__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Jornal da 3ª Idade São Paulo, outubro de 2010 - Um jornal a serviço dos direitos dos idosos- Ano 7 nº 55

Foto: Denise Andrade/Instituto Tomie Ohtake

Tomie Ohtake vai comemorar 97 anos com uma exposição

foto:TV Cultura/divulgação

Tomie Ohtake, que nasceu japonesa, em 1923, e escolheu se tornar brasileira em 1968, vai completar 97 anos, dia 23 de novembro e a comemoração será trabalhando, abrindo mais uma exposição, no instituto que leva seu nome, no bairro de Pinheiros, em São Paulo, criado pelos seus filhos, Ricardo e Ruy, renomados arquitetos. Considerada uma das mais importantes artistas do país, ela chegou ao Brasil aos 23 anos para visitar um dos seus cinco irmãos. Por várias vezes contou que pretendia ficar um ano ou dois, se tanto, para em seguida voltar ao Japão, sua terra natal, o único lugar que conhecia, e onde pretendia ficar por toda vida. As primeiras notícias sobre a entrada do Japão nos acordos de união bélica, que viriam a entrar para a história como o eixo Berlim-

Roma-Tóquio e que foram o início da II Guerra Mundial, assustaram a família que resolveu segurá-la por aqui. Foi quando ela começou a redesenhar a sua vida. No Japão ela não podia estudar pintura e a mãe a obrigava a fazer aulas de cerimônia do chá e de arranjos florais. No Brasil, foi incentiva por artistas importantes que reconheceram nela um grande talento. Para os críticos de arte, sua obra está impregnada das coisas abstratas do Japão com a alegria do Brasil. Kyoto, sua cidade natal, foi capital do país, e abrigou imperadores, cortesãos e muitos artistas. A cidade tem inúmeras coleções de livros feitos em rolos de papel, e uma imensidão de telas e leques com pinturas preciosas e palácios. É ainda repleta de bambu, planta que em japonês se chama “ohtake”.

A cantora, atriz e aautora com platéia repleta de idosos o aniversário do programa. Tomie começou pintarcomemorou aos 40 anos.

Opinião

Novos projetos

Artigo

Cidadania

Pastoral escolhe a substituta da Dra. Zilda Arns

A Pastoral da Pessoa Idosa, da igreja católica escolheu a nova coordenadora, que substitui a médica Zilda Arns, falecida em janeiro, no terremoto, no Haiti. É a freira gaúcha Ir. Terezinha Tortelli, da congregação Filhas da Caridade, de 56 anos. Pag 2

PNDA

Como os idosos Instituto Thomaz Atividade física Novos números podem preservar de Carvalho tem prenive doenças do IBGE revela sua memória nova sede em SP e deve ser hábito mais idosos

O Tenente-médico do HASP- Hospital da Aeronautica de São Paulo, geriatra, Rafael Canineu, escreveu sobre aquela que é a maior responsável pelos pedidos de avaliação, pelas pessoas que estão entrando na terceira idade: queixas de perda de memória. Pag 2 Foto: HB/Jornal da 3ªIdade

O IBPC- Instituto Brasileiro de Pesquisa Clínica Thomaz de Carvalho, entidade fundada em 2009, inaugurou sua nova sede. Capitaneado pelo cardiologista Antonio Carlos Lopes responde pelas principais pesquisas clínicas, no país. Pag 4

O sedentarismo, a incapacidade e a dependência são as maiores adversidades da saúde associadas ao envelhecimento. Para o médico Milton Crenitte, a melhor forma de prevenção é a atividade física constante, que deve se tornar hábito. Pag 5

O Comunicado nº 64, PNDA 2009- Primeiras Analíses: Tendências Demográficas, divulgado dia 13 de outubro, mostra que o Brasil está envelhecendo muito mais rápido do que se esperava. Nos dados, mais de 13 milhões de idosos chefiam suas famílias Pag 5

Seus direitos

Advogada fala sobre o trabalho dos aposentados

A advogada Patrícia Corrêa explica os problemas legais que podem ocorrer aos aposentados que voltam ao mercado de trabalho. Segundo ela, torna-se cada vez mais urgente a reforma da previdência social, com o fim de adequar o sistemas as novas situações. Pag 5

Vagas para estacionar é direito de todos os idosos, mesmo os não habilitados a dirigir Cresce o número de reclamações sobre o direito de utilização de vagas de estacionamento em locais públicos, da parte de idodos e seus acompanhantes. A lei é clara, o direito as vagas de estacionamento especiais para idosos é para

todos,inclusive para aqueles que não tem carteira de habilitação de motorista. Qualquer pessoa, com mais de 60 anos, pode precisar parar na frente de um hospital, de uma igreja, de um cinema e de um teatro e pode estar de carona. Pag 8


Editorial

Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010

Opinião

Que lições podemos tirar Como os idosos podem da epopeia dos chilenos? preservar sua memória

Durante muito tempo ainda vamos assistir e ler sobre os 33 mineiros soterrados a 700 metros de profundidade, no Deserto do Atacama, no Chile, resgatados numa operação cinematográfica que emocionou milhões de pessoas no mundo. São muitas as lições que podemos tirar dessa epopeia que certamente renderá palestras, livros, filmes e jogos. Ela deverá ser o saldo positivo de 2010, um ano que começamos a fechar como um dos mais violentos da última década, em todo o planeta. A maratona para o salvamento dos mineiros, capitaneada pelo governo do Chile e envolvendo empresas e governos de outros países, mostrou a capacidade de solidariedade e união que é possível para fazer o bem. Nasce, então, uma pergunta. Será que não poderia ser assim em tantas outras mazelas que afligem tantas outras pessoas? Longe de quantificar o valor de cada vida, não se pode deixar de questionar que se empresas, governos e milionários se prontificam a investir no salvamento de 33 pessoas, por que não fazer o mesmo para as centenas de crianças que morrem de fome e Aids na África, diariamente? Cada vez que um repórter fotográfico revela a imagem daquelas crianças desnutridas e com olhar carente, todos os países deviam se envergonhar. No entanto, entra ano e sai ano e elas estão lá. A lição maior certamente vem dos próprios mineiros que preocupados com a sobrevivência acabaram mostrando o que deveria ser o obvio para todos: a sociedade depende da ca-

