honrosas, foram em número de seis e a cada uma atribuída a verba de 3.000 Euros (cerca de 600 contos), são eles: “Promoção do desenvolvimento psicossocial das crianças através dos serviços de cuidados de saúde primários”, da equipa liderada por Pedro Caldeira da Silva; “Medicina das exclusões sociais”, da autoria da equipa liderada por António Barata Tavares; “Papel do endotélio vascular na vasodilatação arterial observada em modelos murinos de sépsis e de cirrose hepática”, da autoria da equipa liderada por André Luiz Weigert; “Autonomia funcional em idosos. Caracterização multidimensional em idosos utentes de um centro de saúde urbano”, da autoria da equipa liderada por Amália SottoMayor Botelho; “Patologia da mucosa oral”, da autoria da equipa liderada por António Acácio Silva; e a terminar “Ao encontro da esquizofrenia pelos caminhos do delírio”, da autoria da equipa liderada

por Carlos Mota Cardoso. Luís Portela, Presidente da Fundação Bial, no seu discurso, agradeceu a presença do Presidente da República e demais entidades. Agradeceu ainda ao Júri, o trabalho desenvolvido ao longo dos últimos meses na análise e selecção dos 38 trabalhos a concurso. Foi com muita satisfação que Luís Portela, viu “ o desenvolvimento deste nosso prémio, premiando este ano prestigiados investigadores de Madrid e uma equipa Luso-Alemã coordenada por uma ilustre cientista de Lisboa”, salientando o facto do “grupo LusoAlemão ser liderado por uma bolseira desta Fundação”. Ainda durante o seu discurso, o Presidente da Fundação Bial apresentou os prémios para 2002, reforçando o Grande Prémio para cerca de 30.000 contos, o prémio de Medicina Clínica para aproximadamente 10.000 contos, mantendo o mesmo número de menções honrosas que também viram o valor de prémio ser “inflaccionado” para cerca de 1.000 contos. O Presidente do Júri da próxima edição, será Armando Porto, segundo revelou a terminar o seu discurso.


22

PUBLICIDADE

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

ECONOMIA

23

O Regime Simplificado de Tributação Crónica de Sérgio Neves / Century *

A reforma fiscal do rendimento, em vigor desde 1 de Janeiro de 2001, procurou introduzir maior transparência na tributação dos rendimentos e eliminar uma série de possibilidades de “fuga ao fisco” utilizadas pelos contribuintes, por aproveitamento de algumas lacunas existentes na legislação. O seu principal objectivo é que os cidadãos paguem menos impostos, fazendo com que passem a pagar aqueles que actualmente não pagam os impostos devidos. O novo Regime Simplificado de Tributação, ao fixar rendimentos mínimos, tem por objectivo a simplificação dos processos e uma maior justiça fiscal. Regime Simplificado no IRS: Estão abrangidos pelo regime simplificado as pessoas singulares com rendimentos empresariais ou profissionais (categoria B), que não tenham atingido no período de tributação imediatamente anterior, um volume de vendas superior a 30.000 contos ou um valor ilíquido dos restantes rendimentos superiores a 20.000 contos. Caso o contribuinte comunique até 30 de Junho de 2001, a opção pela contabilidade organizada fica excluído deste regime simplificado. Se o não fizer fica automaticamente incluído no regime

por 5 anos, prorrogáveis automaticamente por iguais períodos.

regime simplificado aplicam-se os mesmos princípios aplicados ao IRC.

Determinação do Rendimento Tributável e de IRS a pagar: Para a determinação do rendimento tributável (valor sobre o qual vai incidir a taxa de IRS), serão aplicados indicadores de base técnico cientifica determinados para os diferentes sectores da actividade económica a definir pelo Ministério das Finanças. Enquanto estes indicadores não forem aprovados, ou na sua ausência, o rendimento tributável será calculado da seguinte forma: - 20% do valor das vendas, bem como dos proveitos de actividades hoteleiras, restauração e bebidas, etc; e/ou - 65% do valor das prestações de serviços.

Rendimentos obtidos exclusivamente por prestações de serviços ou por vendas: Os contribuintes que não optem pelo regime de contabilidade organizada e que apenas obtenham rendimentos provenientes de : - Prestações de serviços, num valor inferior a 722 contos por ano; - Vendas, num valor inferior a 2345 contos por ano, em regra não pagarão qualquer imposto, ou no máximo (não tendo qualquer despesa dedutível), pagarão um valor correspondente a 1350$00 / mês.

Valor Mínimo do Rendimento Tributável e de IRS a pagar: Segundo este regime o valor do rendimento tributável mínimo é de 469.000$00 (metade do salário mínimo anual: 14 x 67.000$00 : 2= 469.000$00), valor este que deverá ser englobado na declaração de rendimentos, juntamente com os rendimentos das restantes categorias, e tributado da mesma forma. Para os prejuízos fiscais, pagamentos por conta e cessação da aplicação do

Rendimentos acessórios obtidos por prestações de serviços e/ou por vendas: Os contribuintes que para além de outros rendimentos, seus ou do respectivo agregado familiar obtenham rendimentos acessórios provenientes de: - Prestações de serviços, num valor inferior a 469 contos por ano; - Vendas, num valor inferior a 938 contos por ano; - Prestações de serviços + Vendas num valor total acumulado inferior a 938 contos por ano, não serão tributados pelo rendimento mínimo previsto no Regime

Simplificado, sendo que o seu tratamento fiscal será equivalente ao dos Actos Isolados, ou seja, englobando o rendimento líquido (RL= Receitas Despesas) obtido com as actividades acessórias. Rendimentos obtidos por prestações de serviços a uma Única Entidade: Os contribuintes que prestem serviços a uma única entidade e fiquem integrados no Regime Simplificado podem optar pela tributação segundo as regras da categoria A (rendimentos de trabalho por conta de outrém). Efectuada esta opção, a mesma mantém-se por um período de 3 anos, desde que se verifiquem as condições legalmente previstas. Conclusão: Através do exposto, verificamos que esta nova forma de tributação do rendimento tem diferentes implicações, variando os seus efeitos com a forma como os rendimentos são obtidos. Para terminar lembramos que este novo Regime Simplificado só começará a ser aplicado aos rendimentos obtidos durante o ano 2001 e que, portanto, só serão declarados em 2002. * Lic. Auditoria Neves, Ferreira & Mesquita, Lda - Maia


24

COMÉRCIOINDÚSTRIA E SERVIÇOS

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

Na Würth Maia

Dia de Campeões A conhecida marca de produtos para a montagem, é um marco na indústria automóvel, com equipamentos e produtos, que discreta e eficazmente “tratam” dos nossos veículos. O dia era de festa pois além de poderem receber os clientes nas suas instalações, contaram com a presença do piloto Pedro Lamy que de perto confraternizou com os presentes. Artur Bacelar

Os pilotos Pedro Lamy e Felisberto Teixeira, estiveram nas instalações da Maia

A Würth Portugal, nas suas instalações da Maia, realizou mais uma jornada designada por “dia do cliente”. Para estas iniciativas a Würth convida os seus clientes a visitarem as suas instalações para com eles conviver e criar uma relação privilegiada e, simultaneamente lhes dar a conhecer novos produtos e processos de utilização. A ligação da Würth ao desporto automóvel é há muito conhecida, apoiando diversas marcas e pilotos que estão de acordo com a performance da marca alemã. Reforçando esta proximidade, marcaram presença nesta iniciativa os pilotos Pedro Lamy e Felisberto Teixeira. Ambos salientaram a importância destes eventos, onde participam com gosto, ajudando a divulgar produtos que como a marca são de altíssima qualidade. As épocas dos respectivos pilotos não podiam passar ao lado das conversas. Pedro Lamy, tem como adquirida a sua participação no DTM alemão (campeonato alemão de turismo em velocidade)com um Mercedes, “só não tenho a certeza da equipa por quem vou alinhar, de qualquer modo, penso que com experiência adquirida o ano passado, posso aspirar a um 2001 ainda mais positivo”. Para Felisberto Teixeira, 2001 será uma época no mínimo diferente, uma vez que o campeão das motos, se prepara para conciliar as duas com as quatro rodas, “vou abdicar das corridas de motos em termos internacionais, dedicando-me apenas ao campeonato Nacional, em paralelo vou alinhar no Troféu Fiat Punto de Ralis”. Sem dúvida, duas épocas para seguir com atenção, para o ex-piloto de F1 pelas qualidades já evidenciadas, para o Campeão das motos, pelas performances que normalmente os “motards” evidenciam nos automóveis. “Estas jornadas - Dia do Cliente - são sempre muito especiais, pois conseguimos juntar nas nossas instalações Clientes e Pilotos, que têm uma característica comum com os nossos produtos possuem performances muito acima da média -, referiu um dos responsáveis pela Filial Norte. Os resultados deste “Dia de Campeões” foram muito positivos e os objectivos alcançados. A participação dos clientes convidados foi massiva e a opinião generalizada é de que estas iniciativas são importantes para a veículação de informação sobre novas técnicas e produtos do sector automóvel. Para a Würth, a parceria com os clientes é ponto fundamental no sucesso de uma marca campeã.

http://maiahoje.cplp.net http://maiahoje.cplp.net http://maiahoje.cplp.net http://maiahoje.cplp.net http://maiahoje.cplp.net http://maiahoje.cplp.net http://maiahoje.cplp.net


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

INFORFOBIA

por Medina Ribeiro

ãÉÇáå~KêáÄÉáêç]ã~áäKíÉäÉé~ÅKéí

25

Os Barquinhos

Porque será que Oliveira gosta tanto de papeis e de faxes? Começa a desvendar-se o mistério... Já há muito tempo que me apercebi de que a melhor maneira de converter alguém às maravilhas da Internet é descobrir as suas áreas de interesse. Depois é só mostrar-lhe como, com ela, pode satisfazer todos os desejos de informação acerca desses temas. Com esse artifício até mesmo o céptico mais empedernido se costuma render às “novas tecnologias”... E tenho inúmeros exemplos: Advogados, antiquários, médicos, músicos, arquitectos, empregados bancários... lá vão todos encontrando tudo sobre os seus hobbies ou interesses profissionais. E foi por isso que tentei essa via com o meu amigo Oliveira que continua o mesmo infor-fóbico de sempre. A história passou-se assim: Um belo dia estávamos em amena conversa em minha casa quando tentei de novo entusiasmá-lo: - Ó Oliveira , você já pensou que não há nada, absolutamente nada, que não consiga encontrar na Internet? - Ora, ora... - comentou ele com o seu riso céptico que tanto me irrita - também não há-de ser bem assim... Esta resposta tinha o aspecto de um desafio. Aproximei-me do computador, liguei-o, e enquanto esperava que a ligação se completasse fui desenvolvendo a conversa, aceitando o tom de provocação que ele impusera: - Caro amigo, só não se interessa pela Internet quem não se interessa por nada na vida! Ou então quem anda noutra galáxia... Vamos, diga lá o nome de qualquer coisa, a ver se eu não encontro logo uma dúzia de respostas! Nessa altura já eu tinha activado um desses terríveis pesquisadores capazes de encontrar beduínos na Antárctida. Estava pronto, e os meus dedos agitavam-se, nervosos, cheios de vontade de teclar os substantivos mais inverosímeis. E começou um autêntico show, com o Oliveira a citar assuntos que o interessavam, e eu traduzindo para inglês o melhor que sabia, para os escrever no “pesquisador”: - Volkswagens amarelos... Yellow Volkswagen: 16 respostas... - Motorizadas... Motorcycles: 67 789... - Circuitos integrados...

