Page 1


Texto João Vitor Ferreira Ilustração João Vitor Ferreira Diagramação João Vitor Ferreira História baseado nos livros Kojiki e Nihonshoki


C

onta-se que no início a Terra e o Céu não eram separados, assim como o Yin e o Yang também não estavam divididos. Então, foi criada uma massa, que após nascer, fez com que a arte mais clara se tornasse o céu, enquanto a mais escura se tornasse a terra. Depois disso foram formando-se os primeiros deuses, inclusive Izanagi e Izanami, os dois últimos deuses a nascerem nas Altas Planícies do Céu, conhecida como Takaamahara, a inicial morada dos deuses. Foram estes dois que criaram o mundo e pararam sobre a Ponte Flutuante do Céu, e com uma lança mexeram o oceano para dar origem à primeira ilha – Onokoro – na qual desceram e construíram um palácio com um pilar, também conhecido como coluna celeste, em volta da qual caminharam cada um numa direção. Ao encontrarem-se, uniram-se em matrimônio e deram origem a oito ilhas muito belas, que então formaram o Japão. 2


A

lém delas, Izanami também deu à luz muitos deuses, como o Deus da Montanha, do Mar, do Vento e do Fogo, também conhecido como Kagutsuchi. Este último queimou o ventre da mãe ao nascer, sendo responsável pela morte dela, que foi enterrada na fronteira entre Izumo e Houki. Perdido em raiva, Izanagi matou Kagutsuchi. Inconformado com a morte de Izanami, Izanagi empreendeu uma viagem a Yomi ou "a terra sombria dos mortos" atrás de sua amada. As saídas de Yomi eram guardadas por criaturas terríveis e aonde os mortos iam para apodrecer por tempo indefinido. Izanagi procurou Izanami e rapidamente a encontrou. Inicialmente Izanagi não poderia vê-la porque as sombras a escondiam, então ele pediu a Izanami para ela voltar com ele. Izanami disse que era tarde demais, pois já tinha comido o alimento do submundo e pertencia agora à terra dos mortos. Izanagi ficou chocado com a notícia, mas concordou em retornar ao mundo superior, mas antes pediu para deixá-lo dormir junto a ela na entrada do submundo. 4


E

ntão, enquanto dormia a seu lado, Izanagi pegou um pente que prendia o cabelo de Inazami e ateou fogo no objeto para usar como uma tocha. Ele observou, assim, a forma horrível de Izanami, que outrora era tão bela e graciosa e agora era uma forma de carne em decomposição que dava luz a vários demônios, com vermes e criaturas demoníacas deslizando sobre seu corpo. Ela, percebendo a audácia de seu marido, mandou os demônios o perseguirem. Fugindo das criaturas demoníacas, Izanagi pegou o pente e o quebrou, jogando seus pedaços no chão. Os demônios, famintos, devoraram os brotos de bambu que surgiram do pente. Izanagi fogiu dos demônios, e rolando uma pedra enorme, os prendeu no Yomi. Izanagi, furioso por Izanami lhe trair, usou os poderes do sol e destruiu todos os demônios. E assim começou a existência da morte, conhecida como Shinigami, causada pelo orgulho de Izanami. 6


A

o atingir o mundo superior, Izanagi sentiu-se maculado por ter ido ao mundo dos mortos e decidiu purificar-se num rio. Ao banhar-se, lavou primeiro seu olho esquerdo, do qual fez nascer a grande deusa do sol, Amaterasu, a quem concede o domínio do Takaamahara além de oferecer um colar de pedras. Ao lavar seu olho direito, criou o deus da lua, Tsukiyomi, a quem concede o domínio da noite. E ao lavar seu nariz fez surgir Susanoo, deus da tempestade, a quem concede o domínio do mar. Esses três deuses fornecem energia ao sol, à lua e ao mar, permitindo assim as atividades do universo. 8


A

materasu possuía um belo relacionamento com seu irmão Tsukiyomi, com quem havia sido casada até ele matar a deusa do arroz, Ukemochi. É por essa razão que desde esse dia, noite e dia estão sempre separados. Já a relação entre ela e seu irmão mais novo, Susanoo, desde o início era conturbada e instável, pois este vivia aprontando, causando-lhe danos e aborrecimentos. Além disso, ele não conseguia superar a morte de sua mãe, e por isso vivia chorando e se lamentando, causando grandes danos às florestas, rios e montanhas. Para solucionar esse problema, seu pai Izanagi mandou que deixasse o mundo terrestre e descesse para Yomi ficar ao lado de sua mãe. Então, antes de partir, Susanoo decide despedir-se de sua irmã Amaterasu, que desconfiada de suas intenções pega seu arco e ataca-o com suas flechas. 10


P

ara provar que suas intenções eram boas, Susanoo propõe um acordo. Como sinal de amizade, eles geraram descendentes a partir dos talismãs sagrados de cada um. Primeiro Amaterasu pega a espada de Susano e a mastiga. Da fumaça expirada por Amaterasu nascem três deusas, as Munakata Sanjojin. Então, Susano pega um colar de joias de Amaterasu e a mastiga. Da fumaça expirada por Susano, nascem cinco deuses, todos homens. Amaterasu diz que os deuses que nasceram por último foram feitos a partir de um objeto seu, portanto são filhos dela. Amaterasu afirma também que as deusas que nasceram antes são filhas de Susanoo. Todos os deuses dominavam um elemento da criação e da destruição cada. Das deusas mulheres uma dominava o ar, outra a luz e a outra a natureza. Dos deuses homens um dominava o fogo, outro o trovão, outro a terra, outro a água e o último dominava as trevas. 12


P

orém, a felicidade durou pouco... Susanoo teve seus ataques de selvageria novamente: destruiu os campos de arroz de sua irmã, jogou excrementos em seu palácio e para completar, jogou um cavalo morto celestial no grande salão onde ela e outras deusas teciam. Todas ficaram muito horrorizadas, e Amaterasu, muito assustada, decidiu esconder-se na Caverna Rochosa, Iwayado, uma caverna funda que se localizava no centro da terra. Como resultado da ação inconsequente de Susanoo, o mundo mergulhou no caos e na escuridão.

14


O

s deuses fizeram de tudo para convencê-la a sair de lá, mas foi em vão. Até que seu irmão Tsukiyomi teve uma ideia: simulou uma grande festa e convidou a deusa da chuva e felicidade, Ame no Uzume, para dançar. Os deuses então penduraram joias e o Espelho de Oito Lados na sagrada árvore Sakaki, que se localizava em frente à caverna, para tentar iludir Amaterasu, convencendo-a de que ainda havia luz no mundo apesar de sua ausência. A deusa Ame no Uzume, com sua dança, conseguiu fazer todos os deuses rirem, e isso chamou a atenção de Amaterasu, que curiosa, abriu um pouco a entrada da caverna para ver o que estava acontecendo. Nessa hora, os galos começaram a cantar e as joias e o espelho pendurados na árvore refletiram toda luz que a deusa emanava. Quando ela abriu a entrada um pouco mais, o deus Ama no Tajikara-wo puxou Amaterasu para fora e fechou a caverna. E a partir desse dia Amaterasu nunca mais se retirou, e o Japão teve seu brilho de volta para todo o sempre. 16


A origem do mundo (e o dia em que ele perdeu seu brilho)  

Projeto para conclusão do 1º período em Fundamentos do Design.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you