Page 1

pub

13 JAN a 26 JAN

2012 Ano XI | Nº 291 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar

apenas 0,70 € IVA incluído

\\ política

PUB

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

Oposição chumba em bloco e acusa executivo de falta de sensibilidade social

Freguesia de Águas Santas sem orçamento para 2012 Oposição diz que executivo só pensa em acabar a obra do Centro Cívico. Presidente já introduziu mudanças no orçamento que espera ver aprovado no final do mês. p. 03

\\ foto exclusivo MaiaHoje Edgar Alves / estúdio EAfotocenter

música “Starlie” quer encantar maiatos com o seu show

saúde

Hospital Privado de Alfena abre com serviço de urgência geral e pediátrica 24 horas, 365 dias/ano. p.07

\\

política

Comissão Política da JSD toma posse amanhã

p.05

\\

media

Júlio Magalhães é o novo director geral do Porto Canal

a fechar pub

p.08 e 09 pub


02

NOVO PREÇO DE CAPA

editorial \\ artur bace|ar director

Sociedades, ditas, secretas Parece-me, no mínimo, engraçado que se discuta o facto de alguém pertencer a uma Sociedade dita secreta. Qual é o problema pergunto eu? Há provas de alguém que usou esse facto para cometer alguma ilegalidade ou acto condenável? Parece-me que não. Existe apenas o facto de pertencer a um grupo de amigos ou não, que se reúnem quando lhes apetece, pelo que, até que alguém tenha esse comportamento menos digno ou infrinja a Lei, não me parece condenável. Falo por experiência própria, pois durante boa parte da minha juventude, frequentei e fui associado de um clube ligado ao “Opus Dei” (lei de deus) e muito sinceramente nada de estranho lá se passava, tirando o facto de ter tido uma boa formação moral e religiosa. Fiz bons amigos que ainda hoje mantenho. Recordamos esses tempos e se houvesse tempo e disponibilidade é obvio que jantaríamos e conviveríamos juntos de novo. Se fosse governante e os considerasse competentes concerteza que os convidaria a trabalhar comigo. O que há de errado nisso? A meu ver nada. O que conta são os actos e factos que parecem não existir. Recentemente o governo tem feito “nomeações” que tem criado alguma polémica, como é o caso da EDP ou das Águas de Portugal. Mais uma vez qual é o mal disso? São os nomes que não agradam ou a competência? Lembro-me que José Mourinho, pegou num central chamado Pepe e transformou-o num belíssimo médio que até faz golos nessa posição. Logo apareceram os “profetas da desgraça” a dizer que não era o nome indicado para aquele lugar. O tempo veio dar-lhe razão “política”. Assim também se passa na política. Se me visse a governar seria natural que me rodeasse de pessoas da minha absoluta confiança, independentemente da sua competência técnica, para que seguissem com o plano estipulado. Tecnicamente têm que existir os tais assessores para, tal como os médicos, aconselhar e emitirem a sua opinião, mas a palavra final e responsabilidade cabe sempre ao “doente” que toma a decisão política de aceitar o conselho ou não. Resumindo, quando não há assunto, tenta-se trazer para a discussão pública assuntos que só servem para mostrar o medíocre trabalho da oposição. pub

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Página dois Ao fim de quase doze anos de edições, tivemos que aumentar o preço de capa do nosso/seu jornal. Apesar de tudo, o preço continua simbólico

face ao custo de cada edição que é suportada apenas pela publicidade que desde já muito agradecemos. Assim por 70 cêntimos, pouco mais do

maiahoje

que o preço de um café, esperamos do leitor a melhor compreensão e oferecemos a garantia de que tudo iremos fazer para merecer a confiança. Gratos.

\\ FOTOLEGENDA - «Natal, Natal, filhoses com vinho não fazem mal» Em Dia de Reis, o Grupo Coral “Coro da Voz” cantou as Janeiras ao presidente e aos funcionários da Câmara Municipal da Maia. Criado em 2009 e promovido pelo Centro Comunitário de Vermoim/Sobreiro – Santa Casa da Misericórdia, o coral resulta de uma parceria entre este, a Casa da Música e o Instituto da Droga e da Toxicodependência. Dirigido por António Miguel

Teixeira, o grupo agrega utentes do centro comunitário, idosos dos centros de dia, professores associados da Maia, utentes do Rendimento Social de Inserção e do Projecto Inserir (ex-toxicodependentes e outros em processo de reabilitação), bem como, outros cidadãos que gostam de cantar. FOTO: Luís Filipe Azevedo

\\ DIÁRIO do CONCELHO (contratos de ajuste directo entre 27/10/2011 a 04/11/2011) DATAPUB....ADJUDICANTES ..............................ADJUDICATARIOS...........................................................OBJECTO.....................................................................................PRAZO........... PREÇO 06-12-2011 .....SMEAS MAIA..........................................ENERMETER-SISTEMAS DE MEDIÇÃO, LDA..............................FORNECIMENTO DE 2800 CONTADORES DE ÁGUA, R400 .......................1095................72897,5 12-12-2011......MUNICÍPIO DA MAIA..............................PETROLEOS DE PORTUGAL (PETROGAL), S.A...........................PROCEDIMENTO N.º 2127/2011 - AQ. DE COMBUSTIVEIS A GRANEL.......210 ..................134000 16-12-2011......MUNICÍPIO DA MAIA..............................NUNO JORGE ESPREGUEIRA CARVALHO ..................................CONTRATAÇAO EM REGIME DE AVENÇA DE TECNICOS DE DESPORTO ........................................ .............................................................................................................................................................................................PARA OS COMPLEXOS MUNICIPAIS DE PISCINAS, GINASTICA E TENIS...365....................16800 20-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................IRMÃOS MOREIRAS, S.A............................................................CONSERVAÇÃO DE INSTALAÇÕES DESPORTIVAS - REABILITAÇÃO DO ........................................ .............................................................................................................................................................................................CAMPO DE JOGOS DO INTER DE MILHEIRÓS E DO CAMPO DE TREINOS ...................................... .............................................................................................................................................................................................DE PEDROUÇOS, NO CONCELHO DA MAIA .................................................30..................59793,5 20-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................MEDIDATA.NET - SIS. INF. AUTARQUIAS...................................FORNECIMENTO DE SOFTWARE COM VISTA A INTEGRAÇÃO DAS ................................................ .............................................................................................................................................................................................SOLUÇÕES DE WORKFLOW E BACKOFFICE (SIGMAFLOW E ERP SIGMA)...................................... .............................................................................................................................................................................................EXISTENTES NESTE MUNICÍPIO COM O CARTÃO DO CIDADÃO, NO ............................................. .............................................................................................................................................................................................ÂMBITO DO PROJECTO SIMA .......................................................................30.......................9000 20-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................JOLEC - COM. MATERIAL ELÉCTRICO .........................................AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DIVERSOS PARA INSTALAÇÕES ................................................ .............................................................................................................................................................................................DESPORTIVAS OU PARA RECINTOS DESPORTIVOS - FORNECIMENTO ........................................ .............................................................................................................................................................................................E COLOCAÇÃO DE PROJECTORES PARA TORRES DE ILUMINAÇÃO DO ......................................... .............................................................................................................................................................................................RECINTO DE JOGO NO ESTÁDIO DE PEDRAS RUBRAS................................30................13342,96 21-12-2011......MUNICÍPIO DA MAIA..............................VADECA JARDINS, S.A ................................................................PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE ESPAÇOS VERDES ........................................... .............................................................................................................................................................................................EXISTENTES NAS FREGUESIAS DE FOLGOSA, GEMUNDE, GONDIM, ............................................ .............................................................................................................................................................................................NOGUEIRA, SANTA MARIA DE AVIOSO, SÃO PEDRO DE AVIOSO, SÃO ........................................ .............................................................................................................................................................................................PEDRO DE FINS E SILVA ESCURA................................................................120....................34568 21-12-2011......MUNICÍPIO DA MAIA..............................SEC - SOC. EMPREITADAS E CONSTRUÇÕES............................BENEFICIAÇÃO DAS ÁREAS EXTERIORES DE EDIFÍCIOS DE EB1 - .................................................. .............................................................................................................................................................................................PAVIMENTAÇÕES EXTERIORES NOS EB1 DE MONTE CALVÁRIO - NOGUEIRA .............................. ............................................................................................................................................................................................. E DE CORIM - ÁGUAS SANTAS.....................................................................30 .................54896,5 21-12-2011......MUNICÍPIO DA MAIA.............................. VADECA JARDINS, S.A................................................................AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE ESPAÇOS VERDES ............................................ .............................................................................................................................................................................................EXISTENTES NAS FREGUESIAS DE BARCA, GUEIFÃES E VERMOIM, ............................................. .............................................................................................................................................................................................PELO PERÍODO DE 4 MESES. ......................................................................122...............32573,48 22-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................CONBEGO - UNIPESSOAL, LDA..................................................AQUISIÇÃO E REPARAÇÃO DE EQUIPAMENTO GIMNICO PARA O ................................................. .............................................................................................................................................................................................COMPLEXO DE GINÁSTICA...........................................................................30.....................43362 22-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................HENISA - COM. PRODUTOS ALIMENTARES ..............................FORNECIMENTO DE 1600 CABAZES DE NATAL 2011 ...................................15..................50053,8 22-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................CONSTRUÇÕES EZEQUIEL PINHO MOREIRA ............................CONSERVAÇÃO DE INSTALAÇÕES DESPORTIVAS - CAMPO DE TREINOS .................................... .............................................................................................................................................................................................DO COMPLEXO DESPORTIVO DE PEDROUÇOS - MOVIMENTO DE ............................................... .............................................................................................................................................................................................TERRAS E VEDAÇÕES - NA FREGUESIA DE PEDROUÇOS............................90 .................66998,7 22-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................ALGECO - CONSTRUÇÕES PRÉ-FABRICADAS............................INTERVENÇÕES DE CARÁCTER URGENTE EM RAZÃO DE INTEMPÉRIES........................................ ............................................................................................................................................................................................. OU OUTRAS SITUAÇÕES FORTUITAS - ALUGUER DE 9 MONOBLOCOS ....................................... .............................................................................................................................................................................................PRÉ-FABRICADOS PARA ALOJAMENTO DE FAMÍLIAS CIGANAS NA ............................................... .............................................................................................................................................................................................URBANIZAÇÃO DO LIDADOR........................................................................90 .......................4180 22-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................ALGECO - CONSTRUÇÕES PRÉ-FABRICADAS............................LOCAÇÃO DE DUAS ESTR. MODULARES PELO PER. DE 11 MESES............330......................7920 22-12-2011 .....SMEAS MAIA..........................................INFINIPLUS-SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA .............................FORNECIMENTO DE 45 DE FILTROS DE CARVÃO ATIVADO........................20.......................9360 22-12-2011 .....SMEAS MAIA..........................................SEW-EURODRIVE PORTUGAL, LDA............................................FORNECIMENTO DE PEÇAS DE RESERVA - MOTOR REDUTOR HELICOIDAL ................................. ............................................................................................................................................................................................. PARA AS TURBINAS DE AREJ. DA ETAR DE PONTE DE MOREIRA...............20......................11000 23-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................BATIMAIA - CONSTRUÇÕES, LDA ..............................................REC. DA ANTIGA COZINHA DA EB1/JI DO CORIM EM SALA DE CAF E SAF ..30 .......................1445 23-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................MÁRIO JORGE FERREIRA RIBEIRO SILVA...................................CONTR. EM REGIME DE AVENÇA DE TECNICOS DE DESPORTO PARA .......................................... .............................................................................................................................................................................................COMPLEXOS MUNICIPAIS DE PISCINAS, GINÁSTICA E TÉNIS...................330......................6405 28-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................PEDRO MANUEL F. RODRIGUES BARROCO ..............................CONTRATAÇAO DE UM TECNICO, EM REGIME DE AVENÇA, POR UM ........................................... .............................................................................................................................................................................................PERIODO DE 12 MESES PARA A PRESTAÇAO DE SERVIÇOS TECNICOS E ..................................... .............................................................................................................................................................................................PARA A REALIZAÇAO DE TORNEIOS DURANTE O ANO DE 2012................365.................20210,4 29-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................MIGUEL ROCHA & ROCHA, LDA .................................................CONSTRUÇÃO DE ECOPISTAS - EDIFÍCIO DE APOIO - REQUALIFICAÇÃO ...................................... .............................................................................................................................................................................................DE PARAMENTOS EXTERIORES EM MADEIRA E REFORÇO DA REDE DE ....................................... .............................................................................................................................................................................................DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS, NA FREGUESIA DA MAIA ......................30 ......................10110 30-12-2011 .....MUNICÍPIO DA MAIA..............................VITOR FERNANDO DA SILVA DUARTE .......................................CONTRATAÇAO EM REGIME DE AVENÇA, POR UM PERIODO DE 12 .............................................. .............................................................................................................................................................................................MESES, DE TECNICOS NA AREA DO DESPORTO (AREA DE ATLETISMO ........................................ .............................................................................................................................................................................................E NATAÇAO) PARA PRESTAÇAO DE SERVIÇOS NO DEP.DE DESPORTO ...365 ..................8978,4 02-01-2012.....MUNICÍPIO DA MAIA..............................JOAO FRANCISCO DA SILVA CAMPOS .......................................CONTRATO DE AVENÇA NO AMBITO DO DESPORTO................................365 ..................8978,4


maiahoje

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Sociedade

POLÍTICA:

03

\\ Opinião

Junta de Águas Santas ainda sem orçamento para 2012

Orlando Leal

\\

Perante a reprovação do Plano e Orçamento para 2012, o executivo de Carlos Vieira já rectificou os documentos e vai submetê-los novamente à votação da assembleia de freguesia no final do mês. Ao Maia Hoje, o autarca mostrou-se «confiante».

A proposta de Plano e Orçamento para 2012 apresentada, a 27 de Dezembro, na Assembleia de Freguesia de Águas Santas foi reprovada por toda a oposição. Os documentos em causa mereceram o voto contra do PS, CDU e BE que, estando em maioria, determinaram a rejeição da proposta. «O PSD não tem a maioria na assembleia e está sempre sujeito as estas coisas. Juntaram-se, votaram contra. É um direito que lhes assiste. É a democracia», disse Carlos Vieira, presidente da junta de freguesia. Marco Martins, secretário coordenador do PS de Águas Santas recordou, em declarações ao Maia Hoje, que já em 2011 foi ponderada a rejeição dos documentos apre-

TECNOLOGIA

sentados, devido ao «desinvestimento em áreas essenciais como a acção social e a educação». Contudo, na altura, embora «num quadro de crítica profunda», o PS decidiu abster-se «dando o benefício da dúvida ao executivo». O mesmo não aconteceu este ano porque, afirmou Marco Martins, «o Executivo da Junta tem apenas uma prioridade e o plano de investimentos apresentado à Assembleia de Freguesia é a prova de tudo isto. O investimento para o projecto do edifício sede da freguesia representa quase 99 por cento do total de investimentos previstos pela Junta, sendo que as outras duas funções e, nomeadamente a social, representam cerca de um por cento». A distribuição desigual dos investimentos pelas diferentes funções e os sucessivos cortes nas áreas da acção social (menos 35 por cento desde 2010) e da educação (menos 20 por cento em 2012) justificaram a tomada de posição do PS. «Isto mostra claramente a paralisia total do Executivo que não tem sido capaz de apresentar novos projectos vivendo preso ao novo edifício. Uma prioridade discutível numa altura como a que vivemos», sublinhou o secretário coordenador socialista. Uma opinião partilhada pelo Bloco de Esquerda que, em comunicado, refere que o orçamento apresentado pelo executivo PSD

«demonstra um desprezo completo para com a realidade social da Freguesia» e «espelha a inércia, a paralisia e a incapacidade política do PSD em responder às necessidades da população local», privilegiando «gastos megalómanos sem qualquer justificação». Sobre este assunto, Carlos Vieira reconhece que a conclusão do Centro Cívico de Águas Santas é uma «prioridade, uma promessa eleitoral que tem que ser cumprida o mais rapidamente possível». «Foi uma opção que tomámos e, como tal, tentámos deslocar a maior verba possível para acabar a obra», aditou. Relativamente à diferença de uma milhão de euros, entre o valor previsto pela junta e o inscrito no Plano e Orçamento da Câmara Municipal da Maia, o autarca de Águas Santas assume que desconhecia o montante a ser transferido pela autarquia para as obras e garante já ter corrigido o orçamento. O PS mencionou ainda que apresentou duas propostas, que visavam o emprego e as políticas sociais de proximidade, para inclusão no Plano e Orçamento de 2012, que não foram tidas em conta. Para Carlos Vieira as referidas propostas, para além de terem chegado «fora de tempo», referem-se a «apoio social em áreas que já existe na freguesia, como o GAIL, o GIP e o apoio psicológico». «São situações que já estão a funcionar cá, pelo que não há motivo para criarmos outra estrutura independente», concluiu.

