__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

®

Santa Cruz do Rio Pardo | Ano VIII | Edição 204 | 1º de maio de 2021 | DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Pág. 05

Os caça-aglomerações tentam combater Covid

O embate Professor Duzão X Juninho se repete na Câmara Vereador irá pedir averiguação ao MP de crime ambiental e homofobia SAÚDE Capacetes Elmo estão ajudando a diminuir uso da UTI Pág. 11

Dia do Trabalho será sem trabalho para muitas pessoas Pág. 04

CULTURA Moda do Tereré cresce entre jovens

Pág. 09

Pág. 02

GASTRONOMIA Receita caseira de pão de alho vira novo negócio Pág.10 Pág. 14 BEM ESTAR Violência contra crianças é preciso estar atendo aos sinais Pág. 03

Recuperação da Covid não termina na alta Pág. 06


2

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

FOCO O prefeito Diego Singolani (PSD) deixou bem claro nesta semana que, se algum aluno do Ensino Médio testar positivo para Covid-19 em Santa Cruz do Rio Pardo nas próximas semanas, voltará a fechar as escolas do munícipio no mesmo dia.

O Canil da Polícia Militar de Santa Cruz do Rio Pardo recebeu nessa semana uma viatura exclusiva para transportar os cães farejadores. O novo automóvel deverá entrar em circulação nos próximos dias.

Diego Singolani (PSD) está se saindo melhor do que seu criador na política, Otacílio Assis, ao fazer um marketing gigantesco de suas ações em 100 dias de gestão nas redes sociais e nas entrevistas em que participa.

Algumas empresas particulares e até a própria prefeitura municipal não estão respeitando uma lei municipal que proíbe a afixação de cartazes em locais públicos como pontos de ônibus e outros. Ninguém toma providência.

Aos amigos os favores, aos inimigos a lei, já dizia Nicolau Maquiavel né?

Alguns vereadores mostraram nos bastidores que estão se sentindo enciumados com tantas visualizações em cima de dois ou três políticos, resta fazer projetos para aparecer né? Água parada não gera energia.

O embate Professor Duzão X Juninho se repete na Câmara Da redação

Duzão irá pedir averiguação ao MP de crime ambiental e homofobia

Na sessão da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira, 26, o vereador Professor Duzão (PSB) usou o tempo do partido para falar sobre supostos crimes do vereador Juninho Souza (Republicanos). Um deles é por ter publicado um vídeo em que afirma estar passando veneno (mata-mato) em um terreno e outro em que publicou em um grupo de WhatsApp uma imagem com conotação homofóbica. Duzão iniciou sua fala relembrando do caso do professor Fábio Alonso, noticiado pelo Atual, que foi desligado da UniFio após se envolver em polêmica por falas que culpabilizam as vítimas de estupro pelas suas roupas, além de outra fala em que a mulher “bocuda” tem mais chance de apanhar do marido que chega bêbado do que a que se cala. “As pessoas têm que ser responsáveis pelo o que falam”, afirma. Então, Duzão mostra o

vídeo em que Juninho diz estar passando mata-mato e depois em entrevista diz que era água. O Professor levou um copinho com feijão, feito para uma atividade da escola de seu filho. “Até meu filho que não tem 4 anos sabe que água faz as plantas crescerem. Tentei queimar este feijão com água, mas não tive sucesso”, ironiza. Depois foi mostrada no telão a imagem postada por Juninho em um grupo de WhatsApp. Na imagem estão Gilberto Gil e Lulu San-

jornalismo@jornalatual.info

Expediente Contatos

tos se beijando e os dizerem “Estes são os homens que chamam o presidente de Bozo”. O vereador do PSB lamenta a postagem e acredita que, independente de partido, a imagem está querendo diminuir dois homens se beijando como se fossem menos homens. Duzão disse que irá pedir ao Ministério Público que apure os supostos crimes. O vereador Juninho Souza continua se defendendo dos casos alegando que realmente passou água no terreno. Sobre a

acusação de homofobia ele disse que nunca faria isso e que tem um irmão homossexual. Sessão A sessão da Câmara em si foi tranquila, sem polêmica nos projetos votados. A maioria das Leis aprovadas foram créditos adicionais para a Saúde. Um dos créditos adicionais aprovados de mais de R$ 2 milhões foi para a Secretaria da Agricultura, para a aquisição de novas máquinas agrícolas. Vereadores elogiaram

a aquisição das máquinas, porém como parte do recurso (cerca de R$ 500 mil) saiu da dotação orçamentária de eventos da Cultura houve certa discussão. O vereador Fernando Bitencourt (Podemos) e Juninho Souza criticaram a retirada de verba da Cultura. O vereador Professor Duzão esclareceu que os R$ 500 mil retirados da Cultura seriam utilizados em eventos como Festa do Peão e Rock Rio Pardo que deixaram de acontecer devido à pandemia.

Duzão quer que Ministério Público averigue supostos crimes.| Foto: Pedro Figueira

* A

EMPRESA

ATUAL COMUNICAÇÃO,

ATRAVÉS DO IMPRESSO JORNAL ATUAL NÃO

(14) 3372-0679 | (14) 99779-1273 Av. Tiradentes, 360 - 3°andar - sl 31

SE RESPONSABILIZA PELO CONTEÚDO DOS

Email jornalatual@jornalatual.info

CADAS, QUE SÃO DE INTEIRA E EXCLUSIVA

ESPAÇOS PUBLICITÁRIOS E COLUNAS PUBLIRESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES.

