Page 1

Mossoró Justiça vai perde combater posição fakenews Município perde 20 posições no ranking da qualidade de vida em 10 anos. mossoró3

@defato_rn

17os an

Juiz Luiz Sérgio diz que a Justiça Eleitoral vai combater o uso irregular de propaganda. CAFEZINHO COM CÉSAR SANTOs

/photos/jornaldefatorn

Colonização inspira verão 2019

/jornaldefatorn

Sua Vida mostra também alimentos para minimizar menopausa. style/sua vida mulher

MOSSORÓ (RN), DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2018 | EDIÇÃO 5.240 – ANO XVIII | R$ 2,50 Carlos Costa/Arquivo

Virada cultural marca celebração dos 14 anos do Dix-huit Rosado mossoró capa

Feminicídios aumentaram mais de 80% no RN em 3 anos

>> Somente entre os dias 1º de janeiro e 6 de agosto deste ano, foram cometidos 65 crimes contra mulheres no território potiguar Novo encontro Meio ambiente entre Flamengo preocupa a Uern e Cruzeiro No Maracanã, o Flamengo tenta retomar a liderança, enquanto os visitantes poupam os titulares.

Empresa especializada vai coletar resíduos sólidos e material descartado de laboratório.

esporte 7

NESTA EDIÇÃO

36

PÁGINAS

OPINIÃO......................p2 POLÍTICA....................p3 CÉSAR SANTOS.......p5 braSIL/MUNDO......p7 braSIL/MUNDO......p8

mossoró 4

CADERNOS MOSSORÓ..........................p1 a 8 ESTADO .............................. p1 a 4 DOMINGO............................p1 a 16

Frota de motos continua crescente em todo o RN Estado possui 546.424 automóveis e 519.521 motos registrados, o que mostra a aproximação do número de motocicletas com relação ao de veículos. ESTADO CAPA

Melo Jr./O Dia


2 OPINIÃO

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

ESPAÇO JORNALISTA MARTINS DE VASCONCELOS

Organização: clauder arcanjo

CONVERSA (E RECONVERSA) COM BIAL Cedida por Ramón Vasconcelos/TV Globo

Edmílson Caminha

Escritor, membro da Academia de Letras do Brasil edmilson.caminha@gmail.com

Em 2017, sugeri ao Conversa com Bial um programa que lembrasse os 30 anos da morte de Carlos Drummond de Andrade. Ninguém melhor do que o apresentador para fazê-lo, como jornalista competente e apaixonado pela boa poesia: em 1984 criou no Rio de Janeiro, com Luiz Petry e Claufe Rodrigues, o trio “Os Camaleões”, cujos recitais poéticos lotavam os 150 lugares do Bar Botanic. Propus, como convidados, Affonso Romano de Sant’Anna ‒ seu Drummond, o gauche no tempo, é o primeiro grande estudo sobre a obra do poeta ‒ e Humberto Werneck, jornalista e escritor, a quem a Companhia das Letras encomendou a nova biografia do autor de Sentimento do mundo. A produção também chamou Leda Nagle, a quem Drummond concedeu a primeira grande entrevista para a tevê, em 1982. Confirmada a gravação, providenciam-me passagens e hotel em São Paulo, aonde vou com Ana Maria e Mariana ‒ a segunda filha, Carol, tem residência lá. Como no Programa do Jô, há camarim com frutas e doces, cessão de direitos em documento a ser assinado, maquiadora, cabeleireiro... Acerta-se que, por caminhar mais vagarosamente, Leda Nagle entrará primeiro, depois os outros, à medida que formos anunciados por Bial. Pouco antes da abertura, alguém da produção pede que o siga, atravessamos o palco e, na primeira fila da plateia, mostra-me o lugar que ocuparei. Estranho... certamente o entrevistador me chamará daqui, como já aconteceu em outros programas. Para a abertura, Bial escreveu uma bela crônica, em que se recorda, menino, da emoção e do respeito com que acompanhava o poeta pelas ruas de Ipanema. O primeiro a entrar não foi Leda, segundo o combinado,

''

O bate-papo foi bom, informal, durou 23 minutos, ilustrado por depoimento de Chico Buarque e poemas de Drummond na voz de Alcides Villaça, Marília Pêra, Fernanda Torres e Caetano Veloso

mas Affonso, drummondiano ilustre, que não discorre brilhantemente, como de hábito, sobre a criação poética do conterrâneo e amigo: prefere falar das conquistas amorosas, das namoradas do poeta. Depois Werneck, com a experiência de grande repórter e talentoso cronista, fala sobre a biografia de que agora se ocupa, ocasião em que o apresentador se dirige a mim, no auditório, e pergunta como se me tornei amigo de Drummond. Ainda fiz menção de levantar-me e dirigir-me à bancada, o que teria sido constrangedor, pois deveria falar dali mesmo, não mais do que dois minutos. “Esses caras são doidos! Como é que gastam dinheiro pra me trazer a São Paulo e me põem na plateia pra responder a uma pergunta?!” De volta a Brasília telefono para Pedro Augusto, neto de Drummond. A ideia da homenagem fora minha, e senti-me na obrigação de reportar-lhe o que acontecera no estúdio, o encontro poderia ter sido melhor, mais rico, mais substancioso. Como o programa passaria por edição para ir ao ar, disse a Pedro que preferiria, até, ser excluído, para não participar do que ficara muito aquém da importância e da grandeza do homenageado. Surpreendi-me ao saber que a agente literária Lúcia Riff já lhe fizera as mesmas observações, donde se

di­re­ção ge­ral: Cé­sar San­tos diretor de redação: Edilson Damasceno Ge­ren­te AD­MI­NIS­TRA­TI­VA: Ân­ge­la Ka­ri­na

conclui que havia algum drummondiano na plateia, mais rápido do que eu... Assunto encerrado para mim, as filhas jornalistas não se contiveram e mandaram e-mails para colegas da equipe do programa, inconformadas com a conversa a que haviam assistido. Recebo, dias depois, telefonema de um produtor em nome de Pedro Bial, que elegantemente concorda com as críticas, pede desculpas e quer saber: eu poderia voltar para nova gravação? Respondo que sim, pelo merecimento de Drummond e pela honestidade com que procedeu o jornalista, incomum entre famosos que jamais dão o braço a torcer. A história se repete: passagens, hotel e camarim, aonde chega Bial para um afetuoso abraço e o agradecimento por estarmos de novo juntos. O começo do primeiro bloco é regravado, depois da menção aos leitores que acompanhavam o poeta pelas ruas: “Esse seguidor que vem aí teve a coragem de aproximar-se de Drummond, tornou-se amigo dele. Nome de escrivão, nem Pero Vaz nem Isaías. Recebam Edmílson Caminha!” O bate-papo foi bom, informal, durou 23 minutos, ilustrado por depoimento de Chico Buarque e poemas de Drummond na voz de Alcides Villaça, Marília Pêra, Fer-

Um produto da Santos Editora de Jornais Ltda. Fun­d a­d o em 28 de agos­to de 2000, por Cé­s ar San­tos

www.de­fa­to.com E-mail:re­da­cao@de­fa­to.com TWITTER: @jornaldefato_rn | REDAÇÃO E OFICINAS: SEDE: Avenida Rio Branco, 2203, Centro, Mossoró-RN – CEP: 59.063-160 TELEFONES: (84) 3323-8900 (Mossoró) | COMERCIAL/ASSINATURAS: (84) 3323-8913 / 3323-8918

AS CO­LU­NAS E MA­TÉ­RIAS AS­SI­NA­DAS SÃO DE RES­PON­SA­BI­LI­DA­DE DE SEUS AU­TO­RES

nanda Torres e Caetano Veloso, partes do filme Consideração do poema, do Instituto Moreira Salles. Em certo momento, Bial me pergunta se sou capaz de dizer, de cor, alguma página do poeta. Risco que ninguém deve correr, nem com os próprios versos. Manuel Bandeira, em conferência que proferia, aventurou-se a dizer de memória seu belo soneto “Renúncia”. Começou: “Chora de manso e no íntimo...”, para calar-se depois da segunda estrofe, pois esquecera as seguintes. Foi salvo pelo memorialista Antonio Carlos Villaça, que o ajudou da plateia: “A vida é vã como a sombra que passa...”, com o que o poeta, agradecido, chegou ao fim. Para não passar pelo vexame, preferi pegar a antologia de Drummond e ler “Sentimento do mundo”... A Conversa com Bial foi ao ar como se gravada de uma só vez, sem cortes. Quando Werneck faz referência a mim, a imagem que me mostra na plateia é da primeira gravação, mas ninguém percebe, pois, embora a produção não me tenha pedido, uso o mesmo traje da outra vez, para facilitar a montagem dos blocos do programa. Não sei que profissional da Globo fez o milagre, mas não tenho dúvida de que mereceria o Oscar de Melhor Edição na TV, se houvesse...

FI­LIA­DO À


entrevista 3

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

cafezinho com césar santos

cesar@defato.com

Luiz Sérgio

O pardal, também aqui, será de grande valia para o encaminhamento das denúncias que tratem das ocorrências verificadas no campo virtual.

‘O cidadão pode ter papel importante no combate a fakenews’ >> “O cidadão pode ter um papel importante, e até mesmo decisivo, contra a propagação de fakenews nas eleições deste ano.” A opinião é do chefe de cartório da 33ª Zona Eleitoral de Mossoró, mestre em Direito Luiz Sérgio Monte Pires, 39. No “Cafezinho com César Santos”, ele afirma que o cidadão pode encaminhar denúncia à Justiça Eleitoral usando meios que serão disponibilizados para esse fim. “Com o início da campanha eleitoral, está prevista a disponibilização, pela Justiça Eleitoral, de um aplicativo para celular, de nome

“Pardal”, que permitirá a qualquer eleitor encaminhar sua denúncia às autoridades, seja de crime eleitoral ou de propaganda eleitoral irregular”, revela. Luiz Sérgio, que é analista judiciário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RN) desde 2006 e há 12 anos chefe do cartório eleitoral, acredita que as eleições de 2018, por características próprias, serão mais tranquilas do que os pleitos municipais, e assegura que a Justiça Eleitoral está preparada para garantir o direito democrático do cidadão.

POR: César santos - FOTO: marcos garcia

COMBATER fakenews é um dos desafios da Justiça Eleitoral nas eleições gerais deste ano. Em Mossoró, a Justiça está preparada para inibir essa ação ilegal? ANTES de mais nada, é preciso esclarecer que, por se tratar de eleições gerais, a competência processual para tratar de ações judiciais referentes ao pleito de 2018 é toda reservada ao TRE, em Natal, com exceção apenas daquelas que sejam referentes à campanha presidencial, cuja competência é atribuída ao TSE, em Brasília. A competência da 33ª Zona, como unidade responsável pela propaganda eleitoral em Mossoró, diz respeito unicamente ao exercício do poder de polícia, ou seja, está restrita à tomada de decisões e à execução de ações voltadas a fazer cessar a propaganda eleitoral irregular. Trata-se de uma competência de natureza eminentemente administrativa, muito embora atribuída a um órgão judicial. Na prática, isso significa que não há, em âmbito local, em eleições gerais como a do corrente ano, a instauração de processos nem a aplicação de multas a candidatos por desrespeito a normas atinentes à propaganda. A matéria, assim, fica praticamente toda concentrada no TRE, em Natal, com a ressalva, já mencionada, no que tange à campanha presidencial, de competência do TSE. Esclarecido esse ponto, vejamos: a matéria concernente ao combate à famigerada prática de fabricação e divulgação de fakenews é tratada - pelo menos até o presente momento - no campo estritamente processual e jurisdicional, através de medidas liminares - requeridas pelos prejudi-

''

A propaganda eleitoral na internet, é claro, não constitui um território livre, como infelizmente muitos acreditam’’ cados - que determinam a exclusão da postagem e a adoção de mecanismos para a identificação de seu autor. Dessa forma, é um tema que, nas eleições do corrente ano, já vendo sendo - e será ainda mais, certamente - enfrentado pelos TREs e pelo TSE, e não diretamente por nós da 33ª Zona, em âmbito local. Ocorre que o ministro Luiz Fux, presidente do TSE, segundo o que foi noticiado amplamente, chegou a fazer pronunciamentos públicos nos quais defendeu que esse combate às fakenews deveria ser travado também no âmbito do poder de polícia de cada juiz, o que, frise-se, ainda não é totalmente pacífico. Inclusive, já há artigos na internet refratários à tal possibilidade. De qualquer forma, se ele conseguir fazer prevalecer esse entendimento - no que não creio -, os Juízos Eleitorais de primeira instância de todo o Brasil teriam, aí sim,

a prerrogativa de determinar, até mesmo de ofício, no exercício do poder de polícia que lhes compete, a exclusão de determinada postagem por entendê-la mentirosa. O SENHOR acredita que o cidadão pode ter um papel importante para inibir a ação de fakenews? De que forma as pessoas podem evitar esse tipo de crime? O CIDADÃO pode sim, claro, ter um papel importante, e até mesmo decisivo, contra a propagação de fakenews. Para se ter uma ideia, nos próximos dias, com o início da campanha eleitoral, está prevista a disponibilização, pela Justiça Eleitoral, de um aplicativo para celular, de nome “Pardal”, que permitirá a qualquer eleitor encaminhar sua denúncia às autoridades, seja de crime eleitoral, seja de propaganda eleitoral irregular. Uma vez registrada

no aplicativo, a denúncia é imediata e simultaneamente encaminhada aos endereços de e-mail da equipe de fiscalização do Cartório Eleitoral e às caixas de entrada do aplicativo acessáveis tanto pelo juiz eleitoral como pelo promotor eleitoral respectivo, para conhecimento e adoção das medidas pertinentes, conforme a natureza do caso. Na verdade, o pardal já foi utilizado nas eleições de 2016, em modo experimental, com relativo sucesso. Para as eleições de 2018, virá aperfeiçoado e melhor regulamentado. Enfim, trata-se de um excelente canal interativo entre o eleitor e a Justiça Eleitoral/Ministério Público Eleitoral. A PROPAGANDA eleitoral na internet terá início no dia 16 de agosto. Nesse caso, a novidade é que está autorizado o impulsionamento de conteúdos, desde que contrata-

dos exclusivamente por partidos, coligações e candidatos. Como será feita essa fiscalização? A PROPAGANDA eleitoral na internet, é claro, não constitui um território livre, como infelizmente muitos acreditam. Ela é disciplinada por lei já há alguns anos e, para as eleições de 2018, será permitida a prática vedada até a eleição passada - de impulsionamento das postagens em redes sociais, mediante o pagamento respectivo. Teremos na 33ª Zona uma equipe de fiscalização, já designada, que, além de acompanhar as movimentações de campanha na rua, também estará atenta ao que se passa em ambientes virtuais. O mesmo ocorrerá, acredito eu, com o Ministério Público Eleitoral local, que certamente também permanecerá vigilante na atividade de coibir eventuais excessos ou irregularidades, seja na rua ou mesmo na internet.

OUTRA novidade nas eleições deste ano em Mossoró é que, pela primeira vez, o eleitor poderá votar em trânsito. Como o eleitor que tem o interesse deve garantir esse direito? O VOTO em trânsito vem sendo aplicado, pela Justiça Eleitoral, nas capitais de todo o país, desde as eleições de 2010. Para este ano, será disponibilizado, pela primeira vez, para os eleitores que, embora domiciliados eleitoralmente em local diverso, estejam em Mossoró no dia tanto do 1° turno como no do 2° turno de votação, em caso da ocorrência deste. Para tanto, faz-se necessário que o eleitor interessado realize seu cadastramento, em qualquer cartório eleitoral do país, até o dia 23 do corrente mês de agosto. O FÓRUM Celina Guimarães, que hoje comporta quatro zonas eleitorais, de seis municípios, tem estrutura para a Justiça Eleitoral desenvolver o seu trabalho? NA VERDADE, não. Veja bem. O projeto do nosso Fórum Eleitoral, concebido no ano de 2007, com obras concluídas em 2008, previa espaços para o funcionamento das duas Zonas Eleitorais até então existentes na cidade, e deixava uma área reservada para a possível instalação, futura, de uma possível terceira zona eleitoral que viesse a ser aqui sediada. Ocorre que, já no primeiro ano em atividade, era notório que o projeto havia sido subdimensionado. A falta de espaço para uma série de atividades era uma constante. De lá para cá, muito embora três reformas de médio porte já tenham sido realizadas na estrutura como um todo, a verdade é que tivemos que acomodar, por força de rezoneamentos determinados pelo TSE, outras duas Zonas Eleitorais: a 58ª, em 2015; e a 49ª, em 2017, esta última, inclusive, de uma forma meio que de improviso. O resultado de tudo isso pode ser constatado na absoluta falta de espaço para uma série de atividades até mesmo corriqueiras, como, por exemplo, a carga das urnas e o treinamento de mesários. Hoje, não há lugar sequer para realizarmos uma reunião que contenha mais de dez pessoas, o que tem nos obrigado a sempre procurarmos outros espaços, ora na Justiça Comum, ora em entidades como o Sesi e o Senai. CONTINUA NA PÁG. 4


4 entrevista

DOMINGO, 12 DE agostO de 2018

Continuação da página 3

‘As eleições gerais são mais tranquilas do que as municipais’ PELA resolução do TSE, só serão permitidos carros de som e minitrios em carreatas, caminhadas e passeatas ou em reuniões ou comícios. Deverá ser respeitado o limite de 80 decibéis, medido a sete metros de distância do veículo. O que essa mudança significa em relação às eleições anteriores? ESSA mudança veio atender a um antigo reclamo de grande parte dos eleitores em todo o Brasil, que se sentia bastante incomodada com a circulação de centenas de carros de som em épocas de campanha. Aqui em Mossoró, por exemplo, por mais que fiscalizássemos a emissão sonora desses veículos, era impossível dar conta de quatro ou cinco dezenas de carros de som rodando ao mesmo tempo, nos quatro cantos da cidade. Havia muitas reclamações quanto à sua circulação em áreas próximas a igrejas e a escolas, o que já era, inclusive, proibido pela legislação. A lei eleitoral, enfim, foi alterada para permitir-se sua circulação apenas em eventos partidários, como carreatas,

Marcos Garcia

passeatas, reuniões e comícios, o que, acredito eu, já servirá para diminuir as reclamações.

O FATO de a eleição ser estadual e federal, é possível afirmar que em Mossoró ela será mais

tranquila em relação ao pleito municipal? A EXPERIÊNCIA tem demonstrado que quanto

mais perto estão os candidatos dos eleitores, e quanto mais indefinido permanece o resultado da eleição,

maiores são as paixões que a campanha desperta e mais elevado é o grau de tensão que se observa. As eleições gerais, por tais razões, se tornam infinitamente mais tranquilas do que as municipais. Estas, para se ter uma ideia, costumam gerar, só aqui em Mossoró, mais de quatrocentos candidatos ao cargo de vereador. Na quase totalidade delas, são pessoas muito próximas do eleitorado, com quem você conversa nas esquinas, repartições públicas e comércios locais. Além disso, todas elas, como se sabe, saem em busca do voto exclusivamente na cidade. É somente aqui que a eleição acontece e é decidida. Essa proximidade verificada, enfim, gera todo esse acirramento entre as principais candidaturas que estamos acostumados a presenciar. As eleições gerais, por sua vez, costumam produzir, aqui em Mossoró, cerca de três a quatro dezenas de candidatos locais, no máximo, e estes, ainda assim, precisam percorrer o estado todo à procura de votos. A corrida eleitoral, então, se desconcentra daqui e se dispersa por todo o território estadual, e isso se reflete, inclusive, em nosso trabalho de preparação e organização das eleições, que costuma ocorrer de modo bem mais sossegado do que em pleitos municipais.


opinião 5

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

césar santos cesar@defato.com

CORRIDA À CÂMARA CARIMBADA

N

as eleições de 2014, a bancada federal do Rio Grande do Norte sofreu mudança profunda. Dos oito deputados federais, apenas dois renovaram mandatos: Fábio Faria (PSD), filho do governador Robinson Faria (PSD), e Felipe Maia, filho do senador José Agripino Maia (DEM). A mudança, porém, foi provocada, em grande parte, porque cinco parlamentares não tentaram a reeleição: Henrique Alves (então PMDB) foi candidato a governador, derrotado por Robinson Faria; João Maia (PR) foi o candidato a vice-governador na chapa de Henrique Alves; Fátima Bezerra (PT) saiu para se eleger senadora da República; Betinho Rosado

''

(PP) não disputou as eleições porque teve contas reprovadas da época em que foi secretário de Educação no primeiro governo Wilma de Faria. Paulo Wágner chegou a registrar candidatura, mas não fez campanha e acabou se aposentando na Câmara dos Deputados. Dessa forma, a única que lutou para se reeleger foi Sandra Rosado (PSB, hoje PSDB), mas acabou na segunda suplência de sua coligação. A renovação na Câmara, promovida pelas urnas de 2014, na realidade, produziu apenas substituições em considerável parcela. Veja a lista dos seis novatos eleitos:

Meu apoio incondicional ao empreendedorismo, livre mercado e amor ao Brasil."

Walter Alves (MDB) substituiu o primo Henrique Alves; Zenaide Maia (PR, hoje PHS) entrou na vaga do irmão João Maia; Beto Rosado (PP) substituiu o pai Betinho Rosado. Os outros eleitos foram: Rafael Motta (Pros, hoje PSB), com a força do pai deputado e então presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta; Rogério Marinho (PSDB), em via alternativa; e Antônio Jácome (PMN, hoje Podemos), com a força do segmento evangélico. O que aconteceu em 2014 pode se repetir em 2016? Pouco provável. As nominatas para a Câmara dos Deputados sugerem que os grandes grupos

elegerão seus representantes e com forte possibilidade de renovar mandatos da maioria. Na coligação de 12 partidos em torno do governador Robinson Faria, três deputados federais têm chances de renovação de mandato: Fábio Faria, Rogério Marinho e Rafael Dantas, além do ex-deputado João Maia, que substituirá a irmã Zenaide Maia, que sairá candidata ao Senado. Na coligação de seis partidos em torno do candidato a governador Carlos Eduardo (PDT), os atuais deputados Walter Alves e Beto Rosado são favoritos, ao lado de José Agripino, que ficará com a vaga do filho Felipe Maia. O placar de 4 a 3 entre essas duas coligações é o cenário provável, com a última vaga destinada ao PT, que tem dois candidatos disputando a cadeira: Fernando Mineiro e Natália Bonavides. Essa é a tendência, porém sem descartar alguma alteração, como uma chapa alternativa eleger um deputado federal, mesmo não alcançando o quociente eleitoral, o que será permitido a partir das eleições gerais deste ano.

É NOTÍCIA 1

FLÁVIO ROCHA

Um abraço de saudades em seu Manoel Teobaldo dos Santos, em homenagem a todos os pais. Sertanejo que venceu na cidade, educando sua prole de 10 filhos. Seu Teobaldo faz falta.

Empresário líder do grupo Riachuelo, sobre a sua escolha presidencial por Bolsonaro.

2 frutas

polícia

A Feira Internacional de Fruticultura Tropical Irrigada (Expofruit 2018) deve movimentar R$ 40 milhões em negócios. Serão mais de 300 estandes na Estação das Artes Elizeu Ventania expondo a cadeia produtiva, como polpas de frutas, distribuidoras de sementes, insumos , pesquisas e tecnologia para o campo etc.. O evento será realizado entre os dias 21 e 23 deste mês.

Encerra-se nesta segundafeira, 13, o prazo para inscrição ao concurso da Polícia Militar do Rio Grande do Norte. Os interessados devem se inscrever pela internet, no site www. ibade.org.br. Lembrando que a inscrição só é confirmada após o pagamento da taxa de R$ 100,00. O concurso está oferecendo 1.000 vagas para o quadro de praças da corporação, sendo 62 para mulheres.

3 4 5

O Fest Bossa e Jazz 2018, em Mossoró, terá tributo a Gilberto Gil, que será comandado pelo renomado multi-instrumentista potiguar Sérgio Groove e pelo guitarrista Lu D’Sosa. O evento será realizado de 13 a 15 de setembro na Estação das Artes. O feriado de 13 de dezembro em Mossoró, dia da padroeira Santa Luzia, foi decretado nesta data há 69 anos. O feriado municipal está no artigo 7° do decreto lei 27/048 de 12 de agosto de 1949. Nesta data, em 1984, a convenção do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) homologava a chapa Tancredo Neves/José Sarney, eleita no colegiado. Sarney ficou com o poder. O Centro de Abastecimento da Rede de Supermercados Cidade ficará pronto em setembro. Bem estruturado no Planalto 13 de Maio (zona leste), vai gerar mais de 120 empregos diretos.

Governo quer adiar reajuste salarial do servidor para 2020 Agência Brasil

O

presidente Michel Temer vai encampar a recomendação do Ministério do Planejamento segundo a qual não é possível dar aumento salarial ao funcionalismo em 2019. A sugestão de suspender o aumento, que beneficia diferentes categorias, foi levada ao presidente pelo ministro do Planejamento, Esteves Colnago. O Palácio do Pla-

nalto já recebeu a proposta, que deverá ser transformada em medida provisória (MP). A medida será enviada em breve ao Congresso. A decisão final sobre o adiamento do reajuste para 2020 caberá ao Legislativo. Com o orçamento apertado, o governo sustenta que haverá cortes bilionários nos programas sociais no ano que vem se não houver a suspensão do aumento, previsto para ser pago em janeiro,

quando o novo presidente já terá assumido o cargo. A medida acarretaria uma economia de até R$ 11 bilhões no orçamento de 2019, considerando todos os servidores, entre civis e militares. Se o reajuste for adiado apenas para os civis, o impacto seria de R$ 6,9 bilhões, informou o Planejamento. A previsão é que as despesas com pessoal da União em 2019, como salários e encargos, seja de R$ 322

bilhões. O ministro do Planejamento já informou, em entrevista recente, que, se o presidente concordasse com o adiamento do reajuste, uma proposição deveria ser enviada ao Legislativo antes do projeto do Orçamento de 2019, conhecido como Lei Orçamentária Anual (LOA 2019). Conforme a legislação, o governo precisa enviar até 31 de agosto a peça orçamentária para o ano seguinte.

falta larissa Dos quatro deputados do PSDB que não acompanham a decisão do partido de se aliar ao governador Robinson Faria (PSD), apenas Larissa Rosado ainda não assumiu apoio à chapa de oposição Carlos Eduardo (PDT)/Kadu Ciarlini (PP). Os outros tucanos já caminharam com Carlos: Raimundo Fernandes, Tomba Faria e Gustavo Fernandes.

data marcada Carlos Eduardo cumprirá agenda de campanha em Mossoró na próxima sextafeira (17) e abrirá os braços, com o vice Kadu Ciarlini, para receber Larissa e a vereadora Sandra Rosado.

Fafá/leonardo O governador Robinson Faria (PSD) também prepara agenda em Mossoró. Ele estuda a data para receber no seu palanque a ex-prefeita Fafá Rosado e o seu esposo, ex-deputado Leonardo Nogueira, ambos do PSB. O apoio do casal foi anunciado pelas redes sociais.

beleza O Governo do Estado vai construir dois pavilhões na penitenciária de Alcaçuz por quase R$ 19 milhões. Com detalhe: sem licitação. O governador Robinson escolheu a empresa MGa Construções e Incorporação Ltda..


