Page 1

Refugiado

Ilustrações de Ana Sofia Gonçalves

ser


No mundo, há países que estão a viver climas de guerra e/ou onde as pessoas são perseguidas (por causa da raça, religião, nacionalidade, opinião política, …). As mulheres, homens e crianças destes países vivem situações perigosas que colocam em risco as suas vidas. Porque estão com medo, fogem para outros países onde se vive com paz e segurança. Quando chegam a um País seguro pedem asilo (refúgio) para viver nesse país, sem terem medo. Enquanto continuar a existir guerra ou perseguições nos seus países, os refugiados não podem regressar às suas casas, por isso precisam de proteção e apoio. Ninguém quer fugir de sua casa. Ninguém quer deixar os seus amigos para trás. Ninguém escolhe ser refugiado mas devemos proteger quem está a fugir com medo.

Sabias que…

a Declaração Universal dos Direitos Humanos, no art. 14.º, diz que se alguém tem receio de ser mal tratado no seu País tem o direito de ir para outro país para ficar seguro.

São pessoas, iguais a cada um de nós, que vivem em países onde há guerra, violência, perseguição política. Existem 65,6 milhões de refugiados no mundo. Este número é o mais alto desde a Segunda Guerra Mundial e representa, aproximadamente, seis vezes mais do que a população portuguesa.

Sabias que… metade dos refugiados de todo o mundo são crianças? A maioria dos refugiados atualmente são da Síria, da Colômbia, do Afeganistão, do Iraque, do Sudão do Sul e da Somália. Podes ver num mapa onde ficam estes países.

Como é a viagem? A viagem é muito arriscada. Há pessoas que viajam sozinhas, outras que viajam em família ou em grupo. Algumas famílias fogem juntas, outras separam-se e tentam juntar-se mais tarde. Muitas crianças fogem e viajam sozinhas. Normalmente, começam por procurar refúgio em locais dentro do seu próprio país. Quando conseguem ir para outro país, permanecem, por vezes, vários meses ou anos em campos de refugiados, tentando encontrar situações mais estáveis para a sua vida ou para continuar a viagem. A viagem é feita, grande parte das vezes, a pé ou em transportes pouco seguros, como por exemplo, em barcos. Quando é possível, utilizam carros, comboios ou outro meio de transporte disponível.

Ilustrações de Ana Sofia Gonçalves

O que é ser refugiado?

Quem são os refugiados? E de onde são?


É frequente os refugiados fugirem apenas com a roupa do corpo ou muito pouca coisa.

Porquê? Porque não há tempo para preparar a fuga e como têm que percorrer grandes distâncias, evitam trazer malas de viagem ou objetos pesados. Os pequenos sacos ou as mochilas, são a melhor opção. Nas mochilas, transportam todo o dinheiro que conseguem juntar para o caminho, os seus documentos, algumas roupas, medicamentos e alimentos para os primeiros dias de viagem. As crianças levam poucos brinquedos. Os telemóveis são importantes para a viagem. Com eles, podem contactar com a família, com os amigos e aceder a informações úteis para a viagem (mapas, meteorologia, etc). Nos telemóveis também podem guardar documentos e fotografias das pessoas que lhes são queridas.

E tu, o que levarias na mochila? O que precisam os refugiados? O que desejam? Quando alguém foge com medo, precisa de chegar a um sítio com paz. É esse o maior desejo. Depois de chegarem a um sítio com paz e sentirem segurança, podem reconstruir as suas vidas.

Sabias que…

a maior parte dos refugiados sonha em regressar ao seu país quando este estiver em paz. Precisam, como todos nós, de trabalho, de continuar a estudar, de cuidar da saúde, de viver numa casa. Como todos nós, precisam de oportunidades para serem felizes e para sonhar com um futuro melhor. Este desejo chama-se viver com dignidade.

Ilustrações de Ana Sofia Gonçalves

A Mochila. O que terá lá dentro?


Se fossemos nós, gostaríamos de ser recebidos com respeito, disponibilidade e uma rede de apoio e segurança. Gostaríamos que nos ajudassem a conhecer Portugal e esclarecer todas as nossas dúvidas e receios. Seria também importante contar com apoio para as crianças e jovens se integrarem nas escolas, nas universidades e, oportunidades para os adultos trabalharem. Se a nossa família não estivesse junta, gostaríamos de conseguir junta-la e assim vivermos novamente juntos, como vivíamos antes. E, tão importante como tudo o que falamos, gostávamos de ter amigos. Não achas?

O que podemos fazer?

Cada um de nós, enquanto cidadão, pode ser uma voz ativa na defesa dos direitos das pessoas refugiadas. Cada um de nós, enquanto ser humano, pode-se preocupar. Afinal, podíamos ser nós!

PAR

A Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR) nasceu em setembro de 2015. É uma rede informal de organizações da sociedade civil que, através de um modelo colaborativo e concertado, procuram apoiar o acolhimento e integração de pessoas refugiadas. A PAR tem três principais eixos de ação: • PAR Famílias, diz respeito ao acolhimento de famílias refugiadas em Portugal. • PAR Sensibilização, corresponde ao investimento na sensibilização da opinião pública sobre a temática das pessoas refugiadas. • PAR Linha da Frente, diz respeito ao programa de voluntariado e de intervenção humanitária que acontece na Grécia, na ilha de Lesbos e na cidade de Atenas.

Link da PAR - http://www.refugiados.pt/

Ilustrações de Ana Sofia Gonçalves

E Se fosse connosco?

Profile for Instituto Padre António Vieira

"Ser Refugiado"  

"Ser Refugiado"  

Profile for ipav
Advertisement