Integrated Circuits... 20 000... Até aqui tudo bem. Ia de êxito em êxito, até que levei com esta: - Ora procure aí “Lobos-de-alsácia”... Tive que pôr um pouco de água na fervura: - Espere aí, amigo Oliveira! Isto não é bem assim... Como é que se escreve Lobos-de-Alsácia em inglês?! Como não podia deixar de ser, veio logo o comentário mordaz e destrutivo: - Essa é boa! Então eu é que tenho que saber?! Você não diz que a Internet sabe tudo?! Mas pronto, deixe estar... eu logo vi que essa coisa não podia ser tão boa como você estava para aí a dizer... Impacientei-me mas consegui controlar-me. E até brilhei através de um artifício inesperado: Procurei um dicionário portuguêsinglês na Internet, encontrei um, e obtive a tradução: Alsatian Wolf ! Assim armado, regressei ao programa de pesquisa e deparei com uma boa centena de sites sobre o assunto! Recostei-me na cadeira e saboreei a vitória, tanto mais deliciosa quanto era verdade que ela viera por um caminho ínvio e inesperado. O Oliveira estava arrasado! Em resposta às coisas mais incríveis que a sua imaginação lhe ia sugerindo aparecia ali, debaixo dos seus olhos, tudo o que podia imaginar: fotos, textos... E então, quanto aos cães, nem é bom falar: além das banalidades previsíveis, até havia pequenos ficheiros de vídeo e de som com latidos, legendados por um patusco que achava que estava em condições de os traduzir! «Este é o ladrar de fome» - e ouvia-se um Au-au; «Este é o de satisfação» - e ouvia-se um Béubéu... e assim por aí fora! Oliveira coçou a cabeça, olhou para o ar demoradamente e, por fim, saiu-se com esta, sonso: - Já que isso é assim tão bom, encontre aí... “barquinhos de papel”... «O quê?!» - pensei eu - «O tipo estáme a gozar! Então ainda não estará convencido?! Bem, mas vou ter que tentar...» Experimentei todas as traduções possíveis e imaginárias, mas sem êxito. Até que, numa inspiração súbita, mudei a pesquisa (que até aí fizera na WWW) para a Usenet. (Para quem não saiba, informa-se que

a Usenet corresponde aos grupos de discussão, os chamados Newsgroups. Actualmente, em Portugal, temos acesso a uns 14 000, onde se encontra gente a discutir tudo, desde futebol até sexo com extra-terrestres...). Depois, tendo apanhado com “zero respostas” que me gelaram, tive a maravilhosa ideia de fazer a pesquisa no singular: Paper boat Imagine-se a minha cara quando encontrei meia-dúzia de indivíduos a trocar informações sobre barquinhos de papel no grupo alt.arts.origami! Como é que não me lembrara disso?! Claro, o Origami, a arte japonesa das construções em papel! E não só: dois desses carolas remetiam-nos para as suas home-pages privativas onde mostravam como se faziam barquinhos com engenhosas formas e estranhos feitios! Olhei para o meu amigo Oliveira com um ar de infinito gozo! - Então?! Chega, ou quer mais? Claro que, no fundo, só esperava que ele não se saísse com outra de igual jaez, pois a minha sorte não podia durar sempre. Não o deixando retomar a iniciativa voltei a fazer a pesquisa dos Lobos-dealsácia, desta vez na Usenet: Quatro respostas, todas elas no grupo

rec.pets.dogs.breeds! Mas interrompeu-me, impaciente, dando pancadinhas nervosas no écran: - Deixe lá os cães em paz! Meta lá esta porcaria outra vez nos barquinhos! Voltei então ao grupo do Origami, afastei-me, e dei-lhe o meu lugar, um pouco agastado com a sua maneira de falar. Sentou-se, pegou no rato com a pouca familiaridade que caracteriza as pessoas como ele, e começou a percorrer as mensagens para cima e para baixo. A certa altura ficou pálido! - Olhe só isto! Está a ver quem assina esta mensagem? É o (...) ! - e mostroume o nome de um político muito conhecido. - Quem diria que este tipo se interessava por uma garotice destas?! E então, como quem se liberta de uma pressão insuportável que há muito o angustia, desabafou: - Não aguento mais! Vou contar-lhe o maior segredo da minha vida... É que eu sou um verdadeiro maluquinho por barquinhos de papel... mas achava que na minha idade isso era uma vergonha... Afinal, se o (...) anda nisto, eu também posso! Oiça lá, como é que se entra nesta coisa dos grupos de discussão? Posso mandar daqui uma mensagem a este gajo a perguntar-lhe se quer trocar barquinhos comigo?


26

CLASSIFICADOS

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

Anúncios Intitucionais

Ensino

AULAS DE ALEMÃO • Todos os níveis • Preparação de acesso à Universidade Por formador certificado e curso universitário.

Telemóvel 91 992 67 62 Classificados

EXCELENTE NEGÓCIO Passa-se ou entrega-se à exploração

Café /

Confeitaria (junto ao Liceu Carolina Michaelis - Porto).

Condições a combinar. Motivo: Reforma da Gerência, trata o próprio, sem Telem.: 91 906 62 36 Diversos

FRANCESINHAS ESPECIAIS Serviço “Leve para casa” Café Cantinho

Senhora com experiência. Toma conta de bébé

oì~=^åíμåáç=j~êèìÉëI=äçà~=SM rêÄ~åáò~´©ç=Ççë=^äíçë qÉäÉÑK=OO=VQV=MT=QP

oì~=Ççë=^äíçëI=bÇK=^êÅ~Ç~I=å⁄NQ=J Ü~Ä=TLÑêKI=sÉêãçáã=j^f^ qÉäãK=VP=VQU=NN=OQ

Emprego precisa-se

Vendedores Publicidade (Part-time / Full-Time) Excelentes condicções, trabalho em equipa altamente motivada, possibilidade de ganhos elevados

Diversos

RECEPÇÃO DE PUBLICIDADE Anúncio até 50 caracteres (gratuitos). Classificados: Compra e Venda Emprego / Automóveis Imobiliário / etc. Enviar por e-mail ou fax. Prazo limite, terças-feiras.

oì~=Ççë=^äíçëI=bÇáÑ∞Åáç=^êÅ~Ç~I=äçà~=NM=J=QQTM=J=OPR=j~á~ qÉäÉÑçåÉ=OO=VQT=SO=SOLQ=√=qÉäÉÑ~ñ=OO=VQT=SO=SP bã~áäW=ã~á~ÜçàÉ]ã~áäKíÉäÉé~ÅKéí

oì~=Ççë=^äíçëI=bÇáÑ∞Åáç=^êÅ~Ç~I=äçà~=NM=J=QQTM=J=OPR=j~á~ qÉäÉÑçåÉ=OO=VQT=SO=SOLQ=√=qÉäÉÑ~ñ=OO=VQT=SO=SP bã~áäW=ã~á~ÜçàÉ]ã~áäKíÉäÉé~ÅKéí


por Williams James Marinho

Falsos Astrólogos e Cartomantes Começando na Caldeia (Babilónia), a Astrologia espalhou-se pelo Egipto. Grécia, Itália e Europa Ocidental, atingindo o apogeu no século XV. Sendo perseguida durante a idade média, manteve o prestígio pelos seus seguidores, sendo indispensável nas sua vidas, tanto para Luís XI como Catarina Médicis. Esta euforia de ler o futuro nas estrelas, caiu após 200 anos, tornando a adquirir ainda mais seguidores. Mesmo assim, os povos, principalmente os Caldeus, acreditavam na influência dos astros sobre o globo terrestre, baseando-se no poder das estrelas na influência nos humanos. E, daí, até aos tempos de hoje, apareceram aderentes fanáticos, que debaixo das “lamparinas” do céu com o nome de estrelas e, seus respectivos baptismos, aparecem nos anúncios “garantindo” os números da sorte, amor, negócios, divórcios, mau olhado etc., etc., em troco de dezenas de contos! E, se a cartomante se lembra de enunciar qualquer tipo de maleita que o doente não tem! Neste caso, a paciente entra numa obsessão, caindo numa desgraça pior de que antes, contraindo um mal que nunca teve, só com a sua própria imaginação! Recorrendo novamente à ciência bioquímica através do médico. A vergonha leva-a a encobrir, tornando o diagnóstico mais moroso e, até em alguns casos impossível - tendo a morte à espreita. Em serviço de reportagem disfarçado nos USA (Estados Unidos da América), as “astrólogas” tinham na sala de espera uma mulher que “esperava” pela sua vez, saindo uma hipotética cliente da consulta. Antes de entrar, “confessamos” entre nós uma conversa pondo a nu, todos os males que me “ torturavam”. Entrei. A cartomante tinha ao lado um homem considerado “ vidente”, para mostrar que iria acertar com os meus males, - abriu um ovo, saindo de dentro uma agulha. Com ares de “espanto”, lá fui ouvindo o duo sem me deixaram falar! Eles já “sabiam” tudo da minha vida! Pudera... Noutros casos, com a mesma montagem, outra cartomante tinha um microfone escondido na parede. No primeiro contacto, sem ouvir o cliente, adivinhava tudo e mais coisas transmitidas do Além ( ... ) se pagasse o dôbro!

Palavras Cruzadas Palavras Cruzadas mol_ibj^ k⁄=OT

PLANETÁRIOS

b

b

(21 de Abril a 21 de Maio)

DAN por Professor KHAR

Os nativos do Touro, encaixam nos do Aquário com mais colaboração profissional e amorosa, recebendo também a forte colaboração dos Sagitários e Virgianos. Os que estão sob o signo do Leão, são na maioria inquietos e pouco diplomáticos. Profissões que entram na mente dos Taurinos Jardineiros, floristas, veterinários, carpinteiros, economistas e agentes de seguro. São muito fortes na sua personalidade. Quando estão na cama, em vez de tentarem falar com o parceiro(a), entram numa fantasia imaginária, onde “sonham’ que eram capazes de ocupar um lugar como locutores de rádio e televisão, músicos ou até ligados à protecção da Natureza. Têm dias que mais parecem touros, tal é a sua força! Passando essa influência Astral, são pachorrentos, amigos do seu amigo, só com um senão: - são muito teimosos! Pode ser pau, que eles teimam em dizer pedra! Esta insistência é sol de pouca dura! Ao outro dia ou passadas horas, pedem desculpas como agiram, convidando as pessoas para dar “cavaco” no café ou oferecendo um jantar em sua casa ou no restaurante. Dias felizes para os nativos do Touro. Abril, 17 - Maio 2-3 e 22. Gostam da perfeição, indo ao máximo no seu esforço.

