Issuu on Google+

pub

25 MAR - 8 ABR 2011

Ano XI | Nº 272 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar press@maiahoje.pt

0.50 =C

IVA incluído

\\ política

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

CÓDIGO QR saiba mais na página 22

Pedro Ferreira da Concelhia do PCP ao MH:

«Há uma dívida gigantesca baseada no esbanjamento» Com duras críticas à política do executivo camarário é contra as Empresas Municipais. Para o PCP «a regionalização é o caminho certo» e faz «todo o sentido acabar com os Governos Civis». p. 4 e 5

\\ prémio

greve Maia foi “base mediática” para protesto nacional de camionistas

CTT debateram no Fórum estratégia para o futuro

p.08

\\ comemoração

Clube Unesco da Maia debateu a “mulher” no dia internacional p.06

\\ primavera

Festa maiata é a 2 de Abril na EB1 da Maia p.03 pub

p.08 pub


02

editorial \\ artur bace|ar director

DATA

EMPRESA

31-01-2011

CANON PORTUGAL, S.A.

17-03-2011 17-02-2011 18-03-2011 12-11-2010 16-03-2011 08-11-2010 21-03-2011

Haja governo 18-03-2011

Dado que para chegarmos a casa dos nossos assinantes na sexta-feira e dificuldades logísticas para chegar às cerca de 100 bancas onde vendemos, o MaiaHoje tem que começar a ser distribuído um dia antes. Assim, escrevo estas linhas na quartafeira, dia 23, altura em que dificilmente poderia acompanhar devidamente o importante debate que se desenrola na Assembleia da República. Mesmo assim, não quero e não posso deixar de comentar o que fui ouvindo e lendo até hoje. Moribundo o governo, agora já em campanha eleitoral, ataca o PSD como se este fosse governo, tenta amedrontar a população com o “bicho papão” de que o governo PSD acabará com o estado social. Mete medo e confunde os funcionários públicos que ficam com receio de um governo socialdemocrata, mas nada, nem uma palavra ou um pedido de desculpas para o “aperto” em que deixam o país. Esquecem-se que, nesta altura, é o PSD que tem assegurado o estado social, que tem lutado contra as desigualdades, contra os cortes nas pensões de reforma. Estou convicto que fazer pior seria impossível e critico Pedro Passos Coelho por ter tomado a iniciativa de “chumbar” o PEC... demasiado tarde. Esta atitude já deveria ter sido tomada desde o Congresso do PSD. Continuam a chamar “jovem” a Pedro Passos Coelho, um jovem da minha idade. São 46 anos de idade e de vida com memória viva da democracia. Sou testemunha de uma coisa: Nunca, em toda a minha vida, se viveu com tantas dificuldades como agora! Vivem-se dias difíceis e mais se seguirão. Todos precisamos de coragem para resolver os males criados até agora. Vai começar agora a campanha eleitoral. Apesar de todas as estratégias de marketing, que ninguém se esqueça do que se passou e passa. Haja governo à séria! Com ou sem coligação PS/PSD/PP!

maiahoje

\\ DIÁRIO do CONCELHO (contratos de ajuste directo dia 28/01/2011 a 23/03/2011)

17-03-2011

pub

sexta-feira 25 de março de 2011

Página dois

17-03-2011 18-02-2011

16-02-2011

02-03-2011 11-02-2011 16-02-2011 08-02-2011 22-12-2010

16-03-2011 16-02-2011 17-03-2011 18-03-2011 17-03-2011 17-03-2011 21-02-2011 21-03-2011 18-02-2011

28-01-2011 23-02-2011 28-01-2011 14-03-2011 11-02-2011

OBJECTO CONTRATADO

PRAZO EXEC.

AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS ADICIONAIS, PELO PERÍODO DE 52 MESES, NO ÂMBITO DO CONTRATO DE LOCAÇÃO OPERACIONAL DE EQUIPAMENTO DE CÓPIA E IMPRESSÃO OPORTUNAMENTE CELEBRADO 1560 DIA(S) CARLA CRISTINA SOEIRO QUINTANEIRO BARRETO SERVIÇOS DE ANIMADORA CULTURAL, NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO DA REDE PÚBLICA 330 DIA(S) CARLA FILIPA DOS SANTOS BARROS SERVIÇOS DE ANIMADORA CULTURAL, NOS ESTABELECIMENTOS DE ED. PRÉ-ESC. E DO 1.º CICLO DO ENS. BÁSICO DA REDE PÚBLICA 330 DIA(S) CARLA MÓNICA RODRIGUES DE CARVALHO COUTINHO DE ALMEIDA AQUISIÇÃO DE FARDAMENTO PARA O SERVIÇO MUNICIPAL DA PROTECÇÃO CÍVIL E SEU CORPO DE VOLUNTÁRIOS 60 DIA(S) CATARINA JOANA CORREIA COSTA MANDIM SERVIÇOS DE ANIMADORA CULTURAL, NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E DO 1.º CICLO DO ENS. BÁS.DA REDE PÚBLICA 330 DIA(S) CIVIPOR - CONSTRUÇÕES CIVIS PORTUGUESAS, LDA. CONSERVAÇÃO DE EDIFÍCIOS MUNICIPAIS – SUBSTITUIÇÃO DE COB. E RESTAURO DO EDIFÍCIO SITO NO GAVETO DA RUA ENG.º FREDERICO ULRICH E A RUA AUGUSTO NOGUEIRA DA SILVA, NO CASTELO DA MAIA 60 DIA(S) CLÁUDIA RAQUEL COSTA ALVES SERVIÇOS DE TÉCNICO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO, NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DOUTOR JOSÉ VIEIRA DE CARVALHO 330 DIA(S) CLAÚDIA SOFIA BATISTA VIEIRA PINTO AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTADORIA JURÍDICA 180 DIA(S) CLIMAVE - EQUIPAMENTOS ELECTROMECÂNICOS, S.A. PLANO DE RACIONALIZAÇÃO DE CONSUMO DE ENERGIA ELÉCTRICA EDIFÍCIOS MUNICIPAIS - FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE SISTEMA DE AQUECIMENTO DE ÁGUAS SOLAR, NO POLIDESPORTIVO COBERTO DE PEDROUÇOS, NA FREGUESIA DE PEDROUÇOS 30 DIA(S) CRISTINA MANUELA FRIAS CASAS AFONSO SERVIÇOS DE ANIMADORA CULTURAL, NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESC. E DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁS. DA REDE PÚBLICA 330 DIA(S) CRISTINA RAQUEL SANTOS MOREIRA SERVIÇOS DE ANIMADORA CULTURAL, NOS ESTABELECIMENTOS DE ED. PRÉ-ESC. E DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO DA REDE PÚBLICA 330 DIA(S) EFACEC - SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA, SA AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO PERIÓDICA DOS SISTEMAS AVAC (INCLUINDO TÉCNICO RESPONSÁVEL DE FUNCIONAMENTO) LOCALIZADOS NAS INSTALAÇÕES DOS EDIFÍCIOS DOS COMPLEXOS MUNICIPAIS DE PISCINAS DE ÁGUAS SANTAS, FOLGOSA E GUEIFÃES, PELO PERÍODO DE UM ANO. 365 DIA(S) EYSSA TESIS - TECNOLOGIAS DE SISTEMAS ELECTRÓNICAS, S.A INSTALAÇÕES SEMAFÓRICAS EM QUATRO LOCAIS DO CONCELHO, NO CRUZAMENTO DA RUA DE D. AFONSO HENRIQUES COM A RUA DO CALVÁRIO E O NOVO ARRUAMENTO DO LOTEAMENTO ANEXO, NA FREGUESIA DE ÁGUAS SANTAS, NO ENTRONCAMENTO DO NOVO ARRUAMENTO COM A RUA DAS OLIVEIRAS, NA FREGUESIA DE MOREIRA, NO CRUZAMENTO DA RUA DO DR. FARINHOTE COM A RUA DE ANTÓNIO HERCULANO PEREIRA MAIA E RUA DAS OLIVEIRAS, NA FREGUESIA DE MOREIRA E NO ENTRONCAMENTO DA AVENIDA DE FERNANDO TÁVORA COM A RUA DAS OLIVEIRAS, NA FREGUESIA DE MOREIRA 15 DIA(S) FENOMENO CRESCENTE, LDA. CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE GESTÃO DO POLIDESPORTIVO MUNICIPAL DE PEDROUÇOS 365 DIA(S) FESTILUZ - ILUMINAÇÃO E DECORAÇÃO, LDA. FESTILUZ - ILUMINAÇÃO E DECORAÇÃO, LDA. 60 DIA(S) GALP - GABINETE DE URBANISMO, ARQ. E ENGENHARIA, LDA. ELABORAÇÃO DO PROJECTO DO CENTRO CÍVICO DA MAIA POLO DE SERVIÇOS PÚBLICOS - 1.ª FASE - BIBLIOTECA MUNICIPAL DOUTOR JOSÉ VIEIRA DE CARVALHO - NOVA SALA DE LEITURA PÚBLICA 60 DIA(S) GLOBAL NOTICIAS PUBLICAÇÕES, S.A PROCEDIMENTO N.º 2249 - CONT. DE PUB. COM O JORNAL DE NOTICIAS 20 DIA(S) INTEGRATOR - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO, LDA AQUISIÇÃO E INSTALAÇÃO DA SOLUÇÃO DE GESTÃO E CORRELAÇÃO DE EVENTOS DE SEGURANÇA NA REDE INFORMÁTICA, NO ÂMBITO DA CANDIDATURA DO PROJECTO SIMA – SISTEMA INTEGRADO DE MODERNIZAÇÃO AUTÁRQUICA 40 DIA(S) IVO FILIPE COUTO PINTO SERVIÇOS DE TÉCNICO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO, NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DOUTOR JOSÉ VIEIRA DE CARVALHO 330 DIA(S) JORNALINVESTE - COMUNICAÇÃO, S.A CONTRATO DE PUBLICIDADE COM O JORNAL “O JOGO 30 DIA(S) LILIA JOANA SILVA FALCÃO SERVIÇOS DE ANIMADORA CULTURAL, NOS ESTABELECIMENTOS DE ED. PRÉ-ESCOLAR E DO 1.º CICLO DO ENS. BÁSICO DA REDE PÚBLICA 330 DIA(S) MAIN ENERGY - MANUTENÇÃO E INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS, LDA. CONSTRUÇÃO DO NOVO CENTRO ESCOLAR DA MAIA - EB1 E JI - NA FREGUESIA DA MAIA - FORNECIMENTO E MONTAGEM DE CONVECTORES ELÉCTRICOS 10 DIA(S) MARIA JOÃO AMARAL COSTA ERNESTO CORDEIRO SERVIÇOS DE ANIMADORA CULTURAL, NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESC. E DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO DA REDE PÚB. 330 DIA(S) MARISA SOFIA SILVA OLIVEIRA SERVIÇOS DE ANIMADORA CULTURAL, NOS EST.DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO DA REDE PÚBLICA 330 DIA(S) MARTA ALEXANDRA MONTEIRO SAMPAIO AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE SAÚDE (NUTRICIONISTA), PELO PERÍODO DE SEIS MESES. 180 DIA(S) MARTA CRISTINA MAGALHÃES CRUZ CONTRATAÇÃO EM REGIME DE TAREFA DE ANIMADORES CULTUTAIS PARA ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO DA REDE PÚBLICA, ATÉ AO PERIODO DE 11 MESES 330 DIA(S) ONE TWO, LDA PROCEDIMENTO N.º 2371/2010 – PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA CONCEPÇÃO E GESTÃO DO PORTAL DA JUVENTUDE, E CONCEPÇÃO, ESTUDO DE COMUNICAÇÃO E DESENVOL-VIMENTO DO PROJECTO DE ACTUALIZAÇÃO DO CARTÃO MAIAJOV 365 DIA(S) RDT - RECOLHA DE DADOS DE TRÁFEGO, LDA RDT - RECOLHA DE DADOS DE TRÁFEGO, LDA 15 DIA(S) SAFETECH, SA AQUISIÇÃO DE COMP. PARA SUBSTITUIÇÃO EM COMP. E PERIFÉRICOS. 30 DIA(S) SEC - SOCIEDADE DE EMPREITADAS E CONSTRUÇÕES, S.A. BEN. DA ESCOLA EB1 DO BARROSO, NA FREGUESIA DE NOGUEIRA 180 DIA(S) SISTELMAR SOCIEDADE DE CONSTRUÇÕES, LDA. REPAVIMENTAÇÃO E BENEFICIAÇÃO DE VIAS EM VÁRIAS ZONAS DO CONCELHO – SUBSTITUIÇÃO DO COLECTOR DE DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS NA AV. D. MANUEL II, NA FREGUESIA DE VERMOIM 5 DIA(S) SOCIEDADE DE CONSTRUÇÕES MAIA & MAIA, S.A ALUIMENTO DE PAVIMENTO DE ARMAZÉM – ZONA INDUSTRIAL DA MAIA I, SECTOR I – LOTE 42 A 120 DIA(S)

VALOR(EUROS) 15.941,12 9.735,00 9.735,00 10.600,00 9.735,00 31.600,00 9.735,00 6.425,34

20.600,00 9.735,00 9.735,00

23.508,00

47.519,50 30.000,00 10.000,00 19.000,00 17.043,00

72.489,35 9.735,00 6.250,00 9.735,00 13.180,00 9.735,00 9.735,00 7.080,00 9.735,00

9.700,00 9.800,00 9.952,16 197.352,99 25.794,70 170.002,90

pub


maiahoje

sexta-feira 25 de março de 2011

mh

Grande Maia

SAÚDE

03

Colóquio sobre saúde infanto-juvenil

Alimentação Saudável, boas práticas de higiéne e exercício físico

jornal regional de grande informação

PROPRIEDADE DE:

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar, TPJ 6262 artur@maiahoje.pt SUB-DIRECTOR: Domingos Loureiro REDACÇÃO: Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos rita@maiahoje.pt Rita Alves ralves@maiahoje.pt Luís Filipe Azevedo luis@maiahoje.pt

COLABORADORES REDACTORES: António Armindo Soares, TPJ CO 706 soares@maiahoje.pt Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt COLABORADORES FOTOGRAFIA: Ana Soares, TPJ CO 849 António Caldeira, TPJ CO 707 Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 José Barbosa . TPJ CO 924 Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710 Paulo Jorge Maia, TPJ CO 851 Raúl Silva, TPJ CO 852 CORRESPONDENTES: João Diogo (corresp. Brasil) Williams James Marinho (corresp. EUA)

Ainhoa Carrasco Robles (cor.Espanha) Catarina Almendra (cor.Lisboa) CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Formadores e Docentes) Luís Clemente Ribeiro (contos) Mário Lopes (sociedade) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Ricardo Filipe Oliveira (sociedade) Rogério Gonçalves (sociedade) DESIGN / PAGINAÇÃO: Maxim Bukharov max@maiahoje.pt

DEPARTAMENTO COMERCIAL: Pedro Martins pedro@maiahoje.pt comercial@maiahoje.pt SEDE / REDACÇÃO / D.COMERCIAL Rua dos Altos, Edifício Arcada, 16 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25 Depósito legal 147209/00 DGCS nºo 123524 Tiragem 3.000 exemplares IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados. MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007

\\

Colóquio realizado por alunos do 12º ano trata a importância de uma alimentação saudável e da prática regular de exercício físico.

“Hábitos Alimentares e Prática de Exercício Físico Saudáveis” é o tema do colóquio a realizar-se no dia 1 de Abril no Auditório da Escola Secundária da Maia. O evento trata a saúde infanto-juvenil, versando matérias como a ali mentação saudável, boas práticas de higiene e benefícios da prática regular de exercício físico. A manhã vai ser mar cada pela apresentação dos resultados do estudo “Hábitos alimentares e de prática de exercício físico das crianças maiatas”, seguindo-se de uma palestra sobre a prática de

ACTIVIDADES

exercício físico e a sua influência no desenvolvi men to das crianças e jovens, tendo como orador um catedrático docente do ISMAI no curso de Educação Física e Des porto. Bela Franchini, docente e investigadora da Facul dade de Ciências da Nutrição e Alimentação do Porto dará também uma palestra sobre alimentação e rendimento escolar. Para concluir, será realizado um workshop intitulado “Culinária Prá tica e Saudável”, com degustação pelos participantes. O colóquio é organi -

zado no âmbito da disciplina de Área de Projecto da Escola Secundária da Maia, onde um grupo de alunos do 12ºD está a desenvolver o projecto “Pela tua rica saúde”. A iniciativa conta com o apoio da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação e da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto e com o Instituto Superior da Maia. Rita Alves

Segunda festa da primavera

Trazer a comunidade maiata à escola \\

À semelhança do ano passado, a Maia vai receber a 2ª Festa da Primavera no dia 2 de Abril, na EB1 da Maia, juntando pequenos e graúdos num dia cheio de actividades para todos

A Primavera já chegou e a Maia não é excepção. Dando continuidade ao sucesso do ano passado, no dia 2 de Abril vai ser organizada a 2ª Festa da Primavera. A abertura do evento, a realizarse nas instalações da EB1 da Maia, vai ser feita pelo Grupo de Cantares “Abelhas da Maia”. Depois, Pedro Branco fará uma apresentação musical do seu livro “Pequenas histórias de meninos e outras malandrices”. Durante a tarde, os participantes vão assistir a variadas exibições do Ginásio Bfree, com as classes “Babies”, “Kid’s”, “Teen’s”, “Capoeira” e ainda uma exibição de Taekwondo e actuação do grupo de dança do MaiaClub. As crianças poderão também participar em workshops de pintura, ao longo do dia. À noite, vão actuar as bandas PaperHead e Original Vibes, a banda vencedora do Maiact Garage Sessions 2010. José Malhoa também vai presentear os convidados com uma actuação ao vivo, seguido de Tozé Santos, vocalista dos PER7UME, que encerra a Festa com um showcase acústico. Existirá no recinto, tal como na 1ª edição, uma esplanada com serviço que a organização considera ser de “alimentação para todas as idades”, assim como um palco direccionado para as diversas

actuações. Presentes vão estar professores do 4º ano e as coordenadoras das escolas EB1 da Maia e da Estação. A iniciativa parte da Associação de Pais e Encarregados de Educação das Escolas EB1/JI da freguesia da Maia. O objectivo é trazer a comunidade maiata à escola e proporcionar bons momentos de convívio entre os

alunos e os mais velhos. Outra finalidade da Festa é criar oportunidade às turmas do 4º ano de angariarem dinheiro para a sua viagem de final de ano. Para isso, alunos e pais irão estar a vender produtos produzidos por eles no recinto. A Festa conta com o Patrocinio da Unicer e da MediaPonto Audiovisuais, e apoio da Câmara

Municipal da Maia, Junta de Freguesia da Maia, Agrupamento Gonçalo Mendes da Maia, Gráfica Minerva, Gráfica Vilar Pinheiro, Etiquetas do Ave, Raça Latina Café Concerto, Editora Edita.Me, Jornal Maia Hoje, Jornal Primeira Mão, Rádio 5 e Porto Canal.

Rita Alves

pub

EXPLICAÇÕES - MATEMÁTICA - FÍSICA - GEOMETRIA DESCRITIVA

EXPLICAÇÕES - ALEMÃO E PORTUGUÊS (até ensino universitário)

POR ALUNO DE ENGENHARIA, ENSINO SUPERIOR

POR LICENCIADA

PREÇOS MUITO ACESSÍVEIS. CONTACTAR 91 714 43 08

BONS RESULTADOS! CONTACTAR 960 144 111

Jornal MaiaHoje - Edição nº 254 - 25 de Junho de 2010

EXPLICAÇÕES - FÍSICO-QUÍMICA (Básico e Secundário)

POR PROFESSORA DO QUADRO DE ESCOLA, A LECCIONAR A DISCIPLINA

CONTACTAR 91 959 37 16


04

sexta-feira 25 de março de 2011

Grande Maia

\\ Opinião * Ricardo Oliveira

Quem espera sempre alcança… O município da Maia tem tido um crescimento exponencial no que diz respeito a infra-estruturas nas mais diversas áreas municipais com benefícios óbvios para os seus cidadãos. Mesmo sendo uma cidade cara para se viver, visto os impostos sobre imóveis gozarem da taxa máxima permitida por lei, a verdade é que o número de habitantes tem tido um crescimento sustentado, e os dados revelados pelo INE apontam para uma cidade dinâmica cujos habitantes ainda vão gozando de alguma qualidade de vida. Ao longo destes meses, fui aproveitando este espaço para chamar a atenção para a falta de um espaço de saúde amplo, multifacetado, que não precisaria de ser um hospital com todas as valências médicas, mas que necessitaria de ter uma abrangência suficiente alargada para proporcionar um serviço com alguma qualidade para as expectativas dos maiatos relativamente à saúde. Após um primeiro grande fracasso com uma entidade bancária e seguradora para construir um hospital, eis que surge agora o grupo Trofa saúde no mercado da saúde da Maia. Perspicazes no levantamento das necessidades nos cuidados de saúde, resolveram investir numa primeira fase com cautela, articulando os seus serviços de atendimento básico num horário delimitado, com os serviços passíveis de ser complementados pelo Hospital Privado da Boa Nova em Matosinhos. Como maiato, congratulo-me por esta visão do grupo Trofa saúde, e pela rápida facilitação da câmara da Maia, para tornar possível mais um serviço indispensável à manutenção da qualidade de vida. Infelizmente, à data que escrevo, não tenho dados mais concretos no que diz respeito às especialidades médicas contratadas, nem aos moldes de intervenção da câmara da Maia em todo este processo, pelo que deixarei para uma próxima oportunidade a sua análise. Com os dados que possuo, apenas posso dizer que afinal, quem espera, sempre alcança. Ao despedir, deixar a nota do nascimento de uma criança em Espanha seleccionada geneticamente para não conter um gene que é activador de neoplasias. Um sucesso científico sem dúvida alguma, mas que dá que pensar do ponto de vista bioético... Muito se vai escrever, falar e reflectir sobre este feito, mas há que assinalar que do ponto de vista estritamente científico é sem dúvida um acto assinalável, por isso uma sincera congratulação para os investigadores responsáveis! Ricardo Filipe Oliveira Regente/Docente Universitário Estudante de Medicina

