OJB EDIÇÃO 25 - ANO 2022

Page 1

ANO CXXI EDIÇÃO 25 DOMINGO, 19.06.2022

R$ 3.60 ISSN 1679-0189 ÓRGÃO OFICIAL DA CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA

FUNDADO EM 1901

Reflexão

Notícias do Brasil Batista

Notícias do Brasil Batista

Notícias do Brasil Batista

Organização ministerial

Avanço Batista

OPBB apresenta apps para ajudar pastores

Batistas Piauenses exaltam expansão denominacional no estado

Assembleia extraordinária

América Latina discipuladora

AECBB realiza Assembleia Extraordinária para mudança de nome

UBLA promove 2° Congresso de Evangelização e Discipulado

pág. 05

pág. 10

pág. 14

pág. 15


2

REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

EDITORIAL

Parabéns, UFMBB e Convenções Estaduais

Você, leitor assíduo de O Jornal Batista, já deve ter percebido, há alguns anos, que a União Feminina Missionária Batista do Brasil (UFMBB) traz seus conteúdos nas páginas 8 e 9, sempre na segunda edição de cada mês. A única mudança acontece neste mês de junho e eu te explico agora. Como descrevemos no início do mês, temos importantíssimas datas entre os Batistas brasileiros em junho, entre elas, o Dia da Educação Cristã Missionária, quando é celebrado tam-

bém o aniversário da UFMBB, o dia 23 de junho. Antecipadamente, sempre nos pedem para remanejarmos o conteúdo para o domingo mais próximo da data, e assim fazemos, com a maior alegria. Parabenizamos a UFMBB pelos seus 114 anos e relevantes serviços ao Reino de Deus e aos Batistas brasileiros. Suas lideranças, literaturas e casas de ensino fizeram a fazem a diferença em nossa denominação. É também neste período do ano

que nossas Convenções Estaduais realizam a abertura de suas campanhas de Missões e, também, suas Assembleias. E esta edição de OJB está repleta destas notícias: lançamento de Missões Estaduais da Convenção Batista Fluminense (CBF); lançamento de Missões Estaduais da Convenção Batista Piauiense (CBPI); Assembleia da Convenção Batista Carioca (CBC); Assembleia da Convenção Batista de Pernambuco (CBPE); lançamento de Missões Estaduais da Convenção Ba-

tista do Planalto Central (CBPC). Além destas notícias, temos a Assembleia da Associação Batista Caxiense, no Rio de Janeiro, Assembleia Extraordinária da Associação de Educadores Cristãos Batistas do Brasil (AECBB) e o Congresso da União Batista Latino-Americana (UBLA). Informação de qualidade! Que Deus abençoe nossas Convenções Estaduais; que sejam cada vez mais relevantes em suas respectivas regiões. Boa leitura! n

( ) Impresso - 160,00 ( ) Digital - 80,00

O JORNAL BATISTA Órgão oficial da Convenção Batista Brasileira. Semanário Confessional, doutrinário, inspirativo e noticioso. Fundado em 10.01.1901

SECRETÁRIO DE REDAÇÃO Estevão Júlio Cesario Roza (Reg. Profissional - MTB 0040247/RJ) CONSELHO EDITORIAL Francisco Bonato Pereira; Guilherme Gimenez; Othon Ávila; Sandra Natividade

INPI: 006335527 | ISSN: 1679-0189 PUBLICAÇÃO DO CONSELHO GERAL DA CBB

EMAILs Anúncios e assinaturas: jornalbatista@batistas.com Colaborações: decom@batistas.com

FUNDADOR W.E. Entzminger PRESIDENTE Hilquias da Anunciação Paim DIRETOR GERAL Sócrates Oliveira de Souza

REDAÇÃO E CORRESPONDÊNCIA Caixa Postal 13334 CEP 20270-972 Rio de Janeiro - RJ Tel/Fax: (21) 2157-5557

Fax: (21) 2157-5560 Site: www.convencaobatista.com.br A direção é responsável, perante a lei, por todos os textos publicados. Perante a denominação Batista, as colaborações assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião do Jornal. DIRETORES HISTÓRICOS W.E. Entzminger, fundador (1901 a 1919); A.B. Detter (1904 e 1907); S.L. Watson (1920 a 1925); Theodoro Rodrigues Teixeira (1925 a 1940);

Moisés Silveira (1940 a 1946); Almir Gonçalves (1946 a 1964); José dos Reis Pereira (1964 a 1988); Nilson Dimarzio (1988 a 1995) e Salovi Bernardo (1995 a 2002) INTERINOS HISTÓRICOS Zacarias Taylor (1904); A.L. Dunstan (1907); Salomão Ginsburg (1913 a 1914); L.T. Hites (1921 a 1922); e A.B. Christie (1923). ARTE: Oliverartelucas IMPRESSÃO: Editora Esquema Ltda A TRIBUNA


REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

3

DICAS DA IGREJA LEGAL

Por que o Estatuto da sua Igreja precisa ser atualizado? (Parte 9) Jonatas Nascimento No artigo anterior prometi não abordar temas mais sensíveis que algumas Igrejas já adotam, mas que ainda não têm o respaldo ou a posição da Convenção Batista Brasileira (CBB). É público e notório que algumas Igrejas filiadas à mencionada Convenção aceitam como membras (não se assustem com esta palavra grafada no feminino, pois o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa - VOLP - fez a gentileza de dicionarizá-la) pessoas de outras denominações batizadas por imersão; e outras aceitam pessoas que vivem sob o regime de união estável, abrindo mão da exigência do casamento civil, tal como concebido pelo Decreto 181, de 24 de janeiro de 1890. Há, ainda, uma discussão nada pacificada que diz respeito ao ministério pastoral feminino, mas este assunto está fora do meu escopo. Sigo crendo que no tempo certo, o Espírito Santo haverá de iluminar a nossa CBB para administrar, sem traumas, esses e outros assuntos que certamente surgirão. Vamos ao assunto de hoje: por se

tratar de algo relativamente novo, muitas Igrejas por certo ainda ignoram a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), em vigor desde 18 de setembro de 2020, e por isso estão correndo grandes e sérios riscos. Enquanto refletia sobre o impacto desta lei no quotidiano das Igrejas e demais organizações religiosas, fui pesquisar na grande rede e encontrei apenas um artigo, de autoria de Marcelo Rateiro, pastor, advogado e membro do Conselho Jurídico da Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP), a quem eu cumprimento cordialmente. Essa lei “dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural”. Ora, por que as Igrejas, enquanto ambientes de aglomeração de pessoas, estariam desobrigadas do cumprimento dessa lei? É nos espaços eclesiásticos que a privacidade das pessoas desaparece. Uma simples fotografia ou

tomada de vídeo não autorizada pode ensejar processo contra a Igreja. Diante desta realidade, considero importante a Igreja se precaver assumindo no Estatuto o compromisso de respeitar essa lei, sendo, assim, transparente na sua relação com os fiéis, quer dando publicidade do seu estatuto, quer colocando avisos em locais de fácil visibilidade em suas dependências, informando que a Igreja possui mídias e que o silêncio do fiel ou mesmo do visitante caracteriza consentimento. Em certos casos, será de bom alvitre que a Igreja obtenha autorização por escrito daqueles que vão se apresentar cantando, testemunhando, pregando ou apresentando peças teatrais, por exemplo. O importante é que a Igreja se blinde contra eventuais ações judiciais. Recentemente, em uma das minhas palestras, eu consultei aos presentes sobre a possibilidade de filmar o auditório para colocar em minhas mídias. Pedi que ficassem de pé quem concordasse. Num universo de quase duas centenas de pessoas, apenas duas permaneceram sentadas. Resultado: fiquei frustrado, mas não filmei nem divulguei.