Colaboração de: Francisco Assis Assunção Alves

ãÆë Çá~

Çá~ Çá~

Permanente Regime de Reforço

Çá~

Permanente Regime de Reforço

_

Çá~

Permanente Regime de Reforço

NS íìêåç= NT íìêåç=

`

Çá~

Permanente Regime de Reforço

^

NU íìêåç=

a

Çá~

Permanente Regime de Reforço Regime de Reforço

NR íìêåç=

NV íìêåç=

b

Çá~

Permanente Regime de Reforço

g

OM íìêåç=

c

Çá~

Permanente Regime de Reforço

NQ íìêåç=

ON íìêåç=

d

Çá~

Permanente Regime de Reforço

qrokl NP íìêåç= f

OO íìêåç=

e

Çá~

Permanente Regime de Reforço

^Äêáä

OP íìêåç=

f

Çá~

TURNO B DO CASTÊLO - Castêlo da Maia DO BOM DESPACHO - Maia TURNO C CENTRAL - Maia ALIANÇA - Vermoim TURNO D BASTOS - Gueifães ÁLVARO AGANTE - Vermoim TURNO E ARAÚJO - Nogueira Maia LIMA COUTINHO - Gueifães TURNO F GRAMAXO - Moreira da Maia MENDONÇA - S. Pedro Fins DA AGRA - Milheirós TURNO G DO BOM DESPACHO - Maia DO CASTÊLO - Castêlo da Maia TURNO H ALIANÇA - Vermoim CENTRAL - Maia TURNO I ÁLVARO AGANTE - Vermoim BASTOS - Gueifães TURNO J LIMA COUTINHO - Gueifães ARÁUJO - Nogueira da Maia

Permanente Regime de Reforço Regime de Reforço

OQ íìêåç=

g

OR íìêåç=

^

OS íìêåç=

_

OS FERIADOS OBRIGATÓRIOS SÃO: 1 de Janeiro; Sexta-Feira Santa; 25 de Abril; 1 de Maio; 10 e 14 de Junho; 15 de Agosto; 5 de Outubro; 1 de Novembro; 1, 8 e 25 de Dezembro. OS FERIADOS FACULTATIVOS SÃO: Os municipais e Terça feira de Carnaval (27 de Fevereiro), para o pessoal técnico abrangido pelo C.C.T.

6

7

8

9 10 11

1 2

5 6 7 9 10 11

eçêáòçåí~áëW 1- Sede da República do Togo. Supremo sacerdote entre Bonzos. 2- Rio que banha, nos EUA, o Novo México e Arizona, desagua na margem esquerda do Colorado. Ter ciúmes de. 3- Cortara com os dentes. Nome de mulher. 4- Membro anterior das aves. Grande porção. Grau de voz. 5- Nome dado pelos egípcios antigos ao Sol. Abandonado. 6Molibdeno (s.q.). Porco (Pop.). 7- Pedra de moinho. Espécie de cânhamo da Índia. 8- Antigo nome da cidade de Querala na Índia, na costa do Malabar. Pedra de altar. Expressão de contentamento, ouvida nas touradas. 9- Relativo ao ouvido. Curem. 10- Tecido de seda cruzada, macio e leve, fabricado na Índia. Moeda da Grécia antiga. 11- Vocábulo significativo da milésima parte. Cotiar

1- Almofariz. O terceiro dos profetas menores do cânon Judeu. 2- Atilhos. Peixe scômbrida que abunda no Algarve. 3- Impregnar com substância oleosa. Planta tropical de raiz alimentar. 4- Título dos bispos maronitas. Gosto muito. Oxido de cálcio. 5- Disposição. Contracção da preposição “a” com o art. def. masc. sing. “o”. 6- Eles. Praseodímio (s.q.). 7- Estrôncio (s.q.). Campeão. 8- Ferro combinado com carbono e endurecido pela tempera. Tudo que impressiona o ouvido . Palavra composta de “a” mais “os”. 9- Correia que carca a cintura com uma só volta. Grande artéria que canaliza o sangue a todas as partes do corpo. 10- Estado da América do Norte (Centro-Nordeste). Tragédia em cinco actos de Shakespeare, (cerca de 1608). 11- Uma das encarnações de Vixnu, na mitologia Hindu. Irmão de Rómulo, primeiro rei de Roma e por quem foi morto.

Cinemas Cinemas Cinemas Cinemas MAIASHOPPING Lugar de Ardegães - 4445 Águas Santas - Maia * Tel 22 9770450 Fax 22 9724537 SEMANA DE 09-03 a 15-03 • Todos os filmes têm início 10 minutos após a hora marcada ë~ä~=N jLNS O

ë~ä~=R jLNO

Çá~

DA AGRA - Milheirós GRAMAXO - Moreira da Maia MENDONÇA - S. Pedro de Fins

5

8

PROJECTO BLAIR WITCH II

ë~ä~=V jLNO

0 0:00

21:40 23:50 21:40

19:15 21:55 00:40 19:40 22:15

DUDE, ONDE ESTÁ O MEU CARRO

0:00 21:50 00:25 19:15 22:10 0:00

19:20 21:20 23:30 19:30 21:30

PRODÍGIOS

14:30 0:00 14:30 0:00 ë~ä~ NM jL\

O TIGRE E O DRAGÃO

13:40 16:10 18:55 14:15 16:45 0:00

ë~ä~=O jL\

13:20 15:20 17:20 13:35 15:30 17:30 ë~ä~=S jLNO

CHOCOLATE

14:05 16:40 0:00 14:20 0:00 17:00

Çá~

TURNO A

4

4

14:00 16:20 18:30 13:50 16:00 18:15

Fa r m á c i a s • M a p a d e S e r v i ç o s

3

SOLUÇÕES: VERTICAIS: 1- Gral. Amós. 2- Lios. Atum. 3- Olear. Meiri. 4- Mar. Amo. Cal. 5- Ar. Ao. 6- Os. Pr. 7- Sr. Ás. 8- Aço. som. Aos. 9- Cinto. Aorta. 10- Oaio. Lear. 11- Rama. Remo. HORIZONTAIS: 1- Lomé. Zaco. 2- Gila. Ciar. 3- Roera. Sónia. 4- Asa. Ror. Tom. 5- Ra. Só. 6- Mo. To. 7- Mó. Má. 8- Maé. Ara. Olé. 9- Ótico. Sarem. 10 Surá. Otão. 11- Mili. Usar.

para o Signo de Touro

2

3

“Acreditar ou não na astrologia” Até aqui muito bem. Mas, há sempre aquele que acredita (que não sabe porquê) e a que diz que é tudo uma fantasia engendrada pelo homem. - Em que situação se encontra o nossa leitor? Em contactos com astrólatras em universidades nos Estados Unidos, estes são peremptórios em afirmar que, através do computador, se faz uma carta astral, entrando no subconsciente dos racionais, desde que sejam dados a hora, exacta do nascimento, dia, mês, ano e local geográfico do País onde sentiu a luz do dia pela primeira vez. (Do livro a publicar brevemente do autor - Retalhos da Vida)

1

sboqf`^fp

Astrologia

PROGNÓSTICOS

27

AGENDA

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

17:10 17:20

19:45 22:15 00:45 20:00 22:30 0

PROCURANDO FORRESTER

13:15 16:00 18:45 13:30 16:15 0:00

0 21:30 00:15 19:05 21:50

ë~ä~=P jLNS

O EXORCISTA

13:25 16:05 18:50 13:35 16:20 0:00 ë~ä~=T jLNS

O DOM

14:20 0:00 14:25 0:00 ë~ä~ NN jLS

0 21:35 00:20 19:10 22:20

17:00 17:10

19:40 22:10 00:40 19:50 22:25

ë~ä~=Q jLNS

TRAFFIC

14:45 0 17:45 13:20 16:20 0:00 ë~ä~=U jLNO

0 21:25 00:35 19:20 22:20

MISS DETECTIVE

14:10 16:30 0 14:10 16:40 0:00

19:05 21:45 00:10 19:00 22:05

102 DÁLMATAS - V. PORT.

13:30 15:50 18:15 14:00 16:30 18:50

0 0:00

21:15 23:40 21:25

CINEMAS CENTRAL PLAZA Centro Comercial Central Plaza * Tel 22 940 64 86 Todos os filmes têm início 15 minutos após a hora marcada ë~ä~ N jLNS

EXORCISTA

ë~ä~ O jLNO

TIGRE E O DRAGÃO

Informações úteis Informações úteis EMERGÊNCIAS:

Bombeiros Volunt. Moreira 22 942 10 02 • Associação Human. Pedrouços 22 901 27 44 • P.S.P. Maia 22 971 35 37 • P.S.P. Aeroporto de Pedras Rubras 22 948 26 93 • G.N.R. Maia 22 944 81 90 • Serviço Municipal de Protecção Civil (Câmara Municipal) 22 941 05 90

SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA:

Cartório Notarial da Maia 22 944 81 23 • Conservatória do Registo Predial 22 948 39 29 • 1.ª Repartição de Finanças 22 944 81 33 • 2.ª Repartição de Finanças 22 971 35 94 • 1.ª Tesouraria da Fazenda Pública 22 948 43 32 • 2.ª Tesour. da Fazenda Pública 22 971 72 71 • Tribunal de Trabalho da Maia 22 948 73 50 • Santa Casa da Misericórdia 22 944 81 36 • Correios de Vermoim 22 948 44 46 • EN - Electricidade do Norte 22 944 12 12 (Comunicação de Avarias) 80 024 62 46 • S.M. Águas e Saneamento da Maia 22 941 71 71 • Inst. Emprego Form. Profissional 22 941 25 77 • Áeroporto Sá Carneiro 22 941 31 41 • Câmara Municipal da Maia 22 940 86 00 • Aeródromo de Vilar de Luz 22 968 73 22 • Biblioteca Gulbenkian 22 948 34 72 • Forum da Maia 22 948 34 72 • Forum Jovem da Maia 22 941 78 20 • Gabinete de Apoio e Defesa do Consumidor 22 948 40 72

SAÚDE:

C. de Saúde da Maia 22 944 84 75 (Linha Azul) 22 948 79 18 • C. Saúde de Á.Santas 22 973 54 20 • C. Saúde do Castêlo 22 981 02 38 • Unid. Saúde de Moreira Maia 22 942 22 78 (Linha Azul) 22 942 79 68 • Unidade de Saúde de Gueifães 22 948 34 20 • Unidade de Saúde de Milheirós 22 972 33 22 • Unidade de Saúde de Nogueira 22 944 86 55 • Unidade de Saúde de Vermoim 22 948 47 07 • Serv. Atend. a Situações Urgentes 22 944 87 90


28

NA REDE

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

NA_REDE@JORNAL_MAIA_HOJE.JORNAL_REGIONAL_DE_GRANDE_INFORMAÇÃO Por: Artur Bacelar / maiahoje@mail.telepac.pt

Novo portal na Internet

Truques e Dicas A vontade da partilha do conhecimento que detêm e do que pretendem adquirir, tornou coerente o avanço para o desenvolvimento de um novo projecto, o Portal Truques e Dicas (http://www.truquesedicas.com), onde pretendem expandir, de uma forma inovadora, a vertente educacional. O Truques e Dicas visa, essencialmente, proporcionar o domínio dos modelos e ferramentas de interacção que permitem criar interfaces entre homens e máquinas. A aprendizagem dos conceitos associados à concepção de novas soluções gráficas para a World Wide Web, o contacto com as actuais áreas de investigação e as potenciais evoluções, fóruns de discussão on-line e o recreativismo dos jogos conferem ao portal uma estrutura antípoda da tradicional. Dividido em 7 canais principais (Tutoriais, Jogos, Galeria, Artigos/Notícias, Livraria, Downloads e Pergunta-me), a visita ao portal crê-se assídua, não só pela diversidade e actualidade das informações, como também pela sua constante renovação.

Tutoriais: http://www.truquesedicas.com/tutoriais A secção de Tutoriais é composta por 650 tutoriais, totalmente gratuitos, escritos por profissionais portugueses, que permitem ao utilizador, em sintonia com o seu ritmo de trabalho, exercitar, testar e aperfeiçoar técnicas, conceitos e práticas características das diferentes ferramentas. Com especial destaque para o Flash, Photoshop, FrontPage, Dreamweaver, Visual Basic, Html e JavaScript, a sua redacção é realizada de uma forma sistemática e conjunta entre o Truques e Dicas e os seus utilizadores. Deste modo, pretende-se a aproximação e reconhecimento das potencialidades e necessidades de cada utilizador.