ENTREVISTA

maiahoje

Pedro Ferreira, do PCP Maia, em entrevista ao MaiaHoje

Na Maia, «Há uma dívida gigantesca, fruto de anos de gestão baseada no esbanjamento desregrado» Pedro Ferreira, Educador Social de 29 anos, é militante do PCP desde 2001 e membro da Comissão Concelhia da Maia do Partido Comunista Português (PCP). Culpa os partidos de direita pela situação económica e social em que vivemos e diz que mudar de políticos não tem qualquer utilidade, mas sim mudar de políticas. O dirigente diz que as leis laborais estão já suficientemente flexibilizadas e que os direitos laborais, são o último garante de estabilidade e alguma prosperidade para as famílias portuguesas e acrescenta «Se entregamos isso, então o melhor mesmo é fazermos outra Revolução». Na Maia o PCP tem como objectivo político, ver-se representado no executivo e aumentar o número de deputados. Quanto às políticas municipais diz que «as orientações e afectação de recursos por parte dos municípios ao nível do apoio social, terá consequências positivas nas populações no curto e médio prazo, e implicarão decisivamente no momento de retoma». Como prioridade para a Maia escolhe um tema “bandeira” do PCP há muitos anos: a redução da dívida. Critico em relação às Empresas Municipais, entende que «a regionalização é o caminho certo» e que «faria todo o sentido acabar pura e simplesmente com os Governos Civis, esses sim, órgãos absolutamente inúteis na realidade actual». MaiaHoje - Como vê a actuação do governo desde o início desta legislatura? Pedro Ferreira - A actuação do governo não nos parece diferente da legislatura anterior. As principais críticas que vimos fazendo desde o início da governação de José Sócrates mantêm a sua actualidade. A situação política de hoje, que parece começar e acabar na crise internacional que o governo tanto cita para justificar tudo o que faz, tem sido a defesa ideal para a manutenção de um percurso governativo cuja matriz política é bem mais antiga do que a referida crise. Senão vejamos: antes de 2008, quando começou a actual crise do capitalismo, já o governo vivia na obsessão do défice. Então, como agora, as dificuldades nas contas públicas eram a justificação para a diminuição do poder de compra dos portugueses, dos direitos conquistados com a democracia e para a flexibilização das leis laborais. As consequências deste rumo político são bem visíveis: aumento da pobreza, aumento do desemprego e da precariedade laboral, aumento da emigração, com particular ênfase para portugueses e portuguesas com formação superior que não encontram no seu país perspectivas de saídas profissionais nem perspectivas de futuro. Repare que este quadro não é de hoje, o que a crise internacional trouxe foi maior visibilidade a estes problemas, especialmente pela completa cedência do governo português aos ditames de um directório europeu, composto basicamente pela Alemanha e pela França, que se consideram detentores de legitimidade para imporem um modelo de desenvolvimento que, trazendo porventura vantagens para si mesmas, condenam os chamados países periféricos a uma situação de total dependência económica e financeira e, a longo prazo, a uma situação de indigência. Passa-se com a Grécia, com a Irlanda, com Espanha, connosco e com diversos países do leste europeu recém-chegados à União Europeia. A actual crise internacional, em

lugar de servir para fazer questionar os principais decisores políticos da Europa acerca do rumo que vinha sendo seguido, tem servido para o capitalismo internacional se reposicionar estrategicamente, para se justificar o progressivo desmantelamento do Estado Social Europeu e de um modelo de desenvolvimento que trouxe paz e prosperidade. É uma tragédia haver em Portugal um governo que, apesar de auto-denominar socialista, não tem qualquer pejo em deitar pela janela um modelo político do qual a sua própria família ideológica se vangloriava. É certo que o PS apenas nasce muito depois da implementação deste modelo, mas dificilmente alguém acreditaria numa governação deste jaez (calibre) por parte do PS. Os governos de José Sócrates nunca tiveram uma visão realista do país e das suas necessidades. Portugal continua com um sistema produtivo incipiente, que se traduz numa completa dependência das importações. Já eram claras as consequências do cavaquismo e do desmantelamento do sector produtivo que foi protagonizado durante esses 10 anos, quando Sócrates se tornou primeiro-ministro, todavia, exceptuando algumas medidas ao nível da política energética com vista à redução da nossa dependência externa, nada mais se fez para mudar este panorama: a produção agrícola reduz-se, as pescas nacionais são uma pálida sombra daquilo que já foram, a produção industrial também. Portugal caminha a passos largos para a condição de protectorado europeu. Por tudo isto, a nossa avaliação é francamente negativa. MH - Acha que o primeiro-ministro devia fazer remodelações? Se sim em que sectores? PF - A questão da remodelação governamental é apenas de forma, serve essencialmente para criar notícias e desviar as atenções públicas do que é essencial. Na nossa opinião, mudar de políticos não tem qualquer utilidade, o que interessa é mudar de políticas. MH - Como vê a redução salarial imposta pelo governo? PF - Nós não concordamos que a crise seja paga pelos trabalhadores, especialmente uma crise que foi provo-

cada pelos grandes grupos económicos e financeiros, pela especulação sem freio que para além de uma crise económica trouxe ganhos ilegítimos a muita gente mesmo nas barbas dos governos e dos organismos responsáveis pela supervisão da actividade económica. Os cortes salariais são uma das várias medidas que terão por consequência o empobrecimento dos portugueses, que já têm dos salários mais baixos da União Europeia. Aliás, se analisarmos entre os 15 países membros anteriores ao último alargamento, são efectivamente os mais baixos. Por outro lado, o governo que decreta cortes nos salários da função pública, é o mesmo que nada faz relativamente ao “off-shore” da Madeira, é o mesmo que se insurgiu contra a taxação das mais-valias empresariais que se traduziriam num encaixe financeiro significativo para o Estado. A oposição do PS a esta proposta do PCP foi tão visceral que se chegou àquele triste espectáculo, que seguramente recordará, do líder da bancada parlamentar Francisco Assis que ameaçou bater com a porta se os seus deputados não obedecessem às suas directrizes. Quem acha que os grandes lucros económicos não devem pagar impostos, só por má fé é que manda reduzir salários. MH - Acha que a Lei laboral devia ser flexibilizada? PF - Em nossa opinião as leis laborais estão já suficientemente flexibilizadas. O argumento de que facilitando os despedimentos se aumentam os postos de trabalho é pura e simplesmente uma profissão de fé que nada tem a ver com a realidade dos factos. Em Portugal os salários são baixos e o desemprego aumenta, mas a direita política, corporizada pelo PSD, pelo CDS e pelo PS e o seu governo, insistem na proclamação destes mantras liberais, bem ao gosto dos grandes grupos económicos que, como é claro, aplaudem. Repare, junte o desemprego aos baixos salários e acrescente-lhe a precariedade laboral e tem a imagem acabada de um país do Terceiro Mundo. Os direitos laborais, conquistado em Abril de 1974 com uma Revolução, são o último garante de estabilidade e alguma prosperidade para as famílias portuguesas. Se

entregamos isso, então o melhor mesmo é fazermos outra Revolução. O lucro empresarial não se deve sobrepor, seja em que circunstância for, ao bemestar dos cidadãos. De outro modo, é a própria democracia que está em causa. MH - Que opinião tem face a uma eventual redução de deputados na Assembleia da República? PF - A Assembleia da República é o órgão legislativo da nossa democracia. Qualquer diminuição que a reduza a uma câmara bi-partidária, como parece ser a pretensão corrente de alguns sectores do PSD e do PS, apenas se traduzirá no empobrecimento da representatividade e do regime democrático. O que nós dizemos a quem se queixa dos deputados da República é que, da próxima vez, escolham outros. MH - Em sua percepção pessoal acha que o governo vai terminar a legislatura? PF - Em nossa opinião o governo continuará enquanto os grandes interesses económicos e financeiros se sentirem escudados pela sua política. Nos últimos dias, em torno do PEC IV, temse visto alguma vontade da parte do principal partido da oposição em forçar eleições antecipadas. O PSD achava o PEC I bom, tal como o segundo e o terceiro. Este último parece que não é bem assim… mas a verdade é que a actual liderança do PSD muda mais vezes de ideias do que nós vamos conseguindo acompanhar! Por outro lado, o porta-voz oficioso do Banco Central Europeu e dos governos Francês e Alemão – Durão Barroso – já fez saber que considera este PEC muito bom. MH - Se o seu partido fosse governo onde actuaria mais? PF - Portugal precisa de investir no seu sector produtivo, necessita de investimentos transversais em todos os sectores da economia. Em nossa opinião, deve ser o Estado a assumir um papel de charneira neste desígnio, seja pela criação de um sistema tributário justo, seja pela nacionalização de sectores fundamentais para a nossa independência enquanto nação, como a energia ou as comunicações, por exemplo. Só assim sairemos da actual situação de dependência extrema das


maiahoje

sexta-feira 25 de março de 2011

importações, reequilibrando a nossa balança comercial, e conseguiremos reduzir o desemprego que é já um problema social muito preocupante. Um exemplo: é completamente escandaloso que uma empresa como a EDP, com lucros avassaladores e salários principescos, se sinta no direito de aumentar o preço da energia quando as famílias têm menos poder de compra e tantas micro e pequenas empresas se vêm na iminência de não conseguir pagar salários. Ora, todos os PEC apresentados pelo governo, com a bênção do PSD, nada dizem, nada fazem acerca disto. Assim se vê claramente o que é a política de direita, tantas vezes criticada pelo PCP, da qual o PS não se afasta nem um milímetro. MH - Qual seria a principal medida e a mais urgente? PF - A medida política mais urgente, na actualidade, é porventura a demarcação clara do fatalismo do défice que vem sendo um fado nosso nos últimos anos. Se Portugal precisa de crescer – e esta é uma ideia transversal a todos os partidos políticos – então precisamos de um projecto político assente nesta ideia, um projecto de médio prazo que se traduza nas premissas que enunciei na pergunta anterior, fundado na democracia e no socialismo. Repare, a situação actual não é inevitável, deve-se a um rumo político errado, assente no liberalismo económico, que desagua no nosso empobrecimento progressivo e na crescente dependência de Portugal face ao exterior, dependência essa que já é política, como se vê pela crescente ingerência de outra nações europeias na nossa política interna, bem como das orientações decididas pela Comissão Europeia, um órgão sem legitimidade democrática que exerce cada vez mais poder sobre o nosso país. Portugal é um país livre e soberano; os portugueses têm o direito de decidir livremente o seu futuro. MH - Como analisou, nas últimas eleições presidenciais, o resultado do candidato do PCP na Maia? PF - O resultado de Francisco Lopes na Maia ficou um pouco abaixo do seu resultado nacional. Objectivamente, gostaríamos de ter um resultado superior, até porque, entre todos os candidatos, era o único com um projecto realmente alternativo, de oposição a um exercício presidencial que em nosso entender não beneficiou Portugal, e não uma oposição fulanizada, baseada em questões pessoais, questões de forma, muito mais do que conteúdo. Lamentamos fundamentalmente a abstenção, uma opção que apenas serve para manter o “status quo” e que os habituais vencedores agradecem. MH - Ficou surpreendido com a votação de algum outro candidato? PF - Nem por isso. Penso que os resultados na Maia, em termos globais, não estiveram muito longe dos resultados nacionais globais, com uma ou outra excepção. MH - Acha que Cavaco Silva vai demitir o governo? PF - Essa é uma pergunta que deverá colocar ao Presidente da República. Pela minha parte, preferia que

fosse o povo a demitir o governo. MH - Tira algumas ilações destes resultados para as autárquicas de 2013? PF - As eleições presidenciais, pelo seu carácter individualista, não são um bom barómetro para quaisquer outras eleições, na minha opinião. Muito menos para eleições autárquicas em que factores de proximidade costumam ser mais decisivos do que simpatias partidárias expressas em eleições de cariz nacional. Portanto, para responder à sua questão, não tiramos quaisquer ilações desse resultado para as próximas autárquicas. MH - Para quando uma sede do PCP na Maia e respectiva estrutura? PF - O PCP tem uma sede na Maia, situada na freguesia de Pedrouços. Existe igualmente uma estrutura organizativa, cujo principal órgão é a Comissão Concelhia, como é prática habitual no PCP. MH - Quem lidera, ou é, actualmente, a face mais visível do PCP na Maia? PF - Nós temos uma organização baseada no colectivo partidário. Não existe uma liderança local individual. O Partido tem organizações locais e uma Comissão Concelhia, eleita pelos militantes da Maia a cada 3 anos em Assembleia Concelhia que define igualmente as principais orientações para o futuro. Por questões práticas, os rostos mais visíveis são os dos nossos eleitos. Actualmente, a nossa deputada municipal, Alcinda Márcia, é porventura o rosto mais visível do Partido na Maia. MH - Considera que as últimas eleições autárquicas foram um desastre para o PCP Maia, ou era o resultado possível? PF - A CDU apresentou-se a eleições com o objectivo de eleger um vereador e aumentar o número de deputados municipais. Falhámos em ambos, pelo que os resultados foram negativos. Não me parece que se trate de um desastre: havendo democracia e liberdade de escolha não há desastres em eleições, há simplesmente maus resultados, como foi o caso. MH - Quais os objectivos a que se propõe o PCP para 2013 em termos de mandatos? PF - Pretendemos aumentar a nossa influência política, e para isso é fundamental estarmos representados no executivo e na Assembleia Municipal. Actualmente, em termos municipais, a presença da CDU resume-se a um deputado municipal, o que torna o trabalho mais difícil e a influência quase nula. Temos de crescer e esse crescimento deverá passar pela eleição de um vereador e pelo aumento do número de deputados municipais. Sem esquecer as Assembleias de Freguesia, onde queremos aumentar igualmente a nossa presença, preferencialmente alargando-a a outras freguesias onde a CDU não está representada com eleitos. MH - Quais as acções em que o PCP se vai empenhar ou participar mais até às autárquicas? PF - A luta política local não está desligada das grandes bandeiras nacionais, nomeadamente a luta contra a precariedade, contra o progressivo

Grande Maia desmantelamento do seu sector produtivo e contra a dependência externa que nos arrasta para uma situação de dependência total, inclusivamente financeira – não esquecemos que o maior partido da oposição já manifestou, pelo seu líder, disponibilidade para governar com o FMI, o que seria absolutamente desastroso para Portugal. Estas questões são indissociáveis da nossa realidade local. Considerar que Portugal está mal mas a Maia está bem é supor que vivemos numa ilha e que somos imunes às problemáticas que afectam Portugal. MH - Se fosse vereador ou deputado, votava favoravelmente o orçamento da Câmara Municipal da Maia para 2011? PF - Não. Votaria contra. MH - Se pudesse, em síntese, o que alterava nas linhas gerais? PF - Tendo em conta o panorama social nacional, entendemos que o executivo deveria orientar as suas linhas de intervenção gerais para o sector social. Como já antes lhe referi, nós não vivemos numa ilha. Esperar que a Maia passe ao lado do aumento do desemprego ou do empobrecimento geral da população é não ter qualquer noção prática da realidade. Esperar que os problemas surjam para depois se actuar é desperdiçar verbas e recursos, em linguagem popular, é trancar as portas depois da casa roubada. Muito do que serão as orientações e afectação de recursos por parte dos municípios ao nível do apoio social, terá consequências positivas nas populações no curto e médio prazo, e implicarão decisivamente no momento de retoma. Por outro lado, os que não estiverem atentos à realidade social emergente viverão problemas muito sérios. MH - Qual a sua principal prioridade? PF - Para além do que já referi anteriormente, há uma questão que, entendemos nós, deveria ser prioritária há muitos anos: falamos da dívida da Câmara Municipal. Este problema, que se arrasta há anos, manieta objectivamente a Câmara Municipal nas suas funções essenciais. Com a redução de financiamentos, seja do poder central seja das instâncias europeias, o município fica sem condições para fazer o que quer que seja. Infelizmente, da parte do poder autárquico fomos sendo ignorados quando levantávamos esta questão. Agora o tempo está a dar-nos razão. Há uma dívida gigantesca, fruto de anos de gestão baseada no esbanjamento desregrado. O esforço realizado nos últimos anos para a redução da dívida tem estado longe de ser o necessário. Estamos convencidos que este problema será factor de estagnação nos próximos tempos. MH - Onde acha que é, face à crise, possível reduzir custos na Câmara Municipal? PF - Nós somos muito críticos à manutenção das Empresas Municipais que, na generalidade, servem para reproduzir responsabilidades que deveriam ser executivas – é por isso que elegemos órgãos autárquicos – e que acabam por dar origem a uma infinidade de cargos e lugares que se traduzem em salários e despesas de ajudas de custos e despesas de funcionamento que, por uma questão de legitimidade democrática, nem sequer deveriam existir. Este seria, sem dúvida, um bom começo para a redução de custos. MH - Qual acha, para si, que tem sido o pior pelouro da CM Maia e porquê? Acha que o vereador se deveria demitir? PF - Nós analisamos o exercício deste executivo na sua totalidade, não personalizando nesta ou naquela figura. A Câmara Municipal tem um executivo

responsável pela sua orientação política e, em última análise, um presidente que deve dar a cara. O que está verdadeiramente em causa é um rumo político, tal como referimos na questão que colocou acerca de eventuais mudanças no governo. O princípio é o mesmo. MH - É adepto da regionalização? PF - Sim. MH - Se sim quais as fronteiras que “desenhava”? PF - Creio que o mapa das Regiões deverá ser o mais consensual possível. Em última análise, não será por serem 5 ou 7 ou 8 regiões que o sistema funcionará melhor ou pior. O importante é haver uma solução que reúna um consenso alargado e que respeite as diversas especificidades locais, nomeadamente a um nível micro que é onde, muitas vezes, surgem as principais dificuldades, seja por razões identitárias ou por razões históricas. As Regiões Administrativas deverão ser um factor de consenso. Isto é especialmente importante quando se verifica que vivemos num país ultra-centralizado, macrocéfalo, com uma distribuição muito pouco equitativa da riqueza. A regionalização, em nosso entender, é o caminho certo para se resolver esta diferenciação. MH - Que poderes deveriam ter as regiões, acima dos actuais atribuídos às autarquias? PF - As regiões Administrativas deverão desempenhar um papel ao nível da homogeneização do território nacional, em particular no que respeita a divisão da riqueza, que se deverá traduzir, entre outras coisas, pela criação de infra-estruturas de modo simétrico. Entendemos que falta uma estrutura de poder que pense a realidade nacional numa perspectiva intermédia, isto é, que veja o território para além da dimensão municipal, que é objectivamente pequena, mas que não seja uma perspectiva nacional. Isso, está visto, não conduz ao desenvolvimento homogéneo. Bem pelo contrário. Não creio que a tónica esteja na retirada de poderes às autarquias, nem sequer acho que seja um argumento positivo, que ajude à discussão. Trata-se antes de organizar o território à medida das suas necessidades e eliminar estruturas sem razão de ser. Por exemplo faria todo o sentido acabar pura e simplesmente com os Governos Civis, esses sim, órgãos absolutamente inúteis na realidade actual, que pouco mais fazem do que empregar o Governador Civil. MH – Na Maia, como vê uma eventual redução das 17 freguesias para por exemplo cinco? PF - Não temos nada contra a redução do número de freguesias, por princípio. Porém, esta questão tem sido lançada como forma de reduzir despesas e com isso não concordamos. Reduzir para cinco, como refere na sua pergunta, ou para sete, ou para oito ou para outro número qualquer, deverá obedecer a uma lógica própria de funcionamento do poder local, de acesso das populações aos diversos serviços a que têm direito e também às referências identitárias que estão muitíssimo presentes em boa parte da nossa população. Entendemos que, se uma mudança do mapa político nacional pode ser uma possibilidade, tal não deve ser feito de modo segmentada, ao sabor de modas políticas. Deverá acontecer num plano de reestruturação nacional que poderia perfeitamente começar pela criação das Regiões Administrativas, tal como está expresso na Constituição da República. Aglutinar freguesias, apenas porque sim, sem um critério minimamente homogéneo e adequado às diversas realidades locais, não passa, em nosso entender, de demagogia fácil, num tempo em que se tornou moda dizer co-

05

\\ Opinião Nelson Ferraz

a pressa e o preço… destas coisas que nestes dias se amontoam por estes lugares fazem com que estes tempos sejam esta lamúria permanente de gentes falhadas, cabisbaixas, moribundas prontas a desaparecerem na vergonha dos outros que de estranhos modos tão institucionalmente distantes vagueiam em douradas vidas quase impossíveis de tão inúteis o preço da pressa… em fazer-se tanto mal em tão poucos instantes vai edificando um mural envidraçado de arame fétido onde a carne dos nossos sonhos legítimos se pendura numa agonia de revolta e desespero qual a pressa, meus senhores, em morrermos tão rapidamente no ácido estúpido da vossa arrogância dromedária sem nunca termos tido, da vossa parte, o mais pequeno sinal de inteligência? qual o preço, meus senhores, em ficarmos tão de repente na história contemporânea da tristeza inqualificável sem nunca termos tido, da vossa parte, o mais pequeno gesto de compaixão? bras e lagartos dos políticos e, portanto, em que qualquer medida que pareça, mesmo remotamente, reduzir o número de cargos políticos, colhe logo simpatia e, está bom de ver, votos a quem dá a cara por isso. MH - Entende que deveria haver uma redução do número de vereadores? Acha que cinco seriam suficientes? PF - Creio que o número de vereadores não precisa de ser alterado. O que nos parece mais importante é acabar com a duplicação de tarefas que se verifica com a existência das Empresas Municipais, cujas direcções fazem aquilo que deve ser o trabalho de um vereador. Repare: os eleitores, ao votarem, escolhem quem os deve representar na Câmara Municipal e, portanto, na gestão do município. Estes eleitos ficam vinculados a um programa político, por ele devem ser avaliados e julgados nas urnas. As Empresas Municipais desvirtuam este princípio e esvaziam o sistema de representação democrática. MH - Acha que o presidente eleito é que deveria escolher a sua equipa de vereadores ou mantinha o mesmo sistema? PF - O sistema actual permite que os executivos municipais representem a vontade dos munícipes expressa pelo voto. É um sistema equilibrado. A argumentação que vamos ouvindo no sentido de executivos monopartidários mais não representa do que uma tentativa canhestra de manipular a vontade popular democraticamente expressa. Evidencia falta de cultura democrática e dificuldade em lidar com a pluralidade de ideias e o confronto de opiniões. É precisamente aqui que reside a força legitimadora da democracia, contrariar isto serve apenas para a enfraquecer. Artur Bacelar


06

sexta-feira 25 de março de 2011

Grande Maia

CULTURA

maiahoje

Dia mundial da Mulher

Clube UNESCO com painel de conferências e oradores \\

O clube UNESCO da Maia também comemorou, no dia 11 de Março, o Dia Mundial da Mulher, com uma série de eventos relativos ao tema.

