__MAIN_TEXT__

Page 1

69 Ano 16 Março/Abril

2018

Informativo do Grupo IOV

No Dia Mundial da Saúde, IOV estimula a prática de atividades físicas

V

isando estimular a prática de atividades físicas e um estilo de vida mais saudável que contribui para o combate ao câncer, o Instituto de Oncologia do Vale apoiou a caminhada Agita São José, promovida anualmente pela Associação Paulista de Medicina de São José dos Campos. Em sua 13ª edição, o evento comemorativo ao Dia Mundial da Saúde, celebrado em 7 de abril, reuniu cerca de 350 pessoas, que caminharam da Casa do Médico, localizada na avenida São José, até o Parque Vicentina Aranha, onde foram realizadas ações como aferição de pressão e teste glicêmico.

Para estimular os participantes, o IOV criou vários materiais de comunicação com frases de incentivo à prática regular de atividades físicas e distribuiu centenas de viseiras. “Nós mantemos há 5 anos as placas de quilometragem e de estímulo às atividades físicas no Parque Vicentina Aranha, mas para a caminhada preparamos um material especial”, explicou o coordenador de comunicação do IOV, Fabiano Gaspar.

Nós mantemos há 5 anos as placas de quilometragem e de estímulo às atividades físicas no Parque Vicentina Aranha, mas para a caminhada preparamos um material especial.


2

EDITORIAL

LEAN

Lean na saúde: uma jornada onde quem ganha é o paciente

D

esde que começamos a investir no propósito de fazer a diferença com Lean, o Instituto de Oncologia do Vale teve muitas conquistas. Foram muitos treinamentos, projetos e mudanças até chegarmos ao patamar de hoje e nos tornarmos uma referência mundial na aplicação da mentalidade enxuta. Nessa jornada, os maiores beneficiados foram os nossos pacientes que com todas as melhorias no processo contam com uma equipe cada vez mais qualificada, seguindo as melhores práticas mundiais para tornar o cuidado mais seguro e preocupada em manter o fluxo de atendimento em constante evolução. Em 2014, nosso CEO escreveu o Livro “Em busca do cuidado perfeito – aplicando Lean na saúde”, no qual compartilha parte da nossa experiência e relata como o Lean permeou as áreas e os processos do IOV. Hoje, em parceria com o Lean Institute Brasil (LIB), ofereceremos visitas guiadas e recebemos pessoas, inclusive de outros países, interessadas em conhecer nosso modelo de atendimento. O Lean é uma filosofia viva. O desenvolvimento e a evolução ainda estão só no começo, pois a cada dia aprendemos mais e o seu poder de transformar nos leva a expandirmos nosso horizonte nesta jornada rumo a um atendimento de qualidade.

Stela Maris Antunes Coelho

Lean Institute Brasil cria programa de visitas ao IOV para difundir o pensamento Lean

A

abertura da equipe do IOV para receber os visitantes interessados em conhecer como o Instituto aplica Lean em todos os processos e os resultados gerados, levou a um aumento no número de interessados em realizar visitas e deu origem a uma nova atividade em parceria com o Lean Institute Brasil (LIB) para a realização de visitas guiadas e organizadas pela entidade. Segundo o diretor do LIB, Flávio Battaglia, o IOV é uma referência mundial na aplicação do Lean em saúde, que inclusive já despertou interesse de importantes visitantes internacionais. Por contar com tamanho grau de excelência em seus serviços, a instituição foi escolhida para realização de visitas orientadas. “O Instituto de Oncologia do Vale é, com certeza, um dos cases mais interessantes em todo o mundo. No hemisfério sul, não há outro caso tão avançado de aplicação da mentalidade enxuta, onde a equipe realmente virou a chave e hoje pode ser uma inspiração, inclusive para profissionais de outros setores”, afirma. As visitas organizadas pelo Lean Institute tem duração aproximada de um dia e os participantes conhecem as diferentes áreas e processos, passando por gestão da estratégia, fluxos assistenciais, cadeia de suprimentos, faturamento, autorizações e processos suporte, de modo que possam compreender as diferentes dimensões da transformação Lean, bem como interagir com os profissionais diretamente envolvidos nos processo. Após a visita também são realizadas discussões e uma sessão de comentários e feedback dos participantes. Estão sendo oferecidas pelo site do Lean Institute Brasil quatro visitas anuais. Os interessados em participar podem fazer inscrição diretamente no site do LIB. Mais informações podem ser encontradas no www.lean.org.br.

