Issuu on Google+


Editorial VALORIZEMOS A VIDA E NÃO SEJAMOS JULGADORES DA VIDA ALHEIA! Prezados Leitores e irmãos de fé é com imenso prazer que me dirijo a vocês para dividir dois ensinamentos de grande valor, quais sejam: dar maior valor as coisas positivas da vida e se afastar dos julgamentos maléficos da vida alheia. Na árdua e longa trilha de nossas vidas por vezes nos deparamos com situações que acabam por desvalorizar a essência do bem e da felicidade em viver, por tal motivo se faz vital a fé em nossos corações. Válido em larga escala é percebemos que ao destacarmos com a devida ênfase as coisas boas da vida, os bons momentos, as vitórias, as conquistas, os méritos de um trabalho bem feito sem desmerecer as tarefas realizadas por nosso próximo, estaremos construindo um alicerce bem sólido que nos ajudará a não ceder frente às adversidades da vida. Trabalhemos incessantemente por um mundo melhor dando maior importância ao que bom temos e construímos na vida do que às mazelas

que acabam por existir em nossa caminhada. Viver melhor é valorizar a si mesmo respeitando ao próximo, viver bem realmente é dar suporte a quem necessita sem antes de prestar-lhe ajuda expô-lo ao ridículo frente à sociedade. Necessário sempre ouvir com atenção as diversas versões de uma história e todos os envolvidos na mesma antes de proferir um posicionamento, pois desta maneira cometer injustiças se torna mais difícil. Crescer como ser humano é adotar um método de vida positivo nunca utilizando como meio para um possível sucesso o desprestígio de nossos pares, desenvolver-se humanamente é crescer por nossa competência e capacidade próprias sem lançar ao abismo o mais fraco ou a pessoa que por consequência natural esteja em posição concorrente. Ser grande verdadeiramente em matéria ou em espírito é analisar uma dura situação ou fato apontado uma maneira de se melhorar ou corrigir prováveis erros, isto sem julgar indiscriminadamente o suposto agente das questionadas falhas, isto é, sem ser um julgador da vida alheia.

CARTAS: CEGONHA - SOL E ESTRELA

PARTE AFETIVA- É um mês de muita novidade, dando prioridade a inícios de novos relacionamentos e um possível renascimento no aspecto emocional. Essas cartas falam muito de uma possibilidade de muito romantismo, sinceridade e cumplicidade num momento a dois. PARTE FINANCEIRA E PROFISSIONAIL: Essas cartas trazem a colheita de um plantio passado, perseverança e conquistas de projetos, com muito esforço, paulatinamente, mas é um período favorável a dar início a novos planos. Devese utilizar o máximo da criatividade e agilidade nesse período. SAÚDE- Período ótimo para as mulheres que pensam em engravidar. Nesse período as mulheres devem voltar a atenção fisicamente ao lado feminino e hormonal e aos homens voltarem a sua atenção ao lado circulatório. FAMÍLIA- Ótimo mês para reconciliação, renovação no ambiente familiar. Período de paz e muita alegria em família e amigos, periodo de trocas e companheirismo entre familiares, amigos e pessoas próximas. Essa é a mensagem dessas três cartas do baralho cigano, falando um pouquinho da previsão desse mês de fevereiro.

Sábio lembrar que nos momentos dolorosos ou de grande dificuldade o necessitado carece primeiro de socorro, e somente em momento posterior de inquirição para saber os motivos que o levaram a cometer atos que o alçaram a dor ou a dificuldade extrema. Que Oxalá ilumine o caminho de todos nós! Salve a Umbanda, que é amor e caridade, Salve Zambi! Alexandros Barros Xenoktistakis

EXPEDIENTE Diretor: Engels B. Xenoktistakis Direção de Arte: Daniel Coradini Redator: Engels B. Xenoktistakis Colaboradores: Adriano Camargo / Ronaldo Linares e Alexandros Xenoktistakis Assessoria Jurídica: Alexandros Barros Xenoktistakis – OAB/SP 182.106 contato: jornal@aldeiadecaboclos.com.br


O maior santuário ao ar livre da América Latina SANTUÁRIO NACIONAL DE UMBANDA

Santuário dos Orixás

Imagem de Oxossi restaurada Abertura do ano espiritual

Reserve sua área!

Faça uma excursão e venha conhecer! Loja

Oferendas e Trabalhos

Conheça os livros de Pai Ronaldo Linares

Amplo estacionamento, Lanchonete, Loja de Artigos Religiosos, Locais para trabalhos e oferendas. Como chegar no Santuário De ônibus: Existe uma única linha de ônibus que vem até o Santuário. A boa notícia é que temos um ponto de ônibus bem em frente à Portaria. Esta linha chama-se LINHA 26 - BARALDI e passa em frente aos seguintes terminais: Terminal do Paço Municipal de São Bernardo do Campo Terminal Ferrazópolis de São Bernardo do Campo Se você estiver na cidade de São Paulo, a melhor alternativa é dirgir-se à Estação Jabaquara do Metrô. Lá, pegue um Trólebus que venha até o terminal Ferrazópolis de São Bernardo do Campo. Em frente ao terminal, pegue o Linha 26 - Baraldi.

www.santuariodeumbanda.com.br federecaoabc@terra.com.br

Estrada do Montanhão 700 - Pq. do Pedroso - Santo André - SP

(11) 4338-0946 / 4238-5042 / 4338-0261


página 4

Se cada um fizer a sua parte podemos construir uma realidade melhor Falando de Umbanda

Nada mais propício neste mês de Oxosse que nos lembrarmos daquele dia mágico no SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA quando plantamos as mudas para Oxosse, semeando o terreno não com plantas apenas, mas sim com amor, fé e energia: “A natureza se fez presente no sábado dia 15 de outubro quando, no dia do plantio das mudas no SANTUÁRIO. A chuva não cessou em nenhum momento, abençoando e purificando as plantas oferecidas a Oxosse e aos Caboclos, numa bela demonstração de unidade e fraternidade da comunidade umbandista. Foi contagiante observar as pessoas chegando vestidas de branco carregando suas mudas e colocando-as junto às demais. A chuva, o frio, o barro, nada foi suficiente para afastar a fé e a esperança dos que lá estiveram doando sua fé, sua alma e sua espiritualidade, permitindo que suas entidades estivessem todas juntas naquele momento tão sublime. A Cabocla Jurema Caçadora recebia a todos na entrada do SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA o Caboclo Tupinambá, incorporado na Babá Dirce foi quem abriu a Gira Coletiva dando oportunidade a todas as demais entidades para que abençoassem as plantas ali presentes. Nada podia ser mais emocionante e belo. Todos no mesmo espaço, saudando uns aos outros, ao som da curimba de nosso querido e sempre presente Babalaô Engels (filho de fé, amigo e parceiro)”.

Foram semanas difíceis, pois tínhamos um cronograma a seguir: limpar o terreno; deixar o caminho seguro para o acesso; abrir as covas num terreno árido cujo solo era extremamente duro; etc. Tudo isso sem deixar de lado as atividades diárias normais do SANTUÁRIO, ou seja, os funcionários se desdobraram para que tudo estivesse pronto para o grande dia. Até a estrada, que costuma ficar difícil para o tráfego em dias de muita chuva, estava em boas condições de trânsito Tivemos a visita do ilustre Deputado Federal Vicentinho (PT/SP). Apresentado a todos pelo Pai Ronaldo que ressaltou sua origem humilde e a dedicação em evitar o fechamento da Estrada do Montanhão. O Deputado Vicentinho, em poucas palavras, demonstrou sua indignação com a injustiça que estamos sofrendo e colocou-se à disposição para ajudar-nos nessa luta contra uma atitude que não se explica em si, que não deixa claro os seus motivos e que não nos permite defesa. Seu Tupinambá convidou a todos para seguirem até o Monumento de Oxosse no Vale dos Orixás, o que foi feito e lá, diante da imagem do Orixá os Caboclos abençoaram também as mudas que lá estavam. Antes de Seu Tupinambá deixar o local, chamou a todos para dar seu recado. Pediu a todos irmãos para demonstrarem que a Umbanda é união, fé e confraternização. Disse para que não fiquem dispersos, pois a união é a base da religião. Convocou Pai Ronaldo para que realizasse mais giras coletivas como essa, dando oportunidade também aos Pretos Velhos e ao povo que se veste bonito (forma carinhosa com que

se referiu aos ciganos e que tirou sorrisos de todos os presentes). Os presentes formaram uma procissão e seguiram até o local do plantio (já que não houve desmatamento dentro do SANTUÁRIO , o plantio teve que ser feito em um local distante aproximadamente 150m). Sob muita chuva e sobre muito barro as pessoas foram chegando e escolhendo o local para suas mudinhas. O som de todos conversando, se ajudando mutuamente, rindo e cantando foi como uma música em nossos ouvidos. “Me empresta a faca para cortar o plástico”? “Já usou o baldinho”? “Posso pegar um pouquinho”? “Me ajuda abrir a lata da muda”? “Onde está a terra vegetal”? E assim fomos vendo as plantas colorirem aquele espaço vazio. No fim de tudo, ao sair daquele espaço agora verde, pudemos ter a certeza de que somos abençoados, pois, nós espiritualistas, sacerdotes, médiuns, sabemos que carregamos um fardo pesado; • sabemos que sofremos com preconceitos, injustiças e pela ignorância daqueles que não se dignam a conhecer nosso trabalho, mas não perdem a oportunidade de criticá-lo; • sabemos que não somos totalmente donos de nossas vidas, pois somos instrumentos para servir; • sabemos que doamos muito mais de nós do que recebemos; • sabemos que a vida de um espiritualista muitas vezes é cheia de dúvidas e incertezas;


Mas em compensação sabemos que somos os escolhidos.

Ser escolhido para um missão é tão difícil, não parece ser um presente. MAS É! É a oportunidade de estar em contato com mundo espiritual, trazendo ensinamentos, bênçãos e curas para os necessitados. É a oportunidade de purificar a alma e estar mais perto de Deus. Vamos lembrar-nos de uma citação de Léon Denis (filósofo espírita, seguidor de Allan Kardec, aclamado presidente do Congresso Espírita Internacional em 1925, em Paris, onde foi formada a Federação Espírita Internacional: “Recorda-te de que a vida é curta; esforça-te, pois, por conquistar, enquanto o podes, aquilo que vieste aqui realizar: o verdadeiro aperfeiçoamento. Possa teu espírito partir desta Terra mais puro do que quando nela entrou! Pensa que a Terra é um campo de batalha, onde a matéria e os sentidos assediam continuamente a alma; corrige teus defeitos, modifica teu caráter, reforça a tua vontade; eleva-te pelo pensamento, acima das vulgaridades da Terra e contempla o espetáculo luminoso do céu.” “Temos por templo o Universo, Por altar a consciência, Por imagem Deus, Por lei a caridade. Além do que A natureza é nossa igreja” “A Umbanda não precisa de uma catedral como só o gênio humano é capaz de construir. Ela só precisa de um pouco de natureza, como só Deus foi capaz de criar” Pai Ronaldo Linares O plantador de florestas F. U. G. ”ABC” www.santuariodaumbanda.com.br www.casadepaibenedito.com.br 4338-0946 / 4338-0261

Sua empresa poderia estar AQUI! sco o n o C e i br . m o Anunc c . s clo o b a c e d eia d l a @ l a 1 1 0 5 jorn 6 4 (11) 77 4 7 3 4 6 9 (11) 27


página 6

DEPOIMENTO

Olá irmãos(ãs), amigos(as) e leitores. Há tempos venho refletindo sobre o tema “maturidade” e tenho percebido uma certa resistência das pessoas quando falamos sobre isso. Ouço diversas opiniões e acho interessante, pois percebo o quanto somos diferentes uns do outros e o quanto isso é importante para nossas vidas. Podemos a todos os momentos aprender com isso, com pontos de vista diferentes e maneiras diversas de enxergar a vida. Percebei que maturidade é algo ainda muito questionado entre nós, pois para termos isso em nossas vidas, não basta apenas “ anos de vida”, mas sim como vivemos esses “anos em nossas vidas”. Até mesmo depois de tempos de existência, ainda temos muito que amadurecer, principalmente quando vivemos em épocas de inovação. Época de uma outra realidade onde aquilo que tínhamos como certo e verdadeiro em nossas vidas, poderá dar espaço a outro aprendizado, sendo necessário “ esvaziar “ o velho para que o novo comece a fazer parte de nós. Para isso é necessário mudar, e quando falamos em mudança temos medo do que possa vir acontecer. Mas mudar significa muitas vezes sair de nossa condição (muitas vezes cômoda ) para fazer e agir diferente, sendo necessário em alguns momentos abrir mão de algo para conquistarmos coisas novas em nossas vidas. Mudar é amadurecer, é em um determinado momento de nossas vidas, traçar um novo caminho onde a única certeza que temos naquele momento é a

vontade de querer acertar novamente. Amadurecer, é muitas vezes sofrer uma transformação e viver uma outra realidade, um outro momento. E alcançar a maturidade é difícil, pois amadurecer é perceber a hora certa de aproveitar um momento, uma oportunidade, tomando o cuidado de não deixar “ apodrecer ” o fruto de nossas vidas, aquele nosso sonho ou desejo simplesmente pela nossa falta de atenção de enxergar a hora certa de colher. Alcançamos a maturidade, quando deixamos nossa vaidade de lado para fazermos o que tem q ser feito, não importante com o que os outros dirão a respeito, pois as críticas sempre farão parte de nossas vidas. Caberá a nós saber lidar com elas. Alcançamos a maturidade, quando aprendemos que caridade não significa dar o que sobra, mas muitas vezes dividir o pouco que temos. Ser caridoso não significa ser tolo, mas sim ter em seu coração o desejo de ajudar. Nem sempre a ajuda que a vida pede é financeira, muitas vezes alguém precisa simplesmente ser ouvido, de um simples abraço... E você, já abraçou alguém hoje?

Alcançamos a maturidade, quando percebemos que para ser feliz, basta querer ser.... Felicidade é algo que não está nas mãos dos outros, mas sim nas nossas. Compartilhar nossa felicidade é possível, esperar que alguém nos faça feliz não, pois depende de nós para que isso aconteça.

Alcançamos a maturidade, quando aprendemos que “dar a outra face” não significa “ apanhar de novo”, mas sim dar uma nova chance a quem errou. Lembrando que se hoje houve erros, devemos refletir pois amanhã poderá ser nós o autor desse erro. Daí, com o mesmo “peso” que julgarmos, seremos julgados. Alcançamos a maturidade, quando percebemos que “perdoar” não significa apenas pronunciar: Eu te perdôo... Perdoar é sentir nosso coração em paz quando nos deparamos com aquela pessoa que, supostamente errou contra nós... Com o tempo, perceberemos que somos mais perdoados do que perdoamos.... E porque então, quando temos a oportunidade de perdoar alguém, não assim fazemos? Puramente por orgulho nosso? Alcançamos a maturidade, quando deixamos de lado todo o orgulho que temos dentro de nós e vivemos a vida em sua totalidade. Perceba algo agora: Retire 03 situações de sua vida nesse momento: Sua classe social, sua raça e suas roupas. O que sobra? Mas o que diferenciará uma pessoa da outra nessa situação? Agora, retire também o dom de falar e nossa inteligência, algo que Deus nos proporcionou. O que resta? Até quando iremos fazer diferença uns dos outros, simplesmente por nossa condição de vida ou maneira de se vestir?


página 7 Ser ignorante não significa ser menos favorecido culturalmente, mas sim não ter olhos para enxergar a vida e perceber que se existem diferenças, são elas apenas momentâneas. Alcançamos a maturidade, quando aprendemos que amar não significa dizer apenas “eu te amo”, mas sim aceitar as pessoas como elas são, mesmo sabendo que elas poderão nos decepcionar lá na frente... E decepção não significa somente que alguém “pecou” contra nós, mas que muitas vezes criamos “pessoas e situações” da qual queríamos que fosse da nossa maneira, quando na verdade as coisas são como são e não devemos culpar os outros pelas nossas falhas. Amar é bem diferente do que ser possessivo. É muitas vezes abrir mão daquilo que acreditamos ser nosso, para seguir seu rumo, mesmo sendo ele diferente do nosso. Alcançamos a maturidade quando pedimos a Deus algo, e deixamos ele agir. Alcançamos a maturidade, quando aprendemos que, aquilo que sabemos ou temos como verdade em nossas vidas, pode ser pouco diante de tudo do que Deus criou, e ainda cria.... A vida muitas vezes nos coloca diante da seguinte escolha: Você quer ser feliz, ou somente ter razão? Alcançamos a maturidade, quando percebemos que ainda temos muito o que amadurecer.

http://www.facebook.com/jrtuca f.pjunior@uol.com.br “ Dedico essas palavras ao meu amigo e mentor Pai João de Aruanda, um ex-escravo que mesmo preso fisicamente quando vivo, sempre foi livre de espírito.Com certeza sem sua inspiração, nada aqui escrito teria sentido.”

T.U OGUM MEGÊ CABOCLO FLEXEIRO E BAIANO ZÉ DO COQUINHO

Sessões às sextas-feiras, a partir das 20:00 horas. Orientação espiritual do Babalorixá Luciano ty Ogun.

Um forte abraço a todos!

Junior Pereira Sacerdote Umbandista Grupo dos Eternos Aprendizes. T.U.C.A. - Templo de Umbanda Caminhos de Aruanda. http://www.twitter.com/otuca

Rua Professor Alberto Levy, n° 6 - Bairro Vila Leonor

Tel.: (11) 2218.2790


página 8

Não desanime, organize-se! Ervas na Aldeia Salve sagrados amigos, leitores, irmãos nas ervas, em Mãe Natureza e na nossa Sagrada Umbanda. Um mês já se passou desse novo ano e o que você já fez? A maioria de nós se preocupa com as resoluções de final de ano. Se preocupa em tirar as coisas velhas do caminho, limpar, reformar, pintar a casa; doar as roupas que não usa mais, equipamentos obsoletos ou que não funcionam vão para o lixo ou para algum bazar de caridade, enfim, todo o descarte costumeiro. Promessas de mudanças, transformações, mas ai e pergunto novamente - após alguns dias do novo ano, quando percebemos que os fogos de artifício já terminaram seu show, os enfeites de natal já foram para a caixa em cima do armário, pisca-piscas desligados, e ai, o que você já fez? O que colocou em prática efetiva? Ou as coisas já estão voltando ao “normal”, como sempre foram? Pois é, passou o fim de semana com comida diferente, as férias vão ficando para traz e tudo volta ao normal. Muitos de nós sofrem com a procrastinação. O que é esse palavrão? Simples, procrastinar é adiar, é deixar para manhã o que podemos fazer já, agora mesmo, com senso de urgência, com senso de poder realizador. Algumas coisas que combinamos com a gente mesmo no final do ano vão ficando para depois porque damos prioridade ao momento, aquilo que deve ser feito na hora, ou mesmo ao direito (justo por sinal) à preguiça. Eu mesmo, depois de alguns anos, me dei o direito a alguns dias de férias e outros de preguiça, direito ao sofá, televisão, além da bacia de pipocas, sorvete e outras coisas que engordam. A família sempre acostumada com a ausência até acha estranho, diferente. Todos nós temos o hábito e o direito a adiar alguma coisa, desde que não seja prejudicial a si mesmo, a outros ou ao meio que você participa. É natural apertar o botão de soneca do despertador, mas não é adequado atrasar-se sempre com seus compromissos pois credibilidade é algo que se perde em segundos. Como voltar à rotina sem perder o pique das resoluções de ano novo? Sem se acostumar com a natural calmaria

e a eventual preguiça das férias? Algumas dicas podem ser interessantes se você também não adiá-las e colocá-las em prática imediatamente: * - Procure escrever suas tarefas. Meta é sonho com data marcada. Coloque prazo para atingir seus objetivos, prazos coerentes e compatíveis com todas as atividades que você deve cumprir. * - Compartilhe seus objetivos com alguém de confiança que poderá te ajudar a lembrar deles. Não enxergue isso como uma cobrança e não se incomode por alguém te lembrar que deve cumprir algo, isso mostra que você está vivo, é capaz de fazê-lo e que tem alguém que se importa com isso além de você. *- Separe e divida as grandes tarefas em pequenas realizações. Acabamos por não começar uma tarefa grande porque sabemos que uma coisa leva a outra, as vezes dependem de terceiros, consomem tempo, irão encavalar com outras tarefas de igual ou maior importância, então vão ficando para traz. Quebre as grande tarefas em pequenas e, se puder, divida-as com pessoas que podem te ajudar de alguma forma. Um exemplo disso é a pessoa que resolve sozinha pintar sua casa: olha as paredes e vê que antes da

pintura propriamente dita é necessário passar massa corrida para tirar os defeitos, tapar os buracos, precisa resolver uma infiltração que está causando uma umidade e bolor de aparência desagradável, por isso antes de pintar precisa subir no telhado, trocar as telhas quebradas, passar impermeabilizante e só depois mexer na pintura interna. Acaba não fazendo porque, mesmo tendo habilidade para a pintura não se sente apto a fazer a manutenção no telhado. Mas isso pode e deve ser tarefa de um especialista, um profissional da área. Mesmo que demore ou que tenha um custo num primeiro momento, se planejado pode ser executado e ficará pronto um dia. Se olhar para a tarefa e vê-la como um todo, a probabilidade de desanimar é alta. Mas se entender que pode num mês consertar o telhado, pagando nos próximos 3 meses, e assim que terminar esse pagamento ai sim posso investir no manutenção interna, tudo fica mais simples e barato, pois acabamos diluindo o custo e o tempo. Pode ser que não possamos dedicar tempo integral à pintura, mas podemos planejar a cada final de semana, ou dia livre enfim, dedicado a um cômodo, ou a um conjunto de paredes. Esse exemplo da pintura é uma forma de vermos que tudo é possível quando planejamos, assim como a aquisição de um bem de consumo de valor elevado. Talvez não consigamos faze-lo de uma vez, mas se planejarmos uma forma de economizar, quem sabe


página 9 não podemos alcançar esse objetivo num tempo menor do que o previsto, não é? Planejamento evita frustração, é anti-depressivo e motivador. Se você pensar no planejamento como algo chato de ser feito ele será, mas se vê-lo como a ferramenta que leva à realização, com certeza irá amar planejar sempre. Na nossa vida religiosa vemos situações onde o planejamento é necessário. Algumas pessoas me perguntam, por email, no facebook ou mesmo pessoalmente, se devem abrir seus terreiros, ou se devem trabalhar como médiuns, ou se devem desistir de tudo, ou se é o momento de estudar. Muitos falam pra mim: faz um tempão que quero fazer curso com você! Mas sempre vou deixando pra depois. Hoje temos oportunidade de fazer cursos presenciais, virtuais, com aulas mensais, enfim, dá pra planejar sim uma boa formação durante um ano. Não só os cursos de ervas, mas de teologia, curimba, etc. É possível planejar uma formação sacerdotal. Um curso de formação tem duração de dois a três anos, mas se você não começar agora, vai demorar mais para terminar. Assim como um pessegueiro plantado hoje demora seis anos pra dar frutos, se for plantado daqui a um mês demorará seis anos e um mês... daqui a um ano serão sete anos... Vale lembrar que abrir um terreiro é missão. É tarefa

que trazemos na programação (planejamento) de nossas vidas antes de acordarmos na matéria. Os guias espirituais sabem dessa programação e nos guiam nesse caminho. Confiança e verdade pessoal são indispensáveis para que essa decisão seja assertiva. Algumas pessoas abrem um terreiro para resolver seus problemas de convivência e sociabilidade, atraindo assim apenas aquelas pessoas que consigo concordarão e rezarão sua cartilha. Que acreditarão nas suas palavras e não perceberão seus atos. Mesmo assim essas pessoas estarão contribuindo com a religião mostrando até mesmo o que não deve ser feito, pois muitos que serão atraídos pelas palavras doces, perceberão o fel de seus corações e seus objetivos verdadeiros e naturalmente encontrarão seu caminho na religião. Outra coisa, estudar é preciso sim! As criticas em relação às formações de sacerdotes e médiuns normalmente vem de quem não oferece nada para a religião. Portanto, vamos estudar, aprender sempre, afinal o conhecimento ninguém tira de você. Enfim, use seus recursos para o bem. Essa matéria pode ser uma ferramenta para você. Seu computador, a internet, as redes sociais podem ser para o bem, desde que não façam seu tempo ir para o ralo com coisas fúteis e sem aproveitamento. Equilibrar é preciso, viver a vida como ela é, conviver com a família e os amigos, ter tempo para a vida.

Descansar e acordar disposto. A vida passa rápida demais. Viaje, conheça novos lugares, mesmo que seja através de um livro. Leia mais, converse mais, acrescente conteúdo, aprenda sobre as ervas, sobre religião, sobre Umbanda. Faça caridade da forma que você se sinta bem fazendo e não por obrigação, nunca. Seja verdadeiro mas, cuidado para que seu excesso de verdade e sinceridade não magoe pessoas que sorriem pra você quando gostariam de apontar seus defeitos mas não fazem por caridade. Quero aproveitar e dividir com todos que nesse ano falarei muito mais sobre as ervas, escreverei textos inéditos e colocarei filmes curtos na internet sobre cada erva, teremos novos cursos virtuais e novo conteúdo apostilado nos cursos tradicionais. Esse é um pedacinho dos meus planos pra 2012... sei que muitos me ajudarão a não esquecê-los! Muitíssimo obrigado! Bênçãos de Mamãe Natureza em nossas vidas! Forças de Jurema! Adriano Camargo – O Erveiro www.erveiro.com.br www.facebook.com\adrianoerveiro (11) 4177-1178

tumeiro, passando a ser até estranho se o preparo não levar o alecrim.

Alecrim

O banho apenas com essa erva é extremamente equilibrador e tranqüilizador, nas composições, entra como uma poderosa erva de Oxalá que dá consistência e estabilidade ao preparo. Adequações regionais: Alecrim de angola – Vitex agnus-castus L. Alecrim pimenta; alecrim do nordeste; Alecrim bravo – Lippia sidoides Cham. Alecrim da chapada; Alecrim de tabuleiro – Lippia microphylla Cham. Atenção: não confundir com Lippia Alba (Melissa)

Esse pequeno arbusto de folhas verdes-prateadas, duras e espetadas é verdadeiramente a erva da alegria e paz de espírito. Os vários alecrins já foram descritos em uso ritualístico e na mística popular. Um exemplo é o alecrim do campo (Baccharis dracunculifolia DC.) chamado também de vassourinha, de onde se prepara um instrumento para varrer o chão na véspera do dia de São João, de acordo com uma das centenas de tradições populares desse Brasil afora. Ao alecrim é atribuído um caminho fantástico até sua chegada ao uso ritual brasileiro: incensou e embalsamou os reis egípcios, escondeu e protegeu nossa senhora e o menino Jesus na fuga para o

Egito; foi queimado na idade média como profilático para que a peste não se alastrasse, ativou a memória dos gregos e simbolizou sua juventude; foi dissecado, estudado e pesquisado por médicos da antiguidade e da modernidade, entre dezenas de outros feitos considerados ao rosmarinus e que lhe consagram como uma das mais famosas ervas aromáticas. Erva consagrada no uso culinário, essa exemplar de origem mediterrânea é mais do que conhecida pelo seu aroma agradável e pela capacidade de valorizar um preparo, além de perfumar a cozinha com seu aroma duradouro e resistente a longos cozimentos. Seu uso em banhos e defumações é quase cos-

Sinônimos populares: alecrim comum, alecrim de casa, alecrim de jardim, rosmarino, rosmarinho Indicações ritualísticas: Equilibradora por definição, rejuvenesce, alegra, clareia e ilumina. Ação (verbos): iluminar, rejuvenescer, equilibrar, clarear Cor energética: verde azulado, verde claro, cristalino Orixás principais: Oxóssi, Oxalá, Oxum, Iemanjá, Ogum.


página 10

Umbanda Legal

Ornave 2012 Tributo aos Grandes Líderes

Foi realizada dia 21/01/2012, com grande sucesso e em clima de harmonia e muita alegria, pela ORNAVE – Organização Nacional de Valorização à Espiritualidade, a 2ª Grande Noite de União entre todas as crenças. Na ocasião foram homenageadas grandes personalidades da nossa religião, com destaque ao vereador Quito Formiga pelo belíssimo trabalho que realiza em prol da nossa amada Umbanda!!! Tratou-se de mais um relevante evento em prol da paz através da compreensão entre as distintas religiões, seus líderes e seguidores, com ênfase aos trabalhos realizados neste sentido pelos Cultos Afro-Brasileiros com um todo.


página 12 ascender espiritualmente. Não deixemos o pessimismo e a falta de confiança nos afastar do caminho da evolução. “A utopia está lá no horizonte. Aproximo-me dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais a alcançarei. Para serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.”

Reforma Íntima

Eduardo Galeano.

Emmanuel, certa feita escreveu sabiamente que: “Deus possui estradas onde o homem não tem caminhos”, por isso, acredite sempre na divina providencia e lute com toda sua força e inteligência, rumo à conquista dos seus ideais, lembrando que, muitas vezes, o impossível acontece. Um conhecido diálogo entre um dos maiores geneticistas do século XX, Dr. Lejeune , descobridor da síndrome de Down e humanista, com um médico a favor do aborto, Dr Monod, ocorreu da seguinte forma diante das câmeras de televisão: Dr. Lejeune: “Se o senhor soubesse de um casal em que o pai era sifílico e alcoólatra e a mãe tuberculosa. Eles tiveram quatro filhos, sendo que o primeiro, nasceu cego de nascença; o segundo morto logo após o parto; o terceiro surdo mudo; o quarto, tuberculoso, e que a mãe ficou grávida do quinto filho. Que faria o senhor”? “O PROGRESSO NÃO É SENÃO A REALIZAÇÃO DAS UTOPIAS” Oscar Wilde

Uma das melhores definições de utopia é aquela que diz:- “a utopia é um ideal inatingível”, ou seja, uma expressão que serve para designar o impossível, o pretendido, entretanto nunca alcançado. Os pessimistas de plantão adoram usar este termo para desfazer-se dos seus sonhos ou para minar as forças dos sonhadores à sua volta, eles repetem a exaustão: “Isto é uma utopia”, “você não vai conseguir”, “trata-se de algo utópico, irrealizável”, fazem isto sem perceberem que o mundo continua sua trajetória evolutiva e que o homem prossegue dando provas de que os limites podem ser rompidos e que tudo é possível para aqueles que possuem um firme propósito, para acreditar e materializar os seus sonhos. “Se as coisas são inatingíveis... Ora! Não é motivo para não quere-las... Que tristes os caminhos, se não fora, A mágica presença das estrelas”! Mario Quintana.

Quando no início do século passado, Santos Dumont desafiou a lei da gravidade e voou com um veículo mais pesado que o ar, para muitos habitantes da época, naquele momento, o impossível acontecia. “Aleijados não podem ser escultores”, diziam os des-

crentes de ocasião, não conseguindo explicar tamanha técnica e precisão das formas esculpidas pelo grande Aleijadinho.

Dr. Monod: “Eu interromperia essa gestação”. Dr. Lejeune: “Então o senhor teria matado Beethoven”. “NÃO HÁ NADA COMO O SONHO PARA CRIAR O FUTURO. UTOPIA HOJE, CARNE E OSSO AMANHÔ.

Victor Hugo.

“Muitas vezes a utopia de um século torna-se a idéia vulgar do século seguinte”. Edouard Herriot.

Acredite em seus sonhos. Sua existência pode ser muito mais do que um amontoado de desculpas e de objetivos não realizados. Procure enxergar a palavra utopia, como um ideal, uma meta a ser alcançada, não limite suas percepções. Em sua vida não fique no ordinário, busque sempre o extraordinário. “Quero a utopia, quero tudo e mais, Quero a felicidade nos olhos de um pai, Quero a alegria muita gente feliz, Quero que a justiça reine em meu país, Quero a liberdade, quero o vinho e o pão, Quero ser amizade, quero amor, prazer, Quero nossa cidade sempre ensolarada, Os meninos e o povo no poder, eu quero ver...” Milton Nascimento/F.Brant.

Você precisa acreditar em seu poder de superação, não existem problemas intransponíveis, assim como não existem limites para a misericórdia divina. O pensamento utópico deve servir como mola propulsora para que atinjamos nossos intentos. Viemos ao mundo com propósitos específicos de realização. Deus nos preparou caminhos especiais e individuais para que possamos quitar as dívidas do passado e

Matéria : Quito Formiga


página 13

Dê de graça,o que de graça recebeste com amor,humildade,caridade e fé” Amor ao próximo

O Comitê Social do Templo de Umbanda Cacique Ubiratã tem o objetivo de estender o atendimento assistencial além das fronteiras, limites e portões do nosso templo. Entendemos que cada irmão de fé da corrente ou da assistência pode praticar a caridade não só quando em contato com os guias e mentores espirituais, mas no humanismo que existe em cada um de nós, na caridade desprendida, no auxílio ao irmão menos favorecido, no carinho e amor dedicados em cada gesto. Em 2011 foi criado o Comitê Social do Templo de Umbanda Cacique Ubiratã e Pai Sacomé, um trabalho que já vinha sendo feito à alguns anos em nosso templo, mas ainda não tinha um foco voltado para a sociedade e nossa comunidade. O Comitê Social foi criado com o objetivo de gerir, direcionar e dar visibilidade ao trabalho social e caritativo que nosso templo sempre propôs. Determinamos uma meta de arrecadar 1 tonelada de alimentos e que para nossa grata surpresa foi de longe superada em mais de 80%, atingindo exatos 1.861,72 kilos de alimentos arrecadados e doados. Vamos continuar investindo em ações para o desenvolvimento sustentável e responsável de nossa comunidade bem como de nossos irmãos menos favorecidos. Nosso templo acredita que a responsabilidade social é fundamental nessa busca e que pode influenciar positivamente na melhoria de vida da comunidade na qual estamos inseridos e com a qual interagimos diariamente. Este relatório social traz um breve resumo de nossas iniciativas em 2011. Nele você tem acesso às informações sobre todas as campanhas promovidas pelo templo, desde as ações excepcionais, os novos proje-

tos e os que continuaram a ser apoiados pelo nosso comitê social. O dirigente espiritual do nosso Templo é o Pai Marco Antônio. Aproveitamos a oportunidade para agradecer mais uma vez a participação de todos aqueles que, de alguma forma, colaboraram nesse trabalho de divulgar, doar, apoiar e dar continuidade ao trabalho voluntário em nossa casa. Sem vocês, seria impossível colocar em prática, por exemplo, a Cam-

panha Natal Feliz 2011. Os produtos arrecadados nas campanhas promovidas pelo templo durante todo o ano de 2011 beneficiam as famílias assistidas pelo nosso comitê social. Até dezembro de 2011 tínhamos sete famílias recebendo cestas básicas mensalmente, além das doações destinadas á Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos e a Casa de caridade Irmã Vera Cruz de Valinhos


página 14

Eventos

Núcleo de Umbanda Cacique Pena Branca celebra 40 anos de história

No último dia 16 de Janeiro o Núcleo Espiritual de Umbanda Cacique Pena Branca completou 40 anos de sua fundação com uma grande festa. Nesta data além da comemoração do aniversário, também houve a celebração dos 20 anos de Trabalho Espiritual dos Pais Pequenos, Christian e Paula, e a apresentação aos Mentores da Casa da primeira turma de sacerdócio formada no Terreiro. Com muita alegria, os fundadores do Terreiro, Pai Renaldo e Mãe Terezinha, receberam seus Filhos de Fé para mais um ano dedicado a espiritualidade com um Altar totalmente reformulado, com novas imagens, uma área exclusivamente dedicada a Mãe Yemanjá, um Portal de Cura sob a proteção Espiritual dos Pais Omulu e Obaluayê, uma aldeia dedicada aos Pretos-Velhos, Erês e Caboclos com as bênçãos de Seu Zé Pilintra e um Altar dedicado a Santa Sara e o povo Cigano. Pai Renaldo explica sua emoção com esta data, contando que nesse período muitas batalhas tiveram que ser superadas, principalmente no início, quando ele e Mãe Terezinha foram vítimas até de perse-

guições devido à falta de conhecimento e preconceito das pessoas em relação a Umbanda. “Nesses 40 anos enfrentamos diversos desafios, atendemos muitas pessoas, nos emocionamos com muitas curas e hoje temos o privilégio de ter um dos Templos mais tradicionais de São Paulo em pleno funcionamento, com Filhos de Fé dedicados, com uma Escola de Ensinamentos Espirituais em pleno crescimento e, agora, com mais sete sacerdotes que, mesmo capacitados a abrir suas próprias Casas, escolheram continuar nessa caminhada junto conosco” - comenta também muito emocionada e feliz Mãe Terezinha. Com as bênçãos Espirituais do Cacique Pena Branca e do médico Espiritual Dr. Carlos (Mentores do Terreiro) um novo ciclo se inicia nesta história, com a missão de auxiliar cada vez mais pessoas, ampliar ainda mais a Escola de Ensinamentos Espirituais e conquistar seu solo próprio de Trabalho. Além disso, os dirigentes da Casa estão levando uma extensão do Terreiro para Rio do Sul, Santa Catarina, cidade natal de Pai Renaldo e Mãe Terezinha, levando conheci-

mento através do Templo Escola para aquela região. “Que Pai Oxalá e Mãe Oxum, regentes deste ano, nos abençoem e nos dêem garra e coragem para continuar nessa jornada com cada vez mais alegria e respeito a nossa linda religião!” – pedem Christian e Paula, Pais Pequenos da Casa.


página 16

40 ANOS DE DEDICAÇÃO, MEMORÁVEIS TRABALHOS E AMOR A UMBANDA

Em 29/01/2012 o Templo de Umbanda Vinha de Luz realizou a 13º Ritual em Homenagem ao Orixá Oxossi - festa dos Caboclos. O Templo de Umbanda Vinha de Luz foi fundado em 1974, com quase 40 anos de trabalho, conhecimento e caridade através da Lei de Umbanda. Por determinações do astral superior, desde 1999 os dirigentes fazem a Festa de Oxossi como abertura dos trabalhos espirituais do ano que se inicia. É de conhecimento de todos que o ano astrológico e espiritual se inicia em 21 de março, entretanto, a Festa de Oxossi serve como preparativo e base para o novo ano. A vibração de Oxossi através dos Caboclos, Caboclas e Encantados da Jurema nos presenteia sempre com vibrações de renovação, perseverança, prosperidade e principalmente saúde e cura. A bravura dos Caboclos nos reforça a fé e fortaleza para proteção de nossos caminhos espirituais, seja nos trabalhos de atendimento à assistência que nos visita, seja para nossa caminhada em busca da evolução espiritual, a qual pode se apresentar árdua, mas que é uma caminhada que se torna linda e serena. A doçura das Caboclas da Jurema nos passa a beleza de se cultivar um belo jardim em nossa estadia terrestre, para usufruirmos deste mesmo jardim quando estivermos na eternidade como trabalhadores que já somos. A rigidez e compromisso são cada vez mais afirmados por esses seres que nos estimulam nos caminhos de reencontro com a Mãe Natureza. E os encantados, os seres das matas, que muitos acham que são folclore, são tão reais quanto a palpitação de nossos corações e o sentimento de que não estamos sós mediante as dificuldades.

Os nossos pajés nos transmitem a cura espiritual e nos despertam para nossa realidade: o verdadeiro caminho do umbandista:do Amor, conhecimento, e aprendizado em prol da caridade... em prol de nossos irmãos. Todos os anos, a abertura de nossos trabalhos é com os Caboclos de Oxossi, que nos guiam a caçar nossa evolução. Nossas crianças já estão crescendo com o Amor dos nossos Orixás, Guias, Protetores e Mentores. Por iniciativa deles foi feito um Teatro com apresentações sobre os seres encantados das matas: saci, Curupira, florzinha, Uirapuru, Iara, e claro com danças à Oxossi na tradição afro e na tradição dos índios Brasileiros, nos passando mensagens de Preservação Ambiental, respeito à Vida e aos recursos naturais. Essa atitude nos faz renovar os votos de devoção e fé para que a Umbanda se renove em nossos pequenos, e deles para todos!!! Nossa missão é muito linda, mas deve ser sempre levada a sério. Nos dedicamos a estudos de aprimoramento, bem como meditações e desenvolvimento mediúnico, dos dons intrínsecos de cada ser humano para se comunicar com a espiritualidade. E com toda essa energia de Oxossi e seus caboclos, seguem nossas vibrações de paz, harmonia, prosperidade, amor e prudência a todos nossos irmãos umbandistas. NOSSO SINCERO SARAVÁ Os trabalhos de atendimento no Templo Vinha de Luz são todos os Sábados às 19:00 horas. Contato 11 6383-9484 blog: http://templovinhadeluz.blogspot.com


página 18

Ritual de Amaci

No dia 08 de Janeiro de 2012, a União de tendas de Umbanda e Candomblé do Brasil realizou a reabertura do ano, no Vale dos Orixás, na cidade de Juquitiba, São Paulo. Sobre a presidência de Pai Jamil Rachid foi feito um lindo ritual de Amaci, onde os filiados da União de Tendas participaram com muita fé e devoção.

Este ritual já se tornou tradição em nossa federação, onde os Pais e Mães Espirituais participam levando seus filhos de santo que participam do ritual de amaci, sendo feito pelos Ogans e Ekedes de nossa casa sobre a supervisão de Pai Jamil. O ritual de Amaçi é feito com o intuito de lavarmos nossas cabeças com ervas sagradas e consagradas especialmente para este ritual. Ogan Juvenal deu as boas vindas a todos os presentes e agradeceu em especial a todos aqueles que trabalharam no dia da Festa de Yemanjá, realizada na Praia Grande. Feliz 2012 E muito Axé para todos.


página 20

Festa de Oxossi pelo Templo Portal dos Orixás A Escola de Curimba e Arte Umbandista Aldeia de Caboclos teve a honra de receber o convite em nome de Oxóssi e entregue pelo Pai Claudio Correa, um dos dirigentes do Templo Portal dos Orixás, para participar da primeira atividade do ano de 2012, qual seja, a Festa de Oxóssi. Realizada no Santuário Nacional da Umbanda, num dia extremamente ensolarado, os filhos da casa vieram para Santo André unicamente para prestigiar esse grande pai, trazendo amigos, familiares e irmãos de fé, fazendo da confraternização um evento único para abertura do ano. “A primeira gira do ano é o termômetro para o que ainda virá. Abrir com Oxóssi é ter certeza de que o brado dos caboclos persistirá por todos os trabalhos. Certeza de que as demandas serão vencidas e de que aprenderemos mais a cada dia.” Disse Pai Cláudio de Oxóssi. A Aldeia de Caboclos, agradece a todos os dirigentes e filhos do Portal dos Orixás por poder compartilhar e somar junto a essa grande família em nome da nossa sagrada Umbanda. Pois, a felicidade só é verdadeira quando compartilhada. O calendário das giras do Portal dos Orixás se encontra disponível no blog do Pai Cláudio: www.serumbandista.blogspot.com Para maiores informações sobre o Portal dos Orixás: Rua 22, número 145, Chácara Bopiranga, Itanhaém -SP Horário: a cada 21 dias a partir do dia 11/2 sempre as 20:30 Tel: 13-34256159 ou 11-94135639 Nome dos Dirigentes: Mãe Raquel de Xangô, Pai Anderson de Oxalá e Pai Claudio de Oxossi Nome do Terreiro: Portal dos Orixás, chefe da Casa é o Xangô 7 cachoeiras


página 22

MARIA LAIERNO BIDOI, UM SÍMBOLO DE PERSEVERANÇA, SUPERAÇÃO E AMOR A VIDA

MARIA LAIERNO BIDOI, nascida na cidade de Salerno na Itália em 07/08/1918, chegou ao Brasil de navio desembarcando no Porto de Santos em 1925. Veio com sua mãe Anna Stornainolo e sua irmã Rosa, uma de suas grandes companheiras, sendo a convite de seu tio Carmine Capuano, pessoa que tanto admirava e por ele, igualmente, era muito querida. Ao longo de sua belíssima trajetória ingressou na fábrica da empresa Alpargatas, então situada na rua Dr. Almeida Lima no bairro da Mooca, empresa esta onde se aposentou após inúmeros anos de dedicado e exemplar trabalho. Casou-se com Henrique Bidoi e tiveram um filho, Carlos Henrique Bidoi, ambos já falecidos. Maria Laierno Bidoi ou simplesmente Dona Maria como era carinhosamente chamada por muitos que a conheciam, sempre foi pessoa ligada ao lado espiritual e a caridade para com próximo e que determinada a zelar pelos animais. Muito estimada e admirada por todos que a conheciam, pois demonstrava frequentemente muita alegria, amor pela vida e pelo trabalho,

apesar do difícil fardo que carregava devido a enfermidades e perdas de seus entes mais queridos.

deixando sua palavra apreço e carinho a todos por mais duras que fossem as batalhas diárias da vida.

Devido à grande afinidade, a amizade e prazer imenso em fazer o bem se valendo da magnitude da espiritualidade, no ano de 1987 a convite de Maria Raimunda Jorge Barros e de sua filha Juveni Luz Barros Xenoktistakis, Dona Maria compôs com muito empenho e amor o quadro de fundadores do Templo Amor e Caridade Caboclo Pena Verde.

Nos últimos anos de sua vida mesmo debilitada por enfermidades nunca hesitou em participar das engiras, o que fazia com muito gosto, além de demonstrar grande prazer em vestir sua roupa para estar presentes nas Festividades ligadas a Umbanda em geral, mantendo uma inigualável e emocionante forma de entoar a sua Prece predileta a todos, qual seja, a Prece de Cáritas.

Dona Maria era grande amiga de Maria Raimunda Jorge Barros, amizade esta nascida no início da década de 70 e que gerou um companheirismo de muitas jornadas em prol do bem, jornadas estas traçadas e concretizadas com alegria, tolerância e muita fé.

Teve como sua parceria e amiga em vida, Juveni Luz Barros Xenoktistakis, pessoa esta que Dona Maria tinha como uma filha, pois desta recebeu todo carinho, amparo e amor até o momento de sua passagem. Nossa querida irmã estará sempre em nossos corações e sua trajetória de vida seguirá como um grande exemplo a todos nós.

Trabalhou firme desde a fundação do templo e seguiu frequentando-o até o fim de sua missão no mundo material em 16/01/2012, com 93 anos de idade, levando veementemente a mensagem de perseverança, fé, superação, paz, amor ao próximo e a Umbanda. Constantemente disseminava a importância de sermos solidários,

A ti, querida irmã espiritual e vovozinha em vida de todos que frequetavam e frequentam o Templo Amor e Caridade Caboclo Pena Verde, o nosso muito obrigado e siga com Deus a sua jornada no plano superior.


Tenda de Umbanda Caminhos de Aruanda Aldeia do Caboclo Tupinambá Todos estão convidados a participarem das nossas atividades. Sejam bem vindos a Aldeia do Sr. Tupinambá.

11- 2765-6908

Pai Cristiano D´Oxosse

Rua Morro do Espia, n 218 - Altos - Jardim Imperador São Paulo - SP - Tel: (11) 9947-5097

Avenida Vila Ema, 3248- Vila Ema São Paulo/SP

Tel 2604 5524 / 85641207

Email-silvio.humberto@hotmail.com

Quintas-feiras:


Jornal Aldeia de Caboclos - Número 14 - ano 2