Page 1

pub

25 SET - 08 OUT 2009

Ano X | Nº 236 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar press@maiahoje.pt

Porte

0.50 =C

Pago

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

IVA incluído

\\ Segurança

PUB

Nova centralidade policial para cerca de 50.000 habitantes

Criada a divisão da PSP da Maia com cerca de 80 agentes Engloba as Esquadras da Maia, Águas Santas, Valongo e Ermesinde. Câmara da Edilidade investiu cerca Maia não desiste de nova Esquadra para as Vilas de Moreira e Nova da Telha. de 150.000 euros. \\ investimento

investimento Sonae faz 50 anos e inaugura mega parque de distribuição

P.04

\\ polícia

Cooperativa Agrícola remodelou instalações

Tentativa de homicidio a inspector da PJ “vale” 32 crimes

Melhores condições, eficácia e modernidade ditaram o investimento de cerca de 600.000 euros nas obras P.17 efectuadas.

Ministério público imputa 32 crimes ao “Gangue de Valbom” que em Vermoim tentou matar inspector da PJ à porta de casa P.04

\\ política

\\ cultura

Depois das legislativas, autárquicas marcam a agenda Até nas páginas dos jornais locais se sente as eleições autárquicas que se avizinham. No Maiahoje tentamos acompanhar o “ritmo frenético” destes dias. P.06 a 12

15 anos a fazer rir. Festival Internacional deTeatro Cómico arranca a 2 de Outubro Este ano são esperadas 11 companhias nacionais e 12 estrangeiras e estão programados 22 espectáculos teatrais e 8 animações de rua, envolvendo um total de 150 profissionais das várias áreas do P.02 teatro

pub

«estamos aa preparar preparar «estamos os próximos próximos 50 50 anos» anos» os P.32

%

pub


02

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Página 2 editorial \\ artur bace|ar director

CULTURA

maiahoje

Esperados 12.000 espectadores

15º FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO CÓMICO DA MAIA De 2 a 10 de Outubro a Maia espera vir a receber mais de 12.000 espectadores oriundos de vários pontos do País e Estrangeiro, tornando este evento como um dos mais populares e com mais público em Portugal.

Caiu a máscara! Se ainda restassem dúvidas estas desfizeram-se. Francisco Louçã, tem, segundo as suas palavras, 30.000 euros em Plano Poupança Reforma (PPR) que constituem «uma poupança de toda uma vida». Ora, Francisco Louçã não é “velho” e “sabe que nós sabemos que ele sabe” que existem pessoas na miséria e que não têm poupanças de vida, nem casa, nem carro e muito menos, com a sua idade, conseguem poupar 30.000 euros e mais acreditam nas suas palavras! Para um Comunista é obra ter-se adaptado tão bem à tal sociedade capitalista que ele detesta. Bravo! Para um bom Comunista é simples, o Sr. Louçã têm pelo menos 30.000 euros a mais, a somar à bonita reforma que irá receber quando chegar à idade dela que no mínimo será de 3.000 euros mensais. Pelos vistos não chega e se receber mais uns dinheiritos do PPR, melhor. Não encontraria uma melhor definição de um perfeito cidadão integrado na sociedade capitalista. Mas não fica por aqui! Pelos vistos outros “camaradas” como Fernando Rosas, Miguel Portas e João Semedo também investiram. Mas ainda mais! As famosas Ana Drago e Joana Amaral Dias compraram acções em privatizações da PT e da EDP! Afinal em que ficamos? São ou não contra o capitalismo, e as privatizações? Que raio de Comunismo (desculpem-me porque se calhar preferem chamar-lhe sociedade socialista) é que apregoam? Será mais um caso de políticos que dizem “olha para o que digo e não para o que eu faço”? Parece-me que as palavras são muito bonitas, mas sentir verdadeiramente as dificuldades da população não é o forte deste partido. Sou ainda do tempo em que discutíamos e sentíamos as filosofias políticas, com honra e seriedade. Fiquei decepcionado. Atitudes como esta reforçam a bipolarização partidária. Razão poderá agora ter Sócrates e Ferreira Leite: O povo já lhes conhece as virtudes e defeitos, agora há que optar. No próximo domingo há eleições legislativas mas nem parece dada a importância que se está a dar às autárquicas. O factor proximidade ainda move multidões.

Este ano são esperadas 11 companhias nacionais e 12 estrangeiras e estão programados 22 espectáculos teatrais e 8 animações de rua, envolvendo um total de 150 profissionais das várias áreas do teatro. Este festival tem vindo ao longo destas quinze edições a apresentar fundamentalmente um humor com grande talento englobando diversos géneros cénicos com bastante qualidade. Entre companhias de renome ou entre novos projectos teatrais e mesmo de estreia neste espectáculo, contam-se pela 1ª vez esta ano , os catalãs da Companhia Jordi Bertran, internacionalmente conhecidos pelas suas marionetas; os galegos da PT Excêntricas com uma feliz e nostálgica peça ; Manecas Costa , o músico de Guiné-Bissau; o comediante galego Carlos Blanco com uma apresentação teatro-musical; os andaluzes do PEZ EN RAYA, entre outros de não menos relevo como os Castelhanos LA PECERA TEATRO; A BELA DUPLA luso-brasileira; Os Ingleses HELEN AINSWORTH & JOHN MOWAT ou ainda o

Jorge Costa jorge@maiahoje.pt

argentino SEBASTIÁN DE GUZ. Das companhias Portuguesas, o destaque vai para a BARRACA, de Maria do Céu Guerra, a COMPANHIA

DO CHAPITÔ; o já conhecido nestas andanças ÓSCAR BRANCO e depois do êxito do ano passado HUGO SOUSA, JOÃO SEABRA E MIGUEL 7

\\

ESTACAS. Será certamente um espectáculo cénico a não se perder!

OBJECTIVA

“Desabafo” junto aos correios da Maia frente ao Estádio Vieira de Carvalho pub

JORNALISTAS ESTÁGIÁRIOS (M/F) O Jornal MaiaHoje procura para colaborar com a redacção Jornalistas Estagiários. Damos preferência a jovens que vivam no Concelho da Maia Contactar para: 22 947 62 64 ou artur@maiahoje.pt


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

mh jornal regional de grande informação

PROPRIEDADE DE:

MAIAPRESS Editores, Lda. REGISTADA NA CONS. REG. COM. PORTO nº 1313 CONTRIBUINTE NÚMERO 504 786 954 SÓCIOS: Maria Manuela Areosa de Oliveira e Sá Bacelar, Artur José Machado Bacelar Artur Domingos Loureiro Bacelar

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar, TPJ 6262 artur@maiahoje.pt REDACÇÃO: Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Cátia Fernandes estagio@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CR327 francisco@maiahoje.pt COLABORADORES REDACTORES: António Armindo Soares, TPJ CR 446 soares@maiahoje.pt Joana Pinto Manuela Bacelar, TPJ CR 451 Miguel Ângelo Machado Rita Santos

Grande Maia

03

POLÍCIA Inaugurada a Divisão da Maia (Maia, Águas Santas, Ermesinde e Valongo)

Nova centralidade policial para cerca de 50.000 habitantes \\ Uma nova divisão que engloba quatro esquadras e um efectivo de 80 agentes estão agora ao serviço, podendo ser reforçada em minutos por forte efectivo especializado «mesmo com meios aéreos», disse o Secretário de Estado José Magalhães. Na tarde do passado sábado, 12 de Setembro, foi inaugurada a esquadra da PSP de Águas Santas que alberga a Divisão da Maia daquela força policial. A Divisão agora inaugurada faz parte da reestruturação levada a cabo pelo Ministério da Administração Interna (MAI) servindo ainda de “Sede” às esquadras da Maia, Ermesinde e Valongo, cobrindo uma área populacional estimada em 50.000 habitantes. Na cerimónia, a que contrariamente ao anunciado pela autarquia não esteve presente o Ministro da Administração Interna, mas sim

José Magalhães, Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, estiveram presentes altas individualidades maiatas como Bragança Fernandes, presidente da Câmara; Luciano Gomes, presidente da Assembleia Municipal; os vereadores Paulo Ramalho e Nogueira dos Santos, bem como muitas chefias da PSP. Nesta nova “casa” que custou cerca de 150.000 euros em obras de remodelação à autarquia e uma quantia não identificada ao MAI em equipamentos, estarão ao serviço cerca de 80 efectivos sendo que, segundo as palavras de José Maga-

lhães «em minutos, caso se justifique, estará aqui um efectivo policial especializado para fazer face a qualquer situação, mesmo com meios aéreos», tudo isto, justifica, «graças ao novo sistema que está a ser implantado». O Secretário de Estado referiu que «esta nova esquadra insere-se nas políticas de policiamento de proximidade que têm sido seguidas em estreita cooperação com as autarquias locais». Por seu lado, Bragança Fernandes, agradeceu o investimento governamental, mas apontou a falta da esquadra da Vila de Moreira como uma nova priori-

dade até porque «as instalações já se estão a degradar e seria muito importante a sua implantação para cobrir uma área que tem um aeroporto internacional, vasta zona industrial e duas freguesias populosas como Moreira e Vila Nova da Telha», disse o autarca. A nova Divisão é comandada pelo sub-intendente José Manuel Dente Fernandes e a Esquadra de Águas Santas é agora chefiada pelo sub-comissário Paulo Varandas que substitui Pedro Rocha nas suas funções. Manuel Jorge Costa

COLABORADORES FOTOGRAFIA: António Caldeira, TPJ CR 447(motos) Bruno Ferreira da Silva Edgar Alves, TPJ CR 448 (automóvel) Eduardo Jorge Abreu, TPJ CR 449 Manuel Jorge Costa, TPJ CR 450 Maxim Bukharov, TPJ CR 452 Raúl Silva CORRESPONDENTES: João Diogo (corresp. Brasil) Williams James Marinho (corresp. EUA)

Ainhoa Carrasco Robles (cor.Espanha) CRONISTAS HABITUAIS: Deco (Defesa do Consumidor) Dipe (poesia popular) Fordoc (A.N.J.Formadores e Docentes) Leonel Duarte (medicinas alternativas) Luís Clemente Ribeiro (contos) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Pedro Resende (cronista) Rogério Gonçalves DESIGN / PAGINAÇÃO: Maxim Bukharov maxim@maiahoje.pt DEPARTAMENTO COMERCIAL: Manuela Sá Bacelar (Directora) manuela@maiahoje.pt SEDE / REDACÇÃO / D.COMERCIAL Rua dos Altos, Edifício Arcada, 12 4470 - 235 Maia Telefone 22 947 62 62 Fax. 22 947 62 63 Depósito legal 147209/00 DGCS nºo 123524 Tiragem 3.000 exemplares IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga

Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados.

MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007

pub

TECNICO(A) de MANUTENÇÃO Função: Manutenção e Reparação de equipamentos Perfil dos candidatos: Bons conhecimentos nas áreas de mecânica, electricidade, soldadura e serralharia. Dinâmico e pro-activo Carta de condução Disponibilidade imediata Disponibilidade de horário Capacidade de trabalho em equipa

PRÉGAIA-PREFABRICADOS, LDA. Rua das Cardosas - S. Pedro Fins Apartado 4047 - 4471-906 Maia Tel.: 227343121; Fax: 227346361


04

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Grande Maia

EMPRESAS

maiahoje

Sonae faz 50 anos e inaugura novo Parque Logístico da Maia

«Estamos a preparar os próximos 50 anos», garantiu Belmiro de Azevedo \\ Na passada sexta-feira, 18 de Setembro, o grupo empresarial Sonae sedeado na Maia inaugurou o seu novo Parque Logístico inserido no Parque de Negócios de Empresas Sonae na Maia. Considerado como um «projecto exemplar do concelho e do país» pelo presidente da Câmara Municipal da Maia, em termos de sustentabilidade e eco-eficiência de edifícios, é composto por áreas para escritórios e serviços, indústria e logística de retalho, ocupando uma área total de terreno de 326.000 m2 com área de construção acima do solo de 193.000m2 dos quais 126.000m2 estão já construídos. Nos espaços dedicados à logística, os armazéns ocupam cerca de 42% da área total de construção do Parque de Negócios, existindo cerca de 68.000m2 de área de armazenagem nova ou renovada destinada a produtos alimentares e não alimentares em temperatura ambiente, frio positivo (+5ºC) e frio negativo (-25ºC). Edifícios eco-eficientes A título de exemplo de grandeza diga-se que a cobertura de um dos armazéns foi aproveitada para criar uma grande área verde de lazer do tamanho de «quase dois campos de futebol», possuindo ainda no subsolo, um parque de estacionamento com cerca de 1600 lugares. Mas tudo foi pensado ao pormenor e nas novas tecnologias como o demonstra a eco-eficiência do edifício de logística, ao jeito de “código de barras” que regula a entrada de luz natural de forma a minimizar o consumo de electricidade. O novo edifício de escritórios do negócio de Retalho, composto por seis pisos e duas caves, apresenta um conjunto de características que o tornam singular estando interli-

AQUISIÇÃO

gado a um dos entrepostos do complexo logístico, sendo um elemento fulcral de todo o Centro de Distribuição. Emprego a 1.800 pessoas O investimento ascende a 86 milhões de euros, dos quais 68 milhões são referentes ao novo Parque Logístico e escritórios do negócio de Retalho. Trabalham agora naquelas instalações cerca de 1.800 pessoas. Apoio a Bragança Fernandes Ao som ambiente, não propositado mas curioso, de um cover do tema “Like a Virgin” de Madonna, Belmiro de Azevedo, presidente da Sonae proferiu as primeiras palavras para elogiar a Câmara Municipal da Maia «um exemplo para as autarquias deste país» pelo trabalho e dedicação, endereçando os parabéns ao presidente Bragança Fernandes «que espero venha a continuar a obra», disse Belmiro de Azevedo que não esqueceu os «técnicos camarários que foram inexcedíveis».

Sonae «por, em 50 anos, ter transformado a terra em cidade e um município agrícola num dos mais industrializados do país». Centralização começou em 1992 Seguidamente o presidente da Sonae Distribuição, Luís Moutinho, no seu discurso, disse que «O novo parque logístico é o culminar de um projecto de logística centralizada, iniciado em 1992, que tem sido a nossa vantagem competitiva e diferenciadora, permitindo a rápida expansão e constituindo, actualmente, a maior operação de

logística de retalho do país». Belmiro de Azevedo, a fechar, num discurso mais alongado disse que «as infra-estruturas do Parque de Negócios das Empresas Sonae dedicadas à armazenagem e logística equivalem, de facto, a um novo paradigma em Portugal para este tipo de serviços, incorporando todos os princípios de sustentabilidade de referência internacional e que estão também na génese da Sonae, quer do ponto de vista ambiental, quer do ponto de vista social».

Governo não esteve presente Belmiro de Azevedo não deixou ainda de criticar o facto de não estar presente nenhum governante «os governantes deviam aplaudir este investimento privado. Há muita gente a falar e a não acrescentar nenhum», criticou. Terminou garantindo que «estamos a preparar os próximos 50 anos». Manuel Jorge Costa

«Sonae transformou a Maia» Seguidamente o edil maiato numa pequena cerimónia entregou a Belmiro de Azevedo a licença de utilização do Parque Logístico «para que não continuasse a operar num “limbo de legalidade”» Bragança Fernandes no seu discurso agradeceu os elogios e o inesperado apoio político e “distribuiu” os cumprimentos pelos serviços camarários em especial ao detentor do pelouro, o vice-presidente Silva Tiago, agradecendo à

Ecociclo II SA adquirida pela SPRED está localizada no Pólo de Negócios da Maia

Ecociclo II gera electricidade na Maia A SPRED, sociedade integralmente detida pela Sonae Capital, na semana passada comprou por sete milhões de euros a empresa “Ecociclo II” à “Ecociclo – Energia e Ambiente”, uma empresa que opera na área da gestão de resíduos (madeira, cartão, plástico e esferovite), da esfera da Sonae Indústria, anunciou a empresa em comunicado à Comissão do Mercado de Valores

Mobiliários (CMVM) no passado dia 16 Setembro. A Ecociclo II detém e explora na Maia, desde Junho passado uma Central de Co-geração de Energia em Ciclo Combinado com base em turbina a gás natural com 6,3MWh de capacidade instalada, vendendo ao abrigo da legislação em vigor energia para a rede pública, bem como vapor a outras empresas do

grupo instaladas no Pólo Maiato «Estima-se que, em ano cruzeiro, a produção de energia eléctrica, entregue ao Sistema Eléctrico Público, e de energia térmica seja, em ambos os casos, de cerca de 30.000 MWh», dizem, acrescentando sobre o negócio que «esta aquisição insere-se no âmbito da identificação das áreas de Energia e Ambiente como uma das vias de crescimento

do portfolio de negócios da Sonae Capital». A SPRED está vocacionada para aquilo que designa de “Negócios Maduros” que inclui os negócios com geração de cash flows estáveis; “Negócios Emergentes” como a detenção e gestão de negócios nas áreas das energias renováveis, eficiência energética e edifícios sustentáveis; “Participações Financei-

ras” com gestão de uma carteira de participações de cariz financeiro de que se destacam as participações no capital da Change Partners, da TP - Térmica Portuguesa e da Norscut – Concessionária de Auto-Estradas.

PUB

CARTÓRIO NOTARIAL

DE

MAIA

A cargo de Lic. Edgar Maia Santos

SERVIÇOS RÁPIDOS, EFICIENTES E DE QUALIDADE, TANTO NO ATENDIMENTO COMO NA REALIZAÇÃO DE ESCRITURAS, PROCURAÇÕES, RECONHECIMENTOS, TESTAMENTOS E DEMAIS ACTOS NOTARIAIS Sito na Praceta Artur Marques, n.º 37 • 4470-079 Maia • Tel. 22 943 16 70 • Fax 22 943 16 79


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

CASOS DE POLÍCIA

Grande Maia

05

Agressores de inspector da PJ incorrem em 32 crimes

Comerciante rouba 16.000 euros por alegadas «dificuldades financeiras» No passado dia 16 de Junho uma funcionária fardada dos CTT saía do Banco com 40.000 euros destinado à empresa quando um indivíduo, sem a ameaça de qualquer arma, a empurrou e arrancou-lhe o saco onde transportava aquela quantia. No entanto o assaltante foi trapalhão e caiu juntamente com a funcionária tendo o dinheiro ficado espalhado pelo chão à excepção de cerca de 16.000 euros que o ladrão aproveitou para levar na fuga. Já no passado dia 17 de Setembro, inspectores da Polícia Judiciária do Porto detiveram o suspeito, trata-se de um comerciante de automóveis, de 36 anos, sem cadastro que foi presente a Tribunal. O alegado assaltante terá justificado o roubo por dificuldades financeiras, sendo que o produto do furto já não foi encontrado dado que o comerciante o tinha gasto. Tendo em atenção a estes dados e ao facto de não ter cadastro o Tribunal entendeu não ser necessária a prisão preventiva, sendo libertado ao final da tarde, tendo que prestar caução de 6.000 euros ou fazer prova de que não possui aquele dinheiro o que será suficiente para se manter em liberdade.

ENSINO

Agressores de inspector da PJ incorrem em 32 crimes Como o MaiaHoje noticiou na altura, na madrugada de 16 de Abril, na Urbanização dos Altos, à porta de casa de um inspector da Polícia Judiciária, este foi vítima de tentativa “carjacking” ao volante de uma carrinha Audi A4 com os dois filhos no banco traseiro, ao qual se opôs tendo sofrido vários ferimentos e a mutilação de quatro dedos da mão direita. O carro utilizado pelos assaltantes seria um Nissan Primera que teria sido furtado. Tal crime, nomeadamente os disparos, terá sido perpetuado por Fábio Silva, conhecido por “O Gordo do Cerco” que foi reconhecido pelo inspector ao que não deixou de ameaçar que «pensa que por ser inspector não vai como os outros? Eu só levo 25 anos e, se for apanhado, podem ter a certeza que mato esse ...» O Ministério Público imputa agora 32 crimes a 20 alegados membros do “gangue de Valbom”, um grupo de assaltantes que ficou conhecido por esta tentativa de homicídio e de vários outros assaltos nomeadamente a ourivesarias «Tal grupo operou maioritariamente no Norte do país com a exclusiva finalidade de se apoderar de ouro e prata, de ourives e ou-

rivesarias, de telemóveis e acessórios, bem como de dinheiro. Apoderava-se de automóveis que usava nos crimes supracitados», sintetiza a acusação. A maioria dos 32 crimes terá sido praticada em co-autoria material e em concurso real, por 15 dos 22 arguidos, sendo que as acusações são de associação criminosa, homicídio tentado, roubo consumado ou tentado, sequestro, furto, ofensas à integridade física, tráfico de armas, detenção de armas proibidas, tráfico de estupefacientes, falsificação de documentos e receptação, entre outros. Os primeiros alegados elementos deste grupo foram detidos em 17 de Setembro de 2008, numa operação policial de grande envergadura, ficando oito em prisão preventiva, um a cumprir prisão efectiva no âmbito de outro processo, num total de 22 pessoas. Apanhados com material furtado mas saíram em liberdade Cerca das 11 horas, no passado dia 12 de Setembro, o destacamento de Trânsito da GNR do Porto, nas portagens da Maia na A3, dois indivíduos de 25 anos foram interceptados por aquela patrulha a circular numa carrinha Peugeot furtada em Braga. No interior os agentes encontra-

ram duas máquinas e alguns quilos de café propriedade do dono do veículo furtado, bem como ouro e vário material informático furtado. Os detidos foram presentes a tribunal tendo saído em liberdade. PJ desmantelou “Gangue do Tabaco e Ouro” No passado dia 22, a Polícia Judiciária do Porto desmantelou um gangue considerado perigoso responsável, desde o ano passado, por dezenas de assaltos violentos a carrinhas de Tabaco e a Ourives na região Norte. Presentes ao Tribunal foram 10 indivíduos, detidos em mais de uma dezena de buscas domiciliárias no Grande Porto, tendo sido apreendido várias armas ilegais entre as quais uma metralhadora, várias caçadeiras de canos serrados, revólveres e pistolas. Desde o ano passado que estes indivíduos actuavam de forma muito violenta, ferindo as vitimas e efectuando vários disparos. O assalto mais mediático terá ocorrido a 13 de Abril, quando cerca de 10 elementos, na A3, emboscaram um camião da Tabaqueira Nacional, pararam o trânsito, sequestraram o motorista, o acompanhante e a escolta de seguranças,

A importância da Saúde oral \\

Instituto Cultural da Maia inaugurou ano escolar

“Idade de ouro” começa as aulas a 1 de Outubro

Marta Marques

\\

Instituição com génese no Rotary Clube da Maia, o Instituto Cultural da Maia, em sessão solene realizada nas suas instalações, sob nova direcção, deu início ao novo ano lectivo 2009/2010. Marcada pelos discursos, a sessão teve algumas “picardias” entre a anterior e a actual direcção.

José Eduardo Macedo, presidente do Instituto, agradeceu em nome da direcção a presença de todos e começou por prometer «alargar a área de influência do Instituto a todo o concelho da Maia, prestando mais serviço e criando condições para que na idade de ouro as pessoas possam viver com qualidade», anunciando o início das aulas para o próximo dia 1 de Outubro. Joaquim Guedes, da direcção, informou os presentes sobre o ano lectivo «as disciplinas serão as mesmas do ano passado com excepção de artes decorativas e pintura II, todos os professores irão continuar à excepção da professora de inglês que este ano foi colocada e não pode leccionar», acrescentando que «os horários estão pré-anunciados mas poderá haver pequenos acertos em função dos interesses dos alunos». Em termos de novidades anunciou que para já irão decorrer pequenos workshops e seminários, estando previstos alguns Cursos de curta duração. Quanto ao novo conselho pedagógico o dirigente apenas

desvendou que «será formado por alunos, professores e coordenado por alguém da confiança da direcção». O orador seguinte foi o professor Maia Marques, historiador, na qualidade de associado do clube que «por deformação académica» o obrigou a tecer um pequeno historial «este Instituto nasceu no seio do Rotary Clube da Maia e muito se deve ao trabalho do professor Raul Cunha e Silva e da Dra. Lourdes Graça», disse, acrescentando que «a presença do senhor presidente da câmara demonstra a importância, atenção e dedicação que deu e dá a esta Instituição». Para o historiador «O futuro do Instituto não passará só pela “idade de ouro” mas sim pela abertura a outras idades». José Eduardo Macedo agradeceu à direcção anterior na pessoa de Raul Cunha e Silva «uma pessoa que considero um magnífico reitor», todo o trabalho efectuado desde a primeira hora, introduzindo seguidamente o orador seguinte, Bragança Fernandes, presidente da Câmara Municipal

tendo furtado cerca de 100.000 maços no valor de 320.000 euros. Outra das “especializações” seria o assalto a ourives que regressavam a casa após o trabalho que efectuavam em Feiras. Os mais violentos foram em Maio na Trofa e em Agosto na Vila de Moreira da Maia. Na Trofa as vítimas foram um casal que saía do restaurante tendo, após disparos efectuados, fugido com a carrinha onde era transportado o ouro. Na Maia o método foi de intercepção de um ourives que regressava da Feira de Custóias, tendo efectuado vários disparos que atingiram o jipe da vítima, retirando o condutor da mesma, ficando ferido um jovem transeunte atingido pelos estilhaços dos vidros da viatura do ourives. O grupo será constituído por quatro líderes, oriundos de bairros sociais do Porto, responsáveis pelo planeamento e liderança das operações, sendo que os restantes seis participavam aleatoriamente em vários “trabalhos”. De referir que alguns são de etnia cigana. Os produtos dos assaltos, ouro e tabaco, nunca foram recuperados. Cerca de 100 inspectores da PJ participaram nas operações de busca e detenção.

da Maia a quem agradeceu e pediu o apoio futuro. Bragança Fernandes desde logo desejou felicidades à nova direcção e recordou que «este instituto tem seis anos. Quem aqui esteve passou muito, não foi fácil formar o Instituto, não foi fácil cativar alunos, arranjar os espaços, obter a utilidade pública e até mesmo chegar a estas novas instalações. Gostaria assim de saudar a anterior direcção na pessoa do professor Raul Cunha e Silva e a presidente do conselho pedagógico doutora Lourdes Graça», para quem pediu uma salva de palmas. Quanto ao futuro o Edil referiu que «o novo ciclo cabe a José Eduardo Macedo e à sua nova equipa e pode contar com todo o apoio como o teve a anterior direcção», terminou. Seguidamente seguiu-se um convívio mas foi notória na sala a “fricção” ainda existente entre a anterior direcção e a actual, mesmo com algumas trocas de palavras e acusações de serem impedidos de falar. Manuel Jorge Costa

A saúde oral é sem dúvida um tema de destaque na actualidade, e que merece a atenção de todas as faixas etárias. A manutenção de uma boa saúde oral não passa apenas por ter uns dentes bonitos ou um sorriso branco e brilhante! Toda a cavidade oral tem que ser encarada como um todo, é necessário ter cuidados específicos para manter os dentes, gengivas, estruturas adjacentes e ossos da face saudáveis, para assim, conseguir uma boca saudável. A manutenção de uma boa saúde oral passa por conseguir manter os dentes e os restantes tecidos livres de doenças que possam afectar a cavidade oral, desde a cárie dentária até á doença periodontal , entre muitas outras. Há que focar que uma boa saúde oral é independente da idade, pois deve ser estabelecida desde criança mantendo os dentes de leite saudáveis para permitir um bom desenvolvimento posterior dos dentes definitivos, ideia que passa ao lado na cabeça da maioria dos pais, pois pensam

que como os dentes de leite “vão cair”não importa se estão cariados; até á idade idosa em que normalmente a falta de dentes dificulta muito a qualidade de vida devido a inúmeros factores, entre os quais, se destaca a dificuldade em alimentar-se. Manter uma cuidadosa saúde oral fazendo consultas periódicas ao médico dentista, para avaliar o estado da cavidade oral permite evitar tratamentos mais extensos e severos como a extracção dentária, que quase sempre acontecem em dentes que estão em processo de destruição durante anos, sem nunca serem alvos de tratamento. É necessário também recordar que o mau cuidado da boca afecta o organismo e a saúde em geral, desde a aparência física, bemestar psíquico, auto- estima chegando até a influenciar situações patológicas mais graves como a diabetes, problemas cardíacos entre outras. *Os leitores podem colocar as suas dúvidas/questões através do email: questoesaudeoral.maiahoje@gmail.com

Drª. Marta Marques (Médica Dentista, Mestrada em Medicina Dentária)

PUB


06

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Política - PSD

maiahoje

AUTÁRQUICAS PSD inaugura sedes locais e apresenta candidatos

Em cerca de dois fins-de-semana em cheio, o PSD Maia apresentou alguns dos candidatos às Assembleias de Freguesia e inaugurou as respectivas sedes de campanha. O apelo ao combate à abstenção foi uma prioridade. determinado que devolverá Milheirós ao rumo certo». A apresentação contou com a actuação do cantor Serafim Carvalho e da banda SOL BRILHANTE.