Gerente Lean Office

EXPEDIENTE Responsável Técnico: Dr. Carlos Flávio Turci – CRM 27.301 / Diretoria: Dr. Adriano Diniz B. Mendes, Dr. Carlos Flávio Turci, Dr. Carlos Frederico Pinto e Dr. Marcelo Taborda | Comunicação e MKT IOV: Fabiano Gaspar Vieira | IOV & Você circula junto aos pacientes, familiares, área médica e profissionais da saúde. Correspondências devem ser enviadas sob o título “Jornal IOV & Você” para: Rua Major Antônio Domingues, 472 – SJC – 12.245-750. Tel.: (12) 3924-9055. E-mail:iov@iov.med.br *Registrado no cartório de registro de notas e documentos sob o número 171517 | Produção: Comunikação Consultoria - Tel.: (12) 98156-6744 - www.comunikacao.com.br – Coordenação de Jornalismo e Edição: Areta Braga – Jornalista Responsável: Areta Braga - MTb 38.005 – Redação: Areta Braga e Natália Mitie Fotos: Arquivo/ Divulgação – Diagramação: Adriano Augusto – Revisão: Flávia Gavioli – Gráfica: Copcentro – Tiragem: 600 exemplares.


3

LEAN

Coordenadores do Imed Group realizam visita ao IOV

E

m abril, o IOV recebeu um grupo de 40 coordenadores médicos do Imed Group interessados em conhecer mais sobre a aplicação da mentalidade Lean na área da saúde. “Foi a primeira vez que recebemos um grupo tão grande exclusivamente formado por médicos, tanto que tivemos que dividilos em duas turmas para que pudessem acompanhar mais detalhadamente todas as apresentações. Foi muito gratificante perceber o grande interesse destes profissionais nas práticas do Lean e nos benefícios que elas geram para os pacientes”, afirma a gerente de Lean Office do IOV, Stela Maris Antunes Coelho. Especializado em prestação de serviços médicos na área de medicina intensiva, medicina de urgência e medicina hospitalar nos setores público e privado, o Imed tem mais de 20 anos de experiência e 10 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) na capital paulista e interior, e já vinha aplicando algumas ferramentas do Lean.

“Conseguíamos aplicar razoavelmente bem a ferramenta A3 aprendida em cursos sobre ferramentas LEAN, porém tínhamos muita dificuldade de imaginar como seria uma gestão visual mais robusta e, principalmente, como se constrói uma sala de gestão estratégica. Nas conversas com Dr. Frederico,

CEO do IOV, percebemos que eles tinham algumas das respostas que buscávamos, por isso decidimos levar nossas lideranças. Foi fantástico! Ver com os próprios olhos cria importantes ‘insights’. Percebemos que podemos avançar no conceito de gestão LEAN” conta o CEO do Imed Group, Carlos Augusto Dias.

IOV e LIB realizam curso de Introdução ao Lean Thinking na Saúde

V

isando disseminar as boas práticas e benefícios da mentalidade Lean na área da saúde, o Lean Institute Brasil (LIB) realizou um curso de Introdução do Lean Thinking na Saúde, no Instituto de Oncologia do Vale. Segundo o gerente de projetos do Lean Institute Brasil e instrutor do treinamento, Diogo Kosaka, o curso reuniu pessoas de diversas instituições interessadas em aprender sobre Lean e conhecer as práticas desenvolvidas no IOV, que é reconhecido como uma referência mundial devido aos resultados que tem obtido na aplicação do Lean. “Hoje o IOV, que é um parceiro de longa data do LIB, é referência tanto no segmento de saúde quanto para empresas de outros setores”, explica. Entre os temas apresentados no treinamento estavam os conceitos da filosofia Lean com ênfase na área da saúde. “Falamos sobre como aplicar a metodologia e apresentamos os resultados obtidos com a aplicação da filosofia Lean em um ambiente hospitalar”, afirma Kosaka. Entre os benefícios da aplicação do Lean na área da saúde estão a melhora na qualidade no atendimento, o aumento da segurança do paciente e a redução no tempo de espera. “Com o Lean garantimos um resultado mais assertivo no cuidado e minimizamos possíveis riscos”, conclui Diogo.