Foi no dia 11 de Março que o clube UNESCO da Maia comemo-

rou o Dia Mundial da Mulher, na Estalagem da Via Norte.

A tarde foi dedicada à cultura, com um paniel de conferências

que contava com múltiplos oradores. Fina D’Armada, uma inves-

tigadora de temas relacionados com as mulheres, dissertou sobre a acção das mulheres na implantação da República. Já Esteves Rei analisou a progressão escolar e académica das mulheres no século XX, a correlação entre a escolaridade feminina, a liberdade e o desenvolvimento. Outra oradora, Ana Alice Cunha, falou sobre a alemã Carolina Michaelis, uma feminista que se dedicava a causas de interesse social. Lurdes Graça, por sua vez, falou das mulheres na época do Estado Novo, distinguindo as mulheres “diplomadas” das mulheres rurais. Seguiu-se o jantar, com muita animação cultural a assinalar o convívio. Um grupo juvenil de Gueifães exibiu uma coreografia com as suas danças intitulada “Mulheres do amanhã”. A associada rosinha Oliveira coreografou a enfermeira Florence Nightingale num discurso fluente. Foram ainda recitados poemas acompanhados à guitarra dedicados às mulheres. Também o presidente do clube UNESCO da Maia, Raul da Cunha e Silva, referiu a importância do Dia Mundial da Mulher. Rita Alves

CULTURA

Conferência sobre afectividade na sociedade contemporânea

Pinto da Costa é o orador \\

O Fórum Maia recebe, no dia 30 de Março, José Pinto da Costa numa conferência sobre Afectividade na Sociedade Contemporânea.

É Já no próximo dia 30 de Março, pelas 21h30, que José Pinto da Costa vai dar uma conferência sobre a Afectividade na Sociedade Contemporânea. O evento, realizado pelo Instituto Cultural da Maia, vai ter lugar no Fórum da Maia. José Pinto da Costa Nasceu na cidade do Porto em 1934. Licenciou-se em Medicina e

SOCIEDADE

Cirurgia, ingressando em 1960 no quadro do Instituto de Medicina Legal do Porto. Tornou-se assistente de medicina legal e toxicologia forense na Faculdade de Medicina até ao ano de 1974. Foi então que, na sequência do seu doutoramento com classificação máxima de distinção e louvor, José Pinto da Costa foi convidado para professor auxiliar. Em 1979 passou

a professor associado e em 1996 a professor catedrático. Mais tarde, em 2001, pediu a exoneração desse cargo, depois de ter abandonado a direcção do Instituto de Medicina Legal do Porto. Foi o primeiro português a ser eleito vice-presidente da Academia Internacional de Medicina Legal e Medicina Social. Entre 1960 e 2004, o professor publicou diversos livros relacionados

com a sua área de trabalho. Actualmente, Pinto da Costa é professor catedrático jubilado no Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do Porto, consultor do mestrado de Medicina Legal da Universidade do Porto e ainda professor catedrático de Psicologia Forense da Universidade Lusíada do Porto. Lecciona também Medicina Legal na licencia-

tura em Direito da Universidade Portucalense Infante D. Henrique, sendo o responsável pela cadeira de Psicopatologia Criminal do mestrado em Psicologia Legal do Instituto Superior de Psicologia Aplicada de Lisboa.

rigido pela Alda Mira Coelho, pedopsiquiatra do Hospital S. João. Tem como objectivo fornecer informações úteis às famílias e dotá-las de ferramentas importan-

tes para a educação das suas crianças e jovens. Este projecto “Crescer em Família” engloba um círculo de conferências), tendo já sido realizada uma primeira con-

ferência intitulada “Ajudar a crescer por dentro (dos 0 aos 12 anos)”.

Rita Alves

Papel da família e da educação dos jovens

“Crescer em Família” No âmbito da valorização do papel da família e da educação dos jovens, realizou-se, na passada noite de 18 de Março, no Auditório da Junta de Freguesia de pub

Nogueira, a conferência “Crescer por Dentro (etapa da Adolescência)”. Levado a cabo pela Comissão Social Inter Freguesias de Maia Leste (CSIF), o evento foi di-

Rita Alves


maiahoje INCENTIVO

sexta-feira 25 de março de 2011

Grande Maia

07

Apoio até um máximo de 45 mil euros por projecto

MAIAFINICIA JÁ APOIOU COM 484 MIL EUROS EMPRESAS DO CONCELHO \\

O projecto criado pela Câmara Municipal da Maia que visa o desenvolvimento de Micro e Pequenas empresas maiatas já apoiou com 484 mil euros várias empresas do concelho

O MaiaFinicia, Fundo de Financiamento ao Desenvolvimento e Modernização de Micro e Pequenas Empresas do concelho da Maia, assinou, na passada terça-feira dia 22 de Março, mais um contrato de financiamento. O contrato foi assinado com a empresa maiata Topogonal, Topografia e Planeamento Unipessoal, Lda envolvendo um financiamento de 45 mil euros. Com isto, o valor global do financiamento efectuado pelo MaiaFinicia às micro e pequenas

EDUCAÇÃO

empresas do concelho ascende aproximadamente os 484 mil euros. Acerca do MaiaFinicia O MaiaFinicia foi criado pela Câmara Municipal da Maia em parceria com o IAPMEI, a TECMAIA SA, o BANCO ESPIRITO SANTO e a NORGARANTE. Tem como objectivo principal ajudar as micro e pequenas empresas do concelho a modernizarem-se e desenvolverem-se, tornando-se mais competitivas. Este Fundo tem uma dotação máxima de referência de 500 mil

euros, onde 20% deste apoio é financiado pela Câmara Municipal sob a forma de subsídio reembolsável sem qualquer carga de juros. Quanto aos restantes 80%, estes são financiados pelo Banco Espírito Santo, sob a forma de empréstimo bancário com uma taxa de juro preferencial. Cada projecto empresarial poderá ser apoiado até um máximo de 45 mil euros. Rita Alves 

Empreendedorismo, Coaching Parental e optimismo na educação

Maia com Semana da Família \\

“Optimismo na educação” foi o tema central da Semana da Família, evento que dura desde segunda-feira, dia 21, na Maia. D.R.

TEATRO

Termina hoje a Semana da Família, evento que se iniciou na passada segunda-feira dia 21. Esta noite realiza-se palestra “Optimismo na Educação”, ponto alto da Semana da Família, a ter lugar no Auditório do Cinema Venepor, às 21h00. O objectivo do evento é criar um momento de discussão e apresentação de sugestões relativas à temática, com vista a um crescimento salutar, empreendedor e feliz das nossas crianças e jovens. A palestra é dirigida especialmente aos pais e encarregados de educação, professores e educadores de infância, animadores, assistentes operacionais, alunos das áreas da educação e das ciências sociais e aos demais interessados pelas temáticas a abordar. Contará com a presença de três convidados especialistas em cada uma das áreas: Coaching Parental (Sérgio Almeida,

Vice-Presidente da Associação Portuguesa de Coaching), Empreendedorismo (Cristina Soutinho – Responsável pelo Acompanhamento de projectos de educação para o Empreendedorismo na Direcção Regional da Educação do Norte) e Optimismo na Educação (Maíara Canijo Diniz – Psicóloga e Neuropsicológa Clínica). O painel será moderado por Zélia Montenegro, Educadora de Infância com especialização em Ensino Especial no Agrupamento de Escolas Gonçalo Mendes da Maia. A Semana da Família englobou três acções distintas: a Semana Aberta, o Workshop – Circuito “Optimismo na Educação” e a Palestra “Optimismo na Educação”. A Semana Aberta possibilitou aos pais e encarregados de educação assistirem e participarem em qualquer uma das actividades

pub

Jornadas de Reflexão Teatral Luso-Galaicas

“O CÓMICO DA MAIA E A MOSTRA DE TEATRO DE CANGAS” Numa iniciativa do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia e com coordenação de José Leitão, director artístico do Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia, irão realizar-se no Fórum da Maia, hoje e amanhã, as Jornadas de reflexão teatral luso-galaicas “O Cómico da Maia e a Mostra de Teatro de Cangas” (dois Festivais e as relações culturais Norte de Portugal/Galiza) Tendo como ponto de partida dois Festivais de Teatro, o Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia, organizado  desde 1984 pela autarquia maiata e com direcção artística do Teatro Art’Imagem, e a Mostra Internacional de Teatro Cómico Festivo de Cangas de Morrazo, mostra que se realiza há muitos anos naquela cidade galega, vizinha de Vigo, estas Jornadas pretendem abordar a importância dos eventos

teatrais nas relações culturais entre os dois lados do Minho, historiando e debatendo outros acontecimentos e experiências  já realizadas e discutir caminhos futuros nas relações culturais entre o Norte de Portugal e a Galiza. Aberto a instituições públicas e privadas, autarquias, directores de festivais, companhias de teatro, salas de acolhimento, programadores, profissionais do teatro e público em geral, o evento terá o seguinte programa: Temas em debate: 1. RELAÇÃO E HISTORIAL DOS DOIS FESTIVAIS a) Suas estruturas de criação e produção b) A presença de companhias dos dois lados do Minho c) Aprofundamento dos conceitos “cómico” e “festivo”.

2. RELAÇÕES TEATRAIS NORTE DE PORTUGAL/GALIZA a) O historial e a situação actual b) Relação e informação sobre entidades públicas e privadas existentes e estratégias para melhorar o trabalho de cooperação c) Festivais, companhias e estruturas teatrais destas regiões e seu relacionamento d) O português e o galego ou o português “galego” e o galego “português” e /ou a proximidade geográfico – cultural como plataformas imediatas de aproximação teatral. 3. AS AUTARQUIAS E O ESTADO NO DESENVOLVIMENTO DAS RELAÇÕES CULTURAIS DAS DUAS REGIÕES

pub

de enriquecimento curricular em que o seu educando estivesse inscrito. O Workshop, por sua vez, num horário pós-laboral, permitiu que pais e filhos pudessem realizar actividades lúdicas relacionadas com o optimismo. Dia 21, no Centro Escolar da Gandra (Águas Santas), e no Centro Escolar da Giesta (Pedrouços)e no dia 22 na Gonçalo Mendes da Maia – EBI/JI Cidade Jardim. No dia 23, as actividades tomaram lugar na EBI/JI Ferronho (Castêlo da Maia) e EBI/JI Crestins e no dia 24 na EBI/JI Arcos (Levante da Maia) e no Centro Escolar Vermoim/Gueifães. Rita Alves


08 EMPRESAS

sexta-feira 25 de março de 2011

Grande Maia

maiahoje

Reunião no Grande Auditório do Fórum da Maia

CTT reúne responsáveis para conversar sobre a situação da empresa No passado dia 17 de Março decorreu, no Grande Auditório do Fórum da Maia, uma reunião dos CTT. Na reunião estiveram presentes diversos responsáveis, chefias, quadros superiores das diversas regiões e o vice-presidente dos CTT Pedro Coelho. De acordo com Pedro Coelho a reunião teve como principal objectivo «conversarmos sobre a situação da empresa, sobre as ideias que existem de desenvolvimento dos CTT, estratégias e problemas que têm a ver com a liberalização que se inicializará em breve no nosso país em 2011 e eventualmente também com as consequências de duas coisas: uma da própria correspondência que está a baixar a um ritmo, enfim, que nos preocupa, embora ainda seja um ritmo baixo e por outro lado também esta situação da crise financeira». Estiveram presentes na reunião cerca de 300 pessoas, responsáveis dos CTT da zona do Grande Porto. Pedro Coelho refere ainda que este

SOCIEDADE

tipo de evento já aconteceu «praticamente em todas as capitais de distrito do país, salvo os Açores e Lisboa. Os Açores é em breve e em Lisboa daqui a oito dias».

No fim da reunião no Grande Auditório do Fórum da Maia Pedro Coelho acreditava que o evento tinha tido um impacto positivo junto das pessoas: «acho que as

Iniciativa para promoção da união e relacionamento familiar

Conectar – Evento para toda a família Conectar é um evento direccionado para toda a família, a decorrer no Edifício da Alfândega do Porto nos dias 2 e 3 de Abril. A iniciativa visa contribuir para a união e relacionamento de toda a família. Com a apresentação de várias animações como música, teatro, dança, workshops, diversões e ateliês para os mais novos, pais e filhos têm oportunidade de conviverem e de se divertirem. O evento vai contar com espaços Criança, Família, Juvenil e Bebé, assim como uma área especial de Gourmet com Chefs que irão apresentar sugestões de culinária para toda a família e

workshops de cozinha para as crianças. Para além disso, decorrerão palestras sobre temas de interesse familiar com os oradores Juiz Conselheiro Laborinho Lúcio, Presidente da Assembleia Geral da Associação Portuguesa para o Direito dos Menores e da Família, António Lobo Ferreira, Presidente do Conselho de Administração do Hospital de São João do Porto. Vão marcar presença empresas e instituições com propostas de produtos, serviços e actividades. Sessões de esclarecimento sobre o ambiente com a presença de alguns dos mais conhecidos amigos das crianças, como o RUCA,

a Docinho de Morango e o Pocoyo. São várias já as empresas que se quiseram unir a esta iniciativa, única na cidade do Porto, como a TMN e MEO Kids, a Rádio Comercial com estúdio para simulação de programas com jovens locutores, a FNAC com o seu conceito Kids, a INATEL com ofertas de prémios para toda a família. O clube júnior do Automóvel Clube de Portugal, a Milupa e Blédina, o Hospital Veterinário do Porto, com demonstrações de animais domésticos, são outras presenças confirmadas. Rita Alves

SOCIEDADE

Conferência sobre problemática da violência doméstica “Violência doméstica”, foi o tema da conferência realizada no passado dia 17 de Março, no Salão

Nobre da Junta de Freguesia de Vermoim. A conferência foi organizada pela Associação Jurídica

da Maia, pela Delegaçao da Ordem dos Advogados da Maia e pela Câmara municipal da Maia.

PSD

Conferência sobre papel da mulher na imigração “O papel da mulher no círculo da emigração” é o tema da conferência organizada pelo Secretariado Feminino do PSD Maia. O evento realiza-se no dia 8

de Abril, pelas 18h30, no Pequeno Auditório do Fórum Maia. Entre os oradores vão estar Carlos Páscoa, deputado da Assembleia da República, e Manuela Aguiar,

vereadora da Câmara Municipal de Espinho. A conferência contará com a moderação de Paulo Ramalho.

pessoas, pela forma como reagiram, como aplaudiram até as intervenções que houve, ficaram por um lado bastante satisfeitas por serem informadas e por outro,

esclarecidas e motivadas para os desafios que vêm por aí». Luís Filipe Azevedo

\\ FOTOREPORTAGEM

Greve dos Camionistas teve “epicentro” na Maia Na passada semana, a Maia, nomeadamente a zona das Guardeiras, foi palco mediático para a Greve de Camionistas que quase paralisou o país. Perante um dispositivo de segurança da GNR, chegou a haver “vias de facto” que terminou com a detenção do porta-voz, Abel Dias, para identificação, quando este tentava no meio da via convencer um camionista a aderir ao protesto. A introdução de descontos no pagamento de portagens nas SCUT e a majoração dos custos com combustível para efeitos de IRC, foram duas das medidas acordadas terça-feira entre o Governo e as associações dos transportadores rodoviários de mercadorias, tendo ficado de fora uma das principais lutas que era os descontos em combustíveis «se os barcos de recreio têm combustível mais barato, porque não o têm quem trabalha», questionavam.


maiahoje

sexta-feira 25 de março de 2011

\\Ângulo Recto António Neto

O Governo em Dó Menor!... Nestes últimos dias o Governo brindou-nos com mais medidas de austeridade, medidas anunciadas de surpresa, sem prévia informação ao Presidente da República, sem consulta dos Partidos Políticos, da oposição e dos parceiros sociais. A forma como as medidas foram divulgadas demonstra o autismo e o desnorte de um Governo que perdeu a vergonha e o sentido de Estado. As medidas apresentadas de mais aumentos de Impostos (IRS, IRC e IVA), congelamento das Pensões, penalizando as pensões mais baixas e do IAS (indexação dos apoios sociais), a diminuição das comparticipações dos medicamentos, entre outras, tornam a vida dos Portugueses insustentável e já não deixam só povo à rasca, mas de tanga… As constantes medidas de austeridade e os PEC não são acompanhados de nenhumas medidas estruturantes e de contenção da despesa pública. O Governo navega ao sabor de ondas turvas e a uma só nota, sem a humildade de assumir os seus erros e de reconhecer a incapacidade de travar a espiral de descontentamento e indignação que teve expressão genuína no imenso caudal humano da “Geração à Rasca” que mobilizou todas as gerações com diversas vivências e pensamentos políticos e ideológicos. Foi um mar de gente que com civismo disse não ao rumo deste País e que reflecte a realidade e o pulsar de gerações enrascadas que alguns comentadores e politólogos habituais desconhecem... Pobres daqueles que não sabem do que falam e se limitam a discorrer a sua indiferença e insensibilidade. Quem trabalha honestamente, luta por um trabalho digno e procura contribuir para um País melhor e diferente compreende o que move a juventude que quer contribuir com o seu labor, saber e conhecimento para o desenvolvimento e crescimento do País. Também nos pequenos actos, mas com consequências graves para aqueles que fazem da Cultura e da Educação uma aposta forte e prioritária, se espelha a indiferença e o modo como as entidades governamentais lidam com os agentes locais autárquicos, culturais e educativos. Esta reflexão remete-me para os procedimentos adoptados pelo Ministério de Tutela relativamente aos protocolos celebrados com um conjunto de Escolas de Música, nomeadamente, com o Conservatório de Música da Maia. Os jornais locais têm dado o merecido ênfase a este assunto de quebra inaceitável, cega, unilateral, não fundamentada e sem qualquer motivo atendível do contrato de Patrocínio livremente celebrado pela Administração do Conservatório de Música da Maia e o Ministério da Educação, com a agravante de que esta decisão foi comunicada após o início do ano lectivo. É preciso avaliar o trabalho de reconhecido mérito desenvolvido pelo Conservatório de Música da Maia, os fins a que se destina, o seu público-alvo e a valorização e qualificação específica adquirida pelas crianças que o frequentam. Infelizmente, quem pauta as suas decisões por critérios meramente economicistas e sem atender ao papel especializado dos Cursos Básicos de Música leccionadas pelas Escolas e Conservatórios de Música, tais procedimentos são tão naturais como beber água. É inqualificável que se ponha em causa o trabalho sério realizado pelo Conservatório de Música da Maia e não se honre os compromissos assumidos. Não posso ainda deixar de relevar a pouca atenção dada a esta matéria pela generalidade dos Partidos. Desejo que o bom senso impere e sejam mantidas as condições contratualizadas para que o Conservatório de Música da Maia e demais Escolas especializadas prossigam o ensino de qualidade de música. Deste ângulo expresso o meu reconhecimento solidário pelo trabalho do Conservatório de Música da Maia e pelo empenho do Vereador da Cultura contra actos despidos de sentido de oportunidade e justiça… ANTÓNIO NETO

Política

CLUBE DOS PENSADORES

5 anos de existência

09

Opinião \\

Pedro Passos Coelho convidado O Clube dos Pensadores vai comemorar os seus 5 anos de existência. Pedro Passos Coelho, licenciado em Economia, presidente do PSD e candidato  a Primeiro-Ministro nas próximas eleições legislativas, é o convidado de Joaquim Jorge, no dia 30 de Março, quarta-feira, pelas 21:30h no GaiaHotel.  O PSD e Pedro Passos Coelho preparam-se para ser governo. O programa eleitoral do PSD está a ser ultimado, com o nome de Esperança. Existe ainda uma outra iniciativa “Mais Sociedade - Portugal Faz-se Consigo”. Pedro Passos Coelho não deixará de falar sobre o momento político actual. Nas palavras de Joaquim Jorge «o

COMUNICADO DE IMPRENSA É do conhecimento público que a Juventude Popular da Maia tem dedicado muita da sua energia a explorar temas como a reforma administrativa, o estado do Estado e a Gestão Autárquica naquilo que compreende as suas finanças, alcance executivo e, sobretudo, realismo. Há mais de um ano atrás, mais concretamente no mês de Dezembro de 2009, a estrutura entendeu que para se fazer política na Maia, ainda que estejamos a falar a este nível dum concelho pouco atractivo e motivante, é preciso uma coisa imprescindível e indiscutivelmente básica que, sem grande esforço de investigação, é perceptível que escapa à maioria dos grandes intervenientes políticos e líderes de opinião por estes lados. A Juventude Popular da Maia é humilde e reconheceu internamente que não queria fazer parte deste cenário tradicional. Só havia uma solução: sem ajudas de custo, refeições ou combustíveis pagos, motoristas ou outras regalias imprescindíveis à sobrevivência humana, embarcamos numa verdadeira volta pelo concelho. Percorremos, paramos, vimos e sentimos as dezassete freguesias que desenham o nosso mapa municipal. Como em tudo, há aspectos positivos e negativos, há factos comprováveis e ilusórios. Um dos objectivos desta iniciativa

PS

Clube dos Pensadores procura ser um grupo  alargado que se destina a exercer pressão sobre o Governo e a oposição para que planeiem e ponham em prática políticas correctas. Destina-se essencialmente a  educar as pessoas politicamente, procurando fazer um serviço cívico». Continua afirmando que «Portugal não se compadece com eleições só para mudar os lugares. É preciso repensar o país, a forma de fazer política e o próprio  regime  É preciso ter como lema, mais sociedade, menos impostos, menos intervenção estatal, menos proibições, menos meterem-se nas vidas dos cidadãos e mais liberdade. A sociedade civil tem que ter mais poder e ser tida em conta, a nossa sociedade sente-se humilhada com o estado a que chegou

o país». Este é o 50º encontro, desde que se começaram a realizar debates, em Março de 2006. Ao longo destes cinco anos passaram pelo Clube dos Pensadores personalidades como: Alberto João Jardim, Pedro Santana Lopes, Manuel Maria Carrilho, António José Seguro, João Cravinho, Paulo Portas, Francisco Louçã, Carvalho da Silva, Fernando Nobre, Medina Carreira, entre outros. Está previsto para breve  o lançamento do novo livro da autoria do fundador Joaquim Jorge «Blogue Clube dos Pensadores» com apresentação de Alberto João Jardim. Esta cerimónia que se devia ter realizado no dia 11 de Janeiro foi adiada devido a doença súbita do Presidente do Governo Regional da Madeira.

