Page 1

INFORMAÇÃO COM QUALIDADE E PROFISSIONALISMO

Jornal

BURITI

Alunos Alunos do do IEBG IEBG contam contam aa história história dos dos prefeitos prefeitos de de Três Três Marias Marias

www.jornalburiti.com.br

Proteja as Veredas!

ANO 05 • NÚMERO 66 • 20 FEVEREIRO A 20 DE MARÇO DE 2013

Três Marias comemora 50 anos Fotos: Divisão de Comunicação

Nos primórdios, a antiga Vila da Satélite. A única coisa que sobrou foi esta maquete, que está exposta no Núcleo Histórico Igreja da Satélite, que também fazia parte da vila.

Nesta edição, caderno especial NA REPRESA, O OLHAR DOS MENINOS Projeto beneficiado pela Funarte, Mais Cultura – Microprojetos Rio São Francisco

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Prefeitura realiza inédita Virada Cultural para celebrar o cinquentenário da cidade

PÁGINA 03

ENTREVISTA

Dr. Cláudio abre o jogo Não fui procurado, ninguém da atual administração me procurou para saber se eu tinha ou não interesse em continuar no município. PÁGINA 09

Senhor Ananias, um dos pioneiros desta história Aqui só tinha cerrado e formiga PÁGINA 05

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

IEBG realiza 1ª Assembléia de Pais do ano e comemora os 50 anos de Três Marias PÁGINA 06


2

Jornal

BURITI

E

DITORIAL

Três Marias está desprovida de representação política na Assembléia Depois da saída do ex-deputado estadual, José Alves V iana (Doutor V iana), da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, Três Marias está desprovida de um representante na Alemg. Viana foi eleito pelo plenário da Assembléia Legislativa para a vaga de Conselheiro do Tribunal de Contas MG, tendo sido empossado no dia 1º de agosto de 2012. Nas eleições que disputou, o ex-deputado obteve a maioria dos votos dos eleitores trimarienses. Em seu gabinete na assembléia, dedicava atenção especial aos moradores de Três Marias, que o procuravam. Participou de quase todas as solenidades públicas no município e mantinha uma equipe diretamente ligada ao município. Não que a cidade precise com veemência de um deputado estadual, na verdade o parlamentar é quem precisa do apoio dos eleitores, mas a estreita relação do ex-deputado Dr. Viana com as lideranças políticas e comunitárias da cidade impulsionava a presença de Três Marias no Parlamento estadual. Agora, vários deputados vão tentar substituir ou preencher esta lacuna deixada pelo ex-deputado, que agora é Conselheiro do TCE-MG. Algumas caras novas já andam por aí, outros tentam mais uma vez marcar presença, será que vão conseguir emplacar algum substituto que obtenha a maioria dos votos dos eleitores trimarienses? Tarefa difícil, mas a vaga está em aberto.

Para relembrar, uma homenagem à Três Marias Por Paulo Emílio Bellardini

No dia 28 de fevereiro de 2010, acontecia o Festival de Música Canto das Águas, que fez muita falta neste cinqüentenário de Três Marias. Participei deste festival como compositor da música “Jovem Senhora”, interpretada por Anderson Torga e Rogério Guedes, que também foram os responsáveis pelo belo arranjo da canção. Uma homenagem ao município de Três Marias e que fazemos questão de relembrar o momento da premiação na categoria primeiro Lugar Regional. Abaixo, a letra desta canção que compartilhamos com nossos leitores.

Jovem Senhora Das mãos do Operário Da força de um político Surge uma cidade Em pleno sertão mineiro Veio gente do nordeste Do sul e até gringo veio Se juntar aos barranqueiros Contra a natureza Mas ela mesma permitiu Que a façanha se tornasse Um lago de imensa beleza Ê Três Marias, uma bela jovem moça De grande coração Que debaixo desse sol, acolhe todo Brasil Nasce da força do trabalho E das bençãos deste santo Rio. Hoje a esperança se renova Pois os antigos forasteiros Se tornaram pioneiros Cuidam desse chão Com os que ali nasceram E não venha me dizer Que jovens não têm história Pois a força dessa gente Construiu nossa memória E aquela jovem moça Também pode ser senhora

Jornal

BURITI

EXPEDIENTE

Diretor de Jornalismo: Paulo Emílio Torga Bellardini Jornalista Responsável: Paulo Emílio Torga Bellardini - MG07665JP Proj. Gráfico e Editoração: Izabel Cristina A. Silva Endereço: Rua Engenheiro Júlio Augusto, 28 - DNER Três Marias/MG CEP: 39205-000 e-mail: jornalburiti@gmail.com www.jornalburiti.com.br Para anunciar ligue: (38) 8815-4536 CNPJ: 05.459.023/0001-82 Impressão: Fumarc ‘‘Uma publicação da Speed Produções & Eventos Ltda’’ ‘‘Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.’’ O JORNAL BURITI autoriza a reprodução das reportagens desde que citada a fonte.

Ê Três Marias, uma bela jovem moça De grande coração Que debaixo desse sol, acolhe todo Brasil Nasce da força do trabalho E das bençãos deste santo Rio Ouça a música em nosso site: www.jornalburiti.com.br

Anjos Engarrafados Livro traz versão irreverente sobre a história de Três Marias Talvez a melhor versão da história de Três Marias esteja no Livro “Anjos Engarrafados”, do saudoso escritor Antônio Ângelo de Brito. Lançado em setembro de 2005, narra as histórias vividas durante a infância do autor, que veio da cidade de Monte Santo, no sertão baiano, em busca de melhores oportunidades. A obra reúne contos bem humorados e uma “versão nordestina” dos fatos que originaram o nome da cidade. Uma leitura divertida e essencial para quem quer conhecer mais sobre a história de Três Marias.