PSD Nogueira Sempre a servir Nogueira

\\

\\

PSD Águas Santas

PSD Águas Santas Conquistar a Junta. Carlos Vieira, candidato do PSD à Junta promete «valores que sempre me nortearam na sua vida pessoal e profissional: trabalho, dedicação e exigência». Bragança Fernandes, natural desta freguesia, caracterizou o candidato como «um homem bom, um homem que construiu a sua vida através do trabalho em tempos muito difíceis e que nunca virou a cara à luta na concretização dos seus objectivos».

Santa Maria de Avioso continue a ser uma das freguesias do Concelho da Maia com melhor qualidade de vida». Bragança Fernandes, caracterizou o candidato como «um homem competente, com elevado sentido empreendedor que se dedica de corpo e alma em prol dos outros»

PSD Gondim

em que é bom viver». Bragança Fernandes, caracterizou o candidato como «um homem que teve de suceder a um grande homem como foi Joaquim Oliveira, numa situação muito difícil, continuou a obra do seu antecessor, concretizando o

«levar a cabo obras que são necessárias para a Freguesia e desenvolver uma política assente num plano de acção sério, amplo e diversificado tendo sempre por objectivo a melhoria da qualidade de vida dos Milheiroenses». Bragança Fernandes, caracte-

Ilídio Carneiro, candidato do PSD à Junta viu concretizarem-se importantes obras na Freguesia e promete «ambição de querer mais para a freguesia “Sempre a Servir Nogueira”. Bragança Fernandes, caracterizou o candidato como «um homem de serviço que só sairá do cargo de Presidente da Junta por impedimento legal (lei de limitação de mandatos) pois, está convicto que, por vontade das pessoas, continuaria muitos mais anos à frente dos destinos das Freguesia».

PSD Pedrouços Continuar o desenvolvimento

PSD Gemunde Continuar na senda do desenvolvimento

Joaquim Araújo, candidato do PSD à Junta promete «nos mais diversos projectos, a concretização dos objectivos delineados de forma incessante e, desta vez, assegura não será diferente», referindo-se ao presidente cessante. Bragança Fernandes, caracterizou o candidato como «uma pessoa de extraordinárias qualidades humanas».

PSD Silva Escura Consigo, sempre a seu lado \\

\\

PSD Milheirós

PSD Avioso, Sta. Maria Continuar a Inovar Hamilton Prata, candidato do PSD à Junta promete «continuar a trabalhar e a inovar para que

Eugénio Teixeira, candidato do PSD à Junta promete «um futuro que será construído num processo de continuidade de desenvolvimento da Freguesia. Esse é o compromisso que assume com os cidadãos para que Gemunde continue a ser uma terra

PSD Avioso, Sta Maria

programa eleitoral apresentado há quatro anos». Com a actuação do cantor Serafim Carvalho e da banda SOL BRILHANTE a festa foi grande.

rizou o candidato como «um homem do povo para o povo. Ele protagoniza a determinação, a ambição de querer sempre mais para a sua terra. As pessoas conhecem-no como homem humilde, corajoso, franco e

PSD Gondim Dar mais vida a Gondim Mário Freitas, candidato do PSD à Junta garante que a sua lista «tem melhores qualidades humanas e técnicas para que Gondim venha a ter maior dinamismo» Bragança Fernandes, caracterizou o candidato como «um homem sério, um homem para mudar, sempre disposto a dar o seu melhor pelas pessoas».

PSD Milheirós Voltar ao rumo do desenvolvimento

\\

PSD Gemunde

Vítor Fontes, candidato do PSD à Junta diz que a sua candidatura «assenta no trabalho e não em ilusões», acrescentando que «Milheiros tem de voltar ao rumo do desenvolvimento», assumindo o compromisso de

\\

PSD Nogueira

José Sousa Dias, candidato do PSD à Junta diz ter como objectivo «um trabalho de continuidade em atitude e determinação». Bragança Fernandes, caracterizou o candidato como «um homem dedicado, um bom homem, atento e empenhado».


maiahoje

\\

sexta-feira 25 de setembro de 2009

\\

PSD Pedrouços

PSD Vermoim Sempre Presente, Sempre Diferente, Sempre na Frente Aloísio Nogueira, candidato do PSD à Junta diz ter como objectivo «continuar a servir Vermoim, Sem-

AUTÁRQUICAS

Política - PSD

pre Presente, Sempre Diferente, Sempre na Frente. Esta candidatura reveste-se de forte dinamismo com uma equipa capaz de continuar a afirmar Vermoim como uma referência no Concelho». Bragança Fernandes saudou Aloísio Nogueira pela «excelente

07

PSD Silva Escura

equipa que o acompanha nesta candidatura. São pessoas que trabalham muito em prol dos outros e com provas dadas, quer nas suas vidas profissionais quer nas suas acções de cidadania». A Festa contou com a actuação de um trio de saxofones e percus-

são da Filarmonia de Vermoim e ainda com um “momento humorístico” protagonizado pelos actores Carla Teles e Pedro Resende.

\\

PSD Vermoim

PSD inaugura sede concelhia

Bragança Fernandes quer «maioria reforçada e mais juntas» No passado dia 11 de Setembro o PSD Maia inaugurou a sua sede de campanha concelhia para as próximas eleições autárquicas. Presentes estiveram, entre outras figuras e muitos populares, o primeiro candidato do PSD à Assembleia da República pelo círculo eleitoral do distrito do Porto e Vice-Presidente do PSD, José Pedro Aguiar Branco; os candidatos à Câmara Municipal e Assembleia Municipal, respectivamente Bragança Fernandes e Luciano Gomes; o presidente da JSD Maia, Paulo Resende; o director de campanha Hernâni Ribeiro e o mandatário financeiro, Cândido Graça. Bragança Fernandes, candidato à Câmara Municipal e Presidente do PSD Maia disse que «esta inauguração se reveste de um simbolismo especial, pois estamos a um mês exacto das eleições autárquicas», garantindo que a pré-campanha e campanha eleitoral serão conduzidas da mesma forma como tem conduzido o Município «com seriedade, humildade e grande sentido de responsabilidade e respeito pela opinião de todos». O actual presidente da Câmara, para a renovação do seu mandato, propõe como objectivos «a conquista de mais Juntas de Freguesia, reforço do número de deputados na

Assembleia Municipal e a conquista da Câmara Municipal por larga maioria, ampliando o número de vereadores em funções, pois os nossos candidatos são os mais capazes, os mais conhecedores da realidade do Concelho, com provas dadas e dotados de enorme capital político e humano», disse. José Pedro Aguiar Branco, disse que «a Maia é um Concelho que reúne características fundamentais que o PSD quer recolocar ao serviço do País. A Maia tem competência, vontade e capacidade de vencer e seriedade no exercício da actividade política. Passando à política nacional o vice-presidente do PSD diz que «o PSD precisa de travar o declínio a que o PS tem conduzido o País, pois Portugal precisa de deixar de ser o País da encenação e da ilusão e passar a ser o País real que confia em si próprio. O PS do Eng. Sócrates tem seguido a política da encenação, foi assim com a apresentação do computador Magalhães, onde contrataram crianças para encenar esse momento e foi assim nas inaugurações do Hospital de Seia com as camas que, após a sua inauguração, foram devolvidas ao seu proprietário». Voltando à Maia, Aguiar Branco manifestou o desejo de «voltar à

Maia, mas como membro do próximo governo, à tomada de posse do Eng. Bragança Fernandes como

Presidente da Câmara Municipal, pois a Maia tem de continuar a trilhar o caminho do desenvolvimento

e o País precisa do PSD para voltar a acreditar», terminou.

LEGISLATIVAS 2009 Candidatos do PSD à Assembleia da República estiveram em campanha na Maia

Na Feira de Pedrouços e Lar Vieira de Carvalho Na passada quinta-feira, 10 de Setembro, candidatos do PSD pelo distrito do Porto à Assembleia da República estiveram em campanha por terras do Lidador, visitando a Feira de Pedras Rubras e o Lar Vieira de Carvalho. A comitiva foi recebida pelo presidente da concelhia, Bragança Fernandes e integrava os candidatos maiatos Luciano Gomes e Joaquim Marques Gonçalves. Na Feira de Pedras Rubras a campanha foi bem recebida justificando a candidatura «pelo facto de evidenciar o descontentamento

com o actual governo PS, quer pelos comerciantes incluindo a comunidade cigana, que incentivou os candidatos do PSD no seu trabalho para que o país volte a ter um governo que resolva os problemas das pessoas», disseram. Seguiu-se a visita ao Lar Vieira de Carvalho onde foram recebidos por Maria de Lurdes Maia, provedora da Santa Casa da Misericórdia e pela mesária Albina Vieira de Carvalho, viúva do autarca que deu o nome ao Lar. Os candidatos mostraram interesse em conhecer pormenorizada-

mente o trabalho da Misericórdia da Maia onde foi realçado as «excelentes relações com a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia, num modelo de cooperação que tem dado frutos para que se prestem os serviços e cuidados com elevada qualidade». Por outro lado para os candidatos foi «evidente o papel fulcral que as IPSS’s têm no apoio social à população que mais necessita, neste caso os mais idosos, ficando este exemplo da Maia e da sua Misericórdia como um modelo a seguir pelo resto do País».


08

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Política - PS

AUTÁRQUICAS PS apresenta candidatos à freguesia da Maia na sede do partido

COMUNICADO DE IMPRENSA

«A Maia é uma freguesia central que precisa ser desenvolvida» Foi na sede do Partido Socialista que Adão Bastos, candidato à freguesia da Maia, se reuniu com os militantes para a apresentar as suas proposta a uma freguesia que diz ser central e que precisa de ser desenvolvida. A sede do PS foi pequena para acolher todos os que fizeram questão de marcar presença para ouvir as propostas do candidato. Quem não faltou também à cerimónia de apresentação foi Luís Rothes, candidato à Assembleia Municipal e Mário Gouveia, candidato à Câmara da Maia. Nas breves palavras que Luís Rothes proferiu foram poucas as que não enalteceram as qualidades de Adão Bastos. O

candidato à Assembleia Municipal definiu-o como empenhado, competente, credível e disponível, garantindo ainda que, «a freguesia da Maia tem dia 11 de Outubro uma oportunidade excepcional». Já Adão Bastos sublinhou algumas das fragilidades da freguesia da Maia apresentando as suas propostas. Para combater a fraca participação da população maiata na vida social o candidato considera necessário «criar espaços e dinamizar algum tipo de actividades que não existem neste momento». Outra das propostas de Adão Bastos passa pela implementação de «orçamentos participativos que permitam investir nas

verdadeiras necessidades da freguesia, como apoiar as associações recreativas, culturais, desportivas, entre outras». Também o edifício da Junta é uma das preocupações do candidato pois, segundo ele: «O edifício da Junta não tem valências que permitam desenvolver uma série de actividades de proximidade ao cidadão», conclui. Em relação à vitória Adão Bastos refere: «É complicado. É evidente que Carlos Teixeira tem nas mãos a freguesia». No entanto, o candidato do PS não se considera vencido, prometendo avançar até onde for possível. Cátia Fernandes

AUTÁRQUICAS PS Gueifães

Alberto Monteiro reconhecido como candidato oficial pelo Tribunal Constitucional Como é sabido a Secção de Gueifães e a Concelhia da Maia do Partido Socialista, diferiam na lista a apresentar a sufrágio no acto eleitoral autárquico que se avizinha. Tal resultou numa esgrima legal que se transportou até ao Tribunal Constitucional (TC). Num processo algo moroso e com troca de acusações, que viria a resultar na “renomeação” de mandatário concelhio (dado que o primeiramente indicado, ilegalmente residia em Matosinhos), a última palavra na resolução do diferendo cabia ao TC que proferiu na passada segunda-feira, dia 14,

AUTÁRQUICAS

um acórdão que se pronuncia pelo não provimento do protesto apresentado por Hélder Ribeiro da Secção de Gueifães. Assim, Alberto Monteiro, actual presidente de Junta e candidato defendido pela concelhia que «seguindo as directivas nacionais recandidatava todos os autarcas em exercício», é definitivamente o candidato que representará o partido na freguesia. Hélder Ribeiro comenta na página oficial do PS Gueifães (em http://psgueifaes.blogspot.com/ 2009/09/tribunal-constitucionalnega-provimento.html), que este

«nega provimento ao recurso apresentado pelos legítimos representantes do PS e pela candidatura lícita do PS à Assembleia de Freguesia de Gueifães», registando que «os tribunais não se pronunciam quanto à legalidade e/ou regularidade dos processos que precedem, no interior dos partidos políticos, a apresentação das candidaturas aos vários órgãos autárquicos» bem como que «através da jurisprudência produzida atribuem ao mandatário uma centralidade e um poder contrário à letra e ao espírito da Lei Orgânica 1/2001, que enviesa e ma-

nieta os mais elementares princípios democráticos e o funcionamento dos partidos», escrevem, rematando que «em Gueifães, com este caso e respectivo desfecho, a Democracia foi sequestrada e o socialismo e a classe política sofrem mais um rude golpe». Já anteriormente o candidato à concelhia, Mário Gouveia, encarava como «natural o desfecho» em que acreditava, dado que seguiam as directivas nacionais.

Apresentação da Candidatura do Partido Socialista à Freguesia de Silva Escura

Um projecto para todos O candidato do Partido Socialista à Junta de Freguesia de Silva Escura, Rui Correia, promoveu, na noite do passado sábado, no largo da Igreja, a sessão de apresentação da sua lista de candidatura. Numa inequívoca manifestação de apoio e confiança à lista estiveram também presentes Luís Rothes, candidato à Assembleia Municipal e Mário Gouveia, candidato à Câmara Municipal da Maia, bem como cerca de duzentas pessoas entre militantes, amigos e apoiantes da candidatura que puderam participar na animada festa que seguidamente teve lugar com música de baile ao vivo. “Um projecto para todos”, liderado por Rui Correia é segundo Mário Gouveia «um projecto ambicioso apresentado para Silva Escura», salientando «o empreendedorismo, competência e responsabilidade do candidato e de toda a sua equipa e o quanto ficaria a ganhar a freguesia pela

eleição desta lista». Seguiu-se a apresentação da equipa do Partido Socialista candidata à Assembleia de Freguesia de Silva Escura, marcada pela in-

tervenção de Rui Correia que apresentou os traços gerais do seu projecto, “UM PROJECTO PARA TODOS” centralizado na Família, onde destacou «as assime-

maiahoje

trias existentes no concelho» e pediu a confiança dos eleitores para liderar os destinos desta freguesia.

Da candidatura do Partido Socialista à Assembleia Municipal da Maia A candidatura do Partido Socialista à Assembleia Municipal da Maia tem vindo a afirmar a necessidade de se avançar no sentido de garantir a total transparência no exercício dos cargos políticos. A insidiosa desconfiança que se tende a gerar relativamente aos políticos é, seguramente, o aspecto mais desagradável para quem se envolve numa experiência de participação cívica mais activa. É um problema que afasta as pessoas da acção política e que, por essa razão, prejudica seriamente a vida democrática. Acreditamos, por isso, que tudo deve ser feito para travar esta desconfiança. Este é um desafio político crucial, que a todos responsabiliza. É por isso que, numa iniciativa que evidentemente se pretende desde já pública, o primeiro candidato do Partido Socialista à Assembleia Municipal da Maia propôs, aos cabeças-de-lista das outras candidaturas, o estabelecimento de um Pacto de Transparência, com uma proposta de texto que a seguir se transcreve. Estamos certos de que uma iniciativa política comum, com esta preocupação e que responsabilize todos os primeiros candidatos, poderá constituir um marco importante no sentido da dignificação da vida política e da valorização da Assembleia Municipal da Maia. «Proposta de PACTO DE TRANSPARÊNCIA Os cabeças-de-lista das candidaturas às eleições autárquicas de 2009 para a Assembleia Municipal da Maia, conscientes que: * É fundamental promover a participação cívica dos cidadãos, evitando as desconfianças, inevitavelmente injustas porque genéricas, relativamente a quem se dispõe a servir a causa pública * É necessário, por isso, dar passos seguros no sentido de garantir a total transparência no exercício dos cargos políticos * Só é possível avançar no estabelecimento de um clima de maior confiança entre eleitores e eleitos se, para além de eventuais aperfeiçoamentos do enquadramento legal da actividade política, assumirmos que a transparência no exercício do poder político é um desafio ético essencial, que a todos nos responsabiliza * A dignificação da actividade política e a valorização da função democrática essencial da Assembleia Municipal só ganharão com o estabelecimento comum de compromissos claros de transparência, que responsabilizem todas as candidaturas apresentadas a este órgão autárquico Estabelecem entre si e com os eleitores da Maia um PACTO DE TRANSPARÊNCIA, pelo qual: 1. Assumem um compromisso político pela transparência, que torna claro que, do exercício do cargo político a que concorrem, não retirarão nenhum benefício para actividades lucrativas exercidas no território concelhio da Maia. 2. Declaram, designadamente, que se inibirão de estabelecer, directa ou indirectamente, quaisquer relações contratuais com a autarquia ou de exercer, no concelho da Maia, qualquer actividade de cariz empresarial que dependa de autorizações camarárias. 3. Reforçam o seu empenhamento comum em continuarem a dar prioridade a uma pedagogia republicana pela transparência política democrática. Maia, Setembro de 2009 Os cabeças-de-lista das candidaturas à Assembleia Municipal da Maia»


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

AUTÁRQUICAS

Política - PS

09

PS apresentou candidatura à Assembleia de Vermoim

“Novas pessoas, um novo caminho”

COMUNICADO DE IMPRENSA Da candidatura do Partido Socialista à Assembleia Municipal da Maia

O primeiro candidato do Partido Socialista à Assembleia Municipal da Maia participou, no dia 18 de Setembro, na apresentação do livro “O Sentido da Mudança. Políticas Públicas em Portugal, 2005-2009”, de que é um dos autores. Este livro, editado pela Fundação Res Publica, constitui um esforço de balanço do mandato do actual governo da República, tendo sido escrito por um conjunto alargado de académicos e profissionais, que se pronunciam sobre algumas das marcas essenciais das políticas levadas a cabo pela maioria socialista. A sessão contou com intervenções do Dr. António Vitorino, que dirige a Fundação Res Publica, do Prof. Alberto Castro, da Universidade Católica e do Eng. José Sócrates, secretário-geral do Partido Socialista. Todos sublinharam a importância da obra e os traços essenciais das reformas levadas a cabo pelos socialistas neste mandato.

A candidatura do Partido Socialista à AMM

No passado dia 18 de Setembro, em ambiente de festa foi apresentada a candidatura à Assembleia de Freguesia de Vermoim, liderada por Guilherme Soares, homem bem conhecido na freguesia dado trabalhar no posto de correios local. De entre uma grande afluência de apoiantes destacam-se as presenças de Luís Rothes, candidato à Assembleia Municipal da Maia, e de Mário Gouveia, candidato à presidência da Câmara Municipal. A noite ficou marcada por animação de rua, espectáculos musicais assim como pelo discurso

AUTÁRQUICAS

do candidato Guilherme Soares, um discurso abrangente aos problemas de Vermoim com destaque para os problemas de âmbito social tais como a requalificação do Bairro do Sobreiro, a necessidade da construção de uma capela mortuária com as condições adequadas, a criação de descontos sociais para a população mais carenciada e a criação de condições para implementar o associativismo em Vermoim. Na altura foi ainda apresentada a lista completa de candidatos, inaugurada a sede que está localizada em

plena Avenida D. Manuel II, 1286 (antigo café D. Afonso), junto às “portas da maia” e dado a conhecer a página internet da candidatura que está em

www.maisvermoim.com onde todos os cidadãos podem contribuir com sugestões e consultar o programa eleitoral. Bruno Ferreira da Silva

Apresentação de Lista à Junta de Nogueira

Daniel Teixeira promete ficar “mais próximo dos Nogueirenses”

“Aceitei o desafio de encabeçar a lista à assembleia de freguesia consciente das responsabilidades e das dificuldades que me esperam. Mas, ao mesmo tempo, estou determinado, em conjunto com a minha equipa, a constituir uma alternativa válida e credível à freguesia de todos nós.” As palavras são de Daniel Teixeira, candidato do Partido Socialista à Junta de Freguesia de Nogueira. A apresentação da lista decorreu no passado sábado, dia 19, e reuniu no Largo do Barroso cerca de três dezenas de militantes que esperaram mais de uma hora para ouvir os candidatos. Daniel Teixeira aproveitou o seu slogan de campanha “Mais próximo dos Nogueirenses” para enunciar os principais compromissos e objectivos da lista que encabeça: “Vamos estar mais próximos na cultura e na educa-

ção, criando um gabinete específico, responsável pela execução de algumas políticas nestas áreas. É uma falha grave que temos na nossa freguesia. Vamos incentivar o associativismo. Neste momento temos um único clube. É inacreditável como uma freguesia com esta dimensão só tenha uma única associação. Vamos estar mais próximos das novas tecnologias, melhorando o site da freguesia e criando pontos de acesso à internet gratuitos. Vamos também estar mais próximos da mobilidade, tentando junto da câmara a disponibilização de um autocarro para a freguesia e junto da Maia Transportes, uma actualização do seu protocolo que está completamente desactualizado.” O cabeça de lista asseverou, ainda, que apostará numa maior proximidade com os seniores, lutando por um Centro de Dia, um Centro de Enfermagem com apoio médico ao domicílio e pelo desenvolvimento de um programa de voluntariado. No que respeita à juventude, “impõe-se a criação de, pelo menos, mais um jardim-de-infância e de um gabinete de apoio ao jovens, na junta, nomeadamente no serviço de apoio ao

planeamento familiar, orientações profissionais, ajudas na procura do primeiro emprego, assim como, na elaboração de currículos”, sublinhou Daniel Teixeira. E porque, “o desporto e o lazer não são aproveitados em Nogueira”, a lista socialista candidata à freguesia garante que vai apoiar a realização de mais torneios desportivos e a construção de um parque urbano. O candidato não deu por terminada a sua intervenção sem fazer o balanço dos últimos anos do poder social-democrata.”Embora lhes reconheça alguma obra, a mesma serviu apenas para a realização de projectos pessoais e não para promover a intervenção activa da população no dia-adia. Ficaram longe na cultura e na educação, ao não promoveram quaisquer eventos culturais; no associativismo, nas novas tecnologias e no ambiente”, concluiu. Luís Rothes, manifestou o seu apoio a Daniel Teixeira: “Eu acho que o Daniel Teixeira pode vencer em Nogueira, porque, em primeiro lugar, é uma pessoa simpaticamente disponível e isso para um presidente de junta de freguesia é uma qualidade funda-

mental. Em segundo lugar, porque é uma pessoa que confia no que está a fazer e naquilo que em Nogueira é possível fazer.” O candidato à Assembleia Municipal da Maia referiu ainda que a Maia e Nogueira são bons exemplos das desvantagens de “um poder prolongado, de um poder que se esgota, de um poder que perde chama, que perde capacidade de responder aos problemas das pessoas.” E aditou: “Neste momento, podemos dizer que na Maia o mandato foi tão pobrezinho que o que vale são as obras que o governo socialista tem desenvolvido, como a renovação do parque escolar e as melhorias na área da saúde, designadamente com as unidades de saúde familiares. E só ficava bem à autarquia reconhecer esse contributo.” Por seu turno, Mário Gouveia asseverou que “podemos formar uma grande equipa, porque será nesse sentido que iremos trabalhar, com as freguesias, com a assembleia municipal.” O candidato socialista à Câmara Municipal da Maia considerou que “os maiatos querem mudar e nós somos a única alternativa.” Rita Santos

QUEIXA Candidato do PS apresenta queixa à Comissão Nacional de Eleições

«Propaganda em papel timbrado da Junta de Moreira» \\ Jorge Catarino, na qualidade de membro da lista candidata à Assembleia de Freguesia da Vila de Moreira enviou esta semana à Comissão Nacional de Eleições uma queixa de “propaganda eleitoral ilegal” por parte do executivo da daquela Junta de Freguesia. Albino Maia já refutou classificando a mesma como «disparate». Na génese da queixa, segundo documentos a que o MaiaHoje teve acesso, estará uma carta personalizada emitida em papel timbrado da Junta de Freguesia e assinada pelo seu presidente, a moradores da Rua da Estrada e da Rua das Escadinhas, em 31 de Agosto passado e alegadamente distribuída por funcionários da junta. Na extensa carta de duas páginas lê-se que se dirigem pessoalmente «como morador… de uma das vias… mais causticadas, por força da evolução do desenvolvimento do Concelho para Sudeste» dando conta de obras que estão a ser programadas. No entanto a carta contem afirmações que o candidato do PS critica como «…a Rua tem merecido por parte da Junta de freguesia uma especial e constante atenção…», ou mais à frente «…finalmente o nosso sempre presente presidente da câmara, Engº Bragança Fernandes, não deixou este assunto por “mãos alheias” nem deixou cair “em saco roto” os insistentes pedidos da Vossa Junta de Freguesia…

», bem como «…é o compromisso verbal do Senhor Presidente da Câmara, dando-nos conta que na Reunião de Câmara de que irão ser definitivamente resolvidas as três situações mais urgentes…», ou «…para esta autarquia era desejável que tais intervenções tivessem oportunidade depois das eleições autárquicas… são apenas coincidências dadas as complexidades de contratação pública…», terminando com «…damos-lhe a nossa garantia de que estaremos como sempre, disponíveis para vos auxiliar em tudo o que estiver ao nosso alcance… receba os nossos cumprimentos, muito particularmente os do Presidente desta autarquia». Até crianças recebem as cartas Segundo Jorge Catarino, autor da denúncia, foram pelo menos emitidas sete cartas personalizadas para sete ruas diferentes «das quais temos cópia e enviamos à CNE, mas sabemos que há mais», referiu, comentando que «todos os contribuintes estão a pagar esta campanha, ora a democra-

cia exige igualdade de oportunidades. Percebemos que estão aflitos, mas as regras e deontologia é que definem as atitudes. Quem não as cumpre não esta a fazer campanha eleitoral séria», acusou. Questionado se seria um acto informativo respondeu com uma questão «não acha estranho que estas cartas estejam também a ser enviadas a mais do que uma pessoa da mesma família e até as crianças de 8 e 12 anos?», questionou ironicamente. Junta reage Confrontada a Junta de Freguesia, o seu presidente, Albino Maia, confirmou a existência de tais cartas «prática efectuada ao longo dos 12 anos em que estou nesta autarquia sempre que exista necessidade deste tipo de comunicação», disse, refutando ainda em pleno a acusação «obviamente não se trata de propaganda política mas sim de informação a pessoas residentes numa determinada área», acrescentando que «curiosamente a Junta de Freguesia não tem nenhum funcionário chamado André Seabra.