BALANÇO E PERSPECTIVAS DA “VOLTA AO CONCELHO” prendia-se obrigatoriamente com o contacto com os responsáveis locais, os executivos de Junta. Era uma obrigatoriedade a estrutura conversar com quem todos os dias sente verdadeiramente as gentes da Maia, cruza as suas estradas e ouve os seus problemas. As reuniões teriam como único propósito esta passagem de testemunhos. Percebemos que pode custar a compreender, mas não fomos em ano de eleições, não tentamos espiar ou selar acordos futuros para o que quer que seja. Fomos descomprometidos, como sempre. Todos os dezassete executivos foram contactados – uns por email, carta registada e telefone, outros pessoalmente. Mais de um ano depois, e terminado o tempo para esta iniciativa, agradecemos publicamente as amáveis recepções dos responsáveis políticos de Vila Nova da Telha, Barca, Folgosa, Pedrouços, Milheirós e Silva Escura. Passando as questões protocolares, políticas e de boa educação à frente, o mais importante nós conseguimos. Vimos e sentimos as principais ameaças, potencialidades, fraquezas e oportunidades da Maia. Percebemos o papel estratégico que o concelho pode assumir na área metropolitana do Porto nas mais variadas vertentes. A Maia é, em alguns casos e poderá

ser em muitos mais, muito mais que uma cidade dormitória que beneficia com o êxodo do concelho do Porto. Estamos rodeados de boas oportunidades e contínua melhoria de qualidade vida. Conhecemos hoje melhor o nosso concelho de um ponto de vista que nos permite agora discuti-lo com verdadeira responsabilidade e conhecimento. Não temos dúvidas que somos neste momento a estrutura política juvenil com melhores condições para abordar a questão da moda: concorda com a redução do número de freguesias no concelho da Maia? Claro que concordamos. Aliás, há um ano que defendemos e dizemos isso e desde há uns meses que temos mais do que certezas. É preciso limpar, reorganizar e passar a pensar racionalmente optimizando recursos. O tempo do comodismo e do desperdício vai acabar. Como disse Tatcher, “o socialismo só dura enquanto não acaba o dinheiro dos outros” . A seu tempo, apresentaremos uma proposta séria para a reorganização política, administrativa e económica do concelho. Maia, 21 de Março de 2011, COMISSÃO POLÍTICA CONCELHIA JUVENTUDE POPULAR DA MAIA www.jpmaia.com maia@juventudepopular.org

Primeira reunião de trabalho entre federação distrital do PS-Porto e o PSOE-Galiza

Foi na primeira reunião de trabalho conjunta entre a Federação Distrital do PS Porto e o PSOE Galiza, no dia 21 de Março, que ficou agendada a primeira grande cimeira entre os socialistas das duas regiões Está marcada para Setembro a primeira grande cimeira entre socialistas da Federação Distrital do PS Porto e o PSOE Galiza, o Partido Socialista da região. O compromisso ficou agendado na primeira reunião de trabalho conjunta entre as duas regiões, na passada segunda-feira, dia 21 de Março. «É fundamental fortalecer a relação de cooperação entre a

Federação Distrital do PS Norte de Portugal e o PSOE Galiza para o desenvolvimento do Norte Peninsular. Com 6,5 milhões de habitantes, esta região necessita de uma estratégia comum de crescimento e são indispensáveis acções que permitam o intercâmbio entre o Norte de Portugal e a Galiza. É esse caminho que estamos agora a construir em conjunto com o PSOE», disse Renato Sampaio, presidente da Federação Distrital PS Porto. O líder da Federação Distrital do PS Porto defendeu ainda como «decisivo que a linha de TGV entre o Porto e Vigo (Galiza) contemple uma solução mista entre

mercadorias e passageiros, para promover o intercâmbio comercial entre as duas regiões». Renato Sampaio e Pachi Vásquez, secretário-geral do PSOE da Galiza, agendaram já para o mês de Junho o primeiro fórum permanente entre as duas forças políticas, com o intuito de discutir problemas e objectivos comuns. Estabelecida como prioritária a promoção de políticas comuns, nomeadamente ao nível da Economia do Mar e das Florestas e da aplicação do Plano Estratégico de cooperação Galiza-Norte de Portugal 2007-20013.

Orlando Leal

Não PECs mais Hoje está uma bela manha de sol e a previsão para o resto do dia é a de céu limpo, com vento fraco de noroeste, temperaturas elevadas com queda do governo ao fim da tarde. Ao que parece, e depois da discussão sobre o PEC 4, e com o previsível entendimento da oposição para o seu chumbo, José Sócrates irá ao final da tarde apresentar a sua demissão ao Presidente da República. E assim desta forma se fecha um ciclo de governação carimbado por uma crise crescente e cada vez mais profunda que nos arrastou para o topo dos piores índices económicos internacionais que envergonham aquele que foi considerado há duas décadas do “bom aluno” da união europeia. Pior que isso é o facto de não se ver uma luz ao fundo do túnel e as esperanças das famílias portuguesas serem cada vez menores quanto ao dia seguinte, independentemente das mutações políticas que possam surgir num futuro próximo. Prevejo pois um cenário negro aquele que iremos viver nos próximos anos, muito provavelmente tendo de conviver com a ajuda externa tanto da Europa como do FMI, que irão obrigar ainda a um maior aperto de cinto, principalmente na função pública, mas também, assim o espero, nas despesas supérfluas do estado, desde o central até as suas ramificações regionais e locais. É pois um tempo novo, com novas regras e diferentes paradigmas que nos irão obrigar a repensar a nossa forma de ser e de agir no dia a dia, com os cortes orçamentais e os constantes aumentos nos bens do dia a dia. Poderia tentar pensar de uma forma mais positiva, mas os tempos e as realidades fizeram-me cansar de estar optimista, e configuraram-me a mim e as minhas atitudes para um novo paradigma de recessão, com um ainda maior controlo de custos e no pensar a curto, mas também a médio e longo prazo nas formas de agir para conseguir, como qualquer cidadão passar esta fase com os menores danos colaterais possíveis. Posso mesmo afirmar que alterei já alguns pequenos hábitos do dia a dia para poder tornar-me mais controlado nos gastos e assim tentar fazer com que os rendimentos não sejam tão delapidados, prevendo desde já cortes tanto no subsídio de férias como no de Natal. E ainda me posso considerar um dos privilegiados que tenho um emprego estável e relativamente bem remunerado, mas sei também que esta não é a realidade do meu país, da nossa pátria, e é por esse motivo que tento sempre ter cuidados redobrados no dia a dia para assim precaver o futuro. Aqueles que não tem esta felicidade, gostaria de deixar uma palavra de alento, mas infelizmente não posso, em bom rigor ser muito convicto nesta força, pois sinceramente não tenho as melhores expectativas para os nossos próximos tempos.

Rita Alves

pub


10

sexta-feira 25 de março de 2011

Sociedade

DECO \\

CARNAVAL

maiahoje

Santa Casa da Misericórdia

Desfile de Carnaval 15 de Março – Dia Mundial dos Direitos do Consumidor O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor comemora-se nesta data e Portugal é um dos poucos países do mundo em que estes direitos estão consagrados constitucionalmente. * Direito à Qualidade dos Bens e Serviços * Direito à Reparação de Danos * Direito à Protecção da Saúde e da Segurança Física * Direito à Protecção dos Interesses Económicos * Direito à Protecção Jurídica e a uma Justiça Acessível e Pronta * Direito à Participação por Via Representativa * Direito à Formação e à Educação para o Consumo * Direito à Informação para o Consumo Para assegurar um nível elevado de protecção dos interesses e defesa dos direitos dos consumidores, não basta que existam leis. É fundamental que na escola e na sociedade em geral, seja dada mais atenção à educação e à formação dos consumidores. A educação do consumidor permite que este desenvolva competências para procurar e exigir informação, assim como, saber usar a que está disponível, assumindo assim um papel activo no exercício dos seus direitos e deveres. Reconhecida a necessidade de combater a iliteracia Financeira, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa apoia a dinamização de uma Campanha de Educação Financeira, a implementar por especialistas ao serviço da DECO, e que visa fornecer competências e melhorar a capacidade de gestão individual e familiar, bem como prevenir o sobreendividamento. Neste sentido, a DECO e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa celebraram um Protocolo de Colaboração, no âmbito do qual serão realizadas, ao longo do ano, mais de 665 Acções de Formação/ Informação em todo o país, junto de escolas, comunidades e Técnicos de Acção Social. Esta Campanha será um estímulo que induzirá nos consumidores a tomada de decisões e opções mais conscientes, maior responsabilidade e maior exigência na relação com a Banca e as Sociedades Financeiras. As Acções e todo o material didáctico dirigido às crianças e jovens constituirão uma aposta forte com impactos directos na sua preparação para a vida e indirectos junto da sua família. Para qualquer esclarecimento adicional, por favor contacte a DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, Delegação Regional do Norte – Rua da Torrinha, n.º 228-H, 5.º andar, 4050-610 Porto, deco.norte@deco.pt. DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - Delegação Regional do Norte

Foi a vez das crianças da Santa Casa da Misericórdia da Maia realizarem o seu baile de Carnaval. No passado dia 4 de Março, todos estavam animados e empenhados na interpretação das personagens que encarnavam. Os bebés demonstravam al-

CARNAVAL

guma desconfiança perante toda a exaltação, mas também queriam dançar e interagir com os mais velhos. Os meninos de 5 anos vestiamse de acordo com o tema do trabalho que desenvolveram na sala, as profissões. Desde médicos, polí-

cias, bombeiros e chefes de cozinha a pilotos de fórmula 1, eram muitos e variados os disfarces adoptados. Os mais crescidos, por sua vez, escolheram mascarar-se de palhaços, princesas, fadas, ou figuras de banda desenhada como o Homem Aranha. Arriscaram desfilar no exte-

rior, mas o frio não os ajudou. Ainda assim, passaram uma tarde recheada de momentos divertidos, com muita dança, animação e teatro. Rita Alves 

Pedrouços

Cortejo no ataque à crise \\

O disfarce, a alegria e a fantasia voltaram a desfilar em cortejo pelas ruas da freguesia de Pedrouços, concelho da Maia.

Houve figurantes fantasiados para todos os gostos, desde a múmia que abandonou o sarcófago para participar, ao esqueleto a seu lado representando o funeral da crise. Tudo o que a imaginação e a criatividade foram capazes. Disso tomou nota Mr. Bean sempre presente nestas manifestações populares. A sátira, ao Governo e à política de direita e “semi-direita”. Ou ainda à sede do petróleo e suas consequências no país e no Mundo. Mas o que mais “arreliou” foi o homem das finanças a pedir mais impostos ao povo. Muita juventude, com uma boa

CARNAVAL

participação das Escolas do Ensino Básico e Secundário e de algumas Colectividades Culturais, Desportivas e Recreativas. O cortejo carnavalesco voltou a encher-se, assim, de divertida animação. Pode até dizer-se que apesar da crise e contra a crise, os foliões subiram mais alto do que o ano passado, ao fazerem-se transportar num autocarro de dois pisos. Também a extravagância e o riquíssimo “contra a crise” e a gozar com ela, por lá andou de “Mégane” descapotável, alegremente integrado no cortejo ao som da voluntária e entusiasta Fanfarra dos Bombeiros de Pedrouços e do

Corpo de Bombos. Com o mesmo percurso do ano anterior, a colorida e divertida folia carnavalesca pedroucense, esten-

deu-se ao longo de toda a Avenida central de Pedrouços e promete crescer no próximo cortejo. José Faria

Fontineiros da Maia

Dança carnavalesca \\

No habitual ambiente familiar e associativo, viveu-se e festejou-se nos Fontineiros da Maia, mais um grande e participativo Baile de Máscaras ao som das “ondas sonoras do Conjunto Tropical.

Grandemente fantasiado, o convívio dançante animado, durou até às tantas, na folia carnavalesca dançante, onde não faltou a segurança da polícia feminina, das freiras, padres e Bispo. Até médicos cirurgiões abandonaram os serviços para participarem na dança e no concurso dos melhores

ESCUTISMO

mascarados. A terceira idade também por lá se “arrastou” e conseguiu mesmo ser premiada pelo seu disfarce e dança de arrasta o pé. E não fosse a bruxa quase verdadeira, e não se teria assistido ao choro de algumas crianças que a julgaram a sério.

A contrastar e a assustar as damas de honor, andou a diaba, que só não levou ninguém para o inferno, graças à presença de Vikings, dos Piratas das Caraíbas, do zorro, do homem aranha, do fuzileiro e de outros defensores da pátria, sempre animados com a graça dos palhaços.

Para repor forças e energias, e antes que o dia nascesse, vieram comes e bebes e o caldo verde para aquecer e assentar, até que o salão de festas e convívio foi vazando até se acalmar, sossegado. José Faria

Seminário Internacional

Maia recebe Seminário Internacional de Escutismo \\ O Fórum da Maia recebeu no fim-de-semana de 12 e 13 de Março o Seminário Internacional de Escutismo, sobre a temática “Ser, Agir, Acontecer” “Ser. Agir. Acontecer – Escutismo e Comunidade” é o tema do seminário escutista que se realizou nos dias 12 e 13 de Março. Pela primeira vez o evento realizou-se fora do Porto, mais precisamente no Fórum da Maia. Estiveram presentes mais de trezentos escuteiros, oriundos não só de todo o país, como também

de Marrocos, França e Espanha. No seminário foram apresentados projectos nacionais e internacionais que visam o desenvolvimento comunitário e sejam exemplo a seguir nas comunidades. Realizaram-se também workshops temáticos com profissionais especialistas sobre temáticas como sustentabili-

dade, património, crianças em risco, estilos de vida. Entre os projectos expostos, podem destacar-se a nível nacional a “Luta contra o Cancro”, “Nau Esperança” e “Vamos utopiar!”. A abertura do Seminário foi feita por um professor da Universidade Católica do Porto, Américo

Mendes, na conferência “Ser, Agir, Acontecer”, e o encerramento com uma Eucaristia presidida pelo bispo do Porto Manuel Clemente. Rita Alves

pub


maiahoje SAÚDE

sexta-feira 25 de março de 2011

Sociedade

Grupo Didasan

\\ Opinião

Dádiva de Sangue O grupo Didasan, Dinamizadores para a Dádiva de Sangue da Paróquia de Gueifães, promove mais uma colheita de sangue, hoje, na Escola Secundária de Águas Santas. A equipa estará presente na escola das 16 horas às 19h30. A colheita de sangue está integrada no Plano de Actividades para Março de 2011.

Mário Lopes

no dia 1 de Junho de 2002, data da primeira colheita de sangue. São uma equipa constituída por seis elementos e têm como principal objectivo a protecção de vidas humanas, através da dádiva desinteressada de sangue. Contam com a ajuda do Instituto Português do Sangue para organizarem e concretizarem as colheitas de sangue.

O grupo Didasan O grupo entrou em actividade

SAÚDE

GERAÇÃO À RASCA: E AGORA?

Rita Alves

Inauguração da Gasin na Maia

GASIN inaugura novas instalações e conclui processo de modernização do negócio com a incorporação de 140 colaboradores. A GASIN inaugurou, no passado dia 17 de Março, as suas novas instalações para a Área Médica com uma área de cerca de 1000 m2. Num investimento de cerca de 1 milhão de euros, estes novos escritórios resultam de um processo de reestruturação e modernização de todo o negócio da GASIN Médica durante o qual se verificou a integração de 140 colaboradores, 34 dos quais foram novas admissões. Nas novas instalações trabalham 85 colaboradores, desempenhando funções administrativas nos departamentos de Facturação, Atendimento, Operações e também áreas Comercial e Clínica da Gasin Médica. O espaço está localizado no recém-construído Fórum Maia – Pólo de Serviços, os escritórios acolhem 85 colaboradores pertencentes à GASIN Médica, num universo de 200 elementos. A inauguração contou com a presença do Secretário de Estado da Saúde Manuel Pizarro, do Presi-

FILANTROPIA ESTRATÉGICA

dente da Câmara da Maia, António Bragança Fernandes e Jorge Huertas, South Europe’s Healthcare Manager da Air Products. Para Ana Cristina Lima, responsável pela Área Médica da GASIN, «este é um importante momento para a empresa no sentido de reafirmar o nosso compromisso com os doentes ao nível da qualidade, profissionalismo, inovação e garantindo um custo eficaz para o serviço que prestamos. O crescimento sustentado ao longo dos últimos anos permite-nos realizar este investimento que será certamente uma mais-valia para doentes e profissionais de saúde.” A inovação é um conceito importante na estratégia empresarial da GASIN. De acordo com Jorge Huertas «a inovação em ferramentas e dispositivos mas também e sobretudo nos processos de gestão do paciente com especial atenção para os pacientes crónicos. Essa aposta permitiria um uso racional dos recursos e uma garantia de for-

necer o melhor serviço em condições de igualdade». A GASIN pretende oferecer ao Sistema Nacional de Saúde «soluções que realmente incrementem o compromisso e cumprimento da terapia por parte do paciente» tornando-se fundamental evoluir para um Sistema Nacional de Saúde que combine «qualidade, essência e sustentabilidade na assistência ao paciente». O Presidente da Câmara Municipal da Maia mostrou-se agradado com este novo espaço e com o apoio que a Maia tem recebido do Estado, lembrando que «a Maia tem cerca de 140000 inscritos nos cen-

tros de saúde». A GASIN conta já com mais de 40 anos de história. Fundada no ano de 1966 em Matosinhos por capitais portugueses, a empresa rapidamente registou taxas de crescimento únicas neste sector de actividade, o que levou a ser integrada em 1986 no grupo espanhol Carburos Metálicos e posteriormente, em 1966, no Grupo Air Products, operando em mais de 40 países e servindo cerca de 350 mil doentes. Luís Filipe Azevedo

Encontro de Objectivos

SOCIALIS Workshop e Caminhada Solidária \\ A Socialis realiza um Workshop com o tema “Filantropia Estratégica - Encontro de Objectivos” e colabora com a realização da “Caminhada Solidária”. A SOCIALIS – Associação de Solidariedade Social, vai realizar, em parceria com a UDIPSS – União Distrital das Instituições de Solidariedade Social do Porto, um Workshop subordinado ao tema “Filantropia Estratégica - Encontro de Objectivos” O Workshop terá lugar no Hotel EGATUR, sito na Rua Simão Bolívar, 375 no centro da Maia. A sessão tem inicio às 17h e término às 19:30h). Sessão de Abertura: Presidente da Câmara – António Bragança Fernandes Consultor Responsabilidade e Investimento Social Privado – Celso Grecco (a confirmar)

11

Presidente da Socialis – Maria Luísa Costa 1.º Painel: Economia Social/ Marketing de Causas Raquel Campos – Universidade Católica/Impulso Positivo (Vida Económica) Helena Gonçalves – Universidade Católica Carlos Azevedo – UDIPSS Porto 18:30h – Coffee Brake 2.º Painel: Investimento e Responsabilidade Social das Empresas Exemplos de Boas Práticas Fernando Leite – Lipor (a confirmar) António Tavares - Tecmaia Helena Mena - Millenium Bcp

Sessão Encerramento: Ana Miguel Vieira de Carvalho Vereadora Acção Social da C. M. Maia Hortênsia Calçada - Assembleia Geral da Socialis Maria Luísa Costa - Presidente Direcção da Socialis Caminhada Solidária O Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia organiza uma Caminhada Solidária, com a colaboração da Socialis, Quercus e Um Par de Botas. O evento decorrerá no sábado, dia 26 de Março, às 9.00h. O percurso da caminhada será EB 2,3 do Castêlo da Maia – Parque de S.Pedro de Avioso, uma distância de

5km. No dia da caminhada, os participantes devem vestir uma t-shirt branca, de forma a facilitar a identificação, devem trazer calçado confortável, chapéu/boné, água e um lanche. Relativamente aos alunos, esta actividade está coberta pelo seguro escolar. Esta iniciativa conta com o Apoio da Protecção Civil da Câmara Municipal da Maia e da Escola Segura. Caminhada poderá ser adiada caso as condições climáticas não permitam a sua realização. Todos estão convidados a participar nesta caminhada solidária e a trazer a sua família e amigos. pub

Passadas as manifestações que decorreram no âmbito do movimento de protesto autodesignado “Geração à Rasca”, importa caracterizar os diversos impactos sociais resultantes da sua acção até ao presente por forma a criar condições que possibilitem uma hipotética perspectivação futura. Do que se viu, o âmbito do movimento “Geração à Rasca” foi largamente ultrapassado, na medida em que a designação deste grupo se revelou bastante redutora em face do país se encontrar efectivamente “à rasca”. O protesto evidenciou pessoas de diferentes idades, profissões, raças, credos religiosos ou condição social que aproveitaram a evento proposto para mostrarem o seu descontentamento com a sua condição actual, principalmente pela gritante ausência de objectivos que perspectivem um futuro melhor, seja a médio ou longo prazo, designadamente em termos socioeconómicos. Nunca no pós 25 de Abril se presenciou um movimento tão intenso por parte da sociedade civil, sem concurso de movimentos sindicais, que se caracterizou numa demonstração de descontentamento individual e colectivo, traduzidos em diversos slogans reivindicativos com recurso a diferentes meios utilizados com muita criatividade, cujo propósito comum residiu na mensagem que se pretendeu transmitir aos órgãos de comunicação social, alertando para o desemprego jovem, designadamente de muitos licenciados, bem como para a existência do emprego precário. Convém referir o elevadíssimo grau de civismo em que decorreu o protesto, distribuído por todo o país. Das diversas ideias que vi e ouvi no passado dia 12 de Março, evidencia-se uma que me incomodou particularmente, designadamente a defesa de uma sociedade sem partidos políticos. Embora os propósitos do movimento fossem o de proporcionar um grito de alerta social em face da falta de perspectivas de futuro, convém recordar que uma democracia faz-se com partidos políticos, visto possuírem estruturas socioculturais assentes em princípios ideológicos que favorecem a adaptação a um eficaz exercício da política. Após as manifestações, o movimento “Geração à Rasca” desapareceu e deu origem ao “Fórum das Gerações – 12/3 e o Futuro” que utilizará o recurso às redes sociais, designadamente o FACEBOOK como plataforma de discussão. Pretendem os seus organizadores possibilitar a criação de um local onde sejam possíveis debater ideias e formas de acção. Na minha opinião, atendendo ao significado que caracteriza grupos de interesse e grupos de pressão, o movimento terá de se constituir formalmente para poder participar nos fóruns de decisão ou pelo menos neles deter capacidade efectiva de reivindicação. Nesta perspectiva, não restará alternativa, na minha óptica, senão a constituição de uma força política, que consagre estruturas e princípios diferentes daquelas praticadas pelos actuais partidos, acrescentando mais-valias potenciadoras de princípios de promovam a sua e aceitação pelo comum do cidadão, credibilizando deste modo o exercício da política e a imagem do político, designadamente pela importância do seu papel na coesão social. Se estes objectivos forem alcançados, tal obrigará os actuais partidos a procederem aos ajustamentos internos que visem possibilitar uma maior participação dos seus militantes e simpatizantes nas esferas decisórias, o que potenciará o aparecimento de pessoas mais capazes na vida política, por forma a prestarem a sua contribuição na prossecução da melhoria do nível de vida e do bem-estar dos seus concidadãos, sob pena de serem ultrapassados pelos movimentos emergentes. Deste modo, a democracia alegadamente modernizar-se-á, possibilitando o surgimento de novas formas de exercer a política consubstanciadas em novos actores, defensores de linhas de acção de teor mais contemporâneo, renovando assim o tecido político-ideológico, com benefícios para a sociedade em geral. Embora esta seja, na minha opinião, a linha de acção que se apresenta mais lógica, interessa igualmente referir a existência de diversos fóruns de intervenção que visam proporcionar uma boa e activa cidadania, num quadro onde outras abordagens são possíveis embora menos acutilantes no actual panorama político-partidário. Licenciado em Ciências Sociais


12 ENERGIA

sexta-feira 25 de março de 2011

Sociedade

maiahoje

Iniciativa da Bifase com o apoio da Osram

LEDere o futuro da iluminação eficiente \\

No mercado desde 1998, a Bifase (sediada em Lordelo - Paredes) é uma empresa de referência na distribuição de material e equipamento eléctrico, oferecendo soluções ajustadas e inovadoras segundo as últimas tendências e as melhores práticas do sector.

