Page 1


A REVISTA CORPORATIVA DA GAPSO

FATORIAL 16 CLIENTES 18 MAESTROS DA PRODUTIVIDADE 20 CASE PETROBRAS 24 CASE AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA 26 CASE OI 28 COMO FAZEMOS 30 POR QUE A GAPSO 32 A EXPERIÊNCIA GAPSO 49 ABRINDO A CAIXA PRETA 51 CONTATO 54 BRIEFING


Vivemos entre sistemas complexos


Ações locais alcançam proporções globais


Tecnologia, conectividade, globalização e hiper-competitividade trazem desafios e oportunidades

mas exigem decisões rápidas e melhores


Alguns se afogam na complexidade de suas operaçþes


Outros fazem do lim達o uma limonada, transformando a gest達o da complexidade em vantagem competitiva


E você? Quais são suas ferramentas de apoio à decisão?


16

17

BRIEFING

A GAPSO é a escolha de empresas que buscam se diferenciar pela gestão da complexidade. Desenvolvemos soluções de tecnologia da decisão, que ajudam a definir estratégias, planejar operações, reduzir custos, diminuir riscos e lidar melhor com as incertezas do futuro. Fazemos ferramentas com a “cara do cliente”, permitindo-lhe utilizar todo o potencial de seus recursos e promover grandes ganhos de eficiência. Nossa equipe reúne especialistas com avançado conhecimento técnico em métodos quantitativos, comprometidos em entregar soluções que funcionam na prática, melhoram a produtividade das operações e têm um impacto tangível e direto nos resultados. Esse comprometimento é a base do relacionamento de confiança e benefícios mútuos com nossos clientes empresas vencedoras como Vale, Petrobras, Suzano, ALL, MRS Logística, Oi, V&M, entre outras. Empresas cujas necessidades são tão únicas quanto nossas soluções.


18

19

CLIENTES

Nossa tecnologia é usada nas operações vitais de algumas das maiores empresas do País

S E T N E I CL

O planejamento do transporte de técnicos para operar plataformas na bacia de Campos era o desafio que tirava a energia da Petrobras. Com soluções da Gapso a empresa conseguiu minimizar o risco da operação e economizar U$S 23 Mi por ano.

Um dos grupos empresariais mais importantes do País, a Votorantim tem tradição de inovar. Ela usa tecnologia da decisão para otimizar o transporte de produtos florestais e garantir a produção que atende a seus clientes de todo o mundo.

Para se tornar a maior mineradora do mundo a Vale precisa responder mais rápido do que seus concorrentes às mudanças do mercado. Para encarar esse desafio a Vale conta com a Gapso no planejamento de suas operações ferroviárias, portuárias e da produção de pelotas.

A Tecnologia da Decisão da Gapso é o cérebro do sistema de inteligência logística da Suzano, que tem no baixo custo operacional um de seus pontos mais fortes.

Utilizando o Gapso NDO a Oi projeta seus serviços de forma a atender mais e melhor seus clientes com sua infra-estrutura atual, liberando orçamento para investimentos em equipamentos de tecnologias mais recentes.

Uma das líderes mundiais em exploração e produção de petróleo, a Devon tem na Gapso um parceiro de soluções de tecnologia avançada no Brasil.

R pid logística intermodal

Na utilização de sistemas para o gerenciamento da movimentação de contêineres e na definição de rotas marítimas, a Log-in aplica tecnologia de ponta em uma das atividades mais antigas da humanidade, a navegação de cabotagem.

Logística S.A.

Uma linha de produção: é assim que os executivos da MRS encaram a operação ferroviária. Para essa fábrica produzir cada vez mais por menos, contam com ferramentas da Gapso no planejamento da viagem dos vagões seu ativo mais valioso.

O mercado de transporte rodoviário de cargas é sinônimo de muita competição e margens apertadas. Usando ferramentas Gapso para planejar suas viagens, a Rapidão Cometa demonstra que o uso prático de tecnologia avançada pode mudar realidades de negócio.

A ALL nunca para porque sempre planeja com antecedência o que fazer com cada um de seus vagões. No Brasil e na Argentina, a ALL usa a tecnologia de decisão da Gapso e vem obtendo ganhos impressionantes de eficiência e capacidade de atendimento.

O setor siderúrgico se caracteriza por operações grandes e complexas. Na V&M, que fabrica desde tubos que cabem na palma da mão a outros usados em plataformas de exploração de petróleo, a realidade não é diferente. A V&M usa tecnologia da decisão para o planejamento da produção da aciaria e já não se lembra como era sua vida antes da Gapso.


20

21

TECNOLOGIA DA DECISÃO

MAESTROS DA PRODUTIVIDADE EXECUTIVOS E EMPRESAS ESTÃO REVOLUCIONANDO SEUS NEGÓCIOS USANDO MATEMÁTICA PARA APOIAR DECISÕES

Por Fred Guth

E Fred Guth Diretor Executivo Engenheiro de Computação pela UNICAMP, com especialização em Logística pelo COPPEAD/UFRJ, alia o entusiasmo pela tecnologia a uma aguçada visão empreendedora. Foi a paixão pelo desafio que o fez abandonar a carreira no mercado financeiro e se dedicar ao projeto de desenvolver uma estrutura profissional capaz de solucionar complexas questões de negócio. Além de traçar as estratégias da empresa, Fred se dedica a riscar os salões cariocas de gafieira.

specialista em planejamento e controle operacional na MRS Logística, a vida de Raphael Steinman nunca foi fácil. Sua área é responsável por decidir a movimentação de cada um dos mais de 11 mil vagões que diariamente circulam pelos 1.700 km de malha da ferrovia. Definir o que carregar em cada vagão, em que trem anexar, onde desanexar, onde descarregar. Tudo isso em uma operação responsável pela movimentação de boa parte da riqueza do Sudeste do Brasil, que não pode parar. Apesar dos excepcionais ganhos em produtividade e dos investimentos desde a privatização, a MRS não consegue atender toda a demanda por seus serviços.

