Page 1


Editorial Prezados leitores e irmãos de fé, dirijo-me a vocês com imensa satisfação em compartilhar o extremo sucesso do inesquecível, empolgante, motivante e agregador 4º Festival de Curimba promovido pela Escola de Curimba e Arte Umbandista Aldeia de Caboclos. Tivemos a grande oportunidade ao longo deste Grandioso Festival de presenciar o quanto as nossas tradições são belíssimas, energizantes e harmônicas. Tudo isso através das brilhantes apresentações realizadas por grupos e curimbas do Estado de São Paulo e do Rio de Janeiro.

lores, sendo estes mostras cristalinas do bem, da paz e da harmonia trazida e irradiada pela Umbanda. Gratificante visualizar a evolução da capacidade de realização de grandes e memoráveis eventos pelas entidades que representam a Umbanda e os Cultos Afro-Brasileiros em geral.

Admirável vivenciar o crescimento acompanhado de altíssima qualidade dos Festivais inerentes a nossa amada Umbanda.

Pois, estes cada vez mais têm conquistado seu espaço na sociedade brasileira, através de um trabalho árduo e constante, marcado pela demonstração da capacidade, competência e organização na realização dos mais distintos eventos, bem como pela forma respeitosa, atenciosa, séria, vibrante e com farta propriedade por meio da qual exteriorizam a essência da religião seguida e fomentam a paz entre povos.

Prova clara de que com verdadeira união, espírito de equipe, e todos tendo como objetivo maior a valorização e o fortalecimento de nossa religião somos muito mais eficazes na divulgação dos nossos princípios e va-

Façamos valer a célebre frase do grande pensador e pacifista Leon Tolstoi, qual seja: “A arte é um dos meios que une os homens”. Então, sigamos encorajando a arte pelas suas mais diversas formas, nos unindo

PREVISÃO BARALHO CIGANO Cartas: CRIANÇAS- CHAVE- PEIXES

e buscando e propiciando a união entre as pessoas. Que a luz dos Bons Espíritos e dos Orixás siga nos guiando e protegendo! Que Oxalá ilumine o caminho de todos nós! Salve a Umbanda, que é amor e caridade, Salve Zambi! Alexandros Barros Xenoktistakis

TE EXPEDIEN els B. Xenoktistakis g n E r: radini to e Dir Daniel Co kis : e rt A e d Direção enoktista ngels B. X rgo / Redator: E res: Adriano Cama o Colaborad ares e in L o ld a n o R akis Barros s Xenoktist Alexandro rídica: Alexandros Ju 182.106 Assessoria – OAB/SP caboclos.com.br is k a st ti k o iade Xen rnal@alde jo : to ta n o c

Amor - Momento ideal para quem busca um novo relacionamento ou quem gostaria de renovar a sua relação. Seja mais amoroso, comece a expressar mais claramente seus sentimentos, deixando de lado todos os seus traumas de passado. Se permita ser feliz. Não é momento de buscar isolamento, é momento de se abrir para novas situações, aventuras e movimentações.

nanceiramente será o momento ideal de equilibrar o que tiver em desajustes, mas cuidado com excessos de gastos por impulsos ou até mesmo por carência.

Profissional e Financeiro- Agora é o momento de novos contatos, de aberturas de caminhos, até mesmo momento de desenvolver algum projeto novo. Fi-

Carolina Amorim Taróloga e Terapeuta holística Fone: 11- 23694241 ou 984096944. Agende agora mesmo sua consulta.

Saúde- Para mulheres que pensam em engravidar, ótimo momento de fertilidade. Aos homens um pouco de cuidado com lado urinário e renal. Tenha bons hábitos, cuidando do corpo , da mente e do espírito.

http://esoterismoestreladooriente.blogspot.com.


página 4

Ano 3 número 29

Foto: Divulgação

Umbanda Legal

Uma Breve Reflexão Certa vez li algo a respeito das vibrações; dizia a matéria que, se colocarmos dois violões, um na frente do outro, e tocarmos uma nota em um deles, a mesma nota irá vibrar no outro. Eu tenho muito mais perguntas do que respostas, mas, se é caminhando que se faz o caminho, vamos lá, questionando, aprendendo, mas principalmente seguindo em frente, sempre. Eu ouço tanto falar na tal reforma íntima, pessoas que a buscam em livros, em palestras, em cultos, mas quem realmente pratica tal reforma? De nada adianta buscar a reforma íntima na teoria, mas não praticá-la. Assim como não acredito na fé sem obras, também não acredito em reforma íntima sem mudanças. Mas o que é esse objetivo tão perseguido por tantas pessoas? Pra mim é muito simples: não fazer ao próximo aquilo que não desejamos que façam a nós mesmos. Se conseguíssemos praticar isso, certamente alcançaríamos um grau de evolução elevadíssimo para os padrões humanos. Vibração, o grande segredo: dize-me o que tu vibras, e eu te direi o que atrais...não é o que se faz dentro do terreiro apenas que determina quem você é, mas também o que você faz fora dele, assim como é possível praticar a caridade o tempo todo, e não somente incorporado com seus guias. Já passou pela cabeça de vocês quantos espíritos vêm em busca de ajuda quando abrimos um gira? E a ascendência moral que temos que ter para que eles confiem em nós e voltem a trilhar o caminho da evolução? Já se deram conta da importância de orar por esses irmãos desencarnados, muitas vezes esquecidos pelos próprios parentes, abandonados à própria sorte?

Parece natural orar por nossos pais, filhos, netos, irmãos e parentes próximos, mas poucos se lembram dos que estão perdidos, sofrendo, à espera de uma mão amiga que os traga de volta à luz. Nessa missão não há lugar para vaidade, ego, orgulho, ganância; é a missão dos portadores da luz, que vibram o bem, praticam o bem e vivem pelo bem. Pessoas que têm a felicidade como conceito coletivo e não individual, pessoas que se importam com os outros independentemente dos laços que os une. Isso se torna muito simples quando conseguimos nos colocar no lugar do outro, mas é muito mais fácil virar as costas e culpar o carma, afinal, ele deve ter algo a pagar, não é? Sim, todos temos, mas se a dor ensina, o amor além de ensinar semeia flores por onde passa. Vibre coisas boas, pense coisas boas, diga coisas boas. Seja um instrumento que reflete apenas boas vibrações e esteja suscetível para que vibrações boas ecoem no seu íntimo. Mesmo diante da loucura do dia a dia, seja portador da luz. A luz que ilumina os que se perderam no caminho; a luz que resgata; a luz que cura e regenera; a luz que transforma; a luz que, quanto mais se divide, mais de multiplica. Nossa realidade seria outra se praticar o bem fosse uma regra, e não uma exceção; não deixe que ninguém subestime sua capacidade de mudar o mundo pra melhor. Eu sempre disse que, mesmo que nunca conseguisse mudar o mundo, morreria tentando...hoje a Umbanda me ensinou que eu já mudei o mundo pra melhor, desde o primeiro dia em que me vesti de branco, não por mim, mas por aqueles que vêm em busca do que

minha religião tem a oferecer. Ofereça sempre o seu melhor, mesmo que ninguém esteja vendo; não há nada mais gratificante do que a certeza do dever cumprido. Procure – e encontre – dentro de você mesmo, o que não está escrito em nenhum livro, e faça desta encarnação uma linda história; a história de alguém que plantou sementes em todos os tipos de terreno, sem subestimar a nenhum, sabendo das inúmeras possibilidades que nascem da fé. A história de alguém que deixou de falar e ouvir falar de amor, e passou a praticá-lo; de alguém que trocou o julgamento pelo auxílio, e a crítica pelo elogio. Se deseja que as coisas mudem, comece mudando você mesmo; não caia no comodismo de pensar que de nada adianta você fazer o que é certo, se os outros não fazem. A evolução é pessoal e intransferível, assim como o plantio é opcional, mas a colheita obrigatória. Viva cada dia como se fosse o último, não apenas porque pode realmente ser, mas sim porque você optou por aproveitar a chance de fazer a diferença. Muita luz e axé a todos. Por Mãe Valéria Siqueira

Terreiro de Umbanda Pai Oxóssi, Caboclo 7 Flechas e Mestre Zé Pilintra

Críticas e sugestões: t.u.paioxossi@hotmail.com


página 6

Ano 3 número 29

Falando de Umbanda

A Umbanda, o Brasil e o Santuário Nacional da Umbanda Parte 7

Terminamos a PARTE 6, falando da inauguração de cada uma das imagens em suas respectivas praças no Vale dos Orixás.

Por ser muito grande a imagem teve que ser feita em blocos e, terminado o primeiro, o segundo bloco foi o peito e depois os braços e mãos.

Ao vê-las, uma a uma imponentes, em meio ao verde que crescia aceleradamente, achei que seria o momento para dar forma ao meu grande sonho: colocar uma imagem de Oxalá no local mais alto do Vale para abençoar os usuários do SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA.

COLOCAR OXALÁ NO PONTO MAIS ALTO DO SANTUÁRIO para que Ele abençoasse todo o Vale dos Orixás, bem como aqueles que lá estivessem fazendo seus rituais ou entregando suas oferendas.