AMIGOS DO

BURITI Estão de volta Lúcia de Fátima Amaral e Celso Amaral, pais do amigo e parceiro Wanderlúcio Amaral. Após 15 anos, eles retornam para a cidade de Três Marias. Desejamos bom retorno a Lúcia e Celso


3

Jornal

BURITI

Virada Cultural marca os 50 anos de Três Marias Chuva não atrapalhou a festa. Foi montada uma boa estrutura para garantir o funcionamento das ações na Praça João XXIII

A

chuva, que caiu durante toda a madrugada e manhã de sexta feira, data em que Três Marias comemorou oficialmente os 50 anos de emancipação política, não tirou o brilho da festa. Ao contrário, era mais urgente do que as primeiras atividades programadas para o cinqüentenário da cidade, que recebeu o nome de “Virada Cultural”. Grande parte das atividades aconteceu na Praça João XXIII. A prefeitura instalou várias tendas e um grande palco coberto no local, o que garantiu a realização de todas as ações programadas para a Virada, que começou na noite do dia 28/02 com exibição do filme “A História das Três Marias”, da produtora cultural e cineasta Zackia Daura Resende. Na manhã chuvosa do dia 1º de março, o prefeito Vicente Resende (PMDB) improvisou a abertura oficial no corredor do segundo andar da prefeitura, com a presença de políticos, líderes religiosos, militares e membros da equipe de governo. O pronunciamento foi transmitido ao vivo pelo rádio. A população atendeu ao chamado e compareceu à Praça João XXIII para acompanhar e participar das atividades da “Virada Cultural”. A grande presença de público, principalmente à noite, durante os shows, comprovou que a festa dos 50 anos de Três Marias foi bem aceita. Os pontos altos foram os shows musicais e os momentos religiosos. Sem contar com o jogo de futebol entre os times de Três Marias e o Clube Atlético Mineiro da categoria juvenil. O time da capital venceu por dois a zero frente uma grande platéia que compareceu ao estádio municipal. À noite, após a apresentação da Ordem Unida do Corpo de Bombeiro Civil o Prefeito Vicente Resende subiu ao palco para saudar a todos e convidar para curtir o grande show da banda Super Som C&A que agitou uma platéia de mais de 3 mil pessoas.

Público lotou a arquibancada do Estádio Municipal da Enseada para o jogo comemorativo entre Atlético MG e Seleção de Três Marias (juvenil)

Show com a banda Super Som C&A

Fotos: Veja3m.com.br

Diversidade musical no palco da Praça João XXIII

Equipe juvenil do Atlético Mineiro venceu a seleção juvenil de Três Marias por 2 a 0

Público prestigia barracas de comidas típicas


4

Jornal

BURITI

Vereador Miltinho é agr aciado com agraciado a medalha Ulisses Guimarães Por ser o vereador mais votado em Três Marias, Miltinho (PP) foi condecorado com a distinção “Medalha Ulisses Guimarães, Colar de Ouro: Mérito Eleitoral”, que é conferida pelo Instituto Tiradentes a todos os políticos que, com dignidade, competência, ética, atitude e interesse em colaborar para o desenvolvimento do município, receberam a aprovação popular nas urnas. Miltinho recebeu a outorga no “63º Seminário Brasileiro de Prefeitos, Vereadores, Secretários e Assessores Municipais” em solenidade realizada no auditório do Dayrell Hotel, em Belo Horizonte, no dia 22 de fevereiro. Em defesa dos servidores públicos Municipais O vereador Miltinho continua atento às questões que envolvem os servidores públicos na cidade. Miltinho tem acompanhado as negociações entre o Sinditrema (Sindicado dos Servidores Públicos Municipais de Três Marias) e a prefeitura. O vereador também ingressou uma luta pela redução da jornada de trabalho de vários servido-

res, em diversos setores da administração. “Com a obrigatoriedade de se cumprir uma jornada em dois turnos, as mães servidoras estão prejudicadas, pois não sobra tempo para cuidar de suas tarefas domésticas e dedicar atenção aos filhos e à família, vou propor uma revisão desta jornada”, afirmou. 08 de março – Dia internacional da Mulher: “Parabéns a todas as mulheres, mães, esposas, amigas, companheiras, trabalhadoras e fontes de inspiração. Que este dia seja lembrado sempre!” 50 anos de TTrês rês Marias – “Me orgulho de fazer parte desta história, quero contribuir para o progresso de nossa cidade. Parabéns , querida Três Marias”

O vereador Miltinho agrade a todos os eleitores e à população de TTrês rês Marias por mais uma im por tant e impor tante conquista em sua carreira política.

Mais servidores estáveis na Prefeitura Municipal de Três Marias O Prefeito Municipal de Três Marias, Vicente de Paulo Resende, recebeu na tarde de quinta-feira (07/03) mais de 200 servidores que cumpriram estágio probatório e receberam o Ato de Estabilidade. O evento aconteceu por volta das 17 horas, no Sindicato dos Metalúrgicos, no Bairro Distrito Pequena Empresa. O prefeito também

ministrou uma palestra motivacional para os novos servidores estáveis. Estiveram presentes, o vice-prefeito Eduardo Pereira Barbosa; o presidente da Câmara, Sebastião Fonseca Leal e a Presidente da Comissão de Avaliação do Estágio Probatório (Caesp), Adriana Aragão Nogueira. Fonte: Divisão de Comunicação/Prefeitura Municipal de Três Marias


Jornal

BURITI

5

Três Marias 50 anos

A trajetória de um pioneiro Fotógrafo e carpinteiro, senhor Ananias tem muita história pra contar

Quando o empregado pode faltar ao trabalho e não ter o dia descontado?