Como tal espero que a verdade seja reposta porque a mentira tem “perna curta”». Num comentário pessoal Albino Maia acrescenta que «a ingratidão e ignorância provocam situações deste tipo». A participação Aqui fica na integra a «Participação à Comissão Nacional de Eleições: Eu, Jorge Luís Ferreira Catarino, residente na …, membro da Lista Candidata à Freguesia da Vila de Moreira pelo Partido Socialista, encabeçada pelo Candidato Miguel Silva, Concelho da Maia, Distrito do Porto, venho por este meio denunciar os seguintes factos, que considero que violam os direitos, consagrados na Constituição da Republica, dos habitantes da Freguesia de Vila de Moreira: - Foi constatado nas últimas semanas do presente mês do ano de 2009 pelo Exmo. Sr. Miguel Fernando Teixeira da Silva, que um funcionário da Junta de Freguesia de Vila de Moreira Exmo. Sr. André Seabra, tem vindo diariamente a distribuir na sua

própria pessoa, a todos os habitantes (9624 eleitores recenseados, bem como os não recenseados) da já referida Junta de Freguesia, propaganda eleitoral, impressa em folhas de papel e envelopes timbrado e brasão (Logótipo) da respectiva Junta de Freguesia De Vila de Moreira. - Deste modo, e diga-se em abono da verdade democrática que se verifica a violação do principio da igualdade de oportunidades. - Solicito a V.Exas. se dignem, o mais rapidamente possível, mandar suspender a distribuição das já referidas cartas (Propaganda Eleitoral) e ainda se requer que esta conduta do infractor seja investigada e no caso de se confirmar esta ilegalidade seja punida pelos órgãos competentes. Enviamos em anexo alguns dos exemplares em questão. Vila de Moreira, 22 de Setembro de 2009, Respeitosamente, Jorge Luís Ferreira Catarino»


10 JP

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Política - CDS/PP

maiahoje

Tomada de Posse dos novos Órgaos Sociais

Juventude Popular da Maia pretende “voar cada vez mais alto” Os novos órgãos sociais da Juventude Popular (JP) da Maia tomaram posse na passada sexta-feira, dia 18 de Fevereiro, num acto que, para além de militantes da estrutura, contou com a presença de João Ribeirinho, secretário-geral da JP, de Álvaro Braga Júnior, candidato pelo CDS/PP à Câmara Municipal da Maia e do presidente da Comissão Política Concelhia do CDSPP, David Tavares. Nesta ocasião, Manuel Oliveira, o 11º presidente da JP Maia, frisou que recebe um pesado legado, uma vez que “não é fácil dirigir uma casa que teve um presidente anterior com o peso do Eric Rodrigues.” E aditou: “A fasquia, nesse sentido, está muito alta, temos os olhos postos em nós, mas sei que a Juventude Popular da Maia é, sem dúvida, uma concelhia de destaque. Pelos valores que defendemos, pelas ideias novas, as metas ambiciosas e a vontade de crescer somos uma concelhia que não tem que provar mais nada a ninguém em relação ao seu valor.” O presidente empossado referiu ainda que “é sempre possível fazer melhor e chegar ainda mais longe.” Nesse sentido, Manuel Oliveira, enun-

ciou os principais objectivos para este mandato: “É claramente necessário reforçar a JP Maia com faixas etárias mais novas, dos 14 aos 18 anos e também mais velhas, dos 25 aos 30 anos. Esse equilíbrio é de todo importante. Queremos também continuar a desenvolver esforços de representação activa em cada uma das 17 freguesias da Maia. Vamos fazer para que existam, pelo menos, dois militantes activos por freguesia para que futuramente possam ser criados núcleos de freguesia. Estamos ainda em condições e com a vontade necessária para a filiação, no prazo de um ano, de cerca de 200 militantes.” Na sua intervenção, o presidente reconduzido da JP Maia, anunciou al-

guns dos compromissos assumidos pela nova direcção da estrutura. Manuel Oliveira garante que “não fugiremos à discussão de todas as áreas de importância vital para o concelho da Maia, mas é nosso particular compromisso trabalhar três temas prioritários: a saúde, o empreendorismo, e o urbanismo e transportes.” Na saúde, a JP Maia entende que, no concelho, este sector tem sido “dos mais fracos em termos de crescimento e implantação, tanto de cariz privado como público.” Como tal, propõe a construção de uma unidade de saúde que englobe serviços de urgência permanentes e de cuidados paliativos, pretende defender publicamente um maior apoio e incentivo à realização de

campanhas de dádiva de sangue e medula óssea e promete não ficar alheia em causas mais fracturantes como a eutanásia, o testamento vital e o aborto. Manuel Oliveira apresentou a área do empreendorismo como “vital” junto dos jovens maiatos: “Vamos propor espaços e medidas que apoiem e incentivem o empreendorismo”, asseverou o líder. Relativamente ao tema do urbanismo e transportes, a estrutura garante que vai estar atenta ao “projecto misteriosamente estagnado” do Parque Maior, assim como ao da reformulação do Zoo da Maia e apresenta uma alternativa: “Mais do que garantir o prolongamento da linha verde para a Trofa, parece-nos mais viável que se construa rapidamente a linha que servirá a Maia a partir do Hospital de S. João.” Eric Rodrigues, agora presidente da Mesa do Plenário, passou o testemunho a Manuel Oliveira e confessou que é “um enorme orgulho verificar que a JP Maia tem um grande poder de renovação, de continuidade, tem um enorme poder de nos momentos mais difíceis, se auto-reestruturar, de mos-

trar para fora uma força enorme e de mostrar acima de tudo às outras juventudes partidárias da cidade da Maia e aos próprios jovens maiatos que o caminho não é ficar calado, mas ser diferente e ter coragem de assumir uma posição proactiva na sociedade.” O presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP, David Tavares declarou não ter dúvidas da excelência do trabalho que vai ser feito pela nova comissão política concelhia da JP, acrescentando que “a Maia precisa de mudar, precisa de voltar a sorrir. Portugal precisa de vocês, Juventude Popular.” Já Álvaro Braga Júnior, congratulou-se por “no seio deste partido e desta casa, a juventude continuar a ser aguerrida, convicta e continuar a estar ao serviço do partido e do país. O candidato do CDS/PP à Câmara Municipal da Maia deixou uma promessa e uma garantia: “Independentemente dos resultados que tivermos em Outubro podem continuar a contar com a minha colaboração, porque a Maia, este concelho, a Juventude Popular exigem que a vida não pare depois destas eleições autárquicas.”

funcionam. Estive cerca de duas horas à espera de um carro patrulha e ainda posso testemunhar que enquanto preparávamos e montávamos um “outdoor”, entre as 21 e as 4 da manhã, só passou por nós um carro patrulha eram cerca das 3.30horas. Mais, será complicado nesta semana (que é de Festas na freguesia) ver um carro patrulha apesar da muita gente que para aqui se desloca. Não posso culpar a PSP, mas a falta de segurança é por demais evidente», disse o candidato.

Inauguração da sede Devido a contratempos a equipa de reportagem do MaiaHoje não pode estar presente na inauguração da Sede para a qual fomos convidados. Continua a ser política desta publicação a cobertura noticiosa de eventos para os quais somos convidados, mas lamentavelmente nesse dia não nos foi possível. Ao candidato pedimos desde já desculpa por não ter sido possível responder atempadamente ao convite.

Rita Santos

POLÍCIA CDS/PP alvo de estranho assalto a sede

Assalto com «requintes selectivos» No espaço temporal compreendido entre as 22 horas do passado dia 9 e as 18 horas do dia 10, a sede da candidatura do Partido Popular à freguesia de Pedrouços, localizada na Avenida Nossa Senhora da Natividade, foi alvo de um estranho assalto. José Martins, candidato PP àquela freguesia disse à reportagem Maia Hoje que não houve vandalismo «mas o que é estranho é que a porta não foi arrombada, os cadeados foram abertos e fechados sem qualquer indício de violação». De notar que a sede, à semelhança da do Partido Socialista que se en-

contra a uma dezena de metros, está alojada num contentor colocado em cima de um camião na referida artéria, entre a Rotunda do Chafariz e o edifício da Junta de Freguesia. Assalto ou sabotagem? Questionado se suspeitavam de algum acto de sabotagem, o candidato referiu que se tratou de um assalto «mas pode muito bem ser um acto de sabotagem ou encomenda dado que em três contentores aqui parados, apenas o do PP foi assaltado e com requintes selectivos dado que não temos nem mais nem

menos segurança do que os outros», disse. Em termos de prejuízo, estão um equipamento de som completo com mesa, amplificador, dvd, colunas e cabos, uma extensão eléctrica de 50 metros e uma rebarbadora, tudo materiais facilmente comercializáveis «até a caixa do leitor de DVD que é novo levaram». Insegurança na ordem do dia O assalto já foi comunicado à PSP, que José Martins critica por falta de meios «Pedrouços já merece uma esquadra da PSP. Não existe segurança e os serviços não

AUTÁRQUICAS Jogo de futebol animou tarde de campanha

LEGISLATIVAS Caravana do CDS esteve na Maia

Associação de Teibas sem Balneários para os desportistas

Pequenas e médias empresas são o motor da economia

O CDS-PP Maia organizou no passado dia 19 um jogo de Futebol entre os candidatos ao Município e a Juventude Popular da Maia. O jogo decorreu no ringue junto ao Centro Social e Cultural de Teibas, em Pedrouços. Entre os candidatos à Câmara da Maia, marcaram presença Álvaro Braga Júnior e José António Martins candidato CDS-PP à freguesia de Pedrouços. Após o jogo realizou-se um jantar convívio entre os candidatos e os associados da colectividade acima descrita. Em declarações ao Maia Hoje, José António Martins, alertou para a falta de balneários no local, sendo que os jovens que ali treinam «la-

mentavelmente têm de ir tomar banho a casa», acrescentando que «faz todo o sentido alertar a Câmara para uma pequena despesa para esta mesma colectividade, dado que são custos insustentáveis para a Associação». A Associação de Teibas tem 60 jovens federados a jogar futebol neste local, o que na sua opinião «esta é a melhor forma de os jovens se encontrarem e não caírem em flagelos», disse. Manuel Jorge Costa

Paulo Portas, presidente do partido popular, acompanhado de Ribeiro e Castro, candidato pelo distrito do Porto e Álvaro Braga Júnior, candidato à Câmara da Maia, estiveram no passado dia 15 de visita ao concelho da Maia. A visita começou por uma passagem pela Feira de Pedrouços e no concelho da Maia terminou com uma visita à unidade industrial das Tintas 2000. Nesta empresa os candidatos e comitiva tiveram oportunidade de fazer uma visita guiada às instalações, acompanhados por Ana e António Ambrósio, administradores da empresa. No final em declarações à comunicação social, o líder do Partido Popular referiu que as empresas são essenciais para o país «a única maneira de colocar a economia em crescimento é através das pequenas e médias empresas», referiu, acrescentando que «são 300.000 e garantem mais de 2,5 milhões de postos de trabalho».

A nível empresarial Paulo Portas entende que os Governantes têm que dar o seu melhor e resolver problemas como a legislação laboral «averiguando o que se pode fazer para que os empresários contratem mais; resolver o problema da moro-

sidade no sistema judicial na cobrança de dívidas e mais justiça nos pagamentos do Estado que deve ser obrigado a pagar juros quando se atrasa», referiu. Manuel Jorge Costa


maiahoje AUTÁRQUICAS

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Política - CDU

11

Lay-off foi um dos temas de campanha

Sector XVIII da Zona Industrial da Maia serve de palco à campanha da CDU \\ Temáticas como desemprego, precariedade laboral, Lay-off, subsídios de desemprego e a necessidade do aumento de salários foram os principais pontos apontados pelos candidatos da CDU, nesta visita que decorreu no passado dia 17, por algumas das pequenas empresas do Concelho.

Os candidatos Luís Pinto, Marisa Ribeiro e Márcia Silva, também cabeça-de-lista da CDU à Assembleia Municipal da Maia, apontaram um leque de empresas do Concelho, onde estes problemas são realidade. Luís Pinto deu como principais exemplos as várias empresas metalúrgicas da maia, onde é normal existirem trabalhadores em situação precária e com salários em atraso. Apontado pelo próprio Instituto de Informação Comercial, 80 seriam já as empresas que durante 2008 apresentavam processo de insolvência. «Já em 2009 e em algumas empresas que acompanhamos de perto, nomeadamente no sector da metalurgia, temos vários encerramentos que nos preocupam bastante são empresas com 10, 12 trabalhadores». Na Maia as grandes empresas são poucas, umas 3 ou 4 e os salários em atraso são uma realidade. Márcia Silva refere «estamos aqui na via Dr. Francisco Sá Carneiro, na Bajouca, onde algumas

AUTÁRQUICAS

empresas não pagam os salários atempadamente, suspendem os seus contratos pois não existem condições de trabalho. É normal terem processo no tribunal de trabalho, reduzem o tempo laboral e com isso cerca de 1/3 do salário, ficando o valor à volta dos 520,00 Euros, e isto afecta sobretudo as mulheres». Luís Pinto afirma «como candidato à Assembleia da Republica quero contrariar todas estas situações. Muito se fala do apoio às pequenas e médias empresas, mas o apoio ou não chega ou se chega não há fiscalização prática da aplicação desses fundos. Muitos trabalhadores queixam-se que a entidade patronal não paga atempadamente mas que compra automóveis para uso próprio. Nestas empresas constata-se que há trabalho mas que a entidades patronais não pagam». «Em muitos casos os trabalhadores assinam documentos em como a empresa não lhes deve nada, trabalhadores esses com vários anos de casa. O que se passa é que os trabalhadores têm medo de recorrer aos sindicatos e ficam

depois a perder. Os trabalhadores portugueses vivem no limite das suas possibilidades. A média salarial anda à volta dos 500 e poucos euros. Têm muitas dificuldades e perder o trabalho é um drama muito grande», expõem a candidata. «Depois se queremos dar educação ou formação aos nossos filhos não há condições», afirmam os trabalhadores. Os problemas sociais aparecem. Os candidatos apontam ainda para o assistir de um crescente movimento de lay-offs, principalmente de Janeiro para cá em que as pessoas perdem cerca de 1/3 do seu salário. Há muitos lay-offs clandestinos, sem qualquer tipo de fiscalização, não há muitas vezes comissão de trabalhadores para acompanharem estes processos. Grandes grupos económicos, como alguns hipermercados não têm condições de trabalho, refere Márcia Silva. Jerónimo Martins, Sonae, o Grupo Auchan, são exemplos onde se aplicam contratos por 6 meses, o que origina que as pessoas se vão embora sem qualquer direito a fundo de desemprego. No

próprio posto de trabalho têm por exemplo que aguardar horas de espera para ir à casa de Banho. «No Centro da Maia, veja-se o caso do Centro Comercial Venepor, que é um descalabro. A maior parte das lojas estão fechadas e os poucos trabalhares não têm qualquer tipo de contrato». Apontam o Desemprego como problema central do País. Só no Porto apresenta-se com uma taxa de 13%, a nível nacional 10% e a Maia, sem ser excepção com cerca de 12%. Dados de Março 2008 em relação a Março 2009 mostram uma variação de 21%. MEDIDAS PROPOSTAS PELA CDU Para combater estas e outras situações, o programa da CDU para as eleições legislativas de 27 de Setembro contemplará, segundo Márcia Silva: O apoio às micro e pequenas empresas.Dá como exemplo o fim do pagamento especial por conta, que deve ser eliminado pois é bastante oneroso. -O reforço da fiscalização, contra a precariedade laboral que é

bastante alta. Apesar das normas gravosas para o não cumprimento de determinadas condições e direitos dos trabalhadores, o facto é que as condições em que os contratos são celebrados em comparação com a precariedade laboral, verifica-se a violação da própria lei. - O combate ao recurso do Layoff, que claramente têm-se agravado, com argumentos de crise. A Finex, foi uma das empresas apontadas como exemplo da aplicação do Lay-off. Esta situação terá sido comunicada à segurança social, e o que veio a acontecer foi que em 2 meses nada se terá feito nem existiu o apoio dessa instituição, acabando por ser a casa mãe a suportar tal situação, conta Márcia Silva. -Alargamento dos critérios de atribuição do subsídio de desemprego e sua duração. «Há um número significativo de desempregados sem qualquer tipo de apoio»; O aumento dos salários e do poder de compra de modo a dinamizar a economia.

CDU apresentou no Parque de Quires, candidatos às freguesias de Moreira e Vila Nova da Telha

“Ruptura e Mudança – Sim é possível uma vida melhor” ob o lema “Ruptura e Mudança – Sim é possível uma vida melhor”, no passado domingo, dia 13 de Setembro, a CDU apresentou as candidaturas às Assembleias de Freguesia das Vilas de Moreira e Nova da Telha, estando presentes Manuel Lobão, candidato à Vila de Moreira da Maia; Júlio Campos, por Vila Nova da Telha; António Neto, à Câmara Municipal da Maia; Márcia Silva candidata a deputada nas próxi-

mas legislativas pelo distrito do Porto e à Assembleia Municipal da Maia. Manuel Lobão, candidato à Vila de Moreira fala da freguesia como «aquele velho sítio com os problemas de sempre», apontando quatro grandes áreas a necessitar de intervenção, Urbanismo, Educação, Segurança e Transportes. No Urbanismo o candidato afirma existir um “caos” onde a fiscalização não

actua e encontram-se obras paradas sem ninguém saber exactamente o que se passa, exemplificando com um caso particular em que construiu a sua casa e agora não a consegue habitar porque alegadamente estará construída em cima de uma importante conduta de Saneamento. Em termos de Educação, o candidato diz urgir uma escola de ensino público para os alunos que tenham que frequentar o 12º ano,

dado que quando acabam o secundário, os habitantes da Vila têm que se deslocar para outros locais no concelho e limítrofes, o que o leva a outro importante tema que é os transportes, que revelam dificuldades de mobilidade da população. A terminar o tema da insegurança também é “caro” a este candidato que propõe que onde existia a estação de Pedras Rubras fosse agora instalado um Posto da GNR.

Júlio Campos, candidato a Vila Nova da Telha e a “jogar” em casa defende um programa “verde” já que a protecção do meio ambiente é uma das preocupações principais da sua candidatura. No entanto a falta de infra-estruturas ou o seu melhoramento é também uma prioridade. A população mais carenciada não fica esquecida e Júlio Campos defende a criação de apoio social para as áreas mais carenciadas.


12

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Política

maiahoje

LEGISLATIVAS Puzzle Simbólico

AUTÁRQUICAS Três Candidatos às Juntas em Campanha

MEP “Movimento Esperança Portugal” passou pela Maia

Bloco de Esquerda na cidade da Maia

Joaquim Pedro Cardoso da Costa, candidato a deputado pelo Circulo Eleitoral do Porto esteve na passada quarta feira em frente à Câmara da Maia numa acção de campanha. Com a ajuda de transeuntes foi construído um puzzle com 2 metros, em

que cada pessoa colocava uma peça no mesmo simbolizando a importância de cada um na construção de Portugal, como diz o slogan “Construir Portugal”. Joaquim Pedro ia no terreno dando conta, em abordagem directa, em traços gerais, das

propostas do MEP. “O MEP quer ser a voz da renovação na politica portuguesa”. Com o bom indicador das eleições europeias o MEP tem como grande objectivo eleger dois deputados nas eleições legislativas.

Rogério Paulo Nunes candidato à Freguesia de Vermoim, José Inácio à Freguesia da Maia e José Francisco à Freguesia de Gueifães, representaram o BE da cidade da Maia em mais uma acção de campanha pelo Bloco de Esquerda. Na Maia, o Bloco obteve a sua maior votação nas passadas eleições europeias e foi com essa embalagem que os três candidatos visitaram alguns locais para passar a mensagem. Juntamente com Moisés Ferreira numero seis à Assembleia da Republica e Jorge Magalhães numero nove estiveram da parte da

manha no ISMAI, no mercado de Pedrouços e no centro da Maia. Distribuição de campanha e abordagem pessoal foram as acções para darem conta do programa eleitoral do BE. Da parte da tarde junto dos mais jovens, na Escola Secundária do Castêlo e na Escola Secundária da Maia, o discurso focalizou-se mais no ensino e na melhoria das condições dos alunos. A terminar deslocaram-se para a entrada da Sakthi empresa de transformação de metais e da empresa têxtil Confetil. Locais onde abordaram temáticas relacionadas com os trabalhadores.

AUTÁRQUICAS Grupo de cidadãos independentes por V.N. da Telha (IVNT)

OPINIÃO

Ao serviço “independente” de Vila Nova da Telha Orlando Leal

Empreendedores eleitorais Aproxima-se de forma galopante os embates eleitorais para as legislativas e autárquicas. Trata-se de uma situação estranha na nossa democracia, com a quase simultaneidade destes dois actos surge uma tendência de dispersão de esforços por parte das máquinas partidárias concelhias, que têm a responsabilidade de apoiar os líderes nacionais, enquanto ao mesmo tempo não podem descurar as realidades autárquicas dos seus concelhos e vão-se desdobrando em acções de campanha ora para umas ora para outras eleições. Depois temos as estruturas de campanha, mais concretamente os outdoors que proliferam numa rotunda perto de si, e que vão desde os candidatos às Juntas de Freguesia até aos candidatos a Primeiro-ministro, passando claro pelos candidatos às Câmaras Municipais e até mesmo ás Assembleias Municipais, como acontece aqui na nossa Maia. Aliás a capacidade empreendedora de produção de cartazes é tão grande que até já vi numa rotunda Maiata um con-

corrente a Câmara Municipal apresentar-se, falando em “Empreededorismo”, que deverá ser um novo conceito laborioso e diligente de fazer as coisas mas sem nada querer ter a ver com a letra “N”, e já agora para os produtores desta pérola, “Família” é acentuada… Mas com mais ou menos eros orográficos, o que interessa é o forte espírito empreendedor dos partidos para que as suas ideias cheguem ao maior número de pessoas possível e que, assim, as possam convencer a optarem pelas suas ideias e projectos. Mas falemos agora um pouco mais das legislativas, que irão decorrer já dentro de dias e que deverá responder, a meu ver, a duas questões essenciais: Quem queremos a Primeiro-ministro? Que partidos queremos no Governo? Em relação a primeira pergunta a resposta será fácil, ou Manuela Ferreira Leite, ou José Sócrates, pois são de acordo com as previsões e a tradição os líderes dos partidos que poderão arrebatar o maior número de votos, sendo que, de acordo com as sondagens o PS parte na frente, mas de acordo com a experiência das Europeias isso de-

pois não se transcreve directamente para os votos reais onde o PSD recupera terreno. Em relação à segunda é que as coisas complicam, uma vez que não há previsão de maioria para nenhum partido, teremos de escolher entre um Governo PSD com o apoio do CDS-PP, ou do PS com o apoio do Bloco de Esquerda, que no caso da primeira hipótese é uma tendência mais ou menos natural e aceitável de acordo com a história democrática, já no segundo não passará de uma junção de ambições de inimigos figadais, apenas na expectativa de manter o poder e/ou chegara até ele. Resumidamente, aqueles que se consideravam os mais radicais e eficazes opositores do “Regime”, ambicionam entrar no sistema de poder. E é por isto que o voto de todos é importante, é por isto que devemos escolher entre a seriedade e a ambição desmedida, optar entre a política de verdade e a manutenção da situação actual, que como todos sabemos, poderia ser muito melhor… MAS como em tudo na vida, a escolha é de cada um e de todos… Bons votos!...

Sendo a única candidatura a concorrer a título independente, o Grupo de Cidadãos Independentes por Vila Nova da Telha (IVNT) conseguiu granjear apoios da Direita à Esquerda. A Floriano Pinho Gonçalves perguntamos o porquê desta “sedução” que leva quase todos os partidos a optarem por não apresentarem lista àquela Freguesia e apoiar os “independentes”, tendo a resposta sido rápida «na Assembleia Municipal onde sou confrontado com questões partidárias eles estão mais “virados” para as questões partidárias e eu para as de trabalho. Assim consigo votar em consciência comigo e com os meus eleitores. Penso por mim e pelos cidadãos e não politicamente», disse. Questionado sobre se sabia porque é que o Partido Socialista e a CDU são as únicas forças políticas que apresentaram listas, Pinho Gonçalves não esconde as suas origens e mágoas «fui filiado no Partido Socialista por quem concorri a esta Junta de Freguesia pela primeira vez. Não tenho nenhuma vergonha em dizer que ainda hoje sou Socialista, mas na Maia continuam a haver “fracturas” no Partido que não se resolvem. Com um PS homogéneo e uma direcção unida num projecto poderia ponderar concorrer pelo PS, não por iniciativa própria, mas se surgisse o convite. Sou muitas vezes confrontado por amigos Socialistas que me questionam porque é que o Partido não me apoia quando outras forças políticas o fazem e eu não tenho resposta porque essa questão terá que ser colocada aos dirigentes e eu não sou dirigente». Quanto ao projecto para um novo mandato o candidato referiu primeiramente as dificuldades económicas de uma Junta de Freguesia «pretendemos fazer uma gestão equilibrada dos nossos parcos recursos, numa continuidade do mandato anterior. Este mandato, a sernos concedido, será mais dedicado às questões sociais e infra-estruturas necessárias como um

Centro de Dia, uma Creche e o alargamento do cemitério. Não iremos fazer as coisas de “cabeça no ar” nem porque achamos bonito. Todas as nossas actividades serão estudadas no seu contexto beneficio-utente. Não vamos construir um Centro de dia para 80 pessoas se não tivermos consciência desse número. É necessário ser ponderado. De referir que nos casos destas três obras a Junta de Freguesia já tem os terrenos necessários falta agora o desenvolvimento do projecto que terá que ser efectuado com a Câmara Municipal e os seus técnicos». O autarca refere ainda o novo Centro Cívico como um pólo dinamizador «podemos agora aproximar a população ao novo edifício com actividades culturais e de Educação para os Seniores e Jovens, parcerias com outras entidades como na Saúde. Temos cerca de 80 pessoas nas “novas oportunidades”, pessoas que querem praticar desporto, ter aulas de inglês entre outros serviços que a Junta poderá proporcionar». O relacionamento com a Câmara Municipal é também importante para este candidato «seja qual for a “cor” política. Entendo que as autarquias servem para resolver problemas e não criá-los. Assim como tenho feito até hoje, o papel de presidente de junta, principalmente em obras e iniciativas que ultrapassam a sua esfera é de aconselhamento, identificação de problemas e ser transmissor das palavras e necessidades que o contacto com a população nos proporciona. È assim que entendo estar na política», terminou o Pinho Gonçalves que apesar de fazer «uma ideia de quem ganhará as eleições» não abdica de criar uma incógnita e dizer «quem ganhar…», até porque, diz a sabedoria popular que “até ao lavar dos cestos ainda é vindima”. Artur Bacelar


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Publicidade pub

pub

pub

Jornal Maiahoje Edição 236 • 25 de Setembro 2009

pub

FORMAÇÃO MODULAR CERTIFICADA- FINANCIADA (GRATUITA) Comunicação Empresarial - Presencial e Telefónica 50h Horário Laboral : 2ª a 5ª feira, das 14h00 às 18h00

Gestão da Qualidade – Área Alimentar 25h Horário Laboral: 2ª,3ª e 5ª ,das 14h00 às 18h00

Posto Trabalho-Organização, Gestão e Qualidade 25 h Horário Laboral : 2ª a 5ª feira, das 10h00 às 13h00

Noções Básicas de Informática 50h Horário Laboral: 2ªa 5ª feira, das 14h00 às 18h00 Pós-Laboral: 2ª, 3ª e 5ª feira, das 19h00 às 22h00

Recursos Humanos - Processos de Recrutamento, Selecção e Admissão 25 h Horário Laboral : 4ª a 6ª feira, das 19h00 às 22h00

Fundamentos de Contabilidade (POC) 25h Horário Pós-Laboral: 4ª e 6ª feira, das 19h00 às 22h00

Legislação Laboral 25 h Horário Pós-Laboral:2ª a 5ª , das 14h00 às 18h00

Informática – Folha de Cálculo (Excel) 50h Horário Laboral: 2ª, 3ª e 5ª, das 09h00 às 13h00

Comunicação Interpessoal – Com. Assertiva 25h Horário Laboral: 2ª a 5ª , as 14h00 às 18h00

Encerramento Anual de Contas 50h Horário Pós-Laboral: 2ª, 3ª e 5ª, das 19h00 às 22h00

Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho - Conceitos Básicos 25h Horário Laboral: 2ª, 3ª e 5ª , das 14h00 às 18h00

Língua Inglesa – Comunicação Oral e Escrita 25h Horário Pós-Laboral: 4ª e 6ª, das 19h00 às 22h00

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (Acesso ao CAP) Formação Pedagógica Inicial de Formadores Horário Laboral: 2ª a 6ª, das 10h00 às 13h00/ 14h00 às 17h00 Pós-Laboral: 2ª a 5ª das 19h00 às 22h00

Lingua Inglesa - Documentação Administrativa 50h Horário Laboral: 2ª a 5ª, das 14h00 às 18h00 Pós-Laboral: 2ª, 3ª e 5ª das 19h00 às 22h00

pub

13


14

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Sociedade MUSICA Novo tema

pub

Opinião Deco \\

“MR.OCEAN” personalidade forte e revigo-

Leonel

rada da composição dos BLIND CHARGE Para quem não os conhece tratase de um quarteto do Porto formado em 2002 por Pedro Ferraz (voz) ,Telmo Martins (guitarra) ,Márcio Pereira (baixo) e Daniel Ferreira (bateria). Todos eles trazem para esta banda rock gostos musicais variados o que veio a despertar interesse a uma editora norte-americana. Com esta editora assinaram já um contrato de distribuição digital para vários países. A música deste grupo pode ser obtida através da Web a partir de Poison Tree Records em Los Angeles Califórnia ou em algumas lojas portuguesas.