EDITOR CHEFE Renan Alves MTB: 76.398/SP

JORNALISTA Thaís Balielo MTB 46.761/SP

ASSESSORIA JURÍDICA Carlos Henrique R. Nascimento

MULTIMÍDIA Marcos Pellegatti

FOTOGRAFIA Pedro Figueira

IMPRESSÃO Grafinorte S/A

OAB/SP 328.529

Circulação regional Distribuição Gratuita /jornalatual /jornalatual


3

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

BEM ESTAR

PERSONAGEM

Violência contra crianças: é preciso estar atendo aos sinais Thaís Balielo

jornalismo@jornalatual.info

O caso na mídia do menino Henry que morreu após sofrer agressões dentro de casa acendeu um alerta para esta realidade que acontece em muitas famílias brasileiras. O psicólogo Regis Pilati explica que a criança demonstra alguns sinais que está sofrendo e é preciso estar atento para percebê-los. Regis lembra que, segundo pesquisas, 70% das agressões e abusos acontecem dentro de casa. “A gente entende que são pessoas da rotina, do meio delas e da intimidade. O agressor tem perfil de sedução primeiro. Ele ganha a confiança da criança, seduz com presentes, com doce, linguagem atraente para criança, agride e ameaça a criança para não

Agressões na infância trazem consequências para a vida adulta contar para outra pessoa. Pode vir de padrasto, madrasta, pai, mãe, irmão, enfim de pessoas do meio. Vem do meio familiar”, enumera. O psicólogo explica que as crianças são muito transparentes no jeito dela de ser e qualquer alteração de comportamento pode ser um indício que algo está errado. Ele pondera ainda que a pandemia dificultou que pessoas de fora da família percebam os sinais e que a criança peça ajuda. A escola sempre foi um local em que estes sinais eram notados, tanto por comportamento, quanto por hematomas. “Era muito comum professores ou funcionários de escola e creche percebem comportamento diferente. Com o distanciamento da pandemia isso dificultou”, argumenta.

Ele explicou que a criança pode apresentar sinais de insônia, comer mais ou menos que o habitual, ter enjoo, pode ficar menos comunicativa, ficar violenta, ou seja, tanto sintomas físicos como emocionais. “É nossa responsabilidade ter um olhar sobre atitudes suspeitas. É um problema da

sociedade, cabe a gente fazer nossa parte. Tem o Disque 100 para denunciar este tipo de caso. É um problema social e quando estamos sentindo situações estranhas temos o dever de tomar uma atitude, de denunciar”, aconselha. Regis lembra que é preciso ter cautela ao trazer

Regis alerta que criança sempre dá sinais que algo está errado. Foto: Thaís Balielo

pessoas de novos relacionamentos para a vida dos filhos. “Traga com cuidado o filho para a vida do padrasto ou madrasta, processo deve ser lento. A gente se apaixona e quer que as coisas aconteçam muito rápido. É preciso conhecer verdadeiramente antes de entregar totalmente o cuidado do filho”, alerta. Uma pessoa que sofre violência na infância terá consequências em sua vida adulta. “Ela pode ser uma pessoa muito insegura, achar que merece ser maltratada. Ter sérios problemas em estabelecer um relacionamento duradouro. Pode se tornar agressiva também, a vítima pode se transformar em um agressor. Ainda pode ir para os vícios, drogas legais e ilegais”, exemplifica.

“O vírus não lê decreto” Diego Singolani (PSD), prefeito municipal


4

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

ECONOMIA

Dia do Trabalho será sem trabalho para muitas pessoas Thaís Balielo

jornalismo@jornalatual.info

Com desemprego alto, 1º de maio não será para comemorar

No dia 1º de maio é comemorado o Dia do Trabalho, mas com o desemprego em alta, muitos não irão curtir o feriado. Por conta da pandemia muitos empregos formais estão desaparecendo. Os trabalhadores que perderam seus empregos com carteira assinada estão tendo que se adaptar como podem. Muitos estão vivendo de trabalhos esporádicos ou desenvolveram algum produto para vender. Muitas histórias já contadas pelo Atual na página de gastronomia, por exemplo, foram de pessoas que descobriram uma nova fonte de renda na cozinha durante a pandemia. No entanto, apesar das histórias de sucesso com novas formas de renda, ainda há muitas pessoas a procura de emprego formal. No estado de São Paulo, de janeiro até março de 2021, o comércio perdeu 3.579 vagas formais, segundo dados do Caged. Em Santa Cruz os números são um pouco mais favoráveis com um saldo

positivo de 18 vagas no comércio. A cidade perdeu trabalhadores formais principalmente na agricultura, deixando um saldo negativo de 761. A operadora de caixa, Mariana Zacarelli Jubran, 36, é uma das pessoas que perdeu sua vaga no comércio. Ela conta que trabalha no comércio há oito anos e sempre notou que é o setor onde são gerados mais empregos. “Nunca vi um caso tão preocupante como hoje. Eu tenho dois filhos, moro sozinha com eles e a notícia de assinar um aviso para mim foi uma bomba. Um tempo atrás você era dispensada de um serviço, mas sabia que ia ter um tempo do seguro e logo conseguiria outro emprego, mas hoje a incerteza e preocupação é bem maior. O comércio está bem parado, há pouquíssima chance de ser contratada hoje devido a pandemia. Meu pensamento agora é começar a ter novas experiências e aceitar qualquer desafio”, diz.

