Issuu on Google+

pub

14 JAN - 27 JAN 2011

Ano XI | Nº 267 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar press@maiahoje.pt

0.50 =C

\\ crise

IVA incluído

PUB

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

Medidas sociais urgentes começam a ser tomadas.

Cruz Vermelha maiata vai ter Cantina Social Arranque está previsto já para Fevereiro. São esperados para almoço, para já, cerca de 70 utentes referenciados. Cruz Vermelha pondera alargar a iniciativa ao jantar.

p.03

\\ política

engenharia Edifício dos CTT é aposta no ambiente e eficiência energética

Guilherme Aguiar acusa Pedro Vinha de «boicote»

p.07

\\ óbito

Padre Alcindo faleceu aos 86 anos

p.03 pub

p.05

saiba mais na página 18

CÓDIGO QR

pub


02

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Página dois editorial \\ artur bace|ar director

objectiva

maiahoje Manuel Jorge Costa jorge@maiahoje.pt

cRIse A cultura oriental, secular, é referência obrigatória em quase todo o mundo em questões de provérbios. A palavra “crise” não à grande sabedoria e escreve-se apenas com dois ícones ou caracteres que significam perigo e oportunidade. Sábios os Chineses. Por cá, com uma cultura bem mais recente, mas rica face a outras que se dizem donas do mundo, o português inventou a palavra “desenrascanço” e é essa que finta a crise. Em crise, o perigo é uma constante para todos aqueles que levam uma vida honesta de trabalho e a oportunidade premeia os que deles se aproveitam. É vergonhoso que numa altura em que mais se precisa do Estado, este vire as costas a quem durante longos anos o serviu com o seu trabalho e impostos em dia, contribuindo para uma sociedade que se pretendia mais justa. Como é possível considerar-se “rica” uma família que aufira 1.000 euros e tenha dois filhos dependentes? O Estado, em caso de desemprego de um dos elementos dessa família, além de lhe reduzir ao subsídio de desemprego, ainda o obriga a aceitar um emprego de menos de 500 euros mensais, ameaçando com corte no subsídio. RIDÍCULO! Além disso, dos 1.000 euros de rendimento familiar bruto (família de 4 pessoas), antigamente os cálculos de rendimento eram efectuados dividindo por quatro (pessoas) e agora divide-se por apenas 2,7, sendo que o primeiro adulto conta por 1, o segundo adulto 0,7 e cada criança 0,5. RIDÍCULO! Quanto mais filhos tiverem, menos contam! Eleições Presidenciais A 23 de Janeiro vamos novamente ter eleições para a Presidência da República. O meu prognóstico é de clara vitória da abstenção à primeira volta. Depois desta pré e campanha eleitoral o que os portugueses retiveram é que já não há candidatos decentes. Um é o responsável pela “má moeda” e de, em sequência, ter ajudado a eleger este governo, prejudicando o seu partido e em quem nele depositava confiança. Outro, poeta, fala do povo, das leis e no alto das suas reformas acumuladas, algumas até só com meses de trabalho, esquecendo-se desse mesmo povo. Um outro pensa que isto vai lá só com amigos formados em guerrilha estalinista, sem política concreta, sem linha, sem rumo, quase anarca. Outro concorre para as estatísticas do seu partido que assim fica a saber quanto vale o seu eleitorado. Os outros já são habituais e deles só se pode dizer que têm mais de 35 anos e recolheram o mínimo de 7.500 assinaturas. Pergunta-se: Podia-se ter um candidato interessante, limpo de ideias e compadrios, limpo de demagogia? Podia, mas não era a mesma coisa.

pub

\\ DIÁRIO do CONCELHO (contratos de ajuste directo dia 13/12/2010) DATA

EMPRESA

10-12-2010

BRAGMAIA SOCIEDADE TRANSFORMADORA DE FERRO, LDA...............FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTO NO PARQUE DE MERENDAS, NO PARQUE URBANO DE AVIOSO...................................................45 DIA(S)......................18.660,76 EUR. CHARON PREST. SERV. SEGURANÇA E VIGILÂNCIA, SA.........................SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA ELECTRÓNICA DE DIVERSAS INSTALAÇÕES MUNICIPAIS, PARA O 4.º TRIMESTRE DE 2010....................................................92 DIA(S).................... 127.973,45 EUR. ANA CRISTINA SILVA LOBO BANDEIRA................................................... SERVIÇOS TÉCNICOS NAS ÁREAS DA ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA, POR UM PERÍODO DE DEZ MESES, TENDO EM VISTA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NO COMPLEXO MUNICIPAL DE PISCINAS DE ÁGUAS SANTAS........300 DIA(S)......................5.117,00 EUR. JOÃO PEDRO SOUSA................................................................................ SERVIÇOS TÉCNICOS NAS ÁREAS DA ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA, POR UM PERÍODO DE ONZE MESES, TENDO EM VISTA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NO COMPLEXO MUNICIPAL DE GINÁSTICA DA MAIA.......................330 DIA(S)...................... 7.680,00 EUR. NUNO JORGE ESPREGUEIRA CARVALHO................................................ SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DO DESPORTO, POR UM PERÍODO DE DOZE MESES, TENDO EM VISTA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NO COMPLEXO MUNICIPAL DE TÉNIS DA MAIA............................................................................365 DIA(S)......................16.800,00 EUR. CESPA PORTUGAL, S.A.............................................................................PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A MANUTENÇÃO DE DIVERSOS ESPAÇOS AJARDINADOS ESPALHADOS PELO CONCELHO - SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO NO PARQUE DE AVIOSO, FREGUESIA DE SÃO PEDRO DE AVIOSO, PELO PERÍODO DE SEIS MESES...........................................................180 DIA(S)......................45.276,00 EUR. JOÃO PEDRO TORRES CARVALHO........................................................... SERVIÇOS TÉCNICOS NAS ÁREAS DA ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA, POR UM PERÍODO DE ONZE MESES, TENDO EM VISTA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NO COMPLEXO MUNICIPAL DE GINÁSTICA DA MAIA.......................330 DIA(S)......................5.280,00 EUR. JOSÉ MANUEL PEREIRA SOUSA.............................................................. SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA, PELO PERÍODO DE 12 MESES..............................................................................365 DIA(S)...................... 9.000,00 EUR. MIGUEL MADUREIRA BAPTISTA FERREIRA............................................ SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DE DESPORTO E RECREAÇÃO, POR UM PERÍODO DE 12 MESES.........................................................................365 DIA(S)...................... 6.284,88 EUR. PAULA ALEXANDRA PEREIRA MENDES.................................................. AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS DE ACÇÃO SOCIAL PARA O GABINETE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ÁGUAS SANTAS..........................................................365 DIA(S)......................12.850,68 EUR. RUI ALEXANDRE FLORES AZEVEDO MAIA.............................................. SERVIÇOS TÉCNICOS NAS ÁREAS DA ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA, POR UM PERÍODO DE ONZE MESES, TENDO EM VISTA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NO COMPLEXO MUNICIPAL DE GINÁSTICA DA MAIA.......................330 DIA(S)...................... 5.760,00 EUR. CPCIS – COMP. PORT. COMP., INFORM. E SIST., S.A............................. AQUISIÇÃO DE SERVIDORES DE RACK TENDO EM VISTA A REFORMULAÇÃO DOS SERVIDORES ANTIGOS E COMPLETAMENTE OBSOLETOS, NO ÂMBITO DO PROJECTO SIMA – SISTEMA INTEGRADO DE MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA............................................................................20 DIA(S)......................26.788,50 EUR. DELTABITE – COM. EQUIP. INFORMÁTICO, LDA..................................... AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTO APPLIANCE ANTI-SPAM, VIRUS, FIREWALL VISANDO O REFORÇO DAS COMPONENTES DE SEGURANÇA DO PERÍMETRO DA REDE INFORMÁTICA , BEM COMO MELHORAR A CAPACIDADE DE ANÁLISE DE TRÁFEGO NA REDE INTERNA, NO ÂMBITO DO PROJECTO SIMA - SISTEMA INTEGRADO DE MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA......................30 DIA(S)......................10.800,00 EUR. COMPLETO & FARIA - ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO, S.A.................... PROCEDIMENTO N.º 2062 - TRABALHOS URBANÍSTICOS EM DIVERSAS ÁREAS DO CONCELHO, COM VISTA À SUA RECUPERAÇÃO URBANA CONSTRUÇÃO DE MURO DE SUPORTE, NA VEDAÇÃO POENTE DA AMPLIAÇÃO DO JARDIM ZOOLÓGICO, NA FREGUESIA DA MAIA........................90 DIA(S)......................43.500,00 EUR. INTEGRATOR - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO, LDA.......................... AQUISIÇÃO E INSTALAÇÃO DA SOLUÇÃO DE GESTÃO E CORRELAÇÃO DE EVENTOS DE SEGURANÇA NA REDE INFORMÁTICA, NO ÂMBITO DA CANDIDATURA DO PROJECTO SIMA – SISTEMA INTEGRADO DE MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA............................................................................40 DIA(S)......................72.489,35 EUR. MODULO - CONDUTORES ELÉCTRICOS ESPECIAIS, S.A........................ AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE IDENTIFICAÇÃO E PREVENÇÃO DE INTRUSÃO NA SEGURANÇA DA REDE INFORMÁTICA, NO ÂMBITO DO PROJECTO SIMA - SISTEMA INTEGRADO DE MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA...............................365 DIA(S......................71.986,00 EUR. DIGITMARKET - SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, S.A................................. AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE ARMAZENAMENTO DE INFORMAÇÃO PARA ARQUIVO MUNICIPAL, NO ÂMBITO DO PROJECTO SIMA – SISTEMA INTEGRADO DE MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA.”...............................................20 DIA(S)......................74.300,00 EUR. DELTABITE COMÉRCIO DE EQUIPAMENTO INFORMÁTICO, LDA........... AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE REALIZAÇÃO DE 2 WORKSHOPS NAS ÁREAS DE GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS, SEGURANÇA, REDE E DA VIRTUALIZAÇÃO DE SERVIDORES, NO ÂMBITO DO PROJECTO SIMA SISTEMA INTEGRADO DE MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA..................................17 DIA(S)...................... 5.800,00 EUR. ESRI PORTUGAL SISTEMAS INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA, SA................AQUISIÇÃO DE LICENCIAMENTO DE SOFTWARE SIG EM PRODUROS ARCGIS (SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA), PARA APOIO À PLATAFORMA COLABORATIVA PMOTS, NO ÂMBITO DO PROJECTO SIMA - SISTEMA INTEGRADO DE MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA..................................................21 DIA(S)...................... 17.150,00 EUR. VORTAL – COM. ELECTRÓNICO, CONSULT. E MULTIMÉDIA, SA............ AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE SUBSCRIÇÃO DA PLATAFORMA DE CONTRATAÇÃO PÚBLICA VORTAL GOV, PELO PERÍODO DE 36 MESES, NO ÂMBITO DO PROJECTO SIMA - SISTEMA INTEGRADO MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA...........................................................................1096 DIA(S)......................45.900,00 EUR. M. COUTO ALVES, S.A.............................................................................. INTERVENÇÕES DE CARÁCTER URGENTE EM RAZÃO DAS INTEMPÉRIES OU OUTRAS SITUAÇÕES FORTUITAS - REGULARIZAÇÃO DO ANTIGO CANAL FERROVIÁRIO ENTRE A ESTAÇÃO DA MAIA E LUGAR DE GODIM, NA EXTENÇÃO DE 480,0 METROS, NA FREGUESIA DA MAIA...............................15 DIA(S)...................... 5.088,00 EUR. ESTEVES, PINHO & ASSOCIADOS, SROC, LDA....................................... AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE AUDITORIA EXTERNA, EM CUMPRIMENTO DO ESTABELECIDO NO ART. 48.º DA LEI DAS FINANÇAS LOCAIS (LEI N.º 2/2007, DE 15 DE JANEIRO) - EXERCÍCIOS DE 2010 A 2012...................1095 DIA(S)......................57.600,00 EUR. CARLOS JORGE PINTO FERREIRA........................................................... SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DA SAÚDE - GABINETE DE SAÚDE OCUPACIONAL..........................................................................................365 DIA(S)......................12.000,00 EUR. CRISTINA RAQUEL DOS SANTOS MOREIRA............................................SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DA ANIMAÇÃO SOCIO-CULTURAL (PROLONGAMENTO DE HORÁRIOS NOS ESTABELECIMENTOS DE ED. PRÉ-ESCOLAR)...365 DIA(S)......................7.920,00 EUR. JOÃO CARLOS ALVES RODRIGUES MAIO................................................ SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DO DESP. - COMPLEXO MUN. DE TÉNIS..........365 DIA(S)......................24.000,00 EUR. LUIS MIGUEL MADUREIRA BAPTISTA FERREIRA.................................... SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DO DESP. E RECREAÇÃO - DEP. DO DESP........365 DIA(S)...................... 8.978,40 EUR. NUNO JORGE ESPREGUEIRA CARVALHO................................................ SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DO DESP. - COMPLEXO MUN. DE TÉNIS..........330 DIA(S)......................16.799,97 EUR. PEDRO MANUEL FERNANDES RODRIGUES BARROCO.......................... SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DO DESP. - COMPLEXO MUN. DE TÉNIS..........365 DIA(S)......................20.949,48 EUR. SÉRGIO AUGUSTO LEITE AIRES.............................................................. SERVIÇOS TÉCNICOS NA ÁREA DA CONSULTADORIA NO ÂMBITO DA PROPOSTA DE IMPLEMENTAÇÃO DE UM OBSERVATÓRIO SOCIAL NO CONCELHO DA MAIA.........................................................................180 DIA(S)...................... 6.480,00 EUR. SÓNIA MARIA PEREIRA MARTINS........................................................... SERVIÇOS DE CONSULTADORIA JURÍDICA..........................................................180 DIA(S)...................... 6.425,34 EUR. SÓNIA MARIA PEREIRA MARTINS........................................................... SERVIÇOS DE CONSULTADORIA JURÍDICA..........................................................180 DIA(S)...................... 6.425,34 EUR. VITOR MANUEL LOBÃO FERREIRA...........................................................SERVIÇOS TÉC. NA ÁREA DO DESPORTO - COMPLEXO MUN. DE TÉNIS............330 DIA(S)......................16.799,97 EUR. RDT - RECOLHA DE DADOS DE TRÁFEGO, LDA....................................... AQ. DE EST. DE CONT. DE TRÁF., ÂMB. DAS SCUT DO GR. PORTO-1.ª FASE.......15 DIA(S)....................... 9.400,00 EUR.

16-12-2010 17-12-2010 17-12-2010 17-12-2010 20-12-2010

20-12-2010 20-12-2010 20-12-2010 20-12-2010 20-12-2010 21-12-2010

21-12-2010

22-12-2010

22-12-2010

22-12-2010 23-12-2010 28-12-2010

28-12-2010

28-12-2010

29-12-2010

30-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 31-12-2010 11-01-2011

OBJECTO CONTRATADO

PRAZO EXEC.

VALOR(EUROS)


maiahoje

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

mh jornal regional de grande informação

PROPRIEDADE DE:

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar, TPJ 6262 artur@maiahoje.pt SUB-DIRECTOR: Domingos Loureiro REDACÇÃO: Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos rita@maiahoje.pt COLABORADORES REDACTORES: António Armindo Soares, TPJ CO 706 soares@maiahoje.pt Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt COLABORADORES FOTOGRAFIA: Ana Soares, TPJ CO 849 António Caldeira, TPJ CO 707 Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 José Barbosa Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710 Paulo Jorge Maia, TPJ CO 851 Raúl Silva, TPJ CO 852 CORRESPONDENTES: João Diogo (corresp. Brasil) Williams James Marinho (corresp. EUA)

Ainhoa Carrasco Robles (cor.Espanha) Catarina Almendra (cor.Lisboa)

Grande Maia

SOLIDARIEDADE

Iniciativa da Cruz Vermelha

Cantina Social para os mais carenciados Com arranque previsto para o próximo mês de Fevereiro, a Maia vai ter um novo serviço social, da responsabilidade do núcleo maiato da Cruz Vermelha Portuguesa, intitulado “Cantina Social”, que funcionará nas instalações daquela entidade na Rua da Lage em Vermoim. Segundo o médico Nogueira dos Santos, presidente do Núcleo da Maia e vereador da Câmara Municipal «inicialmente serão esperados ao almoço cerca de 70 utentes oriundos de famílias carenciadas que assim, pelo menos uma vez por dia, têm a oportunidade de tomar uma refeição digna». O presidente disse ainda que a iniciativa irá ser constantemente avaliada de forma a perceber a necessidade de estender esta acção

ÓBITO

aos jantares. Para a concretização deste projecto, Nogueira dos Santos disse ter sido imprescindível a colaboração dos hipermercados Continente, através do programa da “Popota” que cedeu os materiais para a cozinha. Além dos materiais, o dia-a-dia, é assegurado por verbas que a própria instituição destina à iniciativa e conta com a colaboração do Banco Alimentar Contra a fome. Emergência 24 horas Ainda no âmbito de novas iniciativas, a Cruz vermelha da Maia já está a funcionar desde o passado dia 5 de Janeiro com o serviço de “Emergência Pré-hospitalar” 24 horas por dia. Este serviço que anteriormente já era prestado, mas

\\ A asserção é de Dom Manuel Clemente, bispo do Porto, que presidiu à Missa de corpo presente, realizada no passado dia 5 de Janeiro, no Mosteiro de Moreira da Maia. Alcindo de Azevedo Barbosa, padre emérito da Paróquia do Divino Salvador de Moreira da Maia, morreu na madrugada de 4 de Janeiro, aos 86 anos, na Casa Sacerdotal da Rua da Boa Nova, no Porto.

O corpo do sacerdote chegou ao Mosteiro, nessa tarde, onde ficou em câmara ardente até às 15 horas do dia seguinte, altura em que se realizou o funeral. As celebrações fúnebres contaram

DEPARTAMENTO COMERCIAL: comercial@maiahoje.pt SEDE / REDACÇÃO / D.COMERCIAL Rua dos Altos, Edifício Arcada, 12 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25

Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou

lhes proporciona além da ocupação o saber que estão a prestar um serviço útil à sociedade». Ao que o MaiaHoje apurou, o entusiasmo é geral e logo no primeiro dia do serviço o CODU enviou vários pedidos de serviço, tendo sido atendidas seis saídas e recusadas mais algumas por não disporem de mais meios. Tendo a cidade da Maia como “destino” principal, anteriormente o serviço era assegurado por outras corporações activas, sendo algumas de fora do concelho. A terminar Nogueira do Santos disse que «estes novos serviços vêm ao encontro da nossa vontade de estar sempre a ajudar a sociedade maiata», concluiu.

«O Padre Alcindo foi nesta comunidade a figura do Redentor»

DESIGN / PAGINAÇÃO: Maxim Bukharov max@maiahoje.pt Vitor Bastos vitor@maiahoje.pt

IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga

apenas em horário nocturno, foi assim agora alargado. Pensada a sua implementação já há algum tempo, segundo Nogueira dos Santos «era mais difícil dado que o grande problema era não haver motoristas. Com o decréscimo dos transportes de doentes, foram libertados alguns motoristas dos transportes diários que agora estão a assegurar o serviço de emergência. Por um lado acaba por ser uma optimização de gestão de recursos humanos, por outro juntamos o útil ao agradável», disse o presidente. O serviço funciona com a actual equipa de voluntários, «maioritariamente constituída por desempregados que assim conseguem alguma actividade que

Presbítero morre a poucos dias de completar 87 anos

CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Formadores e Docentes) Luís Clemente Ribeiro (contos) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Rogério Gonçalves (sociedade)

Depósito legal 147209/00 DGCS nºo 123524 Tiragem 3.000 exemplares

03

com a presença de várias personalidades, quer da vida clerical quer do meio político concelhio, para além de muitos amigos e paroquianos. Dom Manuel Clemente, bispo do Porto, que presidiu à Eucaristia, lembrou que Moreira da Maia foi a comunidade «que ele [Alcindo Barbosa] quis, que ele amou», e onde foi «a figura do Redentor». A saída da urna do Mosteiro, emocionalmente aplaudida, foi o momento alto da última homenagem àquele que «sempre será o pároco de Moreira», pode ouvir-se entre os populares. O cortejo fúnebre seguiu para o Cemitério de Mosteiró, Vila do Conde, onde o corpo do presbítero foi sepultado em jazigo próprio. A missa de 7º dia teve lugar na passada terça-feira, dia em que o pároco completaria 87 anos, pelas 18h, no Mosteiro de Moreira da Maia. Resenha de uma vida Nascido no lugar de Caselo, freguesia de São Gonçalo de Mosteiró, concelho de Vila do Conde, a 11 de Janeiro de 1924, Alcindo de Azevedo Barbosa foi ordenado padre, na Sé do Porto, a 1 de Agosto de 1948, então

com 24 anos. A 8 de Agosto celebrou a Missa Nova, em Mosteiró, e a 6 de Novembro entrou ao serviço da Paróquia de Santo Ildefonso, Porto, como coadjutor. Em Agosto de 1949 foi nomeado professor, com carácter efectivo, para o Seminário de Vilar, onde leccionou várias disciplinas durante 18 anos. A 8 de Outubro de 1967 foi nomeado, a seu pedido, para a Paróquia de Moreira da Maia, onde comemorou as Bodas de Ouro Sacerdotais, a 1 de Agosto de 1998, local onde se encontra erigido um busto em sua memória. Para além da assistência espiritual, Alcindo Barbosa desenvolveu inúmeros melhoramentos materiais na Paróquia, dos quais se destacam a residência paroquial, a quermesse, as obras de restauro do Mosteiro e do órgão de tubos Arp Schnitger. Jubilado desde 9 de Novembro de 2008, foi substituído pelo actual pároco José Múrias de Queiroz, depois de 41 anos ao serviço daquela que considerou a «sua terra». Rita Santos

PUB

Caros Leitores Há uns dias atrás, a minha casa em V. N. da Telha foi assaltada, e entre algum material de valor algo avultado, levaram-me o meu computador e dois riscos rígidos externos com os back-ups. Contudo, a informação do computador era de extrema importância pois estou a terminar uma tese de doutoramento (com mais de 4 anos de trabalho!) e todos os dados que possuía estavam nesses discos e no PC. Assim, venho encarecidamente solicitar que caso tenham encontrado um computador (Macbook pro) e/ou 2 discos externos (toshiba 80GB e iomega 500GB) o favor de os entregar em qualquer local seguro ou através do contacto abaixo mencionado. Recompensa-se a quem os entregar. Contacto: Rui Torres - Vereda do Pinheiral, 53 - 4470-806 V. N. da Telha – Maia - TLM 966007736

director do Jornal. pub

A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de

EXPLICAÇÕES

expressão, reservando-se no entanto a

- MATEMÁTICA

não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem

- GEOMETRIA DESCRITIVA

É política do Jornal o pluralismo e

POR ALUNO DE ENGENHARIA DO ENSINO SUPERIOR.

MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007

ALEMÃO E PORTUGUÊS

- FÍSICA

e liberdade de outros.

isenção nos assuntos tratados.

EXPLICAÇÕES PARTICULARES ATÉ AO ENSINO UNIVERSITÁRIO BONS RESULTADOS!

PREÇOS MUITO ACESSÍVEIS. TEL. 91 714 43 08 Jornal MaiaHoje - Edição nº 254 - 25 de Junho de 2010

CONTACTAR 960 144 111


04

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Grande Maia

\\ Opinião * Ricardo Oliveira

ECONOMIA

maiahoje

Aprovado em Assembleia Municipal

Orçamento da Câmara Municipal da Maia para 2011 \\ Em reunião ordinária da Assembleia Municipal da Maia que se realizou no passado dia 29 foram aprovadas as Grandes Opções do Plano para o ano de 2011.

Afinal, sempre SUCH(am). No passado dia 25 de Junho de 2010 aproveitei este espaço para denunciar aquilo que considerei de gestão pouco hábil por parte da equipa de administração da SUCH que se tinha demitido entretanto. As minhas informações baseavam-se num relatório preliminar do tribunal de Contas (TC), publicado num jornal nacional, onde constavam na altura gastos supérfluos tanto em bens como em prémios, em automóveis ou noutros de interesse discutível. Na altura, nunca foi minha intenção maldizer qualquer funcionário do SUCH, até porque sou dos que acredita que os funcionários públicos na sua grande maioria trabalham muito e bem. Claro está, que existem as excepções que confirmam a regra, havendo como seria de esperar outros funcionários menos competentes que felizmente são uma minoria. Por isso, queria ressalvar o meu apreço por todos os funcionários do Serviço de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH), não querendo em momento algum ofender as suas capacidades e dignidades profissionais. Ninguém é melhor conselheiro que o tempo. Por isso aguardei, pacientemente, pela publicação do relatório final do TC e eis que… não fiquei surpreendido! O SUCH consumiu cerca de 21 milhões de euros até ao final de 2009 em consultoria com 3 empresas privadas de consultoria e gestão. Confesso que a enormidade do número me surpreende, e dá que pensar… Três empresas de consultoria e gestão para por o SNS a poupar, e quadruplicam o prejuízo?! Recordo que o objectivo da SUCH passa por harmonizar as contas do Ministério da Saúde através da gestão de serviços, pessoas e produtos com o intuito de reduzir despesa mantendo a qualidade. O TC afirma ainda que as unidades de serviços partilhados “não contribuíram para a redução do défice do SNS expectável e observado em iniciativas internacionais semelhantes”. Refere ainda que a estratégia delineada conduziu “a uma situação financeira crítica, com eventuais consequências na sua própria sobrevivência”. Para justificar esta falência de resultados em comunhão com a falência de visão estratégica o TC escreve que o problema está na “falta de conhecimento do SUCH e dos parceiros privados sobre as idiossincrasias do sector público da saúde nas áreas de compras, gestão de recursos humanos e gestão financeira e contabilística”, para além do “excessivo recurso a financiamento bancário” (33,2 milhões de euros, em 2009). Neste relatório do TC é também posto em causa a forma de escolha dos parceiros provados do SUCH, uma vez que ficou demonstrado terem sido demasiado onerosos, sem resultados práticos à vista, ainda que tivessem sido escolhidos por currículo, em detrimento do concurso público espectável. Poderia continuar a deambular nas conclusões do TC e a apontar o dedo. Mas penso que já todos percebemos a qualidade de gestão empregue no SUCH durante o período considerado pelo TC. O que importa sublinhar, é que mais uma vez existem boas intenções públicas, com gestões locais absolutamente catastróficas. Será que os bons gestores não querem nada com as empresas públicas? Afinal Portugal até tem aquele que consideram o “Mourinho Bancário” a liderar um dos maiores bancos no Reino Unido, portanto o problema não está na formação universitária básica. O problema é fácil de identificar e de resolver. Mas é preciso coragem, frontalidade, honestidade e integridade. Urgem medidas de responsabilização por gestões danosas, pois esta situação em empresas privadas, dificilmente aconteceria. O que me mais entristece neste momento é o não reconhecer que no comentário deste espaço em Junho de 2010 estava errado, porque o TC veio confirmar o que se escreveu. Afinal, sempre SUCH(am).

Ricardo Filipe Oliveira Docente Universitário Estudante de Medicina

pub

Segundo a Câmara Municipal da Maia «a actual situação de crise económica aliada a uma descida acentuada da receita das autarquias locais obriga a um enorme esforço de contenção de despesas e investimento em 2011», pelo que «as Câmaras Municipais que, nos últimos anos, fizeram o “trabalho de casa”, ou seja, reduziram o endividamento conseguem atravessar este período de crise com menor dificuldade. É o caso da Maia», dizem. O corte profundo nas transferências do Estado via FEF (Fundo de Equilíbrio Financeiro) e a acentuada descida nas receitas próprias municipais levam a Câmara Municipal da Maia a reduzir o seu orçamento dos cerca de 105 milhões de euros de 2010 para pouco mais de 90 milhões de euros em 2011 «mesmo assim, somos dos poucos municípios que não deixaram de ter capacidade de investimento». Para 2011, serão três as áreas fundamentais de investimento: Acção Social, Educação e Rede Viária (motivada pela introdução de portagens nas SCUT) materializado, entre outros, no seguinte: Conclusão do Programa de Construção de Escolas; Lançamento do novo programa de Habitação Social (que já não era feito desde 2005) e Requalificação do existente; Beneficiação da Rede Viária Municipal. Nas Grandes Opções do Plano, as chamadas Funções Sociais (Educação, Saúde, Acção Social e Habitação Social) representam 56% do total. Em termos de peso no orçamento temos, em primeiro lugar as “Funções Sociais” com cerca de 34 milhões de euros, seguidas da Protecção Ambiental e Conser-

vação da Natureza com pouco mais de 9 milhões de euros e da Rede Viária com mais de 7 milhões de euros «se analisarmos os dados de Acção Social pura, distribuída por várias rubricas, temos que o investimento global ultrapassa os 11 milhões de euros, (desde o Maia Sénior, passando pelo Apoio Social Escolar, a Acção Social dispersa e os apoios às instituições de solidariedade do concelho), assistindose mesmo o reforço de alguns projectos, como o Serviço de Apoio Domiciliário e o Fundo de Solidariedade Municipal – apoio financeiro em situações de excepção ou emergência social», diz a CM Maia. No que diz respeito à Educação, o orçamento estima-se em cerca de 5 milhões de euros, com um aumento dos encargos com as despesas com o pessoal, nomeadamente com a contratação de pessoal auxiliar, técnico e docente para assegurar “A Escola a Tempo Inteiro”, ou seja, o Programa de Actividades Enriquecimento Curricular e o Serviço de Apoio à Família, um novo serviço disponibilizado pela autarquia e segundo dizem, pioneiro no país. Para a CM Maia, em conclusão «temos que o investimento na Educação teve uma ligeira subida, o investimento nas Áreas Sociais e na Rede Viária Municipal aumentou. No restante, fruto das limitações anteriormente expressas, diminuiu», acrescentando uma pequena nota para sublinhar « o facto de as despesas com pessoal rondarem os 20% do total. Um dos valores mais baixos nas autarquias da nossa dimensão», terminam.

SAÚDE Equipamentos farão parte do Banco Municipal de Ajudas Técnicas

ONG Sueca doa meio milhão de euros em material ortopédico ao Município da Maia No passado dia 20 de Dezembro o Município da Maia recebeu a doação de material ortopédico avaliado em 500.000 euros. A doação de material ortopédico da AGAPE FOUNDATION é proveniente de hospitais e lares escandinavos, países  onde existe a orientação de renovar os equipamentos com muita frequência.Os

equipamentos substituídos são recolhidos pela Fundação, para posterior distribuição por países da Europa e África, necessitados de equipamento específico para acamados e dependentes. Entre os diversos equipamentos doados encontram-se cadeiras de rodas eléctricas e mecânicas, camas adaptadas para banhos, an-

darilhos, elevadores para camas, bengalas, cadeiras sanitárias, macas, canadianas, cadeiras de fisioterapia/massagem, entre outras que farão parte do Banco Municipal de Ajudas Técnicas que irá ser criado pela Câmara Municipal da Maia em conjunto com as IPSS do Concelho que possuam a valência de ajudas técnicas. Este Banco irá

permitir a cedência temporária gratuita dos equipamentos aos munícipes necessitados, e irá sensibilizar a população a aderir a este projecto com a doação de material hospitalar ortopédico, em boas condições e que já não necessite.


maiahoje

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Grande Maia

OBRA Ministro das Obras Públicas esteve presente na inauguração do Novo Centro de Distribuição dos CTT

CTT Recebe edifício sustentável

05

\\ Opinião * Mário Lopes

\\

Aposta em soluções técnicas que contribuam para a redução dos consumos energéticos, com aproveitamento dos recursos disponíveis. Sustentabilidade, preocupações ambientais e eficiência energética são as palavras-chave do novo edifício.

A Casais Engenharia e Construção concluiu a construção do novo Centro Operacional de Correio do Norte, na Maia, um equipamento pioneiro que tem como função o tratamento de toda a correspondência da zona Norte do País, que servirá de modelo para outros edifícios dos CTT, sob a lógica de uma política de sustentabilidade desde a concepção do projecto até à obra final. «Sustentabilidade, preocupações ambientais e eficiência energética são as palavras-chave desta obra», refere fonte da Casais. Esta empreitada teve como princípios orientadores a construção sustentável e beneficiou do contributo da Casais Engenharia e Construção (Grupo Casais) através do “know how” no domínio da Sustentabilidade, em particular com a utilização de materiais reciclados, nomeadamente RCD’s/ASIC’s, assim como a optimização da iluminação natural, através de sistema de clarabóias sofisticadas, que permitiu um aumento da área disponível para a futura instalação de unidade de produção de energia eléctrica renovável (painéis foto voltaicos). A selecção das soluções para implementação teve em conta a tripla dimensão da sustentabilidade – Ecologia, Economia e Sociedade , privilegiando as avaliações no domínio da optimização dos impactos no ordenamento do território (localização, acessibilidades), no uso dos recursos naturais, no uso da energia (eficiência energética nas vertentes conservação

COMUNICADO

e utilização racional de energia), no ambiente (perspectiva 3R – Reduzir, Reutilizar, Reciclar) e num quadro de contribuição para o crescimento económico e da qualidade de vida. A obra O Centro Operacional de Correio Norte da Maia revela-se como um edifício de carácter industrial que dá primazia às componentes funcionais, técnicas e de sustentabilidade. A Broadway Malyan - autora dos projectos de Arquitectura e Arquitectura Paisagista – criou um objecto pragmático, que concilia a natureza industrial do edifício com uma imagem forte, reunindo um conjunto de elementos diferenciadores e uma pormenorização cuidada, factos que o distinguem de um edifício meramente industrial, dignificando a imagem dos CTT. O edifício combina um desenho simples e funcional da área operacional com uma frente Norte de volumes sobrepostos que quebram a extensão do edificado. Para além do cuidado na escolha dos materiais deu-se primazia às formas puras, materializadas em betão branco, chapa metálica e vidro, unidos pelo branco como cor dominante. Soluções avançadas Em termos gerais, as soluções aplicadas irão contribuir para a redução dos consumos, tal como contribuirão para a redução do impacto ambiental da própria construção,

entre as quais se destacam: - Correcta orientação solar do edifício associada à distribuição interior dos departamentos com vista a atingir padrões de conforto elevados com baixo consumo energético. - Preocupação com o isolamento térmico, com incidência nos pontos mais vulneráveis do edifício, nomeadamente na zona do cais de cargas, que é um caso particular em que se optou por deixar a nave operacional em sobrepressão de forma a bloquear a entrada de ar não tratado pelas posições de acostagem. - Selecção de materiais de acordo com critérios de durabilidade, qualidade, robustez, natureza, proximidade, potencial de reutilização e de reciclagem. - Iluminação natural da nave operacional com sistema de clarabóias de vácuo, que permitem a entrada de uma grande quantidade de luz natural sem ganhos térmicos, associada a uma iluminação artificial com controlo de intensidade de regulação automática que gere os níveis de fluxo luminoso das lâmpadas ao longo do dia. - Climatização natural do ar novo que entra no edifício recorrendo a um sistema de pré-aquecimento / arrefecimento natural que consiste na canalização prévia do ar novo por uma tubagem enterrada no jardim, antes de ser insuflado no edifício, beneficiando da inércia térmica da terra para naturalmente aquecer ou arrefecer o ar dependendo da estação do ano.

2011: EXPLOSÃO SOCIAL OU TALVEZ NÃO - Utilização de equipamentos de tratamento de ar que na produção de água fria, para o arrefecimento do ar, reaproveitam o calor dissipado para o aquecimento gratuito da água de consumo do edifício. - Aproveitamento das águas pluviais da cobertura para reforço de sistemas de rega e consumos diferenciados, com uma reserva própria de água pluvial. - Escolha de equipamentos sanitários e torneiras que promovem a poupança de água. - Monitorização dos consumos do edifício de forma a permitir a identificação de zonas, ou momentos com consumos acima dos espetáveis; - A cobertura da nave operacional está estudada e calculada para nela poder vir a ser instalada uma unidade de produção foto voltaica, ocupando uma área de cerca de 12.000 m2 da cobertura, capaz de fornecer uma parte significativa da energia eléctrica que o edifício consome. As preocupações ambientais do interior reflectem-se igualmente no exterior onde todo o espaço disponível surge ocupado por zonas ajardinadas e onde se tenta preservar parte da mata e orla associada ao coberto arbóreo existente, optando-se pela utilização de espécies típicas da flora local ou outras bem adaptadas às condições climáticas locais.

Ilegalidade é regra no Concelho da Maia

Invasão de Táxis provenientes de outros Concelhos arruinam negócio local Não se deixe enganar. Não utilize táxis que não sejam da Maia. Além da ilegalidade no serviço prestado, são mais morosos, ficam mais caros à sua carteira e arruínam o negócio local! A Taximaia - Central Rádio Táxi da Maia, única Central Rádio Táxi existente no Concelho da Maia, e que tem como associados a totalidade dos táxis em serviço em todo circuito urbano do Concelho, vem desta forma alertar as entidades competentes, bem como toda a população do Concelho, para a situação de completa ilegalidade, e de, infelizmente, total impunidade, que se verifica no nosso Concelho, no que diz respeito ao serviço de táxis.(…)A ilegalidade e o descaramento é de tal forma, que já se anunciam nas Páginas Amarelas, como sendo táxis do Concelho, quando na verdade, se encontram licenciados para operarem noutros Concelhos. Já, de forma descarada e ilegal, distribuem cartões de visita, colocam autocolantes, etc, anunciando-se como táxis da Maia, quando na verdade pertencem a Concelhos que nada tem a ver com a nossa Maia.

CNO ÁGUAS SANTAS

O Decreto-lei 251/98 diz o seguinte nos seus Artigos: Artigo 16.º Regimes de estacionamento c) Fixo - os táxis são obrigados a estacionar em locais determinados e constantes da respectiva licença Artigo 18.º Abandono do exercício da actividade 1 - Salvo no caso fortuito ou de força maior, bem como de exercício de cargos sociais ou políticos, considera-se que há abandono do exercício da actividade sempre que os táxis não estejam à disposição do público durante 30 dias consecutivos ou 60 interpolados dentro do período de um ano. 2 - Sempre que haja abandono de exercício da actividade caduca o direito à licença do táxi. Ora, assim sendo, seria muito fácil, por parte das Entidades fiscalizadoras, se assim houvesse vontade, verificar que estes táxis não cumprem os pressupostos legais, e como tal, estão permanentemente em transgressão, uma vez que ao invés de estarem nos seus locais de estacionamento, para o qual estão licen-

ciados, se encontram diariamente, 24 sobre 24 horas, em circulação no  nosso Concelho, contrariando todas as disposições legais. Alguns destes táxis, passam meses, sem se deslocarem ao seu local de estacionamento, contrariando o disposto nos Artºs. acima referidos, e como tal sujeitos ao que a Lei preconiza. Infelizmente, nada disso acontece, e já são “transaccionadas” licenças, e táxis, com o único objectivo, não de operarem nas zonas onde estão licenciados, mas sim no nosso Concelho. (…) Lamentavelmente, e apesar dos nossos apelos constantes, quer às Câmaras Municipais, quer às autoridades policiais, nada é feito, no sentido de acabar com esta escandalosa ilegalidade, que lesa os interesses, e a “carteira” dos utilizadores de táxi no nosso Concelho. Dado que a nossa Central Rádio Táxi é a única existente no Concelho, são inúmeras as queixas que nos chegam, através de utentes lesados por estes táxis, que cobram valores especulativos pelos serviços prestados, de forma a cobrir quer as grandes deslocações, quer as

“comissões” oferecidas aos angariadores, em serviço nas Entidades comerciais, industriais e hoteleiras em actividade no nosso Concelho. Apelamos ainda à população e aos utentes dos nossos táxis, que verifiquem sempre qual a localidade do táxi que se apresenta ao seu dispor, bastando apenas para isso que tenha em atenção o que se encontra escrito nos guardalamas dos táxis e nos dispositivos luminosos colocados no tejadilho dos táxis. Todos os táxis do Concelho possuem nesse dispositivo o nome do nosso Concelho: MAIA, e nos guarda-lamas, o nome da freguesia, bem como o numero da respectiva licença. (…) Esperamos que, com este alerta, que iremos encaminhar para as Câmaras Municipais, à ASAE, ao IMTT, aos Comandos Policiais e à Comunicação Social, façamos com que a fiscalização realmente funcione, de forma a fazer com que a ilegalidade não seja Regra, mas sim Excepção. A Direcção da Taximaia Central Rádio Táxi da Maia

Foi publicado no semanário EXPRESSO online um comunicado da LUSA, da autoria de dois dos maiores sociólogos portugueses, nomeadamente Boaventura Sousa Santos e António Barreto, alertando que em 2011 poderá rebentar uma “explosão” social, espontaneamente ou por contágio europeu, na sequência do sentimento de estupefacção que se instalou na sociedade resultante da chegada da crise. Nas condições sociais actuais entendo existir uma alta probabilidade de concretização destas previsões, embora tal não seja de todo desejável atendendo às consequências sociais imprevisíveis que daí resultarão. Nesta medida e porque as ciências sociais acolhem no seu seio diversas abordagens do mesmo objecto de análise, entendo neste artigo apresentar uma outra perspectiva mais moderada e cuja concretização poderá igualmente constituir-se como realidade. Com efeito, a minha argumentação assenta em pressupostos que entendo importantes considerar, mas não se constituem como absolutos, derivando essencialmente de uma análise histórica, nomeadamente sobre algumas temáticas socioculturais que nos fornecem dados interessantes de analisar. Em primeiro lugar refiro não existirem evidencias que caracterizem movimentos generalizados de revolução ou insubordinação popular. Quanto muito poderão ter existido, mas de circunscrição definida. Todas os movimentos de contestação social ao poder vigente tiveram a sua impulsão nas elites do próprio sistema, tanto nas sociedades do Antigo Regime como nas mais contemporâneas e cuja explicação, de forma sumária, assenta no alegado carácter centralizador de como o poder foi sendo sistematicamente exercido em Portugal, factor que secundarizou permanentemente a iniciativa de âmbito popular. Este comportamento terá alegadamente permitido a criação de um estigma colectivo que poderá ter funcionado como dissuasor de qualquer tentativa popular de natureza mais violenta. Contudo não podemos menosprezar factores como a ausência de lideranças e as suas implicações no processo de formação de grupos, que terá contribuído, na minha óptica, para a inexistência de movimentos populares de contestação social com alguma relevância. Em segundo lugar, entendo abordar a adaptabilidade que o povo português sempre demonstrou ao longo dos tempos. Esta característica tem permitido o desenvolvimento de processos e modelos sociais de comportamento, com o intuito de minorar dificuldades, facilitando uma vivência com a qualidade e bem-estar possível, em face das circunstâncias adversas, resultantes da organização social existente em cada época. Por último destaco a ausência de um sentimento de anomia social. Este conceito define-se como a ausência de objectivos e o rompimento das regras de conduta social, provocando um sentimento de vazio que potencia estados de revolta, que poderão inclusivamente conduzir ao suicídio. Foi no âmbito do estudo sobre esta temática que o sociólogo francês Emile Durkheim o definiu, tendo sido, no entanto, o sociólogo norteamericano Robert K. Merton quem mais o difundiu. Sejam quais forem os pressupostos analisados, penso ser mais importante a adopção de um reposicionamento relativamente à problemática da cidadania, que compreenda efectivamente o total cumprimento dos direitos e deveres que estão inerentes à adopção desse papel, tendo em consideração o carácter de mudança que os acontecimentos actuais nos impulsionam, de forma irreversível, no contexto de uma globalização cada vez mais assimilada. Licenciado em Ciências Sociais.

Cerimónia de Entrega de Diplomas

Um Natal de Novas Oportunidades em Águas Santas O Centro Novas Oportunidades (CNO) da Escola Secundária / Agrupamento de Escolas de Águas Santas realiza cerimónia de entrega de diplomas aos candidatos certificados por este CNO. Esta cerimónia teve realização no passado dia 18 de Dezembro e decorreu no novo Centro Escolar da Gandra, em Águas Santas. Contou com diversas actividades apresentadas pelos diferentes públicos que frequentam os

estabelecimentos escolares do Agrupamento (do pré-escolar aos adultos). Devido à impossibilidade de comparência de alguns candidatos, apenas confirmaram presença cerca de 118 adultos dos 209 certificados. Para além destes candidatos, estariam também presentes familiares que se associaram a este momento festivo. Algumas individualidades marcariam presença ou estariam representadas na cerimónia : o Director

Regional da Educação do Norte, o Presidente da Câmara da Municipal da Maia e todos os Presidentes das Juntas de Freguesia da Maia. O Centro Novas Oportunidades (CNO) da Escola Secundária / Agrupamento de Escolas de Águas Santas, iniciou, efectivamente, as suas actividades em Setembro de 2008 e, até hoje, regista uma grande procura por parte da comunidade envolvente e de toda a comunidade maiata. Estes

adultos, com idades compreendidas entre os 20 e os 73 anos, recorrem ao Centro Novas Oportunidades à procura de maiores qualificações e reconhecimento social. Até hoje, o Centro Novas Oportunidades (CNO) da Escola Secundária / Agrupamento de Escolas de Águas Santas já certificou 500 adultos e encaminhou para outras entidades formadoras/actividades formativas 480, sendo que centenas de adultos se encontram a frequentar

o processo de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC) . A procura de qualificações por parte dos adultos levou a Escola Secundária / Agrupamento de Escolas de Águas Santas a criar novas dinâmicas que passam nomeadamente pela abertura de 3 núcleos de alfabetização e a criação de oito turmas de Educação e Formação de Adultos.