pacidade de organização de cada comunidade, por menor que ela seja e não importando o buraco onde ela se desenvolva. O grupo dos mineiros se organizou, mesmo estando confinado num ambiente fechado e úmido, com temperatura de até 40º e umidade absurda que fez brotar fungos na pele de vários deles. Souberam distribuir tarefas: o mais religioso dava conforto espiritual; tinha o enfermeiro que acompanhava os doentes; elegeram um porta-voz para divulgar imagens e declarações em nome do grupo e distribuíram missões, de acordo com as habilidades. Não houve desespero, pelo contrário, mantiveram um bom humor inesperado. A partir do primeiro contato com as equipes de resgate, os mineiros receberam o que certamente deve ter sido o maior alimento para sua sobrevivência: saber que as suas famílias, acampadas ao redor da mina, faziam pressão nos governantes e chamavam a atenção da mídia para que não fossem esquecidos. O que se praticou naquele deserto esteve acima de manuais políticos e de sociologia: uma pequena comunidade organizada que não se deixou soterrar; a demonstração da convivência das diferenças; a união para o bem comum não importando se a ajuda era de direita ou esquerda; a globalização dando resposta rápida para um problema regional; o exemplo de que aparece dinheiro quando existe vontade política e que, independente das dificuldades, todo mundo deve sair de cabeça erguida.

Onde buscar informações

Defensoria Pública de SP/ Núcleo do Idoso 11-3106-1172 Capital-SP

Promotoria de Atendimento ao Idoso Capital 11-3119-9082 / 3119-9083

Delegacia do Idoso

Centro da Capital-SP 11- 3237-0666 / 3656-3540

Núcleo Atenção ao Idoso do FUSSESP 11- 2588-5875

Capital-SP

Conselho Municipal do Idoso de São Paulo 11 -3113 9631 Capital-SP

Conselho Estadual do Idoso de SP 11- 3222-1229 Capital-SP

Conselho Nacional do Idoso

61- 3429-3598 em Brasília- DF

2

Rafael Canineu é médico geriatra, trabalha como Tenente-médico no

HASP- Hospital da Aeronáutica de São Paulo.

rcanineu@yahoo.com.br O envelhecimento é um processo normal, que chegará a todos os selecionados pela vida, e que, de forma nenhuma, pode ser confundido com doença. Não estranhe a palavra selecionado. Se você já passou dos 60, dos 70 e mais ainda se tiver mais de 80 anos é um privilegiado, porque a vida o escolheu para viver mais. O envelhecimento da população mundial já é uma realidade há vários anos, assim como o envelhecimento da população brasileira. Com essa constatação cresceu a busca por receitas milagrosas, elixir da longa vida e outras receitas mirabolantes para garantir o envelhecimento bem sucedido. E nessa busca a procura cada vez mais freqüente ao médico, seja clínico, geriatra ou neurologista para uma avaliação é das queixas de memória, tanto queixas do próprio paciente quanto queixas de familiares e cuidadores. A memória é uma das funções complexas do sistema nervoso central, e no seu conjunto são chamadas de funções cognitivas. Além da memória, são parte das funções cognitivas a atenção, as funções executivas, habilidades visuais espaciais e linguagem. De todas elas, talvez a memória é a que primeiro dá sinais de alterações com o envelhecimento, e a que mais precocemente leva o idoso ao consultório.

A pergunta que deve ser respondida é: A perda de memória é normal no avanço do envelhecimento? O processo do envelhecimento trás consigo inúmeras alterações em todo o organismo, sejam alterações cardiovasculares, respiratórias, nas articulações e também no sistema nervoso central. Dentre as funções mais alteradas com a chegada da idade podemos incluir: os novos aprendizados, a rapidez na resolução dos problemas e a memória episódica (que é aquela que usamos para recordar nomes, datas e detalhes). Já as funções menos afetadas são: o vocabulário, a memória semântica (compreensão dos fatos) e a reserva de informações. Isso quer dizer: esquecer de coisas menos importantes pode acometer a todos em qualquer idade, mas quando a perda de memória começa a interferir nas atividades do dia a dia, como por exemplo, na capacidade de lembrar de pagar contas, da consulta no médico, no encontro marcado com as amigas, do nome da pessoa que trabalha na sua casa há meses, na orientação de tempo e espaço, é hora de se preocupar. No que diz respeito à memória, é sempre interessante se comparar as outras pessoas da mesma idade, que fazem parte do seu circulo social. É importante questionar. Será que estou

pior do que as pessoas que convivo regularmente? Será que posso estar ansiosa ou com depressão? Como muitas vezes as próprias pessoas não percebem os sintomas, então a observação da família é das pessoas mais próximas, passa a ser muito importante. A pessoa pode se observar, mas também deve ser observada. A partir daí é preciso buscar uma avaliação mais especializada com seu médico de confiança. Aproximadamente 30% dos idosos que vivem em comunidade e 75% dos idosos internados apresentam queixas de memória, mas para que se possa diferenciar o normal do patológico é preciso avaliar o quanto essa perda de memória interfere na realização das atividades do dia-dia do indivíduo ou de seus familiares. Portanto, o melhor remédio para manter a memória é estimulá-la cada vez mais. Isso pode ser feito com leitura; reunindo amigos para jogos inteligentes,como simples passatempos como a montagem de quebracabeças ou a prática de palavras cruzadas; fazendo as contas da casa. Enfim, levar uma vida saudável. A atividade física supervisionada e o estímulo cognitivo contínuo, aprimorando os conhecimentos adquiridos durante a vida e buscando sempre novos desafios e aprendizados é o que de melhor existe.

Jornal da 3ª Idade

ISSN 1809-2527

www.jornal3idade.com.br Jornalista responsável: Hermínia Brandão MTB 13.295 herminia@jornal3idade.com.br Editor gráfico: Rafael Brandão rafael@jornal3idade.com.br Como participar - as pessoas podem enviar sugestões de pautas e avisar de eventos. Distribuição - Para da DROGARIA SÃO PAULO, na capital e na Grande São Paulo em eventos e pontos de encontros de idosos. Assinatura individual- Para receber um exemplar pelo correio, com direito a 12 edições, pelo preço de R$50,00, por ano.