Paulo Emílio Bellardini

Seria impossível imaginar a história dos 50 anos de Três Marias sem a participação dos trabalhadores nordestinos, que vieram para a então Barreiro Grande, trabalhar na construção da Usina Hidrelétrica Bernardo Mascarenhas, obra que originou a represa de Três Marias. A maioria dos retirantes nordestinos, chegou em busca de oportunidades, fugindo da seca e da pobreza do sertão nordestino. Um dos protagonistas desta história é o senhor Ananias Correia da Silva. Aos 88 anos, este pernambucano de Triunfo conserva a boa memória e revela momentos curiosos da sua vida em Três Marias, afinal chegou aqui há 56 anos, bem antes da emancipação. V iúvo e pai de seis filhos (três homes e três mulheres), Ananias mora com a filha Maria Zélia da Silva, em uma das primeiras casas construídas no centro da cidade. “Quando cheguei aqui não tinha nada, só formiga e cerrado. Tinham os Cordeiros e os Peleca, famílias de fazendeiros da época”, lembra. Ananias conta que deixou a cidade pernambucana de Triunfo, perto de Serra Talhada, para trabalhar e crescer. Foi para Paulo Afonso, na Bahia, depois para Salto Grande e decidiu vir para Três Marias. “Meus irmãos iam para São Paulo, traziam as coisas. Então cismei de ir embora, quando sai de Paulo Afonso , fui para Salto Grande. Fiquei uns tempos numa obra lá, do governo Juscelino. Aí surgiu Brasília e Três Marias quase num tempo só”, conta. A princípio, a intenção de Ananias era ir para Brasília, mas disse que foi enganado por seus companheiros e veio parar em Três Marias. “Não sou daqueles nortistas que ficam andando muito, saí de lá e vim pra aqui”, afirma. Ananias começou então a trabalhar como carpinteiro, pela Companhia Energética de Minas Gerais, a Cemig. “Quando ela passou a gente para a Companhia Americana, pôs na minha carteira só um dia de trabalho, quando acabou o trabalho, a Companhia disse para a gente sair, que não tinha mais nada, mas eu tava com uma filha na escola e fui ficando aí, até hoje”, relata. Além de carpinteiro, Ananias foi o primeiro fotógrafo da cidade. Fazia uma espécie de relatório para a Companhia Americana e para a Cemig. Até pouco tempo, guardava vários negativos das fotografias, muita gente ainda o procura para conseguir alguma imagem da época. “Se esses negativos estivessem comigo hoje seria bom, mas passei metade para a prefeitura, no governo do Padre Gê”, disse. Os que ficaram com ele foram danificados pelo tempo. “A gente não sabe se vai precisar das coisas, se eu soubesse, tinha muita fotografia guardada ainda”, lamenta.

O fotógrafo e carpinteiro não acreditava no crescimento de Três Marias. Para ele, a cidade melhorou muito, “apesar de ter sido castigada pelas administrações”, critica. Um dos motivos desta expansão, segundo Ananias, é o movimento gerado pela rodovia BR040.

Mulheres da vida Na época da construção da barragem, Ananias lembra que o crescimento de Três Marias era proibido, “tanto que hoje essa cidade é no meio de um buraco, com o relevo todo acidentado, cheia de morros. A Cemig não queria que a cidade crescesse por causa de briga, cachaça, não aceitava criar nada aqui não”, explica. Ele também revela que, naquele período, já existia um grande movimento e que as mulheres da vida eram trazidas de outras cidades nos finais de semana. “Elas ficavam nesses matos aí, um dos lugares era perto da delegacia, onde tem uns pés de manga. Quando era na segunda feira, a companhia mandava levar as mulheres embora e no sábado elas chegavam novamente, nesta épo-

ca já estava crescendo, tinha muito movimento, começou a crescer para os lados do Miguel Roque” conta. Quando chegou na então Barreiro Grande, Ananias lembra que não tinha onde morar. Depois de um tempo foi buscar a família em Salto Grande e passou a morar no local conhecido como “Morro do Atrevido” que, segundo ele, ficava perto do cemitério velho, na região do Bairro Novo Horizonte. “Depois ganhei casa na satélite e fique lá uns tempos, de lá vim para o centro, onde moro desde 1957”, relata. Ananias Correia da Silva ainda faz alguns trabalhos como carpinteiro, “faço umas besteiras aí, uns carrinhos, brinquedos para crianças”. Já a profissão de fotógrafo, preferiu não atualizar. “Depois que veio a digital, o povo faz em casa mesmo, impressora e computador. Até comecei a montar o laboratório, mas achei que não dava resultado”, afirma. A foto que mais marcou Ananias não foi tirada aqui, “tirei uma foto de uma vaca que criou um bezerro de duas cabeças, essa foi a mais marcante, daqui de Três Marias foram muitas fotos comerciais. Aqui era só cerrado, formiga e cerrado, nem madeira tinha”, declara.

A falta ao trabalho sempre foi motivo de grande conflito entre empregados e patrões. O empregado sempre acredita que sua falta teve um motivo justo, explicável, que deve ser compreendido pelo patrão. Já o empregador vê a falta ao trabalho como um ato de irresponsabilidade, preguiça, um verdadeiro descaso com o trabalho. Para solucionar este impasse a lei ea CLT – Consolidação das Leis do Trabalho – criaram as seguintes regras: A falta ao trabalho permite que o empregador realize os seguintes descontos no salário do empregado: a) o dia não trabalhado. b) o repouso semanal remunerado referente a semana em que ocorreu a falta. c) o feriado que caiu na semana em que ocorreu a falta. Observe que uma única falta ao trabalho pode acarretar o desconto de 03 dias. Entretanto, o empregado poderá faltar ao trabalho sem sofrer desconto no salário (falta justificada), nas seguintes hipóteses: a. dois dias consecutivos no caso de falecimento do marido ou esposa, ascendentes (pais e avós), descendentes (filhos e netos), irmãos ou pessoa que, declarada em sua CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social), viva sob sua dependência. Os professores terão direito de faltar 09 dias. b. três dias consecutivos em virtude de casamento. Os professores terão direito de faltar 09 dias. c. um dia a cada doze meses para doação de sangue. d. dois dias consecutivos ou não para fim de alistamento eleitoral. e. pelo período necessário: i – para cumprimento das exigências do serviço militar. ii – para provas do vestibular. iii – para comparecimento a justiça (testemunha, júri, réu, autor, etc). f. nos primeiros 15 dias em virtude de afastamento por motivo de doença ou acidente. (do16º dia em diante é o INSS quem paga o salário). g. cinco dias para licença paternidade, tanto para o pai casado, quanto para o pai solteiro. h. tempo necessário para a empregada gestante realizar consultas médicas e os exames complementares. As consultas médicas são no mínimo de seis. i. Quando o empregado estiver cumprindo o aviso prévio de trabalhodado pelo empregador, terá direito a redução de 02 horas diárias da jornada de trabalho ou faltar 07 dias consecutivos. Ashipóteses acima descritas são garantias mínimas que a lei estabeleceu, por isto, o empregador espontaneamente ou através de negociação com o sindicato dos trabalhadores pode aumentar os casos de faltas justificada sem desconto no salário do empregado.


