Page 1

ANO 1 | NÚMERO 4 | OUTUBRO-DEZEMBRO 2018 • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

mag.

REPORTAGEM

De Mafra a Reguengos em todo-o-terreno

ENTREVISTA

Chakall - A vida passa pela cozinha

PORSCHE STOCK As nossas escolhas

ESPECIAL Garagem de sonho


editorial

M

esmo parecendo que foi ontem que a Consilcar resolveu avançar para este desafio de dar o seu nome a uma publicação periódica, com o mundo automóvel em pano de fundo mas em que outras temáticas têm igualmente espaço e importância, a verdade é que completamos agora o primeiro ano de um percurso em que queremos continuar com a mesma qualidade e, principalmente, a mesma determinação. Na verdade, até pelo retorno que temos sentido, acreditamos que este é um projecto que acrescenta qualidade e distinção à imagem global da Consilcar e continua a merecer a aceitação global de quem nos lê, sejam os nossos parceiros, os clientes da Consilcar ou aqueles que começam a chegar até nós depois de tomarem o primeiro contacto com a “Mag”. Em termos de conteúdos, com o final do ano à porta e a correria para as compras de Natal, procuramos dar-lhe conta neste número de alguns modelos que por certo gostaria de receber no sapatinho (nós gostaríamos), para colocar na sua Garagem de Sonho, num dossier especial em que nos permitimos a liberdade de sonhar. Afinal, o sonho comanda a vida, mesmo quando esta passa pela cozinha, como acontece com a vida do chef Chakall, entrevistado para o presente número da “Mag” no seu restaurante recentemente renovado na zona oriental de Lisboa. Pelo meio, avançámos com a Prolama, há muito um dos parceiros com forte ligação à Consilcar, numa aventura que ligou Mafra a Reguengos de Monsaraz por caminhos menos percorridos e quase sempre longe do asfalto, e, como cereja no topo do bolo, fomos conhecer as últimas novidades do mundo do automóvel no Mondial de l’Automobile, o Salão Automóvel de Paris que abriu as suas portas nos primeiros dias do corrente mês de Outubro, um evento que não poderíamos deixar de acompanhar mesmo que para isso fosse preciso atrasar a chegada desta Mag #04 às suas mãos. Uma vez mais num número em que colocámos todo o cuidado pela qualidade dos seus conteúdos, cumprindo afinal uma máxima que é há muito defendida pela Consilcar e que aponta para a qualidade e rigor daquilo que vendemos ou que comunicamos, tem assim ao seu dispor uma edição que chega até si com capa de Outubro a Dezembro, na qual colocámos um carro que poderá perfeitamente estar na sua garagem de sonho, por estar disponível entre as propostas da Consilcar. Depois, quando terminar de ler esta Mag, que por certo o irá acompanhar durante o último trimestre do ano, estaremos a fechar o primeiro ano da Consilcar Magazine, durante o qual tivemos todo o prazer em estar consigo também por aqui. Esperamos que também esteja a gostar de estar connosco, até porque esta é uma caminhada que ainda agora está no início. Venha daí. Nuno Silva

Director: Nuno Silva; Editor: Jorge Reis; Colaboradores: Carlos Rodrigues e José Manuel Costa; Arte: Luís Martins; Propriedade e Distribuição: Consilcar, Comércio de Automóveis, Lda.; Morada: Rua D. Maria Ana de Áustria, 185 – 2605-663 Belas; Edição: LusoSaber, Informação e Comunicação Lda.; Impressão: Ligação Visual, Comunicação Gráfica – 2665-608 Venda do Pinheiro; Depósito Legal: 439082/18; Tiragem: 7.500 exemplares; Distribuição Gratuita. Redes Sociais: www.facebook.com/consilcarmagazine Edição Online: www.consilcar.pt/revista Estatuto Editorial: A revista Consilcar Magazine (Mag) mantém uma periodicidade trimestral abordando como temática principal o automóvel, podendo conter conteúdos com temáticas directa ou indirectamente relacionados com o mercado automóvel, a indústria do mesmo, e outros que com o automóvel se cruzam com maior ou menos intensidade no dia a dia, ou que não se cruzem de todo mas que se entendam como enriquecedores da publicação. Em todos, fica o compromisso por parte dos responsáveis da Mag pelo respeito dos valores deontológicos e ética profissional a que a Imprensa os obriga, tendo como privilégio sempre a melhor informação. 5 OUTUBRO | NOVEMBRO


MERCADO CONSILCAR

Vendas em

Agosto acima do normal O mercado de automóveis usados rege-se por regras distintas das que marcam a realidade relativamente aos novos mas, em termos práticos, o mês de Agosto permitiu em ambos os sectores um volume de vendas bem acima da média do resto do ano

O

terceiro trimestre do ano em curso permitiu para o sector automóvel um volume de vendas francamente positivo, tanto no que diz respeito ao mercado de veículos novos, quer também no mercado de veículos usados, com a Consilcar a confirmar isso mesmo nomeadamente no mês de Agosto, com números acima da média como nos deu conta Edgar Condenso, um dos responsáveis máximos desta empresa. No terceiro trimestre do ano foi assim possível assistir a um mês particu-

4 OUTUBRO | DEZEMBRO


permitiu sempre um mês forte de vendas, algo que uma vez mais não fugiu à regra”, explica o nosso interlocutor, destacando um facto: “Historicamente, porventura nos últimos dez anos, o mês de Agosto tem sido sempre forte.”

larmente forte nas vendas em Agosto, também em consequência da antecipação das compras por força das ameaças de eventuais aumentos de preços dos veículos em consequência das novas normas de análise de emissões e consequente ajustamento fiscal. Já em relação ao mercado dos usados, o aumento assinalável das vendas terão resultado de um motivo mais “familiar”. “No mercado de usados tem mais influência questões como as férias ou os subsídios normalmente considerados no mês de Agosto, algo que na actividade da Consilcar,

“As pessoas hoje em dia já não tiram um mês de férias. Acabam assim por tirar uma semana, mais tarde outra semana, e por aí um ou dois dias para tratar de assuntos pessoais, nomeadamente a compra do novo automóvel. A pretensão das pessoas em irem de férias já com o carro novo, e algum desafogo financeiro permitido pelos subsídios, tudo junto ajuda a conferir ao mês de Agosto um peso suplementar no volume de vendas, algo que uma vez mais se confirmou este ano.” Acabou assim por se viver no seio da Consilcar um mês de Agosto com vendas bem acima do normal no qual se vendeu “um bocadinho de tudo”. “As vendas resultam também do stock que possuímos e a verdade é que este ano conseguimos entrar no Verão com um forte leque de propostas, com muita escolha, desde o carro de dez mil euros até ao carro de 70 ou 80 mil euros, conseguindo permitir algumas oportunidades interessantes.” Quanto ao perfil do cliente da Consilcar neste período de Verão, aponta principalmente para o particular: “Foram vendidos alguns veículos para empresas, nomeadamente algumas unidades ‘plug-in’, mas o forte das vendas nos clientes foram os particulares. Depois, como reverso da medalha, em termos de dificuldades, estas surgiram na reposição do stock, algo que só conseguimos compor na fase final do mês de Setembro.”

OUTUBRO | DEZEMBRO 5

“Historicamente, porventura nos últimos dez anos, o mês de Agosto tem sido sempre forte”, afirma Edgar Condenso a propósito da actividade comercial da Consilcar nos meses de Verão.


A NOSSA EQUIPA

DAVID CARREIRA

David Carreira, 38 anos, deixou a Fiat e abraçou a continuidade da sua carreira profissional ao serviço da Consilcar, uma mudança depois de um namoro de alguns anos que resultou no casamento pela base de confiança existente

“Namoro de alguns anos só podia dar em casamento!”

A

passagem da Fiat para a Consilcar foi, para David Carreira, uma aposta que resume como “diferente”. “Antes vendia 200 carros por mês, agora compro 80. Na Fiat tinha como missão vender tudo

o que era carros de serviço, desde o rent-acar ao fleet, por todos os parceiros entre os quais a Consilcar, e daí ter conhecido o Edgar e o Nuno. Agora tenho por missão comprar, onde haja possibilidade de o fazer, em todos os canais!” O conhecimento entre David Carreira e a Consilcar surgiu assim a partir da relação profissional entre ambos. “Foi efectivamente um namoro com alguns anos. Em 2008 fizemos o primeiro negócio, a Consilcar comprou-me trinta Alfa Romeo 147, um primeiro negócio feito numa base de muita confiança, começámos a trabalhar numa base mensal, e em 2010 começou um namoro que viria a dar em casamento em 2014.” Consumado o casamento, quisemos saber que Consilcar encontrou David Carreira quando ingressou na empresa. “A equipa estava montada e a funcionar lindamente, tal como continua a funcionar lindamente, e aquilo em que eu iria aportar valor era conseguir mais matéria prima, para passarmos de um stock de 80 a 90 carros para 200 e tal, eventualmente 300 e tal ou 400, quem sabe...” Actualmente, o stock da Consilcar ultrapassa os 200 automóveis, mas David Carreira não recusa a ideia de poder vir a aumentar esse

6 OUTUBRO | DEZEMBRO

SEG SEG SEG SEG


mitindo que o seu perfil de automóvel não número – “Depende do que vá surgindo no corresponde propriamente ao de qualquer mercado, mas a ambição é não parar.” uma típica cliente feminina da Consilcar. “Desde que os produtos sejam bons e com “Às vezes, quando estou aqui em acção de preços apelativos será possível escoar o stovendas e as senhoras me pedem um aconck, passando a dificuldade por conseguirmos selhamento, sugiro um Fiat 500 ou um ainda mais veículos. É claro que não podereAudi A1, modelos que não são propriamenmos ter carros apenas por ter, mas queremos te os meus preferidos em termos pessoais”, apresentar boas oportunidades e carros que explica Joana Pereira que diz ser “raro” enos nossos clientes mereçam.” contrar outras mulheres com as suas prefeO encontrar de boas propostas resulta tamrências em termos de modelos automóveis. bém do relacionamento da Consilcar com os Neste negócio que diz ser por vezes “comseus diferentes parceiros, nomeadamente plicado” aponta como situações mais dimarcas e players no mercado, que vendem fíceis aquelas em que o cliente, por vezes, os seus veículos em condições favoráveis tem que ficar à espera dos documentos dos para revenda. Mas terá a Consilcar uma boa veículos: “As pessoas querem ter o carro relação com esses diferentes operadores? em seu nome, o que é normal, mas a bu“Sim. Temos boas relações, quero acreditar, rocracia não é propriamente linear e as coicom todas as fontes onde se possam comsas nem sempre correm como queremos. prar carros. O que pode acontecer é num É claro que tentamos sempre mostrar aos mês podermos comprar 30 unidades à Fiat, clientes o que acontece na obtenção de doporque achamos que é uma boa oportunidacumentação mas nem sempre é fácil.” de, e no mês seguinte acharmos que a oporPor outro lado, como reconhece, há tamtunidade está em veículos BMW. Depende bém situações em que os clientes demonssempre para onde o mercado sopra quase a tram uma boa compreensão, havendo mescada minuto.” mo alguns com quem é por vezes possível Quanto ao tipo de carros com os quais se permitir uma relação de amizade: “Temos conseguem os melhores negócios, “em 2014,

clientes com muitos anos de relacionamendiesel era a palavra de ordem, e hoje passáto com a Consilcar, alguns com 20 e mais mos do diesel para os motores a gasolina, anos, que vão trocando de carro uma e oucom excelentes níveis de consumos, mas tra e outra vez.” também para os plug-in e híbridos porque Sobre a equipa de trabalho da Consilcar, trazem grandes vantagens para as empresas Joana Pereira diz ser uma “equipa fácil”, e pelos benefícios fiscais que permitem. Acomexplica: “Temos uma boa equipa. Eu não panhamos a par e passo as tendências e as poderia ter melhores colegas. Damo-nos novas oportunidades que surgem, e isso per“Temos uma boa todos muito bem e isso é, sem dúvida, meio equipa. Eu não poderia mite sempre procurar os melhores negócios.” ter melhores colegas. caminho andado para o sucesso. Por isso é Relativamente à equipa que David Carreira Damo-nos todos que temos o sucesso que temos!” veio muitoencontrar bem e isso na é, Consilcar, fala de uma faNa evolução da empresa, a nossa interlocusem que dúvida, mília já meio conhecia: “A equipa estava forcaminho andado para o tora acompanhou a concentração da activimada, eu conhecia os diferentes elementos sucesso!” dade da Consilcar na megastore de Massae apenas deixei de ser o primo afastado para má Norte, depois de um período em que a passar a ser o irmão próximo.” empresa dividiu a sua actividade por lojas Já ao rumo trilhado pela Consilcar, o nosso em Belas e em Odivelas. A concentração, interlocutor afirma a esperança “num crescidiz, acabou por permitir o melhor funcionamento sustentado, com um stock que terá mento da empresa, mas também um maior que chegar aos 300 veículos”. “Depois, se o espírito de equipa: “A passagem da empreespaço não chegar, arranjamos, nem que seja sa do para estas instalações“Acompanhamos (Massamá Norte) preciso comprar o terreno lado! (risos)” a par veio permitir que possamos todose e passoestar as tendências Sobre a equipa e a liderança aponta não um novas oportunidades juntos, trabalhando todosasjuntos. Temos os mas dois seleccionadores da Consilcar: “O que surgem, e isso pernossos ‘stresses’, como émite normal entre cosempre procurar os Edgar e o Nuno, os donos da empresa, são legas, mas de vez em quando fazemos uns melhores negócios.” dois treinadores, em que um dá as tácticas jantares e tudo corre bem. Corre sempre do posicionamento e o outro dá as tácticas tudo bem!” sobre os contratos dos jogadores.

Photo by Charlie Foster on Unsplash

seguramos o seu futuro

SEGURO AUTOMÓVEL SEGURO VIDA CRÉDITO HABITAÇÃO SEGURO SAÚDE SEGURO ACIDENTES DE TRABALHO

JULHO | SETEMBRO 5

Rua S. João de Deus, 1 - Bloco B-Loja 2 Quinta da Oliveira 2500-885 Caldas da Rainha T 262 841 434 F 262 823 927 segurosbisa.pt www.bisa.pt


REPORTAGEM

PNEUS

Sabe o que é um

pneu?

Há quanto tempo não vê a pressão dos pneus do seu automóvel? Sabe as consequências para a sua segurança e daqueles que andam na estrada derivadas dos descuidos grosseiros com o estado dos pneus?

A

questão colocada sobre a realidade dos pneus pode dar o mote para uma análise mais atenta ao componente do automóvel que permite o seu único contacto efectivo com a estrada, algo que resulta, afinal, da mais avançada tecnologia que combina com a máxima precisão um conjunto de materiais que pode ir até 15 compostos diferentes de borracha, até 20 ingredientes por composto e cerca de 30 componentes diferentes. Com isto, encontramos então o pneu, que deve

conseguir conter um volume de ar comprimido capaz de suportar a carga que lhe é imposta, participa na suspensão do veículo absorvendo parte das irregularidades da superfície da estrada, possuindo ainda a capacidade de mudar e manter a direcção do veículo e transmitir tracção e força de travagem na superfície da estrada. Uma pressão do ar errada resulta num pior comportamento do pneu, com consequências negativas para a segurança de todo o veículo, mas também para os níveis de consumo do mesmo.