06

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Política

\\Ângulo Recto António Neto

Na viragem para o Ano 2011!... 0 2010 deixou-nos um travo de amargura e de incerteza entrelaçados, na viragem para 2011, pela crise e pelas dificuldades que se agravam com o aumento dos impostos, os cortes nos salários e diminuição dos valores das prestações sociais. Será na adversidade que poderemos alimentar a esperança numa mudança que seja portadora de firmes rompimentos com políticas e procedimentos que nos conduziram a esta encruzilhada que penaliza, entre outros, quem trabalha, os desempregados e reformados e nos deixam à mercê dos interesses da especulação monetária e financeira. Como afirma Andy Warhol “ Dizem que sempre o tempo muda as coisas, mas na realidade somos nós próprios quem tem de as mudar”. E para mudar as coisas, temos, na minha perspectiva, de compreender que os homens são fruto de um País, de uma sociedade e de uma Cultura mas, também, seus construtores e decisores e que os momentos que vivemos não são uma fatalidade. O País tem séculos de história e já passou por crises difíceis que soube ultrapassar com a clarividência de muitos e o empenho de todos. No actual contexto, há uma enorme desconfiança sobre a utilidade destes sacrifícios, a dúvida quanto à possibilidade de lhes serem pedidos ainda mais sacrifícios e a difícil compreensão relativamente à constatação de que estes não sejam sacrifícios para todos. A nossa democracia ainda é muito jovem e continua a florir na aprendizagem da sua construção e aperfeiçoamento, mas o aprofundamento da democracia não pode estar sujeito aos erros praticados sempre pelos mesmos protagonistas que entram e saem sem nunca perderem os laços do poder, as vénias de alguma comunicação social, as influências de todo o tipo e sem perderem os tiques e as práticas de arrogância e desresponsabilização que os caracterizam. Na viragem do ano temos de começar a caminhar igualmente para a viragem de página sem esquecer que o País não pode prescindir da sua massa crítica, dos empresários e dos trabalhadores. São precisas políticas de rigor e de diálogo de todos com todos que permitam a construção de um País mais competitivo e próspero. Não considero que o Capital seja o mau da fita, nem os trabalhadores os culpados pela crise. O trabalho como o capital, têm de conviver e serem dignificados, pois sem investimento e crescimento não há desenvolvimento. A campanha eleitoral das Presidenciais está ao rubro e serão os Portugueses a decidir quem será o futuro Presidente da República e se haverá ou não necessidade de uma segunda volta, e não as sondagens e os fazedores (manipuladores e sempre os mesmos) de opinião. O País tem de decidir com serenidade e votar naquele que poderá ser o melhor garante de cumprir e fazer cumprir a Constituição. Há que decidir compreendendo o que diferencia os candidatos à Presidência e tendo presente o passado, presente e futuro de cada um. A decisão será nas urnas e todos temos o dever de dizer presente optando pela solução que em consciência consideremos a mais ajustada e necessária para a Presidência da República nos próximos cinco anos. Uma referência para a última Assembleia Municipal da Maia de 2010 que se notabilizou por uma abordagem serena e rigorosa do Presidente da Câmara às matérias abordadas e às questões colocadas. Em face do trabalho desenvolvido pela maioria era preciso uma outra e melhor oposição mais ligada às populações e forças vivas do Concelho e que tivesse um discurso mais positivo e realista. Deste ângulo desejo um 2011 com esperança e mudança para Portugal. ANTÓNIO NETO

POLÍTICA

Bloco de Esquerda questiona na Assembleia da República

Opinião \\

Trabalhadores dos CTT Relativamente à luta dos trabalhadores dos CTT, dado estarem solidários com as reivindicações, o Bloco de Esquerda deu entrada na Assembleia da República, tendo como destinatário o Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, um requerimento que visa obter respostas aquelas questões como segue na integra: «Assunto: CTT recusam pagamento do subsídio de transporte a trabalhadores deslocalizados para a Maia. Exmo. Senhor Presidente da Assembleia da República Recentemente, os CTT decidiram deslocalizar vários trabalhadores de Vila Nova de Gaia para as instalações dos CTT na zona industrial da Maia. Esta deslocalização faz com que vários trabalhadores se vejam agora obrigados a percorrer mais quilómetros e a gastar mais tempo e dinheiro para continuar a trabalhar.

PRESIDENCIAIS

Muitos dos funcionários afectados residem em Vila Nova de Gaia e vêem-se agora obrigados a gastar muito dinheiro em transporte próprio para se deslocar. Isto porque vários horários não são compatíveis com os horários dos transportes públicos (há turnos a pegar ao serviço às 05h00 da manhã, por exemplo). Dos 400 funcionários a trabalhar nos CTT na zona industrial da Maia, cerca de 60% estão nesta situação. O custo associado a estas deslocações diárias pode representar, em alguns casos, 200 e 300 euros mensais que estão a ser suportados pelos trabalhadores, pois a administração dos CTR recusa-se a pagar subsídio de transporte. Na prática, o que está em jogo, é uma redução do salário efectivo, pois estes trabalhadores perderão uma parte significativa do mesmo em deslocações empresa - casa e vice-versa. Os CTT alegam a necessidade de poupar para não atribuírem este subsídio de transporte aos traba-

Orlando Leal lhadores. O Bloco de Esquerda lembra que esta é uma empresa que em 2009 teve mais de 50milhões de euros de lucro e que ainda recentemente decidiu arrendar, à Mota Engil, um prédio no Parque das Nações pelo qual pagará uma renda de mais de 3 milhões de euros. Assim, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio, ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, dirigir ao Governo, através do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, as seguintes perguntas: 1. O Governo tem conhecimento desta situação? 2. Que medidas serão tomadas pelo Governo para que a administração dos CTT proceda ao pagamento do subsídio de transporte? Palácio de São Bento, 20 de Dezembro de 2010. Os Deputados do Bloco de Esquerda: João Semedo; José Soeiro e Catarina Martins».

Candidatura de Manuel Alegre organiza debate local

Desenvolvimento Sustentável e Ordenamento do Território Na passada Sexta-feira, 17 de Dezembro, o salão nobre da junta de freguesia de Vermoim foi palco de um interessante debate subordinado ao tema “Desenvolvimento

Sustentável e Ordenamento do Território” , organizado pela Comissão Concelhia de Apoio à candidatura de Manuel Alegre à presidência. A iniciativa teve como oradores

maiahoje

o arquitecto Manuel Correia Fernandes; o economista Pedro Bringue e o urbanista Luís Mamede.

pub

Presidenciais As eleições presidenciais aproximamse a passos largos e de uma forma cada vez mais clarividente se prevê o resultado final, ou seja uma reeleição à primeira volta do actual detentor do cargo. Aliás é com alguma tristeza que observo esta situação, não que ache este acto eleitoral pouco relevante, nem tão pouco por duvidar das capacidades do Professor Cavaco Silva como Homem de Estado e maior signatário da Nação. Antes fico triste porque acho que ele merecia, na sua reeleição, uma oposição menos “fraquinha” e que desse algum ânimo a esta eleição, falando da real função do chefe de estado em vez das pequenas tricas de politiquice “foleira” que nada dignificam tanto o acto como o cargo. Os candidatos, são, se nenhum desistir seis, o ultimo a aparecer foi o Madeirense Coelho, que, e nas palavras do próprio vem mais numa iniciativa de alertar para o estado da nação, e muito particularmente falar sobre a sua “batalha” pessoal que se refere à Região Autónoma da Madeira, mas que neste aspecto está um pouco esmorecida muito provavelmente pelo estado de saúde do Dr. Alberto João Jardim, a quem expresso os maus votos de rápidas melhoras, o que vem provar, que apesar do seu espírito irreverente, este candidato tem um fundo de bom senso humano, apesar de não estar efectivamente interessado em ser Presidente da República. Depois temos o Candidato pró PS número 2, que é Defensor Moura, que está nesta campanha a jogar como aqueles meninos a quem ninguém passa a bola porque claramente não tem jeitinho nenhum para o jogo, e se vinga atirando-se a dar caneladas no melhor jogados da equipa adversária. Mas deixando a alegoria futebolística, trata-se claramente, no meu entender de uma tentativa de afirmação pessoal depois de ter sido afastado da Câmara de Viana do Castelo pelos seus camaradas de partido, ou então está a fazer um frete ou favor a alguém, tentando denegrir a imagem do professor Cavaco Silva. Não me espantaria se já próximo do final da campanha anunciasse a sua desistência. Depois temos o Candidato Francisco Lopes, a que apenas acho piada ao nome por uma questão muito pessoal, e que representa a normal candidatura do Partido Comunista, como afirmação de um ideal de esquerda que não traz nem novidade nem surpresa e que poderá servir apenas para uma pequena afirmação da força deste partido, ou caso as coisas corram mal num grande embaraço. Já Fernando Nobre surge na campanha como cidadão contra os políticos, como se fosse dono da seriedade alheia aos políticos, segundo o que parece querer demonstrar, mas candidatando-se a um lugar claramente político, o que é a primeira contradição e depois contando com um “curioso” apoio da família Soares, como se de uma “vendeta” se tratasse para acertar as contas de há cinco anos. De dia para dia vejo esta candidatura a perder fulgor. Finalmente Alegre que passou do homem da liberdade e do “a mim, ninguém me cala” de há cinco anos para o candidato oficial do PS e do Bloco de Esquerda juntos, o que é inédito e por si só contraditório, pois são tantas as diferenças entre o partido do governo e da oposição de esquerda mais extremista que será necessária muita imaginação para estar de acordo com os seus apoiantes, ou então será apenas mais um passo neste fim de regime e um primeiro passo para que ambos os partidos estejam na oposição. Será curioso verificar a percentagem de votos deste candidato (que já vi mais calmo no início da pré-campanha) para vermos quanto valem neste momento o PS e o BE juntos. Quanto a Cavaco Silva não falarei dele hoje. Esperarei antes pela sua reeleição para falar sobre aquilo que espero daquele que é e irá continuar a ser o “Nosso Presidente” pois é o único que se candidata convictamente para o lugar e é o único que está verdadeiramente preparado. Finalmente um apelo a uma forte participação de todos nesta votação, para a tornar a mais expressiva possível e para que tudo fique resolvido a primeira volta e assim evitar mais despesas para os já muito delapidados cofres do estado.


maiahoje POLÍTICA

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Política

07

Joaquim Jorge lança novo livro

«Blogue Clube dos Pensadores» Joaquim Jorge fundador do Clube dos Pensadores ( CdP) é autor do livro «Blogue Clube dos Pensadores» que deveria ser apresentado no passado dia 11 de Janeiro . A apresentação estaria a cargo de Alberto João Jardim, mas devido à súbita doença que o acometeu, a iniciativa foi adiada para data a designar. Ao MaiaHoje Joaquim Jorge, a propósito deste lançamento, responde a 10 questões que lhe colocamos. 1) Qual a experiência do seu primeiro livro e a razão que o levou a escrever um segundo? A primeira experiência de fazer um livro foi boa, aliás o primeiro livro entrou em 2ªedição. O que me levou a escrever o segundo livro. Tenho um blogue e escrevo todos os dias. Achei por bem pôr em papel e deixar a minha opinião sobre este ano de legislatura 2009/2010.

Como a primeira experiência foi boa. Achei por bem continuar a saga do Clube dos Pensadores, mas já escrevia artigos de opinião sobre política e outros assuntos. Agora fazer um livro é diferente.

2) Quando começou o interesse pela escrita? Há relativamente pouco tempo.

6) Quer falar um pouco da temática do seu livro. Em que se baseia? É um livro que faz uma análise  da

DEBATE

4) A escrita é um processo fácil? Não! É bem difícil. Por vezes penoso. Todavia um blogue tem que estar sempre actualizado para despertar interesse e ser lido. 5) Acredita que há mais pessoas a ler mais livros principalmente os que vão de encontro a temáticas de sociedade? Eu acho que há mais pessoas a fazer livros do que a lê-los (risos). Estou a exagerar mas qualquer pessoa faz um livro. A sua marca fica se for lido, despertar interesse e tiver algo diferente para nos dizer.

política do primeiro ano de legislatura com uma critica do desempenho do governo e oposição. E para além da política coisas piores... 7) Como se define Joaquim Jorge? Uma espécie de contra poder no bom sentido. Não critico somente. Apresento muitas propostas que infelizmente não são seguidas mas isso não é problema meu, ou melhor, já não é da minha responsabilidade dado que problema é de todos e não meu exclusivamente. 8) Onde busca esta força e coragem para lutar contra marés e correntes? Não sei, sempre fui assim. Não gosto de perder e no que me meto gosto de ser o melhor. É a minha costela de desportista e praticante ao longo dos anos. Sempre fui competitivo.

É uma honra para mim e mostra a dimensão do CdP. 10) Vai fazer alguma apresentação especial do seu livro na Maia? Não sei vou pensar. A receptividade das pessoas é enorme, mas de quem manda não é nada de especial. Nada que eu não saiba e entenda. Não sou alinhado, nem submisso mas alguém que viveu tantos anos na Maia deveria ser mais bem aproveitado e mais bem aceite. O CdP é uma ideia perigosa que causa alteração à ordem, que a ordem existente não pode conter e a sua atractividade é grande. Estando o poder contra, demonstra bem a sua importância. O CdP é a favor da mudança deste sistema político caduco e isso não agrada ao poder nem à oposição mas agrada a muitos e muitos cidadãos. O ciúme a inveja fazem parte do nosso léxico cultural.

9) Quem vai apresentar o livro? O meu amigo Alberto João Jardim.

“Juventude, desporto e vida saudável - Politicas de Futuro”

ELEIÇÕES

Ordem dos Advogados na Maia com nova direcção

Guilherme Aguiar e Pedro Vinha em fogo cruzado Regina Serra é a nova presidente \\

Guilherme Aguiar diz ter sido alvo de tentativa de boicote por parte do Presidente da Concelhia do PSD Matosinhos. Pedro Vinha diz que «Guilherme Aguiar é fiel a quem lhe paga». Depois das autárquicas, ânimos ainda quentes no PSD Matosinhos.

No passado dia 6 de Janeiro, quinta-feira, a Casa do Alto em Pedrouços foi palco de uma iniciativa conjunta com a JSD Matosinhos, subordinada ao tema “Juventude, desporto e vida saudável - Politicas de Futuro” sendo oradores convidados Hernâni Ribeiro, vereador da Câmara Municipal da Maia; José Guilherme Aguiar, comentador desportivo e vereador da Câmara Municipal de Matosinhos e Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores. Segundo os presentes, tratou-se de um debate muito interessante, tendo ficado acordado efectuar novas iniciativas noutros locais. O facto da noite foi a intervenção inicial de Guilherme Aguiar, que sem concretizar, afirmou ter sido alvo de tentativa de boicote, por parte de alguém que terá alegadamente tentado junto do executivo da Câmara Municipal da Maia, fazer com que lhe fosse retirado o convite que aceitou. «Pedro Vinha quis boicotar» Contactado pelo MaiaHoje, Guilherme Aguiar diz que a tentativa de boicote não foi a ele mas sim à iniciativa que envolvia responsáveis municipais de dois concelhos e um independente. Instado a concretizar quem terá efectuado o boicote disse que «foi por parte do senhor presidente da Concelhia de Matosinhos do PSD, Dr. Pedro Vinha. Sei que o tentou fazer junto de responsá-

veis municipais e nomeadamente junto do senhor presidente da Câmara Municipal da Maia, que felizmente tem mais noção de democracia do que esse senhor», disse o vereador. «Guilherme Aguiar é fiel a quem lhe paga» Por seu lado Pedro Vinha, presidente da concelhia diz ser totalmente falso que houvesse da sua parte qualquer tentativa de boicote à iniciativa «quando fui informado do debate e estando a ser promovida a presença do Dr. Guilherme Aguiar na qualidade de vereador do PSD da Câmara Municipal de Matosinhos, como é da minha competência, limitei-me a chamar à atenção dos responsáveis e do Presidente da Concelhia Maiata do PSD, que felizmente até é presidente da Câmara da Maia, que esse senhor não é vereador do PSD, que está a decorrer nas instâncias internas do partido um processo disciplinar e que tanto a Comissão Política de Matosinhos e o plenário concelhio, por unanimidade, lhe retiraram a confiança política. Demonstrei ainda que esse senhor não é vereador do PSD, mas sim do PS dado que é fiel a quem lhe paga», disse. Até ao fecho da edição, tentamos contactar Bragança Fernandes, presidente da Câmara Municipal da Maia, mas tal não foi possível, dado que, ao que nos justificaram, se encontra em gozo de férias.

No passado dia 7 de Janeiro, realizou-se o acto eleitoral para a Delegação da Maia da Ordem dos Advoga-

dos, ao qual se candidatou apenas uma lista. Assim, a lista eleita tem como presidente Regina

Serra, sendo tesoureiro Edite Alves e vogais Vitor Aroso Maia e Paula Lopes Pereira.

pub

Professor Cavaco Silva Distrito do Porto

AGENDA DE CAMPANHA Quinta – Feira, dia 20 de Janeiro

10h00 – Maia: Contacto com a população na Praça do Município 10h30 – Matosinhos: Contacto com a população de Lavra (Portinho de Angeiras) 11h30 – Valongo: Contacto com a população (frente à Câmara Municipal) 12h45 – Felgueiras: Contacto com a população no centro da Lixa (Largo da Igreja) 13h30 – Felgueiras: Almoço com apoiantes do Vale do Sousa na Pensão Albano 16h30 – Porto: Arruada na Rua de Santa Catarina/Rua Sá da Bandeira COMÍCIO, Coliseu do Porto, 21 horas

Acredito em Portugal \\

Dionísio Mendonça (JSD Maia); Hernâni Ribeiro; Joaquim Jorge; Guilherme Aguiar e Ricardo Gonçalves (JSD Matosinhos)

w w w. c a v a c o s i l v a . p t


08

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Sociedade

SILVA ESCURA

Almoço de Natal no Centro de Dia da Misericórdia da Maia

\\ Opinião

Um dia especial com afectos O Centro de Dia de Silva Escura promoveu, no dia 21 de Dezembro, o seu tradicional almoço de Natal, onde contou com a presença do presidente da Junta de Freguesia, José Sousa Dias  e a coordenadora deste equipamento gerido pela Santa Casa de Misericórdia da Maia. Nesta festa não faltou o tradicional bacalhau com as batatas cozidas e os mais diversos doces natalícios, desde rabanadas, aletria, filhoses, bolo-rei, sonhos, entre outras iguarias, e muita alegria e boa disposição. Este dia seria muito especial para os utentes. A animação esteve também ao rubro no Centro de Dia de Silva Escura, da Misericórdia da Maia, com os idosos a cantarem bem “afinados”, em uníssono temas próprios do Natal. O presidente da Junta da

SILVA ESCURA

Freguesia, José Sousa Dias, que se fez acompanhar de todo o executivo, referiu que esta iniciativa «é uma ocasião muito feliz, pois trata-se de um almoço de Natal, onde estão presentes pessoas muito queridas da nossa população», salientando ainda que se «solidarizam e comungam com o mesmo espírito próprio de uma ocasião muito bonita para todos os utentes e funcionários do Centro de Dia». O autarca não deixou também de focar a importância da «partilha e a solidariedade». E que estas iniciativas não devem ser vistas ocasionalmente, mas, devem também ser propostas nos momentos mais sensíveis. Naturalmente, esta é a época mais sensível. Consideramos ser imprescindível transmitir aos idosos que são importantes na comunidade.

A importância dos afectos no seio da família  e principalmente os afectos dos mais novos com os mais velhos e não só. E os afectos dão uma nova dinâmica aos nossos idosos e fá-los reviver e sentirem-se de grande utilidade». José Sousa Dias felicitou a coordenadora do Centro de Dia de Silva Escura, pela forma «eloquente e caprichosa» como organizou o almoço, que «esteve irrepreensível e que nos ofereceu um dia especial a

Nelson Ferraz

todos nós». Para a coordenadora Montserrat Arbués Pedrola, são estes encontros que «têm vindo a contribuir para partilha, momentos de alegria e proximidade entre todos. Assim esperemos que continuem a acontecer ano após ano». A responsável não deixou de manifestar a sua gratidão pela presença de todo o executivo da Junta de Freguesia. ANTÓNIO ARMINDO SOARES

Junta de freguesia atenta às preocupações da população

Um gabinete de psicologia gratuito \\ Um Gabinete de Psicologia já está em funcionamento nas instalações da sede da Junta de Freguesia de Silva Escura. Este serviço está a ser disponibilizado de forma gratuita para atender todas as pessoas mais carenciadas. O gabinete atende à 2ª e 4ª feira, entre as 14h e as 17h, sem custos para a população, é coordenado pela psicóloga Vera Pinto funciona no edifício da Junta de Freguesia. José Torres Sousa Dias, presidente da Junta de Freguesia, revelou que procuraram dar respostas na área da psicologia, «que hoje é essencial, para auxiliar as pessoas a ultrapassar problemas psicológicos, próprios da grave crise económico-social que atravessamos provoca a qualquer cidadão», acrescentando que é um

POESIA

serviço que visa «prestar auxílio a todas as pessoas que necessitam de ajuda nos distúrbios emocionais e afectivos, sobretudo as famílias mais carenciadas». Com o gabinete a funcionar há 2 meses, o autarca referiu que com o percurso já decorrido sente-se «muito satisfeito pelo trabalho que a Psicóloga tem desempenhado, porque notamos que as pessoas que recorrem a este serviço demonstram que tem sido uma mais-valia para a nossa freguesia».

maiahoje

José Torres Sousa Dias confessa que esta iniciativa acarreta um esforço orçamental da parte da autarquia, mas não deixou de sublinhar que «ao abrirmos este gabinete o meu executivo decidiu que seria uma oferta gratuita, porque assumimos o compromisso de prestarmos uma acção de cariz social ao alcance das pessoas, dando respostas às suas preocupações. É assim que trabalhamos, fazendo o verdadeiro serviço público aos cidadãos». O presidente garante que este

gabinete é para continuar, «até porque o fluxo de pessoas a fazer marcações tem aumentado». Os interessados têm-se dirigido à secretaria da Junta marcando a consulta ou contactam via telefone. «Não abdicaremos de sermos um Executivo coeso que não deixará de ajudar quem mais precisa. É esta a nossa despretensiosa forma de estarmos na política local», concluiu José Torres Sousa Dias.

