Page 1

Lajeado, sexta-feira, 2 de dezembro de 2016 Ano 14 - Nº 1732 Avulso: R$ 2,00 Fundado em julho de 2002 Fechamento da edição: 21h

JUREMIR VERSETTI

ENCANTADO

Homenagem do Senado O advogado Omar Ferri, 83, receberá a Comenda de Direitos Humanos. Conexão

CÂMPUS IFSUL LAJEADO

Falta de docentes ameaça abertura de novos cursos C om a obra do complexo em fase final, não há previsão para início dos cursos de Automação Industrial e Processamento de Alimentos. Com a mudança de governo em âmbito federal, o Ministério da Educação

(MEC) não iniciou o processo seletivo para contratação de professores. Para 2017, direção do instituto pretende reforçar cursos na área de administração. Em outras cidades do RS, há o risco de cursos serem extintos. Página 4

Gaúchos estão vivendo mais, diz IBGE RODRIGO MARTINI

É uma falácia dizer que juízes não são punidos

Luís Antônio de Abreu Johnson Juiz de Lajeado Página 3

TROCA NA ALSEPRO

Scussel assume presidência Ex-comandante do CRPO, o advogado Antônio Scussel enaltece o papel da entidade no fortalecimento da segurança pública. Página 8

LONGEVIDADE: moradora de Coqueiro Baixo, Vilma Catto, 80, faz parte da população proporcionalmente mais idosa no RS. Segredo está na alimentação Página 13

TEUTÔNIA

TEMPO NO VALE Sol com poucas nuvens Mínima: 17°C - Máxima: 32ºC FONTE: CIH/UNIVATES

Tarifa de ônibus aumenta R$ 0,95 em dois anos Os usuários do transporte coletivo no município pagam desde ontem R$ 3,25 pela passagem. Esse é o terceiro aumento desde 2014. A elevação foi aprovada pelo Conselho Municipal de Trânsito. Conforme

a justificativa da responsável pelo serviço, a empresa Stadbus, de Santa Cruz do Sul, a tarifa precisou ser reajustada devido aos incrementos dos custos de operação. Página 10


A HORA ¡ SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

2 EXPEDIENTE

Editorial

Diretor Geral Adair G. Weiss Diretor de ConteĂşdo Fernando A. Weiss Diretor de Operaçþes Fabricio de Almeida REDAĂ‡ĂƒO Av. Benjamin Constant, 1034/201 Fone: 51 3710-4200 CEP 95900-000 - Lajeado - RS www.jornalahora.inf.br ahora@jornalahora.inf.br COMERCIAL E ASSINATURAS Av. Benjamin Constant, 1034/201 CEP 95900-000 - Lajeado - RS comercial@jornalahora.inf.br assinaturas@jornalahora.inf.br entrega@jornalahora.inf.br Os artigos e colunas publicados nĂŁo traduzem necessariamente a opiniĂŁo do jornal e sĂŁo de inteira responsabilidade de seus autores. Tiragem mĂŠdia por edição: 7.000 exemplares. DisponĂ­vel para verificação junto ao impressor (ZH Editora JornalĂ­stica)

Fundado em 1Âş de julho de 2002 Vale do Taquari - Lajeado - RS

INDICADORES ECONÔMICOS

MOEDA

COMPRA

VENDA

DĂłlar Comercial

3,47

3,47

DĂłlar Turismo

3,4

3,6

Euro

3,69

3,69

Libra

4,33

4,34

Peso Argentino

0,22

0,22

Yen Jap.

0,03

0,03

Cotação do dia anterior atÊ 17:45h, Valor econômico.

Ă?NDICE

MĂŠS

Ă?NDICE MĂŠS (%)

ACUMULADO ANO (%)

ICV Mes (DIEESE)

10/16

0,37

5,74

IGP-DI (FGV)

10/16

0,13

6,22

IGP-M (FGV)

10/16

0,16

6,65

INPC (IBGE)

10/16

0,17

6,36

INCC

10/16

0,17

5,78

IPC-A (IBGE)

10/16

0,26

5,78

SalĂĄrio MĂ­nimo/2016 R$ 880,00

TAXAS E CERTIFICADOS (%)

MĂŠS

Ă?NDICE MĂŠS (%)

ACUMULADO ANO (%)

TJLP

7,5

Selic

14.25%(meta)

TR

11/16

0,1428

1,8244

CDI (Mensal)

10/16

1,0474

11,5769

Prime Rate

11/16

3.25

3,25 (Previsto)

Fed fund rate

11/16

0.50

0,25 (Previsto)

Ouro (dólar) – Onça Troy – USD 1170,8 cotação do dia 01/12/2016

BOLSAS DE VALORES

PONTO

Ibovespa (BRA)

59380

VARIAĂ‡ĂƒO FECHAMENTO (%)

-4,08

Dow Jones (EUA) 18199

0,17

S&P 500 (EUA)

2139

-0,17

Nasdaq (EUA)

5248

-1,41

DAX 30 (ALE)

10563

-0,72

Merval (EUA)

17327

-0,66

cotação do dia anterior atÊ 17h45min

Petróleo (dólar)/Brent Crude – barril – USD 51,84 em 01/12/2016

DependĂŞncia de XPDFHVVRGLĂ€FXOWD

A

reforma do viaduto da BR-386 entre Lajeado e Estrela endossa a necessidade de mais uma ligação entre as duas cidades. Uma nova ponte na årea urbana, ideia propagada a partir de encontros entre instituiçþes de classe, seria uma forma de transferir o fluxo dos residentes e trabalhadores locais para amenizar o tråfego na rodovia. Motoristas ficam mais de duas horas trancados em congestionamentos devido à obra no viaduto sobre a rua Bento Rosa. Desde terça-feira, quando começaram os serviços em Lajeado, os engarrafamentos se repetem. A situação merece duas anålises acerca do tema em debate na região faz alguns anos. A primeira, sobre a importância estratÊgica de se construir mais uma ponte sobre o Rio Taquari, ligando Lajeado e Estrela. A outra, avança sobre a falta de proje-

Artigo

Uma nova ponte na årea urbana, ideia propagada a partir de encontros entre instituiçþes de classe, seria uma forma de transferir o fluxo dos residentes e trabalhadores locais para amenizar o tråfego na rodovia.

tos capazes de proporcionar uma mobilidade urbana adequada. No Vale, são mais de 220 mil veículos, conforme o Detran, sem contar o tråfego dos caminhþes, carros e ônibus de outras regiþes do estado e do país. Estabelecer planos contínuos de infraestrutura viåria Ê – ou ao menos deveria ser – uma das prioridades dos gestores municipais. Os problemas decorrentes da falta de ordenamento do trânsito, com incentivos ao transporte alternativo, especialmente ciclovia e ônibus, aguardam por projetos duradouros e consistentes para serem resolvidos. A falta de planejamento para organização acomete a maioria das cidades do estado e país. Com um transporte público ineficiente, as pessoas recorrem ao veículo próprio. O conforto de ter um automóvel disponível eleva a demanda por espaço e pro-

paga a saturação das ruas e rodovias. O compromisso dos governos, seja municipal, estadual e federal, vai alÊm de garantir condiçþes de segurança e manutenção das vias. A organização do sistema rodoviårio segue como calcanhar de Aquiles para a mobilidade urbana. Existe uma cobrança para que cada cidade faça um diagnóstico das melhorias necessårias e cruciais para o trânsito não parar. Os avanços são lentos frente ao crescimento na frota veicular. Ainda assim, em uma pesquisa com relação aos documentos elaborados pelos municípios pode-se afirmar que hå uma indefinição acerca do tema. Os planos estão longe de serem concluídos. Voltando para a segunda ponte. AlÊm de favorecer o deslocamento de uma cidade para outra, uma nova ligação aproximaria os dois maiores polos comerciais do Vale do Taquari.

Juliano Roso, deputado estadual pelo PCdoB

$RSRYRVDFULItFLR$RVDPLJRVYLVWDSDUDRPDU O caso que culminou com o pedido de demissão do ministro Geddel Vieira Lima, sexta-feira (25), Ê simbólico e ironicamente representa o caråter do governo de Michel Temer. Geddel, jå citado em delaçþes de empreiteiras por recebimentos de valores de natureza duvidosa, era o braço direito do peemedebista. O caso começou após o ex-ministro usar do cargo para conseguir a liberação para a construção de um prÊdio de 23 andares em uma årea tombada pelo Ins-

tituto do PatrimĂ´nio HistĂłrico ArtĂ­stico e Natural (Iphan), no litoral de Salvador. Curiosamente, Geddel era o proprietĂĄrio do mais alto apartamento do condomĂ­nio de luxo, no 23Âş andar, com uma bela vista para a BaĂ­a de Todos os Santos. O ex-ministro Marcelo Calero, que fez a denĂşncia, disse em depoimento que tambĂŠm foi pressionado por outros ministros do governo, alĂŠm do prĂłprio presidente Temer, para burlar a lei e aprovar a

edificação para Geddel. O que chama atenção nesse caso ĂŠ o posicionamento do presidente, que com o apoio da mĂ­dia pede sacrifĂ­cio do povo com medidas de precarização dos serviços pĂşblicos e de perda de direitos trabalhistas. Mas para os amigos, no caso Geddel, Temer nĂŁo titubeou em usar de seu cargo para “reforçarâ€? a necessidade de seu ministro ter direito a um apartamento de frente para o mar em uma ĂĄrea onde essa construção nĂŁo pode exis-

tir por questĂľes legais. Enquanto o interesse privado se sobrepĂľe ao pĂşblico na sala principal da RepĂşblica, o Brasil torna-se refĂŠm de um grupo polĂ­tico com prĂĄticas conhecidamente questionĂĄveis e imorais. Enquanto isso no Congresso Nacional parlamentares que bradaram pelo impeachment da presidenta Dilma ensaiam a aprovação da anistia ao caixa 2. Como disse Tom Jobim: “O Brasil nĂŁo ĂŠ para principiantesâ€?.