6 OPINIÃO/GERAIS

DOMINGO, 12 de agostO de 2018

saúde

PROSA

Maternidade Januário Cicco & VERSO inaugura novo centro obstétrico Lula não estava no debate, mas falaram muito nele >> Foram investidos cerca de R$ 485 mil , oriundos do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais A crispinianoneto@gmail.com

N

esta segunda-feira, 13, às 9h, a Maternidade Escola Januário Cicco, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (MEJC-UFRN), vin-culada à Rede Ebserh, vai inaugurar o seu novo centro obstétrico. Ao todo, foram investidos cerca de R$ 485 mil, oriundos de repasses pro-venientes do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF). O contrato de reforma foi assinado em março deste ano. A obra deveria ser finalizada em setembro, mas diante da necessidade de conclusão e do empenho operacional foi possível antecipar a entrega. “A reforma no local possibilitou a adequação da estrutura física às normas previstas pelo Ministério da Saúde. As salas foram moderni-zadas, melhorando as condições dos atendimentos que são ofertados às pacientes”, afirma Murillo Lopes de Britto, superintendente da MEJC. O Centro Obstétrico da maternidade terá capacidade para oito pacientes, distribuídas em duas salas de pré-parto, duas salas de partos, um posto de enfermagem e uma sala de métodos não farmacológicos para alívio da dor. Além disso, a estrutura física foi adequada para garantir acessibili-

Foto Ebserh

Novo centro obstétrico será inaugurado amanhã com capacidade para oito pacientes dade a pessoas com deficiência e dificuldades de locomoção. O projeto contemplou também as novas instalações elétricas e hidrossanitárias, sendo esta dotada de sistema de aquecimento de água sem riscos de choque elétrico ao usuário e com uma maior eficiência e economia, como também a implantação da banheira de hi-dromassagem, possibilitando a aplicabilidade de técnicas que reduzem a sensação dolorosa e de peso durante o parto. Segundo Maria da Guia de Medeiros, gerente de

atenção à saúde da MEJC, a intenção é oferecer o máximo de conforto para a gestante, um bom acolhimento, respeitando a sua vontade. “A pessoa que recebe atendimento médico está em uma situação vulnerável e, é o momento em que ela tem que ser melhor acolhida. Todo esse esforço é para que o trabalho de parto seja mais tranquilo e confortável”, comenta. As diretrizes do Ministério da Saúde sobre parto humanizado foram lançadas em março de 2017. A publicação é baseada em evidências cien-tíficas e

prevê que toda mulher tem direito a definir um plano de parto, com informações como local onde será realizado, orientações e benefícios do parto normal. Certificada pelos Ministérios da Educação e da Saúde, a Maternidade é centro de formação de recursos humanos, de pesquisas e de extensão. Inserida 100% no Sistema Único de Saúde (SUS), é referência na gestação de alto risco, em cirurgias e endoscopia ginecológicas, na reprodução assistida e nos ambulatórios especializados de ginecologia.

tentativa da Band e da Justiça de fazer de conta que Lula não existe mais foi fracassada. Boulos abriu sua primeira intervenção, mandando um boa-noite para Lula e dizendo que ele deveria estar ali e não numa cela em Curitiba, enquanto Temer, cheio de crimes, está solto em Brasília (DF). Meirelles perguntou para Alckmin sobre programas sociais defendendo os programas do governo Lula, como o Bolsa Família. O tucano foi obrigado a elogiar e afirmar que vai ampliar o programa. Meirelles disse que seu partido, o PSDB, em seu site, disse que o Bolsa Família escraviza as pessoas, chamando-o de “Bolsa Esmola”, e foi obrigado a elogiar Lula. Marina Silva, em resposta a Alckmin, disse que se formou tardiamente e que a educação tem que ser feita da idade certa. Alfabetização na Idade Certa é o Pnaic, um projeto de Dilma, copiado do Ceará. Marina perguntou a Ciro sobre a transposição das águas do rio São Francisco. Ou seja, botou Lula na roda de novo. Ciro, por sua vez, respondeu que vai concluir a obra, abandonada por Temer, e tem que fazer a inclusão dos ribeirinhos. Mais Lula no debate. Henrique Meirelles disse que trabalhou com Lula e que ajudou a criar as condições para o PT fazer programas sociais, como o Bolsa Família e outros. Até Bolsonaro acabou lembrando Lula numa comparação tão imbecil quanto ele próprio. Quando Ciro falou sobre a humilhação de ser fichado no SPC ou no Serasa, o troglodita disse que a culpa de o povo ter se endividado era de Lula. Seria bom que ele fosse dizer isso ao povo. Se não tentar e não for bem prevenido de segurança, poderá ser linchado. Além de tudo isso, ainda se constatou uma audiência muito abaixo da esperada num debate desse porte, enquanto a audiência do debate de Haddad, Manuela e Sérgio Gabrielli pelo Facebook bombou.

LULA CAMPEÃO Vaquinha virtual de Lula “bomba” e ultrapassa os R$ 500 mil. Lula é

campeão nas pesquisas, no Facebook e na Vaquinha.

PAÍS DE DOIDOS Lava Jato entrega R$ 1 bilhão à Petrobras, depois de ter gerado prejuízo que pode ter chegado a R$ 160 bilhões. Beleza, né? E a mídia bandida se derrete em elogios.

iMAGEM QUE MARCA A senadora Fátima Bezerra esteve na manhã deste sábado (11) em Mossoró, no auditório do Hotel Íbis. Veio discutir programa de governo. Mossoró que já era importante para a disputa estadual, agora tornouse mais importante ainda, pois tem dois candidatos a vice. Kadu Ciarlini, como vice de Carlos Eduardo Alves; e Tião Couto, como vice de Robinson Faria. O fato resgata uma trajetória de mais de meio século de derrotas de chapas com vices mossoroenses. Fez-nos lembrar que em 1950, Duarte Filho foi vice de Manuel Varela, que perdeu para Dix-sept Rosado; Vingt Rosado foi vice de Djalma Marinho em 1960 e perdeu para Aluízio Alves, cujo vice era o monsenhor Walfredo Gurgel, de Caicó. Em 1965, Tarcísio Maia, que residia na fazenda São João, foi vice de Dinarte Mariz, que perdeu para o monsenhor Walfredo Gurgel. Em 1986, Antonio Florêncio, “deputado do sal”, era vice de João Faustino, que perdeu para Geraldo Melo. Em 1982, concorreu Vicente Cabral Brito (do PTB), que tinha como vice o professor Antonio Raposo Coelho e perdeu feio. Em 1994, Lavoisier Maia perdeu para Garibaldi Filho. A vice dele era Rosalba Ciarlini. Em 2002, dois candidatos ao Governo do Estado tiveram vices de Mossoró. Fernando Bezerra tinha como companheiro de chapa Carlos Augusto Rosado e ficou fora do segundo turno. Fernando Freire tinha a companhia de Laíre Rosado. Wilma de Faria foi a eleita. Em 2014, o professor mossoroense Ronaldo Garcia era o vice de Robério Paulino, que ficou em terceiro lugar.


gerais 7

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

RN abre documento sobre educação infantil e ensino fundamental

TRIBUTO

Prazo para entrega do DITR tem início nesta segunda-feira A

>> De acordo com a Receita Federal, as normas para a prestação de contas referente ao exercício 2018 incluem pessoa física ou jurídica Foto: Genealogia e História

Propriedades rurais têm cobrança de imposto feita de acordo com o seu tamanho

P

roprietários rurais devem ficar atentos à entrega da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR). O prazo de apresentação do documento começa já nesta segunda-feira, 13, e segue até 28 de setembro. De acordo com a Receita Federal, as normas para a prestação de contas referente ao exercício 2018 incluem pessoa física ou jurídica e pode ser pago pelo proprietário da terra, pelo titular do domínio útil ou pelo possuidor a qualquer título. O tributo federal, que é cobrado anualmente, incide sobre os imóveis localizados distante das áreas urbanas dos municípios e a alíquota varia de acordo com o tama-

nho da propriedade e o grau de utilização da terra. “A DITR é um dos documentos mais importantes para o bom gerenciamento de uma propriedade rural. O produtor não deve pensar na declaração só como um modo de tributação, mas sobretudo, nas conseqüências que terão as informações prestadas no comprovativo”, explica Daniel Carvalho, diretor executivo da Rui Cadete Consultores e Auditores Associados. As informações prestadas influenciam no valor final do imposto, na cotação da terra para contratos de arrendamento e até mesmo na desapropriação de imóveis rurais, por isso a necessidade de atenção. Procurar orientação de serviço especializado no

assunto na hora de declarar o ITR pode ajudar no planejamento para diminuição de impostos e até mesmo na obtenção de mais crédito. Daniel Carvalho ainda alerta que, caso não declare, o proprietário estará sujeito a restrições para venda de terrenos rurais e poderá en-

contrar dificuldade na obtenção de financiamentos. A aplicação de multa está prevista nos casos de descumprimento do prazo – o valor cobrado pelo atraso é de 1% ao mês ou fração sobre o imposto devido ou R$ 50, prevalecendo sempre o maior valor.

Secretaria Estadual de Educação abriu consulta pública para os potiguares contribuírem com sugestões para o Documento Curricular da Educação Infantil e do Ensino Fun-damental do RN. Qualquer cidadão pode contribuir até o dia 31 de agosto através do site da Secretaria de Educação do RN e da Undime/RN. Nas duas plataformas, os interessados poderão ter acesso a documentos relacionados à educação infantil; introdução do documento curricular do ensino fundamental; arte; ciências; educação física; ensino religioso; geografia; história; língua inglesa; língua portuguesa e matemática. O documento servirá de referência para as escolas públicas e privadas do estado e seus 621 mil estudantes. “A consulta pública é a oportunidade para todos enviarem suas contribuições e assim construirmos um documento importante que vai conter os conteúdos essenciais a serem aprendidos na sala de aula de todas as escolas do Rio Grande do

Norte”, destacou a secretária de Educação do RN, Cláudia Santa Rosa. Jeane Dantas, dirigente municipal de educação em Ipanguaçu e presidente da Undime/RN, destacou a necessidade do envolvimento de profissionais da rede pública e privada do estado. “Esse é o momento em que os educadores potiguares são convidados a contribuir com o documento curricular do RN. A consulta pública ao Documento Curricular é um dos primeiros passos para a consolidação de um currículo que atenda às necessidades e realidades de hoje e do futuro dos estudantes potiguares”, afirmou. A consulta pretende reunir contribuições de professores das redes federal, estadual, municipal e privadas de ensino do RN, técnicos das secretarias municipais e estadual de ensino, técnicos das Diretorias Regionais de Ensino, coordenadores polos Undime, Conselhos Municipais de Educação (UNCME), estudantes e todo e qualquer cidadão interessado em contribuir na construção do documento curricular.


8 GERAIS

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

!

EDITAL

Economia Criativa do Sebrae aprova 23 projetos culturais >> 13 projetos foram elaborados tendo como base a temática da II Guerra Mundial no RN Assecom/Sebrae

Empreendedores que tiveram seus projetos culturais aprovados na 4ª edição do Edital da Economia Criativa se reuniram em Natal

E

mpreendedores culturais que tiveram seus projetos aprovados na 4ª edição do Edital da Economia Criativa, lançado pelo Sebrae do Rio Grande do Norte, estiveram reunidos na última quintafeira (9) na sede da institui-

ção, em Natal, para assinar o Termo de Responsabilidade para execução dos projetos. Ao todo foram aprovados 23 projetos, dos quais 13 foram elaborados tendo como base a temática da II Guerra Mundial no Rio Grande do Norte, que está sendo trabalhada e

desenvolvida pelo SebraeRN através do Projeto Destinos Turísticos Inteligentes. A instituição de apoio às micro e pequenas empresas destinou neste ano recursos da ordem de R$ 300 mil para apoiar a concretização de projetos culturais nas diver-

Projeto Colorindo a Vida do município de Apodi esta entre os aprovados O cotidiano de jovens que vivem em comunidades carentes de Apodi será retratado no Projeto Colorindo a Vida, apresentado pela representante da empresa R. Milk, Leylla Carla de Sena, que pela primeira vez participou do edital. Leylla Sena destacou a importância de ter participado também de uma Oficina para a Elaboração de Projetos Culturais, que este ano foi realizada pelo Sebrae nas cidades aonde conta escritórios regionais. “Aprendi muita coisa com o que vi na oficina, inclusive orientações importantes que contribuíram para o nosso êxito na aprovação no Edital”, comemora Leylla Sena. De acordo com a quantidade de projetos aprovados por categoria, poderão ser investidas cotas de até R$ 15 mil para os projetos nos segmentos de Música, Audiovisual, Editoração e Artes Cênicas. Já no segmento da Dança, as cotas podem chegar até R$ 10 mil. As iniciativas culturais na área do Artesanato e das Artes Visuais terão cotas de até R$ 5 CIANO MAGNTA AMARELO PRETO

Caraúbas News

Municipio de Apodi tem projeto aprovado pelo Sebrae mil. Os projetos deverão ser executados logo após a assinatura do Termo de Responsabilidade e serem realizados até o final de novembro próximo. O edital da Economia Criativa atende todas as áreas da arte e sua produção, contemplando projetos e ideias inovadoras que visem desenvolver a cultura do Rio Grande do Norte. A essência do edital também visa fomentar o empreendedorismo cultural para a promoção de negócios da economia criativa e negócios culturais de

impacto social. Uma das principais características do edital do Sebrae-RN é que os recursos são destinados ao pagamento dos fornecedores de cada projeto e, não diretamente ao autor. Isso facilita a prestação de contas ao final, uma vez que todos os pagamentos ocorrem ao longo da execução do projeto. Os recursos que o Sebrae dispõe para esse edital servem para cobrir parte das despesas apresentadas na planilha no momento da inscrição, conforme o valor da cota e da natureza da despesa.

sas áreas, como dança, música, artes cênicas, editoração, entre outras. Dos 111 projetos inscritos nesta edição, 23 foram selecionados. Nas categorias Música, Dança, Artes Visuais e do Audiovisual foram aprovados quatro projetos para cada uma.

Nas Artes Cênicas foram contemplados três projetos, assim como na categoria Editoração. Apenas na categoria Artesanato um único projeto foi contemplado no edital. A comissão de avaliação e julgamento foi formada por representantes do SE-

Instituição de apoio às micro e pequenas empresas destinou neste ano recursos da ordem de R$ 300 mil a projetos culturais BRAE-RN e dos setores culturais do SESC e do SESIRN O diretor de Operações do Sebrae-RN, Eduardo Viana, destacou a importância do edital no apoio à área cultural, que sofre com a permanente escassez de recursos, e elogiou a forma transparente como é feita a seleção dos contemplados. “Todos os que produzem cultura e que há muito vêm lutando para que haja mais investimentos na área, sabem a importância de um edital como este. O apoio que o Sebrae dá através do edital é uma forma de contribuir para a concretização de projetos que têm qualidade e grande potencial para serem executados, mas que esbarram na escassez de recursos”, afirma Viana.


mossoró /jornaldefatorn

@defato_rn

/photos/jornaldefatorn

Mossoró (RN), domingo, 12 de agosto de 2018

14 anos

Mossoró celebra aniversário do templo de sua cultura

país, também já passaram pelo seu palco. Esse templo da cultura

hoje funciona com pauta lotada o ano inteiro, graças a uma equipe comprometida.

“O teatro funciona o ano inteiro. Temos espetáculos de fevereiro a dezembro. Neste ano, estamos comemorando 14 anos e, para isso, nada mais justo do que comemorar com os artistas, as escolas, as companhias, o povo de Mossoró”, destacou Nelson Filho, diretor do teatro. A prefeita Rosalba Ciarlini afirmou que o Teatro Municipal Dix-huit Rosado não é apenas um dos maiores e mais modernos palcos do país. É o templo da cultura mossoroense. “É uma obra que foi construída com uma simbologia expressiva: nasceu do entendimento do poder público em oportunizar a maior vocação da cidade - a cultura em sintonia com os artistas locais que empreenderam uma grande luta pelo espaço”, afirmou. Rosalba, que acompanhou o sonho dos artistas e foi a principal responsável pela sua realização, se diz honrada em comemorar com o povo de Mossoró o aniversário do teatro. “Cada vez que passo em frente ou entro no teatro, eu me sinto honrada em tê-lo como uma das maiores realizações como prefeita da minha cidade. Celebrar esses 14 anos com um movimento com a Jornada Cultural é mais uma prova de união entre a Prefeitura e a classe artística, que abriu mão do cachê para fazer essa grandiosa festa. Viva o nosso teatro.”

Cedida

A gente sonhava com o Caiçara. Todo mundo era muito jovem”, continuou. A partir disso, foi criada a Cooperativa Caiçara de Artistas, Técnicos e Produtores de Mossoró Ltda.. Com o fechamento do Caiçara em 1992, surgiu o Movimento Caiçara e em 1993 os artistas realizaram a “Caminhada Sem Futuro”, a partir do Fórum Cultural de Mossoró (FOCUM). “Saímos do Museu, passamos 24 horas percorrendo vários pontos da cidade, como uma luta por um teatro”, lembrou. A manifestação foi encerrada na Pedra Fundamental, colocada onde hoje está construída a Praça de Eventos. O Movimento Caiçara foi a semente plantada para que hoje os frutos fossem colhidos. Segundo ele, foi em 1999, com a estreia do primeiro Auto da Liberdade, vindo da ideia da ex-secretária de Cultura Isaura Amélia, que começou o sonho de um Corre-

dor Cultural. “Por diversos motivos técnicos, o Caiçara não dava certo. Nos anos 90, foram várias discussões em torno da existência de um teatro. Chegou-se à conclusão de que se era para existir, que fosse construído e não adaptado em outro espaço. A então prefeita Rosalba Ciarlini anunciou a construção e disse que os primeiros a colocar os pés no palco seriam os artistas de Mossoró, e assim foi feito”, destacou. O Teatro Municipal Dixhuit Rosado abriu suas portas oficialmente no dia 4 de agosto de 2004. “Fui encaminhado para cá em julho de 2004 e não saí mais. Vejo aqui a vitória do meio artístico, mas para que isso acontecesse, tivemos alguém que acreditou, uma gestora que sempre viu além. Isso aqui é o coração dessa cidade, existe um diferencial, existe um pensar diferente. O teatro fazer 14 anos e eu estar aqui, é uma maravilha isso”, concluiu.

>> Teatro Municipal Dix-huit Rosado completa 14 anos de existência com Jornada Cultural

U

m palco construído para enaltecer a arte de uma cidade que respira cultura. Uma parceria entre a Prefeitura de Mossoró e a Petrobras, através da Lei Câmara Cascudo, com um investimento de mais de R$ 6 milhões, que possibilitou a construção do templo da cultura mossoroense, o Teatro Municipal Dix-huit Rosado. Neste mês de agosto, essa conquista comemora 14 anos com muita festa. Tão sonhado pelos artistas locais, o teatro foi construído em 2003 e entregue à cidade em agosto de 2004, tendo seu primeiro espetáculo apresentado dois dias depois. Desde então, nomes famosos memoráveis, como Chico Anysio, Espanta, Bechior, Shaolin, Eva Wilma, Eliane Guiardini, Gal Costa, Fagner, Geraldo Azevedo e outros artistas de igual quilate, reuniram grandes plateias em Mossoró. Grandes orquestras sinfônicas, espetáculos nacio-

Marcos Garcia

Teatro Dix-huit Rosado foi entregue aos mossoroenses em agosto de 2004 nais, além de todas as expressões culturais da cidade, desde apresentações

de escolas até grupos de dança e companhias de teatros de Mossoró e de todo

“Minha geração nunca imaginou uma casa de espetáculos deste porte” O ano de 1999 marcou para os artistas de Mossoró, que receberam a notícia de que teriam sua própria casa de espetáculos, mas esse não foi nem de longe o início da luta. Por trás dessa vitória há uma trajetória de artistas e movimentos culturais que marcaram essa busca. A cidade, desde sempre rica em representantes da arte, tem muita história para contar. Vindo de uma geração de artistas que marcou as décadas de 80 e 90 na cidade, Chico Window, atual diretor artístico do Teatro Dix-huit Rosado, lembra o espetáculo “Aurora da minha vida”, de 1989, com o grupo “Nocaute à primeira vista”, dirigido por Gustavo Rosado, que coordenou o movimento dos artistas mossoroenses pelo teatro. “O Nocaute estreou no

CIANO MAGNTA AMARELO PRETO

auditório da antiga Esam. Logo depois dessa estreia, o ator Stenio Garcia esteve em Natal para uma oficina de atores. Não tínhamos como ir a Natal e aqui não tinha um local que comportasse essa oficina. Houve uma conversa com os proprietários do antigo Cine Caiçara, pedimos a permissão e ocupamos o espaço”, disse ele, mostrando fotos das suas lembranças. Segundo ele, Stenio Garcia deixou para eles a frase: “Vamos transformar um cinema morto em um teatro vivo”. “Foi daí que a minha geração começou a luta por uma casa de espetáculos. Tínhamos o sonho de que o Caiçara se tornasse o nosso teatro. Era um sonho modesto, o movimento cultural daquela época nunca imaginou uma casa de espetáculos deste porte.

Produtor cultural e atual diretor artístico do teatro, Chico Window, guarda memórias da trajetória da arte em Mossoró


2 MOSSORÓ

DOMINGO, 12 DE agosto de 2018

Cont. da pág. 1

Arquitetura imponente >> A estrutura tinha características técnicas diferenciadas, principalmente no que se referia à acústica

S

ob a orientação do então secretário de Obras do Município, o engenheiro Yure Pinto, três arquitetos receberam a responsabilidade de projetar uma obra imponente, o templo da cultura de uma cidade que tinha o anseio de um espaço para mostrar sua arte e receber bem o que vinha de fora. Os arquitetos responsáveis pelo projeto foram Vera Cidley, Carlos Mendes e Eduardo Falcão. Este último, atual secretário de Cultura do Município. “Fizemos uma série de pesquisas sobre tudo o que existia de teatro de grande porte no Brasil e no mundo. Tivemos, inclusive, de aprender a utilizar o computador. Mas, o início do projeto ainda foi feito em prancheta, papel e régua T, primeiro sem tecnologia e, em seguida, adaptado ao computador”, lembrou Eduardo Falcão. A estrutura tinha carac-

Cedida

terísticas técnicas diferenciadas, principalmente no que se referia à acústica. “O teatro tinha que ter uma acústica excelente. O som do interior não podia sair e o de fora não podia entrar. Sobre a estrutura interna, ouvimos inclusive os artistas da cidade, que foram consultados sobre os espaços de camarins, ensaios, bastidores. O teatro foi construído com cálculos para uma cidade de, em média, 200 mil habitantes”, continuou o secretário. Eduardo Falcão destacou que hoje Mossoró comemora o marco referencial da cultura desde a sua inauguração. “Foi a partir do teatro que a Avenida Rio Branco começou a se tornar Corredor Cultural. Foi um esforço grande da prefeita Rosalba Ciarlini”, acrescentou. O Teatro Municipal Dixhuit Rosado tem palco italiano, área construída de 2.570 metros quadrados, área co-

Teatro Dix-huit Rosado tem capacidade para 740 lugares berta de 2.179 m², capacidade para 740 lugares (600 na plateia, 68 nos camarotes (1°

andar), 64 nas galerias (2° andar) e 8 para pessoas com necessidade especial).

outras palavras José Nicodemos

aristida603@hotmail.com

AMOR PROIBIDO

E

las se beijavam na boca, de todo alheias à gozação das mesas em redor. A mais velha devia ter seus trinta e cinco anos; a mais nova ali pelos dezoito. A mais velha, pelo jeito, era a que fazia o papel de homem. Foi isso num shopping aqui da cidade, em plena tarde deste agosto. Da sua mesa, que ficava mais perto da mesa das duas, metro e meio, por aí, uma senhora honesta, ar estupefato, de boca aberta, não tirava os olhos da cena. Paga a despesa, chamou a atenção do garçom para aquilo, indignada, levantou-se e, ao passar pela mesa das diferentes, desatinou – “sem-vergonhas”. E se foi. As duas, amando-se, não lhe deram nem um olhar assustado à aspereza da palavra. Devem ter ouvido: foi quase ao pé da orelha. Depois, ela, a senhora, deixou o ambiente, a despejar nas pessoas que se serviam nas outras mesas sua ira honrada. Apontando, com o indicador retesado, aquilo afrontando o pudor público. A gozação era geral, mas bem comportada. O riso acompanhado do olhar indiscreto, e... só. Nada com aquilo, fiquei na minha, que é como se diz em linguagem de hoje. Não tenho nada a ver com a opção sexual de ninguém, e não é

de mim, por princípio e por índole, avaliar o caráter das pessoas pelas suas manias sexuais. Aí, se querem levar em conta o aspecto da moral tradicional, direi que se trata de um conceito muito relativo. Enfim, sou de opinião, e acho que estou certo, de que a vida sexual do ente humano, em si, de forma nenhuma pode influir na avaliação do seu caráter pessoal. Nada a ver. Para mim, ser diferente não é ser sem caráter. Mas como ia dizendo, foi isso num shopping... E aviso logo que, “liso”, e para não causar surpresa, ou admiração, fui lá levado por um amigo que quis presentear-me com um livro, à minha escolha. A meu gosto, o que dá no mesmo. E como eu, o amigo também não se incomodou com aquela cena pública. Olhou, apenas. De repente as duas se levantaram da mesa, rodaram o olho em redor, sorridentes e felizes da vida, e a mais velha delas fixou o olho em mim, como se adivinhasse, na minha pessoa, atitude nenhuma de censura. E ao passar por mim, fez-me um sorriso como agradecido, e tocando-me delicadamente o ombro, saiu-se com essa: – Aquela mulher tão honesta de ainda agora, quando mais nova, botava chifres no marido – e deixou escapar uma gargalhada meio contida. Fiquei pensando cá comigo. É sempre assim: enxerga-se o cisco no olho do outro, sem antes retirar a trave do próprio olho. Essa gente.

DINHEIRO

PICARETAS

VOTO

O eleitor precisa advertir para uma coisa, entre tantas outras: o dinheiro que falta às necessidades públicas é justo o dinheiro pilhado, por todas as formas, pelos nossos operosos representantes.

Começa pelo privilégio, que eles se arrogam, de poder dizer quanto querem ganhar, sem falar nas mordomias como não existem nos países sérios. Tomo a palavra de Lula: “picaretas”.

Vote nessa corja maldita quem quiser, eu é que não beijo a mão aos malfeitores do país e do povo. Quantos votaram a favor do salário mínimo apurado pelo DEESE? Nem os do PT.

linguagem Já dissemos aqui que para compreender bem o texto é de mister conhecer um pouco de gramática. Falo do estudo do estilo gramatical de um autor. A razão disso é porque “a gramática lê o texto”, pelo simples fato de ser ela um instrumento de produção de sentidos. A verdade é que toda língua, em virtude de possuir uma estrutura, possui um arcabouço lógico-gramatical. Se assim não fosse, seria impossível realizar as operações do espírito, ao menos de forma clara e eficiente. A linguagem é isto – palavras e frases. No caso, sentido léxico e sentido gramatical associados. Formas e estrutura.


