__MAIN_TEXT__

Page 1

78 Ano 17 Setembro/Outubro

2019

Informativo do Instituto de Oncologia do Vale

IOV recebe líderes de institutos de 11 países para compartilhar experiência em gestão Lean A visita faz parte do encontro anual do Lean Global Network (LGN), entidade mundial criada para reunir institutos de diferentes países que atuam na disseminação do modelo de gestão Lean

R

eferência na aplicação da gestão Lean, o Instituto de Oncologia do Vale, recebeu a visita de um grupo de líderes de onze países diferentes: Austrália, Espanha, Reino Unido, Canadá, Brasil, China, Itália, Argentina, Turquia, Hungria e Rússia, interessados em conhecer a experiência do IOV na aplicação da mentalidade enxuta. A visita faz parte do encontro anual do Lean Global Network (LGN), entidade mundial criada para reunir institutos de diferentes países que atuam na disseminação do modelo de gestão Lean, e que tem como principal missão promover a troca de experiências, desenvolver e compartilhar novos conceitos e práticas. Além disso, a reunião promove também a discussão de projetos e rumos da divulgação do modelo de gestão Lean no mundo. A visita foi realizada no IOV São José dos Campos e recebeu os líderes Denise Maree Bennett, do Lean Enterprise Austrália; Jean-Francois Gaudette, do

Lean Enterprise Institute Canada; Wei Luo, do Lean Entreprise China; Csaba Szalay, do Lean Enterprise Institute Hungria; Matteo Consagra, do Institute Lean Management Itália; Viacheslav Boltrukevich, do Lean Enterprise Institute Rússia; August Casanovas Villanueva, do Instituto Lean Management Espanha; Yalcin Ipbuken, do Lean Institute Turquia;

David Clifford Brunt e Peter Watkins, ambos do Lean Enterprise Academy Inglaterra; Augusto Fonseca, do Lean Institute Brasil; e Javier Agustin Sala Mercado, da Argentina. O encontro anual da LGN já está em sua 11ª edição, e além do IOV, o Itaú, SulAmérica, Mary Kay, CI&T, Magalu, TV Globo e TechnipFMC também receberam visitas de líderes da LGN.


2

EDITORIAL

Reconhecimento internacional e valor para o paciente

A

qualidade e a geração de valor para o paciente estão na base de todo o trabalho desenvolvido pela equipe do Instituto de Oncologia do Vale e parte do resultado de todo o esforço e investimento que fazemos é a conquista de certificações e de reconhecimento internacional. Recentemente, recebemos a visita de líderes vindos de várias partes do mundo para conhecer nossa experiência com a mentalidade enxuta. O público que temos recebido em nossas visitas guiadas é cada vez mais diverso e os resultados obtidos em nossas auditorias de certificação cada vez mais consistentes. Mas, o mais importante mesmo é a satisfação de nossos pacientes e a certeza que estamos na vanguarda, oferecendo o que há de mais moderno e seguro em tratamento oncológico, aumentando assim a qualidade de vida e o índice de remissão e cura do câncer. Tudo o que temos conquistado é só uma parte daquilo que ainda acreditamos ser possível e por isso continuaremos investindo em educação continuada, tecnologia e criação de valor para nossos pacientes.

LEAN

Profissionais de diversos segmentos participam de visita guiada ao IOV

O

rganizada pelo Lean Institute Brasil (LIB) em parceria com o IOV as visitas guiadas surgiram para atendar a demanda de profissionais interessados em conhecer a experiência do IOV, referência mundial na aplicação do Lean em saúde, que inclusive já despertou interesse de importantes visitantes internacionais. No último encontro, o grupo contou com profissionais das mais diversas áreas. “Notamos um crescimento muito grande de interessados vindos de segmentos como educação e indústria. O que eles comentam é que no caso da indústria, por exemplo, conseguem aplicar bem os conceitos de lean no chão de fábrica, mas têm muita dificuldade em levar para a gestão,

então buscam visitar o IOV para saber mais sobre como conseguimos levar a mentalidade enxuta para todas as áreas de organização”, explica a gerente de Lean Office, Stela Maris Antunes Coelho. As visitas guiadas têm duração aproximada de um dia e permitem aos participantes conhecer as diferentes áreas e processos, passando por gestão da estratégia, fluxos assistenciais, cadeia de suprimentos, faturamento, autorizações e processos suporte. Após a visita também são realizadas discussões e uma sessão de comentários e feedback dos participantes. Os interessados em participar podem fazer inscrição diretamente no site do LIB. Mais informações no site www.lean.org.br.

Stela Antunes Coelho

Gerente Lean Office

EXPEDIENTE Responsável Técnico: Dr. Carlos Flávio Turci – CRM 27.301 / Diretoria: Dr. Adriano Diniz B. Mendes, Dr. Carlos Flávio Turci, Dr. Carlos Frederico Pinto e Dr. Marcelo Taborda | Comunicação e MKT IOV: Fabiano Gaspar Vieira | IOV & Você circula junto aos pacientes, familiares, área médica e profissionais da saúde. Correspondências devem ser enviadas sob o título “Jornal IOV & Você” para: Rua Major Antônio Domingues, 472 – SJC – 12.245-750. Tel.: (12) 3924-9055. E-mail:iov@iov.med.br *Registrado no cartório de registro de notas e documentos sob o número 171517 | Produção: Comunikação Consultoria - Tel.: (12) 98156-6744 - www.comunikacao.com.br – Coordenação de Jornalismo e Edição: Areta Braga – Jornalista Responsável: Areta Braga - MTb 38.005 – Redação: Areta Braga e Natália Mitie Fotos: Arquivo/ Divulgação – Diagramação: Adriano Augusto – Revisão: Flávia Gavioli – Gráfica: Copcentro – Tiragem: 600 exemplares.


3

LEAN

IOV marca presença na Semana de Gestão de Risco da SulAmérica

R

eferência mundial na aplicação da gestão Lean, o Instituto de Oncologia do Vale esteve presente na Semana de GRC – Gestão de Risco da SulAmérica, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Os eventos tinham como missão incentivar os colaboradores a tomar decisões pequenas pensando em governança, risco e compliance. “O objetivo era claro, eles queriam ter essa troca e entender como poderiam trazer nossa prática com Lean para a SulAmérica”, afirma Stela Maris, gerente Lean Office do IOV que palestrou no evento. “É sempre muito gratificante falar do IOV e da nossa jornada Lean. Tive a oportunidade de apresentar o conceito, principalmente, sobre como a mentalidade enxuta consegue trazer a integração do cuidado e melhorar a experiência do paciente”, acrescenta Stela.

Com a aplicação da gestão Lean, o IOV aumentou a segurança em 85%. “O lean traz esse impacto, olhamos para a segurança na nossa rotina, tratamos os problemas e criamos barreiras seguras em nosso processo”, conclui.

É sempre muito gratificante falar do IOV e da nossa jornada Lean.

SEGURANÇA

IOV realiza simulado de abandono de área

N

o Instituto de Oncologia do Vale, as equipes são orientadas para desenvolverem a consciência e os comportamentos de segurança no dia a dia. Em vista disto, em setembro, o IOV realizou um simulado de abandono de área com os

colaboradores e a equipe médica para avaliar a conduta e o entendimento do plano de contingência, bem como avaliar a necessidade de aprimorar as ações. “O objetivo é implementar a cultura de segurança entre nossos colaboradores. Garantir que todos

estejam cientes do que se deve fazer a partir do início do plano de contingência garante ainda mais a segurança de todos os envolvidos. Além disso, por meio do simulado conseguimos enxergar os pontos que precisamos melhorar, aprimorar, parar e recomeçar”, explica Maurício Gomes dos Santos, técnico em segurança do trabalho do IOV. A evacuação aconteceu de forma segura e rápida, todos foram conduzidos e direcionados ao ponto de encontro. “O líder da equipe, Alexandre Medeiros, comunicou que o alarme acionado se tratava apenas de um simulado promovido pela equipe, cuja intenção era avaliar a conduta e o entendimento dos colaboradores em relação ao plano de contingência”, explica Maurício.


4

RELATÓRIOS DE SEGURANÇA

Segurança do Paciente no Grupo IOV Segurança Segurançado doPaciente Pacienteno noGrupo GrupoIOV IOV

ALERTAS DE ALERTAS DESEGURANÇA SEGURANÇA ALERTAS DE SEGURANÇA O SistemaGestão de GestãoIOV do IOV desenvolveu o Alerta Segurança de Segurança com o objetivo de identificar os OOSistema Sistemade de Gestãodo do IOVdesenvolveu desenvolveuooAlerta Alertade de Segurançacom comooobjetivo objetivode deidentificar identificaros ospotenciais potenciaisriscos riscosno no potenciais riscos no processo, quanto mais alertas forem abertos, maior possibilidade de analisar o fluxo processo, quanto mais alertas forem abertos, maior possibilidade de analisar o fluxo e torna-lo mais seguro. As equipes processo, mais alertas foremsão abertos, maior possibilidade o fluxo torna-lo mais seguro. As equipes e torná-loquanto mais seguro. As equipes responsáveis em identificarde asanalisar falhas, que são ediscutidas no quadro são responsáveis em identificar as falhas, que são discutidas no quadro gerador de ideias, se algum problema é são responsáveis em identificar as falhas, que são discutidas no quadro gerador de ideias, se algum gerador de ideias, se algum problema é identificado, analisa-se o risco, melhora o processo, cria barreiras problema é identificado, analisasse o risco, melhora o processo, cria barreiras e padroniza para que o evento e padroniza para que o evento ocorra novamente identificado, analisasse o risco,não melhora o processo, cria barreiras e padroniza para que o evento não não ocorra ocorra novamente. novamente.

ALERTAS DE SEGURANÇA RADIOTERAPIA ALERTAS DE SEGURANÇA2018/2019 RADIOTERAPIA 2018/2019

ALERTAS DE SEGURANÇA RADIOTERAPIA 2018/2019

80 80

73 73

70 70 60 60 50 50

62 62 46 46 35 35

40 40 30 30

45 45

39 39

59 59

55 55

53 53 42 42

41 41 33 33

28 28

20 20

20 20 10 10 00

set/18 set/18 out/18 out/18 nov/18 nov/18 dez/18 dez/18 jan/19 jan/19 fev/19 fev/19 mar/19 mar/19 abr/19 abr/19 mai/19 mai/19 jun/19 jun/19 jul/19 jul/19 ago/19 ago/19 set/19 set/19 out/19 out/19

ALERTAS SEGURANÇA 2018/2019 ALERTAS DE SEGURANÇA QUIMIOTERAPIA 2018/2019 ALERTASDE DE SEGURANÇAQUIMIOTERAPIA QUIMIOTERAPIA 2018/2019 300 300 250 250 200 200

201 201

212 212

247 247

223 223 183 183

150 150

178 178

193 193

211 211

205 205

193 193 152 152

151 151

150 150

169 169

100 100 50 50 00

set/18 set/18 out/18 out/18 nov/18 nov/18 dez/18 dez/18 jan/19 jan/19 fev/19 fev/19 mar/19 mar/19 abr/19 abr/19 mai/19 mai/19 jun/19 jun/19 jul/19 jul/19 ago/19 ago/19 set/19 set/19 out/19 out/19

Legenda: Legenda:Os Osgráficos gráficosdas dasunidades unidadesde deSão SãoJosé Josédos dosCampos CamposeeTaubaté Taubatéilustram ilustramque quemantém mantémoonúmero númerode dealertas alertasde de Os gráficos das unidades de São José dos Campos e Taubaté ilustram que mantêm o número de alertas segurança abertos no Grupo IOV. segurança abertos no Grupo IOV. de segurança abertos no Grupo IOV.


5

EVENTO SENTINELA EVENTO SENTINELA A classificação de causas de um possível erro é denominada Evento Sentinela que, de acordo com a A classificação de causas de um possível é denominada Sentinela que, deaos acordo comoua Organização Mundial da Saúde (OMS), é umerro incidente inesperadoEvento e indesejável associado cuidados Organização Mundial da Saúde (OMS), é um incidente inesperado e indesejável associado aos cuidados ou serviços prestados ao paciente que atingiu o cliente ou paciente. O incidente ocorre durante o processo de EVENTO SENTINELA serviços prestados paciente quepossível atingiuerro o cliente ou paciente. O incidente ocorre o processo de recebimento de serviços de saúde. A classificação deaocausas de um é denominada Evento Sentinela que, dedurante acordo com a Organização recebimento de serviços saúde. Mundial da Saúde (OMS),de é um incidente inesperado e indesejável associado aos cuidados ou serviços prestados ao paciente que atingiu o cliente ou paciente. O incidente ocorre durante o processo de recebimento de serviços de saúde.

SENTINELA POR APLICAÇÕES DE RADIOTERAPIA 2018/2019

SENTINELA POR APLICAÇÕES DE RADIOTERAPIA 2018/2019 SENTINELA POR APLICAÇÕES DE RADIOTERAPIA 2018/2019

1,00000 1,00000 0,80000 0,80000 0,60000 0,60000 0,40000 0,40000 0,20000 0,20000 0,00000 0,00000

0 0 0 0 0 0 set/18 out/18 nov/18 set/18 out/18 nov/18

0,00022 0,00019 0,00018 0,00013 0,00011 0 0 0 0 0,00022 0,00019 0,00018 0,00013 0,00011 0 0 0 0 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 jul/19 ago/19 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 jul/19 ago/19

0,00046 0,00013 0,00046 0,00013 set/19 out/19 set/19 out/19

SENTINELA POR PROCEDIMENTOS DE QUIMIOTERAPIA 2018/2019

SENTINELA POR PROCEDIMENTOS DE QUIMIOTERAPIA 2018/2019 SENTINELA POR PROCEDIMENTOS DE QUIMIOTERAPIA 2018/2019

1,00000 1,00000 0,80000 0,80000 0,60000 0,60000 0,40000 TRIGGERS 0,40000 0,20000 0,00582 0,00222 0,00584 0,00220 0,00818 0,00259 0,00524 0,00258 0,00274 0,00949 0,00254 0,00240 0 0 O0,20000 Triggers é uma ferramenta para medir e investigar possíveis danos ocorridos em função de tratamentos TRIGGERS 0,00000 0,00582 0,00222 0,00584 0,00220 0,00818 0,00259 0,00524 0,00258 0,00274 0,00949 0,00254 0,00240 0 0 oferecidos ao paciente. Inicialmente, ela foi criada pelo IHI (Institute for Healthcare Improvement) para o 0,00000 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 jul/19 ago/19 set/19 out/19 ambiente mas a equipe IOV fev/19 ae adaptou para o ambiente ambulatorial e clínico. ferramenta set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 jul/19 ago/19 set/19“Esta out/19 O Triggershospitalar, é uma ferramenta paradomedir investigar possíveis danos ocorridos em função de tratamentos

Observamos gráficos Inicialmente, que o índicedanos deela Eventos Sentinelas está de for 0. Healthcare bem nos permiteaonos identificar possíveis porcriada meio de auditorias multidisciplinares, como discutir oferecidos paciente. foi pelo IHIpróximo (Institute Improvement) para oe desenvolver planos para melhoria da assistência por meio da criação de barreiras de prevenção de risco”, ambiente hospitalar, mas a equipe do IOV a adaptou para o ambiente ambulatorial e clínico. “Esta ferramenta LEGENDA: Observamos nos gráficos que o índice de Eventos Sentinelas está próximo de 0. TRIGGERS explica o oncologista Dr. Henrique Zanoni Fernandes. LEGENDA: Observamos nos possíveis gráficos que o índice de Eventos Sentinelas estáocorridos próximo de nos permite danos por meiopossíveis de auditorias multidisciplinares, como discutir e O Triggers éidentificar uma ferramenta para medir e investigar danos em0.função debem tratamentos oferecidos desenvolver planos para assistência por da criação de barreiras prevenção de risco”, ao paciente. Inicialmente, elamelhoria foi criada da pelo IHI (Institute formeio Healthcare Improvement) para ode ambiente hospitalar, mas a explicadoo IOV oncologista Henrique Zanoni Fernandes. equipe a adaptouDr. para o ambiente ambulatorial e clínico. “Esta ferramenta nos permite identificar possíveis danos

GLOBAL TRIGGER TOOL - Unidade de Quimioterapia

por meio de auditorias multidisciplinares, bem como discutir e desenvolver planos para melhoria da assistência por meio São Joséexplica dos Campos 2018 - 2019 Zanoni Fernandes. da criação de barreiras de prevenção de risco”, o oncologista Dr. Henrique 30,00 GLOBAL 20,00 30,00 10,00 20,00 0,00 10,00 0,00

TRIGGERDE TOOL - Unidade deSÃO Quimioterapia 14,12 TRIGGER GLOBAL TOOL - UNIDADE QUIMIOTERAPIA JOSÉ DOS CAMPOS 2018 - 2019 São José dos Campos 2018 - 2019 10,26

7,21 7,21 7,80 jun/18 7,80 jun/18

4,39

4,25

5,19

4,83

4,89

5,17

5,48

14,12

10,24 10,26 2,20 6,96 0,00 3,67 3,29 5,48 2,02 0,00 4,89 1,87 4,25 3,16 4,83 3,16 5,173,18 4,39 2,53 1,745,193,12 10,24 2,20 1,92 2,20 jul/18 ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 jul/19 6,96 0,00 3,67 3,29 3,16 2,02 0,00 1,87 2,53 3,12 3,18 1,74 Measure #1: Danos/1000 atendimentos Measure #2: Danos/10003,16 procedimentos jul/18 ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 jul/19 1,92

2,20

Measure #1: Danos/1000 atendimentos

Measure #2: Danos/1000 procedimentos

GLOBAL TRIGGER TOOL - Unidade de Quimioterapia Taubaté 2018 -2019 GLOBAL TRIGGER TOOL - Unidade de Quimioterapia Taubaté 2018 -2019

GLOBAL TRIGGER TOOL - UNIDADE DE QUIMIOTERAPIA TAUBATÉ 2018 -2019 60,00 40,00 20,00 60,00 0,00 40,00 20,00 0,00

20,62 20,62 18,24 jun/18 18,24 jun/18

3,15

6,13

3,52

6,12

3,28

5,39

6,02

8,40

0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 3,31 8,50 3,19 5,04 5,71 8,40 3,26out/18 nov/18 6,12 6,43dez/18 6,02 mar/19 abr/19 6,13 5,57set/18 5,39 jul/18 ago/18 jan/19 fev/19 mai/19 jun/19 jul/19 3,52 3,28 3,15 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Measure #1: Danos/1000 0,00 atendimentos Measure #2: Danos/1000 procedimentos 3,31 8,50 3,19 5,04 5,71 6,43 5,57 jul/18 ago/18 set/183,26out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 jul/19 0,00

0,00

Nos gráficos das unidades de #1: quimioterapia de São José dos Campos e Taubaté, observamos que os números de Measure Danos/1000 atendimentos Measure #2: Danos/1000 procedimentos eventos/danos identificados estão dentro dos padrões estabelecidos pelo benchmarking do Institute for Healthcare LEGENDA: Nosque gráficos unidades dedequimioterapia de como São José dos Campos Taubaté,ofobservamos os Improvement, analisadas a performance qualidade tendo referência o IOM –e Institute Medicine. Osque triggers evidenciados foram analisados, tratados e desenvolvido contramedidas. números de eventos/danos identificados, estão dentro dos padrões estabelecidos pelo benchmarking do Institute for

Helthcare Improvement, que analisa a performance de qualidade referência o IOM – Institute of Medicine. LEGENDA: Nos gráficos das unidades de quimioterapia de Sãotendo José como dos Campos e Taubaté, observamos que os Os triggers foram analisados,estão tratados e desenvolvido números deevidenciados eventos/danos identificados, dentro dos padrões contramedidas. estabelecidos pelo benchmarking do Institute for Helthcare Improvement, que analisa a performance de qualidade tendo como referência o IOM – Institute of Medicine.


6

QUALIDADE

IOV Taubaté avança na conquista da certificação QOPI

C

omo parte da busca pela certificação Quality Oncology Practice Initiative (QOPI), concedida pela Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), a unidade de Taubaté do Instituto de Oncologia do Vale, recebeu a visita de duas auditoras americanas. Segundo a médica oncologista e Site Manager da unidade de Taubaté, Dra. Évelin Araújo dos Santos Marotta, a auditoria foi bastante minuciosa. “O processo de certificação é rigoroso, levantando questões relacionadas à excelência em qualidade, segurança e otimização contínua dos processos e se inicia meses antes, com várias reuniões e com o envio de toda a documentação referente aos nossos padrões para ser submetida a uma avaliação”, explica. Ainda de acordo com a médica, a dedicação da equipe e a forma com

que todos os colaboradores estão envolvidos e comprometidos com a busca da qualidade foi muito elogiada pelas auditoras. “É uma honra conquistarmos mais essa certificação, que é uma referência no mundo da oncologia. Isso demonstra uma cultura de excelência e reitera o nosso compromisso com a qualidade do tratamento oferecido aos pacientes e com a comunidade médica”, conclui.

A unidade de São José dos Campos, foi a primeira clínica da América Latina e a segunda fora dos Estados Unidos a receber a certificação Quality Oncology Practice Initiative (QOPI). O QOPI é uma ferramenta de qualidade baseada na prática e em um programa de melhorias realizado por oncologistas. O objetivo é promover a excelência no cuidado ao paciente, ajudando os serviços a criar uma cultura de autoanálise e melhorias.

RADIOTERAPIA

Radioterapia investe em CR (Radiologia Computadorizada) e agiliza atendimentos

O

Instituto de Oncologia do Vale colocou em operação um novo equipamento de aquisição de imagens digital, que proporcionou ganhos de qualidade nos atendimentos. O equipamento está sendo utilizado em 100% das capturas de imagens

dos pacientes em tratamento de radioterapia, trazendo mais rapidez, conforto e precisão. Segundo a supervisora dos técnicos em radioterapia, Deila Oliveira Bernardo, o equipamento trouxe ganhos como mais rapidez de aquisição

de imagens, melhora da clareza e definição de contraste em comparação aos filmes de raio-x, eliminação da manutenção da reveladora e dos gastos com químicos radiológicos. “O CR (Radiologia Computadorizada) Fuji nos permite uma excelente análise das imagens, tornando os planejamentos e portais de controle de qualidade muito mais eficientes para localização anatômica do tratamento dos pacientes”, afirma. Antes de iniciar as operações do novo equipamento, os técnicos da radioterapia passaram por um treinamento. “Foi muito tranquilo, pois o sistema é interativo e amigável, permitindo um máximo aproveitamento e interação por parte dos técnicos e médicos”, concluiu Deila.


7

QUALIDADE DE VIDA

Workshop orienta pacientes sobre alimentação saudável durante tratamento

I

ncluir hábitos alimentares saudáveis no dia a dia é fundamental durante o tratamento oncológico. Em vista disso, a Oficina de Qualidade de Vida promoveu o 1º workshop de nutrição no IOV de Taubaté. “O objetivo foi mostrar a importância do acompanhamento nutricional durante o tratamento e da alimentação como aliados na promoção da saúde. A nutrição auxilia no combate dos efeitos colaterais, ajuda a amenizar as dificuldades que o paciente apresenta durante o tratamento, promove saúde, bem-estar e prazer no ato de comer”, explica a nutricionista do IOV, Isadora Ferreira Silva. Durante o workshop, os pacientes receberam orientações sobre o manejo de sintomas comuns durante o tratamento, como náusea, vômito, constipação, diarreia e mucosite, bem como tiveram o prazer de degustar comidas saudáveis. “Pudemos aprender que a alimentação saudável é de fundamental

importância para que os pacientes atravessem o tratamento da melhor maneira possível”, comenta Jorge Simeão, paciente do IOV. Os participantes ainda levaram para casa um livro de receitas saudáveis elaborado pela nutricionista do IOV.

Roda de conversa do IOV cria ambiente acolhedor para pacientes

A

colhedora, esperançosa e otimista. Foi assim que os pacientes do Instituto de Oncologia do Vale descreveram a roda de conversa realizada na unidade de São José dos Campos, como parte da programação da Oficina de Qualidade de Vida para promover a troca de experiências. Com o tema “Tratamento oncológico e mudança de vida: como lidar?”, a roda foi acompanhada pela psicóloga do

IOV, Ana Eliza Sakakibara, e conduzida pelos próprios participantes que tiveram a liberdade de compartilhar um pouco sobre a experiência vivida por cada um. “A roda de conversa é muito positiva, há uma aproximação entre os pacientes com a troca de experiências e sentimentos”, destaca a psicóloga do IOV. Falbina Hernandez, psicóloga e paciente do Instituto, contou que sua profissão não a colocou em vantagem alguma durante o tratamento

oncológico. “Precisei buscar ajuda profissional e senti muita falta das pessoas, dos amigos. As pessoas pensam que vão atrapalhar e optam por não fazer uma visita, mas a gente precisa disso”, ressaltou. “Não tem como comparar uma história com a outra, a troca de experiência faz parte do tratamento e não é algo que a gente encontra em farmácia”, destaca Lujan de Cássia Agostinho, psicóloga e paciente do IOV.


8

CAMPANHAS

IOV leva informação e conscientização para outras empresas no Outubro Rosa

E

m comemoração ao Outubro Rosa, o IOV realizou diversas ações dentro e fora do Instituto para levar mais informação e conscientização sobre o câncer de mama. A equipe da unidade de Taubaté realizou palestras na fábrica da Volkswagen, no Hospital São Lucas, no Hospital Universitário, na fábrica da Gerdau e no Shopping Pátio Pinda. “O IOV tem a missão não só de tratar o paciente, mas também de falar sobre a prevenção. Por isso, as palestras informativas são de grande importância. Além de se conscientizarem os participantes também disseminam essas orientações e com isso conseguimos aumentar o

número de pessoas impactadas pela informação”, destaca Priscilla Arcas, VSM da Assistência do IOV. Além disso, os colaboradores, pacientes e acompanhantes também participaram de um evento dentro do IOV, como o Pink Day, quando todos foram vestidos de rosa. A equipe do IOV de São José dos Campos ministrou dez palestras no mês de outubro, e conseguiu atingir 360 pessoas. “Levamos folders informativos e a mama amiga para simular o autoexame das mamas. Este é o principal objetivo do IOV, levar a informação e, assim, diminuir o impacto do câncer na vida das pessoas”, ressalta Melissa Shizue Taciro de Freitas, coordenadora do Centro de Estudos do IOV.

Profile for IOV - Instituto de Oncologia do Vale

IOV&VOCÊ Edição 78  

Informativo do Instituto de Oncologia do Vale

IOV&VOCÊ Edição 78  

Informativo do Instituto de Oncologia do Vale

Advertisement