A verdade é que assim é a vida dos executivos nos dias de hoje. As bases da competição mudaram. Vantagens geográficas pouco importam em uma competição global. Tecnologias proprietárias são rapidamente copiadas, inovações e novos produtos realmente originais são extremamente difíceis de se obter. O que resta é ser cada vez mais eficiente e eficaz: tomar as decisões de negócio mais inteligentes. Vez por outra nós temos que seguir nossa intuição. Mas a verdade é que quanto mais trabalhamos nossas idéias, mais nossa “intuição” acerta. O difícil é ter tempo para isso neste mundo cada vez mais rápido, complexo e menos tolerante a erros.

No seu best-seller Empresas Feitas para Vencer, Jim Collins aponta como constatação de suas pesquisa que “resultados excepcionais são fruto de uma série de boas decisões, diligentemente executadas... [Empresas feitas para vencer] tomaram mais decisões boas do que ruins, e tomaram mais decisões boas do que suas concorrentes”. Em pesquisa feita com dados de 371 empresas, Thomas H. Davenport e Jeanne G. Harris, autores do livro Competição Analítica, procuraram mais evidências do efeito de uma abordagem analítica nos negócios: “nós descobrimos uma correlação estatística significativa entre as organizações comprometidas com métodos analíticos e alto desempenho (...) em termos de lucro, receita e retorno para os investidores”. Em outras palavras, esses estudos constatam que trabalhar com inteligência é mais produtivo que trabalhar mais.

O segredo para decidir melhor em um mundo complexo Executivos de diferentes indústrias têm usado tecnologia da decisão para desvendar o valor das informações que possuem, modelar operações complexas e, no fim das contas, tomar decisões melhores e com menos risco.


23

TECNOLOGIA DA DECISÃO

A capacidade analítica sempre esteve no centro da estratégia da Amazon.com. Jeff

ORGANIZAÇÕES INOVADORAS ESTÃO USANDO TECNOLOGIA DA DECISÃO PARA GERENCIAR MELHOR A COMPLEXIDADE DE SUAS OPERAÇÕES E ATINGIR DIFERENTES BENEFÍCIOS

RISCO - Medindo de forma quantitativa o risco de operações e apontando fatores críticos para o gerenciamento, mitigação e redução de riscos

São inúmeros exemplos no Brasil e no exterior. A Netflix, por exemplo, se antecipou aos concorrentes em prever o sucesso do filme Favela Rising nos Estados Unidos, um documentário sobre o trabalho do grupo musical Afroreggae na favela de Vigário Geral. A partir da análise do comportamento dos consumidores que alugaram Cidade de Deus e também mostraram interesse por outros filmes com a mesma temática, a empresa teve a segurança de apostar em um filme que ninguém conhecia. A Petrobras reduziu em 18% o risco na sua operação de transporte aéreo de pessoas na Bacia de Campos. Com um avançado sistema de planejamento de vôos, ela consegue atender a mesma demanda reduzindo o número de pousos dos helicópteros, o que também gerou reduções de custo de US$24 milhões por ano. A rede americana NBC usou um sistema de precificação otimizado para seus espaços publicitários que já gerou ganhos superiores a US$200 milhões, reduziu o tempo gasto com planejamento em 80% e permitiu responder mais rapidamente aos pedidos dos consumidores, aumentando o nível de serviço percebido. O sucesso dessas empresas é, em diferentes aplicações, a adoção de um novo conceito para velhas atividades.

CUSTOS - Encontrando oportunidades para reduzir custos ou necessidade de investimentos VELOCIDADE - Aumentando a velocidade ou "throughput" e reduzindo atrasos

SEJA NA BUSCA DE ESTRATÉGIAS DE ALTO NÍVEL OU PARA MELHORAR A EFICIÊNCIA DA OPERAÇÃO DO DIA-A-DIA, OS RESULTADOS DO USO DA TECNOLOGIA DA DECISÃO FALAM POR SI MESMOS

Novas estratégias para problemas difíceis

O que é Tecnologia da Decisão?

Aplicações

Tecnologia da Decisão é um conjunto de avançadas técnicas e ferramentas analíticas usadas para tomar decisões melhores. Em outras palavras, são tecnologias que permitem um extensivo uso de dados, algoritmos de otimização, análises estatísticas e quantitativas, modelos preditivos, avaliação de cenários e alternativas; que ajudam executivos a tomar decisões melhores, baseadas em fatos.

PROJETO DE REDE Determina a melhor localização e dimensionamento da capacidade instalada, da frota, do nível de produção em cada fábrica e do fluxo de transporte entre as instalações (de cada fábrica para cada CD, e de cada CD para cada cliente). O Projeto de Rede visa minimizar o custo logístico total (produção, estoque e transporte), respeitando níveis de serviço estabelecidos. Em um nível mais estratégico, esse planejamento pode ajudar nas decisões de investimento em capacidade instalada.