A jornalista e mestre em educação, Fabíola Cunha, 37, também sentiu os efeitos da pandemia. Natural de São Pedro do Turvo, ela estava morando em Rio Claro e trabalhando como analista de marketing em uma metalúrgica de Limeira, desde janeiro de 2020. “Apesar dos pesares, vi ali a oportunidade de ganhar experiência em um segmento que não conhecia. Até então só

EDUCAÇÃO FINANCEIRA ADEQUAR ORÇAMENTO E SAIR DAS DÍVIDAS

despesas. Não sobra nada para poupar e iniciar investimentos, formar reserva de emergência ou regularizar dívidas. Alguns educadores financeiros e economistas, apresentam dicas e orientações para adequar os orçamentos e ajudar no controle das finanças. Neste artigo vamos compartilhar cinco sugestões. Definir seus objetivos financeiros: O primeiro passo para ter um controle de suas finanças está em definir os seus objetivos. Para isso é preciso definir quais são os objetivos de curto, médio e longo prazo, valores e prazos. Estabelecendo metas e prazos é mais fácil atingir os objetivos,

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Olá caro leitor (a),

José Aparecido Sônego Ex-gerente do Banco do Brasil J.A.Sônego Consultoria e Assessoria sonegoja@gmail.com

Adequar o orçamento familiar e pessoal não é tarefa fácil, exige muita determinação e disciplina, mas é o passo fundamental para fazer um controle financeiro e sair das dívidas. É comum pessoas que mesmo tendo um salário razoável, ter problemas com seus orçamentos e chegar ao final do mês sem os recursos suficientes para arcar com as

havia trabalhado em jornais, sites, assessoria de imprensa e como redatora freelancer”, conta. Em abril de 2020 chegou a trabalhar home office, devido à pandemia. Porém, em maio, já teve que voltar ao trabalho presencial e acabou contraindo Covid-19 na empresa. “Importante destacar que medidas de proteção e distanciamento só foram adotadas meses depois do início da

Fabíola faz trabalhos freelancer e voltou para a casa dos pais após demissão. | Foto: Arquivo pessoal

por exemplo adquirir um bem, fazer uma viagem, comprar imóvel próprio, sair das dívidas, investir em um projeto de trabalho, enfim, algo que possa materializar seus objetivos. Elaborar seu orçamento: Elaborar um orçamento é importante para que se possa encaixar os seus objetos definidos, dentro do orçamento mensal. Nele deve contemplar as despesas mensais fixas, variáveis e investimentos. Avaliar os itens do orçamento: Depois de elaborar o orçamento é possível ter a real situação de seus gastos. Terá a oportunidade de avaliar suas despesas e fazer cortes de itens desnecessários.

pandemia, pois, a mentalidade da diretoria era a mesma do nosso presidente”, lamenta. Fabíola conta que começou a apresentar problemas de saúde, precisou faltar alguns dias do trabalho e fez o teste de Covid por conta própria, já que a empresa não deu nenhum suporte. “A empresa apenas pediu discrição, pois outros funcionários estavam contaminados e um havia morrido. Meu teste indicou que eu tinha anticorpos, mas já não estava mais transmitindo a doença. Minha saúde piorou muito depois disso. Diversos problemas de pele, gástricos, um cansaço extremo e um quadro depressivo severo. Perdi muito peso entre agosto e setembro, era notável”, relata. Foi então que em outubro, quando já se considerava melhor, foi demitida sob a alegação de cortes de gastos. “Eu residia em Rio Claro há 13 anos e já estava bastante descontente com o mercado de trabalho e com as Uma sugestão para ter a noção do que é essencial e onde pode ser cortado é fazer a seguinte pergunta: “Se perdesse o emprego hoje, o que eu preciso para me manter e o que poderia deixar de lado?” Gastos extras podem ser evitados por um período para se adequar, e assim acelerar o processo com a economia. Anotar todos os gastos: Quando anotamos nossos gastos e compararmos com o orçamento que foi definido, podemos ter a posição real. Aquele valor que orçou para gasto com combustíveis, por exemplo, talvez pode ser muito maior que você

perspectivas para a área de Comunicação. Como meus pais são idosos e eu sou filha única, decidi reorganizar meus objetivos e retornei à minha cidade natal para dar suporte a eles e, sinceramente, para melhorar minha qualidade de vida. Aqui, estou atuando como freelancer, como redatora, revisora, dando aulas de reforço para candidatos ao vestibular, etc”, conta. Fabíola mudou de cidade e teve que se reinventar no mercado de trabalho durante a pandemia, mas acredita que acabou sendo positivo. “Minha qualidade de vida e minha saúde melhoraram muito depois que fui demitida. Ganhei peso, parei de fumar, durmo melhor, faço exercícios, voltei a ler. Acho que realmente precisamos repensar o que entendemos como trabalho e o quanto de nossas vidas é preciso abdicar para servir a um mercado que nos oferece tão pouco em troca”, pondera. achava. Também outros gastos como mercado, lazer, enfim, é mais fácil o controle e por consequência lhe dará motivação para atingir suas metas. Revisar o seu orçamento: Para revisar o orçamento é importante ter anotado os gastos e fazer uma comparação com os valores orçados. Assim, cada vez mais será possível refinar o orçamento através das comparações entre orçado e realizado. Com o decorrer do tempo, podemos ter um melhor controle do orçamento, adequar os valores recebidos e os gastos e assim definir as estratégias de investimentos e regularização das dívidas. Até mais.


5

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

POLÍTICA

Os caça-aglomerações tentam combater Covid Thaís Balielo

jornalismo@jornalatual.info

Fiscalização combate proliferação do vírus, mas sofre ataques

O distanciamento social, o uso de máscaras corretamente, o álcool 70%, tudo isso são armas contra a proliferação da Covid-19, mas outra arma importante são os fiscais que cuidam para que tudo isso seja respeitado. No entanto, estes profissionais acabam sofrendo ataques enquanto estão exercendo sua função. O vice-prefeito, Edvaldo Godoy (Solidariedade), assumiu recentemente a pasta de assuntos jurídicos, responsável pelo setor de fiscalização. Ele relata que os fiscais estão sofrendo ataques em alguns casos quando chegam para fiscalizar. Foi o caso do último sábado em que os fiscais estavam orientando filas no comércio e houve certo tumulto. Edvaldo explica que o objetivo principal dos fiscais é orientar. As multas são aplicadas quando é um caso reincidente ou em situações muito graves como grandes festas ou encon-

