Edição 2667

Page 1

Quem Q u e m llêê ssabe a b e o que q u e ddiz izz

Desde 1984 | Ano 37

14 a 20 de Janeiro de 2022

FUNDADOR: MÁRCIO PASSOS - DESDE 1984

www.anoticiaregional.com.br w Ano 38 - Edição 2667 - R$1,00

UMA DAS MAIORES ENCHENTES DOS ÚLTIMOS ANOS

Cidades buscam forças para a reconstrução Depois do caos das enchentes em Monlevade e demais cidades do Médio Piracicaba, no

último fim de semana, os municípios fazem a limpeza, contabilizam prejuízos e buscam so-

luções para voltar à normalidade. Rio Piracicaba e Nova Era foram os municípios mais

castigados pela cheia do rio, que chegou a 8 metros de altura, alagando grande parte das cidades. Centenas de pes-

soas perderam tudo e famílias inteiras ficaram desalojadas. Segundo relatos de moradores, essa foi a pior enchen-

te desde 1979, quando a região também foi devastada pelas águas. Confira cobertura nesta edição.

João Vitor Simão

Após as chuvas, moradores perderam tudo e ruas ficaram tomadas de entulhos

Eventos, só com vacina O prefeito de João Monlevade, Laércio Ribeiro (PT), deu um passo importante para o incentivo à vacinação no município. De acordo com o decreto 12/2022, publicado ontem (13), a participação em eventos públicos e privados será condicionada à apresentação do comprovante de imunização contra a Covid-19, primeira e segunda dose. Página 10 Arquivo JAN

2667.indd 1

13/01/2022 19:41:38


14 a 20 de Janeiro de 2022

2 Opinião

EDITORIAL

Licitação do transporte

No mês de março deste ano, termina o contrato do município com a Enscon Viação, empresa responsável pelo transporte público municipal há anos e nova licitação será realizada em Monlevade. A Enscon pode participar do processo. Para organizar o certame e pensar ações para melhorias do trânsito em João Monlevade no geral, a Prefeitura contratou empresa especializada para também elaborar o edital. A empresa tem como sócios, alguns ex-diretores da BH Trans, responsável pelo transporte público de BH há décadas. O contrato foi de cerca de R$200 mil. Essa é uma oportunidade de João Monleva-

CHARGE

de avançar nessa área, trazendo soluções para antigos problemas que precisam ser revistos e solucionados. Há um movimento na cidade para implantar a tarifa zero. Com a proposta, o cidadão não pagaria mais as passagens e o transporte seria custeado pela administração municipal, além de outras fontes. Também é hora de colocar esse assunto na mesa e abrir o debate. Afinal, cerca de 40% de toda a tarifa do transporte já é “grátis”, paga pelos próprios usuários. Monlevade precisa de um transporte público melhor para o bem dos cidadãos que merecem mais qualidade sempre.

* Charges e textos assinados não retratam necessariamente a opinião do jornal.

O preço do sonho (*) SAMUEL MIRANDA

O tema do meu texto hoje é um pouco diferente dos anteriores. Não venho falar nada relacionado à administração pública, venho falar sobre sonhos. Com o retorno gradual das aulas presenciais das universidades, há um grande deslocamento dos estudantes para as cidades universitárias, ou seja, seguir a vida longe das famílias após todo esse período de quarentena em casa. É o meu caso, por exemplo. Passei na Universidade Federal de Lavras, em Administração Pública, no segundo semestre de 2019. Devido a pandemia no ano seguinte, retornei para João Monlevade em 2020 e fiquei poucos meses em Lavras. Esse curto período presencial que estive na universidade foi extremamente importante para mim, uma vez que saí de casa para estudar em uma cidade distante, onde não conhecia ninguém e tive que me virar para fazer tudo, sem a ajuda dos meus pais ou familiares. É um choque de realidade gigantesco quando saímos de casa para seguir nossas vidas. Entretanto, após esse breve tempo em terras lavrenses, houve a suspensão das atividades presenciais, o que nos fez retornar à casa de nossos pais e nossas cidades de origem. Esse retorno foi muito difícil, visto que estava começando a acostumar com a nova rotina e os novos desafios para pouco tempo depois, dar um passo para trás, retornando a conviver com nossas famílias. Nunca imaginei que essa pandemia durasse dois anos. Meus pais sempre deram a liberdade para mim e meu irmão de

decidir nosso futuro, não importa o curso ou a cidade. Nunca houve uma imposição deles de ter algum médico ou engenheiro dentro de casa. Acredito que essa liberdade deveria ser para todos, pois o curso que escolhermos será a porta de entrada para a profissão que trabalharemos todos os dias de nossas vidas. Fica aqui o meu conselho aos pais, conversem com seus filhos e escutem o que eles têm a dizer sobre o que pretendem fazer, se não teremos futuros universitários e profissionais frustrados. Em 2022, após grande parte da população estar vacinada, as atividades presenciais podem retornar de forma gradual. Encontro-me em Lavras desde o último dia 06, uma vez que minhas aulas retornariam esta semana, mas foram adiadas para o próximo mês. Após me despedir da minha família e amigos, principalmente do meu avô que eu ficava com ele todos os dias durante a pandemia, senti todo um medo de estar deixando-os para realizar meu sonho de chegar a ser Senador por Minas Gerais. Uma junção de sentimentos aparece, o pior talvez seja a sensação de estar vendo aquela pessoa pela última vez. Isso é o que mais dói. Não vou desistir dos meus sonhos, graças a tecnologia posso conversar por vídeo com minha família e meus amigos para diminuir um pouco essa saudade. Tenho como principal objetivo deixar minha família orgulhosa do caminho que construí, isso que me motiva a estar tão longe de casa e a superar desafios em uma cidade totalmente independente.

(*) SAMUEL MIRANDA, monlevadense cursando Administração Pública na UFLA

Chuvas de verão são desastres naturais? (*) ROGÉRIA ROCHA

As chuvas de verão, como o próprio nome indica, ocorrem todos os anos. Às vezes com mais, às vezes com menos intensidade. Essas chuvas que são previsíveis e anuais não são desastres naturais. Todas as consequências advindas das chuvas de verão são conhecidas: enchentes, inundações, deslizamentos, soterramentos, fechamento de rodovias. Mais recentemente incorporou-se o rompimento de barragens. As causas das destruições provocadas por essas chuvas são velhas conhecidas: desmatamento, poluição dos rios, emissão de gases estufa, uso intensivo de agrotóxicos, incêndios criminosos, licenciamentos ambientais fajutos, inexistência e insuficiência de monitoramento e fiscalização. A urbanização desenfreada com ocupação de áreas de encostas, de mananciais de abastecimento público, desmatamento, redução das áreas verdes, impermeabilização do solo, encanamentos velhos, adensamento populacional exagerado, produção excessiva de lixo, não tratamento do esgoto doméstico, entre outros. O rompimento de barragens é o ápice da irresponsabilidade dos governantes e dos empresários. A mineração que se pratica em Minas Gerais é a selvagem, aquela que destrói tudo e todos em nome do lucro, do emprego e da arrecadação tributária. O acidente de Capitólio nos deixou mais uma cicatriz da nossa falta de planejamento, de fiscalização e monitoramento. O brasileiro só age depois que acontece uma catástrofe. Turismo aberto ao público deve ter um plano de gerenciamento de riscos, com treinamento dos trabalhadores e dos moradores da localidade.

O alagamento de cidades, os prejuízos com as perdas humanas e materiais poderiam ser evitados. E por que não foram? Porque não há interesse político. Todos esses acontecimentos se resumem em uma frase: Negligência do Poder Público; Incompetência dos nossos Governantes e Complacência da Sociedade Civil. “Desastres naturais podem ser definidos como o resultado do impacto de fenômenos naturais extremos ou intensos sobre um sistema social, causando sérios danos e prejuízos que excede a capacidade da comunidade ou da sociedade atingida em conviver com o impacto.” Ex: ciclones, erupção vulcânica, queda de meteoro, tornado. Os desastres levam ao colapso as comunidades, suas estruturas, a capacidade dos governos de socorrerem adequadamente suas populações. São eventos complexos, de múltiplas causas e resultados negativos exponenciais. As consequências desastrosas das chuvas de verão em Minas Gerais demonstram o resultado de um problema ambiental de longo prazo associado ao fracasso normativo. Isso porque se as estruturas governamentais não forem sérias o suficiente para produzirem normas que de fato protejam o meio ambiente, aliada a uma efetiva fiscalização e a um monitoramento eficiente, o efeito inverso se materializa. Aqui o que vemos é a incapacidade do Estado brasileiro de tutelar de forma decente o nosso patrimônio natural, conforme disposto no art. 225 da Constituição Federal de 1988.

(*) ROGÉRIA MARA LOPES ROCHA é itabirana, advogada e mestre em Direito Público

Em 2022, olhe pelo Estado (*) THIAGO SILVA

Influenza, Delta, Omicron, Deltacron e chuva, muita chuva: 2022 já demonstra que não será fácil. Anos de Copa do Mundo e de eleições possuíam um primeiro semestre de união em torno da seleção seguido por intensa disputa política. Em 22, as eleições prometem roubar a cena. Para piorar, o símbolo da seleção ganhou conotação política e alguém ainda teve a ideia de realizar a Copa em dezembro. Temo que não haja tempo de unir o país. No final, 2021 apresentou um sucesso cinematográfico: “Não olhe para cima”. Filme caro, com atores do primeiro time de Hollywood, mas que, em minha opinião, traz uma narrativa morna, rasa e dizendo o óbvio de forma muito mais fiel à realidade que eu gostaria para uma comédia distópica. Que se pese a minha indignação com o fato do sistema vigente ser capaz de tornar um sucesso comercial a exposição de suas falhas sem que isso o abale de alguma forma, diria que o filme foi necessário. Na centralidade da narrativa, o governo se apropria do aparato estatal para atender interesses privados. Portanto, pego a deixa de 2021 para trazer para 2022 a discussão sobre a importância do Estado. Diferenciar Estado e Governo neste contexto é importante. De forma simplificada, o Governo é gestão feita pela classe política do aparato estatal e Estado são as instituições públicas com sua infraestrutura, suas regras, suas missões e seus servidores. O Governo pode, inclusive, destruir (ou diminuir, se assim preferir) o Estado. Exemplo local é a situação do DAE. Foram anos de sucateamento que resultaram no cenário caótico que vivenciamos. Infelizmente, a população geralmente confunde os dois e ataca o Estado por descontentamento com o(s) governo(s). O funcionário

público é, constantemente, vítima dessa confusão. No imaginário popular, todo servidor possui inúmeros privilégios. Porém, isso só é verdade para uma ínfima parcela do poder judiciário, dos militares e para classe política, esses últimos que são parte do governo, não do Estado. A maioria dos servidores públicos são professores, enfermeiros, médicos e policiais. Profissionais que diariamente lutam contra a falta de estrutura para entregar à população um serviço de qualidade. Enquanto o indivíduo, ou o privado, visa o lucro, o Estado existe para atender às demandas coletivas. Sem Estado, não há quem trabalhe visando o bem estar social, quem garanta atendimento onde não há lucro. A má notícia é que, sem recursos, o Estado não consegue atuar. Pedem a redução do Estado mas reclamam quando recebem o serviço mínimo, de um estado mínimo, desnutrido, sucateado. E a corrupção? Existe. Mas não é exclusividade do serviço público. Pelo contrário, diria que está mais relacionada aos governos e aos interesses privados que os financiam. Lembram de Peter Isherwell? Até para combater a corrupção é necessário um estado forte. No dia a dia, a infraestrutura estatal é capaz de garantir o fornecimento de combustível a um preço justo, de combater a pandemia (já agradeceu ao SUS hoje?), de fomentar o desenvolvimento econômico e/ ou de prestar assistência adequada aos atingidos por tragédias, por exemplo. A máquina pública precisa funcionar e ser bem gerida para que o estado possa ser capaz de servir a população nos desafios dos tempos atuais. Em outubro, olhe ao seu redor. Defenda o que é nosso, defenda o Estado.

COXIA Chuvas

Meio Ambiente

Ajuda

Recursos

Passadas as chuvas, o momento é de organização, limpeza e contabilizar os prejuízos nos municípios atingidos. Comerciantes já baqueados economicamente, precisam juntar forças para se reerguerem mais uma vez. A fé e a esperança nunca precisaram tanto estar em alta.

A solidariedade está em alta. Muitos grupos se organizaram para doações às famílias atingidas pelas chuvas. Moradores foram abrigados em escolas e voluntários que têm barco e jet ski colaboraram com as forças de segurança para salvar e resgatar vidas. Não existem heróis, existe a solidariedade e a disposição para ajudar.

A pauta ambiental é uma questão urgente e que precisa entrar na prioridade dos governantes e também da população. As chuvas sempre vão cair e ações de preservação e conscientização não devem ser deixadas de lado. A fatura sempre chega e é fundamental pensar de forma preventiva. O governador de Minas anunciou o repasse de R$47 milhões para ajudar os municípios atingidos pelas chuvas em todo o estado. O valor é considerado muito pouco pelos gestores, que calculam prejuízos milionários. Isso porque o governador é pré-candidato à reeleição... Imagina se não fosse.

Eleições Solidários

É preciso destacar as ações do Lions Sobral, CDL, Sevor, Sindi-mon Metal, voluntários e empresários em prol das vítimas. Também da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Piracicaba (Amepi) e da ArcelorMittal que recebem doações e repassam aos órgãos competentes. Professores e alunos do Instituto de Ciências Exatas e Aplicadas (ICEA/UFOP) em João Monlevade também montaram ponto de coleta e distribuíram doações, assim como igrejas e centros comunitários, Hiper e Super Comercial Monlevade, diversas outras empresas e estabelecimentos comerciais. Toda ajuda é bem-vinda!

Prevenção

João Monlevade tem duas regiões mais atingidas pelas cheias do rio Piracicaba: os bairros Amazonas e Santa Cruz são os pontos mais críticos. Não seria o momento da Prefeitura estudar uma forma de evitar o alagamento? Talvez a construção de piscinões para absorver a cheia do rio? É preciso pensar em obras que possam prevenir as enchentes. Fato é que aquela comunidade não pode fi car à mercê das chuvas e todos os anos, ser afetada por elas.

Água

Passou da hora do município pensar alternativas para a captação, distribuição e o abastecimento da cidade, além do rio Santa Bárbara. Com a cheia do rio, aumentou a turbidez e as dificuldades de tratamento. O município ficou três dias sem água direta, o que é inadmissível. Momento oportuno para o governo refletir. Até porque, as contas continuarão chegando normalmente.

Nos bastidores pipocam alguns nomes como pré-candidatos às eleições deste ano. Um deles, é o do ex-prefeito de Itabira, João Izael Quirino Coelho, que concorreria a uma vaga à Assembleia de Minas. Outro nome é do ex-vereador de João Monlevade, Djalma Bastos, também como provável concorrente a deputado estadual. Além desses, Tito Torres e Bernardo Mucida buscam a reeleição.

Apoio

O vice-prefeito de João Monlevade, Fabrício Lopes (Avante), que é bastante articulado, ainda não declarou apoio a ninguém nas eleições deste ano. Nem para presidente, senador, governador e deputados federais e estaduais. Ele disse que ainda é cedo para se pronunciar e, mineiramente, prefere esperar.

Bom trânsito

O prefeito Laércio Ribeiro (PT) também não declarou quem vai apoiar neste ano. Mas, certamente, serão candidatos do seu partido. Para presidente, os petistas esperam a vitória de Lula no primeiro turno. Laércio prefere não polemizar e afirma ter trânsito com todos os políticos de várias legendas partidárias.

Barragens As três barragens em maior situação de risco do Brasil atualmente estão localizadas em municípios que, por conta das chuvas, estão em situação de emergência, de acordo com a Defesa Civil de Minas Gerais: Ouro Preto, Nova Lima e Barão de Cocais. Segundo a ANM, no entanto, as barragens não estão em situação de emergência por conta das chuvas deste ano, no entanto. Elas estão nesse nível de alerta desde março de 2019. Que Deus nos proteja.

4XHP Or VDEH R TXH GL] Diretora Geral: Maria Cecília A. Passos Registro profissional: MG07860JP

Editor: Erivelton Braz Assistente: João Vítor Simão Diagramação e Arte: Julieta Bittencourt Impressão: Editora Gráfica Nina - Guilherme Bessa Publicado desde 1984 - Propriedade da empresa A Notícia Regional Ltda. Circulação: João Monlevade e região Av. Rodrigues Alves, nº 78, República, João Monlevade/MG

(*) THIAGO SILVA é doutor em Engenharia de Produção, servidor público federal e atualmente diretor do Instituto de Ciências Exatas e Aplicadas da Ufop 2667.indd 2

13/01/2022 19:41:49


Geral 3

14 a 20 de Janeiro de 2022

EM MONLEVADE

Chuvas inundam ruas, causam deslizamentos e levam caos João Monlevade viveu de sexta-feira (7) a terça-feira (11), um longo período de chuvas intensas. O rio Piracicaba subiu e tocou o fundo da ponte que liga as ruas Beira-Rio e Tieté que foi interditada por segurança. A própria Beira-Rio ficou inundada no trecho da antiga Estação Rodoviária, forçando os veículos que vinham dos bairros Jacuí e Centro Industrial a passarem pela 'contramão' da rua Siderúrgica. Ainda na região, a rua Tapajós ficou alagada, como não acontecia há anos. Muitos moradores foram surpreendidos e tiveram que sair de suas casas. Mas a enchente abateu-se com mais intensidade sobre o bairro Amazonas, onde a avenida Santa Cruz ficou com-

pletamente cheia, impedindo o acesso dos veículos a Bela Vista de Minas. O vice-prefeito e secretário de Planejamento, Fabrício Lopes (Avante), esteve no local no domingo (9) pela manhã e conversou com o A Notícia. Ele contou que, ainda no sábado (8), a Prefeitura disponibilizou homens e caminhões para recolher os pertences das famílias que preferiram deixar suas casas nos bairros vulneráveis, acomodando-as na Escola Municipal Eugênia Scharlé (veja na pagina 7). Outras optaram pelas residências de familiares e amigos. Também foram fornecidos paletes, espécie de estrado de madeira, para erguer móveis e eletrodomésticos mais pesados. No entanto, ainda houve resi-

dentes que quiseram ficar em casa e demoraram a sair. Para estes, foram disponibilizados dois barcos para levá-las aos locais secos. Esses moradores também receberam alimentação, kits de limpeza e outros produtos de auxílio imediato. A Prefeitura organizou o atendimento de saúde àqueles que entraram em contato com a água poluída e disponibilizou vacinas contra a Hepatite A e tétano para evitar doenças.

BARREIRAS

João Vitor Simão

NO DOMINGO, avenida Santa Cruz ficou debaixo d'água

Além das inundações, também houve quedas de barreiras. Pelo menos 18 pontos foram os mais afetados, como nas imediações do condomínio Mirante dos Cristais e nos bairros Jacuí, Baú e Santo Hipólito.

Após enchente, desalento e limpeza

O trânsito na avenida Alberto Lima teve de ser parcialmente desviado na altura do bairro Nova Aclimação, pois a lama tomou a pista no sentido BR381, e os motoristas tiveram de usar a mão contrária. Por conta do caos, o prefeito de João Monlevade, Laércio Ribeiro (PT), decretou estado

de emergência na cidade. O texto autoriza a convocação de voluntários para reforçar as ações de resposta ao desastre, arrecadar recursos junto à comunidade para auxiliar os flagelados, permite que os agentes da Defesa Civil entrem nas casas para prestar socorro, determinar sua evacuação ou

prevenir eventos mais graves e usar propriedades privadas em caso de perigo iminente. Fica dispensada a licitação para compra de bens essenciais para a resposta às enchentes, desde que as aquisições estejam concluídas em 180 dias (Veja mais na página 5).

Laércio e Fabrício falam sobre combate à enchente

Fotos: João Vitor Simão

NA QUARTA-FEIRA, operários e máquinas removiam lama da avenida Santa Cruz

NA RUA Amazonas, lama e pilhas de bens inutilizados pela água suja

A região mais atingida pelas chuvas em João Monlevade dedica-se à limpeza após a pior enchente das últimas décadas. No bairro Amazonas, máquinas, caminhões e operários estão desde terça-feira (11) removendo a lama acumulada nos últimos dias. Enquanto isso, as calçadas da rua Amazonas estavam tomadas pelos objetos inutilizados pela inundação, e que eram retirados de casa pelos moradores. A Notícia esteve no local e registrou o drama. Os pertences dos moradores, como móveis, eletrodomésticos, livros, roupas, alimentos, colchões e até portas, tudo foi transformado em lixo. À frente de cada residência, havia uma pilha, que aumentava conforme a limpeza prosseguia. A lama era visível em todo lugar, e na entrada do bairro, ainda havia uma enorme poça da água da enchente. A vizinhança luta contra o tempo e o mau cheiro, evitando que ele se impregne dentro das casas. O odor é forte e impregnante. Muitas das moradias exibiam a marca que a água alcançou: na maioria, ela cobriria um adulto. Em toda parte, há a vontade de trabalhar e deixar tudo lim2667.indd 3

po, misturada ao desalento e à desesperança. Posses obtidas com suor, lembranças de uma vida, tudo coberto pela lama e pela água suja. Livros escolares, bichos de pelúcia, objetos quase novos integram, agora inúteis, as montanhas de entulho. Ali, há histórias de senhores de idade, pessoas doentes, grávidas que contam os dias para o parto.

HISTÓRIAS Dona Maria Luzia da Silva era uma das que limpava sua casa e retirava o que a enxurrada destruiu. Ela relata que perdeu tudo o que possuía, até os alimentos, e que não via uma enchente tão vigorosa desde 1979, quando a água chegou a cobrir as casas. No combate à lama, ela já havia perdido três pares de chinelos, e conta que, em comparação com o Santa Cruz, o bairro Amazonas foi mais severamente castigado. Sem medo de sujar-se ao enfrentar o barro, a senhora arrastava para fora o que restou de um sofá. O senhor José Geraldo “Zezé” também diz que a última inundação desse porte no

bairro Amazonas havia acontecido em 1979, e mostra que até as portas internas da casa foram transformadas em escombros pela água. Nos anos em que reside no bairro, ele já enfrentou enchentes, mas erguia as suas posses e conseguia salvar a maior parte delas. Agora, ele terá de lutar para reaver tudo o que o alagamento inutilizou. Bruno César da Silva, com quem o A Notícia já havia conversado na segunda-feira (9), também limpava sua casa com a esposa. Mesmo tendo 1,83 metro, ele ainda ficaria submerso caso a água estivesse em sua altura máxima e ele permanecesse em casa. No bairro, até a manhã desta quarta-feira, não havia eletricidade. Bruno permanece firme com a ideia de deixar o Amazonas e buscar um outro imóvel, em um local mais seguro. Para isso, ele pretende procurar o banco que financia a sua residência e analisar as possibilidades previstas em contrato. Também testemunha das tempestades de 43 anos atrás, dona Maria das Graças dos Santos contava com o filho na tarefa de limpar o imóvel em que mora, e no qual apenas um armário de cozinha conseguiu ser preservado, por haver sido erguido sobre uma mesa. De resto, tudo foi perdido: até um pente, lembrança de infância do agora rapaz, estava em meio à água suja. Para piorar, sua caixa d’água parecia estar vazando. Maria ainda pagava móveis comprados após a enchente de 2020. Ela tenta manter-se forte em meio à destruição, mas se emociona ao lembrar da irmã que cuida. Mãe e filho pedem que as autoridades tenham mais carinho com o bairro Amazonas, que consideram esquecido. Para agora, dizem, é necessário enviar caminhões para recolher as montanhas de entulho e carros-pipa para limpar as residências.

Acom/PMJM

PREFEITO Laércio e vice Fabrício estiveram nos locais afetados

O prefeito de João Monlevade, Laércio Ribeiro (PT), falou sobre as ações de resposta às enchentes e deslizamentos de encostas advindos das tempestades dos últimos dias em entrevista à Rádio Alternativa. O prefeito manifestou tristeza pelas perdas materiais sofridas, e afirmou que conversou com moradores dos bairros Santa Cruz, Amazonas e da rua Tapajós, no Centro Industrial. Ele reiterou que a Prefeitura está prestando assistência aos afetados, e mantém contato com outros prefeitos, como Itabira e

Nova Era, para obter ajuda. A Defesa Civil está a postos e contabilizou dezenas de chamados, orientando os moradores a se afastarem das áreas de risco e se manterem seguros, e segue com o monitoramento. A Secretaria de Assistência Social, diz o prefeito, está cadastrando as famílias atingidas e as suas perdas. Já o vice-prefeito e secretário de Planejamento, Fabrício Lopes (Avante), pediu união no combate às consequências da chuvada, elogiou a solidariedade dos monlevadenses, e relem-

brou que a Prefeitura se mantém alerta desde a sexta-feira. Por volta do meio-dia de terça-feira (11), o prefeito e o vice estiveram novamente na região do centro industrial e do bairro Amazonas. Ao A Notícia, Laércio diz que a Prefeitura está procurando por maquinário e caminhões para utilizar na reconstrução, pois todo o equipamento de posse do município já está sendo utilizado. A Prefeitura de Bela Vista de Minas, diz ele, cedeu parte de sua frota para ser usada nos trabalhos de limpeza.

Barão de Cocais tem uma das barragens com maior risco de desabamento do país Uma das barragens com maior risco de desabamento no Brasil está localizada na região do Médio Piracicaba, na cidade de Barão de Cocais. A barragem Sul Superior, da Vale, está classificada como nível 3 de emergência e está nesse nível de alerta desde março de 2019, após o rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho. Com o risco, moradores foram retirados de suas casas. Outras barragens da região estão em nível 1, considerado menos grave (veja ao fim da matéria). Segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), a classificação é concedida quando técnicos constatam que a estrutura de uma barragem está em situação de rompimento iminente (pode acontecer a qualquer momento) ou quando ela já está se rompendo. A situação das barragens

voltou à tona nesta semana em virtude das fortes chuvas que atingiram a região e todo o estado nos últimos dias. Além da Superior Sul, em Barão de Cocais, também estão em alerta as barragens Forquilha III, em Ouro Preto e B3/B4, em Nova Lima. Inclusive, o Dique Lisa, da mina de Pau Branco, em Nova Lima, que pertence à empresa Vallourec, transbordou no sábado (8). Devido ao grande volume de lama, a BR-040 ficou fechada por mais de 45 horas. Segundo a ANM, as três são as únicas barragens do Brasil em situação de emergência nível 3. Em Minas, há 31 barragens em situação de risco. Especialistas afirmam que as chuvas aumentam os riscos de problemas em barragens como as de rejeitos de mineração. Segundo eles, o risco no estado é ainda maior por conta da alta concentração dessas estruturas

e da proximidade delas com centros urbanos.

RELATÓRIO O governo de Minas Gerais e o Ministério Público (MPMG) receberam na quarta-feira (12) informações sobre a situação das 31 barragens que estão em emergência no estado. As próprias mineradoras forneceram os dados, após prazo de 24 horas para entregar as informações. Das 31 barragens, 22 estão em nível 1 (quando há anormalidade, mas não há necessidade de retirada de moradores vizinhos), seis em nível 2 (quando há risco de rompimento e é recomendada a retirada de moradores) e três em nível 3 (quando há risco iminente de rompimento e moradores são obrigados a sair de suas casas). 13/01/2022 19:41:49


4

14 a 20 de Janeiro de 2022

Geral

Monlevadense busca apoio para projeto de museu temático de maquetes PROJETO “MOSTRA ESTRADA REAL” FOI APROVADO PELA LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA O projeto “Mostra Estrada Real”, do artista plástico monlevadense André Freitas, tem como objetivo confeccionar maquetes de edificações marcantes das cidades que compõem a Estrada Real e criar o maior museu temático de maquetes da América Latina. A iniciativa foi aprovada pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, já publicada no Diário Oficial em 6 de abril de 2020. Desde então, o artista articula parcerias e busca apoio para colocá-

-lo em prática. "É um projeto de grandes dimensões que vai se tornar um museu temático de destaque no turismo regional, estadual, nacional e até internacional”, disse André Freitas. Conforme o artista, o Projeto “Mostra Estrada Real” se apresenta dividido em várias etapas, sendo que a primeira consiste em um estudo profundo dos prédios históricos das principais cidades que são parte do Caminho do Ouro e do Caminho dos Diamantes, além

de um levantamento com a participação popular para definir qual patrimônio será retratado. Para elaborar o projeto, o artista André Freitas fará um levantamento topográfico e arquitetônico do bem a ser retratado e tudo será registrado pelas lentes do fotógrafo e cineasta Marley Melo, com o objetivo de gerar conteúdo e disponibilizar o material no site do projeto e nas oficinas. Após essa primeira fase, André iniciará a produção de réplicas

idênticas ao patrimônio escolhido, na escala 1:24. O projeto contemplará nove edições em um total de 93 maquetes, tornando-se assim, o maior museu de maquetes da América Latina: “e com certeza um atrativo turístico importante para nosso estado, nosso país e até por estrangeiros; poderão também ser admiradas por pessoas que não têm acesso aos patrimônios de nossa rica cultura, conhecer suas histórias e valores”, destaca André. As cidades e comunidades assistidas pelo projeto nessa primeira edição são: Diamantina, São Gonçalo do Rio das Pedras, Milho Verde, Serro, Alvorada de Minas, Conceição do Mato Dentro, Ipoema, Bom Jesus do Amparo, Barão de Cocais, Catas Altas e Ouro Preto. O projeto contempla ainda oficinas de fotografias e de artesanato, quando os interessados aprenderão como retratar em fotos e em miniaturas, a cultura mineira dos tempos da realeza.

MEIO AMBIENTE Segundo o artista André Freitas, a preocupação com

2667.indd 4

Marley Melo

ANDRÉ e o apresentador Zeca Camargo durante reportagem sobre maquetes

o meio ambiente é parte do projeto, quando destaca a importância de apresentar um cuidado consciencioso e ecologicamente correto, usando materiais biodegradáveis para elaboração das peças e também do descarte consciente de resíduos, contribuindo para uma educação ambiental e patrimonial.

RECONHECIMENTO O trabalho de André Feitas

já foi reconhecido pela mídia regional e nacional. Suas obras foram mostradas em matérias do Jornal A Notícia e em programas televisivos como É de Casa, Balanço Geral, Viação Cipó, Terra de Minas, Jornal da Alterosa, Tudo É Possível e revistas como Super Interessante entre outros. Atualmente, o artista tem atendido empresas de parques aquáticos em todo Brasil, tendo assim sua arte em vários shoppings da capital Mineira e do Brasil.

13/01/2022 19:41:51


Geral 5

14 a 20 de Janeiro de 2022

Governo estadual reconhece estado de emergência de Monlevade O governo de Minas Gerais reconheceu nesta quarta-feira (12) o estado de emergência decretado pelo prefeito de João Monlevade, Laércio Ribeiro (PT), em decorrência das inundações e deslizamentos de terra do fim de semana. Com o reconhecimento estadual, fica autorizada a mobilização dos integrantes do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil para prestar apoio complementar aos municípios atingidos, mediante a coordenação do Gabinete Militar do Governador, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, em articulação com todos os setores do Estado e com a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

DOAÇÕES Segundo o Executivo, cerca de 400 pessoas foram afetadas. O recebimento de doações para

doados alimentos não perecíveis, água, roupas de cama, toalhas e roupas para adultos e crianças. A quadra do Centro Educacional é ponto de recebimento de móveis, eletrodomésticos e colchões. Quem não tiver meios para transportar as doações, pode agendar o recolhimento pelo WhatsApp (31) 98507-8560 ou (31) 99714-6692.

LIMPEZA

Luiz Ernesto Guimarães /Acom PMJM

EQUIPES da Prefeitura fazem limpeza de partes atingidas pela enchentes

as vítimas está sendo concentrado na Escola Municipal Eugênia Scharlé, no bairro Vila

Tanque, lar provisório de 37 pessoas. Os itens mais necessitados no momento são ma-

teriais de limpeza, como vassoura, rodo, detergente e água sanitária. Também podem ser

CONTAS DE ÁGUA E LUZ Tito pede ao governador isenção para municípios atingidos pelas chuvas Diversas cidades de Minas, em especial da região do Médio Piracicaba, estão enfrentando graves problemas causados pelas fortes chuvas. Para minimizar os impactos financeiros e contribuir para a recuperação das cidades, o deputado Tito Torres (PSDB) solicitou ao Governo de Minas, na terça-feira (11), a isenção do pagamento das contas de água e luz para os consumidores dos municípios afetados pelas intensas chuvas. Segundo Tito, as isenções do pagamento destes serviços estão previstas na lei 23.797/2021 que dispõe sobre a concessão, por período determinado, de isenção total das tarifas de água e esgoto e de energia elétrica aos consumidores residenciais, indus-

triais e comerciais atingidos por enchentes no estado. A solicitação encaminhada ao Governo de Minas por Tito Torres atende ao pedido do presidente da Câmara de João Monlevade, vereador Gustavo Maciel, que destacou as enchentes ocorridas na cidade e em outros municípios do Médio Piracicaba. De acordo com a lei 23.797/2021, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), a Copasa Serviços Integrados de Saneamento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Copanor) e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) poderão conceder isenções das tarifas nos três meses subsequentes ao período em que forem constatadas enchentes de grandes

proporções.

FIM DA BANDEIRA ESCASSEZ HÍDRICA O deputado também solicitou a suspensão imediata da tarifa de escassez hídrica. “Essa cobrança não se justifica neste período em que as chuvas estão ocorrendo em grande parte do Brasil elevando os índices de água dos reservatórios. Solicitei ao André Pepitone, diretor geral da Aneel, que suspenda imediatamente a cobrança dessa taxa”, explicou o deputado. A bandeira escassez hídrica foi criada em agosto de 2021 em função do rigoroso período seco pelo qual o Brasil passou, afetando principal-

mente os reservatórios das usinas hidrelétricas e motivando a utilização das termelétricas para suprir o sistema. O valor da bandeira é de R$14,20 a cada 100 kWh. Ela é cerca de 50% mais cara que a bandeira vermelha patamar 2 e, no total, a conta de energia elétrica ficou 6,78% mais cara a partir de setembro do ano passado.

EM MONLEVADE Em Monlevade, Gustavo Maciel enviou ofício ao prefeito Laércio Ribeiro (PT) solicitando que o Departamento de Água e Esgoto (DAE) também isente as famílias atingidas pelas chuvas, por período determinado, do pagamento da tarifa de água no município.

A limpeza dos locais atingidos pelas chuvas começou ainda nesta terça-feira (11). Caminhões e dezenas de homens retiram a lama de ruas e casas. De acordo com o Executivo, o prefeito Laércio Ribeiro (PT) e o vice-prefeito, Fabrício Lopes (Avante), têm acompanhado diariamente os serviços. "Todas as equipes estão trabalhando. Pedimos um pouco de compreensão

porque é um serviço demorado e lento, mas sabemos que com a união de todos vamos vencer este momento de dificuldades. Quero agradecer a todos que têm nos ajudado. A sociedade civil organizada, empresas que estão cedendo máquinas, equipamentos e homens", diz o vice-prefeito e secretário de Planejamento. Já Laércio Ribeiro afi rma que a administração municipal fará um estudo aprofundado de toda situação para tentar diminuir impactos futuros. "O cenário pós-enchente é muito feio, com barro nas ruas e casas. A população tem trabalhado incansavelmente e ajudado muito os nossos servidores. Pedimos a compreensão de toda a comunidade, juntos vamos chegar lá e recompor a cidade até melhor do que estava antes", declarou.

Inscrições para o Transporte Universitário abertas a partir do dia 20 A partir do dia 20 de janeiro, a Prefeitura de João Monlevade, por meio da Secretaria de Educação, abre inscrições para o Transporte Social Universitário. A adesão dos interessados vai até às 16h, do dia 26. São disponibilizadas 50 vagas para Itabira e outras 50 destinadas à região do Vale do Aço (Timóteo, Coronel Fabriciano e Ipatinga). O transporte é feito de segunda a sexta-feira, no período noturno, durante os dias letivos. As vagas são

gratuitas e somente ofertadas para estudantes de cursos que não são oferecidos em João Monlevade. As inscrições são feitas exclusivamente pela internet, em link que será disponibilizado no site da Prefeitura (www.pmjm.mg.gov. br). É preciso apresentar documentos pessoais, comprovante de endereço e de matrícula, além de cumprir uma série de requisitos legais estabelecidos no edital para a concessão do benefício.

Em uma semana, Margarida faz 71 atendimentos

Laércio sanciona lei que equipara salários de enfermeiros

João Vitor Simão

ENFERMEIRAS da Prefeitura acompanharam votação na Câmara

O prefeito de João Monlevade, Laércio Ribeiro, sancionou a Lei 2432 que equipara os salários dos enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família (ESF) aos demais graduados em Enfermagem que atuam na rede pública. A matéria foi aprovada pela Câmara na última reunião do ano de 2021, em 22 de dezembro, e sancionada pelo Executivo no dia 29. 2667.indd 5

Com a aprovação da alteração, o salário base, tanto dos enfermeiros quanto dos enfermeiros ESF, passa a ser de R$ 3.523,80. Até então, os profissionais da ESF recebiam menos que os demais. "O intuito é gerar um tratamento isonômico e igualitário entre os enfermeiros, já que as atribuições e tarefas que eles desempenham não justificam um pagamento

diferenciado”, argumentou o prefeito Laércio Ribeiro (PT). A enfermeira Ana Amélia Soares, que acompanhou a sessão que concedeu a aprovação, contou ao A Notícia que a articulação para conseguir que os vencimentos fossem igualados começou no início de 2021. Ela ressalta a importância dos enfermeiros da Saúde da Família para o controle de doenças e

promoção de uma melhor qualidade de vida às comunidades atendidas. Ana Amélia e as colegas de profissão Renata Moura e Lílian Sá relembram os quase dois anos de luta dos profissionais de enfermagem contra a pandemia da Covid-19, destacando o espírito de abnegação da classe no combate. Renata conta que, durante a 'onda roxa', entre março e abril, os enfermeiros, técnicos e auxiliares chegavam para trabalhar na Central de Atendimento, instalada na Secretaria de Saúde, sem saber como iriam terminar o turno. Sobretudo, as três ressaltam o desgaste sofrido pelos profissionais durante esses vários meses. Lílian Sá recorda que muitas vidas foram salvas graças ao pronto atendimento na central, sendo que ninguém faleceu no local. Agora, o panorama é um pouco mais tranquilo, embora ainda demande cuidados.

Arquivo JAN

HOSPITAL recebeu menos atendimento nos últimos dias

O Hospital Margarida, em João Monlevade, realizou 71 atendimentos de pessoas com sintomas gripais e suspeitas de Covid-19 entre a sexta-feira (7) e ontem (13). A informação é da assessoria da casa de saúde. Segundo o Hospital, o número é menor em relação à semana passada, onde houve muita procura por atendimento no hospital e queixas de longa espera. O Margarida explica que faz os atendimentos baseados no Sistema de triagem de Manchester, metodologia científica que tem por objetivo organizar a demanda de pacientes que procuram pelo atendimento, identificando as prioridades clínicas. Assim, os casos considerados menos graves, podem aguardar atendimento por até 120

minutos e os não urgentes, podem aguardar por até 240 minutos. Os pacientes com casos de sintomas gripais como tosse, febre, dores de cabeça, garganta, no corpo, entre outros, devem se dirigir às Unidades Básicas de Saúde (UBS) mais próximas da sua residência. Para tanto, a Prefeitura de João Monlevade também reforçou atendimento nos postos médicos. Outra medida adotada pela Prefeitura foi a ampliação de posto de coleta para a testagem de pessoas com Covid-19. Desde segunda feira (10), os testes são feitos de 7h às 10h30 e 13h às 16h, no Centro Saúde do bairro Cidade Nova. Leia mais sobre casos de Covid na cidade na página 10. 13/01/2022 19:41:54


14 a 20 de Janeiro de 2022

6 Região

Ação preventiva evitou tragédia maior em São Gonçalo do Rio Abaixo

Acom/PMSGRA

PREFEITO Nozinho se reúne com equipe do Corpo de Bombeiros para traçar ações no município

As fortes chuvas que caíram no último fim de semana poderiam ter consequências muito mais danosas em São Gonçalo do Rio Abaixo se equipes da administração municipal não houvessem agido. Através do

trabalho dos profissionais da Prefeitura, foi possível evitar que a tragédia tomasse proporções ainda maiores. Ainda às 20 horas da sexta-feira (7), Defesa Civil e funcionários do setor de As-

sistência Social procuraram as famílias residentes nas áreas mais vulneráveis, informando-as sobre os riscos previstos pelo Posto de Monitoramento de Peti. Dessa forma, 60% dos moradores-alvo foram retira-

dos preventivamente de casa. Segundo a equipe de assistência social, alguns dos residentes das áreas de risco insistiram em ficar em casa, e por isso sofreram perdas materiais. O Centro Educacional de

Sicoob Credimepi vai doar R$100 mil para compra de colchões aos atingidos pelas chuvas O Sicoob Credimepi vai repassar R$100 mil para minimizar o sofrimento das vítimas da enchente que assolou a região, principalmente, as cidades de Rio Piracicaba e Nova Era. Após reunião ontem (12), o Conselho da instituição aprovou a medida. O presidente Jacson Guerra colocou o assunto em pauta de votação e os seis conselheiros foram unanimemente favoráveis. Nas duas cidades, cerca de 400 pessoas perderam tudo. Conforme o Sicoob Credimepi, os recursos serão usados para a compra de colchões e também kits de higiene pessoal a serem distribuídos através da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Piracicaba (Amepi).

LIMPEZA

O prefeito de São Gonçalo do Rio Abaixo, Raimundo Nonato de Barcelos (o Nozinho), disponibilizou todo o secretariado e equipe de governo no atendimento prioritário à população atingida pelas fortes chuvas que causaram enchente na cidade. O chefe do Executivo

Agora, com o nível do rio e a vazão do Peti voltando ao normal, as preocupações focam-se na limpeza da cidade, através da cessão de carros-pipa. Equipes da Prefeitura auxiliam os moradores na limpeza das casas, comércios e também atuam na higienização das ruas da cidade. Como o fornecimento de água potável teve de ser interrompido, a administração está usando caminhões para reabastecer as residências até que a distribuição seja normalizada.

dos. Até pedras do calçamento foram arrancadas pela correnteza. A partir de quinta-feira (13), a Prefeitura começou a distribuir um kit de limpeza para os moradores atingidos. O Executivo irá encaminhar um projeto de reconstrução da “pinguela”, a ponte pênsil destruída pelas águas. O prefeito de Nova Era, Txai Costa (Rede), concedeu na segunda-feira (10) uma entrevista ao programa Visão CNN, da CNN Brasil, sobre a situação da cidade em meio às maiores inundações dos últimos anos. Em Dom Silvério, até à noite desta quarta-feira (12), o trânsito estava fechado na ponte de acesso à cachoeira do Jagode, e a comunidade devia evitar passar pela escada. Um trecho da rua Doutor Francisco Joaquim de Paiva tinha o trânsito proibido para veículos. Já trechos das ruas Miguel Antônio Araújo e José de Souza Rocha foram destruídos. A sede da Prefeitura e a Escola Municipal Nossa Senhora da Saúde estão servindo como pontos de recolhimento de doações de produtos de higiene pessoal: escova e creme dental, sabonete, xampu, condicionador, papel higiênico, toalhas e roupas de cama. Até ontem, a estrada que liga Dom Silvério à vizinha Alvinópolis estava interditada. Alvinópolis também enfrentou muitos problemas devido às chuvas. Santa Maria de Itabira também foi castigada pelas enchentes, relembrando o pesadelo de fevereiro do ano passado, e está em estado de emergência. Foi aberta uma campanha de arrecadação de donativos, que podem ser dei-

xados na sede da Defesa Civil, na rua José da Silva Braga, no bairro Lambari. As principais necessidades são os colchões de solteiro, os materiais de limpeza e as garrafas de água mineral. O abastecimento de água, realizado pela Copasa, começou a ser normalizado na tarde de quarta-feira, mas como o recurso ainda não chegou a todos os bairros, a Prefeitura pede economia por parte da comunidade. O Executivo manteve o fornecimento para o Hospital Municipal Padre Estevam, o posto de saúde e os abrigos municipais. Barão de Cocais também se reconstrói depois de ser varrida pelas tempestades. No sábado, uma violenta enxurrada desceu pelas ruas do bairro Santo Antônio, deixando um rastro de destruição. Nesta quinta-feira (13), a Prefeitura distribuiu fardos de água mineral aos moradores dos bairros Santo Antônio, Santa Cruz, Progresso, Garcia e Nacional. O fornecimento de água encanada está sendo restabelecido pela Copasa. A comunidade pode ajudar os afetados, doando principalmente materiais de higiene pessoal, produtos de limpeza, roupas de cama, mesa e banho e alimentos, em especial leite e biscoitos para as crianças. Os donativos podem ser deixados na rua Waldemira Gonçalves, 71, no bairro Santo Antônio. Quem preferir pode usar a chave PIX da Paróquia São João Batista: obrassociaisbc@hotmail.com . A partir desta sexta-feira (14), serão distribuídos os kits de limpeza aos moradores das áreas atingidas.

GABINETE DE CRISE

Divulgação

APÓS ENCHENTE QUE DEVASTOU MUNICÍPIOS, É HORA DE ORGANIZAR PARA VOLTAR AO NORMAL Fotos: Divulgação

NOVA ERA

DOM SILVÉRIO

SANTA MARIA DE ITABIRA

RIO PIRACICABA

2667.indd 6

também nomeou de imediato o Comitê de Crise para a tomada de decisões e deliberações no apoio à população. “A prioridade do governo são as pessoas atingidas pela enchente”, ressaltou Nozinho, que solicitou apoio do Corpo de Bombeiros Militar, do Corpo de Bombeiros Civil e da Polícia Militar nos dias mais críticos da cheia do rio Santa Bárbara. O prefeito também deu total respaldo à Defesa Civil no trabalho de remoção de pessoas de áreas de risco como encostas e áreas ribeirinhas e no socorro às vítimas.

FAMÍLIAS perderam tudo após as chuvas do fim de semana

Cidades buscam forças para reconstrução

O Médio Piracicaba luta para se reerguer depois das mais severas inundações em décadas. A partir da noite de sexta-feira (7), a água começou a subir, invadindo residências, comércios e entidades em vários municípios. Quando a água começou a baixar, na terça-feira (11), emergiu o rastro de destruição: lama, lixo, entulho, galhos, mau cheiro. Agora, moradores e o poder público contam os prejuízos, providenciam a limpeza e planejam a reconstrução. Em Rio Piracicaba, depois da mais devastadora inundação das últimas décadas, a cidade agora luta para se reerguer. Durante as chu-

São Gonçalo do Rio Abaixo (Cesgra) e a Escola Integral do Centro acolheram 111 pessoas de 34 famílias, junto com os seus pertences, como móveis, eletrodomésticos e roupas. Algumas das salas também receberam farmácia e atendimento emergencial à comunidade. Como a sede da Farmácia Municipal foi inundada, o setor foi transferido para a Escola Integral do Centro. Com a ação preventiva e os boletins periódicos da situação no Peti, foi possível mitigar também os danos sofridos pelo comércio são-gonçalense. A assistência foi prestada por funcionários de todos os setores da Prefeitura, divididos em turnos de 12 horas, além de Bombeiros Militares, bombeiros civis e voluntários.

vas, moradores ficaram ilhados e foram resgatados com a ajuda de botes da Polícia e de voluntários. Com a baixa das águas do rio que dá nome à cidade, ruas e imóveis atingidos pela enchente ficaram repletos de lama, lixo, entulho e galhos. A Prefeitura, moradores e voluntários estão agindo para limpar as zonas mais afetadas e retomar, o quanto antes, a vida normal. O Executivo piracicabense abriu uma campanha para arrecadar fundos para a reconstrução e o auxílio a quem perdeu tudo. Repasses podem ser feitos pela conta corrente 220256 da agência 2546-1 do Banco do Brasil, com chave PIX

18400945000199, o CNPJ da Prefeitura. Quem preferir doar roupas, alimentos ou produtos de higiene pessoal pode entregá-los na igreja Nossa Senhora do Rosário, onde eles serão entregues às famílias. Segundo a administração, será realizada a prestação de contas de todos os repasses e donativos realizados, para dar mais transparência à destinação das doações. A Prefeitura ainda articula junto aos governos federal e estadual o envio de recursos para o reerguimento de Rio Piracicaba. Outra cidade que também sofreu foi Nova Era, cortada ao meio pelo rio Piracicaba. A água subiu mais de 8 metros e cobriu grande parte da ponte

Benedito Valadares, a conhecida “ponte dos arcos”, e nos bairros mais baixos, tomou conta do primeiro andar das casas. A água derrubou a ponte pênsil (pinguela do Curro) e as duas pontes, a Benedito Valadares e Eliezer Batista (sem arco), estão interditadas, para veículos e pedestres. “Não há previsão de liberação das pontes, visto que será necessária uma avaliação técnica das estruturas, que só poderá ser feita após o nível do Rio Piracicaba abaixar e estabilizar”, informa a administração. Quando o rio baixou, restaram a lama, o entulho, os galhos e os pertences destruí-

13/01/2022 19:41:56


Geral 7

14 a 20 de Janeiro de 2022

ATINGIDOS PELAS CHUVAS

Famílias desalojadas são abrigadas na escola Eugênia Scharlé sapatos, todos obtidos através de doações. Noutra, estão alimentos, também fornecidos pela comunidade.

RELATOS

João Vitor Simão

VOLUNTÁRIOS organizam doações na escola municipal Eugênia Scharlé

João Monlevade viveu no último fim de semana uma das piores calamidades de sua história recente. As enchentes inundaram bairros como Amazonas, Santa Cruz e Centro Industrial, forçando os moradores a abandonarem suas residências e buscarem abrigo em outros locais. A Prefeitura abriu a Escola Municipal Eugênia Scharlé, no bairro Vila Tanque, para acolher os desabrigados. Até quarta-feira (12), eram 12 famílias assistidas, um total de 38 pessoas, que tiveram suas casas ameaçadas ou invadidas pela água. A secretária municipal de

2667.indd 7

Assistência Social, Marinete Morais, conta que chegou a dormir uma noite na escola para garantir às famílias a melhor acolhida. Os desabrigados receberam água, alimentação, banho e itens de vestuário, calçados e higiene pessoal, entre outros. As famílias recebem quatro refeições por dia, em horários pré-determinados, mas dispõem de ampla liberdade para entrar e sair da escola quando quiserem. Na segunda-feira (10), uma psicóloga esteve no prédio para conversar com os abrigados e ouvir suas queixas e sentimentos. Numa sala, estão roupas e

Dona Maria de Fátima Evangelista é moradora do bairro Amazonas há cerca de 30 anos, e conta que jamais presenciou uma enchente desse porte. Ela diz que o acolhimento na escola Eugênia Scharlé foi muito bom, mas não consegue ficar tranquila: “Ainda me sinto como se estivesse em choque”. A idosa acredita que, por conta da altura que a água alcançou, não conseguirá salvar nenhum dos pertences que ficou na casa inundada: “Meu filho me disse: ‘Mãe, os temperos da senhora estão todos n’água’”. Ela, que ainda não conseguiu se aposentar, pensa agora em como reaver os bens perdidos. Por conta disto, ela pede que a comunidade ajude com aquilo que puder para que ela possa reconstruir o seu lar. Uma moça, também moradora do bairro Amazonas, que prefere não se identificar, conta que chegou à escola da Vila Tanque no início da noite do sábado (8), acompanhada da mãe e das duas filhas. Apesar de ainda não ter voltado à casa desde o dia da cheia, ela também acredita que perdeu tudo quanto possuía. Em sua família, apenas o marido trabalha. Mesmo assim, ela mantém-se forte: “Eu nem chorei. Sei que não vai adiantar. Mas, pelo menos, foram apenas perdas materiais. Com fé em Deus, a gente recupera o que perdeu”. Mas não foram apenas as zonas próximas ao rio Piracicaba que estão sofrendo em decorrência das chuvas. Taiane Martins é moradora de uma casa de fundos na rua Andes, no bairro Promorar, que está ameaçada por um barranco. Por precaução, ela, o filho Nicolas, de 4 anos, a avó e dois irmãos

dela foram removidos para a Escola Municipal Eugênia Scharlé. Nicolas brinca feliz na sala de aula transformada em residência improvisada, mas sempre questiona a mãe sobre quando a

família voltará para casa. O seu temor, agora, é para que os bens que ficaram na casa não sejam saqueados por ladrões. Taiane pede que a Prefeitura de João Monlevade e as autoridades te-

nham atenção com a sua casa, se necessário seja construído um muro de arrimo, pois a família não tem condições de arcar com o serviço.

SOLIDARIEDADE

Saiba como ajudar os afetados pelas chuvas em Monlevade e região As chuvas que castigaram João Monlevade e o Médio Piracicaba deixaram um rastro de destruição por diversas cidades da região. Para ajudar às centenas de famílias desalojados ou desabrigados, uma corrente de solidariedade foi montada por diversas entidades, empresas e voluntários para recolhimento de alimentos não perecíveis, água potável, leite, produtos de limpeza, rodo, vassouras, roupas infantil, adultos e íntimas, roupas de cama e banho, itens de higiene pessoal, chinelos, calçados, móveis, eletrodomésticos e utensílios domésticos. VEJA ALGUNS LOCAIS ONDE AJUDAR:

AMEPI: Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Piracicaba (Amepi). Rua Santa Lúcia, 291, Aclimação. 3852-1541 SOS CHUVAS: Sevor - Avenida Alberto Lima, 2780- Campos Elíseos); Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) - Avenida Wilson Alvarenga, 695, Carneirinhos e Sindmon-Metal (Rua Duque de Caxias, 165, bairro José Elói) ESCOLA MUNICIPAL EUGÊNIA SCHARLÉ: Avenida Aeroporto, bairro Vila Tanque. (31) 98504-2112 QUADRA DO CENTRO EDUCACIONAL: rua do Andrade DESAPEGO SOLIDÁRIO: Grupo recolhe móveis, eletrodomésticos, geladeira, fogão, colchões e utensílios. Contatos (31) 98461-8376, 99153-5314 e 98326-3288. ARCELORMITTAL MONLEVADE: Portarias 1, 4, 6, Vestiário Central, Gerência, Fazenda PARÓQUIAS NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E SÃO JOSÉ OPERÁRIO: Hotel Siderúrgica, na rua Siderúrgica, 67, no bairro Centro Industrial, ou na matriz do bairro Vila Tanque, na rua Padre Hildebrando de Freitas, 286 e São José Operário, na rua Paraúna, 641, Centro Industrial. SECRETARIA DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO - rua Gomes Batista, Carneirinhos. HIPER E SUPER COMERCIAL MONLEVADE: Av. Gentil Bicalho, 340 – Carneirinhos e Avenida Wilson Alvarenga, 700, Carneirinhos. UFOP: Campus Universitário (ICEA) - Rua 36, 115, Loanda - das 8h às 17h. POLÍCIA MILITAR: avenida Wilson Alvarenga, 30, Belmonte.

13/01/2022 19:41:57


14 a 20 de Janeiro de 2022

8 Classificados/Geral

Após escassez, abastecimento de água começa a voltar em Monlevade ATÉ ONTEM, AINDA HAVIA BAIRROS SEM ABASTECIMENTO peração da população do que propriamente do DAE. Isso, porque a água fica sem pressão para chegar até as regiões mais elevadas. “O retorno é gradativo conforme informado. E, claro que a população da parte baixa precisa ajudar evitando o consumo de água direta. O restabelecimento da produção de água já ocorreu há mais de 24 horas”, informa o assessor de Comunicação Geraldo Magela Dindão.

LIGAÇÃO

Acom/PMJM

PREFEITO Laércio e o vice, Fabrício Lopes, acompanham operação na casa de bombas

Após dias de escassez, o abastecimento de água em João Monlevade começou a voltar ao normal. Na manhã de quarta-feira (12), os equipamentos de captação da água do rio Santa Bárbara, na estação elevatória da Água Bruta, foram religados, iniciando a normalização do fornecimento. Durante três dias, a cidade ficou sem captar, tratar e distribuir a água. De acordo com a Prefeitura, por conta das fortes chuvas e do alto volume do rio

e a turbidez da água, a aparelhagem foi desligada para evitar uma pane elétrica. Algumas regiões da cidade, sobretudo as mais baixas, como a central, e alguns bairros como República e Alvorada, receberam água direta primeiro. Isso, segundo a Prefeitura, acontece porque para esses locais não é exigida pressão para o bombeamento da água até as residências. Porém, até ontem (13), ainda havia bairros sem abastecimento. Moradores de parte do

Petrópolis, Cruzeiro Celeste, Planalto, Estrela D’alva e Promorar entraram em contato com o A Notícia para reclamar da falta de água. Alguns alegaram que as caixas estavam secas e eles sem água até para beber. No Planalto, um morador alegou que a água acabou ainda no domingo e que a família estava em dificuldades. Questionada, a Prefeitura disse que o restabelecimento das partes mais altas do município depende mais da coo-

Segundo o diretor-geral do DAE, José Afonso Martins, a segunda bomba de captação foi ligada ainda na quarta-feira (12) e a captação será restabelecida paulatinamente, com a autarquia monitorando o nível do rio e o funcionamento dos equipamentos. “Mesmo com a religação dos equipamentos, orientamos a população a continuar economizando água e usando com cuidado a água direta, se possível, fazendo a captação das chuvas para o uso não essencial. Como as redes e reservatórios estavam vazios, a distribuição acontecerá de

forma gradativa na cidade”, alertou. Ainda na quarta-feira, a estação da localidade das Pacas foi visitada pelo prefeito de João Monlevade, Laércio Ribeiro (PT), e pelo vice-prefeito e secretário de Planejamento, Fabrício Lopes (Avante). Laércio frisou sobre a importância do abastecimento de água para a população, porém, com os devidos cuidados para que a captação não seja prejudicada. “Com a elevação do nível do rio, era realmente necessário evitar uma pane elétrica, que prejudicaria ainda mais o abastecimento. Exatamente por isso trabalhamos intensa-

mente para que o sistema se restabelecesse o quanto antes”, explicou o prefeito. Já Fabrício disse que “uma de nossas prioridades é, sem dúvida, o abastecimento de água com qualidade em toda a cidade, ainda mais em um momento difícil como esse que estamos vivendo, devido às chuvas. Mas estamos atentos e acompanhando de perto todas as situações, necessidades e orientações técnicas para que o abastecimento se normalize o quanto antes”, afirmou.

Faz saber que pretendem se casar: REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE MINAS GERAIS Registro Civil das Pessoas Naturais Oficial Titular: Rosa Maria Bedetti Frade Tavares Rua Brasília, n. 91, Lucília 35930-010 - João Monlevade - MG 020530 - CRISTIANO REPOLEZ DOS SANTOS, maior, Técnico em Segurança do Trabalho, residência Rua Nova Lima, nº 57 C, Lucília, João Monlevade-MG, filho(a) de LUIZ CASSIANO DOS SANTOS SOBRINHO e JUDITH OLIVEIRA DOS SANTOS; e KÁTIA ELIAS DA SILVA, maior, Bacharel em Direito, residência Rua Nova Lima, nº 57 C, Lucília, João Monlevade-MG, filho(a) de SEBASTIÃO AFONSO DA SILVA e IVANICE ELIAS DA SILVA; 020531 - ALEXSANDER MIRANDA ANDRADE, maior, Mecânico, residência Rua Pontal, nº 76, Laranjeiras, João Monlevade-MG, filho(a) de NELSON ANDRADE e ROGÉRIA SOUZA MIRANDA ANDRADE; e YASMIN CRISTINA DOS SANTOS, maior, Vendedora, residência Rua Pontal, nº 62, Laranjeiras, João Monlevade-MG, filho(a) de GERALDO CUPERTINO DOS SANTOS e SHIRLEY CRISTINA GONÇALVES; 020532 - ANTONIO JOSÉ DE FREITAS, maior, Autônomo, residência Rua Caju, nº 14, Recanto Paraíso, João Monlevade-MG, filho(a) de JOAQUIM DOMINGUES DE FREITAS e MARLENE DE FREITAS NUNES; e BRIENDA GOMES GONZAGA, maior, Secretária, residência Rua Ipatinga, nº 546, Santa Bárbara, João Monlevade-MG, filho(a) de WICS LUIZ GONZAGA e TEREZINHA AUGUSTA GONZAGA DE FREITAS; 020533 - WELITON JOSÉ MARTINS DE CARVALHO, maior, Empresario, residência Rua Florianópolis, nº 139, Apto 101, Nossa Senhora da Conceição, João Monlevade-MG, filho(a) de JOSE MARTINS DE CARVALHO e MARIA DAS MERCÊS DE CARVALHO; e MIRELE ROQUE MAGALHÃES, maior, Gerente, residência Rua Olímpio Carvalho Lage, nº 340, Rosário, João Monlevade-MG, filho(a) de JOSÉ LUIZ DE MAGALHÃES e MARIA APARECIDA ROQUE MAGALHÃES;

Os contraentes apresentaram os documentos exigidos pelo art.1525do Código Civil Brasileiro. Se alguém souber de algum impedimento, que os impeçam de se casar, que o faça na forma da Lei:

João Monlevade 13/01/2022 ROSA MARIA BEDETTI FRADE TAVARES Oficial do Registro Civil Cartosoft - Automação de Cartórios do Registro Civil | www.cartosoft.com.br

1 Aluguel

IMÓVEIS APTO na av. Getúlio Vargas, em cima do Magazine Luiza, c/3 qtos (1 c/suíte), dependência. Bom p/ comércio. Tr. 98771-2900 _________________ APTO na rua Guanabara, 253, apt.106, bairro República. C/2 qtos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. Tr. 3852-2048 _________________ APTO na rua Hamacek, bairro Lucília, c/3 qtos (sendo 1 suíte), sala p/2 ambientes, banheiro social, cozinha, área de serviço, 2 vagas garagem, elevador. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ APTO na rua Lafaiete da Fonseca, bairro Mangabeiras, c/3 qtos (sendo 1 suíte), sala, cozinha c/área de serviço, área privativa, 1 vaga de garagem. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ APTO na rua Oswaldo Cruz, bairro Alvorada, c/3 qtos, sala, copa, banheiro social, cozinha, área de serviço, 2 vagas. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ APTO na rua Santa Mônica, bairro José Elói, c/2 qtos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço. R$400,00. Tr. Carlos 98681-8835

2667.indd 8

_________________ APTO no bairro Alvorada, c/3 qtos (suíte), sala p/2 ambientes, banheiro social, cozinha, área de serviço e garagem. Tr. 38515121 PJ3637 _________________ APTO no bairro Vale do Sol, rua Dona Clara, bloco 19, apt. 102, c/2 qtos, sala, cozinha e banheiro. Tr. Genivaldo 995890930 _________________ APTO no bairro Vale do Sol, c/3 qtos, sala, cozinha, área de serviço, banheiro social e garagem. Tr. 3851-5121 PJ3637 _________________ APTO p/temporada em Porto Seguro, c/2 suítes c/ar condicionado, sala conjugada, área de churrasqueira privativa com wi-fi, condomínio fechado, piscina. Localizado na Praia Taperapuã, próximo área do Axé Moi. Tr. (31) 98833-4631/ (31)98818-0090 _________________ BARRACÃO na rua Richard, nº 40, fundo com av. Getúlio Vargas 4.375, c/100m² livre, s/ divisória, 2 banheiros. Tr. 987712900 _________________ CASA na rua Santa Mônica, bairro José Elói, c/sala, 2 qtos, cozinha, banheiro, área de serviço. R$400,00. Tr. Carlos (31) 98681-8835 _________________ CASA na rua Virgílio Lima, bairro Lucília, c/2 qtos, sala p/2 ambientes, cozinha, banheiro social, área de serviço, garagem. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ CASA no bairro República, c/3 dormitórios, sem garagem, ótima localização. Tr. Luzia 38524190/98010-4190 _________________ LOJA na av. Alberto Lima, 1977. Tr. 99918-5050 _________________ LOJA na av. Getúlio Vargas, 6144, bairro Santa Bárbara. Tr.

3852-1030 _________________ LOJA no bairro Santa Bárbara, c/aprox. 60m², banheiro. Tr. 3851-5121 PJ3637 _________________ QUITINETE na av. Getúlio Vargas, c/1 qto, sala, cozinha e banheiro social. Tr. 3851-5121 PJ3637 _________________ QUITINETE na rua Guanabara, 209. Tr. 99781-4345/996026759 _________________ QUITINETE na rua Mumbica, bairro José Elói. Tr. Luzia 38524190/98010-4190 _________________ QUITINETE na rua Olinda Dias Fernandes, bairro Santa Bárbara. Tr. Luzia 38524190/98010-4190 _________________ QUITINETE na rua Pedro Aleixo, bairro República, c/1 qto, sala, banheiro social, cozinha, área de serviço, 1 vaga. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ QUITINETES (novas) na av. Getúlio Vargas, nº 4.375, bairro Carneirinhos. Tr. 98771-2900 _________________ QUITINETES (novas) na rua do Andrade, bairro José Elói, c/garagem. Tr. 38524190/98010-4190 _________________ QUITINETES (novas) nos bairros Rosário e José Elói. Tr. 3852-4190/98010-4190 _________________ RESTAURANTE montado, onde funcionava o Buteco da Vila, em frente à Funcec. Tr. 98771-2900 _________________ SALA COMERCIAL na av. Wilson Alvarenga, centro de Carneirinhos. Prédio c/2 elevadores e sala c/61m² de frente para a avenida. Tr. 99696-0162 _________________ SALA na av. Wilson Alvarenga, c/banheiro e área de 35m².

Tr. 3851-5121 PJ3637 _________________ SALA na av. Wilson Alvarenga, no edifício São Gonçalo. Tr. 3851-5121 PJ3637 _________________ SALA na rua Fernão Dias, bairro Rosário, c/aprox. 30m² e 1 banheiro. Tr. 3851-3596 PJ857

2 IMÓVEIS Compra e Venda

APTO na rua Etelvino Rocha, bairro Vale do Sol, c/3 qtos (sendo 2 c/móveis planejados), banheiro, cozinha planejada, uma vaga na garagem. Tr. Mauro 99946-9636 _________________ APTO na rua Gomes Batista, 639, apt. 202, bairro Lourdes, c/2 qtos (c/armários), sala, cozinha, banheiro, área de serviço, 1 vaga de garagem. Tr. 98510-1759/98201-0840 _________________ APTO na rua Guanabara, nº 209, bairro República, c/2 qtos, 2 banheiros, área de tanque e garagem. Tr. 997814345 _________________ APTO no bairro JK, c/3 qtos (sendo 1 suíte), sala de visitas, sala de jantar conj. c/ cozinha, área de serviço, banheiro social, 2 vagas de

garagem. Prédio novo, c/elevador, ótima localização. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ APTO no bairro Lucília, c/3 qtos (1 suíte), 2 vagas de garagem, sala p/2 ambientes, área de serviço, banheiro social, cozinha, varanda, elevador, estacionamento, interfone. Localização central, financiável. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ APTO no bairro Vale do Sol, c/3 qtos, sala, cozinha, área de serviço, banheiro social e garagem. Tr. 3851-5121 PJ3637 _________________ CASA em São Gonçalo do Rio Abaixo, c/2 qtos e demais dependências. Toda murada. R$98 mil. Tr. 97510-2426 _________________ CASA na av. Isaac Cassimiro Gomes, nº 1667, Loanda. Tr. 3850-8405/98011-3482 _________________ CASA na av. W3, nº 125, bairro Loanda, c/3 qtos, sala, copa, cozinha, banheiro, área. Tr. 97211-0340 _________________ CASA na rua Geraldo Miranda, 118, Centro, c/3qtos, 365m², garagem coberta p/2 carros. Documentação regular. Tr. 3852-2890 _________________ CASA na rua Palmeiras, 178, bairro Alvorada, c/510m², 8 qts, 3 salas, 6 banheiros, sendo 3 suítes. Garagem p/2 carros. Área livre no lote de 150m². Aceita-se troca por apartamento em Monlevade ou Belo Horizonte, ou lote. Tr. 98765-2269 _________________ CASA no bairro Nova Aclimação, c/3 quartos (sendo 1 suíte), sala p/2 ambientes, 2 banheiros sociais, lavabo, cozinha planejada, área de serviço, área gourmet, 2 vagas de garagem. Tr. 3851-3596

PJ857 _________________ CASA no bairro Paineiras, c/ área de 307m² e lote 388m², sendo frente de 14m e fundos área verde c/42m². Tr. 38515121 PJ3637 _________________ CASA no bairro São Jorge, c/3 qtos (sendo 1 suíte), 2 salas, banheiro social, cozinha, área de serviço, varanda, garagem descoberta p/3 carros. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ CASA/GALPÃO no bairro Nossa Senhora da Conceição, área construída c/aprox. 327m², 2 lotes c/área total de 600m². Tr. 3851-5121 PJ3637 _________________ CHÁCARA c/aprox. 3.068m², c/45m de frente; 86,36m pela direita; 50,04 pela esquerda; 57,83 metros pelos fundos. Tr. 3851-3596 PJ857 _________________ CHÁCARA em Bom Jesus do Amparo, c/2000m², c/ um imóvel de 10 cômodos. R$165 mil. Tr. 99626-6721 _________________ CHÁCARA no bairro Boa Vista, c/casa, 1200m². Tr. 98704-0531 _________________ CHÁCARAS (4) de 5 mil metros cada em São Gonçalo do Rio Abaixo, perto da Porteira Amarela. Valor a combinar. Aceita-se carro. Tr. 38510102/98962-0102 _________________ LOJA, sobreloja e quintal na av. Alberto Lima, 1977. Área total de 714m². Tr. 99918-5050 _________________ LOTE em Santa Rita de Pacas, próximo a Monlevade, c/377m². Valor: R$80 mil. Documentação em dia. Tr. Merciana 98848-8486 _________________ LOTE no bairro Metalúrgico. Tr. c/Edna ou Daniel 38510102

_________________ LOTE no bairro Sion, c/aprox. 360m², sendo 12m de frente, 12m de fundos, 30m na lateral direita e 30m na lateral esquerda. Tr. 38513596 PJ857 __________________ LOTES no bairro Cidade Jardim, localização privilegiada, próximo ao centro comercial. Lotes a partir de 360m², residenciais e comerciais, infraestrutura completa. Bom para morar, ótimo para investir. Desconto especial para pagamento à vista ou parcelamento em até 60 vezes. Tr. 3851-3596 PJ857 __________________ LOTES no bairro Sion, c/área de 360m². Tr. 3851-5121 PJ3637 _________________ PONTO COMERCIAL na av. Alberto Lima, nº1977, loja, sub loja e quintal. Área 714m². Tr. 999185050 _________________ PRÉDIO de 3 andares na av. Cândido Dias, bairro Loanda, nº1513 (possui 3 aluguéis). Tr. Edmilson 97501-8265 __________________ QUITINETE no bairro Rosário, rua Angelina Ponce Martins, c/ quarto, sala, cozinha, banheiro, c/52m². Vende-se ou troca-se. Tr. 98721-8650 _________________ SALA COMERCIAL em Carneirinhos, prédio c/2 elevadores, 60m². Tr. 99696-0162 _________________ SALA COMERCIAL na av. Wilson Alvarenga, centro de Carneirinhos. Prédio c/2 elevadores e sala c/61m² de frente para a avenida. Tr. 99696-0162 ___________________ SÍTIO c/2 casas, poço p/peixe c/ água de mina. Tr. 9751-02426 __________________ TERRENO c/7 hectares, casa colonial, ou chácaras. Na região de Abre Campo. Aceita-se troca no negócio. Tr. c/Edna ou Daniel 3851-0102

3 DIVERSOS

ACEITA-SE doações de roupas p/famílias carentes. Tr. Letícia 98936-2958 _________________ VENDE-SE esterco. Tr. 99530-0471/3852-2474 _________________ VENDEM-SE areia e brita. Tr. Rogério 98608-0943

4 SERVIÇOS

INVESTIGADOR particular c/10 anos de experiência. Tr. 99555-9153 _________________ PEDREIRO, serviços de alvenaria, lajes, ferragens, construção, acabamento. Tr. 98681-3393 _________________ PEDREIRO de alvenaria e acabamento. C/referência. Tr. 99921-1657 _________________ REALIZA-SE serviço de aterro e desaterro, retirada e remoção de terra. Tr. Adriano 98721-8650

13/01/2022 19:41:59


14 a 20 de Janeiro de 2022

Segundo bombeiros, quase duas mil pessoas estão desabrigadas

Polícia 9

NÚMERO REPRESENTA MORADORES DE QUATRO CIDADES ATENDIDAS PELO 6º PELOTÃO DO CORPO DE BOMBEIROS As fortes e persistentes chuvas na região do Médio Piracicaba deixaram, pelo menos, 1.925 pessoas desabrigadas ou desalojadas nas cidades atendidas pelo 6º Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), sediado em Itabira. A unidade atendeu aos municípios de Rio Piracicaba, Barão de Cocais, Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo, que tiveram os leitos de seus rios transbordados. “Em res-

posta a essa demanda muito acima do habitual, todo o efetivo de bombeiros militares do 6º Pelotão foi acionado. Militares de folga saíram de suas casas e se apresentaram para o serviço. Em todas essas cidades que pediram apoio, bombeiros do 6º Pelotão resgataram por barco 196 pessoas ilhadas e cerca de 570 foram alocadas em local seguro”, informa a corporação. Em Itabira, a atuação dos bombeiros foi principalmente

cortando árvores que caíram sobre diversas vias de acesso obstruindo o trânsito e em atividades de vistoria de deslizamento/ desmoronamento de encostas. O trabalho de socorro iniciou-se no sábado (8), finalizando na noite de segunda-feira (10).