Sugiro que as Igrejas que utilizam mídias sociais insiram em seus Estatutos dispositivos que afirmam que respeitam a Lei Geral de Proteção de Dados; que deem publicidade ao seu Estatuto a todos os fiéis; e que afixe em suas dependências e projeções informação com os seguintes dizeres: “Em observância à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), informamos que esta Igreja utiliza mídias sociais para transmissão de seus cultos. Portanto, ao entrar neste recinto fica caracterizado o consentimento tácito para eventual uso da imagem do fiel ou do visitante”. (Lei nº 13.709, de 18 de setembro de 2020). Na próxima edição fecharei esta série de artigos falando do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), do Estatuto da Cidade, e do EI (Estatuto do Idoso). Ato contínuo farei uma espécie de “resumão” dos dez artigos. n Empresário contábil, diácono batista e autor da obra “Cartilha da Igreja Legal” E-mail: jonatasnascimento@hotmail.com WhatsApp: (21) 99247-1227


4

REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

Pastor aposentado

Alessandra Valtrau Loffhagen da Silva

professora de EBD; membro da Missão Batista em Ilha Comprida - SP

A vida de um pastor aposentado é um turbilhão de emoções; começa no chamado. Será que é comigo que Deus está falando? Será que não estou enganado? Será que estou entendendo direito? Será que não estou apenas empolgado? Foi realmente um chamado! Junto com a certeza vem as incertezas de para qual seminário ir, como se manter. Muitos estudos, planos, aspirações que nem vê o tempo passar e o diploma já está na mão. Agora é a vez do concílio, tenebroso, assustador. Quais serão as perguntas? Será que estudei o suficiente? Será que vou acertar? Será que vou errar? O que será que os pastores vão pensar de mim? Será que fui escolhido mesmo? Mas o concílio passa e vem a ordenação. Finalmente, o jovem se torna oficialmente pastor, e as Igrejas o aguardam. Ovelhas esperam por cuidados, carinho, alimentos e anseiam por seu pastor amado. Quando o jovem pastor chega no aprisco vive um grande período de “namoro”, até que os relacionamentos vão ficando mais e mais próximos e qualidades e defeitos começam a aparecer. Surgem aquelas ovelhas sempre prontas a ajudar em tudo, apoiando o pastor em qualquer situação, já outras só sabem criticar. Têm ovelhas que estão sempre em oração pelo pastor, têm outras que só observam, dão palpites e preveem que as coisas vão dar errado. Assim vai o pastor no seu trabalho diário. Alguém está doente: chama o pastor; um casal quer separar: chama o pastor; o filho está dando muito trabalho: chama o pastor; alguém morreu: chama o pastor. Mas, por outro lado, se há aniversariantes, chama o pastor. Se tem bodas, chama o pastor. O pastor é lembrado nas horas boas e ruins. Vem o aniversário do pastor, todos cantam parabéns, até aqueles que criticam, pois é dia de celebrar. No Dia do pastor, muitas homenagens, a família também é presenteada!

E assim vão se passando os anos. Lutas e vitórias, a vida do pastor é sempre um turbilhão de emoções, gente que vai e vem, a casa vive cheia e ele vive na casa das pessoas também. Até que os cabelos vão embranquecendo, os anos vão chegando e com ele a hora da aposentadoria chega na vida do pastor também, é hora de parar. A Igreja faz muitas homenagens para aquele que dedicou 40, 50 e até 60 anos da vida, quem sabe, ao trabalho do Senhor. É uma linda festa, o pastor se alegra, que grandes coisas o Senhor deu-lhe para fazer. Começa a lembrar do seminário, do concílio, dos frutos que colheu e relembra o grande caminho que percorreu. Então, ele vai para casa, inicia uma nova etapa da vida. Agora aposentado começa a fazer os reparos na casa e tem muito o que acertar. Tem muitos familiares distantes para visitar e os irmãos, vez ou outra, também o visitam. Mas os anos vão passando e o pastor aposentado vai ficando cada vez mais aposentado e o passado vai ficando cada vez mais para trás e o presente mais e mais solitário. Agora, ele tem um monte de histórias para contar; tristes, alegres, histórias extraordinárias que ele mesmo contando parece não acreditar. Até aquele que só vivia criticando tudo parece engraçado agora, dá saudades. O atual pastor da Igreja nunca visitou o pastor aposentado e olha que a cidade é mediana, as pessoas se conhecem e o pastor aposentado mora ali há muitos anos. Quando jovem foi um cidadão ilustre, grande pregador, reconhecido pelas autoridades. Num fim de tarde, o pastor aposentado e sua esposa estavam sentados na varanda. Quando passou um jovem senhor de bicicleta, a esposa gritou: -Oi, “Fulano”. Ele parou, olhou e veio em direção ao casal. A esposa perguntou: -Você não é o “fulano”? Ele disse sem jeito, por passar de largo, sem ao menos lançar um olhar em direção a casa do pastor: -Sou eu mesmo.

Olavo Feijó

pastor & professor de Psicologia

Nossa casa deve ser de Cristo “Jesus, porém, disse-lhe: Segue- nar a família como condição necessá-me, e deixa os mortos sepultar os ria de discipulado cristão. O mandaseus mortos” (Mt 8.22). mento estabelecido em Êxodo 20.12 nunca foi anulado nas Escrituras. Sua A expressão “sepultar o meu pai” mensagem é clara e definitiva: “Resreferia-se à tradição israelita que en- peite o seu pai e a sua mãe, para que sinava sobre a responsabilidade dos você viva muito tempo na terra que filhos, quanto a assumir o sustento lhe estou dando”. total dos próprios pais, enquanto houA Bíblia deixa bem clara nossa vesse vida. Foi neste contexto cultural responsabilidade familiar. Haja vista que um “seguidor de Jesus” explicou o cuidado de Jesus para com o bemo adiamento do seu discipulado in- -estar de Sua mãe: “Quando Jesus viu tegral: “E outro, que era seguidor de a Sua mãe e perto dela o discípulo que Jesus, disse - Senhor, primeiro deixe Ele amava, disse a ela – Este é o seu que eu volte e sepulte o meu pai. Je- filho. Em seguida, disse a ele: Esta é a sus respondeu - Venha Comigo e dei- sua mãe. E esse discípulo levou a mãe xe que os mortos sepultem os seus de Jesus para morar dali em diante mortos” (Mt 8.21-22). na casa dele” (Jo 19.26-27). Nossa A resposta de Jesus, vista no seu casa deve ser a casa de Jesus, para o contexto, elimina a ideia de abando- bem-estar do mundo em que vivemos. Eu que conto essa história, estava sentada na área também, observando a cena. Fui apresentada ao visitante, que sem jeito me disse: -Esse pastor me batizou! Eu respondi: -Ele me batizou também quando eu era ainda uma menina, me viu nascer, me deu o primeiro alimento e me ajudou nos primeiros passos na carreira da fé. Por ocasiões da vida tive que me distanciar dele, porém esperei, sonhei, lembrei dele diariamente nesses últimos 33 anos de espera para poder revê-lo e dizer-lhe o quanto sou grata e a imensidão do meu amor por sua vida, que dispôs a me levar aos caminhos

da salvação. No entanto, você mora pertinho e ao passar aqui, passa de largo, sem lançar um olhar, pensei… A esposa ainda pergunta, ingenuamente, se ele não iria cumprimentá-los. O pastor, para diminuir a dor daquela triste hora, rapidamente pergunta a um dos seus filhos. O jovem senhor diz já estar aposentado e ter até netos, imagine! Quanto tempo se passou e o visitante nunca voltou para dar um abraço naquele que lhe deu as palavras da redenção. Você que lê essas palavras, nesse mês que comemoramos o Dia do pastor, ligue, compre um presente, tome um café com o pastor aposentado. n


REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

5

Ferramentas tecnológicas para facilitar sua rotina pessoal e ministerial Daniel Ventura

pastor, diretor executivo da Ordem de Pastores Batistas do Brasileira

Como vimos semana passada, a organização é fundamental para conseguir atingir os objetivos, sejam eles pessoais ou ministeriais. E para auxiliar você a manter uma rotina organizada e a concentrar-se nas tarefas do dia a dia, segue algumas ferramentas de produtividade para te auxiliar. IFTTT Economize tempo automatizando tarefas repetitivas. IFTTT é uma ferramenta que permite criar conexões poderosas com uma declaração simples do tipo “se isso acontecer, então faça aquilo”. Link: ifttt.com Disponível para Android e iOS. Versão gratuita e paga Calendly Aplicativo focado no agendamento de reuniões. Quando uma pessoa precisar realizar um agendamento com você, basta fornecer o seu link do Calendly e ela poderá escolher o melhor horário entre os disponíveis na sua agenda. Link: calendly.com/pt Disponível para Android e iOS Versão gratuita e paga