tros clandestinos. Ele lembra que o número de denúncias de aglomerações irregulares reduziu após a Lei que aumentou o valor da multa de 5 UFM (R$561,65) para 50 UFM (R$5.616,50) para os proprietários destes locais. O vice-prefeito afirma que as fiscalizações são constantes. São fiscais da administração, em conjunto de agentes da vigilância sanitária e com apoio da polícia militar quando necessário. “A falta de conscientização leva algumas pessoas a fazerem denúncias falsas, geralmente localizadas em lugares distantes, onde a fiscalização tem que se deslocar, normalmente com apoio da policia militar. Vão a lugares distantes e não encontram nada ali. Enquanto isso, se alguma denúncia verdadeira ocorre naquele momento, os fiscais ficam impossibilitados de atender imediatamente”, lamenta. Os problemas mais enfrentados (e com mais de-

nuncias recebidas) pela fiscalização são: festas em família (normalmente, dentro do limite de até 10 pessoas), e consumo de bebidas nos arredores dos estabelecimentos. Já foram centenas de locais autuados. Do dia 2 de janeiro até 2 de abril foram 43 multas aplicadas (a maioria sobre locais abertos irregularmente, descumprindo o estabelecido nos decretos). “Quanto às denúncias de festas, a maioria acaba sendo o problema de barulho, pois são poucas que encontra-

mos fora do limite de pessoas. Aí neste caso, é uma questão de polícia e não da fiscalização”, explica Edvaldo. Ele lembra que os fiscais e agentes da saúde estão passando por momentos delicados. “Eles estão sendo vistos por uma pequena parte da população, como se fossem inimigos, como se fossem pessoas que querem apenas atrapalhar diversões e multar por prazer. Longe disso: os fiscais e agentes buscam é proteger a vida dessas pessoas que, irresponsavelmente,

Fiscais se arriscam para evitar proliferação da doença. Foto: Pedro Figueira

se aglomeram e também de seus entes queridos e amigos, que os aguardam em casa e no trabalho, podendo, infelizmente, contrair o vírus da covid”, argumenta. Um dos fiscais conversou com a reportagem e contou que a situação da categoria está complicada. O trabalho é constante e as críticas sempre acontecem. “Em alguns locais a gente chega e tira foto para ter provas e depois tomar as medidas cabíveis. Muitos casos não têm como a gente entrar no local, até pela nossa segurança. Às vezes a pessoa que denunciou acha que a gente não fez nada, mas o estabelecimento foi autuado”, conta. “Tem muita denúncia falsa, mas muita coisa conseguimos acabar com a aglomeração. Teve um jogo de futebol em uma chácara com mais de 50 pessoas, teve uma festa de casamento também com mais de 40 e que depois soubemos que várias pessoas da fes-

ta testaram positivo para a doença. Estamos nos arriscando, inclusive de pegar o vírus e levar para nossa família. Mesmo com toda essa situação ficamos orgulhosos de saber que estamos fazendo a nossa parte e muita festa e aglomeração que evitamos estão salvando vidas”, diz. O prefeito Diego Henrique Singolani Costa (PSD) lembrou que a função da fiscalização é auxiliar a população, os empresários, o comércio. “O fiscal é o defensor da vida. Está lá para orientar para que as pessoas não se contaminem. Está trabalhando em hora extra, com sobrecarga, buscando auxiliar na saúde da população. É preciso parar de ver fiscalização, seja em qual área for, como punitiva. O sentido é educar e orientar. É preciso atender bem os ficais e não tratar com palavras de baixo calão. Eles também são linha de frente, fazem parte do rol de heróis da pandemia”, afirma.


6

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

PANDEMIA

Recuperação da Covid não termina na alta Thaís Balielo

jornalismo@jornalatual.info Quando temos notícias que um paciente que estava grave por conta da Covid teve alta imaginamos que tudo está bem, mas eles ainda precisam de muitos meses de tratamento para retornar a vida normal. As sequelas da Covid são inúmeras, a maioria é reversível, porém demanda muita fisioterapia e até mesmo um tratamento multidisciplinar. A fisioterapeuta Bárbara Gonçalves Silva atende diversos pacientes em recuperação pós-covid. “Nos últimos relatos de pacientes e alguns estudos é comum ouvir queixas de fadiga, dificuldade de respirar, redução de força muscular global, dores musculares e nas articulações o que dificulta as atividades de vida diárias que incluem desde a higiene pessoal até o andar”, diz. Nos casos mais severos é preciso um cuidado multidisciplinar,

com fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional e ainda ajuda dos profissionais da psicologia e psiquiatria para a ansiedade e depressão. Uma das pacientes de Bárbara é a cantora Débora Catalano, 49, que ficou 29 dias internada na Santa Casa, sendo 12 intubada. Ela teve alta no dia 4 de abril e está fazendo fisioterapia diariamente. Ela saiu do hospital com uma fibrose que compromete 30% dos pulmões. Na parte motora, o pé direito perdeu parte dos movimentos. Por orientação médica, segue tomando medicações e fazendo fisioterapia pulmonar e para a parte motora. Ela conta que os primeiros sintomas foram garganta raspando e dor de cabeça, como uma sinusite. Quando seu teste deu positivo, foi orientada a ir para Santa Casa, pois já apresentava bastante cansaço ao mínimo esforço. No hospital, após a tomografia o médico de plantão encaminhou para a internação, pois

