Page 1

23 Junho 2008 1 Euro

Jornal

Escolar

a ponTe

Ponte s. f. construção que permite a passagem de uma via de comunicação sobre um curso de água ou vale; NÁUTICA pavimento, a todo o comprimento do navio, para o cobrir; construção elevada, no tombadilho do navio, e no sentido bombordo-estibordo, geralmente junto do mastro da proa, donde se governa e dirige a manobra; conjunto de dentes postiços ligados aos naturais por meio de uma placa metálica; ~ levadiça ponte de tabuleiro móvel em torno de um eixo horizontal; ~ pênsil ponte na qual o tabuleiro está suspenso dos cabos que suportam o sistema; estar como um tolo no meio da ~ estar perplexo (Do lat. ponte-, «id.»)

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

DESTAQUE 1

Biblioteca Escolar ganha Prémio Pierre Fabre “Cuido de Mim”

A nossa escola é a grande vencedora do Projecto «Cuido de Mim», na categoria 2º ciclo, Prémio Pierre Fabre, instituído pela Pierre Fabre Dermoscométique, Lda, com a alta colaboração do Ministério da Educação e da Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular. O prémio é 5000 euros em material para a Biblioteca Escolar. Esta candidatura teve como objectivo sensibilizar os alunos para conceitos básicos de protecção da pele – protecção solar e, para efeitos de concurso, foi apresentada uma perfomance em palco “ Nações Unidas das Regiões da Pele” que teve por base a música e a representação. A Escola EB 1 Igreja - Milheirós de Poiares também concorreu e obteve o sexto lugar na sua categoria. A cerimónia de entrega de prémios, na qual as escolas vencedoras deverão apresentar o seu trabalho realizar-se-á no Auditório do Centro Social Padre Ramos, em Lavra (Matosinhos), no dia 12 de Junho, pelas 15h. Para esta cerimónia, serão convidados elementos ligados à autarquia, à cultura e à educação.

DESTAQUE 2 Entrevista ao Sr. Manuel Soares Gomes O jornal da escola, nas edições deste ano lectivo, está a dar uma maior ênfase ao património cultural e histórico de Milheirós e das freguesias donde provêm os nossos alunos. Personalidade de reconhecido valor e mérito cultural, fomos ao encontro do Sr. Manuel Soares Gomes, homem de teatro, com notável sentido de observação.

DESTAQUE 3

Trabalho de Pesquisa sobre a História Local (Toponímia)

Com a finalidade de conhecer a História Local, iniciamos o processo de um trabalho de pesquisa que se pretende seja partilhado e vivenciado pela comunidade das freguesias de Romariz, Pigeiros e Milheirós de Poiares. Como veículo de divulgação da História, a toponímia é um instrumento fundamental de preservação da cultura e da identidade local, que contribui para a valorização histórica dos costumes, pessoas, SUMÁRIO datas, eventos e lugares. Editorial e Ficha Técnica 2 Como salienta o historiador Veríssimo Artigos de Opinião 2 Serrão, a atribuição dos topónimos numa Entrevista 3a4 localidade não só é um trabalho que valoriza Desporto Escolar 4a8 a história local, como representa também Saúde e Alimentação 8a9 “um sinal de gratidão para com aqueles Biblioteca Escolar 9 a 13 que fizeram um trabalho meritório pela sua Projectos e Actividades 14 a 20 A Magia das Palavras 20 e 24 terra”. À Descoberta 24 a 28 O presente trabalho foi desenvolvido pelos Dias Especiais 19 a 23 alunos do 6ºano de escolaridade na disciplina À Descoberta 23 a 24 de História e Geografia de Portugal. Dias Especiais 28 a 30 Iniciámos um trabalho de pesquisa sujeito Actualidades 31 a 34 aos ajustes necessários em salvaguarda e Passatempos e em Francês e Inglês. 34 a 36 perpetuação de uma memória local. ... à Descoberta da Nossa TERRA 36 a 40


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

EDITORIAL

“É uma infinita tristeza,…”

a ponTe

Em vinte e tal anos de serviço, não me lembro de ano tão difícil! Tanta turbulência, tanta revolta, tanto descontentamento, tanta instabilidade! Agora compreendo o desânimo e o desespero de tanta gente. Somos sobreviventes desta embarcação neste mar revolto. Piratas e prisioneiros em busca de porto seguro, terra à vista, ilha encantada. Longe vão os tempos da Balada da Neve, em que batiam leve, levemente…Havia tempo para pensar! Pensar nos sons da natureza, na chuva, no vento, na neve:.. …Contemplar as cores da natureza, o azul cinzento do céu, a brancura da neve…Observar os sinais, reflectir sobre as dores das crianças e os males do mundo. Hoje, tudo passa e ninguém dá por nada. Anda tudo alienado, a levitar. Baratas tontas, stressados, desorientados, malucos às portas da loucura. Querem-nos transformar em números, em coisas, peças de uma ignição, de uma máquina maliciosa. Querem medir tudo, com muito rigor, até ao milímetro. Prestar contas, prestar contas. Obsessão! Chamam-lhe mundo competitivo, moderno. Só avança quem for robot! E as pessoas? As pessoas que moram dentro dos alunos (como alguém dizia), as pessoas que moram dentro dos professores, as pessoas que moram dentro das gentes? E os animais? E a natureza? Bem, a Mãe Natureza de vez em quando, amuada, esquece-se dos homens e, sem consultar nem prevenir os inquilinos, manda que lavrem a terra e o mar para uma nova sementeira.

FICHA TÉCNICA ARTIGOS DE OPINIÃO

Milheirós de Poiares 5 de Junho de 2008 Ana Paula Oliveira

PRIMEIROS ALUNOS DOS CEF’S DA ESCOLA DE MILHEIROS DE POIARES NO BOM CAMINHO

O desafio surgiu no final do ano lectivo 2006/07-a criação dos cursos de educação e formação na Escola E. B. 2,3 de Milheiros de Poiares a partir do ano lectivo seguinte, no sentido de diversificar a oferta da escola, proporcionar uma formação alternativa para alunos que não se identificam com o sistema “tradicional” e, ou que pretendem uma via profissionalizante. Assim, no presente ano lectivo (2007/08) encontram-se em funcionamento três cursos CEF- Acompanhamento de crianças e jovens (tipo II), Canalizadores (tipo II) e Electricista de Instalações (tipo III) e EFA (curso de formação de adultos). Neste momento, os alunos de CEF electricistas de instalações, concluíram com aproveitamento o respectivo curso estando nesta altura a frequentar a FCT (formação em contexto de trabalho) em diversas empresas (OPINLUX sita na freguesia de Cesár, Irmãos Tavares sita em Malaposta Santa Maria da Feira, Edgar Peralta sita em Milheiros de Poiares). Uma vez que sem o apoio e colaboração da comunidade envolvente a consecução dos nossos objectivos seria impossível, agradecemos a todas as empresas (JCMoreira, Ovarmat, Vulcano, Dewalt, Bosh, O Gerador Luminoso, Farmácia de Milheiros, Centro Social Dr. Crispim e Milheiroense – Grupo Desportivo) que colaboraram com a escola na formação e oferta de material. No seguimento deste projecto, no próximo ano lectivo, a escola visa diversificar a sua oferta apostando na continuação dos cursos já existentes (Acompanhamento de crianças e jovens, Canalizadores e Electricistas de Instalações), acrescido do curso de Padaria e Pastelaria tipo 2. a ponTe 23 Propriedade Agrupamento de Escolas de Milheirós de Poiares Equipa de Directores Ana Isabel Cruz, Cândida Gonçalves, Isaura Coelho, José Alberto Rodrigues, Júlia Pinto, Julieta Cerqueira. Coordenação | Concepção Gráfica José Alberto Rodrigues Paginação e Layout José Alberto Rodrigues Impressão Rainho e Neves Lda. | Stª Mª da Feira Tiragem 800 Exemplares Textos e Artigos Os textos são da responsabilidade de quem os produziu.

2


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

Entrevista ao Sr. Manuel Soares Gomes

O jornal da escola, nas edições deste ano lectivo, está a dar uma maior ênfase ao património cultural e histórico de Milheirós e das freguesias donde provêm os nossos alunos. Personalidade de reconhecido valor e mérito cultural, fomos ao encontro do Sr. Manuel Soares Gomes, homem de teatro, com notável sentido de observação. Há quanto tempo está ligado ao teatro? Há mais de cinquenta e cinco anos. Dediquei a minha vida ao teatro em Milheirós. Sr. Manuel Soares Gomes, como é que chega ao Teatro amador? Desde os quatro anos que me levavam ao teatro e daí a minha paixão pela representação. Nessa altura ainda não havia electricidade, o teatro era feito num barracão cedido pelo Dr. Crispim, que foi o grande impulsionador do teatro em Milheirós. Na altura ele trazia ideias bastante arrojadas, trouxe uma zarzuela de Paris (representação típica de Espanha e França) e traduziu-a para português e na altura teve grande impacto já que era uma coisa completamente nova. Eu sempre tive muito boas relações com o Dr. Crispim e fui entrando para esse mundo da representação. Em 1945, eu, o Sr. António Resende Bastos e o Sr. Serafim Tavares da Silva, fundamos o “Metonarizentudo”. Começou-se assim a fazer teatro num barracão feito com ripas, as luzes eram dois holofotes forrados com papel celofane, o povo começou a gostar e começou-se a representar com o “pano aberto”. É autor de que tipo de textos? Escrevi muitas canções, hinos, marchas e revistas. Das revistas, posso destacar “Pão de Milheirós”; “Milheirós no Palco”; “Um sonho Dourado”, entre outras. Quais são os principais temas privilegiados para representação? Os temas relacionados com Milheirós, nomes de lugares e santos da terra, os meus textos retratam todos os pormenores locais: caminhos alagados, peixes mortos no rio, alminhas esquecidas, moinhos abandonados, cortejos competitivos, canseiras da vida agrária na produção do milho, como as desfolhadas. Limita-se a tratar apenas dos problemas de Milheirós? Não, as questões nacionais também estão presentes nos meus textos, a crítica aos deputados, aos políticos e aos partidos, até mesmo aos arrumadores. Qual foi a melhor gratificação que recebeu pelo seu trabalho? A maior gratificação foi a Junta de Freguesia publicar o livro “Milheirós no Coração”. Gostaria que nos falasse um pouco do livro “Milheirós no Coração”. A minha filha tinha reunido todos os meus trabalhos. Um dia por acaso, mostrei-os ao Sr. Manuel Almeida. Ele gostou muito ao ponto de ter ficado com o manuscrito. Discutido em Assembleia, foi aprovada a sua publicação. Como é o trabalho de encenação? É um trabalho muito gratificante, auxiliamos os autores, levamo-los ao aperfeiçoamento. Trabalhei com gente muito dinâmica e com talento, porque sem talento nada se consegue. Qual é o papel do público? Há muita adesão do público em Milheirós aos espectáculos?

Sr. Manuel Soares Gomes com a Presidente do Conselho Executivo

Havia muita adesão por parte do público e este gostava essencialmente de revistas ousadas. Exemplo disto, foi a revista “Sonho Dourado” que apresentou um bailado muito apreciado e a revista “Viva a Alegria” com grande êxito, uma peça cómica que conseguiu pôr todo o povo a rir. Com que apoios contou? E com que dificuldades se deparou frequentemente? As maiores dificuldades eram realmente a falta de espaço. Lembro-me de ter de andar a pedir cadeiras para pôr no meio da plateia porque as pessoas não tinham onde se sentar, muitas pessoas tinham que assistir ao espectáculo de pé. Ainda há poucos anos se fizeram aqui lindas revistas com boas músicas, mas isso só foi possível graças à disponibilidade da Sr.ª professora Ana Paula que nos ajudou muito. Neste âmbito do teatro, que mensagem gostaria de deixar aos alunos da nossa escola? Queria que aqueles que têm disponibilidade e talento se dediquem à representação, porque realmente vale a pena, o teatro é muito gratificante. A equipa do jornal “ A Ponte” agradece a colaboração prestada pelo Sr. Manuel soares Gomes em prol da divulgação e preservação do Património Cultural de Milheirós.

ENTREVISTA AO PRESIDENTE DA JUNTA DE FREGUESIA DE MILHEIRÓS DE POIARES SR. CASIMIRO LOUREIRO Esta entrevista faz parte de uma sequência de outros testemunhos que o nosso jornal tentou colher ao longo deste ano lectivo no sentido de contribuir para um enriquecimento da nossa comunidade escolar no que se refere às questões do património desta região, nomeadamente das freguesias deste agrupamento escolar. Assim, solicitamos também a sua colaboração para esse contributo. 1- O que gostaria de salientar em termos de património em Milheirós de Poiares? Temos uma escola E.B.1 de que nos podemos orgulhar, uma igreja cujo interior é rico. Quanto ao resto, temos a E.B.2/3,o Centro Social, a Casa da Mámoa que se está a recuperar, uma zona de lazer junto ao rio Úl. 2- Pensa que os habitantes de Milheirós respeitam aquilo que a freguesia tem de valor no que se refere a todo o tipo de património? Essa é uma pergunta um pouco difícil de responder, não temos casos de vandalismo recentemente, as pessoas têm respeitado aquilo que temos, há uns anos a igreja foi 3

E N T R E V I S TA

a ponTe


E N T R E V I S TA

Jornal

3-

4-

DESPORTO ESCOLAR

5-

6-

Escolar

do Agrupamento

de

assaltada, a escola também, mas ultimamente não tem havido ocorrências. Algumas turmas da escola, nomeadamente de sexto ano, têm feito pesquisas sobre a toponímia das ruas. Pode dizer-nos porque é que a freguesia achou por bem atribuir a algumas personalidades nomes de ruas, tais como: - Padre Manual Bastos; - António José Bastos; - Dr.Crispim Teixeira Borges de Castro; - Sebastião Soares de Resende, de quem foi erigida uma estátua de Paula Rêgo); - Joaquim Alves Moreira. O Padre Manuel Bastos foi um padre que legou à paróquia um prédio em Espinho e foi mais em homenagem a isso que lhe foi dedicado o nome de uma rua. António José Bastos deixou também uns bens no Porto à freguesia - três habitações já muito antigas na rua Faria Guimarães. Sebastião Soares de Resende ficou conhecido mais pela pessoa ilustre que foi e que é conhecida a nível nacional, foi bispo de Beira – Moçambique , era da oposição no tempo do regime salazarista e ao fazer os cem anos, a Câmara e a igreja acharam por bem prestar essa homenagem. Joaquim Alves Moreira foi também um dos doadores da escola E. B.1 de Milheirós da igreja. O Dr.Crispim foi médico, legou todo o seu património à freguesia, é sobejamente conhecido e espero que a escola tenha o bom senso de o homenagear com o seu nome. Falando agora de outro assunto, sabe qual o ponto da situação para a praia fluvial prevista para Milheirós? Este é um projecto que já se arrasta há anos, agora o projecto esta a ser executado pela Universidade Católica e esperemos que este ano possa ir alguma coisa a concurso. O que pensa que a escola pode fazer para incutir nos mais jovens o respeito por estas questões? A escola pode fazer muito, reconheço que é muito difícil. Acho que é fundamental a escola procurar incutir nos jovens mais respeito pelo património. Acho que a escola tem feito um bom trabalho, embora nem sempre obtenha resultados, se a escola não se esforçasse, o que seria… Há alguma curiosidade ou história caricata ligada à tradição de Milheirós que nos queira contar? Honestamente, não sei contar nenhuma história, creio que era enriquecedora a tradição do cultivo do linho, aqui em Milheirós existiam varias casas que o faziam, os homens ripavam o linho, as senhoras arrancavam, é uma tradição engraçada para se recordar porque há muita gente que não sabe como é

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

Presidente da Junta de Freguesia de Milheirós de Poiares

7-

8-

9-

10-

que o linho era tratado. Aliava-se o trabalho ao divertimento, um pouco como as desfolhadas. Conhece a origem dos nomes Milheirós e Poiares? Milheirós resulta do facto de haver um lugar - ainda hoje existente na freguesia e denominado Lugar de Milheirósonde havia muitos milheirais. Poiares serviu para distinguir de outro Milheirós que existe no concelho de Sta Mª da Feira. Que mensagem gostaria de deixar à nossa comunidade escolar? O vosso futuro vai depender muito da vossa formação escolar, por isso nesta fase da vossa vida devem ser aplicados, porque amanhã irão tirar proveitos disso e para que os homens do futuro que sois vós sejam melhores. Existe alguma biografia sobre o património da terra que pudesse ser facultada aos alunos para os seus trabalhos sobre este tema? Temos uma revista que posso facultar para a biblioteca da escola, onde tem a explicação de alguns dos nomes atribuídos às ruas da freguesia de Milheirós de Poiares. Tem algum outro assunto que não tenhamos referido e que gostaria de acrescentar ao que já falamos? Gostava de referir o projecto da zona industrial cuja construção esteve pendente durante trinta anos por causa do IC2.E agora ainda não está completamente definida mas é um desejo que temos porque será um pólo de desenvolvimento da freguesia de Milheirós. Está definido o projecto, no entanto há um bloqueio que se mantém por causa da construção das duas estradas – IC2 e A32,que estarão ligadas e serão uma forma de melhor desenvolver a terra. Agradecemos a sua preciosa colaboração, desejando muito sucesso no desempenho das suas funções na junta de freguesia.