Se a tecnologia da informação traz as informações nas pontas dos dedos, a tecnologia da decisão mune o seu cérebro com “calculadoras” especializadas capazes de avaliar simultaneamente milhões de variáveis e restrições lógicas: um poder analítico muitas vezes superior ao que uma planilha eletrônica pode fornecer.

Milhões em redução de custos e aumento de receitas Processos mais eficientes Maior capacidade de reação, e possibilidade de análise de cenários

Tecnologia da Decisão é parte daquilo que se convencionou chamar de Business Intelligence: conjunto de tecnologias e processos que usam dados para entender e analisar o desempenho de negócios. Em um mercado tecnológico altamente orientado ao marketing e buzz-words, grandes empresas de TI associaram o termo apenas às tecnologias para coletar, gerenciar e reportar dados orientados à decisões. Tecnologia da Decisão é a inteligência da Business Intelligence.

Maior produtividade e desempenho Menos risco Planos e previsões acertivos Precificações mais lucrativas Mais qualidade Maior retorno sobre investimentos

QUALIDADE - Aumentando a qualidade percebida, melhorando processos

OTIMIZAÇÃO DE PREÇOS Auxilia na definição da política ótima de preços, podendo antecipar as tendências do mercado e reagir dinamicamente de maneira a otimizar o lucro obtido pela comercialização de produtos e/ou serviços.

Business intelligence e inteligência analítica

balanceando considerações qualitativas com informações quantitativas PRODUTIVIDADE - Fazendo o melhor uso de recursos escassos como equipamentos, instalações, verbas, pessoas e tempo

Otimização Modelagem Precitiva

LUCROS - Aumentando receitas ou retorno sobre investimento; aumentando market share e diminuindo custos

Consultas Relatórios Específicos Relatórios Padrão Fonte: CONPETIÇÃO ANALÍTICA

O que acontecerá depois?

Por que isso está acontecendo? Alertas

PREVISIBILIDADE - Provendo bases mais sólidas para previsões melhores e o planejamento das operações

O que pode acontecer de melhor?

E se essas tendencias permanecerem?

Previsão/extrapolação

PLANEJAMENTO DE ESTOQUE Determinação das estratégias de estoque, estoques de segurança, políticas de reabastecimento de maneira a minimizar custos, respeitando o nível de serviço desejado. PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE Dimensionamento e composição de frota, fluxo ótimo da frota entre filiais, determinação do mix ótimo de carga de cada caminhão (conforme as capacidades físicas e as regras de gerenciamento de risco estabelecidas), roterização, programação de transporte para processos especiais( transporte florestal, helicópteros, navios, etc.), transporte multimodal, visando minimizar custos respeitando o nível de serviço desejado e considerando combinações de diversas frotas (própria, agregada, spot) e formas de remuneração (região, distância, peso transportado, número de paradas, etc.) PREVISÃO E PLANEJAMENTO DE DEMANDA Uso de métodos preditivos para aumentar o acerto das previsões de venda e o posterior planejamento de atendimento aderente com às capacidades, políticas comerciais e custos envolvidos. PLANEJAMENTO E ESCALONAMENTO DETALHADO DA PRODUÇÃO Buscando a maneira mais eficiente de atender a demanda, através da definição da programação da produção, agrupando pedidos semelhantes para agilizar o processo produtivo e evitar desperdícios.

Melhor uso de ativos

Análise estatística

RECUPERAÇÃO - Montando uma operação que consiga rapidamente reagir a potenciais eventos ou acidentes (explorar contingências)

ESCALONAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Planejamento da alocação e utilização de mão-de-obra, dimensionamento e composição de grupos com diferentes perfis, determinação de tabelas horárias e plantões. O Escalonamento ótimo de Recursos Humanos busca maximizar a produtividade e escalabilidade, evitando atrasos, faltas, riscos e superdimensionamento de equipes.

INTELIGÊNCIA ANALÍTICA

Como a MRS, diversas empresas em todo o mundo estão se diferenciando pelo seu poder analítico. Empresas como a Amazon.com, a gigante da web, tem aquela que é talvez a mais complexa operação de supply chain do varejo. Além do alto volume de vendas e seu imenso catálogo, a empresa permite vendas de produtos de outras lojas pelo seu site, o que a obriga a gerenciar um complexo fluxo de produtos que muitas vezes nem passa pelas mãos de seus funcionários. Tudo com a máxima agilidade e um nível de serviço invejado pelo seus concorrentes. No cockpit dessa cadeia de suprimentos está o Dr.Gang Yu, um especialista em Otimização com trabalhos premiados pela comunidade acadêmica.

Bezos, fundador e CEO da empresa, trabalhou anteriormente na D.E Shaw, um fundo de hedge fundado em 1988 por um professor de ciência da computação de Columbia, que usa modelos matemáticos para decidir composição de portfólios que hoje administra mais de 35 bilhões de dólares.

Que ações são necessárias? Onde exatamente está o problema? Quantos, com qual freqüência, onde?

ACESSO E RELATÓRIOS

É o caso de Steinman. Desde 2004 a GAPSO ajuda a MRS a transformar em vantagem competitiva a maneira como enfrenta a complexidade da sua operação. Somente na operação de carga geral, 2.300 vagões destinados a movimentar quase 30 milhões de toneladas de produtos siderúrgicos, contêineres e cimento, o ganho direto do uso da ferramenta GAPSORail foi da ordem de 5%. Como ele próprio declarou em entrevista à revista Tecnologística, “(...)[Isso] equivale a 115 vagões, ou seja, com o crescimento da demanda previsto no nosso plano de negócios, evitaremos essa aquisição (...), o que representa uma economia impressionante”.

