Issuu on Google+

pub

7 SET a 20 SET

2012 Ano XIII | Nº 306 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar

apenas 0,70 € IVA incluído

\\ iniciativa

PUB

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

Com o governo em vias de decisão sobre apostas hípicas

Feira do Cavalo promete ser o maior evento equino a norte Milhares são esperados este fim-de-semana no Hipódromo Municipal em Silva Escura. Vasto programa inclui saltos de obstáculos, Grande Prémio de Corridas e baptismo de passeio a Cavalo. Entrada livre. p. 09

\\

emprego Drama social na FINEX deixa 150 trabalhadores no desemprego.

sociedade

Incêndio destrói Fábrica de Papel em Folgosa p.04 \\

empresas

CIN investe 700.000 euros em ambiente p.04 \\

nesta edição

BOLSA DE EMPREGO p.14

pub

p.03 pub


02

editorial \\

pub

artur bace|ar director

O Serviço Público Em discussão encontra-se a concessão ou privatização dos canais de televisão e rádio detidos pelo Estado. Por princípio sou contra dado que entendo ser em democracia imprescindível um serviço que dê voz a todos, sem excepção. No entanto, a deontologia da profissão jornalística, a que todos os profissionais estamos obrigados, já cobre e muito bem essa necessidade democrática. Facilmente o leitor pode comprovar dado que os noticiários dos vários canais públicos e privados versão quase sempre as mesmas temáticas. Sendo que a deontologia dos jornalistas defende a igualdade de oportunidades, afinal o que está em causa? Para mim, em termos gerais, todo este “circo” não passa de um problema relacionado com questões de trabalho, ou seja, os trabalhadores da RTP e RDP não querem deixar de ser funcionários públicos e perderem os direitos que os outros portugueses não têm. Se por exemplo considerássemos o despedimento na função pública tenho a certeza que estes problemas acabavam. O maior problema é que continuam a haver portugueses de primeira e portugueses de segunda, ou seja os que podem ser despedidos ou ficar sem o seu posto de trabalho a qualquer momento e os que o têm assegurado para toda a vida. Os tempos mudaram, a RTP e a RDP têm trabalhadores a mais para o mesmo serviço prestado pelos outros. Já agora, que é feito do serviço público que presta a imprensa regional?

pub

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Página dois

pub

pub

maiahoje


maiahoje INSOLVÊNCIA

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Sociedade

Finex Tech sediada na Maia encerra portas

\\ Opinião

150 trabalhadores no desemprego Empresa de capital finlandês instalada em Portugal há mais de 40 anos, cujo Grupo “L Fashion Group Oy” já empregou mais de 1000 trabalhadores na Maia, interrompe serviços alegando elevados custos de produção. A administração da Finex Tech em comunicado público afirmou ver-se «impossibilitada de se manter em actividade, não lhe restando outra alternativa senão a do cumprimento do dever legal de se apresentar à insolvência». Antecipando aquela que é a situação real económico-financeira da empresa, a gerência da mesma «desenvolveu, ao longo dos últimos dois anos, esforços no sentido de manutenção dos postos de trabalho bem como todos os deveres legais que daí decorrem». No ano passado e consequência de uma acentuada redução do número de encomendas, a Finex recorreu a um processo Lay Off iniciado em 19 de Setembro do mesmo ano. O pedido de insolvência ainda não declarada pelo Tribunal indignou profundamente todos os trabalhadores da empresa e motivou o Sindicato do Vestuário (Sinpicvat) a rejeitar este processo e a considerá-lo ilegal, fundamentando a sua posição com base em dois pressupostos: «na petição judicial afirma-se claramente que a Finex

pub

Tech não está em situação de insolvência, mas como o dono é único cliente vai deixar de enviar trabalho para Portugal remetendoo para empresas asiáticas, presumindo assim que a empresa entrará em insolvência nos próximos meses», concluindo ainda que «será uma insolvência premeditada e provocada pelo próprio grupo empresarial para se livrar dos custos: em primeiro lugar da empresa Finex em Portugal, em segundo lugar para não pagar as indemnizações aos trabalhadores portugueses». De acordo com o comunicado, a empresa não reúne na data do requerimento (26 Julho) os pressupostos legais para se apresentar a uma insolvência, não podendo esquecer as obrigações laborais da Finex Tech com cerca de 150 trabalhadores que assim são lançados para o desemprego sem qualquer tipo de indemnização. Esta foi também a perspectiva defendida pela delegação da empresa junto do Governo português, que na pessoa do Secretário de Estado se comprometeu com os trabalhadores e com o sindicato a encetar todos os esforços possíveis junto da embaixada da Finlândia, nomeadamente estabelecendo contactos com o seu homólogo no Governo finlandês, solicitando para que interve-

03

nha junto da “L Fashion Group Oy” para que a mesma assuma todas as responsabilidades laborais dos trabalhadores portugueses. Entretanto os trabalhadores irão apresentar-se no seu local de trabalho e manter-se-ão à porta das instalações fabris cumprindo, se necessário na rua, o seu horário normal de trabalho exigindo que a Autoridade para as Condições do Trabalho actue no sentido de repor a legalidade na empresa, devido ao processo de Lay Off com termo apenas a 19 de Setembro do presente ano. PS Maia preocupado Em nota informativa aos órgãos de comunicação social o Partido Socialista da Maia realçou a sua preocupação face a esta situação particular «pelo facto da empresa em causa ter recebido, no passado, vários apoios e financiamentos públicos a fim de manter a laboração e a empregabilidade. A juntar a esta situação decorre o facto do encerramento anunciado decorrer num momento em que a empresa se encontra em lay-off e não ter sido ainda declarado pelo Tribunal a insolvência da empresa». Neste sentido e devido ao facto de os trabalhadores ainda não terem obtido quaisquer esclarecimentos por parte da adminis-

Orlando Leal tração e do Governo, o PS Maia solicitou ao Grupo Parlamentar do PS na Assembleia da República que questione o Governo sobre o processo de encerramento da Finex, de forma a serem esclarecidas as dúvidas sobre a legalidade do encerramento da empresa e solicite informação sobre os apoios públicos recebidos pela Finex e suas respectivas contrapartidas, de forma a verem-se esclarecidos e salvaguardados os interesses dos trabalhadores da empresa. BE solidário O Bloco de Esquerda manifesta todo o apoio e solidariedade à luta das trabalhadoras e trabalhadores da Finex Tech, que defendem a manutenção do seu posto de trabalho e o respeito pelos direitos individuais e contratuais. Em comunicado reprime totalmente a posição da empresa finlandesa acusandoa de «fugir de modo cobarde e desta forma esquecendo a sua responsabilidade social para com estes trabalhadores e trabalhadoras que durante dezenas de anos tudo deram para o sucesso desta empresa». Conclui ainda que «o único objectivo da administração é a de sempre: a busca da maximização dos lucros através de uma cada vez maior exploração dos trabalhadores».

Comportamento olímpico… E ao fim de quase duas semanas de Jogos Olímpicos finalmente Portugal chega às medalhas através de uma das duplas de canoagem. Canoagem que em conjunto com o remo tem sido um destaque pela positiva da comitiva lusitana com a medalha de prata e mais três diplomas garantidos, isto quando ainda faltam entrar em ação algumas competições onde teremos claras aspirações a um bom resultado. Para além disto já surgiram bons resultados no tiro, maratona feminina, triatlo, equitação, nos trampolins e no ténis de mesa, onde vendemos cara a derrota á super equipa coreana, o que há uns anos atrás seria apenas um sonho pouco tangível. Foram ainda alcançadas algumas finais, meias-finais e batidos recordes nacionais Claro que muito mais medalhas poderiam ser conquistadas, mas se ficarmos atentos à realidade e dimensão do nosso país e á realidade olímpica, onde estão apenas os melhores do mundo, e bem vistas as coisas um atleta que esteja entre os 30 ou 40 melhores o mundo inteiro é algo de registo face às potências mundiais nas diferentes modalidades e ao número de países envolvidos nesta competição. Por isso julgo que os arautos da desgraça desportiva lusa que costumam surgir nestas alturas a criticar o suposto fraco desempenho dos atletas deverão repensar acerca daquilo que dizem ou escrevem. Ressalvo por exemplo a participação de Clarisse Cruz nos 3000 metros obstáculos, esta atleta amadora, que treina em consonância com o seu trabalho do dia-a-dia conseguiu um apuramento olímpico, na eliminatória esteve sempre no grupo da frente, caiu numa barrira mas não desistiu, levantou-se e voltou a correr, conseguiu chegar ao quarto lugar que lhe daria o apuramento direto e em cima da linha de meta é ultrapassada por uma adversária espanhola. Aguardou e viu a sua presença na final confirmada como última das repescadas. Alinhou nessa mesma final e terminou em décimo primeiro lugar. Provavelmente no final dos jogos voltará aos seus treinos intercalados com a sua profissão. Mas pergunto eu, das 10 atletas que ficaram á sua frente quantas seriam amadoras, aliás como defendia o espírito olímpico na sua génese. E ser a décima primeira melhor pessoa do mundo numa modalidade será assim tão mau para uma pessoa que trabalha todos os dias e apenas pratica desporto como um part-time? A mim parece-me que não… Parabéns aos atletas que nos brindaram com o seu melhor e boa sorte para os que ainda vão entrar em ação.


04

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Política

\\ Ângulo Recto António Neto

O Verão da intranquilidade!... Neste verão falar de férias e dos direitos ao lazer e ao descanso é para milhares de desempregados (um grande parte sem subsídio desemprego), de precários e de famílias sem ou com reduzidos rendimentos, uma miragem. Este verão político é de intranquilidade e incerteza quanto ao futuro, pois representa o estado a que nos conduziram as políticas cegas e obedientes da austeridade, com cortes sociais, o desmantelamento progressivo da qualidade da escola pública e do serviço nacional de saúde, que não têm em consideração o País real, os índices de pobreza e o cada vez mais acentuado desequilíbrio na distribuição da riqueza. As últimas medidas comprovam o que já afirmei noutros artigos…Assistimos à substituição de um Estado que assegura direitos e respeita a dignidade do ser humano por um Estado assistencialista e de caridade. Esta intranquilidade, condimentada com o culto do medo a par de uma certa apatia fomentada pelos manipuladores das inevitabilidades não põe minimamente em causa uma equação que retenho de uma frase de Hermann Hesse “ só se está intranquilo enquanto se tem esperanças”. A intranquilidade também move a esperança do ser humano que trabalha e luta! É, neste verão da intranquilidade que entram em vigor alterações ao Código do Trabalho, alterações que aprofundam a desregulação do direito laboral e alimentam a lógica da desprotecção da parte mais fraca (o trabalhador), da individualização das relações laborais e a diminuição dos custos do trabalho. As alterações da intranquilidade no mundo laboral abrangem um conjunto de matérias, designadamente, do despedimento por extinção do posto de trabalho, por inadaptação, redução das compensações por despedimento, banco de horas (a família aqui já não interessa a determinadas correntes ideológicas), eliminação de feriados, redução de dias de férias, suspensão e até revogação de cláusulas das convenções colectivas (aqui já não interessa a liberdade contratual e a vontade das partes!?) que não deixarão de gerar descontentamento e um sentimento de que este caminho é perigoso. A crise não pode ser aproveitada para desmantelar o que resta do Direito do Trabalho, nem a intoxicação ideológica do liberalismo mais retrógrado pode quebrar os laços de solidariedade entre gerações. ANTÓNIO NETO Técnico Superior Acção Jurídica/Formador (Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico)

maiahoje

CASOS DE POLÍCIA

Espancada e violada por ex-companheiro No passado dia 27 de Agosto, em Gondim, na Maia, uma mulher foi espancada e violada pelo excompanheiro. De acordo com o jornal “Correio da Manhã” a vítima, que se deslocou à habitação para ir buscar alguns bens, foi sequestrada pelo agressor que a forçou a manter re-

lações sexuais. A vítima, que apresentava ferimentos visíveis, conseguiu contactar a filha através de uma mensagem, esta alertou a GNR da Maia. Detenções por posse de Haxixe A PSP do Comando Distrital

do Porto deteve quatro indivíduos suspeitos da autoria de tráfico de droga. No passado dia 11 de Agosto, pelas 19h30, a policia deteve dois homens e uma mulher, com 22, 24 e 26 anos de idade, armador de ferro, empregado comercial e empregada comercial

respectivamente sendo todos residentes na Maia. Nesta acção foi apreendido Haxixe suficiente para cerca de 1979 doses individuais, duas viaturas ligeiras de passageiros e 250 Euros.

ENSINO Na Escola Secundária de Águas Santas

“A ciência por quem a faz e por quem a ensina” O Centro de Formação da Associação de Escolas Maia/Trofa vai organizar o 2.º encontro entre cientistas e professores de ciências “A ciência por quem a faz e por quem a ensina”. Durante a manhã, serão proferidas palestras por vários cientistas (Alberto Barros – FMUP; Carlos Fiol-

INCÊNDIO

hais – FCUC; Pedro Guedes de Carvalho – FEUP; Margarida Bastos – FCUP; João Carlos Santos – FCUP; e Paulo Talhadas dos Santos – FCUP). Durante a tarde, para além de duas comunicações da responsabilidade do Coordenador e do Subcoordenador da Casa das Ciências e do coordenador de divulgação do

Centro de Astrofísica do Porto, realizar-se-ão vários workshops conduzidos por docentes/formadores/investigadores afectos ao Ensino Básico e Secundário. Haverá, ainda, a divulgação do projecto “Escolas - Agência de Energia do Porto – Carrinhos solares à velocidade do sol”.  