Escolhi o lugar: uma área de 36m2 utilizado pela Pedreira Montanhão para o funcionamento das britadeiras. Essa área foi totalmente cimentada e está sobre uma área que não nasceu - nesse longo período - nenhum tipo de vegetação, ou seja, a construção do não trará nenhum dano ao meio ambiente. Fizemos um projeto e demos forma a ele: SERÁ A MAIOR IMAGEM DE OXALÁ DO MUNDO! Realizada de forma ecológica, sadia e respeitando a natureza do local. Será totalmente construída com recursos próprios e terá as seguintes características: CABEÇA: 2,50M DE ALTURA; BRAÇOS: 5,30M DE COMPRIMENTO; MÃOS: 1,40M; ALTURA DA IMAGEM: 12M; ALTURA DA BASE: 5M; ALTURA DO MONUMENTO: 17 M. A primeira medida foi contratar a pessoa certa para um projeto tão grandioso e importante. Construímos um galpão para o trabalho e compramos o isopor necessário para o molde e... mãos à obra. Dia após dia as feições de Oxalá foram tomando forma e eu via orgulhosamente nascer aquela que seria a maior imagem de Oxalá do mundo!

Melhor data não poderia haver. Programamos uma linda festa para esta data. Convidamos todos nossos filiados, usuários do SANU, amigos, autoridades, etc... A animação era total: minha missão seria completada:

Para dar a ideia do tamanho colocamos um automóvel entre seus braços Bloco por bloco, a imagem tomou forma e, para montá-la necessitamos da ajuda de todos os funcionários. Totalmente edificada em fibra de vidro, faltava apenas estruturá-la piramidalmente em aço, juntar todos os blocos e pintar. A data da inauguração 15 de novembro de 2.008

a data do Centenário da Umbanda

estava

marcada:

Quando tudo parecia caminhar para o sucesso, tivemos a inesperada notícia que a obra seria embargada pela SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE DE SANTO ANDRÉ alegando (injustamente) que a área destinada à colocação da imagem havia sido desmatada. Apesar das provas indiscutíveis de que o local era utilizado pelas britadeiras e que desde a inauguração do SANU nunca nasceu nenhuma vegetação naquele local, fomos vergonhosamente multados por algo que nunca fizemos. Entramos com diversos recursos junto a Secretaria, até mesmo através de advogados, mas, nada foi suficiente. Conseguimos um TAC (Termo de Ajuste de Compromisso) com a Secretaria e a própria sentença inocentou o SANTUÁRIO porque, não tendo nenhuma área devastada, incluindo a destinada ao monumento (que fomos acusados), tivemos que replantar 330 mudas em local escolhido pela Secretaria. ONDE ERA ESSE LOCAL? ORA... FORA DO SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA. Não conseguiram achar um metro quadrado sequer dentro do SANU capaz de abrigar qualquer quantidade de mudas. Ferido no ponto que mais me orgulha (ser o presidente de uma instituição cultural, beneficente, religiosa, preservacionista ambiental, sem fins lucrativos e


página 7

Ano 3 número 29

transformada em importante pólo turístico religioso para o município de Santo André, tendo sido totalmente reflorestado em mais de 650 mil m2 e que recebe semanalmente visitantes do Brasil e do exterior, fiz um chamamento aos meus filiados, alunos, médiuns da Casa de Pai Benedito e, num dia chuvoso de outubro, plantamos mais mudas do que haviam sido solicitadas. Foi um verdadeiro dia de festa em homenagem aos nossos Caboclos. Além do plantio ainda fomos covardemente obrigados a pagar uma multa cujo valor era tão alto que foi divido em 36 parcelas, as quais ainda estamos pagando.

Logicamente não aceitamos tudo isso passivamente, foram inúmeras idas e vindas à Prefeitura, protocolos e mais protocolos. Nada adiantou, então, tivemos que lutar com nossas armas e, nossas armas são nossos irmãos de fé. Elaboramos um abaixo-assinado para a colocação da imagem no seu devido lugar e distribuímos aos nossos Templos filiados, que distribuíram aos seus médiuns, que, por sua vez, levaram às suas casas, aos seus bairros, aos seus amigos. Deixamos vias no SANU e os usuários também assinaram nos dias dos trabalhos. Necessitávamos de, no mínimo, 5.000 assinaturas.

sa natureza que tanto cuidamos e adoramos não pode ocupar seu lugar dentro de um espaço destinado aos cultos afro-brasileiros?

Conseguimos mais de 10.000 assinaturas de pessoas que colocaram seu nome, cidade e número de RG.

Pois bem, meus amigos, foi um capítulo inteiro só para contar o episódio da imagem de Oxalá.

Nem preciso mencionar como fiquei feliz e agradecido. Feliz por saber que as pessoas não se envergonham mais de dizer que são umbandistas e agradecido por saber que meu trabalho foi reconhecido.

No próximo capítulo de A UMBANDA, O BRASIL E O SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA

Entregamos esses documentos junto a atual administração da Prefeitura de Santo André que tem sido uma excelente parceira da FEDERAÇÃO UMBANDISTA DO GRANDE “ABC”, bem como o SANTUÁRIO. Estamos aguardando uma resposta da Secretaria para enfim podermos colocar a imagem no seu devido lugar. Fico então me perguntando: Porque nosso Orixá maior, o Grande Arquiteto des-

Se inauguramos todas as imagens dos demais Orixás, porque apenas Oxalá não pode ser inaugurado com o devido respeito e cerimônia a que faz jus? O abaixo assinado ainda está na página inicial do site: www.santuariodaumbanda.com.br e se você ainda não assinou, pode exercer a sua vontade de ver o monumento de Oxalá concluído.

falaremos um pouquinho mais da história do SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA, sua missão, finalidade e seu propósito. Fiquem todos na paz de Oxalá Pai Ronaldo Antonio Linares www.santuariodaumbanda. com.br federacaoabc@terra.com.br

www.facebook.com/santuariodaumbanda.fugabc.7 set/2013


página 8

Foto: Divulgação

Ano 3 número 29

Artigo

UMBANDA – A SENHORA DAS MIL FACES Escrever sobre a Umbanda não é tarefa para leigos, repórteres ou curiosos. Estes, por falta de percepção, sensibilidade ou de conhecimento vêm a Umbanda como um emaranhado confuso de práticas oriundas das mais diversas religiões. Jamais pararam para se perguntar por que um culto, por eles mesmos tratado como fetichista, pode atrair milhões de pessoas. Diriam até que seria pelo aspecto etnocultural das mais diversas classes socioculturais. Que mistério há por traz desses ritos que consideram confusos e destituídos de bom senso? Por que tantos a atacam? É preciso conhecer seus aspectos fenomênicos, magísticos, mediúnicos, ritualísticos, doutrinários e filosóficos, nas suas causas. É preciso também que se tenha um vivencial do dia-a-dia de seus terreiros e templos. Raros, raríssimos são os que têm essa experiência. Enquanto a Umbanda se abre em um leque de mil cores, muitos se interessam apenas pela qual se afinizam, certos de que é a melhor. Outros pretendem impor um determinado ritual porque é aquele que lhes trás mais benefícios, principalmente financeiros. Quem quiser, apenas de longe, saber o que a Senhora das Mil Faces representa para o povo brasileiro, basta ver o que acontece nas praias na passagem do ano. Lá se encontram ricos, pobres, brancos, negros, ama-

relos, vermelhos, mestiços, todos juntos, acendendo suas velas, e ofertando flores a Yemanjá, pedindo que o ano lhes seja propício. Esta manifestação colossal é peculiar, é própria da fé ou da mística umbandista. Muitos se aproximam da Umbanda, pois pressentem sua força, sua magia, seu poder de transformação. A Umbanda aceita e respeita as necessidades de cada grupo naquilo que os faz sentirem-se unidos ao Sagrado. Por isso Ela parece tão variada em suas manifestações, pois cada unidade-terreiro exprime com fidelidade as necessidades daqueles que ali acorrem. Para muitos esta maleabilidade é confundida como uma mistura desconexa, mas na verdade apenas traduz, em seus aspectos mais profundos, um motivo: atingir a síntese do conhecimento humano, lembrar a todos que como Caboclo, Preto Velho e Criança, também somos espíritos eternos e imortais e que cada existência nos serve de aprendizado e aperfeiçoamento para vidas futuras, caminhando rumo à nossa realidade espiritual. Esta é a Umbanda de Todos Nós. Por isso repito: escrever sobre a Umbanda não é tarefa para leigos, repórteres ou curiosos. O que nós umbandistas oferecemos para que os leigos e os nossos detratores nos ataquem diretamente ou à socapa? Dentre outras coisas, oferecemos nossa vaidade ex-

plicita de diversas maneiras: com roupas extravagantes, com dezenas de guias no pescoço, por exemplo. Muitos cantam aos quatro ventos que seguem os ensinamentos de Zélio de Moraes e o Caboclo das Sete Encruzilhadas. Para estes ficam as perguntas: por que usar roupas extravagantes se eles diziam que a roupa devia ser branca? Por que tantas guias se eles diziam que uma única guia era suficiente? Então o que vemos é um discurso diferente da prática para alimentar a maldita vaidade, câncer que corrói a maior parte da humanidade. A ânsia pelo poder temporal dentro dos terreiros e organizações umbandistas mostra que a maioria ainda não conseguiu aplacar dentro do peito o egoísmo. As futricas e a maldade são alguns dos pratos do dia nos terreiros, onde deveríamos estar apenas para praticar a caridade e evoluir espiritualmente. Oferecemos farta munição para os nossos detratores e depois nos queixamos dos ataques. Não seria hora de rever nossos conceitos e ações para que a Senhora das Mil Faces possa continuar a nos prodigalizar com seu manto de amor caridade? Saravá!