Trello

na tela que crescerá se a meta for batiGoogle Calendário da e morrerá se for quebrada. Ferramenta que possibilita o gerenCom essa ferramenta é possível Link: forestapp.cc ciamento de qualquer tipo de projeto, visualizar compromissos, ordenar hoDisponível para Android e iOS. fluxo de trabalho ou monitoramento rários, controlar a realização de tarefas, Grátis de tarefas. além de manter um planejamento pesLink: trello.com soal e ministerial muito mais alinhado. Pocket Disponível para Android e iOS. Link: calendar.google.com Versão gratuita e paga Funciona como um aplicativo de Disponível para Android e iOS. favoritos onde você pode salvar todo Grátis (informações ao final do arTickTick conteúdo online (incluindo vídeos) para tigo) acessar offline depois. Este aplicativo possibilita uma expeLink: getpocket.com/pt Microsoft365 riência muito fácil para o usuário, que conDisponível para Android e iOS. segue adicionar tarefas e lembretes em Conjunto de aplicativos que ajuda Versão gratuita e paga segundos, inclusive por comando de voz. você a ficar conectado e a aumentar a Link: ticktick.com produtividade (inclui Word, Excel, PoEvernote ou GoogleKeep Disponível para Android e iOS. werPoint, Teams, Outlook, OneDrive, Versão gratuita e paga Aplicativos de blocos de notas que OneNotes, ToDo e outros). permitem criar anotações rapidamente Link: microsoft365.com Slack como pensamentos, rascunhos, notas, Disponível para Android e iOS. listas de tarefas etc Grátis (informações ao final do arPlataforma para grupos de trabalho, Link: evernote.com e keep.google.com tigo) que combina comunicação e colaboraDisponível para Android e iOS. Em parceria com a TechSoup Brasil, ção no mesmo espaço. Grátis a Ordem de Pastores Batistas do Brasil Link: slack.com (OPBB) oferece para todos os pastores Disponível para Android e iOS. GoogleDocs e GooglePlanilhas e Igrejas Batistas um programa para Versão gratuita e paga aquisição de softwares com até 100% Crie e colabore em documentos e de isenção de pagamento (incluindo Forest planilhas online, em tempo real e de Windows e todos os aplicativos Microqualquer dispositivo. soft365 e o Google Workspace mencioEste aplicativo de produtividade Link: docs.google.com e sheets. nados acima). Para mais informações (para quem quer evitar distrações) in- google.com acesse opbb.org.br/softwares n centiva você a cumprir sua meta de Disponível para Android e iOS. tempo, mostrando uma pequena árvore Grátis (informações ao final do artigo)

Ser pastor é… (parte 2) O ministério pastoral traz uma série de responsabilidades. Além do cuidado da Igreja, o cuidado com a família é primordial. E o apoio familiar no ministério faz toda a diferença, seja em ações, palavras e orações. Para marcar esta data trouxemos depoimentos de pastores filiados à Ordem dos Pastores Batistas do Brasil (OPBB) apresentando sua visão do ministério pastoral.

“Responder positivamente ao chamado de Jesus para cuidar, em Seu nome e em conformidade com Planos do Pai, de cada vida que o Espírito Santo puser diante de mim ou permitir que eu busque” (Marcelo Alves Moraes).

mentação Bíblica e Cristocêntrica, com o firme fundamento da fé, entendendo as mudanças desde século que acelerou com a pandemia globalizada, contextualizando a didática sem negociar a essência” (Orlando Antônio Duarte).

número se quadruplicou. Percebo que pastor é luta, mas, também progresso. Chamada nobre, vocação especialíssima e apaixonante. A intensidade do ministério é vida na vida” (Ailton Florencio Bezerra).

“Um privilégio que não mereço” (Is“Ser pastor é ser amigo, sacerdote, mael Arêdes). profeta e mestre. Ser companheiro da caminhada, da jornada da comunidade “Uma dádiva do Senhor Jesus. O de fé. Ele está presente na festa e no honroso ofício pastoral é o que melhor infortúnio, nas alegrias e nas tristezas. “Cuidar de gente. Ensinar e investir traduz meu senso de propósito neste Pastor é guia, é aquele que dar direção. em pessoas para que elas cresçam e mundo” (Diego da Silva Moura). Há 18 anos estou à frente da PIB em se multipliquem” (Yamazak Rabello de Parque Eldorado; quando cheguei era Oliveira). “Ser um guardião dos valores e prin- eu e mina esposa, hoje temos três ficípios deste Reino, com uma funda- lhas; éramos 60 membros, hoje, esse

“Cada pastor (a) precisa entender rapidamente que seu trabalho envolve paciência e cuidado, fornecendo rampas de acesso para que seu pessoal vá de onde está, espiritualmente, para onde precisa estar. Isso significa que o pastor terá que deixar de lado as noções e ilusões de uma “Igreja ideal ” e servir às pessoas que Deus realmente colocou à sua frente” (Paulo Sergio Feijolli). n


6

REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22 VIDA EM FAMÍLIA

Os segredos das famílias eficazes - I Um dos livros de sucesso, na área de família, é, sem dúvida, “Os 7 hábitos das famílias muito eficazes”, de Stephen R. Covey. A despeito de sua confissão de fé, Stephen Covey, falecido em 2012, vítima de uma hemorragia cerebral causada por um acidente de bicicleta, foi, sem dúvida, um grande escritor e prestou grande contribuição à causa do fortalecimento das famílias em todo o mundo. Covey também escreveu outros livros que são muito apreciados no mundo corporativo. Stephen Covey é autor da teoria dos sete hábitos muito eficazes, que são eles: Seja proativo, comece com o objetivo em mente, primeiro mais importante, pense vencer/vencer, procure primeiro compreender, crie sinergia, afie a serra. Essa teoria dos Sete Hábitos pode ser implementada nas empresas,

nas famílias e na vida pessoal. Seu filho, Sean Covey, escreveu também um livro, baseado na teoria dos Sete Hábitos, aplicado aos adolescentes, “os 7 hábitos dos adolescentes altamente eficazes”. O primeiro hábito é ser proativo. Ser proativo, afirma Covey, no seu livro “os 7 hábitos das famílias muito eficazes”, é agir com base em princípios e valores, em ver de reagir guiado pelas emoções ou circunstâncias. Ser proativo, nas circunstâncias gerais, e em nosso caso, na família, devemos sempre tomar decisões não na base da impulsividade ou da explosão, mas sempre considerando seus valores e princípios. Uma dica para não tomar decisões baseadas na impulsividade, aconselha Covey, é sempre ‘apertar a tecla pausa’. Vamos tentar exemplificar esse hábito

na área de educação de filhos. Vamos pensar que seu filho, num determinado momento, talvez em público, tire você do sério com uma pirraça. Agindo, não seguindo o primeiro hábito, você vai pegar seu filho com força excessiva pelo braço, gritar e talvez dar um safanão. Mas, seguindo o primeiro hábito, sua reação será apertar, no seu interior, a “tecla pausa”, que significa Pare, Pense e Escolha. Nesse caso, a “tecla pausa”, será perguntar a si mesmo “por que meu filho está agindo assim agora?”. Enquanto responde essa pergunta, apertar a ‘tecla pausa’ é respirar fundo, contar de 1 a 10’, chamar seu filho para um canto, olhar bem nos olhos dele e dizer que aquele comportamento é inadequado e inaceitável e que em chegando em casa irá conversar com ele sobre o assunto. Colocar em prática o primeiro hábito

é pensar sobre quais valores e princípios você, por exemplo, irá criar seus filhos ou construir seu casamento. Para nós, cristãos, podemos elencar esses valores tendo como base a Bíblia, a Palavra de Deus (II Timóteo 3.16,17). Respeito, amor, perdão, confiança, liberdade, paz, humildade em reconhecer seus erros, diálogo, justiça e tantos outros. Quando tomamos decisões em questões familiares baseados em valores e princípios, não somos influenciados, na tomada de decisão, pelas circunstâncias externas. Para Covey, ser proativo é a porta de entrada para os outros hábitos. n

Dias Lopes diz: “O braço da carne não pode desafiar o braço onipotente de Deus e abalar seu trono, tanto que Ele olha do céu e ri, zombando desses insolentes”. Em segundo lugar, Deus é o regente da história e não os homens (Salmos 2.6). O rei Davi expressa para os poderosos da terra que o controle e a regência da história não estão nas mãos dos homens, mas nas mãos daquele que criou os céus e a terra e tudo o que neles há. Davi tinha plena convicção de que o Deus Todo Poderoso o havia constituído rei, e que sua vida era regida por Ele. Warren Wiersbie diz: “Foi Deus quem deu o trono em Sião a Davi e foi Deus quem lhe deu vitórias subsequentes em suas batalhas contra os inimigos de Israel. No entanto, isso tudo é apenas o retrato de uma coroação ainda maior: Deus declara que existe apenas um verdadeiro Rei, seu Filho, que se encontra assentado no trono de glória”. Em terceiro lugar, Cristo é o enviado de Deus que venceu a morte (Salmos 2.7). As palavras “Tu és meu filho, eu, hoje te gerei” são aplicadas a ressurrei-