Jogos: http://www.truquesedicas.com/jogos Jogo, por definição, é um passatempo em que, de ordinário, se arrisca dinheiro ou qualquer outra coisa. Divertimento. Exercício. Manobra. Articulação. Disfarce. O Canal de Jogos foi criado atendendo à curiosidade aguçada e exigente, tão peculiar, de todos os amantes dos videojogos. A consulta às últimas novidades, antevisões, críticas, códigos, demos, estratégias para melhorar o desempenho, downloads, jogos on-line, e, claro, muitos truques e dicas é necessário para que acção e aventura sejam elevadas ao expoente máximo.

Galeria: http://www.truquesedicas.com/galeria A Galeria é uma nova forma de perceber e usar a criatividade. Banco de imagens, textos, sons, fontes, sources de flash e scripts perl, para inclusão de conteúdos dinâmicos. Um auxiliar precioso para construir páginas web.

Artigos/Notícias: http://www.truquesedicas.com/artigos Publicação diária de artigos e notícias em 5 áreas temáticas: Tecnologia, Internet, Software, Jogos e Multimédia.

Com uma periodicidade semanal, é enviado a todos os membros, que subscreveram a Newsletter do Truques e Dicas, um resumo das notícias e artigos publicados.

Livraria: http://www.truquesedicas.com/livraria Em parceria com a FCA- Editora Informática, o Truques e Dicas recomenda, mensalmente, 20 livros com possibilidade de compra no site da editora.

Downloads: http://www.truquesedicas.com/downloads Dividido em seis categorias (Desktop, Internet, Multimédia e Design, Jogos, Mp3 e Áudio, Utilitários), o Canal Downloads reúne os melhores freewares, sharewares e demos disponíveis, gratuitamente, para download.

Pergunta-me em Português: O Pergunta-me em Português é um espaço original e inovador para a publicação de informação on-line. Possibilita diversas iniciativas que permitem a todos os utilizadores colocar perguntas, expor conhecimentos ou, simplesmente, partilhar truques, técnicas e dicas sobre as diferentes categorias temáticas. As respostas serão dadas pelo Truques e Dicas ou pelos utilizadores dos Fóruns, dinamizando, assim, a relação entre todos os seus intervenientes.

A quem se destina o Truques e Dicas. Os utilizadores do Truques e Dicas são maioritariamente jovens estudantes e quadros médios/superiores que partilham o interesse pela área da informática e novas tecnologias. Pretendemos, no entanto, que a acessibilidade do portal seja estendida a todos aqueles que encontram na World Wide Web uma nova forma de expressão e cultivo do conhecimento.

Quantos leitores e visualizações tem o Truques e Dicas? O Truques e Dicas registou na sua segunda semana uma média de 100 mil visualizações de páginas no seu web site, 300 subscrições na Newsletter e mil visitas diárias.

Porquê o Truques e Dicas Com um núcleo de pessoas qualificadas e dedicadas a um projecto comum, os responsáveis dizem constituir “no momento, a equipa certa para os projectos em que nos envolvemos”. Aparecem no mercado como consequência lógica da necessidade de veicular mensagens e desenvolver conteúdos. O que hoje são “devemos à experiência e dedicação, acumulada ao longo dos anos, e ao facto de encararmos a mudança como um factor positivo no nosso desenvolvimento como indivíduos e como equipa, tirando partido das novas tecnologias com conhecimento profundo dos conteúdos. Começámos a dominar os meios de modo a poder acompanhar os projectos até ao fim, garantindo a qualidade que sempre exigimos. Deste modo, desenvolvemos um projecto e acompanhamo-lo do princípio ao fim, da ideia ao produto final, com coerência entre usabilidade e garantia de qualidade, sem nunca esquecer a formação estética”. A disponibilização de serviços de utilidade e tecnologias ao leitor comum, as novidades no mercado nacional e internacional das últimas tecnologias e produtos de informática, dicas de aprendizagem e resolução de problemas, divulgação de novos sites, tutoriais rigorosos e actuais conferem a este projecto um cariz inovador e propulsor de um novo conceito de comunicação. A Equipa Técnica é constituida por Paulo Barbosa (Director); Paulo Barbosa, Angelo Castanheira, Sérgio Brandão, José Simões e Ana Taxa (Redactores; Paulo Barbosa, Angelo Castanheira, Sérgio Brandão e João Raposo (Produtores) e conta com Andreia Carvalho e Eduardo Sousa como colaboradores.


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

PUBLICIDADE

Ter uma solução simples não chega. É preciso que seja adequada à dimensão da sua Empresa. Queremos mostrar-lhe Porquê

SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO LOJA DA MAIA RUA DOS ALTOS, 14 - ED.ARCADA 4470-235 MAIA

www.sitecel.pt * info@sitecel.pt Tel.22 947 9080 * Fax 22 947 9089

!

29


30

ESPECIAL TEST DRIVE

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

Peugeot 206 CC (Coupé - Cabrio)

Um caso sério!

Um caso sério de popularidade é assim que rapidamente descrevemos o novo Peugeot 206 CC. A CARMAIA, concessionário Peugeot para o Concelho da Maia, tem desde este fim-de-semana, disponível nas suas instalações o novo Coupé/Cabrio do mercado. A visitar.

Artur Bacelar e Miguel Ângelo Machado

O Peugeot 206 Cabrio chegou à Maia...

Para quem já gostava do 206, vai ser com alguma ansiedade que irá ver o 206. As expectativas não ficaram defraudadas e a Peugeot, dispõe agora de um veiculo que irá “explodir” corações. A Carmaia, concessionária da marca, disponibilizou o primeiro veiculo chegado à Maia, para fazermos o nosso “test drive”. A primeira vista, com o “hard top” colocado, ficamos com a sensação de estarmos perante um belíssimo 406 Coupé, embora de dimensões reduzidas. Colocamos a chave na ignição e depois de destravarmos o mecanismo, carregamos no botão que em apenas 20 segundos transforma o carro num Cabriolet de eleição. O resto... é apreciar a sua condução, simples e agradável. De referir que como qualquer Coupé trata-se de um veiculo 2 + 2 lugares e não de um 4 lugares. Estética Disponível numa vasta palete de cores e de interiores, dispõe esteticamente de um párabrisas fortemente inclinado, faróis de vidro liso, tampão do depósito de combustível do GTI, utilizando os pára-choques e faróis traseiros do 206. Versões, motorizações e performance Disponível em 2 versões, 1.6 16V e 2.0 16V. A versão 1.6 é de 1587 cc., com uma potência de 110 cavalos, atingindo a velocidade máxima de 193 Km/h; os consumos são desde os 5,7 (estrada) aos 9,5 do circuito urbano, sendo o consumo misto de 5,7 L./100. A versão 2.0, tem 1998 cc., potência de 138 Cv., para uma velocidade máxima de 204 Km/h; os consumos vão dos 6,2 (estrada), aos 11,2 litros (cidade), sendo o circuito misto realizado com 8 litros. Segurança Airbags condutor e passageiro; 4 travões de disco e ABS; faróis de nevoeiro à frente, alarme

de anomalia de fecho do tecto de abrir, 2 bombas anti-furo no porta bagagens; vidro traseiro com desembaciador. Equipamento Ponteira de escape cromada, bancos desportivos, tampão do depósito GTI, fole da manete em pele, pedais, soleiras das portas entre outros em alumínio, direcção assistida, 4 vidros eléctricos, fecho centralizado, retrovisores eléctricos com desembaciador, teto de abrir eléctrico, banco do condutor regulável em altura, auto-rádio com leitor de cd’s frontal, com comando no volante. Opcionais Dada a completa oferta de série do equipamento, são poucos os “extras” disponíveis, embora o 2.0, já traga de fábrica os estofos em pele (180 contos), ar condicionado (160 contos) e mostrador central com indicação da temperatura e hora, esse equipamento pode ser oferecido como opcional no 1.6, acrescido da pintura metalizada (37 contos) em ambas as versões e do airbag lateral (40 contos).

...em processo de metamorfose...

Preços Os preços começam nos 4.340 do 1.6 e acabam nos 5.505 contos do 2.0. Existe também uma versão 1.6, comercializada em Portugal com caixa automática que custa 4.570 contos. Conclusão Depois do êxito do 206, lançado em Setembro de 1998, o 206 CC irá concerteza cativar pelo seu aspecto, facilidade de transformação e condução. O nível de equipamento é muito bom e tem como principal trunfo qualidades estradistas acima da média, com um preço atraente.

...transforma-se num belissímo Coupé.


Campeões!

Clube Amigos de Corim vence Torneio EDP

pág. 34

FC Maia: Mais um passo para a subida à primeira

pág. 35

F3 Auto faz 4º lugar no rally do FC Porto

pág. 38

Test Drive: Rover 75 classe e distinção

pág. 39


32

TREINADOR

SURPREENDIDO

de bancada

FIQUEI...

Surpreendido fiquei ao ver que um dos meus parceiros de “Bancada” é adepto do Benfica. Até porque o Artur, quando me convidou para me “sentar” nesta “Bancada”, informoume que iria ter por companhia adeptos dos clubes que lutam pelo título. Assim sendo, estava à espera de um aficcionado do Sporting de Braga. Mas, na verdade, o Benfica também é um dos que corre para diversos títulos. O título de pela primeira vez ficar fora da UEFA; o título de clube com maiores dívidas ao estado; o título de clube que contrata jogadores e não os paga; o título de clube com um ex-presidente preso; e tantos, tantos outros que se fizesse referência a todos, esta coluna não me chegaria. Surpreendido fiquei com as declarações de treinador e presidente do Boavista após os dois desaires frente ao Marítimo (taça e campeonato). É que, nos dois jogos, o único clube prejudicado pelas arbitragens foi o da Madeira. Ou será que os benefícios têm sido tantos que eles já reclamam quando o árbitro só prejudica o adversário e não arranja uma série de faltas perto da área e grandes penalidades cometidas sobre esse grande craque que se dá pelo nome de Vidoso e esta época equipa de xadrez. É que, sempre que há pénaltis a favor do Boavista, ouvimos os comentadores a dizerem “pénalti (du)Vidoso”. E por falar em Taça de Portugal, lá estarei, a 10 de Junho, no Municipal de Oeiras, depois de uma grande vitória sobre o Sporting, que verdade seja dita, também merecia a final depois do excelente jogo que fez. Na Taça. o Benfica defrontou mais uma vez o Futebol Clube Isento, que é um adversário que lhes tem saído muito em sorte em competições a eliminar. De volta ao campeonato, surpreendido fiquei com a vitória do Benfica frente ao Marítimo, naquela que foi a grande surpresa da jornada e que fez o clube do “Vivi” (o tal que invade os treinos em amena cavaqueira com o “menino do Rio”, Roger) voltar a ver a irmã “Vitória” que já andava fugida há 51 dias, perdida por Braga, Belém, Campo Maior e que foi vista em Paços de Ferreira a comprar mobílias para um T3 + 2, construído pelo mestre José Mota, com desenho de Rafael & Cª. Tivesse o Toni chegado dois meses mais cedo e a esta hora andavam a fazer companhia ao Guimarães. Ali, muito pertinho da linha de água. Surpreendido fiquei ainda, com a apatia da equipa do Sporting em terras do Lis e pela reacção da Juve Leo. É que esta claque apoiada pela direcção sportinguista tinha sido alvo dos maiores elogios por parte dos mais altos responsáveis leoninos, aquando da dupla deslocação à Catedral das Antas, mesmo depois de esses mesmos responsáveis terem visto ser exibida pela Juve Leo uma faixa muito insultuosa para com todos os portugueses nascidos acima do Mondego. Cá se fazem, cá se pagam. ADRIANO FREIRE

EDITORIAL DE DESPORTO

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

MÃOS

À

OBRA!!!