VANTAGEM COMPETITIVA

22

O que aconteceu? NÍVEL DE INTELIGÊNCIA

OUTRAS APLICAÇÕES Planejamento e programação da operação de portos, de pátios de armazenamento, fluxo ótimo de contêineres, planejamento no agro-negócio (plantio, colheita, produção, transporte, consumo e venda de energia, etc.), projeto de redes de telecomunicações, determinação do fluxo ótimo de insumos e produtos ao longo da cadeia produtiva, etc.


PETROBRAS MOVIDA POR DESAFIOS E TECNOLOGIA DA DECISÃO

C

omo transportar, de maneira segura e eficiente, as pessoas que viabilizam a exploração de petróleo em águas profundas?

Transportando diariamente 1.700 profissionais em 80 unidades marítimas na Bacia de Campos, a PETROBRAS buscava uma solução para reduzir o risco dos vôos de uma das maiores frotas civis de helicópteros do mundo.

US$

18% 14% 24Mi Redução de 18% em pousos, etapa mais perigosa da operação.

Redução de 14% de horas voadas

Economia anual de 24 milhões de dólares

Dada a complexidade da operação a Gapso criou uma solução que define diariamente os trajetos para o transporte do maior número de pessoas com o mínimo de horas de vôo, aumentando a segurança e a eficiência do processo. A melhor organização dos vôos reduziu em 18% o número de pousos, etapa mais perigosa da operação e em 14% a quantidade horas voadas, o que “de quebra” gerou uma economia anual de U$ 24 milhões.


AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA

NOS TRILHOS: UMA PARCERIA PARA REDUZIR O CUSTO BRASIL

A

ALL – América Latina Logística administra 16 mil quilômetros de ferrovias em São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Argentina. Como fazer para aproveitar ao máximo a capacidade da sua rede ferroviária?

7% 400 Redução de 7% no ciclo de vagões

Ganho de eficiência igual a 400 novos vagões

Para a ALL a Gapso desenvolveu um sistema que, ao considerar todas as restrições e variáveis do processo, determina a movimentação ótima dos vagões, ou seja, aquela que com o melhor aproveitamento frente à demanda resulta na maximização do lucro. O resultado foi a redução de 7% no ciclo de vagões. Como diz Carlos Henrique Correa, Diretor de TI da ALL, “É como se ganhássemos 400 novos vagões”.


Oi MAIS RECEITA COM A MESMA INFRA-ESTRUTURA. SIMPLES ASSIM.

C

omo encarar concorrentes internacionais de peso em um mercado cada vez mais competitivo? Usando seus recursos com mais inteligência. Para isso a Oi passou a utilizar o Gapso NDO (Network Design Optimization).

23%

Atendeu a mesma demanda com 23% menos infra-estrutura

O NDO permitiu melhorar a alocação de recursos estruturais da rede, evitou investimentos em tecnologias ultrapassadas, mas ainda rentáveis, e reduziu o custo de interconexão (um dinheiro que ia para seus concorrentes). Com ele a Oi pôde atender mais demanda com menos custos e responder rapidamente às mudanças de mercado. Em apenas um de seus módulos, destinado à operação de links contratados de outras operadoras, a solução permitiu atender a mesma demanda com 23% menos infra-estrutura.


30

31

COMO FAZEMOS

COMO FAZEMOS

1

VISÃO DE NEGÓCIO Quando um cliente bate à nossa porta buscamos conhecer sua operação, processo decisório, dificuldades e objetivos. Nesse momento a ferramenta começa a ser desenhada.

?

?

3 KICK OFF Com o negócio fechado dá-se o pontapé inicial do projeto com uma reunião de kick off com todos os participantes.

2 PROPOSTA DE SOLUÇÃO Após analisarmos a necessidade do cliente, avaliamos que sistemas, módulos ou componentes melhor se aderem a sua realidade e apresentamos uma proposta de solução a preço fechado.

?

4 ANÁLISE Aprofundamos a visão do negócio, chegando aos detalhes da operação. Levantamos que informações o cliente precisará para decidir melhor. Montamos um protótipo para que ele possa visualizar a solução proposta e indicar melhorias.

8 RETORNO A experiência Gapso e os resultados obtidos estimulam novas idéias de aplicação da Tecnologia da Decisão nos demais processos do cliente.

5 CONSTRUÇÃO 6 TRANSIÇÃO Com a ferramenta pronta, passamos a trabalhar para que o processo de mudança seja suave. Além do treinamento, há um período de operação assistida em que técnicos da Gapso ficam no ambiente do cliente, ajudando-os utilizar a ferramenta em seu trabalho.

Desenvolvemos a solução usando componentes, módulos e sistemas pré-desenvolvidos. Já o servidor de otimização, o motor do sistema, é desenvolvido para cada caso usando um vasto repertório de técnicas de modelagem e otimização.

7 APOIO PÓS-IMPLANTAÇÃO Dedicamos uma equipe que conhece a solução para manter e evoluí-la

COMERCIAL

TÉCNICO

CLIENTE


32

33

DIFERENCIAL COMPETITIVO

POR QUE A GAPSO? INTELIGÊNCIA ATITUDE FOCO


36

37

DIFERENCIAL COMPETITIVO

Bruno Aguirre Gerente de Desenvolvimento em TI Prova de que a globalização chegou à Gapso, o engenheiro de sistemas argentino Bruno Aguirre trabalhou na Alemanha, onde cursou doutorado, e há quatro anos descobriu o que a baiana tem, casou com uma e adotou definitivamente o Brasil.

