__MAIN_TEXT__

Page 1

77 Ano 17 Julho/Agosto

2019

Informativo do Instituto de Oncologia do Vale

Ação VIVA + SEM CIGARRO marca o Dia Nacional de Combate ao Fumo AÇÃO PROMOVIDA PELO INSTITUTO DE ONCOLOGIA DO VALE, NO PARQUE VICENTINA ARANHA, REFORÇOU A IMPORTÂNCIA DE ADOTAR HÁBITOS SAUDÁVEIS PARA ABANDONAR A NICOTINA E REDUZIR O IMPACTO AMBIENTAL CAUSADO PELO CIGARRO

E

m comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Fumo, data que tem o objetivo de reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco, o Instituto de Oncologia do Vale (IOV), promoveu no Parque Vicentina Aranha, a ação VIVA + SEM CIGARRO, no dia 29 de agosto. Ao longo de todo dia, a equipe multidisciplinar do IOV, em parceria com a academia Saúde em Evidência, esteve no quiosque ao lado da Avenida São João, realizando atividades de orientação e promovendo aulas de yoga, ginástica funcional e mat pilates gratuitas para os visitantes do parque. “Preparamos essa programação com atividades físicas, pois a prática esportiva é uma importante aliada no combate ao tabagismo porque ajuda a reduzir a ansiedade. Além disso, abandonar o cigarro é fundamental para minimizar os impactos de diversos tipos de câncer, bem como de outras doenças”, afirmou a médica oncologista e coordenadora da equipe multiprofissional do IOV, Dra. Cristiane Bittencourt.

CAMPANHA TAMBÉM ALERTA PARA OS RISCOS AMBIENTAIS DO TABAGISMO Neste ano, além da ênfase na importância de abandonar o tabagismo para melhorar a qualidade de vida e prevenir o câncer, a equipe do IOV também alertou a população para o dano ambiental causado pelo cigarro, por meio de uma intervenção do Street & Digital Art Gui Mogli que foi instalada na área verde do Parque. Dados do Inca apontam que nos países em desenvolvimento, o desmatamento devido ao plantio e secagem das folhas do tabaco corresponde a 5% do total. Para cada 300 cigarros produzidos, uma árvore é sacrificada. O fumante de um maço de cigarros por dia consome duas árvores em um mês. O desmatamento está associado ainda a surtos de doenças infecciosas e à erosão e destruição do solo.


2

EDITORIAL

QUALIDADE

Prevenção, tecnologia e educação: as ferramentas contra o câncer

O

combate ao câncer é uma batalha que somente pode ser vencida por meio do investimento em prevenção, tecnologia, pesquisa e educação continuada. Essas são as ferramentas que nós do Instituto de Oncologia do Vale temos adotado. Investimos cada vez mais em ações que estimulam a qualidade de vida e o bem-estar, como a campanha VIVA + SEM CIGARRO, que ajuda a prevenir a doença. Também não nos esquecemos da importância da qualidade de vida para aqueles que já estão enfrentando o problema. As Oficinas de Qualidade de Vida e o cuidado humanizado, são ferramentas que promovem conforto aos nossos pacientes. Nós também fizemos investimentos em tecnologias que tornam os tratamentos mais eficazes e geraram mais comodidade, como o novo Acelerador Linear IMRT, capaz de oferecer tratamentos mais eficientes e menos tóxicos. Não esquecemos da capacitação das nossas equipes e da educação continuada, pois acreditamos que somente pessoas bem preparadas e com uma visão multidisciplinar são capazes de oferecer sempre o melhor cuidado. Sabemos que ainda há muito para fazer, mas vamos continuar investindo e seguindo rumo ao nosso objetivo que é reduzir o impacto do câncer na vida das pessoas, por meio da prevenção e da experiência do cuidado.

Radioterapia recebe avaliadores da Certificação Canadense

C

omo parte do processo de certificação internacional, a radioterapia do Instituto de Oncologia do Vale recebeu a visita dos avaliadores da certificação canadense Qmentum International. “Essa visita marcou o início de processo de extenção da certificação para nossa radioterapia”, explica a gerente do Lean Office, Stela Maris. “É a primeira vez que temos uma auditoria da Qmentum na radioterapia do IOV, ela vem para reforçar nosso compromisso com a qualidade na

assistência e segurança dos pacientes”, destaca Sheila Viana Reis Fernandes, VSM da assistência da rapioterapia. As unidades de quimioterapia do IOV já têm a certificação Diamante, que é o nível mais alto da Qmentum, que orienta e monitora os padrões de alta performance em qualidade e segurança, utilizando critérios internacionais com validação mundial. A certificação é aplicada em mais de 30 países e assegura às organizações o atendimento aos requisitos de governança e boas práticas assistenciais.

Dr. Adriano Diniz Baptista Mendes Médico Oncologista

EXPEDIENTE Responsável Técnico: Dr. Carlos Flávio Turci – CRM 27.301 / Diretoria: Dr. Adriano Diniz B. Mendes, Dr. Carlos Flávio Turci, Dr. Carlos Frederico Pinto e Dr. Marcelo Taborda | Comunicação e MKT IOV: Fabiano Gaspar Vieira | IOV & Você circula junto aos pacientes, familiares, área médica e profissionais da saúde. Correspondências devem ser enviadas sob o título “Jornal IOV & Você” para: Rua Major Antônio Domingues, 472 – SJC – 12.245-750. Tel.: (12) 3924-9055. E-mail:iov@iov.med.br *Registrado no cartório de registro de notas e documentos sob o número 171517 | Produção: Comunikação Consultoria - Tel.: (12) 98156-6744 - www.comunikacao.com.br – Coordenação de Jornalismo e Edição: Areta Braga – Jornalista Responsável: Areta Braga - MTb 38.005 – Redação: Areta Braga e Natália Mitie Fotos: Arquivo/ Divulgação – Diagramação: Adriano Augusto – Revisão: Flávia Gavioli – Gráfica: Copcentro – Tiragem: 600 exemplares.


3

RADIOTERAPIA

IOV instala mais um Acelerador Linear NOVO EQUIPAMENTO CONTA COM SISTEMA IMRT QUE AUMENTA A PRECISÃO DO TRATAMENTO

O

Instituto de Oncologia do Vale colocou em operação mais um acelerador linear. Este que é o quarto equipamento de radioterapia já está sendo utilizado para o tratamento dos pacientes e oferece, além da radioterapia tridimensional, a de intensidade modulada (IMRT). Indicada, principalmente, para o tratamento de tumores de próstata, cabeça e pescoço, ginecológicos, gastrointestinais e do sistema nervoso central, a IMRT é altamente precisa e permite uma melhor delimitação da área a ser tratada, reduzindo assim o impacto aos tecidos saudáveis do corpo e aumentando a eficácia do tratamento. Segundo a site manager do Grupo IOV, Leonídia Altoé, a tecnologia deste novo equipamento vai ao encontro da filosofia do IOV de oferecer o melhor cuidado,

minimizando o desconforto e aumentando a eficácia do tratamento. “Estamos investindo constantemente em oferecer sempre os tratamentos que têm maior eficácia e conforto aos pacientes, exemplo disto é o investimento que estamos fazendo em tecnologias e no treinamento das nossas equipes para atuar com esses novos equipamentos”, disse.

Antes mesmo que o acelerador linear com sistema IMRT entrasse em operação, os técnicos de radioterapia do IOV realizaram uma especialização de seis meses no Instituto Cimas de São Paulo e EaD pela INACI/FINACI. No curso eles aprofundaram seus conhecimentos no planejamento e tratamento em 3D, radiocirurgia e técnicas com feixes modulados (VMAT e IMRT).

Equipes participam de treinamentos de desenvolvimento pessoal

U

m dos pilares para melhorar a qualidade de vida é desenvolver habilidades pessoais e melhorar a autoconsciência e autoconhecimento. Com esse propósito e também visando

a melhoria do atendimento, o Instituto de Oncologia do Vale promove palestras e treinamentos para capacitação e desenvolvimento dos colaboradores de todas as unidades.

As equipes de Radioterapia do IOV, recentemente, participaram dos treinamentos “A comunicação verbal e visual no atendimento ao cliente (interno e externo)” e “Você como agente do seu sucesso”. “O objetivo é fazer com que as equipes tenham uma integração maior, valorizem o outro e entendam que o trabalho em equipe efetivamente precisa existir”, explicou Rosângela Micoli, psicóloga e facilitadora dos treinamentos. Bruna dos Santos, recepcionista do IOV, destacou a importância da capacitação para conseguir desenvolver um bom trabalho. “Os treinamentos são muito interessantes, abordam questões que precisamos conhecer para termos mais segurança ao desenvolver nosso trabalho”, completou.


4

RELATÓRIOS DE SEGURANÇA

Segurança do Paciente no Grupo IOV Segurança Segurançado doPaciente Pacienteno noGrupo GrupoIOV IOV

ALERTAS DE ALERTAS DESEGURANÇA SEGURANÇA ALERTAS DE SEGURANÇA O SistemaGestão de GestãoIOV do IOV desenvolveu o Alerta Segurança de Segurança com o objetivo de identificar os OOSistema Sistemade de Gestãodo do IOVdesenvolveu desenvolveuooAlerta Alertade de Segurançacom comooobjetivo objetivode deidentificar identificaros ospotenciais potenciaisriscos riscosno no potenciais riscos no processo, quanto mais alertas forem abertos, maior possibilidade de analisar o fluxo processo, quanto mais alertas forem abertos, maior possibilidade de analisar o fluxo e torna-lo mais seguro. As equipes processo, mais alertas foremsão abertos, maior possibilidade o fluxo torna-lo mais seguro. As equipes e torná-loquanto mais seguro. As equipes responsáveis em identificarde asanalisar falhas, que são ediscutidas no quadro são responsáveis em identificar as falhas, que são discutidas no quadro gerador de ideias, se algum problema é são responsáveis em identificar as falhas, que são discutidas no quadro gerador de ideias, se algum gerador de ideias, se algum problema é identificado, analisa-se o risco, melhora o processo, cria barreiras problema é identificado, melhora oo processo, e padroniza analisasse para que o o evento ocorra novamente. identificado, analisasse o risco, risco,não melhora processo, cria cria barreiras barreiras ee padroniza padroniza para para que que oo evento evento não não ocorra ocorra novamente. novamente.

ALERTAS DE SEGURANÇA RADIOTERAPIA ALERTAS DE SEGURANÇA2018/2019 RADIOTERAPIA 2018/2019

ALERTAS DE SEGURANÇA RADIOTERAPIA 2018/2019

80 80

73 73

70 70 60 60 50 50

62 62 49 49

46 46 35 35

40 40 30 30

20 20

20 20

45 45

39 39

55 55

53 53 42 42 33 33

28 28

10 10 0 0

ago/18 set/18 ago/18 set/18

out/18 nov/18 dez/18 jan/19 out/18 nov/18 dez/18 jan/19

fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19

jul/19 jul/19

ago/19 ago/19

152 152

151 151

jul/19 jul/19

ago/19 ago/19

ALERTAS SEGURANÇA 2018/2019 ALERTAS DE SEGURANÇA QUIMIOTERAPIA 2018/2019 ALERTASDE DE SEGURANÇAQUIMIOTERAPIA QUIMIOTERAPIA 2018/2019

300 300 250 250 200 200

207 207

201 201

212 212

247 247

223 223 183 183

178 178

193 193

211 211

205 205

193 193

150 150 100 100 50 50 0 0

ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19

fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19

Legenda: Os gráficos das de São José Campos eeTaubaté ilustram mantém oonúmero Legenda: Osdas gráficos dasunidades unidades São Josédos dos Campos Taubaté ilustramoque que mantém númerode dealertas alertasde de Os gráficos unidades de São Joséde dos Campos e Taubaté ilustram que mantêm número de alertas segurança abertos no Grupo IOV. segurança abertos no Grupo IOV. de segurança abertos no Grupo IOV.


5

EVENTO SENTINELA EVENTO SENTINELA A classificação de causas de um possível erro é denominada Evento Sentinela que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é umerro incidente inesperadoEvento e indesejável associado cuidados A classificação de causas de um possível é denominada Sentinela que, deaos acordo comoua EVENTO serviços prestados aoSENTINELA paciente atingiu o cliente ou paciente. ocorre duranteaos o processo Organização Mundial da Saúdeque (OMS), é um incidente inesperadoO eincidente indesejável associado cuidados de ou recebimento de serviços de saúde. A classificação depaciente causas de possível erro ou é denominada Evento Sentinela que,ode acordodecom a Organização serviços prestados ao queum atingiu o cliente paciente. O incidente ocorre durante processo Mundial da de Saúde (OMS), é um incidente inesperado e indesejável associado aos cuidados ou serviços prestados ao recebimento serviços de saúde. paciente que atingiu o cliente ou paciente. O incidente ocorre durante o processo de recebimento de serviços de saúde.

SENTINELA POR APLICAÇÕES DE RADIOTERAPIA 2018/2019

SENTINELA POR APLICAÇÕES DE RADIOTERAPIA 2018/2019 SENTINELA POR APLICAÇÕES DE RADIOTERAPIA 2018/2019 0,01600 0,01600 0,01400 0,01400 0,01200 0,01200 0,01000 0,01000 0,00800 0,00800 0,00600 0,00600 0,00400 0,00400 0,00200 0,00200 0,00000 0,00000

0,00022

0,00019

0

0

0

0

0

0 ago/18

0 set/18

0 out/18

0 nov/18

0,00022 0 dez/18 jan/19

ago/18

set/18

out/18

nov/18

dez/18

0

0,00013 0,00011

0

0,00019 0,00013 0,00011 0 0 fev/19 mar/19 abr/19 mai/19 jun/19

jan/19

fev/19

mar/19

abr/19

mai/19

jun/19

0,00018

0

0,00018 0 jul/19 ago/19 jul/19

ago/19

SENTINELA POR PROCEDIMENTOS QUIMIOTERAPIA 2018/2019 SENTINELA POR PROCEDIMENTOSDE DE QUIMIOTERAPIA 2018/2019 0,01600 0,01600 0,01400

SENTINELA POR PROCEDIMENTOS DE QUIMIOTERAPIA 2018/2019

0,01403

0,01403

0,01400 0,01200 0,01200 0,01000

0,00949

0,00818

0,01000 0,00800

TRIGGERS 0,00800 0,00600 0,00600 0,00400

0,00582

0,00584

0,00582

0,00584 0,00222

0,00949

0,00818

0,00524 0,00259

0

0,00524

0,00258 0,00274

TRIGGERS O0,00200 Triggers é uma ferramenta para medir0 e investigar possíveis0,00258 danos ocorridos em função de tratamentos 0,00274 0,00400 0,00259 0,00222 0 0 oferecidos ao paciente. Inicialmente, ela foi criada pelo IHI (Institute for Healthcare Improvement) para o 0,00200 0,00000 0 0 ago/18 set/18ferramenta out/18a equipe nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 mai/19 jun/19 jul/19 em ago/19 O Triggers é uma para investigar possíveis danos ocorridos função“Esta de tratamentos ambiente hospitalar, mas domedir IOV ae adaptou para oabr/19 ambiente ambulatorial e clínico. ferramenta 0,00000 ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 fev/19 abr/19(Institute mai/19 jun/19 jul/19 ago/19bem oferecidos aoidentificar paciente. Inicialmente, elajan/19 foi pelo IHI for Healthcare Improvement) para oe nos permite possíveis danos porcriada meio mar/19 de auditorias multidisciplinares, como discutir Observamos nos gráficos que o índice de Eventos Sentinelas está próximo de 0. ambiente hospitalar, mas amelhoria equipe do a adaptou ambiente e clínico. “Esta ferramenta LEGENDA: Observamos gráficos que o índice de Eventos Sentinelas estáopróximo de 0. ambulatorial desenvolver planosnospara daIOV assistência porpara meio da criação de barreiras de prevenção de risco”, nos permite identificar danos por meio deestá auditorias bem como discutir e LEGENDA: nos gráficos que o índice de Eventos Sentinelas próximo demultidisciplinares, 0. explica oObservamos oncologista Dr.possíveis Henrique Zanoni Fernandes. TRIGGERS O Triggers éplanos uma ferramenta para medir e investigarpor possíveis ocorridos função de de tratamentos oferecidos desenvolver para melhoria da assistência meio danos da criação de em barreiras prevenção de risco”, ao paciente. Inicialmente, ela foi criada pelo IHI (Institute for Healthcare Improvement) para o ambiente hospitalar, mas a explica o oncologista Dr. Henrique Zanoni Fernandes.