O percurso do desporto escolar do voleibol feminino...

Tudo começa com uma inscrição, baseando-se na disponibilidade e gosto por esta modalidade porque sem o amor nada se alcança .... Um conjunto de raparigas, nomeadamente Bernardete Leal, Jéssica Oliveira, Cláudia Santos do 9ºA, Sara Matos, Ana Raquel Costa, Ana Sofia, Jéssica Correia, Fabiana Costa do 9º B, Adriana Miguel Silva do 7º B, Susana Sousa, Ana Carolina Silva, Mafalda Moreira, Nádia e Márcia do 8º B, Núria Sousa, Rosana Gonçalves, Diana Nogueira do 8ºD, dedicaram um pouco do seu tempo para treinarem e aperfeiçoarem a técnica para que na competição se obtenha êxito. Mas não só estas alunas se debruçaram neste desporto. Também a nossa treinadora, Anabela, que nos ajudou a superar as nossas dificuldades, ensinando, criticando pois, a critica é a nossa melhor professora... 4


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

Muito esforço e suor passou por nós. Depois de tantos treinos e antagonismo entre a disponibilidade e o horário começou a tensão, os nervos, o frio na barriga, aquela ansiedade que dá antes um pouco de começar a competir. Por muitos locais fomos jogar. A 1º fase decorreu em Argoncilhe(EB 2,3), Fajões(EB 2,3) e Lourosa(EB 2,3) no qual ganhamos. Na sequência dessa vitória fomos apurados na série dos primeiros para a 2º fase. Onde jogamos na ES/3 Ferreira de Castro, EB 2,3 Lourosa e EB 2,3 Corga. Esta fase não foi tão peculiar como a outra, mas enfrentamos sempre de cabeça erguida, nunca esquecendo o espírito desportista. O que nos interessava era o querer jogar voleibol, o gosto, a diversão mas com uma pitada de vontade de sairmos vitoriosas. Lutámos até ao fim, nunca desistindo. Para nós, a esperança era a última a morrer. Estavamos atentas, olhando sempre para a pontuação para ver quando é que ganhávamos e empenhávamo-nos ainda mais quando apresentávamos na tangente, na penúria entre o ganhar e o perder. É claro que por vezes não corria lá muito bem, tudo se ultrapassava com algumas palavras de conforto, elogios... Em caso de alguma falha em campo estava sempre dádiva a ajuda, o companheirismo. “Força”, “tu consegues” e “boa sorte” eram expressões muito utilizadas entre nós. Todos estes actos e sentimentos permaneciam em cada uma de nós, com mais ou com menos intensidade a vontade de querer vencer este desafio. Este conjunto de acções e emoções fizeram parte de cada jogo que vivemos, cada momento passado entre o grupo de voleibol feminino. Só uma pessoa que viveu estes instantes é que é capaz de descrever tais factos. Muitas outras reacções ficaram ausentes no texto nas presentes na nossa memória... Acabamos os jogos com uma posição, pode dizer-se boa, em 4º lugar. Valeu a pena todo o esforço apesar de algumas infelizes derrotas, mas é como tudo na vida. Ganhamos, perdemos, recuperamos, trabalhamos e batalhamos até ao fim porque quem anda por gosto não cansa.... Claúdia Santos 9ºA

Nota: Um desejo enorme de um futuro “ bué “de Bom para todas estas atletas, em especial para aquelas que nos vão deixar. Da professora Anabela

Torneio inter-turmas de Basquetebol 3x3 No dia 14 de Março de 2008, realizou-se na nossa escola um torneio de Basquetebol 3x3, com as turmas da nossa escola, envolvendo alunos dos 6º, 7º, 8º e 9º anos de escolaridade. As inscrições abertas aos interessados em participar, envolviam grupos de 4 elementos, um dos quais suplente. Os objectivos desta actividade e inserida no projecto segurança eram: - promover uma grande participação de alunos, independentemente da sua experiência, habilidade e participar de uma forma agradável contribuindo para um desenvolvimento integral dos jovens, incentivando para a prática do exercício físico. As equipas/turmas vencedoras foram: 6º ano feminino – “As Devoradoras do Basket” (6ºB). 6º ano masculino – “6ºED”. 7º ano feminino – “Coelhinhas” (7ºA). 7º ano masculino – “Os Meninos da Mamã”(7ºE). 8º ano feminino – “Tolitas”(8ºB). 8º ano masculino – “Os Gladiadores” (8ºD). 9º ano feminino – “Os Don´t Play” (9ºA). 9º ano masculino - “Men´s in Beach” (9ºB).

Desporto Escolar – Futsal Feminino Iniciado Este ano, a nossa equipa de Futsal Feminino, após ter ficado em 3º lugar, na 1º fase, concluiu a sua classificação geral em 2º ou 3º lugar (aguardamos resultados do EAE), na série C. A equipa demonstrou sempre nos jogos grande fair-play e respeito para com as colegas e equipas adversárias. As escolas/equipas com quem nos defrontamos na 1º fase foram as seguintes: a escola EB 2,3 de Arrifana, São Roque e a escola Fernando Pessoa. Na 2º fase as equipas adversárias pertenciam às escolas de Lourosa; Dairas e de Escariz. As alunas pertencentes à nossa equipa são: Tânia Almeidas, (8ºA), capitã da equipa; Liliana Casimiro (8ºA); Joana (8ºA); Rita Paiva (8ºC); Angélica Silva (8ºC); Sara Soares (8ºC); Jéssica Costa (7ºB); 5

DESPORTO ESCOLAR

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

DESPORTO ESCOLAR

Brigite Almeida (7ºB); Jessica Conceição (7ºB); Joana Pinho (8ºB); Susana Nascimento (8ºB); Catarina Rocha (7ºE); Joana Silva (7ºE); Beatriz Rodrigues (7ºE); Vera Paiva (7ºE); Tânia Silva (7ºE), Adriana Silva (7ºE). As alunas Adriana (7ºB); Cátia Simões (7ºB); Diana (7ºE), Ana Lúcia (7ºE); e os alunos Xavier Pereira (7ºE), Fábio Valente (7ºE), Carlos Avelar (8ºC) e o aluno Marcelo (8ºC) também colaboraram na participação dos treinos realizados semanalmente. Os alunos Rui Gomes e João Bastos, ambos pertencentes à turma do 8ºC, foram responsáveis por arbitrar, secretariar e cronometrar os jogos realizados durante este ano lectivo. Queríamos agradecer à nossa professora/treinadora Susana Henriques pelo esforço, dedicação e paciência que demonstrou e disponibilizou para com a equipa.

a ponTe

Rita Paiva – 8ºC

Dia Radical – CEF´s No dia 16 de Abril de 2008, realizou-se no ginásio da escola e no recinto exterior o “Dia Radical”, destinado aos alunos do CEF – Canalizadores, Acompanhamento a Crianças e Jovens e Electricistas. Esta actividade organizada pelas professoras de Educação Física: Anabela Silva, Carla Cardoso e Susana Henriques pretendia complementar o módulo de Dança (Step e Body Combat), modalidade integrante no programa dos CEF`s. Foi abordada de uma forma entusiástica pelo formador Paulo Jorge de Oliveira, professor na escola EB 2,3 de São João da Madeira. Com este módulo pretendia-se que os alunos explorassem o espaço segundo diversos ritmos, direcções e de acordo com o ritmo musical. Neste dia os alunos também puderam vivênciar a subida e descida na parede escalada e participar no slide, montada pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, à qual agradecemos. Nesta actividade colaboraram as alunas do Desporto Escolar (actividades rítmicas e expressivas) e o Conselho Executivo da escola EB 2,3 de Milheirós de Poiares. Professoras Anabela Silva , Carla Cardoso e Susana Henriques

DESPORTO ESCOLAR - futsal iniciado masculino No passado dia 14 de Maio, terminou a segunda fase da competição da modalidade futsal iniciado masculino. Após a equipa ter terminado em segundo lugar na série anterior, foi disputar o 5º, 6º, 7º e 8º lugar, com as equipas que terminaram em segundo lugar nas quatro séries existentes. Assim, fizeram parte desta série as equipas das escolas Secundária Oliveira Júnior de S. J. da Madeira, Secundária Soares de Bastos de Oliveira de Azeméis, E.B.2,3 Domingos Capela de Espinho e a E. B. 2,3 Milheiros de Poiares. A classificação final foi a seguinte: 5º lugar- Escola Secundária Oliveira Júnior de S. J. da Madeira, 6º lugar- Escola E.B. 2,3 Domingos Capela 7º lugar- Escola E.B.2,3 de Milheirós de Poiares 8º lugar- Escola Secundária Soares de Bastos de Oliveira 6

de Azeméis. A equipa oficial foi composta pelos seguintes alunos: Abílio Almeida (9ºB), Nuno Oliveira (9ºB), Fábio Xavier Rocha (9ºB), João Paulo Costa (9ºB), Rui Fonseca (9ºB), Hélder Ribeiro (9ºB), Sérgio Costa (9ºB), Hugo Cardoso (9ºA), André Almeida (8ºB), Tiago Santos (8ºB), Fábio Santos (8ºB), Nelson Ribeiro (8ºB), Hélder Aguiar (8ºD), António Rebelo (8ºD), Daniel Couto (8ºD), Tadeu Gonçalves (8ºD), António Rebelo (8ºD). Não podemos deixar de enaltecer o trabalho dos árbitros António José Silva (9ºB), André Almeida (8ºB), Wilson Cardoso (7ºB) e de todos os que diariamente aparecem nos treinos, infelizmente não poderam jogar 50 alunos.


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

MEGAS No dia 11 de Março de dois mil e oito, realizou-se na Pista de Atletismo de Lourosa o MegaSprinter, MegaSalto e MegaKM regional, organizado pelo Centro de Área Educativa Entre Douro e Vouga. Esta competição coincidiu com a inauguração da pista de atletismo de Lourosa e além de ilustres autarcas da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, também estiveram presentes atletas nacionais, como Aurora Cunha e Manuela Machado que, de forma activa deram o seu contributo no aquecimento dos alunos e na organização das diferentes provas. As provas foram organizadas e arbitradas com a parceria da Associação de Atletismo de Aveiro. Nesta prova participaram a selecção do melhor aluno e da melhor aluna por escalão de cada escola pertencente ao EAE Entre Douro e Vouga. Foram representar a Escola E. B. 2,3 de Milheiros de Poiares no megasprinter (corrida de velocidade 40m) os alunos Maria Neves (5ºA), Cassandra Almeida (5ºE), Luis Silva (7ºB), José Carlos(6º B), Cátia Rodrigues (7ºE), Joana Silva (7ºE), Xavier Almeida (7ºD), Rui Moreira (7ºC), Adriana Moreira (7ºE), Joana Almeida (7ºD), Tiago Mota (8ºA ), Tiago Santos (8ºB), Patrícia Santos (7ºD),Vânia Simões ( 9ºA ), Hugo Ferreira ( 9ºA ) e Nelson Monteiro ( 9ºA ); no o megasalto (salto em comprimento) os alunos Maria Neves (5ºA), Luis Silva (7ºB), Cátia Rodrigues (7ºE), Xavier Almeida (7ºD), Tiago Santos (8ºB), Vânia Simões (9ºA ) e Nelson Monteiro (9ºA ); no megakm (corrida de resistência 1km) os alunos Ana Miguel (5ºE), Marcelo Castro (5ºA), Ana Rita (6ºE), Ricardo Loureiro (7ºD), Liliana Santos (8ºA), Wilson Cardoso (7ºB), Marta Escobar (9ºC) e Rui Nogueira (9ºA). Um dos aspectos negativos da prova prendeu-se com as condições climatéricas, visto que choveu toda a prova e a pista não estava provida de espaço coberto para os alunos se protegerem enquanto esperavam pela sua prova.

Desporto Escolar – Clube de Dança Este Clube orientado por mim, Isabel Valente, participou num quadro competitivo com mais treze grupos de Escolas pertencentes ao Desporto Escolar Entre Douro e Vouga. Numa primeira fase, onde os encontros se realizaram na Escola de Vale de Cambra e na nossa Escola, ficamos apurados para disputar os oito primeiros lugares. O encontro final, decorreu no Colégio de Lamas, com a competição das oito escolas, ficando o nosso grupo classificado em quinto lugar. No dia 28 de Maio decorreu o encontro de encerramento, com todas as Escolas participantes, na Escola E. B. 2/3 D. Frei Caetano Brandão – Loureiro.

7

DESPORTO ESCOLAR

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

DESPORTO ESCOLAR

Todos os alunos, deste clube, estão de parabéns pelo Palestra de alimentação seu empenhamento e interesse ao longo deste ano A escola E. B. 1 Igreja levou a efeito uma acção de sensibilização, lectivo. no dia 9 de Maio, subordinada ao tema «Alimentação saudável» para toda a comunidade educativa. Esta iniciativa insere-se na preocupação da escola em criar espaços de reflexão sobre temáticas de interesse educacional para pais e encarregados de educação. Para o efeito, a escola convidou a nutricionista Drª Clara Silva, do Pelouro da Educação, que abordou as questões alimentares, na infância, de uma forma simples, directa e objectiva. Tendo sensibilizados em todos os presentes que se mostraram participativos, questionando a nutricionista sobre atitudes e comportamentos a ter perante a alimentação dos seus filhos. Foi num ambiente informal, um momento enriquecedor de partilha e formação.

SAÚDE E ALIMENTAÇÃO

Os docentes da Escola E. B. 1 Igreja – Milheirós de Poiares

de Teatro “Mª Paulos” a trazer, no dia 13 de Junho, a Milheirós de Poiares, a peça “Deixemos o Sexo em Paz” de Dario Fo – Prémio Nobel da Literatura. Classificado pelo Sindicato das Artes e Espectáculos como “Espectáculo profissional de grande qualidade e de enorme interesse “Deixemos o sexo em paz” pedagógico que deve ser visto tanto por jovens como por adultos!”, de Dario Fo foi também divulgado na página da FERLAP - Federação Regional (Prémio Nobel da Literatura - 1997) de Lisboa das Associações de Pais, por ser considerado de enorme interesse pedagógico. O Agrupamento, no âmbito do seu Projecto de Uma comédia, em forma de conferência, onde a brincar se analisa o Educação para a Saúde – PESA, convidou a Companhia estado da educação sexual na sociedade, onde, para muitos, é ainda 8


Jornal

Escolar

do Agrupamento

tema tabu. Para além de ser um belo exercício teatral realça a importância da vivência de uma sexualidade saudável, bem informada e livre, sem que nunca se esqueça a responsabilidade e o respeito pelo outro. Aos alunos dos 9º anos e cursos CEF foi-lhes dada a possibilidade de assistirem à peça de forma gratuita, graças ao patrocínio da Câmara Municipal de Santa Mª da Feira. Assim, estes alunos que, na sua maioria deixaram agora o ensino básico ou o curso de formação, puderam levar consigo algo mais que o seu diploma…umas boas risadas e alguns conselhos, pois “a brincar também se fala de coisas sérias”! No mesmo dia, à noite, a sessão esteve aberta a toda a comunidade… dos 12 aos 150 anos!... A Coordenadora do PESA Suzana Duarte

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

Rastreios Gratuitos

SAÚDE E ALIMENTAÇÃO

a ponTe

Nos dias 5 e 19 de Junho a E.B. 2,3 de Milheirós de Poiares será palco de mais uma iniciativa com vista à Promoção da Saúde de toda a comunidade. Desta feita, serão realizados rastreios gratuitos à População Discente e ao Pessoal Docente e Não Docente do Agrupamento, bem como aos utentes dos Centros de Dia das freguesias pertencentes ao Agrupamento, que aceitarem o nosso convite. Os mesmos serão efectuados pelo PASOP – Projecto Ambulatório de Saúde Oral e Pública, da Universidade Fernando Pessoa - Porto, entidade à qual, no nome do Dr. Jacinto Duraes, muito agradecemos. Os rastreios previstos serão nas valências de: Medicina Dentária – Higiene Oral (exclusivamente para alunos); Terapêutica da Fala; Análises Clínicas e Saúde Pública – Colesterol e Glicemia; Enfermagem – controlo de Tensão Arterial e Osteoporose. Como todos sabemos: O rastreio é a forma mais fácil, mais barata, menos dolorosa e com melhor possibilidade de sucesso, de prevenir e diagnosticar doenças, antes da manifestação de sintomas. Desta forma, o Agrupamento, no âmbito do seu Projecto de Saúde (PESA), quer participar nesta forma de Prevenção Secundária de Saúde e ajudar a criar/manter o hábito na comunidade de “prevenir para não remediar…” pois a detecção precoce é a melhor arma para combater a doença. A Saúde de todos é uma prioridade para nós pois acreditamos que: Uma Escola Saudável é Uma Escola Feliz!