06

IEBG – INSTITUTO EDUCACIONAL BARREIRO GRANDE

Assembléia de Pais e homenagens aos 50 anos de Três Marias No dia 21 de janeiro o IEBG (Instituto Educacional Barreiro Grande) realizou a primeira Assembléia de Pais do ano. O diretor financeiro, Antônio dos Santos abriu as atividades e disse que toda a equipe confia nos trabalhos da nova diretora Adélia Valadares Castelo Branco. Após as boas vindas, a diretora Adélia se apresentou e falou sobre os novos projetos para o Instituto. “Fiquei muito satisfeita, surpresa, os pais participaram e uma das características principais que a escola tem é essa. Os pais se envolvem nos eventos. Essa é a escola que nós queremos, onde há participação”, comentou Adélia. A nova diretora disse ainda que vai apresentar novas propostas e continuar o trabalho de investimento na escola, iniciado pela exdiretora Thaís Kênia Castelo Branco, que assumiu a secretaria de Educação do município.“Vamos ganhar muito mais com a Thaís a frente da secretaria de educação”, elogia.

Participação dos pais durante assembléia

Alunos mostram a história de Três Marias

Nova diretora Adélia Valadares

Homenagens Foi uma noite de muitas homenagens, que marcou a transição da diretoria do IEBG. A agora secretaria de Educação Thaís Kênia Castelo Branco recebeu flores e declarações de agradecimento e muita admiração. Thaís ficou oito anos como diretora do Instituto. Pais, professores e funcionárias compartilharam o momento de emoção com a ex-diretora. “Me sinto honrada e gratificada pelo trabalho no IEBG durante esses anos, foi uma parceria com todos os pais, alunos e funcionários, em todos momentos que precisei, recebemos total apoio. Tenho um afeto especial por essa escola”, declarou. Sobre a secretaria municipal de Educação, Thaís disse estar pronta para assumir este desafio e que vai preparar o município para receber recursos para a área. A secretária de educação também enfatizou a parceria entre escolas da rede pública municipal, estadual e particulares. Sobre os elogios e homenagens, Thaís agradeceu o reconhecimento profissional. “Estou muito feliz pelo reconhecimento da comunicação aqui do IEBG e também pela minha recepção na Secretaria de Educação. Sinto-me respeitada, honrada e gratificada. Estou pronta para encarar este novo desafio e conto com o apoio de todos”.

Nos 50 anos de Três Marias, os alunos do turno matutino do IEBG mostraram que sabem muito sobre a história do município. Durante toda a manhã do dia 28/02, foram apresentados vários trabalhos na quadra da escola. Danças, teatro, música e uma decoração típica com as características do município. Tudo pesquisado e preparado de forma bem criativa, fruto de um projeto pedagógico de qualidade.

Alunos representam peça teatral sobre a história de Três Marias

Saudação ao Cinquentenário Uma homenagem da equipe IEBG Neste 1º de março de 2013 Três Marias comemora 50 anos da emancipação política. A equipe do Instituto Educacional Barreiro Grande parabeniza Três Marias pelos seus 50 anos. Queremos dizer que orgulho é o que sentimos da nossa cidade. Com belezas incomparáveis, histórias maravilhosas e uma localização geográfica privilegiada, às margens do belíssimo Rio São Francisco. Três Marias é acima de tudo um lugar de gente de bem. É cidade acolhedora e aconchegante, que nem colo de mãe. Sentimos uma

felicidade imensa em saber que o IEBG, como instituição de ensino, tem contribuído ao longo de grande parte desses 50 anos, para a melhoria da qualidade da formação das pessoas que aqui vivem. Nós, equipe do IEBG, desejamos que Deus continue abençoando ricamente cada trimariense e que possamos continuar contribuindo para este processo, em que a cidade menina se transforme em um promissor pólo de desenvolvimento e qualidade de vida.

Parabéns cidade q ue amamos e q ue escolhemos para morar que que morar,, trabalhar e criar nossos ffilhos. ilhos. A délia V aladares Cast elo Branco Adélia Valadares Castelo Diretora / pela equipe IEBG Thaís e Ana Cláudia homenageadas


7

Anuncie aqui!


8

Jornal

BURITI

Há cinco anos, comerciante realiza ato de solidariedade

O

Olá, prezado leitor, de volta ao crivo do seu olhar, seguiremos com novas dicas úteis para o bom emprego da nossa tão querida Língua Portuguesa. Imagine o diálogo: __Aonde você foi? __Fui dar uma telefonada. __Em quem? Por quê? Machucou muito? Dar uma TELEFONADA pode dar uma ideia de que alguém apanhe o aparelho telefônico e com ele dá um golpe violento na cabeça de alguém. Se você foi fazer uma ligação, lembre-se de que foi um TELEFONEMA e não uma TELEFONADA. Uma outra situação comum e que gera um probleminha na concordância pode ser observada na frase seguinte: O BANCO AUTORIZOU OS FUNCIONÁRIOS A PAGAR TODOS OS CHEQUES. Ou seria: o banco autorizou os funcionários a pagarem todos os cheques? NÃO SERIA NÃO! A frase em letras maiúsculas está correta, uma vez que o verbo está no infinitivo (pagar) acompanhado de preposição. Veja outros exemplos: ESTAMOS PRONTOS PARA DEFENDER O ACUSADO; CONVIDAMOS OS PRESENTES A OUVIR O HINO NACIONAL. Seguindo com o tema, veja a frase: “ENFIM SÓS! Ou EM FIM SÓS? ENFIM equivale a finalmente (finalmente sós!) EM FIM é a preposição EM mais o substantivo FIM. Ex.: EM FIM DE FÉRIAS A PREGUIÇA RETOMA O CORPO. É diferente de dizer: ENFIM, FÉRIAS! DERREPENTE EU LIGUEI, MAS VOCÊ NÃO TINHA CHEGO. Essa frase está completamente fora dos parâmetros linguísticos mais elementares. “DE REPENTE” se escreve separadamente. Quanto ao “CHEGO”, não existe essa forma de Particípio para o verbo chegar. A forma correta da frase é: EU LIGUEI, MAS VOCÊ NÃO TINHA CHEGADO. TENHO LIMPO MEU CARRO TODOS OS DIAS. O particípio deve ser usado com os auxiliares TER ou HAVER. O particípio do verbo LIMPAR é LIMPADO, portanto se diz: TENHO LIMPADO MEU CARRO TODOS OS DIAS. APESAR DE BANDIDO, ELE É MAIS BOM DO QUE MAU. Quanto ao MAIS BOM está corretíssimo o seu emprego, uma vez que estão sendo comparadas qualidades do mesmo ser. VOU RESPONDER AS PERGUNTAS. Partindo do princípio de que dizemos: “Nós respondemos a processo, a perguntas, a questionários, ao diretor, aos pais, aos alunos, aos filhos, etc, depois do verbo responder deve se usar a preposição “A” e se a palavra seguinte admitir o artigo “A”, teremos o caso do acento indicativo da crase, portanto a forma correta é: VOU RESPONDER ÀS PERGUNTAS. Lembro-lhe, caro leitor, de que não usamos o acento da crase quando a palavra seguinte estiver no plural e o “A” no singular, bem como também não o empregamos diante de palavras masculinas, como processo, pais, diretor, etc. Um grande abraço e até a próxima!