Andrade acompanhou o nosso convidado, com a sua voz e a sua viola. Maria Mamede, depois de agradecer ao Amílcar Mendes e ao Carlos Andrade a colaboração nesta tertúlia, deu início à Noite de Poesia. Colaboraram os poetas Maria José Campos Leite, Victor Freitas (pela voz da Maria Mamede), Jaime Gonçalves, Teresa Gonçalves, Cesário e Lourdes Costa (uma rábula sobre as Prendas dos Reis), José Gomes, António Castilho Dias, Irene Lamolinairie, Fernanda Garcias, Angelino Santos Silva, Marília Teixeira e Amílcar Mendes.

encantou os presentes com a sua voz e a sua música. Da rubrica “Poesia na Net” destacamos os poemas da Paula Raposo, do João Diogo, da Maria de Fátima e do Victor Freitas.

JOANA ISABEL SOARES

Noites de Poesia

“As prendas dos Reis”

a barracuda arrugantis “a barracuda arrugantis recolheu as barbatanas atracou as suas patas ao molhe envidraçado do gabinete e suspirou duas vezes antes de poisar a carteira contrafeita no chão rangente da sala a secretária aos papéis olhou-a de lado amedrontada pelo esgar trombado da animal e silenciou-se timidamente entre os minutos prolongados do mal-estar” - neste momento estão a tentar controlar os níveis de ansiedade da população a protecção civil já chegou e de acordo com as suas primeiras impressões não irá ser fácil retirar tão pesado animal deste edifício as autoridades interrogam-se como terá sido possível que este tipo de criatura tenha chegado tão longe do seu habitat natural que como se sabe se localiza lá para os lados da profunda zona das belúndias eternas mas alguns especialistas em m.i.s. (migrações incompreensivelmente selvagens) e a.o.e.s.q.n.t.e. (aparecimentos ocorridos estranhamente sem que ninguém tenha explicações) adiantam uma recente e corajosa teoria segundo a qual fenómenos como este poderão ser explicados pela escalada alarmante das alterações comportamentais da sociedade e pelas doses excessivas de estupidez que se vão acumulando nas camadas superiores da atmosfera humana “a barracuda arrugantis sacudiu as barbatanas limpou as patas e colocou os óculos no seu rosto rimelado e metamorfoseado ajeitou os lábios pintados de carmim quase verde e suspirou duas vezes antes de fazer o discurso do desmétodo oficial de sobrevivência as pessoas caladas sentiram-se infantis ingénuas e mudas como as portas de elevador” … e ainda se sentem assim

“As Prendas dos Reis” foi o tema escolhido para a Noite de Poesia do passado dia 08 de Janeiro no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Vermoim. Apesar da chuva ser rainha e senhora, apresentou uma moldura humana e participativa muito agradável. Maria Mamede apresentou Amílcar Mendes, o nosso convidado para a rubrica “15 minutos com...”: Bairradino de nascença (natural de Sangalhos), mas portuense por adopção há já 54 anos - e para que conste, também portista há muitos mais (é uma virtude). Veio para o Porto para estudar, mas andou a passear os livros durante alguns anos. Como não acabou qualquer curso, e precisava de subsistir,

concorreu ao Banco Espírito Santo, que, infelizmente para si, o aceitou. Aí se manteve, infeliz e intelectualmente castrado, durante 33 anos e meio. O gosto pela poesia vem já dos bancos da escola primária. Não escreve, mas gosta de dizer, por isso se diz dizedor. Anda pelo Teatro desde os 21 anos. Começou nos amadores. Em 1991 começou a colaborar com grupos profissionais e integrou alguns depois de se reformar como bancário. Agora, como costuma dizer, é actor...quando calha.” Amílcar Mendes começou por interpretar um poema de António Gedeão. Bem à sua maneira declamou poemas de vários poetas nacionais e brasileiros. Carlos

A próxima Noite de Poesia em Vermoim é no dia 5 de Fevereiro de 2011 e o tema sugerido é “CARNAVAL”. Então, até lá e boa inspiração. Um abraço e os nossos votos de um Bom Ano. José Gomes

- neste momento as autoridades começam a abandonar a cena do insólito acontecimento mas os especialistas em m.i.s.(migrações incompreensivelmente selvagens) e a.o.e.s.q.n.t.e.(aparecimentos ocorridos estranhamente sem que ninguém tenha explicações) dizem que só se irão embora depois de conseguirem perceber como funciona o cérebro de uma barracuda arrugantis até lá manter-se-ão em vigília olhando e estudando os seus singulares e caóticos apetites e tentando responder a uma questão quase científica: quem permite tais desvairos?

Carlos Andrade, além de acompanhar o nosso convidado, pub

Cavalheiro Cavalheiro residente na Maia, 53 anos, divorciado, com casa própria e vida estável, procura companheira. Assunto sério.

Contacto 96 753 18 22


maiahoje

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

DECO \\

Sociedade

SAÚDE ArrábidaShopping, GaiaShopping, MaiaShopping, NorteShopping e ViaCatarina

09

DECO \\

Centros da Sonae Sierra no grande Porto com programa de Desfibrilhação Automática Externa.

Sofri um acidente enquanto praticava exercício no ginásio. Após ter-me deslocado ao hospital, de modo a receber tratamento médico, accionei o seguro daquela entidade. Agora, a seguradora exige relatórios médicos do tratamento efectuado, mas o médico recusa-se a fornecêlos. Pode fazê-lo? De acordo com a legislação presentemente em vigor, a informação de saúde apenas pode ser prestada a médico com habilitação própria, que poderá ser indicado pelo consumidor. Considera-se informação de saúde toda aquela que diga respeito, directa ou indirectamente, a pessoa viva ou já falecida, desde que conexa com a sua saúde ou história clínica e familiar. Nesta informação incluem-se não só os relatórios médicos respeitantes a diagnósticos ou intervenções, mas também análises clínicas, exames complementares de diagnóstico e demais documentação relevante para a aferição do estado de saúde do consumidor. Ora, pretendendo um consumidor obter tais dados, aos quais tem direito, deverá o mesmo efectuar tal pedido mediante recurso a médico, porquanto só a este poderá ser concedida tal informação. Cabe às unidades de saúde, enquanto depositárias da informação de saúde, proceder à preservação da mesma, considerando parâmetros como a confidencialidade, segurança, sigilo e princípios deontológicos, de modo a evitar o seu uso indevido ou o acesso por terceiros não autorizados. Contudo, importa referir que, desde que não seja revelada a identidade do consumidor, a mesma informação pode ser utilizada para investigação; caso contrário, a mesma terá de ser utilizado tãosomente nas condições expressas pelo consumidor em autorização escrita. Existindo um processo clínico, isto é, um registo contendo toda a informação de saúde disponível sobre o consumidor (que apenas pode ser registada pelo seu médico ou profissional para tal autorizado), aquele só poderá ser consultado por médico que preste serviços de saúde ao consumidor ou por profissional sob supervisão daquele, igualmente obrigado ao dever de sigilo. Assim, respondendo agora à questão colocada, a seguradora poderá ter acesso ao relatório clínico elaborado pelo médico que atendeu o consumidor na sua deslocação ao hospital, desde que tal relatório seja solicitado por um médico, possivelmente colaborador da aludida seguradora. Caso a seguradora não se faça representar nos termos mencionados, terá o consumidor que, junto do hospital (centro de saúde, clínica privada, etc.) que o tratou, indicar um médico para que este possa facultar as informações solicitadas. Liliana Melo Para qualquer esclarecimento adicional, por favor dirija-se à DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, Delegação Regional do Norte – Rua da Torrinha, n.º 228-H, 5.º andar, 4050-610 Porto.

Os Centros da Sonae Sierra do Grande Porto: ArrábidaShopping, GaiaShopping MaiaShopping, NorteShopping e ViaCatarina já têm instalado o Programa de Desfibrilhação Automática Externa (DAE), disponibilizando o equipamento e pessoal formado para o utilizar de forma a garantir uma resposta eficaz em caso de paragem cardíaca inesperada. O DAE é o aparelho electrónico portátil que analisa o ritmo cardíaco de um paciente e identifica as arritmias cardíacas de fibrilhação e taquicardia ventricular que podem

TEATRO

ser potencialmente letais, permitindo igualmente o tratamento destas arritmias, através da desfibrilhação, um choque eléctrico que pode parar a arritmia e fazer com que o coração retome a sua actividade eléctrica normal. Estima-se que ocorram em Portugal cerca de 20.000 mortes súbitas por ano, o que equivale a aproximadamente 55 mortes súbitas por dia. Em mais de 95% dos casos de paragem cardíaca a situação é fatal, pelo que a disponibilização destes equi-

pamentos em espaços públicos permite uma resposta imediata no local onde ocorre a paragem cardíaca inesperada que é fundamental e está comprovadamente ligada a um aumento significativo da sobrevivência das vítimas. De recordar que a Sonae Sierra, especialista internacional em Centros Comerciais, foi a primeira empresa do sector em Portugal a disponibilizar nos seus espaços Programas de Desfibrilhação Automática Externa licenciados no âmbito do Programa Nacional de DAE.  

“NOITES DA CAVERNEIRA: o Teatro & todas as Artes” apresentam

“North End Way Pub” pelo Pé no Charco \\ Hoje e amanhã, a Oficina de Teatro de Vermoim apresenta a peça “North End Way Pub”. As sessões começam às 21.30h. Inserida na programação artística do Auditório da Quinta da Caverneira – Águas Santas, as “NOITES DA CAVERNEIRA: o Teatro & todas as Artes” é uma iniciativa da Câmara Municipal da Maia e do Teatro Art’Imagem. Assim, hoje e amanhã, 14 e 15 de Janeiro, às 21h30, no Auditório da Quinta da Caverneira, será apresentado o espectáculo de teatro “North End Way Pub” pelo Pé no Charco - Oficina de Teatro de Vermoim. O preço dos bilhetes será de três euros. Construído a partir de textos de R.W. Fassbinder, Sarah Kane, Harold Pinter e textos originais escritos pelo grupo, este espectáculo, para maiores de 12 anos, tem a seguinte ficha artística: Encenação/adaptação dramatúrgica: Mário Sá; Interpretação: Raquel Maia, Luísa Costa, Vasco Fonseca, Sofia Príncipe, Mafalda Banquart, Valter Moreira, Johnny Almeida, Joana Andrade, Hélia Cerqueira, Eduardo Carvalho, Marta

Santos, Beatriz Romano, Augusto Campos, Fernando Costa; Construção/Apoio à Cenografia: António Vieira e Produção da Junta de Freguesia de Vermoim. Sinopse “North End Way Pub” A inauguração de um bar londrino é notícia na cidade e todos decidem comparecer... Encontros inesperados? Perdas passadas? Este bar fervilha de pessoas adoravelmente kitsches e sensuais: uma ex-modelo dealer, uma professora pré-primária alcoólica, irmãos separados pelo tempo, um escritor não amado, um seropositivo incompreendido, uma performer com pernas fantásticas, uma irmã-esposa à procura do nada... Entre sorrisos e lágrimas, entre whiskys e riscos, palavras e silêncios, o North End Way Pub vive da condição humana destas personagens tão peculiares que se deixam levar pela ironia do destino que já têm traçado e que muitos desconhecem.

ADOPTE UM CACHORRINHO Nasceram uns cachorrinhos a 6 de Dezembro numa mata da Maia. 7 fêmeas e 3 machos, vão ser de porte médio/grande. Com

Noites da Caverneira Estas iniciativas propõe-se cativar novos públicos ao estimular encontros, tertúlias e performances artísticas abrangendo as áreas das artes do palco, do cine-vídeo, artes plásticas, música e literatura. Com a apresentação deste grupo nas “NOITES DA CAVERNEIRA” dão continuação ao ciclo de apresentação dos grupos de teatro amadores do concelho da Maia.

Já cumpri 2 anos de fidelização com a operadora de telecomunicações e mandei uma carta a denunciar o contrato. Fiquei surpreendido ao receber mais uma factura. Devo pagá-la? Até quando tenho que pagar facturas depois do cancelamento do serviço?

Após ter concluído o período de fidelização que consta do contrato (prazo mínimo de obrigatoriedade de permanência e que vem indicado nas Condições Específicas ou na Proposta, por exemplo, de 1 a 2 anos), o consumidor poderá denunciar livremente o seu contrato e desta forma obstar à sua renovação por um novo período de tempo. No sentido de evitar facturação posterior ao pedido de denúncia do contrato e a reformular novas cartas, aconselhamos os seguintes procedimentos: A denúncia do contrato terá que ser feita pelo verdadeiro titular do contrato através de uma simples comunicação escrita ao operador, com a completa identificação daquele e demais elementos indicativos do contrato: número de contrato, o número de contribuinte e o número de conta-cliente. Sugerimos que reserve uma cópia de segurança do pedido enviado. Deverá cumprir o pré-aviso que o contrato estipula (antecedência mínima de 15, 20 ou 30 dias, dependendo do operador em causa) em relação à data do fim do período de fidelização ou de qualquer das suas renovações. Se não considerar estes dois momentos, a saber, o pré-aviso e a data da renovação, o contrato renova-se automaticamente por períodos sucessivos de um mês e consequentemente receberá novas facturas, mesmo que já não usufrua dos serviços ou não disponha do equipamento respectivo. Poderá opcionalmente dirigir-se a uma loja do operador em causa munido do bilhete de identidade, preencher o impresso respectivo e ficar com uma cópia carimbada do pedido de denúncia. Com a cessação do contrato extingue-se o serviço prestado ao consumidor e todos os direitos do Cliente perante o Operador.

quase 1 mês já começam a caminhar e a fazer barulho, o que não é nada bom naquele sitio. Temos que tirar estes “bebés” dali o

Cristiana Santos Jurista

mais cedo possível. Conto com a vossa ajuda. Eles agradecem todo o vosso

Para qualquer esclarecimento adicional, pode dirigir-se à DECO – Associação Portuguesa para a

carinho e certamente mais tarde irão retribuir o que fizeram por eles!

Defesa do Consumidor – Delegação Regional Norte na Rua da Torrinha nº 228 H 5º andar, Porto.

Obrigada! Contacto: Cristina PintoT:93 601 59 59 cristinapinto18@gmail.com

pub


10 MÚSICA

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Sociedade

maiahoje

Início das comemorações do 20º aniversário

Concerto de Ano Novo dos Pequenos Cantores da Maia solidário a favor da Causa da Criança O Coral Infantil Municipal dos Pequenos Cantores da Maia promoveu no passado dia 1 de Janeiro de 2011 (Dia Mundial da Paz), um concerto de Ano Novo, cuja receita de bilheteira reverteu inteiramente a favor da Causa da Criança. Neste concerto solidário, os Pequenos Cantores da Maia iniciam as comemorações oficiais do seu 20º aniversário, apresentando algumas das suas mais recentes produções artísticas, reservando algumas surpresas agradáveis, para todos os

NATAL

espectadores, que no Dia de Ano Novo se quiserem associar ao seu gesto de solidariedade para com a Causa da Criança, uma instituição de solidariedade humana e social que acolhe crianças em risco. O concerto, embora não tenha previsto intervalo, sería constituído por duas partes distintas, uma com apresentação de repertório próprio da quadra natalícia que estavamos a viver e outra com alguns dos temas que integram a Fantasia Musical “O Pzzim é um raio de ener-

gia”, com texto de Mizé Rouxinol e Música do Maestro Victor Dias. Este projecto artístico de educação para o desenvolvimento sustentável, que conta a história de um raio de energia limpa e renovável, será editado pela Câmara Municipal da Maia, com produção da Academia das Artes da Maia - Produções Culturais, E.E.M.,e tem como protagonistas os Pequenos Cantores da Maia & Friends, destacando-se as participações especiais de Rui Veloso, Luís Represas, Manuela Aze-

vedo (Clã), Nuno Guerreiro, Fernando Tordo, Vozes da Rádio, Ricardo Azevedo, Sérgio Castro (Trabalhadores do Comércio), Náná Sousa Dias, Luís Portugal, entre outros amigos. No concerto de Ano Novo, o Coral Infantil Municipal dos Pequenos Cantores da Maia, dando as mãos à Causa da Criança, propunha-se começar o novo ano, com grande animação, cor e alegria, muita Música original e até inédita que o público teve o privilégio de

conhecer em estreia Mundial. Os ingressos para o concerto tiveram um valor simbólico de 2,5 abraços solidários destinados à Causa da Criança, uma causa que os Pequenos Cantores da Maia, o seu Patrono e Presidente da Câmara Municipal, Bragança Fernandes e o Vereador da Cultura, Dr. Mário Nuno Neves, abraçaram solidariamente em conjunto.

pectáculo que tinham acabado de presenciar. Mal se acenderam as luzes da plateia, principalmente os filhos dos associados do C.C.D.P. da Sakthi, até aos dez anos de idade, despiram as cadeiras, numa azáfama de ansiedade e curiosidade, para receberem as prendas que começavam a ser entregues na bancada de conveniência, montada para o efeito, no átrio de entrada do Coliseu. A satisfação estampada nos rostos de todos os que assistiram ao evento Natalício e acima de tudo o soltar de alegria de cada criança ao receber o seu brinquedo, foi o obrigado mais desejado de receber por todos aqueles que ombrearam com a responsabilidade e dedicação na realização de mais uma festa de Natal. Aos representantes da Associação Amigos do Coliseu do Porto, um sin-

cero abraço de agradecimento pelo trato e colaboração que prestaram ao C.C.D.P. da Sakthi, ajudando a assegurar que este acontecimento fosse um êxito. Para finalizar, apraz realçar que, mais uma vez, o Centro Cultural e Desportivo do Pessoal da Sakthi, a sua Administração, que muito superiormente dirige os destinos da empresa, e a Direcção dos seus Recursos Humanos, estão de parabéns por trabalharem em estreita e forte sintonia no sentido de reforçar a unificação de toda a Família Sakthi. A todos os colaboradores da Sakthi Portugal se deseja um ano de sucesso.

Espectáculo do Monumental Circo teve lugar no Coliseu do Porto

Festa de Natal da Sakthi No passado dia 18 de Dezembro, mais uma vez, o Centro Cultural e Desportivo do Pessoal da Sakthi, com o apoio incondicional da Administração e Direcção dos Recursos Humanos da empresa, realizou a sua festa Natalícia que, pelo terceiro ano consecutivo, teve lugar na histórica e ilustre casa de espectáculos da cidade Invicta, mais propriamente no Coliseu do Porto. Os mil e quatrocentos lugares adquiridos foram totalmente preenchidos pelas famílias dos funcionários da Sakthi. A estrutura metálica montada na pista deu o mote para uma noite memorável de espectáculo alusivo à época festiva levado a cabo pela qualidade do elenco de artistas do Monumental Circo. O domador de feras efectuou a abertura, mostrando os seus arrojados e impares dotes ao contracenar

em espaço fechado com leões, leopardos e tigres, deixando trespassar para o público presente a coragem e adrenalina que o seu acto exigia, recebendo como prémio a admiração de todos através das suas calorosas palmas. Na desmontagem da protecção metálica o «entertainer» de serviço fez soltar risos e gargalhadas com a sua gestual e humorística actuação. A equilibrista em argola suspensa fez prender a respiração. Duo de palhaços, parodistas e musicais, fizeram as delícias de pequenos e graúdos.Trupe Romena demonstrou, no trampolim e em paralelas humanas, a destreza da ginástica acrobática. Refrearam-se os ânimos durante o curto intervalo que se seguiu. Segundo inicio do espectáculo, o brilhantismo da acrobata em fitas chi-

nesas suspensas foi delirante.Descendente da afamada família Cardinal, maravilhou os espectadores com seu número impar de malabarismo e equilibrismo em escada vertical.Os mais pequenos rejubilaram com as peripécias dos cãezinhos amestrados.Os trapezistas voaram, sobre a rede de protecção, com seus arriscados exercícios.Novamente a Trupe, presenteou a plateia com a sua rigorosidade em ginástica acrobática, auxiliando-se de prancha amovível para construir, após saltos mortais, pirâmides humanas.Finalizou-se o espectáculo circense com um excelente reportório cómico ofertado por um trio de palhaços. Todo o publico presente, aproveitou a vinda dos artistas do Monumental Circo à pista para lhes ovacionar uma estrondosa e calorosa salva de palmas em forma de agradecimento pelo excelente, belo e maravilhoso es-

Vítor Bastos

pub

* Inclui equipamento, depósito de inércia (200L), tubagem isolada até 10m, acessórios e respectiva mão-de-obra de montagem. Outros equipamentos, chaminé, abertura e fecho de roços, pontos de luz ou água, aluguer de andaimes e de meios de elevação de carga, serão orçamentados caso a caso. ** Condições financeiras com as taxas em vigor em Setembro de 2010, a confirmar caso a caso. Despesas de dossier não incluidas.