INTELIGÊNCIA

A equipe da GAPSO é formada por especialistas de nível mundial, que têm experiência prática na aplicação de Tecnologia da Decisão em grandes e importantes empresas do País, alguns deles fazendo isso há mais de 20 anos. São PhDs, mestres e engenheiros de software que formam uma equipe multidisciplinar, com especializações em áreas como Otimização, Engenharia de Produção, Simulação, Pesquisa Operacional, Engenharia de Software, Modelagem

Estatística e Logística. Para alimentar esse conhecimento mantemos vínculos e trabalhos com renomados centros de pesquisa no exterior: Princeton, GeorgiaTech, Columbia, GERAD-Canadá e CORE-Bélgica; e no Brasil: PUC-Rio, Unicamp e IMPA. Todo esse conhecimento se materializa em soluções que geram resultados tangíveis de milhões e milhões de Reais por ano, obtidos por executivos que ousaram fazer diferente para obter resultados melhores.


ATITUDE


40

41

DIFERENCIAL COMPETITIVO

Alexandre Pigatti Diretor de Operações Capixaba de Cachoeiro de Itapemirim, Pigatti trilhou seu caminho por escolas públicas até o Mestrado em Otimização na PUC-RJ, onde foi bolsista. Em uma referência à atividade principal de sua cidade, produção de pedras ornamentais, Pigatti usa de simplicidade para explicar sua determinação: “Para mim era ou estudar ou passar a vida quebrando pedra, literalmente”. Diretor de Operações, Pigatti aproveita seu jeitão interiorano para transmitir e reforçar valores que são grandes diferenciais da empresa: "O compromisso da palavra dada é coisa muito, muito séria para mim. E também é para a Gapso".

ATITUDE

Atitude é uma virtude que diferencia pessoas, equipes e empresas pelo modo de encarar desafios e buscar resultados.

soluções da forma combinada: a preço fechado, no prazo dado e com as funcionalidades desejadas.

A preocupação em manter um atendimento sem igual nos acompanha desde o início. Não nos contentamos em ter a melhor tecnologia. Acreditamos ser fundamental manter uma estrutura profissional com processos bem definidos e controlados, baseados nas melhores práticas de gestão de projetos, que garantem a entrega de

Essa atitude é percebida dia a dia por nossos clientes e é motivo para confiarem nas nossas soluções para o planejamento das suas operações mais vitais. Tal confiança é a base desse relacionamento de benefícios mútuos, onde o resultado de um impulsiona o crescimento do outro. Um apoio fundamental para encarar novos desafios.


FOCO


44

45

DIFERENCIAL COMPETITIVO

Marcelo Reis

Fernanda Menezes

Francisco Fonseca

Gerente de Otimização

Gerente de Projetos

Gerente de Projetos

Marcelo já mostrava seu valor desde a universidade, onde recebeu a medalha Arthur Bernardes da Universidade Federal de Viçosa, um reconhecimento dado ao aluno com o maior rendimento entre todos os cursos. Mais tarde, sua dissertação de mestrado em Otimização pela PUC-Rio, foi publicada na Mathematical Programming, uma das revistas especializadas mais prestigiadas do mundo.

Engenheira eletricista, mestre em Otimização e com outra pósgraduação em Gerência de Projetos, Fernanda Menezes não se contenta com pouco. Até mesmo no hobby ela joga um bolão. É de longe a melhor tenista da empresa, já tendo figurado no Ranking Carioca de Tênis.

Quem o conhece sabe que não é difícil encontrá-lo falando sobre os projetos que gerencia, essa dedicação é percebida pelos clientes que o recebem e pelos colegas que o acompanham em cada desafio. É Mestre em Computação Gráfica pela PUC-Rio, e sem dúvida um dos mineiros mais característicos da Gapso.

FOCO

Diante do desafio de transformar a gestão de operações complexas em vantagem competitiva, a Gapso entende que a ferramenta é um meio e não um fim. São as pessoas que tomam boas decisões. Por isso, é preciso adaptar as ferramentas às pessoas e não o contrário. A Gapso se coloca ao lado do cliente, analisa suas necessidades únicas e constrói soluções sob medida. O foco é em quem decide. A Gapso escolheu se especializar em Tecnologia da Decisão e se limitar a isso. Em contrapartida, decidimos ter um conhecimento abrangente e uma postura “agnóstica”, ou seja, não nos limitamos a

um método ou outro, nem a oferecer uma solução genérica para todos os casos. Costumamos dizer que “para quem só tem martelo, tudo é prego” e sabemos que as necessidades sempre são únicas. Às vezes uma solução genérica atende, às vezes não. Quase sempre, entretanto, é possível aproveitar “peças” para construir soluções baseadas em componentes, mas com algoritmos especializados. Às vezes uma ou outra técnica é a mais indicada, às vezes uma combinação de várias. Somente um grupo com diferentes experiências em métodos analíticos aplicados a situações práticas é capaz de oferecer esse nível de foco no resultado do cliente.


GAPSO


48

49

EFEITO GAPSO

A EXPERIÊNCIA GAPSO J

ulio César Dias é planejador Industrial da Vallourec & Mannesmann, holding de capital francês com dezenas de unidades industriais e negócios em quatro continentes, que no ano 2000 incorporou a Mannesmann no Brasil. Diariamente ele define o plano de produção de barras de aço, insumo de produtos de características e tamanhos tão diferentes quanto tubulações para plataformas de petróleo e injetores para motores de carros.