natal já passou, mas o ato de caridade fica. No dia 25 de dezembro passado, Leonardo Soares de Sousa (conhecido como Léo do Churrasquinho) realizou uma ação social que completou cinco anos. Léo é proprietário de um barzinho no Bairro Novo Horizonte e contou com a ajuda dos amigos e clientes para a doação de brinquedos, que foram distribuídos às crianças de alguns bairros da cidade. Cerca de 700 brinquedos foram arrecadados e fizeram a alegria da criançada nos Bairros Parque das Nações, São Geraldo, Nova Três Marias, Joaquim de Lima e Cohab. Leonardo conta que quando não consegue doações suficientes, retira do próprio bolso, “o importante é que seja executada a ação, que já está no

seu quinto ano de história. Às vezes, a quantidade de brinquedos não é suficiente para todas as crianças da cidade, mas se podemos fazer o bem para alguns isso é o que vale, o mundo seria muito mais feliz se cada um de nós fizer nossa parte”, comenta Léo.

Estão abertas vagas para o curso de ECOTURISMO (Projeto VERSOL). Para você que gosta de aventuras e contato com a natureza não perca esta oportunidade. Iremos conhecer as cachoeiras e aprender a explorar as belezas naturais de nossa cidade. Informações ligar p/ (38) 88154519. Falar com HEULER. Duração de 6 meses. Aulas 3 vezes por semana a tarde 14:00 as 16:30 . Alunos de 15 a 24 anos.

CURSO GRATUITO


Jornal

BURITI

09

Entrevista Dr. Cláudio Messias

O Jornal Buriti conversou com exclusividade com o médico cirurgião Cláudio Messias. Dr. Cláudio disputou as últimas eleições municipais em Três Marias pelo PHS, foi candidato a vice-prefeito. Nesta entrevista ele abre o jogo, fala de sua saída do Hospital São Francisco e da experiência política. Jornal Buriti: Como foi a experiência de participar de uma campanha política? Dr.Cláudio: Tenho conversado com muitas pessoas sobre isso, foi uma vontade minha. Sempre quis participar de um processo político, mesmo com certa resistência da família, da minha esposa. Mas sempre tive esta vontade, de procurar algo mais para a cidade que estava morando e gosto muito, que é Três Marias. Como experiência foi indescritível, tanto pessoalmente quanto profissionalmente. Pessoalmente é a oportunidade que tive de entrar na casa das pessoas, conhecer a realidade dos moradores. Uma coisa é saber que existem dificuldades, a outra é a gente olhar ‘in loco’ os problemas das pessoas, foi um lado muito positivo. Profissionalmente, a campanha política não me trouxe um resultado positivo, mas disputar as eleições me trouxe novas experiências. Não conheço o gosto da vitória, mas a derrota não é tão amarga como muitos pensam. Consegui formar novas amizades, novos grupos. No geral, faço um balanço muito positivo, independente de qualquer resultado profissional que tenha acontecido a mim após as eleições. JBT: Você pretende disputar as próximas eleições? D.C: Seria hipocrisia se eu falar que esta experiência já basta. A pessoa que gosta da política acaba tomando novos rumos que dificilmente a tiram da política. Não sei se participaria de forma tão ativa como foi nas últimas eleições. Mas temos um grupo, que está pronto para brigar mais uma vez, não sei de que maneira. Em Três Marias existem outros grupos formados. No momento não estou morando mais na cidade, mas tenho minhas coisas aqui, tenho família e, com este grupo que formamos, vamos observar e acompanhar os acontecimentos políticos da cidade, afinal vivemos numa democracia. Da forma que eu fiz, não coloquei em risco minha profissão. Mas, infelizmente as pessoas misturam democracia com o trabalho. Penso realmente em participar de uma próxima campanha política, mas não sei de que forma e se será mesmo aqui em Três Marias. Não podemos ser omissos e nem aceitar tudo que é imposto. Por enquanto vamos observar e trabalhar nestas questões políticas. JBT: Como está sua atuação profissional em Três Marias como cirurgião? D.C : Desde 31 de dezembro eu não tenho vínculo mais com o Hospital São Francisco e desde 20 de dezembro com a prefeitura de Três Marias. Foi a data em que pedi realmente minha rescisão de contrato com a prefeitura. As pessoas me ligam, perguntando o que aconteceu. No dia 20 de dezembro, as coisas