Prejuízos elevados

Eco.Cartão destruída pelo fogo Um incêndio destruiu por completo a “Eco.Cartão”, uma empresa situada em Folgosa. O incêndio teve início depois das 21h e ameaçou habitações vizinhas. Apesar da elevada carga térmica os bombeiros conseguiram dominar a situação. Os prejuízos são avultados e de de acordo com o que o MaiaHoje conseguiu apurar não estão cobertos na totalidade pelo seguro (apenas as paredes). O proprietário da empresa, visivelmente transtornado pelos danos provocados pelo incêndio, não conseguiu orçamentar os prejuízos mas tinha a esperança de no mês de Setembro poder comercializar algum produto, desejo que agora se esfumou.

pub

O encontro vai ocorrer hoje (das 9:00 às 13:00 e das 14:30 às 18:00), na Escola secundária de Águas Santas. Pode consultar o programa detalhado do encontro a partir do seguinte endereço: www.cfaemaiatrofa.org/encontro7-9-2012.


maiahoje PARCERIA

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Política

Casamento entre Garland e Lactogal

\\ Opinião

Novo Centro da Garland opera logística da Lactogal Apenas 6 meses após a sua inauguração, o novo Centro Logístico da Garland na Maia acaba de assegurar um novo cliente, com a entrada da Lactogal, empresa portuguesa especializada em lac-

ticínios e seus derivados. A Garland terá a seu cargo parte do armazenamento e distribuição de pacotes de leite paletizados da Lactogal, no período em que estiver a decorrer o processo de expansão

das suas actuais instalações em Modivas. Este é um claro exemplo de como o novo Centro Logístico da Garland na Maia vem colmatar a inexistência de infra-estruturas com esta dimensão e características no

Norte do país. Para Ricardo Sousa Costa, Administrador da Garland, «esta parceria que agora se inicia com a Lactogal é de especial relevância para a Garland por se tratar de um exemplo de sucesso da indústria nacional e por permitir alargar a nossa carteira de clientes para o sector alimentar não refrigerado, onde o novo Centro Logístico da Maia se posiciona como uma infraestrutura de referência, fruto das suas características técnicas modelares». A escolha da Garland como operador logístico preferencial atesta a qualidade e polivalência deste projecto, recentemente eleito como o “Melhor Empreendimento Logístico” de 2011 nos Óscares do Imobiliário, numa iniciativa que premeia anualmente projectos de excelência nesta área. João Brito

AMBIENTE

Tintas CIN investe com recurso a tecnologias de ponta

700.000 para o Ambiente Empresa reduz 1170 toneladas na emissão de Compostos Orgânicos Voláteis (COV) para a atmosfera. A CIN, empresa sedeada na Maia, reduziu substancialmente a sua pegada ecológica com a implementação de uma unidade de tratamento de COV, presentes nas emissões gasosas da sua unidade industrial maiata, e através do desenvolvimento de soluções mais amigas do ambiente para os seus clientes. Com um investimento inicial de 700 mil euros numa tecnologia inovadora e pioneira na indústria de tintas nacional e ibérica, a CIN obteve uma redução na emissão de COVs (superior a 95%) nos 40 mil metros cúbicos/hora de ar contaminado, originados na produção desta unidade industrial. Igualmente na primeira linha desta sua preocupação, a CIN apostou no desenvolvimento de novas soluções, mais ecológicas ao nível de produtos, em parceria directa com 30 colaboradores da sua área de Investigação & Desenvolvimento que, durante mais de 55 mil horas,

pub

trabalharam em 36 projectos para a criação de novos produtos e reformulação de alguns já existentes, mantendo sempre a alta performance tecnológica que dizem os caracterizar. José Calvão, responsável pela Direcção de Ambiente, Higiene e Segurança da CIN, afirma que «Estamos muito satisfeitos com os resultados alcançados e por vermos concretizado o esforço de reduzir significativamente o impacto ambiental da nossa actividade», acrescentando ainda que os esforços ecológicos não ficaram por aqui e «vamos continuar a apostar em soluções inovadoras que permitam reduzir a nossa pegada ecológica, em todas as vertentes de actuação da CIN». Desde sempre a CIN procura estar na vanguarda da inovação e das mais avançadas soluções tecnológicas para proteger o meio ambiente e a sociedade envolvente. Para isso tem encorajado os seus clientes particulares e profissionais a utilizarem produtos de base aquosa e tintas com baixo teor de solventes, ou seja, com menor

05

conteúdo em COVs, que possibilitem tanto um menor impacto ambiental, como um menor impacto na saúde de quem aplica ou de quem beneficia de espaços pintados com tintas CIN. Entre 2009 e 2011, como resultado destas medidas obteve-se uma redução global de 1170 toneladas na emissão de COVs para a atmosfera por parte da CIN e dos seus clientes, dando um contributo muito significativo para a melhoria da qualidade do ar. Mais eco-eficiência A prevenção e controlo da poluição em todos os domínios da

sua actividade foram sempre uma preocupação da CIN que, ao longo dos anos tem vindo a implementar práticas operacionais no sentido de melhorar a sua eco-eficiência. «A capacidade de inovação e o amplo know-how que detemos no sector das tintas consagrou a CIN como uma referência no campo da investigação, estando na vanguarda do desenvolvimento de novas tendências para o mercado ibérico e, em especial, na procura de soluções mais amigas do ambiente», dizem. João Brito

Ricardo Oliveira

Discurso Na altura em que fechou o ano parlamentar, faz sentido fazer algum tipo de resenha em jeito de revisão das minhas intervenções neste espaço ao longo deste ano. Tenho optado por abordar com maior frequência assuntos relacionados com a saúde, não só pela sua importância, mas também por achar que existe ainda alguma desinformação neste domínio que não permite ver os assuntos com a objectividade e a isenção que deveriam ver. Após a nomeação do Dr. Paulo Macedo para ministro da saúde, de logo percebemos quais seriam as traves mestras da politica neste domínio: números. Tive a oportunidade de partilhar que era importante o Dr. Paulo Macedo estar bem ajudado por directores gerais competentes e conhecedores de modo a poder contrabalançar um equilíbrio entre os números, que efectivamente estavam descontrolados, e a necessidade proporcionar bons serviços de saúde, e inclusivamente manter os níveis de excelência a que o SNS habituou o mundo. Mais do que cortar era preciso reformar. O ministério optou pela politica quase cega do corte da despesa. Não me compete dizer se é a melhor ou a pior política. Sei isso sim que não seria nunca a minha politica. E sei também que não é a politica que serve os interesses sociais democratas. Não sei quanto mais tempo haverá para insistir nesta poltica ministerial, mas sei que tendo em conta o sucesso da ultima greve dos médicos, a margem de manobra e de erro diminuíram substancialmente para o Sr. Ministro. Sistematicamente ouvimos dizer que não há alternativas e que este é o único caminho. Parecem-me afirmações demasiado pessimistas, porque há sempre alternativas e há sempre caminhos, tudo depende daquilo que queremos e temos capacidade de fazer. Para manter a excelência actual do SNS, claro está que muitas reformas teriam de ser feitas. Deixo aqui algumas ideias, na esperança que algum dia possam ser acolhidas e contribuir assim para uma melhoria contribuindo com criticas construtivas. Por exemplo, na minha opinião na faz sentido haver demarcação das regiões no acesso aos hospitais. Deveria haver competitividade hospitalar, e se por exemplo um doente do Algarve optasse por ser operado ou consultado por determinado especialista por achar que este é o mais competente para o seu problema… porque não deixar? Porque não reconhecer os hospitais com melhores profissionais, melhores técnicos, melhores apetrechos?? Claro esta que para isto é preciso ter uma mente aberta, porque este reconhecimento, implicaria que as piores instituições de saúde, rapidamente iam à falência… mas afinal também não se está a fechar serviços compulsivamente??? Não é o método que descrevi um método baseado no mérito mais justo? Mais honesto? Mais transparente? Mais social democrata? E já que se fala tanto no desperdício da saúde, os companheiros não acham um desperdício doentes que não querem saber da saúde deles serem tratados com os mesmos recursos de doentes que têm em atenção a sua saúde?? Passo a explicar, por exemplo será justo um doente por exemplo com uma neoplasia do pulmão que é fumador, continuar a fumar, apenas porque lhe da prazer. Não estaremos a desviar recursos de outros que têm comportamentos mais saudáveis que investem na saúde e cumprem com os cuidados primários??? Claro está que as pequenas localidades interiores ou não têm de ser protegidas, até porque demograficamente estão em desvantagem. A regionalização poderia resolver parte do problema, mas isso dava uma outra discussão com muito pano, para uma manga muita curta… mas se pensarmos bem mais uma vez com um serviço de excelência quem não percorre os kilometros necessários para ter os cuidados de saúde em que acredita…?? Em suma em confabulando, é preciso que este ministério em particular aprenda com a fábula do lobo mau que até o meu filhote já sabe de cor… que tenha as orelhas grandes para ouvir melhor outros caminhos alternativos, os olhos grandes, para ver melhor esses caminhos. Um nariz maior para farejar as melhores alternativas e finalmente uma boca grande para engolir alguns sapos e alguns papões que insistem em atrasar o caminho reformista necessário… Tenho dito Ricardo Filipe Oliveira, Médico UL; Doc. Universitário UP; Lic Neurof. UP; Mestre Eng. Biomédica FEUP, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.


06

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Sociedade

\\ Opinião Gonçalo Horta e Vale

APRESENTAÇÃO

“Abaddon”

A importância das visitas regulares ao Médico Dentista na saúde da nossa boca É, hoje em dia, um dado cada vez mais adquirido e enraizado na nossa sociedade moderna e informada, que as visitas regulares ao Médico Dentista são uma necessidade e um hábito de cada individuo. O crescente número de profissionais esclarecidos, fortemente especializados e a crescente preocupação na prevenção, em muito tem contribuido para a alteração do velho hábito em que prevaleciam as consultas de urgência unicamente direccionadas para o tratamento da dor. É certo que os jovens de hoje desde muito cedo se habituam a fazer visitas regulares ao Médico Dentista, mas é nas camadas mais velhas que se encontra maior resistência à criação do hábito das visitas regulares, muito por culpa do velho estigma criado em torno dos tratamentos dentários. Felizmente, cada vez mais este paradigma não passa de isso mesmo, “velho”, e depois de uma experiência agradável no consultório dentário, os pacientes alteram os seus hábitos em prol da sua boa saúde oral. A saúde dos nossos dentes passa essencialmente por uma correcta higiene oral, no entanto, só o seu Médico Dentista pode avaliar a globalidade dos seu dentes bem como dos seus tecidos de suporte, isto porque só ele tem os instrumentos necessarios para uma correcta avaliação, assim como os meios complementares de diagnostico, nomeadamente os raios-X, que permitem um despiste fiável da sua condição oral. Nestas visitas regulares deve também ser efectuada uma higienização mais profunda, a que chamamos destartarização, e em que por intermédio de um aparelho de ultrasons é removido todo o tártaro supra e infragengival presente. As destartarizações são extremamente importantes, uma vez que a existência de tártaro leva a uma maior adesão de placa bacteriana aos dentes, resultando no aparecimento de mais cáries. Para além disto, o tártaro leva também ao aparecimento de um estado inflamatório das gengivas, caracterizado por sangramento abundante ao toque, a gengivite, que poderá evoluir para periodontite, uma forma mais grave e evoluída desta inflamação gengival, que pode levar à perda de dentes. Desta forma, é possível perceber que todo e qualquer problema existente será detectado atempadamente, sendo assim evitados problemas maiores se forem efectuadas visitas regulares ao Dentista. Qualquer cárie existente será detectada numa etapa inicial, de remoção mais fácil e indolor e salvaguardando o máximo de estrutura dentária saudável. Também serão prevenidas a gengivite e a periodontite, já que o tártaro é um dos principais factores de desenvolvimento desta doença, e as destartarizações regulares em muito contribuem para a sua prevenção. Assim, a importância das visitas regulares é sobretudo o intervalo de tempo entre elas, e que pode variar consoante os casos. No caso de pessoas sem problemas relevantes, estas visitas deverão ser de 6 em 6 meses. No entanto este intervalo poderá variar, em casos de pessoas com elevada incidência de cárie, ou grande acumulação de tártaro (casos de fumadores, ou apinhamentos dentários severos), onde as visitas deverão ser menos espaçadas, de 3 em 3 meses. É sobretudo importante adequar os intervalos entre as visitas à especificidade de cada caso, devendo para tal contar com a ajuda do seu Médico Dentista para melhor o aconselhar. Gonçalo Horta e Vale, Médico Dentista e Director Clínico da Clinica Dentária EsferaSaúde.

