Page 1


página 2

Ano 7 número 62 nossa devoção, a nossa força em superar as mais ad-

tenhamos um mundo melhor, tendo como base não

e caros leitores, os tem-

versas situações, devem estar presentes, verdadeira

desejar e nem praticar com relação ao próximo o que

pos são árduos e nebulosos, po

e principalmente, em momentos críticos e comple-

não desejaríamos que acontecesse conosco, e nem

vezes temos a forte impressão por vez

xos, como o momento atual que tanto o nosso ama-

fosse praticado contra nossas pessoas.

ial

r

ito d E

Prezados irmãos de fé

e sensação de que o mundo mergulha

em um caminho h cada vez mais sombrio e frio, porém, são nos momentos de maior dificuldade, conturbação e desespero que devemos ainda mais fixar nossos pensamentos em Deus e demonstrar a nossa efetiva e real fé, não nos rendendo à negatividade, à descrença e ao pessimismo.

do Brasil como o mundo em geral enfrentam.

Que Oxalá ilumine o caminho de todos nós!

Exteriorizar a nossa fé quando tudo caminha bem, em regra, é simples, mas, saberemos se a nossa fé tem solidez quando, notória e claramente, ela for mantida diante das circunstâncias mais difíceis e

Alexandros Barros Xenoktistakis

ção. Pois, com fé verdadeira e acreditando em nosso potencial interior não haverá barreiras, óbices, obs-

tizamos em diversos diálogos a crença no Amor e na

táculos ou dificuldades que não serão vencidos, não

Paz entre os povos, destacamos a nossa Fé em Deus,

haverá dor ou sofrimento que não será dissipado ou

em Jesus, nos Orixás e nos Guias de Luz, portanto,

no mínimo abrandado.

Consequentemente e naturalmente, a nossa fé, a

Salve Zambi!

nos momentos de grande dor, pressão, temor e afli-

Carregamos a bandeira do universo espiritual, enfa-

os nossos atos devem comprovar nossas palavras.

Salve a Umbanda, que é amor e caridade,

Façamos preces por um mundo melhor e concomitantemente façamos a nossa parte material para que

EXPEDIENTE istakis els B. Xenokt Diretor: Eng e: Daniel Coradini Art Direção de ktistakis gels B. Xeno amargo / En Redator: C res: Adriano Colaborado ares e Ronaldo Lin noktistakis s Xe s ro d ndros Barro Alexan rídica: Alexa .106 Ju a ri o ss e Ass 182 m.br s – OAB/SP Xenoktistaki l@aldeiadecaboclos.co a rn jo : to conta

PREVISÃO BARALHO CIGANO Cartas: Lírios - Ancora - Caixão

Amor

Momento para recomeçar. Se você está sozinho será um ótimo momento para recomeçar e colocar movimento em sua parte afetiva. Novos amores e até mesmo novos momentos para seu atual relacionamento.

Profissional e Financeiro

Procure colocar movimento no lado profissional e pense em novos caminhos e novos horizontes. Terá chances de um novo trabalho ou até mesmo de um projeto novo.

Saúde

Procure cuidar do lado digestivo evitando a somatização e hábitos ruins. Coloque uma rotina saudável em sua vida equilibrando corpo e mente.

Carol Amorim- Taróloga e Dirigente do Templo de Umbanda Estrela do Oriente. Rua Bengali 29- Parque Novo Oratório Santo André. Atendimento online ou presencial. Informações: 11-23694241 ou via whatsapp 11 947393262


página 4

Ano 7 número 62

a d n ba Um

l a g Le

VÓS SOIS DEUSES! Jesus esteve na terra há mais de 2.000 anos, e até hoje patinamos para entender a mensagem que ele veio trazer. “Vós sois deuses, disse ele. Podeis fazer o que eu faço, e muito mais...” mas quem de nós realmente acredita nisso? Quem de nós acha que tem força o bastante para realizar tudo o que deseja na vida? Ele se referia simplesmente ao fato de sermos co-criadores, e apesar da esmagadora maioria dos seres hoje encarnados na terra não entenderem isso, tudo é como é porque assim nós acreditamos... Não é sobre ser como Deus - o Onipotente, Onipresente e Onisciente, de forma alguma...é sobre nos reconhecermos como emanados Dele, e resguardadas as devidas proporções, termos o poder de criar a realidade em que estamos inseridos. Um exemplo: quando algo nos revolta, como uma injustiça por exemplo, a raiva gera uma força que, se não bloqueada ou neutralizada, pode imediatamente gerar uma ação negativa e destruidora..., mas dificilmente sentimos essa mesma força quando diante de nós está alguém precisando ser curado. Entendem o que eu digo? Precisamos aprender a deixar crescer dentro de nós o que é belo, divino, o que cura, e não o que destrói. Jesus curava? Sim! Mas antes ele perguntava: você crê? Deixando bem claro que a parte co-criadora do doente precisava interagir para que a cura acontecesse...a pessoa tinha que acreditar! E o milagre acontecia. Talvez o problema seja que a humanidade não acredita mais na sua origem divina. Deus se tornou um ser inalcançável, distante, separado de nós...quando na verdade Ele está em nós, pois somos parte Dele!

E pra complicar mais a história, existem muitas forças que fazem de tudo para que as pessoas continuem “dormindo”. Televisão, celular, jogos, distrações aos montes...e nossa própria divindade interna vai ficando pra depois... As pessoas idolatram ídolos de carne o osso, enquanto seu Deus interno espera uma chance de se manifestar, concorrendo com toda essa realidade pensada e criada para nos afastar do nosso verdadeiro Eu, e sustentada por nossas mentes ingênuas e manipuladas. E Deus? Ah, Deus fica pra quando surgir uma doença, ou a morte...nessas horas todos se lembram de Deus. Foram realizadas experiências onde a meditação de um pequeno grupo baixou a violência em determinada cidade, mostrando a força da positividade, mas quem quer saber? Tem churrasco e jogo amanhã, bora se divertir não é mesmo? Mas não adianta fugir, estamos juntos e misturados até o último fio de cabelo, e o que vier pela frente atingirá a todos. Aos que se sentirem tocados pelo que estou dizendo, não subestimem a força da oração de um único ser humano, pois todos somos luzes e todos somos importantes para o Pai.

e divino em você. Deixe que as pessoas sigam o caminho que bem quiserem, mas se ouvir o chamado, olhe pra dentro, feche os olhos, se veja como realmente é...um ser de luz com todo o potencial para criar amor, paz, prosperidade, saúde e o que mais desejar. Todas as entidades de Umbanda trabalham pra isso...eles não querem ser muletas, querem ser mentores da caminha evolutiva de cada um de nós. Deixe que qualquer vazio existencial, emocional ou mental que possa existir seja preenchido pela divindade que mora em você, e que todo o seu ser sinta a Presença de Deus no seu espírito. Não dê ouvidos àqueles que não acreditam, pois eles ainda não podem ver.…mas envie boas vibrações e luz a todos que puder, pois não há outro caminho. Sim, somos deuses, sim, podemos mudar nossas vidas e de outras pessoas. Sim, podemos mudar o mundo todo, mudando apenas a nossa própria consciência e percepção das coisas. Paz, Luz e Amor a todos, Axé!