ção de Jesus Cristo. O apóstolo Paulo, em seu sermão em Antioquia, retrata isso (Atos 13.34). Cristo é o enviado de Deus que venceu a morte. Jesus venceu a morte, o pecado, o diabo e está vivo. E porque Ele está vivo podemos crer no amanhã. O doutor Matthew Henry afirma: “A doutrina da morte e ressurreição de Cristo está no fundamento do Cristianismo. Removamos esse fundamento e toda a estrutura cairá, todas as nossas esperanças para eternidade afundarão de uma vez”. Em último lugar, a promessa do Pai ao Filho (Salmos 2.8). O apóstolo João nos informa que o Filho (Jesus Cristo) foi o agente da criação. Tudo é dEle e para Ele. O Pai prometeu ao Filho vitória absoluta sobre as nações, o que significa que, um dia, ele governará sobre todos os reinos do mundo. Mesmo que o homem abertamente não queira se quebrantar diante de Deus e seu Filho Jesus, não muda o fato de que Ele (Jesus) quem vai dirigir os povos. Hernandes Dias Lopes afirma: “Importa que todos, em todos os lugares, em todos os tempos, reconheçam e confessem que Jesus é o Senhor”. n

Por: Gilson Bifano Palestrante e escritor na área de família e casamento. Siga-o no Instagram: @gilsonbifano

O vitorioso Deus (Salmos 2.4-9) José Manuel Monteiro Jr. pastor, colaborador de OJB

O salmo 2, da mesma forma que o salmo 1, não possui em sua introdução a menção de seu autor. Sabemos que ele foi atribuído a Davi, pois o historiador e médico amado Lucas, no livro de Atos, diz que ele foi composto pelo rei Davi (Atos 4.25). O salmo 2 pertence à classe muito importante de salmos conhecidos como reais ou messiânicos. Enquanto o salmo 1 é de natureza moral e nos mostra quais são os nossos deveres, o salmo 2 é messiânico e nos mostra o Salvador. Ele tem uma divisão muito didática que consiste em quatro estrofes de três versículos cada. O teólogo Purkiser nos ajuda melhor entender: “Nos versículos 1-3, o salmista vê a revolta das nações contra o Senhor e seu ungido. Nos versículos 4-6, ele vê a futilidade da revolta a luz do poder soberano de Deus e o ouve declarar que Ele colocou o seu rei sobre o monte Sião. Nos versículos 7-9, o rei declara o decreto que estabeleceu sua autoridade e recebe a garantia de Deus de que sairá vitorioso. Nos versículos de 10-12,

o salmista extrai lições que os povos rebeldes deveriam aprender, e exorta-os a fazerem as pazes com Deus”. Nos versos iniciais, o salmista retrata que as nações se amotinam em afronta a nosso Deus na tentativa de destroná-lo. Para evitar o estabelecimento do reino do Messias na terra, os homens, os povos, tramam e imaginam formas de desconstruir no imaginário das pessoas a concepção acerca de Deus. Tomemos como exemplo o filósofo e neurocientista Sam Harris, autor do livro A morte da fé. Ele diz que “não acreditar em Deus é um atalho para a felicidade”. O rei Davi, com diáfana clareza estabelece que a despeito da trama dos povos e nações contra o nosso Deus, Ele sempre será vitorioso. Vamos aqui elencar alguns pontos para a nossa reflexão. Em primeiro lugar, a trama dos homens e dos povos não abalam nosso Deus (Salmos 2.4). Ele do céu ri, zomba da ameaça dos homens e dos povos. Deus não está preocupado nem com medo dos homens insignificantes que se enfurecem contra Ele. Hernandes


MISSÕES NACIONAIS

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

7

Obra missionária abençoa famílias afegãs no Brasil

Thatiana Cordeiro

Redação de Missões Nacionais

“Por isso amareis o estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito” (Dt 10.19). Deus tem nos dado a oportunidade de alcançar cada vez mais afegãos. Desde que a Vila Minha Pátria, em Morungaba-SP, foi inaugurada, diversas famílias de refugiados já foram acolhidas. No fim de maio, recebemos um casal de afegãos e seus dois filhos, com três e seis anos da idade. Eles

estão recebendo atenção, suporte, moradia, alimentação, carinho e uma palavra de esperança! O pedido veio do Ministério da Cidadania, que tem reconhecido o trabalho missionário com refugiados afegãos. Além dessa família, outras 16 pessoas chegaram no mês de maio. As aulas de Língua Portuguesa são uma das atividades que acontecem na Vila. Com paciência e muito estudo, aos poucos, os afegãos estão aprendendo algumas palavras e já começaram a formar frases. Entender e ser entendido é de fundamental

importância para a independência dessas famílias no Brasil e, por isso, nos alegramos com cada avanço no aprendizado dos mais novos alunos da Vila! Cada afegão que recebemos é um presente de Deus, que deve ser cuidado com zelo, amor e responsabilidade. Então, assim como somos acolhidos pelo Senhor, também temos acolhido com alegria os refugiados afegãos que o Senhor tem nos entregado. Algumas vezes, Deus nos envia até as pessoas; outras, Ele traz as pessoas até nós. Os afegãos estão chegando e nós não

queremos perder a chance de impactá-los com a mensagem da salvação. Vamos seguir anunciando a verdade que liberta. Sair do próprio país rumo a uma nova vida é um grande desafio. Por isso, trabalhamos e oramos para sermos o abraço de Cristo a cada novo morador da Vila Minha Pátria. Nossos corações se enchem de alegria, pois Deus tem abençoado esse grande trabalho missionário. Ore, envolva-se e viva a alegria de participar do que Ele tem realizado em nossa nação. n


8

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA


NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

9


10

NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

“Paz nas Cidades” é o tema da campanha de Missões Estaduais da Convenção Batista Fluminense Missões Estaduais, da CB Fluminense, realizou culto de lançamento da campanha de 2022.

Durante lançamento de Missões Estaduais, missionários testemunharam trabalho realizado no campo Fluminense Diana Sampaio Rodrigues

Departamento de Comunicação da Convenção Batista Fluminense

O mês de abril ficou marcado pelo início da divulgação da nova campanha de Missões Estaduais da Convenção Batista Fluminense. Com o tema “Paz nas Cidades”, o culto de lançamento aconteceu no dia 6 de junho, na Segunda Igreja Batista de Rio Bonito.

A programação começou com um momento de adoração com o grupo de louvor da SIB de Rio Bonito, o qual foi autor da música oficial “Paz nas Cidades”. Logo em seguida, o pastor Cláudio Guarisa deu as boas-vindas a todos os irmãos que estavam presentes e também apresentou o teaser da campanha. Muitos missionários de Missões Estaduais testemunharam sobre o

preparo e os trabalhos já realizados no campo fluminense, como a Priscila Rodrigues, que falou um pouco sobre a sua futura atuação em Capelania Escolar, e os missionários Anderson e Neemias, que compartilharam um pouco sobre tudo o que têm feito em suas cidades. Além disso, outros vídeos foram apresentados, como o testemunho do indígena Edilson, da cidade de Maricá-RJ, e também sobre

o PEVI Esperança, realizado no município de Nova Iguaçu-RJ. Logo após, um pastor convidado orou especialmente pela vida de todos os missionários estaduais. A reflexão da noite foi trazida pelo coordenador do Departamento de Evangelismo e Missões, pastor Daniel Cunta, e o culto foi encerrado com uma palavra abençoadora da Capelã Escolar, Joana Raphael. n

Batistas piauienses declaram que “A vida é missão”