Sendo representante das principais marcas e apresentando uma grande diversidade na oferta de produtos e serviços, a Bifase garante apoio técnico especializado e formação aos seus Clientes, apostando em contínuas acções versando as mais variadas temáticas. Num mercado em constante mutação, e onde as questões energéticas ganham particular relevância, obter “Eficiência Energética”, mais do que uma miríade tornou-se um imperativo. Seja em casa, no escritório, nas empresas e indústrias ou na iluminação pública, obter ganhos financeiras relevantes sem perder eficiência é o objectivo. Atenta a tal facto e apostando em manter uma política de proximidade em relação aos seus parceiros de negócio, a BIFASE em colaboração com a OSRAM (maior fabricante mundial no sector da iluminação), promoveu no Paredes Design Hotel um encontro com empresários, gestores e instaladores subordinado ao tema “LEDere o futuro da iluminação eficiente.”

Durante cerca de três horas, e perante uma plateia com cerca de uma centena de presenças, a troca de experiências e opiniões deixou bem claro que a discussão em torno da eficiência energética pode ser propiciadora de grandes oportunidades de negócio, com especial incidência nos sectores industriais e da hotelaria. A ocasião foi ainda aproveitada pela BIFASE para abordar outras formas de redução de consumos de energia em diversas áreas através do recurso  à correcção da relação factor/potência, da variação de velocidade, da  tele-gestão ou da domótica. Num contexto económico mundial em que os custos de produção energética não param de aumentar, a utilização racional de energia ganha importância redobrada. Mas não se podem ignorar as questões ambientais, às quais a eficiência energética também dá resposta. Sendo o objectivo último usar menos energia para obter a mesma quantidade de valor energético, do

encontro resultou a certeza que tal desiderato é alcançável através da utilização de soluções inovadoras e eficientes como as propostas pela BIFASE e pela OSRAM. Presentemente, a utilização abusiva das fontes de energia de origem de  combustíveis fósseis, como o petróleo (que representa 37% do consumo),   o carvão (27%), o gás natural e o urânio, contribuem grandemente para  a libertação de dióxido de carbono para a atmosfera trazendo  consequências desastrosas para o nosso Planeta, como as chuvas ácidas,   o aquecimento global e a redução da camada de ozono. Edifícios energeticamente eficientes aliados a processos industriais e de transporte adequados poderiam reduzir as necessidades energéticas do mundo em 2050 por um terço, e serão essenciais no controlo das emissões globais de gases com efeito de estufa, de acordo com a Agência Internacional de Energia. A adopção de soluções ou me-

didas eficientemente energéticas em edifícios é um contributo precioso para alcançar tais objectivos, aliadas a outras medidas como a utilização das energias renováveis como fonte de energia para consumo das necessidades energéticas. A eficiência energética e as energias renováveis são pois os “dois pilares” de uma política ener-

gética sustentável. Para tanto a BIFASE coloca à disposição dos seus parceiros de negócio uma equipa especializada e capaz de dar resposta nas mais diversas áreas, equipa que está norteada pela procura constante da obtenção de ganhos energéticos aliados à redução de custos de instalação e operação.

\\ Abílio Pacheco, administrador da Bifase, apresentou um variado conjunto de soluções que podem resultar em maior eficiência energética.

TROFA

Dia do Pai

Dia do Pai na Trofa com muita animação O Dia do Pai serviu de mote para mais uma iniciativa de dinamização do comércio local. Quem aproveitava o dia 19 de Março, passado sábado, para comprar o presente ideal para o Dia do Pai foi surpreendido com insufláveis gigantes, animação, música e alegria contagiante nas ruas, com a presença já habitual da mascote Trofinha. As crianças, acompanhadas dos seus pais, tiveram ainda a oportunidade de tirar

VIAGEM

fotografias, que puderam oferecer neste dia especial em que se comemorou o Dia do Pai. Com os insufláveis instalados no Catulo e no Largo Costa Ferreira, a mascote Trofinha passeava pelas principais ruas de comércio do centro da Trofa com dois animadores, que distribuíram brindes e assim fizeram as delícias dos mais pequenos.

Tratou-se de mais uma iniciativa de dinamização do comércio local, que visou premiar quem fazia compras nas lojas de comércio local, numa organização da AEBA - Associação Empresarial do Baixo Ave, em parceria com a Câmara Municipal da Trofa, no âmbito do projecto MODCOM - Sistema de Incentivos a Projectos de Modernização do Comércio Local.

12ºN voou até à Alemanha

Visita de Estudo à CeBIT em Hanover Depois de umas horas nas nuvens, a turma do 12ºN do Curso Profissional Técnico de Informática de Gestão da Escola Secundária da Maia chegou à Alemanha. As temperaturas gélidas da cidade alemã receberam-nos, mas a curiosidade dos alunos em visitar a maior feira a nível mundial de Tecnologias de Informação e Comunicação aqueceu os ânimos. O desejo de conhecimento era superior ao frio.

Já na CeBIT, cujo tema central era “Trabalhar e Viver na Nuvem”, dividida em várias áreas, encontravam-se representadas as maiores empresas mundiais, entre as quais a Microsoft e a Google. O tempo que dispunham foi pouco, tendo em conta a grande dimensão da feira. No entanto, os alunos visitaram o maior número possível de expositores dentro das áreas do seu interesse.

Como só lhes foi possível regressar no dia 7 de Março, decidiram parar em Bremen para uma curta visita aos locais de interesse histórico e cultural da cidade. «Foi uma experiência inesquecível que vamos recordar para sempre!», disseram alunos do 12ºN depois do regresso.

pub


maiahoje

sexta-feira 25 de março de 2011

Sociedade

13 pub

“DIA CONTACTO 2011”

Empresas Sonae vão proporcionar 20 oportunidades de trabalho aos melhores candidatos

SONAE RECEBE 60 JOVENS DE ELEVADO POTENCIAL NO “DIA CONTACTO 2011” A Sonae recebeu cerca de 60 jovens de elevado potencial no “Dia Contacto”, o evento anual das Empresas Sonae destinado aos melhores alunos finalistas do ensino superior em Portugal. Durante um dia, a Sonae abriu as suas portas e permitiu aos futuros talentos um contacto directo com Belmiro de Azevedo, Chairman da Sonae, Paulo Azevedo, CEO da Sonae, e outros gestores de topo, dando a conhecer os seus negócios, planos de desenvolvimento e estratégia para o futuro. Os 60 jovens foram seleccionados entre os mais de 11.000 que se registaram através da Rede Contacto, a rede social criada pela Sonae para atrair e recrutar finalistas universitários no âmbito do Programa Contacto. A Rede Contacto foi lançada no passado mês de Junho, sendo a primeira rede social a nível mundial a ser desenvolvida com o objectivo de encontrar novos e promissores talentos para um só grupo económico, segundo o “Corporate Leadership Council”. Os alunos seleccionados têm idades compreendidas entre os 21 e 30 anos, sendo a média conjunta dos candidatos superior a 15 valores. Entre as escolas representadas estão as Universidades do Porto, ISEG e IST da Técnica de Lisboa, Nova de Lisboa, Católica, Coimbra, Aveiro, Minho e Algarve, bem como

SONAE

o Instituto Superior da Maia, o ISCTE e os Institutos Politécnicos de Coimbra, Viana do Castelo e Porto. A formação dos candidatos é variada, assegurando uma heterogeneidade de perfis. Entre os cursos mais representados estão os ligados à Gestão, Economia, Engenharia e Química, mas também marcam presença cursos de Moda, Bioenergia, Ciência do Desporto, Ciências da Nutrição, Direito, Distribuição e Logística, Publicidade e Marketing, Tecnologia e Segurança Alimentar, Turismo e Gestão Hoteleira. José Côrte-Real, Administrador da Sonae com o pelouro dos Recursos Humanos, afirma: “A Sonae é uma empresa inovadora e criativa, que procura chegar aos seus públicos através das mais modernas plataformas. Para facilitar a relação e a interacção no recrutamento de talentos, este ano lançámos a Rede Contacto, uma iniciativa pioneira a nível mundial que nos levou a ter a edição mais participada de sempre do Programa Contacto, superando todas as expectativas. O forte interesse demonstrado por um grande número de jovens de elevado potencial em desenvolver uma carreira na Sonae, bem como a qualidade e diversidade formativa dos participantes, leva-nos a proporcionar a possibilidade de pelo menos 20 candidatos desenvolverem as suas competências nas Empresas Sonae, não só em Portugal

como em todo o Mundo, dada a vasta presença internacional e a aposta estratégica na expansão das nossas actividades no mercado externo”. Programa Contacto comemora 25º aniversário e muda de imagem A Sonae é o maior empregador privado em Portugal e procura estar próxima do meio académico, financiando projectos de manifesto interesse, mas também partilhando a sua história de sucesso. Foi neste enquadramento, e com o intuito de criar um importante momento de comunicação junto da comunidade universitária de forma a possibilitar o recrutamento de jovens quadros de elevado potencial, que a Sonae criou há 25 anos, em 1986, uma ini-

ciativa específica para o efeito: o Programa Contacto. Na comemoração dos 25 anos, o Programa Contacto muda de imagem e recebe futuros profissionais com elevado potencial, no “Dia Contacto”, aproximando-os da realidade da empresa. O Programa Contacto propicia uma oportunidade para conhecer, por dentro, as estratégias e planos de desenvolvimento da Sonae, contactando directamente com os seus principais líderes. Paralelamente, também existe o objectivo de se identificarem potenciais talentos que possam futuramente vir a trabalhar nas Empresas Sonae. No total, o Programa Contacto já recebeu mais de 34 mil candidaturas, que conduziram à selecção e

participação de cerca de 3.900 jovens no “Dia Contacto”, sendo que algumas centenas destes acabaram por integrar os quadros. Todos os anos são concedidos cerca de duas dezenas de estágios nas Empresas Sonae que podem conduzir a posterior emprego efectivo. Nesta edição, a primeira após o lançamento da Rede Contacto em www.programacontactosonae.com, registaramse mais de 11 mil alunos e recém-licenciados, de 150 universidades e escolas de negócios nacionais e internacionais. Deste conjunto, foram seleccionados cerca de 60 estudantes finalistas para estarem presentes no “Dia Contacto’11”.

Convergência das melhores experiências para marca única

Fusão do Continente e Modelo na Maia Desde o dia 15 de Março que o Continente é a única marca da Sonae para o retalho alimentar. Com a fusão do Modelo e Continente numa só marca, a Sonae aposta num plano estratégico que visa a liderança no mercado da distribuição nacional.

«Esta fusão significa o nascimento de um novo Continente, com maior e melhor capacidade de resposta às necessidades dos consumidores e significa, sobretudo, que o valor da marca única Continente vai ser consideravelmente superior à soma dos valores das duas mar-

cas. Ao avançar para uma estratégia de marca única convergimos as melhores experiências de cada uma das marcas e apontamos num só caminho com foco e ambição redobrados», diz Miguel Osório, Administrador de Marketing da Sonae MC.

Assim, o Continente Bom Dia substitui agora o Modelo Bonjour, sinónimo de supermercados de conveniência, vocacionados para as compras mais frequentes do dia-adia. O Continente Modelo, por sua vez, substitui as lojas Modelo, hipermercados de proximidade, pre-

sentes nas cidades mais pequenas. O Continente realizou na manhã do passado dia 15 de Março uma apresentação simbólica da nova identidade em duas lojas do concelho da Maia, nomeadamente em Águas Santas e na Areosa. Rita Alves

pub


14

sexta-feira 25 de março de 2011

Sociedade

maiahoje

CONVÍVIO Clube dos Morninhas

Clube organiza mais um jantar convívio Falar de campeonatos de provas desportivas é muito normal, o que não é normal é haver uma competição entre dois clubes de gastronomia. É mesmo inédito a nível do Pais. Vou agora fazer o comentário dos últimos destes dois clubes de Avioso Santa Maria que são o Clube dos Morninhas (só homens) e o das mulheres que são as Fresquinhas. No passado dia doze de Março o Clube das Fresquinhas realizou um mega jantar com 20 membros do Clube. A ementa foi um enorme tacho de arroz com feijão e outro enorme tacho de iscas. Todas confraternizaram muito animadas, até algumas que diariamente bebem Sumol nesse dia saborearam o néctar dos homens que é o vinho. Dançaram, cantaram e fizeram tal algazarra que não deixavam que nenhum homem entrasse no café AVIDOCE, sítio onde os repastos são realizados. Ora o Clube dos Morninhas estava empatado e como é apanágio dos homens não podemos perder a liderança. Então no dia do Pai

CIÊNCIA

realizamos um mega churrasco com 17 participantes. A ementa era costelinha, salsicha, entremeada, entrecosto, salada e um bom vinho para regar todos estes petiscos. Os assadores de serviço (Germano, Nica e Rogério) não paravam de pincelar as carnes com piripiri enquanto eram bafejados com o aroma do brasido aromático. Sentados à mesa, tudo foi devorado com muita alegria e satisfação. No final e perante alguns olhares curiosos das Fresquinhas foi cantado em coro o Hino dos Morninhas, onde, em algumas das quadras, as fresquinhas eram homenageadas. Houve baile e animação pela noite dentro e muitos dos que entraram pela primeira vez neste tipo de evento ficaram a gostar. Resumindo neste campeonato de gastronomia o resultado das meias-finais é o seguinte: Clube dos Morninhas 2 Clube das Fresquinhas 1. Ficamos a aguardar pelo empate e prometemos divulgar mais iniciativas destes clubes originais do Concelho da Maia.

HINO DO MORNINHAS

CLUBE

DOS

A TODOS VAMOS SAUDAR CAVALHEIROS E MENINAS A SINFONIA VAI TOCAR É O HINO DOS MORNINHAS NÃO FAZ FALTA QUEM NÃO VEIO É VERDADE E EU NÃO MINTO O NOSSO LEMA É COPO CHEIO SEJA BRANCO OU SEJA TINTO SOMOS UM CLUBE DE BEM EU ALINHO E TU ALINHAS UM DE NÓS VALE POR CEM DAQUELAS QUE SÃO FRESQUINHAS

HÁ NOITE É SÓ NOVELAS E AS CRIANÇAS SÓZINHAS QUEIMAM TUDO NAS PANELAS SÃO COISAS DAS FRESQUINHAS

FAÇA CHUVA OU FAÇA SOL HÁ ESTRELAS NO CAMINHO NÃO MISTURAMOS SUMOL NOSSO SANGUE É O VINHO

PARA TODOS É UM PRAZER HÁ ALEGRIA NAS ESQUINAS É UM ORGULHO PERTENCER AO CLUBE DOS MORNINHAS

TOCA O SINO ÀS SETE E MEIA MUDAM SAIAS TROCAM BATAS NA IGREJA A VIDA ALHEIA É O TEMA DAS BEATAS

SE BEBER GENTE NÃO TOSSE É UMA QUESTÃO DE FÉ E NO CAFÉ AVIDOCE XAROPE TOMA-SE DE PÉ

SOMOS UM GRUPO DE IRMÃOS LUTAMOS PELA VERDADE UNIMOS TODOS AS MÃOS CULTIVAMOS A AMIZADE TODOS DE COPO NO AR CHEIO DE SUMO DAS VINHAS EM CORO VAMOS GRITAR OS MAIORES SÃO OS MORNINHAS Rogério Gonçalves

9ª Edição prémio fundação Elídio Pinho “Ciência na escola”

“Ciência na Escola” premeia 183 projectos escolares e dois são da Maia \\

Cerimónia de entrega dos prémios de participação a 183 projectos da região Norte admitidos à 2ª fase do concurso Prémio Fundação Ilídio Pinho conta com dois projectos da Maia

No âmbito da 9ª edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola”, realizou-se uma cerimónia de entrega de prémios de participação aos 183 projectos da região Norte admitidos à 2ª fase do concurso. Entre os premiados estava a Escola Básica do Castêlo da Maia, Avioso (Santa Maria), com os

ESPECTÁCULO

projectos “A vida e a obra da minhoca” e “Bilhetes Para o Século XXII”, nos escalões dois e três, respectivamente. O evento promovido pela Direcção Regional de Educação do Norte premiou, no dia 28 de Fevereiro, projectos dedicados ao tema “biologia/Ciências da Terra e da Vida”, desenvolvidos por alunos

e professores do pré-escolar ao ensino secundário. Tendo lugar no conservatório de Música do Porto contou com a presença de Ilídio Pinho, presidente da Fundação Ilídio Pinho, António Leite, director regional de Educação do Norte e José Manuel Espírito Santo, administrador do BES. Os directores das escolas e os

professores coordenadores dos projectos seleccionados também estiveram presentes. Os prémios de participação, apoiados pela Fundação Ilídio Pinho e pelo Banco Espírito Santo, oscilaram entre os 200 e os 500 euros e destinam-se ao desenvolvimento dos projectos apresentados pelas escolas.

O Prémio fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola” foi criado em 2002, fruto de um protocolo entre a Fundação Ilídio Pinho, o Ministério da Educação e o Banco Espírito Santo. Tem como principal objectivo estimular e desenvolver o interesse dos alunos pelas ciências. Rita Alves

S. Pedro Fins

Farsa de Camilo Castelo Branco em S. Pedro Fins A farsa “Morgado de Fafe Amoroso” de Camilo Castelo Branco sobe ao palco amanha, dia 26 de Março, em S. Pedro Fins a partir das 21h00. Encenado por

LITERATURA

Cristiano Gonçalves, o espectáculo vai decorrer no auditório da freguesia e conta com entrada livre. A apresentação da peça de teatro vem no âmbito do programa

cultural da junta de Freguesia de S. Pedro Fins. A população maiata pode ver ou rever um dos ícones do teatro nacional. Esta farsa foi escrita por Camilo Castelo branco

no século XIX, tendo estreado no Teatro Nacional D. Maria II a 2 de Fevereiro de 1863. Trata-se de uma comédia romântica, mordaz e satírica, que se desenrola na

localidade portuense da foz do Douro. Rita Alves

2º Encontro de amantes criadores e declamadores da leitura e poesia

O CARNAVAL NAS PALAVRAS DO POETA \\

Como era de esperar, o 2º Encontro da Fonte de Leitura e Poesia contou com mais amigos criadores e declamadores de poesia.