BIBLIOTECA ESCOLAR

A Coordenadora do PESA Suzana Duarte

Dia Mundial do Livro

No Dia Mundial do livro, a velha história Catalã serviu de inspiração para a actividade realizada nas bibliotecas do 1º ciclo do Agrupamento. Segundo a velha história Catalã, neste dia, os Cavaleiros ofereciam às suas Damas uma rosa vermelha de S. Jorge e recebiam em troca um livro. Neste dia tão especial para todos aqueles que gostam de livro, os alunos trouxeram à biblioteca uma rosa e uma letra de uma música, adaptada aos livros/leitura, em troca ouviram uma história “Livro Activo” e «Olá, eu sou um livro» e receberam um livro. Os docentes foram os guardiães da Dama - a Biblioteca -, e os alunos foram armados Cavaleiros pela coordenadora e pelos guardiães. Foi neste ambiente festivo proporcionado pelo encantamento dos livros, que os alunos – Cavaleiros - dedicaram as suas canções e rosas à delicada e muito amada Dama – Biblioteca. Se quiserem ouvir as canções que as turmas adaptaram com muita imaginação, apareçam na Festa do Agrupamento pois elas vão ser apresentadas a toda a comunidade educativa. Para que este dia seja lembrado por muito tempo, registamos esta actividade num livro gigante, que conta com as nossas 9


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

a ponTe

BIBLIOTECA ESCOLAR

rosas oferecidas pelos alunos e as letras das músicas que Tudo a Ler cantaram na Festa do Dia Mundial do Livro, nas Bibliotecas. “Partilhar livros e flores, nesta Primavera, é prolongar uma Na Semana da Leitura, no dia 6 de Março, a Biblioteca longa cadeia de alegria e cultura, de saber e paixão.” Escolar da escola sede do Agrupamento sentiu-se bastante A Equipa das Bibliotecas orgulhosa, pois recebeu em “mãos” do Hipermercado Continente uma estante recheada com 200 livros do Plano Nacional de Leitura. Foi muito gratificante ver a alegria e entusiasmo espelhados no rosto dos alunos ao desembrulharem os presentes oferecidos nesta cerimónia de entrega, em que os livros foram as personagens principais. Bem hajam todos aqueles que colaboraram nesta campanha e que permitiram que a nossa biblioteca fosse contemplada com este prémio tão apetecível para todos os nossos leitores. A Coordenadora da BE Olívia Brandão

Leitores da Biblioteca de Igreja Romariz

Escritora Margarida Fonseca Santos anima Semana da Leitura

Todos os alunos do 4º e 5º anos do nosso Agrupamento foram presenteados, no dia 5 de Março, com a presença ao vivo e a cores da escritora Margarida Fonseca Santos. Preparados pelas respectivas professoras, os alunos apresentaram os trabalhos realizados no âmbito das obras da autora estudadas em contexto de sala de aula e colocaram diversas questões acerca da sua obra e do seu percurso como escritora. Surpreendida a todo o momento, Margarida Fonseca Santos não escondeu a satisfação de ter passado este dia junto dos nossos alunos, nas três Bibliotecas Escolares do Agrupamento. No final do encontro, os alunos tiveram a oportunidade de a escritora autografar os livros que adquiriram na mini-feira do livro, patente nas Bibliotecas Escolares. Olívia Brandão

DAKAR DE HISTÓRIAS O DAKAR decorreu na Escola E.B.1 Igreja – Milheirós de Poiares, na Biblioteca e foi espectacular! Os professores deste grupo de leitura animada organizaram uma sequência de leituras muito especial e interessante, desde a fantasia das mil e uma noites, até à importância da leitura e dos livros, finalizando com o tema ser diferente é bom. A primeira história apresentada chamava-se “Sábios como os Camelos”, seguindo-se «O livro e o coração» e «Olá, 10


Jornal

Escolar

do Agrupamento

sou um livro, passando para as “As cores de Mateus” e terminando com «Doce, doce ler». A mensagem que o DAKAR nos trouxe foi o respeito pelas diferenças. Falaram também das crianças adoptadas e referiram que o importante é ter amor. E insistiram na importância da leitura para bem crescer… Ouvimos duas canções que se chamavam: “Um livro para viajar” e ”Paixão paixão”. Gostámos muito de tudo… mas a conversa entre a escritora e a folha de papel foi muito interessante! Agradecemos aos docentes do DAKAR pelo trabalho apresentado e esperamos ansiosamente pelo novo espectáculo. 3ºano A Escola E.B.1 Igreja – Milheirós de Poiares

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

Dakar de Histórias: o “combustível” não pára de subir!

BIBLIOTECA ESCOLAR

a ponTe

O Dakar de Histórias continua na estrada com todo o combustível, dentro e fora do nosso Agrupamento. Este grupo, enriquecido no presente ano lectivo com a participação do professor Miguel Costa, continua a promover hábitos de leitura junto da camada infanto-juvenil. E como “ De pequenino é que se torce o pepino”, foi escolhido como tema central do primeiro Dakar deste ano lectivo os livros, a leitura.

Temos recebido inúmeros convites para a apresentação do nosso trabalho fora do Agrupamento. Já nos deslocámos a Fiães, a diferentes escolas/instituições de S. João da Madeira, a Paços de Brandão e ao Agrupamento de S. Roque. Com estas saídas, o Dakar pretende “acordar” o bichinho da leitura que se encontra dentro de cada criança/jovem… Mas não só! Pretende angariar livros de literatura infanto-juvenil para apetrechar as caixas “Livros sobre Rodas” que estão a circular no nosso Agrupamento, nas Escolas e Jardins que não dispõem de Biblioteca. A reacção por parte das crianças, jovens e adultos, que nos têm acolhido, continua a incentivar a continuidade deste projecto. A equipa do Dakar

Dia Internacional do Livro Infantil Quem já nos conhece um pouco sabe que somos grandes amigas do livro. Nós ADORAMOS ler e ouvir histórias. E, por gostar tanto desse nosso amigo, é que ficamos ainda mais feliz no mês de Abril. Sabem por quê? Nesse mês, o livro infantil é homenageado a dois de Abril. É que esse é o dia do aniversário do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen (1805-1875), que escreveu O Soldadinho de Chumbo, O Patinho Feio e muitas outras histórias que são consideradas grandes clássicos da literatura infantil e que, com certeza, todos já lemos ou ouvimos a mãe, a professora ler… No nosso Agrupamento, no Dia Internacional do Livro Infantil todos os alunos do Pré-Escolar do Agrupamento e o grupo dos 5 anos do Centro Social Dr. Crispim tiveram um encontro marcado nas Bibliotecas Escolares, de manhã e de tarde. A Equipa das Bibliotecas preparou-se para receber estes pequenos leitores presenteando-os com uma hora do conto. A história seleccionada foi “A ovelhinha que veio para jantar”. 11


Jornal

Escolar

do Agrupamento

BIBLIOTECA ESCOLAR

O entusiasmo pela história foi notório nos pequenos rostos, que fizeram deste momento de leitura, um momento muito especial. Como forma de lembrarem esta história e o dia em que a ouviram, os alunos receberam o material e desenhos necessários para fazerem um mobile, para dependurarem nas respectivas salas. Todos sabemos que os livros infantis têm a magia necessária para crescermos felizes. As histórias infantis devem fazer parte do quotidiano de todas as crianças. Estimular a leitura e promover o interesse dos meninos nos livros é a finalidade da hora do conto, que mensalmente tentamos levar a efeito junto dos nossos leitores.

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

Equipa das Bibliotecas

Tesouros do Alfabeto Lançamento do 2º volume da colecção “De Mão em Mão” “Um sonho sem fim” traduz certamente o nosso projecto “De Mão em Mão”. O ilustrador José Emídio, aquando a sua visita ao nosso Agrupamento em Janeiro de 2006, inspirou-nos e, juntamente com o escritor José Viale Moutinho, acarinhou a edição do livro “Histórias? Qual Quê!”. Ambos lançaram-nos o desafio de dar continuidade a esse trabalho e a melhor forma seria criarmos uma colecção para abrirmos as portas a futuras edições. Assim o sugeriram, assim o fizemos. Seguimos o caminho do coração e nasceu a colecção “De Mão em Mão”. Há sensivelmente um ano, nasceu o “seu primeiro filho” – Histórias? Qual Quê! - e como não queríamos que fosse filho único, apresentámos no dia 29 de Maio o seu irmão Tesouros do Alfabeto. De mão em mão… E quantas mãos! Com as letras brincaram os alunos do pré-escolar, do 4º e do 7ºA, 8ºA, 8º B e 8ºD do ano lectivo anterior e das suas mãos nasceram poemas, adivinhas, lengalengas… que inspiraram os desenhos de Fedra Santos, aquando da sua visita ao nosso Agrupamento, em Maio de 2007. 12


Jornal

Escolar

do Agrupamento

Das mãos de Fedra Santos, os desenhos seguiram o seu caminho para as mãos dos alunos envolvidos e da educadora Manuela Feiteira, que lhes deram mil cores. Saltitando de mão em mão, os poemas chegaram até Nuno Higino, poeta/escritor que esteve entre nós também em Maio de 2007. Este amigo contribuiu com a sua arte para o prefácio desta obra – “A oferta do Alfabeto”. E a obra regressou a casa – às Bibliotecas Escolares - onde foi analisada, revista, anotada… E seguiu caminho para as mãos do designer gráfico da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, Sérgio Ribeiro, que enriqueceu o nosso tesouro e de que maneira! O período de gestação estava a chegar ao fim, a hora do parto aproximava-se… A emoção foi grande quando o vimos a surgir das máquinas. O nosso filho ganhou forma e nasceu perfeitinho! E aqui está para se mostrar ao mundo e para andar de mão em mão. Bem hajam todos aqueles que ajudaram neste nascimento. É urgente continuar para aumentar a família! A equipa da Biblioteca Escolar

Cerimónia de lançamento do livro “Tesouros do Alfabeto” Boa tarde! Obrigada pela vossa presença. Sejam bem vindos! Também eu quero contar uma história, um pouco da minha história. A propósito dos “Tesouros do alfabeto”, Rebusquei o meu baú à procura dum tesouro. E descobri.

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

Descobri que também eu fui “picada” pelo gosto dos livros. E o autor da picadela foi o meu pai. Pessoa inteligente, sensível, guardava um pouco do fim do seu dia estafante para ler e contar histórias aos filhos. E fazia-o com tanto gosto! Volta e meia, lá surgia mais um livro novo. Eu aguardava esse momento com muita ansiedade, porque até do cheiro dos livros eu gostava. E os desenhos coloridos? E as letras bonitas? E as histórias? Anita a cavalo, Anita no circo, Os três bons amigos, Anita na quinta, Anita no ballet e tantas outras histórias de encantar. Escrever foi a consequência. Durante anos a fio, na minha adolescência, escrevi no meu diário. Também foi o meu pai que me ofereceu o meu primeiro diário. A minha vida está lá em cadernos e caderninhos. Guardo com muito carinho, naquelas folhas, as emoções vividas, os sentimentos assumidos, as dúvidas, as dores e as alegrias. No fim de cada relato, sentia um grande alívio e escondia logo o diário, porque era meu, muito meu e não queria partilhar. Na escola, alguns professores tiveram o condão de alimentar esta veia. Recordo a professora Mauridina no 7º ano, que me incentivou a concorrer ao concurso Ferreira de Castro, no qual ganhei uma menção honrosa. A saudosa professora Maria de Fátima Pereira Pinto que me entusiasmou no estudo d’Os lusíadas” e a professora Teresa Stanislau que me ouvia a declamar poesia, à minha maneira. E a declamar poesia Balada da Neve de Augusto Gil, ganhei um prémio num concurso na festa de adolescentes, teria eu 11 anos. Os livros continuam a ser a minha companhia amiga. Tenho-os em todo o lado, espalhados pela casa. Gosto de os manusear, ler, saborear, devorar e mantê-los bem perto de mim. São grandes amigos. Estão sempre do meu lado, ali, para me tranquilizarem e enlevarem. Cresci assim, contagiada pelo gosto da leitura e da escrita, pelo gosto da descoberta, da aventura, do conhecimento, da liberdade intelectual. E é assim que eu quero ser. Quero voar com os livros. Ser livre como os livros. E assim o desejo para todos os meninos. Voai com os livros. Sede livres como os livros. Milheirós de Poiares, 29 de Maio de 2008 Ana Paula Oliveira

13

BIBLIOTECA ESCOLAR

a ponTe


PROJECTOS E ACTIVIDADES

Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

a ponTe

Reciclar é giro

Ida ao Teatro Interactivo em Inglês

A nossa professora trabalha com bata e ela tem uma azul que está um pouco estragada com tintas e colas. Para ela poder voltar a usá-la seria preciso fazer algo. Assim, surgiu a ideia de uma reciclagem colectiva. Com a ajuda da nossa professora de Expressão Plástica, fizemos um lindo fundo de mar na bata. Todos pintamos um peixinho e para o ano, quando a professora vestir a bata, de certeza, que ela se lembrará de todos nós.

Tudo começou na aula de Inglês. A nossa professora Rosa Branca deunos a conhecer a realização de um teatro. Depois de tudo estar bem esclarecido e organizado, chegou o tão esperado dia. Assim, no dia 8 de Maio, nós, alunos do 5º ano, da turma D, fomos ver um Teatro Interactivo em Inglês, no Auditório do Centro Paroquial de Mafamude. Fomos acompanhados por alguns professores. Saímos da escola por volta das 12:30h. O autocarro que nos transportou chegou a Vila Nova de Gaia às 13:30h, pois a peça iniciava-se às 14:00h e tivemos de lá estar meia hora antes do espectáculo iniciar. Chegámos e sentámo-nos. Fomos muito bem recebidos. Também chegaram outros grupos de alunos que eram de outras escolas. Vimos senhores que só falavam Inglês e pensamos logo que seriam os actores. A primeira personagem que apareceu foi um cowboy. Ele apresentou-se e disse que se chamava Rubin. Veio buscar duas meninas à bancada, para fazerem de porta de um café. Os sons da porta éramos nós que fazíamos e eram muito engraçados. A seguir, o Rubin foi buscar mais três meninos/meninas para fazerem de: Sallet, que dizia SIM ou NÃO com gestos de maracas; o Red, que era muito inteligente e tinha um ar muito esperto; e a Daisy que era muito bonita e sexy e tinha uma grande cabeleira. Todos eles faziam papéis muito engraçados, divertidos e criativos. Depois apareceu o Bad Bob que era um cowboy que metia medo ao Rubin. Ele ficou com a Sallet, o Red e a Daisy ficaram no café enquanto o Rubin fugia. O Bad Bob pediu 1000 dólares ao Rubin e ele ficou muito espantado quando soube. Então ele lá arranjou os 1000 dólares para o Bad Bob e mandou um maquinista ir lá levá-los. Mas antes que o maquinista os entregasse o Bad Bob roubou-os. Depois foram para o México(o Bad Bob, a Sallet, o Red e a Daisy) mas estavam muito cansados, e pararam para descansar. Durante a noite, a Daisy tirou o dinheiro ao Bad Bob. Quando apareceram o Rubin e o Bad Bob, pegaram num companheiro, de um do outro e mataram-nos. Depois, o Rubin ficou com os 1000 dólares e soltaram o maquinista, que estava preso por um cacto. A seguir, o Rubin e o Bad Bob despediram-se do Red, da Daisy e da Sallet e eles foram para o lugar. Depois despediram-se de nós e acabou o teatro. Quando o teatro acabou, no mesmo edifício mas na parte de fora, fomos lanchar. A seguir, entrámos no autocarro que era muito confortável e regressámos à escola. Foi uma viagem muito agradável e o espectáculo foi muito interessante e original!!

1º ano da E. B. 1 de Goim

Alunos do 5º D Cristina nº 7, Carina nº 6, Daniela nº 9, Jéssica nº 12, Dani nº 8.

Quando a nossa directora de turma nos disse que no dia 21 de Maio íamos assistir a uma palestra sobre violência em meio escolar, começamos de imediato a reclamar e a dizer que ia ser uma grande “seca”. Chegou o dia… durante os primeiros cinco minutos continuávamos com má vontade. Depressa a boa disposição dos agentes Madureira e Medeiros nos fez mudar de opinião. Num ambiente descontraído foi possível falar de racismo, xenofobia, violência física, psicológica e verbal. Para além de um powerpoint, pudemos ver alguns dos instrumentos de trabalho usados no dia-a-dia da GNR. A experiência foi positiva e esclarecedora e por isso achamos que a equipa responsável pelo Projecto de Segurança na nossa escola, deve organizar mais actividades deste género. 7º E

14


Jornal

Escolar

do Agrupamento

O nosso jardim

Neste ano lectivo, a EB1 da Igreja – Romariz, aderiu ao projecto “Escola a Mexer” do Centro de Recursos de Lobão. O objectivo era embelezar um espaço que estava sem utilidade, tornando-o mais aprazível aos olhos de todos. No dia 16 de Maio, os alunos, juntamente com os professores e auxiliares, arregaçaram as mangas, para uma tarde de jardinagem na escola. Há já alguns dias que o espaço vinha a ser preparado por funcionários da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal, de forma a ficar com todas as condições necessárias. E assim foi… Uma planta aqui… Outra ali… e ficou pronto, o jardim, para entrar no concurso. Agora esperamos que a nossa escola vença…

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

Os nossos temas da ÁREA DE PROJECTO CUIDADOS COM O SOL O sol é meu amigo E com ele posso contar Devo-me proteger Antes de com ele brincar.

As mãos… Com as mãos digo adeus Posso falar e abraçar Para AMOR poder dar A tantos amigos meus.

1º ano de escolaridade Escola E. B. 1 Igreja - Romariz

Concurso de Flauta de Bisel No dia 26 de Maio, da parte da manhã, a nossa Escola participou, pela oitava vez consecutiva, no concurso de Flauta de Bisel que se realiza anualmente no Auditório da Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira, que é organizado pela Escola Fernando Pessoa. Os participantes no Concurso abrangiam os 2.º e 3 ciclos de algumas escolas que a ele aderiram. A nossa escola participou com alunos do quinto ao oitavo ano e obteve dois primeiros lugares e três segundos. No segundo ciclo, o aluno Rafael Silva, do 5.º B, obteve o segundo prémio. A aluna Maria do Carmo, do 6.º E, arrecadou o primeiro prémio e a aluna Sara Costa, também do 6.º E obteve o segundo. No terceiro ciclo, a aluna Liliana Santos, do 8.º A, alcançou o primeiro prémio e a aluna Débora Baptista, do 7.º A ficou com o segundo prémio. De realçar o apoio dado pelo docente Miguel Costa que acompanhou os alunos com guitarra. Este tipo de actividade, que se desenrola há uma série de anos, tem demonstrado uma partilha de aprendizagens com outros meios ao nosso redor e possibilita aos participantes uma vivência musical que não adquiriam apenas na nossa escola. Os participantes neste tipo de eventos adquirem uma nova postura ao 15

PROJECTOS E ACTIVIDADES

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

PROJECTOS E ACTIVIDADES

assimilar outras vivências, um sentido crítico mais apurado, um saber estar em actos sociais e contribuirão no futuro, com este tipo de experiências, para desenvolver as aptidões necessárias para implementarem na nossa escola vindouras actividades de cariz musical e cultural. Por tudo isto, o grupo compromete-se a participar nestas actividades com o intuito de fomentar o intercâmbio musical, de estar atento a todas as manifestações de índole cultural, de tentar criar as condições mínimas para o desenvolvimento interpessoal, de forma a que os alunos possam abarcar uma variedade de conhecimentos que serão relevantes para o seu futuro enquanto pessoa plenamente integrada na sociedade e no seu meio envolvente. O Coordenador de Educação Musical Manuel Rodrigues Pereira

Jardim de Infância do Pereiro

A sala fica no Jardim de Infância de Pereiro e tem quinze meninos: oito rapazes e sete raparigas. Nenhum é finalista. Na sala gostamos muito de trabalhar na plasticina, informática, construções, faz de conta, biblioteca, pintura, ouvir histórias, dar uma corrida no recreio, andar de bicicleta e adoramos conversar e contar as nossas vivências. Ultimamente temos falado do seguinte: - Primavera! - Participamos na Esc+ e adoramos ter feito fogaças. - Dia da Mãe, onde elas tiveram uma aula de step, gostaram mas ficaram muito cansadinhas. - A importância de uma boa alimentação e tivemos a presença de uma nutricionista. - O valor da Família - Dia Internacional da Família. - Agora andamos a preparar a festa do Agrupamento e a falar da importância das nossas mãos. Nós gostamos de andar na escola, é fixe e divertido.

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

“ LER+ EM FAMÍLIA”

“ LER+ EM FAMÍLIA”, assim se intitulou o encontro promovido pelo Jardim-de-infância de Igreja Milheiros em parceria com a Professora Carla (Coordenadora da Biblioteca Escolar de M. P.), e que contou com a presença das famílias das crianças, para em conjunto conversarmos acerca de Livros, Histórias, Leituras e Pequenos Grandes Leitores. Esta iniciativa desenrolou-se no âmbito das actividades desenvolvidas durante a Semana da Leitura e do Plano Nacional de Leitura (Educação Pré-Escolar/Projecto de Promoção de Leitura Em Família), tendo-se realizado dia 14 de Março, pelas 21.00H, na Biblioteca Escolar. O objectivo principal desta acção foi sensibilizar pais/famílias para a importância do livro e da leitura na educação e desenvolvimento das crianças, bem como consciencializar para a necessidade de partilhar linhas de acção com a escola na formação e conquista de futuros leitores. Na organização/planificação deste encontro, as crianças participaram de forma activa( a proposta de realização do evento partiu do grupo), sistematizando os pontos e mensagens que pretendiam transmitir, ilustrando assim o PowerPoint apresentado, elaboraram o texto e o convite para as famílias e finalmente ilustraram um folheto e um marcador de livros alusivo, para ofertar e relembrar, acerca da importância do LIVRO/HISTÓRIAS, no passado, presente e futuro das nossas crianças! Jardim de Infância de Igreja Milheirós de Poiares

A Educadora: Maria dos Anjos Alves

integradoras desenvolvidas no âmbito dos temas de vida e, no final, realizou-se um lanche de confraternização e procedeu-se à entrega de lembranças. Os formandos e formadores dos Cursos EFA

Cursos EFA - intercâmbio No passado dia 27 de Maio, os formandos e formadores do Curso EFA B2 da Escola EB 2,3 de Argoncilhe estiveram na nossa escola. O objectivo da sua visita prendeu-se e serviu para a troca e partilha de experiências e motivações entre formandos. Da actividade constou uma visita guiada à escola, um jogo de integração (jogo da teia), a apresentação das actividades 16


Jornal

Escolar

do Agrupamento

Cursos EFA - Actividade Integradora

Os formandos das Turmas A e B dos Cursos EFA da nossa Escola apresentaram na noite do passado dia 6 de Junho os trabalhos realizados no âmbito dos seus temas de vida. A apresentação à comunidade da sua actividade integradora foi, mais uma vez, um sucesso, demonstrando todo o seu empenho e dedicação ao curso. Refira-se que neste segundo tema de vida, as temáticas incidiram sobre a temática ambiente, sendo que a turma A trabalhou a Água e a turma B os Espaços Verdes. Os formandos e formadores dos Cursos EFA

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

No intuito de celebrar o dia internacional da Protecção Civil, a equipa de Segurança do Agrupamento de Escolas de Milheirós de Poiares organizou uma semana de actividades que decorreu do dia 7 a 14 de Março. A realização de palestras, sessões de formação, demonstração de meios utilizados pelos Bombeiros e GNR bem com a exposição dos trabalhos executados pelos alunos do agrupamento, em matéria de Segurança e Protecção Civil, pretendiam uma reflexão sobre a Segurança nos seus diferentes contextos. Sessão de abertura A sessão de abertura, no dia 7 de Março, aberta a todos os elementos da comunidade educativa do Agrupamento, pretendeu ser um marco que assinalasse o início das actividades a desenvolver durante a Semana da Segurança. Para esta sessão foram convidados representantes das várias entidades ligadas à Protecção Civil, destas fizeramse representar o Grupo Territorial da GNR de S. João da Madeira, os Bombeiros Voluntários de Arrifana, o Pelouro da Educação e o da Protecção Civil da Câmara de Santa Maria da Feira. A sessão foi marcada para as 19.00 horas, para procurar ser num horário que facilitasse a presença dos pais e encarregados de educação. Na sessão, estiveram presentes vários elementos, desde alunos, pais ou encarregados de educação, auxiliares de acção educativa e docentes.

SEMANA da SEGURANÇA “Saber que pode Salvar” “Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, nem as mais inteligentes, mas aquelas que melhor reagem à mudança.“ Charles Darwin

Sessões de divulgação de Prevenção Rodoviária pelos alunos do 6ºA As sessões foram destinadas aos alunos do 5º ano. Os alunos do 6ºA prepararam três power-points que utilizaram para 17

PROJECTOS E ACTIVIDADES

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

a ponTe

PROJECTOS E ACTIVIDADES

explorar com os alunos do 5º ano, que desenvolveram sensibilizar para a segurança rodoviária. Os alunos nas aulas de formação Cívica, com a directora de Turma, apresentaram alguns dos trabalhos desenvolvidos na Área Fátima Jesus. de Projecto. Os trabalhos, muito bem construídos, cativaram a atenção dos alunos e eram claros na transmissão da mensagem.

Palestras de Higiene e Segurança no Trabalho As sessões foram apresentadas pela Eng. Adriana do Pelouro da Protecção Civil. Os conteúdos abordados Mostra dos meios utilizados na Protecção Civil – Bombeiros estavam relacionados com a actividade profissional para a Voluntários qual os alunos do CEF3 – Electricista de Instalações e do No sentido de incutir uma consciência cívica nos alunos, promoveu-se uma mostra dos meios utilizados pelos CEF2 - Canalizadores estão a receber formação. Bombeiros Voluntários na Protecção Civil. Assim, no dia 11, pelas 9 horas chegaram à Escola: uma ambulância, um autotanque e um carro de desencarceramento.

Sessão de Informação “Plano de Emergência Escolar” A sessão destinava-se a docentes e auxiliares de acção educativa de todo o Agrupamento. A escolha do horário teve a ver com a disponibilidade das auxiliares de acção educativa. A sessão foi dinamizada pela Eng. Adriana. A sessão teve particular importância em virtude do projecto a ser desenvolvido na Escola e pela necessidade de todos os intervenientes apreenderem a importância do seu papel no Plano de Emergência.

Palestra “Biodiversidade e protecção civil” A palestra decorreu de acordo com a calendarização e contou com a presença da Eng. Adriana da Protecção Civil e da Eng. Ana do Pelouro do Ambiente. Os alunos, nos diferentes grupos, mostraram-se interessados e participativos.

Acção de Sensibilização “Segurança na NET” Com o objectivo de alertar a Comunidade Educativa para Sessão de divulgação de Prevenção Rodoviária As sessões, dinamizadas pelos alunos do 9ºB, procuraram alguns cuidados a ter com a utilização da Internet, promoveu18


Jornal

Escolar

do Agrupamento

se uma sessão pelas 21 horas, dinamizada pelo Professor José Alberto. A sessão foi dinamizada de uma forma activa, consultando e apresentando vários sites online, explorando o site do Segura Net. A sessão foi muito dinâmica, houve uma fundamentada exposição de dúvidas e interesse por parte do público. É de referir que nos inquéritos efectuados, sugeriu-se a necessidade de mais sessões deste género.

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

pelas 9 horas e após se localizar e estabelecer as ligações necessárias passou, a estar disponível para a utilização dos alunos. Os alunos tiveram uma forma de estar muito correcta, organizando-se em fila de espera para aguardarem pela sua vez.

A acção de demonstração dos meios utilizados pela GNR, decorreu pelas 10h30min. Os elementos da GNR chegaram à Escola pelas 9h30min e iniciou-se a organização da actividade. Durante a realização da demonstração, os alunos mantiveram-se em silêncio e respeitaram as regras solicitadas pela GNR. O balanço desta actividade foi muito positivo. A acção revestiu-se também de carácter pedagógico, nomeadamente quanto ao consumo de substâncias ilícitas.

Encerramento da semana dia 14 de Março As actividades previstas para este dia foram reformuladas em virtude da instabilidade atmosférica que se estava a verificar no início da semana. Assim, as actividades reduziram-se aos alunos da EB2,3 : - demonstração dos meios utilizados pelos Bombeiros, Net sobre rodas, demonstração dos meios utilizados pela GNR, Palestra de Segurança e Higiene no Trabalho. A demonstração dos meios utilizados pelos bombeiros iniciou-se pelas 9 horas. O tempo estava bom e a actividade teve uma óptima receptividade por parte dos alunos, que seguiam atentamente as explicações e contactavam com as viaturas.

A viatura da Net sobre rodas, também chegou à escola 19

PROJECTOS E ACTIVIDADES

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

PROJECTOS E ACTIVIDADES

Decorreu de 12 a 16 de Maio último a SEMANA “net sobre rodas”. Uma iniciativa desenvolvida no âmbito da Coordenação TIC em parceria com a Entre Douro e Vouga Digital. A equipa do “net sobre rodas” esteve toda a semana na escola, desenvolvendo um programa de certificação de competências básicas em TIC e sessões de divulgação sobre segurança na internet. Relativamente ao primeiro ponto, refira-se que a adesão dos alunos da escola foi bastante grande. Entre professores, alunos e formandos dos cursos EFA foram atribuídos 134 certificados, sendo que muitos alunos realizaram a prova para atribuição do Diploma de Competências Básicas em TIC mas já anteriormente tinham sido certificados. Quando à segurança na internet, as sessões de divulgação foram muito importantes pois focalizaram questões que muitos dos alunos desconheciam, tais como direitos de imagem, vírus, entre outras possíveis ameaças na internet. Paralelamente, a Biblioteca da nossa escola esteve com computadores disponíveis para utilização livre e também de acesso livre à rede wireless net sobre rodas. Uma palavra de agradecimento especial à Entre Douro e Vouga Digital, em particular na pessoa de Isabel Bastos, à equipa de formadores presentes nos cinco dias de actividades e a todos quantos que, com grande entusiasmo e atenção, participaram nestas actividades.

SEMANA DA LEITURA 3 A 7 MARÇO

A MAGIA DAS PALAVRAS

A Semana da Leitura foi muito enriquecedora; proporcionou aos alunos um conjunto de actividades muito diversas, atraentes, cooperantes e, algumas delas, implicaram até a realização de actividades onde os alunos se organizaram de forma autónoma – “Voz dos Livros”. “Voz dos Livros” era organizada pelas diferentes turmas, diariamente, que, de uma forma informal, liam diversas histórias no jardim da escola (nos intervalos da manhã e da tarde) para os colegas. Os Professores puderam constatar com grande satisfação o prazer que os alunos sentiram nestes momentos e acreditam que será um registo de tal forma positivo que os alunos irão recordar, ao longo da sua vida, pelas sensações vivenciadas, a nível auditivo, visual e olfactivo, uma vez que o tempo estava agradável e o jardim florido. Um momento alto desta Semana, foi a presença dos avós que puderam ver os netos a mostrar os seus talentos como contadores de histórias, e foi gratificante verificar a emoção estampada nos rostos pelo prazer de os ver e reviver os seus tempos de “meninice” na escola que já foi deles. Neste encontro, os alunos puderam ouvir algumas experiências vividas por estes avós, nesta escola, há 40 anos atrás. As educadoras dos Jardins-de-infância também participaram e assistiram nestas actividades da Semana da Leitura, considerando-se que estas actividades são de extrema importância porque responderam a objectivos como a articulação entre o Jardim e o Primeiro Ciclo, o despertar para a leitura e a dramatização. Estas actividades de interacção com alunos, educadores, professores, encarregados de educação e auxiliares são importantes no desenvolvimento de competências não só académicas como pessoais e sociais. Esta partilha de recursos engrandece e dignifica a função da escola. É preocupação da escola que a Comunidade tenha uma percepção positiva e significativa da importância da leitura e das actividades a ela inerentes. Para divulgar esta Semana, a escola distribuiu cartazes, separadores de livros e desdobráveis elaborados pelos alunos em vários locais públicos da freguesia. No âmbito do Projecto “Comunicação Escola/Família”, os 20

de

Poiaresa

a ponTe

Professores decidiram que a informação mensal de Março seria sobre a importância da leitura. Assim sendo, enviaram um panfleto, onde se davam algumas sugestões para tornar os filhos bons leitores e relembrando aos pais que a função deles e a nossa é educar e “Educar não é repetir palavras, é criar ideias, é encantar, é criar seres humanos que farão a diferença no Mundo.” Esta semana da leitura teve o seu ponto alto aquando da realização da festa organizada em parceria com a Associação de Pais, na qual foi dado a conhecer a toda a comunidade educativa os trabalhos orientados na biblioteca escolar sobre obras do Plano Nacional de Leitura. Esta foi a segunda vez que a Semana da Leitura foi comemorada na nossa escola, e esperamos que seja uma actividade a levar a cabo por muitos mais anos. Os docentes e alunos Escola E.B.1 Igreja Milheirós de Poiares

Diálogos da escritora – MARGARIDA FONSECA SANTOS A escritora Margarida Fonseca Santos veio à nossa escola no dia 5 de Março de 2008. Nas semanas anteriores, todos os alunos do quarto ano do agrupamento, após lerem algumas das suas obras, realizaram pequenos trabalhos sobre os livros que a escritora publicou,


Jornal

Escolar

a nível infanto-juvenil. Todos esses trabalhos foram apresentados à escritora nas três bibliotecas do agrupamento. Na nossa biblioteca da Escola E.B.1 da Igreja Milheirós de Poiares, juntaram-se os alunos do 4º ano (A e B) e os alunos do 4º ano de Pigeiros. Estes alunos apresentaram a história «Uma prenda muito especial», em slides. A turma da professora Sofia fez uma pequena dramatização de “RAFAELA”; e, nós apresentámos um medlai de canções com a história “UM DIA NA PRAIA”. A escritora admirou todos os trabalhos, elogiando-os muito. No final, tivemos um pequeno diálogo com ela sobre os seus livros, onde fizemos perguntas e ela respondeu a todas com muito agrado. Após este «diálogo da escritora», houve uma sessão de autógrafos dos livros que adquirimos, na mini-feira do livro desta escritora que as Bibliotecas promoveram. Estamos certos de que Margarida Fonseca Santos gostou tanto como nós pois saiu da nossa escola com um sorriso radiante. E para que todos conheçam o nosso medlai aqui o publicamos: Ora zás, traz, traz, Ora zuz, truz, truz, ora zás, traz, traz, ora chega, chega, chega, ora arreda lá p’ra trás, ora chega, chega, chega, ora arreda lá p’ra trás. Indo eu, indo eu, a caminho daquela praia, Indo eu, indo eu, a caminho daquela praia. Encontrei por lá areia, fiquei todo atrapalhado, Encontrei por lá areia, fiquei todo atrapalhado. No areal daquela praia. O Pedro faz os castelos. [Bis], Ó-i-ó-ai, o mar desmanchava tudo Ó-i-ó-ai, lá se iam os castelos. [Bis] Logo chegou a criançada. Nele fizeram um castelo [Bis] Ó-i-ó-ai, ai que fiquei cheio de medo Ó-i-ó-ai, lá me vieram salvar. Eu fui à praia, com o meu amigo Estive a brincar, até me fartar Tu viste a praia, com o teu amigo E o que brincava e o que fazia.

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

Eu vi a mãe, com um escaldão Todos corriam, que barulheira Tu viste o pai, a ficar mauzão E a criançada, não te deu troco.

São amigas e mães realistas, optimistas, apreensivas, sofredoras mas lutadoras.

O mar enrola na areia.... eu não sei o que fazer a água é muito salgada eu não a quero beber.

Prof. Dulce Branca

Até o mar me molhou, ai! até o mar me fez festinhas... vou já brincar na areia, ai! ficar debaixo da sombrinha. Eu vi a malta, muito cansada E o jantar bem aldrabado… A ida à praia, não foi animada, o piquenique é que vai ser… Alunos do 4º ano A Escola EB1 Igreja Milheirós de Poiares

Dia da Mãe (Dedicado às mães dos nossos alunos.) Pele morena, franzina, pequena, grandiosa, meiga, terna, sorridente. Ela é pessoa, ela é gente. Sai cedo, pela manhã, abre alas, ninguém lá está. Quando regressa é com a promessa que voltará. Mãos outrora percorridas hoje cansadas, calejadas, com linhas alteradas que outrora foram mimadas.

A MAGIA DAS PALAVRAS

a ponTe

Olhares

Em cada olhar há um sentimento. Um olhar profundo para outra pessoa tem mais significados. O olhar define a pessoa uma pessoa não diz tudo o que sente. Alegria, tristeza, medo ou ainda que quer falar com outra pessoa. Olhar profundo pode significar raiva,medo,tristeza, algo que inquieta em nós. Quando desviamos o olhar estamos tristes,queremos chorar e nunca mais parar. Existe o olhar risonho acompanhado de um belo sorriso nos lábios. Troça,alegria,vários significados, cada um pensa o que pensa. Olhar de lado esse pode ser o olhar maroto,de vergonha e muitas outras decifrações a ter. Mas os olhares são mais do que uma pequena interpretação pessoal. Mas sim algo misterioso que depende de cada um… Cláudia Oliveira ,nº8,9ºA

De olhar terno vagueia pelo mundo desenha-o, descobre-o num olhar profundo. Quão pequeno é este seu mundo! Angustiada mas não vencida, percorre a vida destorcida da realidade vivida. Carinhosa, escuta, dialoga, aproxima-se como outrora. Sabe a resposta na hora. Desenrola atitudes, valores, salienta questões, rumores, questiona alguns amores, leva-os sem louvores. Apreensiva, crente, de olhar presente. Educa consciente no seu papel de gente.

Relações As relações são difíceis de construir,manter… Ainda mais difícil quando alguma coisa nos perturba. Há relações falsas. Quando nos toca nunca mais conseguimos confiar em alguém totalmente. Por isso tudo influencia relação entre pais,amigos,família… Um sentimento que todos já sentiram, o da perda. A perda é o mais cruel de todos. Ficamos com a sensação 21


Jornal

Escolar

do Agrupamento

A MAGIA DAS PALAVRAS

de que nunca mais queremos nos relacionar com alguém. Queremos ser distantes,frios… Ainda o sentimento mais complexo triste quando esse não coincide. Algo vazio fica em nós. Tentamos,tentamos esquecer até que esquecemos. Mas fica sempre uma caixa guardada que no entanto abre, recordamos e sentimo-nos mal. As relações são sensíveis temos de tratá-las com cuidado. Frágeis,facilmente quebram. As relações são como um poema. Vivemos,sentimos,guardamos e por fim escrevemos. Cláudia Oliveira ,nº8,9ºA Poema dedicado à Mãe Querida Mãe

Neste dia que te é dedicado, Querida Mãe, minha amiga e companheira, Deste teu filho que para ti é adorado, Vai um beijo amoroso e verdadeiro. E falando de emoções e de carinhos, Eu te quero aqui deixar um recado: Dá-me sempre, sempre mil beijinhos, Fica sempre, sempre do meu lado. E à noite, quando me fores deitar E ficares a ver televisão, Vou dormir um soninho e acordar Contigo dentro do meu coração!

de

Escolas

de

Milheirós

Morte A morte é um fenómeno, por incrivel que pareça um momento como outro qualquer. Nós,seres humanos é que a transformamos num «castigo» que nos corta a vida. Não creio na vida depois da morte, muito pelo contrário.

de

Poiares

a ponTe

Algo misterioso guarda. um medo,alegria,solidão. Mas é ela que nos ajuda a conseguir expressar.

A voz não se ouve parece estranho mas realmente não se ouve. Porque nem sempre o que ouvimos é o que transmite a voz. Existe algo mais profundo Como tudo tem um início e um fim do que um simples timbre a vida também o tem. ou um conjunto ou formação de A morte é poderosa,basta estar vivo para letras. morrer, não importa a idade,sexo,cor… Também podemos interpretar a Dolorosa também, por vezes não é. voz Sofremos,sofremos e por fim… como um gesto. A mímica é uma voz que não se Nunca pensar muitas vezes «nela» ouve, mas termos consciência do que isso é. pois conseguimos Nunca pensar no dia em que podemos entender o que alguém confrontar-nos com esse ápice pretende exprimir. Porque cometeremos um grave erro E na nossa mente transformamos de arriscarmos qualquer circunstância na em palavras, por incrível que vida. pareça… Cláudia Oliveira ,nº8,9ºA

A voz A voz pode dizer-se é um indicador do nosso estado de espírito. Ainda mais profundo,resplandece a vontade que temos em falar com a outra pessoa.

A voz é como a água,essencial. Quando mal utilizada pode não aquirir o uso correcto e gerar danos na mente de uma pessoa. Parece que nunca mais vai acabar mas num momento pode desaparecer por qualquer motivo. Cláudia Oliveira ,nº8,9ºA

Serias o amarelo, cor da bondade. Serias um campo florido e verde como a natureza. (Sérgio) (Marcelo) 2.º e 3.º anos da E.B.1 do Pereiro – Milheirós de Serias o branco, que é a cor da paz. Serias um jardim com lindas flores Poiares como tu. (Nicole) (Fábio) Serias o rosa, que é cor de menina. Se tu fosses um sentimento: Poema à Professora ISABEL Serias o amor e a bondade porque (Sandra) ADEGAS Serias o verde clarinho da erva fresca do nos ajudastes estes anos todos. (João e Marcelo) campo. (Jéssica) Se tu fosses uma flor: Serias a alegria que alegra tudo e Se tu fosses um lugar: Serias um cravo, que representa o mês da Serias um parque para nós brincarmos. todos. (Bruno) tua reforma. (João) Serias o afecto que sinto por (Brigite) Serias uma rosa, estarias sempre na minha memória, para eu de ti me lembrar. (Tiago) Serias uma túlipa com todas as cores do mundo. (Inês) Serias um mal-me-quer com pétalas de amor e carinho. (Sérgio) Serias uma margarida para eu te poder admirar. (Fernando) Se tu fosses uma cor: Serias o azul cor de céu que vemos todos os dias. (Brigite) Serias o verde para pintar toda a terra. (Sandra) Serias o vermelho para pintar o amor. (Rui Daniel) 22


Jornal

Escolar

do Agrupamento

ti.(Sofia) Se tu fosses um objecto: Serias o meu livro que me ensina dia a dia. (Ruben) Serias uma jarra para eu te enfeitar. (Osvaldo) Serias uma caixinha para eu guardar todas as recordações. (Cláudia) Se tu fosses uma história: Serias a história da Branca de Neve e nós os teus Anõezinhos. (André) Serias uma história que toda a gente gostava de ler. (Rui Jorge) Serias a Cinderela porque és bela como ela. (Jéssica) Se tu fosses um fruto: Serias a laranja mais laranja do mundo. (Inês) Serias uma banana amarela e doce. (Carlos) Serias o pêssego que é o meu preferido. (Sandra) Serias um morango delicioso, com sumo de amor e carinho. Alunos do 4º ano A Escola E.B. 1 Igreja Romariz

A Primavera chegou A Primavera é colorida, há tantas flores! Lindas e com cheirinhos, dão-nos muita alegria. Fazem os pássaros os ninhos nos telhados e nas árvores há folhas verdinhas. Tudo está bonitinho! No ninho há ovinhos, voam pássaros felizes, há cerejas vermelhinhas há borboletas a bailar. E os grilos a cantar os meninos a brincar com o sol a brilhar! 1.º ano A E.B.1 Igreja – Milheirós de Poiares

O Tesouro Perdido No tempo das fadas havia um mercador que ia muitas vezes ao castelo encantado, que ficava no meio da floresta. Um dia ao chegar ao castelo, o mercador ficou incumbido de encontrar um tesouro perdido no meio da floresta. O mercador levou um mês para se preparar e resolveu partir em busca do tesouro numa quinta-feira, 10 de Abril de 2008. Lá ia ele contente a cantar no meio da floresta quando de repente… aparece uma serpente enorme e venenosa. Quando a serpente se preparava para atacar o mercador, eis que surge um soldado esfarrapado que imediatamente neutralizou a serpente com uma seta dorminhoca. O mercador sentiu tanta alegria, que

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

Poema à Mãe

POEMA AOS IDOSOS

Se tu fosses um sentimento, serias a alegria e espalhar-te-ias por todo o universo; Se tu fosses um objecto, serias uma borracha para apagares a tristeza; Se tu fosses uma história, serias uma história de versos para encantar pessoas e chamar-te-ias «versos de encantar»; Se tu fosses um fruto, serias um morango, porque é o meu fruto favorito; Se tu fosses uma flor, serias uma rosa, porque és bonita como ela; Se tu fosses uma cor, serias verde, para pintar a poluição e transformála em floresta; Se tu fosses um lugar, serias talvez o mar, talvez as ondas… mas é melhor o mar! Um beijinho do teu filho João

Queremos agradecer a todos vós Tudo o que na vida fazem por nós Partilham experiências, amor e alegria Sois para nós um caminho de sabedoria

E.B.1 Igreja _ Romariz 4º B

convidou o soldado para o acompanhar na busca do tesouro perdido. Depois de muito procurar, os dois amigos tiveram uma grande surpresa… encontraram o tesouro. Logo correram para o castelo para o entregar às fadas. Maior foi a surpresa quando as fadas lhes mostraram o tesouro reencontrado: as suas varinhas de condão que lhes haviam sido roubadas. As fadas ficaram tão felizes, tão felizes que fizeram uma festa no castelo em honra do mercador e do soldado. 2º ano de escolaridade A Escola E. B. 1 Igreja Milheirós de Poiares

A MAGIA DAS PALAVRAS

a ponTe

É por vós que vamos continuar Nesta bela escola a trabalhar Aprendendo a sorrir, a amar, a viver E com o vosso amor continuaremos a crescer

A vossa vida é uma bela lição Que guardamos em nosso coração É um livro valioso e sempre aberto Neste caminho que ainda está a descoberto

Agradecemos a vossa presença Foi para nós uma felicidade imensa Sentir a carícia do vosso doce e meigo olhar Como uma luz que nos vai orientar Trabalho colectivo 3ºA EB1 Igreja – Milheirós de Poiares

Os amigos são como as estrelas… …dão luz e iluminam as noites mais escuras. …brilham e cintilam os dias mais encobertos. …dão luz e encaminham as fadas perdidas na floresta. …dão luz e acendem as velas apagadas. …acordam os duendes adormecidos nas histórias. …dão luz e cor aos arcos do arco-íris. …fazem luzir o verde das folhas das árvores. …dão carinho e abraços nos dias de maior cansaço. …alegram e fazem rir o mais triste dos palhaços. …acordam e dão vida aos anões e à Bela Adormecida. …dão asas e fazem voar personagem das histórias de encantar. …fazem-nos companhia e dão luz à nossa fantasia

Trabalho realizado pelos alunos do 2.º ano Escola E. B. 1 Goim - Romariz

Dedicatórias à MÃE - Quando brincas comigo O meu coração bate de amor E esse amor cheira a perfume. É perfume de amor e amizade És a minha heroína E a minha melhor amiga. Bruna 23


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

A MAGIA DAS PALAVRAS

- Eu queria agradecer-te, mas não encontro palavras para te dizer o quanto te quero. Cátia - Quando preciso de ajuda tu estás sempre lá. Ricardo - Tu terás sempre um lugar especial no meu coração. Jéssica - Sempre que eu preciso de ti, tu ajudas-me. Tiago - Eu fico contente sempre que brincas comigo. Eduardo - Eu gosto de ti sempre que brincas comigo e me fazes cócegas. Carina - És linda quando me abraças e o meu coração fica contente. Débora - Eu dou-te uma flor e tu dás-me muito carinho. Ana - Eu sou teu amigo porque tu deixas-me passear contigo. Hélder - Tu és maravilhosa e estás dentro do meu coração. Quando me ralhas, fico assustado mas gosto na mesma de ti. Lucas - És muito querida e gostava de te dar lindos presentes. Leandro B. - Eu gosto muito da mãe porque ela é muito bonita. Leandro Arsénio Alunos do 2º/3º ano de escolaridade Escola E. B. 1 Igreja - Romariz

de

Milheirós

a ponTe

Há muito… muito tempo… havia um mercador que andava de aldeia em aldeia para encontrar uma erva que cura. Essa erva estava numa quinta muito distante da sua casa. A guardar a erva que cura estava uma serpente muito venenosa e má. O mercador lembrou-se do seu amigo pastor que quando apontava com o cajado para uma serpente ela ficava hipnotizada. O mercador foi até casa do seu amigo que ficava perto da tal quinta e pediu-lhe que o ajudasse com o seu cajado. E assim foi. Quando o mercador conseguiu a erva que cura, fez com ela um chá e deu-o à sua filha. Quando ela o tomou, ficou curada e o mercador ficou cheio de alegria porque a sua filha se curou. A partir desse dia, pai e filha iam passear mais vezes de terra em terra. Eles conheciam muita gente e viviam felizes. Nunca se esqueciam de falar às pessoas sobre a erva que cura. Alunos do 2ºAno B Escola da Igreja, Milheirós de Poiares

No parque

Tantas, sem fim.

No parque da escola Da escola de Goim Há um parque de diversões Que não é só para mim.

No parque da escola Posso brincar Brinco com muito sol Para não me molhar.

No parque da escola Posso brincar Brinco com cuidado Para não me magoar.

No parque da escola É só brincar Mas, se és aluno Não te esqueças de estudar!

No parque da escola São só diversões Mas, muito cuidado Nada de encontrões!

Para terminar Vamos todos agradecer Depois de festejar Nunca, o parque, iremos esquecer!

CENTRO DE RECURSOS DE LOBÃO

À DESCOBERTA

Poiares

A filha doente

No parque da escola Da escola de Goim São só brincadeiras

No dia 17 de Abril, fomos fazer uma actividade ao centro de recursos de Lobão, muito gira e divertida que era «fotografia antiga» Quando chegámos, lá tínhamos duas monitoras à nossa espera. Uma que nos explicou o que íamos fazer e a outra, que nos ajudou a fazer a tarefa, chamava-se Sara. Fomos para o laboratório das fotografias e metemos dentro de cada uma das caixas negras um bocado de papel branco. Como estava mau tempo, não fizemos da maneira que queríamos e tivemos de ir por outro processo. Passámos os nossos desenhos por uma luz e por uns líquidos próprios e depois colocámos na água. A seguir a Sara secou todas as folhas e deu a cada menina a sua. Esta actividade foi muito interessante, pois aprendemos como se faziam fotografias antigamente e as nossas ficaram muito bonitas… 1º e 2º ano de escolaridade Escola E. B: 1 Carvalhal - Romariz

24

de

Trabalho realizado pelos alunos do 2.º ano da E. B. 1 de Goim

Como nós imaginamos a Viagem a Lisboa Já há algum tempo que se está a planear uma viagem a Lisboa. Nós, todos os alunos do 4º ano do Agrupamento, vamos de autocarro. (Jessica) Nesta viagem, a nossa turma vai à Assembleia da República. E eu, se calhar, posso ver o Engenheiro José Sócrates e até podemos falar com ele e vou-lhe perguntar se ele pode deixar de aumentar os preços, em Portugal. (Marcelo) Os alunos podem ver o Mosteiro dos Jerónimos, o Oceanário, o Estádio da Luz e José Alvalade XXI, o Jardim Zoológico, a ponte 25 de Abril, a ponte Vasco da Gama, Museu dos Coches, o Professor Cavaco Silva, … Imagino que o Professor Cavaco Silva me vai dar o seu, dar-me o seu dinheiro, os seus carros, …. Imagino que vou ao grandioso Estádio da Luz e que os


Jornal

Escolar

do Agrupamento

jogadores estão a treinar. Até lhes vou pedir uns autógrafos! Imagino ir ao Cristo Rei e lá de cima vou poder admirar toda a cidade de Lisboa e o rio Tejo. Imagino irão Museu dos Coches ver muitos coches antigos que pertenceram a reis e outras nobres. Imagino ir ver uma exposição de carros tunings. Imagino ir ao Mosteiro dos Jerónimos ver as sentinelas, admirar a arquitectura e a sua grandiosidade. Imagino ir ao Jardim Zoológico ver cobras, … (Carlos) A seguir vamos visitar a Assembleia da República para ficarmos com mais conhecimentos de como isto tudo funciona. (Cathy) Quero cumprimentar o Presidente da República, com muita educação. (Rui) Quando for à Torre de Belém, eu vou lá cima e vou ver o rio Tejo. A seguir queria ir ao Jardim Zoológico conhecer os animais, como o macaco, o papagaio, os pássaros, …. (Bruno Miguel) Eu também queria ir à Torre de Belém e queria ver coisas relacionados com os Descobrimentos do séc.XV. (Bruno Mateus) Aproveitamos para ir passear pelas ruas de Lisboa. Vamos ver como são lá as coisas e depois vamos comer um gelado para arrefecer as ideias. (Cathy) Vamos gostar muito mas duas meninas e dois meninos não vão e ficarão muito tristes. (Paula) Alunos do 4ºano da Escola EB1 de Goim-Romariz

Ida à Biblioteca

de

Escolas

Visita à

de

Milheirós

de

Poiaresa

FÁBRICA da CIÊNCIA VIVA

Na barriga do Caracol, ouvimos histórias com enredo de ciências e preparados para aprender e explorar, arregaçámos as mangas e aceitámos desafios experimentando materiais e objectos. Foi divertido e muiiito saboroso... Jardim de Infância Bajouca - Pigeiros

A HORTA A nossa horta é um quadrado feito de paus. Tem terra, flores e amores perfeitos. Semeámos ervilhas, feijão, e milho. Os morangos já nasceram. Eu vi folhas de couve e alface. Os girassóis crescem mais. Nós regamos e tiramos ervas. Quem toma conta da horta é o sapinho, mas ele foge, às vezes.

No dia 23 de Abril de 2008, a turma do 6ºD foi à Biblioteca da escola apresentar um teatro intitulado ”Meninos de Todas as Cores” e uma canção “Racismo Não”. A professora de Educação Musical, Isabel Bastos, ensaiou com a turma a canção e as professoras Ana Bastos e Maria José ensaiaram o teatro com os alunos. A professora Ana Bastos acompanhou a turma á biblioteca. O 6ºD apresentou a canção e o teatro duas vezes para Jardim de Infância de Bajouca - Pigeiros algumas turmas. Mas não foi só o 6ºD a apresentar; mais turmas apresentaram teatros, poemas, canções… A turma gostou muito das suas apresentações, apesar do Dia do Animal receio que teve antes de iniciar. Nós gostámos e esperamos vir a ter mais oportunidades No dia 4 de Outubro, visitámos a Quinta Pedagógica Chão destas. D’ Agra, em Aveiro, da Associação Regresso à Terra, para Sara Isabel nº 17, Filipa Santos nº 5 - 6ºD aprender um pouco mais sobre alguns animais, seus hábitos e costumes. Vimos, ouvimos, saboreámos, cheirámos e sentimos o campo e entre muitas actividades, a que gostámos mais foi a experiência a cavalo. Fomos buscar o cavalo à box, aprendemos a pentear as crinas, escovar o pêlo, limpar os cascos e depois de pronto... a montar. Jardim de Infância de Bajouca – Pigeiros

O avô, tinha animais: sete vacas, umas todas castanhas, outras malhadas de preto e branco. Também havia lá alguns touros, mas estes pareciam mal dispostos. Havia uma ninhada de leitões a mamar. Que giro! Quanto mais nos aproximávamos, mais a mãe porca se direccionava para nós, com ar de furiosa. Nós sabemos que ela só queria proteger os seus filhinhos pois pensou que nós fossemos roubá-los. VISITA À QUINTA DOS ANIMAIS Vimos muitas cabras e vimos um cordeirinho a mamar. No dia 14 de Abril, a convite do avô do João, fomos visitar Branquinho, pequenino, que riquinho! Os meninos (os mais corajosos) fizeram-lhe muitos miminhos. a quinta dos animais. Havia lá um bode, que nós já sabemos que era o marido da Os meninos ficaram desde logo, muito entusiasmados. 25

À DESCOBERTA

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

À DESCOBERTA

cabra. Ele era feio, muito grande e tinha uma “barbicha” debaixo da boca. A professora tinha-nos dito que os bodes cheiravam mal, mas nós ficamos longe dele porque ele parecia muito perigoso. Como estava um dia lindo de sol, corremos pelo campo e fizemos brincadeiras. No fim, estivemos a ver o primo do João a tirar o leite das tetinhas da vaca Mimosa. Bebemos leite porque gostamos e queremos ter dentes e ossos fortes. A professora tirou muitas fotos, para mandar para o concurso do leite Mimosa. Assim, podemos ganhar prémios para a nossa escola. Jardim de Infancia de Goim

Escolas

de

Milheirós

de

Poiares

a ponTe

Visita de Estudo ao Visionarium

No dia 5 de Maio, realizamos uma visita de estudo ao Visionarium, em Santa Maria da Feira, integrada no Projecto ABC do Concelho. Saímos da escola de autocarro. Foi uma viagem curta, mas animada! Quando lá chegamos, fomos recebidos pelo João, que nos levou até ao auditório onde vimos um filme. Esse filme abordava a Expansão Marítima. De seguida, dirigimo-nos para uma sala onde descobrimos os diferentes sentidos. Logo depois, fomos para outra sala onde foi abordado o tema Espaço. Até podemos ver um foguetão a descolar!! Por fim, fomos a um Laboratório de Experiências. Lá preparámos e vimos, ao microscópio, leveduras que entram no fabrico do pão e do vinho. Foi uma experiência diferente e espectacular! Depois de todas estas aventuras e emoções, regressamos à nossa escola. Foi uma tarde alegre, divertida e repleta de descobertas! Escola EB1 Igreja – Romariz 3º ano

No dia 5 de Maio de 2008, as duas turmas do 1.º ano da escola E.B.1 de Igreja – Milheirós de Poiares – fizeram uma visita de estudo ao Parque Ornitológico de Lourosa. Foi um dia inesquecível; os alunos aproveitaram para ver aves diferentes e muito bonitas, ficar a saber os países de onde provêm, o tipo de alimentação mas, acima de tudo, tiveram a oportunidade de observar ao vivo os diferentes tipos de patas adequadas à locomoção e diferentes bicos adequados à sua alimentação. Aqui ficam algumas opiniões dos alunos acerca do que mais gostaram: “O que mais gostei foi dos flamingos porque tinham patas compridas e descansavam só numa pata.” – Gonçalo e Tiago (1.º ano A) “Gostei mais da avestruz porque tinha patas fortes com dois dedos e um pescoço comprido e sabia correr.” Marta e Lino (1.º ano A) “Gostei mais do pavão porque ele andava em liberdade, veio ter connosco e abriu a cauda e tinha penas coloridas, muito bonitas” – Diana, Beatriz, Carolina e a Fabiana (1.º ano A) 26

“Gostei da coruja das neves porque ela era branquinha e tinha uns olhos redondos e grandes.” Rosário, Gabriel e o Ruben (1.º ano A) “Gostei dos faisões; achei-os bonitos, especialmente o vermelho, azul e amarelo e a cauda deles era comprida.” – Érica, Jéssica e o Gustavo (1.º ano A) “Fiquei encantada com o cisne branco por ser grande e nadar no lago.” – Juliana e a Ana Sofia (1.º ano A) “Gostei de ver os papagaios e os flamingos porque os papagaios eram coloridos e os flamingos muito bonitos.” – Samuel (1.º ano B) “Gostei mais do faisão.” – Fabiana Santos (1.º ano B) “Eu gostei muito do pavão porque tinha uma cauda muito linda.” – Catarina (1.º ano B) “Eu adorei a rola.” – Eduardo (1.º ano B) “Achei interessante as avestruzes porque têm um pescoço comprido.” – Mariana (1.º ano B) “Achei engraçado uma ave, mas que não sei o nome [tucano], que tinha o bico amarelo e que andava a saltitar.” – Mário (1.º ano B) “Achei engraçada uma ave que tinha um bico que parecia uma flor.” – Joana (1.º ano B) “Gostei da “coruja das neves” porque era branca e bonita.” – Tatiana (1.º ano B) “Achei bonito ver os patos mergulhar a cabeça à procura de comida.” – Diana (1.º ano B) Está presente nas opiniões dos alunos a sua satisfação e agrado por tudo o que observaram. Ficam algumas fotografias... para mais tarde recordar!


Jornal

Escolar

Visita de estudo a Guimarães

No dia 23 de Abril, eu e os meus colegas do 4º ano, juntamente com as professoras, fomos fazer uma visita de estudo à cidade de Guimarães. Saímos logo de manhã, de autocarro, e chegámos a Guimarães por volta das 11h. Como já íamos um pouco esfomeados, resolvemos comer alguma coisa antes de começarmos a nossa visita. Entretanto, dirigimo-nos ao Paço dos Duques. Lá, tínhamos uma guia, que nos falou de imensa coisa sobre aquele espaço. Ela disse que ali não viveu o D. Afonso Henriques, mas sim o Conde de Bragança. Mostrou-nos os vários compartimentos do Paço - salas, quartos, e falou dos móveis e das armas que lá havia. Também nos explicou o porquê das 32 chaminés e das tapeçarias na parede. De seguida, fomos ver a estátua do D. Afonso Henriques e até tirámos uma fotografia com ele. Começámos a sentir fome e era sinal que estava na hora de almoçar. Da parte da tarde, visitámos a capela, e aprendemos que tinha sido ali que o 1º rei de Portugal tinha sido baptizado. Visitámos também o castelo, e adorámos andar por aqueles caminhos tão estreitinhos que até metiam medo. Está foi a parte mais divertida da visita de estudo. Depois as professoras levaram-nos a dar uma volta pela cidade de Guimarães, para ficarmos a conhecer um bocadinho mais. Regressámos ao autocarro porque estava na hora de voltar à nossa escola. Foi uma visita de estudo muito divertida.

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

Visita de estudo a Guimarães No passado dia 23 de Abril, todas as turmas do 4º ano deste agrupamento de escolas, foram em visita de estudo à cidade de Guimarães – berço da nossa nacionalidade. Quando chegámos, parámos atrás da colina do castelo, seguindo depois para o Palácio dos Duques de Bragança. Este palácio tinha trinta e nove chaminés e respectivas lareiras, imensas salas e salões, tapeçarias da época da Expansão Marítima, louças chinesas, vasos que serviam de aquários, móveis diversos… Havia uma sala só para armas (espadas, espingardas, pistolas, etc). Outra sala tinha o tecto em forma de barco - Salão dos Banquetes, à semelhança da capela do palácio. No quarto, a cama era de dimensões reduzidas, uma vez que as pessoas dessa época eram de estatura mais pequena e também porque dormiam sentadas, receosas de ao dormirem em posição horizontal, posição das pessoas mortas, não mais acordarem. Visitarmos o palácio ou paço dos duques, fez-nos retroceder no tempo e perceber melhor a forma como estes nossos antepassados viviam. Almoçámos e, da parte da tarde, dirigimo-nos à capela de S. Miguel, capela onde o nosso 1º rei de Portugal, D. Afonso Henriques, foi baptizado. De seguida, aguardámos que o portão do castelo fosse aberto e iniciámos a nossa aventura da descoberta do mesmo. Verificámos que quase só existiam as muralhas e que no espaço central do mesmo havia uma torre e um ou outro pedregulho. Usando as escadas de acesso às muralhas referidas, subimos e caminhámos com muito cuidado, entrámos na torre já mencionada, descemos e tirámos uma foto. Depois dirigimo-nos à parte histórica da cidade de Guimarães, passando pela estátua de D. Afonso Henriques, da qual ainda não havíamos falado. Regressámos a Romariz satisfeitos e com a certeza de que nunca mais nos esqueceremos desta visita de estudo. Aprendemos, divertimo-nos e fizemos descobertas! Texto colectivo 4º B E.B.1 Igreja - Romariz

Escola a mexer Depois de conversarmos sobre o que se poderia melhorar na nossa escola, fizemos o pedido de algum material que precisávamos à Câmara, através do Centro de Recursos de Lobão. Daí a algum tempo, chegaram as tintas e os pincéis para pormos mãos ao trabalho. Passadas algumas semanas, vieram as plantas trazidas pelas meninas do centro de Recursos de Lobão. Começámos por embelezar o refeitório da nossa escola para também deliciarmos o olhar enquanto comíamos pois “os olhos também comem”. Desenhamos frutos e legumes e também pintamos. Na semana seguinte, a prof. das AEC’s que deu mais umas pinceladas e um toque artístico ao nosso trabalho. Ficamos fascinados! Depois, com a ajuda da auxiliar, restaurou-se as “macacas” que já quase nem se viam no passeio da escola e tratou-se e replantou-se o jardim tal como ele merece. O pai do Diogo, a seu pedido, fez então uma placa de madeira para escrever o nome da escola e colocarmos num sítio estratégico. 27

À DESCOBERTA

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

À DESCOBERTA

Depois pintamos os cabides a nosso gosto e com as cores que quisemos. De seguida, foi o muro da escola que também estava a precisar de avivar as cores. O cantinho exterior da entrada principal da escola foi o passo seguinte, que se fez com a colaboração de todos. Melhorar estes cantinhos foi um gosto e deu-nos muito prazer. Também gostamos de ver o muro mais bonito e ouvirmos os comentários dos nossos pais. Este trabalho ficou em 2º lugar e valeu-nos uma visita à casa de Serralves.

a ponTe

3º e 4º anos EB1 de Carvalhal

No dia 5 de Maio, fomos numa visita de estudo ao Parque No Parque, nós vimos aves muito bonitas. Lá encontravamse os pavões, onde houve um que se mostrou o mais bonito Ornitológico de Lourosa de todos.

Fomos na companhia de meninos de outras escolas do nosso agrupamento

Nós gostamos muito da visita que fizemos ao Parque. Foi muito divertido.

E.B.1 Pigeiros - 1.ºano

DIAS ESPECIAIS

FÁBULA DOS FEIJÕES – 25 DE ABRIL Desde que o mundo era mundo, os feijões sempre viveram em paz e sossego uns com os outros, cada um com a sua cor, cada qual com o seu feitio. Os feijões eram: o carrapato, o fidalgo, o frade, o vermelho, o verde, o manteiga, o preto, o branco, o canário, o moleiro, o catarino, o rajado, o rasteiro e o galego. Eles todos habitavam no reino: “Jardim-à-Beira-MarPlantado”, com as suas mulheres, as feijocas. Mas, há muito, muito tempo, no tempo em que os meninos moravam nas sementes dos seus bisavós, aconteceu uma desgraça! Tudo aconteceu porque o feijão Carrapato, o feijão Fidalgo e o feijão Frade se decidiram juntar, porque queriam tudo para eles. 28


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

DIAS ESPECIAIS

a ponTe

O feijão Carrapato tomou conta do Sol, o feijão Fidalgo desviou a Água para o seu sítio e o feijão Frade tomou conta do Ar que havia. Passado algum tempo, os feijões e as feijocas começaram a perder a cor e a ficar cinzentos. As palavras de ordem que começaram a surgir depois de 48 anos de serem cinzentos foram: Liberdade, Igualdade, Fraternidade, Justiça e Democracia. Ao longo dos tempos o feijão Carrapato, o Fidalgo e o Frade começaram a ficar fracos, cada vez mais fracos e acabaram por morrer e, aí sim, todos os feijões do reino do “Jardim-à-Beira-Mar-Plantado” viveram felizes com: Liberdade, Igualdade, Fraternidade, Justiça e Democracia. E assim nasceu o feriado, o dia da Liberdade, dia 25 de Abril. E.B.1 Pigeiros - 3.ºano

Dia da Mãe

No Carnaval nós divertimo-nos muito. Desfilamos pelas ruas de Pigeiros usando as nossas lindas fantasias.

E.B.1 Pigeiros - 1.ºano

Olá amiguinhos! Como de costume para celebrar este dia tão especial, a nossa turma fez este trabalho para oferecer às nossas mães queridas. Transformamos uma simples colher numa linda flor, fizemos um postal onde escrevemos mensagens dedicadas às mães e ilustramos um saco de papel com motivos delicados como as mãos das nossas Mães. Para todas as Mães mandamos beijinhos com muito Amor. Turma do 2ºano / EB1 Pigeiros

DIA DO PAI O passado mês de Março foi marcado por intenso trabalho, uma vez que tanto esforço era com o objectivo de preparar surpresa para os Papás. - Sabem aquele dia especial em que só podemos falar com as mamãs para não estragar a surpresa… Aos filhos foi recomendado que guardassem muito bem a prendinha, num lugar secreto para o papá não descobrir!

SEMANA DA LEITURA Durante este mês, podemos desfrutar da Semana da Leitura, em que os encontros foram feitos fora e dentro da nossa escola. O 1º foi na Biblioteca da EB1, onde podemos ouvir os meninos do segundo ano a ler uma história…que bem que liam! O outro encontro foi feito fora da nossa escola, nomeadamente no salão paroquial de Romariz, onde a mamã do Miguel e as professoras onde nos prepararam uma surpresa… - Imaginem lá qual foi a surpresa… um Conto Musicado”O Pedro e o Lobo”. No final desta 29


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

DIAS ESPECIAIS

semana repleta de histórias, música, leitura e surpresas, tivemos oportunidade de fazer um lindo marcador de livros, que tivemos o prazer de oferecer a alguns amigos, professores e aos pais.

PÁSCOA

O mês de Março não ficou por aqui… tivemos oportunidade de o tornar um pouco mais doce, com a chegada da Páscoa. E como não há Páscoa sem coelhinhos, fizemos um em cartolina onde colocamos um coelhinho de chocolate. JARDIM DE INFÂNCIA DE IGREJA ROMARIZ

Carnaval

Chegámos à escola às 14 horas do dia 26 de Janeiro para nos fantasiarmos pois a saída do desfile de Carnaval era às 15 horas. Participaram no desfile os meninos do Infantário e jardim da Creche, as duas turmas do jardim da creche, as duas turmas do Jardim-de-Infância da Igreja, as seis turmas da Escola, os idosos do Centro de dia e a Associação de Pais. O corso saiu da nossa escola, percorreu a avenida em direcção à Igreja e voltou à escola. Contou com a colaboração da GNR e duma ambulância dos BV de Arrifana. O tema das fantasias era a SEGURANÇA, tendo os professores e educadores reunido para escolherem o que cada grupo faria. As turmas vestiram-se umas de bombeiros e chamas, outras de sinais de trânsito, outras de passadeiras e os meninos do Jardim-de-Infância eram os semáforos. Os alunos da Creche foram de personagens de contos infantis, os idosos eram vespas e abelhinhas, enquanto os pais escolheram ir de cuidadosos polícias. Os fatos foram idealizados e feitos por cada grupo nos dias que antecederam e foi grande a azáfama. Durante o desfile apitámos, dançámos ao som da música, atirámos serpentinas e confetis e fomos muito, muito fotografados… Foi uma grande animação! No regresso à escola, foi-nos oferecido um bom lanche. Os alunos e docentes da escola

30

de

Poiaresa

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

A escola de Goim é notícia

A Escola E. B.1 de Goim recebeu no final do segundo Período, um parque infantil para as crianças terem uma nova ocupação durante o tempo do recreio. A Associação de Pais, responsável pela colocação do parque foi recolhendo donativos por toda a comunidade e, juntamente com o apoio da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e da Junta de Freguesia de Romariz, conseguiram esta proeza para a Escola. Os alunos da Escola acharam um “máximo”. Dizem que “agora a escola é mais animada“, ”fixe” ,”engraçada” e “radical” , embora “pudesse ter outros jogos como baloiços e escorregas“. Quando lhes perguntamos se achavam o parque seguro a maioria respondeu que sim. As professoras da escola também manifestaram a sua opinião “é bonito e agradável para todos mas é preciso saber brincar”. Os alunos e as professoras desta escola agradecem a todos quanto ajudaram na concretização deste projecto. A todos um muito obrigado. 3º ano de EB1 de Goim-Romariz

Despedida

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

No dia oito de Abril veio à nossa escola um Senhor chamado Sérgio, no âmbito do “ABC do Concelho”. Quando chegou à nossa sala, o Professor Sérgio fez uma tabela de jogos no quadro. Eram três grupos, dois de seis e um de cinco elementos. Os jogos eram dois, pontos máximos: sessenta e cinco; pontos mínimos: cinquenta e cinco. O grupo que fizesse menos do que cinquenta e cinco pontos perdia e não tinha uma surpresa. O meu grupo eram: eu, a Ana Rita ribeiro, o Ricardo, a Jéssica Filipa e a Tânia. Nós éramos o grupo que tinha cinco elementos. No primeiro jogo tínhamos um mapa das trinta e uma freguesias de Santa Maria da Feira e em baixo o nosso grande amigo Fogacinha. Havia umas imagens com locais de cada freguesia e tínhamos que as colocar no lugar correcto. O meu grupo errou duas imagens. O segundo jogo eram palavras cruzadas. Tinha que haver um capitão, no meu grupo fui eu a capitã. Tínhamos que escrever o nome de todas as freguesias do Concelho. O meu grupo foi o primeiro! No fim todos ficámos com os mesmos pontos e a surpresa era: ir a uma visita de estudo, dia 9 de Maio (sexta-feira), à tarde, ao Visiunarium.

No dia 15 de Fevereiro a nossa colega e amiga Joana Rita despediu-se de nós porque foi viver para a Suíça. Nesse dia, nós brincamos muito com ela e oferecemos-lhe lembranças para ela não se esquecer de nós. Desejamos-lhe muitas felicidades e que nos venha visitar um dia porque já sentimos muitas saudades dela. Beijinhos para ti Joana!

Composição elaborada por: Rita Mariana Ilustração: Turma 3.º Ano EB1 de Pigeiros

Turma do 2ºano / EB1 Pigeiros

Net sobre Rodas No dia 8 de Maio ficamos muito felizes porque a “Net sobre Rodas” chegou finalmente à nossa escola. Estivemos a fazer jogos e desenhos nos computadores que ficaram espectaculares. Adoramos esta actividade!

ASSEMBLEIA DE CRIANÇAS No dia 10 de Março fizemos um passeio à freguesia de Pigeiros. O tempo estava muito chuvoso, por isso fomos de autocarro. Connosco foram o Presidente da Junta de Freguesia, o Senhor Feliciano e o Animador Pedro, da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira. Nós fizemos este passeio, porque tínhamos feito uma pesquisa onde vimos o que era preciso melhorar em Pigeiros. A nossa primeira paragem foi no Parque da Várzea. Todos vestidos de quispo fomos até ao abrigo, que será um bar, onde o Senhor Presidente esteve a falar-nos do que iria ainda lá ser construído. O Parque já tem bancos, mesas, palco, ponte e passeios, para caminhar. Voltamos ao autocarro e fizemos o resto da viagem lá dentro. De lá vimos: 31

ACTUALIDADES

a ponTe


ACTUALIDADES

Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

- o parque infantil, todo destruído, que também está para ser arranjado; - o local onde vai ser construído o campo de futebol; - um terreno local onde pode ser construído o lar de 3.ª idade; - e a escola, onde faz muita falta uma grande obra de melhoramento que inclui a construção de um polivalente com balneários. De todos os locais que tínhamos falado na sala de aula, com o Animador Pedro, só os melhoramentos na escola não estão contemplados para este ano, o resto dos projectos e obras estão a decorrer. Voltámos para a escola na hora do lanche. 3º ANO DE ESCOLARIDADE ESCOLA DE PIGEIROS

O esquilo Hoje, dia 2 de Abril, vimos um esquilo no mato, que ladeia a nossa escola. Ele estava em cima de um ramo de pinheiro onde havia um ninho. Todos os meninos da escola ficaram admirados. Ficamos muito entusiasmados e fomos observá-lo de perto. Vimos saltos espectaculares de ramo para ramo e de pinheiro para pinheiro. Nós estimamos que seriam saltos de 2 ou 3 metros. Sentimo-nos simplesmente fascinados! De seguida, como queríamos saber mais, sobre esquilos fomos à Internet. Ficamos a saber que há esquilos arbóreos, aéreos e terrestres, e que existem mais de 250 espécies destes animais. Aprendemos que eles comunicam através da cauda conforme a mexem ou não. Os esquilos têm um ângulo de visão maior que os seres humanos. Quando têm medo ficam imóveis. Não gostam do colo humano, são animais activos e irrequietos. Quando os esquilos têm 1 mês de idade já ouvem, vêm e têm pelo. Nessa altura a mãe ensina-as a procurar abrigo e comida. A progenitora é quem trata das crias. Quando os filhos têm 2 meses a mãe abandona-os. Com 8 meses os esquilos já são adultos e podem ter de 3 a 5 filhos. Entre Fevereiro e Abril, Junho e Agosto nascem os filhos. Hoje foi um dia em grande e muito especial.

“Violência em Meio Escolar” Acção de sensibilização efectuada pela Escola Segura No dia 20 de Maio 2008, pelas 14h40, durante a nossa aula de Área de Projecto, a turma do 7º C recebeu a visita de dois militares da GNR para abordarem os diversos tipos de violência, quer no meio escolar, quer na sociedade em geral. Os militares explicaram que a violência se divide em três tipos: violência física, violência verbal e violência psicológica. Através de um Power-point foram abordadas diversas situações de violência. Ficamos a saber que as crianças e os idosos são as pessoas mais afectadas pela violência. Os dois militares deram ênfase ao tema “Bullying”, que nos diz especial respeito, pois frequentamos a Escola e muitos de nós já foram vítimas deste tipo de violência. A acção de formação foi muito interessante, uma vez que também estivemos a reflectir sobre a nossa conduta enquanto “Cidadãos”. O que nos foi dito e gostariamos de aqui transmitir é : “Um pedido de desculpas deve ser feito olhos nos olhos e com sinceridade.” 7º C

ALUNOS ABORDARAM CARÊNCIAS DA TERRA NA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA

Falta de ecopontos, estradas más, pouca iluminação pública e falta de passadeiras são algumas das preocupações. Os alunos do 3ºano A, da escola EB1 da Igreja, de Milheirós de Poiares, apresentaram à Assembleia de Freguesia algumas das suas preocupações relativamente à terra onde habitam. Na sessão do órgão deliberativo marcada para discussão e votação do Relatório de Actividades Texto colectivo - 3º e 4º anos e Contas de Gerência, os mais novos pediram mais ecopontos, melhores Escola E. B. 1 Carvalhal estradas, mais passadeiras de peões, melhor iluminação pública, menos poluição no rio Ul e o apetrechamento da biblioteca da escola. O acto foi louvado pelos elementos da Assembleia. O presidente da Junta de Freguesia, Casimiro Loureiro, explicou já haver passadeiras e ecopontos na freguesia, sublinhando não poder haver equipamentos destes em todo o lado. Quanto às estradas, o autarca lembrou aos meninos que “enquanto houver obras para o saneamento, terá de haver buracos”. Quanto ao rio Ul, os mais novos foram incentivados a não poluírem e educarem os mais velhos a não depositar lixo fora dos locais apropriados. 3ºA – EB1 Igreja – Milheirós de Poiares

32


Jornal

Escolar

do Agrupamento

Declaração Universal dos Direitos da Criança – 6º D - 2007/2008

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

Princípio 3 Todas as crianças têm o direito de ter um nome, de pertencer a um país e de ter uma família. Nenhuma criança deve estar sozinha no mundo, pois ninguém gosta de estar sozinho. Devemos ajudar as crianças. Todas as crianças têm o direito de crescer, de pertencer a um país. Nós não gostávamos de não ter um nome ou não pertencer a um país. As crianças não devem ser gozadas pelo seu nome ou por pertencerem a um determinado país. Todas as crianças têm direito a serem respeitadas seja qual for o seu nome ou país. Ana Carolina / Tiago

Princípio 1 Todas as crianças são seres humanos com direitos, ou seja, devem ter oportunidade para crescerem e se desenvolverem harmoniosamente. Qualquer que seja a parte do mundo onde as crianças vivam, devem poder beneficiar dos direitos que estão na Declaração Universal dos Direitos da Criança. Os direitos das crianças não devem ser modificados mesmo quando são crianças de raça, sexo, língua ou religião diferentes da nossa. As crianças devem ser respeitadas e valorizadas por todas Princípio 4 Todas as crianças têm o direito de serem bem alimentadas as pessoas. para não terem doenças graves. Todas as crianças têm o Cristiana / Diana direito de serem bem alimentadas porque, se não comerem adequadamente, podem morrer. Por isso, devem ter uma alimentação cuidada. Se não tiverem uma alimentação saudável, podem ficar gordas. Se tivermos uma alimentação boa e saudável, passamos melhor o dia-a-dia. Todas as crianças têm o direito de ter ajuda e protecção, de preferência dos pais, dos mais velhos e associações. Se tiverem dúvidas devem sempre pedir ajudas aos pais, professores e colegas. Daniel / Miguel Princípio 5 Todas as crianças têm direito a não serem descriminadas, principalmente as que têm qualquer deficiência. As crianças deficientes podem parecer tolinhas, mas não são; elas não podem ser gozadas, nem ter medo de dizer as coisas nem de brincar normalmente com os outros. São como todas as outras crianças. Podem não as compreender, podem não ser bem comportadas mas têm o direito a cuidados especiais. São como nós. Somos todos iguais. Os pais são sempre os primeiros que devem apoiar os filhos como um ser igual. Uma criança deficiente deve ser protegida e não ser abusada. As crianças deficientes têm que ter força de vontade para “lutar” contra os que lhe fazem mal e, se os magoarem, não devem ter medo de acusar. As crianças deficientes precisam de amor, compreensão, carinho mas, apesar de tudo, precisam de compreensão. Rita / Vanessa

Princípio 2 As crianças têm o direito de crescerem, de se desenvolverem e de se alimentarem bem. As crianças têm o direito de brincar com os familiares, os amigos e os vizinhos. As crianças podem jogar à bola, brincar com bonecas e com todo o tipo de brinquedos se forem adequados para a sua idade. Todas as crianças têm o direito de serem livres, de andarem e de estarem com quem querem… Todas as crianças devem ser respeitadas, ter uma boa educação e ser ajudadas se necessitarem bem como ajudar Princípio 6 quem precisa. Todas as crianças têm o direito de ter amor, carinho e de ter Filipa / Pedro uma família – pai, mãe e irmãos para brincarem ou, então, amigos – devem ter um sorriso como as outras. Todas as crianças têm o direito de serem respeitadas e de terem roupas, comida… Quem não tiver pai e mãe, deve ser amada pelos outros. Para isso, há os pais adoptivos e instituições. Todas as crianças têm o direito de serem compreendidas pelos seus pais e pela sua família. São seres humanos como os outros, independentemente da sua raça, cor, sexo. Todas as crianças têm o direito a serem amadas. Luís / Sara Paiva Princípio 7 Todas as crianças são iguais. Todas as crianças têm o direito de ir à escola, de se desenvolverem e de aprender a serem 33

ACTUALIDADES

a ponTe


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

ACTUALIDADES

cidadãos. Todas as crianças são iguais e deviam ser tratadas igualmente. Hoje em dia, basta uma criança ser de raça diferente para não ter os mesmos direitos que os outros. Por exemplo, as crianças ciganas são tratadas de maneira diferente só por terem cor, sotaque e crenças diferentes. Todas as crianças têm o direito de ter pais que as ajudem na sua educação e orientação. Este princípio é muito importante e devia ser levado mais a sério pois, se assim fosse, o mundo e as crianças eram mais felizes. Muitas das vezes pensamos que os nossos pais nos dizem as coisas para o nosso mal mas é tudo para o nosso bem: temos que ser responsáveis pelos actos e pelas acções que fazemos. Temos de dar valor a quem tudo faz por nós para sermos umas crianças com educação, responsáveis, amigáveis e ajudar os outros para podermos viver melhor. Jorge / Leandro

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

idade mínima permitida pela lei e pôr em perigo a sua saúde e o seu desenvolvimento físico e mental. Na idade em que estão, devem ter cuidado consigo mesmo, pois algumas pessoas são cruéis. As crianças não devem trabalhar devido à sua idade, mas sim, estudar na escola, brincar e serem livres. Se alguém obrigar as crianças a trabalhar ou lhes fizer algo cruel, devem logo pedir ajuda a alguém de confiança. Todas as crianças têm de ser protegidas contra isto e de pedir ajuda quando as obrigam a fazer algo que não possam devido à idade. Algumas pessoas querem explorar as crianças e fazer-lhes mal. As crianças devem evitar fazer trabalhos que sejam incapazes de realizar. Se alguém as obrigar a fazer algum desses trabalhos, devem procurar ajuda junto a um adulto ou psicólogo para as ajudar a ultrapassar o problema. Cuidado convosco! Joana / Sara Isabel Princípio 10 Todas as crianças têm direito a andar na escola e a aprender as matérias para um dia mais tarde serem pessoas formadas. Na catequese, ensinam-nos a paz e temos os nossos pais em casa para nos darem comida, afecto e carinho. Devemos tolerar o que algumas pessoas nos fazem porque, se não tolerarmos nada, andamos sempre à luta. As crianças devem ser compreensíveis, amigas, verdadeiras e lutar pelos princípios morais. Queríamos dizer a quem ler isto para amar sempre as crianças. Filipe / Valter

PA S S AT E M P O S

Princípio 8 Todas as crianças devem ser as primeiras a serem assistidas, a receberem auxílio, amor, ajuda e protecção. As crianças não sabem os perigos que enfrentam, pois não têm as mesmas ideias e conhecimentos que os adultos, pois ainda estão em fase de crescimento. Também, nós, no dia-adia corremos muitos perigos, como sermos atropelados ou termos doenças muito graves. Por isso, as crianças devem ser as primeiras a serem tratadas. Rafaela / Rui

Princípio 9 As crianças não podem ser obrigadas a trabalhar antes da Anedotas Um médico cura um paciente através da auto-sugestão: -Diga três vezes “eu estou curado”, diz o médico. O doente obedece e sente-se curado.Na hora do pagamento, o médico cobra 50 euros e o paciente aconselha: -Repita três vezes “já fui pago” Um viajante, depois de tentar várias hospedagens e não ter encontrado nada, resolve fazer o uso da esperteza e pergunta ao gerente de um hotel: -Meu amigo, se o Presidente da República chegasse aqui, agora, você arranjava um quarto para ele? -Claro que sim. -Então pode dar-me o quarto dele, pois tenho a certeza que ele não vai precisar. Provérbios A verdadeira amizade dura uma eternidade.

Amigo na necessidade é amigo de verdade. A língua não mente o que o coração sente. Casa que não é ralhada não é bem governada. Tostão a tostão faz um milhão. Para palavras loucas, orelhas moucas. Água mole em pedra dura tanto bate até que fura. Antes a pobreza honrada que a riqueza roubada. Adivinhas Pequena como uma abelha enche a casa até à telha. Tu que me miras comer me querias mas tu morrerás e eu ficarei. De ti fará de onde eu me meterei. Minha tringalha minha tringalharia sem ela não faço o que queria. Qual é a coisa, qual é ela que tem sempre os pés na cabeça? Micael, 7ºB

34


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

EM INGLÊS E FRANCÊS NOS DIVERTIMOS P A S S A T E M P O S

a ponTe

Cantinho J.I. do Pereiro

Vamos Contar… Conta quantos objectos há de cada espécie e escreve o seu total no quadrado correspondente. Sala da educadora Julieta

(Soluções das adivinhas - pág. 34) luz, ovelha, chave, piolho

35

Soluções do Vamos Contar (pág. 35)


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

Rua Pinheiro Grosso Nesta rua existia um pinheiro que era muito grosso, um dia alguém resolveu cortá-lo. Embora já não exista o pinheiro, foi determinante na atribuição do nome da rua.

ESPECIAL - ... à descoberta da nossa Terra

Trabalho de Pesquisa sobre a História Local (Toponímia)

Rua Professora Bernardina Dias de Paiva A professora Bernardina Dias de Paiva foi considerada pela freguesia, como uma pessoa ilustre, respeitadora e com grande mestria na arte de ensinar. Leccionou numa escola primária de Pigeiros durante vários anos. As instalações da referida escola, actualmente são ocupadas Pela Associação Particular Padre Osório .

Com a finalidade de conhecer a História Local, iniciamos o processo de um trabalho de pesquisa que se pretende seja partilhado e vivenciado pela comunidade das freguesias de Romariz, Pigeiros e Milheirós de Poiares. Como veículo de divulgação da História, a toponímia é um instrumento fundamental de preservação da cultura e da identidade local, que contribui para a valorização histórica dos costumes, pessoas, datas, eventos e lugares. Como salienta o historiador Veríssimo Serrão, a atribuição dos topónimos numa localidade não só é um trabalho que valoriza a história local, como representa também “um sinal de gratidão para com aqueles que fizeram um trabalho meritório pela sua terra”. O presente trabalho foi desenvolvido pelos alunos do 6ºano de escolaridade na disciplina de História e Geografia de Portugal. Iniciámos um trabalho de pesquisa sujeito aos ajustes necessários em salvaguarda e perpetuação de uma memória Local.

Freguesia de: Pigeiros Rua Vinhó Este topónimo está associado ao nome de um lugar da freguesia.

Rua das Cavadas O topónimo cavadas, está associado ao acto ou efeito de cavar. Segundo o património oral, conta-se que um senhor tinha umas terras naquela zona. Um outro senhor chegou perto dele e disse-lhe: “ Precisamos de cavar aquelas terras”. O outro respondeu: “Não, aquelas terras já estão cavadas”.Daí surgiu o nome Cavadas. 36


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

profundamente a toponímia dos locais por onde passa. Rua de Trezuma O nome da rua está relacionado com um senhor chamado Albertino Colheita, mais conhecido por Trezuma . A freguesia prestou-lhe a sua homenagem, na medida que, através dos seus donativos. Anteriormente à divisão da freguesia por ruas, este lugar denominava-se “Lugar Fonte da foz”.

Rua Manuel Oliveira Pé D’Arca O senhor Manuel Oliveira Pé D’Arca foi um benemérito da freguesia, na medida que contribuiu com dinheiro e terreno para a construção do campo de futebol.

Rua 25 de Abril A freguesia decidiu salientar um facto histórico nacional, marcante para o incremento da Democracia e sustentabilidade do poder local, a Revolução Militar do 25 de Abril de 1974. Também denominada por Revolução dos Cravos, a Revolução do 25 de Abril decretou o fim da Diatdura do Estado Novo. Rua dos Freixieiros O topónimo freixieiro está associado a um elemento da botânica, o freixo. É uma das nossas folhosas mais importantes, tanto ecológica como industrialmente. Cresce muito rapidamente se os terrenos forem favoráveis (por

Rua Além do Rio A atribuição do topónimo além do rio deve-se à proximidade geográfica com o curso do Rio Uíma, afluente da margem esquerda do Rio Douro. Nasce no lugar de Duas Igrejas, na freguesia de Romariz, concelho de Santa Maria da Feira e tem a sua foz em Crestuma, no concelho de Vila Nova de Gaia, ligeiramente a jusante da Barragem de CrestumaLever.Da nascente até à foz percorre, predominantemente de sul para norte, as freguesias de Romariz, Pigeiros, Caldas de São Jorge, Lobão, Fiães, Vila Maior (todas do concelho de Santa Maria da Feira) Sandim, Lever e Crestuma (do concelho de Vila Nova de Gaia). Este recurso hídrico marca

exemplo a margem de um rio), chegando a atingir os 40 m de altura. Pode cortar-se aos 70/80 anos e a sua idade máxima ronda os 300 anos. As flores do freixo apenas são visíveis individualmente, uma vez que lhes falta o cálice e a corola. Aparecem na Primavera, antes das folhas, e polinizam-se através do vento. As folhas são pinuladas, e medem entre 20 e 35 cm de comprimento, com 9 a 15 folíolos lanceolados ou ovados, de 4 a 10 cm de comprimento, finamente serrados nos bordos. Rua da Mamoela A freguesia presta homenagem à História Local. Situada nas proximidades da povoação de Pigeiros, a “Mamoela de Vinhó” ergue-se num local elevado, uma particularidade que lhe confere um acentuado destaque no seio da paisagem onde foi implantada, sobre 37

ESPECIAL - ... à descoberta da nossa Terra

a ponTe


ESPECIAL - ... à descoberta da nossa Terra

Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

a qual detém, por conseguinte, uma forte visibilidade. Quanto à estação arqueológica, propriamente dita, ela é constituída por uma mamoa - outumulus - com cerca de vinte metros de diâmetro máximo, apresentando uma pequena depressão no centro, possivelmente resultante de uma violação ocorrida num tempo indeterminado, mas certamente na sequência de uma permanente procura dos “tesouros encantados” eventualmente existentes no seu interior, e que de forma tão intensa povoaram o imaginário popular ao longo dos séculos, e até milénios, relativamente a estas estruturas, cujo significado e finalidade se tinham há muito perdido da memória das comunidades locais e regionais.

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

Rua Presas do Monte Neste sítio existiam umas represas que iam dar a uma fonte. Entretanto, a fonte mudou de lugar e foi criado um lavadouro público e um fontanário. Num monte próximo localiza-se uma mina que também envia água para outra fonte. Rua de Cutelas A rua fica situada numa zona habitacional. Apesar das diligências tomadas, o processo de pesquisa continua em curso.

Freguesia de: Romariz Rua Padre Manuel Fernandes dos Santos O P.Manuel Fernandes dos Santos notabilizou-se pela obra multifacetada que desenvolveu em prol da freguesia e dos seus fregueses.

Travessa das Curtinhas Este topónimo está associado à actividade agrícola. A curtinha é um terreno comprido e estreito, relativamente próximo das habitações. Rua do Relvas O nome da rua deve-se ao facto de neste lugar ter vivido um senhor que tinha o nome de Relvas. A obra “A Minha Terra “ dedica-a a “ todos os meus fregueses ofereço, dedico e consagro”.Como grande defensor da preservação da história local, em 1940, a expensas suas, mandou proceder a escavações no Castro de Romariz, com o intuito de despertar o interesse das entidades responsáveis da altura para o enorme interesse arqueológico do monumento. Rua Fonte de Uíma Há muitos anos atrás, os romarizenses decidiram construir uma fonte e atribuíram-lhe o nome de “Fonte de Uíma”,pelo facto de, naquelas terras passar o rio Uíma.Porem,devido a questões de poluição,o lençol freático foi atingido, tornandose a água da fonte imprópria para consumo. Entretanto, Rua Fundo da Vila as pedras da fonte foram apodrecendo e a fonte enquanto A denominação da rua deve-se a questões de ordem geográfica.A rua fica localizada num dos extremos da construção acabou por desaparecer. freguesia,o lugar de”Duas Igrejas”. 38


Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

Rua Fernando Pessoa (1888-1935) A freguesia decidiu homenagear um dos maiores escritores da Língua Portuguesa, Fernando António Nogueira de Seabra Pessoa.

Freguesia de Milheirós de Poiares Avenida Padre Manuel Bastos (1916 – 1992) A freguesia presta homenagem à benemerência do padre Manuel Bastos. Ordenado sacerdote em 4 de Agosto de 1940, foi coadjutor em Fanzeres, concelho de Gondomar, e pároco das freguesias de Vila Fria e Vizela concelho de Felgueiras. Legou à Fabrica da igreja de Milheiros de Poiares um prédio urbano, constituído de cave e rés-do-chão, destinado a comercio, sitio na Rua Doze da cidade de Espinho.

Fernando António Nogueira de Seabra Pessoa, mais conhecido como Fernando Pessoa foi considerado como um dos maiores poetas da Língua Portuguesa. Considerando-se como um autor de tipo dramático, os seus heterónimos são o espelho desse dramatismo. Fernando Pessoa morreu com problemas hepáticos aos 47 anos, na cidade de Lisboa. No presente ano, a Junta de Freguesia decidiu alterar o Rua da Lomba nome da rua para Rua Maria Joaquina Pinho, como forma O nome da rua está associado a uma característica física, a de homenagear a sua acção de benemerência em prol da rua fica situada na cumeada de uma elevação. freguesia. Rua da Valeira O topónimo valeira está relacionado com o apelido atribuído à família do senhor António da Costa Ribeiro, proprietário de uma casa existente naquela rua, a “Casa da Valeira”.

Rua Fonte do Rato O nome desta rua deve – se ao facto de nela existir uma fonte. Pelo facto de a água da nascente ter sido canalizada para uma casa particular que tinha o nome de casa do rato, daí surgiu a atribuição do nome da fonte. Na fonte, pode ler – se a seguinte quadra: “Na fonte do rato Rua do Ferreiro briosa, todos vêm beber, a água leve e saborosa, é pura e dá Nesta rua morou um senhor que desenvolvia a actividade prazer. artesanal de ferreiro, actividade económica considerada importante para a freguesia.

Rua do Sobreiral Denomina-se rua do sobreiral porque antes de se transformar Rua Fonte da Piolha numa zona habitacional, era uma zona verde onde os O topónimo fonte da piolha deriva da sua localização sobreiros predominavam. geográfica, o “Mato da Piolha”. 39

ESPECIAL - ... à descoberta da nossa Terra

a ponTe


ESPECIAL - ... à descoberta da nossa Terra

Jornal

Escolar

do Agrupamento

de

Escolas

de

Milheirós

de

Poiaresa

a ponTe

Rua Fonte da Piolha Notabilizou-se sobretudo pela obra intitulada “Instituições O topónimo fonte da piolha deriva da sua localização do Direito Civil Português” que, segundo os entendidos, era geográfica, o “Mato da Piolha”. um verdadeiro monumento da ciência jurídica portuguesa. Uma das ruas que ladeiam a Faculdade de Direito de Coimbra tem o seu nome. Também foi homenageado em Santa Maria Da Feira com um busto e uma rua e, em Milheirós De Poiares, com afixação de uma lápide comemorativa do centenário do seu nascimento na casa da Eira . Rua da Gândara O topónimo esta associado à anterior caracterização do terreno, despovoado e coberto de plantas. Rua de S. Geraldo Rua Floriano Borges S. Geraldo é um santo padroeiro da freguesia. Como Foi grande benemérito. Efectivamente doou à Junta de homenagem decidiram fazer uma capela com o seu nome e Freguesia o terreno denominado Cortinhal, com área de 7 atribuir também o nome a uma rua. mil e quinhentos m2 situado no referido lugar Dentazes, destinado `a prática de desportos, que está a ser utilizado Avenida Dr. Crispim Teixeira Borges de Castro (1871-1962) pelo Grupo Desportivo Milheiroense e que é chamado Dedicou grande parte da vida à medicina, à actividade Campo Floriano Borges. politica local e ao desenvolvimento da cultura e educação da sua freguesia . Muito dedicado à educação e ensino dos seus conterrâneos, participava com frequência em festas escolares e premiava os melhores alunos. Promoveu a construção da imponente escola primária do lugar da igreja. Contribuiu decisivamente para a melhoria da rede viária, nomeadamente construiu a ponte da mámoa, anterior à actual, e abriu a avenida que segue para a igreja. Impulsionou a criação duma cooperativa destinada ao fornecimento da energia eléctrica. Doou à freguesia um enorme valor patrimonial que continua Rua António José de Bastos (1833-1910) a contribuir para o desenvolvimento da freguesia e do bemAntónio José Bastos, inolvidável benemérito, nasceu no lugar estar da sua população. do Pereiro, a 27 de Dezembro de 1833. Adquiriu uma pequena fortuna no Brasil.Reconheceu a Rua Joaquim Alves Moreira Junta de Freguesia de Milheiros como sua universal herdeira Joaquim Alves Moreira nasceu na Casa da Eira, no Seixal. , com a condição de construir um edifício escolar , pagar a Foi emigrante no Brasil de onde regressou em 1890 com um professor, se necessário, e acudir com dádivas às pessoas grande fortuna. Seguidamente foi, conceituado e empresário carenciadas. Assim, para além da sua casa situada na Rua e co-fundador do Banco Sottomayor, mais tarde, Pinto & Faria Guimarães, que ainda continua na posse da Junta de Sotto Mayor. Foi grande benemérito aquando da construção Freguesia, deixou avultada quantia de dinheiro, que chegava da escola primária do lugar da Igreja. De facto contribuiu para construir a escola e algo mais. muito para a dita escola .

Rua e Travessa da Agricultura Rua Autarca Eleito A partir do século XI, há diversa documentação escrita que Foi conhecida como Rua Autarca Eleito, porque houve uma alude a várias explorações agrícolas, designadas vilas e que Eleição, muito importante, em homenagem ao poder local. se podem considerar o berço dos actuais lugares: Milheiros, Dentases, Casal do Cio ou casal Dócio, Gaiate e Valar ou Rua D. Sebastião Soares de Resende(1906-1967) Vadar. D. Sebastião Soares de Resende notabilizou-se enquanto Há uns anos atrás, existiam muitos campos nesta rua. Mas homem ,sacerdote e escritor revelando-se um prelado culto foram-se construindo casas e hoje já não há campos. e piedoso, defensor intransigente da Verdade, da justiça A agricultura, a criação de gado e a arboricultura foram as e dos Direitos do Homem. Para além de escritor claro e primeiras e principais actividades dos milheiroenses durante doutrinador pioneirista na complexa problemática social de muitos séculos. Actualmente já não é assim. A indústria e os Moçambique, empreendeu a fundação de colégios e Missões, serviços tomaram-lhe o lugar e é confrangedor ver terras, as abriu Seminários, lançou o jornal Diário de Moçambique, levadas e os moinhos a darem sinais de abandono. criou a Rádio Pax e chegou a impulsionar a criação de uma universidade no Ultramar.Em 25 de Janeiro de 1992, foi Rua Dr. Guilherme Alves Moreira (1861-1922) alvo de uma homenagem na freguesia, por ocasião do 25.º A freguesia homenageou um homem da terra que se aniversário do seu falecimento, tendo sido descerrada a placa notabilizou enquanto professor catedrático da Universidade da rua com o seu nome, afixação de inscrição alusiva à casa de Coimbra e pela carreira académica,literária e política onde nasceu e publicação de pagela.Em Junho de 2006 é desenvolvida. novamente homenageado,inaugurando-se uma imponente estatua da artista plástica , a consagrada Paula Rego. 40

JORNAL a ponTe 23  

JORNAL a ponTe 23

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you