8 OUTUBRO | DEZEMBRO


Uma pressão do ar errada no interior do pneu resulta num pior comportamento deste, com consequências negativas para a segurança de todo o veículo, mas também para os níveis de consumo. O piso de um pneu pode ser simétrico, direccional ou assimétrico, possuindo cada um deles os seus pontos fortes e particularidades, obrigando a atenções especiais na respectiva montagem.

Três tipos de piso nos pneus Olhando para a realidade do pneu podemos encontrar diversos componentes conforme a zona analisada, ainda que a atenção normal das pessoas se concentre no piso, talvez por ser efectivamente a parte que contacta com o solo. O piso pode ser simétrico, direccional ou assimétrico, possuindo cada um deles os seus pontos fortes. Assim, um pneu simétrico é mais versátil, tem uma boa performance global e pode ser utilizado em quase todas as aplicações. Já um pneu com um piso assimétrico, com uma performance global igualmente muito boa, tem uma boa imagem, obrigando na montagem a atenções especiais, nomeadamente a seguir a orientação por forma a que a indicação “outside” esteja sempre virada para o lado exterior do veículo. Por fim, e em relação ao piso direccional, é visualmente agressivo, sendo a melhor opção quando se pretende performance em aquaplaning e aderência em superfícies molhadas. Também aqui a montagem obriga a que se respeite o sen-

tido de rotação assinalado na parede lateral dos pneus.

Leituras nas paredes laterais Uma última referencia à forma como podemos “ler” algumas das indicações na paredes laterais do pneu. Assim, uma indicação “205/55 R16 91 H” diz-nos que a largura da secção do pneu é de 205 mm, o 55 indica a relação de aspecto, a divisão da altura da secção pela largura de secção multiplicando esse resultado por 100, e o R indica tratar-se de um pneu radial. O 16 tem a ver com o diâmetro da roda ou da jante em polegadas, surgindo ainda o 91 como índice de carga e o H a indicar a velocidade máxima a que o pneu pode rodar. Estas e outras indicações relativas ao seu automóvel voltarão à Consilcar Magazine na edição impressa, mas também na presença da “Mag” no facebook, ou ainda no website LusoMotores em lusomotores. com. .

JULHO | SETEMBRO 9


RESTAURAÇÃO

CHAKALL

“Preciso de estar sempre em actividade!” 10 OUTUBRO | DEZEMBRO


Conhecido por muitos como “o chef do turbante”, diz não ter vocação para conseguir uma estrela Michelin, basicamente porque se aborrece se tiver que estar muito tempo a fazer a mesma coisa. Afinal, define-se como “um selvagem... um chacal...” texto Jorge Reis | fotos Carlos Rodrigues

N

ascido na Argentina em 1972, formou-se em jornalismo, uma opção de vida que resultou de uma educação na qual os livros tiveram sempre uma presença muito forte. “Sempre fui um grande leitor. Hoje já não é assim, mas com 11 anos lia um li-

OUTUBRO | DEZEMBRO 11

vro por semana. Aliás, tinha obras que lia em três dias, como um leitor compulsivo. Ia no autocarro a ler em pé, na escola continuava a ler no recreio mesmo quando todos estavam a brincar, e a maior parte dos escritores de que eu gostava tinham sido jornalistas. Então, quando tive que escolher um caminho na escola, optei por algo em que pudesse escrever, o jornalismo, e fui mesmo por aí. Trabalhei sete anos num jornal, tive bastante sucesso, mas também percebi que não era aquilo que eu queria pois era uma escrita parecida com o fritar batatas numa cozinha, rotineira”. De nome próprio Eduardo – Chakall foi uma alcunha ganha na sua infância quando o compararam com aquele animal, sempre solitário e livre, disposto a seguir o seu caminho independentemente do que os outros pudessem pensar –, tem no turbante que usa em todas as ocasiões a sua imagem de marca, algo que, no entanto, surgiu no seu dia-a-dia de forma natural aquando da sua passagem por África, então sem a preocupação de ser um símbolo pessoal. Quando regressou a Lisboa, ainda no rescaldo dos atentados do 11 de Setembro, nem podia andar de turbante na rua, mas ao cozinhar com o turbante rapidamente começou a ser identificado como o “chef do turbante”, e a imagem ficou. Após concluir que o seu rumo não estava no jornalismo, Chakall deixou o jornal em que se encontrava, saiu da Argentina em 1997, recebeu algum dinheiro por via da saída, isto


RESTAURAÇÃO

CHAKALL

numa altura em que deixar uma empresa ainda permitia uma verba pela rescisão contratual, e resolveu cumprir uma visita a África, continente que sempre o fascinou. “Quando saí do jornal na Argentina recebi 80 mil dólares pelos sete anos que trabalhei, isto quando se trabalhava bem e o jornalismo era algo sério. Pude seguir para África, algo que fiz um ano depois de estar em Portugal onde pude trabalhar no restaurante de uma amiga. Eu sabia cozinhar, tinha o know-how da res-

EL BULO... UM RESTAURANTE DIFERENTE

Sonhou em poder ter um restaurante seu na zona de Marvila e, se bem o idealizou, melhor o conseguiu, até porque mais do que um conseguiu ter dois. Ao restaurante El Bulo, o nosso entrevistado juntou posteriormente uma pizzaria que literalmente um refeitório, O Refeitório do Senhor Abel, estabelecimento que funciona no espaço que no passado teve a valência de refeitório para os funcionários dos armazéns vinícolas Abel Pereira da Fonseca. Todavia, é no entanto o El Bulo que transporta a imagem aventureira e irrequieta de Chakall, um restaurante onde as imagens da aventura e nomeadamente da passagem por África estão bem presentes. Inaugurado em Fevereiro de 2016, este restaurante foi recentemente alvo de obras que aumentou a sua capacidade, não deixando ainda assim de ser acolhedor e agradável. A cozinha, simples e genuína, procura ficar longe de qualquer pretensiosismo, apresentando boas carnes, o bacalhau ou o polvo, entre tantas outras propostas. Recomendamos!

“Fiz diversos anúncios emblemáticos em Portugal, como o lançamento da Optimus, ou um anúncio da Super Bock, e também aí pude triunfar.”

tauração – sou a quarta geração de uma família de donos de restaurantes –, pelo que fui trabalhar no restaurante A Bicaense, no Bairro Alto. Ali, tive uma oferta por parte da Ana Borges para alguns trabalhos através da Elite Models, entrei em diversos castings, e logo nos cinco primeiros ganhei todos eles, o que me abriu um caminho próprio. Fiz diversos anúncios emblemáticos em Portugal, como o lançamento da Optimus, ou um anúncio da Super Bock, e também aí pude triunfar, acabando por seguir para África com a dúvida relativamente ao que iria fazer no momento em que regressasse.” A viagem em África foi uma agradável aventura, mas em termos financeiros revelou-se negativa, isto porque Chakall viria a gastar por lá todo o dinheiro que havia trazido da Argentina, acabando por regressar a Portugal “sem dinheiro e endividado”. Foi então necessário apostar naquilo em que conhecera o sucesso, voltou à publicidade, e com o primeiro anúncio realizado pôde pagar as suas dívidas, tendo a oportunidade de se relançar de novo, com a restauração a revelar-se o caminho natural. Hoje, com uma filha de três anos, Chakall assume que prefere ficar em Lisboa do que andar por aí. Ainda assim, depois de ter estado muito focado na Alemanha, mas também

12 OUTUBRO | DEZEMBRO


“NÃO TENHO TEMPO PARA MAIS LIVROS!”

“Hoje já não preciso provar nada, já realizei programas em quatro continentes, em quatro idiomas diferentes, e apetece-me continuar em Portugal onde tenho a minha filha de três anos e onde me apetece estar.”

na China onde se desloca dois meses por ano para gravar programas para a televisão pública chinesa e onde dirige um restaurante de comida portuguesa, acabou por voltar a Portugal quase em absoluto nos últimos dois anos, de algum modo cansado com o ritmo frenético em que já se viu colocado: “Hoje já não preciso provar nada, já realizei programas em quatro continentes, em quatro idiomas diferentes, e apetece-me continuar em Portugal onde tenho a minha filha de três anos e onde me apetece estar. Abri um restaurante com a Super Bock na China, de cozinha portuguesa, sou ainda o chefe executivo de um restaurante em São Tomé e Príncipe, na ilha do Príncipe, mas apaixonei-

Uma das forma pelas quais Chakall divulgou o seu nome foi através da edição de diversos livros que possui publicados em Portugal, mas também oito além-fronteiras, três dos quais na Alemanha e quatro na China, todos diferentes. Um dos livros editados na Alemanha está traduzido em oito idiomas, desde o romeno, sueco, húngaro, francês ou holandês, mas mais recentemente, desde 2014, deixou de editar livros. “Cansei-me de editar livros por aqui! A editora queria que eu pudesse escrever um livro todos os anos mas na verdade tive que lhes dizer que não porque cansei-me de o fazer. Na Alemanha, um dos livros ali editados não me deu qualquer trabalho pois apenas tive que dar a cara e assinar o trabalho final, mas nem sinto que o livro é meu e também isso me levou a querer parar. Agora tenho algumas ideias para voltar a produzir um livro, mas a verdade é que cada livro é um sacrifício para mim, porque eu não tenho muito tempo, e se não tenho a possibilidade de desfrutar a produção do livro, então simplesmente não o vou fazer.”

me por esta zona de Lisboa, decidi que um dia que abrisse o meu restaurante iria fazê-lo aqui em Marvila, e cumpri isso mesmo!” Sempre a empreender, sempre a fazer coisas novas – “Sou do signo Gémeos e preciso de estar sempre em actividade.” –, recusa etiquetas e à questão sobre se é um chef, cozinheiro ou empresário, diz ser “um pouco de tudo isso” mas em nome próprio com o seu trabalho: “Faço as coisas com o meu próprio dinheiro. Não há sociedades, não há bancos, e faço obras apenas quando há dinheiro.” Após tanto tempo de actividade, Chakall nunca teve uma estrela Michelin, algo que explica por “falta de vocação para conseguir uma estrela”. “Eu aborreço-me ao estar uma semana na cozinha, aborreço-me se tiver que fazer a mesma coisa todos os dias, e para ter uma estrela, além do talento, há que ter perseverança e estar muito focado, e eu não me vejo um mês a fazer o mesmo. Além disso, seria necessária uma formação específica que não tenho, porque eu sou um selvagem, sou um chacal, sempre fui um selvagem e sempre fiz aquilo que sinto. Aliás, há dois tipos de pessoas na vida, aquelas que precisam de ir por um caminho, e as que precisam de descobrir o seu próprio caminho, e eu preciso descobrir o meu caminho.”.

OUTUBRO | DEZEMBRO 13


1º PASSEIO TT MAFRA – REGUENGOS DE MONSARAZ

DO ATLÂNTICO AO ALQUEVA

O BARRO E AS VINH Aposta cultural, conhecimento de um Portugal diferente e a afirmação da paixão pelo todo-o-terreno, ainda que numa vertente de lazer, permitiu aventura e convívio com a assinatura da Prolama


O NHAS


1º PASSEIO TT MAFRA – REGUENGOS DE MONSARAZ

A

Prolama, entidade conhecida pelas conquistas das suas equipas nas provas de todo-oterreno nacionais e além-fronteiras, com títulos nacionais e internacionais, promoveu no primeiro fim-desemana de Outubro um passeio TT peculiar, de Mafra a Reguengos de Monsaraz, desde a costa atlântica à zona fronteiriça da barragem do Alqueva, dois municípios ligados pela paixão pelo barro e ambos com um peso peculiar na actividade da Prolama desde há décadas. Quarenta e cinco veículos e cerca de 130 participantes percorreram mais de 350 quilómetros entre Mafra e Reguengos, com 278 quilómetros no primeiro dia, e mais 77 km na manhã e início da tarde do segundo dia, num percurso aqui e ali mesclado com algum alcatrão porque, como nos deu conta Carlos

Silva, “há algumas zonas no Alentejo em que as propriedades começam a estar muito fechadas e houve que ir ao alcatrão pontualmente, algo que permitiu aligeirar o esforço dos participantes e dos próprios veículos.” Carlos Silva, que com Rui Sousa surgiu desta vez à frente de um evento menos desportivo e mais cultural, em que a vitória de todos foi o convívio e a criação de laços de amizade na caravana, quis assim concretizar o sonho de unir num passeio de todo-o-terreno os dois municípios, que em comum têm entre si a atenção que dedicam à arte de trabalhar o barro. “A Prolama realiza já desde há alguns anos passeios TT para empresas, mas normalmente de curta duração, de 70 a 80

130 participantes percorreram mais de 350 quilómetros entre Mafra e Reguengos.

A Prolama realiza já desde há alguns anos passeios TT para empresas mas normalmente de curta duração.

quilómetros. A determinada altura pensámos que faria sentido um passeio de longa duração, para dois dias, em que a caravana pudesse transformar-se de algum modo numa família, e para isso pensámos em ligar Mafra, a minha terra de origem, e Reguengos de Monsaraz, a minha terra por afinidade”, explicou Carlos Silva que, olhando para o mapa de Portugal, encontrou uma forma de atravessar o país desde a costa atlântica, bem perto da Ericeira, até praticamente à fronteira com Espanha. “Com os apoios dos municípios de Mafra e Reguengos permitidos de imediato, rapidamente surgiu sobre a mesa um novo desafio: inverter o sentido do passeio ano após

16 OUTUBRO | DEZEMBRO


POR CAMINHOS ANTES POUCO PERCORRIDOS

A travessia do País desde a costa “saloia” até á linha fronteiriça da Barragem do Alqueva começou bem cedo na manhã de 5 de Outubro, com os participantes a serem recebidos pelo município de Mafra com um recheado pequeno-almoço no Refeitório dos Frades, em pleno Convento de Mafra. Depois, por caminhos pouco percorridos e para muitos desconhecidos, todos avançaram para a aventura proposta pela Prolama. A Tapada Militar de Mafra, o forte do Alqueidão, no concelho do Sobral de Monte Agraço, mas também Arruda dos Vinhos, Alenquer e os campos de cultura do tomate do Ribatejo, rapidamente foram lugares ultrapassados, com a travessia do Tejo a acontecer na ponte D. Amélia, estrutura de 1904 com 860 metros de extensão. Depois, os primeiros montados e estradões de Coruche, a caminho do Couço, levaram a caravana até à paragem no Parque de merendas do Pinhal, em Cabeção, para saborosas partilhas gastronómicas. Repostas as baterias, a caravana prosseguiu em direcção ao Fluviário de Mora e à passagem no Açude do Gameiro, com parques arqueológicos e cromeleques a permitir os mais diversos motivos para as fotos logo ali colocadas nas redes sociais. Serpenteando por entre montados, abrindo e fechando porteiras e deixando para trás um rasto de poeira, os 45 veículos foram-se aproximando do destino final, em Reguengos, passando ainda pela adega da Ervideira, rumando depois ao jantar com a gastronomia da Moira a ser apreciada por todos. Na manhã seguinte, já com furos corrigidos e alguns pequenos problemas mecânicos ultrapassados, a caravana avançou para mais 80 Km de trilhos, por entre vinhedos e quintas, passando entre muralhas no Castelo de Monsaraz com a saída pela porta da Alcoba, avançando para a nova Praia Fluvial de Monsaraz e a Casa do Barro em São Pedro do Corval. No final da aventura entre municípios geminados pela Associação Portuguesa de Cidades e Vilas Cerâmicas, o epílogo foi permitido ao almoço na CARMIM, com a caravana ali recebida pelo presidente do Município de Reguengos, José Calixto. Para trás ficavam já as saudades destes caminhos pouco explorados, e a vontade de a eles voltar, ainda que em sentido inverso.