Nos tempos que correm, o individualismo e o egoísmo são cada vez mais e infelizmente, apanágio da sociedade em que vivemos, sobretudo nos meios urbanos das grandes cidades. Porém, ainda subsistem por essas cidades fora e, inclusive, nas grandes metrópoles de Lisboa e Porto, uma actividade pujante e dinâmica, normalmente ignorada pelos meios de comunicação social, em que a solidariedade genuína e a sã convivência entre as pessoas são praticadas, normalmente enquadradas pelo associativismo cultural, desportivo e recreativo. Nessas colectividades, a capacidade de inventar formas de resolver os problemas em comunidade, sobretudo de ordem financeira, é uma constante, pois os apoios oficiais normalmente escasseiam. Quando uma colectividade tem necessidade de um investimento avultado, normalmente recorre a subsídios oficiais, que são concedidos através de protocolos assinados, por exemplo, com as câmaras municipais. Para tal, há que submeter à entidade respectiva um projecto da obra ou empreendimento em causa com os respectivos orçamentos. Ora, quando chega à parte do Orçamento, estas colectividades, no caso da construção de uma Sede Social, por exemplo, obviamente metem todos os custos considerados normais, nomeadamente os materiais e a mão de obra. Assim, para uma obra avaliada em, imaginemos 10.000 contos, recebem 4.000 contos. Até aqui tudo bem, e o resto do dinheiro? É aí que entra a tal Solidariedade. Apesar de estar no orçamento a mão de obra, há que arregaçar as mangas e os associados, aos Sábados, toca a trabalhar p/ a colectividade e, briosamente erguem a obra do seu contentamento, à custa do suor e muitos calos nas mãos, mas com um enorme orgulho bairrista. Penso que esta é uma situação que, infelizmente não tem sido muito falada e destacada, na comunicação social deste País. PORÉM, Penso que esse panorama vai mudar, pois vamos começar a ouvir falar muito deste tipo de situação no que respeita aos principais clubes de Futebol da nossa I LIGA, daqui até 2004. Pois não é que os clubes PORTO- SPORTING e BENFICA estão a pensar construir os seus estádios novos com apenas 25% de subsídios do estado? Já se está a ver.......sim, porque se todos eles perdem dinheiro todos os anos, em termos de exploração corrente, ONDE VÃO BUSCAR O RESTO do dinheiro, para fazer face a tal Despesa extraordinária no valor de vários milhões de contos? O Ministro Lello já disse que para aquele peditório, não dá NEM MAIS UM TOSTO que os 25% do tal protocolo. - Só podem estar à espera que os sócios e simpatizantes, vão lá dar uma mãozita aos Sábados, para carregar uma placas e assentar uns tijolos. Devem estar a pensar fazer uma ESCALA semanal e MÃOS À OBRA!! A minha sorte é que somos 6 milhões, por isso, já fiz as contas e devo ir lá bater c/ as costas, talvez umas horitas num sábado qualquer, agora os de Alvalade e antas........preparem-se.......2 ou 3 sábados por mês, vai ter que ser, até estar pronto. toca a todos, uns mais que outros, mas......... A bem das respectivas colectividades! FERNANDO SOUSA

Caro Leitor, Nesta edição de desporto o destaque, como não podia deixar de ser, vai para a espectacular vitória do Castelo da Maia, que se sagrou campeão nacional de Voley pela primeira vez no seu historial. Esta vitória deixa as gentes maiatas orgulhosas pelo feito, reforçando o lema “Maia capital do desporto”. De salientar também a vitória do F.C. Maia que mantém em aberto as pretensões do clube no acesso á divisão principal do nosso futebol. Embora o que agrade ás pessoas seja o futebol e principalmente as vitórias, não posso deixar de alertar que o desporto amador e as escolas são a base de uma pirâmide que se quer forte e bem estruturada. Por isso todos os apoios não são demais para dar condições aos jovens, no sentido de poderem escolher e praticar aquilo que gostam, sem que com isso as famílias tenham que suportar as despesas que estão inerentes a essas necessidades e assim onerar o já difícil orçamento familiar. De tantos milhões que ouço falar, uma parte nem que seja a pior desse “bolo”, poderia ser encaminhada para que, em centenas de escolas, não houvesse dificuldade em ter uma bola para jogar ou água quente para tomar banho. Esse é o meu desejo. Como diria um político conhecido “mais dinheiro para o desporto, acarreta menos despesa para a saúde”. Para os leitores mais atentos, fica também aqui a justificação de que o “Treinador de Bancada” do Sporting, não conseguiu enviar a tempo do fecho da edição a sua crónica, facto pelo que, obviamente não a publicamos. Carlos Barrigana Editor de Desporto

SETE

VITÓRIAS PARA O TITULO Estou convencido que só com sete vitorias o meu clube poderá ser campeão. Isto porque parto do principio que a luta a partir de agora será a dois, com o F.C. Porto, como é obvio. O Sporting como seria de esperar tropeçou mais uma vez, o que já devia ter acontecido noutro jogos em que os resultados foram melhores que as exibições. Falando do F.C.P. o itinerário do passeio que está reservado para esta ponta final do campeonato, não poderia ter sido melhor escolhido se isso fosse possível. Nas jornadas em casa a monotonia vai imperar, como se viu no jogo contra o Gil Vicente, clube que a precisar de pontos como de pão para a boca, teve um desempenho só comparável ás oportunidades que teve no próprio jogo (nenhuma), o que não deixa de ser surpreendente. Penso que Aves, Braga, U.Leiria pouca ou nenhuma mossa vão causar no rolo compressor das Antas. Nos apeadeiros mais distantes os motivos de interesse não vão ser de monta, no vizinho e amigo Salgueiros a quem os pontos pouca falta fazem a motivação já não é muita, o mesmo se aplica ao Beira Mar e Estrela da Amadora. E temos ainda a difícil deslocação á Madeira, o polémico jogo do adiamento que caiu que nem gingas para os interesses do F.C.P.. Estou curioso para ver se a postura do Marítimo vai ter o mesmo empenho e garra que teve contra o Boavista, sabendo que a vitória do Porto será o melhor resultado para as pretensões do Marítimo em ir á U.E.F.A. O Porto vai ser um espectador atento a uma escorregadela do Boavista, que vai ter jogos complicados pela frente, e pelos vistos muita gente está interessada que o Boavista escorregue porque os favores pagam-se. No ultimo jogo em casa a equipa do Farense remeteu-se a uma defesa constante do principio ao fim do jogo, talvez porque os pontos lhes fizessem falta para não descer ou então o prémio era reforçado. A minha esperança é que o excesso de confiança do Porto os possa trair. Só espero que no ultimo jogo nas antas o campeonato já esteja resolvido, porque, como diria um conhecido árbitro lá o lema é “ou mato ou morro”. JORGE BARROS


33

DESPORTO

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

VOLEIBOL

Castêlo da Maia Ginásio Clube

Campeões, Campeões, nós somos Campeões ! Era assim que o numeroso público, que enchia por completo o pavilhão do Castêlo, cantava a plenos pulmões a primeira vitória do seu clube no Campeonato Nacional A1 - Masculinos de Voleibol. Fundado a 5 de Fevereiro de 1973, alcançou assim este feito inédito ante a “poderosa” equipa do Esmoriz. Carlos Barrigana e António Armindo Soares

No passado fim-de-semana, a equipa maiata do Castêlo da Maia Ginásio Clube, sagrou-se pela primeira vez Campeão Nacional de Voleibol. Título que já perseguiam há algum tempo, foi alcançado após a vitória expressiva por 3-0 (25-19; 25-16 e 25-16), frente à equipa do Esmoriz que logrou alcançar a segunda posição nacional frente ao seu “arqui-rival” Espinho, que curiosamente o ano passado tinha derrotado na final a equipa maiata pela vantagem mínima. Do jogo, pouco ou nada há a dizer face ao resultado expressivo, de salientar apenas que a equipa do Castêlo esteve sempre mais segura no serviço, e mais eficaz no bloco e distribuição a cargo de Pedro Azenha. Este feito inédito fez explodir de contentamento os apoiantes da equipa maiata, calculados em cerca de 1100, que se encontravam na bancada, incansáveis, apoiaram a equipa desde o primeiro minuto do jogo, tendo já durante a noite, ecoado nos céus da Maia, o trovejar dos foguetes

Jornal

que ajudavam a fazer a festa. Contentes também, estavam na bancada Vieira de Carvalho, presidente da Câmara Municipal da Maia e Domingos Tiago, vereador da edilidade, tendo o presidente dito em tom de desabafo que “o meu desejo é que este sucesso se estenda a outras modalidades”, referindo-se talvez às boas hipóteses que o F.C. Maia terá em subir de divisão. Entre os que assistiram à partida, estava também o cubano “Juan Diaz”, o novo seleccionador nacional da modalidade. Manuel Azenha, presidente do clube, no final da partida dizia em tom irónico “que os outros reconheçam a nossa louvável teimosia em perseguir este titulo. O treinador Francisco Fidalgo, no final da partida, comentava que “o titulo surgiu com dois anos de atraso, no ano passado estivemos ainda mais perto de sermos campeões o que nos deixou uma grande mágoa, apenas se adiou o inevitável e hoje estamos felizes”. Para Carlos Teixeira, libero,

jogador também da selecção nacional “o Castêlo foi a equipa mais regular do campeonato, aprendemos muito com a final do ano passado e chegamos a esta muito mais experientes”. Para o ano a equipa está envolvida na Liga dos Campeões e com novo fôlego. Campeão também foi, a nosso ver, o nosso “colega” Ricardo Cruz, das relações com imprensa do clube maiato, que sempre e com notável afinco e profissionalismo, nos fez chegar à redacção a ficha de jogo nos minutos seguintes aos finais das partidas. A fazer ver a muita gente! Os Campeões Jogadores: Ubirajara Pereira, Pedro Pereira, Carlos Silveira, Rogério Dias, Luís Carlos, Roberto F.-Betão, Jorge Alves, Carlos Teixeira (Libero), Wagner Silva (Capitão), Pedro Rosas, Ildnei Oliveira e Nilson Júnior. Treinadores: Professor Francisco Fidalgo (principal) e Professor António Natário (adjunto).

Maia Hoje o seu jornal

montaco PROTECÇÃO ANTICORROSIVA PROTECÇÃO DE BETÃO REVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PINTURAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL SEDE: Estrada Nacional 13, 1488 - Guardeiras Apartado 3018 - 4470-616 Moreira Maia Telefone 22 9438200 • Fax 22 9488589 OFICINAS: Qt. do Ribeiro - R. Recarei 4465-728 Leça do Balio Telefone 22 9541407 • Fax 22 9542918


34

DESPORTO

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

HÓQUEI EM PATINS

CD Nortecoope - Maia

Vitórias atrás de vitórias

O único clube de Hóquei em Patins do concelho, o Centro Desportivo Nortecoope - Maia (CDNM), vive dias como nunca dantes vistos. Os êxitos das equipas seniores, tanto masculina como feminina, têm sido uma constante e são previstos resultados positivos até ao final da época. A III Taça do Mundo de hóquei em patins feminino já está calendarizada e também já foram divulgadas as equipas que estarão presentes.