Por Mãe Valéria Siqueira

Não pense que seu esforço é inútil porque você é a minoria, pois uma única fagulha de luz ilumina a escuridão. Existe um provérbio africano que diz: quando a luz chega, a escuridão vai embora. Seja luz, vibre luz, viva na luz e conecte-se com seu Deus interno, o que há de mais bonito

Terreiro de Umbanda Pai Oxóssi, Caboclo 7 Flechas e Mestre Zé Pilintra

Críticas e sugestões: t.u.paioxossi@hotmail.com Fone: (011) 96375-7587


Ano 7 número 62

página 5


página 6

Ano 7 número 62

o g i t r A

ZÉ PELINTRA – O REI DE ALHANDRA Duas reportagens da Revista O Cruzeiro (1975 e 1980) tratam da “Cidade Sagrada da Jurema”. Em Alhandra, pequeno município ao sul de João Pessoa, na Paraíba, está situado a “Cidade Sagrada da Jurema”. Foi nesse local que nasceu, em 1813, José de Aguiar, o Zé Pelintra, que, ao morrer com 114 anos de idade, se tornaria um dois conhecidos mestres de linha da Jurema. São centenas de metros quadrados a serem preservados pelas autoridades do Estado. A “Cidade Sagrada da Jurema” é constituída apenas de túmulos dos mestres juremeiros, envolvidos por centenas de pés de jurema. Cada mestre que morria tinha uma semente de jurema plantada em sua sepultura. Servia como identificação para os juremeiros. Os pés de jurema desenvolveram-se de tal forma na região, servindo de esconderijo para os mestres sepultados, que hoje o campo nem pode servir de pastagem para o gado. Mas quem foi Zé Pelintra? Descendente dos Tabajaras, José Alves de Aguiar – seu verdadeiro nome – era filho da índia Tuiara e do escravo negro Ambrozio Aguiar. Nascido em Estiva, município de Alhandra em 1808, para uns e 1813 para outros, viveu sempre como agricultor trabalhando em propriedades particulares e nas horas de folga tinha como orientador espiritual o índio Inácio de Barros, que pregava a cultuação dos espíritos que se tornavam mestres, pela força de sua mediunidade. José de Aguiar, vulgo Zé Pelintra, foi o mestre que mais viajou pelo interior nordestino justificando a fama que adquiriu. O leitor deve estar perguntando: E o Zé Pelintra da malandragem carioca que povoa o imaginário de milhões de umbandistas? Vamos primeiro entender o significado do vocábulo pelintra. Nos dicionários encontramos a seguinte definição: Indivíduo pobre, mas com pretensões de aparecer; figurar. No entanto, Dalmo Ferreira, autor do livro “Zé Pelintra – O Rei da Noite” apresenta algo mais abrangente. Segundo o autor “pilantra” é o malandro mais esperto e

mais esperto que o “pilantra” é o “pelintra”. O Zé Pelintra da malandragem carioca é José Gomes da Silva que nada tem a ver com o José Alves Aguiar, o mestre da jurema. José Gomes da Silva nasceu em Pernambuco e chegou ao Rio de Janeiro com 17 anos de idade, em 1917, proveniente do Recife e se tornou um dos mais famosos malandros da Lapa e do Estácio. O que o dois tem em comum é o nome José. Quem desejar conhecer mais sobre a vida do Zé Pelintra da malandragem carioca leia a obra de Dalmo Ferreira. As imagens a seguir mostram o Babalorixá Carlos Leal (já desencarnado) em preparativos para ritual da Jurema. Em seguida o mesmo Babalorixá diante do tumulo de Zé Pelintra na “Cidade Sagrada da Jurema”. E ainda, o famoso Pai José Ribeiro incorporado com Zé Pelintra juremeiro e a imagem tradicional do Zé Pelintra da malandragem carioca.


página 8

Ano 7 número 62

o g ti

Ar

QUANDO AS PROFECIAS VÃO POR ÁGUA ABAIXO "Acautelai-vos quanto aos falsos profetas". Mateus 7 Em 1982 Tancredo de Almeida Neves foi eleito governador de Minas Gerais. No período em que ele governou o Estado, houve uma grande agitação em prol do movimento “Diretas Já”, em uma ação popular que mobilizou o país e pregava as eleições diretas para Presidente da Republica. Com a derrota da emenda Dante de Oliveira, que instituía as eleições diretas em 1984, Tancredo foi o nome escolhido para representar uma coligação de partidos de oposição reunidos na Aliança Democrática. Em 1984, aceitou a proposta de se candidatar à Presidência da República e em 15 de janeiro de 1985 foi eleito pelo voto indireto do colégio eleitoral por uma larga margem de votos. Foi primeiro civil Presidente da República após a ditadura militar. Tancredo firmou com os brasileiros, que foram às ruas lutar pelas eleições diretas, o compromisso de virar a página da história do Brasil, colocando fim a ditadura militar. No dia 14 de março foi acometido de intensas dores abdominais sendo internado, 12 horas antes da posse, no Hospital de Base em Brasília, onde se submeteu a uma cirurgia. O diagnóstico oficial foi “diverticulite”. No dia 15 de março, no lugar de Tancredo assumiu, de forma interina, a Presidência da República o vice-presidente eleito, José Sarney. A maioria dos brasileiros acreditava em sua recuperação e torciam e rezavam por ele. Duas mães de santo famosas do Pará fizeram previsões que garantiam a saúde e um governo brilhante para Tancredo como podemos ver na matéria do Diário do Pará, número 735, de 28 de março de 1985.

Mães de Santo garantem a saúde de Tancredo Não há qualquer trabalho de magia negra contra o presidente Tancredo Neves. Foi o que garantiu ontem “Mãe Celina”, vice-presidente do Ritual da Federação Umbandista do Pará e da Associação dos Amigos e Iemanjá, uma das mais conceituadas umbandistas do nosso Estado. Essas afirmações são dadas com base nos seus búzios e cartas por ela já consultados, que atestam serem estas notícias, meros boatos e sem nenhum fundamento. As perspectivas são que Tancredo Neves assuma o cargo que lhe foi confiado até o dia 20 de abril próximo. Entretanto, diz a umbandista, outras doenças

acometerão o nosso presidente, e por isso ele deve ter muito cuidado. Todas estas doenças, no entanto, serão para tratamentos médicos e não de umbandistas, já que não há magia negra e no contexto, “Mãe Celina” explica que mesmo que alguém estivesse fazendo esse tipo de trabalho contra o presidente, não surtiria efeito, porque milhares estariam (como estão) fazendo em benefício de sua saúde.

Corrente Disse ainda “Mãe Celina” que está fazendo uma forte penitência, todos os dias, das 22 às 23 horas, com vistas a que seja alcançado o restabelecimento da saúde de Tancredo Neves, fato que será conseguido, garante “Mãe Celina”. E o nosso presidente irá fazer um excelente governo no Brasil, no atendimento dos anseios de toda nação.

No Maranhão Sobre as explicações de que estaria havendo umbandistas trabalhando contra o presidente, no Maranhão (não se sabe o porquê dessa possibilidade), “Mãe Celina” também desmentiu categoricamente, afirmando ter muitos amigos de influencia na Umbanda maranhense, e todos eles já foram por ela consultados, e a informação foi unanime de que por lá nada de mal está sendo praticado, nesse sentido, em prejuízo da saúde do nosso presidente. Muito ao contrário, no Maranhão, como no Pará em outros Estados brasileiros, há correntes de fé em intenção do pronto restabelecimento da saúde de Tancredo Neves. E para quem tiver qualquer duvida quanto a isso, ela colocou à disposição, para quem quiser checar a informação, o telefone 098223452. É automático da residência do “Itabajara”, filho de um dos maiores pais de santo já existentes no Maranhão. Trata-se do “Zé Negreiro”, já falecido. “Itabajara”, também está trabalhando pela saúde do nosso presidente, e “Mãe Celina” garante que se estivesse havendo qualquer serviço em contrário, no Maranhão, ele imediatamente denunciaria.