Débora Catalano faz fisioterapia todo dia com Bárbara. Foto: Thaís Balielo

50% dos pulmões já estavam com- Deus, as orações e doações que reprometidos. No oitavo dia, como cebeu. “Serei eternamente grata por a saturação não estabilizava e os tudo. Toda a equipe da Santa Casa e pulmões já estavam 80% compro- Dr. Jonas merecem todo respeito e metidos, foi intubada. A extubação reconhecimento, são os verdadeiros aconteceu no dia 25 de março, e, em heróis desta história”, afirma. 24 horas, foi para a enfermaria. A empresária Doraci Campide“Quero aproveitar para destacar li, 66, ficou 15 dias intubada. Ela ena importância das orações e vibra- trou no hospital dia 8 de dezembro ções positivas de quem está do lado e teve alta no dia 14 de janeiro. “São de fora. Porque eu sentia chegar até dias muito difíceis. Após 14 de janeimim as energias. De uma forma espi- ro tive que reaprender a caminhar, ritual, vi e ouvi muita coisa enquanto uma escara enorme com curativos estava intubada. Lembro de tudo, não diários, dores musculares pela perda falo de conversas de proteína, queou procedimenda acentuada nos tos médicos, mas cabelos. Hoje ainde algo espiritual da continuo com mesmo, estive em curativos diários uma batalha muina escara, emboto grande e foram ra já esteja bem as orações que me melhor. Também ajudaram a ventive aceleração cer. Destaco tamcardíaca, ainda bém o poder do estou tomando amor e da música. medicamentos. Foi quando ouvi Doraci está se recuperando Continuo com meu filho Diego após 15 dias intubada. pequenas dores cantando, (colo- Foto: Arquivo pessoal nos braços e não caram o celular tenho ainda muipara eu ouvir) que despertei”, relata. ta força. Continuo com fisioterapia “No geral minha reabilitação duas vezes por semana”, relata. tem sido ótima, pois já consigo dar Durante o período que esteve passos com andador. Vou começar a internada perdeu o companheiro fazer exercícios de canto com Diego Romão Buzolin Filho que também para melhorar essa respiração e o estava internado e intubado na Sanmais breve possível voltar a cantar. ta Casa. Logo que teve alta faleceu A música é muito importante para seu ex-marido, pai de seu filho, que mim. É minha paixão e minha pro- também estava intubado. “Foi muifissão. Minha maior renda vem da to triste porque só fui informada música”, argumenta. pelo médico após 25 dias que RoDébora agradeceu, além de mão não mais pertencia ao mundo

Vaniellen teve grande festa no dia de sua alta. Foto: Pedro Figueira

dos vivos”, conta. A assistente social, Vaniellen Guimarães Correa de Melo Godoy, 31, ficou 41 dias na Santa Casa, sendo 27 entubada. Ela teve alta no dia 16 de fevereiro e continua em reabilitação. Esta semana ela conseguiu retornar ao trabalho, mas tem algumas dificuldades motoras no dia a dia e cansaço físico com pequenos esforços. Ela conta que ainda não consegue tomar banho sozinha, principalmente para lavar os cabelos. “Os primeiros dias pós a alta foram bem difíceis. Eu ainda não sentia os sabores dos alimentos, não conseguia comer quase nada porque fiquei muito tempo me alimentando por sonda. Sentia muita ânsia de vômito, acredito que por conta da medicação que ainda estava tomando, muita falta de ar principalmente à noite, e muita fraqueza, as pernas, braços e mãos tremiam muito. Era difícil manusear as coisas e não conseguia andar muito. A hora do banho era a mais cansativa”, relata. O caso de Vaniellen foi mui-

to grave e os médicos chegaram a preparar a família para sua morte. A Covid evoluiu para uma pneumonia muito grave, depois teve uma bactéria resistente na UTI que aumentou a infecção, ficou com anemia e precisou de sague. “Graças a Deus muita gente se comoveu com a história e foi doar. A região inteira ajudou. São Pedro do Turvo e Jacarezinho cederam ônibus para levar os doadores. Por último ainda precisei de traqueostomia porque eu estava totalmente dependente dos aparelhos”, conta. A assistente social conta que sua saída da Santa Casa foi muito emocionante, com muitos amigos e familiares a esperando. “Quando tive alta, na tomografia deu que ainda estava com uma sequela de 50%. Ainda estou me recuperando. Estou fazendo o acompanhamento com Dr. Jonas através do Centro de Especialidades Médicas, faço fisioterapia três vezes por semana para estimular os movimentos das pernas, braços e a fisioterapia respiratória para auxiliar na cicatrização do pulmão”, revela.


1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

7


8

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

INFORMATIVO Campanha de Dia das Mães ACE sorteia R$ 3 mil em prêmios Cibele Martins

Desde sexta-feira (30 de abril) está em andamento a campanha de Dia das Mães 2021 da ACE. Serão sorteados R$ 3 mil em prêmios, através do aplicativo da Associação. Quem ainda não baixou o aplicativo basta acessar a Google Play ou APP Store e pesquisar por ACE Santa Cruz. Aí é só clicar em ins-

talar, aguardar o download e pronto, já é possível se cadastrar para os sorteios. Serão R$ 3 mil distribuídos em oito vale compras. O primeiro prêmio será de R$ 1 mil em vale compras, segundo prêmio com R$ 600,00 em vale compra, o terceiro de R$ 400,00 em vale compra e cinco vale compras de R$ 200,00. O cadastro para o sorteio deve ser feito até dia 8 de maio. O sorteio aconte-

ce no Dia das Mães, 9 de maio. Essa é mais uma promoção da ACE através do aplicativo. Todos os meses são realizados sorteios em parceria com as empresas da cidade que disponibilizam os prêmios. Em maio, por exemplo, além dessa campanha especial serão realizados outros sorteios ao longo do mês. O objetivo é facilitar a participação do consumi-

dor e incentivar as vendas para o Dia das Mães. DIVULGAÇÃO Para publicidade dessa campanha foi eleita a foto no 6º Concurso Mamãe e Bebê. A revelação aconteceu no dia 29 de abril, confira as participantes e vencedora na próxima edição. No próximo sábado (8 de maio) que antecede o Dia das Mães, o comércio estará aberto das 9 horas às 15 horas.

ASSOCIADOS EM FOCO A ACE prestigiou algumas empresas que estão com novidade em Santa Cruz do Rio Pardo. A George Decorações teve a sua loja ampliada, Nacional Ótica

está sob nova direção e Maria Angela Cabeleireira, agora em novo endereço, na avenida Tiradentes, 1871. Parabéns a todos e sucesso nesse novo ciclo!