Convenção Batista Piauiense realizou o lançamento da campanha de Missões Estaduais. Carlos de Castro Coelho

pastor da Igreja Batista Memorial de Parnaíba-PI

No dia 04 de junho, a Convenção Batista Piauiense (CBPI) fez o lançamento da Campanha de Missões Estaduais 2022, que traz como tema “A vida é missão, eis-me aqui! O culto aconteceu na Igreja Batista da Vermelha, em Teresina-PI, com transmissão pelo canal da Igreja no YouTube, viabilizando a participação das Igrejas desde o Extremo Sul até ao Extremo Norte/litoral do Estado. O preletor da noite foi o pastor Jair Andrade, pastor de Missões da Primeira Igreja Batista de Teresina-PI, que nos levou a refletir sobre a necessidade de desenvolvermos um relacionamento íntimo com Deus a ponto de reconhecermos nossa pequenez e incapacidade para realizar o que Ele nos escolheu para fazer, a menos que confessemos nosso pecado e busquemos depender dEle. Como resultado desta ação somos naturalmente levados a desenvolver um relacionamento intencional com o próximo, certos de que é inconcebível ter um relacionamento com Deus e não estar envolvido

Pr. Simão Neto, primeiro vice-presidente da CBPI; ao centro, pastor Carlos Jose, da IB da Vermelha; ao seu lado, pastor Jair Andrade, pastor de Missões da PIB em Teresina-PI na Missão. Foi uma noite de grande celebração, recordando as músicas tema das últimas campanhas missionarias, conduzidos pelo ministério de louvor Libertação, da Primeira Igreja Batista de Timon-MA, onde exaltamos a Deus pelos grandes feitos em nosso estado, sobretudo no avanço da plantação de Igrejas. Nos últimos anos temos sido desafiados a chegar “Até a Última Cidade”, esse é nosso lema. Em 2009, dos 224 municípios do estado 68 estavam

sem presença Batista, dos quais hoje restam apenas 11. Toda glória e honra ao Senhor da Igreja! No último ano (2021) e os quatros primeiros meses deste ano já alcançamos 14 municípios, graças ao empenho da PIB de Teresina e as parcerias da Convenção que tem despertado as Igrejas para oferecer uma oportunidade válida a cada piauiense de ouvir o Evangelho. Nossos alvos com esta campanha são: 1 - R$ 250.000,00 (Oferta Especial); 2 - Alcançar os 11 municípios

Em amarelo, os 11 municípios a serem alcançados sem presença Batista e 3 - Aumentar o número de missionários de Missões Estaduais. Você pode ser nosso parceiro nesta causa, vamos até a última cidade por que A vida é missão! Mais informações: batistaspi.org. br n


MISSÕES MUNDIAIS

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

11

A compaixão que vem de Deus faz o impossível acontecer Camila Marques

missionária no Sul da Ásia

Em 2006 iniciamos o trabalho de implantação de Igreja em meio a pessoas pobres e carentes. Num domingo, uma senhora veio com sua família e mais algumas pessoas. Logo, naquele domingo ela compartilhou a triste história da sua filha, que tinha sido sequestrada aos cinco anos de idade e pediu para que orássemos pela sua filha. Todos os domingos tinha um momento especial de oração para que a menina fosse encontrada. Oramos confiando no Deus que faz o impossível. O tráfico humano é a terceira maior atividade criminosa do mundo. Pessoas têm sido usadas como propriedade para trabalhos forçados, comércio de órgãos e exploração sexual. Acredita-se que no tráfico humano gera cerca de U$32 bilhões de dólares em receitas por ano. Este comércio é impulsionado pela grande demanda. Sem esta cruel demanda, podemos trazer paz e “exterminar” a exploração sexual. Eu creio que até onde prostituição for incentivada, se torna impossível libertar as crianças e mulheres desta crueldade, desta tamanha injusti-

Ael e Bel Oliveira

missionários no Leste da Ásia

“Tudo tem um preço”, frase comum e verdadeira em muitos sentidos. Como qualquer outra colocação, esta frase pode ser usada no sentido negativo, expressando que tudo pode ser comprado, o que em muitos casos não é verdade. Mas há um outro sentido nessa expressão: em toda situação algum preço foi pago e de forma geral, nesse entendimento, a sabedoria popular é verdadeira. Pergunte a qualquer missionário e você vai atestar que antes de vir ao campo e durante o ministério um dos principais temas é o sacrifício que precisará ser feito diariamente para que o trabalho siga em frente. Mas não o sacrifício penoso e contra a vontade, mas o princípio bíblico de entregar como oferta voluntária algo que nos custou: tempo, recursos, posições e oportunidades. Essa é uma realidade para toda vocação: mães, pais, professores, enfermeiros e qualquer profissional podem atestar que sacrifícios diários são necessários para se cumprir um compromisso feito e para exercer a vocação para qual entendem terem sido chamados. Quando Jesus nos chama para carregar a cruz, Ele nos alerta que há um preço a pagar e que é sabedoria comum calcular esse custo antes de

ça social. Anualmente 1,2 milhões de crianças em todo o mundo são vítimas dessa exploração. 79% do tráfico mundial é especificamente para a exploração sexual. É o grande comércio dos “corpos”. Aqui neste país, o número oficial de tráfico de crianças é muito alto, a cada oito minutos uma criança desaparece. Mas este número pode ser muito maior pois existem muitos casos de crianças desaparecidas que não são denunciadas ou não são registradas pela polícia, especialmente nas áreas rurais. Aqui no Lar da Paz, recebemos muitas garotas que foram resgatadas pelas autoridades locais e sempre conseguimos identificar seus familiares e de-

volvê-las. Muitas das garotas voltaram para suas casas com o grande medo de serem vendidas novamente para os traficantes, que constantemente visitam seus vilarejos. Para algumas garotas, não foi possível identificar suas famílias e enviá-las para seus familiares. Sabendo desta cruel realidade neste país, e esse caso já ter mais de 10 anos, tínhamos tudo para considerar como mais um triste caso perdido. Mas vendo aquela mãe e a tristeza em sua alma, confiamos junto com ela e perseveramos três anos orando continuamente para que Deus realizasse o milagre. Muitas vezes, a mãe chorava na Igreja como a Ana, mãe do profeta Samuel, clamando ao Senhor pela sua filha.

Uma noite, já era bem tarde, essa mãe nos telefonou muito nervosa, glorificando a Deus pois recebeu telefonema do interior dizendo que a filha dela apareceu em casa. Ela avisou dizendo que estava embarcando no trem para o interior. A filha adoeceu e antes que morresse os traficantes a deixaram de volta no vilarejo. Glória a Deus, Ele fez o milagre acontecer de retorná-la para sua família. A curou. Ela é uma jovem dócil, hospitaleira e sorridente. Glorificamos a Deus pois em 2019 fomos para o interior realizar o casamento desta jovem. Foi um momento muito especial de ver Deus fazendo uma nova história na vida dela e ter abençoado a família com este milagre. Eu pessoalmente, oro e luto contra a escravidão sexual. Por favor, junte-se comigo e faça o compromisso de orar, advogar e contribuir pela liberdade e igualdade social das crianças e das mulheres ao redor do mundo. Hoje, em várias partes do mundo, acompanhamos a triste realidade de garotas que são abortadas, assassinadas e negligenciadas simplesmente porque são garotas. Ore! n

Sacrifícios que valem a pena assumir o privilégio de segui-lo (Lucas 14), há um preço. Esse, então, é um tema recorrente para aqueles chamados a levar a mensagem da Graça em terras distantes. E isso aconteceu com um dos nossos obreiros da terra, aqui no Leste da Ásia. Em uma das reuniões de rotina, perguntamos como estava o novo apartamento para o qual havia acabado de se mudar. Ele sorriu, respirou e disse: “- Finalmente está tudo certo, aliás eu fiz os cálculos e essa é sétima vez que mudo de casa nos últimos 4 anos!”. O pastor Huang veio de outra província para trabalhar com Povos Não Alcançados (PNAs) em nossa região e por conta de adaptações, finanças e exigências de ministério, em média, ele mudou de casa a cada sete meses. E isso é apenas a ponta do iceberg, pois cada mudança é um novo contrato, despesas extras, adaptações, pequenos problemas para resolver… Além de tudo isso, a vida não para; é preciso cuidar da família, exercer ministério e seguir em frente. Depois de contar de suas aventuras com as mudanças ele acrescentou: “- Mas está tudo bem. É um pequeno preço a pagar para ver o ministério seguir em frente”. O motivo principal da última mudança do pastor Huang foi para estar mais próximo dos cinco pequenos grupos