NOVA ERA A cidade de Nova Era, que também foi castigada pela cheia do rio Piracicaba, recebeu

apoio do Pelotão dos Bombeiros de Ipatinga. Desde domingo (9), as equipes estão apoiando na retirada dos moradores das áreas de risco. Conforme a Prefeitura, só nos abrigos da Defesa Civil, que ficam em escolas públicas do município, há 200 pessoas desabrigadas. Essas pessoas precisaram sair de suas casas devido ao risco de desabamentos e alagamentos.

Avô suspeito de abusar da neta de 8 anos Após denúncia, a Polícia Civil investiga um homem de 78 anos, suspeito de abusar sexualmente da própria neta, uma criança de apenas 8 anos de idade. A ocorrência foi registrada na noite de segunda-feira (10), em Santa Bárbara.

De acordo com a polícia, a esposa do suspeito procurou a filha, mãe da menina, informando que por volta das 08h30 de sábado (8), ao acordar, percebeu que seu marido não estava na cama. Ela então foi até o quarto onde dormia a neta e depa-

rou com o homem abaixado na cama, acariciando a genitália da criança. Transtornada ela determinou que o marido saísse de casa. Conforme a Polícia Civil, a avó disse à mãe da criança, que o fato já teria acontecido por outras vezes. Ainda se-

gundo a polícia, o homem foi encontrado e disse estar arrependido. A mãe da vítima foi orientada a realizar o registro na Polícia Civil por se tratar de um fato que ocorreu em data anterior. A criança foi encaminhada para hospital para avaliação e exames.

Divulgação/CBMMG

BOMBEIROS atuam em cidades da região

Policiais ambientais resgatam cerca de 20 PM procura por Fiat Uno furtado no Sion pessoas em Rio Piracicaba A Polícia Militar está a procura de um automóvel furtado nesta terça-feira (11) em João Monlevade. O Fiat Uno de placas GQG-7066 foi estacionado por seu dono por volta das 12 horas na avenida Sebastião Simão de Almeida, no bairro Sion, para mais um dia de trabalho. Quando o proprietário voltou, por volta das 18 horas, o carro simplesmente não es-

tava mais lá. A Polícia Militar foi acionada e iniciou o rastreamento, verificando também as gravações das câmeras de videomonitoramento da vizinhança para tentar encontrar alguma pista. No entanto, até o fechamento desta página, nenhum sinal relevante foi encontrado. Qualquer informação pode ser enviada pelos telefones 190 ou 181.

Reprodução

Exames de direção também Criança morre soterrada serão realizados aos sábados em São Gonçalo do Rio Abaixo

VEÍCULO foi levado por bandidos

Uma menina de 11 anos morreu após um muro cair sobre sua residência, na comunidade do Borges, em São Gonçalo do Rio Abaixo. Ana Clara dos Reis Oliveira, filha de Adriano de Oliveira e Gircilaine Eliana dos Reis Oliveira, ficou soterrada, não resistiu e faleceu. O acidente aconteceu por volta de 1h da manhã de domingo (9). Segundo a Prefeitura, a

queda do muro ocorreu devido às constantes chuvas dos últimos dias e não em virtude de enchentes. Desde às 20h de sexta (7), a Defesa Civil de São Gonçalo e equipe de assistência social, sabendo da previsão da Cemig de alagamentos, se mobilizaram para retirar o máximo possível da população ribeirinha e demais áreas de risco.

A partir de fevereiro, a banca examinadora de testes de direção para habilitação de motoristas de veículos automotores em João Monlevade passará a atender também aos sábados. Conforme a Polícia, a mudança vale para todas as bancas examinadoras do 12º Departamento de Polícia Civil de Ipatinga, composto pelas Unidades Regionais de Ipatinga, Caratinga, Itabira, João Monlevade, Ponte Nova e Manhuaçu, bem como pelas bancas de Coronel Fabriciano e Timóteo. “Importante ressaltar que essa padronização de atendimento das bancas examinadoras nos fins de semana irá respeitar as peculiaridades

e necessidades de cada região”, informa a Polícia Civil. Segundo o coordenador da banca de Itabira, delegado Helton Cota Lopes, esse atendimento trata-se de uma ação em favor dos usuários da região. Conforme, o delegado geral e presidente das bancas examinadoras, Gilmaro Alves Ferreira, o funcionamento aos sábados visa atender a população que tenha qualquer impossibilidade de marcar os exames para dias de semana, podendo então agendar exames para o sábado. A determinação é que todas as bancas devem funcionar ao menos dois sábados por mês.

Batida entre carro e caminhão mata quatro pessoas na BR-381 Quatro pessoas faleceram em um grave acidente no trecho de Bela Vista de Minas da BR-381. Por volta das 21 horas da sexta-feira (7), um Volkswagen CrossFox, que seguia no sentido Belo Horizonte, rodou na pista em uma curva depois de perder o controle e bateu em um caminhão-guincho. O Serviço Voluntário de Resgate (Sevor) e o Grupo de Atendimento Voluntário de Emergência (Gave) foram chamados para socorrer as vítimas. Duas mulheres faleceram ainda no local, enquanto duas crianças e o motorista foram levados ao Hospital Margarida. No entanto, as crianças faleceram, enquanto o motorista, segundo as atuais informações, está em estado grave. Os Bombeiros 2667.indd 9

Divulgação

POPULARES foram resgatados de barco

A Polícia Militar do Meio Ambiente (PMAmb) de João Monlevade participou do resgate de cerca de 20 vítimas das chuvas em Rio Piracicaba apenas no domingo (9). Os militares deslocaram-se para o socorro, conseguindo dois barcos a motor, unindo-se aos colegas da cidade inundada. Entre os salvos, estavam três pessoas cuja embarcação batera numa árvore e naufragara na enchente. Além dos policiais, havia

também equipes dos bombeiros e de voluntários. O salvamento foi encerrado com o anoitecer, pois a visibilidade era baixa e a água permanecia elevada: em três bairros, os primeiros andares estavam quase completamente cobertos. Participaram o sargento Winter e os soldados Martins e Marlon, com o apoio do sargento Souza, da 17ª Companhia Independente, e do sargento Fernandes, da reserva remunerada.

Reprodução

REGIÃO tem sido palco de acidentes graves

Voluntários de São Domingos do Prata também foram acionados, mas pouco pude-

ram fazer, pois as vítimas já haviam perdido a vida. A Perícia Técnica da Polícia

Civil esteve no local, fez os trabalhos de praxe e liberou ou corpos. 13/01/2022 19:42:00


14 a 20 de Janeiro de 2022

10 Geral

Monlevade exigirá vacinação completa para eventos públicos e privados A vacinação completa contra o coronavírus será exigida para ingresso em eventos públicos e privados de João Monlevade. A medida está prevista no decreto 12, assinado nesta quinta-feira (13) pelo prefeito, Laércio Ribeiro (PT). Segundo a Prefeitura, “a decisão leva em conta o atual cenário da pandemia do coronavírus, que aponta aumento do número de casos de Covid-19 na cidade, decorrente da variante ômicron. Também é levado em consideração, a proximidade do Carnaval e a provável realização de festas que ocorrem no período”. Os estabelecimentos que

realizem esses eventos, incluindo clubes e casas noturnas, devem exigir a apresentação de um comprovante de imunização, independentemente da quantidade de pessoas presentes. Esse comprovante pode ser o cartão de vacinação em papel ou através dos aplicativos Conect SUS e Conecta Monlevade. As empresas que descumprirem o decreto estão sujeitas a multa de uma Unidade Fiscal Padrão do Município de João Monlevade (UFPMJM), atualmente em R$259,04, por pessoa presente e descumprindo a exigência. Em caso de reincidência, a multa sobe para três

Em sete dias, João Monlevade registrou 315 casos da Covid-19. Se na última quinta-feira (6) a cidade tinha 10.943 registros da doença, ontem (13) já eram 11.258

ocorrências, um aumento de 2,87% em uma semana. Atualmente, 372 pessoas cumprem o isolamento em João Monlevade e 10.634 estão recuperadas, representando um

UFPMJM por pessoas descumprindo. Persistindo o incumprimento, o estabelecimento estará sujeito a suspensão do alvará de funcionamento por até 60 dias e até ao fechamento compulsório do local.

VACINAÇÃO Hoje (14), Monlevade segue com a aplicação das três doses da vacina de 7h30 às 10h30 e de 13h às 16h, a pé, exceto na Policlínica (Antigo PA) onde a aplicação será de 8h às 10h30 e de 13h às 16h. Os adolescentes de 12 a 17 anos, que ainda não se vacinaram, receberão a primeira dose: na Policlínica

Mais de 300 novos casos de Covid-19 em uma semana

2667.indd 10

no bairro Belmonte, Centro Social Urbano (CSU) no Loanda, Centro de Saúde do Santo Hipólito, Centro de Saúde do Novo Cruzeiro, Centro de Saúde do Laranjeiras, Centro de saúde do Cidade Nova e no Centro de Saúde Padre Hildebrando no Vila Tanque. Nestes mesmos locais, também haverá a terceira dose para pessoas de 18 anos ou mais que receberam a segunda dose há, pelo menos, quatro meses; gestantes e puérperas (de 18 anos ou mais) que receberam a segunda dose há, pelo menos, cinco meses e imunossuprimidos que receberam a segunda dose há, pelo menos, 28 dias. Pessoas que receberam a primeira dose de Janssen há, pelo menos dois meses, serão vacinadas com a dose de reforço na Policlínica.

Quem tomou a primeira dose de Pfizer há, pelo menos, 21 dias, receberá a segunda dose nos locais citados. Já quem tomou a primeira dose de AstraZeneca há, pelo menos, 56 dias, receberá a segunda dose no centro de saúde Padre Hildebrando ou no centro de saúde do bairro Cidade Nova. Quem recebeu a primeira dose de Coronavac há, pelo

menos 28 dias, deverá se dirigir ao centro de saúde do bairro Novo Cruzeiro para receber a segunda aplicação. Os adultos (pessoas de 18 anos ou mais) que ainda não receberam a primeira dose da vacina devem procurar o centro de saúde Padre Hildebrando ou o centro de saúde do bairro Cidade Nova. Em ambos os locais haverá repescagem para os adultos.

índice de cura de 94,45%. No entanto, não houve nenhuma morte de monlevadense infectado em 2022. Desde o dia 31 de dezembro, foram confirmadas 421 infecções pelo coronavírus. De acordo com o mais recente boletim do Hospital Margarida, divulgado às 15h30 de ontem, apenas o Centro de Terapia Intensiva (CTI) especial está em uso, abrigando um paciente que aguarda o resultado de exames. Já a enfermaria e o ambulatório especiais permaneciam vazios.

13/01/2022 19:42:00


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.