“Enquanto os municípios continuarem a apoiar esta iniciativa, num sentido ou no outro, não haverá razões para que termine a aposta neste passeio como a grande iniciativa anual para a Prolama-Aventura.”

OUTUBRO | DEZEMBRO 29

ano, motivo pelo qual estamos agora a falar de um Mafra-Reguengos e, muito provavelmente, em 2019 iremos estar a falar de um Reguengos-Mafra”, acrescentou Carlos Silva para quem o propósito é avançar para um grande evento anual: “Enquanto os municípios continuarem a apoiar esta iniciativa, num sentido ou no outro, não haverá razões para que termine a aposta neste passeio como a grande iniciativa anual para a Prolama-Aventura, alicerçada em valores culturais, paisagísticos e gastronómicos.”


AS NOSSAS PROPOSTAS

BMW 225I HYBRID Destaca-se no stock de propostas da Consilcar pelas capacidades dinâmicas e habitabilidade, mas também pelas vantagens fiscais inerentes à sua compra por empresas que podem olhar para este “plug-in” como a compra racional

C

apaz de curvar de uma forma fantástica, também por força do excelente chassis, equipado com uma excelente caixa de velocidades e um motor óptimo, com uma capacidade de resposta excelente, eis o BMW 225i Active Tourer i Drive Plug-in Hybrid, disponível em várias unidades no stock da Consilcar que fomos conhecer para a edição do presente número da Consilcar

Magazine, um protagonista de um negócio positivo pelo produto que envolve e os argumentos racionais que o aconselham. Em termos de consumo, até pela conjugação do motor eléctrico com o bloco a gasolina, efectua cada centena de quilómetros com pouco mais de três litros de combustível, permitindo ainda rodar com a autonomia do motor eléctrico durante cerca de 30 quilómetros, o que lhe permite assumir-se como o

18 OUTUBRO | DEZEMBRO


FICHA TÉCNICA BMW 225I PLUG-IN HYBRID Cilindrada | 1500cc Matrícula | Março/2017 Quilómetros | 16.526 Híbrido Gasolina Garantia de fábrica Preço | € 33.980

automóvel ideal para quem faça um trajecto regular de casa para o emprego e regresso. Depois disso, para outros percursos, este BMS 225i torna-se igualmente interessante pela capacidade de rodar no modo híbrido,

recorrendo ao motor eléctrico para ganhar velocidade suplementar e baixar o consumo, num automóvel que “aposta” muito no modo eléctrico como conta Edgar Condenso, um dos responsáveis máximos da Consilcar e que teve um destes modelos híbridos plug-in da BMW ao seu serviço. “Uma característica destes novos modelos híbridos resulta da capacidade que possuem de circular muito em modo eléctrico, regenerando energia e com isso permitindo níveis de consumo ainda mais impressionantes”, destacou Edgar Condenso, apontando outros argumentos para uma racionalidade maior na aquisição deste BMW: “As vantagens da aquisição deste tipo de modelos híbridos acabam por ser ainda mais evidentes quando analisadas do ponto de vista financeiro, pela capacidade de poupança que este tipo de modelos permite para empresas ou clientes empresários em nome individual. Permite abater o IVA na totalidade, sendo um modelo com um preço abaixo dos 35 mil euros é taxado com uma tributação mínima e, sobre tudo isso, permite uma capacidade de mobilidade assinalável.” “Poderíamos estar perante uma compra tida como excelente para a empresa mas falível por o carro não se adaptar ao que dele se espera. Porém, neste caso isso não acontece pois facilmente verificamos estar perante um automóvel capaz de responder ao que dele esperamos no aspecto dinâmico.” Para além da unidade em redor da qual foi efectuada esta análise, encontram-se outras unidades do mesmo modelo no stock da Consilcar, com o preço de 33.980 euros, carros de 2017 com médias de quilómetros percorridos entre os 6.000 e os 15 mil quilómetros, carros novos todos eles ainda com garantia de fábrica, e em cada um deles está permitida uma compra tão positiva quanto racional para o que se poderá qualificar como um excelente negócio. Restará referir que este tipo de propostas é actualmente uma aposta assumida da Consilcar, assumindo-se este BMW 225i como um modelo sem grande concorrência para o seu segmento e enquanto plug-in, pela capacidade de ser um automóvel familiar, mas também um SUV, um pequeno monovolume, um modelo afinal multifacetado e capaz de responder às pretensões mais distintas, sendo porventura um automóvel à sua espera no stock de propostas da Consilcar. JR

OUTUBRO | DEZEMBRO 19

Em termos de consumo, pela conjugação do motor eléctrico com o bloco a gasolina, efectua cada centena de quilómetros com pouco mais de três litros de combustível, permitindo uma autonomia em modo eléctrico de 30 quilómetros ati


AS NOSSAS PROPOSTAS

FICHA TÉCNICA

MERCEDES BENZ GL 350 CDI

MERCEDES BENZ GL 350 CDI Cilindrada | 2987cc Matrícula | Janeiro/2015 Quilómetros | 73.017 Híbrido Gasóleo Garantia de 1 ano Preço | € 69.980

Nível de topo na qualidade e materiais colocam esta proposta da Mercedes-Benz como um SUV de luxo capaz de encarar qualquer desafio com sete adultos a bordo e a respectiva bagagem

C

apaz de enfrentar quase todos os desafios em estrada mas também no off-road, fazendo-o com sete adultos a bordo todos em pleno conforto, eis a capacidade genérica deste Mercedes Benz GL, um SUV do qual o próprio construtor chegou em tempos a afirmar tratar-se de um Classe S de sete lugares e valente quando levado para fora de estrada. Em relação ao pacote tecnológico e à sofisticação dos materiais até poderá ficar algo atrás do referido Classe S, mas em tudo o resto estamos perante um modelo capaz de enfrentar qualquer desafio, sempre com um conforto assinalável e uma segurança irrepreensível. O motor diesel deste GL 350 faz todo o sentido pelo casamento perfeito que permite entre força, desempenho e consumo. Os 258 cv poderão parecer pouco, mas o binário e a transmissão integral com sete velocidades dão conta do recado, para uma capacidade

de aceleração que lhe permite cumprir 100 km/h em menos de 8 segundos, assinalável se nos lembrarmos que estamos perante um automóvel com duas toneladas e meia. E nem se preocupe com o ruído do motor diesel já que o isolamento acústico é assinalável. O habitáculo permitido por este modelo com 5,12 m de comprimento e 3,07 m entre-eixos resulta num automóvel com uma habitabilidade assinalável, no qual adultos com altura até 1,75 m viajam com todo o conforto na terceira fila de bancos. E se viajarmos com crianças, temos disponíveis quatro assentos com isofix para cadeirinhas. Com tudo e todos a bordo, resta-nos circular nos modos Comfort ou Sport, com o primeiro a permitir a sensação de flutuar sobre o asfalto, num automóvel que facilmente neutraliza buracos e imperfeições, enquanto que, no modo Sport, a maior carga dos amortecedores ajuda ao comportamento ideal em curva.JR

20 OUTUBRO | DEZEMBRO


FICHA TÉCNICA FIAT 500 1.3 M-JET Cilindrada | 1248cc Matrícula | Maio/2015 Quilómetros | 34.463 Híbrido Gasóleo Garantia de 1 ano Preço | € 11.980

O

Fiat 500 continua a ser um caso sério de popularidade, sendo o carro eleito dos mais jovens pela sua imagem de pequeno rebelde sempre juvenil, mas também do público feminino, que vê neste modelo um automóvel de dimensões reduzidas para uma maior capacidade de circulação nos centros urbanos com a capacidade de transporte para as necessidades familiares do dia-a-dia. Respondendo a estes pressupostos, encontramos nas propostas da Consilcar este Fiat 500 com motorização diesel, o bloco 1.3 MultiJet de 95 cv com transmissão manual de cinco velocidades, um motor sem dúvida interessante para quem faça muitos quilómetros e pretendam um consumo de combustível reduzido. Este motor diesel permite, além disso, um bom desempenho, fruto do binário máximo de 200 Nm às 1.500 rpm, tudo isto para um automóvel capaz de uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 10,7 segundos para uma velocidade máxima de 180 km/h, uma capacidade e uma desenvoltura notável deste modelo icónico que continua a ser a base da

FIAT 500 1.3 M-JET Sendo cada vez menos os modelos do segmento A no mercado com motores diesel, temos ainda assim neste Fiat 500 um bloco diesel 1.3 M–Jet de 95 cv para baixos consumos e prestações notáveis

OUTUBRO | DEZEMBRO 21

gama da Fiat em redor do qual surge construído o leque de propostas do construtor transalpino. No caso específico desta proposta da Consilcar, num azul forte mas nem por isso “berrante” ou exagerado, encontramos o Fiat 500 1.3 M-Jet com matrícula de Maio de 2015, com vocação para o trânsito urbano, um visual mais desportivo permitido pelo “pack” Sport, e um interessante nível de equipamento no qual surge, por exemplo, computador de bordo, sistema de retenção Isofix para o transporte das crianças em cadeirinha, luzes traseiras em LED e estofos em pele..JR


ALFA ROMEO

MITO 1.4 T-JET QUADRIFOGLIO

Os modelos da Alfa Romeo continuam hoje em dia a transportar uma carga genética desportiva inegável, ainda mais quando lhes é permitido usar o trevo de quatro folhas, o Quadrifoglio

J

eremy Clarkson, famoso jornalista britânico que ficou conhecido a partir da publicação Top Gear, disse um dia que nenhum condutor pode considerar-se verdadeiramente Homem se nunca teve a oportunidade de conduzir um Alfa Romeo. Ora, para quem gosta de automóveis a opinião de Clarkson é de ter em conta, e se ele o diz algum fundo de verdade terá. Ainda assim, para confirmar se assim é, o melhor mesmo é ter em conta os modelos Alfa Romeo marcados com o incontornável trevo de quatro folhas, o Quadrifoglio, como acontece com este Mito Quadrifoglio Verde que a Consilcar permite no seu stock de propostas. Estamos perante um modelo que procura representar os valores de outros tempos da Alfa Romeo e que tem no trevo de quatro

FICHA TÉCNICA ALFA ROMEO MITO 1.4 T-JET QUADRIFOGLIO Cilindrada | 1368cc Matrícula | Agosto/2011 Quilómetros | 38.433 Híbrido Gasolina Garantia de 1 ano Preço | € 14.980

folhas uma marca distintiva. A dupla saída de escape e as jantes de liga leve de 17 polegadas dão-nos conta de estarmos perante um modelo ousado, equipado com um motor 1.4 turbo, de quatro cilindros e 170cv de potência, capaz de permitir enorme diversão ao volante, num modelo em que o comando DNA junto ao selector de velocidades permite ajustar a sua condução ao estilo que mais lhe agradar. Nós, nos poucos quilómetros percorridos para o trazermos até à presente edição da nossa Mag#04, optámos quase sempre pelo modo D (Dynamic), talvez porque os outros, mais do que limitar o desempenho sem que isso represente propriamente uma melhoria nos consumos, ainda serve reduz o prazer de quem conduz este carro que claramente pede ousadia e arrojo.JR


BMW X5 2.5D M Com matrícula de Março de 2107, este SUV de sete lugares surge nas propostas da Consilcar capaz de se assumir como o seu “avião particular”, seja no dia-a-dia ou nas viagens mais longas

F

alar no mercado dos SUV obriga-nos a pensar em modelos de dimensões generosas mas com motores que, sendo capazes, possa ser suficientemente “discretos” para manter níveis de consumos aceitáveis e níveis de emissões amigas do ambiente. É o caso deste BMW X5 que, mesmo dotado de um pack M de equipamento, identificado em diversos identificadores colocados dentro e fora do habitáculo, transporta um bloco diesel quatro cilindros biturbo dois litros capaz de permitir 231 cv. Com via verde, este BMW não precisa de esperar pela legislação de Janeiro para ser taxado como classe 1 nas portagens, característica que já possui actualmente e que se revela como mais um argumento que favorece a sua escolha por parte de quem procurar um modelo com estas características. Os sete lugares poderão ajustar-se às necessidades de famílias mais numerosas num habitáculo capaz de permitir a melhor qualidade de

vida a bordo, onde é possível encontrar uma boa combinação entre a estética, a nobreza dos materiais e o modo como estão montados. Em termos dinâmicos, este BMW dá conta de uma enorme vitalidade permitida pelo bloco de quatro cilindros, seja em estrada, onde o conforto surge bem presente, seja ainda em percursos mais aventureiros, num carro com uma boa capacidade de resposta no enfrentar pisos mais complicados. Restará dar conta que este modelo BMW, por ser possuidor de matrícula de Março de 2017, é ainda contemplado pela garantia de fábrica permitida pela marca bávara, num automóvel com uma vasta lista de equipamento na qual encontramos, nomeadamente, oito airbags, volante em pele, ar condicionado automático, banco dianteiros com regulação eléctrica e encostos de cabeça nos bancos traseiros. Nota ainda para a transmissão automática de oito relações, a permitir uma condução mais intuitiva e facilitada.. JR

FICHA TÉCNICA BMW X5 2.5D M Cilindrada | 1995cc Matrícula | Março/2017 Quilómetros | 30.150 Gasóleo Garantia de fábrica Preço | € 65.980


AS NOSSAS PROPOSTAS

MERCEDES

BENZ A180 CDI Ainda sem a assistente de bordo que promete vir a dar cartas em toda a gama Mercedes Benz, este Classe A de Junho de 2014 aposta no design irrepreensível e na qualidade de construção