Sebrae e ACE auxiliam empresários durante a pandemia com cursos e consultorias online para o empreendedor atravessar esse momento e utilizar as dicas para manter o seu Desde o início da pande- negócio e até mesmo alavanmia a ACE (Associação Co- car as vendas. mercial de Empresarial) de Em janeiro aconteceu o Santa Cruz do Rio Pardo e Programa Enfrentar entre Sebrae, através do Posto Se- os dias 25 e 28. Fevereiro brae Aqui tem oferecido aos foi marcado pelo Programa empresários cursos online e Descomplique e mais uma consultorias gratuitas com turma do Enfrentar entre os intuito de auxiliar os mesmos dias 15 e 18. neste momento de crise. Já o dia 23 de fevereiro foi Apenas de janeiro até realizada a live ‘Gestão de pesmaio desse ano serão mais de soas nesses novos tempos’. dez cursos dos mais variados Em março foi registrado o temas com objetivo de apre- Aprimora – alavanque seu nesentar soluções e caminhos gócio pet, assim como o curso Cibele Martins

sobre WhatsApp Business e Capacitação online para fornecedores da plataforma de compras governamentais e por fim o curso ‘Como anunciar no Facebook e Instagram’. O mês de abril começou com o curso online ‘Técnicas para fotografia comercial com celular’. O quarto mês do ano contou ainda com o curso ‘Reinvente suas vendas’. Já entre os dias 26 a 29 de abril a exposição será para quem quer aprender a montar vitrines e expor seus produtos de forma atrativa e assim vender mais.

Além disso, entre os dias 26 a 30/04 a formação será sobre ‘Técnicas de visagismo’ para profissionais da beleza e demais interessados. O mês de maio começa a formação ‘Entenda melhor seu cliente e venda mais’, entre os dias 3 e 7. “São diversas oportunidades de conhecimento ao longo de todo o ano. Nunca foi tão importante estar antenado nas novidades e possibilidades em mundo tão digital e ao mesmo tanto com tantas dificuldades e mudanças impostas pela pandemia” disse a

agente de desenvolvimento do Sebrae, Flavia Serra que atua juntamente com a agente de desenvolvimento Thais Fonseca no Posto Sebrae Aqui,

localizado junto ao prédio da ACE. Para mais informações, dúvidas e agendamento de consultoria, entre em contato no 3332 5900.

Agentes de desenvolvimento, Flavia e Thais destacam a importância da participação nos cursos online do Sebrae. | Foto: Ace


9

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

CULTURA

JURISTUALIZANDO

Moda do Tereré cresce entre jovens Thaís Balielo

jornalismo@jornalatual.info Carlos Henrique Rodrigues Nascimento OAB/SP 328.529 Advogado e consultor jurídico chrn.nascimento@gmail.com

Como calcular a multa do contrato de locação? Caro leitor, certamente você já ouviu falar sobre a multa resultante da quebra de um contrato de locação. Mas você sabe como calcular o valor dessa multa, caso um dia necessite? Não? Então, vamos à explicação! Descrever a questão do cálculo da multa de maneira teórica seria, com certeza, pouco proveitoso, pois dificultaria a compreensão. Não era por acaso que o Senhor Jesus se valia de parábolas para ensinar as pessoas, pois um exemplo em forma de história facilita, e muito, a compreensão. Vamos, então, à nossa história, na qual você, leitor será personagem! Você alugou uma casa do João. No contrato que vocês firmaram, ficou estabelecido que o prazo da locação seria de 36 meses e a multa em caso de quebra de contrato seria de R$ 3.000,00. Acontece que, após vinte e quatro meses morando na casa do João, você comprou a sua própria casa, nova em folha. E aí, se você sair da casa do João, como fica a questão da multa? Você terá que desembolsar R$ 3.000,00? Não é bem assim que funciona. A lei de locações estabelece que, em um caso como este, o locatário pode devolver o imóvel, pagando a multa pactuada, proporcional ao período de cumprimento do contrato. Para obter o valor proporcional, você precisa dividir o valor da multa (R$ 3.000,00) pelo prazo firmado no contrato (36 meses), que dá o resultado de R$ 83,33. Esse é o valor da multa por mês. Após isso, você multiplica o valor da multa por mês (R$ 83,33) pela quantidade de meses que falta para o contrato ser cumprido (12 meses), que dá o total de R$ 999,96. Esse é o valor da multa. Ficou claro? Espero que sim. Tendo dúvidas, procure um advogado de sua confiança. Um abraço. Deus o abençoe. “E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” (Mateus 25.40).

Feito a partir da erva-mate, o Tereré, uma bebida típica do Mato Grosso do Sul, mas vem ganhando outras regiões. Proprietária da tabacaria Asa Branca, Flávia Fernandes, viu a procura pela bebida e seus acessórios crescerem muito nos últimos tempos, principalmente entre os jovens. Ela conta que os clientes mais velhos buscam

Com novas opções de sabores, Tereré agrada todos os paladares as er vas tradicionais e os mais jovens preferem as er vas com sabores diferenciadas como limão, menta, boldo, abacaxi e até detox. Segundo Flávia a procura aumentou em todas as idades entre ervas, copos, bombas, garrafas e que existe grande variedade de marcas e sabores do Tereré. O consumo do Tereré é caracterizado pela pre-