7º. Curso SBV + DAE - Maia Organização: Delegação Distrital do Porto da Elos Vitais (Maia) Dias: 10/Outubro/2009 (Sábado): 14H00 às 20H00; 11/Outubro/2009 (Domingo): 09H00 às 13H30 (Dia das Eleições... mas a Formação é só de manhã); Número de Formandos: 10 a 15 Formandos;

Após a excelente receptividade ao EP Pieces of a Black Box, distribuído digitalmente, pela editora norte-americana Poison Tree Records, Blind Charge decidiu unir esforços e adiantar um tema completamente novo, Mr. Ocean. Gravado nos Estúdios da Fábrica de Som, por Daniel Carvalho e masterizado nos Fascination Street Studios (Suécia), por Jens Bogren (Katatonia, Opeth, Paradise Lost, etc.), Mr. Ocean revela a personalidade forte e revigorada da composição dos Blind Charge. O vídeo foi realizado por António Conceição e teve edição partilhada entre António Conceição e Telmo Martins. pub

Valor Curso: 70,00 € + IVA; Local: Centro de Formação da Maia ( a 1000 metros da C. M. da Maia); Formadores: Cmdt. de Operações José Firmino e a Téc. Socorro Lídia Nunes. pub

maiahoje

REGRESSO ÀS AULAS: TENTAR POUPAR NO INEVITÁVEL Com o aproximar do início do ano escolar, voltamos a fazer as contas ao impacto que este regresso às aulas vai ter no nosso orçamento familiar. De facto, todos os anos este mês de regresso às aulas provoca um desequilíbrio nas economias domésticas, mas é uma despesa inevitável para quem tem filhos em idade escolar. Neste ano em que as deduções com as despesas da Educação serão maiores do que as do ano passado, e fruto da situação complicada a nível económico que todo o País e Mundo atravessam, o Ministério da Educação publicou o Despacho n.º 1897/2009, no qual constam novas medidas de acção social escolar. Estas medidas centram-se nas áreas da alimentação, alojamento e de auxílio económico que o Ministério da Educação e os Municípios vão proporcionar durante este ano lectivo de 2009/2010. Como medidas principais podemos destacar a possibilidade de as escolas não permitirem que uma família carenciada receba um menor apoio económico por comparação ao ano anterior, promovendo a alteração do escalão do qual a família em questão possa vir a beneficiar. É também consagrada pela primeira vez a possibilidade de os estudantes oriundos de famílias que se encontrem em situação ilegal terem direito a receber as ajudas e apoios previstos para os restantes alunos. Uma das medidas que mais poderá ajudar a diminuir o impacto do regresso às aulas nos orçamentos familiares, e isto porque a evolução dos planos escolares e dos métodos de ensino e avaliação caminharem nesse sentido, é o apoio dado pelo programa de acesso aos computadores e à banda larga. MATERIAL ESCOLAR E MANUAIS ESCOLARES, AS DUAS MAIORES DESPESAS POR ATENUAR No que respeita ao material escolar, a melhor forma de poupar será comprar o estritamente necessário não nos deixando convencer pelas várias campanhas publicitárias com que somos confrontados várias vezes ao dia. O melhor a fazer será mesmo confirmar qual o material que vai ser realmente necessário para o ano lectivo, evitando comprar coisas que se venham a revelar sem utilidade mas que têm na mesma peso na conta a pagar. Centrando a nossa atenção agora nos manuais escolares, vemos facilmente que esta é, sem dúvida, a maior despesa que o regresso às aulas origina. De facto, todos os anos mudam os manuais evitando muitas vezes a passagem dos manuais entre irmãos. Como poderemos tentar poupar nessa área? Em primeiro lugar, deveremos

ter em atenção quais são os manuais adoptados pela escola respectiva. Não nos podemos esquecer que há uma lista de livros possíveis de serem escolhidos pelas escolas, e se comprarmos um livro sem ter a certeza de que é o indicado corremos o risco de gastar uma quantia num livro que não poderemos utilizar. De seguida teremos de prestar muita atenção ao preço efectivo dos livros. Porque se vemos publicitado que determinado livro tem um certo custo, temos que confirmar que aquele valor já inclui os “apoios ao ensino” como por exemplo o livro de exercícios ou o CD de auxílio. Só aí poderemos ter uma perfeita noção do que teremos realmente de despender na aquisição dos manuais. E aqui é que poderemos encontrar formas de poupar. Encomendar os livros todos na mesma loja poderá levar a uma redução do preço sendo que a possibilidade de percorrer várias lojas nas quais existirá uma diferença entre o preço individual de cada livro não se revela vantajosa se existir esse desconto ao comprar vários livros na mesma loja. Fazer a encomenda numa loja on-line poderá parecer vantajoso, mas na maior parte dos casos os descontos por encomenda on-line acabam por ser inferiores aos portes de envio da entrega – temos de confirmar se realmente a encomenda pela Internet se traduz numa redução do preço. LIVROS EM 2ª MÃO Procurando sempre a redução do impacto negativo do regresso às aulas nos orçamentos familiares, recomendamos procurar livros em 2ª mão. Será esta a hipótese mais vantajosa para quem não queira ter um encargo financeiro tão grande. Uma simples pesquisa pela Internet permite-nos descobrir uma enorme oferta de livros usados, em vários estados de conservação, cujo preço é substancialmente inferior ao praticado pelas lojas em livros novos, devendo sempre existir uma atenção especial quer ao estado dos manuais quer à adequação dos manuais às escolhas da escola. Qualquer que seja a sua decisão, não se esqueça que há centros de recolha de livros que são distribuídos a famílias carenciadas, quer em Portugal, quer em diversas obras de acção social espalhadas pelo Mundo. E se não for esta a sua opção, saiba que há pontos em que podem ser depositados os manuais escolares para serem reciclados e reutilizados… O ambiente agradece. Bom Regresso às Aulas e Bom Trabalho. Luís Cardoso Vaz Para qualquer esclarecimento adicional, pode dirigir-se à DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor. Delegação Regional do Norte – Rua da Torrinha n.º228, H, 5ºandar,4050-610 Porto, Tel. 223391960 E-mail: deco.norte@deco.pt


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Sociedade

MUSICAL Fórum da Maia lotado

Opinião \\

“Pé no Charco” leva a cena o musical “A Bela e o Monstro” A amante de livros Bela, o horrendo Monstro, o engatatão Gaston, o desastrado Maurice, o pomposo relógio Horloge, o charmoso candelabro Lumière, a bondosa Sra. Potz, entre outros personagens, subiram ao palco pela mão dos actores do “Pé no Charco” - Teatro Oficina de Vermoim. O Fórum da Maia encheu, nos dias 18 e 19, para acolher “A Bela e o Monstro”, um musical “considerado um dos mais encantadores da história da Broadway, repleto de momentos e personagens mágicos”, sublinhou o director artístico e encenador, Mário Sá. E aditou: “O ‘Pé no Charco’ abraçou este ambiente sonhador e durante meses descobriu e envolveu-se nesta história de amor e encanto que nos conquistou desde a primeira leitura de guião.” O desejo de fazer um musical partiu do corpo de actores do Teatro Oficina de Vermoim e o encenador não recusou a proposta, até porque “é muito enriquecedor passar pelas três fases do teatro: a representação, a dança e o canto.” “E como, neste momento, vou abandonar a oficina por motivos profissionais, achei que seria o projecto ideal para recordarem a minha prestação”, ressaltou Mário Sá. Os ensaios começaram em Fevereiro com as leituras e construção do guião, que foi escrito com base em vários filmes: “Com muito empenho, dedicação, profissionalismo e, acima de tudo, muito respeito por esta arte que é o Teatro, o que apresentamos é uma adaptação do ‘Pé no Charco’ deste famoso musical”,

Carla Ramos

OS BENEFÍCIOS DA COZINHA A VAPOR

referiu o encenador. Durante os sete meses de preparação, os actores contaram ainda com marcações de cena, aulas de dança e de canto, o que segundo Mário Sá lhes conferiu um “evolução artística muito significativa.” O encenador do “Pé no Charco” asseverou que foi “um extremo prazer passar horas a fio a ensaiar esta peça e acreditar nela a cada segundo.” Considerou, igualmente, que nada seria possível sem “os melhores actores do mundo, os meus meninos do ‘Pé do Charco’, aos quais agradeço muito especialmente pelos fantásticos e inesquecíveis momentos que me proporcionaram nestes quase dois anos que passei ao lado deles.” Mário Sá reconheceu também a importância da Junta de Freguesia de Vermoim na concretização dos seus sonhos teatrais.

15

Mafalda Banquart, Valter Moreira, Pedro Mahlyk, Marta Almeida, Sofia Príncipe, Gabriel Baptista, Joana Andrade, Mónica Ribada, Elza Martins, Vasco Fonseca, Isabel Barbosa, Hélia Cerqueira, Bernardo Laranjeira e Ana Leonor Banquart foram os “catorze magníficos” do “Pé no Charco” que, apoiados por sete bailarinos externos à Oficina de Teatro Vermoense, deram vida ao musical “A Bela e o Monstro”, com direcção artística e encenação de Mário Sá e coreografia de Rosália Passinhas. Recorde-se que o “Pé no Charco” é um projecto de Teatro Comunitário, aberto à participação de todos, criado em 2006 pela Junta de Freguesia de Vermoim e integralmente financiado por esta e que tem contado com a colaboração da Câmara Municipal.

Apesar de ainda não ser muito utilizada no nosso país, a cozinha a vapor tem inúmeras vantagens, sobretudo para quem tem de cuidar da alimentação de um bebé. Para além de ser uma das melhores formas de preservar nutrientes essenciais (como vitaminas e minerais), aspecto muito importante quando se trata da alimentação do bebé, é também uma forma rápida de confeccionar os alimentos - existem hoje aparelhos que facilitam a preparação de uma refeição completa, ao permitirem cozinhar simultaneamente peixe, fruta ou legumes, sem mistura de sabores e em cerca de 10-15 minutos. A partir dos 4-6 meses de vida, o leite materno já não é suficiente para cobrir todas as necessidades do bebé. Como preparar os alimentos para que o bebé seja capaz de os tolerar, saborear e aproveitar os seus nutrientes? As cores, cheiros, sabores e texturas devem ser introduzidos gradualmente e de forma separada, não só para identificar possíveis intolerâncias, mas também para permitir o desenvolvimento do paladar. Por outro lado, não devem ser usados temperos pois os rins do bebé são ainda frágeis e ele deve descobrir o sabor natural dos alimentos. Todos estes requisitos da alimentação do bebé encontram um

bom aliado na cozedura a vapor. Em primeiro lugar porque a cozedura a vapor permite manter mais nutrientes essenciais, como o Ferro, vitaminas do complexo B e vitamina C. Por exemplo, os brócolos cozidos a vapor têm 84% de vitamina C, enquanto que os cozidos em água apresentam apenas 40%. Isto acontece porque na cozedura a vapor os nutrientes não se perdem no caldo da cozedura, o que traz mais três vantagens. Em primeiro lugar, os alimentos apresentam cores mais vivas (sobretudo no caso dos legumes), o que é fundamental na estimulação do bebé e na sua aceitação de novos alimentos. Depois, preservam melhor o seu sabor, contribuindo para uma experiência sensorial agradável para o bebé e evitando o uso de sal ou outros temperos. Por último, quando se introduzem os sólidos, os alimentos a vapor ficam com uma textura firme mas suave, ideal para estimular o fortalecimento das gengivas e posterior desenvolvimento dos dentes. Todos estes aspectos contribuem para aumentar a aceitação dos novos alimentos por parte do bebé, sendo igualmente úteis mais tarde, quando a criança tende a recusar alimentos como as verduras ou o peixe cozido. É também importante que toda a família adopte uma alimentação saudável e incuta na criança interesse pela sua alimentação. Com algum planeamento nas compras, métodos culinários saudáveis (como a cozedura a vapor) e uma boa dose de convívio à mesa, estará a contribuir de forma decisiva para a sua correcta educação alimentar! Nutricionista – Rodrigo Abreu

Rita Santos

TECNOLOGIA 60% da população portuguesa já pode ver TDT

Maia já tem cobertura total de Televisão Digital Terrestre A Televisão Digital Terrestre (TDT) é já uma realidade para 60% da população portuguesa, que poderá ter acesso a uma nova experiência de televisão, de forma gratuita, com melhor qualidade de imagem e som e funcionalidades inovadoras. A Portugal Telecom traçou como objectivo para o final deste ano cobrir 80% da população e assumiu o compromisso de cobrir integralmente o país até ao final de 2010, criando condições para antecipar em 16 meses a data limite de desligamento da televisão analógica fixada pelo Governo. Portugal será assim o país da União Europeia com menor tempo de implementação da TDT.

A TDT irá substituir a actual teledifusão analógica terrestre (que disponibiliza os quatro canais nacionais generalistas, a RTP 1, RTP 2, SIC e TVI, assim como a RTP Açores e RTP Madeira). Assim, os portugueses passarão a ter acesso a uma qualidade de imagem e som digital, para além de funcionalidades que até agora só se encontravam disponíveis nas ofertas de televisão pagas, tais como: - Guia TV. Mostra o detalhe da programação de cada canal; - Barra de Programação. Permite saber que programas estão a dar no mesmo momento noutros canais e que programas irão ser emitidos a seguir;

- Gravação Digital com possibilidade de agendamento. Permite planear e gravar os conteúdos transmitidos pelos canais televisivos; - Pausa TV. Permite parar a emissão em tempo real e retomá-la mais tarde; Que equipamento é necessário para ter TDT? Para ver televisão de acesso livre em formato digital é necessário ter, para além de uma antena, uma televisão com recepção de TDT incorporada, ou um equipamento descodificador que será ligado ao televisor. Quer os descodificadores quer os equipamentos de televisão referidos têm de ser

compatíveis com a norma europeia DVB-T e com o formato de compressão MPEG-4/H.264. Vários modelos e marcas de descodificadores estarão disponíveis para venda no mercado, uns mais simples apenas com funções de recepção de sinal e outros com funcionalidades mais avançadas, como a Pausa TV ou a capacidade de Gravação. O que é a TDT? A TDT – televisão digital terrestre – é uma nova tecnologia de teledifusão terrestre (através de antenas) com sinal digital que irá substituir a actual teledifusão analógica terrestre (televisão “tradicional”). Esta TDT permite

uma utilização mais eficiente do espectro electromagnético, o que levou a Comissão Europeia a determinar que fosse introduzida em todos os países da União esta tecnologia, estabelecendo um prazo (até 2012) para o switch-off (desligamento) da actual transmissão analógica. Para conhecer quais os locais com cobertura ou a lista de emissores em funcionamento aconselha-se o acesso ao site http://tdt.telecom.pt ou o contacto do número de apoio gratuito: 800 200 838.

PUB


16

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Sociedade

maiahoje

MODA 1º DESFILE NA QUINTA DA CAVERNEIRA

Produção conjunta de jovens de Águas Santas Na passada sexta-feira, dia 18, pelas 21h30, teve lugar o 1º Desfile de Moda na Quinta da Caverneira. Apesar do tempo um pouco chuvoso, foram vários os interessados que se fizeram deslocar ao local para presenciar o desfile de algumas possíveis futuras promessas no Mundo da Moda. Numa produção conjunta de dois jovens de Águas Santas, foram apresentadas as novas tendências para penteados Outono/Inverno por Sandra Roque , e Ricardo Lourenço, vestiu diversos modelos amadores de várias faixas etárias

com a nova moda para as estações frias que se avizinham. No sábado, também pelas 21h30, o auditório da Quinta foi palco da 92º criação da companhia de Teatro “Art`Imagem” intitulada “O Escurial”, com temporada até 26 de Setembro, com sessões às 21h30 de terça-feira a sábado e 16h00 ao Domingo. A Quinta da Caverneira continua a ser um dos muitos espaços apetecíveis do Concelho, para a apresentação dos mais variados tipos de eventos.

CULTURA Pintora Maiata expôs talento

“O Céu e a Terra” em exposição no Fórum Jovem A exposição de pintura “O Céu e a Terra”, da autoria da artista plástica Alexandra Maria Alvura abriu as portas na passada sexta-feira, dia 18, na Sala de Exposições do Fórum Jovem da Maia. A mostra exibe cerca de duas dezenas de telas que ilustram o percurso artístico da pintora e manifestam a sua paixão pelo movimento das tintas, pelo abstraccionismo, por trabalhos realizados com as mãos e pela utilização de diversos materiais. “Sempre gostei de apreciar todo o tipo de arte”, ressaltou a artista. Contudo, foi após a morte do pai e a entrada no desemprego, há cerca de três anos, que Alexandra Maria Alvura decidiu pôr em prática o gosto pela arte decorativa e pela arte na tela: “Penso que foi a estrelinha do meu pai que me deu forças

para mostrar o meu talento. Esta exposição é uma homenagem ao meu pai. Daí o título: ele está no céu e eu na terra.” A pintora, natural de Milheirós, expôs pela primeira vez em Maio de 2009, no Restaurante Arte com Sabor, em Vila do Conde. “Fiquei surpreendida quando o presidente da câmara da Maia soube e quis lá ir pessoalmente. A partir daí surgiu a oportunidade e o convite de expor no Fórum Jovem”, sublinhou a artista plástica. A mostra começou “com o pé direito”, uma vez que registou, no primeiro dia de exposição, cerca de 60 visitantes e perto de uma dezena de quadros vendidos. Alexandra Maria Alvura, de nome artístico Alma (“Al” de Alexandra, “m” de Maria e “a” de Alvura) mostrou-se muito satisfeita e “grata ao presidente da Câ-

mara Municipal da Maia e ao vereador do pelouro da Juventude pelo interesse que demonstraram pela Arte na cidade da Maia.” Num futuro próximo, Alexandra Maria Alvura gostava de ver os seus trabalhos expostos no Fórum da Maia: “É um espaço com bastante prestígio e eu dou muito valor à Maia.” No seu percurso artístico, a pintora maiata concorreu também à XV Bienal de Arte, em Vila Nova de Cerveira, e vai expor nas Galerias de Miguel Bombarda, no Porto, ainda este ano. “O Céu e a Terra” está patente no Fórum Jovem da Maia, até ao dia 3 de Outubro. Rita Santos

Aguas passadas movem moinhos \\ Fordoc

“Lê o passado e ficarás preparado para o futuro” PROVÉRBIO POPULAR Nas últimas décadas temos assistido a grandes inovações tecnológicas que modificaram definitivamente a nossa forma de estar no mundo. Certamente, hoje em dia, já não será fácil imaginar as nossas vidas sem internet, sem telemóveis, sem ar condicionado, sem televisão, etc. Sem nunca termos grande noção da velocidade a que tudo isto se processa, a verdade é que continua a existir uma grande ânsia de

estar ainda mais à frente no tempo e de anteciparmos o nosso destino. Esta enorme vontade de prever o futuro fez com que, desde sempre, existissem crentes interessados em contactar com astrólogos, adivinhos, tarólogos ou espíritas para prever o sentido da evolução das coisas. Apesar de haver pessoas que gostariam de poder antecipar o tempo, face à enorme velocidade a que tudo isto se está a processar, é cada vez mais notório que muitos desejariam que o tempo parasse ou até mesmo voltasse para trás. Começam a surgir cada vez mais indivíduos que sentem uma verdadeira nostalgia da época em que as coisas eram mais calmas e mais simples. Não é por caso que nasce o interesse pelas imagens a preto e

branco, o gosto de séries televisivas como é o caso do “Conta-me como foi”, das feiras das velharias e até de festas e encontros de antigos alunos, antigos funcionários… Fruto desde saudosismo crescente muitas organizações aproveitaram este novo comportamento social e pegando em lembranças de outros tempos fizeram com que determinadas tendências passadas voltassem a ficar na moda. Se pensarmos no surgimento de bandas como é o caso do grupo Nouvelle Vague que, inspirando-se em bandas de sucesso dos anos 80 como os Violent Femmes, Sex Pistols, Joy Division, The Clash, e Depeche Mode, tiveram o sucesso garantido, é fácil verificarmos que a inspiração no passado tem sido uma verdadeira fórmula

mágica. Ainda no domínio musical podemos referir o crescente número de compradores de vinil ou o surgimento de rádios ou de gira-discos digitais semelhantes aos que habitualmente víamos na casa dos nossos pais. Não será certamente por acaso que surgem armários em forma de jukebox, carteiras em forma de cassetes… Contudo, este gosto pelo revivalismo não fica por aqui. Se pensarmos em exemplos como o novo New Beatle, o Fiat 500 ou o Mini, verificamos que também a indústria automóvel acompanhou de forma muito explícita esta tendência. Mesmo com preços acima da média, a verdade é que estes modelos têm conseguido, sem recurso à magia negra, conquistar o coração de muitos compradores que procuram re-

viver emoções passadas que tiveram ao volante de um carro semelhante ou até mesmo superar as frustrações de quem em novo sonhou com aqueles modelos e que na altura não os puderam ter. Este gosto pelas ligações ao passado como é o caso do eterno sucesso das Allstar, do clássico fato de treino da Adidas, dos óculos de sol Ray-Ban, das Bombocas, das pastilhas Gorila ou mesmo dos Sugos faz que com possamos afirmar com certeza que existem águas passadas que ainda movem moinhos. Cristela Bairrada sugestao.fordoc@gmail.com Associação Nacional de Jovens Formadores e Docentes (FORDOC)

PUB


maiahoje MOREIRA

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Freguesias

17

Mostra de Tradições - Saberes e Sabores

Uma feira à moda antiga O Grupo Regional de Moreira da Maia realizou, no passado domingo, na Feira de Pedras Rubras, a Mostra de Tradições - Saberes e Sabores, integrada nas comemorações dos 75 anos da colectividade. A directora do Grupo Regional de Moreira, disse acerca desta Mostra «foi uma maneira de dar continuidade às tradições, lembrar as velhas Terras da Maia, dar a conhecer que temos muitos artesãos na Terra e poder juntar todas as pessoas que fizeram parte deste Grupo ao longo dos seus 75 anos de existência». Estiveram presentes 30 artesãos, «coisa que nunca me passou pela cabeça foi tal aderência, pois é a primeira vez que realizo este tipo de evento, e existem muitas festas à volta da nossa terra. Superou todas as minhas expectativas, quer a nível do público, quer das colectividades que estiveram presentes, assim como o contributo que esta Direcção deu. Um trabalho muito intenso, antes e depois da Mostra. Louvo todos aqueles que trabalharam sem nada receber em troca». Entre várias actividades, realizaram-se jogos tradicionais como jogo do arco, do peão, salto à corda, jogo da malha, onde estiveram, também, os romeiros de Amorosa Matosinhos com os seus cabeçudos, bombos e os robertos. No entanto, estiveram representados mais de uma dezena de grupos folclóricos, entre eles os Fontineiros

da Maia, Rancho Infantil de Moreira da Maia, e ainda outros dos concelhos de Matosinhos, Vila do Conde, Trofa, Santo Tirso, Santa Maria da Feira, Fafe, Coimbra e Marco de Canavezes, Uma grande tenda do Grupo Regional serviu o porco no espeto, rojões, pataniscas, sardinhas fritas, caldo verde, papas de sarrabulho, regado com o bom vinho da região. Noutra tenda servia-se o café d’avó, fatias de bolos caseiros, rabanadas e os célebres doces os Lidadores. Mas por toda a Feira, o privilégio de ter fumados, enchidos, miniaturas em madeira, em granito, arraiolos, tecidos e trajes regionais, calçado para folclore, bordados, brinquedos em madeira, flores, entre outras coisas. Da parte da tarde puderam mostrar as nossas tradições, não se esquecendo de artistas como a Conceição fadista e o Serafim cantor. «Com esta iniciativa, podemos continuar o programa que consta das comemorações dos 75 anos ao serviço do folclore, numa interacção com o povo», concluiu a directora do Grupo Regional de Moreira. A Desfolhada e Arraial Tradicional será a próxima iniciativa, que se realiza para o dia 3 de Outubro.

António Armindo Soares

EDUCAÇÃO Inauguração dos Jardins de Infância do Paço e de Parada

Investimento de 700 mil euros de um total de 25 milhões. para 50 alunos .Temos mais 40 escolas em construção”. Aproveitou para agradecer ao director da escola e deixou “um muito obrigado aos pais e docentes pelo esforço”. Na escola EB1/JI de Parada o programa foi o mesmo tendo como primeira interlocutora Elisabete Machado Presidente da Associação de Pais que agradeceu a “promessa cumprida do presidente, ao Dr. Nogueira dos Santos que assumiu que a Câmara não ia esquecer esta escola, que contribuiu e cumpriu com a sua palavra. A todos os membros da Ass. de Pais o esforço que têm feito, a colaboração dos docentes e dos pais”.

Foram inaugurados na passada segunda feira os jardins de infância das escolas EB1/JI de Parada e do Paço. Foi num ambiente festivo e bem ensaiado pelos alunos que o presidente da Câmara foi recebido em ambos os estabelecimentos. Na EB1/JI do Paço, entre os discursos de circunstância, Mónica Martins Presidente da Associação de pais aproveitou para “ agradecer todo o apoio dos pais, do agrupamento e do coordenador da escola

e também agradecer à autarquia o que fizeram para os meninos terem um ambiente seguro”. António Teixeira Presidente da Junta Aguas Santas mencionou a “ajuda em parte do Governo, mas que não seria possível sem a ajuda da câmara para proporcionar esta mais valia”. O Prof. Alcidio Sérgio Lopes Director do Agrupamento Vertical das Escolas de Pedrouços ressalvou “ o salto qualitativo nas condições de

alunos e professores” agradecendo também à câmara “pelas melhorias de trabalho proporcionadas”. Bragança Fernandes, recorrendo ás memorias de infância “lembro-me muito bem desta escola como ela, era foi onde fiz o meu exame de admissão” continuando “deitamos mãos à obra requalificamos a escola centenária e fizemos este jardim de infância tudo isto sofreu um investimento de 300 mil euros com uma capacidade

O presidente da Câmara mencionou que “neste mandato apostamos na educação com um investimento de 25 milhões de euros em parques escolares”. Teve também lugar a oferta de um livro “ A Biblioteca Misteriosa do Tio Serafim”, da autoria do Dr. Maia Marques Director do Dep. De Cultura e Turismo da Câmara. É uma viagem pela história da Maia. Trabalho do pessoal do Dep. de Cultura da Câmara. Todos os alunos tiveram direito à oferta de lancheira, livros e “pen drive”.