O FICHA TÉCNICA MERCEDES BENZ A 180 CDI Cilindrada | 1461cc Matrícula | Junho/2014 Quilómetros | 105.478 Gasóleo Garantia de 1 ano Preço | € 19.980

lançamento da geração do Mercedes Benz Classe A em que se insere esta proposta da Consilcar aqui apresentada permitiu uma viragem da estratégia do construtor, alicerçada em modelos mais acessíveis, a partir da qual o crescimento das vendas da marca foi inegável, como o Classe A, a par do CLA e GLA, a assumirem importante fatia no total das vendas da marca. O design, construído a partir do zero para cumprir o necessário afastamento das anteriores gerações, mas também o chassis e motorizações, revelaram-se capazes de dar a melhor resposta ao mercado, mas foi a opção por este motor 180 CDI queprimeiro se estranhou, depois se entranhou por completo na Mercedes. Derivado do excelente 1.5 dCi da Renault, o motor usado pela Mercedes Benz consegue apresentar uma identidade própria pelas suficientes alterações recebidas para

que o seu comportamento surja distinto do original, com um funcionamento mais silencioso e linear, num modelo dotado de um comportamento dinâmico excelente e uma qualidade de construção típica Mercedes, tanto por fora como por dentro. O espaço garante conforto para quatro ocupantes sem problemas de maior, sobrando espaço para uma bagageira com um volume disponível de 341 litros, capaz de subir aos 1157 litros com o rebatimento dos bancos traseiros. Em relação ao bloco, com 1461cc, permite 110cv de potência para boas prestações e consumos a rondar os cinco litros a cada centena de quilómetros em percurso combinado de estrada e cidade. Bons materiais e um bom pacote de equipamento completam a oferta deste Classe A à sua espera na Consilcar..JR

24 OUTUBRO | DEZEMBRO


DESIGN BY WELCOM

SEEYOU.PT

MAIS

VISIBILIDADE

seeyou print

PARA O SEU NEGÓCIO

PAINÉIS

MONOPOSTES

Implementação de sistemas publicitários de médio e grande formato nos principais centros urbanos e eixos viários do país. Apostamos em grande visibilidade e locais estratégicos. Apostamos na sua empresa! info@seeyou.pt

EMPENAS

PEDONAIS


O NOSSO DESTAQUE

PORSCHE 718 BOXSTER

UM DESPORTIVO DE

EXCELÊN 26 OUTUBRO | DEZEMBRO


Poderia, gostaria, teria... a verdade é que a vida é demasiado curta para ser vivida no condicional e a Consilcar, na busca do seu automóvel, procura sempre concretizar os sonhos, mesmo quando estes passam por um desportivo ímpar como é o 718 Boxster da Porsche texto Jorge Reis fotografia Carlos Rodrigues

ÊNCIA! OUTUBRO | DEZEMBRO 27


O NOSSO DESTAQUE

FICHA TÉCNICA PORSCHE 718 BOXSTER Cilindrada | 2000 cc Potência | 300 cv Gasóleo Aceleração (0 aos 100 km/h) | 4,9 s Velocidade máxima | 275 km/h Consumo (combinado) | 7,9 litros/100 km Emissões CO2 | 180 g/km

P

EQUIPAMENTO Bancos em Alcantara e pele artificial, em preto; Jantes Carrera S de 20 polegadas; Capota em preto; Faróis Bi-Xénon com Porsche Dynamic Light System (PDLS); ParkAssist (à frente e atrás); Retrovisores exteriores rebatíveis electricamente, com iluminação de cortesia; Transmissão Porsche Doppelkupplung (PDK); Direcção assistida Plus; Porsche Active Suspension Management (PASM) com altura da carroçaria reduzida em 10 mm; Depósito de 64 litros; Cruise control; Anti-encadeamento em todos os retrovisores e sensor de chuva integrado; Bancos desportivos de série (eléctricos, duas vias); Climatização automática de duas zonas; Fixação ISOFIX no banco dianteiro do passageiro.

Olhando para o motor encontramos o bloco Boxer de quatro cilindros turboalimentado, com uma potência de 300 CV a partir dos dois litros de cilindrada, num automóvel capaz de permitir um assinalável prazer de condução, sempre acompanhado por um ruído ímpar do motor, a “assinatura sonora”

rocurando sempre dar conta das melhores propostas permitidas pelos automóveis disponíveis no sotck da Consilcar, encontrámos para esta que é a última edição de 2018 da Consilcar Magazine um desportivo de excelência, o Porsche 718 Boxster, modelo que, no lançamento desta que é a geração mais recente, então efectuada pelo construtor germânico, surgiu mais potente e mais leve, com mais 35 CV do que na geração anterior, mas ainda assim capaz de permitir menos 13% no consumo. Neste modelo 718 Boxster da Porsche agora proposto pela Consilcar aos seus clientes encontramos potência e eficiência, confirmando a tradição dos motores Boxer de quatro cilindros usados nos desportivos 718 com motor central que, nas décadas de 50 e 60, ganharam inúmeras corridas, entre as quais a lendária Targa Florio e Le Mans. Olhando rapidamente para o motor encontramos o bloco Boxer de quatro cilindros turbo-alimentado, com uma potência de 300 CV a partir dos dois litros de cilindrada. Tornase assim possível um automóvel capaz de permitir um assinalável prazer de condução, sempre acompanhado por um ruído ímpar do motor a que poderemos chamar de “assinatura sonora”. Esta é tanto maior quando mais precisamos de apelar à resposta do 718 Boxster, um desportivo de excelentes prestações pronto a colocar a potência no asfalto perante a necessidade de uma ultrapassagem mais apertada ou quando simplesmente queremos simplesmente chegar mais depressa ao destino. E se a potência impressiona, a capacidade de travagem é igualmente “deliciosa”, surgindo precisa quando necessária para um conjunto em que o chassis se apresenta sem mácula. A somar aos capítulos da potência e da trava-

28 OUTUBRO | DEZEMBRO


gem, ou por consequência destes, será importante deixar uma referência, sem dúvida positiva, para o conforto, mas também para a caixa de velocidades simplesmente perfeita, bem assim como para um pacote de equipamento tecnológico capaz de responder a todas as exigências ou quase, características que colocam o Porsche 718 Boxster numa posição de topo no seu segmento, assumindo-se como um desportivo ímpar.

Caixa PDK irrepreensível Ainda a propósito da capacidade de resposta do Porsche 718 Boxster com caixa PDK, permite uma elevada rotatividade típica de um veículo desportivo: a faixa de rotações termina só nas 7500 rpm, sendo a quebra de potência da rotação nominal para a rotação máxima apenas de 5%. E porque falámos na caixa automática PDK de sete velocidades, será importante destacar a forma como esta corresponde sempre de modo acertado com uma capacidade de reacção impressionante. A título de exemplo, quando a rodar em auto-estrada em velocidade cruzeiro na ordem dos 120 quilómetros por hora, a rolar em sétima, perante um pisar do acelerador mais vigoroso, a caixa respondeu com uma redução de três relações por forma a ceder a melhor potência e assim responder às solicitações da condução, ficando aqui as costas de condutor e passageiro literalmente coladas aos agradáveis bancos do 718 Boxster. Ainda sobre esta transmissão PDK – Porsche Doppelkupplung –, dispõe da função Auto Start-Stop melhorada, que desliga o motor assim que o veículo começa a desa-

Sobre a caixa PDK – Porsche Doppelkupplung –, esta dispõe da função Auto Start-Stop melhorada, que desliga o motor assim que o veículo começa a desacelerar.

OUTUBRO | DEZEMBRO 29

celerar. As mudanças virtuais para poupança de combustível também já são conhecidas da PDK, pelo que, a uma velocidade constante, o comando selecciona a mudança mais elevada possível. Para estabilizar as rotações e evitar os solavancos típicos a rotações muito baixas, a embraiagem da mudança em questão comuta para uma menor resistência. Como notas finais relativas a esta proposta da Consilcar para os seus clientes que procuram um modelo desportivo, não poderíamos deixar de dar conta das impressões visuais permitidas por um design forte e personalizado, ou não fosse o Porsche 718 reconhecível à primeira vista. A secção inferior dianteira deste roadster mostra formas com um perfil claramente reforçado, surgindo dominada, ao meio, por duas lamelas horizontais que sublinham visualmente a largura do 718 Boxster. Depois, ainda na frente, os faróis principais bi-xénon integram as luzes LED de circulação diurna. Em resumo, neste Porsche 718 Boxster proposto pela Consilcar encontramos um modelo desportivo, capaz de permitir emoção e adrenalina, com potência e eficiência, com um excelente comportamento dinâmico permitido pelo bom chassis da Porsche, tudo isto para uma condução plena de prazer, sempre apoiada, porque é bom recordar, pela excelente transmissão PDK, um automóvel que não deverá deixar de visitar na megastore da Consilcar (isto enquanto estiver disponível por lá), lado a lado com outras propostas, porventura mais ou menos excitantes mas sempre capazes de se assumirem como a marca do seu novo automóvel.


ESPECIAL

GARAGEM DE SONHO O anoitecer de 2018 aproxima-se a passos largos, exatamente o mesmo ritmo com que a época natalícia se acerca de nós e nos invade de desejos e sonhos. Nós, na Consilcar, estamos habituados a lidar com os sonhos, particularmente de cada um dos nossos clientes, tendo como missão deixar a todos um sorriso nos lábios depois de materializarem os seus desejos. Ficamos felizes quando ajudamos a materializar o sonho de cada um, mas também nós temos sonhos. E por isso, decidimos revelar qual a nossa garagem de sonho que engloba supercarros, desportivos, SUV e berlinas desportivas. Uma seleção que terá ausências porque os gostos são como os narizes, cada um tem o seu. Desfrute da nossa escolha e se quiser oferecer um presente a si ou a um elemento da família, venha à Consilcar para o ajudarmos a realizar o seu sonho. Não prometemos o céu, mas encontrará na nossa gama de produtos um automóvel que será o seu carro de sonho possível!

OUTUBRO | DEZEMBRO 31


ESPECIAL

GARAGEM DE SONHO

HIPERCARROS

BUGATTI CHIRON Um LaFerrari é mais emocionante. Um McLaren P1 esmaga-o em termos de comportamento, mas a verdade é que ninguém desdenharia ter um Chiron na sua garagem. O charme da Bugatti continua intacto. texto José Manuel Costa

C

usta dois milhões de euros e veio tomar o lugar do Veyron, o automóvel que reinava como o modelo de produção mais veloz do Mundo. Com um estilo mais consensual e a mesma ideia tecnológica, o Bugatti Chiron é uma peça de engenharia, belo e eficaz! A Bugatti não embarcou na ideia dos híbridos e manteve a confiança no complicado bloco W16 com 8 litros de cilindrada que sobrealimentado por quatro turbocompressores, debita 1500 CV e1600 Nm de binário! Wow! Contas feitas, chega dos 0-100 km/h em 2,5 segundos, alcamça os 200 km/h em 6,5 segundos e aos 300 km/h em 13,6 segundos, o mesmo tempo que o seu utilitário leva para chegar dos 0-100 km/h. Consegue chegar aos 420 km/h, mas precisa de uma estrada longa, longa para lá chegar e, depois, mais um bom espaço de estrada para imobilizar o Chiron. Para lá das impressionantes cifras de desempenho, o Bugatti Chiron é delicioso: um interior requintado e

cheio de detalhes fabulosos e uma condução fabulosa, proporcionada por suspensões rebuscadas e de qualidade e uma travagem de qualidade superior.Capaz de “engolir” uma auto estrada em meros segundos, gastando em média 22 l/100 km – diz a Bugatti pois a fundo o consumo é quase absurdo, para nós, mortais, claro – o Chiron é um automóvel de excelência no que toca ao comportamento e requinte a bordo. Tudo no Bugatti Chiron é super. O Chiron tem 10 radiadores para arrefecer todos os elementos mecânicos; para alimentar o motor e o refrigerar, o Chiron “engole” 60 mil litros de ar por minuto, com a bomba de água a conseguir bombear 800 litros de água por minuto; os pneus abraçam jantes de 20 e 21 polegadas e estão pensados para encaixar 3800 g’s de força centrífuga. Enfim, o Bugatti Chiron utiliza um chassis em fibra de carbono. Seria, claramente, o destaque da nossa garagem de sonho, mesmo a custar qualquer coisa como dois milhões de euros.

32 OUTUBRO | DEZEMBRO


FERRARI MONZA SP1/SP2

Acasa de Maranello começou a sua história com as “barchetta”, deixando-as escorregar do seu catalogo até desaparecerem. Estão de regresso depois da Ferrari ter cortado o tejadilho ao 812 Superfast. Utilizando o motor V12 que debita 810 CV (mais 10 que Superfast), o Monza SP1 é um monolugar que só admite o condutor, rodeado de luxo e requinte, enquanto o Monza SP2 é um bilugar, embora ambos procurem sensações

fortes: 300 km/h de velocidade máxima, 2,9 segundos dos 0-100 km/h, 7,9 segundos dos 0-200 km/h. Tudo isto sem para brisas, exigindo, por isso, a utilização de capacete que a Ferrari comercializa juntamente com um conjunto de acessórios (roupa e não só) que servem na perfeição os dois Monza SP. Contas feitas, só há 200 modelos de cada e custam mais de um milhão de euros.

KOENIGSEGG Regera

MCLAREN Senna

Absolutamente impressionante: mais de 1500 CV e 1280 Nm de binário, extraídos do bloco V8 de 5.0 litros do Agera RS, mas com a ajuda de três motores elétricos. Com um chassis em fibra de carbono feito pela própria Koenigsegg, o Regera tem a particularidade de ser o primeiro com jantes feitas em fibra de carbono, controlo eletrónico do motor feito “em casa” e sistema de info entretenimento da autoria da Koenigsegg. É também o primeiro carro a utilizar a tecnologia de baterias da Fórmula 1, as quais, com apenas 75 kgs, oferecem entre 30 a 50 quilómetros em modo elétrico num carro que vai dos 0-100 km/h em 2,8 segundos com um custo de 1.8 milhões de euros.

Para substituir o impressionante P1, nada melhor que criar um carro ainda mais impressionante e homenagear um dos melhores pilotos de sempre: Ayrton Senna. Com o V8 da McLaren, de 4 litros e duplo turbo, o Senna exibe 800 CV e 800 Nm de binário, recorrendo à fibra de carbono e abandonando o sistema híbrido do P1, poupando peso com performances semelhantes. O peso fica nos 1198 quilos, para uma aceleração dos 0-200 km/h em 6,8s e uma velocidade máxima acima dos 300 km/h. As enormes asas permitem um apoio aerodinâmico superior a 800 kgs, num carro limitado a 500 unidades que custam perto de 900 mil euros.

OUTUBRO | DEZEMBRO 33


ESPECIAL

GARAGEM DE SONHO

SUPERCARROS

FERRARI 488 Pista

PORSCHE 911 GT2 RS

Na história da indústria automóvel há dois desportivos que são valores seguros: a versão GT3 RS do Porsche 911 e as edições especiais dos Ferrari V8, no caso este 488 GTB que, para nós, tem como topo de gama a versão Pista. O motor debita 720 CV, mais 50 CV que um “comum” 488 GTB, num carro absolutamente delicioso em que é possível extrair 770 Nm de binário do bloco V8 de 3.9 litros sobrealimentado. Capaz de aniquilar muitos carros de competição em pista, este 488 chega dos 0-100 km/h em 2,8 segundos (0-200 km/h em 7.6 seg) e vai além dos 340 km/h. Depois, com 90 quilos menos que o 488 GTB, o Pista é um automóvel que deixa qualquer um sem fôlego. O preço ultrapassa os 300 mil euros, algo que nesta liga de sonho, acaba por ser uma minudência.