Erramos Diferentemente do publicado, o Passeio Ciclístico de Estrela, que ocorre no dia 4 de dezembro, são os 200 primeiros inscritos que receberão uma camiseta personalizada e não os 200 primeiros que chegarem, conforme constou na matÊria publicada na edição dessa terça-feira.


Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

Judiciário e promotoria do Vale contestam votação da Câmara Magistrados consideram proposta danosa para atuação dos órgãos EDUARDO AMARAL

Vale do Taquari

R

epresentantes do Judiciário e do Ministério Púbico da região participaram de um ato de repúdio à votação das 10 emendas de combate à corrupção. Reunidos no Fórum de Lajeado, juízes, promotores e servidores dos órgãos participaram da manifestação na tarde de ontem. Apesar de críticas gerais, o principal motivo das reclamações foi o projeto que institui abuso de autoridade. O primeiro a falar foi o diretor do Fórum de Lajeado, juiz Luís Antônio Abreu Johnson. Ele classificou a postura dos deputados como “interferência ilegítima” no Judiciário. “Atingindo a independência do Judiciário estará agredindo a sociedade.” De acordo com o magistrado, as propostas sobre abuso de autoridade têm o objetivo de “amordaçar” as investigações contra políticos. Ele afirmou já existirem leis e instituições para coibir o abuso de autoridade. “Temos a Lei Orgânica da Magistratura (Loma) e somos fiscalizados constantemente.” Questionado sobre a necessidade de mudança nas punições para juízes e promotores, Johnson demonstrou não acreditar na necessidade de alterações. “É uma falácia dizer que juízes não são punidos, existem muitos no país que foram ba-

Juízes, procuradores e promotor de Justiça afirmam que proposta tenta “amordaçar” o Judiciário no país

nidos da magistratura.” De acordo com ele, as punições ocorrem em duas esferas, administrativa e criminal. Na primeira, os acusados podem ser afastados por meio da aposentadoria compulsória. Caso o processo siga, eles podem ser exonerados dos cargos e presos.

Discurso afinado Quem tem o condão de reverter essa decisão é a sociedade brasileira.” Cláudio Terre do Amaral Procurador da República

O tom crítico da fala de Johnson foi seguido de forma unânime pelos outros representantes da mesa. Se manifestaram o juiz federal, Mauro Sbaraini, o procurador da República, Cláudio Terre do Amaral, e o promotor de Justiça, Carlos Fiorioli. Todos se revezaram em ataques aos deputados e usando por diversas vezes palavras como “interferência” e “mordaça.”

Único representante do Ministério Público Federal (MPF), Amaral destacou a decisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janott. Segundo ele, o projeto que será analisado no Senado “não tem mais apoio do MPF.” A proposta das 10 medidas de combate à corrupção foi elaborada pelos procuradores federais envolvidos na Operação Lava-jato. O fim da operação foi apontado como principal problema da posição tomada pelos deputados federais. “Esse projeto é um retrocesso que diz respeito a um ataque tanto ao Ministério Público quanto ao Judiciário”, critica Amaral. O encontro de ontem foi o primeiro de uma série de ações conjuntas entre MP e Judiciário para

3

PUNIÇÕES NO JUDICIÁRIO Ao falar sobre as punições para abuso de poder, todos ressaltaram a existência de leis e órgãos específicos para punir esses casos. Mesmo assim, Sbaraini não descarta a possibildade de abrir a discussão sobre a penalização no Judiciário. “Os magistrados possuem punições que ficam normalmente na esfera administrativa. Não há porque evitarmos essa discução e modificar isso.” Ele critica a forma como essas medidas foram colocadas no projeto. “Nessa proposta se transforma em crime uma série de atos de importância reduzida.” Novos atos de repúdio estão programados nos próximos dias em todo país. Juízes e procuradores esperam apoio popular, com manifestações de rua, para pressionar os senadores.

conseguir apoio da população. Com isso, eles esperam a reprovação do projeto no Senado. “Quem tem o condão de reverter essa decisão é a sociedade brasileira.” Para Amaral, o novo projeto representa “um retrocesso”, e deve dificultar o trabalho de combate à corrupção. O juiz federal se mostra otimista com uma possível mudança do projeto no Senado. “Nós acreditamos em uma reversão, o que tem de ser feito pelo Judiciário é esse ato. Por isso, estamos levando essa indignação a toda sociedade.”


4

Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

IFSul depende do MEC para abrir novos cursos Falta de professores compromete abertura ANDERSON LOPES

Gilberto Petry é indicado para presidir Fiergs Estado O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor José Müller, anunciou que o atual vice, Gilberto Porcello Petry, será seu sucessor na presidência da Fiergs e do Ciergs. A decisão ocorreu depois de consultas, desde julho. O nome foi apresentado e confirmado pelo Conselho de Vice-presidentes das duas entidades e anunciado durante a reunião extraordinária das diretorias realizada ontem. Os estatutos da federação e do centro permitem apenas uma reeleição consecutiva. As eleições ocorrem em maio do próximo ano, e no mês de julho iniciará a nova gestão 2017/2020. O pre-

sidente Müller completará o segundo mandato consecutivo. Ele destacou que a unidade em torno de um nome é uma tradição no setor industrial do RS. Petry dirige a Weco S/A – Indústria de Equipamento Termo-Mecânico, de Porto Alegre, e preside o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico e Eletrônico do Estado do Rio Grande do Sul. Em 1990, passou a integrar as diretorias da Fiergs/Ciergs. Desde 2005, é vice-presidente da Federação das Indústrias do RS. O presidente da Fiergs também administrará o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Serviço Social da Indústria (Sesi), e o Instituto Euvaldo Lodi do Rio Grande do Sul (IEl/RS).

Sem previsão de novos docentes, a tendência é que câmpus não tenha cursos de Automação e Processamento de Alimentos

Lajeado

A

obra do câmpus do IFSul de Lajeado está em fase final. O complexo deve ser entregue até o fim deste ano. Apesar disso, o Ministério da Educação (MEC) não prevê liberação de vagas para docentes atuarem na cidade. Um dos motivos para a falta de professores dos novos cursos é a não abertura de concurso público. Com a mudança de governo, a seleção, que já deveria ter sido feita, foi postergada. A situação pode se agravar com a aprovação da PEC-55, em tramitação no Senado, acredita a diretora do câmpus, Cláudia Schwabe. O câmpus foi projetado em 2012 para oferecer formação nas áreas de Administração, Automação Industrial e Processamento de Alimentos. Hoje o instituto conta com cem alunos matriculados e oito professores, a maioria mestres ou doutores. A diretora do IFSul diz que é necessário ter os pés no chão para não comprometer a qualidade da formação dos estudantes. Segundo ela, sem ter mais professores disponíveis, não serão ofertados novos cursos. O câmpus deve manter em andamento o curso técnico subsequente em Administração e pro-

mover outros de curta duração e de extensão, como já ocorre. Pelo planejamento feito em anos anteriores, o instituto deveria ofertar ainda neste ano o integrado em Automação Industrial. O IFSul Lajeado tem apenas um professor da área. Uma seleção pública foi feita para chamar mais um profissional. A expectativa é nomeá-lo em até dois anos. Segundo Cláudia, para ofertar Automação Industrial, é preciso um número maior de professores para a área técnica. Além disso, seriam necessários mais docentes para ministrar áreas gerais como física, química, história, geografia, entre outras disciplinas presentes na grade curricular do Ensino Médio. De acordo com ela, pelo estudo elaborado, a liberação das vagas já deveria ter ocorrido. “Essa mudança feita pelo governo federal desconstrói todo o planejamen-

to que fizemos.” Para otimizar o complexo e a equipe, a instituição fará um redirecionamento da atuação. A intenção é focar na área da administração, na qual há profissionais para conduzir os trabalhos. O curso de Processamento de Alimentos, projetado em audiência pública em 2012, não tem previsão para se concretizar. Na avaliação de Cláudia, sem uma mudança no contexto econômico proposto pela União, a tendência é estagnar as atividades.

CÍCERO COPELLO/DIVULGAÇÃO

Faltam professores A situação do câmpus Lajeado é a mesma enfrentada pelos demais da terceira fase de expansão. Alguns, inclusive, correm o risco de encerrar as atividades por falta de sede própria e de docentes. Institutos de outras regiões não têm professores para os cursos já ofertados, como em Jaguarão.

PRÉDIO PRÓPRIO A previsão de entrega da estrutura própria do IFSul Lajeado é até o fim deste mês. Em matéria publicada pelo A Hora em setembro, a expectativa era até o fim de novembro. De acordo com Cláudia, a direção espera que a entrega provisória

SAE realiza atividades de combate à aids

ocorra neste mês. Segundo ela, faltam pequenos detalhes para conclusão. A intenção é iniciar as atividades acadêmicas de 2017 no novo prédio. Desde 2014, as aulas são ministradas na Escola Municipal Campestre.