Miguel Ângelo Machado

À equipa sénior feminino só o título de campeãs nacionais, o único em falta no palmares da equipa maiata, interessa. Com nove jogos realizados, o CD Nortecoope - Maia lidera a tabela classificativa com 27 pontos. Na passada jornada, a última da primeira volta, as maiatas venceram o conjunto algarvio de Boliqueime por 15-0. A elevada concretização desta equipa constitui também uma nota importante, 46 golos marcados e “apenas” seis sofridos. A equipa dos Carvalhos ocupa a segunda posição com 25 pontos, ainda que com mais um jogo que as maiatas. As campeãs nacionais em título, o HC Sintra, encontram-se em terceiro lugar, com nove jogos feitos e um registo de 21 pontos. Amanhã, dia 13, espera-se um escaldante jogo no recinto da Nortecoope, na medida em que, irão se defrontar as primeiras e as segundas classificadas. No campo masculino, as coisas também não vão nada mal para os “nortecoopenses”. A disputar a II Divisão Nacional - Zona Norte (recorde-se que a equipa sénior masculina tem três anos de existência), os maiatos viram-se apurados para a “Poule A” desta competição o que lhes poderá garantir na próxima época um lugar na divisão principal, pese embora este objectivo não seja ainda totalmente assumido pelos responsáveis do clube. «A aposta na subida é para a próxima época. No entanto, se subirmos este ano ainda melhor», disse ao “Maia Hoje” Manuel Amaral, director do CD Nortecoope Maia. Nesta fase, os atletas do CDNM realizaram já dois desafios. Após um empate caseiro frente à Sanjoanense a dois golos na primeira jornada, os maiatos venceriam no passado fim-desemana o conjunto da Juv. Pacense por 3-6, depois de ter estado a perder por 3-

0. Neste momento, e antes do jogo de amanhã frente à equipa da AA Espinho, a Nortecoope ocupa o terceiro posto com 26 pontos, logo atrás do Famalicense e da Sanjoanense que lidera com 29 pontos. III Taça do Mundo Já confirmada encontra-se a III Taça do Mundo de hóquei em patins feminino. Esta importante prova do calendário internacional realizar-se-á entre os dias 3 e 8 de Julho no Pavilhão da Nortecoope. Organizado pelo CDNM com o apoio da Federação Portuguesa de Patinagem e da CM da Maia, este torneio reúne as campeãs nacionais da época transacta de vários países do globo. Assim, a representar a Alemanha estará o conjunto do SC Bison Calemberg, da Espanha o CH Bigues y Birls, da Austrália o Dandenong Roller HC, do Brasil a Associação Portuguesa dos Desportos (vencedora da primeira edição) e da Argentina o Club Gimnasia y Esgrima. As representantes nacionais são o Hóquei Clube de Sintra (campeãs portuguesas da passada época) e claro, a Nortecoope, a equipa da casa e vencedora da prova no ano passado. Ampliação de instalações, atletas convocados para selecções e convites para o estrangeiro Como resultado das boas exibições que têm vindo a apresentar nos seus escalões de competição, os atletas João Truta (Iniciados) e Jenifer Gonçalves (Sub-16) foram convocados para selecções. Se o primeiro representou no passado fim-de-semana a Associação de Patinagem do Porto no Torneio da Páscoa que se desenrolou nas Caldas da Rainha e de onde, aliás, sagrar-se-ia vencedor, a hoquista Jenifer Gonçalves encontra-se em treinos da Selecção Nacional. Para já, e após uma primeira escolha por parte do técnico, foi

integrada num lote de 16 atletas de onde sairão apenas 10 que, posteriormente, irão disputar no final da época, na Alemanha, o 1º “Europeu” de Sub-18 Feminino. Estes treinos, orientados pelo também maiato Jorge Lopes, desenrolaram-se esta semana no Pavilhão da Nortecoope. Com o intuito «de oferecer as melhores condições possíveis aos nossos atletas» o CDNM inaugurará em breve um centro de musculação e “jacuzzi” nas instalações do pavilhão. Trata-se de «um importante espaço onde

XX Campeonato de Futebol de 5

Amigos de Corim campeões! No passado sábado a equipa do Clube Amigos de Corim (CAC), saiu vencedora antecipada, do “aguerrido” torneio de futebol de cinco, organizado pelo Clube do Pessoal do Grupo EDP, delegação do Porto, ao vencer a equipa do Inter/Pneus do Amial por 3-2 na antepenúltima jornada do torneio. O jogo derradeiro do torneio, referente à 15ª jornada, realizar-se-á hoje pelas 11.30, no pavilhão do futebol clube de Infesta em S. Mamede.

Vitor Caniceiro, guarda redes do Corim, deverá ocupar a primeira posição no ranking dos melhores, com uma média de 1,62 golos sofridos por jogo, contra 2,55 do guarda-redes dos “Móveis TM”. A direcção do clube decidiu também agendar para esse dia, um almoço-convivio, comemorativo do evento, que se realizará no Café Alaúde, frente à escola secundária de Águas Santas.

os atletas poderão melhorar a sua condição física», explicou Manuel Amaral. A reputação do clube não se restringe ao território nacional. Prova disso são os vários convites que têm chegado à sede do CDNM para participações em torneios no estrangeiro. Para já, está confirmada a ida das “Sub-16” às Astúrias (Espanha) nos dias 8, 9, e 10 de Junho. Nos mesmos dias mas ainda sem confirmação encontra-se a participação dos seniores masculinos na cidade francesa de Tourcoing, num torneio organizado pelo clube local.


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

F.C. Maia - 1

35

DESPORTO

Imortal - 0

FUTEBOL

No acreditar é que está a vitória Era um jogo em que ambas as equipas necessitavam de ganhar, mas o F.C. Maia foi a única que tudo fez para o conseguir. A lutar contra uma equipa muito agerrida, mas que pouco se aventurou no ataque, o Maia só no cair do pano é que conseguiu repor a justiça no resultado que só peca por escasso. Kika numa recarga devolvida pela trave, após excelente livre de Cabral, fez o golo que mantém os maiatos na luta de acesso à I Liga. Texto: Carlos Barrigana; Foto: Júlio Ornelas

Não foi um jogo muito agradável de se assistir muito por culpa da postura que os jogadores do Imortal demonstraram ao longo do jogo, numa atitude muito defensiva, tentaram sempre destruir sem nunca dar mostras de que só a vitória os poderia fazer pensar que a manutenção ainda seria possível. Os primeiros 25’ foram jogados quase sempre a meio campo, com o Maia a tentar entrar na intrépida defesa do Imortal, e só o conseguiu de fora da área com um tiro de Cabral aos 19’ que fez a bola passar por cima da baliza de Cândido. Logo a segui Major de livre faz a bola passar rente ao poste. Aos 26’ uma perda de bola do defesa do Imortal quase punha tudo a perder, não fosse o deslumbramento de Cássio a chutar mais na relva do que na bola. O Maia continuou a tentar ganhar terreno e aos 35’ Cássio dentro da área, chutou à figura de Cândido e na recarga Kika remata ás malhas laterais. Já no fim da primeira parte a um livre de Major, Cândido defende a soco tirando o perigo da sua baliza. Só a espaços o Imortal através de Jean Paulista e Sérgio Marquês, os mais esclarecidos da equipa de Albufeira, conseguiram quebrar a monotonia do meio campo para a frente dos algarvios. A segunda parte só foi diferente da primeira porque os maiatos construíram alguns lances que poderiam ter descansado Mário Reis, se não fosse algumas intervenções bem sucedidas do guarda redes Cândido, e algum nervosismo dos avançados do Maia. Aos 61’ Cássio remata para defesa de Cândido, aos 67’ Fumo isola-se e só com o g.redes pela frente remata fraco. Logo a seguir Hugo Reis teve o golo nos pés mas

rematou fraco e ao lado. Aos 70’ Major isola Fumo que remata, para Cândido defender com os pés, e na recarga Cassio remata para nova defesa do g. redes com os punhos. Intranquilo com o desenrolar do jogo, Mário Reis alargou a frente de ataque, fazendo entrar Yuri, Dieb e depois F. Almeida para tentar o tudo por tudo. Mas foi só no período de compensação que o merecido golo haveria de chegar. Cabral cheio de fé, marca um livre que levava “fogo”, a bola embate na trave, aparecendo

quatro homens do Maia cabendo a sorte a Kika, que de cabeça quebrou a resistência inglória do Imortal. Mário Reis (treinador do Maia): “Sabíamos que iria ser um jogo extremamente difícil, mas era importante conseguir a vitória. Andamos um pouco à deriva em determinados momentos, talvez por querermos resolver o jogo cedo, e tivemos oportunidades para isso. O Fumo por duas vezes e o Hugo não o

conseguiram. É evidente que encontramos um adversário que nos dificultou a tarefa, mas mais uma vez o acreditar, que eu incuto nestes jogadores, fez com que fossemos bafejados pela sorte. Mas o jogo só acaba quando o árbitro apita e os meus jogadores acreditaram que era possível, e mais uma vez estão de parabéns, porque tiveram uma excelente prestação e porque eles lutam até cair. Os jogadores do Futebol Clube da Maia tudo têm feito para conseguir estar nos primeiros lugares a lutar pela subida, e eu, como treinador deles, sinto-me muito contente por tudo o que já conseguiram. Agora vamos pensar no próximo jogo na Póvoa no qual vamos lutar pela vitória. Os jogadores têm que estar tranquilos, desinibidos e conscientes das suas obrigações, o que eles fizeram até aqui já foi muito bom, e esta parte final é a parte melhor. Têm que pensar que os nervos são do treinador, para pôr em prática as ideias do treinador têm que ser inteligentes , se o formos, poderemos ganhar os jogos. No próximo domingo têm que jogar desinibidos, as despesas do jogo terão que ser do Varzim. “ José Miguel (treinador adj. do Imortal): “O empate talvez fosse o resultado que espelha o que se passou durante o jogo, já não estávamos à espera da derrota. Enquanto matematicamente for possível vamos acreditar na manutenção. Com esta atitude e com esta dignidade que os jogadores demonstraram hoje, só prova que estamos “vivos” e vamos continuar a lutar .”

“Jogo Falado” ou outra coisa (...) Opinião de Williams James Marinho

Em jeito de conversa, vamos a partir de hoje, começar a “falar” através da escrita - pontos essenciais no que concerte ao futebol, saídos do escape poluente do “Jogo Falado” da RTP. Muitos são os motivos, que conglomeram esta poderosa indústria, com um senão de ter muitos aprendizes de feiticeiro - como soí dizer-se. Aparentemente todos são mestres. Para se fazer um debate, nem que seja a falar de feijões, os intervenientes têm de ter conhecimento que estes são formados dentro de uma ervilha. Se o programa, foi criado para fomentar o futebol, FORMANDO MOLDANDO E INFORMANDO, porque razão, todas as segundas-feiras, se assiste a um autêntico lavar de “roupa suja” sendo as arbitragens pregadas na cruz, recebendo golpes dos pés à cabeça por uma figura do elenco, sendo o moderador muitas vezes impotente em cortar a palavra (tal é o seu entusiasmo) falando com a ajuda do seu cartapácio, sempre em cima da mesa. Aqui, é que a “porca torce o rabo”! Se, este dito cujo, está presente para defender as sua cores, será de repudiar quando se pede a sua opinião para falar

de temas que abrangem outros clubes! Num País de direito e democrático, todos têm a equidade de enunciar o que lhes vai na alma, mas, com censo, moderação e isenção de fanatismo. Nem sempre, o que, da sua boca sai, é do agrado dos

Como se trata de jogo falado, seria correcto falar do próprio futebol e, não só! Normalmente quem é mestre neste desporto fala cinco a dez minutos num programa de duas horas! Isto, faz lembrar os antigos lavadouros, onde as

simpatizantes, onde este escriba está inserido e, que podem rondar alguns milhões por todo o Universo.

mulheres, quando esgotavam o veneno em dizer mal dos outros- começavam a infamar-se a si e, as próprias famílias.