Seu trabalho é um quebra-cabeças. De um lado, os pedidos podem ser para barras de diferentes tipos de aço (composição química), bitolas (diâmetro) e comprimentos. Do outro, rígidas limitações físicas obrigam a produção de vários pedidos em um grande lote com determinada composição química e bitola. Muitas são as regras para atender um pedido de um tipo de aço com outro, assim como que composições químicas podem ser produzidas em sequência para minimizar contaminações. Tudo tem que ser muito bem calculado, barra a barra, para garantir a entrega no prazo determinado, evitar erros e desperdícios. Para controlar a aciaria, Julio contava com apenas três pessoas, planilhas eletrônicas e

5 SITUAÇÕES EM QUE A TECNOLOGIA DA DECISÃO PODE AJUDAR VOCÊ.

1

VOCÊ LIDA COM DECISÕES COMPLEXAS. Suas decisões envolvem um número de fatores difíceis de considerar com os sistemas de que dispõe? Podemos, juntos, embutir a inteligência nos seus sistemas e processos mais importantes.

2

VOCÊ ESTÁ TENDO PROBLEMAS COM PROCESSOS. Um ou mais processos não andam ou poderiam ser bem melhores? Diversas decisões do dia-a-dia não estão sendo bem tomadas, impactando o resultado final? Podemos ajudá-lo a avaliar o que é estrutural nos seus processos e ajudá-lo a eliminar ineficiências que só existem por questões culturais ou históricas.

3

VOCÊ ESTÁ PREOCUPADO COM RISCOS. Você quer limitar ou reduzir riscos? Podemos ajudá-lo a medir seus riscos e balanceá-los com os ganhos potenciais, para que você corra riscos sem correr perigo.

uma longa folha de papel, onde desenhavam e calculavam à mão a seqüência dos pedidos. Raro era o dia em que a jornada de trabalho não passava de 14 horas. Estava muito claro que não dava mais para trabalhar sem as ferramentas adequadas de planejamento. A V&M havia implantado uma solução genérica em diversas unidades, mas as características únicas do processo produtivo da aciaria não tornavam aquela solução aderente; era preciso uma ferramenta personalizada. A Gapso foi contratada com o desafio de desenvolver uma ferramenta de planejamento com a “cara” da aciaria, integrada ao sistema já existente.

comercial? Qual o impacto de oferecer tal benefício para os clientes? Com mais tempo, pôde também se dedicar mais à equipe, passar conhecimento e desenvolver talentos. Depois disso o Júlio pôde tirar férias e ainda foi promovido. Ele já não sabe como era a vida antes da Gapso.

Assim nasceu o PROA, sistema de planejamento para Produção Otimizada de Aciaria. Em cerca de meia hora a ferramenta analisa as possíveis formas de alocar os pedidos em lotes e sequenciar a produção. Com ela, a V&M conseguiu atender mais pedidos com os mesmos ativos e insumos, reduzindo prazos pela metade, evitando atrasos na entrega de pedidos e, simultaneamente, minimizando os custos gerados por desperdícios e contaminações. Não menos importante, Julio César passou a ter tempo para usar a ferramenta para avaliar idéias suas: o que aconteceria se mudássemos determinada política

4

SUA EMPRESA NÃO ESTÁ APROVEITANDO BEM SEUS DADOS. Você já rastreia seus processos e está sentando em cima de uma pilha de informações implorando para que sejam usadas? O uso de Tecnologia da Decisão potencializa seus investimentos em Tecnologia da Informação.

5

Antes do PROA eram necessários vários cálculos, com todas as variáveis do processo. Era um trabalho insano.

JULIO CÉSAR Planejador Industrial Vallourec & Mannesmann

VOCÊ PRECISA VENCER SEUS CONCORRENTES. Já não sabe de onde cortar custos? Não se podem esperar resultados diferentes, fazendo sempre a mesma coisa. A Gapso pode ajudá-lo a incorporar a Tecnologia da Decisão no seu negócio. Muitas empresas já estão se beneficiando das vantagens dessa tecnologia e é melhor que na sua indústria você esteja à frente dos seus concorrentes.


50

51

TECNOLOGIA DA DECISÃO

UMA VISÃO GERAL DOS CONCEITOS E TÉCNICAS “QUASE SECRETOS” DA CIÊNCIA DA EFICIÊNCIA

T

odas as empresas lidam com problemas de decisão. No fim das contas, administrar é sempre escolher como aplicar recursos com o intuito de obter os melhores resultados. Tais problemas são também há muitos anos estudados pelos matemáticos, que sistematizam esse conhecimento descrevendo-os em fórmulas e agrupando-os em classes com características similares.

Por Oscar Porto e Marcus Poggi Um modelo matemático é, portanto, simplesmente uma representação estruturada de um problema real através de um conjunto de fórmulas que facilitam a comunicação e a troca de idéias dos matemáticos, sem que

cada um precise saber os detalhes do problema real em que os seus colegas estão trabalhando. Por isso, um bom modelo é aquele que captura apenas aquilo que é essencial da operação que descreve. Alguns modelos permitem responder sentenças do tipo "O que ocorreria se...", a este chamamos de modelos descritivos, enquanto outros, os modelos prescritivos, permitem determinar "O que fazer..." para atingir um determinado objetivo. Para exemplificar, imagine-se um planejador industrial. Você poderia querer saber “o que

Oscar Porto Diretor de Negócios Bastou um congresso de matemática no Rio de Janeiro para o argentino e portenho Oscar Porto sair do Mestrado de Ciências Matemáticas na Universidad de Buenos Aires direto para o doutorado na COPPE/UFRJ. Também passou por universidades internacionais como Waterloo (Canadá), Columbia (USA), Grenoble (França) e Academia Chinesa de Ciências (Taiwan).