Vale do Taquari tem 1.257 cadastros de pessoas infectadas pelo vírus da aids

Lajeado O Serviço de Atendimento Especializado (SAE), da Secretaria da Saúde (Sesa), realizou ontem ações de combate ao vírus da aids. As ações ocorreram em todas as unidades de saúde de Lajeado. Houve também testagem rápida na área externa dos postos Charrua e do Neco, na BRF e em frente ao Hospital Bruno Born. O objetivo foi orientar e ajudar a reduzir a alta taxa de HIV no RS. De acordo com o SAE, é necessário desenvolver novas estratégias para facilitar o acesso ao diagnóstico precoce e

à prevenção. Uma das metas é o incentivo às práticas de prevenção durante atividades assistenciais existentes na rede de serviços de saúde. Também nos testes rápidos a equipe do SAE identifica a presença de hepatite B, C e de sífilis. Desde 2013, os exames podem ser feitos de forma gratuita em todos os postos de saúde do município. No ano passado, haviam 1.185 pessoas portadoras do vírus HIV cadastradas no serviço. Em 2016, são 1.305. De todas as pessoas cadastradas, 1.257 residem em municípios do Vale do Taquari.


A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

5


6

Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

Governo estuda mão dupla na Olavo Bilac Semáforo foi instalado em agosto, mas parecer técnico ainda não foi finalizado FOTOS ANDERSON LOPES

Lajeado

gligente com elas. Então vamos refazer todo o cálculo de fluxo para definir os tempos dos sinais.” Rodrigues afirma que a cautela é tomada por medidas de segurança. “No trânsito tem que ter 100% de certeza, porque se uma mudança dessas causar um acidente podemos ser responsabilizados.”

C

om objetivo de criar um acesso mais fácil para o bairro Moinhos, o Departamento de Trânsito e Serviços Concedidos estuda a liberação de tráfego nos dois sentidos na rua Olavo Bilac. Dessa forma, os motoristas poderiam acessar a rua a partir da avenida Senador Alberto Pasqualini. Mesmo com a instalção de um semáforo na esquina com a avenida Bemjamin Constant e com a pintura pronta desde agosto, a proposta ainda não foi efetivada por falta de estudos técnicos. A expectativa é finalizar a análise técnica até a segunda semana deste mês. O custo para instalar o equipamento e fazer a pintura foi de R$ 2 mil, mas até o momento apenas a sinalização para travessia de pedestres tem sido usada. De acordo com o coordenador do departamento, Euclides Rodrigues, questionamentos surgidos no meio do processo impediram a mudança. “Surgiram algumas dúvidas com relação à largura e fluxo da via, então, não ativamos o braço (semáforo).” De acordo com ele, esses questionamentos obrigaram uma

Mudança controversa

Estudos técnicos devem ser finalizados nas próximas semanas para a mudança ser implementada

análise mais profunda. “Nós precisamos fazer um estudo técnico mais apurado.” Apesar do funcionamento parcial, Rodrigues defende a instalação do equipamento. “Ele tem sido utilizado para auxiliar os pedestres na travessia e a pintura teria de ser feita de qualquer forma.” O coordenador afirma ter convicção de que o fluxo da via será alterado, mas defende cautela antes da mudança. “Eu não tenho dúvidas, mas elas surgiram e eu não posso ser ne-

Trecho na avenida Benjamin Constant tem quatro pontos de travessia

Motoristas que circulam pela rua se mostram preocupados com a possível alteração. Os principais receios são o aumento de fluxo no trecho, a pouca largura da via para receber mais veículos e o destino da área de estacionamento. Hoje há um espaço destinado para esse fim dos dois lados. O comerciante Amarildo Pruinelli é um dos contrários à medida. Dono de um estabelecimento na esquina da Olavo Bilac com a Benjamin Constant, ele se mostra preocupado com o trânsito na avenida. “A avenida vai ficar trancada se tiver mais uma opção para os motoristas, hoje já é complicado.” No trecho, existem hoje três semáforos para carros em frente a faixas de pedestres. Nos horários de pico, o trânsito fica lento no local.

Amvat articula eleição de nova diretoria Vale do Taquari A assembleia da Amvat que decidirá a diretoria da entidade em 2017 será realizada no dia 15, em Estrela. Todos os prefeitos eleitos no Vale do Taquari estão convidados a participar da reunião que também definirá as regras para a escolha nos próximos quatro anos. Hoje o acordo existente na associação estipula que a indicação do cargo de presidente parta do partido com mais prefeitos eleitos. Caso a regra se mantenha, caberá ao PMDB, com 17 prefeitos entre os 39 municípios filiados.

Entre os nomes cotados para assumir a entidade, está o do prefeito reeleito de Estrela, Rafael Mallmann. O peemedebista afirma que a forma de composição da Amvat ainda está indefinida. “Primeiro temos que ver se vamos manter da forma como está ou se faremos a escolha por eleição direta”. Conforme Mallmann, mesmo se os acordos forem mantidos, o partido deverá debater internamente a indicação. “Recebi sondagens por ter sido reeleito, já que a maioria dos prefeitos está se encaminhando para o primeiro mandato.” Mesmo sem essas definições,

o prefeito se colocou à disposição do partido e da Amvat para assumir o cargo a que for designado. “Independente de ser eu ou o PMDB, temos que manter a defesa das questões regionais e trabalhar mais forte diante do cenário de escassez de recursos enfrentado pelas prefeituras.” Ele sugere que as prefeituras se unam e regionalizem serviços como forma de baratear os custos para as administrações. Uma das hipóteses é fazer um aterro sanitário regional. “Ao invés de cada município cuidar do seu lixo, uma obra regional baratearia o custo para todos.”

Outra proposta é fazer um órgão licenciador regional para o meio ambiente. Mallmann cita como exemplo o trabalho reali-

zado pelo Consisa, que reduziu em 20% o custo de aquisição dos medicamentos por meio da regionalização dos pedidos.

COMPOSIÇÃO A diretoria da Amvat é formada por presidente, 1º e 2º vice-presidentes, 1º e 2º secretários e 1º e 2º tesoureiros. Também compõem a entidade três membros titulares e três suplentes do Conselho Fiscal.

Antes da escolha da direção, haverá palestra do diretor da Consultoria em Direito Público (CDP), advogado Gladimir Chiele. Ele abordará os desafios para o novo mandato, e as responsabilidades civil e penal dos prefeitos.


A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

7


8

Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

Scussel assume presidência da Alsepro Ex-comandante do CRPO ficará à frente da entidade pelos próximos dois anos Lajeado

O

policial militar da reserva e advogado, coronel Antônio Scussel, foi eleito presidente da Associação Lajeadense Pró-segurança Pública (Alsepro) na noite de quarta-feira, 30. Scussel liderou o Comando Regional de Polícia Ostensiva (CRPO) do Vale do Taquari durante quase sete anos e acompanha as discussões da entidade desde a criação, em 2007. Para o coronel, assumir a Alsepro é um desafio, diante das conquistas alcançadas pela entidade nos últimos anos. Segundo ele, a entidade tem características que precisam ser mantidas. Entre elas, estão a participação voluntária, a realização de projetos concretos e as decisões colegiadas. “Toda as ações da Alsepro incluem as entidades participantes e cidadãos voluntários que não estão ligados a essas organizações, mas decidiram se dedicar à causa”, aponta. Para ele, o sucesso da entidade vai além da inauguração das obras do novo albergue e do presídio feminino. “Sempre trabalhamos com planejamento estratégico. A entidade a auxiliou, inclusive, no planejamento do CRPO”, ressalta. Segundo ele, a relação entre a associação e as instituições de segurança e justiça é a melhor possível. Lembra que a função da Alsepro é receber e apoiar as demandas dos órgãos de segurança pública. Conforme Scussel, a expectativa para o próximos dois anos é de manter essas parcerias e trabalhar para concretizar os projetos definidos pelas entidades da área.

Prevenção ao crime De acordo com Scussel, a principal função da Alsepro é traba-

lhar nas três esferas de prevenção contra a criminalidade. Na esfera primária, a entidade visa trabalhar projetos capazes de evitar que jovens em situação de vulnerabilidade social ingressem no mundo do crime. Nessa área, a associação trabalha com ações como o Adolescente Legal com Música, que hoje atende 56 jovens, além de apoiar projetos como Vida + Viva Sem Álcool, desenvolvido pelo Ministério Público. No campo secundário, que diz respeito à repressão e punição das pessoas que cometeram crimes, a entidade busca apoiar os órgãos de segurança pública com a contratação de estagiários e a compra de equipamentos como os GPS que fazem o monitoramento da frota da BM. A terceira área de atuação é a reinserção dos presos na sociedade.