maiahoje IGREJA

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Sociedade

11

Ordenação de 17 diáconos permanentes

Exemplo de dedicação e serviço aos outros \\ Benjamim Martins de Morais (paróquia de Vila Nova da Telha); Joaquim Armindo Pinto de Almeida (paróquia da Foz do Douro); José Agostinho de Sousa Pereira (paróquia da Maia), foram os três maiatos agora ordenados. No passado dia 8 de Dezembro de 2010, solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria, com a igreja-mãe da diocese completamente cheia, D. Manuel Clemente, Bispo do Porto, ordenou 17 novos diáconos permanentes. Na homilia, sublinhou que foram escolhidos pelo seu “espírito de serviço” e que nos candidatos ao Diaconado Permanente procura “os mais humildes, os mais prontos e disponíveis, os mais capazes e propensos a responder à necessidade dos pobres de todas pobrezas e às maiores urgências de dentro ou fora da Igreja”. Felicíssima hora foi aquela do Concílio Vaticano II D. Manuel Clemente recordou a restauração do diaconado permanente: “Felicíssima hora foi aquela, caríssimos irmãos e irmãs, e magnífica inspiração do Alto, em que o Concílio Vaticano II decidiu restaurar o diaconado permanente! Fê-lo com as seguintes palavras, sempre de recordar, como recordadas foram pelo magistério subsequente: “No grau inferior da hierarquia estão os diáconos, que recebem a imposição das mãos, ‘não para o sacerdócio mas para o ministério’. […] Recordem os diáconos o conselho de S. Policarpo: ‘Misericordiosos e diligentes, procedam em harmonia com a verdade do Senhor, que se fez servidor de todos’. Tendo em conta que, segundo a disciplina actualmente em vigor na Igreja latina [1965], em várias regiões só dificilmente são desempenhadas estas funções [diaconais], tão necessárias para a vida da Igreja, daqui em diante poderá o diaconado ser restabelecido como grau próprio e permanente da hierarquia” (Lumen Gentium, n.º 29). Diaconado Permanente na Diocese pelas mãos de D. Júlio “Assim aconteceu na Diocese do Porto - então pastoreada por D. Júlio Tavares Rebimbas, que Deus tenha

em santa glória -, com os primeiros diáconos permanentes; assim continua agora, por vontade geral do presbitério e grande urgência do tempo”. Foi em 26 de Abril de 1992, no segundo Domingo da Páscoa, que D. Júlio Tavares Rebimbas ordenou os primeiros dezoito diáconos permanentes para serviço da diocese. Razões e oportunidade do Diaconado Permanente “Hoje o celebramos, muito especial e felizmente, no diaconado destes irmãos, que para tal se prepararam e a tal se dispõem. Trata-se do sacramento da Ordem, que, nos vários graus, manifesta Cristo na comunidade cristã: ou como sacerdote – no episcopado e no presbiterado –, ou como servidor, no diaconado. Sempre em função e serviço de todos os cristãos, que, também pela acção dos ministros ordenados, hão-de crescer em sacerdócio comum e diaconia aplicada, assim activando a consagração do mundo e a caridade universal, inteiramente realizadas em Cristo e constantemente difundidas pelo Espírito. No que aos diáconos respeita, é importante e urgente que em todos e cada um deles se realize sacramentalmente a auto-definição de Cristo, como a deu um dia e se repete agora: “… o que for maior entre vós seja como o menor, e aquele que mandar, como aquele que serve. […] Eu estou no meio de vós como aquele que serve [= como um diácono] ” (Lc 22, 26-27). (… ) Para responder, mais e melhor, às necessidades da Igreja, onde um número escasso de presbíteros se tem de concentrar cada vez mais no que lhe é específico; para realçar a natureza da Igreja, que, em Cristo, está no mundo “como quem serve”; e para que a “nova evangelização”, com o “novo ardor” do Espírito divino, encontre “novos métodos e novas expressões” de caridade e serviço, para responder também às imensas neces-

sidades materiais e espirituais a que devemos absolutamente atender”. (…) Com o tempo e a vossa cooperação, o ministério sacerdotal dos outros graus da Ordem ficará mais definido também, pela aplicação mais específica dos respectivos ministros na Eucaristia e na Reconciliação, bem como no acompanhamento espiritual dos fiéis; com o tempo e a vossa indispensável cooperação, caríssimos diáconos de hoje e amanhã, ficará mais evidente e prático que consagração e serviço são os dois movimentos constantes da vida eclesial, do mundo ao altar e do altar ao mundo, até ao “Domingo que não tem ocaso”. No final da celebração, D. Manuel Clemente deixou palavras de incentivo e de grande carinho às comunidades destes novos diáconos e às suas famílias. Disse também que os diáconos agora ordenados são nomeados para exercerem o seu ministério nas comunidades que os propuseram. Chamou

ainda a atenção para a importância da “vida familiar” e da presença dos diáconos “no vasto mundo social e profissional”. Disse ainda aos novos diáconos: “Deixai-me dizer-vos que conto muito convosco, para que a nossa Igreja Portucalense possa crescer sempre mais nesta fundamental dimensão da diaconia”. Na cerimónia, participaram também D. Serafim Sousa e Silva, Bispo emérito de Leiria-Fátima, D. António Taipa e D. João Lavrador, Bispos Auxiliares, o Vigário-geral, o Reitor do Seminário da Sé, elementos do Cabido, os Párocos das comunidades dos novos diáconos e outros Presbíteros, e sete dos diáconos permanentes da primeira hora. Os novos diáconos permanentes Agostinho Nogueira Pereira (Ermesinde), Alberto Fernando Dias Teixeira (Coimbrões), António Avelino

Valinho Luís (Caldas  de S. Jorge), António Benjamim Matos de Figueiredo (Senhora da Hora), António José da Silva Abreu (Real, Amarante), Benjamim Martins de Morais (Vila Nova da Telha), Claudino Monteiro de Sousa Mesquita (Cedofeita), Eleutério Henrique Ferreira Costa Gomes (Areosa), Fernando Alberto Alves da Silva (Rio Tinto), Joaquim Armindo Pinto de Almeida (Foz do Douro), Joaquim Augusto da Silva Santos (Caldas de S. Jorge), José Agostinho de Sousa Pereira (Maia), José António Coelho Espinha (Senhora da Hora), José Valentim Pinto Ferreira Azevedo (Milheirós de Poiares), Manuel Botelho (Areosa), Manuel Gomes (Rio Tinto), Miguel Luís Fernandes Mendes (Santa Eulália de Barrosas). ANTÓNIO JESUS CUNHA In Voz Portucalense – Semanário Eclesial de Informação e Opinião.

pub

FESTA DE NATAL Clube Cultural e Desportivo da C.M.Maia

Uma manhã de muito frio aquecida com o sorriso das crianças! Decorreu no passado dia 19 de Dezembro a festa do CCD (Clube Cultural e Desportivo da C.M.Maia) no Fórum da Maia. Foi um Domingo onde a manhã estava muito fria e só o sorriso das crianças fazia aquecer o ambiente. Aos poucos as pessoas foram entrando e preenchendo os lugares nas cadeiras, esperando ansiosas pelo começo da festa. A mesma foi precedida pelas sábias palavras do nosso Presidente da Câmara Municipal da Maia , António Bragança Fernandes, que fez votos de “Bom Ano para todos e se

possível com algumas melhorias para aqueles para quem o ano foi menos simpático e em especial a nível de Saúde”. A festa foi muito animada com uma simpática “jovem” palhaça que animou toda a pequenada, estabelecendo uma cumplicidade saudável com os mais pequenos que foram chamados ao palco, para cantarem canções bem conhecidas. Foi cerca de uma hora onde a alegria e a animação das crianças se fez sentir, que fez com que o tempo depressa chegasse ao fim. As prendas

foram distribuídas, alguns balões coloridos foram alguns dos ingredientes que marcaram a festa das crianças, que sorriam  e abriam os presentes com muita curiosidade. A finalizar deixamos uma palavra de reconhecimento a Maria João Figueiredo (funcionária do CCD) que apesar de estar um pouco debilitada de saúde, não deixou de saudar todos os presentes com um sorriso e a simpatia de sempre. ROGÉRIO GONÇALVES

pub


12 UNESCO

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Sociedade

maiahoje

Viver o Natal com alegria

Clube Unesco da Maia comemora 1º Natal No dia 11 de Dezembro, o Clube Unesco da Maia comemorou o seu primeiro Natal. Estiveram presentes muitos associados, amigos, o presidente do Clube Unesco do Porto, Sílvio Matos, acompanhado pela esposa; Paulo Ramalho, em representação do Presidente da Câmara, Bragança Fernandes e também o Presidente da Junta, Carlos dos Santos Teixeira. Do programa deste evento faziam parte: Concentração na Estalagem da Via Norte; Entoação de Cânticos de Natal por Mário Oliveira; Poesia do Natal; Ceia de Natal; Saudações Natalícias e comunicação sobre “Os Direitos do Homem” pelo Presidente do Clube Unesco da Maia; Avaliação do Concurso de “Doces de Natal”; Mensagens e para finalizar a coreografia de um Grupo infantil, sobre a responsabilidade da professora Maria João Bastos. De acordo com o agendado, o professor Mário Oliveira entoou dois cânticos de Natal, abrindo, assim este evento. Após o repasto, com iguarias próprias desta época, e como estava agendado, o júri fez a seriação das

iguarias de Natal, tendo decidido por unanimidade atribuir a todos o primeiro prémio. Este concurso tem como objectivo geral contribuir para o enriquecimento do nosso tesouro gastronómico natalício. Pretende ainda tornar mais vivo e participativo o jantar/convívio do Clube Unesco da Maia. Das intervenções de momento, destacamos a comunicação do Presidente do Clube Unesco do Porto , Sílvio Matos, que se referiu à forma eficiente como este clube tem levado a cabo as suas actividades, realçando o seu empenhamento. Paulo Ramalho fez a leitura de um texto da autoria do Presidente da Câmara em que enalteceu as capacidade do professor Raul da Cunha e Silva na programação e execução deste projecto em prol da comunidade da Maia. Segundo afirmou, este é mais um projecto que muito dignifica a Maia e que vem colmatar algumas carências que se sentiam na comunidade. Depois de saudar o representante do Presidente da Câmara Municipal da Maia, Sílvio Matos, presidente do

clube UNESCO da cidade do Porto, e o presidente da Junta da Freguesia da Maia, Carlos Teixeira, referiu “ In medias res assim começava a narrativa heróica da epopeia clássica. Estamos no meio da nossa Ceia de Natal e já podemos agradecer a todos e cada um dos membros da direcção, do seu conselho fiscal e da mesa da assembleia, como também de todos aqueles associados que nos emprestam o melhor do seu esforço. Agradecemos igualmente a colaboração muito activa da Junta da freguesia da Maia, do presidente do clube Unesco da cidade do Porto e de várias instâncias da Câmara Municipal da Maia”. Abordando o tema que constava do programa estabeleceu um paralelo entre a metafísica do cristianismo e a dos direitos do homem. Parte do passo joanino (1.12)” todos os que O receberem serão chamados filhos de Deus”. Ora os que têm o mesmo pai são irmãos. Daí a fraternidade universal, intemporal e para todos em todos os espaços. Para que não restassem dúvidas a fraternidade incluía as crianças. Quem as

escandalizar (pedofilia?) deverá ser deitado ao mar com a mó de um moinho atada ao pescoço. Estas mós, conquanto não fossem tão pesadas como as do rio Leça deveriam pesar bem. Esta dimensão representa a cara de uma moeda cujo reverso, a coroa, é a Declaração Universal dos Direitos do Homem. Evocou a criação da ONU em 1945, a da Unesco (organização das Nações Unidas para a Ciência, Educação, Cultura , Comunicação e a Paz em 16 de Novembro de 1945, a Declaração Universal dos Direitos do Homem em 10 de Dezembro de 1948 e finalmente a Declaração Universal dos Direitos da Criança, em 1959.Analisando o primeiro dos trinta artigos da Declaração, ou seja: “Liberdade. Igualdade e Fraternidade entre os homens”, recordou que esta era a trilogia da Revolução Francesa: liberté, égalité, fraternité. No que concerne à liberdade, fez os seguintes registos: liberdade política, religiosa, de associação e de pensamento, para além de muitas outras liberdades que não são identificáveis com libertinagens. Relativamente à igualdade excluiu o paradigma de que

uns sejam mais iguais perante a justiça perante a lei, perante a educação. Considera que a fraternidade nos nossos tempos é combater as desigualdades, a fome, a miséria. Combate não da treta como se vê e ouve. É também sinal da fraternidade pedir contas a todos quantos e em todas as instâncias do poder criaram e continuam criando medidas que estão rompendo a coesão nacional. Direito à vida. No fim, a eutanásia; no início o aborto. Liberdade na escolha dos parceiros de casamento e igualdade na dissolução do mesmo. Finalmente, os convivas puderam viver o Natal com alegria. A professora Maria João fez a animação desta noite especial e todos puderam dar o seu par de dança. O grupo infantil de Gueifães apresentou coreografias portadoras de mensagens próprias desta época festiva: amizade, liberdade, amor. Foi um momento muito agradável. Foi um Natal vivido com fraternidade, paz e amor, conforme objectivos da Unesco.

INICIATIVA Didasan, dadores da Paróquia de Gueifães com nova recolha

Apolo, foi o rosto de doença que afecta muitas crianças Com o Apolo como rosto de uma doença que afecta inúmeras crianças em Portugal, a Didasan, Dinamizadores para a Dádiva de Sangue da Paróquia de Gueifães, organizou uma “tipagem” da medula óssea para assim ajudar

SOLIDARIEDADE

não só o Apolo, mas sim todas as crianças que não tendo esta visibilidade precisam da sua ajuda «após a época natalícia, onde a palavra família é valorizada e se vive intensamente o conforto e amor que só uma família pode

oferecer, pensemos então nestas famílias e nestes pais que sofrem com esta doença», justifica Aires Oliveira, responsável pela iniciativa. «Também eles querem brincar, também a eles se reserva o direito de brincar com os seus filhos»,

disse referindo-se aos doentes e seus familiares, talvez por isso mesmo, muitos foram (cerca de 50) os que tinham entre 18 e 45 anos e que ainda não tinham efectuado esta colheita e dirigiram-se à Cripta da Igreja de Gueifães no passado

Domingo, dia 9 de Janeiro, entre as 10 e as 16 horas para assim ajudarem esta nobre causa. Para mais informações visite em www.didasan.weebly.com

Combate à pobreza e à exclusão social

Turismo da Maia com a Cruz Vermelha Portuguesa, com mil sorrisos este natal! “O combate à pobreza e à exclusão social são uma obrigação moral, e devem ser encarados como uma prioridade. Não são apenas obrigações constitucionais. O combate à pobreza e à exclusão social são uma obrigação moral numa sociedade que se quer respeitar a si própria. Todos temos o dever de contribuir, para um

FIM DE ANO

mundo melhor e uma sociedade mais justa”, palavras de Rui Rodrigues, responsável pelo Turismo da C.M.Maia. Neste sentido a Divisão do Turismo,   levou a cabo de 1 de Dezembro a 5 de Janeiro uma campanha de solidariedade social em parceria com a Cruz Vermelha Portuguesa – Núcleo da Maia,

intitulada “Turismo da Maia, com mil sorrisos este Natal!”, que passou pela recolha de roupa, brinquedos e géneros alimentícios. Com a preciosa colaboração dos seus clientes, conseguiram angariar roupa (1200 peças), brinquedos (211 artigos), géneros alimentícios (214 artigos). “Agradecemos a colaboração

Com fogo de artifício e muita animação

FIM DE ANO

Passagem de Ano em Souto de Cima Avioso O ritual uma vez mais foi cumprido pelas entusiastas do costume a D. Fátima Moreira e a D. Clarinda Santos que durante a semana aproveitavam todos os momentos disponíveis para ensaiar. Então depois do repasto bem farto do jantar, vestiram-se a rigor onde o gorro do Pai Natal fazia parte integrante da indumentária de todos os elementos. Percorreram todas as entradas dos prédios e entoando as quadras alusivas às janelas, todos felizes ao som de pandeiretas e outros instrumentos de ocasião. Alguns moradores foram generosos e deixavam cair algumas gorjetas num chapéu disponível. Findo o percurso todos confraternizavam e estavam a aguardar pela chegada da meia noite para fazerem o máximo de barulho. Enquanto se aguardava, muitos faziam

pedidos para que no novo ano “alguém se lembre de vir arranjar as casas dos nossos vizinhos que estão cheias de humidade e ninguém parece ter vontade de resolver”, votos esses que realmente merece que alguém responsável de uma vez por todas tome uma resolução, “já estamos fartos de promessas e nada...”. A poucos segundos da meia noite já estavam algumas pessoas com tachos e panelas e quando chegou a esperada meia noite o barulho foi ensurdecedor e o Sr. Virgílio lançou fogo de artificio. Foi uma noite bem animada e a promessa de voltar a fazer o mesmo para final deste ano, ficou no ar. E assim por alguns instantes a crise foi esquecida por este povo simples e humilde, mas que são de uma alegria e animação fora do vulgar, Bom ano para todos! ROGÉRIO GONÇALVES

de todos os que contribuíram e estamos convictos de ter proporcionado um Natal mais sorridente a dezenas de famílias maiatas, e aproveitamos para desejar um 2011 pleno de Alegrias!”, palavras ainda de Rui Rodrigues, à cerca do acontecimento.

JANEIRAS 2010 VIMOS DAR AS BOAS FESTAS BOAS FESTAS VIMOS DAR POIS NASCEU O DEUS MENINO QUE VEIO PARA NOS SALVAR NÃO HÁ PESSOAS COMO ESTAS QUE ADORAM OUVIR O SINO NÓS TRAZEMOS BOAS FESTAS E LOUVAMOS O DEUS MENINO VIMOS DAR AS BOAS FESTAS VAMOS TODOS A BELÉM ADORAR O DEUS MENINO QUE A NOSSA SENHORA TEM CANTAMOS ATÉ SER DIA DEIXAMOS ESTE LAR PRECIOSO VIVA A NOSSA FREGUESIA SANTA MARIA DE AVIOSO AGRADECEMOS PELA VOSSA TÃO PRECIOSA ATENÇÃO MIL VENTURAS DESEJAMOS E PASSAI UM ANO BOM

Salão Cultural foi pequeno

PASSAGEM DE ANO DOS FONTINEIROS DA MAIA A Associação Cultural e Recreativa “Os Fontineiros da Maia”, já com uma interessante e longa história com sede no Centro Cultural dos Moutidos, recebeu 2011 num agradável ambiente “Tropical” de calor humano e associativista. Com mesas distribuídas em graciosa apresentação no grande Salão Cultural, repletas de aguasantenses, era visível o bolo rei, as uvas passas, o champanhe e a alegria do convívio familiarizado, de amigos maiatos e os de ao pé da porta. O Salão era imenso, por onde rodopiava o pé de dança animado musicalmente pelo Agrupamento Tropical. Dedicados e incansáveis, os elementos da Direcção, colaboradores e colaboradoras, tudo fizeram para que não faltasse o necessário e habitual, numa Passagem de Ano à Fontineiros. Esta Associação de onde emana a representação e divulgação do folclore

maiato, enquadram-se também outros eventos das festas nacionais tradicionais. Muitos outros eventos culturais se realizam e oferecem a sócios, amigos, cooperantes, à sua terra e à sua gente. Já 2011 contava com mais de três horas de nascimento, e ainda o caldo verde se passeava pelas mesas a reforçar mais umas entradas de Boleros, Rumbas, Tangos e Valsas. A grandeza do Associativismo Cultural, aqui representado activa e diariamente nos Fontineiros da Maia, continua a ser a resposta mais adequada à fomentação sócio cultural e recreativo junto das populações locais onde cada colectividade de cariz popular se insere, do qual “Os Fontineiros da Maia, do Centro Cultural dos Moutidos, em Águas Santas, é exemplo. Bem-hajam! José Faria


sexta-feira 14 de janeiro de 2011

maiahoje

O INICIATIVA

Desporto NATAÇÃO

desporto

Torneio Cidade da Maia no passado dia 8

13

KARATÉ CKMaia dominou no campeonato nacional de cadetes

Natal a pedalar 2010 “Team BergCycles, SportZone, Shimano”

Marco e Santiago Fidalgo no Natal a Pedalar na Maia O Team BergCycles, SportZone, Shimano, de forma solidária, fez-se representar no evento de cariz solidário na Maia tendo Marco e Santiago Fidalgo participado no evento Natal a Pedalar na Maia, evento de solidariedade que ao mesmo tempo decorreu em três cidades distintas, Maia, Moimenta da Beira e Matosinhos. O Natal a pedalar 2010 foi um passeio criado com intenções de promover a bicicleta como veículo de lazer, transporte e desporto, em simultâneo ajudar os mais carenciados de forma indirecta, apoiando com verbas resultantes do evento instituições de apoio e solidariedade a poderem dar mais e

SOLIDARIEDADE

melhores cuidados aqueles que delas usufruem. Esse foi o grande objectivo e de forma positiva, foi conquistado. A loja Pato Cycles foi a grande responsável pela a iniciativa nas três cidades, tendo na Maia entregado 1000 euros à Cruz Vermelha. Para Marco e Santiago Fidalgo que participaram activamente no passeio que cumpriu a distância de 12 km´s, o objectivo foi de orgulho já que se fez representar com a simpatia, destreza e a humildade de sempre. No final e junto do filho Santiago Fidalgo, este dizia «foi um momento único para mim já que o meu filho de 4 anos, feitos em 16 de

Setembro passado, além de estrear uma BERG CYCLES BLAST 160 de roda 16, veio a fazer 12 km´s tendo distribuindo muita alegria no pelotão de 80 participantes. Como pai, como desportista e como pessoa devo afirmar que foi um dia maravilhoso para todos já que o bem falou como seria de esperar mais alto. O meu filho portou-se como um pequeno campeão tendo ainda andado mais de 30 minutos no final do evento demonstrado uma grande força e exemplo. Quero agradecer naturalmente á loja Pato Cycles por organizar tal iniciativa», disse o atleta. Como o ano de 2010 foi produtivo, o Team BergCycles,

SportZone, Shimano , convida os leitores do MaiaHoje a assistir a um vídeo alusivo a 70% do trabalho que a equipa de competição e

eventos realizou no decorrer de 2010 em youtube.com/watch? GKwjIqNGrqE.

possível este objectivo que o clube tinha. É de facto, uma acção que vai para além dos valores desportivos, vai mesmo aos valores pessoais, e a alegria da presença da comitiva da Juvemaia foi mútua. Era possível ver a alegria na cara das crianças internadas por terem ali atletas preocupadas com os seus problemas, disponíveis para brincar um minuto que fosse com elas, como se de repente novos amigos se fizessem. Mas, a alegria estava também no rosto das atletas e dirigentes da

Juvemaia presentes por conseguirem dar um novo acreditar a estas crianças... Por estarem próximas... Por sentirem que as crianças estavam a gostar da presença da Juvemaia, e que agradeciam os brinquedos, mesmo que fosse através de um simples sorriso, de um simples gesto, de um simples olhar... É tudo muito mais do que desporto... É tudo vontade em ajudar... São valores humanos... E a Juvemaia demonstrou riqueza neste campo.

Sangemil, ofereceu de prenda aos meninos da academia, dois equipamentos com as cores do clube, foi sem dúvida o momento alto da noite, com a euforia dos cerca de quarenta atletas a desembrulharem os seus presentes. Durante a noite, outro dos momentos altos, foi a

passagem de um pequeno filme realizado pelos próprios pais onde passaram em revistas os melhores momentos desde o inicio deste projecto. Ficou a promessa de se juntarem no próximo verão em mais uma festa de final de temporada.

Alpendorada por 15-9, conquistando também os troféus de melhor ataque e melhor defesa do torneio. Em juvenis, só conheceram o sabor da derrota na final e logo com a selecção nacional de Portugal por 2629, classificando-se na 2ª posição. Em juniores, venceu na final ao JAC de Alcanena por 27-25, terminando

também invictas a prova. Em seniores, perdeu a meia-final com o Colégio de Gaia por 26-20 mas na atribuição do 3º lugar venceu o CA de Leça por 24-17. Participaram nesta edição do torneio 50 equipas, ou seja, 10 por escalão etário.

Na unidade de Pediatria do Hospital São João no Porto.