18

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Publicidade

pub

pub

pub

maiahoje


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Publicidade

19 PUB

PUB


20

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Freguesias

maiahoje

\\ Folgosa - Inaugurado a 22 de Setembro

\\ Moreira - Inaugurada a 23 de Setembro

Polidesportivo de Santa Cristina

Ampliação e Requalificação da EB1/JI Pedras Rubras

\\ Crianças tiveram tarde inesquecível

\\ V.N. Telha - Inaugurada a 23 de Setembro

Ampliação e Requalificação da EB1/JI de Prozela

\\ Os pequeninos também sabem ouvir

\\ Alunos e Professores da escola

pub


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Freguesias

21

pub

ÁGUAS SANTAS 4 anos de luta

Escola Secundária de Águas Santas sofre expansão \\

Câmara da Maia adquire terrenos necessários e DREN faz remodelação do espaço, permitindo receber 5º e 6º anos.

Após quatro anos de profunda perseverança dos pais é finalmente concretizado o sonho da ampliação da estrutura da escola .A partir de agora os meninos das Escolas Pri-

márias de Àguas Santas já podem frequentar a Escola Secundária da Freguesia. «Antigamente, refere Cristina Gomes, os nossos filhos tinham de ir para outras escolas de

freguesias vizinhas, não havia espaço para acolher os meninos do 5º e 6º anos» Neste momento é já possível receber 7 turmas vindas das escolas

primárias e leccionar desde já o 5º ano. Segundo o que esta mãe refere, esta era uma situação bastante penosa quer para os pais, quer para os filhos pois criava pro-

blemas de vários níveis, principalmente sentimentais. «4 anos de luta mas o Objectivo foi Alcançado! afirma emocionada Cristina Gomes.

\\ Pedrouços - Inaugurado a 12 de Setembro

\\ Águas Santas - Inaugurado a 12 de Setembro

Parque infantil de Sangemil-Vencedores

Parque infantil da Caverneira

\\ Crianças não quiseram perder a oportunidade de estrear o novo equipamento

pub

\\ Um pequeno espaço para os mais novos


22

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Freguesias

CONVÍVIO

maiahoje

Junta de Freguesia de Silva Escura realiza passeio

230 seniores de Silva Escura foram a Baião \\

A Junta de Freguesia de Silva Escura uma vez mais promoveu o passeio destinado aos seniores. O destino foi num espaço de restauração em Baião.

Como é costume, antes do almoço em Baião, o passeio dos seniores da freguesia de Silva Escura teve duas paragens, a visita ao Marco de Canavezes e Amarante. Durante o almoço as pessoas estiveram bastante animadas e como já é hábito, foram dançando, porque a música, com os sons da concertina convidava a uns pezinhos de dança. Para este passeio seriam necessários 4 autocarros. «Estou plenamente convencido de que este tipo de convívio proporciona o encontro de idosos das mais variadas condi-

ções sócio-económicas da sociedade silvaescurense», referiu o presidente da Junta de Freguesia, José Sousa Dias. «Sentir que os nossos idosos, que trabalharam uma vida inteira em prol das suas famílias e também para engrandecer a comunidade, passaram um dia diferente e especial, participando num passeio-convívio com gente da sua geração, foi muito reconfortante», conclui o autarca. António Armindo Soares

\\ Avioso, Sta. Maria - Inaugurada a 13 de Setembro

\\ Águas Santas - Cerimónia foi a 17 de Setembro

Praça do Centro Cívico

Abertura do ano escolar 2009/10

\\ Bragança Fernandes na nova praça

VERMOIM

\\ Não faltou a boa disposição na cerimónia da abertura do ano lectivo

Ocasião para homenagear José da Silva Torres

COOPERATIVA AGRICOLA DA MAIA COM NOVO VISUAL A Cooperativa Agrícola da Maia inaugurou, no passado domingo, as obras de remodelação das suas instalações, numa cerimónia presidida por Bragança Fernandes, onde estiveram presentes destacadas figuras maiatas como o presidente da Assembleia Municipal da Maia, Luciano Gomes e cerca de quinhentos associados e seus familiares. Segundo referiu o Presidente da Cooperativa, Joaquim Freitas, «esta era um obra que se empunha, pela necessidade de criar melhores condições e corresponder com eficácia e modernidade aos novos desafios que se apresentam quer à lavoura quer aos nossos associa-

dos”. As profundas obras de transformação e renovação das instalações foram suportadas na totalidade pela Cooperativa e rondaram os 600.000 Euros. A ocasião serviu para homenagear também a dedicação de José da Silva Torres «que ao longo de uma vida inteira de trabalho e dedicação extrema a esta cooperativa, constituiu-se como que o seu fio condutor», esta expressão está cravada numa placa alusiva colocada numa das paredes interiores do edifício. Joaquim Freitas a concluir, disse ainda que esta obra «é o reflexo de afirmação desta Cooperativa, lem-

brando os nossos pais e avós, e será certamente um alicerce para o futuro».

Esta cerimónia foi finalizada com um almoço com todos os con-

vidados, associados e seus familiares. António Armindo Soares


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

AVIOSO STA. MARIA

Freguesias

23

Riso pela noite dentro

Hugo Sousa e Miguel Sete Estacas ÂŤenchemÂť auditĂłrio de Sta. Maria de Avioso No passado dia 19, Hugo Sousa e Miguel Sete Estacas levaram ao rubro de boa disposição uma plateia que encheu por completo o auditĂłrio da Junta de Freguesia de St.ÂŞ M.ÂŞ de Avioso Os humoristas, deram um espectĂĄculo onde o espaço foi pequeno para tanta gente que se fez deslocar ao local para ver estes comediantes. Marco Correia, da organização, mostrou grande satisfação pela adesĂŁo do pĂşblico, agradecendo o facto de as pessoas “numa noite de futebol terem aderido em grande nĂşmeroâ€?, referiu. Hugo Sousa, em conversa ao

Maia Hoje, desvendou um pouco da ponta do vĂŠu, do prĂłximo espectĂĄculo no MunicĂ­pio, que estĂĄ agendado para o dia 10 de Outubro no FĂłrum da Maia, altura do encerramento do 15ÂŞ Festival Internacional de Teatro CĂłmico da Maia. O espectĂĄculo irĂĄ juntar os dois humoristas acima descritos, Hugo Sousa, Miguel Sete Estacas e o conhecido humorista JoĂŁo Seabra, num “retratoâ€? de Stand Up Comedy, onde falam sobre a HistĂłria de Portugal. De salientar que o Teatro CĂłmico da Maia, decorrerĂĄ entre os dias 2 e 10 de Outubro, no jĂĄ referido FĂłrum da Maia.

\\ Folgosa - Lançamento foi a 12 de Setembro

\\ MilheirĂłs - Festa foi a 13 de Setembro

Primeira pedra do novo Centro Paroquial

Escola DramĂĄtica cumpriu 81 anos

\\ Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, com Bragança Fernandes e Silva Tiago

pub

\\ OcasiĂŁo serviu para recordar histĂłrias da colectividade

pub

     

 

-!!./ 0112

3 5'    !5(9 5'" *  !'- : 3& "

 45(56'& 45 , 6 @



   !"# 

$% &# '



#  ;  <        =     5&&> 4/$ $   

    +    ? 

  % @0.$ A <B  %    =  @C  0

C .) #$ #  % &'(()&*+

            

 

 

             

"  #$ # % &'(()&*+ ,#-./01 -   234+5''+(6&4'(7 8   2      +++$ $!,$,

()!*  !+++$ $!,$,)!)"


24

sexta-feira 11 de setembro de 2009

Freguesias

AGRUPAMENTO 95

maiahoje

Maia tem nova sede

«Felicidade, Gratidão e Amor» O Edifício Municipal que a Câmara Municipal da Maia construiu num terreno anexo ao antigo apeadeiro de Godim serve a partir de agora de nova sede do Agrupamento 95 Corpo Nacional de Escutas – Maia, num investimento que custou 250 mil euros e o seu projecto foi gizado imitando uma carruagem de comboio. Para os escuteiros e dirigentes o dia da inauguração do novo espaço social foi inteiramente de festa e uma ocasião para o presidente do Agrupamento 95, Joaquim Pereira Santos Pena, recordar que «em 5 de Outubro de 2005, com a assinatura do Contrato de Comodato foram-nos abertas as portas para muitos e renovados sonhos», assim, continua o responsável, «a existência de um espaço físico amplo e digno, onde pudéssemos finalmente transferir para a reali-

dade muitas ideias que nos alimentavam a alma começava a ganhar forma». Joaquim Santos Pena recordou o saudoso professor José Vieira de Carvalho e enalteceu o seu empenho e dedicação à causa dos Escuteiros. Mas também não deixou de lembrar outras personalidades que sempre acolheram as solicitações, entre elas, o presidente da Câmara Municipal, Bragança Fernandes, «que não virou as costas ao nosso Agrupamento, apercebeu-se das nossas dificuldades e não ficou parado». A concluir declarou que «hoje marca-se o início de uma página nova na vida deste Agrupamento. Peça a peça, móvel a móvel, a nossa união terá de evidenciar-se cada vez mais. Este não é um projecto fácil nem imediato. É preciso paciência, dedicação e muito es-

COMÉRCIO Franchising em próspera expansão inaugura 48ª agência da rede na Maia

Ouro, metais preciosos, personalizações, obras de arte e avaliações Agora na Maia, o 1º franchising de compra e venda de ouro prevê facturar 10 milhões de euros e abrir 70 agências em Portugal até ao final deste ano. André Pinto e Rui Pinhão são os responsáveis desta nova agência maiata. A agência “Valores”, primeiro franchising nacional de compra e venda de ouro, caminha a passos largos para a meia centena de balcões, número que prevê atingir ainda este mês. A Maia recebeu assim no passado dia 16, a 48ª agência da rede que está situada na Av. D. Manuel II, nº 1954 (Av. do Estádio). A nova agência da Maia tem como responsáveis André Pinto e Rui Pinhão que afirmam ser esta «uma excelente oportunidade pelo carácter inovador e pelo facto de contar com uma estrutura com know-how sobre o sector de actividade em questão».

tégia de expansão passa por continuar a investir nos grandes centros urbanos e no Litoral, tirando partido da grande concentração demográfica aí existente. Entre os principais serviços da Valores, destacam-se os seguintes: compra e venda de ouro, platina, prata e outros valores; reciclagem de ouro; avaliações (efectuam avaliações de metais preciosos, diamantes, jóias, obras de arte, relógios e similares. Estas avaliações podem ser úteis para avaliações patrimoniais, partilhas, inventários, seguros, entre outros); personalização de barras de ouro; restauros e reparações especializadas; guarda de valores; captação e colocação de objectos em leilão. MJC

O que é a “Valores” A Valores dedica-se à comercialização e reciclagem de metais preciosos e, de acordo com o director-geral J. Chester «o mercado do ouro está bastante apetecível. Queremos abrir agências em Espanha, mas também olhamos para Angola e França com especial atenção». Em Portugal, a estra-

S. PEDRO FINS

forço». O presidente da Junta de Freguesia da Maia, Carlos Teixeira, realçou três valores : felicidade, a gratidão e o amor. Valores que se associam de tal forma, que nos permitem viver em plenitude momentos de grande elevação». A felicidade «sentimo-la ao materializar-se esta realização pela qual os escuteiros lutaram tantos anos», a gratidão «àqueles que ao longo deste processo souberam honrar os seus compromissos, refiro-me aos amigos Presidente e Vice-Presidente, Engº Bragança Fernandes e Engº António Silva Tiago». Por último o amor, «do Agrupamento, muito em particular aos jovens, cuja formação ensinamentos os ajudam a sua caminhada para o dia de amanhã». Durante a cerimónia, Bragança Fernandes reiterou o apoio o Agru-

S. PEDRO FINS

pamento 95 e salientou que a Câmara Municipal comparticipará na compra de mobiliário para equipar o edifício. Avançou ainda com o anúncio

Centro de Convívio a resposta a uma necessidade O velhinho edifício que serviu de Junta de Freguesia de S. Pedro Fins durante 55 anos foi totalmente remodelada, e agora passou a ser um Centro de Convívio. A obra de reconversão foi inaugurada no passado sábado por Bragança Fernandes. O novo Centro de Convívio, segundo as palavras do presidente da Junta de Freguesia, Joaquim Marques Gonçalves, «é mais uma importante valência que responde a uma necessidade presente, e no futuro acentuará o modelo de desenvolvimento das sociedades modernas». As obras de reconversão prolongaram-se por pouco mais de 1 ano, sendo possível beneficiar e ampliar a cave do edifício, continuando a garantir a utilização à Associação Desportiva e Recreativa de S. Pedro Fins. Custou 250 mil euros, cabendo à Câmara Municipal da Maia mais de 60% do custo orçamentado. Também após uma candidatura aos fundos do Plano de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da

Administração Central (PIDAC), mereceu a comparticipação de 25%. Os restantes 15% foram financiados pela Junta de Freguesia. Para permitir o regular funcionamento e apoio aos utentes, Joaquim Marques Gonçalves lançou o apelo ao presidente da Câmara Municipal no sentido de ajudar na aquisição de uma carrinha de 9 lugares, para colmatar o problema do transporte. Por seu lado, Bragança Fernandes prometeu ajuda neste propósito. Na ocasião anunciou ainda já

Crianças têm novo espaço para o recreio

As crianças de S. Pedro Fins têm motivos para se sentirem mais seguras nas suas brincadeiras de recreio, depois de a Câmara Municipal instalar um Parque Infan-

til. Situado no lugar de Arcos, o equipamento veio dar um novo e digno rosto a um espaço, segundo adiantou o presidente da Câmara Municipal da Maia, na cerimónia de inauguração, «estava com um certo estado de abandono», e acrescentou o edil que «por insistência do presidente da Junta, fizemos esta intervenção que resultou numa obra muito bonita para as crianças desta freguesia». O custo da obra rondou os 50

ANTÓNIO ARMINDO SOARES

Mais uma obra de apoio aos idosos

Intervenção municipal gerou Parque Infantil

A freguesia de S. Pedro Fins passou a dispor de um novo Parque Infantil. Foi um investimento municipal que rondou os 50 mil euros. O equipamento foi inaugurado por Bragança Fernandes, na manhã do passado sábado.

que o edifício irá ser a sede do Centro de Ecopista da Maia.

mil euros, inteiramente comportados pela Câmara Municipal da Maia. A exemplo de outras inaugurações do género, Bragança Fernandes apelou à população «que não deixem que se destrua, porque ele destina-se aos vossos filhos». Esta obra segundo o que declarou ao “Maia Hoje” o presidente da Junta de Freguesia, Joaquim Marques Gonçalves, este parque «vem preencher uma lacuna nesta zona

geográfica da freguesia, que está em forte crescimento populacional». O autarca refere que esta obra «reflecte bem a harmonia entre um espaço que serve para o passeio e lazer e, por outro a possibilidade de ter os filhos bem vigiados nas suas brincadeiras». ANTONIO ARMINDO SOARES

estar a edilidade a planear com a Junta de Freguesia e com a participação do Vice-presidente da Câmara, António Silva Tiago, dar um novo rumo às propriedades designadas de “Casa do Bispo” que foram adquiridas pela Câmara Municipal. O objectivo será requalificar o edifício e construir ali uma unidade de saúde para servir as populações das freguesias de S. Pedro Fins, Folgosa e Silva Escura. Esta intenção será concretizada com a cedência ao Ministério da Saúde. António Armindo Soares


maiahoje

O

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Desporto ANDEBOL

desporto

«Somos equipa “a abater” » disse José Carlos Ribas sobre a participação do MaiaStars

25

VOLEIBOL Castêlo da Maia vence torneio de Santo Tirso

PESCA Evento contou com 30 atletas

Rui Torres da Juvemaia vence o primeiro Masters de Pesca Submarina Rui Torres, da Juvemaia, Alfredo Varela Rodriguez e José Mendez, da Federação Galega de Actividades Subaquáticas (FEGAS) formaram o pódio do primeiro Masters de Pesca Submarina, organizado pelo clube maiato, nos dias 18 e 19 de Setembro. O evento, de âmbito luso-galaico, foi o primeiro a nível internacional da responsabilidade da Juvemaia e também o primeiro do género em Portugal. Na competição de pesca submarina que decorreu no passado sábado, dia 19, competiram 30 atletas, 12 atletas da Selecção Nacional, o top 12 do campeonato galego e seis elementos da equipa da Juvemaia: Hélder Silveira, Jorge Torres, José Teixeira, Márcio Santos, Paulo Moreira e o consagrado Rui Torres.

concretizar de algo que há muito era pretendido: “Portugal é um país com um tradição muito forte ligada ao mar. Este Masters Juvemaia realizou-se depois de fortes pressões, tanto da Federação Portuguesa como da Federação Galega, porque nós aqui reunimos todas as condições para fazer uma excelente prova, estamos muito perto da Galiza e do centro de Portugal. E este evento é o arranque para futuras provas e fóruns de discussão sobre a modalidade e também o estreitar de laços entre Portugal e Galiza. Este convite por parte das duas federações já tem quatro anos, mas até agora não houve disponibilidade nem financeira nem humana para o realizar. Aqui também foi im-

portante o apoio da Câmara Municipal da Maia, sem a qual era praticamente impossível a realização do evento, pois os patrocínios que arranjamos não eram suficientes.” Este 1º Masters Ibérico de Pesca Submarina teve início no dia 18, às 21h30, no Fórum da Maia, com um debate sobre a actualidade nacional da pesca submarina. A Juvemaia, a Federação Portuguesa de Actividades Subaquáticas (FPAS), a Associação Portuguesa de Pesca Submarina e Apneia (APPSA), e a FEGAS, clubes, representantes de marcas de equipamento de pesca submarina, Escola de Mergulho do Norte e vários atletas trocaram ideias sobre a legislação em vigor para a actividade, os perigos que os

atletas enfrentam no mar (redes, armadilhas, cordas) e a necessidade de uma maior publicitação do sector por parte das marcas. Má interpretação dos governantes para esta actividade José António Moreira, da Juvemaia, ressaltou a importância de discutir a legislação, porque “impuseram reservas à caça submarina e há uma má interpretação dos governantes desta actividade.” “A pesca submarina é a única actividade de pesca que é selectiva, ou seja, no acto de captura do animal o pescador tem a capacidade de analisar e verificar o que vai capturar, o que não acontece com nenhuma das ou-

tras formas de pesca. Significa que sendo selectiva será a mais ‘ecológica’”, acrescentou. João Gomes Pedro, presidente da FPAS, foi mais longe e afirmou que a legislação é produzida por “pessoas que não fazem a mínima ideia do que é a pesca submarina, são pessoas de gabinete que, se calhar, nunca puseram barbatanas nem sabem o que é andar debaixo de água. Fazem-no através de pressões, geradas por ‘lobbies’ contra esta actividade, por interesses comerciais, quer na área da pesca profissional como na área subaquática. Rita Santos

Pesagem em frente à Câmara Municipal O vice-presidente e director das actividades sub-aquáticas do clube maiato, José António Moreira, explicou os moldes da prova: “A prova saiu da marina da Póvoa de Varzim, às 09h30. Decorreu entre esta marina e Leixões, ao longo da costa, nas praias de Mindelo, Angeiras, Lavra e Matosinhos, com a duração de cinco horas. No final, por volta das 16h30, os participantes deslocaram-se para a Maia, desfilaram em frente à Câmara Municipal, na Praça do Município, local onde decorreu a pesagem do peixe e uma exibição da Juvemaia na secção de basquetebol. E, porque a prova não tem propósito comercial, mas tratase de uma competição amigável, com intuito lúdico e desportivo, os melhores exemplares de peixe foram sorteados pelo público, enquanto os restantes foram doados à Santa Casa da Misericórdia.” No final do dia, José António Moreira considerou que, apesar da vitória do clube maiato, “a selecção Espanhola fez uma excelente prova. Vieram muito bem equipados, com embarcações, equipamento electrónico e grandes apoios e mereceram os segundo e terceiro lugares.” Quatro anos para a concretização do evento O vice-presidente da Juvemaia revelou ainda que este evento foi o

PUB


26

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Desporto

maiahoje

ANDEBOL Preparação para época 2009/10

Castelo da Maia Vence Torneio de Santo Tirso \\

Num ultimo jogo bem disputado, a vitória sobre os Açoreanos do Fonte Bastardo foi um bom sinal de pré-época Disputou-se no passado fim-de-semana, entre 18 e 20 de Setembro, o Torneio Cidade Santo Tirso. Os anfitirões, o Ginásio Santo Tirso, da II Divisão, receberam os primodivisionários Castêlo da Maia, Ginásio Vilacondense, A.J. Fonte Bastardo, numa prova que serviu para ganhar

\\ Ficha de Jogo Castêlo da Maia: João Malveiro, Pedro Azenha, Hugo Gaspar, João Simões, Everton Almeida e Ricardo Lima - Nuno Pereira (líbero). Jogaram ainda: Angel Melean, Fábio Milhazes Treinador: Alexandre Afonso Fonte Bastardo: Fabiano Sousa, Dimar Lopez, Manuel Silva, Lafit Alves, Rui Santos e Guilherme Sousa - João Coelho (líbero). Jogaram ainda: Murilo Silva, Mauricio Treinador: Luís Resende Parciais: 25-22;25-23, 25-23

MOTOS

ritmo competitivo. Castêlo da Maia e Fonte Bastardo eram os favoritos à vitória desta prova, e no domingo encontraram-se para decidir o primeiro e o segundo lugar. A vitória por 3-0 não deixa de ser enganadora, uma vez que os parciais (25-22; 25-23; e 25-23) demonstram que a partida foi muito equilibrada. O Castelo saiu assim invicto deste torneio deixando algumas boas indicações para a nova época. Devido ao facto de as duas equipas se terem reforçado bastante para a falta de entrosamento ao longo da partida.

\\ Classificação 1º Castêlo da Maia 2º Fonte Bastardo 3ª Vilacondense 4º Ginásio Santo Tirso

9º Encontro do núcleo do Norte

GAPE acelera por Terras da Maia

D.R

pub

O Grupo de Amigos Pan-European (GAPE) visitou a Maia, no passado sábado, no âmbito do nono encontro do núcleo do Norte. Cerca de 34 elementos e 17 motas, viajaram dos mais variados pontos do país, como Aveiro, Águeda, Lisboa, Loures e até Algarve para conhecerem as terras nortenhas. O périplo pelas Terras da Maia arrancou no centro da cidade, na Praça Doutor José Vieira de Carvalho, onde se concentraram, por volta das 11h00. O percurso contemplou a visita a várias freguesias. O GAPE estacionou as motas no Monte de São Miguel-o-Anjo, em S. Pedro Fins e no Aeródromo de Vilar de Luz, em Folgosa. Seguiuse uma recepção oficial na Junta de Freguesia de Gondim, onde dois oradores convidados fizeram uma breve resenha história do concelho da Maia. O almoço foi na junta de freguesia e à tarde rumaram ao Porto, para uma visita guiada às Caves do Vinho do Porto. A recepção oficial na Junta de Freguesia de Gondim não surgiu por acaso. Fernando Ferreira, presidente da junta, é um dos “amigos” deste grupo. Embora esteja no GAPE apenas desde Abril deste ano, a paixão pelas motas remonta a finais dos anos 80, início da década de 90. Devido a este “vício”, Fernando Ferreira até já teve de ser hospitalizado, na sequência de um acidente de mota.

“Dá-me muito gozo pertencer a este grupo de amigos. Fico muito satisfeito que se tenham disponibilizado para vir cá a Gondim. Os membros do GAPE que regularmente participam no fórum estavam a tratar de uma visita ao Norte já há muito tempo. Estávamos com alguma dúvida em decidir o local até que eu lancei o desafio de virem à Maia. Temos um concelho com história e era interessante trazê-los cá. O desafio foi aceite e estamos cá hoje para percorrer as terras da nossa terra”, explicou o autarca. Fernando Ferreira salienta a “sensação de liberdade” que encontra nas motas, acrescentando que sobre duas rodas o motociclista sente-se “parte da paisagem.” A sensação de liberdade foi igualmente destaca pelo mais antigo elemento do GAPE presente nesta visita. Abel Bolinhas, membro do grupo há cerca de dois anos, resumiu o conceito do GAPE a um grupo de pessoas que partilham a paixão pelas motas, em geral, e pelo modelo Pan-European, da Honda, em particular. Trata-se de uma mota que entende distinguir-se pelo “conforto, estabilidade e tudo o que se pode tirar de melhor nas motas.” Acima de tudo, o GAPE, fundado em Março de 2007, é “um grupo de pessoas divertido, que gosta de comer e de viajar”, acrescentou Abel Bolinhas. Rita Santos


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Desporto

27

INICIATIVA Pedalar contra o Linfoma

Mais de mil apoiaram e pedalaram Organizado pela Associação Portuguesa de Leucemias e Linfomas (APLL), com o apoio da Roche, esta iniciativa reuniu mais de mil pessoas e percorreu as ruas do Porto como forma de sensibilização e alerta para o Linfoma, um tipo de cancro que afecta todos os anos 1.700 pessoas. Entre os apoiantes destacaramse as presenças do presidente da Câmara do Porto Rui Rio, do Dr. João Salazar, Presidente da APLL, do Dr. António Alberto Rodrigues, Director-Geral da Roche, do Dr. Manuel Pizarro, Secretário de Estado da Saúde, e do ciclista Cândido Barbosa, que integraram o pelotão liderado pelo último. No momento da partida os participantes largaram mais de mil balões e partiram para um percurso de

ANDEBOL

9 Kms desde a entrada sul do Parque da Cidade, Castelo do Queijo, Av. Montevideu, Av. Do Brasil, Forte de S. João da Foz, voltando novamente ao ponto de início. Para Cândido Barbosa “Tal como no ciclismo, é preciso muito treino e força de vontade para ultrapassar algumas etapas da vida.” Segundo o Dr. João Salazar, Presidente da APLL, “a iniciativa Pedalar Contra o Linfoma tem tido um impacto importante na sensibilização dos portugueses, alertando-os para este tipo de cancro. A informação, juntamente com o diagnóstico precoce e os tratamentos adequados, é a melhor forma de luta contra o Linfoma.” Também o Dr. António Alberto Rodrigues, Director-Geral da Roche, o laboratório que mais investe em

investigação para o tratamento do cancro a nível mundial, vestiu a camisola e pedalou contra o Linfoma. Todas as verbas angariadas durante a iniciativa, que assinalou o

Dia Mundial do Linfoma (a 15 de Setembro), revertem a favor da APLL e a sua missão na melhoria da qualidade de vida dos doentes onco-hematológicos, disponibilização de

acompanhamento psicológico aos familiares dos doentes e a atribuição de um plafond mensal a doentes carenciados para a aquisição de medicação. Francisco Bacelar

Começou o campeonato nacional feminino da 1ª divisão

Maiastars empata em casa do Vice-campeão Colégio de Gaia e vence Académico do Porto para o Campeonato Nacional Começou da melhor forma para as maiatas o campeonato nacional com um empate em Gaia. E da melhor forma porque, em seniores, o Maistars nunca tinha registado um resultado positivo no reduto daquele que é o vice-campeão nacional crónico. Não se pense pelo resultado, 21-21, que o jogo foi mau ou que teve pouca intensidade, longe disso. Embora ainda atrasadas nas suas preparações e com algumas atletas experientes que não jogaram (Marta Loureiro e Helena no Colégio de Gaia e Raquel Silva, Paula Santos, Zorica Ciorita e Tatiana Santos no Maiastars), as duas equipas pautaram o seu jogo com um ritmo alucinante e o resultado não teve mais golos por mérito das defesas e das guarda-redes internacionais Andreia Costa (júnior B) do Maiastars e Daniela Pereira (sénior) do Colégio de Gaia. A 11 minutos do fim, as colegiais ganharam vantagem até aos 20-18. Refrescando a equipa e colocando em campo muita juventude (só juniores, entre as quais Ana Isabel de 16 anos), o

Maiastars deu novamente a volta ao jogo, 20-21. O Colégio de Gaia ainda empatou. Até ao final, ambas as equipas tiveram oportunidade para vencer o jogo mas o resultado não sofreu qualquer alteração. No segundo jogo, recebeu o Académico do Porto e venceu por 33-26. Após um mau inicio, aos 5 minutos perdia por 0-5, o treinador pediu um “time out” mas daí não adveio qualquer resultado já que o Académico cresceu até aos 0-7. A partir daí, o Maiastars recorre à substituição de 3 atletas colocando em campo, neste momento, jogadoras mais experientes e mais tarde faz entrar a guarda-redes Marta Soares. Aos 11 minutos, perdia por 3-10 e a partir daqui, com os processos defensivos equilibrados e com argumentos tácticos de elevada qualidade recuperou e aos 20 minutos já empatava o jogo a 11 golos. Os 16-13 que marcava o resultado ao intervalo era o espelho da ascendência das maiatas sobre as portuenses. Após uns primeiros

GINÁSTICA Acrobática

A Ginástica Acrobática será apresentada na sua mais pura expressão no Pavilhão Municipal da cidade nortenha de Vila do Conde, durante este campeonato desta espectacular modalidade gímnica. Entre ginastas, juízes e oficiais esperam-se em Vila do Conde 700 participantes oriundos de 25 países que irão decerto trazer à cidade uma dinâmica diferente.