Orçamento rectificado vai novamente a votos «Já fizemos algumas rectificações sugeridas pelo PS, nomeadamente o aumento das verbas para a acção social. Esperemos que seja o suficiente», realçou Carlos Vieira. A partir daqui, desabafou, «só nos resta aguardar com serenidade». «Se houver vontade de todos os partidos da oposição continuarem a reprovar o orçamento vamos governar com os duodécimos. Só lamento que estejam a prejudicar terceiros, que nada têm a ver com política. Para mim, isto é política de terra queimada, que é o que temos no nosso país infelizmente», sublinhou o presidente da junta de Águas Santas. Do lado do PS, Marco Martins disse que a concretizar-se o reforço do orçamento nas áreas da acção social, o orçamento será aprovado. «Se o executivo mostrar alguma sensibilidade aos argumentos que toda a oposição referiu, a junta terá com certeza um orçamento aprovado, não tendo que viver na situação de duodécimos e sairemos todos a ganhar deste processo». Mais adiantou que «o PS estará atento à execução dos valores orçamentados. Se o executivo inscrever essas verbas, o PS vai exigir a sua execução e vamos estar atentos à mesma. Não vamos aceitar que o executivo faça uma mera cosmética orçamental». Rita Santos

Autarquias da Maia e Matosinhos disputam novas instalações do Centro

CEIIA mantém-se na Maia O Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEIIA) vai continuar na Maia. A garantia foi dada, no dia 5 de Janeiro, por Bragança Fernandes, presidente da câmara, que adiantou que a localização das novas instalações para o aumento daquela unidade ainda está por definir. «A Câmara Municipal da Maia está em condições de assegurar

pub

que o CEIIA e os seus projectos de investigação de desenvolvimento que tem em curso no TecMaia - Parque de Ciência e Tecnologia da Maia, aí se manterão», pode ler-se em comunicado. A autarquia maiata desmente assim a congénere de Matosinhos que afirmou, no dia anterior, que a extensão do Centro iria ser construída no concelho matosinhense,

tendo para isso aprovado uma proposta de alteração do Plano de Urbanização de Matosinhos Sul/Centro, de forma a acolher a nova unidade de investigação. Bragança Fernandes considerou «altamente abusivas as considerações que têm vindo a ser veiculadas no sentido de instalar a ideia que o CEIIA se deslocalizará das excelentes instalações que

possui no TecMaia», acrescentando que está inclusive prevista a sua ampliação. O autarca da Maia sublinhou ainda que «o que está em cima da mesa é o desenvolvimento de parte das estruturas do projecto [de aeronáutica] “Avião KC 390”, estando a localização ainda por definir». Rita Santos

Ano novo vida austera Apesar de todas as ameaças, de todos os receios e de todas as dúvidas em 2011 ainda houve Natal e as demais festas da época. Claro está que a tão falada austeridade e os cortes nos subsídios de Natal se repercutiram nos gastos dos portugueses como é notório em dois indicadores como são a redução do volume de capital movimentado pelos cartões de crédito e de débito ou então pela astronómica queda do envio de mensagens via telemóvel, tendo sido os normais presentes para toda a família substituídos por pequenas lembranças ou então listas de distribuição mais pequenas, e o envio de boas festas feito através das contas de E-mail ou das redes sociais. Mas agora que já passou o natal e até os reis há que voltar a rotina do quotidiano de um 2012 que promete, desde já com o corte de feriados e tolerâncias de ponto, depois com o aumento em meia hora de trabalho diário, que, embora ainda em negociações me pareça que vá implicar um maior tempo de trabalho se não diário, em acumulado em dias que pensávamos que iriam ser de descanso. Para além disso já ouvimos os responsáveis governativos, os mesmos que já avançaram com os cortes do subsídio de férias e de Natal, com o aumento do IVA, com o aumento das tarifas energéticas e dos transportes a anunciarem que poderão ser tomadas ainda mais medidas de austeridade. De facto se acharmos que o ano que terminou foi mau, devemos repensar, pois o que está agora a começar não agoira grandes melhorias, antes pelo contrário, vem ai mais dificuldades, mais alçapões escondidos no universo público o que levará a mais austeridade e dai a maiores dificuldades, num ciclo tão vicioso como previsível até ao momento em que iremos bater realmente no fundo e a partir do qual poderemos finalmente começar a ter esperança no futuro. Mas como portugueses que somos, devemos estar ligados pela saudade de tempos gloriosos e confiantes no espírito de conquista dos nossos antepassados para almejarmos uma boa nova depois de passadas todas as tormentas, para que estas se tornem na nossa boa esperança, e que possamos já neste ano e nos anos seguintes celebrar o Natal, nem que seja com moderação. Não escreve de acordo com o novo acordo ortográfico


04

\\ Ângulo Recto António Neto

É Janeiro!.. É Janeiro de todos os aumentos (IVA, Gás, Electricidade, Água, Pão, Taxas Moderadoras, entre outros). É Janeiro de um ano que trás à memória uma afirmação de Oliver Cromwell “ Nunca se vai longe como quando não se sabe para onde se vai”. E, é bom que todos tenham consciência que com o actual rumo político do País se vai acrescentar recessão à recessão a caminho do abismo. Se não forem travadas algumas medidas de uma maioria que prometeu um rumo e agora se ajoelhou perante a troika obediente e cegamente descurando realidade concreta do País. É Janeiro de um ano nebuloso, incerto e inseguro em que só a esperança na mudança poderá travar o desmantelamento do Estado Social. É o Janeiro em que um dos principais grupos económicos de Portugal decidiu mudar-se de malas e bagagens para o País das tulipas numa clara demonstração de como se comportam aqueles que querem dar lições de moral a quem trabalha e paga os seus impostos sem poderem fugir ao fisco. É o Janeiro em que se discute o aumento da carga de horário de trabalho semanal num claro retrocesso na qualidade de vida dos trabalhadores, nada contribuindo para aumentar a produtividade e competitividade. Esta medida tornará o mundo laboral mais deprimente e porá em causa a estabilidade emocional familiar e profissional com consequências no bom e saudável desempenho profissional dos trabalhadores. Aumentar as horas de trabalho colocando Portugal no pódio de ouro do horário de trabalho da Europa não lembra aos mais cínicos ideólogos do liberalismo. É o Janeiro que revela que a crise está a ser aproveitada para desmantelar o que resta do Direito do Trabalho. É o Janeiro que nos faz gelar ao relembrar que o principal recurso de um País são as pessoas, havendo quem aponte o caminho de partida para o exterior, em particular, dos cérebros mais habilitados que para alguns parecem ter uma doença incurável (direito a emprego e a salário digno). É o Janeiro que poderá dar luz ao que está em causa porque ainda há tempo de mudar agulha na esperança de um País em que as pessoas e não a obsessão da divida seja o ângulo que comandara os seus destinos. Técnico Superior Acção Jurídica/Formador (Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico) pub

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Sociedade EDUCAÇÃO

maiahoje

Vereador é agora Doutor em Ciência Política, Cidadania e Relações Internacionais

«Grau de Doutor é um simples processo de aprendizagem na vida» No passado dia 14 de Dezembro o Vereador da Câmara Municipal da Maia, Mário Nuno Neves, doutorouse em Ciência Política, Cidadania e Relações Internacionais, com a menção de “Excelente” e por unanimidade, em provas públicas onde procedeu à defesa da sua Tese, intitulada “Fundamentos e Determinantes da Implantação e Desenvolvimento do Sistema Político da III República”, facto que nos leva a trocar algumas impressões com o novo Doutor. MaiaHoje – O que o levou nesta altura da vida e sem estar na carreira académica a fazer um doutoramento? Mário Nuno Neves – Só em Portugal é que os doutoramentos são imediatamente associados à carreira académica e não ao simples processo de aprendizagem do indivíduo ao longo da vida. Resolvi doutorar-me como algo normal no meu percurso formativo enquanto indivíduo, de forma a aprender e a saber mais e também a certificar, do ponto de vista académico, conhecimentos já detidos. MH – E porquê este doutoramento específico? MNN – Porque me pareceu um doutoramento adequado a áreas de conhecimento que sempre me inte-

ressaram. Questões de Ciência Política, de Cidadania e de Relações Internacionais sempre mereceram a minha atenção e sempre procurei manter-me actualizado em relação a todas as novas correntes de pensamento nessas áreas, posso aliás dizer que a minha biblioteca pessoal tem um acervo apreciável e actualizadíssimo em relação a essas matérias. MH – Porque escolheu este tema para a sua Tese de Doutoramento? MNN – Porque embora eu seja um cultor da História, o tempo presente, sobretudo o tempo político presente, sempre mereceu a minha atenção e considerava que um documento síntese sobre o Sistema Politico da III República Portuguesa, a nossa República, ainda não tinha sido elaborado de uma forma sistemática, quer quanto às suas condicionantes de implantação quer quanto à apreciação cívica da evolução e actual configuração do mesmo. Foi o que tentei fazer com a minha Tese e tendo em conta a apreciação do Júri não me saí muito mal.

neste momento a tratar dos detalhes desse processo. MH – Que influência é que este doutoramento trará a si e ao desempenho das suas funções públicas? MNN – Bem para mim significa mais um instrumento de interacção à minha disposição; para o desempenho das minhas funções públicas não será tanto o doutoramento em si mesmo mas sim os conhecimentos que actualizei e adquiri por

causa dele que poderão ter alguma influência. Quanto mais se sabe melhores e mais hipóteses temos de fazer as coisas bem-feitas. Por outro lado este doutoramento, realizado rapidamente e conjugado com minha vida normal, sem licenças e sem qualquer estatuto de “trabalhador-estudante”, veio reforçar a ideia que eu tenho sobre a vida: com empenho, seriedade, dedicação e muito trabalho quase tudo se consegue.

MH – A sua Tese vai estar acessível? MNN – Sim, por recomendação do Júri, vou publicá-la, estando

CASOS DE POLÍCIA

Indivíduo detido por posse de arma de fogo No passado dia 7 de Janeiro, um homem de 29 anos, desempregado e residente na Maia, foi detido na rua Abel Salazar pela Maia Esquadra de Intervenção e Fiscalização Policial da Divisão da Maia. No âmbito do combate ao crime de posse de arma proibida, o dispositivo da Polícia de Segurança Pública do Comando Metropolitano do Porto apreendeu uma arma de fogo com duas munições de calibre 6,35 mm. O desempregado foi interceptado na posse da referida arma, na sequência da denúncia da prática

de ameaças contra a integridade física de um outro cidadão. O detido foi notificado para comparecer no Ministério Público. Casal estrangeiro detido por tráfico de estupefacientes A Polícia Judiciária, através da Directoria do Norte, e a Direcção Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo, identificou e deteve um casal de cidadãos estrangeiros, de 40 e 45 anos, no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, provenientes de um voo internacional com origem em Cara-

cas e com destino final Madrid. O casal foi apreendido na posse de aproximadamente 25 Kg de cocaína, suficiente para a preparação mínima de 125.000 doses individuais, que se encontravam no interior da bagagem de porão registada em nome do indivíduo masculino. Os detidos são suspeitos de fazerem parte de uma organização internacional, responsável pela importação de elevadas quantidades de cocaína da América do Sul, com destino à Península Ibérica. Além do referido estupefaciente interceptado, foram ainda

apreendidos 1.500 euros em dinheiro, vários telemóveis entre outros elementos relevantes para o desenvolvimento da investigação. Os detidos, que tinham como profissão ajudante de cozinha e construtor de embarcações, foram presentes às competentes autoridades judiciárias, tendo em vista o seu interrogatório judicial e a submissão a adequadas medidas de coacção. Catarina Almendra


maiahoje POLÍTICA

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Sociedade

JSD Maia

\\ Opinião

JSD activa no Facebook «A Juventude Social – Democrata (JSD) da Maia congratula-se por ter na Câmara Municipal da Maia um Vereador jovem, que fala a linguagem dos jovens e que tem realizado um trabalho exemplar nos pelouros que representa», lê-se na nota de imprensa da JSD. O Fórum Jovem da Maia recebeu, no passado dia 4 de Janeiro, nas suas instalações uma reunião entre os dirigentes da JSD da Maia e o Vereador dos pelouros da Juventude e do Desporto da Câmara Municipal da Maia, Hernâni Ribeiro. O encontro, que demorou mais de três horas, tinha como função principal dar a conhecer o trabalho realizado diariamente pelos pelouros em questão, e viu assim, o seu objectivo cumprido. Juntando o avanço da tecnologia, mais precisamente das redes sociais, e a política, a JSD da Maia lançou um desafio aos seus «amigos» da rede social Facebook que se baseava na questão «Que pergunta gostarias que a JSD Maia fizesse ao Vereador da Juventude e do Desporto?». Um dia após o lançamento desta questão, já 44

COMUNICADO

Joaquim Jorge

pessoas tinham participado, tendo sido publicado em formato de sondagem questões, que acumularam 116 votos. Das 13 questões colocadas, todas obtiveram resposta na rede social, por parte do vereador Hernâni Ribeiro, de modo a que os autores das respectivas perguntas pudessem ver as suas dúvidas esclarecidas, conforme a promessa feita pela JSD Maia. Esta actividade abre assim um ciclo de reuniões com todos os vereadores com pelouro da Câmara Municipal da Maia e com outras instituições, para que assim a JSD Maia, através dos seus órgãos eleitos e dos grupos de trabalho do Gabinete de Estudos «possam realizar uma política de proximidade, com conhecimento efectivo de todos os problemas dos jovens», dizem.

Catarina Almendra

\\ Tomada de Posse da JSD Maia A Comissão Política e a Mesa do Plenário da Concelhia da Juventude Social-democrata tomam posse amanhã, sábado, 14 de Janeiro na Quinta de Vilarinho, em São Pedro de Avioso. Esta Tomada de Posse contará também com a presença de várias personalidades do mundo político não só concelhio mas também nacional. Entre estas contam-se Duarte Marques, presidente da Comissão Política Nacional e deputado da Assembleia da República; Simão Ribeiro, presidente da Comissão Política Regional do Porto e deputado da Assembleia da República; Bragança Fernandes, presidente da Secção da Maia do Partido Social Democrata; Emília Santos, deputada maiata na Assembleia da República; entre outras personalidades partidárias

JP MAIA O FUTURO DA EUROPA DISCUTIDO NA MAIA

Foi no passado dia 7 de Janeiro de 2012, Sábado, que a Juventude Popular da Maia organizou no Fórum da Maia um debate sobre “O Futuro da Europa”. Este evento, que contou como oradores o Eurodeputado do CDS, Diogo Feio, e o docente da Universidade Fernando Pessoa, Paulo Vila Maior, tinha como principais objectivos a discussão da crise da moeda única, a relação dos mercados com a problemática das dívidas soberanas e a futura posição de Portugal no contexto da União Europeia. Paulo Vila Maior, Doutorado em Contemporary European Studies pela University of Sussex no Reino Unido, focou a sua primeira intervenção nas causas da actual crise da UE tendo sublinhado que “a sobrevivência da UE passa principalmente por todos alinharem prioridades, coisa que não se tem feito”. A Grécia foi ainda apontada

pelo docente como “o início do contágio” relembrando que este país “falseou durante anos seguidos os seus défices excessivos” tornando-se um caso exemplar de todas as sanções que nunca foram verdadeiramente impostas pela UE e cumpridas pelos seus Estados Membros. Com esta análise, Paulo Vila Maior defende categoricamente que “os mercados não os principais responsáveis pela crise soberana que hoje vivemos.” O Eurodeputado do CDS, Diogo Feio, que num recente estudo foi considerado o melhor eurodeputado português por toda a sua actividade parlamentar em Bruxelas, iniciou a sua intervenção pela actual situação económica em Portugal. Para o Eurodeputado, “Portugal está a fazer tudo bem para corrigir as suas contas e está com esta atitude a dar um excelente exemplo de seriedade ao mundo eco-

nómico-financeiro”. Contudo, Diogo Feio não esqueceu de relembrar que “Portugal ainda é um país onde é difícil criar riqueza em comparação com outros Estados Membros” apontado a harmonia fiscal como uma das saídas para a competitividade do país no espaço europeu. Em relação à crise da moeda única, o Eurodeputado do CDS é da opinião que “não vivemos uma crise do Euro mas sim uma crise de administração do Euro em que talvez a principal saída seja não enfraquecer a moeda mas, ao invés, fortalecê-la cada vez mais”. Defende ainda uma maior proximidade dos governos de cada país com as instâncias de decisão da UE: “parece-me vital que os Ministros das Finanças da zona Euro, por exemplo, comecem a reunir com uma maior frequência em detrimento dos seus actuais dois encontros anuais.” Diogo