É o topo da gama 911, com o motor “boxer” de seis cilindros sobrealimentado com 3.8 litros (não o 4.0 litros do GT2 RS) que debita 700 CV e 750 Nm de binário. Com menos de tonelada e meia de peso, o 911 GT2 RS chega dos 0-100 km/h em 2,8 segundos (0-200 km/h em 8,2 segundos) com uma velocidade máxima de 340 km/h. A influência das corridas é notória nas jantes forjadas em magnésio, o tejadilho é feito em carbono, tem um “roll bar” feito em titânio, barras estabilizadoras em carbono, bancos de competição, cintos de seis apoios e, depois, a opção pela asa traseira de generosas dimensões é do cliente, bem como mais opcionais que têm como intenção melhorar, ainda mais, as performances deste 911 GT2 RS. O preço desta versão muito especial do 911 é de 338 mil euros.

LAMBORGHINI Aventador SVJ

A versão “normal” já é impressionante, mas esta variante “Superveloce Jota” ou SVJ, é superlativa. Pegando no motor V12 de 6.5 litros e apoiado no sistema de tração integral, o Aventador SVJ debita 770 CV e 720 Nm de binário, consegue acelerar dos 0-100

km/h em 2,8 segundos (0-200 km/h em 8,6s e 0-300 km/h em 24s) e chega aos 350 km/h. É um carro brutal com um estilo arrasador que será produzido numa série de 900 unidades com preços próximos dos 400 mil euros.

34 OUTUBRO | DEZEMBRO


ASTON MARTIN DBS

SUPERLEGGERA Elegante, ligeiro e veloz, assim podemos definir o DBS Superleggera que faz regressar um nome famoso à casa de Gaydon. texto José Manuel Costa

A

elegância deixa-nos boaquiabertos, mas as performances não deixam de nos fazer levantar o sobrolho: com 725 CV e 900 Nm de binário, extraídos do bloco V12 com 5.2 litros, chega dos 0-100 km/h em 3,4 segundos e dos 0-140 km/h em 6,4 segundos. É o Aston Martin mais potente e veloz que alguma vez a marca de Gaydon fez na sua história. Desenhado com o carinho de quem adora carros desportivos belos e sensuais, o DBS Superleggera afastase do DB11, o mais recente modelo da Aston Martin exibe pormenores deliciosos: na traseira as onze letras do nome da casa britânica alongam-se no lábio superior da tampa da mala, ocupando o lugar do símbolo alado. O nome Superleggera aparece nas nervuras do capô e a quadrupla saída de escape, revela o barulho trabalha-

do do carro, mais elevado que no DB11. A enorme grelha dianteira destaca-se na frente, onde surgem os faróis amendoados. O capô é do tipo concha e cobre enormes guelras que ajudam a extrair ar quente do compartimento do motor. Capaz de ultrapassar os 340 km/h, o Aston Martin DBS Superleggera tem a aerodinâmica trabalhada para agarrar o carro à estrada, com a frente equipada com um “spliter”, o fundo plano canalizado para que o ar chegue ao difusor traseiro e uma asa traseira, também discreta. Refira-se que o nome DBS foi usado, pela última vez, em 2012. Já o Superleggera é um nome que não era usado na Aston Martin desde 1967, o DBS original. Portanto, este é um carro muito especial que fica bem em qualquer garagem e até nem custa muito: 275 mil euros na Alemanha, mais de 350 mil euros em Portugal.

OUTUBRO | DEZEMBRO 35


ESPECIAL

GARAGEM DE SONHO

SUPER SUV

BENTLEY

BENTAYGA Quando foi anunciado, os puristas desfaleceram e quando o nome foi revelado, muitos torceram o nariz, mas a verdade é que o Bentley Bentayga respeita todos os códigos da marca britânica propriedade do grupo VW, satisfazendo aqueles que gistam da marca e de SUV. texto José Manuel Costa

F

azer um SUV para a Bentley não deverá ter sido fácil e por isso olhando para as imagens, não se consegue fazer justiça ao estilo do Bentyaga. Não vai ganhar prémios de elegância ou de estilo, mas basta olhar para ele que sabemos estar na presença de um Bentley. Enorme, massivo mesmo, o Bentayga pode ser equipado com o poderoso motor W12 a gasolina ou com um V8 de 4.0 litros sobrealimentado que lhe serve como uma luva. O bloco turbodiesel não irá continuar na gama do Bentayga. Abrir as portas do Bentayga é ter acesso a um mundo de luxo e qualidade, onde a pele e as madeiras lideram, embora seja possível encontrar muitos botões e comandos conhecidos de outros modelos do grupo VW, nomeadamente, da Audi. A consola central é volumosa e há ali um ou outro conflito ergonómico: quando estamos a tentar mudar a fonte de áudio não raras vezes mexemos no botão rotativo que alterna entre os vários modos de condu-

ção. A música não muda, mas o Bentayga muda. O conforto e luxo absolutos são oferecidos, em troca de 8.760 euros, em dois bancos individuais com regulação elétrica e ventilação. Perde lotação, mas ganha conforto. Tem uma bagageira com 471 litros que permite levar quase tudo o que é preciso para uma ida a banhos ao Algarve ou a Espanha. O conforto a bordo é elevado graças ao ambiente do habitáculo, mas também graças á suspensão pneumática que equipa o Bentayga. A base do Bentley é a mesma do Audi Q7, a MLB do grupo VW e o sistema de tração integral permite-lhe ir longe sem grandes dificuldades face a obstáculos, areias ou outros. Não é um Range Rover, mas chega mais longe que outros SUV. O motor V8 é suave e melodioso, suficientemente forte para permitir que os mais de 2300 quilos de peso cheguem aos 290 km/h e acelere dos 0-100 Km/h em 4,5 segundos. Os consumos rondam os 11,4 litros por cada centena de quilómetros e o preço oscila entre os 322.707 e os 400 mil euros.

36 OUTUBRO | DEZEMBRO


ROLLS ROYCE Cullinan

Recebeu o nome do maior e mais perfeito diamante do mundo e a verdade é que parece que a Rolls Royce, parte do grupo BMW, acertou em cheio depois de ter quebrado o coração aos mais puristas quando anunciou que ia criar um SUV. E se a Bentley tem um Bentayga de bela cepa, o Cullinan consegue oferecer-nos uma visão daquilo que é o luxo onde vivem os super milionários, com detalhes de cortar a respiração. Não será o SUV

mais bonito do mundo, mas tudo o que oferece e o luxo que exala, colocam-no no topo dos SUV de prestígio que só uma elite consegue chegar. Equipado com o V12 de 6.7 litros da BMW, debita 571 CV e 850 Nm de binário, está limitado aos 250 km/h e acelera dos 0-100 km/h em 5,2 segundos com um consumo médio de 15 litros por cada centena de quilómetros. O preço andará acima 300 mil euros.

LAMBORGHINI Urus

ALFA ROMEO Stelvio Quadrifoglio

O anúncio de um SUV da Lamborghini fez desmaiar mais alguns puristas, mas acaba por ser um herdeiro do LM002, um “tanque” que começou como carro miliar e acabou com um V12 debaixo do capô que “estragava” gasolina. O Urus é bem diferente, no estilo – onde estão todos os códigos do estilo Lamborghini – e nas capacidades. Não tem um V12, mas exibe um V8 de 4.0 litros biturbo com 650 CV e 850 Nm de binário, capazes de levar os mais de 2200 quilos até aos 305 km/h e acelerar dos 0-100 km/h em 3,6 segundos (0-200 km/h em 12,8 seg). A Lamborghini diz que gasta 12,7 l/100 km e emite 290 gr/km de CO2, à venda por cerca de 270 mil euros.

Belo e veloz – detém o recorde do Nurburgring para os SUV – o Alfa Romeo Stelvio é uma verdadeira “bomba” na versão Quadrifoglio equipada com o mesmo motor do Giulia, o V6 de 2.9 litros biturbo com 510 CV e 600 Nm de binário. Com um peso abaixo das duas toneladas (1830 kgs!) o Stelvio é ágil e tem um comportamento excelente. Chega aos 283 km/h e acelera dos 0-100 km/h em 3,8 segundos, com um consumo de 9 litros por cada centena de quilómetros. Com quatro rodas motrizes, o habitáculo não será muito espaçoso, mas tem no comportamento em estrada e em pista o seu maior trunfo, deixando aí à distância modelos com outras potências.

OUTUBRO | DEZEMBRO 37


ESPECIAL

GARAGEM DE SONHO

SUV

PORSCHE Cayenne

Estabeleceu a fasquia em termos de SUV desportivos e a cada renovação ofereceu sempre algo de novo, com destaque para uma versão híbrida com 462 CV. Porém, o topo da gama e que desafia muitos desportivos é o Cayenne Turbo V8 cujos 550 CV e a tração integral, dão muito que fazer numa estrada sinuosa. Com a última renovação, desapareceu o V6 turbodiesel e o Cayenne regressou ás origens, agora apenas com blocos a gasolina, seja o V6 de 3.0 litros e 340 ou 440 CV ou o híbrido com 440 CV e o mesmo bloco V6. Todos equipados com caixa automática e um comportamento de excelência, com a qualidade acima de qualquer crítica, os preços vão dos 97 mil euros do híbrido até aos 190 mil da versão Turbo.

RANGE ROVER Velar

Veio colmatar a falha existente na gama da marca entre o Evoque e o Sport, sendo, por isso, maior que o primeiro e menor que o segundo, apostando muito no estilo dramático, mas de muito bom gosto. Parece mais pequeno do que na realidade é (tem 4,88 m de comprimento) e destaca-se pela beleza das linhas agressivas. Tem uma completa gama de motores a gasóleo (com 180 e 240 CV para o bloco de 4 cilindros e 275 e 300 CV para o V6) e a gasolina (250 e 300 CV para o motor de 4 cilindros 2.0 litros e 340 e 380 CV para o V6 3.0 litros), todos acoplados a uma caixa automática e com tração integral. Os preços oscilam entre os 70 e os 140 mil euros.

BMW X5

Acabadinho de ser renovado, o X5 conta com um estilo renovado e um interior igualmente melhorado, com muita tecnologia embarcada, mais qualidade e ainda melhor conectividade. Na casa das máquinas, continua disponível a opção diesel, mas apenas o bloco 3.0 litros com 265 CV

e a versão M com 400 CV. O resto da oferta do X5 reside no bloco a gasolina seis cilindros em linha com 340 CV e o V8 de 4.4 litros e 462 CV. Ainda não há preços para os novos X5 da BMW, mas a casa bávara espera dar luta ao XC90 da Volvo e ao Cayenne da Porsche.

38 OUTUBRO | DEZEMBRO


VOLVO

XC90 T8

Num segmento onde o alemão é dominante, a Volvo chegou com um automóvel de excelente qualidade e, ainda por cima, amigo do ambiente ao ser um híbrido Plug In. O XC90 é um excelente rival para os dominadores do segmento, sabendo seduzir sem imitar os líderes. texto José Manuel Costa

O

XC90 reúne várias coisas interessantes: é a proposta mais luxuosa de sempre da Volvo e oferece uma motorização que tem cada vez mais procura, oferecendo uma imagem de qualidade e defesa do meio ambiente que tem recebido bom acolhimento. Feito com base numa plataforma que se adapta a vários tipos de veículo, o XC90 tem uma presença impressionante, ajudada pelo estilo sueco, minimalista, mas cheio de bom gosto. Os faróis “martelo de Thor” diferenciam-no no meio da multidão e as dimensões generosas, “escondidas” pela elevada linha de cintura, acabam por surpreender. XC90 cinta com outras motorizações, nomeadamente, os blocos Generosidade, demasiada!, a da Volvo turbodiesel com potência entre os 190 e os 235 CV e duas versões no peso do XC90 já que fica para lá dos do motor 2.0 litros sobrealimentado a gasolina com, respetivamen2300 quilogramas. Porém, a motorizate, 254 e 320 CV. Sempre com caixa automática Geartronic, exceção híbrida baseada no motor a gasolina lente na utilização. A bateria de 9,2 kWh pode ser recarregada pelo com 2.0 litros turbo aliada a um motor exterior, mas o carro conta com vários modos de condução que elétrico oferece 407 CV e 400 Nm de permitem, entre outras coisas, poupar a carga da bateria para uma binário (o motor de combustão interna utilização em modo totalmente elétrico em cidade. A autonomia é tem 320 CV) o que permite acelerações curta: a Volvo anuncia 50 quilómetros, mas na vida real o valor será que deixam qualquer um impressionado: mais baixo. Esta versão híbrida do Volvo XC90 custa 125.115 euros, 0-100 km/h em 5,6 segundos e velocium valor elevado, mas que se justifica pela qualidade do carro e dade máxima de 230 km/h. A gama do OUTUBROpelo excelente sistema híbrido que o serve. | DEZEMBRO 39


ESPECIAL

GARAGEM DE SONHO

BERLINAS DESPORTIVAS

BMW M5

Acabado de ser renovado, o BMW M5 é absolutamente impressionante: V8 com 4.4 litros e 600 CV, tração integral, caixa automática de 8 velocidades e uma aceleração 0-100 km/h de 3,4 segundos com a velocidade máxima limitada aos 250 km/h. Mas há uma variante ainda mais impressionante, chamada Competition, que vê o V8 chegar aos 625 CV e 750 Nm de binário. Desta forma, limitado aos 250 km/h (sem imposição de limites ultrapassa os 300 km/h), acelera dos 0-100 km/h em 3,3 segundos, já no território dos superdesportivos. A versão “normal” custa, em Portugal, 147.510 euros.

MERCEDES E 63 S AMG

O tratamento AMG no Classe E vem em duas doses: o E63 com o motor V8 4.0 litros, com 571 CV, e o E63 S com o mesmo bloco, mas a debitar 612 CV. Ambos estão a par das versões do BMW M5 e um nadinha acima do Alfa Romeo, impressionando o E63 S AMG pelo aspeto musculado e as capacidades que demonstra em estrada e em pista. Com características de berlina “normal” – espaço, requinte e muita tecnologia – é o tratamento AMG que o coloca entre os superdesportivos: aceleração 0-100 km/h em 3,4 segundos (velocidade limitada a 250 km/h) e um preço a começar nos 153.700 euros.

G

ALFA ROMEO Giulia Quadrifoglio

3

N

Será dos carros mais desejados pelos puristas: 510 CV, caixa automática veloz e muito bem escalonada, tração traseira com autoblocante, enfim, o sonho de um “petrolhead” e uma dor de cabaça para os alemães. Alguns detalhes deixam a desejar, como os materiais no habitáculo, a acessibilidade difícil e a tecnologia de conectividade, mas nem por isso este modelo deixa de fazer excelente uso da plataforma Giorgio, para um comportamento que

lhe permitiu fazer 7m32s no traçado de Nurburgring. A gama do Giulia oferece, ainda, versões turbodiesel com o motor 2.2 litros e 150 ou 180 CV e dois motores a gasolina com 2.0 litros e potências de 200 e 280 CV. O Giulia Quadrifoglio chega dos 0-100 km/h em 3,9 segundos e alcança os 307 km/h, com consumos de 8,2 l/100 km, valores que o colocam entre os melhores do segmento e que entre nós custa 100.600 euros.