\\ Classificação dos primeiros cinco 1-Rússia 2-Rússia 3-Portugal 4-Rússia 5-China

“Somos equipa a abater” O treinador, José Carlos Ribas, afirmou sobre o embate: “ O jogo teve 3 fases distintas. No início, o adversário entrou muito forte e surpreendeu-nos. A falta da dinâmica habitual e a falta de ambição das minhas atletas jovens valorizou e facilitou o trabalho do adversário. Com as alterações efectuadas a partir daí e com jogadoras mais experientes, primeiro equilibramos o jogo e depois desequilibramo-lo a nosso favor, com uma atitude competitiva correcta. Na parte final, torpub

Par do Acro Clube da Maia em terceiro no Ranking Mundial João Maia e Tiago Figueiredo do Acro Clube da Maia estão no 3º lugar do Ranking Mundial de Ginástica Acrobática, sendo ainda os únicos portugueses a integrar o Ranking da modalidade. O par maiato tem à sua frente duas duplas da Rússia. Será já no próximo dia 28 e até ao dia 4 de Outubro que se irá realizar em Vila do Conde o Campeonato da Europa de Ginástica Acrobática.

minutos incaracterísticos na 2ª parte (19-15), o Maiastars mata o jogo colocando o resultado em 2919, gerindo depois até final essa vantagem que viu diminuída já na parte final do jogo. Rita Alves, Elisabete Pessoa, Susana Leal e Tatiana Santos estiveram em bom nível seguidas muito de perto por Dulce Oliveira, Ana Silva e Marta Soares, transmitindo uma imagem grupal muito interessante.

Dudchenko A.-Polipchuk K. Kotelnikov S-Spirin V. T. Figueiredo-João Maia Kuznertov I.-Yatsentny A. Chen H.-Yang H.

60 Pontos 48 Pontos 30 Pontos 18 Pontos 18 Pontos

namos a perder ambição e deixamos que o adversário se aproximasse embora dominando o encontro. O futuro? Não sei. As minhas atletas sabem que entre o 1º e o 12º lugar iremos ficar, o grupo é novo e não sabemos até onde poderá chegar. Cada uma delas sabe que tem uma palavra importante a dizer no sucesso ou no insucesso competitivo. Estamos no início do processo. Vamos ver quais as capacidades de todos nós. Para já, com estes dois resultados, somos claramente a equipa a abater. Por último, o facto de ser ultrapassada a fasquia dos 300 espectadores reforçando o facto que o Andebol feminino está em progressão e é cada vez mais espectacular”. E elas continuam a ganhar aos rapazes Visando a preparação para o campeonato nacional, as iniciadas do Maiastars, lideradas pela Prof. Susana Leal, jogaram o torneio de abertura de infantis masculinos ga-

nhando ao Xico Andebol de Guimarães por 14-31 e ao Fafe por 7-25. Domingo, recebem às 11 horas o histórico ABC no pavilhão municipal da Maia Quatro atletas do Maiastars nas Selecções Nacionais Jovens Ana Isabel Pereira, Renata Pereira e Rita Alves, a 1ª e a 3ª sendo ainda da selecção de sub-17 integram o estágio da selecção nacional de sub-19 que acaba domingo em Rio Maior visando a preparação para a qualificação do campeonato do mundo. Por outro lado, a jogadora Josiane Costa, acabada de chegar ao Maiastars vinda do SC Salgueiros vai pela 1ª vez integrar os trabalhos de uma selecção nacional a de sub15 que se concentrará em Leiria de 25 a 27 de Setembro


O Tempo

28

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Coffee Break

maiahoje

25/09

25/09

26/09

26/09

27/09

27/09

28/09

28/09

SEX dia

SEX noite

SAB-dia

SAB-noite

DOM-dia

DOM-noite

SEG-dia

SEG-noite

Céu limpo. Máxima 26 °C . Vento OESTE 14 km/h .

Pouco nublado. Mínima 14 °C . Vento SUDOESTE 14 km/h .

Hotspots Wi-Fi (MAIA)

Céu limpo. Máxima 24 °C . Vento OESTE 10 km/h .

Pouco nublado. Mínima 14 °C . Vento SU-SUDESTE 10 km/h .

Pouco nublado. Máxima 23 °C . Vento SU-SUDESTE 10 km/h .

Filme

Aeroporto Francisco Sá Carneiro . . . . .Pedras Rubras ANJE . . . . . . . . . . . . . . . . . .Tr. Cruzes Monte, 46 - R/C CEPSA . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Av. António Santos Leite CTT . . . . .R. Dr. José Rodrigues Silva Júnior, 355 - R/C Galeria Central Plaza . . . . . . . . .R. D. Manuel II, 2076 GALP - A.S. Águas Santas . . . . . . . . . . . . . .A4, Km 9.8 (Porto/Amarante - Ermesinde) GALP - A.S. Águas Santas . . . . . . . . . . . . . .A4, Km 9.8 (Amarante/Porto - Ermesinde) Loja PT . . . . . . . . . . . . . . . . .Av. Visconde Barreiros, 15 Lusomundo MaiaShopping . . . . . .Lugar de Ardegães Maioritelica . . . . . . . . . .R. Eng. Frederico Urich, 3196 McDonald’s (Maia Centro) . . . . . . .Lugar de Catassol McDonald’s (Maia Jumbo) . . . . . . .Jumbo, EN14, Km9 McDonald’s (MaiaShopping) . . . . . . . . .Lj. 238, Piso 2 TOTAL . .Via Eng. Belmiro de Azevedo - Z. Ind. Maia I

Telefones úteis EMERGÊNCIAS: SOS Número Nacional de Socorro . . . . . . . . . . . . . .112 Intoxicações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 250 143 Bombeiros Voluntários de Moreira . . . . .229 421 002 Assoc. Human. Pedrouços . . . . . . . . . . . .229 012 744 P.S.P. Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 413 853 P.S.P. Aeroporto de Pedras Rubras . . . . .229 482 693 G.N.R. Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 867 430 Protecção Civil (C.M. Maia) . . . . . . . . . . .229 408 722 Protecção Civil (C.M. Maia) Fax . . . . . . . .229 412 038 Protec. Civil (C.M.M) Linha verde . . . . . . .800 205 169 Polícia Municipal Maia . . . . . . . . . . . . . . .229 440 853 PSP Águas Santas . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 713 537 SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA: Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . .229 439 810 Conservatória do Registo Predial . . . . . .229 483 929 1.ª Repartição de Finanças . . . . . . . . . . . .229 448 133 2.ª Repartição de Finanças . . . . . . . . . . . .229 785 040 1.ª Tesouraria da Fazenda Pública . . . . .229 484 332 2.ª Tesouaria da Fazenda Pública . . . . . . .229 717 271 Tribunal Judicial da Maia . . . . . . . . . . . . .229 438 900 Santa Casa da Misericórdia . . . . . . . . . . .229 448 136 Correios de Vermoim . . . . . . . . . . . . . . . .229 439 610 EN - Electricidade do Norte . . . . . . . . . . .800 506 506 EN - (Comunicação de Avarias) . . . . . . . .800 246 246 S.M. Águas e Saneamento da Maia . . . .229 430 800 Inst. Emprego Form. Profissional . . . . . .808 200 670 Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . .229 413 141 Câmara Municipal da Maia . . . . . . . . . . .229 408 600 Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . .229 687 322 Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . .229 483 472 Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 408 643 Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . .229 436 390 Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . .229 442 462 E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . .229 408 643 Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . .229 408 721 Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . .229 484 821 Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 059 520 Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 482 660 Canil Municipal da Mai . . . . . . . . . . . . . . .229 823 687 Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 870 292 SAÚDE: C. de Saúde da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .229 470 940 (Linha Azul) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 487 918 C. Saúde de Á.Santas . . . . . . . . . . . . . . . .229 735 420 C. Saúde do Castêlo . . . . . . . . . . . . . . . . .229 810 238 Unid. Saúde de Moreira Maia . . . . . . . . .229 867 036 U. S. Moreira Maia(Linha Azul) . . . . . . . .229 427 968 Unidade de Saúde de Gueifães . . . . . . . .229 438 449 Unidade de Saúde de Milheirós . . . . . . .229 723 322 Unidade de Saúde de Nogueira . . . . . . . .229 448 655 Unidade de Saúde de Vermoim . . . . . . . .229 470 950 Serv. Atend. a Situações Urgentes . . . . .229 448 790 Cruz Vermelha Port. (Núcleo Maia) . . . . .229 411 221

Distrito 9

(District 9) Duração: 112 min Classi.: M16 Género: Ficção Científica Realização: Neill Blomkamp Actores: Jason Cope, Robert Hobbs, William Allen Young, Sharlto Copley Sinopse: Há vinte anos atrás, uma nave extraterrestre apareceu sobre a Terra. Os Humanos esperavam um ataque hostil ou observar grandes avanços tecnológicos. Em vez disso, encontraram um grupo de não-humanos refugiados, possivelmente os últimos sobreviventes da sua espécie. Enquanto as Nações de todo o Mundo discutiam sobre o que fazer com eles, as criaturas foram relegados para um gueto - Distrito 9.

Parcialmente nublado. Mínima 13 °C . Vento OES-NOROESTE 7 km/h .

Parcialmente nublado. Máxima 25 °C . Vento NOROESTE 14 km/h .

Pouco nublado. Mínima 13 °C . Vento NOR-NOROESTE 14 km/h .

Farmácias de serviço

(P.) - Permanente; (R.) - Reforço até 24h00) (D.) - Disponibilidade

Dia

25

26

27

28

29

30

01

02

03

04

05

06

07

08

Turno

J

K

L

M

O

P

Q

R

S

T

U

B

C

D

Turno A DA MAIA [Águas Santas (P.)] • DO AEROPORTO [P. Rubras - V. N. da Telha (P.)] LIMA COUTINHO [Gueifães (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno B CENTRAL [Maia (P.)] • VALES [Pedrouços (P.)] V. NOVA DA TELHA [V. N. da Telha (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno C DA AGRA [Milheirós (P.) • GRAMAXO [Moreira da Maia (P.)] MARTINS DA COSTA [Águas Santas (R.) | MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno D ALIANÇA [Vermoim (P.)] • EUGÉNIA [Pedrouços (P.) DAS GUARDEIRAS [Guardeiras - Moreira (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno E ÁLVARO AGANTE [Vermoim (P.)] • GEMUNDE [Gemunde (P.)] SOUSA TORRES [Ardegães - Águas Santas (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno F BOM DESPACHO [Maia (P.)] • DO CASTELO [Castêlo da Maia - Sta. Mª de Avioso (P.)] MOREIRA BARROS [Parada - Águas Santas (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno G ARAÚJO [Nogueira (P.)] • BASTOS [Gueifães (P.)] DE SILVA ESCURA [Frejufe- Silva Escura (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno H DO AEROPORTO [Pedras Rubras - V.N. Telha (P.)] • LIMA COUTINHO [Gueifães (P.)] DA MAIA [Águas Santas (P.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno I VALES [Pedrouços (P.)] • VILA NOVA DA TELHA [V. N. da Telha (P.)] CENTRAL [Maia (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno J GRAMAXO [Moreira da Maia (P.)] • MARTINS DA COSTA [Águas Santas (P.)] DA AGRA [Milheirós (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno K EUGÉNIA [Pedrouços (P.)] • DAS GUARDEIRAS [Guardeiras - Moreira (P.)] ALIANÇA [Vermoim (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno L GEMUNDE [Gemunde (P.)] • SOUSA TORRES [MaiaShopping - Águas Santas (P.)] ÁLVARO AGANTE [Vermoim (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno M DO CASTELO [Castêlo da Maia - Sta. Mª de Avioso (P.)] • MOREIRA BARROS [Parada - Águas Santas (P.)] BOM DESPACHO [Maia (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno N BASTOS [Gueifães (P.)] • DE SILVA ESCURA [Frejufe- Silva Escura (P.)] ARAÚJO [Nogueira (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno O LIMA COUTINHO [Gueifães (P.)] • DA MAIA [Águas Santas (P.)] DO AEROPORTO [P. Rubras - V. N. da Telha (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno P VILA NOVA DA TELHA [V. N. da Telha (P.)] • CENTRAL [Maia (P.)] VALES [Pedrouços (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno Q MARTINS DA COSTA [Águas Santas (P.)] • DA AGRA [Milheirós (P.)] GRAMAXO [Moreira da Maia (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno R ALIANÇA [Vermoim (P.)] • DAS GUARDEIRAS [Guardeiras - Moreira (P.) EUGÉNIA [Pedrouços (R.) ] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno S SOUSA TORRES [MaiaShopping - Águas Santas (P.)] • ÁLVARO AGANTE [Vermoim (P.)] GEMUNDE [Gemunde (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno T MOREIRA BARROS [Parada - Águas Santas (P.)] • BOM DESPACHO [Maia (P.)] DO CASTELO [Castêlo da Maia - Sta. Mª de Avioso (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)] Turno U DE SILVA ESCURA [Frejufe- Silva Escura (P.)] • ARAÚJO [Nogueira (P.)] BASTOS [Gueifães (R.)] • MENDONÇA [S. Pedro de Fins (D.)]

Informação patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

Cinemas Warner lusomundo cinemas MAIASHOPPING DE 24 de SETEMBRO- 30 de SETEMBRO

Todos os filmes têm inicio 10 minutos após hora marcada Tel: 22 977 04 50 • Fax 22 972 45 37 O Último destino

[17:00; 19:15; 21:20; 23:50(**)]

Sem Provas

[13:40; 16:15; 18:50; 21:40; 00:25(**)]

Para Lá da Fronteira

[13:10; 15:40; 18:10; 21:30; 00:05(**)]

Up- Altamente

Sacanas Sem Lei

Os Poderosos

[11:00; 14:30(**)]

[14:00; 17:25; 20:55; 00:15(**)]

[13:30; 16:00; 18:40; 21:25; 00:20(**)]

(*) Só ao Domingo - (**) Só 6ª e Sábado - (***) Excepto Sábado e Domingo

FARMÁCIA ALIANÇA De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

• Permanente

2 e 8 de Outubro • Reforço

26 de Setembro Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

PUB


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Opinião

Opinião Deco \\

Instituto Cultural da Maia: A obra e a Gratidão \\ guesia da Maia aos Combonianos. Numa semana podíamos ter aulas em seis espaços diferentes. Daqui se pode concluir o significado de finalmente termos a “nossa casa” – concentração das actividades, melhor gestão, mais união, mais qualidade, possibilidade de ampliar os curricula adaptando-os finalmente ao público-alvo.

Alunos ICM

Um grupo de alunos do Instituto Cultural da Maia faz seu o sentir de todos aqueles (e que são a maioria) que com surpresa e consternação tomou conhecimento do afastamento do Dr. Raul Cunha e Silva e da Dra. Lurdes Graça Cunha e Silva da direcção do Instituto Cultural da Maia, cargo que exerciam desde a sua fundação. O ICM tem seis anos de vida, nasceu em Abril de 2003. Qual arroio frágil e minúsculo que vai fazendo o seu caminho, vencendo obstáculos, adquirindo pujança até chegar ao oceano, assim o ICM inicia o seu percurso com apenas três dezenas de alunos e não possuindo casa própria vai tacteando na procura do seu espaço, para finalmente em 2009 a sua população escolar se aproximar das duas centenas, ter instalações próprias e culminar com o prestígio de ter adquirido o estatuto de instituição de utilidade pública, concedido pelo Conselho de Ministros. Se de 2003 a 2009 as actividades se vão diversificando com a chegada de novos alunos, também as dificuldades para conseguir espaços adequados à sua concretização se avolumavam. Andámos por “Seca e Meca”, desde o Fórum Jovem à Casa do Alto, do edifício da Junta de fre-

Como foi possível chegar aqui? Tão simples como isto: porque há vontades que não se domam. Foi graças à persistência, teimosia, espírito de bem-fazer e competência do Dr. Raul que o ICM obteve o estatuto de instituição de utilidade pública. Foi graças à coragem, determinação e espírito de luta do Dr. Raul que o ICM possui hoje instalações próprias. O caminho está traçado, os objectivos foram alcançados, o regato de ontem é hoje o rio caudaloso que abraça o oceano! Então por que é afastado o presidente do Instituto Cultural da Maia? Porque trabalhou, porque foi competente, porque abnegadamente dedicou todo o seu tempo ao serviço da comunidade, porque é um prazer ouvi-lo nas suas aulas, porque é agradável com todos e amigo de todos? E o que dizer da nossa Directora Pedagógica, a Dra. Lurdes Cunha e Silva? Temos tanto para dizer, contudo condicionalismos há que nos obrigam a ser sintéticos. No dia-a-dia era a alma do ICM já que a sua acção se exercia no plano afectivo,

humano e pedagógico. Afectivamente: sempre connosco, uma presença constante, uma palavra agradável, uma disponibilidade total para ouvir e dar. Humanamente: uma sensibilidade apurada pronta a intervir no momento certo, resolvendo problemas, criando um clima de inter-ajuda. Pedagogicamente: competência e rigor na programação e concretização das actividades do ICM: convívios, visitas culturais, organização e participação em seminários, horários, gestão dos espaços, contactos com diferentes entidades, extraordinária capacidade de trabalho, coordenando simultaneamente vários eventos. Além destas qualidades a Dra. Lurdes é dotada de espírito de missão. Adiou projectos de investigação, actividade de que tanto gosta, para se entregar totalmente aos alunos e professores do ICM. Interrogamo-nos: que valores estão por trás do seu afastamento? Há momentos em que até a sombra de certas árvores incomoda! Não compreendemos, não fomos ouvidos (e os alunos são uma parte fundamental do Instituto)! Pelo muito respeito que nos merecem, queremos aqui deixar expressa a nossa gratidão, amizade e reconhecimento pelo que recebemos neste Instituto (I.C.M.) através deles, Dr. Raul Cunha e Silva e Dra. Lurdes Graça Cunha e Silva.

A 3ª parte da “Abertura do Ano escolar do ICM” \\ Maria de Lourdes Graça

Já que não foram permitidas questões na primeira parte da Sessão Solene, a terceira parte pretendia esclarecer os alunos sobre as mudanças na Direcção do ICM e inquirir sobre o Plano de actividades e a nova estrutura da escola, dado que o actual presidente se referia sistematicamente a um novo ciclo. Muitas questões foram levantadas tais como: Porque razão mudou a Direcção quando o ICM está no seu auge? Vaidade oportunismo? Onde esteve este grupo, durante seis anos que ninguém os viu e quando o Instituto tinha novas instalações, dinheiro e Estatuto de utilidade pública veio um grupo e desapossou dos destinos do I.C.M quem conseguiu tudo isto?

O novo ciclo foi sempre a resposta dada. Sobre o currículo, verificou-se que foi encurtado. Foram suprimidas as disciplinas de Artes Decorativas e de Pintura II. O professor ausentou-se para continuar a sua carreira académica e não houve o cuidado do procurar uma nova alternativa. Quanto a outras disciplinas previstas, agora com novo espaço, previstas para o novo ano, conforme registo em boletim não estão calendarizadas. As sobreposições dos horários eram muitas, este ponto foi dos mais discutidos. Sobre as aulas de aeróbica nem sequer havia sido lido o protocolo com a câmara. Foi ainda referida a ausência de duas figuras muito queridas: O professor Raul, ex-presidente e o Presidente da Junta. Pelos vistos foram convidados pelo telefone, tardiamente, penso que não terá sido para os desconsiderar. Relativamente à parte pedagógica, a nova direcção referiu que de Pedagogia nada percebiam, neste caso por unanimidade. Foi sugerida que a antiga Directora Pedagógica retomasse as suas anteriores

funções. No meio de muitos aplausos, a direcção disse que não poderia aceitar, pois havia pertencido a uma lista que tivera de ser retirada, porque segundo disse “fazia campanha anti-rotária no meio dos alunos”, bandeira da campanha do actual presidente. O futuro do I.C.M. poderá correr perigo, pois não foram feitas actividades previstas para o mês de Agosto, a visita de estudo em fins de Setembro, nem sequer o plano de actividades está feito, nem as aulas começaram em Setembro, como sempre aconteceu. Das informações solicitadas, salientou que os 30.000 euros existentes em caixa já haviam sido gastos. Há uma questão que urge salientar: um grupo razoável de alunos disse que pretendia integrar o quadro social do I.C.M., ao que a Direcção presente anuiu com agrado. E ainda outros que pretendiam reaver o dinheiro da propina. Foi uma reunião tumultuosa com algum desagrado por parte da Direcção para com a comunicação social que previa uma vida curta para o I.C.M.

"

boletim de assinaturas

maiahoje

SIM, desejo ser assinante do JORNAL MAIA HOJE por um período de: 1 ano ou 24 números - 10 Euros

2 anos ou 48 números - 20 Euros

APROVEITE A CAMPANHA DA ASSINATURA ANUAL 15% DE DESCONTO NO PREÇO DE CAPA Envio Cheque ou V. Postal Nº . no valor de

euros, do Banco

Nome Data de Nascimento

Naturalidade

Morada Profissão

Código Postal

Telefone

Telemóvel

Recorte e envie o cupão para a seguinte morada: JORNAL MAIA HOJE - Rua dos Altos, Ed. Arcada, n.º 12 • 4470-235 ou através do Fax 22 947 62 63

29

Leonel

Inscrevi-me num ginásio em que me disseram que o pagamento era feito de seis em seis meses através da entrega de cheques para meses consecutivos. As condições deixaram de me agradar e decidi sair do ginásio, pelo que pedi ao Banco que anulasse os cheques. Posso fazê-lo? Os cheques são, como consta na legislação que os regula, um mandato pelo qual o sacado se obriga a pagar ao sacador uma determinada quantia, na data e local constantes do cheque. Quer isto dizer que ao passarmos um cheque nos obrigamos a providenciar provimento na conta sobre a qual o cheque é emitido, para que o sacador possa proceder ao saque na data que consta do cheque. A questão que se levantou revestese de interesse na perspectiva da “não existência” dos cheques pré-datados. Este conceito não tem reconhecimento jurídico porque o cheque só pode ser levantado na data escrita no cheque. No caso em análise, isto transforma-se no direito de quem tem os cheques proceder ao depósito dos mesmos na data determinada no cheque. Numa perspectiva de manutenção da segurança e da confiança nos cheques como meio de pagamento, os Bancos como entidades sobre as quais o cheque vai ser sacado só aceitam, por determinação do Banco de Portugal, o cancelamento de determinado cheque por certas razões: extravio, roubo, coacção moral, incapacidade acidental ou nos casos em que se manifeste falta ou vicio na formação da vontade. Na situação em análise, seria quase

impossível alegar qualquer uma destas razões, porque teria de se provar que o cheque tinha sido preenchido antecipadamente e que teria existido uma alteração das circunstâncias que motivassem a anulação do cheque. O cheque está correctamente preenchido, devidamente assinado e sendo apresentado na data correcta, o Banco terá de proceder ao seu pagamento. O que iria acontecer era, deixarmos de frequentar o ginásio porque houve uma alteração das condições e como seria lógico não queremos pagar um serviço que não está a ser prestado. Se a direcção do ginásio optasse pela não devolução dos cheques, ficaríamos numa situação em que não poderíamos solicitar ao banco a anulação dos cheques por estes não se terem extraviado nem ter existido nenhum roubo e ser de muito difícil sustentação a alegação de vício na formação da vontade. Ora, os cheques poderiam ser descontados na data prevista. Todavia, não existindo um contrato que vincule as partes e não estando efectivamente a ser prestado nenhum serviço, poderemos sempre tentar lançar mão do direito de regresso para o valor que indevidamente estará sob poder do sacador do cheque sob pena de estes incorrerem em enriquecimento sem causa. Teremos então de ter um cuidado acrescido com estes esquemas de pagamento de cheques para meses consecutivos, uma vez que estamos a entregar o direito a que a quantia constante no cheque nos seja retirada da conta, mesmo que o serviço em causa deixe de ser prestado. Para qualquer esclarecimento adicional, pode dirigir-se à DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor – Delegação Regional Norte na Rua da Torrinha nº 228 H 5º andar, Porto. Luís Cardoso Vaz jurista

pub


30

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Opinião

A incompetência neste país é um posto \\ Rogério Gonçalves

Estamos a oito dias das eleições e acho que todos temos o dever de ir votar naquele partido que vai de encontro às ideias de cada um. Mas o que eu temo é

que aqueles autarcas que sabemos que estão com processos na justiça e que sabemos que fazem muitas malabarices, possam ganhar, e continuar a vigarizar o povo. Mas que democracia é esta onde pessoas desse calibre e que até deveriam ter vergonha em recandidatar-se, voltam a gerir as autarquias? Isto só vem provar que muitos políticos deste País estão acima da lei e nada lhes acontece, o pobre coitado basta dar um espirro que é logo preso. Em Matosi-

nhos até basta assar sardinhas num fogareiro normal que são logo multados, é triste haver leis tão discrepantes. Termino com uma pequena pergunta: Se todos devemos ser avaliados pela nossa competência qual a razão porque um juiz que toma uma má decisão não pode ser penalizado? Se isso acontecesse acredito que mais de metade tinham que mudar de profissão. A incompetência neste pais é um posto!

batráquios \\ Nelson Ferraz

soa a campainha da campanha e os companheiros camaradas compadres e compadrios aglomeram-se à direita ao

centro à esquerda dos rosas laranjas vermelhos azuis pardos são pardais melros milhafres morcegos vampiros alinhados desalinhados em catadupa soa a campainha da campanha e os loucos roucos chegam-se aos poucos ao fim da gritaria um dia antes dois dias antes dos votos devotos que a plebe subscreve de quando em vez e são dois

ou três os jeitosos capazes de arrecadar um pouco de glória já que a história destas coisas são loisas antigas cantigas desamigas do povo e são-no sempre a ver vamos são só mais dois dias e ganharemos mais uns anos de fantasia é só escolher: a mediocridade tem cores diferentes chegou a hora dos príncipes e das princesas se transformarem em batráquios

Deficientes já acedem à Assembleia Municipal \\ Rogério Gonçalves

A Câmara Municipal da Maia deu mais um passo positivo no que concerne ao acesso por parte das pessoas em cadeiras de rodas ao Salão Nobre. O obstáculo que eram as escadas foi suprimido por uma rampa elevatória

que desliza sobre as escadas, eu tive o privilégio de a inaugurar e gostaria de agradecer aos responsáveis desta Edilidade por contribuírem decisivamente para a anulação das barreiras arquitectónicas.