já estavam mais ou menos encaminhadas pela atual administração, todos os médicos já tinham sido procurados pela atual equipe de governo para refazer o contrato com o Hospital São Francisco e com a prefeitura, com exceção minha e do doutor Antônio Nunes, ou seja, não fomos procurados. JBT: Como foi isso? D.C: Eu tinha alguns meses de férias para acertar com a prefeitura. Temendo que a atual administração pudesse dificultar meu pagamento, preferi fazer este acerto. Que fique bem claro, o meu pedido de rescisão não quis dizer que eu não trabalharia com a atual gestão. Pelo contrário, podemos ter idéias divergentes, mas eu prestei meu serviço da melhor forma e trabalharia tranquilamente com a atual administração e com a anterior também, desde que fosse respeitado meu direito de cidadão e de pensar diferente de outras pessoas. Por diversas vezes, tive inclusive muitos conflitos com o ex-prefeito Adair Divino, mas sempre fui respeitado. Tenho muita ligação com Três Marias, a família da minha esposa é daqui, tenho investimentos na cidade, tenho casa aqui, gosto do município e vim com a intenção de ficar. Mas fui realmente forçado a situação de sair do município, pela falta de contrato e pela falta de diálogo com a atual gestão municipal. Tenho que respeitar isso, porque os administradores têm o direito e tem esta condição de fazerem o que acham melhor para município, temos que respeitar, não é motivo de discórdia e de inimizade, mas eu preciso procurar meu espaço. Sou profissional liberal, ganho por aquilo que trabalho, não tenho salário fixo por mês. Recebi proposta de várias cidades ao redor. Então hoje eu trabalho em João Pinheiro, sou contratado pelo município, trabalho num hospital particular lá e tenho minha clínica. Trabalho também no município de Vazante e estou dando aulas na faculdade de Medicina de Paracatu. JBT: E como fica seu relacionamento com o setor de saúde de Três Marias? D.C: Meu contato com a saúde em Três Marias agora é praticamente zero, tenho pacientes do consultório particular aqui. Aconteceram algumas dificuldades, um episódio muito recente me deixou um pouco transtornado e insatisfeito com a situação do Hospital São Francisco. Fui proibido de operar e prestar os meus serviços aos pacientes de convênio e particular no hospital. Sei quem são as pessoas que tiveram esta idéia, até agradeço, pois fecharam as portas para mim aqui, mas outras se abriram em cidades da região. Não fui procurado, ninguém da atual administração me procurou para saber se eu tinha ou não interesse em continuar no município. Na época da campanha política, cogitaram e falaram muito da minha vida pessoal e particular, inclusive dos meus ganhos financeiros no Hospital São Francisco. Essas pessoas, que falaram isso, hoje estão na administração e podem ter a certeza do que aquilo que disseram era mentira. Que eu não quis ficar porque eu não tinha aceitado a proposta. São declarações mentirosas, nenhuma proposta aconteceu. As pessoas que me procuraram, quando me procuraram eu já tinha firmado os contratos com outros municípios. Fui procurado por vereadores do nosso grupo e também do grupo do gover-

no, tentamos alguns contatos para tentar esclarecer esta situação, em momento algum fui atendido. Se todos os médicos foram procurados com exceção minha e do Antônio Nunes, tenho certeza que tem ligação com as questões políticas. Mas nenhum profissional é insubstituível. Com os acontecimentos atuais, pelo que vejo e o que está acontecendo, pois ainda tenho muitos pacientes que me procuram, as pessoas que estão a frente da saúde hoje, na atual administração, precisam deixar um pouco o ego de lado, conhecer melhor a situação e trabalhar em prol do município. JBT: Dá para fazer uma comparação com a saúde de Três Marias e de João Pinheiro? D.C: Em relação ao hospital é uma comparação injusta, mas como um todo a saúde, guardada a proporção de cada município, e olha que a arrecadação de Três Marias é maior que a de lá, João Pinheiro deixa claro que o sistema de saúde de Três Marias é falho. Isso não é uma situação do momento, os esforços foram feitos, o prefeito anterior fez seus esforços, ainda acho que é muito cedo para julgarmos qualquer ato da atual gestão. A saúde não te dá tempo de trabalhar, crianças nascem , morrem, acontecem acidentes e não dá tempo de fazer experiências, tem que agir. Tem excelentes profissionais aqui, tenho amigos médicos na cidade, mas é uma questão que me preocupa, pois em continuando esta situação, as pessoas vão sentir isso que eu sinto e procurar outros espaços também. Nosso lado profissional tem que ser visto. JBT: E sua relação com seus pacientes daqui de Três Marias e com os funcionários do Hospital? D.C: Em janeiro tive contato com os funcionários do hospital, estive lá antes de acontecer aquele episódio que citei anteriormente, pois agora tenho evitado ao máximo de entrar lá. Sempre tive um relacionamento muito bom lá. Meus pacientes hoje, a grande maioria, que eu precisava operar, me procuram aqui no consultório particular em Três Marias, mas os procedimentos cirúrgicos eu tenho feito em João Pinheiro, o que é um pouco complicado pois tem que ficar pegando estrada quase todo dia. Mas na medida do possível tento continuar atendendo os pacientes aqui em Três Marias. Não tenho mais vínculo com os pacientes do SUS e do Hospital São Francisco. Por enquanto, a procurar é particular, aqui no consultório.

JBT: Sua mensagem para a população de Três Marias D.C: A experiência que levo é que fazia uma ligeira idéia de como seria minha vida numa cidade do interior. Quando vim para Três Marias, depois de ficar quatro anos aqui, foi melhor do que eu imaginava. Fui muito bem acolhido aqui, a população de Três Marias é muito acolhedora. Não tinha vontade de ter saído, mas há situações que acontecem e acabam nos levando a tomar decisões, pois temos que pensar no nosso futuro. O importante é que as pessoas fiquem atentas, o mesmo poder que coloca a administração para governar é o mesmo que também pode tirar. Eu como morador de Três Marias, continuarei observando tudo o que está acontecendo na cidade. Existe um interesse futuro com relação à política dentro do nosso grupo, vamos continuar olhando, vou contar muito com a colaboração e compreensão dos moradores, pois por vontade minha eu teria ficado, mas por vontade de outros, acharam melhor que eu não ficasse. Estou satisfeito, trabalho com o que gosto e ganho por aquilo que eu trabalho. É uma vida nova, quero duas vezes por mês continuar vindo a Três Marias, manter este bom relacionamento com as pessoas. Deixar um grande abraço aos amigos que ficaram juntos conosco, um abraço para todos os que são amigos. Independente de política, muitos tiveram idéias opostas, apoiaram outro grupo e respeito essas opiniões, pois vão continuar sendo meus amigos. Quero deixar claro que quatro anos é um tempo bom, pode ser rápido, mas também poder demorar um pouco. Desejo sorte a atual administração, além de sorte desejo que façam um bom trabalho, porque senão fizerem as pessoas vão começar a cobrar, nós temos esse direito e dever de verificar o que tem sido feito. É uma cidade boa e as pessoas merecem uma boa administração. A atual equipe tem a chance de fazer um governo bem feito, mesmo com as dificuldades que encontraram, acredito que tem pessoas nesta gestão que tem condições de contribuir com uma boa administração. Mas acho que temos de ficar de olho como moradores, com todo respeito e não levando para o lado pessoal, não criei inimizades, criaram comigo. Desejo sucesso a todos, no que precisarem de mim e estiver ao meu alcance, estarei sempre disposto a ajudar, independente de posicionamento político. Devo muito mais a Três Marias do que ela a mim. Grande abraço.