Diamantino Fernandes Trindade Doutor em Educação pela PUC-SP Sacerdote da Cabana de Pai Benguela


página 9

Foto: Divulgação

Ano 3 número 29

Artigo

A CRIANÇA CIGANA No mês de setembro, que celebramos a energia e a força de Cosme e Damião, gostaria de contar sobre a criança cigana.

5º mês - É a hora das pedras, a mãe encosta e desliza no seu ventre varias pedras para a criança sentir a força deste elemento. (elemento mineral)

Para os ciganos a celebração do nascimento de uma criança já se inicia quando é anunciado pela mãe que esta grávida, nos próximos nove meses, ela terá todos os cuidados físicos, mas também um ritual para a chegada desta criança.

6º mês - A mãe traz para a criança entrar contato, flores, frutas, folhas, raízes, madeira, a força das ervas. (elemento vegetal).

Cada mês de gestação entre os ciganos tem uma importância especial. O ventre da mulher é considerado sagrado e deve ser protegido para que o fruto nele contido seja especial. 1º mês - A mãe banha o seu ventre com líquidos, sucos de frutas e lama. (elemento água). 2º mês - Ela se expõe ao sol o quanto pode. (elemento fogo) 3º mês - A mãe se apresenta para os quatro pontos cardeais, deixando que brisa envolva o seu ventre (elemento ar). 4º mês - A mãe busca um contato maior com a terra para que a criança sinta este elemento, que para os ciganos traz a concretização. (elemento terra).

7º mês - Começam os rituais de limpeza e purificação, a mãe faz banhos de água morna com sal, e banhos de ervas, ela começa a se preparar para a chegada. 8º mês - É o mês da luz, a mãe mantém ao seu lado uma vela acessa para dormir, esta luz guiará a chegada desta criança ao mundo. 9º mês - A mãe ficará ao máximo em contato com o ouro, prata, cobre, jóias, ervas, e desde agora a mãe ensinará esta criança a não se deslumbrar com o brilho das coisas que podem levar a perdição. A hora do nascimento é uma grande alegria para os ciganos, esta criança simboliza a perpetuação, a renovação e a multiplicidade, pois jamais uma criança é como a outra e o nascimento é a perpetuação a continuação de um povo e seus costumes, e também a esperança do nascimento de um líder que

poderá fazer grandes mudanças no mundo. Quando esta criança nasce, ela é banhada em banho especial, na banheira há ouro, prata, jóias, este banho significa que nada material há de faltar durante a sua jornada, esta criança também é apresentada para Lua Cheia, para que esta ilumine os caminhos, para que não haja escuridão nem de dia e nem à noite, que a Lua traga intuição e inspiração. Segundo a tradição, cada criança que nasce, tem o seu destino e isso não pode ser mudado, pelo contrário, incentivado, pois cada uma delas pode significar a solução que todos estamos esperando. Assim, a cada nascimento, a palavra é a esperança de um novo tempo e de uma mudança. Mudança na qual os ciganos depositam toda a sua esperança. E ensinam a esta criança seus costumes e tradições, aprende e aceita que ela é única, mas que também ela faz parte de um todo e que jamais ela estará sozinha. LATCHI BAR ESCOLA DE BARALHO CIGANO CARMEM ROMANI SUNACAI PROFª. ROSE DE SOUZA CARMEMROMANISUNACAI.BLOGSPOT.COM


página 10

Ano 3 número 29

Foto: Divulgação

Ervas na Aldeia por Adriano Camargo

Relação Erva x Orixá O maior desafio de escrever sobre as ervas é passar para o papel, transformar em palavras, o sentimento que aflora ao manipulá-las. Sabemos que no contexto religioso há regras para essa manipulação. O preparo dos banhos e defumações requer ligação a esse contexto e respeito às essas regras. No entanto, as ervas estão a disposição dos que se conduzem pelo amor e bom senso. Respondem ao propósito do seu manipulador e colocam-se como poder realizador na vida humana. Chás, preparos terapêuticos, tem encantado a humanidade desde que o mundo é mundo. Dos egípcios aos gregos, dos orientais aos africanos, temos herdado o conhecimento de forma empírica, no boca a boca e temos usado as ervas muitas vezes respeitando dogmas que não são da religião que praticamos. Identificar a relação Erva x Orixá é uma arte e os grandes artistas tem contribuído significativamente para nossa cultura. É importante lembrarmos que o que vale nessa identificação é o ponto de vista. A partir do ponto de vista é que se estabelece essa relação. Se o manipulador, em seu contexto religioso não cultua nossa amada mãe orixá Egunitá, como ele poderia identificar uma erva ligada a essa mãe? Muito da identificação das ervas passou pelo crivo do bom senso, cultura, ponto de vista, conhecimentos, habilidade e atitudes dos seus identificadores. Uma erva que foi usada em seu aspecto negativo para paralisar a evolução de alguém, naturalmente pode ser associada erroneamente a Exu, pois a ele se atribuem todos os aspectos negativos dos seus evocadores humanos. No entanto essa erva pode pertencer a um orixá positivo, a Oxalá por exemplo, e ser manipulada por Exu apenas em seus aspecto negativo. Isso é mais comum do que imaginamos. Associar, atribuir e definir uma erva como sendo de Exu, Pomba Gira ou Mirins, é no mínimo passível de analise mais profunda, pois esses Mistérios Divinos respondem pelos aspectos negativos de toda a criação. Podemos sim associar ervas a essas entidades, e defini-las como “preferenciais”.

Essa preferência se dá principalmente pela velocidade que responde em sua ativação. Existem ervas que respondem mais ou menos rápido, dependendo do Orixá, linha de trabalho ou melhor, a energia de propósito a qual é submetida. Vou dar um exemplo: a rosa branca é atribuída a Oxalá, tradicionalmente, certo? Todas as rosas são de Oxum. O que define seu melhor (ou mais rápido) envolvimento vibratório é o pigmento contido em suas pétalas, que indicam seu campo energético de ação, resumindo, seu Orixá. Então temos, rosa branca é de Oxum e de Oxalá. Por definição, oferendamos também Mãe Iemanjá com rosas brancas. Mas nós não podemos dizer categoricamente que as rosas brancas são de Iemanjá, mas ela “aceita” essa oferenda, assim como caboclos, pretos velhos e crianças aceitam rosas brancas em seus fundamentos e oferendas. Podemos então concluir, a partir do nosso ponto de vista e bom senso que, as rosas brancas são de Oxalá quando oferendadas a Oxalá; de Iemanjá quando oferendadas a Oxalá, e a Oxum e Oxalá por definição energética. Assim funciona uma erva de Exu. Sendo o manipulador dos aspectos energo-magnéticos negativos dos elementos, poderia até manipular uma rosa branca. Mas a velocidade que essa rosa responderia iria contra os propósitos de Exu. Já a rosa vermelha é exatamente igual. Pertence a Oxum por definição, manipulada por Pomba Gira em seu aspecto “estimulador”, mas pode ser associada também às vibrações ígneas. Pomba Gira tira das rosas vermelhas em velocidade incrível aquilo que precisa para seus trabalhos no plano material. Sendo assim, associação natural de rosa vermelha com Pomba Gira está corretíssima. Mas podemos oferendar Mãe Oxum e outras mães orixás com rosas vermelhas, ok. Vamos dar algumas ervas preferenciais dessas vibrações à esquerda:

Orixá Exu Ervas preferenciais: Casca de alho, casca de cebola, açoita cavalo, dandá, pinhão roxo, entre muitas outras Verbos atuantes: Vitalizar, desvitalizar, escurecer, sufocar, extinguir, arrastar, atrofiar, separar, dividir, cair, cobrar, convencer, obstruir, tapar, entre muitos outros. Orixá Pomba Gira Ervas preferenciais: Patchouly, malva rosa, rosa vermelha, canela, amora, hibisco, pitanga, entre muitas outras Verbos atuantes: Estimular, desestimular, desenvolver, alegrar, esterilizar, excitar, entre muitos outros. Orixá Exu Mirim Ervas preferenciais: Casca de alho, casca de cebola, carapiá, laranja seca, limão, açoita cavalo, dandá, pinhão roxo, entre muitas outras. Verbos atuantes: Ganhar, ocultar, complicar, descomplicar, desenrolar, entre muitos outros. Não vamos aqui limitar a atuação desses Mistérios Divinos, apenas pontuar alguns elementos que são adequados a sua vibração, em velocidade e tempo de resposta. Nos números anteriores do JUS, onde publicamos as fichas de ervas e orixás, em cada orixá colocamos elementos de fixação à esquerda, que são os elementos preferenciais para assentamento e firmeza dessas vibrações ligadas a seus pares orixás á direita. É isso, leiam e releiam esse texto e compreendam nas linhas e entrelinhas o uso das ervas para nossos amados Exus, Pombas Giras, e Mirins. Que Eles, em nome de Nosso Pai Criador, possam nos abençoar em vitalidade, estimulo e ganho verdadeiro. Sucesso, saúde e muita alegria a todos! adriano@ervasdajurema.com.br www.erveiro.com.br


página 12

Ano 3 número 29

Artigo

Lançamento do livro “Bairro Vivo” Organizado pelo vereador José Police Neto, a cole-

começar pelos distritos e seus bairros, do micro para

ção contou com a colaboração de 27 profissionais en-

o macro. “Desta forma fica muito mais fácil detalhar e

tre urbanistas, jornalistas, historiadores e designers.

sanar os desafios da cidade”, afirma.