que ele cuida e para conseguir um lugar para acomodar mais pessoas. Ele falou que é possível receber até 50 pessoas na ampla sala do seu novo apartamento. Imediatamente respondemos com surpresa e preocupação: 50 pessoas? A resposta foi clara e inspiradora: “- Sim, foi por isso que acabei mudando para esse local, para poder reunir os pequenos grupos de vez em quando e ter maiores celebrações”. Utilizamos o exemplo desse nosso obreiro da terra somente como uma amostra. O preço que ele e sua família pagam é muito alto para aqueles que estão ao redor observando, que não conhecem o compromisso deles com o Reino, que não conhecem o Pai que sacrificou o próprio Filho por eles. Mas para eles e para nós é apenas um custo calculado que não pode ser comparado com a alegria de ver a mensagem da Graça ser anunciada àqueles que precisam. Hoje, o nosso obreiro cuida de mais de 50 pessoas, viaja para vilas e segue em contato com diferentes outros obreiros que precisam do apoio e cuidado dele. O pastor Huang paga o preço que é preciso, mas ele é ciente de que nós, que cá estamos, pagamos o preço não porque temos algo de especial, mas porque o Senhor nos dá graça. Porque a intercessão de pessoas como você, nos sustenta. Porque o amor da Famí-

lia de Deus é materializado por meio de suas ofertas. E porque sabemos que assim como nós, você e muitos outros têm pagado diferentes preços em diferentes formas. E é assim que o nome do Pai segue sendo glorificado ao redor do mundo. São sacrifícios que valem a pena. “Tudo tem um preço”. Ele sabe o preço que você está pagando, siga perseverante pois Ele é por nós, o Filho é por nós, o Espírito é por nós, Nele não há preço que não possa ser pago. n


12

NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

Associação Batista Caxiense elege nova Diretoria durante 61a Assembleia Cerca de 300 pessoas participaram da programação.

Carlos Alberto dos Santos

pastor da Segunda Igreja Batista em Pilar, em Duque de Caxias - RJ

A Associação Batista Caxiense realizou sua 61ª Assembleia nas dependências da cidade Batista em São Bento, Duque de Caxias-RJ. Tradicionalmente, este evento é realizado com três dias de duração, porém, desta vez toda a assembleia foi realizada em apenas um dia, 04 de junho, por conta da pandemia. Esta assembleia, que deveria ter acontecido em 2020, e precisou se cancelada, foi realizada de acordo com os protocolos de segurança e contou com a presença de quase 300 Batistas Caxienses. A programação iniciou às 09h. Durante a primeira e segunda sessão, os irmãos puderam acompanhar a abertura com o momento cívico com os Embaixadores do Rei e Mensageiras do Rei, apresentação de relatório do secretário-executivo, Daniel Eugênio, participação musical do Trio Harmo-

Adoração, convidados, eleição e lançamentos foram destaques da 61ª Assembleia da Associação Batista Caxiense nia e do cantor gospel Sérgio Lopes e pregação com o pastor José Maria, presidente da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil (OPBB). Houve um pequeno intervalo para o almoço. Em seguida, na terceira sessão, houve a eleição da nova Diretoria Estatutária, a qual ficou composta da seguinte forma: Presidente: diácono Daniel Eugênio; primeiro vice-presiden-

te: Jussara Porfirio; segundo vice-presidente: Niraldo Bastos; primeira tesoureira: Cirlene Silva; segundo tesoureiro: Fernandes Fazollo; primeiro-secretário: pastor João Rezende; segunda secretária: irmã Carmem: terceiro secretário: pastor Sidney. Na oportunidade foi realizada também homenagens ao presidente, pastor Carlos Alberto, que esteve como presidente da operosa ABC nos últimos

seis anos, e que foi parte importante e fundamental da história dos Batistas de Duque de Caxias mais recente. Também foi realizado o lançamento do livro do pastor Carlos Alberto com o tema “Gestão Eclesiástica: Aplicação & Estratégias à Igreja Local”, pela Editora Crescimento. A Academia Brasileira Teológica de Letras (ABLT), representada pelo pastor Ailton Bezerra, homenageou o pastor Alberto com a Moção Mérito Literário. Ainda na quarta sessão, as diretorias eleitas da Associação Batista Caxiense (ABC) e Ordem dos Pastores do Brasil - Subseção Caxiense (OPBB-DC) foram empossadas. Que o Eterno Deus abençoe grandemente a nova gestão da ABC e da OPBB-DC. A diretoria da ABC agradece, em nome dos Batistas Caxienses, a toda equipe envolvida na organização, os irmãos voluntários e a cada Batista do município que esteve presente neste momento memorável. n

Batistas cariocas têm uma assembleia marcada pela unidade Convenção Batista Carioca chega a sua 118a Assembleia.

Tiago Monteiro

coordenador de Comunicação da Convenção Batista Carioca

Um propósito de unidade tem norteado a Convenção Batista Carioca (CBC), motivando-a a realizar, nos dias 24 a 27 de maio deste ano, na Igreja Batista em Abolição, bairro da zona norte no município do Rio de Janeiro, sua 118ª Assembleia Anual. Diferente do que aconteceu nos últimos anos, quando as preocupações organizacionais tomaram o lugar da comunhão e da construção de visões importantes, o encontro teve ênfase inspirativa e, com foco no tema “Unidos, Gerando Vidas”, contou com pregações que apresentaram diferentes perspectivas acerca dessa unidade, mostrando que é possível caminhar em um só coração apesar da existente diversidade. Participaram como palestrantes os líderes: pastor Rogério Rezende Alves, da Igreja Batista em Jardim Santíssimo; pastor Carlos César Peff Novaes, da Igreja Batista Barão da Taquara; pastor Celso Ribeiro Filho, da Primeira Igreja Batista em Petrópolis; pastor Jayr dos Santos Filho, da Primeira Igreja Batista em Paciência; pastor Vitor Gonçalves Nascimento, da Primeira Igreja Batista em Ramos; Nancy Gonçalves Dusilek, da Igreja Batista Itacuruçá; e, celebrando

Numa Assembleia inspirativa, Batistas cariocas refletiram sobre o tema “Unidos, gerando Vidas” os 80 anos da IB Abolição, pastor Fausto Aguiar de Vasconcelos, da Igreja Batista da Liberdade-SP. Dentre os grandes momentos dessa assembleia, a pregação do pastor Novaes mexeu de uma forma especial com os presentes e com os que assistiam à programação pela Internet. Fazendo uma exposição bíblica e histórica, ele mostrou que as Igrejas do Novo Testamento são caracterizadas pela diversidade. “Não vamos encontrar um bloco formal, monolítico, no Novo Testamento. O NT é um leque aberto de diversidade de Igrejas... Essa diversidade é refletida em Pedro e Paulo. Paulo parte para os gentios e Pedro teve que ser praticamente arrastado para dentro da casa de Cornélio”, comentou o pregador. Acerca dos Batistas, ele disse ainda

que a herança de uma reforma radical, do movimento inglês do século XVII, de grupos multifacetados, repercutiu numa mentalidade de convívio com a diversidade, mas que, a partir do landmarkismo do Sul dos Estados Unidos, fomos marcados por uma visão que nos isolou. “Eles criaram uma ideia de que são os únicos cristãos verdadeiros, vindo de Jerusalém até hoje. Essa arrogância, esse triunfalismo, fez com que a gente se isolasse... nos colocou dentro de uma bolha”. Outra participação, a do pastor Celso Ribeiro Filho, veio em tempo oportuno. Na terceira sessão, sua reflexão sobre a base da unidade foi ilustrada pela forma como as Igrejas da CBC se mobilizaram em assistência à população petropolitana atingida pelas chuvas. Foi o testemunho vivo do que é possível fazer quando

se caminha em visão de cooperação. “O que sensibiliza as pessoas é saber que tem gente descarregando toneladas de alimentos somente por amor. As pessoas não querem saber se a Igreja tem uma banda extraordinária, jogo de luz etc. Elas querem saber se a Igreja tem um só coração. Isso faz diferença no tempo em que estamos vivendo”, disse o pastor. Essa mensagem e todas as outras estão disponíveis, na íntegra, no canal do Youtube www.youtube.com/c/ BatistaCarioca. Vale a pena conferir. O ápice da mensagem de unidade, tão pregada nesta assembleia, se manifestou no lançamento da campanha de Missões Rio, que aconteceu na sétima sessão. Carregando o mesmo tema da CBC, “Unidos, Gerando Vidas”, missionários que atuam na cidade do Rio de Janeiro deram seus testemunhos e mostraram que, de mãos dadas, é possível uma atuação relevante na sociedade, transformando realidades em hospitais, escolas, presídios, unidades de socioeducação, região portuária, cemitérios, através de projetos sociais como o Lar Batista do Idoso ou como o Programa Barnabé, que apoia ministérios em vulnerabilidade social. A campanha missionária acontece nos meses de junho, julho e agosto, período quando os cariocas poderão mobilizar suas Igrejas. n


NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

13

122a Assembleia: CBPE se posiciona frente os casos de abuso sexual Seminário do Norte recebeu os Batistas pernambucanos. Arquivo da Acom

Paula Sales

coordenadora de Área de Comunicação da Convenção Batista de Pernambuco

Após dois anos de Assembleia Geral remota, os Batistas pernambucanos estiveram fisicamente reunidos no Seminário Teológico Batista Norte do Brasil (STBNB), de 19 a 21 de maio. A Diretoria se despediu do mandato de três intensos anos de trabalho. Em conversa com os membros, foram unânimes em citar a pandemia da COVID-19 e as questões envolvendo o Colégio Americano Batista, como os principais desafios do mandato. No sábado, pela manhã, foi eleita a nova diretoria para o próximo biênio, composta pelo presidente, pastor Paulo Eudes, da Primeira Igreja Batista de Garanhuns, pelos vice-presidentes Lyncoln Araújo, da Igreja Batista da Jaqueira e pastor Ronaldo Robson, da Igreja Batista em Campo Grande; e pelos secretários Iracy Leite, da Igreja Batista da Capunga; pastor Fernando Mário, da Igreja Batista em Chico Mendes; pastor Valdevan Lucas,

Batistas pernambucanos também conheceram nova diretoria da JUBAPE e lançamento de Missões Estaduais da Igreja Batista no Córrego do Jenipapo; e pastor Joelson Rocha, da Primeira Igreja Batista em Chã Grande. Esteve conosco o pastor Marcos Petrucci, da Primeira Igreja Batista em Moça Bonita-RJ, como preletor oficial da noite de abertura, das devocionais matutinas e noite missionária. Os presentes foram ricamente edificados ouvindo sobre temas como formação de discípulos e vocação. A noite da juventude aconteceu na sexta-feira, o preletor foi o pastor Tiago Lopes, da CB em São João

da Escócia. Participaram os grupos de louvor da Igreja Batista Evangélica em Casa Amarela e da Primeira Igreja Batista em Cajueiro. Foi apresentada naquela noite a nova diretoria da Juventude Batista de Pernambuco (JUBAPE), eleita ano passado, com representações do interior e da região metropolitana. A noite de sábado foi dedicada a Missões, com lançamento da Campanha, apresentação do material de mobilização, testemunhos dos missionários Manoel Messias e Regeane Matias e participa-

ção do grupo de louvor da IBE em Boa Viagem. Estiveram presentes também os missionários da AME, foi um tempo maravilhoso de reencontro. Essa Assembleia trouxe um ponto historicamente relevante para a vida denominacional. O plenário registrou em documento a posição da Convenção frente os casos de abuso sexual, assédio e estupro, tendo sido aprovado por unanimidade. No texto, a CBPE se posiciona contra qualquer tipo de abuso, reforça a necessidade da não omissão, instrui a comunidade local sobre como agir ao tomar conhecimento de alguma situação e sinaliza apoio às vítimas. “As vítimas daquela situação sabem que existe um caminho e sabem que não estão sozinhas porque existe um documento que deixa claro que a Convenção não concorda e deixa claro o que deve ser feito”, reforçou o pastor Edvar Gimenes, secretário geral da CBPE, sobre a importância da aprovação do documento pelo plenário. Para ler o documento completo acesse: cbpe.org.br. n

CB do Planalto Central realiza culto de lançamento da mobilização Missionária 2022 “Foco na Missão” é o tema deste ano.

Daniela Rocha

Fotos: Lucas Nunes

Comunicação da Convenção Batista do Planalto Central

Convenção Batista do Planalto Central (CBPC) deu início à sua campanha de Missões Estaduais 2022 com o tema “Foco na Missão” - divisa em Atos 16.9b “Passa à Macedônia e ajuda-nos”. O culto de lançamento foi realizado na manhã do dia 4 de junho, na Igreja Batista Nova Jerusalém do Gama, Distrito Federal, onde o povo Batista do Planalto Central se reuniu para juntos avançarmos focados para cumprir a missão deixada por Jesus - “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16.15). A celebração teve início com um período de louvor ministrado pela equipe da Igreja local. Logo em seguida, nosso diretor executivo, pastor Luís Cláudio Pessanha, convidou o presidente da CBPC, pastor Benilton Custódio da Silva Filho, para dar boas-vidas aos mobilizadores de missões e orar pelo campo. Durante sua palavra, pastor Benilton alertou a Igreja, que muitas vezes está envolvida com muitas coisas, porém precisa entender o chamado que Deus

Através do tema “Foco na Missão”, importância da oração nos campos missionários da Convenção Batista do Planalto Central foi destacada tem, assim como apóstolo Paulo entendeu o chamado e focou na missão. Tivemos ainda um momento impactante com o testemunho do missionário pastor Francledson, que está à frente do trabalho Batista em São João d’Aliança, Goiás-GO. Ele testemunhou sobre os projetos “Café da Manhã com Deus” e “Amor que Alimenta”, que atualmente atende um bom número de crianças daquela comunidade todas às quartas-feiras e aos domingos, com duas refeições e ensino da Palavra por meio da Escola Bíblica. “A população é carente e necessita de ajuda espiritual e assistência básica, afirma pastor. Francledson.”

A mensagem foi conduzida pelo nosso diretor executivo, pastor Luís Cláudio Pessanha, que falou sobre os desafios do Campo Batista do Planalto Central, destacando nossa realidade nas cidades do Goiás, Minas Gerais e do Distrito Federal e seu entorno. De acordo com o pastor, precisamos orar, ir e contribuir. “Você pode orar com mais eficácia, doar com mais fidelidade e você pode compartilhar a sua fé com mais boa vontade e assim manteremos o Foco na Missão.” “Cada um de nós é um mobilizador e responsável em divulgar a campanha de missões estaduais 2022. Pessoas

tem clamado por ajuda e devemos abrir os nossos corações para o chamado de Deus - o verdadeiro cristão ouve o chamado de Deus”, afirma o pastor Pessanha. A canção tema foi composta pelo pastor Mateus Santiago, que tem abençoado nosso campo nos últimos anos. O hino nos incentiva a rompermos as barreiras e levar a verdade de Cristo. Certamente, foi um culto onde sentimos o mover do Espírito Santo, nos impulsionando a obedecermos o IDE, sabendo que temos muito o que fazer, pois vozes estão clamado no Planalto Central. n


14

NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

Assembleia extraordinária da AECBB marca um novo tempo Assembleia Extraordinária teve decisão importante. Elana Costa Ramiro

presidente da Associação de Educadores Cristãos Batistas do Brasil; educadora cristã da Primeira Igreja Batista da Penha - SP

“Quando Jesus acabou de dizer essas coisas, as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino, porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os mestres da lei” (Mt 7.28 e 29). Grande parte do ministério de Cristo foi ensinar. Ele fazia o mesmo que os mestres da Sua época, porém, seu ensino produzia um impacto diferente nas multidões. É a autoridade, o poder transformador que entra em ação, quando o Evangelho é compartilhado por meio de um processo educativo comprometido com o Pai e a expansão do seu Reino. O cumprimento da grande comissão está ligado ao ensino e ao discipulado (Mateus 28.19-20), por isso a importância da Educação Cristã é tão clara em toda a Escritura. A Igreja de Cristo sempre enfrentou, e continuará a enfrentar, grandes desafios que só podem ser vencidos por meio de processos educacionais. Todas as ações da Igreja, que visam propagar o Reino de Deus, são essencialmente educativas. Investir em Educação Cristã é cooperar de forma assertiva para o cumprimento da vontade de Deus no mundo. A Associação de Educadores Cristãos Batistas do Brasil (AECBB), ao