o erro de Sócrates \\ Mário Duarte

Ainda em época de pré-campanha eleitoral, cada um dos líderes dos dois maiores partidos portugueses elegeu um valor fundamentador da sua acção política, tendo Manuela Ferreira Leite afirmado a Verdade, enquanto José Sócrates, em desespero de causa, não podendo escolher este Valor alicerce de toda a axiologia ética, porque sabe que os portugueses não lhe reconhecem qualquer legitimidade moral para fazer esta opção, uma vez que não só não cumpriu a maior parte das promessas, como em alguns casos até piorou a situação, como acontece com o desemprego e o controle do deficit público, viu-se obrigado a fazer uma opção valorativa de segundo nível refugiando-se na Ideia de Liberdade. Ora, como diz o ditado popular “Quem não tem cão caça com gato”. Foi exactamente o que José Sócrates fez, esquecendo-se que, afinal, o caçado foi o secretário-geral do Partido Socialista e não a presidente do Partido Social-Democrata. O primeiro-ministro de Portugal tem, reconhecidamente, talento de sofista, mas, por isso mesmo, não tem qualquer preocupação com o rigor e a coerência do seu pensamento político como impõe a exigência ética. Não é preciso ser filósofo para saber que não pode haver Liberdade sem Verdade. Não há liberdade para mentir aos portugueses Senhor Primeiro-Ministro. Manuela Ferreira Leite e toda a Oposição têm-no dito permanentemente ao longo desta legislatura, mas V. Exa. assobia para o lado e faz ouvidos de mercador. Por outro lado, o secretário-geral do PS não se cansa de dizer que o PSD não apresenta alternativas apenas falando em rasgar, suspender…Ora é exactamente por uma questão de coerência que Manuela Ferreira Leite não promete o que não pode cumprir. Se o fizesse poderia estar a mentir aos portugueses e, isso, ela não faz. A Liberdade implica Responsabilidade, mas pressupõe a Verdade. Não seria sério que Ferreira Leite se precipitasse criando nos portugueses a ilusão de que, por um passe de mágica, os problemas da Saúde, da Segurança, da Educação, do Emprego, da Justiça se resolvessem num mandato com um simples Programa de Governo . Quem rasgou, quem suspendeu, quem encerrou foi o governo socialista de José Sócrates. Rasgou o Estatuto dos professores, substituindo-o por uma complexa manta de retalhos de medidas avulsas autoritariamente impostas, criando nas escolas e nos professores um clima de frustração e de suspeição que só dificulta o exercício da profissão docente,

com prejuízos evidentes para a Escola pública. Mas mais, não só rasgou o estatuto do professores como rasgou a imagem e o estatuto da Escola Pública através do facilitismo como critério de reconhecimento de competências, como se pode confirmar pelo Programa Novas Oportunidades, independentemente da bondade inquestionável do mesmo, assim como pela diminuição do grau de dificuldade dos exames de Matemática do 9º ano, já por diversas vezes reconhecida pela Sociedade Portuguesa de Matemática, instituição insuspeita e sábia na matéria. Rasgou o Código do Trabalho e, em nome da flexibilidade, facilitou o desemprego e tacitamente retirou aos trabalhadores direitos fundamentais, conquistados pós 25 de Abril, como o direito à categoria profissional e à delimitação do objecto de trabalho. Encerrou maternidades e serviços de urgência que tanta falta fazem às populações que assim ficaram privadas de um outro direito fundamental, que é o direito de acesso aos cuidados de Saúde. As alterações do regime de prisão preventiva, juntamente com o crescimento exponencial do desemprego conduziram ao aumento da criminalidade, ao mesmo tempo que promoveu a caça à multa com as alterações ao Código da Estrada. Nunca se viu, nem no tempo da ditadura fascista, uma tão abusiva actuação da polícia. Tolerância zero é a palavra de ordem. Um pneu com um milímetro de desgaste para além do limite legal, meia dúzia de Kms acima do permitido, mesmo que seja numa auto-estrada ou IC; esquecimento de desligamento das luzes de nevoeiro, tudo serve para ir à carteira dos portugueses, sem dó nem piedade. Mas, mais grave ainda, é a possibilidade de o agente da polícia poder levantar um auto de contra-ordenação ao código da estrada, apenas com fundamento numa aparência. Por exemplo, na aparência de que o condutor estava a falar ao telemóvel enquanto conduzia, quando, na verdade, se veio posteriormente a apurar que naquele preciso momento tinha levado a mão à cabeça devido a uma dor de ouvidos. A “caça à multa” nunca foi tão fácil nem tão cobarde. O produto das coimas, roubado aos portugueses, é uma verba que serve simultaneamente para aumentar a receita do Estado e compensar os baixos salários dos agentes da polícia, uma vez que 40% revertem para as forças policiais. Sócrates e o ministro da Administração Interna transformaram as forças de segurança numa “polícia de estado” ao serviço do “Estado-polícia”. Enquanto isso, a criminalidade aumenta de forma assustadora e os portugueses têm medo de sair à noite ou de parar num semáforo. O carjacking tornou-se prática corrente, concorrendo com o assalto a residências, agências bancárias, ourivesarias e bombas de gasolina. Caminhamos para a América do Sul. A Europa está cada vez mais longe.

uma nova solução política, é necessário conhecer a realidade da situação económico-financeira do País e não tomar decisões apenas com base em dados estatísticos, cujo carácter geral e abstracto dissimula e camufla aquela realidade. Ora, a verdadeira realidade só o Governo a conhece, pelo privilégio que tem enquanto detentor do Poder. Manuela Ferreira Leite não pretende, como Sócrates, chegar ao Poder e justificar o falhanço da sua política económica com um deficit público alegadamente escondido pelo governo socialista, como fez José Sócrates relativamente ao governo de Durão Barroso e de Santana Lopes. É esta atitude de seriedade e de respeito pelos eleitores que distingue Manuela Ferreira Leite dos políticos demagogos, como José Sócrates, para quem a Verdade vale pouco, ou quase nada, desde que, qualquer que seja o caminho, consigam chegar ao Poder. O Senhor Primeiro-Ministro já nos deu exemplos demais quanto ao seu conceito de Liberdade. Liberdade para financiar banqueiros ricos e corruptos. Liberdade para emitir diplomas sem qualquer exigência de competências académicas. Liberdade para suspender funcionários públicos que ousem emitir um juízo crítico à política do governo e até liberdade para acabar com os funcionários públicos e retirar direitos fundamentais aos agora chamados “trabalhadores em funções públicas”. Não vou falar dos casos Freeport e TVI, porque respeito a Verdade e respeito todos os portugueses, nos quais se inclui o Primeiro-Ministro de Portugal. Chega Senhor Primeiro-Ministro. O Senhor enganou os Portugueses que trabalham e que criam riqueza para benefício de banqueiros corruptos. O Senhor não foi capaz de melhorar qualitativamente a Educação, antes acabou com a Democracia nas escolas e, em nome da reposição da autoridade dos professores colocou-os à mercê do poder discricionário de um único avaliador. A sua política económica criou desemprego. A sua política de segurança aumentou a criminalidade. O Senhor não resolveu o problema da morosidade da Justiça nem o problema do acesso aos cuidados de Saúde. Diga lá Senhor Primeiro-Ministro algo que tenha feito bem ou, pelo menos melhor que o governo de Durão Barroso e Santana Lopes. Eu não consigo encontrar. Senhor Primeiro-Ministro não pode falar de Liberdade sem antes mostrar a Verdade aos portugueses. Enquanto não o fizer será sempre suspeito. O Senhor governou os portugueses “sob o signo da suspeita”, e acabou por se tornar no maior suspeito dos portugueses. Como é que um Primeiro-Ministro que está sob suspeita pode garantir a Liberdade de escolha aos eleitores? A Opção não é a escolha entre Liberdade e Verdade, mas a escolha da Verdade em Liberdade. Mário Duarte

Por outro lado, antes de se propor

maiahoje

Parque infantil de Gueifães \\ Leitor identificado

Tenho vindo a constatar que a Maia evoluiu, mas tem preservado pouco a sua evolução. Tenho reparado que apostam em zonas verdes e parques, mas isso não basta, é necessário também proceder á sua limpeza e manutenção. Falo de um parque infantil que frequento com crianças na zona de Gueifães, não por vontade própria mas por imposição da instituição onde trabalho, visto que já denunciei a esta a falta de limpeza e os perigos que lá se encontram, mas em vão. Aqui encontro vidros, latas, e vários objectos impróprios de um

parque, para além do lixo também se encontram as balizas do campo degradadas, falta de tábuas e parafusos há vista e o piso degradado. Será que na Câmara não há quem fiscalize os parques? Será que as nossas crianças não podem brincar em segurança e serem felizes sem que brinquem no meio do lixo? Não pactuo com tal falta de respeito pelas crianças e jovens que serão o nosso futuro. Como podemos nos educar, incentivando a não deitarem lixo para o chão e para preservar o que é de todos? Assim não dá para educar. Tomem isto como uma critica construtiva, como base de uma proposta de incentivo para todos os que aqui habitam. Uma Maia mais limpa e bonita para todos, onde todos se sintam bem e felizes, pois as “crianças de hoje serão o futuro de amanhã”. Leitor devidamente identificado

ao Raul Morais \\ Virgílio Vale

V . Ex. cias não conheceram o Raul Morais de Izeda, mas sempre lhes digo que se tratou de uma figura ímpar no “mundo” transmontano. Era um homem grande, hercúleo até, campeão de lançamento do ferro, do calhau e da relha, nas festas e romarias, aquando da sua juventude. Tinha feito a quarta classe e aprendeu umas coisas básicas que lhe serviram de mote e base para ler muito, de dia e de noite, podendo dizerse que era uma pessoa culta, embora autodidacta. “Fiz a Universidade da Vida” dizia-me ele. Para a lavoura é que ele não tinha jeito nem vontade de se dobrar ao peso da enxada, ou calcorrear caminhas atrás de vacas e touros mirandeses. Feitios… “Ele não sabe fazer nada” dizia-me o amigo Domingos, sempre que se falava do jornal lá da terra. É que o Raul tinha uma propensão nata para a escrita e foi, durante muitos anos, o Director do jornal da freguesia. Para escrever é que ele tinha uma inclinação especial, mormente poesia. Tanto assim que publicou uma dezena de livros, alguns em verso e que tiveram bastante sucesso. Também escreveu em prosa e foi investigador da História da sua Izeda. Na página 129 da obra intitulada “Canto In-

submisso” desabafa do seguinte modo: Não tenho emprego, vivo de esmolas Não tenho canudo, nenhum furo espreito Tenho a casa a cair, chove-me no leito à mesa, os dentes tocam castanholas. Estou doente, não posso produzir Escrevo versos que não enchem a barriga Levanto-me sempre esmagado de fadiga Por passar longas horas sem dormir. Não tenho gados, não abocanho subsídios Não sou industrial, inúteis os meus projectos Pobre, enxovalham-me todos os decretos As leis são-me terríveis como presídios… Sei de Ávidos sugadores de fartas tetas Sei de lambedores de suculentos tachos Sei de pavões de vistosos penachos De lustrosas ratazanas de bengala e lunetas. Sei de medíocres nos poleiros do mando Sei de nulidades tidas como importantes Sei de certos homunculos vesgos e pedantes De abutres organizados em poderoso bando. E depois vêm com o maior desplante Falar aos miseráveis de solidariedade Essas sanguessugas da sociedade Esses verdugos do povo ignorante. Como transmontano que também sou, aqui deixo esta transcrição como homenagem a um Homem Bom que Deus chamou para Si, há bem pouco tempo. Por Virgílio do Vale virgvale@aeiou.pt

Feira de Stocks na Trofa com descontos até 80% Nos dias 3, 4, e 5 de Outubro, vai realizar-se no centro da cidade da Trofa uma Feira de Stocks, com artigos como vestuário, calçado, peças de ourivesaria, perfumes e acessórios de moda, com descontos que chegam aos 80 por cento. Algumas dezenas de lojas vão participar com produtos de qualidade a preços extremamente reduzidos, desde 0,50 cêntimos, 1 euro, 5 euros, entre outros valores. Esta I Feira de Stocks, que decorrerá no primeiro andar do edifício Trofauto (Stand OPEL), localizado frente à Estrada Nacional 14, na Trofa terá as portas abertas ao público das 15 às 21 horas.

Missa Memorial A Delegação da Área Metropolitana do Porto da Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra, vai realizar uma Missa em Memória Aos que Pereceram no Cumprimento do Dever, na Guerra do Ultramar Dia 25 de Outubro de 2009, pelas 12.00 horas na Igreja da Trindade Porto. Será Celebrante o Capitão – Capelão – Benjamim de Sousa e Silva Colabora nesta Homilia – O Coro de S. Tarcisio da Igreja da Trindade Delegação da Área Metropolitana do Porto Rua de Miragaia – 83/84 – 4050-386 Porto – Tel- 223390689/90 Fax 223390691


sexta-feira 25 de setembro de 2009

maiahoje

Candidatos à assembleia municipal... \\

... VISITAM COLECTIVIDADES

estruturas das suas sedes sociais. Essas visitas e participação nas sessões solenes, fizeram-se, quase sempre, na companhia do presidente da Câmara, (foi assim com Vieira de Carvalho e assim tem sido com Bragança Fernandes).

Há uma mensagem que está a ser levada às colectividades do concelho, e que teve início nas colectividades da freguesia de Pedrouços.

Mas Luciano Gomes entendeu visitá-las de novo, agora noutra condição: Como candidato e na companhia da sua equipa à Assembleia Municipal.

O candidato cabeça de lista à Assembleia Municipal da Maia, Luciano da Silva Gomes, desde há mais de vinte anos que frequenta todas as Associações Culturais, Desportivas e Recreativas do concelho, por altura dos aniversários, por eventos ou por reparações e transformações nas

As reuniões com as direcções e sócios que assistem, têm procurado esclarecer inúmeros factores sobre a vida das comunidades locais e o papel relevante das Colectividades do concelho, enquanto forças vivas e parceiros que promovem e desenvolvem actividades culturais, desportivas e educativas do associativismo.

José Faria

Em nome do equilíbrio e da estabilidade promotores do progresso, tem sido o papel das Assembleias Municipais, das assembleias das colectividades e de outras instituições, o assunto mais discutido nestas reuniões com as Direcções das colectividades. Pela forma como tem decorrido estas reuniões, quase se poderia dizer de “política à parte”, já que, política propriamente dita, pouco ou nada é ventilada e muito menos o nome ou sigla de qualquer força política. Uma outra forma de comunicar em proximidade entre maiatos pelas mesmas causas: A continuidade do progresso da Maia.

Eleições \\ Raul Cunha e Silva

Quando não há liberdade, não há eleições. E quando há liberdade, há eleições livres? Bela pergunta. É que para haver possibilidade de escolher, será preciso optar por vários candidatos. Só que, muitas vezes, os que queríamos escolher, não foram escolhidos para as listas e nesta situação vamos escolher os que outros já escolheram. Por quem e para quem? Eis a questão: Escolhemos partidos ou candidatos escolhidos pelos partidos? Não é bem a mesma coisa. Quando se organizam listas estáse a dizer que um grupo de iluminados escolhe livremente os que os outros vão ser obrigados a escolher livremente. Mas será que também os iluminados escolhem livremente ou são obrigados a escolher aqueles e não outros? No

fundo é a liberdade ou os interesses que estão por detrás das escolhas? Interesses de quem? Uma vez eleitos, os candidatos são livres para representar os seus eleitores ou são obrigados a seguir as determinações de quem os colocou nas listas? Por exemplo, os deputados votam sempre em consciência ou seja, têm sempre liberdade de voto ou votam sempre como mandam os que obedecem às ordens do chefe que manda? Nestes casos ao propugnar pelo bem comum, está-se a defender o interesse pessoal, ou seja identifica-se com o bem dos outros o bem pessoal. Nesta dinâmica há olhos famintos que invejam o nome e o protagonismo de alguns mas não o seu trabalho. Se quisermos ser redundantes, estes dispensam o trabalho dos outros mas não querendo viver no anonimato procuram usurpa-lhes o nome de quem trabalha mas não o trabalho de quem tem nome. Estes são os nossos tempos e a sua mediocridade. Há, porém, quem pense de

outra maneira, ou se quisermos, de maneira nenhuma. O que importa é ganhar com a derrota de quem estaria a fazer um excelente trabalho. O que virá a seguir, ver-se-á. Estamos todos de acordo: a democracia é o mal menor em termos sociais. É sempre melhor que as ditaduras. Às vezes, isto lembra-me o “Animal Farm” de George Orwell. As situações em situação são muitas e a comunicação social faz-lhe referência. Quem pode impõe “democraticamente” a sua vontade aos outros que escolhem livremente o voto de quem o impõe. A coincidência deste texto é, de facto, coincidência no tempo político nacional e no tempo de uma certa Associação. Neste último caso, o poder esteve nas mãos de um Aiatola do clã dos i1uminati (o Napoleão do “Animal Farm”) e a estratégia do “Prec” de não saudosa memória para a generalidade dos patriotas. O resultado será o que a amostra do trabalho realizado prenuncia. Raul da Cunha e Silva

Pedrouços tem mais onde namorar \\ dos tempos: José Faria

O Parque urbano da Ribeira dos Amores, é mais um espaço aprazível de lazer, convívio e tranquilidade que já se vai aprontando na freguesia de Pedrouços, por iniciativa da Câmara Municipal da Maia.

CLASSIFICADOS

Entre as Ruas das Cavadas, Gonçalo Mendes da Maia, Padre Costa e auto-estrada, de onde se avista também o Parque de Lazer e Merendas da Casa do Alto, este novo espaço valoriza-se pela passagem de um linha de água que já recebeu vários nomes ao longo

T1 Centro da Maia Sala 23m2, lareira, aquecimento central, cozinha equipada, dispensa, varanda e lugar de garagem. Preço: 70.000 Euros Contacto: Bruno Rodrigues 967894292 Site:www.prestigio2000.com

Andar Moradia T3 – Vermoim Entrada independente, três fren-

Desde Rio Torto, a ribeiro do Boi Morto e ribeiro de Teibas, por passar nestes lugares, é agora rebaptizado de Ribeira dos Amores, como quem diz, faz amor, com amor, lazer e prazer, que a guerra é de morrer! Este afluente do rio Leça, que desagua em Parada, na freguesia e vila de Águas Santas, já teve dias saudáveis, num tempo em que os miúdos aí se banhavam nos dias quentes de Verão. Depois veio a “doença” provocada pela incúria de poluidores. Até que os Serviços do Ambiente da Câmara Municipal da Maia deitaram mãos a mais esta obra, e está a conseguir, com amor à causa do bem estar social

tes, garagem individual e anexos. Preço: 90.000 Euros Contacto: Ermesinda Carvalho 966920294 Site: www.pretigio2000.com

T2 Novo – Nogueira da Maia Coz. Equipada, lareira, aquec. central, suite, roupeiros, garagem individual. Último para venda. Contacto: Bruno Rodrigues 967894292

31

Opinião

das suas comunidades, a recuperação e vida desta ribeira do tempo das minhas traquinices de criança. Ainda com muitas mazelas, a Ribeira dos Amores já sorri e dá vida ao Parque Urbano que se apronta. Só lhe falta a mão amiga do voluntariado que numa acção de limpeza, vai permitir que os girinos e as rãs voltem a fazer da Ribeira dos Amores o seu lar.

As Festividades em Honra da Nossa Senhora...\\ que acredita o Povo.

Mc Santos Leite

...DA NATIVIDADE EM PEDROUÇOS No passado fim-de-semana de 13 de Setembro, a Vila de Pedrouços honrou de modo excepcional Nossa Senhora da Natividade, como ali multisecularmente tem acontecido. As festividades realizaramse na Igreja Paroquial, antiga Capela de Pedrouços. De salientar a sua invejável silharia granítica que lhe permitiu ultrapassar incólume o temível terramoto de 1755, mercê do proeminente morro granítico em que assenta, pleno de Sol e largueza de vistas. O centro da moderna Vila, detentora de longo passado, onde em poucos anos lhe chegou um número impensável de novos Pedroucenses, estava devidamente ornamentado, iluminado e pleno de adereços festivos e tão recheado de comerciantes adventícios como não esperava encontrar. OS PEDROUCENSES É impressionante sentir o crescendo de brilhantismo e bairrismo que aquele Povo tem conseguido introduzir nas muito antigas festividades a Nossa Senhora da Natividade que crescem ao extraordinário ritmo de desenvolvimento da Freguesia. Não haja a menor dúvida de que Pedrouços sabe manter os firmes princípios em

A PROCISSÃO A procissão é um dos pontos altos das festividades de Pedrouços e merece assinalável relevo. A Maia, que conta muitas e famosas procissões, tem na procissão de Nossa Senhora da Natividade uma das maiores e com interesse como atesta o número de Pedroucenses e de visitantes que congregou. Sem favor, a procissão é também honrosa para toda a Maia. A procissão abriu com a estridência da fanfarra dos bombeiros da Terra e encerrou com duas Bandas de Música; o pálio o clero presidia à procissão que era honrada pelas autoridades políticas do Município e da Freguesia. O ouro e as notas, à boa maneira antiga, dependurado na imagem atestavam a devoção que largamente desfruta Nossa Senhora da Natividade, entre os Pedroucenses e habitantes vizinhos. O Pároco, que é o “pivot” da Paróquia e a Comissão de Festas por si mandatada deram provas de grande esforço e equilíbrio orçamental, bem patentes pelo notável incremento que as festividades têm sentido de ano a ano. O Povo não pode esconder o seu orgulho pelo esforço de engrandecimento em que participou generosamente e é principal actor. A procissão, que representa o seu maior enlevo, alongou-se, por mais de duas e meia horas percorrendo os principais arruamentos da Vila;

T3 Novo C/ Terraço – Centro da Maia Sala 40m2, aquec. central, varanda, suite, garagem individual p/ 2carros. Preço: 175.000 Euros Contacto: Bruno Rodrigues 967894292 Site: www.prestigio2000.com

T2 Novo – Centro da Maia 2 frentes, optimos acabamentos,

M. C. Santos Leite

Perigo A3 \\ Avisos, tribunais e

José Faria

Conservatórias Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços Fundada em 32 de Dezembro de 1981

Perigo sobre a A3 em Águas Santas A partir da Circunvalação, e em direcção à Maia, contam-se mais quatro viadutos sobre a auto-estrada A 3 entre a Freguesia de Pedrouços e o lugar do Paço da freguesia de Águas Santas. Todos os tabuleiros desses viadutos foram devidamente acautelados com vedação em cantoneira de ferro e rede, com cerca de dois metros de altura, mas só um não mereceu o mesmo tratamento e cuidado. Situado entre os lugares de S. Gemil e do Paço, em Águas Santas, esta ponte já registou uma morte por queda, acidental ou não, por falta de barreiras idênticas às restantes pontes que lhe antecedem numa distância de cerca de um quilómetro. Apesar do descontentamento dos transeuntes e residentes que utilizam estas vias, com crianças que por ali passam para as escolas próximas, ainda não se encontrou qualquer justificação para a falta de resguardo igual às restantes. Embora não acredite em esquecimentos ou falta de dinheiro por parte da BRISA, aqui deixo a lembrança, na esperança de mais segurança também neste viaduto e que receba o mesmo tratamento que os restantes.

garagem individual. Preço: 125.000 Euros Contacto: Bruno Rodrigues 916523196 Site: www.prestigio2000.com

T2 VERMOIM Muito bonito, com 90m2. Tem boa exposição solar (nascentepoente). Possui lugar de garagem e arrumos, lareira, recuperador de calor, aquecimento central. Enquadrado em pequena urbani-

RECONHECIDA DE UTILIDADE PÚBLICA (DEC. LEI Nº 460/77 DE 7 DE NOVEMBRO) CONTRIBUINTE Nº 501621270

CONVOCATÓRIA Nos termos do disposto na alínea a) do art. 20º dos Estatutos, convoco os associados da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços, a reunir em Assembleia Geral Extraordinária, na sede social, sita na Rua Luís de Camões n.º 139, da Freguesia de Pedrouços, Concelho da Maia, no próximo dia 29 de Setembro de 2009, pelas 20.30 horas e com a seguinte:

ORDEM DE TRABALHOS Ponto único – Indigitação dos associados que irão participar na outorga da escritura dos estatutos aprovados em Assembleia Geral ordinária realizada em 26 de Junho de 2009. Se à hora marcada não houver número legal de associados, a Assembleia funcionará 1 hora depois com qualquer número de presenças e com a mesma Ordem de Trabalhos.

Tal como os voluntários da despoluição do Rio Leça, do Rio Tinto e de tantos outros cursos de água, vamos também ser, com civismo e respeito pelo ambiente, voluntários na limpeza desta Ribeira dos Amores e do novo Parque Urbano onde corre a frescura de vida do seu sorriso.

Site: www.prestigio2000.com

transportados aos ombros, os dezasseis andores; numerosos estandartes e insígnias transportados por homens e por senhoras e participação da juventude. Um grupo de estudantes universitários honrando Nossa Senhora da Natividade destacava-se, chamavam a atenção com suas capas e batinas pretas, traduzindo assinalável prospectiva de futuro e esperança. Pedrouços era “antigo e simples lugar” de Àguas Santas; hoje é a mais recente e a mais “nova”, talvez a mais próspera freguesia da Maia. Pressentem-se pelos blocos habitacionais, imensos em dimensão e em número. Em poucos anos rasgaram-se arruamentos avenidas e praças; surgiu o equipamento citadino. E tudo surgiu no meio de autoestradas, caminho-de-ferro e vias de grande trânsito; tudo sintetizado em modernismo e movimento; em colorido e em vida. Nestas nossas “terras” onde não se pode ignorar a ameaça do desemprego; a mensalidade do apartamento, ou a prestação do carro; ameaças a que não são alheias as localidades vizinhas. Os Pedroucenses, que continuam a chegar, vindos de todos os lados, deram prova de apostar num futuro melhor e pleno de dignidade!.

Para exercer os seus direitos é indispensável a apresentação do CARTÃO DE SÓCIO acompanhado de documento com fotografia e a prova das quotas em dia (pagas até Junho/2009).

zação tipo condomínio fechado com jardim comum com local de convívio e local para aspirar/lavar carros. De origem está equipado com espaços próprios para lixo orgânico e selectivo.Muito perto de equipamentos públicos essenciais, com farmácia, escola, IC 24, em zona muito calma e sem movimento junto ao edifício. Preço 90.000 Euros. Contactar: Maria da Luz 96 358 89 41

Pedrouços e Sede da A. H. B. V. Pedrouços, 14 de Setembro de 2009

O Presidente da Assembleia-Geral Rui Óscar Lopes Navarro

JORNAL MAIAHOJE EDIÇÃO 236 • 25/09/2009


32

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Motores

maiahoje

RALLY Pouca Sorte na Taça GT

Dois furos acabaram com legítimas aspirações Dois furos na décima especial, terminaram com as aspirações do Centro Porsche Braga by Team Beta / VODAFONE, no Rali Centro de Portugal, numa altura em as coisas estavam a correr bem.

nuava em alta para tentar a recuperação na segunda etapa: “As coisas estavam a correr bem, mas numa curva o carro escorregou um pouco de traseira e furámos. Tentei chegar ao final do troço assim,

mas mais à frente tivemos outro furo. Nestas condições, tivemos que abandonar, pois apenas temos um pneu suplente dentro do carro”, disse ainda o piloto.

Mex Machado dos Santos, continua empenhado nos objectivos para esta temporada, sublinhando que: “Continuámos à frente da classificação geral e na luta pela Taça GT e, por certo, que no Rali de

Mortágua, vamos vingar o azar sofrido nesta prova. Não posso deixar de agradecer também a toda a equipa e aos patrocinadores”, concluiu.

