Page 1

Escrever Escrever

Bendita Cocaína

Bendita cocaína1 “O que levam na carrinha?”, pergunta o guarda fronteiriço de uniforme impecável à entrada no Senegal em Rosso. Na mão esquerda folheia com displicência os nossos documentos. A direita repousa sobre a metralhadora. O semblante cerrado é a sua outra arma, numa cara negra pontuada por dois grandes olhos encarniçados. “Cocaína para as criancinhas”, responde Enrique de forma pausada. Com esta vergastada surpresa, quatro pares de olhos esbugalhados alvejam-no. Encontramos nele um ar sério, na calma de duas esferas azuis, sob os óculos e a barba ruiva. Quase de imediato, com a cabeça imóvel, olho o guarda hirto. Adivinho-lhe a mão direita tensa, tacteando a cuspidora de chumbo. Entre ambos, o duelo de olhares quedos não desarma. Naquele momento, ouvimos o inaudível: o engolir em seco, a gota fria de suor que escorre da testa, o silêncio do pestanejar ausente.

–1– 2010 © José Bragança Pinheiro (http://clipFile.weebly.com)


Escrever Escrever

Bendita Cocaína

Quase em simultâneo, escancaram os rostos em duas sonoras gargalhadas. A piada torna-se agora evidente. O rubor da cara bate-me no estômago e sinto o calor dissiparse nas veias.

Foram alguns segundos numa aventura de semanas. Talvez por serem tão poucos, cabem no bolso interior do casaco de viagem.

1

Esta história não foi vivida pessoalmente pelo autor. Trata-se de um exercício criativo de ficção baseado num episódio contado por amigos. Exercício de escrita no âmbito do curso Escrita de Viagens da Escrever Escrever. Objectivo: escrever sobre um episódio marcante em menos de mil caracteres.

–2– 2010 © José Bragança Pinheiro (http://clipFile.weebly.com)

Bendita Cocaína  

Esta história não foi vivida pessoalmente pelo autor. Trata-se de um exercício criativo de ficção baseado num episódio contado por amigos....

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you