Sempre a “bater no ceguinho”falam sempre nas arbitragens Salvo o erro, um dos bons comentadores já foi juiz de direito. Lanço o mote. -São ou não são, os homens do apito juízes de campo? Se o juiz do tribunal aparentemente pode errar, (a justiça não pode ser uma matemática exacta), como se poderá colocar os árbitros no sentido adverso! Botar figura numa “Public Station”, podendo sugestionar mentes pouco esclarecidas no desporto - rei não é salutar. O homem, agora vestido de amarelo e preto, (mesmo errando) merece de todos nós o máximo respeito. Sem eles, não há futebol. Se, os restantes 22 elementos respeitarem as regras e se, quando entram em campo deixassem o sua agressividade fora do rectângulo, os cartões amarelos e vermelhos eram inexistentes. O querer encobrir aos sócios os fracassos de uma má gestão financeira ou defendendo a sua posição no emprego no que concerne ao treinador, leva na maioria dos casos a arrevessarem aos árbitros as culpas do seu insucesso. Fazemos votos e trabalhamos para que o FUTEBOL entre na liça do Prémio Nobel. No próximo número, cá estaremos.


36

DESPORTO

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

INTERFREGUESIAS

Jogos Inter-freguesias 2001

Começaram os torneios de “Damas” e “Dominó” No passado Sábado dia 7 de Abril, no Salão dos Bombeiros Voluntários de Moreira, teve início o torneio de Damas e o de Dominó, modalidades inseridas nos Jogos Inter-freguesias que a Câmara Municipal da Maia leva a efeito até ao próximo 10 de Julho. Texto: Manuela Sá Bacelar; Fotos: Júlio Ornelas

Conforme tem sido noticiado no MAIA HOJE, desde o dia 13 de Janeiro, que decorre no nosso Concelho os “Jogos Inter-freguesias”, e compostos por 10 torneios, levando à competição cerca de 1.400 atletas jovens e menos jovens, numa organização do Pelouro do Desporto da Câmara Municipal da Maia e coordenada pelo Professor Francisco Barbosa. O Torneio de “Damas e Dominó”, teve como palco o Salão dos Bombeiros Voluntários de Moreira, e nele estavam instaladas cerca de 20 mesas repletas de “fervorosos” adeptos da modalidade, que pertenciam às duas “poules” femininas e quatro masculinas, escaladas por idades, que compõe o torneio. Segundo Francisco Barbosa, “este tipo de eventos, pretende cativar as pessoas para a práctica desportiva nos seus tempos livres e de algum modo organizar as modalidades no Concelho”.

Restantes modalidades já têm apurados. No futebol de cinco masculino e no Snooker, já foram encontrados os apurados para a fase seguinte. No Futebol masculino, a freguesia mais representada é a de Águas Santas com quatro equipas (Mocidade S. Gemil; E.S. Águas Santas; Mocidade Team; Unidos ao Café Petitas), seguindo-se as Freguesias de Moreira (Corpo Nacional de Escutas A; C.N.E. B; Café Esplanada) e Vermoim com três equipas (Juventude de Futsal Clube; M.I.Lda.; Clube Amigos do Futebol Vermoim), Pedrouços com duas (Capri-Tinoco cabeleireiros; Café Saneti) e com uma, Silva Escura (Silva Escura), Gemunde (Taco Bar), Gueifães (os Vigários), São Pedro de Fins (Juventude Social Democrata da Maia). No Snooker os apurados são Michael Azevedo, Ricardo Monteiro, Pedro Taxa, Casimiro Vales, Hugo Freitas e Jorge Mateus, faltando apurar ainda seis candidatos.

I Torneio de Atletismo de Pavilhão

Maia Jovem - VIII Taça Internacional de Ténis

Escola de Gueifães conquistou os melhores resultados

150 tenistas competiram na Maia

A EB 2-3 da Vila do Castelo da Maia foi o palco da realização do “1º Torneio de Atletismo de Pavilhão”, que decorreu no passado dia 24 de Março, onde a escola de Gueifães dominou quase por completo as jornadas. António Armindo Soares

Com organização do ISMAI, Centro de Formação de Atletismo e Câmara Municipal da Maia - através da Divisão do Fomento do Desporto-, o 1º Torneio de Atletismo de Pavilhão, teve a participação de quatro escolas do nosso concelho e dois clubes, F.C.do Porto e o Centro de Treinos de Atletismo de Ribeirão. Para o conhecido atleta José Regalo, esta iniciativa “é um importante instrumento para cativar os jovens para a prática desportiva, em particular o atletismo. Pelo que vimos aqui neste encontro, notamos que há, de facto, jovens que deixam boas perspectivas para o futuro. Sentimos que mais iniciativas do género são necessárias e

extremamente importantes para que mais jovens venham até nós”. Bragança Fernandes, vereador do Desporto da Câmara Municipal da Maia, disse ao MAIA HOJE que “acarinhou” este evento desde o início, “até porque se trata de preparar gente para o futuro, porque é nestas idades que é importante dar uma maior atenção aos jovens que se estão a preparar para a prática desportiva e serem os nossos futuros atletas. Por isso vamos continuar a dar uma grande importância à formação, e para que mais torneios deste tipo sejam sempre uma constante, para tornar aliciante e “desafiar” os mais pequenitos para a prática desportiva”.

Texto: Miguel Ângelo Machado; Foto: António Armindo Soares

Pelo oitavo ano consecutivo, o Complexo Municipal de Ténis da Maia foi palco da Taça Internacional Maia Jovem, competição reservada a jovens jogadores até aos 14 anos de idade. A competição decorreu na primeira semana de Abril e registou 150 inscrições de atletas oriundos de 20 países. Organizada pela Divisão de Fomento Desportivo da Câmara Municipal da Maia e pela Escola de Ténis da Maia, a prova deste ano contou com uma importante novidade, a confirmação no conjunto de torneios pontuáveis para o Circuito Juvenil da Associação Europeia de

Ténis (ETA). Jovens de países tão díspares como Rússia, Irlanda, Bélgica, Grã Bretanha, Portugal, Liechtenstein, Letónia, Espanha, entre outros, competiram, entre si, com o intuito de vencer uma prova, que o espanhol Juan Carlos Ferrero, hoje um importante nome do ténis mundial, venceu na primeira edição, corria o ano de 1993. Este ano o russo Vadim Ivanov e a húngara Agnes Szavay foram os grandes campeões da prova não dando qualquer hipótese aos seus adversários directos.


37

DESPORTO

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

ANDEBOL

XVI Clinic Internacional

Três dias a falar de andebol

A Associação de Andebol do Porto (AAP) realizou nos passados dias 23, 24 e 25 de Março o XVI Clinic de Andebol no Fórum da Maia. Com um programa repleto de sessões teóricas e práticas, foi ainda convidado pela organização o treinador da Selecção da Jugoslávia, Branislav Pokrajak, que deliciou os presentes com as mais modernas noções da modalidade.

Miguel Ângelo Machado

Em Portugal, o andebol constitui a modalidade mais popular, em número de praticantes, logo a seguir ao futebol. Também é sabido que os recentes êxitos da Selecção Nacional, mais concretamente no último Campeonato do Mundo onde os atletas lusos arrecadaram o oitavo posto da classificação final, lançam Portugal, cada vez mais, na alta roda do Andebol Mundial. Conscientes disto, os responsáveis da AAP levaram a efeito, e como vem sendo habitual nos últimos anos, mais um “Clinic” com o propósito de «engrandecer e enriquecer a modalidade», palavras do presidente da AAP, Norberto Carvalho, proferidas na sessão de encerramento desta iniciativa. Recorde de participantes António Torres, director técnico da AAP, e um dos principais responsáveis pela organização do XVI Clinic Internacional, fez ao “Maia Hoje” um «balanço positivo» destes três dias dedicados ao Andebol. «É de enaltecer, em primeiro lugar, o recorde de participantes. O ano passado tivemos cerca de 150, este ano tivemos cá cerca de 200

pessoas», acréscimo este, que o responsável justifica com o alargamento do âmbito de acção da iniciativa em questão, abrangendo nesta edição técnicos, dirigentes, árbitros e atletas. «Este ano, o “Clinic” teve também duas componentes inovadoras que foram as sessões práticas, dadas no pavilhão e conferências específicas e plenárias. Isto é, os dirigentes tiveram sessões só para eles, os técnicos também e assim sucessivamente. Nas sessões plenárias, todos os participantes eram englobados, procurando, desta forma, atravessar horizontalmente todos os intervenientes no fenómeno do andebol, porque entendemos que, cada vez mais, a interpenetração entre essas várias componentes é importante para o desenvolvimento da modalidade», explicou António Torres. A participação de Branislav Pokrajak, seleccionador da Jugoslávia e docente na Universidade de Belgrado, em sessões teóricas e práticas neste “Clinic”, foi «importante para o brilhantismo desta iniciativa, para além de ter conseguido encantar-

nos durante estes três dias», afirmou Norberto Carvalho. Da mesma opinião partilhou António Torres: «Branislav Pokrajk tem um currículo invejável e é oriundo de uma das melhores escolas de andebol do Mundo, a jugoslava, onde aliás, com muito sucesso, fomos “beber” muitas teorias e noções. Para além de ser docente universitário é, tão somente, o terceiro classificado do Campeonato do Mundo de França. Ficamos extremamente agradados com a sua presença». Não sendo a primeira vez que esta iniciativa realiza-se na Maia, ficou, ainda a ideia no ar que para o ano, o Fórum venha a receber o XVII Clinic. O convite foi feito pelo vereador do Desporto da CM da Maia, Bragança Fernandes na sessão de encerramento. A António Torres agrada-lhe a ideia, na medida em que «existem as melhores relações institucionais e mesmo, de amizade entre a AAP com as pessoas do Pelouro do Desporto e da autarquia. Para além disso a Maia dispõe de óptimas instalações que garantem, logo à partida, o sucesso de um evento deste género», finalizou.