10

Jornal

BURITI

Programa Peixe Vivo

O

Programa Peixe Vivo, que completará 6 anos em ju nho de 2013, é uma iniciativa da Cemig e surgiu com o objetivo de criar medidas efetivas para a conservação das espécies nativas de peixes nas bacias hidrográficas onde

a Empresa possui empreendimentos, favorecendo as comunidades que utilizam os recursos hídricos como fator de desenvolvimento. Lançado em junho de 2007, o Peixe Vivo segue as diretrizes da Política Ambiental da Cemig e atua em três frentes: conservação da ictiofauna e bacias hidrográficas, produção de conhecimento científico e envolvimento da comunidade nas ações desenvolvidas. Desde o seu lançamento, o progra-

Projetos e Pesquisas O Programa Peixe Vivo desenvolve, atualmente,15 projetos e/ou pesquisas. Esses estudos são realizados em parceria com outras instituições de ensino, com recursos próprios, ou através de P&D - que é o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento do Setor de Energia Elétrica daAneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) que determina que parte da receita líquida das concessionárias e permissionárias de energia elétrica sejam aplicadas em projetos de pesquisa. Esses estudos desenvolvidos avaliam a eficiência dos trabalhos realizados pelo Peixe Vivo e a necessidade de intervenções, garantindo que as estratégias adotadas pelo programa sejam cientificamente defensáveis. E os resultados produzidos geram conhecimentos científicos para a tomada de decisões eficazes além de colocar o programa à frente da geração de conhecimento nas áreas em que atua.

Em Três Marias estão em estudos os seguintes projetos/pesquisas: ♦ Comportamento de Peixes à Jusante das Barragens: subsídios para a conservação da ictiofauna Desenvolvido em parceria entre Cemig, UFMG, UFLA e CEFET/MG, o estudo tem como objetivos: compreender as variações temporais e espaciais na abundância de espécies de peixes imediatamente a jusante da barragem de Três Marias; entender como os peixes se comportam a jusante das barragens quando submetidos a diferentes regimes de operação e propor medidas que levem à diminuição do risco de acidentes com entradas de peixes em tubos de sucção. Os resultados encontrados até o momento apontam que a técnica de ecossondagem já indicou que programar manobras de risco de morte de peixes, no período seco, e reduzir o número de partidas, na estação chuvosa, diminui os impactos sobre a ictiofauna a jusante daUHE Três Marias. ♦ Desenvolvimento de índices de integridade biótica para avaliação de qualidade ambiental e subsídio para a restauração de habitats em áreas de soltura de alevinos (IBI) Desenvolvido em parceria entre Cemig, UFMG, PUC-MG, UFLA, CEFET-MG, Oregon StateUniversity e US Environmental ProtectionAgency, o projetobusca desenvolver ferramentas para avaliar a qualidade ambiental em bacias hidrográficasde empreendimentos hidrelétricos, subsidiar a restauração de hábitats em áreas de soltura de alevinos e aprofundar o conhecimento sobre ovos e larvas de peixes, para avaliar áreas de desova e criadouros naturais.

ma teve conquistas significativas em relação à proposta inicial. Dentre os resultados mais relevantes destacase a construção de um banco de dados que dá segurança às operações como drenagem e partida de máquina, também determinante na redução no número de peixes mortos em usinas da Cemig em cerca de 78%, evitando ainda interrupções na geração de energia ou possíveis multas por danos ambientais.

ambientais à jusante de hidrelétricas. ♦ O projeto tem por objetivos: monitorar continuamente as densidades de peixes e as condições ambientais a jusante de usinas da Cemig; determinar métodos para avaliação de risco de morte de peixes em usinas da empresa; estudar aspectos da biologia, tais como reprodução, alimentação, das espécies de peixes mais afetadas pelos procedimentos de manutenção de unidades geradoras e criar banco de dados com as informações geradas pelos monitoramentos.

Relacionamento com a comunidade Em 2012 o Peixe Vivo apresentou à comunidade de Três Marias alguns resultados alcançados pelo IBI nos últimos anos. ♦ Desenvolvimento de tecnologia aplicada à manutenção do estoque pesqueiro de populações nativas de espécies migradoras na região de influência da UHE Três Marias: estudo genético e de migrações reprodutivas Desenvolvido em parceria entre Cemig, UFMG, UFV, PUC-MG e UFLA, o projeto visa estudar a dinâmica migratória e a genética populacional de curimatás com o objetivo de se avaliar a necessidade de instalação de um Sistema de Transposição de Peixes na barragem. Dado o grande interesse econômico e de conservação das espécies de curimatás (Prochilodus) na região de influência da Usina Hidrelétrica de Três Marias este projeto estuda aspectos da migração e da genética dessa espécie com vistas à sua utilização como modelo para a avaliação da viabilidade de construção de um mecanismo de transposição de peixes com o propósito de assegurar a manutenção de populações de peixes migradores saudáveis e ativas na região. ♦ Avaliação de risco de morte de peixes em usinas da Cemig Desenvolvido em parceria entre Cemig e UFMG, o projeto visa reduzir as mortes de peixes decorrentes da operação das usinas hidrelétricasda empresa. A avaliação é feita através de monitoramentos periódicos e prévios às manobras para avaliar a densidade de peixes e as condições

Desde a sua criação, o relacionamento com a comunidade é um dos principais pilares do Peixe Vivo. Em Três Marias o programa promove palestras e seminários para a comunidade, participa de reuniões esclarecendo dúvidas sobre suas atividades e patrocina eventos, como o Tiro de Canoa e a Copa Peixe Vivo. Além disso, mantem o Projeto Versol, para crianças e jovens entre 09 e 24 anos, oferecendo cursos voltados para o desenvolvimento esportivo e profissionalizante. O Versol é uma parceria entre Cemig, Instituto Rumo Náutico e Prefeitura de Três Marias e se tornou referência no setor elétrico. Em 2012 atendeu cerca de 250 alunos. Em 2013,o Versol completa 3 anos e pretende aumentar o número de alunos atendidos.

Para conhecer mais detalhes de cada projeto, acesse: www.cemig.com.br/peixevivo. No site, além dos projetos pesquisados em Três Marias, é possível conhecer os demais projetos em estudo pelo programa.