Feio não tem dúvidas que “há uma necessidade crescente dos nossos responsáveis de Governo estarem a defender Portugal em Bruxelas, hoje mais do que nunca”. O Eurodeputado do CDS finalizou a sua intervenção sublinhando que “os mercados somos todos nós, todos somos responsáveis pela situação actual.” O debate teve ainda um grande período aberto à intervenção do público que colocou diversos temas europeus à análise dos dois oradores: a possibilidade da criação de um Governo Financeiro da UE, a mobilidade dos jovens a nível académico e profissional no espaço europeu e ainda as relações comerciais e estratégicas de Portugal com os restantes membros da UE e com os PALOP. Juventude Popular da Maia

COMUNICADO JS Maia critica opções tomadas pelo executivo camarário Juventude Socialista da Maia lamenta a falta de visão do executivo no que à juventude diz respeito * Implementação do Cartão Jovem Municipal é mais um dos projectos não cumpridos pela edilidade * Conselho Municipal da Juventude que não cumpre o seu regimento * Necessidade de uma verdadeira política de juventude: transversal, estratégica e com preocupações sociais A JS Maia lamenta a falta de visão e de vontade do executivo camarário no que respeita à implementação de políticas de juventude no concelho. Num momento particularmente difícil, exige-se um maior empenho na procura de respostas adequadas aos principais problemas que afectam a juventude, por parte dos decisores políticos locais. Ao longo dos últimos anos, tem-se assistido a uma autêntica estagnação socioeconómica do nosso concelho. Onde estão os projectos para o futuro da nossa população? Onde estão os incentivos aos jovens? Como será o futuro da Maia e dos

05

maiatos? Esta falta de visão traduz-se em exemplos tão práticos como o do Cartão Jovem Municipal. A implementação deste cartão é algo anunciado desde 2008. Nessa altura, o então e actual vereador da Juventude, salientava as vantagens que se pretendiam associar a esta medida: serviço de Multibanco, condições especiais de crédito à habitação, entre outros benefícios. Desde então, que esta medida é parte integrante dos sucessivos orçamentos municipais, sendo que nunca se efectivou. Por isto mesmo, a JS tem vindo a questionar, sistematicamente, o executivo para esta realidade. Outro aspecto que tem vindo a preocupar os jovens socialistas maiatos é o funcionamento do Conselho Municipal de Juventude (CMJ). Hoje, mais do que nunca, em que a crise financeira afecta também os maiatos, a auscultação da juventude deve desenvolver-se com determinação, procurando identificar dificuldades e

construir soluções adequadas. É lamentável que o CMJ da Maia tenha reunido uma única vez este ano, quando a lei exige, no mini mo, a realização de quatro sessões ordinárias. No entender da Juventude Socialista, esta é uma clara mensagem aos jovens da Maia: existe um desinteresse da Câmara para com estes. É possível envolver mais os jovens nas decisões do município se este órgão abordar temáticas que realmente lhes suscitem interesse. A realização de CMJ’s temáticos para a discussão de áreas importantes e que estão na ordem do dia, seria, por exemplo, uma medida positiva que a Câmara poderia implementar. Por tudo isto, a JS considera que, na Maia, não existe uma política de juventude que responda àquilo que é mais importante para os jovens do concelho. Uma verdadeira política de juventude é pensada tendo em conta a sua transversalidade: deve intervir noutras áreas e ser acompanhada de um plano estratégico. A JS defende

que o orçamento para 2012 deveria ter contemplado medidas concretas nas áreas da habitação, como a habitação a custos controlados, bem como soluções para colmatar as dificuldades que os jovens em emancipação sentem. Referimo-nos por exemplo a reduções nas taxas e impostos municipais, através do sucessivamente anunciado Cartão Jovem Municipal que poderia conceder benefícios aos seus portadores. A JS pugna por uma maior atenção da Câmara Municipal da Maia aos estudantes e suas famílias que vêem o seu orçamento familiar apertado com a recente extinção do apoio aos passes sub 18 e sub 23. A JS Maia não tem dúvidas que pequenas medidas contribuem muito para a melhoria da qualidade de vida dos maiatos, mas é algo que mais do que números, exige tempo e criatividade, postura que, segundo nos parece, a câmara não está disposta a ter.

Entrevista de Pedro Passos Coelho à SICN Pedro Passos Coelho deu uma entrevista ao programa Sociedade das Nações, conduzido por Nuno Rogeiro e Martim Cabral. Afirmou que só o tempo pode mostrar se o acordo que saiu do último Conselho Europeu vai servir para aliviar a pressão dos mercados contra países com problemas de défice público. O que se está a passar hoje é nova escalada dos juros para novas emissões de dívida da Espanha, da Grécia e do FEEF (Fundo Europeu de Estabilidade Financeira). Merkel nega reforço do MEEF (Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira) e agrava nervosismo dos mercados. Não foi preciso muito tempo! Depois a Grécia pode precisar de ajuda durante 10 anos, a Holanda está em recessão e Bélgica não cumpre défice. Continua a afirmar com a maior das calmas que o empobrecimento é uma consequência inevitável das medidas de ajustamento que Lisboa se comprometeu a fazer com a troika. Por muito que tente, Passos Coelho não consegue esquecer o peso da herança recebida. Ontem, voltou a lembrar que não foi ele quem negociou o memorando de entendimento com a troika. Já tivemos durante muito tempo um Primeiro-Ministro (José Sócrates) constantemente a falar de herança e do passado de outros governos. Os portugueses confiaram em Pedro Passos Coelho para que pudesse resolver os seus problemas e fosse capaz de amenizar o que considera ser o inevitável empobrecimento do país. Os Portugueses não votaram nele para fazer este tipo de políticas, de outro modo o melhor é ir-se embora. Um Primeiro-Ministro não cumpre só ordens, também dá ordens, negoceia e busca soluções alternativas. Responde perante os portugueses que o elegeram, e não perante os tecnocratas europeus. Os portugueses não querem um Primeiro-Ministro que se limite a ser um chefe de turno de uma Europa Franco - Alemã. Passados seis meses, já deu para ver que o inevitável está na moda. Não haverá outros caminhos? Além de nos emprestarem dinheiro, querem mandar na forma como o aplicamos? O país está aviltante, estranho e ingrato. Se assim é, não é preciso Governo, a troika que nomeie uma comissão de controle e os portugueses poupam em Governo, ministros, deputados, assessores, etc., etc.

Joaquim Jorge Fundador do Clube dos Pensadores


06 \\ Opinião

Ricardo Oliveira

Balanço Final… Ao longo deste ano chamamos a atenção, criticamos e tentamos construir sobre ideias pré-concebidas, sugestões dados, projectos de leis aprovados e também noticias que pecavam pela sua surrealidade e prejuízo dos contribuintes. Este foi um ano repleto de dificuldades no domínio da saúde. Começou com um ataque ao Sistema Nacional de Saúde (SNS), ainda sob a alçada da equipa do Eng. José Sócrates, que não foi totalmente implementada. As dívidas foram-se acumulando, sem que houvesse um claro retorno na prestação de serviços. Passamos de défice de profissionais, para segundo a tutela actual deste ministério excesso de profissionais mal distribuídos. Confesso que, mesmo não sendo fã do modus operandi do Dr. Paulo Macedo, a verdade é que pela primeira vez, desde o Correia de Campos, que a dívida da saúde foi pelo menos parcialmente contida. É certo, que por muito que se apregoe no contrário, alguma qualidade foi perdida, mas também é certo que vivíamos claramente acima das nossas possibilidades. Pese embora todo o trabalho deste ministério, que acabou por objectivamente ser bem sucedido (o défice é objectivamente menor), a verdade é que foi à custa de cortes cegos. Ainda falta a verdadeira reforma que adapte o SNS às necessidades reais dos portugueses, mantendo os níveis de excelência que temos salvaguardado nestas intervenções. Ao contrário do apregoado, não há médicos a mais, sendo o desemprego uma realidade actual. Desta forma, não há desculpas por encerramento de serviços por falta de profissionais, porque eles existem e já começaram a emigrar por não terem melhores condições no seu próprio país. Deste forma o balanço anual final é algo difícil de concretizar. Penso que 2012 vai ser a prova dos nove real a este governo em geral e ao ministério da saúde em particular. Os cortes cegos não podem continuar indefinidamente, e as reformas têm mesmo de ser postas em prática. Em números já vimos que o ministro percebe, falta ver o que sabe de saúde… Ricardo Filipe Oliveira, Disc. Medicina UL; Doc. Universitário UP; Lic Neurof. UP; Mestre Eng. Biomédica FEUP, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico. pub

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Sociedade SOLIDARIEDADE

maiahoje

APPACDM e Criança Diferente foram as instituições de Solidariedade Social contempladas

«Reis da sociedade» recebem brinquedos em dia de Reis O Centro Cultural e Desportivo (CCD) dos Trabalhadores da Câmara e dos Serviços Municipalizados da Maia ofereceram um conjunto de brinquedos a duas instituições de Solidariedade Social do concelho que trabalham a área da deficiência: a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) e a Associação de Amigos Criança Diferente. Um «acto muito simbólico, muito singelo», nas palavras de José Morais, dirigente do CCD, agendado propositadamente para o dia de Reis, com o intuito de «presentear aqueles que são os reis da sociedade, aqueles que actualmente, e cada vez mais, desenvolvem toda a sua acção solidária para com os outros, nomeadamente para com os mais desfavorecidos e necessitados», disse. As ofertas são o resultado de «dois, três anos de sobras de brinquedos» comprados para oferecer aos filhos dos associados e funcionários da câmara nas festas de Natal. «Depois

POLÍTICA

de termos satisfeito os desejos dos nossos associados entendemos que, relativamente àquilo que nos sobrava, também era nosso dever moral partilhar com as instituições que têm uma acção essencial na sociedade», explicou José Morais. A escolha das associações, feita em colaboração com o pelouro da Acção Social, não foi aleatória. «A APPACDM e a Criança Diferente são duas grandes instituições bem solidificadas já no seio da comunidade maiata, do mais meritório e do mais humano que pode existir», justificou o presidente do organismo. Bragança Fernandes, presidente da Câmara Municipal da Maia, consi-

derou «meritório» o acto do CCD e ressaltou a importância das instituições de Solidariedade Social no contexto económico que o país vive. «Todas as instituições do concelho vão ser muito válidas nos anos que se aproximam, porque 2012 e 2013 vão ser anos muito difíceis, com contenções muito graves e muito rigorosas para as câmaras municipais. Mais uma vez vocês vão ser os parceiros ideais e essenciais para ajudarem no bem-estar dos mais desfavorecidos». Reverter brinquedos em receita «Foi uma iniciativa fantástica, diferente», referiu Clarisse Monteiro, presidente da Criança Diferente. A as-

sociação conta com 20 utentes no Centro de Actividades Ocupacionais e dez em Lar Residencial que «vão gostar muito destes brinquedos, mesmo os mais velhos, porque todos gostam de brincar», defendeu Clarisse Monteiro. Por seu turno, Jaime Teixeira, presidente da APPACDM da Maia, desde 4 de Janeiro, mostrou-se igualmente satisfeito com o donativo do CCD. «Aqueles que entendermos que são ajustáveis ao plano de actividades dos nossos utentes, à sua inserção e ao seu bem-estar vamos aproveitá-los e distribuí-los pelas várias salas. Os que sobejarem vamos aproveitar para, através de uma quermesse ou outro tipo de evento, vender e angariar fundos para aquilo que nos vai preocupar nos próximos tempos, que vai ser realmente o auto-financiamento em 25 por cento [cerca de 400 mil euros] do nosso lar residencial em Vila Nova da Telha». Texto: Rita Santos Foto: Luís Filipe Azevedo

Clube dos Pensadores

Marco António Costa foi o primeiro convidado do ano No passado dia 10 de Janeiro realizou-se, numa unidade hoteleira de Vila Nova de Gaia, a primeira sessão do ano do Clube dos Pensadores para a qual foi convidado Marco António Costa, Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social. Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, considera importante «convidar alguém do arco do poder, num momento em

INICIATIVA

que se implementa a política de austeridade e a redução das despesas com prestações sociais». O debate abordou vários assuntos sobre a área social como os 570 milhões em prestações sociais pagas indevidamente que vão ter que ser devolvidas tendo o Governo, para o efeito, já emitido 117 mil notificações para que as pessoas devolvam o dinheiro. Estiveram presentes a maioria

dos vereadores da Câmara Municipal de V.N. de Gaia, Firmino Pereira, Veneranda Carneiro, entre outros, o presidente da Assembleia  Municipal César Oliveira e o presidente da Câmara de Valongo, Fernando Melo assim como vários deputados municipais. Luís Filipe Menezes que não pôde estar presente enviou uma missiva a Joaquim Jorge incentivando-o a continuar o seu trabalho

e expressando a sua satisfação por ser Marco António Costa, o orador da sessão e «a quem o projecto de Gaia muito deve e a quem reconhecemos grande mérito para liderar no futuro os grandes desafios da região» O próximo debate terá como convidado um ministro do governo de Pedro Passos Coelho e está agendado para o final de Janeiro.

Clube Unesco celebra segundo convivio natalício

Alegria, Camaradagem, Amizade e sentido de partilha em almoço de Natal O clube Unesco da Maia celebrou o Natal, no passado dia 10 de Dezembro, juntando dezenas de associados, simpatizantes e convidados num almoço onde a boa disposição, o convívio e a cultura fizeram as delícias dos seus participantes, tendo sido o paradigma adoptado habitual nos eventos do clube: a relevância para a cultura do espírito. Como convidado especial deste convívio foi a escritora Luísa Dacosta, acompanhada da

sua obra “Magos”. Após o almoço, onde os presentes foram mimoseados pela gastronomia natalícia portuguesa, transmitida ao longo das gerações deu-se lugar à comunicação da escritora Luísa Dacosta, que estruturando a comunicação sobre o valor da palavra, referiu a dinâmica estrutural dos provérbios e aflorou o espírito natalício, tendo tido ainda oportunidade de responder a algumas questões colocadas pelos pre-

sentes, sobre a sua obra, seguidose de uma sessão de autógrafos, onde as crianças tiveram um lugar privilegiado, tendo em conta que as obras de Luisa Dacosta estão integrados no Plano Nacional de leitura e são especialmente dirigidos para os mais pequenos. Na intervenção feita à obra “Magos”, o professor Raul da Cunha e Silva centrou o seu discurso na doutrina do caminho e da luz, “afinal se estava no Natal que

é caminho e luz, se ia recordar os magos que não chegaram a Belém, era oportuno ter presente os caminhos que todos trilhamos nos nossos percursos de vida. Deixou clara a importância dos caminhos, seja nos povos nómadas, seja nos semitas do deserto, seja no homem que, um dia, sentirá a necessidade de escolher o seu destino”.

Catarina Almendra


sexta-feira 13 de janeiro de 2012

maiahoje

\\ Opinião Pedro Miguel Carvalho

O Começo É prática comum no dia da passagem de ano fazermos uma série de promessas que iremos cumprir no ano que então começa. Eu todos os anos falho a promessa, por isso, este ano resolvi escrevê-la num daqueles papelinhos amarelos para não me esquecer. “Para o ano serei uma pessoa melhor, mais calma e menos crítico”, esta é a promessa que tenho no post-it amarelo que está colado a minha mesa-decabeceira, todos os dias acordo e penso “Ufa, ainda bem que é só para o ano”. Por isso, neste ano de 2012 continuarei neste espaço com a minha visão crítica daquilo que se vai passando pelo mundo. Hoje, para que esta crónica faça algum sentido terei de fazer referência às tão faladas lojas, onde pessoas de avental tentam controlar o mundo, sem olhar a meios. Durante toda a semana ouvi inverdades. Por um lado os partidos de esquerda, onde apesar de um dos seus líderes ser economista parecia confuso, por outro, os jornalistas, pouco informados ou então a querer vender iam plantando alguns títulos que aguçavam a curiosidade. Portugal não precisa de meias verdades, não precisa que pessoas mal informadas plantem mentiras denegrindo assim a imagem daqueles que são na actualidade os maiores empregadores nacionais independentemente do local de onde chefiam as suas empresas, pessoas que criam empregos a que ouvi alguns chamar esta semana de precários. Precário é não ter emprego. Caros amigos, a única coisa que faltou dizer esta semana foi que o facto dos funcionários do tal supermercado andarem de avental se devesse ao facto do Dr. Soares dos Santos pertencer à maçonaria.