\\ Opinião

Rui Madureira apresenta livro em Gaia No próximo dia 14 de Setembro, Rui Madureira, escritor maiato, vai realizar uma sessão de apresentação do

CRIANÇAS

seu livro, na Casa Barbot, em Vila Nova de Gaia. A apresentação da obra estará a

touradas

Maialand é o novo espaço infantil do MaiaShopping anos, proporciona desafios aliciantes para os mais crescidos como o acesso à Casa da Árvore e ao escorrega de tubo em espiral. Na base da “Casa da Árvore” existe um espaço pensado para as famílias que têm mais do que um filho de diferentes faixas etárias, o qual inclui uma piscina de bolas onde os mais novos poderão aceder enquanto os mais crescidos se divertem no escorrega gigante. Em ambas as zonas existem diversos equipamentos que apelam à actividade física onde as capacidades motoras das crianças são especialmente desenvolvidas en-

Nelson Ferraz

cargo de Mário Dorminsky, director do Fantasporto e vereador da Cultura da Câmara Municipal de Gaia.

Destinado a crianças de todas as idades

Foi inaugurado no passado dia 11 de Agosto, num dia com muitas actividades e animação, o Maialand, um espaço para os mais novos. Criado para garantir momentos de pura diversão a crianças entre os 2 e os 10 anos, o MaiaLand está dividido em duas áreas principais: “O Bosque” e “A Casa da Árvore”. “O Bosque”, destinado a crianças dos 2 aos 7 anos, tem escorrega, parede de escalda, rede de descanso, mola, jogos interactivos, jogos de chão, entre outras actividades. “A Casa da Árvore”, que se destina a crianças entre os 7 e os 10

maiahoje

contrando novos impulsos e desafios que apuram os seus sentidos de forma a crescerem saudáveis, em sociedade e em harmonia com o contexto que os rodeia. De acordo com Miguel Almeida Amorim, director do centro comercial, «o MaiaLand foi inspirado no tema da Natureza, pelo que inclui a presença de um “Bosque” e de uma grande árvore que tem na sua copa uma verdadeira “Casa da Árvore”, que proporcionará às famílias que nos visitam momentos únicos de diversão, aprendizagem e muita aventura».

nunca percebi muito bem as touradas. a verdade é que nunca ninguém me explicou muito bem onde está a arte quando o touro guincha de dor a cada ferro nem onde está a arte quando o touro ajoelha moribundo e desarmado aos pés de um espantalho vestido de parvo sem cornos sem alma mas socialmente selvagem como as moscas esquizofrénicas do coliseu de roma. percebo os dinheiros dos toureiros os cócós das tias os cavalos dos palhas os fados dos câmaras as desgarradas do público as lantejoulas dos toninhos e os locutores de têvê aficionados como os bobos de afonso IV. mas não percebo porque não continuam a apedrejar as adúlteras nem a permitir as inquisições o santo ofício e a polícia política. nunca quis perceber muito bem as touradas. na verdade há pouco a dizer de gente que se diverte com o sofrimento atroz e cruel de um animal inocente. nunca conseguirei perceber nada sobre as touradas nem sobre os canalhas tradicionais que as fomentam.

Opinião \\ Joaquim Henriques

Cão ou gato… Além de companhia um remédio para o corpo e a alma! Já não existem muitas dúvidas sobre os benefícios que traz para a nossa saúde o convívio com os animais em geral e, em particular, com os cães e gatos. Para além do prazer e alegria imediatos que se obtém quando se recebe uma lambidela ou marradinha carinhosa, existem já estudos científicos que comprovam as vantagens da convivência e interacção com animais. Quais são as vantagens comprovadas de ter um animal de companhia? * Menor risco de desenvolver depressão, hipertensão e ataque cardíaco; * Diminuição, em 35%, do número de visitas ao médico, quando comparados com pub

as pessoas com mais de 65 anos, que não tem animais de estimação; * Maior sentido de segurança, como é o caso dos idosos que vivem sozinhos ou as crianças com dificuldades de sociabilização E qual é a base fisiológica deste bemestar? Os animais em geral, e de forma particular os cães e os gatos, satisfazem na pessoa humana a necessidade do toque. Este acto quase mágico do toque estimula a libertação de determinadas hormonas como a dopamina, a serotonina e diminui a secreção de cortisol, esta última considerada a hormona do stress. Mas não é só através do toque que os animais nos ajudam. O facto de convivermos diariamente com eles, leva-nos a entrar em contacto com rotinas ou atitudes que podem em muito ajudar a nossa saúde: * O passeio regular do cão estimula a andar e a realizar exercício físico diário, para além de ser um excelente fator catalisador de sociabilização entre pessoas; * Conviver com um animal é uma responsabilidade. Eles exigem rotinas de higiene que nos obrigam a contrariar

sentimentos de inércia e a sentirmo-nos úteis. * Ao contrário do que muitas vezes se pensa, a criança que contacta e cresce com animais tem um sistema imunitário mais resistente e apresenta menor risco de desenvolver alergias ou asma. Para além destas vantagens diretas na saúde, a criança aprende de forma natural o sentido da responsabilidade e a desenvolver empatia para com os animais. Por todas as razões acima expostas e porque todos os animais, de forma particular aqui retratados os cães e os gatos, nos merecem o maior dos respeitos, é importantíssimo ser um companheiro responsável, consciente e fiel. Os cães e os gatos têm necessidades específicas. Se pensa adotar ou comprar um cão ou um gato garanta que lhe vai oferecer uma qualidade de vida adequada. Quais são os pontos principais para ser um proprietário responsável? * Garanta que reúne as condições físicas para acolher o seu animal e que estas se adequam ao seu tamanho e necessida-

des de exercício (pense em quanto tempo por dia pode dispensar para passeios e brincadeiras. Se não tem tempo para passear o cão pelo menos 15 minutos três vezes ao dia, o melhor é pensar num gato!). * Garanta que proporciona alimento industrial rico em todos os nutrientes e adequado quer à raça, quer à idade e estado fisiológico do seu animal (por exemplo, um labrador em crescimento necessita de alimento diferente de um pinscher adulto e com problemas renais; do mesmo modo, um gato persa deverá ter um alimento adequado às suas necessidades específicas). Entenda o alimento específico da raça e estado fisiológico como a melhor ação preventiva para problemas de saúde. * Proporcione os cuidados médico-veterinários necessários ao seu animal, não só os preventivos, como vacinas e desparasitações, como as prescrições médicas, recomendada em caso de doença. * Por fim, e para retribuir todo o bem que os nossos Amigos de quatro patas no fazem, não poupe em carinho, amor e dedicação... Eles merecem!


maiahoje

sexta-feira 7 de setembro de 2012

POESIA Apesar de algumas ausências, Salão Nobre esteve bem composto

Noites de Poesia em Vermoim

José Gomes deu as boas vindas aos poetas e público em geral presentes nesta tertúlia de poesia. Justificou as faltas de alguns poetas ausentes nomeadamente Armindo Cardoso, Natália Vale, Leonel Olhero, Marília Teixeira e Irene Lamolinairie. Nesta sessão não estiveram presentes os elementos que habitualmente acompanham com música a tertúlia de poesia. Maria Mamede abriu o serão de poesia com uma criação sua “Mulher do Povo”, José Gomes declamou um soneto da poetisa Florbela Espanca “A Mulher”, Carla Caldas declamou trabalhos de sua autoria: “Mulheres” e “O meu navio à deriva”, José Ribeiro declamou os seus trabalhos “Mulheres”, “Dia Mundial dos Avós” e numa segunda volta “Os Emigrantes” e “Adeus minha Mãe”, Teresa Vaz declamou o seu trabalho “Mulheres”; Pedro Cabral presenteou a assistência com um poema de Cecília Meireles, Fernando Neto declamou dois poemas seus, com o mesmo nome “Mulheres”, Natália Vale, em Poesia na Net, enviou o seu trabalho “Mulher Fatal”, Miguel Leitão declamou um poema de Mário Sá Carneiro, “Mulher Grávida” e outro de Eugénio Andrade “As Mães”, Manuela Miguéns declamou um trabalho seu intitulado “Ser Mulher”, José Carlos Moutinho declamou trabalhos seus “Mulher”, “Memória” e numa segunda volta “Sol que se esconde nas nuvens” e “Apatia”, Teresa Gonçalves declamou os seus trabalhos: “Mulher”, “Pintor” e numa segunda volta “Esta Noite”, Silvino Figueiredo declamou também trabalhos de sua autoria: “Mulher”, “Procuremme nestas palavras” e numa segunda volta “Poesia no Olimpo”, assim como Angelino Santos Silva que declamou “Cântico às mulheres” e numa segunda volta “Mulher Inteira”, José Gomes declamou um poema de António Gedeão “Poema da mulher dos cabelos brancos”. Na rubrica Poesia na Net, João Diogo enviou o seu trabalho “Mulheres”, Leonel Olhero enviou o poema “Mulheres” e por fim Maria Mamede deu por encerrada a Noite de Poesia declamando o seu trabalho “Instante”. No final da Sessão tempo para alguns anúncios. José Gomes lembrou o lançamento do 13º livro de poesia da Maria Mamede intitulado “Por Amor às Palavras” e que terá lugar no próximo dia 15 de Setembro, às 21h30 horas, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de S. Mamede Infesta. Angelino Santos Silva anunciou o II Encontro de Poesia com música antiga, que terá lugar no próximo dia 28 de Setembro, pelas 21h, na Igreja de S. Francisco, no Porto. Mário Jorge anunciou a Exposição “Cá da Terra - Artesanato Urbano” que será inaugurada amanha, dia 8 de Setembro, às 21,30 horas, na Junta de Freguesia de Vermoim. A próxima Noite de Poesia em Vermoim realizar-se-á no próximo dia 6 de Outubro e será subordinada ao tema “A Minha Cidade” e decorrerá, como habitual, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Vermoim às 21h30.

Sociedade CULTURA Conhecer a história da Foz Velha num ambiente de convívio

07

\\ Opinião

Visita cultural à Foz de Raúl Brandão No passado dia 7 de Julho o Clube UNESCO da Maia realizou uma visita cultural com o objectivo de conhecer a Foz Velha, ambiente da infância de Raúl Brandão, tendo presente a evolução histórica e social da freguesia. “Na Cantareira, num cantinho, adormece a fonte de granito doirado”, diz Raúl Brandão. Foi por aí que o grupo começou a visita e apreciou alguns locais da Cantareira como a capela-farol de S. Miguel–o–Anjo, não deixando de realçar a importância de D. Miguel da Silva para prestígio de Portugal e benefício da Foz do Douro. A História desta freguesia foi sendo contada,  relacionando-a com os locais observados, acompanhando com a leitura de textos apropriados. Passando pela Capela da Sra. da Lapa e pelos interessantes imóveis da rua do Passeio Alegre, subiram a calçada de Serrúbia, salientando a figura de Eugénio de Andrade tendo depois feito uma paragem na casa de Raúl Brandão, onde foi lido um texto deste autor. Depois seguiu-se uma visita à igreja matriz de S. João da Foz do Douro. Referenciando outros lugares de interesse associados a Raúl Brandão e a outros nomes da literatura portuguesa, o grupo visitou ainda o Forte de S. João da Foz do Douro tendo apreciado a sua imponência e valor arquitectónico, bem como as ruínas renascentistas do tempo de D. Miguel da Silva. Após o almoço-convívio o passeio seguiu pela beira-mar, atentando nos molhes e em toda a envolvente do Jardim do Passeio Alepub

gre. Junto do Monumento a Raúl Brandão foram lidos os seguintes textos: “A Foz é para mim a Corguinha, o Castelo e o Monte com o rio da vila a atravessá-lo, e a Rua da Cerca até ao Farol. O que está para lá não existe….Só me interessa a vila de pescadores e marítimos que cresceu naturalmente como um ser, adaptando-se pouco e pouco à vida do mar largo. E ainda essa Foz se reduz cada vez mais na minha alma a um cantinho – a meia dúzia de casas e de tipos que conheci em pequeno, e que retenho na memória com raízes cada vez mais fundas na saudade, e mais vivas à medida que me entranho na morte.” Abril – 1920 Raúl Brandão, Os Pescadores “E é da gente ignorada que levo as maiores impressões da existência. Foram os pobres que me obrigaram a pensar – foi a série de figuras toscas que encontrei na estrada, duma realidade tão grande que nunca consegui afastá-las da minha alma. Ainda hoje desfilam diante de mimos mortos e os vivos….Não posso esquecê-los: parece que todos eles  esperam alguma coisa de mim.” Raúl Brandão, Memórias/ Vol. I (Tomo III) De seguida percorreram o jardim procurando relevar a forma como foi construído, a sua vegetação e os elementos que lhe servem de ornamento. Chegados aos “obeliscos da Prelada” foi dada como terminada a visita que decorreu num ambiente de agradável convívio. Este evento foi orientado pela associada Manuela Baptista e teve a colaboração dos associados Ana Alice e Artur Baptista.