MOSSORÓ 3

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Em 10 anos

Mossoró cai 20 posições no ranking das melhores cidades do Brasil >> Levantamento da consultoria Macroplan avaliou indicadores como saúde, educação, segurança e saneamento básico Marcos Garcia

Maricelio Almeida

Da Redação contato@maricelioalmeida.com

L

evantamento divulgado pela Macroplan, uma das mais experientes e respeitadas empresas de consultoria do Brasil, mostra que, em uma década (2006-2016), Mossoró caiu 20 posições no ranking das melhores cidades do país, considerando os municípios com população superior a 273 mil habitantes. Em 2006, Mossoró ocupava a 56ª posição na lista, caindo para 76ª colocação em 2016. O estudo da Macroplan reúne 15 indicadores em quatro áreas críticas para a gestão pública: educação, saúde, segurança e saneamento e sustentabilidade. Em todas essas áreas, o segundo maior município do Rio Grande do Norte registrou queda no ranking nacional. A junção dos indicadores dá origem ao Índice dos Desafios da Gestão Municipal (IDGM), que varia de 0 a 1, e quanto mais próximo de 1, melhor o desempenho do município. Os indicadores selecionados buscam captar serviços sob influência das

Mossoró caiu da 56ª posição em 2006 para a 76ª colocação em 2016 no ranking da Macroplan

Prefeituras, mesmo que fornecidos por outros entes da federação e a iniciativa privada. Mossoró, que de acordo com o levantamento possui a 92ª maior população do Brasil, alcançou como IDGM Geral, em 2016, a

média 0,542. Apesar da leve melhora no índice em relação a 2006, quando atingiu 0,509, no ranking nacional a queda foi expressiva, saindo da 56ª posição para a 76ª. O pior resultado foi registrado na área de segu-

Educação: “Estamos trabalhando para melhorar os resultados”, afirma secretária Na educação, os números do levantamento da Macroplan também são preocupantes: o Município caiu da 35ª posição no ranking das melhores cidades do Brasil, em 2007, para a 65ª colocação em 2017. A titular da Secretaria Municipal de Educação, Magali Delfino, conversou com a reportagem do JORNAL DE FATO e pontuou as ações que estão sendo executadas para que os índices evoluam. “Nós assumimos em 2017 com muitas dificuldades e percebemos que esses dados estavam caindo, não tinham avançado, entre outros fatores, por conta de uma falta de capacitação dos nossos professores, e já naquele ano a Secretaria de Educação começou a investir na capacitação do corpo docente”, contou.

Conforme o IDGM, o indicador educação leva em consideração o percentual de crianças matriculadas na creche, pré-escola e o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) do ensino fundamental I e II. “Outro fator de grande preocupação para a secretaria foi a estrutura física das nossas escolas. Começamos a perceber que essas estruturas estavam muito deterioradas, precisando passar por algumas reformas, para dar mais condições e bemestar aos professores e a toda a equipe da escola. Começamos já resgatando alguns recursos que as unidades tinham perdido. Muitas escolas estão passando por processo de reforma”, revelou Magali Delfino. A falta de professores também é uma dificuldade enfrentada pela rede mu-

nicipal, conforme explica a secretária. “Mesmo com os concursos, não conseguíamos fechar os quadros. Até mesmo aulas excedentes não eram suficientes. Por isso, promovemos um processo seletivo provisório, que nos oportuna a colocação imediata de professores em sala de aula em caso de vacância”, esclareceu. Por fim, Magali destaca a importância da capacitação da equipe técnica que compõe a secretaria. “Fomos buscar, dentro das escolas, pessoas que tivessem um conhecimento amplo da realidade escolar, principalmente da área pedagógica, e conseguimos formar uma equipe de excelência na secretaria, com praticamente 100% dos funcionários de carreira ocupando os cargos em comissão”, relatou.

rança pública: Mossoró caiu 30 posições, ocupando a 98ª colocação no ranking. O IDGM despencou de 0,622 para 0,370. Esse indicador analisa dados como a taxa de homicídios por 100 mil habitantes (que saltou de 32,2 em 2006 pa-

ra 74,3 em 2016) e a taxa de óbitos no trânsito. Na saúde, foram analisados a taxa de mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs); a proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas

Secom/PMM

Magali Delfino, secretária de Educação de Mossoró

de pré-natal; o percentual da população com cobertura das equipes de atenção básica e taxa de mortalidade infantil. Nesse indicador, Mossoró caiu da 44ª para a 52ª posição. O secretário de Planejamento da Prefeitura de Mossoró, Aldo Fernandes, destacou ao JORNAL DE FATO algumas medidas que estão sendo adotadas pelo Poder Executivo local para melhorar os indicadores na área da saúde. “Nossa administração trabalha com vistas a reformar nossas Unidades Básicas de Saúde, cuja verba provém de emendas parlamentares do deputado Beto Rosado, além de reaparelhá-las. Temos ainda a construção do Centro de Reabilitação, garantindo o atendimento e medicamentos disponíveis. Ademais, estamos empreendendo esforços para erradicar as endemias, cujos números diminuíram radicalmente, dentre outros”, disse. Quanto ao saneamento básico e sustentabilidade, a queda no ranking do IDGM foi menos expressiva: da 71ª para a 73ª posição. Esse indicador avalia os índices de esgoto tratado; de perdas de água; coleta de lixo e coleta de esgoto. “Com base na política de recuperação de créditos e de convênios, o Município retomou as obras imprescindíveis ao desenvolvimento, como drenagem e saneamento básico em vários bairros, que indubitavelmente diminuirão o risco de endemias”, acrescentou o secretário Aldo Fernandes.

Mossoró tem potencial de alcançar a 5ª posição no ranking, aponta consultoria O Índice dos Desafios da Gestão Municipal também identifica o potencial de melhoria dos indicadores de acordo com a realidade local de cada cidade. Segundo o estudo, Mossoró poderia alcançar a 5ª posição no ranking nacional das melhores cidades do Brasil. Para chegar a esse resultado, o Município precisaria, entre outros pontos, matricular mais 2.146 crianças na creche e 745 na pré-escola; aumentar em um ponto o Ideb no ensino fundamental I e em 0,9 ponto no ensino fundamental II; criar mais 25 equipes para atuação na rede de atenção básica da saúde; ampliar em 44,8% o percentual da população atendida com o esgotamento sanitário e reduzir em 163 o número de homicídios.


4 MOSSORÓ

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

meio ambiente

O contrato abrange todos os laboratórios de sala de aula e pesquisa, e os instalados no prédio do Programa de Desenvolvimento da Pesquisa (PRODEP), no campus central. Há a proposta de ampliar o serviço contratado para todos os campi.

Uern otimiza ações de descarte de resíduos de material de laboratório

>> Instituição firmou contrato com empresa responsável pelo recolhimento e tratamento adequado desse tipo de material

P

reocupada com o meio ambiente e consciente do seu papel educacional, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) firmou contrato com empresa especializada para a coleta de resíduos de material de laboratório. A proposta é otimizar as ações de descarte adequado aos resquícios gerados nos laboratórios da Uern. A empresa será responsável pela coleta e tratamento adequado dos resíduos. O contrato está orçado em R$ 23.446,56, com validade de um ano, podendo ser renovado por igual período. “É um bom custo-benefício”, argumenta a engenheira de Segurança do Trabalho, Sara Barroso. Segundo ela, nos laboratórios há vários tipos de resíduos que não podem ser descartados diretamente no

O documento abrange uma cota predeterminada para cada tipo de material a ser descartado

Wilson moreno

O que são resíduos laboratoriais? São todos os resíduos sólidos, semissólidos e os líquidos não passíveis de tratamento convencional, resultantes da atividade industrial e do tratamento convencional de seus efluentes líquidos e gasosos. Eles apresentam periculosidade efetiva e potencial à saúde humana, ao meio ambiente, por isso há a necessidade de cuidados especiais quanto ao acondicionamento, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e disposição Wilson moreno

Volume de coleta de resíduos previsto no contrato é suficiente para atender a atual demanda dos laboratórios meio ambiente. São produtos químicos, lâmpadas tubulares, pilhas e baterias que precisam ter um tratamento e um destino adequado. Sara Barroso informa que o contrato prevê a destinação de resíduos divididos por categorias. O documento abrange uma cota predeterminada para cada tipo de material a ser descartado. Conforme o documento, a empresa se responsabilizará pelo tratamento e des-

tinação adequada para 2.595 litros e 183 quilos de produtos químicos sem identificação, e 65 litros e 65 quilos de produtos químicos com identificação. Sara Barroso destaca que a empresa é responsável para fornecer a bomba adequada para o descarte destes produtos. O contrato estabelece ainda o valor de 12 quilos de lâmpadas tubulares e 26 quilos de pilhas e baterias. Os responsáveis pelos laboratórios farão a separação dos

resíduos e a empresa se responsabiliza pelo recolhimento e destino adequado dos materiais. De acordo com a engenheira de Segurança do Trabalho, o volume de resíduos abrangido pelo contrato é suficiente para atender a atual demanda dos laboratórios. “O documento permite uma certa flexibilidade e esses números poderão ser reajustados de acordo com a necessidade”, explica barroso.

Contrato abrange todos os laboratórios da Uern

SAIBA MAIS Cobertura contratual para o descarte de resíduos laboratoriais Produtos químicos sem identificação – 2.595 litros e 183 quilos Produtos químicos com identificação – 65 litros e 65 quilos Lâmpadas tubulares – 12 quilos Pilhas e baterias – 26 quilos.


SEGURANÇA 5

DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2018

>> Rio Grande do Norte acumula 270 mortes de vítimas do sexo feminino entre 01 de janeiro e 06 de agosto dos anos de 2015, 2016, 2017 e 2018

MULHERES

ASSASSINADAS FÁBIO VALE

Da redação

D

entro de uma tendência mundial assustadora, a violência contra a mulher no Rio Grande do Norte segue preocupante. Estatísticas repassadas nesta semana, quando a Lei Ma-

ria da Penha completou 12 anos de existência, revelam um cenário negativo no estado. Os números do Observatório da Violência (OBVIO) dão conta de 270 mulheres assassinadas no território potiguar entre 1° de janeiro e 6 de agosto destes últimos quatro anos. O levantamen-

to da entidade mostra um quadro de violência no RN - contra as mulheres - que mata. Segundo dados do Obvio, somente em 2015, crimes de femicídios (assassinato de mulheres em geral) resultaram em 65 vítimas, isso em pouco mais de sete meses do ano. No mesmo

Feminicídios aumentaram mais de 80% no RN de 2015 para 2018 Dentro do quadro de femicídios, o número de feminicídios (assassinato de mulheres por violência doméstica e/ou de gênero) também vem se destacando no Rio Grande do Norte. Esse tipo de crime contra a vida aumentou mais de 80% de 2015 para 2018, segundo o Obvio.

ACESSE

Dados do Observatório dão conta de 11 feminicídios no estado entre 1° de janeiro e 6 de agosto de 2015, contra 16 casos no mesmo período de 2016; 24 em 2017; e 20 assassinatos de mulheres por violência doméstica e/ou de gênero já nestes pouco mais de sete meses de 2018.

Um comparativo feito pela entidade aponta um aumento de 50% de 2016 para 2017 e uma redução de 16,7% do ano passado para cá. Por outro lado, o levantamento do Obvio revela um crescimento de 81,8% na quantidade de feminicídios entre 2015 e 2018.

período de 2016, esse tipo de crime teve uma leve redução. A violência contra a mulher resultou em 56 mortes. No ano seguinte, a quantidade de casos aumentou consideravelmente. O número de assassinatos de mulheres em geral saltou para 84, o que corresponde

a um crescimento de 50%. Já no mesmo período deste ano houve uma relativa queda na quantidade de feminicídios. Foram 65 crimes entre 1° de janeiro e 6 de agosto de 2018, o que significa uma queda de 22,6% em relação ao mesmo período de 2017.

Números do Observatório da Violência (OBVIO) mostram também que só de feminicídios no estado foram 71 crimes no período levantado

Anuário da Segurança registra 251 mulheres assassinadas no RN em 2016-2017 A violência letal contra a mulher no Rio Grande do Norte também é constatada por estudos de âmbito nacional. A 12ª edição do Anuário da Segurança Pública divulgada nesta semana dá conta de 251 assassinatos contra vítimas do sexo feminino no estado nos anos

de 2016 e 2017. Segundo a publicação do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, foram 102 mulheres mortas no território potiguar em 2016 e 149 em 2017, o que corresponde a um aumento de 44,7%. Já com relação aos feminicídios registrados no

RN, foram 27 em 2016 e 23 em 2017, conforme a pesquisa. No ranking nacional, o estado potiguar figura na quarta posição com o maior crescimento de mulheres assassinadas, atrás apenas de Roraima (96,7), Ceará (72,6) e Rondônia (48,4).


6 segurança

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Cont. pág. anterior

Especialista critica fragilidade de políticas de segurança para mulheres

Hermes chama a atenção para deficiências no setor, como pequeno número de delegacias de mulheres no território potiguar

>> Estudioso em segurança pública, Ivênio Hermes diz que, diferentemente do aumento de crimes, não houve evolução na resolução do problema

P

ara o especialista e estudioso em segurança pública com atuação no Rio Grande do Norte Ivênio Hermes, há uma fragilidade nas políticas públicas de segurança direcionadas para as mulheres. Ele afirma que não houve uma evolução na resolução do problema, diferentemente do aumento dos crimes. “Problemas basilares que ocorriam em 2015 continuam ocorrendo em 2018, tais como pequeno número de delegacias de mulheres, falta de acolhimento às mulheres em situação de agressão durante a noite e finais de semana etc.”, analisa, destacando que o RN saiu de 11 casos em 2015 e já alcançou 20 casos em 2018.

Cedida

Ivênio Hermes fala em sustentação da impunidade dos crimes contra as mulheres

Ivênio Hermes chama a atenção para um aumento de quase 82%, o que, segundo ele, mostra “o quão fracas estão sendo as políticas de segurança direcionadas para o gênero feminino”. O especialista lembra que os crimes de feminicídio se dão pelo fato da condição da vítima como mulher e que se relacionam com a violência doméstica ou de gênero. “Esses problemas se consubstanciam na sustentação da impunidade dos crimes contra as mulheres, gerando um cenário propício para a continuidade do cometimento desse tipo de violência no Rio Grande do Norte”, conclui.


esporte 7

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Brasileirão

Flamengo e Cruzeiro

fazem reencontro >> Donos da casa tentam retomar a liderança, enquanto os visitantes poupam os titulares pensando na Libertadores

O

Flamengo recebe novamente no Maracanã, às 16h deste domingo, 12, o Cruzeiro, algoz pela Taça Libertadores na última quarta (8) ao ter vencido por 2 a 0 o duelo de ida das oitavas de final. O reencontro deste final de semana, no entanto, será válido pelo Campeonato Brasileiro. Além de dar uma resposta ao torcedor que aguarda a revanche na Libertadores, no próximo dia 29, o Flamengo tenta recuperar a liderança do Brasileiro. A derrota para o Grêmio no último sábado (4) custou caro, uma vez que o então vice-líder São Paulo venceu o Vasco e assumiu a ponta da tabela. Os dois primeiros colocados iniciam a 18ª rodada a um ponto de distância. O São Paulo soma 35 e enfrentará o Sport fora de casa, em jogo simultâneo ao dos flamenguistas. O time rubro-negro ainda se vê ameaçado pelo terceiro colocado, o Internacional, que está dois pontos atrás e visita o Fluminense na segunda (13). Não bastasse a pressão por resultado, o Flamengo ainda terá de lidar com o desgaste físico de seu elenco.

Mauro Pimentel/AFP

FICHA TÉCNICA FLAMENGO Diego Alves; Rodinei (Pará), Réver, Leo Duarte e Trauco; Piris da Motta, Lucas Paquetá, Diego e Everton Ribeiro; Vitinho e Uribe. Tec. Maurício Barbieri

CRUZEIRO

Maurício Barbieri mantém time titular, apesar do desgaste da temporada Será a oitava partida dos flamenguistas após a Copa do Mundo média de um jogo a cada 3,25 dias. Na próxima quarta (15), o time rubro-

negro ainda jogará por vaga nas quartas da Copa do Brasil, contra o Grêmio. Questionado se sua equipe deve priorizar alguma

Botafogo estreia técnico em visita ao pressionado Paraná Ex-técnico de Flamengo e Vasco, Zé Ricardo inicia trabalho à frente do Botafogo neste domingo, 12, às 11h. A estreia do treinador por sua terceira equipe carioca consecutiva será diante do Paraná, no estádio Durival Britto, em Curitiba. A partida, válida pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, já é uma decisão para o técnico, uma vez que as duas equipes vivem mau momento na competição. Desde a retomada do Nacional, o Botafogo acumulou

mo jogo”, disse durante a coletiva de imprensa após a recente derrota na Libertadores. O Cruzeiro, por sua vez, vive maratona parecida a do Flamengo, com a mesma média de partidas desde a retomada da temporada. O time celeste também terá decisão da Copa do Brasil na sequência, contra o Santos. O técnico Mano Menezes, diferentemente de Barbieri, assumiu que poupará esforços. “É importante nós entendermos que quarta-feira teremos um jogo decisivo. E que de domingo para quarta são só dois dias de recuperação”, disse o treinador. Ele adotou estratégia semelhante na rodada anterior, quando o Cruzeiro, repleto de reservas, arrancou um empate por 1 a 1 do Vitória, no Barradão.

três derrotas, um empate e apenas uma vitória é o 11° co-

locado, com 21 pontos. Já o Paraná é o lanterna,

FICHA TÉCNICA PARANÁ Richard; Júnior, René Santos, Rayan e Igor; Leandro Vilela (Alex Santana), Torito González e Maicosuel; Silvinho, Rodolfo e Rafael Grampola. Tec. Rogério Micale

BOTAFOGO Saulo; Marcinho, Carli, Igor Rabello e Gilson; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes e Leo Valencia; Rodrigo Pimpão, Luiz Fernando e Kieza. Tec. Zé Ricardo

Local - Durval Britto, em Curitiba - Horário - 11h Juiz - Raphael Claus (SP)

competição em detrimento de outra a esta altura, o técnico Maurício Barbieri se manteve irredutível. “Nossa prioridade sempre é o próxi-

com 13 pontos. No período pós-Copa, venceu uma vez e perdeu quatro. O revés mais recente foi contra o Ceará, adversário direto na briga contra o rebaixamento, em casa. “Há uma pressão muita grande para eles vencerem a partida. Nós também não estamos em uma boa sequência. Será um jogo tenso, com nervosismo, e tomara que possamos estar equilibrados. Se conseguirmos sair na frente, isso pode nos ajudar. Mas não espero nenhum jogo fácil”, avaliou Zé Ricardo. O treinador ainda assumiu que deverá manter o estilo de jogo do Botafogo neste primeiro momento. O jovem Saulo também continuará titular no gol, já que Jefferson e Gatito Fernández

Rafael (Fábio); Ezequiel, Manoel, Murilo e Marcelo Hermes; Henrique e Ariel Cabral, Mancuello, Rafinha e David; Raniel. Tec. Mano Menezes Local – Maracanã, no Rio Horário – 16h30 Árbitro – Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)

seguem entregues ao departamento médico. O Paraná, por sua vez, terá mudança no meio-campo: Nadson, lesionado, dará lugar a Maicosuel. O substituto, no entanto, causa preocupação no técnico Rogério Micale, por não estar em condições físicas ideais.

AGENDA JOGOS SÉRIE A HOJE, 12 11h – Atlético/MG x Santos 11h – Paraná x Botafogo 16h – Chapecoense x Corinthians 16h – Flamengo x Cruzeiro 16h – Sport x São Paulo 19h – Grêmio x Vitória 19h – Palmeiras x Vasco Segunda-feira (13) 20h – Fluminense x Internacional

Com reservas, Grêmio encara o Vitória em casa Grêmio vai apostar novamente na força do seu time reserva no duelo contra o Vitória, neste domingo, 12, às 19h, em Porto Alegre, pela penúltima rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. O time gaúcho inicia a rodada na quarta posição, com 30 pontos, a cinco de distância do líder São Paulo. Já o Vitória segue na luta para fugir da zona do rebaixamento tem 18 pontos e começa o fim de semana um ponto acima do Z-4. Luan e Kannemann foram ausências no treino de sexta. Ambos trabalharam separadamente na academia. Em compensação, o atacante Everton, recuperado de lesão muscular, participou normalmente das atividades e pode entrar em campo para ganhar ritmo e ter melhores condições de jogo na quarta, contra o Flamengo, pela Copa do Brasil. Bressan segue em recuperação e sua presença não está garantida. Nesse caso, o volante Jaílson deve ser improvisado na defesa. Ele acredita que mesmo atuando no Brasileiro com reservas, o Grêmio segue candidato ao título. "Temos que pensar jogo a jogo para nos mantermos na parte de cima da tabela. Precisamos confiar no nosso grupo que é bastante qualificado." O Vitória, que já está em Porto Alegre e treina na cidade neste sábado, realizou atividades na sexta (10), ainda Salvador, sem Willian Farias, que permaneceu na academia, e André Lima, em tratamento no departamento médico. Sem a certeza de contar com Farias, o técnico interino, João Burse, esboçou manter uma equipe com três volantes, com Ramon improvisado na posição, já que Arouca está suspenso.

FICHA TÉCNICA GRÊMIO Paulo Victor; Leonardo, Paulo Miranda, Jailson e Cortez; Thaciano, Matheus Henrique, Marinho, Douglas (Everton) e Alisson; Jael. Tec. Renato Gaúcho

VITÓRIA Ronaldo; Jeferson, Kanu, Ruan Renato e Bryan; Ramon, Marcelo Meli e Fillipe Soutto; Neilton, Yago e Walter Bou. Tec. João Burse Local - Arena do Grêmio, em Porto Alegre Horário - 19h Juiz - Bruno Arleu de Araújo (RJ)


8 OPINIÃO/esporte

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

fábio oliveira fabiowillard@hotmail.com

fabio willard de oliveira

Tabela com um jeitinho maroto

A

contece neste fim de semana a primeira rodada da segunda fase do Estadual Sub-19. É a luta pelas três vagas do RN na Copa São Paulo de Juniores. A região está representada por Mossoró e Assu, que entram em campo logo mais. América, ABC, Santa Cruz, Força e Luz, Palmeira e Visão Celeste, pela capital e região, completam a disputa. Logo mais às 16 horas, no Nogueirão, o Mossoró recebe o Força e Luz. A entrada custa 1 kg de alimento não perecível. Às 17 horas, no

Edgarzão, o Assu enfrenta o Palmeira. Pela qualidade de seus times, Mossoró e Assu têm boas possibilidades de avançar. No entanto, além das dificuldades naturais com os adversários, os representantes da região também enfrentam uma tabela marota, elaborada por requintes de crueldade pela FNF. Depois da estreia em casa, Assu e Mossoró partem para uma sequência de três jogos fora. É para se consagrar ou voltar para casa morto. As raposas felpudas do nosso futebol seguem ardilosas.

iMAGEM QUE MARCA

''

Os caras ficam ‘hidrolatando’ quem vem de fora e esquecem da gente." CHICO Ex-massagista do Baraúnas. Enquanto uns comem carne, outros bebem água. “Hidrolatar” deve ser isso.

OESTE A Seleção de Areia Branca é a nova integrante da Copa Oeste. Agora, a competição, que começa no próximo dia 18,

passa a ter 15 times divididos em quatro grupos. Serão três grupos com quatro equipes e um com três.

Foto: Fábio Oliveira

OESTE II A seleção de Triunfo Potiguar terá como treinador na Copa Oeste o ex-jogador Márcio Cardoso, que neste ano trabalhou como auxiliar técnico de Agnaldo Fidélis, no Baraúnas.

COBRANÇAS Depois de tornar-se pública a nomeação de Damásio Medeiros como interventor do Baraúnas, o em-

presário passou a receber uma enxurrada de ligações de ex-jogadores do clube cobrando seus salários.

DAS 11 ÀS 13H

CAIXA PRETA

O Mossoró Futebol Clube (não confundir com o MEC) tinha um belo time, quando sagrouse vice-campeão da Taça Cidade de Mossoró em 2011, perdendo para o Potiguar na final.

A semana na história Hoje, o ex-jogador do Baraúnas Ely Tadeu completa 36 anos de idade. O jogador, revelado pelo Vasco da Gama, sagrou-se campeão potiguar pelo tricolor mossoroense em 2006.

O grupo responsável pelo pedido de intervenção no Baru ainda está no início do trabalho de levantamento, mas estima-se que a dívida do clube ultrapasse meio milhão de reais. A caixa de Pandora ainda não foi aberta.

NECESSÁRIA OBSCURIDADE NUNCA MAIS É importante que o grupo que ora assume o Baraúnas e a futura diretoria sigam com a bandeira da lisura e transparência. Publicar prestações de conta reais ajuda a recuperar a credibilidade há muito perdida. Continuar fiscalizando futuros gestores, também.

Torcedor

Futebol Clube

Diante dessa projeção negativa, para quem achava que o clube acabaria a partir dessa intervenção,

talvez reveja seus conceitos e entenda que, do jeito que estava, o buraco só aumentava. O basta foi dado.

POÇO SEM FUNDO Só a título de empréstimos a alguns empresários, o Baraúnas deve mais de R$ 100 mil. Os diretores prometiam pagar esses credores com o dinheiro da Prefeitura. Com o passivo maior que o ativo, sabiam que não pagariam nunca.

SANGUE NOVO OU NÃO?

Rubens Paiva

Estimando que Gaúcho mantenha a candidatura para a eleição do Baraúnas, que deve ocorrer em breve, resta saber qual se-

Planalto 13 de Maio Torcedor do Flamengo

CLAUDER ARCANJO

Escritor e editor da Sarau das Letras

rá a composição de sua diretoria. Se trará, de fato, o novo ou repetirá figurinhas que não servem mais no álbum.

O esporte éa nossa paixão notícias GOLS e COMENTÁRIOS www.f9.net.br


estado /jornaldefatorn

@defato_rn

/photos/jornaldefatorn

Mossoró (RN), DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Sobre rodas

Frota de motos continua crescendo no interior do RN Enquanto em Natal são mais de dois automóveis para cada moto, no interior do estado a situação se inverte e o número de motos é maior na maioria dos municípios FABIANO SOUZA fabianosouz@hotmail.com

A

maioria dos 167 municípios do Rio Grande do Norte tem mais motos do que carros circulando nas ruas, segundo levantamento feito com base nas estatísticas de julho de 2018 do Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN). O levantamento traz a listagem dos 167 municípios do RN e sua frota de veículos, o que mostra claramente que em mais de 150 existem mais motos do que carros. De acordo com os dados do Denatran, existem no RN 1.268.356 veículos divididos em diversas categorias, mas se destaca o total de 546.424 automóveis, enquanto que o número de motos é de 519.521. Na categoria moto, estão inclusas motocicletas, motonetas e ciclomotores. Em Natal, a frota de ve-

ículos é bem superior à de motos. Os dados mostram que, no caso da capital do estado, são 226.734 automóveis e apenas 102.950 motos. Já em Mossoró, a quantidade de motos cadastra-

das é um pouco maior do que de automóveis. São 58.041 automóveis e 78.133 motos. Os números de abril divulgados pelo Denatran, que serviram de base para um estudo feito pela Confe-

deração Nacional dos Municípios (CNM), já mostravam que, dos 167 municípios do RN, 151 já possuíam mais motos do que carros circulando nas ruas. De acordo com a pesquisa de abril, apesar de

90% dos municípios do RN terem mais motos do que carros circulando, o número de automóveis ainda é maior no estado. Na época, o RN tinha 515.024 motos, enquanto que o número de carros é

de 540.939. Como no levantamento atual, na categoria moto estão inclusos motocicletas, motonetas e ciclomotores. Se comparados os números de julho aos de abril, o RN registrou um aumento de 4.497 motos. Já se comparados os números do mesmo período em relação a veículos, o aumento foi de 5.485 automóveis adquiridos no RN. A exemplo do que ocorreu em abril, Natal continua liderando o número da frota de veículos no RN – são 226.734 automóveis e apenas 102.950 motos. Isso representa mais que o dobro de veículos circulando na capital potiguar se comparado ao número de motos. Agora News

432.360 Motocicleta:

60.760 Motoneta:

26.391 Ciclomotor: Número de motos registradas no RN em julho foi de 519.521, e de automóveis, 546.424

Uso de moto aumenta número de acidentes com jovens Em todo o Nordeste, o número de motos alcançou a marca de 7,56 milhões, contra 6,73 milhões de carros nas ruas em julho deste ano de 2018. Em todo o país há 28.658.933 motos circulando. Alguns dos motivos apontados pelo estudo pa-

ra o aumento do número de motos são a facilidade no crédito, o baixo preço das prestações e os incentivos e isenções do Governo Federal ao mercado, além da deficiência do serviço do transporte coletivo urbano nas cidades em geral. "Diante disso, em vários

municípios do Norte e Nordeste do país há claros sinais de substituição dos animais de tração, como o cavalo, jumento e burro", diz o levantamento. Mas o aumento do uso de motocicletas também tem causado o aumento do número de mortes e invali-

dez em acidentes envolvendo esse tipo de veículo. Das indenizações pagas no ano de 2017 para acidentes com motocicletas, 79% foram para invalidez permanente e 7% para morte. O levantamento mostra ainda que 88% das indenizações por morte em acidentes com motocicletas foram para vítimas do sexo masculino. No caso de acidentes de motos que resultaram em sequelas permanentes, 79% das indeniza-

ções também foram para vítimas do sexo masculino, enquanto as indenizações por acidentes com os demais veículos pagas também para homens representaram 65%. Isso demonstra que motociclistas do sexo masculino se envolvem em mais acidentes que condutores homens dos demais veículos. As vítimas de acidentes com motocicletas são, em sua maioria, jovens em ida-

de economicamente ativa. Eles estão com idade entre 18 e 34 anos e concentraram 52% dos acidentes fatais e 54% dos acidentes com sequelas permanentes. No período analisado, foram pagas mais de 120 mil indenizações por invalidez permanente a vitimas nessa faixa etária, envolvendo o uso de motocicletas. Fontes: Detran/ Seguradora Líder.