Juvemaia Solidária No passado dia 11 de Dezembro, uma comitiva da Juvemaia composta por atletas dos vários escalões, e pela direcção do clube, esteve presente numa acção de solidariedade na Unidade de Pediatria do Hospital São João no Porto. A iniciativa fez com que a Juvemaia oferece-se brinquedos, bolas, e o mais importante, apoio, às crianças hospitalizadas fazendo florescer um sorriso nas caras dos mais pequenos. No clube todos se mostraram solidários, e juntos tornaram

CONVÍVIO

HS

Jantar de Natal dos pais e atletas da Academia de futebol

Mocidade Sangemil AC Cerca de uma centena de pessoas marcaram presença no jantar de natal da Academia de futebol do Mocidade Sangemil AC. Num ambiente muito familiar, atletas, pais, familiares, treinadores e a direcção do clube, confraternizaram durante cerca de cinco horas. Este é um projecto com apenas um ano de actividade, mas que já conta com cerca de quarenta atletas com idades compreendidas 5/10 anos.

ANDEBOL

O presidente da direcção Mário Vinhas, que marcou presença nesta festa, salientou a parte mais importante deste projecto, a formação dos jovens atletas. Na sua curta intervenção, enalteceu o trabalho dos treinadores bem como o apoio dos pais, que segundo este estão sempre disponíveis para colaborara com o clube. No final, prometeu, que a direcção do Mocidade Sangemil, mesmo com as dificuldades económicos que tem,

não deixará de dar prioridade no apoio à Academia de Futebol. Nas restantes intervenções da noite, foi claro e unânime o excelente trabalho que está a ser feito pelos responsáveis pela academia (treinadores/direcção). Como se tratava de época natalícia, houve direito a prendas, troca entre os pais dos atletas, que quiseram assim assinalar a data e reforçarem os laços de amizade. A direcção do Mocidade

Vitória absoluta em infantis, iniciados e juniores

Maiastars vence torneio internacional KakyGaia Maiastars vence torneio internacional KakyGaia O Maiastars participou com as suas cinco equipas de competição, de infantis a seniores, por convite, no maior torneio internacional de inverno que se realiza em Portugal, o KakyGaia. Com a presença de parte das

melhores equipas nacionais, esta participação do Maiastars foi um êxito, reconhecido por todos. No total, venceu em três escalões, infantis, iniciados e juniores, obteve um 2º lugar em juvenis e um 3º em seniores. O feito é maior quando verificamos que o Maiastars se apresentou desfalcado devido à cedência de

diversas atletas às selecções nacionais. Em infantis, as atletas de Raquel Silva venceram na final o CA de Leça por 26-12, conquistando também os troféus de melhor ataque e melhor defesa do torneio. Em iniciadas, as jogadoras da Prof. Susana Leal venceram na final o


14

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Desporto PRÓXIMA JORNADA

maiahoje

TAÇA DA LIGA Consulte os resultados da

Consulte a próxima jornada em

Taça da Liga em www.ligafutsalmaia.com

www.ligafutsalmaia.com

1ª DIVISÃO

A Bola Oficial da 2ª DIVISÃO

Av. Padre Manuel Alves Rego, 632 Vermoim

3ª DIVISÃO

Av. Padre Manuel Alves Rego, 661 Junto à Farmácia Aliança em Vermoim

www.maiain.com


maiahoje KARATÉ

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Desporto

15

CKMaia dominou no Campeonato Nacional de Cadetes, Juniores e Sub-21

Fábio Pinto surpreendeu. Inês Rodrigues e Gonçalo Pinto convenceram Decorreu no passado dia 18 e 19 de Dezembro o Campeonato Nacional de Cadetes, Juniores e Sub-21. Este evento que se realizou na cidade Algarvia de Loulé, contou com a presença dos melhores competidores Nacionais que conseguiram marcar presença após apuramento nas provas regionais. Depois de um regional menos conseguido, o CKMaia somou 6 medalhas neste evento máximo da modalidade em escalões intermédios. O tempo de trabalho foi duro e a participação neste campeonato nacional traria a todos algumas surpresas, naturalmente que para tudo é preciso sorte mas esse factor não foi encontrado pelos maiatos em algumas fases dos encontros. O Escalão Cadete foi o primeiro em prova e pelas eliminatórias ficaram as competidoras Liliana Gomes, Patrícia Carvalho e Mariana Moreira que mostraram ainda alguma falta de enquadramento no escalão, isto porque a mudança dos juvenis para os

Cadetes é um pouco acentuada. No mesmo escalão na categoria de +54Kg, Inês Almeida passaria várias eliminatórias mas ficaria à porta das medalhas. O mesmo não aconteceu a Fábio Pinto que consegue sempre surpreender nestes eventos acabando por se classificar no 1ºLugar frente ao atleta da Academia Zen. O maiato dos +70Kg realizou 5 encontros e neles mostrou a sua garra e determinação acabando assim por vencer na final por decisão arbitral. Na Categoria Júnior a atleta dos 48Kg, Rita Duarte, classificou-se no 2ºLugar perdendo apenas por um ponto no desempate frente a uma atleta do Clube de Faro. A maiata dominou bem as eliminatórias mas na final não conseguiu superar a adversária, acontecendo o mesmo na final de +59Kg com outra maiata, Ana Almeida que perdia por 0-2, batalhou bastante para mudar o marcador e a 10 segundos do fim a competidora conseguiu igualar o resultado de 2-2. O pior viria no último segundo em que

a atleta perdeu frente a da Caparica por um suposto pontapé Jodan (Cabeça) que não existiu. No escalão Júnior Ana Antunes acabou no 5ºlugar perdendo apenas para atleta da selecção nacional do clube de Vila das Aves. No Domingo os Sub-21 entraram em prova e Inês Rodrigues começou logo o encontro a despertar aqueles que ali chegavam ainda de olhos fechados. A atleta maiata alcançou o seu 4º Titulo Nacional na categoria de -59Kg derrotando as suas adversárias pelos parciais de 7-0, 8-0 e 5-1, atleta maiata não deu hipótese à concorrência e mostrou que o seu jogo de pernas é fantástico ou não fosse ela a atleta portuguesa mais rápida na execução de pontapés e que mais Sanbons (3 pontos) marca nos eventos. Gonçalo Pinto com uma concorrência forte mostrou-se bem preparado para o evento e para possivelmente garantir uma presença no campeonato Europeu no mês de

Fevereiro. O jovem maiato de 19 anos realizou 6 combates na categoria de 68Kg, prova esta que tinha 4 poules cheias. O internacional português venceu de forma clara na final o atleta do Clube de Karaté do Porto pelos parciais de 4-0. A última medalha chegaria no escalão de -59Kg pela Competidora dos -53Kg, Marina Sousa, que

alcançou o 3ºLugar. Depois de perder na passagem á meia-final frente à atleta do Clube de Faro, a maiata eliminou as adversárias de Vila das Aves e da Madeira com um bom trabalho táctico. Menos sorte teve Catarina Santos que perdeu por uma falha arbitral ao pontuarem um pontapé ao nível da cintura que teria batido no braço. AM

VOLEIBOL Resumo de actividade

GDC Gueifães com início do ano em GRANDE «Entramos em grande em 2011. Vamos tentar contornar a crise que assola o país, com bom voleibol, com apoio aos nossos dirigentes, treinadores e atletas, porque só juntos é que poderemos ultrapassar estes momentos difíceis que aí vêm», dizem os responsáveis do clube, acrescentando que «não nos podemos esquecer de todos os nossos patrocinadores, que apesar das enormes dificuldades que hoje atravessam, nunca nos abandonaram e continuam a apoiar. De facto sem eles tudo era mais difícil, e por isso mesmo queremos também deixar aqui uma enorme palavra de incentivo e agradecimento para todos eles». Aqui fica um resumo das actividades dos fins-de-semana de Janeiro, nos vários escalões do clube: SENIORES FEMININOS Vencem Ribeirense, candidata ao

NATAÇÃO

Título Nacional e mantêm luta pelo Título Nacional da Divisão A1 SENIORES MASCULINOS Vencem Oeiras, e continuam nos 3 primeiros lugares da Divisão A2 e lutam pela subida de divisão SENIORES MASCULINOS - B Mantêm a luta pelo apuramento para a Fase Final da Liga do INATEL SENIORES FEMININOS - B Mantêm a luta pelo apuramento para a Fase Final da Liga do INATEL JUNIORES MASCULINOS 1º lugar sem derrotas, no Campeonato Nacional de 16 equipas que apuram 6 para a fase final e disputa do Título Nacional JUNIORES FEMININOS -A 1º lugar sem derrotas, no Campeonato Nacional de 12 equipas que apuram 6 para a fase final e disputa do Título Nacional JUNIORES FEMININOS - B

2º lugar com 1 derrota  no Campeonato Regional e continuam na luta pelo respectivo Título Respectivo JUVENIS FEMININOS 1º lugar sem derrotas, no Campeonato Regional, e apresentamse como sérias candidatas ao Título Regional INICIADOS MASCULINOS 4º lugar no Campeonato Regional num grupo extremamente competitivo de 12 equipas INFANTIS FEMININOS Venceram a 1ª fase do Campeonato Regional sem derrotas, disputam neste momento a fase final do Campeonato Regional, estando já apuradas para o respectivo Campeonato Nacional INFANTIS MASCULINOS Continuam a sua participação no Campeonato Regional com uma equipa maioritariamente com idade

de minivolei, contra equipa mais velhas um ano e em alguns casos até 2 anos. Têm feito o trabalho notável dado esta diferença de idades com as restantes equipas participantes  MINIS - B FEMININOS A equipa tem participado nos diversos torneios regionais e tem vindo a crescer de torneio para torneio. É um grupo que visa um trabalho a longo prazo e que se perspectiva que seja o futuro do clube daqui por alguns anos MINIS - B MASCULINOS Este grupo, neste ano, formalmente não existe, mas temos participado sempre nos torneios, com elementos que não são convocados nos infantis masculinos e alguns que são promovidos ainda com idade de Mini-A. Tem sido uma excelente experiência e tem dados muito bons frutos.

MINIS A Entra em 2011 a vencer um torneio sem derrotas com uma das suas 7 equipas que neste momento tem, depois de ter conseguido já, em torneios anteriores, dignos 2º, 3º e 4º lugares. Também aqui se antevê um futuro muito risonho.  MICKEYS Os nossos mais pequeninos e que apesar de a Associação de Voleibol do Porto não ter contemplado esquema competitivo para este escalão, temos vindo a desenvolver um trabalho de desenvolvimento geral bastante positivo. Iremos em breve começar a realizar alguns torneios particulares com outros clubes que também têm o escalão. SÃO A VIDA E A ESPERANÇA DO CLUBE.

Clube de Natação da Maia

Torneio Cidade da Maia \\ No passado Sábado dia 8 de Janeiro realizou-se, na piscina de Águas Santas, o 11º Torneio Cidade da Maia. Este torneio, organizado pelo Clube de Natação da Maia em parceria com a Câmara Municipal da Maia e Associação de Natação do Norte de Portugal e com o patrocínio de SportZone, contou com a participação de 220 nadadores de 17 clubes. O torneio decorreu num bom ritmo de provas, com as bancadas compostas para animar toda a piscina. De destacar os vencedores das provas: 400m estilos, Adriano Niz (Famalicão) Ana Monteiro (Vilacondense), 200m Livres, Fábio Pereira (Vilacondense) e Andreia Gomes (Guimarães), 200m Mariposa, Adriano Niz e Ana Monteiro, 200m Costas José Martins e Andreia Gomes (ambos Guimarães), 200m Bruços, Joana Maia (Maia) e Henrique Neiva (Vilacondense), 50m Livres Nelson Martinho (Valongo) e Cláudia Monteiro (Vilacondense). O Clube de Natação da Maia participou com toda a equipa neste torneio desde as escolas (6 anos) até Masters (+ 25 anos). Deste

destacam-se 62 recordes pessoais e os lugares de pódio conquistados por Joana Maia (1ª nos 200m Bruços); Luís Neto (2º nos 200m Bruços) e Carolina Silva (2ª nos 200m Mariposa). No troféu maior pontuação atribuída aos primeiros três classificados com as provas mais pontuadas teve como vencedor Adriano Niz do Famalicão (710 pontos nos 400m Estilos); segundo, Fábio Pereira do Vilacondense (658 pontos nos 200m Livres) e terceiro Rui Costa de Guimarães (652 pontos nos 200m Livres). No feminino, primeiro, Ana Monteiro (673 pontos nos 200m Mariposa); segundo, Andreia Gomes de Guimarães (659 nos 200m Livres) e terceiro Cláudia Monteiro do

Vilacondense (647 pontos nos 50m Livres). A equipa vencedora do Torneio foi o CFVilacondense com 237 pontos, 2º para o GDVNFamalicão com 216; 3º SCBraga com 193; 4º VSC-Guimarães com 186; 5º Clube de Natação da Maia com 178 pontos. A entrega de prémios foram efectuadas pelos Presidente da ANNP, Aníbal Pires; Presidente do Conselho Regional de Arbitragem, António Filipe; Juiz Arbitro, Sr. Joaquim Crespo; Técnico responsável pelas Piscinas da Maia, Vítor Duarte; Gestora das Piscinas Municipais de Águas Santas, Célia Silva e Ana Querido, Técnica do Clube de Natação da Maia. Na próxima semana o CNMaia

regressa às competições com a Natação Adaptada. andré guimarães, Jose Ribeiro, Pedro Ribeiro, Pedro Leal, Ana Castro e Débora Santos andré guimarães, Jose Ribeiro, Pedro Ribeiro, Pedro Leal, Ana

Castro e Débora Santos André Guimarães, José Ribeiro, Pedro Ribeiro, Pedro Leal, Ana Castro e Débora Santos vão participar no Torneio Feira Viva em Santa Maria da Feira.


16

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Opinião

maiahoje

\\Avisos, Tribunais e Conservatórias Tribunal Judicial da Maia 1º Juízo Competência Cível Praça Dr. José Vieira de Carvalho - 4470-202 Maia Tel. 229430121/22/23 Fax: 22 9444473 Mail: maia.tc@tribunais.org.pt

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

Em cumprimento do estipulado Estatutariamente e ao abrigo do disposto na alínea 6ª do Artigo 20º dos Estatutos do Ginásio Clube da Maia convoco a Assembleia Geral Ordinária para o próximo dia 28 de Janeiro de 2011, pelas 21.00 Horas, na sede do Ginásio, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

Em cumprimento do estipulado Estatutariamente

Em cumprimento do estipulado Estatutariamente

e ao abrigo do disposto na alínea 6ª do Artigo

e a solicitação da Direcção do Ginásio Clube da

18º dos Estatutos do Ginásio Clube da Maia

Maia,

convoco a Assembleia Geral Ordinária para o

Extraordinária para o próximo dia 28 de Janeiro

próximo dia 28 de Janeiro de 2011, pelas 21.30

de 2011, pelas 22.30 Horas, na sede do Ginásio,

Horas, na sede do Ginásio, com a seguinte

com a seguinte Ordem de Trabalhos:

Telefone: 22 948 63 59 Fax: 22 949 07 20

1. Apresentação, análise e discussão do

Ponto Único

Orçamento para a o biénio 2010/2011.

Estatutos do Ginásio Clube Maia, conforme

2. Apresentação, análise e discussão do Plano

proposta da Direcção que se anexa.

- Alteração do Artigo 18º dos

No caso de na hora marcada para o início da No caso de na hora marcada para o início da

Assembleia Geral não estiverem presentes pelo

Assembleia Geral não estiverem presentes pelo

menos 50 % (cinquenta por cento) mais um dos

menos 50 % (cinquenta por cento) mais um dos

Associados com direito a voto a Assembleia

Associados com direito a voto a Assembleia

reunirá com qualquer número de sócios 30 (

reunirá com qualquer número de sócios 30 (

trinta ) minutos depois.

trinta ) minutos depois. Maia, 10 de Janeiro de 2011. Maia, 10 de Janeiro de 2011. O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Manuel Cândido das Neves Saraiva Ginásio Clube da Maia

Telefone: 22 948 63 59

Rua Altino Coelho

Fax: 22 949 07 20

4470-233 Vermoim Maia Portugal

Extracto para publicação Fordoc

“A vida passa-nos a correr sempre que não aprendemos a parar o tempo...” (Paulo Antunes)

JORNAL MAIAHOJE EDIÇÃO 267 • 14 JANEIRO 2011

ROTUNDA 1º DE MAIO, Nº 160, 1º, SALA 28 • 4440-519 VALONGO • RUA DE S. LOURENÇO, Nº 12, 1º, SALA AO 4445-596 ERMESINDE TELEFONE: 224219250/51 e 229725602 • FAX: 224219258 e 229725603 • EMAIL: BEATRIZ.CANTANTE@NOTARIOS.PT

Geral

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Manuel Cândido das Neves Saraiva

Ginásio Clube da Maia

Telefone: 22 948 63 59

Rua Altino Coelho

Fax: 22 949 07 20

4470-233 Vermoim Maia Portugal

Quem nada tiver a ver com isto que atire a primeira pedra... \\

CARTÓRIO NOTARIAL BEATRIZ CAMPOS CANTANTE (NOTÁRIA) ---Lic. Maria Beatriz Vieira Campos Cantante, Notária:---------------------------------------------------------------CERTIFICO narrativamente, para efeito de publicação, que neste Cartório, no livro de notas para escrituras diversas nº B-Três, a folhas Centro e Trinta e Dois, se encontra exarada uma escritura de justificação notarial, outorgada hoje, na qual JOSÉ LUCIANO FERREIRA MOREIRA DE SÁ, NIF 162122225, B.I. n.º 3166994, emitido em 13/05/2008, SIC Porto, natural da freguesia de Águas Santas, concelho de Maia e mulher MARIA DE FÁTIMA CARNEIRO DA SILVA, NIF 139284800, Portador do Cartão de Cidadão como número de Identificação Civil 06815774, válido até 3/5/2015, natural da freguesia de Coronado (São Romão), concelho de Trofa, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, residentes na Rua Central da Camposa, n.º 1409, Folgosa, Maia, declararam:-----------------Que o primeiro justificante marido é dono e legítimo possuidor, com exclusão de outrem, de um prédio urbano, sito no Lugar de Camposa (Rua Central de Camposa, n.º 1409), freguesia de Folgosa, concelho da Maia, composto de dois pavimentos, destinada a habitação, adega e lagar, com a superfície coberta de seiscentos e setenta e dois vírgula oitenta metros quadrados e quintal com a superfície descoberta de dois mil cento e oitenta e quatro vírgula vinte metros quadrados, inscrito na respectiva matriz predial sob o artigo 1818, que teve origem no anterior artigo 247, com o valor patrimonial igual ao atribuído de cento e trinta e cinco mil e oitenta euros.-----------------------------------Que, este prédio resulta da reunião de um prédio já descrito na referida Primeira Conservatória do Registo Predial da Maia sob o número setecentos e noventa e nove, da freguesia de Folgosa, com uma parcela de terreno rústica composta por terra a cultura e mato, sito no mesma Lugar de Camposa, com a área de dois mil seiscentos e quarenta e sete metros quadrados, a confrontar do Norte com Fernando António Barbosa da Fonseca do sul e poente com ele, primeiro outorgante, do nascente com Ana Moreira Dias, com o valor atribuído de duzentos e cinquenta euros.---------------------------------Que a divergência quanto à área coberta do referido prédio entre a descrição predial e a supra indicada, resulta de obras de melhoramento levadas a efeito.-----------------------------------------------------Que o referido prédio descrito sob o número setecentos e noventa e nove, da freguesia de Folgosa, foi adquirido pelo primeiro outorgante marido, por escritura de partilha por óbito de Palmira Ferreira Barbosa de Sá, viúva, e encontra-se registado a seu favor pela apresentação vinte e quatro, de nove de Novembro de mil novecentos e noventa e três.---------------------------------------------------------------------Que a parcela supra identificada, com a área de dois mil seiscentos e quarenta e sete metros quadrados, tinha sido adquirida, pelo mesmo primeiro outorgante marido, ainda no estado de solteiro, por doação verbal feita pela referida Palmira Ferreira Barbosa de Sá, por volta do ano de mil novecentos e setenta e quatro.-----------------------------------------------------------------------------------------Que a referida parcela nunca possuiu qualquer inscrição matricial autónoma, e veio a integrar o referido artigo 1818.------------------------------------------------------------------------------------------------------------Não obstante a falta de qualquer título formal, têm exercido a posse sobre a referida parcela de terreno, primeiro, ele marido, e depois ambos, em nome próprio, desde então e há mais de vinte anos, sem oposição de quem quer que seja, sem interrupção e ostensivamente à vista de todos, de forma correspondente ao exercício do direito da propriedade, traduzindo-se em factos materiais conducentes ao integral aproveitamento de todas as utilidades do prédio, nomeadamente, limpando e desbastando o mato, e cultivando-o, bem como pagando os respectivos impostos, posse que é exercida em simultâneo e de forma compatível, com a que é exercida sobre a totalidade do prédio, inscrito sob o referido artigo 1818.-----------------------------------------------------------------------------------------Que, assim, a posse pacífica, pública, contínua, e em nome próprio do citado imóvel, desde Outubro de mil novecentos e setenta e quatro, conduziu à aquisição da mencionada parcela de terreno por usucapião, que o primeiro outorgante marido invoca, para justificar o seu direito de propriedade para fins de registo, parcela que perdeu autonomia por ter sido anexada ao prédio já descrito.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Está conforme o original.--------------------------------------------------------------------------------------------------Ermesinde, 10 de Dezembro de 2010.-------------------------------------------------------------------------------Por delegação expressa da Notária, A Colaboradora,_______________________________________ __________________________________(Assinatura ilegível)________________________________ Registo nº 4949

Assembleia

de Actividades para a o biénio 2010/2011

Maia, 10 de Janeiro de 2011.

Ginásio Clube da Maia Rua Altino Coelho 4470-233 Vermoim Maia Portugal

a

Ordem de Trabalhos:

No caso de na hora marcada para o início da Assembleia Geral não estiverem presentes pelo menos 50 % (cinquenta por cento) mais um dos Associados com direito a voto a Assembleia reunirá com qualquer número de sócios 30 ( trinta ) minutos depois.