Durante os 16 anos em que lecionou Pesquisa Operacional na PUC-RJ, suas aulas se tornaram concorridas devido ao caráter prático que buscava transmitir na matéria, com exemplos reais que trazia para a universidade. Essa paixão pela aplicação prática do conhecimento o move, ainda hoje, a conhecer novas empresas, novas operações e novos desafios.


52

TECNOLOGIA DA DECISÃO

ocorreria se adquirisse uma nova máquina?”. Esse é o tipo de pergunta que leva os matemáticos a montar modelos descritivos. Mas se a sua pergunta fosse “qual a melhor maneira de ordenar os trabalhos na linha de produção para diminuir o número de setups e aumentar o volume de produção?”, somente um modelo prescritivo seria apropriado.

Simulação ou Otimização? No dia-a-dia é comum usarmos Otimização para falar dos modelos prescritivos, e Simulação para falar dos modelos descritivos. Em sítese:

Simulação = avaliar estratégias Otimização = gerar estratégias Tentar responder à pergunta acima sem saber de que problemas estamos falando seria equivalente a responder à pergunta: o que é melhor, um médico ou um advogado? Depende da necessidade.

Através de técnicas estatísticas, de teoria de filas, de simulação de eventos discretos ou de Monte Carlo, é possível fazer modelos descritivos de tendências e comportamentos para avaliar estratégias, respondendo perguntas do tipo:

? Que máquinas comprar, dentro de um

? Qual será o novo tempo médio de entrega

Há várias abordagem e técnicas que podem ser utilizadas na modelagem matemática de processos. O importante é saber que ferramental analítico usar para cada tipo de problema.

se construirmos um CD em uma determinada cidade do Nordeste? ? Qual será o novo custo médio de produção com o investimento em máquinas novas para determinada etapa da produção? ? Dado um cenário macroeconômico, qual será a demanda mais provável por cada produto do meu portfólio? Em contrapartida, através de técnicas de otimização determinística e otimização estocástica, que englobam métodos de modelagem e resolução como programação matemática (em particular, programação linear e programação inteira mista), inteligência artificial e diversas heurísticas como redes neurais, algoritmos genéticos, buscas tabu, programação por restrições, dentre outras; podemos fazer modelos prescritivos e resolvê-los para gerar as programações, configurações, localizações e dimensões mais apropriadas para determinadas situações, respondendo perguntas do tipo:

orçamento limitado, para minimizar o custo médio de produção? ? Dado uma demanda prevista, que mix de produtos produzir, em que ordem, para maximizar meu lucro?

Otimização Exata x Heurísticas Quando se cria um algoritmo de resolução para um problema, tem-se como objetivo provar matematicamente que ele tem uma qualidade de solução ótima ( ou suficientemente perto da ótima) e um tempo de execução adequado. Uma heurística é um algoritmo que abandona um destes objetivos ou ambos. Por exemplo, pode normalmente encontrar em tempo adequado soluções razoavelmente boas, mas sem a garantia de qualidade das soluções geradas, podendo, em determinados casos, gerar soluções muito ruins.

minimizar o tempo médio de entrega?

Algoritmos exatos chegam a soluções provadamente ótimas ou com uma proximidade do ótimo que se pode medir (por exemplo, as soluções estarão a não mais que 3% do

Explosão Combinatória: o desafio da otimização

Normalmente essa descrição se dá na forma de condições ou restrições que uma solução deve satisfazer, e uma função de valor que permita comparar diferentes soluções. Esses são os elementos que compõem um modelo matemático prescritivo

memória das máquinas e a facilidade da comunicação de dados com a internet, o desafio está cada vez mais na inteligência dos algoritmos de resolução dos modelos matemáticos, aquilo que chamamos de técnicas de resolução.

Modelar situações reais, de forma que suas características importantes sejam capturadas, é uma tarefa extremamente difícil. Milhares ou até milhões de dados precisam ser incorporados, regras muitas vezes complexas precisam ser precisamente formuladas e consideradas pelo modelo. O problema pode também mudar ao longo do tempo, tornandoo ainda mais difícil de ser descrito.

A dificuldade de obter os dados para definir as restrições e a função objetivo foi, no passado, a grande limitação que conteve o uso abrangente de aplicações de métodos matemáticos de otimização.

A dificuldade matemática de que estamos falando decorre de algo conhecido como Explosão Combinatória. Para explicar do que se trata, vamos ilustrar com um exemplo clássico, o problema do caixeiro-viajante:

Com a disseminação de ferramentas de gestão em empresas de todos os portes, a evolução da capacidade de processamento e

Imagine-se como um vendedor (um caixeiroviajante) que precisa definir a rota mais curta para visitar um conjunto de cidades, voltando