Assinatura de grupo - Para que todos possam receber no endereço do grupo, o valor é de R$6,00 por ano (R$0,50 por exemplar) por pessoa, sendo no mínimo 50 membros e com cobrança única, no ano. Cartas para: Caixa Postal 11.475 S.Paulo SP Cep 05422-970 e-mail: assinatura@jornal3idade.com.br

 11- 3105-0607 twitter.com/jornalda3idade


Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010

Hotel Fazenda Villa da Fonte

se você estava procurando um lugar especial, a 40 minutos de São Paulo, para passar uma virada de ano diferente com a sua família, com total tranquilidade em meio a muita natureza, nós temos o lugar ideal.

Lugares muito bonitos, muito bem cuidados, ideais para caminhadas, com ar puro e vegetação com flores e frutos.

Capela ecumênica: um dos lugares mais visitados da propriedade, oferece sensação de bem estar espiritual. As pessoas que estiverem procurando um lugar perto de São Paulo, com infraestrura completa para levar sua família para uma virada de ano diferente, com muita tranquilidade, infraestrutura completa e podendo se hospedar em chalés suites, tendo a sua disposição um bom restaurante, sob o comando do chef Edmar, que se empenha em fazer uma comida

caseira e saborosa, agora tem um lugar certo para ir: é o Hotel Fazenda Villa da Fonte, no município de Suzano, somente a 40 minutos do Centro, de São Paulo. Os empreendedores do local operam de modo diferenciado, não disponibilizando em suas suites aparelhos de Tv, com a intenção que o hóspede “ se desligue” do seu dia a dia e possa

descansar. Mas para quem preferir, televisores, há disponíveis nas salas de estar. Com muito ar livre, com lugares de vegetação bastante cuidada, com lagos com pedalinho e peixes, quiosques, quadra poliesportiva, campo de futebol semi-oficial, playground, mini fazenda e trilha para caminhada. Nas áreas construídas estão a disposição uma piscina aquecida coberta, um salão de jogos, enfermaria, sala de descanso, chalés, sala de karaokê, loja de conveniência, restaurante, sala para cinema e teatro, além de um amplo estacionamento. As atividades contam com monitores animados que organizam um divertido bingo e sempre um baile. O local foi totalmente reformado e melhorado, recentemente, mas muitas pessoas guardam boas lembranças do antigo formato, porque lá funcionou durante bastante tempo o Hotel Pirâmide. Os novos proprietários trabalham durante todo o ano com aluguel para eventos fechados e no seu Projeto Melhor Idade, que pretende transformar o espaço numa referência para os eventos dos grupos que queiram passar um dia bastante agradável, longe do barulho, mas ao mesmo tempo perto o suficiente para estarem em casa no começo da noite. O preço é imbatível: o investimento mais barato, entre todos os de melhor nível no mercado. Se quiser conferir é só ligar. Você vai notar a diferença já no atendimento.

Chalés para relaxar durante o passeio de um dia ou para se acomodar quando a opção for de passeio com pernoite.

No passeio, pode-se desfrutar de uma grande piscina a ceu aberto e outra piscina coberta, de água quente.

3


Aconteceu

Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010

O IBPC- Instituto Brasileiro de Pesquisa Clínica Thomaz de Carvalho inaugurou nova sede Antonio Carlos Lopes, de 63 anos de idade e 37 de medicina, é médico cardiologista, Professor Titular de Clínica Médica da UNIFESPUniversidade Federal de SP, presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica e presidente do IBPCInstituto Brasileiro de Pesquisa Clínica Thomaz de Carvalho.

No último dia 16 de setembro foi inaugurada, no bairro da Vila Clementino, na Capital, a nova sede do IBPC -Instituto Brasileiro de Pesquisa Clínica Thomaz de Carvalho, entidade fundada em 2009, em parceria com a Unifesp- Universidade Federal de São Paulo, para fazer pesquisa com medicamentos e trabalhar em parceria com universidades brasileiras e americanas. A pesquisa clinica é uma área de atuação que vem ganhando espaço nos principais centros de pesquisa internacionais, porque é ela quem, cientificamente, pode garantir a melhor eficácia de novos medicamentos, produtos para saúde, vacinas e comparar procedimentos do mercado. O IBPC surgiu para trabalhar, sem fins lucrativos, junto aos mais conceituados centros de pesquisa do Brasil, com a participação de profissionais de ponta na área, que não terão remuneração na sua atuação no instituto. Sua meta é a melhoria da saúde e da qualidade de vida dos pacientes, gerando conhecimento

por meio de pesquisa em diversos segmentos. “O IBPC representa uma grande oportunidade para o país e de imediato tem dois destaques. O investimento aplicado até agora vem da iniciativa privada, sem utilização de recursos públicos. A entidade nasceu e foi estruturada em interface com o maior centro de pesquisa clínica do mundo, pertencente a Duke University, dos EUA. Passamos por uma auditoria da universidade norte-americana, fato inédito no país. O IBPC foi reconhecido como o braço da Duke no Brasil, comprovando a elevada qualidade na condução dos estudos clínicos já realizados, e os que estão em andamento. Com isso estamos nivelados aos principais centros internacionais equivalentes”, explica o cardiologista, Prof. Dr. Antonio Carlos Lopes, que preside o IBPC. Na comunidade acadêmica o IBPC é tratado por BCRI – Brasilian Clinical Research Institute para se assemelhar ao DCRI- Duke Clinical Research Institute, dos EUA e é assim que está no seu

site www.bcri.org.br A festa de inauguração foi prestigiada por dezenas de personalidades empresariais, reitores de universidades, juristas, representantes do governo federal e estadual, professores e alunos de medicina da Unifesp e representantes de várias entidades do segmento de saúde de São Paulo. O Prof. Dr. Antonio Carlos Lopes, que é destaque na pesquisa de clínica médica no Brasil, Professor Titular de Clínica Médica da Universidade Federal de SP e presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, credita ao seu filho, Renato Delascio Lopes, Prof. Adjunto de Cardiologia da Duke University, o esforço de conseguir o convênio com aquela universidade que vai fazer, segundo ele, com que o IBPC coloque o Brasil na vitrine do mundo em pesquisa clínica. Professores da Duke University também estavam presentes na inauguração e ressaltaram a importância do convênio e anunciaram a realização de parcerias em cursos e aulas.