05: 30 horas de terça feira. Imediatamente ela recomeçou sua penitencia em intenção da recuperação de Tancredo Neves. Na previsão de “Mamãe Nenê Gaia”, a saúde do presidente vai voltar com muita firmeza, conforme dizem as forças espirituais. Ressaltou que toda a Umbanda do Pará terá muita alegria quando chegar o dia em que Tancredo Neves assumir o comando da Nação. Ela particularmente vai fazer uma bonita festa na sua residência para comemorar o evento histórico. Disse também, não acreditar na possibilidade de alguém estar fazendo trabalhos de magia negra contra a saúde do presidente. Mas não se arrisca a descartar totalmente esta possibilidade, argumentando que assim como há pessoas de bom coração, há também aquelas que vivem para prejudicar o seu semelhante. Ela garante, isto sim, que em Belém não existe nenhum centro trabalhando contra Tancredo Neves. Todos torcem por ele. “Mamãe Nenê Gaia”, também afirma que o presidente Tancredo Neves, governará ajudando muito as crianças, os operários e outras categorias carentes. Após 38 dias de sofrimento, e sete cirurgias, Tancredo faleceu de infecção generalizada, no dia 21 de abril. Quem assumiu foi seu vice, José Sarney. Para o professor da Universidade de Brasília e cientista político Flávio Britto, Tancredo era a esperança. Segundo ele, sua morte acabou com o sonho de milhões de brasileiros que aguardavam as mudanças prometidas em campanha. A notícia da morte dele foi muito impactante. Havia uma união de solidariedade pela recuperação do presidente eleito. Todos torciam pela recuperação dele. E as profecias das mães de santo? E a saúde do presidente ia voltar com muita firmeza, conforme diziam as forças espirituais, e iria fazer um excelente governo no Brasil, no atendimento dos anseios de toda nação?

Mamãe “Nenê Gaia” Para a presidente da Federação Umbandista do Pará, “Nenê Gaia”, o presidente Tancredo Neves irá se restabelecer como toda a nação espera, vai governar o nosso país com garbo e fazer além da expectativa, pelo povo da sua terra. Para ela foi grande a surpresa com o agravamento da saúde do nosso presidente, às

Editor: Diamantino Fernandes Trindade


Ano 7 número 62

página 9


Ano 7 número 62

página 10

a

d an

b

o nd

m eU

d

la Fa

Formatura do 29º Barco de Formação Sacerdotal da Federação Umbandista do Grande “ABC” No dia 5 de agosto de 2017, a FUG “ABC” teve a honra de realizar mais uma formatura do curso de Formação Sacerdotal – o primeiro e mais antigo curso para formação de Babás e Babalaôs. E assim, numa fria noite de outono, 245 alunos formaram-se Sacerdotes Umbandistas. Lá fora a noite era fria, mas dentro do Teatro Municipal de Santo André podia-se sentir o calor humano gerado pela afeição e empatia expressos por todos que ali estavam em comunhão, num momento sublime de crescimento espiritual desses mesmos alunos que, ao longo de vinte e seis meses tiveram a oportunidade de vivenciar e aprender sobre a religião que abraçaram por amor e decidiram seguir, à luz dos ensinamentos de Pai Ronaldo e Babá Dirce. A partir de agora, darão seus próprios passos, serão responsáveis pela vida espiritual de seus Templos e estarão à disposição daqueles que deles necessitarem.

Ao som de Pombinho Branco (entoado pelo coral da Casa de Pai Benedito de Aruanda), os formandos subiram ao palco e, animados, cantaram o ponto acompanhados por todos os presentes. As autoridades foram chamadas para compor a mesa: Babá Dirce Paludetti Fogo; Babalaô João Batista de Araújo; Babá Jenifer Lanfredi de Paiva; Babá Maria Mercedes de Souza; Babalaô Edson Aparecido Pereira; Larissa Ignácio de Andrade – responsável pela fiscalização ambiental do Parque do Pedroso; Rosilei Mantovani – Jornalista e assessora do Vereador Alemão Duarte; Sônia Maria de Souza Raimundo – sócia fundadora do Movimento de Mulheres Negras e assessora Parlamentar do Dep. Federal Vicentinho e Babá Maria Aparecida Naléssio – Presidente do Primado do Brasil.

O teatro teve todos os lugares ocupados, muitos aplausos, cantos e energia positiva.

Após a execução do Hino Nacional Brasileiro e voltados para Oxalá, entoaram o Hino à Umbanda acompanhados pela Curimba.

Iniciando a solenidade, Pai Ronaldo recitou a “Prece-poema a Pai Benedito de Aruanda” (de sua autoria), enquanto o texto era interpretado no palco pelo Babalaô Anderson Rabelo de Lira (formado pelo 27º Barco e integrante do corpo mediúnico da Casa de Pai Benedito de Aruanda) que, ajoelhado diante de um Preto-velho (Babalaô Clodoaldo Ângelo, formado pelo 28º Barco e filiado da FUG “ABC”) usando seu chapéu de palha ouvia as singelas palavras de um jovem que demonstrava sua humildade diante de tanto sofrimento, sabedoria e elevação. Uma cena linda e comovente que cativou e emocionou toda a plateia.


Ano 7 número 62

página 11


página 12

Ano 7 número 62

Convocado para ser o paraninfo do 29º Barco, Pai Ronaldo honrosamente agradeceu a escolha da turma e iniciou o discurso esclarecendo: “Por que Barco? Porque da mesma forma que nos navios negreiros que cruzaram o Atlântico, trazendo para estas terras brasileiras escravos do continente africano, nós todos partilhamos de um mesmo destino; aqueles vieram para trabalhar a terra, nós para trabalharmos as almas. ” Com muita emoção, o sacerdote saudou os novos Babalaôs e Babás

mento das nossas entidades espirituais, embarcamos nessa jornada. Como todo barco que sai do cais rumo ao seu objetivo, por mais que tenhamos planejado o caminho, não sabíamos o que aconteceria no meio do percurso. Não foi fácil. O início sempre é mais envolvente, a chama da empolgação nos impulsiona a continuar remando, e as dificuldades não nos incomodaram muito. Na primeira parada e porque não dizer a mais importante, recebemos o batismo e a purificação de Oxalá. Refletindo o branco e consequentemente todas as cores, nos ensina que o melhor caminho para a evolução espiritual é por meio da paz. Continuamos remando com fé e verdade, e a segunda parada sentimos a alegria dos Erês e de São Cosme e Damião, adoçando nossa viagem e mostrando o quão importante é ter o sorriso nos lábios. Foram 7 dias sentindo essa alegria intensa, purificadora e encantadora, assim, seguimos viagem com o coração mais sereno. As tempestades chegaram para nos testar, por isso, precisamos da força de Pai Ogum e da proteção de mãe Iemanjá. Em meio a céu nublado e uma chuva fina, recebemos as bênçãos desses amados orixás. Ganhamos a espada de Ogum para abrir os caminhos e cortar as demandas. O perfume de Iemanjá para acalmar nossos corações para as provas que viriam a seguir.

orientando-os a manterem-se no caminho da fé sem desviar da verdadeira preocupação, a disseminação da paz. Ele finalizou sua fala dizendo, “Mas vocês não se vão... Porque vocês, que não são meus filhos de sangue, são os meus filhos de alma, e os filhos da alma não vão, eles ficam para sempre no meu coração. ”

O orador da turma, João Paulo Francisco, falou das dificuldades encontradas por ele e os colegas durante o caminho percorrido e de como os orixás testaram e incentivaram sua fé, permitindo que chegassem, assim, à evolução espiritual. Defendendo o discurso de Pai Ronaldo, João afirmou que “O melhor caminho para a evolução é por meio da paz” e seus colegas o aplaudiram com ternura. Seu discurso foi tão apreciado que vamos transcrevê-lo: “Iniciamos essa caminhada há mais de dois anos atrás. Motivados com o que nos esperava no 29º Barco Sacerdotal da FUG “ABC”, com o consenti-