40 OUTUBRO | DEZEMBRO

G

D

N N

V


Gama Ligeiros 3.5 Toneladas NLR 1.9 L de 123 CV • NLR 3.0 L de 150 CV Cargas úteis de 1.385Kg a 1.680Kg Comprimento da caixa de carga de 3.030mm a 4.940mm

Gama Pesados Das 6 às 11 Toneladas NMR 3.0 L de 150 CV • NPR 3.0 L 150CV NPR 5.2 L de 190 CV • FRR 5.2 L de 210 CV Cargas úteis de 3.720Kg a 7.535Kg Comprimento da caixa de carga de 4.010mm a 6.890mm Visite um distribuidor oficial Isuzu e conheça uma gama completa de viaturas de trabalho!

ISUZU.PT ISUZUPORTUGAL ISUZUPT


SALÃO AUTOMÓVEL DE PARIS 2018

SALÃO DO AUTOMÓVEL DE PARIS

NA ERA DA

MOBILIDADE

ELÉCTRICA

O Mondial de l’Automobile voltou a permitir ao mundo do automóvel assentar arraiais nos pavilhões da Paris Expo da Porte des Versailles, mesmo que a grandiosidade que este certame já atingiu no passado seja nos dias de hoje bem mais discreta

42 OUTUBRO | DEZEMBRO

A

pesar de não ter mais o brilho e o glamour de outros tempos, o Salão Automóvel de Paris, na sua denominação oficial o “Mondial de l’Automobile”, continua a ser um dos eventos mais importantes para o sector automóvel no velho continente europeu, realizado de dois em dois anos nos anos pares, lado a lado com mais dois certames, nomeadamente o Salão de Genebra, todos os anos no mês de Março, e ainda o Salão de Frankfurt, realizado nos anos ímpares, alternando afinal com a exposição da capital francesa. Este ano, depois de abrir as portas aos jornalistas e visitantes profissionais no dia 2 de Outubro, teve no dia 4 a abertura oficial ao público para uma edição algo mais triste, isto apesar de comemorar os 120 anos desde a primeira edição. Afinal, foram muitas as marcas que resolveram ficar de fora deste certame, e algumas com um peso considerável para o mercado como a Volkswagen, Ford, Jeep, Fiat, Alfa Romeo, Nissan, Mitsubishi, Ma-


zda, Subaru, Opel e Volvo. Mas o show precisa continuar, e quem passou pela Porte de Versailles pôde, apesar de tudo, tomar contacto com várias novidades do mundo automóvel, num certame que destacou a mobilidade eléctrica. Apontado de forma quase unânime como o modelo mais interessante no salão, o “concept” e-Legend, da Peugeot, surgiu neste Salão de Paris como um modelo eléctrico capaz de prestar homenagem ao “velhinho” Peugeot 504 da década de 1960, agora com design assinado por Pininfarina. E se a inspiração está no passado, tudo o resto é bem actual, com um motor eléctrico capaz de permitir 462cv de potência, suficiente para acelerar até os 100km/h em menos de quatro segundos. A velocidade máxima é de 220km/h, a autonomia é de 600 quilómetros, sendo que uma carga rápida de 25 minutos permitirá rodar durante 498 quilómetros. A jogar em casa, outros construtores franceses aproveitaram para dar conta das suas estratégias, nomeadamente a Citroen, a segunda marca do Grupo PSA logo depois da Peugeot, que deu destaque ao C5 Aircross, um SUV com 4,50m de comprimento e um porte robusto, permitindo ainda assim a continuidade da genética que tem marcado a realidade da marca do “Double Chevron”. Já a Renault preferiu apontar para um futuro próximo a viragem absoluta, ou quase, para o mundo dos eléctricos, tendo revelado o “concept” K-ZE, um eléctrico compacto que

OUTUBRO | DEZEMBRO 43

Os pavilhões da Paris Expo da Porte des Versailles voltaram a receber um evento incontornável para o sector automóvel.


SALÃO AUTOMÓVEL DE PARIS 2018

A jogar em casa no certame parisiense, as marcas francesas apostaram todas as fichas nas suas novidades, com os construtores “estrangeiros”, alemães e japoneses, entre outros, a responderem com estreias de peso


poderá abrir caminho para o sucessor do actual ZOE, mas também um protótipo tão original quanto ambicioso, o EZ-Ultimo, um veículo proposto para uma experiência de mobilidade premium. E se os construtores franceses fizeram questão de apresentar os seus trunfos mais recentes no certame parisiense, os “rivais” alemães procuraram manter-se ao nível das expectativas, com a BMW a lançar a nova geração do Série 3, um modelo 55 quilos mais leve graças aos materiais que integra, mas ainda assim 8,5 centímetros mais comprido para uma cota total de 4,70m, lado a lado com o novo BMW Série 8. Para além destes, muitos outros modelos conseguiram igualmente atrair as atenções dos visitantes do Mondial de l’Automobile na Porte des Versailles com marcas a chamar “naturalmente” a atenção de todos como a Ferrari, a Alpine com o A110 GT4, também a Lexus com o novíssimo RC 300h, o igualmente novo Peugeot 508 GT ou o Suzuki Jimny, entre tantos outros, todos a deixarem a garantia de que a evolução a permitir no automóvel jamais deixará de ter a capacidade de nos surpreender.

Em destaque no espaço da Renault no “Mondial de l’Automobile” esteve o tão original quanto ambicioso EZ-Ultimo, um veículo proposto para uma experiência de mobilidade premium.


REPORTAGEM NA CIDADE-LUZ

SALÃO DE PARIS...

120 ANOS DE HISTÓRIA Duas centenas de automóveis e motociclos clássicos passearam entre a Praça da Concórdia e os Campos Elísios, em Paris, para assinalar os 120 anos do certame europeu mais antigo realizado em redor do automóvel

I

ncontornável no mundo automóvel, sempre marcado pelo glamour e a paixão pelo automóvel, o Mondial de l’Automobile, nome oficial do Salão de Paris, completou este ano 120 anos desde a

Para assinalar os 120 anos sobre a primeira edição do Salão de Paris, mais de duas centenas de automóveis e motociclos clássicos desfilaram pelos Campos Elísios na “Cidade Luz”

46 OUTUBRO | DEZEMBRO

sua primeira edição no longínquo ano de 1898. Para assinalar esta data, antes mesma da abertura das portas da edição deste ano do certame, no Parc des Expositions de Paris, Port de Versailles, mais de duas centenas de modelos clássicos de carros e motos exibiram-se num desfile pelos Campos Elísios, na capital francesa, dando conta de mais de um século de história do automóvel. Entre os modelos que se apresentaram aos parisienses foi possível encontrar por um modelo de 1900 do pioneiro Hurtu, um carro de bombeiros de 1920 tripulado por bombeiros devidamente fardados com uniformes vintage, ou um carro da polícia parisiense, com os agentes igualmente vestidos à época, por instantes fazendo-nos recuar no tempo até meados do século passado. Exibidos na Praça da Concórdia, as duas centenas de clássicos que integraram esta parada plena de história desfilaram por Paris numa acção de promoção para o Salão do Automóvel que abriu as suas por-


Nissan vai plantar 180 mil árvores Afirmando preocupação ambiental e vontade de apoiar a reflorestação do Pinhal de Leiria, na sequência dos incêndios de 2017, a Desde 1898, ano da primeira edição do Nissan Portugal assinou um protocolo com Salão de Paris, este certame ganhou um ímpar, até aos oestatuto Instituto daafirmando-se Conservação dadias Natureza e de hoje como o (ICNF) principalque evento redor a plandas Florestas iráem permitir do automóvel a nível mundial. tação de cerca de 180 mil árvores naquela região do Centro de Portugal. Para isto possível, a Nissan colocou tas a tornar 2 de Outubro para jornalistas em marcha um programa aeque deu o nome e visitantes profissionais, depois de que irá em duplicar no “Leaf4Trees”, dia 4 para o público geral.o impacto ambiental doscomo clientes nacionais E se Paris positivo é apontada a cados cem por cento eléctricos pital automóveis da moda e do glamour, estes da marca, nomeadamente Nissan Leaf e o valores aplicados ao oautomóe-NV200. número totalna de capital árvores a planvel têm deO igual modo tar irá agora ser apurado com base francesa o seu berço, motivo pelono CO2 total pelos de automóveis Nissan de qual poupado este “Mondial l’AutomobiZero Emissões entre 1 de de de 2017 e 30 le”, que actualmente se Abril realiza de Junho de 2018. dois em dois anosJ.R.alternando com

o Salão de Frankfurt, mantém um nível de importância ímpar para o mercado automóvel, mesmo nos anos em que várias marcas resolvem primar pela ausência. Desde 1898, ano da primeira edição de que lhe dá conta o cartaz produzido para a sua divulgação, o Salão de Paris ganhou um estatuto ímpar, afirmando-se até aos dias de hoje como o principal evento do automóvel a nível mundial, mesmo se algumas das marcas mais significativas como a Ford ou a Volkswagen resolvem ficar de fora, ou quando outros construtores escolhem diferentes cenários para revelar as respectivas novidades. O certo é que, apesar da mudança verificada em mais de um século, o glamour do certame parisiense continua bem presente, evidente aqui nesta evocação da história do automóvel, que o Salão de Paris ajudou a construir no últimos 120 anos. Jorge Reis

A sua satisfação é a nossa prioridade Av. Bernardo Santareno Nº54, 1º andar 2005-177 Santarém - Portugal www.sng.pt


SALÃO PARIS

BUGATTI

BUGATTI EXPÕE

CHIRON EM PEÇAS DE

LEGO Volante, bancos, pinças dos travões e o próprio motor, tudo foi construído com as pequenas peças da Lego para permitir um automóvel que anda em pista e que foi agora estrela no Mondial de l’Automobile de Paris.

48 OUTUBRO | DEZEMBRO

D

epois de ter sido apresentado em Junho pela Lego Technic, com informação amplamente partilhada pelos diferentes meios de Comunicação Social, os visitantes do Salão Automóvel de Paris puderam ver de perto a realidade do enorme “brinquedo” à escala de 1:1, um Bugatti Chiron construído com três milhões de peças de Lego e que pode mesmo andar ainda que a uma velocidade de 30 quilómetros por hora. Em Paris, muitos detalhes deste modelo em peças de Lego puderam ser


Veja através da leitura deste QRcode como um Bugatti construído a partir de trÊs milhões de peças de Lego rodou em pista revelando-se afinal muito mais do que um simples brinquedo.

naturalmente, não poderá alcançar as velocidades vertiginosas do super desportivo original, que atinge os 420 km/h, mas possui ainda assim um sistema de propulsão que permite os já referidos 30 quilómetros por hora de velocidade máxima limitada. Curiosamente, e porque falámos no propulsor deste modelo, será importante dar conta de que é igualmente construído por componentes Lego, mais propriamente 2.304 minimotores e 4.032 engrenagens. Estamos assim perante um “motor” capaz de fazer mover toda a estrutura montada com um peso final de 1500 quilos, um “automóvel” que obrigou a mais de 13 mil horas no desenvolvimento e montagem, e sem qualquer pingo de cola. Neste Bugatti Chiron apenas as jantes, os pneus e o logótipo frontal são reais para um “brinquedo” que não está à venda mesmo para o milionário mais excêntrico, até porque não foi estabelecido qualquer preço para o mesmo.

Versão acessível à escala 1:8

observados de forma atenta pelos visitantes do certame, em redor de um modelo que,

O “brinquedo”exposto em Paris é afinal um Bugatti Chiron, à escala de 1:1, construído com três milhões de peças de Lego

OUTUBRO | DEZEMBRO 49

Sem ser possível a aquisição do Bugatti Chiron construído em peças de Lego em tamanho real, os que pretenderem levar para casa uma versão menor deste Chiron poderão fazê-lo. Para isso, a Bugatti e a Lego colocaram no mercado uma barata do Chiron, com o preço de 350 dólares (cerca de 300 euros), aqui uma réplica na escala 1:8 já à venda nos Estados Unidos e na Europa. Poderá dar algum trabalho montar as 3.599 peças de Lego necessárias para esta versão realmente de brincar do Bugatti Chiron, mas depois de montado terá um modelo com 56 centímetros de comprimento e 25 cm de largura.


NOVIDADES DO MERCADO

Jeep Wrangler novo em tudo... ou quase! Apostando no motor 2.2 litros do Alfa Romeo Giulia, um bloco turbodiesel com 200cv acoplado a uma caixa automática de oito relações e dois tipos de tracção integral permanente – Command Trac e Rock Trac – foi apresentado pela Jeep o totalmente novo Wrangler, modelo que mantém o mesmo aspecto, o mesmo sistema de carroçaria aparafusada ao chassis e principalmente as mesmas capacidades fora de estrada, com preços a partir dos 51 mil euros para o Jeep Wrangler Sport 2.2 200cv, terminando nos 66.500 euros do Wrangler Rubicon de 4 portas.

Bugatti Divo debutou na Cidade-Luz Com um preço de cinco milhões de euros antes de serem aplicados os impostos, algo afinal pouco relevante se nos lembrarmos que estamos a falar de um modelo automóvel já esgotado, o Bugatti Divo voltou a passar por Paris no início do mês de Outubro por altura do Salão de Paris, modelo do qual foram feitas apenas quatro dezenas de unidades. O motor do Divo é o mesmo do Chiron, o W16 com 8,0 litros capaz de debitar 1480cv, permitindo com ele uma velocidade máxima limitada aos 380 km/h, com uma aceleração dos 0-100 km/h em 2,4 segundos. Com esta capacidade, e para manter o carro agarrado á estrada, a asa traseira é maior no Divo (1830 mm de largura) em mais 23% quando comparada com a que é usada no Chiron, tendo sido introduzidas várias peças que modificam o fluir do ar pelo carro, alterando, também, a respectiva termodinâmica.

Bibendum da Michelin é “Icon of the Millenium” A Advertising Week realizada nos Estados Unidos, uma jornada de conferências para líderes mundiais em marketing, branding e publicidade, atribuiu ao Bibendum, o conhecido “boneco” da Michelin, o distintivo “Icon of the Millenium”, distinção atribuída em cerimónia levada a cabo em Times Square, Nova Iorque. Para Adeline Challon-Kemoun, Diretora de Marcas, Desenvolvimento Sustentável, Comunicação e Relações Institucionais do Grupo Michelin, “o boneco Michelin é mais do que um emblema, sendo um personagem vivo, que encarna o Grupo Michelin, os seus valores, compromissos e missões”.