Pedro Miguel Carvalho Estudante, Vice-Presidente da JSD Maia pub

Sociedade

SAÚDE «O mais importante são as pessoas»

\\ Opinião

Hospital Privado de Alfena já abriu Realizou-se no passado dia 9 de Janeiro a cerimónia que assinalou a abertura do Hospital Privado de Alfena. Esta nova unidade de saúde, que representa um investimento global de 60 milhões de euros, emprega 400 trabalhadores e conta com um quadro médico superior a 200 profissionais que asseguram 42 especialidades. No átrio de entrada do hospital muitas pessoas aguardavam que iniciasse a cerimónia de inauguração na qual estiveram presentes, entre outros, o presidente da Câmara de Valongo, Fernando Horácio Moreira Pereira e o CEO do Grupo Trofa Saúde, António Vila Nova. No seu discurso, António Vila Nova começou por agradecer aos responsáveis municipais a «facilidade com que puderam chegar ao concelho», congratulando-se pela inauguração da unidade de saúde. «Este Hospital tem como principal objectivo servir as populações na saúde» salientando que este objectivo incide não só sobre a população de Valongo mas também dos concelhos vizinhos abrangidos pela A4 e A41, chegando assim a Guimarães, Felgueiras e Vila Real. O CEO do Grupo Trofa Saúde salientou que o Hospital representa «um investi-

mento enorme, um dos maiores do Grupo Trofa Saúde», possível devido à parceria com diversas entidades bancárias, «mas, mais importante que o investimento, são as pessoas, proporcionando emprego para centenas de pessoas, preferencialmente do Concelho de Valongo, numa altura difícil». Concluiu elogiando as pessoas que vão trabalhar no hospital, principalmente a equipa médica que garantiu ser «das melhores equipas que vi até hoje e que vão fazer deste hospital uma referência de bem servir com qualidade», pedindo que trabalhem afincadamente lembrando que o desafio é enorme «o país precisa, a região precisa». Fernando Horácio Moreira Pereira estava satisfeito pela inauguração do Hospital Privado de Alfena que considera «maravilhoso» e uma mais-valia para o Concelho. Começou por felicitar o concelho de administração do Grupo Trofa Saúde pela obra realizada, caracterizando como «uma obra invejável» a todos os níveis, congratulando-se «com a qualidade, a preocupação no investimento que fizeram». Terminou com o desejo que a unidade inaugurada «corresponda àquilo que todos nós esperamos que é proporcionar boa qualidade de cuidados

07

de saúde». Depois do edil de Valongo e o CEO do Grupo Trofa Saúde cortarem a fita simbolizando a abertura do Hospital, seguiu-se uma visita às instalações passando por diversas áreas do hospital, como Imagiologia, Pediatria, os quartos de internamento, na qual foi possível ter uma percepção da componente tecnológica da qual o hospital está dotado. O Hospital Privado de Alfena tem serviço de urgência geral e pediátrica 24h horas por dia e dispõe de acordos e convenções com a maioria das seguradoras e subsistemas de saúde, assim como acidentes de trabalho. A localização do Hospital possibilita fácil acessibilidade pois está próximo de uma auto-estrada que liga várias localidades no Grande Porto e proporciona conforto, disponibilizando parque de estacionamento gratuito para os utentes. A área de abrangência atinge um importante eixo populacional com mais de 600 mil habitantes, abrangendo os concelhos de Valongo, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel, Gondomar e Marco de Canaveses que poderão facilmente aceder aos seus serviços. Luís Filipe Azevedo

Mário Lopes

SOCIEDADES SECRETAS De tempos em tempos somos brindados com notícias sobre sociedades secretas a funcionar em Portugal, especialmente as duas mais conhecidas – Maçonaria e Opus-dei. Dado o grau de secretismo que reveste a sua existência bem como aos seus objectivos e as consequentes actividades que visam alcançalos, acredito que existam outras “sociedades secretas” mas de menor dimensão. Portugal é um Estado de Direito Democrático onde todas as organizações têm lugar, desde que prossigam objectivos que não sejam atentatórios aos princípios e normas constantes da Constituição da República Portuguesa. Contudo, no contexto actual, o “secretismo” preconizado pelas referidas sociedades é contraproducente, tendo em conta o principal argumento que o sustenta estar vinculado a Estados totalitários, especialmente às perseguições por estes efectuadas aos membros das ditas sociedades, algo que não se vive presentemente em Portugal nem por toda a europa. Defendo a existência de todas as formas de organização que respeitem a Lei. No entanto quando este secretismo se transporta para o poder político colectivo, então o caso muda de figura. Os fins que defende a Maçonaria ou a Opus-Dei dizem respeito apenas aos seus membros enquanto tais. O seu princípio de ajuda “entre irmãos” é legítimo bem como o processo de adesão apenas por convite. Contudo, na minha opinião, esta ideia de grupo restrito colide com a organização colectiva chamada Estado, nomeadamente quando os seus elementos decidem livremente ocupar cargos públicos e, consequentemente, a gerir a coisa pública. Sem colocar em causa os méritos individuais, o cidadão reserva para si o direito de conhecer a vida de quem o representa, visto o Estado ser detentor de recursos colectivos que não devem servir a grupos herméticos. Esta foi aliás uma das causas que levou o filósofo iluminista Charles de Montesquieu, no século XVII, a preconizar a Teoria da Separação de Poderes no seio do Estado. Mário Lopes, Lic. Ciências Sociais UAb, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.


08

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Sociedade

maiahoje pub

\\ Opinião Rui Madureira

Cortes na Alma Encaremos o país como um corpo humano em constante dinâmica. Se as empresas são os músculos da nação e a economia é o seu coração, será justo dizer que a cultura é a alma deste organismo complexo. Para além de identificar as idiossincrasias de um povo, a cultura é a luz que ainda vai iluminando todo e qualquer poço mergulhado em trevas. Dado que Portugal se encontra mais próximo do que nunca desse poço abjeto, tornam-se então incompreensíveis os ataques sucessivos que o governo de Pedro Passos Coelho tem feito à alma do país que jurou defender. Primeiro surgiu a brilhante ideia de aniquilar o Ministério da Cultura, que já andava pelas ruas da amargura e que ainda mais pobre ficou com a humilhante despromoção para Secretaria de Estado. Agora, e como consequência direta deste modus operandi viciado em números e estatísticas, chega-nos a notícia de que o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) não está em condições de abrir novos concursos de apoio à produção e criação de conteúdos cinematográficos. Se até finais de 2011 já era difícil obter financiamento para a produção de obras cinematográficas, a partir de 2012 a vida dos pobres cineastas portugueses ainda mais bicuda ficará. De facto, torna-se cada vez mais impossível ser artista num país excessivamente virado para as matemáticas e as profissões de gravata. Pedro Passos Coelho e o seu governo esquecem-se de que nenhum organismo pode viver sem a alma que o inspira nos momentos mais agrestes. Os cortes na cultura refletem um corte brutal na miríade de cores que compõem o país, tornando-o mais pobre e acinzentado. Os desgraçados dos professores foram já praticamente convidados a sair do país. Talvez seja agora altura dos cineastas emigrarem também, buscando no estrangeiro a glória e o respeito que todos os profissionais deviam merecer. E caso sejam bem sucedidos, que fiquem por lá e nunca mais voltem. Pois só quando as pessoas já são alguém é que o governo se lembra de lhes oferecer medalhinhas de honra e de as convidar a regressar. E penso que estará na altura de alguém lhes fazer o manguito nessas ocasiões. Rui Madureira Texto escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico. pub

ENTREVISTA

«Estrelita» de Gaia quer «brilhar» em Terras do Lidador

Starlie a caminho da Maia Depois do teatro e da televisão, Mafalda Tavares dedica-se inteiramente à música com o projecto Starlie. Aos 17 anos, a “pinup” es-

treou-se no Multiusos de Guimarães, no dia 25 de Novembro, espectáculo que marcou o início da tournée “I WannaBe a Star”. Agora Starlie quer conquistar o público maiato num concerto a realizar no mês de Março. MaiaHoje: Como é que nasceu a Starlie? Starlie: Eu estava nos Morangos com Açúcar e lesionei-me num pé na altura das gravações. Estive mais ou menos 15 dias em que não podia sair da cama, porque tinha que estar em repouso total. Como não consigo estar quieta, comecei a pensar, a pesquisar coisas na internet e preparei um projecto e apresentei-o à minha mãe primeiro, porque sabia que o meu pai alinhava de certeza. O pai já é rendido a este mundo por natureza, mas a mãe tem os pés mais assentes na terra e gosta de ir com calma. Primeiro convenci a minha mãe, depois ela falou com o meu pai e quando o projecto passou para ele, que é o director artístico, o projecto foi crescendo, crescendo até às dimensões que apresentamos em Guimarães. MH: E por quê o nome Starlie? S: Quis mudar de nome porque achei que Mafalda não iria chegar para a dimensão que o projecto assumiu. Estivemos á procura de nomes até que o director da minha segunda escola me apresentou o nome Starlie. Fiquei logo apaixonada pelo nome, porque acho que tem muito de mim. Quer dizer estrelita.

MH: O seu visual sofreu uma mudança radical. Quais foram as mudanças a que a Starlie a «obrigou»? S: Quando comecei na música tinha o cabelo no tom castanho natural e os olhos castanho. Nos Morangos pintaram-me o cabelo mais clarinho, um ruivo, mantendo os olhos castanhos. Agora, para o projecto Starlie, mudei a cor do cabelo, sou loira e uso lentes de contacto azuis para ficar mais bonequinha. As roupas do espectáculo são do Rafael Freitas, de Guimarães. Acho-as maravilhosas. Foi um ponto que toda a gente comentou no concerto de Guimarães, porque tenho dez mudas de roupa, num concerto de 1h20 aproximadamente. Aquela imagem foi criada muito na base de Kati Perry, embora não chegando à sua sensualidade que já é mais adulta, mas contornando também o lado mais infantil da Hannah Montana. Encontramos um meio-termo. Também fomos buscar alguma influência a Beyoncé, numa onda mais americana. MH: Quem é a Starlie/Mafalda Tavares? S: Eu sou uma adolescente perfeitamente normal, gosto de estar com os amigos, gosto de cinema, mas goste mais de bowling, gosto de praia e de piscina. Às vezes as pessoas questionam-me se tenho tempo para estar com os amigos, para me divertir. E tenho. Na altura dos concertos e dos ensaios tenho menos tempo, mas tenho sempre tempo para as pessoas que eu gosto e que me apoiam. MH: E uma «adolescente normal» o que pensa relativamente ao seu percurso académico? S: Eu estou a seguir aquilo que quero: canto, música, dança. O ano passado interrompi os estudos para os Morangos com Açúcar e este ano resolvi investir neste projecto a 100 por cento. Em vez de estar na escola e fazer o projecto ao


maiahoje

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Sociedade

09 pub

mesmo tempo resolvi parar e fazer o arranque de tournée bem feito. No meu percurso académico completei o 10º ano no Chapitô, na Escola de Circo, em Lisboa. Enquanto uns seguem Medicina ou Psicologia, eu decidi seguir o caminho que me fazia feliz. E o que me faz realmente feliz é estar em cima de um palco. MH: Como começou a sua carreira artística? S: Eu era muito pequenina quando os meus pais me inscreveram na Academia de Música de Vilar do Paraíso, longe de pensarem que já estariam a contribuir tanto para o meu futuro profissional. Foi nesta escola que dei os primeiros passos na vida artística. A partir dos 7 anos entrei no mundo maravilhoso dos musicais. O primeiro foi o «Rei Leão» que vai ficar na minha memória para sempre, mas todos os outros que se seguiram foram inesquecíveis: «Aladdin Jr.», «Feitiço das Cores», «Godspell», «Scents of Light», «A Loja dos Brinquedos, entre outros.“Feitiço das Cores”, “Godspell”, “Scents of Light” e “A Loja dos Brinquedos”. MH: Como chegou aos musicais de Filipe La Féria? S: Tinha acabado de mudar de escola, porque até então sempre estudei no Colégio Nossa Senhora da Bonança, em Gaia. Estava a iniciar o 7º ano na Escola Secundária de Valadares quando tive a oportunidade de fazer o meu primeiro casting para o Senhor Filipe La Féria. «Música no Coração» foi o primeiro musical sob a direcção de La Féria. Seguiram-se os musicais «Um Violino no Telhado» e «A Gaiola das Loucas», sendo que este último mudou geograficamente a minha vida, uma vez que foi apresentado no Teatro Politeama, em Lisboa. Foram experiências muito enriquecedoras, pois fizeram-me crescer muito pessoal e profissionalmente. MH: Como é que surgiu a oportunidade de integrar o elenco dos Morangos com Açúcar? S: Em 2009, eu estava a morar e a estudar em Lisboa, no Chapitô. Quando acabou a peça, coincidência ou não, surgiu a pub

oportunidade de fazer um casting para a série de Verão dos Morangos com Açúcar, mas disseramme para fazer o workshop para a série de Inverno. Fiz o workshop e fiquei. MH: Entre a representação, a música e a dança o que é que vai ficar em s e g u n d o plano? S: Desde sempre que quis ser bailarina, o que me fascina mesmo é a dança. Quando percebi que juntar o canto à dança ainda me dava mais pica, mais gozo e podia fazer aquilo que gostava decidi avançar. Fazer um espectá-

culo de dança é mais difícil para captar público. Então cantar e dançar foi uma maneira que arranjei para mostrar às pessoas aquilo que sei e gosto de fazer. Gosto de representar, mas o canto e dança são as minhas expressões de eleição. MH: Quais são as suas influências musicais? S: Taylor Swift, Miley Cyrus. São muito adolescentes, como eu, mas admiro muito o seu trabalho. Muitas vezes há o preconceito que os jovens músicos, pela sua pouca idade e experiência, não sabem o que estão a fazer. Por exemplo, ainda no outro dia vi o filme do Justin Bieber, «Never Say Never», e ele é um músico fantástico, porque ele toca bateria, gui-

tarra, piano, ele sabe realmente música e, às vezes, as pessoas não têm a noção que embora ele tenha apenas 17 anos já sabe tanto daquilo que está a fazer e percebe o que está a fazer. MH: Depois de duas apresentações oficiais, em Lisboa e em Matosinhos, como foi a experiência do primeiro concerto no Multiusos de Guimarães?

S: Eu costumo dizer que, até hoje, foi a melhor hora e um quarto que passei na minha vida. Estavam lá duas mil pessoas. Eu tive inclusive de ver o público antes de entrar, porque tinha medo de me sentir mal. Então um fotógrafo tirou uma fotografia ao público e mostrou-me. Nunca tinha estado frente a frente com tanta gente. Foi muito bom sentir o calor do público, a reacção a cada música. A mais efusiva foi sem dúvida quando interpretei um medley dos Xutos e Pontapés.

MH: Não canta, portanto, só originais. S: Não. Tenho seis ‘covers’ em inglês, seis em português. São anos 80, como Lady Broody, Culture Club, José Cid, Xutos e Pontapés, UHF ou as Doce. Os originais são seis, três portuguesas e três inglesas. O genérico de algumas das letras é meu, depois foram para os produtores musicais - Pedro Mouga e Narciso Fernandes - que estão a fazer a produção musical e que está fantástica. Destaco a balada «Quero-te Aqui» e «A Nossa Aventura», uma música pop/rock. MH: O que é que os seus amigos pensam deste projecto? S: Não tenho muitos amigos, mas os que tenho são muito consistentes. Sem dúvida que eles me apoiam e me sustentam muito. Se não fossem eles e a minha família às vezes podia iludir-me um bocadinho, mas eles estão sempre lá para me puxar para terra. MH: Relativamente ao concerto na Maia, o que espera? S: Espero que as pessoas gostem, assim como nós estamos a gostar de fazer, que o público reaja como reagiu o de Guimarães, porque a reacção das pessoas é sempre uma incógnita. Nunca estive na Maia, nem a cantar, nem a representar. Acho que vai ser giro, vai ser um desafio.