THIAGO MAURIQUE

Para Scussel, obra do presídio feminino pode inverter a lógica punitivista e resultar na recuperação das detentas

Atuação conjunta A Hora – Como avalia a responsabilidade de assumir a presidência da Alsepro? Antônio Scussel – É um desafio enorme, mas como participo permanentemente das reuniões sei bem o que a Alsepro faz, como ela atua e por que ela chegou aqui com tanta credibilidade. Queremos honrar a confiança que o cidadão de Lajeado deposita na entidade. O trabalho desenvolvido pela Alsepro é muito bom, porque inclui pessoas absolutamente devotadas e voluntárias. As pessoas não mudam e não tenho dúvida que vamos seguir nessa meta de concretizar os nossos projetos. Nossas decisões serão sempre impessoais, partindo

da Alsepro por meio do seu colegiado. Quais os projetos previstos para os próximos anos da entidade? Scussel – Temos recebido manifestações de várias pessoas e especialistas na área da segurança. Entre as ideias, estão nos colocando aquilo que se pode fazer às vezes com pouco ou nenhum investimento financeiro. Às vezes algumas coisas muito simples também têm impacto importante na vida das pessoas e o voluntariado vai nos permitir ampliar a nossa atuação. Temos um grande guarda-chuva, que é a prevenção ao crime nas três esferas da segurança pública. Vamos continuar

discutindo, construindo e concretizando ações como as que estão em andamento. Como a relação entre a Alsepro e os demais órgãos de segurança contribui para concretizar os projetos? Scussel – Durante a eleição, recebemos manifestações de apoio do Judiciário e do MP. São poderes que contribuem com valores das penas pecuniárias. Dos R$ 910 mil aplicados na obra do albergue e do presídio feminino, R$ 650 mil vieram das penas pecuniárias. São verbas que, se forem bem aplicadas, podem continuar mudando a realidade da região nas três áreas de prevenção. Faremos um planejamento do que poderemos executar em curto médio e longo prazo,

Nesse quesito, ressalta o papel da Alsepro na construção do presídio feminino. “É atribuição dos presídios recuperar o apenado, mas essa função é raramente cumprida.” Para Scussel, as penitenciárias precisam ser vistas não apenas sob o ponto de vista punitivo, de forma a causar sofrimento para os presos. “Um dia essa pessoa voltará para o convívio da sociedade e reproduzirá na comunidade aquilo que viveu no cárcere.” Ressalta que hoje a maior parte das penitenciárias está entregue à própria sorte e acaba se tornando verdadeiro QG da criminalidade. Para ele, a obra do presídio femínino é um exemplo que pode inverter a lógica punitivista do sistema prisional brasileiro e realmente trabalhar na recuperação das presidiárias.

sempre ouvindo as entidades e instituições. Quais as propostas para melhorar o sistema prisional de Lajeado? Scussel – Lajeado é um case de sucesso nacional, mas recebemos um desafio do secretário Cezar Schirmer, de trazer o sistema de Apac para o RS. Por meio dele, uma entidade privada, normalmente uma ONG, assume a gestão do presídio. Vamos discutir com a diretoria da Alsepro se é possível esse desafio. Primeiro temos que conhecer o sistema para ver a possibilidade de implantá-lo. Em São Paulo e Minas Gerais, o sistema tem índice de reincidência baixíssimo, de cerca de 20%. Mas ainda temos que conhecer melhor essa ideia.

Cotação do dólar fecha em R$ 3,46, a maior em 6 meses País Em um dia conturbado no mercado financeiro, a moeda norte-americana aproximou-se de R$ 3,50. O dólar comercial encerrou vendido a R$ 3,46, com alta de 2,4%. A cotação fechou no maior nível desde 16 de junho (R$ 3,47).

O dólar operou em alta durante toda a sessão, mas a cotação disparou durante a tarde. Na máxima do dia, por volta das 15h30, a moeda encostou em R$ 3,48. Pela sétima sessão seguida, o Banco Central (BC) não interveio no câmbio. Em relação à Bolsa de Valores,

as ações da Petrobras, as mais negociadas, caíram 1,41% (papéis ordinários, com direito a voto em assembleia de acionistas) e 3,5% (papéis preferenciais, com preferência na distribuição de dividendos). As maiores perdas, no entanto, foram registradas nas instituições financeiras. As

ações do Banco do Brasil caíram 6,6% (papéis ordinários) e 5,58% (papéis preferenciais). O mercado financeiro viveu um dia tenso após o Comitê de Política Monetária do Banco Central reduzir os juros básicos da economia em 0,25 ponto percentual, para 13,75% ao ano.

Em contrapartida, o Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos) se reunirá nos próximos dias 13 e 14 e pode aumentar os juros da maior economia do planeta por causa da expectativa de alta dos gastos públicos com presidente norte-americano eleito, Donald Trump.


A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

9


10

Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

Tarifa aumenta pela 3ª vez em dois anos Desde 2014, roteiros e horários reduziram enquanto o valor da passagem aumentou MACIEL DELFINO

sa devido à falta de demanda. Welp explica que havia projeção de atendimento aos funcionários do frigorífico na Linha Clara. Porém, a direção da indústria optou por outra prestadora. Com intuito de reduzir custos, os cobradores também foram relocados ou demitidos. A redução de oito para seis ônibus também é constatada em dois anos.

Histórico de reajustes Em 2013, a empresa que ofertava itinerários na cidade apresentou proposta de aumento. Na época, o custo era de R$ 2,30. O Executivo decidiu abrir licitação

Conforme Paulo Welp, o preço da tarifa ideal para garantir o serviço de transporte público na cidade seria de R$ 3,50

Teutônia

O

s passageiros do transporte coletivo ofertado pela Stadtbus iniciaram o mês de dezembro com aumento na tarifa. A passagem que custava R$ 3 passou para R$ 3,25. O aumento foi aprovado pelo Conselho Municipal de Trânsito que acatou o critério apresentado

pela empresa. Esse é o quarto reajuste solicitado desde que ingressou na cidade no fim de 2013 por meio de licitação. O contrato firmado com o município permite uma alteração no preço a cada ano. Entretanto, são exigidos dois aumentos anuais. Conforme o supervisor operacional, na cidade, Paulo Roberto Welp, o pedido no início do ano era referente ao encare-

cimento de insumos e foi resolvido sem alteração nos valores. Em contrapartida, para reduzir custos, remanejaram horários e eliminaram o itinerário em domingos, que passava pelo Loteamento Morada do Sol. Outra medida adotada neste ano foi a exclusão de dois trajetos em fase experimental. A Estrada Velha e o Boa Vista não constam mais na lista da empre-

para diversificar e garantir menor preço na tarifa. A Stadtbus venceu e implantou o serviço com oferta de cobradores, mais ônibus e ampliação do roteiro. No ano seguinte, solicitou aumento de R$ 0,30. No início de 2015, outro reajuste foi pedido e aprovado. Houve o acréscimo de R$ 0,40. Em fevereiro deste ano, a empresa apresentou análise de despesas e pedido de novo aumento da tarifa. O município negou e pediu outra medida para redução de despesas, com objetivo de manter os R$ 3. Para isso, foram reduzidos horários e roteiros.

STADTBUS PREPARA MAIS ALTERAÇÕES O aumento aprovado em novembro que entrou em vigor ontem ainda não é considerado suficiente. Conforme Welp, se a avaliação de custos fosse hoje, a tarifa subiria para R$ 3,50. O valor pode ser exigido a partir de janeiro. “A administração levou em conta a inflação e ainda ficou abaixo. Se fosse hoje,

teríamos que cobrar R$ 3,50”, afirma. Durante a reunião com Executivo em novembro, o supervisor operacional solicitou suspensão da circulação de itinerário aos domingos. O pedido está em análise e tem como embasamento a baixa demanda. “Registramos a média de 20 pessoas apenas”.

Primeira pós-graduação da Univates completa 10 anos Vale do Taquari O Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento (PPGAD) da Univates completou dez anos. O curso tem foco voltado às questões ambientais, em suas perspectivas históricas, econômicas, sociais e ecológicas. Para comemorar os dez anos de atividades, a Univates realiza hoje o colóquio Panorama sobre as Ciências Ambientais no Brasil. A atividade ocorre no auditório do Prédio 20 e será ministrada pelo coordenador-adjunto da área de Ciências Ambientais da Capes, doutor Jairo Schmitt. A formação oferece três linhas de pesquisa, focadas em tecnologia e ambiente, espaço e problemas socioambientais e ecologia.

PPGAD foi o primeiro programa de pós-graduação da Univates

Após seis anos de atividades, em 2012, foi implementado o doutorado em Ambiente e Desenvolvimento, o primeiro desse nível

oferecido pela Univates. Durante os dez anos, foram mais de 750 artigos publicados, 155 dissertações de mestrado e

11 teses de doutorado defendidas, sendo 12 projetos de pesquisa vinculados a pesquisadores das mais diferentes áreas e instituições. Um dos idealizadores do projeto, o professor e pesquisador Eduardo Périco lembra dos primeiros passos para criação do mestrado dentro da instituição. “Fui desafiado a pensar em um curso que pudesse unir professores de diversas áreas. Nós queríamos fazer diferente, pretendíamos juntar professores que pudessem se unir por um eixo comum. Por isso, pensamos na criação de um curso interdisciplinar.” Segundo a coordenadora do PPGAD, Neli Galarce, hoje o programa tem cerca de 30

pesquisadores e 13 professores vinculados, além de bolsistas e estudantes. “Tivemos algumas dificuldades no início, justamente pelo fato de ser algo extremamente novo para a instituição. Fomos pioneiros nos cursos stricto sensu da Univates, então, ainda carecíamos de uma certa experiência.” De acordo com Neli, um dos objetivos a partir de agora é obter conceito 5 pela Capes. “Já atendemos a todos os requisitos. Queremos produzir um conhecimento de ponta, voltado para o viés da sustentabilidade. Estamos em um programa de ambiente e desenvolvimento, então, é nosso dever trazer respostas ao problemas socioambientais”, conclui Neli.