Além de ser um banco de informações sobre cada distrito paulistano, a coleção tem como objetivo principal ser um ponto de partida para que associações de bairro e a comunidade de cada localidade utilizem os dados ali contidos para realizar os Planos de Bairro em seus distritos. Ao longo de todos os cinco livros, Police Neto descreve como o planejamento dos distritos pode ajudar a resolver questões pontuais de cada localidade. Afinal, existe alguém melhor do que o próprio morador do bairro para saber quais os principais desafios da região em que mora e como resolvê-los? Defensor dos Planos de Bairro há vários anos, Police Neto foi o grande mentor do Plano de Bairro de Perus, o primeiro – e por enquanto único – Plano de Bairro a ser realizado na Capital. Tema de extrema importância neste momento em que a administração municipal e a Câmara Municipal de São Paulo discutem o novo Plano Diretor Estratégico da cidade. Na opinião de Police Neto, o planejamento de São Paulo deveria

A idéia de reunir essa gama de informações sobre os distritos na coleção Bairro Vivo – São Paulo nasce nos bairros surgiu na campanha eleitoral de 2012. Candidato a vereador, Police Neto elaborou um caderno de oito páginas para cada um dos 96 distritos da cidade de São Paulo enfatizando a importância da realização dos planos de bairro. Mas cada caderno ia muito além da mera proposta. Agregava informação e serviço ao cidadão. A coleção surgiu então como uma forma de consolidar todo o estudo que foi realizado naquela época. Este é o quarto livro organizado por Police Neto. Os anteriores foram “Plano de Bairro – No limite do seu bairro uma experiência sem limites”, “Plano de Bairro – Perus em Transformação” e Lições da Cidade – Questionamentos e Desafios do desenvolvimento urbano na cidade de São Paulo”. Fonte Assessoria de impressa http://www.gazetadasemana.com.br


página 16 Gil Mário de Oliveira Menezes

Ano 3 número 29

Artigo

Por Rodrigo Queiroz

Cosme e Damião, Crianças e a Umbanda Por volta do século III, nasceram na Arábia dois irmãos gêmeos Cosme e Damião, filhos de família nobre estudaram medicina na Síria e depois foram para Egéia. Não se sabe como e nem em que momento, mas estes se tornaram discípulos do Cristianismo.

Doces, bolos, balas, brinquedos e guaraná são alguns dos ingredientes presentes nesta festa, na qual os templos de Umbanda invocam a linha das Crianças.

Se utilizando da arte médica, tinham como intenção a conversão religiosa das pessoas, crendo no poder da oração aliado á medicina, conseguiram grandes êxitos pelas curas oferecidas e nunca cobravam por isso. Ganhando assim a simpatia de todos e muitos convertendo.

O primeiro impacto quando alguém se depara com um adulto de chupetas no pescoço e brincando de carrinho ou boneca é gargalhada na certa. Depois vem a pergunta: são espíritos crianças?

Chamou atenção dos governantes da época ainda “pagãos” e como provocaram a ira dos mesmos, em especial Diocleciano que os acusou de feitiçaria por não renunciarem a fé cristã, este os sentenciou para receber tormentos bárbaros. Vendo que isto não os abalava então determinou que os decapitassem. Assim Cosme e Damião morreram como mártir em 303 na Egéia. São Cosme e São Damião são venerados como padroeiros dos médicos e farmacêuticos. Por causa da sua simplicidade e inocência, são invocados também como protetores das crianças. NA UMBANDA: São Cosme e São Damião foram sincretizados com a linha de trabalho das Crianças, sem precedente uma vez que no histórico dos mesmos ao contrário do que muitos pensam não eram crianças e não se dedicavam especificamente a cuidar de crianças, por fim não se sabe precisar em que momento eles foram associados às crianças, o fato é que todos nós adoramos a tão esperada festa de Cosme e Damião, comemorada no dia 27 de Setembro.

Quem são estes espíritos infantis?

Por muito tempo acreditou-se que sim, mas dentro do estudo das condições do espírito humano sabemos que esta idéia não procede de fato. Existe uma vertente de pensamento que prega serem estes espíritos, seres adultos que tomam a forma infantil para desenvolver entre nós encarnados o propósito do trabalho. Porém fica outra dúvida: se a capacidade curativa e renovadora destes espíritos está na pureza de seu magnetismo, seria um espírito cheio de experiências assim tão puro? A Ciência Divina, revelada na Teologia de Umbanda Sagrada explica que não. Existem várias dimensões da vida e uma delas chamamos de Encantada, onde lá habitam seres infantis, não que sejam seres de pouca idade, porém infantis quando citamos a pureza, inocência, magnetismo puro é disto que estamos falando. No livro Arquétipos de Umbanda, de Rubens Saraceni, publicado pela Editora Madras, o autor cita na página 99 o seguinte trecho: “O arquétipo fundamentou-se nos espíritos ainda infantis regidos pelas mães Orixás, encantadas da natureza, que os acolhem em

seus vastos reinos na natureza em seu lado espiritual e os amparam até que cresçam e alcancem um novo estágio evolutivo, já como espíritos naturais” . Saiba que este processo é longo e demorado. Logo, estes espíritos infantis são maduros quando o assunto é Deus, pois da existência Dele não duvidam, é como se vivessem próximos do Criador e justamente esta falta de fé que nós encarnados demonstramos os entristecem. Temos então na linha das Crianças, espíritos que nunca encarnaram, são “encantados”, pois vivem numa dimensão paralela a nossa só que com magnetismos puros de sua natureza individual. Como atuam? Quando manifestados, estes espíritos promovem profundas renovações magnéticas no complexo energético do encarnado, sutilizando nossas energias e nas suas “brincadeiras” nos ajudam a desbloquear sentimentos negativos, desta forma limpam as pessoas e as aliviam. Por se manterem com intensa vibração pura é que facilitam as curas tão famosas. Incorporados brincam com brinquedos e comem doces em geral. Oferenda: Para o dia 27 de Setembro, vá até um jardim limpo, deposite doces, balas, pirulitos, bolo, refrigerante, flores diversas, em círculo acenda 7 velas azul claro e 7 cor de rosa intercaladas. Ofereça às Crianças de Aruanda, faça seus pedidos de paz, prosperidade, alegria e cura.


Ano 3 número 29

Eventos

11ª Festa de Cosme e Damião em Osasco! Organização: Templo de Umbanda Ogum Beira-Mar LOCAL: Clube dos Sargentos - Rua Luiz Rink - Osasco - SP Horário : às 14:00 horas Fone: 11 7251-9770 BLOG Além de ser uma festa religiosa também há neste dia alguns serviços sociais gratuitamente à comunidade em geral como: Corte de cabelos, testes básicos de saúde como: P.A. e diabetes, distribuição de refeição, doces e brinquedos para as crianças. Uma grande Festa de Amor e Alegria em Homenagem a Cosme e Damião e a todas as Crianças.

página 18


Eventos


página 20

Ano 3 número 29

Inesquecível 4º Festival de Curimba da Aldeia de Caboclos -“Um Grito de Liberdade” É com imensa honra, alegria e satisfação que a Aldeia de Caboclos vem à presença de todos os queridos e vibrantes participantes do Inesquecível 4º Festival de Curimba - Um Grito de Liberdade, para agradecer o comparecimento e o compartilhamento das emoções, mostras de arte e cultura e da grande vitória que foi a realização deste grandioso evento no dia 22 de setembro de 2013, na Casa de Shows Expresso Brasil, na cidade de São Paulo. Obrigado a tão querida Nação Umbandista e aos que apóiam e simpatizam com esta nobre causa e com esta iluminada religião. Obrigado por terem de forma magnífica, tornado realidade a concretização de mais esta edição deste agregador Festival. Obrigado por vocês terem feito parte de um momento memorável tanto para arte Umbandista como para Umbanda em sua essência. Agradecemos de coração as energias ultrapositivas emanadas do cativante, participativo e animado público que cantou, aplaudiu, vibrou, se maravilhou e se emocionou com o beleza do que viu. Pois, todo o trabalho que ali se exteriorizou foi desempenhado com muita competência, esforço, união, harmonia, aplicação, grande capacidade, espírito de superação e acima de tudo com muito amor real a causa por toda a equipe da Aldeia de Caboclos e seus apoiadores. Os nossos agradecimentos a toda mídia presente

pela bela cobertura do memorável evento, bem como o nosso muito obrigado a organização da Casa de Shows Expresso Brasil, sob o comando do prezado amigo Duck, pela integral dedicação e suporte ofertados. Este incrível evento contou com a presença de cerca 4.000 pessoas que ao longo do dia por ali passaram, cantaram e se emocionaram. Nesta edição contamos ainda com uma belíssima feira de artesanato com 16 expositores, com Show Room por parte das empresas de alto destaque e apoiadoras de forma incondicional dos eventos ligados a Umbanda e aos Cultos Afro em geral, quais sejam: Imagens Bahia e Casa de Velas Santa Rita. Tivemos ainda a exposição das obras musicais produzidas pela Aldeia de Caboclos e por um de nossos queridos ícones da música Umbandista, Pai Élcio de Oxalá. O público presente foi brindado em grande estilo, igualmente, com as apresentações do grupo Samba de Jorge abrindo o Festival, com o sempre contagiante e alto astral transmitido pelo Grêmio Recreativo e Cultural Escola de Samba Mocidade Alegre, e por fim, sendo levado a um momento de grande alegria e emoção com a nossa querida e consagrada Leci Brandão. Força aos Festivais, alegria e cada vez mais beleza aos nossos toques e cantos, cada vez mais união e harmonia entre os Umbandistas e as religiões como um todo. Escola de Curimba e Arte Umbandista Aldeia de Caboclos


Ano 3 número 29 Destacamos as presenças dos atuantes membros da nossa religião e das seguintes autoridades: Pai Milton Aguirre Pai Silvio e Esposa (Apeu) Dr. Antonio Basilio Filho Ogã Juvenal Ogã Oscar (FENUG) Pai Jamil Rachid (União de Tendas de Umbanda e Candomblé de São Paulo) Pai Edson (Associação Paulista de Umbanda) Sr. e Sra. Reinaldo e Kátia ( Federação Filhos de Tupinambá) Deputado Federal Vicentinho Ex.Vereador Quito Formiga Comitiva da Secretaria Municipal da Promoção da Igualdade Racial de São Paulo, representando o Secretário José de Paula Neto (Netinho de Paula) através do Supervisor Técnico Dr. Alexandre de Oliveira, da Secretária de Gabinete Adriana Palheta e da Secretária Adjunta Matilde Ribeiro.

