Page 1


ennead


"Pois arte é infância. Arte significa não saber que o mundo já é, e fazer um. Não destruir nada que se encontra, mas simplesmente não achar nada pronto. Nada mais que possibilidades. Nada mais que desejos. E, de repente, ser realização, ser verão, ter sol. Sem que se fale disso, involuntariamente. Nunca ter terminado. Nunca ter o sétimo dia. Nunca ver que tudo é bom. Insatisfação é juventude." Rainer Maria Rilke


IInCerto C t mergulha lh no universo de um grupo teatral que se prepara para a montagem do próximo espetáculo. Enfadados e sem inspiração, os artistas começam a se desentender. Criticam as propostas, debocham dos parceiros e se maldizem. Tomado por um clima ranzinza, o processo de montagem vai se tornando um fardo na rotina do grupo, que não consegue chegar a qualquer consenso. Completamente perdido, o elenco se lança em tentativas, sempre frustradas, de iniciar concretamente o trabalho. A impaciência de cada um começa a gerar situações embaraçosas e ocorrências ridículas. Vencidos pelo descontentamento, tentam resgatar em si mesmos a motivação para fazer teatro. Para além da relação do ator com seu fazer artístico, InCerto avança sobre o universo de pessoas comuns que se perderam de si mesmas e, insatisfeitas, lutam para retomar as rédeas da própria vida.


Mais inquietos que nunca. Foi assim que nós, do Grupo Bagaceira de Teatro, completamos uma década de existência. Os anos de trabalho, com m direito a erros e aprofundados acertos, nos colocaram à ffrente te de questionamentos mais aprofun aprofundad dos a respeito do próprio ofício ofício. Aumentou o nível de exigência e de interferência de cada um na construção do espetáculo. espetáculo Muito além das conquistass de relevância nacional, o grande motivo dee comemoração disponibilidade nestes dez anos é a dispon nibilidade idade dos artistas para saírem das zona zzonas as mais trabalhar. confortáveis de se trabalha ar. Daí D a ideiaa de lidarmos armos com a incerteza incerte certeza de d um texto e de uma direção que ainda nnão estavam concebidos. que Partindo da pergunta “o qu ue dizer?”, izer?”, a investigação do grupo recaiu sobre soobre nós entender mesmos. Procuramos ente ender er nossos momentos pessoais, noss nossas posições p diante da vida e nossas sensações sensações mais íntimas. Foi exatamente esta bu busca por material motes construção humano que trouxe os mot tes e as inspirações necessárias à construç const ção de InCerto.. Com abertura pparaa o imprevisível, o processo nos surp surpreendeu InCerto surpree ndeu até a temos com estreia. Como resultado, te emos os uma peça que contempla o público co om os anseios artistas. e a inspiração de dez artist tas..


Em 2000, exata virada do milênio, um vínculo entre jovens artistas se consolidou. Iniciando pela construção de obras curtas (esquetes), o grupo foi amadurecendo uma forma muito própria de encenar, pautada em experimentações e provocações visuais. Anos depois, passou a exercer este ímpeto criativo em peças maiores, garantindo maior visibilidade para além do estado. Com textos e direções próprias, o grupo lançou desafios no âmbito da construção cênica e dramatúrgica. Vieram as viagens, convites para grandes festivais, prêmios de maior alcance e participação em programações culturais, dividindo espaço com alguns dos grupos mais reconhecidos do país. Seguindo o caminho da profissionalização, o grupo adquiriu sua sede. Hoje, após dez anos de intenso trabalho, o Grupo Bagaceira é dono de um repertório consistente. Montou 10 espetáculos, 20 esquetes e contabiliza mais de 500 apresentações. Figuram hoje no repertório os espetáculos: Lesados, O Realejo,


Engodo, Meire Love, PornoGráficos, o infantil Tá Namorando! Tá Namorando!! e, agora, o novo espetáculo, comemorativo de 10 anos, InCerto. O grupo conquistou premiações e participou de importantes festivais, mostras e eventos em cidades como São Paulo, Curitiba, São José do Rio Preto, Londrina, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, dentre outras. Construiu reconhecimento, promoveu parcerias importantes, projetou artistas e provocou novas visões a respeito do Nordeste. Alcançou o reconhecimento da imprensa local e nacional. O espetáculo O Realejo o foi apontado pelo jornal O Povo como o espetáculo teatral da década no Ceará. Assumindo espaço relevante fora do estado, o Bagaceira contribui ativamente para o pensamento artístico, bem como para a política cultural de sua região, servindo de referência a novos grupos.