Joaquim Armindo

A TROIKA Cada vez que penso na troika, fico triturado, eles são três, e não quatro, isto é, Portugal não pertence à troika, está fora dela, obedece-lhe e não possui palavra. Tudo muito confuso, porque não existe diálogo entre as partes, mas uma vontade de alguém, não se sabe muito bem quem, aparece a “doar-recebendo”. Parece que a nossa história cultural não existe! No seu livro, “Religião e diálogo inter-religioso” (2010), o professor da Universidade de Coimbra, Anselmo Borges, Padre de Sociedade Missionária Portuguesa, refere que “…no processo de nos fazermos, o outro aparece inevitavelmente. O outro não é adjacente, mas constitutivo. Só sou eu, porque há tu, em reciprocidade. O outro pertence-me, pois é pela sua mediação que venho a mim e me identifico: a minha identidade passa pelo outro, num encontro mutuamente constituinte” (pág. 9,10). E mais adiante clarifica, “O outro é vivido sempre como fascinante e ameaça. Porque o outro é outro como eu, outro eu, e, simultaneamente, um eu outro, outro que não eu. Daí a ambiguidade do outro. O outro enquanto outro escapa-se-me, não é dominável. (…) Há, pois, uma visão dupla do outro, que tanto pode ser idealizado – no amor, é divinizado -, como diabolizado”, e cita Hans Küng, autor da “Declaração de uma Ética Mundial”: “Não haverá sobrevivência do nosso globo sem um ethos global, um ethos mundial” (pág. 13). Ora este outro aqui mencionado é para a troika os portugueses, que não pertencem ao seu eu, é o outro do diabolizado, é um outro que não pertence, mas de que eu necessito para viver, mas não em reciprocidade, nem identidade, por isso ele não faz parte de mim, quero-o “ajudar”, na medida em que é imprescindível para o meu bem-estar. Por isso é uma troika, e nós não fazemos parte dela, dado faltar o tal ethos global. E aqui reside que ela [troika], não tem rosto e por isso não consegue ver as pessoas, mas números, que vão alimentar alguém, no supérfluo, pensando, porventura, que a felicidade se constrói esmagando o outro. Assim sendo, não existe economia de comunhão, nem sobrevivência global, como referia Küng. Engº Mecânico Diácono da Diocese do Porto


08

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Sociedade

maiahoje pub

\\ Opinião Rui Madureira

Em tempos de crise vencem as novelas Ao fim de um ano do governo PSD/CDS-PP, eis que a cultura continua a ser atacada de forma vergonhosa, qual pardal das florestas a esvoaçar por entre trinta tiros de espingardas. Como se já não bastasse a infame supressão do Ministério da Cultura e o corte de subsídios que veio por acréscimo, agora o governo parece estar determinado em destruir a RTP 2, o único canal português de sinal aberto que ainda tratava a cultura não como um empecilho, mas como algo que é digno de respeito. Sabemos perfeitamente que a primeira coisa a ser ostracizada em tempos de crise económica é a cultura. Porém, tudo tem um limite razoável. E o que o governo se prepara para fazer ultrapassa tudo o que possa ser considerado razoável. Pois vejamos: será razoável extinguir um canal com décadas de História num piscar de olhos, como um capricho ao qual não se presta demasiada atenção? Será razoável mandar para o olho da rua centenas de funcionários que tão bem serviram o serviço público de televisão durante anos a fio? Será razoável tomar este tipo de decisões apenas e só porque o canal não dá lucros? Ou muito me engano, ou os lucros só deviam ser o objetivo primordial das estações de televisão privadas. Às estações públicas só deveria interessar a promoção de conteúdos enriquecedores e educativos. Mas para este governo que se limita a analisar tudo com base em estatísticas e regras de mercado, se algo não dá guita, corta-se-lhe a cabeça e está a andar. Se a RTP 2 morrer de facto, a vergonha continuará na ordem do dia. Até porque, ao fim e ao cabo, qual é a mensagem que se transmite com tal ato castrador? Apenas esta: em tempos de crise vencem as novelas. Como só transmite documentários e programas culturais que são muito aborrecidos, a RTP 2 vai pró galheiro. E as televisões privadas que só sabem transmitir telenovelas parvas e reality shows entorpecedores da mente continuam vivinhas da silva. Bela mensagem, de facto. Mas talvez isto seja propositado. Talvez o governo prefira diminuir a inteligência da população para se manter a governar por muitos e bons anos, como uma certa figura ditatorial fez aqui há umas décadas… Rui Madureira, Escritor/Psicólogo http://portalcinema.blogspot.com www.thescifiworld.com/PT pub

ANIMAIS

Hospital Veterinário da Maia

Aumento do abandono de animais alarma Hospital Veterinário da Maia \\ Partida para férias e dificuldades financeiras levam ao exponencial aumento deste problema. HVM aconselha donos a optarem por soluções que evitem este desfecho. No momento de escolher um animal de estimação e ficar com ele são normalmente poucas as hesitações; mas quando a crise aperta ou chega a altura de partir de férias, o abandono dos animais de estimação é a forma de muitas pessoas se “livrarem” daquele que acabou por tornar-se “um problema”. Preocupado com a situação, ainda mais num ano em que o abandono de animais tem aumentado substancialmente, o Hospital Veterinário da Maia (HVM) tem vindo a alertar os seus clientes, aconselhando-os a tomar atitudes que não agravem esta realidade no nosso país, onde 10 mil animais são abandonados todos os anos. «As famílias portuguesas atravessam momentos complicados, em que o orçamento é curto para as despesas, e os primeiros gastos a cortar, numa grande parte dos casos, são aqueles que estão relacionados com os animais de estimação», lamenta Miguel Mateus, administrador do HVM. «Começa pelos cuidados de saúde, passa pela alimentação e, por fim, acaba no abandono». Por isso, explica, «no nosso hospital estamos a sensibilizar os clientes para a gravidade de deixar um animal ao abandono e para os caminhos que é possível escolher, ao invés de optar por uma saída que não é, nem pode nunca ser, uma solução». O Hospital Veterinário da Maia sugere a todos aqueles que têm animais de estimação e se encontram, neste momento, com dificuldades em mantê-los que, em

primeiro lugar, «procurem alguém que conheçam, de confiança, que possa ficar com eles – pode até ser numa perspectiva temporária, como no caso das férias, mas o ideal é garantir sempre que vai ter os mesmos cuidados que tinha na sua casa. O animal de estimação é um elemento da família e deve ser sempre tratado como tal». Se não conseguirem que um familiar ou amigo fique com o animal, diz o HVM, «poderão também auxiliar-se das redes sociais, como o Facebook, para deixar o alerta e fazer com que seja partilhado pelos seus amigos». Neste momento, para Miguel Mateus, «os canis não são solução, uma vez que estão completamente lotados e não têm

condições para oferecer um tratamento digno aos animais que ali chegam diariamente». Há também diversas associações amigas dos animais, mas com o crescimento do problema «estão também sem mãos a medir» e dificilmente podem já aceitar novos amigos de quatro patas. Ainda assim, «as pessoas devem informar-se sobre que associações existem na sua zona e saber se elas têm condições de cuidar do seu animal». Quer o animal fique com alguém conhecido, quer seja entregue a uma instituição, «é importante que o antigo dono o visite sempre que puder. Ele nunca vai esquecer-se de quem cuidou dele por tanto tempo», acrescenta ainda.

No caso de ir de férias e não ter com quem deixar o animal de estimação, Miguel Mateus aconselha um hotel para animais – «nós próprios disponibilizamos esse serviço, e nas zonas urbanas existem cada vez mais». Antes de marcar as férias, «deve também considerar levar o animal, e para isso consultar que hotéis ou apartamentos o aceitam». O médico veterinário deixa, por fim, o apelo: «Nunca abandone o seu animal. Ele precisa de companhia, comida, água e de todos os cuidados a que tem direito. E se estas razões não chegam, é também importante saber que é proibido abandonar intencionalmente, na via pública, animais de estimação».


maiahoje VOLUNTARIADO

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Com novo fardamento nacional

Cruz Vermelha recebe novos voluntários Decorreu no passado dia 22 de Julho, na Praça Vieira de Carvalho, o juramento de bandeira dos novos elementos da Cruz Vermelha maiata. Numa tarde abrasadora estrearam-se as novas fardas, que passam a vigorar

pub

em todo o país. Formalidades cumpridas, a praxe não foi esquecida quando os novos elementos foram “regados” pelos bombeiros que marcaram presença, numa espécie de apadrinhamento.

Sociedade EVENTO

Fim de Semana pleno de actividades

1ª Feira do Cavalo da Maia É já hoje à noite que começa a primeira Feira do Cavalo da Maia. Evento organizado pelo Centro Equestre da Maia, em parceria com a Câmara Municipal e Junta de freguesia de Silva Escura, segundo Manuel Armando Oliveira, presidente do Centro Equestre «esta iniciativa é para continuar e sendo para já o maior evento do género do Norte do pais, vai crescer até ao nosso objectivo de ser o certame mais importante do país», disse. Focalizada no Cavalo como indústria desportiva, esta Feira vai ter expositores ligados ao sector da criação e de outras actividades, bem como provas de várias modalidades. Assim já hoje à noite vai ser inaugurada a Feira com um mega Desfile Equestre e convívio. No Sábado, dia 8, desportivamente, o dia é dedicado aos Saltos de obstáculos, que termina com uma prova de Masters nocturna. Para Domingo, dia 9, da parte da manhã, poder-se-á assistir a Corridas de Cavalos a contar para o Campeonato Nacional, provas que contam com a presença de Daniel Campelo, secretário de estado da agricultura. Da parte da tarde é “servido” o prato principal ou seja o Grande Prémio de Portugal, Gold, de Corridas de Cavalos a Galope. A organização promete ainda muita animação, estando instalado no local um ecrã gigante. Está também programado um divertido concurso de chapéus e o sorteio de um Equino. O tempo promete ajudar e como tal razões não faltam para uma visita com a família a um evento de entrada livre.

09

\\ Opinião Mário Lopes

À COMISSÃO DE UTENTES DA A22 Venho pelo presente apresentar a minha opinião sobre vários equívocos que estão na génese do vosso movimentos social, designadamente a defesa de utilização gratuita da A22 – Via do Infante -, alegando não possuírem outras alternativas. A Auto-Estrada 22 foi edificada com recurso ao suporte financeiro Parceria Público-Privada que, de acordo com as evidências actuais, apresenta-se demasiado oneroso para as possibilidades do Estado português. Com base em critérios alegadamente de duvidosa qualidade, o governo da nação entendeu concessionar esta via sem custos directos para o utilizador, redistribuindo-os por todos os portugueses pagantes de impostos, o que representou desde logo uma inaceitável injustiça. Sendo Portugal um Estado de direito que defende o princípio da igualdade e da solidariedade entre regiões, entendo não reconhecer nenhuma situação de excepção para os algarvios neste caso, pois uma auto-estrada nunca é alternativa em face do elevadíssimo custo que lhe está subjacente. Se a ideia dos governantes fosse apenas aumentar a oferta pública rodoviária, então existiam outro tipo de vias muito mais baratas para os cofres do país. Saberá porventura a vossa comissão de utentes que os habitantes do concelho da Maia foram servidos por um Itinerário Central n.º 24, construído nos anos 80 com dinheiros de um quadro comunitário e que se encontrava totalmente pago? Imaginará a vossa comissão de utentes que essa via nos foi sonegada pelo anterior governo para ser transformada na A41, entregando-a aos privados? Terá a noção a vossa comissão de utentes que os nossos camiões de recolha de resíduos sólidos urbanos são obrigados a pagar portagem para poderem depositar os detritos na entidade que procede ao seu tratamento e que a mesma se situa dentro do nosso concelho? Não me recordo ter visto os vossos representantes mostrarem solidariedade com os maiatos, nomeadamente quando em 2010, o anterior governo portajou a A41 com especial incidência no troço que atravessa o nosso concelho, isentando a vossa A22 até finais de 2011. Nestes termos, solicito à supra comissão que proceda a uma análise séria e honesta sobre os princípios que defende, tendo em consideração aquilo que o país pode redistribuir por outros portugueses tão ou mais necessitados. Mário Lopes, Lic. Ciências Sociais UAb, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico. pub


10 \\ Opinião

Rogério Gonçalves

Agora que acalmou o tal licenciamento rápido do Ministro Relvas,temos outros temas para nos distrairmos. Estão a decorrer os Jogos Olímpicos de Londres e assistimos uma vez mais que os nossos atletas não ganharam nada, uma atleta até se recusou a participar numa das provas, enfim foram todos fazer umas férias e as medalhas que esperem. Mas numa coisa somos bons, é na vaidade das fardas que tiveram honra de antena na tv e o povo que tanto esperava destes atletas, mais uma vez ficou desiludido. Mas no final dos jogos terminarem vamos ter a equipa dos PARAOLIMPICOS que sem terem um terço dos apoios como sempre vão trazer medalhas de ouro e como é hábito vão ser ignorados pelos meios de comunicação deste país, o que é lamentável. O abandono dos animais continua a aumentar e temos muita gente que se mostra muito indignada pela situação e depois muitas destas pessoas vão todas felizes e contentes assistir a touradas e batem palmas quando o touro é cravejado com ferros no lombo e jorra cheio de sangue pela arena. O curioso é que até as crianças podem assistir a este espectáculo bárbaro e deprimente, será que isto contribui para uma boa formação dos nossos jovens? Continuamos a ter muitos incêndios e os infractores que são apanhados ficam sempre em liberdade o que me leva a pensar que os incêndios são necessários para que alguma indústria seja beneficiada com esse flagelo! Continua a dança das transferências no futebol onde se fala tão facilmente em milhões e temos milhares de famílias a entregarem as casas e a passarem fome. Podemos ser pobres em muita coisa mas na ostentação somos sempre os reis de top e continuamos muito orgulhosos com os famosos submarinos que foram comprados envoltos em tanto mistério que o povo já se esqueceu. Assim vamos vivendo e sobrevivendo em Portugal e a TROIKA parece que gosta de nós. Só julgue a minha vida…quando a sua for exemplo. Rogério Gonçalves

pub

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Sociedade FUTSAL

Culminar de um esforço de uma estrutura forte

\\ Opinião

ADR Parada sagrou-se Campeã de Juvenis 2ª Divisão em Futsal A Associação Desportiva e Recreativa de Parada, equipa Maiata de Futsal, sagrou-se Campeã de Juvenis 2ª Divisão na época 20112012, ganhando ainda a Super Taça da Associação de Futebol do Porto na mesma época. Fernando Balio, Vice-Presidente do Clube, afirma ser uma sensação de enorme emoção e de grande alegria, com um esforço global de Jogadores, Direcção, Treinadores e associados que acompanharam durante esta época

muito a equipa e, que só com muito trabalho foi possível atingir as vitórias que levaram à conquista dos títulos. Dentro da Associação todos trabalham por amor ao Clube, sendo a maior dificuldade a falta de um pavilhão onde a equipa pudesse treinar sem limitações de tempo e horários. Um dos grandes reconhecimentos do trabalho e esforço dos atletas e de toda a equipa técnica foi a ida do jogador Marcelo Martins para a equipa do Braga de Futsal,

referiu Fernando Balio. O Treinador Nuno Vaz elogia a qualidade dos jovens jogadores pelo fantástico trabalho desenvolvido ao longo da época que, apesar da impossibilidade de haver mais horas de treino, tudo foi ultrapassado estando à vista os resultados. Os principais objectivos para a próxima época, passam pelo trabalho e pela subida de divisão, concluiu. Jorge Costa

ANDEBOL Plantel Sénior com três caras novas

Águas Santas - Milaneza apresenta equipa para nova época A equipa do “Águas Santas – Milaneza” apresentou, no passado dia 15 de Agosto, a equipa sénior de Andebol para a época 2012/2013. A sessão contou com a presença do presidente da Câmara da Maia, António Bragança Fernandes, do presidente do Grupo Cerealis, detentor da marca Milaneza, José Amorim, do presidente da Associação Atlética de Águas Santas, Joaquim Carvalho, do representante da Salming Portugal, do vereador do

Desporto da Câmara da Maia, do Presidente da Junta de Freguesia de Águas Santas, bem como vários membros do Departamento de Desporto da Câmara Municipal da Maia. Este fim-de-semana realiza-se, no Pavilhão do clube, o Torneio Águas Santas – Milaneza em seniores masculinos, um evento que tem como objectivo preparar a nova época. No dia 7 de Setembro realiza-se o jogo entre o ABC/UMinho e o AC

maiahoje

Fafe às 21h00 e no dia seguinte, às 18h, tem lugar o derby Maiato. A classificação final é atribuída no domingo com os vencidos dos jogos anteriores a disputar o 3.º/4.º lugar às 16h00 e os vencedores a disputar a final às 18h00. O clube apela aos sócios e simpatizantes que compareçam para apoiar a equipa. A entrada é gratuita.

Henrique Carvalho

(Passos) atrás Quando em 2008 conclui a minha formação em Novas Oportunidades dada pela muito exigente equipa de formação do CICOPN, o presidente do grupo de avaliadores presentes meu exame final concluiu. “Incentivámo-lo a frequentar a universidade, pois, com algum esforço e dedicação da sua parte, o seu currículo pode ser enriquecido em avaliação superior.” Percebo agora esta “salgalhada” dos cursos superiores que estão na berra e são motivo de chacota sobre quem os conseguiu. Nunca me passou pela cabeça que alguém responsável por um governo fizesse leis que dessem cursos superiores sem estudar. E por isso entendi mal a dica dos meus examinadores… Está mais que visto que esta “tolice” serve apenas para diplomar diplomados sem formação. Lastimável… Será este o sentido do Acordo de Bolonha? À primeira vista, esta história “relvática” ainda me pareceu favoritismo. E pensei, quem de nós não comprou pão ou tomou café e não pediu fatura? E, talvez, tenha prejudicado o estado, porque o vendedor meteu o IVA ao bolso? É claro, que, nesta coisa dos cursos, quantos “doutores” exigirão ser tratados como tal e não passaram pelos bancos da universidade!? Onde está o saber? Homens como; Leck Walesa ou Lula da Silva entre outros e, mesmo alguns empresários portugueses, não têm canudo e, demonstram grande sabedoria e carater. Já várias vezes afirmei que “todos os notas máximas estão empregados” cá ou lá fora. Não é vergonha nem desprezo nenhum ir trabalhar para o estrangeiro. Conheço um jovem arquiteto, que depois de desempenhar funções de chefia num país da América Latina, o patrão abriu um escritório em Nova Iorque e colocou-o lá como responsável máximo. Tem 32 anos e tem emprego… Mas também teve uma das melhores notas do seu ano de curso na FAUP. Há tempos. O responsável da Siemens em Portugal dizia. “Temos cerca de um milhar de jovens de todo o mundo em formação, que depois, levam experiências para os seus países…” Ou, aceitamos a realidade… Ou falhamos. Portugal não é um país de falhados… Ou melhor: Alguns falham!?. Verifico agora que “todos” os senhores parlamentares foram incapazes de dar uns “passos atrás” cortar duas semanas às suas férias e discutir e aprovar mais umas leis. Outro “passo atrás”. O Banco de Portugal não estará a querer tapar o sol com uma peneira com aquela ideia de estar à espera de uma decisão jurídica sobre os subsídios?! Outro dos “passos atrás” é a sarilhada dos subsídios de férias a quem entrou para o governo o ano passado. Então quem contratou não sabia o que tinha pela frente e, aceita acordos completamente avessos ao que se propunham fazer? Por outro lado, ao fazerem a lei dos cortes, ou salvaguardavam estes casos, ou atingia toda a gente. Nunca estive 100% de acordo com os cortes só para os funcionários do estado. Da mesma forma que no ano passado retiraram parte do subsídio de natal a todos… se o propusessem também para este ano, haveria menos choque, aliviaria um pouco o bolso dos atingidos e as críticas seriam menos sagazes. E, talvez, meio subsídio do comum dos mortais daria financeiramente no mesmo!?. Não sei fazer essas contas… Mas não deve estar longe! Alguém irá dar “passos atrás” quando perceberem que o ministro da economia, com o seu trabalho de formiguinha, já deu uma grande volta à política do trabalho e do emprego! Espero, que no próximo ano, muito se faça no sentido de apoiar o investimento nas empresas… Nota: (Pertenço ao privado). Henrique António Carvalho Setembro de 2012 Texto escrito ao abrigo do AO


maiahoje

sexta-feira 7 de setembro de 2012

\\ Opinião

VOLEIBOL

Desporto

11

GDC Gueifães

Preparação para nova época Muitas promoções sem ganhos para o consumidor Garridos, com letras de todos os tamanhos, destaques de descontos e fotografias apelativas do computador, televisor ou máquina fotográfica com que mantemos um fogoso namoro há algum tempo, já nos habituamos a retirá-los da caixa do correio a um ritmo diário: quilos de folhetos anunciam campanhas das mais variadas cadeias. Convencidos das vantagens, acabamos, muitas vezes, atraídos como ímanes em direcção às lojas. Não se iluda com os folhetos das lojas. Muitas vezes, correspondem a uma estratégia para promover as vendas, sem que o consumidor obtenha um ganho efectivo. Compare os preços anunciados com os de outros estabelecimentos. Em algumas lojas, se tiver cartão de cliente, pode usufruir de descontos directos em produtos do folheto. Noutros casos, acumula pontos ou dinheiro no cartão, a descontar numa compra futura. Pondere todos estes factores e analise se o negócio compensa. Avance em caso afirmativo. Se a validade do folheto tiver terminado e estiver interessado em algum aparelho anunciado, não desanime. Mesmo depois das campanhas, muitas vezes, as lojas dispõem dos produtos, a um preço idêntico ou até inferior. Por outro lado, muitas vezes, as promoções tornam-se impossíveis porque os produtos anunciados não estão disponíveis, às vezes nem sequer por encomenda. Outro inconveniente decorre de os produtos disponíveis nem sempre estarem expostos para o público apreciar (equipamentos de grandes dimensões como frigoríficos, fogões ou máquinas de lavar, por exemplo). Se pretender um aparelho que não esteja exposto ao público, pergunte ao funcionário se existe em armazém ou se é possível encomendá-lo. Prefira material que possa analisar na loja, mas na eventualidade de comprar por encomenda e o produto não corresponder ao anunciado no folheto, exija que a loja aceite a devolução e o eventual reembolso. Joana Simões Gabinete de Novas Iniciativas DECO Para qualquer esclarecimento adicional, por favor dirija-se à DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, Delegação Regional do Norte – Rua da Torrinha, n.º 228-H, 5.º andar ou pelo email deco.norte@deco.pt

O passado dia 21 de Agosto ficou marcado como o dia em que as atletas juniores e cadetes do GDC Gueifães iniciaram a sua época desportiva. Muita motivação e vontade de mostrar serviço estiveram presentes durante todo o primeiro treino da époc. que ainda não estavam todas. «A semana correu muito bem, já com muito trabalho em campo. Na

FUTEBOL

próxima semana continua a preparação para uma época que se espera difícil e com muitos obstáculos pela frente», disse Carlos Manuel Simão treinador das equipas acima referidas. No próximo dia 30 de Setembro, também as atletas infantis iniciam a sua época desportiva. O treinador principal Tiago Sineiro, ajudado por João Pinto, contará com um grupo de atletas que já co-

nhecem a casa. Numa altura em que não existem muitas novidades, o clube apela aos pais das atletas que assistam aos treinos para assinar as fichas de inscrição, pois é importante tratar já das inscrições e dos exames médicos, uma vez que nos dias 22 de Setembro e 5 de Outubro realizar-se-ão torneios em Gueifães e apenas poderão jogar as atletas já inscritas.

Por fim, o responsável do clube deixa uma mensagem às atletas: «desejo a todos uma magnífica época desportiva, e que juntos possamos fazer tudo para colocar o nome do clube ainda mais alto. Todos nós treinadores contamos com vocês (atletas, directores, pais e adeptos), e todos juntos seremos com certeza cada vez mais fortes». João Brito

Com a participação de várias equipas maiatas

Torneio de Futebol Bragança Fernandes 2012 Realizar-se-á este fim-de-semana o Torneio de Futebol Eng.º António Gonçalves Bragança Fernandes 2012. Neste torneio participarão todas as equipas do Município da Maia que têm a modalidade de futebol de onze no escalão sénior federado. As colectividades que irão participar são: A.R.D.C. Gondim, Inter de Milheirós F.C., G.D. Águas Santas, F.C. Pedras Rubras, U. Nogueirense F.C., F.C. Maia Lidador, S.C. Castêlo da Maia, Pedrouços A.C., Mocidade Sangemil A.C. e Folgosa da Maia F.C. O Grupo A, disputar-se-á no Estádio Prof. Dr. José Vieira de Carvalho e as equipas participantes são: F.C. Pedras Rubras, U. Nogueirense F.C., F.C. Maia Lidador e Mocidade Sangemil A.C. O Grupo B, disputar-se-á no Campo de Jogos Municipal de Folgosa da Maia e as equipas participantes são: Folgosa da Maia F.C., Pedrouços A.C. e Inter de Milheirós F.C.

ANIMAIS

O Grupo C, disputar-se-á no Campo de Jogos Municipal de Gondim e as equipas participantes são: A.R. D.C. Gondim, S.C. Castêlo da Maia e G.D. Águas Santas. Os jogos do Grupo A terão a du-

ração de 30 minutos enquanto os restantes grupos terão a duração de 45 minutos. A fase final do Torneio será realizada no Estádio Prof. Doutor José Vieira de Carvalho no dia 9 de

Setembro e terá início pelas 16:30 horas,  com os vencedores dos respectivos grupos, e terminará com a cerimónia de encerramento.

Canil da Maia é um bom exemplo

Incentivo à adopção de animais A Associação CãoViver está há um ano a actuar no canil municipal da Maia. Desde então que centenas de animais foram adoptados, a Associação estime que o numero rondará os 400 animais. A taxa de eutanásia foi 0% e a taxa de recuperação física de animais que deram entrada no canil municipal da Maia feridos foi significativa, assim como a recuperação social de muitos deles. Todos estes factos levam a pub

que o canil municipal da Maia seja visto como um bom exemplo para outros canis e um motivo de orgulho para todos os que adoram animais. Assim, foi produzido um filme com o objectivo de conseguir «dar a entender que estes animais têm um coração, que sentem tudo o que nós humanos sentimos, que a eutanásia não é realmente a solução, a esterilização e a adopção é o caminho...somos

pela vida». Pode ver o filme acedendo ao sítio na internet da Associação CãoViver (http://www.associacaocaoviver.org/2012/08/video-desensibilizacao-e-divulgacao.html) . No dia 4 de Novembro a Associação CãoViver vai realizar a 1ªMaratona Solidária. O evento será dividido numa maratona com 60km (10Euros), numa meia ma-

ratona com 30km (10Euros) e um passeio de 15km (5Euros). O preço de inscrição inclui seguro, t-shirt, abastecimento líquido e sólido e o dorsal. O almoço são 8Euros. Pode inscrever-se em www.bttcaoviver.wix.com/BTT ou através do email bttcaoviver @gmail.com.


12

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Desporto

\\ Opinião Fernando Pedroso

SE COIMBRA FOSSE MINHA Chamam briosa à Académica Não quero entrar em polémica Mas acho pouco tal brio, Perde empata, tira cópias Eu acho que são bazófias Tal e qual como o rio Coimbra, linda cidade Na briosa tens vaidade E tens Mondego a teus pés, Tu encantas, quando cantas Mocidades, sei lá quantas, Tens um rico palmarés Estudantes dão-te cor Depois cantam ao amor À cidade e tradições Às tricanas por sedução À saudade por paixão Mais a um rio de ilusões! Tenho a alma Coimbrã Desde de Poiares à Lousã Lembro imagens do passado, Rica família aqui tive, É pena mas já não vive, Cá fui querido e amado Eu tenho sangue do teu Minha mãezinha mo deu E que ainda em mim fervilha, Não há no mundo outra assim Coimbra, tu és p’ra mim A cidade maravilha… Como adoro esta cidade Deixada na mocidade P’la minha rica mãezinha, Tão falada e visitada Sempre, sempre tão amada Que eu queria fosse minha

RALI

Ivo Nogueira vence Rali de Alfena Realizou-se no passado fim-desemana o Rali de Alfena que culminou com a vitória do jovem piloto maiato, Ivo Nogueira e Nuno Rodrigues da Silva. A dupla participou na jornada “extra-campeonato” desta prova do Clube Aventura do Minho, pontuável para o Regional de Ralis Norte. Esta vitória é um resultado importante para a dupla que venceu as oito classificativas que compunham a prova. O Rali de Alfena era encarado como um teste apesar de que, para Ivo

KICKBOXING

No alto, a Universidade E o penedo da saudade São símbolo da cultura, Apaixonas quem te lida Dás mais alegria à vida Tens encanto e formosura. Tinha muito mais valor Quem daqui fosse Doutor, Julgada coisa do céu, Quantos, os das nossas gentes Muito mais inteligentes Lhes tiravam o chapéu! Inda lembro a cada instante, Que sonhei ser estudante Nesta Coimbra dos nobres, Mas não podia estudar Quem não pudesse pagar, Eram tempos muito pobres! Se Coimbra fosse minha Faria dela Rainha Coroava-a de flores, De flores de ouro e prata Cantava-lhe a serenata, Coimbra dos meus amores… 15 de Junho de 2012 Abílio Fernando Dias Pedroso, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Nogueira, vencer «é sempre importante e dá uma motivação adicional. Na fase inicial da prova senti algumas dificuldades para entrar no ritmo, até porque ficámos sempre muito tempo parados antes da entrada nas duas primeiras especiais. Depois fomos aumentando a cadência, mas sinto que posso ser ainda mais rápido na próxima prova do campeonato. O mais curioso acabou por ser o facto de o meu pai ter ganho para o Regional Norte e eu ter ganho na competição extra», disse o jovem maiato. Para além de ganhar ritmo para a

restante temporada, esta prova serviu de estreia ao novo Citroën DS3 R3T com que Ivo Nogueira espera conquistar o título nacional nos 2L/2RM. «O carro esteve sempre perfeito. É, no essencial, igual ao outro, tendo apenas uma carroçaria nova, pois a anterior estava muito massacrada dos ralis de terra, sobretudo do Rali de Portugal e do Rali dos Açores. Era igualmente importante confirmar que tudo estava pronto para o Rali do Centro e também voltar a ganhar ritmo, uma vez que foram muitas semanas sem provas».

Com o objectivo de promover a modalidade junto da população

Life Combat realiza actividades na Maia A Escola de Kickboxing Life Combat, de Folgosa, realizou no passado dia 29 de Julho, no Parque Aventura em Ermesinde, e em parceria com a LIPOR diversas actividades para o público em geral. De acordo com treinador Luís Ferreira, a escola «realizou demonstrações das várias variantes da modalidade, sempre interagindo com o público que teve oportunidade de experimentar as mesmas». Num dia em que o Parque Aventura contou com a visita de cerca de 600 pessoas, o público aderiu em força às actividades promovidas pela escola. Desde os mais novos, menos inibidos, até aos mais velhos de ambos os géneros, muitos foram

RALI Terra de Santa Isabel Com um coração de mel A Rainha, mãe dos pobres, Senhora de altos valores Transformou o pão em flores Um milagre dos mais nobres

Jornada ‘extra’ do CAMI serviu para preparar final da época

os que quiseram experimentar a modalidade. Na tarde do passado dia 1 de Agosto a Life Combat esteve na Socialis, da Maia, numa parceria com a mesma, para apoiar o projecto de ocupação dos tempos livres dos mais pequenos. A Life Combat demonstrou parte do seu trabalho através de uma sessão informativa ficando assim os mais novos a conhecer a modalidade e a escola. De seguida teve lugar uma aula prática em que os jovens, com o apoio do professor Luís Ferreira e dos seus alunos, tiveram o primeiro contacto com o desporto. No final assistiram a uma demonstração de kickboxing e das suas variantes.

«Uma excelente experiência para todos» é assim que Luís Ferreira classifica esta parceria. «A Life Combat tem como um dos seus objectivos desmistificar ideias erradas associadas à modalidade e para isso é necessário sairmos das salas de treino, dos ginásios e irmos ao encontro da população, sendo que apoiar estes projectos sociais é uma das excelentes maneiras de o fazer, uma vez que estamos a apoiar boas causas e a divulgar a modalidade. A nossa escola é já reconhecida como uma escola diferente e inovadora nesta área. Estamos sempre dispostos a ajudar instituições e a apoiar projectos deste género».

4ª prova do Campeonato de Portugal de Montanha

Paulo Ramalho alcança segundo lugar Decorreu no passado dia 26 de Agosto, em Bragança, a 4ª prova do Campeonato de Portugal de Montanha, num dia de muito calor com temperaturas a rondar 30º. Apesar de poucas inscrições, a prova contou com os principais pilotos que discutem as primeiras posições de cada categoria, o que deu elevada competitividade e motivos de interesse. Para esta prova Paulo Ramalho tinha como principal objectivo dar continuidade à melhoria de performance já demonstrada em Paços de Ferreira. Assim, em conjunto com a sua equipa, partiram para a 1ª subida pub

de treinos com o mesmo set-up de suspensão utilizado em Paços de Ferreira. Contudo, o piloto do Porto não se mostrava satisfeito com o comportamento do Juno CN09 após a 1ª tentativa de treinos. O Team PRMiniracing procedeu então a ajustes na suspensão, reflectindo-se de imediato na melhoria do comportamento na subida seguinte de treinos, permitindo assim a Paulo Ramalho ascender à 2ª posição e mantê-lo com tranquilidade. Mas nem tudo correu na perfeição. Logo na 1ª subida de treinos Paulo Ramalho detectou que o rapport de caixa que tinha montado no

seu protótipo, o mesmo que utilizou num outro Juno, apresentava-se escasso no que respeita à velocidade de ponta, não lhe possibilitando em duas zonas do traçado ultrapassar 194 Km/h, mesmo aumentando o limite electrónico do corte do motor. Esta situação limitou de alguma forma a obtenção de melhores tempos, dada a extensão percorrida com o motor em corte. De qualquer das formas, ficou provado que a equipa e piloto progrediram na direcção certa. Com este resultado Paulo Ramalho ascendeu à vice liderança do Campeonato.

maiahoje

\\ Opinião José de Paiva Netto

Cuidado, estamos respirando a morte! Viver no presente momento é administrar o perigo. Atualmente, em vastas regiões da Terra, o simples ato de respirar corresponde à abreviação da vida. Sofrimentos de origem pulmonar e alérgica crescem em progressão geométrica. Hospitais e consultórios de especialistas vivem lotados com as vítimas das mais diferentes impurezas. Abeirar-se do escapamento de um veículo é suicídio, tal a adulteração de combustível vigente por aí. Isso sem citar os motores desregulados... Cidades assassinadas Quando você se aproxima, por estrada, via aérea ou marítima, de grandes centros populacionais do mundo, logo avista paisagem sitiada por oceano de gases nocivos. Crianças e idosos moram lá... Merecem respeito. No entanto, de maneira implacável, a sua saúde vai sendo minada. A começar pela psíquica, porquanto as mentes humanas vêm padecendo toda a espécie de pressões. Por isso, pouco adiantará cercar-se de muros cada vez mais altos, se de antemão a ameaça estiver dentro de casa, atingindo o corpo e a psicologia do ser. Em cidades praieiras, a despeito do mar, o envenenamento atmosférico avança, sem referência à contaminação das águas e das areias... O que surpreende é constituírem, muitas delas, metrópoles altamente politizadas, e só de algum tempo para cá os seus habitantes na verdade despertarem para tão terrível risco. Despoluir qualquer área urbana ou rural deveria fazer parte do programa corajoso do político que realmente a amasse. Não se pode esperar que isso apenas ocorra quando se torna assunto lucrativo. Ora, nada mais proveitoso do que cuidar do cidadão, o Capital de Deus. As questões são múltiplas, mas esta é gravíssima: estamos respirando a morte. Encontramo-nos diante de um tipo de progresso que, ao mesmo tempo, espalha ruína. A nossa própria. Comprova-se a precisão urgente de ampliar em largo espectro a consciência ecológica do povo, antes que a queda de sua qualidade de vida seja irreversível. Este tem sido o desafio enfrentado por vários idealistas pragmáticos. Entretanto, por vezes, a ganância revela-se maior que a razão. O descuido no preparo de certas comunidades, para que não esterilizem o solo, mostra-se superior ao instinto de sobrevivência. (...) A poluição que chega antes A infinidade de poluições que vêm prejudicando a vida de cada um deriva da falência moral que, de uma forma ou de outra, inferniza a todos. Viver no presente momento é administrar o perigo. Mas ainda há tempo de acolhermos a asserção de Antoine de Saint-Exupéry (1900-1944): “É preciso construir estradas entre os homens”. Realmente, porque cada vez menos nos estamos encontrando nos caminhos da existência como irmãos. Longe da Fraternidade, não desfrutaremos a Paz. José de Paiva Netto, jornalista, radialista, escritor e Presidente da Legião da Boa Vontade, escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico, www.lbv.pt


maiahoje

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Desporto

CANIL CÃES PARA ADOPTAR

VIAGENS

SNORLAX Macho adulto, sociável e meigo com quem conhece. Porte médio CONTACTOS PARA ADOÇÃO: 935298849/939513351 adopcoes@associacaocaoviver.org

Pinnawella - O orfanato de Elefantes

ÁTILA Macho jovem, muito tímido, ainda em socialização. Porte médio. CONTACTOS PARA ADOÇÃO: 935298849/939513351 adopcoes@associacaocaoviver.org

MARGARIDA Fêmea muito jovem e brincalhona. Muita bonita. Porte pequeno. CONTACTOS PARA ADOÇÃO: 935298849/939513351 adopcoes@associacaocaoviver.org

pub

lojas que vendem diversos produtos ligados aos elefantes. O que chama porém a atenção são os produtos feitos a partir de... bosta de elefante! E há um pouco de tudo: papel de carta, blocos de notas, e até brincos, pulseiras e colares. Todos os dias de manhã são recolhidas as bostas frescas dos elefantes, postas a secar, desinfetadas, misturadas com papel velho (50% de papel/50% de bosta) e criadas folhas de papel de bosta de elefante com o qual se fazem todos os produtos. Uma ideia fantástica! Trabalho artesanal e ecológico. Texto: M.Margarida Pereira-Müller Fotos: Hans-Jürgen Müller

Opinião \\

Universidades de Verão

MINA Fêmea adulta, sociável. Porte médio. CONTACTOS PARA ADOÇÃO: 935298849/939513351 adopcoes@associacaocaoviver.org

\\ Opinião

Primeira noite no Jetwings Sea em Negombo, peto de Sri Lanka. Um hotel muito simpático, diretamente na praia, com um pequeno almoço fantástico. Às 9h partimos para a descoberta desta ilha já cantada por Camões, a Taprobana, a antiga Ceilão, famosa pela canela, pelo coco, pela borracha.   Começámos por Pinnawell. Um orfanato de elefantes?! Como assim? Mas pensando melhor, percebemos o dilema. O que acontece a um elefante quando fica órfão? Quem toma conta dele? Quem lhe ensina as regras, os direitos e os deveres dum elefante numa manada? Em 1975, o governo de Sri Lanka criou um orfanato para 5 elefantes bebés que tinham perdido os pais. Três décadas depois, já se encontram em Pinnawella mais de 80 elefantes. A reserva é cortada pelo rio Maha Oya e ocupa uma área de 25 hectares, sendo o maior orfanato de elefantes de todo o mundo. Ao meio dia é hora do regresso do banho: duas vezes por dia, de manhã, por volta das 10h e à tarde por volta das 16h, os mahouts, os cuidadores dos elefantes, levam a manada de elefantes fêmeas e elefantes bebés até ao rio para se refrescarem e tomarem banho. Quando esta manada regressa ao centro, �� a vez dos elefantes machos virem ao banho: uma nova manada passeia-se até ao rio e delicia-se brincando na água Cada elefante adulto consome aproximadamente 75 quilos de folhas (de coqueiro, de jaqueira, tamarindo e kitul (açúcar de palma) por dia, além de 2 kilos de uma mistura de farelo de arroz, sésamo em pó, sementes e minerais. No caminho até ao orfanato, existem várias

Pedro Miguel Carvalho

Na passada semana tive o prazer de estar presente em Castelo de Vide, na 10ª edição da Universidade de Verão do PSD. Depois de uma semana intensa de trabalho e conferências eis que foi a altura de fazer o balanço, que resolvi partilhar com todos os caros leitores. Existem efectivamente diferenças entre aqueles que realmente querem formar e informar os seus jovens, sem paradigmas, sem preconceitos, sem dogmas, daqueles que

13

querem fazer universidades para aparecer na TV. Enquanto aluno da UV, saiume em sorte fazer a recepção e jantar com o Professor Luís Amado. Um homem com “h” grande, que ao contrário de outros sabe “separar as águas” e, mesmo fora do seu partido partilhar as suas ideias, muito válidas, com todos de forma desinteressada e respeitando a pluralidade de ideias. Um homem que em “off” confessou ser convidado para muitos eventos, mas menos convidado pelo seu partido. Há hora que Amado falava na UV, falava Edite Estrela na Universidade de Verão, que mais parecia a Universidade Sénior, do Partido Socialista. Alguém sem vergonha que ao ver Luís Amado junto do PSD, res-

pondeu aos jornalistas que ele lá estava muito bem, com ar jucoso. Aqui, no PSD, recebemos de braços abertos todos aqueles que algo válido e inteligente tem para nos dizer e ensinar, independente da raça, religião ou partido. No PSD conhecemos bem a palavra respeito e democracia, Hoje, uma semana passada depois da UV, sinto saudades do espírito “Uviano”, sinto saudades dos colegas, mas sintome orgulhoso por ter sido dos 100 escolhidos para participar na maior e melhor escola de formação política do país. Carlos Coelho, ilustre Reitor, está de parabéns tal como toda a equipa de staff, todos os alunos estão de parabéns, e essencialmente, a democracia está de parabéns.

Joaquim Marinho

Há pessoas e partidos (que, por sinal, são formados por pessoas que afinam - todas? pelo mesmo diapasão) que argumentam a favor ou contra a regionalização (administrativa, não se esqueça!) como se fossem os únicos detentores da verdade. Ora, se assim fôra, estas pessoas não eram humanas mas Deuses! Radicalizar assim este (ou outro) assunto leva ao ao confronto, nem sempre as ideias, nem sempre civilizado e sobretudo nada esclarecedor, das questões sob apreço. Veja-se o que se passa, diariamente, entre a classe política, ora defendendo, ora atacando a “dama Regionalização”. Lá porque na União Europeia a totalidade (ou quase) dos países que dela fazem parte estão divididos em regiões, não se segue daí que sejamos obrigados a seguir-lhe as pegadas. É que o nosso país, quanto a mim, quer começar quase pelo fim, nesta matéria, uma vez que não tem ainda as condições económicas, financeiras, sociais, humanas, psicológicas, cívicas e políticas (o que seria o principio) necessárias e suficientes para proceder à regionalização. Com ponderação, só atempadamente os portugueses deveriam lá chegaram desde que concluíssem tirar daí vantagens evidentes para o país, e não porque os outros países já lá chegaram! As assimetrias de toda a ordem são tão grandes que a regionalização, no momento, agravará a situação de algumas regiões, porque as vai, praticamente, colocar num “guetto”. O facto de ser estar a cumprir a Constituição, como dizem algumas personalidades e alguns partidos, não é argumento sem mácula pois, como toda a gente sabe, muitas outras coisas lá estão previstas e, na prática, não se cumprem: a igualdade de direitos (e deveres), o direito a trabalho, ao bom nome, à qualidade de vida, à segurança, à saúde, etc. Já escrevi, mas nunca é demais repetir, que quantos mais intermediários houver entre o cidadão e o governo do Estado (que tanto se deseja de direito!), mais dificil é conseguir a voz (do cidadão, claro) chegue audível e escorreita ao destinatário. E o povo Português não elegeu Deuses (os tais detentores da verdade) mas meros seres humanos carentes, como é próprio da sua condição, de saber de sábio para impôr a toda uma nação, não a verdade mas a sua verdade. Pior ainda, o seu querer. O travesseiro, por vezes, é bom conselheiro. Durmam sobre o assunto, e... bons sonhos. Joaquim Marinho


14

sexta-feira 7 de setembro de 2012

Diversos

maiahoje

CENTRO DE EMPREGO DA MAIA Rua Dr. Carlos Pires Felgueiras, 418 4470-157 Maia • Tel.:22 943 2700 e-mail: cte.maia@iefp.pt

PROFISSÃO ............................................Nº OFERTA .........REGIME DE TRABALHO ...........................................................................................................................FREGUESIA Costureira (m/f) .......................................587824930..........A Tempo Completo, com conhecimentos profundos de costura, para efetuar arranjos texteis. ...Águas Santas Técnico / Afinador de máquinas (m/f)...587820795..........Montagem/afinação de moldes de insuflação e injeção de máquinas industriais..................................Gemunde Promotor Comercial (m/f) ......................587817636..........A Tempo Completo, experiência em vendas diretas...........................................................................Águas Santas Fresadores mecânicos (m/f) ..................587811268..........A Tempo Completo, experiência superior a 3 anos, ...........................................................................................Maia Vendedor ao domicílio (m/f)...................587811509..........A tempo completo, com aptidão para vendas, não é necessária experiência ..........................................Vermoim Vendedores porta-a-porta (m/f) .............587818383..........A tempo parcial, para efetuar venda/prospeção de serviços telecomunicações ............................................Maia Operador CNC (m/f) ................................587821911..........Não é necessário ter experiência, obrigatório curso de formação do CINFU ou CENFIM .........V. Nova da Telha Torneiro mecânico (m/f) .........................587821914..........Não é necessário ter experiência, obrigatório curso de formação do CINFU ou CENFIM .........V. Nova da Telha Operador retificadora mecânica(m/f)....587821917..........Não é necessário ter experiência, obrigatório curso de formação do CINFU ou CENFIM .........V. Nova da Telha Eletromecânico Refrig./Climatização....587823782..........A tempo completo, para manutenção e assistência técnica de sistemas de ar condicionado e refrigeração.Maia Técnico de Vendas (m/f).........................587824069..........Para a área de tubagens e acessórios plásticos (polímeros), vertente instalação de água e gás. ........Gueifães Técnico Manutenção Mecânica (m/f) ....587824125..........A tempo completo, com experiência em manutenção industrial mínima de 2 anos. ......................Águas Santas Ajudante de cabeleireira (m/f) ...............587839129..........A tempo completo, com curso de Cabeleireira, para efetuar brushing e manicure. .......................................Maia Serralheiro mecânico (m/f) ....................587825320..........Conhecimentos de soldadura especializada, leitura de desenhos para construção de estruturas. .......Folgosa Brunideira (m/f) .......................................587818747..........A tempo completo, brunideiras/ engomadoras com experiência em malhas. ............................................Moreira

As ofertas de emprego divulgadas fazem parte da Base de Dados do Instituto do Emprego e Formação, IP. Para obter mais informações ou candidatar-se dirija-se ao Centro de Emprego indicado ou pesquise no portal http://www.netemprego.gov.pt/ utilizando a referência (Ref.) associada a cada oferta de emprego. Alerta-se para a possibilidade de ocorrência de situações em que a oferta de emprego publicada já foi preenchida devido ao tempo que medeia a sua disponibilização e a sua publicação.

Avisos Tribunais e Conservatórias \\

ARRENDO TERRENO MAIA CENTRO Terreno com aproximadamente 1100m2, com excelente exposição, com frente para duas ruas de intenso tráfego, localizado em zona central e muito movimentada, entre os supermercados LIDL e Pingo Doce de Vermoim. Ideal para "show room" ou negócio que exija exposição ao público. Contacto:919415228

EXPLICAÇÕES - ALEMÃO E PORTUGUÊS (até ensino universitário) POR LICENCIADA

BONS RESULTADOS! CONTACTAR 960 144 111

CARTÓRIO NOTARIAL DA MAIA

CARTÓRIO NOTARIAL DA MAIA

(NOTÁRIO) José Idalécio Fernandes

(NOTÁRIO) José Idalécio Fernandes

EXTRACTO PARA PUBLICAÇÃO

EXTRACTO PARA PUBLICAÇÃO

—-Lic. José Idalécio Fernandes, notário do cartório, CERTIFICA narrativamente, para efeitos de publicação, que neste Cartório Notarial no dia vinte e sete de Julho de 2012, a fls.36 do livro de notas para escrituras diversas nº 3-B, foi lavrada uma escritura de Justificação Notarial, na qual foram justificantes:----------------------—-Alcides Neves Moreira Azenha, (NIF 156.162.970- BI nº 3358101, de 22/02/2000, Lisboa), e mulher, Maria Rosa Silva Fontes, (NIF 156.162.989-BI nº 3468362, de 23/04/2002, Lisboa), casados sob o regime de comunhão de adquiridos, naturais ele da freguesia de Silva Escura concelho da Maia, e ela da freguesia de lavra, concelho de Matosinhos, habitualmente residentes na rua Central de Frejufe, nº 202, Silva Escura , Maia.----—-Mais certifico que, nessa escritura, foi declarado o seguinte: ----------------------------------------------------------—-Que o primeiro outorgante marido é dono e legítimo possuidor, com exclusão de outrem, de um prédio urbano, composto de um edifício de rés-do-chão, destinado a armazém, com logradouro, com a área coberta de oitocentos metros quadrados, e descoberta de oitocentos e cinquenta metros quadrados, implantado numa parcela de terreno, com a área de mil seiscentos e cinquenta metros quadrados, sita na Rua do Xisto,nº 760, lugar do xisto, freguesia de Vermoim, concelho da Maia, não descrito na Conservatória do registo Predial da Maia, mas inscrito na respectiva matriz, em nome do justificante marido, sob o artigo 2041.----------------—-Que a referida parcela de terreno, a que atribuem para efeitos deste acto o valor de CINCO MIL EUROS, foi adquirida pelo primeiro outorgante marido , em data que não podem precisar do ano de mil novecentos e sessenta e sete, por doação verbal que lhe foi feita por seus pais, Joaquim da Silva Moreira Azenha e Maria Olinda da Silva Neves, casados sob regime de comunhão geral, já falecidos, residentes que foram no lugar de frejufe, Silva Escura, Maia, sem que , no entanto, disponha de titulo formal que lhe permita o respectivo registo.-------------------------------------------------------------—-Que desde então, entrou na posse e fruição da dita parcela de terreno, em nome próprio, na qual construíram o edifício atrás descrito, posse que detém há mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja.----------------------------------------------------—-Que esta posse foi adquirida e mantida sem violência e sem oposição, ostensivamente, com conhecimento de toda a gente, em nome próprio e com aproveitamento de todas as suas utilidades, agindo sempre por forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, quer usufruindo no todo o imóvel, quer pagando as respectivas contribuições e impostos.----------------------------------------------------------—-Que esta posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública, desde o ano de mil novecentos e sessenta e sete, conduziu à aquisição da referida parcela de terreno por usucapião, que invoca, justificando o seu direito de propriedade para efeitos de registo, dado que esta forma de aquisição não pode ser comprovada por qualquer outro título formal extra-judicial.--------------—-ESTÁ CONFORME. Maia e referido Cartório, aos vinte e sete de Julho de dois mil e doze.--------------------------O Notário, Registado sob o nº2 749