Previamente acordado, o tema Carnaval compreendeu a primeira parte das intervenções com poesia sobre a época festiva, de Arminda Pinto (O Carnaval), Olívia Marinho (O Sr. Carnaval), Teresa Vaz (Baile de Carnaval), José Faria (O Disfarce), Alfredo Moreira (Carnaval) e Daniel Carvalho. Na segunda parte, destinada a tema Livre, todos participaram, declamando poesia da sua autoria ou de outros autores consagrados. Além dos poetas e poetisas referidas no Tema, declamaram, Daniel Carvalho, José Neves, Pedro Cabral e José Matos. Da boca dos próprios autores

voaram as palavras do “Baile das Greves”, “Eu queria ser Poeta”, ”Quem me quer ajudar” e do Zé-

ninguém” de e por Alfredo Moreira; O “Amor e Paixão” de e por Daniel Carvalho; De e por Olívia Marinho,

“A Mãe no Desespero”; “Diz-me o que é a Vida de e por Teresa Vaz; “Romarias de Portugal”, “O Meu Berço” e “O Montante”, de e por José Faria. Este 2º encontro de amantes criadores e declamadores de Leitura e Poesia, que teve lugar na Biblioteca da Associação, acordou já “ABRIL” (Revolução), como tema para o próximo e 3º Encontro. Uma vez que a primeira sextafeira é dia 1, também tradicionalmente “dia de enganos”, Abril poderá surgir no tema livre liberto de palavras e mensagens relacionadas com o tema principal (o acontecimento, as vivências e as

mudanças sociais operadas a partir de Abril de 1974). Estes convívios culturais e literários são abertos a todos os criadores de Leitura e Poesia, que gostem de ler e declamar poemas ou simplesmente ver e ouvir. Basta aparecer na primeira sexta-feira de cada mês, pelas 21h30 horas, na Associação Cultural e Recreativa “Os Fontineiros da Maia” – Centro Social dos Moutidos. José Faria


maiahoje

O KARATÉ

sexta-feira 25 de março de 2011

Desporto BTT

desporto

LIGA DE FUTSAL

3ª Etapa do Campeonato de BTT da Maia

15

Suplemento da V edição da Liga de Futsal da Maia

Três medalhas de ouro no Open Internacional de Mafra

CKMaia no Estágio Nacional de Shiai Kumite e Arawaza Challenge O Pavilhão Desportivo da Retorta acolheu no passado dia 19 de Março o Estágio de Shiai Kumite (Combate) orientado por dois experientes competidores Nuno Moreira do Clube de Karate da Maia e Nuno Paiva do Sporting Clube de Portugal. Este Estágio teve como principal objectivo dar conhecimento aos atletas da realidade da avaliação e de como é necessário trabalhar para alcançar o êxito desportivo no combate. Numa segunda parte Moreira concluiu com trabalhos de finalização e derrubes sobre os oponentes. Na parte de tarde os atletas poderam colocar em prática todo o trabalho desenvolvido no estágio, visto que o CKMaia organizou um mini torneio de esperanças que serviu, não só para os atletas conseguirem alguma tranquilidade nos momentos que antecedem às provas, bem como preparem-se para o Campeonato Regional que se realizará no próximo dia 2 de Abril. Este torneio teve como base o desenvolvimento das aptidões físicas do kata e do kumite com 14 elementos de diversas idades divididos por 4 equipas, deste modo todos saíram medalhados não havendo lugar para tristezas pelas derrotas. Na parte final o CKMaia realizou um Challenge contra o Sporting que terá a segunda volta no mês de Junho

ATLETISMO

em Alvalade. A vitória deste duelo sorriu à equipa leonina por uma vitória sobre a equipa do Lidador. No próximo fim-de-semana Nuno Moreira estará em mais um grande evento com Nuno Dias e Rui Jerónimo, dois atletas de alto rendimento, num Karate Road Show que estará no Algarve do dia 26 e na Figueira da Foz no dia 27. CKMaia com três medalhas de Ouro no Open Internacional de Mafra Decorreu nos dias 12 e 13 de Março, a IV edição do Open Internacional de Mafra, prova esta que juntou mais de 800 atletas oriundos de Portugal, Espanha, França, Itália, Dinamarca, Escócia, País de Gales, Inglaterra, Finlândia, Argentina e Marrocos. O CKMaia levou a esta prova uma equipa alargada a fim de melhorar o sistema competitivo destes jovens atletas e melhorar aspectos tácticos para as provas importantes que se avizinham já no mês de Abril, o Campeonato Regional Norte que se traduz sempre numa dificuldade acrescida de passagem ao nacional devido ao excelente nível técnico existente na região Norte. Neste conhecido evento, que já vai na sua 4ª edição, os atletas portugueses tentam melhorar certos aspectos e ver como se desenvolve o karate em diferentes países. O

profissionalismo de alguns era notório, não fosse a Argentina estar há 3 meses na Europa em preparação para as provas Pan Americanas. O CKMaia conseguiu no final do evento alcançar um total de 14 medalhas que começou na prova Infantil Feminina com um 3ºLugar de Daniela Ferreira. Já no escalão de Iniciado Masculino Fábio Costa e Pedro Lopes dividiram o 3ºLugar numa prova com 32 atletas. Inês Sousa ainda conseguiu subir ao 3ºLugar depois de eliminar a atleta Dinamarquesa. Na Prova de Combate a surpresa começou nos mais novos onde Ricardo Valente com apenas 10 anos chegou á final na categoria de 12-13. O jovem maiato mostrou-se com um nível acima da média e apenas não conseguiu levar a melhor diante do

Escocês que fez prevalecer a experiencia e o desenvolvimento físico em relação ao luso; também nos 12-13 na categoria de -55kg Luís Vandermuren atingiu a final eliminando 3 adversários com grande qualidade sendo apenas derrotado pelo atleta do NDAPombal acabando na segunda posição. O pódio não teria apenas 1 maiato visto que Diogo Ferreira também alcançou o 3ºlugar. Na Categoria Juvenil Feminina Inês Sousa apenas sucumbiu frente á Francesa na passagem á final, não deixando escapar o pódio após eliminar a Italiana na repescagem com uma vitória de 5-0. No Escalão Júnior Rita Duarte nos -50Kg eliminou a Finlandesa na passagem á final, com alguma dificuldade e apenas no prolongamento, conseguiu marcar

mais um ponto importante assegurando assim o 1º lugar e o título do evento. Na Categoria de -55Kg Marina Sousa encontrou algumas dificuldades, pela qualidade e principalmente pela movimentação das adversárias, e por um ponto não foi á final. Mesmo assim a jovem de 18 anos conseguiu vencer a francesa no acesso ao 3ºLugar. Na Categoria Sénior Ricardo Rocha mais uma vez surpreendeu os presentes, acabando mesmo por vencer a categoria dos -84Kg. Nas eliminatórias venceu atletas com grande nível, bem como F. Recouso atleta argentino. Na final venceu o Francês da Liga Bourgone por expressivos 4-0. A Terceira medalha de Ouro Chegaria pelas mãos de Nuno Moreira ao vencer a Categoria de -75Kg. O maiato, que combate na categoria intermédia, realizou 6 combates vencendo pela 3ª vez o evento e derrotando atletas internacionais da Escócia, Espanha e o argentino Franco Icasati, medalhado mundial que foi derrotado pelo maiato por 5-1. Vítor Silva e Gonçalo Pinto estiveram ao serviço da Selecção numa prova por equipas, cumprindo o seu objectivo e arrecadando o 3ºLugar vencendo frente á equipa de França e Argentina.

Ausência de “foto-finish” custou Nacional de Corta-mato Curto

Maia AC a um ponto do título e com razões para protestar O Maia Atlético Clube obteve no passado sábado, em Vila Nova da Barquinha, o melhor resultado da sua história, ao terminar em segundo lugar os Campeonatos de Portugal de Corta-Mato Curto a apenas um ponto do vencedor, o Sporting. Mas aquele que poderia ter sido um dia para festejar foi afinal uma jornada que terminou em protesto, pois a ausência de “foto-finish” e de uma verdadeira linha de meta não permitiu confirmar se o quinto lugar de Sérgio Silva não teria sido afinal um quarto. O suficiente, sublinhe-se, para valer o título! Numa prova ganha individualmente por Rui Silva – pela sétima vez nos últimos 12 anos –, viu-se a mais brilhante prestação de sempre dos maiatos, que além de Sérgio Silva no quinto posto colocaram Pedro Ribeiro logo a seguir, Daniel Pinheiro em nono, Vítor Oliveira em 11º e Bruno Jesus em 13º. Foi a equipa que “fechou” mais cedo, pois para a classificação colectiva contavam os resultados dos primeiros quatro atletas, mas os problemas começaram quando a primeira classificação mostrou

Sérgio Silva no oitavo posto. O Maia AC pediu uma revisão da classificação e o vídeo da chegada não só comprovava o quinto lugar como mostrava Sérgio a terminar ao sprint com Hélder Santos, do Cyclones, na luta pela quarta posição. Perante a dúvida, os responsáveis maiatos, Rui Borges e José Regalo, quiseram ver um “fotofinish” que não existia, pois nem sequer o risco de meta estava assinalado no chão. A decisão foi feita pela “percepção” do juiz que estava na linha de chegada e pela passagem no tapete que lia os “chips” nos pés dos atletas. Uma forma demasiado amadora de registar uma chegada e que desta vez, sendo o empate em pontos favorável ao Maia AC, decidia… um título nacional! Para a história vai ficar um campeonato perdido por um ponto muito discutível naquela que foi a melhor participação do clube da Maia em campeonatos nacionais, numa jornada ainda acrescida do segundo lugar de João Cruz no Nacional de juvenis do Desporto Escolar, depois de ter liderado

praticamente toda a prova, e pelo interessante oitavo lugar de Vítor Ribeiro no escalão de veteranos. Registe-se ainda, na prova feminina, o terceiro título consecutivo de Sara Moreira, a atleta do Maratona que diariamente treina na Maia, orientada por Pedro Ribeiro.

Classificações Individual: 1. Rui Silva, Sporting 2. Rui Teixeira, Maratona 3. Tiago Costa, Sporting Braga 4. Hélder Santos, Ciclones 5. Sérgio Silva, Maia AC 6. Pedro Ribeiro, Maia AC

\\ Rui Silva na liderança, seguido de Sérgio Silva e com Pedro Ribeiro à espreita

9. Daniel Pinheiro, Maia AC 11. Vítor Oliveira, Maia AC 13. Bruno Jesus, Maia AC Por equipas: 1. Sporting 30 pontos 2. Maia AC 31 3. Ciclones 75


16

sexta-feira 25 de março de 2011

Desporto

maiahoje

futebol

Maia na IX Edição do Torneio Inter Concelhos de Sub 14 A 4ª jornada da IX Edição do Torneio Inter Concelhos de Sub 14 realiza-se já no próximo dia 30 de Março. A Maia defronta Matosinhos, no Campo de Jogos de Folgosa, pelas 20h30. Seguem-se ainda mais seis jornadas durante os meses de Abril e Maio, antes da II Fase do Torneio. Na 5ª jornada, dia 6 de Abril, a Póvoa de

BTT

Varzim joga contra a Maia, no Estádio Municipal da Póvoa. Na 6ª jornada, o jogo Porto vs Maia realiza-se dia 12 de Abril no Complexo Desportivo de Campanhã. A Maia joga contra Vila Nova de Gaia no dia 28 de Abril no Estádio Municipal de Nogueira, na 7ª jornada. Na 8ª jornada, dia 4 de Maio, a Trofa defronta a Maia no Complexo Desportivo da Paradela. Matosinhos

volta a jogar contra a Maia na 9ª jornada, no dia 11 de Maio, desta vez no Complexo Desportivo de Leça da Palmeira. A 10ª e última jornada realiza-se no Estádio Municipal de Nogueira, no dia 18 de Maio, assinalando o jogo Maia vs Póvoa de Varzim. O concelho da Maia participa no torneio organizado pela Associação de

Futebol do Porto, depois de ter vencido a VII edição, em 2009. Para a formação de uma selecção do concelho da Maia neste torneio, o Departamento de Desporto procedeu, durante os últimos dois meses, à captação de jovens no escalão de Sub 14. Para além da participação de cerca de 70 atletas das Colectividades do Município, a equipa técnica procedeu

também a observações de jogos oficiais dos clubes. Depois de realizados 6 treinos de captações, foram pré seleccionados 24 atletas. Realizaram-se três jogos de treino, contra as equipas de iniciados do Folgosa da Maia, União Nogueirense F.C. e Futebol Clube de Pedras Rubras.

3ª Etapa do Campeonato de BTT da Maia

Domingo em cheio na freguesia de S. Pedro de Avioso e para a Maia Realizou-se no passado domingo, dia 23 de Março, a 3ª etapa do Campeonato de BTT da Maia, que reuniu aproximadamente 200 betetistas. Distribuídos por vários escalões e sobre a batuta do Grupo Desportivo os Maiatos, Câmara Municipal da Maia e Associação de Ciclismo do Porto, proporcionou a todos os presentes um espectáculo fantástico de BTT. Esteve presente a apadrinhar este evento Joaquim Guilherme da Costa Maia, presidente da Junta de

AUTOMOBILISMO

Freguesia de São Pedro de Fins. Destaca-se uma participação em massa dos escalões mais jovens, Bambins, Benjamins, Iniciados, Infantis e Juvenis, onde o convívio e garra dos atletas mais novos, fez transformar o parque de Avioso numa verdadeira tapada de emoções. Nos escalões mais velhos, no qual ainda se luta pelo título, estiveram betetistas bens experientes na modalidade. A festa também foi para os domingueiros.

Alguns sentiram a adrenalina de competirem num percurso melhor que muitos das provas regionais e Nacionais. O aparato da prova, a logística da zona de meta, tudo isso marcou este dia como um dia de festa em São Pedro de Avioso. O dia, de muito calor, foi companheiro do desporto e de bons passeios. O parque de Avioso encheu-se de famílias completas, que aproveitaram os primeiros raios de sol para darem as boas vindas à

Primavera. Estiveram no local, a fazerem parte deste evento e a apoiar, a GNR da Maia, Polícia Municipal, Cruz Vermelha Portuguesa e a equipa de socorrismo chefiada por Júlio Oliveira. De acordo com a organização o evento foi um êxito extraordinário, sendo agora tempo de apontar baterias para a próxima e última etapa do campeonato de BTT da Maia no Hipódromo da Maia em Silva Escura.

Esperam-se dois fins-de-semana recheados de adrenalina e velocidade para este Verão.

Invicta recebe Circuito da Boavista \\

Mais uma vez, a cidade do Porto acolhe um dos maiores campeonatos históricos do mundo.

Na passada sexta-feira dia 18 de Março, o Maia Hoje esteve presente na apresentação da edição do Circuito da Boavista 2011. A cerimónia realizou-se

RALI

no Salão Árabe do Palácio da Bolsa e contou com a presença de algumas figuras como Rui Rio, Presidente da Câmara Municipal do Porto, Vladimim

Feliz, Vereador do Turismo, Inovação e Lazer e Luís Patrão, Presidente do Turismo de Portugal. Também compareceram Sean Roberts,

representante do grupo Masters Historic Racing, e Geraldine Filiol, directora geral da Eurosport Events. A cidade invicta prepara-se assim para acolher, mais uma vez, o Circuito da Boavista. Vão ser dois fins-desemana de grande velocidade e entusiasmo, onde o Porto será o centro das atenções internacionais automobilísticas. Segundo as datas previstas, de 17 a 19 de Junho, será o Grande Prémio Histórico do Porto (GPHP) e de 1 a 3 de Julho mais uma etapa do campeonato de World Touring Car Championship (WTCC). Este segundo fim-de-semana coincide com a conhecida Festa de S. João do Porto, durante a qual toda a cidade comemora o famoso santo popular. «As corridas propriamente ditas

são únicas, pois a configuração da pista torna as provas exigentes onde o mínimo erro pode ditar o abandono. É uma pressão enorme, mas ao mesmo tempo uma enorme satisfação, pois olho para as bancadas e percebo que o público está do meu lado. Dificilmente encontro uma prova que me diga tanto», diz Tiago Monteiro, ex-piloto de Fórmula 1 e participante, mais uma vez, do Circuito da Boavista. Este é um dos maiores campeonatos automobilísticos do mundo, na categoria de históricos e promete trazer de novo grande animação à cidade do Porto. Rita Alves

Um furo nos últimos kilómetros impediu a luta pelo pódio

Rali Ivo Nogueira em 9º lugar no Rali Rota do Medronho \\

O piloto, de apenas 20 anos, Ivo Nogueira voltou a demonstrar no Rali Rota do Medronho as suas qualidades. Segue-se o Rali de Portugal.

Antes do Rali Rota do Medronho, pontuável para o Campeonato Open, o jovem piloto da Maia tinha estabelecido como principal objectivo prosseguir a aprendizagem do novo Citroën DS3 R3T, mas os resultados na estrada superaram as expectativas e Ivo Nogueira liderou o rali durante cinco das oito classificativas disputadas na zona de Oleiros e Proença-a-Nova (distrito de Castelo Branco). O piso molhado e escorregadio favorecia os Mitsubishi Lancer de tracção integral, mas a dupla Ivo Nogueira / Vítor Hugo venceu os dois troços de abertura da prova e liderava no final da secção matinal. Na quinta especial, Ivo Nogueira aumentou a sua

vantagem para 5,2s mas as condições dos últimos três troços não seriam favoráveis à dupla do Citroën DS3 R3T. Já nos últimos quilómetros, o carro francês sofreu um furo e impediu Ivo Nogueira de prosseguir a senda de pódios iniciada no Rali Torrié, na abertura do principal campeonato nacional. “De facto foi pena porque podíamos perfeitamente ter terminado num dos dois primeiros lugares”, resumiu Ivo Nogueira após ser relegado para a nona posição final. “Ainda assim, o grande objectivo era mesmo continuar a acumular experiência com o DS3 no asfalto. Fiquei agradavelmente surpreendido com o comportamento dos pneus

Pirelli no piso molhado, onde não se nota tanta diferença para os pneus que usámos no ano passado. Aproveitámos também para testar afinações de chuva, nomeadamente ao nível da suspensão e apesar de saber que ainda há coisas a melhorar, fiquei contente com os resultados. Ganhámos troços a carros mais potentes e sem aquele furo teríamos facilmente terminado no pódio”, concluiu. O Rali Rota do Medronho encerrou uma primeira fase da época em asfalto, marcada pelo histórico terceiro lugar de Ivo Nogueira no Rali Torrié (um dos pilotos mais jovens de sempre a conseguir um pódio no CPR), além do segundo lugar no Rali

Coração de Ouro. Agora, Ivo Nogueira disputará o famoso Rali de Portugal (24 a 27 de Março), prova pontuável para o Campeonato do Mundo e que

pela sua extensão e dureza será mais uma aprendizagem valiosa para a jovem promessa nacional.


maiahoje

sexta-feira 25 de março de 2011

Desporto PRÓXIMA JORNADA

TAÇA DA LIGA Consulte os resultados da

Consulte a próxima jornada em

Taça da Liga em www.ligafutsalmaia.com

www.ligafutsalmaia.com

1ª DIVISÃO

AM Granja cada vez mais lider

A AM Granja que venceu o CA Corim por 4-2, aumentou a vantagem sobre o 2º classificado o CCD Maia que foi derrotado nesta jornada diante o CA Sangemil por 1-0 Destaque para a equipa da Mocidade de Sangemil que goleou a A Dadores de Sangue da Maia por 7-1 e que com uma série consecutiva de vitórias atingiu a 3a. posição. Na luta pela permanência a equipa dos Ases de Família largou a zona de despromoção em consequência da vitória sobre o GD Maiatos por 4-2 e das derrotas do Inter de Milheirós diante da ADR Gondim por 3-2 e da A Dadores de Sangue da Maia por 7-1 diante da Mocidade de Sangemil.

2ª DIVISÃO

\\ Resultados 1ª divisão CA CORIM- 2 AM GRANJA- 4 ASES FAMILIA- 2 GD MAIATOS- 1 CCD MAIA- 0 CA SANGEMIL- 1 ADR GONDIM- 3 INTER MILHEIRÓS- 2 GD AG. SANTAS- 3 LEAIS E VIDEIRINHOS- 4 MOC.SANGEMIL- 7 A DADORES SANGUE- 1

Juv. de Àguas Santas aumenta vantagem pontual sobre os seus perseguidores

A Juventude Àguas Santas aumentou a vantagem sobre os seus perseguidores mercê das vitórias que obteve nesta jornada dupla em que jogou o encontro que estava em atraso diante da ARC Gueifães. Com estas duas vitórias categóricas encontram-se agora com 4 pontos de vantagem sobre a equipa dos Unidos á Pedreira que venceu a AD Teibas por 1-0 e 6 pontos sobre a AR Brás Oleiro que venceu a AD Parada por 4-3. Realce para a vitória da Juventude de Pedrouços sobre o GD Leões da Guarda quebrando assim uma séria de 6 derrotas consecutivas. Na luta pela permanência a AD Arregadas abandonou a última posição em consequencia da vitória sobre o CC Vilar por 2-1 e da derrota da AD Parada por 4-3 diante da AR Brás Oleiro.

3ª DIVISÃO

\\ Resultados 2ª divisão AR BRÁS OLEIRO- 4 AD PARADA- 3 AD TEIBAS- 1 JUV.AGUAS SANTAS- 4 *** JUV. PEDROUÇOS- 4 GD LEÕES GUARDA-2 CC VILAR- 1 AD ARREGADAS- 2 GC ARDEGÃES- 0 AM MEILÃO- 1 A COOPERMAIA- 2 AB CAMPA PRETO- 1 AD TEIBAS- 0 U.PEDREIRA- 1 ARC GUEIFÃES- 0 JUV. AG. SANTAS- 3 *** JOGO EM ATRASO 5ª JORNADA

\\ Resultados

O CA Pedrouços com mais uma goleada, desta feita sobre o GC Vermoim por 6-2 continua a sua caminhada rumo á súbida á 2a. divisão da Liga de Futsal da Maia. Destaque para a derrota do S.Cosme TMC diante do Sol e Campo por 3-5, o que faz com que a Lusitana de Pedrouços com uma vitória por 4-2 sobre o Pedrouços AC ocupe isolada a 2a. posição. Na cauda da tabela continuam as equipas do GD Silva Escura e da Juventude Barcarense que se defrontaram nesta jornada e empataram a duas bolas.

3ª divisão CD AGUAS SANTAS- 2 AT C TEIBAS- 1 MOCIDADE 2010- 3 GD AV.S.PEDRO- 2 GD SILVA ESCURA- 2 JUV.BARCARENSE- 2 S.COSME TMC- 3 SOL E CAMPO- 5 A LUSITANA PED.- 4 PEDROUÇOS AC- 2 AD FICOCABLES- 3 CA ARCOS- 1 CA PEDROUÇOS- 6 GC VERMOIM- 2

MELHORES MARCADORES I Divisão 1 - Fábio Alves (A.M. Granja) 23 golos 2 - F ábio Fernandes (G. D. Maiatos) e Cláudio Paiva (Mocidade Sangemil) - 16 golos 3 - Abílio Fonseca (Mocidade Sangemil AC) e Ricardo Monteiro (GDAS) - 13 golos

II Divisão 1- Marcos Santos (Unidos à Pedreira F.C.) - 27 golos 2 - Nuno Matos (A. Brás Oleiro) e I vo Ferreira (Juv. Pedrouços F.C.) - 22 golos 3 - Pedro Teixeira (Juv. Pedrouços) e Nélson Pereira (C.C. Vilar) - 15 golos

Rua Conselheiro Campos Henriques, 31 4470-469 MAIA (Junto à Rotunda do Lavrador nas traseiras das Bombas BP) Tlf. 229 429 457 - Tlm. 917 744 038

III Divisão 1 - Rafael Barbosa (Mocidade 2010) - 24 golos 2 - Miguel Silva (A. L. Pedrouços) - 16 golos 3 - Rui Monteiro (Mociadade 2010) - 14 golos

Av. Padre Manuel Alves Rego, 661 Junto à Farmácia Aliança em Vermoim

www.carcosta.pt

17


18 NATAÇÃO

sexta-feira 25 de março de 2011

Desporto

maiahoje

Clube de Natação da Maia alcança 35 recordes pessoais

Daniel Cruz seleccionado para o estágio regional no Torregri 2 \\ Realizou-se no fim-de-semana de 19 e 20 de Março, na Piscina Municipal de Lousada, o Torregri 2, organizado pela Associação de Natação do Norte de Portugal. Nesta prova participaram 20 clubes e cerca de 307 nadadores. O Clube de Natação da Maia, fez-se representar por 12 nadadores: Daniel Cruz, João Costa, Pedro Pereira, Tomás Barreira e Cláudia Nogueira (cadetes A); André Freitas, Francisco Lopes, Hugo Freitas, Ricardo Teixeira, Inês Reis, Joana Jacinto e Mariana Costa (cadetes B). Os resultados obtidos pelos nossos nadadores foram muito satisfatórios, alcançando 35 novos recordes pessoais. Em termos desportivos, o destaque vai para o nadador Daniel Cruz que, face aos resultados obtidos no somatório das provas de 400 Livres e 200 Estilos, foi seleccionado para o Estágio de Cadetes A, promovido pela Associação de Natação do Norte de

VOLEIBOL

Portugal, a decorrer nos dias 18 e 19 de Abril em Baião. No próximo fim-de-semana os Juvenis Maria Beatriz Ribeiro e Leonardo Cardoso Figueiredo participam nos Campeonatos Nacionais de Juvenis que se realizam de Sexta a Domingo nas Piscinas do Jamor, em Lisboa. Joana Maia e Luís Neto Campeões Regionais de Seniores, Infantis com 8 recordes pessoais nos Zonais Decorreu nos passados dias 11, 12 e 13 de Março, os Campeonatos Regionais Juniores e Seniores. A prova foi organizada no Complexo Olímpico de Piscinas da Póvoa de Varzim pela Associação de Natação do Norte de Portugal (ANNP), em conjunto com a Associação de

Natação do Minho (ANMinho). Estiveram presentes 25 clubes com um total de 279 nadadores. O Clube de Natação da Maia participou com 4 nadadores que obtiveram 8 pódios: Joana Maia 1ª nos 50m Bruços e 2ª nos 100 e 200m Bruços, Luís Neto 1º nos 50m Bruços, 2º nos 100m Bruços e 3º nos 100m Livres, Carolina Silva 2ª nos 200m Mariposa e Rui Oliveira 3º nos 100m Costas Júnior. Destaque ainda para os recordes pessoais de Rui Oliveira nos 50 e 200 m Livres, 100 e 200m Costas, Luís Neto nos 100m Mariposa e Joana Maia nos 50m Mariposa. Durante o mesmo fim-desemana decorreram em Viseu os Campeonatos Zonais de Infantis – Zona Norte prova mais importante

do escalão. Nesta prova organizada pela Associação de Natação de Aveiro participaram 300 nadadores em representação de 45 clubes. O CNMaia participou com 7 nadadores, André Costa, Duarte Bandeira, Luís Oliveira, Nuno Pereira, Paulo Silva e Tiago

Fernandes. Foram obtidos 8 recordes pessoais, André Costa em todas as provas nadadas, 100 e 200m Costas, 200m Bruços, 200 e 400m Estilos, Paulo Silva nos 200m Livres e 200m Costas, e Duarte Bandeira nos 100m Livres.