2 ESTADO

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Cont. pág. anterior

Produção de motocicletas aumenta mais de 34% em julho >> Fatores como ampliação da oferta de crédito e maior participação do consórcio estão sendo fundamentais para bons resultados

A

s fabricantes de motocicletas produziram 96.277 unidades em julho, o que representa um avanço de 34,7% sobre o mesmo período do ano passado (71.482 unidades). Na comparação com junho (50.118 unidades), o aumento é ainda mais expressivo: 92,1%. No acumulado dos 7 meses, saíram das linhas de produção 590.961 unidades, alta de 19,3% sobre o mesmo período de 2017 (495.232 unidades). Para Marcos Fermanian, presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (ABRACICLO), fatores como a ampliação da oferta de crédito e maior participação do consórcio estão sendo fundamentais para bons resultados. Com isso, a Abraciclo revisou recentemente para cima a projeção em relação ao volume de produção esperado para este ano, passando de 935.000 para 980.000 unidades, o que significa um crescimento de 11% em 2018, na comparação com o ano passado. Pela previsão inicial a produção cresceria 5,9%. Na análise de vendas para o atacado – motocicle-

Divulgação

ticipação (45.482 unidades), a Trail, com 19,8% (17.548), e a Motoneta, com 15,3% (13.571). Na sequência, vieram Scooter, com 7,2% (6.419), e Naked, com 2,2% (1.927 unidades). Com base nos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (RENAVAN), as vendas no varejo totalizaram 76.226 unidades em julho, representando uma alta de 8,4% sobre o mesmo mês de 2017 (70.320 unidades). Na comparação com junho (74.069 unidades) o crescimento foi de 2,9%. No acumulado dos 7 meses deste ano, as vendas no varejo cresceram 7,1%, sendo 532.955 neste ano e 497.518 unidades no ano passado. A média diária de vendas em julho ficou em 3.465 unidades, com 22 dias úteis, correspondendo a uma alta de 3,5% sobre o mesmo mês de 2017 (3.349 unidades), que teve 21 dias úteis. Na comparação com junho do ano em curso, houve recuo de 1,8% (3.527 unidades). Divulgação

Produção de motocicletas continua avançando no país

tas destinadas às concessionárias – foi verificado um aumento de 36,9% em julho (88.773) na comparação com o mesmo mês de 2017 (64.830 unidades). Em relação a junho deste ano (50.833 unidades) a alta foi de 74,6%. No acumulado de janeiro a julho,

foram vendidas 540.084 unidades, correspondendo a um aumento de 15,6% sobre igual período de 2017 (467.143 unidades). Entre as categorias mais comercializadas em julho, os destaques foram a Street, que aparece no topo do ranking com 51,2% de par-

Modelo Street, para uso urbano, aparece no topo do ranking com 51,2% das motos comercializadas em julho

Confira as características básicas das motocicletas de cada categoria Street – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso urbano. Trail – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso misto, tanto em vias pavimentadas quanto em terreno não pavimentado. Motoneta – motociclo tipo “underbone”, pilotado com o condutor na posição sentado, destinado ao uso urbano, de baixa cilindrada e dotado de câmbio automático ou semiautomático. Scooter – Motociclo pilotado com o condutor na posição sentado e dotado de câmbio automático ou semiautomático, concebido para privilegiar o conforto.

Naked – Motocicleta sem carenagem, com motor propositalmente exposto e de alto desempenho, concebida para a utilização em terrenos pavimentados. Semelhante a uma motocicleta versão “sport”, sem a carenagem.

ras”, que não priorizam velocidade e, sim, conforto.

Big Trail – Motocicleta de média ou alta cilindrada destinada ao uso misto em terrenos pavimentados e não pavimentados.

Ciclomotor – Veículo de duas ou três rodas, provido de um motor de combustão interna, cuja cilindrada não exceda a 50 cm.

Off Road – Motocicleta de qualquer cilindrada destinada exclusivamente à utilização em pisos não pavimentados.

Touring – Motocicletas usualmente de alta cilindrada concebidas para a utilização em turismo e viagens de grandes distâncias.

Custom – Motocicleta caracterizada por sua vocação para percursos de estrada, destacadamente os mais longos, chamadas de “estradei-

Sport – Motocicletas de cilindradas médias ou superiores com carenagem que privilegia a aerodinâmica e o alto desempenho.


ESTADO 3

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Oportunidade

Consumidores estão dispostos a pagar mais por alimento saudável

>> Com o objetivo de fomentar esse setor de alimentos saudáveis e naturais, o Sebrae RN e a loja Farmeria promovem o III Workshop de Alimentação Saudável

O relatório The Top 10 Consumer Trends for 2017, que analisa as tendências de mercado, notou uma inclinação dos consumidores pelos itens considerados saudáveis. Segundo o documento, 83% dos entrevistados estão dispostos a gastar mais para obter um alimento saudável; 79% substituem produtos da alimentação convencional por opções mais saudáveis; 28% acham importante consumir alimentos com alto teor nutricional; 22% optam por comprar alimentos naturais sem conservantes; 44% dão preferência a produtos sem corantes artificiais e 42% optam por itens sem sabores artificiais. O "Tendências Mundiais de Alimentação e Bebidas 2017", da Mintel, mostra que 24% dos adultos brasileiros comeriam mais grãos integrais como linhaça e quinoa, se soubessem como utilizá-los nas receitas. Ainda de acordo com esse levantamento, os entrevistados estão mais dispostos a consumir produtos feitos com frutas, vegetais, oleaginosas e grãos. Os comerciantes também já notaram essa mudança de comportamento dos clientes. Segundo o Instituto Datafolha, em 2016, 56% dos estabelecimentos gastronômicos do país notaram que seus clientes estavam mais interessados no consumo de alimentos saudáveis. 53% dos entrevistados observaram um aumento na procura por frutas, 61% disseram que os clientes estão consumindo mais legumes e verduras e 65% disseram ter crescido o consumo de sucos naturais. Já, segundo projeção da Euromonitor, o mercado de alimentos saudáveis deve movimentar R$ 63,5 bilhões em 2018 no Brasil, alta de 0,8% em relação ao ano passado.

Alimentação saudável é nova tendência de mercado no RN

A

alimentação saudável, aos poucos, vem conquistando o paladar de uma grande camada da população. Antes associada à comida insossa e sem cor, atualmente a alimentação saudável e natural aparece de forma criativa, atraente e variada. Hoje, em praticamente todas as grandes cidades brasileiras existem restaurantes e lojas comercializando produtos naturais. Os legítimos restaurantes naturais são aqueles que não utilizam ingredientes industrializados e, sempre que possível, só oferecem produtos orgânicos. A partir daí, há uma ampla variedade de estilos. Existem ainda os restaurantes 100% vegetarianos, que servem comida crua (nada é feito usando fogo a uma temperatura acima de 40° C), aqueles que utilizam ovos e leite e até aqueles que servem carnes brancas. Nos últimos anos, esses estabelecimentos naturais têm sido associados à sustentabilidade e preservação da natureza. Por isso, esses empreendimentos primam pela oferta de produtos livres de agrotóxicos e outros compostos químicos nocivos ao meio ambiente, sendo fortes aliados no combate à preservação das fontes naturais. Com o intuito de seguir essa tendência, alguns empreendedores têm investido em práticas de sustentabilida-

Mercado & Consumo

Alimentação saudável tem se tornado cada vez mais presente em restaurantes de todo o RN

de, ou seja, ecologicamente corretas. Estas podem ser adotadas em qualquer estabelecimento, seja ele residencial ou comercial. Nos restaurantes e lojas naturais, por exemplo, as medidas ecológicas po-

dem ser perfeitamente aplicadas, oferecendo assim uma refeição saudável e sustentável aos clientes. Com o objetivo de fomentar esse setor de alimentos saudáveis e natu-

rais, o Sebrae RN em parceria com a loja Farmeria promovem no próximo dia 16 de agosto o III Workshop de Alimentação Saudável, a partir das 19h, nas salas 3, 4 e 5 da instituição. O evento tem como objetivo

disseminar conteúdos sobre o setor da alimentação saudável e agregar os profissionais da saúde, como médicos e nutricionistas, e os empreendedores, tanto os produtores como os comerciantes.

Programação contará com nutricionista Mariana França A programação do III Workshop de Alimentação Saudável contará com uma oficina facilitada pela nutricionista Mariana França, que vai falar de maneira técnica sobre a alimentação, produtos saudáveis de modo geral e receitas de como utilizar esses alimentos da melhor forma. Além da oficina, o evento contará com uma palestra motivacional ministrada pelo representante da Casa Durval Paiva, Fernando Campos. Para os profissionais que atuam na ideia de expansão do mercado de alimentação saudável, o setor tem boa perspectiva para

quem deseja ingressar. “Alimentação saudável é um segmento crescente e com ótimas perspectivas de futuro. O desenvolvimento do setor está atrelado a uma maior conscientização da população, que percebeu a devida importância da boa prática alimentícia para se obter uma melhor saúde. Alimentação saudável não é modismo, e sim, uma tendência que não se limita ao nosso estado, mas que reverbera por todo o mundo”, comenta o gestor do projeto Alimentos e Bebidas do RN, Horácio Barreto. A inscrição está aberta e acontecerá em duas eta-

pas. A primeira deverá ser feita na loja Farmeria – Av. Prudente de Morais, 4262 Lagoa Nova, Natal, mediante a entrega de 3 kg de alimento (arroz, feijão, fubá, macarrão, farinha de mandioca ou 2 pacotes de café ou 1 lata ou pacote de leite em pó – apenas 1 unidade). Ao final da primeira etapa, o participante receberá um código ainda na loja. A segunda etapa deverá ser realizada pelo telefone 0800-570-0800. A inscrição pelo call center só deverá ser feita após a obtenção do código. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3027-1515.

ASN

!

Para Horácio Barreto,alimentação saudável não é modismo e sim uma tendência

Os comerciantes também já notaram essa mudança de comportamento dos clientes.


4 ESTADO

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Lazer

Dia dos Pais tem programação especial no ‘Domingo na Arena’ >> Eventos começam às 15 horas, no lado Sul da Arena das Dunas, com degustação de cachaça, corte de barba e cabelo com preço camarada, atividade física, livraria itinerante, educação, games, entre outras atrações

O

“Domingo na Arena” promoverá uma tarde e noite especial em homenagem aos pais neste dia 12 de agosto. Degustação de cachaça, corte de barba e cabelo com preço camarada, atividade física, livraria itinerante, educação, games, passeio com animais de estimação, brincadeiras para a criançada, boa música, praça de alimentação, diversão para toda a família e muito mais será oferecido pela organização do evento socioesportivo e cultural da Arena das Dunas, que tem o apoio pelo Sistema Fiern e pelo projeto “Cultura na Praça”. A entrada é gratuita e o espaço disponibilizado pela Arena das Dunas, sempre a partir das 15h, funciona ao lado sul da praça externa (margens da BR-101). Os pais, homenageados do dia, vão ter à disposição serviço de corte de cabelo

ilustração Blog Revista Total

Evento no Arena das Dunas vai prestigiar o Dia dos Pais

Natal vai sediar Circuito de Caminhada e Corrida de Rua A corrida de rua ganha espaço no mercado esportivo potiguar e tem atraído cada vez mais, uma legião de fãs que se divertem enquanto praticam atividades físicas. É nessa pegada que o Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional do Transporte (SEST SENAT) realiza o seu Circuito de Caminhada e Corrida de Rua, etapa Natal, como um projeto de promoção social que busca melhorar a qualidade de vida da sociedade. “Nós queremos proporcionar um maior acesso ao esporte principalmente para o trabalhador do transporte, que muitas vezes sofre com os efeitos dos movimentos repetitivos e não tem estímulo para praticar atividades”, afirma Adriana Kelly, diretora do Sest Senat Natal. O evento será realizado no dia 25 de agosto, com a concentração na Arena das Dunas a partir das 15h e os inscritos poderão escolher as modalidades de corrida para 5 km e 10 km ou a caminhada de 2 km. Pedro Santos, 51, motorista e praticante de corrida há 18

Senac vai oferecer cursos de turismo em 20 municípios do RN Cedida

Corrida de Rua será realizada em Natal no dia 25 de agosto

anos, participará pela segunda vez do Circuito, que teve sua primeira edição na capital potiguar em 2016. “Fico feliz em ver uma entidade da qual faço parte organizando um evento como esse, que é um incentivo para os motoristas saírem do sedentarismo e começarem a prática de esporte em busca de melhoria de vida, de saúde e rendimento”, acredita ele.

e barba, proporcionado pela GoodFather Barbearia. O combo custará R$ 30,00, cabelo ou barba avulso custa R$ 20,00. Quem gosta de uma boa cachaça poderá fazer uma degustação oferecida pelo Engenho Papary. Os papais leitores e seus familiares ainda poderão apreciar bons livros na livraria itinerante da Kombi da Maricota. E os que têm o perfil mais atleta terão, além da tradicional caminhada, opções gratuitas como o circuito de abdominais, promovido pelo Sesi Clube. Os gamers terão o seu espaço já tradicional, com a Liga Digicom, e, especialmente, neste domingo, poderão desfrutar do Museu do Videogame Potiguar, que disponibilizará lojinha e jogos, além de uma exposição. Numa linha mais educativa, o Sesi organizará o também já tradicional Núcleo de Educação e Robótica, com muitas inovações tecnológicas. Entre as principais atrações musicais do palco principal estão: Mestre Pedro do Cajueiro Abalou e as Meninas do Coco de Rosa (Komboio Potiguar), às 18h, e Gabriel Ciríaco e Samara Ritzel, às 18h30. A programação especial do palco principal ainda conta com ‘Bandinha de Fanfarra Clarins Kids’, começando às 15h, o ritmo dançante da turma da CarboFIT (ritmos e zumba), a partir das 16h, e o ‘Circo do Peteca’, com início previsto para às 17h.

A inscrição está aberta até esta segunda-feira, 13, através do site. É totalmente gratuita para o trabalhador do transporte, bem como para os seus dependentes. Os atletas e a comunidade em geral, pagam uma taxa de R$ 50,00 para se inscrever. Todos terão direito ao Kit Atleta composto por boné, camisa do evento, mochila, porta-celular e medalha.

O Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria do Turismo (SETUR), contratou o Senac para realização de cursos profissionalizantes em 20 municípios que integram os polos de desenvolvimento turísticos do estado. A previsão é atender cerca de mil pessoas, entre os meses de agosto a novembro. A realização dos cursos conta com financiamento do Banco Mundial de modo que as capacitações serão disponibilizadas de forma gratuita à população. A iniciativa está alinhada com um dos princípios orientadores do Plano Estratégico do Turismo para o Rio Grande do Norte 2018-2028, que é fornecer oportunidades equitativas para aqueles que trabalham no setor. O plano fundamenta a modernização dos profissionais de turismo, preenchendo lacunas de conhecimento, com o intuito de melhorar cada vez mais a qualidade do serviço turístico, repercutindo diretamente na competitivi-

Guia do Turismo Brasil

Profissionais que atuam no turismo do RN vão receber capacitação do Senac

dade do destino. O diretor regional do Senac RN, Raniery Pimenta, explica que a escolha dos cursos ocorreu a partir de um diagnóstico detalhado dos produtos e serviços turísticos desses destinos, com apontamento do mapa de carências que tem prejudicado o desenvolvimento do turismo na região. Entre as capacitações disponibilizadas, estão os

cursos de: Culinária Regional, Inglês para Serviços Turísticos, Orientador Turístico Local, Boas Práticas na Manipulação de Alimentos e Técnicas para Garçom. “São treinamentos focados na prática. O objetivo é melhor preparar a população dessas cidades para o atendimento da demanda turística”, afirmou o diretor regional do Senac RN.


/jornaldefatorn

@defato_rn

/photos/jornaldefatorn

DOMINGO, 12 DE agosto de 2018

mulher

Alimentação pode amenizar os efeitos da menopausa >> Para evitar a depressão,

irritabilidade e ansiedade, é importante consumir: aveia, pão, massa e cereais integrais; banana e abacate, entre outros alimentos Dicas de alimentos para amenizar os efeitos da menopausa

O

ideal é não esperar até a meia-idade para adotar uma alimentação equilibrada. A partir dos 30 anos, é fundamental manter um cardápio saudável e inserir alimentos que ajudem no equilíbrio hormonal. Assim, a mulher já inicia os cuidados antes do início da menopausa, período fisiológico após a última menstruação espontânea da mulher. Nesse espaço de tempo estão sendo encerrados os ciclos menstruais e ovulatórios. O início da menopausa é considerado após um ano do último fluxo menstrual. "Para evitar a depressão, a irritabilidade e ansiedade é importante consumir: aveia, pão, massa e cereais integrais; banana e abacate, verduras de folhas verdes; castanha-do-pará; chocolate amargo; erva-cidreira (chá ou acrescentar as folhas aos pratos feitos com carne e peixe); frango; inhame; lentilha; manjericão (inclua folhas em massas, pizzas e saladas); óleo de nozes e sementes; e peixes (sardinha, salmão e cavala)", explica a professora de Nutrição Bárbara Freitas. Alimentos ricos em ômega-3, fibras e lignana (arroz integral, aveia, brócolis, couve-flor e linhaça) protegem contra doenças cardíacas, mantêm a saúde do intestino e aliviam as ondas de calor, típicas da menopausa. Para amenizar os famosos "calorões", a nutricionista aconselha o consumo de amêndoas, castanha-do-pará, castanha de caju e nozes, além de óleos

• Uva: o suco de uva integral e os bagos de uva rosada auxiliam no controle do colesterol e/ou triglicérides.

• Aveia e azeite extravirgem: a aveia (em farelo ou flocos) e o azeite extravirgem (por ser fonte de gordura monoinsaturada) auxiliam no controle da glicose e do colesterol.

• Peixes: ricos em ômega 3, ajudam a controlar colesterol triglicerídeos e nas funções cerebrais. Os peixes contêm vitamina D e magnésio, que auxiliam no equilíbrio hormonal. Os cogumelos também são fontes dessa vitamina. • Leite e derivados: o cálcio também é fundamental durante esta fase, já que o risco da osteoporose aumenta bastante. Já para auxiliar o equilíbrio hormonal, é indicado o consumo de vitamina D e magnésio.

CIANO MAGNTA AMARELO PRETO

vegetais (canola, girassol, milho ou soja, que possuem boa quantidade de vitamina E). Também é recomendado evitar alimentos gordurosos, picantes e condimentados, além de refeições em grandes quantidades, já que contribuem para o aumento da sensação de calor durante a digestão. Confira abaixo outros alimentos que aliviam os sintomas da menopausa. TERAPIA HORMONAL Com a menopausa, que ocorre entre os 40 e 65 anos de idade, o corpo da mulher passa por diversas mudanças que afetam diretamente a sua qualidade de vida. A queda nos níveis hormonais causa, além dos sintomas mais conhecidos – como ondas de calor, suores noturnos, insônia, menor desejo sexual e irritabilidade –, diminuição da massa óssea, da atenção e memória. Especialistas explicam que as mulheres na menopausa apresentam uma baixa nos níveis de estrogênio e progesterona. Algumas não sentem os incômodos característicos da fase, já outras acabam perdendo um pouco de qualidade de vida por causa deles, e aí que fazemos a terapia hormonal. Essa terapia repõe os hormônios perdidos e melhoram vários aspectos da saúde, evitando, inclusive, a osteoporose e doenças cardíacas. A fitoterapia e a acupuntura são terapias alternativas que podem ajudar a mulher nessa fase.


2 OPINIÃO

DOMINGO, 12 DE agosto de 2018

contexto www.sergiochaves.com | sergiodefato@gmail.com

FESTA Hoje (12) é dia de festa para o radialista Rodrigo Rodrigues, a sra. Salete Targino de Medeiros, Alcimar Almeida, o multifacetado Júnior Félix e a pediatra Socorro Estrela. Amanhã (13), é dia de vivas para o secretário Mairton França, Ana Rachel Pinto Lima, a querida Florina Escóssia, Marlini Rosado e Ana Marfisa Lira de Azevedo. Para vocês: paz, saúde, amor e alegrias. Parabéns!

FEST BOSSA & JAZZ Mossoró se prepara para receber mais uma edição do Fest Bossa & Jazz, numa promoção da Juçara Figueiredo Produções, que acontece nos dias 13, 14 e 15 de setembro, na Estação das Artes Elizeu Ventania. Sesi Big Band convida Roberta Sá, Alan Jones comemorando os 60 anos da Bossa Nova, Tributo a Gilberto Gil com Sérgio Groove, e a americana Taryn Donath são algumas das atrações já confirmadas. Na próxima semana, divulgaremos as prévias, que prometem movimentar a cidade antes do festival. Agende!

CIRCULANDO @ E neste domingo especial dedicado aos pais, são muitas as opções para o almoço especial. O Cândidus Restaurante, o Pinga Fogo do Thermas Hotel & Resort, o Donaire do Garbos Trade Hotel e o Dona Têca do Partage Shopping são ótimas opções que a coluna indica sem medo de errar. @ Outra opção é o Quintal Bistrô do quarteto Cristiano Bezerra/ Kais Marbele e Vitor Mendes/ Talita Costa, que hoje está abrindo suas portas e já oferecendo almoço especial do Dia dos Pais. Fica no Corredor Cultural da Avenida Rio Branco, ao lado do teatro, onde funcionou o Armazém 43. Vale a dica! @ A prefeita Rosalba Ciarlini tem se dedicado nos últimos dias a visitar as quase 30 obras em andamento no município, atendendo os quatro cantos da cidade. Além das obras, 20 equipes estão nas ruas se dedicando à operação Tapa-Buracos. Avante! @ A prefeita de Rafael Godeiro, Ludmila Amorim, é a capa da nova edição da revista Acontece da dupla Marcelo Bento/Neide Carlos. Já em circulação. @ Giulio e Érica Lopes marcaram para o dia 27, às 19h, a inauguração do Il’Giardino Della Pizza, empreendimento localizado no Corredor Cultural vizinho ao La GocciaBlu. Os convites começam a circular. @ Durval Lellys é atração confirmada em novembro no Cândidus Restaurante. Retorno. @ Já a Gondim & Garcia Produções aposta na festa Baú do Forró, que acontece no dia 15 de setembro na Arena Partage, com shows com Mastruz com Leite, Lagosta Bronzeada, Cavalo de Pau e Limão com Mel. @ Antes, no dia 24, a Arena Partage é palco para o show com o padre Reginaldo Manzotti, que

“Que a felicidade não dependa do tempo, nem da paisagem, nem da sorte, nem do dinheiro. Que ela possa vir com toda simplicidade, de dentro para fora, de cada um para todos.”

Sérgio Chaves

(CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)

MARILENE RECEBE NO REQUINTE BUFFET A colunista DE FATO Marilene Paiva recebe na quarta (15) no Requinte Buffet. Momento para comemorar idade nova, lançar a 48ª edição da sua revista Presença e lançar o seu programa Presença, que vai ao ar pela TV Terra do Sal. Motivos para comemorar são muitos. Hoje, o nosso desejo de saúde e paz!

Colunista Marilene Paiva faz festa tripla no Requinte na quarta (15).

MOSSORÓ GANHA CENTRO INTEGRADO DE FISIOTERAPIA A fisioterapeuta Laênia Pereira recebe convidados na quarta (15), às 19h, para inaugurar o Centro Integrado de Fisioterapia, bem localizado na Tibério Bula- A físio Laênia Pereira Leite marqui, no Centro inaugura o Centro Integrado da cidade, próximo de Fisioterapia na quarta (15) ao Nonato Atacarejo. O espaço, bem equipado, oferece diversos serviços na área, como: hidroterapia, pilates, RPG, fisioterapia respiratória, uroginecológica, reumatológica e neurológica. O colunista assina o cerimonial da noite. Desejamos sucesso!

POSSE DA NOVA DIRETORIA DO LIONS CLUBE MOSSORÓ CENTRO pela primeira vez se apresenta na cidade. As senhas antecipadas estão à venda na Cardigan, no Shopping Boulevard. @ Os Tremendões de Fortaleza (CE) e a banda Infla 6 são as atrações de mais uma Festa do Profissional de Educação Física, que acontece no dia 1° de setembro, a partir das 21h, no Oba Restaurante. As senhas antecipadas estão à venda no Salão Garcia, Cantinho Peças e no Oba Restaurante. @ Os alunos e professores do Colégio Mater Christi se preparam para a XXIV Semana de Conhecimentos Científicos e Salão de Tecnologia e Inovação (SECOCI ), que acontece nos dias 24 e 25 de agosto. O evento envolve todo o corpo discente, que participa com atividades práticas e projetos que mostram a importância da ciência. @ Falando em Canoa Quebrada, os acessos para a “Prainha da Claudinha”, que acontece no próximo dia 7 de setembro na Chega Mais Beach, espaço descolado do gente boa Luís Nogueira, na praia de Canoa Quebrada, estão vendendo muito bem, obrigado. A baiana Cláudia Leite tem muitos fãs por estas bandas, o que garante o sucesso antecipado do evento. Giannini Alencar tem participação especial. Em Mossoró, os acessos estão à venda no Cândidus Restaurante. Vamos? @ E a Jornada Cultural, evento que comemora os 14 anos do Teatro Municipal Dix-huit Rosado, continua hoje com vasta programação. A partir das 17h, no teatro e em seu entorno. Vamos sim! @ Daqui para Natal, um abraço carinhoso para o meu paidrasto, Francisco das Chagas de Medeiros, por mais este Dia dos Pais. O meu desejo é só um: saúde, saúde e mais saúde para você.

R. Antônio Vieira de Sá, 440 Tel.: 3317-4545 / 3316.0409

Hoje, mais fotos de Célio Duarte registrando a posse de Cláudia Leite na presidência do Lions Clube Mossoró Centro, ocorrida no último dia 27, nos salões do Vitória Palace Hotel.

Afrânio/Cláudia Leite com Zizi/ Wilson Nogueira.

Zélia Macedo e Élder Heronildes.

Águida Yanne/Otávio Domingo Moreira Santos.

Casais Nelson Lucas Pires Júnior/ Teresa e Edvaldo Santos/Glorinha.

Ione/Nilson Brasil Leite.

Delmira/Josafá Inácio da Costa.

Reginaldo Leite festeja a amada Bebete Falcão, aniversariante da quarta (15). Vivas!

Amiga de longas datas, a professora Minerva Martins comemora a vida na quarta (15). Tim-tim!

Toinho Pitéu festeja a amada Glenda Negreiros e a sogra Elizabeth Negreiros, aniversariantes da terça (14). Parabéns!

Karen Praxedes, com idade nova na quinta (16), recebe os vivas da coluna!