? Onde devo localizar meu novo CD para

ótimo). São algoritmos que requerem um conhecimento mais profundo para se construir. Ainda mais difícil, é conseguir essa garantia de qualidade de solução em tempos de execução apropriados. Mas quando atendem os limites de tempo de execução e custos de desenvolvimento, algoritmos exatos são sempre a melhor escolha, ainda mais por serem mais robustos. A robustez de um algoritmo tem a ver com sua capacidade de manter suas características de qualidade e tempo de execução quando novas condições do problema são incorporadas ao modelo. Essa é uma propriedade muito importante quando se desenvolve soluções para problemas reais, já que as operações das empresas estão sempre mudando e é preciso que as ferramentas evoluam para se adaptar a essas mudanças. Heurísticas são mais fáceis de construir que algoritmos exatos, por exigir um conhecimento menos profundo. Porém, precisam de muitos experimentos para serem calibradas e começar a gerar soluções coerentes. Toda mudança no modelo exige recalibragens e não há garantias que a heurística manterá o desempenho anterior. Métodos exatos dão soluções consistentemente melhores , mas usualmente são mais lentos. No fim, não há abordagem que seja melhor que outra, são escolhas. O importante é saber quando usar uma, outra ou, ainda, uma combinação de ambas.

para a cidade de origem ao final. Comecemos com 4 cidades: A, B, C e D. Com 4 cidades há 6 rotas diferentes: ABCDA, ABDCA, ACBDA, ACDBA, ADBCA, ADCBA (repare que mesmo que você comece em outra cidade, a rota será uma das já representadas acima). Agora, basta checar qual dessas 6 possíveis soluções é a "ótima", ou seja, aquela que atende a função objetivo (minimizar a distância percorrida) da melhor forma possível. O efeito da explosão combinatória fica claro quando se aumenta o número de cidades. Imagine que se aumente o número de cidades visitadas para 7. Com 7 cidades há 720 rotas possíveis, 6! (6 fatorial). Para 27 cidades há

Marcus Poggi Diretor de Pesquisa & Desenvolvimento Nascido em Copacabana e criado em Ipanema Marcus Poggi é um dos poucos cariocas da equipe. Ele, que já esteve no ranking carioca de Golf, hoje pratica corrida faça chuva ou faça sol. PhD em Matemática Aplicada pela École Polytechnique da Université de Montréal, Canadá, desenvolveu trabalhos no GERAD (Groupe d'Études et de Recherche en Analyse des Décisions) como o projeto de Planejamento de Missões dos Aviões F-18 da Aeronáutica Canadense. Tem cerca de 50 trabalhos publicados nas áreas de otimização, Simulação de Sistemas, Métodos Heurísticos, Grafos e Projeto e Análise de Algoritmos, em periódicos e conferências internacionais, e já orientou mais de uma dezena de teses de mestrado e doutorado.

403.291.461.126.606.000.000.000.000 possíveis rotas. Para dar uma idéia do que significa esse número de possibilidades para um problema de tamanho tão pequeno (apenas 27 cidades), imagine que você tenha a sua disposição um IBM Blue Gene, o computador mais rápido do mundo com a capacidade máxima de processamento de 546 Teraflops. Se esse computador fosse capaz de analisar cada uma das rotas em apenas uma operação, ainda assim, para checar cada rota uma a uma, ele precisaria rodar por 12 milhões de anos! Com 60 cidades o número de possibilidades é algo em torno do número estimado de átomos no universo observável. Uma perspectiva nada

animadora para empresas que lidam todos os dias com versões ainda mais complicadas desse problema com dezenas ou até centenas de pontos de carregamento e descarregamento. Obviamente, as técnicas avançadas de resolução incorporam diversos "insights" matemáticos para que se chegue à solução provadamente ótima, sem que seja necessário avaliar todas as alternativas. Interessante é notar que na maioria das vezes os executivos não têm idéia da dimensão da complexidade dos problemas com que lidam todos os dias. É como se tivessem em um jogo de xadrez em um tabuleiro gigante, com milhares de casas, e nem se dão conta disso.


54

CONTATO

Muito obrigado pela oportunidade de mostrar o nosso trabalho. Temos muito orgulho do sucesso de nossos clientes com o uso de tecnologia da decisão e ficamos muito felizes com a confiança que eles nos depositam todos os dias, quando usam nossas ferramentas em suas operações mais vitais.

FRED GUTH Diretor Executivo fred@gapso.com.br

Se você tem algum produto em que acredita que podemos agregar o tipo de inteligência que produzimos, me contate para formarmos uma parceria tecnológica. Ou se é pesquisador das áreas de otimização, simulação, inteligência artificial ou estatística podemos conversar sobre nossa experiência de ciência aplicada.

MARCUS POGGI Diretor de Pesquisa & Desenvolvimento poggi@gapso.com.br

“Estamos sempre abertos para conversar sobre operações complexas. Havendo uma oportunidade, liga para mim. Quem sabe juntos criaremos mais uma história de sucesso e uma longa amizade.”

OSCAR PORTO Diretor de Negócios oscar@gapso.com.br

Também estamos procurando pessoas talentosas que se inspirem pelo desafio intelectual e tenham a atitude Gapso, aquela disposição de fazer sempre mais. Se você tem esse perfil, me mande seu currículo.

ALEXANDRE PIGATTI Diretor de Operações apigatti@gapso.com.br


A GAPSO é a escolha de empresas que buscam se diferenciar pela gestão da complexidade. Desenvolvemos soluções de tecnologia da decisão, que auxiliam decisores a definir estratégias, planejar operações, reduzir custos, diminuir riscos e lidar melhor com as incertezas do futuro.

Edifício Rio Sul Center Rua Lauro Müller, 116/3402 - Botafogo Rio de Janeiro - RJ CEP 22290-160 Tel.: + 55 (21) 2117-8000 Fax: + 55 (21) 2117-8080

www.gapso.com.br

Perfil Institucional Gapso  

Perfil Gapso

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you