Texto:Rita Santos Fotos: Edgar Alves

\\ Opinião Clinica Veterenária

Animais - A importância de fazer um seguro de saúde animal Os animais de estimação fazem cada vez mais parte das nossas vidas, sendo considerados membros da família por muitos de nós. Por este mesmo motivo preocupamo-nos quer com a sua saúde, quer com o seu bem-estar. Quando decidimos adoptar um animal esquecemo-nos muitas vezes dos custos que esta decisão pode acarretar. As despesas podem ser variadas, desde a alimentação adequada, passando pela assistência veterinária aos brinquedos e outros acessórios. Não podemos esquecer-nos ainda de eventualidades como doenças ou acidentes, cujo tratamento pode tornar-se bastante dispendioso. É pelas razões atrás referidas que surgem hoje os seguros de saúde animal, que através de um leque alargado de coberturas, garantem aos donos a confiança e a tranquilidade de uma protecção total dos seus animais. As coberturas dos seguros são alargadas, variando de acordo com cada seguradora, mas de uma forma geral incluem: * Assistência veterinária e medicamentosa – reembolso de despesas médicas veterinárias e com medicamentos, assim como intervenções cirúrgicas, internamento e exames complementares de diagnóstico; * Check-up Anual * Responsabilidade civil – indemnizações a terceiros pelos danos e prejuízos causados pelo seu animal; * Defesa jurídica – em processos judiciais por danos materiais e corporais causados pelo animal; * Procura de animais de companhia – com base em critérios definidos pelo segurado, junto de entidades e fornecedores credenciados; * Guarda de animais em caso de hospitalização do proprietário; * Localização em caso de desaparecimento – assunção dos custos com o envio de fotografias e publicação de notícia do desaparecimento do animal, assim como contacto com entidades que actuem na área animal, como sejam veterinários ou associações amigas dos animais; * Organização de serviços fúnebres – um serviço que em caso de morte do animal seguro, o Segurador, através do seu serviço de Assistência, auxiliará nas formalidades e organizará um serviço fúnebre a pedido do Segurado (os custos dos serviços são a cargo do Segurado). Se tem um animal de estimação, o ideal é procurar um banco ou uma seguradora, para conhecer as suas ofertas em termos de seguros animais. Como em tudo, é melhor prevenir do que remediar, e assim terá a certeza de que poderá sempre suportar o melhor conforto e o tratamento certo para o seu companheiro. Rua do Mosteiro, 680 4425-140 Águas Santas – MAIA Tlf. 22 972 12 51 Urgências: 91 77 00 104


10

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Sociedade

\\ Opinião Henrique Carvalho

De passagem No meu tempo de catraio, quando os mais velhos morriam até mais ou menos aos oitenta anos, resolvi dividir a vida e três tempos. Vinte e cinco anos para aprender. Vinte e cinco anos para trabalhar. Vinte e cinco anos para viver. Agora acrescento um quarto tempo; -Esperar! Seja qual for a nossa origem nascemos todos nus. E, embora sejamos originários de matéria diferente fomos moldados em formas muito parecidas. Temos na génese um ADN individual, mas somos criados de forma idêntica, apenas uns comem e vestem do melhor e os outros do resto… Temos de ser alimentados, agasalhados e cuidados a seguir ao nascimento… caso contrário, duraríamos poucas horas. Somos, de resto, um animal que não se desenrasca ao nascer… E, afinal, temos o poder de raciocinar!? Depois… os percursos de vida são muito diferenciados, propósitos dos nossos progenitores que pretendem dar-nos o melhor e, garantir-nos facilidades no futuro, quantas vezes desaproveitadas porque na vez de nos “dar a cana… dão-nos o peixe….” Ninguém pense que os senhores que conseguiram grandes fortunas não tiveram antes horas de imenso trabalho e preocupação. Tiveram boa formação académica ou social, perspicácia e aventura, arriscaram na vida, jogaram forte no futuro, acertaram no objetivo. Ao lado, outros, por inércia ou falta de objetividade, na vez de apetrecharem meios para alavancar prosperidade, esperavam que outros lhe dessem trabalho e sustento para sobreviverem. Depois, enquanto os primeiros galopavam na vida puxados a muitos cavalos, os outros, reduziam-se a espectadores e meros admiradores de proprietários de fortunas e condutores de homens. Faz-se assim a dicotomia da sociedade que vai das mesas fartas aos casebres de inoperante proteção do frio, aos destemidos que preferem as pontes e os beirais, sobreviventes enquanto a vida os deixar sofrer. Temos um tempo para aprender, outro para fazer, outro para apreciar o que fizemos, outro para esperar pelo fim. Passam os dias, contam-se os anos, curva-se o corpo, esvai-se a vida. Ora em deleitosos leitos de conforto, ora de ténue e mera sobrevivência. Arruma-se a vida, afasta-se o supérfluo ou a miséria, despegamo-nos do conforto familiar ou do desconforto da rua, arrefecem os pés, o cérebro e o coração. Arrancam-nos tudo, vestem-nos pouco, deitam-nos de costas, cobrem-nos de flores ou nada, voltamos a ser iguais, de olhos fechados, frios e inúteis como quando nascemos. Mais mármore menos granito, terra ou cinza, tanto faz. Faz-se memória do passado, recordação do futuro, porque o presente é o momento mais curto da vida, é uma mera e simples passagem. Mas… Pouco pensamos nisso! Nota: O ataque sangrento do Dia de Natal a igrejas católicas na Nigéria matando e ferindo mais de uma centena de pessoas, associado a outros que já aconteceram em vários outros países levados a cabo por grupos extremistas muçulmanos, é motivo para grande preocupação… Pode vir a ser motivo para guerras indesejáveis e proliferar por vários pontos do globo!?

POESIA

maiahoje

Primeira sessão de 2012

Regressam as Noites de Poesia de Vermoim “Enquanto há Vida...” foi o tema escolhido para esta primeira Noite de Poesia em Vermoim de 2012. «Sabe sempre bem encontrar os amigos, os companheiros destas tertúlias e ouvir o que as musas inspiraram aos poetas», disse José Gomes. Maria Mamede abriu o sarau com a declamação do soneto alexandrino enviado pelo poeta Daniel Cristal, seguindo-se as declamações dos poetas Armindo Cardoso, José Ribeiro, Leonel Olhero, Fer-

ELEIÇÕES

nando Neto, Fernanda Garcias, José Gomes que declamou Silvino Figueiredo, José Carlos Moutinho, Maria José Santos Leite, Marina Yale, Edite Alves, que cantou uma melodia recordando os tempos de criança e o aconchego que sentido no seio familiar, Irene Lamolinairie, Helena Guimarães, Maria Mamede e Angelino Santos Silva. Leonel Olhero deu a conhecer os seus mais recentes livros: “Ultrages na Guerra Colonial” (prosa) e “ Magnífico - sementes de mim

mesmo” (poesia). Angelino Santos Silva apresentou o seu mais recente livro “O livro do desassossego posto em sossego”. Mário Jorge anunciou a peça de teatro “Romeu e Julieta” que será levada a cena pelo grupo Pé no Charco, nos próximos dias 14 e 15 de Janeiro, às 21,30 horas, no Fórum da Maia. José Silva cantou e encantou, interpretando, entre outros, Camões, temas da nossa infância e Zeca Afonso.

O próximo sarau das Noites de Poesia de Vermoim está marcado para o dia 4 de Fevereiro e será subordinado ao tema “Gatos”. “Enquanto há vida, nem sempre há a esperança da dança Essa por que sonhamos ansiosos noite e dia A dança das mãos dadas perfumadas de confiança (...)” Daniel Cristal

Manuel Armando Oliveira continua a presidente

Nova gestão do Centro Equestre da Maia tomou posse No passado dia 6 de Janeiro, na Sede do Centro Equestre da Maia, realizou-se a tomada de posse dos novos corpos dirigentes para o triénio 2012/2015. A Lista única vencedora é composta pelos seguintes elementos: Assembleia Geral: Presidente, Manuel Marques Nogueira dos Santos; 1º Secretário, Almerindo Augusto de Sá Vieira Carneiro; 2º

SÁUDE

Secretário, Artur Lopes Carneiro; Direcção: Presidente, Manuel Armando Ferreira de Oliveira; Presidente – Adjunto, Rosa Alice Moutinho Nogueira dos Santos; Vice-Presidente, Joaquim Armando Ferreira de Oliveira; Vice-Presidente, João Brito Mariz dos Santos; Vice-Presidente, Dionísio Adelino Mendonça de Sousa; Vice-Presidente, Ricardo Jorge Ferreira Silva

Duarte; Vice-Presidente, Rui Patrício Sarmento Rodrigues; Vice-Presidente, Maria Licínia Costa Barros; Vice-Presidente, Carlos Hélder Maia Ferreira; Secretária, Elisabete Cristina Pereira Pinto; Tesoureiro, Joaquim Fernando Silva Moreira; Vogal, Nuno Alexandre Pais Moreira; Vogal, Fernando Manuel Valongueiro Nunes; Conselho Fiscal: Presidente,

Domingos Jesus Pirraco; Secretário, António Luís Pereira Lopes; Relator, José Queirós Lencastre da Silva Torres; Suplentes: Ferdinando das Dores Martins Soares; José Pereira Dias; Acúrcio Manuel Cunha Peixoto; José António da Costa Campos; António Sérgio Lopes Oliveira e Carlos Alberto da Silva Vidinha.

entre os 3 e os 10 anos. Gonçalo Horta e Vale, director clínico de medicina dentária da Esferasaúde acrescenta «a Esferasaúde pretende sensibilizar o público mais jovem e os seus fami-

liares para a saúde oral, promovendo os correctos hábitos de higiene oral». A Estela, mascote que promove os hábitos saudáveis junto das crianças também estará presente.

Sensibilizar para saúde oral

Projecto Maia a Sorrir Iniciou ontem o Projecto Maia a Sorrir, enquadrado no projecto de Saúde Escolar da Câmara Municipal da Maia. Uma aposta do município que passa pela promoção de novos estilos de vida, activos e saudáveis.

A Esferasaúde, um dos parceiros deste projecto de Saúde Escolar, irá visitar as instituições escolares dos Agrupamentos de Castêlo da Maia e Santa Casa da Misericórdia e rastrear 808 alunos

Parabéns Isaura

pub

Dia 6 de Fevereiro foi o dia de aniversário de uma mulher ímpar nas atitudes e dedicação ao próximo, o nome dela é Isaura Silva. É uma mulher de coragem que enfrenta todas as adversidades com muita energia e coragem e tem a particularidade de namorar para um jovem em cadeira de rodas, não por pena, mas sim pelo sentimento que os une há cerca de 2 anos. Tudo o que eu possa dizer é muito pouco para uma mulher que tem um enorme coração. Rogério


maiahoje CULTURA

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Sociedade

Relembrar rituais populares

\\ Opinião

As Cortiçadas As cortiçadas eram rituais populares que se efetuavam, quando um viúvo ou viúva se juntava ou voltava a casar. A população reunia-se e com tachos, panelas e testos fazia a festa. Pela calada da noite, os populares deslocavam-se até à casa da pessoa a quem era feita a cortiçada e, fazendo uma espécie de barulho musical com os instrumentos improvisados, iam ao mesmo tempo cantando versos brejeiros a preceito. Segundo parece, esta prática será originária da nossa freguesia, tendo-se no entanto espalhado a outros lugares. Não sabemos até que ponto esta prática estará relacionada com a latada dos estudantes, que em Coimbra já existia no século XIX. As memórias mais antigas remetem-nos para os anos quarenta do século XX, para uma cortiçada realizada à Romona. A Romona era uma senhora que foi viúva durante muitos anos e que vivia com os três filhos na atual Rua Prof. D. Laurinda Dias da Silva, quem sobe para o Monte Calvário, numa casa que mais tarde foi do Mafarrico e que tem o número 56. Segundo dizem, a viúva tinha um relacionamento com um homem, do qual se desconhece a identidade. Ao saberem disto, os rapazes de Nogueira organi-

SOLIDARIEDADE

zaram uma cortiçada à viúva, que não se deixou intimidar pela iniciativa. Ao ouvir as cantigas dos populares, a Romona terá saído à rua e dito aos presentes: Tocai, tocai, rapazes, indo para o meio deles dançar. Tal facto desmotivou os populares que rapidamente acabaram o ritual e foram embora. Existem memórias de uma cortiçada realizada em 1954, numa altura em que Antero Torres era Regedor da Freguesia. O Regedor, na companhia de alguns indivíduos, andava a fazer um peditório pelas ruas da paróquia. Foi já ao início da noite, que depararam com um grupo de jovens a fazer uma cortiçada à Miquinhas. A Miqui-

Esteves Rei

levou a todos presos. A libertação dos indivíduos não foi fácil e tal só aconteceu depois do Coronel Moreira, Presidente da Câmara Municipal, ter atendido a vários pedidos e efetuar diligências nesse sentido. Na década de sessenta, foi organizada uma cortiçada ao Ti João da Quinta, que morava ali perto da igreja, no n.º 189 da Rua Padre António Costa, na casa onde existe atualmente uma florista. O Ti João da Quinta era um viúvo abastado, que possuía várias casas alugadas, umas em Ardegães e outras em Gueifães. Ao que parece, o Ti João ter-se-á apaixonado por uma das inquilinas de Gueifães, a Rosinha, que veio morar com ele. Uma certa noite a rapaziada fez-lhe uma cortiçada, que não foi muito do seu agrado. Por isso, o Ti João terá vindo várias vezes à rua, para atirar baldes de água aos elementos que integravam o grupo. O casal continuou em união de facto tendo, mais tarde, o Ti João da Quinta casado com a Rosinha. As cortiçadas na freguesia deixaram de se realizar no início dos anos setenta do século XX.

nhas era uma viúva que morava na atual casa com o número 92 da Rua Central da Devesa, em Silva Escura. Esta viúva, que era cozinheira na Casa do Vitório, que ficava no atual n.º 307 da Rua Dr. Augusto Martins, tinha um relacionamento com um viúvo de uma do Bicho, dos Vieira de Vilar. A confusão e a algazarra eram de tal ordem que o Regedor ordenou-lhes que parassem, não tendo o grupo acatado a ordem. Antero Torres deu voz de prisão a alguns indivíduos e levou-os para sua casa, tendo em seguida chamado a polícia. Pouco depois apareceu na freguesia uma camioneta de carga das forças policiais, que os

Extraído do livro Santa Maria de Nogueira – Volume II Livro a editar brevemente Vítor Maia

No âmbito da introdução das taxas moderadoras

Encontro de Associações de Dadores de Sangue Decorreu no passado dia 7, na Cripta da Igreja de Gueifães, o Encontro de Associações de Dadores de Sangue, organizado pela Associação dos Dadores de Sangue do Distrito de Viana do Castelo e Dinamizadores para a Dádiva de Sangue da Paróquia de Gueifães (Didasan). Esta reunião teve como tema de debate a introdução das taxas moderadoras aos dadores de sangue, os quais possuíam isenção das mesmas devido ao seu acto benévolo pelo próximo. Deste encontro resultaria uma posição concreta das associações

NATAL

face esta alteração, já que «acreditamos que tanto o dador merece este direito, bem como esta alteração poderá retrair a presença de dadores nas colheitas de sangue, o que, num cenário que não desejamos, poderá levar à escassez de sangue nas unidades hospitalares», referiu Aires Oliveira da Didasan. Assim, da reunião, que contou com a presença de Associações de Dadores de Sangue de vários pontos do País, saiu a seguinte deliberação: 1- Este Movimento foi consti-

11

da Assembleia da República. 4- Este mesmo Grupo de Trabalho dará continuidade a todas as diligências necessárias junto dos responsáveis dos vários quadrantes políticos, bem como junto do Ministério da Saúde e do Instituto Português do Sangue e Transplante, com vista ao objectivo designado no nº 2 deste comunicado. 5- Essas diligências contemplam votos de protesto de dezenas de Associações/Grupos de Dadores de Sangue nacionais e a petição que nesta data está em curso a nível nacional.

tuído unicamente para este exclusivo efeito. 2- Este Movimento vai entregar na Assembleia da Republica, uma petição para a Abolição da alínea e) do artigo 4º do Decreto-Lei 113/2011 e reposição do DecretoLei 294/1990, confirmado no Despacho 6961/2004 no referente a Taxas Moderadoras. 3- Foi constituído um Grupo de Trabalho que irá acompanhar a discussão e votação  do Projecto do Estatuto do Dador de Sangue Nacional, agendado para o dia 18 de Janeiro ás 15.00 horas no Plenário

Sensibilização Ambiental

Exposição de Árvores de Natal no Vivaci Maia 17. Escola Secundária de Águas San4. Escola EB1 da Guarda No seguimento do Plano de Atividatas 5. Escola EB1 de Vilar de Luz des de Educação e Sensibilização Am18. JI de Moutidos 6. Escola EB1 da Bajouca biental do Concelho da Maia decorreu, 19. Escola EB1/JI do Lidador 7. Escola EB1 de Frejufe entre os dias 1 de Dezembro de 2011 e 5 20. Centro Escolar da Gandra 8. Escola EB1 D. Manuel II de Janeiro de 2012, no Centro Comercial 21. Escola EB1/JI de Gestalinho 9. Escola EB1 Monte Calvário Vivaci, uma Exposição de Árvores de 22. Escola EB 2,3 da Maia 10. Escola EB1 de Mandim Natal realizadas pelos alunos dos esta23. Escola EB1/JI de Pedras Rubras 11. Escola EB1/JI do Castêlo da Maia belecimentos de ensino e utentes dos 24. Escola EB1/JI da Maia Sede 12. Centro Escolar de Gueifães/VerCentros de Dia e Lares da Maia, contando 25. Escola EB1/JI da Azenha moim com as seguintes participações: 26. Escola EB1/JI de Ferreiró 13. Escola EB1/JI de Cristal 27. Escola EB1/JI da Prozela 14. Infantário Tintin 1. Escola EB1/JI de Parada 28. Escola EB1/JI de Sta. Cruz 15. Escola EB1 de Folgosa 2. Centro Escolar do Corim 29. Centro de Dia de Crestins 16. Escola EB1/JI de Sta. Cristina 3. Escola EB1/JI de Crestins

30. Centro de Dia da Guarda 31. Lar Prof. Doutor José Vieira de Carvalho A Escola vencedora desta exposição foi a Escola E.B.1/J.I. de Gestalinho. A gerência do Centro Comercial Vivaci assegurou ainda o prémio para o estabelecimento de ensino vencedor, no valor de 250,00Eur (em material escolar) e o prémio de participação para todos os envolvidos.

Dia Mundial da Paz Ou o regresso do homem 1. O “Dia da Paz” foi proposto pelo Papa Paulo VI, na sua mensagem de 8 de Janeiro de 1967, nos termos seguintes: “Dirigimo-nos a todos os homens de boa vontade, para os exortar a celebrar o Dia da Paz, em todo o mundo, no primeiro dia do ano civil, 1 de Janeiro de 1968. Desejaríamos que depois, cada ano, esta celebração se viesse a repetir, como augúrio e promessa, no início do calendário que mede e traça o caminho da vida humana no tempo que seja a Paz, com o seu justo e benéfico equilíbrio, a dominar o processar-se da história no futuro”. O caminho havia sido desbravado pelo seu antecessor, João XXIII, com o seu texto fundador, “Pacem in terris” (“Paz na Terra”), uma Carta dirigida a todos os homens bons sobre a “Paz de todos os povos na base da verdade, justiça, caridade e liberdade”. Foi publicada a 11 de Abril de 1963, dois meses antes da sua morte – nela se podendo ler um seu testamento de fé no homem do futuro - dois anos após a construção do muro de Berlim e alguns meses depois da crise dos mísseis em Cuba. O homem do Vaticano II, um concílio de regresso às origens, justifica assim esses quatro ângulos: “a Paz entre os povos exige: a verdade como fundamento, a justiça como norma, o amor como motor, a liberdade como clima”. 2. Ora a paz foi o estado natural do homem. Uma sabedoria que o acompanha desde o fim dos tempos, colocando-o em equilíbrio consigo próprio, com os outros e com o cosmos. Poderemos entrever a alteração desse estado, no momento em que surge o primeiro discurso argumentativo registado por Cícero, na sua obra “Retórica Invenção”, onde narra a “estória” da reunião na clareira. Conta o príncipe dos oradores que, um dia, ao grito de um, todos os homens se reúnem numa clareira da floresta da qual procuravam arrancar a subsistência. Nesta investiam os seus instintos, sem qualquer conhecimento de valores, ideias ou padrões ético-morais. Todavia, à eloquência esclarecida desse orador todos abdicam dos instintos e paixões e seguem-no como hoje, em qualquer organização, se segue a indicação de um líder. Desde que se atribui uma finalidade à organização e, por ela, aos seus membros, os homens deixam de se unir desde dentro para, forçados, se juntarem de fora. Passam de criativos, que partilham iniciativas, a obedientes, aceitando imposições. E assim, desfeito o equilíbrio individual e colectivo, nunca mais eles se encontraram na igualdade da acção. Antes, se viram a recorrer à diplomacia, seguida pela guerra, seu complemento. Daí o permanente apelo à Paz interior de cujo reflexo surgirá a Paz comunitária exterior. Diremos então que a paz não é a ausência da guerra, mas, antes, que esta corresponde a um vazio daquela. 3. É que a Paz nasce da sabedoria da vida, herdada do passado, individual e colectivo. Pois o homem sente-se o elo de uma cadeia que toma todo o tempo e todo o espaço, cuja experiência e cujo saber se constituem em Luz que o guia. Será por acaso que as velhas civilizações como as modernas culturas se sentem desorientadas, ao perderem as suas referências, isto é, “os seus sabedores das coisas”, a ensinar e a aprender? Daí o lamento, no Antigo México: “Foram-se os sábios / embarcaram outra vez / levaram consigo as escrituras / os códices e as pinturas / levaram todas as artes / e a música das flautas”. E a interrogação, angustiante: “Brilhará de novo o Sol, amanhecerá? / Como permanecerá a terra, a cidade? / Como haverá estabilidade? / Qual será a nossa norma? / Qual será a nossa medida?” (“Los Antigos Mexicanos”, M. León-Portilha, México, FCE, 2005: 61-2) Professor Catedrático na UTAD Secretário da A. G. Clube UNESCO da Maia


12

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Desporto KARATE

\\ Opinião Deco

maiahoje

Clube de Karate da Maia

Atletas em Estágio Técnico de Karate \\ Clube de Karate da Maia (CKMaia) acaba o ano com estágio técnico, jantar e festa de Natal e já vê o inicio deste novo ano com diversos eventos a marcar presença.

Comprei umas botas em saldo. Usei-as apenas uma vez, tendo ambas as solas descolado, sem motivo aparente. Dirigi-me ao vendedor para efectuar a reclamação e resolver a questão. Este, por não possuir o meu número, para substituição, ofereceu-me um vale. Devo aceitar? Os Saldos definem-se como a venda de produtos praticada em fim de estação a um preço inferior ao anteriormente praticado no mesmo estabelecimento comercial, por forma a promover o escoamento acelerado das existências (v.g. colecções, no vestuário, calçado, etc). A venda em saldos somente pode realizar-se entre 15 de Julho e 15 de Setembro e 28 de Dezembro e 28 de Fevereiro. Os bens em saldo devem estar separados dos restantes à venda no estabelecimento comercial e devem ser exibidos, de forma bem visível, o novo preço e o anteriormente praticado, ou em substituição deste último, a percentagem de redução. O comerciante é obrigado a aceitar todos os meios de pagamento habitualmente disponíveis, não podendo efectuar qualquer variação no preço aplicado ao produto em função do meio de pagamento utilizado. No caso de bens sem defeito, o comerciante pode, mediante acordo com o consumidor e independentemente do motivo, proceder à troca do bem anteriormente adquirido ou ao reembolso do seu valor, mediante inclusive, a emissão de vale, desde que o estado de conservação e/ou apresentação do produto se mantenham intactos e seja apresentado o talão de compra com indicação da possibilidade de substituição. Trata-se de prática comercial unilateral do vendedor, em que este tem liberdade de fixação das condições contratuais, inserindo-se, assim, na designada cortesia comercial. Não há, pois, obrigação legal de troca ou devolução do preço. O mesmo não sucede se o bem possui alguma desconformidade (defeito), encontrando-se o consumidor protegido pelo regime jurídico das garantias de bens de consumo, ou seja, tem direito à reparação, substituição, redução do preço do bem ou resolução contratual com reembolso do dinheiro pago, consoante os casos. Assim, na situação em apreço, em que o bem padece de desconformidade, não sendo possível a sua reparação ou substituição, o consumidor tem direito à devolução do preço que pagou pelas botas não estando, de modo algum, obrigado a aceitar o vale porquanto em causa está a aplicação de regime legal imperativo e não de regras de cortesia comercial. Anabela Ferreira, jurista da DECO Para qualquer esclarecimento adicional, por favor dirija-se à DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, Delegação Regional do Norte – Rua da Torrinha, n.º 228-H, 5.º andar, 4050-610 Porto.

pub

Decorreu nos dias 16 e 17 de Dezembro, do ano transacto, mais uma iniciativa do CKMaia, no Pavilhão Municipal de S. Pedro Fins, que se baseava num Estágio Técnico de Karate da AKKP, que reuniu uma centena de atletas com idades superiores aos 12 anos. No seguimento das acções de formação dadas por prelectores qualificados no campo da educação e da psicologia este evento visou mostrar o sucesso do sistema de treino adoptado pelo CKMaia, que tem como fim a coordenação e o trabalho completo ao nível da motricidade e do desenvolvimento técnico e táctico para estes escalões de especialização. António Moreira, presidente do CKMaia afirmou que este “foi mais um evento fantástico com uma participa-

ANDEBOL

ção alargada destes atletas, que não perdem um estágio para corrigir e melhorar todo o sistema de trabalho apresentado pela organização” e que se encontra atento às necessidades das atletas de modo a que estes sejam “conhecedores do sucesso e excelente trabalho que se mantêm ao nível do desenvolvimento tradicional e desportivo”. Para começar este novo ano, o Clube de Karate da Maia vai estar presente em eventos, tais como Nacional de Clubes, Open de Paris, Estágio Lúdico e Open de Campeões. “Em comemoração da época natalícia uma festinha de natal” Ainda na noite do dia 17 de Dezembro deu-se o jantar de Natal do CKMaia, no restaurante o Grelhador

da Giesta, que contou com a comparência de 140 associados e a presença de atletas das diversas escolas de karate espalhadas pelo concelho da Maia. Neste jantar encontrou-se ainda o presidente do CKMaia, o presidente da Associação AKKP, Tânia Rodrigues, entidade onde o clube se encontra associado, e ainda um representante da Federação Nacional de Karate, César Henriques. No dia seguinte, foi a vez do Pavilhão Municipal de Nogueira receber 140 crianças, para a festa de Natal, “por tradição o CKMaia realiza todos os anos em comemoração da época natalícia uma festinha de natal com muita animação, diversão e surpresas”, declarou António Moreira. O programa da festa apresentava

uma aula de karate com música, seguindo-se um trabalho de circuitos, em que pais e filhos realizavam juntamente todo o programa lúdico. Decorreram ainda demonstrações dos atletas de karate, aeróbica, dança contemporânea, um show de palhaços e a tão esperada presença do Pai Natal que trouxe um lanche e uma prenda para cada criança. Para este evento foi pedido a cada criança para levar um livro ou um brinquedo para doar a entidades com crianças carenciadas. Catarina Almendra

KAKYGAIA 2011

Associação Atlética de Águas Santas vence Torneio Realizou-se entre os dias 27 e 30 de Dezembro de 2011 o Torneio KAKYGAIA, organizado pelo Clube Jovem Almeida Garret com a cooperação da Câmara Municipal de Gaia. Neste torneio esteve presente a equipa de iniciados da Associação Atlética de Águas Santas que venceu

SOLIDARIEDADE

a competição no seu escalão. Este torneio abriu pela primeira vez as portas às equipas masculinas nos escalões de iniciados, infantis e minis. Tratando-se de um torneio com muitas equipas, foram realizados cerca de 280 jogos, o que fez com que a duração dos mesmos fosse encur-

tada para 20 minutos por parte com intervalo de 5 minutos. Os atletas iniciados participantes no torneio foram: Bruno Simões, Tiago Miranda, Luís Ferreira, Diogo Silva, Luís Frade, Miguel Gomes, Diogo Quintas, João Freitas, Diogo Flórido, Pedro Mendes, João Gonçalves, Nuno

Beltrão, Rafael Rodrigues e Bruno Bragança - Treinador Luís Filipe Silva. Resultados 1º Jogo - CALE - 25 - AAAS 26 2º JOGO - AAAS 35 - Belene. 25 3º Jogo - AAAS 25 - Selec.Porto 20 Final - AAAS 44 - Belenenses 41

Angariação de bens

Life Combat apoia Socialis A escola de Kickboxing Life Combat levou a cabo uma campanha de solidariedade social para apoiar a instituição Socialis. Para a escola esta campanha «foi um sucesso». Nela foram angariados diversos bens, tais como alcofas, baby-

BASKET

cok, fraldas, papas, leite em pó, carinhos de bebé, cadeiras para o transporte no automóvel, roupas e enxovais, biberões, chupetas e brinquedos. Para a Life Combat esta iniciativa veio mostrar que «o kickboxing pode ser solidário ajudando os que mais pre-

cisam, tentando mudar assim a imagem negativa associada a este desporto». A escola de Folgosa está disponível para apoiar outras instituições sempre que possível «pois não é só o desporto o nosso alvo», ficando a certeza que o

Natal dos bebés do projecto Semente e as suas mães foi mais alegre. Por fim, a Life Combat agradece a todas as pessoas e entidades que participaram na realização desta campanha.

Caras novas no Maia Basket

Paulo Diamantino e Pedro Tavares são reforços O novo ano trouxe dois novos jogadores à equipa do Maia Basket para reforçar a equipa maiata nos jogos que faltam disputar no Campeonato da Proliga. Paulo Diamantino, 26 anos, exatleta do FC Porto e do Vitória SC, e Pedro Tavares, 28 anos, também ele vindo de Guimarães, chegam agora ao

clube maiato, onde já jogava um dos irmãos Diamantino (João), que está no Maia Basket há mais de duas épocas. Ambos apresentam-se com o objectivo de ajudar a alcançar mais vitórias na competição. Com 2,04m, Paulo Diamantino será reforço para a posição de Poste, colmatando assim uma necessidade

do plantel da equipa sénior do Maia Basket, que vê agora reforçado o seu jogo interior com um jogador que vem da Liga Portuguesa de Basquetebol para dar mais qualidade à Proliga. Pedro Tavares vem para reforçar a posição de Base. Com médias de 5,4 pontos, 2 assistências e 27% de 3ptos em 194 minutos jogados esta época

na LPB e depois de 5 épocas e meia no clube vimaranense, Pedro Tavares, formado no SC Vasco da Gama, vem agora para o Maia Basket com o objectivo de ajudar a equipa a subir na tabela classificativa, onde terminou o ano de 2011 na 10ª posição.


maiahoje

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

Desporto AUTOMOBILISMO

\\ Opinião Fordoc

A Associação Nacional de Jovens Formadores e Docentes (FORDOC) apresenta, esta sexta-feira, em colaboração com o Instituto Superior de Paços Brandão, as Olimpíadas de Comunicação e Marketing e o festival “PUBLI…CIDADE PAÇOS DE BRANDÃO - edição ABC”. Ambos os eventos têm encontro marcado no Instituto Superior de Paços Brandão (ISPB). Com duas sessões distintas, uma marcada para as 19h e outra para as 21h 30, a Associação Nacional de Jovens Formadores e Docentes (FORDOC) pretende, na próxima sexta-feira 13 de Janeiro, tornar Paços de Brandão no ponto de encontro de publi…fans. A primeira sessão terá início às 19h e consistirá nas Olimpíadas de Comunicação e Marketing 2012. Através de uma abordagem mais prática, este evento consistirá numa competição saudável entre grupos que irão desafiar os seus limites e testar os seus conhecimentos ao nível das diferentes temáticas abordadas. Segundo Paulo Antunes, presidente da FORDOC, “estas Olimpíadas são um desafio de problemas de Marketing e Comunicação dirigidos a estudantes do ensino superior e não só. O evento visa, essencialmente, incentivar e desenvolver o gosto quer pela área do Marketing, bem como desenvolver características empreendedoras nos jovens”. Os problemas propostos neste concurso fazem sobretudo apelo ao raciocínio, à criatividade e à imaginação dos jovens estudantes. No que diz respeito à sessão da noite, esta aberta à população em geral, consistirá na apresentação do Festival “PUBLI…CIDADE PAÇOS DE BRANDÃO - edição ABC”. Com este projecto a Associação Nacional de Jovens Formadores e Docentes pretende apresentar um misto entre seminário e mostra publicitária e terá como objectivo principal despertar a atenção da assistência para o constante surgimento de novas tendências para as instituições poderem publicitar as suas marcas. Esta mostra, pretende ser uma apresentação descontraída com um orador menos tecnicista e mais motivacional. Assim sendo, esta primeira edição denominada de ABC da publicidade, apresentará exclusivamente casos de estudo de marcas começadas pelas letras “A”,”B” e “C”, como é o caso da Audi, Budwieser ou Camel, entre outras. Destaca-se por fim o facto destas duas sessões marcarem o arranque da relação de partner corporate entre a FORDOC e a empresa de energia natural, Enernatura. Este dia dedicado ao mundo da publicidade, denominado de never sleep again, é organizado pelos alunos da disciplina organização e gestão de eventos do ISPB e tem como objectivo a angariação de fundos para os mais carenciados da freguesia de Paços de Brandão. Desta forma, todos os participantes podem ajudar trazendo, no dia do evento, um produto alimentar básico.

13

2011 positivo e indefinição para 2012

Cândido Espinha faz balanço da época de 2011 Ao fazer um balanço da época de 2011, Cândido Espinha mostra-se satisfeito pela sua prestação. Assim, em jeito de resumo, no seu retorno às pistas com o Fiat 127, o piloto não teve a sorte pelo seu lado, pois logo na jornada inaugural no autódromo do Estoril, acabaria por partir o motor, o que levou o piloto da Maia a ter de rever os seus planos de participação.

FUTEBOL

O seu regresso de novo às pistas seria no circuito da Boavista, onde tudo correu pelo normal, como nos explicou «o balanço foi muito positivo, tirando a primeira prova no Estoril, onde parti o motor. Depois do mesmo ter sido reconstruído, não tive mais problemas e as corridas correram bem, sem problemas de maior, sempre com duelos interessantes com alguns dos meus adversários».

Para a próxima época, Cândido Espinha ainda não sabe o que irá fazer «não está nada definido, pelo menos poderei fazer uma ou duas provas, não sei quais, pois ainda não falei com patrocinadores, e só depois de ter respostas é que poderei tomar decisões de acordo com os apoios que conseguir arranjar”, referiu o piloto maiato.

Clássico “frenético” terminou sem golos

Futebol… como deveria ser. No passado dia sete o renovado Sporting recebeu com casa cheia e direito a record de assistência – 48.855 espectadores – o rival nortenho, em jogo “louco” que poderia ter sido vencido por qualquer das equipas. Um jogo de Futebol, em bom ambiente, com os seus pequenos casos, mas com bancadas pacificadas, muitas famílias, adeptos algo misturados e muito “Fair Play” como demonstrado no final pelos jogadores. Os comandados de Domingos Paciência começaram desde início ao ataque, mas a “cerimónia” na hora de rematar, e a sólida retaguarda de Helton e companhia anularam com

VOLEIBOL

alguma facilidade as tentativas caseiras de chegar ao golo. Por seu lado o FCPorto, saindo em contra-ataques perigosos, especialmente pelo incansável Hulk, tentava a sorte que terminava sempre nas mãos de Patrício. Na etapa complementar, sucederam-se os momentos de aperto, mas o resultado manteve-se. Os treinadores de ambas as equipas concordaram com a justiça do desfecho final, ambos reconhecendo que a vitória poderia ter acontecido para qualquer das partes. Falando primeiro Vitor Pereira queixou-se da “sorte” de Polga em não ter sido expulso logo a abrir a segunda parte, respondendo Domingos Pa-

ciência que Otamendi nem deveria ter entrado para a metade complementar, num jogo de palavras, habitual nestas circunstâncias, onde apesar de tudo se assistiu a um jogo sem grandes casos e bom exemplo de como sempre deveria acontecer. Com este resultado ambos se atrasaram em dois pontos em relação ao agora líder isolado Benfica, que no dia seguinte venceu expressivamente em Leiria, obtendo assim uma liderança que lhe escapava há muito tempo. Francisco Bacelar

Jornada decisiva

Juniores Femininos fora do Nacional O passado sábado, dia 7 de Janeiro, foi dia de decisões para o GDC Gueifães. A equipa de juniores femininos jogou no Castêlo da Maia defrontando a equipa local. No final a equipa da casa foi a vencedora com resultado de 3-2 com parciais de 20-25; 25-23; 25-20; 26-28 e 15-12, deixando a equipa de Gueifães de fora do Campeonato Nacional. De acordo com o treinador Carlos M. Simão o jogo foi «muito equilibrado e muito disputado de parte a parte. Foram 2 horas de bom voleibol».

No 1º set o GDC Gueifães entrou mal, chegando a estar a perder por 9-3, conseguindo depois dar a volta e vencer por 25-20. O 2º set acabou por decidir o jogo. A equipa de Gueifães esteve sempre na frente cometendo erros na parte final que levaram a que perdessem por 25-23. O 3º set culminou em nova vitória para o Castêlo da Maia e numa altura em que o GDC Gueifães começou a perder consistência. No 4º set esse factor foi importante pois a equipa treinada por Carlos M. Simão esteve sempre atrás conseguindo na parte final do set

dar a volta ao resultado, ganhando por 26-28. Na negra e com as atletas de ambas as equipas a acusarem algum cansaço, a equipa de Gueifães perdeu por 15-12. Terminou assim a participação da equipa no Campeonato Nacional. Carlos M. Simão sublinhou o empenho das suas atletas e mostou-se confiante para o futuro: «fica o sentimento do dever cumprido, as miúdas deram tudo, erramos em alguns detalhes e neste nível isso paga-se caro. Há que olhar em frente e preparar o futuro».

pub

EXPLICAÇÕES - MATEMÁTICA - FÍSICA - GEOMETRIA DESCRITIVA

EXPLICAÇÕES - ALEMÃO E PORTUGUÊS (até ensino universitário) POR LICENCIADA

POR ALUNO DE ENGENHARIA, ENSINO SUPERIOR

PREÇOS MUITO ACESSÍVEIS. CONTACTAR 91 714 43 08

BONS RESULTADOS! CONTACTAR 960 144 111

EXPLICAÇÕES - FÍSICO-QUÍMICA

(Básico e Secundário) POR PROFESSORA DO QUADRO DE ESCOLA, A LECCIONAR A DISCIPLINA

CONTACTAR 91 959 37 16


14

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

magazine

\\ Opinião José de Paiva Netto

Compartilhar o pão Vivemos um clima de renovação tecnológica jamais vista, mas também de ganância exacerbada. Todavia, os seres de Boa Vontade aguardam confiantes, como primícias do Senhor, tempos melhores. Daí ser muito saudável o reacender da esperança a cada ano que começa. Diante da imensidão do Universo de Deus, os ideais de vaidade e de domínio humanos não possuem futuro. Ao serem atravessadas as águas do “rio da morte”, desfazem-se as quimeras de uma Ciência quando sem entranhas, os terrores de crenças quando carregadas de preconceitos e intolerâncias, além de todo espírito de concorrência desalmada e o conceito bélico, que separam as pátrias. Isso até que o Sol da Caridade, que é Jesus, espante as trevas da ignorância insolente e, abrindolhes a visão espiritual, faça os seres humanos inferir que apenas o exercício das divinas leis da Fraternidade Ecuménica e da Solidariedade Social trarão Paz à Terra. Nesta época, o ensino sublime do Evangelho-Apocalipse terá, finalmente, acalmado os corações, que encontrarão no Regaço de Deus o descanso para os seus Espíritos infrenes. Nessa época, esperada por tantos missionários do Bem, a Humanidade terá entendido que de nada adianta ilustrar a mente se o coração for esquecido e que é delírio completo desejar o progresso da sociedade se os princípios da confiança e do respeito forem avis rara nas relações interpessoais. SEDE DE SIMPLICIDADE Ernesto Renan (1823-1892), filósofo, historiador e livre-pensador francês, citado por Humberto de Campos (1886-1934) em carta a Gastão Penalva (1887-1944), seu colega da Academia Brasileira de Letras, preconizava que “o cérebro queimado pelo raciocínio tem sede de simplicidade, como o deserto tem de água pura”. Assim ocorre com a Verdade Divina, da qual o Espírito humano não pode abrir mão. Tanto que, quando ele estiver exausto de inutilmente lutar contra a própria libertação, ela, a Verdade Divina, virá iluminá-lo com a sua luz, delicada e serenamente. Jesus viveu entre nós 33 anos. Contudo, consoante o prosador grego Luciano de Samósata (125192) anotou, “a vida humana vale mais por sua intensidade de aprendizado do que por sua extensão”. Desde que ela cesse unicamente na hora marcada por Deus, pois “o suicídio não resolve as angústias de ninguém”, ensinava Alziro Zarur. CIDADÃO CELESTE Ora, meus amigos e minhas irmãs, façamos, então, o Bem, porque o tempo continuará passando. Estamos corpo, mas somos Espírito. Isso nos leva a concluir que Protágoras, filósofo grego da escola sofista, não alcançou a amplitude universal da criatura quando afirmou que “o homem é a medida de todas as coisas”. Com o pensamento elevado ao nosso Divino Mestre, caminhemos mais adiante e digamos que o Espírito Eterno, que habita o corpo humano, ele sim, é a medida de todas as coisas, porquanto é Cidadão Celeste. Mulheres e Homens de Boa Vontade, o nosso esforço é levar ao povo as fórmulas divinas do Amor e da Verdade, da Humildade e da Esperança, da Justiça e da Paz, que emanam dos ensinamentos do Educador Sublime: Jesus. É o Pão Espiritual que fazemos questão de dividir com todos. Quando tivermos conscientemente aceitado isso, não na superfície, mas no imo de nossa Alma, estaremos prontos para proclamar a Política de Deus ao ser humano e ao seu Espírito Imortal. O segredo é confiar em Jesus! O Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho. Eis o início de tudo. Conforme dizia o velho Goethe (1749-1832), “no princípio, a ação”. O valor se prova com o trabalho. Então, as lamentações de Jeremias sobre Jerusalém encontrarão seu término, e “haverá um só Rebanho para um só Pastor”, que é o Cristo. Que a Paz e a decisão de Deus estejam, agora e sempre, em todos os corações, porque grandes vitórias se aproximam, se fizermos por merecê-las. E tornemos o ano novo uma essencial Ressurreição. José de Paiva Netto, jornalista, radialista, escritor e Presidente da Legião da Boa Vontade, escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico, www.lbv.pt

maiahoje

VIAGENS

A misteriosa mansão da viúva Winchester Há verdadeiramente quem tenha muito dinheiro e não saiba o que há de fazer com ele. E quando a este facto se junta alguma demência, então o resultado é… a mansão da viúva Winchester. O nome Winchester é-nos possivelmente familiar. Não tanto como o nome Colt, mas sabemos com certeza de que ambos se tratam de marcas de armas. E também todos nós sabemos que armas matam. E teria quase a certeza de que Sarah Pardee também sabia isso ao casar em 1862 com William Wirt Winchester, dono das fábricas de armas Winchester. Bem, às vezes sabemos e não queremos saber… Nessa altura, ainda ambos eram um casal feliz. Passado pouco tempo, nasceu-lhes uma fliha, que infelizmente morreu ainda bebé, deixando Sarah inconsolável. Foilhe muito difícil superar a tragédia e voltar a fazer uma vida normal. Só que em 1881, o seu marido William morre de tuberculose e Sarah entra em total depressão – ao mesmo tempo que herda uma das maiores fortunas do país: 20 milhões de dólares e 3300 ações da empresa, além de ganhar 1 dólar por cada espingarda vendida – e nessa época era vendidas mais de 1000 espingardas por dia somente nos EUA! Pouco tempo, começa a ouvir barulhos, gritos horríveis e pancadas por toda a casa. Desesperada, vai consultar uma espírita que a informa de que o marido se encontra ali presente e que ele lhe diz que esses gritos são dos espíritos atormentados das pessoas mortas pelas armas Winchester, que andam perdidos com ódio. E que foram eles que mataram sua filha e

o próprio William, e que ela seria a próxima vítima. Que fazer? A médium aconselha-a a mudar de casa. Para onde? Que não se preocupasse, que o seu marido a iria guiar e ela saberia qual nova casa comprar quando a visse. Essa casa deveria ser totalmente remodelada para que os espíritos de luz pudessem ali ficar para protegê-la e os maus espíritos se acalmassem. Temos aqui a génese da mansão misteriosa que começa a construir perto de São José, sobre uma pequena casa de campo que comprou em 1884. Apesar de não perceber nada de arquitetura, Sarah desenha a sua própria casa. As proporções não batem certo. Há escadas que levam… a parte nenhuma. Portas que abrem…. para uma parede. Janelas que dão para … o chão. Uma chaminé que atravessa quatro andares mas que não chega ao telhado. Quartos com passagens secretas, labirintos e armários que ao se abrirem só mostram paredes. Mas o importante era enganar os espíritos maus dos mortos pelas armas Winchester, confundi-los e

desencorajá-los de ali entrar. Nunca se desenhou um projeto para a casa, pois isso poderia ensinar e alertar os espíritos. O mestre de obras chegava pela manhã e recebia as instruções do que a patroa queria que ele fizesse nesse dia. E poderia acontecer que no dia seguinte ela mandasse deitar abaixo o que tinha sido feito no dia anterior – assim poderia confundir ainda mais os espíritos. O número 13 é muito importante, pois é um número supersticioso. Cada quarto tem 13 janelas. Há casas de banho em toda a casa. Cada candelabro tem 13 luzes. Em 1906, já estavam construídos 13 quartos quando se deu um grande tremor de terra. Sarah Winchester convenceu-se de que o tremor de terra era o resultado dos espíritos estarem zangados por ela ter demorado tanto tempo a construir a casa e de ter gasto tanto dinheiro. A casa na altura já estava com sete andares, mas o tremor de terra destruiu uma grande parte, deixando-a somente com quatro andares. Para não zangar mais os espíritos, Sarah resolveu não arranjar os quartos es-

tragados pelo tremor de terra. Mandou-os selar e construiu novos quartos. A entrada da casa fazia-se… pela porta das traseiras. Só três pessoas usaram a porta da entrada: os dois carpinteiros que a montar, e a própria Sarah Winchester. Conta-se que Roosevelt quis um dia visitar a casa pois era grande fã das armas Winchester. Quando chegou à casa, o jardineiro não o reconheceu e mandou-o entrar pelas traseiras. Roosevelt ficou ofendido e foi-se embora. Sarah trabalhou na casa durante 38 anos, remodelando-a 600 vezes. Os operários trabalhavam 24 horas por dia, sete dias por semana. A casa tem 160 divisões – cada noite, Sarah Winchester dormia num quarto diferente para os espíritos não a conseguirem encontrar. Há porém uma sala que ela usou muitas vezes: o quarto dos sentidos, só com uma entrada, mas três saídas, onde ela ia para falar com os espíritos. E não só. Tinha janelinhas que davam para a cozinha donde ela podia espiar os criados. Se algum dissesse alguma coisa contra ela, ela imediatamente despedido. Em 1922, após uma sessão espírita, Sarah Winchester deitou e morreu durante o sono. Tinha 83 anos. E pela primeira vez em 22 anos, não se ouviu martelar naquela casa. As obras pararam. A casa era tão confusa e com tantos labirintos que os trabalhadores demoraram mais de seis semanas para retirar a mobília da casa. Em 1932, a casa foi aberta ao público. M.Margarida Pereira-Müller

2012 - Ano novo sem novidades \\ Fernando Pedroso

Mil mentiras, dez verdades, Como são os governantes? São distúrbio d’esperanças Matam futuro às crianças, Cada um pior que antes?

pub

Mas vamos ter confiança Mais fé e muita esperança Dizer «pronto, estou aqui!» Lutar para defender Trabalhar para vencer Os males que vêm aí!

Vontade - não é só minha De eleger a Paz – Rainha P’ra governar governantes, Terem mais humanidade Ensinar-lhes a verdade P’ra da Paz serem amantes.

“Bons” projectos vão ruir… Alguém nos quer prevenir Que não se “adore” o dinheiro, O dinheiro é malfazejo Ele mata por desejo É maldito e feiticeiro!!!

Dia Mundial da paz Evitemos o que faz A guerra e confusão, Vamos prometer amor Ajudar o sofredor Vamos cumprir a missão!

É mais um ano de vida Vamos fazê-la querida Com coragem e fervor, Sei que muito se vai perder Não nos deixemos vencer Não percamos o amor.