Flávia mostra variedade de produtos para Tereré. Foto: Arquivo pessoal

sença de: cuia para tereré, bomba, er va-mate e água fria. O Tereré ganha espaço principalmente durante os meses mais quentes do ano, também pode ser ser vido com outros líquidos gelados, como sucos e a mistura de água com limão, por exemplo. A principal diferença entre o Tereré e o Chimarrão é a temperatura da água. Além disso, a er va-mate do chimarrão e do tereré é a mesma, o que diferencia as duas é o processo de granulometria, em que o chimarrão possui mais folha do que palito em sua composição, tornando-a mais amarga, enquanto a do tereré é equilibrada nesse quesito, gerando um sabor mais suave. O indicado é consumir o tereré em cuias feitas de guampas de boi ou sintéticas ou copos metálicos, que ajudam a manter a bebida gelada. A quantidade de er va-mate

deve ser de dois terços do recipiente, pois a er va de tereré tem o efeito de inchar ao entrar em contato com a água gelada. Uma dica é tomar o tereré apenas com água bem gelada, ou ainda com folhas de hortelã, pedaços de frutas e especiarias. Quanto mais gelo melhor, recomenda Flávia. O Tereré também pode ter benefícios para a saú-

de. A cafeína presente na er va mate possui efeito termogênico, acelerando o metabolismo que pode auxiliar para melhores resultados na prática de exercícios e na perda de peso. Rica em antioxidantes, o mate também é bom para pele. Como é um excelente diurético, o mate auxilia na eliminação de líquidos e limpeza do organismo.


10

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

SEU DIREITO DE TRÂNSITO

GASTRONOMIA

Receita caseira de pão de alho vira novo negócio JULIANO HENRIQUE PAULINO DO MONTE Advogado Especialista em Direito de Trânsito | OAB/SP n° 427.504 julianomonteadv@gmail.com

AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA NOS CURSOS DE RECICLAGEM As mudanças no Código de Trânsito Brasileiro passaram a vigorar no último dia 12ABR21, no entanto, uma votação no Congresso Nacional ocorrida em 17MAR21 trouxe duas novas alterações, até então, vetadas pelo Presidente da República. A primeira, não é necessariamente uma alteração, mas sim uma regra transitória, já que o assunto era tratado por Resolução. Apesar de importante, não traz impactos práticos ao cotidiano dos candidatos à primeira habilitação, ou à reabilitação, conforme o caso. Mudança mesmo, somente com relação à formação acadêmica dos profissionais de saúde, encarregados pela realização e aplicação dos exames a esses candidatos. Até então, a exigência dos títulos de especialista em medicina do tráfego e em psicologia do trânsito, se faziam necessárias por meio de norma infralegal, através da Resolução CONTRAN nº 425/12. Com a “alteração”, a titulação desses profissionais terá previsão expressa no próprio CTB (Lei Federal nº 9.503/97). Assim, aos profissionais que atualmente exercem a função de perito examinador, mas que não possuem o título de especialista, terão direito de continuar exercendo a função pelo prazo de 03 (três) anos até que obtenham a titulação exigida. Já a segunda, repercuti diretamente no cotidiano dos condutores, pois versa sobre avaliação psicológica em conjunto com a frequência obrigatória em curso de reciclagem. Agora, além do curso de reciclagem, três situações trará a exigência de uma avaliação psicológica: 1) Quando se envolver em acidente grave para o qual haja contribuído, independentemente de processo judicial; 2) Quando condenado judicialmente por delito de trânsito; 3) A qualquer tempo, se for constatado que o condutor está colocando em risco a segurança do trânsito. Para os demais casos de suspensão do direito de dirigir, tais como a suspensão por pontos, ou pelas infrações mandatórias, a avaliação psicológica não será exigida, mantendo-se apenas o curso de reciclagem.

Thaís Balielo

jornalismo@jornalatual.info Quem nunca foi ao mercado e se esqueceu de comprar um ingrediente importante para uma receita? Foi o caso do vendedor de vidros Diego Godoy que se esqueceu de comprar pão de alho para um churrasco. Quando percebeu o lapso, recorreu a uma receita de pasta de alho que um amigo havia passado. Já íntimo da cozinha, ele resolveu dar uma aperfeiçoada na receita e usou sua pasta diferenciada no pão francês tradicional e assou. O sucesso foi muito grande. Desse dia em diante, Diego passou a fazer a pasta para servir para as visitas e todos que provaram diziam que era muito

Acompanhamento foi criado após esquecimento no mercado

Diego mostra seus produtos criados após um esquecimento no mercado. | Foto: Arquivo pessoal

saborosa e que deveria vender.

“Só cogitei realmente tentar

RECEITA DA SEMANA Filé de costela com molho chimichurri Ingredientes • 3 colheres de sopa de salsinha picada; • 3 dentes de alho picados; • 1/2 colher de sopa de orégano; • 1/2 colher de sobremesa de pimenta calabresa; • 1/2 pimenta dedo-de-moça picada; • Pimenta-do-reino a gosto; • Sal a gosto; • Azeite a gosto; • Suco de 1/2 limão; • 1 peça de filé de costela; • Sal grosso a gosto. Modo de preparo • Misture, em uma tigela, a salsinha, o alho, o orégano, as pimentas e o sal. Acrescente azeite até cobrir os ingredientes e finalize com o suco de limão;

• Corte a peça de filé em bifes grossos e deixe grelhar na churrasqueira por cerca de 2 a 3 minutos de cada lado; • Transfira para uma tábua, deixe descansar por 2 minutos e fatie. Tempere com sal grosso e sirva com o molho do primeiro passo.

vender quando um amigo consultor de vendas experimentou e disse que tínhamos um produto diferenciado do mercado e que deveria ser comercializado”, conta. Diego contou com a ajuda da esposa e decidiram começar a fazer o produto. A primeira encomenda foi de um dos patrões de Diego que levou seis bandejas para uma pescaria no Mato Grosso. “Com isso começamos a receber encomendas do grupo que experimentou durante esta pescaria. Desde então, foram surgindo novos clientes a cada dia”, afirma. O maior canal de vendas do

casal são as redes sociais e boca a boca. “O feedback dos clientes tem sido positivo, eles mesmo nos ajudam na divulgação e propaganda do produto e nosso negócio vem crescendo a cada dia. Acredito que nosso produto é diferenciado por ser totalmente artesanal, preparado com ingredientes de primeira qualidade e conter muito recheio”, diz. O pão de alho Supremo está em processo de regularização para ser vendido no comércio brevemente. Hoje eles dispõem de três recheios, o pão de alho tradicional com queijo, o com queijo e bacon e o pão doce com chocolate.