—-Lic. José Idalécio Fernandes, notário do cartório, CERTIFICA narrativamente, para efeitos de publicação, que neste Cartório Notarial no dia quatro de Setembro de 2012, a fls.76 do livro de notas para escrituras diversas nº 3-B, foi lavrada uma escritura de Justificação Notarial, na qual foram justificantes:------------------------------------------------------—-Maria Alina Vicente Moreira de Azevedo, (NIF 186.366.302- BI nº 7705277, de 27/11/2006, Lisboa), e marido, Amadeu Alves de Azevedo, (NIF 146.462.009- CC nº 05818622 0ZZ2, válido até 29/03/2015), casados sob o regime de comunhão de adquiridos, naturais ela da freguesia de Gondim e ele da freguesia de Moreira, ambas do Concelho da Maia, residentes na Rua de Real, nº 340, Moreira , Maia.---------------------------------------------—-Mais certifico que, nessa escritura, foi declarado o seguinte:-------------------------------------------—-Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, de um prédio rústico, composto de um terreno de cultura, sito no lugar de Gueifães de Baixo, freguesia de Gueifães, concelho da Maia, com área de três mil e setecentos metros quadrados, a confrontar do norte com Ribeiro, do sul com Rua, do nascente com Virgílio de Sousa Marques, e do poente com Joaquim Bento Ramos e outro, não descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial da Maia, mas inscrito na respectiva matriz, em nome da justificante mulher, sob o artigo 43, com o valor patrimonial e atribuído de 109,61 euros.------------------------------------------------—-Que o referido prédio foi por eles adquirido em data que não podem precisar do ano de mil novecentos e oitenta , por compra verbal que dele fizeram a Maria Duarte Vicente, solteira, maior, já falecida, residente que foi no lugar do Arco, Gueifães, Maia, sem que, no entanto, disponham de título formal que lhes permita o respectivo registo. —-Que desde então, entraram na posse e fruição do mesmo prédio, em nome próprio, posse que detêm há mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja.--------------------—-Que esta posse foi adquirida e mantida sem violência e sem oposição, ostensivamente, com conhecimento de toda a gente, em nome próprio e com aproveitamento de todas as suas utilidades, nomeadamente, tirando os proveitos que o mesmo proporciona, agindo sempre por forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, quer usufruindo no todo o imóvel, quer pagando as respectivas contribuições e impostos. —-Que esta posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública, desde o ano de mil novecentos e oitenta, conduziu à aquisição do imóvel por usucapião, que invocam, justificando o seu direito de propriedade para efeitos de registo, dado que esta forma de aquisição não pode ser comprovada por qualquer outro título formal extra-judicial.-------—-ESTÁ CONFORME. Maia e referido Cartório, aos quatro de Setembro de dois mil e doze.-------------O Notário, Registado sob o nº2 996

JORNAL MAIAHOJE - EDIÇÃO 306 - 7 DE SETEMBRO 2012

JORNAL MAIAHOJE - EDIÇÃO 306 - 7 DE SETEMBRO 2012


maiahoje

sexta-feira 7 de setembro de 2012

\\ EMERGÊNCIAS NACIONAIS • SOS Número Nacional de Socorro............................................112 • Incêndios Florestais .......................................................................117 • Emergência Social (crianças, idosos, vitimas, s/abrigo)....144 • Intoxicações ...............................................................808 250 143 • Emergência Gás (EDP)............................................800 215 215

\\ EMERGÊNCIAS LOCAIS • Bombeiros Voluntários de Moreira...................22 942 10 02 • A. H. Bombeiros de Pedrouços...........................22 901 27 44 • PSP Maia (Esquadra Cidade)...............................22 947 96 90 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Segurança)22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Trânsito).....22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Es.Intervenção) 22 948 26 93 • PSP Águas Santas (Esquadra Vila).....................22 977 42 80 • PSP Maia (Divisão Policial)...................................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Trânsito) .............................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Interv. e Fiscalização) ....22 978 51 90 • GNR Maia (Posto Territorial da Maia) ...............22 986 74 30 • GNR Maia (Posto Fiscal de Pedras Rubras).....22 944 91 00 • GNR Maia (Posto Trânsito da Maia) ..................22 968 84 70 • Polícia Municipal Maia ..........................................22 940 86 00 • Protecção Civil (CM Maia) ....................................22 940 87 22 • Protecção Civil (CM Maia) Linha verde.............800 205 169 • Protecção Civil (Com. Distrital Op. Socorro)..22 619 76 50 • Cruz Vermelha Portuguesa (Núcleo Maia).....22 941 12 21

\\ LINHAS

SAÚDE NACIONAIS

• Saúde 24......................................................................808 242 424 • Saúde 24 (orientação pediátrica) .......................808 242 400 • Linha Saúde Cancro ................................................808 255 255 • Linha Saúde Sexualidade......................................808 222 003 • Linha Saúde SIDA.....................................................808 266 266 • Linha Saúde SOS Criança ......................................808 202 651 • Linha Saúde SOS Medicamento .........................800 222 444 • Linha Saúde SOS Grávida......................................808 201 139 • Linha Saúde SOS Droga ............................................................1414 • Linha Saúde Deixar de Fumar .............................808 208 888 • Informação a Vitimas Violência Doméstica.....800 202 148 • Linha APAV (Apoio à Vítima)..................................707200 077

\\ SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE LOCAIS • USF Alto da Maia (Águas Santas) ......................22 977 42 50 • USF Viver Mais (Castêlo Maia) ............................22 986 51 70 • USF Saúde em Família (Pedrouços)..................22 977 47 10 • USF Pirâmides (Maia).............................................22 947 85 90 • USF Odisseia (Vermoim).......................................22 947 09 50 • USF Íris (Águas Santas)..........................................22 986 70 35 • USF Lidador (Gueifães) .........................................22 943 84 40 • USF Pedras Rubras (Moreira) ..............................22 943 14 70 • Extensão Saúde Nogueira (Nogueira).............22 961 77 10 • Extensão Saúde Milheirós (Milheirós) .............22 972 33 22 • Extensão Saúde Moreira (Moreira) ...................22 943 14 70 • Hospital S. João (Porto) ........................................22 551 21 00 • Hospital Pedro Hispano (Matosinhos) ............22 939 10 00 • Hospital Sto. Tirso (Sto.Tirso)................................252 830 700 • Hospital Joaquim Urbano (Porto).....................22 589 95 50 • Hospital N. Sra. Conceição (Valongo)..............22 422 00 19 • Hospital Sto. António (Porto) .............................22 207 75 00 • Hospital Maria Pia (Porto)....................................22 608 99 00 • Hospital Póvoa Varzim/V.Conde (P. Varzim)....252 690 600 • Hospital Magalhães Lemos (Porto) ..................22 619 24 00 • Inst.Port. Oncologia Francisco Gentil (Porto)22 508 40 00 • Unidade Alcoologia do Norte (Matosinhos) .22 004 50 60 • Centro Regional de Sangue (Porto) .................22 004 52 40

mh jornal regional de grande informação

PROPRIEDADE DE:

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar artur@maiahoje.pt COLABORADORES REDACTORES: Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt Luís Filipe Azevedo luis@maiahoje.pt Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos rita@maiahoje.pt

Úteis \\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA NACIONAIS • Serviço Informações telefónicas PT . . . . . . . . . . . . . . . . . .1820 • Serviço Apoio a Clientes Optimus . . . . . . . . . . . . . . . . . .16103 • Serviço Apoio a Clientes TMN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1696 • Serviço Apoio a Clientes Vodafone . . . . . . . . . . . . . . . . .16912 • Aut.omóvel Clube ACP (assistência) . . . . . . . .707 509 510 • Brisa Auto-estradas de Portugal . . . . . . . . . . . .808 508 508 • CP Combóios de Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 208 208 • TAP Air Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 205 700 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede fixa) . . . .808 202 653 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede móvel) .808 962 690 • Cartões Crédito American Express . . . . . . . . . .707 504 050 • Cartões Crédito Mastercard . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 272 • Cartões Crédito Visa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 107 • EDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 506 506 • EDP (Comunicação de Avarias) . . . . . . . . . . . . .800 246 246

\\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA LOCAL • Loja do Cidadão (Porto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 241 107 • Posto de Atendimento ao Cidadão (Maia) . .22 948 24 62 • Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 98 10 • Cartório Notarial de Cláudia Barbas . . . . . . . .22 940 67 22 • Conservatória do Registo Civil (Maia) . . . . . .22 943 98 00 • Conservatória do Registo Predial . . . . . . . . . .22 943 62 80 • Conservatória do Registo Comercial . . . . . . .22 947 76 50 • Serviços de Finanças da Maia . . . . . . . . . . . . . .22 947 06 40 • Tribunal Judicial da Comarca da Maia . . . . . .22 941 90 73 • Tribunal do Trabalho da Comarca da Maia . .22 941 41 52 • Inst. Info. Apoio Form. Profissional (IAFE) . . .22 977 39 10 • Inst. Fomento Desenvolv. Económico . . . . . .22 942 70 26 • Centro de Emprego da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 943 27 00 • Segurança Social da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 10 90 • Com. Protecção Crianças e Jovens da Maia .22 949 03 33 • CTT Correios de Portugal (Gueifães) . . . . . . .22 960 83 27 • CTT Correios de Portugal (Moreira) . . . . . . . .22 943 76 10 • CTT Correios de Portugal (Vermoim) . . . . . . .22 943 95 30 • CTT Correios de Portugal (Águas Santas) . . .22 974 33 50 • CTT Correios de Portugal (Castêlo) . . . . . . . . .22 986 66 00 • CTT Correios de Portugal (Aeroporto) . . . . . .22 940 00 11 • Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 24 00 • Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 34 72 • Consulado de Chipre (Maia) . . . . . . . . . . . . . . .22 902 38 68 • Consulado do Paquistão (Maia) . . . . . . . . . . . .22 947 93 21 • Lipor II (Central de Valorização Energética) 22 947 73 40 • Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 26 60

\\ MUNICIPIO DA

15

\\ FARMÁCIAS Dia

07 08 09 10

PERM

F

G

H

I

REF

ky

ly

y

ay by cy

11

12

13 14 15

16

17 18

J

A

B

E

F

y

hy iy

C

D

dy ey fy

G

19 20 21 H jy

I

J

ky ly

TURNO A AGRA - MILHEIRÓS TURNO B LIMA COUTINHO - GUEIFÃES TURNO C BASTOS - GUEIFÃES TURNO D ÁLVARO AGANTE - VERMOIM TURNO E CENTRAL - CATASSOL TURNO F ALIANÇA - VERMOIM TURNO G SOUSA BEIRÃO - MAIA TURNO H BOM DESPACHO - MAIA TURNO I GRAMAXO- MOREIRA DA MAIA TURNO J NOVA DE ARDEGÃES - ARDEGÃES TURNO a AEROPORTO - PEDRAS RUBRAS TURNO b SILVA ESCURA - FREJUFE TURNO c GEMUNDE - CAMPA DO PRETO TURNO d VALES - ARROTEIA TURNO e MOREIRA BARROS - PARADA TURNO f VILA NOVA DA TELHA - QUIRES TURNO g MARTINS DA COSTA - ÁGUAS SANTAS TURNO h CASTÊLO - CASTÊLO DA MAIA TURNO i EUGÉNIA - PEDROUÇOS TURNO j LIDADOR - ARDEGÃES TURNO k ARAÚJO - NOGUEIRA TURNO l GUARDEIRAS - GUARDEIRAS TURNO m MAIA - ÁGUAS SANTAS TURNO y MENDONÇA - S. PEDRO FINS

esta informação é patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

MAIA

• Câmara Municipal da Maia (Central) . . . . . . .22 940 86 00 • Serviços Águas e Saneamento da Maia . . . . .22 943 08 00 • Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . . . . . .22 968 73 22 • Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 20 • Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . . . . .22 944 24 62 • E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . . . . . . .22 940 87 21 • Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 30 • Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 • Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 905 95 20 • Canil Municipal da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 982 36 87 • Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 986 71 80 • Espaço Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 80 30 • Loja da Juventude S. Pedro Fins . . . . . . . . . . .22 968 91 69 • TURISMO Maia Welcome Center . . . . . . . . . . .22 944 47 32 nota: Informação actualizada em 2011/10/01 João Brito Raquel Barrigana COLABORADORES FOTOGRAFIA: António Caldeira, TPJ CO 707 Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 José Barbosa . TPJ CO 924 Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710 Raúl Silva, TPJ CO 852 CORRESPONDENTES: João Diogo (Brasil) Williams James Marinho (EUA) Ainhoa Carrasco Robles (Espanha) Catarina Almendra (Lisboa)

CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Form. e Docentes) Mário Lopes (sociedade) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Ricardo Filipe Oliveira (sociedade) Rogério Gonçalves (sociedade) DESIGN / PAGINAÇÃO: Maxim Bukharov maxim@maiahoje.pt

De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SERVIÇO PERMANENTE

7 e 17 DE SETEMBRO Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

COLABORE CONNOSCO Acompanha a sua equipa e/ou colectividade? Asssitiu a algum evento ou facto de notícia? Faça-nos chegar as notícias/comentários e fotos, via internet para: reporter@maiahoje.pt descubra o jornalista que há em si! DEPARTAMENTO COMERCIAL: Pedro Martins pedro@maiahoje.pt Ferreira Silva comercial@maiahoje.pt SEDE/ REDACÇÃO / D.COMERCIAL Rua dos Altos, Edifício Arcada, 16 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25 Depósito legal 147209/00 DGCS nº 123524 Tiragem 3.000 exemplares

IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados. MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007



306