Antes de fazer a pergunta... Descubra se já não sabe a resposta. Porque na maioria das vezes, pelos mais variados motivos, não terá a verdade. Pelo simples motivo de procurar jogar a responsabilidade ou a culpa de nossos erros nos outros, fazemos a elas nossas perguntas. Porque sabemos que assim jamais teremos expostas nossas fraquezas, erros, culpas. Se alguém se aventurar em nos responder, acabará ficando com a culpa do desconforto, da insensibilidade, petulância, arrogância, insensatez, que são só nossas. E nos livramos assim, de mais uma culpa. Só que não somos capazes de ver, descobrir, sentir, que as respostas estão em nossas perguntas. Até sentimos que depois de nos responder as pessoas ficam um certo tempo arredias, mas depois voltam, como cordeirinhos. E se não voltarem também, problema delas. Nos fizemos a pergunta, elas responderam e com a resposta, assumiram o que era nosso. Até porque, nós somos perfeitos em nosso egoísmo, egocentrismo, perfeição e justiça. Elas que estão e sempre estiveram erradas. Nós, jamais! Se porventura algum dia viermos a responder nossas próprias perguntas já feitas e perdidas no tempo, veremos que não deveríamos tê-las feito. Antes disto, deveríamos ter sim, com a nossa resposta, ter corrigido nossos rumos. Evitado aquela pergunta. Ou melhor. Respondido antes de fazê-la. Nas lições da vida, se aprende que a melhor maneira de fazer uma pergunta, é antes procurar respondê-la nós mesmos. Na noção natural das coisas, se diz que é perguntando que se aprende. Mas só vale para aquilo que realmente não soubermos. Porque aquelas nossas, tem a resposta dentro de nós. E na maioria das vezes, por não termos coragem de nos responder, vemos quem nos tinha amizade, carinho, amor, respeito, sinceridade, se afastando. Primeiro a pequenos passos, depois mais largos, e por fim, em caminho praticamente sem fim. E com medo do que nós possamos ter feito, dito, preferimos fazer a pergunta covarde. Por quê? E continuarmos sem coragem de responder. Antonio Jorge Rettenmaier, Cronista, Escritor e Palestrante. Esta crônica está em mais de noventa jornais impressos e eletrônicos no Brasil e exterior. Contatos: ajrs010@gmail.com

Peixe Vivo em Três Marias O Peixe Vivo iniciou suas atividades em Três Marias no ano de 2007 e, desde o princípio, a cidade recebeu o projeto de braços abertos entendendo o seu objetivo e as ações que promove, seja com estudos que visam diminuir o impacto provocado

pela usina na ictiofauna, seja com ações junto à comunidade, promovendo a integração. Agora é a nossa vez de abraçar a cidade e parabenizá-la pelos seus 50 anos! Parabéns ao povo de Três Marias e agradecemos a parceria!

INTERNET BANDA LARGA É AQUI!

Tel.: (38) 3754-2660

www.3mnet.com.br


11

Jornal

BURITI

Os maus hábitos alimentares e a saúde das crianças brasileiras: novas gerações ameaçadas Há alguns dias assisti a um documentário que até então não sai da minha cabeça. Muito Além do Peso é de classificação livre, dirigido por Estela Renner, tem 84 minutos de duração que prendem a atenção do telespectador por todo o tempo. A obesidade infantil, encarada como um grave problema social é tratada no documentário sobre uma perspectiva que envolve o papel dos pais, da escola, do governo e da publicidade no processo de “adoecimento” de nossas crianças em virtude do que ingerem com tanta freqüência. Profissionais de esferas relacionadas apresentam suas colocações e confirmam a triste realidade: estamos no caminho errado e se não fizermos algo urgente e imediato nossos filhos provavelmente viverão 10 anos menos do que nós, segundo o Chef Jamie Oliver, por causa do ambiente alimentar que criamos em volta deles. Muito do que vou expor aqui e que está relatado no filme com certeza é desconhecido pela maioria dos pais, senão jamais permitiríamos que tantos venenos entrassem nos estômagos e correntes sanguíneas dos nossos filhos e mesmo na nossa, já que também estamos à mercê do bombardeamento de porcarias cosmestíveis. Muito Além do Peso levou dois anos para ser produzido e a equipe entrevistou famílias dos quatro cantos do país, em cidades grandes e pequenas. Em aldeias e em comunidades rurais. Índios estão comendo miojo e as crianças não sabem o que é um pimentão ou um mamão. Preocupante? Mais que isso! É alarmante! Especialistas nacionais e internacionais deram depoimentos, apresentaram dados. Profissionais como Frei Betto, Enrique Jacoby, médico da OMS e Amélio Fernando de Godoy Matos, do Instituto de Diabetes e Endocrinologia são alguns dos exemplos. A coisa é muito séria! Duvida? Então leia com atenção: ♦ 56% das crianças brasileiras com menos de um ano bebem refrigerante – até mesmo em mamadeira; ♦ Um pacote de biscoito recheado equivale a oito pães franceses; ·♦ Em cada cinco crianças obesas, quatro serão obesas no futuro; ♦ A maior parte das crianças brasileiras passa mais tempo em frente à televisão do que na escola; ♦ Redes de fast-food, em suas informações nutricionais, trocam a palavra “açúcar ” por “carboidrato”; ♦ 30% das crianças brasileiras estão acima do peso; ♦ 1,6 bilhão de dólares são gastos pela indústria alimentícia ao ano com marketing de produtos

hipercalóricos e pouco nutritivos; ♦ O brasileiro consome cerca de 51 kg de açúcar por ano. Achou demais? Eu também, mas essa é a realidade que assola o nosso país. A diretora do filme, Estela Renner, no segundo semestre do ano passado, período em que o documentário foi exibido em algumas salas de cinema e em festivais, declarou a necessidade de campanha aberta para TV sobre o tema em rede nacional. Enquanto isso não se concretiza, o download pode ser feito livremente no site oficial: www.muitoalemdopeso.com.br. Fica a dica para pais e educadores. Regulamentar a publicidade dirigida às crianças e defender a sobretaxa de produtos que geram custo para a saúde pública são alguns dos assuntos defendidos. Após assistir ao documentário e constatar a realidade, tenho certeza, você vai pensar 10 vezes antes de ingerir salgadinhos industrializados, refrigerantes, embutidos e outros tipos de produtos que invadem nossas dispensas e roubam anos de vidas de nossas crianças.


Jornal Buriti Ed 066  

Jornal Buriti, edição nº 066, 20 de fevereiro a 20 de março de 2013

Advertisement