Estilista Fátima Carlos, folhinha da quarta (15). Parabéns!

Outro aniversariante da quarta (15), o professor José Walter da Fonseca, exreitor da Uern. Felicidades!


DOMINGO, 12 DE agosto de 2018

opiniĂŁo 3


4 MULHER / moda

DOMINGO, 12 DE agosto de 2018

STYLE Georgiano Azevedo

georgianoazevedo@gmail.com

As Grandes Embarcações aparecem em peças para homens e mulheres de bom gosto.

A chegada dos portugueses no Brasil é retratada nesta estampa que mostra, também, a imagem de uma índia criança.

Algumas estampas aparecem para composê, como esta assimétrica. Um charme!

A estampa principal destaca o início de tudo. “São os mapas misturados com a fauna, flora, grandes embarcações e os índios”, comentou o designer Pedro Sobrinho.

A fauna e a flora do nosso Brasil deram vida a estampas maravilhosas. Aqui, body + saia. Luxo!

A maxibag é peça obrigatória no Verão. Aqui, em estampa que representa a fauna e a flora brasileira.

MEU BRASIL

BRASILEIRO!

A colonização do Brasil foi a inspiração da MMorena Beachwear para seu verão 2019 surgindo estampas com imagens de embarcações, índios, fauna e flora do nosso país em peças para mulheres, homens e crianças que adoram uma moda praia de luxo. E, claro, selecionamos algumas queridinhas para você ficar babando! Fotos: Pedro Sobrinho Styling: Matheus Henrique Beleza: Vinícius Santos Modelos: Nayara Fernandes (Mossoró) e Jefferson Lima (Natal), ambos do cast Tráfego Models. Acessórios: Keylla Muniz Looks: MMorena Beachwear (exclusividade da loja do Partage Shopping).

CIANO MAGNTA AMARELO PRETO


@defato_rn

descoberta da doença. MOSSORÓ 1 /photos/jornaldefatorn

O milagre da folhadomingo da moringa

/jornaldefatorn

Agrônomo revela os poderes milagrosos da "árvore da vida", a moringa oleífera, que ele cultiva. ESTADO 1

7s o

MOSSORÓ �RN�, DOMINGO, 19 DE NOVEMBRO DE 2017 | EDIÇÃO 5.020 � ANO XVIII | R$ 2,50

O TORTO ossoró ANDAR DO OUTRO ve ter 17os Jornalismo n de Verdade pelade staque não importa Sem sangue. m 2018 a plataforma Mossoró (RN), Cedida domingo, 12 de agosto de 2018

do maior colégio eleitoral dade deve assumir posição ues com nomes à disputa a do próximo ano. PRINCIPAL 3 @defato_rn

CMYK

o de s para o CMYK

Governo vai suspender novos cursos

/photos/jornaldefatorn

Sem vida.

/jornaldefatorn

Hemocentro de Mossoró enfrenta queda de doações. O motivo é o recolhimento da unidade móvel para coleta de sangue. Cerca de 500 bolsas deixam de ser coletadas.

Marcos Garcia

o. MOSSORÓ 3


editorial [ índice

Doação de sangue em crise

adoro comer

Entrevista DOMINGO conversou com Adriana Lamartine, uma das realizadoras de um evento que vai discutir o uso medicinal da maconha no Rio Grande do Norte agora no mês de agosto. Página 4

Ingredientes

A

doação de sangue em Mossoró está em crise. O alerta tem sido feito constantemente pelo Hemocentro. DOMINGO resolveu ajudar e hoje denuncia que o órgão está sem a sua unidade móvel de coleta desde março. O veículo apresentou problemas mecânicos e na fuselagem e foi recolhido pela Secretaria Estadual de Saúde. Não há qualquer previsão para a sua substituição e – pasme – a secretaria desconhece até esse problema. Hoje, também destacamos o artista mossoroense Isaías Medeiros. Ele trouxe à sua terra natal a exposição “Tropicália neobarroca ou Tropifagia dos sentidos”. Os quadros do artista estão em exposição no Sesc até o dia 31. Pobre em ciência, o Rio Grande do Norte tem algo a comemorar. Um grupo de pesquisadores do estado acaba de patentear biomassas desenvolvidas a partir de rejeitos do caju e do jerimum. Essas biomassas poderão resultar em diversos produtos incluindo aditivos antioxidantes, alimentos com ação nutritiva, e ainda, novos fitomedicamentos. Na nossa entrevista de hoje vamos falar sobre o uso medicinal da maconha. Conversamos com Adriana Lamartine, que está trazendo um evento para o Rio Grande do Norte que vai debater o cultivo da cannabis medicinal. Domingo é dia de uma receita especial, e hoje você aprende a fazer pudim de coco com maisena. Tem ainda a coluna semanal do jornalista Jotta Paiva Rebouças. Confira a DOMINGO de hoje. Magnos Alves

Como fazer pudim de coco com maisena 1 lata de leite condensado 2 caixinhas de creme de leite 100 g de maria-mole 400 ml de água quente 1 embalagem de Biscoito Maizena Vitarella 1/2 xícara de chá leite PARA A CALDA 1/2 xícara de chá de açúcar 13 xícara de chá de água

Modo de preparo CALDA - Comece pela calda para que ela esfrie antes de colocar a mistura do pudim na forma. - Em uma panela, disponha o açúcar e a água e misture bem antes de levar ao fogo. - Coloque a panela em fogo médio e deixe caramelizar procurando não mexer. - Quando a calda atingir a cor âmbar, coloque-a na forma de pudim espalhando bem pelas laterais e pelo meio.

PUDIM - Dissolva a maria-mole em água quente e reserve. - No liquidificador, junte o leite condensado, o creme de leite e a maria-mole dissolvida e bata até ficar homogêneo. - Depois, derrame a mistura do pudim na forma e leve para gelar por pelo menos 4 horas. - Umedeça o biscoito no leite e cubra o pudim de biscoito, volte para geladeira por uns 30 minutos. - Em um prato, vire o pudim.

Doação de sangue O Hemocentro de Mossoró perdeu a sua unidade móvel de coleta e viu o estoque de bolsas de sangue reduzir consideravelmente.. Página 7

Colunas

José Nicodemos

Página 3

José de Paiva Rebouças Página 14

• Edição – C&S Assessoria de Comunicação • Editor-geral – Edilson Damasceno • Editor Interino– Magnos Alves • Dia­gra­ma­ção – Rick Waekmann • Projeto gráfico – Augusto Paiva • Im­pres­são – Grá­fi­ca De Fa­to • Re­vi­são – Gilcileno Amorim • Foto – Marcos Garcia Re­da­ção, pu­bli­ci­da­de e cor­res­pon­dên­cia Av. Rio Bran­co, 2203 – Mos­so­ró (RN) Fo­nes: (0xx84) 3323-8900/8909 Si­te: www.de­fa­to.com/do­min­go E-mail: re­da­cao@de­fa­to.com

Do­min­go é uma pu­bli­ca­ção se­ma­nal do Jor­nal de Fa­to. Não po­de ser ven­di­da se­pa­ra­da­men­te.

2

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

15


OPINIÃO [ ARTIGO

OPINIÃO [ CRÔNICA

A professora José de Paiva Rebouças josedepaivareboucas@gmail.com

Ameaçada três vezes, uma faca no pescoço, um dedo em riste e um aviso na parede, a professora decidiu andar com um revólver. Nunca havia dado um tiro sequer, mas gostaria muito, principalmente em sala de aula, na cara do marginalzinho. E na primeira oportunidade, sacou o trabuco da bolsa e disparou de olhos fechados. Sangue cobrindo as cadeiras, manchando o quadro negro e escurecendo o chão. Jovens mortos, outros baleados, gritaria, pandemônio, polícia, imprensa e ela no meio de tudo aquilo sem reação de nada. Caiu em si somente alguns instantes depois, então gritou feito louca para que a prendessem e a matassem, mas lhe deram um copo de água com açúcar e pediram-na que se acalmasse. Nós a entendemos, disseram, enquanto continuavam indo e vindo, atentos apenas ao cenário da catástrofe. Deram-lhe um calmante e a levaram para casa. Dormiu como uma pedra. Ao acordar já era outro dia. A cabeça nas mãos e uma vontade imensa de vomitar as vísceras. Um nó na garganta, um frio na espinha. Ligou no noticiário e só falavam na chacina da escola, mas nenhuma reação contra ela. Ao contrário, puxavam a ficha das crianças mortas, chamavam-nas de delinquentes e culpavam os pais. A professora, de certo, tivera um esgotamento e fizera o que qualquer um faria em seu lugar, comentavam. Cortou o pé quando o copo caiu de sua mão e espatifou-se no piso. Estava louca, não ouvira aquilo. O linchamento era o mínimo que merecia, não a compreensão. Via as imagens, as fotos das crianças e o sangue no pé quando se vomitou por inteira. O remorso lhe partiu ao meio. Doeu-lhe o estômago como se tivesse engolido chumbo derretido. Saiu à rua como estava, descalça, o pé sangrando e um pijama listrado.

14

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Queria ser linchada. Morreria por uma pedra, um pedaço de pau, mas à medida que caminhava, percebia que ninguém a percebia. Continuava sendo um rosto comum apesar das imagens na televisão e redes sociais. Atônita, olhava o trânsito, as ruas da periferia, finas e sujas, como a sua vida agora. Precisava morrer, devia ter atirado na própria boca, arrancado o cérebro e se misturado ao sangue dos alunos. Gritou pela polícia que passava sem pressa, mas os policiais só acenaram. Desesperada, correu novamente, sedentária, os pés em desacordo lhe fazendo parecer ainda mais estranha. Cruzou a principal, seis faixas, três da cada lado, mas nenhum carro a atropelou. Ninguém nem mesmo buzinou para ela. Voltou, abriu os braços, sentou-se no asfalto, deitou-se, mas continuou viva. Uma questão incompreensível, uma angústia perfurante, pior do que qualquer golpe na pele: uma gilete cortando, um prego na palma da mão; o corpo ralando no asfalto. A sensação de ter matado doía, de ter matado crianças doía muito mais, e a falta de punição a atravessava como uma furadeira. Cortava a carne em parafuso, mas não sangrava, coagulava e virava pedra. Sensação de gazes esquecidas na cirurgia, de um dia sem beber água e sem comer. Quanto mais andava, mais se enfurecia consigo mesma. As imagens não saiam da tevê, mas ninguém a caçava,

nem a atingia. Todos estavam solidários à sua reação bestial. Quando comprou a arma queria atirar, quando a sacou na sala de aula pensou o mesmo. Era um jogo até tudo terminar, até ver a mancha púrpura sob as carteiras, o fim de vidas que sequer tinham começado. Sem balas correu para ser atingida, mas ninguém a notou, depois percebeu que alguém fazia a sua defesa e aí todos seguiram aquela opinião. Todos a entendiam, a perdoavam e aquilo era tão esdrúxulo que ela pulou do décimo primeiro andar. Antes de alcançar o chão, pensou que jamais havia subido tão alto. Escolhera o Grande Hotel porque sempre quis se hospedar ali: usar a banheira, deitar na varanda, gastar de uma só vez o salário. Entrou no prédio, pegou o elevador e subiu até vê-lo parar e abrir as portas. Aproveitou a distração da camareira, chegou ao quarto, fechou a porta e caminhou olhando a varanda de onde se podia ver parte importante da cidade. As batidas na porta, os gritos no corredor e o barulho tão comum de sirenes e buzinas onze andares abaixo não a distraíram. Sentiu alívio quando a brisa lhe soprou os cabelos. Sorriu e saltou de braços abertos até não ver mais nada. Bombeiros a tiraram de um grande balão de ar que aparou sua queda. Foi contida e calada com um calmante quando tentou gritar. Acordou em casa, a tevê ligada, as cenas da chacina se repetiam no jornal da manhã. Na rua, as pessoas diziam aos repórteres que ela não tinha culpa e que qualquer um reagiria da mesma forma estando em seu lugar.

O filme da memória josé nicodemos aristida603@hotmail.com

O

açude, que não era açude, sim uma grande lagoa formada pelas águas das chuvas, seco, era o monturo da cidade. Do outro lado da água, seis casinhas de taipa cobertas de palha de coqueiro, pegadas e iguais, porta e janela. Uma era a do velho Fumo-Bom. Na frente, uma tamarineira velha, ali seus duzentos anos, diziam. À sombra dela, deitado numa espreguiçadeira de lona encardida, meio puída, o velho Fumo-Bom cochilava os seus cento e dez anos, de vez em quando despertando aos sobressaltos. Morrera-lhe a companheira da vida toda, que se chamava Isabel, dona Isabel, e ele morava sozinho: era-lhe a única companhia um cachorro velho, que ficava ali enrodilhado ao pé da espreguiçadeira, também cochilando, e também a despertar de quando em quando, com uns latidos sem força, abocanhando as moscas. As pessoas riam dos dois, o velho e o cachorro. Igualmente caducos. E sempre que acordava dos seus cochilos do cansaço dos anos, o velho Fumo-Bom, fazendo menção de levantar-se, mas em vão, soltava um grito cavo, cansado e mole, algumas vezes quase inaudível: – Maria Isabé. A meninada ali da ruazinha se divertia, e fora das vistas dos pais cutucava o velho, na ponta do nariz, meio adunco, com um palito de palha de coqueiro. O velho acordava, sobressaltado: – Maria Isabé. Devia sonhar com ela, dona Isabel, a companheira ao longo de mais de setenta anos, certo a fixação que lhe ficara no ser psíquico e sentimental, por força do costume. A longa convivência, se bem que tão curta vida, lembrando aqui o verso do soneto imortal. A velhice não é outra coisa mais

senão um doce processo de lembranças e recordações. Um círculo de fixações – os melhores momentos da vida. Perdidos na rolança do tempo. Não podia ser outra coisa aquele –

Maria Isabé – sempre presente no despertar dos cochilos, sob o peso de mais de um século, do velho Fumo-Bom. Por assim dizer, o filme da memória sensorial fixada pelo sentimento. DOMINGO, 12 de agosto de 2018

3


ENTREVISTA

ADRIANA LAMARTINE

“A maconha medicinal já é uma realidade no Brasil”

Por José de Paiva Rebouças/Jornalista

Natal receberá no dia 25 de agosto o primeiro evento sobre cannabis medicinal do Rio Grande do Norte. A iniciativa vai discutir o uso medicinal da maconha, com direito a workshops, artes, orientações sobre o tema e shows. DOMINGO conversou com Adriana Lamartine, uma das realizadoras do evento, que fala sobre o que ele representa e também da importância do uso da maconha para uso medicinal, “até mesmo no combate ao câncer”. Confira.

4

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

biomassas adoro comer

P

esquisadores potiguares patentearam biomassas desenvolvidas a partir de rejeitos do caju e do jerimum, a partir das quais, poderão ser produzidos aditivos antioxidantes, alimentos com ação nutritiva e, ainda, novos fitomedicamentos. O trabalho é fruto de projetos desenvolvidos por estudantes do curso de Nutrição e do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGB) de uma universidade privada, que culminaram no depósito de três patentes junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Por meio da nanobiotecnologia, é feito o reaproveitamento desses alimentos. O interesse em desenvolver projetos nessa linha abrange um contingente nacional, pois mediante os resultados encontrados, são produzidas novas matérias da indústria alimentícia. Esses materiais podem ser comercializados e assim contribuir para um ambiente economicamente sustentável. A partir das sementes e casca do jerimum, as então graduadas em Nutrição Amélia Elislândia Gomes Guedes e Lígia Almeida e Albuquerque Melo geraram a primeira produtividade de propriedade industrial (PI) do Curso. O trabalho se desdobrou em uma nova pesquisa do PPGB com o bagaço do caju para produção de novos nanobioprodutos alimentícios. O trabalho de graduação foi orientado pela profa. dra. Maria Aparecida Maciel e pelo professor Leonardo Araújo, que se tornaram, respectivamente, orientadora e autor da pesquisa da pós-graduação. Nessa parceria, encontra-se também a profa. dra. Heryka Ramalho, que estuda biomassas nutricionais, com destaque em nível de graduação, para o trabalho de conclusão de curso da então graduada Kalline Alves de Araújo. Segundo a equipe de pesquisadores, rejeitos orgânicos precisam ser aproveitados, pois à medida que são descartados no ambiente sua decomposição, podem agredir a natureza. Portanto, reutilizá-los, além de servir de nova fonte de nutrientes, vai preservar o meio ambiente.

Pesquisadores que patentearam biomassas desenvolvidas a partir de rejeitos do caju e do jerimum

A escolha do caju e jerimum também tem sua explicação: “Ambos os frutos são regionais e possuem potencial nutricional. O cajueiro, por exemplo, tem uma grande produção de rejeito do bagaço do caju em função da venda de sucos, doces e castanha”, explica a professora Maria Aparecida Maciel, responsável pela orientação de pesquisas desenvolvidas com rejeitos orgânicos. PRÊMIOS Os trabalhos, juntamente com ou-

tros projetos desenvolvidos com recursos naturais, trouxeram para Maria Aparecida Maciel uma posição no Top 100 Scientists 2018, iniciativa da International Biographical Centre, em Cambridge, Inglaterra. “Esse resultado é do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da UnP, que tem como função capacitar e incentivar os alunos, expandindo assim seus conhecimentos científicos e as oportunidades de atuação na área biotecnológica”, afirma a professora. DOMINGO, 12 de agosto de 2018

13


biomassas

ENTREVISTA

DOMINGO – Qual o objetivo do Primeiro Festival Canábico do RN? ADRIANA LAMARTINE – O Festival Delta9 foi pensado coletivamente para fomentar a discussão em torno da cannabis, desde a política antidrogas à defesa do autocultivo para uso terapêutico e recreativo. O evento sintoniza com o cenário mundial, no qual países como Canadá, Uruguai, Estados Unidos, Portugal e Espanha estão lidando de forma mais tolerante e até comercial com o consumo da cannabis. VOCÊS sofrem algum tipo de preconceito de pessoas que possam dizer que será um evento para o consumo de maconha? NÃO diretamente, principalmente pelo fato de abordarmos o tema numa perspectiva medicinal, sempre tratando a planta através de seu uso terapêutico.

Ciência >> Pesquisadores do RN patenteiam biomassas produzidas a partir do caju e jerimum

12 DOMINGO, 12 de agosto de 2018

COMO realmente funciona esse evento? A PROGRAMAÇÃO do Festival Delta9 será aberta com workshop de introdução ao cultivo medicinal da planta: passo a passo da germinação da semente até a colheita, pragas que podem acometê-la, tipos de luz, cultivo indoor e outdoor, além de sanar dúvidas da plateia. O segundo workshop mostrará como extrair o óleo medicinal da flor da cannabis sativa para fazer remédio, a fim de que responsáveis por pacientes possam fazê-lo de forma caseira e segura. Paralelamente, serão realizadas orientações sobre redução de danos e uso medicinal em patologias como epilepsia e Parkinson no estande do Coletivo Delta9, organizador do festival. Também estarão por lá as marcas Barracuda e Mr. Blunts, as quais venderão produtos para o uso canábico, desde piteiras a vaporizadores. O Hempadão, famoso site do Rio de Janeiro que produz conteúdo jornalístico relacionado ao uso da maconha há sete anos, fará a cobertura do festival. A programação cultural contará com exposição fotográfica O Ser de LuAna e grafitagem ao vivo com

o artista ArbustusArbus. A banda Rastabrothers abre o palco às 17h, seguida pelo DJ Gabriel Carvalho, pela banda Skarimbó, pela DJ Jaiara Fontes e, encerrando a noite, a banda DuSouto. O festival segue a tendência de outros ao redor do país, como o Ganja Talks (SP), em sua terceira edição neste ano, e o Pot in Rio (RJ), na sexta edição também em 2018. O RN já teve decisão judicial liberando o cultivo da cannabis para uso medicinal. Essa é uma tendência no estado e no país? SIM, essa é uma tendência. No dia 10 de julho deste ano, foi apresentado o projeto de lei que disciplina o controle, a fiscalização e a regulamentação do uso da cannabis no Brasil. O texto foi construído seguindo a tendência internacional, inspirado em experiências bem-sucedidas em países como Uruguai, EUA, Espanha e Portugal. O projeto de lei 10.549/18 regulamenta o uso da cannabis para uso medicinal e também para uso pessoal. Além disso, dispõe sobre o autocultivo, o cultivo por meio de cooperativas e a produção para fins medicinais. O texto também propõe a distinção objetiva entre usuários e traficantes pela quantidade para o uso pessoal até 10 dias, conforme experiência de sucesso em Portugal, e descriminaliza o usuário. JÁ EXISTE alguma regra definida para cultivo da maconha medicinal no Brasil? A MACONHA medicinal já é uma realidade no Brasil: mais de 78 mil unidades de produtos à base da planta foram importadas pelo país desde que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou o uso terapêutico de canabidiol em janeiro de 2015. E hoje, no Brasil, cerca de 28 famílias plantam legalmente para fins medicinais. QUAIS as vantagens de ter o próprio cultivo? A PRINCIPAL vantagem é saber exatamente o que está consumindo.

A planta, através de sua genética, pode ter maior ou menor concentração de canabinoides e a depender da patologia do paciente se encontra uma variedade que possa atender melhor às suas expectativas. É claro que o mais conhecido é o nosso amigo delta-9-tetrahidrocanabinol (THC). No entanto Guzman (2009) alerta: ”Enquanto o THC é o que faz a cannabis ser popular como droga recreativa, ele é apenas um dentre mais de 400 compostos derivados da planta que podem contribuir para seu efeito terapêutico.” JÁ EXISTE produção industrial no Brasil? INDUSTRIAL, não. Por enquanto, existe um remédio à base de cannabis que é vendido nas farmácias do Brasil. Seu nome é Mevatyl, um spray produzido na Grã-Bretanha pela GW Pharma. Ele pode ser indicado para tratamento de contração muscular ligada à esclerose múltipla e tem o custo de cerca de R$ 1.800,00 a R$ 2.300,00 o frasco, e seu valor alto impede vários pacientes de terem acesso ao medicamento. QUAIS são realmente os benefícios confirmados do uso medicinal da maconha? TEMOS uma vasta relação de benefícios confirmados pelo uso medicinal da maconha. A planta traz melhora efetiva em males como a dor crônica e espasmos musculares; autismo; glaucoma; a doença de Parkinson; doença de Alzheimer; epilepsia; síndrome de Dravet; câncer (sim, você leu corretamente, a maconha é antitumoral - o CDB pode ajudar a evitar que o câncer se espalhe, segundo um estudo feito por pesquisadores do California Pacific Medical Center, nos EUA, em 2007). Além disso, o maior instituto de combate ao câncer, o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos (NCI), após dois anos de estudo sobre os efeitos desses componentes no organismo de ratos com câncer, percebeu que a cannabis reduz o crescimento do tumor e é capaz de realmente eliminar as células responsáDOMINGO, 12 de agosto de 2018

5


ENTREVISTA veis pelo câncer. Ainda vale acrescentarmos nessa lista a ansiedade; esclerose múltipla; hepatite C; insônia; doenças inflamatórias intestinais; estresse pós-traumático, dentre outras. COMO o produto é adquirido hoje? O REMÉDIO pode ser adquirido hoje em pouquíssimas farmácias, com o nome de Mevatyl, como já foi citado acima; o paciente também pode importar o medicamento através da Anvisa. Outra alternativa é adquirir através de associações que já produzem o medicamento de forma legal, como exemplo a Abrace Esperança, que funciona em João Pessoa (PB), e ainda através do autocultivo, e para os pacientes que optam pelo cultivo caseiro, há a possibilidade de

exposição conseguir um salvo-conduto e habeas corpus que protege o paciente e suas plantas de operações policiais. QUANDO surgiu a ideia de realizar eventos para discutir o uso medicinal da maconha? O DELTA9 surgiu em 2016, com o nome inspirado no composto da maconha (delta-9 tetrahydrocannabinol/THC), princípio ativo responsável pelos efeitos terapêuticos da planta. Em seu sexto evento, o coletivo pretende fomentar o debate em torno da cannabis tanto sob a perspectiva científica quanto sociocultural, além de inserir Natal no mapa de eventos canábicos. A LIBERAÇÃO do uso medicinal é um passo para a liberação

do uso recreativo? A LIBERAÇÃO já existe em vários países, e os estudos comprovam que não há aumento do consumo onde a planta foi regulamentada. A liberação para uso medicinal será um passo enorme para a melhora e cura de diversas enfermidades e poupará a vida de diversas pessoas. Vale citar aqui a vida de Gustavo, uma criança de 1 ao e 4 meses que morreu vítima de complicações depois de uma luta da família para controlar os sintomas da síndrome de Dravet - uma doença rara que provoca crises epilépticas. A família de Gustavo integra o grupo de pessoas que tentava, via Ministério da Saúde, liberar no Brasil o uso da cannabis para tratar seu filho em 2014. Para que isso não aconteça mais, levantamos a bandeira da cannabis pela vida.

O

Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Norte (SESC RN) promoverá, até o dia 31 de agosto, a 1ª exposição do ano no Sesc Mossoró. A vernissage de Tropicália neobarroca ou Tropifagia dos sentidos, do artista mossoroense Isaías Medeiros, foi realizada na terçafeira (7) e a exposição, que já passou por Natal, está aberta ao público de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h. O projeto artístico retrata o movimento tropicalista em formato estético anacrônico, tendo como modelo de arte o neobarroco. A junção de estilos e temas originais de séculos diferentes evidencia a perspectiva única do autor, que dá uma nova roupagem ao movimento musical, literário e artístico da cultura popular brasileira entre 1967 e 1968. As 11 telas que compõem a exposição retratam ícones da Tropicália, bem como a luta pela afirmação da identidade de gênero e o respeito pela diversidade religiosa presentes no movimento. O ARTISTA Natural de Mossoró, Isaías do Nascimento é artista plástico autodidata. Ele se inspirou no Movimento Tropicalista para a produção de suas pinturas, unindo música, literatura e arte em uma mistura de cores expressivas que retratam os principais nomes do tropicalismo, bem como o sentimento de ruptura que deu forma ao movimento. “A exposição intenciona apresentar

uma homenagem ao cinquentenário do movimento por meio de um olhar sinestésico, o qual permeia a possibilidade visual para o gozo dos sentidos, a miscigenação do Brasil e toda a sua diversidade, além do quadro sócio-históricopolítico da época, contextualizado com a atual conjuntura”, explica.