é criação de Deus e tudo tem um porquê. E se existe o positivo, é necessário que exista o negativo. Incompreendidos e atacados pela sociedade, mas que sabemos o quanto nos protegem e nos amam, e vão até o fim nos livrando de todo o mal, Exu e Pombagira nos concederam a confiança dos seus mistérios nos saudando e fechando o ciclo para nos tornarmos sacerdotes de Umbanda. Não foi fácil esse percurso e muitas vezes o barco quis virar. Mas com as bênçãos dos sagrados orixás e entidades espirituais da Umbanda, conseguimos chegar até aqui e viver esse momento especial e único na corrida eterna que é a vida. Fomos agraciados pelo alto, fomos confiados ao mistério de Umbanda que tanto conforta os corações de milhares de pessoas. Somos Os Guardiões do Vale dos Orixás, e isso tem um motivo. Só é confiado o poder de guardião e guardiã quem honra sua fé, sua verdade, sua glória, sua missão. E após toda essa jornada incrível e emocionante, temos que nos concentrar e seguir um pedido de Pai Ronaldo Linares, feito do fundo do coração: “Meus filhos, sejam bons. ” Saravá a todos nós. Saravá Umbanda Por João Paulo Francisco 05.08.2017”

O céu ficou escuro e não era possível ver o que estava à nossa frente. Uma flecha apareceu o céu e brilhou iluminando a todos nós, Oke Arô Pai Oxossi. Nos pediu para buscar conhecimento, ter discernimento e paixão pela Umbanda. Ao seu lado apareceu mamãe Oxum, que nos lavou a alma com suas águas sagradas e nos purificou com seu amor infinito. As dúvidas surgiram, as provações eram constantes e em meio a todo trabalho de amor e caridade que estamos dispostos a fazer, tínhamos que lidar com as imperfeições dos nossos irmãos intolerantes. Um trovão clareou nosso céu, era Xangô (kaô), clamando por justiça e liberdade. Seu machado foi colocado à nossa frente, defendendo-nos de todo o mal. Formou-se um vendaval, era Iansã (Eparrey), levando toda a negatividade e trazendo paz e harmonia. Sentimos o axé e dendê e recebemos sua proteção. Nosso barco continuou navegando, em meio a incertezas, tempestades e provações. Mas também muito amor, emoção e dedicação. Uma novem se formou e não víamos mais nada. A ansiedade nos pegou de surpresa, e alguns de nós até pensou em desistir, pois não sabia se queria continuar. Todos demos as nossas mãos, elevamos nossos pensamentos e pedimos sabedoria e paciência. Obaluaê veio dançando até nós, jogando sua pipoca sagrada e limpando todo nosso corpo astral. Logo atrás surgiu Nanã, caminhando devagarinho, nos ensinando que a paciência é uma virtude e precisa ser cultivada, para que possamos admirar todo o percurso. Atotô Obaluaê, Salubá Nanã. Passamos por todas as provações com fé e vontade, aprendemos que tudo o que existe no universo

Antes de distribuir os diplomas, Pai Ronaldo e Babá Dirce foram surpreendido por uma homenagem de seus alunos, que fizeram questão de agradecer por todo esforço e dedicação. A Babá foi agraciada com um lindo buquê de flores e ambos receberam palavras de afeto e muitas palmas. Um a um, os alunos foram chamados ao palco para receber o cobiçado e merecido diploma pelo qual tanto se empenharam e se dedicaram para obter. Esse foi um momento muito alegre, repleto de bênçãos e lágrimas. Pai Ronaldo e Babá Dirce acolheram a todos os formandos, orgulhosos de seus alunos e distribuindo carinho. Viviane Magalhães e Renato Cavalli foram requisitados para realizar o juramento e Pai Ronaldo consagrou os alunos como Babás e Babalaôs em nome da Federação Umbandista do Grande “ABC. Num momento de alegria e agradecimento mútuo, receberam homenagens aqueles que, durante todo o curso estiveram presentes doando seu tempo e sua energia para que a satisfação e contentamento fossem os únicos sentimentos partilhados por todos. Foram homenageados Adriana Alencar; Anderson Rabelo; Anete da Silva; Carolina de Fátima; Cláudio Domingues; Clodoaldo Ângelo; Ga-


Ano 7 número 62

página 13


página 14

Ano 7 número 62 sentimento que predomina nesse momento tão especial de uma “falsa” despedida, pois cada um lembrará e será lembrado para sempre por aqueles que fizeram parte de um mesmo barco que navegou por águas calmas e agitadas, claras e escuras, sossegadas e aflitas, ensolaradas e sombrias porque os laços mais duradouros são aqueles feitos a muitas mãos, nas horas mais fáceis e mais difíceis.

briela Cecato; Giseli Domingues; Maria Cristina Baiocchi; Maria Neide de Santana; Mazirdes da Silva; Telma Cristina Borges; Vanessa Corrêa; Vanessa Seraphim e Wanderlei Baiocchi.

Que todos sigam em paz e levem sempre em seus corações o maior e mais importante ensinamento que receberam: “MEUS FILHOS, SEJAM BONS! ”

As autoridades que compuseram a mesa também foram homenageadas com placas de cristal em agradecimento ao trabalho que desenvolvem em nome da religião e do meio-ambiente. O sr. Giácomo Botaro Borges (do Depto Gestão Ambiental - SEMASA) não pode comparecer e foi solicitado à srta. Larissa de Andrade que recebesse em seu nome.

Como já se tornou um costume nas formaturas da FUG “ABC”, a cerimônia foi encerrada com todos os presentes cantando em coro as músicas “Isto é a felicidade” e “Despedida” de Roberto Carlos. Pai Ronaldo não poderia ter sido mais feliz na escolha das músicas, pois traduzem exatamente o

Parabéns Formandos do 29º Barco de Formação Sacerdotal da Federação Umbandista do Grande “ABC - Os Guardiões do Vale dos Orixás: Agnes Fabiana Silva da Luz Alessandro Brito Patrício Alex Sandro de Oliveira Barra Alexandra Fabiana Jorge Lembo Alexandre Aparecido Garcia Alexandre Augusto Guzella Ferreira Alexandro Rabelo de Lira Allyne Pimentel de Freitas Almir Domingos de Sousa Ana Margarete Sena Ana Maria Jordana Reale Ana Maria Ramos Piccoli Ana Paula Bianchini Ana Paula da Silva Pian Ana Paula Ruggieri Baiochi Rodrigues Andrea Dalécio Antonia Sueli Ferreira Menezes Santos Antonio Bispo dos Santos Aurilene Alves Rodrigues Moura Bruna Golini de Oliveira Bruno Concílio de Freitas