A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

11


12

Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

classificados@jornalahora.inf.br | LIGUE 3710-4222 E ANUNCIE

EMPREGOS

VEÍCULOS

DIVERSOS

SERVIÇOS

IMÓVEIS

NEGÓCIOS

CAPOANI PEDRAS - Qualidade, durabilidade e bom preço. Tudo em pedras de revestimento e construção. Fone: (51) 9130 1777

IMÓVEIS APTOS. CENTRO – Excelente apto. 02 dorm. c/ box todo reformado, sl. estar/jantar, coz., área de serv. c/ churrasq. sac., banh. soc., elev., móveis sob medida, sol da manhã, entre a Julio e a Benjamin, vale conferir.R$ Cosulte.

CASAS VENDO/TROCO casa por imóvel de menor preço, casa com 155 metros, 4 quartos, cercada,rua pavimentada, em Conventos. Tr.: 9331-2876

REFORMAS WILTGEN- Reformas e montagem de móveis.Av. 28 de Maio , Santa Clara do Sul .Fone: 3782-1207 COLOCAÇÃO De Pisos, Azulejos, Porcelanatos, Marmores E Granitos, Piso Vinílico, Piso Laminado, Serviços Com Garantia. Tr: 9750-2191 / 9154-7735

CONS./ESCRIT.

VEÍCULOS VOLKSWAGEN VENDE-SE Gol, branco, placa ITJ7066, 2013,1.0, ótimo estado, 2º dono, abaixo fipe, valor a combinar. Tr.:82092624/ 3613-1020

HONDA Honda Fit, 2007, 1.4, impecável, R$23.900,00.Tr.:999222194 (whats)

OUTROS Vende-se trator Walnet 68, com grade, 20 discos e pé de pato. Tr. (51) 996720245

TOYOTA Vendo Fielder, 2007, automática, impecável, R$ 33.900 . Tr.: 99922-2194 (whats)

ADVOGADO Paulo Roberto Claro Rodrigues Atende Em Estrela, Na Rua Coronel Müssnich, 581, Segundo Andar, Centro, Pertinho Da Padaria Schuch, Às Segundas-Feiras, Das 8H Às 18H. Celular 9974.2950

CHAP./MEC. Borracharia e auto elétrica Casaril. Aberto das 7:00 ao 12:00 e das 13:00 até 19:00. Contate pelos fones (51) 3716-2047 / 99974061. Rua Dr. Joao Carlos Machado, 424. Centro / Arroio Meio CR MOTOS. Motores, Revisões, pinturas e tudo em peças de moto. Fone: 051 96518916 CHAPEAÇÃO BOMBRIL chapeação e pintura em carros e caminhões. Fone: 95382229/ 9810-5635 MECANICA DO SILVIO manutenção freio, ar, embreagem em geral. Tr.: 9833-8059 / 9587-5847 Auto Mecânica Magrão. Especializada em motor, caixa de câmbio, câmbio automático, chicotes e mecânica off-road. Rua Josephina Pedó, 98 - São Cristóvão/Lajeado. (51)3748-6025, 84194744,9940-6060

SERVIÇOS CONSTR./REF. SERRARIA Rossi Com Promoção De Fim De Ano! Sorteio Dia 16/12 De 1 Dúzia De Tábuas Entre Os Clientes Que Utilizarem Serviços Ou Efetuarem Compras. Fone: 51 3762- 4761

Prefeito responde por ato contra o patrimônio NEGÓCIOS AR SPLIT- Q/F, Gree/Midea 12.000 B'TUS, R$ 1.050, e 9.000 BTU'S R$ 900, 0,. Tr.: 9811-5772 c/Paulo.

CASA JARDIM PODAS JÁ - podas de árvores, de todos os tamanhos, Roçadas de terrenos, capina, orçamento sem compromisso. Ligue Já. Tr.:9832-9176 e 9247-0889

OFICINA DE MOTOS - Dione Motomecânica Consertos em geral, injeção eletrônica, pintura e peças. Fone: 3748-9094 BRASILEIRO AUTO CENTER - Pneus, Geometria 3D, Freio, Suspensão - TR: 3709-1368.

Justiça avalia denúncia sobre derrubada de busto

EMPREGOS PROCURO Vaga De Motorista De Bitrem, 12 Anos De Experiência, Conhecimento De Rs E Demais Estados. Fone: 989419954

DIVERSOS BOB ESPONJA Estacionamento e Lavagem, Espaço adequado para seu veículo e com segurança. Promoção de Inauguração, uma quadra abaixo da prefeitura. Fone: 99579-3080

RICK LANCHES entrega de lanches e viandas, reservar até 10h. Tr.: 9782-0732/ 946333 TAYPÉ Industria e Comércio de Massas -Rua Silvestre Aloísio Sieberborn,400, Glucostark,Cruzeiro Do Sul. Fone:3764-1090/ 3764-2846 massastaype@hotmail.com Idea - Soluções em Segurança. Rua Olavo Bilac, 80 sala 03 - Contate pelos fones (51)3710-1284/9739-6046 ou pelo site www.ideaseguranca. com.br CASARÃO TINTAS - Rua Beto Gonçalves, 1155 ,sala 02, Centro/Lajeado. Fone: 3748 1888 e Rua Guilherme Brust, 550 Languiru/Teutonia. Fone:3762 3442 Óptica Encanto. Óculos de grau e de sol de conceituadas marcas do mercado. Rua Pedro Schneider, 641, Bairro Languiru, Teutônia. Fone: (51) 37623229.

ARQUIVO/DIVULGAÇÃO

Taquari

A

4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ/ RS) recebeu denúncia formulada pela Procuradoria de Prefeitos contra o prefeito de Taquari, Emanuel Hassen de Jesus, o “Maneco”. Também é alvo da ação o então secretário de Obras e Serviços, Luiz Santos da Rosa. Ambos foram denunciados por atos cometidos em dezembro de 2014, no segundo ano de mandato do gestor reeleito. Conforme a denúncia, assinada pela coordenadora da Procuradoria de Prefeitos Ana Rita Nascimento Schinestsck, que também atuou na sessão, Maneco teria praticado atos contra o patrimônio público e cultural ao determinar a destruição e inutilização “de bem especialmente protegido por lei”. Procurado pela reportagem, ele não respondeu aos questionamentos até o fechamento desta edição. O fato ocorreu em 16 de dezembro de 2014, quando o prefeito, junto com o então secretário de Obras e Serviços, determinou a destruição de um monumento, em granito preto, com um pedestal de quatro degraus, que homenageava o ex-presidente da República, Arthur da Costa e Silva, que governou o Brasil entre 1967 e 1969, época do Regime Militar. A denúncia foi recebida, por unanimidade, pela 4ª Câmara, nos termos do voto do relator desembargador, Newton Brasil de Leão. Também participaram do julgamento os desembargadores Aristides Pedroso de Albu-

Derrubada do busto dividiu a opinião da comunidade na região e no país

querque Neto e Julio Cesar Finger. Além de Ana Rita Nascimento Schinestsck, atuou na denúncia

o promotor-assessor da Procuradoria de Prefeitos, André Ricardo Colpo Marchesan.

“MANCHOU O PAÍS” A decisão de derrubar o busto do ex-presidente nascido em Taquari causou, na época, repercussão em todo o país. A medida foi tomada pelo governo logo após a divulgação do relatório produzido pela chamada Comissão da Verdade, que investigou os crimes cometidos pelos militares entre 1964 e 1984. Diante da polêmica, o Executivo lançou nota oficial afirmando que o busto em questão foi instalado no ano de 1976 porque “na Lagoa Armênia, na infância, ele organizou seu primeiro pelotão de meninos.” Com a divulgação do relatório, citou o Executivo, “restaram comprovadas as atrocidades cometidas no período da ditadura militar,

especialmente naquele período conduzido por Costa e Silva”. Na nota, a administração municipal diz que “entendeu não haver razão para manter uma homenagem no maior ponto turístico da cidade”. Depois de derrubado com uma retroescavadeira, o busto foi levado ao Museu Costa e Silva, existente no município e mantido pela administração municipal. Junto com ele, também ficou à disposição uma cópia do relatório da Comissão Nacional da Verdade, “para que a história seja conhecida na totalidade em que foi possível escrevê-la”. O MP mandou recolocar o busto no lugar de origem.

Escolas registram 141 novos alunos Mato Leitão Após o término do período de inscrições nas escolas municipais, que se estendeu de 21 de outubro a 11 de novembro, os educandários divulgaram o número de inscritos. Foram registradas 141 inscrições,

sendo 19 ao EJA. Na escola Santo Antônio de Pádua, são 21 inscrições para o nível 5 e uma para o 1º ano, uma vez que esta turma será composta, basicamente, de alunos que passaram do nível 6 para o 1º ano e que já estudavam no educandário. A Ireno Bohn registrou

36 inscrições para o 1º ano. Na Vó Olga, foram contabilizadas 64 novas inscrições, sendo nove para o nível 1, 27 para o nível 2, 11 para o nível 3, 11 para o nível 4 e seis para o nível 5. A turma de nível 6 será formada pelos alunos que cursaram o nível 5 na instituição.


Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

13

RODRIGO MARTINI

SAIBA MAIS

Mãe de seis filhos, dona Vilma mora faz oito décadas no interior de Coqueiro Baixo. Alimentação à base de produtos cultivados na horta é o segredo, frisa

Pesquisa aponta elevação na expectativa de vida dos gaúchos

Conforme o IBGE, o brasileiro não atingia uma média de idade superior a 45,5 anos na década de 1940. Desde então, a expectativa de vida aumenta gradativamente. Em 1950, passou a 48 anos. Na década de 1980, pulou para 62,5 anos. Já em 2015, último ano de consulta, a esperança de vida ao nascer no Brasil era de 75 anos, 5 meses e 26 dias, um aumento de três meses e 14 dias em relação a 2014. Para a população masculina, o aumento foi de três meses e 22 dias, passando de 71,6 anos para 71,9. Já para as mulheres, o ganho foi um ano menor, passando de 78,8 anos para 79,1. Essas informações constam nas Tábuas Completas de Mortalidade do Brasil de 2015, que apresenta as expectativas de vida às idades exatas até os 80 anos e são usadas como um dos parâmetros para determinar o fator previdenciário, no cálculo das aposentadorias do Regime Geral de Previdência Social.

Coqueiro Baixo é a cidade com maior proporção de idosos no RS Vale do Taquari

O

s acessos à pequena cidade de Coqueiro Baixo são todos de estrada de chão. Poeira e barro sempre fizeram parte da rotina dos pouco mais de 1,5 mil moradores. Contornado por morros, o município ostenta a maior proporção de pessoas com mais de 60 anos em relação aos 497 municípios do RS. De acordo com o IBGE, dos 1.528 habitantes, 449 têm mais de 60 anos. Um total de 29,3%. O percentual é quase três vezes superior à média nacional, cuja população idosa representa 10,8%. Tal conclusão resulta em números curiosos. Segundo o Censo 2000, 1,6 mil moradores viviam por lá naquele ano, cerca de cem habitantes a mais em relação a contagem de 2010. Em uma das tantas ribanceiras no trajeto entre a BR-386 e a sede do município, mais especificamente

na localidade de São Luis, que vive “dona” Vilma De Mari Catto, 80, viúva e mãe de seis filhos. É uma das pessoas mais idosas do município. Hoje só um dos filhos homens – são cinco, além de uma mulher – mora com ela em uma casa mista de madeira e concreto. Dona Vilma, é uma das responsáveis por manter o RS entre os cinco

Em Coqueiro Baixo, dos 1.528 moradores, 449 tem mais de 60 anos.

estados com maiores médias de expectativa de vida ao nascer. Segundo dados compilados pelo IBGE em 2015, os gaúchos chegam em média aos 77,5 anos.

Mulheres vivem mais No ano passado, as mulheres tinham esperança de vida maior ao nascer: 80,9 anos. Entre os homens, fica em 74 anos. Dona Vilma está quase completando 81 anos. Com dificuldades para caminhar, ela se alimenta com verduras e frutas produzidas na propridade e conta com auxílio de uma cuidadora. Helena Kruger Conte trabalha faz sete anos na casa. Segundo Helena, o uso de alimentos e chás produzidos na horta está entre os segredos da longevidade de Vilma. Sobre uma mesa, na varanda da casa, ela deixou curtindo alguns galhos de malva. Com a planta, é feito chá para a cura de diversos problemas comuns em pessoas de idade

avançada. Com oito décadas de vida, Vilma disfarça um pequeno sorriso quando questionada sobre o gosto da bebida. “Pegamos na minha horta”, resume. A malva é antioxidante e muito indicada para combater o envelhecimento precoce e o aparecimento de alguns sinais da idade. Auxilia, entre outros, para manter o organismo em constante cicatrização, evitar infecções e prevenir de gripes, tosses e resfriados. Ainda, segundo os moradores do interior, é um calmante para a pele e age como uma espécie de anti-inflamatório. Além da erva, Vilma costuma tomar chá de casca de romã, também colhido na propriedade em Linha São Luiz. A fruta, conforme pesquisas acadêmicas, possui uma enzina com atuação específica na prevenção do mal de Alzheimer, uma das mais graves doenças degenerativa que afeta, na maioria dos casos, idosos. No Brasil, cerca

de 900 mil pessoas já foram diagnosticadas com a doença. Dona Vima é uma delas.

LÍDERES NO RS Município

Total

Acima 60 anos

Coqueiro Baixo

1.528

449 (29,3%)

Santa Tereza

1.720

466 (27%)

Relvado

2.155

561 (26%)

Colinas

2.420

614 (25,3%)

Coronel Pilar

1.725

433 (25,1%)

Vespasiano Corrêa 1.974

482 (24,4%)

União da Serra

1.487

362 (24,3%)

Imigrante

3.023

731 (24,1%)

Travesseiro

2.314

557 (24%)

Silveira Martins

2.449

587 (23,9%)

Forquetinha

2.479

583 (23,5%)

Monte Belo do Sul 2.670

624 (23,3%)

São João do Polêsine

2.635

613 (23,2%)

Marques de Souza 4.068

944 (23,2%)

5.413

1234 (22,7%)

Porto Lucena


14

Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

Direção reinaugura sede da Acisam Organização pretende transformar local em referência na promoção de eventos ANDERSON LOPES

Vale do Taquari

dobrar o número de associados a partir de agora. Hoje são 130.

A

Associação Comercial e Industrial de Arroio do Meio (Acisam) reinaugura hoje a sede. O local passou por uma reforma geral desde 2015. Segundo o presidente da entidade, Adailton Cé, cerca de 80% do espaço foi reformulado. O investimento foi superior a R$ 500 mil. Isso garantiu a execução de uma área com ambiente moderno e com condições de acessibilidade. A organização espera transformar o espaço em referência na promoção de eventos no Vale do Taquari. A recepção aos convidados ocorre a partir das 19h30min, com início da solenidade às 20h. São esperados em torno 450 convidados. Entre as autoridades que confirmaram presença, o secretário de Minas e Energia, Lucas Redecker, a presidente da

Modernidade

Prédio da década de 50 foi reformulado e será apresentado à comunidade hoje

Federasul, Simone Leite. Na ocasião, a Acisam pretende prestar homenagem ao setor industrial, comercial e de serviços. A obra começou a ser pensada em 2010 a partir do planejamento estratégico da organização. De acordo com Cé, a reforma foi considerada uma das ações mais importantes. “Reformulamos o espaço de uma maneira que asso-

ciados e a comunidade de Arroio do Meio possa utilizar.” Segundo ele, a entidade investiu na área de 400 metros quadrados para oferecer um espaço adequado para receber a comunidade local em eventos sociais e corporativos. Com a inauguração, a Acisam pretende retomar as reuniões-almoço trazendo palestrantes. A entidade tem a intenção de

O prédio da década de 1950 passou por uma transformação. A estrutura antiga foi substituída por piso em porcelanato, aberturas como portas e janelas também foram trocadas. O telhado recebeu materiais que protegem do calor e do barulho. Um elevador e rampas de acesso foram colocados para garantir condições de acessibilidade. O forro é rebaixado com gesso. Os ambientes são climatizados e os espaços para eventos têm sistema de sonorização. O térreo comportará a sede da Acisam. Ao lado, um espaço será destinado para palestras e reuniões. Também foi separado um local para sediar a câmara de vereadores. O local tem quatro salas com

área total de 166,35 metros quadrados. O Legislativo ainda não definiu se irá transferir as atividades para o novo endereço. No segundo andar, o salão de eventos oferece espaço para eventos. Segundo Cé, o prédio próprio da Acisam merecia um investimento na modernização. “É um local privilegiado, no centro. Já temos pedidos de locação para eventos.”

HISTÓRIA O prédio foi construído pela Acisam entre 1956 e 1957. O espaço chegou a sediar a comarca de Arroio, a antiga Exatoria e algumas empresas da cidade. Até 1980 passou por duas reformas e uma ampliação.


Cidades

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

15

Palestra aborda retomada da economia Economista Pedro Ramos acredita que há condições de superar a recessão em 2017 Teutônia

Setores abalados devem retomar força, diz Lutz

N

o dia em que comemorou o 17º aniversário, a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) promoveu palestra sobre o cenário econômico no próximo ano. O doutorando em Economia pela Ufrgs, Pedro Lutz Ramos, detalhou o caminho trilhado pelo país e ressaltou que 2017 deve apresentar leve melhora. Novo governo americano é incógnita sobre impacto nacional, acredita. Conforme Ramos, desde 2012, o governo federal começou a esboçar retração econômica. A dívida pública aumentou 10% a cada ano. Por outro lado, o PIB tem fechado no vermelho. Neste ano, registrou -2,2 %. Isso desencadeou série de fatores que reduziram as vendas e desestimularam os investimentos.

Mudança política altera cenário Para Lutz, a visão do presidente peemedebista, Michel Temer, sobre os problemas do país é positiva em alguns quesitos. “O plano de governo do PMDB é muito preciso em apontar os problemas do Brasil.” Outro fator para a retomada

Para Pedro Lutz, a projeção para 2017 favorece alguns setores.