Pensar o Brasil é pensar nos idosos Dez dias depois do primeiro turno das eleições, o IPEA- Instituto de Pesquisas Aplicadas, fundação pública federal vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, cujas atividades de pesquisa fornecem suporte técnico e institucional às ações governamentais e programas do país, divulgou seu Comunicado nº 64, PNDA 2009- Primeiras Análises:Tendências Demográficas.

4

O documento deixa claro que o Brasil está envelhecendo muito mais rápido do que se esperava. Nos dados de 2009, aproximadamente 13,8 milhões de idosos brasileiros chefiam suas famílias, sendo que destes, 57,3% homens. Dos 23,8% de idosos na condição de cônjuges, 81,4% são mulheres. Em 6,2 milhões de famílias onde o idoso é chefe ou cônjuge residem filhos adultos e em 2,3 milhões

de famílias havia netos. Os idosos cobrem 54,8% da renda familiar. Por outro lado, no ano passado 1,9 milhão de idosos brasileiros moravam na casa de filhos, genros ou outros parentes. Dentre esses, predominavam as mulheres: 76,0%. Nas famílias com idosas morando na casa de outros parentes, elas contribuíam com cerca de 23,1% na renda familiar. www.ipea.gov.br

A Associação Amigos do Coração é uma entidade sem fins lucrativos, com sede em São Paulo. Desde 1999 promove a humanização do ambiente hospitalar e a melhoria da qualidade de vida dos pacientes do SUS, portadores de cardiopatias, internados no Instituto do Coração - HC de SP. Caso você possa nos ajudar com doações de materiais novos e usados, contate o  11-3069-5455 Para doação em dinheiro favor depositar no Banco Bradesco Ag. 0138-4 C/C 0144.905-2 titular: Associação Amigos do Coração Av. Dr. Eneas de Carvalho Aguiar, 44 2º andar S.Paulo SP Cep 05403-901

amigosdocoração@incor.usp.br

O ICAL - Instituto Cultural, Artístico e Literário do Brasil é uma instituição, sem fins lucrativos, voltada para o incentivo à cultura, arte e literatura. Participe! Oficina de criação de textos infantis, no bairro dos Jardins, às quintas-feiras, às 14.40 horas Dinah Choichit - presidente

 11-9102-1511 www.ical.org.br


Atividade física

Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010

Atividade física previne doenças Dr. Milton Crenitte médico formado pela UMC com atualização em Geriatria pelo Hospital das Clínicas da FMUSP mcrenitte@hotmail.com

Hidroterapia aplicada a idosos pela curso de Fisioterapia da UNG-Universidade Guarulhos,em SP.

13 de outubro foi o Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional profissões muito importantes para o envelhecimento saudável A atriz Cleyde Yáconis, que interpreta Brígida em Passione, vai fazer 87 anos no mês que vem e ainda se recupera da quebra da bacia, após uma queda no seu apartamento, no final de julho. A previsão inicial de um afastamento por 30 dias poderia ter tirado ela da novela, mas 15 dias depois, apesar da idade, ela já caminhava. Para a sua assessoria, foi a fisioterapia que proporcionou a aceleração da sua recuperação. Como ela, cada vez mais os idosos utilizam os conhecimentos dos profissionais dessa área para garantir um envelhecimento saudável ou se recuperar de fraturas recente. A Fisioterapia como profissão nasceu em meados

do século XX, depois que as duas guerras mundiais causaram um grande número de lesões e ferimentos graves que necessitavam de uma abordagem de reabilitação para que as pessoas afetadas tivessem novamente uma vida ativa. A Terapia Ocupacional é anterior, surgiu com a Revolução Industrial, no final do século XIX, quando se registraram os primeiros acidentes industriais e com eles o aumento de pessoas incapacitadas, exigindo uma nova forma de tratamento. No Brasil, ambas as profissões foram regulamentadas, com suas atribuições devidamente definidas através do Decreto-lei nº 938, de 13 de outubro de 1969. “A importância do fisio-

O curso de Fisioterapia da Universidade Guarulhos está com as inscrições abertas para hidroterapia. São 40 vagas, voltadas a pessoas a partir dos 60 anos, que tenham facilidade de locomoção e encaminhamento médico para o desenvolvimento de atividade física na água. As sessões acontecem na Clínica de Fisioterapia da

Universidade, as segundas e quintas-feiras, em dois horários: das 10h15 às 11h e das 16h às 16h45 – O paciente deve escolher um dos dias e horários. As inscrições são por telefone

terapeuta dentro de uma equipe multidisciplinar, seja para um programa de atividade física na terceira idade ou para a reabilitação de intervenções cirúrgicas ou fraturas cada vez é mais destacado. A velhice não precisa ser sinônimo de doença, mas com a idade aumenta o risco de comprometimento funcional e perda de qualidade de vida. A avaliação dos idosos, com acompanhamento do profissional fisioterapeuta, tornase essencial para estabelecer um julgamento clínico adequado que subsidiarão as decisões sobre os tratamentos e cuidados necessários”, explica a Fisioterapeuta Andréa Moura Grobman, diretora da NC- assessoria esportiva na terceira idade.

Faculdades ofertam fisioterapia grátis para idosos

11 2464-1778. ____

A Clínica Escola de Fisioterapia da Uni Sant’Anna, no Tucuruvi,na Capital,

atende grátis pacientes nas áreas de ortopedia, neurologia, cardiovascular e fisioterapia aquática. A assistência é feita pelos alunos do último ano do curso sob supervisão dos professores da instituição. Cada sessão tem duração de 50 minutos. Os interessados devem ligar de segunda a quinta-feira, das 8h às 17h.