Bruno Rafael da Silva Camila de Almeida Estevão Camila de Oliveira Cabrera Carlos Eduardo da Rocha Ferreira Carmen Novi Cássia Aparecida Almeida Angelo Célia Regina Navas Cláudio Rodrigues do Nascimento Creusa Aparecida Teixeira de Almeida Cristiane Sousa de Carvalho Cristiano Andrade de Oliveira Trevelino Cristiano Silva Santana Cristina Luciana Borges Damiana Roberto da Silva Daniel Covella dos Santos Danielle Lopez dos Santos Dárcio Ferreira Correa Deivid Leite dos Santos Délcio de Oliveira Júnior Denacir Aparecida Soares Treml Dênis Vitiello Denise Gomes de Oliveira Renaldin Diego Cosmo de Souza Arruda Diógenes Granda Lembo Douglas Miranda Gomes Edna Guedes Domingues Franco Elaine Aparecida Nunciato Previtalli Elaine Cristina Silva Garcia Elizabeth Lasara F. da Costa Gonçalves Ellen Lígia de Paula da Silva Saes Estefan Mordegane Nabarrete Euler Agudo Evandir Nunes dos Santos Evandra Carla de Castro Domingos Evandro César de Oliveira Fernandes Everton Menezes dos Santos Fabiana Gea Malaguti Fábio Pires de Camargo Fábio Silva Bonci Fernanda da Costa Santos Fernandina Dionísio da Silva Alves Fernando Arlei Cruseiro Flávia Ferreira Lima Gabriel Volk Melo da Costa Gisiane Garcia de Oliveira Gustavo de Andrade Weber Gustavo Lima de Souza Ivanil Lopes de Faria Ivone de Souza Oliveira Janaína de Souza Oliveira Janaína Garcia Franquis Janaína Tatiane F. de Moraes Nascimento João Paulo Francisco José Andrade Lima José Carlos Maruyama José Donizete Alves Josiane Gamero Corralero Jucieudo de Oliveira Sarmento Juliana Rufino Jupira Carvalho da Silva Karina Fernandes Ferreira Kátia Cristina Crolcev Letti Laís Roberta dos Santos Leila Garcia Sanches Lucas Tadeu de Miranda Luciana da Conceição Pavanelli Luciano Carvalho da Cruz


página 15

Ano 7 número 62 Lucinda Aparecida Nogueira Malaquias Luiz Aparecido Demori Luiz Carlos Pizone Júnior Luzia Maria de Mendonça Marcos Antonio Miranda Gonçalves Marcos Aparecido Pacheco Maria Antonia Araújo Maria de Fátima Cordeiro Benevides Ducci Maria de Lourdes Nunes dos Santos Maria do Carmo da Silva Mutti Maria Eluíza da Costa Oliveira Maria Lourenço da Silva Malheiros Marielze Ferreira dos Santos Marilede Aldna Alves Viana Marilene Iacconi Rumachella Marília Rodrigues Duarte Marisa Regina Borges Marisa Rodrigues Gomes Marisa Rodrigues Loiola Marlene Cavalcante Alves Marlon Alberto Domingos Maurício de Cecco Porfírio Mirian Carla Fernandes de Sousa Mônica Fernandes Farina Mônica Maria Duarte Gregório Nathália Rodrigues Neyor Aizner Pablo França Menezes Paulo da Cunha Paulo Roberto Campos de Oliveira Ruiz Paulo Vanderlei Rumachella Priscila de Moura Ferreira Priscila Nogueira Cardoso Chasseraux Priscila Suzana Magri Rafael Felipe de Goes Regivane Ribeiro de Aguiar Renata Borghi Renato Cavalli Tchalian Renato Fenólio dos Santos Ricardo Bruno de Proença Ricardo Garcia Conde Richard Felipe Moreli da Silva Roberto Baiochi Rodrigues Rodrigo Nascimento de Carvalho Rodrigo Szot Guariento Rosa Maria Rosendo Santos Pastorelli Rosângela da Silva Marotti Roseli Lima dos Santos

Rubens Pereira de Morais Rúbia Carla Piffer Foschini Sander Osmir Farina Sérgio de Goes Silvana Augusto Haro Silvana Barbosa Tchalian Silvia Maria dos Santos Pegollo Reche Bujaldon Simone dos Anjos Gonçalves Simone Regina Florentino Diniz Simone Regina Gallina Suzy Mary Sevaroli Monteiro Taiz Alencar de Sá Tamires Alves de Souza Tamíres Rodrigues Duarte Matsui Tatiane Carvalhaes Joia de Oliveira Tatiane de Oliveira Umino Taylana de Souza Amador Telma Garcia de Miranda Teresinha Kokura Thais Nascimento Silveira Thiago Alencar de Sá Thiago Soares Costa Valdelina Alexandrina Marques Valdirene Freitas Mascarenhas Valdirene Scomparim Siarvi Valmir Nicolau Cavalaro Junior Vera Lúcia Neppe Vitor Alexander Affonso Vaz Vitor de Assis Almeida Viviane Stankevicius Urioste Magalhães Waldemar Ferreira Leite Filho Welington de Souza Oliveira Formandos do Babalaô JOÃO BATISTA DE ARAÚJO Do Terreiro: TEMPLO ESPÍRITA DE UMBANDA PAI SEBASTIÃO Adriana Michelle dos Santos Vicario Alex Bartalini Sant'Anna Bruno de Melo Sousa Eduardo da Costa Eduardo Roberto Viebig Araújo Gilson de Albuquerque Janaína Araújo Sant'Anna Juliana Zola Araújo Letícia Teixeira Bueno Maria Arlete Simões da Costa Mário Vicário Filho

Priscila da Costa Domingos Sheila Buso Sônia Aparecida dos Santos Vicário Túlio Augusto Gasques Yasmin Almeida Lima Formandos da Babá MARIA MERCEDES DE SOUZA e do Babalaô EDSON APARECIDO PEREIRA Do Terreiro: TEMPLO DE UMBANDA LUZ E FORÇA DIVINA Andrea Dias Carvalho Antonio Carlos De Souza Carmen Priscila Dos Santos Hército Moreira De Souza Júnior Kathleen Moreira Renato Márcia Marques De Freitas Maria Nair Dos Santos Viviane Aparecida Cordeiro Dos Santos Formandos da Babá JENIFER LANFREDI DE PAIVA Do Terreiro: TEMPLO DE UMBANDA SEARA DE JESUS Bruno Daniel Carlos Magella Mellin Cláudia Ferreira Gomes Gonçalves Diego Fernandes Durval Lunardi Elaine Nely Duarte Jacinto Eve Louise Kurose Isabel Theobaldi José Carlos Garé Luiz Carlos Aulicino Júnior Luiz Cláudio Alves Márcia Fernandes Mário Antônio Luiz Correa Mauro Martorelli Mônica Donato Og Correa Gonçalves Júnior Rafael Tagnim Pessoa Ricardo Palermo Roberto Alves Cavalheiro Rosemeire Do Carmo Rosa Dos Santos Solange Kurose Thaís Cristine Kurose Pessoa Vanessa Gardesani Mellin


página 16

Ano 7 número 62

Foto: Divulgação

a n s ia a v lde r E A

As Ervas e as Forças da Jurema Salve turminha das ervas! Salve irmãozinhos em Mamãe Natureza. Que a força viva da Jurema nos abençoe. Quando falamos em Jurema, somos automaticamente remetidos ao universo religioso e lembramos de imediato dessa fantástica linha de trabalhos espirituais das Caboclas Juremas. Sabemos que Jurema alem dessa fantástica falange, é também o nome de uma árvore, a “Jurema Preta” Mimosa hostilis é seu nome científico. Há várias confusões em relação a essa árvore sagrada. Acredito que a principal seja a confusão com outros tipos de jurema, ou acácias. É uma árvore bastante característica da região Norte – Nordeste do Brasil. Gosta de calor intenso, e por isso sua propagação em São Paulo (região Sul – Sudeste) é muito difícil, e mesmo que essa árvore cresça por aqui, perde parte das características de cor, aroma, etc. A vibração da árvore jurema, é associada aos Orixás