Economista traçou panorama que desencadeia nas decisões do governo

na economia é a representatividade de Temer junto ao Congresso, acredita.

Confiança para 2017 Com a projeção de regularização no setor de alimentos, a expectativa é que a produção de grãos seja recorde no próximo ano. Esse fator anima a agropecuária esboçando as primeiras melhorias na oferta de alimentos ainda no fim deste ano. Isso é expressivo na redução gradativa na inflação. Em paralelo, Ramos relata que a taxa Selic está caindo. Os juros

reduzem lentamente e as vendas aumentam. “Na parte de rentabibilidade das empresas, notamos que precisam de volume, precisam que as famílias voltem a consumir”. Para o economista, o PIB deve continuar caindo até 3,5%, mas no quarto trimestre chega a 3,3%. A partir dessa queda nos juros, as famílias voltam a consumir, para utilizar a capacidade instalada e as empresas voltam a aumentar a rentabilidade. O mercado de trabalho deve controlar a taxa de desemprego e aí, então, retoma a visão de investimentos.

A Hora – Como a eleição de Donald Trump, nos EUA, pode interferir na economia nacional? Ramos – A referência global para as taxas de juros é os Estados Unidos. A ideia é que, se houver essa aceleração da atividade econômica no mundo a partir do aumento de gastos e redução de impostos, o Banco Central vai subir mais rapidamente a taxa de juros para conter o ímpeto inflacionário. Isso pode fazer com que saiam recursos do Brasil e acabe desvalorizando nossa taxa de câmbio. Como o empresário pode se preparar? É o momento de investir ou aguardar para 2018? Ramos – Acredito que a questão do setor que

Sindilojas é premiado em gestão sindical DIVULGAÇÃO

Vale do Taquari O Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs) premiou, na quarta-feira, 30, os sindicatos que se destacaram em gestão. Cerca de 70 entidades receberam o reconhecimento, entre elas, o Sindilojas Vale do Taquari. A entidade conquistou 410,10 pontos em um máximo de 500. A avaliação ocorreu no dia 30 de junho pela secretária-executiva do Sindicato dos Cabeleireiros do Vale do Taquari (Sindicabes), Sônia Pereira. A entrega oficial do certificado ocorreu durante o 30º Fórum Fecomércio-RS de Gestão, em Porto Alegre. Foi feita pelo pre-

Prêmio foi entregue às representantes do Sindilojas VT Letícia Tossati e Rejane Maria Horn pelo vice-presidente da Fecomércio-RS Luiz Antônio Baptistella e presidente Luiz Carlos Bohn.

sidente da entidade Luiz Carlos Bohn e vice-presidente Luiz Antônio Baptistella à gerente-executiva Rejane Maria Horn e

à coordenadora administrativa Letícia Tosatti, representantes do Sindilojas VT. Criado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o Segs utiliza diversos quesitos para avaliar as entidades, tendo como base o Prêmio Nacional de Qualidade. O programa busca alinhar as práticas de gestão sindical entre todos os integrantes do Sistema Confederativo da Representação Sindical do Comércio (Sindicomércio). Além disso, incentiva a busca pela excelência na gestão e contribui para a maturidade de federações e sindicatos.

está envolvido vai fazer diferença nessa escolha. A segunda metade de 2017 tende a ser melhor. Mas tudo isso é um pouco incerto. Existem elementos que são importantes para chegar nessa condição. Um deles é ver a taxa Selic caindo e a inflação baixa. Como os agricultores podem se preparar para 2017? Ramos – Acredito que os custos estejam mais baixos, especialmente pela regularização da oferta do milho. Tivemos desvalorização cambial grande. Como não estamos preparados para importar milho, tivemos condição de falta mesmo sendo um dos grandes produtores desse grão. Com a entrada da primeira safra no Brasil, a oferta começa a ser regularizada e na safra de 2017 a oferta deve estar plenamente regularizada.


16

Polícia

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

Três pessoas morrem em menos de 24h Ciclista é atropelado pela manhã. À tarde colisão vitima mãe e filha na BR-386 GILSON LUSSANI/GRUPO INDEPENDENTE

RÁDIO HERVAL FM

Vale do Taquari

A

cidentes fatais marcaram a quinta-feira na BR-386. Três pessoas morreram na rodovia em menos de 24 horas. Na madrugada, um jovem de 18 anos foi atropelado, em Estrela. Enquanto à tarde, por volta das 12h30min, mãe e filha foram vítimas de um acidente em São José do Herval. A família acometida pela tragédia era de Pouso Novo. O carro GM Corsa, com placas de São José do Herval, teria atravessado a pista e colidido de frente com um caminhão guincho, de Passo Fundo. Tatiane Zanatta, 29, e a filha Livia Zanatta, de 1 ano e 11 meses, morreram no local. No fim da tarde de ontem, o pai da criança, Juliano Paludo, a so-

Carro que a família ocupava bateu de frente em um caminhão guincho

gra dele, Ana Rita Zanatta, e a cunhada Aline Zanatta, ainda estavam em estado grave no Hospital Bruno Born (HBB). O motorista do caminhão não sofreu ferimentos. Já Anderson Lourenço Severiano, 18, seguia de bicicleta para o trabalho, por volta das 4h50min, quando foi atingido por uma moto no acostamento da rodovia. Caído sobre a pista,

foi atropelado por um um Gol, que transitava em direção à capital. O condutor da moto sofreu escoriações e foi levado ao Hospital Estrela. Já o motorista do carro não sofreu ferimentos. Todos os envolvidos no acidente moravam em Estrela. Mas a vítima era natural do interior do Ceará, para onde o corpo foi transladado.

Ciclista foi atingido por uma moto e depois atropelado por um carro

OUTRAS DUAS MORTES Na noite de terça-feira, outras duas pessoas morreram na BR. Duas motocicletas CG Titan disputavam um racha, próximo ao trevo em direção a Teutônia. Por volta das 21h15min, as motos atingiram um pedestre.

O caroneiro da motocicleta, Márcio da Costa Schweitzer, 15, morreu no local do acidente. O pedestre Ildo José Brandão, 55, chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital.


A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

PATROCÍNIO:

Futsal

Decisões movimentam o Vale hoje à noite Municipal de Santa Clara do Sul e Taça Encontro da Bola definem os campeões

O

RAFAEL SIMONIS

s campeões do 17º Campeonato Municipal de Futsal de Santa Clara do Sul serão conhecidos hoje à noite, no ginásio municipal de esportes. O primeiro confronto será pela categoria veterano: 11 Amigos versus Mercado Giló iniciam a disputa às 19h30min. O primeiro duelo pela força livre será entre ASDP JM Tur e Stick/Sapataria Adão pela Série Prata. Já a partida mais aguardada da noite e que fecha a edição deste ano, valendo o título na Série Ouro, coloca os dois melhores times da categoria frente a frente: D'Bobeira versus Quinta Show.

sus Sacolé United (força livre) Segundo o coordenador do Departamento de Desporto, já estão classificados para a final do dia 9 Golden Boys e Bola da Vez, na categoria sub-16, Devassa FC e Ecas, na feminino. Arroio do Meio A semifinal do municipal ocorre no Salão Paroquial, no centro. Às 19h15min, jogam Melhor do Que Antes e Fim de Carreira pela categoria máster. A rodada segue com Master Glória versus A.C.N/AMBA (máster), Só Khellas versus Só Ceva (veterano), Vat 69 versus Só Barulho (força livre) e Atrevidos versus Só Ceva (força livre).

Encontro da Bola

Devido à programação da semana de aniversário do município, não houve rodada pelo municipal de futsal no fim de semana passado. A bola volta a rolar hoje pela semifinal da competição. A rodada inicia com BS Precisão e Piffer Pneus pela sub-21. Na sequência, pela veterano, Stylo Móveis encara o Inter de Campo Branco B. Ainda na veterano, Flamengo de Xaxim joga contra Joalheria Pontual. Fechando a rodada, na sub-21, o Grêmio Gaúcho pega o Bad Boys. O municipal de futebol 7 realiza as semifinais neste domingo, em Morro Azul. Na categoria feminino, o Flamengo de Xaxim encara o São João de Alta Picada Serra. A rodada segue com Cruzeiro de Tiririca versus Grêmio Esportivo Gaúcho (masculino). Inter de Lajeado do Meio versus Cruzeiro de Alto Honorato (feminino) e Amizade de Morro Azul versus Achados e Perdidos/IC

A competição de minifutebol de Teutônia define hoje à noite os campeões nas categorias máster e força livre. Os jogos ocorrem a partir das 20h, com a disputa do terceiro lugar máster entre Amigos do Léo e Construtora Batoré. Às 21h, Amigos do Queiroz e Saidera disputam a terceira colocação da força livre. Às 22h, ocorre a final máster entre Teuto Luz e Bola 8. O campeão da categoria ganha uma moto. A noite de decisões encerra com a disputa entre AABBOC e Malditos pelo título da força livre. Além de levar troféu e medalhas, o vencedor recebe um carro.

Progresso

Seis equipes disputam o título nas categorias veterano e força livre em Santa Clara do Sul. Jogos iniciam às 19h30min PIVI WELTER

versus Pela Parceria (feminino) e Dalbosco Madeiras versus Vilson & Diego Cabeleireiros (força livre/Série Ouro). A partida decisiva ocorre no dia 10, durante a programação da Semana do Município.