50 OUTUBRO | DEZEMBRO


Jaguar estabelece recorde O Jaguar XE SV Project 8 confirmou-se como o veículo de quatro portas mais rápido do mundo ao estabelecer um novo recorde em pista. A berlina, com 600CV e velocidade máxima de 322 km/h, fez os 3,6 kms do circuito WeatherTech Raceway de Laguna Seca em 1m37s54, batendo o recorde anterior em quase um segundo. O XE SV Project 8 assume-se assim como o Jaguar mais rápido e mais potente da marca cuja produção, limitada a 300 unidades, será feita à mão no departamento Special Vehicle Operations da Jaguar Land Rover em Coventry, estando disponíveis por um preço que ronda os 169 mil euros no Reino Unido.

... À PRESENÇA NOS CÉUS! Igualmente precioso é o conhecimento do tempo nas alturas, através de instrumentos de precisão como aquele que é proposto pelo Casio G-Shock lançado em edição especial para celebrar os 40 anos da Esquadra 751 da Força Aérea. Em edição limitada a 40 unidades e exclusiva para Portugal, estamos perante um lançamento da Casio em redor do relógio G-Shock Rangeman que transporta na bracelete a gravação do logo especial alusivo aos 40 anos da esquadra 751 bem como a domercado logo oficial Esquadra 751. Vitara, um Está agravação chegar ao um da renovado Suzuki O Rangeman faz parte da de relógios “Master SUV agora actualizado nosérie assinalar dos 30 anos deste of G” projetada para usojánas mais modelo que no passado tevecondições em Portugal umexassinalátremas, incorporando o Triple Sensor medir vel sucesso e que perdeu espaço facepara à perda deoespaço rumo da bússola, a pressão da própria marca entre nós. e altitude atmosférica e a temperatura. Este estamos relógio é perante ainda capaz de naveEm termos práticos, um SUV dotado de gar nova por GPS – uma estreia numcom relógio uma grelha, pára-choques umG-Shock. novo desenho, O relógio recolhe dados de e localização de satélites novas luzes LED na traseira novas jantes, devendo cheGPS para a localização atual numa rota para gar com osexibir motores a gasolina de 1.0 litros com 108 cv e um destino em com tempo de 1.4 litros Boosterjet turbo 138real. cv.

Suzuki Vitara renova em Portugal

Mercedes-Benz EQC disponível em 2019 A Mercedes-Benz apresentou no recente Salão de Paris aquele que é o primeiro modelo da sub-marca eléctrica EQC, capaz de colocar na estrada uma potência de 408 cv, com a responsabilidade de responder a concorrentes como o Audi e-tron ou o Jaguar i-Pace. Para este primeiro modelo totalmente eléctrico na marca de Estugarda, o EQC 400 4MATIC, foram colocados dois motores eléctricos sobre os eixos traseiro e dianteiro que permitem a tracção integral, com uma autonomia de “mais de 450 km” num modelo que deverá chegar ao público em 2019.


STOCK

AS NOSSAS ESCOLHAS

VOLVO V40 1.6 D2 Automóvel com matrícula de Outubro de 2012, um ano de garantia sem limite de quilómetros, financiamento até 120 meses e possibilidade de retoma. FICHA TÉCNICA

EQUIPAMENTO

VOLVO V40 1.6 D2

ABS; GPS; Sensores de estacionamento automático; Imobilizador; ISOFIX; Quatro airbags; ESP; Fecho automático das portas em andamento; Sensores de chuva; Sistema de controle de pressão dos pneus; Faróis reguláveis em altura; Faróis diurnos; Faróis de nevoeiro; Sensores de luzes; Luzes traseiras LED; Cruise control; Computador de bordo; Direcção assistida; Fecho central com comando; Apoio de braço; Encostos de cabeça traseiros; Bancos desportivos; Rádio com CD; Volante em pele, regulável e com comandos; Rádio; Retrovisores aquecidos; Retrovisores com anti encandeamento e dotados de regulação elétrica; Vidros elétricos dianteiros e traseiros; Jantes em liga leve.

Quilómetros | 96.051 Motor | 1600 cc Combustível | Gasóleo Potência | 115 cv Ano | Outubro/2012 Lotação | 5 Lugares Preço | 14.480

FICHA TÉCNICA PEUGEOT 308 SW 1.6 BLUE HDI Quilómetros | 109.750; Motor | 1600 cc; Combustível | Gasóleo Potência | 120 cv Ano | Março/2016; Lotação | 5 Lugares; Preço | 15.980

A Consilcar é uma empresa que existe desde Julho de 1991 e que se implantou no mercado privilegiando a total dedicação aos seus clientes

FICHA TÉCNICA BMW 318 D Quilómetros | 142.187; Motor | 2000 cc; Combustível | Gasóleo; Potência | 143 cv; Ano | Fevereiro/2014 Lotação | 5 Lugares; Preço | 19.980

52 OUTUBRO | DEZEMBRO


MERCEDES BENZ CLA 180 CDI Viatura de Março de 2016, com livro de revisões, um ano de garantia sem limite de quilóme-

tros, livro de revisões completo, financiamento e possibilidade de retoma. EQUIPAMENTO

FICHA TÉCNICA

ABS; Bluetooth; Computador de bordo; Cruise control; Direcção assistida; GPS; Isofix; Ar condicionado; ESP; Imobilizador; Start and stop; Apoio de braço; Bancos desportivos; Bancos dianteiros com apoio lombar; Ecrã na consola central; Encostos de cabeça nos bancos traseiros; Entrada USB; Fecho automático das portas em andamento; Fecho central; Fecho centralizado com comando à distância; Travão de mão eléctrico; Volante multifunções; Seis airbags; Estofos em pele; Auto-rádio com CD; Volante em pele; Vidros elétricos dianteiros e traseiros; Volante regulável em altura e profundidade; Câmara de marcha atrás; Faróis diurnos; Faróis reguláveis em altura; Jantes de liga leve; Luzes traseiras LED; Retrovisores com regulação eléctrica; Retrovisores rebatíveis elétricos; Sensores de chuva; Sensores de luzes.

MERCEDES BENZ CLA 180 CDI

Todos os produtos e serviços da Consilcar evoluem em simultâneo com as tendências do mercado e o gosto dos clientes

FICHA TÉCNICA

Quilómetros | 44.359 Motor | 1461 cc Combustível | Gasóleo Potência | 110 cv Ano | Março/2016 Lotação | 5 Lugares Preço | 26.980

FICHA TÉCNICA

TOYOTA YARIS 1.0VVT-I

VOLKSWAGEN SHARAN 2.0 TDI

Quilómetros | 38.012; Motor | 1000 cc; Combustível | Gasolina; Potência | 70 cv; Ano | Maio/2016; Lotação | 5 Lugares; Preço | 10.980

Quilómetros | 89.587; Motor | 1998 cc; Combustível | Gasóleo; Potência | 150 cv; Ano | Fevereiro/2016; Lotação | 7 Lugares; Preço | 27.980

OUTUBRO | DEZEMBRO 53


STOCK

AS NOSSAS

ESCOLHAS É objectivo da Consilcar oferecer aos seus clientes em todas as circuntâncias as melhores opções com a máxima qualidade

FICHA TÉCNICA OPEL INSIGNIA ST 1.6CDT-i Quilómetros | 22.317; Motor | 1600 cc; Combustível | Gasóleo; Potência | 136 cv; Ano | Abril/2016; Lotação | 5 Lugares; Preço | 22.980

FICHA TÉCNICA MERCEDES BENZ CITAN 109 CDI TOURER Quilómetros | 62.384; Motor | 1461 cc; Combustível | Gasóleo; Potência | 90 cv; Ano | Dezembro/2015; Lotação | 5 Lugares; Preço | 15.980

NISSAN PULSAR 1.2 DIG-T Viatura seminova de Junho de 2018 com apenas 14 quilómetros percorridos, garantia de fábrica, com possibilidade de financiamento e retoma. FICHA TÉCNICA

EQUIPAMENTO

NISSAN PULSAR 1.2 DIG-T

ABS; Bluetooth; Computador de bordo; Cruise control; Direcção assistida; Isofix; Livro de revisões completo; Ar condicionado automático; ESP; Imobilizador; Sistema de chave inteligente; Start and stop; Bancos desportivos; Bancos dianteiros com apoio lombar; Ecrã na consola central; Encostos de cabeça nos bancos traseiros; Entrada USB; Fecho automático das portas em andamento; Fecho central; Fecho centralizado com comando à distância; Volante multifunções; Seis airbags; Auto-rádio com CD; Volante em pele; Vidros elétricos dianteiros e traseiros; Volante regulável em altura e profundidade; Faróis de nevoeiro; Faróis diurnos; Faróis reguláveis em altura; Jantes de liga leve; Luzes traseiras LED; Retrovisores aquecidos com regulação eléctrica; Sensores de chuva; Sensores de luzes; Sistema de controle de pressão dos pneus

Quilómetros | 14 Motor | 1197 cc Combustível | Gasolina Potência | 115 cv Ano | Junho/2018 Lotação | 5 Lugares Preço | 16.980

54 OUTUBRO | DEZEMBRO


A dinâmica e a qualidade da Consilcar é comprovada e reconhecida por todos aqueles que mantêm relações comerciais com a empresa

FICHA TÉCNICA PEUGEOT 208 1.4 E-HDI Quilómetros | 53.913; Motor | 1400 cc; Combustível | Gasóleo; Potência | 68 cv; Ano | Janeiro/2014; Lotação | 5 Lugares; Preço | 11.980

FICHA TÉCNICA OPEL ADAM 1.2 Quilómetros | 16.000; Motor | 1229 cc; Combustível | Gasolina; Potência | 69 cv; Ano | Maio/2017; Lotação | 5 Lugares; Preço | 12.980

RENAULT CAPTUR 1.5 DCI Veículo com matrícula de Abril de 2012, está disponível com um ano de garantia sem limite de quilómetros, livro de revisões completo, possibilidade de financiamento bem como de acção de retoma. EQUIPAMENTO

FICHA TÉCNICA

ABS; Bluetooth; Computador de bordo; Cruise control; Direcção assistida; GPS; Isofix; Sensores de estacionamento; Ar condicionado; ESP; Imobilizador; Sistema de chave inteligente; Start and stop; Bancos desportivos; Ecrã na consola central; Encostos de cabeça nos bancos traseiros; Entrada USB; Fecho automático das portas em andamento; Volante multifunções; Seis airbags; Auto-rádio com CD; Volante em pele; Vidros elétricos dianteiros e traseiros; Volante regulável em altura e profundidade; Faróis de nevoeiro; Faróis diurnos; Faróis reguláveis em altura; Jantes de liga leve; Luzes traseiras LED; Retrovisores aquecidos com regulação eléctrica.

RENAULT CAPTUR 1.5 DCI

OUTUBRO | DEZEMBRO 55

Quilómetros | 92.002 Motor | 1461 cc Combustível | Gasóleo Potência | 90 cv Ano | Abril/2014 Lotação | 5 Lugares Preço | 14.480


STOCK

AS NOSSAS ESCOLHAS

MERCEDES BENZ GLC 350 E PLUG-IN

Viatura híbrida Plug-in com IVA dedutível. Ao preço base 48.770€ acresce IVA totalmente dedutível em caso de aquisição por parte de empresa. O carregamento da bateria (sistema Plug-in) pode ser feito em tomada doméstica (230V) em quatro horas ou tomada de carregamento rápido (400V) em duas horas. FICHA TÉCNICA

EQUIPAMENTO

MERCEDES BENZ GLC 350 E PLUG-IN

Cruise control; Direcção assistida; GPS; Isofix; Livro de revisões completo; Sensores de estacionamento; Ar condicionado automático; Full Led; Alarme; ESP; Imobilizador; Sistema de ajuda ao arranque em inclinação; Start and stop; Apoio de braço; Bancos desportivos; Bancos dianteiros aquecidos; Bancos dianteiros com regulação eléctrica; Bancos dianteiros com apoio lombar; Ecrã na consola central; Encostos de cabeça nos bancos traseiros; Entradas AUX e USB; Fecho automático das portas em andamento; Fecho central; Fecho centralizado com comando à distância; Travão de mão eléctrico; Volante multifunções; Oito airbags; Estofos em pele; Auto-rádio com CD; Volante em pele; Vidros elétricos dianteiros e traseiros; Volante regulável em altura e profundidade; Câmara de marcha atrás; Faróis diur-

Quilómetros | 26.839 Motor | 1991 cc Combustível | Híbrido Gasolina Potência | 320 cv Ano | Junho/2017 Lotação | 5 Lugares Preço | 59.890

FICHA TÉCNICA RENAULT CLIO 1.5 DCI DYNAMIQUE Quilómetros | 87.815; Motor | 1500 cc; Combustível | Gasóleo; Potência | 90 cv; Ano | Fevereiro/2014 Lotação | 5 Lugares; Preço | 11.980

A Consilcar está a funcionar num espaço em Massama Norte com uma área dimensionada com o propósito de servir da melhor forma todos os seus visitantes e clientes

FICHA TÉCNICA VOLVO V60 CROSS COUNTRY 2.0 Quilómetros | 64.034; Motor | 1956 cc Combustível | Gasóleo; Potência | 150 cv; Ano | Fevereiro/2016; Lotação | 5 Lugares; Preço | 28.980

56 OUTUBRO | DEZEMBRO


BMW M3 CABRIO Automóvel com matrícula de Outubro de 2012, possuidor de livro de revisões completo, um ano de garantia sem limite de quilómetros, possibilidade de financiamento e retoma. EQUIPAMENTO

FICHA TÉCNICA

ABS; Computador de bordo; Cruise control; Direcção assistida; Isofix; Sensores de estacionamento; Ar condicionado automático; ESP; Imobilizador; Suspensão desportiva; Apoio de braço; Bancos desportivos; Bancos dianteiros com memória, regulação eléctrica e apoio lombar; Bancos traseiros com configuração individual e encostos de cabeça; Fecho automático das portas em andamento; Volante multifunções; Seis airbags; Estofos em pele Auto-rádio com CD; Volante em pele; Vidros elétricos dianteiros e traseiros; Volante regulável em altura e profundidade; Faróis de nevoeiro; Jantes de liga leve; Luzes traseiras LED; Retrovisores aquecidos; Retrovisores com regulação eléctrica; Sensores de luzes e Sistema de controle de pressão dos pneus

BMW M3 CABRIO

Na megastore Consilcar em Massamá Norte estão centralizados todos os serviços da empresa podendo o cliente ali encontrar mais de 200 propostas em veículos automóveis

FICHA TÉCNICA OPEL ZAFIRA 2.0 CDTI Quilómetros | 56.270; Motor | 1956 cc; Combustível | Gasóleo; Potência | 170 cv; Ano | Abril/2016; Lotação | 7 lugares; Preço | 24.980

OUTUBRO | DEZEMBRO 57

Quilómetros | 109.629 Motor | 3246 cc Combustível | Gasolina Potência | 337 cv Ano | Outubro/2002 Lotação | 4 Lugares Preço | 34.980

FICHA TÉCNICA CITROEN C4 1.6 BLUEHDI Quilómetros | 127.884; Motor | 1600 cc; Combustível | Gasóleo; Potência | 100 cv; Ano | Abril/2015; Lotação | 5 Lugares; Preço | 13.480


LIFESTYLE

RELÓGIOS E FÓRMULA 1

BELL & ROSS V2-94 R.S.18

MODELO VINTAGE NAS CORES DA RENAULT SPORT F1 A Bell & Ross, parceira oficial de relojoaria da escuderia Renault Sport Formula One Team, lançou no último verão o BR V2-94 R.S.18, um relógio vintage inspirado no carro de competição de Fórmula 1 do construtor francês, que veio comemorar o regresso da Fórmula 1 ao circuito Paul Ricard dez anos depois. Este relógio deixa implícito um convite ao contacto com um volante de competição para experimentar a sensação extrema do piloto de F1. O vintage BR V2-94 R.S.18 imerge-nos nos códigos da categoria rainha do automobilismo, apresentando uma caixa quadrada de 41mm em aço polido e um mostrador em fibra de carbono, com as cores amarelo e preto em referência à Renault Sport Formula One Team. Quanto a outros detalhes relativos a esta máquina de precisão, possui um calibre mecânico suíço de corda automática, apresentando na face posterior da caixa uma representação metalizada do carro da Renault e o número de série de um relógio com uma produção limitada a 999 exemplares.