Oxóssi, Obá e Oxalá. Sua casca é considerada “quente”, com alto poder de limpeza, principalmente para o chacra coronário de médiuns, ou seja, a “coroa mediúnica”. Dentro dos ritos do Catimbó, essa sagrada religião da natureza, pautada no culto tanto à árvore da Jurema, (sua essência energética e ao que ela representa para o juremeiro), quanto aos Mestres da Jurema, espíritos de grau iniciático no seu culto e manipulação ritualística de elementos ligados a ela; seu uso é bastante amplo, passando das beberagens, fumos sagrados e ritualísticos, banhos e defumações. A própria presença da erva já é uma benção para o juremeiro, ou o praticante do culto à Jurema. Jurema também é o nome dado ao espírito vegetal, à força viva da erva, à sua energia elemental básica. Podemos dentro dos terreiros usar a jurema preta de forma bastante simples e direta, seja nos banhos de defesa e limpeza; nas defumações de desenvolvi-

mento, ou mesmo em dias de festa de caboclos, colocando algumas cascas de jurema em vinho tinto, deixando descansar por uma semana pelo menos em local escuro, e servindo aos caboclos. Vale lembrar que aqui não podemos, e não temos a pretensão de ensinar ninguém a ser um juremeiro, mesmo porque isso não se ensina, se vivencia. E essas receitinhas são extremamente básicas, fato que se alguém tiver interesse em aprender mais sobre ervas, jurema, etc., procure os locais e pessoas habilitados a falar sobre o assunto. Essa beberagem de Jurema é apenas um vinho misturado com cascas e não uma bebida iniciática, ok. E apenas um agrado que se faz à linha de caboclos na Umbanda, que por definição, são os juremeiros por excelência. Aquele que acha que sabe tudo, perde uma grande oportunidade de aprender o que não sabe. Jurema é um Mistério Divino em Si. E Mistério não é algo escondido, é algo não compreendido em tota-


página 17

Ano 7 número 62 lidade, principalmente por nós, seres humanos limitados ao entendimento humano das coisas Sagradas. Por falar em mistérios, vale continuar alertando sobre os donos dos mistérios. Isso mesmo, os que se auto intitulam donos de determinadas forças da natureza. Prestem bastante atenção: não se quebra um dogma criando outros. Uma folha é uma enciclopédia em si mesma. Numa folha está todo o código de uma raça elemental inteira. Reconhecer a energia numa folha, não estamos falando da energia física, como aprendemos no colégio, mas a energia etérica, espiritual mesmo, enfim reconhecer essa energia é um dom, que pode ser desenvolvido sim. Existem pessoas que nascem com um dom para a música, com uma invejável voz afinada ou com uma habilidade nata para tocar determinado instrumento. Da mesma forma existem pessoas que tem uma sensibilidade natural para os elementos. Sentem as pedras, a água ou as ervas. Esta sensibilidade não é um benefício que Deus dá de presente àquela pessoa em especial, mas sim conquista dela em sua caminhada de aprendizado e conhecimento. Negar seu dom seria a mesma coisa que vendar um dos olhos e se negar a enxergar com ele. Ou mesmo tapar uma das narinas, ou um dos ouvidos, ou mesmo os dois para não ouvir nada. Muitas pessoas gos-

tariam de nascer com esses dons, mas tem a oportunidade de aqui, nessa jornada carnal, desenvolver pelo menos em parte, uma dessas capacidades.

em contato com essas vibrações é o meio religioso. A Umbanda como religião da natureza, proporciona um desses meios.

A mediunidade, ou sexto sentido, ou como chamei aqui simplesmente de sensibilidade, pode ser desenvolvida dentro das suas condições e merecimento. E isso não está diretamente ligado ao plano espiritual humano. O dom de entender e reconhecer as reações das plantas é muito mais comum do que imaginamos. E sempre há quem afirme: acho que não tenho mão boa para plantas... Digo o contrário: pratique!

Os guias espirituais, caboclos, pretos-velhos, crianças, exus, etc., são manipuladores, senão naturais, preparados para tal. Conhecedores de como ativar os elementos, mesmo sem muita ritualística, sem folclore, estão ali, com uma folha, uma flor, semente, pedra, enfim, com um elemento natural ativo para o benefício de seu semelhante.

Tenha alguns instantes diários de contato com suas ervas e plantas ornamentais. Lave as mãos em água fria, com seu sabão ou sabonete preferido, enxágüe com bastante água e sem tocar em nada espalme suas mãos sobre as folhas de uma planta... relaxe... solte os ombros, os braços... afrouxe os músculos... respire fundo pelo menos umas três vezes... feche os olhos e sinta a erva... sinta sua aura, sua vibração. Na desista se não sentir nada na primeira vez... a persistência fará com que dia a dia sua sensibilidade aumente. Quando menos esperar, estará em contato com um mundo fantástico, disposto a lhe ensinar, dentro também daquilo que você puder aprender, todo o conteúdo armazenado por milhares de anos de existência. O elemento vem participando da evolução humana a incontáveis eras. Uma das formas de entrarmos

Quando oferendamos um Orixá, seja em seu ponto de forças ou mesmo dentro de nossos terreiros, os elementos ali colocados são manipulados de forma que proporcionem ligação, irradiação ou absorvência de vibrações também. Não há conhecedores absolutos desses elementos, porque se alguém assim se intitula, se auto intitula de próprio Criador da Natureza. Somos instrumentos de mais alto, aprendizes do amor pela Mãe Terra, e por todas as Mães que compõem esse magnífico quadro natural. Bênçãos de Mamãe Jurema em nossas vidas! Bênçãos de Papais e Mamães Orixás também! Adriano Camargo / Erveiro da Jurema www.erveiro.com.br email:adriano@ervasdajurema.com.br 4177-1178


página 18

Ano 7 número 62

o g ti

Ar

O crisântemo branco e a linha dos Erês Na Ásia existe a crença que o crisântemo branco simboliza verdade e sinceridade. Por ser uma flor comumente vista no Outono também remete à tranquilidade e é associada como mediadora entre o céu e a Terra, a vida e a morte. E, como crisântemos brancos, a linha das crianças alegra as giras dos terreiros umbandistas e traz a reflexão aos já bem crescidos. Inocentes e delicados, os Erês vem a este mundo carregando em suas malinhas diversos doces, boas aventuras imaginárias e conselhos que jamais poderiam ser oferecidos de forma tão singela e singular por outrem, afinal, não há mente racional que deixe de se render aos questionamentos curiosos, porém não menos inteligentes, dos pequenos. Logo que seus olhos encontrarem os deles, é certo que verá o seu reflexo como em um espelho de diamante e ainda que enxergue-o embaçado, nada será mais límpido e verdadeiro do que você para eles, porque em seus corações a palavra “julgamento” é apenas uma sopa de

letrinhas grande demais para se ler. Sentados no chão, rodeados de doces e outras crianças, irão te receber e após lhe entregarem um punhado de suas guloseimas, te chamarão de “tio(a)” e acolherão teus sentimentos, questões, medos e o que mais houver. Dizem que a vida é simples para aqueles que a enxergam dessa forma, como essas pequenas pessoinhas que pintam o universo com dedos, desenham sorrisos no Sol e ainda tem tempo para ensinar aos maiores que castelos e casebres mágicos, unicórnios e dragões, sonhos e objetivos irão existir se acreditar. A filosofia da felicidade e a do amor estreitam a linha da semelhança ao mínimo no momento em que passamos a trocar algumas palavras com essas fagulhas de esperança animadas e compreendemos que ambos surgem e sobrevivem enquanto persistem na valorização do “genuíno comum”, seja este um gesto de apoio ou um ato despretensioso de afeto. Talvez seja repetitivo pisar em um palanque e declarar: “dê valor às pequenas

coisas!”, todavia se transformarmos o espelho embaçado em uma janela encontraremos Cosme e Damião do outro lado, brincando na beira de um rio, espalhando gargalhadas gostosas e ajudando seus amiguinhos a entrar na água para se juntarem a eles. Feche os olhos por um instante e escute-os chamar o seu nome, puxar-lhe pela mão e, aos poucos, suas roupas se molhando no mesmo instante em que é preenchido pela vontade de viver por mais um dia, uma semana, um mês, um ano… Uma vida. Esqueça-se de quem é para o “mundo lá fora” e busque abraçar o seu eu do “mundo de dentro”. Concluo com a máxima de Cristo: “Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais, pois o Reino dos céus pertence aos que se tornam semelhantes a elas”. Sacerdote Umbandista do Templo Escola Casa de Lei Alan Barbieri. Contato: (11)2385-4592 Email:Barbieri.empresa@gmail.com