GDC Gueifães com a melhor época dos últimos anos

Vitória sofrida dos Juniores Masculinos na Póvoa de Varzim No passado fim-de-semana terminaram os campeonatos regionais de Infantis Masculinos e Iniciados Masculinos, pelo que apenas as Juvenis Femininos se mantêm em provas organizadas pela Associação de Voleibol do Porto. As equipas de Voleibol de Gueifães estarão envolvidas em provas nacionais, que visam o apuramento para as respectivas fases intermédias e posteriormente para as fases finais. A excepção são as equipas Seniores Masculinos e Femininos e Juniores Masculinos e Femininos, que neste momento disputam o apuramento para as respectivas fases finais. No passado domingo, em Gondomar, decorreu o Torneio de Março dos MINIS-A, estando presentes equipas de GDC Gueifães, Ala de Gondomar, Juventude Pacense e Boavista. As Infantis Femininos (na foto), depois de festejarem o título de campeãs regionais, tiveram folga, uma vez que a próxima fase, já a contar para o campeonato nacional, só começa no primeiro fim-de-semana de Abril. São já conhecidas as equipas da próxima fase, da qual se apura apenas a 1ª classificada que irá disputar título nacional numa “Final Four” concentrada, ainda em local a designar. O grupo é constituído por GDC Gueifães, GCS Tirso, Escola Latino Coelho (Lamego) e AD Maristas (Lisboa).  Os Infantis Masculinos foram, no passado domingo derrotados, na negra, por 3 - 2. Resta a participação no campeonato nacional, cujo sorteio se realizará na próxima semana. Os Iniciados Masculinos foram até à Madalena, 2ª classificada, vencer pub

por 3 – 1. Agora vem o campeonato nacional, um fim-de-semana para preparar a prova que dará acesso à fase intermédia, onde irão apurar os 1º classificados das 4 series e os 3 melhores segundos. As Juvenis Femininos venceram em casa o Senhorense por 3 - 0, e continuam na luta pelo título regional, estando apenas a 2 pontos do 1º classificado. Próxima semana recepção ao CD Póvoa em Gueifães. As Juniores Femininos continuam em bom plano. Desta vez a vítima foi o Esmoriz GC a quem venceram por 3 – 0. Na próxima semana deslocam-se até Lisboa para defrontar a equipa da AD Maristas. Os Juniores Masculinos foram até à Póvoa de Varzim conquistar mais 2 preciosos pontos, depois da vitória, algo sofrida, por 3 - 1. No 1º set a equipa da Póvoa de Varzim sempre na frente. A equipa de Gueifães conseguiu encostar nos 21 pontos, no entanto, dois erros seguidos do GDC Gueifães e 2 boas acções atacantes do adversário, ditaram a derrota por 26 -

24. No 2º set tudo parecia diferente. A equipa de Gueifães entrou muito bem e chegou facilmente aos 13 - 6. Com o avançar do jogo baixou o ritmo, conseguindo vencer por 25 - 23. No 3º e 4º set, o Gueifães apareceu melhor, jogar como tem feito nos últimos jogos, levando a que a equipa da Póvoa não conseguisse responder. Vitória nos sets seguintes por 25 - 16 e 25 - 11. O GDC Gueifães continuamos na luta, faltando três vitória para matematicamente estar na fase final. Próximo jogo em casa frente ao SC Caldas As Seniores Femininos folgaram e recomeçam no próximo fim-desemana a 2ª volta desta fase final de apuramento para a “Final Two”, com a difícil deslocação aos Açores onde irão defrontar o CD Ribeirense. Os Seniores Masculinos – A venceram em casa por 3 - 0 a AAS Mamede, continuando no 1º lugar, com vista a disputa pela subida de divisão. Próximo jogo na Caldas frente ao 1º classificado da fase anterior. As equipas B também jogaram esta semana. As Femininas

deslocaram-se ao Porto onde foram derrotadas pelo Vintage / Matosinhos por 3 - 1, e na próxima semana vão a Viana do Castelo para defrontar o AD Perre. Os Masculinos receberam a equipa dos Mochos sendo derrotados por 3-0. Contra uma equipa onde jogam João Brenha, Paulo Brenha, Paulão, Alexandre Afonso e muito outros grandes nomes do voleibol Português, com excepção do 1º set, no qual o GDC Gueifães foi derrotado por um desnivelado 25 - 15, os outros dois foram discutidos até ao final, proporcionando um grande jogo ao público presente apesar da hora tardia do jogo, 22h30. Próxima jornada joga em S.Mamede frente a Académica.   «Melhor época desportiva dos últimos anos» Carlos Manuel Simão, coordenador técnico das equipas de formação do clube considera que, a nível desportivo, esta época «tem sido das melhores dos últimos anos, uma vez que conseguimos apurar todas as equipas para os respectivos campeonatos nacionais. A excepção foi a equipa de Juvenis Femininos que luta neste momento pelo título regional, e algumas delas com aspirações a tentar chegar mesmo às respectivas fases finais». Assim, no período de paragem das férias da Páscoa, as reuniões serão acordadas entre treinadores e atletas, sendo este assunto abordado nas reuniões de pais. É importante, «aproveitar ao máximo aumento do volume dos treinos neste período», uma vez que se aproximam as fases decisivas dos campeonatos. Destaque para algumas informações que o coordenador técnico das equipas de formação do

clube considera importantes. Para além da reunião realizada no passado dia 23 de Março, dia 26 de Março às 10:30h será a reunião dos Minis-A e ás 11:30h a da equipa de Infantis Femininos. As equipas de Infantis Masculinos e Femininos e Iniciados Masculinos iniciarão, no primeiro fim-de-semana de Abril, a participação nos respectivos campeonatos nacionais. Os horários de treinos das férias serão enviados por mail e afixados no pavilhão. Os pais, cujos filhos celebrem aniversário nos meses que faltam até final da época desportiva, devem solicitar a respectiva ficha para a realização do exame médico. A não realização deste exame impede o atleta de ser utilizado nos jogos. Pede-se também a confirmação de recepção de notícias, referenciando o nome do atleta e respectivo escalão, bem como a indicação se o email corresponde ao atleta, pai ou mãe, para que esse registo seja actualizado. Patrocinadores, colaboradores, adeptos que queiram receber notícias do clube, que actualizem ou adicionem endereços e faça chegar ao clube por essa via. No dia 10 de Junho realizar-se-á o tradicional Dia do Minivolei, evento realizado pela Associação de Voleibol do Porto e que, mais uma vez, se irá realizar no Estádio do Bessa, com inicio previsto às 9:30h e término por volta das 17:30h. Carlos Manuel Simão apela à presença dos pais, num dia especial para as crianças. Por fim, o clube planeia realizar um convívio de final de época, em local e data a designar.


maiahoje FUTEBOL

sexta-feira 25 de março de 2011

Desporto

19

A.F.Porto

Vilar Pinheiro 2 - GD Águas Santas 4 \\ Foi com uma vitória sem contestação, por 4-2, que o Águas Santas deu, no passado fim-de-semana, resposta a dois resultados menos positivos. A equipa jogou bem não dando argumentos a um Vilar Pinheiro que não saiu de campo ainda mais goleado por sorte… O GD Águas Santas, que vinha de uma derrota caseira com o Sp. Cruz e mais importante do que isso, as três expulsões de atletas importantes, o que limitou ainda mais a equipa, que alinhou com o seguinte onze: na baliza Gomes, na defesa Ricardo na direita, Daniel à esquerda, no centro Costa e o “ Júnior “ Rui, meio campo composto por Tiago Sousa, Nárciso, Luís Castro *, Flávio sobre a direita e Márcio Ferreira na esquerda, na frente Mário Vieri. O Águas Santas entrou bem no jogo, com jogadas rápidas pelos flancos, com Márcio e Flávio muito activos assistidos por Castro que, ora por cima da defesa ora com passe a rasgar, criava perigo para a

CASTÊLO DA MAIA

baliza do Vilar Pinheiro. Daniel saía lesionado e dava lugar a Teka, e sem que nada justificasse, o V. Pinheiro ia chegar ao primeiro golo logo aos 10 minutos, numa bola perdida pelo meio campo maiato e após passe para as costas da defesa, remate cruzado estava feito o 1-0. O Águas Santas não tremeu e foi para cima do V. Pinheiro, criou uma, duas, três...cinco oportunidades de golo claras mas a bola ou embatia nos postes ou simplesmente os remates saiam para fora. Foi tanto o caudal ofensivo que aos 40 minutos numa jogada sobre a esquerda Márcio é derrubado dentro da área sendo assinalada grande penalidade. Márcio assumiu a marcação da

mesma mas o guarda-redes defendeu. Chegava o intervalo com o Águas Santas a perder por 1-0. Na segunda parte, logo nos minutos iniciais, o Águas Santas sofre o 2-0. Canto apontado pelo Vilar Pinheiro, bola cortada pela defesa do Águas Santas que sobra para um adversário fora da área, que cruza novamente, remate de cabeça, Gomes defende contra o poste, a bola descreve uma trajectória incrível, bate novamente no calcanhar de Gomes e caprichosamente entra na baliza. Mais uma vez o Águas Santas não se deixou ir abaixo e Nárciso faz o 1-2 num remate fora da área depois de um pontapé de canto. A equipa continuou a atacar e a acreditar

chegando ao 2-2 por Castro. Estava feito o empate. Entrava Fabrício saía Tiago, o Águas Santas continuou em cima, atacava pelos flancos, atacava pelo meio, dominava inteiramente todo o jogo, perante um Vilar Pinheiro rendido, sem força, sem capacidade de reacção. Assim, o terceiro golo surgiu naturalmente. Mais uma jogada de bom futebol, Fabrício isola-se e com tranquilidade faz o 23. O Águas Santas passava para a frente do marcador com toda a justiça. Castro, sempre bem, dominava o meio campo sempre auxiliado por Teka e Nárciso e em mais um dos muitos lances de ataque, o Águas Santas fazia o 2-4 por Castro. Remate ao poste e

novamente na recarga faz o quarto golo, segundo golo da sua conta pessoal, e prémio mais que merecido para esta equipa do Águas Santas que, jogando fora, perante um adversário directo, mostrou classe, entreajuda, mas acima de tudo um grande sentido de colectivo. Saiu Mário e entrou Diogo Trabulo. O Vilar ainda ia desperdiçar uma grande penalidade algo contestada sobre o minuto 90. Boa arbitragem de uma equipa nova que mostrou valor. Melhor em Campo GDAS: Luís Castro

Campeonato Nacional de Voleibol 2010/2011

Vitória frente ao Fonte Bastardo por 3-2 O Castêlo da Maia GC venceu o AJ Fonte Bastardo por 3-2 no passado dia 19 de Março, no Pavilhão do Castêlo da Maia. Após ter vencido os dois primeiros sets, a equipa do Câstelo da Maia desorganizou-se e permitiu

a recuperação do adversário, Fonte Bastardo, que igualou a partida a dois sets. Foi no último e decisivo set que o Câstelo da Maia, com um forte ataque e muito acerto no bloco, conseguiu vencer a partida.

\\ FCPORTO 3 - ACADÉMICA 1

pub

A equipa alinhou da seguinte forma: João Malveiro, Diogo Cavaleiro, Pedro Azenha (C), Fernando Mari, João Simões, Donovan Correa, Lucas Gregoret, André Santos, Luís Sousa, Filipe Cruz (Libero). A arbitragem foi

constituída por Avelino Azevedo, 1º Árbitro, e Ricardo Ferreira, 2º Árbitro. O jogo contou com uma assistência de 478 espectadores. O Castêlo da Maia GC, que se encontrava, depois de vencer o Vitória de Guimarães, em 3º lugar

da classificação atrás do Benfica e do Fonte Bastardo, está agora na luta para o acesso à final. Rita Alves


20

sexta-feira 25 de março de 2011

Opinião O Troco dos Ovos \\ Esteja descansada, Eu sou boa ouvinte, Eu não direi nada.

Maria Moreira

Os Catedráticos da desgraça \\ Rogério Gonçalves

E desabafou! Contou, sempre em sussurro, Cenas de uma vida atribulada. Casara tarde e, desgostosa, Sua triste sorte lastimava: -Se fosse hoje... Muito devagarinho, Descendo a calçada, A pobre mulher vinha Pensativa e amargurada.

Achava-se doente Mas, se se queixava, O marido ignorava E, ironicamente, respondia: -Tu, tu não tens nada. Mas ele, estando mais mal, Ia logo ao doutor, Bastava um pequeno sinal.

Levantou a cabeça, Olhou o casario, Aconchegou o casaco, Achava-se com frio.

E muito mais disse, Sempre com medo Que o marido desconfiado A visse a conversar.

E a outra que a viu, A porta de casa abriu: - É comigo que quer falar? - É isso mesmo, não sabia qual a casa, estava a pensar.

Num repente, Achou-se com pressa.

E sempre devagar, Não fosse ela cair Ou escorregar, À porta se chegou. E, antes do recado a que viera, Muito baixinho segredou: -Sabe, sabe, não diga nada, Se o meu marido sabe, Estou metida numa alhada! -Não tem problema,

E foi-se embora, Não sem antes Voltar a recomendar: -Não diga nada, Se ele me perguntar O que estava a fazer, Eu digo, eu digo: -Foi o troco, O troco dos ovos Que lhe fiquei a dever.

Pai 2001-03-19 \\ Fernando Pedroso

Filho és pois pai serás Lá um dia então verás Como o deves tratar bem, Será bom que o entendas P’ra que nunca te arrependas, Pois melhor não tens ninguém! Pai, o grande companheiro Sempre o melhor conselheiro Até nas horas de dor, Defende até sem razão Defende com coração Sem limites nem favor Pai, sempre o melhor amigo O mais perfeito abrigo

Que só ensina a verdade, É a honra e alegria A estrela que nos guia Guia p’ra felicidade… Pai, homem de confiança P’ra quem somos esperança Quando ninguém acredita, Os filhos são os maiores Mesmo fracos, os melhores E a figura mais bonita Pai, quem se priva do bem Para dar tudo o que tem Aos filhos, sem hesitar É o amor e ternura A dedicação segura, Tem o sangue a obrigar… Pai, três letrinhas apenas Singelas, doces, amenas Com sentido tão profundo, Se não fora a mãe, diria, Que esta palavra seria A mais bela deste mundo…

Dependência Virtual \\ José de Paiva Netto

Se existe algo que podemos denominar revolução dinâmica — a que não somente inaugura uma nova etapa no desenvolvimento da sociedade, mas também se renova permanentemente — é a tecnologia. O que é lançado hoje no mercado como de última geração logo se torna ultrapassado. Constantes avanços cibernéticos vêm desencadeando melhorias em vários campos de atuação humana. A internet é um dos pilares desse sistema sem fim, e cada vez mais pessoas têm acesso ao mundo virtual. UNIVERSO SEDUTOR A busca pelo saber, pelo entretenimento (games, bate-papo e redes sociais), comodidades como realizar movimentações financeiras no conforto de sua casa, escritório ou lan house, em apenas um clique, são alguns dos benefícios que a rede mundial de computadores propicia. Assistimos pelo mundo que recursos da internet são usados até mesmo na aceleração de mudanças governamentais. Contudo, a utilização desses meios desacompanhada do bom senso imensos prejuízos pode provocar. Um deles é o que os especialistas chamam de ciberviciado. Trata-se de internautas com compulsão ou dependência da internet. Estudiosos a consideram uma das mais graves doenças psíquicas da atualidade. O internauta compulsivo fica ainda propenso a desenvolver doenças, como trombose venal profunda, ansiedade, depressão e obesidade. Sem contar os funestos resultados dos que não conseguem se livrar da teia virtual no campo afetivo, familiar e profissional. São perigos a que todos estão expostos, em particular os adolescentes.

Os jovens se encontram numa fase de descoberta da própria identidade. Muitos procuram nas redes sociais sua “turma” e, ao ultrapassar o limite da autoafirmação, se deparam com a dependência digital, resumindo sua vida ao sedutor universo virtual. TRATAMENTO Na maioria dos casos, a cura se resume, de acordo com especialistas, no afastamento do ciberviciado do contato com o computador, criando novos e prazerosos hábitos. Para muitos psicólogos, porém, não basta proibir, já que, de acordo com o grau de dependência, ele pode trocá-la pelas drogas. Situações assim requerem um psicoterapeuta, profissional habilitado que ajudará o paciente a encontrar as razões que o levaram ao vício e buscar alternativas na solução do problema. No Brasil, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo é uma das instituições que desenvolvem tratamento para essa doença. Outras informações podem ser obtidas pelo site www.dependenciadeinternet.com.br. Não desprezemos também os recursos da prece. A oração sincera de quem deseja curar-se ou daquele que quer ajudar a quem precisa pode produzir verdadeiros milagres. Jesus, no Seu Evangelho segundo Mateus, 7:7 a 11, nos ratifica essa esperança: “— Pedi e Deus vos dará. Deus não é indiferente nem à morte de um passarinho. Se teu filho te pede um pão, tu lhe dás uma pedra? Se teu filho te pede um peixe, tu lhe dás uma serpente? Ora, se tu, que és mau, sabes dar boas coisas a teu filho, que é que não dará o Pai que está no Céu?”. O progresso é o que todos almejamos, mas o usemos realmente a favor da Humanidade. José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). www.lbv.pt

maiahoje

Confesso que estou cansado de ouvir tantos “catedráticos” da desgraça todos os dias a comentar desgraças e nunca dando alternativas, que resolvi deixar aqui algumas ideias úteis para Portugal. 1 - Acabar com o despesismo que o Estado gasta com o sub sistema de saude da ADSE. Não compreendo como é que se continua a subsidiar a saude de uns e os outros(a maioria) continua à margem, parem e comecem a poupar melhor o dinheiro do erário público. 2 - Sendo nós um Pais geográficamente tão pequeno custa-me a aceitar como é que temos tantas freguesias e cidades espalhadas pelo território Nacional. Ora é fácil de ver que todos esses cargos são salários a mais que não se justifica e foram atitudes como estas que ao longo de décadas nos levaram a esta desgraça financeira. 3 - Fazer um rastreio económico a todas as empresas com capitais públicos e se possivel privatizar. 4 - Somos acusados há muitos anos como um povo que produz pouco percapita, ora então tenhamos coragem e façamos os horários da função pública iguais aos privados. A era das 9 ás 17h30 já está fora de moda e se o sacrificio é para todos há que ter coragem de alterar

esses horários de uma minoria priviligiada. 5 - A idade da reforma tem que ser igual para todos e acabar com alguns priviligiados que continuam a ir para o parlamento 6 mandatos e bastam esses pequenos anos para virem reformados. 6 - Colocar um tecto máximo para as reformas milionárias, custa-me a aceitar que não se possa aumentar uma reforma de 240 euros e que tenhamos classes a auferir de reforma mensal 2000, 3000, 5000 euros isto é ou não uma aberração de mentalidades. 7 - Acabar com dinheiros públicos para financiar partidos que em nada contribuem com ideias para o Pais e apenas gostam de passear a sua vaidade e ocupar mal o tempo de antena das televisões. Quanto mais mal se falar de quem governa mais tempo de filmagem cativa nos meandros da má televisão que temos em Portugal. 8- Reduzir as pontes e feriados, pois se produzimos tão pouco estas benesses são um entrave ao nosso desenvolvimento. Há muitos funcionários que trabalham para o Estado que a preocupação maior no inicio de cada ano é ver quantas pontes e feriados existem. 9 - Se a todos é exigido facturas há que ter coragem de obrigar a igreja a fazer o mesmo. Sim já pensaram quantos milhares de euros entram por exemplo em Fátima? Acredito que são muitos milhares e a religião não deve ter um tratamento especial. 10 - Acabar com as indeminizações milionárias que se pagam a gestores públicos que são pagos

principescamente para dar prejuizos anuais. 11 - Que seja apenas o mérito e a falta de eficiência os melhores indicadores para aumentar um funcionário e não apenas a antiguidade como aconteceu erradamente durante dácadas. Claro que mudar estas mentalidades não é fácil. Aqui ficaram mais algumas sugestões de um simples cidadão que está cansado de ver muitos a exigir, mas muito poucos a tentar corrigir anos e anos de maus hábitos. O festival da canção promovido pela RTP já viveu melhores dias de canções e inspiração dos cantores. Com os vencedores dos homens da luta a palhaçada ainda é maior, mas será que a nossa dignidade e a honra do Pais não mereciam mais respeito??? Mas se acham que a brincadeira é para continuar então deixem de pagar essas brincadeiras com o dinheiro dos nossos impostos, pois como sabem a R.T.P. cumpre todos os anos o seu curriculum de prejuizo anual e o Estado injecta sempre dinheiro que fazia tanta falta para coisas mais importantes. Por vezes sinto-me deveras envergonhado ao ver como brincam com o nome de Portugal em eventos onde a Europa além de gozar connosco (andamos sempre a pedir dinheiro), depois vê-nos a esbanjar nestas palhaçadas a que chamam de festival.. A brincadeira continua na Eurovisão.