- RAFAEL MARTINS Graduado em Comunicação Social pela Universidade de Fortaleza, membro fundador do Grupo Bagaceira de Teatro e ator formado pelo Colégio de Direção Teatral, do Instituto Dragão do Mar, Rafael é autor de espetáculos como Lesados, O Realejo, En Passant, Caio & Léo, O Livro e Auto da Cobra. Além do Bagaceira, é convidado a trabalhar em colaboração com outros grupos, sendo hoje um dramaturgo referencial, representante da nova geração. Seus textos circulam pelos mais importantes festivais de teatro do país. Autor do livro Lesados e Outras Peças.

- YURI YAMAMOTO Diretor e fundador do Grupo Bagaceira de Teatro, Yuri é ator formado pelo Colégio de Direção Teatral, do Instituto Dragão do Mar. Autor, artista plástico, figurinista e cenógrafo, Yuri se destaca por fundir na cena, de modo muito próprio, suas diversas habilidades plásticas. Dentre esquetes e peças longas, já assinou a direção de mais de 20 espetáculos, como: Lesados, O Realejo, Meire Love, Tá Namorando! Tá Namorando!, PornoGráficos s e Engodo. Também envolvido com audiovisual, dirigiu vídeos como On My Own e Papel Seco.


TEXTO:

Rafael Martins

DIREÇÃO:

Yuri Yamamoto

ELENCO: Démick Lopes, Rafael Martins, Rogério Mesquita, Samya de Lavor, Tatiana Amorim e Yuri Yamamoto ATORES COLABORADORES: Christiane de Lavor, Démick Lopes, Edivaldo Batista, Paula Yemanjá, Rafael Martins, Ricardo Tabosa, Rogério Mesquita, Samya de Lavor, Tatiana Amorim e Yuri Yamamoto DIREÇÃO DE ARTE:

Yuri Yamamoto

CONFECÇÃO DE CENÁRIO:

Josué Rodrigues e Luís Carlos Nogueira

SONOPLASTIA E ILUMINAÇÃO: FOTOS E VÍDEOS:

Rafael Escócio

MATERIAL GRÁFICO: STAND BY:

Yuri Yamamoto

Jorge Ferreira

Isabelle de Morais

DIRETOR DE PRODUÇÃO: PRODUÇÃO EXECUTIVA:

Rogério Mesquita

Samya de Lavor

UMA PRODUÇÃO DO GRUPO BAGACEIRA DE TEATRO PROJETO INCERTO - OFICINEIROS: Andrea Bardawil (Corpo), Danilo Pinho (Voz), Fabíola de Paula (Corpo), Márcio Marciano (Dramaturgia), Ronaldo Costa (Iluminação) e Sidney Souto (Interpreação)


Alex Hermes, Ana Luiza Rios, Andrea Bardawil, Bruno Aboim, Duarte Dias, Fabíola de Paula, Fernanda Quinderé, Fernandes Jr., Ghil Brandão, Gustavo Portela, Ilan Gurgel, Ingrid Ferreira, Izabel Gurgel, Jadeilson Feitosa, Joel Monteiro, Juliana Carvalho, Káthia Sousa, Kiko Bloc Boris, Levy Mota, Magela Lima, Maíra Araújo, Marcley de Aquino, Marina de Botas, Marta Aurélia, Natasha, Paulo Victor, Raimundo Severo, Rejane Reinaldo, Renata Dias, Robson, Rodrigo de Oliveira, Rodrigo Frota, Rozilda Amorim, SESC, Talita Lopes, Suzy Élida Lins, Teatro Máquina, Tércia Montenegro, Thiago Arrais, Veronica Guedes, Walter Façanha e a todos que, de alguma forma, contribuíram com o grupo nesses dez anos. A todos os nossos familiares. Dedicamos o espetáculo a Alexsandro de Abreu, Fabio Vieira, Gracyella Santos, Isabella Cavalcanti, Jorge Luís Viana (in memoriam), Lívia Guerra, Luiza Torres, Vivian Queiroz e Silvero Pereira.


Grupo Bagaceira de Teatro - Rua João Lobo Filho, 62 Fátima - Fortaleza - Ce CEP: 60055-360 +55 85 3472.2131 / 8782.4624 gbagaceira@yahoo.com.br twitter.com/gbagaceira youtube.com/gbagaceira

Patrocínio

Apoio

Programa InCerto  

do grupo bagaceira, nos seus 10 anos.