Ano 7 número 62

página 19

a

d an

b

o nd

m eU

d

la Fa

ANTÔNIA FEZ A VIAGEM! A aruanda está em festa, pois a filha de Oxalá e das entidades Caboclo Quebra Onda e Mãe Maria do Bonfim está com eles! A nossa decana, conselheira, sacerdotisa umbandista e comandante chefe de terreiro, Antônia Da Costa Daemon Azevedo Marques está agora ao lado de nossos antepassados umbandistas e seus familiares. Faleceu aos 98 anos no dia 17 de julho, as 23h30 por insuficiência respiratória aguda. 1972, esta foi a Tenda Espírita de Umbanda Fé, Caridade, Fraternidade do Caboclo Quebra Segunda filha de Jansenio Jenserico Daemon e de Cândida Ignês da Costa Dae- Onda e Mãe Maria do Bonfim, mudando a denominação em 1991 para Tenda Espirita de mon, nasceu em 29 de outubro de 1918, tendo duas irmãs e dois irmãos. Foi ca- Umbanda Vovó Catarina e Mãe Maria do Bonfim - Fraternidade, Humanidade e Caridade sada com Corypheu de Azevedo Márquez, este que foi um importante jornalista, em parceria com a C.C.T. e Prof. Maria Luiza Monteiro. O terreiro teve vida longa, fechando militante e dirigente do Partido Comunista Brasileiro nos anos 1930, eleito para apenas em 2016 por motivos de saúde. o Bureau Político durante a Conferência Nacional ocorrida em janeiro de 1934. Durante sua vida religiosa foi Conselheira do SOUESP entre as décadas de 1960 e 1970, Ao seu lado Antônia teve dois filhos, dois netos e três bisnetos. além do Primado do Brasil onde permaneceu até o seu desenlace. Recebeu várias premiaAntônia se considerava uma pessoa ateia, começando já tarde a sua vida re- ções, títulos e honrarias das instituições umbandistas que muito a respeitavam e admiraligiosa na Tenda Espirita de Umbanda Pai João da Caridade, comandada pela vam. E foi com essa admiração e respeito que a nossa querida dona Antônia fez a sua viagem C.C.T. Lídia Nunes de Azevedo, grande líder umbandista. Foi lá onde recebeu ao encontro de nossos irmãos de luz. todos os ensinamentos umbandistas que a levaram a abrir sua primeira casa em

Primado do Brasil


Ano 7 número 62

página 20


Ano 7 número 62

página 21


Ano 7 número 62

página 22

os t n

e Ev

6ª PROCISSÃO EM HOMENAGEM A DIVINA MÃE NANA

O belíssimo evento foi idealizado e desenvolvido pelo ícone Umbandista Pai Élcio de Oxalá, sendo que a sexta edição do grande evento ocorreu com grande alegria no dia 30/07/2017, no Clube Atlético São Jorge, situado na Rua Rêgo Barros, 1828 - Vila Antonieta, São Paulo – SP. Pai Élcio agradece imensamente a presença de todos os Templos, Curimbas, Irmãos de Fé, Meios de Comunicação, Autoridades em geral, apoiadores e amigos presentes!


Ano 7 número 62

página 23


página 24

Ano 7 número 62

os t n

e Ev

PRÊMIO NILTON FERNANDES Pensando nas características necessárias para um Curimbeiro o Sr. Nilton Fernandes, sacerdote umbandista, no ano de 1.975 fundou a Escola de Curimba e Arte Umbandista Félix Nascentes Pinto, cujo objetivo era ensinar não somente o canto aos Orixás, o toque do atabaque e a doutrina Umbandista, mas também para o fortalecimento e a preservação da cultura e da tradição do povo umbandista. Sendo a pioneira no ensino do toque e canto Umbandista, em 1.979, o Dr. Sebastião Marques Pena e Nilton Fernandes, registraram e regulamentaram a escola para que ela fosse reconhecida juridicamente, esta recebeu o nome de Félix Nascentes Pinto, por se tratar de um sacerdote umbandista que lutava pelos direitos da Umbanda e do umbandista como Presidente do Primado de Umbanda de São Paulo, e também pelo apoio que deu quando de sua fundação. Com o objetivo de valorizar o conhecimento, a luta, a realização e a disseminação do significado cultural; o evento busca desconstruir os preconceitos em torno das manifestações afro-brasileiras, condecorando as Escolas de Curimbas, algumas personali-

dades umbandistas que batalham pela organização Sócio-política da Umbanda e também a premiação de Curimbas que atuem no universo dos terreiros e também atuem no universo cultural umbandista por ser a musicalidade, elemento fundamental para sua construção e manutenção. O evento aconteceu no Clube Atlético Juventus no dia 29/07 e contou com a participação de grandes personalidades do meio Umbandista além da presença de grandes curimbeiros e escolas de curimba em um ambiente descontraído acompanhado de um ótimo jantar e cânticos umbandistas e uma roda de samba. Conferir o Prêmio Nilton Fernandes significa atribuir um alto valor histórico-social para a Umbanda, pela sua seriedade, a fim de valorizar aqueles que realizam atividades em prol da religião e incentivar outros a propagação e fortalecimento desta tradição religiosa de grande cunho cultural tão enraizada no povo brasileiro e ao mesmo tempo tão renegada por este mesmo povo. Por Prof. Me. Thiago Vieira de Souza


Ano 7 número 62

página 25


Ano 7 número 62

página 26


página 27

Ano 7 número 62

rio

len

Ca

26 de agosto 30.º Festa Rainha das Tronqueiras e Exu Tirir i

Local: T.U Cacique Pen a Vermelha e Ogum Iara Endereço: Rua Estado do Sergipe Nº 355 Horário:19: 00 hrs Realização: T.U Cacique Pena Vermelha e Ogum Iara Entrrada: 1 K de Alim ento não Perecível

10 de setembro 1144 de sette embrro o Samba do Ofanire e Marcio Fofão

Local: Bar de Fé Templo Endereço: Rua Guaimb ê Nº 322 / Mooca - SP Horário: 13:00 as 17:0 0 Entrada: 25,00 Realização: Flora Xangô

1º Premio Alase 18:00 Hrs 18: 18 Pale P a stra: A Origem do Orisá Local: Assembleia Leg Loc islativa do Es do de São Paulo Esta –Alesp Auditório: Franco Mon Aud toro Endereço: Av. Pedro Alva En res Cabral nº201 Pa ue Ibirapuera Parq Re liza Rea l ção: Babá Eddy

27 de agosto Feijoada de Ogum Local: T.U. Pai Tupã e Ogum Mege Endereço: Rua Marília Nº 222, Casa Branca Santo André- SP Horário: das 16:00 as 21:00 hrs Realização: T.U. Pai Tupã e Ogum Mege Pai Leandro

17 de setembro 15º Festa de Cosme e Damião Local: Ginásio de Esportes do Clube dos Subtenentes e Sargentos do II Exercito Endereço: Av. Luiz Rink Nº 187 – Vl. São José Entrada: Franca Realização: Templo p de Umbanda Umban Um banda Ogum Beira Mar