Artista Isaías Medeiros traz sua exposição para a terra natal

6

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

GALERIA SESC A exposição foi selecionada por meio edital para o Galeria Sesc. Em sua quarta edição, o projeto selecionou seis trabalhos para compor o calendá-

rio de exposições 2018. Além da exposição do artista mossoroense, foram escolhidos: “A estrada é longa” de Lucas MDS; “Cidade invisível”, de Mário Rasec; “Interferência urbana”, de Flávio Aquino; “Modern violence”, de Matthieu Duvignaud; e “Siso oro – imagens falantes”, de Antônio Gil. Cada selecionado recebe um prêmio no valor de R$ 2.300,00 brutos, além de recursos técnicos e financeiros para a produção das exposições, assessoria em arte-educação e mediação cultural, totalizando R$ 48 mil investidos. DOMINGO, 12 de agosto de 2018

11


exposição

realidade do Hemocentro

Tropicália em quadros

>> Com o título “Tropicália neobarroca ou Tropifagia dos sentidos”, exposição do artista Isaías Medeiros prossegue em Mossoró até o dia 31

10 DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Sem sangue >> Hemocentro de Mossoró perde unidade móvel de coleta e reduz bolsas de sangue em estoque

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

7


realidade do Hemocentro

realidade do Hemocentro

I

mprescindível para salvar a vida de pessoas, as doações de sangue estão em baixa em Mossoró. Um dos motivos é que o Hemocentro local não conta mais com a sua unidade móvel de coleta. O veículo, um ônibus, foi recolhido pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP) por apresentar problemas mecânicos e na fuselagem, resultado dos mais de 20 anos de uso. A última coleta realizada pela unidade móvel foi no mês de fevereiro passado e, segundo a assistente social do Hemocentro Eciran Targino, o veículo foi recolhido no mês seguinte. O prejuízo é grande para o Hemocentro e para pessoas que precisam de doações de sangue para serem salvas. A unidade móvel era responsável pela coleta de cerca de 500 bolsas de sangue por mês, de um total de 1.200 bolsas da unidade. A ausência da unidade móvel já levou o Hemocentro a entrar em colapso no final do mês de junho passado, chegando a ter estoques zerados dos sangues A+, O+ e O-. Atualmente, a situação não está tão ruim, mas exige atenção e campanhas permanentes em busca de doadores. “Agora melhoraram [os estoques], mas precisamos ficar vigilantes para não baixar”, observa Eciran Targino. Sem o veículo, os parceiros estão

Sesap desconhece realidade do Hemocentro

Estoques de sangue ficaram zerados no final de junho

tendo de ir até o Hemocentro para realizar as campanhas de doações. Foi o caso de uma ação realizada pela Ordem Advogados Brasil (OAB) subseção de Mossoró na última quintafeira (9). A campanha é realizada todo ano dentro do Mês da Advocacia, normalmente na sede da OAB, mas, neste ano, os advogados tiveram de se deslocar até a sede do Hemocentro. “Fo-

Procurada por DOMINGO, a Sesap demonstrou total desconhecimento da realidade e das dificuldades do Hemocentro de Mossoró. Questionada sobre quando a unidade local iria receber uma nova unidade móvel, a Sesap informou que “atualmente, a cidade de Mossoró já conta com uma unidade móvel em funcionamento, além de um ônibus”. Uma informação totalmente fora da realidade, já que segundo os funcionários, o Hemocentro não conta com qualquer unidade móvel. DOMINGO tentou falar com o Hemonorte, mas o telefone do órgão apa-

mos surpreendidos com a informação de que o Hemocentro não contava mais com o ônibus”, declarou o advogado Canindé Maia, presidente da OAB subseção de Mossoró. E não há previsão para a chegada de um novo veículo. “Todos os nossos processos para aquisição desses bens maiores são feitos pelo Hemonorte”, explica a assistente social.

Ônibus foi recolhido por apresentar problemas mecânicos e na fuselagem

rentemente estava cortado. Um problema que atinge todos os órgãos da saúde pública no Rio Grande do Norte, por falta de pagamento. O próprio telefone do Hemocentro de Mossoró também está cortado.

OAB teve de realizar campanha no próprio Hemocentro

Anselmo já doa sangue há quase 24 anos

DOADOR DE CARTEIRINHA Enquanto vai administrando os problemas, o Hemocentro de Mossoró conta, cada vez mais, com a generosidade e iniciativa dos doadores. É o caso de Joaquim Anselmo. Ele já vai com-

pletar 24 anos como doador. “Comecei em outubro de 1994, quando mamãe adoeceu, e não parei mais”, relata. Anselmo diz que a sensação do doador é de sair de casa para fazer o bem. Ele recomenda o ato para outras pessoas. “Se tivesse muita gente com essa visão e na hora de doar o sangue, acrescentar mais um pouco para se cadastrar no Redome, muita gente que precisa do transplante de medula, passaria a ter uma esperança maior”, ressalta o voluntário.

Requisitos básicos para doar sangue – Estar em boas condições de saúde. – Ter entre 16 e 69 anos de idade, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, devem ter o consentimento formal do responsável legal, assinando o formulário de autorização no Hemocentro). – Pesar acima de 50 kg. – Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas na noite anterior). – Estar bem alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4

8 DOMINGO, 12 de agosto de 2018

horas que antecedem a doação). – Não fumar por, pelo menos, 2 horas antes da doação. – Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação. – Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, cartão de identidade de profissional liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

9


realidade do Hemocentro

realidade do Hemocentro

I

mprescindível para salvar a vida de pessoas, as doações de sangue estão em baixa em Mossoró. Um dos motivos é que o Hemocentro local não conta mais com a sua unidade móvel de coleta. O veículo, um ônibus, foi recolhido pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP) por apresentar problemas mecânicos e na fuselagem, resultado dos mais de 20 anos de uso. A última coleta realizada pela unidade móvel foi no mês de fevereiro passado e, segundo a assistente social do Hemocentro Eciran Targino, o veículo foi recolhido no mês seguinte. O prejuízo é grande para o Hemocentro e para pessoas que precisam de doações de sangue para serem salvas. A unidade móvel era responsável pela coleta de cerca de 500 bolsas de sangue por mês, de um total de 1.200 bolsas da unidade. A ausência da unidade móvel já levou o Hemocentro a entrar em colapso no final do mês de junho passado, chegando a ter estoques zerados dos sangues A+, O+ e O-. Atualmente, a situação não está tão ruim, mas exige atenção e campanhas permanentes em busca de doadores. “Agora melhoraram [os estoques], mas precisamos ficar vigilantes para não baixar”, observa Eciran Targino. Sem o veículo, os parceiros estão

Sesap desconhece realidade do Hemocentro

Estoques de sangue ficaram zerados no final de junho

tendo de ir até o Hemocentro para realizar as campanhas de doações. Foi o caso de uma ação realizada pela Ordem Advogados Brasil (OAB) subseção de Mossoró na última quintafeira (9). A campanha é realizada todo ano dentro do Mês da Advocacia, normalmente na sede da OAB, mas, neste ano, os advogados tiveram de se deslocar até a sede do Hemocentro. “Fo-

Procurada por DOMINGO, a Sesap demonstrou total desconhecimento da realidade e das dificuldades do Hemocentro de Mossoró. Questionada sobre quando a unidade local iria receber uma nova unidade móvel, a Sesap informou que “atualmente, a cidade de Mossoró já conta com uma unidade móvel em funcionamento, além de um ônibus”. Uma informação totalmente fora da realidade, já que segundo os funcionários, o Hemocentro não conta com qualquer unidade móvel. DOMINGO tentou falar com o Hemonorte, mas o telefone do órgão apa-

mos surpreendidos com a informação de que o Hemocentro não contava mais com o ônibus”, declarou o advogado Canindé Maia, presidente da OAB subseção de Mossoró. E não há previsão para a chegada de um novo veículo. “Todos os nossos processos para aquisição desses bens maiores são feitos pelo Hemonorte”, explica a assistente social.

Ônibus foi recolhido por apresentar problemas mecânicos e na fuselagem

rentemente estava cortado. Um problema que atinge todos os órgãos da saúde pública no Rio Grande do Norte, por falta de pagamento. O próprio telefone do Hemocentro de Mossoró também está cortado.

OAB teve de realizar campanha no próprio Hemocentro

Anselmo já doa sangue há quase 24 anos

DOADOR DE CARTEIRINHA Enquanto vai administrando os problemas, o Hemocentro de Mossoró conta, cada vez mais, com a generosidade e iniciativa dos doadores. É o caso de Joaquim Anselmo. Ele já vai com-

pletar 24 anos como doador. “Comecei em outubro de 1994, quando mamãe adoeceu, e não parei mais”, relata. Anselmo diz que a sensação do doador é de sair de casa para fazer o bem. Ele recomenda o ato para outras pessoas. “Se tivesse muita gente com essa visão e na hora de doar o sangue, acrescentar mais um pouco para se cadastrar no Redome, muita gente que precisa do transplante de medula, passaria a ter uma esperança maior”, ressalta o voluntário.

Requisitos básicos para doar sangue – Estar em boas condições de saúde. – Ter entre 16 e 69 anos de idade, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, devem ter o consentimento formal do responsável legal, assinando o formulário de autorização no Hemocentro). – Pesar acima de 50 kg. – Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas na noite anterior). – Estar bem alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4

8 DOMINGO, 12 de agosto de 2018

horas que antecedem a doação). – Não fumar por, pelo menos, 2 horas antes da doação. – Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação. – Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, cartão de identidade de profissional liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

9


exposição

realidade do Hemocentro

Tropicália em quadros

>> Com o título “Tropicália neobarroca ou Tropifagia dos sentidos”, exposição do artista Isaías Medeiros prossegue em Mossoró até o dia 31

10 DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Sem sangue >> Hemocentro de Mossoró perde unidade móvel de coleta e reduz bolsas de sangue em estoque

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

7


ENTREVISTA veis pelo câncer. Ainda vale acrescentarmos nessa lista a ansiedade; esclerose múltipla; hepatite C; insônia; doenças inflamatórias intestinais; estresse pós-traumático, dentre outras. COMO o produto é adquirido hoje? O REMÉDIO pode ser adquirido hoje em pouquíssimas farmácias, com o nome de Mevatyl, como já foi citado acima; o paciente também pode importar o medicamento através da Anvisa. Outra alternativa é adquirir através de associações que já produzem o medicamento de forma legal, como exemplo a Abrace Esperança, que funciona em João Pessoa (PB), e ainda através do autocultivo, e para os pacientes que optam pelo cultivo caseiro, há a possibilidade de

exposição conseguir um salvo-conduto e habeas corpus que protege o paciente e suas plantas de operações policiais. QUANDO surgiu a ideia de realizar eventos para discutir o uso medicinal da maconha? O DELTA9 surgiu em 2016, com o nome inspirado no composto da maconha (delta-9 tetrahydrocannabinol/THC), princípio ativo responsável pelos efeitos terapêuticos da planta. Em seu sexto evento, o coletivo pretende fomentar o debate em torno da cannabis tanto sob a perspectiva científica quanto sociocultural, além de inserir Natal no mapa de eventos canábicos. A LIBERAÇÃO do uso medicinal é um passo para a liberação

do uso recreativo? A LIBERAÇÃO já existe em vários países, e os estudos comprovam que não há aumento do consumo onde a planta foi regulamentada. A liberação para uso medicinal será um passo enorme para a melhora e cura de diversas enfermidades e poupará a vida de diversas pessoas. Vale citar aqui a vida de Gustavo, uma criança de 1 ao e 4 meses que morreu vítima de complicações depois de uma luta da família para controlar os sintomas da síndrome de Dravet - uma doença rara que provoca crises epilépticas. A família de Gustavo integra o grupo de pessoas que tentava, via Ministério da Saúde, liberar no Brasil o uso da cannabis para tratar seu filho em 2014. Para que isso não aconteça mais, levantamos a bandeira da cannabis pela vida.

O

Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Norte (SESC RN) promoverá, até o dia 31 de agosto, a 1ª exposição do ano no Sesc Mossoró. A vernissage de Tropicália neobarroca ou Tropifagia dos sentidos, do artista mossoroense Isaías Medeiros, foi realizada na terçafeira (7) e a exposição, que já passou por Natal, está aberta ao público de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h. O projeto artístico retrata o movimento tropicalista em formato estético anacrônico, tendo como modelo de arte o neobarroco. A junção de estilos e temas originais de séculos diferentes evidencia a perspectiva única do autor, que dá uma nova roupagem ao movimento musical, literário e artístico da cultura popular brasileira entre 1967 e 1968. As 11 telas que compõem a exposição retratam ícones da Tropicália, bem como a luta pela afirmação da identidade de gênero e o respeito pela diversidade religiosa presentes no movimento. O ARTISTA Natural de Mossoró, Isaías do Nascimento é artista plástico autodidata. Ele se inspirou no Movimento Tropicalista para a produção de suas pinturas, unindo música, literatura e arte em uma mistura de cores expressivas que retratam os principais nomes do tropicalismo, bem como o sentimento de ruptura que deu forma ao movimento. “A exposição intenciona apresentar

uma homenagem ao cinquentenário do movimento por meio de um olhar sinestésico, o qual permeia a possibilidade visual para o gozo dos sentidos, a miscigenação do Brasil e toda a sua diversidade, além do quadro sócio-históricopolítico da época, contextualizado com a atual conjuntura”, explica.

Artista Isaías Medeiros traz sua exposição para a terra natal

6

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

GALERIA SESC A exposição foi selecionada por meio edital para o Galeria Sesc. Em sua quarta edição, o projeto selecionou seis trabalhos para compor o calendá-

rio de exposições 2018. Além da exposição do artista mossoroense, foram escolhidos: “A estrada é longa” de Lucas MDS; “Cidade invisível”, de Mário Rasec; “Interferência urbana”, de Flávio Aquino; “Modern violence”, de Matthieu Duvignaud; e “Siso oro – imagens falantes”, de Antônio Gil. Cada selecionado recebe um prêmio no valor de R$ 2.300,00 brutos, além de recursos técnicos e financeiros para a produção das exposições, assessoria em arte-educação e mediação cultural, totalizando R$ 48 mil investidos. DOMINGO, 12 de agosto de 2018

11


biomassas

ENTREVISTA

DOMINGO – Qual o objetivo do Primeiro Festival Canábico do RN? ADRIANA LAMARTINE – O Festival Delta9 foi pensado coletivamente para fomentar a discussão em torno da cannabis, desde a política antidrogas à defesa do autocultivo para uso terapêutico e recreativo. O evento sintoniza com o cenário mundial, no qual países como Canadá, Uruguai, Estados Unidos, Portugal e Espanha estão lidando de forma mais tolerante e até comercial com o consumo da cannabis. VOCÊS sofrem algum tipo de preconceito de pessoas que possam dizer que será um evento para o consumo de maconha? NÃO diretamente, principalmente pelo fato de abordarmos o tema numa perspectiva medicinal, sempre tratando a planta através de seu uso terapêutico.

Ciência >> Pesquisadores do RN patenteiam biomassas produzidas a partir do caju e jerimum

12 DOMINGO, 12 de agosto de 2018

COMO realmente funciona esse evento? A PROGRAMAÇÃO do Festival Delta9 será aberta com workshop de introdução ao cultivo medicinal da planta: passo a passo da germinação da semente até a colheita, pragas que podem acometê-la, tipos de luz, cultivo indoor e outdoor, além de sanar dúvidas da plateia. O segundo workshop mostrará como extrair o óleo medicinal da flor da cannabis sativa para fazer remédio, a fim de que responsáveis por pacientes possam fazê-lo de forma caseira e segura. Paralelamente, serão realizadas orientações sobre redução de danos e uso medicinal em patologias como epilepsia e Parkinson no estande do Coletivo Delta9, organizador do festival. Também estarão por lá as marcas Barracuda e Mr. Blunts, as quais venderão produtos para o uso canábico, desde piteiras a vaporizadores. O Hempadão, famoso site do Rio de Janeiro que produz conteúdo jornalístico relacionado ao uso da maconha há sete anos, fará a cobertura do festival. A programação cultural contará com exposição fotográfica O Ser de LuAna e grafitagem ao vivo com

o artista ArbustusArbus. A banda Rastabrothers abre o palco às 17h, seguida pelo DJ Gabriel Carvalho, pela banda Skarimbó, pela DJ Jaiara Fontes e, encerrando a noite, a banda DuSouto. O festival segue a tendência de outros ao redor do país, como o Ganja Talks (SP), em sua terceira edição neste ano, e o Pot in Rio (RJ), na sexta edição também em 2018. O RN já teve decisão judicial liberando o cultivo da cannabis para uso medicinal. Essa é uma tendência no estado e no país? SIM, essa é uma tendência. No dia 10 de julho deste ano, foi apresentado o projeto de lei que disciplina o controle, a fiscalização e a regulamentação do uso da cannabis no Brasil. O texto foi construído seguindo a tendência internacional, inspirado em experiências bem-sucedidas em países como Uruguai, EUA, Espanha e Portugal. O projeto de lei 10.549/18 regulamenta o uso da cannabis para uso medicinal e também para uso pessoal. Além disso, dispõe sobre o autocultivo, o cultivo por meio de cooperativas e a produção para fins medicinais. O texto também propõe a distinção objetiva entre usuários e traficantes pela quantidade para o uso pessoal até 10 dias, conforme experiência de sucesso em Portugal, e descriminaliza o usuário. JÁ EXISTE alguma regra definida para cultivo da maconha medicinal no Brasil? A MACONHA medicinal já é uma realidade no Brasil: mais de 78 mil unidades de produtos à base da planta foram importadas pelo país desde que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou o uso terapêutico de canabidiol em janeiro de 2015. E hoje, no Brasil, cerca de 28 famílias plantam legalmente para fins medicinais. QUAIS as vantagens de ter o próprio cultivo? A PRINCIPAL vantagem é saber exatamente o que está consumindo.

A planta, através de sua genética, pode ter maior ou menor concentração de canabinoides e a depender da patologia do paciente se encontra uma variedade que possa atender melhor às suas expectativas. É claro que o mais conhecido é o nosso amigo delta-9-tetrahidrocanabinol (THC). No entanto Guzman (2009) alerta: ”Enquanto o THC é o que faz a cannabis ser popular como droga recreativa, ele é apenas um dentre mais de 400 compostos derivados da planta que podem contribuir para seu efeito terapêutico.” JÁ EXISTE produção industrial no Brasil? INDUSTRIAL, não. Por enquanto, existe um remédio à base de cannabis que é vendido nas farmácias do Brasil. Seu nome é Mevatyl, um spray produzido na Grã-Bretanha pela GW Pharma. Ele pode ser indicado para tratamento de contração muscular ligada à esclerose múltipla e tem o custo de cerca de R$ 1.800,00 a R$ 2.300,00 o frasco, e seu valor alto impede vários pacientes de terem acesso ao medicamento. QUAIS são realmente os benefícios confirmados do uso medicinal da maconha? TEMOS uma vasta relação de benefícios confirmados pelo uso medicinal da maconha. A planta traz melhora efetiva em males como a dor crônica e espasmos musculares; autismo; glaucoma; a doença de Parkinson; doença de Alzheimer; epilepsia; síndrome de Dravet; câncer (sim, você leu corretamente, a maconha é antitumoral - o CDB pode ajudar a evitar que o câncer se espalhe, segundo um estudo feito por pesquisadores do California Pacific Medical Center, nos EUA, em 2007). Além disso, o maior instituto de combate ao câncer, o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos (NCI), após dois anos de estudo sobre os efeitos desses componentes no organismo de ratos com câncer, percebeu que a cannabis reduz o crescimento do tumor e é capaz de realmente eliminar as células responsáDOMINGO, 12 de agosto de 2018

5


ENTREVISTA

ADRIANA LAMARTINE

“A maconha medicinal já é uma realidade no Brasil”

Por José de Paiva Rebouças/Jornalista

Natal receberá no dia 25 de agosto o primeiro evento sobre cannabis medicinal do Rio Grande do Norte. A iniciativa vai discutir o uso medicinal da maconha, com direito a workshops, artes, orientações sobre o tema e shows. DOMINGO conversou com Adriana Lamartine, uma das realizadoras do evento, que fala sobre o que ele representa e também da importância do uso da maconha para uso medicinal, “até mesmo no combate ao câncer”. Confira.

4

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

biomassas adoro comer

P

esquisadores potiguares patentearam biomassas desenvolvidas a partir de rejeitos do caju e do jerimum, a partir das quais, poderão ser produzidos aditivos antioxidantes, alimentos com ação nutritiva e, ainda, novos fitomedicamentos. O trabalho é fruto de projetos desenvolvidos por estudantes do curso de Nutrição e do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGB) de uma universidade privada, que culminaram no depósito de três patentes junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Por meio da nanobiotecnologia, é feito o reaproveitamento desses alimentos. O interesse em desenvolver projetos nessa linha abrange um contingente nacional, pois mediante os resultados encontrados, são produzidas novas matérias da indústria alimentícia. Esses materiais podem ser comercializados e assim contribuir para um ambiente economicamente sustentável. A partir das sementes e casca do jerimum, as então graduadas em Nutrição Amélia Elislândia Gomes Guedes e Lígia Almeida e Albuquerque Melo geraram a primeira produtividade de propriedade industrial (PI) do Curso. O trabalho se desdobrou em uma nova pesquisa do PPGB com o bagaço do caju para produção de novos nanobioprodutos alimentícios. O trabalho de graduação foi orientado pela profa. dra. Maria Aparecida Maciel e pelo professor Leonardo Araújo, que se tornaram, respectivamente, orientadora e autor da pesquisa da pós-graduação. Nessa parceria, encontra-se também a profa. dra. Heryka Ramalho, que estuda biomassas nutricionais, com destaque em nível de graduação, para o trabalho de conclusão de curso da então graduada Kalline Alves de Araújo. Segundo a equipe de pesquisadores, rejeitos orgânicos precisam ser aproveitados, pois à medida que são descartados no ambiente sua decomposição, podem agredir a natureza. Portanto, reutilizá-los, além de servir de nova fonte de nutrientes, vai preservar o meio ambiente.

Pesquisadores que patentearam biomassas desenvolvidas a partir de rejeitos do caju e do jerimum

A escolha do caju e jerimum também tem sua explicação: “Ambos os frutos são regionais e possuem potencial nutricional. O cajueiro, por exemplo, tem uma grande produção de rejeito do bagaço do caju em função da venda de sucos, doces e castanha”, explica a professora Maria Aparecida Maciel, responsável pela orientação de pesquisas desenvolvidas com rejeitos orgânicos. PRÊMIOS Os trabalhos, juntamente com ou-

tros projetos desenvolvidos com recursos naturais, trouxeram para Maria Aparecida Maciel uma posição no Top 100 Scientists 2018, iniciativa da International Biographical Centre, em Cambridge, Inglaterra. “Esse resultado é do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da UnP, que tem como função capacitar e incentivar os alunos, expandindo assim seus conhecimentos científicos e as oportunidades de atuação na área biotecnológica”, afirma a professora. DOMINGO, 12 de agosto de 2018

13


OPINIÃO [ ARTIGO

OPINIÃO [ CRÔNICA

A professora José de Paiva Rebouças josedepaivareboucas@gmail.com

Ameaçada três vezes, uma faca no pescoço, um dedo em riste e um aviso na parede, a professora decidiu andar com um revólver. Nunca havia dado um tiro sequer, mas gostaria muito, principalmente em sala de aula, na cara do marginalzinho. E na primeira oportunidade, sacou o trabuco da bolsa e disparou de olhos fechados. Sangue cobrindo as cadeiras, manchando o quadro negro e escurecendo o chão. Jovens mortos, outros baleados, gritaria, pandemônio, polícia, imprensa e ela no meio de tudo aquilo sem reação de nada. Caiu em si somente alguns instantes depois, então gritou feito louca para que a prendessem e a matassem, mas lhe deram um copo de água com açúcar e pediram-na que se acalmasse. Nós a entendemos, disseram, enquanto continuavam indo e vindo, atentos apenas ao cenário da catástrofe. Deram-lhe um calmante e a levaram para casa. Dormiu como uma pedra. Ao acordar já era outro dia. A cabeça nas mãos e uma vontade imensa de vomitar as vísceras. Um nó na garganta, um frio na espinha. Ligou no noticiário e só falavam na chacina da escola, mas nenhuma reação contra ela. Ao contrário, puxavam a ficha das crianças mortas, chamavam-nas de delinquentes e culpavam os pais. A professora, de certo, tivera um esgotamento e fizera o que qualquer um faria em seu lugar, comentavam. Cortou o pé quando o copo caiu de sua mão e espatifou-se no piso. Estava louca, não ouvira aquilo. O linchamento era o mínimo que merecia, não a compreensão. Via as imagens, as fotos das crianças e o sangue no pé quando se vomitou por inteira. O remorso lhe partiu ao meio. Doeu-lhe o estômago como se tivesse engolido chumbo derretido. Saiu à rua como estava, descalça, o pé sangrando e um pijama listrado.

14

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

Queria ser linchada. Morreria por uma pedra, um pedaço de pau, mas à medida que caminhava, percebia que ninguém a percebia. Continuava sendo um rosto comum apesar das imagens na televisão e redes sociais. Atônita, olhava o trânsito, as ruas da periferia, finas e sujas, como a sua vida agora. Precisava morrer, devia ter atirado na própria boca, arrancado o cérebro e se misturado ao sangue dos alunos. Gritou pela polícia que passava sem pressa, mas os policiais só acenaram. Desesperada, correu novamente, sedentária, os pés em desacordo lhe fazendo parecer ainda mais estranha. Cruzou a principal, seis faixas, três da cada lado, mas nenhum carro a atropelou. Ninguém nem mesmo buzinou para ela. Voltou, abriu os braços, sentou-se no asfalto, deitou-se, mas continuou viva. Uma questão incompreensível, uma angústia perfurante, pior do que qualquer golpe na pele: uma gilete cortando, um prego na palma da mão; o corpo ralando no asfalto. A sensação de ter matado doía, de ter matado crianças doía muito mais, e a falta de punição a atravessava como uma furadeira. Cortava a carne em parafuso, mas não sangrava, coagulava e virava pedra. Sensação de gazes esquecidas na cirurgia, de um dia sem beber água e sem comer. Quanto mais andava, mais se enfurecia consigo mesma. As imagens não saiam da tevê, mas ninguém a caçava,

nem a atingia. Todos estavam solidários à sua reação bestial. Quando comprou a arma queria atirar, quando a sacou na sala de aula pensou o mesmo. Era um jogo até tudo terminar, até ver a mancha púrpura sob as carteiras, o fim de vidas que sequer tinham começado. Sem balas correu para ser atingida, mas ninguém a notou, depois percebeu que alguém fazia a sua defesa e aí todos seguiram aquela opinião. Todos a entendiam, a perdoavam e aquilo era tão esdrúxulo que ela pulou do décimo primeiro andar. Antes de alcançar o chão, pensou que jamais havia subido tão alto. Escolhera o Grande Hotel porque sempre quis se hospedar ali: usar a banheira, deitar na varanda, gastar de uma só vez o salário. Entrou no prédio, pegou o elevador e subiu até vê-lo parar e abrir as portas. Aproveitou a distração da camareira, chegou ao quarto, fechou a porta e caminhou olhando a varanda de onde se podia ver parte importante da cidade. As batidas na porta, os gritos no corredor e o barulho tão comum de sirenes e buzinas onze andares abaixo não a distraíram. Sentiu alívio quando a brisa lhe soprou os cabelos. Sorriu e saltou de braços abertos até não ver mais nada. Bombeiros a tiraram de um grande balão de ar que aparou sua queda. Foi contida e calada com um calmante quando tentou gritar. Acordou em casa, a tevê ligada, as cenas da chacina se repetiam no jornal da manhã. Na rua, as pessoas diziam aos repórteres que ela não tinha culpa e que qualquer um reagiria da mesma forma estando em seu lugar.

O filme da memória josé nicodemos aristida603@hotmail.com

O

açude, que não era açude, sim uma grande lagoa formada pelas águas das chuvas, seco, era o monturo da cidade. Do outro lado da água, seis casinhas de taipa cobertas de palha de coqueiro, pegadas e iguais, porta e janela. Uma era a do velho Fumo-Bom. Na frente, uma tamarineira velha, ali seus duzentos anos, diziam. À sombra dela, deitado numa espreguiçadeira de lona encardida, meio puída, o velho Fumo-Bom cochilava os seus cento e dez anos, de vez em quando despertando aos sobressaltos. Morrera-lhe a companheira da vida toda, que se chamava Isabel, dona Isabel, e ele morava sozinho: era-lhe a única companhia um cachorro velho, que ficava ali enrodilhado ao pé da espreguiçadeira, também cochilando, e também a despertar de quando em quando, com uns latidos sem força, abocanhando as moscas. As pessoas riam dos dois, o velho e o cachorro. Igualmente caducos. E sempre que acordava dos seus cochilos do cansaço dos anos, o velho Fumo-Bom, fazendo menção de levantar-se, mas em vão, soltava um grito cavo, cansado e mole, algumas vezes quase inaudível: – Maria Isabé. A meninada ali da ruazinha se divertia, e fora das vistas dos pais cutucava o velho, na ponta do nariz, meio adunco, com um palito de palha de coqueiro. O velho acordava, sobressaltado: – Maria Isabé. Devia sonhar com ela, dona Isabel, a companheira ao longo de mais de setenta anos, certo a fixação que lhe ficara no ser psíquico e sentimental, por força do costume. A longa convivência, se bem que tão curta vida, lembrando aqui o verso do soneto imortal. A velhice não é outra coisa mais

senão um doce processo de lembranças e recordações. Um círculo de fixações – os melhores momentos da vida. Perdidos na rolança do tempo. Não podia ser outra coisa aquele –

Maria Isabé – sempre presente no despertar dos cochilos, sob o peso de mais de um século, do velho Fumo-Bom. Por assim dizer, o filme da memória sensorial fixada pelo sentimento. DOMINGO, 12 de agosto de 2018

3


editorial [ índice

Doação de sangue em crise

adoro comer

Entrevista DOMINGO conversou com Adriana Lamartine, uma das realizadoras de um evento que vai discutir o uso medicinal da maconha no Rio Grande do Norte agora no mês de agosto. Página 4

Ingredientes

A

doação de sangue em Mossoró está em crise. O alerta tem sido feito constantemente pelo Hemocentro. DOMINGO resolveu ajudar e hoje denuncia que o órgão está sem a sua unidade móvel de coleta desde março. O veículo apresentou problemas mecânicos e na fuselagem e foi recolhido pela Secretaria Estadual de Saúde. Não há qualquer previsão para a sua substituição e – pasme – a secretaria desconhece até esse problema. Hoje, também destacamos o artista mossoroense Isaías Medeiros. Ele trouxe à sua terra natal a exposição “Tropicália neobarroca ou Tropifagia dos sentidos”. Os quadros do artista estão em exposição no Sesc até o dia 31. Pobre em ciência, o Rio Grande do Norte tem algo a comemorar. Um grupo de pesquisadores do estado acaba de patentear biomassas desenvolvidas a partir de rejeitos do caju e do jerimum. Essas biomassas poderão resultar em diversos produtos incluindo aditivos antioxidantes, alimentos com ação nutritiva, e ainda, novos fitomedicamentos. Na nossa entrevista de hoje vamos falar sobre o uso medicinal da maconha. Conversamos com Adriana Lamartine, que está trazendo um evento para o Rio Grande do Norte que vai debater o cultivo da cannabis medicinal. Domingo é dia de uma receita especial, e hoje você aprende a fazer pudim de coco com maisena. Tem ainda a coluna semanal do jornalista Jotta Paiva Rebouças. Confira a DOMINGO de hoje. Magnos Alves

Como fazer pudim de coco com maisena 1 lata de leite condensado 2 caixinhas de creme de leite 100 g de maria-mole 400 ml de água quente 1 embalagem de Biscoito Maizena Vitarella 1/2 xícara de chá leite PARA A CALDA 1/2 xícara de chá de açúcar 13 xícara de chá de água

Modo de preparo CALDA - Comece pela calda para que ela esfrie antes de colocar a mistura do pudim na forma. - Em uma panela, disponha o açúcar e a água e misture bem antes de levar ao fogo. - Coloque a panela em fogo médio e deixe caramelizar procurando não mexer. - Quando a calda atingir a cor âmbar, coloque-a na forma de pudim espalhando bem pelas laterais e pelo meio.

PUDIM - Dissolva a maria-mole em água quente e reserve. - No liquidificador, junte o leite condensado, o creme de leite e a maria-mole dissolvida e bata até ficar homogêneo. - Depois, derrame a mistura do pudim na forma e leve para gelar por pelo menos 4 horas. - Umedeça o biscoito no leite e cubra o pudim de biscoito, volte para geladeira por uns 30 minutos. - Em um prato, vire o pudim.

Doação de sangue O Hemocentro de Mossoró perdeu a sua unidade móvel de coleta e viu o estoque de bolsas de sangue reduzir consideravelmente.. Página 7

Colunas

José Nicodemos

Página 3

José de Paiva Rebouças Página 14

• Edição – C&S Assessoria de Comunicação • Editor-geral – Edilson Damasceno • Editor Interino– Magnos Alves • Dia­gra­ma­ção – Rick Waekmann • Projeto gráfico – Augusto Paiva • Im­pres­são – Grá­fi­ca De Fa­to • Re­vi­são – Gilcileno Amorim • Foto – Marcos Garcia Re­da­ção, pu­bli­ci­da­de e cor­res­pon­dên­cia Av. Rio Bran­co, 2203 – Mos­so­ró (RN) Fo­nes: (0xx84) 3323-8900/8909 Si­te: www.de­fa­to.com/do­min­go E-mail: re­da­cao@de­fa­to.com

Do­min­go é uma pu­bli­ca­ção se­ma­nal do Jor­nal de Fa­to. Não po­de ser ven­di­da se­pa­ra­da­men­te.

2

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

DOMINGO, 12 de agosto de 2018

15


@defato_rn

descoberta da doença. MOSSORÓ 1 /photos/jornaldefatorn

O milagre da folhadomingo da moringa

/jornaldefatorn

Agrônomo revela os poderes milagrosos da "árvore da vida", a moringa oleífera, que ele cultiva. ESTADO 1

7s o

MOSSORÓ �RN�, DOMINGO, 19 DE NOVEMBRO DE 2017 | EDIÇÃO 5.020 � ANO XVIII | R$ 2,50

O TORTO ossoró ANDAR DO OUTRO ve ter 17os Jornalismo n de Verdade pelade staque não importa Sem sangue. m 2018 a plataforma Mossoró (RN), Cedida domingo, 12 de agosto de 2018

do maior colégio eleitoral dade deve assumir posição ues com nomes à disputa a do próximo ano. PRINCIPAL 3 @defato_rn

CMYK

o de s para o CMYK

Governo vai suspender novos cursos

/photos/jornaldefatorn

Sem vida.

/jornaldefatorn

Hemocentro de Mossoró enfrenta queda de doações. O motivo é o recolhimento da unidade móvel para coleta de sangue. Cerca de 500 bolsas deixam de ser coletadas.

Marcos Garcia

o. MOSSORÓ 3


tv

>> bastidores

Nova temporada do “Bake Off Brasil” tem Nadja Haddad e Olivier Anquier como novidades

/jornaldefatorn

@defato_rn

>> inside

Elizabeth Jhin volta a apostar em trama espírita com “Espelho da Vida”, próxima novela das seis

/photos/jornaldefatorn

Mossoró (RN), domingo, 12 de agosto de 2018

defato com

>> principal

Edson Celulari completa 40 anos de carreira com retorno ao posto de protagonista em “O Tempo Não Para” página 3

Volta por

cima


2 televisão

Seriais

Domingo, 12 de agosto de 2018

>> por Geraldo Bessa

Destaques das séries e conteúdo “on demand”

Pura fixação O History Channel e a plataforma History Play exibem neste mês de agosto a série nacional “Colecionadores”. Em cada um dos 13 episódios, a produção apresenta uma coleção diferente (brinquedos, games, quadrinhos, música, design, veículos e Beatles, entre outros temas), a pessoa responsável por ela e sua história. Produzida pela Cubo Filmes, a série foi gravada em Porto Alegre, São Paulo, Montevidéu, Buenos Aires e suas regiões metropolitanas. Os episódios apresentam coleções grandiosas, entre as maiores do mundo, com itens valiosos e históricos. E os apaixonados colecionadores contam suas histórias e curiosidades sobre os temas que tanto despertam sua dedicação. O episódio de estreia, “Games”, é dedicado a coleções de consoles, cartuchos, controles e tudo o que se relaciona com o mundo dos games. A produção traz ainda o colecionador que possui o maior número de aparelhos de videogame do Brasil. Em seguida, em “Futebol”, a paixão por esse esporte está nos álbuns de figurinhas e nas camisas de times dos personagens.

Mentes criminosas

(A&E Play, seg, dia 13) Dividido em duas partes, o especial “Charles Manson: A Mente de Um Louco” é o destaque deste mês no A&E Play. Em formato de documentário, a produção de 2017 reexamina os crimes de Charles Manson. Após a identificação dos restos mortais de uma mulher assassinada em 1969, a polícia de Los Angeles decide reabrir o caso Manson. Além desse, outros assassinatos ao longo dos anos têm características que se assemelham aos métodos da Família Manson, como ficou conhecido o grupo de Charles. À frente da nova investigação, o detetive Cliff Shepard está decidido a descobrir se Manson é responsável também por esses crimes. Por meio da avaliação de gravações do próprio Manson como pilar das novas investigações, o especial busca desvendar os eventos que tragicamente acabaram com a era de paz, amor e compreensão. “Charles Manson: A Mente de Um Louco” examina o que deu errado na contracultura dos anos 1960, enquanto investiga novas evidências e utiliza tecnologias para verificar se o último capítulo sobre Charles Manson ainda está por ser escrito.

Dupla baiana

(BIS Play, ter, dia 14) Caetano Veloso faz aniversário em agosto e o canal BIS e a plataforma BIS Play disponibilizam um dos shows recentes mais emblemáticos do artista baiano: “Caetano Veloso e Gilberto Gil - Dois Amigos, Um Século De Música - Multishow Ao Vivo”. Depois de passar por países como França, Inglaterra e Itália, a dupla de amigos resolveu fazer o registro do show no Brasil, em duas apresentações na casa paulistana Citibank Hall. O roteiro da reunião histórica inclui 28 dos maiores sucessos de Caetano Veloso e Gilberto Gil, como “Back in Bahia”, “Sampa”, “Drão”, “Toda Menina Baiana” e “Tropicália”, além da inédita “As Camélias do Quilombo do Leblon”, todas no formato voz e violão. Os dois mestres da música brasileira se conheceram em 1963, quando eram estudantes universitários em Salvador. Caetano era estudante de Filosofia, e Gil cursava Administração.

Por trás do riso

(HBO Go, qua, dia 15) Comediante e ator respeitado e premiado, com diversas produções de sucesso no currículo, o saudoso Robin Williams ganha uma homenagem à altura de seu talento produzida pela HBO. O documentário “Robin Williams: Entre na minha Mente” leva o espectador a conhecer mais da vida e da obra do artista. O projeto, narrado em grande parte pelo próprio homenageado, conta de forma divertida, íntima e comovente a trajetória de um dos mais criativos atores no mundo. Dentre as curiosidades, estão a maneira como ele escolhia os seus personagens, o jeito como se preparava para as atuações e um passeio por papéis lendários, como o Sean de “Gênio Indomável”, que lhe rendeu o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, em 1997. O filme termina com a morte do ator, que foi encontrado enforcado dentro da própria casa, em 11 de agosto de 2014. O longa conta com a direção da renomada Marina Zenovich, responsável por outros documentários biográficos como “Richard Pryor: Omit the Logic” e “Polanski: Procurado e Desejado”.

Classes em crise

(Viva e Viva Play, qui, dia 16) Depois de 14 anos no ar na Globo, “A Grande Família” chega ao canal Viva e ao Viva Play. A partir deste mês, serão exibidas as quatro primeiras temporadas, somando 140 episódios. Marco Nanini, Marieta Severo, Andréa Beltrão, Guta Stresser, Rogério Cardoso, Lúcio Mauro Filho, Pedro Cardoso, Evandro Mesquita e Tonico Pereira desempenharam os papéis principais da série. A produção é baseada no seriado homônimo exibido em 1972, que foi criado originalmente por Max Nunes e Roberto Freire e roteirizado por Oduvaldo Vianna Filho e Armando Costa.


Domingo, 12 de agosto de 2018

Volta por cima >> principal Edson Celulari completa 40 anos de carreira com retorno ao posto de protagonista em “O Tempo Não Para”

P

apéis principais são recorrentes na carreira de Edson Celulari. Mas, mesmo acostumado ao grande volume de texto e à entrega artística que o posto exige, ele se surpreendeu com o processo de preparação para viver o justo Dom Sabino, patriarca da família de congelados que movimenta a ação de “O Tempo Não Para”. “Sabino é um homem de época que precisa se adaptar ao mundo de hoje. Tudo o que ele conhecia e tinha, se perdeu com o passar dos anos. Há um tempo que eu não tinha um personagem tão cheio de referências e com tanto texto para decorar. E isso não é uma reclamação”, garante o ator de 60 anos. Natural de Bauru, interior de São Paulo, Celulari estrou na tevê há exatos 40 anos em “Salário Mínimo”, produção sem grande repercussão exibida pela já extinta TV Tupi. No início dos anos 1980, assinou com a Globo para um papel secundário em “Marina” e, apesar de ter passagens pelo SBT e Band, foi na Globo que ele desenvolveu grande parte de sua carreira, tornando-se um ator disputado e galã de tramas como “Deus Nos Acuda”, “Fera Ferida” e “Explode Coração”. Após se curar de um câncer no sistema linfático diagnosticado em 2016, o ator voltou aos poucos para tevê. Empolgado com as

complexidades e o humor realista de “O Tempo Não Para”, ele acredita que é o projeto perfeito para retornar ao protagonismo e celebrar suas quatro décadas na atuação. “É um projeto ambicioso, criativo e que me deixa muito empolgado”, assume. P - Dom Sabino é um personagem de época em uma novela contemporânea. Como é encarar esses dois universos no mesmo trabalho? R - É uma loucura. Mas das boas. Acho que essa novela veio para tirar o horário das sete da mesmice. Até o tom dela é diferente. Trabalhamos como se fosse uma fábula, mas sem esquecer do realismo. Então, meu personagem e todo o núcleo dos congelados funcionam como o contraste entre o passado e o futuro. Eles é que vão avaliar onde o mundo con-

temporâneo regrediu ou progrediu. Neste bolo, entram assuntos que ainda são extremamente sensíveis para o Brasil, como a questão do racismo e do machismo, por exemplo. P- De que forma? R - O congelamento ocorreu dois anos antes da abolição dos escravos. Sabino encontra na figura do Eliseu (Milton Gonçalves) um grande amigo. O Eliseu mora em condições mínimas de dignidade e ele cata lixo reciclável nas ruas para poder sobreviver. A condição do povo negro depois de tanto tempo ainda apresenta muita desigualdade e tudo é fruto de como foi feita a transição do regime escravo, a população foi largada à margem pela aristocracia e governo da época. O texto é muito político também.

televisão 3 P- Inicialmente monarquista e conservador, Sabino vai se abrir para novas visões de mundo? R - Alguns pontos ainda serão muito complicados para ele. Como a questão do cuidado com as filhas, por exemplo. Mas ele verá coisas que eram impensáveis em sua época, como a vida da Carmem (Christiane Torloni), uma mulher linda, independente e que criou o filho sozinha. Ele fica encantado com essa visão moderna de uma mulher e isso pode até fazer com que o casamento dele entre em crise. Acho que a única coisa que ele não vai perder é o português mais rebuscado. P - Seu último personagem de época foi em “Um Só Coração”, de 2004. Sentia falta deste tipo de trabalho? R - Engraçado é que não é comum me chamarem para fazer época. Fiz coisas lindas como “Que Rei Sou Eu?” e “Aquarela do Brasil”, mas grande parte das coisas que fiz foram naturalistas e contemporâneas mesmo. Gosto do trabalho de ter de mergulhar no personagem, buscar referências, testar figurinos diferentes e ir atrás do diferencial que define esses tipos de época. São personagens que exigem muito dos atores. A ponto de invadirem a vida pessoal, por exemplo. P - Em que sentido? R - Meu português está muito mais rebuscado fora de cena. No estúdio, fico me segurando o tempo todo para não falar “pra” e sim “para”. E esses detalhes linguísticos acabam entrando também no meu cotidiano. Fiquei muito feliz com o convite feito pelo Silvio de Abreu (Diretor de Teledramaturgia Diária) e pelo Leonardo Nogueira (Diretor Artístico). Há muito tempo que eu não vivia um protagonista de forma tão intensa.


4 televisão

>> close No elenco de “Jesus”, Day Mesquita vibra ao interpretar a controvertida Maria Madalena

Domingo, 12 de agosto de 2018

Notável pecadora

D

ay Mesquita está bastante familiarizada com a temática bíblica. Antes de assumir o papel de Maria Madalena em “Jesus”, a atriz participou da primeira fase de “Os Dez Mandamentos” e integrou o elenco de “A Terra Prometida”. Ainda assim, quando soube que estaria na novela escrita por Paula Richard, a atriz buscou enxergar seu trabalho de forma inédita e sem antigos vícios. “Por ter feito outras tramas bíblicas, já conheço um pouco sobre o universo e a linguagem de uma forma geral. Porém, vejo cada trabalho de uma forma única, mesmo porque cada obra me trouxe uma personagem completamente diferente da outra. Então, estar em ‘Jesus,’ foi como começar do zero mesmo”, explica Day, que ocupa um dos papeis centrais do folhetim épico. “Todos os trabalhos que fiz me levaram para essa personagem. É mais um degrau da minha carreira. Fico feliz em crescer cada vez mais, porque mais pessoas vão conhecendo meu trabalho. A Maria Madalena é uma personagem muito forte e importante”, completa. Em “Jesus”, Day vive uma das personagens mais famosas e debatidas da Bíblia. Com uma série de linhas de pensamento sobre sua trajetória, a personagem é retratada a partir vertentes e estudos históricos. No enredo da novela, Maria Madalena é uma judia helenizada, viúva de um romano e que retorna a Jerusalém, onde se en-

volve com o Centurião Petronius, interpretado por Fernando Pavão. Porém, é abandonada pelo soldado quando demonstra sinais de possessão por demônios. Será salva de sete demônios por Jesus, papel de Dudu Azevedo, e se torna sua discípula. “Muitas histórias sobre Maria Madalena não são reais. Vamos abordar o que é mais crível historicamente falando. Maria Madalena é uma mulher que luta por igualdade de gênero, raça e cor. Assim como Jesus, ela busca um mundo igualitário. Está à frente do seu tempo lutando por justiça”,

defende. Antes de se envolver com as gravações, Day assistiu a diversos longas sugeridos pela direção da obra, como “A Paixão de Cristo”, “Ben Hur” e “Maria Madalena”. “Foi importante para entender, descobrir e me aprofundar mais no universo, na época e na história das personagens. Agora o foco é no texto, nas características e nuances que a personagem vem mostrando a cada cena, em entender e viver a personagem dentro de mim”, ressalta. Logo no início do processo de gravações, Day integrou o grupo de 45 atores que viajou

para o Marrocos. No país, foram realizadas diversas cenas importantes do folhetim, como a “via crúcis” e a crucificação. Ao longo do trabalho, a atriz precisou de bastante concentração para gravar e superar as altas temperaturas e o clima seco do deserto. “Tudo acaba sendo diferente, as sensações, os desconfortos, a respiração, tudo muda diante de um lugar como esse. É ótimo porque colaboram para a construção e vivência das personagens, nos deixa mais próximos da realidade em que elas viviam e isso enriquece bastante o trabalho”, valoriza. Natural do Paraná, Day iniciou sua trajetória artística aos 7 anos, quando começou a dançar balé. Apaixonada pelos palcos, driblou a resistência dos pais e se profissionalizou como atriz. “Eles achavam que poderia ser sonho de criança. Não tive muito incentivo no início porque eles sabiam que não era uma profissão fácil. Aos poucos, foram me entendendo e me apoiando”, lembra. Na tevê, a atriz tem passagem por emissoras, como Globo, Band e SBT. Recentemente, esteve no elenco do filme “Nada a Perder” como Ester Bezerra, esposa do Bispo Edir Macedo. O longa, inclusive, ganhará uma sequência prevista para estrear no primeiro semestre do ano que vem. “São 14 anos de carreira e eu sou muito grata por todas as oportunidades que tive em cada momento da minha profissão. Acho que todo o meu caminho e tudo o que aconteceu sempre veio de maneira gradativa, mas consistente. Cada trabalho me proporcionava experiências e vivências que me deixavam um pouco mais preparada para o trabalho seguinte. Tudo sempre veio sempre no momento certo”, aponta.


televisão 5

Domingo, 12 de agosto de 2018

>> ponto de vista

“Vídeo Show” investe na inexperiência de ex-participantes de “realities” para seu time de apresentadoras e fica confuso e engessado

Bagunça

geral

O

“Vídeo Show” já passou por diversas fases em seus 35 anos de existência. Criado para celebrar a programação da Globo, a produção foi reforçando seu caráter institucional ao longo de sua exibição e já contou com diversos nomes de destaque da emissora em sua bancada. Nos anos 1980, figuras em ascensão passaram pelo estúdio, casos de Tássia Camargo, Carla Camuratti, Lúcia Veríssimo, Fernanda Torres, Débora Bloch, Lucélia Santos, Marcelo Tas e Miguel Falabella. Na década seguinte, a apresentação de Falabella e a participação de Cissa Guimarães nas reportagens e narração se tornaram símbolos do vespertino. Em 2002, a saída do louro, desestabilizou a produção. Por muito tempo, o programa passou pelos mais diversos núcleos de direção da Globo, sempre com audiência oscilante e baixa repercussão. Nas

mãos de Boninho desde 2014, o “Vídeo Show” reencontrou a paz quando juntou as anarquias de Mônica Iozzi e Otaviano Costa. Com a debandada de Iozzi, entretanto, a produção voltou a testar novos apresentadores, mas nada que pudesse dar um novo gás aos números do ibope. Louco por “realities”, a última aposta de Boninho foi manter Sophia Abraão na apresentação e adicionar a presença de três ex-participantes do “Big Brother Brasil”: Fernanda Keulla, Vivian Amorim e Ana Clara Lima. Dos nomes recentes que passaram pelo programa, Sophia sempre foi o mais fraco. No entanto, perto das três estreantes na bancada, surge muito mais segura e ciente dos temas que está abordando. Para estar à frente do “Vídeo Show” é preciso ir um pouco além da simples leitura de “teleprompter” – equipamento acoplado às câmeras que exibe o texto a ser

lido. Pelas caras assustadas e pausas dramáticas, falta ao trio um bom “background” sobre conhecimentos gerais e, principalmente, cultura televisiva. Das três, Fernanda é de longe a mais robótica. Seja no estúdio ou nas reportagens, ela parece não saber como abordar os convidados, iniciar entrevistas ou fazer um “link” mais sutil entre as matérias do dia. Não há roteiro ou pautas que funcionem com tanta falta de naturalidade. Aliás, o tom engessado do programa exibe a direção deficiente. Em tom de jogral, o quarteto vai dividindo as frases e o resultado é tosco e nada criativo. O resultado do “novo” “Vídeo Show” consegue ser ainda mais constrangedor que a passagem de Zeca Camargo pelo programa. Em 2013, o apresentador deixou a área de jornalismo da Globo para, sob a direção de Ricardo Waddington, estrear no setor de entretenimento e co-

mandar o vespertino utilizando o formato de auditório. Na época, o tom de Zeca realmente destoou totalmente da produção, mas pelo menos ele parecia saber do que estava falando. Mesmo com diversos seguidores nas redes sociais, a presença do novo quarteto não surtiu efeito na audiência. Perdidas e sem qualquer intimidade com as câmaras móveis e fixas do estúdio, as novatas parecem não ter tido um bom período de ensaios e olham para qualquer lugar, menos para a câmara certa. Como resultado, a “bagunça” que se tornou o programa repercutiu mais que a estreia das novas apresentadoras. Por fim, com cerca de 9 pontos de média e share de 20%, a produção acabou atrás da Record e do SBT. O “timing” dessa reformulação não poderia ser mais irônico e funciona como um triste episódio justamente no ano em que o programa completa 35 anos de lançamento.


6 televisão

Domingo, 12 de agosto de 2018

Terça (14/08) - Tito, Flora, Heitor e Olívia tentam desfazer a situação constrangedora. Maria Alice hesita em contar sobre sua vida para Alex. Garoto, Érico, Leandro e Hugo se divertem com Sofia e suas amigas. Heitor faz um jantar para Olívia, Flora e Tito. Márcio se queixa de Rafael ter viajado com Gabriela. Jade se irrita por Érico não lhe dar atenção. Pérola vai ao encontro de Márcio.

Quarta (15/08) - Gabriela volta de viagem e assusta ao ver bombeiros na porta de seu préd Jade e Michael chegam na festa organizada p Garoto. Jade sente ciúmes por Érico estar acom panhado. Sofia se apresenta como namorada Garoto e ele se sente pressionado. Rafael flag Márcio e Pérola dormindo juntos. Alex ajuda Fl ra a arrumar a bagunça causada pelo fogo. Pér la acorda na casa de Márcio.

>>O Tempo Não >>Orgulho e Para Globo – 19h15 Paixão Globo – 18h15

Segunda (13/08) - Mariana revela a todos que Mário é um disfarce. Xavier pede a anulação das corridas de moto disputadas por Mariana. Jane conta para Lídia que está grávida e Ofélia ouve. Julieta e Aurélio se beijam. Darcy alerta Lady Margareth sobre o perigo de ser sócia de Xavier, e eles acabam discutindo sobre Briana. François reclama da viagem de Ema para o Vale do Café. Mariana se diverte com Cecília e Elisabeta ao lembrar da reação de Xavier.

Terça (14/08) - Xavier ataca Mariana. Ema chega à casa de Ernesto e é recebida com festa. Aurélio anuncia para Ema que irá se casar com Julieta. Camilo divide suas angústias com Jane, e confessa que acredita ter sido Julieta quem destruiu o túmulo de seu pai. Xavier entrega para Josephine os cabelos cortados de Mariana. Luccino confidencia a Ernesto que se apaixonou por um rapaz. Ludmila fica chateada ao perceber que Ema foi para o Vale do Café.

Quarta (15/08) - Felisberto estranha Maria ter viajado sem avisar à família. Luccino apo Mariana. Lady Margareth, Josephine e Xavi comemoram s vingança feita à Mariana. Cami Ernesto e Januário têm mais uma chance com fazendeiro, e conseguem fechar negócio. Lucci arruma o cabelo de Mariana. Mariana conta a Em o que aconteceu, mas pede segredo. Elisabeta Charlotte entrevistam Jane para o livro de Elis beta.

Segunda (13/08) - Samuca confirma a origem de Dom Sabino. Carmen percebe o sumiço de um objeto em casa. Samuca exige que Paulina seja readmitida. Marino e Monalisa encontram o baú com as roupas da família de Dom Sabino. Paulina conta para Marocas que voltará a trabalhar na Samvita. Samuca convida Elmo para ser o novo gerente do restaurante da empresa. Lucas volta para casa passando mal. Marciana encontra o objeto que Vera Lúcia pegou na casa de Carmen.

Terça (14/08) - Marocas é levada com Marciana para a delegacia. Agustina recebe os baús encontrados na praia. Samuca manda Emílio à delegacia. Marocas fica desconcertada com os galanteios de Emílio. Elmo se emociona diante de Samuca e Marocas se sensibiliza. Barão manda Florêncio vigiar Dom Sabino. Samuca beija Marocas, que o estapeia. Emílio entrega a Vanda a documentação sobre os “congelados”. Menelau desperta e se surpreende ao saber do fim da escravidão.

Quarta (15/08) - Marocas fica desconcerta na loja. Pedro Parede faz várias fotos de Maroca e Zelda finge surpresa ao ver o repórter na lo Emílio tenta convencer Samuca a proteger os “co gelados”. Dom Sabino machuca um professor academia da Samvita e é levado por segurança Elmo ajuda Dom Sabino, que repreende a filha vê-la com roupas novas. Helen fica indignada co o jeito como Petra trata Menelau. Betina pede q Mariacarla a represente contra a Samvita.

>>Segundo Sol

Segunda (13/08) - Luzia se desespera ao saber que Juarez está planejando o assassinato de Manu. Laureta revela a Karola que Ariella é Luzia. Juarez arma para Manu fazer uma entrega de drogas sozinha em outro estado. Edgar, Luzia, Ícaro e Cacau tentam encontrar uma forma de salvar Manu. Manu vai com Juarez para um casebre, e acaba abandonada em uma floresta. Narciso e Luzia aparecem para resgatar Manu, mas Viana dispara contra eles.

Terça (14/08) - Todos ficam aliviados ao saber que Luzia não corre perigo. Sem que ninguém veja, Narciso entra em casa e foge com uma mochila repleta de dinheiro. Naná diz a Nestor e Dodô que quer namorar os dois. Beto e Ícaro visitam Luzia no hospital. Rochelle zomba do carinho de Zefa com Severo. Doralice conta a Karola que Beto visitou Luzia no hospital. Manu se reconcilia com a mãe. Narciso devolve a Manu o dinheiro do resgate de seu sequestro.

Quarta (15/08) - Luzia cede à chantagem Karola. Laureta convida Remy e Rosa para jant e propõe trégua. Luzia conta a Cacau sobre ameaças de Karola. Laureta pede a Karola um pensão para que ela, Remy e Rosa não revele seus segredos. Manu chega à casa de Severo devolve o dinheiro de seu resgate. Edgar conta Karen que Luzia é a mãe de Manu. Ionan e Mau recebem um chamado que revela o paradeiro d sequestradores de Manu.

Até o fechamento da edição, a emissora não divulgou o resumo do capítulo.

Até o fechamento da edição, a emissora não divulgou o resumo do capítulo.

Até o fechamento da edição, a emissora n divulgou o resumo do capítulo.

Globo. – 21h

Globo – 17h35

>>malhação

Segunda (13/08) - Tito tenta convencer Flora a se afastar do celular e das redes sociais por um tempo. Sofia se encanta por Garoto. Pérola admite para Maria Alice que sente saudades do pai. Garoto, Leandro e Érico combinam de ir ao Le Kebek e Jade sente ciúme. Tito planeja uma surpresa para Flora em sua casa. Maria Alice pede a ajuda de Vinícius para estudar inglês e Alex se voluntaria para ensiná-la francês.

>>As Aventuras de Poliana SBT - 21h

Resumo das novelas

ACESSE


televisão 7

Domingo, 12 de agosto de 2018

e se dio. por mde gra loro-

Quinta (16/08) - Mel trava antes de sua apresentação e Paulo a ajuda a relembrar a coreografia. Paulo convida Marli para uma feira de gastronomia. Verena e Álvaro combinam de estudar juntos. Marcelo apazigua os ânimos entre Hugo e Tito. Gabriela se anima com o interesse de Dandara em suas aulas. Jade flerta com Santiago e Érico se incomoda. Garoto se incomoda com a presença constante de Sofia. Úrsula sugere que

Sexta (17/08) - Getúlio cogita pegar dinheiro do caixa do Le Kebek, mas pensa em Brigitte. Brigitte canta no Le Kebek e Getúlio a ovaciona. Gabriela tenta descobrir de Flora o que houve entre ela e Tito. Marli e Paulo se beijam. Amanda fala sobre sua doença com Santiago. Sofia presenteia Garoto com uma coleção de poemas. Tito e Flora trocam carinhos e todos voltam a falar sobre o relacionamento dos dois.

ana oia ier ilo, mo ino ma ae sa-

Quinta (16/08) - Julieta e Jane se reconciliam. Brandão alerta Luccino sobre Otávio, e o deixa chateado. Camilo, Ernesto e Januário contam para Darcy que fecharam negócio com o fazendeiro. Ernesto pede a mão de Ema para Aurélio e diz que pretende planejar um casamento de surpresa. Ernesto convida Jorge para seu casamento. Mariana questiona Otávio por não revelar seus sentimentos por Luccino. Elisabeta percebe que seu cavalo não está bem.

Sexta (17/08) - Mariana inventa para Brandão uma desculpa sobre seu desaparecimento. Ofélia confessa a Lady Margareth que colocou laxante em seu chá. Elisabeta sofre ao lado de Tornado. Petúlia e Susana deixam o baú em que prenderam Kléber em uma igreja. Lady Margareth sofre por causa do laxante. Ofélia, Ema e Darcy tentam animar Elisabeta. Kléber consegue sair do baú. Julieta comemora a gravidez de Jane com o Barão. Mariana leva Elisabeta para andar de motocicleta.

Sábado (18/08) - Aurélio anuncia que Tornado não corre mais perigo. Susana e Petúlia armam para roubar as provas contra Kléber de Olegário. Ofélia avisa às filhas que fez uma promessa para a recuperação de Tornado e todas devem cumprir. Jorge, Tenória, Estilingue e Mariko se preparam para ir ao Vale. Ema alerta Darcy que Susana tem provas contra Elisabeta. Ludmila e Ema escolhem perucas. Elisabeta e Darcy se amam. Uirapuru sugere que Lady Margareth se vingue de Aurélio.

ada as, oja. onda as. ao om que

Quinta (16/08) - Emílio afirma que enganará Samuca e Dom Sabino. Mariacarla conversa com Amadeu sobre a Ilha Vermelha. Teófilo aparece desmemoriado na casa de Marino e Monalisa. Marocas leva Nico ao posto de saúde. Samuca rasga a carta de demissão de Betina. Menelau derruba Cesária da cápsula criogênica e ela acorda assustada. Marciana questiona Vera Lúcia sobre o objeto que ela pegou da casa de Carmen. Elmo decide deixar a casa de Samuca.

Sexta (17/08) - Marocas pede segredo a Kiki sobre o envolvimento com Samuca. Coronela ouve uma conversa de Waleska com Mateus sobre os “congelados”. Samuca tira Teófilo da casa de Marino e Monalisa. Dom Sabino vai ao consultório de Emílio falar sobre seu processo. Teófilo acredita que é casado com Marocas. Samuca pede Marocas em namoro. Eliseu impede Waleska de levar Dom Sabino à força. Carmen e Marocas levam Téofilo para a casa de Eliseu.

Sábado (18/08) - Emílio manipula Samuca. Dom Sabino discute com Agustina e Marocas se preocupa. Petra proíbe Helen de avisar que Menelau e Cesária despertaram. Mariacarla faz uma proposta para Marino e Monalisa a mando de Amadeu. Petra mostra os “congelados” para Amadeu. Marocas aceita o pedido de Samuca. Betina mostra para Marocas o vídeo que gravou de seu beijo em Samuca. Betina desiste da demissão. Dom Sabino vai com Agustina à pensão .

de tar as ma em oe aa ura dos

Quinta (16/08) - Luzia mente para Beto e afirma ter um caso com Remy. Manu confessa a Ícaro que ela e Edgar denunciaram a família de Narciso para a Polícia. Remy conta a Laureta sobre o flagra de Beto, e ela extorque Karola. Roberval presenteia Karen com uma joia. Edgar devolve o dinheiro que pegou emprestado com Roberval e exige que ele rasgue a nota promissória. Beto desabafa sobre Luzia com Valentim, e ouve do filho que flagrou Karola dando dinheiro a Remy.

Sexta (17/08) - Roberval e Edgar brigam. Doralice se diverte com o fato de Naná ter dois namorados. Beto acusa Karola de chantagear Luzia. Cacau se anima com uma viagem de trabalho de Edgar, que sofre por não poder contar a verdade sobre seu patrão. Agenor ameaça contar para todos sobre o bebê de Maura e Ionan. Rosa passa mal e Laureta constata que ela está grávida. Rosa não sabe se o bebê que espera é filho de Ícaro ou Valentim.

Sábado (18/08) - Luzia implora a Beto que se afaste. Karola e Remy fazem amor. Agenor conta para Doralice que Ionan será pai do filho de Maura. Doralice arma um escândalo com o marido. Ionan volta para a casa de Naná e Dodô. Rosa revela a Maura e Selma que também está grávida. Nice briga com Agenor. Karen e Roberval se amam. Rochelle provoca a mãe sobre seu caso com Roberval. Cacau estranha o comportamento de Edgar.

não

Até o fechamento da edição, a emissora não divulgou o resumo do capítulo.

Até o fechamento da edição, a emissora não divulgou o resumo do capítulo.

ACESSE


8 televisão

>> cinco

perguntas Luis Lobianco exalta a “baianidade” do Clóvis de “Segundo Sol”

Domingo, 12 de agosto de 2018

Sotaque carregado nhoso e que eu não tive nem condições de recusar. Ajustei o tempo dos meus outros trabalhos e, desde o início de 2018, a novela se tornou minha a prioridade. Mas continuo com o espetáculo “DÉJÀVU”, na boate carioca Buraco da Lacraia, e quando posso, faço pequenas temporadas do meu monólogo “Gisberta”.

L

uis Lobianco é apaixonado pela Bahia. Na juventude, sempre que visitava sua família por parte de mãe em Aracaju, no Sergipe, dava um jeito de ir a Salvador ou desbravar outras pequenas cidades paradisíacas do litoral baiano. “É uma relação que vai além do amor de Carnaval. Adoro a culinária, o sotaque, a cultura, as pessoas e as histórias da Bahia. Reencontrar tudo isso através de um personagem é muito especial”, garante. A proximidade com a região foi fundamental para que o ator se sentisse mais seguro em sua primeira incursão em novelas na pele do ingênuo Clóvis de “Segundo Sol”. “Não pude aceitar os convites anteriores para novelas, mas tudo tem sua hora. Clóvis é um tipo sensível e sem filtros sociais. É um personagem que me traz muita felicidade e chance de criação”, ressalta. Natural do Rio de Janeiro, Lobianco ficou conhecido por integrar a trupe do Porta dos Fundos, que faz sucesso com vídeos cômicos no YouTube. A partir dos esquetes, começou a ser chamado para a televisão, com pequenas participações em séries do Multishow e GNT. Na Globo, atuou em “A Grande Família” e foi participante fixo do dominical “Esquenta!”. “Aprendi a gostar e me sentir confortável com a tevê. Me faltava apenas experimentar a linguagem dos folhetins mesmo. O público que me acompanha sempre perguntava quando isso iria acontecer”, explica.

P - Você é uma figura conhecida do público de tevê e da internet, mas ainda não tinha feito novelas. Existia alguma pressão pessoal ou do público para que isso acontecesse? R - Eu estava bem tranquilo tocando meus projetos. Mas as pessoas me cobravam muito. No Brasil, a impressão que se tem é que você só é reconhecido como ator quando faz novela. Estou há uns cinco anos trabalhando direto em séries e esquetes para a tevê paga e internet junto com o pessoal do Porta dos Fundos. Também fiz algumas participações na Globo, em “A Grande Família” e no “Esquenta!”. Mas isso parece não ser o bastante. Onde quer que fosse, sempre me questionavam sobre fazer novela.

P - Você tinha curiosidade? R - Lógico. E muita vontade de fazer! Tive alguns convites, mas me faltava tempo. Me cerquei de projetos e todo mundo sabe a entrega que uma novela demanda. Alguns amigos próximos puderam aceitar os convites e me falaram muito sobre o processo de trabalho que uma obra longa e aberta pode proporcionar. Fora que é uma outra linguagem e eu queria muito entender o que os folhetins têm de tão diferente a ponto de tocar tanto as pessoas. P - E como “Segundo Sol” entrou na sua vida? R - Com muita antecedência. Foi um trabalho esperado. O João Emanuel Carneiro me chamou para fazer a novela há mais de um ano. Foi um convite muito cari-

P - Clóvis é um personagem de humor, mas tem uma certa melancolia e inocência. Como foi o processo de criação para a novela? R - Novela é algo muito louco porque o ator vai construindo as coisas pelo caminho. Dificilmente, o personagem estará totalmente definido na estreia. Além do jogo cênico com os colegas, a resposta do público também influencia nesse processo. “Segundo Sol” tem um autor muito preocupado com seu elenco e seus personagens. Então, a primeira parte nasceu das conversas com o João. Em seguida, a emissora reuniu elenco e equipe por alguns dias para formalizar a proposta da novela e integrar todo mundo. Por fim e muito importante, foi a convivência de grupo gravando as primeiras cenas na Bahia. P - Sua origem é o Porta dos Fundos e você teve de sair do grupo para se dedicar à novela. Como ficou sua relação com os outros integrantes? R - Eles continuam sendo como se fossem minha família. A gente se ama e se respeita muito. Perdemos alguns integrantes para emissoras e canais pagos nos últimos tempos e é um movimento natural. Os vídeos do Porta têm um alcance incrível e que deu visibilidade para o trabalho de muita gente. Não sei o dia de amanhã, mas tenho em mente que vamos voltar a trabalhar juntos algumas vezes.


televisão 9

Domingo, 12 de agosto de 2018

>> raio x Depois de emendar trabalhos quando criança, André Luiz Frambach vive papel de destaque em “Malhação”

Velha infância

A

ndré Luiz Frambach é focado e sabe exatamente o que quer. Inclusive, não demorou muito para descobrir que tinha vocação para ser ator. Tanto que, ainda na infância estreou na televisão aos 8 anos, quando viveu o cantor Leandro em “Por Toda a Minha Vida”. Na época, conseguiu engatar uma sequência de trabalhos na Globo. Participou de “Queridos Amigos”, “Duas Caras”, “Ciranda de Pedra” e “A Favorita”, tudo em 2008. Mas, a partir de 2010, depois de atuar em “Passione”, permaneceu um bom tempo longe do vídeo – fez apenas um personagem pontual em “A Lei do Amor”, em 2016. Ficar um período sem trabalhar na tevê, aliás, é algo que acontece com muitos atores que fazem sucesso na infância. Mas, aos 21 anos, André tem uma nova oportunidade de mostrar seu trabalho, agora como adulto, em “Malhação – Vidas Brasileiras”. Na pele do revoltado Márcio, o ator tem se divertido com a repercussão de seu papel junto ao público. “Nas ruas, as pessoas me elogiam, mas sentem raiva das atitudes do personagem”, conta. Para compreender as motivações de Márcio e compor o papel, André precisou correr contra o tempo. Afinal, ele entrou em “Malhação” com dois meses de novela no ar. “Foi complicado porque eu já tive de começar com uma energia lá em cima, enquanto o pessoal foi esquentando aos poucos.

Mas foi importante para mim como ator”, acredita. Na história, Márcio é filho de Rafael, interpretado por Carmo Dalla Vecchia. O rapaz não tem um bom relacionamento com o pai e sempre se mete em encrencas. Mas, aos poucos, se mostra sensível e carente de carinho da família. “Não o consideraria um vilão. Faço um personagem que tem atitudes incoerentes. É o primeiro papel mais forte e marcante da minha carreira”, orgulha-se.

Nome: André Luiz Pfaltzgraff Frambach. Nascimento: Em 15 de fevereiro de 1997, em Niterói, Rio de Janeiro. Ao que assiste na tevê: “Filmes, novelas, programas esportivos, desenho animado, programas de animais e ‘realities’”. Ao que não assiste na tevê: “Programa de fofoca”. O que falta na televisão: “Festivais de música”. O que sobra na televisão: “Programa de fofoca”.

Livro: “Gosto muito de livros que falam da relação entre homem e animal porque sou muito ligado à natureza e aos bichos. ‘Marley e Eu’, por exemplo”. Ator: Rodrigo Santoro. Atriz: Cássia Kis. Mania: “Separo as meias com desenhos em um saquinho”. O primeiro trabalho na tevê: “Por Toda A Minha Vida” sobre a dupla Leandro e Leonardo, em 2007. Sua atuação inesquecível: “Todos os personagens que fiz foram muito importantes e sempre são, mas dois trabalhos que me marcaram muito foram o Franzé em ‘Ciranda de Pedra’ e o Davi de ‘Queridos Amigos’”. Interpretação memorável: Nathalia Timberg em “Queridos Amigos”. Um momento marcante na carreira: “Quando eu saí do estúdio em que estava gravando ‘Queridos Amigos’ e fui para São Paulo gravar no mesmo dia a minha primeira cena em ‘Ciranda de Pedra’”. Se não fosse ator, o que seria: “Sempre quis ser veterinário, mas não sei se hoje em dia ainda seria”. Novela preferida: “Ciranda de Pedra”, de 2008. Vilão marcante: Nazaré, interpretada por Renata Sorrah em “Senhora do Destino”, de 2004. Personagem mais difícil de compor: Márcio, de “Malhação - Vidas Brasileiras”. Papel que mais teve retorno do público: “Tirando o Márcio, que é o de agora, o Franze e o Davi”. Que novela gostaria que fosse reprisada: “Ciranda de Pedra”. Com quem gostaria de fazer par romântico: Paolla Oliveira. Filme: “Marley e Eu”, de David Frankel.


10 televisão

Domingo, 12 de agosto de 2018

Tempos entrelaçados >> inside

Elizabeth Jhin volta a apostar em trama espírita com “Espelho da Vida”, próxima novela das seis

P

ode até soar piegas a afirmação de que a profissão de ator é repleta de altos e baixos. Mas Guilherme Fontes é um bom exemplo de alguém que aprendeu a lidar com tantas oscilações na carreira. Experimentou o reconhecimento através de personagens marcantes na teledramaturgia, como o Marcos de “Mulheres de Areia”, o Rei em “Bebê a Bordo” e o vilão Alexandre de “A Viagem”. Mas também teve de lidar publicamente com a guerra judicial travada a partir da produção do filme baseado no livro “Chatô, O Rei do Brasil”, cujos direitos foram adquiridos por ele em 1994. O filme só foi lançado em 2015 e Guilherme, que assinou a direção, foi condenado a devolver mais de R$ 80 milhões aos cofres públicos. Baixada a poeira, o ator se prepara agora para voltar ao ar na televisão como Silas, protagonista da série “Pacto de Sangue”, com estreia prevista para 27 de agosto no Space. “Tem de ter fôlego e amar o que faz. Você pode estar em uma novela no papel de protagonista e não acontecer nada de novo. E pode estar em um papel pequeno e ele ser um sucesso. Já fui e já voltei. Já me deram por morto e renasci. Acho que vai ser assim até o fim”, avalia. Na série, Guilherme interpreta um apresentador de uma

tevê de Belém, no Pará. Ambicioso, o personagem é capaz de manter alianças perigosas para ganhar mais poder e explora com sensacionalismo os crimes da cidade para aumentar a audiência de seu programa. Longe de fazer o tipo mocinho de novela que já interpretou, Guilherme enxerga em Silas múltiplas possibilidades cênicas. “Diferentemente de uma novela, em que não se sabe para onde irá o personagem, aqui, quando recebemos o texto, sabemos o começo, o meio e o fim. Isso ajuda muito na composição do personagem”, destaca ele, que recebeu o convite para encabeçar a série logo depois da estreia do filme “Chatô, O Rei do Brasil”. “Aceitei na hora. Antes de qualquer coisa, sou ator”, reforça. Depois de acertar sua participação em “Pacto de Sangue”,

Guilherme ficou envolvido nas gravações da série durante dois meses. O trabalho intenso, no entanto, foi amenizado pela organização no “set”, segundo o ator. “Tudo feito com alto nível de cuidado e sem atrasos”, lembra. Para incorporar os trejeitos de seu papel, Guilherme também não precisou de muito esforço. O próprio texto deu a ele os elementos necessários para compreender as motivações de Silas. Mesmo assim, algumas referências externas foram aproveitadas por Guilherme. “Tenho memórias de apresentadores históricos que emocionaram o Brasil que tinham posturas e gestos característicos. Fui pegando uma coisa aqui e outra ali para enriquecer o personagem”, explica, sem revelar nomes. Atento ao mercado de audiovisual, o ator enxerga com

animação o crescimento do investimento na produção de séries, tanto por parte dos canais abertos como na tevê por assinatura e nos serviços de conteúdo “on demand”. “Temos de nos organizar e apresentar os projetos. O público só sai ganhando”, acredita. Ideias, aliás, não faltam a Guilherme. Ainda bastante lembrado por sua atuação em “A Viagem” como o vilão Alexandre, ele está desenvolvendo a proposta de um “spin-off” com histórias inéditas do personagem que interpretou em 1994. “Vamos ver se rola. Até hoje sou parado na rua com a mesma intensidade. A novela foi reprisada quatro vezes e fez mais de três gerações de público. Outro dia fui abordado por uma criança de 11 anos que ficou louca quando me reconheceu”, conta.


televisão 11

Domingo, 12 de agosto de 2018

>> BASTIDORES Nova temporada do “Bake Off Brasil” tem Nadja Haddad e Olivier Anquier como novidades

Mão na massa

A

s grandes franquias de sucesso sempre tiveram espaço cativo na grade da tevê aberta. Os “talent shows” culinários, então, fazem a cabeça do telespectador e das grandes emissoras há muito tempo. Por isso, o SBT continua investindo no “Bake Off Brasil”, uma das produções de maior relevância na sua programação. A recémestreada quarta temporada do programa, apresentada aos sábados, conta com algumas novidades. A apresentação está a cargo de Nadja Haddad - Carol Fiorentino, que estava à frente das outras versões do programa culinário não chegou a um acordo financeiro com o SBT e foi substituída. Na dupla de jurados, também há uma novidade. Olivier Anquier, que desde 1998 está diretamente envolvido em programas de gastronomia em canais abertos e fechados, faz par com a renomada Beca Milano, veterana no formato. “As mudanças chegam para reforçar esse modelo já consolidado, mas sem mudar muito a estrutura, que permanece igual”, reforça o diretor Lucas Gentil. Jornalista de formação, Nadja celebra sua entrada definitiva no entretenimento da emissora. “Não era um plano estar aqui, mas já assistia ao programa e estou muito feliz com a oportunidade”, afirma. Assim como Ana Paula Padrão, que “mudou de lado”, ao apresentar o “MasterChef Brasil”, da Band, a apresentadora não se imagina voltando para o jornalismo. “Ser repórter faz parte da minha história, mas acho que virei uma

página. Estou muito feliz de poder ser eu mesma”, revela. No “Bake Off Brasil”, ela junta seu amor pela cozinha com a paixão recém-adquirida de apresentar. Mas como não renega suas origens, Nadja afirma que vai atrás de histórias emocionantes. “O time de participantes é muito diverso, quero ser amiga e conselheira deles. Apresentar suas histórias para aproximá-los do público”, projeta. Olivier reforça o coro e destaca sua primeira passagem pelo SBT – uma das poucas emissoras de tevê aberta em que ele não havia passado em sua trajetória. “É uma honra ter sido convidado e uma experiência nova porque, até então, nunca julguei ninguém”, afirma o padeiro. Neste ano, o “Bake Off Brasil” recebeu mais de 200 mil inscrições. Destes, 200 participantes foram pré-selecionados. Vinte começam na cozinha do progra-

ma, que faz uma peneira até chegar aos 16 aspirantes a confeiteiros que integram os 18 episódios da temporada. Para as gravações, o SBT manteve a imponente tenda armada nos Estúdios Anhanguera, em São Paulo, totalmente equipada com tudo necessário para as provas. Lucas conta que as gravações chegam a durar dez horas e uma equipe de quase 50 pessoas o ajuda a comandar suas oito câmeras. “Conforme ocorrem as eliminações, vamos reduzindo até estabilizar em seis”, explica o diretor. As provas, elaboradas por Beca, Olivier e um amplo time culinário, seguem no mesmo molde: podem ser técnicos, quando os participantes precisam replicar uma receita, ou criativos, quando podem ousar dentro de uma temática específica. “Esse ano ampliamos o tempo de prova, que agora pode chegar a cinco horas de duração. Isso aumenta a difi-

culdade e também o nosso grau de exigência”, comenta Beca. O formato do “Bake Off” existe há oito anos - foi criado no Reino Unido e licenciado pela BBC Studios para 30 países. Assim como em suas versões “gringas”, o modelo tem boa repercussão no Brasil. Fernando Pelégio, diretor artístico do SBT, no entanto, não é ousado nas previsões sobre a quarta temporada. “Não gosto de estipular números de audiência. Nossa meta é a viceliderança,independentementede quantos pontos vamos marcar no Ibope”,garante.Apesardamodéstia, o formato é uma grande apostanoSBT.Duranteosmesesjunho, julho e agosto, além da quarta temporadado“BakeOffBrasil”,foram gravados dois especiais de fim de ano - de Natal e de Ano Novo, com participantes famosos -, além de umaversãoinfantil,o“JúniorBake Off”, prevista para estrear em fevereiro do próximo ano.


12 televisão

Domingo, 12 de agosto de 2018

Zapping

>> por Caroline Borges

Amplo leque Armando Babaioff está empolgado com seu trabalho em “Segundo Sol”, da Globo. Na pele do policial Ionan, o ator vive um sujeito gente boa, mas que precisa lidar com o ciúme excessivo da esposa Doralice, papel de Roberta Rodrigues. Querendo ajudar Maura, interpretada por Nanda Costa, Ionan topa ser o pai do bebê da colega de trabalho com Selma, de Carol Fazu. Porém, a atitude irá colocar em risco seu casamento com Doralice. Para o ator, o enredo do personagem oferece variadas opções artísticas em cena. “O João Emanuel escreve um texto muito rico e cheio de possibilidades para experimentar. Antes de gravar, a gente sempre discute o que pode dar mais certo na cena. Às vezes, a gente investe no humor, no romance ou no tesão do casal. É um jogo cênico que funciona muito bem na prática”, defende.

Animação na cozinha

Longe da cozinha do “MasterChef Brasil”, Henrique Fogaça irá dublar um novo personagem na série “Mickey: Aventuras Sobre Rodas”, do Disney Junior. No episódio, que ainda não tem data definida de exibição, o jurado é um conceituado “chef” de cozinha que irá abrir um novo café em Paris, junto com o Pateta. Fogaça foi o convidado especial para dar voz ao personagem. “A Disney faz parte do imaginário de todas as pessoas e, por isso, foi muito legal participar da série, principalmente atuando com personagens como o Pluto, que marcou minha infância”, vibra. Em breve, Fogaça também volta ao ar com a nova temporada do “MasterChef Profissionais”, da Band.

Juntos de novo

Elenco reunido

Um dos principais programas da grade do Multishow, o “Vai Que Cola” estreia sua nova temporada no próximo dia 13. Para celebrar a data, o canal a cabo exibirá uma edição especial do “TVZ ao Vivo”. A partir das 19 horas, o elenco do “sitcom” apresenta a faixa de clipes diretamente do cenário da sexta temporada da série.

Rosane Svartman e Paulo Halm preparam um novo projeto para o horário das 19 horas. Com o título provisório de “Bom Sucesso”, a novela terá uma costureira como protagonista. A direção será de Luiz Henrique Rios. Os três trabalharam juntos em “Totalmente Demais”.

Elenco de peso

Dupla exposição

No ar em “Orgulho e Paixão”, Laila Zaid fará uma participação na série “Amigo de Aluguel”, que estreia no próximo dia 26, no Universal TV. Na trama, ela vive Hannah, uma mulher que contrata o protagonista Fred, de Felipe Abib, para fingir ser seu namorado durante o casamento do ex-noivo.

Vivendo de arte

Além de Cauã Reymond e Sophie Charlotte, o elenco da segunda temporada de “Ilha de Ferro” contará com outros nomes de peso. Mariana Ximenes e Eriberto Leão também participarão da produção. As gravações estão previstas para setembro. A primeira temporada ainda não tem data de estreia definida. O projeto está cotado para ir ao ar no novo serviço de “streaming” da Globo.

Em diversos momentos, as carreiras de cantora e atriz de Lua Blanco se entrelaçam. Após fazer sucesso na trama musical de “Rebelde”, da Record, a atriz vem conciliando suas múltiplas vertentes artísticas. De folga das novelas desde o fim de “A Força do Querer”, Lua abre espaço para mais música e estará na nova temporada de “Popstar”, comandado por Taís Araújo. Mesmo familiarizada com o ambiente musical, a atriz revela que não tem experiência com competições. “Estou com o coração na boca. Nunca fiz nada eliminatório, nenhum concurso musical. Passei a adolescência assistindo a competições musicais gringas e pensando como é que seria fazer um negócio desses. Agora eu vou descobrir, com muita diversão”, explica ela, que está ansiosa para a estreia do “reality show”.

Jornal de Fato  

Jornalismo de verdade

Jornal de Fato  

Jornalismo de verdade

Advertisement