11 2949 2655

As evidências mostram que o melhor modo de promover a saúde no idoso é prevenir seus problemas médicos mais freqüentes. O sedentarismo, a incapacidade e a dependência são as maiores adversidades da saúde associadas ao envelhecimento. As principais causas de incapacidade são as doenças crônicas, incluindo as seqüelas dos acidentes vasculares encefálicos (derrames cerebrais), as fraturas, as doenças reumáticas e as doenças Cárdio Vasculares, entre outras. Para preveni-las os idosos não devem ficar parados. Ninguém está muito velho para fazer exercícios. Devese começar mudando algumas atitudes simples do dia a dia, como começar a fazer caminhadas pelas redondezas e a partir daí iniciar a prática de atividades físicas de uma maneira mais efetiva. Nada deve ser feito, sem antes passar por uma avaliação médica geriátrica. Os exercícios físicos devem ser de quatro tipos: alongamentos dos principais músculos de nosso corpo, fortalecimento muscular (exercícios com pesos, que no início devem ser leves e ir aumentando gradativamente para não causarem lesões nos músculos e tendões), exercícios para melhora do equilíbrio e os aeróbicos, tais como: caminhadas, bicicletas, natação ou hidroginástica. Algumas recomendações devem ser observadas para a realização adequada e segura dos exercícios: não se exercitar em jejum; ingerir alimentos contendo carboidratos antes do exercício como cereais integrais, aveia, farelo de trigo; frutas e leite desnatado. O exercício deverá ser realizado somente quando houver bem-estar físico, com roupas e calçados adequados. Evitar o fumo e o uso de sedativos. È muito importante respeitar os limites pessoais interrompendo se houver dor ou desconforto. Também se deve evitar a prática em condições climáticas extremas como: muito frio, calor e ar muito seco. Deve manter a hidratação adequada antes, durante e após a atividade física. A boa alimentação também tem papel importante na promoção da saúde dos idosos e deve ser balanceada, contendo proteínas, verduras, legumes e frutas e evitando-se as frituras, diminuindo o consumo de açúcar, doce e massas. Os alimentos industrializados, em geral não devem ser consumidos. Uma boa noite de sono é fundamental após um dia de atividades físicas. Com o passar dos anos diminui a necessidade de sono dos idosos, assim deve-se evitar ir para a cama muito cedo, pois fatalmente acordará no meio da madrugada e ficará rolando na cama sem conseguir voltar a dormir. Para relaxar e chamar o sono pode-se ler e até mesmo fazer um escalda pé. Nunca ingerir café, chás tipo mate ou preto, chocolate e refrigerantes à noite. Não se deve usar medicamentos soníferos, pois causam dependência e efeitos colaterais, piorando a memória e aumentando o risco de quedas e fraturas. Todas são medidas simples, mas que exigem disciplina e força de vontade e juntas melhoram muito a qualidade de vida . Então: mãos a obra!

DR. MILTON CRENITTE CRM : 41.760 Atendimento Médico Preferencial para Idosos Atende no consultório ou a domicílio para acamados, ou portadores de doenças incapacitantes, como Alzheimer, Parkinson, Derrames Cerebrais, etc Av. do Anastácio, 1047 – Parque São Domingos – São Paulo – SP

 11-3904.9882 / 3904.9985

5


Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010 Foto:Instituto Tomie Ohtake/divulgação

No canteiro central da Avenida 23 de maio a escultura pública, em forma de ondas do mar, de 1998, para comemorar os 80 anos da imigração japonesa.

Aos 97 anos Tomie Ohtake continua a produzir e surpreender Você não precisa ser uma pessoa especialista em obras de arte, mas se mora em São Paulo, ou gosta de observar a maior cidade do país, certamente conhece alguma obra da artista plástica Tomie Ohtake. É possível até que não saiba que o trabalho é dela, mas se você costuma estar num dos 8 mil e 100 veículos que passam a cada 24 horas pelo trecho da Avenida 23 de maio, no sentido Centro, ou ainda é um dos 2 milhões de usuário diários da Estação Consolação do Metrô, saiba que convive, há muito, com a beleza do seu trabalho. Tomie Ohtake, que nasceu japonesa, em 1923, e escolheu se tornar brasileira em 1968, vai completar 97 anos, dia 23 de novembro e a comemoração será trabalhando, abrindo mais uma exposição, no instituto que leva seu nome, no bairro de Pinheiros, em São Paulo, criado pelos seus filhos, Ricardo e Ruy, renomados arquitetos. Considerada uma das mais importantes artistas do país, ela chegou ao Brasil aos 23 anos para visitar um dos seus cinco irmãos. Ela já contou várias vezes que pretendia ficar um ano ou dois, se tanto, para em seguida voltar ao Japão, sua terra natal, o único lugar que conhecia, e onde pretendia ficar por toda vida. As primeiras notícias sobre a entrada do Japão nos acordos de

6

união bélica que viriam a entrar para a história como o eixo Berlim-Roma-Tóquio assustaram a família que resolveu segurá-la por aqui. Foi assim que ela começou a redesenhar a sua vida. Sem deixar as obrigações colocadas para as mulheres da época, no modelo tradicional da família japonesa, ela casou, teve filhos e não abandonou os sonhos de desenvolver seu talento. Só aos 40 anos, considerado tardio para o início de uma carreira de sucesso é que ela despontou para as artes plásticas e iniciou uma trajetória de realizações que a fez se tornar uma das mais importantes artistas no nosso tempo. Sua obra abrange pinturas, gravuras e esculturas, muitas delas expostas em locais públicos, de diferentes cidades do país, principalmente em São Paulo. Os artistas e profissionais do mercado quando se referem a Tomie Ohtake fazem questão de destacar a simplicidade no gesto, no comportamento e a naturalidade com que sempre encarou a arte, transferindo para a tela os seus sentimentos, sem concessões a modismos e sem se curvar a imposições do mercado. Em abril de 2003, o crítico de arte Agnaldo Farias escreveu que “sua poética ao invés de declinar germina em outras direções e nela o outono cede espaço à primavera”. Como ele,

muitos apontam que a capacidade de renovação de Tomie está expressa nas diferentes fases de sua pintura e nas suas composições de gravura e escultura. O critico e historiador de artes, do Rio de Janeiro, Frederico Moraes escreveu, em julho de 2000, que o repertório de formas da sua obra, embora só tenha começado a se tornar público nos início dos anos 60 e ficado famoso nos anos 70, sempre esteve impregnando da personalidade que ela construiu através da vivência do sagrado presente nas suas origens. Tomie Ohtake nasceu em Kyoto, uma cidade referência para a religiosidade japonesa, que foi capital do país, com edifícios construídos com madeira, estruturalmente impecáveis, sem pregos ou qualquer outra forma de imposição de materiais, que se mantêm somente por encaixes e pelo aproveitamento de espaços internos, com a valorização dos vazios, dos telhados e das varandas. Nos cursos primário e secundário ela se especializou nos estudos da arte da caligrafia e do desenho. São poucos os depoimentos que se encontra, quando sua biografia é pesquisada. No catálogo do XV Salão de Campinas, de 1975 ela conta: “A minha obra é ocidental, porém, sofre grande influência japonesa, reflexo de minha formação. Essa