27 de Dezembro de 2011 Abílio Fernando Dias Pedroso, empresário, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico


maiahoje

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

\\ EMERGÊNCIAS NACIONAIS • SOS Número Nacional de Socorro............................................112 • Incêndios Florestais .......................................................................117 • Emergência Social (crianças, idosos, vitimas, s/abrigo)....144 • Intoxicações ...............................................................808 250 143 • Emergência Gás (EDP)............................................800 215 215

\\ EMERGÊNCIAS LOCAIS • Bombeiros Voluntários de Moreira...................22 942 10 02 • A. H. Bombeiros de Pedrouços...........................22 901 27 44 • PSP Maia (Esquadra Cidade)...............................22 947 96 90 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Segurança)22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Trânsito).....22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Es.Intervenção) 22 948 26 93 • PSP Águas Santas (Esquadra Vila).....................22 977 42 80 • PSP Maia (Divisão Policial)...................................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Trânsito) .............................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Interv. e Fiscalização) ....22 978 51 90 • GNR Maia (Posto Territorial da Maia) ...............22 986 74 30 • GNR Maia (Posto Fiscal de Pedras Rubras).....22 944 91 00 • GNR Maia (Posto Trânsito da Maia) ..................22 968 84 70 • Polícia Municipal Maia ..........................................22 940 86 00 • Protecção Civil (CM Maia) ....................................22 940 87 22 • Protecção Civil (CM Maia) Linha verde.............800 205 169 • Protecção Civil (Com. Distrital Op. Socorro)..22 619 76 50 • Cruz Vermelha Portuguesa (Núcleo Maia).....22 941 12 21

\\ LINHAS

SAÚDE NACIONAIS

• Saúde 24......................................................................808 242 424 • Saúde 24 (orientação pediátrica) .......................808 242 400 • Linha Saúde Cancro ................................................808 255 255 • Linha Saúde Sexualidade......................................808 222 003 • Linha Saúde SIDA.....................................................808 266 266 • Linha Saúde SOS Criança ......................................808 202 651 • Linha Saúde SOS Medicamento .........................800 222 444 • Linha Saúde SOS Grávida......................................808 201 139 • Linha Saúde SOS Droga ............................................................1414 • Linha Saúde Deixar de Fumar .............................808 208 888 • Informação a Vitimas Violência Doméstica.....800 202 148 • Linha APAV (Apoio à Vítima)..................................707200 077

\\ SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE LOCAIS • USF Alto da Maia (Águas Santas) ......................22 977 42 50 • USF Viver Mais (Castêlo Maia) ............................22 986 51 70 • USF Saúde em Família (Pedrouços)..................22 977 47 10 • USF Pirâmides (Maia).............................................22 947 85 90 • USF Odisseia (Vermoim).......................................22 947 09 50 • USF Íris (Águas Santas)..........................................22 986 70 35 • USF Lidador (Gueifães) .........................................22 943 84 40 • USF Pedras Rubras (Moreira) ..............................22 943 14 70 • Extensão Saúde Nogueira (Nogueira).............22 961 77 10 • Extensão Saúde Milheirós (Milheirós) .............22 972 33 22 • Extensão Saúde Moreira (Moreira) ...................22 943 14 70 • Hospital S. João (Porto) ........................................22 551 21 00 • Hospital Pedro Hispano (Matosinhos) ............22 939 10 00 • Hospital Sto. Tirso (Sto.Tirso)................................252 830 700 • Hospital Joaquim Urbano (Porto).....................22 589 95 50 • Hospital N. Sra. Conceição (Valongo)..............22 422 00 19 • Hospital Sto. António (Porto) .............................22 207 75 00 • Hospital Maria Pia (Porto)....................................22 608 99 00 • Hospital Póvoa Varzim/V.Conde (P. Varzim)....252 690 600 • Hospital Magalhães Lemos (Porto) ..................22 619 24 00 • Inst.Port. Oncologia Francisco Gentil (Porto)22 508 40 00 • Unidade Alcoologia do Norte (Matosinhos).22 004 50 60 • Centro Regional de Sangue (Porto) .................22 004 52 40

mh jornal regional de grande informação

PROPRIEDADE DE:

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar artur@maiahoje.pt COLABORADORES REDACTORES: Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt Luís Filipe Azevedo luis@maiahoje.pt Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos rita@maiahoje.pt

Úteis \\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA NACIONAIS • Serviço Informações telefónicas PT . . . . . . . . . . . . . . . . . .1820 • Serviço Apoio a Clientes Optimus . . . . . . . . . . . . . . . . . .16103 • Serviço Apoio a Clientes TMN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1696 • Serviço Apoio a Clientes Vodafone . . . . . . . . . . . . . . . . .16912 • Aut.omóvel Clube ACP (assistência) . . . . . . . .707 509 510 • Brisa Auto-estradas de Portugal . . . . . . . . . . . .808 508 508 • CP Combóios de Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 208 208 • TAP Air Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 205 700 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede fixa) . . . .808 202 653 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede móvel) .808 962 690 • Cartões Crédito American Express . . . . . . . . . .707 504 050 • Cartões Crédito Mastercard . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 272 • Cartões Crédito Visa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 107 • EDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 506 506 • EDP (Comunicação de Avarias) . . . . . . . . . . . . .800 246 246

\\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA LOCAL • Loja do Cidadão (Porto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 241 107 • Posto de Atendimento ao Cidadão (Maia) . .22 948 24 62 • Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 98 10 • Cartório Notarial de Cláudia Barbas . . . . . . . .22 940 67 22 • Conservatória do Registo Civil (Maia) . . . . . .22 943 98 00 • Conservatória do Registo Predial . . . . . . . . . .22 943 62 80 • Conservatória do Registo Comercial . . . . . . .22 947 76 50 • Serviços de Finanças da Maia . . . . . . . . . . . . . .22 947 06 40 • Tribunal Judicial da Comarca da Maia . . . . . .22 941 90 73 • Tribunal do Trabalho da Comarca da Maia . .22 941 41 52 • Inst. Info. Apoio Form. Profissional (IAFE) . . .22 977 39 10 • Inst. Fomento Desenvolv. Económico . . . . . .22 942 70 26 • Centro de Emprego da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 943 27 00 • Segurança Social da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 10 90 • Com. Protecção Crianças e Jovens da Maia .22 949 03 33 • CTT Correios de Portugal (Gueifães) . . . . . . .22 960 83 27 • CTT Correios de Portugal (Moreira) . . . . . . . .22 943 76 10 • CTT Correios de Portugal (Vermoim) . . . . . . .22 943 95 30 • CTT Correios de Portugal (Águas Santas) . . .22 974 33 50 • CTT Correios de Portugal (Castêlo) . . . . . . . . .22 986 66 00 • CTT Correios de Portugal (Aeroporto) . . . . . .22 940 00 11 • Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 24 00 • Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 34 72 • Consulado de Chipre (Maia) . . . . . . . . . . . . . . .22 902 38 68 • Consulado do Paquistão (Maia) . . . . . . . . . . . .22 947 93 21 • Lipor II (Central de Valorização Energética) 22 947 73 40 • Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 26 60

\\ MUNICIPIO DA

15

\\ FARMÁCIAS Dia Turno

INFORMAÇÃO AINDA NÃO DISPONÍVEL

A (SERVIÇO PERMANENTE) AGRA - MILHEIRÓS GRAMAXO - MOREIRA DA MAIA B (SERVIÇO PERMANENTE) LIMA COUTINHO - GUEIFÃES DA MAIA - ÁGUAS SANTAS C (SERVIÇO PERMANENTE) BASTOS - GUEIFÃES NOVA DE ARDEGÃES - ARDEGÃES D (SERVIÇO PERMANENTE) MARTINS DA COSTA - ÁGUAS SANTAS ÁLVARO AGANTE - VERMOIM E (SERVIÇO PERMANENTE) MOREIRA BARROS - PARADA CENTRAL - CATASSOL F (SERVIÇO PERMANENTE) DO LIDADOR - ARDEGÃES BOM DESPACHO - MAIA G (SERVIÇO PERMANENTE) SOUSA BEIRÃO - MAIA ALIANÇA - VERMOIM a (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) DO AEROPORTO - PEDRAS RUBRAS b (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) GEMUNDE - CAMPA DO PRETO c (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) CASTÊLO - CASTÊLO DA MAIA d (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) VILA NOVA DA TELHA - QUIRES e (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) EUGÉNIA - PEDROUÇOS f (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) SILVA ESCURA - FREJUFE g (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) ARAÚJO - NOGUEIRA h (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) VALES - ARROTEIA i (REFORÇO ATÉ ÀS 24H) DAS GUARDEIRAS - GUARDEIRA y (DISPONIBILIDADE ATÉ ÀS 22H) MENDONÇA - SÃO PEDRO FINS

esta informação é patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

MAIA

• Câmara Municipal da Maia (Central) . . . . . . .22 940 86 00 • Serviços Águas e Saneamento da Maia . . . . .22 943 08 00 • Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . . . . . .22 968 73 22 • Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 20 • Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . . . . .22 944 24 62 • E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . . . . . . .22 940 87 21 • Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 30 • Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 • Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 905 95 20 • Canil Municipal da Mai . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 982 36 87 • Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 986 71 80 • Espaço Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 80 30 • Loja da Juventude S. Pedro Fins . . . . . . . . . . .22 968 91 69 nota: Informação actualizada em 2011/10/01 COLABORADORES FOTOGRAFIA: António Caldeira, TPJ CO 707 Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 José Barbosa . TPJ CO 924 Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710 Paulo Jorge Maia, TPJ CO 851 Raúl Silva, TPJ CO 852 CORRESPONDENTES: João Diogo (Brasil) Williams James Marinho (EUA) Ainhoa Carrasco Robles (Espanha) Catarina Almendra (Lisboa)

CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Form. e Docentes) Luís Clemente Ribeiro (contos) Mário Lopes (sociedade) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Ricardo Filipe Oliveira (sociedade) Rogério Gonçalves (sociedade) DESIGN / PAGINAÇÃO: Maxim Bukharov maxim@maiahoje.pt

De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SERVIÇO PERMANENTE

14 e 26 de Janeiro Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

COLABORE CONNOSCO Acompanha a sua equipa e/ou colectividade? Asssitiu a algum evento ou facto de notícia? Faça-nos chegar as notícias/comentários e fotos, via internet para: reporter@maiahoje.pt descubra o jornalista que há em si! DEPARTAMENTO COMERCIAL: Pedro Martins pedro@maiahoje.pt Ferreira Silva comercial@maiahoje.pt SEDE/ REDACÇÃO / D.COMERCIAL Rua dos Altos, Edifício Arcada, 16 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25 Depósito legal 147209/00 DGCS nºo 123524 Tiragem 3.000 exemplares

IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados. MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007


16 MEDIA

sexta-feira 13 de janeiro de 2012

A fechar

maiahoje

Porto Canal com novo Director-geral

Júlio Magalhães,de novo, a Norte Na passada terça-feira, nas instalações do Porto Canal, ao lado de Pinto da Costa, presidente do FC Porto, clube que passou a controlar a estação de televisão da Invicta, Júlio Magalhães, conhecido jornalista e ex-director de informação da TVI foi apresentado como Directorgeral do canal nortenho. Na conferência de imprensa, Júlio Magalhães, referiu não ter sido fácil a mudança de um canal generalista com a dimensão da estação de Queluz, até porque «tinha uma boa posição e notoriedade», mas a garantia que Pinto da Costa lhe terá dado de «independência total», e o desafio que terá a partir do início de Fevereiro fizeram a diferença. A opção pela sua «cadeira de sonho», em divertida analogia com a já famosa expressão usada na temporada passada por André Villas-Boas, garantiu, neste caso, se encontrar mesmo na sua “cadeira de sonho”, motivo pelo qual a

CIDADANIA

mudança não teve a ver com “cifrões” mas “com o coração e o amor pela cidade”, e sem cláusula de rescisão… Júlio Magalhães apontou como objectivo tornar o Porto Canal um «canal generalista de informação, feito na região Norte mas para todo o País e para os portugueses no estrangeiro», reforçando o destaque até agora dado ao FC Porto, mas divergindo do projecto Benfica TV apenas ligado ao desporto, pois para o director «é necessário deixar perceber a todo o país que no Porto há massa crítica, competência e é possível também fazer um canal. Se a TVI, SIC e RTP são canais sedeados em Lisboa feitos para todo o país, porque não o Porto ter um canal feito no Porto também para todo o país?» questionou, informando que desde já serão abertas delegações em Lisboa e em Braga. O jornalista, terminou a sua apresentação com um «Boa noite. Eu

sou o Juca Magalhães e sou funcionário do Porto Canal». Domingos Andrade, director de informação e de programação, e Rui Cerqueira, director de comunicação do clube que terá a direcção dos conteúdos relacionados com o mesmo, acompanham Júlio Magalhães nesta nova etapa da estação nortenha. No seu currículo o ex-pivot e exdirector de informação da TVI, nascido no Porto há 48 anos, foi aos sete meses para Angola de onde regressou em 1975 à cidade natal. Com apenas 16 anos iniciou-se como colaborador do Comércio do Porto na área de desporto. Mais tarde trabalhou nos extintos “Europeu” e no semanário “O Liberal”, passando ainda pela Rádio Nova, saindo em 1990 para a RTP, onde para além de jornalista passou a apresentar o programa da manhã e o Jornal da Tarde. A sua incursão televisiva levou-o a aceitar o convite

para a TVI onde já em 2009 seria convidado a assumir o cargo de Director de Informação, de onde saiu por sua expressa iniciativa em 2011, mas mantendo-se como jornalista e pivô. Numa outra faceta da sua vida estreou-se na literatura em 2003 com “T`Antas Glórias”, mas foi em

2008 com o romance “Os Retornados – Um Amor Nunca Se Esquece”, baseado na sua própria experiência no ultramar, que entrou definitivamente na galeria de sucesso da literatura portuguesa, onde já conta com um total de nove obras.

Se permanecer mais tempo canil o Sweetie vai perder o gosto pela vida. Pede-se a alguém com coração grande que resgate o Sweetie para uma vida melhor, a vida digna que sempre mereceu e nunca teve a oportunidade de ter. BALU – cerca de 8 anos, macho O Balu, de raça serra da estrela, entrou num canil com um problema de pele estando quase curado. É um animal de grande porte com um ligeiro problema na anca mas cujos medicamentos são fornecidos pelos voluntários. Precisa de um dono que lhe conceda um terreno com abrigo para viver mais uns anos com alguma qualidade de vida. Pode tornar-se num óptimo cão de guarda sendo dócil para com quem lida com ele.

celente cão de guarda. De porte grande, aconselha-se a que tenha um pouco de terreno para movimentar-se. O Tigre é um cão que poderá viver livremente num terreno vedado, precisa de alimentação, algum carinho mas não é um cão que ande continuamente atrás do dono, pelo contrário, tende a recolher-se sossegado sem grandes agitações.

Francisco Bacelar

Voluntários do Canil da Maia

Animais para adopção Todos estes animais têm percursos de vida complicados, com imensa dor e solidão pelo caminho. Como estão há demasiado tempo no canil é importante que alguém com possibilidades de lhes proporcione algum carinho, conforto e cuidados salvando-os de uma vida demasiado dura antes que desistam de viver. O contacto para obter mais informação sobre cada um é: Ana Ceriz - Telemóvel 93 6235449 ou por mail: animaisdocanildamaia@ gmail.com CALVIN - 4 anos, macho Animal de pequeno porte. Já tinha sofrido imenso, foi recolhido no canil e adoptado por uma pessoa que acreditávamos ser responsável. Na época natalícia, o dono deixou de gostar de ouvir o Calvin ladrar apesar de estar num terreno, devolveu-o ao canil sem dó nem piedade como se de um chinelo roto se tratasse.

\\ Opinião Nelson Ferraz

Como as pessoas, alguns animais não têm estrelinha que os guie...é o caso do Calvin que precisa que lhe concedam uma adopção responsável para que seja salvo do canil da Maia de uma vez por todas. ROX - cerca de 4 anos, macho Este cão era o mais traumatizado do canil. Neste momento começa a socializar, só um/a dono/a com coração enorme e alguma paciência poderá devolver ao Rox a confiança que ele precisa de ter no ser humano. Este cão foi talvez o que mais sofreu, de todas as histórias tristes a dele é de facto a pior. Se acreditar na magia que o amor opera nas pessoas e animais, se tiver algum espaço, paciência e imenso amor para dar e receber pode criar com o Rox elos únicos que nunca se irão desfazer. Uma adopção responsável pode salvar o Rox. PETRA – cerca de 8 anos, fêmea

Esta cadela labrador preta entrou no canil doente e está agora em fase de tratamento e melhoras. Quando estiver totalmente restabelecida vai precisar de um/a dono/a cinco estrelas que a faça esquecer o passado triste que teve. Se não tiverem animais em casa e puderem salvar já a Petra contactem o canil porque as condições do que este tem e o tempo não ajudam a que melhore tão bem como seria de desejar. A Petra já sofreu muito mas apesar disso é um doce, adora mimos. Os cuidados médicos ficam por conta do grupo de voluntários até total restabelecimento Sweetie – cerca de 4 anos, macho O Sweetie é um misto de cão de água com caniche, porte médio, brincalhão, muito meigo e sociável. Teve a infelicidade de ver todos os seus amigos serem adoptados sem que ninguém olhasse para ele como deve ser e o escolhesse.

Possível Os portugueses são pessoas reconhecidas. Um dia vão perceber a que tipo de pessoas estiveram entregues durante anos a fio e depois… bem, e depois talvez não aconteça nada.

longa e está cheia de símios mascarados de doutores. Em nenhum instante se consegue perceber o alcance destas ferozes maleitas económicas e a quem aproveitarão as navegações parvas dos peritos financeiros.

Esta hora de recreio vai

Mas os portugueses são

TIGRE – cerca de 8 anos, macho Raçado castro Laboreiro, o Tigre é um animal dócil e pacífico no entanto pode-se tornar num ex-

pessoas reconhecidas. Um dia vão querer que esta situação efervescente seja gravada em todos os compêndios académicos e será, então, a altura da literatura tentar explicar o que quer dizer “era uma vez…”, a matemática demonstrar que “era uma vez…” é coisa que não foi

e a história ficar calada em vez de inverter a futilidade romântica das muitas vezes. Este intervalo entre mundos, que nos tem cercado de mediocridade austera, está a ter uma longa duração e a penalizar, de forma brutal, todas as nossas crenças e projec-

tos. Estamos a desistir de acreditar nas mais básicas formas de valores morais. Os portugueses são pessoas reconhecidas. Um dia vão adorar rir-se de nós e perguntar: - como foi possível?

291  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you