António Torres, director técnico da AAP


38

DESPORTO

Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

MOTORES

F3 Auto Sport

4º lugar no Rally do F.C.Porto A F3 Auto Sport, equipa habituada as competições automobilísticas Portuguesas, não podia ficar de fora da excelente iniciativa da Fiat Auto, de criar um Troféu, com o emblemático Punto. Para isso convidou Jorge Ferreira para “defender as suas cores” na competição. Embora satisfeitos com o resultado (4º lugar), a subida ao pódio, ainda não foi possível devido à pouca quilometragem do piloto neste veiculo. Artur Bacelar

Jorge Ferreira é desde há muito o piloto da casa que mais gosta de Ralis e, logo que esta iniciativa da marca transalpina foi conhecida foi dos primeiros a manifestar o seu interesse nesta participação. Antes da prova, em declarações prestadas dizia pensar estar “perante um excelente numero de pilotos, que mesmo sendo jovens, já manifestaram o seu valor o que se vai traduzir seguramente num Troféu extremamente competitivo prova a prova”, afirmou o piloto maiato, continuando “para esta prova o factor desconhecimento do carro vai contar para todos. O facto de no ano passado ter feito uma época pouca activa, ao contrário dos meus principais adversários, que vem de um campeonato extremamente competitivo. Os pisos de terra não são os da minha eleição, no entanto, não deixarei de lutar pelo melhor lugar possível, que é vencer”. A equipa F3auto vai alinhar nesta prova com Miguel Soares como navegador, para no resto da época ser Joaquim Duarte a “ditar” notas a Jorge Ferreira. Para esta jornada, Jorge Ferreira lamentou o facto dos carros do Troféu partirem muitos separados entre si o que pode dar condições diferentes a pilotos diferentes, como é o seu caso com o número demasiado elevado que lhe foi atribuído pela organização. A finalizar dizia “como é timbre da F3Auto, o objectivo é sempre lutar pelas melhores posições. Para isso será necessário começar bem e a equipa tudo fez nesse sentido”.

No final da prova que marcou o inicio do Troféu Punto HGT, onde a F3 Auto marcou presença nesta iniciativa da Fiat Auto Portuguesa com Jorge Ferreira e Miguel Soares a alcançarem a 4º posição, o piloto da Maia, dizia que “a prova correu abaixo das expectativas iniciais, entrei com demasiadas cautelas nas primeiras especiais, pelo desconhecimento que tenho do carro”, disse o piloto para explicar o seu andamento nas especiais de abertura da prova. Nas segundas passagens pelas primeiras especiais o piloto maiato justificou as suas declarações ao fazer tempos muito mais rápidos. Quando tudo apontava para uma tentativa de recuperação na 3ª Secção a equipa foi surpreendida por um apoio do motor partido o que obrigou a uma penalização á saída do parque de assistência em Fafe. Este problema obrigaria ainda a uma mudança de estratégia para o resto da prova, “a partir daqui vamos só rodar, para aprendermos o carro e ganharmos ritmo competitivo”, disse o piloto á saída do parque de assistência, onde até mesmo esta estratégia ficou comprometida, um amortecedor partido (posterior esquerdo) a isso obrigou. Com o desenrolar da prova mais um amortecedor cedeu, o que mesmo assim não desmotivou a equipa. No final uma modesta posição na geral não corresponde á classificação no Troféu, “os problemas que tivemos não nos permitiram fazer melhor, estamos no

Jorge Ferreira em plena prova dos “Dragões”

entanto muito satisfeitos, pois para alem do quarto lugar no Troféu conseguimos fazer muitos quilómetros no carro e ganhar ritmo competitivo, coisa que os nossos adversários evidenciam dado o competitivo campeonato onde participaram”, disse a terminar o piloto maiato. Um resultado positivo, num Troféu que promete muita

competitividade, num Fiat Punto que se mostrou bastante performante. A vitória, acabaria por sorrir ao piloto convidado da Fiat Auto, Joaquim Santos, que assim regressou aos seus melhores tempos. Os carros da marca transalpina, confirmaram as excelentes perspectivas em termos de performance que já lhe são reconhecidas.

Sitecel/Siemens Sport

Muita lama e confusão A contar para o Campeonato Nacional de Trial, realizou-se no passado dia 25 de Março, em terras de Póvoa de Lanhoso, a terceira prova da referida competição. A Equipa Sitecel/Siemens Sport, esteve bem e voltou ao primeiro lugar do pódio através de Elizabete Gonçalves (Bety). Artur Bacelar

O mau tempo que tem assolado a Região Norte nas últimas semanas tornou a prova quase impraticável. As zonas onde predominava a terra, rapidamente se transformaram em lamaçais, o que dificultava a progressão dos pilotos. Mesmo as pedras estavam de tal forma escorregadias, que provocaram algumas quedas. Os fiscais à prova, na nossa opinião, tentaram “compensar” as condições adversas sendo demasiado benevolentes na atribuição das pontuações e pouco rigorosos no controlo do tempo limite para a realização de cada zona. Assim sendo, gerouse um ambiente confuso em torno de toda a prova. Na sequência de todos estes factores, muitos pilotos

excederam o tempo regulamentar da prova, tendo as classificações finais sido acrescidas de muitas penalizações, o que acabou por determinar os primeiros lugares, principalmente na Classe de Senhoras. O destaque da prova, foi como é obvio para a prestação de Elizabete Gonçalves, da equipa Sitecel/Siemens, que apesar das condições atmosféricas adversas, pela primeira vez subiu ao lugar mais alto do pódio. A classificação geral final foi a seguinte: 1º lugar Elisabete Gonçalves - Sitecel/Siemens Sport; 2º lugar para Gisela Costa da FNM-Escola e os 3º e 4ºs lugares foram atribuidos, respectivamente a Fátima Silva e Susana Simões da equipa maiata da Sitecel/Siemens Sport.

Fátima Silva, ultrapassando mais um dos obstáculos da prova


Sexta-Feira, 13 de Abril de 2001

TEST DRIVE

39

Rover 75 - 2.0 CDT

Um verdadeiro “Gentleman” Após a aquisição da Rover pela BMW em 1994, a marca britânica não perdeu o seu ar “Very British” e lançou a partir do Verão de 1999, uma nova linha de automóveis baseada no 75 (o seu topo de gama), que apresenta umas linhas modernas e ao mesmo tempo “retro”, bem ao agrado do público europeu. Não podemos deixar de encontrar algumas semelhanças, nomeadamente na traseira, com carros “inacessíveis” para a maioria das bolsas, como o Rolls Royce. Os “irmãos à escala” são o pequeno 25 (desde 3.000 contos)e o médio 45 (desde 3.400 contos). Artur Bacelar

“Your Magesty..... the Rover”, terá sido assim que os técnicos da marca britânica terão apresentado este automóvel à Rainha? Talvez! Porque na realeza, habituados que estão a luxos e conforto, proporcionado, por supermarcas como as Rolls Royce, Aston Martin e Jaguar, ao ver este novo veiculo, terão confundido este modelo com o seu carro habitual. Ao vermos e conduzirmos este automóvel, interrogamo-nos porque é que ainda muita gente compra carros de origem alemã? Este automóvel proporciona uma imagem de classe, conferindo ao seu condutor um ar de verdadeiro “Gentleman” ao estilo britânico. Três níveis de equipamento são propostos para este veiculo - Classic, Connoisseur e Club, bem como quatro motorizações, três a gasolina (1.8; 2.0 V6; 2.5 V6) e uma Diesel (a ensaiada e mais do agrado do público português). Motorização, Performance e Consumo Na versão ensaiada, o “75” vem equipado com um motor Turbo-Diesel, de tecnologia “Common-Rail” e 1950 cc de cilindrada, capaz de debitar 116 cavalos às 4000 rotações. A velocidade máxima situa-se nos 193 Km/h e os consumos anunciados vão desde os 4,8 litros (estrada), aos 8,4 em cidade, sendo o circuito misto feito com 6,1 litros aos 100. A Segurança A segurança é um dos capítulos que mereceram a melhor atenção por parte da marca neste veiculo. Assim trás de série a coluna de direcção deformável; airbags de condutor e passageiro; airbags nos bancos dianteiros; barras de protecção laterais, ABS (sistema anti-bloqueio de travões), EBD (distribuição electrónica da pressão da travagem, ETC (controlo eléctrico da tracção), entre outros. Equipamento de Série Alarme volumétrico; ar condicionado com controlo automático da temperatura independente passageiro/condutor; bancos aquecidos; espelhos de cortesia iluminados; porta copos à frente e trás; jantes em liga leve; apoio de braços traseiro e dianteiro; ajuste do volante em altura e profundidade; ajuste eléctrico dos bancos; sistema de som com 6 altifalantes; computador de bordo e controles áudio no volante, entre outros. Opcionais A versão ensaiada mostrou-se muito bem

equipada, com alguns extras que se mostraram muito úteis, falamos dos estofos em pele; da cortina eléctrica do óculo traseiro; sensor de alarme volumétrico; memória da posição do banco do condutor; permutador automático de cd’s; sistema auxiliar de parqueamento (bip’s)e espelho rectrovisor fotocromático. Ainda disponíveis encontram-se o tecto de abrir eléctrico; dispositivo lava-faróis com esguichos aquecidos; sistema de navegação; sistema de televisão; telefone integrado; sensor de chuva, entre outros. Os Preços Dos 6.390 aos 11.000 contos. A versão “Classic”, apenas está disponível de série com a motorização de 1.8 litros (6.390 contos), estando as restantes motorizações disponíveis sob encomenda. A versão “Club”, têm disponível de série a motorização Diesel (7.200 contos) e as restantes só por encomenda sendo os preços para a 1.8 gasolina de 6.700 contos, 2.0 de 9.000 contos e a 2.5 de 11.000 contos. A “Connoisseur”, tem de série as versões 2.0 e 2.5 disponíveis e a 1.8 e 2.0

Diesel (7.800 contos) por encomenda. No mercado Português, a versão mais apetecível, devido à fiscalidade, será sem dúvida a 2.0 Diesel (versão ensaiada) e disponível no concessionário. Em Conclusão Trata-se de um automóvel, cheio de carisma e que segundo fontes do concessionário da Maia (Maiauto), já vendeu mais de meia centena de exemplares, o que atesta o seu agrado público. O conforto a bordo é excelente, fácil de conduzir e apenas proporcionado por alguns carros da sua categoria. Adoramos as aplicações de madeira que a Rover considera “um dos materiais mais avançados que o homem conhece”, bem como o ar “retro” dos mostradores e a sua iluminação avermelhada. A bordo, apesar da motorização Diesel, reina o silêncio. Cheio de requinte é um carro a ter em conta na altura da aquisição de um veiculo com estas características. Para verdadeiros conhecedores.


JUNTA DE

EG FR

S. P.

SO

U

IO AV

N FI S.P.

JUNTA DE

EG FR

SILVA

C ES

ES IA

E

ES IA

U

S O

U

ES IA

UÇ O PEDR

SO

EG FR E JUNTA D

U

ES IA

O

I AV ª STª M

Ó

S

G RE F JUNTA DE

R

G RE F JUNTA DE

V. NOVA

LH A

ES IA

EI MILH

U

A

U

U

ES IA

ES IA

U

EG FR E JUNTA D

G RE F JUNTA DE

TE

ES IA

ES IA

U N OG

GE

D N U M

U

A

U

EI

R

EG FR E JUNTA D

EG FR E JUNTA D

G RE F JUNTA DE

V

M

IA

ES IA

MA

RA

EG FR E JUNTA D

A grande festa dos cristãos, ponto central da sua vida e da vida da Igreja, não pela memória de um acontecimento grande da história de um povo, mas porque Cristo ressuscitado é o fundamento firme da sua fé, o estímulo permanente da sua esperança, a fonte inesgotável e diária da sua caridade, o impulso irresistível do seu ardor missionário e apostólico. ES IA

U

ES IA

ÃE F I GUE

Páscoa

U

S

G RE F JUNTA DE

OS G L FO

U

U

ES IA

O VILA DE M

S

JUNTA DE

EG FR

CA R A B

G RE F JUNTA DE

ES IA

TA S

U

R EI RA

ES IA

N SA S ÁGUA

EG FR E JUNTA D

U

ES IA

U

EG FR E JUNTA D

O ER M

I

As Juntas de Freguesia do concelho da Maia desejam a todos:

UMA SANTA E FELIZ PÁSCOA


29  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you