58 OUTUBRO | DEZEMBRO


CASIO EDIFICE

EDIÇÃO LIMITADA COM A SCUDERIA TORO ROSSO Ainda em redor da Fórmula 1, mas agora fruto de uma parceria com a Scuderia Toro Rosso, a Casio lançou a linha Edifice de relógios desportivos de metal, que combinam design dinâmico com tecnologia. Estamos assim perante a quarta série de modelos de parceria entre a Casio e a Toro Rosso que procura dar conta da energia jovem e a paixão pela velocidade transmitidas pela Scuderia, conjugando estes valores com carros movidos por inovações tecnológicas excecionais.A Casio acredita que as qualidades da Scuderia Toro Rosso combinam na perfeição com o conceito de ““Speed and Intelligence” da Edifice, motivo pelo qual apoio a equipa como Official Team Partner desde Janeiro de 2016. E quanto a estes quatro novos modelos apresentam esquemas de cores inspirados nos carros da Toro Rosso, sendo que todos apresentam o logotipo da Scuderia gravado na caixa traseira para além de serem apresentados em ‘packaging’ especiais.


LIFESTYLE

JOGOS

o jogo que está a dar! texto Diogo Reis Falar de jogos de computador ou de consola, hoje em dia, leva-nos a ter em atenção um título que está no top das preferências, o Fortnite, sem dúvida o jogo que está a dar. Afinal, se ainda não é um dos milhões de jogadores em redor deste título, pelo menos já deve ter ouvido falar do jogo a propósito do qual escreveu o “USA Today”: “Num dia do último Inverno, mais de 3,4 milhões de pessoas em todo o Mundo jogavam Fortnite... em simultâneo!” Mas o que é Fortnite? Objectivamente, estamos perante um jogo desenvolvido pela EpicGames lançado a 25 de Julho de 2017, data a partir da qual rapidamente garantiu uma enorme legião de fãs. Com dois modos, encontramos no Fortnite o

modo “Save the World” variante paga e na qual se luta pela sobrevivência contra ‘zombies’, e o modo “Battle Royale”, gratuito, que reúne 100 jogadores numa ilha onde o último sobrevivente ganha o jogo. Para evitar que os jogadores acampem num local do mapa e se escondam para que não sejam eliminados, uma “tempestade” vai cercando o mapa e empurrando os jogadores para o mesmo local, sob pena de perderem energia e acabarem por morrer. Acaba assim por ser o modo “Battle Royale” que permite o sucesso deste jogo, isto porque é através dele que o Fortnite surge actualmente como o jogo mais jogado. Neste modo podemos escolher algumas variantes no jogo, desde a aventura a solo,

60 OUTUBRO | DEZEMBRO


onde jogam todos contra todos, ao modo “duo”, onde podem ser formadas 50 equipas de dois jogadores. Existe ainda o modo “squad”, em que as equipas podem ter até quatro elementos. As opções no Fortnite não se ficam por aqui pois existem outros modos de jogo aleatórios, desde o “Playground” no qual, durante uma hora, grupos de um a quatro jogadores tem a ilha só para eles, seja para se divertirem e jogarem uns contra os outros ou treinarem técnicas de construção, mas também o “Sniper”, em que apenas se pode jogar com armas dotadas de mira telescópica. Em todos os casos, o propósito do jogo é ir eliminando a concorrência com a velha máxima segundo a qual, no final, só

Se ainda não é um dos milhões de jogadores em redor deste título, pelo menos já deve ter ouvido falar do jogo a propósito do qual escreveu o “USA Today”: “Num dia do último Inverno, mais de 3,4 milhões de pessoas em todo o Mundo jogavam Fortnite... em simultâneo!”

OUTUBRO | DEZEMBRO 61

pode vencer um! O mapa onde este jogo decorre surge composto por várias cidades, onde se encontram baús e caixas de munições que têm de ser abertas para obter “loot” (arsenal), dividindo-se as armas e componentes do Fortnite por ordem de dano e raridade. No final, o jogador, para além de ser avaliado pelas vitórias, mortes por jogo e nível alcançado, verá avaliado o seu “tier”, a categoria alcançada. Após um ano de existência, o Fortnite possui já 125 milhões de jogadores, seja em IOS, android, PC, PS4, Xbox one ou nintendo switch, o que nos leva a deixar uma pergunta: se ainda não experimentou o Fortnite, de que está à espera?


LIFESTYLE

TELEMÓVEL

Conheça através deste QRcode um pouco mais da realidade do Samsung Galaxy Note9, um smartphone premium para quem procura mesmo tudo o que pode ser permitido por um smartphone.

SAMSUNG GALAXY NOTE9 Quem tudo quer... tudo tem! Com autonomia para um dia inteiro, uma nova Samsung S Pen e uma câmara inteligente, a Samsung lançou no final do Verão o smartphone premium Samsung Galaxy Note9, apresentado como o “super poderoso” para aqueles que tudo querem, com a ambição por parte da Samsung de garantir o melhor desempenho de sempre da marca, como prometeu no lançamento DJ Koh, presidente e CEO da IT & Mobile Communications Division, Samsung Electronics: “O Note foi sempre a nossa montra de tecnologia premium e de inovação, e o Samsung Galaxy Note9 não é excepção, tendo sido concebido para disponibilizar um novo nível de performance, capacidades e inteligência”. Com autonomia para um dia inteiro graças à bateria de 4.000mAh, disponível com duas opções de armazenamento interno – 128GB ou 512GB –, com velocidade ímpar de processamento graças ao processador de 10nm e suporte para as mais rápidas redes disponíveis no mercado (até 1.2 gigabits por segundo), o Samsung Galaxy Note9 inclui ainda o sistema de refrigeração Water Carbon Cooling e um algoritmo de ajuste de performance baseado em inteligência artificial para garantir um desempenho poderoso mas estável. A caneta S Pen, que começou por ser uma mera ferramenta para escrever e desenhar, é agora um instrumento que disponibiliza mais capacidades e controlo aos utilizadores, mas também a câmara do Samsung Galaxy Note9, apresentada como a mais inteligente da Samsung até à data, revela-se capaz de identificar os elementos de uma fotografia, como um cenário ou uma pessoa, classificando estes elementos em uma de 20 categorias e optimizando instantaneamente a imagem com base nessa categoria, características únicas deste smartphone premium da Samsung dotado do maior ecrã edge-to-edge de sempre num Samsung Galaxy Note, o ecrã Super Amoled Infinity de 6,4 polegadas, complementado por colunas estéreo da AKG e dotado de tecnologia áudio Dolby Atmos para uma experiência envolvente e mais realista.

62 OUTUBRO | DEZEMBRO


DESPORTO

WRC ‘VS’ BTT DOWNHILL

Lousã foi palco para corrida de Titãs

Aos comandos de um dos mais rápidos carro de rali da actualidade, um Hyundai i20 WRC, ou pedalando com a capacidade de um piloto de topo de BTT downhill, a missão era enfrentar os traçados complicados e os pisos agrestes da Serra da Lousã e apurar qual dos dois iria conseguir a melhor prestação...

E

ntre um Hyundai i20 WRC e uma bicicleta BTT downhill, qual dos dois conseguirá uma melhor prestação no acidentado e agreste piso da mítica Serra da Lousã? Qual das duas modalidades tem mais vantagem num terreno tão acidentado e agreste como é a Serra da Lousã? O Red Bull Fast Encounter presented by Hyundai Motorsports procurou a resposta e para isso mobilizou duas lendas dos desportos de ação – os atletas Red Bull Dani Sordo e Andreu Lacondeguy e o resultado revelou-se impressionante.

texto Jorge Reis

64 OUTUBRO | DEZEMBRO


Porque não é todos os dias que duas lendas de vertentes tão distintas dos desportos de ação se encontram para lutar pelo mesmo objetivo, tornou-se ainda mais interessante este desafio proposto a Dani Sordo e Andreu Lacondeguy, convidados para uma corrida inesperada pelos trilhos da lendária Serra da Lousã, onde cada um lutou com as suas armas. O espanhol Dani Sordo, de 35 anos, compete desde 2003 no Campeonato do Mundo de Ralis WRC, somando até agora 44 pódios. Hoje veste as cores do Team Hyundai Motorsports, aos comandos do i20 WRC – versão turbo que debita uns impressionantes 300 cavalos de potência às 6000 rotações por minuto. Por seu turno, presença frequente em Portugal, o seu compatriota Andreu Lacondeguy, de 29 anos, é um dos nomes mais respeitados na cena do BTT freeride, ele que assegurou um lugar na história da modalidade com duas conquistas – uma medalha nos X-Games e a vitória naquela que é considerada a competição de freeride mais dura do planeta, o Red Bull Rampage. Quanto ao cenário deste desafio, a Serra da

Dani Sordo e Andreu Lacondeguy foram convidados para uma corrida inesperada pelos trilhos da lendária Serra da Lousã

OUTUBRO | DEZEMBRO 65

Lousã, possui uma mística especial para os fãs dos desportos de acção, sendo mesmo apontada como a “catedral” da terra. No passado recebeu inúmeros troços do Rali de Portugal e várias competições internacionais de BTT pelo que, para este desafio, houve apenas que estabelecer um ponto de partida e de chegada comuns, com o percurso que ligou os dois pontos a ser cumprido de formas bem diferentes por Sordo e Lacondeguy, com alguns momentos de alta tensão pelo meio. Foi este o caso do salto em que a bicicleta sobrevoou o carro de uma forma provocadora, uma das imagens que melhor define a emoção deste desafio. No final a vantagem, ainda que escassa, acabou por pertencer ao Hyundai i20 de Dani Sordo, que assumiu a enorme surpresa pelo “impressionante salto por cima do carro, foi de loucos!” Por seu turno, Lacondeguy, mostrou-se igualmente impressionado pela competição que tinha acabado de protagonizar, e nomeadamente pela máquina que teve como rival: “Foi simplesmente incrível, este carro foi mesmo a coisa mais rápida que eu já vi!”


ANTEVISÃO

BMW VISION INEXT

VENHA O PRÓXIMO!

Há um ano, quando abracei este desafio em nome da LusoSaber para transportar para uma publicação periódica a imagem da Consilcar, lado a lado com a realidade que marca o mundo automóvel onde me movimento desde há muito, com o LusoMotores como porta-estandarte de uma actividade profissional de que me orgulho, fi-lo consciente da responsabilidade inerente pela necessidade de manter num elevado nível de notoriedade o nome de uma empresa como a Consilcar, que continua a trilhar um percurso ascendente em qualidade e dimensão. Um ano, dirão muitos e eu concordo, não permite avaliar do sucesso de um projecto, até porque por muito positivo que seja o trabalho feito deverá haver sempre espaço e vontade para fazer mais e melhor, mas com determinação, e ela está cá, por certo que o caminho já trilhado irá continuar a permitir muitos mais anos iguais a este primeiro no qual orgulhosamente deixámos marca por onde passámos. Fechada esta edição, o trabalho não irá parar, e o arranque de 2019 começará a ser preparado desde já, com novos desafios que por certo irão surgir e a vontade de lhes dar respostas positivas. As sementes têm vindo a ser deixadas pelo caminho e os frutos, estou certo, irão aparecer. Ultrapassado este primeiro ano, concluído com um trabalho condimentado com os sabores da conversa com o chef Chakall, com a adrenalina da aventura de uma travessia em todo-o-terreno desde a costa atlântica até à zona fronteiriça da barragem do Alqueva, ou ainda com um passeio pelas novidades reveladas no Salão Automóvel de Paris, que venha o próximo ano... e os próximos desafios! JORGE REIS

Para aqueles que perguntam como serão os carros daqui a poucos anos, a BMW tem vindo a deixar algumas pistas e a apontar caminhos por onde deverá seguir no desenvolvimento dos seus próximos modelos. Destas respostas, o BMW Vision iNext já revelado enquanto concept tem permitido algumas respostas e essas perguntas, ficando por saber apenas quantos anos serão necessários pagar o presente ao futuro, ou pelo menos a este futuro.

VOLKSWAGEN ID BUZZ

Se para alguns o futuro ainda irá levar algum tempo a chegar, para a Volkswagen o futuro passa pelo retomar do passado através da produção da sua clássica carrinha “Pão de Forma” mas agora enquanto veículo elétrico, ao qual deverá ser dado o nome de ID Buzz. Do que já é conhecido, terá uma autonomia acima dos 430 Km, a possibilidade de carregar até 80% da sua bateria em 30 minutos, e uma potência efectiva de 369cv.

GAC MOTOR ENVERGE

Incontornável no futuro do automóvel será a chegada à Europa dos automóveis chineses, independente das marcas e dos modelos em que isso possa acontecer. Para já, ficou-nos na retina o concept Enverge, da GAC Motor, uma espécie de adiantamento de um crossover urbano de tamanho compacto e mecânica elétrica, com baterias de 71 kWh para uma autonomia de 595 km com uma só carga.


VOLVOCARS.PT

Volvo Car Renting para Volvo V60 Momentum D3 150 cv Manual; Entrada: 9.800€ + IVA; Inclui: Manutenção Preventiva/Corretiva; IUC; Assistência em viagem; Seguros de: manutenção, ocupantes, responsabilidade civil e danos próprios (franquia: 4%); O exemplo não confere relação contratual dependendo da análise de crédito e validação da SGALD Automotive. Campanha válida até 31/10/18. Imagens ilustrativas. Consumo combinado: 4,4 l/100 Km; Emissões de CO2: 117 g/Km.

Profile for Jorge Reis

Consilcar Magazine #04  

Uma vez mais volta a estar disponível em edição digital mais um número da Consilcar Magazine, ou apenas “Mag”, disponível através desta plat...

Consilcar Magazine #04  

Uma vez mais volta a estar disponível em edição digital mais um número da Consilcar Magazine, ou apenas “Mag”, disponível através desta plat...

Advertisement