influência se verifica na procura de síntese: poucos elementos devem dizer muita coisa. Na poesia haikai, por exemplo, fala-se do mundo em 17 sílabas. Sendo poucos os elementos, eles devem ser muito precisos, tanto na forma quanto nas cores e nas relações”. Ela tem um capitulo no livro “Encontros de Vida”, organizado pela psicana-

lista Zélia Goldfeld, com várias pessoas. E um livro inteiro sobre a sua vida feito em parceria com Ana Miranda, onde conta a história da família e um pouco da história da imigração japonesa e da São Paulo da década de 30. Nele se descobre que ela tem uma trajetória tão bonita e interessante quanto os quadros e esculturas que faz.

Simplicidade e Presença “O primeiro projeto escultório monumental de Tomie Ohtake marcaria profundamente a cidade de São Paulo. Situado no jardim interno da Avenida 23 de maio, eixo de ligação das regiões norte-sul, o monumento aos 80 anos da imigração japonesa é uma prova decisiva da competência da artista em ampliar a escala do seu trabalho”. As dimensões dessa obra mais o seu caráter eminentemente abstrato garantiram-lhe uma condição, além de pioneira, ainda hoje sem equivalente à altura. As “quatro ondas” que constituem o trabalho, quatro lâminas, cada uma com 40 metros de extensão que saem coladas ao chão, paralelas às faixas por onde trafegam os carros, levantam-se até atingirem a altura de 2 metros e meio, para subirem e se fecharem como voltando para dentro de si. Complementam o movimento circundante, até mesmo a suave inclinação do terreno, situado próximo ao espigão da Avenida Paulista, ponto mais alto da cidade. São Paulo, centro urbano carente de horizontes, sem marcos físicos naturais remanescentes, fruto de uma ocupação indiscriminada e predatória, encontra nessa obra um breve, mas necessário, respiro...(Ohtake,2001:328)


Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010 Foto:Instituto Tomie Ohtake/divulgação

A artista que sempre se veste de preto usa muitas cores nas suas obras, mas as esculturas de aço são sempre vermelhas, como essa de 2008, no Aeroporto, em Cumbica. Foto:Instituto Tomie Ohtake/divulgação Foto: Denise Andrade/Instituto Tomie Ohtake

Tomie Ohtake é um dos maiores nomes da arte contemporânea, que independente da idade continua criativa e surpreendente. Capa do livro que conta a história da vida de Tomie Ohtake, feito em parceria com Ana Miranda, onde conta a história da família e um pouco da história da imigração japonesa, da São Paulo da década de 30. Companhia das Letras

O Instituto Tomie Ohtake fica na Av. Faria Lima,201 e fica aberto de terça a domingo, das 11 às 20h.s. Grupos podem requerer visita monitorada. Paralelamente à realização da 29a. Bienal Internacional de São Paulo, o Instituto Tomie Ohtake organizou uma coletiva para que o público possa ver trabalhos de outros importantes artistas brasileiros. Com curadoria de Agnaldo Farias. 11-2245-1900

Tomie ficou famosa nos anos 1960 pelas pinturas e gravuras de formas abstratas e técnicas inovadoras. Hoje, reconhecida internacionalmente, tem obras públicas espalhadas pelo país,como painéis coloridos em metrôs e esculturas em parques e teatros. Tem participações em várias edições da Bienal de São Paulo e em

exposições na Itália, Japão e Estados Unidos. Suas obras estão entre as mais valiosas de artistas brasileiros vivos. Ela mora numa casaateliê na zona sul de São Paulo, no bairro do Campo Belo, há 40 anos, repleta de obras e peças de design, esculturas e telas de artistas japoneses e brasileiros.

7


Seus direitos

Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010

Vaga para idosos é direito de todos no país, mesmo para os não habilitados para dirigir

Foto na frente do Hospital Paulistano, na Bela Vista, na

Capital: idosos não conseguem estacionar para consultas, nem para visitar e disputam a vaga com taxi e guardador. O direito as vagas de estacionamento especiais para idosos é de todos: dos que tem carro, dos que estão de carona e mesmo daqueles que nem sequer tem carta de motorista. Afinal, qualquer pessoa, com mais de 60 anos, pode precisar parar na frente de um hospital, de uma igreja, de um cinema ou teatro. Não importa. Seja conduzindo o veículo ou sendo levado por alguém, todos podem usufruir as vagas, desde que tenha o Cartão do Idoso, que deve ser

deixado sempre em lugar visível dentro do carro. Desde o dia 18 de março de 2010, os interessados nesse cartão podem obtêlo junto ao departamento municipal de trânsito da sua cidade. Na Capital, em São Paulo, é no DSVDepartamento de Operação do Sistema Viário. O Estatuto - O artigo 41, do Estatuto do Idoso (Lei 10.741 de 1/10/2003) assegura a reserva de 5% das vagas nos estacionamentos públicos e privados para os idosos. Essas vagas devem

ser posicionadas de forma a garantir melhor comodidade do idoso e devem apresentar indicação. Em São Paulo–É preciso preencher um requerimento, assiná-lo e anexar cópia do CPF, do RG e comprovante de residência na cidade de, referente ao último mês anterior ao mês do pedido. Depois entregá-los ao Setor de Autorizações Especiais do DSV, na Rua Sumidouro, 740 - Pinheiros, CEP 05428-010. Fiscalização e multa – Em São Paulo, a implementação começou em junho de 2009, com a sinalização de vias e confecção de placas. O cartão do idoso serve tanto para as vagas públicas e particulares, mas não isenta a pessoa de pagar a zona azul, apenas lhe dá preferência naquela vaga específica. Da mesma maneira que já é realizada para as vagas exclusivas de deficiente, o veículo estacionado em uma vaga reservada, sem o Cartão Idoso, será multado e estará passível de guinchamento. A infração é punida com multa de R$ 53,20 e três pontos na Carteira de Habilitação. Educação - Não existe lei que obrigue as pessoas a serem verdadeiramente educadas, gentis e solidárias. Sempre que possível é bom deixar a vaga para alguém mais idoso e ensinar aos jovens a não estacionar nesses lugares. As letras garrafais, no asfalto, não são suficientes para quem não quer ver.