Imigrante

Boqueirão do Leão As partidas de ida das finais ocorrem neste sábado. São Roque e Vilson & Diego Cabeleireiros abrem a noite de jogos pela categoria máster. Na sequência, Juventude encara o União da

AABBOC é um dos finalistas da categorias força livre da Taça Encontro da Bola

Vila na decisão da força livre/ Série Prata. A rodada segue com Ruggeri Transportes ver-

sus Vilson & Diego Cabeleireiros (veterano), BFV da Serra versus A Sobra FC (sub-17), São Roque

O municipal de futsal e voleibol entrou na fase eliminatória. Hoje à noite, ocorrem os jogos semifinais em todas as categorias. Improviso versus Gota Limpa e Farra Pinga e Foguete versus Pois É disputam vaga na final do voleibol. A rodada segue com SPC versus Avante (veterano), Seca Baixa versus Hassmann (veterano), Fluminense versus Canarinho (força livre) e SPC Riograndense ver-


18

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

Categorias de base

Eze q u i e l N ei t zke

O Cara Atleta da Trovão Team, Antônio Marcos de Borba, o “Marcão”, conquistou em novembro a última etapa do Campeonato Gaúcho de Jiu Jitsu, na categoria faixa roxa. No total, Marcão venceu as sete etapas do certame. Agora se prepara para disputar o mundial em 2017.

Bom sinal No que depender das categorias de base, o Lajeadense tem tudo para brigar por uma vaga na elite do Gauchão no próximo ano. Na quarta-feira, a equipe conquistou a segunda colocação da Copa Sub-19 – perdeu para o Internacional por 2 a 1. O resultado mostra que os jovens atletas têm condições para ficar no grupo principal e repetir o que Tomazinho, Jean Both e Felipe Gallas fizeram em 2010.

Lajeadense é vice-campeão da Copa Sub-19 Equipe perdeu a final para o Inter DIVULGAÇÃO

Do leitor A leitora Andreia Teixeira encaminhou e-mail relatando o posicionamento da diretoria e torcida do 25 de Julho em relação aos fatos ocorridos na praça de esportes do Juventude, no dia 20. Segue: “Aconteceram agressões? Sim, porém, teve suas razões. Razões essas que acabaram sendo não admissíveis, devido à sequência de erros da arbitragem. Todos sabem que em uma semifinal os ânimos se alteram, e todos querem o título de campeão regional, que em 2015 ganhamos com muita raça e sem favorecimentos. Para esclarecer sobre o torcedor que agrediu o bandeirinha. Ele pode dizer que é torcedor do 25, mas não é morador de Picada Aurora, que está sendo condenada por ter pessoas agressivas. Em todos os lugares onde vamos, devido à divulgação na mídia, estamos todos sendo julgados. Assim como a arbitragem tem família, nós, torcedores e jogadores, também temos, e estamos passando por situações em que as próprias crianças da comunidade estão sendo alvo de piadas e agressões. Para que o futebol da nossa região não acabe, a arbitragem deveria também ter punição. Hoje vemos a Aslivata culpando um único clube. Uma das farsas foi a do próprio presidente dizer que não estava presente na hora da confusão, porém, temos vídeos que registraram ele presenciando todos os fatos, e não fazerndo nada. Sabemos que, em reunião com a Aslivata, dirigentes do 25 de Julho solicitaram que não fossem colocados árbitros ou auxiliares da Pivi Arbitragens, uma vez que já prejudicou nas quartas de final, e, mesmo assim, nos dois jogos das semifinal, eles foram escalados. Será que devemos ser condenados dessa maneira, sendo que tivemos a melhor disciplina até chegar à semifinal? Será coincidência o mesmo árbitro apitar os últimos quatro jogos de uma equipe? Agradecemos a oportunidade de nos manifestar. Equipe 25 de Julho.”

ezequiel@ jornalahora.inf.br

Time foi vice-campeão sub-19 com 53% de aproveitamento dos pontos

O

Lajeadense terminou a participação na Copa Sub-19 na segunda colocação. Na quarta-feira, em Alvorada, a equipe perdeu para o Internacional por 2 a 1. Foi a melhor participação do Alviazul em campeonatos de categoria de base. Bruno José abriu o placar para

o Colorado. Na segunda etapa, Padu empatou para o Lajeadense. No fim do jogo, em contra-ataque, Bruno José marcou o gol que deu o título ao Colorado. A campanha do Lajeadense teve 53% de aproveitamento. Foram nove vitórias, sete derrotas e dois empates. O time marcou 28 gols e sofreu 20.

DECLARAÇÃO DE TREINADOR GERA POLÊMICA CLASSIFICAÇÃO Uma declaração do técnico do Lajeadense, Serginho Almeida, no Facebook, após a final da Copa Sub-19, causou mal-estar entre as direções do Alviazul e do Internacional. Horas depois, a postagem foi apagada. Em nota oficial, o time de Lajeado esclarece que a postagem do treinador nas redes sociais não condiz com os fatos combinados entre as agremiações. Ao jornal

Zero Hora, o diretor da base do Internacional, Jorge Andrade, ressaltou que o luto foi respeitado e que o jogo ocorreu por questão de calendário. Almeida lamenta a repercussão e pede desculpas a todos. “Não quis agredir a entidade Internacional, tenho um enorme respeito com eles, acabei postando no calor do momento, pois perdi um grande amigo na tragédia da Chapecoense”, diz.


19

A HORA · SEXTA-FEIRA, 2 DE DEZEMBRO DE 2016

RESULTADOS

Informe

Primeira fase

www.setelajeado.com.br

Polêmicos conquista o título da elite FOTOS EZEQUIEL NEITZKE

Polêmicos

9

x 0 Dinamite

Polêmicos

2

x 2 R7

Polêmicos

3

x 1 Alcatraz

Polêmicos

1

x 1

Polêmicos

0

x 5 Renegados

Polêmicos

2

x 3

Viracopos/Imobiliária Antares Viracopos/Lebber Imóveis

Polêmicos 3

x 2 FuteBar Avaí

Polêmicos 2

x 6 Tabajara A

Polêmicos 2

x 2 Real Madruga

Polêmicos 4

x 2 JéDuCa

Polêmicos 3

x 1 Tabajara B

Polêmicos 0

x 3 Galera

Polêmicos 3

x 3 Mercenários

Polêmicos 1

x 1 Cataluña

Polêmicos 4

x 5 Futebolzinho Série Prata

Polêmicos

3

x 1 Cataluña

Polêmicos

4

x 4 JéDuCa

Polêmicos

1

x 4

Polêmicos

2

x 0 FuteBar Avaí

Polêmicos

4

x 3 R7

Polêmicos

8

x 2 Dinamite

Polêmicos

3

x 2 Futebolzinho

Viracopos/Imobiliária Antares

Semifinal Polêmicos

0

x 0 Cataluña

Polêmicos

3

x 1 Cataluña

Mesmo com muitos desfalques, Polêmicos se sagrou campeão da Série Prata. Na decisão, equipe superou o R7 no tempo normal e na prorrogação

D

oze vitórias, sete empates e sete derrotas – aproveitamento de 55,12%. Essa foi a campanha do Polêmicos na Copa Sete/CBM/STR Supermercados. No início de novembro, a equipe se sagrou campeã da Série Prata da primeira divisão. O adversário na final foi o R7. Após perder o primeiro jogo por 3

João Moura foi eleito o artilheiro e melhor meia-direita da Série Prata

a 1, o Polêmicos venceu o segundo jogo por 4 a 2 e levou a decisão para a prorrogação, quando voltou a vencer, dessa vez, por 2 a 0. Além do título, o Polêmicos levou o troféu disciplina, teve o craque da final (Edson da Rosa), artilheiro e melhor meia-direita (João Felipe de Moura) e melhor defesa (Willian Oliveira e Wilson Sontag).

Jeferson Klauck, o “Jefinho”, responsável pelo time, conta que a conquista do título é a consagração da equipe na competição. “Tivemos muito problemas no decorrer do ano, como lesões e afastamento de atletas, mas demos a volta por cima e conseguimos a taça.” Para 2017, Jefinho acredita que a equipe brigará pelo título da

Além do título, equipe conquistou o troféu disciplina da Série Prata

Série Ouro. “Somos a quinta força no clube e acredito que com alguns reforços conseguiremos o título.”

Elenco William de Oliveira, Carli Klepker, Rafael Arend, José Reinaldo Gomes, o “Paraíba”, Marcelo Sontag, André Eckhardt, Rudinei de Moura, Jefinho Klauck, Rael

Willian Oliveira e Wilson Sontag foram os goleiros menos vazados

Finais Polêmicos

1

x 3 R7

Polêmicos

4

x 2 R7

Sulzbach, Deoclecio Lussani, João Felipe de Moura, Alexandro Soares, Wilson Sontag, Edson da Rosa, Fabiano Ferreira, o “Cotona”, Michel Beuren, Daniel Rodrigues, Dari Silva, Fabiano Seibel e Roger Rieger.

Edson da Rosa foi o craque da final


Lajeado, Sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Jornalismo / redação: ahora@jornalahora.inf.br Publicidade: comercial@jornalahora.inf.br Assinaturas: assinaturas@jornalahora.inf.br

AH - Principal | 02 de dezembro de 2016  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you