Lar, Doce Lar \\ Fordoc

Nada é permanente, salvo a mudança. HERÁCLITO Diariamente ouvimos falar em agressões, assaltos, crimes violentos e homicídios inesperados. Começam a ser raras as pessoas que não passaram por uma experiência deste tipo ou que não conheçam alguém que já tenha passado por uma situação destas. Tais factos fazem-nos repensar constantemente a nossa segurança e, talvez sem estarmos muito conscientes desse facto, começamos naturalmente a passar mais tempo nas nossas casas para nos protegermos. Se juntarmos a esses factos a crise e o desenvolvimento tecnológico, traduzido em internet mais rápida, centenas de canais televisivos, centenas de filmes disponíveis online, o desenvolvimento das redes sociais e uma infinidade de outros aspectos… talvez estejam reunidas as condições para nos sentirmos verdadeiramente bem nas nossas casas sem termos de sair para nos distrairmos. Todas estas mudanças ao nível social fazem certamente com que as empresas tenham de repensar os seus

negócios de forma a ir de encontro a esta nova realidade. No entanto, a reacção das empresas a estas alterações sociais faz-me relembrar a seguinte história: um dia, um bezerro precisou de atravessar uma floresta para voltar para o seu pasto. Sendo animal irracional, abriu uma trilha tortuosa, cheia de curvas, subindo e descendo colinas. No dia seguinte, um cão que passava por ali usou essa mesma trilha torta para atravessar a floresta. Depois de tanto uso, a trilha acabou por ficar um caminho onde os pobres animais carregavam com cargas pesadas, sendo obrigados a percorrer em três horas uma distância que poderia ser feita numa hora, caso a trilha não tivesse sido aberta pelo bezerro. Muitos anos passaram e o caminho tornou-se a rua principal de uma vila e, posteriormente, a avenida principal de uma cidade, passando a transitar diariamente nessa via milhares de pessoas, seguindo a mesma trilha torta feita pelo bezerro há muito tempo atrás. Esta história serve para alertar para o facto de que muitas empresas continuam a seguir o mesmo caminho que percorrem há dezenas de anos e não repararam que precisam de alterá-lo em função das novas tendências sociais. A verdade é que o comportamento do ser humano foi sofrendo, com o passar dos tempos, alterações radicais e as marcas que quiserem sobreviver no mercado devem estar atentas e ajustar-se a

todas essas mudanças. Como já foi anteriormente referido, uma das tendências sociais que caracteriza, hoje em dia, o comportamento humano denomina-se por casulismo ou cocooning e traduz-se no facto de as pessoas, cada vez mais, permanecerem nas suas casas, seja por motivos de insegurança, instabilidade emocional ou até por simples comodismo. Mas, apesar de muitas empresas continuarem a percorrer sempre o mesmo caminho, a verdade é que muitas marcas já repensaram o seu negócio e começam a seguir caminhos nunca antes percorridos. Não é por acaso que surgem em Portugal as colecções de roupa designadas de homelover ou a súbita tendência para workshops de decoração, compra de máquinas de café ou pequenos barris de cerveja para poder beber um fino em casa. Nesse sentido, alguns negócios foram repensados e começam a disponibilizar aos clientes a possibilidade de compras online e de serviços e entregas ao domicílio. A verdade é que aos poucos começam a estar reunidas as condições para vermos com outros olhos a expressão lar, doce lar. Cristela Bairrada sugestao.fordoc@gmail.com Associação Nacional de Jovens Formadores e Docentes (FORDOC)


maiahoje

sexta-feira 25 de março de 2011

Avisos, Tribunais e Conservatórias

21

Tribunal Judicial da Maia 1º Juízo Competência Cível Praça Dr. José Vieira de Carvalho 4470-202 Maia Tel. 229430121/22/23 • Fax 229444473 Mail: maia.tc@tribunais.org.pt

ANÚNCIO (1ª publicação de duas)

Processo: 6012/10.9TBMAI Acção de Processo Sumário N/Referência: 5898634 Data: 02-03-2011 Autor: Manfred H. Muller & Cª. Lda Réu: Avelino da Silva Nogueira e outro(s)… Nos autos acima identificados, correm éditos de 30 dias, contados da data da segunda e última publicação do anúncio, citando o réu Mário Orlando Ribeiro Noguieira, NIF – 199235643, BI – 10335379, domicílio: Rua Luís da Silva Neves, Nº 665, Gueifães, 4470-000 Maia com última residência conhecida na morada indicada para, no prazo de 20 dias, decorrido que seja o dos éditos, contestar, querendo, a acção, com a cominação de que a falta de contestação importa a confissão dos factos articulados pelo autor e que em substância o pedido consiste no pagamento da quantia de Euros 22.139,04 e respectivos juros, tudo como melhor consta do duplicado da petição inicial que se encontra nesta Secretaria, à disposição do citando. O prazo acima indicado suspende-se, no entanto, nas férias judiciais. Fica advertido de que é obrigatória a constituição de mandatário judicial. A Juiz de Direito, Drª. Maria Eunice Lopes de Almeida O Oficial de Justiça, José Carlos Rodrigues da Fonseca JORNAL MAIAHOJE • EDIÇÃO 272 • 25 DE MARÇO DE 2011

JORNAL MAIAHOJE • EDIÇÃO 272 • 25 DE MARÇO DE 2011

o seu jornal www.maiahoje.pt "

boletim de assinaturas

maiahoje

SIM, desejo ser assinante do JORNAL MAIA HOJE por um período de: 1 ano ou 24 números - 10 Euros

2 anos ou 48 números - 20 Euros

APROVEITE A CAMPANHA DA ASSINATURA ANUAL 15% DE DESCONTO NO PREÇO DE CAPA Envio Cheque ou V. Postal Nº . no valor de

euros, do Banco

Nome Data de Nascimento

Naturalidade

Morada Profissão

Código Postal

Telefone

Telemóvel

Recorte e envie o cupão para a seguinte morada: JORNAL MAIA HOJE - Rua dos Altos, Ed. Arcada, n.º 12 • 4470-235 ou através do Fax 22 406 21 25


O Tempo

22

sexta-feira 25 de março de 2011

Coffee Break

maiahoje

25/03

25/03

26/03

26/03

27/03

27/03

28/03

28/03

SEX dia

SEX noite

SAB-dia

SAB-noite

DOM-dia

DOM-noite

SEG-dia

SEG-noite

Possibilidade de chuva. Predominantemente nublado. Alta: 17 °C. Vento SSO 10 km/h.

Possibilidade de chuva. Parcialmente nublado. Baixa: 8 °C. Vento Sul 10 14 km/h.

Hotspots Wi-Fi (MAIA) Aeroporto Francisco Sá Carneiro . . . . .Pedras Rubras ANJE . . . . . . . . . . . . . . . . . .Tr. Cruzes Monte, 46 - R/C CEPSA . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Av. António Santos Leite CTT . . . . .R. Dr. José Rodrigues Silva Júnior, 355 - R/C Galeria Central Plaza . . . . . . . . .R. D. Manuel II, 2076 GALP - A.S. Águas Santas . . . . . . . . . . . . . .A4, Km 9.8 (Porto/Amarante - Ermesinde) GALP - A.S. Águas Santas . . . . . . . . . . . . . .A4, Km 9.8 (Amarante/Porto - Ermesinde) Loja PT . . . . . . . . . . . . . . . . .Av. Visconde Barreiros, 15 Lusomundo MaiaShopping . . . . . .Lugar de Ardegães Maioritelica . . . . . . . . . .R. Eng. Frederico Urich, 3196 McDonald’s (Maia Centro) . . . . . . .Lugar de Catassol McDonald’s (Maia Jumbo) . . . . . . .Jumbo, EN14, Km9 McDonald’s (MaiaShopping) . . . . . . . . .Lj. 238, Piso 2 TOTAL . .Via Eng. Belmiro de Azevedo - Z. Ind. Maia I

Telefones úteis EMERGÊNCIAS: SOS Número Nacional de Socorro . . . . . . . . . . . . . .112 Intoxicações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 250 143 Bombeiros Voluntários de Moreira . . . . .229 421 002 Assoc. Human. Pedrouços . . . . . . . . . . . .229 012 744 P.S.P. Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 413 853 P.S.P. Aeroporto de Pedras Rubras . . . . .229 482 693 G.N.R. Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 867 430 Protecção Civil (C.M. Maia) . . . . . . . . . . .229 408 722 Protecção Civil (C.M. Maia) Fax . . . . . . . .229 412 038 Protec. Civil (C.M.M) Linha verde . . . . . . .800 205 169 Polícia Municipal Maia . . . . . . . . . . . . . . .229 440 853 PSP Águas Santas . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 713 537 SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA: Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . .229 439 810 Conservatória do Registo Predial . . . . . .229 483 929 1.ª Repartição de Finanças . . . . . . . . . . . .229 448 133 2.ª Repartição de Finanças . . . . . . . . . . . .229 785 040 1.ª Tesouraria da Fazenda Pública . . . . .229 484 332 2.ª Tesouaria da Fazenda Pública . . . . . . .229 717 271 Tribunal Judicial da Maia . . . . . . . . . . . . .229 438 900 Santa Casa da Misericórdia . . . . . . . . . . .229 448 136 Correios de Vermoim . . . . . . . . . . . . . . . .229 439 610 EN - Electricidade do Norte . . . . . . . . . . .800 506 506 EN - (Comunicação de Avarias) . . . . . . . .800 246 246 S.M. Águas e Saneamento da Maia . . . .229 430 800 Inst. Emprego Form. Profissional . . . . . .808 200 670 Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . .229 413 141 Câmara Municipal da Maia . . . . . . . . . . .229 408 600 Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . .229 687 322 Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . .229 483 472 Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 408 643 Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . .229 436 390 Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . .229 442 462 E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . .229 408 643 Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . .229 408 721 Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . .229 484 821 Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 059 520 Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 482 660 Canil Municipal da Mai . . . . . . . . . . . . . . .229 823 687 Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 870 292

Possibilidade de chuva. Alta: 18 °C. Vento SO 11 km/h.

Chuva. Baixa: 8 °C. Vento SO 6 - 11 km/h.

Possibilidade de chuva. Parcialmente nublado. Alta: 19 °C.

Possibilidade de chuva. Parcialmente nublado. Baixa: 9 °C.

Possibilidade de chuva. Parcialmente nublado. Alta: 18 °C.

Parcialmente nublado. Baixa: 5 °C. Vento ONO 11 - 18 km/h.

Código QR, i-nigma ou 2D

Farmácias de serviço

O leitor já deve ter visto estes quadrados “esquisitos” em publicidade, paragens de autocarro, edifícios e até T-shirts. Mas afinal o que é isto?

Dia

25

26

27

28

29

30

31

01

Turno

Bi

Da

Eb

Fc

Gd

Ac

Bf

Cg

O chamado Código QR (Quick Response), também conhecido por 2D ou i-nigma é uma espécie de código de barras que substitui as “velhinhas” riscas que tinha pouca capacidade de informação. Criado em 1994 pela empresa japonesa DensoWave, tem a particularidade de conter muita informação, ao contrário dos anteriores códigos de barras. Para terem uma ideia, este código tem a capacidade máxima de “guardar” 7.089 caracteres numéricos ou 4.296 caracteres alfanuméricos. Como funciona? Quem “desenha” o código, recorre a programas informáticos ou páginas Web que disponibilizam o “desenho” instantaneamente. Depois de impresso, seja numa publicidade, na fachada de um prédio, numa paragem de autocarro, ou mesmo numa t-shirt, qualquer pessoa que disponha de um telemóvel com câmara fotográfica e suporte ligação à internet pode obter um programa para o telemóvel que, com uma simples fotografia tirada na hora, descodifica o código. No caso do MaiaHoje, o nosso código foi “desenhado” com a ligação ao site da nossa página internet, pelo que para aceder à página em www.maiahoje.pt, fotografar, descodificar e já está! Como instalo o programa? Fácil. Vá a www.i-nigma.mobi (http://www.i-nigma.mobi) e de forma gratuita descarregue o programa. Antes verifique a compatibilidade do seu equipamento em www.i-nigma.com/personal/devices.asp?lang=pt). Instale, siga as instruções e fica pronto a navegar nas novas tecnologias. O futuro Futuramente poderá em determinadas páginas e artigos do MaiaHoje, ter acesso a mais informação ou mensagens multimédia como vídeo e som. Siga a sua imaginação.

A (SERVIÇO PERMANENTE) AGRA - MILHEIRÓS GRAMAXO - MOREIRA DA MAIA B (SERVIÇO PERMANENTE) LIMA COUTINHO - GUEIFÃES DA MAIA - ÁGUAS SANTAS C (SERVIÇO PERMANENTE) BASTOS - GUEIFÃES NOVA DE ARDEGÃES - ARDEGÃES D (SERVIÇO PERMANENTE) MARTINS DA COSTA - ÁGUAS SANTAS ÁLVARO AGANTE - VERMOIM E (SERVIÇO PERMANENTE) MOREIRA BARROS - PARADA CENTRAL - CATASSOL F (SERVIÇO PERMANENTE) DO LIDADOR - ARDEGÃES BOM DESPACHO - MAIA G (SERVIÇO PERMANENTE) SOUSA BEIRÃO - MAIA ALIANÇA - VERMOIM a (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) DO AEROPORTO - PEDRAS RUBRAS b (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) GEMUNDE - CAMPA DO PRETO c (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) CASTÊLO - CASTÊLO DA MAIA d (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) VILA NOVA DA TELHA - QUIRES e (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) EUGÉNIA - PEDROUÇOS f (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) SILVA ESCURA - FREJUFE g (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) ARAÚJO - NOGUEIRA h (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) VALES - ARROTEIA i (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) DAS GUARDEIRAS - GUARDEIRA y (DISPONIBILIDADE ATÉ ÀS 22H) MENDONÇA - SÃO PEDRO FINS

Informação patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

Cinemas Warner lusomundo cinemas MAIASHOPPING DE 24 de MARÇO - 30 de MARÇO

Todos os filmes têm inicio 10 minutos após hora marcada Tel: 22 977 04 50 • Fax 22 972 45 37 Manhãs Gloriosas

[13h10 , 16h00 , 18h45 , 21h30 , 00h20(**)]

Gnomeu e Julieta

[11h00 (*) 13h20, 15h45, 18h10]

O Discurso do Rei

[21h20 , 00h10(**)]

Alpha & Omega

[11h10 (*) 13h30 , 16h10 , 18h40]

Sexo Sem Compromisso

[21h40, 00h35(**)]

Rango VP

[10h50(*) , 13h40, 16h30(**)]

Agentes do Destino

[19h20 , 22h00 , 00h40(**)] De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SAÚDE: C. de Saúde da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .229 470 940 (Linha Azul) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .229 487 918 C. Saúde de Á.Santas . . . . . . . . . . . . . . . .229 735 420 C. Saúde do Castêlo . . . . . . . . . . . . . . . . .229 810 238 Unid. Saúde de Moreira Maia . . . . . . . . .229 867 036 U. S. Moreira Maia(Linha Azul) . . . . . . . .229 427 968 Unidade de Saúde de Gueifães . . . . . . . .229 438 449 Unidade de Saúde de Milheirós . . . . . . .229 723 322 Unidade de Saúde de Nogueira . . . . . . . .229 448 655 Unidade de Saúde de Vermoim . . . . . . . .229 470 950 Serv. Atend. a Situações Urgentes . . . . .229 448 790 Cruz Vermelha Port. (Núcleo Maia) . . . . .229 411 221

VIVACINE MAIA

DE 24 de MARÇO - 30 de MARÇO Todos os filmes têm inicio 10 minutos após hora marcada Tel: 22 947 15 18 Zé Colmeia 3D V.P. [11:10*****; 13:50; 16:30] Os Agentes do Destino Eu sou o Número Quatro Manhãs Gloriosas Gnomeu e Julieta

[18:50; 21:10; 23:45]

PERMANENTE

29 de Março

[13:40; 16:20; 19:00; 21:30; 00:00] [13:20; 16:00; 18:40; 21:10; 23:50] [11:00(*****); 13:30; 15:50; 18:30; 21:00; 23:20]

Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

(*) Só ao Domingo - (**) Só 6ª e Sábado - (***) Excepto Sábado e Domingo - (****) Sexta a Sábado (*****) Domingos e Feriados

PUB


VIAGENS

sexta-feira 25 de março de 2011

Magazine pub

maiahoje Viena

A temporada de Carnaval e bailes em Viena de Áustria O Carnaval ou “Fasching” é uma tradição muito antiga profundamente arraigada nas tradições populares austríacas. Ou não fora a Áustria um país marcadamente católico. Logo a seguir ao Natal, que decorre calma e sossegadamente, começam as celebrações ruidosas e despreocupadas do Carnaval em todas as partes da Áustria. O “Fasching” começa com as boas-vindas do Ano Novo e dura até a terça-feira de Carnaval. Cada região austríaca celebra o seu Carnaval com alegria, à sua maneira. No Tirol, a região de Salzburgo e Caríntia, os “Perchtenläufe”, que são desfiles folclóricos com representação de figuras da mitologia alpina, simbolizam em suas danças e desfiles pelos vilarejos a fuga dos demónios e as mudanças de estação. Com seus saltos grotescos fazem soar sinos que penduram na cintura com uma melodia que sempre se repete. As máscaras são confeccionadas em oficinas de artesãos e exigem muitos meses de trabalho manual, porque a maioria das máscaras é feita de madeira ou de tecidos valiosos. As pequenas cidades, protagonistas desta famosa tradição, são Imst, Hall, Kufstein no Tirol, e Tamsweg, Bad Gastein e Mauterndorf em Salzburgo, Bad Aussee na Estíria e Villach na Caríntia. Os grandes desfiles de máscaras concentram-se na última semana do Carnaval. Nas cidades de Baden, Wr. Neustadt, Linz, Klagenfurt, Graz e Bregenz, os comités de Carnaval organizam grandes festas com desfiles infantis de máscaras, danças, concursos de anedotas e tudo o que o Carnaval permite. A Temporada dos Bailes Uma belíssima e elegante tradição que acompanha o “Fasching” na Áustria são os bailes. O baile musical tem sua origem há mais de 200 anos e foi o compromisso festivo da aristocracia austríaca de convidar seus amigos, políticos, diplomatas e artistas para celebrar acontecimentos familiares, oficiais ou culturais em seus majestosos palácios em Viena e seus arredores. A corte vienense, especialmente, manteve a tradição dos bailes até aos dias mais obscuros da história da monarquia austro-húngara. A triste sombra das duas guerras mundiais não pôde extinguir a alegria e o grande sentimento musical do povo vienense, por isso, a partir dos anos 1955, Viena começava a transformar-se novamente na maior sala de bailes do mundo. Entre o começo do ano e o Carnaval têm lugar mais de 200 bailes em palácios e salões sumptuosos com um ambiente incrível. Hoje em dia, o mais famoso é o Baile da Ópera, marcado para o dia 3 de Março de 2011 na Ópera do Estado de Viena. O traje obrigatório é o smoking para os homens e vestido comprido de noite para as senhoras. O Baile do Imperador Entrar no Ano Novo a dançar a

valsa: nos soberbos salões do Palácio Imperial de Viena é possível divertir-se como um rei no baile que se organiza na passagem do ano. Depois de se ser recebido pelo “casal imperial” e de presenciar a impressionante mudança da guarda, pode celebrar-se a noite mais longa do ano com ritmo, elegância e champanhe. Dez orquestras e grupos tocam música para dançar em quatro salas diferentes, empregados vestidos a rigor servem delícias culinárias durante o banquete de gala. Baile de Johann Strauss Este baile está completamente caracterizado pelo lema da opereta “Sangue vienense” de Johann Strauss. Dança-se, ao compasso de três por quatro. Aqueles que desejam aprender ou melhorar seus passos de valsa estão convidados a participar na oficina de dança. Depois da valsa ou quando tudo já

estiver girando, pode relaxar-se com um bom copo de vinho – austríaco, entenda-se. Data: 12 de Fevereiro de 2011 Lugar: Kursalon im Stadtpark, distrito 1, Johannesgasse 33 (Viena) Para mais informação: www.soundofvienna.at A Dança dos cafeeiros “Kaffeesiederball” O Ballet da Ópera do Estado de Viena encanta ao compasso de três por quatro: nas salas sumptuosas do Palácio Imperial os cafeeiros de Viena convidam à dança, cujo lema é “Gostamos de convidar os nossos amigos”. Nas várias salas da Redouten, existe muito movimento, um ambiente muito alegre e de felicidade com as valsas. Data: 25 de Fevereiro de 2011 Lugar: Hofburg I, pl/Heldenplatz (Viena) Para mais informação: www.kaffeesiederball.at

Baile da Ópera O baile dos bailes, no sumptuoso edifício da Ópera do Estado de Viena, é conhecido como um lugar de encontro de celebridades internacionais e é um dos acontecimentos sociais mais importantes. É onde normalmente as grandes estrelas da ópera fazem sua estreia no palco, onde se dança ao compasso de três por quatro e onde mais de 160 debutantes dançam a polonaise que dá início do baile – as damas de branco, os cavalheiros de preto -, sendo assim “introduzidos na sociedade vienense”. Para os demais é um inesquecível sonho de valsas no templo das musas. Data: 03 de Março de 2011 Lugar: Ópera do Estado de Viena Para mais informação: www.wiener-staatsoper.at ou opernball@wiener-staatsoper.at Texto: M.Margarida Pereira-Müller Foto: Turismo Austríaco

23


maiahoje

sexta-feira 25 de março de 2011

Publicidade

24

Em cima esq p/ drt Pedro Fonseca (treinador), Alberto (director), Ângelo (prof.), Marcelo, Zé Paulo, Fonseca, Nuno (cap.), Filipe, João Jesus(s/cpt.), Fradinho, Abílio, Bruno, Moreia ( tc G.Redes), Hugo ( Fisioterapeuta )

Em Baixo esq p/ drt Bonfim, Guilherme, Silva, Nogueira, China, Orlando, Rui, Diogo, Peixe.


272