É possível solicitar o cartão idoso pela Internet, na página da Prefeitura: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/transportes/

8

Patrícia Corrêa Advogada pós graduada em Direito Previdenciário

pcorrea.adv@uol.com.br Caixa Postal 5042 S.B. do Campo Cep 09636-970 A aposentadoria pode ser definida como aquele momento em que o segurado deixa de trabalhar ao fim de certo tempo de contribuição, por falta de saúde ou por ter atingido determinado limite de idade. Com o fim desse ciclo surge para o aposentado o direito de escolher entre se manter no mercado de trabalho ou se recolher aos aposentos para desfrutar de uma nova fase na sua vida. Todos sabem que a opção por se manter em atividade, em regra, é resultante do baixo valor das aposentadorias, do alto custo do convênio médico, por ausência de um atendimento público de qualidade, e dos gastos exorbitantes com medicamentos. Além de não poder decidir pelo descanso, ao retornar ao trabalho, é obrigado pela legislação a contribuir para a Seguridade Social. No entanto, essa contribuição deduzida do seu rendimento gera ao aposentado uma contraprestação insignificante, pois a lei lhe garante o direito apenas ao salário maternidade e salário família, possuindo este último valor ínfimo, pago em razão de filhos menores de 14 anos e condicionado à baixa renda do segurado, e, por fim, a reabilitação profissional. Diante dessa ausência de cobertura pelo INSS surgem inúmeros problemas ao aposentado que retorna ao mercado de trabalho. Alguns migram para a informalidade e ficam a margem dos direitos trabalhistas. Outros se mantêm vinculados ao sistema previdenciário e quando da ocorrência de um infortúnio por um acidente de trabalho, uma complicação do seu estado de saúde ou pela própria idade, que lhe obriga a interromper o contrato de trabalho, descobrem não possuir direito ao recebimento em conjunto da aposentadoria com auxílio-doença, com auxílio-acidente, nem tampouco com uma nova aposentadoria. Antigamente, também não era admitido pela legislação acumular o pagamento da aposentadoria com os benefícios citados, mas o aposentado tinha o direito de resgatar suas contribuições vertidas, após o desligamento do trabalho, numa única parcela por meio do beneficio previdenciário chamado pecúlio. Durante muito tempo o pecúlio permaneceu em nosso ordenamento jurídico, sobrevindo a Constituição Federal e a Lei 8213/91, mas como num ato de esquecimento desapareceu da legislação. Desde então, o aposentado sofre com a mitigada contraprestação do INSS e aguarda a alteração da legislação previdenciária de forma a lhe garantir proteção aos riscos sociais nessa nova relação de trabalho. Necessitamos de uma reforma rápida da previdência social, com o fim de adequar o atual sistema a um novo modelo de sociedade. Vamos torcer por essa mudança. Até a próxima edição.


Jornal da 3ÂŞ Idade - outubro de 2010

9


Agenda

gravação do Sr. shows dançantes Brasil

No SESC existe uma programação dirigida para a terceira idade. São apresentações de bandas com repertório de ritmos dançantes de variados estilos musicais, como: samba, bossa nova, bolero, rock balada, entre outros. Banda Via Expressa 10/11 às 16h30.

Coisa Nossa 18/11 às 16h30.

Daniela Romero convida Alberto Cabañas 17/11 às 16h30.

Neste show baile, a banda formada há 35 anos, mostra um repertório composto por diversos ritmos que vão fazer todos balançar. Na Tenda 1. Os ingressos deverão ser retirados na bilheteria com meia hora de antecedência. SESC Osasco av. Sport Club Corinthians Paulista, 1.300 Grátis

Banda Bom Balance 24/11 às 16h30. SESC Pompéia Grátis quartas-feiras Rua Clélia, 93

(11) 3871-7700

(11) 3184-0900

Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010

Gravação do programa da TV Cultura, comandado por Rolando Boldrin, que trata da música de raiz do cancioneiro brasileiro. Venda de ingressos pela REDE SESC, a partir da quarta-feira anterior à gravação. Teatro Dias de gravação: 9/11; 10/11;16/11; 17/11 Entrada: R$ 12,00-inteira R$ 6,00= 60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes , R$ 3,00 comércário e matriculados no SESC

cinema grátis

SESC Pompéia Rua Clélia, 93

(11) 3871-7700

shows

De Assis valente para Carmen Miranda 18/11 às 16h30. Inspirados no encontro de Assis Valente e Carmem Miranda, Bia Góes e e Luisinho 7 Cordas idealizaram este show homenagem. SESC São Caetano do Sul Rua Piauí, 554 Grátis

Encontro vai debater o trabalho intergeracional O Seminário Encontro de Gerações, que será realizado no SESC Pompéia, na Zona Oeste, da Capital, em São Paulo, de 3 a 5 de novembro de 2010, pretende expor experiências intergeracionais e refletir sobre as metodologias que vêm sendo adotadas e os seus resultados. O evento busca dar visibilidade a esse novo campo de ações socioculturais, sensibilizar a sociedade e as instituições públicas e privadas para a importância da aproximação das gerações, com vistas ao desenvolvimento de uma cultura solidária e abrir espaço para o estabelecimento de um canal permanente de trocas e fomentar a criação de redes de intercâmbio de estudos e pesquisas sobre ações intergeracionais no Brasil exterior. Da programação constarão palestras, relatos de trabalhos, exibição de vídeos, exposições de pôsteres, apresentações culturais e artísticas envolvendo crianças, adolescentes, adultos jovens e adultos idosos, além de depoimentos desses protagonistas diretos

10

do processo de integração intergeracional. Destaques da programação 3 de novembro 19h30 – Palestra “Histórico das Ações Intergeracionais nos Estados Unidos e as Estratégias para o Desenvolvimento de Programas”, com Sally Newman da Universidade de Pittsburgh, Pensilvânia. 4 de novembro 10h – Palestra “Programas intergeracionais na Europa: um balanço crítico de teorias, pesquisas, políticas e práticas”, com Mariano Sanchez da Universidade de Granada, Espanha. 5 de novembro 10h – Painel: “Programas Intergeracionais na América Latina: Estratégias e Metodologias” com Santiago Pszemiarower (Argentina), Rafael Quispe (Peru), Liliana Giraldo Rodríguez (México), José Carlos Ferrigno (Brasil). As inscrições estão abertas nas unidades do SESC. SESC Pompéia Rua Clélia, 93