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Manuel Cândido das Neves Saraiva

convoco

JORNAL MAIAHOJE EDIÇÃO 267 • 14 JANEIRO 2011

O Oficial de Justiça, Paulo Martins

CONVOCATÓRIA

JORNAL MAIAHOJE EDIÇÃO 267 • 14 JANEIRO 2011

A Juiz de Direito, Drª Carla Cacheira

CONVOCATÓRIA

1. – Apresentação, análise e discussão do Relatório e Contas bem como do Parecer do Conselho Fiscal do Ginásio Clube da Maia relativos ao Exercício de 2009; 2. – Votação do Parecer do Conselho Fiscal para aprovação. 3. – Votação do Relatório e Contas, para aprovação;

JORNAL MAIAHOJE EDIÇÃO 267 • 14 JANEIRO 2011

Nos autos acima identificados, correm éditos de 30 dias, contados da data da segunda e última publicação do anúncio, citando: Réu: Artur Jorge Jesus Cunha, filho(a) de , nascido(a) em 03-031974, NIF- 195761286, BI 11254942, domicílio: Rua Conselheiro Luis de Magalhães, 2642 Hab 303, Moreira da Maia, 4470-616 Maia com última residência conhecida na(s) morada(s) indicada(s) para, no prazo de 20 dias, decorrido que seja o dos éditos, contestar, querendo, a acção, com a cominação de que a falta de contestação importa a confissão dos factos articulados pelo(s) autor(es) e que em substância o pedido consiste na condenação do Réu no pagamento ao Autor da quantia total de 4.796,02 euros, montante ao qual deverão acrescer as prestações de condomínio vincendas, bem como os respectivos juros moratórios vincendos e multas, até efectivo e integral pagamento, tudo como melhor consta do duplicado da petição inicial que se encontra nesta Secretaria, à disposição do citando. O prazo acima indicado suspende-se, no entanto, nas férias judiciais e durante o período de 15 a 31 de Julho. Fica advertido de que é obrigatória a constituição de mandatário Judicial.

CONVOCATÓRIA

JORNAL MAIAHOJE EDIÇÃO 267 • 14 JANEIRO 2011

ANÚNCIO Última publicação Processo:1330/07.6TBMAI Acção de Processo Sumário N/Referência: 5356637 Data: 08-07-2010 Autor : Condomínio Edifício Reserva do Sol Réu: Artur Jorge Jesus Cunha

Na verdade, apesar de baptizadas de “catastróficas” na sua época, todas as gerações jovens nos parecem “inofensivas” com o passar do tempo... Nos anos 50 e 60, a juventude mudou o mundo. Ao som dos The Beatles ou de Elvis Presley, sonharam viver como “Rock Stars” e liberaram o abuso da bebida como uma coisa “cool”. Foram a primeira geração lifestyle, ganharam direito a ter carro e chave de casa. Divertiram-se imenso, mas, hoje, são vistos como os avós “retrógrados” com os seus 70 e 80 anos... Já nos finais dos anos 60, os jovens viveram o movimento hippie, ao álcool juntaram a massificação do abuso de drogas e a liberalização do sexo. Dez anos depois, o movimento punk continuou este “sex, drugs and rock n’ roll”, mas deitou por terra a ideia de não violência. Ao som dos Sex Pistols ou dos The Clash, a juventude, no final de 70, passou a ser dona dos seus quartos, como se de uma ala privada da casa se tratasse. Eram radicais e adoraram estar à margem de todas as convenções sociais e, hoje, não são os “cotas” de 50 e 60

anos... As décadas de 80 e 90 deram-nos juventudes bem menos interessantes. Viveram o boom do rock alternativo pós punk em personagens como Ian Curtis (Joy Division) ou Kurt Cobain (Nirvana) e passaram a ver com naturalidade as depressões suicidas das suas “Stars”. Foram denominados de Geração X e, por cá, viram os seus estudos deixarem de ser garantia de carreira e depararam-se com a dura realidade do desemprego de licenciados. Fobicamente, acabaram os cursos com a consciência de que não estavam preparados para o mercado de trabalho. Deixaram de acreditar em políticos, dedicaram-se às novelas e aderiram a um estilo de vida acima das suas posses (com recurso ao crédito bancário). Hoje, são eles os pais das novas gerações... No início do século XXI, a geração jovem massificou a internet e desenvolveu-se a Geração Y. Conhecida por multi-tarefa, esta actual geração digital tem o computador e o telemóvel como os seus “melhores amigos”. Escrevem dezenas de sms’s por dia, desenvolvem as suas amizades e conquistas por im, substituíram a televisão pelo Youtube e tudo isto é feito ao mesmo tempo que estão no Google em busca de um “copy” para um trabalho que terão que entregar na escola. Têm mais poder de compra do que todas as gerações jovens anteriores, não sabem o que é poupar, já não pertencem a “tribo” nenhuma e prepararam o terreno para a geração P que os seguirá na segunda

década deste século. A Geração P, que agora começa, traznos uma juventude mais instável e perdida. Filhos de pais separados, esta geração vai buscar o seu nome às características paranóides que desenvolveu. Cresceram em relações virtuais, não têm um grupo de referência, mas sim muitos grupos... No Facebook. Sentem-se sozinhos, desconfiam dos outros, são críticos com os demais, mas muito sensíveis a ser criticados, por isso passam com facilidade do amor ao ódio. Estão desprovidos de ídolos, porque eles é que se acham ídolos. Os pais começaram por lhes ensinar a ser mais do que são e a dar-lhes os melhores telemóveis e computadores. Depois, o sistema de ensino fez o resto. Não querem saber da escola, mas já nem por faltas reprovam. O Estado subsidia-os para estudarem, mas eles não precisam de aprender, pois já são... “Special One’s”. Se têm negativas é porque os professores não gostam deles e os prejudicam, se não têm amigos (reais) e não têm namorado(a) é porque os outros são estúpidos... Acham-se autosuficientes e não perdoam porque... São os maiores. E como todos nós somos resultado da educação que recebemos, somos todos tão responsáveis como eles, pois, no fundo, eles são apenas o resultado da Educação que todos nós lhes demos... Paulo Antunes Associação Nacional de Jovens Formadores e Docentes (FORDOC)

pub


maiahoje

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Portugal e a importância do Mar \\

Visita a Tibães \\ Raul Cunha e Silva

O clube UNESCO da Maia fez uma visita de estudo ao Mosteiro de Tibães em 8 de Janeiro de 2011. Tempo de muito inverno só seria aquecido pelo calor humano que o clube UNESCO transmite a todos quantos com ele convive. 42 Associados puderam então contemplar e admirar, durante todo o dia, o Mosteiro de Tibães. Fundado,ou não, no século VI, por S. Martinho de Dume sobe o patrocínio do rei Suevo Teodomiro ou no XI pelos Beneditinos, a verdade é que este imponente Mosteiro é o símbolo do poder da ordem de S. Bento, no norte de Portugal e não só. Transparece claramente as regras beneditinas de que urge realçar o “ora et

labora,” ou seja, reza e trabalha. O trabalho era a agricultura, as artes e a literatura. Daí que para além dos 700 hectares de agricultura, jardins belíssimos e matas, sabemos da pintura e de 30.000 livros que desapareceram (restam 1000 em algumas bibliotecas). Um guia bem informado explicou-nos o funcionamento do Mosteiro e a sua grandeza. Vimos a Igreja, um Monumento à talha com a sua grandeza harmoniosa. Com a extinção das ordens religiosas, Tibães, como de resto muitos outros mosteiros, sofreu as consequências do abandono e da rapina. Recentemente o Estado adquiriu o Mosteiro, restaurou-o, mas as obras, se bem que bem pagas seriam mal executadas, porque chove em não poucos espaços o que configura o regresso à decadência. A Ordem Donum Dei garante um serviço de restaurante.O almoço transportou-nos aos tempos medievais e monacais, seja devido ao claustro onde almoçámos, seja à duração do repasto em que houve tempo para dar alimento à alma.Partimos com a vontade de um dia regressar.

“O sonho de qualquer cidadão” \\ José Paiva Netto

Em Outubro de 1981, conversando com o jornalista italiano radicado no Brasil, Paulo Parisi, ao defender que a mulher precisa ser mais valorizada, podendo inclusive eleger-se presidente da república, ressaltei que a importância do papel dela na sociedade se comprova logo no início da vida. Sem o poder feminino, com o dom de serem mães, nem aqui estaríamos. O tempo mostrou-nos que o raciocínio estava correcto. A economista Dilma Rousseff, que tomou posse como a primeira presidente do Brasil, é destacado exemplo disso. No parlatório do Palácio do Planalto, um trecho de suas palavras confirma o anseio de todos: “Meu sonho é o mesmo de qualquer cidadão. O sonho de que uma mãe e um pai possam oferecer a seus filhos oportunidades melhores do que as que tiveram. É um sonho que constrói um país, uma família, uma nação. É o desafio que ergue um país”. Que o êxito do novo governo seja o de todos os brasileiros! COMO, MALRAUX?! (1901-1976), intelectual dos mais festejados, famoso ministro da cultura da França, manifestou um grave pensamento de sua intimidade: “O século XXI será religioso ou não existirá”. Contudo, prezado Malraux, não mais religião como nefando conflito, mas, sim, o procedimento eterno do amor divino, que quer que nos amemos uns aos outros, como Jesus nos ensina no Evangelho segundo João, 13:34 e 35; e, 15:13: “Novo Mandamento vos dou: Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos. Não há maior amor do que este: doar a própria vida pelos seus amigos”. Por isso mesmo, João Evangelista escreveu em sua Primeira Epístola, 4:7, 8, 20 e 21: “7 Amados, amemo-nos uns aos outros; porque a caridade é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece Deus. “8 Aquele que não ama não conhece

Deus; porque Deus é amor, Deus é caridade. “20 Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. “21 Ora, temos da parte Dele este mandamento, que aquele que ama a Deus, ame também a seu irmão”. Eis a mensagem permanente do Natal e de um Ano-Novo em que haja mais humanidade da humanidade para a Humanidade. E se “o século XXI (...) não existirá” se não for religioso, que o seja mais: transmude-se no grande amplexo das religiões, em gloriosa religião de amor e de fraternidade. “MEMÓRIAS” Da revista “Boa Vontade”, edição 228, este registro: “O poeta, ensaísta e crítico literário Antonio Carlos Secchin, membro da Academia Brasileira de Letras, lançou, no Rio de Janeiro, Brasil, ‘Memórias de um leitor de poesias e outros ensaios’. O início da obra traz um balanço sobre os quase 40 anos de dedicação do autor ao ofício da leitura e pesquisa de poesia e à transmissão dessa paixão ao público. O livro contém ainda 18 ensaios, a maioria sobre poetas brasileiros do passado e da actualidade. “Em concorrida sessão de autógrafos, prestigiada por amigos e companheiros da ABL, o autor dedicou exemplar da obra ao dirigente da LBV, com a mensagem: ‘Ao Paiva Netto, esperando que estas Memórias de um leitor de poesias e outros ensaios lhe sejam agradáveis! Obrigado, um abraço, Secchin’”. Grato, prezado Secchin! 61 ANOS DA LBV NO BRASIL Deixo aqui o meu agradecimento a tantos amigos que nos endereçaram mensagens natalinas, votos de um feliz Ano-Novo e felicitações pelos 61 anos da LBV, comemorados em primeiro de Janeiro, Dia da Confraternização Universal. É a expressão de fraternidade que ornamenta a vida. Trata-se, portanto, da melodia que entoamos em cada ato de compaixão, de solidariedade, de justiça. Que o bem-estar celestial se faça presente no seio de nossos familiares, amigos, enfim, da Humanidade. José de Paiva Netto Jornalista, escritor, radialista Presidente da Legião da Boa Vontade www.lbv.pt

Sara Pereira

Portugal e a importância do Mar: Uum imenso oceano de recursos e factor de desenvolvimento Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Para te cruzarmos quantas mães choraram … Para que fosses nosso, ó mar! Fernando Pessoa, in “Mensagem” O país, atravessa provavelmente uma das maiores crises económica e social da sua já longa existência. Social e economicamente debilitado, chegou a hora de alargar os horizontes, reaproximando-se e envolvendo-se de novo com o mar, do qual nunca se deveria ter afastado. Estrategicamente foi um erro, que poderemos tentar remediar, aproveitando a riqueza do nosso mar; a nossa localização no contexto europeu, fazendo a “ponte” entre África lusófona e o Brasil fundamentalmente, mas também com os Estados Unidos e os países desenvolvidos da América do Sul; a nossa história marítima; a nossa identidade; a nossa vocação atlântica. Estamos por isso, perante um manancial de oportunidades imensas. O mar, que nas últimas décadas foi negligenciado não só como factor de identidade, mas também marginalizado como criador de emprego e de riqueza pode, num futuro próximo tornar-se um potencial gerador de receitas, ultrapassando largamente o actual contributo de cerca de 5 a 6% para o nosso PIB. Dados económicos de 2008, apontam para um potencial muito mais elevado, desde que exploradas as múltiplas actividades ligadas ao mar (1). Reaproximarmo-nos de novo do mar, torna-se face à actual conjuntura uma aposta urgente e, provavelmente decisiva. Para além de permitir o aumento do crescimento da nossa economia, visa essencialmente a criação de emprego prioritariamente qualificado, promovendo simultaneamente novas oportunidades, com as múltiplas actividades dele dependente. É com base nesses pressupostos que o mar pode tornar-se um dos principais factores de desenvolvimento e sustentabilidade do país, tornando-se determinante no

Rogério Gonçalves

“Pela mulher que és, e por toda a felicidade que me tens proporcionado, esta é uma pequena homenagem pois nunca te poderei retribuir nem que dure 100 anos”

Nasce o sol vem a bonança O passado é lembrança O presente é Ano Novo, Quantos sonhos vão nascer E quantos se irão perder? Sempre este enigma do povo…

fiscalizador da nossa extensa área marítima, não permitindo entre outros ilícitos, todo o tipo de tráficos (pesca ilegal, poluição, entre outros); apostar na dinamização turística associada ao lazer do litoral; apostar na construção e reparação naval, diferenciando-nos pela qualidade dos nossos estaleiros (o país dispõe, do maior estaleiro de reparação naval da Europa, a Lisnave, outrora um gigante) e pela tecnologia, em contrapartida aos países asiáticos, hoje os nossos principais concorrentes nesta área de negócios; nos desportos náuticos; na exploração sustentável dos recursos marinhos, incluindo a indústria da pesca e conserveira; na modernização e apetrechamento dos portos com modernas infra-estruturas de transportes, preferencialmente com ligações ferroviárias, com todos os ganhos ambientais e de eficiência energética que daí poderão advir. Principalmente o porto de Sines que, pela sua localização poderá funcionar como uma plataforma logística na distribuição de contentores para a Europa, das rotas que chegam do Oriente; será também necessário projectar o aumento da capacidade das marinas, para captação de veleiros, criando condições logísticas e diversos serviços complementares, aquando das suas deslocações em direcção ao Mediterrâneo, América do Sul e Central; Com este previsível cenário de desenvolvimento e modernização em diversos sectores ligados ao mar a médio e longo prazo, é uma prioridade a nossa reaproximação e opção. Do meu ponto de vista é fundamental e, porventura decisiva na medida em que representa uma das derradeiras oportunidades de nos afirmarmos científica, económica e socialmente no contexto internacional. (1) Conclusão de um estudo promovido pela Saer (Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco), empresa dirigida pelo entretanto falecido economista Ernâni Lopes, sobre um conjunto de actividades económicas ligadas ao mar. (2) Toda a informação sobre este projecto abrangente, pode ser obtida através da página da internet do Ministério da Defesa Nacional, no iten sobre os assuntos do mar. (3) Retirado de um artigo publicado na revista Visão, em Novembro de 2008. Sara Pereira, Bióloga Pós-graduada em Ciências Forenses Mestranda em Ciências Biológicas pela U.Coimbra

Neste dia 6 de Janeiro Sabes que não te confundo Estarás sempre em primeiro És a melhor do mundo

O mundo até pode desabar Neste nosso Portugal Jamais eu vou encontrar Tu és única e especial

Muitos até podem comentar Tu superas todas as modas Consegues ser o meu andar Que dá vida às minhas rodas

Tantos anos andei a percorrer Sem ter norte ou destino Valeu a pena eu te conhecer És o poema do meu hino Dedicado à mulher da minha vida, 6 de Janeiro de 2011, com amor, Rogério Gonçalves

Segurança Precisa-se \\ Ordem dos Enfermeiros

Fecha a cena corre o pano Nova cena, outra corrida Volta à cena mais um ano Neste teatro da vida.

actual contexto de crise global. Independentemente de, para tal acontecer só ser possível com uma alteração de comportamentos de índole não só cultural, mas também de mentalidades envolvendo toda a sociedade, mas principalmente os jovens para repensarem a estratégia para o mar, o país dispõe entre outros, de um projecto multidisciplinar e abrangente, alicerçado em bases sólidas, com uma visão futurista, na dependência do Ministério da Defesa Nacional, a “Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental”, cujas funções que lhe estavam atribuídas, foram entretanto transferidas para a “Estrutura de Missão para os Assuntos do Mar”, por decreto governamental de 30 Dezembro do ano passado (2). A EMEPC foi criada por resolução do Conselho de Ministros, em 17 Janeiro de 2005 visando candidatar o país ao alargamento da sua plataforma continental para além das 200 milhas náuticas, mas também permitir a jurisdição sobre o solo e subsolo do mar e, o estudo e aproveitamento das suas riquezas marinhas (3). Esta proposta a ser aceite na ONU, será divulgada em 2012 e tornará cerca de 23 vezes maior a extensão marítima face à continental. Actualmente, o país já detém a maior ZEE (Zona Económica Exclusiva) da Europa. No entanto, este plano tem outros objectivos, entre os quais o desenvolvimento de novas áreas científicas; o dotar e reforçar os meios académicos; o desenvolver e alargar a cooperação com os países de língua portuguesa no domínio dos assuntos do mar; partilhar informação, principalmente no que diz respeito aos recursos energéticos de jazidas para eventual prospecção e exploração de petróleo, gás natural, metano, (que na opinião de muitos cientistas, será a última grande reserva de energia do mundo) pesquisa de minérios, desde que economicamente viável; o desenvolver e aproveitar a energia das ondas, dos ventos e eólica; o apostar na biotecnologia para fins científicos, estudando entre outros organismos as algas para fins médicos. A médio e longo prazo repensar o mar, deverá incluir apostas no desenvolvimento e modernização da marinha mercante. Aumentar a capacidade de transporte por via marítima, é fundamental (na década de 70, o país chegou a ter registados cerca de 180 navios mercantes; hoje quase não ultrapassa a dezena); na marinha de guerra, como garante de independência, mas também como principal vigilante e

Tu és única e especial \\

Ano Novo 2011 \\ Fernando Pedroso

17

Opinião

Ano novo, vida nova Nova luz, novo caminho Esperança que se renova Até num, ser já velhinho. É que cada ano que passa É menos um que se vive Não te safas d’ameaça Não há ninguém te livre. Ano velho já passado, Só deve ser recordado Para renovar canseiras, Pedir ao mundo respeito Dobrar o que foi bem feito E reparar as asneiras. Aos que têm facilidade Vamos pedir caridade, Que tenham acções mais nobres,

Aos governos do Mundo inteiro Das armas, façam dinheiro Para acabar com os pobres. Vamos unir esperanças Para que as doces crianças Não tenham fome nem guerra, Vamos todos dar as mãos Como sérios irmãos Para que haja paz na terra.

26 de Dezembro de 2010 Abílio Fernando Dias Pedroso

Em caso de emergência ligue 112! Este chiché publicitário não poderia ser mais feliz em resumir a atitude certa de um cidadão perante uma situação de emergência em saúde. Mesmo em caso de dúvida acerca de estar ou não perante uma situação do género, este imperativo continua a vigorar, pois as evidências dizem-nos que quando um cidadão tem dúvidas, até prova em contrário deve tratála como se efectivamente fosse. Caso presencie ou pense encontrar-se numa situação emergente, deve ligar rapidamente para o 112. Ao transmitir os dados que forem solicitados deverá tentar manter-se calmo e responder de forma clara ao que lhe é questionado. O simples facto de responder ao que lhe é pedido já constitui uma ajuda essencial para que o meio de socorro mais adequado chegue rápido junto do doente.

Portugal adoptou, e bem, por um modelo de assistência pré-hospitalar onde enfermeiros e médicos estão presentes. O futuro das sociedades evoluídas será a manutenção deste modelo continuando a deslocar profissionais de saúde aos locais onde são precisos. Todas as situações com necessidade de intervenção diferenciada contam com enfermeiros altamente especializados na vertente da emergência pré-hospitalar, constituindo um recurso insubstituível e com provas dadas na eficácia e eficiência da actuação do INEM. Trabalhando em estreita articulação com outros profissionais, estes enfermeiros têm constituído o grande pilar de sustentação da emergência pré-hospitalar no nosso país. Os enfermeiros estão nas Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação, designadas por VMER e que estão alocadas em hospitais, nas Ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), tripuladas por técnico de ambulância de emergência (TAE) e enfermeiro, onde este último lidera a equipa em articulação estreita com o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), no Serviço de Helicópteros de Emergência, onde o enfermeiro contribuiu na estabilização e

transporte de doentes graves entre unidades de saúde ou entre o local da ocorrência e a unidade de saúde adequada, nas Ambulâncias de Transporte de Recém-Nascidos de Alto Risco, ou mesmo no CODU onde o papel dos enfermeiros sempre representou uma maisvalia em termos de qualidade assistencial e cujo afastamento destes pela anterior Direcção do INEM constituiu uma atitude das mais irreflectidas que tenho testemunhado a nível de gestão na Saúde. Todo o cidadão, perante uma emergência clínica, tem o direito a receber cuidados de saúde diferenciados, em que a presença de enfermeiros é uma garantia de segurança, qualidade e competência no socorro. O enfermeiro possui a formação académica e as competências técnicas e legais necessárias que lhe permite efectuar com segurança qualquer procedimento ou técnica essencial para lhe salvar a vida, não sendo necessário, no plano actual, potenciar politicamente a criação de novas profissões para esta área de intervenção. Enf. Germano Couto Presidente da Secção Regional do Norte da Ordem dos Enfermeiros


O Tempo

18

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Coffee Break

maiahoje

14/01

14/01

15/01

15/01

16/01

16/01

17/01

17/01

SEX dia

SEX noite

SAB-dia

SAB-noite

DOM-dia

DOM-noite

SEG-dia

SEG-noite

Possibilidade de chuva. Pouco nublado. Máxima 15 °C . Vento SUSUDESTE 18 km/h .

Possibilidade de chuva. Pouco nublado. Mínima 11 °C . Vento SUSUDESTE 18 km/h .