Apesar deste desaire, a dupla Mex Machado do Santos e Sérgio Paiva, continua na frente da Taça GT e com todas as possibilidades de arrebatar o troféu. Com cinco especiais disputadas no primeiro dia, a prova do Clube Automóvel do Centro não começou bem para a dupla Mex Machado do Santos e Sérgio Paiva, pois tiverem problemas logo no arranque: “Partiu-se um parafuso na suspensão traseira e tivemos que moderar o andamento. O carro mesmo a direito fugia muito e até chegámos a pensar que tínhamos um furo. Depois, também a chuva fez a sua aparição, e como arrancámos com pneus «slicks», perdemos muito tempo”, explicou Mex Machado do Santos. Mesmo assim, a moral conti-

VELOCIDADE Piloto Maiato lamenta problemas no seu Fiat 127

RALIS Campeonato Nacional Open

Maiato Paulo Gomes disputa nacional de ralis CAIXA DE VELOCIDADES IMPEDE Paulo Gomes confirma o gosto dos maiatos pela velocidade. Ao volante de um Peugeot 306s 16 e tendo como navegador o portuense Miguel Soares propõe-se a disputar o Campeonato Nacional Open de Ralis, bem como provas dos Campeonatos Regionais Douro e Norte , bem como já em Outubro o Rali de Penafiel e em Novembro o Rali de Gondomar, todos em piso de terra. Com o intuito de preparar as suas participações, em Julho efec-

tuou o Rali de Amarante obtendo o segundo lugar da Classe e o 13º da geral, bem como em Agosto e Setembro, duas sessões de testes nos arredores da Maia, em pista alugada para o efeito. Ao MaiaHoje disse que «o principal objectivo foi poder testar algumas alterações e afinações que efectuamos no carro ao nível de suspensões, repartidor de travagem e caixa de velocidades primeiramente em ritmo de prova e depois em circuito fechado mas

com bom andamento», disse o piloto. Estas iniciativas tiveram sempre a supervisão da empresa Drivetech que escolhi para este ano tratarem da logística, preparação e assistência da minha viatura nas provas. No entanto gostaria de agradecer o fantástico apoio que tenho tido de amigos, colaboradores e patrocinadores como o vosso jornal, a Drivetech, Aldeamento do Pinheirinho, Mirror, Nobrinde, BPS, Clinica SEMPRI, Uso&Menção».

CÂNDIDO ESPINHA DE ATINGIR OBJECTIVOS O fim de semana para Cândido Espinha não foi de modo algum fácil, pois problemas na caixa de velocidades, veio obrigar o piloto da Maia a ter de desistir, mas sobre o que lhe aconteceu, explicou-nos que “ correu tudo mal, pois nos treinos cronometrados, começaram a surgir problemas na caixa de velocidades, nomeadamente com a 2ª e 3ª velocidade.Com isso a equipa de assistência tentou solucionar o problema e com isso não pude alinhar na 1ª

corrida. Esperançado que tudo estava melhor fui para a grelha de partida para a segunda corrida, tudo estava a correr bem, quando de repente o tirante cede de novo, e nada mais me restou do que encostar, depois de estar a fazer uma prova impecável, mas são coisas que acontecem.” Cândido Espinha vai alinhar nas duas últimas provas a terem lugar em Novembro no Algarve.

PUB


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

TEST DRIVE

33

HONDA Civic 1.4 Elegance

Campeão de vendas americano O Honda Civic, versão 2009, apresenta-se mais jovem e apelativo a quem pretende um familiar com aspecto desportivo.

\\ Honda - Civic 1.4 Elegance Apres.Mundial: Dezembro de 2009 Lançamento Nacional: Janeiro de 2009

Principais novidades • Sistema de assistência e estabilidade do veículo; • Bancos “mágicos” • Ar condicionado Automático • Entrada auxiliar para leitor de mp3;; • Porta luvas climatizado;

Motores disponíveis • 1.4 VTEC – 100cv • 1.8 VTEC – 140cv • 2.2 CTDi – 140cv

Níveis de Equipamento • Confort ; • Elegance; • Sport; • Executive

Negativo • Acesso bancos traseiros; • Vidro traseiro; • Alguns plásticos

Positivo • Design; • Pormenores desportivos; • Mobilidade bancos traseiros; • Inovação tecnológica; • Ar condicionado;

Preços • 1.4 Comfort 20.600.00 • 1.4 Elegance 22.150.00 • 1.8 Elegance 24.900.00 • 1.8 Executive 27.750.00 • 2.2 Sport 31.970.00 • 2.2 Executive 34.800.00

Principais concorrentes • Alfa Mito desde 18.600.00 • Audi A3 desde 25.200.00 • Citroen C4 desde 18.50.00 • Fiat Grande Punto desde 21.050.00 • Ford Focus desde 18.480.00 • Lancia Delta desde 23.300.00 • Mazda 3 desde 19.528.00 • Mercedes Class B desde 27.533.00 • Mitsubishi Lancer desde 18.465.00 • Opel Astra desde 21.350.00 • Peugeot 308 desde 19.860.00 • Renault Megane desde 21.800.00 • Seat Altea desde 19.902.00 • Toyota Corolla desde 20.105.00 • Volkswagen Golf desde 20.940.00

Tablier

Consumos (Est/Urb/Mix) • 1.4 100cv • 1.8 140cv • 2.2 100cv

– 7,3/5,0/5,9 – 8,8/5,5/6,7 – 6,7/4,5/5,3

Equipamento Série • Airbags (SRS) dianteiros, laterais e de cortina; • Ar condicionado automático; • Altifalante dianteiros e traseiros; • Bancos “mágicos”; • Computador de bordo; • Entrada auxiliar para leitor MP3;; • Jantes 16; • Porta luvas climatizado; • Radio Leitor de CD com MP3; • Sistema de assistência à estabilidade do veículo (VSA); • Sistema de travões anti-bloqueio (ABS);

Equipamento Opcional • Alarme; • Cruise Control com comandos no volante; • Entrada USB para leitor de MP3; • Espelhos retrovisores retrácteis electricamente; • Faróis de nevoeiro; • Pedais de alumínio; • Sensor de Chuva; • Sensor de luz; • Sensores de estacionamento traseiro; • Tweeters; • Volante de Pele;

Testes EURONCAP Pontuação geral: ***** Adulto: 79% Criança: 76% Peões: 67% Assistência à Segurança: 86%

O Honda Civic, já na oitava geração, pertence a família dos familiares compactos. Com o passar dos anos, a marca nipónica durante as alterações geracionais foi tornando o veiculo maior e subindo de segmento. Introduzido em 1972 como um coupé de 2 portas, seguiu-se um pequeno familiar de três portas. Em outros mercados o actual Civic pode ser encontrado com nomes tão dispares como “Honda Ballade” ou “Honda Domani/Accura”, sendo que a sua plataforma serve ainda de base para o CR-X e CR-V. Muito bem recebido pelo público mundial, desde 1997 e até 2008 foi o carro mais vendido no Canadá, com 11 anos seguidos no TOP. Já em Junho de 2008, o Civic suplantou o Ford e passou a ser o carro mais vendido nos Estados Unidos. Para o actual Civic, a Honda dividiu o modelo em duas diferentes plataformas: uma para o mercado japonês e americano e outra para o mercado europeu, residindo a diferença apenas no aspecto exterior dado que partilham a mesma mecânica. O Civic “europeu” está disponível na versão de três e cinco portas e em 2009 recebeu pequenos retoques de design, sendo o principal destaque para a nova motorização 1.4 de 100cv e 135g/km de emissão de CO2. Design O novo Civic tem agora uma grelha frontal transparente que une os grupos ópticos, centrada pelo logo da marca e ladeada por duas pequenas entradas de ar. Por baixo uma grande grelha mostra um Civic com ar de coupé desportivo. Na traseira, no segui-

mento das opções estilísticas usadas na frente os dois grupos ópticos unem-se no meio com o logótipo da marca. Lateralmente fica a ideia de um coupé de duas portas, estando a abertura das portas traseiras dissimuladas no pilar. Motorizações Com três motorizações, duas são VTEC (Gasolina) de 1.4 e 1.8 litros e uma de 2.2 CTDi (diesel). A grande novidade vai para a estreia do motor 1.4 VTEC de 100 cv e 127 Nm de binário e suspensão desportiva. Equipamento e versões De origem o futuro proprietário pode optar com três versões Comfort (base), Elegance, Sport (só no diesel) e Executive (topo). No equipamento principal merece destaque o sistema de Luzes Indicadoras de Mudança (SIL) e o actual indicador ECO para dar ao condutor um feedback para a maior economia de combustível. No entanto de fábrica todas as versões trazem a abertura eléctrica da porta do compartimento de bagagem, espelhos retrovisores eléctricos na cor da carroçaria e com desembaciador incorporado. Mas muitos outros equipamentos até de pormenor como a ponteira do escape cromada, puxadores cromados ou a tampa do combustível cromada são de origem. De opção em todas as versões apenas o sistema de navegação com Bluetooth.

EBD, ABS, VSA e DWS. Opinião geral Exteriormente e interiormente a estética é algo discutível e varia de pessoa para pessoa. No meu caso, exteriormente prefiro o estilo clássico, totalmente diferente deste Civic, mas no entanto confesso que o estilo agradou-me mas não me satisfez. Já no interior a “conversa” é outra com o Civic a brilhar na inovação. O painel de controlo parece saído de uma nave espacial ou de um cockpit de avião, com os comandos bem acessíveis e estrategicamente colocados. Tem muita informação disponível distribuída de forma simples. Continuo a “bater na mesma tecla” da falta do navegador que mesmo na versão mais equipada é opcional. Num carro com este bom nível de equipamento já não se justifica não incluir um “acessório” que poderá custar na fábrica, cerca de 50 euros. Alguns plásticos são também de menor qualidade e desagradáveis ao tacto. O aspecto desportivo é também uma constante com os pedais revestidos a alumínio condizente com a linha da consola central e caixa de velocidades desportiva. Gostamos da forma inovadora de rebatimento dos bancos traseiros, mas o acesso a pessoas de elevada estatura é algo penalizado pelo design curvilíneo.

Texto: Artur Bacelar

Segurança Air Bags de condutor, laterais e cortina estão presentes, de origem, em todas as versões, bem como avisador dos cintos, ESP,

Fotos: Rui Borges

Onde Comprar • NEUMOTOR Travessa da Prelada, 516 PORTO Tel. 22 830 11 84

Painel

Bancos Traseiros

Bagagem

Pedais


34 INICIATIVA

sexta-feira 25 de setembro de 2009

Área Metropolitana

maiahoje

Natal da LBV “Solidariedade Sem Fronteiras”

Vítor de Sousa e Aurora Cunha apoiam campanha de Natal da LBV A Legião da Boa Vontade, Centro Social, tem em marcha a campanha de Natal 2009, que vai chegar a mais de 1100 famílias de parcos recursos económicos, de norte a sul do país. Serão entregues, a estas famílias, previamente seleccionadas, mais de 2200 sacos repletos de géneros alimentícios, bem como brinquedos para as crianças destes mesmos agregados. Entre as acções planeadas, para este Natal, a LBV conta com variados e importantes apoios, a exemplo, falando sobre o Natal da LBV – Solidariedade Sem Fronteiras, o actor Vítor de Sousa e a ex-atleta Aurora Cunha que, no dia 11 de Setembro, participa-

POLÍTICA

ram, voluntariamente, da gravação de um spot, a ser veiculado, como publicidade institucional, aos meios de comunicação social. O actor e a ex-atleta, visitaram o Centro Social da Legião da Boa Vontade, no Porto, conversaram com utentes, voluntários e técnicos, assistiram às diversas acções que, diariamente, lá ocorrem, a exemplo, o Programa Viva Mais! – Centro de convívio para seniores, promovendo a qualidade de vida na terceira idade, o Programa Sorriso Feliz – formação, prevenção e informação sobre saúde oral, Programa Um Passo em Frente – disponibilização de alimentos, roupas, apoio psicológico e informação, a fa-

mílias em situação de risco social, entre outros programas dirigidos a crianças, seniores, famílias e semabrigo. A alegria dos petizes, entre eles, os da Associação dos Proprietários da Urbanização de Vila de Este, que se encontravam na LBV a participar do Programa de saúde oral: “Sorriso Feliz”. O olhar comovido dos seniores que, entusiasmados, recordavam os vários papéis do actor, chamando-lhe de o “Primeiro-ministro”, uma das muitas personagens que Vítor de Sousa já representou. A diversão entre Aurora Cunha, Vítor de Sousa e os presentes no Centro Social da LBV, fez-se sentir até na

hora da gravação, na qual o actor, pela sua experiência, dava “dicas” à Aurora Cunha de como ela deveria expressarse na filmagem. Ao falar sobre a LBV, Vítor de Sousa diz que o trabalho é maravilhoso e que ao ajudar também se é ajudado. Aurora Cunha afirma que está sempre aberta a estas iniciativas e que o trabalho da LBV é importante. Para colaborar nas campanhas e acções da Legião da Boa Vontade, veja as moradas e telefones em www.lbv.pt. Quando a LBV ligar, diga sim! Eduarda Pereira

Paulo Rangel, no Clube dos Pensadores

Projecto do PSD para governar Portugal

Em mais uma sessão deste Clube de intervenção cívica liderado por Joaquim Jorge, esteve o eurodeputado Paulo Rangel, para falar sobre o projecto do PSD para governar Portugal, ou seja, uma espécie de esclarecimento público do programa deste par-

RED BULL AIR RACE

tido às próximas eleições legislativas. Com um discurso claro, e uma capacidade de raciocínio acima da média, o orador conseguiu cativar a plateia, esclarecendo de uma forma “enxuta” não só o que o PSD se propõe fazer, como contrapôs esses objectivos aos do actual governo, tanto nos projectos para o futuro, como nas acções passadas, de um lado e de outro. De uma forma simples poderemos dizer que se tratou de uma “lição” de política contemporânea, com abordagem das principais áreas de governação, obviamente sob a sua perspectiva social-democrata, mas com um apurado sentido de lucidez sobre os diversos temas. Assim, Paulo Rangel iniciou o seu discurso ao ataque, acusando o PS: “falhou rotundamente, Portugal está pior! Hoje somos o 19ª país na UE e éramos 15º, pois fomos ultrapassados por países como Malta, a República

Checa e a Eslováquia”! Continuou com “o PS foi governo durante 11 anos dos últimos 14, em governos em que o Eng Sócrates sempre fez parte”, procurando assim atribuir a principal responsabilidade da actual situação especialmente ao Primeiro-Ministro. Nessa linha, acusou-o ainda de “claustrofobia democrática” e de manter um relacionamento com os grandes grupos económicos que “não é salutar”, em detrimento do que seria desejável, ou seja apoios efectivos às PME de Portugal. Sobre estas explicou a incongruência das acções do governo pois “não paga as dívidas às PME, mas dá-lhes crédito, crédito esse a que só muito poucos conseguem aceder, tantas as exigências para tal. Com esta actuação prejudicou claramente o emprego e as exportações” Para o orador o PS não compreendeu a natureza da crise. Segundo ele trata-se de “uma crise de liquidez”, e

nesse sentido não actuou conforme deveria, prejudicando sobretudo as PME, fundamentais no tecido económico do país. Em continuação, o eurodeputado falou ainda de outras áreas. Sobre a segurança social, denunciou que com a actual reforma as reformas dos portugueses passarão no futuro dos actuais 80/85% para apenas 50% dos seus vencimentos enquanto no activo. A nível de Saúde garantiu que o PSD “defende o acesso universal ao Sistema de Saúde, mas não rejeitamos a importância do sector privado”. Falando sobre Educação, avançou: “Maria de Lurdes Rodrigues é de inspiração Socrática e um prejuízo para o País! Enquanto o governo socialista sofre de uma obsessão com a avaliação dos professores, o PSD está preocupado com os alunos! Não há sistema mais inimigo da igualdade de oportunidades do que um sistema fa-

cilitista, e esta é a pior das heranças que podemos dar aos nossos jovens!” Falando sobre Soberania e Segurança, Paulo Rangel disparou sucintamente que a primeira “falhou” e a segunda “está à vista”. Já sobre Justiça, acusou o governo de ter “envenenado” a desejável relação de confiança nos magistrados. “Temos um programa enxuto e que queremos cumprir”, assim finalizou Paulo Rangel a sua intervenção. Seguiram-se as habituais perguntas da plateia, onde mais uma vez o convidado fez juz à sua capacidade oratória, como por exemplo quando indagado sobre o facto de José Sócrates não o cumprimentar: “ Vejo isso como uma medalha, por um lado porque logo se vê o défice democrático, por outro porque assim se percebe para que lados pendiam os debates na assembleia…! Francisco Bacelar

edição 09

Portugueses aderiram mais uma vez em massa

Cifra-se em perto de um milhão de espectadores a assistência nos dois dias de provas da “Fórmula 1 dos céus”, mais uma vez no belo anfiteatro do rio Douro. Logo no sábado, e perante cerca de 200.000 pessoas, Paul Bonhomme aumentou a diferença para o seu perseguidor Hannes Arch, ao conseguir o melhor tempo

nas Qualificações. Com 1:10.03, Bonhomme conseguiu o melhor tempo do dia na sua primeira Prova de Qualificação do percurso com 6,6kms de extensão e 17 Air Gates, antes dos ventos vindos do Atlântico aumentarem de intensidade, o que reduziu a velocidade de alguns dos pilotos durante a segunda Sessão de Qualificação. Por seu lado

Arch, obteve o seu pior resultado da época com um nono lugar. No Domingo, as margens do Douro ficaram desde cedo apinhadas de espectadores, dando desta forma um colorido espectacular ao belo espaço. Os pilotos, estiveram à altura e brindaram-nos com mais um inolvidável espectáculo. Assim, e numa final e emocionante, venceu novamente Bonhomme, com apenas 0.94 segundos de vantagem, aumentando assim a distância para o seu perseguidor, Arch, campeão em título, que desta feita lhe ficou atrás no segundo lugar do pódio. O terceiro lugar foi alcançado brilhantemente pelo rookie australiano Matt Hall, que assim obteve o seu primeiro pódio, subindo ainda de 5º para 3º da geral, o que lhe augura um futuro promissor nas próximas edições da Red Bull Air Race. “Obrigado Porto e Gaia,” comentou Bonhomme, felicíssimo após ter ouvido pelo rádio que tinha vencido uma competição muito renhida. “Estas cidades são lindas e adoramos estar aqui” acrescentou Bonhomme. O público português e não só agradeceu.

Após a corrida de Porto e Gaia, Bonhomme lidera a geral com 55 pontos, seguido de Arch com 51 e de Hall, com 33. A derradeira corrida da época será em Barcelona, já nos próximos dias 3 e 4 de Outubro, local onde Arch se vai apresentar com um ideal: “atacar e fazer o Paul passar um mau bocado. Eu penso que o Paul já está a sentir a pressão sob a qual vai estar. O traçado de Barcelona é mais adequado para o meu avião”. Esperança, é pois para este homem a última coisa a morrer, sobretudo quando ainda está em jogo renovar o título de Campeão do Mundo. Pelo terceiro ano consecutivo, a Força Aérea Portuguesa (FAP) é apoiante da etapa lusa da Red Bull Air Race, uma parceria que vai muito além do plano operacional. Para os largos milhares de espectadores que marcaram presença na tarde das qualificações foi certamente um motivo de orgulho poder assistir à estridente passagem dos F16 – que asseguraram o “wake-up call” do evento. Depois desta abertura, as cores nacionais da FAP vol-

taram a brilhar no encerramento dos voos da tarde – primeiro com os Alpha Jet e depois com uma estreia absoluta em edições da Red Bull Air Race Porto e Gaia. Os “Rotores de Portugal” – com os míticos Alouette III – desenvolveram uma actuação inédita entre as pontes D. Luís e da Arrábida, com um conjunto de manobras apresentadas pela primeira vez num espaço com as características das ribeiras de Porto e Gaia. Resta apurar se no próximo ano haverá mais, uma vez que com esta edição terminou o acordo inicial de 3 anos previsto. Já há quem fale em que o evento passe a ser realizado em Lisboa, o que a ser verdade não deixará de ser lamentável, quer pelo facto de ser mais um “desvio” do poder central às gentes do norte, quer ainda porque o efeito produzido pelos espectadores e pelas velocidades atingidas nas margens do Douro, com o seu anfiteatro natural, de forma alguma poder ser igualado nas margens do Tejo, perdendo todos, o país, o norte e a própria corrida. A ver vamos. Francisco Bacelar


maiahoje

sexta-feira 25 de setembro de 2009

35

Magazine

Viagens \\

Beirute A viagem de táxi do hotel para o centro da cidade deu-nos logo a provar a arte da condução libanesa: nas rotundas vira-se logo à esquerda, se o nosso caminho assim o pedir. Os carros que estão a fazer a rotunda dando a volta pela direita não se incomodam. A prioridade nas rotundas é daquele que for mais atrevido. Nos cruzamentos, prevalece a lei do que for mais para a frente. O taxista deixou-nos na Praça dos Mártires. Num dos topos, um grande stand da Ferrari. Noutro canto, um edifício bombardeado durante a ofensiva israelita de 2006. Noutro canto, a mesquita Mohammed al-Amin, uma irmã gémea da mesquita azul de Istambul. Aqui foi enterrado o antigo primeiroministro Rafiq Hariri, assassinado a 14 de Fevereiro de 2005 aqui na Praça dos Mártires. O crime foi atribuído à Síria, mais concretamente a Ghazi Kanaan, antigo chefe dos Serviços Secretos sírios no Líbano durante o tempo de ocupação do país, facto desmentido pelo próprio acusado e seu governo. Rafiq Hariri foi em duas ocasiões primeiro-ministro: de 1992 a 1998 e de 2000 a 2004. Pudemos entrar para visitar a mesquita, se bem eu não pude entrar pela porta principal. Tive entrar pelas traseiras, onde se encontra a porta para as mulheres e subir ao 1º andar — além de ter de vestir uma capa preta e pôr um lenço preto. O tecido era totalmente sintético que me fez um ataque de calor quase doentio. Que bom sair apesar da mesquita ser lindíssima! Ao lado da mesquita a igreja de São Jorge que tem ao lado as ruínas do antigo mercado romano. Em frente, um edifício bombardeado pelos israelitas em 2006 e ainda não recuperado — uma realidade sempre pre-

sente em todo o Líbano. Chegámos então a Paris, perdão, à Praça da Estrela à volta da qual nos sentimos na capital francesa: ruas em parte fechadas ao trânsito, cafés e restaurantes com simpáticas esplanadas, boutiques de design. Só que o calor era muito… No centro da Praça da estrela, está um relógio dos anos 20 do século XX. Num dos lados o edifício histórico do Parlamento, no outro o actual Parlamento e ainda noutro canto a Catedral de São Jorge, maronita — e bem fresquinha, construída no tempo das Cruzadas. A igreja de Santo Elias estava fechada para restauro. Seguimos caminhando e fomos visitar a mesquita de AlOmari, onde tive de vestir uma capa completa com capuz, branca, e onde pude entrar pela porta principal. No século XII, os cruzados da Ordem Hospitaleira construíram aqui a igreja de São João Baptista, que os mamelucos transformaram em mesquita em 1291. Ainda no centro, visitámos a igreja de São Luís dos Capuchinhos, as antigas termas romanas, onde se pode ver a sala de banhos, uma verdadeira colonata, e o Grand Serail, um belíssimo edifício otomano do século XVIII e actualmente sede do governo — protegidíssimo com cortes de estrada e muitos tanques. Mesmo em frente, ainda estão os restos do muro que dividia a cidade durante a guerra civil em zona verde e zona azul. A caminho da marginal, parámos para ver a brutalidade dos ataques israelitas: o Holiday Inn, acabadinho de inaugurar no Verão de 2006, e os edifícios adjacentes foram alvos preferenciais de Israel que pensava que ali se escondiam guerrilheiros. E assim, chegámos finalmente à marginal, a Corniche,

3.5 km de “paredão” ao longo da costa, que, ao final do dia, atrai multidões de passeantes que para aqui vêm gozar o fresco, quero dizer, o menor calor, pois fresco é que continua a não haver à noite, com as mínimas nos 27-29º! As crianças andam de triciclo ou de bicicleta, os adultos sentam-se e fumam nargilé, o cachimbo de água. Jantámos numa esplanada mesmo ao lado, no restaurante

Al-Rawda al-’Asamak. O ambiente é algo rústico, mas parece que a intelligentsia libanesa vai para lá conviver, ler o jornal ou simplesmente fumar um nargilé. Comemos lindamente e melhor ainda estivemos ali a observar as outras pessoas. Grupos de jovens adultas, fumando nargilé, divertidas, conversando. Um avô e um neto, jogando às cartas. Um grupo de mulheres sauditas (calculo eu, pois esta-

vam todas tapadas) com as filhas…. E os respectivos maridos com os folhos numa outra mesa… Depois de termos reposto as energias, continuámos o nosso passeio pela marginal, até apanharmos um táxi para o hotel. TEXTO: M.Margarida Pereira-Müller FOTOS: Hans-Jürgen müller

Mestre Vitelino \\ João Diogo

Nascido há precisamente 100 Anos, em Junho de 1909, em Caruaru, Nordeste de Pernambuco,o Mestre do barro, Vitelino Pereira dos Santos, (a exemplo da nossa artesã- Rosa Ramalho- Barcelos- Portugal),recriou um notável legado de “obras esculpidas no barro massapé de Pernambuco”, em favor das futuras gerações; Permanece ainda hoje, no imaginário nordestino, como um dos mais notáveis artesãos, juntamente com outro fabuloso gênio musical, que foi Luiz Gonzaga. Em Pernambuco, estes dois vul-

tos assumem toda a sua importância e porfiaríam referências, a que a cultura e arte pernambucana se orgulhariam e ficariam a dever. Vitelino, mestre em transformar barro em obras de artes, foi a seu tempo, um grande Artesão-Cronista, modelando a seu belo prazer os costumes do seu povo em forma de esculturas, como o Boi (animal sagrado em Caruaru) e outros animais, cangaceiros, caçadores, carros de bois, jegues, vaqueiros, soldados, bonecos e uma infinidade de figuras tão características de toda a região nordestina.

Sem dúvida que os amantes da Arte Popular Brasileira, encontram nas peças de mestre Vitelino, toda uma capacidade criadora e ao mesmo tempo tão valiosa, se atendermos a que antes tinha apenas funções utilitárias artesanais e por conseqüência era considerada “arte menor”. Hoje, esta arte obteve uma atenção diferenciada e é observada como expressão cultural de um Povo. Hoje o mercado do artesanato não existiria no Brasil, se não fosse certamente o pioneirismo de Vitelino. De espírito fraterno e festivo, Vitelino era um homem do Povo, devoto e desprendido da fama, cedo se revelou para o mundo criativo do artesanato. Ele moldava o mundo rural

com suas toscas mãos,pintava com cores vivas mediante as inspirações que o quotidiano lhe trazia. Falar de Vitelino é associar seu nome a Caruaru, Cidade Pernambucana, que abriga em seus muros, a maior feira do mundo e a sua atracção principal que é o “Alto da Moura”. Digamos que esta comunidade a 7 km do centro da Cidade, alberga mais de mil artistas, a maior parte deles, Ceramistas. Em todas as ruas como em todas as casas, assiste-se diariamente a uma procura de peças, com a chancela do artista, o que demonstra o quanto o padrão inventado pelo mestre Vitelino, garante uma mais valia, em relação a tantos outros, que independentemente, também expõem ali os seus trabalhos.

Mestre Vitelino além de ter sido um excelente artista, era também um exímio tocador de Pífano, que juntamente com outros grupos, animava as Novenas, Procissões e Festas locais, ou nas redondezas, como o São João e o Carnaval. Situado neste local, a Casa Museu de Vitelino, feita de barro batido, onde morou e exerceu a profissão de Artesão, mantém-se até aos dias de hoje inalterável, como se fora uma relíquia. Mestre Vitelino, antes de ser uma referência Nacional Brasileira, é hoje, com toda a justiça, Patrimônio dos Caruaruenses. Recife - Agosto de 2009 João Diogo


PUB

EM CIMA: Director Manuel Martins,treinador Nuno Pacheco,Rui Sá,Licínio Costa,Jorge Leandro,João Martins,Tojo,João Garcia,Tigas, Edgar Ramos,Ivo Carvalho,Diogo Teixeira,Tiago Sousa,Bruno Arantes,Treinador Adj. Marco Carvalho,Directores Armindo Moura e Álvaro Jorge. Em Baixo: Ruben Bica,Edu,Victor Moreira,Ricardo Pereira,Ivo Silva, Rafa,Gonçalo Moura,Hugo Mendes,José Maria,Edgar Silva,Tiago Rocha.

Fotografia de Manuel Jorge Costa, jornalista mh

236  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you