Deliberações realizadas nesta Assembleia Extraordinária serão votadas na Assembleia Anual em Recife, dia 17 de janeiro de 2023 longo de mais de 35 anos de história, investe na vida de educadores e no fortalecimento da Educação Cristã Batista no Brasil. Temos usado todas as oportunidades para avançar em diversas frentes. Agora, nos deparamos com um novo tempo de mudanças, um novo desafio, para o qual nos sentimos impulsionados por Deus! Neste movimento sadio de crescimento, no dia 28 de maio de 2022, a AECBB esteve reunida em Assembleia Extraordinária online para apreciar e votar um processo de transição para uma Ordem. A temática vem sendo discutida entre os educadores cristãos Batistas desde a sua última reforma estatutária, em janeiro de 2020. No início da discussão, entendeu-se que não era o momento para tal mudança, e que o caminho a ser seguido era o da oração e da espera pela ação de Deus. O tempo foi passando e, pela Sua misericórdia, a AECBB foi se fortale-

cendo e se estruturando de tal forma que a proposta ressurgiu com grande apoio dos associados. Após maturação do tema, houve a aprovação do processo de migração, que consistirá: (1) preparação dos documentos oficiais - Estatuto, Regimento Interno, Código de Ética e processo de admissão; (2) consulta pública dos documentos, incluindo assembleias deliberativas; (3) apreciação da comissão jurídica do Conselho da CBB; (4) votação final, prevista para a Assembleia Anual da AECBB em Recife, dia 17 de janeiro de 2023. A proposta de migração para a estrutura de Ordem foi levantada, principalmente, pelo caráter das atividades da AECBB, pela natureza ampla dos seus objetivos e pelos grandes desafios que temos a vencer em nosso país. Tanto a associação quanto a Ordem, possuem personalidades jurídicas semelhantes, e a Educação Cristã no Brasil poderá

avançar muito com a presença de uma organização federativa que engaje ministros em torno de seus objetivos. Neste processo, a Ordem manterá todas as finalidades e objetivos da AECBB, porém, com mais organização e robustez, possibilitando o fortalecimento da Educação Cristã na Igreja e na denominação. Sonhamos com um Brasil Batista formado por Igrejas saudáveis, com projetos educacionais construídos a partir de suas realidades. Sonhamos com Educadores Cristãos engajados em ministérios frutíferos, trabalhando em parceria com os demais ministérios da Igreja em perfeita harmonia. Sonhamos com a potencialização da ação educacional em todas as Igrejas Batistas do Brasil. Se você também sonha com isso, junte-se a nós! Para conhecer melhor a AECBB, acesse o nosso site e confira os conteúdos: www.aecbb.com.br. n

PIB em Uberlândia - MG promove evangelismo de impacto nas casas noturnas da cidade Ação foi chamada de “Mães da Monsenhor Eduardo”.

Jeremias Nunes

pastor, missionário da Junta de Missões Nacionais em Uberlândia - MG

Pelo segundo ano, a Primeira Igreja Batista de Uberlândia--MG promoveu, no dia 04 de maio, um impacto evangelístico nos arredores da Rua Monsenhor Eduardo. A ação intitulada “Mães da Monsenhor Eduardo” alcançou muitas mulheres que atuam em casas noturnas de prostituição. As irmãs da Igreja entraram em várias casas abordando as mulheres e oferecendo flores, bombons e cartões de felicitação pelo Dia das Mães. Elas oravam, testemunhando de Jesus e declarando que aquelas mulheres eram preciosas, especiais, princesas e filhas

Irmãs Batistas fizeram diferença nas vidas das mulheres ao redor de casas noturnas em Uberlândia-MG de Deus. “As irmãs falaram de uma maneira muito simples, mas de mulher para mulher, e isso causou um impacto tremendo em muitos corações”, disse o irmão

Emerson Evangelista, um dos líderes da ação. É o amor de Deus atingido locais onde poucos imaginariam ouvir o Evangelho. Precisamos continuar

orando, agindo com compaixão e graça, lutando contra a exploração sexual e resgatando mulheres da prostituição. n


NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 19/06/22

15

Conferência de Evangelização e Discipulado da UBLA capacita e fortalece lideranças missionárias Batistas Latino-americanos refletiram sobre a temática da firmeza em Jesus Cristo em fazer discípulos João Luiz

estagiário do Departamento de Comunicação da Convenção Batista Brasileira*

Nos dias 02, 03 e 04 de junho aconteceu a Segunda Conferência de Evangelização e Discipulado da União Batista Latino-Americana (UBLA). As transmissões foram disponibilizadas na página oficial do Facebook da UBLA e no Youtube do Multiplique TV e Missões Nacionais. Nestes três dias, pastores e missionários foram capacitados para avançar com o Evangelho. O missionário Armando Martinez, representante da Nicarágua, saudou a todos os Batistas latino-americanos e enfatizou o principal objetivo do encontro é multiplicar discípulos para honra e glória do Senhor. Hector Cisternas, representante do Chile, recitou a passagem de II Timóteo 2.2, que nos desafia a sermos testemunhas do Evangelho de Cristo. Logo após, o pastor Fernando Brandão, diretor de evangelismo da UBLA e diretor da Junta de Missões Nacionais (JMN), falou em nome dos Batistas brasileiros. “Estou muito feliz, muito feliz por esse momento. E esse espírito de evangelização, este espírito de multiplicação que vai da Argentina até o México, os Batistas tem esse sangue, tem esse DNA missionário, de evangelização e de discipulado” - expressou Fernando Brandão. O diretor executivo da Convenção Batista Brasileira, pastor Sócrates Oliveira de Souza, participou da conferência agradecendo a todos os irmãos que oraram pelo restabelecimento de sua saúde durante o adoecimento por COVID-19. Também disse que somos desafiados a compartilhar o Ide de Jesus em nosso continente americano. Completou que não podemos de deixar de olhar os não alcançados. O presidente da Aliança Batista Mundial (BWA), pastor Tomáz Mackey, falou do privilégio em liderar a maior convenção Batista do mundo e participar nesta conferência. Em torno do tema debatido, Tomáz Mackey enfatizou a importância das Igrejas em treinar discípulos para Jesus Cristo. O testemunho da irmã Yan de Acosta, membro da Comissão de Evangelismo da Aliança Batista Mundial, mostrou que no cenário de pandemia, a união entre os irmãos fez toda a diferença. Ainda na experiência da pandemia, lembrou que o uso da tecnologia permitiu que cada lar pudesse ser um altar de adoração a Deus. Em seu país, irmã Yan apresentou as dificuldades do povo hondurenho com os desastres naturais, como o registro de dois furacões. Ape-

Parrish Jácome, diretor executivo da UBLA

Pr. Fernando Brandão (represente brasileiro)

Pr. Elier Romero (representante Venezuela)

Yani de Gutierrez (representante México)

Armando Martinez (representante Honduras)

Hector Cisternas (representante Chile)

sar das tribulações vividas, disse que jamais devemos deixar de testemunhar do evangelho de Cristo. Na primeira participação na Conferência, o pastor venezuelano Elier Romero, diretor executivo da Convenção Nacional Batista da Venezuela, refletiu na mensagem bíblica o questionamento de qual guerra em que estamos enfrentando. De acordo com o pastor, temos que seguir a base de vida do apóstolo Paulo. Estamos sempre lutando numa guerra e revestidos da armadura de Deus poderemos avançar. E finalizou lembrando que devemos brilhar a luz de Jesus neste mundo em trevas. No segundo dia, os missionários Richard Sorrano (Colômbia) e Yani Gutierrez (México), oficializaram a abertura. O pastor Fernando Brandão orou pelos relatos de missionários durante a

pandemia da COVID-19. O convidado a ministrar a palavra de Deus foi o pastor Gilberto Gimenez, esposo da missionária Yani Gutierrez. O pastor trouxe o desafio de estarmos firmes na luta espiritual. Gimenez frisou a importância de deixarmos a doutrina intacta, de não cairmos no humanismo. O mensageiro afirmou que andamos na contramão do mundo. No terceiro e último dia, mais uma vez o irmão Armando Martinez (Nicarágua) iniciou os trabalhos da conferência. Através de links disponibilizados no chat, participantes puderam selecionar um dos seis grupos de interesses de oração da Conferência. São eles: evangelização de crianças, discipulado, crescimento, crescimento de Igrejas, mentoria de pastores, Missões e plantações de Igrejas.

A transmissão foi dividida com essas salas de orações. A condução dos acessos dos participantes ficou por conta do pastor Diogo Carvallho, gerente de evangelismo de Missões Nacionais. O pastor Jefferson Dantas foi responsável na mediação sobre os resultados dentro da proposta dos seis grupos de interesses. Pastores e missionários tiveram a oportunidade de relatar experiências. Nestes três dias, pastores, missionários e irmãos participantes conseguiram apresentar a mensagem da firmeza em Cristo Jesus para a expansão do evangelho. n Supervisionado por Estevão Júlio, jornalista, coordenador de Comunicação da Convenção Batista Brasileira.