Hotspots Wi-Fi (MAIA) Aeroporto Francisco Sá Carneiro . . . . .Pedras Rubras ANJE . . . . . . . . . . . . . . . . . .Tr. Cruzes Monte, 46 - R/C CEPSA . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Av. António Santos Leite CTT . . . . .R. Dr. José Rodrigues Silva Júnior, 355 - R/C Galeria Central Plaza . . . . . . . . .R. D. Manuel II, 2076 GALP - A.S. Águas Santas . . . . . . . . . . . . . .A4, Km 9.8 (Porto/Amarante - Ermesinde) GALP - A.S. Águas Santas . . . . . . . . . . . . . .A4, Km 9.8 (Amarante/Porto - Ermesinde) Loja PT . . . . . . . . . . . . . . . . .Av. Visconde Barreiros, 15 Lusomundo MaiaShopping . . . . . .Lugar de Ardegães Maioritelica . . . . . . . . . .R. Eng. Frederico Urich, 3196 McDonald’s (Maia Centro) . . . . . . .Lugar de Catassol McDonald’s (Maia Jumbo) . . . . . . .Jumbo, EN14, Km9 McDonald’s (MaiaShopping) . . . . . . . . .Lj. 238, Piso 2 TOTAL . .Via Eng. Belmiro de Azevedo - Z. Ind. Maia I

Telefones úteis EMERGÊNCIAS: SOS Número Nacional de Socorro . . . . . . . . . . . . . .112 Intoxicações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 250 143 Bombeiros Voluntários de Moreira . . . . .229 421 002 Assoc. Human. Pedrouços . . . . . . . . . . . .229 012 744 P.S.P. Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 413 853 P.S.P. Aeroporto de Pedras Rubras . . . . .229 482 693 G.N.R. Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 867 430 Protecção Civil (C.M. Maia) . . . . . . . . . . .229 408 722 Protecção Civil (C.M. Maia) Fax . . . . . . . .229 412 038 Protec. Civil (C.M.M) Linha verde . . . . . . .800 205 169 Polícia Municipal Maia . . . . . . . . . . . . . . .229 440 853 PSP Águas Santas . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 713 537 SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA: Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . .229 439 810 Conservatória do Registo Predial . . . . . .229 483 929 1.ª Repartição de Finanças . . . . . . . . . . . .229 448 133 2.ª Repartição de Finanças . . . . . . . . . . . .229 785 040 1.ª Tesouraria da Fazenda Pública . . . . .229 484 332 2.ª Tesouaria da Fazenda Pública . . . . . . .229 717 271 Tribunal Judicial da Maia . . . . . . . . . . . . .229 438 900 Santa Casa da Misericórdia . . . . . . . . . . .229 448 136 Correios de Vermoim . . . . . . . . . . . . . . . .229 439 610 EN - Electricidade do Norte . . . . . . . . . . .800 506 506 EN - (Comunicação de Avarias) . . . . . . . .800 246 246 S.M. Águas e Saneamento da Maia . . . .229 430 800 Inst. Emprego Form. Profissional . . . . . .808 200 670 Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . .229 413 141 Câmara Municipal da Maia . . . . . . . . . . .229 408 600 Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . .229 687 322 Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . .229 483 472 Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 408 643 Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . .229 436 390 Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . .229 442 462 E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . .229 408 643 Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . .229 408 721 Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . .229 484 821 Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 059 520 Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 482 660 Canil Municipal da Mai . . . . . . . . . . . . . . .229 823 687 Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 870 292

Possibilidade de chuva. Pouco nublado. Máxima 15 °C . Vento SUL 18 km/h .

Possibilidade de chuva. Pouco nublado. Mínima 9 °C . Vento SU-SUDESTE 18 km/h .

Possibilidade de chuva. Céu Encoberto. Máxima 15 °C . Vento SUL 25 km/h .

Código QR, i-nigma ou 2D O leitor já deve ter visto estes quadrados “esquisitos” em publicidade, paragens de autocarro, edifícios e até T-shirts. Mas afinal o que é isto? O chamado Código QR (Quick Response), também conhecido por 2D ou i-nigma é uma espécie de código de barras que substitui as “velhinhas” riscas que tinha pouca capacidade de informação. Criado em 1994 pela empresa japonesa DensoWave, tem a particularidade de conter muita informação, ao contrário dos anteriores códigos de barras. Para terem uma ideia, este código tem a capacidade máxima de “guardar” 7.089 caracteres numéricos ou 4.296 caracteres alfanuméricos. Como funciona? Quem “desenha” o código, recorre a programas informáticos ou páginas Web que disponibilizam o “desenho” instantaneamente. Depois de impresso, seja numa publicidade, na fachada de um prédio, numa paragem de autocarro, ou mesmo numa t-shirt, qualquer pessoa que disponha de um telemóvel com câmara fotográfica e suporte ligação à internet pode obter um programa para o telemóvel que, com uma simples fotografia tirada na hora, descodifica o código. No caso do MaiaHoje, o nosso código foi “desenhado” com a ligação ao site da nossa página internet, pelo que para aceder à página em www.maiahoje.pt, fotografar, descodificar e já está! Como instalo o programa? Fácil. Vá a www.i-nigma.mobi (http://www.i-nigma.mobi) e de forma gratuita descarregue o programa. Antes verifique a compatibilidade do seu equipamento em www.i-nigma.com/personal/devices.asp?lang=pt). Instale, siga as instruções e fica pronto a navegar nas novas tecnologias.

Possibilidade de chuva. Parcialmente nublado. Mínima 10 °C . Vento SUDESTE 14 km/h .

Possibilidade de chuva. Céu Encoberto. Máxima 15 °C . Vento SUL 10 km/h . 30%

Pouco nublado. Mínima 10 °C . Vento SUDESTE 10 km/h .

Farmácias de serviço DIA .TIPO ..............FARMÁCIA 14 ..PERMANENTE .....Lidador/Bom Despacho REFORÇO (22H) .Gemunde 15 ..PERMANENTE .....Agra/Gramaxo REFORÇO (22H) .Castêlo 16 ..PERMANENTE .....Lima Coutinho/Maia REFORÇO (22H) .VNTelha 17 ..PERMANENTE .....Bastos/Nova Ardegães REFORÇO (22H) .Eugénia 18 ..PERMANENTE .....Martins Costa/Álvaro Agante REFORÇO (22H) .Silva Escura 19 ..PERMANENTE .....Moreira Barros/Central REFORÇO (22H) .Araújo 20 ..PERMANENTE .....Lidador/Bom Despacho REFORÇO (22H) .Vales 21 ..PERMANENTE .....Sousa Beirão/Aliança REFORÇO (22H) .Guardeiras 22 ..PERMANENTE .....Lima Coutinho/ Maia REFORÇO (22H) .Aeroporto 23 ..PERMANENTE .....Bastos/Nova Ardegães REFORÇO (22H) .Gemunde 24 ..PERMANENTE .....Martins Costa/Álvaro Agante REFORÇO (22H) .Castêlo 25 ..PERMANENTE .....Moreira Barros/Central REFORÇO (22H) .VNTelha 26 ..PERMANENTE .....Lidador/Bom Despacho REFORÇO (22H) .Eugénia

Informação patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

O futuro Futuramente poderá em determinadas páginas e artigos do MaiaHoje, ter acesso a mais informação ou mensagens multimédia como vídeo e som. Siga a sua imaginação.

Cinemas Warner lusomundo cinemas MAIASHOPPING DE 13 de JANEIRO - 19 de JANEIRO

Todos os filmes têm inicio 10 minutos após hora marcada Tel: 22 977 04 50 • Fax 22 972 45 37 Tron

[14h00, 17h10, 21h10, 00h10**]

Entrelaçados

[10h40*, 13h15, 15h50 , 18h40]

A Tempo e Horas

[21h50 , 00h20 (**)]

O Turista

[13h10 , 15h40 , 18h20 , 21h20 , 00h00(**)]

As Cronicas Narnia - A Viagem do Caminheiro Alvorada

[10h45*, 13h30, 16h10 , 19h00(**)]

Jogo Limpo

[21h40, 00h30(**)]

Não há Família Pior

[13h20, 16h00 , 18h50, 21h30 ,00h15(**)] De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SAÚDE: C. de Saúde da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .229 470 940 (Linha Azul) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 487 918 C. Saúde de Á.Santas . . . . . . . . . . . . . . . .229 735 420 C. Saúde do Castêlo . . . . . . . . . . . . . . . . .229 810 238 Unid. Saúde de Moreira Maia . . . . . . . . .229 867 036 U. S. Moreira Maia(Linha Azul) . . . . . . . .229 427 968 Unidade de Saúde de Gueifães . . . . . . . .229 438 449 Unidade de Saúde de Milheirós . . . . . . .229 723 322 Unidade de Saúde de Nogueira . . . . . . . .229 448 655 Unidade de Saúde de Vermoim . . . . . . . .229 470 950 Serv. Atend. a Situações Urgentes . . . . .229 448 790 Cruz Vermelha Port. (Núcleo Maia) . . . . .229 411 221

VIVACINE MAIA

DE 13 de JANEIRO - 19 de JANEIRO Todos os filmes têm inicio 10 minutos após hora marcada Tel: 22 947 15 18 Tron: o Legado 3D [14:00; 17:00; 21:00; 23:50] As Aventuras de Sammy : A Passagem Secreta 2D A Tempo e Horas

[11:00*****; 13:50; 16:05]

PERMANENTE

21 Janeiro

[18:30; 21:10; 23:30]

O Turista

[13:40; 16:10; 18:50; 21:20; 23:50]

Não há Familia Pior!

[13:30; 16:00; 18:40; 21:30; 23:55]

Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

(*) Só ao Domingo - (**) Só 6ª e Sábado - (***) Excepto Sábado e Domingo - (****) Sexta a Sábado (*****) Domingos e Feriados

PUB


VIAGENS

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

Magazine pub

maiahoje

Áustria

Ano comemorativo de Gustav Mahler e Franz Liszt Gustav Mahler, de pais judeus, nasceu em Julho de 1860 em Kaliste, na actual República Checa. Foi o segundo de 14 irmãos e viveu grande parte de sua juventude na cidade de Iglau, na Morávia. Mahler era superdotado: com apenas seis anos assistia aulas de música e com quinze começou a estudar no conservatório em Viena. Aos vinte anos, iniciou uma carreira sem precedentes como director de orquestra e director de ópera. Trabalhou em Liubliana, Cassel, Praga, Leipzig, Budapeste e Hamburgo para finalmente chegar a Viena, na Ópera da Corte, a actual Ópera Nacional. Os anos passados em Viena, entre 1897 e 1907, representaram o ponto mais alto da carreira de Gustav Mahler. Introduziu mudanças revolucionárias na ópera tradicional do momento: colocou fim nos cenários antiquados e centrou-se nos cantores. Combinou a cenografia, o argumento e a música para conseguir uma

unidade dramática; as suas inovações constituíram o início da representação moderna da ópera. Com rupturas de estilo e alusões irónicas, Gustav Mahler fez uma ponte do século XIX ao XX. As suas dez sinfonias e ciclos de canções marcam um ponto de viragem na história da música. Tudo isso, apesar de que Mahler somente se dedicava a compor dois meses por ano, durante as férias de Verão. A sua principal fonte de inspiração foi a natureza. No Verão, Mahler viajava para Steinbach, nas margens do lago Attersee. Na famosa cabana onde compunha surgiram a segunda e terceira sinfonia. No entanto, Mahler compôs a maior parte de sua obra, em “Villa Mahler”, em Maiernigg, as margens do Lago Worther, nos Verões entre 1900 e 1907. Aqui escreveu a quarta, quinta, sexta, sétima e oitava sinfonias e as “Kindertotenlieder¡¨ (Canções para as crianças mortas). Morreu em Viena, a 18 de Maio

de 1911. Franz Liszt - Lisztomania 2011, no seu 200º aniversário Franz Liszt nasceu no dia 22 de Outubro de 1811 em Raiding, na Áustria, que antigamente fazia parte da região húngara do Império Austro-Húngaro. Foi um pianista totalmente inovador, com um estilo de composição progressista. Começou a ter aulas de piano na infância com seu pai, um professor de música ambicioso e estrito. Depois, mudou-se para Viena, onde teve aulas com Antonio Salieri, entre outros, e mais tarde para Paris. Liszt, um grande interessado pelas correntes intelectuais da época, em Paris, entrou em contacto com muitos artistas daquele tempo. Entretanto, o conhecimento de grandes músicos como Frederic Chopin, Hector Berlioz e Felix Mendelssohn Bartholdy mostrou-lhe seus próprios limites musicais. Mas este contratempo só conseguiu estimulá-lo. Os anos seguintes caracterizaram-se por contínuas viagens por toda a Europa, inúmeras composições e recitais. Franz Liszt é considerado uma das personalidades mais ambíguas

entre os compositores clássicos. Foi um excêntrico e um Don Juan, um virtuoso pianista que enchia as salas de concertos, um intelectual, um cosmopolita, um viajante incansável e, sobretudo, um músico que nunca deixou de compor. Foram 123 concertos para piano, 77 canções, 25 concertos para orquestra, 65 concertos para coro sacro e 28 concertos para coro secular, bem como inúmeros arranjos, concertos para órgão e outras peças conformam sua obra musical. A sua pátria, a região de Burgenland, celebra seu 200º aniversário com um extraordinário festival dedicado a Liszt, a Lisztomania 2011¨ em Raiding. O início do festival, marcado para dia 27 de Janeiro de 2011, marca ao mesmo tempo o começo do ano Liszt na Áustria. Ao longo deste ano, é possível apreciar quatro ciclos: um ciclo de piano, um ciclo de orquestra, um ciclo de canções, um ciclo vocal e concertos comemorativos. Por M.Margarida Pereira-Müller Fotos: Gustav Mahler - Foto Moritz Nähr, © Österreichisches Theatermuseum

Calçadão de Boa Viagem \\ João Diogo

Como zona tranquila a praia da Boa Viagem no Recife, faz lembrar e muito as praias do Rio de Janeiro, mais propriamente Ipanema, com seu toque de mulher bonita, de pele bronzeada e muito charme. Pode-se dizer, sem receio de errar, que parece existir a ideia de se estar a anunciar como um símbolo do Brasil, a figura feminina, cujas caraterísticas tão reconhecidas são internacionalmente, através da música de Vinícius de Moraes “ garota do Ipanema” porquanto essa ideia de anunciar o corpo da mulher Brasileira, reaparece também em outra região do Brasil, como é o caso do Recife, mais precisamente a praia da Boa Viagem. De cenário deslumbrante face ao seu esplendoroso Calçadão com cerca de 7 km de

extensão e os cerca de 17 Quiosques espalhados ao longo da sua orla, especialmente distribuídos para o consumo de um dos seus produtos mais preciosos, o Coco, aliás, fruto consumido na praia de Boa Viagem, como se fora quase uma obrigação, porquanto a imagem do Turista se deleitando com a água de coco, torna esse local autenticamente tropical. Edifícios elegantes, Bares, Restaurantes e Hotéis, com infra estrutura adequada, consegue reunir em todo o litoral da zona da Praia da Boa Viagem, gente de todas as idades, curtindo uma das mais belas praias do Brasil, como também o de se deliciarem com a beleza de um dos mais conceituados Calçadões do Mundo. Com acentuado lazer, quer no traçado a impelir o Turista e não só, a caminhar, como a exercitar-se, atendendo ás variadíssimas opções espalhadas em todo o percurso do Calçadão, permitindo ainda, através da Praia que o acompanha ao longo da costa, condições para um banho tranquilo e bronzeamento do corpo. Diga-se de passagem

que toda a zona balnear da praia de Boa Viagem, é literalmente iluminada com holofotes potentes, durante a noite, deixando antever banhos a qualquer hora. Delimitada pela praia do Pina ao Norte e pela praia de Piedade ao Sul, a mais famosa praia do Nordeste do Brasil, tem como principal referência, as várias Piscinas que se formam ao longo da Praia em virtude dos imensos recifes (a dar o nome a esta cidade) se postarem ao longo da costa. Por esta razão pode-se afirmar que a praia de Boa Viagem garante total proteção, ainda que existam nadadores salva-vidas, postados em vários locais sobrepostos ao nível da águas do Mar. Sem condições para surfar e com o aliciante de vermos para além dos Recifes, tubarões, mais nos agudiza a curiosidade, se bem que nem sempre, de os vermos ao vivo. Digamos que o avanço do Mar, descaracterizou um pouco a beleza ao Sul desta Praia, porquanto suas águas alterosas, com tendência para

invadir a calçada, torna-se por isso mesmo inconsequente a segurança em termos de caminhada. Nessas circunstancias a pista exclusiva para a prática do cooper, merecer da parte da Prefeitura, uma maior atenção e porque não, medidas urgentes, tal a necessidade de se procurar soluções para evitar o avanço do Mar. A partir da Pracinha de Boa Viagem, em torno da igreja, onde diariamente, se realiza a feira de artesanato, com muitos souvenires, doces e salgados da culinária regional, além dos Bares e Boates a tornarem conta do local junto á marginal; a praia da Boa Viagem seguramente dos mais movimentados e agradáveis locais de veraneio, pois em sua orla e em direção ao Norte, o areal se alargar e consequentemente abrir mais espaços, dando azo a que os barraqueiros garantem, bebidas, caldinhos, espetinhos de peixe frito, de carne, ostras, ovos de codorniz, camarão frito, queijo coalho, além de outros tipos de produtos, como redes, esculturas, CDs, óculos, etc. Ainda e já no centro do

Calçadão e Praia, pode-se ver já montado, um palco devidamente estruturado para Shows, além de uma Quadra para a prática de desportos, nomeadamente Futebol de Praia e Voleibol. A Praia da Boa Viagem para além do seu excelente Calçadão, tem ainda uma particularidade, que a meu ver esgota as previsões mais optimistas, salvaguardando um denodado apego às roupas brancas e a tudo que se relaciona com o misticismo. Vindos de todos os lados para assistir á passagem do Ano, uma multidão se resguarda para este momento oferecendo á Rainha das Águas “ Iemanjá “ bouquês de flores brancas e pedidos dos mais variados que se possa imaginar, jogados no Mar, na esperança que a Santa atenda os seus pedidos. No entanto para lá de todo este aparato, o Réveillon com Fogos, Luz, Brisa e muita alegria ao longo de toda a orla da Praia de Boa Viagem no Recife, mostranos um lugar que a Natureza prodigalizou para ser vivido…

19


maiahoje CULTURA

sexta-feira 14 de janeiro de 2011

A Fechar

20

No Parque Central da Maia até 30 de Janeiro

Exposição de Cartoons ERRARE URBANUM EST \\

António Ferreira dos Santos (F`Santos), seguramente um dos melhores “cartoonistas” e caricaturistas contemporâneos!

Errare Urbanum Est ,é uma exposição de Cartoons de António dos Santos, que pode ser visitada desde o passado dia 07 até ao próximo dia 30 de Janeiro, no Parque Central da Maia –Piso 1. António Ferreira dos Santos (F’SANTOS) nasceu em Cucujães (1948). É licenciado em Arquitectura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto. Desde a publicação dos seus cartoons, com carácter reflexivo e interventor, Ferreira dos Santos cedo alcançou um lugar destacado entre os melhores cartoonistas e caricaturistas contemporâneos. Da divulgação, pelo Instituto Nacional do Ambiente, das suas notáveis “Seis Urbanovisões” em 1988; da criação gráfica na Comissão de Coordenação da Região Norte, ou na Direcção Regional do Ambiente e ordenamento do território, até à sua passagem com os seus primeiros desenhos humorísticos no jornal “A Voz Portucalense” e daí a sua colaboração com o Publico, a Razão, Fiel Inimigo, Jornal das Beiras, O Jogo, O Regional e Diário de Noticias entre outros, “vai um percurso de grande fulgor artístico, à margem da torrente do conformismo, avesso às rotinas esclerosadas e questionador impenitente do politicamente correcto, com uma visão crítica e caricatural das transformações do território” ,

afirma José Manuel Barros, arquitecto e seu amigo, e acrescenta ”… na sua obra perpassa uma consciência ética, uma atitude cívica e uma brisa irónica sobre o urbanismo( ou falta dele), é no humor, ora divertido , ora corrosivo, que F`Santos centra o seu poder criativo, sempre ligado ao forte sentido humanista que tão bem cultiva”; António Ferreira dos Santos fez exposições individuais de Cartoons em Ovar, S. João da Madeira, Rio Tinto, Matosinhos, Porto, Bragança, Santa Maria da Feira e Ourense. Colectivamente expôs em Lisboa, Porto, Lousã, Leiria, Seixal, Vila Real, Madrid, Grove e Ourense. Participou em diversos Salões de “Cartoon” no estrangeiro nomeadamente Irão, Croácia, Rússia, Eslováquia, Espanha, França, Itália , Reino Unido , Turquia, Japão e Grécia. Expôs individualmente pintura no Restaurante/Galeria Pirâmide (Porto) e na Galeria Vandelli (Coimbra). Em 1999 fez uma Exposição de desenhos em Mogadouro. Participou em diversas festas de Caricatura de Amarante, Marinha Grande, Leiria, Seixal, Porto, Espinho, Bragança e Vila Real. Em Espanha em Ourense, Grove (Ilha da Toxa) e Alcalá de Henares (Madrid). No âmbito do Porto Cartoon, no Museu de Imprensa e no Norte Shopping, em 1999.

Tem realizado sessões de Caricatura ao Vivo, a convite de empresas e outras entidades, nomeadamente na Exponor, Europarque, Parque das Nações, e em diversas cidades do país. Foi premiado no “Salão Nacional de Caricatura” em 1989 (O Humor e o Ambiente) e 1996 (Prémio BD de Imprensa). Foi galardoado, em 1998, com o terceiro prémio (secção de caricatura pessoal) no “V Certame Internacional de Caricatura e Desenho Humorístico” em Santa Cruz de Tenerife, Canárias, Espanha. Foi distinguido com uma Menção Honrosa no I Salão de Humor de Aveiro em Junho de 2000. No âmbito da V Mostra de Humor Gráfico, foi distinguido com o título de “Profesor Honorífico del

Humor”, pela Universidade de Alcalá de Henares, Madrid, em Novembro de 1998. Em 1988 publicou duas colecções de postais, Urbanovisões e Mupivisões, e em Abril de 2000 publica o livro de cartunes O Dedo na F’rida. Em 2000 participou, na 15ª Edição do Festival Internacional de Caricatura de Saint-Estève, onde expôs alguns dos seus trabalhos e fez caricatura ao vivo. Em 2002 fez uma exposição, na Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira, intitulada “Errare Urbanum Est”, um conjunto de vinte trabalhos sobre Urbanismo e Ambiente, que percorreu diversos locais, nomeadamente Porto e Vila Nova de Foz Côa e S.J. da Madeira. Participa, em Junho de 2003,

numa Exposição Colectiva de Caricaturas, no Arrábida Shopping em V. N. de Gaia, tendo realizado caricaturas ao vivo com o belga Jan Op de Beeck, um dos maiores mestres da caricatura da actualidade a nível mundial. Realizou, em 2003, a exposição “e da vida se fez humor”, no espaço Nunca-Oficina artística, no Porto. Colaborou com um Cartoon diário no “O Comércio do Porto” entre finais de 2003 e início de 2004. Segundo ainda José Manuel Bastos, esta exposição Errare Urbanum Est retrata “As preocupações ambientais e a capacidade artística de estigmatizar a mediocridade, a demagogia, a prepotência, o arrivismo e as misérias urbanas do nosso tempo”.

pub


267