15 de novembro

9º Semana de Umbanda na Cidade de São Paulo Local: Parque da Mooca - Mooca Entrada: Rua Taquari Nº 635 e arte Umbandista Realização: Escola de Curimba clos Cabo de a Aldei

03 de setembro 10 de setembro 4º Encontro da Psicologia e Religião

Local: Clube Escola do Tiquatira Carvalho Pinto Endereço: Avenida Governador Nº 2378 / Penha - SP Horário: 10:30 as 18:00 Entrada: Franca Oxóssi e Oxum Realização: T.U Geração de Luz

08 de outubro

2º Batuque Solidário

Local: Bosque Maia Endereço: Av. Paulo Faccini, Guarulhos Horário: 14:00 as 18:00 hrs Realização: Instituto Cultural Nação Tambor

22 de outubro

8º Festival de Curimba 3º Encontro Umbandista 8 de Curimbas Aldeia de Caboclos Endereç E n o: Rua Juventus Nº 690, Mooca - SP M Entrada E n : 25,00 Ingresso Individual Realizaç R e ão: Escola de Curimba e arte Umband U m ista Aldeia de Caboclos

19 de novembro

Encontro de Curimba e Dança Juntos Somos mais Fortes Local: E.E. Dom Pedro Endereço: R: Américo Gomes da Costa Nº 59 São Miguel Paulista – São Paulo Realização: Radio Vinha de Luz, Web Radio Batuqueiros da Luz, Voz dos Orixás e Radio Toques de Axé

Oxalá Nos Uniu 2017

Local: Chácara das Flores Endereço: Est. Municipal Itapecerica Nº 210 Jd. Marlene Miranda –Taubapé – SP (Referência: Rod. Oswaldo Cruz- Km 2,5 Sentido Ubatuba – Saída para COMEVAP) Realização: Escola de Curimba Caboclo Gira Sol e templo de Umbanda Caboclo Pena Branca


página 28

Ano 7 número 62

o

im x ó r oP

a r o

Am

CESTAS BÁSICAS PARA FAMÍLIAS CARENTES A cada ano estamos aumentando ainda mais a quantidade de cestas básicas que doamos às famílias carentes, por intermédio dos alimentos adquiridos na Procissão de Xangô, evento organizado pela Aldeia de Caboclos.

www.associacaoalfaeomega.org e nele constam todas as informações sobre nosso projeto, pois mensalmente doamos em torno de 60 cestas básicas para famílias com idosos ou pessoas especiais.

Esse ano conseguimos montar 300 cestas básicas e distribuir para tantas famílias que estavam na fila de espera.

Caso queira nos ajudar, mesmo não frequentando nosso terreiro, basta nos contatar que passaremos mais informações.

Agradecemos a Aldeia de Caboclos por confiar em nosso projeto social e pela parceria há alguns anos.

O mundo precisa de mais caridade. Estamos dispostas a fazer nossa parte sempre.

Agradecemos a todos umbandistas presentes na Procissão, que a cada ano possamos aumentar ainda mais o número de pessoas presentes nesse evento. A Umbanda é isso, União, evolução, transformação, superação, caridade. A quem interessar disponibilizamos nosso site

Gratidão e AXÉ. Rejane Martins - Dirigente Espiritual Associação Espírita Alfa e Ômega Rua Augusto Giorgio 222 São Mateus Tel: 11 2018 0879 E-mail: Ass.alfa.omega20@gmail.com Site: www.associacaoalfaeomega.org


Ano 7 número 62

o

im x ó r oP

a r o

Am

GRANDE DESAFIO DE 2017 APADRINHAR MAIS DE 1500 CRIANÇAS. ABRAÇE CONOSCO ESTE PROJETO. SEJA SOLIDÁRIO, PARTICIPE. Nosso projeto natalino consiste em apadrinhar crianças carentes da região de São Mateus desde recém-nascidos até crianças com 10 anos de idade, para receberem uma SACOLINHA DE NATAL contendo uma roupa completa nova do tamanho da criança apadrinhada, mais um sapato (podendo ser sandália ou tênis). Nós fornecemos tamanho de roupa e calçado das Crianças cadastradas. Esse é o presente obrigatório que deve conter na sacolinha. Lembrando que a roupa consiste não apenas em camiseta e calça, mas também meia, cueca ou calcinha, podendo acrescentar o que tocar em seu coração (exemplos: brinquedos, itens de higiene, perfumaria, bonés, algum material escolar, etc.). Ao comprar e montar a sacolinha de presente do seu (a) afilhado (a) procure pensar que estaria comprando para você ou para seu filho, pois assim esse presente terá uma energia mais forte, mais cheia de amor. Acredite, há

página 30 crianças que não sabem o que é o Natal, nunca viu um papai Noel ou nunca ganhou um presente. Inacreditável, não é? Mas, existe! Podemos fazer um Natal melhor para tantas crianças, tantas famílias carentes, pois para cada família doamos damos uma cesta básica no dia da entrega. Nossa festa de Natal acontece sempre um sábado antes do Natal, passamos um dia feliz, fazemos uma festa com lanches, refrigerantes e o melhor, com o papai Noel!!! Muita alegria, emoção e ternura permeiam essa época, todos conectados a dar o melhor para as crianças. Venha fazer parte do nosso projeto, precisamos de padrinhos para as crianças, pessoas para nos ajudar na entrega, precisamos de parceiros, seja pessoa física ou jurídica que possam doar desde alimentos para os lanches, refrigerantes, cesta básica ou alimentos para montarmos as cestas, ou seja, precisamos de doação de tudo que faça parte da festa. Toda ajuda é bem-vinda. Quanto mais doação, mais a festa será completa. Começamos esse projeto apadrinhando em 2010 apenas 150 crianças e hoje em 2017 nossa meta são 1500 crianças. Faça parte desse projeto social junto conosco. Deixaremos todas as informações para vocês entrarem em contato com nossa associação. Agradecemos desde já e que nosso Pai Oxalá abençoe a cada um, dando-lhe prosperidade e saúde. Rejane Martins - Dirigente Espiritual Associação Espírita Alfa e Ômega Rua Augusto Giorgio 222 São Mateus Tel: 11 2018 0879 E-mail: Ass.alfa.omega20@gmail.com Site: www.associacaoalfaeomega.org


Ano 7 número 62

Dança Cigana

página 31

(11) 98604-5048 www.dancacigana.com.br @rosmarie.miranda @dancacigana

Roupas Ciganas e Escola de Dança A mais bela e completa linha de roupas ciganas

(11) 2091--6608

Siga--nos: www.facebook.com/ceieoficial CODM – Curso de Orientação e Desenvolvimento Mediúnico c/ Teologia de Umbanda e Sacerdócio Todas as 3ª feiras às 20:15h

www.conchitas.com.br

Curso de Curimba Canto e Toque

Siga--nos: conchitacigana

Ministrado por Severino Sena Todas as 2ª às 19:00


Fundado em: 18-01-1975

Trabalhos Espirituais aos Sรกbados as 19:00 hrs Avenida Vila Ema, 3248- Vila Ema Sรฃo Paulo/SP Tel.: 11 2604-5524 / 98564-1207

Nextel=78250655 id122*72459

Email-silvio.humberto@hotmail.com

Endereรงo: Rua Viela Espinard nยบ 17 Picanรงo- Guarulhos cabocloseteflexaebaianoseveria@gmail.com Contato:94726-7609

Jornal Aldeia de Caboclos  

Edição 62 do Jornal Aldeia de Caboclos - Agosto de 2017

Advertisement