equipe do IOVGLOBAL a adaptou TRIGGERS para o ambiente ambulatorial e clínico. ferramenta nos permite identificar TOOL - Unidade de“Esta Quimioterapia São José dospossíveis danos por meio de auditorias multidisciplinares, bem como discutir e desenvolver planos para melhoria da assistência por meio Campos 2018/2019 da criação de GLOBAL barreiras deTRIGGERS prevenção de TOOL risco”, explica o oncologista Dr. Henrique ZanoniSão Fernandes. - Unidade de Quimioterapia José dos 12,00 GLOBAL TRIGGERS TOOL - UNIDADE DE QUIMIOTERAPIA SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 2018/2019 10,26 10,00 8,00 12,00 7,80 6,96 7,21 10,26 6,00 5,98 10,00 5,19 4,83 4,72 4,39 4,35 4,25 4,00 8,00 1,87 7,80 4,32 3,29 3,16 2,20 3,12 6,96 1,87 2,53 2,20 2,00 2,02 7,21 6,00 5,98 1,53 1,74 0,00 5,19 1,92 4,83 4,72 4,39 4,35 4,25 0,00 0,00 4,00 1,87 4,32 3,29 3,16 2,20 3,12 1,87mai/18 jun/18 2,53 set/182,20out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 mar/18 abr/18 jul/182,02 ago/18 2,00 1,53 1,74 0,00 1,92 0,00 0,00 Measure #1: Danos/1000 atendimentos Measure #2: Danos/1000 procedimentos mar/18 abr/18 mai/18 jun/18 jul/18 ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19

Campos 2018/2019

Measure #1: Danos/1000 atendimentos

Measure #2: Danos/1000 procedimentos

GLOBAL TRIGGERS TOOL - Unidade de Quimioterapia Taubaté 2018/2019 GLOBAL TRIGGERS TOOL - Unidade de Quimioterapia Taubaté 20,6 2018/2019

GLOBAL TRIGGERS TOOL - UNIDADE DE QUIMIOTERAPIA TAUBATÉ 2018/2019 30,00 20,00 30,00 10,00 20,00 0,00 10,00 0,00

0 0 mar/18 0 0 mar/18

0 0 abr/18 0 0 abr/18

18,2 6,1 6,4 5,4 3,2 3,5 3,3 20,6 0 5,6 5,0 3,3 3,3 3,2 6,1 0 18,2 5,5 7,8 jun/18 6,1 nov/18 5,8 jul/18 ago/18 set/183,2 out/18 mai/18 jan/196,4 fev/19 5,4 3,5 dez/18 3,3 mar/19 0 5,8 5,6 5,5 5,4 5,0 3,3 3,3 3,2 6,1 0 Measure #1: Danos/1000 atendimentos Measure #2: Danos/1000 procedimentos mai/18 jun/18 jul/18 ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 7,8 5,4

5,8 5,8

5,5 5,5

Nos gráficos das unidades deMeasure quimioterapia deatendimentos São José dos Campos e Taubaté observamos que os números de #1: Danos/1000 Measure #2: Danos/1000 procedimentos

eventos/danos dentro padrões estabelecidos pelo benchmarking do Institute for Healthcare LEGENDA: Nos identificados gráficos das estão unidades dedos quimioterapia de São José dos Campos e Taubaté, observamos que os Improvement, que analisa a identificados, performance de qualidade como referência o IOM – Institute of Medicine. Os triggers números de eventos/danos estão dentro tendo dos padrões estabelecidos pelo benchmarking do Institute for evidenciados foram analisados, tratadosde e desenvolvidas contramedidas. LEGENDA: Nos gráficos das unidades quimioterapia de São José dos Campos e Taubaté, observamos que os Helthcare Improvement, que analisa a performance de qualidade tendo como referência o IOM – Institute of Medicine. números deevidenciados eventos/danos identificados, dentro dos padrões contramedidas. estabelecidos pelo benchmarking do Institute for Os triggers foram analisados,estão tratados e desenvolvido Helthcare Improvement, que analisa a performance de qualidade tendo como referência o IOM – Institute of Medicine.


6

QUALIDADE DE VIDA

Guia Bem Viver orienta pacientes em tratamento no IOV

D

urante o tratamento do câncer, o paciente passa por muitas mudanças, mas é importante buscar sempre o bem-estar, que envolve uma boa nutrição, atividade física, bons relacionamentos interpessoais, familiares e sociais, ou seja, engloba vários aspectos da vida. Pensando no conforto, o Instituto de Oncologia do Vale oferece aos pacientes tanto de quimioterapia quanto de radioterapia o Guia Bem Viver, um manual de apoio com conteúdos relacionados à alimentação adequada, os possíveis efeitos colaterais durante o tratamento, cuidados com o sol, orientações gerais, entre outras informações. Além disso, o guia disponibiliza

também orientações específicas para cada paciente. “É importante cuidar do paciente individualmente, por isso, além das orientações gerais, personalizamos com relação ao local do tratamento. No caso da radioterapia falamos sobre a área de radiação que irá ser tratada, onde é feita, indicamos também as marcações, tudo isso pensando no bem-estar”, destaca Sheila Viana Reis Fernandes, VSM da Assistência do IOV. “O guia é essencial, pois direciona as informações aos pacientes que, na maioria das vezes, não consegue processar tudo durante a primeira consulta. Ele permite que o paciente leia o material com calma depois”, complementa Sheila Viana Reis Fernandes, VSM da Assistência.

É importante cuidar do paciente individualmente, por isso, além das orientações gerais, personalizamos com relação ao local do tratamento.


7

QUALIDADE DE VIDA

Oficina de Qualidade de Vida promove manhã especial de atividades físicas

O

Instituto de Oncologia do Vale tem a prática de atividade física como um dos pilares para uma vida saudável. Por isso, a Oficina de Qualidade de Vida do IOV São José dos Campos promoveu uma manhã especial de atividades físicas em agosto. A programação contou uma introdução e palestra sobre treino funcional, conduzida pelos profissionais da Equipe 3 – Treinamento Físico Integrado, e com um depoimento do educador físico André Augusto Sena, que compartilhou o quanto as atividades físicas foram importantes para ajudá-lo a vencer um câncer de tireoide. “A atividade física foi fundamental para passar pelo tratamento, principalmente, nos dias em que eu estava mais desanimado, devido a liberação hormonal que os exercícios

proporcionam. Muitas vezes a fadiga do tratamento não melhora com descanso, mas sim se movimentando. Além disso, a autoconfiança trazida pelas práticas esportivas é essencial neste momento”,

Cuidado Coordenado é estendido à Radioterapia

C

om a missão de oferecer atendimento centrado nas necessidades do paciente, o modelo de Cuidado Coordenado vem sendo aplicado com sucesso pelo Instituto de Oncologia do Vale

nas unidades de quimioterapia há três anos. Visando ampliar cada vez mais os benefícios deste modelo, neste semestre ele também se estendeu também aos pacientes da radioterapia. O Cuidado Coordenado da

comentou o professor. Todos os participantes da Oficina tiveram ainda a oportunidade de praticar alguns exercícios que exploraram a postura, o equilíbrio e a força

radioterapia dispõe de uma equipe exclusiva com duas enfermeiras, que acolhem e acompanham o paciente durante todo o tratamento. Elas têm um papel muito importante de orientação e suporte, atuam, principalmente, no controle da dor e dos efeitos colaterais, proporcionando apoio e antecipando as necessidades do paciente. “O Cuidado Coordenado na radioterapia é uma experiência nova. Esse acolhimento durante o tratamento é de extrema importância para o paciente, permite com que ele seja acompanhado por alguém da equipe que irá tirar todas as dúvidas e orientar durante todo o tratamento até a melhora no quadro”, destaca Sheila Viana Reis Fernandes, VSM da Assistência do IOV. Nas unidades de quimioterapia, desde que começou a ser aplicado, o modelo de cuidado coordenado já reduziu em 30% as idas dos pacientes ao pronto atendimento.


8

TECNOLOGIA

Novo equipamento do IOV facilita a precisão da punção venosa com mais conforto ao paciente

D

urante o tratamento oncológico, os pacientes tendem a ficar com as veias mais sensíveis devido as características dos medicamentos utilizados. Visando reduzir esse impacto para aqueles que realizam o tratamento em veia periférica, o IOV investe em novas tecnologias, como o VeinViewer. O aparelho mostra a imagem de todos os vasos periféricos, facilitando o trabalho da enfermeira na escolha do melhor vaso sanguíneo para a punção precisa. O VeinViewer emite uma frequência quase infravermelha (NIR), sem efeito colateral, que permite visualização das veias com até 10 mm de profundidade e uma precisão de 97%. O IOV já realizou um treinamento com todas as enfermeiras no mês de julho e colocou essa tecnologia em operação. Segundo a enfermeira Elisângela Romano, VSM do Fluxo de Assistência do IOV, o aparelho promove mais

conforto e segurança. “Nós sabemos que durante o tratamento em veia periférica, o paciente também precisa coletar sangue, fazer exames com contraste e isso deixa a veia mais sensível. Esse aparelho garante que as

enfermeiras consigam um bom acesso venoso, aumentando o conforto. É um avanço na tecnologia que nos ajuda a sermos mais assertivos ao puncionar a veia, entregando cada dia um melhor tratamento”, destaca.

Equipamento de bioimpedância permite melhor acompanhamento nutricional dos pacientes

D

urante o tratamento oncológico, muitos pacientes podem apresentar quadros de desnutrição ou até mesmo anorexia ou sarcopenia que é uma perda considerável de massa muscular. “A perda de massa magra é comum no paciente oncológico e poderá ser um fator associado ao aumento da toxicidade, redução de dose de quimioterapia, interrupção ou atraso no tratamento”, explica a nutricionista do Instituto de Oncologia do Vale, Isadora Ferreira Silva. Para ajudar a reduzir esses impactos, a equipe multidisciplinar do Instituto de Oncologia do Vale investe na avaliação nutricional. O objetivo do trabalho é avaliar o estado nutricional dos pacientes, auxiliando-os na manutenção ou recuperação do estado adequado, bem como na busca de uma dieta mais

apropriada, direcionada e especializada para cada pessoa. Para oferecer uma avaliação ainda mais precisa, a nutricionista do IOV faz uso da balança de bioimpedância. “Ter esse equipamento torna-se um diferencial para uma melhor avaliação e acompanhamento de cada paciente de uma maneira mais precisa e individualizada, pois ele analisa o percentual de massa muscular e gordura através da passagem de corrente elétrica de baixa voltagem emitida pelo aparelho, por meio de eletrodos colocados em contato com a pele”, destaca Isadora. Ainda de acordo com a profissional, vários estudos já demonstraram a eficácia da bioimpedância como forma de diagnóstico precoce do estado nutricional e auxílio no planejamento das decisões terapêuticas, reduzindo desfechos negativos associados ao tratamento.

Profile for IOV - Instituto de Oncologia do Vale

IOV&VOCÊ Edição 77  

Informativo do Instituto de Oncologia do Vale

IOV&VOCÊ Edição 77  

Informativo do Instituto de Oncologia do Vale

Advertisement