4

RELATÓRIOS DE SEGURANÇA

Segurança do Paciente no Grupo IOV Segurança do Paciente no Grupo IOV

ALERTAS DE SEGURANÇA

ALERTAS DEdeSEGURANÇA O Sistemado Gestão do desenvolveu Segurança Paciente noIOV Grupo IOV o Alerta de Segurança com o objetivo de identificar os

potenciais riscos no processo. Quanto mais alertas forem abertos, maior possibilidade de analisar o fluxo

OeSistema Gestão do IOV desenvolveu o Alerta de Segurança comas o objetivo de são identificar os potenciais torná-lode mais seguro. As equipes são responsáveis em identificar falhas, que discutidas no quadroriscos no processo, quanto mais alertas forem abertos, maior possibilidade de analisar o fluxo e torna-lo mais seguro.eAs equipes gerador de ideias. Se algum problema é identificado, analisa o risco, melhora o processo, cria barreiras são responsáveis em oidentificar as ocorra falhas,novamente. que são discutidas no quadro gerador de ideias, se algum problema é padroniza para que evento não ALERTAS DE SEGURANÇA identificado, analisa o risco, melhora o processo, cria barreiras e padroniza para que o evento não ocorra novamente.

O Sistema de Gestão do IOV desenvolveu o Alerta de Segurança com o objetivo de identificar os potenciais riscos no processo, quanto mais alertas forem abertos, maior possibilidade de analisar o fluxo e torna-lo mais seguro. As equipes ALERTAS DE SEGURANÇA - UNIDADES DE RADIOTERAPIA 2017 / 2018 são responsáveis em identificar as falhas, que são discutidas no quadro gerador de ideias, se algum problema é identificado, analisa o risco, o processo, cria barreiras e padroniza para que o evento não ocorra novamente. Alertas demelhora Segurança - Unidades de Quimioterapia 2017 / 2018 400 300

340 244

Alertas de Segurança - 222 Unidades de Quimioterapia 2017 / 216 2018196 196

250 200 400 150 350 100 300 50 250 0 200

340

316

350

164

180

135 92

118

103

316 222

122

340

211

340 244

216 211 196 180 164 jan/17 fev/17 nov/17 dez/17 jan/18 fev/18 mar/18 abr/18 135 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 ago/17 set/17 out/17 122 118 150 103 92 100

Alertas de Segurança - Unidades de Radioterapia 2017 / 2018

50 400

0

196

340 340 jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 316 jun/17 jul/17 ago/17 set/17 out/17 nov/17 dez/17 jan/18 fev/18 mar/18 abr/18

ALERTAS DE SEGURANÇA - UNIDADES DE QUIMIOTERAPIA 2017 / 244 2018 300 222 200 100

164

135

118

180

196

103

216

196

211

122

92 Alertas de Segurança - Unidades de Radioterapia 2017 / 2018

340 340 316 ago/17 set/17 out/17 nov/17 dez/17 jan/18 244fev/18 mar/18 abr/18 300 jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 222 216 211 196 196 180 164 200 135 122 118 103 92 unidades de São José dos Campos e Taubaté Legenda: Os gráficos das ilustram que mantém o número de alertas de 100 400 0

segurança abertos no Grupo IOV. 0

jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 ago/17 set/17 out/17 nov/17 dez/17 jan/18 fev/18 mar/18 abr/18

Legenda: Os gráficos das unidades de São José dos Campos e Taubaté ilustram que mantém o número de alertas de segurança abertos no Grupo IOV.

Os gráficos das unidades de São José dos Campos e Taubaté ilustram que mantêm o número de alertas de segurança abertos no Grupo IOV.


5

A classificação de causas de um possível erro é denominada Evento Sentinela que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é um incidente inesperado e indesejável associado aos cuidados ou serviços prestados ao paciente. O incidente ocorre durante o processo de recebimento de serviços de saúde. EVENTO SENTINELA

SENTINELA POR APLICAÇÕES EM RADIOTERAPIA 2017 / 2018 EVENTO A classificaçãoSENTINELA de causas de um possível erro é denominada Evento Sentinela que, de

acordo com a

0,0009 da0,00081 Saúde (OMS), erro é uméincidente inesperado indesejável associado aoscom cuidados ou AOrganização classificaçãoMundial de causas de um possível denominada EventoeSentinela que, de acordo a Organização 0,00076 0,0008 Mundial da Saúde (OMS), é um incidente inesperado e indesejável associado aos cuidados ou serviços prestados ao serviços prestados ao paciente. O incidente ocorre durante o processo de recebimento de serviços de saúde. 0,0007 O incidente ocorre durante o processo de recebimento de serviços de saúde. paciente.

0,000550,00057

0,0006

SENTINELA POR APLICAÇÃO - UNIDADES RADIOTERAPIA SENTINELA POR APLICAÇÕES EMDE RADIOTERAPIA 2017 /2017 2018/ 2018 0,00044 0,0005 0,0009 0,0004 0,0008 0,0003 0,0007 0,0002 0,0006 0 0,0001

0,000190,00016

0,00032 0,00081 0,00023

0,0003

0,000190,00016

0,0002 0

0,00032 0,00023

0,000210,00019 0

0,00044

0,0005 0 0,0004

0,0001

0,00076 0,00020

0,00017

0,000210,00019

0,00020

0,00017

0

0

0,000550,00057

0

0

SENTINELA POR PROCEDIMENTOS EM QUIMIOTERAPIA - 2017 / SENTINELA POR PROCEDIMENTO - UNIDADES DE QUIMIOTERAPIA 2017 / 2018 2018 0,01600 0,01400 0,01200 SENTINELA 0,01000 0,00862 0,00800 0,00600 0,01600 0,00385 0,00400 0,01400 0,01200 0 0 0,00200 0,01000 0,00862 0,00000

0,01397

POR PROCEDIMENTOS EM QUIMIOTERAPIA - 2017 / 0,008930,00825 2018 0,00600 0,00581

0,00103

0,00800

TRIGGERS 0,00600 TRIGGERS

0,01397 0,00187

0,003220,00355 0

0

0

0,008930,00825 0,00600

0,00581

0,00385

0,003220,00355 0,00400 0,00103 0 0 0 0 0,00200nos gráficos Observamos que o índice de Eventos está próximo de ocorridos 0. em função O Triggersééuma uma0ferramenta ferramenta para medir e Sentinelas investigar possíveis danos em O0,00000 Triggers para medir e investigar possíveis danos ocorridos

0,00187

função de tratamentos de tratamentos LEGENDA: Observamos nos gráficos que o índice Eventos Sentinelas está próximo de 0.Healthcare oferecidos aopaciente. paciente. Inicialmente, foi criada pelo - Institute for Improvement oferecidos ao Inicialmente, ela ela foidecriada pelo IHI - IHI Institute for Healthcare Improvement para o para o TRIGGERS ambiente hospitalar,mas mas a equipe a adaptou o ambiente ambulatorial e clínico. “Esta ferramenta ambiente hospitalar, a equipe do do IOVIOV a adaptou para para o ambiente ambulatorial e clínico. “Esta ferramenta possíveis danos meiomeio de auditorias multidisciplinares, bem como discutir nos permite permite identificar possíveis danos por de auditorias multidisciplinares, bem como ediscutir e O Triggers é umaidentificar ferramenta para medir e por investigar possíveis danos ocorridos em função de tratamentos oferecidos desenvolver planos melhoria da da assistência por meio da criação de barreiras de para prevenção de risco”, desenvolver planospara para melhoria assistência por da criação de barreiras de prevenção de risco”,mas a ao paciente. Inicialmente, ela foi criada pelo IHI - Institute for meio Healthcare Improvement o ambiente hospitalar, explica Dr. Henrique Zanoni Fernandes. LEGENDA: nos gráficos que oZanoni índice de Eventos Sentinelas está próximo denos 0. permite identificar possíveis danos explica oncologista Dr. Fernandes. equipe do IOVooObservamos aoncologista adaptou para o Henrique ambiente ambulatorial e clínico. “Esta ferramenta por meio de auditorias multidisciplinares, bem como discutir e desenvolver planos para melhoria da assistência com a criação de barreiras deGLOBAL prevenção de risco”,TOOL explica o oncologista Dr. Henrique Zanoni Fernandes. TRIGGERS - Unidade de Quimioterapia São José dos

GLOBAL TRIGGERS TOOL - Unidade de Quimioterapia São José dos

Campos 2017 / 2018 GLOBAL TRIGGERS TOOL - UNIDADE DE QUIMIOTERAPIA Campos 2017 / 2018 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 2017 / 2018 8

8

6

6,01

4

3,78

6

24 02

0

1,92 1,25

2,55 2,36

2,55 2,36

2,83 3,78 1,91

5,98

5,70 4,85

6,01 2,83 1,91 0

1,82 1,34

2,26 1,65

2,15 1,31

5,98

5,70 4,35 4,85

4,35

1,87 1,53

2,26 1,92 1,82 0 0 0 0 02,15 1,65 1,34 1,31 1,25 jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 ago/17 set/17 out/17 nov/17 dez/17 jan/18 fev/18 mar/18 abr/18

1,87 1,53

0 0 0 0 0 0 jan/17 fev/17 mar/17 Measure abr/17 #1: mai/17 jun/17 jul/17 ago/17 Measure set/17 #2: out/17 nov/17 dez/17 jan/18 fev/18 mar/18 abr/18 Danos/1000 atendimentos Danos/1000 procedimentos Measure #1: Danos/1000 atendimentos

Measure #2: Danos/1000 procedimentos

TOOL DE - Unidade de QuimioterapiaTAUBATÉ Taubaté 2017 / 2018 GLOBAL TRIGGERSGLOBAL TOOLTRIGGERS - UNIDADE QUIMIOTERAPIA 2017 / 2018

GLOBAL TRIGGERS TOOL - Unidade de Quimioterapia Taubaté 2017 / 2018

20,00

13,38

15,00 20,00

9,57

10,00 15,00 5,00

10,00 0,00

0,00

13,38

6,23

9,57

5,85

3,26 0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

6,23

0,00

0,00

0,00

2,70

3,26

5,85

2,70 5,00 jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 ago/17 set/17 out/17 nov/17 dez/17 jan/18 fev/18 mar/18 abr/18 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

Measure #1: Danos/1000 atendimentos

Measure #2: Danos/1000 procedimentos

jan/17 fev/17 mar/17 abr/17 mai/17 jun/17 jul/17 ago/17 set/17 out/17 nov/17 dez/17 jan/18 fev/18 abr/18 Nos gráficos das unidades de quimioterapia de São José dos Campos e Taubaté, observamos quemar/18 os números

de eventos/danos identificados estão dos padrões estabelecidos benchmarking do IHI, que analisa a Measure #1: Danos/1000 atendimentos Measure #2: Danos/1000 Legenda: Nos gráficos das unidades dedentro quimioterapia de São José dos Campos epelo Taubaté, observamosprocedimentos que os números performance de qualidade tendo como referência o IOM – Institute of Medicine. Os triggers evidenciados foram de eventos/danos identificados, estão dentro dos padrões estabelecidos pelo benchmarking do IHI, que analisa a analisados, tratados e desenvolvido contramedidas. performance de qualidade tendo como referência o IOM – Institute of Medicine. Os triggers evidenciados foram Legenda: gráficos das unidades de quimioterapia de São José dos Campos e Taubaté, observamos que os números analisados,Nos tratados e desenvolvido contramedidas. de eventos/danos identificados, estão dentro dos padrões estabelecidos pelo benchmarking do IHI, que analisa a performance de qualidade tendo como referência o IOM – Institute of Medicine. Os triggers evidenciados foram


6

DESTAQUE

Touca, luva e meias hipotérmicas ajudam na redução de efeitos colaterais durante a quimioterapia

D

epois de anunciar que está enfrentando um câncer de mama, a apresentadora de TV Ana Furtado vem compartilhando em entrevistas e nas redes sociais algumas medidas que tem tomado durante o tratamento para se manter positiva e com a autoestima elevada. Uma delas é usar as toucas hipotérmicas, que ajudam a reduzir a queda dos cabelos. As pacientes que fazem o tratamento de quimioterapia no Instituto de Oncologia do Vale, também tem à disposição, sem nenhum custo adicional, essa mesma touca. “Entendemos que a autoestima é fundamental para que se possa obter uma melhor resposta ao tratamento. E,

Entendemos que a autoestima é fundamental para que se possa obter uma melhor resposta ao tratamento. E, por isso, estamos disponibilizando mais este recurso conforme recomendações atualizadas e evidenciadas em estudos clínicos.

por isso, estamos disponibilizando mais este recurso conforme recomendações atualizadas e evidenciadas em estudos clínicos”, disse a gerente de enfermagem e site manager do Grupo IOV, Leonídia Altoé. O processo de utilização da touca hipotérmica é realizado com acompanhamento médico e de enfermagem especializados. Cerca de 30 minutos antes de começar a quimioterapia, o couro cabeludo do paciente é molhado para facilitar a aderência. Uma touca descartável é colocada para proteger a cabeça, pois a hipotérmica é extremamente gelada e pode ferir o couro cabeludo se ficar em contato direto com a pele por muito

tempo. A cada 30 minutos, a touca hipotérmica é substituída para manter a temperatura baixa, evitando que a quimioterapia chegue ao folículo capilar. Para atingir o máximo do efeito esperado com a utilização da touca hipotérmica também é necessário que o paciente siga algumas recomendações e cuidados com o couro cabeludo e os fios de cabelo no seu cotidiano durante o tratamento. Além da touca, o IOV disponibiliza para os pacientes as luvas e sapatilhas hipotérmicas, que ajudam a minimizar o efeito colateral provocado por alguns tipos de quimioterapia, conhecido como neuropatia e que leva ao formigamento das mãos e pés, alterações da sensibilidade e até perda de equilíbrio. A medida segue recomendações pioneiras evidenciadas em estudos clínicos recentes que apontaram que o benefício (chance de não ter alterações na sensibilidade) pode atingir até 80% das pessoas. Assim como no caso da touca, o processo de utilização das luvas e sapatilhas hipotérmicas é realizado com acompanhamento médico e de enfermagem especializados. Cerca de 15 minutos antes de começar a quimioterapia, as luvas e sapatilhas são retiradas de um freezer especial e colocadas no paciente para iniciar o processo de resfriamento das mãos e dos pés. Elas são substituídas por outras, a cada 45 minutos, para manter a temperatura gelada.

ENTENDA COMO FUNCIONAM A TOUCA, AS MEIAS E AS LUVAS HIPOTÉRMICAS Quando se coloca as luvas e sapatilhas hipotérmicas, os vasos sanguíneos superficiais das mãos e dos pés se contraem, diminuindo o fluxo de sangue na região, e dessa forma, a quantidade de medicamento que chega até os nervos sensoriais é menor. Já a touca provoca a contração dos vasos sanguíneos da região do couro cabeludo, diminuindo o fluxo de sangue na região. Dessa forma, a quantidade de medicamento que chega até a raiz do cabelo é menor. A chance de diminuir a queda de cabelo varia entre 50% a 60%.


7

COMUNICAÇÃO

Médico e enfermeira do IOV participam de programa nacional de TV para esclarecer dúvidas sobre quimioterapia

P

ara ajudar a desmistificar a quimioterapia e seus possíveis efeitos colaterais, o médico oncologista Dr. Luiz Alexandre Albuquerque Freixo Campos e a enfermeira oncológica Flaviane da Cunha, do Instituto de Oncologia do Vale, participaram do programa Manhã Leve, apresentado pela jornalista Maria Cândida na TV Aparecida. Em uma entrevista descontraída, eles responderam às perguntas dos telespectadores e ainda mostraram a touca, as luvas e as sapatilhas hipotérmicas que são utilizadas para reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia. Segundo o Dr. Luiz Alexandre, a incidência do câncer aumentou muito nas últimas décadas, porém houve grande melhora dos tratamentos

disponíveis. “A maioria dos tratamentos envolve a quimioterapia, que é um procedimento carregado com um grande estigma e que permanece obscuro para a população em geral. É importante desenvolver um trabalho na mídia para conscientizar a comunidade

de que ela é algo frequente e muito mais simples do que parece, de modo que em caso de necessidade, os pacientes não tenham receios em iniciar um tratamento e aprendam a lidar com os efeitos adversos que podem ocorrer ao longo da terapia”, afirma.

Compartilhando Riso distribui alegria nas unidades do Grupo IOV Comunicação ampliada

O

P

ara trazer mais alegria aos pacientes e à equipe do Grupo IOV, em abril, a turma do Compartilhando Riso visitou o Cenon Major e o IOV de São José dos Campos. Esse momento que rendeu boas gargalhadas, faz parte da agenda de visitas mensais que estão sendo promovidas pelos doutores palhaços como parte da programação das Oficinas de Qualidade de Vida.

Instituto de Oncologia do Vale continua ampliando sua comunicação, em Taubaté, por meio da instalação de outdoors e de itens de sinalização na praça Santa Terezinha, um dos mais importantes pontos para a prática de atividades físicas ao ar livre na cidade. A pista de corrida recebeu uma nova sinalização e também foram instaladas novas lixeiras que estampam a marca do IOV.


8

QUALIDADE DE VIDA

Dia do cuidador debate inversão de papéis e importância da empatia

V

isando apoiar os familiares que assumem o papel de cuidador a se manterem saudáveis e em equilíbrio e também ajudá-los a auxiliar os pacientes, foi realizada mais uma edição do Dia do Cuidador. Entre os temas debatidos com os participantes estiveram as mudanças de papel e a necessidade de cuidar de si mesmo para cuidar do outro. Segundo a psicóloga do IOV Patrícia Castro, quando alguém está doente, os familiares continuam esperando posturas de acordo com o papel original do paciente, mas naquele momento a pessoa muitas vezes não consegue mais exercê-lo e necessita de cuidados. “O ideal é racionalizar, ouvir como o outro se sente e necessita e não entrar em discussões. Muitas vezes o pai ou a mãe que resolviam tudo agora estarão dependentes e terão dificuldade de

pedir e aceitar ajuda. Também é muito importante conseguir um tempo para cuidar de si, sem culpa, pois para derramar cuidado e amor é preciso estar bem”, disse a psicóloga. Para a terapeuta Sibelle Bacelar Paixão Ignácia, que há mais de um ano cuida do marido que trata um câncer de pulmão, eventos como o Dia do Cuidador são excelentes para apoiar quem cuida. “Apesar de já trabalhar com terapias, agora estou do outro lado, então é muito importante encontrar espaço para ficar bem e fazer mais pelo outro”, disse. A dona de casa Rita de Cássia Magalhães de Oliveira que cuida da mãe que tem câncer de mama, ressalta a importância deste tempo para si mesma. “Muitas vezes me sentia sobrecarregada com a rotina.

Agora aprendi a dizer hoje é meu dia, e reservo um tempo para mim”, concluiu.

CONFIRA ALGUMAS DICAS PARA OFERECER UM CUIDADO MAIS EFICAZ: 1. Pergunte sempre - muitas vezes para o paciente pedir ajuda pode ser um sacrifício. Coloque-se no lugar do outro porque podem haver constrangimentos. 2. Escute - dê ouvidos à voz do paciente. 3. Observe o outro na vida dele – não se coloque como modelo, respeite a individualidade do paciente. 4. Ajude. 5. Pergunte de novo.

Profile for IOV - Instituto de Oncologia do Vale

IOV&VOCÊ Edição 69  

Informativo do Grupo IOV

IOV&VOCÊ Edição 69  

Informativo do Grupo IOV

Advertisement