Jurados - Sandra Santos (Presidente da AUEESP) - Pai Élcio (Cantor e Compositor) - Dr. José Valter Stefani (Advogado, cantor e compositor Grupo Aruanã) - Adriano Camargo (Erveiro da Jurema) - Severino Sena (Presidente do Núcleo de curimba tambor de Orixá) - Pai Fabinho de Oxalá (Representante do Centro Cultural Ibi Foride Terreiros Guerreiros de Oxalá) - Roncalli (Presidente da Escola de Curimba Caboclo Girassol) - Marcelo Fritz (Presidente do Jornal ICAPRA) - Prof. Deise de Britto (Professora de Dança da Faculdade Paulista de Arte) - Niti Queiroz (Dançarino e Coreógrafo pós- graduado em comunicação e artes do corpo) - Tião Casemiro (Músico, Compositor e Cantor) - Pai Fabrício Caravana (Dirigente da Cabana Espírita de Pai Fabrício) - Ogã Rafael Marques - Aldeia de Caboclos! - Allan Barbieri (Rádio Toques de Aruanda) - Alagbe Artur D’ogum (Curimbeiros da Senzala) - Miro Cardoso (Presidente da Associação Cultural Afro-Brasileira Voz dos Tambores e da Curimba Filhos de Umbanda) - Marques rebelo (presidente da UDU e redator da Revista Espírita de Umbanda)

página 21


página 22

Ano 3 número 29

CLASSIFICAÇÃO GERAL DOS QUESITOS: CURIMBA - LETRA E MELODIA - INTÉRPRETE 1) TUPINAMBÁ E CAMINHANTES DA LUZ

111,50

2) CURIMBA NOSTALGIA DA UMBANDA

111,30

3) T. U. SULTÃO DA MATAS PAI JOSÉ DE ANGOLA K. DO PRESENTE

110,40

4) ESCOLA DE CURIMBA RAZÃO PARA VIVER

109,00

5) T. U. OGUM GUERREIRO CABOCLO SETE LUA

108,80

6) CURIMBA LAR DE LUZ

108,50

7) ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA ALFA E OMEGA

108,40

8) ESCOLA DE CURIMBA GUERREIROS DE OXOSSI

106,90

9) TEMPLO DE UMBANDA CASA DA FÉ

102,50

10) VINHA DE LUZ

102,20

11) CURIMBA FILHOS DA ALDEIA

102,00

12) GRUPO OJUOBÁ

99,70

13) T. U. IANSÃ GUERREIRA E BAIANO ZÉ PILINTRA

99,50

PATROCINADORES ADRIANO CAMARGO

YORIMÁ ARTIGOS RELIGIOSOS

O ERVEIRO DA JUREMA

CIGANO ARTIGOS RELIGIOSOS

TIKO ARTIGOS RELIGIOSOS

CASA SÃO JORGE - GUARULHOS

SOUESP

CONCHITAS

MERCSEG CORRETORA DE SEGUROS

LUZ DIVINA

CASA DE VELAS SANTA RITA

PLANIX

COLÉGIO DE UMBANDA SAGRADA PAI BENEDITO

RAS EVENTOS

FLORA XANGÔ ARTIGOS RELIGIOSOS SANTUÁRIO NACIONAL DA UMBANDA LECAS IMAGENS BAHIA FEDERAÇÃO UMBANDISTA DO GRANDE ABC DANIEL ARTIGOS RELIGIOSOS AUEESP

UMBANDA EU CURTO BLACK RED PERFUMES A aldeia de caboclos agradece imensamente aos patrocinadores, apoiadores, federações, entidades representativas, aos expositores, aos grupos e curimbas participantes, e ao grande público presente. O NOSSO MUITO OBRIGADO A TODOS E ATÉ BREVE!!!


página 24

Ano 3 número 29

Foto: Divulgação

Artigo

Por Alexandros Barros Xenoktistakis

Haddad veta umbanda como patrimônio imaterial de SP Mas, a nossa luta continua... Primordialmente, ressalta-se que em agosto deste ano o projeto de lei 254/2010 que declara a Umbanda como patrimônio cultural imaterial de São Paulo foi aprovado em segunda votação Câmara de Vereadores. Necessário frisar que o relevantíssimo projeto é de autoria do nosso sempre vereador Quito Formiga, árduo defensor e pessoa de grande importância no fortalecimento da nossa amada Umbanda. Igualmente, esclarece-se que para que houvesse a crucial aprovação em questão contamos com a imprescindível atuação do estimado vereador Police Neto, político de grande seriedade que levou esta nobre causa adiante. Fundamental se elucidar à maravilhosa Nação Umbandista que para que se torne lei o projeto em debate, depende-se da aprovação, de igual maneira, por arte do digno Prefeito Fernando Haddad. Porém, no mês de setembro deste ano o prefeito Haddad vetou o projeto já aprovado na Câmara de Vereadores, impedindo, por momento, que se fosse instituído por meio de Lei a Umbanda como Patrimônio Cultural Imaterial da cidade de São Paulo.

O digno Prefeito expôs em seus motivos para veto os seguintes pontos: “... para que a umbanda possa ser declarada patrimônio cultural imaterial paulistano, é necessário ser a proposta correspondente submetida a criterioso estudo técnico, envolvendo equipe multidisciplinar, formada inclusive por historiadores e antropólogos, o que só pode ser realizado por meio do procedimento administrativo” dentro da Secretaria Municipal de Cultura.”

Salienta-se que ao expor os motivos de seu veto o digno Prefeito citou que a religião tem o dia 15 de novembro como data comemorada anualmente no calendário oficial da cidade como Dia da Umbanda e do Umbandista. Inquestionável que a aprovação da Lei em pleno vigor que instituiu o dia 15 de novembro como dia da Umbanda e do Umbandista na cidade de São Paulo, trata-se de um marco para a Nação Umbandista, é motivo de grande satisfação, orgulho e alegria para todos seguidores e admiradores da Umbanda, além de representar uma incomensurável conquista para a Umbanda como um todo. Todavia, notório em nosso entendimento, que esta última menção do respeitável prefeito, com todo respeito, não se apresenta como rígida base ou sólido elemento para tal veto.

Válido ainda se destacar as seguintes informações veiculadas em matéria publicada no Jornal O Estado de São Paulo em 17/09/2013, quais sejam: “O único patrimônio cultural imaterial de São Paulo continua sendo a Casa Godinho, inaugurada em 1888 no centro de São Paulo. A decisão foi tomada após dois anos de estudos dentro do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico (Conpresp), cuja avaliação foi de que a Casa Godinho “ainda mantém o sistema de atendimento ao cliente no balcão, direto e pessoal, característico dos antigos empórios de secos e molhados”.

“Na fila para ganhar o mesmo status da Casa Godinho estão o sotaque da Mooca e a Festa de San Genaro - os pedidos para se tornarem bens imateriais seguem sob análise do órgão municipal.” Por final, enfatiza-se que a nossa luta segue, que os necessários procedimentos para o efetivo andamento deste projeto almejando sua futura conversão em lei estão sendo alavancados, isto é, as lideranças da nossa Umbanda já estão em campo, e como sempre a Aldeia de Caboclos se faz presente desempenhando o seu determinante papel no fortalecimento e valorização da Umbanda e dos Cultos Afro-Brasileiros, através da direção do nosso queridíssimo pai Engels de Xangô.


página 25

Ano 3 número 29

Eventos

4° Encontro de Curimba da Foucesp No Dia 21/07/2013 às 13hs, no teatro do CEU Jambeiro em Guaianazes, aconteceu o 4° Encontro de Curimba da Federação Ordem de Umbanda e Candomblé do Estado de São Paulo - Foucesp, dirigido pelo Templo de Umbanda Caboclas de Iansã. Um Encontro, um abraço, uma confraternização de irmãos com o objetivo maior do amor, do entendimento, da tolerância e troca de conhecimentos. E todos nós é que ganhamos com isto! Mais luz, mais amor e mais alegria. Salve a Umbanda !!! Foucesp


página 26

Ano 3 número 29

Eventos

Atabaque de Ouro Paraná é mais uma vez o grande campeão O Rio de Janeiro foi mais uma vez palco de encontro dos bambas da curimba. O evento que ocorreu na sua nona edição surpreendeu a todos com energia, beleza, bom gosto e criatividade, entre os concorrentes que vieram com tudo em busca de premiação neste evento que é considerado o “Oscar” dos festivais de curimba. O evento aconteceu por mais uma vez na casa de espetáculos Rio Sampa, que não deixou a desejar em estrutura adequando as adaptações da direção do evento que a cada ano consegue se superar. Os portões, por mais um ano, abriram-se às 12h30min e o evento iniciou por volta das 14h. Já cedo os espectadores podiam notar que seria mais um ano de sucesso. Os ônibus de outros estados com suas caravanas contagiavam com sua empolgação e entusiasmo a área reservada para o elenco que este ano superou o número de 300 pessoas. A abertura oficial ficou a cargo do grupo Macala e do grupo cultural Afro Reggae. Em seguida, o campeão dos campeões do ano passado, o ogã Léo Batuke cantou o hino da Umbanda e chamou ao palco o idealizador e diretor do evento Marcelo Fritz. O mesmo deu boas vindas a todos, e agradeceu aos parceiros que por mais um ano colaboraram para a realização do evento, mesmo sem patrocínio. Marcelo Fritz desejou boa sorte aos concorrentes e convidou Paulo Tharcisio - Presidente da federação do Paraná para participar da abertura do show. O mesmo se fez acompanhado de Pai André e em seguida, ambos foram compor a mesa dos jurados. Pai Engels de Xangô falou pelo estado de

São Paulo. Pai Renato e Mãe Miriam participaram do evento saudando a todos com uma boa tarde, em seguida foram compor também a mesa de jurados que teve como presidente Tião Casemiro. O show de figurino, iluminação, percussão e dança mantiveram o público num fervor, que foi difícil não se emocionar. Nos bastidores emoção, últimos retoques, e o coração batendo muito forte com a oportunidade de estar ali entre os melhores do Brasil. Contra tempo tira três concorrentes da final Eles que já levaram o prêmio campeão dos campeões, Edvander de Oliveira e Verônica Vasconcellus, por razões de falecimento não conseguiram comparecer, além disso, um resfriado forte impossibilitou o estreante Victor de Oxossi de participar diminuindo, assim, os concorrentes da tarde. Ito melodia apadrinha o evento O intérprete de uma das escolas de samba mais tradicionais do Rio de Janeiro, a União da Ilha do Governador, e vencedor de inúmeros estandartes de ouro, parceiro e padrinho do evento – Ito Melodia realizou um show que foi pura emoção. O público não conseguiu ficar sentado com o sacode dele, que é destaque no samba carioca. O intérprete mostrou que é bamba, e ninguém ficou parado num ritmo de samba e alegria que contagiava a todos. “Fico feliz com esse reconhecimento, amo minha religião, esse evento que acompanho e vejo crescer...” Ito Melodia.


página 27

Ano 3 número 29 Muitos favoritos, mas a diferença de um ponto fez a alegria de uns e a tristeza de outros. Veteranos como José Carlos de Oxossi, Mano Lopes, Afonso de Xangô, Márcio Barra Vento, assustaram, mas não intimidaram iniciantes que vieram e deram um show de criatividade e mostraram, com suas apresentações, que a disputa seria acirrada. O grupo Filhos do Axé deu um show de figurino, levando o prêmio dessa categoria. Louvando o rei Xangô, o Grupo Emoriô levou o prêmio de revelação, surpreendendo a todos e sendo estreante no evento. Márcio Barra Vento levou o prêmio Melhor Intérprete. Aldeia de Caboclos, que foram fazer uma participação, levou o prêmio melhor festival. Voz veterana ficou para Mano Lopes. José Carlos de Oxossi levou na categoria de melhor curimbeiro. O prêmio campeão de títulos ficou para Mano Lopes, José Carlos de Oxossi e Afonso de Xangô que levaram a maioria dos festivais no Rio de Janeiro.

Melhor letra ficou para Valdinei de Ogun. Melhor coreografia ficou para o TUFOY-Paraná. Melhor Torcida foi para Pai Benedito de Angola dirigida por mãe Zilmar. E após anunciar o quinto, o quarto, o terceiro lugar e o empate do segundo entre Barra Vento, e Valdinei de Ogun com uma diferença para o primeiro lugar de um ponto, já não era novidade para todos que ali estavam aguardando com ansiedade o resultado, deu Paraná de novo. O resultado levou o público ao delírio e a emoção dos participantes do grupo, de um estado que já mostrou que não veio para brincar entre os bambas. A confraternização foi geral entre os concorrentes, alegria e é claro tristeza para alguns que chegaram tão perto. Mas ano que vem tem mais. Que vença sempre o melhor! É o que desejamos aos participantes, que sem dúvidas, são campeões por colaborarem com o engrandecimento de ação tão importante neste movimento que cresce e se fortalece em nosso país. Por: Marcelo Fritz – Fotos: Michele Nery


Ano 3 número 29

Eventos

por Pai Ronaldo Linares

Formatura do 27º Barco de Sacerdotes da FEDERAÇÃO UMBANDISTA DO GRANDE “ABC” - Pai Diamantino

31 de agosto de 2.013 este foi o dia que 49 alunos da F.U.G. “ABC” receberam seus diplomas tornando-se SACERDOTES UMBANDISTAS. A cerimônia foi realizada no Teatro Municipal de Santo André e, no corpo do convite já mencionava a importância e responsabilidade que cada um teria daqui por diante: “Qualquer um que se disponha a penetrar na dor de um estranho é verdadeiramente uma pessoa notável.” Henri J Nouwen. Como sempre, ao nosso lado estava a Escola de Curimba Aldeia de Caboclos, responsável pela apresentação de vários números artísticos que alegram e animam a plateia, que vibra e participa ativamente com palmas e aplausos.

A prece-poema de Preto Velho emociona as pessoas, principalmente com a interpretação de Pai Ronaldo. O Deputado Federal Vicentinho presenteou Pai Ronaldo com a notícia de que o Selo da Umbanda (lançado no Congresso em Brasília dia 15 de novembro de 2012, com a presença de Pai Ronaldo que, juntamente com o diretor dos Correios, carimbaram o selo pela primeira) será comercializado no primeiro trimestre de 2.014. O momento mais importante ocorre quando os alunos entram em cena para a fala do paraninfo, do orador, para o juramento umbandista e para o recebimento do diplomas (tão esperados). As homenagens entregues pelos alunos é a forma de


página 29

Ano 3 número 29 agradecerem aos que durante todo esse período estiveram ao lado deles orientando, ministrando as aulas e auxiliando em sua trajetória. No final da cerimônia a apresentação do Congá ao Vivo é o encerramento, com chave de ouro,da festividade. Enfim, os alunos sobem ao palco e extravasam sua alegria abraçando seus amigos, familiares e fotografam esse momento mágico para possam, para sempre, mostrar a todos um pouquinho desse dia tão feliz! Aqui nossos parabéns a cada novo Sacerdote:

 FERNANDO CARLOS JUNQUEIRA

 MÔNICA VENDITELLI CAMARGO MONTANHER

 ANDERSON RABELO DE LIRA

 GABRIELA CARLOS JUNQUEIRA

 PRISCILA CRISTINA DEARO DA CÂMARA

 ALESSANDRA DE PAULA PEREIRA

 GABRIELA ZARATE CECATO

 RENATA CRISTINA FRANGELLA BARBOZA

 ALEXANDRE DE PAULA PEREIRA

 GERCINA PINTO DE OLIVEIRA

 RICARDO GALHARDO DE SOUZA

 ALEXSANDRO ALVES DA SILVA

 JOANA MARIA DA SILVA

 RITA DE CÁSSIA DA SILVA

 ALINE CAROLINA DE OLIVEIRA

 JOSÉ CARLOS DE BARROS

 ROBERTA ALVES DOS SANTOS

 ANETE DA SILVA MARTHA

 JOSÉ ROGÉRIO DE SOUZA

 ROGÉRIO BELISÁRIO DA SILVA

 CARLOS ALBERTO GOMES DA SILVA

 JULIANE DO ESPÍRITO SANTO

 ROSINEI APARECIDA FERREIRA SANTANA

 CAROLINE GRANADO

 KELLY CRISTINA AGUILERA

 ROZIMEIRE FÁTIMA SANZOGO ESPÍRITO SANTO

 CÁTIA REGINA DA COSTA

 LUCIANA DA SILVA

 SANDRA MARIA BONADIAS GOELDI GONÇALVES

 CLÁUDIA BRANCO PICCAGLI

 LUCIANE SILVA GUERRA

 SÉRGIO PICCAGLI

 CLÁUDIA MIRANDA GARCIA

 LUCIANO TAMASIUNAS

 TARSILA COSTA DE OLIVEIRA

 DANIELLA SIQUEIRA DE CARVALHO

 MARCELO BACCHESCHI CHIAFARELLI

 TELMA CRISTINA BORGES

 EDEMILSON DA SILVA

 MÁRCIA REGINA SIQUEIRA

 VANESSA CORRÊA

 ELIANE CRISTINA MACIEL SOBRAL

 MÁRCIO PINTO

 VANESSA SERAPHIM DA SILVA

 EMMANUEL VIEIRA PEIXOTO JÚNIOR

 MARIA CRISTINA DE JESUS

 WALKIRIA ROSELY DE SOUZA

 FELIPE EDUARDO HARMEL

 ALEXANDRE MENDES DURAN

 YONAR MENEZES MACHADO

http://umbandaeucurto.com/


página 30

Ano 3 número 29

Eventos

Conheça o Revelando SP

Com a proposta de difundir a diversidade da cultura tradicional do Estado, o Revelando São Paulo, há 16 anos, estimula paulistas do interior e da capital a conhecer sua própria história, contada por meio de suas tradições. Nesta grande festa popular, a pluralidade da mesa paulista, assim como o artesanato, a música, o folclore e as danças tradicionais de várias regiões reúnem-se no mesmo espaço, em uma grande celebração multicultural que envolve 200 municípios. Nos 10 dias do festival da cultura paulista tradicional público conferiu artesanato, culinária e manifestações tradicionais de 200 municípios do Estado A 17ª edição do Revelando São Paulo, realizada entre os dias 13 e 22 de setembro, no Parque do Trote, na Vila Guilherme, em São Paulo contou com novidades para comemorar as 50 edições do Festival, que acontece há 17 anos. Durante todos os dias, milhares de pessoas conferiram o artesanato de 130 cidades do Estado de São Paulo com uma rica mostra dos trançados de palha, timbopé, taboa e cipó, a cerâmica com as panelas de barro do Vale do Ribeira, bordados, crochês, bonecas de pano, entalhamento e imagens confeccionados por santeiros populares. Os artesãos de Praia Grande, Carapicuíba, Sorocaba, Santa Fé do Sul, Pindamonhangaba, Jacupiranga, Ilha Comprida e Monteiro Lobato venderam entre 80 a 90% do material trazido e produzido no Festival. Os cerca de 120 espaços de culinária produziram pratos característicos dos caipiras, caiçaras, tropeiros e piracuara revelando os sabores da “Mesa Paulista”. O paulistano pôde saborear os doces e sabores da culinária tradicional, como o feijão tropeiro, a galinhada, o arroz vermelho com suã, a tainha recheada, o azul marinho, o bolinho de marisco, os bolinhos caipiras e os doces de compota e caseiros produzidos em diversas regiões do Estado. No Espaço Fazendinha, cavalos, muares, búfalos, bois, ovinos e caprinos permaneceram durante os 10

dias do evento para que adultos e crianças pudessem vivenciar a vida no campo, acompanhando os tropeiros na lida com os animais. Carros de bois, charretes e animais ficaram disponíveis para passeios com o público. O Projeto Verdejando, que integrou a programação do Revelando São Paulo, trouxe diversas ações ao Festival, como a doação de mudas para o público nos finais de semana, a visita de escolas para um trabalho de educação ambiental e exposições e vendas de mudas, hortaliças, orquídeas e bromélias para exposição e venda. Outras ações do Verdejando foram o projeto Deu Horta na Telha, que apresenta novas ideias de produção de alimentos de maneira sustentável, visando economia de água, reciclagem de resíduos orgânicos e principalmente a possibilidade de uma alimentação mais saudável, fácil e prática, e o Jardim Vertical, uma alternativa de cultivo de plantas para quem não conta com espaço físico. No último fim de semana, dias 21 e 22, a festa começou no sábado, com cerca de 40 bonecões e cabeções desfilaram pelas ruas da Vila Guilherme, fazendo um verdadeiro Carnaval de Rua pelas ruas da Vila Guilherme. No Parque do Trote, cerca de 30 folias de reis mostraram o colorido e o movimento das fitas e flores. No domingo a festa começou com cerca de 40 grupos de Congos e Moçambiques, Samba Lenço, Império do Divino, Irmandades de São Benedito, carreiros, cavaleiros, caminheiros e 20 carros de bois cortejando pelas ruas da Zona Norte, acompanhando a Imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida. No palco, após a recepção da Imagem Peregrina de Nossa Senhora Aparecida, os grupos iniciaram as apresentações que aconteceram durante toda a tarde. As romarias. Ainda, às tarde, os tropeiros vindos em cortejo da Freguesia do Ó chegaram ao parque do Revelando São Paulo, sendo recepcionados pelo público. O Abaçaí Balé Folclórico de São Paulo encerrou a programação da 17ª edição do Revelando São Paulo com as danças: “Chula de Palhaço”, “Boi”, “Batuque” e

“Jongo”, entre outras. Realizado pelo Governo de Estado, através da Secretaria de Cultura do Estado, e produzido pela Organização Social Abaçaí Cultura e Arte, o Revelando São Paulo tem por objetivo revelar, fomentar e salvaguarda o patrimônio cultural imaterial do Estado de São Paulo, nesta edição colocou foco na participação de crianças e jovens que estiveram presente em todas as manifestações tradicionais revelando a diversidade da identidade paulista.


página 32

Ano 3 número 29

Eventos

Feijoada Beneficente do Templo de Umbanda Aldeia de Oxossi Ogum e Iansã Realizada no último dia 1 de Setembro de 2013, a Feijoada Beneficente do Templo de Umbanda Aldeia de Oxossi Ogum e Iansã representou mais um evento de excelentes resultados em prol de inúmeras pessoas necessitadas.

saudando a todos ao som da grande Roda de Samba que se formou mesclando a Moçada do Samba e a nossa querida Velha Guarda que cantou e encantou a todos.

Foi com grande alegria que abrimos nossa Casa para receber nossos Amigos, Irmãos de Fé, e a Assistência fraterna que colaborou imensamente para a realização deste evento.

Só temos a agradecer pela grande e valiosa colaboração daqueles que acreditam e apoiam a Campanha Solidária, e o Trabalho Caritativo realizado pela Casa da Cabocla Yara.

Um Domingo festivo e alegre, a Feijoada foi servida pelos Filhos do Terreiro,

Mãe Silvia de Iansã

correram lágrimas, não de dor e sim de pena daqueles sujeitos que acharam que estavam lhe fazendo um grande mal. Estavam lhe proporcionando passar por um grande milagre espiritual.

Decanos

Os policiais foram afastados a bem do serviço e nunca mais Pai Jaú foi perseguido pela polícia. Até os 82 anos, idade em que faleceu, Pai Jaú atendia pessoas todas as quartas-feiras. Todos admiravam seu caboclo, pois sempre vinha do mesmo jeito, independente da idade ou da saúde do velho guerreiro. Na incorporação, seu corpo estirado se elevava mais de um metro do chão e, ao tocar no solo, o caboclo batia a cabeça no chão, no gesto característico do grande Decano.

Euclides Barbosa Saudoso “Pai Jaú”. Euclides Barbosa, o “Pai Jaú”. Foi zagueiro do Corinthians e do Vasco da Gama e participou da Copa do Mundo de 1938, na França. Barbosa morreu dia 26 de dezembro de 1988, aos 82 anos, de insuficiência respiratória, em São Paulo. (Fonte: Veja, 4 de janeiro, 1989 - Edição n° 1061 - DATAS - Pág; 65)*15/12/1906 - 26/12/1988 “Um apelido como qualquer outro” era a resposta que Euclides Barbosa dava quando lhe perguntavam de onde ou do que havia surgido o apelido Jaú. “Sou uma pessoa que tem três pesos e três medidas: sou da raça negra, umbandista e corintiano.” Pai Jaú, em uma dividida de bola, acabou tendo um ferimento grave na cabeça. Sua presença era essencial para que o time conseguisse vencer o adversário. Foi nesse instante que recebeu, pela primeira vez, uma mensagem espiritual, e a levou a sério. Jaú estava deitado na maca, fora das linhas do campo, o médico dizendo ao técnico que ele não poderia voltar ao jogo, pois o sangue não parava de jorrar e, provavelmente, ele havia sofrido uma concussão cerebral;

somente um milagre faria com que ele se levantasse. Quando olharam para o lado, Jaú estava de joelhos, olhando para o infinito, como se estivesse ouvindo instruções, e passou a mão no gramado, arrancou um chumaço de grama, colocou no ferimento, e, ainda seguindo as instruções, enfaixou a cabeça. Depois, solenemente encostou a testa na terra e levantou-se, como que impulsionado por uma mola, entrando vitorioso no campo, sob os aplausos da torcida e a perplexidade do médico e do técnico. Mais tarde, este gesto de tocar o solo do gramado com a testa passou a ser marca registrada do grande jogador e tinha tanta influência entre os colegas que ninguém se atrevia a colocar os pés no gramado sem que houvesse o toque da sorte, como passou a ser conhecido. Quando Jaú pendurou as chuteiras e passou a dedicar-se inteiramente à sua missão religiosa, teve realmente de ter o mesmo espírito de luta que sempre lhe acompanhou nas disputas espor¬tivas. Foi atendido; quando os carrascos acenderam os palitos, ele começou a ver, nas chamas, uma espécie de luz, formando uma figura de índio. De seus olhos es-

Como já aconteceu com muitos sacerdotes, por não deixar por escrito sua vontade, após sua morte, no que diz respeito à cerimônia e legados, Pai Jaú sofreu a discriminação e o desrespeito. Seus filhos-de-santo não puderam fazer nada, pois a família, com exceção de seu filho Jair, que nunca havia participado de sua vida, proibiu qualquer cerimonial umbandista e, no dia seguinte ao enterro, sua filha evangélica desmontou o congá, jogou tudo na rua e colocou fogo, sob os olhos atônitos dos vizinhos, que não puderam ou não quiseram interferir. Terminava assim a trajetória de um homem que honrou seu tempo, seus amigos e seus filhos espirituais, mas que recebeu muito pouco ou quase nada em troca, a não ser sua própria luz na eternidade. Ao Velho Pai Jaú, por seu Dia de Glória “Oxalá o abençoe e guarde hoje e sempre. Sua benção Pai Jaú.”

Rui N. Chagas Texto extraído do livro “Os Decanos, os Fundadores, Mestres e Pioneiros da Umbanda” - Coordenadores Rubens Saraceni e Mestre Xaman - Editora Madras


ATACADO E VAREJO L

SU NA ZO DA É BL OM ND CA E A ND BA UM DE JA LO TA LE MP A MAIOR E MAIS CO COBRIMOS QUALQUER OFERTA TRAGA SUA LISTA s o l e d o m e s e r , co s o p i t 0 0 5 e d os e n Mais a c i r f A s o d i c de Panos e Te BATÍVEIS!!! M I s o ç e r p m o c ABRIMOS TODOS OS DIAS De 2ª à 6ª Feira Das 8 às 20h Sábado Das 9 às 19h Domingos e Feriados Das 10 ás 14h

REVENDEDOR EXCLUSIVO ATABAQUES BAUER

LOJA 1: - Av.: Eng. George Corbisier, 1009 Próximo do Metrô Jabaquara (11) 4323-3055 LOJA 2: - Av.: Yervant Kissajikian, 745 V.Joanisa-Próx ao Shop. Interlagos (11)2503-6310 MEGA LOJA 3: - Av.: Eng. George Corbisier, 653 Em Frente ao Assaí Jabaquara (11) 2649-2065

WWW.CASADOCIGANO.COM.BR


página 34

Ano 3 número 29

Amor ao Próximo

A Umbanda na Campanha do Agasalho 2013 A Escola de Curimba e Arte Umbandista Aldeia de

te do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São

Caboclos, o Centro de Umbanda Caboclo Itapuaré e

Paulo (FUSSESP).

a Casa de Pai Benedito/FUGABC, trabalharam firme, assiduamente, com grande êxito, se mostrando efetivos parceiros da Campanha do Agasalho promovida pelo Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo (FUSSESP) neste ano. Todas foram recebidas em conjunto, com muito respeito e atenção, no dia 23 de agosto de 2013, no Palácio dos Bandeirantes, pela digníssima 1ª Dama do Estado de São Paulo, a senhora Lu Alckmin, presiden-

verno com mais segurança, dignidade e calor humano. As doações são encaminhadas às entidades assisten-

Na importante ocasião, as mencionadas entidades que

ciais, hospitais, albergues da Capital e de todos os Mu-

representavam a nossa atuante e amada Umbanda en-

nicípios do Estado de São Paulo.

tregaram setenta e duas grandes caixas compostas por roupas e calçados destinados às carentes pessoas alvo do louvável projeto social. Relembra-se que o FUSSESP, com o apoio dos diversos segmentos da sociedade, planeja estratégias, estabelece locais de arrecadação e coordena ações para ajudar milhares de famílias carentes a enfrentar o in-

Destaca-se que a Campanha do Agasalho deste ano beneficiou 339 municípios e 317 entidades assistenciais da capital. Aproveitamos a ocasião para agradecer o grande empenho e colaboração dos alunos da Aldeia de Caboclos, Muito Obrigado a todos!

7ª Primavera dos Museus e Cultura Afro-Brasileira No dia 28 de setembro de 2013, a Escola de Curimba Caboclo Girassol, participou da Sétima Primavera dos Museus, no distrito de Quiririm pertencente ao município de Taubaté – SP. O evento foi realizado em um casarão construído entre 1896-1903 e, de 1958-1984, ficou abandonado e em ruínas. Em 1985 foi declarado de utilidade pública, iniciando-se um processo de conscientização da sua relevância histórico-cultural. Foi restaurado (1995-1997) e atualmente abriga o Museu da Imigração Italiana. Este casarão era de propriedade da família Indiani, natural de Calvatone, província de Cremona na região de Lombardia, Itália. Em 1892, vieram para o Brasil: chegaram pelo porto de Santos, foram para a Hospedaria em São Paulo e de lá vieram para a Fazenda Cafeeira do Barreiro ou do Quilombo (como também é conhecida) (Taubaté), do Coronel José Benedito Marcondes de Mattos onde existiam outras quarenta famílias de imigrantes italianos.

Foi uma semana de muito conhecimento e cultura para aqueles que puderam estar presente. A qual contou com a participação de vários palestrantes e grupos culturais como o Grupo Moçambique Parque Bandeirante Mestre Paizinho, Grupo de Maracatu Baque do Vale, Gurpo de Capoeira N’Golo e a Escola Curimba Caboclo Girassol. Ao querido e amigo Alexandre Maloste, a Sra. Rosana Indiani Presidente da Associação Cultural di Taubaté e a toda sua equipe, nossos agradecimentos pela oportunidade de podermos mostrar um pouco de nossa cultura e nos ajudar afastar falsas noções e grandes equívocos acerca de nossa religião. Que Pai Oxalá e os Orixás abençoem a todos que fazem parte deste grande projeto, são os votos da Escola de Curimba Caboclo Girassol e do Jornal Aldeia de Caboclos. Roncali Rostemberg Representante do Jornal Aldeia de Caboclos no Vale do Paraíba


Ano 3 número 29

página 36

Agenda

19 5° Festival de Musica e Dança Afro Brasil 20 20 23 Roda de samba em homenagem ao Grande mestre Zé Pilintra 26 Aniversário da Escola de Samba Unidos do Tatuapé! 26 2º Seminário de Umbanda Ramatis CEU Esperança 27 9° Encontro de Curimba -Fenug 02 Feijoada Beneficiente com pagode Grupo “Momento Ideal” 09 10 11 Sessão Solene Comemoração ao dia da Umbanda em São Bernardo 12 Coroação de Ministro Religioso Umbandista (FERO) de outubro Local: Rua DR. Azevedo de Lima, 296- Jd.Modelo. Horário: 15h

de outubro Local: Rua Américo Gomes da Costa , 59-São Miguel Paulista na Escola Estadual Dom Pedro I Horário: 13h

3° Form. do curso de Sacerdócio de Umbanda do T. Esc. Ventos de Aruanda de outubro Local: Rua Joaquim Nabuco 381-São Bernardo. Local: Buffet Tutti Noi Horário: 13h

Ato de Desagravo Contra a Prefeitura de São Paulo em Virtude de sua Alta Intolerância Religiosa Contra A Casa De Pai Flávio De Yansan

de outubro Local: Viaduto Jacareí,100 8° Andar -Bela Vista São Paulo. Câmara Municipal de São Paulo Horário: 19h

de outubro Local: Avenida Deputado Emilio Carlos,n° 396 - Limão Horário: 20h

de outubro Local: Rua Melo de Peixoto n° 1513. Local: Quadra de Samba. Horário: 21:30h

de outubro Local: Avenida Marcondes de Brito, 1188 - Vila Matilde - SP. Buffet Carrossel Alegria. Horário: 14h

de novembro Local: Av. Monteiro Lobato n° 734 – Macedo - Guarulhos. Teatro Adamastor. Horário: 13h

de novembro Local: Avenida Maria Cursi n° 651 Vila Flávia- São Matheus. Associação Alfa E Omega. Horário: 20h

Lançamento do Livro Pai Silvio APEU

de novembro Local: Rua Romildo Finozzi,137-Jd Catarina. APEU. Horário: 15hs

Sessão Solene em comemoração ao dia da Umbanda e do Umbandista em São Paulo de novembro Local: Viaduto Jacareí n° 100 Estação Sé. Câmera Municipal de São Paulo. Horário: 19h

de novembro Local: Praça Samuel Sabatini, 50 - Centro, São Bernardo do Campo. Horário: 19h. Câmera de São Bernardo


Ano 3 número 29

página 38

Agenda

15 16 Festival de Corimba e Dança - U.D.U 17

Semana da Umbanda “Grande Engira com as Benção dos Caboclos em homenagem ao dia da Umbanda e do Umbandista na cidade de São Paulo de novembro Local: Rua Taquari n° 573 – Mooca. Parque da Mooca. Horário: 09:00 as 13:00h.

4° FESTIVAL PARANAENSE DE CURIMBAS

de novembro Local: R. Conselheiro Laurindo, s/nº, Centro-Curitiba. Teatro Guaíra (Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto) Horário: 17h

de novembro Rua Jose de Camargo Aranha,376. Teatro Clube Guapira. Horário: 14:00hs


T.U OGUM MEGÊ CABOCLO FLEXEIRO E BAIANO ZÉ DO COQUINHO

Sessões às sextas-feiras, a partir das 20:00 horas. Orientação espiritual do Babalorixá Luciano ty Ogun. 9 9877-2354 umbanda@tendadeumbanda.org www.tendadeumbanda.org

Rua Professor Alberto Levy, n° 6 - Bairro Vila Leonor

Tel.: (11) 2218.2790

Escola de Curimba Umbanda e Ecologia Formando os melhores mestres de curimba desde 1989

Temos o Curso da Magia Divina da 7 Chamas Sagradas

Congo Angola Ijexá Nagô Barra-Vento Venha aprender mais de 1000 pontos para voce tocar e cantar no seu terreiro para louvar seus orixás.

Avenida Vila Ema, 3248- Vila Ema São Paulo/SP

Nextel=78250655 id122*72459

Email-silvio.humberto@hotmail.com

Rua Domiciano Ribeiro 442 - Bairro do Limão - V. Espanhola 9 6457-5473 / 9 7243-2406

Templo de Umbanda

Caboclo Pena Roxa Rua Iberê da Cunha, 119 - V. Primavera São Paulo - SP (Altura 7.500 da Av. Sapopemba) Fones - 11- 2302.4306 / 7274.1757

Quintas-feiras:

www.tucpenaroxa.com.br atendimento@tucpenaroxa.com.br

Jornal Aldeia de Caboclos Outubro de 2013  

Edição 29 do Jornal Aldeia de Caboclos

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you