(11) 3871-7700

(11) 4223-8800 Roberto Seresteiro e Regional Imperial 23/11 às 15h. Grátis Com uma voz bem peculiar que lembra os velhos tempos, Roberto Seresteiro faz uma homenagem ao centenário de dois grandes compositores Adoniran Barbosa e Noel Rosa. SESC Consolação Rua Dr. Vl.Nova, 245

(11) 4223-8800

O Programa da Associação Paulista de Medicina oferece uma vez por mês uma tarde com exibição de filme, chá, sorteios e música ao vivo. São 170 lugares, todas às quintas-feiras, a partir das 14 horas. A entrada é 1 quilo de alimento. Os interessados devem reservar lugar, na segunda feira, que antecede o filme escolhido, pelo telefone:

 (11) 3188-4252 Grátis

Próximos encontros 11/11 Filme: Um tiro no escuro comédia de 1964 Direção de Blake Edwards com Peter Sellers e grande elenco. 09/12 Filme: A primeira noite de um homem ( EUA) comédia de 1967 Com Anne Bancroft e Dustin Hoffman

agradecimento Encerrado o 1º turno das eleições, em que obtive 57.727 votos para deputado estadual, quero agradecer aos amigos pela confiança. Fiz uma campanha em torno do debate de várias novas idéias e propostas, sendo que muitas delas voltadas para melhorar a qualidade de vida dos idosos, todas porém com a mesma preocupação com que elaborei o Projeto de Lei que propiciou a criação do Instituto Paulista de Geriatria e Gerontologia. Vou continuar trabalhando para a terceira idade com entusiasmo e determinação os cidadãos mais velhos. Meu gabinete continuará aberto e desejo muita paz e saúde para todos. Antonio Salim Curiati Deputado Estadual

scuriati@al.sp.gov.br


Notícias dos grupos

Jornal da 3ª Idade - outubro de 2010

Com festa a Vl. Maria Glória Menezes conversou com o festejou os 22 anos do Grupo Estrela D´Alva após a sua Grupo Primavera brilhante apresentação em cena

A atriz recebeu no Tuca, exemplar jornal de agosto que lhe deu matéria de capa. No domingo 19 de setembro, parte do Grupo Estrela Dalva, coordenado por Iracema da Silva e convidados do Jornal da 3ª Idade foram ao TUCA- Teatro da Universidade Católica assistir ao espetáculo Ensina-me a Viver, estre-

lado por Glória Menezes e um brilhante elenco. Depois da apresentação, a atriz gentilmente se dispôs a conversar e a ser fotografada recebendo um exemplar da edição do jornal de agosto, que fez uma chamada de capa para a peça.

Carinhosa, ela deu atenção a todos. Quando saia do teatro foi abordada por jovens que a esperavam para pedir autógrafo e muito simples, explicou, como se fosse uma pessoa comum, que tinha pressa, pois seu marido a esperava para jantar.

Rainha da Primavera 2010

Grupo da Melhoridade Climax elege sua Misses da Primavera de 2010

No Jardim Monte Belo, na Zona Oeste, da Capital existe o Grupo da Melhor Idade Climax, que tem o apoio do Supermercado Climax. Coordenado por Geralda Aquino. O grupo se encontra todo sábado, a partir das 8 horas, no estacionamento da empresa para caminhada e atividade física, por 50 minutos. Depois todos participam de um café da manhã. A participação é aberta para moradores da região do Butantã. O Grupo fez o seu Concurso de Miss Primavera e elegeu Antonia Lombardo, em 1º lugar; Nair Carbonaro em 2º lugar e Regina em 3º lugar. Interessados podem contatar a Geralda.

Rainha da Primavera 2009

O Grupo Primavera, da Vila Maria, que mantem mais de 250 associados, comemorou com muita festa, no dia 29 de setembro, seu aniversário de 22 anos. Coordenado por Zenaide, Diogo, Dalva, Filomena, Mário e Laudelina, eles receberam políticos, militares e artistas e mais de 400 pessoas, entre todos os convidados. Um dos grupos mais tradicionais da Zona Norte, da Capital, aproveitou a festa para coroar a Rainha da Primavera. Isabel Afonso, eleita em 2009, passou a faixa para Maria Rosa Lima, Rainha 2010. A festa foi no salão da Igreja da Candelária, onde o grupo se reúne semanalmente às 4as feiras. O grupo faz questão de um agradecimento público ao Padre Darci e Padre Edson.

Eleitas no concurso Miss Primavera do Jd. Monte Belo a coordenadora Geralda.w

SESC comemorou o Dia do Idoso com homenagens ao primeiro grupo de SP

A Gerência de Estudos e Programas da Terceira Idade do SESC São Paulo e a unidade SESC Carmo comemoraram o Dia Internacional do Idoso com uma festa onde homenagearam o primeiro grupo de terceira idade formado em São Paulo. O Grupo de Convivência Carlos Malatesta, coordenado por Goretti Felipe existe há 47 anos e atuava nas dependências do SESC

Carmo. Agora estão com nova sede, na Rua Silveira Martins, também no centro Uma das suas atividades mais concorridas é o grande baile, com música ao vivo, que realizam toda segundafeira, a partir das 14 horas, no salão da Associação dos Policiais Militares, na Rua Tabatinguera,278. A entrada custa R$7,00 e qualquer pessoa pode participar.

Convide o Jornal da 3ª Idade para a sua comemoração! Assim ela vira notícia.

 11-3105.0607 Diretoria do Grupo Carlos Malatesta, na festa do Dia Internacional do Idoso.

especial@jornal3idade.com.br

11


Jornal da 3ÂŞ Idade - outubro de 2010

Profile for Herminia Brandão

Jornal da 3ª Idade de outubro de 2010  

Edição de outubro de 2010

Jornal da 3ª Idade de outubro de 2010  

Edição de outubro de 2010

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded