Page 1

www.juniorachievement.org.br B

r

a

s

i

l

Edição nº 10 - 2012

Tecnologia a serviço da educação Como utilizar a inovação e a tecnologia em prol do empreendedorismo


EMPRESAS QUE ENXERGAM LONGE Empresas Mantenedoras

Empresas Patrocinadoras de Projetos

B

r

a

s

i

l

Empreendedorismo para transformar


Conselho de Fundadores André Loiferman Construtora Brasília Guaíba Bolivar Baldisserotto Moura Jayme Sirotsky Grupo RBS Jorge Gerdau Johannpeter Grupo Gerdau Marcelo Baptista Carvalho Ancar Ivanhoe Raul Rosenthal Ladeira de Matos M2 Participações Sergio Carvalho Ancar Ivanhoe Conselho Consultivo Presidente: Jorge Gerdau Johannpeter Grupo Gerdau Vice-Presidente: Robson Braga de Andrade CNI Antônio Carlos Valente Silva Telefônica Aron Zylberman Instituto Cyrela Carlos Alberto Griner Suzano Papel e Celulose Fábio Colletti Barbosa Grupo Abril Fabio Schwartzman Klabin Fernando Xavier Ferreira Telefônica Francisco Valim Oi Gustavo Marin Citi José Claudio dos Santos Sebrae Nacional Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho Sebrae Nacional Pedro Melo KPMG Comitê de Branding Marcelo Baptista Carvalho Ancar Ivanhoe Comitê de Voluntariado Júlio Cesar Fonseca Oi Conselho Diretor Presidente: André Loiferman Construtora Brasília Guaíba Vice-Presidente: Marcelo Baptista Carvalho Ancar Ivanhoe

Janete Ana Ribeiro Vaz Laboratório Sabin José Paulo Soares Martins Grupo Gerdau Paulo Manso Cabral Sebrae – BA Ulisses Tapajós Neto Ação Investimentos Conselho Fiscal João Carlos Silveiro Rodrigo Moreira de Capistrano Ronaldo Veirano Conselho de Presidentes Henrique Luz PricewaterhouseCoopers – JASP Amadeo Comin SKF do Brasil – JASP José Antônio Verdi Verdi Design Péricles Druck Grupo Habitasul – JARS Ivo Hering Cia. Hering – JASC Sérgio Roberto Arruda SENAI-SC – JASC Fernando Lucena Grupo Friedman – JARJ Aldo Ramon Brito de Almeida RCL Gestão Empresarial e Consultoria – JABA Antoine Yousef Tawil CDL Salvador – JABA Eduarda Buaiz Grupo Buaiz – JAES Maely Guilherme Botelho Coelho Maely Arte e Publicidade Ltda. – JAES Ulisses Tapajós Neto Ação Investimentos – JAAM Ocimar Melloni Masa da Amazônia – JAAM Carlos Luciano Martins Ribeiro Novo Mundo – JAGO Alessandra Louza Flamboyant – JAGO Paulo Pennacchi Grupo Pennacchi – JAPR Rodrigo da Rocha Loures Sistema Fiep – JAPR Marco Antônio de Araújo Silva Supermercados Santa Lúcia – JAAP Jaime Domingues Nunes Domestilar Ltda. – JAAP Gilberto Bagaiolo PricewaterhouseCoopers – JAPE Paulo Sales Acumuladores Moura S.A. – JAPE João Claudino Fernandes Júnior Claudino S.A. – JAPI Francisco Valdeci de Sousa Cavalcante Fecomércio/Sesc/Senac-PI – JAPI Aristides de Azevedo Newton ANewton Franchising – JAMG

A Revista Fazendo a Diferença é uma publicação da Junior Achievement Brasil: Rua D. Pedro II, 861 – 10º andar Sala 1002 – 90550-142 Bairro Higienópolis Telefone: +55 51 3025 9900 Fax: +55 51 3025 9901 jabrasil@jabrasil.org.br Coordenação, Produção Editorial e Redação: Vanessa Siviero – MTB RS 832844179 Revisão: Giovana Colle Cauduro Impressão: Gráfica Graphoset Tiragem: 10 mil exemplares

Eugênio Pacelli Mattar Localiza – JAMG Luiz Coelho de Brito L. B. Construções Ltda. – JARR Telmo Jeferson Schmitz Faculdade Estácio Atual – JARR Jaqueline de Souza Araújo Ciga – JAAC Janete Ana Ribeiro Vaz Laboratório Sabin – JADF Marco Antônio Vieira da Silva Jr. Gerdau – JADF Fabrízio Duailibe AJE – MA – JAMA Marco Moura FIEMA – JAMA Luciano Piquet Paraí – JAPB Renato de Oliveira Borges Gerdau – JAAL José Carlos Lyra de Andrade SESI – JAAL Geraldo Salatiel Andrade Silva Gerdau – JACE Igor Queiroz Barroso Grupo Edson Queiroz – JACE Diego Cabral Ferreira da Costa Best Western Hotel da Costa – JASE Robson Santos Pereira FERSEG – JASE Ivanildo Pereira de Pontes FIEPA – JAPA Neuza Yamada Y. Yamada S.A. – JAPA Cláudio George Mendonça Sebrae/MS – JAMS Julião Flaves Gauna Gráfica Pontual – JAMS Renato Del Cistia Elétrica Serpal – JAMT Marco Aurélio Hollatz Construtora Salas Ltda.– JAMT José Gomes da Silva Gerdau – JARO Carlos A. Machado de França CETENE – JARO Erich Matos Rodrigues Grupo Pinheiro Rodrigues – JARN João Hélio Costa da Cunha Cavalcanti Junior Sebrae/RN – JARN Carlos Wagno Maciel Milhomem Instituto Brasil Empreendedor – JATO Emerson Lustosa Evolução Consultoria Empresarial – JATO Diretora Superintendente Wilma Resende Araujo Santos Auditoria Externa PricewaterhouseCoopers


Edição nº 10 - 2012

INSTITUCIONAL

A Junior Achievement 2,6 milhões de jovens beneficiados PROJETOS NACIONAIS

Grandes Parcerias Empresas que enxergam longe

Editorial .....................................................................................................06 Palavra dos Presidentes .........................................................................07 Institucional...............................................................................................08 Filosofia, Visão, Missão, Valores e Objetivos........... ...........................09 Programas da Junior Achievement ........................................................10 Entrevista Especial.....................................................................................12 Especial......................................................................................................16 Projeto Nacional Oi .................................................................................22 Projeto Nacional HP ................................................................................28 Projeto Nacional Ultragaz ......................................................................30 Projeto Nacional KPMG ..........................................................................32 Projeto Nacional Suzano .......................................................................34 Projeto Nacional GE................................................................................36 Projeto Nacional Coca-Cola ..................................................................37 Projeto Nacional Caterpillar & Ancar Ivanhoe....................................38 Projeto Nacional JP Morgan ..................................................................39 Projeto Nacional Valid.............................................................................40 Projeto Nacional Cyrela .........................................................................43 Projeto Nacional Neoris .........................................................................45

PARCERIAS INSTITUCIONAIS

União de Sucesso Grandes resultados

Planejamento Nacional de Comunicação ............................................18 Projeto Gerdau .........................................................................................20 Sebrae Nacional ......................................................................................33 Projeto Especial CIEE-RS ......................................................................42 Parcerias Institucionais...........................................................................44 IBGEN ........................................................................................................45

MUNDO DOS NEGÓCIOS

Educação Financeira

Especial.....................................................................................................24 Projeto Nacional Citi ...............................................................................26 Projeto Nacional HSBC ...........................................................................31 Projeto Nacional MasterCard .................................................................41

Estimulando finanças responsáveis REDE JUNIOR ACHIEVEMENT

Multiplicadores Empreendedorismo para transformar, cases dos 27 Estados

JASP .................. 47 JARS .................. 48 JASC .................. 49 JARJ...................50 JABA ...................51 JAES .................. 52 JAAM.................. 53 JAPR .................. 54 JAGO.................. 55

JAPE................... 56 JAMG ................. 57 JAPI .................... 58 JARR .................. 59 JAAP ..................60 JAAC ...................61 JAMA..................62 JADF ..................63 JAPB .................. 64

JAAL................... 65 JACE ..................66 JASE .................. 67 JATO ...................68 JAMS..................69 JAMT .................. 70 JAPA .................... 71 JARO.................. 72 JARN .................. 73

ESPECIAL

Especial Desenvolvendo o empreendedorismo

Projeto Especial........................................................................................74 Nexa Nacional .........................................................................................75 Tecnologia e Inovação..............................................................................78 Encontros Nacionais ...............................................................................80 Especial Marcas “Made in Brazil”.........................................................82 Especial Projeto Pesquisa Nacional......................................................84 Internacional..............................................................................................86 Demonstrações Financeiras de 2010 e de 2011 ..................................87


EDITORIAL

stamos apresentando os resultados de um esforço comE partilhado entre empresários, escolas e voluntários, construído por todos mas, especialmente, pela dedicação e comprometimento de uma grande equipe profissional que compõe a Junior Achievement em cada um dos Estados do Brasil. Somos um bloco executivo trabalhando para o melhor futuro do País, inspirando e preparando jovens, por natureza inquietos, e em permanente atitude de iniciativa e inovação. A Junior Achievement detém uma metodologia que faz sucesso em 120 países. São milhões de voluntários participando deste movimento de transformação, legando seu próprio conhecimento. O trabalho é suportado integralmente por empresas investidoras que percebem, em nossos programas, ferramentas de formação de empreendedores, capazes de construir um futuro pleno de civilidade e respeito. Editar esta Revista é expressar um imenso agradecimento a todos os envolvidos e fazer renovar a energia necessária para tocar adiante, em busca de novas metas. É, também, aumentar nossa capacidade de captação de recursos,

motivando novos investidores a entrar neste movimento virtuoso. A Junior Achievement reafirma seu compromisso com o “Empreendedorismo para transformar” e coloca a força de sua equipe para alavancar o envolvimento de empresários, esc voluntários, escolas e jovens estudantes. ca Leiam com carinho, procurando perceber o quanto já foi construído nos 27 Estados: empresas ampliando seu papel su marcas reconhecidas; voluntários de corasocial, com suas a ção aquecido, agregando valor a suas carreiras profissionais; sentind escolas sentindo-se apoiadas e integradas à sociedade ao se currículos, programas tão relevantes na incolocar, em seus mu trodução ao mundo dos negócios e ao mercado de trabalho; jo e, finalmente, jovens mais qualificados e conscientes do seu potencial para comandar o seu caminho. e processo até que realmente cause sólido Fazer crescer este soc impacto na sociedade é o nosso objetivo maior. Trabalharemos muito para que, ao final deste ano, tenhamos o mesmo nos trabalho, com mais 500 mil jovens particiorgulho de nosso nos programas. pando dos nossos

Wilma Resende Araujo Santos Diretora Superintendente Junior Achievement Brasil

6


Ivson Miranda

PALAVRA DOS PRESIDENTES

É com grande prazer que, mais uma vez, me dirijo à comunidade empresarial da Junior Achievement no Brasil para uma saudação. É também, com enorme satisfação, que vejo nossos objetivos e ideais se fortalecerem e disseminarem através de nossas ações nos 27 Estados brasileiros. Hoje, somos parte da história de mais de 2 milhões de estudantes, acolhidos em milhares de escolas no território nacional. Nossos resultados comprovam o valor do esforço de cada um, potencializado pela união e sinergia da Rede Junior Achievement Brasil. Porém, se nossa trajetória é motivo de justificado orgulho, ainda há muito trabalho a ser feito neste País continental. Empreendedorismo, educação financeira e preparação para o mercado de trabalho, os temas centrais de nosso trabalho, agregam valor a indivíduos e nações, pois têm o potencial de emancipar trajetórias direcionando-as para a autonomia e o desenvolvimento, seja ele individual ou coletivo. Com respeito, valores, ética e responsabilidade socioambiental, atuando nas escolas e complementando a educação de tantos jovens brasileiros, estamos contribuindo para a formação de cidadãos preparados para assumir desafios e responsabilidades em um futuro cada vez mais complexo. É fundamental, portanto, que todos estejam cientes da extrema importância do nosso trabalho, do valor de nossa missão, de uma atuação que busque não só crescente qualidade e eficiência, mas também a dedicação e o comprometimento em cada decisão, em cada ação, no dia a dia de nossas operações. Lembrem-se, quando existe orgulho e prazer de trabalhar em uma organização, os resultados são consequências, e os eventuais obstáculos serão superados mais facilmente. Por fim, agradeço o envolvimento de todos, registrando o meu muito obrigado aos voluntários, às escolas e a todas as empresas que acreditam no valor de nossos projetos e programas e nos legam seu inestimável apoio. E, a cada um dos colaboradores da Junior Achievement de todo o País, com o desejo de que perseverem e obtenham êxito em seus objetivos, reforçamos que o sucesso é a garantia de um futuro melhor, mais feliz e mais próspero.

Um dos compromissos mais importantes de qualquer nação é a formação de novos líderes comprometidos com o desenvolvimento sustentável e com os valores da democracia. Cada vez mais, a harmonia entre os temas econômicos, sociais, ambientais e culturais estabelece uma nova dinâmica na sociedade. Portanto, acredito que para que um país prospere é preciso estimular o empreendedorismo ao máximo. Afinal, o empreendedor é um dos principais agentes sociais de qualquer nação. Ao correr riscos, ele promove o desenvolvimento, beneficiando toda a sociedade. E é essa atitude que devemos praticar desde cedo. Nesse contexto, tenho certeza de que a Junior Achievement é uma oportunidade única para todos. Os programas desenvolvidos pela associação permitem dar uma educação empreendedora e inovadora aos jovens, desde o início de sua formação, dentro das escolas. Além disso, pelo envolvimento de voluntários em suas atividades, cria-se um ciclo virtuoso de transferência de experiências e de solidariedade entre os envolvidos. Muitos profissionais declaram o seu entusiasmo em participarem como voluntários nos programas, pois eles percebem a importância do reaprender e prestam um serviço para esses jovens, transmitindo seus talentos e suas experiências. Além disso, os pais de jovens que participam dos programas da Junior Achievement, seguidamente, destacam como os seus filhos mudaram a forma de ver o mundo, passando a ter uma visão mais consistente sobre os valores sociais, o papel e o funcionamento da atividade empresarial e, principalmente, o significado de um planeta sustentável. Além disso, esses jovens passam a ter mais segurança sobre os seus objetivos pessoais e profissionais. De forma especial, tornaram-se cidadãos e consumidores mais conscientes, com um forte sentimento de pertencimento a uma sociedade globalizada e interdependente. Estes são os motivos que me fazem admirar e me dedicar aos programas desenvolvidos pela Junior Achievement. Tenho certeza de que estamos contribuindo com a formação de novos e grandes líderes para o nosso Brasil.

André Loiferman Presidente do Conselho Diretor Junior Achievement Brasil

Jorge Gerdau Johannpeter Presidente do Conselho Consultivo Junior Achievement Brasil 7


Institucional undada em 1919, nos Estados Fa maior Unidos, a Junior Achievement é e mais antiga organização

empreendedora dentro de uma perspectiva ética e responsável, já tendo atingido a marca de 2,6 milhões de de educação prática em negócios, alunos. economia e empreendedorismo do Trata-se de uma associação educativa mundo. sem fins lucrativos, mantida pela iniciaAtualmente, está presente em 120 tiva privada, cujo objetivo é despertar países, beneficiando 10 milhões o espírito empreendedor nos jovens, de jovens ao ano. No Brasil, pos- ainda na escola, estimulando o seu desui unidades em todos os Estados senvolvimento pessoal, proporcionando e no Distrito Federal, com a atua- uma visão clara do mundo dos negóção de 100 mil voluntários, conso- cios e facilitando o acesso ao mercado lidando a formação de uma cultura de trabalho.

8

As atividades da Junior Achievement se desenvolvem através de programas educativos aplicados junto aos estudantes, em parcerias com escolas públicas e privadas, e com voluntários dispostos a compartilhar suas experiências e conhecimentos. O sucesso da Junior Achievement é resultado da sinergia e da dedicação de todas as partes envolvidas: empresas, escolas e alunos, tendo como principal vínculo os voluntários.


FILOSOFIA A vida é um caminho, não um destino, e você é o arquiteto do seu caminho.

VISÃO Consolidar a cultura empreendedora, formando uma geração de lideranças nas áreas empresarial, educacional, social e política.

MISSÃO Despertar o espírito empreendedor nos jovens, ainda na escola, e proporcionar uma visão clara do mundo dos negócios.

VALORES Honestidade Ética Perseverança Respeito Sustentabilidade Coragem Sensibilidade

OBJETIVOS QUE OS JOVENS COMPREENDAM O valor da perseverança A importância de objetivos claros A necessidade de assumir riscos O compromisso com a sustentabilidade Que a riqueza se cria Que a honestidade rende dividendos Que nós fazemos acontecer

9


Ensino Fundamental

PROGRAMAS DA JUNIOR ACHIEVEMENT

10

Nossa Comunidade: examina as responsabilidades e oportunidades disponíveis para as pessoas, fornecendo informações práticas sobre as empresas e as ocupações possíveis de serem encontradas dentro de uma comunidade.

Empreendedores Climáticos: desenvolve nos alunos o entendimento sobre as mudanças climáticas, que têm origem a partir das ações dos seres humanos. O objetivo é inspirar responsabilidade e cooperação, ambas necessárias para impulsionar hábitos de desenvolvimento sustentável.

Nosso Planeta, Nossa Casa: conscientiza os jovens sobre a importância do desenvolvimento sustentável e do consumo consciente. Através de atividades aplicadas pelo voluntário ou pelo professor, em sala de aula, os alunos aprendem sobre a importância da preservação do meio ambiente e sobre seu compromisso com a responsabilidade socioambiental.

Mais Do Que Dinheiro: os alunos são encorajados a utilizar alternativas inovadoras de aprendizado sobre planejamento financeiro, enquanto exploram e aumentam suas aspirações profissionais.

Nossos Recursos: os alunos realizam um empreendimento econômico que contempla a geração de riqueza e a preservação dos recursos humanos, naturais e de capital.

Aprender a Empreender no Meio Ambiente: desenvolve nos alunos a consciência sobre seu relacionamento com o meio ambiente e gera, desta forma, agentes de mudança com uma atitude de participação ativa e de compromisso com sua comunidade e seu entorno.

Nossa Região: leva os jovens a refletir sobre os recursos necessários para os negócios e sobre o planejamento de negócios baseado em recursos.

Economia Pessoal: estimula os jovens a descobrir seu potencial e a explorar opções de carreira, como conseguir um emprego e o valor da educação.

Introdução ao Mundo dos Negócios: apresenta aos jovens noções sobre economia de mercado e as funções básicas de uma empresa, além de possibilitar que os alunos desenvolvam um plano de carreira.

As Vantagens de Permanecer na Escola: mostra aos alunos a importância de continuar estudando, integrando conceitos de empregabilidade, educação e qualificação.

Nosso Mundo: apresenta os aspectos fundamentais do comércio internacional, visualizando o papel das trocas internacionais.

Empresa em Ação: estimula os jovens a entender as principais características do sistema econômico e sua influência nos negócios. Também mostra as responsabilidades sociais de um negócio e o papel do governo na economia.


Ensino Médio

Vamos Falar de Ética: leva aos jovens reflexões sobre uma conduta ética em suas vidas profissional e pessoal, contribuindo para a compreensão de seu papel como cidadãos.

Mese - Management and Economics Simulation Exercise: jogo que possibilita aos jovens operar suas próprias empresas em um ambiente que reproduz o mercado de negócios.

Bancos em Ação: ensina os princípios do setor bancário e apresenta os desafios de administrar um banco em condições competitivas.

Globe – Global Learning of the Business Enterprise: os estudantes constituem uma empresa, através da qual irão importar e exportar produtos para um grupo de jovens de outro país.

Torneio de Decisões Empresariais: familiariza os alunos com educação financeira, concorrência, tomada de decisões e trabalho em equipe, estimulando o desenvolvimento de estratégias vencedoras.

Mercado Internacional: fornece informações práticas sobre os aspectos-chave da economia global, o que move o comércio internacional e como o comércio influencia o dia a dia das pessoas.

Habilidades para o Sucesso: atende os alunos do Ensino Médio proporcionando aulas envolventes, academicamente enriquecedoras e práticas de preparação para o mercado de trabalho e perspectivas de carreiras. São sete encontros conduzidos por um voluntário do mundo empresarial. Os principais objetivos de cada aula mostram as habilidades e o conhecimento que os alunos irão adquirir ao longo do Programa.

Miniempresa: proporciona uma experiência prática em negócios através da organização e da operação de uma empresa. O Programa é acompanhado por quatro profissionais voluntários das áreas de Marketing, Finanças, Recursos Humanos e Produção.

Nexa – Núcleo de Ex-Achievers: mantém o vínculo dos ex-achievers com a Junior Achievement e com o empresariado, possibilitando desenvolvimento e crescimento pessoal e oportunizando novas experiências, informações e contatos que podem servir como base para a futura vida profissional dos jovens.

Atitude Pelo Planeta: apresenta e desenvolve conceitos relacionados ao desenvolvimento sustentável e à sustentabilidade; fornece condições para que os participantes possam refletir criticamente sobre os problemas socioambientais contemporâneos.

Finanças Pessoais: introduz a importância de tomar sábias decisões financeiras. Demonstra o valor do planejamento, o estabelecimento de metas e a importância de tomar decisões dentro do contexto das finanças pessoais.

Empresário-Sombra Por Um Dia: proporciona aos jovens a oportunidade de conhecer o dia a dia de um empresário. Durante um dia, estudantes acompanham os passos de um empresário ou executivo na sua jornada de trabalho.

Liderança Comunitária: ajuda os estudantes a desenvolver conhecimentos e aptidões que lhes permitam destacar-se em suas comunidades. Apresenta conceitos do terceiro setor, de projetos sociais e de liderança.

11


ENTREVISTA ESPECIAL

Tecnologia e inovação a serviço da educação A tecnologia e a inovação são realidades que fazem parte do desenvolvimento de toda a sociedade. Estão presentes no dia a dia das famílias, na produção industrial, nos serviços e no comércio em geral. Educação, tecnologia e inovação são uma aliança necessária para criar uma transformação na sociedade. Para falar sobre este assunto, a Fazendo a Diferença foi buscar a palavra de dois especialistas, o Diretor-Presidente do Instituto 3M de Inovação Social, Marcelo Tambascia e o Presidente da HP no Brasil, Oscar Clarke. Confira, nas próximas páginas, o que eles dizem sobre o assunto Oscar Clarke assumiu a presidência da HP Brasil no dia 3 de maio de 2011. Como ocupante do cargo, responde também pela Direção Geral da Divisão Enterprise Business Brasil, tendo sob sua responsabilidade a operação da área, relacionamentos estratégicos e o desenvolvimento de negócios. Clarke preside também o board de líderes da HP Brasil, alinhando as atividades das áreas de negócios da empresa. Seu objetivo principal será o de ampliar a liderança da HP no setor de TI do Brasil, e mantê-la nesse posto

12


Fazendo a Diferença - Sabemos que tecnologia é um conceito bastante amplo, então seria interessante conhecer, genericamente, a sua definição de tecnologia e qual é o valor percebido da tecnologia, para você ou para sua empresa. Marcelo Tambascia - Para a 3M, falar de tecnologia é falar de nossa existência, é falar de nosso Core Business. Por mais de 100 anos a empresa vem atuando num modelo de desenvolvimento tecnológico aplicado em novos produtos. A percepção da tecnologia é aquela percebida pelo consumidor, em qualquer nível, que nota que o conhecimento científico foi aplicado para trazer uma funcionalidade de valor para ele, ou seja, trazer uma solução para seus problemas. Muitas vezes, esses problemas podem até não terem sido ainda articulados, eles podem não terem sido percebidos. Quem poderia falar alguns anos atrás que queria usar um Postit? Nem se imaginava numa facilidade dessas para a comunicação. Ou agora, imagine-se na década passada, você poderia dizer naquele tempo que queria um tablet? Você nem sabia que ele existiria, e tem gente hoje que não vive sem ele. Esse é o papel da empresa líder em inovação no mercado em que atua. Tem que perceber, articular, desenvolver e colocar no mercado os produtos que trazem essas funcionalidades, às vezes, nem percebidas. Oscar Clarke - Tecnologia para mim é um conceito bastante simples, que se resume em facilitar e melhorar a vida das pessoas, encurtar distâncias e possibilitar que pessoas do mundo todo possam se comunicar, trocar conhecimento e experiências, a qualquer momento. Na HP, um dos pilares de nossa estratégia de negócio está relacionado justamente à conectividade, ou seja, possibilitar que um número cada vez maior de clientes, pequenas, médias e grandes empresas criem, digitalizem, transformem e consumam informações seguras, a qualquer momento e em qualquer lugar. Fazendo a Diferença - Vivemos em uma época em que a evolução é intensa e constante. Qual foi a novidade tecnológica que mais lhe impressionou nos últimos anos, e por quê? Marcelo Tambascia - Aqui as opções são muitas, desde novos medicamen-

tos, vacinas, antibióticos e terapia com células tronco até semicondutores. Mas para mim a grande revolução, e que, de certa maneira, apoia todas as demais é a internet. Esse meio de comunicação, tão veloz e abrangente, trouxe um novo estilo mental e colaborativo, antes nunca pensado. Oscar Clarke - Sem dúvida, temos acompanhado uma série de evoluções que revolucionaram e mudaram a forma das pessoas interagirem, se comportarem e fazerem negócio. Mas em minha opinião, destacaria o Cloud Computing. Essa tecnologia, que ainda está passando por um processo de amadurecimento e cuja adoção crescerá muito nos próxi-

Tecnologia para mim é um conceito bastante simples, que se resume em facilitar e melhorar a vida das pessoas, encurtar distâncias e possibilitar que pessoas do mundo todo possam se comunicar, trocar conhecimento e experiências, a qualquer momento. Oscar Clarke ă Presidente da HP no Brasil

tica da inovação. Se considerarmos que inovação é a tecnologia desenvolvida e aplicada em algum conceito que gere riqueza, nota-se claramente que o empreendedorismo é que o faz o profissional, no caso o empreendedor, enfrentar e superar os desafios que certamente virão. A importância fica clara quando vemos casos como do Steve Jobs que, de posse da tecnologia, e também com o aprimoramento dela, chegou a produtos revolucionários e de grande impacto na vida moderna. Oscar Clarke - Diria que o papel do empreendedor para a inovação tecnológica é fundamental e esse é um tema muito incentivado pela HP. Só para citar um exemplo de como incentivamos essa questão, realizamos atualmente um projeto global chamado HP Catalyst. O objetivo dessa ação é transformar o ensino e a aprendizagem das áreas de ciências, tecnologia, engenharia e matemática, e incentivar os estudantes a utilizarem seu talento técnico e criativo para lidar com desafios sociais em suas comunidades e ao redor do mundo. A HP funciona como um catalisador para as inovações que beneficiam o desempenho dos alunos, reunindo organizações que trabalham de maneira independente, para criar uma rede global de consórcios.

Fazendo a Diferença - Como fomentar um ambiente educacional propício à inovação, que traga a tecnologia para o cotidiano da escola e do aluno? Marcelo Tambascia - O que podemos fazer nas escolas, além do ensino das disciplinas mais clássicas ligadas às ciências, é desenvolver um novo momos anos, mudou o conceito de armaze- delo mental que busque o empreendenamento de dados, veio para quebrar pa- dorismo. Um modelo que traga o desejo radigmas (tanto dos fornecedores quanto da sustentabilidade pessoal fundamendos consumidores), tem trazido uma sé- tada no desafio do status quo e na rie de desafios (principalmente no que busca de soluções não convencionais. se refere à segurança da informação) e No Instituto 3M de Inovação Social teé um caminho sem volta e fundamental mos esse objetivo e já temos alguns projetos em curso para levarmos esse para a continuidade dos negócios. desafio às escolas públicas. Fazendo a Diferença - De que forma, Oscar Clarke - Um caminho que tem em sua opinião, empreendedorismo se revelado bastante eficaz são os e tecnologia se relacionam? Qual a projetos conjuntos realizados entre importância do empreendedor para a empresas e instituições educacionais. É inovação tecnológica, e vice-versa? uma forma de compartilharmos conheMarcelo Tambascia - Tecnologia e em- cimentos, experiências e fomentarmos preendedorismo se relacionam na prá- a inovação entre os alunos. Ao trazer

13


safiada, com métricas claras e motivadoras. Nesse ambiente, também deve se promover o trabalho colaborativo, pois na diversidade de equipes podemos encontrar soluções “fora da caixa”. O jovem profissional que chega às empresas, seja por programas de aprendizagem, estágio ou até trainee, se encaixa muito bem nesse modelo, pois ele está ávido por desafios e aberto a novas experiências práticas, já que tem uma bagagem teórica bem recente consigo. Oscar Clarke - Não existe uma resposta fácil para esta pergunta. Em minha experiência, sei que é muito importante engajar estes jovens profissionais e possibilitar que eles participem de ações relacionadas à inovação. Entretanto, o modelo mais bem-sucedido é aquele que considera a experiência e o contexto de cada jovem valorizando sua participação no processo por meio da interatividade.

a Academia para mais perto do mercado, criamos um ciclo virtuoso que tanto valoriza o pesquisador, quanto agrega valor às instituições. Fazendo a Diferença - Como estimular a aprendizagem e a inovação tecnológica no ambiente de trabalho, sob a forma de ferramentas, processos ou tecnologias empreendedoras, abrindo novas perspectivas de atuação e de inserção para jovens profissionais? Marcelo Tambascia - No ambiente de trabalho, temos diversas métricas para serem atendidas e precisamos saber equilibrar as estratégias de curto prazo e aquelas de médio e longo prazo. Uma estratégia de curto prazo garante o resultado do dia a dia e o retorno financeiro que pode ser aplicado na estratégia de longo prazo, sendo esta última a que dará sustentabilidade às empresas. Entendo que inovação pode estar inserida nas duas estratégias e, para isso, precisamos ter a equipe de14

O papel das empresas é não só buscar o desenvolvimento tecnológico e o seu crescimento comercial nos mercados onde atuam, como também promover a riqueza em toda a cadeia de suprimento, incluindo o cliente final, nunca se esquecendo da responsabilidade socioambiental. Marcelo Tambascia - DiretorPresidente do Instituto 3M de Inovação Social

Fazendo a Diferença - Como as empresas de tecnologia e inovação enxergam o seu papel na sociedade atualmente? Qual o perfil ideal de profissional para este segmento? Marcelo Tambascia - O papel das empresas não é só buscar o desenvolvimento tecnológico e o crescimento comercial nos mercados onde atuam, é também promover a riqueza em toda a cadeia de suprimento, incluindo o cliente final. Sem nunca se esquecer da responsabilidade socioambiental. O perfil ideal é do profissional cientificamente curioso, aquele que não se conforma com o estágio atual do conhecimento, que tem a iniciativa de mudar esta situação, buscando soluções para desafios que temos. Oscar Clarke - Na verdade, essa resposta vale não só para as empresas de tecnologia, mas para todas as organizações. Em minha avaliação, as grandes corporações estão cada vez mais conscientes do seu papel na sociedade e da importância de participarem ativamente da construção de uma sociedade melhor, no lugar de delegarem esta função apenas para os governos. Na visão da HP, hoje, as grandes empresas estão em uma posição especial para desempenhar funções muito maiores, no sentido de impulsionar mudanças sociais nunca vistas.


Fazendo a Diferença - É possível conciliar desenvolvimento tecnológico e sustentabilidade? Marcelo Tambascia - Como promover a inovação tecnológica com justiça social, proteção ao meio ambiente e crescimento econômico simultaneamente? É totalmente viável, e praticamos isso há um bom tempo. Na década de 70, a 3M lançou um programa, que nos norteia até hoje, chamado de 3P - Pollution Prevention Pays. Este programa voluntário direciona para a eliminação de diversos insumos potencialmente nocivos ao meio ambiente. A prática tem dado tão certo que, como diz o nome, ela se paga. Os investimentos nessa área sempre trazem novos processos industriais mais competitivos. O mesmo se aplica ao desenvolvimento social, que é o compromisso do Instituto que temos na 3M, trazendo novas tecnologias sociais com foco no desenvolvimento das comunidades onde atuamos. Oscar Clarke - Eu diria que é essencial. Essas duas vertentes precisam caminhar juntas. Aqui na HP, especificamente, temos uma preocupação muito grande em ter o tema sustentabilidade em cada uma de nossas ações e nossas políticas nesse sentido são bastante rigorosas. Isso inclui desde a escolha dos nossos fornecedores (que precisam ser, necessariamente, responsáveis ecologicamente falando) e das matérias-primas que serão utilizadas em nossos equipamentos, investimentos focados no desenvolvimento de design sustentável para nossos produtos, ações relacionadas à coleta de equipamentos obsoletos, reciclagem desses materiais e reinserção dessas matérias-primas. Cada vez mais as empresas terão o desafio de equilibrar o trinômio “pessoas, meio ambiente e lucratividade” e só se destacarão nesse novo cenário aquelas que efetivamente conseguirem contemplar esses três importantes pilares. Fazendo a Diferença - Como, em sua opinião, empresas, universidades e governo podem trabalhar juntos em prol de um melhor sistema nacional de inovação? Marcelo Tambascia - Já vi diversos movimentos na busca equilibrada deste modelo e creio que esse é mesmo o caminho. Se você considerar que o papel da pesquisa na universidade é o de desenvolver o conhecimento, e o da

Marcelo L. Tambascia é Engenheiro Químico formado pela Unicamp, com curso de extensão em Gerenciamento da Inovação Tecnológica, também pela Unicamp. Atua na 3M desde 1981, passando por diversas funções em Manufatura, Desenvolvimento de Produtos, Gerência de Tecnologia e, hoje, é Gerente do Grupo Técnico para o Mercado Industrial. Atua como Diretor-Presidente do Instituto 3M de Inovação Social desde 2009

indústria aplicar esse conhecimento e também devem atuar em parceria com traduzi-lo em produtos inovadores e essas universidades, ajudando a foque facilitam a vida da sociedade, pre- mentar a inovação entre os alunos. cisamos do governo para desenvolver marcos regulatórios e mecanismos de fomento à pesquisa, de uma maneira que venha impactar a sociedade como um todo. Ou seja, se cada um fizer a sua parte, o ciclo se completa. Além disso, há possibilidades diversas de parcerias que podem acelerar esse movimento e trazer resultados mais rapidamente. Oscar Clarke - Cada vez mais vivemos num ecossistema no qual todas as peças estão conectadas e dependem umas das outras. Sendo assim, minha avaliação é que criar um melhor sistema nacional de inovação realmente depende de uma ação conjunta, na qual todos atuem com o mesmo objetivo e caminhem na mesma direção. Nesse contexto, a missão do governo é investir em medidas que facilitem e incentivem o investimento de empresas no País, tratando o tema como prioridade; as universidades precisam estar alinhadas com as novas demandas do mercado e precisam funcionar como fomentadoras de novas ideias e as empresas privadas, por sua vez, 15


ESPECIAL

Perfil Empreendedor Francisco Valim, CEO da Oi, fala sobre sua trajetória empreendedora, abordando temas importantes como tecnologia, sustentabilidade e globalização Fazendo a Diferença - Fale sobre sua trajetória: as principais conquistas e dificuldades enfrentadas ao longo de sua carreira. Francisco Valim - No princípio, eu queria ser professor. Fazia Engenharia, curso no qual só se discutia resistência de materiais, física, cálculo, geologia, topologia e não havia administração de gente. Acabei migrando para o curso de Administração de Empresas, no qual encontrei uma professora, chamada Carmem Handel, que me serviu de mentora para a transição e comecei um mestrado acadêmico. A partir dali, acabei entrando no mundo empresarial por acidente, e tive uma ascensão de carreira vitoriosa. Mas o momento em que vi a luz nesse aspecto profissional foi quando encontrei alguém bem mais sênior, que me mostrou as possibilidades. Até aquele momento, eu não tinha clareza do que podia fazer e ter um mentor foi fundamental para enxergar o mundo de outra forma. Apesar de o conhecimento estar disponível, é essencial essa função do mentor – que os pais até tentam fazer, mas às vezes deve ser alguém que consiga “dar um clique”. Hoje, é preciso tomar decisões muito cedo e quanto mais cedo o jovem encontrar uma pessoa que o ajude a “sair da névoa”, melhor. Isso para mim foi um momento importante, que definiu toda a minha carreira, a importância de estudar, de fazer cursos, de se aperfeiçoar e de evoluir. Durante um bom tempo você tem que botar ferramentas na caixa antes de começar a achar que sabe tudo. Até um ponto em que fica mais maduro na carreira, e começa a andar com as próprias pernas. Fazendo a Diferença - Quais os principais desafios dos jovens empreendedores, considerando a globalização? Francisco Valim - Hoje, vivemos em 16

Para Francisco Valim, o jovem empreendedor precisa ter muita vontade, persistência e arranjar fontes alternativas de capital

um mundo sem fronteiras, mas a principal barreira que permanece é a língua. A tecnologia consegue aproximar as pessoas a tal ponto, em qualquer lugar do mundo, que a qualquer momento você pode saber o que está acontecendo – tanto remota quanto presencialmente. As distâncias, apesar de permanecerem as mesmas, foram encurtadas em relação ao tempo, que se despende para percorrê-las. No entanto, a língua permanece como uma barreira – e, em adição à língua, também a cultura, que é um aspecto muito importante neste modelo de globalização – e é, muitas vezes, motivo de fracasso em diversas culturas de empresas. As culturas de países também se sobrepõem a das empresas em grande parte dos casos. O principal desafio dos jovens é entender que dificilmente se consegue aprender tanto uma língua quanto a diversidade cultural de um país em livros. Isso requer uma vivência. A limitação a uma só língua, seja ela mais ou menos falada, não funciona. É importante entender também que não é suficiente ser capaz somente de se comunicar. É preciso

ser fluente. É preciso estar preparado não só para interagir em um idioma, mas também entender tudo o que está acontecendo, já que a língua tem conotações culturais importantes. Fazendo a Diferença - Como podemos conscientizar os jovens da importância de se tornarem agentes de transformação, garantindo a sustentabilidade do planeta? Francisco Valim - Acredito que os jovens já têm sido agentes de transformação. O conceito de sustentabilidade ainda é pouco explorado e conhecido. A noção que ainda se tem de sustentabilidade é baseada no conceito do “green” (“verde”). Mas a sustentabilidade extrapola isso, porque foca, além do ambiente, também na empresa e na sociedade, que devem ser sustentáveis. Entender essas diversas frentes é absolutamente preponderante para que seja possível termos um mundo sustentável – não só sob a ótica do “verde”, mas sob a ótica da igualdade do tratamento, da valorização das pessoas, do reconhecimento do bom trabalho, de evitar trabalho escravo e infantil e de prestar dignidade.


Para mim, o coeficiente de sustentabilidade, que possui todas essas variáveis e vetores, é medido pelo valor da vida humana. O principal indicador de sustentabilidade é saber quanto vale uma vida humana – o valor presente, o valor futuro e as formas pelas quais essa vida humana é preservada. Fazendo a Diferença - De que maneira é possível fomentar um ambiente educacional propício à inovação, que traga a tecnologia para o cotidiano da escola e do aluno? Francisco Valim - Acho que as escolas têm que passar por uma mudança radical. A internet é um catalisador importante do processo educacional. O ambiente de educação precisa se adequar e tornar-se efetivamente interativo, como a vida é hoje. Essa mudança passa pela discussão sobre a forma como entendemos, atualmente, o aprendizado e a aquisição de conhecimento. Tenho percebido que a internet, apesar de ser algo que conecta todo o mundo, acaba trazendo uma visão muito superficial das coisas, sem muita profundidade. Nela, conseguimos ver tudo – mas vemos a casca de tudo. Esta é uma evolução que precisamos aprender a usar para podermos chegar à essência das coisas, e assim poder discutir essa essência trocando experiências e promovendo o debate. Atualmente, nada impede um jovem de participar ativamente em uma classe, morando e estudando no Brasil e, ao mesmo tempo, fazer um intercâmbio com alguém na Rússia, falando outra língua, discutindo aspectos culturais e problemas sociais. Se na minha faculdade cursei “Estudo de problemas brasileiros”, hoje é possível pensar no “Estudo de problemas das Américas”, ou “Estudo de problemas da Europa” – e toda a gama de assuntos que poderíamos estar discutindo com as pessoas diretamente envolvidas, que participam desses processos. As paredes foram quebradas. Com tecnologia completamente possível e a custo baixíssimo ou zero é possível criar esses ambientes e gerar essas trocas. Hoje, ainda vejo pouco disso acontecendo. O intercâmbio ainda acaba representando a maior parcela desse processo, enquanto poderíamos fazer isso de forma muito pouco cara e permitir que isso

O principal indicador de sustentabilidade é saber quanto vale uma vida humana – o valor presente, o valor futuro e as formas pelas quais essa vida humana é preservada. Francisco Valim ă CEO da Oi

pudesse acontecer de forma mais integrada. Fazendo a Diferença – Como as universidades e Governo podem trabalhar juntos em prol de um melhor sistema nacional de inovação? Francisco Valim - No Brasil, a inovação ainda é um item de importação. As empresas e as universidades ainda têm um vínculo muito pequeno e pouco claro no processo de inovação. Há uma distância muito grande entre a academia e a empresa – em outros países, isso já evoluiu bastante. O País, em minha opinião, fomenta a pesquisa através de programas como Capes e CPqD, mas ainda não está próximo o suficiente da empresa para gerar inovação. A China, por exemplo, fez isso de uma forma brilhante: pulverizou gente em todo o mundo, em áreas que achava importantes e interessantes. Depois, repatriou essas pessoas e investiu em suas carreiras. O país, que há poucos anos tinha vantagem competitiva exclusivamente por ter mão de obra barata, transformou-se, também, em pólo de tecnologia. O melhor exemplo foram as últimas Olimpíadas. A China foi o país com mais medalhas de ouro, superando, pela primeira vez, os Estados Unidos neste critério. Como alcançaram isso? Exportando gente, aprendendo nos principais pólos e repatriando esse conhecimento e essa capacitação. Esse é o desafio que o Brasil precisa encarar. É preciso fazer isso e só o governo é capaz de coordenar esse processo. As universidades e as empresas não

têm este alcance e amplitude. O Governo poderia definir áreas e investir neste desenvolvimento, não necessariamente pedindo dinheiro, mas dando o foco, criar os pólos de volta, em parceria com as empresas e universidades, para que possamos absorver mais conhecimento e desenvolver mais tecnologia no Brasil. O Brasil ainda é um país extrativista, e não um país transformador e agregador de tecnologia. Ainda estamos em um modelo de exportação muito básico e precisamos agregar valor a ele – em um mundo que vai ficar cada vez mais competitivo para modelos de valor agregado. Fazendo a Diferença - Que conselhos você daria aos jovens que correm atrás de seus sonhos e querem iniciar um negócio? Francisco Valim - É preciso ter muita vontade, persistência e arranjar fontes alternativas de capital. É muito bom experimentar a oportunidade do empreendedorismo desde cedo. Começar pequeno, fazer uma experiência aqui, aprender com defeitos ali. A internet é um desintermediador e um potencial alavancador. É preciso acreditar muito. Como sabemos que um ou dois empreendedores – em cada dez – dão certo no processo de inovação, é preciso criar uma rede de segurança para garantir que estes outros oito não fiquem em uma situação muito pior do que estavam antes de começar. Acho que é justamente isso que incentiva o empreendedorismo, o novo negócio. No Brasil, ainda há muitas dificuldades para um empreendedor iniciar seu negócio. Elas vão desde a formalização e burocratização do processo inicial, a impressionante burocracia para operar uma empresa, a quase impossibilidade de fechá-la e a pouca capacidade de financiamento. O ônus na arrancada é muito forte e o potencial risco é desproporcional, até porque tudo é feito com capital próprio e o empreendedor precisa se descapitalizar muito. Há um desincentivo massificado com relação ao empreendedorismo, o que o dificulta por definição, e torna árduo para o jovem ou para qualquer pessoa o início de um empreendimento. Se isso fosse simplificado, teríamos muitas oportunidades de empreender – dadas as características do brasileiro e da indústria do País. 17


PLANEJAMENTO NACIONAL DE COMUNICAÇÃO

Junior Achievement lança novo posicionamento estratégico „Empreendedorismo para transformar‰ é, a partir de agora, a bandeira posicionadora da Junior Achievement nos 27 Estados do País

A

mpliar o reconhecimento e a visibilidade da Junior Achievement na sociedade brasileira, possibilitando o crescimento no número de estudantes beneficiados no País. Foi com esse objetivo que a Junior Achievement buscou, em 2010, a realização de um amplo e profundo planejamento de comunicação. O trabalho foi realizado por um dos mais tradicionais grupos mundiais de comunicação, Ogilvy &

18

Mather. A O&M trabalhou como nossa agência parceira. A partir da observação da Reunião de Conselho da Junior Achievement e de briefing recebido da Superintendente da Junior Achievement Brasil, Wilma Resende Araujo Santos, a equipe de planejamento da Ogilvy, coordenada pelo Vice-Presidente Luiz Augusto Cama, foi em busca de informações importantes sobre o Terceiro Setor no País

e os segmentos de interesse da Junior Achievement. Promoveu uma sondagem direta, qualitativa, com 50 empresas dos mais variados portes nos principais centros brasileiros, conversando com presidentes, diretores e responsáveis pelo setor de responsabilidade social. Para complementar o estudo, foram analisados os programas aplicados, a operação e informações das 27 unidades estaduais do País, e feitas entre-


vistas com os dirigentes nacionais e locais. A partir de um conjunto de conclusões estratégicas, a Ogilvy partiu para o desenvolvimento de uma série abrangente de recomendações – a primeira e principal a que tem como objetivo reposicionar a Junior Achievement com base no mais relevante de seus valores. Conforme a análise conclusiva da agência, a Junior Achievement propicia um ciclo que transforma, no qual todos os envolvidos se desenvolvem, afetam-se mutuamente, crescem e fazem crescer o ambiente e a sociedade. O trabalho da Junior Achievement não somente transformará a vida dos jovens e impactará escolas e mercado, mas – muito mais do que isso, simultaneamente e em sequência - também oferecerá às empresas a oportunidade de receber cidadãos melhores e de desenvolver seus colaboradores através da atuação voluntária. Estes colaboradores se transformarão em pessoas melhores; para si próprios, para a empresa e para a comunidade. Completando este ciclo virtuoso, os jovens que passaram pelos programas serão agentes de transformação para toda a sociedade, para o País. Esta é uma notável base estratégica exclusiva da Junior Achievement. Segundo a Ogilvy, com aprovação dos executivos e conselheiros da instituição, é preciso posicionar a Junior Achievement a partir deste valor de transformação que a diferencia, que torna palpável o seu trabalho e que fará as pessoas melhor perceberem e acreditarem nos benefícios que ela entrega para a sociedade. Na trajetória do estudo de reposicionamento, a Ogilvy também relembrou as opiniões do empresariado sobre o empreendedorismo e sobre a necessidade da atitude empreendedora para a

nação. “O que é ser um empreendedor para empresários?”, foi um dos questionamentos levantados pela agência. E as conclusões foram: • O empreendedor é um agente de transformação. • A Junior Achievement cria empreendedores, desde jovens.

A Junior Achievement é uma associação de empresários, não governamental, que transforma jovens em empreendedores, para transformar o País, na via da sustentabilidade

• Eles vão transformar, para melhor, a empresa, a sociedade, o País. Assim, o estudo concluiu que o trabalho da Junior Achievement tem como essência “empreender” e “transformar” e conceituou o seguinte posicionamento: “A Junior Achievement

é uma associação de empresários, não governamental, que transforma jovens em empreendedores, para transformar o País, na via da sustentabilidade”. A proposta da Junior Achievement, segundo a agência, está em acordo com as necessidades reconhecidas pelo mercado, numa posição ao mesmo tempo realista e visionária. Isto torna sua promessa palpável e influenciadora no cotidiano daqueles que a experimentam e transformam o ambiente e a sociedade. Dentro das recomendações, foi criado o tema que expressa o posicionamento: “Empreendedorismo para transformar”. J á a p r o va d o e a d o t a d o p e l a Junior Achievement, está sendo incluído em todos os materiais institucionais da Associação. Será, também, tema de uma campanha nacional voltada para empresários e voluntários, criada pela Ogilvy. Para o lançamento desta campanha serão firmadas parcerias com veículos de comunicação em todo o Brasil.

19


PROJETO GERDAU

O voluntariado que faz a diferença A expectativa é envolver 500 voluntários da Gerdau em 2012, beneficiando 15 mil alunos nos 27 Estados ompletando 18 anos em 2012, a parceria entre a Gerdau e a Junior Achievement vem beneficiando jovens brasileiros através da participação dos colaboradores voluntários da empresa. Em 2011, a parceria foi desenvolvida em 26 Estados, através de programas com foco em empreendedorismo, preparação para o mercado de trabalho e combate à evasão escolar. A meta, em 2012, é envolver 500 voluntários e beneficiar 15 mil estudantes nos 27 Estados, através dos Programas Nosso Planeta, Nossa Casa, Introdução ao Mundo dos Negócios, As Vantagens de Permanecer na Escola, Vamos Falar de Ética, Miniempresa e Empresário-Sombra Por Um Dia. Os colaboradores da Gerdau são motivados a participarem das iniciativas da Junior Achievement através do Instituto Gerdau, que é responsável pelas políticas e diretrizes da empresa na área de responsabilidade social e coordena o Programa Voluntário Gerdau. “A Gerdau tem como uma de suas políticas sociais o incentivo, a capacitação e o reconhecimento da atividade voluntária na sociedade. No que diz respeito aos seus colaboradores, isso é realizado de forma especial por meio do Programa Voluntário Gerdau”, afirma José Paulo Soares Martins, Diretor do Instituto Gerdau.

C

“Acredito que o voluntariado é um grande potencializador para se fazer mais e melhor, é uma das principais ferramentas para acelerar o crescimento e o desenvolvimento de uma nação. Se olharmos para os países mais desenvolvidos, é possível observar que grande parte possui um elevado número de voluntários. Mesmo que tenhamos diferentes culturas de trabalho, o ideal que move essas pessoas é o mesmo: motivação e compromisso com a cidadania. Esse é o maior valor do trabalho voluntário, é o desejo que move essas pessoas para auxiliar um terceiro e colaborar para o desenvolvimento social, fundamental para o crescimento de uma sociedade mais fortalecida e humana.” Beatriz Johannpeter – Vice-Presidente do Conselho do Instituto Gerdau

20


Para Beatriz Johannpeter, Vice-Presidente do Conselho do Instituto Gerdau, “o trabalho voluntário é uma excelente forma de potencializar e influenciar mudanças, pois proporciona crescimento e aprendizado tanto para o voluntário quanto para quem recebe o trabalho do voluntário. Esse aprendizado gera um crescimento pessoal e profissional e, sem dúvida, pode ser muito importante para melhorar a educação dos indivíduos, assim como o desempenho das organizações beneficiadas”. Desde 1994, o Grupo mantém uma parceria de sucesso com a Junior Achievement, pois acredita que atitudes empreendedoras transformam realidades, criam empregos e melhoram a qualidade de vida das pessoas. “Percebo que nossos voluntários gostam de doar seu tempo para auxiliar as comunidades vizinhas a enfrentar seus desafios sociais, mas também se sentem realizados e motivados quando entram em contato com a realidade dos estudantes e conseguem influenciá-los para serem mais empreendedores, traçarem objetivos, persistirem na busca do seu desenvolvimento para serem futuros profissionais que contribuirão para o desenvolvimento de nosso País”, explica Beatriz. Segundo ela, é visível a evolução do profissional que realiza atividades voluntárias. “Competências essenciais para um líder são desenvolvidas durante as atividades, como por exemplo: trabalho em equipe, comprometimento, flexibilidade intercultural e liderança”, complementa.

Beatriz acredita que a melhor forma de garantir um maior número de voluntários é o reconhecimento da oportunidade de desenvolvimento pessoal e espiritual, através da gratificação pessoal. “O caminho nas empresas é obrigatoriamente através das lideranças. Um líder que entende os benefícios e transmite isso a sua equipe é decisivo para aumentar o engajamento de voluntários”, diz. A voluntária Vanessa Miranda, da área de Tecnologia da Informação da Gerdau Açominas, ficou encantada com o resultado da aplicação do Programa As Vantagens de Permanecer na Escola, ressaltando a contribuição que oportunizou aos jovens, partilhando experiências vividas e expectativas de quando jovem: “Fico feliz por estar colaborando para dar oportunidade a vários adolescentes a fazerem um mundo melhor”. O aluno William Dias, da Escola Estadual Otacílio Marques Rosal Neto, da Paraíba, adorou participar do Programa Introdução ao Mundo dos Negócios, ao ter contato pela primeira vez com o mundo do empreendedorismo. “Mesmo em forma de brincadeira a gente aprendeu muito sobre ter um emprego ou abrir um próprio negócio.” “Eu tenho uma enorme satisfação quando participo dos programas da Junior Achievement. Os conteúdos são práticos e objetivos, e conseguem passar para as crianças e jovens uma mensagem sobre diferentes e importantes temas, seja social ou do mundo empreendedor. Quando termino a aplicação do programa, me sinto uma pessoa

No Distrito Federal, voluntários da Gerdau mostram aos jovens conceitos sobre o mundo dos negócios

diferente, com a satisfação em ter participado e a recompensa de uma nova experiência”, afirma Humberto Ladeira de Souza, voluntário da Gerdau Açominas em Ouro Branco, Minas Gerais. Para Humberto, que aplicou o Programa As Vantagens de Permanecer na Escola, com foco no combate à evasão escolar, foi possível perceber dos alunos um retorno positivo. “Foi muito bom e estou preparado e esperando os próximos programas”, finaliza. E para aqueles que ainda têm dúvidas sobre os benefícios do trabalho voluntário, Beatriz Johannpeter finaliza: “A Junior Achievement possui diversos programas, com diferentes durações. Com certeza, existe um que vai ser adequado a sua disponibilidade. Não deixe de vivenciar essa oportunidade”. DEPOIMENTO “Tenho orgulho em ser voluntária. Apoio diretamente os projetos da Junior Achievement em uma escola de Goiânia e Aparecida de Goiânia e os encontros me enriquecem como ser humano, pois são diferentes realidades e muitas expectativas. É muito bom saber que podemos contribuir com o desenvolvimento de crianças e jovens.” Maria Valdirene – Voluntária Gerdau Aços Longos Brasil

Estudantes de Goiás e voluntários da Gerdau em sala de aula. Em Goiás, 573 estudantes foram beneficiados pelo projeto em 2011

21


PROJETO NACIONAL OI

Voluntários da Oi mostram aos jovens a importância da educação Desde 2003, a parceria entre a Junior Achievement e a Oi vem tendo, como desafio, conscientizar os jovens sobre a importância da educação empreendedora e continuada. Voluntários da Oi nos 27 Estados, capacitados pela Junior Achievement, promovem anualmente, em sala de aula, discussões e debates direcionados ao empreendedorismo, à responsabilidade socioambiental e ao combate à evasão escolar. Participando dos programas da Junior Achievement, os alunos refletem sobre as atitudes do nosso cotidiano e discutem sobre ações positivas que podem ser adotadas. Esta conscientização faz com que os jovens entendam a importância da educação nas suas vidas profissionais e pessoais. Em 2011, o Projeto foi desenvolvido em dois ciclos, um no primeiro semestre, com o Programa As Vantagens de Permanecer na Escola e outro no segundo semestre, com o Programa Introdução ao Mundo dos Negócios. Mais de 10 mil alunos foram beneficiados pela iniciativa, que envolveu mais de 850 voluntários da Oi, que doaram mais de 7 mil horas de trabalho voluntário. Em 2012, o Programa escolhido foi o As Vantagens de Permanecer na Escola, que foi aplicado, no mês de maio, por voluntários da Oi, nos 27 Estados, beneficiando mais de 4 mil alunos, com o envolvimento de 382 voluntários. Estes voluntários vêm sendo destaque na aplicação dos programas da Junior Achievement. Conheça um pouco das histórias destas pessoas que doam seu tempo para levar aos jovens assuntos imprescindíveis em suas vidas:

Stefano Toledo Ceccon, Gerente de Trade Marketing Sul, em aplicação do VPE

Voluntários da Oi em Alagoas

No Distrito Federal, voluntário auxilia alunos no Jogo das Grandes Decisões

Voluntários da Oi em Goiás e a Executiva Marisa Brandão

22


Wallan, Danielle e Kelly foram voluntários em Minas Gerais

uilherme Napoleão, voluntário G da empresa em Minas Gerais, acha muito importante a participação dos colaboradores nas escolas, contribuindo para um mundo melhor. “As crianças saem da sala de aula com conceitos da realidade, da vida e da importância de permanecer estudando’’, relata. A voluntária Shirlei Menezes, também de Minas Gerais, confessa que sempre quis ser voluntária em uma escola. “Fui muito bem recebida pela Junior Achievement e pelos alunos”, comenta para, em seguida, complementar: “Adorei!”. No Pará, a voluntária Maria José da Costa Almeida achou a experiência em sala de aula gratificante. “Fico muito feliz pelo resultado por que conseguimos alcançar o objetivo do Programa e, com toda certeza, influenciamos na opção do aluno em permanecer em sala de aula”, afirma Maria, já dizendo que quer repetir a participação na próxima edição do projeto. Para Kátia Garbin, da Diretoria de Relações Institucionais com Estados e Municípios da Oi no Acre, a empresa é fundamental para auxiliar o papel do voluntário em sala de aula. “Nós conseguimos perceber a humanização da empresa e eu agradeço a Oi por nos dar a oportunidade de fazer a diferença na vida de outras pessoas”, diz, com satisfação. “Espero que cada estudante que participou das nossas jornadas tenha guardado as nossas palavras no coração, pois, dessa forma, estes alunos poderão sempre se lembrar da importância de não desistir

Alunos e voluntários reunidos em Roraima

DEPOIMENTOS

É sempre muito prazeroso ser voluntário, eu aprendo muito a cada ciclo, em especial no As Vantagens de Permanecer na Escola. Marcos Antônio Andrade ă Colaborador da OI

da escola e comprovar, no futuro, que valeu muito a pena estudar”, finaliza. No Distrito Federal, o colaborador Carlos César Santana da Silva conta que nunca havia tido contato com os jovens em sala de aula, mas que a metodologia facilitou o desenvolvimento do Programa. “Considero muito importante a parceria da Junior Achievement com a empresa”, afirma. Cleidison Diniz de Almeida, colaborador em Roraima, acredita que o conhecimento levado pelo Programa da Junior Achievement muda a trajetória de vida das crianças. “Tenho a certeza de que cada um sai da escola com pensamentos de se esforçar ao máximo para garantir o seu espaço no mercado de trabalho”, diz, com alegria.

“Essa foi a minha primeira ação voluntária, que foi de grande valia para meu crescimento pessoal e troca de experiência. Simplesmente gratificante!”. Gilnicleide Linhares Colaboradora da OI “Aprendi a ouvir mais e falar menos, pude perceber que as crianças estão precisando muito dessa ajuda, desse conhecimento, para conhecer mais e entender o que vão querer ser no futuro!” Ricardo Guimarães Silva Colaborador da OI “O trabalho desenvolvido pela equipe foi fantástico. A forma como foi abordado o assunto sobre como empreender teve momentos muito esclarecedores e marcou alguns alunos. Tenho certeza de que vão refletir sobre como organizar as suas vidas, na economia, na gestão de seus negócios, e, principalmente, em seus lares.” Alyckson Marlo Barbosa - Professor da Escola Arthur Da Costa e Silva - Vitória - ES “Aprendemos as vantagens de estar em uma escola, aprender mais, ter sempre mais conhecimento. Aprendemos a importância de conquistar bons êxitos, de conquistar um ótimo emprego, com ótimo salário. Correr atrás daquilo que você quer e se esforçar para ter um ótimo futuro.” Thais Kethelen Dias Rocha - aluna da Escola Pandiá Calógeras - Belo Horizonte - MG 23


Cleber de Paula

ESPECIAL

Como estimular finanças responsáveis A parceria entre a Junior Achievement e o Citi completou, em 2012, 15 anos de incentivo à educação financeira no País. Além do Bancos em Ação, Programa que já beneficiou mais de 65 mil estudantes brasileiros, o Citi é parceiro da Junior Achievement na realização do Concurso Saber Crescer, iniciativa de educação online, e do My Money Business, novo Programa que está sendo implantado em 2012. Na entrevista que segue, Gustavo Marin, CEO do Citi Brasil, fala sobre a importância de levar o tema educação financeira às escolas e sobre a parceria de sucesso com a Junior Achievement no Brasil Fazendo a Diferença - O que motiva o Citi a participar da Junior Achievement, estimulando, nos jovens, o empreendedorismo e desenvolvendo a educação financeira seguramente extensiva às famílias? Gustavo Marin - Eu acredito que a construção de uma sociedade melhor, de um mundo melhor para as futuras gerações, é função de todos: setor público, empresas privadas, entidades organizadas da sociedade civil e o cidadão comum. O Citi tem entre os seus princípios de negócio a premissa das finanças responsáveis, promovendo, sobretudo, o desenvolvimento do empreendedorismo entre jovens de baixa renda. A execução desses

24

Eu diria que a tecnologia já faz parte das atividades diárias das gerações mais jovens, mas ainda é subutilizada. O desafio está em encontrar métodos de ensino que potencializem o uso da tecnologia na busca pelo conhecimento e pelo desenvolvimento pessoal e profissional. Gustavo Marin - CEO - CITI Brasil

projetos exige parcerias com instituições que também estejam alinhadas com essas ações. É dentro desse contexto que atuamos em parceria com a Junior Achievement já há bastante tempo e em vários países. No Brasil, nosso trabalho com a JA tem se concentrado em projetos básicos de educação financeira, como o Programa Bancos em Ação e o Concurso Saber Crescer. São projetos voltados para orientar as gerações mais jovens sobre o funcionamento do sistema financeiro e, indiretamente, promover a inclusão financeira responsável. Nosso propósito é que esses jovens estejam preparados para gerenciar seus recursos e que repassem os conceitos apreendidos entre seus familiares e na


comunidade onde vivem. E, quem sabe no futuro, que possam investir em seu próprio negócio. Fazendo a Diferença - O Concurso Saber Crescer proporciona aos jovens, através de ferramentas online, o aprendizado sobre educação financeira. Em sua opinião, quais mudanças podem ser esperadas, na próxima geração, como resultado do acesso à tecnologia na educação? Gustavo Marin - Acho que a tecnologia é uma ferramenta intrínseca a qualquer sistema de ensino moderno voltado para os jovens. Não é mais possível imaginar educação de qualidade sem um computador ou conexão com a internet. A internet, com seu arsenal de informações, tornou-se uma grande aliada no acesso ao conhecimento e um espaço democrático de discussões. É preciso, no entanto, estar atento à qualidade dessas informações e saber fazer uso desse conteúdo. Entendo que o uso da tecnologia na educação é um processo sem volta e imagino que os

efeitos disso para as gerações futuras sejam bastante positivos, com jovens mais preparados, mais interessados pelo conhecimento e, principalmente, com mais espírito crítico. Fazendo a Diferença - Em sua opinião, de que forma é possível instigar nos jovens, ainda na escola, o interesse pelo tema tecnologia como recurso de desenvolvimento de um projeto, de um negócio e, até mesmo, de uma sociedade? Gustavo Marin - Eu diria que a tecnologia já faz parte das atividades diárias das gerações mais jovens, mas ainda é subutilizada. O desafio está em encontrar métodos de ensino que potencializem o uso da tecnologia na busca pelo conhecimento e pelo desenvolvimento pessoal e profissional. Na medida em que a tecnologia passar a fazer parte do ensino das diferentes disciplinas ou das atividades desenvolvidas na escola, e que faça isso de forma eficiente, não tenho dúvidas de que isso será um fator altamente enriquecedor para o aprendi-

zado dos alunos. Como dito na questão anterior, a tecnologia é um caminho sem volta. Aprimorar o uso que se faz dela é apenas questão de tempo. Fazendo a Diferença - Há um esforço dos bancos em oferecer um bom nível de tecnologia em prol da inclusão bancária. Qual a importância de tratar deste assunto ainda na escola? Gustavo Marin - Essa é uma questão interessante. Nos últimos 15 anos, o Brasil vem passando por um processo de diminuição das diferenças sociais, por conta, principalmente, da adoção de políticas públicas e do crescimento da atividade econômica, com aumento da geração de emprego e da renda. É preciso destacar, no entanto, que a tecnologia tem acelerado esse processo e funcionado como uma ferramenta democratizadora, que minimiza as diferenças sociais. Mesmo nas camadas da sociedade de menor poder aquisitivo, é possível perceber que a tecnologia está presente antes mesmo da ascensão financeira e social das famílias. Assim, a tecnologia tem um papel importantíssimo no processo de inclusão social e, consequentemente, na inclusão dessas pessoas no sistema financeiro. A bancarização é um dos pilares da cidadania. Mas, antes de ´bancarizar´, é preciso educar essas pessoas do ponto de vista financeiro. Então, nada mais coerente de que esse processo se inicie na escola.

25


PROJETO NACIONAL CITI

Citi patrocina iniciativa de educação online A expectativa é beneficiar, em 2012, 15 mil alunos através do Concurso Saber Crescer do You Tube, jogos online, Facebook e Twitter são apenas alVgumasídeos das muitas ferramentas virtuais

que participaram dos Programas Bancos em Ação, Miniempresa, As Vantagens de Permanecer na Escola e Economia que têm chamado a atenção dos jovens Pessoal, tiveram a oportunidade de se da atualidade. Antenados a essa rea- cadastrar no site oficial da competição. lidade, o Citi e a Junior Achievement Neste site, os alunos puderam responBrasil desenvolveram um projeto que der a perguntas sobre os conteúdos dos combina tecnologia e aprendizado, o programas, participar de fóruns de discussão, assistir a vídeos de capacitação Concurso Saber Crescer. Em 2011, mais de 14 mil estudantes de oito sobre educação financeira e se inscrever Estados (GO, MG, PE, RS, SC, SP, PR e DF) para participar de uma atividade presencial sobre o assunto. Todas as atividades da competição contaram pontos e, ao final, os alunos melhores colocados participaram, em São Paulo, da Final Nacional do concurso, que reuniu, também, voluntários do Citi, que palestraram sobre o tema educação financeira. Na ocasião, os jovens finalistas tiveram como desafios provas presenciais, quizes e outros testes de conhecimento sobre finanças e empreendedorismo. O primeiro lugar ficou com Rafael Resende Assis Silva, de Minas Gerais, que conquistou a melhor pontuação. “Participar do Concurso foi uma experiência que levarei para o resto da minha vida”, comenta Rafael, para depois complementar: “Pena que não poderei participar novamente”. Em segundo lugar ficou a jovem Danielly da Silva Santos, de São Paulo e, em terceiro lugar, o estudante Jeferson Silva de Oliveira, do Distrito Federal. Jeferson afirma que as palestras foram muito interessantes. “Foi muito boa a experiência de entender mais conteúO mineiro Rafael Resende Assis Silva conquistou o dos e de conhecer pessoas de outros primeiro lugar no Concurso. Estados”, diz. 26

Em 2012, a meta é beneficiar 15 mil alunos de escolas públicas. Para saber mais sobre o Concurso Saber Crescer, acesse o site: www.concursosabercrescer.org.br.

Junior Achievement e Citi lançam novo Programa Ensinar alunos do Ensino Médio a administrarem uma vida financeira de maneira responsável. Com este objetivo a Junior Achievement firmou uma parceria internacional com o Citi para implantar o Programa MMBiz - My Money Business, beneficiando jovens de escolas públicas, através do voluntariado corporativo do Banco. O Programa ajuda a desenvolver habilidades nos jovens para que aprendam a analisar o uso do dinheiro e para que estabeleçam bons hábitos que deverão ser carregados para suas vidas adultas. Será aplicado em 2012 nos Estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, atendendo a mil alunos e contando com a participação de 80 voluntários do Citi.


PROJETO NACIONAL CITI

Bancos em Ação leva educação financeira a estudantes brasileiros O Programa é aplicado, desde 1998, com sucesso em escolas públicas brasileiras

P

arceiros no Brasil desde 1998, a Junior Achievement e o Citi vem desenvolvendo projetos para levar a educação financeira a estudantes por meio de aplicação de programas teórico-práticos, ministrados por voluntários com experiência nas áreas de negócios e finanças. O Bancos em Ação foi a primeira iniciativa desta parceria, que já beneficiou mais de 65 mil jovens no País. O Programa, que ensina estudantes a gerenciarem um banco em condições competitivas, leva voluntários do Citi para as salas de aula para falar sobre os princípios do setor bancário, linhas de investimento e crédito Os voluntários de Pernambuco Katarina Gouveia, Carlos Eduardo Klaus, Claudia Miranda e a colaboradora da JAPE Izabella Belarmino

de curto e longo prazo, marketing e P&D. Em 2011, mais de 3.600 estudantes passaram pelo Programa em São Paulo, Pernambuco e no Distrito Federal, contando com a participação de mais de 80 voluntários do Citi em sala de aula. O Bancos em Ação não somente educa jovens sobre o setor bancário mas também os incentiva a se tornarem melhores cidadãos e consumidores mais inteligentes em um mundo globalizado. Na foto os voluntários Luis Artur Sherer, Ronaldo Balestra Choze e Andréia Cristina da Silva e Sousa, do Distrito Federal

27


PROJETO NACIONAL HP

HP estimula inovação tecnológica entre estudantes Proporcionando um desafio empresarial, a HP estimula estudantes a desenvolverem conceitos inovadores que possam ter um impacto social significativo parceria internacional entre a A Junior Achievement e a HP consolidou, no Brasil e em mais 12 pa-

Regina Macedo - Diretora de Comunicação Corporativa da HP no Brasil

28

íses, o Programa Social Innovation Relay, que possibilitou a estudantes, “Investir em iniciativas entre 15 e 18 anos, terem a experiência prática em desenvolvimento de relacionadas à inclusão social e estimular jovens a desenvolver projetos socialmente inovadores. Após participar de atividades presen- suas habilidades é algo que faz ciais ministradas por voluntários da HP parte do DNA da HP. Mais do sobre inovação social e responder um que isso, está relacionado ao quiz sobre o assunto, os alunos obtivecompromisso que temos com ram o certificado de inovação social e produziram um projeto que foi submeti- a sociedade. Nesse contexto, o do para avaliação de jurados colabora- projeto Social Innovation Relay, dores da HP. uma ação da HP em parceria Ao todo, 9.917 alunos foram beneficom a Junior Achievement, ciados pela iniciativa internacional na Bulgária, China, Índia, Quênia, Romênia, é uma excelente maneira de Rússia, Eslováquia, África do Sul, Grãincentivar alunos de escolas -Bretanha, Estados Unidos e Brasil. públicas a pensarem como No Brasil, os Estados contemplados inovadores sociais, criarem pela iniciativa foram São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, onde 737 conceitos de negócios, tomarem estudantes de 11 escolas foram benefidecisões e solucionarem ciados. problemas da vida real.” Em 2012, no Brasil, foram beneficiados Regina Macedo - Diretora de mais de mil alunos, envolvendo a participação de cerca de 40 voluntários, Comunicação Corporativa da HP distribuídos nos Estados de SP, RJ, ES no Brasil e RS. Para Alexandre Borsato, voluntário da HP Alphaville, o projeto é excelente. “A interação com eles foi muito gratifi-


cante e comprovou que existem muitas oportunidades de realizarmos uma boa ação e ajudar na criação de um futuro melhor”, comenta. Segundo Carlos Alberto Simões de Lima, voluntário da HP Imigrantes, o projeto é de fundamental importância para a inserção do jovem no mundo profissional. “Ao me tornar parte deste programa, além de poder dividir com os jovens um pouco da minha experiência de vida pessoal e profissional, pude também aprender com eles e conhecer um pouco sobre as suas dificuldades, ansiedades, frustrações, desejos e, o mais importante, poder identificar jovens com muito potencial e vontade de aprender e crescer”, diz, com alegria. Integrantes da Ecostyle recebem um netbook do voluntário André Farina

O Projeto HP no Brasil Um júri formado por colaboradores da HP foi responsável pela avaliação das ideias dos estudantes brasileiros, a fim de selecionar os melhores trabalhos para a final nacional. Em 2011, após avaliação de todos os projetos, a ideia vencedora foi a da equipe Ecostyle, desenvolvida pelos alunos do Colégio Estadual Piratini, de Porto Alegre. A segunda colocada foi a equipe Bill Gatas, do Colégio Villa Lobos, de São Paulo e a terceira colocada, a equipe Intteam, representante do Colégio Santa Família, de Porto Alegre. Trabalhando o conceito “transformando ideias em novas oportunidades”, a equipe Ecostyle desenvolveu um inovador instrumento de inclusão social

através da chiplife, uma pulseira com chip desenvolvida para portadores de necessidades especiais (visuais) no seu dia a dia. O projeto consiste em instalar chips em semáforos e nas pulseiras chiplife, através do sistema autoexpresso. Assim, quando um deficiente visual se aproximar da faixa de pedestres, a pulseira transmitirá um sinal sonoro e de vibração, indicando a possibilidade de travessia. Como prêmio, cada integrante da Ecostyle recebeu um netbook, entregue por André Farina, representante e voluntário da HP e pela Superintendente da Junior Achievement Brasil, Wilma Resende Araujo Santos.

O voluntário da HP, Tércio Viceconti, de São Paulo, realizou capacitação sobre inovação social no Colégio Internacional Anhambi Morumbi

“Fico muito feliz de ter aceitado esse desafio e ter o apoio de pessoas tão importantes que aprovaram nossa ideia, dando um voto de confiança e reconhecimento”, diz Clarissa Cruz Pereira, integrante da equipe Ecostyle. Ao final da competição global, a equipe formada por estudantes da Rússia levou para casa o primeiro lugar, através da ideia que visa a desenvolver um conceito de negócio simples e sustentável, incentivando os cidadãos a fabricar e vender produtos criados a partir de resíduos recicláveis, criando um potencial de lucro na comunidade local e, também, reduzindo a quantidade de material nos aterros.

Os achievers da Ecostyle e a Superintendente da Junior Achievement Brasil, Wilma Araujo Santos

29


PROJETO NACIONAL ULTRAGAZ

Parceria de sucesso leva o tema empreendedorismo a 13 Estados Voluntários da Ultragaz aplicaram programas da Junior Achievement em sala de aula, tratando de temas importantes para o futuro profissional dos jovens estudantes através dos Programas As Vantagens de Permanecer na Escola, Nosso Mundo, Vamos Falar de Ética, Introdução ao Mundo dos Negócios, Economia Pessoal e Miniempresa. Para Daniela Gentil, Gerente de Sustentabilidade da empresa, a parceria é motivada pela seriedade e competência da Junior Achievement. “Os programas da Junior Achievement têm foco no empreendedorismo e são destinados aos jovens com poucas oportunidades, sendo que o principal objetivo é o desenvolvimento deles com foco no conhecimento dos negócios”, comenta. Segundo Daniela, a cada ano, a Ultragaz “Nossa intenção é que esta parceria cresça a cada vem expandindo o patrocínio e o voano e, com isto, esperamos como resultado um luntariado para outros Estados. “Hoje, número cada vez maior de jovens beneficiados aumentou o número de funcionários vocom programas educativos de qualidade.” luntários e nossa intenção é que esta Daniela Gentil – Gerente de Sustentabilidade da parceria cresça a cada ano e, com isto, Ultragaz esperamos como resultado um número cada vez maior de jovens beneficiados com programas educativos de qualidaA Ultragaz firmou uma parceria nacional de”, diz. com a Junior Achievement para bene- Rosane Lima, Gerente de Recursos Huficiar 13 Estados. Além de parcerias manos da Ultragaz, afirma que o trabainstitucionais, a empresa levou para lho de voluntariado que vem sendo reaas salas de aula, em 2011, mais de lizado pelos funcionários da companhia 60 voluntários, que beneficiaram 997 nos programas da Junior Achievement

30

“É um prazer conviver e trocar aprendizado com estes jovens. A educação faz parte da nossa missão de sustentabilidade, porque acreditamos que ela é a base de tudo, a base do Brasil do presente e do futuro.” Rosane Lima - Gerente de Recursos Humanos da Ultragaz

retrata o espírito da Ultragaz de proximidade com as comunidades. “Nossos funcionários sempre foram engajados em nossos programas e ações sociais. O número de adesão aos programas de voluntariado na Ultragaz vem crescendo a cada ano, e isto dá muito orgulho em trabalhar nesta empresa e continuar a apoiar uma organização como a Junior Achievement”, afirma ela para, em seguida, complementar: “É um prazer conviver e trocar aprendizado com estes jovens. A educação faz parte da nossa missão de sustentabilidade, porque acreditamos que ela é a base de tudo, a base do Brasil do presente e do futuro”.


PROJETO NACIONAL HSBC EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Mais Do Que Dinheiro leva o tema educação financeira a estudantes brasileiros Treinamento do Programa Empreendedores Climáticos, realizado em São Paulo, com a participação dos voluntários Damaris do Valle, Adriana Larguesa, Evellin Teles, Silvana de Almeida, Michelle Jesus e Fernando Jesus

Desde 2009, o HSBC é parceiro mundial da Junior Achievement no desenvolvimento do Programa que ensina aos jovens conceitos sobre o mundo dos negócios e consumo consciente

HSBC patrocina novo Programa O Programa inspira responsabilidade e cooperação, ambas necessárias para impulsionar hábitos de desenvolvimento sustentável Junior Achievement, através da par.ceria internacional com o HSBC, lançou, no Brasil, o Programa Empreendedores Climáticos, que tem como objetivo desenvolver nos alunos do Ensino Fundamental o entendimento sobre as mudanças climáticas com origem a partir das ações dos seres humanos. “O Programa Empreendedores Climáticos busca levar conhecimento em relação às mudanças climáticas até alunos de escolas públicas, conscientizando as

A

Claudia Malschitzky, Executiva Sênior de Sustentabilidade do HSBC Bank Brasil e Diretora do Instituto HSBC Solidariedade

crianças brasileiras quanto à importância do empreendedorismo sustentável e do consumo consciente de recursos naturais”, afirma Claudia Malschitzky, Executiva Sênior de Sustentabilidade do HSBC Bank Brasil e Diretora do Instituto HSBC Solidariedade. Promovido em cinco encontros, o Programa trabalha conceitos como meio ambiente, clima, tempo, efeito estufa, temperatura, elementos naturais e sociais, danos ambientais e biodiversidade. “Para isso, nossos colaboradores são convidados a participar de capacitações e agirem como multiplicadores nas escolas”, explica Claudia. O Projeto, desenvolvido nos Estados do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo, envolveu 28 colaboradores do HSBC. “Beneficiamos 382 alunos em 2011”, finaliza Claudia. Ao todo, 10 países da América Latina participaram do Projeto, que beneficiou, mundialmente, mais de 4.000 estudantes, através da participação de 284 voluntários.

Voluntários do HSBC de Curitiba, no Paraná, participam de treinamento

O HSBC firmou, mais uma vez, parceria mundial com a Junior Achievement para levar às salas de aula de 45 países o Programa Mais Do Que Dinheiro, que tem como objetivo apresentar aos alunos um tema que não é tratado nos currículos das escolas: a educação financeira. Através de atividades práticas sobre economia e negócios, ministradas pelos voluntários do HSBC, estudantes do 7º ano do Ensino Fundamental exploram suas aspirações profissionais e opções de carreira. “Entrar em sala de aula me mostrou o quanto estes jovens são extremamente valiosos para o futuro do nosso País”, afirma Rogério Pereira Flores, Consultor de Serviços Financeiros do HSBC em Cuiabá, no Mato Grosso. Para o voluntário Estevão Krucherski, de Curitiba, no Paraná, o projeto é excelente. “Além de levar conhecimento para as crianças, temos a oportunidade de aprender com elas”, comenta. Cristina Gama, por sua vez, resume a sua participação como voluntária, no Rio de Janeiro, como gratificante. Em 2011, através do projeto, 46 turmas foram beneficiadas, totalizando 1.115 estudantes atendidos por 98 voluntários de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Mato Grosso. 31


PROJETO NACIONAL KPMG

Tecnologia e educação já fica evidente que nossos jovens têm uma aptidão especial para lidar com o que têm sido chamados de gadgets. Mas é certo, também, que o tempo da educação é diferente da evolução tecnológica. O grande desafio é alinhar essas duas tendências para a formação das novas gerações. O que podemos esperar é que a próxima geração terá uma formação multidisciplinar mais intensa, uma habilidade para a comunicação e o relacionamento, mesmo que virtual, mais desenvolvida, o que nos trará dilemas em como conciliar atenção, conhecimento... Mas isso é prever o futuro. O que é possível é visualizar que já estamos passando por mudanças e, sem dúvida, a tecnologia nos colocará num outro patamar de conhecimento, de informação e terá impacto na formação de nossos profissionais. Fazendo a Diferença - De que forma é possível instigar nos jovens, ainda na escola, o interesse pelo tema tecPresidente da KPMG, Pedro Melo acredita que a nologia como recurso de desenvolvitecnologia terá impacto na formação de profissionais mento de um projeto, de um negócio e, até mesmo, de uma sociedade? Pedro Melo - Acho que, até pelo próPara falar sobre a relação entre prio meio tecnológico, os jovens já eseducação, tecnologia e informação, a tão instigados. É claro que há aqueles Junior Achievement Brasil foi buscar a mais interessados, e estes tendem a desenvolver habilidades tecnológicas experiência de Pedro Melo, Presidente especiais. Para os demais, o grande da KPMG no Brasil. Confira as palavras desafio é mesmo a acessibilidade, especialmente no Brasil, onde sabemos do Executivo e Conselheiro da que a exclusão digital é uma realidade Junior Achievement Brasil para milhões de pessoas. O desafio é promover a inclusão das pessoas, perFazendo a Diferença - Em sua opinião, mitir que tenham acesso às facilidaquais mudanças podem ser esperadas, des oferecidas pelas tecnologias. Para na próxima geração, como resultado aqueles que já têm acesso, o ideal do acesso à tecnologia na educação? é que seus professores sejam curioPedro Melo - É natural percebermos sos e tragam para a escola exemplos que as novas tecnologias vieram para de como têm sido bem utilizadas as contribuir para o acesso à informação tecnologias para melhorar a própria e ao conhecimento. Temos, hoje, ferra- educação, o empreendedorismo ou o mentas incríveis, que contribuem como mundo em que vivemos. instrumentos acessórios à educação e ao ensino. Estamos ainda tateando Fazendo a Diferença - Quais os para encontrar as melhores formas de reflexos sentidos na KPMG em usá-las da maneira mais produtiva, mas função da participação de seus 32

colaboradores como voluntários da Junior Achievement? Pedro Melo - Na realidade, não temos um indicador específico que monitore os impactos diretos no nosso negócio em função de tal participação. O que temos é a convicção de nossa responsabilidade em gerar valor também para a comunidade, e de que o exercício da cidadania faz de todos nós pessoas melhores e profissionais mais completos. Adicionalmente, nas ações de voluntariado somos, muitas vezes, confrontados para além da nossa zona de conforto, e isso sempre nos desafia e enriquece. E são os nossos próprios profissionais que nos dão o seu depoimento de quanto foi gratificante estar em contato com os estudantes, e da sua surpresa ao constatar que, além de ensinar, puderam também aprender. No final, é uma ação que também fortalece no nosso profissional o orgulho de fazer parte de uma empresa que está comprometida com as suas comunidades.

Voluntários da KPMG levam o empreendedorismo para as salas de aula Com o objetivo de estimular o voluntariado corporativo e a educação empreendedora nas escolas, o Projeto Nacional KPMG 2011 teve como meta beneficiar alunos dos Estados do Ceará, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e do Distrito Federal. Através das aplicações dos Programas Introdução ao Mundo dos Negócios, Economia Pessoal, As Vantagens de Permanecer na Escola, Miniempresa e Vamos Falar de Ética, o projeto beneficiou, em 2011, mais de 1.500 alunos, de 70 turmas, contando com a atuação de mais de 100 voluntários da empresa.


SEBRAE NACIONAL

É preciso inovar! O Presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto, falou a Fazendo a Diferença sobre as dificuldades e as oportunidades de inovação nas pequenas e médias empresas e sobre a importância do tema para os novos empreendedores

Luiz Barretto é Presidente do Sebrae Nacional, enti dad e p ar ce ira d a Ju ni o r A c h i eve me nt desde 1 9 9 4

Fazendo a Diferença - Quais as principais barreiras que as médias e as pequenas empresas devem transpor hoje, no Brasil, para inovarem em seus negócios? Luiz Barretto - A principal barreira é cultural, já que muitas pessoas ainda fazem negócios baseados apenas na experiência e têm resistência a mudanças. Empresários que já têm negócios estabelecidos há cinco, dez anos percebem que o mercado está cada vez mais competitivo, mas talvez não saibam exatamente como se diferenciar. Atualmente, mais da metade dos novos negócios abertos no Brasil se dão por oportunidade, o que mostra um empreendedor mais qualificado. Aquele dono de negócio que não ino-

e pequenos empresários criarem seu próprio site com um custo de apenas R$ 30,00 ao ano.

Fazendo a Diferença - Como mostrar a importância da inovação tecnológica para os jovens profissionais que estão sendo inseridos no mercado de trabalho? Luiz Barretto - As universidades têm um papel fundamental neste processo, var irá perder competitividade e poderá pois é onde os jovens profissionais colocar em risco a sua permanência são formados. A inovação deve ser apresentada como uma das soluções no mercado. para aumentar a competitividade das Fazendo a Diferença - Como, em sua empresas, mas não apenas a tecnoopinião, organizações, empresas, lógica, pois inovar também é adotar universidades e governo podem tra- métodos e processos que resultem balhar juntos em prol de um melhor em maior competitividade. Isso inclui redução de desperdícios, adoção de sistema nacional de inovação? Luiz Barretto - As ações devem ser procedimentos de logística mais adefeitas em sintonia. O Sebrae, por exem- quados ao negócio etc. plo, tem programas com empresas ar inovação e universidades para levar para as micro e pequenass empresas. Um exemplo é o Programa ALI (Agenma ação do tes Locais de Inovação), uma ntemente, o Sebrae e do CNPq. Recentemente, Governo Federal lançou o Programa Brasil Maior, que tem, entree as ações previstas, incentivos para a inovação, como liberação de recursoss para projetos de inovação e juros menores em mo fim. financiamentos com o mesmo Fazendo a Diferença - De que forma, ndedorismo em sua opinião, empreendedorismo am? Qual a e tecnologia se relacionam? edor para a importância do empreendedor ce-versa? inovação tecnológica e vice-versa? nto em tecLuiz Barretto - Investimento nologia é um grande aliadoo das micro m exemplo e pequenas empresas. Um artir de um pode ser observado a partir cKinsey, de estudo da Consultoria McKinsey, m site pode maio de 2011, em que um ramento de aumentar em 10% o faturamento mpresa, ou uma micro ou pequena empresa, es. Mas ainainda dobrar as exportações. da existe uma cultura de que investimentos deste tipo são muito altos, dade. Atualo que nem sempre é verdade. m programa mente, o Sebrae possui um em conjunto com o Google,, o Conecte ita a micro seu Negócio, que possibilita 33


PROJETO NACIONAL SUZANO

Voluntariado em destaque na Suzano Pelo terceiro ano consecutivo a Suzano e a Junior Achievement levaram temas importantes sobre o mundo dos negócios para mais de 1.700 estudantes do Ensino Fundamental e Médio. Ao longo de três anos de parceria, 177 voluntários da Suzano aplicaram, em sala de aula, três programas da Junior Achievement: As Vantagens de Permanecer na Escola, Introdução ao Mundo dos Negócios e Vamos Falar de Ética, beneficiando jovens de escolas públicas de diversas regiões em que a empresa está presente. O Diretor Executivo de Recursos Humanos da Suzano Papel e Celulose, Carlos Alberto Griner, também Conselheiro e voluntário da Junior Achievement Brasil, falou sobre a importância do voluntariado corporativo nas ações da empresa

Griner é um voluntário engajado nos programas da Junior Achievement

34

Fazendo a Diferença - O que motiva a Suzano a participar dos programas da Junior Achievement? Qual a importância desta parceria? Carlos Alberto Griner - Além dos benefícios que o projeto propicia para a comunidade, participar dos programas da Junior Achievement possibilita aos nossos voluntários a oportunidade de vivenciar uma experiência que dificilmente teriam se não fosse por iniciativas como esta. Entrar em uma sala de aula e se relacionar com jovens de uma realidade social diferente daquela em que convivem e conseguir transmitir a mensagem proposta é um desafio que transcende o conhecimento técnico ou a vivência profissional. Trata-se de um exercício de cidadania, uma lição de vida. É por este motivo que é tão gratificante. Quem experimenta uma vez quer voltar sempre. A proposta da Junior Achievement está alinhada com o compromisso da Suzano em promover o desenvolvimento social por meio da educação. Trata-se de uma parceria em que todos ganham: a empresa, os voluntários e a comunidade. Fazendo a Diferença - Que mudanças podem ser esperadas, na próxima geração, como resultado dos esforços da educação para o empreendedorismo? Carlos Alberto Griner - Um dos principais ganhos obtidos por este tipo de iniciativa é despertar a consciência do jovem para a cidadania. Ele passa a entender quais as consequências de suas ações e seu poder de influência na comunidade. A troca de experiências entre os profissionais e os alunos também contribui para fortalecer a autoestima destes jovens, muitas vezes afetada pela condição e meio em que vivem. Eles sonham em estudar Engenharia, Medicina, Direito, entre outras profissões, e, durante o programa, têm a oportunidade de trocar experiências com estes profissionais e refletir sobre o que precisam para conquistar seus objetivos. De modo geral, promover a educação para o empreendedorismo resulta na formação de estudantes mais críticos e com uma visão de mundo mais ampla e inovadora, tornando-os cidadãos mais conscientes do papel a desempenhar na sociedade.


Fazendo a Diferença - Quais os reflexos sentidos na Suzano em função da participação de seus colaboradores como voluntários da Junior Achievement? Carlos Alberto Griner - A experiência em sala de aula estimula a prática de diversas competências que são essenciais no mundo corporativo, como o planejamento, a liderança, o espírito de equipe, a habilidade em se comunicar com públicos diversos, entre tantas outras. Possibilita, ainda, a integração entre profissionais que normalmente não têm contato no ambiente de trabalho, pois são de unidades ou departamentos diferentes. Todas estas características são aplicadas nas atividades do dia a dia empresarial, contribuindo para o desenvolvimento de profissionais mais completos e para a promoção de um clima organizacional saudável e colaborativo. É uma oportunidade de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal e profissional. Fazendo a Diferença - Em sua opinião, a participação em programas de empreendedorismo jovem forma candidatos diferenciados para trabalhar na Suzano? Carlos Alberto Griner - A participação

em programas desta natureza contribui para despertar o espírito empreendedor e a visão global nos jovens, características que fazem parte dos valores essenciais da Suzano. Estes fatores são levados em consideração pela empresa ao selecionar seus jovens talentos. Fazendo a Diferença - Como podemos aumentar o contingente de voluntários? Carlos Alberto Griner - Oferecer programas bem estruturados, como os da Junior Achievement, é um fator que facilita a adesão dos colaboradores na ação voluntária. É preciso, também, sensibilizar constantemente a liderança e os colaboradores, demonstrando os ganhos desta experiência para a sociedade e para o próprio voluntário. Na Suzano, os gestores têm papel fundamental na mobilização dos voluntários. Além de incentivar as equipes, participamos ativamente das ações, indo até as escolas e vivenciando a experiência junto aos demais voluntários. Em 2010, lançamos o Portal do Voluntariado Suzano, um ponto de encontro online para ampliar e potencializar as atividades voluntárias. A iniciativa tem se mostrado um importante canal de en-

Entrar em uma sala de aula e se relacionar com jovens de uma realidade social diferente daquela em que convivem, e conseguir transmitir a mensagem proposta, é um desafio que transcende o conhecimento técnico ou a vivência profissional. Trata-se de um exercício de cidadania, uma lição de vida. Carlos Alberto Griner Diretor Executivo de Recursos Humanos da Suzano

gajamento, fomentando a cultura de fazer a diferença, estimulando o exercício da cidadania entre colaboradores, familiares e terceiros.

Klabin e Junior Achievement firmam parceria de sucesso O Projeto Piloto beneficiará estudantes de São Paulo, Paraná e Santa Catarina Klabin, maior produtora, exportadora e recicladora de papéis do Brasil, firmou parceria para levar, em 2012, conhecimentos sobre sustentabilidade a estudantes de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. A meta do Projeto Piloto é beneficiar 560 alunos através do Programa Nosso Planeta, Nossa Casa.

A

As cidades atendidas pela parceria serão Angatuba (SP), Correia Pinto (SC), Otacílio Costa (SC) e Telêmaco Borba (PR), todas cidades onde a Klabin possui fábricas. Nestas localidades, voluntários da empresa ensinarão os estudantes a terem consciência da responsabilidade de cada um com o futuro

do Planeta. A Klabin foi fundada em 1899 e possui, atualmente, 17 unidades industriais no Brasil - distribuídas por oito Estados - e uma na Argentina. 35


PROJETO NACIONAL GE

Voluntários da GE preparam jovens para o mundo dos negócios Colaboradores voluntários da GE aplicaram os Programas Nossa Região, Economia Pessoal, As Vantagens de Permanecer na Escola, Empresa em Ação, Atitude Pelo Planeta, Nosso Mundo e Mercado Internacional

Voluntários da GE de Minas Gerais ensinam aos jovens conceitos importantes sobre o mundo dos negócios

través de uma parceria mundial A com a GE, a Junior Achievement desenvolveu, em 2011, um projeto nacio-

de Pelo Planeta. Em 2012, a expectativa é beneficiar 1200 alunos, distribuídos em três Estanal nos Estados de São Paulo, Rio de dos - SP, MG e RJ, através dos PrograJaneiro e Minas Gerais, com o objetivo mas Nossa Comunidade, Introdução ao de levar a estudantes do Ensino Fun- Mundo dos Negócios, Nosso Mundo, As damental e Médio temas importantes Vantagens de Permanecer na Escola, sobre o mundo dos negócios. Economia Pessoal, Empresa em Ação, Ao todo, 1.496 alunos foram beneficia- Mercado Internacional e Vamos Falar dos pela parceria, que levou às salas de Ética. de aula mais de 150 voluntários para Confira o depoimento dos estudantes ensinar aos jovens os conceitos dos do 5º ano do Ensino Fundamental que Programas Nossa Região, Economia participaram do Programa Nossa RePessoal, As Vantagens de Permanecer gião em Minas Gerais, aplicado pelos na Escola, Nosso Mundo, Mercado In- voluntários da GE. ternacional, Empresa em Ação e AtituDEPOIMENTOS

“Eu gostei muito desse Programa por que ele fala que eu posso crescer na vida e me ajuda a pensar no que eu vou fazer no futuro: posso ser um médico, um advogado ou um monitor da nossa região.’’ Erick Gabriel - Aluno

36

“O Programa nos ensinou sobre as regiões e seus recursos e mostrou onde devemos abrir o nosso negócio, se teremos prejuízo ou lucro e como calculá-los. Espero que eu possa participar de novo no ano que vem.’’ Leonardo B. - Aluno “Eu gostaria que ano que vem eu pudesse participar de outro programa da

Junior Achievement. E quando crescer espero poder trabalhar na GE.’’ Warley Eduardo - Aluno “Aprendi muitas coisas com os voluntários. Eles foram muito pacientes com a gente e eu gostaria que eles voltassem na minha escola outras vezes para aplicar novos programas.’’ Marta Maria - Aluna “Eu queria parabenizar a toda a equipe da GE, que se preocupou com os alunos e nos ajudou a ter noção de como os negócios funcionam. Nestas cinco aulas eu recebi uma base sobre lucros, despesas, prejuízos, etc.” Lucas Souza - Aluno “A educação para os jovens sempre foi um dos focos de investimento da GE Foundation e a proposta de estímulo ao empreendedorismo da Junior Achievement apresenta um impacto social diferenciado. Seus programas sempre trazem atividades diversas que permitem o envolvimento e a compreensão por parte dos jovens. Outra grande motivação para investir na Junior Achievement é a possibilidade de envolvimento do trabalho voluntário. A GE, por meio de seu programa global de voluntariado, GE Volunteers, oferece aos colaboradores diversas oportunidades de trabalho voluntário. Na GE, valorizamos o trabalho voluntário por três motivos: é bom para a comunidade, é bom para o voluntário e é bom para GE. Além de beneficiar as comunidades onde atuamos sabemos que o trabalho voluntário também desenvolve habilidades profissionais de nossos colaboradores, como liderança, trabalho em equipe e criatividade. Somente em 2010, foram mais de 90 mil horas de voluntariado realizadas em todo Brasil. A Junior Achievement é uma grande parceira, em nível global e nacional, para a GE Foundation. Nossos voluntários estão distribuídos por diversas cidades do País e ter um parceiro com estrutura para implementação nacional dos projetos facilita muito nosso trabalho.” Lorena De Lima Gerente de Responsabilidade Social Corporativa – América Latina GE Foundation


PROJETO NACIONAL COCA-COLA

Propagando a sustentabilidade

Estudantes aprendem sobre a importância da preservação ambiental

Parceria com a The CocaCola Foundation consolidou programa que possibilita a estudantes terem uma experiência prática no desenvolvimento de projetos de economia e negócios, tratando de temas fundamentais como a sustentabilidade

tes de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, de 25 turmas de sete escolas públicas.

As melhores ideias nacionais

A ideia vencedora da Escola Coelho Neto consistiu na elaboração de uma horta sustentável, construída através de resíduos recicláveis coletados na comunidade onde a escola está inserida. Na Escola Dr. Emílio Kemp, a ideia de uma Gincana Ecológica foi a vencedora. A proposta baseia-se na participação dos .scolas gaúchas tiveram a oportu- estudantes em uma capacitação oferenidade de receber as aplicações do cida por professores, em sala de aula, Programa Aprender a Empreender no Meio sobre problemas ambientais. Ambiente. O Programa, que tem como objetivo estimular nos jovens a conscientizaO Projeto mundo afora ção sobre o tema sustentabilidade, selecionou as propostas apresentadas pelas Além do Brasil, o Programa foi realiEscolas Estaduais de Ensino Fundamen- zado em outros 15 países da América tal Coelho Neto e Dr. Emílio Kemp para Latina. Aproximadamente, 6 mil alunos representarem o Brasil no Concurso Um foram beneficiados por esta iniciativa. Mundo Melhor, que incentivou a geração Na América Latina, as sugestões aprede soluções para os problemas ambientais sentadas contemplaram assuntos como que ocorrem nas comunidades abrangidas gestão de resíduos, uso racional da água, consumo sustentável, reutilizapelo projeto. Ao todo, foram beneficiados 481 estudan- ção e desenvolvimento de materiais e

E

“Através do Programa, os estudantes tornaramse mais conscientes sobre a importância do meio ambiente. Nós trabalhamos bastante sobre o tema em sala de aula, e este Programa nos ajudou a mostrar que sozinhos não temos forças, mas, juntos, conseguiremos mudar o futuro do Planeta.” Professora Rose, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Ernesto Tocchetto, de Porto Alegre/RS

brinquedos educativos concebidos por meio de processos de reciclagem. A ideia vencedora da iniciativa internacional foi o Projeto “Reciclando atitudes, reciclamos a vida”, da Escola Nº 95 – Unión Europea, de Montevidéu, no Uruguai.

37


PROJETO NACIONAL CATERPILLAR & ANCAR IVANHOE

Marcelo Carvalho, Co-presidente da Ancar Ivanhoe, motivou os estudantes que participaram da Final Estadual no Rio de Janeiro

Estudantes vivenciam o mundo dos negócios Através do Projeto Caterpillar & Ancar Ivanhoe, estudantes tiveram a oportunidade de gerenciar empresas, tomando decisões estratégicas de mercado om o objetivo de possibilitar uma visão clara do mundo dos negócios e facilitar o acesso ao mercado de trabalho, a Junior Achievement Brasil desenvolveu, em parceria com a Caterpillar e com a Ancar Ivanhoe, um projeto que beneficiou, em 2011, 716 estudantes brasileiros dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Paraná. A parceria foi resultado de uma ação internacional da Junior Achievement, que atendeu a 7.200 estudantes de 10 países. Durante a realização do projeto, estudantes do Ensino Médio participaram

C

38

dos Programas Mese e EmpresárioSombra Por Um Dia. Os voluntários das instituições parceiras transmitiram conhecimentos do mundo dos negócios e partilharam suas experiências de mercado com os estudantes. O projeto envolveu voluntários da Caterpillar e da rede Ancar Ivanhoe. “O trabalho voluntário com jovens tem uma característica interessante, pois você pode perceber uma mudança de atitude muito rápida neles. O voluntário consegue enxergar o benefício do trabalho dele para o jovem, através de uma mudança de atitude, na absorção de um conhecimento. Além disso, o trabalho voluntário é

uma forma necessária e concreta de desenvolvermos a nossa sociedade”, afirma o Co-presidente da Ancar Ivanhoe, Marcelo Carvalho. Em sala de aula, os estudantes receberam o conteúdo teórico sobre as organizações, suas partes e as interações existentes entre estas, pautadas em uma estratégia de mercado para atingir objetivos organizacionais. Depois desta fase, os alunos tiveram a oportunidade de gerenciar empresas, tomando decisões estratégicas e competindo com estudantes de outras escolas. Em meio à competição, os jovens se divertiram e puderam ter uma ideia do que é o mundo organizacional, de uma maneira dinâmica e divertida. Ao final das etapas estaduais, cada Estado participante apontou o seu representante para a Final Nacional da competição. As equipes campeãs estaduais obtiveram duas premiações distintas: a participação no Programa Empresário-Sombra Por Um Dia e o passaporte para a Final Nacional para disputar prêmios de R$ 500,00 por estudante. Na Final Nacional, que foi realizada em um ambiente online, a equipe do Rio Grande do Sul, do Colégio Estadual Piratini, sagrou-se campeã nacional da Competição Brasileira de Simulação de Negócios Caterpillar Ancar Ivanhoe. Em segundo lugar, ficou a equipe carioca do Projeto Ismart e, em terceiro lugar, ficaram os paulistanos representantes do Instituto Ana Rosa. Em 2012, a expectativa é beneficiar 2.500 jovens, através dos Programas Economia Pessoal e Mese, nos Estados de SP, PR, RJ, RS, RN, DF, MT e RO, através do envolvimento de 150 voluntários.


PROJETO NACIONAL JP MORGAN

Voluntários incentivam jovens a permanecer na escola Através da parceria com o Banco JP Morgan, a Junior Achievement desenvolveu o projeto que mostra aos jovens a importância dos estudos para o futuro profissional esta qualificação exista temos de, primeiro, proporcionar conhecimento, seja ele através dos professores, livros, palestras ou ações focadas” comenta Estima. Estima destaca, ainda, que é importante traçar objetivos e planejar como alcançá-los. “Acho importantíssimo conscientizar as crianças sobre o valor do estudo”. Para o executivo, o trabalho da Junior Achievement é de grande importância, principalmente quando se fala de ações junto a escolas públicas. “Quero agradecer a oportunidade que vocês me proporcionaram, era algo que há muito tempo queria fazer, mas não sabia de que forma”.

A

Junior Achievement Brasil firmou parceria nacional com o Banco JP Morgan em 2012 para levar a 450 estudantes do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo o Programa As Vantagens de Permanecer na Escola. O Programa, aplicado por voluntários do banco, apresenta diversos conceitos aos estudantes, permitindo que estes interiorizem valores e comportamentos que serão importantes para a sua formação. Os alunos descobrem a relação entre educação, opções de carreira, o alcance de metas e os níveis de renda em relação ao nível de educação formal das pessoas. O resultado é extremamente positivo, e demonstra que o objetivo do projeto de conscientizar os jovens sobre a importância da permanência na escola está

sendo alcançado através da parceria. Durante o Programa, os jovens também realizam a atividade de planejar seu próprio orçamento, aprendendo a visualizar os custos que se têm mensalmente e as vantagens de permanecer estudando. Os estudantes vivenciam as dificuldades de viver e se sustentar independentemente, quando se possui uma baixa escolaridade. Em 2011, em Porto Alegre, uma das turmas da Escola Estadual Florinda Tubino Sampaio, contou com a presença de um voluntário ilustre na aplicação do Programa, o Vice-Presidente do Banco JP Morgan, Luiz Henrique Estima. “Estes meninos e meninas serão os futuros trabalhadores deste País. Vivemos, hoje, num ambiente no qual falta mão de obra qualificada e para que

O Vice-Presidente do JP Morgan, Luiz Henrique Estima, mostrou aos estudantes a importância dos estudos para a vida profissional

39


PROJETO NACIONAL VALID

Valid investe no empreendedorismo jovem José Roberto Mauro, Diretor-Presidente da Valid, fala sobre a parceria da empresa com a Junior Achievement que beneficiará, em 2012, 540 estudantes, através da participação de 90 voluntários nos Estados de São Paulo, Pará e Rio de Janeiro Fazendo a Diferença - Qual a importância de levar aos jovens conceitos sobre o mundo dos negócios, estimulando o empreendedorismo? José Roberto Mauro - Os jovens são a matéria-prima do futuro. Serão eles os geradores de empregos, os empresários, aqueles que reinventarão o mercado ou atenderão aos seus requisitos com sabedoria. É preciso que as iniciativas pública e privada estejam atentas a dar oportunidades aos alunos de obter conhecimentos práticos.

muito e para melhor. Os jovens, que já usavam o computador para se alfabetizar, criarão as novidades ou se adaptarão rapidamente a elas. Em curto prazo, a convergência digital é o que mais mudará as relações humanas. Estamos reinventando a forma de comunicar, de comprar, de viver. Em longo prazo, o céu é o limite.

Fazendo a Diferença - Na sua opinião, de que forma é possível instigar nos jovens, ainda na escola, o interesse pelo tema tecnologia como recurso Fazendo a Diferença - A participação de desenvolvimento de um projeto, voluntária contribui na formação dos de um negócio e, até mesmo, de uma colaboradores da Valid? sociedade? José Roberto Mauro - Acreditamos que José Roberto Mauro - Não basta ter um o trabalho é fonte da realização pessoal e laboratório de informática nas escolas. queremos atrair e manter em nosso time Acredito que seja preciso adaptar a forprofissionais que amam e se orgulham do ma de lecionar para que a infraestrutura “É preciso deixar o legado do conhecimento empreendedor que fazem. O voluntariado é a síntese do tecnológica esteja somada à metodologia para que o mundo esteja repleto de cidadãos habilitados a espírito do trabalhador Valid. Estimulamos de ensino e professores capacitados para participar e contribuir para um processo de transformação, cada vez mais o tema dentro da empre- que o aluno usufrua todo o potencial tornando o País melhor.” sa, para ampliar a nossa capacidade de dos instrumentos e das informações José Roberto Mauro – Diretor-Presidente da Valid realização, aumentando a força da insti- que estão ao seu alcance. É importantuição em fazer a diferença. Juntos, somos te que empresas e instituições como a Fazendo a Diferença - O que motiva a Va- quase cinco mil pessoas. Temos muito o Junior Achievement tenham espaço para lid a participar da Junior Achievement? que realizar. contribuir cada vez mais com o modelo José Roberto Mauro - Faz parte da de educação, levando suas experiências história da Valid o envolvimento com ini- Fazendo a Diferença - A Valid é refe- para a formação de grande quantidade de ciativas que motivam a educação e o em- rência quando se fala em tecnologia, alunos. Precisamos democratizar mais preendedorismo. Procuramos desenvolver na área de identificação digital. Na sua a tecnologia. A escola é o melhor lugar e apoiar programas para fomentar o co- opinião, quais mudanças podem ser para multiplicar o acesso e a informação, nhecimento entre nossos colaboradores e esperadas, na próxima geração, como já que ela tem este valor inestimável de entendemos que uma empresa que deseja resultado do acesso à tecnologia? transformar o aluno em cidadão. estar presente no mercado por muito tem- José Roberto Mauro - Nosso negócio po precisa olhar além e compreender que nasceu em um mundo analógico e se Fazendo a Diferença - Que conselho o a responsabilidade em informar e contri- adaptou para continuar atendendo às Sr. daria a um jovem que quer emprebuir com a formação das pessoas não necessidades de um mercado que usa ender no futuro? se limita aos muros da fábrica. Podemos a tecnologia como forma de melhorar José Roberto Mauro - Vou parafrasear dizer que a Junior Achievement chegou a seus produtos e serviços. A única coisa o mais simples e certeiro conselho, de Valid com uma visão muito parecida com que esperamos como certa é a mudança. Winston Churchill: “Nunca desista. Nunca. a nossa. O mundo em que vivemos, hoje, mudará Nunca. Nunca.” 40


PROJETO NACIONAL MASTERCARD

MasterCard leva educação financeira a estudantes brasileiros

Fazendo a Diferença - Para você, de que forma é possível instigar nos jovens, ainda na escola, o interesse pelo tema tecnologia como recurso de desenvolvimento de um projeto, de um negócio e, até mesmo, de uma sociedade? Gilberto Caldart - Um dos caminhos é o A Superintendente da Junior Achievement estimulo aos programas educativos que Brasil, Wilma Resende Araujo Santos, orientem o uso das tecnologias para o participou de sensibilização para os co- desenvolvimento pessoal e profissional laboradores da MasterCard em São Paulo. dos jovens, levando informação para esO Presidente da empresa no País, Gillber- tudantes de escolas públicas e particulato Caldart, também participou do encontro. res, do Ensino Fundamental à Faculdade. Como eu disse anteriormente, eles são o Fazendo a Diferença - Qual a impor- futuro e, nesse sentido, valem todos os tância do investimento de empresas esforços para termos cidadãos mais preinternacionais, como a MasterCard, na parados e informados. Junior Achievement, estimulando, nos jovens, o empreendedorismo e desen- Fazendo a Diferença - Qual a importância de desenvolver, entre os colavolvendo a educação financeira? Gilberto Caldart - É de extrema impor- boradores da MasterCard, o espírito tância o trabalho de levar informações de voluntariado? sobre educação financeira e empreen- Gilberto Caldart - A MasterCard comprededorismo para os jovens, uma vez que ende a importância do envolvimento dos eles são os futuros consumidores e a for- colaboradores em ações de voluntariado. ça motriz para o processo de desenvolvi- O Programa JA in a Day, em parceria com mento socioeconômico brasileiro. A nossa a Junior Achievement, é a prova disso. Inparceria com a Junior Achievement nos centivamos todos os nossos funcionários permite investir e participar ativamente na a se engajarem com seriedade e comeducação financeira do País, de forma efi- prometimento, desde a preparação, que ciente e com ações que realmente fazem envolve treinamento sobre o Programa, até o dia das aulas. a diferença.

Através de uma parceria mundial com a Junior Achievement, 10 países receberão a aplicação do novo Programa Finanças Pessoais ntroduzir junto a alunos do Ensino MéIdecisões dio a importância de tomarem sábias financeiras é o objetivo do novo Programa lançado, mundialmente, em parceria com a MasterCard. O Programa Finanças Pessoais demonstra aos jovens o valor do planejamento e a importância de tomarem decisões dentro do contexto das finanças pessoais. Durante três encontros, voluntários da MasterCard examinam, junto com os estudantes, o papel do dinheiro na realização dos objetivos ao longo da vida, mostrando a importância de tomar sábias decisões em relação ao uso do dinheiro. Estão envolvidos na iniciativa, além do Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Estados Unidos, Peru, Trinidad e Tobago e Venezuela.

A Superintendente da Junior Achievement Brasil, Wilma Resende Araujo Santos, participou de sensibilização para os colaboradores da MasterCard em São Paulo. O Presidente da empresa no País, Gillberto Caldart, também participou do encontro

Fazendo a Diferença - Em sua opinião, quais mudanças podem ser esperadas, na próxima geração, como resultado do acesso à tecnologia na educação? Gilberto Caldart - Podemos esperar por uma relação cada vez mais rápida e integrada entre os jovens e a tecnologia. O conceito de presença e distância deverá se alterar e as formas de ensinar e aprender também, levando um volume de informações muito maior, de forma mais rápida e diversificada aos estudantes, colaborando, assim, para a formação de jovens mais preparados como profissionais e cidadãos.

Fazendo a Diferença - Diante do cenário atual, qual o papel das grandes corporações em relação ao desenvolvimento sustentável da sociedade? Gilberto Caldart - As grandes corporações desempenham um papel crucial no desenvolvimento econômico e social de um país. Por isso, é preciso que elas invistam cada vez mais no aperfeiçoamento de práticas sustentáveis em vários aspectos de seu negócio, desde seu processo de produção, passando pela gestão financeira e pelo respeito à comunidade onde estão inseridas, aos seus funcionários e ao meio ambiente. 41


PROJETO ESPECIAL CIEE-RS

Junior Achievement e CIEE-RS levam ao jovem o mercado de trabalho O Programa Conectado Com o Amanhã desenvolve habilidades importantes para o futuro dos jovens profissionais Estudantes aprendem sobre o mundo profissional de maneira lúdica e com atividades práticas

“A

parceria com a Junior Achievement tem contribuído significativamente com a missão social do CIEE-RS de viabilizar a inserção de jovens no mercado de trabalho”. A frase de Cláudio Inácio Bins, Gestor de Relações Institucionais do CIEE-RS, representa a importância do projeto que vem sendo desenvolvido, com sucesso, entre os jovens estagiários do Centro de Integração Empresa-Escola do Rio Grande do Sul. Através do Programa Conectado Com o Amanhã, a Junior Achievement e o CIEE-RS proporcionam a estudantes do Ensino Médio e Superior possibilidades de desenvolver aptidões e

42

habilidades que lhes fortalecerão para o mercado de trabalho. O Programa também tem como objetivo auxiliá-los no planejamento de suas carreiras, dar dicas sobre processos seletivos, orientação vocacional, motivação e habilidades para o trabalho. “Aprendi muito sobre o mundo do trabalho e como fazer escolhas na vida. O Programa também me ajudou na escolha da profissão que quero seguir e como devo organizar os meus objetivos”, comenta Luana Carvalho, estudante da unidade Rudi Hemb do Projeto Pescar. Em 2012, serão beneficiados 800 alunos, em mais de 30 aplicações.

Café com RH A Junior Achievement Brasil e o CIEE-RS realizaram, em 2011, a 2ª edição do “Café com RH”, evento reservado ao público empresarial e aos profissionais da área de Recursos Humanos. O evento contou com a palestra de Antônio Celso Webber, economista com especialização em gestão, que abordou o tema “Afinal, onde estão os líderes?”. Em 2012, a palestrante do III Café com RH foi Dulce Magalhães, que tratou do tema “Caminhos para performance de maior sucesso e realização”. “Tanto o Programa Conectado Com o Amanhã, destinado à capacitação de jovens em temas de empreendedorismo, cidadania e de planejamento de carreira, bem como, os eventos promovidos Café com RH e Colóquio têm viabilizado a discussão e proposição de estratégias para o desenvolvimento de estudantes, de empresários, e com benefícios para toda a sociedade”, comenta, Cláudio Inácio Bins, Gestor de Relações Institucionais do CIEE-RS.

Dulce Magalhães é educadora, pesquisadora, escritora e palestrante.


PROJETO NACIONAL CYRELA

Investindo na próxima geração Fazendo a Diferença - O que motivou o Instituto Cyrela a participar da Junior Achievement? Aron Zylberman - Para o Instituto Cyrela é muito importante aumentar a eficiência dos investimentos sociais. Não faz sentido cada organização criar os seus próprios programas, quando outras organizações já estão fazendo um excelente trabalho naquela mesma área de atuação. Identificamos na Junior Achievement um parceiro estratégico importante para o Instituto Cyrela. A Cyrela Brazil Realty já apoiou a Junior Achievement no passado, mas de uma forma pontual, não estratégica. É nossa intenção estabelecer uma parceria de longo prazo. O contrato atual é o primeiro passo de uma jornada que esperamos seja muito longa.

Aron Zylberman acredita em uma parceria de longo prazo com a Junior Achievement

A Junior Achievement Brasil firmou parceria de sucesso com o Instituto Cyrela, que tem como objetivo levar os temas empreendedorismo, sustentabilidade e ética a jovens de Ensino Médio. O projeto beneficiará, em 2012, 1.225 estudantes de oito Estados (BA, MA, PA, PR, PE, RJ, RS e SP), contando com a participação de 148 voluntários do Instituto Cyrela, que aplicarão os Programas Miniempresa, Vamos Falar de Ética e Atitude Pelo Planeta. Aron Zylberman, Diretor-Executivo do Instituto Cyrela, falou para a revista Fazendo a Diferença sobre a importância da parceria

Fazendo a Diferença - Qual a importância de desenvolver nos colaboradores da Cyrela o espírito de voluntariado? Aron Zylberman - Nós acreditamos que a maioria absoluta das pessoas é generosa e quer ajudar na construção de uma sociedade socialmente mais justa e ambientalmente equilibrada. Criar canais que facilitem a expressão dessa generosidade é um dos nossos papeis. Os benefícios, para as pessoas e organizações que desenvolvem trabalhos voluntários, são bem conhecidos. Destaco o desenvolvimento individual de cada voluntário, o aumento no sentimento de pertencer, o fortalecimento do relacionamento entre colegas e a melhoria do clima da organização. Temos convicção de que nas trocas que ocorrem no trabalho voluntário os maiores beneficiados são os doadores. No final do dia, todos ganham: a empresa, os voluntários e os donatários.

mará candidatos diferenciados para trabalhar na Cyrela? Aron Zylberman - Acredito que sim; não só para trabalhar na Cyrela, mas para trabalhar em qualquer organização preocupada com o desenvolvimento sustentável do seu negócio. Um dos fatores fundamentais para que uma pessoa seja produtiva e eficiente é a sua capacidade de trabalhar em equipe. O trabalho voluntário desenvolve essa habilidade. A capacidade de doar parte do seu tempo e talento para ações socioambientais é um indicador importante da personalidade do candidato. Entre dois candidatos igualmente qualificados, disputando uma mesma posição na empresa, nós não hesitaríamos em utilizar como critério de desempate o histórico de trabalho voluntário desses jovens. Fazendo a Diferença - Qual a importância de desenvolver entre os estudantes o empreendedorismo com responsabilidade socioambiental? Aron Zylberman - Em 31/10/2011, a terra atingiu 7 bilhões de habitantes. A tarefa de construirmos uma sociedade onde todos possam ter acesso a uma vida minimamente decente é gigantesca. Se não formos capazes de fazê-lo, em um prazo relativamente curto, todos irão sofrer, ricos e pobres. Sem um batalhão de jovens empreendedores com consciência da sua responsabilidade socioambiental, não venceremos os difíceis desafios do presente e das próximas décadas.

Fazendo a Diferença - Em sua opinião, a participação em programas de empreendedorismo jovem for-

43


PARCERIAS INSTITUCIONAIS

Grupo Abril investe na educação empreendedora O Grupo Abril firmou parceria institucional com a Junior Achievement Brasil

Grupo Abril firmou parceria institucioO nal com a Junior Achievement Brasil para contribuir com as ações da entidade em todo o País. Liderado por Roberto Civita, Presidente do Conselho de Administração e Diretor Editorial da Abril S.A, e

por Fábio Barbosa, Presidente Executivo, o Grupo Abril é hoje um dos maiores e mais influentes grupos de comunicação e educação da América Latina. Ao longo de sua história, expandiu e diversificou suas operações, e hoje fornece conteúdo em multiplataformas. Fundado em 1950, por Victor Civita, como Editora Abril, o Grupo esteve presente nas principais transformações da sociedade brasileira. Hoje, a Abril publica 54 títulos, que chegam a aproximadamente 28 milhões de

leitores. A Gráfica utiliza processos digitais e imprime cerca de 568 milhões de revistas por ano. O Grupo tem investido cada vez mais nas mídias digitais e está empenhado em contribuir para a difusão da educação. “É uma honra para a Abril apoiar o importante trabalho desenvolvido pela Junior Achievement em prol do empreendedorismo e, em especial, de preparação de jovens lideranças para todas as áreas de atuação”, afirmou Roberto Civita, em comunicado.

Sebrae Nacional & Junior Achievement Brasil assinam convênio de parceria Junior Achievement Brasil e o Sebrae A Nacional assinaram o Convênio de Parceria que levará, neste ano, o Programa Miniempresa e o Programa Economia Pessoal a 15 mil estudantes nos 27 Estados. O Presidente do Con-

Jorge Gerdau Johannpeter, Presidente do Conselho Consultivo da Junior Achievement Brasil, assina o Convênio que beneficiará 15 mil estudantes em 2012 44

selho Consultivo da Junior Achievement Brasil, Jorge Gerdau Johannpeter e o Presidente do Sebrae Nacional, Luiz Eduardo Barretto, fizeram a assinatura do convênio durante o Seminário Internacional Sobre Pequenos Negócios, que comemorou os 40 anos do Sebrae. Através da parceria com o Sebrae Nacional, a Junior Achievement trabalhará com os estudantes temas atuais que mostram o mundo competitivo dos negócios, seus benefícios e complexidades. É a maneira de contribuir para o desenvolvimento dos jovens e torná-los mais preparados para o mercado de trabalho. A sinergia entre a Junior Achievement e o Sebrae resultará no fortalecimento dos valores da ética, liderança, responsabilidade, cidadania e profissionalização. “Inserir a semente do empreendedorismo no currículo dos estudantes, a exemplo do que a Junior Achievement

Luiz Barretto, acompanhado de Wilma Araujo Santos, José Cláudio dos Santos, Jorge Gerdau Johannpeter e Carlos Alberto dos Santos, assina o Convênio de Parceria entre o Sebrae e a Junior Achievement

faz em mais de 100 países, através do método ‘Aprender-Fazendo’, é trabalhar para construir um Brasil melhor, de cidadãos mais qualificados e conscientes do seu papel social e ambiental”, afirma a Superintendente da Junior Achievement no Brasil, Wilma Araujo Santos.


PROJETO NACIONAL NEORIS

Colaboradores da Neoris mostram o dia a dia empresarial a estudantes brasileiros Durante a Semana Global do Empreendedorismo, voluntários da Neoris receberam jovens na empresa, que participaram do Programa Empresário-Sombra Por Um Dia Durante a Semana Global do Empreendedorismo*, sete países foram contemplados, através da parceria com a Neoris, com o Programa EmpresárioSombra Por Um Dia. No Brasil, quatro estudantes de São Paulo e três do Rio de Janeiro foram beneficiados através da colaboração dos voluntários dentro da organização. Durante a aplicação do Programa, os

jovens tiveram reunião com o Presidente, vídeo-conferência com o CEO da Neoris – com a participação de todos os países – e atividades com os voluntários. “Para nós, é motivo de muito orgulho, mais uma vez, estarmos com a Junior Achievement nesta iniciativa e, com isso, darmos nossa pequena contribuição para motivar estudan-

Frederico Vilar, Presidente da Neoris

tes de todo o mundo a adentrar na indústria de tecnologia da informação, um mercado em plena ascensão e que oferece inúmeras oportunidades para o desenvolvimento de uma brilhante carreira profissional”, afirma Frederico Vilar, Presidente da Neoris do Brasil. Além do Brasil, Estados Unidos, Espanha, Argentina, México, Chile e Colômbia participaram da aplicação do Programa Empresário-Sombra Por um Dia, juntamente com os voluntários da Neoris de cada unidade. *Saiba mais sobre a Semana Global do Empreendedorismo nas páginas 78 e 79.

Parceria com o IBGEN beneficia estudantes gaúchos

O Diretor do IBGEN, Márcio Pires, ministrou palestra para os estudantes participantes do Programa Conectado Com o Amanhã

A Junior Achievement Brasil firmou, em 2011, uma parceria de sucesso com o IBGEN para fortalecer a equipe da Associação, que está participando de cursos de pós-graduação e MBA na faculdade. O IBGEN, por sua vez, promoveu, para alunos do Programa Miniempresa e do Programa Conectado Com o Amanhã, no Rio Grande do Sul, palestras sobre trajetória e desenvolvimento profissional. Em 2011, foram beneficiados 500 alunos de 18 escolas, através de 25 palestras. Em 2012, a expectativa é beneficiar 600 alunos.

Fundado em 1996, o IBGEN - Instituto Brasileiro de Gestão de Negócios, iniciou suas atividades atuando na Região Sul do País, oferecendo cursos de pós-graduação, projetos de pesquisa e assessoria junto a empresas. Em 2005, iniciou suas atividades em Porto Alegre, onde, atualmente, possui mais de 1800 alunos frequentando seus cursos de graduação e pós-graduação.

45


Rede Junior Achievement Empreendedorismo para transformar A Junior Achievement promove, nos 27 Estados brasileiros, um ciclo que transforma. Um ciclo no qual todos os envolvidos se desenvolvem, se afetam mutuamente, crescem e fazem crescer o ambiente e a sociedade onde vivem. O trabalho da Junior Achievement transforma a vida dos jovens e impacta escolas, oferecendo às empresas a oportunidade de receber cidadãos mais preparados para os desafios do mercado de trabalho e de desenvolver seus colaboradores através da atuação voluntária. Estes colaboradores se transformarão em pessoas melhores; para si próprios, para a empresa e para a comunidade. Completando o ciclo, os jovens transformados serão agentes de transformação para toda a sociedade, para o País. Este ciclo é promovido, com muita seriedade e dedicação, pelas 27 unidades estaduais da Junior Achievement no Brasil e nas próximas páginas você poderá conferir um pouco deste impactante e significativo trabalho. 46


São Paulo

Junior Achievement São Paulo reconhece as melhores miniempresas do Estado

Achievers da ETEC Basilides de Godói durante a produção de relógios personalizados

A cerimônia de Formatura do Programa Miniempresa é inovadora, trazendo ao público um novo modelo de premiação Formatura de Miniempresas é um A momento tradicional na vida dos ex-achievers da Junior Achievement.

jovens estão acostumados a vivenciar”, conta o responsável pela Comunicação na JASP, Anderson Bueno. Trata-se de uma celebração que fica “O Miniempresa, em si, já tem uma marcada na memória de alunos, volun- grande importância. A festa de encertários, gestores escolares, coordenado- ramento do Programa é um momento res e executivos das empresas. “É um forte de congraçamento entre os envolacontecimento importante, que simbo- vidos e queremos deixá-la ainda mais liza o trabalho realizado pelos volun- importante, valorizando a premiação tários e pelos miniempresários. É uma que já existia, dando a ela maior destafesta que marca o encerramento de um que. A formatura pressupõe, para quem ciclo vitorioso de muita experiência e vê de fora, que apenas os achievers aprendizado”, comenta a Gestora de são homenageados, apesar de saberProjetos da Junior Achievement São mos que não é esta a realidade. Com Paulo, Júlia Miranda. o Prêmio queremos ampliar essa visão Em 2011, a Junior Achievement São Paulo para todos os que direta ou indiretacomemorou, pela sexta vez, o encerra- mente tiveram contato com o Programa mento do Programa Miniempresa, ino- Miniempresa”, afirma a Diretora Execuvando com um grande evento, chamado tiva da JASP, Cibele Lara. Prêmio Miniempresas. “Não se trata ape- Durante a cerimônia, eram entregues nas de uma mudança de nome, é uma troféus contemplando as miniempresas mudança no conceito da cerimônia. Es- – como fazem outras unidades estatamos acostumados a fazer uma forma- duais da Junior Achievement – com tura alegre, mas protocolar, e queremos alguns critérios definidos. “A mudança deixar o encerramento deste ciclo mais mais importante é a forma como essa leve, dinâmico e mais próximo do que os

premiação é conduzida e vista. Antes, premiávamos as miniempresas de acordo com o desempenho geral. A partir de agora, passamos a contemplar também as que podem não ter se destacado em todos os índices de aproveitamento, mas que têm um ou mais pontos fortes que se destacam frente às demais”, explica a Gerente de Projetos, Daniella Jesus. O Prêmio Miniempresas teve sua primeira edição em grande estilo, tendo como convidado especial para a entrega do Prêmio o ator Murilo Rosa, além de outras atrações artísticas. A premiação aconteceu no Auditório Fiesp, no Centro Cultural Ruth Cardoso, local que é um dos cartões postais da cidade.

Resultados 2011 Alunos: 14.152 Voluntários: 1.472 Escolas: 105

47


Rio Grande do Sul

Junior Achievement Rio Grande do Sul nas Redes Sociais No Rio Grande do Sul, o Facebook e o Twitter têm sido usados de forma criativa, gerando interação com alunos e voluntários auxiliou a JARS neste processo. A especialista ainda complementa: “Todas as atividades devem ser coordenadas com a foco é a troca com um público jovem, em- estratégia de comunicação da instituição”. preendedor, ligado em tecnologia e inova- O crescimento extraordinário conquisção. Com base nisso, a Junior Achievement tado em um pequeno espaço de tempo Rio Grande do Sul encarou o desafio de in- surpreendeu até mesmo a instituição. O vestir no fortalecimento de seus canais de número de pessoas que acessam a pácomunicação pela internet, proporcionan- gina da Junior Achievement Rio Grande do um elo interativo com suas principais do Sul no Facebook passou de 63 para bases: alunos, voluntários e empresas. 641, um expressivo aumento. O total de Foi necessário investir esforço e tra- seguidores do Twitter também subiu de balho para tornar as páginas da Junior 319 para 715. Com isto, foi possível capAchievement RS nas mídias sociais mais tar depoimentos de voluntários, desenpopulares. “É fundamental definir um res- volver campanhas envolvendo jovens ponsável pela interatividade, usar e-mail e, até mesmo, agendar capacitações marketing para divulgar as páginas, incluir utilizando, exclusivamente, as Redes. links nas apresentações e postar histórias A experiência contou, também, com a boas e engraçadas”, instrui Jana Chla- ajuda de voluntários internacionais. Inpekova, voluntária em mídias sociais, que tegrante de um projeto mundial, a JARS ão há como falar em comunicação, N hoje, sem considerar a importância das mídias sociais. Ainda mais quando o

recebeu três profissionais da IBM vindos da Coréia do Sul, Japão e Eslováquia. Esta nova equipe respondeu pela construção de um método de indicadores de acompanhamento e avaliação, assim como de um manual de boas práticas, hoje disponível no site da JARS. O trabalho complexo, que compreendeu a análise do problema, estudo de ações, implantação e assessoria técnica, foi desenvolvido com sucesso em apenas um mês. O resultado positivo pode ser atribuído a um fator: o conteúdo postado nas mídias sociais ter sido considerado relevante pelos leitores. Adriano Crippa, voluntário do Programa Miniempresa, “curte” a página da Junior Achievement. Para ele “é mais fácil saber as novidades da JARS pelo Facebook. Também posso comentar e elogiar quando leio alguma coisa legal”, explica o adviser. A JARS espera que cada vez mais voluntários pensem assim. DEPOIMENTOS

“É inegável a transformação rápida pela qual os jovens passam nessas 15 semanas de troca. Assim como é inegável o conhecimento que eu como adviser ganho com os achievers. Eles ensinam muito, aprendem muito. São 15 semanas intensas que mudam a vida de quem participa para sempre.” Mauro Mendes Urban - Voluntário “Desde 2008, eu e mais três pessoas formamos uma equipe de advisers e, desde então, nos mantemos unidos por um só objetivo, que é o desenvolvimento do trabalhado voluntário aliado ao desenvolvimento do empreendedorismo.” Ricardo Cipriani - Voluntário “É muito prazeroso analisar e apoiar os achievers diante de todas as dificuldades que surgem no decorrer do Programa, dá uma saudade gostosa de um tempo muito bom e que mudou minha visão desse mundo.” Marina Dora de Vargas - Voluntária

Resultados 2011 Alunos: 22.406 Voluntários: 547 Escolas: 388

48


Santa Catarina

Jovens Aprendizes da Unimed aprendem sobre o mundo dos negócios em sala de aula

Formação de jovens aprendizes Contribuindo para a preparação de milhares de jovens, a iniciativa tem obtido sucesso ao longo dos anos A experiência vem sendo tão exitosa, que, em 2011, representou mais da metade do total de jovens beneficiados no sultados bastante positivos: atuar na Estado. Ou seja, dos 35 mil que partiformação de jovens aprendizes. Utili- ciparam da Junior Achievement, 17,3 mil zando os programas já desenvolvidos são jovens aprendizes. Os programas nas escolas, a ideia é contribuir com mais aplicados junto a este grupo são: a preparação desses jovens que estão Economia Pessoal, As Vantagens de ingressando no mercado de trabalho. Permanecer na Escola, Vamos Falar de O projeto amplia o escopo de atuação Ética e Atitude Pelo Planeta. da Junior Achievement, propiciando a Vale ressaltar que a iniciativa engloba expansão do alcance da instituição. aprendizes em empresas e entidades “Trata-se de um público diferente, bas- associadas, bem como em instituições tante interessado e já vocacionado. Da sociais. A entidade assistencial Promenossa parte, é uma forma de contri- nor, por exemplo, que atende crianças e buir ainda mais na preparação desses jovens carentes, contou com a particijovens que já estão experimentando pação de 380 adolescentes. “O módulo novas responsabilidades inerentes ao é sobre ética e, por isso, extremamente mundo do trabalho”, ressalta o Diretor proveitoso para o futuro, não só profisExecutivo da Junior Achievement San- sional como pessoal”, afirma a pedagoga da instituição, Salete Maria Gama. ta Catarina, Evandro Badin. á cinco anos, a Junior Achievement H de Santa Catarina deu início a uma estratégia de atuação com re-

Os programas também são levados a empresas, como é o caso do Grupo Lince, de Gaspar, que atualmente conta com 90 jovens aprendizes que foram atendidos pela Junior Achievement. Parceiros como Senai, Senac, CIEE, Unimed Grande Florianópolis, Intelbras, Senior Sistemas, entre outros, têm adotado a mesma estratégia, ampliando o trabalho já desenvolvido em escolas da comunidade.

DEPOIMENTO

“O conhecimento é uma ferramenta poderosa que nos permite conquistar o mundo, por isso, não deixe escapar a oportunidade de realizar seus sonhos.” Jaíne Cardoso - Aluna da aprendizagem industrial do Senai e participante do Programa As Vantagens de Permanecer na Escola

Resultados 2011 Alunos: 37.592 Voluntários: 1.203 Escolas: 165

49


Rio de Janeiro

Despertando a consciência ética nos jovens do Rio de Janeiro Campanha da Junior Achievement promoveu debate sobre valores éticos com estudantes cariocas exercício da ética e da cidadania são fatores muito importantes para a construção de uma sociedade melhor. Por esse motivo, a Junior Achievement Rio de Janeiro, em parceria com o Infoglobo e a Ancar Ivanhoe, e com o apoio técnico da Argilando, teve a iniciativa de levantar discussões sobre este tema através do Programa Vamos Falar de Ética. Durante o projeto, que beneficiou 4.873 alunos em 23 escolas, e contou com o apoio de 285 voluntários, jovens cariocas de instituições da rede pública e privada foram incentivados à reflexão sobre ética na vida profissional e pessoal e a compreender melhor seu papel como cidadãos. Com o objetivo

O

de desenvolver o senso crítico e a consequência das atitudes de cada um, o Programa mostrou aos alunos o custo da falta destes valores para o nosso País. A iniciativa foi tão bem-sucedida, que recebeu destaque em diversos veículos de comunicação, como o Canal Futura e o jornal O Globo. No Colégio Divina Providência, alunos do 3º ano do Ensino Médio receberam voluntários da empresa Lachmann para debater sobre os benefícios da conduta ética. A conversa foi bastante produtiva. Para Margareth, professora de sociologia da instituição, a iniciativa é de grande relevância para a formação dos estudantes. “O projeto é muito importante. Logo que conheci a metodoPeças publicitárias do Programa Vamos Falar de Ética

50

logia disse para a coordenação: ‘Temos que fazer!’. A reflexão com os jovens sobre as atitudes e ações, bem como suas consequências na sociedade, é fundamental”, afirma. Questionados sobre qual o limite da liberdade de cada um na vida em sociedade, os jovens chegaram a algumas definições, como as dos estudantes Luíza e Bruno. Nossa liberdade vai até onde se inicia o direito do outro, refletiu Luíza. Bruno, por sua vez, concluiu que “a liberdade termina quando paramos de fazer o bem à sociedade”. DEPOIMENTOS

“Os jovens são ótimos, sabem muito sobre o momento atual de nossa sociedade. Durante o jogo, discutiram muito os valores entre eles e quais ações deveriam escolher”. André - Colaborador da Lachmann e voluntário “O certo e o errado convivem e os valores são escolhas diárias que cada um faz na construção de sua vida. Gosto do tema. Vou estudar ciência social”. Luiz Gustavo - Aluno e Diretor de Marketing da Miniempresa Mobileco S.A./E

Resultados 2011 Alunos: 22.489 Voluntários: 1.406 Escolas: 135


Bahia

Histórias de sucesso na Bahia Bruno, Thyago, Larissa, Thiago e Alana contam como conheceram a Junior Achievement e o papel da Associação em suas vidas

torno da obra da Arena Fonte Nova”, diz, com satisfação. Segundo Thiago, “a meta é, até o final de 2012, chegarmos a mil alunos atendidos”, e complementa: “a todo momento recebemos convites das escolas do entorno para novas parcerias”. O Programa Miniempresa foi o que levou a então estudante Alana de Oliveira a ingressar nas atividades da Junior Achievement. “Desde o início eu soube que a proposta tinha tudo a ver comigo e depois a minha paixão só cresceu e o relacionamento com a Junior Achievement se estreitou rapidamente”, relata Alana, que também participou do Nexa e estagiou na Junior Achievement Bahia. “Nesse período, aprendi a ouvir a opinião dos outros, a conviver com diferentes pessoas, a ser mais tolerante, mais paciente e perdi a timidez de falar em público”. Hoje, Alana, com 23 anos, acaba de se formar em Administração de Empresas e pretende ingressar em uma pós-graduação em breve.

Resultados 2011 Alana (na primeira fileira à direita) participa de evento da Junior Achievement Bahia

Alunos: 8.312 Voluntários: 455 Escolas: 38

embro o primeiro dia que ouvi „L falar sobre a Junior Achievement e soube que era algo que eu queria

Junior Achievement através da sua participação no Programa Miniempresa. “A dinâmica do Programa me fez mudar de fazer”, relata Bruno De La Fuente, vo- postura, perceber aptidões e desenvolluntário da Junior Achievement Bahia. ver habilidades voltadas para o ambienComo grande admirador do empreen- te corporativo, que antes eu não fazia dedorismo, Bruno, mesmo sem a ajuda ideia de que seriam tão úteis”, conta. financeira dos pais, fundou uma micro- Hoje, Larissa permanece ligada a Junior empresa e, hoje, começa a realizar Achievement, desta vez como voluntáseus sonhos. “Por isso, faço meu papel ria. “Ser voluntária e poder transmitir sendo voluntário da Junior Achievement essa mesma percepção de ser empree mostrando que é possível a todos endedor na vida, independente de que conquistarem seus objetivos através do carreira se siga, é mais uma realização empreendedorismo”, comenta. que a Junior Achievement me permitiu”, Thyago Imperial Caymmi teve a oportuni- agradece. dade de estagiar na Junior Achievement O também voluntário Thiago Gomes Bahia e conta que a experiência foi Cunha conta que a sua participação na marcante em sua vida, especialmente Junior Achievement foi um grande depelo contato com o mundo dos negó- safio. “Em 2011, recebemos os represencios. “Participar da Junior Achievement tantes da Junior Achievement no Conme mostrou a importância da educação, sórcio Arena Salvador e mobilizamos que hoje é um dos principais alicerces estagiários e trainees, totalizando mais da minha vida”, afirma. de 25 voluntários. Atendemos mais de Já a jovem Larissa Rocha conheceu a 441 alunos de escolas que ficam no en51


Espírito Santo ra de Recursos Humanos, Elen Casa Grande, “os novos funcionários, apesar de suas limitações, têm uma postura de responsabilidade, compromisso e escuta muito diferenciada”. DEPOIMENTOS

“Fazer parte de projetos como esse é ter a chance de revelar as habilidades que você tem e tentar buscar chances para expandilas. O Programa conseguiu nos mostrar o que é ser empreendedor.” Michael de Assis Matos – Participante do projeto em 2007, no qual desempenhou o papel de Presidente da miniempresa Especialmente Artistas S.A./E No Programa Miniempresa, alunos da Apae ganham oportunidade de se qualificarem para o mercado de trabalho

Diminuindo as diferenças no Espírito Santo Parceria entre a unidade capixaba da Junior Achievement e a Apae gera oportunidades para pessoas portadoras de deficiência á sete anos, a Junior Achievement H Espírito Santo e a Apae – Associação de Pais e Amigos dos Excep-

Para Desirée Pesca, responsável pelo Programa Miniempresa na unidade e Coordenadora do Programa de Oriencionais, do município de Cariacica, têm tação para Vida e Trabalho da Apae – desenvolvido uma parceria de sucesso. Cariacica, em 2006, o projeto parecia Por meio do Programa Miniempresa, ser muito complexo em relação à defimuitos alunos estão ampliando suas ciência intelectual dos pacientes da ashabilidades empreendedoras e sendo sociação. “Mas não poderíamos desistir. preparados para o mercado de trabalho. Hoje, o Programa é a base para qualiAlém de promover a inserção dos estu- ficação e encaminhamento dos alunos dantes no mundo dos negócios, o pro- para o mercado de trabalho, trazendo jeto contribui para a inclusão social dos autonomia, capacitação e responsabiportadores de necessidades especiais. lidade para os nossos estudantes com Os resultados obtidos durante a tra- deficiência intelectual, tornando-os cijetória de aplicação do Programa têm dadãos de direitos e deveres”, afirma. sido bastante satisfatórios. Ao termina- Dos alunos que participaram do projerem sua participação no Miniempresa, to, e que conseguiram conquistar uma os alunos são direcionados à qualifi- vaga de emprego, todos permanecem cação profissional e, posteriormente, a empregados e desenvolvem suas ativiprocessos seletivos em empresas. O dades sem nenhuma dificuldade. Como conhecimento recebido durante a ex- no caso da Yara Alimentos, que receperiência como achievers faz toda a beu, por indicação da Apae, 12 funciodiferença nestas horas, abrindo muitas nários com deficiências intelectuais, portas para quem está em busca de sendo 11 ex-participantes do Programa emprego. Miniempresa. Segundo a Coordenado-

52

“Participar do Programa Miniempresa foi maravilhoso, me ajudou a conseguir este trabalho e estou muito feliz. Meu comportamento melhorou, fiquei mais tranquilo, ouço direitinho o que me pedem e depois faço da melhor maneira.” Diogo Souza Silva – Participante do projeto em 2007 “Faz dois anos que trabalho na Yara Alimentos e agora estou no setor de arquivos. Posso dizer que o Miniempresa me orientou para esta atividade, pois lá fazíamos as coisas bem organizadas, aos poucos, até chegar ao final.” Fabiana Primo da Silva – Participante do projeto em 2009

Resultados 2011 Alunos: 15.599 Voluntários: 888 Escolas: 65


Amazonas

Nexa abre novos horizontes para jovens amazonenses Dando continuidade à trajetória iniciada com os programas da Junior Achievement, jovens do Nexa descobrem um novo mundo de oportunidades e experiências odos os anos, os programas da T Junior Achievement Amazonas transformam a vida de milhares de

sociais e ambientais da sociedade”, complementa. Segundo o estudante Jorge Michel, o estudantes do Estado. Mesmo após Nexa é uma excelente oportunidade de o término das atividades em sala de conhecer pessoas e fazer contatos proaula, o vínculo formado entre a Junior fissionais. “Vivenciei experiências e situAchievement e seus alunos não ter- ações que, até então, eu não sabia que mina, pois, com o Nexa, – Núcleo de aconteciam e, com tudo que aprendi, sei Ex-Achievers, eles têm a oportunidade que há ainda mais a aprender se quiser de continuarem ligados aos trabalhos da me tornar um bom profissional no merunidade. Esta participação contribui mui- cado de trabalho”, afirma. Durante a sua to para o desenvolvimento dos jovens, participação no Núcleo, Jorge organizou que vivenciam experiências únicas. eventos, visitou empresas e também atuou Para a ex-achiever Franciney Costa Al- como staff na Formatura de Miniempresas meida, o Nexa é importante para mos- da Junior Achievement Amazonas. trar aos jovens o trabalho em grupo. “A “Quando ingressei no Nexa, fiquei fasciexperiência também me trouxe certo nada ao imaginar o quanto poderia fazer pensamento crítico sobre os problemas por pessoas que buscavam um sentido

para suas vidas e foi por meio do Programa Miniempresa que percebi como posso influenciar pessoas para o bem”, relata a ex-achiever Rosevane Oliveira. Assim como Rosevane, Thaís Maia também recebeu muitos aprendizados importantes ao longo de sua participação no Nexa. “O Núcleo contribuiu muito para o meu desenvolvimento, pois trouxe desafios que pareciam ser impossíveis, mas que consegui superar. Dentro do Núcleo, conheci amigos que, hoje, são minha segunda família. Aprendi que a palavra responsabilidade é fundamental, assim como dizer sim às oportunidades que me aparecem, a expressar minhas ideias e criar trabalhos preocupando-me sempre com o meio ambiente e com a conscientização da sociedade”, conta, com alegria, Thaís. Um dia, estes ex-achievers poderão passar tudo que aprenderam nesta jornada a outros jovens, dando continuidade a uma importante trajetória de sucesso que iniciou com a Junior Achievement.

Resultados 2011 Alunos: 8.288 Voluntários: 81 Escolas: 36

Equipe do Núcleo de Ex-Achievers do Amazonas reunida

53


Paraná

Top de Marketing no Paraná incentiva estudantes A premiação, criada em 2005, estimula a criatividade e empenho de miniempresários Top de Marketing da Junior Achievement O Paraná foi criado em 2005, por Renato Faria, chefe de marketing da

A cada nova edição, os achievers se superam e conseguem surpreender, com seus cases e postura, tanto a Bosch e um dos voluntários da unidade equipe da Junior Achievement, quanparanaense. A iniciativa tem o intuito de to os jurados. Por esse motivo, muitos estimular as estratégias de marketing dos participantes chegam até a reinovadoras e de comprovada eficácia ceber convites dos próprios julgadono Programa Miniempresa. O prêmio res para trabalho ou estágio. Durante reconhece a valorização das ações de- os últimos anos, o Top de Marketing senvolvidas não só para a divulgação conseguiu fazer com que seus particida marca, mas também para o apoio pantes se aprimorassem em diversos às vendas, à criatividade, a cases de aspectos de suas vidas, como postura, sucesso e à sustentabilidade. A JAPR oratória e lidar com o nervosismo. Liinstituiu o Top de Marketing em seu ca- ções aprendidas desde cedo e que falendário e, atualmente, esta é uma das rão muita diferença no futuro daqueles premiações mais esperadas na forma- que tiveram a coragem de representar tura de várias regionais. sua miniempresa.

Mapa de atuação das regionais da Junior Achievement Paraná

Organização dos jovens que passaram pelo Programa Miniempresa Uma das principais conquistas da Junior Achievement Paraná foi realizar, nos últimos quatro anos, um trabalho de forma continuada com as coordenações regionais. Elas levam os projetos da Junior Achievement a dezenas de cidades do Estado, como Apucarana, Bandeirantes, Cascavel, Foz do Iguaçu, Londrina, entre outras. Esta possibilidade é resultado de uma parceria de sucesso com o Sesi-PR – Serviço Social da Indústria. É graças ao apoio direto de empresas que enxergam longe que muitos estudantes conseguem ter acesso aos programas da Junior Achievement, como o Miniempresa. A adesão de empresas locais como mantenedoras da JAPR é imprescindível para dar início a projetos de expansão. Ao fornecer suporte ao Programa, as empresas não só ajudam através de recursos financeiros, como também por meio do envolvimento de seus colaboradores como voluntários. Uma das melhores consequências da realização do Miniempresa é o fortalecimento do Nexa - Núcleo de Ex-Achievers. O Nexa promove atividades como visitas a empresas, participação em fóruns estaduais, nacionais e internacionais, e a organização de eventos, como o Nexação, entre outros. O Paraná conta com quatro Núcleos, que estão cada vez mais interagindo e participando das atividades propostas pelo Nexa Nacional.

Resultados 2011 Alunos: 100.057 Voluntários: 1.231 Escolas: 660

54


Goiás Rodney Guardia, Sócio-Diretor da Mapah e Vice-Presidente do Conselho Diretor da Junior Achievement Goiás, afirma que o principal objetivo da miniempresa é você ser o empreendedor da sua própria carreira. “Eu mesmo não tive essa chance. Penso que se tivesse tido, conseguiria ter trilhado meu caminho de uma forma menos tortuosa e chegado aos meus objetivos de uma maneira mais tranquila. Essa é uma vantagem competitiva que o Yuri teve”, explica Guardia.

Yuri Nascimento (à direita) e o Conselheiro da JAGO, Rodney Leandro Guardia

Jovem de Goiás é exemplo de determinação Com bom desempenho, persistência e dedicação é possível alcançar o sucesso profissional

E

m 2006, através do Programa Miniempresa, o jovem Yuri Nascimento teve seu primeiro contato com a Junior Achievement Goiás. Na época, o rapaz cursava o 2º ano do Ensino Médio no Colégio Classe, em Goiânia. Durante o Programa, a miniempresa da qual Yuri foi o Diretor produziu potes de vidros enfeitados com biscuit. “O Programa é ótimo, ele te dá uma visão ampla de como é uma empresa e das estratégias que devemos tomar para não termos prejuízos”, afirma. Como fruto de dedicação e de um olhar empreendedor aguçado, o jovem e seu grupo conquistaram dois prêmios na Feira de Miniempresas, vencendo nas categorias maior faturamento e maior rentabilidade. Para ele, participar do Programa foi um grande aprendizado, pois lhe oportunizou conhecer o mercado empreendedor, que antes desconhecia. Além disso, Yuri foi convidado a participar de outro programa da

Junior Achievement, o Empresário-Sombra Por Um Dia. Por meio desta oportunidade, o jovem pôde conhecer melhor o trabalho desenvolvido pela empresa Mapah, que atua na área de prestação de serviços jurídicos, auditoria, consultoria, contabilidade e controladoria – segmento no qual Yuri já demonstrava interesse. “Eu pensava em prestar vestibular para Ciências Contábeis. Tinha a ideia de ser auditor público, prestar um concurso”, conta. Com a participação no EmpresárioSombra Por Um Dia o rapaz confirmou sua vocação. “Foi uma das lições que a miniempresa me ensinou: traçar metas e objetivos para poder conquistar. Um de meus objetivos era entrar numa empresa de auditoria”, relata. E foi o que aconteceu. Em 2009, Yuri conseguiu ser contratado como trainee da Mapah, empresa na qual, hoje, exerce a função de semiencarregado.

JAGO traz voluntários intercambistas para aplicação de programa A Junior Achievement Goiás firmou parceria com a Aiesec Goiânia para aplicação do Programa Nosso Mundo, com a participação de voluntários intercambistas da Alemanha, Argentina e Peru. Essa parceria é inédita no Brasil e tem como objetivo oferecer aos alunos uma visão mais ampla do mundo e um pouco de como funcionam as relações entre países que geram o comércio internacional.

Resultados 2011 Alunos: 13.845 Voluntários: 741 Escolas: 82

55


Pernambuco

Voluntários transformam histórias de vida em Pernambuco Em sua trajetória, a Junior Achievement Pernambuco, com o apoio de voluntários, conseguiu mudar a história de milhares de jovens Ao ser voluntário de um programa da Junior Achievement, um profissional compartilha seu tempo, paciência, conhecimento e carinho. Em troca, muito também é recebido. Três voluntários da Junior Achievement Pernambuco contaram para a revista Fazendo a Diferença sobre suas experiências na aplicação dos programas que têm transformado a vida de milhares de jovens no Estado. A história de Ana Cristina Azevedo, arquiteta especializada em gestão de projetos, com a Junior Achievement teve início em 2006, assim que ela começou a trabalhar na Hebron. “A minha empresa sempre se preocupou em apresentar a Junior Achievement e recrutar voluntários para os programas. Fui incentivada a participar por um colega que, na época, também era voluntário. Até hoje agradeço a ele por ter me convencido a participar”, relata. Ana aplica há cinco anos o Programa Miniempresa. “Conheci jovens incríveis, com histórias de vidas mais incríveis ainda. Só quem participa e se entrega pode viver as emoções que o projeto oferece. Aprendi muito mais do que ensinei”, garante. Para ela, participar da aplicação dos programas a fez evoluir como pessoa. “Fiz a diferença na vida de, no mínimo, 100 jovens e eles fizeram toda a diferença na minha”, declara. Gustavo Simoni, colaborador da Hemobrás, conheceu a Junior Achievement em 2005, quando participou pela primeira vez

do Programa Miniempresa. Ele afirma que muitos talentos podem ser descobertos por meio dos programas. “O jovem de hoje é uma pedra preciosa que falta lapidação. A cada ano me surpreendo com a capacidade deles para criar novos produtos e inovar, encontrando soluções para os problemas com espírito de equipe e profissionalismo”, diz. O colaborador do Banco Santander, Wellington Passos, teve seu primeiro contato com a Junior Achivement após ter sido convidado pelo Executivo do Banco na região, Carlo Mantovani, para conhecer o projeto. Wellington, juntamente com outros colegas, foi apresentado a Associação por Rosane Schereschewsky, Diretora Executiva da Junior Achievement no Estado. “Fiquei encantado com o Programa Miniempresa e fechamos naquele momento duas turmas de advisers”, relembra. Desde então, ele foi adviser por três anos consecutivos e, na última assembléia do Conselho da Junior Achievement, foi eleito Conselheiro Fiscal para o biênio 2011/2012. “Aprendi que tempo é uma questão de prioridade e apesar do dia a dia corrido que minha atividade profissional impõe, não poderia deixar de dedicar um pouco do meu tempo para fazer algo novo que possa fazer a diferença para a vida de alguém. Voluntariado para mim é isso, é nisso que acredito e é isso que me faz bem”, conclui.

Os benefícios de ser achiever A experiência de participar dos programas da Junior Achievement é uma grande oportunidade para aqueles que estão começando a pensar no mercado de trabalho. Para Jully Neves, 18 anos, as lições mais valiosas que pôde tirar do Programa Miniempresa, do qual participou em 2009, foram aprender a trabalhar em grupo e a valorizar princípios como ética e empreendedorismo. “A Junior Achievement foi decisiva na escolha do meu curso superior. Meu desejo em fazer Administração de Empresas era grande, porém minha escolha final foi tomada durante o Programa Miniempresa”, conta a ex-achiever, que hoje cursa Administração de Empresas na Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco. A ex-achiever, Izabella da Silva, 19 anos, também conheceu a Junior Achievement através do Miniempresa. A identificação com o trabalho foi tanta, que hoje Izabella trabalha na unidade de Pernambuco, auxiliando a gestão de projetos e o Nexa. “Eu considero a presença da Junior Achievement na minha vida como um divisor de águas. Consegui desenvolver meu modo de agir de uma forma que a escola não tinha conseguido. No lugar da timidez colocou-se a proatividade, e, desde então, modifiquei minha forma de agir. Passei a acreditar nos sonhos que eu tinha, e, principalmente, passei a acreditar em mim. Descobri que a condição financeira e social não podiam ser obstáculos na minha vida”, relata a estudante de Administração pela Universidade de Pernambuco.

Resultados 2011 • Alunos: 7.177 • Voluntários: 481 • Escolas: 71 Ana Cristina, voluntários e achievers da Gincana de Miniempresas da JAPE

56


Minas Gerais

No próprio atelier, o jovem designer posa junto as suas criações

Jovem de Minas Gerais monta o seu próprio negócio Com os ensinamentos da Junior Achievement, Táiguel Barreiros Rievers abriu o seu atelier esde a adolescência, o sonho do D jovem Táiguel era ter sua própria empresa. Aos 12 anos, ele deu início à carreira de designer de acessórios, aprendendo com uma vizinha alguns truques básicos sobre a produção de bijuterias. No entanto, apesar do empenho para ver seu trabalho prosperar, faltava ao menino empreendedor conhecimentos sobre o mundo dos negócios. No princípio, Táiguel se dedicava a produzir peças mais simples, pois acreditava que vendendo seus acessórios a preços baixos conseguiria mais vendas e, consequentemente, maior lucro. Com o tempo, o rapaz começou a enfrentar grande resistência do mercado, devido à simplicidade de suas bijuterias. Como tentativa de reverter a situação, ele resolveu mudar a matéria-prima, qualidade e preço de seus produtos. No

entanto, a iniciativa não teve um bom resultado, e Táiguel passou a ter muito prejuízo, uma vez que vendia suas peças a prazo. A situação começou a mudar quando, em 2010, o jovem teve a oportunidade de participar do Programa Miniempresa, realizado pela Junior Achievement Minas Gerais. Sobre a experiência, o ex-achiever afirma que não foi fácil. “Definindo o Programa em uma palavra, para mim, seria superação. Enfrentei muitas dificuldades ao trabalhar em equipe. Os outros achievers, por não terem a experiência que eu tinha, eram mais lentos para fabricar as bijuterias. Minha vontade era fazer tudo sozinho, mas tive que aprender a trabalhar em equipe”, conta. Hoje, ele aplica os conceitos adquiridos no Programa e afirma que sua participação no Miniempresa lhe trouxe

segurança e conhecimento de mercado. Além disso, o Programa também foi decisivo para a escolha profissional do rapaz, que busca ser um bem-sucedido empresário na área da moda. “Aprendi muito com o Programa, principalmente a trabalhar em equipe e ser mais paciente no ambiente de trabalho. Ganhei experiência prática e teórica para administrar meu próprio negócio e pude ter a certeza de que estou no caminho certo para minha realização profissional”, relata o jovem empresário, que, hoje, tem 18 anos. Após a participação no Programa Miniempresa, Táiguel integrou-se ao Nexa - Núcleo de Ex-Achievers. No Núcleo, teve a oportunidade de participar dos eventos da Junior Achievement Minas Gerais e atuar como adviser junior em uma das turmas de Miniempresa em Belo Horizonte, consolidando todo o conhecimento que adquiriu durante sua participação no Programa. Atualmente, o jovem designer tem seu próprio atelier, em um bairro da Zona Sul de Belo Horizonte. Lá, ele vende os acessórios e as semi-jóias que produz para grifes renomadas no mercado da moda. “Tenho planos para expandir meu mercado e diversificar meus produtos”, finaliza o determinado jovem, que conseguiu realizar o sonho de ser empresário.

Resultados 2011 Alunos: 14.124 Voluntários: 764 Escolas: 159

57


Piauí

Findinexa Brasil completa quatro anos de sucesso O evento, que teve sua 1… edição em 2009, é referência em desenvolver o empreendedorismo entre os jovens Entre os dias 10 e 15 de outubro de 2011 aconteceu, em Luís Correia, no Piauí, a 3ª edição do Findinexa Brasil, evento internacional voltado a jovens empreendedores. Ao todo, 140 jovens de 10 Estados brasileiros e de mais cinco países participaram de workshops, palestras, debates e atividades voltadas ao desenvolvimento do espírito empreendedor. “Começamos com um sonho de ter um evento através do qual pode-

ríamos colocar em prática toda a teoria e as práticas aprendidas nos programas da Junior Achievement e, dessa forma, nasceu o Findinexa Brasil”, explica Letício Dantas, Diretor-Geral do evento. A vontade indescritível de aprender é o que move os participantes. Durante todo o evento, além de absorver conhecimento, os jovens compartilharam experiências pessoais e profissionais com impor-

tantes nomes do empreendedorismo. “Os valores adquiridos, a troca de cultura e a cumplicidade com outros participantes são incríveis”, relata Yuri Ribeiro participante do Findinexa. Para 2012, o tema do Findinexa Brasil é “O sonho que te move” e as metas são ambiciosas: o evento tem como objetivo reunir mais de 250 jovens empreendedores no Piauí.

Miniempresários do Piauí mostram criatividade e espírito empreendedor Presente no Piauí desde 2003, a Junior Achievement vem desenvolvendo um trabalho de aprimoramento pessoal e profissional de jovens estudantes no Estado. Um exemplo disso é a aplicação do Programa Miniempresa, que proporciona a estudantes do 2º ano do Ensino Médio a experiência prática em economia e negócios. Como exemplo do sucesso do Programa no Estado, pode-se destacar a miniempresa Focus Light S.A./E, que desenvolveu seu produto de forma criativa e inovadora, utilizando artigos reciclados para criar belas luminárias. A miniempresa participou da 9ª Feira de Miniempresas, ocorrida na Praça de Eventos do Teresina Shopping, e conquistou os títulos de “Empresa Inovação”, 58

Miniempresa Focus Light conquistou a atenção do público

“Produto Destaque” e de segundo melhor empreendedor. E são as premiações que os motivam a conquistar novos objetivos e planejar novas ações. “Amigos foram feitos e lições foram aprendidas. É com muita satisfação, que, hoje, eu posso dizer que faço parte de uma nova geração de empreendedores”, conta Matheus Godinho, Diretor de Produção.

Resultados 2011 • Alunos: 3.176 • Voluntários: 197 • Escolas: 45


Roraima

Junior Achievement Roraima forma jovem empreendedor Diogo Silva Santos divide seu tempo atuando como radialista, jornalista, produtor e voluntário da Junior Achievement ntender o papel da livre iniciatiE va foi a prioridade do ex-achiever Diogo Silva Santos, aos 16 anos. En-

também trabalha em programas de rádio e TV. “Meus amigos me chamam de Diogo Multimídia”, conta, aos risos. quanto muitos jovens aproveitavam o Mesmo com a agenda cheia, é voluntário tempo livre depois da aula, ele pensa- assíduo da Junior Achievement Roraima va na próxima ação de marketing para há quatro anos e já aplicou todos os proaumentar as vendas da Miniempresa gramas. Diogo também participa do NeMania Hot Dog S.A./E. Hoje, com 22 xa-RR desde 2008. “Todos os programas anos, o ex-achiever se divide entre as da Junior Achievement são essenciais responsabilidades de radialista, jorna- na qualificação dos alunos, mas tenho lista e produtor de projetos sociocul- preferência pelo Programa As Vantagens turais, além das ações voluntárias na de Permanecer na Escola, que mostra, Junior Achievement Roraima. desde cedo, que a educação é a base Diogo participou do Programa Miniem- do sucesso”. O acadêmico do 2º semespresa em 2005, quando teve suas pri- tre do curso de Sistemas de Informação meiras experiências na área de comu- produz, por hobby, spots publicitários em nicação, “divulgávamos nosso produto casa, mas planeja abrir sua própria prona rádio da escola, investimos tanto em dutora em dois anos. publicidade que resultou na demanda Exemplos como o de Diogo confirmam três vezes maior que a oferta”, comen- a importância da Junior Achievement ta. Atualmente, além de trabalhar na na formação de jovens empreendeprodução do Grupo Criart Teatral, um dores com consciência social. Seprojeto sociocultural voltado para crian- gundo o Presidente do Conselho Diças e adolescentes da periferia, Diogo retor da JARR, Luiz Coelho de Brito,

“a Junior Achievement tem sido, sem dúvida, um laboratório para formação de uma geração empreendedora, sendo a maior contribuinte de jovens com um caráter adaptado sobre os valores e princípios éticos”. E é qualificando jovens para serem profissionais éticos e preparados, que a Junior Achievement contribui para a sociedade brasileira. “Jamais um Estado ou País se desenvolve sem ter o seu povo qualificado. E a Junior Achievement tem realizado o seu papel no Estado de Roraima”, finaliza o Presidente do Conselho Consultivo da JARR, Alexandre Remor.

Resultados 2011 Alunos: 7.136 Voluntários: 142 Escolas: 28

59


Amapá

Nexa do Amapá incentiva a consciência ambiental

uma grande quantidade de garrafas pet e reciclá-las, de modo a serem transformadas em vassouras ecologicamente corretas. Ao mesmo tempo, a comunidade foi incentivada a se conscientizar sobre o tema e a comprar os produtos da oficina, disponíveis em supermercados e lojas de Macapá.

Unidos por uma sociedade melhor e ecologicamente mais saudável, jovens investem na divulgação da importância dos cuidados necessários para a preservação do meio ambiente

Parceria com o Senac capacita estudantes Ao se tratar de desenvolvimento profissional e pessoal, receber qualificação é uma grande oportunidade de crescimento. Ainda mais em áreas de grande relevância nos dias de hoje, como a informática. Por isso, em parceria com o Senac, 20 alunos, associados ao Nexa Amapá, receberam capacitação em informática empresarial, com utilização de planilhas de Excel, Word e Windows, no laboratório de informática do Senac, para a preparação profissional destes jovens para o mercado de trabalho.

e de renda. Atualmente, mais de um milhão de garrafas plásticas são despejadas no lixo, todo mês, em Macapá e apenas 15% chega às lixeiras públicas. Como forma de ajudar a melhorar esta situação e a contribuir com a sociedade, o Nexa-AP resolveu cooperar com o trabalho da Oficina de Fabricação Seguindo a trilha no km 09, zona leste de Macapá, o Nexa vivencia a de Vassouras, parte reutilização dos recursos naturais para a formação de adubos do projeto Reciclap, criado pela PromoResultados 2011 toria do Meio Ambiente de Macapá. á nove anos no Amapá, a A iniciativa contempla os Carapirás Junior Achievement já contriAlunos: 5.326 buiu para a qualificação de milhares (catadores de lixo) e os detentos e Voluntários: 266 de estudantes. Mas tão importante ex-detentos pertencentes a Asade – Escolas: 39 quanto estimular o desenvolvimento Associação de Amparo aos Detentos destes alunos, é acompanhá-los em e Ex-Detentos. Como forma de prepaseu processo de crescimento pro- ração, os participanfissional e pessoal. Por esse moti- tes do Nexa recebevo, a JAAP reconhece a importância ram capacitação no do Nexa – Núcleo de Ex-Achievers. Auditório do Sebrae, No Estado, estes jovens estão tra- com o Coordenador balhando a todo vapor em ativida- de Educação e Fordes de capacitação, trabalhos so- mação Ambiental da cioambientais e encaminhamento Secretaria de Meio Ambiente e visitaram para o mercado de trabalho. E foi pensando como jovens empre- empresas ecologicaendedores conscientes que o Nexa- mente corretas. -AP decidiu alertar a população ma- Os jovens também capaense sobre a poluição ambiental. realizaram uma senNa ação, os ex-achievers mostraram sibilização junto à os danos que o descarte inadequado população na Praça de garrafas pet pode causar à na- Floriano Peixoto, no Os alunos do Nexa, Juvandilson e Felipe, na separação e limpeza tureza, e que a reciclagem pode se Bairro Central. O obdas garrafas pet para iniciar os trabalhos de confecção de vassouras tornar uma fonte de inclusão social jetivo era arrecadar

H

60


Acre

o dos negócios de Estudantes do Acre aprendem sobre o mund forma lúdica e diver tida

Empresários e voluntários fazem a diferença no Acre Por meio da participação da comunidade empresarial e de voluntários engajados, a Junior Achievement Acre está transformando o futuro dos jovens no futuro do País é acreditar Içasnvestir que é possível desenvolver, em criane jovens, o espírito empreendedor. A Junior Achievement não só prepara os estudantes para o mercado de trabalho, como desenvolve a cidadania, disseminando valores como ética e sustentabilidade. Para os empresários do Acre, a Junior Achievement é uma iniciativa inovadora, que veio para transformar as comunidades, trazendo um novo tempo, de atitudes que fazem a diferença na educação e na própria cultura do Estado. A participação de empresas e organizações como Sebrae-AC, Uninorte, Araújo, Fiat Comauto e Ciga é essencial para o sucesso dos programas da unidade. Os empresários têm consciência da importância de

sua contribuição, pois se trata diretamente de um investimento no futuro da sociedade e de milhares de jovens. De acordo com a Executiva Luzia Maria Soares de Oliveira, no 1º semestre de 2011, três Programas foram aplicados no Estado: As Vantagens de Permanecer na Escola, em parceria com a Oi, Nosso Mundo e Economia Pessoal. Segundo os voluntários, os estudantes que participaram dos programas dizem estar mais preparados para o mercado de trabalho, sabendo da importância dos estudos, do valor da educação, do papel das trocas internacionais, dos benefícios e da complexidade do comércio global. “O trabalho continua com perseverança, dedicação e muita emoção, sempre acreditando no que fazemos”, complementa Luzia.

“Apesar de saber que seriam os alunos que aprenderiam a cuidar de seu próprio dinheiro, e conheceriam o comércio internacional, eu aprendi mais do que eles”, conta a voluntária Ana Leila da Silva Lopes. “Além de ter sido voluntária, pude também ser reconhecida e obter o certificado para incluir no meu currículo como um diferencial”, finaliza. DEPOIMENTO

“A oportunidade de falar da nossa experiência de não ter desistido da escola traz uma alegria muito grande e o desejo de que cada aluno que esteve conosco não desista também. Espero que cada criança que participou das nossas aulas tenha guardado as palavras no coração, pois, dessa forma, elas poderão sempre se lembrar da importância de não desistir da escola e comprovar, no futuro, que valeu muito a pena estudar.” Kátia Garbin – Diretora de Relações Institucionais da Oi e voluntária no Programa As Vantagens de Permanecer na Escola

Resultados 2011 Alunos: 888 Voluntários: 30 Escolas: 4

61


Maranhão

Descobrindo novos caminhos no Maranhão Familiares de ex-achievers atestam a revolução na vida dos filhos após programas da Junior Achievement articipar de um dos programas da P Junior Achievement é mais do que uma experiência positiva na vida de um estudante. É um processo transformador, que vai além do desenvolvimento de habilidades intelectuais e acadêmicas. O achiever passa por um aperfeiçoamento simultâneo de valores pessoais e profissionais. Nos últimos anos, a vida de muitos jovens maranhenses vem sendo mudada por meio da oportunidade de participar dos programas da JAMA, em especial, o Miniempresa. E quem pode comprovar a revolução de valores são aqueles que mais convivem com estes jovens: os familiares. As mães dos ex-alunos são as mais empolgadas com as conquistas dos filhos após a participação nos programas da Junior Achievement. Um exemplo disso é a arte-educadora Maria de Fátima Palmeira Moreira, mãe de Saulo Nunes, ex-aluno do Programa Miniempresa, atual Gestor Operacional da JAMA e associado do Nexa-MA. Maria de Fátima afirma que muitas mudanças ocorreram na vida do filho com a entrada na Junior Achievement. “Saulo ficou mais confiante para seguir em frente e superar suas metas; sem falar que cultiva, desde então, excelentes amizades com jovens igualmente idealistas e comprometidos em fazer a diferença na

Saulo com a mãe, Fátima. A JAMA despertou mais confiança e vontade de ajudar ao próximo

sociedade por meio do trabalho voluntário e de sua própria profissão”, conta. Outra mãe que reconhece uma grande evolução no filho, o ex-achiever Maurício Silva, é Benedita Costa da Silva. Em 2009, Maurício participou do Programa Miniempresa pelo IFMA – Instituto Federal do Maranhão. “Entre as muitas mudanças nele estão assumir mais responsabilidades, falar melhor em público e, uma das mais importantes, conciliar os fundamentos empreendedores com a criatividade, além de ajudar as outras pessoas com o trabalho voluntário”, afirma. A mãe do jovem também ressalta a potencialização de qualidades como a persistência e o aumento da rede de contatos do filho. “Se relacionar bem com as pessoas é a chave para o sucesso, tanto profissional como pessoal”, reflete Benedita. Segundo o próprio Maurício, participar do Nexa tem um sentido especial em sua vida, pois, além da oportunidade de desenvolvimento o núcleo funciona como uma segunda família.

Resultados 2011 Benedita e Maurício. Expandir a rede de contatos é um dos benefícios trazidos pela Junior Achievement

62

Alunos: 2.593 Voluntários: 92 Escolas: 16


Distrito Federal

Distrito Federal promove respeito às diferenças A unidade investe em material especial para portadores de deficiência e incentiva a inclusão social om base na nova proposta do C Ministério da Educação, em todo País, diversas escolas estão adotando a educação inclusiva. A medida busca incentivar a integração de estudantes deficientes em instituições de ensino comuns. Pensando nisso, a Junior Achievement Distrito Federal está dando um passo no caminho que procura diminuir as diferenças. Em busca da inclusão de jovens portadores de necessidades especiais em seus programas, a unidade tem elaborado materiais para atender estudantes deficientes. A iniciativa da JADF teve início após se identificar a exclusão de alunos com deficiência visual na aplicação de programas com materiais didáticos impressos à tinta que, até então, só tinham sido trabalhados junto a estudantes com visão normal. Partindo daí, verificou-se a possibilidade de envolver estes alunos especiais em projetos; sendo escolhido, para começar, o

Programa Nosso Planeta, Nossa Casa. Após a constatação de uma demanda inicial, foram impressos exemplares em braille do Programa e criados áudio-books para alunos totalmente cegos ou com visão subnormal. Algumas escolas de Brasília e do Gama já estão sendo atendidas, assim como a Associação de Amigos de Deficientes Visuais, que possui uma biblioteca especializada, além de livros em áudio. O Presidente da associação, José Bernardo da Silva, também deficiente visual, ao tomar em mãos um exemplar em braille do Programa, fez elogios à qualidade do material. “A impressão é ótima. Dá vontade de não parar de ler”, afirmou. Um dos parceiros do projeto é o Centro de Ensino Médio Setor Leste, responsável pela impressão, que possui, a título de comodato, uma impressora em braille, conquista do Rotary Club Centenário de Brasília. Os primeiros exemplares foram patrocinados pelo Instituto Sabin.

Ampliando este projeto de inclusão, a Junior Achievement Distrito Federal também identificou a necessidade de atender deficientes auditivos. Para isso, existem monitores que utilizam a linguagem em libras. O retorno da iniciativa tem sido ótimo, tanto que a instituição CEAL, que atende crianças, adolescentes e adultos, demonstra interesse na aplicação de todos os programas. Além dessa organização, escolas da rede pública têm alunos com deficiência auditiva, tanto no Ensino Fundamental, quanto no Médio. O projeto inclui o atendimento progressivo a esses estudantes, cidadãos que merecem conhecer os programas de empreendedorismo, meio ambiente e ética.

Resultados 2011

O Presidente da AADV, José Bernardo da Silva

Alunos: 15.807 Voluntários: 298 Escolas: 64

63


Paraíba

Confraternização do Programa Empresário-Sombra Por Um Dia

Jovens da Paraíba descobrem talentos em um dia Acompanhando o dia a dia de empresários, estudantes paraibanos descobrem vocação profissional acompanharam de perto a rotina de profissionais de diversas áreas, como arquitetura, hotelaria, administração, tamente isso o que está acontecendo comunicação e marketing. O objetivo com centenas de jovens em João Pes- deste projeto é oportunizar aos alunos soa, na Paraíba. Por meio do Progra- mais do que o contato direto com a rema Empresário-Sombra Por Um Dia, alidade de trabalho, é fazê-los conhecer da Junior Achievement, estudantes do um pouco da vida e trajetória profissioEnsino Médio de escolas públicas têm nal de alguns dos maiores empresários tido acesso a empresas trilhando este e executivos do Estado. caminho. “Foi a experiência mais incrí- Segundo a consultora de empresas em vel da minha vida”, diz Fabíola dos San- recursos humanos, Verônica Fagundes, tos Pereira, que acabou fazendo a sua escolha profissional depois de ter sido ‘sombra’ de um empresário da construção civil. “Percebi que engenharia era o que eu queria para a minha vida e nem sabia disso”, conta a estudante entusiasmada. A Junior Achievement Paraíba levou 100 jovens de escolas públicas de João Pessoa para dentro das empresas. Eles

er a chance de vivenciar por um dia T a realidade de quem está no tão sonhado mundo dos negócios. É exa-

64

o Empresário-Sombra Por Um Dia é uma chance única de garantir aos jovens escolhas mais seguras. “É profundamente injusto esperar que alguém de 16, 17 anos saiba o que vai fazer por toda a sua vida. O projeto ajuda a definir o perfil profissional desses estudantes”, diz Verônica. A consultora também afirma que a maioria das empresas está insatisfeita com os seus colaboradores. “Em parte, porque estes profissionais também estão insatisfeitos com a carreira que escolheram. Eles não tiveram como experimentar antes, o que acabou sendo a profissão deles”, explica. Para o Diretor-Presidente da Metal & Tal e Presidente do Conselho Consultivo da Junior Achievement Paraíba, Luciano Piquet, o Programa é também uma porta de entrada de muitos participantes para o mercado de trabalho. “Temos vários exemplos de ‘sombras’ que surpreenderam e acabaram contratados. O talento foi captado já nesta experiência e tenho certeza de que isto será decisivo para o futuro desses jovens”, destaca. Piquet ainda ressalta que a JA é a ponte que liga a escola ao mercado de trabalho, o presente ao futuro. “Com o EmpresárioSombra, os jovens são apresentados ao mercado por empresários e grandes executivos. É maravilhoso saber que a Junior Achievement existe e que faz isso pelos jovens”, finaliza.

Resultados 2011 Alunos: 2.125 Voluntários: 42 Escolas: 5


Alagoas

Parceria de sucesso em Alagoas contribui para a formação de jovens empreendedores Através da Junior Achievement e do voluntariado corporativo, estudantes descobrem as vantagens dos estudos para o futuro profissional

Parceria entre a Junior Achievement Alagoas e a Jaraguá Equipamentos Industriais do Nordeste leva aos jovens o Programa As Vantagens de Permanecer na Escola

a busca pelo desenvolvimento proN fissional e pessoal dos jovens alagoanos, a Junior Achievement do Estado

tem como aliada a Jaraguá Equipamentos Industriais do Nordeste. A empresa, que faz parte do Grupo Garcia-Jaraguá, atua há mais de 50 anos na área de bens de capital, contribuindo, ao longo de sua trajetória, para o crescimento e transformação da sociedade brasileira. Segundo o Gerente de Melhoria Contínua, Treinamento e Desenvolvimento da Jaraguá, Joel de Augusto, o tempo de considerar como investimento apenas a compra de equipamentos já passou. “Uma empresa se constroi com pessoas e precisamos investir no desenvolvimento delas”, afirma. O Gerente disse, ainda, que, hoje, a boa gestão de pessoal é um dos fundamentos básicos da filosofia da Jaraguá. Seguindo estes princípios, a empresa assinou parceria com a Junior Achievement Alagoas, pois compreende que inicia-

Parceria com a Escola Sesi A Junior Achievement Alagoas, junto com a Escola Sesi, promoveu a aplicação do Programa Nossos Recursos, que tem como objetivo realizar um empreendimento econômico que contemple a preservação dos recursos humanos, naturais e de capital. Dentro deste conceito, três turmas do 5º ano, num total de 92 alunos, puderam entrar em contato com temas como: reciclagem, recursos renováveis, recursos naturais e tantos outros assuntos que envolvem sustentabilidade. Foram dez semanas de muita criatividade e conhecimento, que proporcionaram às crianças uma visão mais clara sobre os problemas ambientais e o que pode ser feito para melhorar a saúde do Planeta. A Escola Sesi de Maceió é parceira da Junior Achievement Alagoas desde 2007, quando foram aplicados os Programas Introdução ao Mundo dos Negócios e Miniempresa.

tivas como as da Associação são de grande relevância para fazer a diferença na realidade de muitos estudantes. Os programas da unidade contribuem para transformar e inovar, sendo o ponto de partida para jovens com espírito empreendedor, que possuem vontade de vencer na vida. Como resultado da parceria com a Junior Achievement, voluntários da Jaraguá já aplicaram, na cidade de Marechal Deodoro, o Programa As Vantagens de Permanecer na Escola – que desafia o estudante a pensar em seu futuro de forma concreta e eficaz, nunca desistindo do ensino. “Sinto que estamos apenas no começo da caminhada, mas acredito que esta seja uma parceria que já deu certo”, finaliza Joel de Augusto.

Resultados 2011 Alunos: 5.680 Voluntários: 110 Escolas: 13

65


Ceará

Comemorando conquistas no Ceará Por meio da participação em programas da Junior Achievement, jovens se destacam e comemoram suas conquistas De acordo com Vinícius, o mais importante em sua trajetória como achiever e adviser foi a filosofia “arquiteto do ará, um destes exemplos gratificantes meu caminho” e “fazer a diferença”. é o jovem Vinícius Santos, de 20 anos. Para o jovem, elas podem ser aplicaDesde 2006, ele segue uma carreira de das tanto em âmbito pessoal quanto sucesso na unidade do Estado, tendo profissional. “A oportunidade me perparticipado do Programa Miniempresa, mitiu vivenciar experiências de negócomo achiever e adviser, e do Empresá- cio na prática, utilizando de uma merio-Sombra Por Um Dia. Quando ingres- todologia diferenciada, que estimula sou na Junior Achievement, Vinícius era o empreendedor que existe dentro de estudante do Colégio Farias Brito. Hoje, cada um”, afirma. cursa a faculdade de Administração de Outra história que merece destaque é a Empresas na Universidade Federal do do estudante de Eletrotécnica do IFCE Ceará, ocupando o cargo de Técnico de - Instituto Federal de Educação, Ciência Expedição na usina cearense da Ger- e Tecnologia do Ceará, Ygor de Oliveidau – empresa líder na produção de ra, de 18 anos. Premiado como Achiever aços longos nas Américas e uma das Destaque, o jovem participou da últimaiores fornecedoras de aços longos ma edição do Programa Miniempresa. A Kmizetas, empreendimento do qual especiais no mundo. fez parte, contou com o maior número de participantes – ao todo, 20 – e se destacou pela maior arrecadação de valores em tributos e em comercialização dos produtos. “A experiência me permitiu descobrir como funciona uma empresa. Isso foi muito importante para mim, pois, hoje, estou aplicando as técnicas na empresa da minha família, como, por exemplo, a forma de se administrar o dinheiro”, conta o estudante. Este é o trabalho da Junior Achievement, qualificar jovens empreendedores e abrir novos horizontes que os permitam crescer e se desenvolver não só como profissionais, mas como pessoas. “Ao estar presente pela primeira vez na Formatura do Programa Miniempresa, pude perceber o quão importante é esta instituição. Ela faz a diferença na vida dos estudantes brasileiros, ensinando-os não somente a sonhar, mas, principalmente, como transformar Para o empresário Igor Queiroz, a estes sonhos em realidade”, relata o Junior Achievement contribui para transformar membro do Conselho Consultivo da sonhos em realidade Junior Achievement Ceará, Igor Queiroz.

oder ver o crescimento e sucesso P de seus beneficiados é uma realização para a Junior Achievement. No Ce-

66

Vinícius desenvolveu seu espírito empreendedor e hoje trilha um caminho de sucesso

Resultados 2011 Alunos: 2.839 Voluntários: 126 Escolas: 12


Sergipe

Uma trajetória de sucesso em Sergipe Há sete anos no Estado, a Junior Achievement vem transformando vidas Junior Achievement Sergipe foi fundada em 10 de outubro de 2005, e, de lá pra cá, tem mudado a vida de alunos e voluntários sergipanos. Mesmo com sua trajetória recente no Estado, a unidade já possui um histórico de sucesso. Muitos dos que passaram por ela não só marcaram a história da JASE, como também são exemplos de pessoas que fizeram a diferença. A melhor recompensa para quem trabalha investindo no futuro dos jovens é vê-los atingindo o sucesso. Hugo Lobão foi o primeiro ex-achiever da Junior Achievement Sergipe a tornar-se empresário. Presidente de uma miniempresa em 2006, ele aproveitou todas as oportunidades e desafios proporcionados pela fabricação e comercialização de camisetas customizadas. Hoje, Hugo é estudante de arquitetura e dono de duas empresas: uma no ramo de decoração, que abriu em sociedade com a mãe, e outra de aluguel de materiais para eventos. Segundo ele, foram os ensinamentos da Junior Achievement que o incentivaram a aventurar-se no mundo dos negócios. “Na abertura da minha segunda empresa, aquele passo a passo inicial que aprendi no Programa Miniempresa tornou-se realidade. Além disso, quero registrar que a JASE, naquela época, me incentivou a ter muita respon-

A

Hugo Lobão (centro), o primeiro ex-achiever a tornar-se empresário, brinda ao sucesso

empreendedorismo como um hábito positivo. Tive a satisfação de conhecer sabilidade para garantir a credibilidade muitos jovens estudantes apresentando noções de economia, negócios e admiao cliente”, conta. Outro exemplo de sucesso é Paulo Hen- nistração. É uma honra fazer parte desrique Sarmento, colega de Hugo no Pro- ta família. Obrigado por existir!” grama Miniempresa. Sobre a experiên- Mas nada do que foi relatado anteriorcia, o ex-achiever e estudante de Direito mente teria acontecido se não fosse relata que o desafio lhe ensinou muito pelo espírito empreendedor e solidário sobre a importância da organização e de um homem: José Tomaz Vasconcelos planejamento no mundo dos negócios. (1946 – 2010), principal responsável pela Estagiário de advocacia, Paulo já traba- fundação da Junior Achievement no Eslhou com juízes e, hoje, sonha em mon- tado. Empresário de sucesso, ele reuniu tar seu próprio escritório. Para isso, o jo- amigos em um almoço tipicamente servem diz que utilizará os conhecimentos gipano e, ao final da refeição, já havia adquiridos com a Junior Achievement. conseguido os primeiros mantenedores “Percebo claramente a problemática da da JASE. Como Presidente do Conselho administração nesse ramo, pois se trata Consultivo, levou a bandeira da associade administrar uma empresa, tendo pre- ção para todos os cantos, acompanhou ocupações com todas as áreas, e não de perto todas as atividades, deixando somente com um setor. Sempre se pode seu exemplo em tudo o que fez. Até contratar um administrador, mas o dono pouco tempo, antes de seu falecimento, mesmo não sendo mais o Presidente, deve supervisionar tudo, afirma. Tão importante quanto os alunos que José mantinha um interesse vívido pela participam dos programas são aqueles Junior Achievement, da mesma forma que levam o conhecimento aos estudan- como vívida permanece sua presença tes. Diego da Costa foi o primeiro em- em todos os que tiveram a sorte de presário a inscrever-se como voluntário conhecê-lo. da unidade sergipana. O tempo passou, e Diego acompanhou tão de perto o traResultados 2011 balho que se tornou o atual Presidente do Conselho Diretor da JASE. Há mais Alunos: 780 de seis anos, a associação apresentou Voluntários: 24 para o setor empresarial o verdadeiro Escolas: 5 espírito voluntário. “Acredito muito no

José Tomaz (à direita de Jorge Gerdau), o responsável pela fundação da JASE

67


Tocantins

Estudantes do Tocantins participam de programas da Junior Achievement A parceria firmada entre a Junior Achievement e a Secretaria Estadual de Educação leva aos estudantes da rede pública conceitos como ética, empreendedorismo e liderança comunitária espertar o espírito empreendeD dor nos jovens, ainda na escola, e proporcionar uma visão clara do mundo dos negócios. Esse é o princi-

A Diretora Regional de Ensino, Maria Marlene Porto, acredita que a Junior Achievement prepara os jovens para enfrentar o mercado de trabalho

68

pal objetivo de uma parceria firmada entre a Junior Achievement Tocantins e a Secretaria Estadual da Educação. Em 2011, cerca de dois mil alunos da rede pública de ensino foram capacitados com o intuito de promover e estimular o empreendedorismo, sobretudo o protagonismo juvenil, que é uma das políticas públicas aplicadas pelo governo. “Já foi feito um mapeamento das escolas que serão atendidas pelo projeto. Foram contempladas unidades que oferecem Ensino Fundamental e Médio de toda a Capital”, explicou o Secretário da Educação do Tocantins, Danilo de Melo Souza. Os programas da Junior Achievement que estão em execução trabalham com as vantagens de permanecer na escola, a ética e a liderança comunitária, temáticas que atendem às políticas de promoção dos direitos dos adolescentes contemplados. “Este projeto é mais uma oportunidade que os nossos alunos têm de desenvolver a autoestima e o empreendedorismo. O estímulo desses dois exercícios permite que o estudante melhore a sua aprendizagem, tornando-o um cidadão mais flexível para os desafios da vida”, destaca a Subsecretária de Educação Básica, Marciane Machado.

Para Marciane Machado, Subsecretária de Educação Básica, os programas da Junior Achievement desenvolvem a autoestima e o empreendedorismo

Em 2011, técnicos da Seduc do Programa de Evasão Escolar e da Coordenação de Programas e Projetos de Ensino Médio, junto com a Diretoria Regional de Ensino de Palmas, foram capacitados para a aplicação dos programas nas salas de aula. Nas escolas, no contraturno das atividades, foram aplicadas as práticas destes programas, tarefas elaboradas e executadas pelos alunos com o acompanhamento de técnicos. “Estamos ansiosos para ver o resultado dessa metodologia, ver nossos alunos com espírito empreendedor e preparo adequado para enfrentar o mercado de trabalho, cada vez mais competitivo”, afirmou a Diretora Regional de Ensino, Maria Marlene Porto.

Resultados 2011 Alunos: 3.861 Voluntários: 104 Escolas: 17


Mato Grosso do Sul

Jovens vivenciam oportunidades de negócios no Mato Grosso do Sul Empresa baseada em programas da Junior Achievement é modelo de sucesso em escola de Campo Grande á cinco anos, a Junior Achievement H do Mato Grosso do Sul tem sido parceira da Escola de Educação Infantil e de Ensino Fundamental Gappe, em Campo Grande, oferecendo suporte à instituição e promovendo a aplicação de programas como Introdução ao Mundo dos Negócios e Nossos Recursos. O reflexo desta parceria entre a unidade e a escola foi visível durante o desenvolvimento do projeto Empresa Júnior, que recebeu apoio integral de pais, professores e alunos. A Empresa Júnior teve início há treze anos, a partir da necessidade de um professor de matemática do 6º ano da Gappe de ensinar números decimais aos seus alunos de uma manei-

ra criativa. Para atingir este objetivo, foi criado o projeto através do qual os alunos iriam simular uma empresa. Com o passar do tempo, a iniciativa foi ganhando espaço e noções de empreendedorismo começaram a ser abordadas. No entanto, a grande dificuldade dos professores era encontrar uma maneira criativa, simples e prática de envolver os alunos e favorecer a aprendizagem. E foi exatamente neste contexto que surgiu a parceria com a Junior Achievement. Por meio dos programas da unidade sul-mato-grossense, aplicados ao longo desses três anos, a Escola Gappe tem preparado seus alunos para o futuro. A Junior Achievement fomentou a ideia já

Aprendendo brincando: crianças se divertem e descobrem o mundo dos negócios

existente na instituição, mostrando um panorama claro do mundo dos negócios. Com esta parceria, muitos jovens têm sido levados a se tornarem empreendedores desde cedo. A iniciativa da escola é anual e movimenta os intervalos dos estudantes. A forte consciência ambiental que os alunos adquiriram após a aplicação dos programas da Junior Achievement também é destaque. “Estamos trabalhando com muito cuidado e respeito com o meio ambiente, e é por isso que decidimos utilizar materiais reciclados para fazermos alguns produtos”, afirma a aluna Sara Martins Xavier. Pa r a a G e r e n t e E xe c u t i va d a Junior Achievement Mato Grosso do Sul, Lucilene Couto, a educação financeira deveria ser uma disciplina pontual em todos os ambientes escolares, pois contribui para a formação de cidadãos críticos e responsáveis, que entendam o funcionamento e organização de uma empresa, assim como da sociedade. “A ideia do empreendedorismo sustentável deve começar desde cedo”, explica.

Resultados 2011 Alunos: 5.258 Voluntários: 158 Escolas: 29

Com o projeto Empresa Junior, os alunos colocam em prática os ensinamentos da Junior Achievement

69


Mato Grosso

Construindo sonhos no Mato Grosso Há sete anos no Estado, a Junior Achievement devolve esperança e capacidade de sonhar aos jovens estudantes que não tinham mais vontade de sonhar, de tanto ouvir dos próprios pais que sonhos não devem ser levados a sério. No entanto, graças à participação nos programas da Junior Achievement e o contato com profissionais com mais experiência, a capacidade de sonhar de muitos jovens foi devolvida. “Os voluntários doam, além do próprio tempo, experiência, amor e compreensão para Para o ex-achiever Alessandro, ser voluntário a formação destes jovens, incentivando é uma forma de retribuir o que a o resgate dos sonhos de cada um”, exJunior Achievement lhe proporcionou plica o Presidente do Conselho Consultivo, Marco Aurelio Hollatz. m 2012, a Junior Achievement Mato Um dos destaques do Programa MiGrosso, juntamente com as em- niempresa é o ex-achiever Alessandro presas mantenedoras, comemora sete Gardin que, em 2006, aos 16 anos, anos de existência e os mais de sete participou do projeto. Para ele, a pasmil alunos atendidos no Estado. E como sagem pela Junior Achievement foi tão “presente” pelo importante trabalho de impactante que, em 2010, já graduado estímulo ao empreendedorismo jovem, em Recursos Humanos, retornou para sua área de atuação foi ampliada, atuar como voluntário. O ex-achieabrangendo, também, a Capital do Es- ver – e hoje adviser – afirma que tado, Cuiabá. a oportunidade é uma honra, sendo Ao longo de sua trajetória, a unidade também uma forma de retribuir um sempre valorizou o papel dos volun- pouco tudo que a Junior Achievement tários, considerando-os heróis, pois, proporcionou e vem proporcionando sem eles, colocar os projetos em prá- em sua vida. “Sou muito grato pelas tica seria impossível. “Eles deixam o duas oportunidades que tive: como conforto de sua família para orientar achiever e como adviser”, conclui jovens que, em alguns casos, neces- Alessandro. sitam lutar pelos resultados da própria vida e não só da Miniempresa. Não há legado mais importante para o Brasil do que a educação, e nossos voluntáResultados 2011 rios fazem parte desse processo”, afirma o Presidente do Conselho Diretor, Alunos: 2.017 Renato Del Cistia. Voluntários: 163 Depoimentos comprovam que o apoio Escolas: 20 dá resultados: muitos alunos afirmam

E

70


Pará

Nexa Pará promove ações no Estado e cria Nexa Itinerante Além do envolvimento em atividades como aplicação de programas, organização e participação em eventos, o Núcleo de Ex-Achievers paraenses vai mais longe, levando os ensinamentos da Junior Achievement ao nordeste do Estado por meio do Nexa Itinerante

Para Janayna, fazer parte do Nexa é viver novas experiências a cada dia

esde a sua criação, o Nexa Pará- Núcleo D de Ex-Achievers atua nas aplicações dos programas da Junior Achievement e na participação em feiras e eventos. “Fazer parte do Nexa é adquirir experiência a cada dia e estar em contato com o compromisso da transformação social”, afirma Janayna Galvão, estudante de Engenharia de Pesca e Serviço Social e ex-achiever no Pará. O Nexa Pará também participou ativamente da 4ª fase do Projeto Sustentabilidade, promovido pela

Junior Achievement Brasil em parceria com Gerdau, Oi e Santander. O objetivo desta fase do projeto foi aproveitar o espírito de liderança dos jovens que já passaram pelos programas da Junior Achievement, e transformá-los em multiplicadores do tema sustentabilidade. Para tratar deste importante tema junto aos jovens, foi realizado um concurso entre todos os núcleos de ex-achievers do País, do qual a unidade paraense foi campeã com o projeto Plantando Sonho e Colhendo Qualidade de Vida, que consistiu na criação de uma horta comunitária. O Núcleo também criou o Nexa Itinerante, promovido na região nordeste do Estado. Por meio dele, 241 alunos da localidade de Sirituba, interior de Bacarena, e 1.419 alunos da Escola Estadual Presidente Kennedy tiveram acesso aos programas da Junior Achievement. “Com o Nexa Itinerante, temos a oportunidade de conhecer a realidade social de algumas comunidades tradicionais de nossa região, além de compreender seus costumes, contribuindo com a educação de muitos jovens ribeirinhos e realizando um intercâmbio cultural”, finaliza Janayna, com satisfação.

PARCERIA

Parceria leva empresários para as salas de aula A Junior Achievement Pará vem desenvolvendo um importante trabalho no município de Abaetetuba. Tendo a ACA – Associação Comercial de Abaetetuba como mantenedora, a unidade já aplicou diversos programas em instituições de ensino da cidade. Os voluntários são empresários locais, que reservam parte de seu tempo para compartilhar experiências com alunos da rede pública e privada. Maria de Jesus, da empresa Mariarte, é a Diretora Coordenadora do programa e, segundo ela “a educação é capaz de transformar os jovens, pelo espírito do empreendedorismo, tornando-os capazes de serem responsáveis pelo próprio futuro”.

Resultados 2011 Alunos: 9.340 Voluntários: 288 Escolas: 23

71


Rondônia

Alunos de Rondônia aprendem sobre sustentabilidade Através do Programa Nosso Planeta, Nossa Casa estudantes descobrem como contribuir para a preservação do meio ambiente e a ter atitudes de consumo sustentável

tes, por torná-los cidadãos mais conscientes, como também para o futuro da sociedade e do Planeta. “Tenho certeza que hoje foi plantada uma sementinha nos alunos, pois se trata de uma aprendizagem significativa, que traz esperança. Esperamos que eles pratiquem o que foi aprendido”, conclui a professora do Colégio Objetivo, Larrubia Alves. DEPOIMENTOS

“Precisamos cuidar do nosso Planeta, reciclar, economizar energia e água, respeitar a todos, comprar com consciência, gerar menos lixo e nos preocuparmos com o nosso Planeta.” Julia – Aluna do 4º ano do Colégio Objetivo “Aprendi que nós precisamos preservar o meio ambiente e temos que respeitar a todos, economizar água e energia, e reciclar o que pudermos para preservar o meio ambiente.” Naiara – Aluna do 4º ano do Colégio Objetivo

Alunos do Colégio Objetivo em aplicação do Programa Nosso Planeta, Nossa Casa

uscando disseminar a filosofia e B as práticas da sustentabilidade, a Junior Achievement desenvolveu o Pro-

“Eu entendi por que é importante economizar água e eletricidade, ter criatividade para reutilizar materiais e colaborar com as pessoas.” Giovana – Aluna do 4º ano do Colégio Objetivo

os alunos já se engajaram na causa. “Foi uma experiência fantástica. Tivemos a oportunidade de perceber o envolvimenResultados 2011 grama Nosso Planeta, Nossa Casa. O ob- to das crianças em lutar por um mundo jetivo é conscientizar os jovens de todo o melhor, sem poluição e desmatamento, e Alunos: 678 País sobre a importância da preservação com coleta seletiva”, relata. Voluntários: 12 do Planeta Terra e transformá-los em ver- Programas como o Nosso Planeta, Escolas: 6 dadeiros multiplicadores da cultura do uso Nossa Casa não só contribuem para o sustentável dos recursos naturais. desenvolvimento pessoal dos estudanA Junior Achievement Rondônia, com o apoio de voluntários da Gerdau, levou o Voluntários da Gerdau ensinando a importância de um mundo sustentável Programa aos alunos do Colégio Objetivo, ensinando que empreendedorismo e consciência ecológica não são valores opostos, mas sim complementares. De acordo com o voluntário Ananias Pimentel, a experiência de mostrar aos jovens a importância do desenvolvimento sustentável foi algo muito gratificante. “Acredito que ações voluntárias, como a que realizamos nesta parceria entre a Junior Achievement e a Gerdau, podem mudar conceitos, pessoas e o mundo!”. José Gomes da Silva, também colaborador da Gerdau e voluntário, afirma que 72


Rio Grande do Norte

Criatividade e liderança no Rio Grande do Norte Com os ensinamentos da Junior Achievement, o jovem Eduardo ¸caro monta negócio de sucesso Ele participou da Miniempresa Eco Act S.A./E, que produziu camisetas estampadas. “No Programa, aprendi como se organiza uma empresa, como gerenciar o trabalho em grupo e descobri habilidades que não sabia que tinha, como com trabalhos manuais. Além disso, foi mostrado pelos voluntários que, em uma empresa, sempre deve existir um líder para guiar o grupo. Na minha miniempresa, apesar de ocupar o cargo de funcionário, também desempenhei o papel de líder e consegui fazer a diferença”, relata. A ideia de trabalhar com um nicho do mercado não tão explorado, como o do Além de ser um jovem empresário, universo cosplay, veio da sugestão de Eduardo continua atuando ativamente um amigo, Vinícius, hoje sócio de Eduna Junior Achievement ardo. “Até então, eu não sabia o que era um cosmaker (quem fabrica as fantasias), eterminação, criatividade, espírito mas perguntei ao Vinícius, que me expliempreendedor e a experiência ad- cou do que se tratava. Quando aceitei quirida com a participação no Programa participar da sociedade, levei comigo o Miniempresa. Esses são os elementos plano de negócios da empresa praticaque proporcionaram ao jovem Eduardo mente pronto, pois percebi o potencial da Ícaro a oportunidade de ter sua própria oportunidade”, conta. empresa: a Shten Cosplay, que confeccio- A relação de Eduardo Ícaro com a na roupas e acessórios para Cosplayers Junior Achievement não terminou com o (pessoas fãs, em geral, de quadrinhos, Programa Miniempresa. O jovem também games e desenhos animados japoneses, participou de outros programas da Assoque se caracterizam como os persona- ciação, como o Mese, Nosso Mundo, Empresa em Ação e Empresário-Sombra Por gens destes segmentos). O co n t a t o d e E du a rdo co m a Um Dia. Além disto, Eduardo é Gerente Junior Achievement deu-se em 2008, de RH do Nexa Rio Grande do Norte, e quando o rapaz cursava o 2º ano do En- foi voluntário na aplicação do Programa sino Médio no Colégio Contemporâneo. Introdução ao Mundo dos Negócios.

D

A fantasia do personagem Darth Vader, de Star Wars, ganhou uma versão para bebês com a Shten Cosplay

Hoje, o rapaz cursa Direito na Universidade Estácio de Sá e sonha em alçar novos voos, como investir na área do Direito Empresarial e diversificar o ramo de atuação da Shten Cosplay. Sobre a relação entre a vocação dos jovens e os ensinamentos da Junior Achievement, Eduardo é enfático: “não importa a área profissional na qual os achievers queiram atuar, pois estes jovens estão participando de programas que vão desenvolver e aprimorar habilidades que serão úteis para toda a vida”.

Resultados 2011 Alunos: 5.499 Voluntários: 152 Escolas: 32

A semelhança entre o produto e os personagens mostra a qualidade e seriedade do trabalho desenvolvido pelo ex-achiever

73


PROJETO ESPECIAL

Pan American School incentiva o empreendedorismo entre crianças e jovens Através da parceria com a Junior Achievement Brasil, crianças e jovens aprendem sobre o mundo dos negócios de maneira lúdica e divertida Pan American School, escola inA ternacional que segue o currículo americano e tem a língua inglesa como idioma oficial, desenvolve, pelo terceiro ano consecutivo, uma parceria de su-

cesso com a Junior Achievement Brasil para levar temas relevantes sobre o mundo dos negócios para crianças e jovens em idade escolar. No primeiro semestre de 2012, foram

beneficiados alunos do Ensino Médio com a aplicação do Programa Sucess Skills (Habilidades para o Sucesso) e ainda alunos do Ensino Fundamental com os Programas Our Nation (Nossa Nação) e Nossa Região. As aplicações terminaram no final de junho, quando os alunos finalizaram o ano letivo. Em 2011, foram introduzidos os Programas Our Region (Nossa Região) e JA Global Marketplace (Mercado Internacional) em português, e os Programas Our Families (Nossas Famílias), Our Community (Nossa Comunidade) e Our City (Nossa Cidade) em inglês, com a participação de voluntários fluentes no idioma. Juveni Schoons, que aplicou o Programa Mercado Internacional, conta que foi voluntária a pedido de sua filha, estudante da escola. “Participar do Programa da Junior Achievement foi um grande privilégio, foi um momento no qual pude me colocar no lugar dos alunos e retornar a pensar a vida de uma forma simples, como deve ser”, afirma. Para Auri Rodrigues, voluntário do Programa Our Region, “o Programa despertou nos alunos o interesse por outros conhecimentos, ausentes na maioria dos currículos escolares, mas fundamentais para o futuro profissional de cada um. Investimos em enriquecimento de alunos que, certamente, devolverão à sociedade em futuro próximo”. Para reconhecer a participação de voluntários como Juveni e Auri, o Presidente do Conselho Diretor da Junior Achievement Brasil, André Loiferman, importante incentivador do projeto, participa, anualmente, da entrega de certificados na Pan American School, agradecendo o envolvimento destes profissionais no projeto. Os estudantes fazem uma apresentação, lendo cartas escritas por eles para dizer aos voluntários o quanto gostaram das aulas e de tudo o que aprenderam com os programas.

André Loiferman, Presidente do Conselho Diretor da Junior Achievement Brasil, entregou os certificados aos voluntários Roberto Decourt e Emanuel Dabah

74 74


NEXA NACIONAL

Nexa desenvolve empreendedorismo jovem em 15 Estados Com 1.800 associados envolvidos em todo o País, o Nexa fomenta o espírito empreendedor e desenvolve as lideranças que estão construindo o futuro do Brasil ercebendo a importância de desenP volver as lideranças empresariais, políticas e sociais, a Junior Achievement

dos ex-achievers, a Junior Achievement e o empresariado, possibilitando o crescimento pessoal e oportunizando aos está investindo no desenvolvimento de jovens novas experiências, informações jovens que estão construindo o futuro e networking para a vida profissional. do Brasil, levando a eles valores essen- Hoje, com o apoio do Nexa Nacional, ciais como a ética e a sustentabilidade. coordenado pela Junior Achievement Este trabalho é desenvolvido através do Brasil, o Núcleo de Ex-Achievers está Nexa – Núcleo de Ex-Achievers, criado fortemente desenvolvido em 15 Estados em 1997, em Porto Alegre/RS, com o (RS, PR, RJ, ES, MG GO, MT, PE, RN, PI, objetivo de fomentar o empreendedoris- MA, PA, AP, AM, RR), onde 1.800 assomo jovem. ciados participam de atividades como O Nexa é formado por jovens que par- visitas a empresas, palestras com emticiparam dos programas de Ensino Mé- presários e executivos, participação em dio da Junior Achievement e decidiram congressos internacionais, cursos de continuar integrados à Associação. O aperfeiçoamento, debates e grupos de principal objetivo do Núcleo é intensifi- estudos. A meta é, até o final de 2012, car e manter o vínculo entre os chama- implantar o Nexa também em São Pau-

lo, Mato Grosso do Sul e Rondônia. “O Nexa Nacional tem como objetivo impulsionar e expandir o Nexa pelo Brasil”, afirma o Gestor responsável pelo projeto, Eraldo Fonseca. Segundo Eraldo, o Nexa Nacional garante um nível de qualidade para o desenvolvimento dos Núcleos, permitindo que cada unidade estadual tenha liberdade de realizar seus eventos. “Existem diretrizes anuais de atividades a serem realizadas dentro da Rede”, explica Eraldo. “Esperamos, com o sucesso do projeto, que o modelo, criado no Brasil, seja exportado e adaptado para outros países e, assim, promover atividades e intercâmbios entre os Núcleos desses países”, finaliza. OBJETIVOS DO NEXA NACIONAL

• Fundar o Nexa em todos os Estados. • Constituir uma rede nacional do Nexa. • Padronizar os processos da Rede Nexa. • Garantir o cumprimento do papel da Junior Achievement, como responsável pela atuação da Rede Nexa. • Gerenciar o trabalho do Nexa Regional. • Desenvolver mecanismos e ferramentas para a gestão do Nexa. • Estabelecer canais de comunicação entre os Núcleos. • Identificar cases de sucesso e replicar (benchmark). • Implantar diretrizes traçadas pelo Conselho Consultivo. • Estabelecer cronograma e meta nacional. • Promover a participação do Nexa Estadual em eventos nacionais e internacionais.

75


NEXA NACIONAL

Nexa desenvolve projetos de empreendedorismo com responsabilidade socioambiental pelo País Concurso Sustentabilidade Nexa, Nexação e Findinexa Brasil são alguns dos projetos que movimentam ex-achievers em todo o País

jovens empreendedores, entre 15 e 24 anos de idade, que possuem a vontade de serem grandes empreendedores. Realizado nos últimos três anos m 2012, importantes projetos na- transformá-los em multiplicadores em Luís Correia, no Piauí, o evento, cionais e internacionais estão da temática da sustentabilidade. que começou com representantes de envolvendo membros do Nexa dos 15 Todas as unidades da Rede Nexa três Estados, reunirá, em 2012, joEstados do País. O Nexação será uma Nacional desenvolverão e executarão vens empreendedores de 20 Estados destas iniciativas, realizada a partir um projeto sustentável. Em 2011, na 2ª brasileiros e, ainda, contará com a de um torneio empreendedor entre as edição do CSN, foram desenvolvidas presença de representantes de cinco miniempresas. O objetivo do evento 50 ações que beneficiaram cinco mil países. Este crescimento comprova é despertar o espírito empreendedor, pessoas diretamente e mais de 15 mil que o Findinexa já é referência em liderança e solidariedade entre os de forma indireta. eventos internacionais de empreenachievers, bem como promover a in- O Nexa-Pará, com o Projeto Acqua dedorismo jovem. tegração entre as miniempresas e os Pará, foi o grande vencedor do Con- O tema do Findinexa Brasil 2012 é: membros do Nexa no País. curso, recebendo como premiação “O sonho que te move”. A ideia é Outra importante ação que envolverá uma inscrição para o FIE 2012. O 2° conhecer qual o sonho que cada os Núcleos do País será o Concur- lugar, que ficou com o Nexa-AM, re- participante tem, os sonhos que proso Sustentabilidade Nexa, promo- cebeu uma inscrição para o Findinexa movem crescimento, que promovem vido com o objetivo de aproveitar Brasil 2011 e o 3º lugar, conquistado dúvida, indagações, trazem esperano espírito de liderança dos jovens pelo Nexa-PI, recebeu 50% da inscri- ça e movimentam a vontade de fazer. que já passaram pelos programas ção para o Findinexa Brasil 2011. Acesse o site www.findinexabrasil. da Junior Achievement, buscando O Findinexa Brasil é um fórum para com.br para saber como participar.

E

O Findinexa Brasil reuniu, em 2011, no Piauí, 142 jovens empreendedores de 11 Estados brasileiros e de mais cinco países

76


NEXA NACIONAL

Nexa Nacional promove encontro de capacitação A terceira edição do PDCN reuniu jovens de 12 Estados em Porto Alegre

Membros do Nexa e os painelistas José Paulo Soares Martins (Instituto Gerdau), André Loiferman (Brasília Guaíba), Gabriel Gonçalves (Egali Intercâmbio) e Laura Milano (Trópico)

capital gaúcha sediou, em 2012, a 3ª A edição do PDCN – Programa de Desenvolvimento Gerencial e Capacitação do Nexa, que reuniu 21 jovens empreendedores de 12 Estados brasileiros na sede do CIEE-RS. O evento, que teve como apoiadores a Gerdau, o CIEE-RS e a Egali Intercâmbio,

reuniu Gerentes-Gerais do Nexa e suas equipes para alinhar práticas, discutir processos, planejar ações e trocar experiências. Durante dois dias, os ex-achievers participaram de palestras, seminários de capacitação, painéis e oficinas. No último dia do evento, foi promovido o Painel de Empreendedorismo, que contou com a

presença dos empreendedores André Loiferman, Presidente da Brasília Guaíba, José Paulo Soares Martins, Diretor do Instituto Gerdau, Gabriel Gonçalves, Gerente de RH da Egali Intercâmbio e Laura Milano, proprietária de franquias da Trópico. Os painelistas contaram sobre suas trajetórias de sucesso. Após o encerramento do PDCN, os Gerentes-Gerais e suas equipes se juntaram a estudantes de 10 Estados, formando a delegação do FIE – Fórum Internacional de Empreendedores, realizado em Córdoba, na Argentina, que contou com o apoio da Planalto Transportes e Egali Intercâmbio. Ao todo, mais de 600 pessoas vindas de 12 países (Argentina, Brasil, Uruguai, Peru, Venezuela, Guatemala, México, EUA, Alemanha, França, Indonésia e Paraguai) participaram do evento, que tem como objetivo desenvolver as aptidões dos jovens e suas atitudes empreendedoras, fortalecendo valores como empreendedorismo e ética. O Brasil foi destaque pela sua energia, garra e alegria em todas as atividades desenvolvidas. Veja o destaque do Brasil nas atividades do FIE: 1° Lugar – Expresarte 2° Lugar – Expresarte 3° Lugar – Volta ao Mundo 4º Lugar – Feira de Miniempresas 4º Lugar – Café da Manhã Internacional

Egali intercâmbio é exemplo de empreendedorismo jovem de sucesso A Egali Intercâmbio é uma empresa jovem, com pouco mais de quatro anos de mercado que, assim como a Junior Achievement, iniciou sua expansão pelo Rio Grande do Sul. Nos últimos três anos, a empresa de intercâmbio vem crescendo, assim como a Junior Achievement, que expandiu suas unidades entre os anos de 2000 e 2005. No início de 2009, a Egali contava com quatro escritórios e irá terminar 2011 com 42 unidades em 15 Estados brasileiros e três bases no exterior, em Londres, Dublin e Sydney. A Egali Intercâmbio busca ser diferente de outras empresas do setor, pois não trabalha com franquias, o que garante um maior controle do processo do aluno, assegurando a qualidade do serviço prestado. Mas o maior diferencial da Egali está nas pessoas.

Cerca de 20% de seus colaboradores passaram por programas da Junior Achievement, incluindo um dos sócios da empresa, Guilherme Reischl, que foi Gerente-Geral do Nexa entre 2000 e 2002. Além dele, outros seis gerentes e coordenadores da Egali passaram pela Junior Achievement em algum momento de suas carreiras. Em função disso, podemos dizer que muitos dos valores repassados pela Junior Achievement fazem parte da construção da Egali Intercâmbio e permeiam o dia a dia da empresa, mostrando o valor que o jovem tem dentro da organização. Atitudes como “vestir a camiseta”, “vontade de fazer acontecer” e “ser responsável pela sua área” são atitudes extremamente valorizadas e são ligadas à filosofia da Junior Achievement: A

vida é um caminho, não um destino, e você é o arquiteto do seu caminho. Recentemente, a Egali Intercâmbio foi reconhecida pela Revista Amanhã e pelo Great Places to Work como uma das 30 melhores empresas para se trabalhar no Rio Grande do Sul. Além disso, a empresa foi escolhida como Melhor Empresa para Talentos Jovens. Essa conquista mostra que o trabalho da Junior Achievement gera resultados! Para a Egali, apoiar a Junior Achievement é muito mais do que ser socialmente responsável. Fazer parte da Junior Achievement é poder retribuir para a organização pela diferença que ela fez na educação e formação de milhares de jovens brasileiros, inclusive dos jovens que tornaram a Egali a agência de intercâmbio que mais cresce no Brasil.

77


SEMANA GLOBAL DO EMPREENDEDORISMO

Junior Achievement Brasil no Conselho da Semana Global do Empreendedorismo O Conselho tem como desafio definir a agenda para o empreendedorismo no País, que prioriza as áreas de inovação, capacitação e mentalidade empreendedora conteceu, na sede da Rede GloA bo São Paulo e com a coordenação da Endeavor, a fundação do Conselho da Semana Global do Empreendedorismo. A iniciativa tem como objetivo difundir o tema empreendedorismo no mundo todo, promovendo ações durante uma semana.

A Junior Achievement, que trabalha com o tema empreendedorismo o ano todo, contribui para o fortalecimento da Semana nos países que participam do movimento. O Conselho Nacional da Semana é composto por Endeavor, Sebrae, Junior Achievement Brasil, Anpro-

tec, Aliança Empreendedora, Conaje, Ashoka, Artemísia, Brasil Júnior e Organizações Globo. Coube ao Conselho a definição de uma agenda para o empreendedorismo no País, que prioriza as áreas de inovação, capacitação e mentalidade empreendedora.

Os números da Semana Global do Empreendedorismo A Semana Global do Empreendedorismo acontece, simultaneamente, em mais de 100 países. No Brasil desde 2008, mais de seis milhões de pessoas participaram de cinco mil atividades – o que faz da Semana brasileira a maior do mundo, com três premiações internacionais.

mobiliza uma rede de mais de 500 organizações em todos os Estados para desenvolver atividades que inspirem, conectem, informem e capacitem empreendedores durante a Semana Global.

“Embora o Brasil tenha a maior atividade empreendedora entre os países do “Um Brasil com maiores e melho- G20, a edição mais recente da pesquires empreendedores” é o tema que sa GEM (Global Entrepreneurship Mo-

Estudantes do Amapá assistem à palestra de Paulo Cesar Fernandes

78

Jovens do Nexa do Pará assistem, atentos, à palestra sobre empreendedorismo

nitor) mostra que o País está entre os últimos colocados nos rankings de inovação e educação empreendedora” afirma Juliano Seabra, Diretor da Endeavor, organização líder da Semana Global. “Acreditamos que a Semana pode contribuir efetivamente com a melhoria das condições empreendedoras no País, e, por isso, definimos prioridades de ataque.”

Em Goiás, estudantes foram sombras de executivos da Sama S.A. Minerações Associadas

No Amazonas, 110 jovens do Nexa assistiram às palestras de Ocimar Melloni, Diretor Presidente da Masa da Amazônia, Luis Bacellar, Consultor da Ação Investimentos e Jander Cavalcanti, do IEL


TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Programa Miniempresa aposta na inovação D

espertar o espírito empreendedor com base na criatividade e inovação. Esse foi o objetivo do trabalho realizado, no 1º semestre de 2012, com 50 estudantes na edição piloto do Programa Miniempresa, desenvolvido pela Junior Achievement Rio Grande do Sul e coordenado pela Junior Achievement Brasil. Participaram do projeto piloto os alunos do 2º ano do Ensino Médio do colégio Província de São Pedro, com a miniempresa MundiMenu S.A./E e da escola Florinda Tubino Sampaio, com a miniempresa Shikitu S.A./E. Todo o trabalho foi desenvolvido com foco na inovação. Cada turma contou com quatro advisers, que trabalharam aspectos diferentes da empresa: RH, produção, marketing e finanças. O Programa foi desenvolvido em 15 encontros, ao final dos quais as turmas criaram, produziram, divulgaram e comercializaram algum produto. A MundiMenu S.A./E comercializou a tradução de cardápios, acessados através

de QR-Codes, enquanto que a Shikitu S.A./E produziu bolsas customizáveis, através de um sistema de nós que pode ser refeito pelo próprio cliente. Denise Casagrande, que atua há 30 anos na área de gestão de RH e, atualmente, é uma colaboradora do Grupo Gerdau, tinha um objetivo, como voluntária da miniempresa de inovação, ao decidir se envolver com trabalho voluntário: queria poder trabalhar com jovens e passar a eles, de forma prática, sua experiência e os conceitos que nortearam sua carreira profissional e sua vida pessoal. Para ela, a experiência é desafiadora. “Trabalhar com jovens é um desafio encantador. Eles são os nativos digitais, já nasceram conectados, mas essa conexão não é pessoa-pessoa. Eles têm uma relação diferente com o mundo, inquieta. Desenvolver um projeto com foco no empreendedorismo e inovação com uma geração absolutamente inquieta é uma condição extremamente desafiadora”, conta.

Advisers do Colégio Província de São Pedro

Além de Denise, participaram, como voluntários, José Antônio Verdi, Presidente da JARS e empreendedor em design, Denise Pilar, PhD e pesquisadora da SAP Labs para inovação em interface com usuários, Giulio Palmitesa, Coordenador do Design Center da UNISINOS, Felipe Frosi, CEO da Learn4Fun, empresa de tecnologia educacional e ex-achiever, Sandro Cortezia, Diretor de Inovação da Assespro, maior associação do setor de TI do Brasil e sócio diretor da Venti, consultoria em inteligência de negócios, Marco Chiela, profissional de design, Heitor Rodrigues e João Zaffari, ambos diretores do Nexa-RS e empreendedores da I9, agência de eventos.

79


Apoiadores PDGI 2012

ENCONTROS NACIONAIS

Evento nacional reúne Executivos das 27 unidades em Porto Alegre O PDGI ă Programa de Desenvolvimento Gerencial e Integração é o momento mais importante da Rede Junior Achievement no País s executivos das 27 unidades esO taduais da Junior Achievement estiveram reunidos em Porto Alegre, na sede do CIEE-RS, em 2011, para discutir estratégias e para apresentação de resultados. O PDGI – Programa de Desenvolvimento Gerencial e Integração é o evento mais importante da Rede Junior Achievement no País. No primeiro dia do evento, Filippe Barros, da Edelman Arbora, promoveu um workshop de captação de recursos com o grupo todo. O segundo dia do encontro iniciou com a apresentação do Planejamento Nacional de Comunicação, realizada pelo Vice-Presidente da Ogilvy, Luiz Augusto Cama. Na parte da tarde, Cama liderou o Painel Empreendedorismo para Transformar, que contou com a participação dos empresários André Loiferman (Brasília Guaíba), Ricardo Felizzola (Altus), José Paulo Soares Martins (Gerdau), Antônio Tigre (Grupo RBS) e Gilberto Bagaiolo (PwC). Após o Painel, Gilberto Bagaiolo e Bruno Barros, da PwC, apresentaram a ferramenta de uniformização e consolidação das demonstrações financeiras das unidades da Junior Achievement. Para encerrar o evento, a Dra. Ana Maria Rossi, especialista em tratamento de stress, apresentou a palestra Alto Desempenho e Equilíbrio: O Grande Desafio. Em 2012, o evento aconteceu entre os dias 11 e 13 de julho, em Belo Ho80

w w w. f o k a v i d e o s . c o m . b r

Filippe Barros, da Edelman Arbora, falou sobre estratégias de captação de recursos

Empresários falaram sobre temas importantes, como a necessidade de o empresariado influenciar na formação do jovem, gerando qualificação profissional

rizonte. O primeiro dia do encontro consistiu em um circuito vivencial coordenado pela By Top. No dia 12 de julho, Alexandre Castro, da House Consultoria, apresentou o workshop “Liderando a Eficiência, Comunicação e Feedback”. E no último dia, além

do Painel com Empresários, aconteceram as palestras “Avaliação de Impacto de Projetos Sociais”, com Maria Cecília Prates e “Branding e Assessoria de Imprensa”, com Príscilla Duarte, Gerente de Comunicação Corporativa da Localiza.


ENCONTROS NACIONAIS

Jorge Gerdau lidera encontro nacional de empresários A Reunião de Conselho da Junior Achievement Brasil reuniu Conselheiros de todo o País para debater os rumos do empreendedorismo no País

“Nos precisamos criar empreendedorismo”, afirma Jorge Gerdau Johannpeter durante o encontro

por Jorge Gerdau Johannpeter, aconteceu, no dia Lselhoiderada 17 de novembro de 2011, em São Paulo, a Reunião de Conda Junior Achievement Brasil, encontro que é promovido, anualmente, com o objetivo de discutir os rumos do empreendedorismo no País. O evento, que aconteceu durante a Semana Global do Empreendedorismo, contou com a presença do Presidente, André Loiferman (Brasília Guaíba), de membros do Conselho Diretor, Marcelo Carvalho (Ancar Ivanhoe), José Paulo Soares Martins (Instituto Gerdau), Janete Vaz (Laboratórios Sabin), e Ulisses Tapajós (Ação Investimentos) e do membro do Conselho de Fundadores, Raul Rosenthal. Representando o Conselho Consultivo, estiveram presentes Gustavo Marin, CEO do Citi no Brasil, Carlos Alberto Griner, Diretor Executivo de Recursos Humanos da Suzano Papel e Celulose e Iêda Novais, Diretora Corporativa da KPMG. Luiz Cama, Vice-Presidente da Ogilvy & Mather apresentou, durante o encontro, o Planejamento Nacional de Comunicação, e Gilberto Bagaiolo, Presidente do Conselho Diretor da Junior Achievement Pernambuco e Sócio-Responsável pelas atividades da PwC na Região Nordeste do Brasil, apresentou a ferramenta de uniformização e consolidação das demonstrações financeiras das unidades da Junior Achievement. Além disso, presidentes das unidades estaduais de todo o País apresentaram ao grupo seus resultados e cases de sucesso em educação empreendedora. Em 2012, a Reunião de Conselho acontece no dia 18 de outubro, no Maksoud Plaza, em São Paulo. Empresários de todo o País reunidos para debater os rumos do empreendedorismo

Gustavo Marin, CEO do Citi no Brasil, fala sobre a importância do voluntariado corporativo

Carlos Griner, Diretor de RH da Suzano, fala sobre a força da Junior Achievement em termos de engajamento de voluntários

Raul Rosenthal, empresário fundador da Junior Achievement Brasil e ex-Presidente da JASP, foi um dos participantes do encontro

José Paulo Soares Martins, André Loiferman e Jorge Gerdau Johannpeter em momento de reflexão

81


ESPECIAL

Marcas “Made in Brazil”

Marcas brasileiras conquistando o mercado internacional Angela Hirata é responsável pelo sucesso das sandálias Havaianas no mundo todo. Conheça a história de sucesso desta empreendedora brasileira que tem orgulho em levar o „Made in Brazil‰ mundo afora

Angela Hirata está por trás do sucesso das Havaianas no exterior e, hoje, atua como defensora das marcas “Made in Brazil”

82

esde que começou a viajar o mundo a trabalho, no final da década de 80, Angela Tamiko Hirata não se conformava em ver que os produtos do Brasil não tinham o mínimo de destaque - tampouco reconhecimento - no mercado internacional. Em uma de suas primeiras viagens aos Estados Unidos, Angela surpreendeu-se com o grande consumo de café, vendo que o café colombiano era considerado o melhor e estava muito bem posicionado. Ao mesmo tempo, o café brasileiro, que tem excelentes marcas locais, não tinha nenhum destaque, e não era nem aos menos considerado. Um dos motivos para isto é que o café brasileiro, até então, era vendido apenas como commodity, e não como produto de valor agregado que valorizasse a marca “made in Brazil”. Situação similar foi observada com os calçados brasileiros, presentes em tantos mercados externos, mas sem ênfase alguma dada às marcas brasileiras. Desde então, Angela, que é filha de imigrantes japoneses, mas brasileira orgulhosa, passou a ter uma obsessão: emplacar a frase “Made in Brazil” nos cinco continentes. Ela não tinha ideia de como faria isso. No entanto, prometeu a si mesma que alcançaria seu objetivo. Estudiosa e comprometida, Angela sempre recebeu muitas propostas de trabalho. Em 40 anos de carreira, trabalhou em grandes empresas, como Dinners Club do Brasil, Calçados Azaléia e Cia. Hering, ocupando postos de responsabilidade. Em meados do ano 2000, recebeu a proposta da presidência da Alpargatas para assumir a direção de comércio internacional da empresa, com foco em internacionalizar os produtos e marcas da empresa. Finalmente, chegara a oportunidade que esperava: desenvolver o mercado mundial. Após negociação da sua estratégia de internacionalização, assumiu o cargo de Diretora Executiva, tornando-se a primeira mulher, na empresa centenária, a integrar a diretoria da Alpargatas. Em três meses, foi criada a estratégia de marketing para levar as marcas e produtos da Alpargatas mundo afora, com foco na marca Havaianas. Com uma equipe de 12 profissionais, Angela

D


iniciou seu trabalho pelas capitais da moda: Paris, Milão, Londres e Nova York. “Conseguir aceitação e visibilidade nas capitais da moda era essencial. Entrar em outros países seria consequência”, explica ela. Em pouco mais de um ano, as sandálias Havaianas passaram a ser consumidas por franceses, italianos, ingleses e americanos. Hoje, as sandálias Havaianas estão em cinco continentes, e o “Made in Brazil” é notado por todos que as usam. O fato de Angela ter focado o trabalho na marca e nos produtos Havaianas ocorreu por ela enxergar um grande nicho de mercado, pois não havia nenhuma outra marca de sandálias de dedo no mercado internacional até então. O trabalho dela, com sua equipe, foi o de posicionar a marca nos melhores pontos de venda, mundo afora. “Foi uma missão muito árdua, contamos tanto com o trabalho dos distribuidores em cada país, quanto com o trabalho das pessoas daqui, desde os que confeccionam o produto até os que planejam as estratégias de mercado, sempre acreditando no espírito empreendedor de cada membro da equipe”. Valorizar os produtos nacionais, munidos de identidade própria que expressem a brasilidade, sempre foi um objetivo em potencial, no qual a executiva Angela Tamiko Hirata apostou suas fichas. Queria tornar aqueles produtos desejáveis nos mercados estrangeiros. Com equipe muito motivada e ciente de suas metas, Angela observou que era possível realizar e entregar o resultado acordado com os acionistas. Além do trabalho em equipe, Angela destaca a importância do respeito às diferentes barreiras culturais encontradas nos países em que se pretende inserir um produto. Também é necessário estudar os potenciais mercados – os já consolidados e os em ascensão. Outro conselho dado por Hirata é trabalhar a marca no topo da pirâmide: “No início, não podemos vender grandes volumes, e sim pequenos, mas bem posicionados”. Ela completa: “A valorização em países formadores de opinião vai se refletir no aumento do consumo interno”. Seu mais recente desafio foi a profis-

sionalização da empresa e valorização da marca Camicado, que culminou na recente bem-sucedida aquisição pelo Grupo Renner. Hoje, retoma a direção de sua empresa Suriana, junto com seus sócios Rodrigo Scaff e Renato Almeida Prado. Como sempre, busca atingir ousados objetivos, como desafiar a moda brasileira a proteger o ecossistema da maior floresta do mundo, a floresta amazônica. Outros focos são quebrar o paradigma de que no Brasil não se produz vinho de qualidade e posicionar a cachaça como objeto de desejo nos mercados internacionais. O projeto relacionado à moda, chamado Amazon Life, visa ajudar populações indígenas, ribeirinhas e caiçaras. Tudo para deixar claro que a Amazônia, além de ser um patrimônio da humanidade, tem forte potencial fashion. Amazon Life é uma grife voltada ao desenvolvimento sustentável dessa região, às margens do rio Amazonas. A Suriana pretende apresentar ao mundo a herança cultural desses povos, por meio de artigos de moda. São bolsas confeccionadas na Itália, com laminados de borracha natural da Amazônia. Já no setor de bebidas, seu mais recente desafio é contribuir nas estratégias para a valorização do vinho nacional e da cachaça no mercado estrangeiro. No caso dos vinhos, trata-se do projeto Wines of Brasil, que consiste em mostrar que o vinho produzido aqui tem qualidade, e é digno de concorrer com os produzidos na Califórnia, no Chile e na Argentina. Para isso, Hirata explica: “vamos posicionar a bebida no melhor ponto de venda, chegar aos sommeliers de prestígio, pois são eles que recomendarão os vinhos aos hotéis, restaurantes e outros pontos de consumo de renome”. Hoje, existe um grande mercado consumidor que se destaca: Hong Kong. Nesta cidade, que hoje é porta de entrada comercial da China, acontecem leilões de vinhos raros, que superam até mesmo os famosos leilões da Inglaterra. O próprio Brasil poderia crescer muito no consumo dos vinhos domésticos, a exemplo da Alemanha, onde o consumo da bebida é o dobro da quantidade lá produzida.

Angela observa que o maior obstáculo para alcançar o sucesso internacional com as marcas brasileiras de vinhos é o paradigma de que o Brasil não produz vinho de qualidade. “Temos que mostrar que o nosso vinho tem qualidade, principalmente os espumantes, que hoje já são reconhecidos até mesmo pelos mais exigentes consumidores americanos. Os nossos principais concorrentes são os vinhos do novo mundo: os californianos, australianos, sul-africanos, chilenos e argentinos”. Finalmente, em relação às cachaças, o desafio da Suriana no mercado internacional é de mudar o foco dos esforços: até hoje, a cachaça foi exportada sem uma real estratégia de marketing que valorizasse os atributos qualitativos e históricos do produto. Um projeto que contenha esta estratégia integrada poderia, na visão de Angela e de seus sócios, mudar o cenário internacional e levar o produto “cachaça” a sua posição merecida. Podemos ver um exemplo bem-sucedido deste tipo de estratégia no case da tequila, que hoje é consumida em todo o mundo e carrega consigo a imagem do México, de forma muito positiva. Este projeto da cachaça inicia-se com foco num produto bastante exclusivo e tradicional, a Cachaça do Barão, produzida na cidade de Araras, desde o século 19. Angela finaliza a sua fala destacando que é preciso ter três elementos básicos num negócio: RAZÃO – que sustente a empresa e traga boa rentabilidade. SENSIBILIDADE – para detectar o que o mercado busca e traduzir tais atributos em produtos e serviços. EMOÇÃO – surpreender na apresentação dos produtos, pois a venda está muito atrelada à emoção.

83


ESPECIAL

Projeto Pesquisa Nacional

Junior Achievement promove a maior pesquisa brasileira de empreendedorismo com o público jovem Mais de 70 mil jovens participaram da pesquisa que traça o perfil destes estudantes no que diz respeito as suas características empreendedoras ando sequência à pesquisa de impacto dos programas, a Junior Achievement Brasil realizou a maior pesquisa junto ao público jovem do Brasil, dentro do tema de empreendedorismo. A pesquisa foi realizada junto a mais de 74.500 jovens de 25 Estados brasileiros. Além de servir como uma ferramenta de gestão em nível nacional e estadual, tem o mérito de traçar um perfil do jovem no que tange a características empreendedoras e interesse por empreender. A aplicação dos questionários de avaliação de impacto segue uma mesma lógica para praticamente todos os programas aplicados pela Junior Achievement no Brasil. Primeiro, avalia-se a compreensão de conceitos específicos de cada programa, depois, o grau de concordância dos alunos em relação à consecução de objetivos da Junior Achievement com a aplicação do programa, e, finalmente, os jovens identificam o seu grau de interesse empreendedor e a sua associação com características empreendedoras. Estes dois últimos blocos de perguntas são, também, aplicados junto a jovens com perfil socioeconômico similar aos dos alunos da Junior Achievement, mas que nunca participaram de programas da Associação. Os resultados do grau de interesse empreendedor e das características empreendedoras são comparados entre ex-alunos e este grupo de controle, para então ponderar os resultados. Aplicada desde 2006, a pesquisa vem demonstrando consistência em seus resultados ao longo dos anos. Desta-

D

Gráfico I

84

ca-se o fato dos programas terem êxito em: • Introduzir conceitos do mundo dos negócios aos jovens. • Trabalhar fortemente a visão de futuro, a vontade de ter objetivos e a compreensão do mundo do trabalho. • Influenciar o grau de interesse empreendedor, especialmente no que tange à autoestima e confiança na capacidade empreendedora. • Desenvolver características pessoais encontradas nos empreendedores. Veja alguns destaques dos resultados da pesquisa do Programa Miniempresa, o “carro-chefe” da Junior Achievement: • Em relação ao grau de interesse empreendedor, os alunos do Miniempresa tiveram médias superiores comparado ao grupo de controle; as chances de abrir sua própria empresa no futuro, a facilidade de abrir uma empresa própria no futuro e sobre as chances de sucesso caso abram uma empresa no futuro. • Em relação às características empreendedoras, os itens em que os alunos do Miniempresa pontuaram acima do grupo de controle foram: autoconfiança, capacidade de planejamento, criatividade, iniciativa, tenacidade, assumir riscos, alta necessidade de realização e não acreditar em fatalismo. • Em relação aos objetivos da Junior Achievement o Programa obteve resultados positivos, demonstrando uma boa identificação dos alunos com a Junior Achievement. (Gráfico I).


No que tange à satisfação, a avaliação de alunos, professores e voluntários também se mostra bastante consistente ao longo dos anos, com pequena variação, dentro da margem de erro da pesquisa. O grau geral de satisfação é considerado bom. Segundo a pesquisa de 2010, é possível aumentar a satisfação desses públicos desenvolvendo os canais de comunicação da Junior Achievement com os mesmos, especialmente

os contatos telefônicos. Estados participantes da pesquisa: Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins.

Satisfação Geral– 2007 a 2010.

Gráfico II

A pesquisa nacional revela o grau empreendedor dos jovens que passam por programas como o Miniempresa, carro-chefe da Junior Achievement no Brasil

85


INTERNACIONAL

Projeto Estrela Guia representa o Brasil no FERD Award A premiação foi entregue em Oslo, na Noruega, durante o JA Company of The Year 2011 Projeto Social Estrela Guia, deO senvolvido por líderes comunitários voluntários e representado pela

O Projeto Estrela Guia teve início com o Programa Liderança Comunitária, que proporciona a estudantes a experiência empreendedora social Denise Nas- de criar e de operar uma organização cimento, foi selecionado para repre- comunitária. “O Programa nos ensinou sentar o Brasil, junto com mais cinco a sermos líderes comunitários e empreprojetos da Junior Achievement, na Fi- endedores de sucesso. Cada jornada é nal Global do FERD Award 2011, even- um novo aprendizado”, afirma Denise to promovido pela Junior Achievement Nascimento. Young Enterprise e que aconteceu em Em agosto de 2008, através da partiOslo, na Noruega. cipação de voluntários da Gerdau em A premiação, patrocinada pelo FERD, Barão de Cocais, no interior de Minas conglomerado norueguês que opera Gerais, foi fundada a instituição Estrela nas áreas de indústria, finanças e imó- Guia, que oferece a crianças, a jovens veis, premia os empreendedores que, e a idosos carentes da comunidade atiatravés de suas empresas e organiza- vidades como aulas de computação, reções, criaram um impacto social posi- forço escolar e cursos de capacitação tivo em vários campos de atividades. profissional. Todos os participantes foram ex-alunos “À medida que fomos construindo juntos da Junior Achievement e participaram o Projeto, através da metodologia do Lide programas de empreendedorismo e derança Comunitária, lançamos mão de educação em algum lugar do mundo. uma figura de guarda-chuva, que é uma

A mineira Denise Nascimento e o CEO do FERD, Johan. H. Andresen

86

conotação dada ao projeto que busca reduzir as diferenças sociais, buscando sempre o desenvolvimento das pessoas para que estas tenham condições de melhorar de vida”, relata Flávio Santos Pereira, voluntário da Gerdau Barão de Cocais. Para Flávio Lima, também voluntário da empresa, o trabalho foi importante para compartilhar com as pessoas os aprendizados de dentro e de fora da Gerdau. “Foi importante poder sentir a felicidade estampada no rosto das pessoas com o qual nos relacionamos e a alegria pelo que fizemos em prol do Projeto Estrela Guia”, conta. O Projeto concorreu com mais cinco projetos: Paradigm Initiative Nigeria, que trabalha com jovens carentes nigerianos; Unicus AS, que busca oportunidades de carreira para pessoas com a síndrome de Asperger, na Noruega; Port Mokha, que oferece oportunidade de sustento para produtores de café no Iêmen; Vireo Corp, que promove mudanças sociais ambientalmente responsáveis nos países árabes; e Young Care Sweden, da Suécia, que busca empregar jovens como consultores sociais em asilos. O projeto sueco, representado pelos ex-achievers Oscar Lundin e Benjamin Kainz, foi o grande vencedor da competição, que reuniu 34 países.


DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DE 2010 E DE 2011

Parecer dos auditores independentes Aos Conselheiros e Administradores Associação Junior Achievement do Brasil Examinamos as demonstrações financeiras da Associação Junior Achievement do Brasil (a “Entidade”) que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2011 e as respectivas demonstrações do superávit, das mutações do patrimônio social e dos fluxos de caixa para o exercício findo nessa data, assim como o resumo das principais políticas contábeis e as demais notas explicativas.

de evidência a respeito dos valores e das divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou por erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui também a avaliação da adequação das políticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião.

Opinião Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Associação Junior Achievement do Brasil em 31 de dezembro de 2011, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis para pequenas e médias empresas. Porto Alegre, 15 de junho de 2012.

PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes CRC 2SP000160/O-5 “F” RS

Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras A administração da Entidade é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil para pequenas e médias empresas - Pronunciamento Técnico CPC PME - “Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas” e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou por erro.

Responsabilidade dos auditores independentes

Passivo e patrimônio social

Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelo auditor e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção Ativo

2011

2010

Circulante Caixa e equivalentes de caixa

Fábio Abreu de Paula Contador CRC 1MG075204/O-0 “S” RS

2011

2010

Fornecedores

2.317

77.539

Obrigações trabalhistas e sociais a recolher

57.331

54.358

Obrigações tributárias a recolher

9.363

11.933

Provisão para repasses

33.675

114.024

Receitas diferidas

289.991

42.212

Adiantamentos de patrocínios

128.985

Circulante

Outros passivos 343.891

Valores a receber

689.372

5.379

673

527.041

300.739

16.416

Outros ativos

4.707 343.891

710.495

Não circulante

Não circulante Provisão para contingências

40.000

Patrimônio social

Imobilizado

94.791

119.477

Ajustes de avaliação patrimonial

15.952

20.681

Intangível

11.148

17.927

Superávits (déficits) acumulados

(93.163)

486.479

105.939

137.404

(77.211)

507.160

449.830

847.899

449.830

847.899

Total do ativo

Total do passivo e do patrimônio social

87


DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DE 2010 E DE 2011 Demonstrações do superávit (déficit) - Exercícios findos em 31 de dezembro 2011

2010

Receita das atividades

1.579.540

2.557.704

Custos das atividades

(1.492.272) (2.347.634)

Superávit bruto

87.268

210.070

Demonstrações dos fluxos de caixa - Exercícios findos em 31 de dezembro Fluxos de caixa das atividades operacionais Déficit líquido no exercício

2011

2010

(584.371)

(541.779)

33.570

31.779

(31.920)

40.000

1.650

77.464

Ajustes para reconciliar o déficit líquido no exercício para o caixa provido pelas atividades operacionais Depreciação e amortização Provisão de impairment Reversão de provisão para contingências

Despesas operacionais Despesas gerais, administrativas e promocionais Outras despesas operacionais, líquidas

Déficit operacional

(738.736)

(793.268)

31.920

(36.750)

(706.816)

(830.018)

(619.548)

(619.948)

Despesas financeiras

(7.242)

(3.413)

Receitas financeiras

42.419

81.582

Receitas financeiras, líquidas

35.177

78.169

Redução (aumento) nos ativos Reclassificação de títulos e valores mobiliários para caixa e equivalentes de caixa

(584.371)

(541.779)

Demonstrações das mutações do patrimônio social Ajuste de Superávits avaliação (déficits) patrimonial acumulados Em 31 de dezembro de 2009 Adoção do custo atribuído do ativo imobilizado Em 1º de janeiro de 2010 Realização do ajuste de avaliação do ativo imobilizado ao custo atribuído pela depreciação

1.023.529 25.410

25.410 (4.729)

Déficit líquido do exercício Total do resultado abrangente do exercício Em 31 de dezembro de 2010 Realização do ajuste de avaliação do ativo imobilizado ao custo atribuído pela depreciação

(4.729) 20.681 (4.729)

Déficit líquido do exercício

Total

1.023.529 25.410

1.023.529

897.064

Valores a receber

16.416

(16.416)

Outros ativos

4.707

28.281

(75.222)

70.193

2.973

12.042

Aumento (redução) nos passivos Fornecedores

Déficit líquido do exercício

5.685

Obrigações trabalhistas e sociais a recolher Obrigações tributárias a recolher

(2.570)

(7.552)

Provisão para repasses

(80.349)

114.024

Receitas diferidas

247.779

42.212

Adiantamentos de patrocínios

128.985

Outros passivos

4.706

Pagamento de contingências

(8.080)

Caixa líquido aplicado nas atividades operacionais

673

(343.376)

676.206

Aquisições de ativo imobilizado e intangível

(2.105)

(21.929)

Caixa líquido proveniente das atividades de investimentos

(2.105)

(21.929)

Aumento (redução) líquido(a) de caixa e equivalentes de caixa

(345.481)

654.277

Caixa e equivalentes de caixa no início do exercício

689.372

35.095

Caixa e equivalentes de caixa no final do exercício

343.891

689.372

Aumento (redução) líquido(a) de caixa e equivalentes de caixa

(345.481)

654.277

Fluxos de caixa das atividades de investimentos

1.048.939

4.729 (541.779)

(541.779)

(537.050)

(541.779)

486.479

507.160

4.729 (584.371)

(584.371)

Total do resultado abrangente do exercício

(4.729)

(579.642)

(584.371)

Em 31 de dezembro de 2011

15.952

(93.163)

(77.211)

Carlos Gobert de Oliveira - Contador - CRC RS 43.049

As Demonstrações Financeiras estão à disposição

88

no site da Junior Achievement Brasil: www.juniorachievement.org.br


Empresas Mantenedoras Junior Achievement Minas Gerais

NAE NĂşcleo de Advocacia Especializada

www.naeadvogados.com.br

100


Onde tem aço Gerdau, tem a realização de um sonho. Ter liberdade de ir e vir, estar onde e quando quiser. Você faz o seu caminho e a Gerdau ajuda você a chegar lá fornecendo, com excelência, aços especiais, da suspensão até o motor, que garantem a segurança do carro. É assim que a Gerdau faz parte do dia a dia de milhões de pessoas.

Todo mundo tem um sonho. O da Gerdau é tornar o seu possível.

www.gerdau.com

Revista Fazendo a Diferença - JAMG  

Revista da Junior Achievement no Brasil.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you