11

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

SAÚDE

Reflexo da vacinação já é percebido na idade dos internados com Covid Thaís Balielo

jornalismo@jornalatual.info

A vacinação contra a Covid-19, apesar de ainda ser um número reduzido, já traz reflexos positivos em Santa Cruz do Rio Pardo. A secretária de saúde Anelise Leitão afirma que a imunização dos idosos tem mudado os números da Santa Casa. “Não temos hoje nenhuma pessoa internada acima de 79 anos. Na UTI tem uma de 77 e outra de 78. A média de internação está entre 50 e 60 anos. Então já sentimos o impacto da vacinação sim”, diz. Entre os últimos mortos, Anelise explica que teve paciente que havia recebido apenas uma dose da vacina ou que havia recebido duas, mas não tinha passado os 20 dias para ser considerado imunizado. Esta semana teve a morte de um paciente com 81 anos que estava imunizado, o caso foi confirmado na tarde

Santa Casa não tem nenhum paciente com mais de 79 anos atualmente de sexta-feira, 30. “Nós estamos intensificando a recomendação de finalizar a imunização com a segunda dose, pois alguns esquecem. Nós imprimimos a lista de segunda dose e estamos ligando para os idosos faltosos. Quem perdeu o dia da vacinação deve procurar a Unidade de Saúde do bairro ou a Secretaria de Saúde para agendar um novo dia.

Não pode deixar passar”, afirma. Até o dia 29 de abril haviam sidos vacinadas, em Santa Cruz do Rio Pardo, 8.944 pessoas com a primeira dose e outras 5.411 com a segunda dose. Vale lembrar que alguns idosos receberam a primeira dose da AstraZeneca que tem um período mais longo para receber a segunda dose. A secretária de Saú-

Vacinação está ocorrendo todo dia em Santa Cruz, mas muitos se esquecem da segunda dose. | Foto: Pedro Figueira

de aproveitou para falar da importância de cuidar da saúde mental. “É preciso estimular bons pensamentos. As pessoas estão ficando afetadas pelo medo da morte, com pânico. Se está isolado em casa, pensar em fazer uma jardinagem, assistir programas leves, alimentação saudável. Não ficar assistindo só notícia de covid e de morte. As pessoas estão ficando com o psicológico muito abalado. É preciso fazer coisas produtivas para melhorar o psicológico, escutar música, ter algum lazer, e não ficar só esperando o tempo passar. É tempo das pessoas se fortalecerem. Entender que esta doença irá fazer parte do nosso dia a dia por muito tempo. Temos que aprender a conviver. Hora de união, de fé, e de estimular pensamentos positivos”, aconselha.

Capacetes Elmo estão ajudando a diminuir internações na UTI Thaís Balielo

jornalismo@jornalatual.info

Recentemente um grupo de empresários santa-cruzenses doaram 10 capacetes Elmo para a Santa Casa de Misericórdia. O equipamento passou a ser utilizado imediatamente nos pacientes e já tem dado resultados. A fisioterapeuta Manoela Ribeiro de Andrade faz parte da equipe que regula os equipamentos nos pacientes e explica que eles têm ajudado bastante. O dispositivo faz uma ventilação assistida não invasiva. “Alguns pacientes com indicação de intubação conseguimos evitar, ou ao menos ganhar tempo. Existem os pacientes que não se adaptam, principalmente pelo fator psicológico. Jovens costumam tolerar melhor o capacete”, conta. Ela explica que, antes dos capacetes, os recursos que tinham para ventilação não invasiva eram somente com o uso do

Equipamento tem ajudado na saturação dos pacientes e evitando intubação ventilador mecânico. “O Elmo faz isso sem o equipamento, somente sendo necessária rede de gases (ar comprimido e oxigênio). Como a Santa Casa tem em praticamente todos os quartos essa rede canalizada, evita o uso de leitos de UTI para a ventilação mecânica não invasiva”, relata. O equipamento melhora a oxigenação desses doentes, previne a fadiga muscular, e garan-

te a troca gasosa. Ele é capaz de manter a pressão positiva contínua nas vias aéreas através de ar comprimido medicinal e oxigênio, reduzindo o esforço respiratório do paciente. “No entanto é crucial indicarmos a intubação no momento certo, não podemos protelar”, pondera. O capacete Elmo foi desenvolvido por pesquisadores do Ceará. Segundo os pesquisadores, o

Paciente durante uso de equipamento no leito da Santa Casa. Foto: Secretaria Municipal de Saúde

equipamento pode reduzir em 60% a necessidade de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e a intubação de pacientes contaminados pelo novo coronavírus. Acomodado ao pescoço do paciente, o Elmo permite ofertar oxigênio a uma pressão definida ao redor da face, sem necessidade de intubação. Dessa forma, a pessoa consegue respirar com auxílio da pressurização e da oferta de oxigênio. O sistema possibilita, portanto, a melhora na respiração e pode ser utilizado fora de leitos de UTI. O equipamento pode ser desinfectado e reutilizado. Outro benefício é o custo inferior em relação aos respiradores mecânicos e a maior segurança para os profissionais de saúde, já que, por ser vedado, não permite a proliferação de partículas de vírus.


12

1º de maio de 2021 www.jornalatual.info

EVIDÊNCIA

Lorena

Gabi

Rafaela

Ágatha

Se algo não pode ser escrito, ou pensado, ele pode ser fotografado. Fotos: Fran & Du Fotografias Julia

Cristiane e Paulo

Mateus

Marcela e Leonardo

Gleica e Everton

Profile for Jornal Atual

Edição 204  

Jornal Atual

Edição 204  

Jornal Atual

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded